Projectos Gaia 2013 (Aviso n.º 3145/ Diário da República, de 11 de Fevereiro de 2010)

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Projectos Gaia 2013 (Aviso n.º 3145/2010 - Diário da República, de 11 de Fevereiro de 2010)"

Transcrição

1 PROJECTO ENCOSTAS DO DOURO Percurso Largo D. Luís I Areínho de Avintes Largo D. Luís I Areínho de Avintes Projectos Gaia 2013 (Aviso n.º 3145/ Diário da República, de 11 de Fevereiro de 2010)

2 Percurso de ligação do Areinho de Oliveira do Douro ao loteamento da Quinta dos Cubos

3 Percurso de ligação do Areinho de Oliveira do Douro ao loteamento da Quinta dos Cubos Projectos Gaia 2013 (Aviso n.º 3145/ Diário da República, de 11 de Fevereiro de 2010)

4 Percurso de ligação do Areinho de Oliveira do Douro ao loteamento da Quinta dos Cubos (zona estreita) Projectos Gaia 2013 (Aviso n.º 3145/ Diário da República, de 11 de Fevereiro de 2010)

5 Percurso de ligação do Areinho de Oliveira do Douro ao loteamento da Quinta dos Cubos Projectos Gaia 2013 (Aviso n.º 3145/ Diário da República, de 11 de Fevereiro de 2010)

6 Percurso de ligação do Areinho de Oliveira do Douro ao loteamento da Quinta dos Cubos Características da intervenção: Rede de drenagem de águas residuais pluviais; Rede de drenagem de águas residuais domésticas; Rede de iluminação pública; Muros de suporte/ vedação; Reconstrução de cais e pesqueiros; Regularização do pavimento Entidade que coordena o projecto/obra:

7 Percurso de ligação do loteamento da Quinta dos Cubos (Oliveira do Douro) Cais do Esteiro (Avintes)

8 Percurso de ligação do loteamento da Quinta dos Cubos (Oliveira do Douro) Cais do Esteiro (Avintes) Projectos Gaia 2013 (Aviso n.º 3145/ Diário da República, de 11 de Fevereiro de 2010)

9 Percurso de ligação do loteamento da Quinta dos Cubos (Oliveira do Douro) Cais do Esteiro (Avintes) (Vai iniciar-se esta semana a limpeza da zona da margem, em colaboração com os proprietários dos terrenos já contactados) Características da intervenção: Rede de drenagem de águas residuais pluviais; Rede de drenagem de águas residuais domésticas; Rede de iluminação pública; Muros de vedação/suporte; Reconstrução de cais e pesqueiros; Regularização do pavimento Entidade que coordena o projecto/obra:

10 Cais do Esteiro (Avintes)

11 Cais do Esteiro (Avintes) Projectos Gaia 2013 (Aviso n.º 3145/ Diário da República, de 11 de Fevereiro de 2010)

12 Cais do Esteiro (Avintes) (Intervenção já solicitada ao IPTM, que já possui um estudo sobre a estabilidade do cais. A programação da intervenção será protocolada no final de Setembro.) Características da intervenção: Reforço da estrutura do cais; Adaptação do cais para receber barcos de pequeno/ médio porte (cais flutuante); Rede de iluminação pública Entidade que coordena o projecto/obra:

13 Regeneração Urbana do Lugar do Esteiro (Avintes)

14 Regeneração Urbana do Lugar do Esteiro (Avintes) Projectos Gaia 2013 (Aviso n.º 3145/ Diário da República, de 11 de Fevereiro de 2010)

15 Regeneração Urbana do Lugar do Esteiro (Avintes) Projectos Gaia 2013 (Aviso n.º 3145/ Diário da República, de 11 de Fevereiro de 2010)

16 Regeneração Urbana do Lugar do Esteiro (Avintes) Entidade que coordena o projecto/obra:

17 Rua do Areínho de Avintes

18 Rua do Areínho de Avintes Projectos Gaia 2013 (Aviso n.º 3145/ Diário da República, de 11 de Fevereiro de 2010)

19 Rua do Areínho de Avintes Projectos Gaia 2013 (Aviso n.º 3145/ Diário da República, de 11 de Fevereiro de 2010)

20 Rua do Areínho de Avintes

21 Rua do Areínho de Avintes (É necessário ponderar a solução a adoptar para os alinhamentos correspondentes à remodelação deste arruamento, tendo em consideração os seguintes factores: Compatibilidade com as árvores existentes; Compatibilidade com os terrenos privados/construções existentes de génese ilegal necessidade de expropriações.) Características da intervenção: Rede de abastecimento de água; Rede de drenagem de águas residuais pluviais; Rede de drenagem de águas residuais domésticas; Rede de distribuição de gás; Rede de infra-estruturas eléctricas; Rede de iluminação pública; Muros de vedação/suporte; Repavimentação dos arruamentos, Construção de passeios, estacionamentos e ciclovia; Entidade que coordena o projecto/obra:

NORMA TÉCNICA LICENCIAMENTO

NORMA TÉCNICA LICENCIAMENTO ELEMENTOS ANEXOS PARA A INSTRUÇÃO DE PEDIDO DE 1. PEDIDO DE DE OPERAÇÃO DE LOTEAMENTO 2. PEDIDO DE ALTERAÇÃO À LICENÇA DE LOTEAMENTO 3. PEDIDO DE DE OBRAS DE URBANIZAÇÃO 4. PEDIDO DE DE OBRAS DE EDIFICAÇÃO

Leia mais

PROJECTO DA REDE DE DRENAGEM DE ÁGUAS RESIDUAIS

PROJECTO DA REDE DE DRENAGEM DE ÁGUAS RESIDUAIS PROJECTO DA REDE DE DRENAGEM DE ÁGUAS RESIDUAIS CONSTRUÇÃO DE ARRUAMENTO DESDE A ROTUNDA DANMARIE - LÉS - LYS À AV. ENGº CASTRO CALDAS - A2 ARCOS DE VALDEVEZ ÍNDICE 1) Planta de Localização 2) Termo de

Leia mais

Regulamento de Edificabilidade do Pólo Industrial da Lagoa Cortes - Monção

Regulamento de Edificabilidade do Pólo Industrial da Lagoa Cortes - Monção Regulamento de Edificabilidade do Pólo Industrial da Lagoa Cortes - Monção CAPÍTULO I Disposições gerais Artigo 1º Âmbito e aplicação Para efeitos de uso do solo e de licenciamento de quaisquer obras de

Leia mais

Execução Anual do Plano Plurianual de Investimentos

Execução Anual do Plano Plurianual de Investimentos do Plano Plurianual de Investimentos 01 FUNÇÕES GERAIS 01 001 Administração geral 01 001 2007/3 Instalações municipais de Vale Pedras de Ano Anos seguintes Anos Anteriores Ano 01 001 2007/3 3 Construção

Leia mais

Dossier Promocional. Terreno para Construção Vila Nova de Gaia Rua Heróis de Ultramar nº2881, 4430-432 Vila Nova de Gaia Vilar de Andorinho

