Ministério da Educação

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Ministério da Educação"

Transcrição

1 Page 1 of 22 Ministério da Educação Nº Sexta feira, 19 de junho de 2009 Gabinete do Ministro - Portarias de nºs 589 a 591, de 18 de junho de 2009 Gabinete do Ministro - Despachos do Ministro - Em 18 de junho de 2009 Conselho Nacional de Educação - Súmula de Pareceres - Reunião ordinária dos dias 2, 3 e 4 de junho/ 2009 Ministério da Educação GABINETE DO MINISTRO PORTARIA Nº 589, DE 18 DE JUNHO DE 2009 O MINISTRO DE ESTADO DA EDUCAÇÃO, no uso de suas atribuições legais, em conformidade com a Resolução CNE/CES no 1, de 03 de abril de 2001, e tendo em vista o Parecer no 130/2009, da Câmara de Educação Superior do Conselho Nacional de Educação, proferidos nos autos do Processo no / , resolve Art. 1º Reconhecer os cursos de pós-graduação stricto sensu, mestrado e doutorado, relacionados na planilha anexa ao Parecer, aprovados com conceitos entre "3" e "5" pelo Conselho Técnico- Científico - CTC da CAPES, nas reuniões realizadas em 21 e 25 de julho de 2008 (102ª Reunião) e em 9 e 10 de dezembro de 2008 (106ª Reunião), com prazo de validade determinado pela sistemática avaliativa. Art. 2o Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação. FERNANDO HADDAD (DOU de 19/06/2009 Seção I p.23) GABINETE DO MINISTRO PORTARIA Nº 590, DE 18 DE JUNHO DE 2009 O MINISTRO DE ESTADO DA EDUCAÇÃO, no uso de suas atribuições legais, em conformidade com a Resolução CNE/CES no 1, de 03 de abril de 2001, e tendo em vista o Parecer no 122/2009, da Câmara de Educação Superior do Conselho Nacional de Educação, proferidos nos autos do Processo no / , resolve Art. 1º Reconhecer os cursos de pós-graduação stricto sensu, mestrado e doutorado, relacionados na planilha anexa ao Parecer, aprovados com conceitos entre "3" e "5" pelo Conselho Técnico- Científico - CTC da CAPES, nas reuniões realizadas em 21 e 22 de novembro de 2006 (94ª Reunião); no período de 6 a 7 de março de 2007 (95ª reunião); no período de 21 a 25 de julho de 2008, (102ª reunião); no período de 15 a 19 de setembro de 2008 (103ª reunião); e no período de 20 a 23 de outubro de 2008 (104ª reunião), com prazo de validade determinado pela sistemática avaliativa. Art. 2o Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação. FERNANDO HADDAD (DOU de 19/06/2009 Seção I p.23) GABINETE DO MINISTRO PORTARIA Nº 591, DE 18 DE JUNHO DE 2009

2 Page 2 of 22 O MINISTRO DE ESTADO DA EDUCAÇÃO, no uso de suas atribuições legais, tendo em vista o disposto na Lei n o , de 23 de setembro de 2005, resolve: Art. 1 O Programa de Educação Tutorial PET reger-se-á pelo disposto na Lei n de 23 de setembro de 2005, e nesta Portaria, bem como pelas demais disposições legais aplicáveis. Art. 2 O PET constitui-se em programa de educação tutorial desenvolvido em grupos organizados a partir de cursos de graduação das instituições de ensino superior do País, orientados pelo princípio da indissociabilidade entre ensino, pesquisa e extensão, que tem por objetivos: I - desenvolver atividades acadêmicas em padrões de qualidade de excelência, mediante grupos de aprendizagem tutorial de natureza coletiva e interdisciplinar; II - contribuir para a elevação da qualidade da formação acadêmica dos alunos de graduação; III - estimular a formação de profissionais e docentes de elevada qualificação técnica, científica, tecnológica e acadêmica; IV - formular novas estratégias de desenvolvimento e modernização do ensino superior no país; e V - estimular o espírito crítico, bem como a atuação profissional pautada pela cidadania e pela função social da educação superior. 1 Os grupos PET serão criados conforme processo de seleção definido em edital da Secretaria de Educação Superior - SESu do Ministério da Educação. 2 A expansão dos grupos PET deverá estimular a vinculação dos novos grupos à áreas prioritárias e à políticas públicas e de desenvolvimento, assim como a correção de desigualdades regionais e a interiorização do programa. Art. 3 A implementação e a execução do PET serão coordenadas pela SESu, do Ministério da Educação. Parágrafo único. O PET organizar-se-á administrativamente através de um Conselho Superior, de Comitês Locais de Acompanhamento e de uma Comissão de Avaliação. Art. 4 O Conselho Superior tem a seguinte composição: I - Secretário de Educação Superior, que o presidirá e, em casos de empate nas deliberações, contará com voto qualificado; II - Diretor da Diretoria de Desenvolvimento da Rede IFES - DIFES; III - Coordenador do PET na SESu; IV - um representante da Comissão de Avaliação; V - um representante dos alunos bolsistas; VI - um representante dos professores tutores; e VII - um representante dos Pró-Reitores de Graduação 1 O representante referido nos incisos IV deste artigo será indicado pelo Secretário de Educação Superior, dentre os participantes da Comissão de Avaliação. 2 Os representantes referidos nos incisos V e VI deste artigo serão indicados por seus pares, dentre os participantes do PET. 3 O representante dos Pró-Reitores de Graduação referido no inciso VII deste artigo será indicado pelo Fórum Nacional dos PróReitores de Graduação das Universidades Brasileiras - For- GRAD. Art. 5 Compete ao Conselho Superior: I - apreciar propostas, critérios, prioridades e procedimentos para a extinção e para a criação de novos grupos; II - apreciar critérios, prioridades e procedimentos estabelecidos pela Comissão de Avaliação; III - formular propostas referentes ao funcionamento e à avaliação do PET; IV - assistir a SESu na elaboração das políticas e diretrizes específicas de atuação e evolução do PET; V - propor critérios e procedimentos para o acompanhamento e a avaliação do PET; VI - propor estudos e programas para o aprimoramento das atividades do PET; e VII - opinar sobre assuntos que lhe sejam submetidos por seu Presidente. Art. 6 Compete ao Presidente do Conselho Superior: I - nomear um membro da Comissão de Avaliação como membro do Conselho Superior; II - representar o Conselho, sempre que pertinente; III - presidir, supervisionar e coordenar os trabalhos do Conselho, promovendo todas as medidas necessárias à consecução das suas finalidades; IV - convocar as reuniões do Conselho; V - estabelecer a pauta de cada reunião; VI - resolver questões de ordem e exercer o voto de qualidade, se for o caso; e VII - constituir comissões ou grupos de trabalho, de caráter temporário, integrados por membros do Conselho Superior e por especialistas convidados, para realizar avaliações e outros estudos de interesse do PET. Art. 7 Os Comitês Locais de Acompanhamento do PET serão designados pelas instituições de ensino superior, compostos por tutores, professores conhecedores do programa e estudantes bolsistas PET, sendo dois terços dos seus membros indicados pelos integrantes do programa na instituição de ensino superior e um terço indicados pela Pró- Reitoria de Graduação ou órgão equivalente. 1 São atribuições dos Comitês Locais de Acompanhamento: I - apoiar institucionalmente as atividades dos grupos PET; II - receber as propostas de trabalho dos tutores, após aprovação pelo colegiado competente; III - verificar a coerência da proposta com o Plano de Desenvolvimento Institucional da instituição e o projeto pedagógico do curso de graduação pertinente;

3 Page 3 of 22 IV - referendar os processos de seleção e de desligamento de alunos bolsistas dos grupos, por proposta do professor tutor; V - elaborar o relatório consolidado da instituição e encaminhá- lo à SESu, com aprovo da Pró-Reitoria de Graduação ou equivalente; e VI - organizar dados e informações relativos ao PET e emitir pareceres por solicitação da SESu. 2 A Pró-Reitoria de Graduação ou órgão equivalente designará um interlocutor do PET, para apoiar administrativamente os grupos e representá-los institucionalmente junto à SESu. Art. 8 A Comissão de Avaliação será composta pelo Diretor da Diretoria de Desenvolvimento da Rede IFES, pelo Coordenador do PET na SESu e por dezesseis membros, na qualidade de consultores externos, nomeados pelo Secretário de Educação Superior, representando as seguintes áreas de conhecimento: Ciências Agrárias; Ciências Biológicas; Ciências da Saúde; Ciências Exatas e da Terra; Ciências Humanas; Ciências Sociais Aplicadas; Engenharias; Letras e Artes. Art. 9 O PET organizar-se-á academicamente a partir dos cursos de graduação, mediante a constituição de grupos de estudantes de graduação, sob a orientação de um professor tutor. 1 O grupo PET deverá realizar atividades que possibilitem uma formação acadêmica ampla aos estudantes e que envolvam ensino, pesquisa e extensão. 2 Os grupos PET deverão contribuir para a implementação de políticas públicas e de desenvolvimento em sua área de atuação, sendo que esta contribuição será considerada por ocasião das avaliações periódicas. 3 O grupo PET iniciará suas atividades com quatro bolsistas, sendo este o número mínimo de bolsistas para funcionamento do grupo a qualquer momento; 4 Cada nova expansão do grupo PET ocorrerá um ano após a anterior, observados o quantitativo de quatro novos bolsistas a cada etapa e o limite máximo de doze bolsistas. 5 A expansão do grupo PET será feita a partir de justificativa encaminhada pelo professor tutor ao Comitê Local de Acompanhamento e estará condicionada à avaliação positiva do grupo. 6 A implementação das novas bolsas dos grupos PET em expansão será efetuada somente após a homologação do processo por parte da instituição e sua autorização pela SESu. 7 A coordenação do curso de graduação ao qual o grupo está vinculado deverá participar do planejamento de atividades do grupo, estimular sua interação com o projeto pedagógico do curso e acompanhar sua avaliação, enriquecendo-a com a visão dessa instância acadêmico-administrativa. Art. 10. Poderá ser tutor de grupo PET o docente que atender aos seguintes requisitos: I - pertencer ao quadro permanente da instituição, sob contrato em regime de tempo integral e dedicação exclusiva; II - ter título de doutor; III - não acumular qualquer outro tipo de bolsa; IV - comprovar atuação efetiva em cursos e atividades da graduação nos três anos anteriores à solicitação ou à avaliação; e V - comprovar atividades de pesquisa e de extensão nos três anos anteriores à solicitação ou à avaliação. 1 Para efeitos do inciso IV, a atuação efetiva em cursos e atividades da graduação será aferida a partir de disciplinas oferecidas, orientação de iniciação científica ou de trabalhos de conclusão de curso e participação em conselhos acadêmicos. 2 Para efeitos do inciso V, a comprovação das atividades será feita através do Currículo Lattes do CNPq do tutor. 3 Excepcionalmente, a bolsa de tutoria poderá ser concedida a um professor com titulação de mestre. Art. 11. São atribuições do professor tutor: I - planejar e supervisionar as atividades do grupo e orientar os alunos bolsistas; II - coordenar a seleção dos bolsistas; III - submeter a proposta de trabalho para aprovação pelo curso de graduação antes do envio à Pró-Reitoria de Graduação; IV - organizar os dados e informações sobre as atividades do grupo para subsidiar a elaboração do Relatório da instituição de ensino superior e a avaliação pelo grupo de consultores avaliadores; V - dedicar carga horária mínima de oito horas semanais para orientação dos alunos bolsistas e do grupo, sem prejuízo das demais atividades previstas em sua instituição; VI - atender, nos prazos estipulados, às demandas da instituição e da SESu; VII - solicitar ao Comitê Local de Acompanhamento, por escrito, justificadamente, seu desligamento ou o de alunos bolsistas; VIII - controlar a freqüência e a participação dos estudantes; IX - elaborar a prestação de contas da aplicação dos recursos recebidos, a ser encaminhada à SESu; X - fazer referência a sua condição de bolsista do PET nas publicações e trabalhos apresentados; e XI - cumprir as exigências estabelecidas no Termo de Compromisso. Art. 12. O professor tutor de grupo PET receberá mensalmente bolsa de tutoria no valor de R$ 1.394,00 (mil trezentos e noventa e quatro reais). 1 No caso do art. 10, 2, a bolsa do professor tutor com título de mestre será de R$ 940,00 (novecentos e quarenta reais). 2 A bolsa de tutoria terá a duração de três anos, renovável por iguais períodos, conforme parecer da Comissão de Avaliação. Art. 13. O tutor de grupo PET receberá, semestralmente, o valor equivalente a uma bolsa por aluno participante, a ser aplicado integralmente no custeio das atividades do grupo.

4 Page 4 of 22 Parágrafo único. Na hipótese de aquisição de material didático, será obrigatória sua doação à instituição de ensino superior a qual o grupo PET está vinculado, ao final das atividades do grupo. Art. 14. Poderá ser bolsista de grupo PET o estudante de graduação que atender aos seguintes requisitos: I - estar regularmente matriculado em curso de graduação; II - não ser bolsista de qualquer outro programa; III - apresentar Coeficiente de Rendimento Escolar maior ou igual a 6,0 (seis); e IV - ter disponibilidade para dedicar vinte horas semanais às atividades do programa. 1 A participação de um aluno em um grupo PET dar-seá a partir da aprovação em processo de seleção, conduzido sob a responsabilidade de cada instituição de ensino superior. 2 O edital do processo de seleção de alunos para composição dos grupos do PET deverá ser divulgado oficialmente, no âmbito do respectivo curso de graduação, com antecedência mínima de oito dias de sua realização, incluindo informações sobre data, local, horário, critérios e procedimentos de seleção. Art. 15. São atribuições do aluno bolsista: I - zelar pela qualidade acadêmica do PET; II - participar de todas as atividades programadas pelo professor tutor; III - participar durante a sua permanência no PET em atividades de ensino, pesquisa e extensão; IV - manter bom rendimento no curso de graduação; V - apresentar excelente rendimento acadêmico avaliado pelo tutor; e VI - publicar ou apresentar em evento de natureza cientifica um trabalho acadêmico por ano, individualmente ou em grupo. VII - fazer referência à sua condição de bolsista do PET nas publicações e trabalhos apresentados; VIII - cumprir as exigências estabelecidas no Termo de Compromisso. Art. 16. O aluno bolsista de grupo PET receberá mensalmente uma bolsa no valor de R$ 300,00 (trezentos reais). Parágrafo único. O bolsista fará jus a um certificado de participação no PET após o tempo mínimo de dois anos de participação efetiva e comprovada no Programa, emitido por sua instituição. Art. 17. O aluno bolsista será desligado do grupo nos seguintes casos: I - conclusão, trancamento de matrícula institucional ou abandono do curso de graduação; II - desistência; III - rendimento acadêmico insuficiente; IV - acumular duas reprovações após o seu ingresso no PET; V - descumprimento das obrigações junto à Coordenação do Curso de Graduação; VI - descumprimento das atribuições previstas no art. 15 desta Portaria; e VII - prática ou envolvimento em ações não condizentes com os objetivos do PET ou com o ambiente universitário. Art. 18. Poderá ser admitida a participação de alunos não bolsistas em até metade do número de bolsistas por grupo. 1 Os alunos não bolsistas estarão sujeitos aos mesmos requisitos de ingresso e permanência exigidos para o aluno bolsista, inclusive quanto à participação no processo de seleção e ao atendimento do disposto no art. 15 desta Portaria. 2 Cada aluno não bolsista fará jus a um certificado de participação no PET após o tempo mínimo de dois anos de participação efetiva e comprovada no Programa, emitido pela respectiva instituição de ensino superior e de teor idêntico ao dos alunos bolsistas. 3 O aluno não bolsista terá prioridade para substituição de aluno bolsista, desde que preencha os requisitos para ingresso no PET à época da substituição. Art. 19. As bolsas dos tutores e alunos serão pagas pelo Fundo Nacional de Educação - FNDE, mediante o repasse de recursos pela SESu. Art. 20. O repasse dos recursos referentes ao valor de custeio das atividades dos respectivos grupos, referido no artigo 13 desta Portaria, será feito diretamente ao tutor pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior - Capes, mediante o repasse de recursos da SESu. Parágrafo único. A prestação de contas da verba de custeio será efetuada pelo tutor de acordo com a regulamentação da CAPES, observada a legislação pertinente. Art. 21. A avaliação dos grupos e tutores do PET tem por objetivo: I - promover a qualidade das ações do programa; II - consolidar o programa como ação de desenvolvimento da qualidade do ensino superior; III - identificar as potencialidades e limitações dos grupos participantes na consecução dos objetivos do programa; IV - sugerir ações de aprimoramento e reorientação de ações; V - recomendar, com base em critérios de qualidade, transparência e isenção, a expansão, a consolidação ou a extinção de grupos; e VI - contribuir para a consolidação de uma cultura de avaliação na graduação. Art. 22. Os procedimentos de avaliação serão realizados bienalmente por uma Comissão de Avaliação, à qual compete: I - avaliar o desempenho dos grupos PET e dos professores tutores; II - zelar pela qualidade acadêmica do PET e pela garantia do princípio da indissociabiliade entre ensino, pesquisa e extensão; III - emitir parecer sobre a expansão e a extinção de grupos; e IV - elaborar relatórios de natureza geral ou específica. Art. 23. A avaliação dos grupos PET será baseada nos seguintes indicadores: I - relatório anual do grupo; II - coeficiente de rendimento acadêmico do grupo;

5 Page 5 of 22 III - participação dos alunos do grupo em atividades, projetos e programas de ensino, pesquisa e extensão no âmbito do PET; IV - desenvolvimento de novas práticas e experiências pedagógicas no âmbito do curso de graduação; V - alinhamento das atividades do grupo a políticas públicas e de desenvolvimento na sua área específica de atuação; VI - publicações e participações em eventos acadêmicos de professores tutores e alunos bolsistas; VII - relatórios de auto-avaliação de alunos e tutores; e VIII - visitas locais quando identificada a necessidade. 1 O grupo PET poderá ser extinto em decorrência dos resultados de sua avaliação. 2 A extinção de um grupo PET não facultará à instituição de ensino superior a sua reposição, cabendo ao Secretário de Educação Superior a decisão de criação de novo grupo e a realocação dos respectivos recursos financeiros. Art. 24. A avaliação dos professores tutores será realizada com base nos seguintes indicadores de produção acadêmica: I - cumprimento das atividades inerentes ao PET; II - contribuição para a inovação e desenvolvimento do curso de graduação; III - publicações e produção científica; IV - disciplinas ministradas na graduação; V - orientação de trabalhos acadêmicos; VI - participação em conselhos acadêmicos; VII - material didático produzido a partir das atividades desenvolvidas pelo grupo; VIII - relação entre as ações planejadas e efetivamente executadas pelo grupo; IX - relatório anual da instituição de ensino superior; e X - relatório de avaliação dos alunos do grupo. Art. 25. O Ministério da Educação deverá compatibilizar a quantidade de bolsistas e o valor das bolsas com as dotações orçamentárias existentes, observados os limites de movimentação e empenho e de pagamento da programação orçamentária e financeira. Art. 26. Ficam revogadas as Portarias n 3.385, de 29 de setembro de 2005, n 1.632/2006 de 24 de setembro de 2006 e n 1.046/2007, de 7 de novembro de Art. 27. Esta Portaria entra em vigor na data da sua publicação. FERNANDO HADDAD (DOU de 19/06/2009 Seção I p.23) GABINETE DO MINISTRO DESPACHOS DO MINISTRO Em 18 de junho de 2009 Nos termos do art. 2o da Lei no 9.131, de 24 de novembro de 1995, o Ministro de Estado da Educação, HOMOLOGA o Parecer no 122/2009, da Câmara de Educação Superior do Conselho Nacional de Educação, favorável ao reconhecimento, com prazo de validade determinado pela sistemática avaliativa, dos 151 (cento e cinquenta e um) cursos de Mestrado e 103 (cento e três) cursos de Doutorado, relacionados em anexo, aprovados com conceitos entre "3" e "5" pelo Conselho Técnico-Científico - CTC nas reuniões realizadas no período de 21 a 22 de novembro de 2006 (94ª reunião); no período de 6 a 7 de março de 2007 (95ª reunião); no período de 21 a 25 de julho de 2008, (102ª reunião); no período de 15 a 19 de setembro de 2008 (103ª reunião); e no período de 20 a 23 de outubro de 2008 (104ª reunião), conforme consta dos Processos no / ANEXO 94ª Reunião do CTC CURSOS NOVOS 21 a 22 de novembro de 2006 Seq. Grande Área Área de Avaliação Nome do Curso Nível Nota Sigla Nome IES UF Região 1 CIÊNCIAS EXATAS E DA TERRA GEOCIÊNCIAS CLIMA E AMBIENTE (* ) ME 4 I N PA INSTITUTO NACIONAL DE PESQUISAS DA AMAZÔNIA AM NORTE DO UEA UNIVERSIDADE DO ESTADO DO AMAZONAS AM NORTE ( * ) Curso em Associação: onde constou da Portaria No- 612, de 22 de junho de DOU de 25 de junho de Parecer 115/ Processo: / Páginas 24 e 25 - Clima e Ambiente do INPA (Nível de Mestrado) e Portaria No de 10 de setembro de DOU de 11 de setembro de Parecer - 150/ Processo: / Páginas 31 e 34 - Clima e Ambiente (Nível de Doutorado), deverá constar Clima e Ambiente do INPA - Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia e Universidade do Estado do Amazonas - UEA em Nível de Mestrado e Doutorado. 95ª Reunião do CTC CURSOS NOVOS

