OFICINA VIVENCIANDO O ESDE

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "OFICINA VIVENCIANDO O ESDE"

Transcrição

1 OFICINA VIVENCIANDO O ESDE

2 Programa Fundamental I Módulo I Introdução ao Estudo do Espiritismo Roteiro 3 Tríplice Aspecto da Doutrina Espírita

3 CIÊNCIA

4 FILOSOFIA

5 RELIGIÃO

6 CIÊNCIA O QUE É E COMO É FEITO? Estudo das manifestações/fenômenos.

7 FILOSOFIA POR QUE E PARA QUE EXISTE? Estudo do homem (Espírito) seus problemas, sua origem e sua destinação.

8 RELIGIÃO Historicamente, foram propostas várias etimologias para a palavra religião.

9 RELIGIÃO? Cícero, na obra De natura deorum (45 a.c.) Relegere = reler Característico das pessoas religiosas prestarem muita atenção a tudo o que se relacionava com os deuses, relendo as escrituras. Lactâncio (século IV d.c.) Religare = religar A religião é um laço de piedade que serve para religar os seres humanos a Deus. Agostinho de Hipona, Santo Agostinho (século IV d.c) Religere = reeleger Através da religião, a humanidade reelegia a Deus, do qual tinha separado. Mais tarde, Agostinho retoma a interpretação de Lactâncio, que via em religio uma relação com "religar".

10 RELIGIÃO Conceito amplo Rituais; Sacramentos; Dogmas; Classes sacerdotais; Fé em Deus; Sentimento de respeito com a Divindade; Moralidade. Espiritismo como religião Importa-se com o que constitui a base das religiões: Deus, a alma e a vida futura.

11 VAMOS TRABALHAR...

12 Tríplice Aspecto da Doutrina Espírita Religião (sublima) Ciência (estuda) CONHECIMENTO Filosofia (esclarece)

13 Tríplice Aspecto da Doutrina Espírita

14 ESTUDO SISTEMATIZADO DA DOUTRINA ESPÍRITA

15 CONCEITO a) O que é o ESDE e quais seus princípios? b) Quais os efeitos que o ESDE provoca nos participantes? c) Qual a importância, para monitores e participantes, de seguirmos a proposta do livro do ESDE? d) Como foram elaborados os textos (subsídios)?

16 Conceito O Estudo Sistematizado da Doutrina Espírita é um programa de estudo metódico, contínuo e sério do Espiritismo, a ser estudado em grupo privativo, fundamentado na codificação espírita e em obras complementares importantes.

17 Conceito O estudo em grupo facilita a aquisição do conhecimento espírita porque estimula os participantes a trocarem informações e experiências, propiciando-lhes não apenas a construção do seu próprio entendimento do Espiritismo, mas também o desenvolvimento de suas qualidades morais pelas reiteradas oportunidades de interação grupal.

18 Efeitos nos participantes Consequências do ESDE REFORMA INTÍMA DIFUSÃO DAS IDEIAS ESPÍRITAS PUREZA DOUTRINÁRIA UNIFICAÇÃO FORMAÇÃO DE TRABALHADORES PRÁTICA DA CARIDADE DESENVOLVIMENTO DA FÉ RACIOCINADA MELHOR CONVIVÊNCIA NOS GRUPOS SOCIAIS

19 Importância de seguir o Programa ESDE é muito mais do que um cronograma de estudos ou uma lista de conteúdos. É também um jeito de aprender, um espaço de convivência, de troca de experiências e aprendizado compartilhado.

20 Elaboração do textos Referência Bibliográfica 1. KARDEC, Allan. A gênese. Tradução de Guillon Ribeiro. 48. ed. Rio de Janeiro: FEB, Cap. 1, item 54, p Item 55, p Conclusão 6, p O livro dos espíritos. Tradução de Guillon Ribeiro. 86. ed. Rio de Janeiro: FEB, Conclusão 7, p Obras póstumas. Tradução de Guillon Ribeiro. 38. ed. Rio de Janeiro: FEB, (Ligeira resposta aos detratores do espiritismo). Primeira parte, p O que é o espiritismo. 53. ed. Rio de Janeiro: FEB, 2005.Preâmbulo, p Revista espírita. Jornal de estudos psicológicos. Ano Tradução de Evandro Noleto Bezerra. Poesias traduzidas por Inaldo Lacerda Lima. Rio de Janeiro: FEB, Ano 11. Dezembro de Nº 12. Item: Discurso de abertura pelo senhor Allan Kardec: O espiritismo é uma religião?, p BARBOSA, Pedro Franco. Espiritismo básico. 5. ed. Rio de Janeiro: FEB, (O espiritismo filosófico). Segunda parte, p p p DELANNE, Gabriel. O fenômeno espírita. Tradução de Francisco Raymundo Ewerton Quadros. 8. ed. Rio de Janeiro: FEB, Prefácio, p XAVIER, Francisco Cândido. O consolador. Pelo Espírito Emmanuel. 26. ed. Rio de Janeiro: FEB, Definição, p Os trechos selecionados indicam onde encontrar os conteúdos. INCENTIVAR LEITURA DAS OBRAS COMPLETAS

21 PLANEJAMENTO a) A aula foi planejada? Explique. b) Qual foi o objetivo da aula? c) Ele foi alcançado? Como sabemos disso? d) Como deve ser o preparo da aula pelo monitor?

22 Planejamento Plano de Aula Elementos constitutivos 1. OBJETIVO Descrição clara do que se pretende alcançar. Para que essa aula? 2. CONTEÚDO Aspectos específicos do tema. O quê? 3. METODOLOGIA O conjunto de métodos aplicados à situação didáticopedagógica. Como? 4. AVALIAÇÃO Procedimentos para saber se os objetivos foram alcançados. O que fazer para saber se alcançou o objetivo?

23 METODOLOGIA A) Que técnicas foram utilizadas? As técnicas facilitaram o estudo e compreensão do conteúdo? Como? Que características vocês perceberam do trabalho em grupo? B) Qual a postura do monitor durante o trabalho dos grupos? Como adequar a metodologia aos diferentes grupos?

24 Metodologia Técnicas ou estratégias de estudo em grupo são procedimentos didáticos que facilitam o processo de ensino e aprendizagem. Representam maneiras especiais de organizar o estudo em grupo, a fim de provocar a participação de todos, para uma melhor compreensão do conteúdo.

