Ministério da Educação Universidade Tecnológica Federal do Paraná Comissão Permanente de Concurso Público CONCURSO PÚBLICO 23 / MAIO / 2010

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Ministério da Educação Universidade Tecnológica Federal do Paraná Comissão Permanente de Concurso Público CONCURSO PÚBLICO 23 / MAIO / 2010"

Transcrição

1 Ministério da Educação Universidade Tecnológica Federal do Paraná Comissão Permanente de Concurso Público PR CONCURSO PÚBLICO 23 / MAIO / 2010 ÁREA / SUBÁREA: INFORMÁTICA / GABARITO DESENVOLVIMENTO WEB INSTRUÇÕES 01)Confira se os dados que identificam este caderno de prova estão corretos. 02)O caderno de prova deverá conter: 25 (vinte e cinco) questões objetivas. 03)A duração da prova será de 3h (três horas), incluindo o preenchimento da folha de respostas. 04) A interpretação das questões é parte integrante da prova, não sendo, portanto, permitidas perguntas aos fiscais. 05) A prova é INDIVIDUAL, sendo vedada a comunicação entre os candidatos durante sua realização. 06) Será eliminado o candidato que utilizar material de consulta ou qualquer sistema de comunicação. 07)Em cada questão, há somente uma resposta correta. 08) A folha de respostas deve ser entregue para o fiscal, juntamente com este caderno de prova. 09)O candidato só poderá entregar o caderno de prova e a folha de respostas e retirarse da sala, depois de decorridos, no mínimo, 1 hora de seu início. 10) Ao receber sua folha de respostas, aja da seguinte forma: a)verifique se os dados pré-impressos estão corretos; b)assine no local indicado; c)pinte, preenchendo por inteiro, com caneta esferográfica ponta média, tinta azulescura ou preta, o campo correspondente à alternativa que considera correta em cada questão; d)não a amasse, nem dobre. ATENÇÃO: Utilize caneta, ponta média, de tinta azul-escura ou preta, para preencher os campos solicitados. Marcar mais de uma alternativa anulará a resposta. Preencha assim: 11) Os dois últimos candidatos de cada sala deverão entregar suas folhas de resposta e retirar-se do local simultaneamente.

2 2 UTFPR Concurso Público CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS QUESTÃO 01 Em um sistema concebido e modelado segundo uma perspectiva orientada a objetos, os principais blocos estruturais são as classes e os objetos. A esse respeito é correto afirmar que: A) as classes representam entidades que existem dentro do contexto do sistema que está sendo modelado, e os objetos são características internas específicas de cada classe. B) os objetos são entidades que existem dentro do contexto do sistema que está sendo modelado e as classes são descrições comuns de um subconjunto desses objetos. C) os objetos representam procedimentos e funções internos ao sistema, já as classes representam o conjunto de dados processados pelos objetos. D) os objetos representam unicamente os recursos de interface oferecidos aos usuários do sistema, ao passo que as classes são utilizadas unicamente na modelagem da camada de lógica de negócio. E) os objetos são modelos abstratos a partir dos quais se pode definir classes concretas. QUESTÃO 02 Segundo a literatura, embora existam muitos processos de software diferentes, algumas atividades fundamentais são comuns a todos eles, tais como: especificação de software, projeto e implementação de software, validação de software e evolução de software. Em relação a estas atividades é correto afirmar que: A) na fase de especificação, detalha-se quais são as funcionalidades do software e qual a estrutura a ser utilizada para o seu projeto e implementação. B) na fase de validação, o software implementado deve ser testado somente como uma unidade monolítica, dado que o objetivo final é a aceitação do sistema completo funcional pelo cliente. C) o projeto de software envolve o desenvolvimento de um modelo do software, em determinado nível de abstração, sendo que a decomposição deste modelo em partes menores ocorre unicamente durante a fase de implementação ou codificação. D) a fase de especificação engloba a atividade de engenharia de requisitos, a qual é particularmente crítica no processo de software, pois erros neste estágio apresentam grande impacto no projeto e na implementação. E) a atividade de evolução de software, embora faça parte do processo de desenvolvimento, é desencorajada pelo fato de que alterações extensas no software de um sistema geralmente são muito onerosas, se comparadas a alterações equivalentes em hardware. QUESTÃO 03 Na UML, os seguintes diagramas padrão são utilizados para modelar o sistema do ponto de vista comportamental (dinâmico): A) diagramas de classes, de colaboração e de sequência. B) diagramas de estado, de casos de uso e de componentes. C) diagramas de classe, de objetos e de implantação. D) diagramas de objetos, de estado e de sequência. E) diagramas de sequência, de casos de uso e de atividades.

3 DESENVOLVIMENTO WEB 3 QUESTÃO 04 Em uma abordagem orientada a objetos, pode-se utilizar um modelo de herança para relacionar uma classe de objetos a outras classes. Segundo este modelo, é correto afirmar que: A) uma vez que determinado comportamento (método) é definido para a classe-pai, é conceitualmente inválido que uma ou mais das classes-filho redefinam aquele comportamento. B) classes no topo da árvore de herança apresentam atributos e métodos que são particulares e herdam atributos e métodos genéricos de classes abaixo de si na hierarquia. C) a herança múltipla é conceitualmente válida, porém pode causar problemas na programação, tais como a dificuldade de resolução de conflitos de nomes duplicados herdados das classes-pai. D) embora atributos definidos por uma classepai sejam herdados pelas classes-filho, o mesmo não acontece com os métodos. E) um objeto criado com base em uma classefilho agrega um outro objeto criado com base na sua classe-pai. QUESTÃO 05 Em um software de acesso a dados via internet, implementado utilizando o projeto orientado a objetos e linguagem Java, criou-se a classe CommDevice, que define os métodos transmit() e receive(), como sendo a base para os as classes de driver dos diferentes dispositivos de comunicação que podem ser utilizados por este sistema. Além disso, criaram-se as classes ADSLCommDevice e WifiCommDevice, derivadas de CommDevice, as quais implementam os drivers para dispositivos ADSL e Wi-Fi, respectivamente, e oferecem redefinições para os métodos transmit() e receive() herdados da classe-base. Em relação a este sistema é correto afirmar que: A) se os métodos transmit() e receive() da classe CommDevice não se aplicam (não são implementáveis) a um dispositivo de comunicação genérico, portanto não estão implementados na classe CommDevice, e são os únicos métodos oferecidos por esta classe. Então a classe CommDevice deve ser declarada como uma classe abstrata e pode opcionalmente ser substituída por uma interface. B) se os métodos transmit() e receive() da classe CommDevice não se aplicam (não são implementáveis) a um dispositivo de comunicação genérico, e portanto não estão implementados na classe CommDevice. Então a classe CommDevice pode opcionalmente ser substituída por uma interface, independente de quaisquer outros métodos que oferecer. C) mesmo que os métodos transmit() e receive() estejam implementados na classe CommDevice, esta ainda pode ser implementada como uma interface, pois serve de base para classes que redefinem os métodos citados. D) a hierarquia de heranças citada não apresentaria, na prática, vantagem na construção do sistema porque os objetos das classes derivadas teriam que ser acessados através de referências específicas para a mesma classe dos objetos. E) as classes ADSLCommDevice e WifiCommDevice são concretas, independente do conteúdo da classe CommDevice.

4 4 UTFPR Concurso Público QUESTÃO 06 Considere o seguinte código em C++: using namespace std; #include <iostream> class Empregado protected: int valorhora; public: int calcsalario(int horas) if (horas <= 176) return horas*valorhora; else return valorhora*176 + valorhora*2*(horas - 176); Empregado (int vh) valorhora = vh; ; class Gerente: public Empregado int comissao; public: Gerente(int vh, int com): Empregado(vh) comissao = com; int calcsalario(int horas) return valorhora*horas + comissao; ; void main() Empregado *e1, *e2; e1 = new Empregado(20); e2 = new Gerente(35, 500); cout << Salário empregado: << e1->calcsalario(200) << endl; cout << Salário gerente: << e2->calcsalario(300) << endl; Assinale a alternativa correta. A) O código não compila, pois o atributo valorhora é protegido na classe Empregado e portanto não acessível pelo método calcsalario da classe Gerente. B) O valor de salário do gerente a ser exibido no console será C) A chamada ao construtor de Empregado, no construtor da classe Gerente, é opcional. D) Os objetos das classes Gerente e Empregado são alocados dinamicamente e posteriormente removidos automaticamente pelo coletor de lixo. E) O método calcsalario da classe Gerente somente será executado se o método calcsalario da classe Empregado for virtual.

