Faculdade Dom Pedro II MANUAL DO ALUNO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Faculdade Dom Pedro II MANUAL DO ALUNO"

Transcrição

1 Faculdade Dom Pedro II MANUAL DO ALUNO

2 BOAS VINDAS Seja bem-vindo a Faculdade Dom Pedro II! Estamos iniciando mais um período letivo e nossa maior alegria é recebê-lo como parte de nossa Instituição. Ao acreditar em nossos ideais e vir estudar na DOM PEDRO II, você nos permite compartilhar de boa parte de sua vida e contribuir de forma ímpar para a sua formação profissional e pessoal. Sentimo-nos orgulhosos em tê-lo como parte da história que estamos construindo. A você que inicia agora o curso superior, que está dando início a esta fase especial, cheia de conquistas, esteja certo de que o seu sonho é parte das nossas metas e que estaremos trabalhando arduamente para torná-lo um profissional capaz e um cidadão completo. Este é o Manual do Aluno, que tem como finalidade prestar-lhe esclarecimentos sobre nossa Instituição. Para qualquer eventual dúvida que possa surgir no decorrer do semestre, uma equipe especialmente treinada estará lhe aguardando no atendimento ao aluno, no campus 01 em frente a praça da Inglaterra. Obrigado por confiar na Dom Pedro II e por Instituição. ter escolhido a nossa

3 A INSTITUIÇÃO A Faculdade Dom Pedro II é uma Instituição de Ensino Superior (IES), sediada no município de Salvador, Bahia, fundada em 13 de maio de 2005, mediante a Portaria de Credenciamento do MEC nº Ela foi concebida para atender às necessidades da comunidade local no que diz respeito à formação de cidadãos em terceiro grau e para fomentar o desenvolvimento da região metropolitana de Salvador e adjacências. Idealizada dentro do Plano de Revitalização do Comércio da Prefeitura Municipal de Salvador, a Faculdade tem se engajado diretamente na revitalização do bairro, através do apoio e incentivo a ações que representem melhorias para o local, que não se limitam ao fomento de novas empresas, mas ao próprio renascimento de toda uma cultura secular que se encontra estampada em cada canto e esquina. Focada em atender a um público que anseia por uma educação de qualidade, acessível e socialmente responsável, dentro de um contexto de tradição e cultura que caracteriza o Centro Histórico de Salvador A Dom Pedro II oferece cursos de administração, letras, serviço social, sistemas de informação, direito, pedagogia, fisioterapia, farmácia, enfermagem e ciências contábeis. Oferece também cursos de pós-graduação nas 5 grandes áreas: Gestão, Educação, Saúde, Tecnologia e Ciências Jurídicas. PROPOSTA A proposta da Faculdade D. Pedro II é a implantação de cursos de nível superior que estejam em conformidade com a região baiana, em particular, a região metropolitana de Salvador e a área de revitalização do Comércio, para atender a comunidade circunvizinha quanto a uma formação de alto nível. Para tanto, selecionou carreiras que estejam afinadas com as características socioculturais da região, voltadas para o comércio, a indústria, o turismo e outras vertentes econômicas.

4 CURSOS OFERECIDOS Todos os cursos oferecidos pela Faculdade Dom Pedro II são devidamente autorizados pelo Ministério da Educação a funcionar e são eles: - Bacharelado em Administração, com duração de 08 (oito) semestres, Autorizado pela Portaria Ministerial nº 1.641/05; - Bacharelado em Direito, com duração de 10 (dez) semestres, Autorizado pela Portaria Ministerial nº 422/06; - Bacharelado em Sistemas de Informação, com duração de 08 (oito semestres), Autorizado pela Portaria Ministerial nº 3.331/05; - Licenciatura em Letras com habilitação em Português e Inglês e respectivas Literaturas, com duração de 07 (sete) semestres, Autorizado pela Portaria Ministerial nº 2.474/05; - Licenciatura em Pedagogia, com duração de 07 (sete) semestres, nos turnos Matutino, Autorizado pela Portaria MEC 769/06. - Bacharelado em Ciências Contábeis, com duração de 08 semestres, autorizado pela Portaria Ministerial nº855/07; - Bacharelado em Fisioterapia, com duração de 10 (dez) semestres, autorizado pela Portaria Ministerial 34/08; - Bacharelado em Serviço Social, com duração de 08 (oito) semestres, autorizado pela Portaria Ministerial 74/08; - Bacharelado em Farmácia, com duração em 10 (dez) semestres, autorizado pela Portaria Ministerial 173/ Bacharelado em Enfermagem, com duração de 10 (dez) semestres, autorizado pela Portaria Ministerial nº /06;

5 PÓS-GRADUAÇÃO

6 ESTRUTURA FÍSICA E TRANSPORTE A Faculdade conta hoje com 3 campi no Bairro do Comércio, Centro de Salvador, local bem abastecido de serviços e empresas, com toda a infra-estrutura necessária como: Salas climatizadas, Biblioteca ampla e com grande acervo, Laboratórios de Saúde e Laboratórios de Informática, dentre outros, além de muito espaço para ampliação. O Local, além de ter uma grande oferta de transporte municipal, através do Terminal da França, também possui opções intermunicipais, como é o caso das cidades vizinhas, pelo mesmo terminal, e por meio de embarcações que fazem linha para toda a Baia de Todos os Santos e rios de acesso.

7 NORMAS DE CONDUTA A Direção da Faculdade Dom Pedro II lembra a toda o Corpo Discente que comportamentos antiéticos e amorais que perpassem desrespeito a Diretores, Coordenadores, professores e/ou funcionários da Faculdade, perturbação da ordem, incitação a desordem, quebra da rotina acadêmica, prejuízos materiais e/ou morais, são considerados ATOS NO- CIVOS a boa convivência social e institucional, passíveis de sanções previstas no Regimento Interno, aprovado pelo Ministro de Estado da Educação. O aluno deverá: - Tratar com cortesia e respeito os colegas, professores e funcionários; - Manter sempre um comportamento adequado aos princípios morais de boa conduta e de convivência social; - Observar as normas legais e regulamentares e o calendário acadêmico, ; - Zelar pelo mobiliário e material didático, bem como de tudo o que é de uso coletivo, responsabilizando-se pelo material danificado por negligência, omissão ou dolo; - Colaborar com a limpeza e conservação do Campus, - Levar ao conhecimento de autoridade superior qualquer irregularidade que possa prejudicá-lo, às demais pessoas ou à instituição; - Possuir seu cartão de identificação (carteira de ACESSO) e apresentá-lo sempre que solicitado. - O aluno que tiver o cartão de identificação extraviado poderá solicitar a 2ª via do mesmo no atendimento ao aluno campus 01, Térreo - Praça da Inglaterra, MEDIANTE PAGAMENTO DA TAXA VIGENTE. Não é permitido: - Fumar nas salas de aula e laboratórios; - Usar boné, walkman, ou similares nas salas de aula e laboratórios (celular será permitido somente no modo silencioso). O não cumprimento da determinação implicará em advertência e recolhimento do objeto por parte do professor ou do setor de disciplina; - Usar de pornografia e/ou palavras de baixo calão; - Desacatar e/ou desobedecer a professores ou funcionários; - Portar qualquer instrumento ou material que represente perigo para a saúde ou coloque em risco a segurança e a integridade física e moral, sua ou de outrem;

8 REGIMENTO INTERNO Das Penas Aplicáveis ao Corpo Discente Art Os membros do Corpo Discente estão sujeito às seguintes penas disciplinares: I - advertência verbal; II - repreensão; III - suspensão; IV - desligamento. Art A pena de advertência é aplicável: I - por desrespeito ao Diretor Geral da Faculdade a qualquer membro do corpo docente ou técnico-administrativo; II - por perturbação da ordem no recinto da Faculdade; III - por prejuízos materiais causados à Faculdade. Art A pena de repreensão é aplicável nos casos de reincidência em falta prevista no artigo anterior. Art A pena de suspensão, de até trinta (30) dias, é aplicável: I - por agressão a outro aluno; II - por ofensa a qualquer membro do corpo docente ou técnico-administrativo; III - por improbidade na execução dos trabalhos escolares; IV - por ofensa moral ao Diretor Geral da Faculdade ou a qualquer autoridade da administração; V - por atentado doloso contra o patrimônio moral, científico, cultural ou material da Faculdade; VI - pela tentativa de impedimento do exercício de funções pedagógicas, científicas ou administrativas da Faculdade. Art A pena de desligamento é aplicável: I - por reincidência em infrações referidas no Item VI do artigo anterior; II - por agressão ao Diretor Geral da Faculdade ou a qualquer membro do corpo docente ou técnico administrativo; III - por atos incompatíveis com a dignidade da vida acadêmica

9 REGIMENTO I NTERNO LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA O presente regimento dispõe sobre as normas de conduta e utilização do espaço físico destinado ao Laboratório de Informática dos alunos da Faculdade Dom Pedro II, quanto ao uso dos seus equipamentos, material permanente e de expediente, bem como, dos softwares disponíveis. CAPÍTULO I Dos Objetivos Artigo 1º - Os Laboratórios de Informática têm como objetivos: a) Centralizar os recursos computacionais da área acadêmica da Faculdade Dom Pedro II Dando suporte a alunos e aos professores, auxiliando-os durante as aulas e pesquisas de extensão; b) Fornecer subsídios para a elaboração de ementas e programas das disciplinas na área de informática. Artigo 2º - Entende-se por equipamentos todos os computadores, impressoras, estabilizadores e demais periféricos disponíveis para uso no laboratório. CAPÍTULO II Da Localização, Horários de Funcionamento e Estrutura Física: Artigo 3º - Os laboratórios de informática da Faculdade Dom Pedro II, encontram-se localizados no 1º andar do Campus II e seus horários de funcionamento são pré-determinados em função do uso e número de pessoas, das características das atividades nele desenvolvidas. conforme o art. 5. Salvo em caso de situação extraordinária. Horário de funcionamento do Laboratório: a) Durante o período letivo Lab-03 de segunda à sexta-feira: Das 7:30 horas as 12:00 horas e das 15:30 horas às 21:30 horas. b)aos sábados Lab-03: Das 08:00 horas às 12:00 horas. c) No período de férias: De segunda a sexta-feira Lab-03 Das 11:00 horas às 16:00 horas.

