UML Diagramas de componentes. Por Sérgio Crespo

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "UML Diagramas de componentes. Por Sérgio Crespo"

Transcrição

1 UML Diagramas de componentes Por Sérgio Crespo Crespo,

2 Diagrama de Componentes Captura a estrutura física da implementação Construído como parte da especificação da arquitectura Objectivo Organizar o código fonte (ambiente de desenvolvimento) Construir uma release executável (ambiente de produção) Especificar uma base de dados física Desenvolvido por arquitectos e programadores Contém componentes, interfaces e relações entre componentes UML diagramas de componentes, v.1.0, João Pascoal Faria,

3 Componentes Um componente é uma parte física (feita de bits e bytes) e substituível de um sistema, que proporciona a realização de um conjunto de interfaces Podem-nos interessar diferentes ambientes: desenvolvimento, produção, testes,... Exemplos: executáveis, bibliotecas, tabelas, ficheiros, documentos Um componente representa um empacotamento físico de elementos relacionados logicamente (normalmente classes) Notação: caixa com tabs kernel32.dll UML diagramas de componentes, v.1.0, João Pascoal Faria,

4 Tipos de componentes - ícones e estereótipos <<executable>> componente que pode ser executado num nó 2 rodas dentadas <<library>> biblioteca estática ou dinâmica <<database>> base de dados <<table>> tabela de uma base de dados <<file>> Arquivo contendo código fonte ou dados <<document>> documento genérico UML diagramas de componentes, v.1.0, João Pascoal Faria,

5 Interfaces Uma interface é um conjunto de operações usado para especificar os serviços de uma classe ou componente Relação de concretização (realization): um componente pode concretizar, realizar (implementar os serviços de) uma ou mais interfaces Normalmente quer dizer que tem classes que implementam esses interfaces Diz-se que as interfaces são exportadas Um componente poder ser substituído por outro componente que implementa as mesmas interfaces - Não basta obedecer à mesma sintaxe, mas também à mesma semântica Relação de dependência: um componente pode usar uma ou mais interfaces Diz-se que essas interfaces são importadas Um componente que usa outro componente através de uma interface bem definida, não deve depender da implementação (do componente em si), mas apenas da interface UML diagramas de componentes, v.1.0, João Pascoal Faria,

6 UML Diagrama de Componentes Interfaces 6

7 Interfaces oferecidas e usadas 7

8 8

9 Interfaces Exemplo 2 image.java ImageObserver componente.java ou com mais detalhe: dependência interface concretização image.java <<interface>> ImageObserver abort: int {final static} error: int {final static} imageupdate(): Boolean componente.java UML diagramas de componentes, v.1.0, João Pascoal Faria,

10 Interfaces Exemplo 3 componente Java Application interface (mais precisamente, API) Visual Basic Application ODBC Sun JDBC- ODBC brigde JDBC SQL Server JDBC driver Oracle ODBC driver SQL Server ODBC driver Transact SQL SQL Server DBMS UML diagramas de componentes, v.1.0, João Pascoal Faria,

11 Tipos de dependências entre componentes Dependências simples: entre arquivos com código fonte, para controlo de alterações entre executáveis e/ou bibliotecas, para gestão de configurações e dependências entre executáveis ou bibliotecas e tabelas ou documentos de ajuda por eles usados Dependências estereotipadas: estereótipo «hyperlink» - entre páginas html ou páginas html e executáveis estereótipo «trace» - entre versões consecutivas do mesmo tipo de componente Não esquecer que é melhor depender das interfaces do que das implementações UML diagramas de componentes, v.1.0, João Pascoal Faria,

12 Relações de Dependência 12

13 Dependências UML diagramas de componentes, v.1.0, João Pascoal Faria,

14 Composição e agrupamento de componentes Conforme o nome indica, os componentes são para compor (montar), criando componentes maiores ou sistemas inteiros Exemplos: Base de dados composta por tabelas Biblioteca dinâmica (dll) composta por componentes COM+ No caso de agrupamentos de componentes que não criam componentes (físicos) maiores, usar pacotes de componentes Web site Base de dados de biblioteca «hyperlink» Web page 1 Web page n Tabela de sócios Tabela de reservas Tabela de publicações UML diagramas de componentes, v.1.0, João Pascoal Faria,

15 UML Diagrama de Componentes 15

16 UML Diagrama de Componentes 16

17 UML Diagrama de Componentes 17

18 UML Diagrama de Componentes 18

19 UML Diagrama de Componentes 19

20 Caso de estudo (biblioteca) Pacotes de componentes Páginas Web Dinâmicas do SIB Componentes de Lógica de Negócio do SIB Base de Dados do SIB UML diagramas de componentes, v.1.0, João Pascoal Faria,

21 UML Diagrama de Componentes EXEMPLO 21

22 UML Diagrama de Componentes EXEMPLO 22

23 UML Diagrama de Componentes Note que há dependências identificadas entre os diferentes componentes de instalação Estas dependências referem-se ao executável wincor.exe EXEMPLO Sendo que somente será executado se todos os componentes restantes estiverem instalados adequadamente, e, que o módulo sdemdb32.dll depende do módulo sde32.dll 23

24 Caso de estudo (biblioteca) Todos os componentes Páginas Web Dinâmicas do SIB login. h tml index.html Mostra menu que está disponível em qualquer página para inserir novo Segue um padrão! Qual é? pesquisaau tores.html pesquisapubli cações.html pesquisareq uisições.html pesquisasó cios.html listaautor es.asp listapublica ções.as p listarequisiç ões.asp listasóci os.asp fichaautor. asp fichapublica ção.asp ficharequi sição.asp fichasóc io.asp Componentes de Lógica de Negócio do SIB <<COM+>> GestãoAuto res <<COM+>> GestãoPubli cações <<COM+>> GestãoRequ isições <<COM+>> GestãoSóci os Base de Dados do SIB <<dbtable>> Autores <<dbtable>> Publicações <<dbtable>> Requisições <<dbtable>> Sócios UML diagramas de componentes, v.1.0, João Pascoal Faria,

25 UML 2.0 Na UML 2.0, os seguintes elementos são utilizados para especificar componentes e interfaces. Interfaces Portas Classificadores estruturados Componentes Conectores 25

