Etec Dr. Emilio Hernandez Aguilar David nº 04 Felipe nº13 Elídio nº 08 Rachel nº38 Terezinha nº 31 Wellington nº 34 MY SQL

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Etec Dr. Emilio Hernandez Aguilar David nº 04 Felipe nº13 Elídio nº 08 Rachel nº38 Terezinha nº 31 Wellington nº 34 MY SQL"

Transcrição

1 Etec Dr. Emilio Hernandez Aguilar David nº 04 Felipe nº13 Elídio nº 08 Rachel nº38 Terezinha nº 31 Wellington nº 34 MY SQL Franco da Rocha,

2 Etec Dr. Emilio Hernandez Aguilar David nº 04 Felipe nº13 Elídio nº 08 Rachel nº38 Terezinha nº 31 Wellington nº 34 MY SQL Trabalho solicitado pelo Professor Gilberto Braga, da disciplina Banco de Dados Franco da Rocha,

3 1 - Histórico O Servidor MySQL foi criado na Suécia por Michael Monty Widenius na empresa suíça TcX. Em meados de 1979 ele desenvolveu um banco de dados chamado UNIREG, que foi reescrito em muitas linguagens a partir de então. A empresa TcX começou, em 1994, o desenvolvimento de suas aplicações para Web, com alicerce no Banco de Dados UNIREG que trouxe piora no desempenho organizacional devido aos excessos em vários aspectos, ficando difícil a sua aplicabilidade na geração de páginas dinâmicas na Web. O banco de dados MySQL já tinha sido desenvolvido (por David Hughes Axmark) porém ainda apresentava falhas de desempenho, como por exemplo, a falta de suporte a índices. A empresa UNIREG e Axmark uniram-se e desenvolveram um novo banco de dados mantendo ao máximo a compatibilidade com o MySQL e o servidor baseado na composição do UNIREG. Os usuários mudaram para o novo servidor da TcX e realizaram pequenas alterações nos códigos existentes. Em maio de 1995 foi lançada a primeira versão do MySQL. Um dos parceiros da TcX fez a sugeriu a distribuição do servidor pela internet. A SUN Microsystems adquiriu a MySQL AB, janeiro de 2008, por US$1bilhão, preço recorde em licenças livres No ano seguinte a ORACLE comprou a SUN Microsystems e todos os seus produtos incluindo o MySQL. Não se sabe ao certo a origem do nome da marca MySQL. Durante a primeira década de existência do sistema, as bibliotecas tinham o prefixo my. Acreditase que seja por causa da filha de Michael Monty. Sabe-se que foi feito um concurso Name the Dolphin, para a escolha do nome do Golfinho que é o símbolo do Logo e da marca MySQL. O vencedor foi Ambrose Twebaze, um desenvolvedor de programas Open Source, de Swazilande, África. Ele sugeriu o nome de Sakila para o golfinho e foi escolhido pelos fundadores da MySQL AB dentre uma enorme lista de nomes de participantes. Segundo Ambrose, o 3

4 nome Sakila tem suas raízes em SiSwati, um local de Swazilande. Sakila é também o nome de uma cidade de Aruska, na Tanzânia, próxima ao país de origem de Ambrose, a Uganda. A empresa foi originalmente estabelecida por eles e Allan Larsson na Suécia e recebeu o nome de MySQL AB. Os três têm trabalhado juntos desde a década de Seu desenvolvimento e manutenção empregam mais ou menos 400 profissionais no mundo inteiro e mais de mil contribuem testando o software, integrando-o a outros produtos e escrevem sobre eles. No início tinham a intenção de usar o MySQL para conectar suas tabelas com o uso de suas rápidas rotinas de baixo nível (ISAM). Depois de alguns testes concluíram que o MySQL não era rápido e nem flexível o bastante para as suas necessidades. Disso resultou uma interface SQL para seu banco de dados com a mesma interface API do MySQL. Esta API fora escolhida para facilitar a portabilidade para códigos de terceiros, que era escrito para uso com MySQL para ser portado facilmente para uso com MySQL. Grande parte do sucesso do Servidor MySQL é creditada à fácil integração com o PHP, incluído quase que obrigatoriamente nos pacotes de hospedagem oferecidos atualmente. Algumas empresas usam o servidor MySQL em suas aplicações de missão problemática, como por exemplo, a Motorola, NASA, Silicon Graphics, Yahoo!, MP3. A Wikipedia também utiliza o servidor MySQL. Atualmente o MySQL suporta Unicode, Full Text Indexes, Hot Backup, replicação, GIS, OLAP e muitos outros recursos. A MySQL AB é uma organização virtual com pessoas em 12 países, que se comunicam extensivamente pela internet todos os dias. A MySQL AB detêm os direitos autorais do código fonte do MySQL, do logo, da marca MySQL e do seu manual. SEE Secção 1.2, Visão Geral do Sistema de Gerenciamento de Banco de Dados MySQL. A empresa MySQL AB adota as condutas de : 4

5 Promover a filosofia Open Source. Preferir parceiros que compartilhem suas idéias e valores. Ser uma empresa virtual conectada a outras. Trabalhar contra patentes de sistemas. Responder s e dar suporte. MySQL seja: Tem ainda como objetivo que o Programa de Banco de Dados O melhor e o mais usado em todo mundo. Acessível e disponível para todos. Fácil de usar. Melhorado continuamente, permanecendo rápido e seguro. Divertido de usar e aprimorar. Livre de erros (bugs). 2 - Portabilidade Suporta praticamente todas as plataformas atualmente em uso comercial e isto oferece grande vantagem ao MYSQL. Funciona em praticamente todos os sistemas operacionais mais difundidos e apresenta como características marcantes a estabilidade e a baixa exigência de recursos da máquina. O Servidor MYSQL foi desenvolvido originalmente para lidar com bancos de dados muito grandes de maneira mais rápida que as soluções existentes e tem sido usado em ambientes de produto de alta demanda, por diversos anos, de maneira bem sucedida. Apesar de estar em constante desenvolvimento o 5

6 Servidor MYSQL oferece hoje um rico e proveitoso conjunto de funções. A conectividade, velocidade, e segurança fazem com que o MYSQL seja altamente adaptável para acessar bancos de dados na Internet. É reconhecido pela robustez e ainda por ser multitarefa e multiusuário. Suporta vários tipos de tabelas, cada uma para uma finalidade específica. Um ponto comum à maioria dos bancos de dados, a interface do MYSQL não é muito amigável. Mas existem alguns softwares que tornam a interação com o programa mais acessível, como o phpmyadmin - um sistema desenvolvido em PHP para "administrar" via browser o MYSQL. Excelente aplicativo (gratuito), que para rodar localmente necessita apenas do PHP, MYSQL e Apache. 3 - Requisitos mínimos para MYSQL: Sistema: Win 95 / 98 / 98 SE / Me / 2000 / NT / XP 2003 / Vista / 7 No Windows 95, 98, ou Me, cliente MYSQL sempre se conecta ao servidor usando TCP/IP para conectar um cliente a um servidor. (Isto permitirá que qualquer máquina na sua rede se conecte a seu servidor MYSQL.) Nesse caso é necessário ter certeza de que o suporte TCP/IP está instalado na sua máquina antes de iniciar o MYSQL. Nos sistemas baseados no NT, como o Windows NT, 2000, ou XP, os clientes tem duas opções: ou usam TCP/IP ou podem usar um named pipe se o servidor suportar estas conexões. O modo recomendado de executar o MYSQL é instalá-lo como um serviço do Windows. O Windows então inicia e para o servidor MYSQL automaticamente quando o Windows inicia e para. Um servidor instalado como um serviço também pode ser controlado a partir da linha de comando usando os comandos NET, ou com o utilitário gráfico Serviços. 6

