Fax: Telefone: Fax: Fax: PricewaterhouseCoopers Auditores Independentes Código CVM: Responsável técnico Nome:

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Fax: Telefone: Fax: Fax: PricewaterhouseCoopers Auditores Independentes Código CVM: 00287-9 Responsável técnico Nome:"

Transcrição

1 01 - Dados da Empresa Identificação Código CVM: Denominação Social: COMPANHIA DE BEBIDAS DAS AMÉRICAS-AMBEV CNPJ: / Denominação Comercial: AMBEV Denominação Social Anterior: NIRE: Sede Endereço Completo: Av. Maria Coelho Aguiar, Bloco F, 6º andar Bairro ou Distrito: Santo Amaro CEP: Município: São Paulo UF: SP DDD: 011 Telefone: Telefone: Telefone: Telex: DDD: 011 Fax: Fax: Fax: da Cia.: Departamento de Acionistas Nome do Contato: Nilson Casemiro Antonio Rodrigues Junior Cargo do Contato: Analista Financeiro Pleno Endereço para Correspondência: Av.Maria Coelho Aguiar, Bloco F - 6o. andar Bairro ou Distrito: Santo Amaro CEP: Município: São Paulo UF: SP DDD: 011 Telefone: Telefone: Telefone: Telex: DDD: 011 Fax: Fax: Fax: do Departamento: Outros Locais de Atendimento a Acionistas Item: Município: UF: DDD: Telefone: Telefone: Diretor de Relações com Investidores (Endereço para Correspondência com a Companhia) Nome do Diretor: Luis Felipe Pedreira Dutra Leite Endereço para Correspondência: Av. Maria Coelho Aguiar, Bloco F, 7o.andar Bairro ou Distrito: Santo Amaro CEP: Município: São Paulo UF: SP DDD: 011 Telefone: Telefone: Telefone: Telex: DDD: 011 Fax: Fax: Fax: do Diretor: Referência/Auditor Início: Término: Último Exercício Social: 1/1/00 12/31/00 Exercício Social em Curso: 1/1/01 12/31/01 Auditor Nome/Razão Social: PricewaterhouseCoopers Auditores Independentes Código CVM: Responsável técnico Nome: Francisco Henrique Passos Fernandes CPF: Características da Empresa Bolsa de Valores Onde Possui Registro: BVSP Mercado de Negociação: Bolsa Tipo de Situação: Operacional Código de Atividade: Participaçao e Administraçao Atividade Principal: Administração e Participações Controle Acionário/Valores Mobiliários Natureza do Controle Acionário: Valores Mobiliários Emitidos Pela Cia.: Publicações de Documentos Data da Publicação do Aviso aos Acionistas sobre Disponibilidade das DFs:

2 Data da Publicação da Ata da AGO que Aprovou as DFs: 4/27/01 Data da Publicação da Convocação da AGO para Aprovação das DFs: 3/29/01 Data da Publicação das Demonstrações Financeiras: 3/8/ Jornais Onde a Companhia Divulga Informações Item: Título do Jornal: UF: 01 Diário Oficial do Estado de SP SP 02 Gazeta Mercantil- Ed. Nacional SP Diretor de Relações com Investidores Data: 5/24/01 Assinatura: Não disponível

3 02 - Administração Composição Atual do Conselho de Administração e Diretoria Item: Nome do Data da Prazo do CPF: Administrador: Eleição: Mandato: CTA*: Função: 01 CARLOS ALBERTO DA VEIGA SICUPIRA /1/99 3 ANOS 2 CONSELHEIRO 02 VICTÓRIO CARLOS DE CO-PRESIDENTE DO 7/1/99 3 ANOS 2 MARCHI CONSELHO 03 JORGE PAULO LEMANN /1/99 3 ANOS 2 CONSELHEIRO 04 JOSE DE MAIO PEREIRA DA SILVA /1/99 3 ANOS 2 CONSELHEIRO 05 JOSE HEITOR ATTILIO GRACIOSO /1/99 3 ANOS 2 CONSELHEIRO 06 MARCEL HERRMANN CO-PRESIDENTE DO 7/1/99 3 ANOS 2 TELLES CONSELHO 07 ROBERTO HERBSTER GUSMÃO /1/99 3 ANOS 2 CONSELHEIRO 08 ROBERTO MOSES /1/99 THOMPSON MOTTA ANOS 2 CONSELHEIRO SUPLENTE 09 VICENTE FALCONI CAMPOS /1/99 3 ANOS 2 CONSELHEIRO SUPLENTE 10 MIGUEL NUNO DA /30/00 MATA PATRÍCIO ANOS 1 DIRETOR DE MARKETING 11 MAGIM RODRIGUEZ JUNIOR /27/01 2 ANOS 1 DIRETOR GERAL 12 LUIS FELIPE DIRETOR FINAC. E DE REL PEDREIRA DUTRA 4/27/01 2 ANOS COM O INVESTIDOR LEITE 13 CARLOS ALVES DE BRITO /27/01 2 ANOS 1 DIRETOR DE VENDAS 14 CLAUDIO BRAZ FERRO /27/01 2 ANOS 1 DIRETOR INDUSTRIAL 15 GUILHERME RODOLFO DIRETOR DE LOGÍSTICA E 4/27/01 2 ANOS 1 LAAGER INFORMAÇÃO 16 JUAN MANUEL /27/01 2 ANOS 1 DIRETOR GERAL DE VERGARA GALVIS MAURÍCIO LUIS LUCHETTI JOSÉ ADILSON MIGUEL /27/01 2 ANOS REFRIGERANTES DIRETOR DE GENTE E QUALIDADE 6/30/00 2 ANOS 1 DIRETOR DE REVENDAS * CTA - Código Tipo do 1 - Pertence apenas à Diretoria; Administrador: 2 - Pertence apenas ao Conselho de Administração; 3 - Pertence à Diretoria e ao Conselho de Administração Experiência Profissional e Formação Acadêmica de cada Conselheiro e Diretor CARLOS ALBERTO DA VEIGA SICUPIRA Data de Nascimento: Formação Acadêmica: Administração de Empresas UFRJ Diretor da GP Investimentos S/C Ltda, Presidente do Conselho de Administração das Lojas Americanas S.A e Ex-Diretor do Banco de Investimento Garantia S.A Foi Diretor responsável pela área de corporate finance do Banco de Investimentos Garantia até 1983, tornandose então Presidente do Conselho de Administração e Diretor Superintendente das Lojas Americanas, cargo que ocupou até Atualmente ocupa os cargos de Presidente do Conselho das Lojas Americanas S.A, Presidente do Conselho da Artex S.A Fábrica de Artefatos Têxteis (desde 1983) e Conselheiro e Diretor da Polônia Participações ( desde 1993). Membro efetivo do Conselho de Administração da AmBev eleito em com mandato de 03 anos. JORGE PAULO LEMANN Data de Nascimento :

4 Formação Acadêmica : Economia - Harvard University Membro de Conselho de Administração da Companhia Cervejaria Brahma com mandato até AGO de 2002, membro do Conselho de Administração das Lojas Americanas S.A. e foi Diretor Superintendente do Banco Garantia S.A. Membro efetivo do Conselho de Administração da AmBev eleito em com mandato de 03 anos. JOSÉ DE MAIO PEREIRA DA SILVA Data de Nascimento: Formação Acadêmica: Ginásio Nossa Senhora do Carmo Ingressou na Companhia Antarctica Paulista IBBC em 1938, ocupando, gradativamente, funções de confiança. Foi eleito Diretor em 1958 e reeleito nas Assembléias seguintes até 1978, quando, em função, da adequação dos estatutos à Lei nº 6.404/76, passou a exercer os cargos de membro do Conselho de Administração e o de Diretor Administrativo. Na Assembléia de 21/02/94, em razão de nova adequação estatutária, foi reeleito membro do Conselho de Administração e, presidiu esse órgão de 28/04/98 até 27/04/99. Acumula, ainda, os cargos de membro do Conselho Administrativo e Diretor Administrativo do Grupo Antarctica e desde 30/04/98 o de membro dos Conselhos de Administração da I.B. Antarctica do Norte-Nordeste S/A e da I.B. Antarctica-Polar S/A. É membro do Comitê de Administração da ANEP - Antarctica Empreendimentos e Participações Ltda. e Diretor da Antarctica USA, Inc, além de integrar o Conselho Orientador da Fundação Antonio e Helena Zerrenner - Instituição Nacional de Beneficência. Membro efetivo do Conselho de Administração da AmBev eleito em com mandato de 03 anos. JOSÉ HEITOR ATTÍLIO GRACIOSO Data de nascimento: Formação Acadêmica: Técnico em Contabilidade; cursou a Escola Superior de Propaganda de são Paulo e Administração de Empresas da Fundação Getúlio Vargas; é Bacharel em Direito, pela Faculdade de Direito de São Bernardo do Campo. Ingressou na Companhia Antarctica Paulista IBBC em 1946, como empregado, onde exerceu diversas funções relevantes, incluindo em a Gerência da Filial Belo Horizonte, e em 1971 a Gerência da Filial do Rio de Janeiro e a Diretoria da INORBE Indústria Nordestina de Bebidas S/A (Salvador) em Em 1972 foi eleito Diretor Adjunto em São Paulo e em 1973 Diretor, passando em 1978 a Diretor Comercial, cargo que ocupou até 21/02/94, quando foi eleito membro do Conselho de Administração, de cujo órgão, em 28/04/98 foi eleito por seus pares, Vice-Presidente e em 27/04/99 Presidente. Exerce também o cargo de membro do Conselho Administrativo e de Diretor Comercial do Grupo Antarctica. Desde 30/04/98 exerce o cargo de membro do Conselho de Administração da I.B. Antarctica do Norte-Nordeste S/A e da I.B. Antarctica-Polar S/A. Integra, ainda, o Comitê de Administração da ANEP - Antarctica Empreendimentos e Participações Ltda. e a Diretoria da Antarctica USA, Inc. Membro efetivo do Conselho de Administração da AmBev eleito em com mandato de 03 anos. MARCEL HERRMANN TELLES Data de Nascimento : Formação Acadêmica : Economia - UFRJ Admitido na Companhia Cervejaria Brahma em Eleito Diretor Geral em Reunião do Conselho de Administração realizada em Reeleito em e em Eleito Presidente do Conselho de Administração em e reeleito em e com mandato até a AGO de Co-presidente do Conselho de Administração da AmBev eleito em com mandato de 03 anos. ROBERTO HERBSTER GUSMÃO Data de Nascimento: Formação Acadêmica: Bacharel em Direito, formado em 1949 pela Faculdade de Direito da Universidade de Minas Gerais. Curso de Especialização em Direito Social e Sociologia Industrial; curso de Extensão Universitária de Economia e Desenvolvimento Econômico do Brasil; curso da Escola Superior de Guerra, pela Universidade de São Paulo; Professor Fundador da Escola de Administração de Empresas de São Paulo, da Fundação Getúlio Vargas, dos cursos de graduação e pós-graduação, no período de 1954 a Ministro da Indústria e Comércio (1985 e 1986); Membro do Conselho Monetário Nacional (1985 e 1986); Secretário de Estado-Chefe da Casa Civil do Estado de São Paulo (1983 a 1985); Presidente do Banco de Desenvolvimento do Estado de São Paulo-BADESP e membro do Conselho de Administração do Banco do Estado de São Paulo - BANESPA (1982 e 1983); Delegado Regional do Trabalho no Estado de São Paulo (1959 a 1963); Ex-Procurador da Justiça do Trabalho junto ao Tribunal Regional do Trabalho, em São Paulo; Membro do Conselho Consultivo da CIESP/FIESP (1982 a 1985); Membro do Conselho de Orientação Política e Social

