A MAIOR EMPRESA DE BIODIESEL DO BRASIL

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "A MAIOR EMPRESA DE BIODIESEL DO BRASIL"

Transcrição

1 A MAIOR EMPRESA DE BIODIESEL DO BRASIL

2 BIODIESEL O que é? O biodiesel pode ser produzido a partir de qualquer óleo vegetal - tal como soja, girassol, canola, palma ou mamona -, assim como a partir de gordura animal Tecnologia e processo de produção simples e conhecidos Combustível renovável Potencial de desenvolvimento humano e social 2

3 BIODIESEL Atributos do produto É substituto perfeito do diesel mineral Não é necessária adaptação dos motores Reduz as emissões de gases causadores do efeito estufa Ecologicamente correto, elegível ao crédito de carbono BIODIESEL É renovável, vel, biodegradável e possui balanço o energético positivo na produção Número de cetano maior do que o do diesel mineral Não agride o meio ambiente Alto poder de ignição e combustão Ponto de fulgor é superior ao do diesel mineral Distribuição simplificada e maior segurança no transporte 3

4 MERCADO Tendências Globais Forte crescimento da demanda e da produção de biocombustíveis: Segurança energética, dependência de regiões com problemas geopolíticos e alto preço Preocupação com aquecimento global, necessidade de substituição de combustíveis fósseis Produção mundial de biodiesel ( 000 MT) Fonte: Oleoline CAGR = 39,7% Europa USA Resto do mundo Mercado de biodiesel apresenta grande potencial de crescimento 4

5 MERCADO Europa Principal mercado A meta indicativa de utilização de 2% de biocombustíveis em 2005 não foi atingida Esta meta foi elevada para 5,75% em 2010 e o Conselho Europeu recomendou a adoção de uma meta mandatória de 10% em 2020 Diversos países já estabeleceram metas mandatórias mudança na formação de preço Produção local não irá atender a demanda européia: limitação de terras agricultáveis 243% 132% 145% 60% 18% 40% 16% 35% EUA B5 EUA B10 Europa B5 Europa B10 Percentagem da atual área plantada de oleaginosas necessária para substituir X% de petrodiesel por biodiesel. Percentagem da atual área plantada total necessária para substituir X% de petrodiesel por biodiesel. Europa deverá importar biocombustíveis para atender à demanda 5

6 MERCADO Introdução Matriz Energética Brasileira 6

7 MERCADO BRASILEIRO Obrigatório rio e voluntário Principais componentes do mercado voluntário O mercado tende a ser significativamente maior que o obrigatório considerando-se as adições em percentuais mais elevados pelos consumidores especiais, tais como as frotas de transporte urbano, ferrovias, mineradoras, termoelétricas: CVRD já está utilizando B20 em suas ferrovias. A companhia é a maior consumidora de diesel do país Empresas de transporte público já estão utilizando B5 no Rio, São Paulo e Belo Horizonte, entre outras cidades Frotas agrícolas consomem cerca de 15% do diesel do país. Em algumas regiões a distância das refinarias torna o produto muito caro e a ANP pode autorizar a venda direta de biodiesel aos produtores agrícolas Sistemas isolados de geração de energia termoelétrica poderão consumir biodiesel, visando a redução de custos de transporte Alguns produtores de tratores e máquinas agrícolas já comercializam equipamentos com garantia estendida para consumo de até B100 (biodiesel puro) 7

8 MERCADO Perspectivas para 2008 Para suprir o mercado em 2008 serão realizados 4 novos leilões pela ANP: 2 leilões em novembro para atender a obrigatoriedade de 2%, sendo 1,6% para produtores que possuem o selo social e 0,4% para todos 2 leilões em dezembro para atender uma demanda adicional de 1% do mercado estimado Possibilidade de introdução de misturas maiores ainda este ano Petrobras e Refap compram a produção Capacidade de Produção do Mercado: Mercado Livre x Leilões ANP divulga a existência de 41 usinas de 34 empresas diferentes com capacidade autorizada total de produção de m 3 / ano Somente 16 usinas divulgaram produção até o momento 97% da produção (até julho - ANP) foi realizada por 8 usinas, sendo 4 da Brasil Ecodiesel (Rosário do Sul e Itaquí não haviam produzido até aquela data) Capacidade autorizada não significa capacidade instalada disponível para a produção 8

9 MERCADO BRASILEIRO Obrigatório rio e Voluntário em diante 2% Autorizado 2% Obrigatório 5% Obrigatório *? 1,600 3,000 2,500 1, ,400 mil m3 2,000 1,500 1, Regime de Leilões Mercado Obrigatório** * Considerando antecipação do B5 ** Obrigatório Estimativas MME/ Voluntário Estimativas Brasil Ecodiesel Com mercado voluntário** 9

10 A BRASIL ECODIESEL Fundada em 2003, é uma empresa de capital aberto com ações listadas no Novo Mercado da Bovespa É uma empresa dedicada exclusivamente à produção e comercialização de biodiesel, com qualidade e observância das especificações técnicas estabelecidas para cada mercado Possui 640 mil m 3 de capacidade instalada de produção de biodiesel, em operação comercial, e é a líder no mercado nacional Possui uma estratégia de originação de matérias primas diferenciada que envolve todos os níveis do setor agrícola brasileiro, de grandes produtores rurais a agricultores familiares, além de contar com produção própria Faz parte de seu negócio o respeito ao meio ambiente e a promoção do desenvolvimento humano e social 10

11 BRASIL ECODIESEL Objetivos empresariais Liderança no mercado brasileiro Posição de destaque no mercado internacional Estruturação de cadeias de originação de matérias primas visando a segurança no fornecimento dos insumos e baixos custos Forte relação com o agronegócio e a agricultura familiar Dispersão geográfica a fim de maximizar as alternativas de suprimento de matérias primas e otimizar os processos de logística Domínio do processo industrial flexível e inovação nas técnicas agrícolas de novas matérias primas Contribuição efetiva para o desenvolvimento econômico, humano e social das comunidades com as quais se relaciona 11

12 BRASIL ECODIESEL Dispersão geográfica Único produtor de biodiesel com presença nacional Usinas de Biodiesel * 6 em operação * 1 em planejamento Unidades de Extração de Óleo * 2 em operação * 1 pré-operacional * 1 em construção * 1 em planejamento 3 Laboratórios de Certificação Fazendas: hectares próprios ou arrendados Unidades de Armazenamento de óleos e grãos 12

13 BRASIL ECODIESEL Estrutura industrial e sua ampliação O Conselho de Administração aprovou a ampliação das usinas existentes => investimento por m3 de capacidade industrial muito reduzido Capacidade Atual (*) (mil m 3 /ano) Capacidade Ampliada (*) (mil m 3 /ano) Crateús-CE 118,8 165,0 Floriano-PI 44,6 89,1 Iraquara-BA 118,8 264,0 Itaqui-MA 118,8 264,0 Porto Nacional-TO 118,8 264,0 Rosário do Sul-RS 118,8 264,0 Total 638, ,1 ANP já autorizou expansão de Floriano Expansões de Iraquara, Crateús, Porto Nacional, Rosário do Sul e Itaquí em análise pela ANP A instalação da usina de Dourados MS se dará em 2008, após a conclusão da ampliação das usinas existentes 13

