Como abrir uma empresa

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Como abrir uma empresa"

Transcrição

1 Cm abrir uma empresa 1 data da atualizaçã: mar./2012

2 Cm abrir uma empresa Ficha Técnica SEBRAE-MG Tds s direits reservads. É permitida a reprduçã ttal u parcial, de qualquer frma u pr qualquer mei, desde que divulgadas as fntes. SEBRAE-MG Lázar Luiz Gnzaga Presidente d Cnselh Deliberativ Afns Maria Rcha Diretr-superintendente Luiz Márci Haddad Pereira Sants Diretr-técnic Elbe Figueired Brandã Santiag Diretr de Operações Unidade de Atendiment Individual a Empreendedr SEBRAE-MG Mara Regina Veit Gerente Viviane Sares da Csta Wellingtn Damascen de Lima Equipe Técnica Clabraçã Alessandr Flávi Barbsa Chaves, Antôni August Gnçalves de Abreu, Any Myuki Wakabayashi, Armand Basile Filh, Arnald Fernandes Pint Junir, Arnu ds Sants, August Mans de Andrade, Beatriz de Carvalh, Cássi Silva Duarte, Cláudi Afrâni Rsa, Daniela Almeida Teixeira Tccafnd, Denise Mnteir Sapper, Eduard Amat Silva, Fabi Petruceli Carayn Basts, Gabriela Aguiar de Gdy, Harld Sants Araúj, Helena Leite Dlabella, Jeffersn Ney Amaral, Jsé Márci Martins, Magn Henrique Martins Alves, Ricard d Carm Silva, Rbert Marinh Figueira Zica, Sônia Rdrigues Pereira Gmes Empresáris Entrevistads Antôni Leite, Jvane Nadú, Luiz Martins, Marcs Paul Assunçã de Almeida Cnsultria Jurídica Chaves Vilhena Sciedade de Advgads Revisã de Prtuguês Alissn Camps 2 data da atualizaçã: mar./2012

3 Cm abrir uma empresa Apresentaçã Quer abrir seu própri negóci? Pnt de Partida: aqui cmeça sucess A série Pnt de Partida é cnstituída pr manuais cm rientações sbre a abertura de empresas. Neste manual, vcê encntrará infrmações essenciais sbre que precisa ser bservad em cada uma das cinc etapas da abertura de empresas, sejam ds setres da indústria, d cmérci u da prestaçã de serviçs. Para auxiliá-l, a final d text referente a uma etapa, incluíms dicas sbre cm e/u nde vcê pderá desenvlver que fi sugerid. É bjetiv deste manual cntribuir para planejament de empreendiments. Lembre-se de que a atitude de buscar infrmações antes da abertura de uma empresa favrece a cnstituiçã de empreendiments mais bem preparads para atuar em um mercad cada vez mais cmpetitiv. Cnsidere ainda que sustentabilidade, respnsabilidade scial, tecnlgia digital (equipaments, sftwares, redes sciais etc.) e utrs temas têm ganhad destaque na sciedade e precisam ser cnsiderads n âmbit das práticas empresariais. O Sebrae-MG nã se respnsabiliza pel resultad final d empreendiment, uma vez que sucess de um negóci depende de muits fatres, cm cmprtament empreendedr, existência de mercad, experiência, atençã às características próprias d segment, dentre utrs. Entretant, Sebrae-MG dispõe de diverss prgramas para rientar e capacitar empreendedres e empresáris. Para mais infrmações, visite um ds nsss Pnts de Atendiment, acesse u ligue Atençã: é recmendável a leitura d manual Pnt de Partida específic (pr exempl: cm mntar uma lja de rupas, cm mntar um salã de beleza, cm mntar uma padaria, dentre utrs) da atividade de seu interesse para btençã de utras infrmações imprtantes e cmplementares. 3 data da atualizaçã: mar./2012

4 Cm abrir uma empresa Sumári Pr nde cmeçar? Avaliaçã d perfil empreendedr Identificaçã da prtunidade Plan de negóci Pesquisa de mercad Acess a serviçs financeirs Aspects legais Pribiçã da prática d tabagism Acessibilidade das pessas prtadras de deficiência u cm mbilidade reduzida Regularizaçã ambiental Defesa d cnsumidr Pass a pass para registr Licenças necessárias para cada tip de negóci Lei Geral das micr e pequenas empresas Implantaçã d negóci Gestã d negóci Dicas da equipe d Sebrae Minas Respnsabilidade ambiental Referências Endereçs úteis data da atualizaçã: mar./2012

5 Cm abrir uma empresa Pr nde cmeçar? Cnheça as etapas que vcê deverá percrrer para abrir seu negóci Neste manual, vcê encntrará sugestã de caminh a ser percrrid para a abertura d seu negóci. A intençã é rientá-l em relaçã as prcesss que devem ser seguids a fim de que vcê adquira cnheciments suficientes para, depis de abrir, manter a sua empresa n mercad. Lembre-se de que, além das indicações de curss e leituras deste manual, é muit imprtante que vcê cntinue buscand infrmações em utrs meis e instituições especializadas. 5 data da atualizaçã: mar./2012

6 Cm abrir uma empresa 1 Avaliaçã d perfil empreendedr Cnheça as principais características de empreendedres de sucess Quer abrir um negóci? Entã, saiba que primeir pass desse prjet é cnhecer as características de empreendedres que deram cert e verificar se vcê se identifica cm elas. O psicólg nrte-american David McClelland fi grande estudis que pesquisu e definiu as dez características d cmprtament empreendedr, utilizadas hje em prgramas cm Empretec, desenvlvid pela ONU e implantad n Brasil pel Sistema Sebrae. Cnfira as dez características: Busca de prtunidades e iniciativa; Persistência; Crrer riscs calculads Exigência de qualidade e eficiência; Cmprmetiment; Busca de infrmações; Estabeleciment de metas; Planejament e mnitrament sistemátics; Persuasã e rede de cntats; Independência e autcnfiança. É precis ressaltar que nem sempre uma pessa reúne tds s cmprtaments de empreendedres de sucess. N entant, se vcê se identificu cm a mairia delas, terá grandes chances de se dar bem. Mas, se descbriu puca afinidade, reflita sbre assunt e prcure se aprimrar. Na prática Cm Sebrae pde auxiliar nesta etapa Teste: Perfil d Empreendedr Acesse digite perfil empreendedr n camp de busca e clique em Teste seu perfil d empreendedr. Curss e palestra: Oficina d empreendedr, Aprender a empreender, Empreendedrism rum a própri negóci, Saber empreender. Infrmações: / 6 data da atualizaçã: mar./2012

7 Cm abrir uma empresa 2 Identificaçã da prtunidade Depis de avaliar perfil empreendedr, vcê deve identificar e avaliar uma prtunidade de negóci. Cas vcê tenha dúvida sbre que mntar, visite 1, participe das palestras Cm mntar 2 e/u cnverse cm empresáris ds segments de seu interesse que mais lhe despertam interesse. Atente também para algumas recmendações de quem já passu pr esta fase: Em primeir lugar, é precis gstar da atividade. Se nã gstar, nã vai para a frente. Marcs Paul Assunçã de Almeida, prprietári das Academias Malhaçã e Fórmula d Crp (Bel Hriznte) A primeira dica é ter afinidade cm negóci que se pretende mntar. Entretant, vcê deve levar em cnsideraçã que, além da área de que vcê mais gsta, precisará dedicar-se a utras que talvez nã lhe despertem mesm interesse: Há utras áreas na empresa que nã sã mda e que também precisam de atençã. Antôni Leite, prprietári da Pele Mrena, lja de rupas em Bel Hriznte. A segunda dica é cnhecer a atividade: Vcê precisará se infrmar muit, buscar muit cnheciment, participar de events etc. Jvane Nadú, prprietári d Restaurante Xanadu (Bel Hriznte) Já a terceira dica é ter experiência, especialmente n mercad atual, altamente cmpetitiv: É precis ter cnheciment e dminar a técnica. O mercad hje nã cmprta amadres. Luiz Martins, prprietári d LM Studi (Bel Hriznte) Assim, após a identificaçã d negóci, será necessári verificar se vale a pena investir na nva empresa. Para tmar esta decisã, vcê precisará fazer uma pesquisa de mercad, um plan de negócis e avaliar a dispnibilidade de recurss financeirs. Cada uma dessas etapas é descrita a seguir. 1 Há mais de 250 manuais dispníveis para dwnlad gratuit mediante cadastr em: Série Pnt de Partida, há negócis que ainda nã pssuem manuais elabrads. 2 As palestras Cm mntar sã ministrads ns events d Sebrae-MG e neles vcê cnhecerá funcinament, s desafis, as prtunidades e s principais aspects relacinads à mntagem de alguns negócis. 7 data da atualizaçã: mar./2012

8 Cm abrir uma empresa 2.1 Plan de negóci O plan de negóci é uma ferramenta que pssibilita entendiment e a visualizaçã de uma empresa n papel, cm suas características e peculiaridades, antes de partir para desembls d investiment. Ele cntribui ntavelmente para a inicializaçã, cmpetitividade e lngevidade da empresa, trnand mais clar caminh e indicand as direções mais acertadas a serem seguidas. Nele sã sintetizadas as principais infrmações e variáveis peracinais, táticas e estratégicas referentes à empresa e a mercad, respndend muitas das questões fundamentais relativas a negóci antes de sua abertura. O plan de negóci é cmpst pel plan de marketing, plan peracinal e pel plan financeir, tds fundamentads nas análises feitas cm base na sua pesquisa de mercad e que irã, pr sua vez, dar base à cnstruçã de cenáris e avaliaçã das estratégias que fram frmuladas. 2.2 Pesquisa de mercad A elabraçã de uma pesquisa de mercad tem pr bjetiv reduzir risc e grau de incerteza, frnecend infrmações essenciais para analisar a viabilidade d empreendiment. Sã cletadas infrmações cm cnsumidr, frnecedr u cncrrentes para rientar a tmada de decisã e sluçã de prblemas. A pesquisa de mercad é a ferramenta certa para, pr exempl, cnhecer melhr s cnsumidres e a estrutura da cncrrência u, após abertura d negóci, identificar, pr exempl, estratégias para valrizar marcas. 2.3 Acess a serviçs financeirs Ter uma ideia de negóci e avaliá-la é um imprtante pass para quem deseja cnstituir uma empresa. Entretant, a necessidade de recurss financeirs para cncretizaçã desse prjet tem sid um limitadr para muits empreendedres brasileirs. 8 data da atualizaçã: mar./2012

9 Cm abrir uma empresa De acrd cm Glbal Entrepreneurship Mnitr 2010 (GEM), mair estud mundial sbre empreendedrism, além d us d própri capital, mntante ttal de recurss necessáris para empreender n Brasil é btid, em sua mairia, cm familiares próxims, cm marids e espsas, pais, avós e irmãs (a pesquisa apntu que 70% recrreram a familiares). Existe financiament para empresas em implantaçã, mas acess nã é fácil. Geralmente, as instituições financeiras cnsideram empresas em implantaçã aquelas frmalmente cnstituídas há, pel mens, três meses. Iss significa que a empresa deverá estar em funcinament (situaçã cmprvada pr Cntrat Scial, CNPJ, Inscriçã Estadual, Alvará de Funcinament, Certidões Negativas etc.) e ter faturament (além de infrmações técnicas, ecnômicas e financeiras da empresa, suas prjeções e garantias). Os bancs analisam cas a cas e avaliam critéris cm s ilustrads a seguir: Os bancs públics de âmbit nacinal, reginal u estadual sã imprtante parte da sluçã de crédit, mas nã sã s únics. Os bancs privads e utrs agentes d sistema financeir, incluind cperativas e instituições de micrcrédit, também pdem ser cnsultads, mas ideal é que vcê pssua ba parte ds recurss, já que, na mairia das vezes, as instituições financeiras pdem slicitar cntrapartida n investiment. Vale ressaltar que, antes de arriscar seu patrimôni, é necessári planejar e avaliar tds s aspects d negóci cm muit cuidad. Nesse sentid, é muit imprtante ter algumas atitudes que cntribuem para a sbrevivência d negóci, cm bservar cenári ecnômic e mercad em que se pretende inserir, atentar para futuras crises e adtar mecanisms de cntrle d negóci. Observaçã: Sebrae nã é instituiçã financeira e nã está autrizad pel Banc Central a emprestar recurss. N entant, realiza uma série de ações e atividades que apia empreendedr n acess as serviçs financeirs e na btençã de crédit. 9 data da atualizaçã: mar./2012

10 Cm abrir uma empresa Na prática Cm Sebrae pde auxiliar nesta etapa Série Cm elabrar... Cm elabrar um plan de negóci Permite identificar e restringir s errs n papel, clabrand para que vcê nã s cmeta n mercad. Vcê definirá s bjetivs d negóci e cnhecerá s passs que devem ser dads para que as metas sejam alcançadas, diminuind s riscs e as incertezas. Imprtante! Sftware Cm elabrar um Plan de Negóci Cas prefira, vcê pderá fazer dwnlad gratuit d sftware Cm elabrar um Plan de Negóci n prtal Esta é uma pçã bastante prática, pis permite que vcê faça lançament ds dads d seu negóci, identifique cm mais clareza eventuais divergências e visualize s resultads de tds s cálculs, efetuads autmaticamente pel prgrama. Depis de cncluíd, seu plan pderá ser encaminhad pr para a avaliaçã pr um ds cnsultres d Sebrae-MG. Cm elabrar uma pesquisa de mercad Aprenda cm e quand frmular e aplicar uma pesquisa de mercad. Cm manual, vcê terá acess às pesquisas mais usadas para micr e pequenas empresas, cm as vltadas à implantaçã de nvs negócis e aquelas aplicadas em empresas já existentes. Os manuais pdem ser adquirids ns Pnts de Atendiment d Sebrae-MG u cnsultads, gratuitamente, n site d Sebrae-MG. Série Pnt de Partida Saiba mais sbre a(s) atividade(s) de seu interesse, dentre mais de 250 dispníveis para dwnlad gratuit n site d Sebrae-MG. Série Empreendedr Individual Faça dwnlad ds manuais cm atividades específicas para empreendedres individuais, gratuitamente, n site d Sebrae-MG. Dessa frma, fica mais fácil identificar qual melhr negóci para vcê. 10 data da atualizaçã: mar./2012

11 Cm abrir uma empresa Série Guia d Empreendedr Cartilha Identificaçã de Oprtunidades Apresenta maneiras de identificar as prtunidades de negócis e cm saber aprveitá-las. Pde ser cnsultada, gratuitamente, n site d Sebrae-MG. Acess a Serviçs Financeirs d Sebrae: Site que tem pr bjetiv aprximar sistema financeir a segment das micr e pequenas empresas para ampliar acess e reduzir s custs d crédit e demais serviçs financeirs. Fampe e Sciedades de Garantia de Crédit: Funprger: Infrmações: / 11 data da atualizaçã: mar./2012

12 Cm abrir uma empresa 3 Aspects legais Frmalize e cnheça as regulamentações legais d seu negóci Depis de avaliar perfil empreendedr e identificar a prtunidade d negóci, é hra de pensar ns aspects legais. Alguns empreendiments pssuem legislaçã específica e rigrsa, cm acntece, pr exempl, cm negócis da área de aliments. Cntud, existem aspects gerais aplicáveis a tds s negócis, cm a acessibilidade de pessas prtadras de deficiência u cm mdalidade reduzida que, além de se tratar de uma questã legal, é, sbretud, de inclusã scial. Da mesma maneira, respeit à cletividade cm a pribiçã da prática d tabagism em lcais fechads, sejam eles públics u privads, bem cm a defesa d cnsumidr e respeit a mei ambiente sã aspects aplicáveis a tds s negócis e nã pdem ser vists cm mdisms. 3.1 Pribiçã da prática d tabagism Em Minas Gerais é pribid fumar cigarr, cigarrilha, charut, cachimb u similares em recints fechads públics u privads. Pderã ser destinadas à prática d tabagism áreas específicas para fumantes, cm ambiente extern u as equipadas cm aparelhs que garantam a exaustã d ar. É permitid ainda fumar em lcais a ar livre e nas tabacarias. É brigatória a afixaçã e a manutençã, em lcais de fácil visibilidade, de aviss, placas u cartazes alusivs à pribiçã da prática d tabagism. A infraçã dessas nrmas pde acarretar sanções, entre elas, advertência, interdiçã ttal u parcial d estabeleciment, da atividade e d prdut; cassaçã da autrizaçã de funcinament u da autrizaçã especial e multa. 3.2 Acessibilidade das pessas prtadras de deficiência u cm mbilidade reduzida O Decret Federal nº 5.296, de 2 de dezembr de 2004, regulamenta as Leis nº , de 8 de nvembr de 2000, e , de 19 de dezembr de 2000, que estabelecem nrmas gerais e critéris básics para a prmçã da acessibilidade das pessas prtadras de deficiência u cm mbilidade reduzida. De acrd cm esse Decret, cnsideram-se edificações de us cletiv: aquelas destinadas às atividades de natureza cmercial, hteleira, cultural, esprtiva, financeira, turística, recreativa, scial, religisa, educacinal, industrial e de saúde, inclusive as edificações de prestaçã de serviçs de atividades da mesma natureza (artig 8º, incis VII). 12 data da atualizaçã: mar./2012

13 Cm abrir uma empresa Este Decret determina algumas nrmas para ferecer acessibilidade às pessas prtadras de deficiência u cm mdalidade reduzida, tais cm: Na ampliaçã u refrma das edificações de us cletiv, s desníveis das áreas de circulaçã internas u externas serã transpsts pr mei de rampa u equipament eletrmecânic de deslcament vertical, quand nã fr pssível utr acess mais cômd para pessa prtadra de deficiência u cm mbilidade reduzida, cnfrme estabelecid nas nrmas técnicas de acessibilidade da ABNT. A cnstruçã, ampliaçã u refrma de edificações de us cletiv devem dispr de sanitáris acessíveis destinads a us pr pessa prtadra de deficiência u cm mbilidade reduzida. Nas edificações de us cletiv a serem cnstruídas, ampliadas u refrmadas, nde devem existir banheirs de us públic, s sanitáris destinads a us pr pessa prtadra de deficiência deverã ter entrada independente ds demais e bedecer às nrmas técnicas de acessibilidade da ABNT. Nas edificações de us cletiv, já existentes, nde haja banheirs destinads a us públic, s sanitáris preparads para us pr pessa prtadra de deficiência u cm mbilidade reduzida deverã estar lcalizads ns paviments acessíveis, ter entrada independente ds demais sanitáris, se huver, e bedecer às nrmas técnicas de acessibilidade da ABNT. Ns estacinaments externs u interns das edificações de us públic u de us cletiv, u naqueles lcalizads nas vias públicas, serã reservads, pel mens, dis pr cent d ttal de vagas para veículs que transprtem pessa prtadra de deficiência física u visual definidas neste Decret, send assegurada, n mínim, uma vaga, em lcais próxims à entrada principal u a elevadr, de fácil acess à circulaçã de pedestres, cm especificações técnicas de desenh e traçad cnfrme estabelecid nas nrmas técnicas de acessibilidade da ABNT. Nas edificações de us cletiv é brigatória a existência de sinalizaçã visual e tátil para rientaçã de pessas prtadras de deficiência auditiva e visual, em cnfrmidade cm as nrmas técnicas de acessibilidade da ABNT. A instalaçã de nvs elevadres u sua adaptaçã em edificações de us cletiv, bem assim a instalaçã em edificaçã de us privad multifamiliar a ser cnstruída, na qual haja brigatriedade da presença de elevadres, deve atender as padrões das nrmas técnicas de acessibilidade da ABNT. N cas da instalaçã de elevadres nvs u da trca ds já existentes, qualquer que seja númer de elevadres da edificaçã de us públic u de us cletiv, pel mens um deles terá cabine que permita acess e mvimentaçã cômda de 13 data da atualizaçã: mar./2012