5 DESENVOLVIMENTO WEB 5 QUESTÃO 07 Sobre o mecanismo de exceções em Java, assinale a alternativa correta. A) Uma exceção sinaliza uma ocorrência de erro que não deve ser tratada no método que detectou o erro e sim no método que o chamou diretamente. B) Se um método lança uma exceção não verificada, esta precisa necessariamente ser capturada. C) Para lançar uma exceção, um método deve instanciar um objeto de exceção e lançá-lo através da cláusula throw. Além disso, o método deve incluir a cláusula throws em seu cabeçalho, indicando a capacidade de lançamento da exceção correspondente. D) Para capturar uma exceção, um método deve encapsular a chamada potencialmente lançadora da exceção em um bloco try. Na ocorrência da exceção, o bloco try será executado até o final e então o bloco catch, correspondente à exceção que foi lançada, será executado. E) Somente os métodos que lançam uma exceção diretamente são obrigados a incluir a cláusula throws em seu cabeçalho. QUESTÃO 08 Uma das técnicas utilizadas para modelar o conjunto de classes de um sistema orientado a objetos é defini-las em termos de suas responsabilidades dentro do sistema. Em relação a este aspecto, é correto afirmar que: A) se deve definir as classes de tal maneira que cada uma delas tenha o maior conjunto de responsabilidades possível, pois isso contribui para a clareza e organização do sistema. B) se deve definir as classes de tal maneira que cada uma delas tenha o menor conjunto de responsabilidades possível, pois isso facilita o reuso destas classes e a compreensão do funcionamento do sistema. C) se deve identificar as classes que colaboram diretamente umas com as outras para a obtenção de determinado comportamento e defini-las de tal maneira que uma das classes tenha o maior número de responsabilidades possível e divida as demais responsabilidades menores com as demais classes. D) se deve definir classes com maior número de responsabilidades para modelar os níveis mais altos de abstração do sistema e classes menores para os níveis mais baixos de abstração. E) se deve analisar o conjunto de classes que colaboram diretamente umas com as outras como um todo e efetuar desdobramentos e agrupamentos de responsabilidades de tal maneira que, ao final do processo, o conjunto de responsabilidades esteja balanceado, facilitando o reuso dos componentes e a compreensão do modelo.

6 6 UTFPR Concurso Público QUESTÃO 09 Dada a seguinte função Javascript: function popup(foto) window.open(foto, wf, width=400,height=300 ) Qual deve ser a tag do vínculo (link) em uma página web para abrir a foto paisagem.jpg utilizando-se a função acima? A) <a href= paisagem.jpg onclick= document.popup(foto) > B) <a href= foto onclick= javascript.src.popup( paisagem.jpg ) > C) <a href= javascript:popup( paisagem.jpg ) > D) <a href= # onclick= javascript.popup( paisagem.jpg ) > E) <a href= document.popup( paisagem.jpg )>

7 QUESTÃO 10 DESENVOLVIMENTO WEB 7 Analise o seguinte código HTML e Javascript que compõem o código de uma página web. <html> <head> <title>newsletter</title> <meta http-equiv= Content-Type content= text/html; charset=iso "> <script language= javascript > function verifica() if (A.B.C.value == ) alert( Preencha o seu nome. ); return false; if (A.B.D.value == ) alert( Preencha o seu . ); return false; return true </script> <body bgcolor= #FFFFFF > <form method= post action= newsletter.php name= E F= return verifica() > <font face= verdana size= 3" color= #000000"> Nome: <input type= text name= nome size= 60" maxlength= 60"><br> <br> <input type= text name= size= 60" maxlength= 60"><br> <br> <input type= submit name= enviar value= Enviar > <input type= reset name= apagar value= Apagar > </font> </form> </body> </html> Os parâmetros A, B, C, D, E e F para que a função Javascript faça a consistência, verificando que os dois campos do formulário foram preenchidos nesta página web, são respectivamente: A) A = newsletter; B = form_id; C = nome; D = ; E = newsletter; F = onclick B) A = document; B = newsletter; C = nome; D = ; E = newsletter; F = onsubmit C) A = newsletter; B = document; C = nome; D = ; E = newsletter; F = onload D) A = verifica; B = newsletter; C = nome; D = ; E = verifica; F = document E) A = newsletter; B = document; C = nome; D = ; E = verifica; F = onsubmit

8 8 UTFPR Concurso Público QUESTÃO 11 Na página web que tem a seguinte definição de classes, na utilização de CSS (Cascading Style Sheets): <style> P.question color: #000000; font-style: italic.answer color: # </style> o parâmetro das tags de parágrafos <p> para perguntas e respostas, são respectivamente: A) $class = question e $class = answer B) $div = question e $div = answer C) # = question e # = answer D) class = question e class = answer E) id = question e id = answer QUESTÃO 12 A sintaxe correta para acessar o banco de dados MySQL anuncios utilizando programação em PHP no servidor local (localhost) é: A) mysql connect anuncios database on localhost; user root +p; B) $con ( localhost, root, ); $database = mysql_select_db ( anuncios, $con); C) mysql connect database anuncios on localhost; select db = anuncios ; D) $connect mysql ( localhost, root, ); $database select db ( anuncios ); E) mysql > connect ( localhost, root, ); $database select_db > anuncios ; QUESTÃO 13 Para selecionar em uma tabela newsletter em um banco de dados MySQL os textos armazenados nos últimos 30 dias, cuja data de publicação é armazenada no campo data, exibindo os textos mais recentes por primeiro, o código PHP deve conter a seguinte instrução: A) $texto = select * from newsletter where data >= (now()-30) order by data desc ; B) $newsletter = select $texto where $date >= (date()-30) order by data decres ; C) $texto = select * into newsletter where $date >= (date()-30) order by data dec ; D) $texto = select * from newsletter where $data >= (today()-30) order by $data down ; E) $newsletter = select from newsletter where $data >= (today()-30) order by data up ;

9 DESENVOLVIMENTO WEB 9 QUESTÃO 14 Em HTML, a estrutura que dispensa o uso da tag <body> é: A) formulários. B) links. C) frames. D) select. E) structure. QUESTÃO 15 Para implementar uma galeria de fotos em uma página HTML, foi utilizado um vetor com o nome dos arquivos das fotos. Esta estrutura Javascript é: A) structure array ( noronha.jpg, recife.jpg, floripa.jpg, natal.jpg, rio.jpg ) B) define galeria array ( noronha.jpg, recife.jpg, floripa.jpg, natal.jpg, rio.jpg ) C) define structure galeria ( noronha.jpg, recife.jpg, floripa.jpg, natal.jpg, rio.jpg ) D) galeria [5] = ( noronha.jpg, recife.jpg, floripa.jpg, natal.jpg, rio.jpg ) E) galeria = new array ( noronha.jpg, recife.jpg, floripa.jpg, natal.jpg, rio.jpg ) QUESTÃO 16 Considere a seguinte estrutura Javascript: <script language= javascript > function popup(arq) controlejanela = window.open (arq, wdwpop, width=610,height=510,left=0,top=0") function fechapopup() controlejanela.close() </script> Um botão com vínculo (link) que executa a função fechapopup() fará com que: A) a janela que está executando o código Javascript seja fechada e não o popup B) não aconteça nada, uma vez que Javascript é limitado à execução na própria página C) ocorra mensagem de erro, pois não é possível controlar o popup depois de aberto D) ocorra mensagem de erro, pois controlejanela não é uma sintaxe válida E) a janela popup, eventualmente aberta pela função popup(arq), seja fechada