26 UML 2.0 Interfaces podem ser Requerida Provida Podem ser descritas de 3 formas 26

27 Interfaces: alternativas de modelagem 27

28 Portas Conceito novo da UML 2.0 Portas: Especificam pontos de interação: Entre componentes e seu ambiente Entre componentes e suas partes internas Pode ter interfaces definidas ou não 28

29 Classificadores Um Classificador é um mecanismo que descreve características estruturais e comportamentais. Os Classificadores incluem classes, interfaces, tipos de dados, sinais, componentes, nós, casos de uso e subsistemas. Na maioria dos casos, TODOS os tipos de Classificadores têm características estruturais e comportamentais (as interfaces são a única exceção; elas poderão não ter atributos!) Os Classificadores possuem: visibilidade, escopo, mutiplicidade e atributos e operações. 29

30 Componentes O componente também é um classificador Possui duas formas de representação UML 2.0 UML 1.4 e

31 Conectores São mecanismos de interação entre os componentes. Representando conectores como uma associação Representando conectores usando associação de classes Representing a connector using an Association Class, without (a) and with (b) showing connections between component and connector interfaces (Ports) Documenting Architectural Connectors with UML 2, James Ivers, Paul Clements1, David Garlan, Robert Nord1, Bradley, Schmerl, and Jaime Rodrigo Oviedo Silva, (Software Engineering Institute, Carnegie Mellon University, Pittsburgh PA 15213,USA and School of Computer Science, Carnegie Mellon University, Pittsburgh PA 15213, USA) 31

32 UML Components A Simple Process for Specifying Component-Based Software 32

33 UML Componentes: Workflows Importante SABER! 33

34 Tarefa: Analisar e explicar em aula! 1/3 Entregar um artigo, impresso, comentando a arquitetura com o máximo de detalhes! 34

35 Continuação 2/3 35

36 Continuação 3/3 Diagrama de DEPLOYMENT 36

UML Diagramas de Componentes e Modelação da Arquitectura Física

UML Diagramas de Componentes e Modelação da Arquitectura Física UML Diagramas de Componentes e Modelação da Arquitectura Física 1 Diagrama de Componentes Captura a estrutura física da implementação Construído como parte da especificação da arquitectura Objectivo Organizar

Leia mais

UML Modelagem da Arquitetuta

UML Modelagem da Arquitetuta CBSI Curso de Bacharelado em Sistemas de Informação UML Modelagem da Arquitetuta Prof. Dr. Sandro Ronaldo Bezerra Oliveira srbo@ufpa.br www.ufpa.br/srbo Análise e Projeto de Sistemas Faculdade de Computação

Leia mais

Visões O que são visões?

Visões O que são visões? Visões Arquiteturais Visões Existem várias formas de se observar o sistema em construção, cada pessoa envolvida resssalta propriedades que lhe interessa e omite as não relevantes. modo como as pessoas

Leia mais

Unified Modeling Language. Diagramas de Implementação

Unified Modeling Language. Diagramas de Implementação Unified Modeling Language Diagramas de Implementação José Correia, Junho 2006 (http://paginas.ispgaya.pt/~jcorreia/) Diagramas de implementação José Correia UML Diagramas de Implementação 2 Diagramas de

Leia mais

Elsa Cardoso, DCTI - ISCTE

Elsa Cardoso, DCTI - ISCTE Elsa Cardoso, DCTI - ISCTE 25 Maio 2004 elsa.cardoso@iscte.pt Sumário Perspectiva de Desenho do Sistema: Diagrama de classes numa perspectiva de Desenho: Estereótipos Relação de Dependência Relação de

Leia mais

Engenharia de Software

Engenharia de Software Engenharia de Software Maciaszek L.A. and Liong B.L. (2005), Practical Software Engineering Addison Wesley http://www.comp.mq.edu.au/books/pse/index.htm http://www.comp.lancs.ac.uk/computing/resources/ians/se7/index.ht

Leia mais

UML & Padrões Aula 4 1

UML & Padrões Aula 4 1 UML & Padrões Aula 4 1 UML & Padrões Aula 4 Diagramas Estruturais Profª Kelly Christine C. Silva UML O que vamos tratar: Diagramas UML Estruturais (Estáticos ) Diagrama de Pacotes Diagrama de Componentes

Leia mais

Unified Modeling Language UML - Notações

Unified Modeling Language UML - Notações Unified Modeling Language UML - Notações Prof. Ms. Elvio Gilberto da Silva elvio@fmr.edu.br UML Ponto de Vista É gerada com propósito geral de uma linguagem de modelagem visual usada para especificar,

Leia mais

Gestão de projectos na Web

Gestão de projectos na Web Gestão de projectos na Web Relatório de desenho de alto nível Versão 1.0, 5 de Maio de 2003 Telmo Pedro Gomes Amaral (mee02013@fe.up.pt) (Grupo 15) Aplicações na Web Mestrado em Engenharia Electrotécnica

Leia mais

CURSO DESENVOLVEDOR JAVA Edição Intensiva de Férias

CURSO DESENVOLVEDOR JAVA Edição Intensiva de Férias CURSO DESENVOLVEDOR JAVA Edição Intensiva de Férias O curso foi especialmente planejado para os profissionais que desejam trabalhar com desenvolvimento de sistemas seguindo o paradigma Orientado a Objetos

Leia mais

Uma Abordagem usando PU

Uma Abordagem usando PU Uma Abordagem usando PU Curso de Especialização DEINF - UFMA Desenvolvimento Orientado a Objetos Prof. Geraldo Braz Junior Referências: Baseada em: Rational Software Corpotation G. Booch, Ivar Jacobson,

Leia mais

CURSO DESENVOLVEDOR JAVA WEB E FLEX Setembro de 2010 à Janeiro de 2011

CURSO DESENVOLVEDOR JAVA WEB E FLEX Setembro de 2010 à Janeiro de 2011 CURSO DESENVOLVEDOR JAVA WEB E FLEX Setembro de 2010 à Janeiro de 2011 O curso foi especialmente planejado para os profissionais que desejam trabalhar com desenvolvimento de sistemas seguindo o paradigma