5 da FIESP (1995 a 1998); Diretor Presidente da Cervejaria Antarctica-Niger S.A. (1971 a 1998). Exerce, atualmente, os cargos de Membro do Conselho Administrativo do Grupo Antarctica e do Conselho de Administração da Companhia Antarctica Paulista, sendo que, em 27/04/99, foi eleito por seus pares, Vice- Presidente desse órgão. É membro do Conselho Orientador da Fundação Antonio e Helena Zerrenner - Instituição Nacional de Beneficência e do Conselho Consultivo da Fundação Getúlio Vargas. Membro efetivo do Conselho de Administração da AmBev eleito em com mandato de 03 anos. ROBERTO MOSES THOMPSON MOTTA Data de Nascimento: Formação Acadêmica: Engenharia PUC e Mestrado em Administração de Empresas pela Wharton School da Universidade da Pennsylvania. Diretor da GP Investimentos S/C Ltda; Diretor e membro do comitê de investimentos da GP Investimentos S/C Ltda (desde 1993), Conselheiro da Artex S.A Fábrica de Artefatos Têxteis ( desde 1993) e Diretor da Polônia Participações S.A ( desde 1993). Trabalhou no departamento de corporate finance do Banco de Investimentos Garantia de 1986 a Membro suplente do Conselho de Administração da AmBev eleito em com mandato de 03 anos. VICENTE FALCONI CAMPOS Data de Nascimento: Formação Acadêmica: Engenharia de Minas e Metalurgia pela UFMG Presidente do Conselho de Instituidores da Fundação de Desenvolvimento Gerencial FDG, que atualmente esta conduzindo o Projeto Gestão pela Qualidade Total. Consultor de grandes grupos empresariais, empresas nacionais e multinacionais e do Governo Brasileiro. Autor de diversas obras na áreas de Gestão pela Qualidade Total que totalizaram a venda de exemplares. Membro suplente do Conselho de Administração da AmBev eleito em com mandato de 03 anos. VICTÓRIO CARLOS DE MARCHI Data de Nascimento: Formação Acadêmica: Bacharel em Ciências Econômicas, pela Faculdade de Economia, Finanças e Administração de São Paulo e Bacharel em Ciências Jurídicas, pela Faculdade de Direito de São Bernardo do Campo. Ingressou na Companhia Antarctica Paulista IBBC em 1961, onde exerceu, como empregado, inúmeras funções de relevância e confiança culminando com sua indicação para Diretor Adjunto, em 1972, e para Diretor em Em 1978, em função da adequação dos estatutos à Lei nº 6.404/76, passou a integrar o Conselho de Administração e exercer o cargo de Diretor Financeiro e de Relações com o Mercado. Desde 28/04/98 exerce o cargo de Diretor Geral. Acumula, ainda, os cargos de membro do Conselho Administrativo e Diretor Financeiro do Grupo Antarctica e desde 30/04/98 exerce o cargo de membro do Conselho de Administração da I.B. Antarctica do Norte-Nordeste S/A e da I.B. Antarctica-Polar S/A. Faz parte do Comitê de Administração da ANEP - Antarctica Empreendimentos e Participações Ltda. Membro do Conselho Orientador da Fundação Antonio e Helena Zerrenner - Instituição Nacional de Beneficência. É Presidente do Sindicato Nacional da Indústria da Cerveja - SINDICERV, Membro do Conselho Superior de Economia da FIESP, do Capítulo Brasileiro do CEAL - Conselho de Empresários da América Latina e do Conselho Consultivo da Anheuser- Busch International, Inc. Co-presidente do Conselho de Administração da AmBev eleito em com mandato de 03 anos. MAGIM RODRIGUEZ JÚNIOR Data de Nascimento: Formação Acadêmica: Administração de Empresas e Ciências Contábeis - Universidade Mackenzie e Pós Graduação na Fundação Getúlio Vargas. Admitido na Companhia Cervejaria Brahma em Eleito Diretor de Marketing na Reunião do Conselho de Administração realizada em Em foi eleito Diretor Superintendente, sendo reeleito em e em foi eleito Diretor Geral e reeleito em com mandato até AGO de Diretor Geral da AmBev reeleito em com mandato de 02 anos. LUIS FELIPE PEDREIRA DUTRA LEITE Data de Nascimento: Formação Acadêmica: Ciências Econômicas Faculdades Cândido Mendes e M.B.A Controller USP Universidade de São Paulo. Admitido na Companhia Cervejaria Brahma em como Operador de Mercado Aberto passando em a Gerente de Operações Financeiras, em a Gerente de Finanças e em novembro de 1997

6 passou a Gerente de Operações dos Produtos não alcoólicos e não carbonatados (New Age), na Reunião do Conselho de Administração de , foi eleito Diretor Financeiro e de Relações com o Mercado e reeleito em 28/04/2000 com mandato até a AGO de Diretor Financeiro e de Relações com Investidores da AmBev reeleito em com mandato de 02 anos. CARLOS ALVES DE BRITO Data de Nascimento : Formação Acadêmica : Engenheiro Mecânico - UFRJ Admitido na Companhia Cervejaria Brahma em Em 1991 passou a Gerente da Filial Agudos. Em foi eleito Diretor, passando a Diretor de Vendas em março de 1997 e reeleito em e até a AGO de Diretor de Vendas da AmBev eleito em com mandato de 02 anos. CLÁUDIO BRAZ FERRO Data de Nascimento : Formação Acadêmica : Química Industrial - Universidade Santa Maria de Porto Alegre. Admitido na Companhia Cervejaria Brahma em como Cervejeiro. Em 1978 passou a Chefe da Divisão de Produção da Filial Londrina e em 1982 a Chefe da Divisão de Engarrafamento. Em 1987 passou a Gerente do Departamento Industrial e em 1993 a Gerente de fábrica da Filial Águas da Serra e em maio do mesmo ano a Gerente de Fábrica da Filial Rio. Em foi eleito Diretor Industrial e reeleito em e com mandato até a AGO de Diretor Industrial da AmBev eleito em com mandato de 02 anos. GUILHERME RODOLFO LAAGER Data de Nascimento : Formação Acadêmica : Engenheiro Civil Universidade Federal do Rio de Janeiro Admitido na Companhia Cervejaria Brahma em como Gerente de Importação. Promovido a Gerente da Filial Minas em 1993 e da Filial Jacareí em 1996, sendo eleito a Diretor de Suprimentos em e reeleito em e até AGO de Diretor de Logística e Informação da AmBev eleito em com mandato de 02 anos. JUAN MANUEL VERGARA GALVIS Data de Nascimento: Formação Acadêmica : Administração de Empresas Colégio de Estudos Superiores de Administração Bogotá Colômbia. Admitido na Companhia Cervejaria Brahma em como Diretor de Marketing e reeleito em e até AGO de Eleito Diretor Geral de Refrigerantes da AmBev em com mandato de 02 anos. MAURICIO LUIS LUCHETTI Data de Nascimento: Formação Acadêmica : Administração de Empresas Pontifícia Universidade Católica (PUC) do Rio de Janeiro. Admitido na Companhia Cervejaria Brahma em 1985 na área de distribuição. Após uma passagem pela gerência das unidades fabris de Brasília e Agudos, assumiu a diretoria de vendas da região oeste do Brasil em Em 1998 passou à Diretoria de Gente e Qualidade, posição que ocupa atualmente. Diretor de Gente e Qualidade da AmBev eleito em com mandato de 02 anos. JOSÉ ADILSON MIGUEL Data de Nascimento: Admitido na Companhia em Em 1964, passou a encarregado de vendas da Filial Curitiba e em 1970 foi promovido a Gerente Comercial e em 1976 a Gerente de Marketing. Eleito Diretor de Marketing em Eleito em 1990 ao cargo de Diretor de Revendas. Diretor de Revendas da AmBev eleito em com mandato de 02 anos. MIGUEL NUNO DA MATA PATRÍCIO Data de Nascimento: Formação Acadêmica: Administração de empresas Fundação Getúlio Vargas. Admitido na Companhia em setembro de 1999 como gerente de Marketing da Antarctica. Diretor de Marketing da AmBev eleito em com mandato de 02 anos.

7 03 - Distribuição do Capital Eventos Relativos à Distribuição do Capital Evento Base: AGO/AGE Data do Evento: 4/27/01 Pessoas Físicas e Jurídicas: Investidores Institucionais: 380 Acordo de Acionistas: Sim Ações Preferenciais com Direito a Voto: Não Ações Prefer. com Direito a Voto: Posição Acionária dos Acionistas com mais de 5% de Ações com Direito a Voto Item: Nome/Razão Social: CPF/CNPJ: Nacionalidade: UF: Ações Ordinárias Percen Ações Preferenciais Percen (Unidades): tual: (Unidades): tual: Total de Ações Percen Participante do Acordo Comp. Cap. Social: (Unidades): tual: de Acionistas: Controlador: 01 FAHZ-Fundação Antonio e Helena Zerrenner / Brasileira SP , , ,44 4/30/01 Sim Sim 02 Empresa de Adm. e Participações SA-ECAP / Brasileiro SP ,28 0 0, ,30 4/30/01 Sim Sim 0201 Braco SA / Brasileira SP , , ,64 4/30/ Tinsel Participações Ltda / Brasileira SP 0 0, , ,77 4/30/ Tinsel Investiments Inc. Exterior ,00 0 0, ,00 4/19/ Outros 4 0,00 0 0,00 4 0, TOTAL ,00 0 0, , Marcel Herrmann Telles Brasileira SP , , , Carlos Alberto da Veiga Sicupira Brasileira SP , , , Claudio Luiz da Silva Haddad Brasileira SP , , , Jorge Paulo Lemann Brasileira SP , , , Outros , , , TOTAL , , ,00

8 0202 Outros , , ,36 4/30/ TOTAL , , ,00 03 Braco SA / Brasileira SP ,80 0 0, ,47 4/30/01 Sim Sim 0301 Marcel Herrmann Telles Brasileira SP , , , Carlos Alberto da Veiga Sicupira Brasileira SP , , , Claudio Luis da Silva Haddad Brasileira SP , , , Jorge Paulo Lemann Brasileira SP , , , Tinsel Participações Ltda / Brasileira SP 0 0, , ,77 4/30/ Tinsel Investiments Inc. Exterior ,00 0 0, ,00 4/19/ Outros 2 0,00 0 0,00 2 0, TOTAL ,00 0 0, , Outros , , , TOTAL , , ,00 97 AÇÕES EM TESOURARIA , , ,75 98 OUTROS , , ,04 99 TOTAL , , , Distribuição do Capital Social dos Controladores até o Nível de Pessoa Física Item: Nome/ Razão Social: CPF/ CNPJ: Nacionalidade: UF: Ações Ordinárias Perce Ações Preferenciais Perce Ações/ Cotas Total Perce Comp. (Unidades): ntual: (Unidades): ntual: (Unidades): ntual: Cap. Soc.: 01 FAHZ-Fundação Antonio e Helena /0001- Brasileira Zerrenner 67 SP , , ,