10 10 UTFPR Concurso Público QUESTÃO 17 O comando foreach em PHP: A) pode ser utilizado apenas em vetores ou matrizes. B) retorna um inteiro da expressão onde é aplicado. C) retorna uma string da expressão onde é aplicado. D) pode ser utilizado apenas com strings. E) retorna TRUE se o banco de dados MySQL existe e FALSE caso contrário. QUESTÃO 18 Considerando o seguinte fragmento de um programa em Linguagem Java: Integer[] v = new Integer[5]; v[1] = 1; v[2] = 2; v[3] = 3; Integer s = 0; for (Integer x: v) s += x; System.out.println(s); Qual será o valor exibido na última linha deste fragmento de código? A) 6. B) 0 (zero). C) 5. D) Nenhum valor será exibido, pois o programa apresenta erro de sintaxe não sendo possível a sua execução. E) Nenhum valor será exibido e será gerada uma exceção de ponteiro nulo, pois alguns elementos do vetor v não foram inicializados. QUESTÃO 19 Considere uma aplicação Web criada com a Tecnologia Java que está publicada em um servidor com sistema operacional Linux e servidor de aplicações Tomcat 6.0, tendo como diretório raiz da referida aplicação o diretório /webapps/ifms. Com relação às classes Java específicas desta aplicação, isto é, que não estão acessíveis diretamente ao servidor de aplicação, podemos afirmar que: A) os códigos fonte (arquivos *.java) devem ser colocados no diretório /webapps/ifms para que sejam compilados pelo servidor de aplicações. B) as classes já compiladas (arquivos *.class) devem ser colocadas no diretório / webapps/ifms/web-inf/classes, respeitando a estrutura de diretórios exigida pela estrutura de pacotes da Linguagem Java. C) não existe um diretório específico para as classes usadas pela aplicação, pois a localização depende da configuração do servidor de aplicações. D) os códigos fonte (arquivos *.java) devem ser agrupados no arquivo ifms.jar e este arquivo deve ser colocado no diretório /webapps/ifms/web-inf/tags. E) as classes já compiladas (arquivos *.class) devem ser agrupadas em uma biblioteca (arquivo JAR) e este arquivo deve ser colocado no diretório /webapps/ifms/web-inf/classes.

11 DESENVOLVIMENTO WEB 11 QUESTÃO 20 Considere o seguinte fragmento de uma página em HTML: <form action= /form/processa method= POST > <input type= text name= codigo /><br/> <input type= text name= descricao /> </form> e o seguinte fragmento de um servlet que está devidamente mapeado para ser invocado quando o formulário acima for submetido: protected void dopost(httpservletrequest request, HttpServletResponse response) throws ServletException, IOException int codigo; // na linha abaixo, entre <>, fica o texto da alternativa correta codigo = <alternativa correta aqui>; Qual das alternativas abaixo apresenta a instrução que inicializará corretamente a variável codigo no servlet? A) response.getattribute( codigo ) B) response.setparameter( codigo ) C) Integer.parseInt(request.getParameter( codigo )) D) Integer.parseInt(request.getValue( codigo )) E) request.getform().getcodigo().getvalue() QUESTÃO 21 Em relação à tecnologia de Java Server Pages (JSP) podemos afirmar que: A) JSP é um linguagem interpretada semelhante ao PHP de modo que a cada vez que uma página é carregada o código é interpretado e executado pelo servidor. B) JSP é uma linguagem de programação cujos programas devem ser compilados com o compilador Jasper antes de serem publicados no servidor. C) quando uma página em JSP é carregada pela primeira vez pelo servidor, esta é transformada em um servlet pelo servidor que é então compilado e carregado para execução. D) uma página JSP consiste em uma classe que implementa a interface javax.web.jsp e processa requisições GET e POST recebidas pelo servidor de aplicações. E) uma página em JSP é totalmente composta por tags específicos que geram o HTML que é enviado à aplicação cliente.

12 12 UTFPR Concurso Público QUESTÃO 22 Considerando o seguinte fragmento de uma página em Java Server Faces (JSF): <h:inputtext id= nomeusuario value= #controle.usuario /> Podemos afirmar que: A) controle é uma instância da classe Controle que deve estar declarada em um scriptlet dentro da própria página que contem a expressão. B) controle é o nome de um atributo de sessão criado através da diretiva jsp:usebean dentro da mesma página que contem a expressão. C) durante o processamento da requisição será executada a chamada request.getcontrole().getusuario() para obter o valor da propriedade usuario. D) controle é o nome associado a uma instância de um bean gerenciado (managed bean) e que, quando a página for submetida, o método setusuario() deste bean será chamado para atribuir o valor da propriedade usuario, quando necessário. E) nomeusuario é o nome associado a uma instância de um bean gerenciado (managed bean) e que, quando a página for submetida, o método setparameter( nomeusuario ) deste bean será chamado para atribuir o valor da propriedade nomeusuario, quando necessário. QUESTÃO 23 Considerando o documento XML: <?xml version= 1.0"?> <concurso xmlns= xmlns:u= > <u:candidato> <u:numero>1111</u:numero> <u:nome>fulano de Tal</u:nome> </u:candidato> <candidato> <cpf>123456</cpf> <nome>ciclano de Tal</nome> </candidato> </concurso> Podemos afirmar que: A) o documento é mal-formado porque o caractere: (dois pontos) não pode ser usado nos nomes dos elementos. B) o documento é sintaticamente inválido, pois existem declarações conflitantes do elemento candidato. C) este documento está disponível para download em D) o esquema que define a estrutura deste documento está localizado em util. E) identifica o espaço de nomes dos elementos sem um prefixo explícito.

13 DESENVOLVIMENTO WEB 13 QUESTÃO 24 Considerando a seguinte página codificada em ASP.Net: <script runat= server > Sub botao1(source As Object, e As EventArgs) p1.innerhtml= Clicou botão 1! End Sub Sub botao2(source As Object, e As EventArgs) p1.innerhtml= Clicou botão 2! End Sub </script> <html> <body> <form runat= server > <button id= b1" OnServerClick= botao1" style= height:25;width:100" runat= server > Botão 1 </button> <button id= b2" OnServerClick= botao2" style= height:25;width:100" runat= server > Botão 2 </button> <p id= p1" runat= server /> </form> </body> </html> Podemos afirmar que: A) serão criados dois botões identificados por b1 e b2 e que, quando forem acionados pelo usuário da aplicação, exibirão uma mensagem dentro do elemento p, identificado por p1. B) apenas o navegador Internet Explorer exibirá os elementos button uma vez que este elemento não está definido no padrão HTML e outros navegadores não o reconhecem. C) o código contido no elemento script somente será executado quando esta página for carregada pelo Internet Explorer, uma vez que outros navegadores somente executam código escrito em Javascript. D) o formulário (elemento form) será submetido ao servidor, utilizando o método get uma vez que este é o padrão quando não existe o atributo method= post. E) ao ser processada, esta página resultará em um erro no servidor uma vez que os elementos html e body não incluem o atributo runat= server exigido pelo IIS para identificar uma página codificada em ASP.Net.

14 14 UTFPR Concurso Público QUESTÃO 25 Com relação às tecnologias JSF (Java Server Faces) e ASP.Net (Active Server Pages.NET), podemos afirmar que: A) JSF é uma tecnologia proprietária da Sun Microsystems que somente pode ser usada com os servidores de aplicação da Sun. B) ASP.Net é uma tecnologia de código aberto disponibilizada pela Microsoft para criação de páginas Web dinâmicas que pode ser usada em vários servidores de aplicação de diferentes empresas. C) JSF é uma tecnologia derivada da tecnologia de servlets que pode ser usada em vários servidores de aplicação de código aberto ou comerciais. D) ASP.Net é baseado na linguagem Visual Basic e, portanto, toda a codificação deve utilizar esta linguagem. E) JSF permite uma ampla gama de linguagens de programação na sua codificação, inclusive o Visual Basic, tornando-o compatível com o ASP.Net.

