Metodologia de Gerenciamento de Portfólio. 1º Edição Gerência de Planejamento - GERPLAN Coordenação de Planejamento - CPLAN

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Metodologia de Gerenciamento de Portfólio. 1º Edição Gerência de Planejamento - GERPLAN Coordenação de Planejamento - CPLAN"

Transcrição

1 Metodologia de Gerenciamento de Portfólio 1º Edição Gerência de Planejamento - GERPLAN Coordenação de Planejamento - CPLAN

2

3 Metodologia de Gerenciamento de Portfólio 1º Edição Gerência de Planejamento - GERPLAN Coordenação de Planejamento - CPLAN

4 Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial Mauro Borges Lemos Presidente Maria Luisa Campos Machado Leal Diretora Otávio Silva Camargo Diretor Supervisão Jackson De Toni - Gerente de Planejamento Coordenação Luis Cláudio Rodrigues França - Coordenador de Planejamento Equipe Técnica Andréia de Oliveira Silva - Consultora em projetos Eron Campos Saraiva de Andrade - Especialista em processos Flávia Vanessa Nunes Martins - Consultora em projetos Flávio Feitosa Costa - Consultor em projetos Vanderlei Antonio Carbone - Consultor em projetos Victor Rascop - Consultor em projetos Gerente de Comunicação Oswaldo Buarim Projeto Gráfico Juliano Cappadocio Batalha ABDI Agência Brasileira de desenvolvimento Industrial Setor Bancário Norte, Quadra 1 - Bloco B Ed. CNC / Brasília DF Tel.: (61) Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial - ABDI Qualquer parte desta obra pode ser reproduzida, desde que citada a fonte.

5 APRESENTAÇÃO A resolução DIREX número 13, de 09 de junho de 2014, aprovou a metodologia de gerenciamento de portfólio da ABDI, que regulamenta o processo de proposição, seleção e avaliação de projetos na Agência. Essa metodologia é o resultado do amadurecimento da Agência na cultura de gerenciamento de projetos. Sabe-se, da literatura, que enquanto a metodologia de gerenciamento de projetos auxilia as pessoas a fazerem um projeto de forma correta, com grandes possibilidades de finalizá-lo dentro dos requisitos acordados, uma metodologia de gerenciamento de portfólio auxilia as pessoas a fazerem os projetos corretos, com grande possibilidades de alcançar os objetivos da organização, alinhados a sua estratégia. Espera-se com esse esforço contribuir para qualificação do portfólio de projetos da ABDI. OBJETIVO DA METODOLOGIA Ser o documento de referência para recepcionar as propostas de iniciativas e esforços da Agência, regulamentando os processos de identificação, avaliação, priorização, autorização e de monitoramento e controle do portfólio de projetos da ABDI. PÚBLICO-ALVO Colaboradores que estejam envolvidos direta ou indiretamente nas atividades de gerenciamento de projetos ou programas na ABDI e para aqueles que desejam conhecer e aprimorar suas competências na área de gerenciamento de portfólio.

6

7 SUMÁRIO GLOSSÁRIO CONCEITOS E FUNDAMENTOS Projetos e Operações Programa Portfólio Gerenciamento de Portfólio Objetivos do Gerenciamento de Portfólio Características do Gerenciamento de Portfólio Diferenças entre o Gerenciamento de Projetos, Programas e Portfólio Sucesso na Gestão de Projetos e na Gestão de Portfólio Estratégia Organizacional METODOLOGIA DE GERENCIAMENTO DE PORTFÓLIO DA ABDI Definição dos Processos Detalhamento dos Processos Identificação - etapa de análise e classificação da iniciativa Apresentar a iniciativa Analisar a iniciativa Classificar a iniciativa Avaliação - etapa de avaliação do mérito das iniciativas Categorizar o Projeto Analisar o TAP ou Registro e Análise da Iniciativa Avaliar o Projeto Priorização - etapa de ordenação dos projetos habilitados Priorizar os Projetos Balancear o Portfólio Autorização Aprovar Projetos Documentar Portfólio Monitoramento e Controle Avaliar o Desempenho do Portfólio Propor Ações Papéis e Responsabilidades...31

8 3. REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA...32 ANEXOS...33 Anexo I - Formulário de Registro e Análise da Iniciativa Anexo II - Orientação para Alinhar o Entendimento do CAP nos Parâmetros de Avaliação do Mérito dos Projetos Anexo III - Fluxograma do encaminhamento do Registro e Análise da Iniciativa SUMÁRIO DE FIGURAS Figura 1 - Gerenciamento de Portfólio Figura 2 - Contexto de Gerenciamento do Portfólio Figura 3 - Ciclo de Vida do Gerenciamento de Portfólio da ABDI Figura 4 - Ciclo de Vida do Gerenciamento de Portfólio da ABDI - Processo Identificação Figura 5 - Ciclo de Vida do Gerenciamento de Portfólio da ABDI - Passos do Processo Identificação Figura 6 - Classificação da Iniciativa Figura 7 - Ciclo de Vida do Gerenciamento de Portfólio da ABDI - Processo Avaliação Figura 8 - Ciclo de Vida do Gerenciamento de Portfólio da ABDI - Passos do Processo Avaliação Figura 9 - Ciclo de Vida do Gerenciamento de Portfólio da ABDI - Processo Priorização Figura 10 - Ciclo de Vida do Gerenciamento de Portfólio da ABDI - Passos do Processo Priorização Figura 11 - Ciclo de Vida do Gerenciamento de Portfólio da ABDI - Processo Autorização Figura 12 - Ciclo de Vida do Gerenciamento de Portfólio da ABDI - Passos do Processo Autorização Figura 13 - Ciclo de Vida do Gerenciamento de Portfólio da ABDI - Processo Monitoramento e Controle Figura 14 - Ciclo de Vida do Gerenciamento de Portfólio da ABDI - Passos do Processo Monitoramento e Controle SUMÁRIO DE TABELAS Tabela 1 - Diferenças entre a Gestão de Projetos, Programas e Portfólio...15 Tabela 2 - Sucesso na Gestão de Projetos e na Gestão de Portfólio Tabela 3 - Matriz de Atribuições... 31

9 GLOSSÁRIO Agenda Dentro da cultura organizacional da ABDI, Agenda é definida como o documento que unifica os esforços coordenados em função dos objetivos e metas declarados. Serão os objetivos e as iniciativas descritas na Agenda que, ao serem operacionalizadas, irão promover o desenvolvimento da indústria. Agenda Setorial Documentos ordenadores dos temas mais relevantes para os sistemas produtivos e da sua relação com a Política Industrial, contendo um diagnóstico, objetivos, e metas relacionadas a estes sistemas produtivos. Agendas Sistêmicas Documentos ordenadores das questões mais relevantes para os temas de natureza sistêmica ou transversal das Coordenações e da sua relação com a Política Industrial, contendo um diagnóstico, objetivos, e metas relacionadas a estes temas sistêmicos. Alinhamento Estratégico Grau de alinhamento dos componentes do Portfólio com os objetivos estratégicos da ABDI e diretrizes da DIREX. CAP - Comitê de Avaliação e Seleção de Projetos (Regulamentado pela Resolução DIREX nº 10 de ) Comitê consultivo formado pela Chefia de Gabinete, dois assessores técnicos da Presidência e pelos gerentes de projetos das áreas finalísticas da Agência. Coordenado pela área de planejamento com a responsabilidade de auxiliar a Gerência de Planejamento nos processos de planejamento estratégico e na estruturação dos programas de trabalho anuais, recepcionando novas propostas de projetos e avaliando seu mérito. Ao comitê é facultada a possibilidade de convite a examinadores externos quando pertinente. CTC - Comitê Técnico Consultivo (Regulamentado pela ata da 7º reunião ordinária da DIREX, datada de ) Comitê formado pelos gerentes e coordenadores da Agência, atua no acompanhamento da execução dos projetos, e é responsável por equacionar, quando necessário, pendências relativas aos projetos; e promover o alinhamento dos projetos em relação às demais áreas na organização e aos demais projetos relacionados. 9

10 Demanda eventual Ação isolada desvinculada de um projeto ou operação continuada. Exemplo: patrocínio. DIREX É a Diretoria Executiva da ABDI, composta pela Diretoria I, Diretoria II e Presidência. Operação continuada (Rotina) São esforços que se repetem com objetivo de manter um produto, serviço ou resultado já estabelecido. Exemplo: atualização de informações em um site. PMBOK Corpo de Conhecimento em Gerenciamento de Projetos (Project Management Body of Knowledge): guia do conjunto de conhecimentos do gerenciamento de Projetos do PMI. PMI Instituto de Gerenciamento de Projetos (Project Management Institute): instituição sem fins lucrativos criada em 1969, com o objetivo de instituir as melhores práticas em Gerenciamento de Projetos, com sede na Philadelphia, Pennsylvania, USA. Projeto É um esforço temporário, com início e fim definidos, que visa entregar produto(s), serviço(s) ou resultado(s) únicos. SIG Sistema de Gestão Integrado - SIG é a ferramenta utilizada para o planejamento e acompanhamento da execução dos projetos, permitindo ao líder de projetos e a sua equipe a inclusão de demandas, a atualização das informações, a inclusão de arquivos e a geração de relatórios. SMDIC - Sistema MDIC Modelo de governança que articula as organizações vinculadas ao MDIC - Ministério do Desenvolvimento Indústria e Comércio Exterior - ABDI, APEX-Brasil, INPI, SUFRAMA, BNDES e INMETRO. Visão Representa um novo nível ou patamar, estabelecido pela alta gerência, a que a organização intenciona alcançar, podendo ser no âmbito externo, institucional, departamental ou de unidade. 10

