UML & Padrões Aula 4 1

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "UML & Padrões Aula 4 1"

Transcrição

1 UML & Padrões Aula 4 1

2 UML & Padrões Aula 4 Diagramas Estruturais Profª Kelly Christine C. Silva

3 UML O que vamos tratar: Diagramas UML Estruturais (Estáticos ) Diagrama de Pacotes Diagrama de Componentes Diagrama de Instalação 3

4 UML Diagrama de Pacotes Um pacote(package) em UML é um mecanismo de agrupamento genérico Notação: pasta com o nome no interior ou na prega No caso de um pacote contido noutro, o nome completo do pacote contido inclui o nome do seu contentor Sentido Visão Visão Visão Sentido: Visão 4

5 UML Diagrama de Pacotes Um diagrama de pacotes mostra pacotes e relações entre pacotes. Na realidade, não existem propriamente diagramas de pacotes em UML; em vez disso, pacotes e relações entre pacotes aparecem em outros diagramas, de acordo com o tipo de pacote : Pacotes de classes (pacotes lógicos) - em diagramas de classes Pacotes de componentes em diagramas de componentes Pacotes de nós em diagramas de distribuição/ instalação Pacotes de casos de utilização em diagramas de casos de utilização 5

6 UML Diagrama de Pacotes Uma vez que representa um agrupamento, um pacote é em geral dono de diversos elementos: classes, interfaces, componentes, nós, colaborações, casos de uso, diagramas, e até outros pacotes. Esses elementos podem ser indicados no interior do pacote, na forma de uma lista de nomes ou diagrama. Cliente + OrderForm +TrackingForm - Order Cliente + OrderForm +TrackingForm - Order A classe Order do pacote Cliente é designada Cliente::Order 6

7 UML Diagrama de Pacotes <<IU>> Processamento De Pedido AWT <<IU>> Mala Direta <<Aplicação>> Processamento De Pedido Clientes <<Aplicação>> Mala Direta Pedidos pacote dependência 7

8 UML Diagrama de Pacotes Quando existe dependência entre pacotes? Quando houver dependência entre quaisquer duas classes nos pacotes Técnica útil: Dentro do pacote dê uma visibilidade private para as classes, assim elas só podem ser vistas dentro do mesmo pacote. Acrescente então classes públicas extras ao seu pacote e exclusivas para o comportamento público fora do pacote. Elas são chamadas fachadas e são elas que delegam as operações as outra classes internas do pacote. 8

9 UML Diagrama de Pacotes IU Processamento De Pedido AWT IU Mala Direta Aplicação Processamento De Pedido Domínio Aplicação Mala Direta Pedidos Clientes <<global>> Comum Quantidade ValorMonetario EscopodeDatas Diagrama de Pacotes avançado {abstract} Interface de Banco de Dado Interface de Oracle Interface de Sybase 9

10 UML Diagrama de Pacotes Aplicação Processamento De Pedido Aplicação Mala Direta Domínio Fachada Fachada Pedidos Clientes Diagrama de Pacotes avançado (detalhado) 10

11 UML Diagrama de Pacotes Quando utilizar Diagramas de Pacotes? 1. Considerados ferramentas vitais para projetos grandes; 2. Sempre use quando um diagrama de classe que compreenda todo o sistema não for mais legível numa única folha A4; 3. Úteis para testes 11

12 UML Diagramas Físicos Diagrama de Componentes Diagrama de Instalação componente nó 12

13 UML Diagrama de Componentes Um diagrama de componentes ilustra as dependências entre várias componentes de software (e.g. artefatos* de código fonte, de código binário, de código executável, procedimentos de negócio e documentos, dentre outros). Um módulo de software pode ser representado por um estereótipo, por exemplo, para ter uma apresentação gráfica distinta de outros tipos de componentes. << library>> <<document>> <<executable>> Um diagrama de componentes representa apenas tipos de componentes e nunca instâncias de componentes. Para ilustrar instâncias de componentes deve ser usado um diagrama de instalação (possivelmente uma versão simplificada sem nós). * Artefato: é o produto de uma ou mais atividades dentro do contexto do desenvolvimento de um software ou sistema 13

14 UML Diagrama de Componentes Entre muitas motivações para a construção de modelos de componentes, salientam-se as seguintes: 1. Os clientes podem ver a estrutura final do sistema, mesmo antes deste estar concluído. 2. A equipe de desenvolvimento tem uma visão da arquitetura física do sistema, e assim pode trabalhar de forma mais controlada e sistemática. 3. O pessoal técnico (que produzem, por exemplo, a documentação do sistema, manuais de utilizador, manuais técnicos) podem entender melhor sobre o que estão escrevendo, e detalhar alguns aspectos do sistema antes deste estar concluído. 14

15 UML Diagrama de Componentes Exemplo: Diagrama de Componentes relativo a uma Página HTML. O diagrama de componentes correspondente a este mini-sistema consiste nos seguintes arquivos: example1.html, Animator.class, e Animator.java. O componente Animator.class é a compilação do programa Animator.java, logo podemos dizer que ele depende de Animator.java. Por sua vez, o programa Animator.java lida com a interface java responsável pelo tratamento de eventos do mouse - MouseListener.java do pacote java.awt. Tanto Animator.java quanto Animator.class são necessário para que o página example1.html roda. Assim, temos uma relação de dependência explicitada como: example1.html { Animator.class, Animator.java } Animator.class { Animator.java} Animator.java {awt::mouselistener.java } A Figura ilustra essas relações de dependência. 15

16 UML Diagrama de Componentes Exemplo 1: Diagrama de Componentes relativo a uma Página HTML. Example1.html Animator.java Animator.class java.awt.event Media Tracker MouseListener 16

17 UML Diagrama de Componentes Com base no exemplo anterior, faça o exercício da Lista 3: Exercício 01: Considere a página Web Teste.html com uma referência a um Applet Java: <html> <head> <title>the Animator Applet (1.1) teste 1</title> </head> <body> <h1>the Animator Applet (1.1) - example 1</h1> <applet codebase="." code=vacalouca.class width=460 height=160> </applet> <a href=" VacaLouca.java">The source.</a> <hr> </body> </html> O diagrama de componentes correspondente a este mini-sistema consiste nos seguintes arquivos: teste.html, VacaLouca.class,e VacaLouca.java. Desenhe o diagrama. 17