14 BRASIL ECODIESEL Evolução da Capacidade de Produção Capacidade Instalada (mil m 3 ) mil m dez/2005 dez/06 out/ Installed Capacity 1,430,000 m 3 (377,750,000 gallons) 14

15 BRASIL ECODIESEL Diversificação de Óleos Vegetais Óleo de Soja Girassol Indústria de Óleos Complementaridade Agricultura Intensiva e Familiar Pinhão Manso Mamona Agricultura Familiar e Terras Próprias Fontes diversificadas de óleo vegetal mitigam riscos e favorecem o aproveitamento do potencial agrícola brasileiro Agricultura Familiar 15

16 BRASIL ECODIESEL Características das Principais Culturas Características das principais culturas para uso energético SOJA GIRASSOL MAMONA PINHÃO MANSO 18-20% de óleo na semente 40-45% de óleo na semente 45-50% de óleo na semente 30-39% de óleo na semente 440 kg de óleo / ha 810 kg de óleo / ha 750 kg de óleo / ha 780 kg de óleo / ha Commodity mundial Commodity mundial Mercado mundial restrito Sem mercado mundial Desenvolvida tecnologicamente Desenvolvida tecnologicamente Pouco desenvolvida tecnologicamente Pouco desenvolvida tecnologicamente Não perene Não perene Não perene Perene Comestível Comestível Não comestível Não comestível Intensiva no Brasil Incipiente no Brasil Incipiente no Brasil Incipiente no Brasil 16

17 BRASIL ECODIESEL Diversificação de óleos vegetais Foco em culturas não comestíveis e com alto teor de óleo Melhor relação entre óleo e farelo / torta Sem competição entre alimentação e energia Disponibilidade de terras Intensiva em trabalho impacto positivo no desenvolvimento humano e social SOJA 4,0 GIRASSOL MAMONA PINHÃO MANSO 1,0 1,0 1,0 1,0 1,0 1,0 1,5 Óleo Farelo Uso marginal Óleo Farelo Óleo Torta Óleo Torta Expansão da produção 17

18 BRASIL ECODIESEL Desenvolvimento Humano e Social A Brasil Ecodiesel tem em seu foco culturas agrícolas intensivas em mão de obra: Integração do Suprimento Programas de Fidelização com Agricultores Representatividade Institucional Relacionamento com organizações rurais Incentivos Fiscais Núcleo de Produção Comunitária Rede Integrada de Agricultura Familiar Núcleo Santa Clara, fundado em 2003 ~ famílias ao final de Escritórios Regionais Cobrindo Municípios 76 18

19 BRASIL ECODIESEL Biocombustíveis e o Meio Ambiente A sustentabilidade de diferentes biocombustíveis somente pode ser avaliada pela comparação de seus balanços energéticos, isto é,, a relação entre a energia renovável vel gerada e a energia fóssil f utilizada no processo produtivo BALANÇO ENERGÉTICO 8 8, ,3 1,9 1,9 3,0 3,2 0 Milho EUA Beterraba UE Etanol Cana de Açúcar Brasil Soja EUA Colza/ Canola UE Biodiesel Girassol UE 19

20 BRASIL ECODIESEL Nosso Biodiesel e o Meio Ambiente A Brasil Ecodiesel contratou a EcoSecurities* * para determinar o balanço o energético do biodiesel feito de mamona em sua planta de Iraquara, Bahia Principais premissas Plantação e colheita manuais feita por agricultores familiares Tamanho médio das propriedades: 6 ha Produtividade média: 600 kg/ha por ano Subprodutos (torta de mamona e glicerina) utilizados na geração de calor durante o processo produtivo BALANÇO ENERGÉTICO = 10,5 BRASIL ECODIESEL PODE PRODUZIR O BIOCOMBUSTÍVEL MAIS VERDE DO MUNDO *EcoSecurities é uma empresa líder no mercado de créditos de carbono, com sede em Londres. 20

21 BRASIL ECODIESEL Nosso Biodiesel e o Meio Ambiente Vantagens adicionais mamona plantada em regiões semi-áridas, de solo pobre e chuva irregular, terras impróprias para agricultura intensiva, sem florestas disponibilidade abundante de força de trabalho desempregada ou sub-empregada óleo e torta de mamona não são comestíveis por humanos e animais, sem competição entre alimentação e energia Perspectivas futuras se e quando o metanol for substituído pelo etanol no processo de transesterificação, o balanço energético do biodiesel feito de óleo de mamona pode ser superior a 40:1 uma relação ainda maior será observada com a utilização de pinhão manso, pois se trata de planta perene com produtividade por hectare superior à da mamona 21

22 BRASIL ECODIESEL Desafios de médio/longo m prazo Incremento das cadeias de originação não alimentares Originação Estratégia Transporte Redução do raio médio de transporte entre plantio e processamento Produção Comercialização - Eficiência industrial - Custo e Produtividade Relacionamentos de longo prazo (Mercado Livre X Leilões) 22

23 OBRIGADO! JORIO DAUSTER PRESIDENTE DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO A MAIOR EMPRESA DE BIODIESEL DO BRASIL Belo Horizonte, 19 de outubro de ª ECOLATINA Conferência Latino-Americana sobre Meio Ambiente e Responsabilidade Social

A MAIOR EMPRESA DE BIODIESEL DO BRASIL

A MAIOR EMPRESA DE BIODIESEL DO BRASIL A MAIOR EMPRESA DE BIODIESEL DO BRASIL BIODIESEL: O PRODUTO 2 BIODIESEL O que é? É um éster, metílico ou etílico, produzido a partir de uma reação química chamada transesterificação, entre um óleo vegetal

Leia mais

Brasil Ecodiesel. Movendo o Brasil com Biodiesel. Biodiesel Congress 2009 01/09/09

Brasil Ecodiesel. Movendo o Brasil com Biodiesel. Biodiesel Congress 2009 01/09/09 Brasil Ecodiesel Movendo o Brasil com Biodiesel Biodiesel Congress 2009 01/09/09 Macro Tendências do Setor de Biodiesel Pressão mundial por combustíveis renováveis Mundo Em 2008, os biocombustíveis representaram

Leia mais

Biodiesel Uma Sinopse das Conjunturas Brasileira e Mundial.

Biodiesel Uma Sinopse das Conjunturas Brasileira e Mundial. Biodiesel Uma Sinopse das Conjunturas Brasileira e Mundial. * Penteado, R. A. N. (1) ; * Cunha, R. B. C.; * Penteado, A.P. (1)l renato@lactec.org.br (*) Instituto de Tecnologia para o Desenvolvimento (LACTEC)

Leia mais

Utilização do óleo vegetal em motores diesel

Utilização do óleo vegetal em motores diesel 30 3 Utilização do óleo vegetal em motores diesel O óleo vegetal é uma alternativa de combustível para a substituição do óleo diesel na utilização de motores veiculares e também estacionários. Como é um

Leia mais

Biocombustíveis: Estudo de culturas adequadas à sua produção: um panorama da produção agrícola da cana de açúcar e da soja.