14 Cm abrir uma empresa pessa prtadra de deficiência u cm mbilidade reduzida, de acrd cm que especifica as nrmas técnicas de acessibilidade da ABNT. Junt às bteiras externas d elevadr, deverá estar sinalizad em braile em qual andar da edificaçã a pessa se encntra. Os edifícis a serem cnstruíds cm mais de um paviment além d paviment de acess, à exceçã das habitações unifamiliares e daquelas que estejam brigadas à instalaçã de elevadres pr legislaçã municipal, deverã dispr de especificações técnicas e de prjet que facilitem a instalaçã de equipament eletrmecânic de deslcament vertical para us das pessas prtadras de deficiência u cm mbilidade reduzida. Para cncessã de Alvará de Funcinament u sua renvaçã para qualquer atividade, devem ser bservadas e certificadas as regras de acessibilidade previstas na legislaçã e nas nrmas técnicas de acessibilidade da ABNT. É recmendável que empreendedr leia Decret Federal nº 5.296/04 na íntegra, para verificaçã de detalhes quant às nrmas específicas de edificações e instalações d empreendiment. 3.3 Regularizaçã ambiental É necessári que empreendedr fique atent às nrmas de direit ambiental antes de iniciar suas atividades. N âmbit d Estad de Minas Gerais existe regulamentaçã n sentid de que td empreendiment deverá prceder à Regularizaçã Ambiental antes d iníci d funcinament da atividade, cnfrme Decret Estadual nº , de 25 de junh de A regularizaçã ambiental é a adequaçã d empreendiment perante pder públic n que tange a Licenciament Ambiental, Autrizaçã Ambiental de Funcinament, Certidã de Dispensa, Outrga de Direit de Us de Recurss Hídrics, Cadastr de Us Insignificante, Supressã de Vegetaçã Nativa e Intervençã em Área de Preservaçã Permanente. Para slicitar a Regularizaçã Ambiental, empreendedr deverá preencher Frmulári de Caracterizaçã d Empreendiment FCE, dispnível n site da Secretaria de Estad de Mei Ambiente e Desenvlviment Sustentável, Semad, O FCE é um dcument que viabiliza a slicitaçã de diversas autrizações, cm Outrga d Direit de Us da Água, Licenciament Ambiental e Autrizaçã para Extraçã Flrestal. 14 data da atualizaçã: mar./2012

15 Cm abrir uma empresa Após devid preenchiment, ele deverá ser entregue na Superintendência Reginal de Mei Ambiente e Desenvlviment Sustentável Supram e aguardar sua análise pel mencinad órgã ambiental. A Supram, após apreciaçã da FCE entregue, pderá emitir Certificad de Dispensa u gerar um Frmulári de Orientaçã Básica FOB n qual cnstam tds s dcuments necessáris para a frmalizaçã ds prcesss de Licenciament, de Autrizaçã Ambiental de Funcinament, Outrga d Direit de Us da Água, Cadastr de Us Insignificante de Água, Supressã de Vegetaçã Nativa e Intervençã em Área de Preservaçã Permanente, quand frem s cass. Os empreendiments u atividades dispensads ds instruments de Licença Ambiental u Autrizaçã Ambiental de Funcinament, após ser analisada a FCE pela autridade cmpetente, nã receberã FOB, adquirind tã-smente uma Certidã de Dispensa emitida pel órgã ambiental estadual cmpetente, mesm send passível de Licenciament Ambiental perante municípi. Smente depis de recebida tda a dcumentaçã exigida n FOB, quand necessári, é que será publicad n Diári Oficial d Estad requeriment de Licença Ambiental. Os empreendiments de pequen prte e pequen u médi ptencial pluidr, bem cm s empreendiments de médi prte e de pequen ptencial pluidr sã brigads a bter a Autrizaçã Ambiental de Funcinament AAF ficand dispensads d Licenciament Ambiental. Já s empreendiments de mair prte e mair ptencial pluidr sã brigads a efetuar prcess de Licenciament requerend as Licenças Prévias (LP) de Instalaçã (LI) e de Operaçã (LO). A Deliberaçã Nrmativa nº 74 d Cnselh Estadual de Plítica Ambiental COPAM é a nrma legal que regulamenta Licenciament Ambiental dentr d Estad de Minas Gerais e estabelece critéris para a classificaçã ds empreendiments e seu prte e ptencial pluidr. Para cnsulta na íntegra da DN nº 74, cnsulte site Cnfrme dit, dependend da atividade e d ptencial pluidr, empreendedr deverá apresentar na Supram s dcuments exigids n FOB para regularizaçã ambiental. Lembre-se: a regularizaçã ambiental nã termina cm a btençã da LO u AAF, pis sempre será necessária a manutençã das regularidades ambientais implícitas u explícitas na Licença Ambiental u na AAF. Outr pnt de suma imprtância é Cadastr Técnic Estadual, n qual empreendedr deverá se inscrever n praz máxim de 30 dias, a cntar d iníci de suas atividades, pr mei de preenchiment de frmulári eletrônic dispnível n site 15 data da atualizaçã: mar./2012

16 Cm abrir uma empresa Esse Cadastr smente é brigatóri para as atividades cnstantes ns anexs I e II da Lei Estadual nº , de 29 de dezembr de Para saber se a sua atividade está inclusa nesses anexs e bter mais infrmações, acesse site O Cadastr, após devid preenchiment e emissã autmática de um prtcl, deverá ser impress e guardad pel usuári. Para utras infrmações, empreendedr deverá cnsultar diretamente a Fundaçã Estadual d Mei Ambiente Feam, Institut Estadual de Flrestas IEF, Institut Mineir de Gestã das Águas Igam u as Superintendências Reginais de Mei Ambiente e Desenvlviment Sustentável Suprams. A defesa d mei ambiente é cmpetência cmum da Uniã, d Distrit Federal, ds Estads e ds municípis, pr iss, é necessári que empreendedr cnsulte também a Secretaria Municipal d Mei Ambiente u a Prefeitura para bter mais esclareciments de eventuais exigências lcais nde pretende explrar suas atividades. 3.4 Defesa d cnsumidr Em Minas Gerais, desde 2003, em virtude da Lei Estadual , é brigatória a manutençã de um exemplar d Códig de Defesa d Cnsumidr, Lei Federal 8.078, de 11 de setembr de 1990, ns estabeleciments cmerciais, para a cnsulta d cnsumidr. 16 data da atualizaçã: mar./2012

17 Cm abrir uma empresa É brigatória, ainda, a afixaçã de placa 3 junt a caixa, em lcal visível e de fácil leitura, cm s seguintes dizeres: "Este estabeleciment pssui exemplar d Códig de Prteçã e Defesa d Cnsumidr, Lei nº 8.078, de 11 de setembr de 1990, dispnível para cnsulta". Em 2010, a Lei Federal trnu brigatória, em nível federal, a manutençã de exemplar d Códig de Defesa d Cnsumidr ns estabeleciments cmerciais e de prestaçã de serviçs. O Códig de Defesa d Cnsumidr CDC cnceitua cnsumidr cm send tda pessa física u jurídica que adquire prdut u serviç, desde que seja para cnsum final, quer dizer, nã pde ser para revenda u insum de prduçã. Já frnecedr é tda pessa física u jurídica, seja ela pública u privada, nacinal u estrangeira, que desenvlve atividade de prduçã, mntagem, criaçã, cnstruçã, transfrmaçã, imprtaçã, exprtaçã, distribuiçã u cmercializaçã de prduts u prestaçã de serviçs. Prdut, ns terms da legislaçã cnsumerista, é qualquer bem, móvel u imóvel, material u imaterial; e serviç é qualquer atividade frnecida n mercad de cnsum, mediante remuneraçã, inclusive as de naturezas bancária, financeira, de crédit e securitária. 3 É imprtante bedecer as dizeres estabelecids em Lei. Nã há necessidade de placa cnfeccinada cm desenh u material diferenciad cm, pr exempl, alumíni. A placa pderá ser de papel. 17 data da atualizaçã: mar./2012

18 Cm abrir uma empresa Dessa frma, pr simples leitura da Lei, pdems cncluir que, sb a ótica d CDC, prdut independe de pagament e serviç smente pde ser reclamad se fr mediante remuneraçã. Dessa frma, s serviçs públics nã estã acbertads pela prteçã trazida pela Lei Federal 8.078/90. Um pnt que merece destaque é a respnsabilidade bjetiva de tds s frnecedres da cadeia de prduçã. O que é iss? Se cnsumidr se sentir lesad pr um defeit de um prdut, pderá acinar cumulativamente u isladamente qualquer frnecedr da cadeia de prduçã, u seja: prdutr e/u mntadr, e/u imprtadr, e/u distribuidr, e/u a lja que vendeu diretamente prdut defeitus. Tds, de acrd cm CDC, sã respnsáveis, pdend cnsumidr acinar administrativamente u judicialmente integrante da rede de negóci que achar mais cnveniente. Já a respnsabilidade bjetiva resume-se a fat de que, independentemente de culpa, se fr cmprvad dan d cnsumidr pr víci u defeit d prdut d serviç, em uma típica relaçã de cnsum, e se este nã cntribuiu para este dan, tds s frnecedres sã respnsáveis pr repará-l, cabend açã de regress d frnecedr cntra utr frnecedr que deu causa. Essa açã é da esfera civil, em nada prejudicand cnsumidr lesad. Vale ressaltar que a respnsabilidade bjetiva e de tds s frnecedres é a regra da Lei Federal nº 8.078/90, cabend exceções. Em Minas Gerais a legislaçã relacinada à defesa d cnsumidr também pririza a infrmaçã clara sbre a aceitaçã de cheque ns estabeleciments cmerciais. Nesse sentid, trnu-se brigatóri, desde 2001, a afixaçã dentr ds estabeleciments cmerciais, em lcal visível a cnsumidr, de avis que infrme se nã é aceit cheque e cas esse seja aceit, quais as cndições impstas para seu recebiment. É necessári esclarecer que temp mínim de abertura de cnta crrente nã pde ser mtiv para nã aceitaçã de cheques. Veja s exempls abaix: Nã aceitams cheque. Leis Estaduais /01 e /2005 Aceitams cheques smente de clientes já cadastrads. Leis Estaduais /01 e /2005 Aceitams cheques smente após cnsulta a SPC. Leis Estaduais /01 e /2005 As sanções previstas n CDC para quem vila s direits d cnsumidr vã desde a advertência, apreensã d prdut/suspensã da atividade até interdiçã d estabeleciment e pdem ser cumuladas cm pagament de multa, independentemente de ações nas esferas cível e criminal. 18 data da atualizaçã: mar./2012

19 Cm abrir uma empresa Imprtante: Para evitar ser punid pr pssível prática infrativa as direits d cnsumidr, é precis estar atent às nrmas cnsumeristas e saber s direits e deveres d cnsumidr, bem cm s d frnecedr. A educaçã e a infrmaçã de frnecedres e cnsumidres, quant as seus direits e deveres, é direit de tds e visa à melhria d mercad de cnsum. 3.5 Pass a pass para registr É muit imprtante que vcê legalize seu negóci. Quand vcê deixa de trabalhar na infrmalidade, sua empresa pde atuar de frma mais cmpetitiva, gerand resultads ficiais, cm geraçã de empreg e renda, pssibilidade de btençã de linhas de crédit subsidiadas, participaçã em licitações públicas, recnheciment scial etc. Cm legalizar a empresa Veja abaix algumas rientações d caminh a ser percrrid 1) Faça a cnsulta prévia junt a Prefeitura para verificar a pssibilidade de instalaçã d negóci n lcal de sua esclha e psterir btençã d Alvará de Funcinament. 2) Realize cnsulta da situaçã fiscal ds sócis (CPF) na Secretaria da Receita Federal e na Secretaria Estadual da Fazenda nde será verificada a existência de pendências u irregularidades que impeçam a btençã da inscriçã ns cadastrs fiscais (federal e estadual). 3) Verifique a pssibilidade de registr d nme empresarial, cnsultand a Junta Cmercial u Cartóri de Registr. Em relaçã a registr da marca esclhida, faça a verificaçã n Institut Nacinal de Prpriedade Industrial (INPI). 4) Elabre Cntrat Scial u Estatut Scial, que deverá ser levad para registr na Junta Cmercial (Jucemg) u n Cartóri de Registr. N cas de Cntrat scial inclua as infrmações a seguir n dcument: Qualificaçã ds sócis; Nme empresarial; Frma de cnstituiçã scietária; Endereç; Objetivs sciais; Capital scial; Frma de administraçã; Distribuiçã ds resultads; Sucessã; Declaraçã de desimpediment; Fr e demais cláusulas que s sócis cnsiderem necessárias. 19 data da atualizaçã: mar./2012

20 Cm abrir uma empresa Já na elabraçã de Estatut Scial sã necessárias as seguintes infrmações: Denminaçã, s fins, a sede, temp de duraçã e fund scial, quand huver; Nme e individualizaçã ds fundadres u instituidres, e ds diretres; Frma de administraçã, representaçã e aprvaçã de cntas; Obrigações sciais, direits e deveres ds membrs; Requisits para admissã, demissã e exclusã ds assciads; Fntes de recurss para sua manutençã; Md de cnstituiçã e funcinament ds órgãs deliberativs e administrativs; Cndições para alteraçã das dispsições estatutárias, dissluçã da pessa jurídica e destin d patrimôni, nesse cas. Tip de empreendiment Assciações Fundações Sciedade Simples Onde registrar Cartóri d Registr Civil de Pessas Jurídicas Cartóri d Registr Civil de Pessas Jurídicas Cartóri d Registr Civil de Pessas Jurídicas Cperativas Cnsultar a Ocemg/Sescp-MG (Sindicat e Organizaçã das Cperativas d Estad de Minas Gerais) Empreendedr Individual - MEI Empresári Individual Sciedade Empresária Sciedade Individual de Respnsabilidade Limitada - EIRELI Registr Públic de Empresas Mercantis (Junta Cmercial) Registr Públic de Empresas Mercantis (Junta Cmercial) Registr Públic de Empresas Mercantis (Junta Cmercial) Registr Públic de Empresas Mercantis (Junta Cmercial) natureza empresária u Cartóri d Registr Civil de Pessas Jurídicas natureza simples Sugestã Cnsulte mdel de Cntrat Scial n site da Junta Cmercial: Em Bel Hriznte Cartóri de Registr Civil das Pessas Jurídicas, também cnhecid cm Cartóri Jer Oliva, pssui mdels de Estatuts (para assciações), Cntrat Scial (sciedade simples), distrat, requeriment entre utrs. Para acessá-ls cnsulte site A frma ds cntrats, estatuts, requeriments, entre utrs dcuments pdem sfrer variações dependend d cartóri nde será registrad empreendiment. Para tant, cnsulte Cartóri de Registr Civil das Pessas Jurídicas de sua cidade para verificar eventuais exigências. 20 data da atualizaçã: mar./2012

21 Cm abrir uma empresa 5) Dcuments necessáris para btençã d registr n Cadastr Nacinal da Pessa Jurídica (CNPJ) n Ministéri da Fazenda (www.receita.fazenda.gv.br) e Inscriçã Estadual (dependend da atividade): Em Minas Gerais, desde 2008 a cnferência de dcumentaçã e deferiment d Dcument Básic de Entrada DBE serã efetuads pela Jucemg - Junta Cmercial d Estad de Minas Gerais / Minas Fácil. Para requerer CNPJ e a Inscriçã Estadual é necessári s seguintes passs: 1. Acessar site da Jucemg (www.jucemg.mg.gv.br) para fazer a Cnsulta de Viabilidade d Nme Empresarial; 2. Em alguns municípis, cm Bel Hriznte, pr exempl, é necessári fazer a Cnsulta Prévia de cmpatibilidade da atividade ecnômica cm endereç pretendid na Prefeitura; 3. Após respsta psitiva da Junta Cmercial e da Prefeitura (se necessári), acessar site da Receita Federal d Brasil (www.receita.fazenda.gv.br) e preencher aplicativ Cleta Online - Prgrama Geradr de Dcuments d CNPJ (CNPJ versã Web), dispnível n site da Receita Federal d Brasil 4. Aguardar a respsta d Cadastr Sincrnizad e imprimir Dcument Básic de Entrada DBE; 5. Gerar a guia de Dcument de Arrecadaçã Estadual DAE através d site da Junta Cmercial e pagá-la; 6. Prvidenciar a dcumentaçã necessária cnfrme tip jurídic adtad 1. Cópia ds ats cnstitutivs (Cntrat Scial u Estatut u Declaraçã de Firma Individual) devidamente registrads na JUCEMG; 2. Cópias d CPF ds sócis, quand se tratar de pessa física, e d CNPJ d sóci, quand se tratar a pessa jurídica; 3. Demais dcuments exigids pela Junta Cmercia (cnfira checklist n site da Junta Cmercial); 7. Apresentar a dcumentaçã na unidade da Junta Cmercial/Minas Fácil; 8. A Junta Cmercial / Minas Fácil efetua a cnferência da dcumentaçã, registra at e efetua deferiment d DBE; 9. Autmaticamente é gerad CNPJ, a Inscriçã Estadual (de acrd cm a atividade) e a Inscriçã Municipal (para as empresas lcalizadas em Bel Hriznte) Nas cidades que há Minas Fácil, após praz estipulad que geralmente é de até 8 dias, empreendedr pderá buscar na unidade da Junta Cmercial (nde fi prtclad serviç), cntrat scial registrad, CNPJ, a inscriçã municipal, alvará de lcalizaçã e, de acrd cm a atividade, a inscriçã estadual. Nas cidades que nã há cnvêni Minas Fácil, a inscriçã municipal é slicitada diretamente na Prefeitura, após ser gerad CNPJ. 21 data da atualizaçã: mar./2012