18 UML Diagrama de Componentes Exemplo 2 : Diagrama de Componentes relativo à instalação de uma aplicação. Considere as dependências identificadas entre as diferentes componentes de instalação. Estas dependências definem que o executável wincor.exe (i.e., a aplicação WinCOR) apenas pode correr se todas as restantes componentes tiverem sido instaladas adequadamente e que o módulo sdemdb32.dll depende do módulo sde32.dll. WinCOR.exe sdemdb32.dll { public.dll, Entrada.db, Saida.db, sde.dll. sdemdb32.dll, cor.ini, cor.hlp } {sde.dll} 18

19 UML Diagrama de Componentes Exemplo 2 : Diagrama de Componentes relativo à instalação de uma aplicação. << document>> cor.hlp << library>> public.dll << table>> entrada.db << document>> cor.ini << executable>> wincor.exe {versão=32} << table>> Saida.db << library>> sde32.dll << library>> sdemdb.dll 19

20 UML Diagrama de Componentes Com base no exemplo anterior, faça o exercício da Lista 3: Exercício 02: Considere uma aplicação desenvolvida sobre ambiente MSWindows e responsável pelo gerenciamento de (entrada e saída de) processos de uma organização. A aplicação consiste num conjunto variado de componentes de instalação, chamados: principal.exe: arquivo que contêm o executável da aplicação; libp.dll, bin64.dll, gtempdb.dll: bibliotecas com código binário que providenciam funcionalidades adicionais; ajuda.hlp: arquivo de ajuda sobre a aplicação; configp.ini: arquivo de configuração da aplicação; in.db, out.db: arquivos/tabelas da base de dados de suporte Construa o diagrama de Componentes. 20

21 UML Diagrama de Instalação Um diagrama de instalação consiste num conjunto de nós ligados por associações de comunicação. Os nós podem conter instâncias de componentes (de execução), o que significa que uma componente é instalada e executada num nó. Por outro lado, as componentes são compostas por objetos (note-se que um processo é apenas um caso particular de objeto: objeto ativo). Um diagrama de instalação ilustra a configuração dos elementos de processamento e das componentes de software, processos e objetos neles inseridos. Instâncias de componentes de software representam manifestações de execução das unidades de código. 21

22 UML Diagrama de Instalação Nó Servidor Nó Cliente... Pelo fato do diagrama de instalação apresentar componentes, todos os elementos apresentados têm de ser instâncias. Neste caso são apresentadas instâncias de nós e de componentes. 22

23 UML Diagrama de Instalação 118-servidor : Servidor Diretório de Telefones : PC * Programa de Pesquisa Resultados Programa de Apresentação 118 Componentes: Instalação: Diretorio de Telefones. 118-Servidor:Servidor (instância) Programa de Pesquisa. :PC (instância) Programa de Apresentação118 Resultados onde, Programa de Apresenração 118 Programa de Pesquisa::Resultados Outro aspecto relevante deste exemplo é que existem vários nós cliente ligados ao Nó servidor. Este fato é representado pela inserção do caracter * colocado no canto superior direito do nó Cliente. 23

24 UML Diagrama de Instalação Exercício: Desenvolva o diagrama de instalação corresponde a um sistema de trabalho doméstico constituído por um PC (onde é feito o processamento), com alguns equipamentos adicionais, como: 1. uma impressora, (device) 2. um monitor, (device) 3. colunas de som, (device) 4. e um modem. (device) O modem permite a ligação à Internet através de um determinado ISP (Internet Service Provider). Diagrama de Instalação (de tipos) 24

25 UML Diagrama de Instalação Internet <<device>> Monitor <<processador>> ISP <<processador>> PC <<device>> Impressora <<device>> Modem <<device>> Coluna Som Diagrama de Instalação (de tipos) 25

26 UML Diagrama de Instalação Exercício: Para ilustrar uma configuração particular do diagrama anterior ou ilustrar as componentes de software que deveriam existir numa determinada configuração precisamos de um diagrama de configuração a nível de instâncias. 1. uma impressora : (HP LJ1100) 2. um monitor, (device) : (ICL-5550) 3. colunas de som, (device) 4. e um modem. (device) : (Zoom 56k) 5. ISP : (Stelepac) 26

27 UML Diagrama de Instalação Diagrama de Instalação (de instâncias) :Monitor (ICL-5550) STelepac : ISP meupc : PC (PC XPTO, PIII 450 Mhz) Windows 2000 : Impressora (HP LJ1100) : Modem (Zoom 56k) Office 97 Netscape <<device>> Coluna Som 27

Capítulo 8 - UML MODELAÇÃO DA ARQUITECTURA

Capítulo 8 - UML MODELAÇÃO DA ARQUITECTURA Capítulo 8 - UML MODELAÇÃO DA ARQUITECTURA Tópicos Introdução Componentes e Nós Diagramas de Componentes Diagramas de Instalação Exercícios 8.1 Introdução Diagramas de arquitectura 1 descrevem aspectos

Leia mais

UML Aula III Diagramas de Estado, Atividades, Componentes e Instalação

UML Aula III Diagramas de Estado, Atividades, Componentes e Instalação UML Aula III Diagramas de Estado, Atividades, Componentes e Instalação Ricardo Argenton Ramos Engenharia de Software II 2013.1 Diagrama de Estado Um diagrama de estados (statechart), também conhecido por

Leia mais

Diagrama de Componentes. Análise Orientada a Objetos

Diagrama de Componentes. Análise Orientada a Objetos Diagrama de Componentes Análise Orientada a Objetos Diagramas de arquitetura Diagramas de arquitetura (ou estrutura) permitem A descrição física do software: Os diagramas de componentes são usados para

Leia mais

Fernando Brito e Abreu (fba@di.fct.unl.pt) Universidade Nova de Lisboa (http://www.unl.pt) QUASAR Research Group (http://ctp.di.fct.unl.

