Autorização dos cursos de Ciências Contábeis e de Administração (fase de Projeto).

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Autorização dos cursos de Ciências Contábeis e de Administração (fase de Projeto)."

Transcrição

1 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E DO DESPORTO CONSELHO FEDERAL DE EDUCACÃO INTERESSADO/MANTENEDORA Associação de Ensino de Urubupunga UF SP ASSUNTO Autorização dos cursos de Ciências Contábeis e de Administração (fase de Projeto). RELATOR: SR. CONS. YUGO OKIDA PARECER Nº CÂMARA OU COMISSÃO CESU APROVADO EM I - RELATÓRIO A Associação de Ensino c Cultura de Urubupunga, com sede na cidade de Pereira Barreto (SP), teve aprovada cartas-consulta, mediante pedido de reconsideração, para os cursos de Ciências Contábeis e Administração, pelos pareceres n 842/93 e 55/94. No prazo regulamentar a interessada apresentou os projetos dos cursos. Este parecer analisa os dois projetos, com base nos dados, documentos e informações contidos nos processos. 1. BASES LEGAIS, FILOSÓFICAS, SÓCIO-CULTURAIS E INSTITUCIONAIS 1.1. Do Curso de Ciências Contábeis As bases legais do curso de Ciências Contábeis são as normas, deste Conselho, que fixaram os mínimos de conteúdo e duração do referido curso (Parecer n 267/92 e Resolução n 3/92) e a legislação que regulamentou a profissão de Contador.

2 As bases filosóficas partem do referido Parecer n 267/92, que reexaminou o currículo mínimo do curso e lhe deu nova configuração, de acordo com as exigências do mercado de trabalho. Ao lado do cumprimento do currículo mínimo, a instituição pretende, em seu currículo pleno dar ênfase à computação eletrônica de dados, como suporte tecnológico necessário a um "profissional que vai atuar num mercado de trabalho cada vez mais sofisticado". As bases sócio-culturais e institucionais são comuns aos dois cursos, que irão funcionar na mesma cidade - Pereira Barreto (SP) - e serão mantidos pela mesma entidade - a Associação de Ensino e Cultura de Urubupungá. Pereira Barreto integra o DGE 27, no Estado de São Paulo, e é um dos pólos de desenvolvimento de sua região, dispondo de infra-estrutura e de bases sócio-culturais indispensáveis ao desenvolvimento do ensino superior. A Associação de Ensino e Cultura de Urubupungá é uma sociedade civil, sem fins lucrativos, com sede e foro na cidade de Pereira Barreto (SP). Será a mantenedora da Faculdade de Ciências Administrativas e Contábeis, novo estabelecimento de ensino superior particular, isolado, a funcionar nos termos da Lei n 5540, de Do Curso de Administração O curso de Administração tem por base legal o Parecer n 433/93 e a respectiva Resolução n 2/93, que fixaram o currículo mínimo do curso, após reestudo, que envolveu as instituições que ministram o curso e os órgãos encarregados da supervisão do exercício da profissão de Administrador. As bases filosóficas têm origem, também, nesses documentos. A instituição pretende formar o bacharel em Administração com um forte conteúdo das técnicas e métodos de administração geral e base tecnológica na computação eletrônica de dados, instrumento presente em todos os setores e funções da administração moderna. As bases sócio-culturais e institucionais são idênticas às do curso de Ciências Contábeis. As bases legais, filosóficas, sócio-culturais e institucionais dos cursos mantêm coerência com as cartas-cunsulta aprovadas. A entidade já mantém faculdade, com os cursos reconhecidos.

3 2. Perfil Profissiográfico 2.1. Do Curso de Ciências Contábeis O projeto detalha o perfil profissional que a IES pretende formar, em seu curso de Ciências Contábeis, detalhando os atributos de natureza humana, social e profissional, partindo das linhas gerais apontadas no citado Parecer n 267/92. O Contador graduado pelo curso, segundo a IES, estará preparado para o exercício de sua profissão em um ambiente tecnológico e sócio-econômico em constante evolução e sofisticação". Os atributos de natureza profissional serão desenvolvidos, ao longo do curso, "com vistas a proporcionar ao educando uma visão de conjunto da área de conhecimento abrangida pela profissão, ao domínio de algum campo específico (da escolha do aluno), ao conhecimento de práticas contábeis de uso universal e ao conhecimento de aspectos pertinentes aos países sul-americanos". Ao final do curso, segundo se depreende do projeto, o profissional formado pela IES estará em condições de exercer as funções gerais da Contabilidade e, em especial, as de Auditoria, Perícia Contábil, Custos e Informática Aplicada à Contabilidade Do Curso de Administração O Bacharel em Administração que a faculdade deseja graduar deverá ter uma formação generalista e estar apto a exercer as funções tradicionais das Ciências Administrativas, aplicando os métodos, técnicas e sistemas modernamente utilizados e conduzindo a organização em que trabalha a obter resultados positivos, de acordo com os objetivos estabelecidos. Também este profissional deverá sair da faculdade com embasamento na área da Informática, para aplicação em suas futuras atividades. O perfil profissiográfico dos cursos, delineados nas cartas-consulta e explicitados nos projetos, têm configuração apropriada aos objetivos dos cursos e às normas que disciplinam o exercício das profissões de Contador e de Administrador. 3. Organização curricular e metodologias 3.1. Do Curso de Ciências Contábeis Dados gerais O regime adotado pela instituição é o seriado anual. O curso será ministrado à noite, em turma única. Terá a duração de horas-aula, a serem integralizadas em, no mínimo, cinco e, no máximo, sete anos letivos, oitenta vagas anuais.

4 Currículo pleno O currículo pleno do curso de Ciências Contábeis foi elaborado a partir dos mínimos fixados por este Conselho, na Resolução n 3/92. Está anexo a este parecer. Foram acrescidas disciplinas que visam dar ao profissional embasamento tecnológico, com a aplicação dos recursos da Informática às práticas contábeis. A organização curricular e a seriação das disciplinas e demais atividades acadêmicas do curso estão adequadas aos objetivos e ao perfil profissiográfico especificados na carta-consulta e no projeto pedagógico Do Curso de Administração Dados gerais O curso terá a habilitação Geral, com ênfase em Análise de Sistemas. Será oferecido no período noturno, em regime seriado anual, com uma turma para cada série e oitenta vagas anuais Currículo pleno A organização curricular, sob a forma de currículo pleno, atende aos mínimos de conteúdo e duração fixados, por este Conselho, para o curso de Administração, conforme se depreende numa análise aprofundada do conteúdo e dos objetivos de cada disciplina. O curso terá a duração de horas-aula, a serem integralizadas em, no mínimo, quatro e, no máximo, sete anos letivos. O ano letivo terá trinta e seis semanas. O currículo pleno, anexo a este parecer, contempla disciplinas e atividades práticas da área da Informática, a fim de viabilizar a ênfase curricular era Análise de Sistemas. Em ambos os currículos plenos, os conteúdos, exigidos pela lei que tornou optativa a oferta de Estudo de Problemas Brasileiros, está presente. 4. Metodologias As metodologias discriminadas nos projetos dos cursos de Ciências Contábeis e de Administração priorizam o fazer, ao lado das aulas expositivas. Os projetos informam que o processo ensino/aprendizagem dará preponderância aos estudos de casos, jogos de empresas, dinâmica de grupo, seminários e

5 painéis. Ao final dos cursos, o aluno deverá elaborar monografia, sob a orientação docente, como trabalho indispensável à sua colação de grau. 5. Ementário das Disciplinas e Bibliografia Básica O ementário das disciplinas e a bibliografia básica, discriminados em anexos nos projetos dos cursos, são coerentes com o currículo pleno adotado pela instituição e atendem às orientações contidas nos pareceres e resoluções que fixaram o currículo mínimo desses cursos. 6. Corpo Docente O corpo docente, responsável pela ministração das disciplinas da primeira série dos cursos, está indicado no projeto e discriminado em anexo, com os currícula vitae e os respectivos comprovantes. Os professores das disciplinas seguintes à primeira série serão submetidos à apreciação da DEMEC/SP, antes da implantação das mesmas, nos termos da delegação de competência explicita em portaria da Presidência deste Colegiado. O corpo docente indicado é constituído por 9, professores, dos quais 1 é mestre e 8 são especialistas. O plano de carreira docente prevê a implantação dos regimes de tempo integral, com 40h semanais de dedicação, o regime parcial, com 20h semanais e o pagamento por hora-aula ministrada, esta como exceção. Ao final da implantação dos cursos, a instituição pretende ter 20% de seus professores em regime de 40h semanais. São previstas duas categorias docentes: professor titular (responsável pela ministração da disciplina) e professor assistente. O acesso a essas categorias é regulamentado no plano de carreira. O plano de aperfeiçoamento de recursos humanos estabelece critérios para a ingresso dos professores e pessoal não-docente nos programas de qualificação, aperfeiçoamento e treinamento da instituição. O planejamento econômico-financeiro contempla recursos orçamentários para essa atividade. A relação do corpo docente, aceito como responsável pelas disciplinas da primeira série dos curso, com o resumo da qualificação acadêmica e profissional, está anexa a este parecer.

