de decolar É hora Lei Antifumo Novas oportunidades Entrevista: Fiesp analisa os desafios para a indústria no escoamento da produção

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "de decolar É hora Lei Antifumo Novas oportunidades Entrevista: Fiesp analisa os desafios para a indústria no escoamento da produção"

Transcrição

1 Lei Antifumo O que muda para as empresas a partir da nova legislação pág. 30 N o 40 ano 11 NOVEmbro 2009 Novas oportunidades Atlas implanta programa de trainee para gerentes pág. 36 É hora de decolar Com base no reaquecimento da economia, transporte aéreo de cargas quer alçar voos maiores em Terminais passam por modernização para atender demanda pág. 07 Entrevista: Fiesp analisa os desafios para a indústria no escoamento da produção

2 Sumário Farol Fiesp analisa os desafios para indústria no escoamento da produção 07 Capa Raio X: transporte aéreo de cargas 10 Por dentro da Atlas Inauguração da filial de Sumaré 12 As melhores filiais em História Viva 16 Logística é isso 18 Caso de sucesso Red Bull: uma parceria que dá asas 20 Inovação Expediente 22 A Revista Mundo Atlas é uma publicação da Atlas Transportes & Logística. Todas as matérias desta edição poderão ser reproduzidas, desde que o processo seja autorizado pela redação e concedidos os créditos. Conselho Editorial: Antonio Aurelio Megale Diretor Operacional, Celia Maria Biagiotti Diretora Financeira, Maria Afonsina Megale Rezende dos Santos Diretora de Desenvolvimento Organizacional, TI e Administrativa, Lauro Felipe Megale Diretor de Planejamento & Marketing Coordenação Geral: Lauro Felipe Megale Diretor Planejamento & Marketing Coordenação Editorial: Trama Comunicação Diretora de Redação: Leila Gasparindo (MTb ) Editor: Adriano Zanni (MTb ) Reportagens: Adriano Zanni, Elaine Alves e Simone Bernardes Fotos: Marcos Fernandes Revisão: Gisele C. Batista Rego Projeto Gráfico: Dande Propaganda Direção de Criação: Angela Nogueira Direção de Arte: Bruno Oxe Diagramação: Marina Furlan Produção Gráfica: Dande Propaganda Para enviar dúvidas, críticas ou sugestões, escreva para Carga segura Barreiras fiscais no Brasil 24 Express 26 Atitude cidadã Semana do idoso movimenta o Lima 28 Doutores da Alegria completa 18 anos 29 Dança de salão na Associação Atlética 30 Vida saudável Mudança de hábitos depois da Lei Antifumo 32 GPS 34 Capital humano Sipat Programa de trainee para gerentes 38 Avaliação de desempenho 39 Retrovisor Atlas Transportes & Logística Rua Soldado Hamilton Silva Costa, 58 Parque Novo Mundo São Paulo (SP) - CEP: Telefone: (11) Home Page:

3 Editorial Cooperação: palavra de ordem Há pouco mais de um ano, convivíamos com as incertezas sobre os rumos desenvolvimentistas que o País adotaria diante da exposição a uma crise econômica sem precedentes, capaz de balançar as grandes potências mundiais. Hoje, certamente podemos afirmar que a tempestade passou. Olhamos para alto-mar e enxergamos horizontes com poucas nuvens. O que mais impressiona é que nós, brasileiros, fomos guindados ao posto de capitães do navio sob os olhares de toda uma tripulação atenta. Tudo porque nossa economia apresenta sinais concretos de recuperação e isso nos coloca em posição privilegiada juntamente com os outros integrantes do chamado Bric, o bloco das nações emergentes, também composto por Rússia, Índia e China. O Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro aumentou 1,9% no segundo trimestre de 2009, depois de ter recuado durante dois trimestres consecutivos: -3,4% (outubro-dezembro 2008) e -1% (janeiromarço 2009). A projeção é que recuperemos, em 2010, nossa velocidade média de crescimento anterior à crise, em torno de +4,5%. Quem fez a lição de casa nesses últimos 12 meses sem desacelerar o barco, mas com total responsabilidade, deve experimentar níveis de crescimento nos negócios para lá de satisfatórios. da filial de Campinas, inaugurada no último mês de setembro, é a prova de que, com planejamento e suor, torna-se viável a abertura de novos portos. É certo também que a crise poderá afetar algumas obras do PAC, o programa de aceleração do crescimento, principalmente quando falamos em implementação das malhas rodoferroviária e em todo segmento de logística atrelado ao escoamento de produção. Mas, ainda assim, é hora de arregaçar as mangas. Aproveitar o fato de que somos agora ouvidos nas rodas de discussões lideradas pelas principais economias para propormos a adoção de um sistema financeiro internacional mais sólido com vistas à redução dos desequilíbrios de desenvolvimento e à modernização da estrutura de cooperação internacional. Afinal, se estamos todos na mesma embarcação e representamos, neste momento, o meio de transporte mais oportuno rumo a um ancoradouro confiável, nada mais justo do que também manusearmos o leme. Que venham os bons ventos, pois, certamente, nós temos a bússola! Boa leitura! Francisco Martim Megale Presidente da Atlas Transportes e Logística Esta edição da Revista reflete um pouco essa filosofia. O espírito empreendedor que move a todos os nossos colaboradores e que nos faz, por exemplo, investir R$ 10 milhões na construção da nova sede 03

4 Farol Brasil: um ano depois Mais distante do epicentro do terremoto financeiro que abalou as principais economias do mundo, Brasil começa a dar sinais concretos de recuperação. Em entrevista, Pedro Francisco Moreira, diretor do Departamento de Infraestrutura Logística da Fiesp, analisa as perspectivas da indústria para 2010 e fala sobre a necessidade de balanceamento da matriz de transportes brasileira Em setembro de 2008, anunciava-se a falência do banco de investimentos norte-americano Lehman Brothers. Era o estopim para acender um barril de pólvora cujos estilhaços provocados pela explosão poderiam ser encontrados em todas as principais economias do planeta. A crise econômico-financeira desencadeou em um efeito dominó sem precedentes nos mais variados setores produtivos: da construção civil, passando pela indústria automotiva, até o ramo alimentício, o que se notou foi o aumento da recessão, acentuado pela desaceleração do consumo. O Brasil como integrante do chamado Bric, o bloco dos países emergentes - também composto por Rússia, Índia e China - esteve um pouco mais distante, é verdade, do maremoto que se alastrou pelos portos mais importantes, antes tidos como seguros e inabaláveis. Em recente matéria, o jornal francês Le Monde até mesmo concordou com a metáfora utilizada pelo presidente Lula ao afirmar que a tal crise econômica tratava-se apenas de uma marolinha e não de um tsunami. Mas, um ano depois do estouro financeiro, qual o balanço que efetivamente pode ser feito? Será que os setores produtivos já absorveram o impacto da crise? E mais: o que esperar para 2010 quanto à retomada do ritmo de crescimento e os investimentos no setor de transportes? Em entrevista exclusiva, Pedro Francisco Moreira, diretor do Departamento de Infraestrutura Logística e um dos cabeças da Federação da Indústria do Estado de São Paulo (Fiesp), fala com exclusividade sobre estes e outros temas. Chegamos ao terceiro quadrimestre de 2009 com a economia dando claros sinais de recuperação, não apenas em nível de Brasil, mas mundial. Como o senhor analisa o cenário econômico para o encerramento deste ano e início de 2010? Como ficará o setor industrial? A economia mundial começa a dar sinais de melhorias, e as expectativas são de retomada das atividades em todos os setores, mas com muita cautela, visto que a economia é dinâmica e ainda apresenta fragilidades na obtenção de créditos para novos investimentos e precisamos sempre estar revendo os planos para um ajuste fino, com exemplo, podemos citar a necessidade de investimentos em metrôs e aeroportos para a Copa de Se esses projetos não começarem a ser viabilizados agora, corremos o risco de não ter esses recursos em Sem dúvida, 2009 foi um ano de ajustes nas mais diversas áreas governamentais em decorrência da crise econômica. Enquanto representante do setor industrial, como o senhor analisa a atuação do governo no tocante 04

5 Farol à implementação da infraestrutura rodoviária e de nossa malha de transportes? Apesar da crise econômica, o governo manteve suas atribuições de expandir as concessões no setor rodoviário. A grande maioria das nossas rodovias encontra-se em condições precárias e necessita de investimentos para sua recuperação. Nesse sentido, as concessionárias estão fazendo sua parte e, em alguns momentos, até mais daquilo que constava nos editais de concessões. Quanto ao PAC, além das dificuldades decorrentes de gestão interna deficiente, ainda sofre com as intempéries dos órgãos ambientais e do sistema judiciário, que, volta e meia, proporcionam atrasos e demoras na implementação de um projeto. Qual o grande calcanhar de aquiles para o segmento industrial no que diz respeito ao escoamento da produção? As indústrias e empresas brasileiras ainda enfrentam um grande desafio, que é a redistribuição e o melhor balanceamento da matriz de transportes brasileira. Boa parte do fluxo de carga do mercado de logística está centrada no transporte rodoviário. Apesar de suas adversidades como estradas ruins, fragmentação do setor, frota obsoleta e excessiva ocorrência de roubo de carga, ainda continuam sendo o principal modo de transporte e esse paradigma precisa ser modificado com a inserção e ampliação de outros modos de transportes. São Paulo conta com uma das mais amplas e modernas malhas de transporte do País. Ainda assim, muitos empresários reclamam das inúmeras barreiras fiscais e da falta de incentivos em termos de políticas públicas, as quais poderiam contribuir com o aumento da produtividade por tabela. Como o senhor enxerga esse posicionamento? Ele é legítimo? São Paulo apresenta uma malha rodoviária moderna e que atende os principais corredores de escoamento, mas 90% da produção são movimentados por esse modo de transporte, e esse é o grande desafio para o governo paulista, modificar a matriz de transportes do estado com a inserção maior dos modais ferroviário, hidroviário, dutoviário e aéreo. Essa multimodalidade é que permitirá às empresas brasileiras uma redução no custo logístico e uma maior competitividade a seus produtos. Quais seriam as soluções mais viáveis para tornar o sistema de escoamento da produção industrial mais adequado às necessidades de nosso empresariado? Creio que a multimodalidade é um procedimento 05