7 O utilitário Serviços (Service Control Manager do Windows) pode ser encontrado no Painel de Controle do Windows em Ferramentas Administrativas no Windows É recomendado que se feche o utilitário Serviços enquanto realiza a operações de instalação ou remoção do servidor a partir desta linha de comando. 4 - Compatibilidade no MYSQL O MYSQL é um dos sistemas de gerenciamento de banco de dados mais populares que existe e, por ser otimizado para aplicações Web, é amplamente utilizado na internet. É muito comum encontrar serviços de hospedagem de sites que oferecem o MYSQL e a linguagem PHP, justamente porque ambos trabalham muito bem em conjunto. Outro fator que ajuda na popularidade do MYSQL é sua disponibilidade para praticamente qualquer sistema operacional, como Linux, FreeBSD (e outros sistemas baseados em Unix), Windows e MacOSX. Além disso, o MYSQL é um software livre (sob licença GPL), o que significa que qualquer um pode estudá-lo ou alterá-lo conforme a necessidade. 5 - Características técnicas do SGBD MYSQL - Alta compatibilidade com linguagens como PHP, Java, Python, C#, Ruby e C/C++; SGBD); - Baixa exigência de processamento (em comparação como outros - Vários sistemas de armazenamento de dados (batabase engine), como MyISAM, MYSQL Cluster, CSV, Merge, InnoDB, entre outros; 7

8 - Recursos como transactions (transações), conectividade segura, indexação de campos de texto, replicação, etc.; - Instruções em SQL, como indica o nome. O MYSQL é focado na agilidade. Assim, se sua aplicação necessita de retornos rápidos que não envolvem operações complexas, o MYSQL é a opção mais adequada, pois é otimizado para proporcionar processamento rápido dos dados e tempo curto de resposta sem exigir muito do hardware. Se o cliente precisa, por exemplo, de um banco de dados para armazenar o conteúdo do seu site, de seu fórum ou necessita manter um cadastro de usuários de um portal, o MYSQL serve perfeitamente, pois tais aplicações não necessitam dos recursos avançados que o PostgreSQL oferece. 6 Plataforma O MYSQL utiliza GNU Autoconf para que seja possível carregá-lo em todos os sistemas operacionais atuais que tem o thread Posix, um compilador e um C++. Este software foi primeira mente desenvolvido no Linux (SuSE e red Hat), FreeBSD e Sun Solaris (Versões 8 e 9). Em alguns sistemas operacionais, o suporte nativo a thread funciona somente nas versões mais atuais. Citamos abaixo algumas combinações de sistema operacional e pacote de thread onde o MYSQL compila sem nenhum problema: BSDI 2.x com o pacote incluído MIT-pthreads. See Secção , Notas BSDI Versão 2.x. BSDI 3.0, 3.1 e 4.x com threads nativas. See Secção , Notas BSDI Versão 2.x. SCO OpenServer with a recent port of the FSU Pthreads package. See Secção , Notas SCO. 8

9 SCO UnixWare See Secção , Notas SCO Unixware Version 7.0. Windows 9x, Me, NT, 2000 e XP. See Secção 2.6.1, Notas Windows. Nem todas as plataformas são adequadas para utilizar o MYSQL. 7 -Função e Procedimento de Usuário Ao contrario das funções prontas do banco de dados, é possível implementar funções para processos específicos, como por exemplo o cálculo de média escolar, média de freqüência, média de visitas, Com MYSQL podemos calcular facilmente a média de uma coluna usando a função AVG. Para isso precisamos apenas informar o nome da coluna que possui os valores a serem calculados. 1 -mysql> SELECT student_name, AVG(test_score) 2 -> FROM student 3 -> GROUP BY student_name; Para sabermos os valores mínimos e máximos em uma coluna, que pode ser usada em situações como o caso de notas escolares: Você recupera todas as notas de determinado aluno, mas quer identificar a maior e/ou menor nota. mysql> SELECT student_name, MIN(test_score), MAX(test_score) ->FROM student ->GROUP BY student_name; 9

10 Como você pode notar no exemplo acima, basta colocar o nome da coluna como parâmetro da função MIN ou MAX. E agrupar as colunas que se repetem (Group By) Trigger Trata-se de um recurso chamado de gatilho ou disparo em função de eventos que ocorrem nas tabelas do banco de dados. Não precisa ser chamado via código. Podemos criar um trigger relacionando toda inclusão de informação em uma determinada tabela. Nesse trigger podemos incluir um código-fonte que valida alguma informação na própria tabela, ou em outro local, antes do dado ser incluso. Esse recurso é bastante útil para manter a consistência e a integridade das informações. Um trigger pode ser inserido para disparar antes (BEFORE) da operação ser realizada no registro, antes das restrições serem verificadas (e o INSERT, UPDATE ou DELETE a serem efetuados), ou após (AFTER) após o INSERT, UPDATE ou DELETE serem completados. Se o gatilho disparar antes do evento, ele pode evitar operações para o registro atual ou modificar (apenas para INSERT e UPDATE), se o gatilho disparar após o evento todas modificações, incluindo a última inserção, atualizará ou excluirá os dados que serão visíveis para ele. Criando o trigger: CREATE [DEFINER = {<usuario> CURRENT_USER}] TRIGGER <nome da trigger> { BEFORE AFTER } {INSERT UPDATE DELETE} ON <nome da tabela> FOR EACH ROM <instruções>; 10

11 No MYSQL, para se alterar um trigger, ele precisa primeiro ser excluído e novamente inserido com as alterações necessárias. Excluindo um trigger: DROP TRIGGER [IF EXISTS] [<schema>.] <nome da trigger> FUNCÕES BIN(n) Esta função retorna um representação em string de um numero. Exemplo: SELECT BIN( 12 ) retorna LOCATE (substring, string, posição) Esta função retorna a posição da primeira ocorrência (ou a partir da posição definida) de uma substring em uma string. Exemplo: SELECT LOCATE( fg, abcde ) retorna 0 SELECT LOCATE( de, abcdede,5) retorna 6 LTRIN (string) Esta função remove os espaços em branco à esquerda da string. Exemplo: SELECT LTRIN ( abcdef ) retorna abcdef. QUOTE (string) Esta função insere aspas em uma citação que sera utilizada em um enunciado de uma query em SQL. Exemplo: SELECT QUOTE ( Don\ t! ) retorna Don\ t. REPEAT (string,n) Esta função retorna a repetição de uma string n vezes. Exemplo: SELECT REPEAT ( MYSQL,3) retorna MYSQLMYSQLMYSQL. Funcões Para Data e Hora 11

12 CURDATE( ) Esta função retorna a data corrente. CURRENTE_DATE( ) Ver CURDATE( ). CURRENTE_TIME( ) Ver CURTIME( ). DATEDIFF (expressão1,expressão2) Esta função retorna a subtração de duas datas. Exemplo: SELECT DATEDIFF ( :59:59, :59:59 ) Retorna 1. Outro Exemplo: SELECT DATEDIFF ( :00:00, :00:00 ) Retorna -11 Instalando e Configurando o MYSQL O programa MYSQL pode ser encontrado no para baixar os arquivos, O MYSQL pode ser usado em três tipos de ambientes: Máquina de desenvolvimento (Develop Machine):O MYSQL será configurado para utilizar menos memória, por ser instalado em um computador que possui funções que estão almé do serviço de banco de dados; Máquina Servidora (Server Machine): uso médio de memória do computador, que fornecerá serviço do servidor, mas não dedicado; Servidor MYSQL em Máquina Dedicada (Dedicated MYSQL Server machine): Máximo de uso de memória. É recomendado apenas 12

13 para a instalação do MYSQL em computadores que irão oferecer serviços exclusivos do banco de dados MYSQL. Definindo o tipo de tabela a ser usada no banco de dados O banco de dados MYSQL possui vários formatos de tabelas básicas,que são as seguintes: ISAM; HEAP; MYISAM INNODB; BDB. As tabelas do InnoDB são seguras pois,aceitam transação. Recomendase o uso destas tabelas, pois este formato confere maior segurança nos dados e permite que falhas no equipamento ou servidor não causem perda total. Utilizaremos a primeira opção do gerenciador de configuração, Multifuncional Database, que permite criar tabelas nos formatos InnoDB ou MyISAM apenas. Esta opção é interessante por nos permitir o uso de tabelas do tipo segura (InnoDB) ou rápida (MyISAM).Utilize sempre o formato InnoDB, deixando o MyISAM apenas para casos especiais,onde seja necessária a performance,e não a segurança nos dados. Conexões concorrentes O MYSQL permite definir o numero de conexões concorrentes. Este limite define o número o máximo de usuários logados no banco de dados. Em um banco de dados Web o número de conexões concorrentes deve estar na casa dos 500 ou mais,j á em um sistema que necessita de muita segurança de 13

