7/7/2010. Confiabilidade Independência de Plataforma Segurança Oak se transforma em Java

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "7/7/2010. Confiabilidade Independência de Plataforma Segurança Oak se transforma em Java"

Transcrição

1 Cay Horstmann, Gary Cornell. Core Java, Volume 1 - Fundamentos. Editora: Prentice Hall. Ano: Edição: 8 The Java Tutorials Standard Edition Revisão Geral Fernando Pedrosa : Existência de várias plataformas, sistemas operacionais, fornecedores 1991: Formação do Green Project O objetivo era fazer com que produtos eletrônicos falassem a mesma língua Mas cada um tinha uma API diferente 1991/1992 James Gosling começa a pensar em uma nova linguagem de programação baseada em C++ Codinome: Oak 1992 Primeiro protótipo (PDA) escrito em Oak 1995 A internet acontece De repente, as características de Oak encaixam perfeitamente com a internet Confiabilidade Independência de Plataforma Segurança Oak se transforma em Java 3 4 Linguagem de programação de propósito genérico Baseada em C/C++ Porém, mais simplificada, mais confiável Projetada com foco em aplicações Web De aceitação generalizada 5 6 1

2 Java removeu algumas funcionalidades incômodas de C++ Herança múltipla Ponteiros (não há aritmética de ponteiros) Alocação e desalocação manual de espaço de memória Sobrecarga de operadores E adicionou algumas funcionalidades Garbage Collection Segurança embutida Foco em objetos, com dados (atributos) e comportamento (métodos) Todas as funções são associadas a objetos Quase todos os tipos de dados são objetos (arquivos, Strings, etc.) Há tipos primitivos também Maior reúso, extensibilidade e organização de código 7 8 Java gera bytecodes, nunca código nativo Bytecode é um código intermediário que é independente de plataforma Os bytecodes são traduzidos on the fly para a instruções de máquina nativas (Java Virtual Machine) Write once, run everywhere A mesma aplicação roda em várias plataformas O tamanho dos dados primitivos (inteiro, double, booleano, etc.) é sempre o mesmo 9 10 Várias checagens de erro em tempo de compilação e de execução (exceções) Memória corrompida ou acessos não autorizados são impossíveis Não há buffer overflows Os limites dos arrays são sempre checados O coletor de lixo não monitora o uso dos objetos em tempo de execução Múltiplas threads de execução podem ocorrer simultaneamente Utiliza algumas diretivas de sincronismo sofisticadas para alcançar isto

3 Java é projetada para se adaptar a ambientes que evoluem As bibliotecas podem adicionar novos métodos ou variáveis de instância sem afetar os clientes Interfaces promovem flexibilidade e reusabilidade definem um contrato, mas não especificam a implementação Java checa o tipo de dado em tempo de execução Performance Java é mais lenta do que linguagens compiladas Um experimento em 1999 mostrou que Java pode ser de 3 a 4 vezes mais lenta do que C ou C++ Não é adequada a sistemas em tempo real Verbosidade As API s Java, atualmente, são muito verbosas (extensas) A arquitetura Java vem de quatro tecnologias separadas (porém relacionadas) A linguagem de programação O formato de arquivo.class A API Application Programming Interface A máquina virtual java (JVM) Todo o código fonte é escrito na linguagem de programação java Os programas são compilados em arquivos.class Classes (.class) rodam dentro da Máquina Virtual Java Quando um programa é executado, ele é assessorado por outras classes da API Java Combinadas, a JVM e a Java API formam uma Plataforma Ambiente em tempo de Compilação Hello.class Java Compiler Hello.java Object.class Exemplos de classes da API String.class Java Virtual Machine Ambiente em tempo de execução

4 A plataforma Java é única porque os programas podem funcionar sem modificação em qualquer plataforma de qualquer sistema operacional se essa plataforma tiver uma Máquina Virtual Java Comparação entre Java e um programa escrito em linguagem procedural Em um programa típico escrito em C, o código fonte é compilado diretamente para a linguagem de máquina de uma determinada plataforma Código Fonte em C C compilado para linguagem de máquina A linguagem de máquina é especificamente customizada para um determinado sistema operacional (Windows, Mac, UNIX, etc.) É impossível ter portabilidade de um único código fonte para todas as plataformas Diferente de linguagens tradicionais, Java não é compilada para código nativo de máquina Ao invés disso, Java produz bytecodes O bytecode é o resultado de uma compilação, mas este resultado é uma forma intermediária que não depende de nenhuma plataforma O bytecode é universal e lido por qualquer JVM (cada S.O tem a sua JVM) A JVM configura o seu próprio mundo dentro da memória RAM Cria um computador interno dentro do Sistema Operacional O bytecode conversa com a JVM, e a JVM conversa com o Sistema Operacional Java Source O bytecode é encontrado no meio caminho pela JVM Java Bytecode Entendeu por que Bill Gates não gosta de Java? JVM-IBM JVM-Mac JVM-Unix JVM-Win MVS Mac UNIX Wintel

5 A JVM interpreta o bytecode uma instrução por vez, e as traduz para código de máquina nativo O programa é compilado para bytecode uma vez, mas é interpretado de novo toda vez que ele roda Tipo boolean byte short char int long float double Descrição Pode assumir o valor true ou o valor false. Representa números binários. Inteiro de 8 bits em notação de complemento de dois. Pode assumir valores entre -2 7 =-128 e 2 7-1=127. Inteiro de 16 bits em notação de complemento de dois. Os valores possíveis cobrem a faixa de = a = Caractere em notação Unicode de 16 bits. Serve para o armazenamento de dados alfanuméricos. Também pode ser usado como um dado inteiro com valores na faixa entre 0 e Inteiro de 32 bits em notação de complemento de dois. Pode assumir valores entre = e = Inteiro de 64 bits em notação de complemento de dois. Pode assumir valores entre e Representa números em notação de ponto flutuante normalizada em precisão simples de 32 bits Representa números em notação de ponto flutuante normalizada em precisão dupla de 64 bits Operadores aritméticos Adição + Subtração Multiplicação * Divisão / Módulo % Em Java, não há operador de exponenciação Operador ternário de seleção [expressão? True : False ] Operadores de comparação Igualdade == Diferença!= Maior que > Menor que < Maior ou igual a >= Menor ou igual a <= O operador = é de atribuição Não confunda com o operador de igualdade Operadores de atribuição =,+=, -=, *=, /=, %= a += 2 -> a = a + 2; a -= 2 -> a= a - 2; a *= 2 -> a = a * 2; a /= 2 -> a = a/ 2; a %= 2 -> a = a % 2;

