PROJETO DE PROMOÇÃO DE ESTÁGIO PARA ALUNOS CURSANDO TÉCNICOS DE SEGURANÇA DO TRABALHO E TÉCNICO DO MEIO AMBIENTE PARA SÓCIOS DO INSTITUTO TST MA.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PROJETO DE PROMOÇÃO DE ESTÁGIO PARA ALUNOS CURSANDO TÉCNICOS DE SEGURANÇA DO TRABALHO E TÉCNICO DO MEIO AMBIENTE PARA SÓCIOS DO INSTITUTO TST MA."

Transcrição

1 PROJETO DE PROMOÇÃO DE ESTÁGIO PARA ALUNOS CURSANDO TÉCNICOS DE SEGURANÇA DO TRABALHO E TÉCNICO DO MEIO AMBIENTE PARA SÓCIOS DO INSTITUTO TST MA. Foi firmado com a Secretaria de Educação do Estado de Minas Gerais convênio que visa promover estágio supervisionado e orientado para todos alunos dos programas publicos, podendo ser estendido aos demais alunos de escolas privadas. O estágio é realizado por empresas capacitadas e com projeto homologado pelo INSTITUTO DOS TÉCNICOS DE SEGURANÇA DE MINAS GERAIS. O INSTITUTO por meio de convênio habilita e autoriza empresas proporcionar estágios curriculares através de programas práticos e visitas técnicas supervisionadas e orientadas em campo, atendendo toda carga horária de estágio obrigatório dos alunos.

2 POR QUÊ ISTO É POSSÍVEL? O Instituto NÃOTEM FINS LUCRATIVOS é mantido por seus sócios por taxa única do associado, atua a mais de três anos na área de Consultoria Empresarial, com mais de Técnicos de Segurança do Trabalho profissionais, em seu efetivo devidamente associados conforme estatuto e com Registro no MTE. Cada técnico do efetivo pode supervisionar até 10 alunos em Estágio Curricular Obrigatório ou não, bastando apenas que o aluno: Esteja ou foi Matriculado no curso Técnico de Segurança do Trabalho ou do Meio Ambiente; Que pague Taxa única do Associado prevista no estatuto do Instituto e esteja presente na atividade prática presencial durante a semana ou apenas aos sábados; Que tenha vinculado seu Termo de Compromisso de Estágio ao CNPJ do INSTITUTO ou de outra empresa conveniada e vinculado o Termo a Escola que estuda ou estudou. O INSTITUTO juntamente com as empresas conveniadas tem capacidade de promover até estágio em todo Estado de Minas apenas para Técnicos de Segurança do Trabalho e do Meio Ambiente. O estágio não é remunerado, a contra prestação oferecida é cursos gratuitos durante toda carga horaria do estágio devidamente certificado. Inteiramente gratuito para os associados. O Aluno pode fazer seu estágio apenas aos sábados se trabalhar durante a semana, não precisando abrir mão do seu salário e emprego para cumprir o estágio obrigatório.

3 RA Consultoria e Treinamentos é a empresa que representara o INSTITUTO dos Técnicos de Segurança na região. EMPRESA É HABILITADA PELO INSTITUTO DOS TÉCNICOS DE SEGURANÇA DO TRABALHO E DO MEIO AMBIENTE DE MINAS GERAIS, PARA PROMOVER ATIVIDADES ATENDENDO CONVÊNIO COM A SECRETARIA DE ESTADO DE EDUCAÇÃO - SEE Nº /2013, AUTORIZADO PELO DECRETO DE 01/12/2006. COM OBJETIVO DE PROPORCIONAR ATIVIDADES PRATICAS COM FINALIDADE DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO E ORIENTADO NOS TERMOS DA LEI Nº , DE 25 DE SETEMBRO DE 2008.

4 PROJETO DE FORMAÇÃO CULTURAL, ESTÁGIO E TREINAMENTOS Atendendo a Resolução 1032/2011 do CREA/CONFEA. O Mercado de trabalho precisa e exige profissional pronto para executar e suprir a necessidade da empresa e quanto mais o aluno vai apto para mercado de trabalho mais chance ele tem de conquistar sua vaga de emprego. Treinamentos profissionalizantes representam custos tanto em tempo como em dinheiro para as empresas, a tendência que as empresas estão seguindo é procurar o profissional pronto para atender a suas necessidades ou patrocinar eventos de formação de Técnicos de Segurança e do Meio Ambiente com o custo mínimo possível.

5 COMPROMISSO ESTATUTÁRIO DO INSTITUTO E DAS EMPRESAS CREDENCIADAS REGISTRADO EM CARTÓRIO. Promover a defesa: De bens e direitos sociais, do patrimônio cultural; dos direitos humanos em especifico dos Profissionais de Segurança do Trabalho e de Meio Ambiente, coletivos e difusos relativos ao Treinamento Teórico e Prático dos Técnicos de Segurança do Trabalho e de Meio Ambiente; promover ESTÁGIO CURRICULAR e práticas profissionalizantes a fim de estimular o aperfeiçoamento dos profissionais e estudantes para o cumprimento de Legislações e Normas Regulamentadoras.

6 OBJETIVO PRINCIPAL DO PROJETO Proporcionar Estágio Supervisionado para alunos do PEP, e demais alunos de escolas publicas ou privadas; Capacitar estagiários com a formação cultural e profissionalização diminuindo a distancia que existe entre aluno e o mercado de trabalho; Proporcionar ao aluno com esse projeto conhecimento de linguagens técnica, praticas especializadas, conhecimento de programas e principalmente vivencia no campo de trabalho; Certificar todos os estagiários em NR12 e18, assim como todas as outras atividades gratuitamente.

7 APRESENTAÇÃO E EVOLUÇÃO DOPROJETO

8 DESENVOLVIMENTO DE VISÃO CRÍTICA NAS ATIVIDADES PRATICAS, COM SUPERVISÃO CONSTANTE DE TÉCNICOS PROFISSIONAIS DE SEGURANÇA DO TRABALHO E DO MEIO AMBIENTE. T E Ó R I C O P R Á T I C O

9 DA LEGALIDADE O Instituto dos Técnicos de Segurança do Trabalho e Meio Ambiente é o único com autorização para aplicar ou Habilitar empresas para atender seus projetos em todo território nacional. A empresa RA Treinamentos & Consultoria é a única empresa habilitada a atuar no interior de Minas Gerais. A MSS Treinamento e Consultoria atua em Belo Horizonta e região metropolitana. Em Minas atendendo o Convênio com a Secretaria do Estado da Educação na data do dia 29/08/2013 registrado e publicado no Jornal da Imprensa Oficial no dia 30/08/2013. Convênio SEE Nº /2013 autorizado pelo decreto de 01/12/2006. Proporcionar Estágio Curricular Supervisionado nos termos da Lei Federal Nº , de 25/ set/ Ainda atendendo: Colégio de Entidades do CREA MG observando a Resolução 1032/2011 CREA/CONFEA.

10

11 OBRIGAÇÕES DO ESTAGIÁRIO Ser Associado ao INSTITUTO DOS TÉCNICOS DE SEGURANÇA DO TRABALHO E DO MEIO AMBIENTE DE MINAS GERAIS; Buscar dentro da instituição de ensino a pasta de estágio e as exigências para a execução do mesmo; Estar atento as exigência e formalizar todo o procedimento do estágio seguindo as referencias da sua instituição de ensino de origem; Se comprometer a estar presente e atento em todas as atividades desenvolvidas para a conclusão da carga horaria do estagio curricular e treinamentos, gerar Relatório Final de Estágio conforme ABNT para avaliação do aproveitamento; Sempre que necessário recorrer a escola (coordenador de estágio) quanto ao preenchimento do processo (pasta) de estágio curricular tendo em vista que cada escola tem uma dinâmica;

12 OBRIGAÇÕES DA ESCOLA Divulgar este projeto de estágio e formação profissional e permitir que o Instituto divulgue; Fornecer para o aluno: Declaração de Matricula e ou Formulário de Encaminhamento para realização de Estágio Curricular; Assinar e carimbar Termo de Compromisso pela RA Treinamentos, modelo padrão; de Estágio fornecido ao aluno INSTITUTO ou Enviar para a Empresa RA Treinamentos Modelo da pasta de estágio para pré adequação das atividades práticas com as curriculares; (Por ) Auxiliar e coordenar o aluno quanto a execução de Relatório Final e conclusão do estágio juntamente com o Supervisor de Estágio da RA Treinamentos.