Dossier Promocional. Terreno para Construção Vila Nova de Gaia Rua Heróis de Ultramar nº2881, 4430-432 Vila Nova de Gaia Vilar de Andorinho Dossier Promocional Terreno para Construção Vila Nova de Gaia Rua Heróis de Ultramar nº2881, 4430-432 Vila Nova de Gaia Vilar de Andorinho 1 1. Contexto e Oportunidade O lote de terreno objecto de comercialização

Leia mais

Nome. Morada. Freguesia Código Postal - E-Mail. Na qualidade de: Proprietário Outra (indique qual)

Nome. Morada. Freguesia Código Postal - E-Mail. Na qualidade de: Proprietário Outra (indique qual) DEPARTAMENTO TÉCNICO DIVISÃO DE PLANEAMENTO E ADMINISTRAÇÃO URBANÍSTICA Exmo. Senhor Presidente da Câmara Municipal de Moura PEDIDO DE APROVAÇÃO DOS PROJECTOS DE OBRAS DE URBANIZAÇÃO APRESENTAÇÃO DA COMUNICAÇÃO

Leia mais

E N T I D A D E DOTAÇÕES INICIAIS MUNICIPIO VAGOS DO ANO 2009

E N T I D A D E DOTAÇÕES INICIAIS MUNICIPIO VAGOS DO ANO 2009 PÁGINA : 1 1. Funções gerais 674.458,82 124.591,58 1.509.000,00 1.509.000,00 2.617.000,00 2.662.000,00 995.000,00 8.582.050,40 1.1. Serviços gerais de 674.458,82 124.591,58 1.504.000,00 1.504.000,00 2.617.000,00

Leia mais

SEMANA EUROPEIA DA MOBILIDADE 2010 RELATÓRIO FINAL

SEMANA EUROPEIA DA MOBILIDADE 2010 RELATÓRIO FINAL SEMANA EUROPEIA DA MOBILIDADE 2010 RELATÓRIO FINAL SEMANA EUROPEIA DA MOBILIDADE 2010 RELATÓRIO FINAL 1 Índice Pág. 1. Sessão de Divulgação do Plano de Melhoria da Qualidade do Ar da Região Norte 3 2.

Leia mais

PLANO PLURIANUAL DE INVESTIMENTOS

PLANO PLURIANUAL DE INVESTIMENTOS Datas Despesas Anos Seguintes 1. FUNÇÕES GERAIS 938.000 688.000 250.000 125.786 108.000 1.171.786 1.1 SERVIÇOS GERAIS DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA 938.000 688.000 250.000 125.786 108.000 1.171.786 1.1.1 ADMINISTRAÇÃO

Leia mais

Disposições de Natureza Administrativa

Disposições de Natureza Administrativa PLANO DE PORMENOR DO POÇO QUENTE EM VIZELA REGULAMENTO (Alteração em Outubro de 2013) Capítulo I Disposições de Natureza Administrativa Artigo 1º Objecto O Plano de Pormenor do Poço Quente, adiante designado

Leia mais

Nos últimos 15 anos mais de metade do espaço público da actual área urbana da cidade de Castelo Branco foi intervencionado.

Nos últimos 15 anos mais de metade do espaço público da actual área urbana da cidade de Castelo Branco foi intervencionado. Nos últimos 15 anos mais de metade do espaço público da actual área urbana da cidade de Castelo Branco foi intervencionado. No final dos anos 90 lançamos um projecto ambicioso de requalificação urbana

Leia mais

REGULAMENTO do Plano de Pormenor do Pólo (ou Parque) Logístico e Industrial de Arazede (PLIA)

REGULAMENTO do Plano de Pormenor do Pólo (ou Parque) Logístico e Industrial de Arazede (PLIA) REGULAMENTO do Plano de Pormenor do Pólo (ou Parque) Logístico e Industrial de Arazede (PLIA) CAPÍTULO l Disposições Gerais Artigo 1º Âmbito territorial e regime 1. O Plano de Pormenor do Pólo (ou Parque)

Leia mais

PROJECTO ENCOSTAS DO DOURO

PROJECTO ENCOSTAS DO DOURO PROJECTO ENCOSTAS DO DOURO Porto 4.150 ha Gondomar 13.500 ha Vila Nova de Gaia 17.000 ha Projecto Encostas do Douro 1.960 ha DA PONTE D. MARIA PIA ATÉ LEVER Missão Definir os mecanismos de planeamento,

Leia mais

Melhoramento dos Arruamentos do Centro Antigo. Tratamento e Valorização da Frente Urbana Poente

Melhoramento dos Arruamentos do Centro Antigo. Tratamento e Valorização da Frente Urbana Poente PROALGARVE Eixxo 2 Acções Inttegrradas I de Base Terrrri ittorri iall Medida 2 Acção Inttegrrada I de Qualiffi icação e Competti itti ividade das Cidades Componentte Terrrri ittorri iall Melhoramento dos

Leia mais

TAXAS MUNICIPAIS - TABELA DE TAXAS DE URBANISMO

TAXAS MUNICIPAIS - TABELA DE TAXAS DE URBANISMO TAXAS MUNICIPAIS - TABELA DE TAXAS DE URBANISMO Artigo 1.º Operação de loteamento a) - Apresentação do requerimento TAXA 113,53 b) Entrada do aditamento 40,54 c) Emissão do alvará 15,13 c.1) Acresce uma

Leia mais

Execução Anual do Plano Plurianual de Investimentos

Execução Anual do Plano Plurianual de Investimentos (signação da autarquia local) do Plano Plurianual Investimentos 11 SERVIÇOS GERAIS DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA 11 111 ADMINISTRAÇÃO GERAL 11 111 2002/1 REMODELAÇÃO E AMPLIAÇÃO DO EDIFICIO DA ABEGOARIA 11

Leia mais

Guia Técnico para Projetos Particulares

Guia Técnico para Projetos Particulares 1. OBJETIVO Esta especificação decorre da instrução de trabalho IT045 e tem como objetivo definir a forma como devem ser instruídos os projetos particulares de redes de abastecimento de água, e de drenagem

Leia mais

JUNTAS DE FREGUESIA, INSTITUIÇÕES E AGREMIAÇÕES PRIVADAS DE BENEFICÊNCIA, CULTURAIS, DESPORTIVAS E OUTRAS DE INTERESSE PÚBLICO. Escalão único 2,1103

JUNTAS DE FREGUESIA, INSTITUIÇÕES E AGREMIAÇÕES PRIVADAS DE BENEFICÊNCIA, CULTURAIS, DESPORTIVAS E OUTRAS DE INTERESSE PÚBLICO. Escalão único 2,1103 ÁGUA* CONSUMO DE ÁGUA CONSUMO DOMÉSTICO 1º Escalão (0 5 m 3 /mês) 0,4578 2º Escalão (6 15 m 3 /mês) 0,8330 3º Escalão (16 a 25 m 3 /mês) 1,3841 4º Escalão (superior a 25 m 3 /mês) 2,2301 COMÉRCIO, INDÚSTRIA,

Leia mais

Estes cursos estão organizados de acordo com o Sistema Europeu de Transferência de créditos (ECTS).