Leia mais

Programa do Módulo 2. Processo Unificado: Visão Geral

Programa do Módulo 2. Processo Unificado: Visão Geral 9.1 Programa do Módulo 2 Orientação a Objetos Conceitos Básicos Análise Orientada a Objetos (UML) O Processo Unificado (RUP) Processo Unificado: Visão Geral 9.2 Encaixa-se na definição geral de processo:

Leia mais

Rational XDE Model Structure Guidelines para Microsoft.NET

Rational XDE Model Structure Guidelines para Microsoft.NET Rational XDE Model Structure Guidelines para Microsoft.NET 2 Página 2 de 23 Índice Analítico 1. Introduction 4 2. Scope 4 3. XDE Project Structure 4 4. RUP Model to XDE Model Mapping 7 5. Use-Case Model

Leia mais

CURSO DESENVOLVEDOR JAVA Edição 2009

CURSO DESENVOLVEDOR JAVA Edição 2009 CURSO DESENVOLVEDOR JAVA Edição 2009 O curso foi especialmente planejado para os profissionais que desejam trabalhar com desenvolvimento de sistemas seguindo o paradigma Orientado a Objetos e com o uso

Leia mais

UML Visão Geral. Índice. Introdução. Diagramas. Modelos e diagramas. Elementos de modelação. Referências

UML Visão Geral. Índice. Introdução. Diagramas. Modelos e diagramas. Elementos de modelação. Referências UML Visão Geral 1 Índice Introdução O que é a UML? Valor da UML Origens da UML Parceiros da UML Modelos e diagramas Elementos de modelação Diagramas Diagrama de casos de utilização Diagrama de classes

Leia mais

UML Aula III Diagramas de Estado, Atividades, Componentes e Instalação

UML Aula III Diagramas de Estado, Atividades, Componentes e Instalação UML Aula III Diagramas de Estado, Atividades, Componentes e Instalação Ricardo Argenton Ramos Engenharia de Software II 2013.1 Diagrama de Estado Um diagrama de estados (statechart), também conhecido por

Leia mais

Estudo de Caso Sistema de Caixa Automático

Estudo de Caso Sistema de Caixa Automático Estudo de Caso Sistema de Caixa Automático Curso de Especialização DEINF - UFMA Desenvolvimento Orientado a Objetos Prof. Geraldo Braz Junior Referências: Notas de Aula Ulrich Schiel Notas de Aula Ariadne

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ UFPR Bacharelado em Ciência da Computação

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ UFPR Bacharelado em Ciência da Computação SOFT DISCIPLINA: Engenharia de software AULA NÚMERO: 08 DATA: / / PROFESSOR: Andrey APRESENTAÇÃO O objetivo desta aula é apresentar e discutir conceitos relacionados a modelos e especificações. Nesta aula

Leia mais

Arquiteturas de Aplicações Distribuídas

Arquiteturas de Aplicações Distribuídas Arquiteturas de Aplicações Distribuídas Fernando Albuquerque 061-2733589 fernando@cic.unb.br www.cic.unb.br/docentes/fernando Tópicos Introdução. HTTP / CGI. API sockets. JDBC. Remote Method Invocation.

Leia mais

Diagramas de Componentes

Diagramas de Componentes Diagramas de Componentes Components 1 Diagramas que suportam unidades de implementação O UML suporta dois diagramas para representar unidades de implementação: Vista de implementação Mostra a implementação

Leia mais

Desenvolvendo Aplicações Web com NetBeans

Desenvolvendo Aplicações Web com NetBeans Desenvolvendo Aplicações Web com NetBeans Aula 3 Cap. 4 Trabalhando com Banco de Dados Prof.: Marcelo Ferreira Ortega Introdução O trabalho com banco de dados utilizando o NetBeans se desenvolveu ao longo

Leia mais

Prof. Marcelo Heitor Teixeira marceloheitor.com. Java API JDBC

Prof. Marcelo Heitor Teixeira marceloheitor.com. Java API JDBC Prof. Marcelo Heitor Teixeira marceloheitor.com Java API JDBC # Java vs bancos de dados relacionais # JDBC Java Database Connectivity # Arquitetura JDBC # Drivers JDBC # Pool de Conexões JDBC Java Database

Leia mais

Documento de Projeto de Sistema

Documento de Projeto de Sistema Documento de Projeto de Sistema 1 IFES / Serra Projeto: Gerenciador de Pelada - Oasis Registro de Alterações: Versão Responsável Data Alterações 0.1 Eduardo Rigamonte, Geann Valfré, João Paulo Miranda,

Leia mais

Aula 1 Acesso a Banco de Dados

Aula 1 Acesso a Banco de Dados Laboratório de Banco de Dados Aula 1 Acesso a Banco de Dados Prof. Josenildo Silva jcsilva@ifma.edu.br Introdução O JDBC (Java Database Connectivity) foi criado com o intuito de fornecer aos programadores

Leia mais

4.2. UML Diagramas de classes

4.2. UML Diagramas de classes Engenharia de Software 4.2. UML Diagramas de classes Nuno Miguel Gil Fonseca nuno.fonseca@estgoh.ipc.pt Um diagrama de classes serve para modelar o vocabulário de um sistema Construído e refinado ao longo

Leia mais

Engenharia de Software I

Engenharia de Software I Engenharia de Software I Rogério Eduardo Garcia (rogerio@fct.unesp.br) Bacharelado em Ciência da Computação Aula 05 Material preparado por Fernanda Madeiral Delfim Tópicos Aula 5 Contextualização UML Astah

Leia mais

CURSO DESENVOLVEDOR JAVA Edição 2010

CURSO DESENVOLVEDOR JAVA Edição 2010 CURSO DESENVOLVEDOR JAVA Edição 2010 O curso foi especialmente planejado para os profissionais que desejam trabalhar com desenvolvimento de sistemas seguindo o paradigma Orientado a Objetos e com o uso

Leia mais

Unified Process. Sueleni Mendez Batista. Orientadora: Dra. Elisa Hatsue Moriya Huzita