11 1. CONCEITOS E FUNDAMENTOS 1.1 PROJETOS E OPERAÇÕES Projeto é um empreendimento temporário, realizado de maneira coordenada, com característica singular, que visa alcançar objetivos específicos. É temporário porque deve possuir início e fim bem definidos. É singular porque nunca foi feito antes. Tipicamente um projeto possui as seguintes características: possui início e fim bem definidos; visa gerar produtos ou serviços originais para a organização; demanda coordenação e gerenciamento; pode ser organizado em etapas (fases) ou em grandes produtos; e possui uma equipe de trabalho relativamente volátil, tendo em vista sua temporalidade. Operações continuadas são demandas do dia a dia da Agência. São atividades inerentes aos processos internos, portanto, não necessariamente devem ser estruturadas como um projeto ou parte dele. São trabalhos de natureza repetitiva, envolvendo ações tipicamente rotineiras e de caráter permanente. Normalmente possuem as seguintes características: não possuem um limite de prazo definido para término; visam manter produtos ou serviços para a organização; e possuem uma equipe de trabalho relativamente fixa, tendo em vista seu caráter permanente. 11

12 1.2 PROGRAMA Programa é um conjunto de projetos inter-relacionados que devem ser gerenciados de modo coordenado para a obtenção de benefícios e controles que seriam difíceis de obter caso fossem gerenciados individualmente. Os programas possuem uma estrutura de governança e são orientados pelos benefícios que pretendem gerar. O principal foco de um Programa é a obtenção de benefícios que devem estar alinhados aos objetivos estratégicos da organização. Muitas organizações, por suas características, precisam desenvolver simultaneamente diversos projetos. Por sua vez, em diversas ocasiões, um grupo de projetos tem características e produtos que, geridos de forma coordenada, trazem sinergia e potencializam os benefícios desejados à organização. Essa gestão coordenada é característica de um programa. 1.3 PORTFÓLIO Portfólio é um conjunto de projetos, programas ou outros trabalhos agrupados para facilitar o gerenciamento eficaz desses, com a finalidade de atender aos objetivos estratégicos da organização. É a ponte que liga as estratégias organizacionais às iniciativas formalizadas em projetos e programas (Guia PMBOK - 5ª Edição, com adaptações). Um Portfólio, diferentemente de programas e projetos, não é limitado no tempo. A Figura 1 ilustra um exemplo de gerenciamento de Portfólio e a sua relação com os programas ou projetos. 12

13 Figura 1 - Gerenciamento de Portfólio. Fonte: Padrão de Gerenciamento de Portfólio - 2 a Edição PMI Gerenciamento de Portfólio Refere-se a um gerenciamento centralizado de um ou mais Portfólios e inclui boas práticas em seleção, priorização, autorização, gerenciamento e controle de projetos ou programas que facilitem o alcance dos objetivos estratégicos da organização. Os projetos ou programas ao serem gerenciados no âmbito de Portfólio serão mais eficientemente analisados, possibilitando visão ampla da gestão na organização. Combina o foco da organização em garantir que os projetos selecionados para o investimento contribuam para a estratégia (fazer o projeto certo), com o foco do gerenciamento de projetos em implementar projetos com eficiência e com a contribuição planejada para o portfólio (fazer certo o projeto) Objetivos do Gerenciamento de Portfólio O Gerenciamento de Portfólio possui três grandes objetivos: (1) o alinhamento estratégico dos programas e projetos com a estratégia da organização; (2) a análise do mérito dos projetos quanto à perspectiva de resultados, exequibilidade, viabilidade orçamentária, alinhamento ao planejamento estratégico do SMDIC e à política industrial vigente; e (3) a maximização 13

14 do valor do Portfólio levando em consideração os recursos disponíveis e o balanceamento entre projetos. Estes objetivos se desdobram em: garantir o alinhamento entre a estratégia da organização e a execução dos projetos buscando a maximização de valor; evitar que projetos não prioritários consumam recursos da organização; garantir que somente os projetos selecionados tenham andamento; aprimorar a transparência na contabilização de benefícios e valor agregado; manter a visibilidade das informações dos projetos; garantir a revisão e adequação do Portfólio quando ocorrerem mudanças na estratégia; melhorar a alocação de recursos; equacionar o balanceamento do trabalho; avaliar o retorno que os projetos implementados estão trazendo para a organização; e obter lições aprendidas para aperfeiçoar o ciclo de gerenciamento de Portfólio Características do Gerenciamento de Portfólio Os componentes (programas, projetos e outros trabalhos) de um Portfólio apresentam as seguintes características: representam investimentos realizados ou planejados pela organização; estão alinhados ou suportam as metas e objetivos estratégicos da organização; possuem algumas características distintas que permitem à organização agrupá-los para um efetivo gerenciamento; e 14

15 são quantificáveis e, portanto, podem ser medidos, classificados e priorizados. O Portfólio determina que cada componente esteja alinhado com uma ou mais metas estratégicas; orienta as decisões de alocação de recursos financeiros e humanos com a definição da prioridade de cada componente; mede a contribuição de cada componente no contexto da respectiva meta; e avalia cada componente sob a ótica de riscos e como esses riscos podem afetar o alcance dos objetivos estratégicos. 1.4 DIFERENÇAS ENTRE O GERENCIAMENTO DE PROJETOS, PROGRAMAS E PORTFÓLIO A Tabela 1 apresenta algumas das diferenças entre a gestão de projetos, programas e portfólio. Projetos Programas Portfólio Escopo mais restrito e com entregas específicas. Monitoramento e controle de tarefas e do trabalho de criação dos produtos do projeto. Sucesso medido pelo prazo, orçamento e produtos entregues conforme especificado. Escopo mais amplo que pode mudar para atingir expectativas da organização. Monitoramento dos projetos e andamento do trabalho através de estruturas de governança. Sucesso medido em termos do retorno sobre o investimento, novas capacidades e benefícios entregues. Escopo de negócio que muda com as metas estratégicas da organização. Monitoração do desempenho agregado e indicadores de valor. Sucesso medido em termos de desempenho agregado nos programas e projetos do portfólio. Tabela 1 - Diferenças entre a Gestão de Projetos, Programas e Portfólio. 15

16 1.5 SUCESSO NA GESTÃO DE PROJETOS E NA GESTÃO DE PORTFÓLIO Confirmando a importância e a inevitável ligação entre a gestão de portfólio e a gestão de projetos, é possível elencar alguns itens que estão associados ao seu sucesso, como os apresentados na Tabela 2. Gestão de Projetos Cliente satisfeito com os resultados Gestão de Portfólio Objetivos estratégicos alcançados Prazos cumpridos conforme o acordado Mínimos desvios no orçamento - gestão acurada dos recursos financeiros Produtos dentro das especificações técnicas Redução do ciclo de vida dos projetos Retorno adequado dos investimentos Rentabilidade do portfólio de acordo com a esperada Tabela 2 - Sucesso na Gestão de Projetos e na Gestão de Portfólio. 1.6 ESTRATÉGIA ORGANIZACIONAL A estratégia organizacional é um resultado do ciclo de gestão estratégica, em que a visão e a missão são traduzidas em um plano estratégico. O plano estratégico é subdividido em um conjunto de iniciativas que são influenciadas por decisões de governo, pedidos de clientes e parceiros, regulamentações, entre outros fatores ambientais. Essas iniciativas estabelecem carteiras estratégicas e operacionais a serem executadas no período previsto. 16

17 A Figura 2 demonstra o relacionamento da Estratégia com o Gerenciamento do Portfólio de uma organização. Figura 2 - Contexto de Gerenciamento do Portfólio. Fonte: Padrão de Gerenciamento de Portfólio - 2 a Edição PMI. A Visão, a Missão e os Objetivos Estratégicos estabelecem as metas de desempenho da organização. O Gerenciamento Operacional e o Gerenciamento de Portfólio estabelecem as iniciativas necessárias para atingir as metas de desempenho da organização. 17

18 2 METODOLOGIA DE GERENCIAMENTO DE PORTFÓLIO DA ABDI 2.1 DEFINIÇÃO DOS PROCESSOS Foram estabelecidos cinco processos com o objetivo principal de selecionar e manter a melhor combinação de projetos que contribuam para o alcance dos objetivos estratégicos definido pelo Planejamento Estratégico da ABDI. A Figura 3 mostra o ciclo de vida do Gerenciamento do Portfólio e de Projetos com seus respectivos processos. Figura 3 - Ciclo de Vida do Gerenciamento de Portfólio da ABDI. 18