6 // PrePostIncrement.java As operações adicione 1 à variável ou diminua 1 da variável são tão comuns que têm os seus próprios operadores public class PrePostIncrement public static void main( String args[] ) int x=0; System.out.println( " Baseline, x = " + x ); x++; x--; System.out.println( "\n Pré incremento = ++x = " + ++x ); System.out.println( "\n Resultado, x = " + x ); Também podem ser pré fixados ++x; --x; x = 0; System.out.println( "\n Segunda Baseline, x = " + x ); System.out.println( "\n Pós incremento = x++ = " + x++ ); System.out.println( "\n Resultado, x = " + x ); System.exit( 0 ); Resultado Baseline, x = 0 Pré incremento = ++x = 1 Resultado, x = 1 Segunda baseline, x = 0 Operadores lógicos AND & (ou &&) OR (ou ) NOT! XOR ^ Curto-circuito: if(gender == F && age >= 65) Pós incremento = x++ = 0 Resultado, x = 1 if(gender == F age >= 65) Not: if(!(age>=65)) Variantes do If-Else if( expressão booleana ) declaração1; declaração2; if( expressão booleana ) declaração; else declaração; if( expressão booleana ) declaração; else if( expression ) declaração; else declaração; Switch int x = 0; switch( x ) case 1: faça algo; break; case 2: faça algo; break; case 55: faça algo; break; case 102: case 299: faça algo; break; default: A expressão inteira X é avaliada. Se x contiver 1, o case 1 é executado. Note o break após cada declaração. Todo o código é executado até chegar nele se não entrou em nenhum outro lugar, faça isso; break;

7 break; pode ser usado em estruturas while, do/while, for e switch continue; pode ser usado em estruturas while, do/while, for for(row = 1; row <= 10; row++) for(col=1; col <=5; col++) if( row == 5) break; else if (row == 6) continue; output += * ; output += \n ; While e Do-While while(expressão booleana) declaração1; declaração2; do declaração1; declaração2; while (expressão booleana); For for(inicialização; teste; incremento) declaração1; declaração2; Todas as três seções são opcionais Em Java, tudo deve rodar a partir de um arquivo.class Esse arquivo contém os bytecodes do programa O código fonte em Java deve ter a extensão.java Um programa chamado Hello.java será compilado para Hello.class Uma Classe é um código fonte compilado que contém as suas próprias variáveis de dados e procedimentos Atributos e Métodos A combinação das variáveis de dados e os métodos utilizados para ler, escrever ou modificar estes dados é chamada de Classe class Pencil public String color = red ; public int length; public float diameter; public static long nextid = 0; public void setcolor (String newcolor) color = newcolor;

8 Um classe pode ter os seguintes modificadores modificadores de visibilidade static final abstract É um tipo, seguido de um identificador, e, opcionalmente, uma cláusula de inicialização Atributos podem ter vários modificadores Modificadores de acesso static final Modificadores de acesso private O membro é acessível apenas dentro da própria classe package (default) O membro é acessível pela própria classe e por outras classes no mesmo pacote protected O membro é acessível pela própria classe, pelas classes do mesmo pacote e pelas suas subclasses public O membro é acessível por qualquer classe Pencil.java CreatePencil.java public class Pencil public String color = red ; public int length; public float diameter; private float price; public static long nextid = 0; public void setprice (float newprice) price = newprice; public class CreatePencil public static void main (String args[]) Pencil p1 = new Pencil(); p1.price = 0.5f; //ERRO Membros estáticos Apenas uma cópia do atributo existe, compartilhada por todos os objetos da classe O acesso fora da classe deve ser precedido pelo nome da classe System.out.println(Pencil.nextID); public class CreatePencil public static void main (String args[]) Pencil p1 = new Pencil(); Pencil.nextID++; System.out.println(p1.nextID); //Resultado? 1 Pencil p2 = new Pencil(); Pencil.nextID++; System.out.println(p2.nextID); //Resultado? 2 System.out.println(p1.nextID); //Resultado? 2 de novo

9 Constantes (final) O modificador final denota que o valor do atributo não pode ser modificado É o que chamamos de Constante É obrigatório inicializar o atributo ao criá-lo como final public class Constantes public static final double PI = 3.14; public static final double GRAVIDADE = 9.81; Valores default Se os atributos não forem inicializados com algum valor na sua criação, um valor default é assumido Tipo Valor inicial boolean false char \u0000 byte, short, int, long 0 float +0.0f double +0.0 objetos null A declaração do método consiste de Modificadores (opcional) modificadores de visibilidade abstract final static Tipo de retorno Nome do método Lista de parâmetros Cláusulas throws (opcional) Corpo do método Overloading (polimorfismo estático) Uma classe pode ter mais de um método com o mesmo nome, desde que suas assinaturas sejam diferentes Assinatura = nome + parâmetros public class Pencil public void setprice (float newprice) price = newprice; public void setprice (Pencil p) price = p.getprice(); Passagem de Parâmetros Passando um dado primitivo Passagem de Parâmetros Passando uma referência public void m1 (int a) b = b + 1; public void m2( ) int b = 3; m1(b); // agora b =? // b = 3, ainda! class PassRef public static void main(string[] args) Pencil lapisazul = new Pencil( AZUL"); System.out.println( cor original: " + lapisazul.cor); pintarvermelho(lapisazul); System.out.println( nova cor: " + lapisazul.cor); public static void paintred(pencil p) p.cor = VERMELHO"; lapisazul cor: AZUL lapisazul p cor: AZUL lapisazul p cor: VERMELHO

10 Cuidado: a passagem de parâmetros em Java é sempre por valor (cópia) Mesmo quando uma referência é passada (objetos), uma cópia é feita da referência original Um array consiste de uma coleção de itens de dados todos do mesmo tipo O tamanho de um array é estático Uma vez que o array é criado, não é possível modificar o seu tamanho A estrutura que permite crescimento dinâmico é a classe Vector Os elementos do array são localizados contiguamente na memória char[] x = new char[5]; X Quando um array é alocado, os elementos são automaticamente inicializados Dados Primitivos Tipos numéricos são inicializados com zero Primitivos char são inicializados com espaços Primitivos boolean são inicializados com false Referências Para arrays de tipos referência (objetos), as referências são inicializadas com null x[0] = Z X[1] = q X Z q Superclasse public class Person private String name; public Person ( ) name = sem_nome ; public Person ( String initialname) this.name = initialname; public String getname ( ) return name; public void setname ( String newname ) name = newname; Subclasse public class Student extends Person private int studentnumber; public Student ( ) super( ); studentnumber = 0; public Student (String initialname, int initialstudentnumber) super(initialname); studentnumber = initialstudentnumber; public int getstudentnumber ( ) return studentnumber; public void setstudentnumber (int newstudentnumber ) studentnumber = newstudentnumber;