10 Artigo 4º - Estrutura física: A Faculdade Dom Pedro II dispõe de cinco laboratórios de informática; o Lab-01, Lab-02, Lab-03, Lab-04 e Lab-05. 1º ; O Laboratório Lab-01, é o laboratório disponível para aulas conforme Capitulo VI a todos que se enquadram no artigo 5º, Possui 25 micro computadores, acesso a Internet, pacote de softwares básico utilizados para aulas, exceto aulas do curso de Sistema de Informação, e capacidade para 50 alunos. 2º ; O Laboratório Lab-02, servirá como laboratório de apoio para aulas ou para grupos de estudos de acordo com o POP (procedimento operacional padrão) 001/07 estabelecido. Ele possui 11 micro computadores, com o mesmo pacote de software utilizados para aulas e pesquisas, possui acesso a Internet, com capacidade para 22 alunos. 3º ; O Laboratório Lab-03, é o laboratório central para acessos, seu horário de funcionamento está de acordo com o artigo 3º, sua utilização está de acordo com Capitulo V, o artigo 5º e o capitulo VI. É o laboratório -1 do curso de sistema de Informação onde o meso possui prioridade para aulas, possui 25 micro computadores com o pacote de software necessário para aulas e pesquisas, bem como, acesso a Internet, com capacidade para 50 alunos. 4º ; O Laboratório Lab-04, é de prioridade do Curso de Sistema de Informação para turma avançadas (a partir do 5º semestre), possui 24 micro computadores com o pacote de software necessário para aulas e pesquisas, 1 micro computador para professor, equipamento de multimídia fixo, bem como, acesso a Internet, com capacidade para 48 alunos e sua utilização está conforme Capitulo VI. 5º ; O Laboratório Lab-05, é de prioridade do Curso de Sistema de Informação para turma avançadas (a partir do 5º semestre), possui 30 micro computadores com o pacote de software necessário para aulas e pesquisas, bem como, acesso a Internet, com capacidade para 60 alunos e sua utilização está conforme Capitulo VI. CAPÍTULO III Dos Usuários Artigo 5º - Somente alunos regularmente matriculados, professores, coordenadores e funcionários vinculados a esta Instituição, poderão ter acesso aos equipamentos dos Laboratórios. Parágrafo Único Os usuários serão monitorados pelo CPD, inclusive quanto ao acesso à internet. Artigo 6º - São direitos dos usuários: a) utilizar o laboratório para a realização de trabalhos curriculares e extracurriculares, desde que vinculados aos cursos oferecidos pela Faculdade Dom Pedro II; b) solicitar auxílio aos monitores no sentido de dirimir dúvidas quanto ao uso de: hardware e software; c) apresentar sugestões quanto ao uso e melhoria do funcionamento do laboratório; d) sugerir novas aquisições de equipamentos e softwares; e) sugerir cursos de extensão universitária; f) usufruir os serviços de armazenamento de arquivos, no momento em que tais serviços estiverem disponíveis. Artigo 7º - A utilização dos equipamentos só poderá ser feita por pessoas autorizadas, com livre acesso aos Laboratórios, através de sua própria conta de acesso ou de uma conta coletiva conforme as regras estabelecidas.

11 Artigo 8º - Constituem-se condutas comportamentais proibidas durante o uso dos laboratórios: a) consumir bebidas e alimentos no local; b) conversar em tom de voz muito alto de modo a incomodar os colegas que pesquisam ou trabalham no local; c) sentar-se sobre mesas e bancadas do laboratório; d) utilizar celulares no local; e) utilizar equipamentos de som (mp3, mp4, ipod dentre outros), sem o devido fone de ouvido; f) usar de palavreados pornográficos ou impróprios; g) entrar trajando roupas de banho, sem camisas ou de short curto; h) deteriorar, danificar ou lesionar os equipamentos do Laboratório. Artigo 9º - Constituem-se atividades proibidas: a) a utilização dos equipamentos para fins recreativos; b) a execução de atividades e serviços que não façam parte do conteúdo das disciplinas curriculares cursadas pelo aluno; c) o acesso indevido às áreas protegidas da rede; d) a realização de testes de quaisquer natureza que envolvam os recursos computacionais da rede, sem autorização expressa do Coordenador do Laboratório de Informática; e) a sabotagem dos equipamentos; f) o roubo de Informações; g) a disseminação de vírus; h) a utilização dos equipamentos para fins criminosos ou ilegais; 1º - Está vetado o uso de impressoras para impressão de qualquer documento. 2º - Não é permitido aos usuários, em hipótese alguma, a retirada ou troca de quaisquer equipamentos (CPU s, mouses, teclados, monitores, estabilizadores, no-breaks, hub s, cabos de força ou cabos lógicos) do laboratório nem de seus acessórios / periféricos sem a prévia autorização, por escrito, da Equipe de Informática da Faculdade Dom Pedro II; 3º - Quaisquer ajustes que, porventura se façam necessários nos equipamentos, devem ser solicitados aos funcionários responsáveis. 4º - Está vetado a instalação de Softwares sem a devida autorização, por escrito, por parte do CPD ou da Direção da Faculdade. 5º A IES não se responsabiliza por aparelhos eletro-eletrônicos de uso dos alunos como pendrives, MP3, MP4 ou qualquer outro aparelho do gênero, em caso de perdas ou danos. Artigo 10º - Alunos do Curso de Sistema de Informação possuem autorização para utilizar as duas plataformas instaladas nas máquinas do Laboratório. 1º - Quando utilizar a plataforma Windows o aluno terá que reiniciar a máquina, uma vez que nossa Plataforma Padrão é a Linux. 2º - Em casos de indisciplina, um comitê deliberativo formado pelo coordenador do CPD, diretor acadêmico e o coordenador de área e julgará a indisciplinaridade e a turma poderá sofrer uma advertência verbal ou o bloqueio de conta.

12 CAPÍTULO IV Dos Monitores Artigo 11º - São atribuições da equipe de Monitoria: a) informar a coordenação sobre o funcionamento do Laboratório, conforme procedimento 007/08; b) prestar orientações aos usuários sobre a correta utilização dos hardwares e softwares instalados; c) instalar e manter os hardwares e softwares em condição de uso, conforme procedimento 002/07; d) encaminhar ou fazer solicitação ao Coordenador do CPD para conserto dos equipamentos avariados conforme procedimento 007/08 e 002/07; e) encaminhar solicitação de materiais para consumo interno conforme procedimento 007/08; f) zelar pela conservação e bom uso dos equipamentos; g) cadastrar usuários para utilização do Laboratório nas condições previstas nos procedimentos 003/07 e 010/08; h) participar de reuniões com a administração, sempre que solicitado, sugerindo mudanças necessárias; i) abrir e fechar o Laboratório nos horários estabelecidos verificando todos os aspectos de segurança; j) informar a administração sobre os usuários que desenvolverem atividades proibidas ou praticarem atos contrários às determinações contidas neste regimento interno e demais regulamentos desta IES, conforme procedimento 007/08. l) cumprir o horário de trabalho. m) eliminar vírus eletrônico em disquetes infectados, sempre que detectado, conforme procedimento 002/07; n) fazer, pessoalmente, o monitoramento e reajustamento para a utilização dos equipamentos. Artigo 12º - É vedado aos monitores e funcionários alocados no LIFDPII realizar quaisquer atividades que sejam da responsabilidade dos usuários, tais como elaboração, digitação e formatação de trabalhos, pesquisas acadêmicas, pesquisas e donwloads de arquivos através da Internet, bem como, a realização de exercícios com o auxílio de software reservados para as aulas práticas, etc. Artigo 13º - A responsabilidade pelo funcionamento dos Laboratórios de Informática é do monitor, ficando a sua manutenção e instalação de softwares dos equipamentos sob a responsabilidade do CPD conforme procedimento 002/07. Artigo 14º - Toda e qualquer anomalia no funcionamento do LIFDPII, por parte do usuário ou professor, deverá ser registrada ao monitor do laboratório de informática que ali esteja presente ou encaminhar o relato do problema de forma mais clara possível para o 1º Deve conter no o problema encontrado e a maquina que apresentou o problema. 2º Na parte de traz de todos os computadores, há um tombo para facilitar a identificação do equipamento em caso de problemas.

13 CAPÍTULO V Dos Professores Artigo 15º - O professor que fizer uso do Laboratório para aula ficará inteiramente responsável pelo cumprimento das normas deste regulamento, durante a sua permanência no local, bem como pelos equipamentos do mesmo, sendo da sua inteira responsabilidade: 1º - solicitar ao Coordenado do Laboratório a instalação de qualquer software que o mesmo necessite para a aula. ou não. 2º - trazer o software solicitado dando mecanismos para a aquisição do software, seja através da Internet 3º - orientar os monitores quanto a instalação dos softwares solicitados, através de tutoriais ou manual. CAPÍTULO VI Das Reservas Artigo 16º - Ao inicio de cada semestre, para otimizar a marcação de aulas práticas, os professores com disciplinas ministradas no Laboratório deverão elaborar um cronograma para utilização relacionando os softwares a serem utilizados. Artigo 17º - As reservas para aulas práticas são inicialmente marcadas pelo Coordenador de Laboratório de Informática, mediante a acordo entre as Coordenações dos Cursos, no início de cada semestre letivo, através de cronograma estabelecido. Artigo 18º - Tipos de reservas. 1º - Podem ser feitas de forma fixa, ou esporádicas. 2º - As reservas fixas devem ser feitas no início de cada semestre, através de combinações entre Professores, Coordenadores dos cursos e o Coordenador do Laboratório, conforme artigo 16º. 3º - As disponibilidades serão afixadas no Murais de Reservas que se encontram nas portas dos Laboratórios de Informática todas as sextas-feiras. 4º - As reservas esporádica deverão ser feitas até a quinta-feira de cada semana, conforme o parágrafo 4º do artigo 17º. Caso não seja aprovada, o professor será informado por ou telefone, até a sexta-feira que a antecede a reserva. 5º - Quanto às reservas esporádicas, prevalece aquela que foi feita em primeira ordem; salvo quando um dos professores ceder, espontaneamente. 6º - Nas reservas do laboratório LAB-03, LAB-04 e Lab-05, será dada a preferência ao Curso de Sistema de Informação devido a sua extrema necessidade. 7º - Havendo choques de horários no mesmo curso, a solução ficará a cargo do Coordenador do Curso, caso contrário valerá a primeira solicitação. 8º - Reservas para o curso de Sistema de Informação são feitas na coordenação do curso ficando apenas ao setor de informática da IES divulgação das reservas no mural de reservas dos laboratórios de informática. Artigo 19º - Caso a demanda, por salas, para realização de aulas seja maior que a disponibilidade, a Coordenação do LIFDPII deverá solicitar à Direção Acadêmica que faça uma intervenção para elaboração de um novo horário. Artigo 20º - Os cursos extras, tais como extensão e outros, devem ser programados, com antecedência de 15(quinze) a 30 (trinta) dias.