Associação Carioca de Ensino Superior Centro Universitário Carioca

Associação Carioca de Ensino Superior Centro Universitário Carioca Desenvolvimento de Aplicações Web Lista de Exercícios Métodos HTTP 1. No tocante ao protocolo de transferência de hipertexto (HTTP), esse protocolo da categoria "solicitação e resposta" possui três métodos

Leia mais

Criando documentação com javadoc

Criando documentação com javadoc H Criando documentação com javadoc H.1 Introdução Neste apêndice, fornecemos uma introdução a javadoc ferramenta utilizada para criar arquivos HTML que documentam o código Java. Essa ferramenta é usada

Leia mais

Use a Cabeça! FREEMAN, Eric e Elisabeth. HTML com CSS e XHTML BASHMAN, Brian / SIERRA Kathy / BATES, Bert. Servlets & JSP

Use a Cabeça! FREEMAN, Eric e Elisabeth. HTML com CSS e XHTML BASHMAN, Brian / SIERRA Kathy / BATES, Bert. Servlets & JSP Use a Cabeça! FREEMAN, Eric e Elisabeth. HTML com CSS e XHTML BASHMAN, Brian / SIERRA Kathy / BATES, Bert. Servlets & JSP Software cliente: browser e outros Protocolo HTTP Infraestrutura de transporte

Leia mais

Scriptlets e Formulários

Scriptlets e Formulários 2 Scriptlets e Formulários Prof. Autor: Daniel Morais dos Reis e-tec Brasil Programação Avançada Para Web Página1 Meta Permitir ao aluno aprender a criar um novo projeto Java para web no Netbeans IDE,

Leia mais

Lista de Revisão. 3. Analise a afirmativa a seguir como verdadeira ou falsa e justifique.

Lista de Revisão. 3. Analise a afirmativa a seguir como verdadeira ou falsa e justifique. Lista de Revisão 1. Nos sistemas web, geralmente os usuários apresentam dois problemas típicos, a desorientação e a sobrecarga cognitiva. Discorra sobre esses problemas. 2. Apresente as principais diferenças

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE PONTA GROSSA

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE PONTA GROSSA UNIVERSIDADE ESTADUAL DE PONTA GROSSA SECRETARIA MUNICIPAL DE GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS CONCURSO PÚBLICO PARA ANALISTA DE SUPORTE 08 DE NOVEMBRO DE 2009... (NOME COMPLETO EM LETRA DE FORMA) INSTRUÇÕES

Leia mais

ARQUITETURA SISGRAD. Manual de Utilização. Versão: 2.0. Criação: 05 de julho de 2007 Autor: André Penteado

ARQUITETURA SISGRAD. Manual de Utilização. Versão: 2.0. Criação: 05 de julho de 2007 Autor: André Penteado ARQUITETURA SISGRAD Manual de Utilização Versão: 2.0 Criação: 05 de julho de 2007 Autor: André Penteado Última Revisão: 09 de outubro de 2009 Autor: Alessandro Moraes Controle Acadêmico - Arquitetura SISGRAD

Leia mais

Introdução ao Javascript

Introdução ao Javascript Programação WEB I Introdução ao Javascript Apresentação da Disciplina,Introdução a linguagem Javascript Objetivos da Disciplina Apresentar os principais conceitos da linguagem Javascript referente à programação

Leia mais

Aula 03 - Projeto Java Web

Aula 03 - Projeto Java Web Aula 03 - Projeto Java Web Para criação de um projeto java web, vá em File/New. Escolha o projeto: Em seguida, na caixa Categorias selecione Java Web. Feito isso, na caixa à direita selecione Aplicação

Leia mais

Os objetivos indicados aplicam-se a duas linguagens de programação: C e PHP

Os objetivos indicados aplicam-se a duas linguagens de programação: C e PHP AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE SANTA COMBA DÃO CURSO PROFISSIONAL DE TÉCNICO DE GESTÃO E PROGRAMAÇÃO DE SISTEMAS INFORMÁTICOS 2012-2015 PROGRAMAÇÃO E SISTEMAS DE INFORMAÇÃO MÓDULO 2 Mecanismos de Controlo de

Leia mais

Programação Web com PHP. Prof. Wylliams Barbosa Santos wylliamss@gmail.com Optativa IV Projetos de Sistemas Web

Programação Web com PHP. Prof. Wylliams Barbosa Santos wylliamss@gmail.com Optativa IV Projetos de Sistemas Web Programação Web com PHP Prof. Wylliams Barbosa Santos wylliamss@gmail.com Optativa IV Projetos de Sistemas Web Agenda O que é PHP? O que da pra fazer com PHP? Como a web funciona? Onde, quando e por que

Leia mais

Desenvolvimento de Aplicações para Internet

Desenvolvimento de Aplicações para Internet Desenvolvimento de Aplicações para Internet Aula 03 Celso Olivete Júnior olivete@fct.unesp.br Na aula de hoje... Javascript: introdução, operadores lógicos e matemáticos, comandos condicionais. Javascript:

Leia mais

Desenvolvimento de aplicações Web. Java Server Pages

Desenvolvimento de aplicações Web. Java Server Pages Desenvolvimento de aplicações Web Java Server Pages Hamilton Lima - athanazio@pobox.com 2003 Como funciona? Servidor web 2 Internet 1 Browser 3 Arquivo jsp 4 JSP Compilado 2 Passo a passo 1 browser envia

Leia mais

Sistemas para internet e software livre

Sistemas para internet e software livre Sistemas para internet e software livre Metodologia de modelagem de aplicações WEB Image: FreeDigitalPhotos.net Domínio: Elementos de aplicação WEB Páginas Web Scripts Formulários Applets e ActiveX Motivação

Leia mais

MÓDULO Programação para Web 2

MÓDULO Programação para Web 2 MÓDULO Programação para Web 2 USANDO O JSF Continuação Interdependência e Injeção Instâncias de Managed Beans podem conversar entre si para dividir o processamento das requisições dos usuários de acordo

Leia mais

Java II. Sérgio Luiz Ruivace Cerqueira sergioruivace@gmail.com

Java II. Sérgio Luiz Ruivace Cerqueira sergioruivace@gmail.com Java II Sérgio Luiz Ruivace Cerqueira sergioruivace@gmail.com Por quê JSP? Com Servlets é fácil Ler dados de um formulário Recuperar dados de uma requisição Gerar informação de resposta Fazer gerenciamento

Leia mais

Universidade Federal do Espírito Santo CCA UFES. Centro de Ciências Agrárias CCA UFES Departamento de Computação. JavaScript

Universidade Federal do Espírito Santo CCA UFES. Centro de Ciências Agrárias CCA UFES Departamento de Computação. JavaScript Universidade Federal do Espírito Santo Centro de Ciências Agrárias CCA UFES Departamento de Computação Universidade Federal do Espírito Santo CCA UFES JavaScript Desenvolvimento de Sistemas para WEB Site:

Leia mais

JavaScript: Validação de Formulários. Prof. Ivanilton Polato ipolato@utfpr.edu.br ipolato@gmail.com

JavaScript: Validação de Formulários. Prof. Ivanilton Polato ipolato@utfpr.edu.br ipolato@gmail.com JavaScript: Validação de Formulários Prof. Ivanilton Polato ipolato@utfpr.edu.br ipolato@gmail.com Validação de Formulários Um dos usos mais frequentes do JS é a validação de formulários. Além de garantir

Leia mais

JavaScript 2.0X 1.0 3.0X 1.1 4.0 4.05 1.2 4.06 4.61 1.3 5.0 1.4 6.0 1.5

JavaScript 2.0X 1.0 3.0X 1.1 4.0 4.05 1.2 4.06 4.61 1.3 5.0 1.4 6.0 1.5 JavaScript Diego R. Frank, Leonardo Seibt FIT Faculdades de Informática de Taquara Fundação Educacional Encosta Inferior do Nordeste Av. Oscar Martins Rangel, 4500 Taquara RS Brasil difrank@terra.com.br,

Leia mais

Tecnologias para Web Design

Tecnologias para Web Design Tecnologias para Javascript e DOM Introdução à Scripts Um script do lado cliente é um programa que acompanha um documento HTML Pode estar incluído no próprio documento embutido ou acompanha-lo num arquivo