Fernando Brito e Abreu (fba@di.fct.unl.pt) Universidade Nova de Lisboa (http://www.unl.pt) QUASAR Research Group (http://ctp.di.fct.unl. Deployment Diagrams Fernando Brito e Abreu (fba@di.fct.unl.pt) Universidade Nova de Lisboa (http://www.unl.pt) QUASAR Research Group (http://ctp.di.fct.unl.pt/quasar) Diagramas de Instalação O seu objectivo

Leia mais

Elsa Cardoso, DCTI - ISCTE

Elsa Cardoso, DCTI - ISCTE Elsa Cardoso, DCTI - ISCTE 25 Maio 2004 elsa.cardoso@iscte.pt Sumário Perspectiva de Desenho do Sistema: Diagrama de classes numa perspectiva de Desenho: Estereótipos Relação de Dependência Relação de

Leia mais

UML Modelagem da Arquitetuta

UML Modelagem da Arquitetuta CBSI Curso de Bacharelado em Sistemas de Informação UML Modelagem da Arquitetuta Prof. Dr. Sandro Ronaldo Bezerra Oliveira srbo@ufpa.br www.ufpa.br/srbo Análise e Projeto de Sistemas Faculdade de Computação

Leia mais

UML Diagramas de Componentes e Modelação da Arquitectura Física

UML Diagramas de Componentes e Modelação da Arquitectura Física UML Diagramas de Componentes e Modelação da Arquitectura Física 1 Diagrama de Componentes Captura a estrutura física da implementação Construído como parte da especificação da arquitectura Objectivo Organizar

Leia mais

UML Diagramas de componentes. Por Sérgio Crespo

UML Diagramas de componentes. Por Sérgio Crespo UML Diagramas de componentes Por Sérgio Crespo Crespo, 2010 1 Diagrama de Componentes Captura a estrutura física da implementação Construído como parte da especificação da arquitectura Objectivo Organizar

Leia mais

Eduardo Bezerra. Editora Campus/Elsevier

Eduardo Bezerra. Editora Campus/Elsevier Princípios de Análise e Projeto de Sistemas com UML 2ª edição Eduardo Bezerra Editora Campus/Elsevier Capítulo 11 Arquitetura do sistema Nada que é visto, é visto de uma vez e por completo. --EUCLIDES

Leia mais

PIM. CST em Análise e Desenvolvimento de Sistemas. Projeto Integrado Multidisciplinar. 4º/3º Períodos 2010/2 UNIVERSIDADE PAULISTA CURSO

PIM. CST em Análise e Desenvolvimento de Sistemas. Projeto Integrado Multidisciplinar. 4º/3º Períodos 2010/2 UNIVERSIDADE PAULISTA CURSO UNIVERSIDADE PAULISTA CURSO CST em Análise e Desenvolvimento de Sistemas PIM Projeto Integrado Multidisciplinar 4º/3º Períodos 2010/2 PIM - PROJETO INTEGRADO MULTIDISCIPLINAR TEMA Projeto e implementação

Leia mais

A INTERNET COMO FERRAMENTA AUXILIAR NO ENSINO DE MECÂNICA COMPUTACIONAL

A INTERNET COMO FERRAMENTA AUXILIAR NO ENSINO DE MECÂNICA COMPUTACIONAL A INTERNET COMO FERRAMENTA AUXILIAR NO ENSINO DE MECÂNICA COMPUTACIONAL Manoel Theodoro Fagundes Cunha Sergio Scheer Universidade Federal do Paraná, Setor de Tecnologia, Centro de Estudos de Engenharia

Leia mais

Sistemas para internet e software livre

Sistemas para internet e software livre Sistemas para internet e software livre Metodologia de modelagem de aplicações WEB Image: FreeDigitalPhotos.net Domínio: Elementos de aplicação WEB Páginas Web Scripts Formulários Applets e ActiveX Motivação

Leia mais

Especialização em Engenharia de Software - CEUT

Especialização em Engenharia de Software - CEUT Até aqui Programação com interfaces gráficas Sérgio Soares scbs@cin.ufpe.br Criamos a infra-estrutura para a aplicação bancária classes que representam os tipos de conta classe que implementa regras de

Leia mais

Engenharia de Software I

Engenharia de Software I Engenharia de Software I Rogério Eduardo Garcia (rogerio@fct.unesp.br) Bacharelado em Ciência da Computação Aula 05 Material preparado por Fernanda Madeiral Delfim Tópicos Aula 5 Contextualização UML Astah

Leia mais

GeCA: Uma Ferramenta de Engenharia Reversa e Geração Automática de Código

GeCA: Uma Ferramenta de Engenharia Reversa e Geração Automática de Código GeCA: Uma Ferramenta de Engenharia Reversa e Geração Automática de Código Igor Steinmacher 1, Éderson Fernando Amorim 1, Flávio Luiz Schiavoni 1, Elisa Hatsue Moriya Huzita 1 1 Departamento de Informática

Leia mais

Aplicativo web para definição do modelo lógico no projeto de banco de dados relacional

Aplicativo web para definição do modelo lógico no projeto de banco de dados relacional Aplicativo web para definição do modelo lógico no projeto de banco de dados relacional Juarez Bachmann Orientador: Alexander Roberto Valdameri Roteiro Introdução Objetivos Fundamentação teórica Desenvolvimento

Leia mais

Documento de Projeto de Software

Documento de Projeto de Software Documento de Projeto de Software Projeto: Vídeo Locadora Passatempo Versão: 1.0 Responsável: Ricardo de Almeida Falbo 1. Introdução Este documento apresenta o documento de projeto (design) do sistema de

Leia mais

Dados do Projeto. Nome do Projeto. Fingerprint Access Users. Data de Inicialização 14/04/2012

Dados do Projeto. Nome do Projeto. Fingerprint Access Users. Data de Inicialização 14/04/2012 Fábrica de Software Dados do Projeto Nome do Projeto Data de Inicialização Responsáveis Autores Fingerprint Access Users 14/04/2012 Adriana Lima de Almeida, Espedito Alves Leal, Jaciel Dias de Souza, Samuel

Leia mais

HTML. Sessão 1 HTML. Cliente: browser (IE, por exemplo) Servidor: IIS (Internet Information Server), Apache, WebSphere,...

HTML. Sessão 1 HTML. Cliente: browser (IE, por exemplo) Servidor: IIS (Internet Information Server), Apache, WebSphere,... Sessão 1 A INTERNET Baseada no modelo Cliente-Servidor Cliente: programa que pede informação Servidor: programa que envia a informação No caso da WWW: Cliente: browser (IE, por exemplo) Servidor: IIS (Internet

Leia mais

Documento de Projeto de Sistema

Documento de Projeto de Sistema Documento de Projeto de Sistema 1 IFES / Serra Projeto: Gerenciador de Pelada - Oasis Registro de Alterações: Versão Responsável Data Alterações 0.1 Eduardo Rigamonte, Geann Valfré, João Paulo Miranda,

Leia mais

O desenvolvimento de aplicações em Programação com Objetos. João D. Pereira Nuno Mamede

O desenvolvimento de aplicações em Programação com Objetos. João D. Pereira Nuno Mamede O desenvolvimento de aplicações em Programação com Objetos João D. Pereira Nuno Mamede Outubro de 2012 Resumo O objetivo deste documento é apresentar o modo de desenvolvimento de aplicações a usar durante