9 02 Empresa de Adm. e Participações SA /0001- Brasileiro ECAP 99 SP ,28 0 0, , Braco SA /0001- Brasileira 60 SP , , , Tinsel Participações Ltda /0001- Brasileira 97 SP 0 0, , , Tinsel Investiments Inc. Exterior ,00 0 0, , Outros 4 0,00 0 0,00 4 0, TOTAL ,00 0 0, , Marcel Herrmann Telles Brasileira SP , , , Carlos Alberto da Veiga Sicupira Brasileira SP , , , Claudio Luiz da Silva Haddad Brasileira SP , , , Jorge Paulo Lemann Brasileira SP , , , Outros , , , TOTAL , , , Outros , , , TOTAL , , ,00 03 Braco SA /0001- Brasileira 60 SP ,80 0 0, , Marcel Herrmann Telles Brasileira SP , , , Carlos Alberto da Veiga Sicupira Brasileira SP , , , Claudio Luis da Silva Haddad Brasileira SP , , , Jorge Paulo Lemann Brasileira SP , , , Tinsel Participações Ltda /0001- Brasileira 97 SP 0 0, , , Tinsel Investiments Inc. Exterior ,00 0 0, , Outros 2 0,00 0 0,00 2 0, TOTAL ,00 0 0, , Outros , , , TOTAL , , ,00 97 AÇÕES EM TESOURARIA , , ,75 98 OUTROS , , ,04 99 TOTAL , , ,00

10 04 - Capital Social Composição do Capital Social Data da Última Alteração: 27/04/2001 It Espécie das e Ações: m: Nominativa ou Escritural: Valor Nominal (Reais): Qtd. de Ações (Unidades): Subscrito (Reais Mil): Integralizado (Reais Mil): 01 ORDINÁRIAS Escritural 0, PREFERENCIAI Escritural 0, S 03 PREFERENCIAI S CLASSE A 0, PREFERENCIAI S CLASSE B 0, PREFERENCIAI S CLASSE C 0, PREFERENCIAI S CLASSE D 0, PREFERENCIAI S CLASSE E 0, PREFERENCIAI S CLASSE F 0, PREFERENCIAI S CLASSE G 0, PREFERENCIAI S CLASSE H 0, PREFER. 11 OUTRAS 0, CLASSES 99 TOTAIS 0, Capital Social Subscrito e Alterações nos Três Últimos Anos It Data Preço da Valor do Valor da Quantidade de e da Origem da Ação na Capital Social Alteração Outros: Ações Emitidas m Alteraç Alteração: Emissão (Reais Mil): (Reais Mil): (Unidades): : ão: (Reais): 02 09/06/ /07/ /07/ /09/ /01/ /04/ /09/ /09/ /03/2 001 Subscrição 11 1 Particular em Dinheiro Subscrição em Bens ou Créditos Lei 8697 Subscrição em Bens ou Créditos ( ) Lei ( ) Lei Incorporação de Empresas ( ) Lei 8697 Subscrição Particular em Dinheiro Reratificaçã o de Subscrição Redução de Capital Redução de Capital Redução de Capital , ,23 0 0, ,38 0 0,00 0 0,00 0 0,00 0 0, ,14

11 Bonificação/Desdobramento ou Grupamento de Ações nos Três Últimos Anos It Qtd. de Ações Qtd. de Ações Data da Valor Nominal por Valor Nominal por e Antes da Depois da Aprova Ação Antes da Ação Depois da m Aprovação Aprovação ção: Aprovação (Reais): Aprovação (Reais): : (Unidades): (Unidades): Capital Social Autorizado Quantidade (Unidades): Valor (Reais Mil): Data da Autorização: /04/ Composição do Capital Autorizado Item: Espécie: Classe: Qtd. de Ações Autorizadas à Emissão (Unidades):

12 05 - Ações em Tesouraria e Outros Ativos Ações em Tesouraria e Outros Ativos Item: Espécie das Ações: Classe das Ações: Qtd. a ser Adquirida (Unidades): Montante a ser Desembolsado (Reais Mil): Reunião do Conselho: Qtd. Já Adquirida (Unidades): Partes Beneficiárias, Bônus de Subscrição ou Opção de Compra Data da Evento da Item: Valor Mobiliário: Deliberação: Deliberação: Qtd. em Circulação Valor Nominal por Unidade Vencimento: (Milhares): (Reais): Prazo para Aquisição: Montante Já Desembolsado (Reais Mil): Data da Emissão: Conversível/Exercíve l: 06 - Proventos em Dinheiro (Dividendos) Proventos em Dinheiro (Dividendos) Item Aprovação da Data da Aprovação da Provento: : Distribuição Evento: Distribuição: Término do Exercício Lucro ou Prejuízo Líquido no Social: Período: Valor do Provento por Ação: Espécie das Classe das Data de Início do Montante do Provento: Ações: Ações: Pagamento: Dividendos Retidos Ite Data da Aprovação da Even Valor Montante Valor Montante Data de Início do m: Retenção do Dividendo: to: Retido: Já Pago: Pagamento: Disposições Estatutárias Espécie Cla % % Tipo de % Tipo de % Tipo de Prev. Prê Ite Base de Direito de sse Capital Dividendo Dividendo Dividendo Reembolso de mio m: Cálculo: a Voto: Ação: : Social: Fixo: Mínimo: : Capital: : 01 Ordinari a Lucro Não Não Sim 02 Preferen cial Lucro Sim Sim Não Modificação Estatutária Data da Última Modificação do Estatuto: 27/04/2001 Dividendo Obrigatório (% do Lucro): 27.50

13 07 - Participações e Remunerações Remuneração e Participação dos Administradores no Lucro Participação dos Administradores no Lucro: Sim Valor da Remuneração Global dos Administradores (Reais Mil): 100 Periodicidade: Anual Participações e Contribuições Data Final do Último Exercício Social: 31/12/1999 Data Final do Penúltimo Exercício Social: 31/12/1998 Data Final do Antepenúltimo Exercício 31/12/1998 Social: Item : Descrição das Participações e Contribuições: Valor do Último Exercício (Reais Mil): Valor do Penúltimo Exercício (Reais Mil): Valor do Antepenúltimo Exercício (Reais Mil): 01 PARTICIPAÇÕES- DEBENTURISTAS PARTICIPAÇÕES- EMPREGADOS PARTICIPAÇÕES- ADMINISTRADORES PARTIC.-PARTES BENEFICIÁRIAS CONTRIBUIÇÕES FDO. 05 ASSISTÊNCIA CONTRIBUIÇÕES FDO. 06 PREVIDÊNCIA OUTRAS CONTRIBUIÇÕES LUCRO LÍQUIDO NO 08 EXERCÍCIO PREJUÍZO LÍQUIDO NO 09 EXERCÍCIO Participações em Sociedades Controladas/Coligadas Item: Razão Social da Controlada/Coligada: CNPJ: Classificação: % Participação no % Patrimônio Líquido Tipo de Empresa: Início do Último Exercício Social: Qtd. de Ações/Cotas no Penúltimo Exercício Social (Unidades): Final do Último Exercício Social: Capital da Investida: Início do Antepenúltimo Exercício Social: da Investidora: Qtd. de Ações/Cotas no Último Exercício Social (Unidades): Final do Antepenúltimo Exercício Social: Início do Penúltimo Exercício Social: Final do Penúltimo Exercício Social: Qtd. de Ações/Cotas no Antepenúltimo Exercício Social (Unidades): 01 COMPANHIA CERVEJARIA BRAHMA / ,00 Industrial, comercial e 53,95 outras / /0 / /0 0 / /0 / /0 0 / /0 / / COMPANHIA ANTARCTICA PAULISTA / ,00 Industrial, comercial e 55,03 outras / /0 / /0 0 / /0 / /0 0 / /0 / / HOHNECK S/A Industrial, comercial e 100,00-3,87 outras / /0 / /0 0 / /0 / /0 0 / /0 / /0 0

14 08 - Características das Emissões de Debêntures Características da Emissão Pública ou Particular de Debêntures Nº de Ordem Nº de Registro Data de Registro Item: Série Emitida: da Emissão: na CVM: na CVM: Natureza da Emissão: Prêmio/Desagio: Títulos Tesouraria (Unidade): Data de Emissão: Valor Nominal (Reais): Títulos Resgatados (Unidade): Data de Vencimento: Montante Emitido (Reais Mil): Títulos Convertidos (Unidade): Tipo de Emissão: Condição de Espécie da Garantia: Remuneração Vigente: Qtd. de Títulos Emitidos (Unidade): Títulos a Colocar (Unidade): Títulos Circulação (Unidade): Última Próximo Repactuaç Evento: ão: Breve Histórico da Empresa Empresa constituída em 09/1998, tendo permanecido em fase pré-operacional até o mês de 06/1999. Em a empresa tornou-se controladora das empresas COMPANHIA ANTARCTICA PAULISTA e COMPANHIA CERVEJARIA BRAHMA, mediante a conferência ao Capital Social da AmBev das ações possuídas pelos controladores destas empresas. Em é publicado o anúncio do acordo de licenciamento entre a Pepsi-Cola Internacional e a AmBev para a comercialização do Guaraná Antarctica em 175 países Em o CADE (Conselho Administrativo de Defesa Econômica) aprova a fusão de Brahma e Antarctica, para a constituição da Companhia de Bebidas das Américas - AmBev. Em a AmBev assinou um termo de compromisso de desempenho com o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade), estabelecendo as medidas necessárias ao cumprimento da decisão do Cade. Em a Companhia passa a ser listada na Bolsa de Valores de Nova York (NYSE), lançando os ADRs (American Depositary Receipts) da AmBev em substituição aos da Brahma, negociados desde junho de Em a AmBev e o Groupe Danone adquiriram através de uma joint company, 57,34% das ações da Compañia Salus S/A, segunda maior cervejaria uruguaia e líder do mercado local de água mineral. Em a Ambev e a Souza Cruz anunciam um projeto para a criação de um portal B2B denominado Agrega.com. Em a AmBev formaliza, a venda da companhia Bavaria S/A à canadense Molson Inc, em cumprimento à determinação do Cade. Em a AmBev informa a aquisição de 95,4% do capital da Cervecería y Malteria Paysandú S/A (Cympay), do Uruguai Características do Setor de Atuação A Companhia é uma holding que tem como subsidiárias empresas atuando no setor de bebidas, através da fabricação e comercialização de cerveja, chope, refrigerantes, malte, essências, águas, chás, isotônicos, sucos e concentrados de frutas naturais. A indústria de cerveja brasileira é a quarta maior do mundo em produção, tendo como líderes os EUA, a China e a Alemanha. Quanto a refrigerantes, o Brasil ocupa o terceiro lugar em produção mundial, sendo ultrapassado apenas pelos EUA e pelo México. A estrutura do mercado modificou significativamente nos anos 90, se tornando extremamente competitivo, com novos produtores nacionais e internacionais entrando no mercado, consumidores mais exigentes e bastante sensíveis a preço.