Unified Process. Sueleni Mendez Batista. Orientadora: Dra. Elisa Hatsue Moriya Huzita Unified Process Sueleni Mendez Batista Orientadora: Dra. Elisa Hatsue Moriya Huzita Processo de Desenvolvimento de Software 8O processo de desenvolvimento de software é um conjunto de atividades e resultados

Leia mais

Gestão de Projectos de Software Licenciatura em Engenharia Informática e Computação Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto

Gestão de Projectos de Software Licenciatura em Engenharia Informática e Computação Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto Gestão de Projectos de Software Licenciatura em Engenharia Informática e Computação Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto Projecto SAPIENS Sistema de Avaliação Assistida por Computador RELATÓRIO

Leia mais

Laboratório de Banco de Dados Aula 1 Acesso a Banco de Dados. Prof. Josenildo Silva jcsilva@ifma.edu.br

Laboratório de Banco de Dados Aula 1 Acesso a Banco de Dados. Prof. Josenildo Silva jcsilva@ifma.edu.br Laboratório de Banco de Dados Aula 1 Acesso a Banco de Dados Prof. Josenildo Silva jcsilva@ifma.edu.br Introdução O JDBC (Java Database Connectivity) foi criado com o intuito de fornecer aos programadores

Leia mais

UML Components - A Simple Process for Specifying

UML Components - A Simple Process for Specifying UML Components - A Simple Process for Specifying Component-Based Software Lucas Monteiro Braz lmonteirobraz@gmail.com São Leopoldo 17 de março de 2010 Components aren t rocket science Contudo, há grande

Leia mais

ENGENHARIA DE SOFTWARE Prof. Ricardo Rodrigues Barcelar http://www.ricardobarcelar.com.br

ENGENHARIA DE SOFTWARE Prof. Ricardo Rodrigues Barcelar http://www.ricardobarcelar.com.br - MÓDULO 3 - MODELAGEM DE SISTEMAS ORIENTADA A OBJETOS COM UML 1. INTRODUÇÃO A partir de 1980, diversos métodos de desenvolvimento de sistemas surgiram para apoiar o paradigma orientado a objetos com uma

Leia mais

Introdução ao RUP Rational Unified Process. por Denize Terra Pimenta Outubro/2004

Introdução ao RUP Rational Unified Process. por Denize Terra Pimenta Outubro/2004 Introdução ao RUP Rational Unified Process por Denize Terra Pimenta Outubro/2004 1 Contexto Não é suficiente apenas a presença de desenvolvedores altamente treinados: Precisamos de uma linguagem para a

Leia mais

Padrão Arquitetura em Camadas

Padrão Arquitetura em Camadas Padrão Arquitetura em Camadas Universidade Católica de Pernambuco Ciência da Computação Prof. Márcio Bueno poonoite@marciobueno.com Fonte: Material da Profª Karina Oliveira Definição Estimula a organização

Leia mais

PDS - DATASUS. Processo de Desenvolvimento de Software do DATASUS

PDS - DATASUS. Processo de Desenvolvimento de Software do DATASUS PDS - DATASUS Processo de Desenvolvimento de Software do DATASUS Coordenação Geral de Arquitetura e Engenharia Tecnológica Coordenação de Padronização e Qualidade de Software Gerência de Padrões e Software

Leia mais

Programação com Acesso a Banco de Dados

Programação com Acesso a Banco de Dados Campus Ipanguaçu Curso: Técnico em Informática Programação com Acesso a Banco de Dados AULA 17 ACESSO A BANCO DE DADOS COM JDBC PROF.: CLAYTON M. COSTA 2 011.2 Introdução Aplicação + Banco de Dados: Funcionalidade

Leia mais

Sistemas para internet e software livre

Sistemas para internet e software livre Sistemas para internet e software livre Metodologia de modelagem de aplicações WEB Image: FreeDigitalPhotos.net Domínio: Elementos de aplicação WEB Páginas Web Scripts Formulários Applets e ActiveX Motivação

Leia mais

MVC e Camadas - Fragmental Bliki

MVC e Camadas - Fragmental Bliki 1 de 5 20-03-2012 18:32 MVC e Camadas From Fragmental Bliki Conteúdo 1 Introdução 2 Camadas: Separação Entre Componentes 3 MVC: Interação Entre Componentes 4 Conclusão 5 Referências Introdução A Arquitetura

Leia mais

Documento de Projeto de Software

Documento de Projeto de Software Documento de Projeto de Software Projeto: Vídeo Locadora Passatempo Versão: 1.0 Responsável: Ricardo de Almeida Falbo 1. Introdução Este documento apresenta o documento de projeto (design) do sistema de

Leia mais

Ciência da Computação ENGENHARIA DE SOFTWARE. UML-Unified Modeling Language Linguagem de Modelagem Unificada

Ciência da Computação ENGENHARIA DE SOFTWARE. UML-Unified Modeling Language Linguagem de Modelagem Unificada Ciência da Computação ENGENHARIA DE SOFTWARE UML-Unified Modeling Language Linguagem de Modelagem Unificada Prof. Claudinei Dias email: prof.claudinei.dias@gmail.com Roteiro Introdução a linguagem UML

Leia mais

Android e Bancos de Dados

Android e Bancos de Dados (Usando o SQLite) Programação de Dispositivos Móveis Mauro Lopes Carvalho Silva Professor EBTT DAI Departamento de Informática Campus Monte Castelo Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia do

Leia mais

Conteúdo. Disciplina: INF 02810 Engenharia de Software. Monalessa Perini Barcellos. Centro Tecnológico. Universidade Federal do Espírito Santo

Conteúdo. Disciplina: INF 02810 Engenharia de Software. Monalessa Perini Barcellos. Centro Tecnológico. Universidade Federal do Espírito Santo Universidade Federal do Espírito Santo Centro Tecnológico Departamento de Informática Disciplina: INF 02810 Prof.: (monalessa@inf.ufes.br) Conteúdo 1. Introdução 2. Processo de Software 3. Gerência de