6 Page 6 of a 07 de março de 2007 Seq. Grande Área Área de Avaliação Nome do Curso Nível Nota Sigla Nome IES UF Região 1 MULTIDISCIPLINAR INTERDISCIPLINAR GESTÃO DOS RECURSOS NATURAIS E DESENVOLVIMENTO LOCAL NA AMAZONIA MP 3 U F PA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ PA NORTE 102ª Reunião do CTC CURSOS NOVOS 21 a 25 de julho de 2008 Seq. Grande Área Área de Avaliação Nome do Curso Nível Nota Sigla Nome IES UF Região 1 CIÊNCIAS AGRÁRIAS CIÊNCIA DE ALIMENTOS TECNOLOGIA AGROALIMENTAR ME 3 U F P B / J. P. UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA/JOÃO PESSOA PB NORDESTE 2 CIÊNCIAS AGRÁRIAS CIÊNCIA DE ALIMENTOS CIÊNCIA E TECNOLOGIA DOS ALIMENTOS DO 4 UFSM UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA RS SUL 3 CIÊNCIAS AGRÁRIAS CIÊNCIA DE ALIMENTOS ENGENHARIA DE ALIMENTOS DO 4 URI UNIV. REGIONAL INTEGRADA DO ALTO URUGUAI E DAS MISSÕES RS SUL 4 CIÊNCIAS AGRÁRIAS CIÊNCIA DE ALIMENTOS ENGENHARIA DE ALIMENTOS ME DO 4 USP UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO SP 5 CIÊNCIAS AGRÁRIAS CIÊNCIAS AGRÁRIAS AGRICULTURA TROPICAL E SUBTROPICAL DO 4 IAC INSTITUTO AGRONÔMICO SP 6 CIÊNCIAS AGRÁRIAS CIÊNCIAS AGRÁRIAS AGRONOMIA (PRODUÇÃO VEGETA L) ME 3 UEMS UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MATO GROSSO DO SUL MS CENTRO-OESTE 7 CIÊNCIAS AGRÁRIAS CIÊNCIAS AGRÁRIAS ECOLOGIA APLICADA DO 4 UFLA UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS MG 8 CIÊNCIAS AGRÁRIAS CIÊNCIAS AGRÁRIAS AGRONOMIA DO 4 UNIOESTE UNIVERSIDADE ESTADUAL DO OESTE DO PARANÁ PR SUL 9 CIÊNCIAS AGRÁRIAS MEDICINA VETERINÁRIA CIÊNCIA ANIMAL NOS TRÓPICOS DO 4 UFBA UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA BA NORDESTE 10 CIÊNCIAS AGRÁRIAS MEDICINA VETERINÁRIA MEDICINA VETERINÁRIA EM RUMINANTES E EQUÍDEOS DO 4 UFCG UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE PB NORDESTE 11 CIÊNCIAS AGRÁRIAS MEDICINA VETERINÁRIA HIGIENE, INSPEÇÃO E TECNOLOGIA DE ALIMENTOS DE ORIGEM ANIMAL MP 4 UFF UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE RJ 12 CIÊNCIAS AGRÁRIAS MEDICINA VETERINÁRIA CIÊNCIAS VETERINÁRIAS DO 4 UFLA UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS MG 13 CIÊNCIAS AGRÁRIAS MEDICINA VETERINÁRIA SAÚDE ANIMAL NA AMAZÔNIA ME 3 U F PA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ PA NORTE 14 CIÊNCIAS AGRÁRIAS MEDICINA VETERINÁRIA CIÊNCIAS VETERINÁRIAS DO 4 UFPR UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ PR SUL 15 CIÊNCIAS AGRÁRIAS MEDICINA VETERINÁRIA MEDICINA ANIMAL: EQÜINOS ME DO 5 UFRGS UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL RS SUL 16 CIÊNCIAS AGRÁRIAS MEDICINA VETERINÁRIA MEDICINA VETERINÁRIA (REPRODUÇÃO ANIMAL) ME 3 UNIFENAS UNIVERSIDADE JOSÉ DO ROSÁRIO VELLANO MG 17 CIÊNCIAS AGRÁRIAS MEDICINA VETERINÁRIA IMUNOPATOLOGIA DO 4 UNIP UNIVERSIDADE PAULISTA SP 18 CIÊNCIAS AGRÁRIAS ZOOTECNIA / RECURSOS PESQUEIROS PRODUÇÃO ANIMAL SUSTENTÁ- VEL ME 3 IZ INSTITUTO DE ZOOTECNIA/APTA-SAA/SP SP 19 CIÊNCIAS AGRÁRIAS ZOOTECNIA / RECURSOS PESQUEIROS ZOOTECNIA ME 3 U FA L UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS AL NORDESTE 20 CIÊNCIAS AGRÁRIAS ZOOTECNIA / RECURSOS PESQUEIROS ZOOTECNIA ME 3 UFGD UNIVERSIDADE FEDERAL DA GRANDE DOURADOS MS CENTRO- OESTE 21 CIÊNCIAS AGRÁRIAS ZOOTECNIA / RECURSOS PESQUEIROS PRODUÇÃO ANIMAL DO 4 UFRRJ UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO RIO DE JANEIRO RJ 22 CIÊNCIAS BIOLÓGICAS CIÊNCIAS BIOLÓGICAS I GENÉTICA E BIOLOGIA MOLECULAR DO 4 UEL UNIVERSIDADE ESTADUAL DE LONDRINA PR SUL 23 CIÊNCIAS BIOLÓGICAS CIÊNCIAS BIOLÓGICAS I BIOLOGIA VEGETAL ME 4 UERJ UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO RJ 24 CIÊNCIAS BIOLÓGICAS CIÊNCIAS BIOLÓGICAS I BIODIVERSIDADE E CONSERVAÇÃO NOS TRÓPICOS ME 3 U FA L UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS AL NORDESTE 25 CIÊNCIAS BIOLÓGICAS CIÊNCIAS BIOLÓGICAS I BIOLOGIA ANIMAL DO 4 UFES UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO ES 26 CIÊNCIAS BIOLÓGICAS CIÊNCIAS BIOLÓGICAS I BIOLOGIA CELULAR E DO DES ENVOLVIMENTO ME DO 4 UFSC UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA SC SUL 27 CIÊNCIAS BIOLÓGICAS CIÊNCIAS BIOLÓGICAS II CIÊNCIAS FISIOLÓGICAS( ** ) ME DO 4 SBFIS SOCIEDADE BRASILEIRA DE FISIOLOGIA SP UEL UNIVERSIDADE ESTADUAL DE LONDRINA PR UNESP-Araçatuba UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA JÚLIO DE MESQUITA FILHO SP U N I FA L UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALFENAS MG UFSC UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA SC UFBA-Vitória da Conquista UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA BA UFVJM-Diamantina UNIVERSIDADE FEDERAL DOS VALES DO JEQUITINHONHA E MUCURI MG UFRRJ UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO RIO DE JANEIRO RJ 28 CIÊNCIAS BIOLÓGICAS CIÊNCIAS BIOLÓGICAS II INOVAÇÃO BIOFARMACÊUTICA MP 5 UFMG UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS MG 29 CIÊNCIAS BIOLÓGICAS CIÊNCIAS BIOLÓGICAS II BIOQUÍMICA E FISIOLOGIA DO 4 UFPE UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO PE NORDESTE 30 CIÊNCIAS BIOLÓGICAS CIÊNCIAS BIOLÓGICAS II BIOQUÍMICA E BIOLOGIA MOLECULAR DO 4 UFRN UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE RN NORDESTE 31 CIÊNCIAS BIOLÓGICAS CIÊNCIAS BIOLÓGICAS II FARMACOLOGIA MP 4 UFSC UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA SC SUL 32 CIÊNCIAS BIOLÓGICAS CIÊNCIAS BIOLÓGICAS II FARMACOLOGIA DO 4 UFSM UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA RS SUL 33 CIÊNCIAS BIOLÓGICAS CIÊNCIAS BIOLÓGICAS III IMUNOLOGIA BÁSICA E APLICADA ME 4 U FA M UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAZONAS AM NORTE 34 CIÊNCIAS BIOLÓGICAS CIÊNCIAS BIOLÓGICAS III MICROBIOLOGIA MÉDICA DO 4 UFC UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ CE NORDESTE 35 CIÊNCIAS BIOLÓGICAS CIÊNCIAS BIOLÓGICAS III MICROBIOLOGIA, PARASITOLOGIA E PATOLOGIA DO 4 UFPR UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ PR SUL 36 CIÊNCIAS BIOLÓGICAS ECOLOGIA E MEIO AMBIENTE ECOLOGIA E CONSERVAÇÃO DA BIODIVERSIDADE ME 3 UESC UNIVERSIDADE ESTADUAL DE SANTA CRUZ BA NORDESTE

7 Page 7 of CIÊNCIAS BIOLÓGICAS ECOLOGIA E MEIO AMBIENTE ECOLOGIA DO 4 UFRN UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE RN NORDESTE 38 CIÊNCIAS BIOLÓGICAS ECOLOGIA E MEIO AMBIENTE DIVERSIDADE BIOLÓGICA E CONSERVAÇÃO ME 3 UFSCAR UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO CARLOS SP 39 CIÊNCIAS DA SAÚDE EDUCAÇÃO FÍSICA FONOAUDIOLOGIA DO 4 PUC/SP PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO SP 40 CIÊNCIAS DA SAÚDE EDUCAÇÃO FÍSICA FISIOTERAPIA ME 3 UFPE UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO PE NORDESTE 41 CIÊNCIAS DA SAÚDE EDUCAÇÃO FÍSICA EDUCAÇÃO FÍSICA ME 3 UFRJ UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO RJ 42 CIÊNCIAS DA SAÚDE ENFERMAGEM ENFERMAGEM ME 3 FESP/UPE FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE DE PERNAMBUCO PE NORDESTE 43 CIÊNCIAS DA SAÚDE ENFERMAGEM ENFERMAGEM DO 4 FURG FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE RS SUL 44 CIÊNCIAS DA SAÚDE ENFERMAGEM CIÊNCIAS DO CUIDADO EM SAÚ- DE ME 3 UFF UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE RJ 45 CIÊNCIAS DA SAÚDE FARMÁCIA CIÊNCIAS FARMACÊUTICAS ME 3 U FA M UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAZONAS AM NORTE 46 CIÊNCIAS DA SAÚDE FARMÁCIA FARMÁCIA ME 3 UFBA UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA BA NORDESTE 47 CIÊNCIAS DA SAÚDE FARMÁCIA INOVAÇÃO TERAPÊUTICA ME DO 4 UFPE UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO PE NORDESTE 48 CIÊNCIAS DA SAÚDE FARMÁCIA CIÊNCIAS FARMACÊUTICAS DO 4 UFRJ UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO RJ 49 CIÊNCIAS DA SAÚDE FARMÁCIA DESENVOLVIMENTO E INOVAÇÃO TECNOLÓGICA EM MEDICAM ENTOS DO 4 UFRN UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE RN NORDESTE 50 CIÊNCIAS DA SAÚDE MEDICINA I CIÊNCIAS DA SAUDE DO 4 FUFSE FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE SE NORDESTE 51 CIÊNCIAS DA SAÚDE MEDICINA I SAÚDE E COMPORTAMENTO DO 5 UCPEL UNIVERSIDADE CATÓLICA DE PELOTAS RS SUL 52 CIÊNCIAS DA SAÚDE MEDICINA I CIÊNCIAS CARDIOVASCULARES DO 4 UFF UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE RJ 53 CIÊNCIAS DA SAÚDE MEDICINA I CIÊNCIAS MÉDICAS DO 4 UFF UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE RJ 54 CIÊNCIAS DA SAÚDE MEDICINA II PATOLOGIA GERAL DAS DOENÇAS INFECCIOSAS DO 4 UFES UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO ES 55 CIÊNCIAS DA SAÚDE MEDICINA II NUTRIÇÃO E SAÚDE ME 3 UFG UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS GO CENTRO-OESTE 56 CIÊNCIAS DA SAÚDE MEDICINA II SAÚDE HUMANA E MEIO AMBIENTE ME 3 UFPE UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO PE NORDESTE 57 CIÊNCIAS DA SAÚDE MEDICINA II ANATOMIA PATOLÓGICA DO 4 UFRJ UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO RJ 58 CIÊNCIAS DA SAÚDE MEDICINA II NUTRIÇÃO HUMANA DO 4 UNB UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA DF CENTRO-OESTE 59 CIÊNCIAS DA SAÚDE MEDICINA III CIÊNCIAS CIRÚRGICAS ME 3 UFRJ UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO RJ 60 CIÊNCIAS DA SAÚDE ODONTOLOGIA ODONTOLOGIA ME 3 UFMA UNIVERSIDADE FEDERAL DO MARANHÃO MA NORDESTE 61 CIÊNCIAS DA SAÚDE SAÚDE COLETIVA SAÚDE COLETIVA DO 4 UFMA UNIVERSIDADE FEDERAL DO MARANHÃO MA NORDESTE 62 CIÊNCIAS DA SAÚDE SAÚDE COLETIVA SAÚDE COLETIVA ME 3 UFPE UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO PE NORDESTE 63 CIÊNCIAS DA SAÚDE SAÚDE COLETIVA SAÚDE COLETIVA DO 4 UFRJ UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO RJ 64 CIÊNCIAS DA SAÚDE SAÚDE COLETIVA SAÚDE PÚBLICA DO 4 UFSC UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA SC SUL 65 CIÊNCIAS EXATAS E DA TERRA ASTRONOMIA / FÍSICA FÍSICA ME 3 UESC UNIVERSIDADE ESTADUAL DE SANTA CRUZ BA NORDESTE 66 CIÊNCIAS EXATAS E DA TERRA ASTRONOMIA / FÍSICA FÍSICA APLICADA ME 3 UFRPE UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DE PERNAMBUCO PE NORDESTE 67 CIÊNCIAS EXATAS E DA TERRA MATEMÁTICA / PROBABILIDADE E ESTATÍSTICA M AT E M Á T I C A ME 3 FUFPI FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ PI NORDESTE 68 CIÊNCIAS EXATAS E DA TERRA QUÍMICA QUÍMICA DO 4 UERJ UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO RJ 69 CIÊNCIAS EXATAS E DA TERRA QUÍMICA QUÍMICA ME DO 5 UFC UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ CE NORDESTE 70 CIÊNCIAS EXATAS E DA TERRA QUÍMICA QUÍMICA ME DO 5 UFF UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE RJ 71 CIÊNCIAS HUMANAS ANTROPOLOGIA / ARQUEOLOGIA ANTROPOLOGIA SOCIAL ME 3 UFG UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS GO CENTRO-OESTE 72 CIÊNCIAS HUMANAS CIÊNCIA POLÍTICA E RELAÇÕES INTERNACIONAIS CIÊNCIA POLÍTICA ME 3 UFPR UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ PR SUL 73 CIÊNCIAS HUMANAS CIÊNCIA POLÍTICA E RELAÇÕES INTERNACIONAIS RELAÇÕES INTERNACIONAIS ME DO 4 USP UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO SP 74 CIÊNCIAS HUMANAS EDUCAÇÃO EDUCAÇÃO DO 4 UCB UNIVERSIDADE CATÓLICA DE BRASÍLIA DF CENTRO-OESTE 75 CIÊNCIAS HUMANAS EDUCAÇÃO EDUCAÇÃO ME 3 UEMG UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MINAS GERAIS MG 76 CIÊNCIAS HUMANAS EDUCAÇÃO EDUCAÇÃO SOCIAL ME 3 UFMS FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO DO SUL MS CENTRO-OESTE 77 CIÊNCIAS HUMANAS EDUCAÇÃO EDUCAÇÃO DO 4 UFMT UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO MT CENTRO-OESTE 78 CIÊNCIAS HUMANAS EDUCAÇÃO EDUCAÇÃO, CONTEXTOS CONTEMPORÂNEOS E DEMANDAS POPULARES ME 3 UFRRJ UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO RIO DE JANEIRO RJ 79 CIÊNCIAS HUMANAS EDUCAÇÃO EDUCAÇÃO ME 3 UFV UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA MG 80 CIÊNCIAS HUMANAS EDUCAÇÃO EDUCAÇÃO E CONTEMPORANEIDADE DO 4 UNEB UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA BA NORDESTE 81 CIÊNCIAS HUMANAS EDUCAÇÃO EDUCAÇÃO ME 3 UNINCOR UNIVERSIDADE VALE DO RIO VERDE DE TRÊS CORAÇÕES MG 82 CIÊNCIAS HUMANAS EDUCAÇÃO EDUCAÇÃO DO 4 UNINOVE CENTRO UNIVERSITÁRIO NOVE DE JULHO SP 83 CIÊNCIAS HUMANAS EDUCAÇÃO EDUCAÇÃO ME 3 UNIPLAC/SC UNIVERSIDADE DO PLANALTO CATARINENSE SC SUL 84 CIÊNCIAS HUMANAS FILOSOFIA / TEOLOGIA: subcomissão FILOSOFIA FILOSOFIA ME 3 UFPE UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO PE NORDESTE 85 CIÊNCIAS HUMANAS FILOSOFIA / TEOLOGIA: subcomissão TEOLOGIA TEOLOGIA ME 3 PUC/PR PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO PARANÁ PR SUL 86 CIÊNCIAS HUMANAS HISTÓRIA HISTÓRIA COMPARADA DO 4 UFRJ UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO RJ 87 CIÊNCIAS HUMANAS SOCIOLOGIA SOCIOLOGIA DO 4 FUFSE FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE SE NORDESTE 88 CIÊNCIAS HUMANAS SOCIOLOGIA CIÊNCIAS SOCIAIS DO 4 PUC-RIO PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO RIO DE JANEIRO RJ 89 CIÊNCIAS HUMANAS SOCIOLOGIA CIÊNCIAS SOCIAIS ME 3 UEM UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ PR SUL 90 CIÊNCIAS HUMANAS SOCIOLOGIA CIÊNCIAS SOCIAIS DO 4 UFJF UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA MG 91 CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS ADMINISTRAÇÃO, CIÊNCIAS CONTÁBEIS E TURISMO GESTÃO E POLÍTICAS PÚBLICAS MP 4 EAESP/FGV ESCOLA DE ADMINISTRAÇÃO DE EMPRESAS DE SÃO PAULO SP 92 CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS ADMINISTRAÇÃO, CIÊNCIAS CONTÁBEIS E TURISMO CIÊNCIAS CONTÁBEIS ME 3 FUCAPE FUNDAÇÃO INSTITUTO CAPIXABA DE PESQ.EM CONT.ECON.E FINANÇAS ES 93 CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS ADMINISTRAÇÃO, CIÊNCIAS CONTÁBEIS E TURISMO ADMINISTRAÇÃO E CONTROLADORIA ME 3 UFC UNIVERSIDADE