25 Metodologia Técnicas utilizadas Explosão de ideias (introdução curta) Divisão de grupos /cartões coloridos e numerados Trabalho em grupo (questões norteadoras) Exposição oral (diferentes relatores) Estímulo à participação (perguntas)

26 Metodologia Trabalho em Grupo Nenhum homem dispõe de faculdades completas e é pela união social que eles se completam uns aos outros, para assegurarem seu próprio bem estar e progredirem. Eis porque, tendo necessidade uns dos outros, são feitos para viver em sociedade e não isolados. Kardec comentando a questão 768

27 Metodologia Recentemente formaram-se alguns grupos especiais, cuja multiplicação jamais deixaríamos de encorajar: sãos os denominados grupos de ensino. Neles, ocupam-se pouco ou quase nada das manifestações, mas, sim, da leitura e da explicação de O Livro dos Espíritos, de O Livro dos Médiuns e de artigos da Revista Espírita. Algumas pessoas devotadas reúnem com esse objetivo certo número de ouvintes, suprindo para eles as dificuldades de ler e estudar por si mesmos. Aplaudimos de todo o coração essa iniciativa que, esperamos, terá imitadores e não poderá, em se desenvolvendo, deixar de produzir os mais felizes resultados. Viagem Espírita 1862 Instruções Particulares Item X

28 Metodologia Papel do monitor Observar o grupo. Ser alegre, sem irreverência. Ser paciente. Falar olhando o participante. Falar com segurança (convicção). Demonstrar interesse e entusiasmo. Incentivar o grupo. Dominar o assunto. Usar adequadamente os recursos didáticos. Ter domínio sobre o andamento do estudo. Propiciar a participação dos membros do grupo

29 OPERACIONALIZAÇÃO Agora que conheceu o ESDE, como fazer para implantar o programa nas Casas Espíritas que trabalham? Como organizar a formação do grupo e as atividades durante os estudos?

30 Operacionalização Como é feito? Cada programa (livro) tem 9 módulos Cada módulo tem alguns roteiros, dentro do assunto Um roteiro para cada reunião semanal Sugestão didática para o estudo Duração recomendada da reunião: 1h30 Duração do curso: três anos letivos

31 Operacionalização Organizando o Grupo Pré-inscrições Matrícula (contatos) Roteiro da primeira aula Calendário (feriados/férias) Lista de presença Material Bibliográfico

32 Tratando-se de uma Ciência, que é, o Espiritismo aguarda estudo sério e sistematizado, a fim de ser compreendido em toda a sua profundidade. Como Filosofia, propõe reflexões contínuas, diálogos e análise dos seus postulados, de modo a poder-se incorporá-los ao dia-a-dia da existência. Na condição de Religião, em razão da sua ética-moral fundada em o Evangelho de Jesus, estabelece comportamentos dignos e graves, por preparar o espírito para o prosseguimento das conquistas morais e culturais no corpo e fora dele. Divaldo P. Franco, pelo Espírito de Manoel Philomeno de Miranda -"Transtornos Psiquiátricos e Obsessivos"

Doutrina Espírita ESDE

Doutrina Espírita ESDE Federação Espírita Brasileira Orientação ao Estudo Sistematizado da Doutrina Espírita ESDE Organização e Coordenação: Carlos Campetti Colaboradores: Iracema Fernandes, Maria do Socorro Sousa Rodrigues,

Leia mais

ESTUDO SISTEMATIZADO DA DOUTRINA ESPÍRITA. Por: FEDERAÇÃO ESPÍRITA BRASILEIRA

ESTUDO SISTEMATIZADO DA DOUTRINA ESPÍRITA. Por: FEDERAÇÃO ESPÍRITA BRASILEIRA ESTUDO SISTEMATIZADO DA DOUTRINA ESPÍRITA Por: FEDERAÇÃO ESPÍRITA BRASILEIRA HISTÓRICO Campanha Comece pelo começo Em nível local. USE União das Sociedades Espíritas do Estado de São Paulo. Mensagem Mediúnica

Leia mais

FEDERAÇÃO ESPÍRITA BRASILEIRA Estudo Aprofundado da Doutrina Espírita Programa Filosofia e Ciência Espíritas. Roteiro 9

FEDERAÇÃO ESPÍRITA BRASILEIRA Estudo Aprofundado da Doutrina Espírita Programa Filosofia e Ciência Espíritas. Roteiro 9 FEDERAÇÃO ESPÍRITA BRASILEIRA Estudo Aprofundado da Doutrina Espírita Programa Filosofia e Ciência Espíritas Roteiro 9 Objetivos Conceituar Espírito do ponto de vista filosófico, científico e religioso

Leia mais

Roteiro 2 AS RELIGIÕES NÃO CRISTÃS (1)

Roteiro 2 AS RELIGIÕES NÃO CRISTÃS (1) FEDERAÇÃO ESPÍRITA BRASILEIRA Estudo Aprofundado da Doutrina Espírita Livro I Cristianismo e Espiritismo Módulo I Antecedentes do Cristianismo Roteiro 2 AS RELIGIÕES NÃO CRISTÃS (1) OBJETIVOS 1. Identificar,

Leia mais

As três revelações divinas: Moisés, Jesus e Kardec

As três revelações divinas: Moisés, Jesus e Kardec FEDERAÇÃO ESPÍRITA BRASILEIRA Estudo Aprofundado da Doutrina Espírita Livro II Ensinos e Parábolas de Jesus Módulo I Metodologia para o estudo do Evangelho à luz da Doutrina Espírita As três revelações

Leia mais

Por que nos reunirmos? Reunião do Conselho Deliberativo da Concafras Mundial 18 a 20 de Julho de 2015

Por que nos reunirmos? Reunião do Conselho Deliberativo da Concafras Mundial 18 a 20 de Julho de 2015 1 Por que nos reunirmos? Reunião do Conselho Deliberativo da Concafras Mundial 18 a 20 de Julho de 2015 14/10/2015 2 2 Até o presente, embora muito numerosos, os espíritas se têm disseminado por todos

Leia mais

Parte Terceira Capítulo XII Da perfeição moral

Parte Terceira Capítulo XII Da perfeição moral Parte Terceira Capítulo XII Da perfeição moral Caracteres do homem de bem Questão: 918 O homem de bem tira boas coisas do bom tesouro do seu coração e o mau tira as más do mau tesouro do seu coração; porquanto,

Leia mais

Fortalecer a prática metodológica no ESDE e em outros cursos. Nossa meta. Katia Penteado

Fortalecer a prática metodológica no ESDE e em outros cursos. Nossa meta. Katia Penteado Fortalecer a prática metodológica no ESDE e em outros cursos Nossa meta Katia Penteado Apresentação Reflexões sobre liderança Papel do monitor Cursos e metodologia teoria e prática Escreva 2 palavras que

Leia mais

Caminho da regeneração

Caminho da regeneração CONCAFRAS - 2014 Caminho da regeneração Ao Espiritismo cabe essa gigantesca tarefa: reconduzir o homem moderno a Deus, insculpir-lhe a fé superior e racional, mediante a utilização dos recursos de que

Leia mais

Segurança Doutrinária

Segurança Doutrinária Autor desconhecido Segurança Doutrinária Tu, porém, fala o que convém à sã doutrina. Paulo (Tito, 2:1) Quem deseje tornar-se versado numa ciência tem que a estudar metodicamente, começando pelo princípio

Leia mais

III. Seminário Atualidade de O Livro dos Médiuns III 1

III. Seminário Atualidade de O Livro dos Médiuns III 1 III 1 ATIVIDADE INTEGRATIVA Dissemos que o Espiritismo é toda uma ciência, toda uma filosofia. Quem, pois, seriamente queira conhecê-lo, (...) não pode, como nenhuma outra ciência, ser aprendido a brincar.(...)