13 OBRIGAÇÕES DO INSTITUTO E DAS EMPRESAS CONVENIADAS Proporcionar Estagio Curricular ou Extra Curricular obrigatório ou não para os alunos das Escolas Estaduais ou Privadas em todo estado de Minas Gerais; Executar projetos homologados pelo Instituto dos Técnicos, atendendo as Normas Regulamentadoras de Segurança, Resoluções e Leis do Estágio, atender convênio firmado com SEE de /2013 Instituto Dos Téc. Seg. e do Meio Amb; Avaliar Relatório Técnico conforme Lei Federal e aprovar os mesmos por critério de aproveitamento nas atividades desenvolvidas; Assinar documentações necessárias para realização aluno; de estágio e treinamento do Disponibilizar profissional Técnico para acompanhar todas as atividades de estágio e ou treinamentos integralmente; Disponibilizar seguro de vida para todos os participantes.

14 PROCESSO DE APLICAÇÃO DO ESTÁGIO - MATÉRIAS.

15 PROGRAMA DE NO MÍNIMO 240 HORAS

16 DESENVOLVIMENTO DO ESTÁGIO E APLICAÇÃO PRIMEIRA FASE MÍNIMO DE 120 HORAS. Gestão de Indicadores de SSO ou SGA; Uso das ferramentas dos indicadores na prevenção; Ordem de Serviço OS, (NR 01) Para TST; Capacitação e qualificação (Treinamentos); Inspeção de SSO ou MA; Notificação e Interdição Técnica SSO ou SGA; Lista de verificação e Check List; Linguagem técnica aplicada; ISO RSE.

17 SEGUNDA FASE - PRATICAS MÍNIMO DE 120 HORAS. Visitas técnicas em obras ou Industrias para aplicação das ténicas; Conhecimento e aplicação de todos os materiais e equipamentos; Projeto de Responsabilidade Social Empresarial Desenvolvido pelos alunos na comunidade; MA Geração de Relatório Final de Estágio conforma normas da ABNT para arquivo e avaliação do aproveitamento.

18 ATIVIDADES TÉCNICAS NO LABORATÓRIO DE ESTÁGIO, EM EMPRESAS E ESCOLAS PUBLICAS OU PRIVADAS - PARA APLICAÇÃO DAS PRATICAS 240 HORAS. NR 12 e 18 Gestão de Indicadores de Segurança e Saúde Ocupacional através do desenvolvimento de projetos administrativos, serão realizadas as atividades técnicas em obras publicas ou privadas (conveniadas) para aplicação das pratica e procedimentos citados e desenvolvimento da visão crítica. NR 35 Uso e aplicação de equipamentos para trabalho em altura, resgate e primeiro socorros de vitimas de acidente em nível diferente, salvamento em altura; Praticas para Analise Preliminar de Risco. Desenvolvimento e execução de Projeto Ambiental e de Responsabilidade Social Empresarial SER / ISO

19 ATIVIDADES EXECUTADAS DE PRATICAS TÉCNICAS NO CAMPO PARA MAIS DE ALUNOS EM MINAS GERAIS QUE JÁ FIZERAM ESTÁGIO NO INSTITUTO DOS TÉCNICOS OU PARTICIPARAM DO PROJETO. BRT - BELO HORIZONTE

20 MONTES CLAROS - MG PRATICAS DE ESTÁGIO EM CONSTRUÇÃO DE CASAS, PAVIMENTAÇÃO DE VIAS E TERRAPLANAGEM.

21 PIRAPORA MG ESTÁGIO NA ESCOLA TÉCNICA DA FUNAN P R O J E T O D E R E S P O N S A B I L I D A D E S O C I A L E M P R E S A R I A L. A L U N O S T É C N I C O S E M M E I O A M B I E N T E D A F U N A N - P I R A P O R A C O N S T R U Ç Ã O D A H O R T A C O M U N I T Á R I A D E E S C O L A P U B L I C A D E P I R A P O R A - MG

22 EM SALAS DE TREINAMENTOS OS ESTAGIÁRIOS SÃO PREPARADOS PARA ATIVIDADES PRÁTICAS EM CAMPO POR PROFISSIONAIS HABILITADOS.

23 D E P O I S D E T R E I N A D O S C O L O C A M E M P R Á T I C A P R O J E T O D E R. S. E. H O R T A E M E S C O L A P U B L I C A. A L U N A S D O C U R S O T É C N I C O E M M E I O A M B I E N T E - E S T Á G I O E M C A M P O P I R A P O R A M G

24 VISITA TÉCNICA EM OBRAS PARA APLICAÇÃO DA NR 12, 18 E 35. ALGUMAS DAS REGIÕES ATENDIDAS PELO PROJETO: BELO HORIZONTE, BETIM, CONTAGEM, RIBEIRÃO DAS NEVES, SETE LAGOAS, BARÃO DE COCAIS, SANTA LUZIA, PEDRO LEOPOLDO, MATOZINHOS, LAFAIETE, OURO BRANCO, ITABIRITO, MONTES CLAROS, VESPASIANO, NOVA LIMA, PIRAPORA E EM BREVE EM UBERLÂNDIA E REGIÃO.

25 LABORATÓRIO TÉCNICO - CONHECIMENTO DOS EQUIPAMENTOS E APLICAÇÃO EM ATIVIDADES PRATICAS. (PODE SER MONTADO NA ESCOLA OU QUALQUER OUTRO LOCAL).

26 Locais de treinamentos em todo Estado de Minas Aplicação dos aparelhos em praticas de salvamento, imobilização e resgate de vitimas no transito ou trabalho.

27 Praticas de Rapel (Para Alunos que desejarem CONTRATAR o curso de salvamento); Aplicação de equipamentos individuais e coletivos (EPI e EPC); Analise de risco de atividades em altura ou de nível diferente.

28 Em todo Estado de Minas - Locais apropriados para: Pratica de escalada para conhecimento de equipamentos e dos riscos das atividades em nível diferente e em altura. (Para Alunos que desejarem contratar o curso de RAPEL);

29 No período de a de de 201_. - Divulgação do projeto para os alunos em sala de aula pela escola. Até o dia de de 201_. - Inscrição dos alunos como Sócios do INSTITUTO e participação no projeto. Inicio das atividades dia de de 201_. Previsão para termino de de 201_. (Primeira Turma de até 100 Alunos de TST ou TMA). Os projetos de instrução serão aplicados em Escolas participantes e empresas da região conveniadas, em locais preparados para praticas de SSO ou SGA.

30 VANTAGENS E CONTRA PRESTAÇÃO PARA OS SÓCIOS DO INSTITUTO Podem participar GRATUITAMENTE dos projetos do Pacote do Curso de Formação Cultural e Profissionalização Com certificação na NR 12 e 18; Realiza toda carga horária de estágio curricular obrigatório ou não, paralelo aos treinamentos ou só nos fins de semanas se desejarem. OBS: A forma e valor da taxa para se associar pode ser discutida e adaptada de acordo com o número de aluno na escola, respeitando sempre o valor da entrada pois o aluno deve ser Associado no Instituto para que o estágio tenha inicio com seguro obrigatório incluso. EM CONTRA PARTIDA PELO PAGAMENTO DA INSCRIÇÃO OS ALUNOS GANHAM CURSO DAS NR s 12 E 18 CERTIFICADOS. O INSTITUTO NÃO TEM FINS LUCRATIVOS - OS VALORES RECEBIDOS NAS INSCRIÇÕES SERÃO TOTALMENTE REVERTIDOS PARA O PROJETO COM APRESENTAÇÃO DA PLANILHA DE CUSTO NO FIM DO PROJETO REGISTRADO EM CARTÓRIO.

31 CONTATOS Roberto Almeida INSTITUTO TST MA Fone Celular: (31) TIM - Roberto Almeida - 24 horas Escritório e Centro de Treinamento em BH Avenida Amazonas, º Andar - Centro BH Praça Sete - Após as 13 horas E mail:

PROJETO DE PROMOÇÃO DE ESTÁGIO PARA ALUNOS CURSANDO TÉCNICOS DE SEGURANÇA DO TRABALHO E TÉCNICO DO MEIO AMBIENTE PARA SÓCIOS DO INSTITUTO TST MA.

