PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL CENTRO UNIVERSITÁRIO ÍTALO BRASILEIRO UNIÍTALO 2004/2008

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL CENTRO UNIVERSITÁRIO ÍTALO BRASILEIRO UNIÍTALO 2004/2008"

Transcrição

1 PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL DO CENTRO UNIVERSITÁRIO ÍTALO BRASILEIRO UNIÍTALO 2004/2008 ADITAMENTOS DE OUTUBRO DE 2006 SÃO PAULO, SP, 2003

2 APRESENTAÇÃO A Instituição Educacional Prof. Pasquale Cascino, ao completar 54 anos de existência, e a Faculdade Ítalo Brasileira, ao ingressar em seus 31 anos, entendem que é chegado o momento de sua transformação em Centro Universitário, ao abrigo do Decreto nº 3.860, de Para atender a este objetivo, elaboraram, em conjunto, este Plano de Desenvolvimento Institucional (PDI), que vai nortear a vida institucional nos próximos cinco anos (2004/2008). O PDI é, na realidade, um projeto que, ao ser implementado, será monitorado e avaliado de forma contínua, a fim de propiciar a correção de rumos. O Centro Universitário Ítalo Brasileiro nasce, portanto, com o compromisso de continuar a trajetória vitoriosa da Faculdade Ítalo-Brasileira, perenizando o sonho do fundador da sua mantenedora o Prof. Pasquale Cascino. Este é o primeiro aditamento do PDI do UniÍTALO, apresentado ao MEC na forma prevista na Portaria SESu/MEC nº 7/2004. O PDI foi recomendado, conforme processo nº , em 11/12/2003. Após uma revisão do PDI efetuada em outubro de 2006 e aprovada pelo órgão competente do UniÍTALO, o presente aditamento tem por objetivo realizar as seguintes alterações: Atualização da história da IES, para incluir o seu credenciamento como centro universitário, no item 1.1. Breve Histórico da IES ; Inclusão do item 1.7. Responsabilidade Social ; Inclusão do item Autonomia da IES em relação a Mantenedora ; Atualização do quadro docente atual (2º semestre/2006) do UniÍTALO, em relação ao regime de trabalho e a titulação, no item Formação Acadêmica e Profissional e Regime de Trabalho ; Atualização do quadro de cursos de graduação existentes e evolução de alunado, no item Cursos de Graduação Oferecidos, subitem Situação Legal ; 2

3 Atualização dos cursos que já passaram por processos de avaliação do MEC/NEP (ENC, ENADE, Autorização e Reconhecimento), no item Avaliações ; Atualização do quadro de cursos de pós-graduação Lato Sensu existentes e evolução de alunado, no item Cursos de Pós-Graduação Lato Sensu Oferecidos ; Atualização do item Cursos em Tramitação, que sofreu alterações no seu texto, devido a IES não possuir cursos tramitando no MEC, na presente data; Atualização do quadro de cursos de graduação propostos e evolução de alunado, no item Cursos Programados, subitem Graduação, devido à inclusão de novos cursos; Atualização do quadro de cursos de pós-graduação lato sensu propostos e evolução de alunado, no item Cursos Programados, subitem Pós-Graduação Lato Sensu, devido à inclusão de novos cursos; Atualização do quadro de expansão dos programas de extensão, devido a inclusão de novos cursos de graduação, no item Programas de Extensão ; Atualização do quadro de expansão dos programas de pesquisa, devido a inclusão de novos cursos de graduação, no item Programas de Pesquisa ; Atualização do quadro de expansão das instalações físicas, para os anos de 2007 e 2008, no item Plano de Expansão das Instalações Físicas, devido a inclusão de novos cursos para o qüinqüênio; Ampliação da quantidade de recursos audiovisuais para os anos de 2007 e 2008, no quadro constante no item Recursos Audiovisuais e Multimídia, devido a inclusão de novos cursos de graduação e pós-graduação; Atualização do quadro do acervo existente por área de conhecimento, no item Acervo, devido a aquisição de novos títulos e exemplares, durante o período; Atualização do quadro de expansão do acervo, para os anos de 2007 e 2008, no item Política de Aquisição, Expansão e Atualização ; Atualização do quadro de expansão de recursos humanos da Biblioteca, no item Serviços ; 3