Leia mais

Uma Abordagem usando PU

Uma Abordagem usando PU Uma Abordagem usando PU Curso de Especialização DEINF - UFMA Desenvolvimento Orientado a Objetos Prof. Geraldo Braz Junior Referências: Baseada em: Rational Software Corpotation G. Booch, Ivar Jacobson,

Leia mais

Estudo de Caso Sistema de Caixa Automático

Estudo de Caso Sistema de Caixa Automático Estudo de Caso Sistema de Caixa Automático Curso de Especialização DEINF - UFMA Desenvolvimento Orientado a Objetos Prof. Geraldo Braz Junior Referências: Notas de Aula Ulrich Schiel Notas de Aula Ariadne

Leia mais

Rational XDE Model Structure Guidelines para Microsoft.NET

Rational XDE Model Structure Guidelines para Microsoft.NET Rational XDE Model Structure Guidelines para Microsoft.NET 2 Página 2 de 23 Índice Analítico 1. Introduction 4 2. Scope 4 3. XDE Project Structure 4 4. RUP Model to XDE Model Mapping 7 5. Use-Case Model

Leia mais

GERADOR DE CÓDIGO JSP BASEADO EM PROJETO DE SGBD. Acadêmico: Maicon Klug Orientadora: Joyce Martins

GERADOR DE CÓDIGO JSP BASEADO EM PROJETO DE SGBD. Acadêmico: Maicon Klug Orientadora: Joyce Martins GERADOR DE CÓDIGO JSP BASEADO EM PROJETO DE SGBD Acadêmico: Maicon Klug Orientadora: Joyce Martins Roteiro Introdução Objetivos do trabalho Fundamentação teórica Desenvolvimento do trabalho Conclusão Extensões

Leia mais

Linguagem de Programação Visual

Linguagem de Programação Visual Linguagem de Programação Visual Unidade 1 Ambiente de desenvolvimento Curso Técnico em Informática SUMÁRIO INTRODUÇÃO... 3 SOBRE O JAVA... 3 AMBIENTE DE DESENVOLVIMENTO... 5 RECURSOS DA FERRAMENTA NETBEANS...

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA Faculdade de Computação Curso de Introdução à Informática Prof: Anilton Joaquim da Silva / Ezequiel Roberto Zorzal

UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA Faculdade de Computação Curso de Introdução à Informática Prof: Anilton Joaquim da Silva / Ezequiel Roberto Zorzal UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA Faculdade de Computação Curso de Introdução à Informática Prof: Anilton Joaquim da Silva / Ezequiel Roberto Zorzal AULA Informática: Aplicações e Benefícios Advocacia

Leia mais

Análise de Sistemas Orientados a Objetos Prof. Tiago Eugenio de Melo tiago@comunidadesol.org. www.tiagodemelo.info

Análise de Sistemas Orientados a Objetos Prof. Tiago Eugenio de Melo tiago@comunidadesol.org. www.tiagodemelo.info Análise de Sistemas Orientados a Objetos Prof. Tiago Eugenio de Melo tiago@comunidadesol.org www.tiagodemelo.info Roteiro Conceitos de Orientação a Objetos (OO) Visão Geral da UML Diagrama de Classes Diagramas

Leia mais

Análise Orientada a Objetos

Análise Orientada a Objetos Análise Orientada a Objetos Breve Histórico: Fim da década de 80: amadurecimento da Orientação a Objeto Década de 1990: diversas proposições a partir de diversos autores, como Booch, Rumbaugh e Jacobson.

Leia mais

4.2. UML Diagramas de classes

4.2. UML Diagramas de classes Engenharia de Software 4.2. UML Diagramas de classes Nuno Miguel Gil Fonseca nuno.fonseca@estgoh.ipc.pt Um diagrama de classes serve para modelar o vocabulário de um sistema Construído e refinado ao longo

Leia mais

Engenharia de Software

Engenharia de Software Engenharia de Software Requisitos de Software Prof. MSc. Edilberto Silva prof.edilberto.silva@gmail.com http://www.edilms.eti.br Requisito O que é um REQUISITO? Em software: É a CARACTERIZAÇÃO do que o

Leia mais

Produtos da Fábrica de Software

Produtos da Fábrica de Software Produtos da Fábrica de Software Módulo Biométrico Computer ID - MBC O que é? O Módulo Biométrico Computer ID é um produto, constituído por componentes de software, cuja finalidade é oferecer recursos tecnológicos

Leia mais

SISTEMA DE WORKFLOW PARA MODELAGEM E EXECUÇÃO DE PROCESSOS DE SOFTWARE. Aluno: Roberto Reinert Orientador: Everaldo A. Grahl

SISTEMA DE WORKFLOW PARA MODELAGEM E EXECUÇÃO DE PROCESSOS DE SOFTWARE. Aluno: Roberto Reinert Orientador: Everaldo A. Grahl SISTEMA DE WORKFLOW PARA MODELAGEM E EXECUÇÃO DE PROCESSOS DE SOFTWARE Aluno: Roberto Reinert Orientador: Everaldo A. Grahl Roteiro de apresentação Introdução Objetivos Fundamentação Teórica Workflow Processo

Leia mais

Desenvolvendo aplicações

Desenvolvendo aplicações Desenvolvendo aplicações 22 para a Web Uma aplicação Java pode ser executada sem modificação em qualquer plataforma que tenha a máquina virtual Java instalada. Esta característica faz com que as aplicações

Leia mais

Capítulo 1. Introdução. 1.1 Linguagens. OBJETIVOS DO CAPÍTULO Ao final deste capítulo você deverá ser capaz de:

Capítulo 1. Introdução. 1.1 Linguagens. OBJETIVOS DO CAPÍTULO Ao final deste capítulo você deverá ser capaz de: i Sumário 1 Introdução 1 1.1 Linguagens....................................... 1 1.2 O que é um Compilador?................................ 2 1.3 Processadores de Programas: Compiladores, Interpretadores

Leia mais

Unified Modeling Language. Diagramas de Implementação

Unified Modeling Language. Diagramas de Implementação Unified Modeling Language Diagramas de Implementação José Correia, Junho 2006 (http://paginas.ispgaya.pt/~jcorreia/) Diagramas de implementação José Correia UML Diagramas de Implementação 2 Diagramas de

Leia mais

Unified Modeling Language UML - Notações

Unified Modeling Language UML - Notações Unified Modeling Language UML - Notações Prof. Ms. Elvio Gilberto da Silva elvio@fmr.edu.br UML Ponto de Vista É gerada com propósito geral de uma linguagem de modelagem visual usada para especificar,

