PANORAMA DOS MERCADOS Sul-Americanos

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PANORAMA DOS MERCADOS Sul-Americanos"

Transcrição

1 Boletim PANORAMA DOS MERCADOS Sul-Americanos Edição nº 1 Julho/2015 Coordenação Geral de Mercados Americanos/Asiático - CGMA Diretoria de Mercados Internacionais - DMINT

2 Apresentação A série Boletim Panorama dos Mercados Americanos e Asiático, composta pelos Boletins Panorama dos Mercados Sul-Americanos, Panorama dos Mercados Norte-Americanos e Panorama do Mercado Asiático apresenta consolidação das análises de mercado elaboradas pela Coordenação- Geral de Mercados Americanos (CGMA) da Diretoria de Mercados Internacionais (DMINT) da Embratur. Visando a promover a comercialização do Brasil e identificar oportunidades, são elaborados estudos de inteligência de mercado, com base em pesquisa realizada pelos Escritórios Brasileiros de Turismo (EBTs). Para o conteúdo apresentado nesta série de boletins, foi feito levantamento de dados com agências e operadores turísticos distribuídos nos seguintes países: Argentina, Bolívia, Canadá, Chile, Colômbia Equador, Estados Unidos, Japão, México, Paraguai, Peru, Uruguai e Venezuela. Além do resultado dessa pesquisa, apresentamos as percepções sobre a conjuntura do mercado, considerando a atuação in loco da Embratur nos países e seu relacionamento com parceiros do trade local. O documento oferece visão ampla sobre aspectos inerentes ao trabalho de promoção turística, tais como: ações de relacionamento; comercialização por segmentos e nichos; imagem do Brasil e perfil da concorrência. São também apresentadas perspectivas para o Destino Brasil com base nas tendências percebidas nos mercados. Objetiva-se, por meio desse estudo, fornecer informação estratégicas às Diretorias Embratur, bem como às demais entidades de natureza pública e privada do setor turístico, de forma a orientar a tomada de decisão no âmbito de suas atividades. 2

3 Sumário Visão geral Américas 4 Argentina 5 Bolívia 11 Chile 16 Colômbia 21 Equador 26 Paraguai 30 Peru 34 Uruguai 39 Venezuela 44 3

4 Visão geral Américas Participação dos principais países emissivos para o Brasil 4

5 Argentina 1º Ranking de Mercados Prioritários visitantes em 2014 Aumento de 1,9% com relação ao ano de 2013 (Fonte: Anuário Estatístico de Turismo 2015) A Argentina é o país que mais envia turistas ao Brasil representando 27% do total. A desvalorização recente do Real frente ao Dólar alterou a tendência de queda no número de entradas de Argentinos e espera-se que haja crescimento em Quais ações mais eficientes de serem executadas em parceria com o operador? 3% Vitrinagem 41% Treinamento presencial 54% Treinamento online Famtour 2% Na Argentina, as ferramentas consideradas como mais eficientes pelas empresas visitadas são internet, jornal e mídia exterior. 5

6 As ações mais eficientes nas empresas são treinamentos e famtours. A ferramenta feira não foi citada por nenhum operador. O maior interesse das empresas em executar ações em parceria com o Brasil é referente a treinamentos e famtours. Segmentos comercializados pelos operadores 4% 4% Sol e Praia 19% 39% Cultura Ecoturismo e Aventura Esporte MICE 34% A grande maioria das empresas oferta o segmento sol e praia, seguidas por cultura e ecoturismo. Poucas empresas ofertam os segmentos MICE e esporte. Apesar da alta oferta do segmento de Cultura nos catálogos, a demanda por destinos de cultura no Brasil é quase inexistente, a não ser em caso de roteiros integrados com Sol e Praia. Cabe ressaltar que uma empresa pode ofertar mais de um segmento. 6

7 Nichos comercializados pelos operadores 3% 3% 2% 2% 1% 2% Não oferta nicho específico Luxo Lua de Mel Golfe 16% 3% 52% Eventos Intercâmbio Religiosos Melhor idade 11% Incentivo 5% Patrimônio LGBT A maioria das empresas não trabalha com nenhum nicho. Os nichos detectados foram luxo, lua de mel, golfe, eventos, intercâmbio, religioso, melhor idade, incentivo, patrimônio, LGBT. Os nichos mais citados foram eventos e lua de mel. Tendências locais Preferência dos argentinos por destinos de sol e praia; Menor antecipação na aquisição de viagens pelo consumidor; Crise econômica e baixo crescimento das viagens ao Brasil em 2014 atenuado pela Copa do Mundo, com tendência de recuperação em 2015 graças à desvalorização do Real frente ao Dólar; Aumento das viagens adquiridas diretamente pelo consumidor, sem utilizar o mercado de agências e operadores; Redução significativa das viagens dos clientes que não pertencem à classe alta; Crescimento no mercado da demanda por hotéis que oferecem regime all inclusive; Enfraquecimento gradativo no mercado da percepção de que o Brasil é um destino caro; Crescimento da demanda por roteiros econômicos e de curta duração; 7

8 Aumento da malha aérea para o Brasil, com novos voos diretos a partir de Buenos Aires, Córdoba, Rosário e Mendoza; Aumento da visibilidade do Brasil após a Copa do Mundo e com a proximidade dos Jogos Olímpicos; Limitação à operação de voos charters para o Brasil, reduzindo a oferta de assentos para alguns destinos nacionais; Aumento da importância do deslocamento terrestre no emissivo da Argentina ao Brasil. O fluxo rodoviário representa 51,21% do emissivo para o Brasil, apresentando leve tendência de alta em relação ao ano anterior. Percepção do destino Brasil Destino caro (altos preços da hotelaria e dos voos); Caribe é um destino com melhor custo-benefício que o Brasil; Grande conhecimento do destino pelos operadores; País visto quase exclusivamente como um destino Sol e Praia; Destinos brasileiros de ecoturismo e cultura são muito pouco difundidos Destaque para o aumento da malha aérea no interior da Argentina para o Brasil criando oportunidade de divulgação do país em grandes centros urbanos Córdoba e Rosário. Quais são as ações promocionais mais eficientes no país? 5% 12% Rádio 14% TV Revista 27% Jornal 23% Mídia Exterior Internet 19% 8

9 Principais destinos concorrentes do Brasil, 1% 1% 3% 2% 4% EUA 1% 1% Aruba 3% 21% Equador Uruguai Chile 17% Caribe Cuba 12% México Colômbia 4% Peru 10% 20% Venezuela República Dominicana Os países concorrentes têm aumentado significativamente a presença na Argentina. Todos os concorrentes tiveram aumento do fluxo de argentinos nos últimos anos, e por isso vem investindo cada vez mais neste mercado. Os concorrentes adotam na Argentina estratégias convencionais, como campanhas publicitárias, capacitações, famtours, presstrips e participações em eventos para promoção do destino. Os eventos em que alguns dos concorrentes participam anualmente são a FIT (Buenos Aires), Travel Mart (Salta), Workshop ARAV (Rosário), Workshop ACAV (Córdoba) e Workshop AAVyT (Mendoza). A estratégia de firmar planos de marketing cofinanciados com os operadores do mercado vem sendo fundamental para o avanço dos concorrentes no mercado, e já envolve grande número de operadores. 9

10 Desafios para o mercado argentino Alto preço da hotelaria brasileira; Poucos vôos diretos ao Nordeste Brasileiro; Desconhecimento do mercado quanto aos destinos; brasileiros dos segmentos cultural e ecoturismo; Alto custo dos voos ao Brasil; Baixo número de hotéis com regime all inclusive. Destaque para ausência de publicidade no mercado Argentino nos últimos três anos que acabou abrindo espaço para ação da concorrência, principalmente para os países do Caribe. 10

11 Bolívia 16º Ranking de Mercados Prioritários (Argentina, EUA, Chile, Paraguai, França, Alemanha, Itália, Uruguai, Inglaterra, Portugal, Espanha, Colômbia, Peru, México, Bolívia) visitantes em 2014 (Fonte: Anuário Estatístico de Turismo 2015) Quais ações mais eficientes de serem executadas em parceria com o operador? 42% 33% 8% Treinamento presencial Treinamento online Vitrinagem Famtour 17% Ações mais eficientes com os operadores e que estes têm maior interesse em receber são: Famtour e treinamento presencial. É interessante que as capacitações sejam feitas em ciclos para melhor compreensão, ou seja, dividir as capacitações por estados ou regiões ou destinos, ao invés de fazer uma capacitação do Brasil como um todo. 11

12 Segmentos comercializados pelos operadores 27% Sol e praia 55% Cultura 18% Ecoturismo e Aventura Dos segmentos ofertados, o mais procurado é o de Sol e Praia, que vem seguido por Ecoturismo e Aventura e existe um interesse pelo segmento de Cultura; O clima de sol todo o ano; as praias paradisíacas e natureza inigualável; e a culinária saborosa e diversificada são atrativos nesse mercado. Nichos comercializados pelos operadores 100% Não oferta nicho específico Não existe um nicho específico explorado pelo mercado; Porém, eventos esportivos e musicais são fortes porque o país não recebe eventos desses tipos e os turistas aproveitam esses eventos para conhecer os destinos. 12

13 Tendências locais Sol e Praia é o segmento de maior interesse dos bolivianos; A procura por turismo para lua de mel e náutico (com ofertas de cruzeiros) está crescendo; A imagem do Brasil está posicionada em destaque em mais da metade dos sites/catálogos on-line das operadoras de emissivo boliviano; Mercado emissivo em crescimento taxa de crescimento em viagens internacionais na ordem de 14,3%; O mercado boliviano desloca-se de maneira bastante equilibrada durante todo o ano e o interesse pelo segmento de Sol e Praia é marcante assim como o segmento Cultura e Ecoturismo, entretanto, esses dois últimos podem ter suas ofertas mais intensificadas no mercado. Percepção do destino Brasil Destino caro; Não oferece tarifas competitivas; Hotelaria cara e sem muitos benefícios, como o sistema all inclusive; O Brasil está ausente no mercado, sem presença perceptível junto ao trade local; Conectividade aérea limitada (o Nordeste tem grande potencial no mercado, porém, pode demorar por volta de 8 horas para chegar ao destino); Povo amigável, culinária saborosa e diversificada, praias e natureza exuberantes. 13