Estes cursos estão organizados de acordo com o Sistema Europeu de Transferência de créditos (ECTS). Lisboa, 23 de Fevereiro de 2007 Exmo. Senhor Engenheiro Técnico, O Instituto Superior de Educação e Ciências (ISEC) é um estabelecimento de ensino superior privado reconhecido oficialmente em 9 de Agosto

Leia mais

Exmº. Senhor Presidente da Câmara Municipal de Lagos

Exmº. Senhor Presidente da Câmara Municipal de Lagos REGISTO DE ENTRADA Requerimento n.º de / / Processo n.º / Pago por Guia n.º,. Ao Serviço O Funcionário, Exmº. Senhor Presidente da Câmara Municipal de Lagos COMUNICAÇÃO PRÉVIA DE OBRAS DE EDIFICAÇÃO EM

Leia mais

PLANO DE PORMENOR DO DALLAS PROGRAMA DE EXECUÇÃO PLANO DE FINANCIAMENTO

PLANO DE PORMENOR DO DALLAS PROGRAMA DE EXECUÇÃO PLANO DE FINANCIAMENTO PLANO DE PORMENOR DO DALLAS PROGRAMA DE EXECUÇÃO PLANO DE FINANCIAMENTO DIRECÇÃO MUNICIPAL DE URBANISMO DEPARTAMENTO MUNICIPAL DE PLANEAMENTO URBANO DIVISÃO MUNICIPAL DE PLANEAMENTO E ORDENAMENTO DO TERRITÓRIO

Leia mais

SISTEMAS URBANOS DE ÁGUAS RESIDUAIS E PLUVIAIS Um olhar sobre Lisboa

SISTEMAS URBANOS DE ÁGUAS RESIDUAIS E PLUVIAIS Um olhar sobre Lisboa SISTEMAS URBANOS DE ÁGUAS RESIDUAIS E PLUVIAIS Um olhar sobre Lisboa Maria do Céu Almeida e Rafaela Matos LNEC, Departamento de Hidráulica e Ambiente AML, 27 de Fevereiro 2015 1. Introdução Desafios na

Leia mais

Europass Curriculum Vitae

Europass Curriculum Vitae Europass Curriculum Vitae Informação pessoal Apelido(s) / Nome(s) próprio(s) Morada(s) Endereço(s) de correio electrónico Darque / Cidade Nova / n.º 105 / 3º Esq, 4935-169 Viana do Castelo (Portugal) Telefone(s)

Leia mais

ELEMENTOS NECESSÁRIOS À INSTRUÇÃO DO PEDIDO DE TÍTULO DE UTILIZAÇÃO DOS RECURSOS HÍDRICOS

ELEMENTOS NECESSÁRIOS À INSTRUÇÃO DO PEDIDO DE TÍTULO DE UTILIZAÇÃO DOS RECURSOS HÍDRICOS ELEMENTOS NECESSÁRIOS À INSTRUÇÃO DO PEDIDO DE TÍTULO DE UTILIZAÇÃO DOS RECURSOS HÍDRICOS I. IDENTIFICAÇÃO DO REQUERENTE Nome/Denominação social, identificação fiscal n.º, com residência/sede em, código

Leia mais

45.761,92 61.02 45.761,92 45.761,92 75.000,00 45.761,92 7.500,00 730.800,00 864.800,00 134.000,00 730.800,00 75.000,00 75.000,00

45.761,92 61.02 45.761,92 45.761,92 75.000,00 45.761,92 7.500,00 730.800,00 864.800,00 134.000,00 730.800,00 75.000,00 75.000,00 Pagina : 1 1. Funções gerais 2.391.613,00 2.641.653,00 5.033.266,00 711.967,19 711.967,19 29.77 14.15 1.1. Serviços gerais de administração pública 2.301.613,00 2.441.653,00 4.743.266,00 637.867,59 637.867,59

Leia mais

PLANO PLURIANUAL DE INVESTIMENTOS Inicial ANO FINANCEIRO DE 2010 Câmara Municipa l DATAS DAS DELIBERAÇÕES Asse mbleia Municipal Revisã o Alteração Observações: E N T I D A D E P L A N O P L U R I A N U

Leia mais

E N T I D A D E P L A N O P L U R I A N U A L D E I N V E S T I M E N T O S - F U N C. P L A N O DOTAÇÕES INICIAIS Município de Resende DO ANO 2007

E N T I D A D E P L A N O P L U R I A N U A L D E I N V E S T I M E N T O S - F U N C. P L A N O DOTAÇÕES INICIAIS Município de Resende DO ANO 2007 PÁGINA : 1 1. FUNÇÕES GERAIS: 411'507,69 411'507,69 425'500,00 425'500,00 425'500,00 1'688'007,69 1.1. SERVIÇOS GERAIS DE 369'507,69 369'507,69 389'000,00 389'000,00 389'000,00 1'536'507,69 ADMINISTRAÇÃO

Leia mais

ELEMENTOS NECESSÁRIOS À INSTRUÇÃO DO PEDIDO DE LICENÇA DE UTILIZAÇÃO DOS RECURSOS HÍDRICOS DESCARGA DE ÁGUAS RESIDUAIS

ELEMENTOS NECESSÁRIOS À INSTRUÇÃO DO PEDIDO DE LICENÇA DE UTILIZAÇÃO DOS RECURSOS HÍDRICOS DESCARGA DE ÁGUAS RESIDUAIS ELEMENTOS NECESSÁRIOS À INSTRUÇÃO DO PEDIDO DE LICENÇA DE UTILIZAÇÃO DOS RECURSOS HÍDRICOS DESCARGA DE ÁGUAS RESIDUAIS I IDENTIFICAÇÃO DO REQUERENTE Nome/Denominação social, identificação fiscal n.º, bilhete

Leia mais

enewsletter NOVEMBRO`09

enewsletter NOVEMBRO`09 Página Web 1 de 7 enewsletter NOVEMBRO`09 www.centralprojectos.pt Central Projectos conquista estatuto de PME Líder A Central Projectos foi recentemente reconhecida como PME Líder pelo IAPMEI no âmbito

Leia mais

GAPTEC. Estudos de Orientação Para o Planeamento do Concelho de Odivelas. Relatório Final Volume II. Maio 2003

GAPTEC. Estudos de Orientação Para o Planeamento do Concelho de Odivelas. Relatório Final Volume II. Maio 2003 GAPTEC Departamento de Planeamento Estratégico Divisão do Plano Director Municipal Estudos de Orientação Para o Planeamento do Concelho de Odivelas Maio 2003 Relatório Final Volume II EQUIPA Coordenadores

Leia mais

PLANO DE PORMENOR DA CASA PIDWELL REGULAMENTO

PLANO DE PORMENOR DA CASA PIDWELL REGULAMENTO PLANO DE PORMENOR DA CASA PIDWELL REGULAMENTO Novembro 2011 ÍNDICE CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS... 3 Artigo 1.º Objectivo e Âmbito Territorial... 3 Artigo 2.º Relação com Outros Instrumentos de Gestão

Leia mais

DEPARTAMENTO DE OBRAS E GESTÃO DE INFRA-ESTRUTURAS MUNICIPAIS FICHA TÉCNICA

DEPARTAMENTO DE OBRAS E GESTÃO DE INFRA-ESTRUTURAS MUNICIPAIS FICHA TÉCNICA PARTAMENTO OBRAS E GESTÃO FICHA TÉCNICA 1. INTIFICAÇÃO Concepção/ Construção da Nova Ponte da Longra. 2. LOCALIZAÇÃO Localizada na ex-en 110-2, na ligação entre Ceira e Vendas de Ceira, sobre o Rio Ceira.