Leia mais

Curso de Passes 2015 (Aula 1 - Reflexões) Grupo de Fraternidade Fabiano de Cristo

Curso de Passes 2015 (Aula 1 - Reflexões) Grupo de Fraternidade Fabiano de Cristo Curso de Passes 2015 (Aula 1 - Reflexões) Grupo de Fraternidade Fabiano de Cristo Informações sobre o curso Início: Neste dia Duração: Algumas Reencarnações Objetivo: Melhoria pessoal ( ajuda na reforma

Leia mais

O GRANDE COMPROMISSO. www.searadomestre.com.br Grupo Espírita Seara do Mestre 25 de abril de 2011

O GRANDE COMPROMISSO. www.searadomestre.com.br Grupo Espírita Seara do Mestre 25 de abril de 2011 O GRANDE COMPROMISSO www.searadomestre.com.br Grupo Espírita Seara do Mestre 25 de abril de 2011 O grande compromisso Nesse desequilíbrio do sentimento e da razão é que repousa atualmente a dolorosa realidade

Leia mais

EDUCAÇÃO, CAPACITAÇÃO, PREPARO E CUIDADO DO TRABALHADOR DA REUNIÃO MEDIUNICA. Amanda e Denise

EDUCAÇÃO, CAPACITAÇÃO, PREPARO E CUIDADO DO TRABALHADOR DA REUNIÃO MEDIUNICA. Amanda e Denise EDUCAÇÃO, CAPACITAÇÃO, PREPARO E CUIDADO DO TRABALHADOR DA REUNIÃO MEDIUNICA OBJETIVOS: Explicar como se realiza a educação do médium; Destacar a importância da capacitação contínua do trabalho do grupo

Leia mais

Nascimento e infância de Jesus

Nascimento e infância de Jesus FEDERAÇÃO ESPÍRITA BRASILEIRA Estudo Aprofundado da Doutrina Espírita Programa I Religião à Luz do Espiritismo Tomo I Cristianismo e Espiritismo Módulo II O Cristianismo Roteiro 1 Nascimento e infância

Leia mais

ESTUDO INTERPRETATIVO DO EVANGELHO

ESTUDO INTERPRETATIVO DO EVANGELHO ESTUDO INTERPRETATIVO DO EVANGELHO E vi na destra do que estava assentado sobre o trono um livro escrito por dentro e por fora, selado com sete selos. (Apoc. 05:01) E disse o Espírito a Filipe: Chega-te,

Leia mais

Humildade. Escola de Evangelização de Pacientes Grupo Espírita Guillon Ribeiro

Humildade. Escola de Evangelização de Pacientes Grupo Espírita Guillon Ribeiro Humildade O S P R A ZE R E S D A A L MA Escola de Evangelização de Pacientes Grupo Espírita Guillon Ribeiro Por que precisamos ser humildes? O orgulho vos induz a julgar-vos mais do que sois; a não suportardes

Leia mais

APRESENTAÇÃO. Equipe Anep

APRESENTAÇÃO. Equipe Anep APRESENTAÇÃO A Edição do Currículo de Ensino religioso e Ética para a Educação Básica (Educação infantil, Ensino fundamental e Ensino médio) é o resultado de um laborioso esforço de um grupo de educadores

Leia mais

O objetivo da existência é o desabrochar dos germens divinos da alma;

O objetivo da existência é o desabrochar dos germens divinos da alma; PEDAGOGIA ESPÍRITA Trabalho formulado pelos facilitadores Edmar Jr. Ed e Juliana Machado da FEB Capacitação de Evangelizadores - Irmão Estevão, setembro de 2015 A Pedagogia Espírita Fundamentos Somos seres

Leia mais

precisamos considerar que a mente permanece na base de todos os fenômenos mediúnicos. (...)" (05)

precisamos considerar que a mente permanece na base de todos os fenômenos mediúnicos. (...) (05) ADAPTAÇÃO PSÍQUICA precisamos considerar que a mente permanece na base de todos os fenômenos mediúnicos. (...)" (05) Esta afirmação, simples e objetiva, define com clareza o papel da mente nas atividades

Leia mais

FEDERAÇÃO ESPÍRITA BRASILEIRA Estudo Aprofundado da Doutrina Espírita Livro II Ensinos e Parábolas de Jesus Módulo V Aprendendo com Fatos Cotidianos

FEDERAÇÃO ESPÍRITA BRASILEIRA Estudo Aprofundado da Doutrina Espírita Livro II Ensinos e Parábolas de Jesus Módulo V Aprendendo com Fatos Cotidianos FEDERAÇÃO ESPÍRITA BRASILEIRA Estudo Aprofundado da Doutrina Espírita Livro II Ensinos e Parábolas de Jesus Módulo V Aprendendo com Fatos Cotidianos E, tendo Jesus entrado em Jericó, ia passando. Texto

Leia mais

CELD - 8 o EEJA. Seção V O Mapa da Alma Segundo Joanna de Ângelis. O cérebro triúno. A Lei de Amor e a Consciência da Imortalidade

CELD - 8 o EEJA. Seção V O Mapa da Alma Segundo Joanna de Ângelis. O cérebro triúno. A Lei de Amor e a Consciência da Imortalidade CELD - 8 o EEJA A Lei de Amor e a Consciência da Imortalidade Seção V O Mapa da Alma Segundo Joanna de Ângelis O cérebro triúno O conceito do cérebro triúno foi proposto pelo médico e cientista Paul MacLean.

Leia mais

FEDERAÇÃO ESPÍRITA BRASILEIRA Estudo Aprofundado da Doutrina Espírita Livro IV Espiritismo, o Consolador Prometido por Jesus Módulo I Esperanças e

FEDERAÇÃO ESPÍRITA BRASILEIRA Estudo Aprofundado da Doutrina Espírita Livro IV Espiritismo, o Consolador Prometido por Jesus Módulo I Esperanças e FEDERAÇÃO ESPÍRITA BRASILEIRA Estudo Aprofundado da Doutrina Espírita Livro IV Espiritismo, o Consolador Prometido por Jesus Módulo I Esperanças e Consolações Objetivos Explicar como se manifesta a ação

Leia mais

C RS R O S NO N ÇÕ Ç ES

C RS R O S NO N ÇÕ Ç ES CURSO NOÇÕES BÁSICAS DOUTRINA ESPÍRITA de Si Mesmo EDITORA 1 / 9 Iluminação Interior Como iniciar o trabalho de iluminação de nossa própria alma? Deve-se começar com o autodomínio. Disciplina de sentimentos

Leia mais

A Santa Sé VISITA PASTORAL À PARÓQUIA ROMANA DE SÃO BARNABÉ HOMILIA DO PAPA JOÃO PAULO II. Domingo, 30 de Janeiro de 1983

A Santa Sé VISITA PASTORAL À PARÓQUIA ROMANA DE SÃO BARNABÉ HOMILIA DO PAPA JOÃO PAULO II. Domingo, 30 de Janeiro de 1983 A Santa Sé VISITA PASTORAL À PARÓQUIA ROMANA DE SÃO BARNABÉ HOMILIA DO PAPA JOÃO PAULO II Domingo, 30 de Janeiro de 1983 1. Caros Irmãos e Irmãs! Acabámos de ouvir a Palavra de Deus da Liturgia de hoje.

