APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL"

Transcrição

1 APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL

2 Aviso Geral Algumas afirmações nesta apresentação podem ser projeções ou afirmações sobre expectativas futuras. Tais afirmações estão sujeitas a riscos conhecidos e desconhecidos e incertezas que podem fazer com que tais expectativas não se concretizem ou sejam substancialmente diferentes do que era esperado. Estes riscos incluem, entre outros, modificações na demanda futura pelos produtos da Companhia, modificações nos fatores que afetam os preços domésticos e internacionais dos produtos, mudanças na estrutura de custos, modificações na sazonalidade dos mercados, mudanças nos preços praticados pelos concorrentes, variações cambiais, mudanças no cenário político-econômico brasileiro, nos mercados emergentes e internacional. 2

3 0 Visão Geral 02 Florestal 03 Papel 04 Celulose 05 Unidade Maranhão 06 Biotecnologia 07 Suzano Energia Renovável 08 Resultado Financeiro

4 Visão Geral A Suzano é uma empresa de base florestal, de capital aberto, controlada pela Suzano Holding. Atua nos segmentos de celulose de mercado e de papel Estrada de Ferro de Carajás Porto de Itaqui Porto Pecém 2º maior produtor mundial de celulose de eucalipto 8ª em celulose de mercado Custos de produção de celulose entre os mais baixos do mundo Líder regional no mercado de papéis Plantios e produtos certificados Florestas Portos Fábricas Ferrovias Maranhão Estrada de Ferro Norte E Sul Limeira Suzano Embu Rio Verde Piauí Santos Mucuri Portocel Vitória Crescimento orgânico em celulose Novos negócios: biotecnologia e pellets de madeira para energia Valor de Mercado: R$ 5,9 bilhões em 30/09/2 Estrutura de Capital (setembro/2) Grupo Controlador 56% 43% Free Float % Tesouraria 4

5 Portfólio de Produtos Balanceado e Complementar O portfólio de produtos Suzano é composto por celulose de mercado, papelcartão, papel não revestido e papel revestido Receita Líquida 52% ME / 48% MI R$ 5, bilhões Celulose de Mercado 2º produtor mundial de celulose de eucalipto 4% Papéis 59% Papelcartão 2º no Brasil com 26% de market share 3% Imprimir e Escrever 44% Não Revestidos 2º no Brasil com 36% de market share 35% Revestidos º no Brasil com 32% de market share 9% Nota: Dados dos últimos 2 meses findos em 30/09/202 Outros papéis representaram 3% da Receita Líquida no período Os valores de market share incluem importações de papel 5

6 Linha do Tempo A Suzano tem mais de 80 anos de atuação 924 a a Ínicio da operação na indústria de papel Início da primeira fábrica de papel Entrada no segmento de celulose Aquisição da fábrica de Suzano Crescimento e diversificação no négocio de papel e celulose Início das exportações de papel para Europa Início da produção de celulose pela Bahia Sul Consolidação como um dos maiores Grupos brasileiros Aquisição da Ripasa (50%) Suzano 2024 Novo Ciclo de Crescimento Leon Feffer inicia atividades de revenda de papéis nacionais e importados Pioneirismo no cultivo de eucalipto Aquisição do controle acionário das Indústrias de Papel Rio Verde 992 Lançamento do papel Report Incorporação da Bahia Sul Adesão ao Nível I de Governança Corporativa e profissionalização da gestão Start up da Linha 2 de Mucuri Aquisição da FuturaGene, PLC. Suzano Energia Renovável Aquisição de 50% da Conpacel e KSR. 6 6

7 Estratégia da Suzano Plano Suzano 2024 A competitividade florestal consolida o negócio de celulose e abre caminho para novas oportunidades de negócios em Biotecnologia e Energia Renovável Competência Florestal Excelência operacional no papel Crescimento orgânico em celulose Pellets de madeira Biotecnologia 7

8 Crescimento Orgânico em Celulose A capacidade de produção da Suzano cresceu 30% nos últimos 6 anos. A Companhia está preparada para o novo ciclo de crescimento que aumentará a capacidade para 6,2 MM ton/ano de papel e celulose em 206 Unidade Piauí Unidade Maranhão e 204e 205e 206e Papel Celulose de Mercado Nota: A previsão para decisão de investimento em Piauí acontecerá no S4. 8

9 0 Visão Geral 02 Florestal 03 Papel 04 Celulose 05 Unidade Maranhão 06 Biotecnologia 07 Suzano Energia Renovável 08 Resultado Financeiro

10 Ativos Florestais Os diversos anos de pesquisa e desenvolvimento permitiram a expansão dos ativos florestais para a região nordeste do Brasil 202 Área total (mil ha) 804 Área plantada total (mil ha) Área própria plantada (mil ha) 348 MA, PI e TO Total: 388 mil ha Plantada: 03 mil ha Área plantada em Programa de Parceria Florestal (mil ha) 86 MA Área de preservação própria (mil ha) 3 TO PI Distância Média Bahia (km)² 73 BA Distância Média São Paulo (km)² 237 Base 30/09/202 Área própria e áreas arrendadas 2 Considera áreas próprias arrendadas e fomento SP MG ES BA, ES e MG Total: 229 mil ha Plantada: 28 mil ha 20 Plantio anual (mil ha) 87 SP Total: 87 mil ha Plantada: 7 mil ha Mudas plantadas / dia (mil) 356 Nota: Áreas próprias e arrendadas podem sofrer variações de até 5% de um trimestre para o outro. Os somatórios podem divergir devido a arredondamentos. 0

11 Competitividade Florestal do Brasil O Brasil reúne vantagens competitivas para continuar alavancando sua posição florestal no âmbito global Produtividade em Folhosas (m 3 /ha/ano) 40 Vantagem Competitiva - Brasil Disponibilidade de terras produtivas Excelentes condições de solo e climáticas Brasil Austrália Chile África do Sul EUA Portugal Finlândia Florestas plantadas de ciclo curto Potencial de recuperação de áreas degradadas Fonte: ABRAF, BRACELPA, Poyry, Adaptado por STCP Consultoria Baixos custos de formação e manutenção Rendimento em Celulose Mais madeira / hectare ton/ha/ano 5,5 ton/ha/ano +00% Biotecnologia Mais celulose / m³ Qualidade superior Menor área Custos decrescentes / m³ Fonte: Suzano

12 0 Visão Geral 02 Florestal 03 Papel 04 Celulose 05 Unidade Maranhão 06 Biotecnologia 07 Suzano Energia Renovável 08 Resultado Financeiro

13 Unidade de Negócio Papel Excelência operacional no Papel: gestão da receita e do portfólio de produtos, otimização dos ativos e fortalecimento do canal de distribuição Volume de Vendas (mil ton) Destinos das Vendas UDM Am. Norte % Outros 4% Am.Sul / 5% Central 7% Europa UDM Mercado Interno Mercado Externo Liderança na América do Sul nos papéis imprimir e escrever e no papelcartão branco Mais de 90% da produção total integrada com celulose Participação dos Papéis Suzano no MI UDM Papéis 63% Brasil Hedge cambial: cerca de 67% da receita do papel em moeda local Menor volatilidade de preços no mercado interno Distribuidoras próprias: SPP KSR: maior distribuidora de papéis gráficos na América Latina Stenfar: top 3 na Argentina Papelcartão 2º no Brasil 26% Não Revestidos 2º no Brasil Imprimir & escrever 35% Revestidos º no Brasil 36% 32% Últimos doze meses findos em 30/09/202 3

14 Crescimento do Mercado de Papel O crescimento econômico nos nossos mercados alvos impulsiona o consumo de papel Demanda de Papel - Brasil (mil ton) CAGR +3,7% a.a Imprimir & Escrever Estratégia Suzano Consolidação da posição de liderança no mercado doméstico Papelcartão Melhoria do mix de vendas entre mercado interno e externo 202e 207e Demanda de Papel América Latina 2 (mil ton) Diferenciação no modelo de atuação junto ao canal de distribuição na América Latina Estimativa de participação da América Latina no mix de vendas em 207: 95% CAGR +3,2% a.a Imprimir & Escrever Papelcartão e Papéis para Imprimir & Escrever sem pasta mecânica I 2 América Latina excluindo Brasil Fonte: RISI 4