11 Toda classe herda de outra classe, quer isso seja declarado ou não Se uma classe não declarar explicitamente que herda de outra classe, então ela herda, implicitamente, de Object Hierarquia de classes do exemplo passado: Object Person Student Polimorfismo estático Sobrecarga (overloading) Prover mais de um método com o mesmo nome mas com assinaturas diferentes Polimorfismo dinâmico Sobreposição (overriding) Substituir a implementação da superclasse (método original) com outro método de mesma assinatura O método da subclasse pode redefinir o nível de visibilidade, mas este novo nível deve ser de escopo mais amplo public class Funcionario String nome; String CPF; public double calc_sal() return 0.0; public class FuncionarioAssalariado extends Funcionario double salario; public double calc_sal() return salario; public class FuncionarioDiarista extends Funcionario double pagamentopordia; int dias; public double calc_sal() return dias * pagamentopordia; public class Teste public static void main( String args[] ) Funcionario ref; // superclass reference String output = ""; Chefe c = new Chefe( João", da Silva", ); FuncionarioDiarista d = new FuncionarioDiarista( Maria", José", 13.75, 40 ); ref = c; // Referência ao Funcionário Chefe output += ref.tostring() + " faturou $" + ref.faturamentos(); ref = d; // Referência ao Funcionário Diarista output += ref.tostring() + " faturou $" + ref.faturamentos(); System.out.println( + output ); System.exit( 0 ); Uma interface é um modo de especificar o que classes devem fazer sem descrever como fazê-lo Não é uma classe, mas um conjunto de requisitos para classes que querem implementar esta interface É um contrato estabelecido A declaração consiste da palavra chave interface, o seu nome e os membros Similarmente às classes, podem ter Atributos (na verdade, Constantes da interface) Métodos public interface Shape public abstract double area(); public abstract double volume(); public abstract getname();

12 Constantes Uma interface pode declarar constantes, que serão, sempre public, static e final Todos os nomes devem ser inicializados Métodos São sempre públicos e abstratos, ainda que isto seja omitido Não podem ser static nem final public interface Shape public static final int ID_CIRCULO = 1; public static final int ID_TRIANGULO = 2; public static final int ID_QUADRADO = 3; Implementando interfaces Dois passos são necessários para classes implementarem interfaces 1. Declarar que a classe pretende implementar uma dada interface através da palavra chave implements 2. Definir (dar corpo) a todos os métodos da interface Classes podem implementar mais de uma interface, basta separar a declaração por vírgulas public class Circulo implements Shape, implements Objeto2D... Interfaces podem ser estendidas (inclusive com herança múltiplca public class Circulo implements Shape public abstract double area()...; public abstract double volume()...; public abstract getname()...; public interace Objeto3D extends Objeto2D, Shape São eventos que acontecem durante a execução do programa que interrompem o fluxo normal das operações Normalmente representam erros da aplicação Java permite gerenciar erros de maneira controlada e se recuperar deles O que os usuários esperam após um erro? Ser notificados que o erro aconteceu Salvar todo o seu trabalho Permiti-los sair do programa de forma suave Java suporta o tratamento de exceções com o uso de três palavras-chave try throw catch Um exemplo sem tratamento de exceção:

13 public class SemTratamentoDeExcecao public static void main( String[] args ) int x = 1, y = 0, z = 0; Divisão por zero z = x / y; System.out.println( x/y = + z ); Este resultado nunca vai ser impresso, nem nenhum aviso será dado quanto erro O programa simplesmente é interrompido Não há tratamento de exceção public class ComTratamentoDeExceção public static void main( String[] args ) int x = 1, y = 0, z = 0; try z = x / y; catch( DivisaoPorZeroException e ) System.out.println( Exceção ); finally System.out.println( Sempre! );

Programação de Computadores - I. Profª Beatriz Profº Israel

Programação de Computadores - I. Profª Beatriz Profº Israel Programação de Computadores - I Profª Beatriz Profº Israel As 52 Palavras Reservadas O que são palavras reservadas São palavras que já existem na linguagem Java, e tem sua função já definida. NÃO podem

Leia mais

Universidade da Beira Interior Cursos: Matemática /Informática e Ensino da Informática

Universidade da Beira Interior Cursos: Matemática /Informática e Ensino da Informática Folha 1-1 Introdução à Linguagem de Programação JAVA 1 Usando o editor do ambiente de desenvolvimento JBUILDER pretende-se construir e executar o programa abaixo. class Primeiro { public static void main(string[]

Leia mais

Linguagem de Programação JAVA. Técnico em Informática Professora Michelle Nery

Linguagem de Programação JAVA. Técnico em Informática Professora Michelle Nery Linguagem de Programação JAVA Técnico em Informática Professora Michelle Nery Agenda Regras paravariáveis Identificadores Válidos Convenção de Nomenclatura Palavras-chaves em Java Tipos de Variáveis em

Leia mais

Curso Adonai QUESTÕES Disciplina Linguagem JAVA

Curso Adonai QUESTÕES Disciplina Linguagem JAVA 1) Qual será o valor da string c, caso o programa rode com a seguinte linha de comando? > java Teste um dois tres public class Teste { public static void main(string[] args) { String a = args[0]; String

Leia mais

JAVA. Introdução. Marcio de Carvalho Victorino. Page 1 1/40 2/40

JAVA. Introdução. Marcio de Carvalho Victorino. Page 1 1/40 2/40 JAVA Marcio de Carvalho Victorino 1/40 Introdução 2/40 Page 1 Programação OO Elementos do modelo OO: Abstração: é o processo de abstrair as características essenciais de um objeto real. O conjunto de características

Leia mais

Linguagens de. Aula 02. Profa Cristiane Koehler cristiane.koehler@canoas.ifrs.edu.br

Linguagens de. Aula 02. Profa Cristiane Koehler cristiane.koehler@canoas.ifrs.edu.br Linguagens de Programação III Aula 02 Profa Cristiane Koehler cristiane.koehler@canoas.ifrs.edu.br Linguagens de Programação Técnica de comunicação padronizada para enviar instruções a um computador. Assim

Leia mais

Java. Marcio de Carvalho Victorino www.dominandoti.eng.br

Java. Marcio de Carvalho Victorino www.dominandoti.eng.br Java Marcio de Carvalho Victorino www.dominandoti.eng.br 3. Considere as instruções Java abaixo: int cont1 = 3; int cont2 = 2; int cont3 = 1; cont1 += cont3++; cont1 -= --cont2; cont3 = cont2++; Após a

Leia mais

A Linguagem Java. Alberto Costa Neto DComp - UFS

A Linguagem Java. Alberto Costa Neto DComp - UFS A Linguagem Java Alberto Costa Neto DComp - UFS 1 Roteiro Comentários Variáveis Tipos Primitivos de Dados Casting Comandos de Entrada e Saída Operadores Constantes 2 Comentários /** Classe para impressão

Leia mais

Orientação a Objetos em Java. Leonardo Gresta Paulino Murta leomurta@ic.uff.br

Orientação a Objetos em Java. Leonardo Gresta Paulino Murta leomurta@ic.uff.br Orientação a Objetos em Java Leonardo Gresta Paulino Murta leomurta@ic.uff.br Agenda Introdução; Orientação a Objetos; Orientação a Objetos em Java; Leonardo Murta Orientação a Objetos em Java 2 Agosto/2007

Leia mais

CONCEITOS DE LINGUAGEM DE PROGRAMAÇÃO CARACTERÍSTICAS. João Gabriel Ganem Barbosa

CONCEITOS DE LINGUAGEM DE PROGRAMAÇÃO CARACTERÍSTICAS. João Gabriel Ganem Barbosa CONCEITOS DE LINGUAGEM DE PROGRAMAÇÃO CARACTERÍSTICAS João Gabriel Ganem Barbosa Sumário Motivação História Linha do Tempo Divisão Conceitos Paradigmas Geração Tipos de Dados Operadores Estruturada vs

Leia mais

Aula 2. Objetivos. Encapsulamento na linguagem Java; Utilizando a referência this.