6 7. Organização Administrativa e Didático-científica O projeto do regimento da faculdade, que atende a legislação pertinente, regulamenta a organização administrativa e didático-científica da instituição. Está previsto o funcionamento de órgãos colegiados (Conselho Superior, Conselho Departamental e Colegiado dos departamentos) e órgãos executivos (Diretoria e Chefia de Departamentos). As competências de cada órgão e as atribuições de cada função estão discriminadas corretamente. A faculdade disporá dos departamento de Estudos Gerais, que será integrado pelas disciplinas de formação básica, geral e humanística; de Ciências Administrativas; de Ciências Contábeis e de Informática. São indicados, nos projetos, o Diretor, o Secretário e o responsável pela Biblioteca. A leitura dos currícula vitae desses profissionais permite concluir que possuem a qualificação necessária aos cargos que irão ocupar na faculdade. 8. Biblioteca A Biblioteca ocupa espaço físico de,80m2. O acervo está organizado segundo a CDU. A catalogação é a Anglo-americana. 12h. O horário de funcionamento é das 14 às 22h, exceto aos sábados, que é das 8 às Os recursos humanos indicados são suficientes para a quantidade de usuários. O acervo, conforme Cronograma de aquisição constante dos projetos, específico para cada curso, será, ao final do quinto ano de funcionamento da faculdade, o seguinte: a) curso de Ciências Contábeis títulos e volumes, além de 20 periódicos com assinatura corrente; b) curso de Administração títulos e volumes, além de 20 periódicos com assinatura corrente. Está prevista a informatização dos serviços da biblioteca, implementação dos projetos. ao longo da

7 À época da visita da Comissão Verificadora, deverão estar disponíveis 200 títulos de livros e 8 periódicos, conforme está explicitado no Cronograma, voltados para as disciplinas e atividades da primeira série de cada curso. 9. Instalações Físicas A Faculdade funcionará na Av. Alves de Melo, na zona urbana da cidade de Pereira Barreto, no Estado de São Paulo, em edificação com 1.961,00m2, própria para as funções de ensino, pesquisa e extensão. Há instalações para as práticas desportivas e áreas para convivência comunitária, conforme se depreende das plantas juntadas aos projetos. Caberá à Comissão Verificadora informar, em seu relatório, sobre a capacidade e funcionalidade do prédio, para os cursos pretendidos. 10. Pesquisa e Extensão A instituição informa que as linhas de pesquisa e os programas de extensão devem ser definidos após a instalação dos cursos. As linhas de pesquisa, segundo os projetos, investigará as questões relativas do ensino das Ciências Administrativas e Contábeis e ao exercício das profissões de Administrador e de Contador. O Escritório-Modelo, a ser instalado a partir do segundo ano de funcionamento da faculdade, será o ambiente em que se desenvolverão os programas de extensão, com serviços de consultoria, assessoria e auditoria contábil e administrativa e a oferta de cursos de atualização profissional e cultural, segundo os projetos. 11. Planejamento Econômico-financeiro O planejamento econômico-financeiro dos cursos foi elaborado a preços vigentes em janeiro de 1994, tendo servido como indexador a UFIR. A receita ordinária engloba as mensalidades, as taxas e demais contribuições escolares. A mantenedora suprirá as deficiências de recursos, enquanto a faculdade não for auto-suficiente financeiramente. Está prevista, ainda, a receita oriunda de programas de extensão e de convênios para pesquisa. As despesas foram estimadas com base nos salários docente e do pessoal técnico-administrativo vigente em janeiro de Está discriminada por elementos.

8 deixando claro que as despesas com recursos humanos e demais despesas de custeio corresponderão, no quinto ano de funcionamento da faculdade, a mais de 90% do total das despesas. O planejamento apresentado permite avaliar que os cursos serão viáveis sob o ponto de vista econômico-financeiro. A mantenedora possui regularidade nesse campo, conforme demonstram os balanços e indicadores apresentados. 12. Conclusão A vista dos dados, informações e documentos constante do projeto e do processo, este Relator entende que podem ser aprovados os projetos dos cursos de Ciências Contábeis e de Administração, apresentados pela Associação de Ensino de Urubupungá, devendo a Comissão Verificadora apurar, in loco, as reais condições para funcionamento dos cursos. II - VOTO DO RELATOR O Relator vota favoravelmente à aprovação dos projetos dos cursos de Ciências Contábeis e de Administração, com oitenta vagas anuais para cada um, a serem ministrados pela Faculdade de Ciências Administrativas e Contábeis de Urubupungá, mantida pela Associação de Ensino de Urubupungá, na cidade de Pereira Barreto (SP). Os processos devem ser remetidos à SESu/MEC para os procedimentos relativos à verificação, in loco, das condições para funcionamento dos cursos. III - DECISÃO DA CÂMARA A Câmara de Ensino Superior aprova o Voto do Relator.

9 ANEXO AO PARECER Nº CURRÍCULO PLENO DO CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS

10 CURRÍCULO PLENO CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS l Ano DISGIPLINA/PERlODOS Língua Portuguesa Matemática Administração Geral Noções de Direito Metodologia Científica Noções de Ciências Sociais Teoria da Contabilidade Cultura Brasileira Educação Física Total 2 o Ano Matemática Financeira Contabilidade Geral Estatística Economia Ética Geral e Profissional Filosofia da Ciência Direito Financeiro e Tributário Computação Total CARGA HORÁRIA

11 3 o Ano Administração Financeira e Orçamento Empresarial Análise das Demonstrações Contábeis 144 Direito Comercial e Societário Contabilidade e Análise de Custos Relações Humanas no Trabalho Total 4 o Ano Contabilidade Gerencial Contabilidade Pública Auditoria Contabilidade Bancária Legislação Trabalhista Contabilidade Agrícola Total

12 5 o Ano Perícia Contábil Trabalho de Fim de Curso Estágio Supervisionado Noções de Psicologia Laboratório Contábil Total Resumo Grade Horária Carga Horária (-) Educação Física Total Carga Horária

13 ANEXO AO PARECER Nº CORPO DOCENTE ACEITO PARA A PRIMEIRA SÉRIE DO CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS

14 01. IVODORETTO Disc: Noções de Ciências Sociais Titui.: Licenciado em Filosofia pela Faculdade Dom Bosco de Filosofia, Ciências e Letras - São João Del Rei/MG, Cursos de Especialização em Habilitação para o Magistério do 3 o Grau (360h) pela Associação de Ensino de Marília, 1984 em História e Filosofia da Educação (280h) pela Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras "Barão de Mauá"/SP, Possui experiência de Magistério no ensino superior há 14 anos. 02. JOÃO ALBERTO DE OLIVEIRA Disc: Metodologia Científica/ Cultura Brasileira Titui.: Licenciado em Pedagogia - Administração Escolar/ Orientação Educacional pela Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Araçatuba, Mestrado em Educação, área de concentração em Supervisão e Currículo, pela PUC/SP, Especialização em Didática, área de Didática Geral, (300h) pela UNAERP, Possui trabalho publicado e experiência de magistério no ensino superior desde JOÃO BATISTA THEREZA Disc: Educação Física Titui.: Licenciado em Educação Física pela Escola de Educação Física de São Carlos, Licenciado em Pedagogia pela Faculdade de Educação, Ciências e Letras Urubupungá, Cursos de Especialização em Supervisão Escolar (368h) e em Metodologia do Ensino (368h) pela Faculdade de Educação, Ciências e Letras Urubupungá/SP, em 1988 e 1992, respectivamente. Possui experiência de magistério há 18 (dezoito) anos. 04. JOSÉ AUGUSTO SANTANA Disc: Administração Geral Titui.: Bacharel em Administração pela UFRJ, Licenciado cm Pedagogia Administração Escolar/Magistério - pela Faculdade de

15 Filosofia, Ciências c Letras "Ministro Tarso Dutra", Especialização em Metodologia do Ensino Superior (368h) pela Faculdade de Educação, Ciências c Letras "Urubupungá", Lecionou as disciplinas Teoria Geral da Administração e Introdução à Administração - período 1991/1993, na Universidade Federal de Mato Grosso do Sul. 05. JOSÉ TERESA Disc: Matemática Titui.: Licenciado em Matemática pela Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Penápolis, 19. Especialização em Matemática (280h) pela Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras "Barão de Mauá"/SP, Aprovado pelo Parecer CFE n 4.473/75 (Doc. 180 p.281) para lecionar as disciplinas Matemática e Física Experimental e Geral. Possui experiência de magistério há 20(vinte) anos. 06. MARIA ÁUREA GORAINIIRIKURA Disc: Noções de Ciências Sociais Titui.: Licenciada em Ciências Sociais pela Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Botucatu, Licenciada em Matemática pela Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras "Rui Barbosa", Andradina/SP, Licenciada em Pedagogia pela Faculdade de Educação, Ciências e Letras "Urubupungá", Especialização em Metodologia do Ensino Superior (368h) pela Faculdade de Educação, Ciências e Letras Urubupungá, Leciona a disciplina Sociologia na Faculdade de Educação, Ciências e Letras Urubupungá desde MANOEL CARVALHO Disc: Noções de Direito Titul.: Bacharel em Ciências Econômicas pela Faculdade de Ciências Econômicas de Andradina/SP, Bacharel em Direito pela Faculdade de Direito de Araçatuba, Licenciado em Pedagogia pela Faculdade de Educação, Ciências e Letras Urubupungá, 1983.