6 Farol irreversível nas empresas; os operadores logísticos buscam cada vez mais apresentar a seus clientes as alternativas de novos modos de transportes e estão investindo em ativos para atender a essa demanda, independentemente da situação do mercado internacional. Essa multimodalidade aliada a terminais logísticos com eficiência em sua coordenação de fluxos e nas transferências rápidas de mercadorias reduz o custo logístico e otimiza o escoamento das cargas. Apostar nas ferrovias, a exemplo do que fazem países desenvolvidos, é uma solução economicamente viável para o Brasil? Ou esse é um antigo clichê para o qual não cabe mais nenhum tipo de discussão? Para um país com dimensões continentais como o nosso, deve-se, sim, investir na ferrovia, assim como na cabotagem e no transporte fluvial. Esses são os modais que permitem o escoamento de carga em médias e longas distâncias com baixo custo. Essa construção de uma inteligência logística é que permitirá aos nossos produtos competir em igualdade no mercado internacional. aceno político de boa vontade em se realizar um planejamento de longo prazo, de estado e não de governo e as condições regulatórias que garantam um ambiente favorável ao investidor, nenhum projeto sairá do papel. De que forma a Fiesp tem colaborado para a implementação do setor de transportes e logística no estado de São Paulo? Sem uma infraestrutura adequada, a expansão econômica não se sustenta por longo tempo e continuaremos a correr os riscos de novos apagões em todos os segmentos. Por isso, estamos não somente acompanhando atentamente o desenrolar das ações em curso, como principalmente cobrando dos governos estadual e federal, maior agilidade e definições para implementação dos projetos e execução de obras. A Fiesp tem contribuído diretamente na estruturação de propostas que equacionem os gargalos existentes e pensado em um futuro com perspectivas de prover o desenvolvimento sustentável e crescimento econômico. As parcerias público-privadas são viáveis quando o assunto é otimização da cadeia de transportes? Como isso poderia ser alavancado em nosso país? Precisamos investir em obras de infraestrutura de transportes tais como, ampliação da malha ferroviária e fluvial, rede de dutos, recuperação e manutenção das rodovias, nos acessos terrestres e marítimos aos portos e revitalização da Marinha mercante. Estas são apenas algumas das soluções que por meio das PPPs poderiam ser viabilizadas e trariam enormes benefícios à logística brasileira. Mas infraestrutura se faz basicamente com planejamento e funding e não havendo este 06

7 Capa Pronto para decolar Apesar de responder apenas por 5% do volume de transporte de cargas em todo o Brasil, setor aéreo quer alçar voos maiores. Aumento da demanda impulsiona novos investimentos na infraestrutura dos terminais de carga AAssim como diversos setores da economia, o transporte aéreo de cargas também sofreu as consequências da crise financeira, o que gerou retração no movimento de importações, exportações e carga nacional. Segundo dados da Infraero, os Terminais de Logística de Carga (Tecas) distribuídos pelo País 34 no total registraram, em média, quedas superiores a 30% na movimen- tação. Em alguns casos pontuais, esse decréscimo superou 50%. No entanto, a retomada do crescimento industrial no segundo semestre de 2009 e as notícias positivas do cenário macroeconômico fazem que os especialistas se mostrem otimistas com relação ao desempenho do setor para o próximo ano. 07

8 Capa Devemos registrar 3% de crescimento em 2009, apesar da desaceleração, em função da dinâmica do mercado interno, que vem sendo impulsionado com a desoneração da produção, elevando a oferta de crédito e a redução do custo do capital, afirma Fernando Nicácio, diretor comercial da Infraero. Ele calcula que, no segundo semestre, alguns terminais já voltem a apresentar crescimento acima de 30%. De acordo com Cristiano Cecato, consultor e especialista na área de logística, o custo elevado do transporte aéreo ainda é um dos principais fatores que impedem o crescimento do setor. O valor do transporte para mercadorias simples é, em média, 50% mais caro. Para encomendas urgentes, esse valor pode ser até 70% maior, completa. Dentre as características que mais atraem as empresas na contratação de serviços de transporte aéreo estão a rapidez e a segurança. Empreendimentos que precisam transportar insumos e produtos acabados de alto valor agregado, como eletrônicos, fármacos e da área de biotecnologia, acabam arcando com os custos, comenta o especialista. Ainda segundo Nicácio, outra vantagem dessa modalidade de transporte é permitir o grande giro na cadeia de produção por conta da rápida disponibilidade do insumo ou do produto destinado ao comércio. O capital investido não fica parado e obtém-se grande ganho de escala, fator que compensa o maior custo, complementa. Lição de casa Dois acontecimentos de grande repercussão mundial prometem alavancar os investimentos e o desenvolvimento do setor de transporte aéreo no Brasil nos próximos anos: a Copa do Mundo, em 2014, 08

9 Capa e os Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, em Para atender à demanda que os eventos irão gerar, a Infraero afirma que pretende investir R$ 76 milhões, dos quais R$ 41 milhões serão destinados ao segmento de logística de cargas. Dentre os principais investimentos, destacam-se a construção do novo Teca voltado à exportação do aeroporto do Galeão, no Rio de Janeiro (RJ), a ampliação dos Tecas I e II de Manaus (AM), a construção do novo Teca de Cargas Nacionais do Aeroporto de Cumbica, em Guarulhos (SP), a implementação de novo complexo frigorífico no aeroporto do Galeão, entre outros. O consultor Cristiano Cecato afirma que o Brasil deve aproveitar esse momento para investir pesado em infraestrutura. No entanto, é importante que o governo saiba direcionar as verbas para fazer que mudanças aconteçam de fato. O País precisa estabelecer um Plano Diretor de Desenvolvimento Aeroportuário que preveja o crescimento do volume de cargas e do número de pessoas transportadas. O Brasil é carente quando o assunto é planejamento em longo prazo nesse sentido. Precisamos gerar mudanças que garantam a eficiência do setor por um período igual ou superior a 30 anos, pontua. Para que isso aconteça, os investimentos devem ir além de simples reformas. Expansão da malha não significa repaginar os aeroportos. É preciso redimensionar a capacidade de receber pessoas e mercadorias, dispara Cecato. Futuro promissor As boas perspectivas do setor também têm estimulado os investimentos da Atlas Transportes e Logística com relação ao oferecimento de uma cadeia de serviços mais ampliada a seus clientes. Nesse sentido, 2010 promete ser um ano promissor, afirma Lauro Megale Neto, diretor comercial da empresa. O principal investimento será feito na aquisição de veículos de pequeno porte. Eles são capazes de estabelecer o link com os principais terminais aeroviários de cargas. Com as demandas futuras, também pretendemos aprimorar nossas estruturas e recursos humanos, destaca Megale Neto. Ainda segundo o diretor comercial, a Atlas possui um diferencial logístico no que diz respeito à prestação de serviços nessa área. Com a capilaridade das nossas filiais, promovemos o acompanhamento dos produtos desde a origem até o seu destino final. Isso faz a diferença, completa. Raio X Mais de 95% das operações de logística aérea são realizadas pelos Terminais de Logística de Carga (Tecas) da Infraero. Em 2008, o saldo das operações seguiu a tendência atual da economia nacional e observou uma redução de 1,98%, nas exportações na comparação com ano anterior (2007). A queda foi de 283 mil toneladas para 278 mil toneladas. Já as importações cresceram 10,07%, passando de 405 mil toneladas para 446 mil toneladas, e a movimentação de cargas dentro do território nacional avançou 3,35%. Transporte aéreo de cargas Região Total de cargas transportadas (Kg) Centro-Leste Nordeste Norte Sul

10 Por dentro da Atlas Interior de São Paulo consolida sua vocação Homenagens e presenças de autoridades marcam a inauguração da nova filial de Sumaré, considerada polo regional estratégico 10

11 AAo som de música popular brasileira de excelente qualidade, autoridades públicas, clientes, colaboradores e demais convidados foram recepcionados, no dia 19 de setembro, para a cerimônia de inauguração do novo prédio do Centro de Distribuição (CD) de Sumaré, no interior de São Paulo. Por dentro da Atlas Durante a solenidade, que reuniu cerca de 350 pessoas no armazém da nova filial, Francisco Martin Megale, presidente da Atlas, relembrou momentos históricos da empresa e da própria unidade, considerada uma das mais estratégicas entre as 44 filiais da Atlas. O sucesso foi construído com muito trabalho, seriedade e ética na condução dos negócios. Megale também destacou o perfil empreendedor da empresa, responsável pela geração de mais de 4 mil empregos diretos e indiretos. O gerente da filial, Gilmar Luiz Cidral, foi homenageado pelos 26 anos de dedicação à Atlas, 18 deles vinculados à unidade. A construção do novo prédio não é o fim de uma meta, mas o começo de um grande desafio que teremos pela frente, frisou. Outro momento ímpar da cerimônia foi a homenagem prestada a José Lauro Megale, falecido em janeiro de 2009, filho do fundador da empresa e que, durante anos, se dedicou à expansão dos negócios. Emocionados, familiares realizaram o descerramento da placa alusiva à inauguração da nova filial cujo prédio recebeu o nome de José Lauro. O prefeito de Sumaré, José Antônio Bacchim, também prestigiou o evento e destacou a importância do empreendimento para a cidade. Este é um momento histórico para a Atlas e para o município. Estamos na rota do desenvolvimento sustentável e vamos crescer juntos certamente. O empreendimento recebeu investimentos de R$ 10 milhões. A nova infraestrutura, mais moderna e sustentável, irá aumentar em 40% a capacidade de movimentação de cargas da unidade, passando a ser a maior da empresa, atrás somente da matriz localizada em São Paulo (SP). 11