Aula 2. Objetivos. Encapsulamento na linguagem Java; Utilizando a referência this. Aula 2 Objetivos Encapsulamento na linguagem Java; Utilizando a referência this. Encapsulamento, data hiding é um conceito bastante importante em orientação a objetos. É utilizado para restringir o acesso

Leia mais

2 Orientação a objetos na prática

2 Orientação a objetos na prática 2 Orientação a objetos na prática Aula 04 Sumário Capítulo 1 Introdução e conceitos básicos 1.4 Orientação a Objetos 1.4.1 Classe 1.4.2 Objetos 1.4.3 Métodos e atributos 1.4.4 Encapsulamento 1.4.5 Métodos

Leia mais

Módulo 06 Desenho de Classes

Módulo 06 Desenho de Classes Módulo 06 Desenho de Classes Última Atualização: 13/06/2010 1 Objetivos Definir os conceitos de herança, polimorfismo, sobrecarga (overloading), sobreescrita(overriding) e invocação virtual de métodos.

Leia mais

insfcanceof new public switch transient while byte continue extends for int null

insfcanceof new public switch transient while byte continue extends for int null Palavras -chave de JAV A abstract catch do final implements long private static throw void boolean char double finally import native protected super throws volatile break class float insfcanceof new public

Leia mais

Sintaxe Geral Tipos de Dados. Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc.

Sintaxe Geral Tipos de Dados. Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. Sintaxe Geral Tipos de Dados Comentários Comentários: De linha: // comentário 1 // comentário 2 De bloco: /* linha 1 linha 2 linha n */ De documentação: /** linha1 * linha2 */ Programa Exemplo: ExemploComentario.java

Leia mais

FBV - Linguagem de Programação II. Um pouco sobre Java

FBV - Linguagem de Programação II. Um pouco sobre Java FBV - Linguagem de Programação II Um pouco sobre Java História 1992: um grupo de engenheiros da Sun Microsystems desenvolve uma linguagem para pequenos dispositivos, batizada de Oak Desenvolvida com base

Leia mais

Algoritmos I Aula 13 Java: Tipos básicos, variáveis, atribuições e expressões

Algoritmos I Aula 13 Java: Tipos básicos, variáveis, atribuições e expressões Algoritmos I Aula 13 Java: Tipos básicos, variáveis, atribuições e expressões Professor: Max Pereira http://paginas.unisul.br/max.pereira Ciência da Computação Primeiro Programa em Java public class OlaPessoal

Leia mais

Programação Orientada a Objetos

Programação Orientada a Objetos Programação Orientada a Objetos Engenharia da Computação Professor: Rosalvo Ferreira de Oliveira Neto Dados Pessoais Rosalvo Ferreira de Oliveira Neto MSc. em ciência da computação (UFPE) rosalvo.oliveira@univasf.edu.br

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ CURSO: Ciência da Computação DATA: / / 2013 PERÍODO: 4 o. PROFESSOR: Andrey DISCIPLINA: Técnicas Alternativas de Programação AULA: 02 APRESENTAÇÃO: Apresentação; conceitos básicos da linguagem java; estrutura

Leia mais

JAVA. Fabrício de Sousa fabbricio7@yahoo.com.br

JAVA. Fabrício de Sousa fabbricio7@yahoo.com.br JAVA Fabrício de Sousa fabbricio7@yahoo.com.br Agenda 2 Características Ambientes de Desenvolvimento Sintaxe Comentários Tipos de dados primitivos Caracteres especiais Variáveis Operadores Aritméticos

Leia mais

Introdução à Linguagem Java

Introdução à Linguagem Java Introdução à Linguagem Java A linguagem Java surgiu em 1991 quando cientistas da Sun, liderados por Patrick Naughton e James Gosling, projetaram uma linguagem pequena para ser utilizada em eletrodomésticos

Leia mais

Java 2 Standard Edition Como criar classes e objetos

Java 2 Standard Edition Como criar classes e objetos Java 2 Standard Edition Como criar classes e objetos Helder da Rocha www.argonavis.com.br 1 Assuntos abordados Este módulo explora detalhes da construção de classes e objetos Construtores Implicações da

Leia mais

Aula 09 Introdução à Java. Disciplina: Fundamentos de Lógica e Algoritmos Prof. Bruno Gomes http://www.profbrunogomes.com.br/

Aula 09 Introdução à Java. Disciplina: Fundamentos de Lógica e Algoritmos Prof. Bruno Gomes http://www.profbrunogomes.com.br/ Aula 09 Introdução à Java Disciplina: Fundamentos de Lógica e Algoritmos Prof. Bruno Gomes http://www.profbrunogomes.com.br/ Agenda da Aula Java: Sintaxe; Tipos de Dados; Variáveis; Impressão de Dados.

Leia mais

BSI UFRPE Prof. Gustavo Callou gcallou@gmail.com

BSI UFRPE Prof. Gustavo Callou gcallou@gmail.com BSI UFRPE Prof. Gustavo Callou gcallou@gmail.com HelloWorld.java: public class HelloWorld { public static void main (String[] args) { System.out.println( Hello, World ); } } Identificadores são usados

Leia mais

Sobre o Professor Dr. Sylvio Barbon Junior

Sobre o Professor Dr. Sylvio Barbon Junior 5COP088 Laboratório de Programação Aula 1 Java Prof. Dr. Sylvio Barbon Junior Sylvio Barbon Jr barbon@uel.br 1 Sobre o Professor Dr. Sylvio Barbon Junior Formação: Ciência e Engenharia da Computação (2005

Leia mais

Introdução à linguagem

Introdução à linguagem A Tecnologia Java 1 Introdução à linguagem Origens do JAVA Projecto Green, programação para a electrónica de Consumo (Dezembro 1990): Pouca memória disponível Processadores fracos Arquitecturas muito diferentes

Leia mais

Programação por Objectos. Java

Programação por Objectos. Java Programação por Objectos Java Parte 2: Classes e objectos LEEC@IST Java 1/24 Classes (1) Sintaxe Qualif* class Ident [ extends IdentC] [ implements IdentI [,IdentI]* ] { [ Atributos Métodos ]* Qualif:

Leia mais

Introdução a Linguagem

Introdução a Linguagem Introdução a Linguagem Prof. Edwar Saliba Júnior Fevereiro de 2011 Unidade 03 Introdução a Linguagem Java 1 Conteúdo Máquina Virtual (JVM) Histórico de Java Case Sensitive Tipos Primitivos Tipo String

Leia mais

Java 1 visão geral. Vitor Vaz da Silva

Java 1 visão geral. Vitor Vaz da Silva Java 1 visão geral Vitor Vaz da Silva Introdução 1991 Um grupo de projectistas da Sun Green Team tenta criar uma nova geração de computadores portáteis inteligentes e com grande capacidade de comunicação.

Leia mais

Relevância e Motivação. Programação Orientada a Objetos Utilizando Java. Qualidade do Software. Objetivos. Cancelamentos.