19 Os processos seguem uma sequência pré-estabelecida, sendo que os processos de Priorização e de Autorização possuem uma característica iterativa, o que significa que os resultados percebidos pelo processo de Monitoramento e Controle podem incidir na necessidade de uma nova Priorização e consequentemente uma nova Autorização, garantindo assim que os projetos e programas em execução permaneçam alinhados com a estratégia organizacional. 2.2 DETALHAMENTO DOS PROCESSOS Identificação - etapa de análise e classificação da iniciativa Nesta etapa a análise e classificação da iniciativa avalia somente aspectos formais, operacionais e de design do projeto, bem como, sua relação com os demais projetos da Agência. A análise do MÉRITO cabe ao Comitê de Avaliação e Seleção de Projetos - CAP, na etapa de Avaliação. O processo de Identificação visa obter informações suficientes das áreas envolvidas acerca de cada iniciativa nova ou em andamento, classificando-a como operação continuada (rotina), demanda eventual ou projeto - Figura 4. Figura 4 - Ciclo de Vida do Gerenciamento de Portfólio da ABDI Processo Identificação. 19

20 A Figura 5 apresenta os passos estabelecidos para o processo de Identificação. Figura 5 - Ciclo de Vida do Gerenciamento de Portfólio da ABDI Passos do Processo Identificação Apresentar a Iniciativa Qualquer iniciativa, seja ela classificada como operação continuada (rotina), demanda eventual ou projeto, deverá ser apresentada por meio do formulário de Registro e Análise da Iniciativa (Anexo I), buscando deixar claro o seu detalhamento (justificativa, alinhamento estratégico, resultados esperados, objetivos, entregas, prazos, custos e equipe). Após o preenchimento do formulário o mesmo deve ser validado pela Gerência da unidade solicitante e, após sua validação, encaminhada à CPLAN. A CPLAN/GERPLAN será responsável pela orientação necessária para o preenchimento do formulário Analisar a Iniciativa De posse do Registro e Análise da Iniciativa, a CPLAN/GERPLAN deve analisar as informações apresentadas, tais como: se a iniciativa pertence a algum programa, se as entregas contribuem para o alcance do(s) objetivo(s) declarado(s), se possuem prazos definidos e custos associados, se existe alinhamento estratégico e demais informações previstas no formulário que possibilitarão uma análise mais precisa e um melhor direcionamento da iniciativa. No caso de dúvidas, ou na busca de um melhor entendimento sobre o trabalho proposto, a CPLAN/GERPLAN pode solicitar ao responsável pela proposição maiores esclarecimentos. 20

21 Classificar a Iniciativa Uma iniciativa representa uma necessidade de origem interna ou externa à organização. Caso a iniciativa tenha características de continuidade (rotinas), essa deverá ser classificada como Operação Continuada (Ex.: atualização do Guia de Instrumentos da ABDI). Caso a iniciativa seja temporária, ou seja, tenha início, meio e fim bem definidos e produza um produto, serviço ou resultado exclusivo para Agência, deverá ser classificada como um Projeto e, assim, seguir a Metodologia de Gerenciamento de Projetos da ABDI - MGP. Quando a iniciativa for uma ação isolada (como um patrocínio), deverá ser tratada como Demanda Eventual e será conduzida como processo seguindo seus ritos específicos. Para as iniciativas classificadas como projeto, o formulário de registro de análise da iniciativa substituirá o Termo de Abertura do Projeto - TAP 1, não necessitando de um novo esforço, nos demais casos as iniciativas serão tratadas pelos seus ritos específicos, não considerados por esta metodologia. 1 O Termo de Abertura do Projeto - TAP é parte da Metodologia de Gerenciamento de Projetos da ABDI, 2ª Edição, GERPLAN/CPLAN,

22 A figura 06 apresenta o procedimento de classificação de uma demanda no âmbito da ABDI. Figura 6 - Classificação da Iniciativa Avaliação - etapa de avaliação do mérito das iniciativas O processo de Avaliação envolve a análise, quanto a forma e conteúdo, pela CPLAN/GERPLAN dos Termos de Abertura de Projetos - TAPs (quando for o caso) e dos Registros e Análises das Iniciativas, classificadas como projetos no processo de Identificação, e quanto ao mérito pelo Comitê de Avaliação e Seleção de Projetos - CAP - Figura 7. 22

23 Figura 7 - Ciclo de Vida do Gerenciamento de Portfólio da ABDI - Processo Avaliação. A Figura 8 apresenta os passos estabelecidos para o processo. Figura 8 - Ciclo de Vida do Gerenciamento de Portfólio da ABDI Passos do Processo Avaliação Categorizar o Projeto Envolve agrupar os projetos em categorias afins, evitando, por exemplo, que um projeto de característica de apoio/suporte (Ex.: infraestrutura) seja comparado com os mesmos critérios de projetos com características finalísticas, voltados para apoiar o desenvolvimento da política industrial. A CPLAN/GERPLAN realizará a categorização dos Projetos conforme o grau de alinhamento com os componentes do Portfólio. Cada projeto deverá pertencer a apenas uma categoria para facilitar o processo de Análise e Priorização. Eventualmente um projeto, pelas suas características, poderá ser classificado em mais de uma categoria, nesse caso, a opção de sua categorização (meio ou finalística) deverá respeitar uma hierarquia de alinhamento dentre as diretrizes estabelecidas pela ABDI. 23

24 Analisar o TAP ou Registro e Análise da Iniciativa De posse do TAP ou do Registro e Análise da Iniciativa, a CPLAN/GERPLAN deve analisar os projetos observando a objetividade, a clareza, a consistência das informações, o alinhamento proposto e a coerência com a estratégia da organização. A CPLAN/GERPLAN caso entenda que haja oportunidade de melhorias, deverá propor para a equipe do projeto ajustes nos documentos. Todo projeto realizado ou apoiado pela ABDI necessita de um plano que o insira em um dos objetivos aprovados no Planejamento Estratégico da Agência. Sendo assim, é necessário que haja um contexto que justifique a intervenção. Por sua vez, esta intervenção deve ser demonstrável em uma relação lógica de causa (contexto) e efeito (resultados específicos de um projeto). As estimativas de custo e prazos norteiam as decisões superiores, portanto, se torna importante a avaliação, junto à equipe, das memórias de cálculos e da precisão destas estimativas Avaliar o Projeto A avaliação dos projetos categorizados como de apoio/suporte será conduzida pela Gerência de Gestão - GERGE e GERPLAN, e a dos projetos categorizados como finalísticos pelo Comitê de Avaliação e Seleção de Projetos - CAP, que (1) avaliará o mérito das propostas de projetos com base na pontuação em parâmetros definidos e (2) indicará se o projeto está habilitado para a etapa de priorização e aprovação pela DIREX. Cabe destacar que todos os projetos habilitados, independente de seu ordenamento (priorização) estarão aptos à aprovação pela DIREX. O Anexo I apresenta o espaço destinado para o registro destas pontuações e da indicação de habilitação ou não do projeto para a etapa de priorização. O Anexo II apresenta um texto auxiliar para alinhar o entendimento dos parâmetros de avaliação pelos titulares do CAP. O CAP funciona como um colegiado acessório e consultivo à DIREX reunindose, no mínimo, duas vezes por ano, ou a qualquer tempo necessário. O seu funcionamento será apoiado pelo monitoramento permanente do portfólio de 24

25 projetos da ABDI, realizado regularmente pela CPLAN/GERPLAN. As reuniões do CAP serão convocadas e organizadas pela CPLAN/GERPLAN. Os projetos serão distribuídos pela CPLAN/GERPLAN aos titulares do CAP para análise prévia, respeitando o equilíbrio entre a quantidade de projetos versus avaliadores e a restrição da avaliação de projetos pela gerência da própria área, procurando evitar o conflito de interesses. Cabe a cada avaliador apresentar o relato de sua avaliação aos demais titulares do CAP, para discussão e avaliação final do projeto. Na hipótese de não haver consenso na avaliação do relator, cada titular fará sua própria avaliação em formulário específico (Anexo I) e a avaliação final será a média simples das pontuações obtidas em cada parâmetro. Os responsáveis pelos projetos, sempre que solicitados pelo CAP, devem apresentar relatorias individuais ao colegiado. Todos os documentos e arquivos pertinentes ao processo de funcionamento do CAP, em especial sobre o andamento do processo de análise e seus resultados, estarão disponíveis aos funcionários da ABDI em espaço específico na INTRANET, dentro do link Portal do Planejamento Estratégico Priorização - etapa de ordenação dos projetos habilitados A partir das habilitações dos projetos pelo CAP, as propostas serão priorizadas segundo o resultado final da avaliação do mérito do projeto (somatório da pontuação dos parâmetros). Esse processo é fundamental para sinalizar para a instituição as melhores propostas e auxiliar nas decisões que devem ser tomadas de uma maneira mais estruturada, especialmente em cenários de recursos escassos (humanos, financeiros e de infraestrutura) - Figura 9. 25

26 Figura 9 - Ciclo de Vida do Gerenciamento de Portfólio da ABDI Processo Priorização. A Figura 10 apresenta os passos estabelecidos para o processo. Figura 10 - Ciclo de Vida do Gerenciamento de Portfólio da ABDI Passos do Processo Priorização Priorizar os Projetos A priorização técnica dos projetos é realizada pelo CAP, considerando o resultado do somatório das pontuações obtida nos parâmetros avaliados. A CPLAN/GERPLAN fará a consolidação de todas as informações e emitirá uma listagem por ordem decrescente do somatório das pontuações dos projetos, agrupando por blocos, para encaminhar um documento único para análise da DIREX Balancear o Portfólio O Balanceamento do Portfólio busca ajustar a combinação dos programas e projetos, maximizando o potencial para o alcance dos objetivos estratégicos definidos na instituição, propondo inclusão, suspensão, alteração ou cancelamento de programas e projetos, adequando-os aos recursos organizacionais e aumentado os benefícios institucionais. Ocorre de forma complementar e paralela à priorização dos projetos. 26