12 Por dentro da Atlas As melhores em 2008 Elas foram as cinco filiais com melhor desempenho comercial no ano passado. Por trás da premiação que receberam, existe um planejamento de vendas contínuo e estruturado, com foco na busca e fidelização de clientes, por meio de uma equipe de colaboradores motivada O premio é um mecanismo de incentivo importante para toda a equipe, já que existe um reconhecimento do mérito alcançado quando se compara a performance da filial em relação às demais do Brasil, causando um sentimento de missão cumprida e de orgulho pessoal dentro de cada um Marcelo G. da Rosa gerente da filial de Goiânia (GO) Campinas (SP), Imperatriz (MA), João Pessoa (PB), Cascavel (PR) e Goiânia (GO) são cidades separadas geograficamente por centenas de quilômetros, mas unidas por resultados que as colocaram entre as filiais da Atlas com o melhor desempenho comercial no ano de O resultado foi conquistado com base em cinco critérios: o cumprimento de metas, o número de clientes que compõem a carteira de cada filial, a rentabilidade nas operações, o aproveitamento dos veículos de transferência e o crescimento do desempenho da filial em relação ao ano anterior (2007), tendo como condição básica o cumprimento da meta anual. Esse fator tem caráter eliminatório. De nada adianta mostrar outros bons indicativos se as metas não foram alcançadas, explica Cleantho Camargo e Silva, gerente comercial de filiais. Segundo Antônio G. dos Santos Júnior, também gerente comercial de filiais da Atlas, os parâmetros são rediscutidos a cada ano de 12

13 Sem o comprometimento de todos nada se consegue. Esse resultado não é fruto somente da conquista de novos clientes, mas sim de toda a sequência de trabalho no dia a dia, do atendimento administrativo de qualidade e do suporte operacional desde a recepção de descargas até o momento da entrega final. Isso sem nos esquecermos dos colegas de outras filiais, embarcadoras e distribuidoras. Portanto, a vitória é de todos João Paulo Sant Anna Lima gerente da filial de Imperatriz (MA) modo a proporcionar maior igualdade de condições aos competidores. Anteriormente, os critérios eram focados apenas no volume de vendas. Hoje, levamos em consideração também outros critérios da área comercial. As entregas dos prêmios às filiais vencedoras ocorreram entre os meses de maio e junho. Os gerentes comerciais visitaram cada uma das unidades onde participaram de um café da manhã especial com todos os colaboradores e realizaram a entrega de placas comemorativas. Em uma data posterior, a Atlas ofereceu almoços de confraternização em cada filial para os funcionários e seus familiares. Sinergia e comprometimento Para Gilmar Luiz Cidral, gerente da filial de Campinas, primeira colocada no ranking de 2008, o prêmio é algo extremamente motivador com parâmetros modernos de avaliação e que contemplam características culturais e estruturais de cada unidade. Este resultado somente pode ser atingido com envolvimento de toda a equipe, sabendo que cada cliente conquistado é de todos. O diferencial nesta premiação é a valorização de todas as etapas nos processos comercial, administrativo e operacional, afirma. O gerente, que conta com cerca de 250 colaboradores, ganhou também um pacote turístico para Gilmar Luiz Cidral (à direita na foto), gerente de Campinas, recebe placa comemorativa pela conquista do primeiro lugar no ranking de filiais em

14 Por dentro da Atlas Cascavel (PR) ir com a esposa para a Costa do Sauípe, no litoral da Bahia, com todas as despesas pagas. Combustível extra para tentar repetir a dose no próximo ano. Ronildo Silva, gerente da unidade de Cascavel, acredita que o foco na conquista de grandes contas, bem como a motivação de todos os funcionários foram as molas propulsoras para o alcance do excelente resultado. Todos vestiram a camisa. Com a construção da nova filial, esperamos um incremento de, no mínimo, 25% em relação ao faturamento de 2008, ou seja, a crise não nos afetou, ressalta Silva, cuja filial estava novamente entre as cinco melhores até o final do terceiro trimestre de João Pessoa (PB) Capacidade de inovar O espírito empreendedor também é apontado como característica marcante das filiais que obtiveram os melhores desempenhos. A participação de todos na busca por novas ideias e soluções é apenas um dos aspectos que trabalhamos no dia a dia. O ponto-chave do prêmio é o reconhecimento de um trabalho benfeito. Isso se reflete diretamente na qualidade dos profissionais que formam a equipe. Cada integrante se sente mais forte para encarar os desafios, acredita Marcelo C. Perez, gerente da filial de João Pessoa. A unidade conta com 37 funcionários e movimenta cerca de 850 toneladas por mês em seu centro de distribuição. Ganhar um prêmio como esse é excelente. Repetir é uma glória e vamos em busca disso, garante. 14

15 História viva Doce despedida Recém-aposentada, auxiliar de contabilidade lembra com saudosismo os 35 anos de dedicação à Atlas e deixa saudades entre os colegas de trabalho Sempre encontrei a felicidade nas pequenas coisas e ofereço o que há de melhor em mim naquilo que me proponho a fazer. Sem dúvida, a simplicidade e o carisma foram dois dos principais fatores que abriram portas a esta jovem senhora, de 53 anos. Cleunice Fernandes Rodrigo é auxiliar de contabilidade da Atlas e depois de 35 anos de dedicação à empresa decidiu se aposentar. Enfim, vai poder curtir agora o tempo livre ao lado do marido, com quem acabou de casar no dia 16 de outubro. A ex-colaboradora conta que, desde que entrou na empresa, em 1974, o acolhimento dos colegas e o aprendizado sempre fizeram parte da rotina. As novidades nos processos de trabalho e os constantes desafios eram o meu combustível. Nos meus aniversários festejados na empresa, ganhava muitos presentes. Às vezes, tinha que chamar um táxi para carregar tudo. Isso só denota o carinho dos amigos que estou deixando, diz. Cleunice passou por quase todos os departamentos ligados à área de contabilidade, como o setor de relação de conhecimentos, departamento de controle, balancete, análise e qualificação, imposto de renda e escrita fiscal de todas as filiais. Quando lhe perguntam qual é o segredo para permanecer tanto tempo em uma mesma organização, ela não tem dúvidas. Nunca me senti uma funcionária, mas sim parte de uma família. A entrada no pedido de aposentadoria aconteceu em 2004 devido a problemas de saúde. Recuperada, decidiu esticar um pouquinho sua permanência entre os colegas de trabalho, ainda que com o benefício em mãos. Algo me dizia que não estava na hora de parar. Havia contribuições que pretendia deixar, conta. Mas, em 2008, a vida de Cleunice certamente tomaria rumos até então inesperados. Em uma viagem para Roma, na Itália, ela conheceu Bruno Casarani, 69 anos. Ambos encontravam-se na mesma excursão. O amor à primeira vista teve início em solo italiano e veio desembarcar no Brasil. Um ano depois, Cleunice aceitou o pedido de casamento e agora vai dedicar-se por completo à tão almejada vida de casada. Além de cuidar do maridão, das atividades na igreja como ministra de eucaristia e do desenvolvimento de projetos ligados a teatro, ela pretende arrumar um tempinho para curtir uma outra paixão: a jardinagem. Fiz cursos de paisagismo e decoração. Adoro trabalhar diversos arranjos. Mesmo aposentada, vou continuar exercitando minha cabeça com outras responsabilidades e hobbies. É uma nova fase, repleta de outros desafios. Novos horizontes 15

16 Logística é isso Rumo ao crescimento sustentado Empresa líder na fabricação de impressoras e aparelhos multifuncionais investe na terceirização da armazenagem e distribuição de seus produtos. Após seis meses de operações, Indicadores-chave de Desempenho apontam quase 100% de eficácia Desde abril, a Atlas realiza operação de logística integrada para a subsidiária brasileira da Oki Data, líder na indústria de impressoras matriciais, aparelhos de fax e multifuncionais. A subsidiária representa cerca de 12% do volume global de vendas da empresa e registrou, no ano passado, faturamento de R$ 80 milhões, com previsão de crescimento para R$ 90 milhões em A operação tem como foco a armazenagem e o transporte outbound, que se caracteriza pela consolidação dos produtos em um único armazém para, a partir daí, ser realizada a distribuição em todo o Brasil. Além disso, outros serviços de alto valor são agregados ao projeto, como a avaliação dos produtos oriundos da logística reversa (o que inclui a triagem e o endereçamento), a nacionalização dos produtos, a etiquetagem e a embalagem, os testes funcionais e, por fim, a adequação dos equipamentos. Segundo André de Almeida Prado, diretor da Divisão Logística da Atlas, essa operação tem uma série de particularidades interessantes. Para alcançar a excelência no serviço, contamos com uma equipe altamente capacitada nos processos específicos do projeto logístico desenvolvido para a Oki. Além de uma mão de obra flexível para atender os picos de demanda e as ações especiais. Também montamos uma estrutura de distribuição ágil aqui em São Paulo, detalha. A parceria teve início porque a Oki Data precisava melhorar seu desempenho no atendimento aos clientes e integrar suas necessidades logísticas de armazenagem e distribuição para sustentar seu crescimento de mercado. O trabalho começou com o mapeamento das atividades e a criação de processos mais ágeis e eficientes. Nessa fase, foram avaliadas quais as melhores soluções em tecnologia da informação e transporte. Na região da Grande São Paulo, sistematicamente, são roteirizadas as entregas a fim de diminuir o tempo e elevar o nível de serviço. Já na distribuição para o Brasil, é usada a estrutura de frota de transporte fracionado com custo competitivo e lead-time. A média dos Indicadores-chave de Desempenho para a formação do pedido dentro do prazo e a acuracidade de estoque são, respectivamente, de 98,73% e 99,70%, ou seja, estamos muito próximos de atingir um serviço sem falhas, ressalta Prado. De acordo com Orlando Juliotti, diretor financeiro e de logística da Oki Data, a empresa em apenas seis meses, já conseguiu atingir 80% de seu obje- 16

