CENTRO UNIVERSITÁRIO PAULISTANO UniPaulistana PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO - PPC BACHAREL EM CIÊNCIAS CONTÁBEIS (RENOVAÇÃO DO RECONHECIMENTO DO CURSO)

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "CENTRO UNIVERSITÁRIO PAULISTANO UniPaulistana PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO - PPC BACHAREL EM CIÊNCIAS CONTÁBEIS (RENOVAÇÃO DO RECONHECIMENTO DO CURSO)"

Transcrição

1 CENTRO UNIVERSITÁRIO PAULISTANO UniPaulistana PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO - PPC BACHAREL EM CIÊNCIAS CONTÁBEIS (RENOVAÇÃO DO RECONHECIMENTO DO CURSO) 2010/2011

2 SUMÁRIO 1. DADOS GERAIS DE IDENTIFICAÇÃO E CARACTERIZAÇÃO DO CURSO DIRETRIZES CURRICULARES NACIONAIS A INSTITUIÇÃO DE ENSINO SUPERIOR Centro Universitário Paulistano Histórico da Instituição Missão da Instituição Dados dos Dirigentes Áreas de Atuação Dados Gerais de Identificação e Caracterização do Curso Designação do Curso Habilitação do Curso Regime Escolar Carga horária total Duração do Curso Turno de funcionamento Número de vagas e dimensão das turmas Regulamentação do Curso FUNDAMENTOS, CONCEPÇÃO, PRINCÍPIOS FILOSÓFICOS E FINALIDADES PARA FINS DE OBTENÇÃO DA RENOVAÇÃO DO RECONHECIMENTO DO CURSO DE BACHAREL EM CIÊNCIAS CONTÁBEIS Apresentação e objetivos do Curso Objetivos específicos Necessidade Social do Curso Flagrantes de inserção regional do curso Missão Perfil Profissiográfico Competências, Habilidades, Conhecimentos e Atitudes Esperadas Competências Conhecimentos Habilidades Atitudes BASES PEDAGÓGICAS Componentes Curriculares Matriz curricular proposta para o Curso de Ciências Contábeis Elementos Estruturais do Projeto Pedagógico Princípios Articuladores do Conteúdo das Disciplinas Eixos Estruturantes Temas Transversais Questões Geradoras Plano de Disciplinas Administração Acadêmica Núcleo Docente Estruturante - NDE A disciplina de língua brasileira de sinais - LIBRAS INTEGRAÇÃO ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO Atividades Pedagógico - Expositiva Atividades Pedagógico - Experimentais Monitoria Atividades de Extensão Estágio Supervisionado Atividades Complementares AÇÕES E POLÍTICAS ACADÊMICAS DE APOIO À OPERACIONALIZAÇÃO DA ESTRUTURA CURRICULAR Políticas de formação complementar e de nivelamento discente Políticas de bolsas de estudo Sistema de Avaliação do Processo Ensino-Aprendizagem Composição da média Regime acadêmico seriado semestral modular INFRA-ESTRUTURA E RECURSOS MATERIAIS Salas de Aula e Instalações em Geral Clínicas, Laboratórios, Escritórios de Serviços, Outros Política de Utilização e Atualização da Biblioteca...53

3 8.4 Política de Utilização e Atualização dos Laboratórios Política de Utilização, Atualização e Manutenção de Recursos Audiovisuais ACOMPANHAMENTO E AUTO AVALIAÇÃO DO PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO CONSIDERAÇÕES FINAIS

4 1. DADOS GERAIS DE IDENTIFICAÇÃO E CARACTERIZAÇÃO DO CURSO Denominação do Curso: Bacharel em Ciências Contábeis Criação: Documento - Ato da Reitoria Resolução do CONSEPE N Documento 6/2007 Data da Publicação 28/06/2007 Ato Regulatório: Autorização: Decreto Federal Reconhecimento: Documento - Portaria MEC N Documento Data da Publicação: 01/04/2.000 N Parecer/Despacho CFE 408/1.994 Diploma Conferido: Bacharel Data de Início do Funcionamento do Curso: 06/08/1.994 Modalidade: Ensino Presencial Prazo para Integralização do Curso: Período de integralização mínimo: 8 (oito) semestres Período de integralização máximo: = 13 (treze) semestres Carga-Horária Mínima do Curso: 3.293,0 horas/aula Regime Acadêmico: Seriado semestral modular Turnos de Oferta: Noturno Vagas Autorizadas: 200 (duzentas) Título Administrativo: Bacharel em Ciências Contábeis Diretrizes de órgãos de classe: Não aplicável Coordenação do Curso: Professor Ms Ancelmo Arantes Valente, Pós-Graduado em Controladoria, Mestre em Ciências Sociais e Aplicadas e Bacharel em Ciências Contábeis 1

5 2. DIRETRIZES CURRICULARES NACIONAIS A formação profissional se dá através de um processo de ensino aprendizagem dinâmico e inovador, que se consubstancia em um conjunto de conhecimentos indissociáveis e articulados em torno de uma matriz curricular flexível, que não obedece a uma sequência hierárquica, possibilitando assim, melhor compreensão e intervenção da realidade. Assim sendo, este Projeto Pedagógico do Curso de Ciências Contábeis, do Centro Universitário Paulistano - UniPaulistana, tem nos componentes curriculares uma estrutura que objetiva materializar os princípios da formação profissional que se constituem como aspectos inovadores do processo de articulação entre as dimensões de ensino, iniciação científica e extensão. É nesta dimensão, que a matriz curricular do curso de Ciências Contábeis do Centro Universitário Paulistano - UniPaulistana, segue uma estrutura dinâmica que aborda, tanto disciplinas obrigatórias, quanto optativas; seminários; práticas contábeis; iniciação científica; monitorias; projetos de pesquisa; participação dos alunos em eventos técnico-científicos e Estágios Profissionais Supervisionados. O Curso de Graduação em Ciências Contábeis, do Centro Universitário Paulistano UniPaulistana, abrange métodos e teorias orientadas a investigações, avaliações e aperfeiçoamentos tecnológicos com foco nas aplicações dos conhecimentos a processos, produtos e serviços. Desenvolve competências profissionais, fundamentadas na ciência, na tecnologia, na cultura e na ética, tendo em vista ao desempenho profissional responsável, consciente, criativo e crítico. É aberto, como todo Curso Superior, a candidatos que tenham concluído o ensino médio ou equivalente e tenham sido classificados em processo seletivo, especialmente abertos para este fim. Os graduados nos Cursos de Ciências Contábeis denominam-se Bacharéis e são profissionais de nível superior com formação para a produção e a inovação científico-tecnológica e para a gestão de processos de produção de bens e serviços e estão aptos à continuidade de estudos em nível de pós-graduação. O Centro Universitário Paulistano UniPaulistana atua na educação em diversos campos do saber a partir de células denominadas de Núcleo de Conhecimento, que caracterizam uma subdivisão interna da sua estrutura acadêmico-administrativa, discriminados em seu Regimento Geral, tendo sido admitidas tais práticas, após amplas discussões com vistas a uma reestruturação, e estabelecidos os núcleos 2

6 iniciais, já para os seus PPCs a serem reconhecidos e/ou terem renovados os seus reconhecimentos pelo Ministério da Educação e Cultura MEC, a partir de 2011/2012, a saber: Núcleo de Conhecimento Superior de Educação, Sociedade e Saúde (equivalente ao Instituto Superior de Educação/ISE); Núcleo de Conhecimento em Administração, Gestão e Negócios; Núcleo de Conhecimento de Tecnologias e Inovação. O Curso de Graduação em Ciências Contábeis, do Centro Universitário Paulistano UniPaulistana, está inserto no Núcleo de Conhecimento em Administração, Gestão e Negócios - Contabilidade. Para complementar esta breve introdução, destaca-se que os cursos de pósgraduação e extensão, do Centro Universitário Paulistano UniPaulistana, assim como diversos outros projetos de responsabilidade socioambiental, de iniciação à pesquisa e práticas investigativas e demais atividades acadêmicas, também são propostos e desenvolvidos pelos Núcleos de Conhecimento supramencionados, sendo gerenciados, em seu nível executivo, por um Coordenador de Núcleo de Conhecimento e, no seu âmbito consultivo e deliberativo em assuntos didáticos, pedagógicos e acadêmicos, de cada Núcleo correspondente, por Colegiados denominados Núcleos Docentes Estruturantes NDEs, superintendidos pela Reitoria e Conselho Superior, cada qual em seu âmbito e na forma disposta no Regimento Geral do Centro Universitário Paulistano - UniPaulistana. 3

7 3. A INSTITUIÇÃO DE ENSINO SUPERIOR Centro Universitário Paulistano 3.1. Histórico da Instituição A Organização Paulista de Educação e Cultura - OPEC, Sociedade Civil sem fins lucrativos, foi fundada em 10/091970, estando seus Estatutos originais registrados no 1 º Cartório de Títulos e Documentos de São Paulo, sob o nº do Livro A- 20. A reforma estatutária da entidade ocorrida no ano de 1991 encontra-se registrada no 1 º Cartório de Registro Civil das Pessoas Jurídicas de São Paulo sob o nº , com limite territorial de atuação circunscrito no município de São Paulo - SP. No dia 18 de Março de 1973 foi realizada a primeira reunião do Colegiado Superior da Faculdade Paulistana de Ciências e Letras. Nesta ocasião, a Instituição mantinha os cursos de Letras, Matemática, Ciências Sociais e Psicologia, credenciados junto ao então Ministério da Educação e Desporto, por meio do Decreto Presidencial nº 69914, de 11 de janeiro de A Faculdade, ainda sem sede própria, funcionava nas instalações do Colégio Madre Cabrini. Em 1973 já contava com mais de dois mil alunos regularmente matriculados em seus cursos, demandando a ampliação de suas instalações. Assim, em dezembro daquele ano, a mantenedora (OPEC) adquiriu um terreno de aproximadamente 8 (oito) mil metros quadrados pertencente ao Colégio Madre Cabrini, com o propósito de construir a sede própria da Faculdade Paulistana, com instalações apropriadas para o crescimento quantitativo e qualitativo de seus cursos. Ao longo dos anos a Faculdade Paulistana sempre procurou se envolver com as demandas sociais, implementando sua inserção durante a década de 80. Em 1988 a instituição pode dar um grande passo na direção de sua solidificação. Neste ano, a Faculdade Paulistana passou a funcionar em sua sede própria, um prédio moderno e bem situado, cujas instalações permitiam uma melhora significativa na qualidade dos serviços prestados pela Instituição. Com a mudança para as novas instalações, vieram também mudanças estruturais. O Colegiado Superior passou a discutir a possibilidade de transformar a Faculdade em uma Universidade em médio prazo, tendo a mantenedora passado a dirigir esforços para a atualização e ampliação dos cursos existentes. Ao lado do fomento 4