22 Cm abrir uma empresa Imprtante: Quand se tratar de assciações, fundações e sciedades simples, cuj registr é feit n Cartóri d Registr Civil de Pessas Jurídicas, DBE será analisad na Receita Federal. N at da impressã é infrmad nde deve ser apresentad DBE para aprvaçã (Junta Cmercial u cartóri de Registr Civil de Pessas Jurídicas). 6) Para empreendiments que envlvam utras peculiaridades u utras exigências legais, será precis apresentar: Licença Ambiental; Licença Sanitária; Licença d Crp de Bmbeirs; Dispnibilidade de capacidade elétrica; Registr específic em órgã de classe; Entre utras. 7) Verifique as exigências diretamente ns órgãs. Para mais infrmações: Cnsulte um cntadr, um cntabilista u advgad; Sites ds órgãs envlvids n registr, cm: Minas Fácil, Secretaria de Estad de Fazenda, Prefeitura Municipal, Cpasa, Cemig etc. 3.6 Licenças necessárias para cada tip de negóci Existem licenças específicas para cada ram de atividade desenvlvida. Essas licenças pdem ser cumulativas, u seja, dependend d negóci a ser explrad pdem ser exigidas várias licenças. As três primeiras licenças, d quadr a seguir, em Minas Gerais, sã exigidas para td tip de empreendiment, pdend ser cumuladas cnfrme infrmaçã anterir cm utras, dependend da atividade explrada. Cnfrme a cmplexidade e risc d empreendiment pdem ser exigidas diversas licenças específicas. Nã basta que empreendedr registre sua empresa e cnsiga as inscrições em níveis federal, estadual e municipal. O empreendedr deve se ater às legislações específicas de cada ram da atividade e bter as licenças necessárias para regular funcinament d negóci. Imprtante! O empreendedr deve se ater às legislações específicas de cada ram da atividade e bter as licenças necessárias para regular funcinament d negóci. 22 data da atualizaçã: mar./2012

23 Cm abrir uma empresa Os prazs, valres e dcuments necessáris variam de acrd cm a lcalidade, atividade e tip de licença. A nã btençã das licenças necessárias pde causar multa e até interdiçã d estabeleciment. Fique atent. Tip de licença Licença u Alvará de Funcinament Vistria e bservância às nrmas de segurança Órgã expedidr Tip de empreendiment Exempls Prefeituras Tds s empreendiments Crp de Bmbeirs Tds s empreendiments Licença Ambiental Órgãs municipais u estaduais de Mei Ambiente Tds s empreendiments dentr d Estad de Minas Gerais Licença Sanitária Órgãs municipais, estaduais u federal de Empreendiments que explrem atividades Supermercads, restaurantes, prduts Vigilância Sanitária (Anvisa) relacinadas a aliments, csmétics, prduts para higiene e perfumes, de higiene, farmácias, drgarias, prduts de limpeza, fábricas de medicaments e/u insums farmacêutics, saneantes e medicaments veterináris, entre prduts para a saúde utrs Prduts de rigem animal Prefeituras, IMA, Secretaria de Estad de Saúde u Empreendiments ligads a prduts de rigem animal, Matadurs e açugues, fábricas de Ministéri da Agricultura, de acrd cm a cmpetência principalmente para cnsum e cmercializaçã embutids e de laticínis, entre utrs de cada órgã entre estads u internacinalmente Cadastur Ministéri d Turism Empreendiments que exerçam atividades relacinadas a turism Htéis, pusadas, agências de viagem, entre utrs Registr de Plícia Federal Empreendiments Empresas que prduts químics cntrlads relacinads a prduts cntrlads exprtem/imprtem prduts químics cntrlads pela Plícia Federal, tais cm efedrina e seus sais, safrl e utrs Autrizaçã Sinarm Sinarm Plícia Federal Empreendiments prdutres, atacadistas, Cmérci de armas de fg e munições varejistas, exprtadres e imprtadres autrizads que se relacinem a armas de fg, acessóris e munições 23 data da atualizaçã: mar./2012

24 Cm abrir uma empresa Autrizaçã Plícia Federal Plícia Federal Empreendiments que explrem atividades de Empresas de vigilância armada e segurança vigilância armada e segurança privada privada Autrizaçã ANP Empreendiments que Psts de ANP exerçam atividades de transprte e revenda de cmbustível e gás cmbustíveis, revendedres de gás, entre utrs 24 data da atualizaçã: mar./2012

25 Cm abrir uma empresa 3.7 Lei Geral das micr e pequenas empresas As micrempresas e empresas de pequen prte recebem tratament jurídic diferenciad e favrecid n Brasil, assegurad pela Cnstituiçã da República, n artig 179. A finalidade é incentivar a atuaçã de pequens empreendedres pela simplificaçã de brigações administrativas, tributárias, previdenciárias e creditícias e de utrs benefícis de inclusã sciecnômica. Cnceituaçã legal Empresa Individual de Respnsabilidade Limitada EIRELI Empresa Individual de Respnsabilidade Limitada EIRELI é uma empresa cnstituída pr uma única pessa, titular da ttalidade d capital scial. Nessa mdalidade a empresa respnde pr dívidas apenas cm seu própri patrimôni, e nã cm s bens pessais d seu titular. O capital scial integralizad nã pde ser inferir a 100 vezes mair salárimínim vigente n País. 25 data da atualizaçã: mar./2012

26 Cm abrir uma empresa A EIRELI pde desenvlver atividades equiparadas à sciedade simples u à sciedade empresária. Se desenvlver atividades de natureza simples arquivament de seus ats cnstitutivs será n Cartóri d Registr Civil de Pessas Jurídicas, cas desenvlva as atividades equiparadas à sciedade empresária arquivament ds ats cnstitutivs se dará na Junta Cmercial. Aplicam-se à EIRELI as mesmas regras previstas para a sciedade limitada. O nme empresarial adtad pela EIRELI pderá ser firma u denminaçã, cm a inclusã da expressã EIRELI n final. Quand adtar firma, esta será frmada cm seu própri nme, que deverá figurar de frma cmpleta, pdend ser abreviad s prenmes. Pderá aditar, se quiser u quand já existir nme empresarial idêntic, designaçã mais precisa de sua pessa u de sua atividade. Adtand denminaçã, esta pderá cnter seu nme. A denminaçã deve designar bjet da empresa, de md específic, nã se admitind expressões genéricas isladas, cm: cmérci, indústria, serviçs. Havend mais de uma atividade, pderã ser esclhidas uma u mais dentre elas. Nada impede que a EIRELI se enquadre cm Micrempresa ME u Empresa de Pequen Prte EPP. A adiçã a nme empresarial da expressã ME u Micrempresa e EPP u Empresa de Pequen Prte, se aplicável, nã pde ser efetuada n at cnstitutiv, u seja, primeir se registra cm EIRELI e só depis, mediante declaraçã em instrument própri para essa finalidade, é que, se faz a adiçã de tais terms a nme empresarial. Saiba mais sbre EI A Lei Cmplementar 128 de 2008 que instituiu a figura d Empreendedr Individual (EI) tem pr bjetiv facilitar a frmalizaçã de negócis. Atualmente, muits trabalhadres infrmais nã pagam cntribuiçã a INSS e, pr iss, nã têm direit à apsentadria u a qualquer utr benefíci (auxíli-dença, auxíli-maternidade etc.). Prtant, se vcê aderir, terá direit a apsentadria pr idade, auxíli-dença, facilidade de acess a crédit, cnta bancária, licença-maternidade, auxíli-natalidade, licença pr acidente de trabalh e apsentadria pr invalidez. N cas de apsentadria, valr estipulad é de um salári mínim nacinal vigente à épca. Além diss, estará dispensad de cntabilidade e pde ter um empregad. Na prática, s benefícis sã ainda maires, pis vcê pderá participar de licitações públicas, aumentar númer de clientes (atendend a empresas, pis pderá emitir ntas fiscais) e prestar serviçs para empresas públicas (exempl: pequens cnserts nas esclas, hspitais etc.). 26 data da atualizaçã: mar./2012

27 Cm abrir uma empresa Atividade Ecnômica d Empreendedr Individual Reclhiment Fix Mensal Tributs incluíds Cmérci Indústria R$ 32,10 ICMS: R$ 1,00 Cntribuiçã Previdenciária Individual 4 : R$ 31,10 Prestaçã de Serviçs R$ 36,10 ISS: R$ 5,00 Cntribuiçã Previdenciária Individual: R$ 31,10 Atividade mista (cmérci u indústria e prestaçã de serviç) R$ 37,10 ICMS: R$ 1,00 ISS: R$ 5,00 Cntribuiçã Previdenciária Individual: R$ 31,10 Exclusã Algumas empresas estã excluídas d regime diferenciad e favrecid previst na Lei Geral das Micrempresas, mesm que a receita bruta anual realizada esteja dentr ds limites estabelecids na Lei. Para mais infrmações, cnsulte seu cntadr u cntabilista. Supersimples 1 Definiçã Supersimples é nme utilizad ppularmente para Simples Nacinal. Ambs sã sinônims e pdem ser igualmente utilizads para identificar Regime Especial Unificad de Arrecadaçã de Tributs e Cntribuições devids pelas micrempresas e empresas de pequen prte. O Supersimples nã é um impst únic. Trata-se de um regime especial de tributaçã, instituíd pela Lei Geral, que implica n reclhiment mensal, pr dcument únic de arrecadaçã, de váris impsts e cntribuições. 2 Opçã pel Supersimples O Estatut Nacinal das Micrempresas e Empresas de Pequen Prte (Lei Geral das MPE) permite que as micrempresas e as empresas de pequen prte façam pçã pel Supersimples. A nã pçã pel Supersimples nã impede que empreendedr individual, as micrempresas e empresas de pequen prte usufruam das utras vantagens nã tributárias previstas na Lei Geral. 4 Valr reajustável anualmente (equivale a 5% d salári mínim vigente em fev./2012, u seja, 5% de R$ 622,00). 27 data da atualizaçã: mar./2012

28 Cm abrir uma empresa 3 Vantagens para sua empresa Seguem abaix alguns ds benefícis da Lei Cmplementar 123, mais cnhecida cm Lei Geral: Mais facilidade para vender para gvern; Linhas de crédit específicas; Mair acess as recurss para investiment em tecnlgia de órgãs e entidades; Nã incidência de impsts sbre as receitas de exprtações; Cadastr unificad e desburcratizaçã na abertura da empresa; Frmaçã de cnsórci para cmpra e venda; Baixa (fechament) autmática da empresa; Pagament de impsts e cntribuições (IRPJ, CSSL, PIS, COFINS, IPI, INSS patrnal, ICMS e ISSQN) em uma única guia de reclhiment; Etc. Fundamentaçã legal a) Lei Cmplementar nº 123, de 14 de dezembr de 2006 Institui Estatut Nacinal da Micrempresa e da Empresa de Pequen Prte; altera dispsitivs das Leis nº e nº 8.213, ambas de 24 de julh de 1991, da Cnslidaçã das Leis d Trabalh CLT, aprvada pel Decret-Lei n 5.452, de 1º de mai de 1943, da Lei nº , de 14 de fevereir de 2001, da Lei Cmplementar nº 63, de 11 de janeir de 1990; e revga as Leis nº 9.317, de 5 de dezembr de 1996, e nº 9.841, de 5 de utubr de 1999; b) Lei Federal nº 8.078, de 11 de setembr de 1990 Dispõe sbre a prteçã d cnsumidr e dá utras prvidências; c) Lei Federal nº 9.610, de 19 de fevereir de 1998 Altera, atualiza e cnslida a legislaçã sbre direits autrais e dá utras prvidências; d) Lei Federal nº , de 10 de janeir de 2002 Institui Códig Civil; e) Lei Federal nº , de 20 de julh de 2010 Trna brigatória a manutençã de exemplar d Códig de Defesa d Cnsumidr ns estabeleciments cmerciais e de prestaçã de serviçs; f) Lei Federal nº , de 11 de julh de 2011 Altera a Lei nº , de 10 de janeir de 2002 (Códig Civil), para permitir a cnstituiçã de empresa individual de respnsabilidade limitada. g) Lei Estadual nº 7.302, de 21 de junh de 1978 Dispõe sbre a pluiçã snra n Estad de Minas Gerais; h) Lei Estadual nº , de 14 de dezembr de 2001 Dispõe sbre a clcaçã de avis sbre pagament cm cheque em estabeleciment cmercial. i) Lei Estadual nº , de 23 de setembr de 2003 Dispõe sbre a brigatriedade de estabeleciment cmercial manter exemplar d Códig de Prteçã e Defesa d Cnsumidr dispnível para cnsulta; j) Lei Estadual nº , de 11 de janeir de 2005 Acrescenta dispsitiv à Lei nº , de 14 de dezembr de 2001, que dispõe sbre a clcaçã de avis sbre pagament cm cheque em estabeleciment cmercial; k) Lei Estadual nº , de 4 de dezembr de 2009 Altera a Lei nº , de 23 de junh de 1998, que define medidas para cmbater tabagism n Estad e príbe us de cigarr e similares ns lcais que mencina; l) Decret Federal nº 5.296, de 2 de dezembr de 2004 Regulamenta as Leis nº , de 8 de nvembr de 2000, que dá priridade de atendiment às pessas que especifica, e nº , de 19 de dezembr de 2000, que estabelece nrmas gerais e critéris básics para a 28 data da atualizaçã: mar./2012

29 Cm abrir uma empresa prmçã da acessibilidade das pessas prtadras de deficiência u cm mbilidade reduzida, e dá utras prvidências; m) Decret Estadual nº , de 25 de junh de 2008 Estabelece nrmas para Licenciament Ambiental e Autrizaçã Ambiental de Funcinament, tipifica e classifica infrações às nrmas de prteçã a mei ambiente e as recurss hídrics e estabelece prcediments administrativs de fiscalizaçã e aplicaçã das penalidades; n) Deliberaçã Nrmativa Cpam nº 74, de 9 de setembr de 2004 Estabelece critéris para classificaçã, segund prte e ptencial pluidr, de empreendiments e atividades mdificadras d mei ambiente passíveis de autrizaçã ambiental de funcinament u de Licenciament Ambiental n nível estadual, determina nrmas para indenizaçã ds custs de análise de pedids de Autrizaçã Ambiental e de Licenciament Ambiental, e dá utras prvidências; ) Instruçã Nrmativa d Departament Nacinal de Registr d Cmérci DNRC nº 117, de 22 de nvembr de 2011 Aprva Manual de Ats de Registr de Empresa Individual de Respnsabilidade Limitada; p) Resluçã Cmissã Nacinal de Classificaçã CONCLA nº 2, de 21 de dezembr de 2011 Revga a Resluçã CONCLA nº 1 e inclui nvas categrias na Tabela de Natureza Jurídica. Na prática Cm Sebrae e utras instituições pdem auxiliar nesta etapa Cartilha Cm vender a gvern de Minas Gerais Apnta s benefícis legais para sua empresa vender para gvern, s detalhes, dcumentaçã, dicas, entre utrs assunts. Pde ser cnsultada, gratuitamente, n site d Sebrae-MG. Registr: / / / Lei Geral: Infrmações: / 29 data da atualizaçã: mar./2012

30 Cm abrir uma empresa 4 Implantaçã d negóci Cnheça s aspects gerais d seu futur empreendiment A seguir, vcê encntra diversas dicas que vã rientá-l na implantaçã d seu negóci. É imprtante lembrar que algumas serã muit úteis para seu empreendiment, diferente de utras, já que tud dependerá da área de atuaçã esclhida (cmérci, indústria u prestaçã de serviçs). Imóvel Aluguel: Lcalizaçã: bserve a infraestrutura de serviçs prestads na redndeza (inclusive presença de cncrrentes) e s meis de transprte que servem à regiã (seu públic terá facilidade de encntrá-l?); Cnsulte a Prefeitura d seu municípi para realizar a cnsulta prévia e saber se seu negóci pderá ser instalad n lcal pretendid. Busque referências da imbiliária cm pessas que já utilizaram s serviçs e pela cnsulta a Cadastr de Frnecedres d Prcn; Se a negciaçã fr direta cm prprietári, é bm que se elabre um cntrat, que ficializará acrd e resguardará as partes de prblemas futurs decrrentes de uma negciaçã verbal; Antes de assinar cntrat, exija laud de vistria da imbiliária, que deverá ser prtclad pela imbiliária u pela administradra, ficand uma via cm vcê; A descupar imóvel, slicite uma nva vistria, devlva as chaves mediante uma carta prtclada pela imbiliária u pel prprietári. Assim, vcê se isenta de pssíveis prblemas; Cmpra: Cnsulte a Prefeitura d seu municípi para realizar a cnsulta prévia e saber se seu negóci pderá ser instalad n lcal pretendid. Cnfie a cmpra d seu imóvel a um crretr de imóveis/empresa imbiliária; Certifique-se de que imóvel está registrad em nme d vendedr e slicite a Certidã de Ônus; Slicite a apresentaçã das certidões pessais d distribuidr, a estadual, a federal e a trabalhista; Verifique cm a Prefeitura se nã há débits de IPTU (slicite Certidã Negativa); se fr terren, verifique a guia amarela para ter cnheciment ds parâmetrs de cnstruçã e d zneament, e ainda cnsulte se nã há multas referentes à limpeza d lte; Esclha um cartóri de cnfiança para escriturar imóvel e registre- mais breve pssível. Lembre-se de que as certidões têm validade de 30 dias; Cnsulte as empresas de água e de luz quant à existência de débits e faça transferência de titularidade; 30 data da atualizaçã: mar./2012

31 Cm abrir uma empresa Cmpra n-line: Verifique a rigem d vendedr (endereçs, referências, telefnes, endereç d imóvel a ser adquirid etc.); Nã pague adiantad sem a assinatura ds cntrats; É imprtante visitar pel mens uma vez imóvel u nmear alguém de cnfiança para fazê-l; Se vcê nã pde estar n lcal da cmpra e venda, melhr será nmear um prcuradr; Se vcê nã tem alguém de sua cnfiança na lcalidade, prcure um cnsultr estabelecid. Layut É a maneira cm hmens, máquinas e equipaments estã dispsts em um determinad lcal. O layut deve apresentar sluções para a melhr utilizaçã d espaç dispnível e que resultem em um prcessament mais efetiv, pela menr distância, n menr temp pssível. Os bjetivs d layut sã a reduçã n cust e a mair prdutividade, pr mei de: Melhr utilizaçã d espaç dispnível; Reduçã da mvimentaçã de materiais, prduts e pessal; Flux mais racinal (evitand paradas n prcess de prduçã); Menr temp de prduçã/atendiment; Melhres cndições de trabalh. Um bm layut deve preencher seis requisits básics: 1. Integraçã; 2. Mínima distância; 3. Flux; 4. Us d espaç cúbic (devem ser utilizadas as três dimensões hrizntal, vertical e lngitudinal); 5. Satisfaçã e segurança; 6. Flexibilidade. Para que vcê desenvlva layut d atendiment, é necessári avaliar as seguintes questões: Qual é a entrada principal d lcal? Qual é trajet que cnsumidr deve fazer até chegar a prdut desejad? Nesse trajet, que cliente deve ver primeir? A que distância s prduts devem ficar? Em que lcal deve estar a saída principal? Cm devem estar dispsts s guarda-vlumes, carrinhs etc.? Em que psiçã estratégica deve estar estacinament? (qual é risc de cliente estacinar e ir a cncrrente?) Cm devem estar dispsts caixa e balcã de pactes? 31 data da atualizaçã: mar./2012