PROJETO DE PROMOÇÃO DE ESTÁGIO PARA ALUNOS CURSANDO TÉCNICOS DE SEGURANÇA DO TRABALHO E TÉCNICO DO MEIO AMBIENTE PARA SÓCIOS DO INSTITUTO TST MA. PROJETO DE PROMOÇÃO DE ESTÁGIO PARA ALUNOS CURSANDO TÉCNICOS DE SEGURANÇA DO TRABALHO E TÉCNICO DO MEIO AMBIENTE PARA SÓCIOS DO INSTITUTO TST MA. Convênio que visa promover estágio supervisionado e orientado

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DO CURSO DE ENGENHARIA CIVIL DO CESUBE

REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DO CURSO DE ENGENHARIA CIVIL DO CESUBE REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DO CURSO DE ENGENHARIA CIVIL DO CESUBE Considerando o significado e a importância do Estágio como parte fundamental da formação profissional, define-se

Leia mais

Regulamento de Estágio Supervisionado do Curso de Engenharia Elétrica

Regulamento de Estágio Supervisionado do Curso de Engenharia Elétrica Regulamento de Estágio Supervisionado do Curso de Engenharia Elétrica 1. APRESENTAÇÃO O Estágio Curricular Supervisionado Obrigatório no curso de Engenharia Elétrica é uma atividade curricular obrigatória

Leia mais

SEGURANÇA DO TRABALHO

SEGURANÇA DO TRABALHO MANUAL DE ESTÁGIO SEGURANÇA DO TRABALHO Aluno (a): Curso: Nº: Turma: Telefones: Residencial Celular E-mail: 1. APRESENTAÇÃO O Estágio Profissional supervisionado constitui um dos requisitos mínimos obrigatórios

Leia mais

REGULAMENTAÇÃO ESPECÍFICA DO ESTÁGIO DE INTERESSE CURRICULAR DO CURSO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS (BACHARELADO E LICENCIATURA)

REGULAMENTAÇÃO ESPECÍFICA DO ESTÁGIO DE INTERESSE CURRICULAR DO CURSO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS (BACHARELADO E LICENCIATURA) 1 REGULAMENTAÇÃO ESPECÍFICA DO ESTÁGIO DE INTERESSE CURRICULAR DO CURSO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS (BACHARELADO E LICENCIATURA) Resolução nº 015/2005 do Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão (CEPE) Capítulo

Leia mais

FACULDADES INTEGRADAS CAMPO GRANDENSES INSTRUÇÃO NORMATIVA 002/2010 17 05 2010

FACULDADES INTEGRADAS CAMPO GRANDENSES INSTRUÇÃO NORMATIVA 002/2010 17 05 2010 O Diretor das Faculdades Integradas Campo Grandenses, no uso de suas atribuições regimentais e por decisão dos Conselhos Superior, de Ensino, Pesquisa, Pós Graduação e Extensão e de Coordenadores, em reunião

Leia mais

REGULAMENTO DA DISCIPLINA ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DOS CURSOS SUPERIORESDE GRADUAÇÃO DO CEFET-PR. Capítulo I DO ESTÁGIO E SUAS FINALIDADES

REGULAMENTO DA DISCIPLINA ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DOS CURSOS SUPERIORESDE GRADUAÇÃO DO CEFET-PR. Capítulo I DO ESTÁGIO E SUAS FINALIDADES REGULAMENTO DA DISCIPLINA ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DOS CURSOS SUPERIORESDE GRADUAÇÃO DO CEFET-PR Capítulo I DO ESTÁGIO E SUAS FINALIDADES Art. 1º - O Estágio Curricular, baseado na lei nº 6.494,

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ SETOR DE CIÊNCIAS DA SAÚDE DEPARTAMENTO DE FARMÁCIA COE COMISSÃO DE ORIENTAÇÃO DE ESTÁGIOS

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ SETOR DE CIÊNCIAS DA SAÚDE DEPARTAMENTO DE FARMÁCIA COE COMISSÃO DE ORIENTAÇÃO DE ESTÁGIOS À Comunidade Acadêmica do Curso de Farmácia da UFPR. A Comissão Orientadora de Estágios (COE) do curso de Farmácia elaborou este documento com o objetivo de esclarecer as dúvidas referentes aos estágios

Leia mais

NORMAS DE ESTÁGIO DO CURSO DE ENGENHARIA MECÂNICA

NORMAS DE ESTÁGIO DO CURSO DE ENGENHARIA MECÂNICA 2015 SUMÁRIO 1 - DISPOSIÇÕES PRELIMINARES... 3 2 - OBJETIVO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO... 3 3 - ACOMPANHAMENTO E ORGANIZAÇÃO DO ESTÁGIO OBRIGATÓRIO... 4 4 - EXEMPLO DE ÁREAS PARA REALIZAÇÃO DO ESTÁGIO...

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE SECRETARIA DE RECURSOS HUMANOS COORDENAÇÃO DE GESTÃO E DESENVOLVIMENTO DE PESSOAS EDITAL CGDP/PRH Nº 003/2013

UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE SECRETARIA DE RECURSOS HUMANOS COORDENAÇÃO DE GESTÃO E DESENVOLVIMENTO DE PESSOAS EDITAL CGDP/PRH Nº 003/2013 UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE SECRETARIA DE RECURSOS HUMANOS COORDENAÇÃO DE GESTÃO E DESENVOLVIMENTO DE PESSOAS EDITAL CGDP/PRH Nº 003/2013 ABERTURA E DISPOSIÇÕES GERAIS DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO

REGULAMENTO DE ESTÁGIO REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURSOS TÉCNICOS Revisão: setembro/2012 Escola SENAI Santos Dumont CFP 3.02 Rua Pedro Rachid, 304 Santana São José dos Campos - SP Fone: (12) 3519-4850 Fax: (12) 3922-9060 ELABORAÇÃO

Leia mais

SUMÁRIO 1. APRESENTAÇÃO 2 2. OBJETIVO 2 3. DA REALIZAÇÃO DO ESTÁGIO 2. 3.1 Requisitos para participar do estágio supervisionado 2

SUMÁRIO 1. APRESENTAÇÃO 2 2. OBJETIVO 2 3. DA REALIZAÇÃO DO ESTÁGIO 2. 3.1 Requisitos para participar do estágio supervisionado 2 SUMÁRIO 1. APRESENTAÇÃO 2 2. OBJETIVO 2 3. DA REALIZAÇÃO DO ESTÁGIO 2 3.1 Requisitos para participar do estágio supervisionado 2 3.2 Como Fazer o Estágio Supervisionado Curricular 3 3.3 A empresa e o supervisor

Leia mais

NORMATIZAÇÃO DE ESTÁGIO PARA OS CURSOS TÉCNICOS E SUPERIORES DO IFSULDEMINAS

NORMATIZAÇÃO DE ESTÁGIO PARA OS CURSOS TÉCNICOS E SUPERIORES DO IFSULDEMINAS MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO SUL DE MINAS GERAIS NORMATIZAÇÃO DE ESTÁGIO PARA OS CURSOS TÉCNICOS E SUPERIORES

Leia mais

ANEXO I: REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES

ANEXO I: REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES ANEXO I: REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES Fixa normas para o funcionamento das Atividades Complementares para o curso de Administração da Universidade Federal de Mato Grosso, campus Rondonópolis/Mato

Leia mais

RESOLUÇÃO CFP Nº 007/01 DE 01 DE JUNHO DE 2001.