Biocombustíveis: Estudo de culturas adequadas à sua produção: um panorama da produção agrícola da cana de açúcar e da soja. Biocombustíveis: Estudo de culturas adequadas à sua produção: um panorama da produção agrícola da cana de açúcar e da soja. Maria Helena M. Rocha Lima Nilo da Silva Teixeira Introdução Quais os fatores

Leia mais

Visão Geral do Programa de Biodiesel

Visão Geral do Programa de Biodiesel 16ªReunião Ordinária da Câmara Setorial da Cadeia Produtiva de Oleaginosas e Biodiesel Visão Geral do Programa de Biodiesel Ricardo de Gusmão Dornelles Diretor do Departamento de Combustíveis Renováveis

Leia mais

Potencial dos Biocombustíveis

Potencial dos Biocombustíveis Potencial dos Biocombustíveis Mozart Schmitt de Queiroz Gerente Executivo de Desenvolvimento Energético Diretoria de Gás e Energia Petrobras S.A. Belo Horizonte, 17 de outubro de 2007 Evolução da Capacidade

Leia mais

Biodiesel no Brasil. A Visão da Indústria de Óleos Vegetais. Márcio Nappo. Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais

Biodiesel no Brasil. A Visão da Indústria de Óleos Vegetais. Márcio Nappo. Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais Biodiesel no Brasil A Visão da Indústria de Óleos Vegetais ABIOVE Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais Márcio Nappo Coordenador de Economia e Estatística 6º Fórum de Debates sobre Qualidade

Leia mais

BIODIESEL PARA O CIB

BIODIESEL PARA O CIB BIODIESEL PARA O CIB Roteiro Explicativo de Slides em Power Point Gil Miguel de Sousa Câmara 1 Slide 1 Abertura Slide 2 Famosa frase proferida por Rudolph Diesel em 1912. Slide 3 Razões que justificam

Leia mais

Desafios Ambientais do Biodiesel no Brasil

Desafios Ambientais do Biodiesel no Brasil Desafios Ambientais do Biodiesel no Brasil Mudança do Clima A mudança do clima representa um desafio para a sustentabilidade global. Os gases de efeito estufa (GEEs) são apontados como os principais responsáveis

Leia mais

A VISÃO O ATUALIZADA DA QUESTÃO O ETANOL. Maurílio Biagi Filho

A VISÃO O ATUALIZADA DA QUESTÃO O ETANOL. Maurílio Biagi Filho A VISÃO O ATUALIZADA DA QUESTÃO O ETANOL Maurílio Biagi Filho Roteiro Evolução e perspectivas da indústria sucroalcooleira no Brasil. Brasil: potencial para aumento da produção e produtividade. Expansão

Leia mais

BRASIL ECODIESEL INDÚSTRIA E COMÉRCIO DE BIOCOMBUSTÍVEIS E ÓLEOS VEGETAIS S.A. CNPJ/MF sob nº. 05.799.312/0001-20 NIRE 33.

BRASIL ECODIESEL INDÚSTRIA E COMÉRCIO DE BIOCOMBUSTÍVEIS E ÓLEOS VEGETAIS S.A. CNPJ/MF sob nº. 05.799.312/0001-20 NIRE 33. BRASIL ECODIESEL INDÚSTRIA E COMÉRCIO DE BIOCOMBUSTÍVEIS E ÓLEOS VEGETAIS S.A. CNPJ/MF sob nº. 05.799.312/0001-20 NIRE 33.30028160-6 COMUNICADO AO MERCADO A BRASIL ECODIESEL INDÚSTRIA E COMÉRCIO DE BIOCOMBUSTÍVEIS

Leia mais

SOCIEDADE BRASILEIRA DE ÓLEOS E GORDURAS

SOCIEDADE BRASILEIRA DE ÓLEOS E GORDURAS SOCIEDADE BRASILEIRA DE ÓLEOS E GORDURAS PLANTAS OLEAGINOSAS POTENCIAIS PARA A PRODUÇÃO DE BIODIESEL Prof. Dr. Gil Miguel de Sousa Câmara USP / ESALQ - LPV Florianópolis - SC Novembro / 2007 O POR QUÊ

Leia mais

7 Transporte e Logística

7 Transporte e Logística 7 Transporte e Logística Este capítulo apresenta a análise da logística das cadeias produtivas das oleaginosas pesquisadas e os custos de transporte utilizados nas simulações. 7.1. Logística Para a organização

Leia mais

PROGRAMA NACIONAL DE PRODUÇÃO E USO DE BIODIESEL (PNPB)

PROGRAMA NACIONAL DE PRODUÇÃO E USO DE BIODIESEL (PNPB) PROGRAMA NACIONAL DE PRODUÇÃO E USO DE BIODIESEL (PNPB) 1. Biodiesel no Brasil No Brasil, biodiesel é o biocombustível derivado de biomassa renovável para uso em motores a combustão interna com ignição

Leia mais

UNIVERSIDADE CÂNDIDO MENDES PÓS-GRADUAÇÃO GESTÃO EMPRESARIAL CLÁUDIO AZEVEDO SANTOS

UNIVERSIDADE CÂNDIDO MENDES PÓS-GRADUAÇÃO GESTÃO EMPRESARIAL CLÁUDIO AZEVEDO SANTOS UNIVERSIDADE CÂNDIDO MENDES PÓS-GRADUAÇÃO GESTÃO EMPRESARIAL CLÁUDIO AZEVEDO SANTOS BIODIESEL: REALIDADE E PERSPECTIVAS NO BRASIL RIO DE JANEIRO 2010 CLÁUDIO AZEVEDO SANTOS BIODIESEL: REALIDADE E PERSPECTIVAS

Leia mais

MINISTÉRIO DA INTEGRAÇÃO NACIONAL - MI AGÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO DA AMAZÔNIA - ADA

MINISTÉRIO DA INTEGRAÇÃO NACIONAL - MI AGÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO DA AMAZÔNIA - ADA MINISTÉRIO DA INTEGRAÇÃO NACIONAL - MI AGÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO DA AMAZÔNIA - ADA BIOCOMBUSTÍVEIS: ATRAÇÃO DE INVESIMENTOS PARA O ESTADO DO PARÁ CONTEXTO: A Agência de Desenvolvimento da Amazônia, deseja

Leia mais

Páreo para o petróleo

Páreo para o petróleo Páreo para o petróleo Em expansão acelerada, mercado de biocombustíveis promete lucros crescentes àqueles que investirem em soluções inovadoras para produção. Biodiesel é a principal atração Francis França

Leia mais

Oportunidades no Mercado de Biocombustíveis

Oportunidades no Mercado de Biocombustíveis 4 e 5 de junho de 2007 World Trade Center São Paulo, Brasil SÃO PAULO ETHANOL SUMMIT Novas Fronteiras do Etanol: Desafios da Energia no Século 21 Oportunidades no Mercado de Biocombustíveis Arnaldo Walter

Leia mais

Como o Brasil pode contribuir para o esforço internacional de redução das emissões. Allan Kardec Duailibe Diretor

Como o Brasil pode contribuir para o esforço internacional de redução das emissões. Allan Kardec Duailibe Diretor Como o Brasil pode contribuir para o esforço internacional de redução das emissões Allan Kardec Duailibe Diretor Apostar nos BIOcombustíveis! Apostar no conceito BIcombustível Matriz múltipla O Brasil

Leia mais

Comissão Mista Medida Provisória 647/2014 Audiência Pública

Comissão Mista Medida Provisória 647/2014 Audiência Pública Versão 16 Jul 14 Comissão Mista Medida Provisória 647/2014 Audiência Pública Senado Federal, 16/07/2014 IMPACTOS DO PNPB Aspectos mais relevantes das Externalidades Positivas do PNPB (Programa Nacional

Leia mais

BIODIESEL. O NOVO COMBUSTÍVEL DO BRASIL.