14 Das Rotinas de Serviço Artigo 21º - Compete à Coordenação do LIFDPII, considerando as limitações técnicas existentes, estabelecer cotas individuais de espaço, em disco, para armazenamento temporário de arquivos dos usuários. Artigo 22º - Os usuários deverão ter seu próprio material para confecção de suas cópias de segurança e serão responsáveis por sua realização, periodicamente, uma vez que o armazenamento no servidor de arquivos tem caráter temporário, além do que os discos rígidos disponíveis nos equipamentos serão revisados semanalmente, sendo, portanto, removidos arquivos que não façam parte da configuração básica do Laboratório. Artigo 23º - É vedada a instalação de quaisquer softwares, salvo se for autorizada pela Coordenação do Laboratório. Artigo 24º - É vedado ao usuário realizar quaisquer alterações nas configurações do sistema ou da rede sem a devida autorização da Coordenação,independentemente, das possibilidades e permissões de sua conta individual para realizar tais operações. Das Penalidades Artigo 25º - Caso comprovada a depredação de equipamentos e mobiliários do LIFDPII, por parte de determinado usuário, este fica obrigado a ressarcir a despesa pelo dano causado. CAPÍTULO VII Da Utilização da Internet Artigo 26º - Todos os usuários do Laboratório poderão ter acesso à Internet. 1º - Todo acesso a internet é monitorado. 2º - Não é recomendado acessos a bancos. Artigo 27º - O uso da Internet tem como objetivo principal contribuir com o melhor desenvolvimento das atividades acadêmicas. Artigo 28º - A utilização da Internet deverá estar voltada para o enriquecimento das aulas, pesquisas e trabalhos extra-classe orientadas pelos professores. Artigo 29º - É terminantemente proibido a utilização da Internet para outras finalidades não especificadas no artigo 9, tais como salas de bate-papo, chats, talk, ircs e serviços similares, bem como, sites pornográficos, serviços de mensagens a telefones celulares, etc. Artigo 30º - Os serviços de Internet oferecidos pelo LIFDPII são de: a) transferência de arquivos; b) acesso às páginas www.

15 CAPÍTULO V Dos Professores Artigo 15º - O professor que fizer uso do Laboratório para aula ficará inteiramente responsável pelo cumprimento das normas deste regulamento, durante a sua permanência no local, bem como pelos equipamentos do mesmo, sendo da sua inteira responsabilidade: 1º - solicitar ao Coordenado do Laboratório a instalação de qualquer software que o mesmo necessite para a aula. ou não. 2º - trazer o software solicitado dando mecanismos para a aquisição do software, seja através da Internet 3º - orientar os monitores quanto a instalação dos softwares solicitados, através de tutoriais ou manual. CAPÍTULO VIII Da Utilização da rede Wirelles Artigo 31º - A faculdade Dom Pedro II dispões de uma rede sem-fio para alunos devidamente enquadrados no Artigo 5º. 1º - Sua utilização está associada ao capitulo VII deste regimento e ao procedimento 011/08. Das Disposições Gerais Artigo 32º - A lista de procedimento se encontra à disposição no portal do aluno ou poderá ser solicitada pelo e- mail Artigo 33º - Quaisquer dúvida ou pedido de alteração do presente regimento deverá ser encaminhado ao CPD, através do ou até para esclarecimento, cumprimento ou avaliação das normas contidas neste documento. Artigo 34º - O presente regimento entra em vigor a partir da publicação oficial no site: edu.br.

16 EDUCRED - Sistema Próprio de Crédito Estudantil CRÉDITOS EDUCACIONAIS O Ministério da Educação anunciou no mês de agosto de 2008 que, entre 1996 e 2006, houve um crescimento de 600% no número de vagas do ensino superior na Bahia. A maior parte dessas vagas foi criada na rede particular de ensino onde o aumento foi de 1.132% contra 143% da rede pública. Entretanto, apesar da maior facilidade para ingressar na faculdade, o estudante esbarra na carência financeira para concluir o curso. Diante dessa realidade, a Faculdade D. Pedro II, que possui um projeto pedagógico baseado no compromisso social com a educação e pratica valores de mensalidades abaixo da média de mercado, oferece o Educred, um sistema próprio de crédito estudantil. Através deste programa, alunos matriculados e candidatos inscritos nos processos seletivos da D. Pedro II, que não dispõe de recursos suficientes, próprios ou familiares, para o custeio de seus estudos, podem financiar até 50% do curso. Atualmente, cerca de 200 alunos usufruem dessa vantagem. A taxa de juros é de 0,1% ao mês e o estudante só poderá ter acesso ao benefício se não participar de nenhum outro sistema de financiamento porque a proposta da instituição é de proporcionar essa facilidade ao maior número de estudantes possível. Outro critério para aderir ao Educred é que os interessados sejam comprovadamente carentes e tenham bom desempenho acadêmico. Caso não tenha estudado em escola pública, o estudante deverá apresentar comprovante de bolsista de escola particular. Toda a regulamentação do Educred pode ser consultada através do site edu.br ou na própria faculdade. Há também outras opções de financiamento. Caso não se encaixe no perfil do Educred, a D. Pedro II oferece também o FIES e o ProUni. Para maiores informações o candidato ao crédito deve entrar em contato com Departamento de Serviço Social da instituição, através do telefone : ou através do site:

17 Campi 1: Av. Estados Unidos, 18/20, Comércio - Salvador/BA Campi 2: Av. Miguel Calmon, s/n, Comércio - Salvador/BA ENDEREÇOS E CONTATOS Central de Atendimento: (71) Site: Coordenação de Direito Matutino: Coordenação de Enfermagem: Coordenação de Sistema de Informação: Coordenação de Pedagogia: Coordenação de Serviço Social: Coordenação de Ciências Contábeis: Coordenação de Fisioterapia: Coordenação de Farmácia: Coordenação de Letras com Inglês: Coordenação de Administração: Pós-graduação: Ouvidoria:

18 PROCEDIMENTOS ACADÊMICOS Os procedimentos gerais fazem parte da rotina administrativa e acadêmica da Instituição e devem ser desencadeados mediante requerimento firmado no Setor de Atendimento ao Aluno. MATRÍCULA DE ALUNOS NOVOS A matrícula deverá ser requerida na Central de Matrícula ou no Atendimento ao Aluno, juntamente com toda documentação necessária, onde será feito o cadastramento do candidato e o pagamento do valor correspondente à taxa de Matrícula, bem como a assinatura do Contrato de Prestação de Serviços Educacionais. A matrícula só terá validade a partir do momento que o candidato estiver com todo o procedimento acadêmico e financeiro finalizado e não restar pendências nos mesmos. O valor da matrícula corresponde a 1ª prestação da semestralidade acadêmica e deve ser pago integralmente. O aluno impedido de matricular-se deverá nomear um responsável legal ou procurador, para que o mesmo possa realizar este procedimento dentro do prazo estabelecido. Documentos necessários: - RG - CPF - TÍTULO DE ELEITOR - COMPROVANTE DE VOTAÇÃO - COMPROVANTE DE RESIDÊNCIA - CARTEIRA DE RESERVISTA (HOMENS). - CERTIDÃO DE NASCIMENTO/ CASAMENTO - HISTÓRICO ESCOLAR DO 2º GRAU - 2 FOTOS 3X4 MATRÍCULA DE ALUNOS VETERANOS A matrícula de alunos veteranos será renovada semestralmente e em prazos estabelecidos no Calendário Acadêmico. A matrícula deverá ser requerida na Central de Matrícula ou no Atendimento ao Aluno, juntamente com toda documentação necessária, onde será feito o cadastramento do candidato e o pagamento do valor correspondente à taxa de Matrícula, bem como a assinatura do Contrato de Prestação de Serviços Educacionais. A matrícula só terá validade a partir do momento que o aluno estiver com todo o procedimento acadêmico e financeiro finalizado e não restar pendências nos mesmos. O valor da matrícula corresponde a 1ª prestação da semestralidade acadêmica e deve ser pago integralmente. O aluno impedido de matricular-se deverá nomear um responsável legal ou procurador, para que o mesmo possa realizar este procedimento dentro do prazo estabelecido. A não renovação da matrícula caracteriza abandono do curso, implicando desvinculação do aluno com a instituição, contudo, não o isenta dos pagamentos vencidos e vincendos até o término do Contrato de Prestação de Serviços Educacionais. (CONVERTER FORMATO DA PLANILHA DE INFORMAÇÕES ENVIADA)