RESOLUÇÃO CFP Nº 007/01 DE 01 DE JUNHO DE 2001. RESOLUÇÃO CFP Nº 007/01 DE 01 DE JUNHO DE 2001. Aprova o Manual para Credenciamento de Cursos com finalidade de Concessão do Título de Especialista e respectivo registro. O CONSELHO FEDERAL DE PSICOLOGIA,

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE SECRETARIA DE RECURSOS HUMANOS COORDENAÇÃO DE GESTÃO E DESENVOLVIMENTO DE PESSOAS EDITAL CGDP/SRH Nº 21/2013

UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE SECRETARIA DE RECURSOS HUMANOS COORDENAÇÃO DE GESTÃO E DESENVOLVIMENTO DE PESSOAS EDITAL CGDP/SRH Nº 21/2013 UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE SECRETARIA DE RECURSOS HUMANOS COORDENAÇÃO DE GESTÃO E DESENVOLVIMENTO DE PESSOAS EDITAL CGDP/SRH Nº 21/2013 ABERTURA E DISPOSIÇÕES GERAIS DOS CURSOS DE CAPACITAÇÃO

Leia mais

REGIMENTO DA COORDENAÇÃO DO NÚCLEO DE PRÁTICA PROFISSIONAL E EMPREENDEDORISMO (NUPPE)

REGIMENTO DA COORDENAÇÃO DO NÚCLEO DE PRÁTICA PROFISSIONAL E EMPREENDEDORISMO (NUPPE) APROVADO Alterações aprovadas na 27ª reunião do Conselho Superior realizada em 18/12/2013. REGIMENTO DA COORDENAÇÃO DO NÚCLEO DE PRÁTICA PROFISSIONAL E EMPREENDEDORISMO (NUPPE) DA ESTRUTURA Art. 1º - A

Leia mais

Faculdade de Tecnologia SENAI Roberto Simonsen

Faculdade de Tecnologia SENAI Roberto Simonsen 1 SUMÁRIO Conteúdo 1. APRESENTAÇÃO... 3 2. O CURSO... 3 3. PERFIL DO TECNÓLOGO EM MANUTENÇÃO INDUSTRIAL... 3 4. ATRIBUIÇÕES E RESPONSABILIDADES... 3 5. CONDIÇÕES GERAIS DO ESTÁGIO... 5 6. MATRÍCULA...

Leia mais

REGULAMENTO ESTÁGIO SUPERVISIONADO

REGULAMENTO ESTÁGIO SUPERVISIONADO REGULAMENTO ESTÁGIO SUPERVISIONADO GRADE CURRICULAR 2008-2010 RIO CLARO 2010 1 REGULAMENTO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO CAPÍTULO I Da Origem, Finalidades e das Modalidades Art. 1º -

Leia mais

REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE TECNÓLOGO EM PRODUÇÃO DO VESTUÁRIO (com ênfase em calçados)

REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE TECNÓLOGO EM PRODUÇÃO DO VESTUÁRIO (com ênfase em calçados) Mantenedora: Fundação Educacional Fausto Pinto da Fonseca - CNPJ : 04.149.536/0001-24 Av. Dom Cabral, 31 Centro - CEP: 35.519-000 - Nova Serrana - MG Fone: (37) 3226-8200 - Site: www.fanserrana.com.br

Leia mais

CAPÍTULO I DA DEFINIÇÃO E DA ESTRUTURA

CAPÍTULO I DA DEFINIÇÃO E DA ESTRUTURA UNIVERSIDADE DE SANTA CRUZ DO SUL UNISC CURSO DE LETRAS REGULAMENTO DOS ESTÁGIOS SUPERVISIONADOS EM LÍNGUA PORTUGUESA E LITERATURA E LÍNGUAS ESTRANGEIRAS (INGLESA, ESPANHOLA E ALEMÃ) CAPÍTULO I DA DEFINIÇÃO

Leia mais

Fatec de São Carlos. A Faculdade de Tecnologia de São Carlos será a última parte envolvida a assinar o termo de compromisso e demais documentos.

Fatec de São Carlos. A Faculdade de Tecnologia de São Carlos será a última parte envolvida a assinar o termo de compromisso e demais documentos. Memo 04/15 Coordenação São Carlos, 26 de Fevereiro de 2015. Orientações Gerais aos Discentes Assunto: Estágio obrigatório e não obrigatório O estágio é regulamentado pela legislação através da LEI DO ESTÁGIO

Leia mais

CAPÍTULO I CONCEITO, FINALIDADE E OBJETIVOS

CAPÍTULO I CONCEITO, FINALIDADE E OBJETIVOS VOTO CONSU 2009-02 de 23/04/2009 2011-03 de 24/03/2011 2012-19 de 14/06/2012 REGULAMENTO INSTITUCIONAL DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO Estabelece as normas institucionais para a realização de Estágios

Leia mais

MANUAL DE ESTÁGIO Licenciaturas em: - Geografia - História - Informática - Letras

MANUAL DE ESTÁGIO Licenciaturas em: - Geografia - História - Informática - Letras MANUAL DE ESTÁGIO Licenciaturas em: - Geografia - História - Informática - Letras Rio de Janeiro Julho/2013 1. Apresentação O presente Manual foi reorganizado pelos membros do Colegiado dos Cursos de Licenciatura

Leia mais

Projeto Academia de Liderança. Edição 2014 Turma 1 Novas Lideranças

Projeto Academia de Liderança. Edição 2014 Turma 1 Novas Lideranças Projeto Academia de Liderança Edição 2014 Turma 1 Novas Lideranças APRESENTAÇÃO A Academia de Liderança é realizada pelo Senar-MT e visa levar conhecimentos e informações para as Lideranças Sindicais,

Leia mais

FACULDADE DA REGIÃO DOS LAGOS REGULAMENTO DE CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU

FACULDADE DA REGIÃO DOS LAGOS REGULAMENTO DE CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU FACULDADE DA REGIÃO DOS LAGOS REGULAMENTO DE CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Capítulo I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º Os cursos de Pós-Graduação Lato Sensu da FERLAGOS orientam-se pelas normas

Leia mais

CONSELHO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO PRAÇA DA REPÚBLICA, 53 - FONE: 3255-2044 CEP: 01045-903 - FAX: Nº 3231-1518 SUBSÍDIOS PARA ANÁLISE DO PLANO DE CURSO

CONSELHO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO PRAÇA DA REPÚBLICA, 53 - FONE: 3255-2044 CEP: 01045-903 - FAX: Nº 3231-1518 SUBSÍDIOS PARA ANÁLISE DO PLANO DE CURSO 1 CONSELHO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO PRAÇA DA REPÚBLICA, 53 - FONE: 3255-2044 CEP: 01045-903 - FAX: Nº 3231-1518 SUBSÍDIOS PARA ANÁLISE DO PLANO DE CURSO 1. APRESENTAÇÃO É com satisfação que apresentamos este

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO NÃO-OBRIGATÓRIO PARA O CURSO DE CIÊNCIAS ECONÔMICAS DA UFPR

REGULAMENTO DE ESTÁGIO NÃO-OBRIGATÓRIO PARA O CURSO DE CIÊNCIAS ECONÔMICAS DA UFPR REGULAMENTO DE ESTÁGIO NÃO-OBRIGATÓRIO PARA O CURSO DE CIÊNCIAS ECONÔMICAS DA UFPR DA NATUREZA Art.1 o No Projeto Pedagógico do Curso de Ciências Econômicas, as diretrizes curriculares incluem o estágio

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO - 2014

REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO - 2014 1 FACULDADE DE ESTUDOS SOCIAIS DO ESPÍRITO SANTO PIO XII CURSO DE ADMINISTRAÇÃO DE EMPRESAS CURSO DE ADMINISTRAÇÃO EM COMÉRCIO EXTERIOR I INTRODUÇÃO REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO - 2014 O currículo

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO

REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO APRESENTAÇÃO Dispõe sobre as normas para realização de Estágio Supervisionado pelos acadêmicos da Faculdade de Belém FABEL. O presente regulamento normatiza o Estágio

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 002/2014

RESOLUÇÃO Nº 002/2014 RESOLUÇÃO Nº 002/2014 Dispõe sobre o Estágio Profissional de Advocacia e disciplina o credenciamento de escritórios de advocacia e outras entidades interessadas, bem como os convênios celebrados pela OAB/BA

Leia mais

Regulamento de Estágio. Curso de Engenharia de Produção

Regulamento de Estágio. Curso de Engenharia de Produção Regulamento de Estágio Curso de Engenharia de Produção Coronel Fabriciano Julho, 2010 1. INTRODUÇÃO O Estágio Curricular Obrigatório no curso de Engenharia de Produção é uma atividade curricular obrigatória

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO ESCOLA DE FARMÁCIA E ODONTOLOGIA DE ALFENAS CENTRO UNIVERSITÁRIO FEDERAL

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO ESCOLA DE FARMÁCIA E ODONTOLOGIA DE ALFENAS CENTRO UNIVERSITÁRIO FEDERAL REGULAMENTAÇÃO DO ESTÁGIO DE INTERESSE CURRICULAR DO CURSO DE QUÍMICA DA Efoa/Ceufe Resolução Nº 007/2005 pelo Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão (CEPE) O presente regulamento foi elaborado tendo