14 acesso, possui usuários bem definidos, este número de conexões deve ser necessário. Habilitando conexões TCP/IP para o MYSQL O MYSQL utiliza a porta 3306 como padrão para conexão TCP/IP. Esta porta pode ser modificada pela opção Port Number, do menu de instalação do software. Suporte de caracteres Também é possível definir suporte a vários padrões de caracteres.utilize a opção Best Support For Multilingualism para que o MYSQL defina o UTF8 como padrão. O UTF8 é o padrão recomendado, pois ele oferece suporte para o armazenamento de dados em diferentes linguagens.veja Figura 2.4 Instalando Serviços Recomenda-se que o serviço do MYSQL seja instalado no sistema e iniciado automaticamente. Isso garantirá que o servidor esteja sempre ativo, permitindo assim acesso aos seus usuários. Configurando nova senha do root O root é o login do administrador do MYSQL. Sua senha deve ser redefinida para garantir segurança no banco de dados. Para uma maior segurança no banco de dados, a opção Enable root acess from remote machines não será marcada. Isto irá bloquear o acesso do usuário root ao banco de dados a partir de máquinas remotas. Executando o serviço no sistema Neste momento,o serviço do servidor MYSQL já estará pronto para ser executado.conforme a Figura 2.7,clique em Execute para iniciar o serviço: 14

15 O servidor será iniciado.se tudo ocorrer bem, o serviço de banco de dados do servidor MYSQL será executado conforme a Figura 2.8 HeidiSQL O HeidiSQL é um dos gerenciadores do MYSQL mais populares do mercado.é um software intuitivo fácil de usar,pois utiliza janelas e objetos gráficos em sua interface. No software de instalação é necessário criar uma conexão com o servidor. DDL e DML A linguagem SQL possui dois grupos de comandos. Vejam quais são: DDL(Data Definition Language):são os comandos utilizados para criar e apagar objetos no banco de dados.vejam quais são as classes do comando DDL: - CREATE; - ALTER; - DROP. DML(Data Manipulation Language): comandos utilizados para manipular os dados,u seja,interagir como os dados armazenados no banco de dados.os grupos são : - SELECT; - INSERT; - UPDATE; - DELETE. 15

16 Criando e ativando um banco de dados no MYSQL Vamos criar o banco utilizando o comando CREATE DATABASE na Query Manager. Para executar o comando, basta digitá-lo e clicar na seta azul acima da área de comandos da Query Manager, ou utilizar o F9 para executar o comando rapidamente. Crie um banco de dados de nome Mycontas : Figura 4.0 criando um banco de dados utilizando a SQL na Query Manager Você percebera que o banco de dados não estará na lista de bancos de dados da conexão, isto ocorre porque será necessário executar um refresh,ou seja,uma atualização na conexão do banco de dados. Execute o menu Tools >Refresh ferramentas como na figura abaixo ou utilize o botão da barra de 16

17 Figura 4.1 botão refresh Do lado esquerdo você já pode ver o banco, como na figura abaixo: Figura 4.2 banco MyContas selecionado De um clique no banco para selecioná-lo assim você já pode criar tabelas para este banco, do contrario, o banco não selecionado não criará tabelas. Excluindo um banco de dados Na criação de um banco de dados, pode haver a necessidade de excluílo, por motivos de mudanças ou correções, visto que um banco de dados ativo há algum tempo jamais deve ser excluído, a não ser que suas informações sejam transferidas para outro banco. 17

18 Agora vamos excluir o banco MyContas Figura 4.3 excluindo o banco MyContas Após executar o comando de um clique em Refresh que o banco sairá da lista de bancos. Criando Tabelas As tabelas de um banco de dados são estruturas de armazenamento. Elas são criadas para armazenar um conjunto de valores que serão utilizados posteriormente para informação de um sistema. Nota: Temos abaixo os principais tipos de dados 18

19 Tipo de Dados INT Descrição Representa um valor inteiro. Pode ser com sinal ou sem sinal L R(n) T E E REA CHA TEX DAT TIM Representa um valor com ponto flutuante. Oferece uma grande precisão e uma extensa faixa de valores Representa um valor caractere com tamanho fixo. Representa um valor para caractere com tamanho variável Representa um valor de data padrão. Formato : YYYY-MM-DD ( ) Representa um valor de tempo padrão. Armazena a hora de um dia independente de uma data particular. Formato : hh:mm:ss (06:00:00) Primeiro vamos criar outro banco de dados : CREATE DATABASE teste; Depois criar uma tabela chamada Clientes com como mostra a figura abaixo: Figura 4.4 criação da tabela cliente 19

20 Para definir a coluna como do tipo auto-incremental basta acrescentar :AUTO_INCREMENT na definição da coluna. Inserindo dados na tabela A inserção de novos dados em uma tabela de banco de dados é uma das operações mais realizadas por um sistema,perdendo apenas para a leitura de dados.para a inserção de dados usaremos o comando INSERT,com aparece na figura abaixo. Figura 4.5 inserindo dados na tabela. Abaixo exibimos a linha incluída usando o comando SELECT. 20

21 Figura 4.6 mostra tabela clientes após inserção de dados. Excluindo tabelas Tabela também pode ser facilmente excluída em um banco de dados do MYSQL,por isto esta operação só dever ser realizada se você tiver absoluta certeza de que os dados da tabela não serão mais necessários. Utilizando o comando DROP TABLE na Query Manager.Neste caso,para excluir a tabela Clientes do banco de dados será necessário usar o seguinte comando: 21

22 Figura 4.7: excluindo a tabela clientes do banco de dados teste. Excluindo dados de uma tabela Assim como a inclusão de dados em uma tabela é uma operação muito comum em um SGBD,a exclusão de dado existente também será necessária,pois faz parte do conjunto de operações na manutenção do banco de dados. O comando utilizado para excluir é o DELETE. O comando apresentado ira deletar nome Raimundo do banco. Figura 4.8 executando o comando DELETE O comando DELETE jamais deve ser utilizado sem a clausula WHERE,pois neste caso,ira excluir todos os dados da tabela. 22

DISCIPLINAS DO CURSO INFORMÁTICA ÊNFASE GESTÃO DE NEGÓCIOS.

DISCIPLINAS DO CURSO INFORMÁTICA ÊNFASE GESTÃO DE NEGÓCIOS. DISCIPLINAS DO CURSO INFORMÁTICA ÊNFASE GESTÃO DE NEGÓCIOS. PROFESSOR: DOUGLAS DUARTE DISCIPLINA: LPBD 5º SEMESTRE AULA 02 MYSQL O MySQL é um sistema de gerenciamento de banco de dados (SGBD), que utiliza

Leia mais

BANCO DE DADOS II. AULA MySQL.

BANCO DE DADOS II. AULA MySQL. UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA - UFSM COLÉGIO AGRÍCOLA DE FREDERICO WESTPHALEN BANCO DE DADOS II BANCO DE DADOS II AULA MySQL. DISCIPLINA: Banco de Dados II PROF.: ROMULO VANZIN Data: 27/06/2014 Banco

Leia mais

Sumário Agradecimentos... 19 Sobre.o.autor... 20 Prefácio... 21 Capítulo.1..Bem-vindo.ao.MySQL... 22

Sumário Agradecimentos... 19 Sobre.o.autor... 20 Prefácio... 21 Capítulo.1..Bem-vindo.ao.MySQL... 22 Sumário Agradecimentos... 19 Sobre o autor... 20 Prefácio... 21 Capítulo 1 Bem-vindo ao MySQL... 22 1.1 O que é o MySQL?...22 1.1.1 História do MySQL...23 1.1.2 Licença de uso...23 1.2 Utilizações recomendadas...24

Leia mais

Programação Orientada a Objetos com PHP & MySQL Sistema Gerenciador de Banco de Dados: Introdução e configuração de bases de dados com Postgre e MySQL

Programação Orientada a Objetos com PHP & MySQL Sistema Gerenciador de Banco de Dados: Introdução e configuração de bases de dados com Postgre e MySQL Programação Orientada a Objetos com PHP & MySQL Sistema Gerenciador de Banco de Dados: Introdução e configuração de bases de dados com Postgre e MySQL Prof. MSc. Hugo Souza Iniciando nossas aulas sobre

Leia mais

Desenvolvendo Websites com PHP

Desenvolvendo Websites com PHP Desenvolvendo Websites com PHP Aprenda a criar Websites dinâmicos e interativos com PHP e bancos de dados Juliano Niederauer 19 Capítulo 1 O que é o PHP? O PHP é uma das linguagens mais utilizadas na Web.