Relevância e Motivação. Programação Orientada a Objetos Utilizando Java. Qualidade do Software. Objetivos. Cancelamentos. Programação Orientada a Objetos Utilizando Java Pedro de Alcântara dos Santos Neto e-mail: pasn@ufpi.edu.br Home Page: http:// www.ufpi.br/pasn Relevância e Motivação Técnicas a serem utilizadas na prática

Leia mais

Conceitos de Linguagens de Programação

Conceitos de Linguagens de Programação Conceitos de Linguagens de Programação Aula 07 Nomes, Vinculações, Escopos e Tipos de Dados Edirlei Soares de Lima Introdução Linguagens de programação imperativas são abstrações

Leia mais

Programação Na Web. Linguagem Java Parte II. break com o nome do bloco. Sintaxe. Nome do bloco. Termina o bloco. António Gonçalves ...

Programação Na Web. Linguagem Java Parte II. break com o nome do bloco. Sintaxe. Nome do bloco. Termina o bloco. António Gonçalves ... Programação Na Web Linguagem Java Parte II Sintaxe António Gonçalves break com o nome do bloco Nome do bloco Termina o bloco class class Matrix Matrix { private private int[][] int[][] mat; mat; public

Leia mais

Técnicas de Programação II

Técnicas de Programação II Técnicas de Programação II Aula 06 Orientação a Objetos e Classes Edirlei Soares de Lima Orientação a Objetos O ser humano se relaciona com o mundo através do conceito de objetos.

Leia mais

ESQUEMA AULA PRÁTICA 1 Familiarização com o Ambiente de Desenvolvimento NetBeans Introdução à Linguagem de Programação JAVA

ESQUEMA AULA PRÁTICA 1 Familiarização com o Ambiente de Desenvolvimento NetBeans Introdução à Linguagem de Programação JAVA P. Fazendeiro & P. Prata POO FP1/1 ESQUEMA AULA PRÁTICA 1 Familiarização com o Ambiente de Desenvolvimento NetBeans Introdução à Linguagem de Programação JAVA 0 Iniciar o ambiente de desenvolvimento integrado

Leia mais

Programação Orientada a Objetos (DPADF 0063)

Programação Orientada a Objetos (DPADF 0063) Programação Orientada a Objetos (DPADF 0063) Aula 2 Java como ferramenta de experimentação Universidade Federal de Santa Maria Colégio Agrícola de Frederico Westphalen Curso Superior de Tecnologia em Sistemas

Leia mais

Universidade Federal de Uberlândia

Universidade Federal de Uberlândia Universidade Federal de Uberlândia Programação Orientada a Objetos I Introdução a Java Sintaxe básica OO Prof. Fabiano Azevedo Dorça Em Java, cada classe dá origem a um arquivo.java contendo o código fonte.

Leia mais

Introdução à Programação. Interface, Polimorfismo e Dynamic Binding

Introdução à Programação. Interface, Polimorfismo e Dynamic Binding Introdução à Programação Interface, Polimorfismo e Dynamic Binding Interface Programador Java PLENO Possuir sólida experiência em programação Desenvolvimento na linguagem JAVA Webservice, Struts ou JSF(desejável)

Leia mais

Programação Orientada a Objetos em java. Polimorfismo

Programação Orientada a Objetos em java. Polimorfismo Programação Orientada a Objetos em java Polimorfismo Polimorfismo Uma característica muito importante em sistemas orientados a objetos Termo proveniente do grego, e significa muitas formas Em POO, significa

Leia mais

Revisão OO Básico. Orientação a Objetos em Java

Revisão OO Básico. Orientação a Objetos em Java Revisão OO Básico Orientação a Objetos em Java Grupo de Linguagens de Programação Departamento de Informática PUC-Rio Nomenclatura A unidade básica de programação em linguagens orientadas a objetos é a

Leia mais

Programação Orientada a Objetos Prof. Rone Ilídio UFSJ/CAP

Programação Orientada a Objetos Prof. Rone Ilídio UFSJ/CAP Programação Orientada a Objetos Prof. Rone Ilídio UFSJ/CAP 1) Introdução Programação Orientada a Objetos é um paradigma de programação bastante antigo. Entretanto somente nos últimos anos foi aceito realmente

Leia mais

Unidade IV: Ponteiros, Referências e Arrays

Unidade IV: Ponteiros, Referências e Arrays Programação com OO Acesso em Java a BD Curso: Técnico em Informática Campus: Ipanguaçu José Maria Monteiro Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro PUC-Rio Departamento Clayton Maciel de Informática

Leia mais

Lab de Programação de sistemas I

Lab de Programação de sistemas I Lab de Programação de sistemas I Apresentação Prof Daves Martins Msc Computação de Alto Desempenho Email: daves.martins@ifsudestemg.edu.br Agenda Orientação a Objetos Conceitos e Práticas Programação OO

Leia mais

JAVA VIRTUAL MACHINE (JVM)

JAVA VIRTUAL MACHINE (JVM) JAVA VIRTUAL MACHINE (JVM) Por Leandro Baptista, Marlon Palangani e Tiago Deoldoto, 11 de Abril de 2009 A linguagem de programação Java proporciona o desenvolvimento aplicações que podem ser executadas

Leia mais

JavaScript 2.0X 1.0 3.0X 1.1 4.0 4.05 1.2 4.06 4.61 1.3 5.0 1.4 6.0 1.5

JavaScript 2.0X 1.0 3.0X 1.1 4.0 4.05 1.2 4.06 4.61 1.3 5.0 1.4 6.0 1.5 JavaScript Diego R. Frank, Leonardo Seibt FIT Faculdades de Informática de Taquara Fundação Educacional Encosta Inferior do Nordeste Av. Oscar Martins Rangel, 4500 Taquara RS Brasil difrank@terra.com.br,

Leia mais

Comandos de repetição For (inicialização; condição de execução; incremento/decremento) { //Código }

Comandos de repetição For (inicialização; condição de execução; incremento/decremento) { //Código } Este documento tem o objetivo de demonstrar os comandos e sintaxes básicas da linguagem Java. 1. Alguns passos para criar programas em Java As primeiras coisas que devem ser abordadas para começar a desenvolver

Leia mais

a Baseado no Capítulo 5 de Inside the Virtual Machine, por Bill Vernners.

a Baseado no Capítulo 5 de Inside the Virtual Machine, por Bill Vernners. Arquitetura da Máquina Virtual Java a 1. Principais subsistemas máquina virtual Java (JVM): Carregador de classes ( class loader ): carrega classes e interfaces a partir de nomes completamente qualificados.