14 Quais ações mais eficientes de serem executadas no país? 5% 5% Rádio TV 25% 25% Revista Jornal Midia exterior 15% 20% 5% Interntet Feira Ações de promoção mais eficientes no país para o público final são: Internet, televisão, jornal e mídia exterior; Vale ressaltar que fazer uma ação mais intensa e constante com o público final, além do trade, gerará bons resultados, pois muitos já chegam com o destino definido. Principais destinos concorrentes do Brasil, 18% 23% EUA Cuba México 5% Colômbia 4% Chile 23% 9% Europa República Dominicana 5% 4% 9% Caribe Argentina Os principais países concorrentes no mercado são: Estados Unidos, Republica Dominicana e Argentina. Os destinos concorrentes trabalham no mercado com ações publicitárias constantes e em diversos meios de comunicação; Trabalham em parceria com os principais atores do mercado, além de ações de incentivo para o trade local (premiações em dinheiro ou bônus em viagens); 14

15 Caravanas constantes facilitando as negociações entre os empresários; Presença nos Outlets, eventos onde os destinos participam juntos com os operadores e hotéis, e são oferecidas tarifas com preços mais baixos ao público final. Desafios para o mercado boliviano O Comitê Descubra Brasil está desmotivado; Redução de orçamento do CDB/Bolívia para a promoção; Brasil é um destino caro comparado aos concorrentes alto custo dos pacotes e oferece pouco o sistema all inclusive; Conectividade aérea demorada, dependendo do destino leva-se mais de 8 horas; Falta de conhecimento dos operadores, só conhecem os principais destinos; Pouca presença do Brasil no mercado e presença expressiva dos concorrentes. 15

16 Chile 3º Ranking de Mercados Prioritários (Argentina, EUA) visitantes em 2014 Aumento de 25,63% com relação ao ano de 2013 (Fonte: Anuário Estatístico de Turismo 2015) Quais ações mais eficientes de serem executadas em parceria com o operador? 36% Treinamento presencial 64% Famtour No Chile, as ferramentas consideradas como mais eficientes pelas empresas visitadas são jornal, TV, internet e mídia exterior. As ações mais eficientes nas empresas são treinamentos e famtours. O maior interesse das empresas em executar ações em parceria com o Brasil é referente a treinamentos. 16

17 Segmentos comercializados pelos operadores 6% 5% 32% Sol e Praia Cultura 25% Ecoturismo e Aventura Esporte MICE 32% A grande maioria das empresas oferta o segmento sol e praia e cultura, que foram os mais citados. Boa parte oferta ainda ecoturismo. Poucas empresas ofertam os segmentos MICE e esporte. Cabe ressaltar que uma empresa pode ofertar mais de um segmento. Nichos comercializados pelos operadores 3% 10% Não oferta nicho específico Luxo 7% 35% Lua de Mel 14% LGBT Melhor Idade 24% 7% Intercâmbio Eventos 17

18 A maioria das empresas não trabalha com nenhum nicho. Os nichos detectados foram luxo, lua de mel, LGBT, melhor idade, intercâmbio, eventos. O nicho mais citado foi lua de mel, seguido de LGBT, eventos e luxo. Tendências locais Leve desaceleração da economia e redução do fluxo de viagens ao exterior; Preferência do mercado por hotéis que oferecem regime all inclusive; Cristalização no mercado da percepção de que o Brasil é um destino caro; Concentração do público chileno que viaja ao exterior nas grades cidades, especialmente Santiago; Consolidação do Brasil como destino preferencial do público jovem chileno; Redução no fluxo de chilenos para o Brasil no último ano, no que se refere às vendas pelo mercado de agências e operadoras; Eliminação do intermediário e aquisição direta das viagens pelo consumidor chileno; Entrada de novos concorrentes do Brasil no mercado; Investimento alto da concorrência em planos de marketing cofinanciados com as operadoras, visando aumentar sua participação no mercado; Manutenção da malha aérea para o Brasil, com tendência de redução, apesar da maior competitividade com a entrada da GOL e Sky no mercado; Aumento da visibilidade do país após a Copa do Mundo, e com a proximidade dos Jogos Olímpicos; Aumento da demanda por capacitações, famtours e material promocional do Brasil pelo mercado; Fortalecimento do Nordeste enquanto principal destino brasileiro em condições de competir com o Caribe. 18

19 Percepção do destino Brasil Destino Brasil já consolidado no mercado e bastante ofertado pelos operadores e agências Pacotes para o Brasil são considerados caros pois não incluem aéreo e all inclusive nos hotéis, opções geralmente ofertadas nos pacotes do Caribe Nordeste é considerado principal destino com chance de competir com o Caribe Malha aérea reduzida dificulta o acesso aos principais pontos turísticos brasileiros (com exceção do Rio de Janeiro) O Brasil é um destino que está em decadência no mercado do ponto de vista da Demanda que pode ser explicado, entre outros motivos, pelo avanço da concorrência no mercado. Quais ações mais eficientes de serem executadas no país? 20% 25% TV Revista 13% 9% Jornal Mídia Exterior Internet 33% 19

20 Principais destinos concorrentes do Brasil, 8% 2% 2% 13% EUA Cuba México 23% Colômbia 23% Peru Jamaica 6% 9% 14% República Dominicana Aruba Argentina Os concorrentes mais citados no mercado chileno foram México (15 vezes), República Dominicana (15), Colômbia (9), Cuba (8), Peru (6), Aruba (5), Jamaica (4), EUA (1), Argentina (1). Desafios para o mercado chileno Alto preço da hotelaria brasileira e baixo número de estabelecimentos com regime All Inclusive Inexistência de uma companhia aérea brasileira ( empresa de bandeira ) realmente comprometida com o desenvolvimento do emissivo ao Brasil Quase inexistência de voos diretos ao Nordeste Brasileiro (o que mudará caso o Hub da LATAM for confirmado) Desconhecimento do mercado quanto aos destinos brasileiros dos segmentos cultural e ecoturismo Atuação desordenada e pouco efetiva dos estados brasileiros no mercado 20

21 Colômbia 12º Ranking de Mercados Prioritários (Argentina, EUA, Chile, Paraguai, França, Alemanha, Itália, Uruguai, Inglaterra, Portugal e Espanha) visitantes em 2014 Aumento de 36,43% com relação ao ano de 2013 (Fonte: Anuário Estatístico de Turismo 2015) Quais ações mais eficientes de serem executadas em parceria com o operador? 33% 26% Treinamento presencial Treinamento online Vitrinagem 22% Famtour 19% Ações de promoção mais eficientes no país para o público final são: televisão, jornal e revista; Ações mais eficientes com os operadores são: famtour, treinamento presencial e vitrinagem; E as ações que estes têm maior interesse em receber são: famtour e treinamento presencial. É interessante que as capacitações sejam feitas em ciclos para melhor compreensão, ou seja, dividir as capacitações por estados ou regiões ou destinos, ao invés de fazer uma capacitação do Brasil como um todo. 21

22 Segmentos comercializados pelos operadores 12% 24% Sol e Praia 16% Cultura Ecoturismo e Aventura Esporte 24% 24% MICE Dos segmentos ofertados Sol e Praia, Ecoturismo e Aventura e Cultura têm a procura na mesma proporção, seguidos por Esporte e MICE; Os turistas colombianos buscam, também, agregar às suas viagens vida noturna agitada, compras (são consumistas) e cultura. Nichos comercializados pelos operadores 7% 7% 7% 7% Não oferta nicho específico Golfe Gastronomia Incenvitos 6% 60% Luxo 6% Melhor Idade Intercâmbio Não há destaque para nenhum nicho, porém, gastronomia e golfe são bem ofertados. Além de que as viagens de incentivo têm se mostrado uma grande tendência neste mercado. 22

23 Tendências locais Colômbia ocupa o terceiro lugar entre os países da América do Sul de mercados emissores para viagens ao exterior; Sol e Praia, Cultura e Eventos são os segmentos de maior interesse dos colombianos; Mercado emissivo em crescimento taxa de crescimento em viagens internacionais na ordem de 14,3%; Potencial para aumento da permanência no Brasil; O mercado colombiano desloca-se de maneira bastante equilibrada durante todo o ano e o interesse pelo segmento de sol e praia é marcante, entretanto, a oferta por outros segmentos ocorre de forma mais intensa e não apenas complementar ao segmento de sol e praia. Percepção do destino Brasil Destino caro; Não oferece tarifas competitivas; Hotelaria cara e sem muitos benefícios, como o sistema all inclusive; O Brasil está ausente no mercado, sem presença perceptível junto ao trade local; Conectividade aérea limitada (o Nordeste tem grande potencial no mercado, porém, pode demorar por volta de 8 horas para chegar ao destino). Contudo, com a Copa do Mundo 2014, o mercado colombiano percebeu que o Brasil é mais do que os destinos consolidados; Povo amigável, culinária saborosa e diversificada, praias e natureza exuberantes. 23

24 Quais ações mais eficientes de serem executadas no país? 8% 3% 6% Rádio 11% 23% TV Revista Jornal 26% 23% Mídia Exterior Internet Feira As ações de promoção mais eficientes para o público final no país são: Jornal, revista e televisão. Vale ressaltar que fazer uma ação mais intensa e constante com o público final, além do trade, gerará bons resultados, pois muitos já chegam com o destino definido. Principais destinos concorrentes do Brasil, 17% EUA 27% Panamá 20% 6% México Peru República Domincana 17% 13% Argentina Os principais países concorrentes no mercado são: Estados Unidos, Republica Dominicana, Peru, Argentina e México. Trabalham em parceria com os principais atores do mercado, além de ações de incentivo para o trade local (premiações em dinheiro ou bônus em viagens); Caravanas constantes facilitando as negociações entre os empresários; 24

25 Desafios para o mercado colombiano Comitê Descubra Brasil na Colômbia está desarticulado; Redução no orçamento do CDB/Colômbia para promoção; Brasil é um destino caro, com alto custo dos pacotes e tem pouca oferta do sistema all inclusive; Falta de conhecimento dos destinos brasileiros; Pouca presença no mercado enquanto os concorrentes têm presença expressiva. 25