BIODIESEL. O NOVO COMBUSTÍVEL DO BRASIL. Folder final 12/4/04 2:45 AM Page 1 BIODIESEL. O NOVO COMBUSTÍVEL DO BRASIL. PROGRAMA NACIONAL DE PRODUÇÃO E USO DO BIODIESEL Folder final 12/4/04 2:45 AM Page 2 BIODIESEL. A ENERGIA PARA O DESENVOLVIMENTO

Leia mais

Os Benefícios do Programa Nacional de Produção e Uso de Biodiesel (PNPB) para a sociedade e suas perspectivas para os próximos anos.

Os Benefícios do Programa Nacional de Produção e Uso de Biodiesel (PNPB) para a sociedade e suas perspectivas para os próximos anos. Os Benefícios do Programa Nacional de Produção e Uso de Biodiesel (PNPB) para a sociedade e suas perspectivas para os próximos anos. Industria Matéria-prima Mão de obra Saúde e Meio Ambiente Economia 2

Leia mais

BIODIESEL COMO FONTE ALTERNATIVA DE ENERGIA ELÉTRICA: ESTUDO DO ÓLEO DE DENDÊ

BIODIESEL COMO FONTE ALTERNATIVA DE ENERGIA ELÉTRICA: ESTUDO DO ÓLEO DE DENDÊ 1/6 Title BIODIESEL COMO FONTE ALTERNATIVA DE ENERGIA ELÉTRICA: ESTUDO DO ÓLEO DE DENDÊ Registration Nº: (Abstract) 222 Company UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE Authors of the paper Name Country e-mail

Leia mais

Projeto e Construção de Usina Didática para Produção de Biodiesel

Projeto e Construção de Usina Didática para Produção de Biodiesel Projeto e Construção de Usina Didática para Produção de Biodiesel Brasil, Alex Nogueira a, Loregian, Henrique Bernardes a, Nunes, Diego Luiz b a ENERBIO, Grupo de Pesquisa em Energias Renováveis, Universidade

Leia mais

Visões Ambientais para o Financiamento de Biocombustíveis no Brasil

Visões Ambientais para o Financiamento de Biocombustíveis no Brasil A expansão da agroenergia e seus impactos sobre os ecossistemas brasileiros Rio de Janeiro, 26-27 março 2007 Visões Ambientais para o Financiamento de Biocombustíveis no Brasil Eduardo Bandeira de Mello

Leia mais

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO 2020 PLANO DE NEGÓCIOS 2009-13

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO 2020 PLANO DE NEGÓCIOS 2009-13 PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO 2020 PLANO DE NEGÓCIOS 2009-13 PETROBRAS BIOCOMBUSTÍVEL S/A COMISSÃO ESPECIAL DE ENERGIAS RENOVÁVEIS ABRIL DE 2009 1 Agenda Planejamento Estratégico da Petrobras Biocombustível

Leia mais

unesp JABOTICABAL Programa Coleta de Óleos de Fritura

unesp JABOTICABAL Programa Coleta de Óleos de Fritura unesp JABOTICABAL Programa Coleta de Óleos de Fritura Desde maio de 2004 o LADETEL USP / RP desenvolve o projeto de reciclagem de óleo de fritura. O óleo de fritura usado é recolhido e enviado ao LADETEL

Leia mais

Senhor Presidente Senhoras e Senhores Deputados,

Senhor Presidente Senhoras e Senhores Deputados, Discurso Dep. Antonio Joaquim PTB/MA Data: 25.04.2005. Senhor Presidente Senhoras e Senhores Deputados, Ocupo esta tribuna para falar sobre o Biodiesel. Uma alternativa de Combustível de grande perspectiva

Leia mais

Políticas Governamentais para Biocombustíveis

Políticas Governamentais para Biocombustíveis Ministério de Minas e Energia Secretaria de Petróleo, Gás Natural e Combustíveis Renováveis Departamento de Combustíveis Renováveis Políticas Governamentais para Biocombustíveis Ricardo B. Gomide ricardo.gomide@mme.gov.br

Leia mais

BIOCOMBUSTÍVEL O SONHO VERDE PROFª NEIDE REGINA USSO BARRETO

BIOCOMBUSTÍVEL O SONHO VERDE PROFª NEIDE REGINA USSO BARRETO BIOCOMBUSTÍVEL O SONHO VERDE PROFª NEIDE REGINA USSO BARRETO BIOCOMBUSTÍVEL Qualquer combustível de origem biológica, não fóssil. Mistura de uma ou mais plantas como: cana-de-açúcar, mamona, soja, cânhamo,

Leia mais

Agricultura Familiar AVANÇOS E DESAFIOS

Agricultura Familiar AVANÇOS E DESAFIOS Agricultura Familiar AVANÇOS E DESAFIOS Tema Centrais As mudanças nas regras do Selo O Selo existiria em um cenário sem leilões? A importância do Selo Social para o novo Governo. A Função da Secretaria

Leia mais

Cadeia produ+va do Biodiesel

Cadeia produ+va do Biodiesel Recursos Energé-cos Cadeia produ+va do Biodiesel Felipe Guerra Pedro Camarero Biodiesel O que é? É um combus8vel biodegradável derivado de fontes renováveis como óleos vegetais e gorduras animais. São

Leia mais

IV Congresso Brasileiro de Mamona e I Simpósio Internacional de Oleaginosas Energéticas, João Pessoa, PB 2010 Página 41 INTRODUÇÃO

IV Congresso Brasileiro de Mamona e I Simpósio Internacional de Oleaginosas Energéticas, João Pessoa, PB 2010 Página 41 INTRODUÇÃO Página 41 BIODIESEL: UMA UTILIZAÇÃO DA BIOTECNOLOGIA A FAVOR DO DESENVOLVIMENTO SÓCIO- ECONÔMICO E AMBIENTAL NO BRASIL Emanoela Moura Toscano¹; Aurilene de Souza Costa¹; Andréa Amorim¹; Giselle Medeiros

Leia mais

Biocombustíveis e a perspectiva de certificação no Brasil 1

Biocombustíveis e a perspectiva de certificação no Brasil 1 Biocombustíveis e a perspectiva de certificação no Brasil 1 Francisco Nelson Castro Neves 2 Apresentação Institucional A Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) surgiu, em 1998,

Leia mais

Mercado de biodiesel no Brasil: avaliação e perspectivas

Mercado de biodiesel no Brasil: avaliação e perspectivas V Simpósio Nacional de Tecnologia em Agronegócio Mercado de biodiesel no Brasil: avaliação e perspectivas Daniel Furlan Amaral Gerente de Economia da ABIOVE FATEC Ourinhos PR 17 de outubro de 2013 1 Roteiro

Leia mais

Análise de viabilidade econômica de implantação de uma unidade de extração de óleo vegetal e produção de biodiesel a partir da soja

Análise de viabilidade econômica de implantação de uma unidade de extração de óleo vegetal e produção de biodiesel a partir da soja Análise de viabilidade econômica de implantação de uma unidade de extração de óleo vegetal e produção de biodiesel a partir da soja Marco Antonio Sartori (UFV) marcosartori@ufv.br Silvia Regina Sartori

Leia mais

AGRÍCOLA NO BRASIL. Prefácio. resultados do biotecnologia: Benefícios econômicos da. Considerações finais... 7 L: 1996/97 2011/12 2021/22...