Leia mais

Reuso com Herança a e Composiçã

Reuso com Herança a e Composiçã Java 2 Standard Edition Reuso com Herança a e Composiçã ção Helder da Rocha www.argonavis.com.br 1 Como aumentar as chances de reuso Separar as partes que podem mudar das partes que não mudam. Exemplo:

Leia mais

Capítulo 3. Programação por objectos em Java

Capítulo 3. Programação por objectos em Java Capítulo 3. Programação por objectos em Java 1/46 Índice Indice 3.1 - Qualificadores de visualização 3.2 - Classe 3.3 - Objecto 3.4 - Métodos 3.5 - Herança 3.6 - Reescrita de métodos 3.7 - Classes abstractas

Leia mais

CURSO DE PROGRAMAÇÃO EM JAVA

CURSO DE PROGRAMAÇÃO EM JAVA CURSO DE PROGRAMAÇÃO EM JAVA Introdução para Iniciantes Prof. M.Sc. Daniel Calife Índice 1 - A programação e a Linguagem Java. 1.1 1.2 1.3 1.4 Linguagens de Programação Java JDK IDE 2 - Criando o primeiro

Leia mais

Algoritmos e Programação 2. Introdução à Programação Orientada a Objetos. Orientação a Objetos. O que é um paradigma de programação?

Algoritmos e Programação 2. Introdução à Programação Orientada a Objetos. Orientação a Objetos. O que é um paradigma de programação? Algoritmos e Programação 2 Baseado no material do Prof. Júlio Pereira Machado Introdução à Programação Orientada a Objetos O que é um paradigma de programação? É um padrão conceitual que orienta soluções

Leia mais

JSP - ORIENTADO A OBJETOS

JSP - ORIENTADO A OBJETOS JSP Orientação a Objetos... 2 CLASSE:... 2 MÉTODOS:... 2 Método de Retorno... 2 Método de Execução... 2 Tipos de Dados... 3 Boolean... 3 Float... 3 Integer... 4 String... 4 Array... 4 Primeira:... 4 Segunda:...

Leia mais

Prof. Esp. Adriano Carvalho

Prof. Esp. Adriano Carvalho Prof. Esp. Adriano Carvalho Um arquivo contendo uma sequência de comandos em uma linguagem de programação especifica Esses comandosrespeitam regras de como serem escritos e quais são as palavras que podem

Leia mais

Criar a classe Aula.java com o seguinte código: Compilar e Executar

Criar a classe Aula.java com o seguinte código: Compilar e Executar Introdução à Java Prof. Bruno Gomes bruno.gomes@ifrn.edu.br Programação Orientada a Objetos Código Exemplo da Aula Criar a classe Aula.java com o seguinte código: public class Aula { public static void

Leia mais

ESQUEMA AULA PRÁTICA 1 Familiarização com o Ambiente de Desenvolvimento Eclipse Introdução à Linguagem de Programação JAVA

ESQUEMA AULA PRÁTICA 1 Familiarização com o Ambiente de Desenvolvimento Eclipse Introdução à Linguagem de Programação JAVA P. Fazendeiro & P. Prata POO FP1/1 ESQUEMA AULA PRÁTICA 1 Familiarização com o Ambiente de Desenvolvimento Eclipse Introdução à Linguagem de Programação JAVA 0 Inicie o ambiente de desenvolvimento integrado

Leia mais

Curso de Java. Orientação a objetos e a Linguagem JAVA. TodososdireitosreservadosKlais

Curso de Java. Orientação a objetos e a Linguagem JAVA. TodososdireitosreservadosKlais Curso de Java Orientação a objetos e a Linguagem JAVA Roteiro A linguagem Java e a máquina virtual Objetos e Classes Encapsulamento, Herança e Polimorfismo Primeiro Exemplo A Linguagem JAVA Principais

Leia mais

A Linguagem de Programação Java

A Linguagem de Programação Java A Linguagem de Programação Java Índice 1.Introdução 2 2.Histórico 2 3.As palavras que definem Java 3 4.Tipos primitivos 6 5.Tipos Compostos 6 6.Expressões 7 7.Variáveis 8 8.Comandos 9 9.Java e a Orientação

Leia mais

Java Como Programar, 8/E

Java Como Programar, 8/E Capítulo 2 Introdução aos aplicativos Java Java Como Programar, 8/E (C) 2010 Pearson Education, Inc. Todos os 2.1 Introdução Programação de aplicativo Java. Utilize as ferramentas do JDK para compilar

Leia mais

1ª QUESTÃO Linguagem C Vantagens: Desvantagens: Linguagem C++ Vantagens: Desvantagens:

1ª QUESTÃO Linguagem C Vantagens: Desvantagens: Linguagem C++ Vantagens: Desvantagens: 1ª QUESTÃO Linguagem C Vantagens: É uma linguagem simples que nos permite trabalhar com funções matemáticas, ficheiros, entre outras sendo necessário para tal a inclusão de bibliotecas padrão as quais

Leia mais

Algoritmia e Programação APROG. Linguagem JAVA. Básico. Nelson Freire (ISEP DEI-APROG 2012/13) 1/31

Algoritmia e Programação APROG. Linguagem JAVA. Básico. Nelson Freire (ISEP DEI-APROG 2012/13) 1/31 APROG Algoritmia e Programação Linguagem JAVA Básico Nelson Freire (ISEP DEI-APROG 2012/13) 1/31 Linguagem Java Estrutura de um Programa Geral Básica Estruturas de Dados Variáveis Constantes Tipos de Dados

Leia mais

PADI 2015/16. Aula 1 Introdução à Plataforma.NET

PADI 2015/16. Aula 1 Introdução à Plataforma.NET PADI 2015/16 Aula 1 Introdução à Plataforma.NET 1 Sumário 1. Framework.NET Arquitectura 2. Linguagem C# 2.0 Sintaxe C# vs. Java vs. C++ 3. IDE: MS Visual Studio 2005 ou superior Ferramentas Console/Win

Leia mais

Java Laboratório Aula 1. Divisões da Plataforma. Introdução a Plataforma Java. Visão geral da arquitetura da

Java Laboratório Aula 1. Divisões da Plataforma. Introdução a Plataforma Java. Visão geral da arquitetura da Java Laboratório Aula 1 Programação orientada a objetos Profa. Renata e Cristiane Introdução a Plataforma Java O que é Java? Tecnologia Linguagem de Programação Ambiente de Execução (JVM) Tudo isso é a

Leia mais

AULA 02. 1. Uma linguagem de programação orientada a objetos

AULA 02. 1. Uma linguagem de programação orientada a objetos AULA 02 TECNOLOGIA JAVA O nome "Java" é usado para referir-se a 1. Uma linguagem de programação orientada a objetos 2. Uma coleção de APIs (classes, componentes, frameworks) para o desenvolvimento de aplicações

Leia mais

Programação Avançada

Programação Avançada Índice 1.1 - Introdução História A plataforma Java 1.2 - Conceitos Fundamentais na programação por objectos Objectos Encapsulamento Classes Herança Polimorfismo Interfaces Pacotes 1/24 1.1 Introdução 1.1

Leia mais

Linguagem de Programação Introdução a Linguagem Java

Linguagem de Programação Introdução a Linguagem Java Linguagem de Programação Introdução a Linguagem Java Rafael Silva Guimarães Instituto Federal do Espírito Santo Campus Cachoeiro de Itapemirim Definição A linguagem Java foi desenvolvida pela Sun Microsystems,

Leia mais

Lista de Contas: Assinatura. Lista de Contas. Listas de Contas: Descrição. Listas de Contas: Descrição. Listas de Contas: Descrição

Lista de Contas: Assinatura. Lista de Contas. Listas de Contas: Descrição. Listas de Contas: Descrição. Listas de Contas: Descrição Lista de Contas Lista de Contas: Assinatura null Quais são os métodos necessários? class ListaDeContas { void inserir (Conta c) { void retirar (Conta c) { Conta procurar (String num) { Listas de Contas:

Leia mais

O uso de exceções permite separar a detecção da ocorrência de uma situação excepcional do seu tratamento, ao se programar um método em Java.