26 Equador 25º Ranking de Mercados Prioritários (Argentina, EUA, Chile, Paraguai, França, Alemanha, Itália, Uruguai, Inglaterra, Portugal e Espanha, Colômbia, Peru, México, Venezuela, Bolívia, Japão, Holanda, Suiça, Canadá, Austrália, China, Coreia do Sul, Israel) visitantes em 2014 Aumento de 44,42% com relação ao ano de 2013 (Fonte: Anuário Estatístico de Turismo 2015) Quais ações mais eficientes de serem executadas em parceria com o operador? 33% Treinamento presencial 56% Treinamento online Famtour 11% Ações mais eficientes com os operadores: Famtour e feira de turismo; As ações que os operadores têm mais interesse em receber são: treinamento presencial; Interessante observar que as capacitações sejam feitas em ciclos para melhor compreensão, ou seja, dividir as capacitações por estados ou regiões ou destinos, ao invés de fazer uma capacitação do Brasil como um todo; 26

27 Este mercado apresenta uma característica diferente, quando as operadoras não acham relevante investir em capacitação doas agentes de viagem, uma vez que há uma grande rotatividade de funcionários e que eles não influenciam na decisão final do turista. Segmentos comercializados pelos operadores 22% 18% Sol e Praia Cultura 19% 22% Ecoturismo e Aventura Esporte 19% MICE Dos segmentos ofertados, o mais procurado é Cultura e MICE, que vem seguido por Sol e Praia, Ecoturismo e Aventura e Esporte; Há dois perfis do turista equatoriano: os que são da Serra que preferem Sol e Praia aliado à cultura; e os que são da Costa que preferem Sol e Praia aliado às compras; Os turistas equatorianos são muito consumistas. Nichos comercializados pelos operadores 14% 14% Não oferta nicho específico Turismo Acessível 72% Eventos 27

28 Não há destaque para nenhum nicho; porém, há a necessidade de ampliar o conhecimento do trade quanto aos nichos e outros segmentos, além de Sol e Praia, que o Brasil pode oferecer e que interessa aos equatorianos Tendências locais Sol e Praia é o segmento de maior interesse dos equatorianos; Mercado emissivo em crescimento; Potencial para aumento da permanência no Brasil; Público que alia o segmento Sol e Praia com compras e/ou cultura. Percepção do destino Brasil Destino caro; A conectividade aérea não é boa e as tarifas são caras; Hotelaria cara e não oferece muitos benefícios; Não há tarifas promocionais; Ausência no mercado; Não há parceria co-financiadas entre operadoras e linhas aéreas; Falta publicidade para o público final; O Brasil tem muito mais a oferecer do que o trade conhece; Povo amigável, culinária saborosa e diversificada, praias e natureza exuberantes. Quais ações mais eficientes de serem executadas no país? 8% 17% 17% Rádio TV 17% 41% Revista Jornal Feira 28

29 As ações de promoção mais eficientes no país são: Televisão, rádio, jornal e revista; Vale ressaltar que ações promocionais focadas no público final trarão bons resultados. Principais destinos concorrentes do Brasil, 13% 16% EUA Panamá 13% 10% 3% 3% 16% Europa México Colômbia Peru Uruguai 3% 10% 13% República Dominicana Caribe Argentina Os principais países concorrentes no mercado são: Estados Unidos, México, Colômbia, Caribe, Argentina, Peru e República Dominicana; Os destinos concorrentes estão presentes no mercado com ações constantes para o trade e para o público final; Caravanas constantes facilitando as negociações entre os empresários. Desafios para o mercado equatoriano Comitê Descubra Brasil no Equador está desarticulado; Redução no orçamento do CDB/Equador para promoção, o que gera limitação nos recursos para campanhas publicitárias e ações cooperadas com operadoras; Brasil é um destino caro e pouco conhecido; Quase não existe oferta de sistema All Inclusive no Brasil e quando existe é bem inferior comparado aos concorrentes; Presença expressiva de destinos concorrentes. 29

30 Paraguai 4º Ranking de Mercados Prioritários (Argentina, EUA, Chile) visitantes em 2014 Aumento de 9,26% com relação ao ano de 2013 (Fonte: Anuário Estatístico de Turismo 2015) Quais ações mais eficientes de serem executadas em parceria com o operador? 7% Treinamento presencial 46% Famtour 47% Vitrinagem Ações mais eficientes com os operadores: Famtour, treinamento presencial e vitrinagem; As ações que os operadores têm mais interesse em receber são: treinamento presencial e famtour; Vale ressaltar que é interessante que as capacitações sejam feitas em ciclos, sendo divididas por região, destino ou estados, ao invés de ser o Brasil todo, para que possa ser melhor compreendido. 30

31 Segmentos comercializados pelos operadores 7% Sol e Praia 46% Cultura 47% Ecoturismo e Aventura Dos segmentos ofertados, os mais procurados é o de Sol e Praia, por não ser um país litorâneo, e Cultura, por buscarem destinos que agreguem conhecimento e experiência; Além de uma pequena porção de Ecoturismo e Aventura. Nichos comercializados pelos operadores 100% Não oferta nicho específico Não existe um nicho específico explorado pelo mercado; porém, é tendência no mercado eventos esportivos, como futebol, e eventos musicais, pois não recebem muitas apresentações no país. 31

32 Tendências locais Sol e Praia é o segmento de maior interesse dos paraguaios; Mercado emissivo em crescimento; Potencial para aumento da permanência no Brasil; Buscam eventos esportivos e musicais; Buscam experiência e conhecimento ao escolher o destino. Percepção do destino Brasil Destino caro; Conectividade aérea demorada; O Brasil tem muito a oferecer, mas há pouco conhecimento da diversidade dos destinos, produtos e segmentos; Presença tímida no mercado; Hotelaria cara e não oferece muitos benefícios; Falta publicidade para o público final; Povo amigável, culinária saborosa e diversificada, praias e natureza exuberantes. Quais ações mais eficientes de serem executadas no país? 9% 9% 9% 14% Rádio TV Revista 18% 14% Jornal Mídia Exterior Internet 27% Feira As ações de promoção mais eficientes para o público fina no país são: Jornal, revista, televisão e rádio; É relevante ampliar as ações publicitárias para o público final. 32

33 Principais destinos concorrentes do Brasil, 21% 4% 4% EUA Cuba 25% México Colômbia Panamá 9% Aruba 8% República Dominicana 4% 8% 17% Uruguai Argentina Os principais países concorrentes no mercado são: Estados Unidos, Republica Dominicana e México; Os concorrentes oferecem pacotes melhor elaborados, incluindo passagem aérea, o que ganha no fator preço final e o Brasil acaba perdendo público; Os concorrentes estão presentes o ano inteiro com ações para o trade e público final; Além de oferecerem caravanas, facilitando as negociações entre os empresários. Desafios para o mercado paraguaio Comitê Descubra Brasil no Paraguai está desmotivado; Redução no orçamento do CDB/Paraguai, o que gera limitação nos recursos financeiros para investir em campanhas publicitárias e ações cooperadas com operadora; Brasil é um destino caro. 33

34 Peru 13º Ranking de Mercados Prioritários (Argentina, EUA, Chile, Paraguai, França, Alemanha, Itália, Uruguai, Inglaterra, Portugal, Espanha, Colômbia) visitantes em 2014 Aumento de 18,89% com relação ao ano de 2013 (Fonte: Anuário Estatístico de Turismo 2015) Quais ações mais eficientes de serem executadas em parceria com o operador? 26% Treinamento presencial 41% Treinamento online 5% Workshop Famtour 28% Ações mais eficientes com os operadores: Famtour e treinamento presencial. As ações que os operadores têm mais interesse em receber são: treinamento presencial e vitrinagem. 34

35 Segmentos comercializados pelos operadores 15% 24% Sol e Praia Cultura 16% Ecoturismo e Aventura Esporte 23% MICE 22% Dos segmentos ofertados, o mais procurado é o de Sol e Praia e Cultura, seguidos por Ecoturismo e Aventura, Esporte e MICE; O segmento Cultura vem crescendo, pois gostam de aliar lazer, experiência e compras. Nichos comercializados pelos operadores 20% Não oferta nicho específico Eventos 20% 60% Incentivos Não existe um nicho específico explorado pelo mercado; Porém, estão em crescimento os nichos de incentivo, gastronomia e eventos, além dos eventos esportivos; Também está aumentando a procura por lua de mel, parques de diversões e viagens de 15 anos. 35

36 Tendências locais Com a economia melhorando, os peruanos estão mais consumistas; O mercado emissivo também está em crescimento; Ação publicitária na mídia influencia o hábito do peruano; Potencial para aumento da permanência no Brasil; Inclusão de novos destinos da região nordeste; Destinos que se mostram presente em mídias e meios de comunicação de forma constante e positiva gera mudança de hábito do consumidor no mercado peruano; Desvalorização da moeda brasileira dando maior poder de compra aos peruanos. Percepção do destino Brasil Destino caro; Não oferece tarifas competitivas; Não realiza ações publicitárias que despertem o desejo de viajar ao destino; O Brasil está ausente no mercado, sem presença perceptível junto ao trade local; A hotelaria brasileira é cara e não oferece tantos benefícios se comparado a um hotel com tudo incluído no Caribe; Conectividade aérea com poucas opções; Povo amigável, culinária saborosa e diversificada, praias e natureza exuberantes. 36

37 Quais ações mais eficientes de serem executadas no país? 5% 5% 7% Rádio TV Revista 40% Jornal 37% Mídia Exterior Internet 3%3% Feira As ações de promoção mais eficientes para público final no país são: Internet e revista; Vale ressaltar que é relevante ações constantes para o público final. Principais destinos concorrentes do Brasil, 16% 4% 9% 5% EUA 1%4% Equador Panamá 11% Cuba México Colômbia 7% 3% 20% Europa Caribe República Dominicana Chile 20% Argentina Os principais países concorrentes no mercado são: México, Colômbia, República Dominicana, Cuba e Argentina; Como as passagens não estão incluídas no pacote, isso aumenta ainda mais o preço final. Os concorrentes têm ofertado pacotes fechados com tudo incluso; É relevante que sejam feitas ações para despertar o interesse em viajar para o Brasil. 37