4 Inclusão, no item Laboratórios e Instalações Especiais, dos serviços efetuados e disponibilizados pelos laboratórios existentes no UniÍTALO; Atualização do quadro de laboratórios projetados, no item Laboratórios e Instalações Especiais, subitem Espaço Físico, devido a inclusão de novos cursos; Inclusão, no item Equipamentos, de texto que contempla a quantidade de computadores disponíveis no UniITALO. Além disso, neste mesmo item, foram atualizadas as quantidades de laboratórios de informática e de computadores existentes em cada laboratório. Ainda, neste item, foi atualizado o quadro de expansão de equipamentos de informática, devido o aumento de novos cursos para o qüinqüênio; Inclusão do subitem 3.3. Relatório da CPA, no item 3. Avaliação e Acompanhamento do Desempenho Institucional, no qual foi apresentado o trabalho desenvolvido pela Comissão Própria de Avaliação do UniÍTALO; Atualização do item 4. Cronograma de Implementação do PDI, onde foram alterados os quadros referentes ao corpo docente, corpo técnico-administrativo, biblioteca, laboratórios, recursos audiovisuais, instalações físicas, planejamento econômico-financeiro, entre outros, devido a inclusão de novos cursos no qüinqüênio proposto. 4

5 SUMÁRIO 1. VOCAÇÃO INSTITUCIONAL Breve Histórico da IES Finalidades, Áreas de Atuação e Inserção Regional Finalidades e Princípios Áreas de Atuação Inserção Regional Diretrizes Gerais Pedagógicas Missão Objetivos Metas e Ações Institucionais PLANEJAMENTO E GESTÃO INSTITUCIONAL Objetivos, Metas e Ações Organização Acadêmico-Administrativa Funcionamento dos Órgãos Colegiados Conselho Universitário Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão Reitoria Curso Conselho de Curso Coordenadoria de Curso Órgãos Suplementares Relações e Parcerias com a Comunidade e Cooperação e Parcerias com Instituições e Empresas Organização e Gestão de Pessoal Política de Recursos Humanos Plano de Carreira Docente Plano de Capacitação Docente Plano de Cargos e Salários do Pessoal Técnico-Administrativo Corpo Docente Formação Acadêmica e Profissional Regime de Trabalho...Erro! Indicador não definido Desempenho Acadêmico e Profissional Programa de Apoio ao Desenvolvimento Docente PAD Corpo Técnico-Administrativo Corpo Discente Relação Aluno/Docente Condições de Acesso Facilidades e Oportunidades ao Corpo Discente Sistema de Registro e Controle Acadêmico Planejamento e Organização Didático-Pedagógica Perfil de Egressos Competências a serem desenvolvidas Seleção de Conteúdos Curriculares Princípios Metodológicos Processos de Avaliação Avaliação da aprendizagem Avaliação do curso

6 Estágio Supervisionado Trabalho de Conclusão de Curso Atividades Complementares Extensão, Iniciação Científica e Pesquisa Pesquisa e Iniciação Científica Extensão Projeto Interdisciplinar de Pesquisa e Desenvolvimento Profissional - PROIN Oferta de Cursos e Programas Cursos de Graduação Oferecidos Situação Legal Avaliações Ações e metas para os cursos existentes Cursos de Pós-Graduação Lato Sensu Oferecidos Programa de Pós-Graduação Lato Sensu Cursos em Tramitação Cursos Programados Graduação Pós-Graduação Lato Sensu Programas de Extensão Programas de Pesquisa Infra-Estrutura Física e Acadêmica Instalações Gerais (Unidade Moema/Unidade Santo Amaro/Pós-Graduação) Salas de aulas para os cursos Instalações Administrativas Instalações para docentes e coordenações dos cursos Auditório/sala de conferência Instalações sanitárias - adequação e limpeza Condições de acesso para portadores de necessidades especiais Infra-estrutura de segurança Área de Alimentação e Convivência Plano de Expansão das Instalações Físicas Equipamentos e Sistema de Comunicação Interno Acesso a equipamentos de informática pelos docentes Acesso a equipamentos de informática pelos alunos Recursos audiovisuais e multimídia Serviços Manutenção Permanente das Instalações Físicas Manutenção Permanente dos Equipamentos Biblioteca Espaço Físico Acervo Informatização Base de Dados Multimídia Jornais e Revistas Científicos Política de Aquisição, Expansão e Atualização Serviços Laboratórios e Instalações Especiais Espaço Físico Equipamentos Serviços e Atividades Acadêmicas Aspectos Financeiros e Orçamentários