15 Importação de Papel Desvalorização do Real frente ao Dólar e ações governamentais de combate ao desvio de finalidade resultaram na redução da participação dos importados nas linhas em que a Suzano atua Participação de importados por linha de produto (%) 62% 58% % 6% 7% 7% Revestido Não-Revestido Papelcartão 9M 9M2 Participação dos Papéis Revestidos Importados no Mercado Brasileiro (%) Medidas do Governo +8,0 p.p. -,0 p.p. Licenças não automáticas e multas aplicadas em São Paulo Extensão do Recopi para abrangência nacional a partir de 203 Rotulagem do papel imune Aumento da alíquota de importação para alguns tipos de papéis (de 2% /4% para 25%) 53% 52% RECOPI 59% 6% 7% Licença não automática 6% Multas 55% 47% 57% 55% 60% T0 2T0 3T0 4T0 T 2T 3T 4T T2 2T2 3T2 Reconhecimento e Controle das Operações com Papel Imune Fonte: Bracelpa 5

16 0 Visão Geral 02 Florestal 03 Papel 04 Celulose 05 Unidade Maranhão 06 Biotecnologia 07 Suzano Energia Renovável 08 Resultado Financeiro

17 Unidade de Negócio Celulose Crescimento orgânico e sustentável: Presença nos principais mercados mundiais e relacionamento estratégico com clientes Volume de Vendas (mil ton) Destinos das Vendas UDM Brasil 22% Am. Norte 9% América Latina 2% 3% Europa UDM Ásia 37% Mercado Interno Mercado Externo Suporte técnico em cada escritório internacional: China, Suíça e EUA Vendas por segmento UDM 80% das vendas com contratos de longo prazo Mais de 50 clientes ativos Imprimir e Escrever 28% Parcerias estratégicas de longo prazo com clientes: Logística Tecnologia Assistência técnica pré e pós-venda Outros 3% Embalagens 7% 38% Fins Sanitários Foco em segmentos estratégicos de alto valor agregado Últimos doze meses findos em 30/09/202 Especiais 24% 7

18 Milhões de toneladas Cadeia de Papel e Celulose A celulose de mercado representa apenas 4% da fibra consumida para produção de papel Produção (MM ton) 5% Reciclados 72% 3 Consumo total de fibra 49% 83 Celulose integrada Minerais 8% 405 Fibra virgem 28% 53 Produção global de papel Celulose de mercado Imprimir & Escrever Papelcartão Fins Sanitários Corrugados Imprensa Outros BSKP 3 Outros BHKP 2 BEKP 202e 202e Bleached Eucalyptus Kraft Pulp 2 Bleached Hardwood Kraft Pulp 3 Bleached Softwood Kraft Pulp 4 Inclui pasta mecânica e sulfite Fonte: Poyry (nov/20) e PPPC (nov/202) 8

19 Consumo Global de Celulose Expectativa de crescimento no consumo de papel de 2,0% a.a. até 206 Demanda de Papel (milhões ton) Incremento da Demanda de Papel (milhões ton) CAGR +2,0% a.a e 20 Ásia América Latina Europa 206e Demanda de Papel por Segmento 206e (%) Fins Sanitários Papelcartão Especiais Imprimir & Escrever CAGR -6e +3,8% a.a. +3,0% a.a. +0,6% a.a. +0,5% a.a. Crescimento da demanda de papel é impulsionado pelo aumento do consumo em países emergentes O consumo de papéis para fins sanitários cresce inclusive em regiões desenvolvidas, em que o consumo de papéis para I&E decresce A fibra de eucalipto é muito apropriada para a fabricação de papéis para fins sanitários Fonte: Poyry (nov/20) 9

20 Drivers do Crescimento da Demanda de Celulose Historicamente nota-se alta correlação entre PIB e consumo de papel América do Norte 226 kg/ha/ano Europa Ocidental: 85 kg/ha/ano Oriental: 47 kg/ha/ano Ásia 9 kg/ha/ano EUA 233 kg/ha/ano PIB per capita: US$ 47 mil China 68 kg/ha/ano PIB per capita: US$ 4 mil Índia 9 kg/ha/ano PIB per capita: US$ mil América Latina 44 kg/ha/ano Brasil 47 kg/ha/ano PIB per capita: US$ mil Exclui China e Japão Fonte: Dados de consumo de papel 200 da Poyry (nov/20) e dados de PIB per capita de 200 do Fundo Monetário Internacional (set/20) 20

21 Volume de Fibra (MM ton) Demanda de Celulose A celulose de eucalipto tem substituído outras fibras curtas A competitividade da fibra de eucalipto favorece a substituição CAGR BEKP: +9,5%a.a Outros BHKP: -2,5%a.a. CAGR BEKP: +4,7% a.a. Outros BHKP: -2,5%a.a Volume de Mercado (MM ton) Celulose de Mercado BEKP Outros BHKP BSKP Celulose de Mercado: não inclui pasta mecânica 2 Bleached Eucalyptus Kraft Pulp 3 Outros Bleached Hardwood Kraft Pulp 4 Bleached Softwood Kraft Pulp Fonte: PPPC (nov/202) 2

22 Novas Capacidades de Papel e Celulose Novas capacidades de papel estão sendo implementadas, principalmente na Ásia, para atender o expressivo crescimento de consumo de papel na região Novas Capacidades, Fechamentos, Conversões e Restarts até 203 (milhões ton) Novas Capacidades Fechamentos, Conversões e Restarts Total Papel +7,5-3,2 +4,3 Imprimir & Escrever +3,5-2,9 +0,6 Fins Sanitários +4,0-0,3 +3,7 Celulose de Mercado +5,0 () -,2 (2) +3,8 Novas Capacidades Líquidas até 203 (milhões ton) Fins Sanitários I & E 4,3 3,7 0,6 Papel 3,8 Celulose Fechamentos de capacidade de celulose não competitiva Novas máquinas de papéis para fins sanitários, que utilizam celulose de eucalipto, na Ásia Equilíbrio de mercado em 203: aumento da demanda de papel, principalmente na Ásia, absorve a oferta das novas capacidades de celulose () Inclui projetos em construção com start up previsto até 203: Eldorado, Uruguai, Maranhão e Ilim (2) Inclui 3,0 milhões de toneladas de fechamento de capacidade e,8 milhão de toneladas de restarts Fonte: Brian McClay & Associates Inc. 22

23 Competitividade Brasileira A Suzano está na região de menor custo caixa em fibra da indústria Custo Caixa CIF / Europa (US$/ton) Brasil Chile Indonesia França EUA China Ibéria Finlândia Canadá Japão Chile Suécia Rússia Finlândia França EUA Suécia Canadá Leste Canadá (oeste) BC Costa Japão Fibra Curta Fibra Longa 5,6 MM ton 9,5 MM ton 2,9 MM ton 4,2 MM ton Custo Baixo Custo Alto Custo Baixo Custo Alto Fonte: Hawkins Wright (jul/ 202) 23

24 0 Visão Geral 02 Florestal 03 Papel 04 Celulose 05 Unidade Maranhão 06 Biotecnologia 07 Suzano Energia Renovável 08 Resultado Financeiro

25 Unidade Maranhão Visão Geral do Projeto PARÁ TOCANTINS GOIÁS DF EFC São Luís MARANHÃO Imperatriz FNS PIAUÍ MINAS GERAIS Teresina BAHIA Cidelândia Imperatriz Porto Franco CEARÁ PERNAMBUCO SERGIPE PARAÍBA ALAGOAS RIO GRANDE DO NORTE Florestal 25 anos de pesquisas na região ᅳ Capacidade anual de produção de 5 milhões de mudas ᅳ Custo de terra competitivo ~70% de suprimento de madeira própria no longo prazo Industrial Início de produção prevista para o 4T3,5 milhão de toneladas/ano de celulose de eucalipto de mercado ᅳ 00 MW de energia adicional disponível para venda Planta industrial referência em tecnologia, com os mais reconhecidos fornecedores de equipamentos contratados Projeto Capacitar Logística Outbound utiliza ferrovias locais Exportação por porto na região de São Luís (MA) Estrategicamente localizada para a distribuição de celulose nos mercados europeu e norte americano Administração Administração profissional com vasta experiência na execução de projetos ESPÍRITO SANTO Unidade Maranhão Imperatriz Estrada de Ferro Carajás - EFC Ferrovia Norte Sul - FNS Nota: Cidelândia é a área adquirida da Vale que viabilizará o start up em