16 Especialização cm Metodologia do Ensino Superior (360h) pela Faculdade de Educação, Ciências e Letras Urubupungá. 08. JURANDI ALVAES DE OLIVEIRA Disc: Teoria da Contabilidade Titul.: Bacharel em Direito pela Faculdade de Direito de Cauru/SP, Bacharel em Ciências Contábeis pelas Faculdades Integradas de Marília, Especialização em Administração e Contabilidade (380h) pela Faculdade de Ciências Contábeis e de Administração de Marília, Aprovado pelo Parecer CFE n 2.635/77 para lecionar as disciplinas Contabilidade Agrícola e Contabilidade Industrial. 09. ORAGIO LOPES Disc: Língua Portuguesa Titul.: Licenciado cm Letras - Português/Inglês - pela Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras "Farias Brito", Especialização era Português - Teoria Aplicada às Literaturas (300h) pela Faculdade Riopretense de Filosofia, Ciências e Letras, Curso de aperfeiçoamento em Didática - Uma Didática Fundamentada nas Teorias de Aprendizagem (274h) pela Faculdade de Educação, Ciências e Letras Urubupungá, Aprovado pelo Parecer CFE n 179/76 (Doc. 182 p.165) para lecionar a mesma disciplina.

17 CURRÍCULO PLENO DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Série Anual /Disciplina 1 a SÉRIE: 1. Contabilidade Geral. 2. Noções de Direito. 3. Filosofia. 4. Metodologia Científica. 5. Língua Portuguesa. 6. Sociologia. 7. Ética, Cidadania e Realidade Brasileira. 8. Teorias da Administração. 9. Matemática (Financeira, inclusive) 10. Direito Administrativo. 11. Práticas Desportivas. 2 a SÉRIE: 12. Economia. 13. Informática. 14. Ética e Legislação Profissional. 15. Psicologia (Geral e Aplicada). 16. Estatística. 17. Administração de Recursos Humanos. 18. Administração de Recursos Materiais e Patrimoniais. 19. Administração Mercadológica. Carga Horária Anual = =792

18 ANEXO AO PARECER Nº CURRÍCULO PLENO DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO

19 3 a SÉRIE: 20. Administração de Produção. 21. Organização, Sistemas e Métodos. 22. Direito Comercial. 23. Administração Financeira e Orçamentária. 24. Lingua Inglesa. 25. Administração de Sistemas de Informação =0 Habilitação Administração Geral: 4 a SÉRIE: 26. Fundamentos e Aplicações de Pesquisa Operacional. 27. Administração Municipal. 28. Organização e Administração de Pequenas e Micro-empresas. 29. Organização e Administração de Cooperativas. 30. Legislação e Organização Sindical Brasileira. 31. Estágio Supervisionado. - Ênfase em Administração Rural: 32. Comercialização 33. Controle de Produção 34. Contabilidade Agrícola 35. Administração Rural 36. Planejamento Agrícola 37. Teoria da Produção 38. Estágio Supervisionado = =900

20 ANEXO AO PARECER Nº CORPO DOCENTE ACEITO PARA A PRIMEIRA SÉRIE DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO

21 01. IVO DORETTO Disc: Sociologia Filosofia Titul.: Licenciado em Filosofia pela Faculdade Dom Bosco de Filosofia, Ciências e Letras - São João Del Rei/MG, Cursos de Especialização em Habilitação para o Magistério do 3 o Grau (360h) pela Associação de Ensino de Marília, 1984 em História e Filosofia da Educação (280h) pela Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras "Barão de Mauá"/SP, Possui experiência de Magistério no ensino superior há 14 anos. 02. JOÃO ALBERTO DE OLIVEIRA Disc: Metodologia Científica Ética, Cidadania e Realidade Brasileira Titul.: Licenciado em Pedagogia - Administração Escolar/ Orientação Educacional pela Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Araçatuba, Mestrado em Educação, área de concentração em Supervisão e Currículo, pela PUC/SP, Especialização em Didática, área de Didática Geral, (300h) pela UNAERP, Possui trabalho publicado e experiência de magistério no ensino superior desde JOÃO BATISTA THEREZA Disc: Educação Física Titul.: Licenciado em Educação Física pela Escola de Educação Física de São Carlos, Licenciado em Pedagogia pela Faculdade de Educação, Ciências e Letras Urubupungá, Cursos de Especialização em Supervisão Escolar (368h) e em Metodologia do Ensino (368h) pela Faculdade de Educação, Ciências e Letras Urubupungá/SP, em 1988 e 1992, respectivamente. Possui experiência de magistério há 18 (dezoito) anos.

22 04. JOSÉ AUGUSTO SANTANA Disc: Teorias da Administração Titul.: Bacharel em Administração pela UFRJ, Licenciado em Pedagogia Administração Escolar/Magistério - pela Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras "Ministro Tarso Dutra", Especialização em Metodologia do Ensino Superior (368h) pela Faculdade de Educação, Ciências e Letras "Urubupungá", Lecionou as disciplinas Teoria Geral da Administração e Introdução à Administração - período 1991/1993, na Universidade Federal de Mato Grosso do Sul. 05. JOSÉ TERESA Disc: Matemática (Financeira, inclusive) Titul.: Licenciado em Matemática pela Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Penápolis, 19. Especialização em Matemática (280h) pela Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras "Barão de Mauá"/SP, Aprovado pelo Parecer CFE n 4.473/75 (Doc. 180 p.281) para lecionar as disciplinas Matemática e Física Experimental e Geral. Possui experiência de magistério há 20(vinte) anos. 06. MARIA ÁUREA CORAINI IRIKURA Disc: Sociologia Titul.: Licenciada em Ciências Sociais pela Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Botucatu, Licenciada em Matemática pela Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras "Rui Barbosa", Andradina/SP, Licenciada em Pedagogia pela Faculdade de Educação, Ciências e Letras "Urubupungá", Especialização em Metodologia do Ensino Superior (368h) pela Faculdade de Educação, Ciências e Letras Urubupungá, Leciona a disciplina Sociologia na Faculdade de Educação, Ciências e Letras Urubupungá desde 1981.

23 07. MANOEL CARVALHO Disc: Noções de Direito Direito Administrativo Titul.: Bacharel em Ciências Econômicas pela Faculdade de Ciências Econômicas de Andradina/SP, Bacharel em Direito pela Faculdade de Direito de Araçatuba, Licenciado em Pedagogia pela Faculdade de Educação, Ciências e Letras Urubupungá, Especialização em Metodologia do Ensino Superior (360h) pela Faculdade de Educação, Ciências e Letras Urubupungá. 08. JURANDIR ALVES DE OLIVEIRA Disc: Contabilidade Geral Titul.: Bacharel em Direito pela Faculdade de Direito de Cauru/SP, Bacharel em Ciências Contábeis pelas Faculdades Integradas de Marília, Especialização em Administração e Contabilidade (380h) pela Faculdade de Ciências Contábeis e de Administração de Marília, Aprovado pelo Parecer CFE n 2.635/77 para lecionar as disciplinas Contabilidade Agrícola e Contabilidade Industrial. 09. ORAGIO LOPES Disc: Língua Portuguesa Titul.: Licenciado em Letras - Português/Inglês - pela Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras "Farias Brito", Especialização em Português - Teoria Aplicada às Literaturas (300h) pela Faculdade Riopretense de Filosofia, Ciências e Letras, Curso de aperfeiçoamento em Didática - Uma Didática Fundamentada nas Teorias de Aprendizagem (274h) pela Faculdade de Educação, Ciências e Letras Urubupungá, Aprovado pelo Parecer CFE n 179/76 (Doc. 182 p.165) para lecionar a mesma disciplina.