38 Desafios para o mercado peruano Redução no orçamento do CDB/Peru; o que gera limitação nos recursos para investir em campanhas publicitárias e ações cooperadas com operadoras; Brasil é um destino caro; Quase não existe oferta de sistema All inclusive no Brasil e quando existe é inferior comparado aos concorrentes; Alto custo dos pacotes para o Brasil; Presença expressiva de destinos concorrentes, principalmente o Caribe. 38

39 Uruguai 8º Ranking de Mercados Prioritários (Argentina, EUA, Chile, Paraguai, França, Alemanha e Itália) visitantes em 2014 (Fonte: Anuário Estatístico de Turismo 2015) Quais ações mais eficientes de serem executadas em parceria com o operador? 29% Treinamento Presencial Famtour 71% No Uruguai, as ferramentas consideradas como mais eficientes pelas empresas visitadas são jornal, internet, TV e revista. As ações mais eficientes nas empresas são treinamentos e famtours. O maior interesse das empresas em executar ações em parceria com o Brasil é referente a treinamentos e famtours. 39

40 Segmentos comercializados pelos operadores 6% 7% 31% Sol e Praia Cultura 27% Ecoturismo e Aventura Esporte MICE 29% A grande maioria das empresas oferta o segmento sol e praia, seguidas por cultura e ecoturismo. Poucas empresas ofertam os segmentos MICE e esporte. Cabe ressaltar que uma empresa pode ofertar mais de um segmento. Nichos comercializados pelos operadores 6% 6% Não oferta nicho específico 17% Luxo Lua de Mel 6% 65% Melhor Idade Saúde A maioria das empresas não trabalha com nenhum nicho. Os nichos detectados foram luxo, lua de mel, melhor idade, saúde. O nicho mais citado foi lua de mel. 40

41 Tendências locais O crescimento econômico do país e o aumento do fluxo e dos gastos de viajantes ao exterior; O aumento da participação do segmento MICE no total do emissivo uruguaio; Aumento da importância do segmento cultural no mercado emissivo uruguaio; A eliminação do intermediário no mercado, com aumento da compra direta das viagens pelos consumidores uruguaios; A concentração das viagens ao exterior no público das grandes cidades uruguaias, especialmente Montevidéu; Crescimento no mercado da demanda por hotéis que oferecem regime all inclusive; Aumento do fluxo de turistas uruguaios ao Brasil; Entrada de novos concorrentes do Brasil no Uruguai e investimento crescente da concorrência em ações que visam aumentar sua participação no mercado; Aumento da malha aérea para o Brasil; Aumento da visibilidade do Brasil após a Copa do Mundo e com a proximidade dos Jogos Olímpicos; Aumento da demanda no mercado de cruzeiros para o Brasil. Aumento da importância do deslocamento terrestre no emissivo do Uruguai ao Brasil. O fluxo rodoviário representa 64,47% do emissivo para o Brasil, apresentando leve tendência de alta em relação ao ano anterior. Percepção do destino Brasil Destino Brasil consolidado no mercado com grande oferta de pacotes turísticos, sobretudo do segmento Sol e Praia País deixou de ser um destino caro graças à desvalorização do Real frente ao Dólar Pouco conhecimento dos destinos brasileiros de Cultura e Ecoturismo Os serviços dos receptivos brasileiros são muito bem avaliados Malha aérea restrita 41

42 Quais ações mais eficientes de serem executadas no país? 20% 3% 6% 18% Rádio TV Revista 9% 15% Jornal Mídia Exterior Internet 29% Feira Principais destinos concorrentes do Brasil, 3% 3% 2% EUA 15% Cuba 28% México Colômbia Europa 8% 2% 12% 27% Venezuela República Dominicana Porto Rico Argentina Os concorrentes mais citados no mercado uruguaio foram México (11 vezes), República Dominicana (11), Cuba (6), Colômbia (5), Venezuela (3). Europa, EUA, Argentina e Porto Rico foram citados uma vez cada. 42

43 Desafios para o mercado uruguaio Alto preço da hotelaria brasileira e baixo número de estabelecimentos em regime de all inclusive Inexistência de voos diretos ao Nordeste brasileiro Estratégia de marketing da concorrência é agressiva junto ao mercado de operadores e agências, oferecendo benefícios financeiros às empresas e profissionais que venderem os destinos Investimento das cadeias hoteleiros do Caribe em planos de marketing cofinanciado direto com operadores Realização de ações que fomentem o turismo rodoviário já que este é o principal meio de entrada no Brasil 43

44 Venezuela 15º Ranking de Mercados Prioritários (Argentina, EUA, Chile, Paraguai, França, Alemanha, Itália, Uruguai, Inglaterra, Portugal, Espanha, Colômbia, Peru e México) visitantes em 2014 Aumento de 58,35% com relação ao ano de 2013 (Fonte: Anuário Estatístico de Turismo 2015) Quais ações mais eficientes de serem executadas em parceria com o operador? 25% Treinamento Presencial 50% Treinamento Online Famtour 25% Ações mais eficientes com os operadores: famtour, treinamento presencial e online; As ações que os operadores têm mais interesse em receber são: treinamento presencial e famtour. 44

45 Segmentos comercializados pelos operadores 36% 37% Sol e Praia Cultura Ecoturismo e Aventura 27% Dos segmentos ofertados, o mais procurado é o de Sol e Praia, que vem seguido por Ecoturismo e Aventura e Cultura; O venezuelano busca aliar Sol e Praia com Cultura; O segmento MICE está estagnado por causa da crise no país, porém, já foi potencial, principalmente para o Brasil, que possuía muitas empresas no país. Nichos comercializados pelos operadores 25% 25% Não oferta nicho específico Turismo Sustentável Corporativo 25% 25% Turismo Exclusivo A maioria das empresas não trabalha com nenhum nicho específico; Porém, destacam-se os nichos luxo, lua de mel, melhor idade e saúde; Além de gastronomia e compras. 45

46 Tendências locais Sol e Praia é o segmento de maior interesse dos venezuelanos; Cota de compra de dólares é maior para o Brasil (com a crise no país, o turista tem uma cota para comprar dólares ao viajar para o exterior); Faz fronteira com o Brasil, tendo acesso rodoviário; Potencial para aumento a permanência no Brasil. Percepção do destino Brasil Destino caro; A conectividade aérea não é boa e as tarifas são caras; Hotelaria cara e não oferece muitos benefícios; Não há tarifas promocionais; Ausência no mercado; O Brasil tem muito mais a oferecer do que o trade conhece; Povo amigável, culinária saborosa e diversificada, praias e natureza exuberantes. Quais ações mais eficientes de serem executadas no país? 17% 17% Rádio TV 8% Jornal 17% 25% Mídia Exterior Internet Vitrinagem 8% 8% Feira As ações de promoção mais eficientes para o público final no país são: Televisão, feira, internet e rádio. 46

47 Principais destinos concorrentes do Brasil, 8% 8% 17% EUA Bolívia 17% 9% 9% Equador Panamá Colômbia Peru Venezuela 8% 8% 8% 8% Caribe Costa Rica Argentina Os principais destinos concorrentes no mercado são: Estados Unidos e Republica Dominicana; Apesar da crise no país, os concorrentes não deixaram de promover seus destinos, realizando ações com o trade e público final; Desafios para o mercado venezuelano Comitê está desarticulado e desmotivado; Redução no orçamento do CDB/Venezuela; o que gera limitação dos recursos financeiros para campanhas publicitárias com operadora; Brasil é um destino caro; Quase não existe oferta de sistema All inclusive no Brasil e quando existe é inferior comparado aos concorrentes; Além do Alto custo dos pacotes para o Brasil; Crise no transporte aéreo, muitas companhias deixaram de voar para a Venezuela devido à falta de pagamento das divisas. 47

PANORAMA DO MERCADO Asiático

PANORAMA DO MERCADO Asiático Boletim PANORAMA DO MERCADO Asiático Edição nº 1 Julho/2015 Coordenação Geral de Mercados Americanos/Asiático - CGMA Diretoria de Mercados Internacionais - DMINT Apresentação A série Boletim Panorama dos

Leia mais

PANORAMA DOS MERCADOS Americanos e Asiático

PANORAMA DOS MERCADOS Americanos e Asiático Boletim PANORAMA DOS MERCADOS Americanos e Asiático Edição nº 1 Julho/2015 Coordenação Geral de Mercados Americanos/Asiático - CGMA Diretoria de Mercados Internacionais - DMINT Apresentação O boletim Panorama

Leia mais

PANORAMA DOS MERCADOS Norte - Americanos

PANORAMA DOS MERCADOS Norte - Americanos Boletim PANORAMA DOS MERCADOS Norte - Americanos Edição nº 1 Julho/2015 Coordenação Geral de Mercados Americanos/Asiático - CGMA Diretoria de Mercados Internacionais - DMINT Apresentação A série Boletim

Leia mais

Valorização e Globalização da Marca Brasil Plano Aquarela, Megaeventos e Marketing Turístico Internacional

Valorização e Globalização da Marca Brasil Plano Aquarela, Megaeventos e Marketing Turístico Internacional Valorização e Globalização da Marca Brasil Plano Aquarela, Megaeventos e Marketing Turístico Internacional Tribunal de Contas da União, 17 de agosto de 2011 Plano Aquarela Desde 2005 é a base metodológica

Leia mais

Indicador(es) Órgão(s) 54 - Ministério do Turismo

Indicador(es) Órgão(s) 54 - Ministério do Turismo Programa 1163 Brasil: Destino Turístico Internacional Objetivo Aumentar o fluxo de turistas estrangeiros no País Justificativa Devemos criar uma estratégia bem estruturada de inserção internacional do

Leia mais

Plano Aquarela 2020. Promoção Internacional do Turismo do Brasil Estratégia e Plano de Ação 2012. Porto Alegre, 28 de maio de 2012

Plano Aquarela 2020. Promoção Internacional do Turismo do Brasil Estratégia e Plano de Ação 2012. Porto Alegre, 28 de maio de 2012 Plano Aquarela 2020 Promoção Internacional do Turismo do Brasil Estratégia e Plano de Ação 2012 Porto Alegre, 28 de maio de 2012 EMBRATUR - Estrutura Organizacional Presidência Diretoria de Mercados Internacionais

Leia mais

Distribuição Geográfica dos Pontos de Coleta de Dados

Distribuição Geográfica dos Pontos de Coleta de Dados Distribuição Geográfica dos Pontos de Coleta de Dados Nº de Entrevistados da Pesquisa: 39.000 pessoas Nº de locais das entrevistas: 27 15 em aeroportos internacionais, que representam 99% do fluxo internacional

Leia mais

Ingressos de Turistas Internacionais no RS por via de acesso

Ingressos de Turistas Internacionais no RS por via de acesso Anuário Estatístico de Turismo 2015 ano base 2014* *Publicado em 08/07/2015, pelo Ministério do Turismo. A publicação apresenta uma compilação de informações anuais relativas ao comportamento de diversos

Leia mais

Raquel Furtado! fundadora e diretora chefe! contato@vamospraonde.com! www.vamospraonde.com MIDIA KIT 2014

Raquel Furtado! fundadora e diretora chefe! contato@vamospraonde.com! www.vamospraonde.com MIDIA KIT 2014 Raquel Furtado fundadora e diretora chefe contato@vamospraonde.com www.vamospraonde.com MIDIA KIT 2014 O que é o VAMOS PRA ONDE? O VamosPraOnde é um hub* de informação sobre turismo referência no Brasil.