32 Cm abrir uma empresa Cm deve ser feita a repsiçã ds prduts sem atrapalhar tráfeg de clientes n lcal? N cmérci u na prestaçã de serviçs, atendiment está diretamente ligad a cnsumidr final. Entã, a dispsiçã ds móveis, espaç útil cupad e, principalmente, a dispsiçã ds prduts devem ferecer uma situaçã cnfrtável para at de cnsum. Alternativa: Além ds prfissinais especializads, empresas junires ds curss superires de Design de Ambiente e Arquitetura geralmente elabram prjets de layut de empreendiments, sb supervisã de prfessres. Cnsulte universidades e faculdades de sua regiã. Expsiçã interna O ideal é que vcê explre interir da lja de maneira a levar cliente a ter cntat cm utrs prduts, além daqueles dispsts na vitrine. A expsiçã criativa, aliada à decraçã diferenciada, cria um ambiente agradável para cliente. Iss pde ser feit em qualquer uma das áreas, apesar de ser mais usad n cmérci. Nada impede que uma fábrica de calçads expnha s prduts na entrada da empresa de frma criativa e interessante u que um escritóri de arquitetura exiba seus melhres prjets na recepçã, em um quadr de vidr mdern. Vitrine O sucess das vendas depende muit da expsiçã crreta ds prduts e a vitrine pde ser cnsiderada cm a melhr prpaganda de uma lja. Está cmprvad que existe uma estreita relaçã entre as artes de expr mercadrias e de vender. A vitrine cnvence muitas pessas a entrarem na lja e se sentirem mtivadas a ver utrs prduts. Independentemente da área física e d material cm que trabalha, vcê tem cndições de mntar u aperfeiçar sua lja de frma prática e criativa, dand destaque às peças clcadas à venda. Trcams s prduts da vitrine sempre que s clientes param de entrar na lja. Ana Lúcia Leite, prprietária das ljas de rupa Pele Mrena (BH MG) A fachada, as vitrines e a entrada da lja precisam de planejament criteris, pis a elas cabe imprtante papel de transmitir de imediat as características d estabeleciment e despertar interesse de cnsum ns clientes. 32 data da atualizaçã: mar./2012

33 Cm abrir uma empresa A vitrine pde ser um excelente recurs de vendas e deve causar impact àqueles que transitam pela frente d estabeleciment. Mas smente uma mntagem criativa será capaz de atrair a atençã das pessas. Levand-se em cnta que s pnts cmerciais estã sempre decrads, é precis muita criatividade e pesquisa para se destacar. É imprtante saber, ainda, que as vitrines têm que ser renvadas peridicamente. Os prduts em expsiçã devem receber suprtes que s valrizem. Nã se esqueça de que as mercadrias é que deverã estar em evidência, e nã a decraçã. A visã estética d empresári, muitas vezes, nã é a mais adequada para ser utilizada na vitrine. A dispsiçã ds prduts deve seguir um planejament que envlva rganizaçã visual, criatividade, bm gst, limpeza e ba iluminaçã. Faça curss de vitrinism u cntrate prfissinais especializads para mntar a vitrine de sua lja. É imprtante manter uma mensagem na vitrine, seja de divulgaçã de artigs nvs u de incentiv à saída de prduts encalhads. A mensagem deve estar em sintnia cm a casiã (estações d an, datas cmemrativas etc.). O cartaz é um recurs que pde chamar a atençã, desde que seja de bm gst e utilizad cm mderaçã. Tips de mensagens: 1) Mensagem decrativa: visa mtivar s cnsumidres a cnhecerem a lja, u seja, se a vitrine é agradável, é de se esperar que a lja também seja; 2) Mensagem institucinal: a vitrine refrça padrã, tip, a classe, a categria da lja; 3) Mensagem prmcinal: é utilizada quand a situaçã pede mair esfrç de venda, cm ns finais das estações, casiã em que s estques têm que ser renvads. Estque A vitrine vende. E só é vendid que se tem em estque. Pr melhr e mais bnit que determinad artig seja, nã clque na vitrine se ele fr peça única u se estque estiver acaband. O nível de estque deve pssibilitar atendiment da prcura ds clientes e reduzir a mínim as sbras. As cmpras sã efetuadas em sincrnia cm as vendas, prcurand manter n estque prduts em quantidade suficiente para atender às vendas d períd cmpreendid entre pedid e a chegada da mercadria, cm margem de segurança para eventuais atrass na entrega. Em relaçã a cntrle d estque, ele deve ser feit a partir d mment em que sã recebidas as mercadrias encmendadas a frnecedr. Para iss, existem algumas regras muit simples de serem seguidas: a) A receber s materiais, cmpará-ls cm a relaçã existente na nta fiscal d frnecedr e também cm pedid slicitad pela empresa, para cnferir quantidade, qualidade e cndições de entrega; b) Cnferir se s preçs apresentads na nta fiscal estã de acrd cm pedid u cm s valres negciads cm frnecedr; 33 data da atualizaçã: mar./2012

34 Cm abrir uma empresa c) Verificar se s prduts perecíveis u quebráveis estã em cndições de armazenament; d) Assinar canht da nta fiscal, se tud estiver em rdem. A pessa encarregada de cntrlar estque deve ter uma visã espacial d setr, sabend exatamente que tem, nde tem e para que serve determinad material. Pr iss, sistema de armazenament e cdificaçã também deve ser desenvlvid para facilitar a lcalizaçã d material. Pr mei de antações precisas, é pssível passar infrmações seguras sbre vlume ds estques a setr de cmpras. Antes de implantar um sistema de cntrle de estque, recmenda-se fazer um planejament para avaliar qual métd pderá ser mais eficiente para tip de empresa. A esclher um sistema de estque, é imprtante que vcê avalie s seguintes aspects: Facilidade de cntrle para as pessas envlvidas; Facilidade de interpretaçã ds dads; Eficiência na cleta de infrmações para setr de cmpras. As etapas para planejament de implantaçã d cntrle de estque sã as seguintes: Reuniã e classificaçã ds prduts u materiais a serem estcads; Esclha d sistema de cdificaçã; Determinaçã de um mdel de ficha de cntrle; Cntagem física d estque; Prgramaçã de cmpras e repsiçã. Cmpra de prduts e equipaments O frnecedr é brigad a entregar a cnsumidr, pr escrit, rçament prévi, discriminand valr da mã de bra, ds materiais e equipaments a serem empregads, as cndições de pagament e as datas de iníci e términ ds serviçs. Cas nã haja acrd diferente, valr rçad terá praz de validade de 10 dias, cntads d seu recebiment pel cnsumidr, e deverá ser cumprid integralmente pel frnecedr. É ideal realizar n mínim três rçaments, cmparar as cndições (preç, data e frma de pagament, entre utras) e, se pssível, pegar referências cm pessas que já tenham adquirid s mesms prduts u cntratad s mesms serviçs. Evite efetuar pagament antes da entrega ds prduts/equipaments u d términ ds serviçs. Se fr pssível, pague à vista sempre que huver descnt. $ Gestã financeira É necessári cntrle cuidads da vida financeira d negóci, a fim de garantir lucratividade. Destaca-se gerenciament das vendas a praz, que exige ba 34 data da atualizaçã: mar./2012

35 Cm abrir uma empresa dispnibilidade de capital de gir (cnjunt de valres necessáris para a empresa fazer seus negócis acntecerem, girarem), de md a manter a empresa funcinand n períd entre a venda e recebiment ds pagaments efetuads pels clientes. Uma ba alternativa é estabelecer prazs de pagaments de frnecedres cmpatíveis cm s de recebiments ds valres devids pels clientes, pis, dessa frma, vcê recebe ds clientes e pde pagar s frnecedres. O ideal é a antecipaçã ds recebiments (entrada de receitas) e adiament ds pagaments (saída de receitas). Gestã de pessas Uma empresa só tem sucess se pssuir uma equipe cmprmetida, dedicada e alinhada as bjetivs d negóci. Para que iss seja pssível, é imprtante saber selecinar as pessas certas. Há algumas características a serem bservadas: Identifique se candidat se encaixa n perfil da vaga. Se a vaga é para vendedr em uma lja, a pessa precisa falar bem, ser cmunicativa e educada. Nã pde ser uma pessa tímida, pr exempl; Incentive trabalh d funcinári cm elgis (pel mérit) e críticas cnstrutivas (rientaçã pel err); Estabeleça desafis mtivadres para a equipe; Abra um canal de cmunicaçã para receber sugestões e críticas ds clabradres; Incentive a cnstante capacitaçã e busca de cnheciment; Mstre a funcinári que ele é respnsável pel trabalh desenvlvid, prtant, se fizer bem-feit vai crescer prfissinalmente e pessalmente; Faça cm que s clabradres vistam a camisa da empresa e se sintam realmente parte d negóci e respnsáveis pel sucess da empresa. Eles devem se sentir cm que realmente sã: parceirs, e nã subalterns. Relacinament cm cliente É essencial que empreendedr cnheça seu cliente para ferecer exatamente aquil que deseja e está dispst a adquirir. Send assim, é muit imprtante investir em um cadastr ds clientes, cm tdas as infrmações pssíveis sbre ele. Essas características devem ser tant pessais (idade, sex, endereç etc.), quant cmerciais (última cmpra, prduts u serviçs adquirids, valr gast etc.). Dessa frma, sempre que vcê u seus clabradres entrarem em cntat cm cliente pderã ferecer aquil que ele gstaria, de frma prativa, e também cmplementar s desejs dele cm sugestões. Ele se sentirá muit bem atendid, respeitad e cnfrtável para realizar mais cmpras na sua empresa. N setr de prestaçã de serviçs tal açã é de extrema imprtância, vist que relacinament cm cliente é prdut em si. Atendiment Hje em dia, já nã basta atender às necessidades ds clientes, é precis superar as expectativas. Pr iss, ideal é que empreendiment cnte cm clabradres bem treinads, capacitads, educads e cmunicativs, que cnsigam descbrir que s clientes desejam, auxiliand-s e rientand-s nas cmpras. 35 data da atualizaçã: mar./2012

36 Cm abrir uma empresa Raramente, s clientes apresentam, pr cnta própria, sua avaliaçã da qualidade d atendiment recebid. Muitas vezes, as infrmações que um cliente insatisfeit deixu de dar pderiam ter permitid a tmada de ações crretivas pr parte da empresa. Dessa frma, é muit imprtante manter um cadastr de clientes atualizad, para que sempre sejam realizadas pesquisas de satisfaçã, incentivand retrn pr parte ds clientes, nrteand as ações a serem tmadas na lja. Além diss, vcê pderá ferecer cartã persnalizad d empreendiment (se fr cas), que fideliza cliente, garantind-lhe praticidade na hra da cmpra e dand-lhe pções de pagaments à vista u a praz. É imprtante lembrar também que tds na empresa têm dever e a respnsabilidade de identificar e relatar serviçs cujs resultads nã sã desejáveis. Quand iss acntece, a nã cnfrmidade deve ser registrada, analisada e crrigida. Ações crretivas, visand à eliminaçã da causa para prevenir a repetiçã d prblema, devem ser tmadas em grau adequad à magnitude e a efeit d prblema. Após a implementaçã, as ações crretivas devem ser mnitradas para assegurar sua efetividade. Meses de férias N iníci d an, além das viagens, as pessas também têm gasts cm IPVA, IPTU, lista esclar, unifrme etc. Uma lja de varej pde rganizar, em períd de férias, n qual muitas pessas estã viajand, algumas prmções, liquidações de estque, ações que prmvam as vendas nesse períd mais cnturbad financeiramente. Um bm mei de atrair mais clientes é prlngar as prmções de Natal e dividir valr das cmpras em um númer de vezes atraente, mas sempre dentr das pssibilidades financeiras da lja. Pdem-se ferecer prmções para s cnsumidres que nã tiveram paciência de enfrentar a multidã d dia 24 de dezembr para encntrar presentes. Preparar a lja é também um atrativ. Precupe-se cm ambiente intern para receber bem cliente. Cm ações bem estruturadas as vendas pdem crescer. Planejament é fundamental. O ideal é estruturar um plan de marketing, prevend ações durante td an, mês a mês. Iss facilita bastante. Placa Cuidad na definiçã d tamanh da placa de identificaçã d negóci. Placas grandes nã significam aument n vlume de vendas. Lembre-se também de que a mensagem da placa da lja fixa n cliente uma ideia sbre a empresa. O temp que um negóci tem para fisgar s clientes é de, aprximadamente, sete segunds, prtant, que puder ser feit para chamar a atençã vale a pena. Inclusive, avalie a pssibilidade de manter a placa d empreendiment acesa durante a nite, para auxiliar nesse prcess de fixaçã da marca na mente ds cnsumidres. Verifique na Prefeitura Municipal se há cbranças de taxas, bem cm as dimensões e a frma de afixaçã permitidas para lcal. 36 data da atualizaçã: mar./2012

37 Cm abrir uma empresa Divulgaçã A divulgaçã pde ser feita de inúmeras frmas: anúncis em jrnais, revistas, rádi e TV, elabraçã de site, flders, cartazes, panflets, faixas, brindes, events etc. Cas haja verba suficiente, é interessante elabrar um plan de cmunicaçã cm a ajuda de uma agência de publicidade e uma empresa de assessria de cmunicaçã, além de cntar cm prfissinais de marketing capacitads. N entant, sabems que as micr e pequenas empresas, geralmente, nã dispõem de recurss suficientes para elabrarem ações de mídia mais cmplexas. Mas nem pr iss devem deixar de divulgar negóci. É necessári fazer cm que s cnsumidres cnheçam sua empresa e lembrem-se da marca sempre que pssível. O ideal é cntar cm a ajuda de um prfissinal free-lancer, pr exempl, u cntratar uma pequena agência, para ter mais facilidade de negciaçã, reduçã de custs e ajuste à realidade d pequen negóci, além de mair rapidez e velcidade nas ações. O cmpartilhament de ideias cm prfissinais externs facilita a estruturaçã de diferentes estratégias de marketing. Quand fr crrer a inauguraçã da empresa, algumas faixas pdem ser espalhadas pelas ruas da regiã, desde que bservadas as nrmas estabelecidas pela Prefeitura, avisand a data da abertura das atividades, assim cm prduts e serviçs que serã fertads. Avalie a pssibilidade de ferecer brindes para s clientes que cmparecerem à inauguraçã, u um cquetel de bas-vindas, para criar uma ba primeira impressã, além de auxiliar em uma futura prpaganda bca a bca. A cnfecçã de cartões de visita da empresa cm cntats telefônics, endereç e também é alg simples de ser feit. Atualmente, as gráficas desenvlvem layuts sem cust para s clientes e só cbram pela impressã, que também tem um preç muit acessível. Mas a açã mais imprtante, que sempre traz retrn para negóci, é um excelente atendiment e fereciment de prduts e serviçs de qualidade. Essa é a melhr frma de prpaganda, pis s clientes trnam-se multiplicadres, indicand a empresa para amigs e parentes. Música ambiente É um item que pde incrementar negóci. A música deve ser esclhida cm critéri e representar gst geral ds clientes. Nã deixe, entretant, de cnferir as exigências d Escritóri Central de Arrecadaçã e Distribuiçã ECAD em relaçã a reclhiment de direits autrais. Tda atividade (seja indústria, cmérci u serviçs) que usa música cm um ds elements para desenvlviment d negóci, mesm que a execuçã nã seja a atividade-fim deste, deverá reclher direits autrais perante ECAD. Fique atent também a nível de ruíd n ambiente extern. Nesse ambiente, de acrd cm a Lei Estadual nº 7.302/78, s níveis de ruíds nã pdem ser superires a 70 decibéis db(a), durante dia, e 60 decibéis db(a), durante a nite, explicitad hrári 37 data da atualizaçã: mar./2012

38 Cm abrir uma empresa nturn cm aquele cmpreendid entre as 22 hras e as 6 hras, se utr nã estiver estabelecid na legislaçã municipal pertinente. Diante diss, é acnselhável a cnsulta direta à Prefeitura Municipal para verificar eventual nrma regulamentadra sbre níveis de ruíds. Mund virtual A Internet está cada vez mais presente n ctidian das pessas. Site e de sua empresa, Twitter, Facebk, Orkut e Yutube sã apenas alguns exempls de ferramentas gratuitas que pdem ser utilizadas a favr d seu negóci. Se vcê nã está na Internet, iss nã significa que seus clientes e cncrrentes nã estejam. Mnitre ambiente virtual, nem que seja para saber que s clientes falam sbre seu negóci. Cas tenha site, este deverá ser bem elabrad, mstrand as clientes seu diferencial, principais prduts e serviçs (inclusive usand ftgrafias), históric da empresa, ntícias d setr, cntats (telefne, e Fale Cnsc), entre utras infrmações. Cm a dispnibilizaçã de ferramentas fáceis de manusear na Internet, vcê mesm pde elabrar um site cas nã tenha recurss para cntratar s serviçs de um prfissinal. Clcar seu prdut na Internet também é uma maneira de alcançar clientes fra de sua cidade, Estad u até mesm país. E iss pde ser feit pr mei d site, que significa divulgaçã 24 hras pr dia. O númer de internautas que cmpram pela web vem crescend bastante. Esses clientes sã interessads em variedade de prduts, praz rápid de entrega, preç just e parcelament. Prtant, fereça máxim de alternativas de pagament para cnsumidr. Prém, deve-se analisar se seu prdut pde mesm ser vendid n-line e ser transprtad para utras cidades. É fundamental deixar clar para cliente valr da taxa de entrega (quand huver) da mercadria e a segurança de cmpra pel cartã de crédit. A aparência d prdut e as infrmações devem ser criterisamente analisadas, pis cliente deve encntrar n site tdas as infrmações. Quand um cliente entra em um site cm imagens ruins ele tem a mesma sensaçã de entrar em uma lja bagunçada, cm uma vitrine cnfusa, nã tend, assim, interesse pel prdut. Cmprar banners e sels em grandes sites da web é uma pçã de divulgaçã, mas pde ter um cust elevad. Deve-se analisar a verba dispnível para essa estratégia. Outras pções interessantes sã: trnar-se parceir d shpping de um prtal (pis preç cstuma ser menr para a hspedagem) e anunciar em sites de classificads n-line, ns quais tds s anúncis têm fts d prdut a ser vendid, além de permitirem acmpanhar númer de pessas que clicaram n anúnci. 38 data da atualizaçã: mar./2012

39 Cm abrir uma empresa Parcerias É muit imprtante que vcê pesquise quais sã as entidades, assciações, sindicats etc. ligads a seu segment de trabalh. Dessa frma, vcê pderá analisar as vantagens de assciaçã, filiaçã u parceria. Muitas vezes, cm vcê estará send representad pr uma entidade de grande prte, cm muitas empresas assciadas, pde ser que suas prtunidades n mercad sejam ptencializadas. Capacidade prdutiva Quantidade máxima de prduts u serviçs que a empresa pde prduzir em um interval de temp. Quand a empresa suber calcular sua capacidade prdutiva, ela cnsegue reduzir custs desnecessáris, aumenta a receita e a qualidade. Dessa frma, aprveita máxim ds recurss físics e humans existentes. Lgística O transprte ds prduts de uma empresa e a mvimentaçã de materiais, armazenament, prcessament de pedids e gerenciament de infrmações fazem muita diferença se realizads de frma eficiente. Os custs diminuem e aprveitament d temp aumenta. Além diss, cliente se trna mais satisfeit a encntrar prdut cm mais facilidade e de frma ágil n mercad. Energia elétrica Nã deixe de cnsultar a cncessinária de energia de sua regiã para mais infrmações sbre cnsum de energia e alternativas para seu negóci. Em Minas Gerais, a Cemig pde ser cnsultada para avaliaçã d impact de sua empresa na rede elétrica de determinada regiã. É necessári infrmar a quantidade de equipaments e cnsum previst. Dependend d cnsum energétic mensal, a cncessinária pderá recmendar mudança na tensã de frneciment de md a ferecer ecnmia nas cntas de energia n médi praz. 39 data da atualizaçã: mar./2012