15 No segmento de refrigerantes, o mercado tem se mostrado muito competitivo, pois se verifica a presença de grandes multinacionais atuando, bem como de pequenos produtores independentes, que oferecem seus produtos com preços muito baixos. No Brasil, os dois principais grandes grupos produtores de refrigerantes foram responsáveis por aproximadamente 70% do mercado em 2000 (Ambev e Coca-Cola). Outras marcas, conhecidas como tubaínas, são bastante pulverizadas e são responsáveis pelo restante do mercado. Além da elevada competitividade, a carga tributária no Brasil é substancialmente mais alta que a de vários países, determinando menor consumo per capita e menor lucratividade no setor quando comparada a outros países. O setor de bebidas possui uma alta correlação com o nível de atividade da economia, de renda disponível da população e preferência do consumidor (elasticidade-preço, conveniência, etc) e apresenta acentuada sazonalidade nas vendas, de acordo com os períodos de inverno (baixo consumo), intermediário (médio consumo) e de verão (alto consumo), e elevado potencial de crescimento de consumo per capita / litro ano, quando comparado com países desenvolvidos. As matérias-primas empregadas na produção de cervejas, como o malte e a cevada, são 30% nacionais e 70% importados, enquanto que o lúpulo e o colupulim são 100% importados. Cereais e outras embalagens são produtos nacionais. Já as matérias-primas empregadas na produção de refrigerantes, como o açúcar, as essências de frutas e as embalagens (vidro, lata, PET, outras) são produtos nacionais, apesar de existir influência de materiais cujos preços são formados no mercado internacional, por serem commodities, como o caso do alumínio que influencia o preço da lata. As embalagens descartáveis tem grande aceitação dos consumidores e a cada ano aumentam sua participação de mercado, tanto na produção de cerveja quanto na produção de refrigerantes. A Companhia tem como política trabalhar sempre no sentido de obter materiais que não agridam o meio ambiente, para isso, implantou programas internos que educam e estimulam a participação de seus empregados, fornecedores, clientes e outros de forma direta ou indireta Períodos de Sazonalidade nos Negócios Sendo a AmBev uma holding, os períodos de sazonalidade são determinados pelas suas subsidiárias que atuam no setor de bebidas, verificando-se uma forte acentuação da curva sazonal no final e início de ano, por razões climáticas (maior temperatura) e devido a festividades (festas natalinas, de ano novo, Carnaval, etc) Produtos e/ou Serviços Produtos e Serviços Oferecidos Item: Principais Produtos e/ou Serviços: % da Receita Líquida: Matérias Primas e Fornecedores Ite m: Matéria Prima: Importa ção: Nome do Fornecedor: Tipo do Fornecedor: Clientes Principais Item Nome do Item Cliente: Produto: Produto/Cliente: Pedidos em Carteira Ite Descrição dos Valor dos Pedidos no m: Pedidos: Último Exercício: Valor da Importação (Reais Mil): Disponível no Mercado Local: % de Fornecimento sobre o Total das Compras da Cia.: Disponível no Mercado Externo: % de Participação do Cliente na Receita Líquida: Valor dos Pedidos no Penúltimo Exercício: Valor dos Pedidos no Antepenúltimo Exercício:

16 Processo de Produção Não se aplica Processo de Comercialização, Distribuição e Mercados e Exportação COMERCIALIZAÇÃO A Companhia atua indiretamente na comercialização de produtos através de suas subsidiárias, tanto na forma de venda direta ao consumidor ou varejista, quanto através de rede de distribuição e revendedores exclusivos em todo território nacional. São mantidas três equipes de venda independentes para os produtos Antarctica, Brahma e Skol. DISTRIBUIÇÃO Existem três redes diferenciadas de distribuição, sendo uma para os produtos Antarctica, outra para os produtos Brahma e uma terceira para os produtos Skol. As três redes independentes totalizam cerca de 700 distribuidores, que competem entre si disputando em cada município e cada ponto de venda, a preferência dos clientes para suas suas diversas linhas de bebidas. O atendimento ao público consumidor e aos canais de venda é feito pelas três redes, que são em parte próprias e em grande parte de terceiros, formada por distribuidores e revendedores exclusivos autorizados para a venda dos produtos. MERCADOS Os produtos das três empresas atendem todo o território nacional, com índice de cobertura das redes de cerca de 96% do País, com presença em todos os Estados Brasileiros. Também serão mantidas independentes as políticas mercadológicas, publicitárias e promocionais autônomas, preservando a competição entre elas através de diferentes formas de atuação no mercado. EXPORTAÇÃO / OPERAÇÕES INTERNACIONAIS A AmBev possui unidades industriais no Uruguai, na Argentina e na Venezuela, através de sua controlada Companhia Brasileira de Bebidas, além de exportações de cerveja, refrigerantes e concentrados, para diversos países da América Latina, Europa, Austrália, Japão e Estados Unidos, que representam cerca de 4% do total das vendas no consolidado. As vendas para o mercado externo não foram significativas nos últimos três anos para a AmBev. No entanto, desenvolver e incrementar as operações internacionais, tem sido uma das metas da Companhia. O objetivo é reforçar o valor das marcas no exterior, através da conquista de novos mercados e consumidores. A AmBev já atua em mais de 25 países e pretende abrir novos mercados, através da associação com a Pepsico, com operações em 175 países, para comercializar o Guaraná Atarctica. O crescimento de exportações representará maior geração de divisas para o País, enquanto as operações no exterior permitirão internar divisas, num movimento inverso ao que ocorre hoje com as empresas de capital estrangeiro que atuam no Brasil Posicionamento no Processo Competitivo Não se aplica Principais Patentes, Marcas Comerciais e Franquias A Companhia não possui marcas próprias. As marcas estão registradas em nome de suas subsidiárias. Dentre as principais estão:

17 CERVEJAS E CHOPP: Brahma (Chopp, Bock, Extra, Light) Cerveja Skol Cerveja Malzbier Cerveja Bohemia Cerveja Munchen Cerveja Original Cerveja Niger Cerveja Antarctica Pilsener Chopp Cerveja Antarctica (Pilsen, Bock, Pilsen Extra, Pilsen Cristal) Cerveja Caracu Cerveja Cerveza Nacional Cerveja Bock Polar Cerveja Polar Pilsen Cerveja Serramalte Cerveja Kronenbier Cerveja Miller Cerveja Carslberg Cerveja REFRIGERANTES: Brahma Guaraná (Normal, Diet e Light) Refrigerante Limão Brahma Refrigerante Tônica Brahma Refrigerante Guaraná Champagne Antarctica (Normal e diet) Refrigerante Soda Limonada (Normal e diet) Refrigerante Sukita (Normal e Diet) Refrigerante Seven Up (Normal e Diet) Refrigerante Pepsi Refrigerante Pop Laranja (Normal e diet) Refrigerante Ägua Tônica (Normal e diet) Refrigerante Fratelli Vita Refrigerante OUTROS: Fratelli Vita Água Nectar Sucos Marathon Isotônico Malta Suco de Cevada Lipton Chá

18 13 - Propriedades Relevantes Propriedades Relevantes Item: Tipo de Propriedade: Endereço da Propriedade: Município: UF: Área Total (mil m 2 ): Área Construída (mil m 2 ): Idade (Anos): Seguro: Hipoteca: Alugada de Terceiros: Data do Contrato: Término da Locação: Observação: Projeções Empresariais e/ou Resultados Não se aplica Informações Recomendáveis, mas não obrigatórias Não se aplica

19 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CVM COMISSÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS IAN - Informações Anuais Data-Base - 31/12/ COMPANHIA DE BEBIDAS DAS AMÉRICAS-AMBEV / OUTRAS INFORMAÇÕES CONSIDERADAS IMPORTANTES PARA MELHOR ATENDIMENTO DA COMPANHIA ANEXOS: 1) RELATÓRIO DE ADMINISTRAÇÃO ) FORMULÁRIO 20-F, REFERENTE AO ANO DE 2000 (US GAAP) 3) FORMULÁRIO 13-D, REFERENTE À ALIANÇA ESTRATÉGICA ENTRE AS EMPRESAS QUINSA E AMBEV

20 RELATÓRIO DA DIRETORIA 1. RESULTADO 2000 Este Relatório de Diretoria foi elaborado considerando os resultados de 1999, pró-forma, ou seja, apurados como se a associação entre Antarctica e Brahma tivesse ocorrido em 1º de janeiro de 1999, de forma a facilitar a comparabilidade. Destaques Financeiros Consolidados R$ milhões var. % Receita líquida 5.250, ,2 13,9% Custo dos produtos vendidos (2.843,7) (2.759,8) 3,0% Lucro Bruto 2.406, ,4 30,1% Despesas com vendas, gerais e administrativas (1.490,8) (1.411,5) 5,6% EBIT (Lucro antes de juros e imposto de renda) 915,8 438,9 108,6% Margem EBIT (%) 17,4% 9,5% Depreciações e amortizações 589,2 535,0 10,1% EBITDA 1.505,0 974,0 54,5% Margem EBITDA (%) 28,7% 21,1% Lucro líquido 470,2 8, ,4% LPA (R$ /mil ações) 12,17 4,22 188,1% Volume de Vendas (000 hl) * ,1% Receita líquida por hectolitro (R$ /hl) * 64,0 60,1 6,4% (*) Não considera o volume de vendas relativo a outros produtos. Os somatórios podem não conferir devido aos arredondamentos. Vendas Líquidas A receita líquida em 2000 atingiu R$ 5.250,3 milhões, um aumento de 13,9% sobre o período anterior, de R$ 4.610,2 milhões. Esse resultado é decorrente do maior volume de vendas e do crescimento da receita líquida por hectolitro nos principais segmentos de cervejas e refrigerantes no mercado brasileiro, os quais encontram-se analisados nas respectivas seções abaixo. O aumento de receita líquida também reflete o sucesso na implementação de estratégias para aperfeiçoamento contínuo da execução no ponto-de-venda e de aumento na eficiência da rede de distribuição AmBev, bem como no foco dado ao portfólio único de refrigerantes a partir de agosto de Adicionalmente, a ampliação na infra-estrutura de distribuição na Argentina e na Venezuela propiciaram um significativo crescimento de volume nas operações de cerveja, com crescimento de vendas de aproximadamente 11,5% no ano Dentre outros fatores que contribuiram para o crescimento da receita líquida por hectolitro, destaca-se o ligeiro aumento de latas no mix de vendas da Companhia, passando de 23,7% para 24,7%.

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 01896-1 MEHIR HOLDINGS S.A. 04.310.392/0001-46 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 01896-1 MEHIR HOLDINGS S.A. 04.310.392/0001-46 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL ITR - INFORMAÇÕES TRIMESTRAIS Data-Base - 3/9/25 EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS Divulgação Externa O REGISTRO NA CVM NÃO IMPLICA QUALQUER APRECIAÇÃO SOBRE A COMPANHIA, SENDO

Leia mais

2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ ROSSI RESIDENCIAL S/A 9 - TELEFONE 14 - FAX 10 - TELEFONE 11 - TELEFONE 12 - TELEX

2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ ROSSI RESIDENCIAL S/A 9 - TELEFONE 14 - FAX 10 - TELEFONE 11 - TELEFONE 12 - TELEX O REGISTRO NA CVM NÃO IMPLICA QUALQUER APRECIAÇÃO SOBRE A COMPANHIA, SENDO OS SEUS ADMINISTRADORES RESPONSÁVEIS PELA VERACIDADE DAS INFORMAÇÕES PRESTADAS. 1 CÓDIGO CVM 016306 4 DENOMINAÇÃO COMERCIAL 2

Leia mais

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 01910-0 CAROACI PARTICIPAÇÕES S.A. 04.032.433/0001-80 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 01910-0 CAROACI PARTICIPAÇÕES S.A. 04.032.433/0001-80 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF ITR - INFORMAÇÕES TRIMESTRAIS Data-Base - 3/9/22 O REGISTRO NA CVM NÃO IMPLICA QUALQUER APRECIAÇÃO SOBRE A COMPANHIA, SENDO OS SEUS ADMINISTRADORES RESPONSÁVEIS PELA VERACIDADE DAS INFORMAÇÕES PRESTADAS.

Leia mais

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 01991-7 IGARATINGA PARTICIPAÇÕES S.A. 06.977.739/0001-34 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 01991-7 IGARATINGA PARTICIPAÇÕES S.A. 06.977.739/0001-34 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF ITR - INFORMAÇÕES TRIMESTRAIS Data-Base - 3/6/25 O REGISTRO NA CVM NÃO IMPLICA QUALQUER APRECIAÇÃO SOBRE A COMPANHIA, SENDO OS SEUS ADMINISTRADORES RESPONSÁVEIS PELA VERACIDADE DAS INFORMAÇÕES PRESTADAS.