7 Estratégias de Gestão Econômico-Financeira Previsão Orçamentária Plano de Investimentos Adequação da Gestão Financeira AVALIAÇÃO E ACOMPANHAMENTO DO DESEMPENHO INSTITUCIONAL Programa de Avaliação Institucional e Ações Previstas Novo Projeto de Acompanhamento e Avaliação do desempenho Institucional CRONOGRAMA DE IMPLEMENTAÇÃO DO PDI Cursos de Graduação Existentes Cursos de Pós-Graduação Lato Sensu Oferecidos Cursos a serem Implantados Cursos de Graduação Cursos de Pós-Graduação Lato Sensu Cursos de Graduação Tecnológica (em tramitação na SEMTEC) Programas de Pesquisa/Iniciação Científica e de Extensão Programas de Pesquisa/Iniciação Científica Programas de Extensão Dados e Índices do Corpo Docente Evolução do corpo docente Dados e Índices do Pessoal Técnico-Administrativo Cronograma de Evolução do Pessoal Cronograma de Treinamento e Desenvolvimento de Pessoal Dados sobre a Biblioteca e os Laboratórios Cronograma da Expansão e Atualização do Acervo Cronograma de Expansão de Recursos Humanos Cronograma de Instalação de Laboratórios e Espaços Especiais Dados sobre a Infra-Estrutura Física e de Apoio Cronograma de Expansão da Infra-Estrutura Física Cronograma de Expansão dos Equipamentos de Tecnologia Educacional Cronograma de Expansão dos equipamentos de computação e informática Programa de Avaliação Institucional Cronograma do Programa de Avaliação Institucional Dados Financeiros ANEXOS

8 PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL (PDI UniÍTALO) 1. VOCAÇÃO INSTITUCIONAL 1.1. Breve Histórico da IES A Instituição Educacional Prof. Pasquale Cascino tem mais de 57 anos de existência. Teve início, em 1949, sob a denominação de Instituto de Ensino Tabajara, instituído em 25 de janeiro de 1949, pelo Prof. Pasquale Cascino, um dos milhares de imigrantes italianos que contribuíram - e ainda contribuem - para o progresso paulistano e paulista. Mais tarde passou a designar-se Instituição Educacional Tabajara e, agora, Instituição Educacional Prof. Pasquale Cascino, numa homenagem de seu quadro social ao idealizador, fundador e realizador desta importante obra educacional, na capital paulista. Sempre sob a direção do Prof. Pasquale Cascino, a instituição iniciou suas atividades como modesta Escola de Datilografia, com uma única sala de aula, formando pessoal para a prática comercial e de serviços. Por volta de 1951, inicia sua ação no ensino formal, obtendo autorização para funcionamento de um curso primário, tal como prescrevia a legislação da época. Dois anos depois, em 1953, surgia o curso comercial básico; em seguida, o curso ginasial, o ginásio orientado para o trabalho e o curso comercial técnico, sob o abrigo e orientação do Ministério de Educação e Cultura de então. Em 1972, a instituição, com a experiência e tradição conquistados no ensino dos níveis inferiores, ingressa no ensino superior, obtendo autorização para funcionamento da Faculdade Ítalo Brasileira, com os dois primeiros cursos de graduação: Administração e Ciências Contábeis. Esses cursos foram reconhecidos, pelo Governo Federal, em menos de quatro anos, fato inédito, à época. A Faculdade Ítalo Brasileira consolidou-se e buscou a autorização de mais dois cursos, para fortalecer sua área de atuação - a das ciências sociais aplicadas: Comércio Exterior, como habilitação nova para o curso de Administração existente e reconhecido, e o curso superior de Tecnologia em Processamento de Dados. A habilitação Comércio Exterior e o curso de TPD, também, foram reconhecidos no prazo legal. Em 1994, a IEPAC deu início a mais um projeto de expansão adquirindo o imóvel localizado na Avenida João Dias, 2.046, no bairro de Santo Amaro, em área de m 2 e abrigando, salas de aula, biblioteca, piscina, laboratórios, ginásio poliesportivo e o Teatro Paulo Autran, constitui um Centro de Educação e Cultura, destinado ao ensino e aperfeiçoamento das ciências e das artes. Em 1997 instalou no novo campus o Ensino Médio. Obtendo autorização de 8