8 da discussão sobre as práticas didático-pedagógicas, houve a ampliação do acervo da biblioteca e a aquisição de equipamentos e outros recursos de infraestrutura, bem como a revisão de procedimentos acadêmicos de forma a permitir o crescimento qualitativo nos serviços prestados aos alunos e professores. Os laboratórios foram equipados com recursos tecnológicos disponíveis à época. Em 1994 foram autorizados os cursos de Administração, Ciências Contábeis e Tecnologia em Processamento de Dados, por meio dos Decretos Presidenciais de 04/07/1994 (Tecnologia em Processamento de Dados e Administração) e de 21/06/1994 (Ciências Contábeis). Em 1996, com a promulgação da Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional, que ampliou as possibilidades do ensino superior garantindo a flexibilização e o aprimoramento do mesmo, a Faculdade Paulistana, estimulada pelos novos rumos apontados pelo então Ministério da Educação e do Desporto - MEC vislumbrou a abertura de novos cursos bem como a estruturação de projetos de melhoria no atendimento dos serviços acadêmicos prestados à sua comunidade. No decorrer desse processo, em 1998, a Faculdade passou por outro momento de grande destaque em sua história. Novos projetos foram sendo estruturados, tais como: a Empresa Júnior, a edição da primeira Revista Paulistana, a ampliação da articulação com a comunidade e com instituições de relevada importância para a consecução dos objetivos educacionais. Além disto, desenvolveu um grande programa de renovação e atualização do acervo da Biblioteca, bem como a informatização de seus serviços. Também em 1998 houve ampla atualização da infraestrutura e dos recursos de apoio didático. Foi inaugurado um auditório com a capacidade para 440 pessoas, equipado com recursos audiovisuais de última geração. Os laboratórios de informática receberam forte investimento, em consonância com o avanço da tecnologia em informática. Outra importante ação ocorrida no ano de 1998 dirigiu-se à atualização curricular dos cursos, de forma a contemplar áreas de atuação emergentes e conhecimentos recentes nos campos relacionados aos cursos oferecidos. O trabalho envolveu a comunidade acadêmica e deu início a um plano contínuo de avaliação curricular, atualmente em pleno desenvolvimento. Finalmente, houve também em 1998 a implantação da auto avaliação institucional sistemática, por meio do Programa de Avaliação Continuada (PAC). 5

9 As primeiras discussões sobre a transformação da Faculdade Paulistana em Universidade foram retomadas e redefinidas, gerando o planejamento da implantação do Centro Universitário Paulistano - UniPaulistana. Assim, a partir de 2001, todos os esforços foram dirigidos para a estruturação de um plano que possibilitasse a excelência no ensino e a formatação de um Centro Universitário. Em novembro de 2004, o Centro Universitário Paulistano UniPaulistana teve seu credenciamento publicado através da Portaria do MEC nº de 08/11/2004 com o objetivo de manter e ampliar as possibilidades de intervenção junto à comunidade local e regional, com a infraestrutura e qualidade que sempre fizeram parte da filosofia da Instituição. A partir de dezembro de 2010, o Centro Universitário Paulistano UniPaulistana, após verdadeira imersão em um processo de transição, com vistas a implementar novos Plano de Desenvolvimento Institucional PDI, Estatuto, Projeto Pedagógico de Curso - PPC e Regimento Geral, com o envolvimento de toda a comunidade acadêmica e direção da IES, apontou para uma inovação que transcendeu propostas convencionais da formatação de um Curso Superior de Graduação, ao estabelecer novas referências conceituais e de afirmação de posicionamentos políticos, a serem construídos através do trabalho de seus docentes e administradores acadêmicos, que lhes permitissem organizar ideias e ações na condução das atividades acadêmicas, assumiu passar a formatar seus Cursos a partir de Núcleos de Conhecimento, para então nortear todas as suas ações acadêmicas, estando a implicar, desta forma, tal avanço, em um ensino de alto padrão comprometido com a integralização que pressupõe uma coletividade consciente e, por conseguinte, um saber ativo relacionado não somente ao conhecimento, mas também à crítica e à construção da sociedade. Os Núcleos de Conhecimento caracterizam-se como sendo uma subdivisão interna da estrutura acadêmico-administrativa, contemplada no Regimento Geral o Centro Universitário Paulistano UniPaulistana. Portanto, o Centro Universitário Paulistano UniPaulistana, fiel a seus princípios e compromissos, entra, a partir de 2011/2012, em nova fase de seu desenvolvimento, buscando sua consolidação por meio de oferta legitima, qualificada e quantificada dentro dos limites factíveis da responsabilidade social descortinada em sua história. Sua consolidação, para o período 2011/ , deverá ocorrer de forma menos focada em quantidade de cursos, e sim na oferta 6

10 qualificada daqueles a que se compromete ofertar, posicionamento refletido em seu Plano de Desenvolvimento Institucional PDI, para vigência no período compreendido entre os anos de 2012 e A opção do Centro Universitário Paulistano UniPaulistana, passa a ser por uma consolidação responsável, com número adequado de cursos e alunos, suficientes para sua mantença como entidade sem finalidade lucrativa e expansão controlada, com respectivos ajustes em sua estrutura administrativa e acadêmica, mais moderna, eficiente e sintonizada com práticas contemporâneas de gestão colegiada e desburocratizada, conforme contido na reforma estatutária em andamento, desde sua aprovação em dezembro de 2010, anteriormente referido Missão da Instituição O Centro Universitário Paulistano UniPaulistana, por meio da articulação do conjunto de suas políticas acadêmicas e institucionais, assume como sua Missão: implementar e socializar o conhecimento e o saber, promovendo a formação profissional inicial, integral, competente e de excelência de seus alunos, voltada para o planejamento participativo e multiprofissional de ações, para o atendimento das demandas sociais e para a ampliação da cidadania. Por formação inicial compreende-se que a graduação estabelece as bases para o exercício profissional e deve propiciar o desenvolvimento de um conjunto de atitudes, habilidades e competências necessárias e suficientes para o ingresso do formando no mercado de trabalho e na construção de respostas qualificadas aos problemas com os quais se depara na atividade profissional, considerando a qualificação como processo contínuo. Por formação integral compreende-se a formação estruturada na compreensão teórico/científica, na manipulação científica do conhecimento e na capacitação tecnológica, implementada pela constante atualização de referências e técnicas, e no desenvolvimento do espírito de pesquisa. Aliada às competências teórica e prática, compreende-se como fundamental sólida formação humanística e ampliação das referências culturais, de forma a propiciar análises consistentes, críticas, criteriosas e éticas na aplicação do conhecimento desenvolvido. De outra forma, a formação integral compreende o desenvolvimento de competências nas dimensões do conhecimento tecnológico, política, social, ética e humanista. Por formação de excelência compreende-se a conjugação de esforços para a superação de formas crítico-reprodutivistas de se conceber a educação, baseada 7

11 principalmente no desenvolvimento de competências e atitudes orientadas para o respeito e às formas consagradas de construção do pensamento científico, bem como para a construção criativa e criteriosa de novas formas de investigação da realidade. A competência profissional, baseada no desenvolvimento de um conjunto de habilidades e competências específicas, é compreendida como indissociável de sua dimensão social. Sem deixar de levar em consideração o dinamismo do mercado e do campo de trabalho e as expectativas particulares dos alunos, a instituição deve operar no sentido de ser agente facilitador da compreensão do necessário retorno social da capacitação desenvolvida, contribuindo para o desenvolvimento cultural e econômico da sociedade, bem como para a promoção de relações baseadas na justiça e no bem-estar. O planejamento participativo e multiprofissional estabelece-se como meta a partir da concepção interativa e de superação do parcelamento do conhecimento, concepção que fundamenta as práticas pedagógicas do Centro Universitário Paulistano - UniPaulistana. O atendimento das demandas sociais traça duas metas: a formação dirigida para o compromisso social - contribuindo para a superação de diferenças entre indivíduos e grupos quanto ao estatuto de cidadania - e a integração da Instituição com a comunidade do entorno, por meio de práticas de extensão e de prestação de serviços relacionadas aos objetivos didático-pedagógicos. A ampliação da cidadania objetiva-se pela ampliação da inserção social do formando e pela multiplicação de suas ações nas esferas particular e pública da vida social. Para a consecução dos objetivos expressos em sua missão, os atores do Centro Universitário Paulistano UniPaulistana consideram a seguinte concepção de seu papel Institucional: agência científico-educacional relacionada à formação profissional, de direito privado e caráter público, que assume seu objeto fundamental a educação como prática social, histórica e dialeticamente construída. Colabora com a democratização do acesso da população ao ensino superior, por meio da expansão da oferta de formação de qualidade e variada em relação aos campos do conhecimento, bem como com a afirmação da autonomia da nação, por meio da capacitação de indivíduos para o enfrentamento de desafios e construção de respostas socialmente 8