8 Page 8 of 22 FEDERAL DO CEARÁ CE NORDESTE 94 CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS ADMINISTRAÇÃO, CIÊNCIAS CONTÁBEIS E TURISMO ADMINISTRAÇÃO E CONTROLADORIA MP 3 UFC UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ CE NORDESTE 95 CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS I : COMUNICAÇÃO COMUNICAÇÃO ME 3 IMES UNIVERSIDADE MUNICIPAL DE SÃO CAETANO DO SUL SP 96 CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS I : COMUNICAÇÃO CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO ME 4 UFF UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE RJ 97 CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS DIREITO CIÊNCIAS CRIMINAIS DO 4 PUC/RS PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO RIO GRANDE DO SUL RS SUL 98 CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS DIREITO DIREITO ME 3 UFRJ UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO RJ 99 CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS ECONOMIA ECONOMIA REGIONAL ME 3 UEL UNIVERSIDADE ESTADUAL DE LONDRINA PR SUL 100 CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS SERVIÇO SOCIAL POLÍTICAS PÚBLICAS E DESENVOLVIMENTO LOCAL ME 3 EMSCAM ESCOLA SUPERIOR DE CIÊNCIAS STA CASA MISERICÓRDIA VITÓRIA ES 101 ENGENHARIAS ENGENHARIAS I ENGENHARIA DE RECURSOS HÍ- DRICOS E AMBIENTAL DO 4 UFPR UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ PR SUL 102 ENGENHARIAS ENGENHARIAS I ENGENHARIA URBANA MP 3 UFRJ UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO RJ 103 ENGENHARIAS ENGENHARIAS I PROJETO DE ESTRUTURAS MP 3 UFRJ UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO RJ 104 ENGENHARIAS ENGENHARIAS I ENGENHARIA CIVIL E AMBIENTAL ME 3 UNESP/BAU UNIVERSIDADE EST.PAULISTA JÚLIO DE MESQUITA FILHO/ BAURU SP 105 ENGENHARIAS ENGENHARIAS I ENGENHARIA CIVIL ME 3 UTFPR UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ PR SUL 106 ENGENHARIAS ENGENHARIAS II ENGENHARIA METALÚRGICA E DE MATERIAIS ME 3 CEFET/ES CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECN. DO ESPÍRITO SANTO ES 107 ENGENHARIAS ENGENHARIAS II ENGENHARIA QUÍMICA ME 3 UFF UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE RJ 108 ENGENHARIAS ENGENHARIAS II TECNOLOGIAS ENERGÉTICAS NUCLEARES ME DO 5 UFPE UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO PE NORDESTE 109 ENGENHARIAS ENGENHARIAS II ENGENHARIA DE BIOCOMBUSTÍ- VEIS E PETROQUÍMICA MP 4 UFRJ UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO RJ 11 0 ENGENHARIAS ENGENHARIAS II AVALIAÇÃO DE IMPACTOS AMBIENTAIS EM MINERAÇÃO ME 3 UNILASALLE CENTRO UNIVERSITÁRIO LA SALLE RS SUL 111 ENGENHARIAS ENGENHARIAS III AUTOMAÇÃO E CONTROLE DE PROCESSOS MP 3 CEFET/SP CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECN. DE SÃO PAULO SP 11 2 ENGENHARIAS ENGENHARIAS III M E C AT R Ô N I C A MP 3 CEFET-SC CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE SANTA CATARINA SC SUL 11 3 ENGENHARIAS ENGENHARIAS III ENGENHARIA DE PRODUÇÃO MP 3 IST INSTITUTO SUPERIOR TUPY SC SUL 11 4 ENGENHARIAS ENGENHARIAS III ENGENHARIA MECÂNICA ME 3 UFSJ UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO JOÃO DEL REI MG 11 5 ENGENHARIAS ENGENHARIAS IV ENGENHARIA ELÉTRICA ME 3 CEFET/RJ CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECN. CELSO SUCKOW DA FONSECA RJ 11 6 ENGENHARIAS ENGENHARIAS IV ENGENHARIA ELÉTRICA DO 4 UFBA UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA BA NORDESTE 11 7 ENGENHARIAS ENGENHARIAS IV ENGENHARIA DE ELETRICIDADE DO 4 UFMA UNIVERSIDADE FEDERAL DO MARANHÃO MA NORDESTE 11 8 ENGENHARIAS ENGENHARIAS IV ENGENHARIA ELÉTRICA DO 4 UPM UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE SP 11 9 ENGENHARIAS ENGENHARIAS IV BIOENGENHARIA DO 4 USP/SC UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO/SÃO CARLOS SP 120 LINGÜÍSTICA, LETRAS E ARTES ARTES / MÚSICA TEATRO DO 4 UDESC UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA SC SUL 121 LINGÜÍSTICA, LETRAS E ARTES ARTES / MÚSICA ARTES ME 3 U F PA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ PA NORTE 122 LINGÜÍSTICA, LETRAS E ARTES ARTES / MÚSICA ARTES ME 3 UFU UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA MG 123 LINGÜÍSTICA, LETRAS E ARTES LETRAS / LINGUÍSTICA LETRAS ME 3 UFGD UNIVERSIDADE FEDERAL DA GRANDE DOURADOS MS CENTRO-OESTE 124 LINGÜÍSTICA, LETRAS E ARTES LETRAS / LINGUÍSTICA LETRAS ME 3 UFRR FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE RORAIMA RR NORTE 125 LINGÜÍSTICA, LETRAS E ARTES LETRAS / LINGUÍSTICA ESTUDOS DA TRADUÇÃO DO 5 UFSC UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA SC SUL 126 LINGÜÍSTICA, LETRAS E ARTES LETRAS / LINGUÍSTICA ESTUDOS LINGUÍSTICOS DO 4 UFU UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA MG 127 LINGÜÍSTICA, LETRAS E ARTES LETRAS / LINGUÍSTICA LETRAS ME 4 UFV UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA MG 128 LINGÜÍSTICA, LETRAS E ARTES LETRAS / LINGUÍSTICA LINGÜÍSTICA APLICADA ME 3 UNB UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA DF CENTRO-OESTE 129 LINGÜÍSTICA, LETRAS E ARTES LETRAS / LINGUÍSTICA LETRAS / ESTUDOS LITERÁRIOSLITERATURA BRASILEIRA ME 3 UNIMONTES UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MONTES CLAROS MG 130 MULTIDISCIPLINAR BIOTECNOLOGIA BIOTECNOLOGIA ME 4 UFOP UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO MG 131 MULTIDISCIPLINAR BIOTECNOLOGIA BIOTECNOLOGIA DO 4 UNAERP UNIVERSIDADE DE RIBEIRÃO PRETO SP 132 MULTIDISCIPLINAR ENSINO DE CIÊNCIAS E MATEMÁTICA ENSINO DE CIÊNCIAS E MATEMÁTICA ME 3 FUFSE FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE SE NORDESTE 133 MULTIDISCIPLINAR ENSINO DE CIÊNCIAS E MATEMÁTICA ENSINO DE CIÊNCIAS NATURAIS E MATEMÁTICA MP 3 FURB UNIVERSIDADE REGIONAL DE BLUMENAU SC SUL 134 MULTIDISCIPLINAR ENSINO DE CIÊNCIAS E MATEMÁTICA EDUCAÇÃO PARA A CIÊNCIA E A MATEMÁTICA DO 4 UEM UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ PR SUL 135 MULTIDISCIPLINAR ENSINO DE CIÊNCIAS E MATEMÁTICA EDUCAÇÃO MATEMÁTICA MP 3 UFJF UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA MG 136 MULTIDISCIPLINAR ENSINO DE CIÊNCIAS E MATEMÁTICA EDUCAÇÃO EM CIÊNCIAS E MATEMÁTICAS DO 4 U F PA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ PA NORTE 137 MULTIDISCIPLINAR ENSINO DE CIÊNCIAS E MATEMÁTICA EDUCAÇÃO MATEMÁTICA DO 4 UNIBAN UNIVERSIDADE BANDEIRANTE DE SÃO PAULO SP 138 MULTIDISCIPLINAR ENSINO DE CIÊNCIAS E MATEMÁTICA ENSINO CIENTIFICO E TECNOLÓ- GICO MP 3 URI UNIV. REGIONAL INTEGRADA DO ALTO URUGUAI E DAS MISSÕES RS SUL 139 MULTIDISCIPLINAR ENSINO DE CIÊNCIAS E MATEMÁTICA ENSINO DE CIÊNCIAS (MODALIDADES FÍSICA, QUÍMICA E BIOLOGIA) DO 4 USP UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO SP 140 MULTIDISCIPLINAR INTERDISCIPLINAR MODELAGEM COMPUTACIONAL E TECNOLOGIA INDUSTRIAIS ME 3 C I M AT E C FACULDADE DE TECNOLOGIA

9 Page 9 of 22 SENAI CIMATEC BA NORDESTE 141 MULTIDISCIPLINAR INTERDISCIPLINAR ENGENHARIA DE DEFESA ME 3 IME INSTITUTO MILITAR DE ENGENHARIA RJ 142 MULTIDISCIPLINAR INTERDISCIPLINAR FAMÍLIA NA SOCIEDADE CONTEMPORÂNEA DO 4 UCSAL UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SALVADOR BA NORDESTE 143 MULTIDISCIPLINAR INTERDISCIPLINAR CIÊNCIAS APLICADAS A PRODUTOS PARA SAÚDE ME 3 UFF UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE RJ 144 MULTIDISCIPLINAR INTERDISCIPLINAR CIÊNCIA E TECNOLOGIA AMB IENTAL ME 3 UFGD UNIVERSIDADE FEDERAL DA GRANDE DOURADOS MS CENTRO -OESTE 145 MULTIDISCIPLINAR INTERDISCIPLINAR ADOLESCENTE EM CONFLITO COM A LEI MP 3 UNIBAN UNIVERSIDADE BANDEIRANTE DE SÃO PAULO SP 146 MULTIDISCIPLINAR INTERDISCIPLINAR TECNOLOGIA ME 3 UNICAMP/Li UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS/LIMEIRA SP 147 MULTIDISCIPLINAR INTERDISCIPLINAR LETRAS E CIENCIAS HUMANAS ME 3 UNIGRANRIO UNIVERSIDADE DO GRANDE RIO - PROF JOSE DE SOUZA HERDY RJ 148 MULTIDISCIPLINAR INTERDISCIPLINAR MEMÓRIA SOCIAL E BENS CULTURAIS MP 3 UNILASALLE CENTRO UNIVERSITÁRIO LA SALLE RS SUL 149 MULTIDISCIPLINAR INTERDISCIPLINAR CIÊNCIA E TECNOLOGIA AMB IENTAL DO 4 U N I VA L I UNIVERSIDADE DO VALE DO ITAJAÍ SC SUL 150 MULTIDISCIPLINAR INTERDISCIPLINAR ENVELHECIMENTO HUMANO ME 3 UPF UNIVERSIDADE DE PASSO FUNDO RS SUL 151 MULTIDISCIPLINAR INTERDISCIPLINAR DISTÚRBIOS DO DESENVOLVIM ENTO DO 4 UPM UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE SP 152 MULTIDISCIPLINAR M AT E R I A I S TECNOLOGIA DE MATERIAIS E PROCESSOS INDUSTRIAIS MP 3 F E E VA L E CENTRO UNIVERSITARIO FEEVALE RS SUL 153 MULTIDISCIPLINAR M AT E R I A I S CIÊNCIA DOS MATERIAIS ME 3 UFSCAR UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO CARLOS SP 103ª Reunião do CTC CURSOS NOVOS 15 a 19 de setembro de 2008 Seq. Descrição Descrição Nome do Curso Nível CTC Sigla Nome IES UF Região 1 CIÊNCIAS AGRÁRIAS CIÊNCIA DE ALIMENTOS ALIMENTOS E NUTRIÇÃO M 3 FUFPI FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ PI NORDESTE 2 CIÊNCIAS AGRÁRIAS CIÊNCIA DE ALIMENTOS CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE ALIM ENTOS D 4 UFC UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ CE NORDESTE 3 CIÊNCIAS AGRÁRIAS CIÊNCIAS AGRÁRIAS CIÊNCIAS AGRÁRIAS M 3 C E F E T / RV CENTRO FEDERAL DE EDUCACAO TECNOLOGICA DE RIO VERDE - GO GO CENTRO-OESTE 4 CIÊNCIAS AGRÁRIAS CIÊNCIAS AGRÁRIAS CONTROLE DE DOENÇAS E PRAGAS DOS CITROS F 3 FPDC FUNDO DE DEFESA DA CITRICULTURA SP 5 CIÊNCIAS AGRÁRIAS CIÊNCIAS AGRÁRIAS AGRONOMIA (GENÉTICA E MEL HORAMENTO) M 3 FUFPI FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ PI NORDESTE 6 CIÊNCIAS AGRÁRIAS CIÊNCIAS AGRÁRIAS SOLOS E NUTRIÇÃO DE PLANTA S M 3 FUFPI FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ PI NORDESTE 7 CIÊNCIAS AGRÁRIAS CIÊNCIAS AGRÁRIAS BIOMETRIA E ESTATÍSTICA APLICADA D 4 UFRPE UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DE PERNAMBUCO PE NORDESTE 8 CIÊNCIAS AGRÁRIAS ZOOTECNIA / RECURSOS PESQUEIROS CIÊNCIA ANIMAL D 4 U F PA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ PA NORTE 9 CIÊNCIAS AGRÁRIAS ZOOTECNIA / RECURSOS PESQUEIROS PRODUÇÃO ANIMAL( ** ) M 3 UFRN UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE RN NORDESTE UFERSA UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO SEMI-ARIDO RN NORDESTE 10 CIÊNCIAS BIOLÓGICAS CIÊNCIAS BIOLÓGICAS I BIODIVERSIDADE ANIMAL D 4 UFSM UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA RS SUL 11 CIÊNCIAS DA SAÚDE EDUCAÇÃO FÍSICA CIÊNCIAS DO MOVIMENTO HUMANO D 4 UDESC UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA SC SUL 12 CIÊNCIAS DA SAÚDE ENFERMAGEM ENFERMAGEM E SAÚDE M 3 UESB UNIVERSIDADE ESTADUAL DO SUDOESTE DA BAHIA BA NORDESTE 13 CIÊNCIAS DA SAÚDE ODONTOLOGIA PERÍCIAS FORENSES M 3 FESP/UPE FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE DE PERNAMBUCO PE NORDESTE 14 CIÊNCIAS DA SAÚDE ODONTOLOGIA ODONTOLOGIA D 4 UEPG UNIVERSIDADE ESTADUAL DE PONTA GROSSA PR SUL 15 CIÊNCIAS DA SAÚDE ODONTOLOGIA ODONTOLOGIA D 4 UFC UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ CE NORDESTE 16 CIÊNCIAS DA SAÚDE ODONTOLOGIA ODONTOLOGIA D 4 UFPE UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO PE NORDESTE 17 CIÊNCIAS DA SAÚDE ODONTOLOGIA ODONTOLOGIA M 3 UFPR UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ PR SUL 18 CIÊNCIAS DA SAÚDE ODONTOLOGIA ODONTOLOGIA D 4 UNICSUL UNIVERSIDADE CRUZEIRO DO SUL SP 19 CIÊNCIAS EXATAS E DA TERRA ASTRONOMIA / FÍSICA FÍSICA M D 4 UEM UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ PR SUL 20 CIÊNCIAS EXATAS E DA TERRA ASTRONOMIA / FÍSICA CIÊNCIAS D 4 UEPG UNIVERSIDADE ESTADUAL DE PONTA GROSSA PR SUL 21 CIÊNCIAS EXATAS E DA TERRA QUÍMICA QUÍMICA M D 6 UFRJ UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO RJ 22 CIÊNCIAS HUMANAS ANTROPOLOGIA / ARQUEOLOGIA ANTROPOLOGIA E ARQUEOLOGIA M 3 FUFPI FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ PI NORDESTE 23 CIÊNCIAS HUMANAS ANTROPOLOGIA / ARQUEOLOGIA ANTROPOLOGIA SOCIAL D 4 UFSCAR UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO CARLOS SP 24 CIÊNCIAS HUMANAS CIÊNCIA POLÍTICA E RELAÇÕES INTERNACIONAIS RELAÇÕES INTERNACIONAIS M 3 UERJ UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO RJ 25 CIÊNCIAS HUMANAS CIÊNCIA POLÍTICA E RELAÇÕES INTERNACIONAIS ECONOMIA POLÍTICA INTERNACIONAL MD 5 UFRJ UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO RJ 26 CIÊNCIAS HUMANAS GEOGRAFIA GEOGRAFIA D 4 UFC UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ CE NORDESTE 27 CIÊNCIAS HUMANAS GEOGRAFIA GEOGRAFIA M 3 UFG UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS GO CENTRO-OESTE 28 CIÊNCIAS HUMANAS GEOGRAFIA GEOGRAFIA M 3 UFMS FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO DO SUL MS CENTRO-OESTE 29 CIÊNCIAS HUMANAS GEOGRAFIA DINÂMICA DA PAISAGEM E DOS ESPAÇOS RURAIS E URBANOS M 3 UNICENTRO UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CENTRO- OESTE PR SUL 30 CIÊNCIAS HUMANAS PSICOLOGIA PSICOLOGIA EXPERIMENTAL: ANÁLISE DO COMPORTAMENTO D 4 PUC/SP PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO SP