17 Logística é isso tivo. Após a contratação da Atlas, conquistamos mais confiança, segurança e credibilidade no serviço prestado, complementa Juliotti. Oki Data na América Latina A Oki Data atende às necessidades de impressão de organizações de pequeno, médio e grande portes das Américas do Norte, Central e do Sul. No continente sul-americano, a empresa iniciou suas operações há 32 anos quando vendeu sua primeira impressora para o Chile. Ao longo do tempo, continuou a expandir sua presença na região. Hoje, vende e oferece suporte a mais de 18 países na América Latina por meio de uma rede de 25 distribuidores, mais de 300 centros de assistência técnica e 500 revendedores. A empresa realiza transações comerciais para o México e Brasil desde 1987 e 1990, respectivamente. A Oki estabeleceu recentemente duas subsidiárias nesses países. Em 1997, a Oki Data do México e a Oki Data do Brasil, localizada em São Paulo, foram incorporadas a Oki Americas Inc. Após a adoção da estratégia de negócio, a participação de mercado da empresa cresceu consideravelmente. Além das subsidiárias mexicana e brasileira, a Oki possui escritórios no Chile, Argentina, Colômbia e Venezuela. 17

18 Uma parceria que dá asas Líder no segmento de bebidas energéticas, Red Bull quer ampliar ainda mais seu market share por meio de estratégias de distribuição diferenciadas Há dez anos, a Red Bull iniciava suas operações no País. A aposta no novo mercado consumidor tinha como base uma nova categoria de bebidas, já muito difundida na Europa e nos Estados Unidos, cuja estampa parecia ter tudo a ver com o jeito de ser do brasileiro: dinâmico, autoirônico, festivo e com a mente aberta para as inovações. Parceira comercial da filial da Atlas em Joinville (SC), a Red Bull só tem motivos para comemorar. De acordo com a última pesquisa Nielsen, de dezembro de 2008, detém 65,2% de market share. A empresa possui 100% de conhecimento estimulado em seu público-alvo e a liderança absoluta do segmento de energéticos. Com o passar do tempo, os energéticos caíram em definitivo no gosto dos consumidores e a empresa viu a necessidade de ampliar sua capilaridade para outras regiões, englobando os estados do Norte, Nordeste e também Centro-Oeste. Segundo levantamentos, a população brasileira consome anualmente cerca de 150 milhões de latas de energéticos, o que gera cifras anuais impressionantes: quase R$ 1 bilhão de faturamento. E detalhe: este é um mercado ainda em ascensão. 150 milhões é a quantidade de latas de energético consumidas anualmente pelos brasileiros 18

19 Caso de sucesso Segundo Sérgio Milizzkievies, gerente da filial catarinense, a distribuição dos produtos é feita para todo o País, exceto para os estados do Rio de Janeiro e São Paulo, e corresponde a uma movimentação mensal de 1,6 mil toneladas de bebidas. A escolha da Red Bull pelos serviços oferecidos pela Atlas foi motivada pela existência de filiais da empresa em todos os estados, o que ajuda a manter a integridade e a confiabilidade das informações sobre as entregas aos clientes da fabricante de energéticos. O sucesso de Red Bull no Brasil é resultado também de uma inovadora estratégia de marketing, sustentada por ações diferenciadas que aproximam o público de experiências completamente novas. Nós não levamos apenas o produto para o consumidor. Nós o trazemos para junto dele também, afirma Dietrich Mateschitz, criador da Red Bull. Loja virtual impulsiona faturamento A Intelbras, líder no segmento de telecomunicações, segurança eletrônica e informática, aumentou consideravelmente seu faturamento com a criação, em dezembro do ano passado, de sua Loja Virtual. O e- commerce com foco em telecomunicações (centrais PABX, fax, GPS, Head Set, radiocomunicadores e telefones) e informática (adaptadores, desktops, modem, módulos conversores, monitores, notebooks, placas de rede, roteadores e switches) já conta com mais de 1 milhão de acessos no Brasil e em mais de 40 países. Para 2010, a expectativa é de dobrar o faturamento em relação a 2009 somente com as vendas on-line. Para garantir o incremento dos negócios, a empresa agora aposta na comercialização de seus produtos para os chamados parceiros corporativos, que obterão descontos e condições de pagamento facilitadas por meio de acordo operacional exclusivo do canal e sem quaisquer ônus. A Intelbras é parceria comercial da Atlas no segmento de transporte de mercadorias para todo território nacional. A filial de São José (SC), na grande Florianópolis, onde se encontra a sede da fabricante, é quem gerencia as operações logísticas. 19

20 Quanto mais enxuto, melhor! Difundido pelo Sistema Toyota de Produção, o lean manufacturing está sendo aplicado pela Atlas na prestação de serviços na área de logística. Mas o que ele traz de tão inovador? Os estudos sobre a aplicação do conceito lean em serviços iniciaram-se em 1998 e apropriaramse dos preceitos do Sistema Toyota de Produção também conhecidos por lean manufacturing (em português, manufatura enxuta ). O conceito pode ser entendido como o conjunto de técnicas e métodos utilizados pela indústria para melhorar a qualidade dos produtos e eliminar todo o desperdício, compreendido nesse contexto como aqueles fatores que não agregam valor algum, segundo a visão do cliente. De forma simplificada, o objetivo é produzir cada vez mais com cada vez menos. Redução dos esforços humanos, do tempo empregado na tarefa, do consumo de matéria-prima e de recursos financeiros são exemplos de parâmetros básicos. Mas como se dá a aplicação do lean manufacturing especificamente para o setor de transportes e logística? Segundo André de Almeida Prado, diretor da Divisão Logística da Atlas, o conceito é inovador no 20

PGQP. Programa Gaúcho da Qualidade e Produtividade. Qualidade Gestão Inovação Competitividade Sustentabilidade

PGQP. Programa Gaúcho da Qualidade e Produtividade. Qualidade Gestão Inovação Competitividade Sustentabilidade PGQP Programa Gaúcho da Qualidade e Produtividade Qualidade Gestão Inovação Competitividade Sustentabilidade visão das lideranças A Excelência de qualquer organização depende da sinergia entre três fatores:

Leia mais

RELATÓRIO ANUAL DE ATIVIDADES 2013

RELATÓRIO ANUAL DE ATIVIDADES 2013 RELATÓRIO ANUAL DE ATIVIDADES 2013 Even e Junior Achievement de Minas Gerais UMA PARCERIA DE SUCESSO 1 SUMÁRIO Resultados Conquistados... 3 Resultados do Projeto... 4 Programa Finanças Pessoais... 5 Conceitos

Leia mais

Sumário Apoios Dados Gerais Expositores Visitantes Congresso Fenabrave Campanha de Marketing Mídia Espontânea Fotos do evento

Sumário Apoios Dados Gerais Expositores Visitantes Congresso Fenabrave Campanha de Marketing Mídia Espontânea Fotos do evento Sumário Apoios Dados Gerais Expositores Visitantes Congresso Fenabrave Campanha de Marketing Mídia Espontânea Fotos do evento Sumário XXI EDIÇÃO DO CONGRESSO FENABRAVE TERMINA COM PREVISÃO OTIMISTA PARA

Leia mais

Informativo EDIÇÃO 12 ANO IV. Julho/ Agosto/ Setembro 2015. PACER comemora 12 anos de história DESTAQUES DESTA EDIÇÃO TRANSPORTE DE CARGAS:

Informativo EDIÇÃO 12 ANO IV. Julho/ Agosto/ Setembro 2015. PACER comemora 12 anos de história DESTAQUES DESTA EDIÇÃO TRANSPORTE DE CARGAS: EDIÇÃO 12 ANO IV (11) 3648-4700 / (21) 3161-8600 www.pacer.com.br Informativo Julho/ Agosto/ Setembro 2015 PACER comemora 12 anos de história DESTAQUES DESTA EDIÇÃO TRANSPORTE DE CARGAS: 10 ANOS PACER:

Leia mais

A navegação de cabotagem no Brasil

A navegação de cabotagem no Brasil A navegação de cabotagem no Brasil Um imenso potencial com grandes desafios e barreiras João Guilherme Araujo Diretor de Desenvolvimento de Negócios ILOS - Instituto de Logística e Supply Chain Ultimamente

Leia mais

Especialistas apontam obstáculos e soluções para o Brasil avançar

Especialistas apontam obstáculos e soluções para o Brasil avançar AGENDA BAHIA Especialistas apontam obstáculos e soluções para o Brasil avançar Além das reformas tributária e trabalhista, país precisa investir em infraestrutura eficaz, na redução do custo da energia

Leia mais

3 O Cimento no Brasil. 10 Características da Indústria Cimenteira. 12 O Cimento no Custo da Construção. 13 Carga Tributária. 15 Panorama Internacional

3 O Cimento no Brasil. 10 Características da Indústria Cimenteira. 12 O Cimento no Custo da Construção. 13 Carga Tributária. 15 Panorama Internacional 3 O Cimento no Brasil 3 Processo produtivo 4 Histórico 5 Indústria 6 Produção 7 Consumo 8 Produção e consumo aparente regional 9 Vendas internas e exportação 10 Características da Indústria Cimenteira

Leia mais

Ass. de Comunicação www.ptexto.com.br. Veículo: Jornal de Brasília Data: 22/08/2009 Seção: Sociedade Pág.: 49 Assunto: Great Place to Work

Ass. de Comunicação www.ptexto.com.br. Veículo: Jornal de Brasília Data: 22/08/2009 Seção: Sociedade Pág.: 49 Assunto: Great Place to Work Veículo: Jornal de Brasília Data: 22/08/2009 Seção: Sociedade Pág.: 49 Assunto: Great Place to Work Veículo: Site Revista Making Of Data: 20/08/2009 Seção: Marketing Pág.: www.revistamakingof.com.br Assunto:

Leia mais

Apresentação de Resultados do 4T13

Apresentação de Resultados do 4T13 Apresentação de Resultados do 4T13 Geraldo Bom dia a todos. Em nome da M DIAS BRANCO, gostaria de agradecer a presença dos senhores em nossa teleconferência para discussão dos resultados da Companhia no

Leia mais

Cliocar Acessórios: A construção de um negócio. A história de um empresário que saiu da estaca zero e construiu uma loja virtual de sucesso.