Leia mais

Introdução ao PHP. Prof. Késsia Marchi

Introdução ao PHP. Prof. Késsia Marchi Introdução ao PHP Prof. Késsia Marchi PHP Originalmente PHP era um assíncrono para Personal Home Page. De acordo com convenções para atribuições de nomes recursivas do GNU foi alterado para PHP Hypertext

Leia mais

CONCURSO PÚBLICO EDITAL N o 135/2011 FUNÇÃO: ANALISTA DE INFORMÁTICA ÁREA DE DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS (NOME COMPLETO EM LETRA DE FORMA) INSTRUÇÕES

CONCURSO PÚBLICO EDITAL N o 135/2011 FUNÇÃO: ANALISTA DE INFORMÁTICA ÁREA DE DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS (NOME COMPLETO EM LETRA DE FORMA) INSTRUÇÕES UNIVERSIDADE ESTADUAL DE PONTA GROSSA COMISSÃO PERMANENTE DE SELEÇÃO CONCURSO PÚBLICO EDITAL N o 135/2011 FUNÇÃO: ANALISTA DE INFORMÁTICA ÁREA DE DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS (NOME COMPLETO EM LETRA DE

Leia mais

Programando em PHP. Conceitos Básicos

Programando em PHP. Conceitos Básicos Programando em PHP www.guilhermepontes.eti.br lgapontes@gmail.com Conceitos Básicos Todo o escopo deste estudo estará voltado para a criação de sites com o uso dos diversos recursos de programação web

Leia mais

JavaScript (Funções, Eventos e Manipulação de Formulários)

JavaScript (Funções, Eventos e Manipulação de Formulários) Linguagem de Programação para Web JavaScript (Funções, Eventos e Manipulação de Formulários) Prof. Mauro Lopes 1-31 23 Objetivos Iremos avançar um pouco mais em nosso estudo sobre o JavaScript. Iremos

Leia mais

BCValidador VALIDAÇÃO DE ARQUIVOS XML RECEBIDOS PELO BANCO CENTRAL DO BRASIL

BCValidador VALIDAÇÃO DE ARQUIVOS XML RECEBIDOS PELO BANCO CENTRAL DO BRASIL BCValidador VALIDAÇÃO DE ARQUIVOS XML RECEBIDOS PELO BANCO CENTRAL DO BRASIL Deinf/Dine4 Versão 1.3 20/05/2013 Histórico de Revisão Data Versão Descrição Autor 06/11/2007 1.0 Elaboração da primeira versão

Leia mais

DOCUMENTAÇÃO DO FRAMEWORK - versão 2.0

DOCUMENTAÇÃO DO FRAMEWORK - versão 2.0 DOCUMENTAÇÃO DO FRAMEWORK - versão 2.0 Índice 1 - Objetivo 2 - Descrição do ambiente 2.1. Tecnologias utilizadas 2.2. Estrutura de pastas 2.3. Bibliotecas já incluídas 3 - Características gerais 4 - Criando

Leia mais

Linguagem de. Aula 06. Profa Cristiane Koehler cristiane.koehler@canoas.ifrs.edu.br

Linguagem de. Aula 06. Profa Cristiane Koehler cristiane.koehler@canoas.ifrs.edu.br Linguagem de Programação IV -PHP Aula 06 Profa Cristiane Koehler cristiane.koehler@canoas.ifrs.edu.br Criação de Formulários o Um formulário consiste em uma série de campos que são preenchidos pelo usuário

Leia mais

13 Conectando PHP com MySQL 13.1 Introdução

13 Conectando PHP com MySQL 13.1 Introdução 13 Conectando PHP com MySQL 13.1 Introdução Agora que você já tem uma idéia básica de comandos MySQL, poderemos ver como a linguagem PHP pode interagir com este banco de dados através de inúmeras funções.

Leia mais

Web Browser como o processo cliente. Servidor web com páginas estáticas Vs. Aplicações dinâmicas para a Web:

Web Browser como o processo cliente. Servidor web com páginas estáticas Vs. Aplicações dinâmicas para a Web: Web Browser como o processo cliente Servidor web com páginas estáticas Vs Aplicações dinâmicas para a Web: 1 Cliente Web browser HTTP porto 80 Servidor web... JDBC RMI XML... Base de Dados Aplicação em

Leia mais

1-03/11/03 INTRODUÇÃO

1-03/11/03 INTRODUÇÃO 1-03/11/03 INTRODUÇÃO JavaScript é uma linguagem que permite injetar lógica em páginas escritas em HTML (HiperText Mark-up Language). As páginas HTML podem ser escritas utilizando-se editores de texto,

Leia mais

Curso de Java. Geração de Páginas WEB. TodososdireitosreservadosKlais

Curso de Java. Geração de Páginas WEB. TodososdireitosreservadosKlais Curso de Java Geração de Páginas WEB Aplicação WEB Numa aplicação WEB de conteúdo dinâmico As páginas são construídas a partir de dados da aplicação (mantidos num banco de dados). Usuários interagem com

Leia mais

Criando e Entendendo o Primeiro Servlet Por: Raphaela Galhardo Fernandes

Criando e Entendendo o Primeiro Servlet Por: Raphaela Galhardo Fernandes Criando e Entendendo o Primeiro Servlet Por: Raphaela Galhardo Fernandes Resumo Neste tutorial serão apresentados conceitos relacionados a Servlets. Ele inicial como uma breve introdução do funcionamento

Leia mais

Unidade 9: Middleware JDBC para Criação de Beans

Unidade 9: Middleware JDBC para Criação de Beans Programação Servidor para Sistemas Web 1 Unidade 9: Middleware JDBC para Criação de Beans Implementando MVC Nível 1 Prof. Daniel Caetano Objetivo: Preparar o aluno para construir classes de entidade com

Leia mais

Conteúdo. DHTML tópicos Hamilton Lima - 2002-2004

Conteúdo. DHTML tópicos Hamilton Lima - 2002-2004 DHTML tópicos Hamilton Lima - 2002-2004 Conteúdo 1. meu primeiro script... 2 2. DOM Document Object Model...2 3. tipo de execução de scripts...2 4. resposta a um evento... 3 5. tipos de dados, variaveis

Leia mais

Desenvolvimento de Sistemas Web Prof. Leandro Roberto. Aula 18 JavaScript: Eventos MySQL PHP (insert, update e delete)

Desenvolvimento de Sistemas Web Prof. Leandro Roberto. Aula 18 JavaScript: Eventos MySQL PHP (insert, update e delete) Desenvolvimento de Sistemas Web Prof. Leandro Roberto Aula 18 JavaScript: Eventos MySQL PHP (insert, update e delete) JavaScript Eventos Alguns eventos de uma página HTML podem ser interceptados e programados

Leia mais

Programação Web Aula 12 - Java Web Software

Programação Web Aula 12 - Java Web Software Programação Web Aula 12 - Java Web Software Bruno Müller Junior Departamento de Informática UFPR 25 de Maio de 2015 1 Java 2 Java Web Software 3 Servlets Modelo de Trabalho Funcionamento API Java Código

Leia mais

Sistemas Distribuídos na WEB (Plataformas para Aplicações Distribuídas)

Sistemas Distribuídos na WEB (Plataformas para Aplicações Distribuídas) Sistemas Distribuídos na WEB (Plataformas para Aplicações Distribuídas) Web Container: e JSP Sumário Protocolo HTTP Exemplos de JSP (Java Server Pages) Exemplos JSP 2 Protocolo HTTP URL: Um URL (Uniform

Leia mais

Arquitetura de Aplicações JSP/Web. Padrão Arquitetural MVC

Arquitetura de Aplicações JSP/Web. Padrão Arquitetural MVC Arquitetura de Aplicações JSP/Web Padrão Arquitetural MVC Arquitetura de Aplicações JSP/Web Ao projetar uma aplicação Web, é importante considerála como sendo formada por três componentes lógicos: camada

Leia mais

Tencologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas Disciplina: WEB I Conteúdo: WEB Container Aula 04

Tencologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas Disciplina: WEB I Conteúdo: WEB Container Aula 04 Tencologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas Disciplina: WEB I Conteúdo: WEB Container Aula 04 Agenda 1. 2. Web Container TomCat 2 3 J2EE permite criar aplicações Web dinâmicas (com conteúdo dinâmico)

Leia mais

Java. Marcio de Carvalho Victorino www.dominandoti.eng.br

Java. Marcio de Carvalho Victorino www.dominandoti.eng.br Java Marcio de Carvalho Victorino www.dominandoti.eng.br 3. Considere as instruções Java abaixo: int cont1 = 3; int cont2 = 2; int cont3 = 1; cont1 += cont3++; cont1 -= --cont2; cont3 = cont2++; Após a

Leia mais

Java II. Sérgio Luiz Ruivace Cerqueira sergioruivace@gmail.com

Java II. Sérgio Luiz Ruivace Cerqueira sergioruivace@gmail.com Java II Sérgio Luiz Ruivace Cerqueira sergioruivace@gmail.com Servlets Servlet Aplicação Java que é executada no servidor que estende a capacidade do servidor Web Alternativa Java para os scripts CGI Gerenciado

Leia mais

HTML - 7. Vitor Vaz da Silva Paula Graça

HTML - 7. Vitor Vaz da Silva Paula Graça HTML - 7 Vitor Vaz da Silva Paula Graça 1 Formulários Os formulários forms no HTML, são utilizados para a introdução de dados de uma determinada aplicação Os programas JavaScript têm como um dos seus maiores

Leia mais

Sobre o Professor Dr. Sylvio Barbon Junior

Sobre o Professor Dr. Sylvio Barbon Junior 5COP088 Laboratório de Programação Aula 1 Java Prof. Dr. Sylvio Barbon Junior Sylvio Barbon Jr barbon@uel.br 1 Sobre o Professor Dr. Sylvio Barbon Junior Formação: Ciência e Engenharia da Computação (2005

Leia mais

O que é o Javascript?

O que é o Javascript? O que é o Javascript? JavaScript é uma linguagem para criação de Home-Pages. Funções escritas em JavaScript podem ser embutidas dentro de seu documento HTML. Com JavaScript você tem muitas possibilidades

Leia mais

COMO FUNCIONA UM FORMULÁRIO

COMO FUNCIONA UM FORMULÁRIO FORMULÁRIOS Constitui-se numa das formas de a máquina cliente enviar informações para que um programa no servidor receba estes dados, processe-os e devolva uma resposta ao usuário, por meio do navegador,

Leia mais

Autenticação e Autorização

Autenticação e Autorização Autenticação e Autorização Introdução A segurança em aplicações corporativas está relacionada a diversos aspectos, tais como: autenticação, autorização e auditoria. A autenticação identifica quem acessa

Leia mais

Desenvolvendo Aplicações Web com NetBeans

Desenvolvendo Aplicações Web com NetBeans Desenvolvendo Aplicações Web com NetBeans Aula 3 Cap. 4 Trabalhando com Banco de Dados Prof.: Marcelo Ferreira Ortega Introdução O trabalho com banco de dados utilizando o NetBeans se desenvolveu ao longo

Leia mais

Gerador de código JSP baseado em projeto de banco de dados MySQL

Gerador de código JSP baseado em projeto de banco de dados MySQL Gerador de código JSP baseado em projeto de banco de dados MySQL Juliane Menin Orientanda Prof. Alexander Roberto Valdameri Orientador Roteiro Introdução e Objetivos Fundamentação Teórica Especificação

Leia mais

Prática Sobre Servlets e JSP

Prática Sobre Servlets e JSP Prática Sobre Servlets e JSP 1. Localize a pasta do Tomcat (TOMCAT_HOME); 2. Acesse a pasta bin e execute tomcat5w.exe; 3. Abra o Navegador e acesse http://localhost:8080 (A apresentação de uma página

Leia mais

Manual de Integração Via Gadget. Passo a passo para realizar a integração entre websites e a plataforma Virtual Target.

Manual de Integração Via Gadget. Passo a passo para realizar a integração entre websites e a plataforma Virtual Target. Manual de Integração Via Gadget Passo a passo para realizar a integração entre websites e a plataforma Virtual Target. Manual de Integração Via Gadget 1. Introdução 1.1. O que é? Virtual Target Gadgets

Leia mais

Uso de servlets nas aplicações web desenvolvidas para a plataforma java 1

Uso de servlets nas aplicações web desenvolvidas para a plataforma java 1 Uso de servlets nas aplicações web desenvolvidas para a plataforma java 1 Resumo Em uma interação feita em uma aplicação Web existem tarefas que devem ser executadas no servidor, tais como processamento

Leia mais

Desenvolvimento de Aplicações Web. Prof. José Eduardo A. de O. Teixeira www.vqv.com.br / j.edu@vqv.com.br

Desenvolvimento de Aplicações Web. Prof. José Eduardo A. de O. Teixeira www.vqv.com.br / j.edu@vqv.com.br Desenvolvimento de Aplicações Web Programação Contextualização de aplicações Web: navegadores e servidores como interpretadores, tecnologias do lado do cliente (XHTML, CSS, Javascript) e do lado do servidor

Leia mais

O uso de exceções permite separar a detecção da ocorrência de uma situação excepcional do seu tratamento, ao se programar um método em Java.

O uso de exceções permite separar a detecção da ocorrência de uma situação excepcional do seu tratamento, ao se programar um método em Java. Exceções em Java Miguel Jonathan DCC/IM/UFRJ (rev. abril de 2011) Resumo dos conceitos e regras gerais do uso de exceções em Java O uso de exceções permite separar a detecção da ocorrência de uma situação

Leia mais

Recursos avançados e Orientação a Objetos no PHP

Recursos avançados e Orientação a Objetos no PHP Recursos avançados e Orientação a Objetos no PHP Edgar Rodrigues Sandi edgar@season.com.br Gerente de projetos Desenvolvedor PHP e Java Ministra os treinamentos: Linguagens de Programação PHP I Fundamentos

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE PARA INTERNET LABORATÓRIO 1 PROF. EMILIO PARMEGIANI

DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE PARA INTERNET LABORATÓRIO 1 PROF. EMILIO PARMEGIANI DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE PARA INTERNET LABORATÓRIO 1 PROF. EMILIO PARMEGIANI Exercício 1 Neste exercício trabalharemos com alguns web controls básicos e praticaremos os tipos de dados do C#. Vamos criar

Leia mais

Conteúdo Dinâmico. Introdução. Interação Browser x Servidor Web. Interação Browser x Servidor Web

Conteúdo Dinâmico. Introdução. Interação Browser x Servidor Web. Interação Browser x Servidor Web Introdução Formulários rios & Conteúdo Dinâmico Mário Antonio Meireles Teixeira Dept o. de Informática - UFMA A Web surgiu inicialmente como uma nova forma de comunicação de informações, fazendo uso de

Leia mais

19/05/2009. Módulo 1

19/05/2009. Módulo 1 ASP.NET Módulo 1 Objetivo Mostrar os conceitos fundamentais da plataforma Microsoft.Net e suas ferramentas; Apresentar os conceitos fundamentais de aplicações web e seus elementos; Demonstrar de forma

Leia mais

INTRODUÇÃO AO DESENVOLVIMENTO WEB

INTRODUÇÃO AO DESENVOLVIMENTO WEB INTRODUÇÃO AO DESENVOLVIMENTO WEB PROFª. M.Sc. JULIANA H Q BENACCHIO Formulários Os formulários em HTML são usados para selecionar diferentes tipos de entradas do usuário. Um formulário é uma área que

Leia mais

XML e Banco de Dados. Prof. Daniela Barreiro Claro DCC/IM/UFBA

XML e Banco de Dados. Prof. Daniela Barreiro Claro DCC/IM/UFBA XML e Banco de Dados DCC/IM/UFBA Banco de Dados na Web Armazenamento de dados na Web HTML muito utilizada para formatar e estruturar documentos na Web Não é adequada para especificar dados estruturados