10 Page 10 of CIÊNCIAS HUMANAS PSICOLOGIA PSICOLOGIA M 3 UFSM UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA RS SUL 32 CIÊNCIAS HUMANAS PSICOLOGIA PSICOLOGIA CLÍNICA D 4 UNICAP UNIVERSIDADE CATÓLICA DE PERNAMBUCO SP 33 CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS ADMINISTRAÇÃO, CIÊNCIAS CONTÁBEIS E TURISMO ADMINISTRAÇÃO DAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS F 3 FA C C A M INSTITUTO DE ENSINO CAMPO LIMPO PAULISTA S/C LTDA SP 34 CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS ADMINISTRAÇÃO, CIÊNCIAS CONTÁBEIS E TURISMO ADMINISTRAÇÃO M 3 UNAMA UNIVERSIDADE DA AMAZÔNIA PA NORTE 35 CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS ARQUITETURA E URBANISMO DESIGN M 3 UEMG UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MINAS GERAIS MG 36 CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS ARQUITETURA E URBANISMO ARQUITETURA E URBANISMO D 4 UFMG UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS MG 37 CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS DIREITO DIREITO POLÍTICO E ECONÔMICO D 4 UPM UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE SP 38 CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS PLANEJAMENTO URBANO E REGIONAL / DEMOGRAFIA GESTÃO URBANA D 4 PUC/PR PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO PARANÁ PR SUL 39 CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS PLANEJAMENTO URBANO E REGIONAL / DEMOGRAFIA DESENVOLVIMENTO REGIONAL M 3 UEPB UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAIBA PB NORDESTE 40 ENGENHARIAS ENGENHARIAS I ENGENHARIA URBANA E AMB IENTAL F 3 PUC-RIO PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO RIO DE JANEIRO RJ 41 ENGENHARIAS ENGENHARIAS I GEOTECNIA E TRANSPORTES M 3 UFMG UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS MG 42 ENGENHARIAS ENGENHARIAS I ENGENHARIA DE EDIFICAÇÕES E AMBIENTAL M 3 UFMT UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO MT CENTRO-OESTE 43 ENGENHARIAS ENGENHARIAS III TECNOLOGIA DA ENERGIA F 3 FESP/UPE FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE DE PERNAMBUCO PE NORDESTE 44 ENGENHARIAS ENGENHARIAS III METROLOGIA E QUALIDADE F 4 INMETRO INST. NAC. METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL RJ 45 ENGENHARIAS ENGENHARIAS III ENGENHARIA DE RECURURSOS DA AMAZÔNIA M 3 U FA M UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAZONAS AM NORTE 46 ENGENHARIAS ENGENHARIAS III ENGENHARIA INDUSTRIAL M 4 UFBA UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA BA NORDESTE 47 ENGENHARIAS ENGENHARIAS III ENGENHARIA INDUSTRIAL F 4 UFBA UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA BA NORDESTE 48 ENGENHARIAS ENGENHARIAS III ENGENHARIA DE PRODUÇÃO F 3 UNIARA CENTRO UNIVERSITÁRIO DE ARARAQUARA SP 49 ENGENHARIAS ENGENHARIAS III ENGENHARIA DE PRODUÇÃO M 3 UNINOVE CENTRO UNIVERSITÁRIO NOVE DE JULHO SP 50 ENGENHARIAS ENGENHARIAS IV ENGENHARIA ELÉTRICA D 4 UFJF UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA MG 51 ENGENHARIAS ENGENHARIAS IV ENGENHARIA ELÉTRICA( ** ) M 3 UFSJ UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO JOÃO DEL REI MG CEFET-MG CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECN. DE MINAS GERAIS MG 52 LINGÜÍSTICA, LETRAS E ARTES LETRAS / LINGUÍSTICA LINGÜÍSTICA APLICADA D 4 UFRJ UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO RJ 53 LINGÜÍSTICA, LETRAS E ARTES LETRAS / LINGUÍSTICA LETRAS M 3 UNIMAR UNIVERSIDADE DE MARÍLIA SP 54 MULTIDISCIPLINAR ENSINO DE CIÊNCIAS E MATEMÁTICA ENSINO DE CIÊNCIAS E MATEMÁTICA D 4 UNICSUL UNIVERSIDADE CRUZEIRO DO SUL SP 55 MULTIDISCIPLINAR INTERDISCIPLINAR INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO EM SAÚDE MD 4 FIOCRUZ FUNDAÇÃO OSWALDO CRUZ RJ 56 MULTIDISCIPLINAR INTERDISCIPLINAR MODELOS DE DECISÃO E SAÚDE M 3 U F P B / J. P. UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA/JOÃO PESSOA PB NORDESTE 104ª Reunião do CTC CURSOS NOVOS 20 a 23 de outubro de 2008 Seq. Grande Área Área de Avaliação Nome do Curso Nível Nota Sigla Nome IES UF Região 1 CIÊNCIAS EXATAS E DA TERRA GEOCIÊNCIAS GEOLOGIA D 4 UFC UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ CE NORDESTE 2 CIÊNCIAS EXATAS E DA TERRA GEOCIÊNCIAS GEOQUÍMICA: PETRÓLEO E MEIO AMBIENTE M 3 UFBA UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA BA NORDESTE 3 CIÊNCIAS EXATAS E DA TERRA GEOCIÊNCIAS METEOROLOGIA M 3 UFRJ UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO RJ 4 CIÊNCIAS EXATAS E DA TERRA CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO D 4 UFSCAR UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO CARLOS SP 5 CIÊNCIAS EXATAS E DA TERRA CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO D 4 UFPR UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ PR SUL 6 CIÊNCIAS EXATAS E DA TERRA QUÍMICA QUÍMICA( ** ) D 4 UEL UNIVERSIDADE ESTADUAL DE LONDRINA PR SUL UNICENTRO UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CENTRO OESTE UEPG UNIVERSIDADE ESTADUAL DE PONTA GROSSA 7 CIÊNCIAS BIOLÓGICAS CIÊNCIAS BIOLÓGICAS II CIÊNCIAS FISIOLÓGICAS M D 5 UFSCAR UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO CARLOS SP 8 ENGENHARIAS ENGENHARIAS I ENGENHARIA CIVIL M 3 UFRN UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE RN NORDESTE 9 ENGENHARIAS ENGENHARIAS IV ENGENHARIA ELÉTRICA M 3 UTFPR UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ PR SUL 10 CIÊNCIAS DA SAÚDE SAÚDE COLETIVA SAÚDE PÚBLICA M 3 UEPB UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAIBA PB NORDESTE 11 CIÊNCIAS DA SAÚDE SAÚDE COLETIVA SAÚDE COLETIVA D 4 UEL UNIVERSIDADE ESTADUAL DE LONDRINA PR SUL 12 CIÊNCIAS DA SAÚDE MEDICINA I CIÊNCIAS DA SAÚDE M D 5 UFBA UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA BA NORDESTE 13 CIÊNCIAS DA SAÚDE MEDICINA I CIÊNCIAS MÉDICAS M D 5 USP UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO SP 14 CIÊNCIAS AGRÁRIAS CIÊNCIA DE ALIMENTOS CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO LEITE E DERIVADOS F 3 UFJF UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA MG 15 CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS I : COMUNICAÇÃO CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO M 3 UFPE UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO PE NORDESTE 16 CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS I : COMUNICAÇÃO CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO M D 4 UFRJ UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO RJ 17 CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS SERVIÇO SOCIAL POLÍTICA SOCIAL M 3 UFMT UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO MT CENTRO-OESTE 18 CIÊNCIAS HUMANAS PSICOLOGIA PSICOLOGIA M 3 U FA M UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAZONAS AM NORTE

11 Page 11 of CIÊNCIAS HUMANAS PSICOLOGIA PSICOLOGIA M 3 UFPR UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ PR SUL 20 LINGÜÍSTICA, LETRAS E ARTES LETRAS / LINGUÍSTICA ESTUDOS DE LINGUAGENS M 3 CEFET/MG CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECN. DE MINAS GERAIS MG 21 MULTIDISCIPLINAR INTERDISCIPLINAR RECURSOS NATURAIS DA AMAZÔNIA M 3 U F PA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ PA NORTE 22 MULTIDISCIPLINAR INTERDISCIPLINAR JUSTIÇA ADMINISTRATIVA F 4 UFF UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE RJ 23 MULTIDISCIPLINAR INTERDISCIPLINAR CULTURAS E IDENTIDADES BRASILEIRAS M 3 USP UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO SP 24 MULTIDISCIPLINAR INTERDISCIPLINAR EDUCAÇÃO, ARTE E HISTÓRIA DA CULTURA D 4 UPM UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE SP 25 MULTIDISCIPLINAR INTERDISCIPLINAR BIOINFORMÁTICA M 3 UFPR UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ PR SUL Nos termos do art. 2o da Lei no 9.131, de 24 de novembro de 1995, o Ministro de Estado da Educação HOMOLOGA o Parecer no 130/2009, da Câmara de Educação Superior do Conselho Nacional de Educação, favorável ao reconhecimento, com prazo de validade determinado pela sistemática avaliativa, dos seguintes cursos: Doutorado em Saúde Coletiva - UFSC; Doutorado em Desenvolvimento e Inovação Tecnológica em Medicamentos - UFRN, UFC, UFPB e UFRPE; Mestrado Acadêmico em Ecologia e Conservação da Biodiversidade - UESC; Doutorado e Mestrado Acadêmico em Ciências Cirúrgicas - UFRJ; Mestrado Acadêmico em Odontologia - UEPB; Doutorado e Mestrado Acadêmico em Física - UEM; Mestrado Acadêmico em Química - UFVJM; Mestrado Acadêmico em Educação: Processos Formativos e Desigualdades Sociais - UERJ; Doutorado em Educação - UNESA; Doutorado em Educação - UNISO; Mestrado Acadêmico em Psicologia Escolar e do Desenvolvimento Humano - UNIR; Mestrado Acadêmico em Ciências Sociais Aplicadas - UFBA; Mestrado Profissional em Arquitetura, Projeto e Meio Ambiente - UFRN; Doutorado em Desenho Industrial - UNESP/BAU; Mestrado Acadêmico em Estudos da Mídia - UFRN; Mestrado Acadêmico em Direito Público - UFU; Mestrado Acadêmico em Hermenêutica e Direitos Fundamentais - UNIPAC; Mestrado Acadêmico em Organizações e Mercados - UFPEL; Doutorado em Política Social - UFF; Mestrado Acadêmico em Crítica Cultural - UNEB; Doutorado em Ciências da Linguagem - UNISUL; Mestrado Profissional em Biotecnologia Industrial - UNICENP; Doutorado e Mestrado Acadêmico em Engenharia de Defesa - IME; Mestrado Acadêmico em Biociências e Reabilitação - IPA; Doutorado e Mestrado Acadêmico em Processos Interativos dos Órgãos e Sistemas - UFBA; Doutorado em Sociologia e Direito - UFF; Doutorado em Ciência Tecnologia e Inovação em Agropecuária - UFRRJ; Mestrado Acadêmico, em Educação e Saude na Infância e Adolescência - UNIFESP, relacionados na planilha anexa ao presente parecer, aprovados com conceitos entre "3" e "5" pelo Conselho Técnico-Científico - CTC da CAPES, nas reuniões realizadas em 21 e 25 de julho de 2008 (102ª Reunião) e em 9 e 10 de dezembro de 2008 (106ª Reunião), conforme consta do Processo no / FERNANDO HADDAD ANEXO Registre-se que nas planilhas a seguir constam a Fundação Instituto de Administração (FIA) e a Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (FIPE), as quais foram excluídas do Voto do Relator, por deliberação da Câmara de Educação Superior, seguindo orientação contida no Parecer CNE/CES no 12/2009, exarado pelo Conselheiro Edson Nunes. 102ª Reunião do CTC CURSOS NOVOS 21 a 25 de julho de 2008 Seq. Grande Área Área de Avaliação Nome do Curso Nível Nota Sigla Nome IES UF Região 1 Ciências da Saúde Saúde Coletiva (*) Saúde Coletiva DO 4 UFSC Universidade Federal de Santa Catarina SC SUL (*) Onde constou do Processo: CNE/CES - Saúde Pública da Universidade Federal de Santa Catarina-UFSC (Nível de Doutorado) deverá constar Saúde Coletiva da UFSC - Universidade Federal de Santa Catarina em Nível de Doutorado. Seq. Grande Área Área de Avaliação Nome do Curso Nível Nota Sigla Nome IES UF Região 2 Ciências da Saúde Farmácia Desenvolvimento e Inovação Tecnológica em Medicamentos (*) DO 4 UFRN Universidade Federal do Rio Grande do Norte RN NORDESTE UFC Universidade Federal do Ceará CE NORDESTE UFPB Universidade Federal da Paraíba PB NORDESTE UFRPE Universidade Federal Rural de Pernambuco PE NORDESTE (*) Curso em Associação: onde constou do Processo: CNE/CES - Farmácia da Universidade Federal do Rio Grande do Norte - UFRN (Nível de Doutorado) deverá constar Farmácia da UFRN - Universidade Federal do Rio Grande do Norte em Associação com a Universidade Federal do Ceará - UFC, Universidade Federal da Universidade Federal da Paraíba-UFPB e Universidade Federal Rural de Pernambuco - UFRPE em Nível de Doutorado. Legenda: ME- Mestrado Acadêmico DO- Doutorado MP- Mestrado Profissional ME/DO- Mestrado e Doutorado 106ª Reunião do CTC

12 Page 12 of 22 CURSOS NOVOS 9 a 10 de dezembro de 2008 Seq. Grande Área Área de Avaliação Nome do Curso Nível Nota Sigla Nome IES UF Região 1 Ciências Biológicas Ecologia e Meio Ambiente Ecologia e Conservação da Biodiversidade ME 4 UESC Universidade Estadual de Santa Cruz BA NORDESTE 2 Ciências da Saúde Medicina III Ciências Cirúrgicas MD 4 UFRJ Universidade Federal do Rio de Janeiro RJ 3 Ciências da Saúde Odontologia Odontologia ME 3 UEPB Universidade Estadual da Paraíba PB NORDESTE 4 Ciências Exatas e da Terra Astronomia/Física Física MD 5 UEM Universidade Estadual de Maringá PR SUL 5 Ciências Exatas e da Terra Química Química ME 3 UFVJM Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri MG 6 Ciências Humanas Educação Educação - Processos Formativos e Desigualdades Sociais ME 3 UERJ Universidade do Estado do Rio de Janeiro RJ 7 Ciências Humanas Educação Educação DO 4 UNESA Universidade Estácio de Sá RJ 8 Ciências Humanas Educação Educação DO 4 UNISO Universidade de Sorocaba SP 9 Ciências Humanas Psicologia Psicologia Escolar e do Desenvolvimento Humano ME 3 UNIR Universidade Federal de Rondonia RO NORTE 10 Ciências Sociais Aplicadas Administração, Ciências Contábeis e Turismo Gestão de Negócios MP 3 FIA Fundação Instituto de Administração SP 11 Ciências Sociais Aplicadas Administração, Ciências Contábeis e Turismo Ciências Sociais Aplicadas ME 3 UFBA Universidade Federal da Bahia BA NORDESTE 12 Ciências Sociais Aplicadas Arquitetura e Urbanismo Arquitetura, Projeto e Meio Ambiente MP 3 UFRN Universidade Federal do Rio Grande do Norte RN NORDESTE 13 Ciências Sociais Aplicadas Arquitetura e Urbanismo Desenho Industrial DO 4 UNESP/BAU Universidade Est.Paulista Júlio de Mesquita Filho/ Bauru SP 14 Ciências Sociais Aplicadas Ciências Sociais Aplicadas I: Comunicação Estudos da Mídia ME 3 UFRN Universidade Federal do Rio Grande do Norte RN NORDESTE 15 Ciências Sociais Aplicadas Direito Direito Público ME 3 UFU Universidade Federal de Uberlândia MG 16 Ciências Sociais Aplicadas Direito Hermenêutica e Direitos Fundamentais ME 3 U N I PA C Universidade Presidente Antonio Carlos MG 17 Ciências Sociais Aplicadas Economia Finanças MP 4 FIPE Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas SP 18 Ciências Sociais Aplicadas Economia Organizações e Mercados ME 3 UFPEL Universidade Federal de Pelotas RS SUL 19 Ciências Sociais Aplicadas Serviço social Política Social DO 4 UFF Universidade Federal Fluminense RJ 20 Lingüística, Letras e Artes Letras/Linguística Crítica Cultural ME 3 UNEB Universidade do Estado da Bahia BA NORDESTE 21 Lingüística, Letras e Artes Letras/Linguística Ciências da Linguagem DO 4 UNISUL Universidade do Sul de Santa Catarina SC SUL 22 Multidisciplinar Biotecnologia Biotecnologia Industrial MP 3 UNICENP Centro Universitário Positivo PR SUL 23 Multidisciplinar Interdisciplinar Engenharia de Defesa MD 4 IME Instituto Militar de Engenharia RJ 24 Multidisciplinar Interdisciplinar Biociências e Reabilitação ME 3 I PA Centro Universitário Metodista IPA RS SUL 25 Multidisciplinar Interdisciplinar Processos Interativos dos Órgãos e Sistemas MD 4 UFBA Universidade Federal da Bahia BA NORDESTE 26 Multidisciplinar Interdisciplinar Sociologia e Direito DO 4 UFF Universidade Federal Fluminense RJ 27 Multidisciplinar Interdisciplinar Ciência tecnologia e Inovação em Agropecuária DO 4 UFRRJ Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro RJ 28 Multidisciplinar Interdisciplinar Educação e Saúde na Infância e Adolescência ME 3 UNIFESP Universidade Federal de São Paulo SP CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO SECRETARIA EXECUTIVA SÚMULA DE PARECERES Reunião ordinária dos dias 2, 3 e 4 de junho/ 2009 CONSELHO PLENO Processo: / Parecer: CNE/CP 8/2009 Comissão: Regina Vinhaes Gracindo (Relatora), Antônio Carlos Caruso Ronca (Presidente), Francisco Aparecido Cordão, José Fernandes de Lima, Maria Beatriz Luce, Paulo Monteiro Vieira Braga Barone e Paulo Speller (Membros) Interessada: Associação Brasileira de Educação - ABE - Rio de Janeiro (RJ) Assunto: Consulta sobre o conceito da figura de "formados por treinamento em serviço" constante do parágrafo 4º do artigo 87 da LDB Voto da Comissão: A análise de mérito deste processo demonstra certa incongruência entre os artigos que tratam da formação dos profissionais da educação (artigos 61 a 67), desenvolvidos no corpo da LDB, e o artigo 87, contido nas disposições transitórias da mesma Lei. Assim, para encaminhar a consulta sobre o significado da expressão "formados por treinamento em serviço" presente no parágrafo 4º do artigo 87 da Lei No /96, outras questões precisaram ser analisadas como fundamento para o presente voto: (1) a opção do legislador quanto ao nível adequado para a formação de docentes e (2) a função transitória da formação em nível médio, na modalidade Normal, no quadro da formação docente. Nesse contexto, o presente parecer reafirma e encaminha que: 1) Se, como foi demonstrado, a formação dos docentes para a Educação Básica deve ser feita em nível superior, em curso de licenciatura, de graduação plena, em Instituições de Educação Superior - IES, cabe à União, Estados, Distrito Federal e Municípios, em regime de colaboração, estabelecer mecanismos que favoreçam a formação, em nível superior, de todos os docentes em exercício

13 Page 13 of 22 nas instituições de Educação Básica, com prazo limite a ser estipulado em seus projetos político-pedagógicos e consignado no Plano de Ações Articuladas (PAR) de seu município/estado/df. 2) A expressão "treinamento em serviço", constante do parágrafo 4º do artigo 87 da LDB, não deve ser compreendida como outra espécie ou outro nível de formação docente, mas sim como forma de expressão do Legislador, no sentido de garantir que todos os docentes em exercício nas escolas brasileiras possam adquirir formação docente de nível superior, realizada em formato próprio e original, necessariamente aprovado pelo MEC/CNE ou pelo Conselho Estadual respectivo, no caso de instituições estaduais ou municipais de educação superior, porque desenvolvida simultaneamente à prática docente, isto é, como capacitação em serviço em cursos presenciais ou a distância que garantam a associação entre teoria e prática e que levem em consideração a experiência do professor. O presente parecer e a respectiva resolução foram aprovados pela Comissão Bicameral de Formação de Professores do CNE em 5 de maio de 2009, os quais ora submetemos ao Conselho Pleno do CNE Processo: / Parecer: CNE/CP 9/2009 Comissão: Maria Beatriz Luce (Relatora), Antonio Carlos Caruso Ronca (Presidente), Francisco Aparecido Cordão, José Fernandes de Lima, Paulo Monteiro Vieira Braga Barone, Paulo Speller e Regina Vinhaes Gracindo (Membros) Interessado: MEC/Universidade Federal de Minas Gerais/Faculdade de Educação da UFMG - Belo Horizonte (MG) Assunto: Esclarecimento sobre a qualificação dos Licenciados em Pedagogia antes da Lei No /96 para o exercício das atuais funções de gestão escolar e atividades correlatas; e sobre a complementação de estudos, com apostilamento Voto da Comissão: A Comissão Bicameral de Formação de Professores responde à consulta do Colegiado do Curso de Pedagogia da Faculdade de Educação da Universidade Federal de Minas Gerais nos termos deste Parecer. E louva a oportunidade de se manifestar com uma orientação de estímulo às instituições de educação superior que se proponham a oferecer um Curso de Pedagogia projetado com percursos formativos diversificados e que ensejem a convivência entre aspirantes ao magistério e experimentados profissionais, quando acolhem estes para atualização e ampliação de sua formação inicial Processos: / e / SAPIEnS: Parecer: CNE/CP 10/2009 Relatora: Maria Beatriz Luce Interessado: Instituto de Cultura Espírita do Paraná - Curitiba (PR) Assunto: Recurso contra decisão do Parecer CNE/CES No- 18/2008, que trata do credenciamento do Centro Universitário Bezerra de Menezes, por transformação das Faculdades Integradas Espírita Voto da relatora: Nos termos do artigo 33 do Regimento Interno do CNE, conheço do recurso para, no mérito, negarlhe provimento, mantendo os efeitos da decisão contida no Parecer CNE/CES No- 18/2008, que se manifesta contrariamente ao credenciamento do Centro Universitário Bezerra de Menezes, por transformação das Faculdades Integradas Espírita, solicitado pelo Instituto de Cultura Espírita do Paraná, com sede no município de Curitiba, Estado do Paraná Decisão da Câmara: APROVADO por unanimidade CÂMARA DE EDUCAÇÃO BÁSICA Processo: / Parecer: CNE/CEB 11/2009 Relator: Francisco Aparecido Cordão Interessado: Roberto Francisco Alves - Cesário Lange (SP) Assunto: Consulta com base na Resolução CNE/CEB No- 1/2004 e solicitação de análise para emissão de diploma do Curso Técnico Especial em Mecânica ministrado pelo SENAI de Santa Catarina Voto do relator: Pelo exposto, nos termos deste Parecer, autoriza-se, em caráter excepcional, o Centro de Educação e Tecnologia SENAI de Luzerna, em Santa Catarina, a expedir ao Sr. Roberto Francisco Alves o correspondente Diploma de Técnico de Nível Médio em Mecânica, a que faz jus à vista dos resultados escolares obtidos. Situações similares deverão ser solucionadas no âmbito dos respectivos sistemas de ensino Processo: / Parecer: CNE/CEB 12/2009 Relator: Cesar Callegari

