UNIVERSIDADE DO EXTREMO SUL CATARINENSE - UNESC CURSO DE GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS CONTÁBEIS MARIANA JUSTI MONDARDO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "UNIVERSIDADE DO EXTREMO SUL CATARINENSE - UNESC CURSO DE GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS CONTÁBEIS MARIANA JUSTI MONDARDO"

Transcrição

1 UNIVERSIDADE DO EXTREMO SUL CATARINENSE - UNESC CURSO DE GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS CONTÁBEIS MARIANA JUSTI MONDARDO A FORMAÇÃO DO BACHAREL DO CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS DA UNESC: UMA ANÁLISE COMPARATIVA ENTRE AS EXIGÊNCIAS DO MERCADO DE TRABALHO, AS EXPECTATIVAS DOS ACADÊMICOS E AS CARACTERÍSTICAS DESEJADAS PELO CURSO CRICIÚMA, DEZEMBRO DE 2010

2 1 MARIANA JUSTI MONDARDO A FORMAÇÃO DO BACHAREL DO CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS DA UNESC: UMA ANÁLISE COMPARATIVA ENTRE AS EXIGÊNCIAS DO MERCADO DE TRABALHO, AS EXPECTATIVAS DOS ACADÊMICOS E AS CARACTERÍSTICAS DESEJADAS PELO CURSO Trabalho de Conclusão de Curso apresentado para obtenção de grau de Bacharel no Curso de Ciências Contábeis da Universidade do Extremo Sul Catarinense, UNESC. Orientadora: Profª. Esp. Andréia Cittadin CRICIÚMA, DEZEMBRO DE 2010

3 2 MARIANA JUSTI MONDARDO A FORMAÇÃO DO BACHAREL DO CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS DA UNESC: UMA ANÁLISE COMPARATIVA ENTRE AS EXIGÊNCIAS DO MERCADO DE TRABALHO, AS EXPECTATIVAS DOS ACADÊMICOS E AS CARACTERÍSTICAS DESEJADAS PELO CURSO Trabalho de Conclusão de Curso apresentado para obtenção de grau de Bacharel, no Curso de Ciências Contábeis da Universidade do Extremo Sul Catarinense, UNESC, com linha de pesquisa em Formação e Exercício Profissional. Criciúma, 07 de Dezembro de BANCA EXAMINADORA Profª. Esp. Andréia Cittadin - Orientadora Profº. Esp. Edson Cichella - Examinador Profª. Esp. Milla Lúcia Ferreira Guimarães - Examinadora

4 3 Dedico este trabalho a minha mãe Marli, que me auxiliou sem medir esforços não apenas neste trabalho, mas em todas as conquistas que obtive até hoje. Minha gratidão a ela é imensa é inesgotável.

5 4 AGRADECIMENTOS Agradeço em primeiro lugar a Deus, que iluminou o meu caminho durante esta caminhada, pelo presente da vida, coragem e disposição para conclusão deste trabalho e por todas as conquistas que obtive até hoje. Aos meus familiares, por todo amor, apoio e compreensão, e por estarem sempre ao meu lado. Em especial a minha mãe que em todos os momentos da minha vida esteve do meu lado de forma especial e paciente, fazendo papel de mãe e acima de tudo de amiga. Também expresso minha gratidão aos colegas que se tornaram verdadeiros amigos durante esses anos, que diretamente ou indiretamente contribuíram para a conclusão deste trabalho. Em especial: Ana Lúcia Mondardo, André Eyng, Bruna Pissette, Felipe Freitas, Gabriela Schulter, Karin Lopes, Leandro Warmling, Lucas Meller e Juliana Della Bruna, por todos os momentos que passamos juntos, tanto nos difíceis e principalmente os de felicidade, com certeza deixarão boas recordações. A minha orientadora, professora Andréia Cittadin, uma excelente profissional que não mediu esforços nesta trajetória, pela atenção, dedicação, revisão, incansáveis leituras e orientações dadas a este trabalho. A todo o corpo docente do curso, que contribuíram na minha formação e pela convivência, aos que sempre se mostraram dispostos a sanar as dúvidas e aos que se tornaram amigos. Agradeço a todos que de alguma forma contribuíram para a execução desta obra.

6 5 "Nas grandes batalhas da vida, o primeiro passo para a vitória é o desejo de vencer" (Mahatma Gandhi)

7 6 RESUMO MONDARDO, Mariana Justi. A Formação do Bacharel do Curso de Ciências Contábeis da UNESC: uma Análise Comparativa entre as Exigências do Mercado de Trabalho, as Expectativas dos Acadêmicos e as Características desejadas pelo Curso p. Orientador (a): Andréia Cittadin. Trabalho de Conclusão do Curso de Ciências Contábeis. Universidade do Extremo Sul Catarinense UNESC. Criciúma SC. A evolução no mundo dos negócios vem exigindo das empresas a busca de novas formas de gestão que as auxiliem a desenvolver um diferencial competitivo e permanecer atuando no mercado, em meio a tanta concorrência. Desta forma, esta exigência atinge também os contadores, que são considerados atualmente peçaschaves nas organizações. Neste contexto, salienta-se que os profissionais da área contábil necessitam possuir competências e desenvolver habilidades que atendam a demanda deste novo ambiente que se transforma constantemente. Assim, acentua-se a responsabilidade das instituições de ensino superior em oferecer a estes profissionais uma formação adequada, que englobe desde conhecimentos técnicos e científicos, desenvolvimento de competência e habilidades e incentivo a busca individual por educação continuada. Diante desta realidade, o objetivo deste trabalho consiste em verificar se a formação do bacharel do curso de Ciências Contábeis da UNESC atende as exigências do mercado de trabalho e as expectativas dos futuros profissionais. Desta forma, caracteriza-se como descritivo, com procedimentos que abrangem pesquisa bibliográfica, survey e documental. Foi realizado por meio de questionários aplicados aos acadêmicos do curso de Ciências Contábeis da UNESC e profissionais da área contábil de Criciúma-SC e região filiados ao SINDCONT, e estudo do Projeto Político Pedagógico (PPP). As análises dos dados ocorreram de forma qualitativa e quantitativa. Os resultados apontaram que a organização curricular do Curso de Ciências Contábeis da UNESC atende aos conteúdos estabelecidos pelo MEC para a formação do bacharel em Ciências Contábeis. Com base nos dados dos questionários, foi possível verificar que os discentes consideram-se capacitados para atuarem no mercado de trabalho e que tem conhecimento da importância da educação continuada. Constatou-se, ainda, que tanto o mercado de trabalho como os alunos entendem que é necessário, além das habilidades e competências inerentes a profissão, atuar com ética. Palavras-chave: formação superior em ciências contábeis, perfil do profissional contábil, mercado de trabalho.

8 7 LISTA DE ILUSTRAÇÕES Figura 1: Evolução do Ensino da Contabilidade no Brasil...23 Quadro 1: Principais Características das Competências dos Contadores...31 Quadro 2: Competências e Habilidades do Contador...31 Quadro 3: Ramos de Atuação do Profissional Contábil...42 Quadro 4: Caracterização dos Conteúdos...50 Gráfico 1: Área de atuação dos discentes...55 Gráfico 2: Fatores que motivaram o ingresso no curso de Ciências Contábeis...56 Gráfico 3: Possíveis áreas de especialização dos discentes...57 Gráfico 4: Frequência que os alunos procuram buscar outros conhecimentos fora da universidade...58 Gráfico 5: Meios utilizados para realização de formação complementar...58 Gráfico 6: Segurança em relação a atuação profissional...59 Gráfico 7: Grau de importância das disciplinas oferecidas pelo Curso...60 Gráfico 8: Situação da profissão contábil na visão dos discentes...61 Gráfico 9: Atitudes consideradas mais importantes na opinião dos discentes...63 Gráfico 10: Habilidades em relação à capacidade para empreender na opinião dos discentes...64 Gráfico 11: Habilidades em relação à capacidade para gerenciar na opinião dos discentes...64 Gráfico 12: Habilidades em relação à capacitação estratégica na opinião dos discentes...65 Gráfico 13: Área de atuação profissional...67 Gráfico 14: Tempo do término da graduação...67 Gráfico 15: Universidade que concluiu sua graduação...68 Gráfico 16: Disciplinas de maior importância na visão dos profissionais...68 Gráfico 17: Áreas de especialização...70 Gráfico 18: Frequência que os profissionais procuram buscar conhecimentos além dos adquiridos na universidade...70 Gráfico 19: Meios utilizados para realização de formação complementar...71

9 8 Gráfico 20: Motivos para realização da formação continuada...72 Gráfico 21: Situação na profissão contábil na visão dos profissionais...72 Gráfico 22: Atitudes consideradas mais importantes na opinião dos profissionais...75 Gráfico 23: Habilidades em relação à capacitação para empreender na opinião dos profissionais...76 Gráfico 24: Habilidades em relação à capacitação para gerenciar na opinião dos profissionais...76 Gráfico 25: Habilidades em relação à capacitação estratégica na opinião dos profissionais...77 Gráfico 26: Competências de maior importância para contratar um profissional contábil na visão dos profissionais...78