Leia mais

Programação em Rede JDBC

Programação em Rede JDBC Programação em Rede JDBC 1 JDBC - Java Database Connectivity Necessidades : ligar aplicações Java e Applets a DBMS Drivers que suportam SQL um driver JDBC/DBMS deve suportar pelo menos o ANSI SQL92 JDBC

Leia mais

Engenharia de Software. Enunciado da Primeira Parte do Projecto

Engenharia de Software. Enunciado da Primeira Parte do Projecto LEIC-A, LEIC-T, LETI, MEIC-T, MEIC-A Engenharia de Software 2 o Semestre 2014/2015 Enunciado da Primeira Parte do Projecto 1. Primeira Parte do Projecto ES Este enunciado descreve o trabalho a realizar

Leia mais

Programação WEB Introdução

Programação WEB Introdução Programação WEB Introdução Rafael Vieira Coelho IFRS Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul Campus Farroupilha rafael.coelho@farroupilha.ifrs.edu.br Roteiro 1) Conceitos

Leia mais

marcio@dsc.ufcg.edu.br priscillakmv@gmail.com

marcio@dsc.ufcg.edu.br priscillakmv@gmail.com DSC/CEEI/UFCG marcio@dsc.ufcg.edu.br priscillakmv@gmail.com 1 Realiza atividades com ênfase em Ensino, Pesquisa e Extensão (Ensino) 2 Configurando o projeto Adicionando código ao arquivo com o código-fonte

Leia mais

Projeto: Simul-e Documento de Arquitetura de Software

Projeto: Simul-e Documento de Arquitetura de Software Projeto: Simul-e Documento de Arquitetura de Software Versão 1.0 Página 1 de 9 Histórico da Revisão Data Versão Descrição Autor 12.09.2015 1.0 Criação do Documento Hugo Pazolline 20.10.2015 1.0 Atualização

Leia mais

CRM GESTÃO DOS SERVIÇOS AOS CLIENTES

CRM GESTÃO DOS SERVIÇOS AOS CLIENTES Página 1 de 6 Este sistema automatiza todos os contatos com os clientes, ajuda as companhias a criar e manter um bom relacionamento com seus clientes armazenando e inter-relacionando atendimentos com informações

Leia mais

Gestão de projectos na Web

Gestão de projectos na Web Gestão de projectos na Web Relatório de desenho de alto nível Versão 1.0, 5 de Maio de 2003 Telmo Pedro Gomes Amaral (mee02013@fe.up.pt) (Grupo 15) Aplicações na Web Mestrado em Engenharia Electrotécnica

Leia mais

Gestão de Projectos de Software Licenciatura em Engenharia Informática e Computação Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto

Gestão de Projectos de Software Licenciatura em Engenharia Informática e Computação Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto Gestão de Projectos de Software Licenciatura em Engenharia Informática e Computação Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto Projecto SAPIENS Sistema de Avaliação Assistida por Computador RELATÓRIO

Leia mais

MÓDULO - I Manual Prático Microsoft Excel 2007

MÓDULO - I Manual Prático Microsoft Excel 2007 MÓDULO - I Manual Prático Microsoft Excel 2007 MÓDULO - I APRESENTAÇÃO... 1 AMBIENTE DE TRABALHO... 2 A folha de cálculo... 2 O ambiente de trabalho do Excel... 3 Faixas de Opções do Excel... 4 - Guia

Leia mais

ENGENHARIA DE SOFTWARE

ENGENHARIA DE SOFTWARE ENGENHARIA DE SOFTWARE PARTE 2 LINGUAGEM DE MODELAÇÃO UML CAP. 4 UML VISÃO GERAL Tópicos Introdução Visão Histórica Tipos de Elementos Básicos Tipos de Relações Tipos de Diagramas Mecanismos Comuns TiposdeDados

Leia mais

Tarciane Andrade. tarcianeandrade@gmail.com

Tarciane Andrade. tarcianeandrade@gmail.com Tarciane Andrade tarcianeandrade@gmail.com Contexto Análise Passando de casos de uso para diagramas de classes 2 Após a etapa de análise de requisitos, temos documentos de requisitos e os casos de uso

Leia mais

1.264 Aula 15. Ambientes de desenvolvimento da rede: Java Script Java Applets Java Servlets Páginas ativas de servidor

1.264 Aula 15. Ambientes de desenvolvimento da rede: Java Script Java Applets Java Servlets Páginas ativas de servidor 1.264 Aula 15 Ambientes de desenvolvimento da rede: Java Script Java Applets Java Servlets Páginas ativas de servidor Ambientes de Desenvolvimento XML e WSDL são documentos SOAP é uma extensão http UDDI

Leia mais

Processos (Threads,Virtualização e Migração de Código)

Processos (Threads,Virtualização e Migração de Código) Processos (Threads,Virtualização e Migração de Código) Roteiro Processos Threads Virtualização Migração de Código O que é um processo?! Processos são programas em execução. Processo Processo Processo tem

Leia mais

Software de gerenciamento do sistema Intel. Guia do usuário do Pacote de gerenciamento do servidor modular Intel

Software de gerenciamento do sistema Intel. Guia do usuário do Pacote de gerenciamento do servidor modular Intel Software de gerenciamento do sistema Intel do servidor modular Intel Declarações de Caráter Legal AS INFORMAÇÕES CONTIDAS NESTE DOCUMENTO SÃO RELACIONADAS AOS PRODUTOS INTEL, PARA FINS DE SUPORTE ÀS PLACAS

Leia mais

Linguagens de Programação

Linguagens de Programação JDBC - Java Database Connectivity Necessidades : ligar aplicações Java e Applets a DBMS Drivers que suportam SQL um driver JDBC/DBMS deve suportar pelo menos o ANSI SQL92 JDBC é constituído por interfaces

Leia mais

Fichas de Apoio/Trabalho

Fichas de Apoio/Trabalho 1 Hot Potatoes é um programa que contém um pacote de seis ferramentas ou programas de autor, desenvolvido pelo Grupo de Pesquisa e Desenvolvimento do Centro de Informática da Universidade de Victoria,

Leia mais

Métodos da classe Applet Criando applets Passando parâmetros de uma página HTML Migrando de uma aplicação para uma applet Applets vs.