Cliocar Acessórios: A construção de um negócio. A história de um empresário que saiu da estaca zero e construiu uma loja virtual de sucesso. Cliocar Acessórios: A construção de um negócio A história de um empresário que saiu da estaca zero e construiu uma loja virtual de sucesso. 2 Conteúdo Resumo executivo... 2 Conhecendo o mercado... 2 Loja

Leia mais

Suzano: atualização e mais qualidade de informações com SAP Business Suite powered by HANA

Suzano: atualização e mais qualidade de informações com SAP Business Suite powered by HANA Suzano: atualização e mais qualidade de informações com SAP Business Suite powered by HANA Geral Executiva Nome da Suzano Papel e Celulose Indústria Papel e celulose Produtos e Serviços Celulose de eucalipto,

Leia mais

SUPERE A CRISE E FORTALEÇA SEU NEGÓCIO.

SUPERE A CRISE E FORTALEÇA SEU NEGÓCIO. Workshop para empreendedores e empresários do Paranoá DF. SUPERE A CRISE E FORTALEÇA SEU NEGÓCIO. Dias 06 e 13 de Dezembro Hotel Bela Vista Paranoá Das 08:00 às 18:00 horas Finanças: Aprenda a controlar

Leia mais

Veículo: Site Estilo Gestão RH Data: 03/09/2008

Veículo: Site Estilo Gestão RH Data: 03/09/2008 Veículo: Site Estilo Gestão RH Data: 03/09/2008 Seção: Entrevista Pág.: www.catho.com.br SABIN: A MELHOR EMPRESA DO BRASIL PARA MULHERES Viviane Macedo Uma empresa feita sob medida para mulheres. Assim

Leia mais

Desafio Logístico 2013

Desafio Logístico 2013 1 Desafio Logístico 2013 Índice Introdução 3 A situação O desafio 5 5 Regras gerais 6 2 Introdução O desenvolvimento econômico do Brasil enfrenta inúmeros desafios sendo que um dos mais complexos está

Leia mais

ENGENHARIA CONSULTIVA FOMENTAR O PARQUE CONSULTIVO NACIONAL

ENGENHARIA CONSULTIVA FOMENTAR O PARQUE CONSULTIVO NACIONAL ENGENHARIA CONSULTIVA FOMENTAR O PARQUE CONSULTIVO NACIONAL A Engenharia Consultiva Nacional e a Construção da Infraestrutura Um breve diagnóstico O setor de infraestrutura apresenta aspectos distintos

Leia mais

NOTÍCIAS. Parque da Cidade é o escolhido para grandes eventos em Natal. V.4 - N.4 - Setembro de 2015

NOTÍCIAS. Parque da Cidade é o escolhido para grandes eventos em Natal. V.4 - N.4 - Setembro de 2015 V.4 - N.4 - Setembro de 2015 Vilma Lúcia da Silva 05 Assessora de Comunicação do Parque da Cidade Parque da Cidade é o escolhido para grandes eventos em Natal Só no mês de setembro o Parque da Cidade recebeu

Leia mais

Palavra chave: Capital Humano, Gestão de Pessoas, Recursos Humanos, Vantagem Competitiva.

Palavra chave: Capital Humano, Gestão de Pessoas, Recursos Humanos, Vantagem Competitiva. COMPREENDENDO A GESTÃO DE PESSOAS Karina Fernandes de Miranda Helenir Celme Fernandes de Miranda RESUMO: Este artigo apresenta as principais diferenças e semelhanças entre gestão de pessoas e recursos

Leia mais

DISCURSO DE POSSE. Sinto-me extremamente honrado ao assumir a Presidência da ACISB/CDL nesta cerimônia, agradeço a Deus por este momento.

DISCURSO DE POSSE. Sinto-me extremamente honrado ao assumir a Presidência da ACISB/CDL nesta cerimônia, agradeço a Deus por este momento. DISCURSO DE POSSE Boa Noite a todos! Cumprimento o ex-diretor presidente Sebastião Calais, o Prefeito Leris Braga, o vice-prefeito Alcemir Moreira, o presidente da Câmara de Vereadores Juarez Camilo, o

Leia mais

Perspectivas do mercado de tratamento de águas e efluentes

Perspectivas do mercado de tratamento de águas e efluentes por Bruna Lavrini Perspectivas do mercado de tratamento de águas e efluentes Segundo fontes do setor, 2013 deve ser mais promissor do que 2012 O ano de 2012 está acabando e é necessário fazer um balanço

Leia mais

Copersucar completa 50 anos de liderança em açúcar e etanol com planos para aumentar ainda mais sua atuação global

Copersucar completa 50 anos de liderança em açúcar e etanol com planos para aumentar ainda mais sua atuação global Copersucar completa 50 anos de liderança em açúcar e etanol com planos para aumentar ainda mais sua atuação global Exportações de açúcar da empresa devem aumentar 86% na safra 2009/2010 A Copersucar completa

Leia mais

Consultoria Especializada Para empresas de transportes e logística

Consultoria Especializada Para empresas de transportes e logística Solution Consultoria Especializada Para empresas de transportes e logística Redução de gastos e impostos Aumento de Lucro e aproveitamento de recursos Otimização de processos e contratação profissional.

Leia mais

Atendimento pós-venda: gestão estratégica da ex...

Atendimento pós-venda: gestão estratégica da ex... Atendimento pós-venda: gestão estratégica da ex... (/artigos /carreira/comopermanecercalmosob-pressao /89522/) Carreira Como permanecer calmo sob pressão (/artigos/carreira/como-permanecer-calmosob-pressao/89522/)

Leia mais

PLANO DE AÇÃO APLICADO NAS ORGANIZAÇÕES

PLANO DE AÇÃO APLICADO NAS ORGANIZAÇÕES Felipe Pedroso Castelo Branco Cassemiro Martins APLICADO NAS ORGANIZAÇÕES Belo Horizonte 2011 Felipe Pedroso Castelo Branco Cassemiro Martins APLICADO NAS ORGANIZAÇÕES Trabalho apresentado à disciplina

Leia mais

News. Tecnologia eficaz e equipe bem treinada e motivada para transformar o devedor de hoje no cliente fiel de amanhã. Pág. 3

News. Tecnologia eficaz e equipe bem treinada e motivada para transformar o devedor de hoje no cliente fiel de amanhã. Pág. 3 Service n.03 Premium News Tecnologia eficaz e equipe bem treinada e motivada para transformar o devedor de hoje no cliente fiel de amanhã CAMPANHA O GRANDE DESAFIO A realizou em 6 de janeiro de 2007 a

Leia mais

Gestão do Conhecimento e Governo Como sensibilizar os órgãos governamentais para implementarem a GC

Gestão do Conhecimento e Governo Como sensibilizar os órgãos governamentais para implementarem a GC Gestão do Conhecimento e Governo Como sensibilizar os órgãos governamentais para implementarem a GC Elisabeth Gomes elisabeth.gomes@sbgc.org.br Diretora de relações com o governo - SBGC 2º Fórum de Gestão

Leia mais

LOGÍSTICA 1. Nubia Aparecida dos Reis Souza 2 RESUMO

LOGÍSTICA 1. Nubia Aparecida dos Reis Souza 2 RESUMO 1 LOGÍSTICA 1 Nubia Aparecida dos Reis Souza 2 RESUMO Versa o presente artigo sobre logística e suas aplicabilidades no mundo moderno. A logística foi criada para suprir necessidades durante a Segunda

Leia mais

Cód. Doc. TAB-RHU-003

Cód. Doc. TAB-RHU-003 1 de 27 ÁREA: SUPERINTENDÊNCIA CARGO: Diretor Superintendente Garantir o correto funcionamento dos sistemas de informação utilizados pela empresa; Aprovar projetos de melhorias nos equipamentos e sistemas

Leia mais

DADOS DE IDENTIFICAÇÃO

DADOS DE IDENTIFICAÇÃO 1 BUSINESS GAME UGB Eduardo de Oliveira Ormond Especialista em Gestão Empresarial Flávio Pires Especialista em Gerencia Avançada de Projetos Luís Cláudio Duarte Especialista em Estratégias de Gestão Marcelo

Leia mais

AGENDA SEBRAE OFICINAS CURSOS PALESTRAS JUNHO A DEZEMBRO - 2015 GOIÂNIA. Especialistas em pequenos negócios. / 0800 570 0800 / sebraego.com.

AGENDA SEBRAE OFICINAS CURSOS PALESTRAS JUNHO A DEZEMBRO - 2015 GOIÂNIA. Especialistas em pequenos negócios. / 0800 570 0800 / sebraego.com. AGENDA SEBRAE OFICINAS CURSOS PALESTRAS JUNHO A DEZEMBRO - 2015 GOIÂNIA Especialistas em pequenos negócios. / 0800 570 0800 / sebraego.com.br COM O SEBRAE, O SEU NEGÓCIO VAI! O Sebrae Goiás preparou diversas

Leia mais

Nos trilhos do progresso

Nos trilhos do progresso Nos trilhos do progresso brasil: polo internacional de investimentos e negócios. Um gigante. O quinto maior país do mundo em extensão e população e o maior da América Latina, onde se destaca como a economia

Leia mais

Discurso do ministro do Planejamento, Nelson Barbosa, na cerimônia de transmissão de cargo

Discurso do ministro do Planejamento, Nelson Barbosa, na cerimônia de transmissão de cargo Discurso do ministro do Planejamento, Nelson Barbosa, na cerimônia de transmissão de cargo Brasília, 02 de janeiro de 2015. Ministra Miriam Belchior, demais autoridades, parentes e amigos aqui presentes.