Leia mais

APOSTILA BÁSICA DE MYSQL

APOSTILA BÁSICA DE MYSQL APOSTILA BÁSICA DE MYSQL História O MySQL foi criado na Suécia por dois suecos e um finlandês: David Axmark, Allan Larsson e Michael "Monty" Widenius, que têm trabalhado juntos desde a década de 1980.

Leia mais

Principais Comandos SQL Usados no MySql

Principais Comandos SQL Usados no MySql Principais Comandos SQL Usados no MySql O que é um SGBD? Um Sistema Gerenciador de Banco de Dados (como no Brasil) ou Sistema Gestor de Base de Dados (SGBD) é o conjunto de programas de computador (softwares)

Leia mais

Prof. Omero, pág. 63. Banco de Dados InterBase.

Prof. Omero, pág. 63. Banco de Dados InterBase. Prof. Omero, pág. 63 O que é o InterBase? O InterBase é um SGBDR - Sistema Gerenciador de Banco de Dados Cliente/Servidor Relacional 1 que está baseado no padrão SQL ANSI-9, de alta performance, independente

Leia mais

PHP INTEGRAÇÃO COM MYSQL PARTE 1

PHP INTEGRAÇÃO COM MYSQL PARTE 1 INTRODUÇÃO PHP INTEGRAÇÃO COM MYSQL PARTE 1 Leonardo Pereira leonardo@estudandoti.com.br Facebook: leongamerti http://www.estudandoti.com.br Informações que precisam ser manipuladas com mais segurança

Leia mais

Introdução ao Sistema. Características

Introdução ao Sistema. Características Introdução ao Sistema O sistema Provinha Brasil foi desenvolvido com o intuito de cadastrar as resposta da avaliação que é sugerida pelo MEC e que possui o mesmo nome do sistema. Após a digitação, os dados

Leia mais

Programação WEB II. PHP e Banco de Dados. progweb2@thiagomiranda.net. Thiago Miranda dos Santos Souza

Programação WEB II. PHP e Banco de Dados. progweb2@thiagomiranda.net. Thiago Miranda dos Santos Souza PHP e Banco de Dados progweb2@thiagomiranda.net Conteúdos Os materiais de aula, apostilas e outras informações estarão disponíveis em: www.thiagomiranda.net PHP e Banco de Dados É praticamente impossível

Leia mais

ETEC Dr. Emílio Hernandez Aguilar. Manual Simplificado: MySQL

ETEC Dr. Emílio Hernandez Aguilar. Manual Simplificado: MySQL ETEC Dr. Emílio Hernandez Aguilar Manual Simplificado: MySQL Franco da Rocha 2010 Informações Gerais O programa MySQL (R) é um servidor robusto de bancos de dados SQL (Structured Query Language Linguagem

Leia mais

GBD. Introdução PROF. ANDREZA S. AREÃO

GBD. Introdução PROF. ANDREZA S. AREÃO GBD Introdução PROF. ANDREZA S. AREÃO Sistema de arquivos X Sistemas de Banco de Dados Sistema de arquivos Sistema de Banco de Dados Aplicativos Dados (arquivos) Aplicativos SGBD Dados (arquivos) O acesso/gerenciamento

Leia mais

CENTRO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA PAULA SOUZA ETEC DR. EMILIO HERNANDEZ AGUILAR

CENTRO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA PAULA SOUZA ETEC DR. EMILIO HERNANDEZ AGUILAR CENTRO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA PAULA SOUZA ETEC DR. EMILIO HERNANDEZ AGUILAR DOUGLAS CABRAL Nº. 12 FELIPE DIAS XAVIER Nº. 17 GABRIEL PASQUALINI Nº. 18 GILMAR BARROS Nº. 20 GUILHERME RODRIGUES

Leia mais

Conteúdo Programático de PHP

Conteúdo Programático de PHP Conteúdo Programático de PHP 1 Por que PHP? No mercado atual existem diversas tecnologias especializadas na integração de banco de dados com a WEB, sendo o PHP a linguagem que mais se desenvolve, tendo

Leia mais

UNIVERSIDADE LUTERANA DO BRASIL CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO CAMPUS SANTA MARIA. PostgreSQL ou MySQL. Quando utilizar um desses SGBDs.

UNIVERSIDADE LUTERANA DO BRASIL CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO CAMPUS SANTA MARIA. PostgreSQL ou MySQL. Quando utilizar um desses SGBDs. UNIVERSIDADE LUTERANA DO BRASIL CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO CAMPUS SANTA MARIA PostgreSQL ou MySQL Quando utilizar um desses SGBDs por Anderson Davi da Cunha Naidon, Daniel Flores Bastos, Gleizer Bierhalz

Leia mais

Esta aula tem o objetivo de nos orientar durante este período em nossas aulas de Banco de Dados, não tem a pretensão de ser a única fonte de

Esta aula tem o objetivo de nos orientar durante este período em nossas aulas de Banco de Dados, não tem a pretensão de ser a única fonte de BD Esta aula tem o objetivo de nos orientar durante este período em nossas aulas de Banco de Dados, não tem a pretensão de ser a única fonte de informação para nosso êxito no curso. A intenção de elaborar

Leia mais

2008.1. A linguagem SQL

2008.1. A linguagem SQL SQL 2008.1 A linguagem SQL SQL - Structured Query Language. Foi definida nos laboratórios de pesquisa da IBM em San Jose, California, em 1974. Teve seus fundamentos no modelo relacional Sua primeira versão

Leia mais

CONFIGURAÇÃO DE REDE SISTEMA IDEAGRI - FAQ CONCEITOS GERAIS

CONFIGURAÇÃO DE REDE SISTEMA IDEAGRI - FAQ CONCEITOS GERAIS CONFIGURAÇÃO DE REDE SISTEMA IDEAGRI - FAQ CONCEITOS GERAIS Servidor: O servidor é todo computador no qual um banco de dados ou um programa (aplicação) está instalado e será COMPARTILHADO para outros computadores,

Leia mais

Procedimentos para Instalação do Sisloc

Procedimentos para Instalação do Sisloc Procedimentos para Instalação do Sisloc Sumário: 1. Informações Gerais... 3 2. Instalação do Sisloc... 3 Passo a passo... 3 3. Instalação da base de dados Sisloc... 16 Passo a passo... 16 4. Instalação

Leia mais

Capítulo 1. Bem-vindo ao MySQL. 1.1 O que é o MySQL?