Métodos da classe Applet Criando applets Passando parâmetros de uma página HTML Migrando de uma aplicação para uma applet Applets vs. Applets Métodos da classe Applet Criando applets Passando parâmetros de uma página HTML Migrando de uma aplicação para uma applet Applets vs. Segurança l Objetivos Migrar de uma aplicação para uma applet

Leia mais

Lógica de Programação

Lógica de Programação Lógica de Programação Unidade 4 Ambiente de desenvolvimento Java QI ESCOLAS E FACULDADES Curso Técnico em Informática SUMÁRIO A LINGUAGEM JAVA... 3 JVM, JRE, JDK... 3 BYTECODE... 3 PREPARANDO O AMBIENTE

Leia mais

Introdução ao HTML 5 e Implementação de Documentos

Introdução ao HTML 5 e Implementação de Documentos Linguagem de Programação para Web Introdução ao HTML 5 e Implementação de Documentos Prof. Mauro Lopes 1-31 20 Objetivo Iremos aqui apresentar a estrutura básica de um documento HTML e iremos também apresentar

Leia mais

Como criar uma página WEB

Como criar uma página WEB Como criar uma página WEB Utilização de comandos HTML Luís Manuel Borges Gouveia versão 1.1 Dezembro, 1996 Requisitos necessários para criar ou editar uma página Web um navegador (browser): Netscape ou

Leia mais

Unisant Anna Gestão Empresarial com ERP 2014 Modelagem de Sistemas - UML e MER

Unisant Anna Gestão Empresarial com ERP 2014 Modelagem de Sistemas - UML e MER Objetivo dessa aula é descrever as características e a simbologia dos diagramas UML e MER na modelagem de sistemas de informação de uma forma a permitir a comunicação entre técnicos e gestores. Modelagem

Leia mais

Objetivos do Curso. Você será capaz de:

Objetivos do Curso. Você será capaz de: Objetivos do Curso Ao término do curso você entenderá: Aplicativos Java e applets Tipos de dados primitivos Fluxo de Controle em Java Métodos Outros: exceções, multithreading, multimedia, I/O, redes. Objetivos

Leia mais

Modelando Arquiteturas de Aplicativos da WEB com UML

Modelando Arquiteturas de Aplicativos da WEB com UML Modelando Arquiteturas de Aplicativos da WEB com UML Jim Conallen Rational Software White Paper TP 157, 6/99 Uma versão deste material aparece na edição de outubro de 1999 (volume 42, número 10) de Communications

Leia mais

Secretaria de Estado de Gestão e Planejamento Superintendência de Modernização Institucional Gerência de Escritório de Processos

Secretaria de Estado de Gestão e Planejamento Superintendência de Modernização Institucional Gerência de Escritório de Processos SUMÁRIO PADRONIZAÇÃO DO DESENHO DE PROCESSOS NO BIZAGI... 2 1. CONFIGURANDO A FERRAMENTA... 2 2. GLOSSÁRIO... 2 3. OBJETIVO... 3 4. NOTAÇÃO... 3 5. REGRAS DE DESENHO... 3 5.1. Macroprocesso... 3 5.2. Sub-processo......

Leia mais

Desenvolvimento de Aplicação Windows Mobile Acessando um WebService

Desenvolvimento de Aplicação Windows Mobile Acessando um WebService Faculdade de Negócios e Administração de Sergipe Disciplina: Integração Web Banco de Dados Professor: Fábio Coriolano Desenvolvimento de Aplicação Windows Mobile Acessando um WebService Professor: Fabio

Leia mais

GLOSSÁRIO. ActiveX Controls. É essencialmente uma interface usada para entrada e saída de dados para uma aplicação.

GLOSSÁRIO. ActiveX Controls. É essencialmente uma interface usada para entrada e saída de dados para uma aplicação. GLOSSÁRIO Este glossário contém termos e siglas utilizados para Internet. Este material foi compilado de trabalhos publicados por Plewe (1998), Enzer (2000) e outros manuais e referências localizadas na

Leia mais

Google Web Toolkit* Clério Damasceno Soares, Daniel da Silva Filgueiras e Fábio Figueiredo da Silva

Google Web Toolkit* Clério Damasceno Soares, Daniel da Silva Filgueiras e Fábio Figueiredo da Silva Google Web Toolkit* Clério Damasceno Soares, Daniel da Silva Filgueiras e Fábio Figueiredo da Silva Universidade Federal de Juiz de Fora UFJF-MG Campo Universitário Bairro Marmelos Juiz de Fora MG Brasil

Leia mais

Documento de Instalação e Configuração do InfoGrid

Documento de Instalação e Configuração do InfoGrid Documento de Instalação e Configuração do InfoGrid Tecgraf/PUC Rio infogrid@tecgraf.puc rio.br 1.Introdução O objetivo deste documento é podermos registrar em um único local todas as informações necessárias

Leia mais

Tópicos em Engenharia de Software (Optativa III) AULA 2. Prof. Andrêza Leite andreza.lba@gmail.com (81 )9801-6619

Tópicos em Engenharia de Software (Optativa III) AULA 2. Prof. Andrêza Leite andreza.lba@gmail.com (81 )9801-6619 Tópicos em Engenharia de Software (Optativa III) AULA 2 Prof. Andrêza Leite andreza.lba@gmail.com (81 )9801-6619 Engenharia de Software Objetivo da aula Depois desta aula você terá uma revisão sobre o

Leia mais

Criação de Applets com o JBuilder Professor Sérgio Furgeri

Criação de Applets com o JBuilder Professor Sérgio Furgeri OBJETIVOS DA AULA: Apresentar o processo de criação em uma interface gráfica para a Internet; Fornecer subsídios para que o aluno possa compreender onde aplicar Applets; Demonstrar a criação de uma Applet

Leia mais

Introdução ao C# . Visão geral do.net Framework

Introdução ao C# . Visão geral do.net Framework Introdução ao C# Microsoft.NET (comumente conhecido por.net Framework - em inglês: dotnet) é uma iniciativa da empresa Microsoft, que visa uma plataforma única para desenvolvimento e execução de sistemas

Leia mais

WebApps em Java com uso de Frameworks

WebApps em Java com uso de Frameworks WebApps em Java com uso de Frameworks Fred Lopes Índice O que são frameworks? Arquitetura em camadas Arquitetura de sistemas WEB (WebApps) Listagem resumida de frameworks Java Hibernate O que são frameworks?