Leia mais

LEI N.º 4.598/15 DE 28 DE JULHO DE 2015

LEI N.º 4.598/15 DE 28 DE JULHO DE 2015 LEI N.º 4.598/15 DE 28 DE JULHO DE 2015 Dispõe sobre condomínios por unidades autônomas e dá outras providências... TEODORA BERTA SOUILLJEE LÜTKEMEYER, PREFEITA DO MUNICÍPIO DE NÃO-ME-TOQUE/RS. FAÇO SABER

Leia mais

PROJECTO DA REDE DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA

PROJECTO DA REDE DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA PROJECTO DA REDE DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA CONSTRUÇÃO DE ARRUAMENTO DESDE A ROTUNDA DANMARIE - LÉS - LYS À AV. ENGº CASTRO CALDAS - A2 ARCOS DE VALDEVEZ ÍNDICE 1) Planta de Localização 2) Termo de Responsabilidade

Leia mais

ANEXO V MODELO DE CARTA-CONSULTA. Estimativa do nº de usuários a serem beneficiados na área de intervenção: habitantes

ANEXO V MODELO DE CARTA-CONSULTA. Estimativa do nº de usuários a serem beneficiados na área de intervenção: habitantes Informações sobre o Município beneficiado ANEXO V MODELO DE CARTA-CONSULTA Município Beneficiado: População Beneficiada Estimativa do nº de usuários a serem beneficiados na área de intervenção: habitantes

Leia mais

Mapa de pessoal CTFP tp determinado Artigo 5º LVCR Área de formação académica e/ou profissional

Mapa de pessoal CTFP tp determinado Artigo 5º LVCR Área de formação académica e/ou profissional Funções consultivas, de estudo, planeamento, programação, avaliação e aplicação de métodos e processos de natureza técnica e ou científica, que fundamentam e preparam a decisão. Elaboração, autonomamente

Leia mais

NORMAS PARA INSTRUÇÃO DOS PROCESSOS RELATIVOS A OPERAÇÕES URBANÍSTICAS

NORMAS PARA INSTRUÇÃO DOS PROCESSOS RELATIVOS A OPERAÇÕES URBANÍSTICAS NORMAS PARA INSTRUÇÃO DOS PROCESSOS RELATIVOS A OPERAÇÕES URBANÍSTICAS ÍNDICE CAPITULO I DISPOSIÇÕES COMUNS ART. 1º ÂMBITO DE APLICAÇÃO 6 SESSÃO I LOTEAMENTOS, OBRAS DE URBANIZAÇÃO E EDIFICAÇÃO ART. 2º

Leia mais

Processo Nº / / CML. N.º Bilhete Identidade. N.º Bilhete Identidade

Processo Nº / / CML. N.º Bilhete Identidade. N.º Bilhete Identidade Espaço reservado aos serviços do Município EXMO. SENHOR PRESIDENTE DA CÂMARA MUNICIPAL DE LAMEGO COMUNICAÇÃO PRÉVIA DE OBRAS DE EDIFICAÇÃO Processo Nº / / CML REQUERENTE Nome Morada Freguesia N.º Identificação

Leia mais

CONTEÚDOS FUNCIONAIS:

CONTEÚDOS FUNCIONAIS: CONTEÚDOS FUNCIONAIS: Ref.ª A) TÉCNICO SUPERIOR DE ENGENHARIA DO AMBIENTE Realizar análises, estudo e emissão de pareceres dos assuntos que lhe são submetidos, tendo como base as melhores praticas legais

Leia mais

37º EUROCC PORTUGAL 2014 PROLONGAMENTO

37º EUROCC PORTUGAL 2014 PROLONGAMENTO 37º EUROCC PORTUGAL 2014 PROLONGAMENTO Amigo Autocaravanista Europeu, Participa no 37 EUROCC e acabou de completar o Evento Principal em Lisboa. Vai agora começar o PROLONGAMENTO. Deixou o 2º melhor destino

Leia mais

EMISSÃO DE CERTIDÃO DE PLANO DE PORMENOR PARA EFEITOS DE REGISTO PREDIAL

EMISSÃO DE CERTIDÃO DE PLANO DE PORMENOR PARA EFEITOS DE REGISTO PREDIAL Registo n.º Data / / O Funcionário Exmº. Sr. Presidente da Câmara Municipal de Cascais EMISSÃO DE CERTIDÃO DE PLANO DE IDENTIFICAÇÃO DO REQUERENTE (Preencher com letra maiúscula) Nome/Designação/Representantes

Leia mais

N.º Identificação Civil. N.º Identificação Civil

N.º Identificação Civil. N.º Identificação Civil EXMO. (A) SENHOR(A) PRESIDENTE DA CÂMARA MUNICIPAL DA TROFA COMUNICAÇÃO PRÉVIA DE OBRAS REQUERENTE Nome Morada Freguesia N.º Identificação Fiscal Código da Certidão Comercial Permanente Código Postal N.º

Leia mais

PLANO DIRECTOR MUNICIPAL. R E G U L A M E N T O (nº1 do Artigo 10º do D.L. 69/90)

PLANO DIRECTOR MUNICIPAL. R E G U L A M E N T O (nº1 do Artigo 10º do D.L. 69/90) PLANO DIRECTOR MUNICIPAL R E G U L A M E N T O (nº1 do Artigo 10º do D.L. 69/90) Outubro 1993 CAMARA MUNICIPAL DE VILA NOVA DE GAIA DEPARTAMENTO DE URBANISMO GABINETE DO PLANO DIRECTOR MUNICIPAL NOTA EXPLICATIVA

Leia mais

FICHA TÉCNICA DA HABITAÇÃO

FICHA TÉCNICA DA HABITAÇÃO FICHA TÉCNICA DA HABITAÇÃO provisória definitiva 1. Prédio urbano / fracção autónoma Morada Código Postal - Inscrito na matriz predial da freguesia de art.º n.º Registado na Conservatória do Registo Predial

Leia mais

MUNICIPIO DE ILHAVO DO ANO 2010

MUNICIPIO DE ILHAVO DO ANO 2010 PÁGINA : 1 1. Funções gerais 1.851.000,00 1.851.000,00 860.000,00 280.000,00 2.991.000,00 1.1. Serviços gerais de administração pública 1.601.000,00 1.601.000,00 610.000,00 2.241.000,00 1.1.1. 1.1.1.1.