AGRÍCOLA NO BRASIL. Prefácio. resultados do biotecnologia: Benefícios econômicos da. Considerações finais... 7 L: 1996/97 2011/12 2021/22... O OS BENEFÍCIOS ECONÔMICOS DA BIOTECNOLOGIA AGRÍCOLA NO BRASIL L: 1996/97 2011/12 O caso do algodão geneticamente modificado O caso do milho geneticamente modificado O caso da soja tolerante a herbicida

Leia mais

Produção e consumo de óleos vegetais no Brasil Sidemar Presotto Nunes

Produção e consumo de óleos vegetais no Brasil Sidemar Presotto Nunes Produção e consumo de óleos vegetais no Brasil Sidemar Presotto Nunes Apresentação O consumo de óleos vegetais tem aumentado no mundo todo, substituindo parte do consumo de gorduras animais. Embora tenham

Leia mais

Diretrizes da Agenda Setorial do Setor de Energias Renováveis: Biocombustíveis

Diretrizes da Agenda Setorial do Setor de Energias Renováveis: Biocombustíveis SENADO FEDERAL Comissão de Agricultura e Reforma Agrária Diretrizes da Agenda Setorial do Setor de Energias Renováveis: Bioetanol Biodiesel Biocombustíveis Brasília, 28 de novembro de 2012 Foco e Prioridades

Leia mais

A SUSTENTABILIDADE DO USO ENERGÉTICO DA BIOMASSA FLORESTAL

A SUSTENTABILIDADE DO USO ENERGÉTICO DA BIOMASSA FLORESTAL A SUSTENTABILIDADE DO USO ENERGÉTICO DA BIOMASSA FLORESTAL Ciclo de Mesas Redondas A APREN e as Universidades Comemoração do Dia Internacional das Florestas Cláudia Sousa, CBE Aveiro, 20 março de 2014

Leia mais

Repensando a matriz brasileira de combustíveis

Repensando a matriz brasileira de combustíveis 1 Repensando a matriz brasileira de combustíveis Marcos Sawaya Jank Conselheiro do CDES A matriz energética brasileira se destaca pela grande incidência de fontes renováveis... Ao longo desta década, a

Leia mais

Energia renovável e impacto ambiental

Energia renovável e impacto ambiental Energia renovável e impacto ambiental John Herbert Maciel Diamantino da Silveira* Scarlet Barcelos Silva** Vicente Souza da Silva Júnior*** Resumo Substituir as energias não renováveis pelas renováveis

Leia mais

dar ao consumidor a opção de escolha Ana Luísa Pinho Auditório do NERPOR, Portalegre, 4 de Março de 2008

dar ao consumidor a opção de escolha Ana Luísa Pinho Auditório do NERPOR, Portalegre, 4 de Março de 2008 Biodiesel: dar ao consumidor a opção de escolha Ana Luísa Pinho Auditório do NERPOR, Portalegre, 4 de Março de 2008 Prio Uma empresa do Grupo Martifer Líder ibérica na construção de estruturas metálicas

Leia mais

INSTITUTO DE PESQUISA APLICADA EM DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO SUSTENTÁVEL IPADES DESTAQUES IPADES MACAÚBA: POTENCIAL PARA A PRODUÇÃO DE BIODIESEL

INSTITUTO DE PESQUISA APLICADA EM DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO SUSTENTÁVEL IPADES DESTAQUES IPADES MACAÚBA: POTENCIAL PARA A PRODUÇÃO DE BIODIESEL INSTITUTO DE PESQUISA APLICADA EM DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO SUSTENTÁVEL IPADES DESTAQUES IPADES Março 2014 MACAÚBA: POTENCIAL PARA A PRODUÇÃO DE BIODIESEL O Programa Nacional de Produção e Uso de Biodiesel

Leia mais

A produção de energia devora alimentos? Oportunidades e riscos da produção de etanol derivado de cana-de-açúcar no Brasil

A produção de energia devora alimentos? Oportunidades e riscos da produção de etanol derivado de cana-de-açúcar no Brasil A produção de energia devora alimentos? Oportunidades e riscos da produção de etanol derivado de cana-de-açúcar no Brasil Uma posição conjunta do CAPA (Centro de Apoio ao Pequeno Agricultor, Brasil) e

Leia mais

Produção de Alimentos e Energia. Ribeirão Preto

Produção de Alimentos e Energia. Ribeirão Preto Produção de Alimentos e Energia e o Exercício Profissional Ribeirão Preto AdilmaScamparini Engenheira de Alimentos Email ascamparini@uol.com.br F 019 81133730 FAX 019 21214527 Produção de Alimentos Alimentos

Leia mais

Fontes de Energia e Meio Ambiente

Fontes de Energia e Meio Ambiente UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA - UFJF INSTITUTO DE CIÊNCIAS EXATAS ICE DEPARTAMENTO DE QUÍMICA QUÍMICA ANALÍTICA AMBIENTAL Fontes de Energia e Meio Ambiente Alunos: Arina Estefânia Gomes Flávia Campos

Leia mais

62a67-134-biodiesel 29/3/07 11:32 PM Page 62 AR S ARDO CE EDU

62a67-134-biodiesel 29/3/07 11:32 PM Page 62 AR S ARDO CE EDU EDUARDO CESAR > TECNOLOGIA ENERGIA Biodiesel em ascensão O que falta para este óleo se firm ar com o um biocom bustívelnacional MARCOS DE OLIVEIRA A maior parte do biodiesel é feito com metanol, extraído

Leia mais

PROGRAMAS PARA FORTALECER A COMPETITIVIDADE BIODIESEL

PROGRAMAS PARA FORTALECER A COMPETITIVIDADE BIODIESEL Programas para fortalecer a competitividade PROGRAMAS PARA FORTALECER A COMPETITIVIDADE BIODIESEL 1 Biodiesel Estratégias: Ampliação de Acesso (inserção social e redução das disparidades regionais) Objetivos:

Leia mais

partir de Jatropha curcas (purgueira) em Países da CPLP de forma sustentada e ambientalmente segura

partir de Jatropha curcas (purgueira) em Países da CPLP de forma sustentada e ambientalmente segura Parceria Público Privada Produção em larga escala de biocombustível a partir de Jatropha curcas (purgueira) em Países da CPLP de forma sustentada e ambientalmente segura A planta Jatropha curcas L.(purgueira)

Leia mais

Os Benefícios Econômicos da Biotecnologia Agrícola no Brasil: 1996/97 a 2010/11

Os Benefícios Econômicos da Biotecnologia Agrícola no Brasil: 1996/97 a 2010/11 Céleres Os Benefícios Econômicos da Biotecnologia Agrícola no Brasil: 199/97 a 2010/11 O CASO DO ALGODÃO GENETICAMENTE MODIFICADO O CASO DO MILHO GENETICAMENTE MODIFICADO O CASO DA SOJA TOLERANTE A HERBICIDA

Leia mais

Revisão bibliográfica

Revisão bibliográfica 17 2 Revisão bibliográfica Miranda e Moura (2000) apresentaram o resultado de um experimento feito cujo objetivo era analisar o comportamento de um motor Diesel após ter o óleo vegetal de dendê in natura