Leia mais

Encontro Fraterno Auta de Souza

Encontro Fraterno Auta de Souza Encontro Fraterno Auta de Souza Em matéria de conhecimento, onde poderemos localizar a maior necessidade do homem? Em matéria de conhecimento, onde poderemos localizar a maior necessidade do homem? Como

Leia mais

ALIANÇA MUNICIPAL ESPÍRITA DE JUIZ DE FORA (AME-JF) AULA Nº 42 Departamento de Evangelização da Criança (DEC) IDADES: 09/10 PLANO DE AULA

ALIANÇA MUNICIPAL ESPÍRITA DE JUIZ DE FORA (AME-JF) AULA Nº 42 Departamento de Evangelização da Criança (DEC) IDADES: 09/10 PLANO DE AULA ALIANÇA MUNICIPAL ESPÍRITA DE JUIZ DE FORA (AME-JF) AULA Nº 42 Departamento de Evangelização da Criança (DEC) II CICLO A IDADES: 09/10 PLANO DE AULA 1. TEMA: Missionários da Terceira Revelação. 2. OBJETIVO:

Leia mais

Não estrague o seu dia

Não estrague o seu dia você é o humor que você tem Não estrague o seu dia Poucas são as mensagens que encontrei e que tratam sobre a problemática do humor, desta forma, não podem ser desperdiçadas neste trabalho. Iniciamos nosso

Leia mais

REPERCUSSÕES NO ENSINO DA ENFERMAGEM: A VISÃO DOS PROFISSIONAIS À LUZ DAS SUAS EXPERIÊNCIAS

REPERCUSSÕES NO ENSINO DA ENFERMAGEM: A VISÃO DOS PROFISSIONAIS À LUZ DAS SUAS EXPERIÊNCIAS REPERCUSSÕES NO ENSINO DA ENFERMAGEM: A VISÃO DOS PROFISSIONAIS À LUZ DAS SUAS EXPERIÊNCIAS CRIZÓSTOMO, Cilene Delgado MILANEZ, Maria Rosa de Morais SOUSA, Rejane Lúcia Rodrigues Veloso ALBUQUERQUE, Judith

Leia mais

Natureza / Características / Etapas / Organização / Funcionamento. Marlene Valéria - Emerson

Natureza / Características / Etapas / Organização / Funcionamento. Marlene Valéria - Emerson Natureza / Características / Etapas / Organização / Funcionamento Marlene Valéria - Emerson Entender o que é uma reunião mediúnica. Saber identificar uma reunião mediúnica pela sua natureza e característica.

Leia mais

TÓPICOS. 9. Evangelho no Lar Exceções 10. Mensagem de André Luiz

TÓPICOS. 9. Evangelho no Lar Exceções 10. Mensagem de André Luiz REUNIÕES MEDIÚNICAS TÓPICOS 1.Conceito de Reunião Mediúnica 2.Características 3.Responsabilidade do Médium 4.Condições para a realização de uma reunião mediúnica 5.Objetivo e natureza das reuniões 6.Necessidades

Leia mais

Curso da OAM (Obreiros do Amor e Misericórdia) 1º módulo (24/Fev a 30/Jun)

Curso da OAM (Obreiros do Amor e Misericórdia) 1º módulo (24/Fev a 30/Jun) Curso da OAM (Obreiros do Amor e Misericórdia) 1º módulo (24/Fev a 30/Jun) - ORIENTAÇÕES E AGENDA DO CURSO - CASA DE CURA - QUEM É DEUS? - O QUE É ESPIRITISMO - O QUE É FLUIDO - TIPOS DE ESPÍRITOS COORDENADORES

Leia mais

Francisco Cândido Xavier PALAVRAS DE EMMANUEL. pelo Espírito Emmanuel

Francisco Cândido Xavier PALAVRAS DE EMMANUEL. pelo Espírito Emmanuel Francisco Cândido Xavier PALAVRAS DE EMMANUEL pelo Espírito Emmanuel SUMÁRIO Caro leitor... 9 Indicador... 11 1. Às almas enfraquecidas... 13 2. A Ciência do tempo... 15 3. Advertências proveitosas...

Leia mais

A rádio na divulgação Espírita

A rádio na divulgação Espírita Tema Específico A rádio na divulgação Espírita (Instituto da Divulgação) Allan Kardec O Espiritismo é a chave com o auxílio da qual tudo se explica de modo fácil. A divulgação da Doutrina Espírita A divulgação

Leia mais

Roteiro 31. FEDERAÇÃO ESPÍRITA BRASILEIRA Estudo Aprofundado da Doutrina Espírita Programa Filosofia e Ciência Espíritas

Roteiro 31. FEDERAÇÃO ESPÍRITA BRASILEIRA Estudo Aprofundado da Doutrina Espírita Programa Filosofia e Ciência Espíritas Roteiro 31 FEDERAÇÃO ESPÍRITA BRASILEIRA Estudo Aprofundado da Doutrina Espírita Programa Filosofia e Ciência Espíritas Objetivos Explicar a abrangência da Teoria dos valores e sua evolução histórica Analisar

Leia mais

CURSO DE INSTRUTORES I UNIDADE 05

CURSO DE INSTRUTORES I UNIDADE 05 CURSO DE INSTRUTORES I UNIDADE 05 5. Métodos de Estudo Aprende mais, quem estuda melhor. André Luiz A afirmativa merece ponderação e análise: "Aprende mais, quem estuda melhor." É uma verdade clara para

Leia mais

Vimos rápidamente!!!

Vimos rápidamente!!! , O DEGRÁU PARA ADOTARMOS A CULTURA DA FELICIDADE Alkíndar de Oliveira Em nosso atual estágio evolutivo é mais fácil adotarmos a CULTURA DO SOFRIMENTO TENHAMOS COMO PRINCÍPIO DE VIDA NÃO FAZERMOS PARTE

Leia mais

Pedro (Espírito) Psicofonia compilada por Maria José Gontijo Revisão Filipe Alex da Silva

Pedro (Espírito) Psicofonia compilada por Maria José Gontijo Revisão Filipe Alex da Silva I - Estudos Psicofônicos sobre a Doutrina dos Espíritos - Introdução e Desconstrução da Matriz Fundante Católica Pedro (Espírito) Psicofonia compilada por Maria José Gontijo Revisão Filipe Alex da Silva

Leia mais

INFORMATIVO DE LUZ. Editorial NOSSOS HORÁRIOS:

INFORMATIVO DE LUZ. Editorial NOSSOS HORÁRIOS: ASSOCIAÇÃO CULTURAL E ESPIRITUAL POLO DA LUZ Fundada em 03.04.93 CNPJ: 92413384/0001.92 Rua Geraldina Dinarte, 334 - Erechim - RS INFORMATIVO DE LUZ Boletim Informativo do Polo da Luz Março de 2015-002

Leia mais

ANO 1, REVISTA Nº 9, NOVEMBRO/2015 EDITORIAL

ANO 1, REVISTA Nº 9, NOVEMBRO/2015 EDITORIAL ANO 1, REVISTA Nº 9, NOVEMBRO/2015 EDITORIAL Nosso convidado deste mês é exímio conhecedor da Umbanda no Brasil e aceitou debater questões polêmicas que envolvem as relações entre ela e a doutrina espírita,