Capítulo 1. Bem-vindo ao MySQL. 1.1 O que é o MySQL? Capítulo 1 Bem-vindo ao MySQL Olá, seja bem-vindo ao mundo do MySQL! A melhor maneira de conhecer uma ferramenta é por meio de uma leitura inicial sobre a origem, o propósito e os objetivos aos quais esta

Leia mais

Banco de Dados. Professor: Rômulo César. romulodandrade@gmail.com www.romulocesar.com.br

Banco de Dados. Professor: Rômulo César. romulodandrade@gmail.com www.romulocesar.com.br Banco de Dados Professor: Rômulo César romulodandrade@gmail.com www.romulocesar.com.br Sistema de arquivos X Sistemas de Banco de Dados Sistema de arquivos Sistema de Banco de Dados Aplicativos Dados (arquivos)

Leia mais

Unidade IV ADMINISTRAÇÃO DE BANCO DE DADOS. Software livre se refere à liberdade dos usuários com relação ao software, mais precisamente:

Unidade IV ADMINISTRAÇÃO DE BANCO DE DADOS. Software livre se refere à liberdade dos usuários com relação ao software, mais precisamente: ADMINISTRAÇÃO DE BANCO DE DADOS Unidade IV DEFINIR A MELHOR SOLUÇÃO DE BANCO DE DADOS PARA AS NECESSIDADES DA EMPRESA.1 O uso das tecnologias.1.1 O software livre 1 A tecnologia de banco de dados, assim

Leia mais

Manual do Usuário Cyber Square

Manual do Usuário Cyber Square Manual do Usuário Cyber Square Criado dia 27 de março de 2015 as 12:14 Página 1 de 48 Bem-vindo ao Cyber Square Parabéns! Você está utilizando o Cyber Square, o mais avançado sistema para gerenciamento

Leia mais

Prof. Marcelo Machado Cunha www.marcelomachado.com mcelobr@yahoo.com.br

Prof. Marcelo Machado Cunha www.marcelomachado.com mcelobr@yahoo.com.br Prof. Marcelo Machado Cunha www.marcelomachado.com mcelobr@yahoo.com.br Ementa Introdução a Banco de Dados (Conceito, propriedades), Arquivos de dados x Bancos de dados, Profissionais de Banco de dados,

Leia mais

1 REQUISITOS BÁSICOS PARA INSTALAR O SMS PC REMOTO

1 REQUISITOS BÁSICOS PARA INSTALAR O SMS PC REMOTO 1 ÍNDICE 1 REQUISITOS BÁSICOS PARA INSTALAR O SMS PC REMOTO... 3 1.1 REQUISITOS BASICOS DE SOFTWARE... 3 1.2 REQUISITOS BASICOS DE HARDWARE... 3 2 EXECUTANDO O INSTALADOR... 3 2.1 PASSO 01... 3 2.2 PASSO

Leia mais

Cadastramento de Computadores. Manual do Usuário

Cadastramento de Computadores. Manual do Usuário Cadastramento de Computadores Manual do Usuário Setembro 2008 ÍNDICE 1. APRESENTAÇÃO 1.1 Conhecendo a solução...03 Segurança pela identificação da máquina...03 2. ADERINDO À SOLUÇÃO e CADASTRANDO COMPUTADORES

Leia mais

Fundamentos dos Sistemas de Informação Organização de Dados e Informações

Fundamentos dos Sistemas de Informação Organização de Dados e Informações Fundamentos dos Sistemas de Informação Organização de Dados e Informações http://professor.fimes.edu.br/milena milenaresende@fimes.edu.br Sistema de Gerenciamento de Bases de Dados (DBMS) A implementação

Leia mais

Trabalhando com banco de dados

Trabalhando com banco de dados Avançado Trabalhando com Aprenda a manipular dados no Excel com a ajuda de outros aplicativos da suíte Office Armazenar e organizar informações são tarefas executadas diariamente por todos nós. Desde o

Leia mais

Procedimentos para Instalação do SISLOC

Procedimentos para Instalação do SISLOC Procedimentos para Instalação do SISLOC Sumário 1. Informações Gerais...3 2. Instalação do SISLOC...3 Passo a passo...3 3. Instalação da Base de Dados SISLOC... 11 Passo a passo... 11 4. Instalação de

Leia mais

Banco de Dados. Prof. Antonio

Banco de Dados. Prof. Antonio Banco de Dados Prof. Antonio SQL - Structured Query Language O que é SQL? A linguagem SQL (Structure query Language - Linguagem de Consulta Estruturada) é a linguagem padrão ANSI (American National Standards

Leia mais

www.neteye.com.br NetEye Guia de Instalação

www.neteye.com.br NetEye Guia de Instalação www.neteye.com.br NetEye Guia de Instalação Índice 1. Introdução... 3 2. Funcionamento básico dos componentes do NetEye...... 3 3. Requisitos mínimos para a instalação dos componentes do NetEye... 4 4.

Leia mais

Instalando o IIS 7 no Windows Server 2008

Instalando o IIS 7 no Windows Server 2008 Goiânia, 16/09/2013 Aluno: Rafael Vitor Prof. Kelly Instalando o IIS 7 no Windows Server 2008 Objetivo Esse tutorial tem como objetivo demonstrar como instalar e configurar o IIS 7.0 no Windows Server

Leia mais

Instalando o IIS 7 no Windows Server 2008

Instalando o IIS 7 no Windows Server 2008 Goiânia, 16/09/2013 Aluno: Rafael Vitor Prof. Kelly Instalando o IIS 7 no Windows Server 2008 Objetivo Esse tutorial tem como objetivo demonstrar como instalar e configurar o IIS 7.0 no Windows Server

Leia mais

Instalando o Lazarus e outros sistemas de suporte. Prof. Vitor H. Migoto de Gouvêa Colégio IDESA 2011

Instalando o Lazarus e outros sistemas de suporte. Prof. Vitor H. Migoto de Gouvêa Colégio IDESA 2011 Instalando o Lazarus e outros sistemas de suporte Prof. Vitor H. Migoto de Gouvêa Colégio IDESA 2011 Edição 1 Levante e ande - Instalando o Lazarus e outros sistemas de suporte. Ano: 02/2011 Nesta Edição

Leia mais

Desenvolvendo Websites com PHP

Desenvolvendo Websites com PHP Desenvolvendo Websites com PHP 2ª Edição Juliano Niederauer Novatec Copyright 2009, 2011 da Novatec Editora Ltda. Todos os direitos reservados e protegidos pela Lei 9.610 de 19/02/1998. É proibida a reprodução

Leia mais

Ferramenta: Spider-CL. Manual do Usuário. Versão da Ferramenta: 1.1. www.ufpa.br/spider

Ferramenta: Spider-CL. Manual do Usuário. Versão da Ferramenta: 1.1. www.ufpa.br/spider Ferramenta: Spider-CL Manual do Usuário Versão da Ferramenta: 1.1 www.ufpa.br/spider Histórico de Revisões Data Versão Descrição Autor 14/07/2009 1.0 15/07/2009 1.1 16/07/2009 1.2 20/05/2010 1.3 Preenchimento

Leia mais

Criando Banco de Dados, Tabelas e Campos através do HeidiSQL. Prof. Vitor H. Migoto de Gouvêa Colégio IDESA 2011

Criando Banco de Dados, Tabelas e Campos através do HeidiSQL. Prof. Vitor H. Migoto de Gouvêa Colégio IDESA 2011 Criando Banco de Dados, Tabelas e Campos através do HeidiSQL Prof. Vitor H. Migoto de Gouvêa Colégio IDESA 2011 Edição 2 Pedreiros da Informação Criando Banco de Dados, Tabelas e Campos através do HeidiSQL

Leia mais

Noções de. Microsoft SQL Server. Microsoft SQL Server

Noções de. Microsoft SQL Server. Microsoft SQL Server Noções de 1 Considerações Iniciais Basicamente existem dois tipos de usuários do SQL Server: Implementadores Administradores 2 1 Implementadores Utilizam o SQL Server para criar e alterar base de dados

Leia mais

2008.1 SQL. Autor: Renata Viegas

2008.1 SQL. Autor: Renata Viegas SQL Autor: Renata Viegas A linguagem SQL SQL - Structured Query Language. Foi definida nos laboratórios de pesquisa da IBM em San Jose, California, em 1974. Teve seus fundamentos no modelo relacional Sua

Leia mais

Introdução a Informática. Prof.: Roberto Franciscatto

Introdução a Informática. Prof.: Roberto Franciscatto Introdução a Informática Prof.: Roberto Franciscatto 6.1 ARQUIVOS E REGISTROS De um modo geral os dados estão organizados em arquivos. Define-se arquivo como um conjunto de informações referentes aos elementos

Leia mais

Transações Seguras em Bancos de Dados (MySQL)