27 A CPLAN/GERPLAN, após as avaliações procedidas nas etapas de Avaliação e Priorização, deve indicar à DIREX, se for o caso, a necessidade de novos projetos para o alcance das estratégias não contempladas Autorização O processo de Autorização tem por objetivo aprovar os projetos e proceder a alocação formal de recursos financeiros e humanos para sua execução. A autorização para execução dos projetos será realizada única e exclusivamente pela DIREX, considerando as análises, a priorização e, fundamentalmente, o balanceamento do portfólio - Figura 11. Figura 11 - Ciclo de Vida do Gerenciamento de Portfólio da ABDI Processo Autorização. A Figura 12 apresenta os passos estabelecidos para o processo de Autorização. Figura 12 - Ciclo de Vida do Gerenciamento de Portfólio da ABDI Passos do Processo Autorização. 27

28 Aprovar Projetos Com base na priorização dos projetos e nas recomendações da CPLAN/ GERPLAN quanto ao balanceamento do portfólio, a DIREX autorizará a execução dos projetos na sua totalidade ou não, podendo cancelar e até suspender a execução de um programa ou projeto específico, levando em conta a prioridade institucional e o fato dos recursos humanos, financeiros e ativos da instituição serem finitos e limitados Documentar Portfólio Cabe à CPLAN/GERPLAN, como gestora da carteira de projetos, manter o registro do Portfólio aprovado pela DIREX e garantir por meio do monitoramento que os projetos e programas aprovados tenham suas informações registradas conforme a Metodologia de Gerenciamento de Projetos da ABDI - MGP Monitoramento e Controle O processo de Monitoramento e Controle busca monitorar os riscos, reunir indicadores de desempenho em relatórios e revisar periodicamente o Portfólio para garantir o alinhamento estratégico e a efetiva utilização dos recursos - Figura 13. Figura 13 - Ciclo de Vida do Gerenciamento de Portfólio da ABDI Processo Monitoramento e Controle. O processo de Monitoramento e Controle é alimentado pelas informações de desempenho vindas da fase de implementação dos projetos e programas e é acionado para coletar indicadores de desempenho e revisar periodicamente o Portfólio para verificar o alinhamento estratégico e a efetiva utilização dos 28

Cartilha. Gestão de Projetos. Superintendência de Planejamento e Gestão SUPLAN Ministério Público do Estado de Goiás

Cartilha. Gestão de Projetos. Superintendência de Planejamento e Gestão SUPLAN Ministério Público do Estado de Goiás Cartilha Gestão de Projetos SUPLAN Ministério Público do Estado de Goiás Esta cartilha tem como objetivo transmitir os conceitos básicos relacionados ao Gerenciamento de Projetos e compartilhar da metodologia

Leia mais

Gerenciamento de Projetos

Gerenciamento de Projetos Gerenciamento de Projetos Grupo de Consultores em Governança de TI do SISP 20/02/2013 1 Agenda 1. PMI e MGP/SISP 2. Conceitos Básicos - Operações e Projetos - Gerenciamento de Projetos - Escritório de

Leia mais

Gestão de Portfólio de Projetos

Gestão de Portfólio de Projetos Dez/2010 Gestão de de Projetos Prof. Américo Pinto FGV, IBMEC-RJ, PUC-RJ, COPPEAD Email: contato@americopinto.com.br Twitter: @americopinto Linkedin: Americo Pinto Website: www.americopinto.com.br Por

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO AMAZONAS MANUAL DE GESTÃO DE PORTFÓLIO DE INICIATIVAS

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO AMAZONAS MANUAL DE GESTÃO DE PORTFÓLIO DE INICIATIVAS MANUAL DE GESTÃO DE PORTFÓLIO DE INICIATIVAS ESTRATÉGICAS MANUAL DE GESTÃO DE PORTFÓLIO DE INICIATIVAS ESTRATÉGICAS Elaborado pela Divisão de Planejamento e Gestão Estratégica. 2012 APRESENTAÇÃO Desde

Leia mais

Manual de Gerenciamento de Projetos

Manual de Gerenciamento de Projetos TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 4ª REGIÃO ASSESSORIA DE GESTÃO ESTRATÉGICA ESCRITÓRIO DE PROJETOS ESTRATÉGICOS (EPE) Manual de Gerenciamento de Projetos SISTEMA DE GESTÃO ESTRATÉGICA Anexo da Portaria

Leia mais

Metodologia de Gerenciamento de Projetos da Justiça Federal

Metodologia de Gerenciamento de Projetos da Justiça Federal Metodologia de Gerenciamento de Projetos da Justiça Federal Histórico de Revisões Data Versão Descrição 30/04/2010 1.0 Versão Inicial 2 Sumário 1. Introdução... 5 2. Público-alvo... 5 3. Conceitos básicos...

Leia mais

Oficina de Gestão de Portifólio

Oficina de Gestão de Portifólio Oficina de Gestão de Portifólio Alinhando ESTRATÉGIAS com PROJETOS através da GESTÃO DE PORTFÓLIO Gestão de portfólio de projetos pode ser definida como a arte e a ciência de aplicar um conjunto de conhecimentos,

Leia mais

Gerenciamento de Projetos

Gerenciamento de Projetos Gerenciamento de Projetos PMI, PMP e PMBOK PMI (Project Management Institute) Estabelecido em 1969 e sediado na Filadélfia, Pensilvânia EUA, o PMI é a principal associação mundial, sem fins lucrativos,

Leia mais

Conceituar projetos e a gerência de projetos. Conhecer a importância e os benefícios do gerenciamento de projetos Conhecer o PMI, o PMBOK, os grupos

Conceituar projetos e a gerência de projetos. Conhecer a importância e os benefícios do gerenciamento de projetos Conhecer o PMI, o PMBOK, os grupos Gestão de Projetos Empresariais Objetivos: Conceituar projetos e a gerência de projetos. Conhecer a importância e os benefícios do gerenciamento de projetos Conhecer o PMI, o PMBOK, os grupos de processos

Leia mais

SINAL Sindicato Nacional dos Funcionários do Banco Central Conceitos básicos em gerenciamento de projetos

SINAL Sindicato Nacional dos Funcionários do Banco Central Conceitos básicos em gerenciamento de projetos Conceitos básicos em gerenciamento de projetos Projeto de regulamentação do Art. 192 da Constituição Federal Brasília (DF) Maio de 2009 i Conteúdo 1. Nivelamento de informações em Gerenciamento de Projetos...

Leia mais

Modelo de Gestão de Portfólio e Operação dos Escritórios de Projetos da Justiça Federal

Modelo de Gestão de Portfólio e Operação dos Escritórios de Projetos da Justiça Federal JUSTIÇA FEDERAL Modelo de Gestão de Portfólio e Operação dos Escritórios de Projetos da Justiça Federal 1ª Edição A estratégia direcionando a execução por meio da gestão e operação dos Escritórios de Projetos

Leia mais

Aula 3 Fase de Iniciação de projetos

Aula 3 Fase de Iniciação de projetos Aula 3 Fase de Iniciação de projetos Objetivos da Aula: Os objetivos desta aula são, basicamente, apresentar as atividades que constituem a fase inicial dos projetos. Alem disso, vamos discorrer sobre

Leia mais

Gerenciamento de Portfólio

Gerenciamento de Portfólio Qualidade, Processos e Gestão de Software Prof. Alexandre Vasconcelos e Prof. Hermano Perrelli Fabricio Araújo Gerenciamento de Portfólio Projetos? Projetos? Portifólios? Projetos? Projetos Programas Portfólio

Leia mais

Modelo de Gestão de Portfólio e Operação dos Escritórios de Projetos

Modelo de Gestão de Portfólio e Operação dos Escritórios de Projetos JUSTIÇA FEDERAL Modelo de Gestão de Portfólio e Operação dos Escritórios de Projetos Tribunal Regional Federal da 5ª Região 1ª Edição A Estratégia direcionando a Execução por meio da Gestão e Operação

Leia mais

Capítulo 1. Introdução ao Gerenciamento de Projetos

Capítulo 1. Introdução ao Gerenciamento de Projetos Capítulo 1 Introdução ao Gerenciamento de Projetos 2 1.1 DEFINIÇÃO DE PROJETOS O projeto é entendido como um conjunto de ações, executadas de forma coordenada por uma organização transitória, ao qual são

Leia mais

2. Gerenciamento de projetos

2. Gerenciamento de projetos 2. Gerenciamento de projetos Este capítulo contém conceitos e definições gerais sobre gerenciamento de projetos, assim como as principais características e funções relevantes reconhecidas como úteis em

Leia mais

Metodologia de Gerenciamento de Projetos, Programas e Portfólio do Tribunal Superior Eleitoral