14 Page 14 of 22 Interessada: Escola Nova Era - Kosai- shi/província de Shizuoka-Ken (Japão) Assunto: Reexame do Parecer CNE/CEB No- 14/2007, que trata da validação do ensino ministrado pela Escola Nova Era, com sede em Kosai-shi, Província de Shizuoka-Ken, Japão Voto do relator: À vista do exposto, nos termos deste parecer, e considerando o atendimento à documentação solicitada, voto favoravelmente à validação dos documentos escolares referentes à Educação Infantil, ao Ensino Fundamental e ao Ensino Médio, emitidos pela Escola Nova Era, com sede em Kosai-shi, Província de Shizuoka-Ken, no Japão, a qual atende cidadãos brasileiros residentes naquele país Processo: / Parecer: CNE/CEB 13/2009 Relatora: Clélia Brandão Alvarenga Craveiro Relator ad hoc: Francisco Aparecido Cordão Interessado: Conselho Nacional de Educação/ Câmara de Educação Básica - Brasília (DF) Assunto: Diretrizes Operacionais para o atendimento educacional especializado na Educação Básica, modalidade Educação Especial Voto da relatora: Em vista do exposto, propõe-se a aprovação das Diretrizes Operacionais para a Educação Especial na forma deste Parecer e do Projeto de Resolução em anexo, do qual é parte integrante CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR Processo: / Parecer: CNE/CES 149/2009 Relatora: Marília Ancona-Lopez Interessada: Edwiges Rosa dos Santos - São Paulo (SP) Assunto: Convalidação de estudos e validação nacional do título obtido no curso de Mestrado em Educação, realizado no período de agosto de 2000 a julho de 2003, ministrado pelas Faculdades Integradas Hebraico Brasileiras Renascença Voto da relatora: Favorável à convalidação dos estudos e à validação nacional do título obtido por Edwiges Rosa dos Santos, RG No SSP-SP, após ter concluído com êxito o curso de Mestrado em Educação profissionalizante, no período de agosto de 2000 a julho de 2003, ministrado pelas Faculdades Integradas Hebraico Brasileiras Renascença (Sociedade Hebraico Brasileira Renascença - SHBR) Processo: / Parecer: CNE/CES 150/2009 Relator: Antonio Carlos Caruso Ronca Interessado: Instituto de Assistência Médica ao Servidor Público Estadual - IAMSPE - São Paulo (SP) Assunto: Convalidação de estudos e validação nacional de títulos obtidos nos cursos de Mestrado e Doutorado em Medicina, ministrados pelo Instituto de Assistência Médica ao Servidor Público Estadual - IAMPSE, sediado no município de São Paulo/SP, entre 1983 e 2001 Voto do relator: Favorável à convalidação de estudos de pós-graduação stricto sensu e à respectiva validação nacional dos títulos obtidos pelos 24 (vinte e quatro) alunos de Doutorado e pelos 60 (sessenta) alunos de Mestrado, nomeados e identificados na relação abaixo, que concluíram, com êxito, os cursos de Doutorado e de Mestrado em Medicina, respectivamente, ministrados pelo Instituto de Assistência Médica ao Servidor Público Estadual - IAMSPE/SP, com sede no município de São Paulo, no Estado de São Paulo. Doutorado - Medicina: Obstetrícia/Neonatologia e Ginecologia: 1. José Ricardo Dias Bertagnon SP; 2. Luis Roberto de Araújo Fernandes SP; 3. Sandra Dircinha Teixeira de Araújo SP; Gastroenterologia Cirúrgica: 4. Aiodair Martins Junior MG; 5. Carlos Mateus Rotta SP; 6. Joaquim Mendes Castilho Neto SP; 7. Alex Augusto da Silva MG; 8. Carlos Augusto Real Martinez SP; 9. Luiz Antonio Rossi SP. Psiquiatria: 10. Marcelo Feijó de Mello SP; 11. Maria Lucia Baltazar SP; 12. Giordano Estevão SP; Otorrinolaringologia: 13. Florisval Meinão SP; 14. Roberto Alcântara Maia SP; Clínica Médica: 15. Sonia Maria Sawaya Hirschheimer SP; 16. Marisa Cardeal Werner SP; 17. Betty Guz SP; 18. Josef Tock SP; 19. José Alexandre de Souza Sittart SP; 20. Ney Valente SP; 21. Luciano Renato Cavichio SP; 22. Edviges Maria Cezareto Pássaro SP; 23. João Aparecido Pimenta de Almeida SP; 24. Mario Cezar Pires SP; Mestrado - Medicina: Obstetrícia/Neonatologia e Ginecologia: 1. Luis Roberto Araújo Fernandes SP; 2. Reginaldo Guedes Coelho Lopes SP; 3. Bettina Barbosa Duque Figueira PE; 4. Andrea Cronemberger Rufino PI; 5. João Henrique de Araújo Fernandes SP; 6. Rievani de Sousa Damião PB; 7. Sidney Antonio Lagrosa Garcia SP; 8. Luiz Augusto Freire Lopes PE; 9. Gabriel André João Striker SP; 10. Julieta Massabni Zalc SP; Gastroenterologia Cirúrgica: 11. Martin Zavadinack Neto PR; 12.

15 Page 15 of 22 Eider Soares Cardoso AL; 13. Sérgio Pezollo SP; 14. Sérgio Norberto Zárate Arauz PPT C ; 15. Daniella Dantas Amaral SP; 16. Igor Brazioli Slivinskis SP; 17. Alexandre Bastos SP; 18. Reinaldo Kenji Suzuki SP; 19. Laércio Robles SP; Psiquiatria: 20. Antonia Elvira Tonos SP; 21. Durval Mazzei Nogueira Filho SP; 22. Eliana Curatolo SP; 23. Getúlio Bezerra Castro PB; 24. Lenine da Costa Ribeiro SP; 25. Ligia Mendonça Luchesi SP; 26. Luisa de Marillac Niro Terroni M MG; 27. Marcelo Feijó de Mello SP; 28. Nina Leão Marques Valente BA; 29. Sérgio Hazov Coura SP; 30. Luis de Moraes Altenfelder Silva Filho SP; Otorrinolaringologia: 31. Osvaldo Luis Souza Leme SP; 32. Tânia Akemi Tsuchiya SP; 33. Florisval Meinão SP; 34. Chang Dong Kim SP; 35. Mauricio Terci de Abreu SP; 36. Marcos Cunha da Silveira SP; 37. Marcelo Alfredo SP; 38. Renata Chade Aidar SP; 39. Vanessa Fernandes SP; Clínica Médica: 40. João Elias de Moura Junior SP; 41. José Alexandre de Souza Sittart SP; 42. Maria Roseli Monteiro Callado CE; 43. Mario Cezar Pires SP; 44. Roberto Adilson de Mattos SP; 45. Roberto Carlos Mazie SP; 46. Sonia Maria Sawaya Hirschheimer SP; 47. Maria Alice de Magalhães Scaranello SP; 48. José Carlos Mori SP; 49. Renato Anghinah SP; 50. Marcos Moraes Biancalana SP; 51. Ana Beatriz Pinotti Pedro Pegoraro SP; 52. Hideaki Cláudio Hironaka SP; 53. Maria Cristina Mayor Vizeu SP; 54. Roberto Rodrigues Junior SP; 55. Adriana Valéria Carvalho de Moraes SP; 56. Roberta Fachini Jardim Criado X-SP; 57. Regina Maria Fernandes SP; 58. Marcelo Jordão Lopes da Silva SP; 59. Paulo Ricardo Criado SP; 60. Marcos Ribeiro SP Processo: / Parecer: CNE/CES 151/2009 Relator: Edson de Oliveira Nunes Interessado: Frederico Augusto Tavares Junior - Rio de Janeiro (RJ) Assunto: Convalidação dos estudos realizados entre 2000 e 2001 e validação nacional do título obtido por Frederico Augusto Tavares Junior no curso de Mestrado em Administração - Gestão Empresarial, ministrado pelo Centro Universitário Metodista Bennett/RJ Voto do relator: Favorável à convalidação dos estudos e à validação nacional do título obtido pelo aluno Frederico Augusto Tavares Junior, ID No IFP/RJ, no Mestrado em Administração - Gestão Empresarial, ministrado entre 2000/2001 pelo Centro Universitário Metodista Bennett, mantido pelo Instituto Metodista Bennett, ambos com sede à Rua Marquês de Abrantes, No- 55, Flamengo, no município do Rio de Janeiro, Estado do Rio de Janeiro Processo: / Parecer: CNE/CES 152/2009 Relator: Aldo Vannucchi Interessado: José Henrique Duarte Neto - Belo Jardim (PE) Assunto: Consulta da Coordenação-Geral de Gestão de Pessoas da Subsecretaria de Assuntos Administrativos do Ministério da Educação sobre o reconhecimento de diploma que confere o título de Mestre em Ciências da Educação Superior, obtido na Universidade Matanzas "Camilo Cienfuegos", em Cuba, pelo interessado, para progressão por titulação e acréscimo de vencimento Voto do relator: Voto no sentido de que se responda à Coordenação- Geral de Gestão de Pessoas da Subsecretaria de Assuntos Administrativos do Ministério da Educação que os títulos de pós-graduação obtidos em instituições estrangeiras, para quaisquer fins, devem ser devidamente reconhecidos, nos termos da Lei No /96 e da Resolução CNE/CES No- 1/2001 Processos: / e / Parecer: CNE/CES 153/2009 Relator: Paulo Speller Interessados: José Carlos Simões Florençano e outros - Taubaté (SP) Assunto: Convalidação de estudos e validação nacional de títulos obtidos no Programa de Pós-Graduação stricto sensu em Ciências Ambientais (mestrado e doutorado) da Universidade de Taubaté, com ingresso entre os anos de 1998 e 2000 Voto do relator: Favorável à convalidação de estudos e à validação nacional dos respectivos títulos de Mestrado em Ciências Ambientais e de Doutorado em Ciências Ambientais obtidos pelos 49 (quarenta e nove) alunos abaixo relacionados, ingressantes entre os anos de 1998 e 2000 no Programa de Pós-Graduação em Ciências Ambientais da Universidade de Taubaté - UNITAU, com sede no município de Taubaté, Estado de São Paulo. Mestrado: 1. Alexandra Aparecida Lobato SSP/SP; 2. Ana Maria Zaroni Lindenberg SSP/SP; 3. Ana Priscilla Zandonadi Cipriano SSP/SP; 4. Bianca Calzetta SSP/SP; 5. Carlos Eugênio Monteclaro César Júnior SSP/SP; 6. Carlos Fernando Lemos IPF/RJ; 7. Eder Salim Minhoto SSP/SP; 8.

16 Page 16 of 22 Ederaldo Godoy Júnior SSP/SP; 9. Ediane Nadia Nogueira Paranhos Gomes dos Santos SSP/SP; 10. Edmundo Dantes Pacheco SSP/SP; 11. Eduardo Carlos Pinto SSP/SP; 12. Eduardo Cunha Montesi SSP/SP; 13. Eduardo Santos Guimarães SSP/SP; 14. Fabio de Oliveira Sanches SSP/SP; 15. Fátima Cristina Hidalgo de Oliveira Souza SSP/SP; 16. Frederico Lúcio de Almeida Gama SSP/SP; 17. George Rembrandt Gutlich SSP/SP; 18. Jane Rose Dias Dionísio Rodrigues SSP/SP; 19. Jânia Arouca SSP/SP; 20. José Benedito Prado SSP/SP; 21. José Carlos Simões Florençano SSP/SP; 22. Josef David Yaari SSP/SP; 23. Juliana Marcondes Bussolotti SSP/SP; 24. Lúcio Simões de Araújo SSP/SP; 25. Luiz Roberto Mazzeo Machado SSP/SP; 26. Maria Dalila Agostini SSP/SP; 27. Maria Ilisi Monteiro SSP/SP; 28. Maria Lucia Firmino de Oliveira Carvalho SSP/SP; 29. Marta Leite da Silva Nascimento SSP/SP; 30. Mônica Taveira Cruz SSP/RJ; 31. Neili Peixoto Magalhães SSP/SP; 32. Nelson Gonçalves Prianti Júnior SSP/SP; 33. Nelson Nassif de Mesquita SSP/SP; 34. Pedro de Campos SSP/SP; 35. Renata Marzzano de Carvalho SSP/SP; 36. Ronaldo de Castro Corrêa SSP/SP; 37. Rosa Kasue Saito Sasaki SSP/SP; 38. Rose Maria Arantes Santos SSP/SP; 39. Rosimeire Aparecida Lucca Gonçales SSP/SP; 40. Solange Gomes Botão SSP/SP; 41. Teresa Cristina Faivichenco Espíndola Ronconi SSP/SP; 42. Tulio Cesar Naves Silva SSP/SP; 43. Wanderlei Alves SSP/SP; Doutorado: 1. Carlos Roberto de Oliveira Almeida SSP/SP; 2. Francisco José Moreira Chaves SSP/SP; 3. José Carlos Mendieta Chávez SSP/SP; 4. João Luiz Gadioli SSP/SP; 5. Maria Cecília Barbosa de Toledo SSP/SP; 6. Patrícia Diana Edith Belfort de Souza e Camargo Ortiz Monteiro SSP/SP Processo: / Parecer: CNE/CES 154/2009 Relatora: Marília Ancona-Lopez Interessado: MEC/Universidade Federal de Alfenas - Alfenas (MG) Assunto: Convalidação de estudos e validação nacional dos títulos obtidos no curso de Mestrado em Odontologia, área de concentração Endodontia, ofertado pela Universidade Federal de Alfenas - UNIFAL/MG, no período entre 1995 e 2004 Voto da relatora: Favorável à convalidação dos estudos e à validação nacional dos títulos obtidos pelos 13 (treze) alunos abaixo relacionados, que concluíram com êxito o curso de Mestrado em Odontologia, área de concentração em Endodontia, ministrado pela Universidade Federal de Alfenas, com sede no município de Alfenas, no Estado de Minas Gerais. 1. Homero José da Silveira M MG; 2. Marcone Reis Luiz M MG; 3. Alayde Bueno Nogueira Moysés M MG; 4. Renata Ribeiro Bruzadelli da Silveira M MG; 5. Carlos Antonio da Silva M MG; 6. Pedro Rehder Filho M MG; 7. Angela Engel Naves M MG; 8. Sirley de Oliveira Cardoso M MG; 9. Luiz Antonio Lyon M MG; 10. Helio Augusto Serrano de Moura Leite M MG; 11. Rafael Tobias Moretti Neto SP; 12. Jose Dias da Silva Neto MG MG; 13. Luiz Henrique Nassar Naback M MG Processo: / Parecer: CNE/CES 155/2009 Relator: Aldo Vannucchi Interessado: MEC/Universidade Federal de Alfenas - Alfenas (MG) Assunto: Convalidação de estudos e validação nacional de títulos obtidos no curso de Mestrado em Ciências Biológicas, ministrado pela Universidade Federal de Alfenas, entre os anos de 1995 e 2004 Voto do relator: Favorável à convalidação dos estudos, bem como à validação nacional dos títulos de Mestre dos alunos abaixo relacionados, ingressantes no curso de Mestrado em Ciências Biológicas da Universidade Federal de Alfenas - UNIFAL, situada no município de Alfenas, Estado de Minas Gerais, entre os anos de 1995 e Adriana Esteves Mansano M MG; 2. Alessandra Cristina Pupin Silvério MG; 3. Ana Cláudia Pedreira de Almeida M MG; 4. Ana Marina Silveira Pinto Coelho M MG; 5. Antonella Sachsida Braga Vilela M ; 6. Audrei Nunes Fernandes Matinatti MG MG; 7. Beno Kuehne M MG; 8. Claudete Romeiro do Nascimento Vieira SP; 9. Daniel Guarda Rezende M MG; 10. Dênis da Silva Moreira M MG; 11. Denise Aparecida Corrêa Moreira M MG; 12. Denise de Moura Leite Luengo M MG; 13. Elisabeth Pizzamiglio Vieira M MG; 14. Eliziane de Paiva Laraia M MG; 15. Erika de Cássia Lopes Chaves SP; 16. Érika Kristina Incerpi SP; 17. Érika Lopes da Silva SP; 18. Gracieli Prado Elias M MG; 19. Helenice Aparecida Totti Martins M MG; 20. Irany Mesquita Coelho Morais M MG; 21. José de Paula Silva M MG; 22. Lourdes Dias de Araújo SP; 23. Márcia Helena Miranda Cardoso M MG; 24. Milena Carla Espósito SP; 25. Nereida de Sousa Oliveira M MG; 26. Olivina Maria Carneiro Vieira M MG; 27. Patrícia Penido Maia M MG; 28. Ricardo Carvalho Vieira M MG; 29. Rodrigo Adley Silveira da Silva M MG; 30. Stella Maris da Silveira Duarte M MG; 31. Yolanda Christina de Sousa Loyola SP; 32. Walnéia Aparecida de Souza M MG