Leia mais

MANUAL PROCESSOS PREDIAIS

MANUAL PROCESSOS PREDIAIS MANUAL Página : 3 / 11 ÍNDICE 1 OBJECTIVO...4 2 ÂMBITO...4 3 INSTRUÇÃO DO PROCESSO...4 3.1. Projecto... 4 3.2. Tela Fina.4 4 REGRAS A TER EM CONTA NA ELABORAÇÃO DO PROJECTO E EM OBRA...5 4.1. Ampliações

Leia mais

3.º TRIMESTRE DE 2006

3.º TRIMESTRE DE 2006 J U N T A F R E G U E S I A A V I N T E S RELATÓRIO TRIMESTRAL 3.º TRIMESTRE DE 2006 R U A E S C O L A C E N T R A L, 75 4430-8 2 2 A V I N T E S V N G Informo a Assembleia de Freguesia das principais

Leia mais

E N T I D A D E P L A N O P L U R I A N U A L D E I N V E S T I M E N T O S DOTAÇÕES INICIAIS MUNICÍPIO DE ÍLHAVO DO ANO 2015

E N T I D A D E P L A N O P L U R I A N U A L D E I N V E S T I M E N T O S DOTAÇÕES INICIAIS MUNICÍPIO DE ÍLHAVO DO ANO 2015 PÁGINA : 1 1. FUNÇÕES GERAIS 995.500,00 995.500,00 50.000,00 50.000,00 50.000,00 1.145.500,00 1.1. SERVIÇOS GERAIS DE ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA 995.500,00 995.500,00 50.000,00 50.000,00 50.000,00 1.145.500,00

Leia mais

SERVIÇOS MUNICIPALIZADOS DA NAZARÉ PRECÁRIO DOS SERVIÇOS PRESTADOS PARA O ANO DE 2015 (Preços a vigorar entre 01 de Janeiro e 31 de Dezembro)

SERVIÇOS MUNICIPALIZADOS DA NAZARÉ PRECÁRIO DOS SERVIÇOS PRESTADOS PARA O ANO DE 2015 (Preços a vigorar entre 01 de Janeiro e 31 de Dezembro) (s a vigorar entre 01 de Janeiro e 31 de Dezembro) PREÇOS DOS SERVIÇOS DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA, SANEAMENTO E GESTÃO DE RSU Escalão Água Saneamento RSU Doméstico 1º Escalão - 5m 3 / 30 dias 0,7291 0,6209-2º

Leia mais

Nº de documento Descrição Observações. (6) Projecto da rede de agua. (Nota 2) (Nota 2) (7) Projecto da rede de drenagem e esgotos.

Nº de documento Descrição Observações. (6) Projecto da rede de agua. (Nota 2) (Nota 2) (7) Projecto da rede de drenagem e esgotos. (1a) Documentos básicos Pedido e índice Documento comprovativo de titularidade da propriedade Procuração Contrato de concessão do terreno Documento comprovativo de liquidação do prémio de concessão Documento

Leia mais

Capítulo I. Disposições Gerais

Capítulo I. Disposições Gerais PREÂMBULO Tem vindo a verificar-se em todo o território municipal, um número crescente de intervenções nas redes de infra-estruturas existentes no solo e subsolo do domínio público municipal, promovidas

Leia mais

SERVIÇOS MUNICIPALIZADOS DE ÁGUA E SANEAMENTO DA CÂMARA MUNICIPAL DE PENICHE

SERVIÇOS MUNICIPALIZADOS DE ÁGUA E SANEAMENTO DA CÂMARA MUNICIPAL DE PENICHE SERVIÇOS MUNICIPALIZADOS DE ÁGUA E SANEAMENTO DA CÂMARA MUNICIPAL DE PENICHE FERREL AMPLIAÇÃO E REMODELAÇÃO DA REDE DE ESGOTOS DOMÉSTICOS E PLUVIAIS LIGAÇÃO ÀS ÁGUAS DO OESTE 2ª FASE E REFORÇO DO ABASTECIMENTO

Leia mais

MUNICÍPIO DE SÃO JOÃO DA PESQUEIRA DO ANO 2009

MUNICÍPIO DE SÃO JOÃO DA PESQUEIRA DO ANO 2009 PÁGINA : 1 1. FUNÇÕES GERAIS 200.000,00 200.000,00 200.000,00 1.1. 180.000,00 180.000,00 180.000,00 1.1.1. ADMINISTRAÇÃO GERAL 180.000,00 180.000,00 180.000,00 1.1.1. 01 2005 ADMINISTRAÇÃO GERAL 55.000,00

Leia mais

A Câmara Municipal de Capim Branco, Estado de Minas Gerais, por seus Vereadores, aprovou e eu, Prefeito Municipal, sanciono a seguinte Lei:

A Câmara Municipal de Capim Branco, Estado de Minas Gerais, por seus Vereadores, aprovou e eu, Prefeito Municipal, sanciono a seguinte Lei: LEI Nº 1.242 / 2012 ALTERA AS LEIS N 1078/2006, QUE DISPÕE SOBRE O PLANO DIRETOR DO MUNICÍPIO DE CAPIM BRANCO/MG, E NELA INCLUI DISPOSIÇÕES RELATIVOS A ZONEAMENTO URBANO E PARCELAMENTO DO SOLO. A Câmara

Leia mais

PROGRAMA DE EXECUÇÃO E PLANO DE FINANCIAMENTO

PROGRAMA DE EXECUÇÃO E PLANO DE FINANCIAMENTO PROGRAMA DE EXECUÇÃO E PLANO DE FINANCIAMENTO Plano de Pormenor de Parte da Zona Industrial de Cacia CÂMARA MUNICIPAL DE AVEIRO junho de 2013 Índice 1. Introdução 2. Programa de Execução 2.1 Primeira fase

Leia mais

ESCOLA PROFISSIONAL DA PRAIA DA VITÓRIA

ESCOLA PROFISSIONAL DA PRAIA DA VITÓRIA Rua Comendador Francisco J. Barcelos Rua Gervásio Lima Localização NÚCLEO EMPRESARIAL AUDITÓRIO MUNICIPAL ESCOLA PROFISSIONAL ESTAÇÃO DE CAMIONAGEM/APOIOS BIBLIOTECA MUNICIPAL Maquetização 3D geral EDIFÍCIO

Leia mais

INFORMAÇÃO DO PRESIDENTE À ASSEMBLEIA DE FREGUESIA DE SANTA MARINHA 19 DE DEZEMBRO DE 2007

INFORMAÇÃO DO PRESIDENTE À ASSEMBLEIA DE FREGUESIA DE SANTA MARINHA 19 DE DEZEMBRO DE 2007 INFORMAÇÃO DO PRESIDENTE À ASSEMBLEIA DE FREGUESIA DE SANTA MARINHA 19 DE DEZEMBRO DE 2007 De acordo com a alínea o) do nº 1 do artigo 17º da Lei 169/99, de 18 de Setembro com as alterações introduzidas