Leia mais

UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA - UDESC DCC Departamento de Ciência da Computação Joinville-SC

UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA - UDESC DCC Departamento de Ciência da Computação Joinville-SC CURSO: Bacharelado em Ciência da Computação DISCIPLINA: ANPS Análise e Projeto de Sistemas AULA NÚMERO: 3 DATA: PROFESSOR: Murakami Sumário 1 APRESENTAÇÃO...1 2 DESENVOLVIMENTO...1 2.1 Revisão...1 2.1.1

Leia mais

Curso de Aprendizado Industrial Desenvolvedor WEB

Curso de Aprendizado Industrial Desenvolvedor WEB Curso de Aprendizado Industrial Desenvolvedor WEB Disciplina: Programação Orientada a Objetos II Professor: Cheli dos S. Mendes da Costa Modelo Cliente- Servidor Modelo de Aplicação Cliente-servidor Os

Leia mais

ANEXO 1. Formulário de Candidatura da Instituição Projecto Final de Curso de IGE/ETI. Instituição de acolhimento. Supervisor nomeado pela instituição

ANEXO 1. Formulário de Candidatura da Instituição Projecto Final de Curso de IGE/ETI. Instituição de acolhimento. Supervisor nomeado pela instituição INSTITUTO SUPERIOR DE CIÊNCIAS DO TRABALHO E DA EMPRESA Departamento de Ciências e Tecnologias de Informação DCTI Formulário de Candidatura da Instituição Projecto Final de Curso de IGE/ETI ANEXO 1 Instituição

Leia mais

Projeto Disciplinar de Infra-Estrutura de Software SISCOP TORRE FORTE CONSTRUÇÕES LTDA.

Projeto Disciplinar de Infra-Estrutura de Software SISCOP TORRE FORTE CONSTRUÇÕES LTDA. 1 Projeto Disciplinar de Infra-Estrutura de Software SISCOP TORRE FORTE CONSTRUÇÕES LTDA. EDILBERTO SILVA 1, ADRIANO MARRA (1012295) 2, BRUNO OLIVEIRA (1012415) 2, BRUNO MOTTA (1012509) 2, JANAÍNA LIMA

Leia mais

Arquitetura de Software

Arquitetura de Software Arquitetura de Software Jair C Leite Arquitetura e Engenharia Qual o papel da arquitetura e da engenharia... Na construção civil edifícios, pontes, estradas, etc.? Na indústria automobilística? Na indústria

Leia mais

Aula 02 Conceitos básicos elipse. INFORMÁTICA INDUSTRIAL II ENG1023 Profª. Letícia Chaves Fonseca leticia.chavesfonseca@gmail.com

Aula 02 Conceitos básicos elipse. INFORMÁTICA INDUSTRIAL II ENG1023 Profª. Letícia Chaves Fonseca leticia.chavesfonseca@gmail.com Aula 02 Conceitos básicos elipse INFORMÁTICA INDUSTRIAL II ENG1023 Profª. Letícia Chaves Fonseca leticia.chavesfonseca@gmail.com 1. Introdução O Elipse E3 trabalha totalmente orientado para a operação

Leia mais

Desenvolvimento Web. Saymon Yury C. Silva Analista de Sistemas. http://www.saymonyury.com.br

Desenvolvimento Web. Saymon Yury C. Silva Analista de Sistemas. http://www.saymonyury.com.br Desenvolvimento Web Saymon Yury C. Silva Analista de Sistemas http://www.saymonyury.com.br Vantagens Informação em qualquer hora e lugar; Rápidos resultados; Portabilidade absoluta; Manutenção facilitada

Leia mais

Introdução. História. Como funciona

Introdução. História. Como funciona Introdução O HTML é uma linguagem de marcação utilizada para desenvolvimento de sites. Esta linguagem surgiu junto com o HTTP, ambos possibilitaram a internet ser popularizada. História O HTML foi criado

Leia mais

UML & Padrões Aula 7. UML & Padrões - Profª Kelly C C Silva

UML & Padrões Aula 7. UML & Padrões - Profª Kelly C C Silva UML & Padrões Aula 7 UML & Padrões - Profª Kelly C C Silva Divisão das classes do Modelo de Análise Jacobson propõe a divisão das classes do Modelo de Análise de acordo com os seguintes estereótipos: entidades

Leia mais

Metodologia e Gerenciamento do Projeto na Fábrica de Software v.2

Metodologia e Gerenciamento do Projeto na Fábrica de Software v.2 .:: Universidade Estadual de Maringá Bacharelado em Informática Eng. de Software III :. Sistema de Gerenciamento de Eventos - Equipe 09 EPSI Event Programming System Interface Metodologia e Gerenciamento

Leia mais

UML Aspectos de projetos em Diagramas de classes

UML Aspectos de projetos em Diagramas de classes UML Aspectos de projetos em Diagramas de classes Após ser definido o contexto da aplicação a ser gerada. Devemos pensar em detalhar o Diagrama de Classes com informações visando uma implementação Orientada

Leia mais

O que é a UML? Introdução a UML. Objetivos da Modelagem. Modelos. A UML não é. Princípios da Modelagem. O que é um modelo?

O que é a UML? Introdução a UML. Objetivos da Modelagem. Modelos. A UML não é. Princípios da Modelagem. O que é um modelo? O que é a UML? Introdução a UML Linguagem Gráfica de Modelagem para: Visualizar Especificar Construir Documentar Comunicar Artefatos de sistemas complexos Linguagem: vocabulário + regras de combinação

Leia mais

Ferramentas: jar e javadoc

Ferramentas: jar e javadoc Ferramentas: jar e javadoc Material baseado na apostila FJ-11: Java e Orientação a Objetos do curso Caelum, Ensino e Inovação, disponível para download em http://www.caelum.com.br/apostilas/ 1 Objetivos

Leia mais

SOFTWARE LIVRE. Distribuições Live CD. Kernel. Distribuição Linux

SOFTWARE LIVRE. Distribuições Live CD. Kernel. Distribuição Linux SOFTWARE LIVRE A liberdade de executar o programa, para qualquer propósito. A liberdade de estudar como o programa funciona, e adaptá-lo para as suas necessidades. Acesso ao código-fonte é um pré-requisito

Leia mais

Anexo I - DAS (Documento de Arquitetura de Software) Concurso de Desenvolvimento de Jogos SEBRAE

Anexo I - DAS (Documento de Arquitetura de Software) Concurso de Desenvolvimento de Jogos SEBRAE Anexo I - DAS (Documento de Arquitetura de Software) Concurso de Desenvolvimento de Jogos SEBRAE 1 Sumário Sumário... 2 1 INTRODUÇÃO... 3 1.1 Propósito... 3 1.2 Escopo... 3 1.3 Referências... 3 2 DIRETRIZES...