Autorização (Execução de Projeto) para funcionamento do curso de Ciências Contábeis, a ser ministrado pela Faculdade de São

Autorização (Execução de Projeto) para funcionamento do curso de Ciências Contábeis, a ser ministrado pela Faculdade de São INTERESSADO/MANTENEDORA PIA SOCIEDADE DOS MISSIONÁRIOS DE SÃO CARLOS ASSUNTO. SP Autorização (Execução de Projeto) para funcionamento do curso de Ciências Contábeis, a ser ministrado pela Faculdade de

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E CULTURA CONSELHO FEDERAL DE EDUCAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E CULTURA CONSELHO FEDERAL DE EDUCAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E CULTURA CONSELHO FEDERAL DE EDUCAÇÃO INTERESSADO / MANTENEDORA FEBASP SOCIEDADE CIVIL ASSUNTO SP UF Autorização (Projeto) para funcionamento do curso de Tecnologia da Embalagem,

Leia mais

PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO DO CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS. (Resumido)

PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO DO CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS. (Resumido) FACULDADE DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS E ADMINISTRATIVAS DE CACHOEIRO DE ITAPEMIRIM ES Curso de Administração reconhecido pelo Decreto Federal nº 78.951, publicado no D.O.U. de 16-12-1976 Curso de Ciências Contábeis

Leia mais

O MINISTRO DE ESTADO DA EDUCAÇÃO

O MINISTRO DE ESTADO DA EDUCAÇÃO Portaria nº 808, de 8 de junho de 00. Aprova o instrumento de avaliação para reconhecimento de Cursos Pedagogia, no âmbito do Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior - SINAES. O MINISTRO DE

Leia mais

MINI STÉRIO DA EDUCAÇÃO GABINETE DO MINI STRO P ORTARIA Nº 808, DE 18 DE JUNHO DE 2010

MINI STÉRIO DA EDUCAÇÃO GABINETE DO MINI STRO P ORTARIA Nº 808, DE 18 DE JUNHO DE 2010 MINI STÉRIO DA EDUCAÇÃO GABINETE DO MINI STRO P ORTARIA Nº 808, DE 18 DE JUNHO DE 2010 Aprova o instrumento de avaliação para reconhecimento de Cursos Pedagogia, no âmbito do Sistema Nacional de Avaliação

Leia mais

PROPOSTA CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS 2012.2. Noturno

PROPOSTA CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS 2012.2. Noturno PROPOSTA CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS 2012.2 DENOMINAÇÃO: PORTARIA DE AUTORIZAÇÃO: PORTARIA DE RECONHECIMENTO: REGIME ESCOLAR: NÚMERO DE VAGAS ANUAIS: TURNOS DE FUNCIONAMENTO: NÚMERO DE ALUNOS POR TURMA:

Leia mais

1. IDENTIFICAÇÃO DO CURSO

1. IDENTIFICAÇÃO DO CURSO 1. IDENTIFICAÇÃO DO CURSO O Curso de Secretariado Executivo das Faculdades Integradas de Ciências Exatas Administrativas e Sociais da UPIS, reconhecido pelo MEC desde 1993, pela Portaria 905, de 24.06,1993,

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CONSELHO UNIVERSITÁRIO CÂMARA SUPERIOR DE ENSINO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CONSELHO UNIVERSITÁRIO CÂMARA SUPERIOR DE ENSINO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CONSELHO UNIVERSITÁRIO CÂMARA SUPERIOR DE ENSINO RESOLUÇÃO Nº09/2011 Aprova a estrutura curricular do Curso de Administração do Centro de

Leia mais

A instituição pretende oferecer quatro turmas de vinte alunos cada, que funcionarão de segunda à sexta-feira.

A instituição pretende oferecer quatro turmas de vinte alunos cada, que funcionarão de segunda à sexta-feira. INTERESSADO: Centro de Estudos e Pesquisas em Eletrônica Profissional e Informática Ltda CEPEP EMENTA: Reconhece o Curso Técnico em Administração Eixo Tecnológico: Gestão e Negócios, do Centro de Estudos

Leia mais

ENADE e CPC Como compreender seu desempenho e estratégias de melhoria de resultados. PROF. AMÉRICO DE ALMEIDA FILHO aalmeidaf@yahoo.com.

ENADE e CPC Como compreender seu desempenho e estratégias de melhoria de resultados. PROF. AMÉRICO DE ALMEIDA FILHO aalmeidaf@yahoo.com. ENADE e CPC Como compreender seu desempenho e estratégias de melhoria de resultados PROF. AMÉRICO DE ALMEIDA FILHO aalmeidaf@yahoo.com.br CPC Conceito Preliminar de Curso 1 - Nota dos Concluintes no ENADE

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 190/00-CEE/MT.

RESOLUÇÃO Nº 190/00-CEE/MT. RESOLUÇÃO Nº 190/00-CEE/MT. Fixa normas complementares, para o Sistema Estadual de Ensino, à lmplementação das Diretrizes Curriculares para a Formação de Professores da Educação Infantil e dos anos iniciais

Leia mais

D I R E I T O SISTEMA NACIONAL DE AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR SINAES AUTORIZAÇÃO

D I R E I T O SISTEMA NACIONAL DE AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR SINAES AUTORIZAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Secretaria de Educação Superior Sesu Departamento de Supervisão da Educação Superior - Desup Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira Inep Diretoria

Leia mais

Reconhecimento do curso de Matemática Aplicada à Informática, ministrado pela Faculdade de Informática de São Paulo

Reconhecimento do curso de Matemática Aplicada à Informática, ministrado pela Faculdade de Informática de São Paulo SOCIEDADE CIVIL ATENEU BRASIL Reconhecimento do curso de Matemática Aplicada à Informática, ministrado pela Faculdade de Informática de São Paulo ARNALDO NISTEIER I - RELATÓRIO O Diretor-Presidente da

Leia mais

RESOLVE: CAPÍTULO I PRINCÍPIOS GERAIS. Os objetivos gerais da EAD na Universidade Federal do Paraná (UFPR) são:

RESOLVE: CAPÍTULO I PRINCÍPIOS GERAIS. Os objetivos gerais da EAD na Universidade Federal do Paraná (UFPR) são: RESOLUÇÃO Nº 28/08-CEPE Fixa normas básicas de controle e registro da atividade acadêmica dos Cursos de Aperfeiçoamento e Especialização na modalidade de Educação a Distância da Universidade Federal do

Leia mais

CIÊNCIAS CONTÁBEIS. COORDENADORA Nálbia de Araújo Santos nalbia@ufv.br

CIÊNCIAS CONTÁBEIS. COORDENADORA Nálbia de Araújo Santos nalbia@ufv.br CIÊNCIAS CONTÁBEIS COORDENADORA Nálbia de Araújo Santos nalbia@ufv.br UFV Catálogo de Graduação 2009 277 Bacharelado ATUAÇÃO O Contador, dotado de uma visão sistêmica, holística e interdisciplinar da atividade

Leia mais

ORGANIZAÇÃO CURRICULAR do Curso de Serviço Social

ORGANIZAÇÃO CURRICULAR do Curso de Serviço Social ORGANIZAÇÃO CURRICULAR do Curso de Serviço Social O Projeto pedagógico do Curso de Serviço Social do Pólo Universitário de Rio das Ostras sua direção social, seus objetivos, suas diretrizes, princípios,

Leia mais

SECRETARIA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DEPARTAMENTO DE POLÍTICAS DE ENSINO SUPERIOR COMISSÃO DE ESPECIALISTAS DE ENSINO DE ECONOMIA DOMÉSTICA

SECRETARIA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DEPARTAMENTO DE POLÍTICAS DE ENSINO SUPERIOR COMISSÃO DE ESPECIALISTAS DE ENSINO DE ECONOMIA DOMÉSTICA MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E DO DESPORTO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DEPARTAMENTO DE POLÍTICAS DE ENSINO SUPERIOR COMISSÃO DE ESPECIALISTAS DE ENSINO DE ECONOMIA DOMÉSTICA ROTEIRO DE AVALIAÇÃO PARA AUTORIZAÇÃO

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E CULTURA CONSELHO FEDERAL DE EDUCAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E CULTURA CONSELHO FEDERAL DE EDUCAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E CULTURA CONSELHO FEDERAL DE EDUCAÇÃO INTERESSADO/MANTENEDORA UNIÃO SOCIAL CAMILIANA ASSUNTO / UF SP AUTORIZAÇÃO (PROJETO) PARA FUNCIONAMENTO DO CURSO DE CIÊNCIAS SOCIAIS - HABILITAÇÕES

Leia mais

RELATOR: SR. CONS. JOSÉ LUITGARD DE MOURA FIGUEIREDO... CÂMARA OU COMISSÃO CESu 1ºGrupo

RELATOR: SR. CONS. JOSÉ LUITGARD DE MOURA FIGUEIREDO... CÂMARA OU COMISSÃO CESu 1ºGrupo INTERESSADO/MANTENEDORA Sociedade Assistencial de Educação e Cultura. UF SP ASSUNTO Autorização execução de projeto para funcionamento do curso de Administração - habilitações Geral e Comércio Exterior,

Leia mais

CÓD. 104 - CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS MATRIZ CURRICULAR - Currículo nº 42

CÓD. 104 - CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS MATRIZ CURRICULAR - Currículo nº 42 Aprovado no CONGRAD: 15.09.09 Vigência: 2010/1, com efeito retroativo para os ingressos a partir 2009/1 104 - CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS MATRIZ CURRICULAR - Currículo nº 42 ÁREAS DE FORMAÇÃO I - CONTEÚDOS