19 CANCELAMENTO DE MATRÍCULA O cancelamento da matrícula encerra de forma irreversível o vínculo com a Instituição. O aluno só poderá retornar através da sua aprovação em um novo processo seletivo. O aluno poderá solicitar o cancelamento da matrícula em qualquer época do curso. O deferimento da solicitação estará condicionado a inexistência de irregularidades administrativas e/ou financeiras. A taxa de cancelamento deverá ser paga no Setor Financeiro da faculdade Dom Pedro II até o último dia útil do Mês da solicitação. Caso o aluno efetue o cancelamento antes do início efetivo das aulas, ele não pagará a taxa de cancelamento e será ressarcido do valor da matrícula menos 30% (trinta por cento), que serão retidos para despesas administrativas; A efetivação do cancelamento ocorrerá, quando deferido, no mês imediatamente posterior ao da solicitação. Em caso de cancelamento após o início das aulas, não haverá ressarcimento de qualquer valor referente ao mês corrente, nem dos anteriores. ABANDONO DO CURSO A não renovação de matrícula no prazo estipulado no Calendário Acadêmico configura abandono de curso. O abandono de curso não abona os débitos das parcelas escolares que porventura o aluno possua. TRANSFERÊNCIA E MATRÍCULA ESPECIAL A transferência e matrícula especial são deferidas pela Instituição desde que haja disponibilidade de vaga, o aluno seja egresso de IES regularizada perante o MEC, esteja em conformidade com a legislação vigente e de acordo com o período estabelecido no Calendário Acadêmico. Caso seja transferência para outra IES, o aluno deverá fazer solicitação ao Setor de Atendimento ao Aluno desta Instituição, desde que não esteja no 1º semestre, procedendo-se assim o trâmite entre as Universidades/Faculdades. O deferimento da solicitação estará condicionado a inexistência de irregularidades administrativas e/ou financeiras. ATESTADO Mediante requerimento do aluno e pagamento da taxa vigente no Setor Financeiro, a Faculdade Dom Pedro II expedirá Atestado comprobatório da situação acadêmica e/ou financeira do aluno. HISTÓRICO ACADÊMICO Mediante requerimento do aluno e pagamento da taxa vigente no Setor Financeiro, a Faculdade Dom Pedro II expedirá o Histórico acadêmico constando às disciplinas cursadas pelo aluno e os respectivos resultados. PLANO DE CURSO Para cada disciplina oferecida na Faculdade Dom Pedro II a Secretaria Acadêmica disponibilizará ao aluno uma cópia do Plano de Curso, onde, além da Ementa, encontramse informações fundamentais sobre conteúdo, objetivos, metodologia, recursos e bibliografia da respectiva disciplina. O plano de curso estará disponível por meio eletrônico, via site, FREQÜÊNCIA O controle e o registro de freqüência são efetuados pelo professor da disciplina e supervisionados pela Secretaria Acadêmica e pela Coordenação de Curso. A freqüência às aulas e as demais atividades acadêmicas são obrigatórias aos alunos e reprovam caso o mesmo não alcance a presença mínima de 75% (setenta e cinco por cento) da Carga Horária prevista para cada Disciplina.

20 NOME FORA DA LISTA DE PRESENÇA Quando o aluno não tiver o nome da lista de presença o aluno deve procurar a O Atendimento ao Aluno, para informar e verificar qual o motivo do nome estar ausente na lista de chamada ou de presença. Se necessário abrir solicitação. ABONO DE FALTAS O abono de faltas é possível em casos especiais, amparados por legislação específica ( LEI 1044 de 21/10/1969). São exemplos de casos especiais: - Doença infecto contagiosa; - Gravidez de risco ou licença maternidade; - Exigência do serviço militar. Observação: em qualquer situação o aluno deve apresentar laudo emitido por autoridade oficial. CURSO DE FÉRIAS Os cursos de férias objetivam proporcionar a correção da desperiodização no curso. O aluno só pode se matricular, no máximo em 02 (duas) disciplinas no Curso de Férias. As turmas do curso de férias devem ter no mínimo 20 alunos efetivamente matriculados. O curso de férias tem as mesmas características do período normal em termo de programa, carga horária, intensidade, modalidade de aula e avaliação. REGIME DISCIPLINAR Está previsto no regimento geral da Faculdade Dom Pedro II e objetiva manter a ordem e o respeito dentro da Instituição, garantindo uma boa convivência em nossa comunidade. ADVERTÊNCIA - Ocorre quando há desrespeito com as autoridades e a qualquer membro da Faculdade Dom Pedro II; - Por perturbação da ordem em área sob a jurisdição da Instituição. SUSPENSÃO - Ocorre por reincidência dos itens anteriores; - Por ofensa ou agressão a outro aluno; - Pela prática de atos ilícitos, que atinjam a moralidade e a dignidade da vida acadêmica praticada nas dependências da Instituição. - Falta de cumprimento dos deveres estudantis quando for convocado além das tarefas rotineiras das disciplinas do curso; - Falta do cumprimento de diligências solicitadas quanto à documentação pessoal, informes conexos, e modificações dos seus documentos. DESLIGAMENTO - Ocorre por reincidência nos itens anteriores; - Por rompimento do contrato de prestação de serviços educacionais. - Atos desonestos ou delitos sujeitos a ação penal, incompatíveis à dignidade da Faculdade Dom Pedro II ou de sua Entidade Mantenedora.

REGIMENTO INTERNO LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA DA FACULDADE DE CIÊNCIAS E TECNOLOGIA DO MARANHÃO

REGIMENTO INTERNO LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA DA FACULDADE DE CIÊNCIAS E TECNOLOGIA DO MARANHÃO Página 1 REGIMENTO INTERNO LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA DA FACULDADE DE CIÊNCIAS E TECNOLOGIA DO MARANHÃO O presente regimento dispõe sobre as normas de conduta e utilização do espaço físico destinado ao

Leia mais

Regimento dos Laboratórios de Informática

Regimento dos Laboratórios de Informática Regimento dos Laboratórios de Informática O presente regimento dispõe sobre as normas de conduta e utilização do espaço físico destinado ao Laboratório de Informática destinados as atividades de ensino,

Leia mais

MANUAL DO ALUNO 2014

MANUAL DO ALUNO 2014 MANUAL DO ALUNO 2014 APRESENTAÇÃO Caro Acadêmico, Agradecemos por você ter escolhido o IESG para sua formação profissional. No Manual do Aluno você encontrará informações importantes e necessárias para

Leia mais

REGULAMENTO DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO Lato Sensu FACULDADE SATC

REGULAMENTO DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO Lato Sensu FACULDADE SATC REGULAMENTO DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO Lato Sensu FACULDADE SATC 2014 ÍNDICE CAPÍTULO I... 3 Da Constituição, Natureza, Finalidade e Objetivos dos Cursos... 3 CAPÍTULO II... 3 Da Implantação dos Cursos...

Leia mais

FACULDADE DARCY RIBEIRO. Manual do Aluno FTDR. Fortaleza Ceará

FACULDADE DARCY RIBEIRO. Manual do Aluno FTDR. Fortaleza Ceará FACULDADE DARCY RIBEIRO Manual do Aluno FTDR Fortaleza Ceará SUMÁRIO 1. APRESENTAÇÃO... 5 2. CURSOS... 5 3. PROCEDIMENTOS... 5 4. CARTEIRAS ESTUDANTIS... 12 5. DIREITOS E DEVERES DO ALUNO... 13 6. REGIME

Leia mais

FACULDADE DARCY RIBEIRO. Manual do Aluno FADR

FACULDADE DARCY RIBEIRO. Manual do Aluno FADR FACULDADE DARCY RIBEIRO Manual do Aluno FADR Fortaleza Ceará SUMÁRIO APRESENTAÇÃO... 3 1. CURSOS... 3 2. PROCEDIMENTOS... 3 3. CARTEIRAS ESTUDANTIS... 10 4. DIREITOS E DEVERES DO ALUNO... 11 5. REGIME

Leia mais

FACULDADE DIREÇÃO GERAL NORMA 029 1/5

FACULDADE DIREÇÃO GERAL NORMA 029 1/5 1. Dos Requisitos e Documentos para o Ingresso Para ingressar nos cursos de ensino superior o candidato deve ter concluído o Ensino Médio, prestar processo seletivo da IES ou ingressar por uma das formas

Leia mais

PROCESSO SELETIVO 2º Sem/2015 Graduação Presencial

PROCESSO SELETIVO 2º Sem/2015 Graduação Presencial PROCESSO SELETIVO 2º Sem/2015 Graduação Presencial Manual do Candidato PROVA AGENDADA O Universitário Módulo, atendendo a Portaria Normativa MEC n o 40, de 12.12.2007, resolve promover Processo Seletivo

Leia mais

MANUAL DO ALUNO. Boa Leitura! INSTITUTO DIMENSÃO Pós- Graduação e Extensão Universitária

MANUAL DO ALUNO. Boa Leitura! INSTITUTO DIMENSÃO Pós- Graduação e Extensão Universitária MANUAL DO ALUNO O objetivo deste manual é facilitar a comunicação da Instituição com seus alunos. Ele responde a maioria das dúvidas frequentemente levantadas e catalogadas. Aqui você encontrará as informações

Leia mais

EDITAL DO PROCESSO SELETIVO 2015

EDITAL DO PROCESSO SELETIVO 2015 EDITAL DO PROCESSO SELETIVO 2015 2 Edital do Processo Seletivo 2015 CAPÍTULO I DO PROCESSO SELETIVO Artigo 1º. De conformidade com o disposto na Lei 9394, de 20/12/96, Pareceres 95, de 01/12/98 e 98/99

Leia mais

SUMÁRIO. Regimento da Matrícula...03. Reingresso do Aluno por Processo Seletivo Especial...04. Trancamento e Cancelamento de Matrícula...

SUMÁRIO. Regimento da Matrícula...03. Reingresso do Aluno por Processo Seletivo Especial...04. Trancamento e Cancelamento de Matrícula... SUMÁRIO Regimento da Matrícula...03 Reingresso do Aluno por Processo Seletivo Especial...04 Trancamento e Cancelamento de Matrícula...05 Transferências e Aproveitamento de Estudos...05 Critérios de Avaliação

Leia mais

Regulamento do Laboratório de Informática FACOS - MARQUÊS

Regulamento do Laboratório de Informática FACOS - MARQUÊS Regulamento do Laboratório de Informática FACOS - MARQUÊS Art. 1º A missão do Laboratório de Informática da FACOS/Marquês é buscar a excelência no atendimento aos seus usuários. seguintes: informática.

Leia mais

PROCESSO SELETIVO 1º Sem/2016 Graduação Presencial

PROCESSO SELETIVO 1º Sem/2016 Graduação Presencial PROCESSO SELETIVO 1º Sem/2016 Graduação Presencial Manual do Candidato Ingresso Via ENEM O Universitário Módulo, atendendo a Portaria Normativa MEC n o 40, de 12.12.2007, resolve promover Processo Seletivo

Leia mais

INSTRUÇÃO DE SERVIÇO Nº 80, DE 05 DE NOVEMBRO DE 2013.