26 Planta Industrial referência em tecnologia Layout da Planta Industrial Engenharia conceitual Engenharia básica Engenharia detalhada ᅳ BOP e infraestrutura Gerenciamento da implementação do BOP e infraestrutura. Pátio de madeira 2. Cozimento e Linha de Fibras 3. Secadoras 4. Evaporação 5. Caldeiras 6. Caustificação e forno de cal Balance of Plant Fonte: Maquete Poyry e Suzano 7. Turbogeradores 8. Subestação e distribuição de energia 9. Tratamento de água 0. Tratamento de efluentes 26

27 Destaques Operacionais Alta confiabilidade operacional Duas secadoras e dois fornos de cal Interfaces reduzidas: somente um fornecedor para as principais áreas de produção Equipe experiente em cargos críticos (recrutamento interno) Em 202 os trainees dos cursos de técnico em celulose e manutenção começaram o programa de treinamento de 6 meses em fábricas existentes da Suzano Service Center da Metso Reparos locais para os rolos das secadoras e equipamentos de terceiros Suporte técnico local da Metso Suporte completo por 8 meses após o início das operações Curva de Aprendizado Garantida por contrato com a Metso após um período de 8 meses após o início das operações 27

28 Investimento Equacionado Investimentos Totais (US$ milhões) 575 Florestal Industrial Fontes de Financiamento BNDES R$ 2,7 bilhões: prazo de 2 anos para pagamento e 3 anos de carência Debêntures mandatoriamente conversíveis em ações: R$,2 bilhão Financiamentos externos (ECAs, entre outros) para equipamentos importados Geração de Caixa Export Credit Agency Investimentos já realizados (R$ milhões) M2 Total Florestal Industrial Total

29 Unidade Maranhão Parâmetro 4T 4T2 Terraplenagem Concluída Concluída Progresso físico geral da obra % 65% Engenharia 49% 90% 4T Suprimentos 7% 89% Infraestrutura 34% 92% Construção civil 0% 54% Contratação de fornecedores Efetivo engajado na construção da Unidade Maranhão 70% 98%.800 pessoas pessoas 4T2 29

30 0 Visão Geral 02 Florestal 03 Papel 04 Celulose 05 Unidade Maranhão 06 Biotecnologia 07 Suzano Energia Renovável 08 Resultado Financeiro

31 Produtividade Necessidade de terras FuturaGene A biotecnologia está do lado certo da sustentabilidade Redução da da necessidade de de terras terras 907 mil ha Redução Redução dos dos custos custos de de formação florestal Área Plantada 205e Incremento de Produtividade % 5% 0% 5% 20% 30% 50% -9 mil ha -45 mil ha -90 mil Necessidade ha -36 mil de terras ha -8 (ha) mil ha -272 mil ha -454 mil ha Inovação Menor utilização de terra Menor gasto com fertilizantes Maior sequestro de carbono 3

32 0 Visão Geral 02 Florestal 03 Papel 04 Celulose 05 Unidade Maranhão 06 Biotecnologia 07 Suzano Energia Renovável 08 Resultado Financeiro

33 Suzano Energia Renovável A competitividade florestal abre caminho para novas oportunidades de negócios 3 linhas de produção de MM ton/ano cada Funding: definição da estrutura de capital Líder no mercado mundial Foco inicial no mercado europeu Atualização do Projeto Assinado protocolo com o governo do Maranhão Atividades em andamento: Florestal: clones específicos selecionados, plantio diferenciado (floresta energética) Engenharia com Promon e Stolberg (Canadense) Comercial: negociação avançada dos contratos definitivos com clientes Equipe dedicada Pellets de madeira para geração de energia, produzidos a partir de florestas energéticas renováveis 33

34 0 Visão Geral 02 Florestal 03 Papel 04 Celulose 05 Unidade Maranhão 06 Biotecnologia 07 Suzano Energia Renovável 08 Resultado Financeiro

35 Resultados Receita Líquida e Volume (R$ milhões) (mil ton) EBITDA e Margem EBITDA (R$ milhões) (%) ,4%.6 38,2% ,8% 25,% UDM UDM R$/US$ 2,00,76,67,89 R$/US$ médio 2,00,76,67,89 médio Mercado Interno Mercado Externo Volume Papel: Receita e Volume (R$ milhões) (mil ton) Celulose: Receita e Volume (R$ milhões) (mil ton) UDM UDM Mercado Interno Mercado Externo Volume Mercado Interno Mercado Externo Volume Últimos doze meses findos em 30/09/

36 Projeto Produtividade / Gradus A grande maioria das frentes do projeto produtividade já está na fase de fechamento ou com rotinas de gestão em andamento Ganhos de Produtividade Despesas Fixas Margem de Contribuição Vendas e Distribuição Administrativo Outros CPV Preço Orçamento Matricial Dimensionamento de Pessoal Identificação de oportunidades e desdobramento de metas Detalhamento de ações para a captura de resultado Controle da implantação com o envolvimento da alta direção da Suzano Alinhamento da remuneração variável dos gestores a metas definidas. Produtividade Florestal Produtividade Fabril Otimização da Distribuição Otimização do Portfólio Em estágio avançado de implementação. 36

37 Endividamento Alongamento do perfil da dívida com captações e rolagem de dívida Composição da Dívida Bruta (R$ milhões) (58) Evolução do Perfil da Dívida (%) 30/09/ 30/06/2 30/09/2 77% 23% 85% 5% 88% 2% Longo Prazo Curto Prazo Dívida Bruta (Jun/2) Captações / Amortizações Juros Variação Cambial Dívida Bruta (Set/2) Cronograma de Amortização (R$ milhões) 3.79 Caixa 30/09/ T em diante Vencimentos de curto prazo em set/ de 23% do total da dívida bruta foram reduzidos para % em set/2 Horizonte de Liquidez acima de 60 meses Caixa robusto em 30/09/2: R$ 3,8 bilhões Dívida Líquida / EBITDA: 4,7x Financiamento de projetos: período de carência e amortizações gradativas alinhadas com o fluxo de caixa dos projetos inclui operação de NCE concluída em nov/

38 Endividamento Alavancagem pode aumentar temporariamente com projetos, porém as amortizações estão alinhadas com fluxo de caixa dos mesmos Oferta Primária Incorporação da Bahia Sul Aquisição da Ripasa Início Projeto Mucuri Início das operações da Linha 2 Crise econômica mundial Aquisição de Conpacel Oferta Pública de Ações,6x,6x 2,7x 3,8x 3,7x 3,7x 3,5x 2,0x 4,2x 4,7x UDM Dívida Líquida (R$ MM) EBITDA (R$ MM) Dívida Líquida/EBITDA (x) Últimos doze meses findos em 30/09/202 Nota: Os valores de 2009, 200 e 20 contemplam os ajustes introduzidos pelas novas normas do IFRS

39 Blindagem Financeira Pacote de estruturação financeira soma cerca de R$ 0 bilhões e garante posição de caixa suficiente para fazer frente às amortizações de dívida até CAIXA DE R$ 3,8 BILHÕES Posição de caixa em 30 de setembro de 202 Inclui recursos da Oferta Pública (R$,5 bilhão) CAPTAÇÕES E ROLAGEM DE R$ 2,8 BILHÕES CONTRATADOS Renovações de dívidas reduzem o volume a ser amortizado no curto prazo e libera caixa para o crescimento Os vencimentos de curto prazo foram reduzidos para,0% () da dívida bruta em setembro/2 (vs 22,6% em setembro/) STAND BY FACILITY CONTRATADA Disponibilização de stand by facility de até R$ 2,0 bilhões Linha de crédito disponível até T4 FINANCIAMENTO DO PROJETO MARANHÃO R$ 2,7 bilhões contratados com BNDES (R$ 2, bi ainda não sacados) Processo de contratação com Export Credit Agency (ECAs) em andamento de até R$ 750 milhões 5 VENDA DE ATIVOS NÃO ESTRATÉGICOS E/OU PARCERIAS BLINDAGEM FINANCEIRA Além disso, uma série de iniciativas operacionais estão sendo implementadas: (i) revisão geral da estrutura de custos e (ii) revisão de processos logísticos e industriais A entrada em operação da unidade Maranhão, prevista para o 4T3, iniciará o processo de desalavancagem da Companhia inclui operação de NCE concluída em nov/2. 39