12 3.3. Dados dos Dirigentes compromissadas, visando à superação dos atrasos social, tecnológico e econômico brasileiro. Prof. Azurem Ferreira Pinto Diretor Presidente da Mantenedora e Reitor da Mantida Formação Acadêmica Bacharel em Filosofia pela Escola Apostólica Gaspar Bertoni Ribeirão Preto SP Bacharel em Teologia pelo Seminário Central do Ipiranga São Paulo SP Especialista em Filosofia pela Pontifícia Universidade Católica - Campinas SP Experiência Acadêmica/Profissional: Professor de Filosofia do Instituto Américo Brasiliense Santo André- SP; Professor de Filosofia do Instituto de Educação Coronel Bonifácio de Carvalho São Caetano do Sul-SP; Reitor da Universidade do Grande ABC- Santo André SP; Diretor-Presidente da Organização Paulista de Educação e Cultura OPEC; Reitor do Centro Universitário Paulistano UniPaulistana São Paulo SP Áreas de Atuação O Centro Universitário Paulistano UniPaulistana atua na área educacional em diversas áreas do saber, estando já concluído, um forte processo de reestruturação acadêmica, que se estruturou a partir de Núcleos de Conhecimento, que por sua vez, congregam Cursos Convergentes e atividades acadêmicas, de ensino, de iniciação científica, de extensão e ação social, presencialmente e/ou por meio de procedimentos e metodologias não presenciais. Os Cursos aqui referidos se desenvolvem nas áreas da Educação, das Ciências da Saúde, das Ciências Gerenciais e de Negócios, das Tecnologias, de Programas de Educação Continuada e de Extensão e ação social. Os Cursos de extensão e ação social, especialização e aperfeiçoamento surgem nos respectivos Núcleos de Conhecimento por proposta dos Núcleos Docentes Estruturantes e são gerenciados pela Vice-Reitoria Acadêmica, bem como os 9

13 processos investigativos que objetivam instaurar a cultura da iniciação científica no meio acadêmico visando constituir grupos de pesquisa Dados Gerais de Identificação e Caracterização do Curso Designação do Curso O Curso de Ciências Contábeis do Centro Universitário Paulistano UniPaulistana, obteve seu reconhecimento em 01 de abril de 2.000, por meio da publicação da Portaria nº do Ministério de Educação e Cultura MEC. Inicialmente a matriz curricular do curso de Bacharel em Ciências Contábeis Centro Universitário Paulistano UniPaulistana, tinha sua integralização mínima em 10 (dez) semestres ou 5 (cinco) anos. A partir de 2.000, o curso passou a ter integralização mínima em 8 (oito) semestres ou 4 (quatro) tratando-se assim de um Curso seriado semestral modular Habilitação do Curso Ao final do curso o aluno obterá o título de Bacharel em Ciências Contábeis Regime Escolar A partir de 2.000, o curso passou a ter integralização mínima em 8 (oito) semestres tratando-se assim de um Curso seriado semestral modular, continuando desta forma, a partir de seu reconhecimento, até a presente data Carga horária total A carga horária total do curso é: Horas-aula Horas 2.733,0 Estágio Supervisionado 400 Estágio Supervisionado 400 Atividades 160 Atividades Complementares Complementares 160 Total Total 3.293, Duração do Curso Período de integralização mínimo: 8 (oito) semestres; Período de integralização máximo: = 13 (treze) semestres. 10

14 Turno de funcionamento Atualmente o Curso de Ciências Contábeis do Centro Universitário Paulistano tem seu funcionamento no período noturno Número de vagas e dimensão das turmas O Centro Universitário Paulistano UniPaulistana, oferece 200 (duzentas) vagas, dispostas em 2 (duas) turmas Regulamentação do Curso Em sua fase inicial o Curso de Ciências Contábeis do Centro Universitário Paulistano - UniPaulistana, esteve focado, com base nas necessidades expressas do perfil empresarial heterogêneo da região, caracterizada pela existência de empresas financeiras, comerciais e de prestação de serviços. Em princípio, sua matriz curricular estava calcada na Resolução n o 03 do Conselho Federal de Educação. Tal Resolução fixava os mínimos de conteúdo e duração do Curso de Graduação em Ciências Contábeis; a elaboração do Currículo Pleno levava em consideração as linhas mestras definidas no seu art. 4 o, cuja redação possuía o seguinte teor: "Levando em conta o perfil a que se refere o Parágrafo único do artigo 3 o, desta Resolução, cada instituição de ensino superior deverá elaborar o currículo pleno por disciplinas e outras atividades escolares obrigatórias e eletivas, de acordo com o que é especificado nas seguintes categorias de conhecimentos: categoria I Conhecimentos de Formação Geral de Natureza Humanística e Social; categoria II Conhecimentos de Formação Profissional; categoria III Conhecimentos ou Atividades de Formação Complementar. Ressalta-se que, o Conselho Nacional de Educação, por meio do Parecer 287/00, homologado pelo Ministro e publicada na DOU de 13 de abril de 2.000, permitiu que as IES que ofertavam cursos de Ciências Contábeis no período noturno, cuja duração era estipulada em um mínimo de 5 (cinco) anos pela resolução 03/92 de currículo mínimo, poderiam reformular suas matrizes curriculares para uma duração mínima de 4 (quatro) anos, desde que mantida a qualidade acadêmica. Cumpre lembrar que se trata de uma possibilidade não obrigatória e sim uma decisão autônoma de redução ou não da duração de seu curso de Ciências Contábeis. Da mesma forma as decisões em relação à nova estrutura a partir desta 11

15 redução e os semestres e turmas que seriam atingidos por ela. Diante dessa liberdade dada pelo próprio MEC, o Centro Universitário Paulistano - UniPaulistana, então Faculdade Paulistana, estruturou o Curso de Ciências Contábeis para 4 anos, tendo sua matriz curricular como base a Resolução 03/92 e o Parecer 287/00, que determinava o currículo mínimo obrigatório. Ressalta-se, ainda, que em 2.002, o MEC reestruturou a matriz curricular dos Cursos de Ciências Contábeis, por meio do Parecer nº 146 do CES/CNE de 03 de abril de 2.002, homologado em 09 de maio de e publicação no DOU em 13/05/2.002, bem como Parecer CNE/CES 100/2.002, aprovado em 13 de março de e publicação da carga horária e tempo de integralização curricular. Com a aprovação do Parecer 146/2.002 das novas diretrizes curriculares nacionais as IES passaram a ter liberdade na elaboração dos seus currículos desde que fossem respeitadas as diretrizes comuns e específicas ao curso tratados no Parecer em questão. Em 16/12/2.004 o CNE/CES, através de Resolução nº 10/2.004, publicada no DOU em 28/12/2.004, instituiu as novas diretrizes curriculares nacionais do Curso de Graduação em Ciências Contábeis, Bacharelado. Diante desta nova legislação, foi proposta e aprovada pelo Colegiado do Curso, tendo sido encaminhada ao CONSU para aprovação a nova matriz curricular baseada nesta Resolução, vigorando a partir do 1º semestre de para todas as novas turmas que ingressassem desde então. 12

16 4. FUNDAMENTOS, CONCEPÇÃO, PRINCÍPIOS FILOSÓFICOS E FINALIDADES PARA FINS DE OBTENÇÃO DA RENOVAÇÃO DO RECONHECIMENTO DO CURSO DE BACHAREL EM CIÊNCIAS CONTÁBEIS 4.1 Apresentação e objetivos do Curso A concepção que orientou a manutenção do Curso de Bacharel em Ciências Contábeis do Centro Universitário Paulistano UniPaulistana, tomou como base para seu desenvolvimento as políticas de atuação inseridas no Plano de Desenvolvimento Institucional PDI, do Centro Universitário Paulistano. Assim, calcado no paradigma da produção flexível e da complexidade organizacional, dimensões que ultrapassam a rigidez baseada na prevalência das estruturas, esta nova proposta que se vislumbra no Projeto Pedagógico do Curso de Bacharel em Ciências Contábeis, do Centro Universitário Paulistano - UniPaulistana, aponta na direção da formação de um profissional criativo, investigativo e empreendedor, adaptado às mudanças e capacitado a utilizar estrategicamente as informações. A produção flexível reivindica mudanças na filosofia organizativa e administrativa como condição de sobrevivência empresarial. Ao reunificar tarefas antes divididas, funde-se teoria e prática. Amplia-se, como consequência, a capacidade intelectual a serviço da produção, requerendo, além da operacionalidade, o seu entendimento conceitual. Os novos padrões da competitividade capitalista, articulados por uma reorientação do mercado consumidor, refletem as mudanças que ocorrem na própria base do processo produtivo, impulsionados pelos avanços tecnológicos e por mudanças na organização social e nos processos de trabalho. Ao profissional cabe adaptar-se às modificações; cabe também, ao longo da vida, diferenciados postos de trabalho, inclusive, a geração de sua própria renda, pela prestação autônoma de serviços e produção de bens. O Projeto Pedagógico do Curso de Bacharel em Ciências Contábeis, do Centro Universitário Paulistano - UniPaulistana, em verdadeira sintonia com as diretrizes curriculares nacionais, orienta-se para formar sólidas competências, preparando o graduando para enfrentar os desafios das rápidas transformações da sociedade, do mercado de trabalho e das condições do exercício profissional. Este é o pressuposto básico que fundamenta o Projeto Pedagógico do Curso PPC, do Bacharel em Ciências Contábeis, do Centro Universitário Paulistano - UniPaulistana. A IES acredita, ainda, que é a partir deste perfil profissiográfico que 13