Leia mais

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 01901-1 EMPR. CONCESS. DE RODOVIAS DO NORTE S.A. 02.222.736/0001-30 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 01901-1 EMPR. CONCESS. DE RODOVIAS DO NORTE S.A. 02.222.736/0001-30 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF ITR - INFORMAÇÕES TRIMESTRAIS Data-Base - 3/9/25 O REGISTRO NA CVM NÃO IMPLICA QUALQUER APRECIAÇÃO SOBRE A COMPANHIA, SENDO OS SEUS ADMINISTRADORES RESPONSÁVEIS PELA VERACIDADE DAS INFORMAÇÕES PRESTADAS.

Leia mais

Companhia de Bebidas das Américas - AmBev

Companhia de Bebidas das Américas - AmBev (Tradução livre do original em inglês) Companhia de Bebidas das Américas - AmBev Demonstrações Financeiras Consolidadas em 31 de dezembro de 2000 e 1999 e dos três exercícios do período findo em 31 de

Leia mais

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 01176-2 VULCABRAS SA 50.926.955/0001-42 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 01176-2 VULCABRAS SA 50.926.955/0001-42 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF ITR - INFORMAÇÕES TRIMESTRAIS Data-Base - 3/9/1999 O REGISTRO NA CVM NÃO IMPLICA QUALQUER APRECIAÇÃO SOBRE A COMPANHIA, SENDO OS SEUS ADMINISTRADORES RESPONSÁVEIS PELA VERACIDADE DAS INFORMAÇÕES PRESTADAS.

Leia mais

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 7 - SITE 9 - TELEFONE 14 - FAX 10 - TELEFONE 11 - TELEFONE 12 - TELEX

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 7 - SITE 9 - TELEFONE 14 - FAX 10 - TELEFONE 11 - TELEFONE 12 - TELEX CVM COMISSÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS IAN INFORMAÇÕES ANUAIS DataBase 31/12/1997 O REGISTRO NA CVM NÃO IMPLICA QUALQUER APRECIAÇÃO SOBRE A COMPANHIA, SENDO OS SEUS ADMINISTRADORES RESPONSÁVEIS PELA VERACIDADE

Leia mais

ESTE DOCUMENTO É UMA TRADUÇÃO "LIVRE" DO RELATÓRIO 20F ARQUIVADO ORIGINALMENTE EM INGLÊS JUNTO À SEC NO DIA 30 DE JUNHO DE 2003

ESTE DOCUMENTO É UMA TRADUÇÃO LIVRE DO RELATÓRIO 20F ARQUIVADO ORIGINALMENTE EM INGLÊS JUNTO À SEC NO DIA 30 DE JUNHO DE 2003 ESTE DOCUMENTO É UMA TRADUÇÃO "LIVRE" DO RELATÓRIO 20F ARQUIVADO ORIGINALMENTE EM INGLÊS JUNTO À SEC NO DIA 30 DE JUNHO DE 2003 COMISSÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS DOS ESTADOS UNIDOS DA AMÉRICA Washington,

Leia mais

(c) promover, realizar ou orientar a captação, em fontes internas e externas, de recursos a serem aplicados pela Companhia ou pela sua controlada;

(c) promover, realizar ou orientar a captação, em fontes internas e externas, de recursos a serem aplicados pela Companhia ou pela sua controlada; RELATORIO DA ADMINISTRAÇÃO SENHORES ACIONISTAS, Atendendo às disposições legais e estatutárias, a Administração da TELEFÔNICA DATA BRASIL HOLDING S.A. sociedade anônima de capital aberto, submete à apreciação

Leia mais

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2012 - COMPANHIA DE BEBIDAS DAS AMÉRICAS-AMBEV Versão : 1. Composição do Capital 1

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2012 - COMPANHIA DE BEBIDAS DAS AMÉRICAS-AMBEV Versão : 1. Composição do Capital 1 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 4 Balanço Patrimonial Passivo 6 Demonstração do Resultado 9 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

TELEFÔNICA DATA BRASIL HOLDING S.A. Resultado Consolidado para o Terceiro Trimestre de 2005 Publicação, 08 de novembro de 2005 (07 páginas)

TELEFÔNICA DATA BRASIL HOLDING S.A. Resultado Consolidado para o Terceiro Trimestre de 2005 Publicação, 08 de novembro de 2005 (07 páginas) TELEFÔNICA DATA BRASIL HOLDING S.A. Resultado Consolidado para o Terceiro Trimestre de 2005 Publicação, 08 de novembro de 2005 (07 páginas) Para maiores informações, contatar: Daniel de Andrade Gomes TELEFÔNICA

Leia mais

COMISSÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS DOS ESTADOS UNIDOS Washington, D.C. 20549

COMISSÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS DOS ESTADOS UNIDOS Washington, D.C. 20549 COMISSÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS DOS ESTADOS UNIDOS Washington, D.C. 20549 FORMULÁRIO 20-F RELATÓRIO ANUAL CONFORME SEÇÃO 13 OU 15(d) DA LEI DE MERCADO DE CAPITAIS DE 1934 Para o exercício findo em 31 de

Leia mais

Data-Base - 31/12/2000

Data-Base - 31/12/2000 IAN - INFORMAÇÕES ANUAIS Data-Base - 31/12/2000 O REGISTRO NA CVM NÃO IMPLICA QUALQUER APRECIAÇÃO SOBRE A COMPANHIA, SENDO OS SEUS ADMINISTRADORES RESPONSÁVEIS PELA VERACIDADE DAS INFORMAÇÕES PRESTADAS.

Leia mais

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2013 - BANCO BRADESCO SA Versão : 2. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2013 - BANCO BRADESCO SA Versão : 2. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 5 Balanço Patrimonial Passivo 9 Demonstração do Resultado 12 Demonstração do Resultado

Leia mais

AMBEV DIVULGA RESULTADO DO PRIMEIRO TRIMESTRE DE 2012 EM IFRS

AMBEV DIVULGA RESULTADO DO PRIMEIRO TRIMESTRE DE 2012 EM IFRS AMBEV DIVULGA RESULTADO DO PRIMEIRO TRIMESTRE DE 2012 EM IFRS Pág. 1 São Paulo, Companhia de Bebidas das Américas Ambev [BOVESPA: AMBV4, AMBV3; e NYSE: ABV, ABVc] anuncia hoje os resultados do primeiro

Leia mais

Resultados 1T07 10 de maio de 2007

Resultados 1T07 10 de maio de 2007 PUBLICIDADE CAIXA CRESCEU 102% BASE DE ASSINANTES BANDA LARGA CRESCEU 32% São Paulo, O UOL (BOVESPA: UOLL4) anuncia hoje os resultados do 1T07. As demonstrações financeiras da Companhia são elaboradas

Leia mais

COMENTÁRIOS DO DESEMPENHO NO 3º TRIMESTRE E 9 MESES DE 2002

COMENTÁRIOS DO DESEMPENHO NO 3º TRIMESTRE E 9 MESES DE 2002 COMENTÁRIOS DO DESEMPENHO NO 3º TRIMESTRE E 9 MESES DE 2002 Desempenho Em ambiente de queda da atividade na indústria automobilística, a Iochpe-Maxion apresentou um crescimento de 8,4% nas vendas no terceiro

Leia mais

Fax: Fax: Númer Início: Término: o:

Fax: Fax: Númer Início: Término: o: 01 - Dados da Empresa 01.01 - Identificação Código CVM: 01811-2 Denominação Social: COMPANHIA DE BEBIDAS DAS AMÉRICAS-AMBEV CNPJ: 02.808.708/0001-07 NIRE: 35.300.157.770 01.02 - Sede Endereço Completo:

Leia mais

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 02003-6 BRASILAGRO CIA BRAS PROPRIEDADES AGRICOL 07.628.528/0001-59 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 02003-6 BRASILAGRO CIA BRAS PROPRIEDADES AGRICOL 07.628.528/0001-59 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CVM - COMISSÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS ITR - INFORMAÇÕES TRIMESTRAIS Data-Base - 31/3/26 EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS Divulgação Externa Legislação Societária O REGISTRO

Leia mais

Aplicap Capitalização S.A. Demonstrações contábeis intermediárias em 30 de junho de 2014.

Aplicap Capitalização S.A. Demonstrações contábeis intermediárias em 30 de junho de 2014. Aplicap Capitalização S.A. Demonstrações contábeis intermediárias em 30 de junho de 2014. Relatório da Administração Senhores Acionistas, Em cumprimento as disposições legais e estatutárias, submetemos

Leia mais

MBK Securitizadora S.A. Relatório sobre as demonstrações financeiras Período de 13 de abril de 2012 (Data de constituição da Companhia) a 31 de

MBK Securitizadora S.A. Relatório sobre as demonstrações financeiras Período de 13 de abril de 2012 (Data de constituição da Companhia) a 31 de MBK Securitizadora S.A. Relatório sobre as demonstrações financeiras Período de 13 de abril de 2012 (Data de constituição da Companhia) a 31 de dezembro de 2012 MBK Securitizadora S.A. Demonstrações Financeiras

Leia mais

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 02091-5 MRV ENGENHARIA E PARTICIPAÇÕES S.A. 08.343.492/0001-20 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 02091-5 MRV ENGENHARIA E PARTICIPAÇÕES S.A. 08.343.492/0001-20 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF ITR - INFORMAÇÕES TRIMESTRAIS Data-Base - 3/9/21 EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS O REGISTRO NA CVM NÃO IMPLICA QUALQUER APRECIAÇÃO SOBRE A COMPANHIA, SENDO OS SEUS ADMINISTRADORES RESPONSÁVEIS PELA

Leia mais

2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ COMPANHIA DE BEBIDAS DAS AMÉRICAS-AMBEV 8 - TELEFONE 2122-1201 13 - FAX 14 - FAX - 33 - FAX

2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ COMPANHIA DE BEBIDAS DAS AMÉRICAS-AMBEV 8 - TELEFONE 2122-1201 13 - FAX 14 - FAX - 33 - FAX IAN - INFORMAÇÕES ANUAIS Data-Base - 31/12/2003 O REGISTRO NA CVM NÃO IMPLICA QUALQUER APRECIAÇÃO SOBRE A COMPANHIA, SENDO OS SEUS ADMINISTRADORES RESPONSÁVEIS PELA VERACIDADE DAS INFORMAÇÕES PRESTADAS.

Leia mais

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 02091-5 MRV ENGENHARIA E PARTICIPAÇÕES S.A. 08.343.492/0001-20 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 02091-5 MRV ENGENHARIA E PARTICIPAÇÕES S.A. 08.343.492/0001-20 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF ITR - INFORMAÇÕES TRIMESTRAIS Data-Base - 31/3/21 EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS O REGISTRO NA CVM NÃO IMPLICA QUALQUER APRECIAÇÃO SOBRE A COMPANHIA, SENDO OS SEUS ADMINISTRADORES RESPONSÁVEIS

Leia mais

Data-Base - 30/09/2001 01811-2 COMPANHIA DE BEBIDAS DAS AMÉRICAS-AMBEV 02.808.708/0001-07

Data-Base - 30/09/2001 01811-2 COMPANHIA DE BEBIDAS DAS AMÉRICAS-AMBEV 02.808.708/0001-07 ITR - INFORMAÇÕES TRIMESTRAIS EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS Data-Base - 3/9/21 O REGISTRO NA CVM NÃO IMPLICA QUALQUER APRECIAÇÃO SOBRE A COMPANHIA, SENDO OS SEUS ADMINISTRADORES RESPONSÁVEIS PELA

Leia mais

Maior empresa brasileira de bebidas já é a quinta do mundo

Maior empresa brasileira de bebidas já é a quinta do mundo AMBEV Maior empresa brasileira de bebidas já é a quinta do mundo Marcelo Dalla Pria A AmBev - Companhia de Bebidas das Américas é a maior empresa brasileira de bebidas e a quinta do mundo. No segmento

Leia mais

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 01893-7 TELEFÔNICA DATA BRASIL HOLDING S.A. 04.295.166/0001-33

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 01893-7 TELEFÔNICA DATA BRASIL HOLDING S.A. 04.295.166/0001-33 ITR - INFORMAÇÕES TRIMESTRAIS Data-Base - 30/09/2004 EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS O REGISTRO NA CVM NÃO IMPLICA QUALQUER APRECIAÇÃO SOBRE A COMPANHIA, SENDO OS SEUS ADMINISTRADORES RESPONSÁVEIS

Leia mais

A companhia permanece com o objetivo de investir seus recursos na participação do capital de outras sociedades.