Leia mais

XII Seminario Latino-Iberoamericano de Gestión Tecnológica - ALTEC 2007

XII Seminario Latino-Iberoamericano de Gestión Tecnológica - ALTEC 2007 XII Seminario Latino-Iberoamericano de Gestión Tecnológica - ALTEC 2007 Políticas Públicas para Fomentar a Criação de Empregos a Partir da Produção de Biodiesel no Estado do Amazonas Mello, Noval Benayon

Leia mais

GEOGRAFIA - 2 o ANO MÓDULO 15 AGROPECUÁRIA E MEIO AMBIENTE

GEOGRAFIA - 2 o ANO MÓDULO 15 AGROPECUÁRIA E MEIO AMBIENTE GEOGRAFIA - 2 o ANO MÓDULO 15 AGROPECUÁRIA E MEIO AMBIENTE Fixação 1) (ENEM) Calcula-se que 78% do desmatamento na Amazônia tenha sido motivado pela pecuária - cerca de 35% do rebanho nacional está na

Leia mais

UMA EMPRESA DEDICADA À SUSTENTABILIDADE

UMA EMPRESA DEDICADA À SUSTENTABILIDADE UMA EMPRESA DEDICADA À SUSTENTABILIDADE Ricardo Blandy Vice - Presidente Nexsteppe Sementes do Brasil Novembro 2015 Nexsteppe Sede mundial em São Franscisco, CA Empresa de comercialização de SEMENTES DE

Leia mais

A indústria de biodiesel no Brasil: panorama atual e visão de futuro

A indústria de biodiesel no Brasil: panorama atual e visão de futuro - Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais A indústria de biodiesel no Brasil: panorama atual e visão de futuro Leonardo Zilio Assessor Econômico leonardo@abiove.org.br Brasília/DF 26 de

Leia mais

Culturas alternativas e plantas para fins energéticos. Manuel Patanita Escola Superior Agrária Instituto Politécnico de Beja

Culturas alternativas e plantas para fins energéticos. Manuel Patanita Escola Superior Agrária Instituto Politécnico de Beja Culturas alternativas e plantas para fins energéticos Manuel Patanita Escola Superior Agrária Instituto Politécnico de Beja SUMÁRIO Energias renováveis Energia da biomassa Culturas energéticas Bioetanol

Leia mais

ECOGERMA 2013 ENERGIAS RENOVÁVEIS COMPLEMENTAM A MATRIZ ENERGÉTICA... MAS PODEM NÃO SUPRIR A DEMANDA

ECOGERMA 2013 ENERGIAS RENOVÁVEIS COMPLEMENTAM A MATRIZ ENERGÉTICA... MAS PODEM NÃO SUPRIR A DEMANDA ECOGERMA 2013 ENERGIAS RENOVÁVEIS COMPLEMENTAM A MATRIZ ENERGÉTICA... MAS PODEM NÃO SUPRIR A DEMANDA Lineu Belico dos Reis 27 de junho de 2013 MATRIZ ENERGÉTICA MUNDIAL Perspectivas e Estratégias Estudos

Leia mais

1. A biomassa como energia complementar à hidroeletricidade

1. A biomassa como energia complementar à hidroeletricidade Artigo por: Suani T Coelho, Javier Escobar Como implementar a Biomassa na Matriz Energética Brasileira? 1. A biomassa como energia complementar à hidroeletricidade O tema das energias renováveis na matriz

Leia mais

Theme # 15: Environmental Guidance for Bio-Fuels Financing

Theme # 15: Environmental Guidance for Bio-Fuels Financing Theme # 15: Environmental Guidance for Bio-Fuels Financing Visões Ambientais para o Financiamento de Biocombustíveis no Brasil Eduardo Bandeira de Mello Eduardo Loyola Canepa Márcio Macedo Costa Departamento

Leia mais

Mudanças Climáticas. Mudanças Climáticas. Uma Questão Empresarial Estratégica

Mudanças Climáticas. Mudanças Climáticas. Uma Questão Empresarial Estratégica 1 Mudanças Climáticas Uma Questão Empresarial Estratégica 2 O aquecimento global é o maior problema que a humanidade enfrenta atualmente. As empresas devem incorporar esta questão à visão estratégica dos

Leia mais

RELOP III Reunião Anual Rio de Janeiro, 04 de novembro de 2010

RELOP III Reunião Anual Rio de Janeiro, 04 de novembro de 2010 Os Biocombustíveis no Brasil RELOP III Reunião Anual Rio de Janeiro, 04 de novembro de 2010 SUMÁRIO 1. Alguns dados d sobre o Brasil e a ANP 2. Os biocombustíveis no Brasil 3. O etanol 4. O biodiesel PANORAMA

Leia mais

Papel do setor sucroenergético na mitigação das mudanças climáticas

Papel do setor sucroenergético na mitigação das mudanças climáticas Ethanol Summit Painel: Biocombustíveis e a Mitigação das Mudanças Climáticas Papel do setor sucroenergético na mitigação das mudanças climáticas Géraldine Kutas International Advisor, Brazilian Sugarcane

Leia mais

UNIÃO DOS PRODUTORES DE BIOENERGIA

UNIÃO DOS PRODUTORES DE BIOENERGIA UNIÃO DOS PRODUTORES DE BIOENERGIA O Brasil oferece grande oferta dos insumos que podem ser utilizados como matériaprima, com o potencial de ser um dos maiores produtores de biodiesel no mundo. A produção

Leia mais

Tabela 01 Mundo Soja Área, produção e produtividade Safra 2009/10 a 2013/14

Tabela 01 Mundo Soja Área, produção e produtividade Safra 2009/10 a 2013/14 Soja Análise da Conjuntura Agropecuária Novembro de 2013 MUNDO A economia mundial cada vez mais globalizada tem sido o principal propulsor responsável pelo aumento da produção de soja. Com o aumento do

Leia mais

PROGRAMA NACIONAL DE BIODIESEL: COMPARAÇÃO ENTRE DOIS BRASIS

PROGRAMA NACIONAL DE BIODIESEL: COMPARAÇÃO ENTRE DOIS BRASIS Trabajo Nº: 6233 6-Problemática de los espacios agrários SAMPAIO, Mateus de Almeida Prado (Universidade de São Paulo/USP - Brasil) E-mail: mapas@usp.br PROGRAMA NACIONAL DE BIODIESEL: COMPARAÇÃO ENTRE

Leia mais

Programa de Bioenergia da Bahia

Programa de Bioenergia da Bahia Programa de Bioenergia da Bahia Biocombustíveis e Inclusão social na Bahia 4ª Conferência Brasileira de Arranjos Produtivos Locais Brasília, 27 a 29 de novembro de 2009 Dr Jackson Ornelas Assessor Especial

Leia mais

2006, com a obrigatoriedade da aquisição do biodiesel com selo social (PLANO NACIONAL DE AGROENERGIA 2006).