Leia mais

31956 Monografia II 31926

31956 Monografia II 31926 Currículo Novo 2006/01 Duração: 182 créditos 2.730h, acrescidas de 270h de atividades complementares, totalizando 3.000h 31544 Teoria das Organizações I - 31554 Matemática I - 31564 Teoria das Organizações

Leia mais

INDICADORES E PADRÕES DE QUALIDADE DE CURSO DE GRADUAÇÃO EM NUTRIÇÃO

INDICADORES E PADRÕES DE QUALIDADE DE CURSO DE GRADUAÇÃO EM NUTRIÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E DO DESPORTO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DEPARTAMENTO DE POLÍTICAS DE ENSINO SUPERIOR COMISSÃO DE ESPECIALISTAS DE ENSINO DE NUTRIÇÃO E ECONOMIA DOMÉSTICA INDICADORES E PADRÕES

Leia mais

DIRETRIZES CURRICULARES PARA OS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA UTFPR

DIRETRIZES CURRICULARES PARA OS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA UTFPR Ministério da Educação Universidade Tecnológica Federal do Paraná Pró-Reitoria de Graduação e Educação Profissional DIRETRIZES CURRICULARES PARA OS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA UTFPR APROVADO PELA RESOLUÇÃO

Leia mais

MATRIZ CURRICULAR CURRICULO PLENO 1.ª SÉRIE CÓDIGO DISCIPLINAS TEOR PRÁT CHA PRÉ-REQUISITO

MATRIZ CURRICULAR CURRICULO PLENO 1.ª SÉRIE CÓDIGO DISCIPLINAS TEOR PRÁT CHA PRÉ-REQUISITO MATRIZ CURRICULAR Curso: Graduação: Regime: Duração: ADMINISTRAÇÃO BACHARELADO SERIADO ANUAL - NOTURNO 4 (QUATRO) ANOS LETIVOS Integralização: A) TEMPO TOTAL - MÍNIMO = 04 (QUATRO) ANOS LETIVOS - MÁXIMO

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 6, DE 10 DE MARÇO DE 2004 (*)

RESOLUÇÃO Nº 6, DE 10 DE MARÇO DE 2004 (*) RESOLUÇÃO Nº 6, DE 10 DE MARÇO DE 2004 (*) Institui as Diretrizes Curriculares Nacionais do Curso de Graduação em Ciências Contábeis, bacharelado, e dá outras providências. O Presidente da Câmara de Educação

Leia mais

FACULDADE MORAES JÚNIOR CARGA HORÁRIA DAS DISCIPLINAS POR CURSO CIÊNCIAS CONTÁBEIS CARGA HORÁRIA SÉRIE DISCIPLINA SEMANAL ANUAL 2ª

FACULDADE MORAES JÚNIOR CARGA HORÁRIA DAS DISCIPLINAS POR CURSO CIÊNCIAS CONTÁBEIS CARGA HORÁRIA SÉRIE DISCIPLINA SEMANAL ANUAL 2ª FACULDADE MORAES JÚNIOR DAS DISCIPLINAS POR CURSO CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS Duração do Curso: 4 anos. Total de 3.200 horas-aula CIÊNCIAS CONTÁBEIS SÉRIE DISCIPLINA SEMANAL ANUAL 2ª Contabilidade e Análise

Leia mais

CAPÍTULO I Das definições preliminares, das e dos objetivos.

CAPÍTULO I Das definições preliminares, das e dos objetivos. Resolução n.º 03/2010 Regulamenta os Cursos de Pós-Graduação da Faculdade Campo Real. O CONSU Conselho Superior, por meio do Diretor Geral da Faculdade Campo Real, mantida pela UB Campo Real Educacional

Leia mais

CÓD. 1739 - CURSO DE ADMINISTRAÇÃO TURNO: NOITE Currículo nº 02 MATRIZ CURRICULAR

CÓD. 1739 - CURSO DE ADMINISTRAÇÃO TURNO: NOITE Currículo nº 02 MATRIZ CURRICULAR Aprovado no CONGRAD: 08.05.2012 Vigência: para os ingressos a partir 2012/2 CÓD. 1739 - CURSO DE ADMINISTRAÇÃO TURNO: NOITE Currículo nº 02 MATRIZ CURRICULAR CÓD. ÁREAS DE FORMAÇÃO I - CONTEÚDOS DE FORMAÇÃO

Leia mais

CONSELHO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO PRAÇA DA REPÚBLICA, 53 - FONE: 3255-2044 CEP: 01045-903 - FAX: Nº 3231-1518 SUBSÍDIOS PARA ANÁLISE DO PLANO DE CURSO

CONSELHO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO PRAÇA DA REPÚBLICA, 53 - FONE: 3255-2044 CEP: 01045-903 - FAX: Nº 3231-1518 SUBSÍDIOS PARA ANÁLISE DO PLANO DE CURSO 1 CONSELHO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO PRAÇA DA REPÚBLICA, 53 - FONE: 3255-2044 CEP: 01045-903 - FAX: Nº 3231-1518 SUBSÍDIOS PARA ANÁLISE DO PLANO DE CURSO 1. APRESENTAÇÃO É com satisfação que apresentamos este

Leia mais

PADRÕES DE QUALIDADE PARA AUTORIZAÇÃO E RECONHECIMENTO DE CURSOS DE GRADUAÇÃO EM SERVIÇO SOCIAL

PADRÕES DE QUALIDADE PARA AUTORIZAÇÃO E RECONHECIMENTO DE CURSOS DE GRADUAÇÃO EM SERVIÇO SOCIAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E DO DESPORTO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DEPARTAMENTO DE POLÍTICA DE ENSINO SUPERIOR COORDENAÇÃO DAS COMISSÕES DE ESPECIALISTAS DE ENSINO COMISSÃO DE ESPECIALISTAS DE ENSINO

Leia mais

AUTORIZAÇÃO PARA FUNCIONAMENTO DE CURSOS DE ADMINISTRAÇÃO

AUTORIZAÇÃO PARA FUNCIONAMENTO DE CURSOS DE ADMINISTRAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DEPARTAMENTO DE POLÍTICA DO ENSINO SUPERIOR - DEPES COORDENAÇÃO DAS COMISSÕES DE ESPECIALISTAS DE ENSINO COMISSÃO DE ESPECIALISTAS DE ENSINO DE ADMINISTRAÇÃO

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 012/07 CONSUNI

RESOLUÇÃO Nº 012/07 CONSUNI RESOLUÇÃO Nº 012/07 CONSUNI APROVA A ALTERAÇÃO DA MATRIZ CURRICULAR DOS CURSOS DE ADMINISTRAÇÃO, ADMINISTRAÇÃO HABILITAÇÃO EM COMÉRCIO EXTERIOR E ADMINISTRAÇÃO HABILITAÇÃO EM MARKETING E O REGULAMENTO

Leia mais

SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO. Missão. Objetivo Geral. Objetivos Específicos

SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO. Missão. Objetivo Geral. Objetivos Específicos SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO Curso: CIÊNCIAS CONTÁBEIS Missão A missão do curso é formar profissionais em Ciências Contábeis com elevada competência técnica, crítica, ética e social, capazes de conceber

Leia mais

DELIBERAÇÃO CONSEP Nº 242/2014

DELIBERAÇÃO CONSEP Nº 242/2014 DELIBERAÇÃO CONSEP Nº 242/2014 Altera a Deliberação CONSEP Nº 107/2012, que Dispõe sobre o Currículo Pleno do Curso de Pedagogia - Licenciatura, regime seriado semestral. O CONSELHO DE ENSINO E PESQUISA,

Leia mais

INTERESSADA/MANTENEDORA UNIVERSIDADE DO OESTE PAULISTA

INTERESSADA/MANTENEDORA UNIVERSIDADE DO OESTE PAULISTA INTERESSADA/MANTENEDORA UNIVERSIDADE DO OESTE PAULISTA UF SP ASSUNTO Autorização do Curso de Pós-Graduação/lato Sensu em nível de Especialização em Metodologia e Didática do Ensino Superior, fora de sede,

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 3.609, DE 10 DE SETEMBRO DE 2007

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 3.609, DE 10 DE SETEMBRO DE 2007 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 3.9, DE 10 DE SETEMBRO DE 2007 Homologa o Parecer n. 117/06-CEG, que aprova o Projeto

Leia mais

DELIBERAÇÃO CONSEP Nº 229/2002

DELIBERAÇÃO CONSEP Nº 229/2002 DELIBERAÇÃO CONSEP Nº 229/2002 Aprova a estrutura do currículo pleno do Curso de Administração (ênfase em Gerenciamento Empresarial). O CONSELHO DE ENSINO E PESQUISA, na conformidade do Processo nº ECA-784/02,

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO PARECER HOMOLOGADO Despacho do Ministro, publicado no D.O.U. de 24/8/2009, Seção 1, Pág. 16. Portaria n 816, publicada no D.O.U. de 24/8/2009, Seção 1, Pág. 16. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL

Leia mais

UNIVERSIDADE DA AMAZÔNIA

UNIVERSIDADE DA AMAZÔNIA INTERESSADOMANTENEDOR UNIVERSIDADE DA AMAZÔNIA UF AM ASSUNTO Autorização de curso de docência do ensino superior em nível de especialização para professores de ensino superior no Centro de Ensino Superior

Leia mais

ROLL DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO

ROLL DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO ROLL DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO DISCIPLINAS CARGA HORÁRIA Linguagem e Interpretação de Texto 80 Contabilidade I 80 Economia 80 Matemática 80 Teoria Geral da Administração

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO FEDERAL DE EDUCAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO FEDERAL DE EDUCAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO FEDERAL DE EDUCAÇÃO INTERESSADO/MANTENEDORA Associação Desportiva e de Educação Juvenil ASSUNTO Autorização(Projeto) para funcionamento do curso de Pedagogia, com Habilitação

Leia mais

INTERESSADO/MANTENEDORA. Aprovação do Curso de Especialização em Metodologia do Ensino da Lingua Portuguesa, fora da sede. CÂMARA OU COMISSÃO CESu

INTERESSADO/MANTENEDORA. Aprovação do Curso de Especialização em Metodologia do Ensino da Lingua Portuguesa, fora da sede. CÂMARA OU COMISSÃO CESu INTERESSADO/MANTENEDORA MISSÃO SALESIANA DE MATO GROSSO DO SUL ASSUNTO Aprovação do Curso de Especialização em Metodologia do Ensino da Lingua Portuguesa, fora da sede. UF MS RELATOR: SR. CONS. Yugo Okida

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 4.580, DE 23 DE OUTUBRO DE 2014

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 4.580, DE 23 DE OUTUBRO DE 2014 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 4.580, DE 23 DE OUTUBRO DE 2014 Aprova o Projeto Pedagógico do Curso de Bacharelado em

Leia mais

RESOLUÇÃO CFP Nº 007/01 DE 01 DE JUNHO DE 2001.

RESOLUÇÃO CFP Nº 007/01 DE 01 DE JUNHO DE 2001. RESOLUÇÃO CFP Nº 007/01 DE 01 DE JUNHO DE 2001. Aprova o Manual para Credenciamento de Cursos com finalidade de Concessão do Título de Especialista e respectivo registro. O CONSELHO FEDERAL DE PSICOLOGIA,

Leia mais

CAPÍTULO I DA IDENTIFICAÇÃO

CAPÍTULO I DA IDENTIFICAÇÃO CAPÍTULO I DA IDENTIFICAÇÃO Art. 1º O Laboratório de Línguas é um órgão complementar de fomento ao ensino, pesquisa, extensão, e prestação de serviços vinculado ao Centro de Letras e Ciências Humanas sob

Leia mais

UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO

UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO DELIBERAÇÃO nº 026 / 94 Aprova o Regulamento Específico do Programa de Pós-Graduação em Ciências Contábeis em Nível de Mestrado, com área de Concentração em Contabilidade Financeira, Contabilidade Gerencial

Leia mais

CENTRO DE CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS

CENTRO DE CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS UNIVERSIDADE DE CRUZ ALTA CENTRO DE CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS Reconhecido pela Portaria nº 706 de 18/12/2013 D.O.U. 19/12/13 Base Curricular do Curso de Ciências Contábeis

Leia mais

SISTEMA NACIONAL DE AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR SINAES CREDENCIAMENTO DE PÓLO DE APOIO PRESENCIAL PARA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA

SISTEMA NACIONAL DE AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR SINAES CREDENCIAMENTO DE PÓLO DE APOIO PRESENCIAL PARA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Secretaria de Educação a Distância SEED Departamento de Regulação e Supervisão da Educação a Distância - Dresead Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira

Leia mais

Bacharelado em Serviço Social

Bacharelado em Serviço Social Informações gerais: Bacharelado em Serviço Social Duração do curso: 04 anos (08 semestres) Horário: Vespertino e Noturno Número de vagas: 300 vagas anuais Coordenador do Curso: Profª Ms. Eniziê Paiva Weyne

Leia mais

Instrumento de Avaliação de Cursos de Graduação Bacharelados, Licenciaturas e Cursos Superiores de Tecnologia (presencial e a distância)

Instrumento de Avaliação de Cursos de Graduação Bacharelados, Licenciaturas e Cursos Superiores de Tecnologia (presencial e a distância) MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira Inep Diretoria de Avaliação da Educação Superior DAES Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior Sinaes

Leia mais

CONS. LEDA MARIA CHAVES NAPOLEÃO DO REGO CESu

CONS. LEDA MARIA CHAVES NAPOLEÃO DO REGO CESu 23016.001651/93-06 FUNDAÇÃO DE ENSINO SUPERIOR DE ITUMBIARA GO CONS. LEDA MARIA CHAVES NAPOLEÃO DO REGO CESu RECONHECIMENTO DE CURSO A Fundação de Ensino de Itumbiara / GO, mantenedora da Faculdade de

Leia mais

Administração. Curso de Graduação Bacharelado em

Administração. Curso de Graduação Bacharelado em Curso de Graduação Bacharelado em Administração O curso de Administração está enquadrado como uma ciência social aplicada. Estuda-se em profundidade técnicas e instrumentos analíticos, além de simulações

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU EM ENGENHARIA DE SEGURANÇA DO TRABALHO TÍTULO I DOS OBJETIVOS

REGIMENTO INTERNO DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU EM ENGENHARIA DE SEGURANÇA DO TRABALHO TÍTULO I DOS OBJETIVOS REGIMENTO INTERNO DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU EM ENGENHARIA DE SEGURANÇA DO TRABALHO TÍTULO I DOS OBJETIVOS Art. 1º - O presente Regimento Interno regulamenta a organização e o funcionamento do

Leia mais

CONSELHO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO Câmara de Educação Superior e Profissional

CONSELHO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO Câmara de Educação Superior e Profissional INTERESSADO: Centro de Estudos e Pesquisas em Eletrônica Profissional e Informática Ltda CEPEP EMENTA: Reconhece o Curso Técnico em Redes de Computadores Eixo Tecnológico: Informação e Comunicação, ofertado

Leia mais

ser ministrado pela Faculdade de Ciências Administrativas de Valinhos.

ser ministrado pela Faculdade de Ciências Administrativas de Valinhos. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E CULTURA CONSELHO FEDERAL DE EDUCAÇÃO INTERESSADO/MANTENEDORA ASSOCIAÇÃO VALINHENSE DE EDUCAÇÃO E CULTURA - AVEC UF SP ASSUNTO: Autorização (Carta-Consulta) para criação do Curso

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO FEDERAL DE EDUCAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO FEDERAL DE EDUCAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO FEDERAL DE EDUCAÇÃO INTERESSADO/MANTENEDORA SOCIEDADE PARANAENSE DE ENSINO E INFORMÁTICA ASSUNTO UF PR Autorização para funcionamento do curso de Ciências Contábeis a ser

Leia mais

FATEC EaD TECNOLOGIA EM GESTÃO EMPRESARIAL PROJETO INTERDISCIPLINAR SÃO PAULO 2014

FATEC EaD TECNOLOGIA EM GESTÃO EMPRESARIAL PROJETO INTERDISCIPLINAR SÃO PAULO 2014 1 FATEC EaD TECNOLOGIA EM GESTÃO EMPRESARIAL PROJETO INTERDISCIPLINAR SÃO PAULO 2014 2 Sumário 1. Introdução... 3 2. Finalidade do Projeto Interdisciplinar... 3 3. Disciplinas Contempladas... 4 4. Material

Leia mais

BOLETIM DE SERVIÇO - FIPAR ON LINE

BOLETIM DE SERVIÇO - FIPAR ON LINE BOLETIM DE SERVIÇO - FIPAR ON LINE ANO II Nº 003 Editado pela Secretaria Geral das FIPAR Faculdades Integradas de Paranaíba FIPAR Paranaíba, 08 de agosto de 2008. AVISO DE PUBLICAÇÃO E ADEQUAÇÃO DE MATRIZ

Leia mais

MATRIZ CURRICULAR CURRÍCULO PLENO/ 2013

MATRIZ CURRICULAR CURRÍCULO PLENO/ 2013 MATRIZ CURRICULAR Curso: Graduação: Regime: Duração: ADMINISTRAÇÃO BACHARELADO SERIADO ANUAL - NOTURNO 4 (QUATRO) ANOS LETIVOS Integralização: A) TEMPO TOTAL - MÍNIMO = 04 (QUATRO) ANOS LETIVOS - MÁXIMO