Metodologia de Gerenciamento de Projetos, Programas e Portfólio do Tribunal Superior Eleitoral Metodologia de Gerenciamento de Projetos, Programas e Portfólio do Tribunal Superior Eleitoral 2 a edição Brasília 2013 Metodologia de Gerenciamento de Projetos, Programas e Portfólio do Tribunal Superior

Leia mais

NOVAS PRÁTICAS DE PLANEJAMENTO E DE GESTÃO ESTRATÉGICA NO BANCO CENTRAL DO BRASIL. André Pinheiro Machado Mueller

NOVAS PRÁTICAS DE PLANEJAMENTO E DE GESTÃO ESTRATÉGICA NO BANCO CENTRAL DO BRASIL. André Pinheiro Machado Mueller NOVAS PRÁTICAS DE PLANEJAMENTO E DE GESTÃO ESTRATÉGICA NO BANCO CENTRAL DO BRASIL André Pinheiro Machado Mueller Painel 19/069 Aprimoramento do modelo de gestão com foco em resultados no Banco Central

Leia mais

MANUAL GESTÃO DE PROJETOS. COORDENADORIA DE GESTÃO ESTRATÉGICA TRT6 ESCRITÓRIO DE PROJETOS Junho/2015

MANUAL GESTÃO DE PROJETOS. COORDENADORIA DE GESTÃO ESTRATÉGICA TRT6 ESCRITÓRIO DE PROJETOS Junho/2015 MANUAL DE GESTÃO DE PROJETOS COORDENADORIA DE GESTÃO ESTRATÉGICA TRT6 ESCRITÓRIO DE PROJETOS Junho/2015 SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO... 2 2 O QUE É PROJETO?... 2 3 O QUE É GESTÃO DE PROJETOS?... 3 4 ÁREAS DE ESPECIALIZAÇÃO...

Leia mais

fagury.com.br. PMBoK 2004

fagury.com.br. PMBoK 2004 Este material é distribuído por Thiago Fagury através de uma licença Creative Commons 2.5. É permitido o uso e atribuição para fim nãocomercial. É vedada a criação de obras derivadas sem comunicação prévia

Leia mais

I. FASE DE INICIAÇÃO objetiva formalizar a autorização de um projeto, ou fase de um projeto.

I. FASE DE INICIAÇÃO objetiva formalizar a autorização de um projeto, ou fase de um projeto. 1. FASES DA METODOLOGIA I. FASE DE INICIAÇÃO objetiva formalizar a autorização de um projeto, ou fase de um projeto. Esta fase inicial serve para detalhar os benefícios e os resultados esperados que este

Leia mais

PMO ESTRATÉGICO DE ALTO IMPACTO

PMO ESTRATÉGICO DE ALTO IMPACTO PMO ESTRATÉGICO DE ALTO IMPACTO TOBIAS ALBUQUERQUE E LEONARDO AVELAR OUTUBRO DE 2015 I. INTRODUÇÃO O conceito de escritórios de projetos Project Management Office (PMO) vem evoluindo desde meados da década

Leia mais

GERENCIAMENTO DE RISCOS EM PROJETOS: UMA COMPARAÇÃO ENTRE O PMBOK E A ISO-31000

GERENCIAMENTO DE RISCOS EM PROJETOS: UMA COMPARAÇÃO ENTRE O PMBOK E A ISO-31000 GERENCIAMENTO DE RISCOS EM PROJETOS: UMA COMPARAÇÃO ENTRE O E A -31000 Maildo Barros da Silva 1 e Fco.Rodrigo P. Cavalcanti 2 1 Universidade de Fortaleza (UNIFOR), Fortaleza-CE, Brasil phone: +55(85) 96193248,

Leia mais

ESCRITÓRIO DE PROJETOS CORPORATIVO DO INPI

ESCRITÓRIO DE PROJETOS CORPORATIVO DO INPI ESCRITÓRIO DE PROJETOS CORPORATIVO DO INPI O modelo implantado e as lições aprendidas PEDRO BURLANDY Maio/2011 SUMÁRIO 1. PREMISSAS E RESTRIÇÕES 2. DIAGNÓSTICO SUMÁRIO 3. O PROBLEMA E A META 4. O MODELO

Leia mais

ASPECTOS GERAIS DE PROJETOS

ASPECTOS GERAIS DE PROJETOS ASPECTOS GERAIS DE PROJETOS O que é PROJETO Um empreendimento com começo e fim definidos, dirigido por pessoas, para cumprir objetivos estabelecidos dentro de parâmetros de custo, tempo e especificações.

Leia mais

Como concluir um projeto com sucesso?

Como concluir um projeto com sucesso? Como concluir um projeto com sucesso? Luiz Eduardo Cunha, Eng. Professor da FAAP e do IMT 1 Luiz Eduardo Cunha Graduado em Engenharia de Produção EPUSP Pós-Graduado em Gestão do Conhecimento e Inteligência

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 506, DE 28 DE JUNHO DE 2013

RESOLUÇÃO Nº 506, DE 28 DE JUNHO DE 2013 Publicada no DJE/STF, n. 127, p. 1-3 em 3/7/2013. RESOLUÇÃO Nº 506, DE 28 DE JUNHO DE 2013 Dispõe sobre a Governança Corporativa de Tecnologia da Informação no âmbito do Supremo Tribunal Federal e dá outras

Leia mais

Gerenciamento de Projetos Modulo I Conceitos Iniciais

Gerenciamento de Projetos Modulo I Conceitos Iniciais Gerenciamento de Projetos Modulo I Conceitos Iniciais Prof. Walter Cunha falecomigo@waltercunha.com http://waltercunha.com Bibliografia* Project Management Institute. Conjunto de Conhecimentos em Gerenciamento

Leia mais

Combinando a norma ISO 10006 e o guia PMBOK para garantir sucesso em projetos

Combinando a norma ISO 10006 e o guia PMBOK para garantir sucesso em projetos Combinando a norma ISO 10006 e o guia PMBOK para garantir sucesso em projetos Combining the ISO 10006 and PMBOK to ensure successful projects 1 Por Michael Stanleigh Tradução e adaptação para fins didáticos

Leia mais

A estrutura do gerenciamento de projetos

A estrutura do gerenciamento de projetos A estrutura do gerenciamento de projetos Introdução O Guia do Conhecimento em Gerenciamento de Projetos (Guia PMBOK ) é uma norma reconhecida para a profissão de gerenciamento de projetos. Um padrão é

Leia mais

Teoria e Prática. Totalmente de acordo com a 4 a Edição/2009. Rosaldo de Jesus Nocêra, PMP, PMI-SP, MCTS. do PMBOK do PMI. Acompanha o livro:

Teoria e Prática. Totalmente de acordo com a 4 a Edição/2009. Rosaldo de Jesus Nocêra, PMP, PMI-SP, MCTS. do PMBOK do PMI. Acompanha o livro: Gerenciamento de Projetos Teoria e Prática Totalmente de acordo com a 4 a Edição/2009 do PMBOK do PMI Acompanha o livro: l CD com mais de 70 formulários exemplos indicados pelo PMI e outros desenvolvidos

Leia mais

Gestão de Processos Estratégicos

Gestão de Processos Estratégicos Gestão de Processos Estratégicos Fevereiro/2014 DEFINIÇÕES Rede de Desenvolvimento Integrado Arranjos que estimulam e proporcionam um comportamento (em rede) cooperativo entre agentes governamentais e

Leia mais

ESTÁGIO DE NIVELAMENTO DE GERENCIAMENTO DE PROJETOS MACROPROCESSO DE GESTÃO DO PORTFÓLIO

ESTÁGIO DE NIVELAMENTO DE GERENCIAMENTO DE PROJETOS MACROPROCESSO DE GESTÃO DO PORTFÓLIO ESTÁGIO DE NIVELAMENTO DE GERENCIAMENTO DE PROJETOS MACROPROCESSO DE GESTÃO DO PORTFÓLIO 05.11.2015 SUMÁRIO INTRODUÇÃO DEFINIÇÃO DE PORTFÓLIO CENÁRIO NEGATIVO DOS PORTFÓLIOS NAS ORGANIZAÇÕES GOVERNANÇA

Leia mais

Resultados alcançados com a Ferramenta Channel em implementação de sucesso da Gerência de Projetos no nível G de maturidade do MR-MPS

Resultados alcançados com a Ferramenta Channel em implementação de sucesso da Gerência de Projetos no nível G de maturidade do MR-MPS Resultados alcançados com a Ferramenta Channel em implementação de sucesso da Gerência de Projetos no nível G de maturidade do MR-MPS Mauricio Fiorese 1, Alessandra Zoucas 2 e Marcello Thiry 2 1 JExperts

Leia mais

FINANÇAS EM PROJETOS DE TI

FINANÇAS EM PROJETOS DE TI FINANÇAS EM PROJETOS DE TI 2012 Material 1 Prof. Luiz Carlos Valeretto Jr. 1 E-mail valeretto@yahoo.com.br Objetivo Objetivos desta disciplina são: reconhecer as bases da administração financeira das empresas,

Leia mais

RESOLUÇÃO GPGJ Nº 1.943 DE 13 DE OUTUBRO DE 2014.