Leia mais

Manual de Processos Prediais

Manual de Processos Prediais Índice Índice...1 1. Objectivo...2 2. Âmbito...2 3. Referências...2 4. Definições / Abreviaturas...2 5. Responsabilidades...2 6. Modo de Proceder...2 6.1. Fluxograma...2 6.2. Descrição...2 6.2.1. INSTRUÇÃO

Leia mais

TABELA ANEXA DE TAXAS

TABELA ANEXA DE TAXAS TABELA ANEXA DE TAXAS Actualizada de acordo com o artigo 80º (De Fev. 2008 a Fev. 2009) QUADRO I Emissão de alvará de licença ou autorização de loteamento e de obras de urbanização 1. Emissão do alvará

Leia mais

Município de Nisa. Balancete das Grandes Opções do Plano por Objectivos e Programas para o ano de 2011. No periodo de 01-01-2011 a 30-09-2011

Município de Nisa. Balancete das Grandes Opções do Plano por Objectivos e Programas para o ano de 2011. No periodo de 01-01-2011 a 30-09-2011 1 Funções Gerais 641.160,00 623.375,67 17.784,33 609.638,87 491.604,67 363.182,89 128.421,78 1 1,1 Administração Geral 577.940,00 571.093,15 6.846,85 557.356,35 449.322,15 324.728,79 124.593,36 1 1,1 2001/1

Leia mais

PLANO DE PORMENOR DO JARDIM URBANO REGULAMENTO

PLANO DE PORMENOR DO JARDIM URBANO REGULAMENTO PLANO DE PORMENOR DO JARDIM URBANO REGULAMENTO ÍNDICE CAPITULO I... 1 Disposições Gerais... 1 Artigo 1º Âmbito e Regime... 1 Artigo 2º Objectivos e Estratégia... 1 Artigo 3º Relação com outros Instrumentos

Leia mais

Federação Portuguesa de Atletismo

Federação Portuguesa de Atletismo PRESSUPOSTOS A medição do percurso para a teve por base os seguintes pressupostos: Durante a competição os Atletas só podem utilizar a faixa do lado direito da estrada. Durante a competição os atletas

Leia mais

Dotar o território de instrumentos de planeamento de gestão compatíveis com a preservação e conservação dos recursos;

Dotar o território de instrumentos de planeamento de gestão compatíveis com a preservação e conservação dos recursos; 1. Medida 3.5.: Apoio ao Desenvolvimento do Sistema Ambiental e do Ordenamento 2. Descrição Esta medida contempla o apoio aos investimentos a realizar nos domínios do Ordenamento do Território e do Desenvolvimento

Leia mais

2. FICHAS DE PROJECTO NO ÂMBITO DA REVISÃO DO PDM DE VAGOS... 4

2. FICHAS DE PROJECTO NO ÂMBITO DA REVISÃO DO PDM DE VAGOS... 4 1. PROGRAMA DE EXECUÇÃO E PLANO DE FINANCIAMENTO... 2 2. FICHAS DE PROJECTO NO ÂMBITO DA REVISÃO DO PDM DE VAGOS... 4 2.1 FICHA 1 - REQUALIFICAÇÃO DO PARQUE DESPORTIVO E DE LAZER DA VILA DE SOSA...6 2.2

Leia mais

ASSEMBLEIA LEGISLATIVA PROJETO DE LEI Nº 051/2012

ASSEMBLEIA LEGISLATIVA PROJETO DE LEI Nº 051/2012 PROJETO DE LEI Nº 051/2012 Torna obrigatória a adoção de pavimentação ecológica nas áreas que menciona e dá outras providências. A ASSEMBLEIA LEGISLATIVA DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO DECRETA: Artigo 1º

Leia mais

DIVISÃO DE OBRAS; PLANEAMENTO E URBANISMO MEMÓRIA DESCRITIVA E JUSTIFICATIVA LICENCIAMENTO

DIVISÃO DE OBRAS; PLANEAMENTO E URBANISMO MEMÓRIA DESCRITIVA E JUSTIFICATIVA LICENCIAMENTO DIVISÃO DE OBRAS; PLANEAMENTO E URBANISMO MEMÓRIA DESCRITIVA E JUSTIFICATIVA LICENCIAMENTO OPERAÇÃO DE LOTEAMENTO URBANO Parque de Exposições do Recinto da Feira de Alpiarça 1. INTRODUÇÃO E ENQUADRAMENTO

Leia mais

Comunidades Sustentáveis

Comunidades Sustentáveis Comunidades Sustentáveis Ph.D., Engº do Ambiente Dep. Engª Civil, Arquitectura / Instituto Superior Técnico manuel.pinheiro@civil.ist.utl.pt ou manuel.pinheiro@lidera.info Comunidades? Comunidade communitas,

Leia mais

Concurso Público de Concepção para a Elaboração do Projecto do Terminal de Cruzeiros de Lisboa

Concurso Público de Concepção para a Elaboração do Projecto do Terminal de Cruzeiros de Lisboa Concurso Público de Concepção para a Elaboração do Projecto do Terminal de Cruzeiros de Lisboa Breve descrição do projecto Constituem-se como objectivos estratégicos do projecto do Terminal de Cruzeiros

Leia mais

MODIFICAÇÕES AO PLANO PLURIANUAL DE INVESTIMENTOS

MODIFICAÇÕES AO PLANO PLURIANUAL DE INVESTIMENTOS MODIFICAÇÕES AO PLANO PLURIANUAL DE INVESTIMENTOS Página : 1 1. FUNÇOES GERAIS 1.1. SERVIÇOS GERAIS DE ADMINISTRAÇAO PUBLICA 1.1.1. ADMINISTRAÇAO GERAL 1.1.1. 01 2002 I 1 AQUISIÇAO/REPARAÇAO DE OUTRO MATERIAL

Leia mais

ÁREA DE REABILITAÇÃO URBANA QUINTA DAS VIOLETAS ENTRE CAMINHOS CASTELO BRANCO

ÁREA DE REABILITAÇÃO URBANA QUINTA DAS VIOLETAS ENTRE CAMINHOS CASTELO BRANCO ÁRE DE REBILITÇÃO URBN QUINT DS VIOLETS ENTRE CMINOS CSTELO BRNCO ÁRE DE REBILITÇÃO URBN CSTELO BRNCO Índice Nota Introdutória... 3 Objectivos Genéricos da Reabilitação Urbana... 4 Plano Geral de Urbanização

Leia mais

NORMA TÉCNICA GEPRO/ESGOTO 001/2015 DIRETRIZES PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS HIDROSANITÁRIOS POR TERCEIROS

NORMA TÉCNICA GEPRO/ESGOTO 001/2015 DIRETRIZES PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS HIDROSANITÁRIOS POR TERCEIROS NORMA TÉCNICA GEPRO/ESGOTO 001/2015 DIRETRIZES PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS HIDROSANITÁRIOS POR TERCEIROS ÍNDICE 1. OBJETIVOS... 1 2. DOCUMENTOS RELACIONADOS... 1 3. EMPREENDIMENTOS DE INTERESSE... 2 4.