2006, com a obrigatoriedade da aquisição do biodiesel com selo social (PLANO NACIONAL DE AGROENERGIA 2006). CAPACIDADE AGRÍCOLA E ASPECTOS ECONÔMICOS DAS PRINCIPAIS OLEAGINOSAS COM POTENCIAL PARA PRODUÇÃO DE BIODIESEL PARA USO NO SETOR DE TRANSPORTE BRASILEIRO Resumo RODRIGO GALBIERI 1 1 Mestrando em Planejamento

Leia mais

INTRODUÇÃO A SOJA CONTÉM

INTRODUÇÃO A SOJA CONTÉM MERCADO FUTURO Soja Diego Marafon Edemir Miotto Júnior Felipe Patel Prof. Dr. Miguel Ângelo Perondi INTRODUÇÃO Na atualidade, a soja apresenta-se como um produto em evidência Grão muito proveitoso, devido

Leia mais

Por quê o (plantio) Óleo de Palma não avança no Brasil? Marcello Brito, Diretor Comercial & Sustentabilidade AGROPALMA

Por quê o (plantio) Óleo de Palma não avança no Brasil? Marcello Brito, Diretor Comercial & Sustentabilidade AGROPALMA Por quê o (plantio) Óleo de Palma não avança no Brasil? Marcello Brito, Diretor Comercial & Sustentabilidade AGROPALMA Fatores Preponderantes ao cultivo da palma de óleo Edafoclimáticos Alta incidência

Leia mais

GERAÇÃO POR BIOMASSA. Tatiana Gonsalves Diretora Comercial da América do Sul Nexsteppe Sementes do Brasil tgonsalves@nexsteppe.

GERAÇÃO POR BIOMASSA. Tatiana Gonsalves Diretora Comercial da América do Sul Nexsteppe Sementes do Brasil tgonsalves@nexsteppe. GERAÇÃO POR BIOMASSA Tatiana Gonsalves Diretora Comercial da América do Sul Nexsteppe Sementes do Brasil tgonsalves@nexsteppe.com 19 33245007 Matriz Energética Brasileira 87% é de fontes renováveis, enquanto

Leia mais

INTEGRAÇÃO LAVOURA/ PECUÁRIA. Wilson José Rosa Coordenador Técnico Estadual de Culturas DEPARTAMENTO TÉCNICO - EMATER-MG

INTEGRAÇÃO LAVOURA/ PECUÁRIA. Wilson José Rosa Coordenador Técnico Estadual de Culturas DEPARTAMENTO TÉCNICO - EMATER-MG INTEGRAÇÃO LAVOURA/ PECUÁRIA Wilson José Rosa Coordenador Técnico Estadual de Culturas DEPARTAMENTO TÉCNICO - EMATER-MG - No Brasil o Sistema de Integração Lavoura Pecuária, sempre foi bastante utilizado,

Leia mais

BANCO DO BRASIL. Seminário Investimentos em Biodiesel. Diretoria de Agronegócios. Rio de Janeiro, 16 de março de 2006

BANCO DO BRASIL. Seminário Investimentos em Biodiesel. Diretoria de Agronegócios. Rio de Janeiro, 16 de março de 2006 Seminário Investimentos em Biodiesel Rio de Janeiro, 16 de março de 2006 BANCO DO BRASIL Painel: Linhas de Investimento e Custeio BB Biodiesel BB Biodiesel Finalidade Financiamento: acusteio; ainvestimento;

Leia mais

BIODIESEL ENERGIA MÓVEL GARANTIDA 100% ECOLOGICA PARA COPA E PARA O MUNDO

BIODIESEL ENERGIA MÓVEL GARANTIDA 100% ECOLOGICA PARA COPA E PARA O MUNDO BIODIESEL ENERGIA MÓVEL GARANTIDA 100% ECOLOGICA PARA COPA E PARA O MUNDO O que é BIODIESEL BIODIESEL é um combustível produzido a partir de óleos vegetais ou gordura animal, que pode ser utilizado em

Leia mais

Biocombustíveis: Chances e Limites. MA Robson Luiz da Fonseca

Biocombustíveis: Chances e Limites. MA Robson Luiz da Fonseca Biocombustíveis: Chances e Limites MA Robson Luiz da Fonseca Viçosa 27 de agosto de 2009 Peak Oil James R. Schlesinger (Ex-Secretário de Defesa dos Estados Unidos e ex-diretor da CIA): Os tempos das vacas

Leia mais

A POLÍTICA PÚBLICA DE INSERÇÃO DO BIODIESEL NA MATRIZ ENERGÉTICA BRASILEIRA E SEUS REFLEXOS SÓCIO-AMBIENTAL E ECONÔMICO

A POLÍTICA PÚBLICA DE INSERÇÃO DO BIODIESEL NA MATRIZ ENERGÉTICA BRASILEIRA E SEUS REFLEXOS SÓCIO-AMBIENTAL E ECONÔMICO A POLÍTICA PÚBLICA DE INSERÇÃO DO BIODIESEL NA MATRIZ ENERGÉTICA BRASILEIRA E SEUS REFLEXOS SÓCIO-AMBIENTAL E ECONÔMICO * HERALDO FELIPE FARIA 1 INTRODUÇÃO... 2 2 A POLÍTICA PÚBLICA DE INSERÇÃO DO BIODIESEL

Leia mais

A PRODUÇÃO DE BIOCOMBUSTIVEIS: experiências brasileira e gaúcha

A PRODUÇÃO DE BIOCOMBUSTIVEIS: experiências brasileira e gaúcha A PRODUÇÃO DE BIOCOMBUSTIVEIS: experiências brasileira e gaúcha Sibele Vasconcelos de Oliveira 1 Resumo: O presente trabalho objetiva a discussão sobre a inserção dos biocombustíveis na matriz energética

Leia mais

SÍNTESE JUINA. Meio Ambiente

SÍNTESE JUINA. Meio Ambiente SÍNTESE JUINA Aperfeiçoar mecanismos controle ambiental Meio Ambiente Instalação de viveiros de distribuição de mudas para o reflorestamento e matas ciliares Ampliar aceso aos programas de crédito de Capacitar

Leia mais

Maria Paula Martins Diretora Geral

Maria Paula Martins Diretora Geral Maria Paula Martins Diretora Geral Evolução da Matriz Energética Brasileira 1970 2010 2030 38% 48% 14% 18% 7% 29% 35% Petróleo Carvão Hidráulica Cana Gás Urânio Lenha Outras renováveis 6% 12% 46% 2000

Leia mais

Agricultura Familiar Coordenação Geral de Biocombustíveis. O Programa Nacional de Produção e Uso do Biodiesel PNPB

Agricultura Familiar Coordenação Geral de Biocombustíveis. O Programa Nacional de Produção e Uso do Biodiesel PNPB Agricultura Familiar Coordenação Geral de Biocombustíveis O Programa Nacional de Produção e Uso do Biodiesel PNPB Agricultura Familiar Coordenação Geral de Biocombustíveis - Números do PNPB - Empresas

Leia mais

drummond@itep.br, givaldo.melo@bol.com.br

drummond@itep.br, givaldo.melo@bol.com.br ANÁLISES FÍSICO-QUÍMICAS DE ÓLEOS VEGETAIS MISTURADOS AO DIESEL ESTÃO CONFORME O REGULAMENTO DA ANP: ADULTERAÇÃO OU POSSIBILIDADE DE USO COMO COMBUSTÍVEL? Ana Rita F. Drummond 1, Givaldo Oliveira Melo

Leia mais

Biocombustíveis. Também chamados de agrocombustíveis

Biocombustíveis. Também chamados de agrocombustíveis Biocombustíveis Também chamados de agrocombustíveis Biomassa É o combustível obtido a partir da biomassa: material orgânico vegetal ou animal Uso tradicional: lenha, excrementos Etanol: álcool combustível.