40 Pacote de Blindagem Financeira A Companhia tem posição de caixa confortável para suportar investimentos do projeto Maranhão em 202 e 203 Principais Entradas e Saídas de Caixa de out/2 até dez/3 (R$ bilhões) 5,9 3,8 3,9 2,0 (,8),7 (2,9) 2,,0 Caixa Set/2 Amort. de dívida e juros Capex BNDES Captações EBITDA¹ Caixa Dez/3 Stand-by Caixa Dez/3 + Stand-by O EBITDA é o principal componente variável do fluxo da Companhia e, mesmo que sofra variação substancial, a posição de caixa será positiva com base na média do EBITDA dos anos 200 e 20, excluindo-se itens não-caixa/não recorrentes e EBITDA dos 9M2 40

41 Horizonte de Liquidez As operações financeiras estruturadas garantem posição de caixa suficiente para fazer frente às amortizações de dívida até 206, sem a necessidade de sacar a stand-by, que tem prazo até março/204 Cronograma de Amortização (R$ bilhões) Cenário I: sem stand-by 3,9 (,2) (0,8) (,8) (,7) : Total de R$ 3,8 bilhões (3,8) Caixa (dez/3) Cenário II: com stand-by 5,9 Caixa (dez/3) + Stand-by (,2) (0,8) (2,8) (2,7) : Total de R$ 4,8 bilhões (3,8) Nota: Desconsidera a geração de caixa operacional e de investimentos, além das despesas de juros inclui captação de NCE no valor de R$ 770 milhões, concluída em nov/2 4

42 Relações com Investidores Relações com Investidores 42

Metals & Mining and Pulp & Paper Credit Suisse Conference

Metals & Mining and Pulp & Paper Credit Suisse Conference Metals & Mining and Pulp & Paper Credit Suisse Conference Aviso Geral Algumas afirmações nesta apresentação podem ser projeções ou afirmações sobre expectativas futuras. Tais afirmações estão sujeitas

Leia mais

Apresentação de Resultados 4T14

Apresentação de Resultados 4T14 Apresentação de Resultados 4T14 0 Aviso Geral Algumas afirmações nesta apresentação podem ser projeções ou afirmações sobre expectativas futuras. Tais afirmações estão sujeitas a riscos conhecidos e desconhecidos

Leia mais

APIMEC SP. 19 Agosto de 2008

APIMEC SP. 19 Agosto de 2008 APIMEC SP 19 Agosto de 2008 Disclaimer Algumas afirmações nesta apresentação podem ser projeções ou afirmações sobre expectativas futuras. Tais afirmações estão sujeitas a riscos conhecidos e desconhecidos

Leia mais

Algumas afirmações nesta apresentação podem ser projeções ou afirmações sobre expectativas futuras.

Algumas afirmações nesta apresentação podem ser projeções ou afirmações sobre expectativas futuras. Apresentação Aviso Geral Algumas afirmações nesta apresentação podem ser projeções ou afirmações sobre expectativas futuras. Tais afirmações estão sujeitas a riscos conhecidos e desconhecidos e incertezas

Leia mais

Fevereiro 2014. Apresentação Corporativa

Fevereiro 2014. Apresentação Corporativa Fevereiro 2014 Apresentação Corporativa 1 2 Avisos Legais As informações contidas nesta apresentação podem incluir afirmações que constituem estimativas, conforme o significado disposto na Seção 27A do

Leia mais

A r p e r s e en e t n a t ç a ã ç o ã o Co C r o po p r o a r t a iv i a

A r p e r s e en e t n a t ç a ã ç o ã o Co C r o po p r o a r t a iv i a Apresentação Corporativa Novembro 2011 Avisos Legais As informações contidas nesta apresentação podem incluir afirmações que constituem estimativas, conforme o significado disposto na Seção 27A do U.S.

Leia mais

Abril 2015. Apresentação Corporativa

Abril 2015. Apresentação Corporativa Abril 2015 Apresentação Corporativa 1 2 Avisos Legais As informações contidas nesta apresentação podem incluir afirmações que constituem estimativas, conforme o significado disposto na Seção 27A do U.S.

Leia mais

Produção Florestal e Industrial em Harmonia com o Meio Ambiente e as Comunidades. Novembro 2011

Produção Florestal e Industrial em Harmonia com o Meio Ambiente e as Comunidades. Novembro 2011 Produção Florestal e Industrial em Harmonia com o Meio Ambiente e as Comunidades Novembro 2011 A Visão corporativa Visão corporativa A Suzano Estrada de Ferro de Carajás Porto de Itaqui Transnordestina

Leia mais

Teleconferência de Resultados 1T15. 24 de abril de 2015

Teleconferência de Resultados 1T15. 24 de abril de 2015 Teleconferência de Resultados 1T15 24 de abril de 2015 Aviso Legal As informações contidas nesta apresentação poderão incluir afirmações que representem "forward looking statements" nos termos do disposto

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 30/06/2012 - SUZANO PAPEL E CELULOSE SA Versão : 2. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2

ITR - Informações Trimestrais - 30/06/2012 - SUZANO PAPEL E CELULOSE SA Versão : 2. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 3 Balanço Patrimonial Passivo 4 Demonstração do Resultado 6 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

ANTONIO SERGIO ALFANO

ANTONIO SERGIO ALFANO DEZEMBRO DE 2013 ANTONIO SERGIO ALFANO DE 2008 A 2013 REDUÇÃO DE CUSTOS E MUDANÇA DAS PRÁTICAS COMERCIAIS INVESTIMENTOS DE ALTO RETORNO AMPLIAÇÃO DA CONVERSÃO MONTE ALEGRE, PR OTACÍLIO COSTA, SC CORREIA

Leia mais

Algumas afirmações nesta apresentação podem ser projeções ou afirmações sobre expectativas futuras.

Algumas afirmações nesta apresentação podem ser projeções ou afirmações sobre expectativas futuras. 1 Aviso Geral Algumas afirmações nesta apresentação podem ser projeções ou afirmações sobre expectativas futuras. Tais afirmações estão sujeitas a riscos conhecidos e desconhecidos e incertezas que podem

Leia mais

O consumo mundial de papel e papelcartão (P&PC) deve atingir em 2007 cerca de 380 milhões de toneladas. Consumo Global de P&PC CONSUMO GLOBAL DE P&PC

O consumo mundial de papel e papelcartão (P&PC) deve atingir em 2007 cerca de 380 milhões de toneladas. Consumo Global de P&PC CONSUMO GLOBAL DE P&PC 32 o Fórum Anave Tendências do Mercado de Papel Suzano - Apresentação Institucional Antonio Maciel Neto Outubro de 2007 Reunião com Magistral mar/07 0 O mercado de papel hoje O consumo mundial de papel

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 30/09/2014 - SUZANO PAPEL E CELULOSE SA Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2

ITR - Informações Trimestrais - 30/09/2014 - SUZANO PAPEL E CELULOSE SA Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 3 Balanço Patrimonial Passivo 4 Demonstração do Resultado 6 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

Apresentação Institucional. Junho 2011

Apresentação Institucional. Junho 2011 1 Apresentação Institucional Junho 2011 Disclaimer As declarações contidas nesta apresentação relativas às perspectivas de negócio, projeções operacionais e financeiras e perspectivas de crescimento da

Leia mais

Suzano Papel e Celulose anuncia os resultados consolidados do 2º trimestre de 2006

Suzano Papel e Celulose anuncia os resultados consolidados do 2º trimestre de 2006 Suzano Papel e Celulose anuncia os resultados consolidados do 2º trimestre de 2006 Ebitda consolidado pro-forma com Ripasa atinge US$125 milhões São Paulo, 19 de julho de 2006. Suzano Papel e Celulose

Leia mais

CAPACIDADE. Mercado Interno. Mercados Interno e Externo. Mercado Interno. 2,5 milhões t Madeira. 243 mil ha. 700 mil t Cartões. 145 mil t.

CAPACIDADE. Mercado Interno. Mercados Interno e Externo. Mercado Interno. 2,5 milhões t Madeira. 243 mil ha. 700 mil t Cartões. 145 mil t. DISCLAIMER As declarações contidas nesta apresentação relativas às perspectivas de negócio, projeções operacionais e financeiras e perspectivas de crescimento da Klabin SA são apenas projeções e, como

Leia mais

Algumas afirmações nesta apresentação podem ser projeções ou afirmações sobre expectativas futuras.