Leia mais

I RELATÓRIO: 8021/2011, de 15/12/2011 PARECER CEE/PE Nº 162/2011-CEB APROVADO PELO PLENÁRIO EM 07/11/2011

I RELATÓRIO: 8021/2011, de 15/12/2011 PARECER CEE/PE Nº 162/2011-CEB APROVADO PELO PLENÁRIO EM 07/11/2011 INTERESSADA: EFORTE ESCOLA DE FORMAÇÃO TÉCNICA E EMPRESARIAL RECIFE/PE ASSUNTO: CREDENCIAMENTO DA INSTITUIÇÃO PARA A OFERTA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL TÉCNICA DE NÍVEL MÉDIO E AUTORIZAÇÃO DOS CURSOS: TÉCNICO

Leia mais

Faculdades Integradas do Vale do Ivaí Instituto Superior de Educação - ISE

Faculdades Integradas do Vale do Ivaí Instituto Superior de Educação - ISE DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO 1 Do estágio curricular supervisionado A modalidade de Estágio Supervisionado é uma importante variável a ser considerada no contexto de perfil do egresso. A flexibilidade prevista

Leia mais

Padrões de Qualidade para Cursos de Graduação em Administração

Padrões de Qualidade para Cursos de Graduação em Administração MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E DO DESPORTO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR COORDENAÇÃO DAS COMISSÕES DE ESPECIALISTAS DE ENSINO COMISSÃO DE ESPECIALISTAS DE ENSINO DE ADMINISTRAÇÃO Padrões de Qualidade para

Leia mais

CHECK-LIST PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO

CHECK-LIST PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO CHECK-LIST PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO Com a finalidade de otimizar o processo de elaboração e avaliação dos Projetos Pedagógicos do Cursos (PPC), sugere-se que os itens a seguir sejam

Leia mais

ASSUNTO Solicita autorização para que os cursos noturnos de Ciências Econômicas e de Ciências Contábeis possam ser integralizados em quatro anos.

ASSUNTO Solicita autorização para que os cursos noturnos de Ciências Econômicas e de Ciências Contábeis possam ser integralizados em quatro anos. INTERESSADO/MANTENEDORA Faculdades Metropolitanas Unidas - FMU UF SP ASSUNTO Solicita autorização para que os cursos noturnos de Ciências Econômicas e de Ciências Contábeis possam ser integralizados em

Leia mais

Autorização (Projeto) do curso de Tecnologia em Processamento de Dados. Jucundino da Silva Furtado

Autorização (Projeto) do curso de Tecnologia em Processamento de Dados. Jucundino da Silva Furtado INSTITUTO RADIAL DE ENSINO E PESQUISA - IREP Autorização (Projeto) do curso de Tecnologia em Processamento de Dados. Jucundino da Silva Furtado 1 - RELATÓRIO O pedido do Instituto Radial de Ensino e Pesquisa,

Leia mais

Padrões de Qualidade para os Cursos de Graduação em Direito

Padrões de Qualidade para os Cursos de Graduação em Direito MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR COORDENAÇÃO DAS COMISSÕES DE ESPECIALISTAS DE ENSINO COMISSÃO DE ESPECIALISTAS DE ENSINO DE DIREITO APRESENTAÇÃO: Padrões de Qualidade para os Cursos

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE CURSO DE CIÊNCIAS ECONÔMICAS CURRÍCULO NOVO ORGANIZAÇÃO CURRICULAR

UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE CURSO DE CIÊNCIAS ECONÔMICAS CURRÍCULO NOVO ORGANIZAÇÃO CURRICULAR UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE CURSO DE CIÊNCIAS ECONÔMICAS CURRÍCULO NOVO ORGANIZAÇÃO CURRICULAR Toda reforma implica um processo de readaptação da estrutura acadêmica vigente, composta principalmente

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR DO CURSO DE PEDAGOGIA

REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR DO CURSO DE PEDAGOGIA REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR DO CURSO DE PEDAGOGIA DA FACULDADE ANGLO-AMERICANO CAPÍTULO I DA CARACTERIZAÇÃO Art. 1º Este Regulamento disciplina as atividades do Estágio Curricular Supervisionado,

Leia mais

CONSIDERANDO que este Conselho compete normatizar esse procedimento; R E S O L V E:

CONSIDERANDO que este Conselho compete normatizar esse procedimento; R E S O L V E: RESOLUÇÃO N o 03/90, CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO Aprova as Normas para elaboração de Projetos de Cursos de Especialização (Pós-Graduação lato sensu ). O CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO

Leia mais

CRIAÇÃO DE CURSO DE GRADUAÇÃO

CRIAÇÃO DE CURSO DE GRADUAÇÃO U N I V E R S I D A D E F E D E R A L D A B A H I A P r ó - R e i t o r i a d e E n s i n o d e G r a d u a ç ã o Palácio da Reitoria - Rua Augusto Viana s/n - Canela - 40.110-060 - Salvador Bahia E-mails:

Leia mais

FACULDADE DE TALENTOS HUMANOS

FACULDADE DE TALENTOS HUMANOS FACULDADE DE TALENTOS HUMANOS PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO UBERABA MG INSTITUTO EDUCACIONAL GUILHERME DORÇA PRESIDENTE: LUIZ HUMBERTO DORÇA FACULDADE DE TALENTOS HUMANOS DIRETOR

Leia mais

REGIMENTO DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO DA UNIDADE DE ENSINO SUPERIOR VALE DO IGUAÇU DO COLEGIADO DE CURSO

REGIMENTO DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO DA UNIDADE DE ENSINO SUPERIOR VALE DO IGUAÇU DO COLEGIADO DE CURSO REGIMENTO DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO DA UNIDADE DE ENSINO SUPERIOR VALE DO IGUAÇU DO COLEGIADO DE CURSO Art. 1º O colegiado de curso é órgão consultivo da Coordenação de Curso, destinado a subsidiar a

Leia mais

SIC 56/07. Belo Horizonte, 8 de novembro de 2007.

SIC 56/07. Belo Horizonte, 8 de novembro de 2007. SIC 56/07 Belo Horizonte, 8 de novembro de 2007. 1. DIRETRIZES PARA A ELABORAÇÃO, PELO INEP, DOS INSTRUMENTOS DE AVALIAÇÃO PARA O CREDENCIAMENTO DE INSTITUIÇÕES DE EDUCAÇÃO SUPERIOR E SEUS PÓLOS DE APOIO

Leia mais

INTERESSADO: Instituto de Educação Profissional SOS Computadores

INTERESSADO: Instituto de Educação Profissional SOS Computadores INTERESSADO: Instituto de Educação Profissional SOS Computadores EMENTA: Credencia o Instituto de Educação Profissional SOS Computadores, nesta Capital, e reconhece o curso de educação profissional técnica

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 4.264, DE 24 DE ABRIL DE 2012

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 4.264, DE 24 DE ABRIL DE 2012 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 4.264, DE 24 DE ABRIL DE 2012 Aprova o Projeto Pedagógico do Curso de Graduação em Serviço

Leia mais

Autorização (Exame do Projeto) para funcionamento do curso de Letras, habilitação em Português/Inglês. CESu, 2 Grupo

Autorização (Exame do Projeto) para funcionamento do curso de Letras, habilitação em Português/Inglês. CESu, 2 Grupo ASSOCIAÇÃO DE ENSINO DE VERSALHES Autorização (Exame do Projeto) para funcionamento do curso de Letras, habilitação em Português/Inglês. Arnaldo Niskier CESu, 2 Grupo 1 - RELATÓRIO A Associação de Ensino

Leia mais

Margarida Maria do R.B.P.Leal

Margarida Maria do R.B.P.Leal INTERESSADO/MANTENEDORA ASSOCIAÇÃO PAULISTA DE EDUCAÇÃO ASSUNTO. UF SP Autorização (Execução de Projeto) para funcionamento do curso de Comunicação Social, habilitação em Publicidade e Propaganda, a ser

Leia mais

ASSOCIAÇÃO CULTURAL E EDUCACIONAL DE BARRETOS

ASSOCIAÇÃO CULTURAL E EDUCACIONAL DE BARRETOS ASSOCIAÇÃO CULTURAL E EDUCACIONAL DE BARRETOS SP Autorização (projeto) para funcionamento do curso de Ciências Contábeis a ser ministrado pela Faculdade de Ciências Contábeis de Barretos-SP. A Asscoiaçao

Leia mais

CURSO DE ADMINISTRACAO MATRIZ CURRICULAR

CURSO DE ADMINISTRACAO MATRIZ CURRICULAR CURSO DE ADMINISTRACAO MATRIZ CURRICULAR 1º PERÍODO 2012/1 Carga Horária Semestral Metodologia Científica Português Matemática Básica Teoria Geral da Administração I Gestão Empreendedora Total de aulas

Leia mais

Sistema de Controle Acadêmico. Grade Curricular. Curso : ADMINISTRAÇÃO. CRÉDITOS Obrigatórios: 176 Optativos: 24. 1º Semestre