Leia mais

Seminário INVESTIMENTOS EM BIODIESEL J. H. Accarini Casa Civil da Presidência da República

Seminário INVESTIMENTOS EM BIODIESEL J. H. Accarini Casa Civil da Presidência da República Seminário INVESTIMENTOS EM BIODIESEL J. H. Accarini Casa Civil da Presidência da República Membro da Comissão Executiva Interministerial e do Grupo Gestor do Biodiesel Consolidação do Programa Nacional

Leia mais

CENTRO NACIONAL DE REFERÊNCIA EM BIOMASSA

CENTRO NACIONAL DE REFERÊNCIA EM BIOMASSA CENTRO NACIONAL DE REFERÊNCIA EM BIOMASSA 1º Seminário sobre a Utilização de Energias Renováveis veis para Eletrificação Rural do Norte e Nordeste do Brasil. Geração de energia elétrica com motores à diesel

Leia mais

CURSO ENERGIAS RENOVÁVEIS BIOMASSA

CURSO ENERGIAS RENOVÁVEIS BIOMASSA CURSO ENERGIAS RENOVÁVEIS BIOMASSA JULIETA BARBOSA MONTEIRO, Dra julieta@lepten.ufsc.br 2011-1 DISPONIBILIDADE DE RECURSOS ANEEL Potencial Instalado (MW) PROCESSOS DE CONVERSÃO DA BIOMASSA PNE 2030

Leia mais

ELOBiomass.com. Como Comprar a Energia da Biomassa Lignocelulósica!

ELOBiomass.com. Como Comprar a Energia da Biomassa Lignocelulósica! ELOBiomass.com Como Comprar a Energia da Biomassa Lignocelulósica! ÍNDICE Introdução... I Biomassa Lignocelulósica Energética... 1 Energia de Fonte Renovável... 2 Nova Matriz Energética Mundial... 3 Geração

Leia mais

Gtoe. Fonte: EIA: "International Energy Outlook 2004

Gtoe. Fonte: EIA: International Energy Outlook 2004 20 16 Gtoe 12 8 4 0 1970 1990 2010 2030 2050 Fonte: EIA: "International Energy Outlook 2004 Demanda Energética Fontes fósseis 2ª geração de biocombustíveis, eólica, solar Solar, eólica, 4ª. geração de

Leia mais

VIABILIDADE ECONÔMICO-FINANCEIRA DA PRODUÇÃO E INDUSTRIALIZAÇÃO DO PINHÃO MANSO

VIABILIDADE ECONÔMICO-FINANCEIRA DA PRODUÇÃO E INDUSTRIALIZAÇÃO DO PINHÃO MANSO VIABILIDADE ECONÔMICO-FINANCEIRA DA PRODUÇÃO E INDUSTRIALIZAÇÃO DO PINHÃO MANSO Aziz Galvão da Silva Júnior 1 Ronaldo Perez 2 Raphael Augusto Motta 3 Joélcio Cosme Carvalho Ervilha 4 Marco Antônio Viana

Leia mais

Produção de Biodiesel: Pesquisa de síntese e Purificação. Prof. Dr. José Ribeiro dos Santos Junior UFPI / CRQ-PI

Produção de Biodiesel: Pesquisa de síntese e Purificação. Prof. Dr. José Ribeiro dos Santos Junior UFPI / CRQ-PI Produção de Biodiesel: Pesquisa de síntese e Purificação Prof. Dr. José Ribeiro dos Santos Junior UFPI / CRQ-PI Introdução Produção de Biodiesel Reação de Transesterificação Processos contínuo e em batelada

Leia mais

Pesquisas e testes com combustíveis derivados de óleos

Pesquisas e testes com combustíveis derivados de óleos PROGRAMA BRASILEIRO DE BIODIESEL Rodrigo Augusto Rodrigues 1 José Honório Accarini 2 Introdução Pesquisas e testes com combustíveis derivados de óleos vegetais tiveram início no Brasil nos anos de 1970.

Leia mais

As matérias-primas do biodiesel em 2020. Manoel Teixeira Souza Júnior, Ph.D. Chefe Geral da Embrapa Agroenergia

As matérias-primas do biodiesel em 2020. Manoel Teixeira Souza Júnior, Ph.D. Chefe Geral da Embrapa Agroenergia As matérias-primas do biodiesel em 2020 Manoel Teixeira Souza Júnior, Ph.D. Chefe Geral da Embrapa Agroenergia As matérias-primas do biodiesel em 2020 Produção mundial de óleo das principais oleaginosas

Leia mais

BuscaLegis.ccj.ufsc.Br

BuscaLegis.ccj.ufsc.Br BuscaLegis.ccj.ufsc.Br Por quê usar puro óleo vegetal como combustível? Thomas Renatus Fendel* A ciência e a história demonstraram que a economia deve harmonizar-se com o ambiente que a rodeia: os recursos

Leia mais

Caravana dos biocombustíveis: Metodologias e práticas de orientação a estudantes

Caravana dos biocombustíveis: Metodologias e práticas de orientação a estudantes V.5 - N.5 - Out/Dez de 2015 25 Caravana dos biocombustíveis: Metodologias e práticas de orientação a estudantes Acervo Lucas Gabriel Victor Arthur Arruda Marcelino de Oliveira Marjorie Andrade Teixeira

Leia mais

Gestão do uso de óleo de cozinha para produção de biodiesel

Gestão do uso de óleo de cozinha para produção de biodiesel Gestão do uso de óleo de cozinha para produção de biodiesel Estudo de Caso MCDonald s Autores: Alexandre Formigoni Enio Fernandes Rodrigues Viviane Alves Belo Tatiane Neves Lopes Marcelo Rabelo Henrique

Leia mais

Logística e infraestrutura para o escoamento da produção de grãos no Brasil

Logística e infraestrutura para o escoamento da produção de grãos no Brasil Logística e infraestrutura para o escoamento da produção de grãos no Brasil Denise Deckers do Amaral 1 - Economista - Assessora Técnica - Empresa de Planejamento e Logística - EPL, Vice Presidente da Associação

Leia mais

A AGROFLORESTA AGROECOLÓGICA: UM MOMENTO DE SÍNTESE DA AGROECOLOGIA, UMA AGRICULTURA QUE CUIDA DO MEIO AMBIENTE.

A AGROFLORESTA AGROECOLÓGICA: UM MOMENTO DE SÍNTESE DA AGROECOLOGIA, UMA AGRICULTURA QUE CUIDA DO MEIO AMBIENTE. A AGROFLORESTA AGROECOLÓGICA: UM MOMENTO DE SÍNTESE DA AGROECOLOGIA, UMA AGRICULTURA QUE CUIDA DO MEIO AMBIENTE. Alvori Cristo dos Santos, Deser, Fevereiro 2007. Há alguns anos atrás, um movimento social

Leia mais

Conjuntura e perspectivas. Panorama do mercado de extração de óleos

Conjuntura e perspectivas. Panorama do mercado de extração de óleos Conjuntura e perspectivas Panorama do mercado de extração de óleos I Simpósio Tecnológico PBIO de Extração de Óleos Vegetais Daniel Furlan Amaral Economista Rio de Janeiro - RJ 03 Dezembro 2009 Roteiro

Leia mais

Energia em busca de alternativas renováveis 1

Energia em busca de alternativas renováveis 1 Energia em busca de alternativas renováveis 1 Nivalde José de Castro Roberto Brandão Guilherme de A. Dantas Pergunta: É possível haver equilíbrio em um quadro de alta do petróleo, custos pouco atrativos

Leia mais