RESOLUÇÃO GPGJ Nº 1.943 DE 13 DE OUTUBRO DE 2014. RESOLUÇÃO GPGJ Nº 1.943 DE 13 DE OUTUBRO DE 2014. Dispõe sobre o Modelo de Governança do Planejamento Estratégico do Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro. O PROCURADOR-GERAL DE JUSTIÇA DO ESTADO

Leia mais

Política de Gestão de Riscos

Política de Gestão de Riscos Política de Gestão de Riscos 1 OBJETIVO Fornecer as diretrizes para a Gestão de Riscos da Fibria, assim como conceituar, detalhar e documentar as atividades a ela relacionadas. 2 ABRANGÊNCIA Abrange todas

Leia mais

A NOVA POLÍTICA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO

A NOVA POLÍTICA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO Centro de Convenções Ulysses Guimarães Brasília/DF 4, 5 e 6 de junho de 2012 A NOVA POLÍTICA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO Pablo Sandin Amaral Renato Machado Albert

Leia mais

Proposta de Papéis e Atribuições para o Escritório de Projetos

Proposta de Papéis e Atribuições para o Escritório de Projetos Proposta de Papéis e Atribuições para o Escritório de Projetos SERVIÇO SOCIAL DA INDÚSTRIA DEPARTAMENTO NACIONAL CONTRATO Nº 9225/2007 Outubro 2007 SUMÁRIO APRESENTAÇÃO...3 1 CONTEXTUALIZAÇÃO DE ESCRITÓRIO

Leia mais

CARTILHA BÁSICA DE SUPORTE À GESTÃO DE PROJETOS VERSÃO 2.0

CARTILHA BÁSICA DE SUPORTE À GESTÃO DE PROJETOS VERSÃO 2.0 CARTILHA BÁSICA DE SUPORTE À GESTÃO DE PROJETOS VERSÃO 2.0 Este documento tem como objetivo disseminar conhecimentos básicos sobre gerenciamento de projetos aos secretários nacionais, gerentes de projetos

Leia mais

Questionário de Governança de TI 2014

Questionário de Governança de TI 2014 Questionário de Governança de TI 2014 De acordo com o Referencial Básico de Governança do Tribunal de Contas da União, a governança no setor público compreende essencialmente os mecanismos de liderança,

Leia mais

Plano de Gerenciamento das Comunicações

Plano de Gerenciamento das Comunicações Projeto: Simul-e Plano de Gerenciamento das Comunicações Versão 1.0 Página 1 de 9 Histórico da Revisão Data Versão Descrição Autor 01/11/2015 1.0 Criação do Documento Hugo Pazolline Página 2 de 9 Índice

Leia mais

Gerenciamento de Projetos Modulo I Conceitos Iniciais

Gerenciamento de Projetos Modulo I Conceitos Iniciais Gerenciamento de Projetos Modulo I Conceitos Iniciais Prof. Walter Cunha falecomigo@waltercunha.com http://waltercunha.com Bibliografia* Project Management Institute. Conjunto de Conhecimentos em Gerenciamento

Leia mais

PMBOK e Gerenciamento de Projetos

PMBOK e Gerenciamento de Projetos PMBOK e Gerenciamento de Projetos Gerenciamento de projetos (GP) é uma área de atuação e conhecimento que tem ganhado, nos últimos anos, cada vez mais reconhecimento e importância. Um dos principais difusores

Leia mais

08/09/2011 GERÊNCIA DA INTEGRAÇÃO PMBOK GESTÃO DE PROJETOS

08/09/2011 GERÊNCIA DA INTEGRAÇÃO PMBOK GESTÃO DE PROJETOS GESTÃO DE PROJETOS Prof. Me. Luís Felipe Schilling "Escolha batalhas suficientemente grandes para importar, suficientemente pequenas para VENCER." Jonathan Kozol GERÊNCIA DA INTEGRAÇÃO PMBOK 1 GERÊNCIA

Leia mais

Gerenciamento de portfolio de projetos alinhado aos objetivos estratégicos por meio do Balanced Scorecard

Gerenciamento de portfolio de projetos alinhado aos objetivos estratégicos por meio do Balanced Scorecard Gerenciamento de portfolio de projetos alinhado aos objetivos estratégicos por meio do Balanced Scorecard Alexandre Dias P. Cassiano 1 Farhad Abdollahyan 2 1- Pós-graduando MBA - FGV, MSc, Coordenador

Leia mais

RESOLUÇÃO - TCU Nº 247, de 7 de dezembro de 2011

RESOLUÇÃO - TCU Nº 247, de 7 de dezembro de 2011 RESOLUÇÃO - TCU Nº 247, de 7 de dezembro de 2011 Dispõe sobre a Política de Governança de Tecnologia da Informação do Tribunal de Contas da União (PGTI/TCU). O TRIBUNAL DE CONTAS DA UNIÃO, no uso de suas

Leia mais

Gestão de Programas Estruturadores

Gestão de Programas Estruturadores Gestão de Programas Estruturadores Fevereiro/2014 DEFINIÇÕES Rede de Desenvolvimento Integrado Arranjos que estimulam e proporcionam um comportamento (em rede) cooperativo entre agentes governamentais

Leia mais

Gerenciamento da Integração com metodologia PMBOK 30 h/a

Gerenciamento da Integração com metodologia PMBOK 30 h/a da Integração com 30 h/a Facundo Barbosa, MBA, PMP, ITIL, CSP 85 9444.9544 e 85 4005.5644 facunndo@mdb.com.br Slide 1 Metodologia Explanação Discussões em grupo Exercícios práticos Apresentação e estudo

Leia mais

Trilhas Técnicas SBSI - 2014

Trilhas Técnicas SBSI - 2014 brunoronha@gmail.com, germanofenner@gmail.com, albertosampaio@ufc.br Brito (2012), os escritórios de gerenciamento de projetos são importantes para o fomento de mudanças, bem como para a melhoria da eficiência

Leia mais

Unidade I GERENCIAMENTO DE. Profa. Celia Corigliano

Unidade I GERENCIAMENTO DE. Profa. Celia Corigliano Unidade I GERENCIAMENTO DE PROJETOS DE TI Profa. Celia Corigliano Objetivo Estimular o aluno no aprofundamento do conhecimento das técnicas de gestão profissional de projetos do PMI. Desenvolver em aula

Leia mais

GERENCIAMENTO DE PROJETOS

GERENCIAMENTO DE PROJETOS GERENCIAMENTO DE PROJETOS O que é um Projeto? Regra Início e fim definidos Destinado a atingir um produto ou serviço único Escopo definido Características Sequência clara e lógica de eventos Elaboração

Leia mais

ALINHAMENTO DA CULTURA ORGANIZACIONAL E DO ESTILO GERENCIAL AO MODELO DE GESTÃO COM FOCO EM RESULTADOS

ALINHAMENTO DA CULTURA ORGANIZACIONAL E DO ESTILO GERENCIAL AO MODELO DE GESTÃO COM FOCO EM RESULTADOS ALINHAMENTO DA CULTURA ORGANIZACIONAL E DO ESTILO GERENCIAL AO MODELO DE GESTÃO COM FOCO EM RESULTADOS Adalberto Felinto da Cruz Junior Helcio Almeida Sa Freire de Abreu Liziane Castilhos de Oliveira Freitas

Leia mais

Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO. Formação dos grupos de trabalho e Detalhamento das estratégias do Plano de Ação Julho 2014

Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO. Formação dos grupos de trabalho e Detalhamento das estratégias do Plano de Ação Julho 2014 Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO Formação dos grupos de trabalho e Detalhamento das estratégias do Plano de Ação Julho 2014 Grupos de trabalho: formação Objetivo: elaborar atividades e

Leia mais

Gestão da Tecnologia da Informação

Gestão da Tecnologia da Informação TLCne-051027-P0 Gestão da Tecnologia da Informação Disciplina: Governança de TI São Paulo, Outubro de 2012 0 Sumário TLCne-051027-P1 Conteúdo desta Aula Abordar o domínio Adquirir e Implementar e todos

Leia mais

Metodologia de Planejamento Estratégico e Gerenciamento de Portfólio

Metodologia de Planejamento Estratégico e Gerenciamento de Portfólio Tribunal de Justiça do Estado do Ceará Departamento de Estratégia e Projetos Metodologia de Planejamento Estratégico e Gerenciamento de Portfólio Fortaleza Dezembro de 2011 Créditos Elaboração Tribunal

Leia mais

Módulo 2: Gerenciamento de Escopo, Tempo e Custos do Projeto

Módulo 2: Gerenciamento de Escopo, Tempo e Custos do Projeto ENAP Diretoria de Desenvolvimento Gerencial Coordenação Geral de Educação a Distância Gerência de Projetos - Teoria e Prática Conteúdo para impressão Módulo 2: Gerenciamento de Escopo, Tempo e Custos do

Leia mais

Práticas institucionais e seus impactos em estruturas e processos organizacionais

Práticas institucionais e seus impactos em estruturas e processos organizacionais Práticas institucionais e seus impactos em estruturas e processos organizacionais INTRODOUÇÃO Aluna: Marcela Pestana Molinaro Orientadora: Sandra Regina da Rocha Pinto Observa-se que a área de gestão estratégica