17 se poderá considerar todos os outros atributos da formação de um Bacharel em Ciências Contábeis. Para tanto, são destacados alguns fatores emergenciais que integram à exigência deste novo tipo de profissional: a) O crescimento do mercado de trabalho, com o surgimento de novas áreas que requerem a atuação do Bacharel em Ciências Contábeis, renovando as condições de exercício profissional de forma permanente; b) A exigência de um profissional com visão generalista da organização, do macro e do micro ambiente em que está inserido e a capacidade para antecipar e prever os impactos e consequências de suas decisões em cada uma das atividades da entidade e para a entidade como um todo. Deve também estar em sintonia com o mercado global; c) Além da visão generalista, o profissional deve possuir domínio das diversas especialidades em contabilidade para subsidiar suas decisões e fornecer-lhe o embasamento técnico necessário para a sua especialização nas áreas contábeis; d) A exigência de um profissional com habilidade analítico-crítica da realidade que o capacite a interpretar eventos econômicos, financeiros, culturais e organizacionais e a capacidade para diagnosticar problemas e utilizar sua capacidade técnica e criatividade na busca da excelência; e) A importância do profissional pesquisador como instrumento de atualização, desenvolvimento e para a elaboração de trabalhos de cunho científico; f) A exigência de um profissional com capacidade empreendedora, de forma a atuar com criatividade e lucratividade em negócios próprios ou de terceiros; g) A necessidade fundamental de renovação das instituições públicas e privadas, em seus conteúdos e em suas práticas contábeis. A concepção do Curso de Bacharel em Ciências Contábeis, do Centro Universitário Paulistano UniPaulistana, passa inevitavelmente pela valorização dessas questões em toda a sua extensão teórico-prática. Por isso, a proposta pedagógica abriga uma matriz curricular flexível, capaz de aproveitar como atividade acadêmica conhecimentos, habilidades e competências de cunho profissional, de 14

18 caráter investigativo e extensionista, a prática de estudos independentes, prática contábil interna e externa, interagindo assim, com a sociedade. Para tanto, pretende-se um Curso de Bacharel em Ciências Contábeis com um marco diferenciador no contexto educacional vigente para a área. Após considerar as perspectivas contemporâneas e futuras da inserção profissional do Bacharel em Ciências Contábeis, propõe-se a estruturação em três eixos temáticos, direcionando-os para as demandas do mercado e para dar conta da complexidade da realidade atual do País, da região sudeste e, principalmente, da área polarizada pela cidade de São Paulo, além de considerar outros espaços geopolíticos onde, por ventura, possa o futuro profissional aplicar os conhecimentos de sua formação. O Curso de Bacharel em Ciências Contábeis do Centro Universitário Paulistano - UniPaulistana, se propõe a formar um profissional cujo perfil empreendedor reflita a compreensão das características e potencialidades do mercado de trabalho e sua inserção na economia global, alicerçando a sua formação em eixos econômicos e empresariais. Assim, o egresso deverá estar capacitado a atender as demandas requeridas por esse mercado. Um recorte deste mercado faz aflorar como setores consolidados e em expansão: A Perícia Contábil; A Auditoria; Operacional/Financeira; Internacionalização das Normas Contábeis. Observa-se ainda, que um elevado número de municípios deverá receber fortes investimentos dos Governos Federal e Estadual, senão pela crise econômica internacional que ameaça instalar-se no país, sim sob os auspícios da aplicação de vultosos recursos públicos, oriundos das diferentes esferas de governo, em razão da realização da Copa do Mundo de 2.014, aqui no Brasil, fazendo com que a administração pública se constitua em um fator preponderante na promoção do desenvolvimento, assim o profissional contábil poderá atuar tanto no campo público quanto no privado. Por outro lado, a iniciativa privada atua, majoritariamente, na forma de pequenas e médias empresas nas áreas de comércio e da prestação de serviços, em cujos setores se concentram os maiores números de emprego. 15

19 Retomando a concepção da missão e finalidade do curso, cujo propósito de mensuração e evidenciação do patrimônio de uma entidade, é formar solidamente conhecimentos técnicos, éticos e com responsabilidade social, resulta na constituição do profissional com habilidade para as áreas operacionais, gerenciais, periciais e de auditagem contábil, interagindo, assim, de forma ética e social. Foi com esses pensamentos que surgiram as adequações do Projeto Pedagógico do Curso de Bacharel em Ciências Contábeis do Centro Universitário Paulistano - UniPaulistana, com eixo em 04 (quatro) enfoques: Perícia, Auditoria, Operacional/Financeira e Internacional. Para atingir a concepção idealizada, elaborou-se uma organização curricular que busca oferecer conteúdos de formação básica, profissional, integrando conteúdos voltados às ciências atuariais, métodos quantitativos, contabilidade pública, auditoria e perícia, abrangendo o cenário econômico e financeiro, nacional e internacional. Não obstante têm-se conteúdos de formação teórico-prática com foco na integração do discente com a prática na sociedade. O curso contempla, em seu projeto pedagógico, uma identidade com o cenário nacional, preservando características específicas locais e da região, sem perder de vista o contexto sócio-político e econômico global. 4.2 Objetivos específicos Para que os profissionais tenham condições de exercer as habilidades gerais, o Curso de Bacharel em Ciências Contábeis do Centro Universitário Paulistano - UniPaulistana propõe: a) desenvolver o senso crítico do aluno, a fim de que estes possam adaptar-se de forma rápida às mudanças tecnológicas, que frequentemente causam impacto no desenvolvimento profissional; b) proporcionar conhecimentos teóricos e simulações desses conhecimentos em laboratórios de informática, objetivando que os alunos tenham condições simulares as situações do ambiente empresarial in loco. c) viabilizar no meio empresarial estágios para que o aluno ainda cursando tenha condições de ter experiências práticas, para capacitá-los no cumprimento das atribuições técnicas quando do exercício da profissão; d) desenvolver condições para que o aluno tenha uma visão de globalização, visto se tratar de uma profissão essencialmente normativa, e o contabilista, 16

20 além de desenvolver conhecimentos das práticas e do gerenciamento de empresas necessita de conhecimentos das normas contábeis; e) promover o desenvolvimento teórico e prático, para que após a conclusão do Curso, o aluno possa ser independente em termos de atualização considerando o conhecimento como um processo contínuo de aprendizagem. 4.3 Necessidade Social do Curso A matriz curricular proposta neste PPC atende à filosofia oficial e às exigências do mercado, e pretende garantir ao aluno, sem necessariamente seguir a sequência tradicional, desenvolver habilidades técnicas concomitantes e no mesmo ritmo em que progride sua formação profissional, tornando o aprendizado mais interessante e produtivo, centrado na resolução de problemas concretos, base para a produção e avaliação de conhecimentos, devendo também contribuir para o desenvolvimento socioeconômico da cidade e da região onde está inserido o Centro Universitário Paulistano - UniPaulistana. O desenvolvimento da nova proposta pedagógica teve como plano de trabalho os novos modelos organizacionais, no reconhecimento de uma inexorável necessidade de flexibilidade e capacidade de adaptação, o que potencializa nos trabalhadores qualidades não apenas operacionais, mas também conceituais. Os novos conceitos e modelos socioeconômicos reforçam a busca de soluções adequadas ao desenvolvimento equilibrado, que tem sido alvo de considerações nos mais diversos segmentos da sociedade, segundo uma ótica de crescente complexidade e mudança. A assimilação desta visão de mercado conduz a insaciável busca de conhecimento e do desenvolvimento individual e coletivo como forma e meio de garantir o próprio desenvolvimento da ciência e da tecnologia, sobretudo ao considerá-las como as forças motrizes da dinâmica dos processos e sistemas de produtos e serviços. 4.4 Flagrantes de inserção regional do curso O Centro Universitário Paulistano UniPaulistana situa-se na cidade de São Paulo, no distrito de Vila Mariana. De acordo com definição de área administrativa, estabelecida pela Lei Municipal nº /92, essa localidade pertence à Regional Vila Mariana, que engloba além do distrito de Vila Mariana, os distritos de Saúde, Jabaquara e Moema. Localizado na Zona Sul do Município de São Paulo, o distrito Vila Mariana, limita-se ao norte com a Regional da Sé, a leste com o Ipiranga e o 17

1. IDENTIFICAÇÃO DO CURSO

1. IDENTIFICAÇÃO DO CURSO 1. IDENTIFICAÇÃO DO CURSO O Curso de Secretariado Executivo das Faculdades Integradas de Ciências Exatas Administrativas e Sociais da UPIS, reconhecido pelo MEC desde 1993, pela Portaria 905, de 24.06,1993,

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO. Curso de Graduação Tecnológica em Marketing

PROJETO PEDAGÓGICO. Curso de Graduação Tecnológica em Marketing PROJETO PEDAGÓGICO Curso de Graduação Tecnológica em Marketing Porto alegre, 2011 1 1. Objetivos do Curso O projeto do curso, através de sua estrutura curricular, está organizado em módulos, com certificações

Leia mais

PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO DO CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS. (Resumido)

PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO DO CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS. (Resumido) FACULDADE DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS E ADMINISTRATIVAS DE CACHOEIRO DE ITAPEMIRIM ES Curso de Administração reconhecido pelo Decreto Federal nº 78.951, publicado no D.O.U. de 16-12-1976 Curso de Ciências Contábeis

Leia mais

NORMATIZAÇÃO E REGULAÇÃO DOS DOCUMENTOS OFICIAIS DAS INSTITUIÇÕES DE EDUCAÇÃO SUPERIOR LASSALISTA CURSOS DE GRADUAÇÃO

NORMATIZAÇÃO E REGULAÇÃO DOS DOCUMENTOS OFICIAIS DAS INSTITUIÇÕES DE EDUCAÇÃO SUPERIOR LASSALISTA CURSOS DE GRADUAÇÃO NORMATIZAÇÃO E REGULAÇÃO DOS DOCUMENTOS OFICIAIS DAS INSTITUIÇÕES DE EDUCAÇÃO SUPERIOR LASSALISTA CURSOS DE GRADUAÇÃO PROVÍNCIA LA SALLE BRASIL - CHILE APRESENTAÇÃO O Setor de Educação Superior da Província

Leia mais

Informações sobre o Curso de Administração

Informações sobre o Curso de Administração Objetivo Geral do Curso: Informações sobre o Curso de Administração Prover a sociedade de profissional dotado de senso crítico e comportamento ético-profissional qualificado. Um Administrador criativo,