Leia mais

II Seminário Apoio Fraterno O papel social da Religião 06/01/13 1

II Seminário Apoio Fraterno O papel social da Religião 06/01/13 1 II Seminário Apoio Fraterno O papel social da Religião 06/01/13 1 Lucas 1,15. Ele (João Batista) será grande diante do Senhor e não beberá vinho, nem bebida forte. 06/01/13 2 Dependência Química 2002 A

Leia mais

AUTA DE SOUZA CURSO O N OÇ O ÕE Õ S BÁSIC I AS D E DOU O TR T IN I A E SPÍR Í IT I A

AUTA DE SOUZA CURSO O N OÇ O ÕE Õ S BÁSIC I AS D E DOU O TR T IN I A E SPÍR Í IT I A CURSO NOÇÕES BÁSICAS DOUTRINA ESPÍRITA EDITORA 1 / 9 O Bom Samaritano Qual desses três vos parece ter sido o próximo daquele que caiu nas mãos dos ladrões? O doutor lhe respondeu: Aquele que exerceu a

Leia mais

Máximas de André Luiz

Máximas de André Luiz Máximas de André Luiz 1 Máximas de André Luiz 3 MÁXIMAS DE ANDRÉ LUIZ Capa: Rogério Mota Projeto gráfico: Equipe O Clarim Revisão: Teresa Cunha e Cássio Leonardo Carrara Todos os direitos reservados Casa

Leia mais

OBJETIVOS. FEB EADE Livro I - Módulo II Roteiro 25 A reforma protestante

OBJETIVOS. FEB EADE Livro I - Módulo II Roteiro 25 A reforma protestante OBJETIVOS Elaborar uma linha histórica que retrate os marcos significativos da Reforma Protestante. Citar dados biográficos dos principais reformadores. Explicar a importância da Reforma Protestante no

Leia mais

Prof. José Joaquim Fundador da Sociedade das Comunidades Catequéticas. Aprendendo com Jesus

Prof. José Joaquim Fundador da Sociedade das Comunidades Catequéticas. Aprendendo com Jesus Prof. José Joaquim Fundador da Sociedade das Comunidades Catequéticas Aprendendo com Jesus Apresentação É com a maior confiança na compreensão e aceitação dos nossos queridos catequistas que levo a público

Leia mais

Gabarito de respostas para o Estudo de O Evangelho Segundo o Espiritismo FLS 1 de 11

Gabarito de respostas para o Estudo de O Evangelho Segundo o Espiritismo FLS 1 de 11 FLS 1 de 11 Estudo 1: Questão: 1 a) o ensino moral b) c) d) São as vozes do Céu que vem Esclarecer os Homens e convidá-los À prática do Evangelho. Estudo 2: Questão: 1 a) (errado) b) (certo) c) (certo)

Leia mais

FILOSOFIA. 1. TURNO: Vespertino HABILITAÇÃO: Licenciatura. PRAZO PARA CONCLUSÃO: Mínimo = 4 anos

FILOSOFIA. 1. TURNO: Vespertino HABILITAÇÃO: Licenciatura. PRAZO PARA CONCLUSÃO: Mínimo = 4 anos FILOSOFIA 1. TURNO: Vespertino HABILITAÇÃO: Licenciatura GRAU ACADÊMICO: Licenciado em Filosofia PRAZO PARA CONCLUSÃO: Mínimo = 4 anos Máximo = 8 anos 2. OBJETIVO/PERFIL DO PROFISSIONAL A SER FORMADO O

Leia mais

O homem da mão mirrada

O homem da mão mirrada FEDERAÇÃO ESPÍRITA BRASILEIRA Estudo Aprofundado da Doutrina Espírita Livro II Ensinos e Parábolas de Jesus Módulo IV Aprendendo com as Curas O homem da mão mirrada Roteiro 4 Objetivo Explicar a cura do

Leia mais

Objetivo. A Vida no Mundo Espiritual. Desencarnação. Conhecer o processo da desencarnação identificando as principais causas do temor da morte.

Objetivo. A Vida no Mundo Espiritual. Desencarnação. Conhecer o processo da desencarnação identificando as principais causas do temor da morte. A Vida no Mundo Espiritual Desencarnação Meg Barros Patrícia Lima Fernanda Alencar Objetivo Conhecer o processo da desencarnação identificando as principais causas do temor da morte. 1 Conceito Desencarnar

Leia mais

RELATÓRIO PARCIAL REFERENTE À ETAPA DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO NO CURSO...

RELATÓRIO PARCIAL REFERENTE À ETAPA DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO NO CURSO... Roteiro para elaboração de relatório parcial de estágio RELATÓRIO PARCIAL REFERENTE À ETAPA DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO NO CURSO Estudante: Orientador: Local / / SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO 2 3 REFERÊNCIAS Identificação

Leia mais

Parentes de hoje: amigos ou inimigos do passado?

Parentes de hoje: amigos ou inimigos do passado? Parentes de hoje: amigos ou inimigos do passado? Apresentação disponível em www.searadomestre.com.br Adriana Pizzutti dos Santos Vamos considerar parentes: Família de orientação Família de procriação Colaterais

Leia mais

Impositivo da Renovação

Impositivo da Renovação FEDERAÇÃO ESPÍRITA BRASILEIRA Estudo Aprofundado da Doutrina Espírita Livro III Ensinos e Parábolas de Jesus Parte 2 Módulo II Ensinos Diretos de Jesus Impositivo da Renovação Roteiro 5 Objetivo Explicar,

Leia mais

TÍTULO: A LEITURA COMO FERRAMENTA NO PROCESSO DE ALFABETIZAÇÃO CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS SUBÁREA: PEDAGOGIA

TÍTULO: A LEITURA COMO FERRAMENTA NO PROCESSO DE ALFABETIZAÇÃO CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS SUBÁREA: PEDAGOGIA TÍTULO: A LEITURA COMO FERRAMENTA NO PROCESSO DE ALFABETIZAÇÃO CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS SUBÁREA: PEDAGOGIA INSTITUIÇÃO: FACULDADE DE SÃO VICENTE AUTOR(ES): MARIA DE FATIMA

Leia mais

Estudo Sistematizado da. Doutrina Espírita. Programa Fundamental. Tomo II. Tomo II 2a prova Mod XI.indd 3 12/6/2007 17:43:48

Estudo Sistematizado da. Doutrina Espírita. Programa Fundamental. Tomo II. Tomo II 2a prova Mod XI.indd 3 12/6/2007 17:43:48 Estudo Sistematizado da Doutrina Espírita Programa Fundamental Tomo II Tomo II 2a prova Mod XI.indd 3 12/6/2007 17:43:48 Copyright 2007 by FEDERAÇÃO ESPÍRITA BRASILEIRA (Casa-Máter do Espiritismo) Av.

Leia mais

Desde 06/02/1949 fazendo caridade, venha e faça o mesmo. COORDENAÇÃO GERAL PLANO DE GESTÃO JANEIRO/2016 - OUTUBRO/2017.