9 funcionamento, ao longo de 1998, instalou, já em 1999 os cursos de graduação em Pedagogia, Secretariado Executivo Bilingüe, Educação Física e Fisioterapia. Atendendo ao imperativo da comunidade estudantil, fiel às suas origens e tradições e visando transformar-se em pólo de referência das culturas italiana e brasileira alterou a denominação de sua mantida, de Faculdade Tabajara para Faculdade Ítalo Brasileira, conforme Portaria Ministerial MEC, nº de 28/9/98, publicada no D.O.U. nº 186 de 29/9/98. Após vinte e sete anos de funcionamento, a Faculdade Ítalo Brasileira, além dos cursos de graduação que ministra, incrementou e cursos de pós-graduação e a realização de pesquisas e programas de extensão (cursos e serviços), na sua área de atuação, consolidando-se como uma instituição de ensino superior de qualidade. No ano em que completa seu 34º aniversário de existência, por meio da Portaria MEC nº 1.697/2006, publicada no DOU de 16/10/2006, a Faculdade Ítalo Brasileira é transformada em centro universitário, passando a denominar-se Centro Universitário Ítalo Brasileiro (UniÍTALO) Finalidades, Áreas de Atuação e Inserção Regional Finalidades e Princípios O Centro Universitário Ítalo-Brasileiro tem por finalidade o desenvolvimento do ensino, articulado a práticas de investigação e à extensão, visando ao pleno desenvolvimento do educando, seu preparo para o exercício da cidadania e sua qualificação para o trabalho. Essas finalidades devem ser alcançadas com base nos seguintes princípios: Ensino de qualidade para a formação qualificada dos valores humanos certificados ou diplomados pela instituição. A ética como valor insubstituível nas relações interpessoais, profissionais, econômicas e institucionais. Compromisso com a inclusão social no desenvolvimento dos cursos, projetos e programas de educação superior. Respeito à livre manifestação do pensamento de todos os membros da comunidade acadêmica Áreas de Atuação A Faculdade tem atuado, até a presente data, nas áreas de Ciências Sociais Aplicadas (Administração habilitações em Administração Geral, Comércio Exterior e Marketing, Ciências Contábeis e Secretariado Executivo), Biológicas e da Saúde (Enfermagem e Fisioterapia), 9

10 Tecnologia (Informática) e Formação de Professores (Licenciaturas em Educação Física e Pedagogia) Inserção Regional A Grande São Paulo é, destacadamente, o mais desenvolvido Estado do Brasil, dispondo de uma estrutura de mão de obra, capitais, técnica empresarial, infra-estrutura de energia e transporte sem similaridade em outras Unidades da Federação, e com índices muito próximos aos apresentados pela Itália, em suas estatística globais. A Faculdade Ítalo-Brasileira está inserida na Grande São Paulo, a maior e mais importante região metropolitana do Brasil, com cerca de 20 milhões de habitantes. É, ainda, região de peso na economia nacional, particularmente, nos setores secundário e terciário. A área de serviços, com ênfase em instituições financeiras, é a mais desenvolvida do País. Considerando-se a educação como um bem superior (isto é, cujo consumo aumenta mais que proporcionalmente ao aumento de renda), o acesso à instrução superior é aspiração legítima da conquista da cidadania plena. O abrandamento das políticas econômicas recessivas e a recuperação do crescimento econômico devem aumentar a procura por vagas no ensino de terceiro grau, aproximando os números da demanda efetiva da demanda potencial. Se não bastasse, particularmente em São Paulo, as modificações no mundo do trabalho exigem mão de obra crescentemente qualificada, cuja porta de entrada é, indiscutivelmente, o ensino de terceiro grau. Ao lado do perfil econômico e social da cidade de São Paulo, destacam-se as características da região de Santo Amaro, localização de um dos campi da Faculdade Ítalo-Brasileira e que será a principal unidade do Centro Universitário Ítalo-Brasileiro, com capacidade de atrair o público potencial da região. De um total de aproximadamente pessoas na faixa de 0 a 29 anos, têm entre 25 e 29 anos, e segundo grau concluído (Fundação SEADE, 1997). É neste ambiente de elevada potencialidade sócio-econômica que surge o Centro Universitário Ítalo-Brasileiro. Os cursos e programas ofertados estão adequados ao mercado de trabalho regional e ao perfil das organizações empregadoras. É uma região fértil para o empreendedorismo, capo propício ao tipo de profissional que a instituição vem formando, em sua jornada histórica, e que pretende aperfeiçoar, em seu novo status educacional Diretrizes Gerais A partir da missão e dos objetivos institucionais, são fixadas as seguintes diretrizes gerais: 10