10 9 LISTA DE TABELAS Tabela 1: Disciplinas que Compõem a Matriz Curricular nº 4 Agrupadas por Campo de Formação...51 Tabela 2: Disciplinas que Compõem a Matriz Curricular nº 5 Agrupadas por Campo de Formação...52 Tabela 3: Habilidades técnicas indicadas pelos discentes pesquisados...62 Tabela 4: Habilidades gerenciais indicadas pelos discentes pesquisados...62 Tabela 5: Habilidades pessoais indicada pelos discentes pesquisados...62 Tabela 6: Motivos para atuar com ética na profissão segundo os discentes...66 Tabela 7: Habilidades técnicas indicadas pelos profissionais pesquisados...73 Tabela 8: Habilidades gerenciais indicadas pelos profissionais pesquisados...74 Tabela 9: Habilidades pessoais indicada pelos profissionais pesquisados...74 Tabela 10: Motivos para atuar eticamente na profissão segundo os profissionais...78

11 10 LISTA DE ABREVIATURAS E SIGLAS Art Artigo N º Número Res Resolução CES Câmera de Educação Superior CFC Conselho Federal de Contabilidade CFE Conselho Federal de Educação CNE Conselho Nacional de Educação CPA Comissão Própria de Avaliação CRC Conselho Regional de Contabilidade IES Instituições de Ensino Superior MEC Ministério da Educação PPP Projeto Político Pedagógico SC Santa Catarina SINDCONT Sindicato dos Contabilistas de Criciúma e Região Carbonífera UNESC Universidade do Extremo Sul Catarinense TCC Trabalho de Conclusão de Curso

12 11 SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO Tema e Problema Objetivos da Pesquisa Justificativa Metodologia FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA Evolução do Ensino da Contabilidade no Brasil Diretrizes Curriculares para os Cursos de Graduação em Ciências Contábeis Projeto Político Pedagógico (PPP) Habilidades e Competências Necessárias ao Contador Competências e Habilidades Necessárias ao Contador conforme as Diretrizes Curriculares Nacionais e Exigências do Mercado de Trabalho Formação Continuada Importância da Ética na Profissão Contábil A Profissão Contábil e seus Campos de Atuação Controller Professor Auditor Perito Contábil Contador Público DESCRIÇÃO E ANÁLISE DOS DADOS O Curso de Ciências Contábeis da UNESC Matriz Curricular do Curso de Ciências Contábeis da UNESC Perfil do Egresso do Curso de Ciências Contábeis da UNESC de acordo com o PPP As Perspectivas dos Acadêmicos em Relação a sua Formação Perfil dos Acadêmicos do Curso de Ciências Contábeis da UNESC Habilidades e Competências Necessárias ao Contador na Visão dos Discentes... 61

13 Perfil do Profissional Contábil, Habilidades e Competências Necessárias ao Contador de acordo com o Mercado de Trabalho Perfil do Profissional Contábil Habilidades e Competências Necessárias ao Contador na Visão dos Profissionais da Área Contábil Análise Comparativa entre o Perfil Ideal dos Egressos conforme o PPP do Curso, a Percepção do Mercado de Trabalho e as Expectativas dos Acadêmicos CONSIDERAÇÕES FINAIS REFERÊNCIAS APÊNDICE... 87

14 13 1 INTRODUÇÃO Neste capítulo apresenta-se o tema juntamente com o problema da pesquisa, que consiste na investigação do perfil desejado pelo mercado de trabalho em relação ao profissional contábil, bem como das expectativas dos futuros contadores no que tange ao exercício de sua profissão. Na seqüência, relatam-se o objetivo geral e os específicos que nortearam sua realização. Em seguida, descrevese a justificativa, que aponta a contribuição teórica, prática e social deste estudo. Por fim, apresenta-se a metodologia utilizada para sua elaboração. 1.1 Tema e Problema A abertura dos mercados e, consequentemente, o aumento da concorrência passou a exigir das organizações a implantação de instrumentos de gestão que as auxiliem na administração de suas atividades e no desenvolvimento de estratégias competitivas para garantir que estas continuem atuando neste ambiente globalizado. Desta forma, cabe observar que as entidades precisam de profissionais capacitados para gerenciarem seus processos adequadamente e conduzirem a empresa ao alcance dos objetivos organizacionais. Diante deste cenário, destacam-se os profissionais da área contábil, uma vez que esta profissão atualmente abrange muito mais do que as atividades de escrituração contábil, fiscal e patrimonial e os registros relacionados ao setor de pessoal. Os profissionais de contabilidade estão participando ativamente da gestão das organizações, auxiliando, por exemplo, no desenvolvimento dos planejamentos estratégico e operacional, definições e acompanhamento de orçamentos, registros e controles de custos, entre outras funções. Neste sentido, observa-se a necessidade de uma formação adequada aos contadores, tendo em vista o papel que exercem no processo decisório das entidades. Portanto, os gestores dos cursos de graduação em Ciências Contábeis devem estar atentos à qualidade do ensino ofertado, visando preparar profissionais aptos a atuarem no mercado de trabalho.

15 14 Desse modo, destaca-se que durante a graduação, os acadêmicos devem construir conhecimentos técnicos e científicos referente à área contábil e desenvolver competências, habilidades e atitudes necessárias ao exercício da profissão. Para que ao término do curso possam ter condições de enfrentar os desafios impostos no decorre da vida profissional, tais como, mudanças constantes na economia e na legislação, desenvolvimento de novas tecnologias, entre outros. Neste contexto, verifica-se que cabe aos cursos de graduação desta área realizar constantemente avaliação do processo de ensino e aprendizagem. Pois com isso é possível analisar suas matrizes curriculares verificando se os conteúdos trabalhados e as metodologias de ensino utilizadas são suficientes alcançar o perfil profissional desejado pelo campo de trabalho. Salienta-se, que este processo pode ser complementado por meio de pesquisas junto ao mercado de trabalho. Assim, mediante ao levantamento de dados com os profissionais que possuem experiência no ramo, pode-se identificar o perfil ideal para os futuros contadores de uma determinada região. Além disso, investigar junto aos acadêmicos dos cursos as suas perspectivas é fundamental para os gestores destes delinearem o perfil profissional desejados aos egressos e desenvolverem ações, se necessário, para melhorar a qualidade de ensino e formar profissionais competentes para atenderem as exigências do campo de trabalho. Diante disso, a problemática desta pesquisa concentra-se em responder a seguinte questão: a formação do bacharel do curso de Ciências Contábeis da UNESC atende as exigências do mercado de trabalho e as expectativas dos futuros profissionais? 1.2 Objetivos da Pesquisa O objetivo geral deste trabalho consiste em verificar se a formação do bacharel do curso de Ciências Contábeis da UNESC atende as exigências do mercado de trabalho e as expectativas dos futuros profissionais. Em relação aos objetivos específicos da pesquisa, pretende-se:

16 15 verificar se a matriz curricular do curso em estudo atende aos conteúdos específicos da área exigidos pelo MEC para a formação do bacharel em Ciências Contábeis; investigar junto ao mercado de trabalho o perfil esperado para o profissional da área e as perspectivas dos acadêmicos em relação a sua formação; e efetuar comparação entre o perfil do egresso descrito no Projeto Político Pedagógico (PPP) do curso, os aspectos que o mercado requer e as expectativas dos acadêmicos. 1.3 Justificativa Atualmente a exigência do mercado de trabalho em relação aos profissionais da área contábil vem aumentando tendo em vista, principalmente as funções gerenciais assumidas pelo contador. Diante disso, os autores Leal, Soares e Souza (2008, p. 1) ressaltam que, o mercado exige dos profissionais da área contábil um conhecimento que transcende o processo específico pronto para o tecnicismo; busca-se um profissional com competências para entender o negócio, visando orientar o gestor e participar das decisões de forma consciente. Neste sentido, Peleias et al (2007, p. 20) reforçam que, a evolução das sociedades apresenta características que demandam identificação, estudo e compreensão, e o progresso econômico requer profissionais mais qualificados para atuarem nas organizações. Como conseqüência, são necessárias condições de ensino para formação desses profissionais. Com isso, tem se tornado oportuno estudar essa relação entre a vida acadêmica e a realidade do campo profissional, que exige profissionais qualificados e com capacidade de adaptação as mudanças desta área. Desta forma, surge a necessidade de se investigar o perfil desejado pelo mercado de trabalho em relação ao contador, as expectativas dos acadêmicos no que tange a sua formação e compará-las com o perfil profissiográfico estabelecido pelos cursos de graduação em Ciências Contábeis.