Leia mais

Só vence nos negócios quem se preocupa com as pessoas

Só vence nos negócios quem se preocupa com as pessoas Só vence nos negócios quem se preocupa com as pessoas Dezoito anos à frente da maior empresa de inseminação Artificial Bovina do Brasil, Heverardo Rezende Carvalho conta o que teve que aprender para se

Leia mais

TÍTULO: COMERCIO ELETRÔNICO (E-COMMERCE) CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS SUBÁREA: ADMINISTRAÇÃO

TÍTULO: COMERCIO ELETRÔNICO (E-COMMERCE) CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS SUBÁREA: ADMINISTRAÇÃO TÍTULO: COMERCIO ELETRÔNICO (E-COMMERCE) CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS SUBÁREA: ADMINISTRAÇÃO INSTITUIÇÃO: FACULDADE DE AURIFLAMA AUTOR(ES): EBERSON EVANDRO DA SILVA GUNDIN, PAULO

Leia mais

Pequenos Negócios no Brasil. Especialistas em pequenos negócios / 0800 570 0800 / sebrae.com.br

Pequenos Negócios no Brasil. Especialistas em pequenos negócios / 0800 570 0800 / sebrae.com.br Pequenos Negócios no Brasil Pequenos Negócios no Brasil Clique no título para acessar o conteúdo, ou navegue pela apresentação completa Categorias de pequenos negócios no Brasil Micro e pequenas empresas

Leia mais

Somos uma das empresas que mais crescem no país

Somos uma das empresas que mais crescem no país ed. 3 / ano 1 / outubro 2013 J. Fonseca conquista novos segmentos Segurança em primeiro lugar Somos uma das empresas que mais crescem no país editorial Crescendo, mas sem esquecer da segurança A terceira

Leia mais

INSTITUTO DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA

INSTITUTO DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA INSTITUTO DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA Autor: Jeferson Correia dos Santos ARTIGO TÉCNICO INOVAÇÃO NA GESTÃO DE PÓS-VENDAS: SETOR AUTOMOTIVO RESUMO A palavra inovação tem sido atualmente umas das mais mencionadas

Leia mais

Logística e Gerenciamento da Cadeia de Suprimentos. Profª Caroline Pauletto Spanhol

Logística e Gerenciamento da Cadeia de Suprimentos. Profª Caroline Pauletto Spanhol Logística e Gerenciamento da Cadeia de Suprimentos Profª Caroline Pauletto Spanhol Cadeia de Abastecimento Conceitos e Definições Elementos Principais Entendendo a Cadeia de Abastecimento Integrada Importância

Leia mais

Proposta de Candidatura Diretoria da Presidência Agrobio Consultoria Júnior Gestão 2013. Isabella Assunção Cerqueira Procópio

Proposta de Candidatura Diretoria da Presidência Agrobio Consultoria Júnior Gestão 2013. Isabella Assunção Cerqueira Procópio Proposta de Candidatura Diretoria da Presidência Agrobio Consultoria Júnior Gestão 2013 Isabella Assunção Cerqueira Procópio Janeiro de 2013 1 Sumário 1. Dados Básicos de Identificação...3 2. Histórico

Leia mais

POR QUE SER ASSOCIADO ABESE? CONHEÇA TODOS OS BENEFÍCIOS

POR QUE SER ASSOCIADO ABESE? CONHEÇA TODOS OS BENEFÍCIOS POR QUE SER ASSOCIADO ABESE? CONHEÇA TODOS OS BENEFÍCIOS Associação Brasileira das Empresas de Sistemas Eletrônicos de Segurança - ABESE Entidade que representa, nacionalmente, as empresas de sistemas

Leia mais

MUTIRÃO DE CIRURGIA DA CATARATA

MUTIRÃO DE CIRURGIA DA CATARATA MUTIRÃO DE CIRURGIA DA CATARATA A - Empresa Com um terreno de 1.000.000 m² e 354.000 m² de área construída, o Centro Comercial Leste Aricanduva surgiu em 1991 com a inauguração do primeiro shopping center

Leia mais

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU ESPECIALIZAÇÃO. MBA em LOGÍSTICA E SUPPLY CHAIN MANAGEMENT

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU ESPECIALIZAÇÃO. MBA em LOGÍSTICA E SUPPLY CHAIN MANAGEMENT CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU ESPECIALIZAÇÃO MBA em LOGÍSTICA E SUPPLY CHAIN MANAGEMENT Coordenação Acadêmica: Prof. Jamil Moysés Filho OBJETIVO: Ao final do Curso, o aluno será capaz de: Conhecer

Leia mais

O Guia do Relacionamento para o corretor moderno

O Guia do Relacionamento para o corretor moderno O Guia do Relacionamento para o corretor moderno Introdução 3 O que é marketing de relacionamento 6 Como montar uma estratégia de relacionamento 9 Crie canais de relacionamento com o cliente 16 A importância

Leia mais

3. Os erros têm sido cometidos exatamente onde há maior dificuldade...

3. Os erros têm sido cometidos exatamente onde há maior dificuldade... Entrevista com PEDRO MANDELLI Consultor na área de mudança organizacional, Pedro Mandelli é um dos maiores especialistas em desenho e condução de processos de mudança em organizações. É professor da Fundação

Leia mais

Fortaleza, 4 de novembro de 2013.

Fortaleza, 4 de novembro de 2013. Fortaleza, 4 de novembro de 2013. Discurso do Ministro Alexandre Tombini, Presidente do Banco Central do Brasil, no V Fórum Banco Central sobre Inclusão Financeira Senhoras e senhores, boa tarde a todos.

Leia mais

Paraná se destaca no cenário brasileiro de sistemas de segurança eletrônica

Paraná se destaca no cenário brasileiro de sistemas de segurança eletrônica Rogério Reis Paraná se destaca no cenário brasileiro de sistemas de segurança eletrônica CRESCIMENTO ECONÔMICO DA REGIÃO SUL IMPULSIONA MERCADO PARANAENSE POR ADRIANE DO VALE redacao@cipanet.com.br FOTOS

Leia mais

INOVAÇÃO. EDUCAÇÃO. GESTÃO EXPANSÃO DA EDUCAÇÃO PROFISSIONAL

INOVAÇÃO. EDUCAÇÃO. GESTÃO EXPANSÃO DA EDUCAÇÃO PROFISSIONAL Linha Direta INOVAÇÃO. EDUCAÇÃO. GESTÃO EXPANSÃO DA EDUCAÇÃO PROFISSIONAL Desmistificado, ensino técnico brasileiro passa a ser a possibilidade mais rápida de inserção no mercado de trabalho TECNOLOGIA

Leia mais

O caminho para o sucesso. Promovendo o desenvolvimento para além da universidade

O caminho para o sucesso. Promovendo o desenvolvimento para além da universidade O caminho para o sucesso Promovendo o desenvolvimento para além da universidade Visão geral Há mais de 40 anos, a Unigranrio investe em ensino diferenciado no Brasil para cumprir com seu principal objetivo

Leia mais

MANUAL DA QUALIDADE Viva Vida Produtos de Lazer Ltda. Manual da Qualidade - MQ V. 1 Sistema de Gestão da Qualidade Viva Vida - SGQVV

MANUAL DA QUALIDADE Viva Vida Produtos de Lazer Ltda. Manual da Qualidade - MQ V. 1 Sistema de Gestão da Qualidade Viva Vida - SGQVV MANUAL DA QUALIDADE Manual da Qualidade - MQ Página 1 de 15 ÍNDICE MANUAL DA QUALIDADE 1 INTRODUÇÃO...3 1.1 EMPRESA...3 1.2 HISTÓRICO...3 1.3 MISSÃO...4 1.4 VISÃO...4 1.5 FILOSOFIA...4 1.6 VALORES...5

Leia mais

{ 2 } Parque Tecnológico Capital Digital

{ 2 } Parque Tecnológico Capital Digital { 2 } Parque Tecnológico Capital Digital { 3 } 1. INTRODUÇÃO: PARQUE TECNOLÓGICO CAPITAL DIGITAL - PTCD Principal polo de desenvolvimento Científico, Tecnológico e de Inovação do Distrito Federal, o PTCD

Leia mais

Com o objetivo de continuar aprimorando o modelo de gestão de Minas Gerais, foi lançado, em 2010, o projeto Agenda de Melhorias caminhos para inovar

Com o objetivo de continuar aprimorando o modelo de gestão de Minas Gerais, foi lançado, em 2010, o projeto Agenda de Melhorias caminhos para inovar março de 2012 Introdução Com o objetivo de continuar aprimorando o modelo de gestão de Minas Gerais, foi lançado, em 2010, o projeto Agenda de Melhorias caminhos para inovar na gestão pública. A criação

Leia mais

PLANO DE NEGÓCIOS FORMAÇÃO DA REDE DR. MARIDO NEGÓCIOS DO PEQUENO E MÉDIO PORTE, ATRAVÉS DO MODELO HOMME OFFICE, COM RETORNO PROJETADO DE 86% A.A.