Desde 06/02/1949 fazendo caridade, venha e faça o mesmo. COORDENAÇÃO GERAL PLANO DE GESTÃO JANEIRO/2016 - OUTUBRO/2017. Desde 06/02/1949 fazendo caridade, venha e faça o mesmo. COORDENAÇÃO GERAL PLANO DE GESTÃO JANEIRO/2016 - OUTUBRO/2017.... mas sobre tua palavra lançarei as redes. Fala de Pedro a Jesus (Lc 5:5) Uma Samaritanas

Leia mais

ESPIRITA FELIZ - COMO FAZER PARA EVOLUIR NA ESCALA ESPIRITA - ESPIRITA FELIZ COMO FAZER PARA EVOLUIR NA ESCALA ESPIRITA ESPIRITISMO BENEFÍCIOS

ESPIRITA FELIZ - COMO FAZER PARA EVOLUIR NA ESCALA ESPIRITA - ESPIRITA FELIZ COMO FAZER PARA EVOLUIR NA ESCALA ESPIRITA ESPIRITISMO BENEFÍCIOS ESPIRITA FELIZ - COMO FAZER PARA EVOLUIR NA ESCALA ESPIRITA - ESPIRITA FELIZ COMO FAZER PARA EVOLUIR NA ESCALA ESPIRITA ESPIRITISMO BENEFÍCIOS MENSAGENS ESPIRITAS E-BOOK C.E.S. JOVEM ESPIRITA FELIZ COMO

Leia mais

A IGREJA E O ESPIRITISMO DIANTE DA FÉ E DA RAZÃO

A IGREJA E O ESPIRITISMO DIANTE DA FÉ E DA RAZÃO A IGREJA E O ESPIRITISMO DIANTE DA FÉ E DA RAZÃO Eliseu Mota Júnior motajunior@uol.com.br A origem da palavra encíclica, etimologicamente falando, remonta às cartas circulares enviadas pelos bispos a colegas

Leia mais

PLANO ESTRATÉGICO ANUAL 2012

PLANO ESTRATÉGICO ANUAL 2012 PLANO ESTRATÉGICO ANUAL 2012 Comunhão Espírita de Brasília BRASÍLIA DF DEZEMBRO 2011 SUMÁRIO Plano Estratégico Anual... 1 2012... 1 Brasília DF... 1 Dezembro 2011... 1 1 - Apresentação... 3 2 - Premissas

Leia mais

Palestra Virtual. Promovida pelo IRC- Espiritismo http://www.ircespiritismo.org.br. Tema: Passes e Curas Espirituais. Palestrante: Alexandre Lobato

Palestra Virtual. Promovida pelo IRC- Espiritismo http://www.ircespiritismo.org.br. Tema: Passes e Curas Espirituais. Palestrante: Alexandre Lobato Palestra Virtual Promovida pelo IRC- Espiritismo http://www.ircespiritismo.org.br Tema: Passes e Curas Espirituais Palestrante: Alexandre Lobato Rio de Janeiro 09/01/2004 Organizadores da palestra: Moderador:

Leia mais

LIVROS DA ESCOLA PARA A FORMAÇÃO DE EVANGELIZADORES DA INFÂNCIA

LIVROS DA ESCOLA PARA A FORMAÇÃO DE EVANGELIZADORES DA INFÂNCIA 1 LIVROS DA ESCOLA PARA A FORMAÇÃO DE EVANGELIZADORES DA INFÂNCIA CRIANÇAS DE 0 a 5 anos CRIANÇAS DE 6 a 11 anos 2 História de Joaquim Joaquim, criança rebelde e agressiva. Joaquim recebe ensinamentos

Leia mais

FEDERAÇÃO ESPÍRITA BRASILEIRA Estudo Aprofundado da Doutrina Espírita Livro IV Espiritismo, o Consolador Prometido por Jesus Módulo IV A humanidade

FEDERAÇÃO ESPÍRITA BRASILEIRA Estudo Aprofundado da Doutrina Espírita Livro IV Espiritismo, o Consolador Prometido por Jesus Módulo IV A humanidade FEDERAÇÃO ESPÍRITA BRASILEIRA Estudo Aprofundado da Doutrina Espírita Livro IV Espiritismo, o Consolador Prometido por Jesus Módulo IV A humanidade regenerada OBJETIVOS Esclarecer o significado da expressão

Leia mais

Universidade de Cruz Alta UNICRUZ Centro de Ciências Agrárias, Exatas e da Terra Curso de Ciência da Computação PLANO DE ENSINO

Universidade de Cruz Alta UNICRUZ Centro de Ciências Agrárias, Exatas e da Terra Curso de Ciência da Computação PLANO DE ENSINO Universidade de Cruz Alta UNICRUZ Centro de Ciências Agrárias, Exatas e da Terra Curso de Ciência da Computação PLANO DE ENSINO Curso/Habilitação: CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO Disciplina: Empreendimentos em Informática

Leia mais

IGREJA DE CRISTO INTERNACIONAL DE BRASÍLIA ESCOLA BÍBLICA

IGREJA DE CRISTO INTERNACIONAL DE BRASÍLIA ESCOLA BÍBLICA IGREJA DE CRISTO INTERNACIONAL DE BRASÍLIA ESCOLA BÍBLICA MÓDULO I - O NOVO TESTAMENTO Aula IV - Introdução ao Novo Testamento e o caráter Literário dos evangelhos A ORIGEM DO NOME A expressão traduzida

Leia mais

AULA 27 Vivência Mediúnica

AULA 27 Vivência Mediúnica AULA 27 Vivência Mediúnica 1 O perfeito conhecimento dos objetivos da mediunidade equipa o intermediário para a desincumbência do compromisso assumido antes da reencarnação, e o seu menosprezo acarreta

Leia mais

Tormentos do Homem Moderno

Tormentos do Homem Moderno Tormentos do Homem Moderno Um análise à luz do Espiritismo André Henrique de Siqueira Atualidade Torna Caim ao fausto do proscênio. A Civilização regressa à taba. A força primitiva menoscaba A evolução

Leia mais

O LÚDICO COMO INSTRUMENTO TRANSFORMADOR NO ENSINO DE CIÊNCIAS PARA OS ALUNOS DA EDUCAÇÃO BÁSICA.

O LÚDICO COMO INSTRUMENTO TRANSFORMADOR NO ENSINO DE CIÊNCIAS PARA OS ALUNOS DA EDUCAÇÃO BÁSICA. O LÚDICO COMO INSTRUMENTO TRANSFORMADOR NO ENSINO DE CIÊNCIAS PARA OS ALUNOS DA EDUCAÇÃO BÁSICA. Autor (1)Suzânia Maria Pereira de Araújo; Autor (2) Eleilde de Sousa Oliveira; Orientador (1)Denise Silva

Leia mais

O Centro Espírita. Debate em 08/09/2012 e 13/10/2012 www.gede.net.br

O Centro Espírita. Debate em 08/09/2012 e 13/10/2012 www.gede.net.br O Centro Espírita Debate em 08/09/2012 e 13/10/2012 www.gede.net.br OBJETIVO Analisar o papel do Centro Espírita e do Espiritismo no Séc XXI. PONTOS A ABORDAR O que é Espiritismo?; Dogmas e Rituais; Fora

Leia mais

14 DE JUNHO DE 2009 ESPIRITUALIDADE, FÉ E PRECE COMO RECURSOS TERAPÊUTICOS DOS HOSPITAIS MODERNOS

14 DE JUNHO DE 2009 ESPIRITUALIDADE, FÉ E PRECE COMO RECURSOS TERAPÊUTICOS DOS HOSPITAIS MODERNOS 14 DE JUNHO DE 2009 ESPIRITUALIDADE, FÉ E PRECE COMO RECURSOS TERAPÊUTICOS DOS HOSPITAIS MODERNOS As implicações da espiritualidade na saúde vêm sendo, cientificamente, avaliadas e documentadas em centenas