Leia mais

Exibir relatórios gerados pelo Jasper Report em Flex

Exibir relatórios gerados pelo Jasper Report em Flex Exibir relatórios gerados pelo Jasper Report em Flex Autor: Roberto Lourenço de Oliveira Júnior Email: robertojr at comp dot ufla dot br Página pessoal: http://alunos.dcc.ufla.br/~robertojr O Jasper Report

Leia mais

Acesso a Banco. Conexão em Java. Conexão em Java. Programação Orientada a Objetos Profa. Cristiane e Prof. Daniel

Acesso a Banco. Conexão em Java. Conexão em Java. Programação Orientada a Objetos Profa. Cristiane e Prof. Daniel Acesso a Banco Programação Orientada a Objetos Profa. Cristiane e Prof. Daniel As conexões em Java são feitas através de uma ponte que implementa todas as funcionalidades que um banco de dados padrão deve

Leia mais

Prof. Jhonatan Fernando

Prof. Jhonatan Fernando Prof. Jhonatan Fernando Métodos Programação OO Instâncias de variáveis (objetos) Mensagens Classes Herança Polimorfismo Encapsulamento Abstração Programação Estruturada Procedimentos e funções Variáveis

Leia mais

LINGUAGEM DE PROGRAMAÇÃO WEB

LINGUAGEM DE PROGRAMAÇÃO WEB LINGUAGEM DE PROGRAMAÇÃO WEB GABRIELA TREVISAN Formulários e Aula 3 Relembrando HTML 5 Tag Form o Utilizada para marcar a região do formulário. o Os atributos mais importantes são o method e o action.

Leia mais

J820. Testes de interface Web com. HttpUnit. argonavis.com.br. Helder da Rocha (helder@acm.org)

J820. Testes de interface Web com. HttpUnit. argonavis.com.br. Helder da Rocha (helder@acm.org) J820 Testes de interface Web com HttpUnit Helder da Rocha (helder@acm.org) O que é HttpUnit API Java para comunicação com servidores HTTP Permite que programas construam e enviem requisições, e depois

Leia mais

JSP - ORIENTADO A OBJETOS

JSP - ORIENTADO A OBJETOS JSP Orientação a Objetos... 2 CLASSE:... 2 MÉTODOS:... 2 Método de Retorno... 2 Método de Execução... 2 Tipos de Dados... 3 Boolean... 3 Float... 3 Integer... 4 String... 4 Array... 4 Primeira:... 4 Segunda:...

Leia mais

AJAX é baseado nos seguintes padrões WEB: JavaScript, XML, HTML, CSS.

AJAX é baseado nos seguintes padrões WEB: JavaScript, XML, HTML, CSS. AJAX AJAX é acrônimo de Asynchronous JavaScript And XML. É um tipo de programação que se tornou popular in 2005 pela Google (com Google Suggest). AJAX não é uma nova linguagem de programação, mas uma nova

Leia mais

Mini-curso de PHP. Aulas ministradas por: André Luis de Paula Arthur Kalsing Diego Silva

Mini-curso de PHP. Aulas ministradas por: André Luis de Paula Arthur Kalsing Diego Silva Mini-curso de PHP Aulas ministradas por: André Luis de Paula Arthur Kalsing Diego Silva Aula 1 Breve introdução de HTML, Conceitos básicos de PHP, Sintaxe, Separador de instruções e Comentários (Cap 1

Leia mais

Mais sobre uso de formulários Site sem Ajax

Mais sobre uso de formulários Site sem Ajax Mais sobre uso de formulários Site sem Ajax Página com busca padrão 1 Página com o resultado da busca carregada no local da anterior (o formulário está vazio) Site com Ajax 2 Site usando Ajax para preencher

Leia mais

Instituto Federal do Sertão-PE. Curso de PHP. Professor: Felipe Correia

Instituto Federal do Sertão-PE. Curso de PHP. Professor: Felipe Correia Instituto Federal do Sertão-PE Curso de PHP Professor: Felipe Correia Conteúdo Parte I Parte II Introdução Funções de strings Instalação Constantes Sintaxe Operadores Variáveis if else elseif Echo/Print

Leia mais

Desenvolvimento Web TCC-00.226 Turma A-1

Desenvolvimento Web TCC-00.226 Turma A-1 Desenvolvimento Web TCC-00.226 Turma A-1 Conteúdo Arquitetura de Aplicações Distribuídas na Web Professor Leandro Augusto Frata Fernandes laffernandes@ic.uff.br Material disponível em http://www.ic.uff.br/~laffernandes/teaching/2013.2/tcc-00.226

Leia mais

WEBDESIGN. Professor: Paulo Marcos Trentin - paulo@paulotrentin.com.br http://www.paulotrentin.com.br Escola CDI de Videira

WEBDESIGN. Professor: Paulo Marcos Trentin - paulo@paulotrentin.com.br http://www.paulotrentin.com.br Escola CDI de Videira WEBDESIGN Professor: Paulo Marcos Trentin - paulo@paulotrentin.com.br http://www.paulotrentin.com.br Escola CDI de Videira Formulários e JavaScript Como visto anteriormente, JavaScript pode ser usada para

Leia mais

Conteúdo. Linguagem Estática x Dinâmica O que é PHP? Configurando o Ambiente do PHP Sintaxe

Conteúdo. Linguagem Estática x Dinâmica O que é PHP? Configurando o Ambiente do PHP Sintaxe Unidade IV Introdução à Linguagem PHP Parte 1 Professor Fabiano de Paula Soldati fpsoldati@yahoo.com.br http://br.groups.yahoo.com/group/professorsoldati/ Conteúdo Linguagem Estática x Dinâmica O que é

Leia mais

Conceitos de Ajax Exemplos de uso do Ajax no braço, muitos exemplos, muito código (HTML, CSS, JavaScript, PHP, XML, JSON)

Conceitos de Ajax Exemplos de uso do Ajax no braço, muitos exemplos, muito código (HTML, CSS, JavaScript, PHP, XML, JSON) Márcio Koch 1 Currículo Formado na FURB em Ciência da Computação Pós graduado em Tecnologias para o desenvolvimento de aplicações web Mestrando em Computação Gráfica na UDESC Arquiteto de software na Senior

Leia mais

Introdução a Servlets e JSP. Prof. Samuel Martins samuellunamartins at gmail dot com Faculdade São Miguel

Introdução a Servlets e JSP. Prof. Samuel Martins samuellunamartins at gmail dot com Faculdade São Miguel Introdução a Servlets e JSP samuellunamartins at gmail dot com Conteúdo da aula Introdução a HTML Introdução a Servlets Preparando o ambiente de programação Exemplo de Servlets 2 Websites na década de

Leia mais

Prof. Roberto Desenvolvimento Web Avançado

Prof. Roberto Desenvolvimento Web Avançado Resposta exercício 1: Configuração arquivo web.xml helloservlet br.com.exercicios.helloservlet

Leia mais

Introdução ao ASP.NET

Introdução ao ASP.NET Introdução ao ASP.NET Miguel Isidoro Agenda ASP ASP.NET Server Controls Separação de Código e Apresentação Acesso a Dados Web Services Aplicações Web ASP.NET 1 ASP Razões do Sucesso Modelo de programação

Leia mais

TECNOLOGIAS WEB. Unidade 2 Introdução a Construção de Páginas Estáticas. Luiz Leão luizleao@gmail.com http://luizleao.com

TECNOLOGIAS WEB. Unidade 2 Introdução a Construção de Páginas Estáticas. Luiz Leão luizleao@gmail.com http://luizleao.com Luiz Leão luizleao@gmail.com http://luizleao.com CONTEÚDO PROGRAMÁTICO DESTA UNIDADE HTML TAG S HTML LINGUAGEM HTML Hypertext Markup Language Interpretada pelo navegador Não linearidade da informação Formatação

Leia mais

!" # # # $ %!" " & ' ( 2

! # # # $ %!  & ' ( 2 !"# # #$ %!" "& ' ( 2 ) *+, - 3 . / 4 !" 0( # "!#. %! $""! # " #.- $ 111.&( ( 5 # # 0. " % * $(, 2 % $.& " 6 # #$ %% Modelo (Encapsula o estado da aplicação) Implementado como JavaBeans Responde a consulta