Leia mais

FACULDADE PASCHOAL DANTAS

FACULDADE PASCHOAL DANTAS FACULDADE PASCHOAL DANTAS PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO BACHARELADO EM ADMINISTRAÇÃO ÊNFASE GESTÃO DE PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS SÃO PAULO - SP NOVEMBRO DE 2008 ÍNDICE 1. Visão e Missão da FPD...3 2. ORGANIZAÇÃO

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 6, DE 10 DE MARÇO DE 2004 (*)

RESOLUÇÃO Nº 6, DE 10 DE MARÇO DE 2004 (*) RESOLUÇÃO Nº 6, DE 10 DE MARÇO DE 2004 (*) Institui as Diretrizes Curriculares Nacionais do Curso de Graduação em Ciências Contábeis, bacharelado, e dá outras providências. O Presidente da Câmara de Educação

Leia mais

CURSO DE ADMINISTRAÇÃO. Concepção do Curso de Administração

CURSO DE ADMINISTRAÇÃO. Concepção do Curso de Administração CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Concepção do Curso de Administração A organização curricular do curso oferece respostas às exigências impostas pela profissão do administrador, exigindo daqueles que integram a instituição

Leia mais

GESTÃO FINANCEIRA CONCEPÇÃO DO CURSO

GESTÃO FINANCEIRA CONCEPÇÃO DO CURSO GESTÃO FINANCEIRA CONCEPÇÃO DO CURSO Missão do Curso Formar profissionais de nível superior, com atuação na área de Tecnologia em Gestão Financeira, a partir da articulação das teorias que fundamentam

Leia mais

FACULDADE ESTÁCIO MONTESSORI DE IBIÚNA ESTÁCIO FMI SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1

FACULDADE ESTÁCIO MONTESSORI DE IBIÚNA ESTÁCIO FMI SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 CURSO: ADMINISTRAÇÃO - BACHARELADO MISSÃO DO CURSO Formar profissionais de elevado nível de consciência crítica, competência técnica empreendedora, engajamento

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N 72/2009 Aprova o Projeto Político-Pedagógico do Curso de Sistemas de Informação, modalidade

Leia mais

ANEXO AO MODELO DO PLANO DE AULA DO PROCESSO SELETIVO DOCENTE GERAL (PSD-G) 2015.1

ANEXO AO MODELO DO PLANO DE AULA DO PROCESSO SELETIVO DOCENTE GERAL (PSD-G) 2015.1 ANEXO AO MODELO DO PLANO DE AULA DO PROCESSO SELETIVO DOCENTE GERAL (PSD-G) 2015.1 ARQUITETURA E URBANISMO Graduar arquitetos e urbanistas com uma sólida formação humana, técnico-científica e profissional,

Leia mais

Faculdades Integradas do Vale do Ivaí

Faculdades Integradas do Vale do Ivaí 1. DADOS DE IDENTIFICAÇÃO DO CURSO 1.1 Denominação Curso Superior de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas 1.2 Total de Vagas Anuais 80 vagas anuais 1.3 Regime Acadêmico de Oferta Seriado

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO Resolução n 69/ 2011 Aprova o Projeto Pedagógico do Curso de Graduação em, Bacharelado, do Centro

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CONSELHO UNIVERSITÁRIO CÂMARA SUPERIOR DE ENSINO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CONSELHO UNIVERSITÁRIO CÂMARA SUPERIOR DE ENSINO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CONSELHO UNIVERSITÁRIO CÂMARA SUPERIOR DE ENSINO RESOLUÇÃO Nº09/2011 Aprova a estrutura curricular do Curso de Administração do Centro de

Leia mais

GRADUAÇÃO CIÊNCIAS CONTÁBEIS DENOMINAÇÃO: CURSO DE GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS CONTÁBEIS

GRADUAÇÃO CIÊNCIAS CONTÁBEIS DENOMINAÇÃO: CURSO DE GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS CONTÁBEIS GRADUAÇÃO CIÊNCIAS CONTÁBEIS CARACTERIZAÇÃO DO CURSO DENOMINAÇÃO: CURSO DE GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS CONTÁBEIS DIPLOMA CONFERIDO: BACHAREL NÚMERO DE VAGAS: 100 VAGAS ANUAIS NÚMERO DE ALUNOS POR TURMA: 50 alunos

Leia mais

DURAÇÃO DO CURSO O Curso de Ciências Contábeis, bacharelado poderá ser integralizado em um período de no mínimo 8 (oito) semestres e no máximo 16

DURAÇÃO DO CURSO O Curso de Ciências Contábeis, bacharelado poderá ser integralizado em um período de no mínimo 8 (oito) semestres e no máximo 16 DURAÇÃO DO CURSO O Curso de Ciências Contábeis, bacharelado poderá ser integralizado em um período de no mínimo 8 (oito) semestres e no máximo 16 (dezesseis) semestres. PERFIL DO EGRESSO O perfil desejado

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO

PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO INTRODUÇÃO PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO (PPC) Articulação com o Plano de Desenvolvimento Institucional PDI Projeto Político Pedagógico Indissociabilidade entre ensino, pesquisa

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 13, DE 24 DE NOVEMBRO DE 2006 (*)

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 13, DE 24 DE NOVEMBRO DE 2006 (*) MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 13, DE 24 DE NOVEMBRO DE 2006 (*) Institui as Diretrizes Curriculares Nacionais do Curso de Graduação em Turismo

Leia mais

R E S O L U Ç Ã O. Artigo 2º - O Currículo, ora alterado, será implantado no início do ano 2000, para os matriculados no 1º semestre.

R E S O L U Ç Ã O. Artigo 2º - O Currículo, ora alterado, será implantado no início do ano 2000, para os matriculados no 1º semestre. RESOLUÇÃO CONSEPE 30/99 ALTERA O PLANO CURRICULAR E O REGIME DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO, DO CÂMPUS DE BRAGANÇA PAULISTA. O Presidente do Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão - CONSEPE, no uso da atribuição

Leia mais

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE Coordenadoria Geral de Pós-Graduação Lato Sensu

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE Coordenadoria Geral de Pós-Graduação Lato Sensu PORTFÓLIO ESPECIALIZAÇÃO / MBA UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE Sumário ÁREA: CIÊNCIAS DA SAÚDE... 2 CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO: PSICOLOGIA ORGANIZACIONAL E DO TRABALHO... 2 ÁREA: COMUNICAÇÃO E LETRAS...

Leia mais

ENADE e CPC Como compreender seu desempenho e estratégias de melhoria de resultados. PROF. AMÉRICO DE ALMEIDA FILHO aalmeidaf@yahoo.com.

ENADE e CPC Como compreender seu desempenho e estratégias de melhoria de resultados. PROF. AMÉRICO DE ALMEIDA FILHO aalmeidaf@yahoo.com. ENADE e CPC Como compreender seu desempenho e estratégias de melhoria de resultados PROF. AMÉRICO DE ALMEIDA FILHO aalmeidaf@yahoo.com.br CPC Conceito Preliminar de Curso 1 - Nota dos Concluintes no ENADE

Leia mais

SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO. Missão. Objetivo Geral. Objetivos Específicos

SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO. Missão. Objetivo Geral. Objetivos Específicos SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO Curso: CIÊNCIAS CONTÁBEIS Missão A missão do curso é formar profissionais em Ciências Contábeis com elevada competência técnica, crítica, ética e social, capazes de conceber

Leia mais

ORGANIZAÇÃO CURRICULAR do Curso de Serviço Social

ORGANIZAÇÃO CURRICULAR do Curso de Serviço Social ORGANIZAÇÃO CURRICULAR do Curso de Serviço Social O Projeto pedagógico do Curso de Serviço Social do Pólo Universitário de Rio das Ostras sua direção social, seus objetivos, suas diretrizes, princípios,

Leia mais

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO SISTEMAS DE INFORMAÇÃO UNIVERSIDADE DE CUIABÁ - UNIC 1 CURSO: BACHARELADO EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Dados de Identificação da Universidade de Cuiabá - UNIC Dirigente da Mantenedora Presidente: Ed. Rodrigo

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO 1 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO Resolução n 90/ 2011 Aprova o Projeto Pedagógico do Curso de Graduação em Relações Públicas, Bacharelado,

Leia mais

MANUAL DA MUDANÇA DA MATRIZ CURRICULAR DO CURSO DE DIREITO (2007 2011)

MANUAL DA MUDANÇA DA MATRIZ CURRICULAR DO CURSO DE DIREITO (2007 2011) MANUAL DA MUDANÇA DA MATRIZ CURRICULAR DO CURSO DE DIREITO (2007 2011) Aplicável a partir de 2013/1 1 SUMÁRIO 1 Apresentação... 3 2 Quais os critérios para que a Instituição de Ensino Superior altere a

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO Resolução n 36 / 2009 Aprova o Projeto Político-Pedagógico do Curso de Graduação em Línguas Estrangeiras

Leia mais

CENTRO DE ESTUDO DE PÓS-GRADUAÇÃO PROPOSTA DE CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU

CENTRO DE ESTUDO DE PÓS-GRADUAÇÃO PROPOSTA DE CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU CENTRO DE ESTUDO DE PÓS-GRADUAÇÃO PROPOSTA DE CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU 2013 INTRODUÇÃO: O presente trabalho apresenta a relação de Cursos de Pós-Graduação Lato Sensu a serem reorganizados no

Leia mais

CHECK-LIST PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO

CHECK-LIST PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO CHECK-LIST PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO Com a finalidade de otimizar o processo de elaboração e avaliação dos Projetos Pedagógicos do Cursos (PPC), sugere-se que os itens a seguir sejam

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 3.672 DE 06 DE MARÇO DE 2008

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 3.672 DE 06 DE MARÇO DE 2008 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 3.672 DE 06 DE MARÇO DE 2008 Homologa o Parecer nº 013/2008-CEG que aprova o Projeto Político

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE CURSO DE CIÊNCIAS ECONÔMICAS CURRÍCULO NOVO ORGANIZAÇÃO CURRICULAR

UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE CURSO DE CIÊNCIAS ECONÔMICAS CURRÍCULO NOVO ORGANIZAÇÃO CURRICULAR UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE CURSO DE CIÊNCIAS ECONÔMICAS CURRÍCULO NOVO ORGANIZAÇÃO CURRICULAR Toda reforma implica um processo de readaptação da estrutura acadêmica vigente, composta principalmente

Leia mais

CONSELHO UNIVERSITÁRIO

CONSELHO UNIVERSITÁRIO P R O P O S T A D E P A R E C E R CONSELHO UNIVERSITÁRIO PROCESS0 Nº: 007/2014 ASSUNTO: Proposta de texto Construção de Políticas e Práticas de Educação a Distância a ser incluído no Plano de Desenvolvimento

Leia mais

GRADUAÇÃO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MARKETING DENOMINAÇÃO: CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MARKETING / ÁREA PROFISSIONAL: GESTÃO E NEGÓCIOS.