Leia mais

GeCA: Uma Ferramenta de Engenharia Reversa e Geração Automática de Código

GeCA: Uma Ferramenta de Engenharia Reversa e Geração Automática de Código GeCA: Uma Ferramenta de Engenharia Reversa e Geração Automática de Código Igor Steinmacher 1, Éderson Fernando Amorim 1, Flávio Luiz Schiavoni 1, Elisa Hatsue Moriya Huzita 1 1 Departamento de Informática

Leia mais

GLOBAL SCIENCE AND TECHNOLOGY (ISSN 1984 3801)

GLOBAL SCIENCE AND TECHNOLOGY (ISSN 1984 3801) GLOBAL SCIENCE AND TECHNOLOGY (ISSN 1984 3801) UTILIZAÇÃO DE APLICATIVOS BASE E CALC DO PACOTE BROFFICE.ORG PARA CRIAÇÃO DE SISTEMA DE INFORMAÇÃO DE PEQUENO PORTE Wílson Luiz Vinci 1 Marcelo Gonçalves

Leia mais

Um Processo de Engenharia de Domínio com foco no Projeto Arquitetural Baseado em Componentes

Um Processo de Engenharia de Domínio com foco no Projeto Arquitetural Baseado em Componentes Um Processo de Engenharia de Domínio com foco no Projeto Arquitetural Baseado em Componentes Ana Paula Blois 1, 2, Karin Becker 2, Cláudia Werner 1 1 COPPE/UFRJ, Universidade Federal do Rio de Janeiro,

Leia mais

Unisant Anna Gestão Empresarial com ERP 2014 Modelagem de Sistemas - UML e MER

Unisant Anna Gestão Empresarial com ERP 2014 Modelagem de Sistemas - UML e MER Objetivo dessa aula é descrever as características e a simbologia dos diagramas UML e MER na modelagem de sistemas de informação de uma forma a permitir a comunicação entre técnicos e gestores. Modelagem

Leia mais

Tópicos em Engenharia de Computação

Tópicos em Engenharia de Computação Tópicos em Engenharia de Computação Introdução / Revisão UML e POO (JAVA) Prof. Ivan Prof. Zagari UML Linguagem Unificada. Não é metodologia, processo ou método. Versão atual 2.0 3 categorias de Diagramas

Leia mais

GERADOR DE CÓDIGO JSP BASEADO EM PROJETO DE SGBD. Acadêmico: Maicon Klug Orientadora: Joyce Martins

GERADOR DE CÓDIGO JSP BASEADO EM PROJETO DE SGBD. Acadêmico: Maicon Klug Orientadora: Joyce Martins GERADOR DE CÓDIGO JSP BASEADO EM PROJETO DE SGBD Acadêmico: Maicon Klug Orientadora: Joyce Martins Roteiro Introdução Objetivos do trabalho Fundamentação teórica Desenvolvimento do trabalho Conclusão Extensões

Leia mais

Ciência da Computação ENGENHARIA DE SOFTWARE. Análise dos Requisitos de Software

Ciência da Computação ENGENHARIA DE SOFTWARE. Análise dos Requisitos de Software Ciência da Computação ENGENHARIA DE SOFTWARE Análise dos Requisitos de Software Prof. Claudinei Dias email: prof.claudinei.dias@gmail.com Roteiro Introdução Tipos de requisitos Atividades Princípios da

Leia mais

4. Exemplo de Levantamento de Classes...26. 3. Levantamento das Classes...24. 1. Conceito de Classe e Objeto... 15. 1. Modelo de Casos de Uso...

4. Exemplo de Levantamento de Classes...26. 3. Levantamento das Classes...24. 1. Conceito de Classe e Objeto... 15. 1. Modelo de Casos de Uso... Projeto de Software usando UML Sumário Capítulo I : Casos de Uso...3 1. Modelo de Casos de Uso... 3 2. Diagramas de Casos de Uso... 3 3. Exemplo... 9 4. Conclusão... 13 Capítulo II : Levantamento de Classes...15

Leia mais

Ferramenta para Geração de Código a partir da Especialização do Diagrama de Classes

Ferramenta para Geração de Código a partir da Especialização do Diagrama de Classes Ferramenta para Geração de Código a partir da Especialização do Diagrama de Classes Alexandro Deschamps (Ápice) alexandro@apicesoft.com Everaldo Artur Grahl (FURB/DSC) egrahl@furb.br Resumo. Uma das grandes

Leia mais

Linguagem de Modelagem Unificada

Linguagem de Modelagem Unificada Linguagem de Modelagem Unificada A UML é uma linguagem para visualização especificação construção documentação de artefatos de um sistema com uma componente intensiva de software (software intensive system)

Leia mais

ARCO - Associação Recreativa dos Correios. Sistema para Gerenciamento de Associações Recreativas Plano de Desenvolvimento de Software Versão <1.

ARCO - Associação Recreativa dos Correios. Sistema para Gerenciamento de Associações Recreativas Plano de Desenvolvimento de Software Versão <1. ARCO - Associação Recreativa dos Correios Sistema para Gerenciamento de Associações Recreativas Versão Histórico da Revisão Data Versão Descrição Autor Página

Leia mais

BANCO DE DADOS II. AULA MySQL.

BANCO DE DADOS II. AULA MySQL. UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA - UFSM COLÉGIO AGRÍCOLA DE FREDERICO WESTPHALEN BANCO DE DADOS II BANCO DE DADOS II AULA MySQL. DISCIPLINA: Banco de Dados II PROF.: ROMULO VANZIN Data: 27/06/2014 Banco

Leia mais

Eduardo Bezerra. Editora Campus/Elsevier

Eduardo Bezerra. Editora Campus/Elsevier Princípios de Análise e Projeto de Sistemas com UML 2ª edição Eduardo Bezerra Editora Campus/Elsevier Capítulo 11 Arquitetura do sistema Nada que é visto, é visto de uma vez e por completo. --EUCLIDES

Leia mais

Análise e Projeto Orientados por Objetos

Análise e Projeto Orientados por Objetos Análise e Projeto Orientados por Objetos Aula 02 Análise e Projeto OO Edirlei Soares de Lima Análise A análise modela o problema e consiste das atividades necessárias para entender