Leia mais

MPR MPR/SPI-201-R00 GESTÃO DO PORTFÓLIO DE PROJETOS PRIORITÁRIOS

MPR MPR/SPI-201-R00 GESTÃO DO PORTFÓLIO DE PROJETOS PRIORITÁRIOS MPR MPR/SPI-201-R00 GESTÃO DO PORTFÓLIO DE PROJETOS PRIORITÁRIOS 06/2015 PÁGINA INTENCIONALMENTE EM BRANCO 2 15 de junho de 2015. Aprovado, Tiago Sousa Pereira 3 PÁGINA INTENCIONALMENTE EM BRANCO 4 REVISÕES

Leia mais

GESTÃO E OTIMIZAÇÃO DE PROCESSOS. Vanice Ferreira

GESTÃO E OTIMIZAÇÃO DE PROCESSOS. Vanice Ferreira GESTÃO E OTIMIZAÇÃO DE PROCESSOS Vanice Ferreira 12 de junho de 2012 GESTÃO E OTIMIZAÇÃO DE PROCESSOS: conceitos iniciais DE QUE PROCESSOS ESTAMOS FALANDO? GESTÃO E OTIMIZAÇÃO DE PROCESSOS: conceitos iniciais

Leia mais

Oficina 1: CUSTOS. Ocorrência Desafio Ocorrências Lições Aprendidas Melhorias Considerações SGE. Procurar parceiros que dividam ou arquem com custos

Oficina 1: CUSTOS. Ocorrência Desafio Ocorrências Lições Aprendidas Melhorias Considerações SGE. Procurar parceiros que dividam ou arquem com custos Oficina : CUSTOS 2 Orçamento sem financeiro (Cronograma X Desembolso) Comunicação quanto ao Risco de não execução do projeto Procurar parceiros que dividam ou arquem com custos Negociação com SPOA/Secr.

Leia mais

Projetos (PMO) : Oportunidades de Sinergia

Projetos (PMO) : Oportunidades de Sinergia Escritórios de Processos (BPM Office) e de Projetos (PMO) : Oportunidades de Sinergia Introdução...2 Uniformizando o entendimento dos conceitos... 4 Entendendo as principais similaridades... 5 Entendendo

Leia mais

Estrutura de Gerenciamento do Risco Operacional - 2010

Estrutura de Gerenciamento do Risco Operacional - 2010 Estrutura de Gerenciamento do Risco Operacional - 2010 Sumário 1. Introdução:...3 2. Abrangência:...3 3. Estrutura do Gerenciamento de Risco Operacional:...3 3.1. Estrutura de Gerenciamento do Risco Operacional:...4

Leia mais

Metodologia de Gestão de Projetos 2.1 APRESENTAÇÃO

Metodologia de Gestão de Projetos 2.1 APRESENTAÇÃO APRESENTAÇÃO Considerando a amplitude da missão da Secretaria de Tecnologia da Informação (STI) do TSE e o contexto de mudanças no qual está inserida, a STI adotou, em seu modelo de gestão, uma estrutura

Leia mais

04/02/2009. Curso Superior de Tecnologia: Redes de Computadores. Disciplina: Gestão de Projetos de TI. Prof.: Fernando Hadad Zaidan. Unidade 1.

04/02/2009. Curso Superior de Tecnologia: Redes de Computadores. Disciplina: Gestão de Projetos de TI. Prof.: Fernando Hadad Zaidan. Unidade 1. Faculdade INED Curso Superior de Tecnologia: Redes de Computadores Disciplina: Gestão de Projetos de TI Prof.: Fernando Hadad Zaidan 1 Unidade 1.1 2 Introdução ao Gerenciamento de Projetos 3 1 Leitura

Leia mais

3 Metodologia de Gerenciamento de Riscos

3 Metodologia de Gerenciamento de Riscos 3 Metodologia de Gerenciamento de Riscos Este capítulo tem como objetivo a apresentação das principais ferramentas e metodologias de gerenciamento de riscos em projetos, as etapas do projeto onde o processo

Leia mais

MASTER IN PROJECT MANAGEMENT

MASTER IN PROJECT MANAGEMENT MASTER IN PROJECT MANAGEMENT PROJETOS E COMUNICAÇÃO PROF. RICARDO SCHWACH MBA, PMP, COBIT, ITIL Atividade 1 Que modelos em gestão de projetos estão sendo adotados como referência nas organizações? Como

Leia mais

Criando Sinergia entre a Gestão de Projetos e a Gestão de Processos de Negócios

Criando Sinergia entre a Gestão de Projetos e a Gestão de Processos de Negócios Criando Sinergia entre a Gestão de Projetos e a Gestão de Processos de Negócios Allan Rocha Agosto / 2015 Agenda Objetivo do Mini-curso Contextualização Projetos x Processos Criando sinergia entre Projetos

Leia mais

RELATÓRIO SOBRE A GESTÃO DE RISCO OPERACIONAL NO BANCO BMG

RELATÓRIO SOBRE A GESTÃO DE RISCO OPERACIONAL NO BANCO BMG SUPERINTENDÊNCIA DE CONTROLE GERÊNCIA DE CONTROLE DE TESOURARIA ANÁLISE DE RISCO OPERACIONAL RELATÓRIO SOBRE A GESTÃO DE RISCO OPERACIONAL NO BANCO BMG Belo Horizonte 01 de Julho de 2008 1 SUMÁRIO 1. Introdução...02

Leia mais

Aula 2 Governança do projeto Papéis e Responsabilidades

Aula 2 Governança do projeto Papéis e Responsabilidades Aula 2 Governança do projeto Papéis e Responsabilidades Objetivos da Aula: Nesta aula, iremos conhecer os diversos papéis e responsabilidades das pessoas ou grupos de pessoas envolvidas na realização de

Leia mais

SGD. Sistema de Gestão do Desempenho Sistema Eletrobras. Versão Final

SGD. Sistema de Gestão do Desempenho Sistema Eletrobras. Versão Final SGD Sistema de Gestão do Desempenho Sistema Eletrobras Versão Final 2 APROVAÇÕES Resolução da Diretoria Executiva da Eletrobras DEE - 508/09, de 10.06.2009. Deliberação do Conselho de Administração da

Leia mais

Coaching em Projetos 29/07/2015. Utilização do Project Model Canvas (PMC) no Planejamento de projetos. PMI e PMBOK

Coaching em Projetos 29/07/2015. Utilização do Project Model Canvas (PMC) no Planejamento de projetos. PMI e PMBOK PMI e PMBOK Coaching em Projetos Utilização do (PMC) no Planejamento de projetos PMI 1969 (EUA) 170 Países Certificações (CAPM, PMP,...) +- 370 mil PMP`s Capítulos (+ de 250) Project Management Body of

Leia mais

Modelo de Maturidade Organizacional de Gerência de Projetos. Organizational Project Management Maturity Model - OPM3

Modelo de Maturidade Organizacional de Gerência de Projetos. Organizational Project Management Maturity Model - OPM3 Modelo de Maturidade Organizacional de Gerência de Projetos Introdução Organizational Project Management Maturity Model - OPM3 Um trabalho voluntário A idéia de um modelo não é novidade, as organizações

Leia mais

UNIVERSIDADE CANDIDO MENDES PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU INSTITUTO A VEZ DO MESTRE

UNIVERSIDADE CANDIDO MENDES PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU INSTITUTO A VEZ DO MESTRE UNIVERSIDADE CANDIDO MENDES PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU INSTITUTO A VEZ DO MESTRE A Aplicação do Gerenciamento de Risco nos Projetos de Implantação de ERP - Protheus. Por: Gisele Santos Ribeiro Orientador

Leia mais

MINISTÉRIO DA FAZENDA SECRETARIA EXECUTIVA

MINISTÉRIO DA FAZENDA SECRETARIA EXECUTIVA PROGRAMA DE MODERNIZAÇÃO INTEGRADA DO MINISTÉRIO DA FAZENDA - PMIMF MINISTÉRIO DA FAZENDA SECRETARIA EXECUTIVA ATORES DA REDE DE INOVAÇÃO 2 O MODELO CONTEMPLA: Premissas e diretrizes de implementação Modelo

Leia mais

www.plathanus.com.br

www.plathanus.com.br www.plathanus.com.br A Plathanus Somos uma empresa com sede na Pedra Branca Palhoça/SC, especializada em consultoria e assessoria na criação e desenvolvimento de estruturas e ambientes especializados com

Leia mais

Gerenciamento do Risco de Crédito

Gerenciamento do Risco de Crédito Gerenciamento do Risco de Crédito Documento TESTE INTRODUÇÃO O Conselho Monetário Nacional (CMN), por intermédio da Resolução no. 3.721 do Banco Central do Brasil (BACEN), determinou às instituições financeiras

Leia mais

Gerenciamento de Escopo na Gestão de Projetos

Gerenciamento de Escopo na Gestão de Projetos Gerenciamento de Escopo na Gestão de Projetos Airton Eustaquio Braga Junior aebjr@terra.com.br MBA Gestão de Projetos em Engenharia e Arquitetura Instituto de Pos-Graduação IPOG Goiania, GO, 02 de Setembro

Leia mais

Ciclo de Vida do Projeto. Se você não sabe onde está, um mapa não o ajudará. Watts S. Humphrey. Metodologia de Gestão de Projetos do STJ 29