INSTRUÇÃO DE SERVIÇO Nº 80, DE 05 DE NOVEMBRO DE 2013. INSTRUÇÃO DE SERVIÇO Nº 80, DE 05 DE NOVEMBRO DE 2013. A DIRETORA EM EXERCÍCIO DO CÂMPUS DE PARANAÍBA da Fundação Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, no uso de suas atribuições legais, resolve:

Leia mais

Faculdade Escola Paulista de Direito

Faculdade Escola Paulista de Direito Faculdade Escola Paulista de Direito MANUAL DO ALUNO Este manual tem por finalidade informar à comunidade universitária as normas e os procedimentos acadêmicos institucionais da Faculdade Escola Paulista

Leia mais

REGIMENTO DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO DA UNIDADE DE ENSINO SUPERIOR VALE DO IGUAÇU DO COLEGIADO DE CURSO

REGIMENTO DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO DA UNIDADE DE ENSINO SUPERIOR VALE DO IGUAÇU DO COLEGIADO DE CURSO REGIMENTO DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO DA UNIDADE DE ENSINO SUPERIOR VALE DO IGUAÇU DO COLEGIADO DE CURSO Art. 1º O colegiado de curso é órgão consultivo da Coordenação de Curso, destinado a subsidiar a

Leia mais

PROCESSO SELETIVO 1º Sem/2016 Graduação Presencial Manual do Candidato PROVA AGENDADA

PROCESSO SELETIVO 1º Sem/2016 Graduação Presencial Manual do Candidato PROVA AGENDADA PROCESSO SELETIVO 1º Sem/2016 Graduação Presencial Manual do Candidato PROVA AGENDADA A Universidade Cidade de São Paulo UNICID, atendendo a Portaria Normativa MEC n o 40, de 12/12/2007, republicada em

Leia mais

PROCESSO SELETIVO 2º Sem/2014 Graduação Presencial Manual do Candidato PROVA AGENDADA

PROCESSO SELETIVO 2º Sem/2014 Graduação Presencial Manual do Candidato PROVA AGENDADA PROCESSO SELETIVO 2º Sem/2014 Graduação Presencial Manual do Candidato PROVA AGENDADA A Universidade Cidade de São Paulo UNICID, atendendo a Portaria Normativa MEC n o 40, de 12/12/2007, resolve promover

Leia mais

MANUAL DO ALUNO 2016

MANUAL DO ALUNO 2016 MANUAL DO ALUNO 2016 Este Manual tem como objetivo orientar os alunos em seus direitos e deveres para que possam usufruir de seus direitos e reconhecer suas obrigações como estudantes universitários. As

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS CÂMPUS SANTA HELENA DE GOIÁS REGULAMENTO DA UTILIZAÇÃO DOS LABORATÓRIOS DE INFORMÁTICA

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS CÂMPUS SANTA HELENA DE GOIÁS REGULAMENTO DA UTILIZAÇÃO DOS LABORATÓRIOS DE INFORMÁTICA UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS CÂMPUS SANTA HELENA DE GOIÁS REGULAMENTO DA UTILIZAÇÃO DOS LABORATÓRIOS DE INFORMÁTICA JUNHO 2014 2 COMISSÃO DE ELABORAÇÃO Adriano Ferraz da Costa Edmar Augusto Yokome Filipe

Leia mais

REGULAMENTO PROGRAMA ESPECIAL DE FORMAÇÃO PEDAGÓGICA DE DOCENTES 2012

REGULAMENTO PROGRAMA ESPECIAL DE FORMAÇÃO PEDAGÓGICA DE DOCENTES 2012 REGULAMENTO PROGRAMA ESPECIAL DE FORMAÇÃO PEDAGÓGICA DE DOCENTES 2012 1) Constitui pré requisito para o ingresso no Programa Especial de Formação Pedagógica de Docentes 2012 UNINOVE a apresentação de Diploma

Leia mais

1. DOS PRÉ-REQUISITOS 2. FUNCIONAMENTO DO CURSO

1. DOS PRÉ-REQUISITOS 2. FUNCIONAMENTO DO CURSO Edital de oferta de vagas para o Curso de Pós-Graduação Lato Sensu Gestão de Projetos Sociais, na modalidade a distância. A Reitora da Universidade Anhanguera-Uniderp, credenciada pelo MEC por meio da

Leia mais

REGULAMENTO DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO UNIDADE SÃO PAULO. Ingressantes 2010. Junho/2010 Página 1 de 14

REGULAMENTO DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO UNIDADE SÃO PAULO. Ingressantes 2010. Junho/2010 Página 1 de 14 REGULAMENTO DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO UNIDADE SÃO PAULO Ingressantes 2010 Página 1 de 14 SUMÁRIO 1. OBJETIVO DO CURSO 2. ESTRUTURA DO CURSO 2.1) Visão geral 2.2) Pré-requisitos 2.3) Critérios de contagem

Leia mais

EDITAL VESTIBULAR FLORENCE AGENDADO SEMESTRE LETIVO 2016.1

EDITAL VESTIBULAR FLORENCE AGENDADO SEMESTRE LETIVO 2016.1 EDITAL VESTIBULAR FLORENCE AGENDADO SEMESTRE LETIVO 2016.1 EDITAL N 15 2016 PROCESSO SELETIVO 2016.1 A Diretora Geral do Instituto Florence de Ensino Superior, no uso de suas atribuições regimentais, torna

Leia mais

Legislação Universitária de Interesse do Estudante. Aspectos da legislação universitária que dizem respeito ao estudante de graduação.

Legislação Universitária de Interesse do Estudante. Aspectos da legislação universitária que dizem respeito ao estudante de graduação. Legislação Universitária de Interesse do Estudante Aspectos da legislação universitária que dizem respeito ao estudante de graduação. Calendário Escolar O Calendário Escolar que é fixado através de Portaria

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO DO DISTRITO FEDERAL - UDF EDITAL PROCESSO SELETIVO 2016

CENTRO UNIVERSITÁRIO DO DISTRITO FEDERAL - UDF EDITAL PROCESSO SELETIVO 2016 CENTRO UNIVERSITÁRIO DO DISTRITO FEDERAL - UDF EDITAL PROCESSO SELETIVO 2016 O Centro Universitário do Distrito Federal - UDF, atendendo a Portaria Normativa MEC n o 40, de 12.12.2007, resolve promover

Leia mais

Faculdade Maurício de Nassau

Faculdade Maurício de Nassau Faculdade Maurício de Nassau EDITAL DO PROCESSO SELETIVO 2015.1 A Direção da Faculdade Maurício de Nassau de Manaus no uso de suas atribuições e com base nas disposições regimentais, no Dec. 99.490/90,

Leia mais

Manual do Candidato da Graduação. Processos Seletivos

Manual do Candidato da Graduação. Processos Seletivos 1 ESCOLA SUPERIOR NACIONAL DE SEGUROS ESNS Manual do Candidato da Graduação Processos Seletivos Rua Senador Dantas, 74 2º andar Centro Rio de Janeiro RJ Tel. 33801044 33801046 33801532 2 A Escola Superior

Leia mais

INSTITUTO CIMAS DE ENSINO

INSTITUTO CIMAS DE ENSINO INSTITUTO CIMAS DE ENSINO MANUAL DO ALUNO NORMAS E PROCEDIMENTOS ACADÊMICOS ESPECIALIZAÇÃO TÉCNICO EM NÍVEL MÉDIO EM MAMOGRAFIA ESPECIALIZAÇÃO TÉCNICO EM NÍVEL MÉDIO EM TOMOGRAFIA Autorização de Funcionamento

Leia mais

PROCESSO SELETIVO 1º Sem/2014 Graduação Presencial Manual do Candidato Ingresso Via ENEM

PROCESSO SELETIVO 1º Sem/2014 Graduação Presencial Manual do Candidato Ingresso Via ENEM PROCESSO SELETIVO 1º Sem/2014 Graduação Presencial Manual do Candidato Ingresso Via ENEM A Universidade Cidade de São Paulo UNICID, atendendo a Portaria Normativa MEC n o 40, de 12.12.2007, resolve promover

Leia mais

REGULAMENTO DO FUNCIONAMENTO DA BIBLIOTECA FACULDADE DOM BOSCO DE UBIRATÃ

REGULAMENTO DO FUNCIONAMENTO DA BIBLIOTECA FACULDADE DOM BOSCO DE UBIRATÃ REGULAMENTO DO FUNCIONAMENTO DA BIBLIOTECA FACULDADE DOM BOSCO DE UBIRATÃ UBIRATÃ - PR 2013 REGULAMENTO DO FUNCIONAMENTO DA BIBLIOTECA CAPÍTULO I DA BIBLIOTECA: DIRETRIZES GERAIS Art.1º- A Biblioteca apóia

Leia mais

1. DOS PRÉ-REQUISITOS 2. FUNCIONAMENTO DO CURSO

1. DOS PRÉ-REQUISITOS 2. FUNCIONAMENTO DO CURSO Edital de oferta de vagas para o Curso de Pós-Graduação Lato Sensu Gestão, Auditoria e Licenciamento Ambiental, na modalidade a distância. A Reitora da Universidade Anhanguera-Uniderp, credenciada pelo

Leia mais

ALIANÇA TERESINA - MAURICIO DE NASSAU

ALIANÇA TERESINA - MAURICIO DE NASSAU ALIANÇA TERESINA - MAURICIO DE NASSAU EDITAL DO PROCESSO SELETIVO 2015.1 A direção da Faculdade Aliança / Faculdade Maurício de Nassau no uso de suas atribuições e com base nas disposições regimentais,

Leia mais

FACULDADE DE FILOSOFIA, CIÊNCIAS E LETRAS SANTA MARCELINA M U R I A É MG EDITAL DO PROCESSO SELETIVO PARA O ANO LETIVO DE 2016

FACULDADE DE FILOSOFIA, CIÊNCIAS E LETRAS SANTA MARCELINA M U R I A É MG EDITAL DO PROCESSO SELETIVO PARA O ANO LETIVO DE 2016 FACULDADE DE FILOSOFIA, CIÊNCIAS E LETRAS SANTA MARCELINA M U R I A É MG EDITAL DO PROCESSO SELETIVO PARA O ANO LETIVO DE 2016 A Diretora da FACULDADE DE FILOSOFIA CIÊNCIAS E LETRAS SANTA MARCELINA - FASM,

Leia mais

VESTIBULAR IZABELA HENDRIX LORENA NEVES MATIAS ARQUITETURA E URBANISMO DIALOGUE ARGUMENTE CRITIQUE TOLERE APRENDA CRESÇA FAÇA

VESTIBULAR IZABELA HENDRIX LORENA NEVES MATIAS ARQUITETURA E URBANISMO DIALOGUE ARGUMENTE CRITIQUE TOLERE APRENDA CRESÇA FAÇA VESTIBULAR IZABELA HENDRIX LORENA NEVES MATIAS ARQUITETURA E URBANISMO DIALOGUE ARGUMENTE CRITIQUE TOLERE APRENDA CRESÇA FAÇA BEM-VINDO AO IZABELA HENDRIX ESTAR NA VANGUARDA É ESTAR À FRENTE. É APONTAR