11 Implementação deste PDI de acordo com os cronogramas nele inseridos, com monitoramento permanente para correção de rumos ou de falhas. Avaliação permanente das funções e da gestão universitárias, em articulação com o sistema de avaliação do Sistema Federal de Ensino. Capacitação e aperfeiçoamento contínuos dos valores humanos envolvidos nas atividades de gestão universitária, nos diversos níveis. Relacionamento articulado entre as comunidades acadêmica e social para o desenvolvimento de programas de inclusão social. Incentivo e apoio às artes, à cultura e às práticas desportivas Pedagógicas As seguintes diretrizes pedagógicas nortearão o desenvolvimento das funções universitárias: Atualização contínua dos projetos pedagógicos dos cursos e programas de educação superior, obedecidas as normas e diretrizes expedidas pelo Ministério da Educação. Inserção nos planos de ensino, nas disciplinas e atividades curriculares adequadas, de temas que possam sensibilizar educandos e educadores para a inclusão social e a solução sustentável e pacífica dos problemas da sociedade brasileira Desenvolvimento continuado de metodologias de ensino destinadas à promoverem a formação integral da personalidade do educando e sua preparação Articulação entre os diversos níveis da educação superior (cursos seqüenciais, de graduação, pós-graduação e extensão), as práticas de investigação e as atividades de extensão. Capacitação e aperfeiçoamento contínuos dos valores humanos envolvidos na docência e nas funções de apoio ao ensino, à pesquisa e à extensão. Consolidação integrada dos cursos e programas de pós-graduação, projetos de pesquisa e programas de extensão. Atualização tecnológica permanente dos recursos de apoio ao ensino, à pesquisa e à extensão Missão O Centro Universitário Ítalo-Brasileiro tem por missão desenvolver o ensino, articulado a práticas de investigação e à extensão, visando ao pleno desenvolvimento do educando, seu preparo para o exercício da cidadania e sua qualificação para o trabalho, tendo presentes os valores éticos. 11

12 1.5. Objetivos O Centro Universitário Ítalo Brasileiro tem por objetivos institucionais: estimular a criação cultural e o desenvolvimento do espírito científico e do pensamento reflexivo, propiciando condições de educação ao homem, como sujeito e agente de seu processo educativo e de sua história, pelo cultivo do saber, em suas diferentes vertentes, formas e modalidades; formar valores humanos nas diferentes áreas de conhecimento, aptos para a inserção em setores profissionais e para a participação no desenvolvimento da sociedade brasileira; incentivar e apoiar a iniciação e investigação científicas, visando ao desenvolvimento da ciência e da tecnologia e a criação e difusão da cultura; promover a divulgação de conhecimentos culturais, científicos e técnicos que constituem patrimônio da humanidade e comunicar o saber através do ensino, de publicações ou de outras formas de comunicação; suscitar o desejo permanente de aperfeiçoamento cultural e profissional e possibilitar a correspondente concretização, integrando os conhecimentos que vão sendo adquiridos numa estrutura intelectual sistematizadora do conhecimento de cada geração; estimular o conhecimento dos problemas do mundo presente, em particular os nacionais e regionais, prestar serviços especializados à comunidade e estabelecer com esta uma relação de reciprocidade; promover a extensão, aberta à participação da população, visando à difusão das conquistas e benefícios da criação cultural e da pesquisa científica e tecnológica geradas no UniÍTALO; preservar os valores éticos, morais, cívicos e cristãos, contribuindo para aperfeiçoar a sociedade, na busca do equilíbrio e bem estar do homem; ser uma instituição aberta à sociedade, contribuindo para o desenvolvimento de todas as faculdades intelectuais, físicas e espirituais do homem; e ser uma instituição compromissada com o desenvolvimento socioeconômico do município de São Paulo, com a preservação da memória das manifestações culturais e folclóricas da imigração italiana e com o intercâmbio cultural e científico entre o Brasil e a Itália. 12