O uso de exceções permite separar a detecção da ocorrência de uma situação excepcional do seu tratamento, ao se programar um método em Java. Exceções em Java Miguel Jonathan DCC/IM/UFRJ (rev. abril de 2011) Resumo dos conceitos e regras gerais do uso de exceções em Java O uso de exceções permite separar a detecção da ocorrência de uma situação

Leia mais

BCC221 Programação Orientada a Objetos. Prof. Marco Antonio M. Carvalho 2014/2

BCC221 Programação Orientada a Objetos. Prof. Marco Antonio M. Carvalho 2014/2 BCC221 Programação Orientada a Objetos Prof. Marco Antonio M. Carvalho 2014/2 Site da disciplina: http://www.decom.ufop.br/marco/ Moodle: www.decom.ufop.br/moodle Lista de e- mails: bcc221- decom@googlegroups.com

Leia mais

Programação Orientada a Objetos C ++ 4 Conceitos de OO em Java Classes e Objetos

Programação Orientada a Objetos C ++ 4 Conceitos de OO em Java Classes e Objetos Programação Orientada a Objetos C ++ 4 Conceitos de OO em Java Classes e Objetos Departamento de Informática Prof. Anselmo C. de Paiva Classes O conjunto de requisições que um objeto pode cumprir é determinado

Leia mais

Noções sobre Objetos e Classes

Noções sobre Objetos e Classes Noções sobre Objetos e Classes Prof. Marcelo Cohen 1. Elementos de programação Revisão de programação variáveis, tipos de dados expressões e operadores cadeias de caracteres escopo de variáveis Revisão

Leia mais

LINGUAGEM DE PROGRAMAÇÃO JAVA

LINGUAGEM DE PROGRAMAÇÃO JAVA LINGUAGEM DE PROGRAMAÇÃO JAVA Curso de Especialização em Tecnologia Java UTFPR Capítulo 1 Parte 1 Introdução à tecnologia Java Ambiente de desenvolvimento Java Introdução à Tecnologia Java O que é Java?

Leia mais

3 Classes e instanciação de objectos (em Java)

3 Classes e instanciação de objectos (em Java) 3 Classes e instanciação de objectos (em Java) Suponhamos que queremos criar uma classe que especifique a estrutura e o comportamento de objectos do tipo Contador. As instâncias da classe Contador devem

Leia mais

INF1337 LINGUAGEM DE PROGRAMAÇÃO ORIENTADA A OBJETOS

INF1337 LINGUAGEM DE PROGRAMAÇÃO ORIENTADA A OBJETOS INF1337 LINGUAGEM DE PROGRAMAÇÃO ORIENTADA A OBJETOS Departamento de Informática PUC-Rio Andrew Diniz da Costa andrew@les.inf.puc-rio.br Programa Capítulo 2 Visão Geral da Tecnologia Java Aplicação Hello

Leia mais

Organização de programas em Java. Vanessa Braganholo vanessa@ic.uff.br

Organização de programas em Java. Vanessa Braganholo vanessa@ic.uff.br Organização de programas em Java Vanessa Braganholo vanessa@ic.uff.br Vamos programar em Java! Mas... } Como um programa é organizado? } Quais são os tipos de dados disponíveis? } Como variáveis podem

Leia mais

Programação Orientada a Objetos em Java

Programação Orientada a Objetos em Java Programação Orientada a Objetos em Java Rone Ilídio da Silva Universidade Federal de São João del-rei Campus Alto Paraopeba 1:14 1 Objetivo Apresentar os principais conceitos de Programção Orientada a

Leia mais

Programando em C# Orientado a Objetos. By: Maromo

Programando em C# Orientado a Objetos. By: Maromo Programando em C# Orientado a Objetos By: Maromo Agenda Módulo 1 Plataforma.Net. Linguagem de Programação C#. Tipos primitivos, comandos de controle. Exercícios de Fixação. Introdução O modelo de programação

Leia mais

Programação Orientada a Objetos! Java - Fundamentos. Prof. Sérgio Almagro! e-mail: sergio.ricardo.almagro@gmail.com

Programação Orientada a Objetos! Java - Fundamentos. Prof. Sérgio Almagro! e-mail: sergio.ricardo.almagro@gmail.com Programação Orientada a Objetos! Java - Fundamentos Prof. Sérgio Almagro! e-mail: sergio.ricardo.almagro@gmail.com Estrutura de Programação Bibliografia HORSTMANN, Cay S., CORNELL, Gray. Core Java 2 Volume

Leia mais

POO Programação Orientada a Objetos. Classes em Java

POO Programação Orientada a Objetos. Classes em Java + POO Programação Orientada a Objetos Classes em Java + Classes 2 Para que a JVM crie objetos: Ela precisa saber qual classe o objeto pertence Na classe estão definidos os atributos e métodos Programamos

Leia mais

ARRAYS. Um array é um OBJETO que referencia (aponta) mais de um objeto ou armazena mais de um dado primitivo.

ARRAYS. Um array é um OBJETO que referencia (aponta) mais de um objeto ou armazena mais de um dado primitivo. Cursos: Análise, Ciência da Computação e Sistemas de Informação Programação I - Prof. Aníbal Notas de aula 8 ARRAYS Introdução Até agora, utilizamos variáveis individuais. Significa que uma variável objeto

Leia mais

Java - Introdução. Professor: Vilson Heck Junior. vilson.junior@ifsc.edu.br

Java - Introdução. Professor: Vilson Heck Junior. vilson.junior@ifsc.edu.br Java - Introdução Professor: Vilson Heck Junior vilson.junior@ifsc.edu.br Agenda O que é Java? Sun / Oracle. IDE - NetBeans. Linguagem Java; Maquina Virtual; Atividade Prática. Identificando Elementos

Leia mais

Programação por Objectos. Java

Programação por Objectos. Java Programação por Objectos Java Parte 3: Métodos LEEC@IST Java 1/45 Métodos (1) Sintaxe Qualif Tipo Ident ( [ TipoP IdentP [, TipoP IdentP]* ] ) { [ Variável_local Instrução ]* Qualif: qualificador (visibilidade,

Leia mais

Programação Orientada a Objetos

Programação Orientada a Objetos Programação Orientada a Objetos Universidade Católica de Pernambuco Ciência da Computação Prof. Márcio Bueno poonoite@marciobueno.com Fonte: Material da Profª Karina Oliveira Introdução ao Paradigma OO

Leia mais

Capítulo 4. Packages e interfaces

Capítulo 4. Packages e interfaces Capítulo 4. Packages e interfaces 1/17 Índice Indice 4.1 - Package 4.2 - Interface 2/17 Índice 4.1 Package 4.1 - Package 4.2 -- Interface 3/17 4.1 Package Package ou pacote está para o Java como as directorias

Leia mais

Introdução à Programação

Introdução à Programação Introdução à Programação Introdução a Linguagem C Construções Básicas Programa em C #include int main ( ) { Palavras Reservadas } float celsius ; float farenheit ; celsius = 30; farenheit = 9.0/5

Leia mais

Faculdade Instituto Educare - FIED Curso: Sistemas de Informação Disciplina: Linguagem de Programação I Prof.: Rhyan Ximenes E-mail: rxbrito@gmail.