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO DO AMBIENTE EXPSEE SEGUNDO O MÉTODO CATALYSIS

ESPECIFICAÇÃO DO AMBIENTE EXPSEE SEGUNDO O MÉTODO CATALYSIS ESPECIFICAÇÃO DO AMBIENTE EXPSEE SEGUNDO O MÉTODO CATALYSIS RESUMO Este artigo apresenta a especificação de um sistema gerenciador de workflow, o ExPSEE, de acordo com a abordagem de desenvolvimento baseado

Leia mais

DSS 09/10. DSS 09/10 Que métodos é que fazem parte de cada camada? Aplicações Multi-camada JDBC. Aula 3 DSS 09/10

DSS 09/10. DSS 09/10 Que métodos é que fazem parte de cada camada? Aplicações Multi-camada JDBC. Aula 3 DSS 09/10 Universidade do Minho Departamento de Informática Aplicações Multi-camada JDBC Aula 3 António Nestor Ribeiro /António Ramires Fernandes/ José Creissac Campos {anr,arf,jose.campos@di.uminho.pt 2 Programação

Leia mais

Desenvolvimento de Aplicações. Desenvolvimento de Aplicações. Desenvolvimento de Aplicações. Dificuldades no uso de Bancos de Dados

Desenvolvimento de Aplicações. Desenvolvimento de Aplicações. Desenvolvimento de Aplicações. Dificuldades no uso de Bancos de Dados Desenvolvimento de Aplicações Desenvolvimento de Aplicações Dificuldades no uso de Bancos de Dados Um leigo não sabe o que é e como funciona um BD Mesmo um profissional da área de informática pode ter

Leia mais

Programação Orientada a Objetos Prof. Rone Ilídio UFSJ/CAP

Programação Orientada a Objetos Prof. Rone Ilídio UFSJ/CAP Programação Orientada a Objetos Prof. Rone Ilídio UFSJ/CAP 1) Introdução Programação Orientada a Objetos é um paradigma de programação bastante antigo. Entretanto somente nos últimos anos foi aceito realmente

Leia mais

Sistemas Distribuídos na WEB (Plataformas para Aplicações Distribuídas) Sumário. Java 2 Enterprise Edition. J2EE (Java 2 Enterprise Edition)

Sistemas Distribuídos na WEB (Plataformas para Aplicações Distribuídas) Sumário. Java 2 Enterprise Edition. J2EE (Java 2 Enterprise Edition) Sistemas Distribuídos na WEB (Plataformas para Aplicações Distribuídas) J2EE () Sumário Introdução J2EE () APIs J2EE Web Container: Servlets e JSP Padrão XML 2 J2EE é Uma especificação para servidores

Leia mais

Spider-PM: Uma Ferramenta de Apoio à Modelagem de Processos de Software

Spider-PM: Uma Ferramenta de Apoio à Modelagem de Processos de Software Spider-PM: Uma Ferramenta de Apoio à Modelagem de Processos de Software Renan Sales Barros 1, Sandro Ronaldo Bezerra Oliveira 1 1 Faculdade de Computação Instituto de Ciências Exatas e Naturais (ICEN)

Leia mais

Projetar Arquitetura

Projetar Arquitetura Projetar Arquitetura Objetivos desta atividade Definir mecanismos de projeto e de implementação Definir elementos (classes e subsistemas) de projeto e organizá-los em pacotes Identificar oportunidades

Leia mais

Conteúdo. Disciplina: INF 02810 Engenharia de Software. Monalessa Perini Barcellos. Centro Tecnológico. Universidade Federal do Espírito Santo

Conteúdo. Disciplina: INF 02810 Engenharia de Software. Monalessa Perini Barcellos. Centro Tecnológico. Universidade Federal do Espírito Santo Universidade Federal do Espírito Santo Centro Tecnológico Departamento de Informática Disciplina: INF 02810 Prof.: (monalessa@inf.ufes.br) Conteúdo 1. Introdução 2. Processo de Software 3. Gerência de

Leia mais

3.1 Definições Uma classe é a descrição de um tipo de objeto.

3.1 Definições Uma classe é a descrição de um tipo de objeto. Unified Modeling Language (UML) Universidade Federal do Maranhão UFMA Pós Graduação de Engenharia de Eletricidade Grupo de Computação Assunto: Diagrama de Classes Autoria:Aristófanes Corrêa Silva Adaptação:

Leia mais

AUTOMATIZAÇÃO DE PROCESSOS EM APLICAÇÕES DE GESTÃO DE INCIDENTES UTILIZANDO BPMN

AUTOMATIZAÇÃO DE PROCESSOS EM APLICAÇÕES DE GESTÃO DE INCIDENTES UTILIZANDO BPMN UNIVERSIDADE REGIONAL DE BLUMENAU CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO AUTOMATIZAÇÃO DE PROCESSOS EM APLICAÇÕES DE GESTÃO DE INCIDENTES UTILIZANDO BPMN Eduardo Leopoldino de Souza Prof. Cláudio Ratke, Orientador

Leia mais

Capítulo 8 - UML MODELAÇÃO DA ARQUITECTURA

Capítulo 8 - UML MODELAÇÃO DA ARQUITECTURA Capítulo 8 - UML MODELAÇÃO DA ARQUITECTURA Tópicos Introdução Componentes e Nós Diagramas de Componentes Diagramas de Instalação Exercícios 8.1 Introdução Diagramas de arquitectura 1 descrevem aspectos

Leia mais

DSS 08/09. Camada de Dados - JDBC. Aula 1. António Nestor Ribeiro /António Ramires Fernandes/ José Creissac Campos {anr,arf,jfc}@di.uminho.