Transações Seguras em Bancos de Dados (MySQL) Transações Seguras em Bancos de Dados (MySQL) Índice Entendendo os storage engines do MySQL 5 1 As ferramentas 1 Mais algumas coisas que você deve saber 1 Com a mão na massa 2 Mais ferramentas Usando o

Leia mais

Prof.: Clayton Maciel Costa clayton.maciel@ifrn.edu.br

Prof.: Clayton Maciel Costa clayton.maciel@ifrn.edu.br Programação com acesso a BD Prof.: Clayton Maciel Costa clayton.maciel@ifrn.edu.br 1 Modelos de Dados, Esquemas e Instâncias 2 Modelos de Dados, Esquemas e Instâncias Modelo de dados: Conjunto de conceitos

Leia mais

Desenvolvendo Aplicações Web com NetBeans

Desenvolvendo Aplicações Web com NetBeans Desenvolvendo Aplicações Web com NetBeans Aula 3 Cap. 4 Trabalhando com Banco de Dados Prof.: Marcelo Ferreira Ortega Introdução O trabalho com banco de dados utilizando o NetBeans se desenvolveu ao longo

Leia mais

Banco de Dados. PostgreSQL

Banco de Dados. PostgreSQL Banco de Dados PostgreSQL 2010 Banco de Dados PostgreSQL Banco de Dados II Equipe: Equipe Postgre Líder: Alexandre Strauss... 01 Aline Cássia Lima dos Santos... 02 Erik Machado... 09 Fernando Gomes Brandão...

Leia mais

1. Introdução. 2. Funcionamento básico dos componentes do Neteye

1. Introdução. 2. Funcionamento básico dos componentes do Neteye 1. Introdução Esse guia foi criado com o propósito de ajudar na instalação do Neteye. Para ajuda na utilização do Software, solicitamos que consulte os manuais da Console [http://www.neteye.com.br/help/doku.php?id=ajuda]

Leia mais

SQL. Curso Prático. Celso Henrique Poderoso de Oliveira. Novatec

SQL. Curso Prático. Celso Henrique Poderoso de Oliveira. Novatec SQL Curso Prático Celso Henrique Poderoso de Oliveira Novatec 1 Introdução Desde o início da utilização dos computadores, sabemos que um sistema é feito para aceitar entrada de dados, realizar processamentos

Leia mais

CAPÍTULO IV Sistema Operacional Microsoft Windows XP

CAPÍTULO IV Sistema Operacional Microsoft Windows XP CAPÍTULO IV Sistema Operacional Microsoft Windows XP Sistemas Operacionais Sistemas Operacionais são programas que como o próprio nome diz tem a função de colocar o computador em operação. O sistema Operacional

Leia mais

ETEC Dr. Emílio Hernandez Aguilar

ETEC Dr. Emílio Hernandez Aguilar ETEC Dr. Emílio Hernandez Aguilar Grupo: Leonardo; Ronaldo; Lucas; Gustavo; Fabio. 2º Informática Tarde 2º Semestre de 2009 Introdução O PostgreSQL é um SGBD (Sistema Gerenciador de Banco de Dados) objeto-relacional

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE ESCOLA AGRÍCOLA DE JUNDIAÍ EAJ - PRONATEC / REDE etec MÓDULO III DESENVOLVIMENTO PROFESSOR ADDSON COSTA

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE ESCOLA AGRÍCOLA DE JUNDIAÍ EAJ - PRONATEC / REDE etec MÓDULO III DESENVOLVIMENTO PROFESSOR ADDSON COSTA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE ESCOLA AGRÍCOLA DE JUNDIAÍ EAJ - PRONATEC / REDE etec MÓDULO III DESENVOLVIMENTO PROFESSOR ADDSON COSTA RESUMO DE AULA CRIAÇÃO E MANIPULAÇÃO DO BANCO DE DADOS

Leia mais

Armazenamento organizado facilitando SCRUD; Agiliza processo de desenvolvimento de sistemas;

Armazenamento organizado facilitando SCRUD; Agiliza processo de desenvolvimento de sistemas; Conjunto de informações relacionadas entre si; Armazenamento organizado facilitando SCRUD; Agiliza processo de desenvolvimento de sistemas; Conjunto de Tabelas onde cada linha é um vetor de dados específico;

Leia mais

Manual de Instalação. SafeNet Authentication Client 8.2 SP1. (Para MAC OS 10.7)

Manual de Instalação. SafeNet Authentication Client 8.2 SP1. (Para MAC OS 10.7) SafeNet Authentication Client 8.2 SP1 (Para MAC OS 10.7) 2/28 Sumário 1 Introdução... 3 2 Pré-Requisitos Para Instalação... 3 3 Ambientes Homologados... 4 4 Tokens Homologados... 4 5 Instruções de Instalação...

Leia mais

Faculdade Pitágoras 16/08/2011. Curso Superior de Tecnologia: Banco de Dados Sistemas para Internet

Faculdade Pitágoras 16/08/2011. Curso Superior de Tecnologia: Banco de Dados Sistemas para Internet Faculdade Pitágoras Curso Superior de Tecnologia: Banco de Dados Sistemas para Internet Disciplina: Banco de Dados Prof.: Fernando Hadad Zaidan SQL A linguagem SQL é responsável por garantir um bom nível

Leia mais

Faculdade Pitágoras. Curso Superior de Tecnologia: Banco de Dados. Disciplina: Banco de Dados Prof.: Fernando Hadad Zaidan SQL

Faculdade Pitágoras. Curso Superior de Tecnologia: Banco de Dados. Disciplina: Banco de Dados Prof.: Fernando Hadad Zaidan SQL Faculdade Pitágoras Curso Superior de Tecnologia: Banco de Dados Disciplina: Banco de Dados Prof.: Fernando Hadad Zaidan SQL A linguagem SQL é responsável por garantir um bom nível de independência do

Leia mais

Manual de Utilização

Manual de Utilização Se ainda tiver dúvidas entre em contato com a equipe de atendimento: Por telefone: 0800 642 3090 Por e-mail atendimento@oisolucoespraempresas.com.br Introdução... 3 1. O que é o programa Oi Backup Empresarial?...

Leia mais

CRIANDO, ALTERADO E EXCLUINDO TABELAS, INSERINDO, SELECIONANDO, ALTERANDO E EXCLUINDO DADOS

CRIANDO, ALTERADO E EXCLUINDO TABELAS, INSERINDO, SELECIONANDO, ALTERANDO E EXCLUINDO DADOS CRIANDO, ALTERADO E EXCLUINDO TABELAS, INSERINDO, SELECIONANDO, ALTERANDO E EXCLUINDO DADOS Prof. Me. Hélio Esperidião SQL - STRUCTURED QUERY LANGUAGE SQL é uma linguagem padronizada para a definição e

Leia mais

Manual. Configuração do. Samba. Compartilhamento e Servidor Samba Linux. Produzido por: Sergio Graças Desenvolvedor do Projeto GNU/Linux VRlivre

Manual. Configuração do. Samba. Compartilhamento e Servidor Samba Linux. Produzido por: Sergio Graças Desenvolvedor do Projeto GNU/Linux VRlivre Manual Configuração do Samba Compartilhamento e Servidor Samba Linux Produzido por: Sergio Graças Desenvolvedor do Projeto GNU/Linux VRlivre Manual Configuração do Samba Compartilhamento e Servidor Samba

Leia mais

Maker Planet www.makerplanet.com Manual do Usuário

Maker Planet www.makerplanet.com Manual do Usuário Maker Planet www.makerplanet.com Manual do Usuário Atenção: Este é o rascunho inicial deste documento, visite o Maker Planet.COM (HTTP://www.makerplanet.com/) para obter as atualizações deste documento.

Leia mais

O que um Servidor Samba faz?

O que um Servidor Samba faz? O que é o Samba? O Samba é um "software servidor" para Linux (e outros sistemas baseados em Unix) que permite o gerenciamento e compartilhamento de recursos em redes formadas por computadores com o Windows

Leia mais

Procedimentos para Reinstalação do Sisloc

Procedimentos para Reinstalação do Sisloc Procedimentos para Reinstalação do Sisloc Sumário: 1. Informações Gerais... 3 2. Criação de backups importantes... 3 3. Reinstalação do Sisloc... 4 Passo a passo... 4 4. Instalação da base de dados Sisloc...