Leia mais

POLÍTICA FISCAL E DÍVIDA PÚBLICA O difícil caminho até o Grau de Investimento Jedson César de Oliveira * Guilherme R. S.

POLÍTICA FISCAL E DÍVIDA PÚBLICA O difícil caminho até o Grau de Investimento Jedson César de Oliveira * Guilherme R. S. POLÍTICA FISCAL E DÍVIDA PÚBLICA O difícil caminho até o Grau de Investimento Jedson César de Oliveira * Guilherme R. S. Souza e Silva ** Nos últimos anos, tem crescido a expectativa em torno de uma possível

Leia mais

FLUXO TURÍSTICO INTERNACIONAL PARA O RS: A EVOLUÇÃO NA ÚLTIMA DÉCADA

FLUXO TURÍSTICO INTERNACIONAL PARA O RS: A EVOLUÇÃO NA ÚLTIMA DÉCADA FLUXO TURÍSTICO INTERNACIONAL PARA O RS: A EVOLUÇÃO NA ÚLTIMA DÉCADA RESUMO Leandro Carvalho 1 Maximilianus Andrey Pontes Pinent 2 Marcia Colao Merllo 3 Este artigo tem o objetivo de analisar a evolução

Leia mais

Como a Copa do Mundo vai movimentar o turismo brasileiro

Como a Copa do Mundo vai movimentar o turismo brasileiro Como a Copa do Mundo vai movimentar o turismo brasileiro 10 dias para a copa O estudo Destaques Principais mercados emissores Chegadas internacionais nas cidades sede Saídas do Brasil Junho-Julho 2014

Leia mais

Como a Copa do Mundo 2014 vai movimentar o Turismo Brasileiro

Como a Copa do Mundo 2014 vai movimentar o Turismo Brasileiro Como a Copa do Mundo 214 vai movimentar o Turismo Brasileiro 9 dias O estudo As empresas Principais conclusões a 9 dias da Copa 1 principais emissores 1 Desempenho das cidades-sede Chegadas internacionais

Leia mais

Resultados da Movimentação de Viagens Organizadas na Temporada de Inverno 2014

Resultados da Movimentação de Viagens Organizadas na Temporada de Inverno 2014 Resultados da Movimentação de Viagens Organizadas na Temporada de Inverno 2014 EQUIPE TÉCNICA DO IPETURIS Coordenação: Mariana Nery Pesquisadores: César Melo Tamiris Martins Viviane Silva Suporte: Gerson

Leia mais

Participação da União em Projetos de Infra-estrutura Turística no Âmbito do PRODETUR SUL

Participação da União em Projetos de Infra-estrutura Turística no Âmbito do PRODETUR SUL Programa 0410 Turismo: a Indústria do Novo Milênio Objetivo Aumentar o fluxo, a taxa de permanência e o gasto de turistas no País. Público Alvo Turistas brasileiros e estrangeiros Ações Orçamentárias Indicador(es)

Leia mais

F O Z D O I G U A Ç U GESTÃO INTEGRADA DO TURISMO

F O Z D O I G U A Ç U GESTÃO INTEGRADA DO TURISMO F O Z D O I G U A Ç U GESTÃO INTEGRADA DO TURISMO O TURISMO É UMA ATIVIDADE... Sensível Dinâmica Competitiva IMAGEM Imagem é o nosso patrimônio. NOVA IMAGEM DE FOZ Agenda positiva Mídia espontânea Calendário

Leia mais

Proposta de Otimização da Gestão e dos Recursos Financeiros do Turismo

Proposta de Otimização da Gestão e dos Recursos Financeiros do Turismo Proposta de Otimização da Gestão e dos Recursos Financeiros do Turismo A Administração Pública vem passando por processos de modernização em busca da otimização de recursos e melhoria do desempenho público.

Leia mais

19/03/2013 1995: OMT. Elementos comuns a diferentes definições de turismo. Conceitos-chave:

19/03/2013 1995: OMT. Elementos comuns a diferentes definições de turismo. Conceitos-chave: 1995: OMT IFSP Profa. Rafaela Malerba O turismo compreende as atividades que realizam as pessoas durante suas viagens e estadas em lugares diferentes ao seu entorno habitual, por um período consecutivo

Leia mais

Estatísticas básicas de turismo. Brasil

Estatísticas básicas de turismo. Brasil Estatísticas básicas de turismo Brasil Brasília, outubro de 2010 Estatísticas básicas de turismo Índice Páginas I - Turismo no mundo 1. Fluxo receptivo internacional 1.1 - Chegadas de turistas internacionais

Leia mais

Sobre o FOHB Nossa missão:

Sobre o FOHB Nossa missão: 20 de maio de 2014 Sobre o FOHB Criado em 2002, o FOHB Fórum de Operadores Hoteleiros do Brasil é uma entidade associativa sem fins lucrativos que representa importantes redes hoteleiras, nacionais e internacionais,

Leia mais

Ações com profissionais de turismo (Blogueiros e Agentes de Viagem) Fam Tours Press Trips Notícias

Ações com profissionais de turismo (Blogueiros e Agentes de Viagem) Fam Tours Press Trips Notícias Embarque na Viagem Seu portal de Turismo, Lazer, Entretenimento e Gastronomia. Media Kit Redes Sociais Palestras Viagens de inspeção Publicidade Difenciada Ações com profissionais de turismo (Blogueiros

Leia mais

GERAÇÃO DE EMPREGO E RENDA NA ECONOMIA NACIONAL. Mapa de oportunidades para Agências de Viagens

GERAÇÃO DE EMPREGO E RENDA NA ECONOMIA NACIONAL. Mapa de oportunidades para Agências de Viagens GERAÇÃO DE EMPREGO E RENDA NA ECONOMIA NACIONAL Mapa de oportunidades para Agências de Viagens O que é ABAV? Entidade empresarial, sem fins lucrativos, que representa as Agências de Viagens espalhadas

Leia mais

Investimentos no Brasil: Hotéis & Resorts -2011

Investimentos no Brasil: Hotéis & Resorts -2011 Investimentos no Brasil: Hotéis & Resorts -2011 INVESTIMENTOS NO BRASIL: HOTÉIS & RESORTS - 2011 Este relatório foi realizado pela BSH Travel Research, divisão estatística da BSH International e apresenta

Leia mais

Minas levará o legítimo sabor do Estado à BTL. Haverá degustação de pão de queijo para os visitantes que passarem pelo estande brasileiro.

Minas levará o legítimo sabor do Estado à BTL. Haverá degustação de pão de queijo para os visitantes que passarem pelo estande brasileiro. De 21 a 25 de janeiro, a Secretaria de Estado de Turismo divulga os principais roteiros do turismo de Minas Gerais na 21ª edição da Bolsa de Turismo de Lisboa (BTL), realizada em Lisboa, em Portugal. Em

Leia mais

Ações com profissionais de turismo (Blogueiros e Agentes de Viagem) Fam Tours Press Trips Notícias

Ações com profissionais de turismo (Blogueiros e Agentes de Viagem) Fam Tours Press Trips Notícias Embarque na Viagem Seu portal de Turismo, Lazer, Entretenimento e Gastronomia. Media Kit Redes Sociais Palestras Viagens de inspeção Publicidade Difenciada Ações com profissionais de turismo (Blogueiros

Leia mais

Como o TMC agrega valor ao Cliente Corporativo?