Algumas afirmações nesta apresentação podem ser projeções ou afirmações sobre expectativas futuras. 1 Aviso Geral Algumas afirmações nesta apresentação podem ser projeções ou afirmações sobre expectativas futuras. Tais afirmações estão sujeitas a riscos conhecidos e desconhecidos e incertezas que podem

Leia mais

Teleconferência de Resultados 2T15. 23 de julho de 2015

Teleconferência de Resultados 2T15. 23 de julho de 2015 Teleconferência de Resultados 2T15 23 de julho de 2015 Aviso Legal As informações contidas nesta apresentação poderão incluir afirmações que representem "forward looking statements" nos termos do disposto

Leia mais

Os resultados do segundo trimestre e primeiro semestre de 2014 consolidam as Empresas BRF S.A.

Os resultados do segundo trimestre e primeiro semestre de 2014 consolidam as Empresas BRF S.A. BRF RESULTADOS 2T14 Os resultados do segundo trimestre e primeiro semestre de 2014 consolidam as Empresas BRF S.A. As declarações contidas neste relatório relativas à perspectiva dos negócios da Empresa,

Leia mais

EBITDA Ajustado recorde de R$ 2,9 bilhões nos últimos 12 meses findos em março de 2015

EBITDA Ajustado recorde de R$ 2,9 bilhões nos últimos 12 meses findos em março de 2015 Resultados 1T15 São Paulo, 07 de maio de 2015. Suzano Papel e Celulose (Bovespa: SUZB5), uma das maiores produtoras integradas de celulose e papel da América Latina, anuncia hoje os resultados consolidados

Leia mais

CARTA DE GESTÃO. Carta de Gestão 1º Semestre 2014. 1º Semestre de 2014

CARTA DE GESTÃO. Carta de Gestão 1º Semestre 2014. 1º Semestre de 2014 CARTA DE GESTÃO Carta de Gestão 1º Semestre 2014 1º Semestre de 2014 Nesta carta de gestão, iremos comentar a performance dos fundos da Oceana no primeiro semestre de 2014 e, em seguida, apresentar o case

Leia mais

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos PAPEL E CELULOSE NOVEMBRO DE 2015

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos PAPEL E CELULOSE NOVEMBRO DE 2015 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos PAPEL E CELULOSE NOVEMBRO DE 2015 PRODUTOS 60% exportação 85% Eucalipto 85% Fibra Curta Eucalipto 40% mercado interno CELULOSE CELULOSE 12% Fibra Longa

Leia mais

Resultados 1T15. 08 de maio de 2015

Resultados 1T15. 08 de maio de 2015 Resultados 1T15 08 de maio de 2015 2 Principais destaques do 1T15 Crescimento da receita líquida de 23%, sendo de 2 dígitos em todas unidades de negócio no comparativo ano vs. ano, favorecidas por 83%

Leia mais

Apresentação Institucional. Maio 2012

Apresentação Institucional. Maio 2012 Apresentação Institucional Maio 2012 1 Disclaimer As declarações contidas nesta apresentação relativas às perspectivas de negócio, projeções operacionais e financeiras e perspectivas de crescimento da

Leia mais

INDICADORES FINANCEIROS

INDICADORES FINANCEIROS Relatório 2014 Um Olhar para o Futuro DESEMPENHO ECONÔMICO ECONÔMICA www.fibria.com.br/r2014/desempenho-economico/ 126 INDICADORES FINANCEIROS A Fibria encerrou 2014 com lucro líquido de R$ 163 milhões,

Leia mais

Dados do Setor. Março - 2014

Dados do Setor. Março - 2014 Dados do Setor Março - 2014 Índice Dados do Setor 3 Maiores Produtores Mundiais de Celulose e Papel 2012 4 Distribuição Geográfica das Florestas Plantadas Brasileiras 5 Área de Florestas Plantadas no Mundo

Leia mais

Teleconferência de Resultados 4T14 e 2014. São Paulo, 12 de fevereiro de 2015

Teleconferência de Resultados 4T14 e 2014. São Paulo, 12 de fevereiro de 2015 Teleconferência de Resultados 4T14 e 2014 São Paulo, 12 de fevereiro de 2015 Ressalva sobre declarações futuras Esta apresentação contém declarações prospectivas. Tais informações não são apenas fatos

Leia mais

APIMEC. 23 de outubro de 2008

APIMEC. 23 de outubro de 2008 APIMEC 23 de outubro de 2008 1 Importante As informações e declarações sobre eventos futuros estão sujeitas a riscos e incertezas, as quais têm como base estimativas e suposições da Administração e informações

Leia mais

Apresentação Institucional 2T09

Apresentação Institucional 2T09 Apresentação Institucional 2T09 Agosto 2009 Declaração em relação às considerações seguintes As declarações contidas nessa apresentação relativas às perspectivas de negócio, projeções operacionais e financeiras

Leia mais

APIMEC-MG Belo Horizonte 26 de agosto de 2009

APIMEC-MG Belo Horizonte 26 de agosto de 2009 APIMEC-MG Belo Horizonte 26 de agosto de 2009 1 1 Ressalvas As informações e declarações sobre eventos futuros estão sujeitas a riscos e incertezas, as quais têm como base estimativas e suposições da Administração

Leia mais

BNDES Financiamento à Indústria de Base Florestal Plantada. Outubro de 2014

BNDES Financiamento à Indústria de Base Florestal Plantada. Outubro de 2014 BNDES Financiamento à Indústria de Base Florestal Plantada Outubro de 2014 Agenda 1. Aspectos Institucionais 2. Formas de Atuação 3. Indústria de Base Florestal Plantada 1. Aspectos Institucionais Linha

Leia mais

Aracruz Celulose principais dados

Aracruz Celulose principais dados ARACRUZ CELULOSE Aracruz Celulose principais dados Fundada em 1972, e iniciou a produção em 1978 400.000 t/ano Hoje produz 3.000.000 t/ano. Responde por 33% do mercado mundial de celulose de eucalipto.

Leia mais

Apresentação da Companhia. Setembro de 2010

Apresentação da Companhia. Setembro de 2010 Apresentação da Companhia Setembro de 2010 Comprovada capacidade de execução Visão geral da Inpar Empreendimentos por segmento (1) Modelo de negócios integrado (incorporação, construção e venda) Comercial

Leia mais

Fábrica de. Imperatriz

Fábrica de. Imperatriz Fábrica de Industrial Por que Maranhão? Logística Florestal Fábrica de Por que Maranhão? COMPETITIVIDADE FLORESTAL Nova Fronteira para produção de celulose PA MA PI TO BA FLORESTAL 25 anos de pesquisa

Leia mais

Brasil: desafios para a indústria de papel no mundo globalizado

Brasil: desafios para a indústria de papel no mundo globalizado Brasil: desafios para a indústria de papel no mundo globalizado Maximo Pacheco Presidente International Paper do Brasil 34º ANAVE São Paulo, 29 de Setembro de 2009 A indústria de papel de I&E do Brasil

Leia mais

22 de novembro de 2007. Apresentação dos Resultados 4T07

22 de novembro de 2007. Apresentação dos Resultados 4T07 22 de novembro de 2007 Apresentação dos Resultados 4T07 Aviso Importante Declarações contidas nesta apresentação relativas às perspectivas dos negócios da Companhia, projeções de resultados operacionais

Leia mais

Teleconferência de Resultados do 3T09

Teleconferência de Resultados do 3T09 Teleconferência de Resultados do 3T09 2 Destaques do trimestre O forte resultado do 3T09 demonstrou nossa confortável posição competitiva na indústria de proteínas e confirmou os resultados esperados de

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 30/06/2012 - KLABIN S.A. Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2. Balanço Patrimonial Ativo 3

ITR - Informações Trimestrais - 30/06/2012 - KLABIN S.A. Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2. Balanço Patrimonial Ativo 3 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 3 Balanço Patrimonial Passivo 4 Demonstração do Resultado 5 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

Luiz Fernando Rolla. Diretor de Finanças, Relações com Investidores e Controle de Participações

Luiz Fernando Rolla. Diretor de Finanças, Relações com Investidores e Controle de Participações Luiz Fernando Rolla Diretor de Finanças, Relações com Investidores e Controle de Participações Nossa base de acionistas assegura liquidez América do Norte Canadá Estados Unidos México Europa Luxemburgo

Leia mais

Demonstrações Financeiras Suzano Papel e Celulose S.A.