Sistema de Controle Acadêmico. Grade Curricular. Curso : ADMINISTRAÇÃO. CRÉDITOS Obrigatórios: 176 Optativos: 24. 1º Semestre Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro Pró-reitoria de Graduação - DAARG DRA - Divisão de Registros Acadêmicos Sistema de Controle Acadêmico Grade Curricular 30/01/2014-13:12:25 Curso : ADMINISTRAÇÃO

Leia mais

DELIBERAÇÃO CONSEP Nº 301/2003

DELIBERAÇÃO CONSEP Nº 301/2003 DELIBERAÇÃO CONSEP Nº 301/2003 Dispõe sobre a alteração do Currículo Pleno dos Cursos de licenciaturas, de graduação plena, em Pedagogia: Magistério para a Educação Infantil e Magistério para os Anos Iniciais

Leia mais

CETEC EDUCACIONAL S.A. Mantenedora FACULDADE DE TECNOLOGIA DE SÃO JOSÉ DOS CAMPOS - ETEP. Mantida

CETEC EDUCACIONAL S.A. Mantenedora FACULDADE DE TECNOLOGIA DE SÃO JOSÉ DOS CAMPOS - ETEP. Mantida CETEC EDUCACIONAL S.A Mantenedora FACULDADE DE TECNOLOGIA DE SÃO JOSÉ DOS CAMPOS - ETEP Mantida PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE TECNOLOGIA EM GESTÃO DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO SÃO JOSÉ DOS CAMPOS 1 SUMÁRIO

Leia mais

AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO

AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO INTERESSADO: Conselho Nacional de Educação/Câmara de Educação UF: DF Superior. ASSUNTO: Diretrizes para a elaboração, pelo INEP,

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO - PPC

PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO - PPC 1 PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO - PPC O PPC, Projeto Pedagógico de Curso, é o instrumento de concepção de ensino e aprendizagem de um curso e apresenta características de um projeto, no qual devem ser definidos

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 3.529, DE 12 DE JUNHO DE 2007

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 3.529, DE 12 DE JUNHO DE 2007 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 3.529, DE 12 DE JUNHO DE 2007 Dispõe sobre a oferta de cursos de pósgraduação lato sensu

Leia mais

ROTEIRO PARA SUPERVISÃO I INTRODUÇÃO

ROTEIRO PARA SUPERVISÃO I INTRODUÇÃO ROTEIRO PARA SUPERVISÃO I INTRODUÇÃO Este documento tem a finalidade de estabelecer um referencial para o exercício da função de supervisão dos Cursos das Instituições do Ensino Superior, do Sistema Estadual

Leia mais

Instrumento de Avaliação de Cursos de Graduação em Direito (presencial e a distância)

Instrumento de Avaliação de Cursos de Graduação em Direito (presencial e a distância) MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira Inep Diretoria de Avaliação da Educação Superior DAES Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior Sinaes

Leia mais

Currículos dos Cursos do CCH UFV ADMINISTRAÇÃO. COORDENADOR DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Djair Cesário de Araújo dejair@ufv.br

Currículos dos Cursos do CCH UFV ADMINISTRAÇÃO. COORDENADOR DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Djair Cesário de Araújo dejair@ufv.br 212 ADMINISTRAÇÃO COORDENADOR DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Djair Cesário de Araújo dejair@ufv.br UFV Catálogo de Graduação 2002 213 Bacharelado ATUAÇÃO O Administrador é habilitado a gerir recursos de toda

Leia mais

Resolução nº. 01/09. Título I Estágio Supervisionado. Capítulo I. Caracterização do Estágio:

Resolução nº. 01/09. Título I Estágio Supervisionado. Capítulo I. Caracterização do Estágio: 1 Resolução nº. 01/09 Aprovar o Regulamento do Estágio Curricular Supervisionado do Curso de Pedagogia - considerando o art.70, VII do Regimento desta Instituição; - considerando necessidade de normatizar

Leia mais

MBA EM CONSULTORIA E GESTÃO DE NEGÓCIOS 2014.1

MBA EM CONSULTORIA E GESTÃO DE NEGÓCIOS 2014.1 NÚMERO DE VAGAS: 45 (Quarenta e cinco) vagas. PREVISÃO DE INÍCIO DAS AULAS Abril de 2014 APRESENTAÇÃO / JUSTIFICATIVA MBA EM CONSULTORIA E GESTÃO DE NEGÓCIOS 2014.1 O MBA EM CONSULTORIA & GESTÃO DE NEGÓCIOS,

Leia mais

FACULDADE GLOBAL DE UMUARAMA AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL DA FACULDADE GLOBAL DE UMUARAMA FGU / UNIESP RELATÓRIO FINAL 2012/2013

FACULDADE GLOBAL DE UMUARAMA AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL DA FACULDADE GLOBAL DE UMUARAMA FGU / UNIESP RELATÓRIO FINAL 2012/2013 FACULDADE GLOBAL DE UMUARAMA AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL DA FACULDADE GLOBAL DE UMUARAMA FGU / UNIESP RELATÓRIO FINAL 2012/2013 UMUARAMA, DEZEMBRO, 2012 RELATÓRIO DE AUTO-AVALIAÇÃO I DADOS DA INSTITUIÇÃO Nome/

Leia mais

PROCESSO Nº 102/2004 APROVADO PELO PLENÁRIO EM 21/09/2004 PARECER CEE/PE Nº 88/2004-CEB I - RELATÓRIO:

PROCESSO Nº 102/2004 APROVADO PELO PLENÁRIO EM 21/09/2004 PARECER CEE/PE Nº 88/2004-CEB I - RELATÓRIO: INTERESSADO: CENTRO GESTÃO TÉCNICA PERNAMBUCO LTDA ASSUNTO : CRENCIAMENTO E AUTORIZAÇÃO DOS CURSOS TÉCNICOS EM ADMINISTRAÇÃO E CONTABILIDA RELATOR : CONSELHEIRO JOSIAS SILVA ALBUQUERQUE PROCESSO 102/2004

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO PARECER HOMOLOGADO(*) (*) Despacho do Ministro, publicado no Diário Oficial da União de 28/11/2005 (*) Portaria/MEC nº 4.043, publicada no Diário Oficial da União de 28/11/2005 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO

Leia mais

Ministério da Educação

Ministério da Educação Página 1 de 25 Ministério da Educação Nº 1229 - Segunda feira, 21 de junho de 2010 Gabinete do Ministro - Portaria nº 807, de 18 de junho de 2010 Gabinete do Ministro - Portaria nº 808, de 18 de junho

Leia mais

446, 23/01/2014, 24/01/2014 PARECER CEE/PE Nº 143/2013-CES APROVADO PELO PLENÁRIO EM

446, 23/01/2014, 24/01/2014 PARECER CEE/PE Nº 143/2013-CES APROVADO PELO PLENÁRIO EM INTERESSADA: UNIVERSIDADE DE PERNAMBUCO UPE FACULDADE DE CIÊNCIAS DA ADMINISTRAÇÃO - FCAP ASSUNTO: RENOVAÇÃO DO RECONHECIMENTO DO CURSO SUPERIOR SEQUENCIAL DE FORMAÇÃO ESPECÍFICA EM GESTÃO IMOBILIÁRIA

Leia mais

Implantação do curso de Especialização em Supervisão Escolar com base no Parecer nº 604/82 e das Leis 5. 5 4 0 / 6 8 e 5.692/71

Implantação do curso de Especialização em Supervisão Escolar com base no Parecer nº 604/82 e das Leis 5. 5 4 0 / 6 8 e 5.692/71 ASSOCIAÇÃO DE ENSINO SUPERIOR PAULISTANA Implantação do curso de Especialização em Supervisão Escolar com base no Parecer nº 604/82 e das Leis 5. 5 4 0 / 6 8 e 5.692/71 ZILMA S. Paulete Gomes de Barros

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 453, de 28 de abril de 2005. Conselho Nacional de Educação de Minas Gerais.

RESOLUÇÃO Nº 453, de 28 de abril de 2005. Conselho Nacional de Educação de Minas Gerais. SIC 01 /05 - CEE/MG Belo Horizonte, 25 de maio de 2005. PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU - ESPECIALIZAÇÃO RESOLUÇÃO Nº 453, de 28 de abril de 2005. Conselho Nacional de Educação de Minas Gerais. Estabelece normas

Leia mais

DIMENSÃO 1 A MISSÃO E O PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL

DIMENSÃO 1 A MISSÃO E O PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL Faculdade Educacional da Lapa 1 FAEL RESULTADOS - AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL 2012 O referido informativo apresenta uma súmula dos resultados da autoavaliação institucional, realizada no ano de 2012, seguindo

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 4.638, DE 25 DE FEVEREIRO DE 2015

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 4.638, DE 25 DE FEVEREIRO DE 2015 1 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 4.638, DE 25 DE FEVEREIRO DE 2015 Aprova o Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO PARECER HOMOLOGADO(*) (*) Despacho do Ministro, publicado no Diário Oficial da União de 12/05/2008 (*) Portaria/MEC nº 561, publicada no Diário Oficial da União de 12/05/2008 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO

Leia mais