GRADUAÇÃO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MARKETING DENOMINAÇÃO: CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MARKETING / ÁREA PROFISSIONAL: GESTÃO E NEGÓCIOS. GRADUAÇÃO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MARKETING CARACTERIZAÇÃO DO CURSO DENOMINAÇÃO: CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MARKETING / ÁREA PROFISSIONAL: GESTÃO E NEGÓCIOS. DIPLOMA CONFERIDO: TECNÓLOGO DE

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 2, DE 17 DE JUNHO DE 2010 (*)

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 2, DE 17 DE JUNHO DE 2010 (*) MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 2, DE 17 DE JUNHO DE 2010 (*) Institui as Diretrizes Curriculares Nacionais do curso de graduação em Arquitetura

Leia mais

Síntese do plano de atuação da CPA- ciclo avaliativo 2008/2010

Síntese do plano de atuação da CPA- ciclo avaliativo 2008/2010 Síntese do plano de atuação da CPA- ciclo avaliativo 2008/2010 O trabalho da CPA/PUCSP de avaliação institucional está regulamentado pela Lei federal nº 10.861/04 (que institui o SINAES), artigo 11 e pelo

Leia mais

a importância de formar profissionais para atuar nos campos de trabalho emergentes na área;

a importância de formar profissionais para atuar nos campos de trabalho emergentes na área; SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO Resolução n. 66/ 2012 Aprova o Projeto Pedagógico do Curso de Graduação em Computação, Licenciatura

Leia mais

SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO. Missão

SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO. Missão SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO CURSO: TURISMO ( bacharelado) Missão Formar profissionais humanistas, críticos, reflexivos, capacitados para planejar, empreender e gerir empresas turísticas, adaptando-se ao

Leia mais

crítica na resolução de questões, a rejeitar simplificações e buscar efetivamente informações novas por meio da pesquisa, desde o primeiro período do

crítica na resolução de questões, a rejeitar simplificações e buscar efetivamente informações novas por meio da pesquisa, desde o primeiro período do Dimensão 2 As políticas para o ensino, a pesquisa, a pós-graduação, a extensão e as respectivas normas de operacionalização, incluídos os procedimentos para estímulo à produção acadêmica, as bolsas de

Leia mais

EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA. Educação que valoriza o seu tempo: presente e futuro

EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA. Educação que valoriza o seu tempo: presente e futuro EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA Educação que valoriza o seu tempo: presente e futuro Educação a Distância Os mesmos professores. A mesma aula. O mesmo diploma. A única diferença é a sala de aula que fica em suas

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTÁCIO RADIAL DE SÃO PAULO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 MISSÃO DO CURSO

CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTÁCIO RADIAL DE SÃO PAULO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 MISSÃO DO CURSO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 CURSO: ADMINISTRAÇÃO DE EMPRESAS MISSÃO DO CURSO Formar profissionais de elevado nível de consciência crítica, competência técnica empreendedora, engajamento ético

Leia mais

DIRETRIZES CURRICULARES PARA OS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA UTFPR

DIRETRIZES CURRICULARES PARA OS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA UTFPR Ministério da Educação Universidade Tecnológica Federal do Paraná Pró-Reitoria de Graduação e Educação Profissional DIRETRIZES CURRICULARES PARA OS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA UTFPR APROVADO PELA RESOLUÇÃO

Leia mais

PROPOSTA PEDAGOGICA CENETEC Educação Profissional. Índice Sistemático. Capitulo I Da apresentação...02. Capitulo II

PROPOSTA PEDAGOGICA CENETEC Educação Profissional. Índice Sistemático. Capitulo I Da apresentação...02. Capitulo II Índice Sistemático Capitulo I Da apresentação...02 Capitulo II Dos objetivos da proposta pedagógica...02 Capitulo III Dos fundamentos da proposta pedagógica...02 Capitulo IV Da sinopse histórica...03 Capitulo

Leia mais

INTRODUÇÃO OBJETIVOS GERAIS E ESPECÍFICOS

INTRODUÇÃO OBJETIVOS GERAIS E ESPECÍFICOS INTRODUÇÃO Com base no Programa Nacional de Reestruturação dos Hospitais Universitários Federais - REHUF, destinado à reestruturação e revitalização dos hospitais das universidades federais, integrados

Leia mais

RESOLUÇÃO CONSEPE 33/99 ALTERA O PLANO CURRICULAR E O REGIME DO CURSO DE HOTELARIA, DO CÂMPUS DE BRAGANÇA PAULISTA.

RESOLUÇÃO CONSEPE 33/99 ALTERA O PLANO CURRICULAR E O REGIME DO CURSO DE HOTELARIA, DO CÂMPUS DE BRAGANÇA PAULISTA. RESOLUÇÃO CONSEPE 33/99 ALTERA O PLANO CURRICULAR E O REGIME DO CURSO DE HOTELARIA, DO CÂMPUS DE BRAGANÇA PAULISTA. O Presidente do Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão - CONSEPE, no uso da atribuição

Leia mais

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM DESIGN DE MODA

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM DESIGN DE MODA CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM DESIGN DE MODA Nome IES: UNIVERSIDADE DE CUIABÁ - UNIC 1 Curso Superior em Tecnologia em Design de Moda Dados de identificação da Universidade de Cuiabá - UNIC Dirigente

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 6, DE 2 DE FEVEREIRO DE 2006 1

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 6, DE 2 DE FEVEREIRO DE 2006 1 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 6, DE 2 DE FEVEREIRO DE 2006 1 Institui as Diretrizes Curriculares Nacionais do curso de graduação em Arquitetura

Leia mais

X Encontro Nacional de Escolas de Governo

X Encontro Nacional de Escolas de Governo X Encontro Nacional de Escolas de Governo Painel Cursos de pós-graduação nas escolas de governo A experiência da Enap na oferta de cursos de pós-graduação lato sensu Carmen Izabel Gatto e Maria Stela Reis

Leia mais

CURSO DE GRADUAÇÃO PRESENCIAL SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

CURSO DE GRADUAÇÃO PRESENCIAL SISTEMAS DE INFORMAÇÃO FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE DO TOCANTINS CURSO DE GRADUAÇÃO PRESENCIAL SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Identificação do Curso Nome do Curso: Sistemas de Informação Titulação: Bacharelado Modalidade de ensino: Presencial

Leia mais

UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO

UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO DELIBERAÇÃO nº 026 / 94 Aprova o Regulamento Específico do Programa de Pós-Graduação em Ciências Contábeis em Nível de Mestrado, com área de Concentração em Contabilidade Financeira, Contabilidade Gerencial

Leia mais

Cursos de Administração: qualidade necessária. XIV Fórum Internacional de Administração

Cursos de Administração: qualidade necessária. XIV Fórum Internacional de Administração Cursos de Administração: qualidade necessária XIV Fórum Internacional de Administração Rio de Janeiro, 18 de maio de 2015 ENSINAR, APRENDER, AVALIAR... TRAJETÓRIA DA AVALIAÇÃO EDUCAÇÃO SUPERIOR CAPES avaliação

Leia mais

FACULDADE REDENTOR NUCLEO DE APOIO EMPRESARIAL CURSO DE ADMINISTRAÇÃO

FACULDADE REDENTOR NUCLEO DE APOIO EMPRESARIAL CURSO DE ADMINISTRAÇÃO FACULDADE REDENTOR NUCLEO DE APOIO EMPRESARIAL CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Justificativa: As transformações ocorridas nos últimos anos têm obrigado as organizações a se modificarem constantemente e de forma

Leia mais

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE RESPONSABILIDADE SOCIAL

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE RESPONSABILIDADE SOCIAL CENTRO DE ENSINO ATENAS MARANHENSE FACULDADE ATENAS MARANHESE DIRETORIA ACADÊMICA NÚCLEO DE ASSESSORAMENTO E DE DESENVOLVIMENTO PEDAGÓGICO - NADEP PROGRAMA INSTITUCIONAL DE RESPONSABILIDADE SOCIAL SÃO

Leia mais

RESOLUÇÃO UnC-CONSEPE 040/2007

RESOLUÇÃO UnC-CONSEPE 040/2007 RESOLUÇÃO UnC-CONSEPE 040/2007 Aprova a Reformulação do Regimento da Educação a Distância O Reitor da Universidade do Contestado, no uso de suas atribuições, de acordo com o Art. 25 do Estatuto da Universidade

Leia mais

Documento orientador de um curso que traduz as políticas acadêmicas institucionais

Documento orientador de um curso que traduz as políticas acadêmicas institucionais Documento orientador de um curso que traduz as políticas acadêmicas institucionais Construção coletiva a partir das experiências, coordenada pelo Colegiado do Curso de Graduação (art. 34 do Regimento Geral

Leia mais

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira INEP Diretoria de Avaliação da Educação Superior - DAES SISTEMA NACIONAL DE AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTÁCIO RADIAL DE SÃO PAULO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 OBJETIVOS DO CURSO OBJETIVO GERAL

CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTÁCIO RADIAL DE SÃO PAULO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 OBJETIVOS DO CURSO OBJETIVO GERAL SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 CURSO: DIREITO MISSÃO DO CURSO Desenvolver um ensino que propicie sólida formação ao aluno, constante aprimoramento docente e atualização curricular periódica.