17 Page 17 of 22 Processo: / SAPIEnS: Parecer: CNE/CES 156/2009 Relator: Mario Portugal Pederneiras Interessada: Fundação Educacional Guaxupé - Guaxupé (MG) Assunto: Credenciamento do Centro Universitário da Fundação Educacional de Guaxupé - UNIFEG, com sede no município de Guaxupé, Estado de Minas Gerais, para a oferta de cursos de pós-graduação lato sensu, na modalidade a distância Voto do relator: Favorável ao credenciamento do Centro Universitário da Fundação Educacional de Guaxupé, localizado à Avenida Dona Floriana, 463, térreo, Centro, no município de Guaxupé, Estado de Minas Gerais, para oferta de cursos de pósgraduação lato sensu, na modalidade a distância, até o primeiro ciclo avaliativo do SINAES a se realizar após a homologação deste Parecer, nos termos do art. 10, 7º, do Decreto No /2006, com redação dada pelo Decreto No /2007, observado o prazo máximo de 3 (três) anos, fixado no art. 13, 4º, daquele Decreto, a partir da oferta do curso de especialização em Educação Infantil, na modalidade a distância Processo: / SAPIEnS: Parecer: CNE/CES 157/2009 Relator: Edson de Oliveira Nunes Interessada: Fundação Dom Aguirre - Sorocaba (SP) Assunto: Credenciamento da Universidade de Sorocaba - UNISO para oferta de cursos de pós-graduação lato sensu, na modalidade a distância, a partir do curso de Especialização em Gestão Ambiental Voto do relator: Favorável ao credenciamento da Universidade de Sorocaba - UNISO, exclusivamente para oferta de cursos de pós-graduação lato sensu na modalidade a distância, a partir da oferta inicial do curso de Especialização em Gestão Ambiental, com abrangência de atuação em sua sede, na Rodovia Raposo Tavares, Km 92,5, Jardim Novo Eldorado, no município de Sorocaba, Estado de São Paulo, até o próximo ciclo avaliativo do SINAES a se realizar após a homologação deste Parecer, nos termos do art. 10, 7º, do Decreto No /2006, com redação dada pelo Decreto No /2007, observado o prazo máximo de 5 (cinco) anos, com base no art. 13, 4º, daquele Decreto Decisão da Câmara: APROVADO por maioria. Processo: / Parecer: CNE/CES 158/2009 Relator: Milton Linhares Interessada: Associação Unificada Paulista de Ensino Renovado Objetivo - ASSUPERO - São Paulo (SP) Assunto: Recurso contra decisão da Secretária de Educação Superior que, por meio da Portaria No- 246/2009, indeferiu o pedido de autorização do curso de Direito, bacharelado, do Instituto Teresina de Ensino e Cultura Voto do relator: Nos termos do artigo 6º, inciso VIII, do Decreto No /2006, conheço do recurso para, no mérito, dar-lhe provimento, favorável à autorização do curso de Direito, bacharelado, com 100 (cem) vagas totais anuais, a ser ministrado pelo Instituto Teresina de Ensino e Cultura, situado na Avenida Presidente Kennedy, No , Bairro São Cristovão, no município de Teresina, no Estado do Piauí Decisão da Câmara: APROVADO por maioria. Processo: / Parecer: CNE/CES 159/2009 Relatora: Marília Ancona-Lopez Interessado: Daniel Borges Peixinho Lima - Salvador (BA) Assunto: Solicita que seja autorizada a continuação da realização do internato do curso de Medicina no Hospital Santo Antônio - Associação Obras Assistenciais Irmã Dulce, em Salvador/BA, durante o 2º semestre de 2009 Voto da relatora: Favorável à autorização, em caráter excepcional, para que Daniel Borges Peixinho Lima continue o Estágio Curricular Supervisionado no Hospital Santo Antônio - Associação Obras Assistenciais Irmã Dulce em Salvador/BA, fora da unidade federativa do estado de origem, Universidade Iguaçu - Campus V - Itaperuna/RJ. O requerente deverá cumprir as atividades do estágio de acordo com os critérios previstos no Projeto Pedagógico do seu curso de Medicina e as condições de supervisão docente-profissional estabelecidas nas Diretrizes Curriculares Nacionais desse curso, bem como nas demais normas estabelecidas no convênio entre a Universidade Iguaçu e a Associação Obras Sociais Irmã Dulce (Hospital Santo Antônio)

18 Page 18 of 22 Processo: / SAPIEnS: Parecer: CNE/CES 160/2009 Relator: Aldo Vannucchi Interessada: NOVATEC - Serviços Educacionais Ltda. - São Bernardo do Campo (SP) Assunto: Credenciamento da Faculdade de Tecnologia Anchieta, com sede no município de São Bernardo do Campo, Estado de São Paulo, para a oferta de cursos superiores a distância Voto do relator: Favorável ao credenciamento institucional da Faculdade de Tecnologia Anchieta para oferta de cursos superiores na modalidade a distância, até o primeiro ciclo avaliativo do SINAES, a se realizar após a homologação deste Parecer, nos termos do art. 10, 7º, do Decreto No /2006, com redação dada pelo Decreto No /2007, observado o prazo máximo de 3 (três) anos, fixado no art. 13, 4º, daquele Decreto, a partir da oferta do Curso Superior de Tecnologia em Logística, na modalidade a distância, com abrangência de atuação em sua sede, localizada na Rua Atlântica, No- 700, bairro Jardim do Mar, no município de São Bernardo do Campo, Estado de São Paulo, e no polo de apoio presencial, localizado na Av. Pedroso de Morais, No , bairro Alto de Pinheiros, no município de São Paulo, Estado de São Paulo Processo: / Parecer: CNE/CES 161/2009 Relator: Paulo Speller Interessados: Sirley de Azevedo e outro - São Paulo (SP) Assunto: Convalidação de estudos e validação nacional de títulos obtidos no curso de Mestrado em Controladoria e Contabilidade, na área de concentração "Ciências Contábeis", ministrado pela Universidade Cruzeiro do Sul - UNICSUL, com sede no município de São Paulo/SP Voto do relator: Favorável à convalidação de estudos e à validação nacional dos respectivos títulos obtidos no curso de Mestrado em Controladoria e Contabilidade pelos dois alunos abaixo relacionados, ingressantes no ano de 1997 na Universidade Cruzeiro do Sul - UNICSUL, com sede no município de São Paulo, no Estado de São Paulo: 1. Sirley de Azevedo RG ; 2. Mário Kyoshi Kato RG X Processo: / Parecer: CNE/CES 162/2009 Relator: Paulo Speller Interessada: Jorgina Francisca Dias - Rio de Janeiro (RJ) Assunto: Convalidação de estudos e validação nacional de título obtido por Jorgina Francisca Dias no curso de Mestrado em Ensino de Ciências da Saúde e do Ambiente, ministrado pelo Centro Universitário Plínio Leite - UNIPLI Voto do relator: Favorável à convalidação de estudos e à validação nacional do título de Mestre obtido por Jorgina Francisca Dias, portadora do RG (IFP), que concluiu com êxito o curso de Mestrado Profissional em Ensino de Ciências da Saúde e do Ambiente ministrado pelo Centro Universitário Plínio Leite - UNIPLI, sediado no município de Niterói, Estado do Rio de Janeiro Processo: / Parecer: CNE/CES 163/2009 Relator: Paulo Speller Interessados: Ediberto Mariano da Silva e outros - Niterói (RJ) Assunto: Convalidação de estudos e validação nacional de títulos obtidos no curso de Mestrado em Ensino de Ciências da Saúde e do Ambiente, ministrado pelo Centro Universitário Plínio Leite - UNIPLI Voto do relator: Favorável à convalidação de estudos e à validação nacional dos títulos de Mestre obtidos pelos alunos abaixo identificados, que concluíram com êxito o curso de Mestrado Profissional em Ensino de Ciências da Saúde e do Ambiente, ministrado pelo Centro Universitário Plínio Leite - UNIPLI, sediado no município de Niterói, Estado do Rio de Janeiro. 1. Ediberto Mariano da Silva (Detran); 2. Luciene Cardoso Mendes (MM); 3. Rosana Gibson da Silva Nunes (MM); 4. Teresa Regina Martins da Silva (IFP); 5. Tereza Cristina de Souza Novaes (CRC); 6. Matilde Saul Edelman (IFP); 7. Gláucia da Silva de Carvalho (IFP); 8. Maria Therezinha Sá Martins (IFP); 9. Marcos André Félix da Silva (IFP); 10. Vera Lúcia Rangel de Souza (IPP); 11. Ana Cláudia da Fonseca Flores 8155 (ME); 12. Eloísa Gonzaga de Alvarenga (IFP) Processo: / Parecer: CNE/CES 164/2009

19 Page 19 of 22 Relator: Aldo Vannucchi Interessado: Ministério Público Federal/Procuradoria da República no Município de Bauru/SP - Bauru (SP) Assunto: Consulta sobre regulamentação da cobrança de taxas relativa a emissões e expedições de conteúdo programático e históricos prestados pelas instituições de Ensino Superior Voto do relator: Voto no sentido de que se responda ao Excelentíssimo Procurador da República da Procuradoria da República no Município de Bauru/SP nos termos deste Parecer Processo: / Parecer: CNE/CES 165/2009 Relator: Edson de Oliveira Nunes Interessado: Instituto Batista de Educação de Vitória - Vitória (ES) Assunto: Recurso contra decisão do Secretário da SESu que, por meio da Portaria No- 942/2007, indeferiu o pedido de autorização do curso de Educação Física da Faculdade Batista da Serra Voto do relator: Com base no art. 6º, inciso VIII, c/c art. 33 do Decreto No /2006, e pelas razões expostas neste Parecer, conheço do recurso para, no mérito, negar-lhe provimento, manifestando-me desfavoravelmente à autorização do curso de Educação Física, Licenciatura, pleiteada pela Faculdade Batista da Serra - FABAVI, localizada à Rua Chopin, No- 357, Parque Residencial Laranjeiras, no município de Serra, Estado do Espírito Santo, bem assim que sejam mantidos os termos da Portaria SESu No- 942/2007, no que se refere ao indeferimento do pedido de autorização do referido curso Processo: / SAPIEnS: Parecer: CNE/CES 166/2009 Relator: Antônio de Araújo Freitas Júnior Interessada: Organização de Ensino e Pesquisa do Paraná - OREPAR - São Mateus do Sul (PR) Assunto: Credenciamento da Faculdade Centro Sul do Paraná, a ser instalada no município de São Mateus do Sul, no Estado do Paraná Voto do relator: Favorável ao credenciamento da Faculdade Centro Sul do Paraná, a ser instalada à Rua Eduardo Sprada, No- 64, Centro, no município de São Mateus do Sul, no Estado do Paraná, até o primeiro ciclo avaliativo do SINAES a se realizar após a homologação deste Parecer, nos termos do art. 10, 7º, do Decreto No /2006, com redação dada pelo Decreto No /2007, observado o prazo máximo de 3 (três) anos, fixado no art. 13, 4º, daquele Decreto, a partir da oferta do curso de Administração, bacharelado, com 100 (cem) vagas totais anuais Processo: / e-mec: Parecer: CNE/CES 167/2009 Relator: Paulo Speller Interessada: Sociedade Metropolitana de Educação Cultura e Tecnologia São Carlos S/S Ltda. - Campos dos Goytacazes (RJ) Assunto: Credenciamento da Faculdade Metropolitana São Carlos BJI, a ser instalada no município de Bom Jesus do Itabapoana, no Estado do Rio de Janeiro Voto do relator: Favorável ao credenciamento da Faculdade Metropolitana São Carlos BJI, a ser instalada na Avenida Governador Roberto Silveira, No- 910, Centro, no município de Bom Jesus do Itabapoana, no Estado do Rio de Janeiro, até o primeiro ciclo avaliativo do SINAES a se realizar após a homologação deste Parecer, nos termos do disposto no art. 10, 7º, do Decreto No /2006, com redação dada pelo Decreto No /2007, observado o prazo máximo de 3 (três) anos, conforme o art. 13, 4º, daquele Decreto, a partir da oferta dos cursos de Enfermagem, bacharelado, e de Ciências Biológicas, licenciatura, com 180 (cento e oitenta) vagas totais anuais cada Decisão da Câmara: APROVADO por maioria. Processo: / e-mec: Parecer: CNE/CES 168/2009 Relatora: Marília Ancona-Lopez Interessado: Centro de Ensino Superior de Goiânia Ltda. - Goiânia (GO) Assunto: Credenciamento da Faculdade de Goiânia, Unidade 1, a ser instalada no município de Goiânia, no Estado de Goiás Voto da relatora: Favorável ao credenciamento da Faculdade de Goiânia, Unidade 1, a ser instalada na Rua S-3, No- 692, Setor Bela Vista, no município de Goiânia, no Estado de Goiás, até o primeiro ciclo avaliativo do SINAES a se realizar após a homologação deste Parecer, nos termos do disposto no art. 10, 7º, do Decreto No /2006, com redação dada pelo Decreto No /2007, observado o prazo máximo de 3 (três) anos, conforme o art. 13, 4º,

20 Page 20 of 22 daquele Decreto, a partir da oferta dos cursos de Administração, bacharelado, e de Ciências Contábeis, bacharelado, cada um com 180 (cento e oitenta) vagas totais anuais Processo: / e-mec: Parecer: CNE/CES 169/2009 Relator: Antonio Carlos Caruso Ronca Interessada: Associação Colégio Arautos do Evangelho - Caieiras (SP) Assunto: Credenciamento da Faculdade Arautos do Evangelho, a ser instalada no município de Caieiras, no Estado de São Paulo Voto do relator: Contrário ao credenciamento da Faculdade Arautos do Evangelho, que seria instalada na Rua Havaí, No- 430, bairro Santa Inês, na cidade de Caieiras, Estado de São Paulo Processo: / e-mec: Parecer: CNE/CES 170/2009 Relatora: Maria Beatriz Moreira Luce Relator ad hoc: Mario Portugal Pederneiras Interessada: Orme Serviços Educacionais Ltda. - Belo Horizonte (MG) Assunto: Credenciamento da Faculdade de Tecnologia INED - Unidade Venda Nova, a ser instalada no município de Belo Horizonte, no Estado de Minas Gerais Voto da relatora: Favorável ao credenciamento da Faculdade de Tecnologia INED - Unidade Venda Nova, a ser instalada na Rua Padre Pedro Pinto, No , Venda Nova, no município de Belo Horizonte, estado de Minas Gerais, até o primeiro ciclo avaliativo do SINAES a se realizar após a homologação deste Parecer, nos termos do art. 10, 7º, do Decreto No /2006, com redação dada pelo Decreto No /2007, observado o prazo máximo de 3 (três) anos, fixado no art. 13, 4º, daquele Decreto, a partir da oferta dos Cursos Superiores de Tecnologia em Gestão Financeira ( ), com 200 (duzentas) vagas anuais, e em Gestão de Recursos Humanos ( ), com 200 (duzentas) vagas anuais Processo: / e-mec: Parecer: CNE/CES 171/2009 Relator: Paulo Monteiro Vieira Braga Barone Interessada: UNICOC - União de Cursos Superiores COC Ltda. - Ribeirão Preto (SP) Assunto: Credenciamento das Faculdades COC de Brasília, a ser instalada em Brasília, Distrito Federal Voto do relator: Favorável ao credenciamento das Faculdades COC de Brasília, a serem instaladas no SGAS Quadra 604, conjunto C, Lotes 25 e 26, L2 sul, Região Administrativa I, em Brasília, no Distrito Federal, até o primeiro ciclo avaliativo do SINAES a se realizar após a homologação deste Parecer, nos termos do disposto no art. 10, 7º, do Decreto No /2006, com redação dada pelo Decreto No /2007, observado o prazo máximo de 3 (três) anos, conforme o art. 13, 4º, daquele Decreto, a partir da oferta dos cursos de bacharelado em Administração e em Ciências Contábeis, cada um com 100 (cem) vagas totais anuais Processo: / Parecer: CNE/CES 172/2009 Relator: Paulo Monteiro Vieira Braga Barone Interessado: Ministério Público Federal/Procuradoria da República no Estado do Rio de Janeiro - Rio de Janeiro (RJ) Assunto: Solicitação de manifestação do Conselho Nacional de Educação referente a procedimento administrativo visando apurar a existência de irregularidade na oferta de curso de Mestrado em Direito e Economia pela Universidade Gama Filho, fora de sua sede, sem autorização do Ministério da Educação Voto do relator: Responda-se à interessada nos termos deste Parecer Processos: / e / Parecer: CNE/CES 173/2009 Relator: Edson de Oliveira Nunes Interessado: MEC/Fundação Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior - CAPES - Brasília (DF) Assunto: Alterações nas denominações e desativação de Cursos/Programas de Pós-Graduação stricto sensu encaminhados pela CAPES, requeridas pelas respectivas IES Voto do relator: Voto no sentido de que as solicitações formuladas pelas respectivas IES e encaminhadas à CAPES, referentes à alteração na denominação dos cursos de pós-graduação por elas oferecidas, bem como de desativação de

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO PARECER HOMOLOGADO Despacho do Ministro, publicado no D.O.U. de 19/6/2009, Seção 1, Pág. 28. Portaria n 589, publicada no D.O.U. de 19/6/2009, Seção 1, Pág. 23. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DEPARTAMENTO DE MODERNIZAÇÃO E PROGRAMAS DA EDUCAÇÃO SUPERIOR

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DEPARTAMENTO DE MODERNIZAÇÃO E PROGRAMAS DA EDUCAÇÃO SUPERIOR MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DEPARTAMENTO DE MODERNIZAÇÃO E PROGRAMAS DA EDUCAÇÃO SUPERIOR PROGRAMA DE EDUCAÇÃO TUTORIAL - PET 7 INSTITUIÇÕES 370 GRUPOS REGIÃO NORTE - 8 INSTITUIÇÕES

Leia mais

Propostas de Cursos Novos 149 a Reunião CTC/ES 9 a 13 de setembro de 2013

Propostas de Cursos Novos 149 a Reunião CTC/ES 9 a 13 de setembro de 2013 Ministério da Educação - MEC Fundação Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior - Capes Diretoria de Avaliação - DAV Coordenação Geral de Avaliação e Acompanhamento - CGAA Propostas de

Leia mais

Universidade Federal. do Acre. Universidade Federal. do Amazonas. Universidade Federal. do Amapá. Universidade Federal. do Pará. Universidade Federal

Universidade Federal. do Acre. Universidade Federal. do Amazonas. Universidade Federal. do Amapá. Universidade Federal. do Pará. Universidade Federal UF CATEGORIA ADMINISTRATIVA SIGLA IES AC FEDERAL UFAC AM FEDERAL UFAM AP FEDERAL UNIFAP PA FEDERAL UFPA PA FEDERAL UFRA RO FEDERAL UNIR RR FEDERAL UFRR TO FEDERAL UFT MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA

Leia mais

Diário Oficial Imprensa Nacional

Diário Oficial Imprensa Nacional Diário Oficial Imprensa Nacional.Nº 176 DOU 12/09/1 seção 1 p.28 REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL BRASÍLIA - DF MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO GABINETE DO MINISTRO PORTARIA Nº 79, DE 11 DE SETEMBRO DE 201 Reconhece

Leia mais

Propostas de Cursos Novos 149 a Reunião CTC/ES 9 a 13 de setembro de 2013

Propostas de Cursos Novos 149 a Reunião CTC/ES 9 a 13 de setembro de 2013 Ministério da Educação - MEC Fundação Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior - Capes Diretoria de Avaliação - DAV Coordenação Geral de Avaliação e Acompanhamento - CGAA Propostas de

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO PARECER HOMOLOGADO Despacho do Ministro, publicado no D.O.U. de 9/3/2015, Seção 1, Pág. 12. Portaria n 187, publicada no D.O.U. de 9/3/2015, Seção 1, Pág.11. Portaria n 188, publicada no D.O.U. de 9/3/2015,

Leia mais

Propostas de Cursos Novos

Propostas de Cursos Novos Ministério da Educação - MEC Fundação Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior - Capes Diretoria de Avaliação - DAV Coordenação Geral de Avaliação e Acompanhamento - CGAA Período 2010

Leia mais

97ª Reunião do CTC CURSOS NOVOS 23 a 25 de julho de 2007

97ª Reunião do CTC CURSOS NOVOS 23 a 25 de julho de 2007 1 CIÊNCIAS AGRÁRIAS CIÊNCIA DE ALIMENTOS CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE ALIMENTOS ME 3 FUFSE FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE SE NORDESTE 2 CIÊNCIAS AGRÁRIAS CIÊNCIAS AGRÁRIAS BIOTECNOLOGIA ME 3 FUFSE

Leia mais

1 ADMINISTRAÇÃO / TURISMO PUC/MG PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE MINAS GERAIS MG ADMINISTRAÇÃO ME 4 2 ADMINISTRAÇÃO / TURISMO UNIGRANRIO

1 ADMINISTRAÇÃO / TURISMO PUC/MG PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE MINAS GERAIS MG ADMINISTRAÇÃO ME 4 2 ADMINISTRAÇÃO / TURISMO UNIGRANRIO 1 ADMINISTRAÇÃO / TURISMO PUC/MG PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE MINAS GERAIS MG ADMINISTRAÇÃO ME 4 2 ADMINISTRAÇÃO / TURISMO UNIGRANRIO UNIVERSIDADE DO GRANDE RIO - PROF JOSÉ DE SOUZA HERDY RJ ADMINISTRAÇÃO

Leia mais

92ª Reunião do CTC CURSOS NOVOS 12 de julho de 2006

92ª Reunião do CTC CURSOS NOVOS 12 de julho de 2006 Ministério da Educação - C Fundação Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior - Capes Coordenação de Acompanhamento e Avaliação - CAA Capes 92ª Reunião do CTC CURSOS NOVOS 12 de julho

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO PARECER HOMOLOGADO Despacho do Ministro, publicado no D.O.U. de 30/9/2011, Seção 1, Pág. 43. Portaria n 1364, publicada no D.O.U. de 30/9/2011, Seção 1, Pág.40. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL

Leia mais

COLEGIADO: CES. 2 3 Ciências Biológicas Mestrado 1 Ciências da Saúde * Mestrado Mestrado Profissional. Mestrado. Ciências Exatas Mestrado 1

COLEGIADO: CES. 2 3 Ciências Biológicas Mestrado 1 Ciências da Saúde * Mestrado Mestrado Profissional. Mestrado. Ciências Exatas Mestrado 1 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO INTERESSADO: MEC/Fundação Coordenação de Aperfeiçoamento de UF: DF Pessoal de Nível Superior ASSUNTO: Encaminha recomendações e respectivos conceitos

Leia mais

Sigla da. Nota de Nome do Programa Instituição. Nome da Área de Avaliação. Recomendação

Sigla da. Nota de Nome do Programa Instituição. Nome da Área de Avaliação. Recomendação Ministério da Educação - MEC Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior - CAPES Período de Avaliação: 2007 a 2009 Etapa: Avaliação Trienal 2010 UF Sigla da Nota de Nome do Programa Nível

Leia mais

UNIVERSIDADE DO ESTADO DO AMAZONAS CONCESSÃO BPT 3 REGIÃO NORTE

UNIVERSIDADE DO ESTADO DO AMAZONAS CONCESSÃO BPT 3 REGIÃO NORTE UNIVERSIDADE DO ESTADO DO AMAZONAS CONCESSÃO BPT 3 REGIÃO NORTE MESTRADO CLIMA E AMBIENTE (INPA - UEA) 4 4 27 5 0 22 27 100,00% 8 0 8 0,00% 40,91% MEDICINA TROPICAL 3 4 36 17 7 10 34 94,44% 6 3 9 11,76%

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO COLEGIADO: CES

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO COLEGIADO: CES PARECER HOMOLOGADO(*) (*) Despacho do Ministro, publicado no Diário Oficial da União de 17/3/2006 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO INTERESSADO: MEC/CAPES Fundação Coordenação de Aperfeiçoamento

Leia mais

TOTAL DE CANDIDATOS POR IES/CURSO

TOTAL DE CANDIDATOS POR IES/CURSO TOTAL DE CANDIDATOS POR IES/CURSO UF da IES Nome da IES Nome do Curso Qtd. Inscritos SP FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO ABC Ciência e Tecnologia ** 16.253 BA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA

Leia mais

ENEM X Universidades Federais em 2012 COMO FICA?