A companhia permanece com o objetivo de investir seus recursos na participação do capital de outras sociedades. RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO Senhores Acionistas, Apresentamos as Demonstrações Financeiras da Mehir Holdings S.A. referente ao exercício social encerrado em 31 de dezembro de 2004 e as respectivas Notas

Leia mais

COMPANHIA DE BEBIDAS DAS AMÉRICAS AMBEV CNPJ n.º 02.808.708/0001-07 NIRE n.º 35.300.157.770

COMPANHIA DE BEBIDAS DAS AMÉRICAS AMBEV CNPJ n.º 02.808.708/0001-07 NIRE n.º 35.300.157.770 COMPANHIA DE BEBIDAS DAS AMÉRICAS AMBEV CNPJ n.º 02.808.708/0001-07 NIRE n.º 35.300.157.770 Extrato da Ata de Reunião do Conselho de Administração da Companhia de Bebidas das Américas AmBev ( Companhia

Leia mais

Divulgação de resultados 3T13

Divulgação de resultados 3T13 Brasil Brokers divulga seus resultados do 3º Trimestre do ano de 2013 Rio de Janeiro, 13 de novembro de 2013. A Brasil Brokers Participações S.A. (BM&FBovespa: BBRK3) uma empresa com foco e atuação no

Leia mais

AMBEV DIVULGA RESULTADO DO PRIMEIRO TRIMESTRE DE 2011

AMBEV DIVULGA RESULTADO DO PRIMEIRO TRIMESTRE DE 2011 Pág. 1 AMBEV DIVULGA RESULTADO DO PRIMEIRO TRIMESTRE DE 2011 São Paulo, Companhia de Bebidas das Américas Ambev [BOVESPA: AMBV4, AMBV3; e NYSE: ABV, ABVc], anuncia hoje os seus resultados do primeiro trimestre

Leia mais

Fundo de Investimento Imobiliário Península (Administrado pelo Banco Ourinvest S.A.) Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2009 e de 2008 e

Fundo de Investimento Imobiliário Península (Administrado pelo Banco Ourinvest S.A.) Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2009 e de 2008 e Fundo de Investimento Imobiliário Península Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2009 e de 2008 e parecer dos auditores independentes 2 3 Balanços patrimoniais em 31 de dezembro Ativo 2009 2008

Leia mais

Abril Educação S.A. Informações Proforma em 30 de junho de 2011

Abril Educação S.A. Informações Proforma em 30 de junho de 2011 Abril Educação S.A. Informações Proforma em 30 de junho de 2011 RESULTADOS PRO FORMA NÃO AUDITADOS CONSOLIDADOS DA ABRIL EDUCAÇÃO As informações financeiras consolidadas pro forma não auditadas para 30

Leia mais

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 00839-7 MANGELS INDUSTRIAL S.A. 61.065.298/0001-02 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 00839-7 MANGELS INDUSTRIAL S.A. 61.065.298/0001-02 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF ITR - INFORMAÇÕES TRIMESTRAIS Data-Base - 31/3/21 EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS O REGISTRO NA CVM NÃO IMPLICA QUALQUER APRECIAÇÃO SOBRE A COMPANHIA, SENDO OS SEUS ADMINISTRADORES RESPONSÁVEIS

Leia mais

Data-Base - 31/12/2001

Data-Base - 31/12/2001 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CVM - COMISSÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS IAN - INFORMAÇÕES ANUAIS Data-Base - 31/12/2001 Reapresentação Espontânea O REGISTRO NA CVM NÃO IMPLICA QUALQUER APRECIAÇÃO SOBRE A COMPANHIA,

Leia mais

Fax: Telefone: Númer Início: Término: o:

Fax: Telefone: Númer Início: Término: o: 01 - Dados da Empresa 01.01 - Identificação Código CVM: 01811-2 Denominação Social: COMPANHIA DE BEBIDAS DAS AMÉRICAS-AMBEV CNPJ: 02.808.708/0001-07 NIRE: 3.530.015.770 01.02 - Sede Endereço Completo:

Leia mais

01279-3 FIBRIA CELULOSE SA 60.643.228/0001-21 6 - DDD 7 - TELEFONE 8 - TELEFONE 9 - TELEFONE 10 - TELEX

01279-3 FIBRIA CELULOSE SA 60.643.228/0001-21 6 - DDD 7 - TELEFONE 8 - TELEFONE 9 - TELEFONE 10 - TELEX DFP - DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS PADRONIZADAS EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS Data-Base - 31/12/29 O REGISTRO NA CVM NÃO IMPLICA QUALQUER APRECIAÇÃO SOBRE A COMPANHIA, SENDO OS SEUS ADMINISTRADORES

Leia mais

- Assessoria de Mercado de Capitais e Empresarial Ltda - Consultores Ltda

- Assessoria de Mercado de Capitais e Empresarial Ltda - Consultores Ltda 14/04/2010 CIA BEBIDAS DAS AMÉRICAS - AMBEV A Companhia COMPRA Código em Bolsa AMBV4 Setor BEBIDAS Cotação em 01/04/10 R$ 162,50 Preço Alvo R$ 207,12 Potencial de Valorização 27,46% Valor de Mercado (em

Leia mais

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2014 - WEG SA Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2014 - WEG SA Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 3 Balanço Patrimonial Passivo 5 Demonstração do Resultado 7 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

Relatório sobre as demonstrações financeiras Período de 13 de abril de 2012 (Data de constituição da Companhia) a 31 de dezembro de 2012

Relatório sobre as demonstrações financeiras Período de 13 de abril de 2012 (Data de constituição da Companhia) a 31 de dezembro de 2012 Relatório sobre as demonstrações financeiras Período de 13 de abril de 2012 (Data de constituição da Companhia) a 31 de dezembro de 2012 Demonstrações Financeiras Período de 13 de abril de 2012 (Data de

Leia mais

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2013 - CYRELA BRAZIL REALTY SA EMPRS E PARTS Versão : 1. Composição do Capital 1

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2013 - CYRELA BRAZIL REALTY SA EMPRS E PARTS Versão : 1. Composição do Capital 1 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 3 Balanço Patrimonial Passivo 5 Demonstração do Resultado 7 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

6 Balanço Patrimonial - Passivo - Classificações das Contas, 25 Exercícios, 26

6 Balanço Patrimonial - Passivo - Classificações das Contas, 25 Exercícios, 26 Prefácio 1 Exercício Social, 1 Exercícios, 2 2 Disposições Gerais, 3 2.1 Demonstrações financeiras exigidas, 3 2.2 Demonstrações financeiras comparativas, 4 2.3 Contas semelhantes e contas de pequenos,

Leia mais

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 01047-2 SARAIVA S.A. LIVREIROS EDITORES 60.500.139/0001-26 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 01047-2 SARAIVA S.A. LIVREIROS EDITORES 60.500.139/0001-26 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF ITR - INFORMAÇÕES TRIMESTRAIS Data-Base - 31/3/21 EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS Divulgação Externa O REGISTRO NA CVM NÃO IMPLICA QUALQUER APRECIAÇÃO SOBRE A COMPANHIA, SENDO OS SEUS ADMINISTRADORES

Leia mais

Fundo de Investimento Imobiliário Península (Administrado pelo Banco Ourinvest S.A.)

Fundo de Investimento Imobiliário Península (Administrado pelo Banco Ourinvest S.A.) Balanço patrimonial em 31 de dezembro Ativo 2008 2007 Passivo e patrimônio líquido 2008 2007 Circulante Circulante Bancos 3 14 Rendimentos a distribuir 3.599 2.190 Aplicações financeiras de renda fixa

Leia mais

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 00414-6 KARSTEN S.A. 82.640.558/0001-04 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 00414-6 KARSTEN S.A. 82.640.558/0001-04 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF ITR - INFORMAÇÕES TRIMESTRAIS Data-Base - 3/9/29 EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS O REGISTRO NA CVM NÃO IMPLICA QUALQUER APRECIAÇÃO SOBRE A COMPANHIA, SENDO OS SEUS ADMINISTRADORES RESPONSÁVEIS PELA

Leia mais

MOORE STEPHENS AUDITORES E CONSULTORES

MOORE STEPHENS AUDITORES E CONSULTORES DURATEX COMERCIAL EXPORTADORA S.A. AVALIAÇÃO DO PATRIMÔNIO LÍQUIDO CONTÁBIL APURADO POR MEIO DOS LIVROS CONTÁBEIS EM 31 DE AGOSTO DE 2015 Escritório Central: Rua Laplace, 96-10 andar - Brooklin - CEP 04622-000

Leia mais

FAPAN Faculdade de Agronegócio de Paraíso do Norte

FAPAN Faculdade de Agronegócio de Paraíso do Norte BALANÇO PATRIMONIAL 1. CRITÉRIO DE DISPOSIÇÃO DAS CONTAS NO ATIVO E NO PASSIVO (ART. 178 DA LEI 6.404/76): a. No ativo, as contas serão dispostas em ordem decrescente de grau de liquidez dos elementos

Leia mais

127$6(;3/,&$7,9$6'$$'0,1,675$d 2 6,1)250$d (675,0(675$,6

127$6(;3/,&$7,9$6'$$'0,1,675$d 2 6,1)250$d (675,0(675$,6 127$6(;3/,&$7,9$6'$$'0,1,675$d 2 6,1)250$d (675,0(675$,6 ( Em milhares de Reais, exceto as quantidades de ações ) &217(;7223(5$&,21$/ A Companhia se dedica ao comércio de varejo de produtos de consumo,

Leia mais

INDICADORES FINANCEIROS

INDICADORES FINANCEIROS Relatório 2014 Um Olhar para o Futuro DESEMPENHO ECONÔMICO ECONÔMICA www.fibria.com.br/r2014/desempenho-economico/ 126 INDICADORES FINANCEIROS A Fibria encerrou 2014 com lucro líquido de R$ 163 milhões,

Leia mais

SOARES & ASSOCIADOS AUDITORES INDEPENDENTES

SOARES & ASSOCIADOS AUDITORES INDEPENDENTES SOARES & ASSOCIADOS AUDITORES INDEPENDENTES Ilmos. Srs. Diretores e Acionistas de BVA Seguros S/A Rio de Janeiro - RJ RELATÓRIO DOS AUDITORES INDEPENDENTES Examinamos as demonstrações financeiras individuais

Leia mais

COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 03 DEMONSTRAÇÃO DE FLUXOS DE CAIXA

COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 03 DEMONSTRAÇÃO DE FLUXOS DE CAIXA COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 03 DEMONSTRAÇÃO DE FLUXOS DE CAIXA Correlação às Normas Internacionais de Contabilidade IAS 7 (IASB) PRONUNCIAMENTO Conteúdo Item OBJETIVO