Leia mais

ArpPrintServer. Sistema de Gerenciamento de Impressão By Netsource www.netsource.com.br Rev: 02

ArpPrintServer. Sistema de Gerenciamento de Impressão By Netsource www.netsource.com.br Rev: 02 ArpPrintServer Sistema de Gerenciamento de Impressão By Netsource www.netsource.com.br Rev: 02 1 Sumário INTRODUÇÃO... 3 CARACTERÍSTICAS PRINCIPAIS DO SISTEMA... 3 REQUISITOS DE SISTEMA... 4 INSTALAÇÃO

Leia mais

ANEXO 9 DO PROJETO BÁSICO DA FERRAMENTA DE MONITORAMENTO, SEGURANÇA E AUDITORIA DE BANCO DE DADOS

ANEXO 9 DO PROJETO BÁSICO DA FERRAMENTA DE MONITORAMENTO, SEGURANÇA E AUDITORIA DE BANCO DE DADOS ANEXO 9 DO PROJETO BÁSICO DA FERRAMENTA DE MONITORAMENTO, SEGURANÇA E AUDITORIA DE BANCO DE DADOS Sumário 1. Finalidade... 2 2. Justificativa para contratação... 2 3. Premissas para fornecimento e operação

Leia mais

CAPÍTULO 8 Conexões de banco de dados para programadores ASP.NET

CAPÍTULO 8 Conexões de banco de dados para programadores ASP.NET CAPÍTULO 8 Conexões de banco de dados para programadores ASP.NET Para utilizar um banco de dados com um aplicativo ASP.NET, é necessário criar uma conexão de banco de dados no Macromedia Dreamweaver MX.

Leia mais

Kerio Exchange Migration Tool

Kerio Exchange Migration Tool Kerio Exchange Migration Tool Versão: 7.3 2012 Kerio Technologies, Inc. Todos os direitos reservados. 1 Introdução Documento fornece orientações para a migração de contas de usuário e as pastas públicas

Leia mais

Manual de Instalação, Administração e Uso do Sistema Elétric

Manual de Instalação, Administração e Uso do Sistema Elétric Manual de Instalação, Administração e Uso do Sistema Elétric Versão 1.0 Autores Bruna Cirqueira Mariane Dantas Milton Alves Robson Prioli Nova Odessa, 10 de Setembro de 2013 Sumário Apoio 1. Licença deste

Leia mais

Roteiro 2 Conceitos Gerais

Roteiro 2 Conceitos Gerais Roteiro 2 Conceitos Gerais Objetivos: UC Projeto de Banco de Dados Explorar conceitos gerais de bancos de dados; o Arquitetura de bancos de dados: esquemas, categorias de modelos de dados, linguagens e

Leia mais

DESENVOLVENDO SOLUÇÕES COM VISUAL FOXPRO 8 E 9

DESENVOLVENDO SOLUÇÕES COM VISUAL FOXPRO 8 E 9 DESENVOLVENDO SOLUÇÕES COM VISUAL FOXPRO 8 E 9 Í N D I C E Capítulo 1 - O Início de Tudo 1 Reunindo todas as informações necessárias 2 Instalando o Visual FoxPro 2 Configurando o Visual FoxPro 7 Capítulo

Leia mais

http://aurelio.net/vim/vim-basico.txt Entrar neste site/arquivo e estudar esse aplicativo Prof. Ricardo César de Carvalho

http://aurelio.net/vim/vim-basico.txt Entrar neste site/arquivo e estudar esse aplicativo Prof. Ricardo César de Carvalho vi http://aurelio.net/vim/vim-basico.txt Entrar neste site/arquivo e estudar esse aplicativo Administração de Redes de Computadores Resumo de Serviços em Rede Linux Controlador de Domínio Servidor DNS

Leia mais

Introdução à Engenharia da Computação. Banco de Dados Professor Machado

Introdução à Engenharia da Computação. Banco de Dados Professor Machado Introdução à Engenharia da Computação Banco de Dados Professor Machado 1 Sistemas isolados Produção Vendas Compras Banco de Dados Produtos... Banco de Dados Produtos... Banco de Dados Produtos... Desvantagens:

Leia mais

Apache + PHP + MySQL

Apache + PHP + MySQL Apache + PHP + MySQL Fernando Lozano Consultor Independente Prof. Faculdade Metodista Bennett Webmaster da Free Software Foundation fernando@lozano.eti.br SEPAI 2001 O Que São Estes Softwares Apache: Servidor

Leia mais

Banco de Dados Oracle 10g

Banco de Dados Oracle 10g 2010 Banco de Dados II Líder: George Petz... 19 Bruno Aparecido Pereira... 07 Gustavo da Silva Oliveira... 24 Luis Felipe Martins Alarcon... 32 Rubens Gondek... 41 Professor: Gilberto Braga de Oliveira

Leia mais

APOSTILA DE LINGUAGEM DE PROGRAMAÇÃO IV

APOSTILA DE LINGUAGEM DE PROGRAMAÇÃO IV APOSTILA DE LINGUAGEM DE PROGRAMAÇÃO IV CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO PROF. ERWIN ALEXANDER UHLMANN Universidade Guarulhos Página 1 Agradecimentos Agradeço a todos os alunos que com suas dúvidas me ajudaram a

Leia mais

Softwares de Sistemas e de Aplicação

Softwares de Sistemas e de Aplicação Fundamentos dos Sistemas de Informação Softwares de Sistemas e de Aplicação Profª. Esp. Milena Resende - milenaresende@fimes.edu.br Visão Geral de Software O que é um software? Qual a função do software?

Leia mais

Iniciando o MySQL Query Brower

Iniciando o MySQL Query Brower MySQL Query Brower O MySQL Query Browser é uma ferramenta gráfica fornecida pela MySQL AB para criar, executar e otimizar solicitações SQL em um ambiente gráfico. Assim como o MySQL Administrator foi criado

Leia mais

PROCEDIMENTOS ARMAZENADOS (Stored Procedures)

PROCEDIMENTOS ARMAZENADOS (Stored Procedures) PROCEDIMENTOS ARMAZENADOS (Stored Procedures) 1. Introdução Stored Procedure é um conjunto de comandos, ao qual é atribuído um nome. Este conjunto fica armazenado no Banco de Dados e pode ser chamado a

Leia mais

Trabalhando com conexão ao banco de dados MySQL no Lazarus. Prof. Vitor H. Migoto de Gouvêa Colégio IDESA 2011

Trabalhando com conexão ao banco de dados MySQL no Lazarus. Prof. Vitor H. Migoto de Gouvêa Colégio IDESA 2011 Trabalhando com conexão ao banco de dados MySQL no Lazarus Prof. Vitor H. Migoto de Gouvêa Colégio IDESA 2011 Edição 4 O Componente Trabalhando com conexão ao banco de dados MySQL no Lazarus Ano: 03/2011

Leia mais

BANCO DE DADOS. Introdução a Banco de Dados. Conceitos BásicosB. Engenharia da Computação UNIVASF. Aula 1. Breve Histórico

BANCO DE DADOS. Introdução a Banco de Dados. Conceitos BásicosB. Engenharia da Computação UNIVASF. Aula 1. Breve Histórico Banco de Dados // 1 Banco de Dados // 2 Conceitos BásicosB Engenharia da Computação UNIVASF BANCO DE DADOS Aula 1 Introdução a Banco de Dados Campo representação informatizada de um dado real / menor unidade

Leia mais

BANCO DE DADOS II Prof. Ricardo Rodrigues Barcelar http://www.ricardobarcelar.com

BANCO DE DADOS II Prof. Ricardo Rodrigues Barcelar http://www.ricardobarcelar.com - Aula 11-1. INTRODUÇÃO TRIGGERS (GATILHOS OU AUTOMATISMOS) Desenvolver uma aplicação para gerenciar os dados significa criar uma aplicação que faça o controle sobre todo ambiente desde a interface, passando