17 16 De acordo com Hernandes, Peleias e Barbalho (2006, p. 133), o perfil profissiográfico é aquele esperado do profissional de acordo com as necessidades do mercado em determinada região geográfica, o que faz com que as instituições de ensino superior tenham necessidades de adaptar sua grade curricular à região onde inseridas, para que seus alunos terminem seus cursos com os conhecimentos necessários para atender as necessidades do mercado de trabalho. Assim, acredita-se que este estudo poderá contribuir com as pesquisas sobre o ensino da contabilidade, uma vez que busca descrever o perfil do profissional contábil desejado junto ao mercado de trabalho na região do Extremo Sul Catarinense, bem como as expectativas dos futuros bacharéis em Ciências Contábeis e compará-las ao perfil do egresso estabelecido pelo curso em estudo. Em relação aos aspectos práticos, este trabalho pode ser utilizado pelos gestores do curso pesquisado para revisão de sua matriz curricular, verificando se está aderente à necessidade da sociedade. E, assim, tomar decisões em relação à melhoria da qualidade do processo de ensino e aprendizagem, se necessário. Desta forma, acredita-se que é possível contribuir com o aperfeiçoamento do processo de formação do contador, nesta região e com a sociedade de modo geral. Isso porque, formando profissionais capacitados às exigências do campo profissional estes poderão auxiliar na gestão das organizações visando o desenvolvimento regional. 1.4 Metodologia A elaboração deste trabalho exigiu, inicialmente, a definição dos procedimentos metodológicos, que de acordo com Andrade (2005, p.119), consiste no conjunto de procedimentos sistemáticos, baseado no raciocínio lógico, que tem por objetivo encontrar soluções para problemas propostos, mediante a utilização de métodos científicos. Deste modo, quanto aos objetivos adotou-se a pesquisa descritiva, que segundo Gil (2002, p. 42), têm como objetivo primordial a descrição das características de determinada população ou fenômeno ou, então, o estabelecimento de relações entre

18 17 variáveis. São inúmeros os estudos que podem ser classificados sob este título e uma de suas características mais significativas está na utilização de técnicas padronizadas de coleta de dados, tais como o questionário e a observação sistemática. Diante disso, busca-se descrever o perfil do profissional contábil desejado pelo mercado de trabalho, bem como as expectativas dos acadêmicos e compará-las ao perfil do egresso estabelecido pelo curso em estudo. Quanto aos procedimentos, trata-se de pesquisa bibliográfica, que conforme Oliveira (2002, p.119) tem por finalidade conhecer as diferentes formas de contribuição cientifica que se realizam sobre determinado assunto ou fenômeno. Assim, realizou-se esta pesquisa, por meio da utilização de livros, internet, revistas e principalmente artigos. Utilizou-se, também pesquisa de levantamento ou survey e documental. A primeira de acordo com Gil (1994, p. 74) caracteriza-se, pela interrogação direta das pessoas cujo comportamento se deseja conhecer. Basicamente, procede-se á solicitação de informações a um grupo significativo de pessoas acerca do problema estudado para em seguida, mediante análise quantitativa, obter as conclusões correspondentes aos dados coletados. Em relação à pesquisa documental Gil (1994, p.73), destaca que, existem, de um lado, os documentos de primeira mão, que não receberam qualquer tratamento analítico, tais como: documentos oficiais, reportagens de jornal, cartas, contratos, diários, filmes, fotografias, gravações etc. De outro lado, existem os documentos de segunda mão, que de alguma forma já foram analisados, tais como: relatórios de pesquisa, relatórios de empresas, tabelas estatísticas etc. Como instrumento de coleta de dados, fez-se uso de questionários que foram aplicados com os contadores da região de Criciúma/SC, sócios do Sindicont, e com os acadêmicos das fases concluintes (8ª e 9ª) do curso de Ciências Contábeis da Universidade do Extremo Sul Catarinense. Para Lakatos e Marconi (1986, p. 178) questionário é um instrumento de coleta de dados, constituído por uma série ordenada de perguntas, que devem ser respondidas por escrito e sem a presença do entrevistador. Em relação a análise dos dados utilizou-se abordagem qualitativa e quantitativa. De acordo com Richardson (1999, p.80), os estudos que empregam uma metodologia qualitativa podem descrever a complexidade de determinado

19 18 problema, analisar a interação de certas variáveis, compreender e classificar processos dinâmicos vividos por grupos sociais. A análise quantitativa, segundo Richardson (1999, p. 70): [...] como o próprio nome indica, caracteriza-se pelo emprego da quantificação tanto nas modalidades de coleta de informações. Quanto no tratamento delas por meio de técnicas estatísticas, desde as mais simples como percentual, média, desvio-padrão, às mais complexas, como coeficiente de correlação, análise de regressão etc. Desta forma, este trabalho caracteriza-se como descritivo, com procedimentos que abrangem pesquisa bibliográfica, survey e documental, realizado por meio de questionários e estudo do Projeto Político Pedagógico (PPP), sendo que as análises ocorreram de forma qualitativa e quantitativa.

20 19 2 FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA Este capítulo expõe o referencial teórico sobre o tema abordado no presente trabalho. Deste modo, inicialmente faz-se uma breve descrição da evolução do ensino da contabilidade no Brasil. Posteriormente, apresenta-se as diretrizes curriculares nacionais para os cursos de graduação em Ciências Contábeis, o projeto político pedagógico, as habilidades e competências necessárias ao contador e por fim, faz-se uma breve descrição sobre a profissão contábil e seus campos de atuação. 2.1 Evolução do Ensino da Contabilidade no Brasil Antes de descrever a origem e o desenvolvimento do ensino da contabilidade no Brasil, convém apresentar a diferenciação entre os termos educação e ensino. Neste sentido, Rosella et al (2006, p. 1) destacam que o ensino é o ato de transmitir informação, de organizar as condições de aprendizagem para que o conhecimento seja construído. Em relação à educação os autores escrevem que, educação engloba o ensinar. É a prática educativa que ensina o aluno a pensar, criar, inovar e construir novos conhecimentos. A educação cuida do desenvolvimento integral do homem, física, intelectual e moralmente, enquanto o ensino cuida da transmissão de conhecimentos acumulados, indispensáveis a educação. (ROSELLA et al, 2006, p. 1). Observa-se, deste modo, que o ensino consiste em transmitir informações e proporcionar a disseminação do conhecimento. Já a educação é mais abrangente, pois trata do desenvolvimento de outras competências, tais como, reflexão, criação, inovação, além da construção do conhecimento. Contudo, ambos possuem papel importante tanto na formação profissional como pessoal dos indivíduos. Isso porque, é por meio do ensino que os conhecimentos acumulados são transmitidos e, assim, possibilita a preparação de novos profissionais para atuarem no mercado de trabalho. A educação por sua vez é

21 20 responsável pela formação de profissionais qualificados ao campo de trabalho, como também pela formação de cidadãos éticos e comprometidos com a sociedade onde estão inseridos. Após apresentar a reflexão sobre o ensino e a educação de maneira geral, descreve-se o surgimento do ensino da contabilidade, sua evolução e como se configura atualmente no Brasil, para facilitar a compreensão do atual contexto da educação nesta área e suas perspectivas futuras. Diante disso, Moura e Silva (2009, p. 3) salientam que, é importante conhecer a história para entender as relações existentes entre os ranços e avanços que ocorreram no processo, proporcionando uma visão sistêmica do curso de Ciências Contábeis, contexto em que foi criado e possíveis perspectivas para o futuro. Sendo assim, primeiramente expõem-se como foi iniciado o ensino da contabilidade no Brasil, que de acordo com Laffin (2005, p. 105), a contabilidade foi, pois, surgindo de forma tímida como objeto e área de conhecimentos a ser transmitido. Primeiramente, como disciplina em cursos esparsos, e mais tarde surge como curso específico, com o objetivo de preparar profissionais com maior conhecimento nessa área de atuação. Neste contexto, Rosella et al (2006) destacam que, o ensino da contabilidade no Brasil teve início no século XIX, mais precisamente no ano de 1808, com a vinda da Família Real Portuguesa. Neste ano foram criadas as aulas de comércio, que exigiam alguns pré-requisitos para serem cursadas, tais como: ter mais de 14 anos de idade, ser aprovado no exame de gramática da língua nacional, aritmética e língua inglesa ou francesa. Este curso tinha duração de dois anos e abrangia disciplinas dirigidas para as necessidades diárias do comércio e dos negócios bancários. Conforme Laffin (2005), os cursos que o ensino comercial oferecia serviam para atender à demanda da classe média que iniciava naquele período, e eram destinados às profissões liberais e aos empregos públicos. Em relação aos conteúdos, Schmidt (2000, p. 205) destaca que, os estudos do comércio tiveram seus passos iniciais na obra de Visconde de Cairu (José da Silva Lisboa) publicada em 1804, Cairu tornou-se o primeiro a apresentar um sistema de direito comercial e a realizar os primeiros estudos de economia política do Brasil.