40 Cm abrir uma empresa Dicas para sucess Evitar prcediments burcrátics que atrapalhem a gestã d negóci; Manter canal de cmunicaçã abert cm s funcináris; Nã desperdiçar dinheir, nem gastar mais d que ganha; Reinvestir na empresa, sempre; Os funcináris devem ter ba apresentaçã e capacidade para prestar melhr atendiment as clientes; Pensar cm seu públic. Ter cnsciência de seus desejs e dificuldades ajuda n gerenciament; Oferecer marcas cnhecidas facilita a cmercializaçã e vcê pde pegar carna na divulgaçã feita pel fabricante; Identificar e vender prduts de qualidade sem marca cnhecida também pde ser vantajs; Avalie s estques cnstantemente para verificar mercadrias encalhadas e tmar atitudes rápidas; Lembre-se de que bm vendedr é aquele que apresenta alta taxa de cnversã, u seja, aquele que mais transfrma atendiments em vendas; Outr pnt imprtante é acmpanhar de pert tds s prcediments administrativs da empresa e fazer a seleçã cuidadsa de clabradres cm ba frmaçã e ba apresentaçã. Fatres que inviabilizam Falta de experiência gerencial; Insuficiência de capital de gir para que a lja tenha temp de cnquistar públic; Prduts de baixa qualidade; Lcalizaçã errada; Cresciment mal planejad; Err de avaliaçã da cncrrência e d mment cert de cmeçar negóci. Na prática Cm Sebrae e utras instituições pdem auxiliar nesta etapa Série Cm Elabrar... Cm elabrar um planejament de recurss humans : text apresenta várias ferramentas de recrutament e seleçã, treinament e desenvlviment e a remuneraçã. Além diss, há dimensinament da quantidade necessária de pessas para trabalh, rientaçã, admissã e demissã, avaliaçã d desempenh, relações sindicais, segurança, saúde e bem-estar, que cmplementam a gestã de pessas. 40 data da atualizaçã: mar./2012

41 Cm abrir uma empresa Cm elabrar campanhas prmcinais Apresenta algumas dicas de ações prmcinais para aplicaçã n dia a dia d seu negóci, cm e sem uma agência de cmunicaçã, além d aprfundament em alguns cnceits essenciais. Além diss, vcê terá acess a alguns segreds da prpaganda. Cm elabrar cntrles financeirs Apresenta cntrles prátics, prcediments e sugestões úteis para que vcê, prprietári de empresa de pequen prte, pssa aprimrar a gestã d seu negóci e, cnsequentemente, ganhe mais dinheir cm s recurss existentes. Cm elabrar preç de venda Apresenta váris aspects, de frma simples e prática, que ajudará vcê a analisar fatres cm a demanda, a cncrrência e s custs. Além diss, darems dicas para a administraçã d dia a dia de sua empresa. Os manuais pdem ser adquirids em um ds Pnts de Atendiment d Sebrae-MG u cnsultads, gratuitamente, n site d Sebrae-MG. CDL Câmara ds Dirigentes Ljistas Av. Jã Pinheir, 495 BH MG / (31) / SENAC Serviç Nacinal de Aprendizagem Cmercial R. Tupinambás, 1062, Centr BH MG / / / Infrmações: / 41 data da atualizaçã: mar./2012

42 Cm abrir uma empresa 5 Gestã d negóci O trabalh cntinua! Quand sua empresa estiver funcinand, seus esfrçs deverã se cncentrar na gestã e aprimrament d negóci. Essa é uma fase de muita dedicaçã, atençã e ajustes. Para auxiliá-l, cnte cm api d Sebrae-MG pr mei de seus Pnts de Atendiment, da Central de Relacinament u Prtal Além desse api, cnfira algumas dicas de técnics d Sebrae-MG: 5.1 Dicas da equipe d Sebrae Minas Wellingtn Damascen de Lima Técnic da Área de Atendiment Sebrae-MG Fique de lh n negóci! O gerenciament d negóci é uma etapa que deve ser encarada cm muita dispsiçã, garra e perseverança. Os desafis sã diáris e sucess de seu negóci depende, em grande parte, de vcê! Lembre-se de que sucess u insucess e as respectivas cnsequências serã atribuíds, primeiramente, a vcê. Desse md, é imprtante estar preparad para respnder adequadamente às situações que surgirã. As minhas dicas para essa fase sã: 1ª) Pensar n futur d negóci. Trabalhar incansavelmente pde trazer resultads imediats, mas nã é garantia de sucess n futur. É precis pensar em nvas pssibilidades, melhrias, prtunidades e ameaças. Nã há dúvidas de que empresári precisa cnhecer seu empreendiment de pert, mas iss nã significa que ele deve ficar na empresa temp td. Organize-se e reserve parte de seu temp para cnhecer as nvidades d mercad, entidades d setr e utrs empresáris. Participe também de encntrs, palestras, curss etc. 2ª) Quem é seu cncrrente? Um empresári entrevistad recentemente pr uma das equipes d Sebrae-MG disse ter preparad sua lja para Natal e ter se surpreendid cm baix vlume de vendas. Algum temp depis, descbriu que, naquele an, as pessas preferiram cmprar telefnes celulares, pis eles estavam em prmçã e trnaram-se ótimas alternativas de presente. A liçã é: a disputa é pel dinheir. Tud que tira pder de cmpra de seu cliente é seu cncrrente!. 3ª) Pensar n impact d negóci e n que vcê pde fazer. Cm cresciment da cnsciência ambiental e da necessidade de inclusã (deficientes, idss, bess) é necessári rever psturas (bas práticas ambientais, empreendiments adaptads e segurs para diverss públics, respnsabilidade scial etc.); 4ª) Seja rganizad e disciplinad. Cnheci uma empresária que, mesm após um dia cansativ de trabalh em sua lja, nã hesitava em ficar pel mens duas hras cm prtas fechadas clcand a parte administrativa em dia. O argument para a disciplina é fat de que fica muit difícil cntrlar as cisas quand há desrdem e, se deixar, prblemas acumulam. 42 data da atualizaçã: mar./2012

43 Cm abrir uma empresa Viviane Sares da Csta Técnica da Área de Atendiment Sebrae-MG Seja prfissinal e esteja preparad para crescer. Sabe-se que muitas micrempresas cmeçam de frma artesanal e cntam cm a ajuda de parentes e amigs. O prblema é que, quand crescem e ampliam suas atividades, cntinuam cm uma equipe que atua de maneira amadra. O pensament d empresári, muitas vezes, é de que prcesss, gestã e avaliaçã de resultads sã ferramentas acessíveis apenas às grandes rganizações. Pensand nesse tema, refrç a questã de que tda empresa, mesm send de pequen prte, cm dis, cinc u dez funcináris, deve ter um sistema de gestã prfissinal, que pde ser implementad pel própri dn d negóci. Mas cm fazer iss? 1. Lembre-se de que vcê também é um funcinári da empresa. Ela lhe paga pels serviçs prestads através d pró-labre (retirada mensal destinada as sócis d empreendiment). Pr iss, nã cnfunda as cntas pessais cm as cntas da empresa. Prcure reinvestir s ganhs da empresa n própri negóci, de frma que ele cresça cada vez mais saudável. 2. Crie padrões de atendiment e prcesss de trabalh bem definids. Para tant, evite mudanças cnstantes em relaçã as métds de trabalh utilizads na empresa. E lembre-se, quand fr necessári alterá-ls, faça- de frma clara em uma reuniã cm s funcináris, explicand s mtivs das atitudes que estã send tmadas. 3. Mantenha uma relaçã transparente cm a clientela e sempre cumpra que fi prmetid (praz, qualidade, preç etc.). Elabre cntrats, pedids de rçament e utrs dcuments que mstrem, de frma bjetiva, que está send fertad a cliente e em que cndições, de frma que sejam evitads desentendiments entre as duas partes. 4. Nunca tenha atitudes desrespeitsas para cm seus funcináris, principalmente na presença ds clientes e utrs clegas de trabalh, pis iss cmprmete a credibilidade da empresa. Em vez diss, tente elgiá-ls sempre que fizerem um bm trabalh, incentivand-s a melhrar cntinuamente. 5. N cas de empresa familiar em que casais, filhs e utrs parentes trabalham junts, deve-se tmar cuidad redbrad. É imprtante lembrar que n ambiente de trabalh tds fazem parte da mesma equipe e devem seguir as mesmas regras, independentemente d grau de parentesc. 43 data da atualizaçã: mar./2012

44 Cm abrir uma empresa Beatriz de Carvalh Técnica da Área de Atendiment Finanças Estabeleça um plan de açã! Dar cntinuidade a negóci é um nv desafi! O que fazer daqui pra frente? A exigência agra é nã se acmdar. Esteja atent às mudanças cnstantes d mercad, às exigências ds clientes, estude s frnecedres, acmpanhe s mviments da cncrrência e nã se descuide ds registrs e cntrles interns, mnitrand s resultads. Se vcê sabe ande quer chegar e deseja que seu empreendiment evlua, precisará estabelecer metas cm bjetivs clars e bem definids pr exempl, aumentar faturament ds próxims dze meses em 5% em relaçã a an anterir. Entretant, definir metas nã é suficiente, pis elas dificilmente se cncretizarã se vcê nã estabelecer um plan de açã bem elabrad e cm acmpanhament sistemátic. A minha dica é seguir um pass a pass simples, mas fundamental para um planejament que leve a alcançar seus bjetivs e ter uma empresa bem-sucedida: 1 pass: Estabelecer metas desafiadras e pssíveis; 2 pass: Levantar s pnts fracs que afetam desempenh ds resultads da empresa e s pnts frtes que merecem ser ptencializads; 3 pass: Definir ações de crreçã u de melhria; 4 pass: Definir quem vai executar as ações; 5 pass: Estabelecer prazs; 6 pass: Acmpanhar a implementaçã das ações e seus resultads. Pr fim, vcê nã deve descuidar d seu desenvlviment gerencial. Participe de curss, palestras, feiras e wrkshps. Invista em leitura, em muita leitura. Tud iss fará a diferença e refletirá diretamente ns resultads da empresa. 44 data da atualizaçã: mar./2012

45 Instruções Gerais Fábi Petruceli Carayn Basts Técnic d Sebrae-MG Marketing Busque, rganize e use a infrmaçã a favr da sua empresa! Cm anda sua memória? Bem? Esper que sim! Assim cm as pessas, as empresas também têm memória e esta faz parte d que chamams de inteligência empresarial, que é frmada inicialmente pelas infrmações, cntrles e cadastrs que irã frmar banc de dads da empresa. Este, pr sua vez, deve ser rganizad e se pssível, infrmatizad, pssibilitand a empresa: Avaliar crretamente quais prduts u serviçs sã mais prcurads e em que épcas d an u em que situações; Descbrir perfil de seus cnsumidres, suas necessidades e quais as melhres estratégias de marketing para atingi-ls; Realizar análises de crédit para vendas a praz, ajudand a definir quais a plíticas de crédit mais adequadas para sua empresa e seu gir; Criar quadrs e gráfics cmparativs de frnecedres, dand à empresa pções diferenciadas para curt, médi e lng praz; Criar históric de seus clientes, da sua relaçã cm frnecedres e de vendas, entre utrs, gerand um pders instrument gerencial. Para iss, vcê precisará: Criar cadastr rganizad, cm camps legíveis e de fácil acess; Definir fntes cnfiáveis, cletar e analisar s dads pr relevância; Transfrmar esses dads em infrmações que sejam úteis para a empresa; Definir bjetivs empresariais para saber cm utilizar, na prática, seu banc de dads (para que eu precis dessas infrmações?); Cnhecer seus limites (de temp, mã de bra, tecnlgia etc.), nã cmprmetend suas perações cm esfrçs em mments crítics; Atribuir respnsabilidades, definind: quem cleta s dads? (um, dis respnsáveis? vendedres? tds?), cm serã cletads? (rdens de cmpras? de vendas? ntas fiscais? fichas? perguntas diretas? ?), quem atualiza? Etc. Dessa frma, a empresa melhra suas perações, as frmas de negciaçã cm frnecedres e clientes, sua gestã de estque, entre utrs. Nã repete errs, ganha temp e segurança na sluçã de prblemas. Assim a empresa ganha um recurs muit imprtante que será útil em várias situações, de sluções de prblemas ds clientes a planejament e cntrle de resultads. Assim, vcê aumenta, e muit, as chances de alcançar seus bjetivs e realizar seus snhs de frma cnsciente, rganizada e mais segura. 45 data da atualizaçã: mar./2012

46 Instruções Gerais Arnu ds Sants Técnic da Área de Atendiment Finanças Atualizaçã de plan de negóci e implementaçã de cntrles financeirs Vcê e seus clabradres deverã se engajar n planejament e implementaçã de ações de melhria. Dessa maneira, será mais fácil atingir s bjetivs e as metas definidas em funçã das diretrizes da empresa. Na prática, pdems destacar: 1ª. Atualizar peridicamente plan de negóci para reestruturaçã e/u expansã da empresa. O bjetiv dessa atualizaçã é acmpanhar a tendência d mercad, minimizar as incertezas (para que se crram riscs calculads), bem cm avaliar s resultads, principalmente quant à lucratividade, rentabilidade e praz de retrn de investiment. 2ª. Implementar e sistematizar s cntrles financeirs, tais cm: Cntrles diáris de caixa e bancs; Cntrle de cntas a receber e a pagar; Cntrle de estque; Cntrle de vendas; Demnstrativs de resultads; e Flux de caixa. O ideal é que eles sejam feits, n mínim, mensalmente, e cm prjeções em médi praz (até 12 meses) e lng praz (acima de 12 meses). Na prática, planejament em médi praz é de quatr meses (n mínim) até dze meses; e de lng praz, entre treze e sessenta meses, u seja, d segund a quint an. Além diss, é precis efetuar análise crítica cntínua e implementar ações de melhria que assegurem a dispnibilidade de recurss financeirs necessáris para a sustentabilidade d negóci. Lembre-se sempre de que a missã ecnômica e financeira d negóci é ganhar dinheir. Send assim, é precis reduzir custs e alavancar vendas. 46 data da atualizaçã: mar./2012

47 Instruções Gerais Antôni August Gnçalves de Abreu Técnic d Sebrae-MG Marketing Trabalhe marketing na sua empresa! Muits empresáris cnfundem marketing cm prpaganda. O marketing é muit mais abrangente e envlve diverss aspects que devem ser trabalhads para que uma empresa se mantenha em cndições de cmpetir n mercad. A prpaganda é um aspect imprtante d marketing, mas há utrs que nã pdem ser dispensads. Para se manter em um patamar de excelência, entre utrs fatres, uma empresa deverá: Mnitrar cmprtament d cnsumidr e avaliar tendências relevantes de mercad para pder se antecipar em relaçã à cncrrência; Analisar sua cndiçã cmpetitiva diante ds cncrrentes, cnsiderand cmparativs tais cm padrã de atendiment, estratégias cmerciais e prmcinais praticadas, invações em prduts e serviçs ferecids, plítica de preçs, entre utrs; Pesquisar cnstantemente nã apenas grau de satisfaçã ds clientes, mas também as tendências glbais e lcais de cnsum. O resultad da pesquisa servirá de base para prfissinalizar sua tmada de decisã e alterar estratégias, cas necessári; Investir n relacinament cm clientes, criand prximidade mediante recurss de interatividade que favreçam acess, seja para fazer reclamações, seja para cntribuir cm sugestões. Para que ações desse tip pssam crrer, será necessári trabalhar cm um banc de dads que deverá ser atualizad cnstantemente; Definir um psicinament de mercad. Pergunte-se: Qual imagem desej que meu cliente tenha em mente a respeit d meu negóci? A respsta pderá ser: uma imagem de baixs preçs, de diferenciaçã em prduts/serviçs u uma imagem relacinada a um fc estratégic específic. Imprtante lembrar que apenas uma delas irá predminar; Cnsiderar a gestã de sua marca, lembrand que ela representa uma prmessa para seu cliente. Nã decepcine! 47 data da atualizaçã: mar./2012

48 Instruções Gerais Trabalhar cm pensament estratégic basead ns Ps d marketing. Sã eles: prdut / preç / praça (lcalizaçã e distribuiçã) / prmçã (cmunicaçã). É n últim P (prmçã) que está incluída a famsa prpaganda. Os 4 Ps deverã ser trabalhads e mnitrads para que as funções d marketing funcinem harmnisamente. Cuide também das pessas ( quint P), que representam fatr crític de sucess ns empreendiments; Estabelecer metas e traçar um plan de açã centrad ns bjetivs e estratégias de marketing; Mensurar tds s seus resultads após a implementaçã das ações. Imprtante: Crie uma identidade para sua empresa, estabelecend sua definiçã de negóci, missã, visã e princípis. Daniela Almeida Teixeira Tccafnd Respnsável pel Prtal d Sebrae-MG Sua empresa e a Internet: tud a ver A Internet permite que a empresa divulgue seu negóci, interaja cm s clientes e venda mais. Cmece utilizand as mídias sciais (Yutube, Orkut, Flickr, Facebk, Twitter, Blgs etc.) e próxim pass será cnstruir seu site u criar uma lja virtual. Pesquise frnecedres cmpetentes e analise que é necessári e viável para seu negóci estar na web. Existem muits serviçs gratuits, mas cas seu negóci exija alg sfisticad e estratégic vcê precisará da ajuda de uma empresa de desenvlviment de sites, de um plan de negócis e também de uma agência digital para mntar a melhr tática para inserçã d seu negóci na internet. 48 data da atualizaçã: mar./2012

49 Instruções Gerais August Mans de Andrade Técnic da Área de Atendiment Finanças Calcule crretamente preç de venda das mercadrias, prduts e serviçs Os empresáris devem se precupar em fazer esse cálcul, pis, smente cm preç de venda crret a empresa terá a certeza de lucratividade, além da alavancagem e manutençã d capital de gir. Os custs de uma empresa englbam: custs direts da mercadria, d prdut u d serviç; custs variáveis (impsts e cmissões) e custs fixs tais cm aluguel, água, luz, telefne, saláris e pró-labre cm encargs sciais, hnráris d cntadr e váris utrs inerentes a funcinament d negóci. Cm calcular preç de venda? O cálcul ideal é feit da seguinte maneira: cust diret : mark-up divisr Onde: PV = Preç de venda Mark-up divisr = Fatr de frmaçã d preç de venda O mark-up divisr é calculad da seguinte frma: 100% Mark up divisr Exemplificand: Cust diret: R$ 20,00 Custs variáveis: 7% Custs fixs: 30% Lucr líquid: 8% %Custs variáveis %Custsfixs %Lucr desejad 100 R$ 20,00 PV 100% 7% 30% 8% 100 R$ 20,00 R$ 36,36 0,55 Demnstrativ d Resultad: = Preç de Venda R$ 36,36 100% - Cust Diret R$ 20,00 55% - Custs Variáveis R$ 2,54 7% - Custs Fixs R$ 10,91 30% = Lucr Líquid R$ 2,91 8% N entant, deve-se cmparar valr encntrad cm preç praticad pel mercad. Cas preç de mercad seja menr d que preç calculad, a empresa deverá desenvlver alguma açã para diminuir s seus custs fixs, u, entã, aceitar um lucr líquid menr. 49 data da atualizaçã: mar./2012