PLANO DE NEGÓCIOS FORMAÇÃO DA REDE DR. MARIDO NEGÓCIOS DO PEQUENO E MÉDIO PORTE, ATRAVÉS DO MODELO HOMME OFFICE, COM RETORNO PROJETADO DE 86% A.A. FORMAÇÃO DA REDE DR. MARIDO NEGÓCIOS DO PEQUENO E MÉDIO PORTE, ATRAVÉS DO MODELO HOMME OFFICE, COM RETORNO PROJETADO DE 86% A.A. PLANO DE NEGÓCIOS Data: Janeiro 2.013 Dr. Marido - Operacional S U M Á R

Leia mais

visão, missão e visão valores corporativos Ser uma empresa siderúrgica internacional, de classe mundial.

visão, missão e visão valores corporativos Ser uma empresa siderúrgica internacional, de classe mundial. visão, missão e valores corporativos visão Ser uma empresa siderúrgica internacional, de classe mundial. MISSÃO O Grupo Gerdau é uma Organização empresarial focada em siderurgia, com a missão de satisfazer

Leia mais

LMA, Solução em Sistemas

LMA, Solução em Sistemas LMA, Solução em Sistemas Ao longo dos anos os sistemas para gestão empresarial se tornaram fundamentais, e por meio dessa ferramenta as empresas aperfeiçoam os processos e os integram para uma gestão mais

Leia mais

Docente do Curso Superior de Tecnologia em Gestão Comercial UNOESTE. E mail: joselia@unoeste.br

Docente do Curso Superior de Tecnologia em Gestão Comercial UNOESTE. E mail: joselia@unoeste.br Encontro de Ensino, Pesquisa e Extensão, Presidente Prudente, 22 a 25 de outubro, 2012 141 A LOGÍSTICA COMO DIFERENCIAL COMPETITIVO Douglas Fernandes 1, Josélia Galiciano Pedro 1 Docente do Curso Superior

Leia mais

Pé na tábua. De olho em empreendimentos com potencial de crescimento rápido e ideias inovadoras, aceleradoras ganham espaço no cenário nacional

Pé na tábua. De olho em empreendimentos com potencial de crescimento rápido e ideias inovadoras, aceleradoras ganham espaço no cenário nacional Shutterstock Pé na tábua De olho em empreendimentos com potencial de crescimento rápido e ideias inovadoras, aceleradoras ganham espaço no cenário nacional POR CAMILA AUGUSTO Já existem dezenas delas nos

Leia mais

20 de dezembro de 2010. Perguntas e Respostas

20 de dezembro de 2010. Perguntas e Respostas Perguntas e Respostas Índice 1. Qual é a participação de mercado da ALL no mercado de contêineres? Quantos contêineres ela transporta por ano?... 4 2. Transportar por ferrovia não é mais barato do que

Leia mais

Respostas da Lista de Exercícios do Módulo 2: Vantagem Competitiva. Resposta do Exercício 1

Respostas da Lista de Exercícios do Módulo 2: Vantagem Competitiva. Resposta do Exercício 1 Respostas da Lista de Exercícios do Módulo 2: Vantagem Competitiva 1 Resposta do Exercício 1 Uma organização usa algumas ações para fazer frente às forças competitivas existentes no mercado, empregando

Leia mais

SEGURANÇA E AGILIDADE EM TODAS AS SUAS ENTREGAS

SEGURANÇA E AGILIDADE EM TODAS AS SUAS ENTREGAS SEGURANÇA E AGILIDADE EM TODAS AS SUAS ENTREGAS TNT EFICIÊNCIA EM TRANSPORTES A TNT, uma das líderes mundiais em transporte expresso, possui hoje a maior rede de distribuição expressa rodoviária de toda

Leia mais

Açotubo anuncia fusão com Incotep e Artex Aços Inoxidáveis

Açotubo anuncia fusão com Incotep e Artex Aços Inoxidáveis Açotubo anuncia fusão com Incotep e Artex Aços Inoxidáveis Ter, 02 de Agosto de 2011 07:13 Com base nos movimentos de mercado e da companhia alinhados ao aquecimento da indústria e economia brasileiras,

Leia mais

CONECTADOS POR UM MUNDO MELHOR WWW.PELISSARI.COM Nº11 2016

CONECTADOS POR UM MUNDO MELHOR WWW.PELISSARI.COM Nº11 2016 WWW.PELISSARI.COM Nº11 2016 EDITORIAL FIQUE POR DENTRO FIQUE POR DENTRO DE TUDO O QUE ACONTECE NA PELISSARI! Agora você pode acompanhar ainda mais de perto o nosso dia-a-dia. Confira as novidades: Formato

Leia mais

MARGEM DE CONTRIBUIÇÃO: QUANTO SOBRA PARA SUA EMPRESA?

MARGEM DE CONTRIBUIÇÃO: QUANTO SOBRA PARA SUA EMPRESA? MARGEM DE CONTRIBUIÇÃO: QUANTO SOBRA PARA SUA EMPRESA? Que nome estranho! O que é isso? Essa expressão, Margem de Contribuição, pode soar estranha aos ouvidos, mas entender o que significa ajudará muito

Leia mais

Projeto Amplitude. Plano de Ação 2015. Conteúdo

Projeto Amplitude. Plano de Ação 2015. Conteúdo Projeto Amplitude Plano de Ação 2015 P r o j e t o A m p l i t u d e R u a C a p i t ã o C a v a l c a n t i, 1 4 7 V i l a M a r i a n a S ã o P a u l o 11 4304-9906 w w w. p r o j e t o a m p l i t u

Leia mais

PROGRAMAs de. estudantil

PROGRAMAs de. estudantil PROGRAMAs de empreendedorismo e protagonismo estudantil Ciclo de Palestras MAGNUM Vale do Silício App Store Contatos Calendário Fotos Safari Cumprindo sua missão de oferecer uma educação inovadora e de

Leia mais

ROTEIRO DO PLANO DE NEGÓCIOS. 1. Sumário Executivo. Objetivos Missão Fatores-Chave de Sucesso. 2. Sumário da Empresa. 2.1 Composição da Sociedade

ROTEIRO DO PLANO DE NEGÓCIOS. 1. Sumário Executivo. Objetivos Missão Fatores-Chave de Sucesso. 2. Sumário da Empresa. 2.1 Composição da Sociedade ROTEIRO DO PLANO DE NEGÓCIOS 1. Sumário Executivo Objetivos Missão Fatores-Chave de Sucesso 2. Sumário da Empresa 2.1 Composição da Sociedade Perfil Individual dos sócios, experiência, formação, responsabilidades

Leia mais

Página 1 de 19 Data 04/03/2014 Hora 09:11:49 Modelo Cerne 1.1 Sensibilização e Prospecção Envolve a manutenção de um processo sistematizado e contínuo para a sensibilização da comunidade quanto ao empreendedorismo

Leia mais

Congresso Brasileiro de Inovação da Indústria São Paulo, 13 e 14 de maio de 2015

Congresso Brasileiro de Inovação da Indústria São Paulo, 13 e 14 de maio de 2015 Congresso Brasileiro de Inovação da Indústria São Paulo, 13 e 14 de maio de 2015 INOVAR É FAZER Manifesto da MEI ao Fortalecimento da Inovação no Brasil Para nós empresários Inovar é Fazer diferente, Inovar

Leia mais

Vida Universitária Maio 2007 Ano XVII Nº 172

Vida Universitária Maio 2007 Ano XVII Nº 172 Mercado exige velocidade na atualização profissional Trabalhadores precisam estar capacitados para solucionar problemas, ser criativos e flexíveis e gostar da sua atividade A competição pela colocação

Leia mais

José Carlos de Oliveira Lima recebe homenagem especial da Fundação Vanzolini por sua atuação em prol da construção sustentável

José Carlos de Oliveira Lima recebe homenagem especial da Fundação Vanzolini por sua atuação em prol da construção sustentável José Carlos de Oliveira Lima recebe homenagem especial da Fundação Vanzolini por sua atuação em prol da construção sustentável Placa de reconhecimento foi entregue ao engenheiro durante a Conferência Aqua,

Leia mais

PROGRAMA JOVEM APRENDIZ

PROGRAMA JOVEM APRENDIZ JOVEM APRENDIZ Eu não conhecia nada dessa parte administrativa de uma empresa. Descobri que é isso que eu quero fazer da minha vida! Douglas da Silva Serra, 19 anos - aprendiz Empresa: Sinal Quando Douglas

Leia mais

ACS Assessoria de Comunicação Social

ACS Assessoria de Comunicação Social DISCURSO DO MINISTRO DA EDUCAÇÃO, HENRIQUE PAIM Brasília, 3 de fevereiro de 2014 Hoje é um dia muito especial para mim. É um dia marcante em uma trajetória dedicada à gestão pública ao longo de vários

Leia mais

MINIWEB EDUCAÇÃO - A EXPERIÊNCIA DA CRIAÇÃO DE UM PORTAL EDUCACIONAL E CURSOS A DISTÂNCIA.

MINIWEB EDUCAÇÃO - A EXPERIÊNCIA DA CRIAÇÃO DE UM PORTAL EDUCACIONAL E CURSOS A DISTÂNCIA. 1 MINIWEB EDUCAÇÃO - A EXPERIÊNCIA DA CRIAÇÃO DE UM PORTAL EDUCACIONAL E CURSOS A DISTÂNCIA. Profa. Arlete Embacher MiniWeb Educação S/C Ltda webmaster@miniweb.com.br Resumo Este relato descreve como surgiu

Leia mais

SPEKTRUM SOLUÇÕES DE GRANDE PORTE PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS SPEKTRUM SAP Partner 1

SPEKTRUM SOLUÇÕES DE GRANDE PORTE PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS SPEKTRUM SAP Partner 1 SPEKTRUM SOLUÇÕES DE GRANDE PORTE PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS SPEKTRUM SAP Partner 1 PROSPERE NA NOVA ECONOMIA A SPEKTRUM SUPORTA A EXECUÇÃO DA SUA ESTRATÉGIA Para as empresas que buscam crescimento

Leia mais

Promover maior integração

Promover maior integração Novos horizontes Reestruturação do Modelo de Gestão do SESI leva em conta metas traçadas pelo Mapa Estratégico Promover maior integração entre os departamentos regionais, as unidades de atuação e os produtos

Leia mais

II SIMPÓSIO DE PESQUISA E DE PRÁTICAS PEDAGÓGICAS 2014 ANAIS

II SIMPÓSIO DE PESQUISA E DE PRÁTICAS PEDAGÓGICAS 2014 ANAIS BUSINESS GAME UGB VERSÃO 2 Luís Cláudio Duarte Graduação em Administração de Empresas APRESENTAÇÃO (DADOS DE IDENTIFICAÇÃO) O Business Game do Centro Universitário Geraldo Di Biase (BG_UGB) é um jogo virtual