Leia mais

FACULDADE MORAES JÚNIOR CARGA HORÁRIA DAS DISCIPLINAS POR CURSO CIÊNCIAS CONTÁBEIS CARGA HORÁRIA SÉRIE DISCIPLINA SEMANAL ANUAL 2ª

FACULDADE MORAES JÚNIOR CARGA HORÁRIA DAS DISCIPLINAS POR CURSO CIÊNCIAS CONTÁBEIS CARGA HORÁRIA SÉRIE DISCIPLINA SEMANAL ANUAL 2ª FACULDADE MORAES JÚNIOR DAS DISCIPLINAS POR CURSO CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS Duração do Curso: 4 anos. Total de 3.200 horas-aula CIÊNCIAS CONTÁBEIS SÉRIE DISCIPLINA SEMANAL ANUAL 2ª Contabilidade e Análise

Leia mais

Administração. Curso de Graduação Bacharelado em

Administração. Curso de Graduação Bacharelado em Curso de Graduação Bacharelado em Administração O curso de Administração está enquadrado como uma ciência social aplicada. Estuda-se em profundidade técnicas e instrumentos analíticos, além de simulações

Leia mais

Faculdade Figueiredo Costa 16/73

Faculdade Figueiredo Costa 16/73 16/73 CAPITULO IV GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO PERFIL PROFISSIONAL O Curso de Graduação em Administração deve ensejar como perfil desejado do formando, capacitação e aptidão para compreender as questões

Leia mais

O CURSO DE GESTÃO PÚBLICA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS: UMA CONCEPÇÃO AMPLIADA DE GESTÃO PÚBLICA

O CURSO DE GESTÃO PÚBLICA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS: UMA CONCEPÇÃO AMPLIADA DE GESTÃO PÚBLICA O CURSO DE GESTÃO PÚBLICA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS: UMA CONCEPÇÃO AMPLIADA DE GESTÃO PÚBLICA Vera Alice Cardoso SILVA 1 A origem: motivações e fatores indutores O Curso de Gestão Pública

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 01/2012 PRÓ-REITORIA DE ENSINO/IFMG/SETEC/MEC, DE 05 DE JUNHO DE 2012.

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 01/2012 PRÓ-REITORIA DE ENSINO/IFMG/SETEC/MEC, DE 05 DE JUNHO DE 2012. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE MINAS GERAIS PRÓ-REITORIA DE ENSINO Av. Professor Mario Werneck, nº 2590,

Leia mais

FACULDADE DE TALENTOS HUMANOS

FACULDADE DE TALENTOS HUMANOS FACULDADE DE TALENTOS HUMANOS PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO UBERABA MG INSTITUTO EDUCACIONAL GUILHERME DORÇA PRESIDENTE: LUIZ HUMBERTO DORÇA FACULDADE DE TALENTOS HUMANOS DIRETOR

Leia mais

PARECER. Justificativa

PARECER. Justificativa Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Goiás IFG - Campus Anápolis Departamento das Áreas Acadêmicas Parecer: Do:

Leia mais

MANUAL DE ESTÁGIO CIÊNCIAS CONTÁBEIS. Profa. LUCIANE ALVES FERNANDES. Coordenação de Estágio e Trabalho de Conclusão.

MANUAL DE ESTÁGIO CIÊNCIAS CONTÁBEIS. Profa. LUCIANE ALVES FERNANDES. Coordenação de Estágio e Trabalho de Conclusão. MANUAL DE ESTÁGIO CIÊNCIAS CONTÁBEIS Profa. LUCIANE ALVES FERNANDES Porto Alegre/RS 2014 ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO... 3 2. O ESTÁGIO... 3 3. FUNDAMENTAÇÃO LEGAL DO ESTÁGIO... 3 4. OBJETIVOS DO ESTÁGIO... 3

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO. 1. TURNOS: Matutino HABILITAÇÃO: Bacharelado em Administração Noturno. PRAZO PARA CONCLUSÃO: Mínimo = 5 anos

ADMINISTRAÇÃO. 1. TURNOS: Matutino HABILITAÇÃO: Bacharelado em Administração Noturno. PRAZO PARA CONCLUSÃO: Mínimo = 5 anos ADMINISTRAÇÃO 1. TURNOS: Matutino HABILITAÇÃO: Bacharelado em Administração Noturno GRAU ACADÊMICO: Bacharel em Administração PRAZO PARA CONCLUSÃO: Mínimo = 5 anos Máximo = 8 anos 2. HISTÓRICO DO CURSO

Leia mais

CURSO DE GRADUAÇÃO EM FARMÁCIA PROPOSTA DE DIRETRIZES CURRICULARES

CURSO DE GRADUAÇÃO EM FARMÁCIA PROPOSTA DE DIRETRIZES CURRICULARES CURSO DE GRADUAÇÃO EM FARMÁCIA PROPOSTA DE DIRETRIZES CURRICULARES 1 1. PERFIL DO FORMANDO EGRESSO/PROFISSIONAL 1.1. Perfil Comum: Farmacêutico, com formação generalista, humanista, crítica e reflexiva.

Leia mais

PROPOSTA CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS 2012.2. Noturno

PROPOSTA CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS 2012.2. Noturno PROPOSTA CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS 2012.2 DENOMINAÇÃO: PORTARIA DE AUTORIZAÇÃO: PORTARIA DE RECONHECIMENTO: REGIME ESCOLAR: NÚMERO DE VAGAS ANUAIS: TURNOS DE FUNCIONAMENTO: NÚMERO DE ALUNOS POR TURMA:

Leia mais

Resolução nº 2/2006 3/2/2006 RESOLUÇÃO CNE Nº 2, DE 2 DE FEVEREIRO DE 2006 DOU 03.02.2006

Resolução nº 2/2006 3/2/2006 RESOLUÇÃO CNE Nº 2, DE 2 DE FEVEREIRO DE 2006 DOU 03.02.2006 Resolução nº 2/2006 3/2/2006 RESOLUÇÃO CNE Nº 2, DE 2 DE FEVEREIRO DE 2006 DOU 03.02.2006 Institui as Diretrizes Curriculares Nacionais para o curso de graduação em Engenharia Agrícola e dá outras providências.

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO - PPC

PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO - PPC 1 PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO - PPC O PPC, Projeto Pedagógico de Curso, é o instrumento de concepção de ensino e aprendizagem de um curso e apresenta características de um projeto, no qual devem ser definidos

Leia mais

D I R E I T O SISTEMA NACIONAL DE AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR SINAES AUTORIZAÇÃO

D I R E I T O SISTEMA NACIONAL DE AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR SINAES AUTORIZAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Secretaria de Educação Superior Sesu Departamento de Supervisão da Educação Superior - Desup Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira Inep Diretoria

Leia mais

REFERENCIAIS ESTRATÉGICOS. PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO 2011-2020: metas que envolvem a Educação Profissional

REFERENCIAIS ESTRATÉGICOS. PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO 2011-2020: metas que envolvem a Educação Profissional REFERENCIAIS ESTRATÉGICOS Projeto de Lei nº 8.035, de 2010 PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO 2011-2020: metas que envolvem a Educação Profissional O PNE é formado por: 10 diretrizes; 20 metas com estratégias

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO - 2014

REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO - 2014 1 FACULDADE DE ESTUDOS SOCIAIS DO ESPÍRITO SANTO PIO XII CURSO DE ADMINISTRAÇÃO DE EMPRESAS CURSO DE ADMINISTRAÇÃO EM COMÉRCIO EXTERIOR I INTRODUÇÃO REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO - 2014 O currículo

Leia mais

AÇÕES DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL 1. FORMAÇÃO INICIAL E CONTINUADA OU QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL

AÇÕES DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL 1. FORMAÇÃO INICIAL E CONTINUADA OU QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL GLOSSÁRIO EDUCAÇÃO PROFISSIONAL SENAC DIRETORIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL RIO DE JANEIRO NOVEMBRO/2009 AÇÕES DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL Ações educativas destinadas ao desenvolvimento de competências necessárias

Leia mais

Curso de Graduação. Dados do Curso. Administração. Contato. Modalidade a Distância. Ver QSL e Ementas. Universidade Federal do Rio Grande / FURG

Curso de Graduação. Dados do Curso. Administração. Contato. Modalidade a Distância. Ver QSL e Ementas. Universidade Federal do Rio Grande / FURG Curso de Graduação Administração Modalidade a Distância Dados do Curso Contato Ver QSL e Ementas Universidade Federal do Rio Grande / FURG 1) DADOS DO CURSO: COORDENAÇÃO: Profª MSc. Suzana Malta ENDEREÇO:

Leia mais

POLÍTICA DE ENSINO DA FISMA

POLÍTICA DE ENSINO DA FISMA MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO ME FACULDADE INTEGRADA DE SANTA MARIA PRELIMINARES POLÍTICA DE ENSINO DA FISMA Santa Maria, RS Junho - 2010 1 SUMÁRIO 1. POLÍTICA DE ENSINO DE GRADUAÇÃO... 1 2. POLÍTICAS DE ENSINO

Leia mais

Presidência da República Federativa do Brasil Ministério da Educação Secretaria Executiva Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais

Presidência da República Federativa do Brasil Ministério da Educação Secretaria Executiva Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Presidência da República Federativa do Brasil Ministério da Educação Secretaria Executiva Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira INEP Diretoria de Avaliação da Educação

Leia mais

Universidade Anhembi Morumbi On-line. Os mesmos professores. A mesma aula. O mesmo diploma. Tudo a um clique de você.