22 21 Salienta-se, entretanto, que na década de 50 do século XIX, ocorreram alguns fatos importantes para o ensino comercial e contábil brasileiro. Desta forma, com a criação do Instituto Comercial do Rio de Janeiro, foram incluídos um curso preparatório e outro profissional. Este era composto por três disciplinas de línguas estrangeiras (inglês, francês e alemão) e quatro disciplinas em áreas exatas (aritmética, álgebra, geografia e estatística comercial). Em 1880, passaram a serem oferecidas as seguintes disciplinas: geografia e estatística comercial, direito comercial e legislação de alfândegas e consulados, escrituração mercantil e economia política. (ROSELLA et al, 2006). Diante disso, Schmidt (2000, p. 206) ressalta que, esse instituto passou a oferecer a disciplina Escrituração Mercantil como forma de qualificar seus alunos para a prática do registro contábil. Segundo Rosella et al, (2006, p. 27), em 1902 é extinto o Instituto Comercial do Rio de Janeiro, sendo em seu lugar criada a Academia de Comércio do Rio de Janeiro. Por meio do Decreto nº , de 9 de janeiro de 1905, a Academia de Comércio do Rio de Janeiro é declarada instituição de utilidade pública, passando seus diplomas a terem reconhecimento oficial. Os títulos dos diplomas concedidos pela Academia abrangiam dois níveis, uma vez que ela possuía dois cursos. Destaca-se, desta forma, que um dos cursos era de formação geral, denominado Curso Geral, o qual habilitava o profissional às funções, de: guardalivros, perito judicial e empregos da área da Fazenda. O outro, de nível superior, habilitava os acadêmicos a exercerem cargos de agentes-consultores, funcionários dos Ministérios das Relações Exteriores e chefes de contabilidade de estabelecimentos bancários e de grandes empresas comerciais. (LAFFIN, 2005). Posteriormente, outras importantes mudanças foram constatadas, principalmente, devido ao Decreto nº , de 30 de junho de 1931, que reorganizou o ensino comercial, dividindo-o nos níveis técnico e superior e regulamentou a profissão de contador. Já o Decreto-lei nº 1.535, de 23 de agosto de 1939, alterou a denominação do curso de perito-contador para curso de contador. (ROSELLA et al, 2006). Após esse período, iniciou-se uma nova fase para o ensino da contabilidade, devido a vários fatores, como o desenvolvimento econômico causado pelo aumento de produção e crescimento da urbanização. Assim, a partir dos anos 40, com o forte desenvolvimento econômico e mediante pressão manifestada pelos

23 22 profissionais da área, surgiu a necessidade de uma evolução no ensino da contabilidade, consequentemente um maior reconhecimento dos profissionais desta área. Foi constituído, então, o curso superior de Ciências Contábeis e Atuariais, instituído pelo Decreto-lei n , de 22 de setembro de Este curso possuía duração de quatro anos e concedia o título de bacharel em Ciências Contábeis para os que o concluíssem. (ROSELLA et al, 2006). Neste contexto, segundo Silva e Martins (2009, p. 129) salienta-se que, no ano de 1945, foi sancionado o Dec-lei 8.191, de , que definiu as categorias profissionais que vigorariam após a criação do Curso de Ciências Contábeis e Atuariais e estabeleceu que as categorias de Guarda-livros, Atuários, Contadores, Peritos-contadores e bacharéis seriam agrupados em apenas duas, a saber: Técnico em Contabilidade para os Técnicos em Contabilidade e Guarda-livros (com este decreto o diploma de Guarda-livros foi substituído pelo diploma de Técnicos em Contabilidade) e Bacharel para os de nível superior, Contador e Atuários e Peritos-contadores. Verifica-se, assim, que com o Decreto-lei nº 7.988/45, foi instituído o curso superior em Ciências Contábeis e Atuariais, que concedia o título de bacharel em Ciências Contábeis. E pelo Decreto-lei 8.191/45 foram definidos as categorias profissionais de técnico em contabilidade e bacharel para os cursos de nível superior. No ano de 1951, com a Lei nº 1041, foram apresentadas novas reformas em relação ao curso de Ciências Contábeis e Atuariais, dividindo-o em dois cursos distintos, sendo: Curso de Contador e Curso de Atuário, não deixando de existir o curso anterior. (LAFFIN, 2005). Diante dos fatos mencionados em relação à evolução do ensino superior em contabilidade, pode-se observar que ocorreram muitas mudanças relacionadas a esta área, desde a criação das aulas de comércio até a instituição do curso superior em Ciências Contábeis. Dessa forma, cabe citar também, como um avanço da área, a implantação do curso de pós-graduação, em Reforçando essa idéia, Rosella et al, (2006, p. 34) salientam que, o crescimento do número dos cursos de Ciências Contábeis, aliado ao aumento da demanda por profissionais de Contabilidade com melhor formação acadêmica, trouxe como uma consequência a maior demanda pela pós-graduação, cujos objetivos principais são a maior qualificação profissional, a formação de pessoal qualificado para o exercício do magistério superior e para as atividades de pesquisa.

RESOLUÇÃO Nº 6, DE 10 DE MARÇO DE 2004 (*)

RESOLUÇÃO Nº 6, DE 10 DE MARÇO DE 2004 (*) RESOLUÇÃO Nº 6, DE 10 DE MARÇO DE 2004 (*) Institui as Diretrizes Curriculares Nacionais do Curso de Graduação em Ciências Contábeis, bacharelado, e dá outras providências. O Presidente da Câmara de Educação

Leia mais

SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO. Missão. Objetivo Geral. Objetivos Específicos

SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO. Missão. Objetivo Geral. Objetivos Específicos SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO Curso: CIÊNCIAS CONTÁBEIS Missão A missão do curso é formar profissionais em Ciências Contábeis com elevada competência técnica, crítica, ética e social, capazes de conceber

Leia mais

GRADUAÇÃO CIÊNCIAS CONTÁBEIS DENOMINAÇÃO: CURSO DE GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS CONTÁBEIS

GRADUAÇÃO CIÊNCIAS CONTÁBEIS DENOMINAÇÃO: CURSO DE GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS CONTÁBEIS GRADUAÇÃO CIÊNCIAS CONTÁBEIS CARACTERIZAÇÃO DO CURSO DENOMINAÇÃO: CURSO DE GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS CONTÁBEIS DIPLOMA CONFERIDO: BACHAREL NÚMERO DE VAGAS: 100 VAGAS ANUAIS NÚMERO DE ALUNOS POR TURMA: 50 alunos

Leia mais

PROPOSTA CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS 2012.2. Noturno

PROPOSTA CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS 2012.2. Noturno PROPOSTA CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS 2012.2 DENOMINAÇÃO: PORTARIA DE AUTORIZAÇÃO: PORTARIA DE RECONHECIMENTO: REGIME ESCOLAR: NÚMERO DE VAGAS ANUAIS: TURNOS DE FUNCIONAMENTO: NÚMERO DE ALUNOS POR TURMA:

Leia mais

PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO DO CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS. (Resumido)

PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO DO CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS. (Resumido) FACULDADE DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS E ADMINISTRATIVAS DE CACHOEIRO DE ITAPEMIRIM ES Curso de Administração reconhecido pelo Decreto Federal nº 78.951, publicado no D.O.U. de 16-12-1976 Curso de Ciências Contábeis

Leia mais

PARECER HOMOLOGADO(*) (*) Despacho do Ministro, publicado no Diário Oficial da União de 25/10/2004

PARECER HOMOLOGADO(*) (*) Despacho do Ministro, publicado no Diário Oficial da União de 25/10/2004 PARECER HOMOLOGADO(*) (*) Despacho do Ministro, publicado no Diário Oficial da União de 25/10/2004 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO INTERESSADO: Instituto Brasileiro de Atuária UF:

Leia mais

O PERFIL DOS DOCENTES DO CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS DA UNESC E SUAS ESTRATÉGIAS METODOLÓGICAS

O PERFIL DOS DOCENTES DO CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS DA UNESC E SUAS ESTRATÉGIAS METODOLÓGICAS UNIVERSIDADE DO EXTREMO SUL CATARINENSE UNESC CURSO DE GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS CONTÁBEIS RAQUEL LAESKER O PERFIL DOS DOCENTES DO CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS DA UNESC E SUAS ESTRATÉGIAS METODOLÓGICAS CRICIÚMA,

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 13, DE 24 DE NOVEMBRO DE 2006 (*)

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 13, DE 24 DE NOVEMBRO DE 2006 (*) MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 13, DE 24 DE NOVEMBRO DE 2006 (*) Institui as Diretrizes Curriculares Nacionais do Curso de Graduação em Turismo

Leia mais

Projeto Pedagógico do Curso

Projeto Pedagógico do Curso Projeto Pedagógico do Curso Fundamentação Diretrizes curriculares do MEC Diretrizes curriculares da SBC Carta de Princípios da UNICAP Projeto Pedagógico Institucional da UNICAP Diretrizes Curriculares

Leia mais

CURSO DE ADMINISTRAÇÃO. Concepção do Curso de Administração

CURSO DE ADMINISTRAÇÃO. Concepção do Curso de Administração CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Concepção do Curso de Administração A organização curricular do curso oferece respostas às exigências impostas pela profissão do administrador, exigindo daqueles que integram a instituição

Leia mais

DURAÇÃO DO CURSO O Curso de Ciências Contábeis, bacharelado poderá ser integralizado em um período de no mínimo 8 (oito) semestres e no máximo 16

DURAÇÃO DO CURSO O Curso de Ciências Contábeis, bacharelado poderá ser integralizado em um período de no mínimo 8 (oito) semestres e no máximo 16 DURAÇÃO DO CURSO O Curso de Ciências Contábeis, bacharelado poderá ser integralizado em um período de no mínimo 8 (oito) semestres e no máximo 16 (dezesseis) semestres. PERFIL DO EGRESSO O perfil desejado

Leia mais

Resolução nº 2/2006 3/2/2006 RESOLUÇÃO CNE Nº 2, DE 2 DE FEVEREIRO DE 2006 DOU 03.02.2006

Resolução nº 2/2006 3/2/2006 RESOLUÇÃO CNE Nº 2, DE 2 DE FEVEREIRO DE 2006 DOU 03.02.2006 Resolução nº 2/2006 3/2/2006 RESOLUÇÃO CNE Nº 2, DE 2 DE FEVEREIRO DE 2006 DOU 03.02.2006 Institui as Diretrizes Curriculares Nacionais para o curso de graduação em Engenharia Agrícola e dá outras providências.