Leia mais

Capital/Bolsa Capital/ Balcão. Mesmas informações para os 2 últimos exercícios

Capital/Bolsa Capital/ Balcão. Mesmas informações para os 2 últimos exercícios Identificação das pessoas responsáveis pelo formulário Capital/Bolsa Capital/ Balcão Declaração do Presidente e do Diretor de Relação com Investidores Dívida / Investimento Coletivo IAN Apenas informações

Leia mais

NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS DO EXERCÍCIO FINDO EM 31 DE DEZEMBRO DE 2009 e 2008. (Em milhares de reais)

NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS DO EXERCÍCIO FINDO EM 31 DE DEZEMBRO DE 2009 e 2008. (Em milhares de reais) NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS DO EXERCÍCIO FINDO EM 31 DE DEZEMBRO DE 2009 e 2008 (Em milhares de reais) NOTA 1 - CONTEXTO OPERACIONAL A Seguradora está autorizada a operar em seguros do

Leia mais

Fundo de Investimento Imobiliário Hospital da Criança (Administrado pelo Banco Ourinvest S.A.) Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2009 e

Fundo de Investimento Imobiliário Hospital da Criança (Administrado pelo Banco Ourinvest S.A.) Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2009 e Fundo de Investimento Imobiliário Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2009 e de 2008 e parecer dos auditores independentes 2 Balanço patrimonial em 31 de dezembro Ativo 2009 2008 Passivo e patrimônio

Leia mais

AMBEV DIVULGA RESULTADO DO SEGUNDO TRIMESTRE DE 2014 EM IFRS

AMBEV DIVULGA RESULTADO DO SEGUNDO TRIMESTRE DE 2014 EM IFRS Pág. 1 AMBEV DIVULGA RESULTADO DO SEGUNDO TRIMESTRE DE 2014 EM IFRS São Paulo, Ambev S.A. [BOVESPA: ABEV3; NYSE: ABEV] anuncia hoje os resultados do segundo trimestre de 2014 (2T14). As informações operacionais

Leia mais

AGENTE E ESCRIVÃO DA POLÍCIA FEDERAL Disciplina: Contabilidade Prof.: Adelino Data: 07/12/2008

AGENTE E ESCRIVÃO DA POLÍCIA FEDERAL Disciplina: Contabilidade Prof.: Adelino Data: 07/12/2008 Alterações da Lei 6404/76 Lei 11638 de 28 de dezembro de 2007 Lei 11638/07 que altera a Lei 6404/76 Art. 1o Os arts. 176 a 179, 181 a 184, 187, 188, 197, 199, 226 e 248 da Lei no 6.404, de 15 de dezembro

Leia mais

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 02112-1 SUL AMERICA S.A. 29.978.814/0001-87. Rua Beatriz Larragoiti Lucas,121 - parte

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 02112-1 SUL AMERICA S.A. 29.978.814/0001-87. Rua Beatriz Larragoiti Lucas,121 - parte ITR - INFORMAÇÕES TRIMESTRAIS Data-Base - 3/6/29 EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS Reapresentação Espontânea O REGISTRO NA CVM NÃO IMPLICA QUALQUER APRECIAÇÃO SOBRE A COMPANHIA, SENDO OS SEUS ADMINISTRADORES

Leia mais

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2013 - WEG SA Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2013 - WEG SA Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 3 Balanço Patrimonial Passivo 5 Demonstração do Resultado 7 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 31/03/2014 - Ambev S.A. Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2. Balanço Patrimonial Ativo 3

ITR - Informações Trimestrais - 31/03/2014 - Ambev S.A. Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2. Balanço Patrimonial Ativo 3 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 3 Balanço Patrimonial Passivo 5 Demonstração do Resultado 7 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

ASSEMBLEIA GERAL EXTRAORDINÁRIA CONVOCAÇÃO

ASSEMBLEIA GERAL EXTRAORDINÁRIA CONVOCAÇÃO COMPANHIA ENERGÉTICA DE MINAS GERAIS-CEMIG COMPANHIA ABERTA CNPJ 17.155.730/0001-64 - NIRE 31300040127 ASSEMBLEIA GERAL EXTRAORDINÁRIA CONVOCAÇÃO Ficam os senhores acionistas convocados para se reunirem

Leia mais

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 01893-7 TELEFÔNICA DATA BRASIL HOLDING S/A 04.295.166/0001-33. Av. Brigadeiro Faria Lima nº1188 7º And

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 01893-7 TELEFÔNICA DATA BRASIL HOLDING S/A 04.295.166/0001-33. Av. Brigadeiro Faria Lima nº1188 7º And ITR - INFORMAÇÕES TRIMESTRAIS Data-Base - 3/9/25 EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS O REGISTRO NA CVM NÃO IMPLICA QUALQUER APRECIAÇÃO SOBRE A COMPANHIA, SENDO OS SEUS ADMINISTRADORES RESPONSÁVEIS PELA

Leia mais

Demonstrações Financeiras UPCON SPE 17 Empreendimentos Imobiliários S.A.

Demonstrações Financeiras UPCON SPE 17 Empreendimentos Imobiliários S.A. Demonstrações Financeiras UPCON SPE 17 Empreendimentos Imobiliários S.A. 31 de dezembro de 2014 com o relatório dos auditores independentes Demonstrações financeiras Índice Relatório dos auditores independentes

Leia mais

ESTATUTO SOCIAL DE CORRÊA RIBEIRO S/A COMÉRCIO E INDÚSTRIA CAPÍTULO I DENOMINAÇÃO, SEDE, OBJETO SOCIAL E PRAZO DE DURAÇÃO:

ESTATUTO SOCIAL DE CORRÊA RIBEIRO S/A COMÉRCIO E INDÚSTRIA CAPÍTULO I DENOMINAÇÃO, SEDE, OBJETO SOCIAL E PRAZO DE DURAÇÃO: ESTATUTO SOCIAL DE CORRÊA RIBEIRO S/A COMÉRCIO E INDÚSTRIA CAPÍTULO I DENOMINAÇÃO, SEDE, OBJETO SOCIAL E PRAZO DE DURAÇÃO: Denominação Artigo 1º - Corrêa Ribeiro S/A Comércio e Indústria é uma sociedade

Leia mais

LOJAS RENNER S.A. RESULTADOS DO PRIMEIRO TRIMESTRE DE 2015 (1T15 ) Resultados 1T15. www.lojasrenner.com.br/ri Página 0 de 9

LOJAS RENNER S.A. RESULTADOS DO PRIMEIRO TRIMESTRE DE 2015 (1T15 ) Resultados 1T15. www.lojasrenner.com.br/ri Página 0 de 9 Resultados 1T15 www.lojasrenner.com.br/ri Página 0 de 9 LOJAS RENNER S.A. Companhia constituída em 1965 e de capital aberto desde 1967. Capital totalmente pulverizado desde 2005, com 100% de free float,

Leia mais

DIBENS LEASING S.A. ARRENDAMENTO MERCANTIL PROPOSTA DA ADMINISTRAÇÃO

DIBENS LEASING S.A. ARRENDAMENTO MERCANTIL PROPOSTA DA ADMINISTRAÇÃO DIBENS LEASING S.A. ARRENDAMENTO MERCANTIL NIRE 35300130707 CNPJ/MF nº 65.654.303/0001-73 COMPANHIA ABERTA PROPOSTA DA ADMINISTRAÇÃO ASSEMBLEIAS GERAIS ORDINÁRIA E EXTRAORDINÁRIA 30.4.2015 Horário: 14

Leia mais

Data-Base - 31/03/1999 01763-9 TELE CELULAR SUL PARTICIPAÇÕES S.A. 02.558.115/0001-21

Data-Base - 31/03/1999 01763-9 TELE CELULAR SUL PARTICIPAÇÕES S.A. 02.558.115/0001-21 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL ITR - INFORMAÇÕES TRIMESTRAIS EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS Data-Base - 31/3/1999 Divulgação Externa O REGISTRO NA CVM NÃO IMPLICA QUALQUER APRECIAÇÃO SOBRE A COMPANHIA,

Leia mais

Receita líquida consolidada cresce 20,9% no 3T15 contra o 2T15, atingindo R$ 212,2 milhões, com destaque para o crescimento no mercado interno;

Receita líquida consolidada cresce 20,9% no 3T15 contra o 2T15, atingindo R$ 212,2 milhões, com destaque para o crescimento no mercado interno; PRESS RELEASE 3T15 Porto Alegre, 13 de novembro de 2015 - A Forjas Taurus S.A. (BM&FBOVESPA: FJTA3, FJTA4), empresa dos segmentos de (i) Defesa e Segurança - sendo a maior produtora de armas da América

Leia mais

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 7 - SITE 9 - TELEFONE 14 - FAX 10 - TELEFONE 11 - TELEFONE 12 - TELEX

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 7 - SITE 9 - TELEFONE 14 - FAX 10 - TELEFONE 11 - TELEFONE 12 - TELEX SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CVM - COMISSÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS IAN - INFORMAÇÕES ANUAIS Data-Base - 31/12/2001 Divulgação Externa Legislação Societária Reapresentação Espontânea O REGISTRO NA CVM NÃO IMPLICA

Leia mais

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2012 - PARTICIPAÇÕES INDUST. DO NORDESTE S.A. Versão : 1. Composição do Capital 1

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2012 - PARTICIPAÇÕES INDUST. DO NORDESTE S.A. Versão : 1. Composição do Capital 1 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 2 Balanço Patrimonial Passivo 4 Demonstração do Resultado 6 Demonstração do Resultado Abrangente 7 Demonstração

Leia mais

Contexto Operacional. Operação. Receita Líquida. 12,9 bilhões. Composição da Receita Consolidada (%)

Contexto Operacional. Operação. Receita Líquida. 12,9 bilhões. Composição da Receita Consolidada (%) 103 Contexto Operacional A seguir seguem os comentários sobre o desempenho da S.A. referentes ao exercício de 2014. Com intuito de proporcionar a visibilidade anual dos resultados, tais comentários são

Leia mais

Earnings Release. Relação com Investidores. Destaques do 2T11. Brasil Insurance Anuncia Resultados do 2T11

Earnings Release. Relação com Investidores. Destaques do 2T11. Brasil Insurance Anuncia Resultados do 2T11 Relação com Investidores Luis Eduardo Fischman Diretor de Relações com Investidores (55 21) 3433-5060 ri@brinsurance.com.br Teleconferência de Resultados 2T11 Terça-Feira, 16 de agosto de 2011 Português

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 30/06/2012 - BPMB I Participações S.A. Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2

ITR - Informações Trimestrais - 30/06/2012 - BPMB I Participações S.A. Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 2 Balanço Patrimonial Passivo 3 Demonstração do Resultado 4 Demonstração do Resultado Abrangente 5 Demonstração

Leia mais

Relatório de Resultados 2T 2015

Relatório de Resultados 2T 2015 MMX - Resultados Referentes ao 2º trimestre de 2015 Rio de Janeiro, 14 de agosto de 2015 A MMX Mineração e Metálicos S.A. ( Companhia ou MMX ) (Bovespa: MMXM3) anuncia seus resultados referentes ao 2º

Leia mais

PONTÍFICIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS CURSO DE DIREITO

PONTÍFICIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS CURSO DE DIREITO PONTÍFICIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS CURSO DE DIREITO Disciplina: Direito Empresarial II JUR 1022 Turma: C02 Prof.: Luiz Fernando Capítulo VI SOCIEDADES ANÔNIMAS 1. Evolução Legal: a) Decreto n. 575/49;

Leia mais

MBA EM GESTÃO EMPRESARIAL FACULDADE DE VENDA NOVA DO IMIGRANTE FAVENI ATIVIDADE DE ESTUDO DE CASO. Professor Luiz (www.professorluiz.com.