Leia mais

DEPARTAMENTO DE OBRAS E GESTÃO DE INFRA-ESTRUTURAS MUNICIPAIS FICHA TÉCNICA

DEPARTAMENTO DE OBRAS E GESTÃO DE INFRA-ESTRUTURAS MUNICIPAIS FICHA TÉCNICA PARTAMENTO OBRAS E GESTÃO FICHA TÉCNICA 1. INTIFICAÇÃO Construção do Campo Polivalente do Clube da Cruz de Cristo Coselhas 2. LOCALIZAÇÃO Coselhas Freguesia de Santo António dos Olivais 3. SCRIÇÃO GERAL

Leia mais

REGULAMENTO ENTO MUNICIPAL DE TOPONÍMIA E NUMERAÇÃO DE POLÍCIA DO MUNICÍPIO DE MIRANDELA

REGULAMENTO ENTO MUNICIPAL DE TOPONÍMIA E NUMERAÇÃO DE POLÍCIA DO MUNICÍPIO DE MIRANDELA REGULAMENTO ENTO MUNICIPAL DE TOPONÍMIA E NUMERAÇÃO DE POLÍCIA DO MUNICÍPIO DE MIRANDELA Nota justificativa (artigo 116.º do CPA) O presente Regulamento destina-se se a organizar todo o tecido urbano,

Leia mais

Portanto, a empresa seleccionada deverá:

Portanto, a empresa seleccionada deverá: Concurso para Segurança Privada no Porto de Palmeira TERMOS DE REFERÊNCIA I. Introdução A ENAPOR - Empresa Nacional de Administração dos Portos de Cabo Verde S.A., pretende com os presentes Termos de Referência

Leia mais

Federação Portuguesa de Atletismo

Federação Portuguesa de Atletismo PRESSUPOSTOS A medição da Corrida dos Reis Ilha do Pico Açores teve por base os seguintes pressupostos: Durante a competição os Atletas só podem utilizar toda a largura da estrada nos percursos entre:

Leia mais

CURSO JARDINS DE COBERTURA E JARDINS VERTICAIS

CURSO JARDINS DE COBERTURA E JARDINS VERTICAIS CURSO JARDINS DE COBERTURA E JARDINS VERTICAIS 28 e 29 de Março de 2012 FARO Inscreva-se até ao dia 10 de Fevereiro e usufrua de 15% de desconto CONTACTOS PARA INSCRIÇÕES: 218 806 148 cursosjarquitecturas@about.pt

Leia mais

INSTRUÇÕES TÉCNICAS PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS DE CONSTRUÇÃO CIVIL - LICENÇA SIMPLIFICADA (LS)

INSTRUÇÕES TÉCNICAS PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS DE CONSTRUÇÃO CIVIL - LICENÇA SIMPLIFICADA (LS) INSTRUÇÕES TÉCNICAS PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS DE CONSTRUÇÃO CIVIL - LICENÇA SIMPLIFICADA (LS) 1. DEFINIÇÃO 1.1. Licença Simplificada (LS) - concedida para a localização, instalação, implantação e operação

Leia mais

Federação Portuguesa de Atletismo

Federação Portuguesa de Atletismo PRESSUPOSTOS A medição da Volta à Cidade do Funchal Madeira (5850 metros) teve por base os seguintes pressupostos: Durante a competição os Atletas, nas Avenidas do Mar e Sá Carneiro, só podem utilizar

Leia mais

EXECUÇÃO DO PLANO PLURIANUAL DE INVESTIMENTOS ANO CONTABILÍSTICO 2011. Até ao mês de Rectificação

EXECUÇÃO DO PLANO PLURIANUAL DE INVESTIMENTOS ANO CONTABILÍSTICO 2011. Até ao mês de Rectificação EXECUÇÃO DO PLANO PLURIANUAL DE S ANO CONTABILÍSTICO 2011 Pagina : 1 1. FUNÇOES GERAIS 239.200,00 505.000,00 744.200,00 177.311,45 177.311,45 74.13 23.83 1.1. SERVIÇOS GERAIS DE ADMINISTRAÇAO PUBLICA 232.200,00

Leia mais

REQUALIFICAÇÃO URBANA DO CENTRO HISTÓRICO DE S.MARTINHO DE MOUROS RESENDE

REQUALIFICAÇÃO URBANA DO CENTRO HISTÓRICO DE S.MARTINHO DE MOUROS RESENDE MEMÓRIA DESCRITIVA REQUALIFICAÇÃO URBANA DO CENTRO HISTÓRICO DE S.MARTINHO DE MOUROS RESENDE PROJECTO DE EXECUÇÃO 1. INTRODUÇÃO A presente Memória é parte integrante do Projecto de Requalificação Urbana

Leia mais

O Sig como Ferramenta de Apoio à Gestão

O Sig como Ferramenta de Apoio à Gestão O Sig como Ferramenta de Apoio à Gestão Apresentação da Empresa 2 Actividades Distribuição de Água Recolha e Tratamento de Águas Residuais Gestão das Águas Pluviais Gestão das Praias Gestão das Ribeiras

Leia mais

Município de Ourique Resumo Orçamental das Grandes Opções do Plano para 2013

Município de Ourique Resumo Orçamental das Grandes Opções do Plano para 2013 0102 020214 Estudos, pareceres, projectos e consultadoria 1 1.1 2010/5007 Agenda 21-Local 1 1.2 2011/5005 Plano Municipal de Emergência-Protecção Civil 6.000,00 6.000,00 0102 020225 s serviços 1 1.1 2012/5001

Leia mais

Portfolio. Vias de Comunicação, Obras de Urbanização e outras Infraestruturas

Portfolio. Vias de Comunicação, Obras de Urbanização e outras Infraestruturas Portfolio Vias de Comunicação, Obras de Urbanização Reservatório de Baguim do Monte Águas de Gondomar, S.A. 2009 Duas células, 2 x 2.000,00 m³ Capacidade Total do Reservatório, 4.000,00 m³ Conduta Adutora

Leia mais

Jantar / Debate. A ACT e a Coordenação de Segurança interacção e cooperação em empreendimentos de construção

Jantar / Debate. A ACT e a Coordenação de Segurança interacção e cooperação em empreendimentos de construção Especialização em Segurança no Trabalho da Construção Jantar / Debate A ACT e a Coordenação de Segurança interacção e cooperação em empreendimentos de construção Ordem dos Engenheiros (Lisboa) 3 de Fevereiro

Leia mais

Ano de 2011. Regulamento Municipal da Urbanização, da Edificação e de Taxas e Compensações Urbanísticas de MACEDO DE CAVALEIROS

Ano de 2011. Regulamento Municipal da Urbanização, da Edificação e de Taxas e Compensações Urbanísticas de MACEDO DE CAVALEIROS Regulamento Municipal da Urbanização, da Edificação e de Taxas e Compensações Urbanísticas de MACEDO DE CAVALEIROS Ano de 2011 Município de Macedo de Cavaleiros 5340-218 Macedo de Cavaleiros Telef: 278