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N 72/2009 Aprova o Projeto Político-Pedagógico do Curso de Sistemas de Informação, modalidade

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR NÃO OBRIGATÓRIO CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS, BACHARELADO REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR NÃO OBRIGATÓRIO Das Disposições Gerais O estágio

Leia mais

CIÊNCIAS CONTÁBEIS. PRAZO PARA CONCLUSÃO: Mínimo = 4 anos

CIÊNCIAS CONTÁBEIS. PRAZO PARA CONCLUSÃO: Mínimo = 4 anos CIÊNCIAS CONTÁBEIS 1. TURNOS: Matutino ou Noturno Campus de Maringá Noturno Campus de Cianorte HABILITAÇÃO: Bacharelado em Ciências Contábeis GRAU ACADÊMICO: Bacharel em Ciências Contábeis PRAZO PARA CONCLUSÃO:

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 3.609, DE 10 DE SETEMBRO DE 2007

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 3.609, DE 10 DE SETEMBRO DE 2007 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 3.9, DE 10 DE SETEMBRO DE 2007 Homologa o Parecer n. 117/06-CEG, que aprova o Projeto

Leia mais

UNIVERSIDADE DO EXTREMO SUL CATARINENSE UNESC CURSO DE GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS CONTÁBEIS LUIZ PAULO RONCHI FREITAS

UNIVERSIDADE DO EXTREMO SUL CATARINENSE UNESC CURSO DE GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS CONTÁBEIS LUIZ PAULO RONCHI FREITAS 0 UNIVERSIDADE DO EXTREMO SUL CATARINENSE UNESC CURSO DE GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS CONTÁBEIS LUIZ PAULO RONCHI FREITAS AS FUNÇÕES DA CONTROLADORIA E O PERFIL DO CONTROLLER NAS EMPRESAS INTEGRANTES DOS PRINCIPAIS

Leia mais

A PERCEPÇÃO DOS ALUNOS DO CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS DA UNESC NO QUE TANGE A GRADUAÇÃO E A PROFISSÃO CONTÁBIL

A PERCEPÇÃO DOS ALUNOS DO CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS DA UNESC NO QUE TANGE A GRADUAÇÃO E A PROFISSÃO CONTÁBIL UNIVERSIDADE DO EXTREMO SUL CATARINENSE UNESC CURSO DE GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS CONTÁBEIS SILVIA MEIS BET A PERCEPÇÃO DOS ALUNOS DO CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS DA UNESC NO QUE TANGE A GRADUAÇÃO E A PROFISSÃO

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO. Curso de Graduação Tecnológica em Marketing

PROJETO PEDAGÓGICO. Curso de Graduação Tecnológica em Marketing PROJETO PEDAGÓGICO Curso de Graduação Tecnológica em Marketing Porto alegre, 2011 1 1. Objetivos do Curso O projeto do curso, através de sua estrutura curricular, está organizado em módulos, com certificações

Leia mais

1. IDENTIFICAÇÃO DO CURSO

1. IDENTIFICAÇÃO DO CURSO 1. IDENTIFICAÇÃO DO CURSO O Curso de Secretariado Executivo das Faculdades Integradas de Ciências Exatas Administrativas e Sociais da UPIS, reconhecido pelo MEC desde 1993, pela Portaria 905, de 24.06,1993,

Leia mais

UNIVERSIDADE DO EXTREMO SUL CATARINENSE - UNESC CURSO DE GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS CONTÁBEIS FLÁVIA DANIEL PAZINI OSTETTO

UNIVERSIDADE DO EXTREMO SUL CATARINENSE - UNESC CURSO DE GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS CONTÁBEIS FLÁVIA DANIEL PAZINI OSTETTO UNIVERSIDADE DO EXTREMO SUL CATARINENSE - UNESC CURSO DE GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS CONTÁBEIS FLÁVIA DANIEL PAZINI OSTETTO ADERÊNCIA DA MATRIZ CURRICULAR DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS CONTÁBEIS DAS UNIVERSIDADES

Leia mais

FACULDADE ESTÁCIO MONTESSORI DE IBIÚNA ESTÁCIO FMI SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1

FACULDADE ESTÁCIO MONTESSORI DE IBIÚNA ESTÁCIO FMI SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 CURSO: ADMINISTRAÇÃO - BACHARELADO MISSÃO DO CURSO Formar profissionais de elevado nível de consciência crítica, competência técnica empreendedora, engajamento

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N 64/2011 Altera a Resolução nº. 57/2007 do CONSEPE, que aprova o Projeto Político-Pedagógico

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR NÃO OBRIGATÓRIO CURSO DE ENGENHARIA DE SOFTWARE, BACHARELADO REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR NÃO OBRIGATÓRIO Das disposições gerais O presente

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 039/2004-COU/UNICENTRO

RESOLUÇÃO Nº 039/2004-COU/UNICENTRO RESOLUÇÃO Nº 039/2004-COU/UNICENTRO REVOGADA PELA RESOLUÇÃO Nº 128/2014- COU/UNICENTRO. DISPOSITIVOS DO PROJETO PEDAGÓGICO APROVADO POR ESTA RESOLUÇÃO, ESTÃO ALTERADOS PELA RESOLUÇÃO Nº 26/2009-COU/UNICENTRO.

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR NÃO OBRIGATÓRIO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO, BACHARELADO Administração LFE em Administração de Empresas Lajeado 4811 Administração LFE em Administração

Leia mais

Administração. Curso de Graduação Bacharelado em

Administração. Curso de Graduação Bacharelado em Curso de Graduação Bacharelado em Administração O curso de Administração está enquadrado como uma ciência social aplicada. Estuda-se em profundidade técnicas e instrumentos analíticos, além de simulações

Leia mais

FACULDADE PASCHOAL DANTAS

FACULDADE PASCHOAL DANTAS FACULDADE PASCHOAL DANTAS PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO BACHARELADO EM ADMINISTRAÇÃO ÊNFASE GESTÃO DE PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS SÃO PAULO - SP NOVEMBRO DE 2008 ÍNDICE 1. Visão e Missão da FPD...3 2. ORGANIZAÇÃO

Leia mais

PROGRAMA DE QUALIFICAÇÃO DE COLABORADORES PQC ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO DE INSTITUIÇÕES DE ENSINO SUPERIOR MÓDULO 1: GESTÃO ACADÊMICA DE IES

PROGRAMA DE QUALIFICAÇÃO DE COLABORADORES PQC ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO DE INSTITUIÇÕES DE ENSINO SUPERIOR MÓDULO 1: GESTÃO ACADÊMICA DE IES MÓDULO 1: GESTÃO ACADÊMICA DE IES Educação Superior no Brasil: cenários e tendências Conceitos e concepções de universidade; aspectos históricos da educação superior no Brasil; a reforma da educação superior

Leia mais

CIÊNCIAS CONTÁBEIS. Nome IES: UNIVERSIDADE DE CUIABÁ - UNIC 10/09/2012 1

CIÊNCIAS CONTÁBEIS. Nome IES: UNIVERSIDADE DE CUIABÁ - UNIC 10/09/2012 1 CIÊNCIAS CONTÁBEIS Nome IES: UNIVERSIDADE DE CUIABÁ - UNIC 10/09/2012 1 CURSO: CIÊNCIAS CONTÁBEIS Dados de identificação da Universidade de Cuiabá - UNIC Dirigente da Mantenedora Presidente: Ed. Rodrigo

Leia mais

BACHARELADOS INTERDISCIPLINARES

BACHARELADOS INTERDISCIPLINARES BACHARELADOS INTERDISCIPLINARES Bacharelados Interdisciplinares (BIs) e similares são programas de formação em nível de graduação de natureza geral, que conduzem a diploma, organizados por grandes áreas

Leia mais

O ensino de administração no curso de ciências contábeis da Universidade estadual do centro-oeste/unicentro campus universitário de Irati/PR

O ensino de administração no curso de ciências contábeis da Universidade estadual do centro-oeste/unicentro campus universitário de Irati/PR O ensino de administração no curso de ciências contábeis da Universidade estadual do centro-oeste/unicentro campus universitário de Irati/PR Edson Roberto Macohon (FURB) edson_macohon@al.furb.br Maria