Demonstrações Financeiras Suzano Papel e Celulose S.A. Demonstrações Financeiras Suzano Papel e Celulose S.A. 31 de dezembro de 2014 e 2013 com Relatório dos Auditores Independentes sobre as Demonstrações Financeiras Demonstrações financeiras 31 de dezembro

Leia mais

Apresentação para Investidores. Novembro de 2014

Apresentação para Investidores. Novembro de 2014 Apresentação para Investidores Novembro de 2014 1 Agenda Diferenciais Gerdau Estratégia Destaques Operacionais e Financeiros Perspectivas Diferenciais Gerdau Mais de 110 anos de atuação no mercado do aço

Leia mais

1.2 Papel e Celulose. Diagnóstico

1.2 Papel e Celulose. Diagnóstico 1.2 Papel e Celulose Diagnóstico A indústria de papel e celulose é caracterizada pelo alto grau de investimento e pela longa maturação. A escala de produção das fábricas de pastas celulósicas é, em geral,

Leia mais

Teleconferência Resultados 3T10

Teleconferência Resultados 3T10 Teleconferência Resultados 3T10 Sexta-feira, 5 de Novembro de 2010 Horário: 14:00 (horário de Brasília) 12:00 (horário US EDT) Tel: + 55 (11) 4688-6361 Código: LASA Replay: + 55 (11) 4688-6312 Código:

Leia mais

Apresentação Institucional

Apresentação Institucional Apresentação Institucional Nota Importante Algumas afirmações nesta apresentação podem ser projeções ou afirmações sobre expectativas futuras. Tais afirmações estão sujeitas a riscos conhecidos e desconhecidos

Leia mais

A Ibá e o Setor de Florestas Plantadas

A Ibá e o Setor de Florestas Plantadas A Ibá e o Setor de Florestas Plantadas Beatriz P. Milliet Câmara Temática de Infraestrutura e Logística do Agronegócio Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento 30 de setembro- 2015 1 1 A Ibá

Leia mais

Apresentação de Resultados

Apresentação de Resultados Apresentação 3T08 Apresentação de Resultados José Carlos Aguilera (Diretor Presidente e de RI) Eduardo de Come (Diretor Financeiro) Marcos Leite (Gerente de RI) Destaques do Período Contexto de crise no

Leia mais

A Indústria de Papel no Brasil. BNDES - Rio de Janeiro Miguel Sampol Pou Klabin Julho 2003

A Indústria de Papel no Brasil. BNDES - Rio de Janeiro Miguel Sampol Pou Klabin Julho 2003 A Indústria de Papel no Brasil BNDES - Rio de Janeiro Miguel Sampol Pou Klabin Julho 2003 1 Produção mundial de papel por região - 2001- Em % A produção mundial está distribuída uniformemente em 3 áreas

Leia mais

PROJETO ASSET LIGHT. Preparando a empresa para um novo ciclo de crescimento São Paulo 18 de Novembro de 2013

PROJETO ASSET LIGHT. Preparando a empresa para um novo ciclo de crescimento São Paulo 18 de Novembro de 2013 PROJETO ASSET LIGHT Preparando a empresa para um novo ciclo de crescimento São Paulo 18 de Novembro de 2013 Desde a sua criação, a Fibria tem seguido uma estratégia focada na geração de valor EXCELÊNCIA

Leia mais

Apresentação de Resultados 2T12. 10 de agosto de 2012

Apresentação de Resultados 2T12. 10 de agosto de 2012 Apresentação de Resultados 2T12 10 de agosto de 2012 Aviso Legal Esta apresentação contém certas declarações futuras e informações relacionadas à Companhia que refletem as visões atuais e/ou expectativas

Leia mais

Índice. RS no Brasil Nossa Empresa Governança Corporativa Nossos Números Análise Comparativa Sustentabilidade Projeções e Estimativas

Índice. RS no Brasil Nossa Empresa Governança Corporativa Nossos Números Análise Comparativa Sustentabilidade Projeções e Estimativas CICLO APIMEC 2010 Índice RS no Brasil Nossa Empresa Governança Corporativa Nossos Números Análise Comparativa Sustentabilidade Projeções e Estimativas 3 RS no Brasil DADOS DEMOGRÁFICOS RS BRASIL População

Leia mais

Oportunidades de Mercado na Visão do Serviço Florestal Brasileiro

Oportunidades de Mercado na Visão do Serviço Florestal Brasileiro Oportunidades de Mercado na Visão do Serviço Florestal Brasileiro - 2º Congresso Florestal do Tocantins - André Luiz Campos de Andrade, Me. Gerente Executivo de Economia e Mercados do Serviço Florestal

Leia mais

Apresentação de resultados do 4T14 e 2014. 31 de março de 2015

Apresentação de resultados do 4T14 e 2014. 31 de março de 2015 Apresentação de resultados do 4T14 e 2014 31 de março de 2015 Destaques do ano de 2014 Macro Ambiente Desvalorização do Real em 13% com volatilidade crescente Menor demanda de clientes corporativos, refletindo

Leia mais

O Futuro da Indústria Química CARLOS FADIGAS

O Futuro da Indústria Química CARLOS FADIGAS O Futuro da Indústria Química CARLOS FADIGAS A indústria química é relevante para o Brasil... Faturamento da Indústria Química Brasileira (US$ bilhões) +6% a.a. 166 160 162 124 129 101 2008 2009 2010 2011

Leia mais

Celulose de Mercado BNDES. ÁREA DE OPERAÇÕES INDUSTRIAIS 2 Gerência Setorial 1

Celulose de Mercado BNDES. ÁREA DE OPERAÇÕES INDUSTRIAIS 2 Gerência Setorial 1 1 BNDES FINAME BNDESPAR ÁREA DE OPERAÇÕES INDUSTRIAIS 2 Gerência Setorial 1 Celulose de Mercado Ao longo de 1999 e parte do ano 2000 os preços da celulose foram crescentes, num cenário de demanda aquecida

Leia mais

JBS DAY Apresentação dos Resultados do 3T13 14 de Novembro de 2013

JBS DAY Apresentação dos Resultados do 3T13 14 de Novembro de 2013 JBS DAY Apresentação dos Resultados do 3T13 14 de Novembro de 2013 Apresentadores Wesley Batista Presidente Global da JBS André Nogueira Presidente da JBS USA Miguel Gularte Presidente da JBS Mercosul

Leia mais

Teleconferência de Resultados. Desempenho do 4T 2013 e de 2013. MAHLE Metal Leve S.A. 20 de março de 2014 12h00 (horário de Brasília) 1 MAHLE

Teleconferência de Resultados. Desempenho do 4T 2013 e de 2013. MAHLE Metal Leve S.A. 20 de março de 2014 12h00 (horário de Brasília) 1 MAHLE Teleconferência de Resultados Desempenho do 4T 2013 e de 2013 MAHLE Metal Leve S.A. 20 de março de 2014 12h00 (horário de Brasília) 1 Destaques 2013 Receita Líquida de Vendas de R$ 2.393,8 milhões em 2013,

Leia mais

O resultado do terceiro trimestre consolida as Empresas BRF S.A.

O resultado do terceiro trimestre consolida as Empresas BRF S.A. BRF DAY 2014 O resultado do terceiro trimestre consolida as Empresas BRF S.A. As declarações contidas neste relatório relativas à perspectiva dos negócios da Empresa, às projeções e resultado e ao potencial

Leia mais

AGENDA. A Vale. O Maior Projeto de Logística da America Latina. - Exportação de Minério. - Logística da Vale de Carga Geral

AGENDA. A Vale. O Maior Projeto de Logística da America Latina. - Exportação de Minério. - Logística da Vale de Carga Geral Vale no Maranhão AGENDA A Vale O Maior Projeto de Logística da America Latina - Exportação de Minério - Logística da Vale de Carga Geral A Vale no Mundo A Vale tem operações mineradoras, laboratórios de

Leia mais

Lucro Líquido de R$ 239 milhões no 1T15, crescimento de 34%; Margem EBITDA de 9,6%, com aumento de 0,7 p.p.