ENEM X Universidades Federais em 2012 COMO FICA? ENEM X Universidades Federais em COMO FICA? SUDESTE Enem? Ufop (Universidade Federal de Ouro Preto) UFSCar (Universidade Federal de São Carlos) UFV (Universidade Federal de Viçosa) 80% das vagas serão

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO PARECER HOMOLOGA(*) (*) Despacho do Ministro, Publicado no Diário Oficial da União de 19/01/2007 (*) Portaria/C nº 73, publicada no Diário Oficial da União de 19/01/2007 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO

Leia mais

Resultado Minter/Dinter 2012 Propostas Recomendadas

Resultado Minter/Dinter 2012 Propostas Recomendadas Ministério da Educação - MEC Fundação Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior - Capes Diretoria de Avaliação - DAV Coordenação Geral de Avaliação e Acompanhamento - CGAA 1 Administração

Leia mais

CONFIRA AS UNIVERSIDADES QUE UTILIZARÃO O ENEM 2011

CONFIRA AS UNIVERSIDADES QUE UTILIZARÃO O ENEM 2011 CONFIRA AS UNIVERSIDADES QUE UTILIZARÃO O ENEM 2011 REGIÃO SUDESTE UFU (Universidade Federal de Uberlândia): Ufes (Universidade Federal do Espírito Santo): UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais):

Leia mais

Tabela de Cursos de Mestrado e Doutorado no Brasil

Tabela de Cursos de Mestrado e Doutorado no Brasil Tabela de Cursos de Mestrado e Doutorado no Brasil Universidade 1 Universidade Federal de UFRR Norte Agronomia http://www.posagro.ufrr.br/ 0 Roraima Desenvolvimento Regional da Amazônia http://www.necar.ufrr.br/index.php?

Leia mais

Confira as universidades da Região Sudeste do Brasil que utilizarão o Enem 2011

Confira as universidades da Região Sudeste do Brasil que utilizarão o Enem 2011 Confira as universidades da Região Sudeste do Brasil que utilizarão o Enem 2011 UFU (Universidade Federal de Uberlândia): Ufes (Universidade Federal do Espírito Santo): UFMG (Universidade Federal de Minas

Leia mais

HOMOLOGADO EM 09/10/2006 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO

HOMOLOGADO EM 09/10/2006 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO INTERESSADO: MEC/Fundação Coordenação de Aperfeiçoamento de UF: DF Pessoal de Nível Superior - CAPES ASSUNTO: Reconhecimento dos Programas de Pós-Graduação

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR TERMO DE REFERÊNCIA 063/2011

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR TERMO DE REFERÊNCIA 063/2011 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR TERMO DE REFERÊNCIA 063/2011 1 NÚMERO E TÍTULO DO PROJETO Projeto OEI/BRA/10/002 - Atualização dos Processos de Gestão e Avaliação de Políticas e

Leia mais

Instituições participantes do Sistema de Seleção Unificada (Sisu) em janeiro de 2012, por curso e número de inscrições Sigla IES Curso Inscrições

Instituições participantes do Sistema de Seleção Unificada (Sisu) em janeiro de 2012, por curso e número de inscrições Sigla IES Curso Inscrições Instituições participantes do Sistema de Seleção Unificada (Sisu) em janeiro de 2012, por curso e número de inscrições Sigla IES Curso Inscrições IFSP INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA

Leia mais

Textos Complementares

Textos Complementares ESCOLA DE VETERINÁRIA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA ANIMAL METODOLOGIA DA PESQUISA CIENTÍFICA Profa Maria Clorinda Soares Fioravanti Textos Complementares Pós-Graduação: Produção científica volumosa

Leia mais

Enem 2011 será única forma de seleção em pelo menos 30 universidades federais; confira

Enem 2011 será única forma de seleção em pelo menos 30 universidades federais; confira 2011 será única forma de seleção em pelo menos 30 universidades federais; confira Suellen Smosinski Em São Paulo O (Exame Nacional do Ensino Médio) de 2011 será a única forma de seleção para os cursos

Leia mais

UF Universidade Turno Vagas Nota de corte em 21/1/2015, às 0h. Integral (Mat/Vesp) Integral (Mat/Vesp) Integral (Mat/Vesp) Integral (Mat/Vesp)

UF Universidade Turno Vagas Nota de corte em 21/1/2015, às 0h. Integral (Mat/Vesp) Integral (Mat/Vesp) Integral (Mat/Vesp) Integral (Mat/Vesp) Cursos de medicina UF Universidade Turno Vagas Nota de corte em 21/1/2015, às 0h AC ACRE (Rio Branco) 40 748,49 AL UFAL ALAGOAS (Maceió) AM UFAM AMAZONAS (Manaus) AP UNIFAP AMAPÁ (Macapá) BA UFOB OESTE

Leia mais

CATEGORIA ADMINISTRATIVA

CATEGORIA ADMINISTRATIVA N o REGIÃO UF IES CATEGORIA ADMINISTRATIVA NOME - GRUPO PET 1 CENTRO OESTE DF UNIVERSIDADE CATÓLICA DE BRASÍLIA PRIVADA PET ESTRUTURAS 2 CENTRO OESTE DF UNIVERSIDADE CATÓLICA DE BRASÍLIA PRIVADA EDUCAÇÃO

Leia mais

PLANILHA DE CONTROLE - OFERTA DE CURSOS POR INSTITUIÇÕES FEDERAIS DE ENSINO

PLANILHA DE CONTROLE - OFERTA DE CURSOS POR INSTITUIÇÕES FEDERAIS DE ENSINO PLANILHA DE CONTROLE - OFERTA DE CURSOS POR INSTITUIÇÕES FEDERAIS DE ENSINO ID Proponente UF CURSO 1 CEFET-AL ALAGOAS Hotelaria 2 CEFET-CE CEARÁ Hospedagem 3 CEFET-CE CEARÁ Matemática 4 CEFET-ES ESPÍRITO

Leia mais

AVALIAÇÃO DO ENADE 2011 NOTAS DOS CURSOS DE CIÊNCIAS SOCIAIS

AVALIAÇÃO DO ENADE 2011 NOTAS DOS CURSOS DE CIÊNCIAS SOCIAIS AVALIAÇÃO DO ENADE 2011 NOTAS DOS CUOS DE Cursos com avaliação 1 ou 2 (sujeitos a encerramento/reestruturação de suas atividades) Cursos com avaliação 5 Públicas Cursos com avaliação 5 no Enade, mas com

Leia mais

ID Proponente UF CURSO TIPO

ID Proponente UF CURSO TIPO PLANILHA DE CONTROLE - OFERTA DE CURSOS POR INSTITUIÇÕES FEDERAIS DE ENSINO ID Proponente UF CURSO TIPO 1 CEFET-AL ALAGOAS Hotelaria Tecnólogo 2 CEFET-CE CEARÁ Hospedagem Tecnólogo 3 CEFET-CE CEARÁ Matemática

Leia mais

Ministério da Educação

Ministério da Educação Página 1 de 44 Marcelo Franca Alves De: "BDE online" Para: "BDE online" Enviada em: quarta-feira, 31 de agosto de 2005 00:05 Assunto: BDE on-line - Nº

Leia mais

AC UNIVERSIDADE FEDERAL DO ACRE UFAC DESENVOLVIMENTO REGIONAL M 3 INTERDISCIPLINAR ECOLOGIA E MANEJO DE RECURSOS NATURAIS

AC UNIVERSIDADE FEDERAL DO ACRE UFAC DESENVOLVIMENTO REGIONAL M 3 INTERDISCIPLINAR ECOLOGIA E MANEJO DE RECURSOS NATURAIS Período de : 2007 a 2009 Etapa: Resultados Finais - AC UNIVERSIDADE FEDERAL DO ACRE UFAC DESENVOLVIMENTO REGIONAL M 3 INTERDISCIPLINAR AC UNIVERSIDADE FEDERAL DO ACRE UFAC ECOLOGIA E MANEJO DE RECURSOS

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO PARECER HOMOLOGADO Despacho do Ministro, publicado no D.O.U. de 6/10/2010, Seção 1, Pág.18. Portaria n 1225, publicada no D.O.U. de 6/10/2010, Seção 1, Pág.17 - Republicada no D.O.U. de 20/10/2010, Seção

Leia mais

BA UCSAL UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SALVADOR PLANEJAMENTO TERRITORIAL E DESENVOLVIMENTO SOCIAL M 4 PLANEJAMENTO URBANO E REGIONAL / DEMOGRAFIA

BA UCSAL UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SALVADOR PLANEJAMENTO TERRITORIAL E DESENVOLVIMENTO SOCIAL M 4 PLANEJAMENTO URBANO E REGIONAL / DEMOGRAFIA Ministério da Educação - MEC Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior - CAPES Período de Avaliação: 2007 a 2009 Etapa: Avaliação Trienal 2010 UF Sigla da Instituição Nome da Instituição

Leia mais

Área de Avaliação Programa IES IES Nome Nível FGV/SP UFRGS UFRJ

Área de Avaliação Programa IES IES Nome Nível FGV/SP UFRGS UFRJ Área de Avaliação Programa IES IES Nome Nível ADMINISTRAÇÃO, CONTÁBEIS E TURISMO ADMINISTRAÇÃO, CONTÁBEIS E TURISMO ANTROPOLOGIA / ARQUEOLOGIA ANTROPOLOGIA / ARQUEOLOGIA ANTROPOLOGIA / ARQUEOLOGIA ADMINISTRAÇÃO

Leia mais

TABLA DE PROGRAMAS ELEGIBLES PARA BECAS OEA GCUB 2013

TABLA DE PROGRAMAS ELEGIBLES PARA BECAS OEA GCUB 2013 TABLA DE PROGRAMAS ELEGIBLES PARA BECAS OEA GCUB 2013 N.º Región Universidad Nivel Áreas Sitio web Inicio Duración 1 Norte Roraima (UFRR) Agronomia www.posagro.ufrr.br Marzo/2014 2 años Desenvolvimento

Leia mais

LISTA DOS CURSOS DE MESTRADO AVALIADOS PELA CAPES NO PARANÁ Cursos novos que ainda não possuem nota não constam na lista

LISTA DOS CURSOS DE MESTRADO AVALIADOS PELA CAPES NO PARANÁ Cursos novos que ainda não possuem nota não constam na lista LISTA DOS CURSOS DE MESTRADO AVALIADOS PELA CAPES NO PARANÁ Cursos novos que ainda não possuem nota não constam na lista INSTITUIÇÃO CURSO NOTA DA CAPES CENTRO UNIVERSITÁRIO CAMPOS DE ANDRADE (UNIANDRADE)

Leia mais

Universidades Federais CA

Universidades Federais CA Universidades Federais CA Universidade Federal do Acre Universidade do Amapá Universidade do Amazonas* Universidade Federal do Pará Universidade Federal Rural da Amazônia* Universidade do Oeste do Pará*

Leia mais

Nome da Instituição Nome do Programa Nível

Nome da Instituição Nome do Programa Nível UF Sigla da Instituição Ministério da Educação - MEC Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior - CAPES Período de Avaliação: 2007 a 2009 Etapa: Avaliação Trienal 2010 Nome da Instituição

Leia mais

EDITAL CAPES N o 11/2014 - PRÓ-EQUIPAMENTOS INSTITUCIONAL RESULTADO FINAL - PROPOSTAS RECOMENDADAS

EDITAL CAPES N o 11/2014 - PRÓ-EQUIPAMENTOS INSTITUCIONAL RESULTADO FINAL - PROPOSTAS RECOMENDADAS CENTRO BRASILEIRO DE PESQUISAS FÍSICAS R$ 165.000,00 CENTRO DE DESENVOLVIMENTO DA TECNOLOGIA NUCLEAR R$ 165.000,00 CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECN. CELSO SUCKOW DA FONSECA R$ 395.500,00 CENTRO FEDERAL

Leia mais

UNIVERSIDADE UNIVERSIDADE

UNIVERSIDADE UNIVERSIDADE UNIVERSIDADE UNIVERSIDADE Sigla UF Dependência IGC (Sede) Administrativa Contínuo Faixas Fundação Universidade Federal do Vale do São Francisco UNIVASF PE FEDERAL - - Universidade do Tocantins UNITINS

Leia mais

Relatório Final dos Resultados da Avaliação Trienal 2007

Relatório Final dos Resultados da Avaliação Trienal 2007 Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Superior - CAPES 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 FGV/ FUNDAÇÃO GETÚLIO VARGAS/ 33014019001P0 ADMINISTRAÇÃO DE EMPRESAS U UNIVERSIDADE

Leia mais

Modelos de Gestão da Qualidade da Pós-graduação e do Doutorado: Experiências Nacionais: BRASIL

Modelos de Gestão da Qualidade da Pós-graduação e do Doutorado: Experiências Nacionais: BRASIL Modelos de Gestão da Qualidade da Pós-graduação e do Doutorado: Experiências Nacionais: BRASIL Livio Amaral Diretor de Avaliação 17set13 A AVALIAÇÃO DO SISTEMA NACIONAL DE PÓS-GRADUAÇÃO (SNPG) (SNPG) -FUNDAMENTOS

Leia mais

AC - ACRE UFAC - UNIVESIDADE FEDERAL DO ACRE - CAMPUS UNIVERSITÁRIO (RIO BRANCO, AC) 760,97 765,54

AC - ACRE UFAC - UNIVESIDADE FEDERAL DO ACRE - CAMPUS UNIVERSITÁRIO (RIO BRANCO, AC) 760,97 765,54 INSTITUIÇÃO Nota de Corte - Dia 1 Nota de Corte - Dia 3 AC - ACRE UFAC - UNIVESIDADE FEDERAL DO ACRE - CAMPUS UNIVERSITÁRIO (RIO BRANCO, AC) 760,97 765,54 AL - ALAGOAS UFAL - UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS

Leia mais

Nome da Instituição Nome do Programa Nível AC UFAC UNIVERSIDADE FEDERAL DO ACRE DESENVOLVIMENTO REGIONAL M 3 INTERDISCIPLINAR

Nome da Instituição Nome do Programa Nível AC UFAC UNIVERSIDADE FEDERAL DO ACRE DESENVOLVIMENTO REGIONAL M 3 INTERDISCIPLINAR Período de : 2007 a 2009 Etapa: Área de AC AC UNIVERSIDADE FEDERAL DO ACRE DESENVOLVIMENTO REGIONAL M 3 INTERDISCIPLINAR AC AC UNIVERSIDADE FEDERAL DO ACRE ECOLOGIA E MANEJO DE RECURSOS NATURAIS M 3 ECOLOGIA

Leia mais

LISTA DAS INSTITUIÇÕES QUE FAZEM PARTE DO SISU 2014/1. * De acordo com o MEC, os dados são preliminares

LISTA DAS INSTITUIÇÕES QUE FAZEM PARTE DO SISU 2014/1. * De acordo com o MEC, os dados são preliminares LISTA DAS INSTITUIÇÕES QUE FAZEM PARTE DO SISU 2014/1 * De acordo com o MEC, os dados são preliminares ACRE IFAC - INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO ACRE UFAC - UNIVERSIDADE FEDERAL

Leia mais

dezembro-2005 janeiro-2005 a Período: Programa de Fomento à Pós-Graduação - PROF Valor (R$ Mil) Valor (R$ Mil) Valor Total (R$ Mil) Bolsistas

dezembro-2005 janeiro-2005 a Período: Programa de Fomento à Pós-Graduação - PROF Valor (R$ Mil) Valor (R$ Mil) Valor Total (R$ Mil) Bolsistas Ministério da Educação - MEC Fundação Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior - CAPES Número de Bolsistas e Valores Pagos (Médias), Segundo os Programas de Pós-Grad. Níveis: Mestrado

Leia mais

REGISTRO NACIONAL DAS INSTITUIÇÕES DE ENSINO SUPERIOR. N. UF INSTITUIÇÃO NOME DO PROJETO Hab. NOTA

REGISTRO NACIONAL DAS INSTITUIÇÕES DE ENSINO SUPERIOR. N. UF INSTITUIÇÃO NOME DO PROJETO Hab. NOTA A Secretaria de Educação Média e Tecnológica informa o resultado da segunda fase do processo de análise dos projetos encaminhados pelas Instituições de Ensino Superior do Programa Nacional de Incentivo

Leia mais

Diretrizes Gerais Documento Complementar

Diretrizes Gerais Documento Complementar Diretrizes Gerais Documento Complementar Agosto 2007 Apresentação A seguir apresentamos as tabelas referentes às simulações dos recursos orçamentários previstos e das metas estabelecidas pelo Decreto nº

Leia mais

Edital Nº 02/2014 PROEN

Edital Nº 02/2014 PROEN Edital Nº 02/2014 PROEN Chamada única para seleção de bolsistas de mobilidade estudantil (Bolsas SANTANDER 2014) O PRÓ-REITOR DE ENSINO da Universidade Federal do Maranhão torna público, para conhecimento

Leia mais

EDITAL N.º 1 / SANTANDERUNIVERSIDADES / PROGRAD / 2015

EDITAL N.º 1 / SANTANDERUNIVERSIDADES / PROGRAD / 2015 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO CAMPUS UNIVERSITÁRIO REITOR JOÃO DAVID FERREIRA LIMA - TRINDADE CEP: 88040-900 - FLORIANÓPOLIS

Leia mais

Ministério da Educação

Ministério da Educação Page 1 of 18 Nº 1051 - Quinta feira, 11 de setembro de 2008 Ministério da Educação Gabinete do Ministro - Portarias de nºs 1.130 a 1.141, de 10 de setembro de 2008 Gabinete do Ministro - Despachos do Ministro

Leia mais

UF: DF COLEGIADO: CES APROVADO EM: 17/02/2004 I RELATÓRIO

UF: DF COLEGIADO: CES APROVADO EM: 17/02/2004 I RELATÓRIO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO INTERESSADO: MEC / Fundação Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior ASSUNTO: Reconhecimento dos Programas de Pós-graduação Stricto

Leia mais

Área de Avaliação Programa IES IES Nome EAESP/FGV FACCAMP FESP/UPE. Administração FGV/RJ FUNDAÇÃO GETÚLIO FGV/SP DE EMPRESAS FGV/SP FJP FUCAPE FUCAPE

Área de Avaliação Programa IES IES Nome EAESP/FGV FACCAMP FESP/UPE. Administração FGV/RJ FUNDAÇÃO GETÚLIO FGV/SP DE EMPRESAS FGV/SP FJP FUCAPE FUCAPE Área de Avaliação Programa IES IES Nome ADMINISTRAÇÃO, CONTÁBEIS E TURISMO ADMINISTRAÇÃO, CONTÁBEIS E TURISMO ADMINISTRAÇÃO, CONTÁBEIS E TURISMO ADMINISTRAÇÃO, CONTÁBEIS E TURISMO ADMINISTRAÇÃO, CONTÁBEIS

Leia mais

Foram concedidas 894 novas bolsas de mestrado e 659 novas bolsas de doutorado. As novas bolsas concedidas já podem ser implementadas.