Leia mais

1. DOS PRÉ-REQUISITOS 2. FUNCIONAMENTO DO CURSO

1. DOS PRÉ-REQUISITOS 2. FUNCIONAMENTO DO CURSO Edital de oferta de vagas para o Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Gestão Estratégica de Negócios, na modalidade a distância. A Reitora da Universidade Anhanguera-Uniderp, credenciada pelo MEC por

Leia mais

MANUAL DO ALUNO. Para consultar se uma instituição é credenciada é só acessar o endereço eletrônico

MANUAL DO ALUNO. Para consultar se uma instituição é credenciada é só acessar o endereço eletrônico 1 O CEPAN Centro de Ensino Panoramica, representante comercial com exclusividade da Faculdade Associada Brasil FAB, Credenciada e reconhecida pelo MEC através da Portaria nº. 1387, D.O. U de 09 de Julho

Leia mais

REGULAMENTO DA BIBLIOTECA DA SOCIEDADE CULTURAL E EDUCACIONAL DO INTERIOR PAULISTA FAIP

REGULAMENTO DA BIBLIOTECA DA SOCIEDADE CULTURAL E EDUCACIONAL DO INTERIOR PAULISTA FAIP REGULAMENTO DA BIBLIOTECA DA SOCIEDADE CULTURAL E EDUCACIONAL DO INTERIOR PAULISTA FAIP SUMÁRIO DESCRIÇÃO PÁGINA TÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES 02 TÍTULO II DOS USUÁRIOS 02 TÍTULO III DO FUNCIONAMENTO

Leia mais

FACULDADE 7 DE SETEMBRO LABORATÓRIO DE PESQUISA DE OPINIÃO E MERCADO

FACULDADE 7 DE SETEMBRO LABORATÓRIO DE PESQUISA DE OPINIÃO E MERCADO FACULDADE 7 DE SETEMBRO LABORATÓRIO DE PESQUISA DE OPINIÃO E MERCADO CAPÍTULO I DA CARACTERIZAÇÃO, FINS E OBJETIVOS Art. 1º As presentes normas visam regulamentar e disciplinar, em termos de sua administração,

Leia mais

REGULAMENTO DA BIBLIOTECA DA FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS E AGRÁRIAS DE ITAPEVA FAIT

REGULAMENTO DA BIBLIOTECA DA FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS E AGRÁRIAS DE ITAPEVA FAIT REGULAMENTO DA BIBLIOTECA DA FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS E AGRÁRIAS DE ITAPEVA FAIT 0 SUMÁRIO TÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES... 02 TÍTULO II DOS USUÁRIOS... 02 TÍTULO III DO FUNCIONAMENTO... 02

Leia mais

Regulamento Geral de Cursos de Direito do IICS

Regulamento Geral de Cursos de Direito do IICS Regulamento Geral de Cursos de Direito do IICS TÍTULO I - DOS CURSOS E SEUS OBJETIVOS Art. 1º. Os Cursos oferecidos pelo CEU-IICS Escola de Direito são destinados a graduados e estudantes que buscam ampliar

Leia mais

FACULDADE DOM BOSCO CURITIBA / PARANÁ PROCESSO SELETIVO 2014-2 EDITAL Nº. 001/2014 SG

FACULDADE DOM BOSCO CURITIBA / PARANÁ PROCESSO SELETIVO 2014-2 EDITAL Nº. 001/2014 SG FACULDADE DOM BOSCO CURITIBA / PARANÁ PROCESSO SELETIVO 2014-2 EDITAL Nº. 001/2014 SG O diretor da Faculdade Dom Bosco de Curitiba-PR, mantida por Dom Bosco Ensino Superior Ltda., considerando os termos

Leia mais

TUTORIAL/RENOV.MATRÍCULA/GRAD.EAD RJ. Rio de Janeiro, 26 de novembro de 2014. Estimados Estudantes,

TUTORIAL/RENOV.MATRÍCULA/GRAD.EAD RJ. Rio de Janeiro, 26 de novembro de 2014. Estimados Estudantes, TUTORIAL/RENOV.MATRÍCULA/GRAD.EAD RJ Estimados Estudantes, Rio de Janeiro, 26 de novembro de 2014. Gostaríamos de manifestar nossa alegria e gratidão pela confiança em nossa Instituição durante o período

Leia mais

SOCIEDADE DE ENSINO SUPERIOR AMADEUS FACULDADE AMADEUS GUIA ACADÊMICO ARACAJU/SE

SOCIEDADE DE ENSINO SUPERIOR AMADEUS FACULDADE AMADEUS GUIA ACADÊMICO ARACAJU/SE SOCIEDADE DE ENSINO SUPERIOR AMADEUS FACULDADE AMADEUS GUIA ACADÊMICO ARACAJU/SE SUMÁRIO 1. A INSTITUIÇÃO 04 1.1. ÓRGÃOS DA FACULDADE 04 2. MISSÃO 04 3. CURSOS OFERECIDOS 04 4. INFORMAÇÕES ACADÊMICAS 04

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO MÓDULO EDITAL PROCESSO SELETIVO 2015

CENTRO UNIVERSITÁRIO MÓDULO EDITAL PROCESSO SELETIVO 2015 CENTRO UNIVERSITÁRIO MÓDULO EDITAL PROCESSO SELETIVO 2015 O Centro Universitário Módulo, atendendo a Portaria Normativa MEC n o 40, de 12.12.2007, resolve promover Processo Seletivo para ingresso no primeiro

Leia mais

PROCESSO SELETIVO 2º Sem/2015 Graduação Presencial Manual do Candidato Ingresso Via ENEM

PROCESSO SELETIVO 2º Sem/2015 Graduação Presencial Manual do Candidato Ingresso Via ENEM PROCESSO SELETIVO 2º Sem/2015 Graduação Presencial Manual do Candidato Ingresso Via ENEM A Universidade Cidade de São Paulo UNICID, atendendo a Portaria Normativa MEC n o 40, de 12.12.2007,republicada

Leia mais

FACULDADE JOAQUIM NABUCO-UNIDADE RECIFE MANTIDA PELO GRUPO SER EDUCACIONAL EDITAL DO PROCESSO SELETIVO 2015.1

FACULDADE JOAQUIM NABUCO-UNIDADE RECIFE MANTIDA PELO GRUPO SER EDUCACIONAL EDITAL DO PROCESSO SELETIVO 2015.1 FACULDADE JOAQUIM NABUCO-UNIDADE RECIFE MANTIDA PELO GRUPO SER EDUCACIONAL EDITAL DO PROCESSO SELETIVO 2015.1 Credenciamento - Ato autorizativo Portaria Nº 998 de 22/10/2007, publicada no DOU em 23/10/2007

Leia mais

UNIVERSIDADE CIDADE DE SÃO PAULO. TERMO ADITIVO PROCESSO SELETIVO 2º/2015- Vagas Remanescentes

UNIVERSIDADE CIDADE DE SÃO PAULO. TERMO ADITIVO PROCESSO SELETIVO 2º/2015- Vagas Remanescentes UNIVERSIDADE CIDADE DE SÃO PAULO TERMO ADITIVO PROCESSO SELETIVO 2º/2015- Vagas Remanescentes 1 PROVA TRADICIONAL 1.1 Dos Períodos de Inscrição, Horários e Locais: O Processo Seletivo da Universidade Cidade

Leia mais

EDITAL DO PROCESSO SELETIVO 2015.1

EDITAL DO PROCESSO SELETIVO 2015.1 FACULDADE MAURICIO DE NASSAU DE BELÉM MANTIDA PELO GRUPO SER EDUCACIONAL CREDENCIAMENTO: PORTARIA Nº 571, DE 13 DE MAIO DE, DOU 16 DE MAIO DE SEÇÃO I EDITAL DO PROCESSO SELETIVO 2015.1 O Diretor da Faculdade

Leia mais

PROCESSO SELETIVO 1º Sem/2016 Graduação Presencial Manual do Candidato Ingresso Via ENEM

PROCESSO SELETIVO 1º Sem/2016 Graduação Presencial Manual do Candidato Ingresso Via ENEM PROCESSO SELETIVO 1º Sem/2016 Graduação Presencial Manual do Candidato Ingresso Via ENEM A Universidade Cidade de São Paulo UNICID, atendendo a Portaria Normativa MEC n o 40, de 12.12.2007,republicada

Leia mais

PROCESSO SELETIVO 2 º SEMESTRE DE 2015

PROCESSO SELETIVO 2 º SEMESTRE DE 2015 1 Processo Seletivo 2015.2 Edital FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC RIO PROCESSO SELETIVO 2 º SEMESTRE DE 2015 SENAC RJ FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC RIO O SENAC Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial,

Leia mais

UFMG / PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO / SETOR DE BOLSAS PMG PROGRAMA DE MONITORIA DE GRADUAÇÃO DIRETRIZES GERAIS

UFMG / PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO / SETOR DE BOLSAS PMG PROGRAMA DE MONITORIA DE GRADUAÇÃO DIRETRIZES GERAIS UFMG / PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO / SETOR DE BOLSAS PMG PROGRAMA DE MONITORIA DE GRADUAÇÃO DIRETRIZES GERAIS 2015 1) DOS OBJETIVOS O Programa de Monitoria de Graduação visa dar suporte às atividades acadêmicas

Leia mais

BEM-VINDO AO IZABELA HENDRIX

BEM-VINDO AO IZABELA HENDRIX BEM-VINDO AO IZABELA HENDRIX ESTAR NA VANGUARDA É ESTAR À FRENTE. É APONTAR OS CAMINHOS E SER REFERÊNCIA. O Izabela Hendrix representa a vanguarda na educação, com ações pioneiras que começaram há mais

Leia mais

DECRETO Nº 4.498, DE 26 DE SETEMBRO DE 2012.