Ciclo de Vida do Projeto. Se você não sabe onde está, um mapa não o ajudará. Watts S. Humphrey. Metodologia de Gestão de Projetos do STJ 29 3 Ciclo de Vida do Projeto Gestão de Projetos do STJ 29 Se você não sabe onde está, um mapa não o ajudará. Watts S. Humphrey O processo de trabalho da MGSTJ é orientado em quatro grupos de atividades:

Leia mais

Gerência de Projetos de Software CMM & PMBOK

Gerência de Projetos de Software CMM & PMBOK Gerência de Projetos de Software CMM & PMBOK http://www.sei.cmu.edu/ Prefácio do CMM Após várias décadas de promessas não cumpridas sobre ganhos de produtividade e qualidade na aplicação de novas metodologias

Leia mais

APRESENTAÇÃO DE PORTFOLIO DE SERVIÇOS

APRESENTAÇÃO DE PORTFOLIO DE SERVIÇOS APRESENTAÇÃO DE PORTFOLIO DE SERVIÇOS Versão 1 2010 A SIX SIGMA BRASIL apresenta a seguir seu portfolio de capacitação e consultoria de serviços de gerenciamento de projetos, processos (lean e seis sigma)

Leia mais

Ministério Público do Estado de Goiás

Ministério Público do Estado de Goiás Ministério Público do Estado de Goiás Apresentação Inicial PMO Institucional MP-GO 1 Um projeto é um esforço temporário empreendido para criar um produto, serviço ou resultado exclusivo. Em muitos casos

Leia mais

C O B I T. Gerenciamento dos Riscos Mitigação. Aceitação. Transferência. Evitar/Eliminar.

C O B I T. Gerenciamento dos Riscos Mitigação. Aceitação. Transferência. Evitar/Eliminar. C O B I T Evolução Estratégica A) Provedor de Tecnologia Gerenciamento de Infra-estrutura de TI (ITIM) B) Provedor de Serviços Gerenciamento de Serviços de TI (ITSM) C) Parceiro Estratégico Governança

Leia mais

POLÍTICA DE GOVERNANÇA COOPERATIVA

POLÍTICA DE GOVERNANÇA COOPERATIVA POLÍTICA DE GOVERNANÇA COOPERATIVA 1 1. APRESENTAÇÃO Esta política estabelece os princípios e práticas de Governança Cooperativa adotadas pelas cooperativas do Sistema Cecred, abordando os aspectos de

Leia mais

Metodologia de Gestão de Riscos nos Projetos Estratégicos

Metodologia de Gestão de Riscos nos Projetos Estratégicos Metodologia de Gestão de Riscos nos Projetos Estratégicos Fevereiro/2014 AGENDA Gestão de Riscos Metodologia de Gestão de Riscos nos Projetos Estratégicos AGENDA Gestão de Riscos Metodologia de Gestão

Leia mais

PMBOK 4ª Edição I. Introdução

PMBOK 4ª Edição I. Introdução PMBOK 4ª Edição I Introdução 1 PMBOK 4ª Edição Um Guia do Conhecimento em Gerenciamento de Projetos Seção I A estrutura do gerenciamento de projetos 2 O que é o PMBOK? ( Project Management Body of Knowledge

Leia mais

Metodologia de Gestão de Projetos do Tribunal de Justiça do Estado de Alagoas

Metodologia de Gestão de Projetos do Tribunal de Justiça do Estado de Alagoas Assessoria de Planejamento e Modernização do Poder Judiciário APMP Divisão de Gerenciamento de Projetos - DIGEP Metodologia de Gestão de Projetos do Tribunal de Justiça do Estado de Alagoas Março/2013

Leia mais

Implementação utilizando as melhores práticas em Gestão de Projetos

Implementação utilizando as melhores práticas em Gestão de Projetos Implementação utilizando as melhores práticas em Gestão de Projetos Objetivo dessa aula é mostrar a importância em utilizar uma metodologia de implantação de sistemas baseada nas melhores práticas de mercado

Leia mais

Portifólio de Serviços

Portifólio de Serviços Portifólio de Serviços A PM11K conta com uma abrangência de mercado muito grande graças ao seu modelo inovador. Aqui você contrata um consultor e, junto dele, mais centenas de outros consultores em rede,

Leia mais

Gerência de projetos Prof. Wagner Rabello Jr

Gerência de projetos Prof. Wagner Rabello Jr Gerência de projetos Prof. Wagner Rabello Jr 1. INTRODUÇÃO Antes de passarmos à resolução das questões propriamente ditas, vamos nos situar na matéria, pois tenho certeza de que a mesma não é muito conhecida

Leia mais

Gerenciamento do escopo

Gerenciamento do escopo Gerenciamento do escopo Gerenciamento do escopo Escopo pode ser definido como a soma dos produtos de um projeto, bem como a descrição de seus requisitos. O momento de definir o escopo é a hora em que o

Leia mais

PRÁTICA O ESCRITÓRIO DE PROJETOS DA SUPERINTENDÊNCIA CENTRAL DE PLANEJAMENTO COMO INSTRUMENTO DE GESTÃO ESTRATÉGICA DOS PROJETOS PRIORITÁRIOS DO PAI

PRÁTICA O ESCRITÓRIO DE PROJETOS DA SUPERINTENDÊNCIA CENTRAL DE PLANEJAMENTO COMO INSTRUMENTO DE GESTÃO ESTRATÉGICA DOS PROJETOS PRIORITÁRIOS DO PAI PRÁTICA O ESCRITÓRIO DE PROJETOS DA SUPERINTENDÊNCIA CENTRAL DE PLANEJAMENTO COMO INSTRUMENTO DE GESTÃO ESTRATÉGICA DOS PROJETOS PRIORITÁRIOS DO PAI Secretaria/Órgão: Secretaria de Estado de Gestão e Planejamento

Leia mais

Vivian Borim www.vivianborim.com.br viborim@uol.com.br

Vivian Borim www.vivianborim.com.br viborim@uol.com.br MBA em Gestão de Projetos Fundamentos de Gerenciamento de Projetos Vivian Borim www.vivianborim.com.br viborim@uol.com.br 02.08.2013 Conceitos Fundamentais de Projeto 04.08.2013 O Gerente de Projeto Escritório

Leia mais

PLANO DE CARGOS & SALÁRIOS UNIMED ANÁPOLIS

PLANO DE CARGOS & SALÁRIOS UNIMED ANÁPOLIS PLANO DE CARGOS & SALÁRIOS UNIMED ANÁPOLIS 1 ÍNDICE APRESENTAÇÃO... 02 1 OBJETIVO DO MANUAL... 03 2 CONCEITOS UTILIZADOS... 04 3 POLÍTICA DE CARGOS E SALÁRIOS... 06 4 POLÍTICA DE CARREIRA... 07 5 AVALIAÇÃO

Leia mais

Gestão de Projetos. Maurício Augusto Figueiredo. II Simpósio de Gestão Estratégica da Justiça do Trabalho. 15 de setembro de 2010

Gestão de Projetos. Maurício Augusto Figueiredo. II Simpósio de Gestão Estratégica da Justiça do Trabalho. 15 de setembro de 2010 Gestão de Projetos Maurício Augusto Figueiredo II Simpósio de Gestão Estratégica da Justiça do Trabalho 15 de setembro de 2010 Agenda Planejamento Estratégico x Gestão de Projetos Escritório de Projetos

Leia mais

PLANO DE COMUNICAÇÃO DA ESTRATÉGIA DO PODER JUDICIÁRIO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO. Poder Judiciário do Estado do Rio de Janeiro

PLANO DE COMUNICAÇÃO DA ESTRATÉGIA DO PODER JUDICIÁRIO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO. Poder Judiciário do Estado do Rio de Janeiro Revisão do Plano Estratégico 2013/2014 PLANO DE COMUNICAÇÃO DA ESTRATÉGIA DO PODER JUDICIÁRIO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO 2014 Página 1 de 16 Sumário 1 Apresentação... 3 2 Objetivos... 4 3 Público-Alvo

Leia mais

Minicurso : Elaboração de Projetos Dr. Manoel Veras 27.08.2014 8 as12

Minicurso : Elaboração de Projetos Dr. Manoel Veras 27.08.2014 8 as12 Minicurso : Elaboração de Projetos Dr. Manoel Veras 27.08.2014 8 as12 Dr. Manoel Veras Eng. de Telecomunicações, UFRN Mestre em Eng. de Telecomunicações, UNICAMP Doutor em Administração, USP EX-Cientista

Leia mais

Visão Geral sobre Gestão de Projetos e Iniciação de Projetos Aula 2

Visão Geral sobre Gestão de Projetos e Iniciação de Projetos Aula 2 Visão Geral sobre Gestão de Projetos e Iniciação de Projetos Aula 2 Miriam Regina Xavier de Barros, PMP mxbarros@uol.com.br Agenda Bibliografia e Avaliação 1. Visão Geral sobre o PMI e o PMBOK 2. Introdução

Leia mais

Manual do SGI Sistema de Gestão Integrada

Manual do SGI Sistema de Gestão Integrada Manual do SGI Sistema de Gestão Integrada Revisão 02 Manual MN-01.00.00 Requisito Norma ISO 14.001 / OHSAS 18001 / ISO 9001 4.4.4 Página 1 de 14 Índice 1. Objetivo e Abrangência 2. Documentos Referenciados

Leia mais