50 Instruções Gerais 5.2 Respnsabilidade ambiental Um negóci verde e cnsciente. Atualmente, esse é um tema muit discutid n âmbit empresarial. Mas na prática, d que se trata a respnsabilidade ambiental? Muits empreendedres acham que ela se resume à seleçã d lix e a nã pluir ris e desmatar flrestas, mas se imprtar cm mei ambiente é muit mais que iss. A prática da gestã ambiental cnsiste n desenvlviment da empresa a mesm temp em que mei ambiente é preservad, gerand ganhs para s dis lads. As práticas vltadas à preservaçã ambiental valrizam patrimôni d empreendiment, diminuem s custs da empresa e se revertem em ganhs financeirs, dtand-a de mair cmpetitividade! Também pdem ser utilizadas cm ferramenta de marketing, mstrand as cnsumidres, cada vez mais exigentes, que empreendiment se imprta cm a natureza e a preserva. Há ainda utra ba razã para se investir em uma gestã ambientalmente respnsável: fat de que s clientes preferem cmprar prduts cujas marcas estã envlvidas cm alguma causa ambiental. A seguir sã mstradas atitudes simples que pdem ser tmadas visand à adequaçã d empreendiment a uma gestã ambiental que dê resultads: Substituiçã de lâmpadas cnvencinais pr lâmpadas ecnômicas: Trcar lâmpadas cnvencinais pr utras de baix cnsum energétic pde diminuir em até 45% s gasts cm iluminaçã. Além diss, seu temp de vida é mair e elas emitem mens CO 2 (gás carbônic) d que as lâmpadas incandescentes. Instalar sensres de luz: O cnsum de energia elétrica pde cair até 40% cm a instalaçã de sensres de presença para acinar as luzes de lcais mens mvimentads, cm garagens e escadas. Utilizaçã cnsciente da energia: A energia geralmente tem grande pes ns custs de uma empresa, prtant, deve ser utilizada de maneira racinal. Para se ter ideia de cm iss é imprtante, aprximadamente 30% ds gasts das empresas cm energia sã prvenientes de aparelhs que nã estã em us, mas que, mesm assim, ficam ligads, cm cmputadres, impressras, ar-cndicinad e luzes. Sempre que pssível, deve ser dada preferência a us de fntes de energia limpas e renváveis n 50 data da atualizaçã: mar./2012

51 Instruções Gerais prcess prdutiv. Uma ba ideia é dar preferência à iluminaçã natural, que melhra a prdutividade ds funcináris a mesm temp em que ecnmiza energia. Esclha de frnecedres lcais: Dar preferência a frnecedres lcalizads na regiã d empreendiment diminui s gasts cm transprte de cargas e a quantidade de pluentes emitids nas entregas, além de beneficiar a ecnmia lcal. Também é imprtante dar preferência para a cmpra de matéria-prima de empresas que sigam s princípis da respnsabilidade ambiental. Us cnsciente da água: Ecnmizar água também gera ecnmia de dinheir. Veja algumas alternativas: Clcar trneiras de pressã: us de trneiras de pressã ajuda a reduzir cnsum de água em até 40% e evita vazaments. Instale um aparelh que retire ar d encanament e deixe passar pels cans apenas água. Instalar descargas cm dis dispsitivs: um, cm vazã de seis litrs de água para resídus sólids; e utr, de três litrs, destinad a líquids. Prjets para diminuiçã d cnsum de água: estimular s funcináris a usar cnscientemente a água. Reutilizaçã de papel: Papéis já usads e que nã terã mais utilidade pdem ser reaprveitads cm rascunhs u dads/vendids para cperativas que reciclam. Reduçã n us de materiais descartáveis: Utilizar prduts que duram mais temp é um bm exempl de respeit a bls e à natureza. Os cps descartáveis, pr exempl, pdem ser substituíds pr utrs de plástic u vidr, gerand ecnmia para a empresa. A rganizaçã pde, pr exempl, mandar cnfeccinar cps cm nme de cada funcinári. Já s papéis impresss apenas de um lad pdem ser utilizads para rascunh u para a impressã de dcuments que circularã apenas dentr da rganizaçã (para ecnmizar papel, deve-se dar ainda preferência à cmunicaçã via ). 51 data da atualizaçã: mar./2012

52 Instruções Gerais Utilizaçã de saclas retrnáveis: Saclas plásticas, que demram 300 ans para se recmpr, sã muit ineficientes em se tratand de preservaçã ambiental. Quand pssível, sua substituiçã pr saclas eclógicas (nrmalmente feitas de tecid) que pdem ser adquiridas pels clientes é muit prveitsa. Além de preservar a natureza, elas acabam gerand ecnmia n lng praz, pis diminuem cust da empresa cm a cmpra de saclas plásticas tradicinais. Seleçã d lix: A separaçã ds resídus prduzids pela empresa, apesar de nã gerar ganhs financeirs significativs para empreendiment, gera prtunidades para a sciedade e um enrme benefíci a mei ambiente. Para que ela seja feita, pdem ser realizadas parcerias cm a Prefeitura da sua cidade, cm assciações de catadres e cm rganizações que lidam cm a reciclagem de resídus, que pdem reclher lix prduzid pela empresa. Dica: Se a sua empresa é d setr de alimentaçã e utiliza óle cm insum, é imprtante destiná-l (pr venda u daçã) a empresas u cperativas que utilizam cm matériaprima (pr exempl, para a fabricaçã de sabã u prduçã de bidiesel). Depis de ver tdas essas dicas e de perceber cm elas sã vantajsas para seu negóci, só faltam três cisas: Plítica Nacinal de Resídus Sólids A Plítica Nacinal de Resídus Sólids PNRS intitulada pela Lei Federal nº , de 02 de agst de 2010 e que entrará em vigr a partir janeir de A PNRS vai além da simples cleta seletiva de materiais, racinament de energia e reús de água. É bjetiv da PNRS prprcinar um entendiment cmplet de tda a cadeia de matérias-primas e insums em que a empresa está envlvida, ist prque, trnar um negóci sustentável cm menr impact pssível para ambiente nã é mais uma pçã, mas uma brigaçã d empreendedr. Cm a plítica, fabricantes, imprtadres, distribuidres e vendedres serã brigads a reclher e a destinar crretamente lix prduzid em diversas etapas, d desenvlviment d prdut à dispsiçã final. A lei vai exigir, inclusive, que muitas empresas desenvlvam um sistema de lgística reversa que permita retrn ds resídus à indústria para serem reaprveitads. 52 data da atualizaçã: mar./2012

53 Instruções Gerais Cas a micr e pequena empresa gere apenas resídus sólids (papel, lix cmum) em quantidade equiparada a cnsum dmiciliar, estará dispensada de apresentar um plan de gerenciament de resídus sólids. Para as demais, plan é brigatóri e haverá fiscalizaçã pr parte ds municípis. Mntagem de um prjet de sustentabilidade: Quand tdas as ações ambientalmente respnsáveis a serem adtadas pel empreendiment estiverem definidas, elas devem ser descritas em um plan e divididas em ações de curt, médi e lng praz, cm metas definidas e um respnsável pel seu cumpriment. É imprtante que esse plan seja sempre revist e acrescid de nvas ideias, de md que seus resultads pssam ser melhrads cada vez mais. Instruçã as funcináris: O envlviment da equipe de trabalh é fundamental para que a gestã ambiental seja eficiente. Para tant, deve-se mstrar as funcináris quais s bjetivs da respnsabilidade ambiental, de md que eles mesms vejam cm ela é vantajsa. Também é imprtante incentivar para que tds deem sugestões que pssam ser bemvindas para mei ambiente e para empreendiment. Para envlver tds ainda mais, uma parcela d dinheir prveniente das ecnmias geradas pela gestã ambiental pde ser utilizada na realizaçã de curss e capacitações para s funcináris, e utra pde ser dividida para tds da empresa, cm frma de recmpensa pr terem se engajad na prpsta de preservaçã da natureza. Divulgaçã: Assim que empreendiment já tiver adtad as práticas ambientalmente respnsáveis e que elas tenham se trnad um prcess cnstante da empresa, essas ações pdem ser mstradas as frnecedres e cnsumidres. Mas cm iss pde ser feit? Mediante s tradicinais meis de divulgaçã cm revistas, jrnais, rádi, , embalagens ds prduts etc. Mstre as práticas da empresa e nã deixe de usar fts. Tdas essas atitudes pdem ser revertidas em ações de marketing que irã prmver sua empresa. O marketing vltad para sustentabilidade é denminad marketing verde. Ele incrpra mdificações em tda a grade de atividades da empresa, desde as d prcess de prduçã até a mdificaçã d própri prdut, a fim de trná-l sustentável. O marketing verde atrai principalmente que chamams de cnsumidres cnscientes. Esses, pr sua vez, estã cada vez mais precupads, na hra da cmpra, em saber se a empresa tem apel pel desenvlviment sustentável, seja na fabricaçã d prdut, seja em prjets islads, cm dações a instituições. 53 data da atualizaçã: mar./2012

54 Instruções Gerais Empresas que adtam práticas sustentáveis saem na frente. Quand bem planejadas e fcadas n negóci, as ações de sustentabilidade deixam de ser um gast. A partir d mment em que se trnam realidade, pdem ser revertidas em lucr para empresári, pr mei das ecnmias. Na prática Cm Sebrae pde auxiliar nesta etapa Série Cm elabrar... Cm elabrar um plan de marketing Apresenta algumas dicas para elabraçã de ações detalhadas e direcinadas a seu mercad de atuaçã que pssibilitem a captaçã de clientes, aument das vendas e da lucratividade d seu negóci. Cm elabrar uma estratégia de cmercializaçã Apresenta algumas dicas para que vcê cnsiga enxergar de frma ampla cm se trnar eficaz e bter resultads efetivs em seu mercad de atuaçã. Cm elabrar um plan de vendas Apresenta algumas dicas para ajudar a definir estratégias, planejar e gerir de maneira cmpetente as vendas e apresentar técnicas para prestar um atendiment persnalizad e eficaz as seus clientes, auxiliand- a alcançar as metas de marketing. Cm elabrar um plan de cadastr, crédit e cbrança Apresenta algumas dicas para ajudar na implantaçã de um cadastr cnsistente de clientes, bem cm para a adçã de critéris e parâmetrs necessáris para a cncessã de crédit e um sistema rganizad de cbrança. Os manuais pdem ser adquirids em um ds Pnts de Atendiment d Sebrae-MG u cnsultads, gratuitamente, n site d Sebrae-MG. Cnsultria presencial, pr telefne u chat, ns temas: Finanças, Legislaçã, Marketing, Recurss Humans. 54 data da atualizaçã: mar./2012

Cm Criar Seu Própri Empreg em Apenas 5 Passs 1 1º Pass: A IDEIA 2º Pass: O CONTACTO COM VÁRIAS INSTITUIÇÕES E ENTIDADES 3º Pass: PLANO DE NEGÓCIOS 4º Pass: CRIAÇÃO DA EMPRESA E INÍCIO DE ACTIVIDADE 5º

Leia mais

Lista de Documentos o Abertura de Empresas Abertura de empresas na área de alimentos Documentos para estabelecimentos comerciais (pessoa física)

Lista de Documentos o Abertura de Empresas Abertura de empresas na área de alimentos Documentos para estabelecimentos comerciais (pessoa física) Lista de Dcuments Abertura de Empresas Abertura de empresas na área de aliments Dcuments para estabeleciments cmerciais (pessa física) 1) Ficha de Inscriçã Cadastral, preenchida na própria VISA; 2) Cópia

Leia mais

O que é sucessão de responsabilidades?

O que é sucessão de responsabilidades? GLOSSÁRIO DO EMPREENDEDOR O que é capital inicial? É capital de gir necessári para iniciar as atividades de seu negóci e "rdar" as perações até cmeçar a gerar receita suficiente para equilibrar este capital.

Leia mais

O Certificado é um dos documentos exigidos para solicitar as seguintes isenções de contribuições sociais:

O Certificado é um dos documentos exigidos para solicitar as seguintes isenções de contribuições sociais: PROCEDIMENTOS PARA CERTIFICAÇÃO E/OU RENOVAÇÃO DO CEBAS CNAS CERTIFICAÇÃO/RENOVAÇÃO O Certificad é um ds dcuments exigids para slicitar as seguintes isenções de cntribuições sciais: Parte patrnal da cntribuiçã

Leia mais

CARTILHA PARA ORIENTAÇÃO ACERCA DAS OBRIGAÇÕES PREVIDENCIÁRIAS PARA O PERÍODO ELEITORAL

CARTILHA PARA ORIENTAÇÃO ACERCA DAS OBRIGAÇÕES PREVIDENCIÁRIAS PARA O PERÍODO ELEITORAL MINISTÉRIO DA PREVIDÊNCIA SOCIAL SECRETARIA DA RECEITA PREVIDENCIÁRIA - SRP DEPARTAMENTO DE FISCALIZAÇÃO - DEFIS CARTILHA PARA ORIENTAÇÃO ACERCA DAS OBRIGAÇÕES PREVIDENCIÁRIAS PARA O PERÍODO ELEITORAL

Leia mais

Operação Metalose orientações básicas à população

Operação Metalose orientações básicas à população Operaçã Metalse rientações básicas à ppulaçã 1. Quem é respnsável pel reclhiment de prduts adulterads? As empresas fabricantes e distribuidras. O Sistema Nacinal de Vigilância Sanitária (Anvisa e Vigilâncias

Leia mais

Novo Sistema Almoxarifado

Novo Sistema Almoxarifado Nv Sistema Almxarifad Instruções Iniciais 1. Ícnes padrões Existem ícnes espalhads pr td sistema, cada um ferece uma açã. Dentre eles sã dis s mais imprtantes: Realiza uma pesquisa para preencher s camps

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO DE INICIAÇÃO PROFISSIONAL

REGULAMENTO DE ESTÁGIO DE INICIAÇÃO PROFISSIONAL REGULAMENTO DE ESTÁGIO DE INICIAÇÃO PROFISSIONAL Intrduçã O presente Regulament cnstitui um dcument intern d curs de Ciências Cntábeis e tem pr bjetiv reger as atividades relativas a Estági de Iniciaçã

Leia mais

Manual do DEC Domicílio Eletrônico do Contribuinte

Manual do DEC Domicílio Eletrônico do Contribuinte GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA DA FAZENDA Crdenadria da Administraçã Tributária Diretria Executiva da Administraçã Tributária Manual d DEC Dmicíli Eletrônic d Cntribuinte Manual DEC (dezembr

Leia mais

MANUAL dos LABORATÓRIOS De INFORMÁTICA

MANUAL dos LABORATÓRIOS De INFORMÁTICA MANUAL ds LABORATÓRIOS De INFORMÁTICA Objetiv 1. Oferecer as aluns a infra-estrutura e suprte necessári à execuçã de tarefas práticas, slicitadas pels prfessres, bservand s prazs estabelecids. 2. Oferecer

Leia mais

MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE CONSELHO NACIONAL DO MEIO AMBIENTE

MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE CONSELHO NACIONAL DO MEIO AMBIENTE MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE CONSELHO NACIONAL DO MEIO AMBIENTE RESOLUÇÃO N 379, DE 19 DE OUTUBRO DE 2006 Cria e regulamenta sistema de dads e infrmações sbre a gestã flrestal n âmbit d Sistema Nacinal

Leia mais

SEGURANÇA NO TRABALHO CONTRATADOS E TERCEIROS DO CLIENTE

SEGURANÇA NO TRABALHO CONTRATADOS E TERCEIROS DO CLIENTE Flha 1 de 8 Rev. Data Cnteúd Elabrad pr Aprvad pr 0 16/06/2004 Emissã inicial englband a parte técnica d GEN PSE 004 Luiz C. Sants Cmitê da Qualidade 1 31/01/2006 Revisã geral Luiz C. Sants Cmitê da Qualidade

Leia mais

CAE Rev_3: 47990 VENDAS AUTOMÁTICAS (VENDING)

CAE Rev_3: 47990 VENDAS AUTOMÁTICAS (VENDING) O cnteúd infrmativ dispnibilizad pela presente ficha nã substitui FUNCHAL CAE Rev_3: 47990 VENDAS AUTOMÁTICAS (VENDING) ÂMBITO A atividade de venda autmática deve bedecer à legislaçã aplicável à venda

Leia mais

Artigo 13 Como montar um Lava Jato para Caminhões

Artigo 13 Como montar um Lava Jato para Caminhões Artig 13 Cm mntar um Lava Jat para Caminhões O lava jat para caminhões tem cm diferencial atender veículs grandes e mercad específic, pis já está estabelecid nich de mercad. O sucess para este empreendiment

Leia mais

ISO 9001:2008 alterações à versão de 2000

ISO 9001:2008 alterações à versão de 2000 ISO 9001:2008 alterações à versã de 2000 Já passaram quase it ans desde que a versã da ISO 9001 d an 2000 fi publicada, que cnduziu à necessidade de uma grande mudança para muitas rganizações, incluind

Leia mais

Vensis Manutenção. Rua Américo Vespúcio, 71 Porto Alegre / RS (51) 3012-4444 comercial@vensis.com.br www.vensis.com.br

Vensis Manutenção. Rua Américo Vespúcio, 71 Porto Alegre / RS (51) 3012-4444 comercial@vensis.com.br www.vensis.com.br Vensis Manutençã Vensis Manutençã É módul que permite gerenciament da manutençã de máquinas e equipaments. Prgramaçã de manutenções preventivas u registr de manutenções crretivas pdem ser feits de frma

Leia mais

Inscrição do Candidato ao Processo de Credenciamento

Inscrição do Candidato ao Processo de Credenciamento Inscriçã d Candidat a Prcess de Credenciament O link de inscriçã permitirá que candidat registre suas infrmações para participar d Prcess de Credenciament, cnfrme Edital. Após tmar ciência de td cnteúd

Leia mais

Anexo V. Software de Registro Eletrônico em Saúde. Implantação em 2 (duas) Unidades de Saúde

Anexo V. Software de Registro Eletrônico em Saúde. Implantação em 2 (duas) Unidades de Saúde Anex V Sftware de Registr Eletrônic em Saúde Implantaçã em 2 (duas) Unidades de Saúde Índice 1 INTRODUÇÃO... 3 2 ESTRATÉGIAS E PROCEDIMENTOS DE IMPLANTAÇÃO... 3 4 INFRAESTRUTURA NAS UNIDADES DE SAÚDE -

Leia mais

Volume I: Tecnologia Sesi cultura e as leis de incentivo à cultura. Brasília: SESI/DN, 2007, 50p.