DECRETO Nº 4.498, DE 26 DE SETEMBRO DE 2012. DECRETO Nº 4.498, DE 26 DE SETEMBRO DE 2012. Estabelece o Regulamento Interno da Biblioteca Pública Municipal Santos Dumont, e dá outras providências. O PREFEITO MUNICIPAL DE, Estado de Santa Catarina,

Leia mais

EDITAL DE ABERTURA DO PROCESSO SELETIVO 2016.1 PORTADORES DE DIPLOMA DE NÍVEL SUPERIOR

EDITAL DE ABERTURA DO PROCESSO SELETIVO 2016.1 PORTADORES DE DIPLOMA DE NÍVEL SUPERIOR EDITAL DE ABERTURA DO PROCESSO SELETIVO 2016.1 PORTADORES DE DIPLOMA DE NÍVEL SUPERIOR A Universidade Salvador UNIFACS, em conformidade com seu Regimento Geral, torna pública a abertura das inscrições

Leia mais

REGULAMENTO PÓS-GRADUAÇÃO

REGULAMENTO PÓS-GRADUAÇÃO REGULAMENTO PÓS-GRADUAÇÃO TÍTULO I DAS DIRETRIZES GERAIS PARA OS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU EM PARCERIA TECNOLÓGICA COM O COMPLEXO DE ENSINO RENATO SARAIVA (CERS) Art. 1º - Os cursos de Pós - Graduação

Leia mais

UNIVERSIDADE CIDADE DE SÃO PAULO - UNICID EDITAL PROCESSO SELETIVO 2016

UNIVERSIDADE CIDADE DE SÃO PAULO - UNICID EDITAL PROCESSO SELETIVO 2016 UNIVERSIDADE CIDADE DE SÃO PAULO - UNICID EDITAL PROCESSO SELETIVO 2016 A Universidade Cidade de São Paulo, atendendo a Portaria Normativa MEC n o 40, de 12.12.2007, resolve promover Processo Seletivo

Leia mais

REGULAMENTO DA BIBLIOTECA

REGULAMENTO DA BIBLIOTECA REGULAMENTO DA BIBLIOTECA TÍTULO I DA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS E INFORMAÇÕES GERAIS Art. 1º - O presente regulamento visa disciplinar, normalizar os serviços e estabelecer procedimentos que possam subsidiar

Leia mais

FACULDADE DE ENSINO SUPERIOR E FORMAÇÃO INTEGRAL FAEF

FACULDADE DE ENSINO SUPERIOR E FORMAÇÃO INTEGRAL FAEF REGULAMENTO N. 005/2015 REGULAMENTO GERAL DO NÚCLEO DE PESQUISA NUPES DA FACULDADE DE ENSINO SUPERIOR - GARÇA/SP Vanessa Zappa, Diretora da FACULDADE DE ENSINO SUPERIOR E FORMAÇÃO INTEGRAL FAEF GARÇA/SP,

Leia mais

REGULAMENTO DA BIBLIOTECA FAM

REGULAMENTO DA BIBLIOTECA FAM Capítulo I NATUREZA E FINALIDADE Art.1º As Bibliotecas da Faculdade das Américas, Campus Augusta e Campus Paulista, são de Acesso livre, tem por finalidade oferecer suporte aos programas de ensino, pesquisa

Leia mais

EDITAL DO PROCESSO SELETIVO

EDITAL DO PROCESSO SELETIVO EDITAL DO PROCESSO SELETIVO 2016 2 CAPÍTULO I DO PROCESSO SELETIVO Edital do Processo Seletivo 2016 Artigo 1º. De conformidade com o disposto na Lei 9394, de 20/12/96, Pareceres 95, de 01/12/98 e 98/99

Leia mais

EDITAL PROAD/PROEN N 04/2015

EDITAL PROAD/PROEN N 04/2015 EDITAL PROAD/PROEN N 04/2015 A PRÓ-REITORIA DE ADMINISTRAÇÃO e a PRÓ-REITORIA DE ENSINO DE GRADUAÇÃO, ENSINO MÉDIO E PROFISSIONALIZANTE da FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE REGIONAL DE BLUMENAU (FURB), no uso de suas

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO DO DISTRITO FEDERAL. TERMO ADITIVO PROCESSO SELETIVO 2º/2015- Vagas Remanescentes

CENTRO UNIVERSITÁRIO DO DISTRITO FEDERAL. TERMO ADITIVO PROCESSO SELETIVO 2º/2015- Vagas Remanescentes CENTRO UNIVERSITÁRIO DO DISTRITO FEDERAL TERMO ADITIVO PROCESSO SELETIVO 2º/2015- Vagas Remanescentes 1 PROVA TRADICIONAL 1.1 Dos Períodos de Inscrição, Horários e Locais: O Processo Seletivo do Centro

Leia mais

REGULAMENTO DE MATRÍCULA

REGULAMENTO DE MATRÍCULA PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE CAMPINAS REGULAMENTO DE MATRÍCULA Versão atualizada pela RN PUC n o 011/13, de 31/10/2013 DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO E SEQUENCIAL DA PUC-CAMPINAS Título I DA MATRÍCULA

Leia mais

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU ESPECIALIZAÇÃO

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU ESPECIALIZAÇÃO REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU ESPECIALIZAÇÃO O Conselho de Administração, Ensino, Pesquisa e Extensão Consaepe, considerando as suas atribuições RESOLVE aprovar o Regulamento dos

Leia mais

Regulamento dos Laboratórios de Informática UNIFACS - Universidade Salvador

Regulamento dos Laboratórios de Informática UNIFACS - Universidade Salvador Regulamento dos Laboratórios de Informática UNIFACS - Universidade Salvador 1) Objetivos Os Laboratórios de informática da UNIFACS se destinam à prática do ensino, pesquisa e à elaboração de trabalhos

Leia mais

Formação de Formadores

Formação de Formadores REGULAMENTO DO PROGRAMA DE MESTRADO PROFISSIONAL EM EDUCAÇÃO: Formação de Formadores São Paulo 2012 1 Sumário Título I Da Constituição do Programa... 03 Capítulo I Dos Fins e Objetivos... 03 Capítulo II

Leia mais

FACULDADE SANTA EMÍLIA - JOAQUIM NABUCO-UNIDADE OLINDA MANTIDA PELO GRUPO SER EDUCACIONAL EDITAL DO PROCESSO SELETIVO 2015.1

FACULDADE SANTA EMÍLIA - JOAQUIM NABUCO-UNIDADE OLINDA MANTIDA PELO GRUPO SER EDUCACIONAL EDITAL DO PROCESSO SELETIVO 2015.1 FACULDADE SANTA EMÍLIA - JOAQUIM NABUCO-UNIDADE OLINDA MANTIDA PELO GRUPO SER EDUCACIONAL EDITAL DO PROCESSO SELETIVO 2015.1 Com sede Av. Doutor Augusto Moreira, 1704 e 1502 Casa Caiada - Olinda Legislação

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ UNIVERSIDADE ABERTA DO BRASIL - UAB EDITAL Nº 098/2012-UAB-UEM

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ UNIVERSIDADE ABERTA DO BRASIL - UAB EDITAL Nº 098/2012-UAB-UEM EDITAL Nº 098/2012-UAB-UEM A Coordenadora da UAB da Universidade Estadual de Maringá, no uso das atribuições, TORNA PÚBLICO: A abertura de inscrições do processo seletivo para contratação de TUTOR (PRESENCIAL)

Leia mais

Regulamento do Programa de Estudos Pós-Graduados em EDUCAÇÃO: PSICOLOGIA DA EDUCAÇÃO.

Regulamento do Programa de Estudos Pós-Graduados em EDUCAÇÃO: PSICOLOGIA DA EDUCAÇÃO. Regulamento do Programa de Estudos Pós-Graduados em EDUCAÇÃO: PSICOLOGIA DA EDUCAÇÃO. 1- Objetivos do Programa Artigo 1º - São objetivos do Programa: I - capacitar pessoal em nível de Mestrado Acadêmico,

Leia mais

Manual do Candidato da Graduação. Processos Seletivos

Manual do Candidato da Graduação. Processos Seletivos 1 ESCOLA SUPERIOR NACIONAL DE SEGUROS Manual do Candidato da Graduação Processos Seletivos Rua Senador Dantas, 74 Térreo; 2º e 3º andares Centro Rio de Janeiro RJ Tel. 33801044 33801046 33801535 2 A Escola

Leia mais

FACULDADE DE JAGUARIUNA Edital de Processo Seletivo 2016 Continuado

FACULDADE DE JAGUARIUNA Edital de Processo Seletivo 2016 Continuado FACULDADE DE JAGUARIUA O Diretor da Faculdade de Jaguariúna, no uso de suas atribuições legais e obedecendo ao disposto na legislação pertinente, torna públicas as normas que regulamentam o Processo Seletivo

Leia mais

USCS Virtual Edital/Manual do Candidato Vestibular EAD 2º Semestre 2014

USCS Virtual Edital/Manual do Candidato Vestibular EAD 2º Semestre 2014 USCS - UNIVERSIDADE MUNICIPAL DE SÃO CAETANO DO SUL USCS Virtual Edital/Manual do Candidato Vestibular EAD 2º Semestre 2014 Inscrições: até 30/JULHO/2014 Prova: 3/AGOSTO/2014 Início das aulas: 9/AGOSTO/2014

Leia mais

Biblioteca Mercedes Silva Pinto. Manual da Biblioteca. Aprenda a utilizar os recursos da Biblioteca Visite-a sempre e aproveite o acervo disponível

Biblioteca Mercedes Silva Pinto. Manual da Biblioteca. Aprenda a utilizar os recursos da Biblioteca Visite-a sempre e aproveite o acervo disponível Biblioteca Mercedes Silva Pinto Manual da Biblioteca Aprenda a utilizar os recursos da Biblioteca Visite-a sempre e aproveite o acervo disponível REGULAMENTO COMPLETO DA BIBLIOTECA I. Regulamento do Uso

Leia mais

NORMAS DE FUNCIONAMENTO DOS LABORATÓRIOS DO DEPARTAMENTO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL

NORMAS DE FUNCIONAMENTO DOS LABORATÓRIOS DO DEPARTAMENTO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL -UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA CENTRO DE CIÊNCIAS HUMANAS, LETRAS E ARTES DEPARTAMENTO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL DCM Campus Universitário - Viçosa, MG - 36570-000 - Telefone: (31) 2878 / 4502 - E-mail: dcm@ufv.br

Leia mais

FACULDADE TOBIAS BARRETO MANTIDA PELA SOCIEDADE DE ENSINO SUPERIOR E PESQUISA DE SERGIPE LTDA- SESPS

FACULDADE TOBIAS BARRETO MANTIDA PELA SOCIEDADE DE ENSINO SUPERIOR E PESQUISA DE SERGIPE LTDA- SESPS FACULDADE TOBIAS BARRETO MANTIDA PELA SOCIEDADE DE ENSINO SUPERIOR E PESQUISA DE SERGIPE LTDA- SESPS CREDENCIAMENTO: PORTARIA MEC Nº 601 DE 20.05.2008, DOU 21DE MAIO DE 2008 SEÇÃO I. EDITAL DO PROCESSO

Leia mais

Centro Universitário Unieuro vestibular@unieuro.com.br

Centro Universitário Unieuro vestibular@unieuro.com.br A Comissão de Acesso ao Ensino Superior informa que estão abertas as inscrições para o 1º semestre letivo de 2016, nas seguintes modalidades: 1º Processo Seletivo Agendado Edital 21/2015 (para novos alunos)

Leia mais

FACULDADE DE EDUCAÇÃO DE BOM DESPACHO - FACEB

FACULDADE DE EDUCAÇÃO DE BOM DESPACHO - FACEB EDITAL CURSOS TÉCNICOS Instituto Bondespachense Presidente Antônio Carlos - IBPAC FACULDADE DE EDUCAÇÃO DE BOM DESPACHO - FACEB BOM DESPACHO 2013 SUMÁRIO 1 EDITAL... 03 2. HISTÓRICO... 04 3. APRESENTAÇÃO...