DSS 08/09. Camada de Dados - JDBC. Aula 1. António Nestor Ribeiro /António Ramires Fernandes/ José Creissac Campos {anr,arf,jfc}@di.uminho. Universidade do Minho Departamento de Informática Camada de Dados - JDBC Aula 1 António Nestor Ribeiro /António Ramires Fernandes/ José Creissac Campos {anr,arf,jfc}@di.uminho.pt 2 Camada de Dados A camada

Leia mais

Levantamento, Análise e Gestão Requisitos. Aula 04

Levantamento, Análise e Gestão Requisitos. Aula 04 Levantamento, Análise e Gestão Requisitos Aula 04 Agenda Linguagem de Modelagem Unificada (UML) Modelagem Visual Síntese Histórica da UML Conceitos da UML Notações da UML Diagramas Estruturais Diagramas

Leia mais

UML Aspectos de projetos em Diagramas de classes

UML Aspectos de projetos em Diagramas de classes UML Aspectos de projetos em Diagramas de classes Após ser definido o contexto da aplicação a ser gerada. Devemos pensar em detalhar o Diagrama de Classes com informações visando uma implementação Orientada

Leia mais

Ricardo Pereira e Silva UML 2. Modelagem Orientada a Objetos. Visual. Books

Ricardo Pereira e Silva UML 2. Modelagem Orientada a Objetos. Visual. Books Ricardo Pereira e Silva UML 2 Modelagem Orientada a Objetos Visual Books Sumário Parte I - Modelagem em Desenvolvimento de Software Orientado a Objetos...15 1 Modelagem em Desenvolvimento de Software...17

Leia mais

Integrando Java com Banco de Dados

Integrando Java com Banco de Dados Especialização em Engenharia de Software Programação Orientada a Objetos JDBC Java Database Connectivity Sérgio Soares scbs@cin.ufpe.br Objetivos Apresentar os conceitos básicos da especificação de Java

Leia mais

ENTERPRISE JAVABEANS 3. Msc. Daniele Carvalho Oliveira

ENTERPRISE JAVABEANS 3. Msc. Daniele Carvalho Oliveira ENTERPRISE JAVABEANS 3 Msc. Daniele Carvalho Oliveira Apostila Servlets e JSP www.argonavis.com.br/cursos/java/j550/index.html INTRODUÇÃO Introdução Enterprise JavaBeans é um padrão de modelo de componentes

Leia mais

Felipe Denis M. de Oliveira. Fonte: Alice e Carlos Rodrigo (Internet)

Felipe Denis M. de Oliveira. Fonte: Alice e Carlos Rodrigo (Internet) UML Felipe Denis M. de Oliveira Fonte: Alice e Carlos Rodrigo (Internet) 1 Programação O que é UML? Por quê UML? Benefícios Diagramas Use Case Class State Interaction Sequence Collaboration Activity Physical

Leia mais

Modelagem de Software Prof. Flávio de Oliveira Silva, Ph.D.

Modelagem de Software Prof. Flávio de Oliveira Silva, Ph.D. UML Diagramas Um diagrama é a apresentação gráfica de um conjunto de elementos, onde os vértices são ITENS e os arcos RELACIONAMENTOS UML 2.0 possui os seguintes diagramas: Diagrama de Classes (Class Diagram)

Leia mais

( JUDE Community 5.1 2006/2007 ) Por Denize Terra Pimenta Outubro/2007

( JUDE Community 5.1 2006/2007 ) Por Denize Terra Pimenta Outubro/2007 Tutorial JUDE ( JUDE Community 5.1 2006/2007 ) Por Denize Terra Pimenta Outubro/2007 Ferramenta CASE UML Índice Introdução... 2 Download e Instalação... 2 Apresentação da Ferramenta... 2 Salvando o Projeto...

Leia mais

Visual Library: Uma Biblioteca para Criação de Ferramentas de Modelagem Gráfica

Visual Library: Uma Biblioteca para Criação de Ferramentas de Modelagem Gráfica Visual Library: Uma Biblioteca para Criação de Ferramentas de Modelagem Gráfica Tiago A. Gameleira 1, Raimundo Santos Moura 2, Luiz Affonso Guedes 1 1 Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN)

Leia mais

Laboratório de Engenharia de Software

Laboratório de Engenharia de Software Laboratório de Engenharia de Software FEUP/LEIC - Licenciatura em Engenharia Informática, 2005/06 Ademar Aguiar ademar.aguiar at fe.up.pt João Correia Lopes jlopes at fe.up.pt Francisco Reinaldo reifeup

Leia mais

Linguagens de. Aula 02. Profa Cristiane Koehler cristiane.koehler@canoas.ifrs.edu.br

Linguagens de. Aula 02. Profa Cristiane Koehler cristiane.koehler@canoas.ifrs.edu.br Linguagens de Programação III Aula 02 Profa Cristiane Koehler cristiane.koehler@canoas.ifrs.edu.br Linguagens de Programação Técnica de comunicação padronizada para enviar instruções a um computador. Assim

Leia mais

UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA - UDESC DCC Departamento de Ciência da Computação Joinville-SC

UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA - UDESC DCC Departamento de Ciência da Computação Joinville-SC CURSO: Bacharelado em Ciência da Computação DISCIPLINA: ANPS Análise e Projeto de Sistemas AULA NÚMERO: 3 DATA: PROFESSOR: Murakami Sumário 1 APRESENTAÇÃO...1 2 DESENVOLVIMENTO...1 2.1 Revisão...1 2.1.1

Leia mais

Programação Orientada a Objetos JDBC Java Database Connectivity

Programação Orientada a Objetos JDBC Java Database Connectivity Especialização em Engenharia de Software Programação Orientada a Objetos JDBC Java Database Connectivity Sérgio Soares scbs@cin.ufpe.br Objetivos Apresentar os conceitos básicos da especificação de Java

Leia mais

Associação Carioca de Ensino Superior Centro Universitário Carioca

Associação Carioca de Ensino Superior Centro Universitário Carioca Desenvolvimento de Aplicações Web Lista de Exercícios Métodos HTTP 1. No tocante ao protocolo de transferência de hipertexto (HTTP), esse protocolo da categoria "solicitação e resposta" possui três métodos

Leia mais

1 UML (UNIFIED MODELING LANGUAGE)

1 UML (UNIFIED MODELING LANGUAGE) 1 UML (UNIFIED MODELING LANGUAGE) Segundo Tonsig (2003), para conseguir desenvolver um software capaz de satisfazer as necessidades de seus usuários, com qualidade, por intermédio de uma arquitetura sólida

Leia mais

FileMaker 14. Guia de ODBC e JDBC

FileMaker 14. Guia de ODBC e JDBC FileMaker 14 Guia de ODBC e JDBC 2004 2015 FileMaker Inc. Todos os direitos reservados. FileMaker Inc. 5201 Patrick Henry Drive Santa Clara, Califórnia 95054 FileMaker e FileMaker Go são marcas comerciais