Lucro Líquido de R$ 239 milhões no 1T15, crescimento de 34%; Margem EBITDA de 9,6%, com aumento de 0,7 p.p. Lucro Líquido de R$ 239 milhões no 1T15, crescimento de 34%; Margem EBITDA de 9,6%, com aumento de 0,7 p.p. No 1T15, a receita líquida totalizou R$ 5,388 bilhões, estável em relação ao 1T14 excluindo-se

Leia mais

I. AMBIENTE DE MERCADO II. RESULTADOS III. NOVOS PROJETOS UTVM IV. NOVOS PROJETOS UF

I. AMBIENTE DE MERCADO II. RESULTADOS III. NOVOS PROJETOS UTVM IV. NOVOS PROJETOS UF 1 I. AMBIENTE DE MERCADO II. RESULTADOS III. NOVOS PROJETOS UTVM IV. NOVOS PROJETOS UF 2 Crédito ainda em Expansão, mas Desacelerando 30,7% Crescimento do Crédito 15,1% 20,6% 18,8% 16,4% 14,7% 11,7% 2008

Leia mais

APIMEC 1T10. 27 de maio 2010

APIMEC 1T10. 27 de maio 2010 APIMEC 1T10 27 de maio 2010 Aviso Importante O material que segue é uma apresentação de informações gerais de Multiplus S.A. ( Multiplus" ou "Companhia") na data desta apresentação. Este material foi preparado

Leia mais

Contexto Operacional. Operação. Receita Líquida. 12,9 bilhões. Composição da Receita Consolidada (%)

Contexto Operacional. Operação. Receita Líquida. 12,9 bilhões. Composição da Receita Consolidada (%) 103 Contexto Operacional A seguir seguem os comentários sobre o desempenho da S.A. referentes ao exercício de 2014. Com intuito de proporcionar a visibilidade anual dos resultados, tais comentários são

Leia mais

Apresentação de Resultados 3T05

Apresentação de Resultados 3T05 Apresentação de Resultados 3T05 Destaques Crescimento do Lucro Líquido foi de 316% no Terceiro Trimestre Crescimento da Receita no 3T05 A receita bruta foi maior em 71% (3T05x3T04) e 63% (9M05x9M04) Base

Leia mais

33º Forum de Análise do Mercado de Celulose, Papel e Indústria Gráfica

33º Forum de Análise do Mercado de Celulose, Papel e Indústria Gráfica 33º Forum de Análise do Mercado de Celulose, Papel e Indústria Gráfica Crise Econômica Mundial Quais os impactos no setor de papel e celulose O Efeito do Câmbio no Mercado Doméstico de Papelcartão Túlio

Leia mais

Receita líquida consolidada cresce 20,9% no 3T15 contra o 2T15, atingindo R$ 212,2 milhões, com destaque para o crescimento no mercado interno;

Receita líquida consolidada cresce 20,9% no 3T15 contra o 2T15, atingindo R$ 212,2 milhões, com destaque para o crescimento no mercado interno; PRESS RELEASE 3T15 Porto Alegre, 13 de novembro de 2015 - A Forjas Taurus S.A. (BM&FBOVESPA: FJTA3, FJTA4), empresa dos segmentos de (i) Defesa e Segurança - sendo a maior produtora de armas da América

Leia mais

Release de Resultados do 4T13

Release de Resultados do 4T13 São Paulo, 19 de fevereiro de 2014 A Eucatex (BM&FBovespa: EUCA3 e EUCA4), uma das maiores produtoras de painéis de madeira do Brasil, que atua também nos segmentos de tintas e vernizes, pisos laminados,

Leia mais

Performance Econômico-Financeira

Performance Econômico-Financeira p. 46 Relatório Anual 2011 Performance Econômico-Financeira A receita líquida em 2011 foi de R$ 21,9 bilhões, 37,8% superior em relação aos R$ 15,9 bilhões registrados em 2010. O crescimento orgânico da

Leia mais

INFORMAÇÕES CONSOLIDADAS 1T14

INFORMAÇÕES CONSOLIDADAS 1T14 Caxias do Sul, 12 de maio de 2014 - A Marcopolo S.A. (BM&FBOVESPA: POMO3; POMO4), divulga os resultados do primeiro trimestre de 2014 (1T14). As demonstrações financeiras são apresentadas de acordo com

Leia mais

* respectivamente administrador e gerente do departamento de indústria de Papel e celulose da área de insumos básicos do bndes.

* respectivamente administrador e gerente do departamento de indústria de Papel e celulose da área de insumos básicos do bndes. andré Carvalho Foster Vidal andré Barros da Hora* * respectivamente administrador e gerente do departamento de indústria de Papel e celulose da área de insumos básicos do bndes. Papel e Celulose 335 RESUMO

Leia mais

Apresentação para Investidores. Março, 2009

Apresentação para Investidores. Março, 2009 Apresentação para Investidores Março, 2009 1 Filosofia Gerdau VISÃO Ser uma empresa siderúrgica global, entre as mais rentáveis do setor. MISSÃO O Grupo Gerdau é uma empresa com foco em siderurgia, que

Leia mais

APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL 1S11. O maior portfólio de serviços logísticos do Brasil

APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL 1S11. O maior portfólio de serviços logísticos do Brasil APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL 1S11 O maior portfólio de serviços logísticos do Brasil JSL: Histórico e Momento Atual Abertura de Capital: Perpetuidade e Suporte ao Crescimento Início da Distribuição Urbana

Leia mais

Romi registra lucro líquido de R$ 83 milhões em 2006, o maior resultado de sua história

Romi registra lucro líquido de R$ 83 milhões em 2006, o maior resultado de sua história Resultados do 4 o Trimestre de 2006 Cotações (28/12/06) ROMI3 - R$ 158,00 ROMI4 - R$ 146,50 Valor de Mercado R$ 999,0 milhões Quantidade de Ações Ordinárias: 3.452.589 Preferenciais.: 3.092.882 Total:

Leia mais

www.estacioparticipacoes.com/ri Global Services Conference Phoenix-AZ, 27 de fevereiro de 2008

www.estacioparticipacoes.com/ri Global Services Conference Phoenix-AZ, 27 de fevereiro de 2008 www.estacioparticipacoes.com/ri Global Services Conference Phoenix-AZ, 27 de fevereiro de 2008 0 1. Visão Geral Setor de Ensino Superior no Brasil Visão Geral Estratégia Empresarial Destaques Financeiros

Leia mais

Financiamento ao Agronegócio. Internacionalização da Agroindústria

Financiamento ao Agronegócio. Internacionalização da Agroindústria Financiamento ao Agronegócio Internacionalização da Agroindústria BRF Visão Geral BRF Principais Key Brands Marcas Dados Financeiros 3 Uma das maiores empresas de alimentos do Brasil e do mundo 7 a maior

Leia mais

Venda da Unidade Guaíba. 08 de outubro de 2009

Venda da Unidade Guaíba. 08 de outubro de 2009 Venda da Unidade Guaíba 08 de outubro de 2009 Aviso legal As informações contidas nesta apresentação poderão incluir afirmações que representem "forward looking statements" nos termos do disposto no Securities

Leia mais

JURANDI MACHADO - DIRETOR. Cenário Carnes 2014/2015

JURANDI MACHADO - DIRETOR. Cenário Carnes 2014/2015 JURANDI MACHADO - DIRETOR Cenário Carnes 2014/2015 Oferta e Demanda de Carne Suína CARNE SUÍNA 2014 (a)* no Mundo (Mil toneladas) 2015 (b)* Var % (b/a) PRODUÇÃO 110.606 111.845 1,12 CONSUMO 109.882 111.174

Leia mais

Reunião APIMEC-SP. Apresentação dos Resultados de 2006. Élio A. Martins. Presidente e DRI

Reunião APIMEC-SP. Apresentação dos Resultados de 2006. Élio A. Martins. Presidente e DRI Reunião APIMEC-SP Apresentação dos Resultados de 2006 Élio A. Martins Presidente e DRI 07 de março de 2007 Aviso Importante Declarações contidas nesta apresentação relativas às perspectivas dos negócios

Leia mais

Projeto de Expansão de Cartões Revestidos

Projeto de Expansão de Cartões Revestidos 23 Março de 2005 1 Agenda 1 Klabin Perfil da Companhia Highlights Perspectivas 2005 Estratégia Empresarial Financeira Projeto de Expansão de Cartões Revestidos Tipos de Cartão Estrutura do Cartão Mercado

Leia mais

TELECONFERÊNCIA DE RESULTADOS 1T15

TELECONFERÊNCIA DE RESULTADOS 1T15 TELECONFERÊNCIA DE RESULTADOS 1T15 RESULTADOS FINANCEIROS CONSOLIDADOS RECEITA LÍQUIDA 300,1 361,1 20,3% EBITDA AJUSTADO 56,5 68,7 21,6% MARGEM EBITDA AJUSTADO 1 17,9% 18,4% 0,5 p.p. LUCRO LÍQUIDO AJUSTADO