Leia mais

REGULAMENTOS DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO

REGULAMENTOS DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO REGULAMENTOS DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO 1. Admissão aos Cursos 2. Matrícula Inicial 3. Matrícula em Disciplinas 4. Alteração de Matrícula em Disciplinas 5. Progressão nas Séries 6. Coeficiente de Rendimento

Leia mais

REGIMENTO DO SETOR REGISTROS ACADÊMICOS

REGIMENTO DO SETOR REGISTROS ACADÊMICOS REGIMENTO DO SETOR REGISTROS ACADÊMICOS CAPÍTULO I - DISPOSIÇÕES INICIAIS DAS COMPETÊNCIAS Art. 1º O Setor de Registros Acadêmicos - SRA é o órgão que operacionaliza todas as atividades ligadas à vida

Leia mais

Regulamento Biblioteca

Regulamento Biblioteca Regulamento Biblioteca 2012 A Diretora Geral do Colégio e, no uso de suas atribuições regimentais, estabelece o presente regulamento da Biblioteca da Instituição. A Biblioteca do Colégio e, denominada

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ UNIVERSIDADE ABERTA DO BRASIL - UAB

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ UNIVERSIDADE ABERTA DO BRASIL - UAB EDITAL Nº 068/2012-UAB-UEM A Coordenadora da UAB da Universidade Estadual de Maringá, no uso das atribuições, TORNA PÚBLICO A abertura de inscrições do processo seletivo para contratação de TUTOR (A DISTÂNCIA)

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO DOS LABORATÓRIOS DE INFORMÁTICA DA FACULDADE INTEGRADA DE ENSINO SUPERIOR DE COLINAS DO TOCANTINS - FIESC

REGULAMENTO INTERNO DOS LABORATÓRIOS DE INFORMÁTICA DA FACULDADE INTEGRADA DE ENSINO SUPERIOR DE COLINAS DO TOCANTINS - FIESC . REGULAMENTO INTERNO DOS LABORATÓRIOS DE INFORMÁTICA DA FACULDADE INTEGRADA DE ENSINO SUPERIOR DE COLINAS DO TOCANTINS - FIESC CAPITULO I DA CONSTITUIÇÃO DO LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA Art. 1º. O Presente

Leia mais

REGULAMENTO DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU, DE CURTA DURAÇÃO E DE EDUCAÇÃO CONTINUADA

REGULAMENTO DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU, DE CURTA DURAÇÃO E DE EDUCAÇÃO CONTINUADA REGULAMENTO DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU, DE CURTA DURAÇÃO E DE EDUCAÇÃO CONTINUADA Dispõe sobre o regulamento dos cursos de pósgraduação lato sensu, de curta duração e de educação continuada

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ UNIVERSIDADE ABERTA DO BRASIL - UAB EDITAL Nº 079/2014-UAB-UEM

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ UNIVERSIDADE ABERTA DO BRASIL - UAB EDITAL Nº 079/2014-UAB-UEM EDITAL Nº 079/2014-UAB-UEM A Coordenadora da UAB da Universidade Estadual de Maringá, no uso das atribuições, TORNA PÚBLICO: A abertura de inscrições do processo seletivo para contratação de TUTOR (PRESENCIAL)

Leia mais

ESTÁCIO DE SÁ PÓS - GRADUAÇÃO NACIONAL. REGULAMENTO nº 02/2014 TÍTULO I DAS DIRETRIZES GERAIS PARA OS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU

ESTÁCIO DE SÁ PÓS - GRADUAÇÃO NACIONAL. REGULAMENTO nº 02/2014 TÍTULO I DAS DIRETRIZES GERAIS PARA OS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU ESTÁCIO DE SÁ PÓS - GRADUAÇÃO NACIONAL REGULAMENTO nº 02/2014 TÍTULO I DAS DIRETRIZES GERAIS PARA OS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Art. 1º - Os cursos de Pós - Graduação lato sensu estão distribuídos

Leia mais

Centro de Processamento de Dados REGULAMENTO DO CENTRO DE PROCESSAMENTO DE DADOS E DO LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA DA ORGANIZAÇÃO

Centro de Processamento de Dados REGULAMENTO DO CENTRO DE PROCESSAMENTO DE DADOS E DO LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA DA ORGANIZAÇÃO REGULAMENTO DO CENTRO DE PROCESSAMENTO DE DADOS E DO LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA DA ORGANIZAÇÃO Art. 1º O centro de processamento de dados (CPD), ao qual o laboratório de Informática e Laboratório de Gestão

Leia mais

REGULAMENTO DA BIBLIOTECA DA FACULDADE MINAS GERAIS - FAMIG DOS OBJETIVOS

REGULAMENTO DA BIBLIOTECA DA FACULDADE MINAS GERAIS - FAMIG DOS OBJETIVOS REGULAMENTO DA BIBLIOTECA DA FACULDADE MINAS GERAIS - FAMIG DOS OBJETIVOS Art. 1º. A Biblioteca tem por objetivos gerais: 1º. Coletar, organizar e difundir a documentação bibliográfica necessária aos programas

Leia mais

MANUAL DO DISCENTE DA FACULDADE UNIÃO DE ARARUAMA RIO DE JANEIRO

MANUAL DO DISCENTE DA FACULDADE UNIÃO DE ARARUAMA RIO DE JANEIRO Faculdade União Araruama de Ensino. Portaria Ministerial de Funcionamento 169 de 19/02/2009 D.O.U. de 20/02/2009 Rua Marechal Castello Branco nº 333 Centro CEP: 28970-000 Araruama RJ Telefax: (22) 2665-5930

Leia mais

Este é o Manual do Aluno, que tem como finalidade prestar-lhe esclarecimentos sobre nossa Instituição.

Este é o Manual do Aluno, que tem como finalidade prestar-lhe esclarecimentos sobre nossa Instituição. Manual do Aluno Bem-vindo a Faculdade Olga Mettig Estamos iniciando mais um período letivo e nossa maior alegria é recebê-lo como parte de nossa Instituição. Ao acreditar em nossos ideais e vir estudar

Leia mais

RESOLUÇÃO FADISA N.º 005/2008 CONSELHO SUPERIOR DA FACULDADE DE DIREITO SANTO AGOSTINHO FADISA

RESOLUÇÃO FADISA N.º 005/2008 CONSELHO SUPERIOR DA FACULDADE DE DIREITO SANTO AGOSTINHO FADISA RESOLUÇÃO FADISA N.º 005/2008 CONSELHO SUPERIOR DA FACULDADE DE DIREITO SANTO AGOSTINHO FADISA O Presidente do CONSELHO SUPERIOR DA FACULDADE DE DIREITO SANTO AGOSTINHO - FADISA, Professor Ms. ANTÔNIO

Leia mais

EDITAL PROCESSO SELETIVO AGENDADO 08/2015 DETALHADO

EDITAL PROCESSO SELETIVO AGENDADO 08/2015 DETALHADO EDITAL PROCESSO SELETIVO AGENDADO 08/2015 DETALHADO A Diretora da Faculdade CNEC Gravataí, Recredenciada pela Portaria Ministerial nº 849, de 11/09/2013 D.O.U. de 12/09/2013, torna público, na forma regimental

Leia mais

PROCESSO SELETIVO PARA PORTADORES DE DIPLOMA DE NÍVEL SUPERIOR E PARA TRANSFERÊNCIA DE OUTRA INSTITUIÇÃO DE ENSINO SUPERIOR

PROCESSO SELETIVO PARA PORTADORES DE DIPLOMA DE NÍVEL SUPERIOR E PARA TRANSFERÊNCIA DE OUTRA INSTITUIÇÃO DE ENSINO SUPERIOR PROCESSO SELETIVO PARA PORTADORES DE DIPLOMA DE NÍVEL SUPERIOR E PARA TRANSFERÊNCIA DE OUTRA INSTITUIÇÃO DE ENSINO SUPERIOR O reitor do Centro Universitário de Brasília - UniCEUB - faz saber, mediante

Leia mais

SETOR DE BIBLIOTECA REGULAMENTO

SETOR DE BIBLIOTECA REGULAMENTO SETOR DE BIBLIOTECA REGULAMENTO Capítulo I Dos Princípios Gerais Art. 1º O presente Regulamento visa disciplinar e normalizar o Serviço de Atendimento das Bibliotecas São Camilo Campus I e Campus II, no

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ UNIVERSIDADE ABERTA DO BRASIL - UAB EDITAL Nº 061/2014-UAB-UEM

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ UNIVERSIDADE ABERTA DO BRASIL - UAB EDITAL Nº 061/2014-UAB-UEM EDITAL Nº 061/2014-UAB-UEM A Coordenadora da UAB da Universidade Estadual de Maringá, no uso das atribuições, TORNA PÚBLICO: A abertura de inscrições para o processo seletivo de TUTORIA (A Distância) para

Leia mais

FACULDADE METODISTA GRANBERY GABINETE DA DIREÇÃO PORTARIA Nº 01/2015

FACULDADE METODISTA GRANBERY GABINETE DA DIREÇÃO PORTARIA Nº 01/2015 FACULDADE METODISTA GRANBERY GABINETE DA DIREÇÃO PORTARIA Nº 01/2015 Ementa: Altera e estabelece o Regulamento Financeiro para os cursos de graduação da Faculdade Metodista Granbery. O TESOUREIRO DO INSTITUTO

Leia mais