Leia mais

ALIANÇA MUNICIPAL ESPÍRITA DE JUIZ DE FORA (AME-JF) AULA Nº 23 Departamento de Evangelização da Criança (DEC) IDADES: 09/10 PLANO DE AULA

ALIANÇA MUNICIPAL ESPÍRITA DE JUIZ DE FORA (AME-JF) AULA Nº 23 Departamento de Evangelização da Criança (DEC) IDADES: 09/10 PLANO DE AULA ALIANÇA MUNICIPAL ESPÍRITA DE JUIZ DE FORA (AME-JF) AULA Nº 23 Departamento de Evangelização da Criança (DEC) II CICLO B IDADES: 09/10 1. TEMA: Livre-arbítrio. PLANO DE AULA 2. OBJETIVO: As crianças deverão

Leia mais

Pluralidade dos Mundos Habitados. Paulo Roberto de Mattos Pereira Centro Espírita Casa do Caminho - DF

Pluralidade dos Mundos Habitados. Paulo Roberto de Mattos Pereira Centro Espírita Casa do Caminho - DF Habitados Paulo Roberto de Mattos Pereira Centro Espírita Casa do Caminho - DF Jesus referiu-se em algum momento de suas pregações à existência de outros mundos habitados? Qualquer pessoa que pensa, ao

Leia mais

FORA DA CARIDADE NÃO HÁ SALVAÇÃO

FORA DA CARIDADE NÃO HÁ SALVAÇÃO FEDERAÇÃO ESPÍRITA BRASILEIRA Estudo Aprofundado da Doutrina Espírita Livro IV Espiritismo, o Consolador Prometido por Jesus Módulo IV A humanidade regenerada FORA DA CARIDADE NÃO HÁ SALVAÇÃO Roteiro 3

Leia mais

O ESPIRITISMO E A MAÇONARIA

O ESPIRITISMO E A MAÇONARIA O ESPIRITISMO E A MAÇONARIA Eliseu Mota Júnior motajunior@uol.com.br A origem da Maçonaria remonta aos povos mais antigos e vem acompanhando, dentro dos rigores da sua tradição secreta e ritualista, cada

Leia mais

TECNOLOGIA EM GESTÃO EMPRESARIAL

TECNOLOGIA EM GESTÃO EMPRESARIAL TECNOLOGIA EM GESTÃO EMPRESARIAL PROJETO INTERDISCIPLINAR - 1º SEMESTRE AAP (Atividade Autônoma de Projeto) Jales 2016 SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO... 2 2 FINALIDADE DO P.I. (PROJETO INTERDISCIPLINAR)... 3 3 PRESENÇA

Leia mais

Programa de Curso de Formação de Monitores do Estudo Sistematizado da Doutrina Espírita

Programa de Curso de Formação de Monitores do Estudo Sistematizado da Doutrina Espírita Agosto de 2012 Programa de Curso de Formação de Monitores do Estudo Sistematizado da Doutrina Espírita EQUIPE PEDAGÓGICO- ADMINISTRATIVA DO ESDE FEDERAÇÃO ESPÍRITA BRASILEIRA EQUIPE PEDAGÓGICO-ADMINISTRATIVA

Leia mais

*Analisar a ressurreição de Lázaro, à luz do entendimento espírita. * Enfatizar as lições de natureza espiritual de que o episódio se reveste.

*Analisar a ressurreição de Lázaro, à luz do entendimento espírita. * Enfatizar as lições de natureza espiritual de que o episódio se reveste. FEDERAÇÃO ESPÍRITA BRASILEIRA Estudo Aprofundado da Doutrina Espírita Livro III - Ensinos e Parábolas de Jesus Parte 2 Módulo VI Aprendendo com fatos extraordinários Roteiro 1 Analisar a ressurreição de

Leia mais

Instituição Beneficente A Luz Divina Grupo da Fraternidade CONDUTA DOS MÉDIUNS 07 / 08 / 2015

Instituição Beneficente A Luz Divina Grupo da Fraternidade CONDUTA DOS MÉDIUNS 07 / 08 / 2015 Instituição Beneficente A Luz Divina Grupo da Fraternidade CONDUTA DOS MÉDIUNS 07 / 08 / 2015 Durante os meus estudos, fiquei me perguntando, o que trazer de muito especial para compartilhar com os irmãos,

Leia mais

PRÁTICAS LÚDICAS NO PROCESSO DE AQUISIÇÃO DA LÍNGUA ESCRITA DO INFANTIL IV E V DA ESCOLA SIMÃO BARBOSA DE MERUOCA-CE

PRÁTICAS LÚDICAS NO PROCESSO DE AQUISIÇÃO DA LÍNGUA ESCRITA DO INFANTIL IV E V DA ESCOLA SIMÃO BARBOSA DE MERUOCA-CE 1 PRÁTICAS LÚDICAS NO PROCESSO DE AQUISIÇÃO DA LÍNGUA ESCRITA DO INFANTIL IV E V DA ESCOLA SIMÃO BARBOSA DE MERUOCA-CE 1 Rochelle Lopes da Silva- UVA 2 Andrea Abreu Astigarraga- UVA INTRODUÇÃO De acordo

Leia mais

1. IDENTIDADE Cristocêntrica Missional Multiplicadora

1. IDENTIDADE Cristocêntrica Missional Multiplicadora FUNDAMENTOS DA IGREJA EM PEQUENOS GRUPOS 1. IDENTIDADE Cristocêntrica Missional Multiplicadora 2. APRENDIZAGEM Responsabilidade Pessoal Aprendizagem Relacional Círculo de Aprendizagem FUNDAMENTOS DA IGREJA

Leia mais

O QUE É O ESPIRITISMO 1

O QUE É O ESPIRITISMO 1 O QUE É O ESPIRITISMO 1 Facilitadores Alex Olegário e Roberto Camilo 17/18-Janeiro-2016 OBJETIVO Conhecer sobre: O Conceito do Espiritismo O Codificador Se me amais, guardai os meus mandamentos; e eu rogarei

Leia mais

ENSINO SUPERIOR NO BRASIL:

ENSINO SUPERIOR NO BRASIL: ENSINO SUPERIOR NO BRASIL: INDICADORES DE QUALIDADE DA DOCÊNCIA A UNIVERSIDEDADE QUE QUEREMOS Ms. Maria Eunice Barth Radaelli mariaeunice@fag.edu.br BREVE HISTÓRICO DA UNIVERSIDADE BRASILEIRA ( LUCHESI,

Leia mais

Roteiro 15. O Corpo Físico. FEDERAÇÃO ESPÍRITA BRASILEIRA Estudo Aprofundado da Doutrina Espírita Programa Filosofia e Ciência Espíritas

Roteiro 15. O Corpo Físico. FEDERAÇÃO ESPÍRITA BRASILEIRA Estudo Aprofundado da Doutrina Espírita Programa Filosofia e Ciência Espíritas Roteiro 15 O Corpo Físico FEDERAÇÃO ESPÍRITA BRASILEIRA Estudo Aprofundado da Doutrina Espírita Programa Filosofia e Ciência Espíritas Objetivo Analisar as principais considerações filosóficas, científicas