Faculdade Instituto Educare - FIED Curso: Sistemas de Informação Disciplina: Linguagem de Programação I Prof.: Rhyan Ximenes E-mail: rxbrito@gmail. Um pouco da história Faculdade Instituto Educare - FIED Curso: Sistemas de Informação Disciplina: Linguagem de Programação I Prof.: Rhyan Ximenes E-mail: rxbrito@gmail.com Introdução a Linguagem Java Java

Leia mais

Programação Orientada a Objetos em Java. Herança

Programação Orientada a Objetos em Java. Herança Universidade Federal do Amazonas Departamento de Ciência da Computação IEC481 Projeto de Programas Programação Orientada a Objetos em Java Herança Professor: César Melo Slides baseados em materiais preparados

Leia mais

Programação Básica em Arduino Aula 2

Programação Básica em Arduino Aula 2 Programação Básica em Arduino Aula 2 Execução: Laboratório de Automação e Robótica Móvel Variáveis são lugares (posições) na memória principal que servem para armazenar dados. As variáveis são acessadas

Leia mais

Java Básico. Classes Abstratas, Exceções e Interfaces Prof. Fernando Vanini Ic-Unicamp

Java Básico. Classes Abstratas, Exceções e Interfaces Prof. Fernando Vanini Ic-Unicamp Java Básico Classes Abstratas, Exceções e Interfaces Prof. Fernando Vanini Ic-Unicamp Classes Abstratas construção de uma classe abstrata construção de classes derivadas Classes e Herança Uma classe define

Leia mais

Construção de novas Classes em Java. Classes Atributos Métodos Herança...

Construção de novas Classes em Java. Classes Atributos Métodos Herança... Construção de novas Classes em Java Classes Atributos Métodos Herança... 1 Exemplo Representação em UML Java (Unified Modeling Language) Stack items : Vector Stack( ) push( ) pop( ) isempty( ) finalize(

Leia mais

Resumo da Introdução de Prática de Programação com C. A Linguagem C

Resumo da Introdução de Prática de Programação com C. A Linguagem C Resumo da Introdução de Prática de Programação com C A Linguagem C O C nasceu na década de 70. Seu inventor, Dennis Ritchie, implementou-o pela primeira vez usando um DEC PDP-11 rodando o sistema operacional

Leia mais

Programação em C++: Introdução

Programação em C++: Introdução Programação em C++: Introdução J. Barbosa J. Tavares Visualização Científica Conceitos básicos de programação Algoritmo Conjunto finito de regras sobre as quais se pode dar execução a um dado processo

Leia mais

Conceitos Básicos da Linguagem Java. Prof. Leonardo Barreto Campos 1

Conceitos Básicos da Linguagem Java. Prof. Leonardo Barreto Campos 1 Conceitos Básicos da Linguagem Java Prof. Leonardo Barreto Campos 1 Sumário Introdução; Histórico do Java; Características do Java; Compilação de um Programa em Java; Modificando o Primeiro Programa em

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ CURSO: Ciência da Computação DATA: / / 2013 PERÍODO: 4 o. PROFESSOR: Andrey DISCIPLINA: Técnicas Alternativas de Programação AULA: 03 APRESENTAÇÃO: Hoje vamos conhecer o comando switch, o bloco try catch;

Leia mais

Introdução à Linguagem Java. por Christian Cleber Masdeval Braz

Introdução à Linguagem Java. por Christian Cleber Masdeval Braz Introdução à Linguagem Java por Christian Cleber Masdeval Braz Sumário 1 Introdução ao Java 4 1.1 Histórico da Linguagem 4 1.2 Características da Linguagem 4 1.3 Plataformas Java 5 1.4 Java 2 System Development

Leia mais

Desenvolvimento OO com Java 3 Estruturas de Controle e Programação Básica

Desenvolvimento OO com Java 3 Estruturas de Controle e Programação Básica Desenvolvimento OO com Java 3 Estruturas de Controle e Programação Básica Vítor E. Silva Souza (vitor.souza@ufes.br) http://www.inf.ufes.br/~vitorsouza Departamento de Informática Centro Tecnológico Universidade

Leia mais

Revisão da linguagem Java

Revisão da linguagem Java Revisão da linguagem Java Laboratório de Programação Pedro Vasconcelos, DCC/FCUP Fevereiro 2015 Java TM linguagem de programação de propósito genérico desenvolvida pela Sun (e agora Oracle) suporta tipos

Leia mais

P n o t n ifíci c a a Un U i n ve v r e si s da d d a e d e C a C t a ól ó ica c a d o d o R i R o o d e d e J a J n a e n i e ro o PU P C U -Ri R o

P n o t n ifíci c a a Un U i n ve v r e si s da d d a e d e C a C t a ól ó ica c a d o d o R i R o o d e d e J a J n a e n i e ro o PU P C U -Ri R o Curso: Técnico em Informática Campus: Ipanguaçu José Maria Monteiro Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro PUC-Rio Departamento Clayton Maciel de Informática Costa clayton.maciel@ifrn.edu.br

Leia mais

Módulo Básico. Rua Valorbe, 123 Lauzane Paulista Cep 02442-140 São Paulo SP webmaster@dbsystems.com.br

Módulo Básico. Rua Valorbe, 123 Lauzane Paulista Cep 02442-140 São Paulo SP webmaster@dbsystems.com.br Módulo Básico Rua Valorbe, 123 Lauzane Paulista Cep 02442-140 São Paulo SP ÍNDICE JAVA MÓDULO BÁSICO 01. JAVA UMA VISÃO GERAL... 3 02. JAVA E A ORIENTAÇÃO A OBJETOS... 3 03. ABSTRAÇÃO... 3 04. OS TRÊS

Leia mais

Seminário - C# DSO II. Desenvolvimento de Sistemas Orientados a Objetos 2. Equipe: Diorges, Leonardo, Luís Fernando, Ronaldo

Seminário - C# DSO II. Desenvolvimento de Sistemas Orientados a Objetos 2. Equipe: Diorges, Leonardo, Luís Fernando, Ronaldo Seminário - C# DSO II Desenvolvimento de Sistemas Orientados a Objetos 2 Equipe: Diorges, Leonardo, Luís Fernando, Ronaldo Roteiro Breve Histórico Plataforma.NET Características da Linguagem Sintaxe Versões

Leia mais

Algoritmos em Javascript

Algoritmos em Javascript Algoritmos em Javascript Sumário Algoritmos 1 O que é um programa? 1 Entrada e Saída de Dados 3 Programando 4 O que é necessário para programar 4 em JavaScript? Variáveis 5 Tipos de Variáveis 6 Arrays

Leia mais