Como o TMC agrega valor ao Cliente Corporativo? Como o TMC agrega valor ao Cliente Corporativo? Palestrante Lúcio Oliveira Consultor de Gestão Estratégica, Vendas e Planejamento Estratégico, Instrutor, Palestrante e Advisor de Empresas do Turismo, é

Leia mais

Expectativas da Movimentação de Viagens Organizadas na Temporada de Verão 2014-2015

Expectativas da Movimentação de Viagens Organizadas na Temporada de Verão 2014-2015 Expectativas da Movimentação de Viagens Organizadas na Temporada de Verão 2014-2015 PRESIDENTE: Marciano Gianerini Freire EQUIPE TÉCNICA: Coordenação: Mariana Nery Pesquisadores: Heike Duske César Melo

Leia mais

Entre esses eventos, destacam-se, recentemente:

Entre esses eventos, destacam-se, recentemente: Resumo Com a criação do Ministério do Turismo em 2003, o Brasil passa a ter, pela primeira vez em sua história, um ministério voltado exclusivamente para a atividade turística. A partir de então a Embratur

Leia mais

COPA 2014 DESAFIOS E OPORTUNIDADES. GEAE Grupo de Excelência em Administração Esportiva Conselho Regional de Administração - SP

COPA 2014 DESAFIOS E OPORTUNIDADES. GEAE Grupo de Excelência em Administração Esportiva Conselho Regional de Administração - SP COPA 2014 DESAFIOS E OPORTUNIDADES GEAE Grupo de Excelência em Administração Esportiva Conselho Regional de Administração - SP A INDÚSTRIA DO ESPORTE A Indústria do Esporte Atividades econômicas relacionadas

Leia mais

LATAM Airlines Group S.A. Companhia Estrangeira CVM nº 80128 CNPJ nº 33.937.681/0001-78 Avenida Presidente Riesco nº 5711, 20º andar Santiago, Chile

LATAM Airlines Group S.A. Companhia Estrangeira CVM nº 80128 CNPJ nº 33.937.681/0001-78 Avenida Presidente Riesco nº 5711, 20º andar Santiago, Chile LATAM Airlines Group S.A. Companhia Estrangeira CVM nº 80128 CNPJ nº 33.937.681/0001-78 Avenida Presidente Riesco nº 5711, 20º andar Santiago, Chile FATO RELEVANTE A LATAM Airlines Group S.A. ( LATAM ou

Leia mais

RELATÓRIO DA PESQUISA PARA O EMBARQUE NA VIAGEM

RELATÓRIO DA PESQUISA PARA O EMBARQUE NA VIAGEM RELATÓRIO DA PESQUISA PARA O EMBARQUE NA VIAGEM RELATÓRIO EMBARQUE NA VIAGEM O estudo Brasil, um mundo em um país é resultado de uma parceria entre a ecglobal Solutions, líder no segmento de pesquisas

Leia mais

Anuário Estatístico de Turismo - 2013

Anuário Estatístico de Turismo - 2013 Secretaria Nacional de Políticas de Turismo Ministério do Turismo Anuário Estatístico de Turismo - 2013 Volume 40 Ano base 2012 Guia de leitura Guia de leitura O Guia de Leitura tem o propósito de orientar

Leia mais

SÍNTESE DOS INDICADORES DE TURISMO DO AMAZONAS 2003/2014

SÍNTESE DOS INDICADORES DE TURISMO DO AMAZONAS 2003/2014 SÍNTESE DOS INDICADORES DE TURISMO DO AMAZONAS 2003/2014 GOVERNO DO ESTADO DO AMAZONAS Governador JOSÉ MELO DE OLIVEIRA SECRETARIA DE ESTADO DE PLANEJAMENTO, DESENVOLVIMENTO, CIÊNCIA, TECNOLOGIA E INOVAÇÃO

Leia mais

Reservas Internacionais 1988-2008

Reservas Internacionais 1988-2008 BRASIL: País de Oportunidades e Reserva Turística Mundial Tóquio, setembro/2009 BRASIL: País de Oportunidades Brasil Japão Uma Relação Equilibrada COMÉRCIO BILATERAL 2002-2008 US$ milhões 7000 6000 Exportações

Leia mais

Lições para o crescimento econômico adotadas em outros países

Lições para o crescimento econômico adotadas em outros países Para o Boletim Econômico Edição nº 45 outubro de 2014 Organização: Maurício José Nunes Oliveira Assessor econômico Lições para o crescimento econômico adotadas em outros países 1 Ainda que não haja receita

Leia mais

IMIGRANTES NO BRASIL: O CASO DA ENFERMAGEM. Ana Luiza Stiebler Vieira Carmen Lúcia Lupi Monteiro Garcia Carmem de Almeida da Silva

IMIGRANTES NO BRASIL: O CASO DA ENFERMAGEM. Ana Luiza Stiebler Vieira Carmen Lúcia Lupi Monteiro Garcia Carmem de Almeida da Silva IMIGRANTES NO BRASIL: O CASO DA ENFERMAGEM Ana Luiza Stiebler Vieira Carmen Lúcia Lupi Monteiro Garcia Carmem de Almeida da Silva Objetivo: analisar os imigrantes da área de no Brasil Justificativa Referencial

Leia mais

ECONOMIA DA CULTURA. Paula Porta Assessora especial do Ministro da Cultura e Coordenadora do Prodec MINISTÉRIO DA CULTURA

ECONOMIA DA CULTURA. Paula Porta Assessora especial do Ministro da Cultura e Coordenadora do Prodec MINISTÉRIO DA CULTURA MINISTÉRIO DA CULTURA ECONOMIA DA CULTURA UM SETOR ESTRATÉGICO PARA O PAÍS Paula Porta Assessora especial do Ministro da Cultura e Coordenadora do Prodec A produção, a circulação e o consumo de bens e

Leia mais

O Guia do Viajante Móvel

O Guia do Viajante Móvel O Guia do Viajante Móvel A indústria de viagens é um dos setores que mais cresce no e-commerce. A ferramenta de busca de viagens www.kayak.com.br, empresa do grupo Priceline com mais de 1 bilhão de buscas

Leia mais

ALENTEJO. UM PRODUTO TURÍSTICO QUE VENDE. Abril 2011

ALENTEJO. UM PRODUTO TURÍSTICO QUE VENDE. Abril 2011 ALENTEJO. UM PRODUTO TURÍSTICO QUE VENDE. Abril 2011 sobre nós A impressão digital da Agência Abreu tem o relevo da experiência única mais de 170 anos de história, o que torna na mais antiga agência de

Leia mais

MERCADO DE PASSAGEIROS

MERCADO DE PASSAGEIROS 2 ANAC/SRI/GAMI MERCADO DE PASSAGEIROS Os Estados Unidos representam o principal mercado aéreo internacional do Brasil, tendo respondido por 25,7% do total do volume de passageiros transportados com origem

Leia mais

Taxa de Ocupação atinge 80,69% e registra o melhor resultado para um mês de abril

Taxa de Ocupação atinge 80,69% e registra o melhor resultado para um mês de abril TAXA DE OCUPAÇÃO HOTELEIRA DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO Levantamento da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis, em parceria com Federação do Comércio do Estado do Rio de Janeiro Abril de 2012 Taxa

Leia mais

Resumo do Estudo da Oxford Economics sobre o Impacto Econômico do projeto Hub Nordeste Brasil, encomendado pelo Grupo LATAM

Resumo do Estudo da Oxford Economics sobre o Impacto Econômico do projeto Hub Nordeste Brasil, encomendado pelo Grupo LATAM Resumo do Estudo da Oxford Economics sobre o Impacto Econômico do projeto Hub Nordeste Brasil, encomendado pelo Grupo LATAM Data da divulgação do estudo 17/09/2015 CONTEXTO A consultoria Oxford Economics,

Leia mais

Experiência: GESTÃO DOS ESCRITÓRIOS BRASILEIROS DE TURISMO NO EXTERIOR

Experiência: GESTÃO DOS ESCRITÓRIOS BRASILEIROS DE TURISMO NO EXTERIOR Experiência: GESTÃO DOS ESCRITÓRIOS BRASILEIROS DE TURISMO NO EXTERIOR EMBRATUR Instituto Brasileiro de Turismo Ministério do Turismo Responsável: Ronnie Reus Schroeder Equipe: Ana Paula Rodrigues de Almeida,

Leia mais

Turismo de (bons) negócios. 26 KPMG Business Magazine

Turismo de (bons) negócios. 26 KPMG Business Magazine Turismo de (bons) negócios 26 KPMG Business Magazine Segmento ganha impulso com eventos internacionais e aumento da demanda interna Eventos mobilizaram mais de R$ 20,6 bilhões em 2011 A contagem regressiva

Leia mais

Dispomos de filiais em Natal/RN, bairro de Ponta Negra.

Dispomos de filiais em Natal/RN, bairro de Ponta Negra. Quem Somos? Atua há 22 anos firmada no mercado como agência especializada na negociação, planejamento, divulgação e execução das atividades turísticas. Empresa esta, devidamente cadastrada pelos órgãos

Leia mais

Como a Copa do Mundo 2014 vai movimentar o Turismo Brasileiro

Como a Copa do Mundo 2014 vai movimentar o Turismo Brasileiro Como a Copa do Mundo 2014 vai movimentar o Turismo Brasileiro O estudo Destaques Os 10 principais emissores 10 Chegadas internacionais Viagens domésticas Cidades sedes Viagens dos brasileiros ao exterior

Leia mais

Estudo da demanda turística internacional 2007-2013

Estudo da demanda turística internacional 2007-2013 Departamento de Estudos e Pesquisas Secretária Nacional de Políticas de Turismo Ministério do Turismo Estudo da demanda turística internacional 2007-2013 Brasília, novembro de 2014 Sumário 1 Perfil da

Leia mais

Anuário Estatístico de Turismo - 2012

Anuário Estatístico de Turismo - 2012 Secretaria Nacional de Políticas de Turismo Ministério do Turismo Anuário Estatístico de Turismo - 2012 Volume 39 Ano base 2011 Sumário I Turismo receptivo 1. Chegadas de turistas ao Brasil - 2010-2011

Leia mais

Meto t d o o d l o og o i g a II. Segm g e m nt n a t ção o do d o me m rcado III. C racte t rização o do d s o ent n r t evi v sta t do d s

Meto t d o o d l o og o i g a II. Segm g e m nt n a t ção o do d o me m rcado III. C racte t rização o do d s o ent n r t evi v sta t do d s Roteiro I. Metodologia II. III. IV. Segmentação do mercado Caracterização dos entrevistados Percepções sobre o turismo no Brasil V. Hábitos e comportamentos sobre turismo VI. VII. VIII. Prioridade de investimento

Leia mais

Portugal: Destino Competitivo?