Leia mais

REGULALMENTO DO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA DO CURSO DE DIREITO DA FACULDADE DE PRESIDENTE PRUDENTE

REGULALMENTO DO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA DO CURSO DE DIREITO DA FACULDADE DE PRESIDENTE PRUDENTE 1 REGULALMENTO DO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA DO CURSO DE DIREITO DA FACULDADE DE PRESIDENTE PRUDENTE CAPÍTULO I DA FINALIDADE Artigo 1º O Núcleo de Prática Jurídica é órgão destinado a coordenar, executar

Leia mais

REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM PUBLICIDADE E PROPAGANDA

REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM PUBLICIDADE E PROPAGANDA REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM PUBLICIDADE E PROPAGANDA CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º O presente regulamento normatiza as atividades do Estágio Supervisionado em Publicidade e Propaganda

Leia mais

Guia de Mobilização - Vale

Guia de Mobilização - Vale Guia de Mobilização - Vale 2ª Edição Nov/2015 Sumário 1. INTRODUÇÃO... 3 2. APLICAÇÃO... 3 3. MACRO FLUXO DO PROCESSO DE MOBILIZAÇÃO... 3 3.1. CERTIFICAÇÃO... 3 3.2. CONTRATAÇÃO... 4 3.3. MOBILIZAÇÃO...

Leia mais

Fundação Presidente Antônio Carlos - FUPAC Faculdade Presidente Antônio Carlos de Aimorés

Fundação Presidente Antônio Carlos - FUPAC Faculdade Presidente Antônio Carlos de Aimorés REGULAMENTO DO ESTAGIO SUPERVISIONADO Regulamenta o Estágio Supervisionado do Curso de Pedagogia no âmbito da Faculdade Presidente Antônio Carlos de Aimorés. CAPÍTULO I DA NATUREZA E DAS FINALIDADES Art.

Leia mais

Assessoria de Imprensa e Comunicação

Assessoria de Imprensa e Comunicação PORTARIA 74/06 - SMG Assessoria de Imprensa e Comunicação Dispõe sobre os critérios e procedimentos para valoração e apuração dos pontos relativos à capacitação e participação em atividades realizadas

Leia mais

Anexo 1.4-5 - Programa de Proteção ao Trabalhador e Segurança no Ambiente de Trabalho

Anexo 1.4-5 - Programa de Proteção ao Trabalhador e Segurança no Ambiente de Trabalho Anexo 1.4-5 - Programa de Proteção ao Trabalhador e Segurança no Ambiente de Trabalho 1 pág de 16 Programa de Proteção ao Trabalhador e Segurança no Ambiente de Trabalho 2 pág de 16 SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO...

Leia mais

ESTAGIÁRIOS. Pesquisa Bolsa Estágio Março 2.013

ESTAGIÁRIOS. Pesquisa Bolsa Estágio Março 2.013 ESTAGIÁRIOS Pesquisa Bolsa Estágio Março 2.013 SOBRE A PESQUISA Esta pesquisa tem como objetivo disponibilizar informações sobre práticas e valores aplicados a Bolsa Estágio. A base de dados da pesquisa

Leia mais

ESCOLA DE SAÚDE PÚBLICA DO ESTADO DE MINAS GERAIS DIRETOR GERAL: RUBENSMIDT RIANI

ESCOLA DE SAÚDE PÚBLICA DO ESTADO DE MINAS GERAIS DIRETOR GERAL: RUBENSMIDT RIANI ESCOLA DE SAÚDE PÚBLICA DO ESTADO DE MINAS GERAIS DIRETOR GERAL: RUBENSMIDT RIANI CREDENCIAMENTO DE DOCENTE ESP-MG Nº 23 /2014 CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU - ESPECIALIZAÇÃO EM COMUNICACAO E SAÚDE

Leia mais

A VALP CONSULTORIA E ENGENHARIA, inscrita no CNPJ. 10.809.814/0001-25, registrada no CREA/SP n 5062526345, tem a

A VALP CONSULTORIA E ENGENHARIA, inscrita no CNPJ. 10.809.814/0001-25, registrada no CREA/SP n 5062526345, tem a São Paulo, 17 de Fevereiro de 2014. A VALP CONSULTORIA E ENGENHARIA, inscrita no CNPJ 10.809.814/0001-25, registrada no CREA/SP n 5062526345, tem a honra de apresentar proposta de prestação de serviços

Leia mais

RESOLUÇÃO CNE/CEB Nº 1, DE 21 DE JANEIRO DE 2004.(*) CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO BÁSICA

RESOLUÇÃO CNE/CEB Nº 1, DE 21 DE JANEIRO DE 2004.(*) CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO BÁSICA RESOLUÇÃO CNE/CEB Nº 1, DE 21 DE JANEIRO DE 2004.(*) CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO BÁSICA RESOLUÇÃO CNE/CEB Nº 1, DE 21 DE JANEIRO DE 2004.(*) Estabelece Diretrizes Nacionais para a

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE SECRETARIA DE RECURSOS HUMANOS COORDENAÇÃO DE GESTÃO E DESENVOLVIMENTO DE PESSOAS EDITAL CGDP/PRH Nº 004/2013

UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE SECRETARIA DE RECURSOS HUMANOS COORDENAÇÃO DE GESTÃO E DESENVOLVIMENTO DE PESSOAS EDITAL CGDP/PRH Nº 004/2013 UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE SECRETARIA DE RECURSOS HUMANOS COORDENAÇÃO DE GESTÃO E DESENVOLVIMENTO DE PESSOAS EDITAL CGDP/PRH Nº 004/2013 ABERTURA E DISPOSIÇÕES GERAIS DO CURSO DE GESTÃO DE

Leia mais

Governo do Estado de São Paulo Secretaria Estadual de Gestão Pública Fundação do Desenvolvimento Administrativo

Governo do Estado de São Paulo Secretaria Estadual de Gestão Pública Fundação do Desenvolvimento Administrativo Governo do Estado de São Paulo Secretaria Estadual de Gestão Pública Fundação do Desenvolvimento Administrativo ORIENTAÇÕES PARA MÓDULO DE COMPLEMENTAÇÃO DA QUALIFICAÇÃO Dezembro de 2009 Módulo de Complementação

Leia mais

EDITAL PRPPG 001/2011 MINTER EM EDUCAÇÃO UFES-IFES

EDITAL PRPPG 001/2011 MINTER EM EDUCAÇÃO UFES-IFES MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO ESPÍRITO SANTO Autarquia criada pela Lei n o. 11.892, de 29 de dezembro de 2008 PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO Avenida

Leia mais

PERGUNTAS MAIS FREQÜENTES CREDENCIAMENTO NO SEBRAE-SP:

PERGUNTAS MAIS FREQÜENTES CREDENCIAMENTO NO SEBRAE-SP: PERGUNTAS MAIS FREQÜENTES CREDENCIAMENTO NO SEBRAE-SP: A oportunidade de se tornar um facilitador de aprendizagem e/ou consultor para o sucesso das micro e pequenas empresas APRESENTAÇÃO Esta cartilha

Leia mais

ANEXO I TERMOS DE REFERÊNCIA

ANEXO I TERMOS DE REFERÊNCIA ANEXO I TERMOS DE REFERÊNCIA 1. INTRODUÇÃO 1.1 A Orientação Normativa 07/2008, de 31 de outubro de 2008, retificada em 04 de novembro de 2008, em complemento à Lei nº 1.788/2008, de 26 de setembro de 2008,

Leia mais

REGULAMENTO DO ESTÁGIO OBRIGATÓRIO CURSO DE LETRAS PORTUGUÊS/INGLÊS

REGULAMENTO DO ESTÁGIO OBRIGATÓRIO CURSO DE LETRAS PORTUGUÊS/INGLÊS REGULAMENTO DO ESTÁGIO OBRIGATÓRIO CURSO DE LETRAS PORTUGUÊS/INGLÊS CAPÍTULO I DA NATUREZA DO ESTÁGIO Art. 1º O Estágio Obrigatório previsto na Estrutura Curricular do Curso de Letras, Licenciatura Português/Inglês