Leia mais

EDUCAÇÃO EXECUTIVA PARA O MERCADO FINANCEIRO MAIO / 2005 108-TC-B4

EDUCAÇÃO EXECUTIVA PARA O MERCADO FINANCEIRO MAIO / 2005 108-TC-B4 1 EDUCAÇÃO EXECUTIVA PARA O MERCADO FINANCEIRO MAIO / 2005 108-TC-B4 NADINE WASSMER TREINA E-LEARNING treina@treina.com.br ROSANA GOMES CONTEÚDOS E HABILIDADES EDUCAÇÃO CORPORATIVA DESCRIÇÃO DE PROJETO

Leia mais

P á g i n a 3 INTRODUÇÃO

P á g i n a 3 INTRODUÇÃO P á g i n a 3 INTRODUÇÃO A Administração de Materiais compreende as decisões e o controle sobre o planejamento, programação, compra, armazenamento e distribuição dos materiais indispensáveis à produção

Leia mais

ENTREVISTA FARMA & FARMA

ENTREVISTA FARMA & FARMA Pelo jornalista Aloísio Brandão, Editor desta revista. O farmacêutico Laércio Batista fundou a Farmácia Batista, em Joinvile, e transferiu ao filho, Láercio Batista Júnior, a propriedade e a experiência

Leia mais

CURSO A DISTÂNCIA DISSEMINADORES DE EDUCAÇÃO FISCAL

CURSO A DISTÂNCIA DISSEMINADORES DE EDUCAÇÃO FISCAL CURSO A DISTÂNCIA DISSEMINADORES DE EDUCAÇÃO FISCAL 2013 1. IDENTIFICAÇÃO GRUPO DE EDUCAÇÃO FISCAL ESTADUAL DE GOIÁS GEFE/GO 2. APRESENTAÇÃO O curso a distância de Disseminadores de Educação Fiscal constitui

Leia mais

Experiência: Centro de Pesquisas do HCPA: inovando a gestão da pesquisa por meio de laboratórios compartilhados

Experiência: Centro de Pesquisas do HCPA: inovando a gestão da pesquisa por meio de laboratórios compartilhados Experiência: Centro de Pesquisas do HCPA: inovando a gestão da pesquisa por meio de laboratórios compartilhados Hospital de Clínicas de Porto Alegre Administração Central Responsável: Sérgio Carlos Eduardo

Leia mais

INSTITUTO LOJAS RENNER

INSTITUTO LOJAS RENNER 2011 RELATÓRIO DE ATIVIDADES INSTITUTO LOJAS RENNER Instituto Lojas Renner Inserção de mulheres no mercado de trabalho, formação de jovens e desenvolvimento da comunidade fazem parte da essência do Instituto.

Leia mais

PLANO DE NEGÓCIOS CASTELO BRANCO CONSULTORIA E ASSESSORIA CONTÁBIL LTDA

PLANO DE NEGÓCIOS CASTELO BRANCO CONSULTORIA E ASSESSORIA CONTÁBIL LTDA Felipe Pedroso Castelo Branco Cassemiro Martins PLANO DE NEGÓCIOS CASTELO BRANCO CONSULTORIA E ASSESSORIA CONTÁBIL LTDA Belo Horizonte 2011 Felipe Pedroso Castelo Branco Cassemiro Martins PLANO DE NEGÓCIOS

Leia mais

Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia - UESB. Incubadora

Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia - UESB. Incubadora Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia - UESB Incubadora 7. INCUBADORA 7.1 INCUBEM: desenvolvendo empresas de sucesso A Incubadora de Empresas do Sudoeste Baiano INCUBEM é uma instituição que tem por

Leia mais

Fluxo Ampliado de Marketing

Fluxo Ampliado de Marketing Fluxo Ampliado de Marketing No estudo deste fluxo ampliado de marketing, chega-se a conclusão da importância de um composto mercadológico mais intenso e realmente voltado ao atendimento das necessidades

Leia mais

Investe São Paulo. Campinas, 17 de março de 2015

Investe São Paulo. Campinas, 17 de março de 2015 Investe São Paulo Campinas, 17 de março de 2015 Missão Ser a porta de entrada para novos investimentos e a expansão dos negócios existentes, gerando inovação tecnológica, emprego e renda. Promover a competitividade

Leia mais

CONSULTOR CARLOS MARTINS AÇAO EM MARKETING

CONSULTOR CARLOS MARTINS AÇAO EM MARKETING CONSULTOR CARLOS MARTINS CRIA - AÇAO EM MARKETING SUA EMPRESA Copyright Consultor Carlos Martins - Todos os direitos reservados wwwcarlosmartinscombr - consultor@carlosmartinscombr Como conquistar Clientes

Leia mais

Sumário. Introdução... Diagnóstico... Objetivo: 100% de Aprovação... A Conquista...

Sumário. Introdução... Diagnóstico... Objetivo: 100% de Aprovação... A Conquista... Créditos Gilson Ribeiro Gomes Economista Jonatas Costa Monte Alto Administrador de Empresas Felipe Augusto da Silva Mendes - Psicólogo Bruna Albuquerque Graduanda em Administração de Empresas Sumário Introdução...

Leia mais

Relatório de atividades Socioambientais

Relatório de atividades Socioambientais Relatório de atividades Socioambientais Ação 1: Apresentação da programação da Feira do Empreendedor 2014 às instituições da comunidade do entorno do SESI. Realização: Amazônia Socioambiental Equipe Técnica

Leia mais

Título do Case: Departamento Comercial com foco nas expectativas do cliente Categoria: Projeto Interno

Título do Case: Departamento Comercial com foco nas expectativas do cliente Categoria: Projeto Interno Título do Case: Departamento Comercial com foco nas expectativas do cliente Categoria: Projeto Interno Resumo O presente case mostra como ocorreu o processo de implantação do Departamento Comercial em

Leia mais

Estamos presentes em 20 estados

Estamos presentes em 20 estados http://goo.gl/7kuwo O IDEBRASIL é voltado para compartilhar conhecimento de gestão com o empreendedor do pequeno e micro negócio, de forma prática, objetiva e simplificada. A filosofia de capacitação é

Leia mais

TÍTULO: O CRM NA FIDELIZAÇÃO DE CLIENTES EM UMA EMPRESA DE MATERIAL PARA CONSTRUÇÃO

TÍTULO: O CRM NA FIDELIZAÇÃO DE CLIENTES EM UMA EMPRESA DE MATERIAL PARA CONSTRUÇÃO TÍTULO: O CRM NA FIDELIZAÇÃO DE CLIENTES EM UMA EMPRESA DE MATERIAL PARA CONSTRUÇÃO CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS SUBÁREA: ADMINISTRAÇÃO INSTITUIÇÃO: FACULDADE DE AURIFLAMA AUTOR(ES):

Leia mais

As atuais condições da infraestrutura de transporte e logística do Brasil têm

As atuais condições da infraestrutura de transporte e logística do Brasil têm ESTUDO DA CNT APONTA QUE INFRAESTRUTURA RUIM AUMENTA CUSTO DO TRANSPORTE DE SOJA E MILHO As atuais condições da infraestrutura de transporte e logística do Brasil têm impacto significativo na movimentação

Leia mais

O dentista que virou dono de restaurante chinês 1

O dentista que virou dono de restaurante chinês 1 O dentista que virou dono de restaurante chinês 1 O cirurgião dentista Robinson Shiba, proprietário da rede China In Box, em 1992 deixava de exercer sua profissão como dentista para inaugurar a primeira

Leia mais

GUIA PARA EMITIR A NOTA FISCAL ELETRÔNICA

GUIA PARA EMITIR A NOTA FISCAL ELETRÔNICA GUIA PARA EMITIR A NOTA FISCAL ELETRÔNICA SUMÁRIO >> Introdução... 3 >> O que é a nota fiscal eletrônica?... 6 >> O que muda com esse novo modelo de documento fiscal?... 8 >> O DANFE - Documento Acessório

Leia mais

Produtividade e qualidade de vida - Cresça 10x mais rápido

Produtividade e qualidade de vida - Cresça 10x mais rápido Produtividade e qualidade de vida - Cresça 10x mais rápido Você já pensou alguma vez que é possível crescer 10 vezes em várias áreas de sua vida e ainda por cima melhorar consideravelmente sua qualidade

Leia mais

O Segredo do Sucesso na Indústria da Construção Civil

O Segredo do Sucesso na Indústria da Construção Civil O Segredo do Sucesso na Indústria da Construção Civil Planejamento estratégico pode ser o grande diferencial para a empresado ramo da construção civil, imobiliário e arquitetura que deseja obter mais sucesso

Leia mais

MANUAL DE TRANSIÇÃO DE MARCA

MANUAL DE TRANSIÇÃO DE MARCA MANUAL DE TRANSIÇÃO DE MARCA Mudança da Marca e Posicionamento Esse boletim explicativo tem o objetivo de esclarecer suas dúvidas sobre a nova marca Evolua e de que forma ela será útil para aprimorar os

Leia mais

Nova sede Documento de doação do terreno entra para a fase final

Nova sede Documento de doação do terreno entra para a fase final www.aciaanapolis.com.br Nova sede Documento de doação do terreno entra para a fase final De 1º a 07 de Fevereiro de 2014 - Ano 09 - Nº 224 - Diretoria 2013/2015 Diretoria da Associação Comercial e Industrial

Leia mais

A importância estratégica da Logística na Siderurgia Brasileira

A importância estratégica da Logística na Siderurgia Brasileira A importância estratégica da Logística na Siderurgia Brasileira CARLOS JR. GERENTE DE PLANEJAMENTO INTEGRADO Jun/2013 Jorge Carlos Dória Jr. Votorantim Siderurgia Votorantim Siderurgia O Grupo Votorantim

Leia mais

6 A cadeia de suprimentos da soja no Mato Grosso sob o ponto de vista dos atores da cadeia

6 A cadeia de suprimentos da soja no Mato Grosso sob o ponto de vista dos atores da cadeia 6 A cadeia de suprimentos da soja no Mato Grosso sob o ponto de vista dos atores da cadeia Complementando o que foi exposto sobre a gerência da cadeia de suprimentos analisada no Capítulo 3, através de

Leia mais