Leia mais

Escola Superior de Tecnologia de Setúbal. Projecto Final

Escola Superior de Tecnologia de Setúbal. Projecto Final Instituto Politécnico de Setúbal Escola Superior de Tecnologia de Setúbal Departamento de Sistemas e Informática Projecto Final Computação na Internet Ano Lectivo 2002/2003 Portal de Jogos Executado por:

Leia mais

Engenharia de Software I: Análise e Projeto de Software Usando UML

Engenharia de Software I: Análise e Projeto de Software Usando UML Engenharia de Software I: Análise e Projeto de Software Usando UML Capítulo 1 Processo de Desenvolvimento de Software Metodologia de Desenvolvimento de Software Uma metodologia é um conjunto de métodos,

Leia mais

Histórico da Revisão. Versão Descrição Autor. 1.0 Versão Inicial

Histórico da Revisão. Versão Descrição Autor. 1.0 Versão Inicial 1 of 14 27/01/2014 17:33 Sistema de Paginação de Esportes Universitários Documento de Arquitetura de Software Versão 1.0 Histórico da Revisão Data 30 de novembro de 1999 Versão Descrição Autor 1.0 Versão

Leia mais

Questões de Concursos Tudo para você conquistar o seu cargo público

Questões de Concursos Tudo para você conquistar o seu cargo público Informática- Leandro Rangel, Analista Financeiro Contábil da AGU e professor do QConcursos.com 1- Q236949 CESGRANRIO - 2012 - Caixa - Técnico Bancário Em ambiente gráfico KDE, as diversas distribuições

Leia mais

Programação para Web Artefato 01. AT5 Conceitos da Internet

Programação para Web Artefato 01. AT5 Conceitos da Internet Programação para Web Artefato 01 AT5 Conceitos da Internet Histórico de revisões Data Versão Descrição Autor 24/10/2014 1.0 Criação da primeira versão HEngholmJr Instrutor Hélio Engholm Jr Livros publicados

Leia mais

Ferramenta para conversão de interfaces gráficas desenvolvidas em Delphi para a biblioteca GTK+ Acadêmico: Josimar Zimermann

Ferramenta para conversão de interfaces gráficas desenvolvidas em Delphi para a biblioteca GTK+ Acadêmico: Josimar Zimermann Ferramenta para conversão de interfaces gráficas desenvolvidas em Delphi para a biblioteca GTK+ Acadêmico: Josimar Zimermann Orientadora: Joyce Martins Roteiro Introdução Objetivos Fundamentação teórica

Leia mais

Aprimorando a Interface da sua Aplicação

Aprimorando a Interface da sua Aplicação Aprimorando a Interface da sua Aplicação A Interface de Usuário OpenEdge Regis Martins Ezipato Sr. Solution Engineer Agenda O que é uma IU competitiva? Possibilidades de IU OpenEdge A OpenEdge GUI Algumas

Leia mais

Projeto Disciplinar de Infra-Estrutura de Software SISPA FACULDADE SENAC

Projeto Disciplinar de Infra-Estrutura de Software SISPA FACULDADE SENAC 1 Projeto Disciplinar de Infra-Estrutura de Software SISPA FACULDADE SENAC Edilberto Silva 1, André Luiz (1012545), Andreia Pereira da Silva (1012547) Carlos Alberto (1012206), Humberto César de Carvalho

Leia mais

CURSO DESENVOLVEDOR JAVA WEB E FLEX Setembro de 2010 à Janeiro de 2011

CURSO DESENVOLVEDOR JAVA WEB E FLEX Setembro de 2010 à Janeiro de 2011 CURSO DESENVOLVEDOR JAVA WEB E FLEX Setembro de 2010 à Janeiro de 2011 O curso foi especialmente planejado para os profissionais que desejam trabalhar com desenvolvimento de sistemas seguindo o paradigma

Leia mais

CA Business Service Insight

CA Business Service Insight CA Business Service Insight Guia de Conteúdo Predefinido da ISO 20000 8.2 A presente documentação, que inclui os sistemas de ajuda incorporados e os materiais distribuídos eletronicamente (doravante denominada

Leia mais

PROJETO DE COOPERAÇÃO TÉCNICA INTERNACIONAL. Diretrizes e Estratégias para Ciência, Tecnologia e Inovação no Brasil

PROJETO DE COOPERAÇÃO TÉCNICA INTERNACIONAL. Diretrizes e Estratégias para Ciência, Tecnologia e Inovação no Brasil PROJETO DE COOPERAÇÃO TÉCNICA INTERNACIONAL Diretrizes e Estratégias para Ciência, Tecnologia e Inovação no Brasil Projeto 914 BRA5065 - PRODOC-MTC/UNESCO DOCUMENTO TÉCNICO Nº 02 IMPLANTAÇÃO DE 1 (UM)

Leia mais

Curso PHP Básico. Jairo Charnoski do Nascimento

Curso PHP Básico. Jairo Charnoski do Nascimento Curso PHP Básico Jairo Charnoski do Nascimento Agenda Ferramentas necessárias Introdução HTML HTML? Tags Construindo seu primeiro website Observações sobre a estrutura Mais tags Atributos Agenda Cores

Leia mais

Guia de instalação do Sugar CRM versão open source no Microsoft Windows XP

Guia de instalação do Sugar CRM versão open source no Microsoft Windows XP Guia de instalação do Sugar CRM versão open source no Microsoft Windows XP Noilson Caio Teixeira de Araújo Sugar CRM é um software de código fonte aberto (open source) que permite uma organização para

Leia mais

ENGENHARIA DE SOFTWARE Prof. Ricardo Rodrigues Barcelar http://www.ricardobarcelar.com.br

ENGENHARIA DE SOFTWARE Prof. Ricardo Rodrigues Barcelar http://www.ricardobarcelar.com.br - MÓDULO 3 - MODELAGEM DE SISTEMAS ORIENTADA A OBJETOS COM UML 1. INTRODUÇÃO A partir de 1980, diversos métodos de desenvolvimento de sistemas surgiram para apoiar o paradigma orientado a objetos com uma

Leia mais

Diagrama de Classes. Um diagrama de classes descreve a visão estática do sistema em termos de classes e relacionamentos entre as classes.

Diagrama de Classes. Um diagrama de classes descreve a visão estática do sistema em termos de classes e relacionamentos entre as classes. 1 Diagrama de Classes Um diagrama de classes descreve a visão estática do sistema em termos de classes e relacionamentos entre as classes. Um dos objetivos do diagrama de classes é definir a base para

Leia mais

Módulo: Criação de Páginas WEB

Módulo: Criação de Páginas WEB Módulo: Criação de Páginas WEB 50 Horas - Sessão 05/13 TEXTO ANIMADO O comando MARQUEE orienta o browser a definir o efeito de texto/imagem a passar no ecrã. Deve ser utilizado quando queremos dar destaque

Leia mais