Leia mais

PLANEJAMENTO ESCOLAR: ALFABETIZAÇÃO E ENSINO DA LÍNGUA PORTUGUESA UNIDADE 2 ANO 1. Fevereiro de 2013

PLANEJAMENTO ESCOLAR: ALFABETIZAÇÃO E ENSINO DA LÍNGUA PORTUGUESA UNIDADE 2 ANO 1. Fevereiro de 2013 PLANEJAMENTO ESCOLAR: ALFABETIZAÇÃO E ENSINO DA LÍNGUA PORTUGUESA UNIDADE 2 ANO 1 Fevereiro de 2013 Iniciando a conversa Nesta unidade discutiremos a importância do planejamento das atividades, da organização

Leia mais

A LUDICIDADE NO CONTEXTO ESCOLAR

A LUDICIDADE NO CONTEXTO ESCOLAR Resumo A LUDICIDADE NO CONTEXTO ESCOLAR Ana Regina Donato de Moraes 1 Lourdes Keila Casado Pulucena 2 Lucieni Vaz dos Santos 3 Aprender brincando não é apenas um passatempo, quando se trata de ensinar.

Leia mais

1. Fatos Espíritas através dos Tempos... 11 2. Kardec e a Codifi cação... 21 3. O Que o Espiritismo Prega... 29 4. Diferenças Fundamentais...

1. Fatos Espíritas através dos Tempos... 11 2. Kardec e a Codifi cação... 21 3. O Que o Espiritismo Prega... 29 4. Diferenças Fundamentais... CAMPINAS-SP 2003 Sumário A Doutrina 1. Fatos Espíritas através dos Tempos...11 O anúncio de uma nova era...12 Em Hydesville, o primórdio...13 O neo-espiritualismo...17 2. Kardec e a Codificação...21 Primeiras

Leia mais

Lição 2- Segundo Conselho de Paulo: Façam do amor a prioridade. Texto: 1Corintios13

Lição 2- Segundo Conselho de Paulo: Façam do amor a prioridade. Texto: 1Corintios13 Lição 2- Segundo Conselho de Paulo: Façam do amor a prioridade Texto: 1Corintios13 Seguindo na trilha da lição anterior, em que aprendemos que o cristianismo não é e não pode ser uma mera religião com

Leia mais

Salvador Dali - Geopoliticus Child Watching the Birth Of A New Man - 1940

Salvador Dali - Geopoliticus Child Watching the Birth Of A New Man - 1940 Autor: André Martinez REFLEXÕES ESPÍRITAS: O Homem no Mundo. Salvador Dali - Geopoliticus Child Watching the Birth Of A New Man - 1940 Capítulo 17 de "O Evangelho Segundo o Espiritismo" de Allan Kardec

Leia mais

Conteúdos Específicos Professor Ensino Superior - Educação Infantil

Conteúdos Específicos Professor Ensino Superior - Educação Infantil Conteúdos Específicos Professor Ensino Superior - Educação Infantil 31) De acordo com as Diretrizes Curriculares Nacionais para Educação Infantil, a Criança, centro do planejamento curricular, é considerada

Leia mais

FEB EADE - Livro III - Módulo II Roteiro 2 A autoridade de Jesus

FEB EADE - Livro III - Módulo II Roteiro 2 A autoridade de Jesus OBJETIVOS 1) Analisar em que se resume a autoridade do Cristo. 2) Esclarecer como o Espiritismo explica essa autoridade. IDEIAS PRINCIPAIS 1) Sob a autoridade moral do Cristo, somos guiados na busca pela

Leia mais

CURSO EM AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM PARA APRIMORAMENTO E FORMAÇÃO DE MONITORES E COORDENADORES DE ESDE

CURSO EM AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM PARA APRIMORAMENTO E FORMAÇÃO DE MONITORES E COORDENADORES DE ESDE CURSO EM AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM PARA APRIMORAMENTO E FORMAÇÃO DE MONITORES E COORDENADORES DE ESDE MÓDULO V Técnicas de Ensino e Recursos Didáticos Consolidação das Atividades MÓDULO V: PLANO

Leia mais

O ESTUDANTE COM DEFICIÊNCIA INTELECTUAL NO ENSINO SUPERIOR: entre a utopia e a realidade

O ESTUDANTE COM DEFICIÊNCIA INTELECTUAL NO ENSINO SUPERIOR: entre a utopia e a realidade O ESTUDANTE COM DEFICIÊNCIA INTELECTUAL NO ENSINO SUPERIOR: entre a utopia e a realidade Dulciana de Carvalho Lopes Dantas 1 INTRODUÇÃO A condição de vida das pessoas com deficiência intelectual nas fases

Leia mais

Projetos Interdisciplinares Por quê? Quando? Como?

Projetos Interdisciplinares Por quê? Quando? Como? Projetos Interdisciplinares Por quê? Quando? Como? Profª. Ms. Maria Cecília Nobrega de Almeida Augusto 26 e 27/10/2011 A aula de hoje: Situando a discussão sobre projetos interdisciplinares; O conceito

Leia mais

REFLEXÕES ESPÍRITAS - Os sãos não precisam de médico.

REFLEXÕES ESPÍRITAS - Os sãos não precisam de médico. Autor: André Martinez REFLEXÕES ESPÍRITAS - Os sãos não precisam de médico. Tema: Capítulo XXIV de O EVANGELHO SEGUNDO O ESPIRITISMO de Allan Kardec A candeia debaixo do alqueire itens 11 e 12 OS SÃOS

Leia mais

RS-SPEE-150anos/Perri

RS-SPEE-150anos/Perri CENTRO ESPÍRITA ORIGEM E CONCEITO RS-SPEE-150anos/Perri Rua dos Mártires, 8 2º. Andar - Fundos RS-SPEE-150anos/Perri Há 153 Anos... Palais Royal RS-SPEE-150anos/Perri RS-SPEE-150anos/Perri Allan Kardec

Leia mais

Explicar o significado de bem e de mal, segundo as orientações espíritas.

Explicar o significado de bem e de mal, segundo as orientações espíritas. Roteiro 1 FEDERAÇÃO ESPÍRITA BRASILEIRA Estudo Aprofundado da Doutrina Espírita Livro IV Espiritismo, o Consolador Prometido por Jesus Módulo III Os vícios e as virtudes Conceituar bem e mal Explicar o

Leia mais

LIÇÃO 3 O aspecto tríplice do Espiritismo

LIÇÃO 3 O aspecto tríplice do Espiritismo Religião Ciência Filosofia LIÇÃO 3 O aspecto tríplice do Espiritismo 2009 United States Spiritist Council O Espiritismo é ao mesmo tempo filosofia e um campo de estudo científico. Como ciência ele estuda

Leia mais

Controle. Acompanhamento dos Resultados. Avaliação

Controle. Acompanhamento dos Resultados. Avaliação 1. O Planejamento Estratégico faz parte do processo de gestão (assegura a eficácia na tomada de decisões) e tem como premissa fundamental o cumprimento da missão institucional. A figura abaixo demonstra

Leia mais