Leia mais

Lógica de Programação

Lógica de Programação Lógica de Programação Unidade 4 Ambiente de desenvolvimento Java QI ESCOLAS E FACULDADES Curso Técnico em Informática SUMÁRIO A LINGUAGEM JAVA... 3 JVM, JRE, JDK... 3 BYTECODE... 3 PREPARANDO O AMBIENTE

Leia mais

BANCO DE DADOS WEB AULA 4. linguagem SQL: subconjuntos DCL, DDL e DML. professor Luciano Roberto Rocha. www.lrocha.com

BANCO DE DADOS WEB AULA 4. linguagem SQL: subconjuntos DCL, DDL e DML. professor Luciano Roberto Rocha. www.lrocha.com BANCO DE DADOS WEB AULA 4 linguagem SQL: subconjuntos DCL, DDL e DML professor Luciano Roberto Rocha www.lrocha.com O que é SQL? Structured Query Language, ou Linguagem de Consulta Estruturada ou SQL,

Leia mais

Automação do processo de gerenciamento e publicação de revistas científicas

Automação do processo de gerenciamento e publicação de revistas científicas Automação do processo de gerenciamento e publicação de revistas científicas Equipe SEER Desenvolvimento Web Ibict/MCT Sumário 4 Introdução 4 Requisitos Básicos 4 Hardware 4 Software 4 Instalação do Sistema

Leia mais

FAT32 ou NTFS, qual o melhor?

FAT32 ou NTFS, qual o melhor? FAT32 ou NTFS, qual o melhor? Entenda quais as principais diferenças entre eles e qual a melhor escolha O que é um sistema de arquivos? O conceito mais importante sobre este assunto, sem sombra de dúvidas,

Leia mais

possível até impedir o funcionamento do Windows. Faz-scuidado redobrado ao ativar determinados recursos.

possível até impedir o funcionamento do Windows. Faz-scuidado redobrado ao ativar determinados recursos. AULA 4: DIRETIVAS DE GRUPO Objetivo: Conhecer e aplicar conceitos sobre restrições de acesso ao sistema operacional Windows através de diretivas de grupo. Diretivas de Grupo: Computadores com mais de um

Leia mais

Receita de bolo para instalar MinGW-GCC e Netbeans em Windows

Receita de bolo para instalar MinGW-GCC e Netbeans em Windows Receita de bolo para instalar MinGW-GCC e Netbeans em Windows Hae Yong Kim 13/08/2014 Este documento explica como fiz para instalar compilador MinGW-GCC e ambiente de desenvolvimento Netbeans em Windows.

Leia mais

Requisitos do Sistema

Requisitos do Sistema PJ8D - 017 ProJuris 8 Desktop Requisitos do Sistema PJ8D - 017 P á g i n a 1 Sumario Sumario... 1 Capítulo I - Introdução... 2 1.1 - Objetivo... 2 1.2 - Quem deve ler esse documento... 2 Capítulo II -

Leia mais

Manual de instalação, configuração e utilização do Assinador Betha

Manual de instalação, configuração e utilização do Assinador Betha Manual de instalação, configuração e utilização do Assinador Betha Versão 1.5 Histórico de revisões Revisão Data Descrição da alteração 1.0 18/09/2015 Criação deste manual 1.1 22/09/2015 Incluído novas

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO DE BANCO DE DADOS

ADMINISTRAÇÃO DE BANCO DE DADOS ADMINISTRAÇÃO DE BANCO DE DADOS ARTEFATO 02 AT02 Diversos I 1 Indice ESQUEMAS NO BANCO DE DADOS... 3 CRIANDO SCHEMA... 3 CRIANDO TABELA EM DETERMINADO ESQUEMA... 4 NOÇÕES BÁSICAS SOBRE CRIAÇÃO E MODIFICAÇÃO

Leia mais

PHP() é uma linguagem de integração de servidor que permite a criação de paginas dinâmicas. Como todas

PHP() é uma linguagem de integração de servidor que permite a criação de paginas dinâmicas. Como todas O que é PHP? Acrônimo de PHP: Hipertext Language PostProcessor Inicialmente escrita para o desenvolvimento de aplicações Web Facilidade para iniciantes e recursos poderosos para programadores profissionais

Leia mais

Instalação do IBM SPSS Modeler Server Adapter

Instalação do IBM SPSS Modeler Server Adapter Instalação do IBM SPSS Modeler Server Adapter Índice Instalação do IBM SPSS Modeler Server Adapter............... 1 Sobre a Instalação do IBM SPSS Modeler Server Adapter................ 1 Requisitos de

Leia mais

Cadastramento de Computadores. Manual do Usuário

Cadastramento de Computadores. Manual do Usuário Cadastramento de Computadores Manual do Usuário Agosto 2006 ÍNDICE 1. APRESENTAÇÃO 1.1 Conhecendo a solução...03 Segurança pela identificação da máquina...03 2. ADERINDO À SOLUÇÃO e CADASTRANDO COMPUTADORES

Leia mais

Principais Característic

Principais Característic Principais Característic Características as Software para agendamento e controle de consultas e cadastros de pacientes. Oferece ainda, geração de etiquetas, modelos de correspondência e de cartões. Quando

Leia mais

Manual de Instalação ProJuris8

Manual de Instalação ProJuris8 Manual de Instalação ProJuris8 Sumário 1 - Requisitos para a Instalação... 3 2 - Instalação do Firebird.... 4 3 - Instalação do Aplicativo ProJuris 8.... 8 4 - Conexão com o banco de dados.... 12 5 - Ativação

Leia mais

MANUAL DE CONFIGURAÇÃO DO BACKUP

MANUAL DE CONFIGURAÇÃO DO BACKUP SISTEMA DE AUTOMAÇÃO COMERCIAL MANUAL DE CONFIGURAÇÃO DO BACKUP Apresentação Após o término da instalação você deverá configurar o Backup para que você tenha sempre uma cópia de segurança dos seus dados

Leia mais

Processos (Threads,Virtualização e Migração de Código)

Processos (Threads,Virtualização e Migração de Código) Processos (Threads,Virtualização e Migração de Código) Roteiro Processos Threads Virtualização Migração de Código O que é um processo?! Processos são programas em execução. Processo Processo Processo tem

Leia mais

Faça um Site PHP 5.2 com MySQL 5.0 Comércio Eletrônico

Faça um Site PHP 5.2 com MySQL 5.0 Comércio Eletrônico Editora Carlos A. J. Oliviero Faça um Site PHP 5.2 com MySQL 5.0 Comércio Eletrônico Orientado por Projeto 1a Edição 2 Reimpressão São Paulo 2011 Érica Ltda. Noções Livrarse Preparação muitas muita Sumário

Leia mais

O sistema que completa sua empresa Roteiro de Instalação (rev. 15.10.09) Página 1

O sistema que completa sua empresa Roteiro de Instalação (rev. 15.10.09) Página 1 Roteiro de Instalação (rev. 15.10.09) Página 1 O objetivo deste roteiro é descrever os passos para a instalação do UNICO. O roteiro poderá ser usado não apenas pelas revendas que apenas estão realizando

Leia mais

WecDB - 1 - WecDB Consulta Web Facilitada ao Banco de Dados

WecDB - 1 - WecDB Consulta Web Facilitada ao Banco de Dados WecDB - 1 - WecDB Consulta Web Facilitada ao Banco de Dados WecDB (Web Easy Consultation Database) é uma ferramenta para criação e disponibilização de consultas à Bancos de Dados na Internet. É composto

Leia mais

Introdução. O que é Serviços de Terminal

Introdução. O que é Serviços de Terminal Introdução Microsoft Terminal Services e Citrix MetaFrame tornaram-se a indústria padrões para fornecer acesso de cliente thin para rede de área local (LAN), com base aplicações. Com o lançamento do MAS

Leia mais

HCN/HCS SERIES CÂMERAS E CONVERSORES IP

HCN/HCS SERIES CÂMERAS E CONVERSORES IP HCN/HCS SERIES CÂMERAS E CONVERSORES IP Obrigado por utilizar os produtos Dimy s. Antes de operar o equipamento, leia atentamente as instruções deste manual para obter um desempenho adequado. Por favor,

Leia mais