Universidade Anhembi Morumbi On-line. Os mesmos professores. A mesma aula. O mesmo diploma. Tudo a um clique de você. Universidade Anhembi Morumbi On-line. Os mesmos professores. A mesma aula. O mesmo diploma. Tudo a um clique de você. Educação a Distância Anhembi Morumbi Agora você pode estudar em uma universidade internacional

Leia mais

RESOLUÇÃO CONSEPE 30/2005

RESOLUÇÃO CONSEPE 30/2005 RESOLUÇÃO CONSEPE 30/2005 APROVA O CURRÍCULO E O PERFIL PROFISSIOGRÁFICO DO CURSO DE TECNOLOGIA EM INFORMÁTICA, DO CÂMPUS DE ITATIBA, DA UNIVERSIDADE SÃO FRANCISCO. O Presidente do Conselho de Ensino,

Leia mais

CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO N 7, DE 31 DE MARÇO DE 2004.

CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO N 7, DE 31 DE MARÇO DE 2004. 1 CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO N 7, DE 31 DE MARÇO DE 2004. (*) (**) Institui as Diretrizes Curriculares Nacionais para os cursos de graduação em Educação Física,

Leia mais

CIÊNCIAS CONTÁBEIS. PRAZO PARA CONCLUSÃO: Mínimo = 4 anos

CIÊNCIAS CONTÁBEIS. PRAZO PARA CONCLUSÃO: Mínimo = 4 anos CIÊNCIAS CONTÁBEIS 1. TURNOS: Matutino ou Noturno Campus de Maringá Noturno Campus de Cianorte HABILITAÇÃO: Bacharelado em Ciências Contábeis GRAU ACADÊMICO: Bacharel em Ciências Contábeis PRAZO PARA CONCLUSÃO:

Leia mais

CURSO DE ADMINISTRAÇÃO

CURSO DE ADMINISTRAÇÃO 6 ANEXO II METODOLOGIAS (A) CURSO DE ADMINISTRAÇÃO 7 A) Metodologias utilizadas no Curso de Administração, bacharelado: a) Aulas Expositivas, Fórum de Debates, Dinâmica de Grupo, Seminários, Estudos de

Leia mais

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO ESCOLA DE EDUCAÇÃO FÍSICA E ESPORTE. Curso: Licenciatura em Educação Física Projeto Pedagógico

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO ESCOLA DE EDUCAÇÃO FÍSICA E ESPORTE. Curso: Licenciatura em Educação Física Projeto Pedagógico UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO ESCOLA DE EDUCAÇÃO FÍSICA E ESPORTE Curso: Licenciatura em Educação Física Projeto Pedagógico Ingressantes em 2007 Dados: Sigla: Licenciatura em Educação Física Área: Biológicas

Leia mais

data PROJETO DE LEI N 8035/2010. 1 Supressiva 2. Substitutiva 3. Modificativa 4. Aditiva 5. Substitutivo global

data PROJETO DE LEI N 8035/2010. 1 Supressiva 2. Substitutiva 3. Modificativa 4. Aditiva 5. Substitutivo global Página Artigo: 6º Parágrafo: Único Inciso Alínea EMENDA MODIFICATIVA O parágrafo único do Artigo 6º do PL n 8035 de 2010, passa a ter a seguinte redação: Art. 6º... Parágrafo único. O Fórum Nacional de

Leia mais

O MINISTRO DE ESTADO DA EDUCAÇÃO

O MINISTRO DE ESTADO DA EDUCAÇÃO Portaria nº 808, de 8 de junho de 00. Aprova o instrumento de avaliação para reconhecimento de Cursos Pedagogia, no âmbito do Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior - SINAES. O MINISTRO DE

Leia mais

CIÊNCIAS CONTÁBEIS. Nome IES: UNIVERSIDADE DE CUIABÁ - UNIC 10/09/2012 1

CIÊNCIAS CONTÁBEIS. Nome IES: UNIVERSIDADE DE CUIABÁ - UNIC 10/09/2012 1 CIÊNCIAS CONTÁBEIS Nome IES: UNIVERSIDADE DE CUIABÁ - UNIC 10/09/2012 1 CURSO: CIÊNCIAS CONTÁBEIS Dados de identificação da Universidade de Cuiabá - UNIC Dirigente da Mantenedora Presidente: Ed. Rodrigo

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 3.609, DE 10 DE SETEMBRO DE 2007

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 3.609, DE 10 DE SETEMBRO DE 2007 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 3.9, DE 10 DE SETEMBRO DE 2007 Homologa o Parecer n. 117/06-CEG, que aprova o Projeto

Leia mais

O CURSO DE ADMINISTRAÇÃO

O CURSO DE ADMINISTRAÇÃO O CURSO DE ADMINISTRAÇÃO IDENTIFICAÇÃO DO CURSO 1. Missão Capacitar Administradores, propiciando uma base técnico-científica que lhes permita um aprendizado hábil a absorver, processar e adequar informações

Leia mais

CURSO DE ADMINISTRAÇÃO CONCEPÇÃO DO CURSO. Perfil do curso

CURSO DE ADMINISTRAÇÃO CONCEPÇÃO DO CURSO. Perfil do curso CURSO DE ADMINISRAÇÃO CONCEPÇÃO DO CURSO Perfil do curso O curso superior de Administração ora proposto foi estruturado em função das orientações e normas da Lei das Diretrizes e Bases da Educação (Lei

Leia mais

Relações Internacionais

Relações Internacionais Curso de Graduação Bacharelado em Relações Internacionais O curso de Relações Internacionais está enquadrado no campo da ciência Humana e social, onde estuda-se em profundidade as políticas Internacionais

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 4.638, DE 25 DE FEVEREIRO DE 2015

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 4.638, DE 25 DE FEVEREIRO DE 2015 1 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 4.638, DE 25 DE FEVEREIRO DE 2015 Aprova o Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura

Leia mais

Pós - Graduação Lato Sensu CONTROLADORIA E FINANÇAS. Projeto desenvolvido pela Prof.a. Msc. Cristina Santos Titular do Curso de C.

Pós - Graduação Lato Sensu CONTROLADORIA E FINANÇAS. Projeto desenvolvido pela Prof.a. Msc. Cristina Santos Titular do Curso de C. Pós - Graduação Lato Sensu CONTROLADORIA E FINANÇAS Projeto desenvolvido pela Prof.a. Msc. Cristina Santos Titular do Curso de C. Contábei da FAP Piracanjuba-GO 2014 1 1. APRESENTAÇÃO: Formato: presencial

Leia mais

Bacharelado em Serviço Social

Bacharelado em Serviço Social Informações gerais: Bacharelado em Serviço Social Duração do curso: 04 anos (08 semestres) Horário: Vespertino e Noturno Número de vagas: 300 vagas anuais Coordenador do Curso: Profª Ms. Eniziê Paiva Weyne

Leia mais

Quadro Resumo de Projeto Pedagógico do Curso Superior de Tecnologia em GESTÃO COMERCIAL

Quadro Resumo de Projeto Pedagógico do Curso Superior de Tecnologia em GESTÃO COMERCIAL Quadro Resumo de Projeto Pedagógico do Curso Superior de Tecnologia em GESTÃO COMERCIAL Dados de Identificação: -Modalidade: Graduação Tecnológica -Ato Legal de Autorização: Resolução CONSUNI nº -Turnos

Leia mais

BACHARELADOS INTERDISCIPLINARES

BACHARELADOS INTERDISCIPLINARES BACHARELADOS INTERDISCIPLINARES Bacharelados Interdisciplinares (BIs) e similares são programas de formação em nível de graduação de natureza geral, que conduzem a diploma, organizados por grandes áreas

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 07/2004-A (Alterada pela Resolução Nº 22/2007 e Resolução Nº 16/2009)

RESOLUÇÃO Nº 07/2004-A (Alterada pela Resolução Nº 22/2007 e Resolução Nº 16/2009) SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CONSELHO UNIVERSITÁRIO CÂMARA SUPERIOR DE ENSINO RESOLUÇÃO Nº 07/2004-A (Alterada pela Resolução Nº 22/2007 e Resolução Nº 16/2009) Regulamenta

Leia mais

DIMENSÃO 1 A MISSÃO E O PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL

DIMENSÃO 1 A MISSÃO E O PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL Faculdade Educacional da Lapa 1 FAEL RESULTADOS - AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL 2012 O referido informativo apresenta uma súmula dos resultados da autoavaliação institucional, realizada no ano de 2012, seguindo

Leia mais

A Câmara Superior de Ensino do Conselho Universitário da Universidade Federal de Campina Grande, no uso de suas atribuições,

A Câmara Superior de Ensino do Conselho Universitário da Universidade Federal de Campina Grande, no uso de suas atribuições, RESOLUÇÃO Nº 07/2014 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CONSELHO UNIVERSITÁRIO CÂMARA SUPERIOR DE ENSINO Aprova a estrutura curricular contida no Projeto Pedagógico do Curso

Leia mais

Sistemas de Informação

Sistemas de Informação Atividades Complementares Sistemas de Informação 1. Introdução Nos cursos de graduação, além das atividades de aprendizagem articuladas pelas disciplinas que compõem a matriz curricular, deverão ser inseridas

Leia mais

RESOLUÇÃO. Artigo 1º Fica aprovado, conforme anexo, o Regulamento da Coordenação de Ensino a Distância do Centro Universitário Franciscano do Paraná.

RESOLUÇÃO. Artigo 1º Fica aprovado, conforme anexo, o Regulamento da Coordenação de Ensino a Distância do Centro Universitário Franciscano do Paraná. RESOLUÇÃO CONSEPE 14/2006 Referenda a aprovação do Regulamento da Coordenação de Ensino a Distância do Centro Universitário Franciscano do Paraná. O Presidente do Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão

Leia mais