Portugal: Destino Competitivo? Turismo O Valor Acrescentado da Distribuição Portugal: Destino Competitivo? Luís Patrão Turismo de Portugal, ip Em 2006 Podemos atingir 7.000 milhões de euros de receitas turísticas Teremos perto de 37,5

Leia mais

Vôos de Porto Alegre a Bariloche com melhor preço garantido

Vôos de Porto Alegre a Bariloche com melhor preço garantido Televendas: São Paulo 1 11 2124-9000 A agência de viagens Nº 1 em preços e serviços Fale-conosco Início Passagens Hotéis Pacotes Carros Vôos de Porto Alegre a Bariloche com melhor preço garantido Ida:

Leia mais

3 A 6 SETEMBRO PLANOS DE PATROCÍNIO PARQUE VILA GERMÂNICA BLUMENAU - SC FEIRAMULHERBRASIL.COM.BR

3 A 6 SETEMBRO PLANOS DE PATROCÍNIO PARQUE VILA GERMÂNICA BLUMENAU - SC FEIRAMULHERBRASIL.COM.BR 3 A 6 SETEMBRO 2014 PARQUE VILA GERMÂNICA BLUMENAU - SC FEIRAMULHERBRASIL.COM.BR PLANOS DE PATROCÍNIO INFOFAIR BRASIL Feira de Equipamentos, Serviços, Softwares e Tecnologias da Informação Idealizada pela

Leia mais

Estudo da Demanda Turística Internacional

Estudo da Demanda Turística Internacional Estudo da Demanda Turística Internacional Brasil 2012 Resultados do Turismo Receptivo Pontos de Coleta de Dados Locais de entrevistas - 25 Entrevistados - 31.039 15 aeroportos internacionais, que representam

Leia mais

HOTELARIA ADAPTADA PARA ANIMAIS: UMA NOVA TENDÊNCIA NO MERCADO TURÍSTICO HOTELEIRO

HOTELARIA ADAPTADA PARA ANIMAIS: UMA NOVA TENDÊNCIA NO MERCADO TURÍSTICO HOTELEIRO HOTELARIA ADAPTADA PARA ANIMAIS: UMA NOVA TENDÊNCIA NO MERCADO TURÍSTICO HOTELEIRO Karla Cristinni Canteri 1 Larissa Mongruel Martins De Lara 2 RESUMO O presente resumo visa apresentar as novas tendências

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº, DE 2008

PROJETO DE LEI Nº, DE 2008 1 PROJETO DE LEI Nº, DE 2008 (Do Sr. Carlos Eduardo Cadoca) Altera a Lei nº 6.815, de 19 de agosto de 1980, Estatuto do Estrangeiro, visando à criação de procedimento alternativo para a obtenção de visto

Leia mais

Especificações Técnicas

Especificações Técnicas Especificações Técnicas Metodologia Técnicaeformadecoleta: Quantitativa: survey telefônico, com amostra 2.322 entrevistas, realizadas entre os dias 17 de junho e 07 de julho de 2009, pelo Instituto Vox

Leia mais

1 Introdução. 1.1 O Problema

1 Introdução. 1.1 O Problema 1 Introdução 1.1 O Problema Diante do cenário da globalização e da constante necessidade de expansão das empresas, muitas organizações em todo o mundo, já no início do século XX, intensificaram seus esforços

Leia mais

LAYOUT DO TÍTULO SUBTÍTULO

LAYOUT DO TÍTULO SUBTÍTULO LAYOUT DO TÍTULO SUBTÍTULO FORÇAS DO TURISMO BRASILEIRO 1 colocado na classificação de Recursos Naturais (Relatório de Competitividade em Viagem e Turismo 2017 Fórum Econômico Mundial) 8 colocado na classificação

Leia mais

Marketing Esportivo Grande chance do Brasil virar o jogo e entrar para o Primeiro Mundo. São Paulo, 12 de agosto de 2010

Marketing Esportivo Grande chance do Brasil virar o jogo e entrar para o Primeiro Mundo. São Paulo, 12 de agosto de 2010 Marketing Esportivo Grande chance do Brasil virar o jogo e entrar para o Primeiro Mundo São Paulo, 12 de agosto de 2010 Agenda Quem Somos Marketing Esportivo Comunicação Total Patrocinados Patrocinadores

Leia mais

Estudo dos países da América Latina e América Central

Estudo dos países da América Latina e América Central Empresa têxtil E M P R E S A T Ê X T I L Estudo dos países da América Latina e América Central Produtos considerados: 6003.33.00/6006.31.00/6006.21.00/6006.22.00/6006.23.00/6006.42.00 1. Exportações brasileiras

Leia mais

Estudo da demanda turística internacional 2006-2012

Estudo da demanda turística internacional 2006-2012 Departamento de Estudos e Pesquisas Secretária Nacional de Políticas de Turismo Ministério do Turismo Estudo da demanda turística internacional 2006-2012 Brasília, agosto de 2013 Sumário 1 Perfil da demanda

Leia mais

ECONÔMICAS E PROFISSIONAIS

ECONÔMICAS E PROFISSIONAIS MAPA DE PERSPECTIVAS ECONÔMICAS E PROFISSIONAIS 2016 Worldwide leaders in specialist recruitment ÍNDICE EDITORIAL METODOLOGIA DA INVESTIGAÇÃO PERFIL DOS ENTREVISTADOS O CENÁRIO MACROECONÔMICO INVESTIMENTO

Leia mais

REDES SOCIAIS Forte presença, engajamento e impacto nas redes sociais. ECOTURISMO Não é a toa que Trilhas e Aventuras é o nosso nome.

REDES SOCIAIS Forte presença, engajamento e impacto nas redes sociais. ECOTURISMO Não é a toa que Trilhas e Aventuras é o nosso nome. DESTINOS Roteiros completos com guias personalizados para o viajante. ECOTURISMO Não é a toa que Trilhas e Aventuras é o nosso nome. EXPERIÊNCIAS Mais do que uma visita. Uma avaliação completa! REDES SOCIAIS

Leia mais

3.12. Gastos Turísticos

3.12. Gastos Turísticos PRODETUR NE-II PDITS Pólo Litoral Sul 3.12. Gastos Turísticos 451 3.12. Gastos Turísticos Introdução Nesse capítulo o padrão e o volume dos gastos dos turistas do Pólo serão avaliados. Outro objetivo é

Leia mais

O Perfil de Renda das Torcidas Brasileiras e o Público nos Estádios

O Perfil de Renda das Torcidas Brasileiras e o Público nos Estádios O Perfil de Renda das Torcidas Brasileiras e o Público nos Estádios Os 6 grandes grupos de torcedores do Brasil Não torce para ninguém; 21% Demais clubes do país; 19% Flamengo; 15% Corinthians; 13% São

Leia mais

Chega a 6ta edição do Dia Mundial do Malbec.

Chega a 6ta edição do Dia Mundial do Malbec. Chega a 6ta edição do Dia Mundial do Malbec. Wines of Argentina Vinos de Argentina A.C Sob o conceito Celebremos um Clássico vem aí a sexta edição do Dia Mundial do Malbec Na sexta edição do Malbec World

Leia mais

Global Index Innovation 2015 Highlights

Global Index Innovation 2015 Highlights Global Index Innovation 2015 Highlights 141 países avaliados. Brasil: 70º lugar geral em 2015 (61º lugar em 2014). - 1º lugar: Suíça - 2º lugar: Reino Unido - 3º lugar: Suécia Top Performers Renda Alta

Leia mais

GEOGRAFIA - 3 o ANO MÓDULO 12 O BRASIL NEOLIBERAL E OS DESAFIOS PARA O SÉCULO XXI

GEOGRAFIA - 3 o ANO MÓDULO 12 O BRASIL NEOLIBERAL E OS DESAFIOS PARA O SÉCULO XXI GEOGRAFIA - 3 o ANO MÓDULO 12 O BRASIL NEOLIBERAL E OS DESAFIOS PARA O SÉCULO XXI Como pode cair no enem A desconcentração industrial verificada no Brasil, na última década, decorre, entre outros fatores,

Leia mais

3.10.1. Educação da Comunidade para o Turismo

3.10.1. Educação da Comunidade para o Turismo PRODETUR NE-II PDITS Salvador e Entorno3.10.1 Capacitação da Comunidade para o Turismo 410 3.10.1. Educação da Comunidade para o Turismo Introdução O objetivo deste capítulo é analisar o nível de conscientização

Leia mais

A força do turismo ECONOMIA. por Ana Lygia Monteferrario Leite Pezco Pesquisa & Consultoria e Frederico Araujo Turolla FGV-EESP e ESPM

A força do turismo ECONOMIA. por Ana Lygia Monteferrario Leite Pezco Pesquisa & Consultoria e Frederico Araujo Turolla FGV-EESP e ESPM ECONOMIA A força do turismo O Brasil é descrito como país privilegiado pela existência de exuberantes recursos naturais, pelo clima agradável e pela cultura receptiva. Por si só, essas características

Leia mais

INDICADORES MACROECONÔMICOS DO TURISMO, DOS PRINCIPAIS DESTINOS LITORÂNEOS DA BAHIA, NO PERÍODO DE 1998 A 2008

INDICADORES MACROECONÔMICOS DO TURISMO, DOS PRINCIPAIS DESTINOS LITORÂNEOS DA BAHIA, NO PERÍODO DE 1998 A 2008 CULTUR, ano 05 - nº 01/Especial - Jan/2011 www.uesc.br/revistas/culturaeturismo Licença Copyleft: Atribuição-Uso não Comercial-Vedada a Criação de Obras Derivadas INDICADORES MACROECONÔMICOS DO TURISMO,

Leia mais

América Latina: Herança Colonial e Diversidade Cultural. Capítulo 38

América Latina: Herança Colonial e Diversidade Cultural. Capítulo 38 América Latina: Herança Colonial e Diversidade Cultural Capítulo 38 Expansão marítima européia; Mercantilismo (capitalismo comercial); Tratado de Tordesilhas (limites coloniais entre Portugal e Espanha):

Leia mais

Renê Drezner INTRODUÇÃO

Renê Drezner INTRODUÇÃO A Posição dos blocos continentais no mercado internacional do futebol através da análise da situação dos jogadores que disputaram a Copa do Mundo de 2014 Renê Drezner INTRODUÇÃO Os jogos de futebol representam

Leia mais

Informativo SAI. 21 de junho

Informativo SAI. 21 de junho 21 de junho Informativo SAI 2012 Informativo com notícias sobre avaliação e regulação extraídas da mídia e de sítios eletrônicos de entidades da área educacional. Volume 13 Com 65 universidades, Brasil

Leia mais

REDES SOCIAIS Forte presença, influência e impacto nas redes sociais. ECOTURISMO Não é a toa que Trilhas e Aventuras é o nosso nome.