Leia mais

Unopar. Dezembro 2011 KROT11

Unopar. Dezembro 2011 KROT11 Unopar Dezembro 2011 KROT11 Notas Importantes As afirmações contidas neste documento relacionadas a perspectivas sobre os negócios, projeções sobre resultados operacionais e financeiros e aquelas relacionadas

Leia mais

Teleconferência de Resultados 1T15. 8 de maio de 2015. Magazine Luiza

Teleconferência de Resultados 1T15. 8 de maio de 2015. Magazine Luiza Teleconferência de Resultados 8 de maio de 2015 Magazine Luiza Destaques do Vendas E-commerce Despesas Operacionais EBITDA Luizacred Lucro Líquido Ganhos de market share, principalmente em tecnologia Receita

Leia mais

Cana de açúcar para indústria: o quanto vai precisar crescer

Cana de açúcar para indústria: o quanto vai precisar crescer Cana de açúcar para indústria: o quanto vai precisar crescer A demanda crescente nos mercados interno e externo por combustíveis renováveis, especialmente o álcool, atrai novos investimentos para a formação

Leia mais

Teleconferência em Português com Tradução Simultânea 12 de agosto de 2015 11h30 (Brasília) / 10h30 (US ET)

Teleconferência em Português com Tradução Simultânea 12 de agosto de 2015 11h30 (Brasília) / 10h30 (US ET) Release de Resultados do 2T15 São Paulo, 11 de agosto de 2015 A Eucatex (BM&FBovespa: EUCA3 e EUCA4), uma das maiores produtoras de painéis de madeira do Brasil, que atua também nos segmentos de tintas

Leia mais

KLABIN S.A. RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO 2008

KLABIN S.A. RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO 2008 KLABIN S.A. RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO 2008 Senhores Acionistas Submetemos à apreciação de V.Sas. o Relatório da Administração e as correspondentes demonstrações financeiras, com os pareceres dos auditores

Leia mais

Mercado de Painéis de Madeira Reconstituída. Graça B. Gnoatto 31/10/2014

Mercado de Painéis de Madeira Reconstituída. Graça B. Gnoatto 31/10/2014 Mercado de Painéis de Madeira Reconstituída Graça B. Gnoatto 31/10/2014 Ibá Inédita união de quatro associações de empresas de produtos de base florestal plantada, com valores intrínsecos de desenvolvimento

Leia mais

Resultados do 2T09. Teleconferência de Resultados

Resultados do 2T09. Teleconferência de Resultados Resultados do 2T09 Teleconferência de Resultados Destaques do 2T09 2 Destaques do 2T09 em linha com a estratégia geral da Companhia Nossas conquistas do 2T09 são refletidas nos resultados da Companhia

Leia mais

Tereos Internacional Resultados do Primeiro Trimestre 2014/15

Tereos Internacional Resultados do Primeiro Trimestre 2014/15 Tereos Internacional Resultados do Primeiro Trimestre 20 São Paulo 12 de agosto de 2014 Principais Iniciativas e Destaques do Operacional 2 Cana-de-açúcar Brasil: Aumento dos benefícios do programa Guarani

Leia mais

Suzano relatório relatório

Suzano relatório relatório 2 0 0 6 relatórioanual s u s t e n t a b i l i d a d e uma empresa focada na renovação dos ciclos de crescimento e resultados positivos para todos os nossos stakeholders Mãos de Lilia Pedroso Barbosa,

Leia mais

Código ISIN das Ações Preferenciais Classe B: BRSUZBACNPB1 Código de Negociação das Ações Ordinárias na BM&FBOVESPA: SUZB3

Código ISIN das Ações Preferenciais Classe B: BRSUZBACNPB1 Código de Negociação das Ações Ordinárias na BM&FBOVESPA: SUZB3 As informações contidas neste Prospecto Preliminar estão sob análise da Comissão de Valores Mobiliários, a qual ainda não se manifestou a seu respeito. O presente Prospecto Preliminar está sujeito a complementação

Leia mais

Desafio entre a Padronização Corporativa e a Customização para o Site

Desafio entre a Padronização Corporativa e a Customização para o Site 1 Desafio entre a Padronização Corporativa e a Customização para o Site Presented by Marcelo Cruz Suzano Augusto Moura - IHM 2 Desafio entre a Padronização Corporativa e a Customização para o Site A adoção

Leia mais

Crescimento de 11,2% na. Receita Líquida. Controladora R$ 2,2 bi. +11,2% Consolidado R$ 4,0 bi. +10,5% Crescimento de 18,5% no EBITDA

Crescimento de 11,2% na. Receita Líquida. Controladora R$ 2,2 bi. +11,2% Consolidado R$ 4,0 bi. +10,5% Crescimento de 18,5% no EBITDA Resultados 3T15 GMV Receita Líquida Crescimento SSS GMV alcançou R$ 4,9 bilhões Crescimento de 11,2% na Receita Líquida Receita Líquida mesmas lojas de 9% no Trimestre Controladora R$ 2,2 bi. +11,2% Consolidado

Leia mais

Petrobras aprova Plano de Negócios 2010-2014

Petrobras aprova Plano de Negócios 2010-2014 1 Petrobras aprova Plano de Negócios 2010-2014 O Conselho de Administração aprovou o Plano de Negócios 2010-2014, com investimentos totais de US$ 224 bilhões, representando a média de US$ 44,8 bilhões

Leia mais

METANOR S.A. Metanol do Nordeste Camaçari - Bahia - Brasil Relatório da Administração de 2011

METANOR S.A. Metanol do Nordeste Camaçari - Bahia - Brasil Relatório da Administração de 2011 METANOR S.A. Camaçari - Bahia - Brasil Relatório da Administração de 2011 Senhores Acionistas, Em conformidade com as disposições legais e estatutárias, a administração da METANOR S.A. submete à apreciação

Leia mais

Resultados 3T14_. Relações com Investidores Telefônica Brasil S.A. Novembro de 2014.

Resultados 3T14_. Relações com Investidores Telefônica Brasil S.A. Novembro de 2014. Resultados 3T14_ Novembro de 2014. Disclaimer Esta apresentação pode conter declarações baseadas em estimativas a respeito dos prospectos e objetivos futuros de crescimento da base de assinantes, um detalhamento

Leia mais

Teleconferência de Resultados 2T15. 31 de julho de 2015. Magazine Luiza

Teleconferência de Resultados 2T15. 31 de julho de 2015. Magazine Luiza Teleconferência de Resultados 2T15 31 de julho de 2015 Magazine Luiza Destaques do 2T15 Vendas E-commerce Ganho consistente de participação de mercado Redução na receita líquida de 10,1% para R$2,1 bilhões

Leia mais

Teleconferência em Português com Tradução Simultânea 07 de maio de 2015 11h30 (Brasília) / 10h30 (US ET)

Teleconferência em Português com Tradução Simultânea 07 de maio de 2015 11h30 (Brasília) / 10h30 (US ET) Release de Resultados do 1T15 São Paulo, 06 de maio de 2015 A Eucatex (BM&FBovespa: EUCA3 e EUCA4), uma das maiores produtoras de painéis de madeira do Brasil, que atua também nos segmentos de tintas e

Leia mais

CONSUMO MUNDIAL DE PAPEL E CARTÃO A INDÚSTRIA BRASILEIRA DE CELULOSE E PAPEL EM EXPANSÃO (E SEUS LIMITES)

CONSUMO MUNDIAL DE PAPEL E CARTÃO A INDÚSTRIA BRASILEIRA DE CELULOSE E PAPEL EM EXPANSÃO (E SEUS LIMITES) A INDÚSTRIA BRASILEIRA DE CELULOSE E PAPEL EM EXPANSÃO (E SEUS LIMITES) Gosto de forçar os limites / I like pushing boundaries Lady Gaga, cantora considerada uma das mais arrojadas dos últimos tempos.

Leia mais

Nordeste atrai novos investimentos em celulose

Nordeste atrai novos investimentos em celulose Reportagem de Capa Agência Vale Nordeste atrai novos investimentos em celulose O PAPEL - Março 2010 O sul da Bahia já tem exemplos de sucesso, como as fábricas da Veracel e da Suzano. Agora, os Estados

Leia mais

Apresentação de Resultados 4T10

Apresentação de Resultados 4T10 Apresentação de Resultados 4T10 Disclaimer Esta apresentação pode incluir declarações que apresentem expectativas da Administração da Companhia sobre eventos ou resultados futuros. Todas as declarações

Leia mais