Leia mais

FBV - Linguagem de Programação II. Um pouco sobre Java

FBV - Linguagem de Programação II. Um pouco sobre Java FBV - Linguagem de Programação II Um pouco sobre Java História 1992: um grupo de engenheiros da Sun Microsystems desenvolve uma linguagem para pequenos dispositivos, batizada de Oak Desenvolvida com base

Leia mais

Programação WEB (JSP + Banco Dados) Eng. Computação Prof. Rodrigo Rocha http://www.materialdeaula.com.br

Programação WEB (JSP + Banco Dados) Eng. Computação Prof. Rodrigo Rocha http://www.materialdeaula.com.br Programação WEB (JSP + Banco Dados) Eng. Computação Prof. Rodrigo Rocha http://www.materialdeaula.com.br JSP (Java Server Pages) - JavaServer Pages (JSP) - Tecnologia de programação serverside - Permite

Leia mais

Ferramentas para Multimídia e Internet - 1486

Ferramentas para Multimídia e Internet - 1486 1 Ferramentas para Multimídia e Internet - 1486 HTML BÁSICO: O que é uma página WEB? Uma página WEB, também conhecida pelo termo inglês webpage, é uma "página" na World Wide Web, geralmente em formato

Leia mais

Java para WEB. Servlets

Java para WEB. Servlets Servlets Servlets são classes Java que são instanciadas e executadas em associação com servidores Web, atendendo requisições realizadas por meio do protocolo HTTP. Servlets é a segunda forma que veremos

Leia mais

AULA 4 VISÃO BÁSICA DE CLASSES EM PHP

AULA 4 VISÃO BÁSICA DE CLASSES EM PHP AULA 4 VISÃO BÁSICA DE CLASSES EM PHP Antes de mais nada, vamos conhecer alguns conceitos, que serão importantes para o entendimento mais efetivos dos assuntos que trataremos durante a leitura desta apostila.

Leia mais

Java na WEB Servlet. Sumário

Java na WEB Servlet. Sumário 1 Java na WEB Servlet Objetivo: Ao final da aula o aluno será capaz de: Utilizar Servlets para gerar páginas web dinâmicas. Utilizar Servlets para selecionar páginas JSPs. Utilizar Servlets como elemento

Leia mais

Acessando um Banco de Dados

Acessando um Banco de Dados Acessando um Banco de Dados Introdução Agora que você já está craque em JSP e já instalou seu servidor, vamos direto para a parte prática! Neste tutorial vamos aprender a acessar um banco de dados. Para

Leia mais

Curso Adonai QUESTÕES Disciplina Linguagem JAVA

Curso Adonai QUESTÕES Disciplina Linguagem JAVA 1) Qual será o valor da string c, caso o programa rode com a seguinte linha de comando? > java Teste um dois tres public class Teste { public static void main(string[] args) { String a = args[0]; String

Leia mais

Programação WEB Introdução

Programação WEB Introdução Programação WEB Introdução Rafael Vieira Coelho IFRS Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul Campus Farroupilha rafael.coelho@farroupilha.ifrs.edu.br Roteiro 1) Conceitos

Leia mais

INTRODUÇÃO AO C++ SISTEMAS DE INFORMAÇÃO DR. EDNALDO B. PIZZOLATO

INTRODUÇÃO AO C++ SISTEMAS DE INFORMAÇÃO DR. EDNALDO B. PIZZOLATO INTRODUÇÃO AO C++ SISTEMAS DE INFORMAÇÃO DR. EDNALDO B. PIZZOLATO Tópicos Estrutura Básica B de Programas C e C++ Tipos de Dados Variáveis Strings Entrada e Saída de Dados no C e C++ INTRODUÇÃO O C++ aceita

Leia mais

www.coldfusionbrasil.com.br

www.coldfusionbrasil.com.br www.coldfusionbrasil.com.br 2000 PASSANDO VARIÁVEIS ATRAVÉS DE FORM E URL 3 ALTERA.CFM 3 FORMALTERA.CFM 4 ALTERA.CFM 4 FORMALTERA.CFM 4 CRIANDO E MANIPULANDO VARIÁVEIS COM CFSET 4 VALORES ESTÁTICOS 5 PARÂMETROS

Leia mais

Escola Superior de Gestão e Tecnologia. Tratamento de Exceções

Escola Superior de Gestão e Tecnologia. Tratamento de Exceções Escola Superior de Gestão e Tecnologia Tratamento de Exceções Objetivos Compreender como o tratamento de exceção e de erro funciona. Como u4lizar try, throw e catch para detectar, indicar e tratar exceções,

Leia mais

PROGRAMAÇÃO ORIENTADA A OBJETOS -TRATAMENTO DE EXCEÇÕES. Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. frozza@ifc-camboriu.edu.br

PROGRAMAÇÃO ORIENTADA A OBJETOS -TRATAMENTO DE EXCEÇÕES. Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. frozza@ifc-camboriu.edu.br PROGRAMAÇÃO ORIENTADA A OBJETOS -TRATAMENTO DE EXCEÇÕES Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. frozza@ifc-camboriu.edu.br ROTEIRO 5. Tratamento de Exceções Introdução e conceitos Capturando exceção usando

Leia mais

Conceitos de Linguagens de Programação

Conceitos de Linguagens de Programação Conceitos de Linguagens de Programação Aula 07 Nomes, Vinculações, Escopos e Tipos de Dados Edirlei Soares de Lima Introdução Linguagens de programação imperativas são abstrações

Leia mais

O código JavaScript deve ser colocado entre tags de comentário para ficar escondido no caso de navegadores antigos que não reconhecem a linguagem.

O código JavaScript deve ser colocado entre tags de comentário para ficar escondido no caso de navegadores antigos que não reconhecem a linguagem. 1 - O que é JAVASCRIPT? É uma linguagem de script orientada a objetos, usada para aumentar a interatividade de páginas Web. O JavaScript foi introduzido pela Netscape em seu navegador 2.0 e posteriormente

Leia mais

( JUDE Community 5.1 2006/2007 ) Por Denize Terra Pimenta Outubro/2007

( JUDE Community 5.1 2006/2007 ) Por Denize Terra Pimenta Outubro/2007 Tutorial JUDE ( JUDE Community 5.1 2006/2007 ) Por Denize Terra Pimenta Outubro/2007 Ferramenta CASE UML Índice Introdução... 2 Download e Instalação... 2 Apresentação da Ferramenta... 2 Salvando o Projeto...

Leia mais

MANUAL DE NORMAS PARA DESENVOLVIMENTO DE CÓDIGO DA FÁBRICA VIRTUAL DE SOFTWARE DA FIPP. Curso Superior de Tecnologia em Sistemas para Internet 2/2014

MANUAL DE NORMAS PARA DESENVOLVIMENTO DE CÓDIGO DA FÁBRICA VIRTUAL DE SOFTWARE DA FIPP. Curso Superior de Tecnologia em Sistemas para Internet 2/2014 MANUAL DE NORMAS PARA DESENVOLVIMENTO DE CÓDIGO DA FÁBRICA VIRTUAL DE SOFTWARE DA FIPP Curso Superior de Tecnologia em Sistemas para Internet 2/2014 1. Nomes e localização dos arquivos do projeto: O template

Leia mais

Mini-Tutorial. Como criar relatórios Java para Web com JasperReports e ireport por Roberto J. Furutani 20/07/2005 www.furutani.eti.

Mini-Tutorial. Como criar relatórios Java para Web com JasperReports e ireport por Roberto J. Furutani 20/07/2005 www.furutani.eti. Mini-Tutorial Como criar relatórios Java para Web com JasperReports e ireport por Roberto J. Furutani 20/07/2005 www.furutani.eti.br 1. Introdução O objetivo deste trabalho é mostrar de forma prática como

Leia mais

Guia de Fatores de Qualidade de OO e Java

Guia de Fatores de Qualidade de OO e Java Qualiti Software Processes Guia de Fatores de Qualidade de OO e Java Versã o 1.0 Este documento só pode ser utilizado para fins educacionais, no Centro de Informática da Universidade Federal de Pernambuco.

Leia mais