Volume I: Tecnologia Sesi cultura e as leis de incentivo à cultura. Brasília: SESI/DN, 2007, 50p. Data de elabraçã da ficha: Jun 2007 SESI Serviç Scial da Indústria Dads da rganizaçã Nme: SESI Serviç Scial da Indústria Endereç: Av Paulista, 1313, Sã Paul, SP Site: www.sesi.rg.br Telefne: (11) 3146-7405

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS

MANUAL DE PROCEDIMENTOS MANUAL DE PROCEDIMENTOS Etapa 3 Cadastr d Prcess Seletiv O Presidente da CRM cadastra s dads d prcess n sistema. O prcess seletiv é a espinha drsal d sistema, vist que pr mei dele regem-se tdas as demais

Leia mais

1ª EDIÇÃO. Regulamento

1ª EDIÇÃO. Regulamento 1ª EDIÇÃO Regulament 1. OBJETIVO O Prêmi BRASILIDADE é uma iniciativa d Serviç de Api às Micr e Pequenas Empresas n Estad d Ri de Janeir SEBRAE/RJ, idealizad pr Izabella Figueired Braunschweiger e cm a

Leia mais

Edital de Chamada Pública nº 01/2012 SEBRAE 2014

Edital de Chamada Pública nº 01/2012 SEBRAE 2014 Edital de Chamada Pública nº 01/2012 SEBRAE 2014 A Diretria d SEBRAE/RS trna públic presente edital e cnvida Artesãs representads pr Assciações e/u Cperativas de Artesanat d Ri Grande d Sul a inscreverem-se

Leia mais

WORKSHOPS SOBRE AS POSSIBILIDADES DE COOPERAÇÃO / CONCENTRAÇÃO NO SECTOR AUXILIAR NAVAL

WORKSHOPS SOBRE AS POSSIBILIDADES DE COOPERAÇÃO / CONCENTRAÇÃO NO SECTOR AUXILIAR NAVAL WORKSHOPS SOBRE AS POSSIBILIDADES DE COOPERAÇÃO / CONCENTRAÇÃO NO SECTOR AUXILIAR NAVAL ÍNDICE I. Apresentaçã e bjectivs d wrkshp II. III. Resultads ds inquérits Ambiente cmpetitiv Negóci Suprte Prcesss

Leia mais

PROCESSO EXTERNO DE CERTIFICAÇÃO

PROCESSO EXTERNO DE CERTIFICAÇÃO 1 de 7 1. OBJETIVO Este prcediment estabelece prcess para cncessã, manutençã, exclusã e extensã da certificaçã de sistema de segurança cnfrme ABNT NBR 15540. 2. DOCUMENTOS COMPLEMENTARES - ABNT NBR 15540:2013:

Leia mais

REGULAMENTO CONCURSO DE IDEIAS OESTECIM A MINHA EMPRESA

REGULAMENTO CONCURSO DE IDEIAS OESTECIM A MINHA EMPRESA 1. Intrduçã e Objetivs a) O Cncurs de Ideias OESTECIM a minha empresa pretende ptenciar apareciment de prjets invadres na regiã d Oeste sempre numa perspetiva de desenvlviment ecnómic e scial. b) O Cncurs

Leia mais

Roteiro de Implantação Estoque

Roteiro de Implantação Estoque Rteir de Implantaçã Estque Revisã: 23/07/2004 Abrangência Versã 7.10 Cadastrs Básics Dicas: Explique a necessidade d preenchiment ds brigatóris (camps na cr azul). Verifique se cliente necessita que mais

Leia mais

Capítulo VII Projetos de eficiência energética em iluminação pública Por Luciano Haas Rosito*

Capítulo VII Projetos de eficiência energética em iluminação pública Por Luciano Haas Rosito* 20 Api O Setr Elétric / Julh de 2009 Desenvlviment da Iluminaçã Pública n Brasil Capítul VII Prjets de eficiência energética em iluminaçã pública Pr Lucian Haas Rsit* Neste capítul abrdarems s prjets de

Leia mais

MTur Sistema Artistas do Turismo. Manual do Usuário

MTur Sistema Artistas do Turismo. Manual do Usuário MTur Sistema Artistas d Turism Manual d Usuári Índice 1. INTRODUÇÃO... 3 2. DESCRIÇÃO DO SISTEMA... 3 3. ACESSAR O SISTEMA... 4 4. UTILIZANDO O SISTEMA... 9 4.1. CADASTRAR REPRESENTANTE... 9 4.2. CADASTRAR

Leia mais

PADRÃO DE RESPOSTA. Pesquisador em Informações Geográficas e Estatísticas A I PROVA 3 FINANÇAS PÚBLICAS

PADRÃO DE RESPOSTA. Pesquisador em Informações Geográficas e Estatísticas A I PROVA 3 FINANÇAS PÚBLICAS Questã n 1 Cnheciments Específics O text dissertativ deve cmtemplar e desenvlver s aspects apresentads abaix. O papel d PPA é de instrument de planejament de médi/lng praz que visa à cntinuidade ds bjetivs

Leia mais

Cabe destacar que todo o dinheiro obtido pela associação deve ser usado para cumprir a missão dela; não pode ser dividido entre os associados.

Cabe destacar que todo o dinheiro obtido pela associação deve ser usado para cumprir a missão dela; não pode ser dividido entre os associados. Quais sã as vantagens de criar uma assciaçã? A vantagem de criar uma assciaçã é pder agir legalmente em nme dela, mvimentand recurss e firmand cnvênis. Os cnvênis pdem ser firmads cm s órgãs públics e

Leia mais

5. PLANEJAMENTO E ORGANIZAÇÃO DA MANUTENÇÃO:

5. PLANEJAMENTO E ORGANIZAÇÃO DA MANUTENÇÃO: 5. PLANEJAMENTO E ORGANIZAÇÃO DA MANUTENÇÃO: 5.1 INTRODUÇÃO A rganizaçã da manutençã era cnceituada, até há puc temp, cm planejament e administraçã ds recurss para a adequaçã à carga de trabalh esperada.

Leia mais

Projetos, Programas e Portfólios

Projetos, Programas e Portfólios Prjets, Prgramas e Prtfólis pr Juliana Klb em julianaklb.cm Prjet Segund PMBOK (2008): um prjet é um esfrç temprári empreendid para criar um nv prdut, serviç u resultad exclusiv. Esta definiçã, apesar

Leia mais

PM 3.5 Versão 2 PdC Versão 1

PM 3.5 Versão 2 PdC Versão 1 Prcediment de Cmercializaçã Cntrle de Alterações SAZONALIZAÇÃO DE CONTRATO INICIAL E DE ENERGIA ASSEGURADA PM 3.5 Versã 2 PdC Versã 1 Alterad Layut d dcument. Alterad term de Prcediment de Mercad para

Leia mais

Contabilidade Martins

Contabilidade Martins DOCUMENTOS PARA CONTABILIDADE Visand melhrar nss intercâmbi administrativ e s serviçs prestads pr este escritóri, remetems instruções cm relaçã a sua mvimentaçã mensal, dand ênfase a cntrle de arquivs,

Leia mais

PRÊMIO INOVAÇÃO PGQP 2014

PRÊMIO INOVAÇÃO PGQP 2014 QUALIDADE RS PGQP PROGRAMA GAÚCHO DA QUALIDADE E PRODUTIVIDADE PRÊMIO INOVAÇÃO PGQP 2014 GUIA PARA CANDIDATURA SUMÁRIO 1. O PRÊMIO INOVAÇÃO PGQP... 3 1.1 Benefícis... 3 2. PREMIAÇÃO... 3 2.1 Diretrizes

Leia mais

Gestão do Escopo 1. Planejamento da Gestão do Escopo: 2. Definição do Escopo: 3. Elaboração da EDT(EAP): 4. Verificação do Escopo:

Gestão do Escopo 1. Planejamento da Gestão do Escopo: 2. Definição do Escopo: 3. Elaboração da EDT(EAP): 4. Verificação do Escopo: Gestã d Escp 1. Planejament da Gestã d Escp: i. Autrizaçã d prjet ii. Definiçã d escp (preliminar) iii. Ativs em cnheciments rganizacinais iv. Fatres ambientais e rganizacinais v. Plan d prjet i. Plan

Leia mais

PM 3.5 Versão 2 PdC Versão 1

PM 3.5 Versão 2 PdC Versão 1 Prcediment de Cmercializaçã Cntrle de Alterações PM 3.5 Versã 2 PdC Versã 1 PM 3.5 Versã 2 PdC Versã 1 Alterad Layut d dcument. Alterad term de Prcediment de Mercad para Prcediment de Cmercializaçã. Inserid

Leia mais

ALTERAÇÕES NO SISTEMA ORION

ALTERAÇÕES NO SISTEMA ORION ALTERAÇÕES NO SISTEMA ORION Orin Versã 7.74 TABELAS Clientes Na tela de Cadastr de Clientes, fi inserid btã e um camp que apresenta códig que cliente recebeu após cálcul da Curva ABC. Esse btã executa

Leia mais

ARQUITETURA E INSTALAÇÃO PROTHEUS 11

ARQUITETURA E INSTALAÇÃO PROTHEUS 11 ARQUITETURA E INSTALAÇÃO PROTHEUS 11 OBJETIVO Infraestrutura e tecnlgia d Prtheus sã a base de uma sluçã de gestã empresarial rbusta, que atende a tdas as necessidades de desenvlviment, persnalizaçã, parametrizaçã

Leia mais

SEMINÁRIO FINANÇAS EFINANCIAMENTO VIABILIZANDO INVESTIMENTO NAS PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS 17 DE NOVEMBRO, 2014

SEMINÁRIO FINANÇAS EFINANCIAMENTO VIABILIZANDO INVESTIMENTO NAS PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS 17 DE NOVEMBRO, 2014 SEMINÁRIO FINANÇAS EFINANCIAMENTO VIABILIZANDO INVESTIMENTO NAS PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS 17 DE NOVEMBRO, 2014 ESTRATÉGIA DESEGMENTAÇÃO ESTRATÉGIA DE SEGMENTAÇÃO Estrutura segmentada vltada a estratégia

Leia mais

A atuação do Síndico Profissional é a busca do pleno funcionamento do condomínio. Manuel Pereira

A atuação do Síndico Profissional é a busca do pleno funcionamento do condomínio. Manuel Pereira A atuaçã d Síndic Prfissinal é a busca d plen funcinament d cndmíni Manuel Pereira Missã e Atividades Habilidade - Cnhecems prfundamente a rtina ds cndmínis e seus prblemas administrativs. A atuaçã é feita

Leia mais

Artigo 12 Como montar um Lava Jato

Artigo 12 Como montar um Lava Jato Artig 12 Cm mntar um Lava Jat Antigamente era cmum bservar as pessas, n final de semana, cm seus carrs, bucha e sabã nas mãs. Apesar de ainda haver pessas que preferem fazer serviç suj szinhas, s lava

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO ANTECEDENTES CRIMINAIS

MANUAL DO USUÁRIO ANTECEDENTES CRIMINAIS SISTEMA DE INFORMAÇÃO E GESTÃO INTEGRADA POLICIAL Elabrad: Equipe SAG Revisad: Aprvad: Data: 11/09/2008 Data: 10/10/2008 Data: A autenticaçã d dcument cnsta n arquiv primári da Qualidade Referencia: Help_Online_Antecedentes_Criminais.dc

Leia mais

PROJETO 22ª MOSTRA ESTUDANTIL TECNOLÓGICA Dias 22 e 23 DE OUTUBRO DE 2014 CURSO: GESTÃO EMPRESARIAL

PROJETO 22ª MOSTRA ESTUDANTIL TECNOLÓGICA Dias 22 e 23 DE OUTUBRO DE 2014 CURSO: GESTÃO EMPRESARIAL PROJETO 22ª MOSTRA ESTUDANTIL TECNOLÓGICA Dias 22 e 23 DE OUTUBRO DE 2014 CURSO: GESTÃO EMPRESARIAL Objetivs: Gestã Empresarial Desenvlver cmpetências para atuar n gerenciament de prjets, prestand cnsultria

Leia mais

SMART CONTROLE DO ESTOQUE DE GONDOLA

SMART CONTROLE DO ESTOQUE DE GONDOLA SMART CONTROLE DO ESTOQUE DE GONDOLA O prcess de cntrle de estque de gôndla fi desenvlvid cm uma prcess de auxili a cliente que deseja cntrlar a quantidade de cada item deve estar dispnível para venda

Leia mais

Anexo 03 Recomendação nº 3: estatuto padrão, estatuto fundamental e contrato social

Anexo 03 Recomendação nº 3: estatuto padrão, estatuto fundamental e contrato social Anex 03 Recmendaçã nº 3: estatut padrã, estatut fundamental e cntrat scial 1. Resum 01 Atualmente, Estatut da Crpraçã da Internet para a atribuiçã de nmes e númers (ICANN) tem um mecanism únic para alterações.

Leia mais

REGRAS PARA USO DE RECURSOS PROAP/CAP

REGRAS PARA USO DE RECURSOS PROAP/CAP REGRAS PARA USO DE RECURSOS PROAP/CAP I - AJUDA DE CUSTO A ALUNOS DE DOUTORADO DA CAP, PARA PARTICIPAÇÃO EM EVENTOS CIENTÍFICOS INTERNACIONAIS FORA DO PAÍS Eligibilidade Aluns de dutrad da CAP que preencham,

Leia mais

Perguntas frequentes sobre o Programa Banda Larga nas Escolas

Perguntas frequentes sobre o Programa Banda Larga nas Escolas Perguntas frequentes sbre Prgrama Banda Larga nas Esclas 1. Qual bjetiv d Prgrama Banda Larga nas Esclas? O Prgrama Banda Larga nas Esclas tem cm bjetiv cnectar tdas as esclas públicas à internet, rede

Leia mais

RELATOR: Senador EUNÍCIO OLIVEIRA

RELATOR: Senador EUNÍCIO OLIVEIRA De Plenári, err1 substituiçã à COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO, JUSTIÇA E CIDADANIA, sbre Prjet de Lei da Câmara 209, de 2015, de autria d Deputad Aeltn Freitas, que altera a Lei n 8.906, de 4 de julh de 1994

Leia mais

WEB MANAGER. Conhecendo o Web Manager!

WEB MANAGER. Conhecendo o Web Manager! WEB MANAGER Cnhecend Web Manager! O Web Manager é uma pdersa ferramenta para gestã de Sites, prtais, intranets, extranets e htsites. Cm ela é pssível gerenciar ttalmente seus ambientes web. Integrad ttalmente

Leia mais

ESCOLA DE DIREITO DO RIO DE JANEIRO DA FUNDAÇÃO GETULIO VARGAS FGV DIREITO RIO EDITAL DO PROCESSO SELETIVO DOS CURSOS DE EDUCAÇÃO CONTINUADA

ESCOLA DE DIREITO DO RIO DE JANEIRO DA FUNDAÇÃO GETULIO VARGAS FGV DIREITO RIO EDITAL DO PROCESSO SELETIVO DOS CURSOS DE EDUCAÇÃO CONTINUADA ESCOLA DE DIREITO DO RIO DE JANEIRO DA FUNDAÇÃO GETULIO VARGAS EDITAL DO PROCESSO SELETIVO DOS CURSOS DE EDUCAÇÃO CONTINUADA 2º semestre / 2012 O Prgrama de Educaçã Cntinuada da trna públic, para cnheciment

Leia mais

- COMO PROCURAR EMPREGO -

- COMO PROCURAR EMPREGO - GUIA PRÁTICO - COMO PROCURAR EMPREGO - e 1 de 7 Técnicas de Prcura de Empreg...3 1. Aut Avaliaçã...3 2. Meis de Divulgaçã de Ofertas de Empreg...3 3. Carta de Apresentaçã...4 4. Curriculum Vitae...4 4.1.1.

Leia mais

Código: Data: Revisão: Página: SUMÁRIO

Código: Data: Revisão: Página: SUMÁRIO UC_REQ-MK_ACF-001 27/01/2015 00 1 / 12 SUMÁRIO INTRODUÇÃO... 2 Objetiv... 2 Públic Alv... 2 Escp... 2 Referências... 2 DESCRIÇÃO GERAL DO PRODUTO... 2 Características d Usuári... 2 Limites, Supsições e

Leia mais

Regulamento do programa de bolsas de estudos

Regulamento do programa de bolsas de estudos Regulament d prgrama de blsas de estuds Unidades Ri de Janeir e Sã Paul Data de publicaçã: 13/05/2015 Regulament válid até 30/08/2015 1 1. Sbre prgrama Através de um prcess seletiv, prgrama de blsas de

Leia mais

DIRETRIZES E CRITÉRIOS PARA APLICAÇÃO DOS RECURSOS

DIRETRIZES E CRITÉRIOS PARA APLICAÇÃO DOS RECURSOS DIRETRIZES E CRITÉRIOS PARA APLICAÇÃO DOS RECURSOS Prjets n Bima Amazônia A Critéris Orientadres B C D E F Cndicinantes Mínims para Prjets Mdalidades de Aplicaçã ds Recurss Restriçã de Us ds Recurss Critéris

Leia mais

Supply Chain Game. EXERCÍCIOS PRÁTICOS DE LOGÍSTICA E CADEIA DE SUPRIMENTOS Autor: Prof. Dr. Daniel Bertoli Gonçalves

Supply Chain Game. EXERCÍCIOS PRÁTICOS DE LOGÍSTICA E CADEIA DE SUPRIMENTOS Autor: Prof. Dr. Daniel Bertoli Gonçalves Supply Chain Game EXERCÍCIOS PRÁTICOS DE LOGÍSTICA E CADEIA DE SUPRIMENTOS Autr: Prf. Dr. Daniel Bertli Gnçalves Exercíci Prátic Simuland Cadeias de Supriments v2.0 Lcal: em sala de aula Material Necessári:

Leia mais

INSTITUTO DE EXCELÊNCIA EM EDUCAÇÃO DE SAÚDE IEES. Excelência na Formação através da Experiência e Aplicação MARKETING FARMACÊUTICO PRÁTICO

INSTITUTO DE EXCELÊNCIA EM EDUCAÇÃO DE SAÚDE IEES. Excelência na Formação através da Experiência e Aplicação MARKETING FARMACÊUTICO PRÁTICO E IEES I EDUCAÇÃO DE SAÚDE INSTITUTO DE EXCELÊNCIA EM EDUCAÇÃO DE SAÚDE IEES Excelência na Frmaçã através da Experiência e Aplicaçã MARKETING FARMACÊUTICO PRÁTICO 1.CARGA HORÁRIA 32 Hras 2.DATA E LOCAL

Leia mais

GESTÃO DE PROJETOS. Uma visão geral Baseado nas diretrizes do PMI

GESTÃO DE PROJETOS. Uma visão geral Baseado nas diretrizes do PMI GESTÃO DE PROJETOS Uma visã geral Bead n diretrizes d PMI 1 Intrduçã Objetiv da Apresentaçã O bjetiv é frnecer uma visã geral ds prcesss de Gestã de Prjets aplicads à Gestã de Empreendiments. O que é Prjet?