MBA EM GESTÃO EMPRESARIAL FACULDADE DE VENDA NOVA DO IMIGRANTE FAVENI ATIVIDADE DE ESTUDO DE CASO. Professor Luiz (www.professorluiz.com. MBA EM GESTÃO EMPRESARIAL FACULDADE DE VENDA NOVA DO IMIGRANTE FAVENI ATIVIDADE DE ESTUDO DE CASO Professor Luiz (www.professorluiz.com.br) Razão social: COMPANHIA BRASILEIRA DE DISTRIBUIÇÃO Atividade

Leia mais

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 00121-0 BANCO DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL S/A 92.702.067/0001-96 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 00121-0 BANCO DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL S/A 92.702.067/0001-96 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF DFP - DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS PADRONIZADAS INSTITUIÇÃO FINANCEIRA Data-Base - 31/12/29 O REGISTRO NA CVM NÃO IMPLICA QUALQUER APRECIAÇÃO SOBRE A COMPANHIA, SENDO OS SEUS ADMINISTRADORES RESPONSÁVEIS

Leia mais

Resultados 2005 Resultados 2005

Resultados 2005 Resultados 2005 Resultados 2005 Resultados 2005 Resultados 1T06 Bovespa: RSID3 NYSE (ADR): RSR2Y Receita Líquida alcança R$ 85,2 milhões VGV totaliza R$ 94,3 milhões Vendas contratadas crescem 63% São Paulo, 11 de maio

Leia mais

Fato Relevante. conferir ao Grupo Cosan a capacidade de aproveitar as oportunidades de crescimento em diferentes mercados e regiões;

Fato Relevante. conferir ao Grupo Cosan a capacidade de aproveitar as oportunidades de crescimento em diferentes mercados e regiões; Fato Relevante São Paulo, 25 de junho de 2007 - Nos termos da Instrução da Comissão de Valores Mobiliários ( CVM ) n.º 358, de 30 de janeiro de 2002, e alterações posteriores e com a finalidade de informar

Leia mais

DESTAQUES NO PERÍODO. Dados Financeiros (R$ x 1.000)

DESTAQUES NO PERÍODO. Dados Financeiros (R$ x 1.000) Blumenau SC, 27 de julho de 2007 A Cremer S.A. (Bovespa: CREM3), distribuidora de produtos para a saúde e também líder na fabricação de produtos têxteis e adesivos cirúrgicos, anuncia hoje seus resultados

Leia mais

BANCO ITAÚ S.A. (Nome exato do Requerente conforme especificado em seu estatuto)

BANCO ITAÚ S.A. (Nome exato do Requerente conforme especificado em seu estatuto) COMISSÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS FORMULÁRIO 20-F DECLARAÇÃO DE REGISTRO EM CONFORMIDADE COM O ARTIGO 12(B) OU (G) DA LEI DE BOLSAS E VALORES MOBILIÁRIOS DE 1934 OU RELATÓRIO ANUAL EM CONFORMIDADE COM O

Leia mais

Acordo de Acionistas. Corporativa da CPFL Energia S.A. Atual Denominação Social da Draft II Participações S.A.

Acordo de Acionistas. Corporativa da CPFL Energia S.A. Atual Denominação Social da Draft II Participações S.A. Acordo de Acionistas Diretrizes da CPFL de Energia Governança S.A. Corporativa da CPFL Energia S.A. Atual Denominação Social da Draft II Participações S.A. 1 Sumário I Introdução 3 II Estrutura Corporativa

Leia mais

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 00617-3 FORJAS TAURUS S.A. 92.781.335/0001-02 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 00617-3 FORJAS TAURUS S.A. 92.781.335/0001-02 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF DFP - DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS PADRONIZADAS EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS Data-Base - 31/12/29 O REGISTRO NA CVM NÃO IMPLICA QUALQUER APRECIAÇÃO SOBRE A COMPANHIA, SENDO OS SEUS ADMINISTRADORES

Leia mais

COMISSÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS DOS ESTADOS UNIDOS Washington, D.C. 20549. FORMULÁRIO 20-F/A Alteração Nº 1

COMISSÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS DOS ESTADOS UNIDOS Washington, D.C. 20549. FORMULÁRIO 20-F/A Alteração Nº 1 COMISSÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS DOS ESTADOS UNIDOS Washington, D.C. 20549 FORMULÁRIO 20-F/A Alteração Nº 1 RELATÓRIO ANUAL CONFORME SEÇÃO 13 OU 15(D) DA LEI DE MERCADO DE CAPITAIS DE 1934 Para o exercício

Leia mais

EMPRESAS BRADESCO SEGUROS, PREVIDÊNCIA E CAPITALIZAÇÃO

EMPRESAS BRADESCO SEGUROS, PREVIDÊNCIA E CAPITALIZAÇÃO L2 0 0 6 R E L AT Ó R I O A N U A EMPRESAS BRADESCO SEGUROS, PREVIDÊNCIA E CAPITALIZAÇÃO Prêmio de Seguros Participação no Mercado (em %) Mercado 74,2% Fonte: Susep e ANS Base: Nov/2006 Bradesco 25,8%

Leia mais

REIT SECURITIZADORA DE RECEBÍVEIS IMOBILIÁRIOS S.A. (Prata Forte) 3º Série da 2ª Emissão de Certificados de Recebíveis Imobiliários

REIT SECURITIZADORA DE RECEBÍVEIS IMOBILIÁRIOS S.A. (Prata Forte) 3º Série da 2ª Emissão de Certificados de Recebíveis Imobiliários REIT SECURITIZADORA DE RECEBÍVEIS IMOBILIÁRIOS S.A. (Prata Forte) 3º Série da 2ª Emissão de Certificados de Recebíveis Imobiliários ÍNDICE CARACTERÍSTICAS DOS CRI s... 3 CARACTERIZAÇÃO DA EMISSORA... 3

Leia mais

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 01765-5 TELE NORTE LESTE PARTICIPAÇÕES S/A 02.558.134/0001-58 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 01765-5 TELE NORTE LESTE PARTICIPAÇÕES S/A 02.558.134/0001-58 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CVM - COMISSÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS DFP - DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS PADRONIZADAS EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS Reapresentação Espontânea Data-Base - 31/12/29 Divulgação

Leia mais

Demonstrações Financeiras Ático Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários Ltda.

Demonstrações Financeiras Ático Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários Ltda. Demonstrações Financeiras Ático Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários Ltda. com Relatório dos Auditores Independentes sobre as Demonstrações Financeiras Demonstrações financeiras Índice Relatório

Leia mais

MATERIAL DE APOIO PROFESSOR

MATERIAL DE APOIO PROFESSOR Aula n 04 online MATERIAL DE APOIO PROFESSOR Balanço Patrimonial Plano de Contas É um elemento sistematizado e metódico de todas as contas movimentadas por uma empresa. Cada empresa deverá ter seu próprio

Leia mais

EARNINGS RELEASE 2T12 e 1S12

EARNINGS RELEASE 2T12 e 1S12 São Paulo, 15 de agosto de 2012 - A Inbrands S.A. ( Inbrands ou Companhia ), uma empresa de consolidação e gestão de marcas de lifestyle e moda premium do Brasil, anuncia hoje os resultados do segundo

Leia mais

DESTAQUES DO PERÍODO (2T11)

DESTAQUES DO PERÍODO (2T11) QUALICORP REGISTRA CRESCIMENTO DO TRIMESTRE NO NÚMERO DE BENEFICIÁRIOS DE 18,5%, RECEITA LÍQUIDA DE 43,9%, EBITDA AJUSTADO DE 36,6% EM RELAÇÃO AO 2T10 1 São Paulo, 12 de agosto de 2011. A QUALICORP S.A.

Leia mais

Empreendimentos Florestais Santa Cruz Ltda. Demonstrações financeiras em 30 de setembro de 2009 e relatório dos auditores independentes

Empreendimentos Florestais Santa Cruz Ltda. Demonstrações financeiras em 30 de setembro de 2009 e relatório dos auditores independentes Empreendimentos Florestais Santa Cruz Ltda. Demonstrações financeiras em 30 de setembro de 2009 e relatório dos auditores independentes Relatório dos auditores independentes Aos Administradores e Quotistas

Leia mais

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2014 - Encalso Participações em Concessões S.A. Versão : 1. Composição do Capital 1

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2014 - Encalso Participações em Concessões S.A. Versão : 1. Composição do Capital 1 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 2 Balanço Patrimonial Passivo 3 Demonstração do Resultado 4 Demonstração do Resultado Abrangente 5 Demonstração

Leia mais

RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO. Senhores Acionistas,

RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO. Senhores Acionistas, RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO Senhores Acionistas, Em atenção às disposições legais e estatutárias, submetemos a apreciação de V.Sas. o relatório da Administração e as Demonstrações Contábeis, relativas ao

Leia mais

MRS LOGISTICA S.A. 3ª Emissão Pública de Debêntures. Relatório Anual do Agente Fiduciário Exercício de 2007

MRS LOGISTICA S.A. 3ª Emissão Pública de Debêntures. Relatório Anual do Agente Fiduciário Exercício de 2007 MRS LOGISTICA S.A. 3ª Emissão Pública de Debêntures Relatório Anual do Agente Fiduciário Exercício de 2007 MRS LOGISTICA S.A. 3ª Emissão Pública de Debêntures Relatório Anual do Agente Fiduciário Exercício

Leia mais

Relatório Analítico 27 de março de 2012

Relatório Analítico 27 de março de 2012 VENDA Código de Negociação Bovespa TGM A3 Segmento de Atuação Principal Logística Categoria segundo a Liquidez 2 Linha Valor de M ercado por Ação (R$) 29,51 Valor Econômico por Ação (R$) 32,85 Potencial

Leia mais

AMBEV DIVULGA RESULTADO DO PRIMEIRO TRIMESTRE DE 2016 EM IFRS

AMBEV DIVULGA RESULTADO DO PRIMEIRO TRIMESTRE DE 2016 EM IFRS Pág. 1 AMBEV DIVULGA RESULTADO DO PRIMEIRO TRIMESTRE DE 2016 EM IFRS São Paulo, Ambev S.A. [BOVESPA: ABEV3; NYSE: ABEV] anuncia hoje os resultados do primeiro trimestre de 2016 (1T16). As informações operacionais

Leia mais

Romi registra lucro líquido de R$ 83 milhões em 2006, o maior resultado de sua história

Romi registra lucro líquido de R$ 83 milhões em 2006, o maior resultado de sua história Resultados do 4 o Trimestre de 2006 Cotações (28/12/06) ROMI3 - R$ 158,00 ROMI4 - R$ 146,50 Valor de Mercado R$ 999,0 milhões Quantidade de Ações Ordinárias: 3.452.589 Preferenciais.: 3.092.882 Total:

Leia mais

MÓDULO 2 PASSIVO EXIGÍVEL (PE) E RECEITAS DIFERIDAS (ANTIGO RESULTADO DE EXERCÍCIOS FUTUROS (REF))

MÓDULO 2 PASSIVO EXIGÍVEL (PE) E RECEITAS DIFERIDAS (ANTIGO RESULTADO DE EXERCÍCIOS FUTUROS (REF)) CONTABILIDADE INTERMEDIÁRIA CAPÍTULO 2: PASSIVO EXIGÍVEL E RECEITAS DIFERIDAS MATERIAL DE ACOMPANHAMENTO MÓDULO 2 PASSIVO EXIGÍVEL (PE) E RECEITAS DIFERIDAS (ANTIGO RESULTADO DE EXERCÍCIOS FUTUROS (REF))

Leia mais