Leia mais

Expansão do Parque Empresarial de Lanheses

Expansão do Parque Empresarial de Lanheses Expansão do Parque Empresarial de Lanheses Estudo de Impacte Ambiental Volume III Relatório elaborado para: GestinViana Edifício de Apoio à Doca de Recreio 4900 Viana do Castelo IMA 12.05-03/26 FEVEREIRO

Leia mais

REUNIÃO DE CÂMARA DE 06 DE JUNHO

REUNIÃO DE CÂMARA DE 06 DE JUNHO REUNIÃO DE CÂMARA DE 06 DE JUNHO 1. A Câmara Municipal aprovou um voto de congratulação ao Clube do Povo de Esgueira. O Clube do Povo de Esgueira é uma instituição de utilidade pública fundada em 8 Novembro

Leia mais

Programa de Unidade Curricular

Programa de Unidade Curricular Programa de Unidade Curricular Faculdade ARQUITECTURA E ARTES Licenciatura ARQUITECTURA Unidade Curricular INSTALAÇÕES TÉCNICAS Semestre: 7 Nº ECTS: 3,5 Regente Professor Doutor Artur Jorge de Oliveira

Leia mais

PROPOSTA DE REGULAMENTO MUNICIPAL DE URBANIZAÇÃO E EDIFICAÇÃO

PROPOSTA DE REGULAMENTO MUNICIPAL DE URBANIZAÇÃO E EDIFICAÇÃO PROPOSTA DE REGULAMENTO MUNICIPAL DE URBANIZAÇÃO E EDIFICAÇÃO Nota Justificativa A entrada em vigor, a 7 de janeiro de 2015, da nova redação do Regime Jurídico da Urbanização e da Edificação (RJUE), aprovada

Leia mais

ATOS DE ENGENHARIA CIVIL

ATOS DE ENGENHARIA CIVIL 1. ENGENHARIA CIVIL ATOS DE ENGENHARIA CIVIL 1 Projeto 1.1 Edificações 1.1.1 Estabilidade e contenção periférica Contenção periférica Plano de escavação Fundações superficiais Fundações profundas Muros

Leia mais

Manual de Loteamentos e Urbanização

Manual de Loteamentos e Urbanização Manual de Loteamentos e Urbanização Juan Luis Mascaró ARQ 1206 - Urbanização de Encostas - Análise Prof Sônia Afonso segundo trimestre 2003 Adriana Fabre Dias 1. Retículas Urbanas e Custos 1.1. Aspectos

Leia mais

REQUERIMENTO PROJETO DE ARQUITETURA

REQUERIMENTO PROJETO DE ARQUITETURA Exmo. Senhor Presidente da Câmara Municipal de Ponta Delgada Requerente Nome/Designação: Morada: Código Postal: - Freguesia: NIF/NIPC: Nº. Identificação civil: Tipo: BI CC Passaporte Validade: / / Telefone:

Leia mais

MEMÓRIA DESCRITIVA E CONDIÇÕES TÉCNICAS

MEMÓRIA DESCRITIVA E CONDIÇÕES TÉCNICAS MEMÓRIA DESCRITIVA E CONDIÇÕES TÉCNICAS 1 MEMÓRIA DESCRITIVA Legenda: 1 Introdução 2 Descrição dos Arranjos Exteriores 3 Requalificação do Espaço de Estacionamento 4 Reperfilamento e Requalificação de

Leia mais

Federação Portuguesa de Atletismo

Federação Portuguesa de Atletismo PRESSUPOSTOS A medição do percurso para o Grande Prémio de S. Pedro Póvoa do Varzim teve por base os seguintes pressupostos: Durante a competição os Atletas podem utilizar toda a largura da estrada, excepto

Leia mais

MEMÓRIA DESCRITIVA E JUSTIFICATIVA

MEMÓRIA DESCRITIVA E JUSTIFICATIVA MEMÓRIA DESCRITIVA E JUSTIFICATIVA 1. INTRODUÇÃO A presente memória descritiva e justificativa, diz respeito ao Projeto de Arquitetura para a obra de licenciamento de um empreendimento em Turismo no Espaço

Leia mais

GUIA DE PROJECTO E OBRA

GUIA DE PROJECTO E OBRA GUIA DE PROJECTO E OBRA Processos de Loteamento Direcção de Engenharia 2010 ÍNDICE 1. Âmbito de Aplicação e Objectivos... 3 2. Competências e Responsabilidades... 3 2.1 Projectista... 3 2.2 ÁGUAS DO SADO...

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DE SINES Plano de Pormenor da Cidade Desportiva. Proposta de Plano. Regulamento

CÂMARA MUNICIPAL DE SINES Plano de Pormenor da Cidade Desportiva. Proposta de Plano. Regulamento CÂMARA MUNICIPAL DE SINES Plano de Pormenor da Cidade Desportiva Proposta de Plano Regulamento Novembro de 2011 CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS... 2 ARTIGO 1º OBJECTIVO E ÂMBITO 2 ARTIGO 2º RELAÇÃO COM OUTROS

Leia mais

Diário da República, 2.ª série N.º 22 2 de Fevereiro de 2010 5179 MUNICÍPIO DE ELVAS. CAPÍTULO I Disposições introdutórias MUNICÍPIO DE CONSTÂNCIA

Diário da República, 2.ª série N.º 22 2 de Fevereiro de 2010 5179 MUNICÍPIO DE ELVAS. CAPÍTULO I Disposições introdutórias MUNICÍPIO DE CONSTÂNCIA Diário da República, 2.ª série N.º 22 2 de Fevereiro de 2010 5179 ANEXO V Modelo de termo de responsabilidade da cartografia de outras entidades cedida através da CMB MUNICÍPIO DE CONSTÂNCIA 202842269

Leia mais

1 - PLANO DE FINANCIAMENTO O plano de financiamento é desenvolvido focando-se dois pontos distintos:

1 - PLANO DE FINANCIAMENTO O plano de financiamento é desenvolvido focando-se dois pontos distintos: 1 - PLANO DE FINANCIAMENTO O plano de financiamento é desenvolvido focando-se dois pontos distintos: 1. 1 - Identificação e avaliação dos grandes factores de custo, independentemente da responsabilidade

Leia mais

REGULAMENTO DO PLANO DIRECTOR MUNICIPAL DE LISBOA TITULO I DISPOSIÇÕES GERAIS. ARTIGO 1º (Objectivo e Âmbito)

REGULAMENTO DO PLANO DIRECTOR MUNICIPAL DE LISBOA TITULO I DISPOSIÇÕES GERAIS. ARTIGO 1º (Objectivo e Âmbito) REGULAMENTO DO PLANO DIRECTOR MUNICIPAL DE LISBOA TITULO I DISPOSIÇÕES GERAIS ARTIGO 1º (Objectivo e Âmbito) 1. O Plano Director Municipal (P.D.M.) de Lisboa, tem por objectivo estabelecer as regras a

Leia mais