Leia mais

PIM TECNOLOGIA EM GERENCIAMENTO DE REDES DE COMPUTADORES (GR3P30)

PIM TECNOLOGIA EM GERENCIAMENTO DE REDES DE COMPUTADORES (GR3P30) UNIP Brasília - Crdenaçã CG/CW/GR/AD Senhres Aluns, Seguem infrmações imprtantes sbre PIM: 1. O QUE É? - Os PIM (Prjet Integrad Multidisciplinar) sã prjets brigatóris realizads els aluns ds curss de graduaçã

Leia mais

Excluídas as seguintes definições:

Excluídas as seguintes definições: Prcediment de Cmercializaçã Cntrle de Alterações Entre PM AM.08 APLICAÇÃO DE PENALIDADE POR INSUFICIÊNCIA DE CONTRATAÇÃO E PENALIDADE POR INSUFICIÊNCIA DE LASTRO DE VENDA & PdC AM.10 MONITORAMENTO DE INFRAÇÃO

Leia mais

CONCORRÊNCIA AA Nº 05/2009 BNDES ANEXO II PROJETO BÁSICO: JORNADA AGIR

CONCORRÊNCIA AA Nº 05/2009 BNDES ANEXO II PROJETO BÁSICO: JORNADA AGIR CONCORRÊNCIA AA Nº 05/2009 BNDES ANEXO II PROJETO BÁSICO: JORNADA AGIR 1. Históric da Jrnada AGIR Ns ambientes crprativs atuais, a adçã de um mdel de gestã integrada é uma decisã estratégica n api às tmadas

Leia mais

PLATAFORMA EMPRESAS PELO CLIMA

PLATAFORMA EMPRESAS PELO CLIMA PLATAFORMA EMPRESAS PELO CLIMA CAMINHO PARA ELABORAÇÃO DE AGENDAS EMPRESARIAIS EM ADAPTAÇÃO ÀS MUDANÇAS DO CLIMA Prpsta de Framewrk Resultad d diálg crrid em 26 de junh de 2013, n Fórum Latin-American

Leia mais

Relatório de Gerenciamento de Riscos

Relatório de Gerenciamento de Riscos Relatóri de Gerenciament de Riscs 2º Semestre de 2014 1 Sumári 1. Intrduçã... 3 2. Gerenciament de Riscs... 3 3. Risc de Crédit... 4 3.1. Definiçã... 4 3.2. Gerenciament... 4 3.3. Limites de expsiçã à

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Escrituração Contábil Digital ECD

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Escrituração Contábil Digital ECD Parecer Cnsultria Tributária Segments Escrituraçã Cntábil Digital ECD 23/12/2013 Parecer Cnsultria Tributária Segments Títul d dcument Sumári Sumári... 2 1. Questã... 3 2. Nrmas Apresentadas Pel Cliente...

Leia mais

Prefeitura Municipal de Belo Horizonte Vox Mercado Pesquisa e Projetos Ltda. Dados da organização

Prefeitura Municipal de Belo Horizonte Vox Mercado Pesquisa e Projetos Ltda. Dados da organização Data de elabraçã da ficha: Jun 2007 Prefeitura Municipal de Bel Hriznte Vx Mercad Pesquisa e Prjets Ltda. Dads da rganizaçã Nme: Prefeitura Municipal de Bel Hriznte Endereç: Av. Afns Pena, 1212 - Cep.

Leia mais

GUIA DE RELACIONAMENTO MT-COR: 001 Revisão: 000

GUIA DE RELACIONAMENTO MT-COR: 001 Revisão: 000 GUIA DE RELACIONAMENTO MT-COR: 001 Revisã: 000 A Mercur S.A., empresa estabelecida desde 1924, se precupa em cnduzir as suas relações de acrd cm padrões étics e cmerciais, através d cumpriment da legislaçã

Leia mais

INSTITUTO SUPERIOR POLITÉCNICO DE VISEU ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA E GESTÃO DE LAMEGO EDITAL

INSTITUTO SUPERIOR POLITÉCNICO DE VISEU ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA E GESTÃO DE LAMEGO EDITAL EDITAL CANDIDATURA AOS CURSOS TÉCNICOS SUPERIORES PROFISSIONAIS (CTeSP) 2015 CONDIÇÕES DE ACESSO 1. Pdem candidatar-se a acess de um Curs Técnic Superir Prfissinal (CTeSP) da ESTGL tds s que estiverem

Leia mais

PM 3.5 Versão 2 PdC Versão 1

PM 3.5 Versão 2 PdC Versão 1 Prcediment de Cmercializaçã Cntrle de Alterações SAZONALIZAÇAO DE CONTRATO DE LEILÃO DE VENDA EDITAL DE LEILÃO Nº 001 / 2002 - MAE PM 3.5 Versã 2 PdC Versã 1 Alterad Layut d dcument. Alterad term de Prcediment

Leia mais

Manual de Procedimentos

Manual de Procedimentos Manual de Prcediments Prcediments para Submissã de Prjets de MDL à Cmissã Interministerial de Mudança Glbal d Clima Secretaria Executiva Cmissã Interministerial de Mudança Glbal d Clima Prcediments para

Leia mais

Agenda: 2015 Sage Software, Inc. All rights reserved. 2/1/2016 3 2015 Sage Software, Inc. All rights reserved. 2/1/2016 5

Agenda: 2015 Sage Software, Inc. All rights reserved. 2/1/2016 3 2015 Sage Software, Inc. All rights reserved. 2/1/2016 5 Agenda: Event Sage AEBB Legislaçã inventári permanente (reduçã ds limites) Cnfigurações inventári permanente (ligaçã à CTB) O inventári a 31 de dezembr (imprtância d cntrl stcks, sage inventáris cntagem

Leia mais

Boletim Técnico. CAGED Portaria 1129/2014 MTE. Procedimento para Implementação. Procedimento para Utilização

Boletim Técnico. CAGED Portaria 1129/2014 MTE. Procedimento para Implementação. Procedimento para Utilização Bletim Técnic CAGED Prtaria 1129/2014 MTE Prdut : TOTVS 11 Flha de Pagament (MFP) Chamad : TPRQRW Data da criaçã : 26/08/2014 Data da revisã : 12/11/2014 País : Brasil Bancs de Dads : Prgress, Oracle e

Leia mais

Este documento tem como objetivo definir as políticas referentes à relação entre a Sioux e seus funcionários.

Este documento tem como objetivo definir as políticas referentes à relação entre a Sioux e seus funcionários. OBJETIVO Este dcument tem cm bjetiv definir as plíticas referentes à relaçã entre a Siux e seus funcináris. A Siux se reserva direit de alterar suas plíticas em funçã ds nvs cenáris da empresa sem avis

Leia mais

Orientações e Recomendações Orientações relativas à informação periódica a apresentar à ESMA pelas Agências de notação de risco

Orientações e Recomendações Orientações relativas à informação periódica a apresentar à ESMA pelas Agências de notação de risco Orientações e Recmendações Orientações relativas à infrmaçã periódica a apresentar à ESMA pelas Agências de ntaçã de risc 23/06/15 ESMA/2015/609 Índice 1 Âmbit de aplicaçã... 3 2 Definições... 3 3 Objetiv

Leia mais

Promover a obtenção de AIM (Autorização de Introdução no Mercado) no estrangeiro de medicamentos criados e desenvolvidos em Portugal.

Promover a obtenção de AIM (Autorização de Introdução no Mercado) no estrangeiro de medicamentos criados e desenvolvidos em Portugal. SIUPI SISTEMA DE INCENTIVOS À UTILIZAÇÃO DA PROPRIEDADE INDUSTRIAL FICHA DE MEDIDA Apia prjects que visem estimular investiment em factres dinâmics de cmpetitividade, assciads à invaçã tecnlógica, a design

Leia mais

Esta Cartilha vai ajudar você a entender melhor o Fundo Paraná de Previdência Multipatrocinada e o Plano de Benefícios JMalucelli.

Esta Cartilha vai ajudar você a entender melhor o Fundo Paraná de Previdência Multipatrocinada e o Plano de Benefícios JMalucelli. ÍNDICE CARTILHA EXPLICATIVA... 3 FUNDO PARANÁ... 4 PATRIMÔNIO... 5 SEGURANÇA... 5 BENEFÍCIO FISCAL... 6 ASFUNPAR... 7 PLANO JMALUCELLI... 8 PARTICIPANTES... 8 Participante Ativ... 8 Participante Assistid...

Leia mais

Nome do programa, pesquisa ou produto: Projeto Censo GIFE 2005/2006

Nome do programa, pesquisa ou produto: Projeto Censo GIFE 2005/2006 1 GIFE Grup de Instituts, Fundações e Empresas Dads da rganizaçã Data de elabraçã da ficha: Fev 2008 Nme: GIFE Grup de Instituts, Fundações e Empresas Endereç: Av. Brigadeir Faria Lima, 2.413 1º andar

Leia mais

Vensis PCP. Rua Américo Vespúcio, 71 Porto Alegre / RS (51) 3012-4444 comercial@vensis.com.br www.vensis.com.br

Vensis PCP. Rua Américo Vespúcio, 71 Porto Alegre / RS (51) 3012-4444 comercial@vensis.com.br www.vensis.com.br Vensis PCP Vensis PCP O PCP é módul de planejament e cntrle de prduçã da Vensis. Utilizad n segment industrial, módul PCP funcina de frma ttalmente integrada a Vensis ERP e permite às indústrias elabrar

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS REALIZAR MANUTENÇÃO PREDIAL

MANUAL DE PROCEDIMENTOS REALIZAR MANUTENÇÃO PREDIAL Códig: MAP-DILOG-002 Versã: 00 Data de Emissã: 01/01/2013 Elabrad pr: Gerência de Instalações Aprvad pr: Diretria de Lgística 1 OBJETIVO Estabelecer cicl d prcess para a manutençã predial crretiva e preventiva,

Leia mais

PROPOSTA DE DESENVOLVIMENTO

PROPOSTA DE DESENVOLVIMENTO R.M. Infrmática Cmérci e Serviç Ltda CNPJ: 04.831.742/0001-10 Av. Rdrig Otávi, 1866, Módul 22 Distrit Industrial - Manaus - AM Tel./Fax (92) 3216-3884 http://www.amaznit.cm.br e-mail: amaznit@amaznit.cm.br

Leia mais

Apresentação do Curso

Apresentação do Curso At endi m ent acl i ent e Apr es ent aç ãdc ur s Apresentaçã d Curs O curs Atendiment a Cliente fi elabrad cm bjetiv de criar cndições para que vcê desenvlva cmpetências para: Identificar s aspects que

Leia mais

Guia Prático do Estágio. Seu Estágio em 5 Passos

Guia Prático do Estágio. Seu Estágio em 5 Passos Guia Prátic d Estági Seu Estági em 5 Passs O que é Estági? A atividade de estági é um fatr significativ na frmaçã d prfissinal, pr prprcinar a interaçã d alun cm a realidade da prfissã e a cmplementaçã

Leia mais

INFORMAÇÃO GAI. Apoios às empresas pela contratação de trabalhadores

INFORMAÇÃO GAI. Apoios às empresas pela contratação de trabalhadores INFORMAÇÃO GAI Apis às empresas pela cntrataçã de trabalhadres N âmbit das plíticas de empreg, Gvern tem vind a criar algumas medidas de api às empresas pela cntrataçã de trabalhadres, n entant tem-se

Leia mais

REGULAMENTO 1- OBJETIVO

REGULAMENTO 1- OBJETIVO REGULAMENTO 1- OBJETIVO O Prgrama Nv Temp é um iniciativa da Cargill Agricla SA, que visa ferecer as seus funcináris e das empresas patrcinadras ds plans de previdência sb a gestã da CargillPrev Sciedade

Leia mais

Supply Chain Game. EXERCÍCIOS PRÁTICOS DE LOGÍSTICA E CADEIA DE SUPRIMENTOS Autor: Prof. Dr. Daniel Bertoli Gonçalves

Supply Chain Game. EXERCÍCIOS PRÁTICOS DE LOGÍSTICA E CADEIA DE SUPRIMENTOS Autor: Prof. Dr. Daniel Bertoli Gonçalves Supply Chain Game EXERCÍCIOS PRÁTICOS DE LOGÍSTICA E CADEIA DE SUPRIMENTOS Autr: Prf. Dr. Daniel Bertli Gnçalves Exercíci Prátic 1 Simuland uma Cadeia e planejand seus estques Lcal: em sala de aula Material

Leia mais

Software Utilizado pela Contabilidade: Datasul EMS 505. itens a serem inventariados com o seu correspondente registro contábil;

Software Utilizado pela Contabilidade: Datasul EMS 505. itens a serem inventariados com o seu correspondente registro contábil; TERMO DE REFERÊNCIA CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS ESPECIALIZADOS DE ANÁLISE DA REDUÇÃO AO VALOR RECUPERÁVEL DE ATIVO PARA CÁLCULOS DO VALOR DO IMPAIRMENT E VIDA ÚTIL RESIDUAL, EM CONFORMIDADE COM O DISPOSTO

Leia mais

PRÊMIO AUTOMAÇÃO - CATEGORIA DE JORNALISMO

PRÊMIO AUTOMAÇÃO - CATEGORIA DE JORNALISMO PRÊMIO AUTOMAÇÃO - CATEGORIA DE JORNALISMO REGULAMENTO 1. DOS OBJETIVOS DO PRÊMIO O PRÊMIO NA CATEGORIA DE JORNALISMO tem cm bjetiv premiar matérias veiculadas na imprensa nacinal relativas a temas ligads

Leia mais

Aliança Estratégica com a Delta Dezembro, 2011. Uma Consistente História de Investimento

Aliança Estratégica com a Delta Dezembro, 2011. Uma Consistente História de Investimento Aliança Estratégica cm a Delta Dezembr, 2011 Uma Cnsistente História de Investiment 1 Agenda Resum da Operaçã 1 Benefícis da Operaçã 2 2 Disclaimer O material a seguir é uma apresentaçã cnfidencial cntend

Leia mais

Por favor, considere a proteção ao meio ambiente antes de imprimir esse documento

Por favor, considere a proteção ao meio ambiente antes de imprimir esse documento Interbrs Tecnlgia e Sluções de Internet Ltda. Rua Dr. Guilherme Bannitz, 126 2º andar Cnj. 21 /179 Itaim Bibi - Sã Paul- SP - 04532-060 Fne: 55 11 9209-3717 / 55 11 8162-0161 Pr favr, cnsidere a prteçã

Leia mais

FIES - Documentação comprobatória

FIES - Documentação comprobatória FIES - Dcumentaçã cmprbatória OBS: Devem ser apresentads riginais e cópias ds dcuments relacinads. COMPROVANTES DE RESIDÊNCIA DO ESTUDANTE: O estudante deverá cmparecer à CPSA e psterirmente a agente financeir

Leia mais

Ficha Cadastro Pessoa Física

Ficha Cadastro Pessoa Física Ficha Cadastr Pessa Física Grau de sigil #00 Em se tratand de mais de um titular, preencher uma ficha para cada um. Cas necessári, utilize utra ficha para cmpletar s dads. Dads da Cnta na CAIXA Cód. agência

Leia mais

Em qualquer situação, deve ser incluída toda a informação que seja relevante para a análise e resolução da questão/problema.

Em qualquer situação, deve ser incluída toda a informação que seja relevante para a análise e resolução da questão/problema. Mdel de Cmunicaçã Prescriçã Eletrónica de Medicaments Revisã 2 Âmbit d Dcument O presente dcument traduz mdel de cmunicaçã entre Centr de Suprte da SPMS e clientes da Prescriçã Eletrónica de Medicaments

Leia mais

Os valores solicitados para transporte e seguro saúde deverão ser comprovados por um orçamento integral fornecido por uma agência de viagem.

Os valores solicitados para transporte e seguro saúde deverão ser comprovados por um orçamento integral fornecido por uma agência de viagem. Aluns de Pós-Graduaçã de Instituições Estrangeiras Visa apiar visitas de n máxim 30 dias, de dutrands de instituições estrangeiras, qualificads, e prcedentes de Centrs de Excelência para estudarem, pesquisarem

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO EVENTOS

MANUAL DO USUÁRIO EVENTOS SISTEMA DE INFORMAÇÃO E GESTÃO INTEGRADA POLICIAL Elabrad: Equipe SAG Revisad: Data: 17-09-2008 Data: Aprvad: Data: A autenticaçã d dcument cnsta n arquiv primári da Qualidade Referencia: Help_Online_Events.dc

Leia mais

^i * aesíqn e=> ~omunícc3ç:c30

^i * aesíqn e=> ~omunícc3ç:c30 ^i * aesíqn e=> ~munícc3ç:c30 CONTRATO DE LICENÇA DE USO DO SISTEMA - SUBMIT CMS Web Site da Prefeitura de Frei Martinh - Paraíba 1. IDENTIFICAÇÃO DAS PARTES CONTRATANTE Prefeitura Municipal de Frei Martinh

Leia mais

Art. 2º. Trata-se de uma promoção de caráter exclusivamente de estimulo cultural, profissional e acadêmico sem vínculo com sorteios.

Art. 2º. Trata-se de uma promoção de caráter exclusivamente de estimulo cultural, profissional e acadêmico sem vínculo com sorteios. Prêmi Data Pint de Criatividade e Invaçã - 2011 N an em que cmpleta 15 ans de atuaçã n mercad de treinament em infrmática, a Data Pint ferece à cmunidade a prtunidade de participar d Prêmi Data Pint de

Leia mais

CÓDIGO DE CONDUTA E DE ÉTICA POLÍTICA SOBRE PRESENTES E ENTRETENIMENTO

CÓDIGO DE CONDUTA E DE ÉTICA POLÍTICA SOBRE PRESENTES E ENTRETENIMENTO CÓDIGO DE CONDUTA E DE ÉTICA POLÍTICA SOBRE PRESENTES E ENTRETENIMENTO POLÍTICA SOBRE PRESENTESE ENTRETENIMENTO Oferecer u receber presentes cmerciais e entreteniment é frequentemente uma frma aprpriada

Leia mais

Passo 1 - Conheça as vantagens do employeeship para a empresa

Passo 1 - Conheça as vantagens do employeeship para a empresa Manual Cm intrduzir emplyeeship na empresa Índice Intrduçã Pass 1 - Cnheça as vantagens d emplyeeship para a empresa Pass 2 - Saiba que é a cultura emplyeeship Pass 3 - Aprenda a ter "bns" empregads Pass

Leia mais

Página 1 de 10 PROJETO E RELATÓRIO DE ATIVIDADES

Página 1 de 10 PROJETO E RELATÓRIO DE ATIVIDADES Página 1 de 10 PROJETO E RELATÓRIO DE ATIVIDADES Página 2 de 10 O Prjet Aliança O Prjet Aliança é uma idéia que evluiu a partir de trabalhs realizads cm pessas da cmunidade d Bairr da Serra (bairr rural

Leia mais