Leia mais

Utilizar corretamente os programas do pacote Office 2007

Utilizar corretamente os programas do pacote Office 2007 UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE SECRETARIA DE RECURSOS HUMANOS COORDENAÇÃO DE GESTÃO E DESENVOLVIMENTO DE PESSOAS EDITAL CGDP/SRH Nº 008/2012 ABERTURA E DISPOSIÇÕES GERAIS DO CURSO DE INFORMÁTICA

Leia mais

RESOLUÇÃO CONSEPE 19/2007

RESOLUÇÃO CONSEPE 19/2007 RESOLUÇÃO CONSEPE 19/2007 ALTERA O REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO, DO CURSO DE EDUCAÇÃO FÍSICA, MODALIDADE LICENCIATURA DO CÂMPUS DE BRAGANÇA PAULISTA DA UNIVERSIDADE SÃO FRANCISCO. O Vice-Reitor

Leia mais

TERMO DE CONVÊNIO DE ESTÁGIO ( IES x ENTIDADE CONCEDENTE)

TERMO DE CONVÊNIO DE ESTÁGIO ( IES x ENTIDADE CONCEDENTE) TERMO DE CONVÊNIO DE ESTÁGIO ( IES x ENTIDADE CONCEDENTE) PARTES ESSENCIAIS: I- QUALIFICAÇÃO DAS PARTE; II- INFORMAÇÕES RELEVANTES; III- CLÁUSULAS; IV- ASSINATURAS: das partes através de seus representantes

Leia mais

FIRE FIGTHER CONSULTING

FIRE FIGTHER CONSULTING Artigo Técnico Referente quais profissionais e empresas podem exercer atividade de acordo com a norma da ABNT 14608 revisada em 2006 com validade em 29.11.2007. NORMA BRASILEIRA ABNT NBR 14608 Bombeiro

Leia mais

MANUAL DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO - PILATES NORMAS DISCIPLINARES DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO

MANUAL DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO - PILATES NORMAS DISCIPLINARES DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO MANUAL DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO - PILATES O Estágio Supervisionado visa complementar a formação do aluno através do aprendizado teórico-prático e do desempenho das atividades, proporcionando uma experiência

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE SECRETARIA DE RECURSOS HUMANOS COORDENAÇÃO DE GESTÃO E DESENVOLVIMENTO DE PESSOAS EDITAL CGDP/SRH Nº 12/2013

UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE SECRETARIA DE RECURSOS HUMANOS COORDENAÇÃO DE GESTÃO E DESENVOLVIMENTO DE PESSOAS EDITAL CGDP/SRH Nº 12/2013 UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE SECRETARIA DE RECURSOS HUMANOS COORDENAÇÃO DE GESTÃO E DESENVOLVIMENTO DE PESSOAS EDITAL CGDP/SRH Nº 12/2013 ABERTURA E DISPOSIÇÕES GERAIS DOS CURSOS DE CAPACITAÇÃO

Leia mais

UNIVERSIDADE DE SANTA CRUZ DO SUL UNISC CURSO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM PUBLICIDADE E PROPAGANDA

UNIVERSIDADE DE SANTA CRUZ DO SUL UNISC CURSO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM PUBLICIDADE E PROPAGANDA UNIVERSIDADE DE SANTA CRUZ DO SUL UNISC CURSO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM PUBLICIDADE E PROPAGANDA CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º O presente regulamento

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE SECRETARIA DE RECURSOS HUMANOS COORDENAÇÃO DE GESTÃO E DESENVOLVIMENTO DE PESSOAS EDITAL CGDP/SRH Nº 006/2013

UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE SECRETARIA DE RECURSOS HUMANOS COORDENAÇÃO DE GESTÃO E DESENVOLVIMENTO DE PESSOAS EDITAL CGDP/SRH Nº 006/2013 UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE SECRETARIA DE RECURSOS HUMANOS COORDENAÇÃO DE GESTÃO E DESENVOLVIMENTO DE PESSOAS EDITAL CGDP/SRH Nº 006/2013 ABERTURA E DISPOSIÇÕES GERAIS DO CURSO DE GESTÃO DE

Leia mais

Contratação e Modelo de Contrato

Contratação e Modelo de Contrato Contratação e Modelo de Contrato Deveres da Empresa Firmar contrato especial de aprendizagem com o adolescente e inscrevê-lo em curso de aprendizagem desenvolvido por uma entidade qualificada de ensino

Leia mais

GUIA DO CANDIDATO INSPETORES DE PINTURA INDUSTRIAL

GUIA DO CANDIDATO INSPETORES DE PINTURA INDUSTRIAL 1 de 9 1 OBJETIVO Fornecer as informações necessárias para a qualificação e certificação de Inspetores de Pintura Industrial níveis 1 e 2, segundo os critérios estabelecidos na norma ABNT NBR 15218 e demais

Leia mais

12/2014 792864/2013 SENAES/MTE CAMP

12/2014 792864/2013 SENAES/MTE CAMP Processo Seletivo Nº. 12/2014 Convênio Nº 792864/2013 SENAES/MTE CAMP Projeto: Fortalecimento e expansão das iniciativas de Fundos Solidários na Região Sul do Brasil. Processo Seletivo objetivando a contratação

Leia mais

Governo do Estado de Minas Gerais Secretaria de Estado de Defesa Social SUBSECRETARIA DE POLÍTICAS SOBRE DROGAS

Governo do Estado de Minas Gerais Secretaria de Estado de Defesa Social SUBSECRETARIA DE POLÍTICAS SOBRE DROGAS Governo do Estado de Minas Gerais Secretaria de Estado de Defesa Social SUBSECRETARIA DE POLÍTICAS SOBRE DROGAS A Política Estadual sobre Drogas em Minas Gerais Conferencista: Dr. Cloves Eduardo Benevides

Leia mais

Centro Universitário Nossa Senhora do Patrocínio FAN - CEUNSP SALTO. Campus V

Centro Universitário Nossa Senhora do Patrocínio FAN - CEUNSP SALTO. Campus V Centro Universitário Nossa Senhora do Patrocínio FAN - CEUNSP SALTO Campus V Regulamento Interno de Estágio Supervisionado e ou Trabalho Pedagógico Supervisionado FAN-CEUNSP-SALTO -Campus V O presente

Leia mais

REGULAMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DOS CURSOS SUPERIORES DE TECNOLOGIA MINISTRADOS PELA FATEC-SOROCABA

REGULAMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DOS CURSOS SUPERIORES DE TECNOLOGIA MINISTRADOS PELA FATEC-SOROCABA Fatec Sorocaba REGULAMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DOS CURSOS SUPERIORES DE TECNOLOGIA MINISTRADOS PELA FATEC-SOROCABA Sorocaba, 2010 Reduza, Reutilize, Recicle REGULAMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR

Leia mais

REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS

REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS Mantenedora: Fundação Educacional Fausto Pinto da Fonseca - CNPJ : 04.149.536/0001-24 Av. Dom Cabral, 31 Centro - CEP: 35.519-000 - Nova Serrana - MG Fone: (37) 3226-8200 - Site: www.fanserrana.com.br

Leia mais

Edital para publicação no site período de 23 a 30 de junho de 2013. PROJETO BRA/04/029 Seleciona CONSULTOR na modalidade PRODUTO* CÓD.