Foram concedidas 894 novas bolsas de mestrado e 659 novas bolsas de doutorado. As novas bolsas concedidas já podem ser implementadas. Bolsas de Pós-Graduação no País - Mestrado Foram concedidas 894 novas bolsas de mestrado e 659 novas bolsas de doutorado. As novas bolsas concedidas já podem ser implementadas. Para concessão das bolsas,

Leia mais

Ministério da Educação

Ministério da Educação Página 1 de 5 Marcelo Franca Alves De: "BDE online" Para: "BDE online" Enviada em: quinta-feira, 18 de maio de 2006 19:11 Assunto: BDE on-line - Nº 820-18.05.2006

Leia mais

EDITAL PROGRAD 03/2014 PROGRAMA DE BOLSAS PARA MOBILIDADE ACADÊMICA NACIONAL E INTERCAMPI SELEÇÃO DE BOLSISTAS

EDITAL PROGRAD 03/2014 PROGRAMA DE BOLSAS PARA MOBILIDADE ACADÊMICA NACIONAL E INTERCAMPI SELEÇÃO DE BOLSISTAS EDITAL PROGRAD 03/2014 PROGRAMA DE BOLSAS PARA MOBILIDADE ACADÊMICA NACIONAL E INTERCAMPI SELEÇÃO DE BOLSISTAS O Pró-Reitor de Graduação da Universidade Federal de Minas Gerais, Professor Ricardo Hiroshi

Leia mais

Edital GCUB nº 002/2015 Programa Virtual de Formação para Professores Brasileiros de Espanhol GCUB-ICC

Edital GCUB nº 002/2015 Programa Virtual de Formação para Professores Brasileiros de Espanhol GCUB-ICC Edital GCUB nº 002/2015 Programa Virtual de Formação para Professores Brasileiros de Espanhol GCUB-ICC O Instituto Caro y Cuervo (ICC), a Embaixada da Colômbia no Brasil e o Grupo Coimbra de Universidades

Leia mais

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DOS REITORES DAS UNIVERSIDADES ESTADUAIS E MUNICIPAIS SENADO FEDERAL - 2012

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DOS REITORES DAS UNIVERSIDADES ESTADUAIS E MUNICIPAIS SENADO FEDERAL - 2012 ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DOS REITORES DAS UNIVERSIDADES ESTADUAIS E MUNICIPAIS SENADO FEDERAL - 2012 Reitor João Carlos Gomes / Universidade Estadual de Ponta Grossa-Paraná Presidente/ ABRUEM FINANCIAM FINANCIAMENTO

Leia mais

\ ATO: PM.:... 2 3 3 Õ *^/9/0Z

\ ATO: PM.:... 2 3 3 Õ *^/9/0Z homologação / _./ 5, D.o.ü. /. >-/ " ATO: D Q.U. '20' l HOMOLOGAÇÃO ^Jl D.M. y / q;i D.O.Ü._..Í_. /.....-It2Z.S8çgo J?.2í \ \ ATO: PM.:... 2 3 3 Õ *^/9/0Z j D.o.u,..é \s...j...az.sbçào i?ri _ &.

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO Parecer Homologado (*) (*) Despacho do Ministro, publicado no Diário Oficial da União de 26/08/2005. Portaria MEC n 2.878, publicada no Diário Oficial da União de 26/08/2005. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO, CIÊNCIAS CONTÁBEIS E TURISMO EAESP/FGV ESCOLA DE ADMINISTRAÇÃO DE EMPRESAS DE SÃO PAULO GESTÃO E POLÍTICAS PÚBLICAS F 4

ADMINISTRAÇÃO, CIÊNCIAS CONTÁBEIS E TURISMO EAESP/FGV ESCOLA DE ADMINISTRAÇÃO DE EMPRESAS DE SÃO PAULO GESTÃO E POLÍTICAS PÚBLICAS F 4 Etapa: Avaliação Nome da Nome do Programa Nível ADMINISTRAÇÃO, CIÊNCIAS CONTÁBEIS E TURISMO EAESP/FGV ESCOLA DE ADMINISTRAÇÃO DE EMPRESAS DE SÃO PAULO GESTÃO E POLÍTICAS PÚBLICAS F 4 ADMINISTRAÇÃO, CIÊNCIAS

Leia mais

Foram concedidas 894 novas bolsas de mestrado e 659 novas bolsas de doutorado. As novas bolsas concedidas já podem ser implementadas.

Foram concedidas 894 novas bolsas de mestrado e 659 novas bolsas de doutorado. As novas bolsas concedidas já podem ser implementadas. Bolsas de Pós-Graduação no País - Doutorado Foram concedidas 894 novas bolsas de mestrado e 659 novas bolsas de doutorado. As novas bolsas concedidas já podem ser implementadas. Para concessão das bolsas,

Leia mais

COLEGIADO: CES. Conselheiro Alex Bolonha Fiúza de Mello Relator ad hoc

COLEGIADO: CES. Conselheiro Alex Bolonha Fiúza de Mello Relator ad hoc PARECER HOMOLOGADO(*) (*) Despacho do Ministro, publicado no Diário Oficial da União de 30/04/2008 (*) Portaria/MEC nº 524, publicada no Diário Oficial da União de 30/04/2008 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO

Leia mais

Edital GCUB-ICC nº 001/2016

Edital GCUB-ICC nº 001/2016 Edital GCUB-ICC nº 001/2016 O Instituto Caro y Cuervo (ICC), a Embaixada da Colômbia no Brasil e o Grupo Coimbra de Universidades Brasileiras (GCUB), no âmbito do Acordo de Cooperação firmado em 16 de

Leia mais

Área de Avaliação Programa IES Nome Nível Nota

Área de Avaliação Programa IES Nome Nível Nota Área de Avaliação Programa IES Nome Nível Nota ADMINISTRAÇÃO, ADMINISTRAÇÃO, ADMINISTRAÇÃO, ADMINISTRAÇÃO, ADMINISTRAÇÃO, ADMINISTRAÇÃO, ADMINISTRAÇÃO, ADMINISTRAÇÃO, ADMINISTRAÇÃO, ADMINISTRAÇÃO, ADMINISTRAÇÃO,

Leia mais

Valor (R$ Mil) Bolsistas

Valor (R$ Mil) Bolsistas Ministério da Educação - MEC Fundação Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior - CAPES Número de Bolsistas e Valores Pagos (Médias), Segundo os Programas de Pós-Grad. Níveis: Mestrado

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO INTERESSADO: UF: MEC/Fundação Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível DF Superior ASSUNTO: Reconhecimento dos Programas de Pós-graduação

Leia mais

A relação dos projetos aprovados, indeferidos e não pré-qualificados éa seguinte:

A relação dos projetos aprovados, indeferidos e não pré-qualificados éa seguinte: CT-INFRA - Fundo de Infra-Estrutura RESULTADO DO EDITAL 03/2001 CT-INFRA O Comitê Gestor do CT-INFRA, em reunião realizada em 03 de junho de 2002, tomando como base a avaliação de mérito do Comitê Assessor,

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO, CIÊNCIAS CONTÁBEIS E TURISMO EAESP/FGV ESCOLA DE ADMINISTRAÇÃO DE EMPRESAS DE SÃO PAULO GESTÃO E POLÍTICAS PÚBLICAS F 4

ADMINISTRAÇÃO, CIÊNCIAS CONTÁBEIS E TURISMO EAESP/FGV ESCOLA DE ADMINISTRAÇÃO DE EMPRESAS DE SÃO PAULO GESTÃO E POLÍTICAS PÚBLICAS F 4 Área de Avaliação Ministério da Educação - MEC Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior - CAPES Período de Avaliação: 2007 a 2009 Etapa: Avaliação Trienal 2010 Sigla da Instituição Nome

Leia mais

Universidades Federais CA

Universidades Federais CA Universidades Federais CA 1 NORTE Universidade Federal do Acre Universidade do Amapá Universidade do Amazonas Universidade Federal do Pará Universidade Federal Rural da Amazônia Universidade do Oeste do

Leia mais

DEMANDA FINANCIADA PQI 2002 E 2003

DEMANDA FINANCIADA PQI 2002 E 2003 IES IES TITULO DO SUBÁREA UFPA UFV Formação de recursos humanos com vistas a consolidação de pesquisa micrometeorológica de INPE ecossistemas do Depto de meteorologia da UFPA AGRONOMIA (MICROMETEREOLOGIA)

Leia mais

CLIENTES INSTITUIÇÕES DE ENSINO

CLIENTES INSTITUIÇÕES DE ENSINO UEL Universidade Estadual de Londrina UFABC Universidade Federal do ABC UFBA Universidade Federal da Bahia UFC Universidade Federal do Ceará UFG Universidade Federal de Goiás UFGD Universidade Federal

Leia mais

GUIA Instituições Usuárias

GUIA Instituições Usuárias GUIA Instituições Usuárias EDIÇÕES DE 2015 FEVEREIRO Inscrição a partir de novembro de 2014 JUNHO Inscrição a partir de março de 2015 SETEMBRO Inscrição a partir de julho de 2015 Provas Raciocínio Lógico

Leia mais

Código PPG Área de Avaliação Programa IES Nome IES

Código PPG Área de Avaliação Programa IES Nome IES Código PPG Área de Avaliação Programa IES Nome IES Nível avaliado Nota final 2013 52016013002P3 33138010001P0 33139016002P0 33149011001P5 25018019001P3 32064012001P7 33027013004P0 25004018010P5 31011012014P0

Leia mais

Ministério da Educação

Ministério da Educação 1 de 7 30/07/2012 09:51 º 1468 - Sexta feira, 27 de julho de 2012 Ministério da Educação DEACHOS DO MIISTRO - Em 26 de julho de 2012 PORTARIA º 978, DE 26 DE JULHO DE 2012. MIISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Reconhecimentos

Leia mais

Relatório de Cursos. Página 1/9 Curso: Engenharia Mecânica. Bacharelado. Bacharelado. Bacharelado. Bacharelado. Bacharelado. Bacharelado.

Relatório de Cursos. Página 1/9 Curso: Engenharia Mecânica. Bacharelado. Bacharelado. Bacharelado. Bacharelado. Bacharelado. Bacharelado. Página 1/9 Curso: Engenharia Mecânica Emitido em: 6/3/2013 Critério de Pesquisa: Centro Universitário de Volta Redonda Volta Redonda Centro Universitário de Volta Redonda Volta Redonda Centro de Ensino

Leia mais

Índice Geral de Cursos da Instituição - IGC 2007 (Triênio 2006, 2007 e 2008)

Índice Geral de Cursos da Instituição - IGC 2007 (Triênio 2006, 2007 e 2008) 1 Universidade Federal de São Paulo UNIFESP SP FEDERAL 439 5 2 Fundação Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre UFCSPA RS FEDERAL 425 5 3 Fundação Universidade Federal de Viçosa UFV MG

Leia mais

RANKING DE INSCRIÇÕES POR CURSO

RANKING DE INSCRIÇÕES POR CURSO RANKING DE INSCRIÇÕES POR CURSO Posição em 01/02/2009-19h15 da Nome da IES Nome do Curso Qtd. Inscrições SP FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO ABC Ciência e Tecnologia ** 11529 RS UNIVERSIDADE FEDERAL DE

Leia mais

MANUAL DE ORIENTAÇÕES BÁSICAS

MANUAL DE ORIENTAÇÕES BÁSICAS MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DEPARTAMENTO DE MODERNIZAÇÃO E PROGRAMAS DA EDUCAÇÃO SUPERIOR COORDENAÇÃO GERAL DE RELAÇÕES ACADÊMICAS DE GRADUAÇÃO PROGRAMA DE EDUCAÇÃO TUTORIAL

Leia mais

Relatório de Cursos. Página 1/6 Curso: Zootecnia. Bacharelado. Bacharelado. Bacharelado. Bacharelado. Bacharelado. Bacharelado.

Relatório de Cursos. Página 1/6 Curso: Zootecnia. Bacharelado. Bacharelado. Bacharelado. Bacharelado. Bacharelado. Bacharelado. Página 1/6 Curso: Zootecnia Emitido em: 6/3/2013 Critério de Pesquisa: Faculdade de Agronomia e Zootecnia de Uberaba Uberaba Faculdade de Ciências Agro- Ambientais Rio de Janeiro Faculdade de Ciências

Leia mais

EVOLUÇÃO DA PÓS-GRADUAÇÃO NAS INSTITUIÇÕES FEDERAIS DE ENSINO SUPERIOR. ANDIFES Outubro/2011

EVOLUÇÃO DA PÓS-GRADUAÇÃO NAS INSTITUIÇÕES FEDERAIS DE ENSINO SUPERIOR. ANDIFES Outubro/2011 EVOLUÇÃO DA PÓS-GRADUAÇÃO NAS INSTITUIÇÕES FEDERAIS DE ENSINO SUPERIOR ANDIFES Outubro/2011 Créditos Presidente: Reitor - João Luiz Martins - UFOP 1ª Vice-presidente: Reitor Álvaro Toubes Prata UFSC Suplente:

Leia mais

Gabarito das Atividades Propostas

Gabarito das Atividades Propostas LINGUAGENS, CÓDIGOS E SUAS TECNOLOGIAS GRAMÁTICA INTERPRETAÇÃO TEXTUAL. A. D. B. A. C. C 7. D 8. D 9. D 0. *. D. B. E. C. A. E 7. B 8. E. V, F, V, F, V. C. D. D. B. D. D 7. C 8. E 9. C 0. D. D. C. *. E.

Leia mais

Orientador (Universidade) Licenciando (Formação inicial) Supervisor (Escola Pública, Formação continuada

Orientador (Universidade) Licenciando (Formação inicial) Supervisor (Escola Pública, Formação continuada POLÍTICAS PUBLICAS PARA A FORMAÇÃO DE PROFESSORES NO BRASIL: os programa PIBID e PRODOCÊNCIA MARIA ISABEL MONTANDON MUS/UnB Programas da CAPES-DEB (Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior

Leia mais

Painel de oportunidades nas políticas públicas do MEC

Painel de oportunidades nas políticas públicas do MEC Painel de oportunidades nas políticas públicas do MEC para as Universidades Estaduais e Municipais Professor João Carlos Gomes Presidente da ABRUEM Reitor da Universidade Estadual de Ponta Grossa - UEPG

Leia mais

2 a Melhor Universidade Federal da Região NORTE NORDESTE (Critérios do MEC Índice Geral de Cursos, IGC*)

2 a Melhor Universidade Federal da Região NORTE NORDESTE (Critérios do MEC Índice Geral de Cursos, IGC*) 2 a Melhor Universidade Federal da Região NORTE NORDESTE (Critérios do MEC Índice Geral de Cursos, IGC*) Posição IES Sigla Cursos Avaliados IGC 1 UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO UFPE 50 3.69 2 UNIVERSIDADE

Leia mais

Edital do Processo Seletivo para o Curso Micropolítica da Gestão e Trabalho em Saúde Ênfase na Gestão Estadual do Sistema Único de Saúde

Edital do Processo Seletivo para o Curso Micropolítica da Gestão e Trabalho em Saúde Ênfase na Gestão Estadual do Sistema Único de Saúde 1 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO, PESQUISA E INOVAÇÃO COORDENADORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Rio de Janeiro, em 06 de outubro

Leia mais

RESULTADO PRELIMINAR - Edital FAPERGS 14/2013 - MESTRADO

RESULTADO PRELIMINAR - Edital FAPERGS 14/2013 - MESTRADO RESULTADO PRELIMINAR - Edital FAPERGS 14/2013 - MESTRADO IES PPG Concedidas Mestrado em Processos e Manifestações Culturais 3 Programa de Pós- Graduação em Qualidade Ambiental-Mestrado FEEVALE Acadêmico

Leia mais

UNIVERSIDADES E INSTITUIÇÕES PÚBLICAS ESTADUAIS QUE JÁ ADOTARAM AÇÕES AFIRMATIVAS

UNIVERSIDADES E INSTITUIÇÕES PÚBLICAS ESTADUAIS QUE JÁ ADOTARAM AÇÕES AFIRMATIVAS UNIVERSIDADES E INSTITUIÇÕES PÚBLICAS ESTADUAIS QUE JÁ ADOTARAM AÇÕES AFIRMATIVAS ESCS Escola Superior de Ciência da Saúde DF FAETEC Fundação de apoio à Escola Técnica do RJ FAMERP Faculdade Medicina S.J.

Leia mais

Relatório de Cursos. Página 1/8 Curso: Medicina Veterinária. Bacharelado. Bacharelado. Bacharelado. Bacharelado. Bacharelado. Bacharelado.

Relatório de Cursos. Página 1/8 Curso: Medicina Veterinária. Bacharelado. Bacharelado. Bacharelado. Bacharelado. Bacharelado. Bacharelado. Página 1/8 Curso: Medicina Veterinária Emitido em: 6/3/2013 Critério de Pesquisa: Centro de Ensino Superior de Valença CESVA Valença R$ 1.065,26 Integral 80 Centro de Ensino Superior de Valença CESVA Valença

Leia mais

Último ano avaliado no Enade. UF Sede. Categoria Administrativa IES. Município Sede. IGC Faixa

Último ano avaliado no Enade. UF Sede. Categoria Administrativa IES. Município Sede. IGC Faixa Último ano avaliado no Enade IES UF Sede Município Sede Categoria Administrativa 2011 UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO MT Cuiabá Pública 4 2011 UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA DF Brasília Pública 4 2011 UNIVERSIDADE

Leia mais

Projetos de Extensão. Prof. Msc. Marcílio Meira Informátic ca

Projetos de Extensão. Prof. Msc. Marcílio Meira <marcilio.meira@ifrn.edu.br> Informátic ca Extensão Projetos de Extensão Prof. Msc. Marcílio Meira Informátic ca Objetivos da aula a. Compreender o que é um Projeto de Extensão, e seus objetivos; b Aprender como se

Leia mais

A Avaliação e a nota 4 do curso de Licenciatura em Física

A Avaliação e a nota 4 do curso de Licenciatura em Física A Avaliação e a nota 4 do curso de Licenciatura em Física Para quem tiver curiosidade, entre os 310 cursos em atividade em todo o país (segundo a estranha tabela do E-MEC), são poucas as instituições que

Leia mais

EDUCAÇÃO. Papel das Universidades Estaduais e Municipais Questões: Financiamento Interiorização Pesquisa / Pós-Graduação Formação de Professores

EDUCAÇÃO. Papel das Universidades Estaduais e Municipais Questões: Financiamento Interiorização Pesquisa / Pós-Graduação Formação de Professores EDUCAÇÃO Objetivo: Principais Problemas: Políticas Públicas: Construção de um sistema educacional eficiente e capaz de formar cidadãos Acesso e qualidade Perspectiva Sistêmica Papel das Universidades Estaduais

Leia mais