REDES SOCIAIS Forte presença, influência e impacto nas redes sociais. ECOTURISMO Não é a toa que Trilhas e Aventuras é o nosso nome. DESTINOS Roteiros completos com guias personalizados para o viajante. ECOTURISMO Não é a toa que Trilhas e Aventuras é o nosso nome. HOTEL & FOOD Mais do que uma visita. Uma avaliação completa! REDES SOCIAIS

Leia mais

368 municípios visitados

368 municípios visitados TURISTAS INTERNACIONAIS 60,3% visitaram o Brasil pela primeira vez 91,4 % Copa como o principal motivo da viagem 83% o Brasil atendeu plenamente ou superou suas expectativas 95% tem intenção de retornar

Leia mais

Apaixonado. Pessoal. Serviço.

Apaixonado. Pessoal. Serviço. Apaixonado. Pessoal. Serviço. SOBRe nós ONE Lifestyle é um serviço de gestão global padrão luxo que oferece uma linha de serviços padronizados, 24 horas por dia, 365 dias por ano, ou seja, onde quer que

Leia mais

HOTELARIA RELATÓRIO DE CONJUNTURA

HOTELARIA RELATÓRIO DE CONJUNTURA HOTELARIA RELATÓRIO DE CONJUNTURA AEP / GABINETE DE ESTUDOS Julho de 2006 A actividade da hotelaria insere-se na CAE 55 Alojamento e Restauração, que, por sua vez, integra o sector do turismo, um dos sectores

Leia mais

Anuário Estatístico de Turismo - 2015

Anuário Estatístico de Turismo - 2015 Secretaria Nacional de Políticas de Turismo Ministério do Turismo Anuário Estatístico de Turismo - 2015 Volume 42 Ano base 2014 Sumário I Turismo receptivo 1. Chegadas de turistas ao Brasil - 2013-2014

Leia mais

Turismo na Ibero-América

Turismo na Ibero-América Turismo na Ibero-América Números chave 125 milhões de chegadas de turistas internacionais (15% do total mundial) 97 mil milhões de dólares americanos de receitas por turismo internacional (13% do total

Leia mais

TOURISM AND HOSPITALITY TODAY AND TOMORROW

TOURISM AND HOSPITALITY TODAY AND TOMORROW TOURISM AND HOSPITALITY TODAY AND TOMORROW Volume 5 Número 1 Setembro 2015 Volume 5 Number 1 September 2015 Volumen 5 Número 1 Septiembre 2015 www.isce-turismo.com ISSN: 2183-0800 Organização Apoios Recensão

Leia mais

A empresa. Por mais uma edição fomos indicados como fornecedores preferidos dos leitores da Revista NEI.

A empresa. Por mais uma edição fomos indicados como fornecedores preferidos dos leitores da Revista NEI. A empresa Fundada em 1945, a Autotravi atua no mercado nacional e internacional, destacando-se na fabricação de borrachas e plásticos. Ao longo destes anos a empresa tornou-se referência nos segmentos,

Leia mais

Apresentação do novo sistema de reporte. Dezembro 2012

Apresentação do novo sistema de reporte. Dezembro 2012 Apresentação do novo sistema de reporte Dezembro 2012 Esquema da Apresentação Novo sistema de reporte Área de Empresa Aplicação de Recolha Questões específicas da rubrica Viagens e Turismo Banco de Portugal

Leia mais

Implantação do Programa Visa Waiver. 26.11.2013 Audiência pública: Comissão de Segurança Pública e Combate ao Crime Organizado

Implantação do Programa Visa Waiver. 26.11.2013 Audiência pública: Comissão de Segurança Pública e Combate ao Crime Organizado Implantação do Programa Visa Waiver 26.11.2013 Audiência pública: Comissão de Segurança Pública e Combate ao Crime Organizado Chegadas internacionais Brasil XAmérica Latina Turistas internacionais (milhões)

Leia mais

Resultados Consolidados

Resultados Consolidados 1ª Consulta aos associados para identificar as dificuldades enfrentadas para exportar e sobre temas de comércio exterior Resultados Consolidados Equipe de Assuntos de Comércio Exterior Maio de 2012 Total

Leia mais

Fam Tours Press Trips. Cliente Oculto

Fam Tours Press Trips. Cliente Oculto Embarque na Viagem Seu portal de Turismo, Lazer, Entretenimento e Gastronomia. Media Kit 2013 Notícias Fam Tours Press Trips Redes Sociais Publicidade Difenciada Projetos Especiais Perfil Cliente Oculto

Leia mais

ESTRATÉGIA PARA O DESENVOLVIMENTO DO TURISMO SUSTENTÁVEL NA AMAZÔNIA LEGAL

ESTRATÉGIA PARA O DESENVOLVIMENTO DO TURISMO SUSTENTÁVEL NA AMAZÔNIA LEGAL ESTRATÉGIA PARA O DESENVOLVIMENTO DO TURISMO SUSTENTÁVEL NA AMAZÔNIA LEGAL Manaus Setembro 2008 Equipe Coordenador Geral do Ecoturismo na Amazônia Legal Allan Milhomens Equipe Técnica Sônia Kinker Daniela

Leia mais

- Observatório de Política Externa Brasileira - Nº 67 02/09/05 a 08/09/05

- Observatório de Política Externa Brasileira - Nº 67 02/09/05 a 08/09/05 - Observatório de Política Externa Brasileira - Nº 67 02/09/05 a 08/09/05 Lula faz um balanço da política externa O presidente Luiz Inácio Lula da Silva fez um balanço de sua política externa na cerimônia

Leia mais

Assessoria de Imprensa. Oficina de Comunicação Apex-Brasil. O papel estratégico da Assessoria de Imprensa

Assessoria de Imprensa. Oficina de Comunicação Apex-Brasil. O papel estratégico da Assessoria de Imprensa Assessoria de Imprensa Oficina de Comunicação Apex-Brasil O papel estratégico da Assessoria de Imprensa Relacionamento com a Mídia - Demonstrar o papel das entidades como fonte; - Cultivar postura de credibilidade;

Leia mais

Proposta de T emplate GT Cultura, Turismo e Imagem do Reunião do GEOlimpíadas Brasil

Proposta de T emplate GT Cultura, Turismo e Imagem do Reunião do GEOlimpíadas Brasil GT Cultura, Proposta Turismo de Template e Imagem do Reunião do Brasil GEOlimpíadas Objetivo/Missão Integrantes MinC, MTur, ME, Embratur, MRE, APEX, APO Objetivo Geral Coordenar, planejar e executar ações,

Leia mais

9º Congresso de Mercocidades 2016-2021 Turismo sem Fronteiras para o próximo quinquênio

9º Congresso de Mercocidades 2016-2021 Turismo sem Fronteiras para o próximo quinquênio Buenos Aires, 20 de agosto 2015 9º Congresso de Mercocidades 2016-2021 Turismo sem Fronteiras para o próximo quinquênio Curitiba 16 e 17 de Setembro Mesmo com projeção de um cenário de grande potencial

Leia mais

PLANO DE INTERNACIONALIZAÇÃO

PLANO DE INTERNACIONALIZAÇÃO PLANO DE INTERNACIONALIZAÇÃO CURSO: Administração DISCIPLINA: Comércio Exterior FONTE: DIAS, Reinaldo. RODRIGUES, Waldemar. Comércio Exterior Teoria e Gestão. Atlas. São Paulo: 2004 6.3b Plano de Internacionalização

Leia mais

1 O Problema 1.1 Introdução

1 O Problema 1.1 Introdução 1 O Problema 1.1 Introdução As teorias de adoção e de difusão de novos produtos em tecnologia sustentam que, no lançamento, os produtos ainda são acessíveis a apenas poucos consumidores que estão dispostos

Leia mais

Você busca mais visibilidade para sua Marca? Plano de Patrocínio

Você busca mais visibilidade para sua Marca? Plano de Patrocínio Você busca mais visibilidade para sua Marca? Plano de Patrocínio Um mundo de oportunidades espera por você! Seja um patrocinador da ExpoCatólica 2015 Traga sua Marca para a maior Feira do segmento Católico

Leia mais

Uma potência no mundo

Uma potência no mundo Slide 1/15 Uma potência no mundo Ana Carolina Fernando Francielle Muller Renilce Slide 2/15 SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO 2. HISTÓRIA DA EMPRESA 2.1 HISTÓRICO ANO A ANO 3. VISÃO DA EMPRESA NO MUNDO 4. NEGÓCIO

Leia mais

Plano de Negócios. Bruno Menegola Gustavo Führ Jonas Hartmann Rosália Schneider William Gonçalves

Plano de Negócios. Bruno Menegola Gustavo Führ Jonas Hartmann Rosália Schneider William Gonçalves Plano de Negócios Bruno Menegola Gustavo Führ Jonas Hartmann Rosália Schneider William Gonçalves 1 Instituto de Informática Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) Caixa Postal 15.064 91.501-970

Leia mais

ROSEMARY OLIVEIRA DE LIMA

ROSEMARY OLIVEIRA DE LIMA UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CEARÁ UECE CENTRO DE CIÊNCIAS E TECNOLOGIA - CCT CENTRO DE ESTUDOS SOCIAIS APLICADOS - CESA MESTRADO PROFISSIONAL EM GESTÃO DE NEGÓCIOS TURÍSTICOS MPGNT ROSEMARY OLIVEIRA DE LIMA

Leia mais

Santander Elite Platinum

Santander Elite Platinum Santander Elite Platinum SEGURO MÉDICO DE EMERGENCIAS MÉDICAS... 2 SERVIÇO DE CONCIERGE... 2 SERVIÇOS DE ASSISTÊNCIA EM VIAGENS... 3 SERVIÇOS DE EMERGÊNCIA... 4 SEGURO DE ACIDENTES EM VIAGEM... 4 SEGURO

Leia mais

O Programa - Inscrições até 03/10

O Programa - Inscrições até 03/10 O Programa - Inscrições até 03/10 O novo Programa de Trainee da B2W é para quem curte novas tecnologias, inovação e vive conectado. São 12 meses de intenso aprendizado. Nos primeiros 6 meses o trainee

Leia mais

China e seu Sistemas

China e seu Sistemas China e seu Sistemas Em 1949, logo depois da revolução chinesa, a China possuía 540 milhões de habitantes, e se caracterizava por ser predominantemente rural, neste período o timoneiro Mao Tsetung, enfatizava

Leia mais