Leia mais

Introdução ao C# . Visão geral do.net Framework

Introdução ao C# . Visão geral do.net Framework Introdução ao C# Microsoft.NET (comumente conhecido por.net Framework - em inglês: dotnet) é uma iniciativa da empresa Microsoft, que visa uma plataforma única para desenvolvimento e execução de sistemas

Leia mais

Micro Mídia Informática Fevereiro/2009

Micro Mídia Informática Fevereiro/2009 Micro Mídia Informática Fevereiro/2009 1 UML Introdução Fases de Desenvolvimento Notação Visões Análise de Requisitos Casos de Uso StarUML Criando Casos de Uso Orientação a Objetos Diagrama de Classes

Leia mais

Vídeo Vigilância Abordagem Open-Source

Vídeo Vigilância Abordagem Open-Source Vídeo Vigilância Abordagem Open-Source Alunos: Justino Santos, Paulo Neto E-mail: eic10428@student.estg.ipleiria.pt, eic10438@student.estg.ipleiria.pt Orientadores: Prof. Filipe Neves, Prof. Paulo Costa

Leia mais

PRD Tecnologia de Gestão Ltda. Julho/2008

PRD Tecnologia de Gestão Ltda. Julho/2008 O Processo de Desenvolvimento Telescope Julho/2008 Página 1 Sumário Introdução...3 O desenvolvimento de software tradicional...3 O problema da produtividade...3 O problema da portabilidade...6 O problema

Leia mais

Modelando Arquiteturas de Aplicativos da WEB com UML

Modelando Arquiteturas de Aplicativos da WEB com UML Modelando Arquiteturas de Aplicativos da WEB com UML Jim Conallen Rational Software White Paper TP 157, 6/99 Uma versão deste material aparece na edição de outubro de 1999 (volume 42, número 10) de Communications

Leia mais

UML Visão Geral. Slides baseados em material disponibilizado pela Rational e adaptação da tradução de João P. Faria Univ. Do Porto.

UML Visão Geral. Slides baseados em material disponibilizado pela Rational e adaptação da tradução de João P. Faria Univ. Do Porto. UML Visão Geral Slides baseados em material disponibilizado pela Rational e adaptação da tradução de João P. Faria Univ. Do Porto. 1 Índice Introdução Diagramas O que é a UML? Diagrama de casos de uso

Leia mais

Desenvolvimento de Aplicação Windows Mobile Acessando um WebService

Desenvolvimento de Aplicação Windows Mobile Acessando um WebService Faculdade de Negócios e Administração de Sergipe Disciplina: Integração Web Banco de Dados Professor: Fábio Coriolano Desenvolvimento de Aplicação Windows Mobile Acessando um WebService Professor: Fabio

Leia mais

UML & Padrões. Aula 1 Apresentação. Profª Kelly Christine C. Silva

UML & Padrões. Aula 1 Apresentação. Profª Kelly Christine C. Silva UML & Padrões Aula 1 Apresentação Profª Kelly Christine C. Silva Sistemas para Internet Módulo I - Construção de sites informativos Módulo II - Construção de sites dinâmicos Módulo III - Aplicações para

Leia mais

Model-Driven Engineering Geração de modelos de software e especificações usando a plataforma IBM

Model-Driven Engineering Geração de modelos de software e especificações usando a plataforma IBM Model-Driven Engineering Geração de modelos de software e especificações usando a plataforma IBM Luiz Esmiralha IBM Eduardo Chiote IBM Quem somos Luiz Esmiralha Arquiteto de Aplicações / IBM 15 anos exp.

Leia mais

modelagem do negócio (processos e objetos do negócio) modelagem de requisitos alocados ao software modelagem da solução de software

modelagem do negócio (processos e objetos do negócio) modelagem de requisitos alocados ao software modelagem da solução de software POO com UML Java Uso da linguagem UML(Unified Modeling Language) A UML, ou Linguagem de Modelagem Unificada, é a junção das três mais conceituadas linguagens de modelagem orientados a objectos (Booch de

Leia mais

Unified Software Development Process

Unified Software Development Process 59/170 Unified Software Development Process Sumário Breve história do Unified Process O Unified Process O ciclo de vida do Unified Process O RUP (Rational Unified Process) 60/170 Breve História do Unified

Leia mais

ArgoCASEGEO + TerraLib = bancos de dados geográficos para aplicações Small GIS

ArgoCASEGEO + TerraLib = bancos de dados geográficos para aplicações Small GIS ArgoCASEGEO + TerraLib = bancos de dados geográficos para aplicações Small GIS Alexandre Gazola, Gustavo Breder Sampaio, Jugurta Lisboa Filho Departamento de Informática Universidade Federal de Viçosa

Leia mais

Especificação de um Sistema Gerenciador de Workflow de Acordo com a Abordagem de Desenvolvimento Baseado em Componentes

Especificação de um Sistema Gerenciador de Workflow de Acordo com a Abordagem de Desenvolvimento Baseado em Componentes Especificação de um Sistema Gerenciador de Workflow de Acordo com a Abordagem de Desenvolvimento Baseado em Componentes Edson Alves de Oliveira Junior 1, Itana Maria de Souza Gimenes 1 1 Departamento de

Leia mais

Por Sérgio Crespo Email: screspo@id.uff.br http://www.professores.uff.br/screspo Twitter: @screspo

Por Sérgio Crespo Email: screspo@id.uff.br http://www.professores.uff.br/screspo Twitter: @screspo Por Sérgio Crespo Email: screspo@id.uff.br http://www.professores.uff.br/screspo Twitter: @screspo Objetivos Esta disciplina tem por objetivo estudar a teoria que envolve a criação de arquiteturas de software,

Leia mais

5 Detalhes da Implementação

5 Detalhes da Implementação Detalhes da Implementação 101 5 Detalhes da Implementação Neste capítulo descreveremos detalhes da implementação do Explorator que foi desenvolvido usando o paradigma MVC 45 e o paradigma de CoC 46 (Convention

Leia mais