Edital para publicação no site período de 23 a 30 de junho de 2013. PROJETO BRA/04/029 Seleciona CONSULTOR na modalidade PRODUTO* CÓD. Edital para publicação no site período de 23 a 30 de junho de 203. PROJETO BRA/04/029 Seleciona CONSULTOR na modalidade PRODUTO* CÓD. GESTÃO EAD Os currículos deverão ser encaminhados para o endereço eletrônico

Leia mais

II celebração de termo de compromisso entre o educando, a parte concedente do estágio e a instituição de ensino;

II celebração de termo de compromisso entre o educando, a parte concedente do estágio e a instituição de ensino; REGULAMENTO DE ESTÁGIO DOS CURSOS TÉCNICO E TECNOLÓGICO NO ÂMBITO DA EAD / IFPR ADAPTADO EM CONFORMIDADE COM A LEI 11.788/08 E RESOLUÇÃO DO CONSUP 02/03/ 2013. CAPÍTULO I DA DEFINIÇÃO, CLASSIFICAÇÃO E

Leia mais

3. DOS REQUISITOS PARA INSCRIÇÃO NO PROCESSO SELETIVO

3. DOS REQUISITOS PARA INSCRIÇÃO NO PROCESSO SELETIVO PROCESSO SELETIVO PARA O PREENCHIMENTO DE VAGAS DO CURSO DE PÓS GRADUAÇÃO LATO SENSU NA MODALIDADE PRESENCIAL CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM ATENÇÃO À SAÚDE DA PESSOA IDOSA. O MINISTÉRIO DA SAÚDE, representado

Leia mais

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 6. Cronograma de Aulas Pág. 9. Coordenação Programa e metodologia; Investimento

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 6. Cronograma de Aulas Pág. 9. Coordenação Programa e metodologia; Investimento 1 SUMÁRIO Sobre o curso Pág. 3 Coordenação Programa e metodologia; Investimento 3 4 5 Etapas do Processo Seletivo Pág. 6 Matrícula 8 Cronograma de Aulas Pág. 9 2 PÓS-GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO CONTINUADA E

Leia mais

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR FABRA GUIA DE APRESENTAÇÃO DA MATÉRIA ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR FABRA GUIA DE APRESENTAÇÃO DA MATÉRIA ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO SISTEMAS DE INFORMAÇÃO CENTRO DE ENSINO SUPERIOR FABRA GUIA DE APRESENTAÇÃO DA MATÉRIA ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Serra 2013 SUMÁRIO INTRODUÇÃO... 3 OBJETIVOS DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO.... 4 ACOMPANHAMENTO

Leia mais

FACULDADE SERGIPANA - FASER COORDENAÇÃO DE ADMINISTRAÇÃO REGULAMENTAÇÃO ATIVIDADES COMPLEMENTARES

FACULDADE SERGIPANA - FASER COORDENAÇÃO DE ADMINISTRAÇÃO REGULAMENTAÇÃO ATIVIDADES COMPLEMENTARES FACULDADE SERGIPANA - FASER COORDENAÇÃO DE ADMINISTRAÇÃO REGULAMENTAÇÃO ATIVIDADES COMPLEMENTARES APRESENTAÇÃO Atividades Complementares são atividades desenvolvidas pelos alunos, ao longo da vida acadêmica,

Leia mais

NORMAS PARA REGULAMENTAÇÃO DE ESTÁGIOS PROFISSIONALIZANTES

NORMAS PARA REGULAMENTAÇÃO DE ESTÁGIOS PROFISSIONALIZANTES FACULDADE DE FILOSOFIA, CIÊNCIAS E LETRAS DE RIBEIRÃO PRETO CENTRO DE PSICOLOGIA APLICADA NORMAS PARA REGULAMENTAÇÃO DE ESTÁGIOS PROFISSIONALIZANTES Os estágios profissionalizantes, realizados como exigência

Leia mais

Regulamento Estágio Curricular Obrigatório

Regulamento Estágio Curricular Obrigatório Regulamento Estágio Curricular Obrigatório CST em Fabricação Mecânica CST em Gestão de Recursos Humanos CST em Mecatrônica Industrial 1 CAPÍTULO I DA JUSTIFICATIVA E FINALIDADES Art. 1º - O programa de

Leia mais

AGÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E SOCIAL

AGÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E SOCIAL REGULAMENTO DE COMPRAS A AGÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E SOCIAL ADES, pessoa jurídica de direito privado, sem fins lucrativos, com sede na Av. Dom Luís, 685, sala 101 Bairro Meireles CEP 60.160-230

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE SECRETARIA DE RECURSOS HUMANOS COORDENAÇÃO DE GESTÃO E DESENVOLVIMENTO DE PESSOAS

UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE SECRETARIA DE RECURSOS HUMANOS COORDENAÇÃO DE GESTÃO E DESENVOLVIMENTO DE PESSOAS UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE SECRETARIA DE RECURSOS HUMANOS COORDENAÇÃO DE GESTÃO E DESENVOLVIMENTO DE PESSOAS EDITAL CGDP/SRH Nº 12/2013 ABERTURA E DISPOSIÇÕES GERAIS DOS CURSOS DE CAPACITAÇÃO

Leia mais

Regulamento de Estágio

Regulamento de Estágio Regulamento de Estágio Capitulo I - Do Estágio e suas Finalidades Capitulo II - Da Forma de Realização Capitulo III - Da Inscrição, Duração e Encerramento do Estágio Capitulo IV - Do Acompanhamento e Avaliação

Leia mais

PERGUNTAS FREQUENTES SOBRE O PARFOR

PERGUNTAS FREQUENTES SOBRE O PARFOR PERGUNTAS FREQUENTES SOBRE O PARFOR 1. Como são os cursos ofertados pela plataforma freire e quais os benefícios para os professores que forem selecionados? O professor sem formação poderá estudar nos

Leia mais

Departamento de Estágios FACCAMP. Procedimentos Básicos para assinatura de Convênio e Contrato de Estágio

Departamento de Estágios FACCAMP. Procedimentos Básicos para assinatura de Convênio e Contrato de Estágio Departamento de Estágios FACCAMP Procedimentos Básicos para assinatura de Convênio e Contrato de Estágio OBRIGAÇÕES DO ESTAGIÁRIO. Solicitar na Secretaria Geral da FACCAMP declaração de autorização para

Leia mais

FUNDAÇÃO EDUCACIONAL COMUNITÁRIA FORMIGUENSE CENTRO UNIVERSITÁRIO DE FORMIGA - UNIFOR

FUNDAÇÃO EDUCACIONAL COMUNITÁRIA FORMIGUENSE CENTRO UNIVERSITÁRIO DE FORMIGA - UNIFOR FUNDAÇÃO EDUCACIONAL COMUNITÁRIA FORMIGUENSE CENTRO UNIVERSITÁRIO DE FORMIGA - UNIFOR REGULAMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MARKETING (Ato de Aprovação: Resolução

Leia mais

INSTITUTO ELO CONVOCAÇÃO 73/2010 SELEÇÃO DE ASSISTENTE DE COMPRAS PARA ATUAR NA SEDE DO INSTITUTO ELO

INSTITUTO ELO CONVOCAÇÃO 73/2010 SELEÇÃO DE ASSISTENTE DE COMPRAS PARA ATUAR NA SEDE DO INSTITUTO ELO INSTITUTO ELO CONVOCAÇÃO 73/2010 SELEÇÃO DE ASSISTENTE DE COMPRAS PARA ATUAR NA SEDE DO INSTITUTO ELO OBJETO O Instituto Elo, associação privada sem fins lucrativos qualificada como Organização da Sociedade

Leia mais

Instruções para se fazer o estágio obrigatório

Instruções para se fazer o estágio obrigatório Instruções para se fazer o estágio obrigatório 1. O estágio é obrigatório para se concluir o curso de Publicidade O estágio obrigatório está previsto no Projeto Pedagógico do curso de Publicidade e Propaganda

Leia mais

Regulamento dos Cursos do Programa ESMP-VIRTUAL

Regulamento dos Cursos do Programa ESMP-VIRTUAL Regulamento dos Cursos do Programa ESMP-VIRTUAL A DIRETORA DA ESCOLA SUPERIOR DO MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE GOIÁS no exercício de suas atribuições legais, com fundamento no art. 65, inciso II da Lei

Leia mais

REGULAMENTO PARA PARTICIPAÇÃO NO CURSO DE FORMAÇÃO TÉCNICA EM TESTES DE SOFTWARE PARA PESSOAS COM DEFICIÊNCIA

REGULAMENTO PARA PARTICIPAÇÃO NO CURSO DE FORMAÇÃO TÉCNICA EM TESTES DE SOFTWARE PARA PESSOAS COM DEFICIÊNCIA REGULAMENTO PARA PARTICIPAÇÃO NO CURSO DE FORMAÇÃO TÉCNICA EM TESTES DE SOFTWARE PARA PESSOAS COM DEFICIÊNCIA 1. APRESENTAÇÃO Este regulamento apresenta as regras e os critérios estabelecidos pelo Núcleo

Leia mais

GUIA PARA REALIZAÇÃO DE ESTÁGIO E TCC - LOGÍSTICA

GUIA PARA REALIZAÇÃO DE ESTÁGIO E TCC - LOGÍSTICA GUIA PARA REALIZAÇÃO DE ESTÁGIO E TCC - LOGÍSTICA Este guia é um resumo das normas sobre Estágio e Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) contidos no Projeto Pedagógico do Curso Superior de Tecnologia em