Leia mais

Informações sobre o Curso de Administração

Informações sobre o Curso de Administração Objetivo Geral do Curso: Informações sobre o Curso de Administração Prover a sociedade de profissional dotado de senso crítico e comportamento ético-profissional qualificado. Um Administrador criativo,

Leia mais

CURSO DE GRADUAÇÃO PRESENCIAL SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

CURSO DE GRADUAÇÃO PRESENCIAL SISTEMAS DE INFORMAÇÃO FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE DO TOCANTINS CURSO DE GRADUAÇÃO PRESENCIAL SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Identificação do Curso Nome do Curso: Sistemas de Informação Titulação: Bacharelado Modalidade de ensino: Presencial

Leia mais

RESUMO PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO SUPERIOR DE EVENTOS

RESUMO PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO SUPERIOR DE EVENTOS RESUMO PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO SUPERIOR DE EVENTOS SALVADOR 2012 1 CONTEXTUALIZAÇÃO Em 1999, a UNIJORGE iniciou suas atividades na cidade de Salvador, com a denominação de Faculdades Diplomata. O contexto

Leia mais

CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 8, DE 7 DE MAIO DE 2004. (*)

CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 8, DE 7 DE MAIO DE 2004. (*) CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 8, DE 7 DE MAIO DE 2004. (*) Institui as Diretrizes Curriculares Nacionais para os cursos de graduação em Psicologia. O Presidente

Leia mais

CURSO DE ADMINISTRAÇÃO

CURSO DE ADMINISTRAÇÃO 35 ANEXO II METODOLOGIAS (B) CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS 36 B) Metodologias utilizadas no Curso de Ciências Contábeis, bacharelado: a) Aulas Expositivas, Fórum de Debates, Dinâmica de Grupo, Seminários,

Leia mais

ROLL DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO

ROLL DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO ROLL DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO DISCIPLINAS CARGA HORÁRIA Linguagem e Interpretação de Texto 80 Contabilidade I 80 Economia 80 Matemática 80 Teoria Geral da Administração

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO 1 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO Resolução n 90/ 2011 Aprova o Projeto Pedagógico do Curso de Graduação em Relações Públicas, Bacharelado,

Leia mais

CURSOS DE PÓS - GRADUAÇÃO

CURSOS DE PÓS - GRADUAÇÃO CURSOS DE PÓS - GRADUAÇÃO ESPECIALIZAÇÃO EM ECOTURISMO Objetivo: O Curso tem por objetivo capacitar profissionais, tendo em vista a carência de pessoas qualificadas na área do ecoturismo, para atender,

Leia mais

EMENTAS - MATRIZ CURRICULAR - 2016

EMENTAS - MATRIZ CURRICULAR - 2016 EMENTAS - MATRIZ CURRICULAR - 2016 901491 - EVOLUÇÃO DO PENSAMENTO ADMINISTRATIVO I Estudo da administração, suas áreas e funções, o trabalho do administrador e sua atuação; a evolução da teoria organizacional

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO. 1. TURNOS: Matutino HABILITAÇÃO: Bacharelado em Administração Noturno. PRAZO PARA CONCLUSÃO: Mínimo = 5 anos

ADMINISTRAÇÃO. 1. TURNOS: Matutino HABILITAÇÃO: Bacharelado em Administração Noturno. PRAZO PARA CONCLUSÃO: Mínimo = 5 anos ADMINISTRAÇÃO 1. TURNOS: Matutino HABILITAÇÃO: Bacharelado em Administração Noturno GRAU ACADÊMICO: Bacharel em Administração PRAZO PARA CONCLUSÃO: Mínimo = 5 anos Máximo = 8 anos 2. HISTÓRICO DO CURSO

Leia mais

Faculdade Figueiredo Costa 16/73

Faculdade Figueiredo Costa 16/73 16/73 CAPITULO IV GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO PERFIL PROFISSIONAL O Curso de Graduação em Administração deve ensejar como perfil desejado do formando, capacitação e aptidão para compreender as questões

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR NÃO OBRIGATÓRIO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO, BACHARELADO Administração LFE em Administração de Empresas Administração LFE em Análise de Sistemas

Leia mais

ENADE e CPC Como compreender seu desempenho e estratégias de melhoria de resultados. PROF. AMÉRICO DE ALMEIDA FILHO aalmeidaf@yahoo.com.

ENADE e CPC Como compreender seu desempenho e estratégias de melhoria de resultados. PROF. AMÉRICO DE ALMEIDA FILHO aalmeidaf@yahoo.com. ENADE e CPC Como compreender seu desempenho e estratégias de melhoria de resultados PROF. AMÉRICO DE ALMEIDA FILHO aalmeidaf@yahoo.com.br CPC Conceito Preliminar de Curso 1 - Nota dos Concluintes no ENADE

Leia mais

CURSO DE ADMINISTRAÇÃO

CURSO DE ADMINISTRAÇÃO 6 ANEXO II METODOLOGIAS (A) CURSO DE ADMINISTRAÇÃO 7 A) Metodologias utilizadas no Curso de Administração, bacharelado: a) Aulas Expositivas, Fórum de Debates, Dinâmica de Grupo, Seminários, Estudos de

Leia mais

EMENTAS DAS DISCIPLINAS

EMENTAS DAS DISCIPLINAS EMENTAS DAS DISCIPLINAS CURSO DE GRADUAÇÃO DE ADMINISTRAÇÃO Nome da disciplina Evolução do Pensamento Administrativo I Estudo da administração, suas áreas e funções, o trabalho do administrador e sua atuação;

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTÁCIO RADIAL DE SÃO PAULO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 OBJETIVOS DO CURSO OBJETIVO GERAL

CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTÁCIO RADIAL DE SÃO PAULO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 OBJETIVOS DO CURSO OBJETIVO GERAL SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 CURSO: DIREITO MISSÃO DO CURSO Desenvolver um ensino que propicie sólida formação ao aluno, constante aprimoramento docente e atualização curricular periódica.

Leia mais

Resolução 038/2001 CONSEPE

Resolução 038/2001 CONSEPE Resolução 038/2001 CONSEPE Aprova as normas de funcionamento do Curso de Administração do Centro de Ciências da Administração CCA/ESAG. O Presidente do Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão - CONSEPE

Leia mais

a importância de formar profissionais para atuar nos campos de trabalho emergentes na área;

a importância de formar profissionais para atuar nos campos de trabalho emergentes na área; SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO Resolução n. 66/ 2012 Aprova o Projeto Pedagógico do Curso de Graduação em Computação, Licenciatura

Leia mais

ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO: UM ESTUDO EM UM CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS DO SUL DO BRASIL

ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO: UM ESTUDO EM UM CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS DO SUL DO BRASIL ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO: UM ESTUDO EM UM CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS DO SUL DO BRASIL Beatriz da Silva Pereira Universidade do Extremo Sul Catarinense/UNESC Cleyton de Oliveira Ritta Universidade

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N 75/2010 Aprova o Projeto Pedagógico do Curso de Graduação em Engenharia de do Centro

Leia mais

BOLETIM DE SERVIÇO - FIPAR ON LINE

BOLETIM DE SERVIÇO - FIPAR ON LINE BOLETIM DE SERVIÇO - FIPAR ON LINE ANO II Nº 003 Editado pela Secretaria Geral das FIPAR Faculdades Integradas de Paranaíba FIPAR Paranaíba, 08 de agosto de 2008. AVISO DE PUBLICAÇÃO E ADEQUAÇÃO DE MATRIZ

Leia mais

FACULDADE DE TALENTOS HUMANOS

FACULDADE DE TALENTOS HUMANOS FACULDADE DE TALENTOS HUMANOS PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO UBERABA MG INSTITUTO EDUCACIONAL GUILHERME DORÇA PRESIDENTE: LUIZ HUMBERTO DORÇA FACULDADE DE TALENTOS HUMANOS DIRETOR

Leia mais

EMENTAS DAS DISCIPLINAS

EMENTAS DAS DISCIPLINAS EMENTAS DAS DISCIPLINAS CURSO DE GRADUAÇÃO DE ADMINISTRAÇÃO Evolução de Pensamento Administrativo I Estudo da administração, suas áreas e funções, o trabalho do administrador e sua atuação; a evolução

Leia mais

PROGRAMA DE DESENVOLVIMENTO DE FUNCIONÁRIOS - PDF ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO DE INSTITUIÇÕES DE ENSINO SUPERIOR - EMENTAS

PROGRAMA DE DESENVOLVIMENTO DE FUNCIONÁRIOS - PDF ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO DE INSTITUIÇÕES DE ENSINO SUPERIOR - EMENTAS MÓDULO 1: GESTÃO ACADÊMICA DE IES Educação Superior no Brasil: cenários e tendências Conceitos e concepções de universidade; aspectos históricos da educação superior no Brasil; a reforma da educação superior

Leia mais

Presidência da República Federativa do Brasil Ministério da Educação Secretaria Executiva Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais

Presidência da República Federativa do Brasil Ministério da Educação Secretaria Executiva Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Presidência da República Federativa do Brasil Ministério da Educação Secretaria Executiva Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira INEP Diretoria de Avaliação da Educação

Leia mais

Faculdades Integradas do Vale do Ivaí

Faculdades Integradas do Vale do Ivaí ESTRUTURA E CONTEÚDO CURRICULAR Organização Curricular do Curso A grade curricular do Curso de Bacharelado em Administração das Faculdades Integradas do Vale do Ivaí está fundamentada em dois grandes blocos.

Leia mais

MINUTA DE DIRETRIZES CURRICULARES NACIONAIS PARA OS CURSOS DE GRADUAÇÃO EM RELAÇÕES INTERNACIONAIS

MINUTA DE DIRETRIZES CURRICULARES NACIONAIS PARA OS CURSOS DE GRADUAÇÃO EM RELAÇÕES INTERNACIONAIS 1 MINUTA DE DIRETRIZES CURRICULARES NACIONAIS PARA OS CURSOS DE GRADUAÇÃO EM RELAÇÕES INTERNACIONAIS O Presidente da Câmara de Educação Superior do Conselho Nacional de Educação, no uso de suas atribuições

Leia mais

A profissão contábil e o mercado de trabalho para os Contadores. Contabilidade: uma carreira apaixonante

A profissão contábil e o mercado de trabalho para os Contadores. Contabilidade: uma carreira apaixonante CIÊNCIAS A profissão contábil e o mercado de trabalho para os Contadores Contabilidade: uma carreira apaixonante Prof. João Matias Loch E-mail: jmperito@gmail.com CIÊNCIAS O que é a Contabilidade? CIÊNCIAS

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO Resolução n 69/ 2011 Aprova o Projeto Pedagógico do Curso de Graduação em, Bacharelado, do Centro

Leia mais

GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO. fgv.br/vestibular

GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO. fgv.br/vestibular GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO fgv.br/vestibular IDEALISMO, EXCELÊNCIA E CREDIBILIDADE A Fundação Getulio Vargas surgiu em 20 de dezembro de 1944 com o objetivo de preparar profissionais qualificados em Administração

Leia mais

MATRIZ CURRICULAR DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Válida para os acadêmicos ingressantes a partir de 2010/1

MATRIZ CURRICULAR DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Válida para os acadêmicos ingressantes a partir de 2010/1 Matriz Curricular aprovada pela Resolução nº 16/09-CONSUNI, de 1º de dezembro de 2009. MATRIZ CURRICULAR DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Válida para os acadêmicos ingressantes a partir de 2010/1 Fase Cód. I

Leia mais

Ementário do Curso de Administração Grade 2008-1 1 Administração da Produção I Fase: Carga Horária: Créditos: Ementa:

Ementário do Curso de Administração Grade 2008-1 1 Administração da Produção I Fase: Carga Horária: Créditos: Ementa: 1 da Produção I Ementário do Curso de Introdução à administração da produção; estratégias para definição do sistema de produção; estratégias para o planejamento do arranjo físico; técnicas de organização,

Leia mais

AS PERSPECTIVAS DA PROFISSÃO CONTÁBIL PARA OS FORMANDOS EM CIÊNCIAS CONTÁBEIS DO INSTITUTO DE ESTUDOS SUPERIORES DA AMAZÔNIA IESAM

AS PERSPECTIVAS DA PROFISSÃO CONTÁBIL PARA OS FORMANDOS EM CIÊNCIAS CONTÁBEIS DO INSTITUTO DE ESTUDOS SUPERIORES DA AMAZÔNIA IESAM AS PERSPECTIVAS DA PROFISSÃO CONTÁBIL PARA OS FORMANDOS EM CIÊNCIAS CONTÁBEIS DO INSTITUTO DE ESTUDOS SUPERIORES DA AMAZÔNIA IESAM Lidiane Nazaré da Silva Dias Instituto de Estudos Superiores da Amazônia

Leia mais

CÓD. 104 - CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS MATRIZ CURRICULAR - Currículo nº 42

CÓD. 104 - CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS MATRIZ CURRICULAR - Currículo nº 42 Aprovado no CONGRAD: 15.09.09 Vigência: 2010/1, com efeito retroativo para os ingressos a partir 2009/1 104 - CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS MATRIZ CURRICULAR - Currículo nº 42 ÁREAS DE FORMAÇÃO I - CONTEÚDOS

Leia mais

Curso de Pedagogia Portaria de Autorização ME nº 2415, de 14 de Setembro de 2001- Reconhecimento -Portaria ME. 58/2007. INÍCIO-01/08/2006 1º Semestre

Curso de Pedagogia Portaria de Autorização ME nº 2415, de 14 de Setembro de 2001- Reconhecimento -Portaria ME. 58/2007. INÍCIO-01/08/2006 1º Semestre Inciso II Programa de cada curso oferecido e demais componentes curriculares, sua duração, requisitos e critérios de Avaliação: Instituto Educacional do Estado de São Paulo Autorização de Credenciamento:

Leia mais

FACULDADE MORAES JÚNIOR CARGA HORÁRIA DAS DISCIPLINAS POR CURSO CIÊNCIAS CONTÁBEIS CARGA HORÁRIA SÉRIE DISCIPLINA SEMANAL ANUAL 2ª

FACULDADE MORAES JÚNIOR CARGA HORÁRIA DAS DISCIPLINAS POR CURSO CIÊNCIAS CONTÁBEIS CARGA HORÁRIA SÉRIE DISCIPLINA SEMANAL ANUAL 2ª FACULDADE MORAES JÚNIOR DAS DISCIPLINAS POR CURSO CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS Duração do Curso: 4 anos. Total de 3.200 horas-aula CIÊNCIAS CONTÁBEIS SÉRIE DISCIPLINA SEMANAL ANUAL 2ª Contabilidade e Análise

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO COLEGIADO CES

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO COLEGIADO CES MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO INTERESSADO: Conselho Nacional de Educação / Câmara de Educação Superior ASSUNTO: Diretrizes Curriculares Nacionais dos Cursos de Engenharia RELATOR(A):

Leia mais

Engenharia de Produção: Grande área e diretrizes curriculares

Engenharia de Produção: Grande área e diretrizes curriculares ABEPRO Associação Brasileira de Engenharia de Produção DOCUMENTO NÃO CONCLUÍDO Engenharia de Produção: Grande área e diretrizes curriculares Documento elaborado nas reuniões do grupo de trabalho de graduação

Leia mais

CURSO DE ADMINISTRAÇÃO

CURSO DE ADMINISTRAÇÃO 1 CURSO DE EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS 2010.2 A BRUSQUE (SC) 2014 2 SUMÁRIO 1ª FASE... 4 01 INFORMÁTICA APLICADA À... 4 02 MATEMÁTICA APLICADA À I... 4 03 METODOLOGIA CIENTÍFICA... 4 04 PSICOLOGIA... 5 05

Leia mais

GESTÃO POR COMPETÊNCIAS

GESTÃO POR COMPETÊNCIAS GESTÃO POR COMPETÊNCIAS STM ANALISTA/2010 ( C ) Conforme legislação específica aplicada à administração pública federal, gestão por competência e gestão da capacitação são equivalentes. Lei 5.707/2006

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO - PPC

PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO - PPC 1 PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO - PPC O PPC, Projeto Pedagógico de Curso, é o instrumento de concepção de ensino e aprendizagem de um curso e apresenta características de um projeto, no qual devem ser definidos

Leia mais

MBA Executivo Internacional

MBA Executivo Internacional MBA Executivo Internacional Informações* Dias e horários das aulas: Quinzenalmente. Sextas e sábados. Das 08h30 às 17h30. Carga horária: 612 Horas *As informações podem sofrer alterações sem aviso prévio.