Leia mais

Edição 2014 REGULAMENTO PROGRAMA DESENVOLVENDO TALENTOS 2014

Edição 2014 REGULAMENTO PROGRAMA DESENVOLVENDO TALENTOS 2014 REGULAMENTO PROGRAMA DESENVOLVENDO TALENTOS 2014 1- Das Disposições Preliminares Em Pato Branco, o NTI APL TI Sudoeste-PR é reconhecido e faz parte do SRI- Sistema Regional de Inovação. Ambos buscam disseminar

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos LEI Nº 12.881, DE 12 DE NOVEMBRO DE 2013. Mensagem de veto Dispõe sobre a definição, qualificação, prerrogativas e finalidades das

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Universidade Federal de Campina Grande Secretaria de Recursos Humanos Coordenação de Gestão e Desenvolvimento de Pessoas

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Universidade Federal de Campina Grande Secretaria de Recursos Humanos Coordenação de Gestão e Desenvolvimento de Pessoas MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Universidade Federal de Campina Grande Secretaria de Recursos Humanos Coordenação de Gestão e Desenvolvimento de Pessoas EDITAL CGDP/SRH Nº 12/2011 ABERTURA E DISPOSIÇÕES GERAIS

Leia mais

GT de Graduação Estágio. Adriana Ferreira de Faria (UFV)

GT de Graduação Estágio. Adriana Ferreira de Faria (UFV) XII Encep Encontro Nacional de Coordenadores de Cursos de EP 21 a 23 de Maio de 2007 - Bauru GT de Graduação Estágio Adriana Ferreira de Faria (UFV) Legislação do Estágio Regulamentação no Brasil: Lei

Leia mais

COMUNICADO DE PROCESSO SELETIVO- Nº 0007-2015. CARGO: Instrutor II Engenharia de Segurança MANAUS. SENAI - Amazonas

COMUNICADO DE PROCESSO SELETIVO- Nº 0007-2015. CARGO: Instrutor II Engenharia de Segurança MANAUS. SENAI - Amazonas COMUNICADO DE PROCESSO SELETIVO- Nº 0007-2015 CARGO: Instrutor II Engenharia de Segurança MANAUS SENAI - Amazonas O Departamento de Gestão de Pessoas do Sistema Federação das Indústrias do Estado do Amazonas

Leia mais

10/2011 750364/2010 SDH/PR

10/2011 750364/2010 SDH/PR Cotação Prévia de Preço n 10/2011 Convênio nº 750364/2010 SDH/PR Projeto: Desenvolver processos de educação popular, visando a garantia dos direitos humanos e fortalecimento da cidadania, na perspectiva

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE SECRETARIA DE RECURSOS HUMANOS COORDENAÇÃO DE GESTÃO E DESENVOLVIMENTO DE PESSOAS EDITAL CGDP/SRH Nº 13/2011

UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE SECRETARIA DE RECURSOS HUMANOS COORDENAÇÃO DE GESTÃO E DESENVOLVIMENTO DE PESSOAS EDITAL CGDP/SRH Nº 13/2011 UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE SECRETARIA DE RECURSOS HUMANOS COORDENAÇÃO DE GESTÃO E DESENVOLVIMENTO DE PESSOAS EDITAL CGDP/SRH Nº 13/2011 ABERTURA E DISPOSIÇÕES GERAIS DO CURSO PREPARATÓRIO PARA

Leia mais

ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Coordenador: Prof. M.Sc. André Weizmann União da Vitória/PR 2012 1 O Estágio no Curso de Bacharelado em Sistemas de Informação das Faculdades Integradas

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE SECRETARIA DE RECURSOS HUMANOS COORDENAÇÃO DE GESTÃO E DESENVOLVIMENTO DE PESSOAS EDITAL CGDP/SRH Nº 010/2013

UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE SECRETARIA DE RECURSOS HUMANOS COORDENAÇÃO DE GESTÃO E DESENVOLVIMENTO DE PESSOAS EDITAL CGDP/SRH Nº 010/2013 UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE SECRETARIA DE RECURSOS HUMANOS COORDENAÇÃO DE GESTÃO E DESENVOLVIMENTO DE PESSOAS EDITAL CGDP/SRH Nº 010/2013 ABERTURA E DISPOSIÇÕES GERAIS DO CURSO DE ELABORAÇÃO

Leia mais

Lista de documentos mínimos necessários para o início do processo de solicitação de autorização de funcionamento por Modalidade

Lista de documentos mínimos necessários para o início do processo de solicitação de autorização de funcionamento por Modalidade Lista de documentos mínimos necessários para o início do processo de solicitação de autorização de funcionamento por Modalidade Administradora de Benefícios Documento Requerimento formal solicitando a

Leia mais

ESTADO DE GOIÁS SECRETARIA DA SEGURANÇA PÚBLICA CORPO DE BOMBEIROS MILITAR

ESTADO DE GOIÁS SECRETARIA DA SEGURANÇA PÚBLICA CORPO DE BOMBEIROS MILITAR ESTADO DE GOIÁS SECRETARIA DA SEGURANÇA PÚBLICA CORPO DE BOMBEIROS MILITAR COMANDO DE OPERAÇÕES DE DEFESA CIVIL Departamento de Proteção Contra Incêndio, Explosão e Pânico NORMA TÉCNICA n. 39/2009 Credenciamento

Leia mais

REGULAMENTO GERAL ESTÁGIO SUPERVISIONADO LICENCIATURA

REGULAMENTO GERAL ESTÁGIO SUPERVISIONADO LICENCIATURA REGULAMENTO GERAL ESTÁGIO SUPERVISIONADO LICENCIATURA APRESENTAÇÃO 1. CARGA HORÁRIA DE ESTÁGIO 2. A COORDENAÇÃO DE ESTÁGIOS 2.1. SUPERVISÃO GERAL DE ESTÁGIOS 2.2. COORDENADORES DE CURSO 2.3. PROFESSORES

Leia mais

REGULAMENTO GERAL DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES PARA OS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA FACERES CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

REGULAMENTO GERAL DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES PARA OS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA FACERES CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES REGULAMENTO GERAL DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES PARA OS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA FACERES CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º As Atividades Complementares são componentes curriculares obrigatórios

Leia mais

GOVERNO DO MUNICIPIO DE CONSELHEIRO LAFAIETE GABINETE DO PREFEITO

GOVERNO DO MUNICIPIO DE CONSELHEIRO LAFAIETE GABINETE DO PREFEITO LEI N o 5.641, DE 23 DE JUNHO DE 2014. RECONHECE A PESSOA COM TRANSTORNO DO ESPECTRO AUTISTA COMO PORTADORA DE DEFICIÊNCIA PARA OS FINS DE FRUIÇÃO DOS DIREITOS ASSEGURADOS PELA LEI ORGÂNICA E PELAS DEMAIS

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MONTES CLAROS SECRETARIA DOS CONSELHOS RESOLUÇÃO N 182 CEPEX/2006

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MONTES CLAROS SECRETARIA DOS CONSELHOS RESOLUÇÃO N 182 CEPEX/2006 SECRETARIA DOS CONSELHOS RESOLUÇÃO N 182 CEPEX/2006 APROVA A ALTERAÇÃO DA SIGLA DO NÚCLEO DE PROPRIEDADE INTELECTUAL E INOVAÇÃO TECNOLÓGICA E O SEU REGIMENTO O Reitor e Presidente do CONSELHO DE ENSINO,

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO AMBIENTAL

REGULAMENTO DE ESTÁGIO DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO AMBIENTAL Faculdade de Ciências Biomédicas de Cacoal CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO AMBIENTAL REGULAMENTO DE ESTÁGIO DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO AMBIENTAL Cacoal RO REGULAMENTO DE ESTÁGIOS

Leia mais

Edital para publicação no site período de 23 a 30 de junho de 2013 PROJETO BRA/04/029 Seleciona CONSULTOR na modalidade PRODUTO* CÓD.

Edital para publicação no site período de 23 a 30 de junho de 2013 PROJETO BRA/04/029 Seleciona CONSULTOR na modalidade PRODUTO* CÓD. Edital para publicação no site período de 3 a 30 de junho de 013 PROJETO BRA/04/09 Seleciona CONSULTOR na modalidade PRODUTO* CÓD. TRILHAS Os currículos deverão ser encaminhados para o endereço eletrônico

Leia mais