Leia mais

Ementário e Bibliografia do curso de. Ciências Contábeis. Fase: II Carga Horária: 60h/a Créditos: 04

Ementário e Bibliografia do curso de. Ciências Contábeis. Fase: II Carga Horária: 60h/a Créditos: 04 01 - ADMINISTRAÇÃO Fase: II Carga Horária: 60h/a Créditos: 04 Introdução à Administração. Antecedentes históricos da Administração. Escolas de Administração. Administração e suas perspectivas. Variáveis

Leia mais

ü Curso - Bacharelado em Sistemas de Informação

ü Curso - Bacharelado em Sistemas de Informação Curso - Bacharelado em Sistemas de Informação Nome e titulação do Coordenador: Coordenador: Prof. Wender A. Silva - Mestrado em Engenharia Elétrica (Ênfase em Processamento da Informação). Universidade

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CONSELHO UNIVERSITÁRIO CÂMARA SUPERIOR DE ENSINO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CONSELHO UNIVERSITÁRIO CÂMARA SUPERIOR DE ENSINO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CONSELHO UNIVERSITÁRIO CÂMARA SUPERIOR DE ENSINO RESOLUÇÃO Nº09/2011 Aprova a estrutura curricular do Curso de Administração do Centro de

Leia mais

Padrões de Qualidade para os Cursos de Graduação em Direito

Padrões de Qualidade para os Cursos de Graduação em Direito MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR COORDENAÇÃO DAS COMISSÕES DE ESPECIALISTAS DE ENSINO COMISSÃO DE ESPECIALISTAS DE ENSINO DE DIREITO APRESENTAÇÃO: Padrões de Qualidade para os Cursos

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICA DE SANTA CATARINA EM JARAGUÁ DO SUL PRÓ-REITORIA ACADÊMICA CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS

CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICA DE SANTA CATARINA EM JARAGUÁ DO SUL PRÓ-REITORIA ACADÊMICA CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS Sem. CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICA DE SANTA CATARINA EM JARAGUÁ DO SUL PRÓ-REITORIA ACADÊMICA CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS I II III IV V VI VI I Matriz Curricular válida para os acadêmicos ingressantes

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR NÃO OBRIGATÓRIO CURSO DE ENGENHARIA CIVIL, BACHARELADO REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR NÃO OBRIGATÓRIO Das disposições gerais O estágio

Leia mais

Design Manual do curso

Design Manual do curso Design Manual do curso Informações gerais INFORMAÇÕES GERAIS Nome: curso de Design, bacharelado Código do currículo: 2130 Nível: curso superior de graduação Início: o curso de Design com habilitação em

Leia mais

Diretrizes Curriculares ENADE 2012. Curso de: Ciências Contábeis

Diretrizes Curriculares ENADE 2012. Curso de: Ciências Contábeis Diretrizes Curriculares ENADE 2012 Curso de: Ciências Contábeis MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA PORTARIA MEC Nº207 DE 22 DE JUNHO DE 2012 O

Leia mais

SEMESTRE 360 HORAS CÓDIGO ATIVIDADES/COMPONENTES CURRICULARES C.H.

SEMESTRE 360 HORAS CÓDIGO ATIVIDADES/COMPONENTES CURRICULARES C.H. -TURNO DIURNO COMPOSIÇÃO CURRICULAR Seriado Semestral I SEMESTRE 360 HORAS 201101 Contabilidade Básica I 60 Básico 201102 Economia I 60 Básico 201103 Matemática Aplicada a Administração 60 Básico 201104

Leia mais

FACULDADE SETE LAGOAS - FACSETE COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO / CPA RELATÓRIO DAS ATIVIDADES DA CPA NO ANO DE 2013

FACULDADE SETE LAGOAS - FACSETE COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO / CPA RELATÓRIO DAS ATIVIDADES DA CPA NO ANO DE 2013 FACULDADE SETE LAGOAS - FACSETE COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO / CPA RELATÓRIO DAS ATIVIDADES DA CPA NO ANO DE 2013 Sete Lagoas Março de 2014 Sumário 1. DADOS DA INSTITUIÇÃO... 4 1.1. Composição da Comissão

Leia mais

MANUAL DE ESTÁGIO CIÊNCIAS CONTÁBEIS. Profa. LUCIANE ALVES FERNANDES. Coordenação de Estágio e Trabalho de Conclusão.

MANUAL DE ESTÁGIO CIÊNCIAS CONTÁBEIS. Profa. LUCIANE ALVES FERNANDES. Coordenação de Estágio e Trabalho de Conclusão. MANUAL DE ESTÁGIO CIÊNCIAS CONTÁBEIS Profa. LUCIANE ALVES FERNANDES Porto Alegre/RS 2014 ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO... 3 2. O ESTÁGIO... 3 3. FUNDAMENTAÇÃO LEGAL DO ESTÁGIO... 3 4. OBJETIVOS DO ESTÁGIO... 3

Leia mais

BACHARELADO. Administração. Ciências Contábeis. Ciências Econômicas. Serviço Social. Ciências Sociais. Objetivos. Objetivos. Objetivos.

BACHARELADO. Administração. Ciências Contábeis. Ciências Econômicas. Serviço Social. Ciências Sociais. Objetivos. Objetivos. Objetivos. BACHARELADO Administração O curso de Administração tem como objetivo formar profissionais que poderão atuar como executivos, técnicos em funções administrativas e/ou empreendedores, com capacidade de alinhar

Leia mais

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE MINAS GERAIS CAMPUS BAMBUÍ

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE MINAS GERAIS CAMPUS BAMBUÍ INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE MINAS GERAIS CAMPUS BAMBUÍ RELATÓRIO DO QUESTIONÁRIO APLICADO AO CURSO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO II SEMESTRE/2014 COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO (CPA)

Leia mais

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira INEP Diretoria de Avaliação da Educação Superior - DAES SISTEMA NACIONAL DE AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR

Leia mais

Pós - Graduação Lato Sensu CONTROLADORIA E FINANÇAS. Projeto desenvolvido pela Prof.a. Msc. Cristina Santos Titular do Curso de C.

Pós - Graduação Lato Sensu CONTROLADORIA E FINANÇAS. Projeto desenvolvido pela Prof.a. Msc. Cristina Santos Titular do Curso de C. Pós - Graduação Lato Sensu CONTROLADORIA E FINANÇAS Projeto desenvolvido pela Prof.a. Msc. Cristina Santos Titular do Curso de C. Contábei da FAP Piracanjuba-GO 2014 1 1. APRESENTAÇÃO: Formato: presencial

Leia mais

A GESTÃO DE UM CURSO SUPERIOR: DESAFIOS OU FRUSTRAÇÕES?

A GESTÃO DE UM CURSO SUPERIOR: DESAFIOS OU FRUSTRAÇÕES? A GESTÃO DE UM CURSO SUPERIOR: DESAFIOS OU FRUSTRAÇÕES? BARREIROS, Marat Guedes Especialização em Gestão Estratégica de Recursos Humanos Coordenador de Curso, Professor Faculdade do Guarujá GODOY, Valdir

Leia mais

ANEXO AO MODELO DO PLANO DE AULA DO PROCESSO SELETIVO DOCENTE GERAL (PSD-G) 2015.1

ANEXO AO MODELO DO PLANO DE AULA DO PROCESSO SELETIVO DOCENTE GERAL (PSD-G) 2015.1 ANEXO AO MODELO DO PLANO DE AULA DO PROCESSO SELETIVO DOCENTE GERAL (PSD-G) 2015.1 ARQUITETURA E URBANISMO Graduar arquitetos e urbanistas com uma sólida formação humana, técnico-científica e profissional,

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO Resolução n 06/ 2011 Aprova o Projeto Pedagógico do Curso de do Centro de Ciências Humanas, Letras

Leia mais

SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO ADMINISTRAÇÃO/COMÉRCIO EXTERIOR - CONTAGEM

SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO ADMINISTRAÇÃO/COMÉRCIO EXTERIOR - CONTAGEM SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO ADMINISTRAÇÃO/COMÉRCIO EXTERIOR - CONTAGEM 1) PERFIL DO CURSO: A missão do Curso de Administração com Linha de Formação Específica em Comércio Exterior da PUC Minas consiste

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA CONTABILIDADE GERENCIAL NA GESTÃO EMPRESARIAL

A IMPORTÂNCIA DA CONTABILIDADE GERENCIAL NA GESTÃO EMPRESARIAL A IMPORTÂNCIA DA CONTABILIDADE GERENCIAL NA GESTÃO EMPRESARIAL Aldemar Dias de Almeida Filho Discente do 4º ano do Curso de Ciências Contábeis Faculdades Integradas de Três Lagoas AEMS Élica Cristina da

Leia mais

CIÊNCIAS CONTÁBEIS PESQUISA DE EGRESSOS 2013-1 CIÊNCIAS CONTÁBEIS

CIÊNCIAS CONTÁBEIS PESQUISA DE EGRESSOS 2013-1 CIÊNCIAS CONTÁBEIS PESQUISA DE EGRESSOS 213-1 CIÊNCIAS Percentual de? 7 6 5 4 3 2 1 21 Formandos 2 Você atuava na área escolhida de seu curso antes de seu ingresso? 12 1 8 6 4 11 9 2 Sim Não Atualmente você atua na área

Leia mais

Universidade. Estácio de Sá. Gestão e Negócios

Universidade. Estácio de Sá. Gestão e Negócios Universidade Estácio de Sá Gestão e Negócios A Estácio Hoje reconhecida como a maior instituição particular de ensino superior do país, a Universidade Estácio de Sá iniciou suas atividades em 1970, como

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTÁCIO RADIAL DE SÃO PAULO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1

CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTÁCIO RADIAL DE SÃO PAULO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 CURSO: SISTEMAS DA INFORMAÇÃO MISSÃO DO CURSO Os avanços da ciência, a melhoria dos processos produtivos e a abertura de mercado, são exemplos de fatores que contribuíram

Leia mais

Escritório Modelo da Faculdade de Diadema

Escritório Modelo da Faculdade de Diadema Escritório Modelo da Faculdade de Diadema Profª. Vânia Amaro Gomes Coordenação de Curso DIADEMA, 2015 Introdução Atualmente há uma grande dificuldade dos alunos egressos das Faculdades em obter emprego

Leia mais