13 1.6. Metas e Ações Institucionais São estabelecidas as seguintes metas e ações institucionais: Metas: Consolidar o Centro Universitário Ítalo-Brasileiro, até o final do qüinqüênio, com vistas ao seu recredenciamento. Promover o intercâmbio entre instituições educacionais, científicas e culturais do Brasil e da Itália. Implantar, em 2004, o Instituto Superior de Educação. Implantar, em 2004, o Centro de Educação Tecnológica. Ações: Implementar as metas e ações deste PDI. Monitorar e avaliar permanentemente as metas e ações deste PDI, assim como as seus objetivos, diretrizes e políticas. Promover as ações necessárias à melhoria contínua do ensino. Assinar convênios, acordos ou protocolos com entidades governamentais e não-governamentais italianas, especialmente, universidades, visando a capacitação docente, a melhor qualificação discente e a difusão das duas culturas. Estimular e apoiar o ensino da língua italiana na comunidade acadêmica e em cursos de extensão abertos à comunidade social. Difundir a literatura italiana, promovendo eventos acadêmicos destinados a analisarem e debaterem os principais autores e pensadores italianos. Difundir a literatura brasileira junto às entidades conveniadas, promovendo encontros de pensadores e autores brasileiros com a comunidade acadêmica italiana. Apoiar o ensino da língua portuguesa nas instituições conveniadas. Promover, de dois em dois anos, seminário ítalo-brasileiro, para debater os problemas comuns e a aproximação cultural e econômica entre Brasil e Itália. Instalar os órgãos acadêmico-administrativo do ISE. Decidir sobre a manutenção da habilitação Magistério da Educação Infantil no curso de Pedagogia ou no curso Normal Superior. Operacionalizar as mudanças necessárias para a adaptação da habilitação Magistério da Educação Infantil às diretrizes curriculares nacionais para a formação de professores da educação básica. Instalar os órgãos acadêmico-administrativo do CETI. Operacionalizar a implantação dos cursos previstos para Responsabilidade Social A instituição, com apoio de sua entidade mantenedora, desenvolve diversos projetos e programas como parte de sua responsabilidade social como entidade de educação superior. A Faculdade cumpre seu papel como interventora social, por meio de programas de orientação, educação, para o desenvolvimento dos diversos segmentos de nossa sociedade, em áreas como saúde, desenvolvimento humano, social, político, econômico e tecnológico. Cabe a instituição estabelecer comunicação permanente com seus públicos, dialogar democraticamente com todos os setores da sociedade civil e do Estado, com sua comunidade interna e externa, participando, como sujeito ativo, da construção e transformação social. A educação continuada, por meio dos cursos de extensão pode otimizar nosso corpo docente, manter nosso aluno por mais tempo na instituição trazer outros públicos, como de organizações externas e comunidades. A seguir, breve resumo dos projetos atualmente desenvolvidos. 13

14 a) Oficinas Ítalo São programas extraordinários, de iniciação ou aperfeiçoamento, que abrangem as seguintes áreas: educacional científica cultural tecnológica e social. No primeiro semestre de 2006, a Faculdade Ítalo Brasileira ofereceu, gratuitamente, 19 oficinas, totalizando 40 turmas e 1200 alunos matriculados. Relação das Oficinas: Arte Como desenvolver a Arte de Cantar e escolher um Repertório adequado para sua voz Consciência Corporal e Vocal para o Canto Popular Coral Ítalo Conhecimentos Básicos Dificuldades Gerais da Língua Culta Inglês Língua Portuguesa - Nivelamento 1 Matemática Nivelamento 1 Educação Inglês na Educação Infantil Educação Física Karatê Taekwondo A Arte com Pés e Mãos Enfermagem Cálculo e Dosagens de Drogas Fisioterapia Introdução às Práticas Tradicionais de Saúde: Toque terapêutico Mét. Krieger-Kuns Negócios Amigos da HP 12C: Aplicável parcialmente para 17BII ou 19BII Cálculos Básicos para Cálculos Tomada de Decisão Débito e Crédito: como aplicá-los Empregabilidade - Competências, Curriculum Vitae e Comportamento Linguagem da Comunicação Publicitária Marketing e Vendas para Produtos de Consumo Marketing Pessoal 14

15 b) Casa Hope Desde 2004 a Instituição Educacional Professor Pasquale Cascino, por intermédio da Faculdade Ítalo Brasileira, firmou uma parceria com a Casa Hope, com o intuito de desenvolver ações sociais para beneficiar esta entidade, destacando-se: Festa Junina Beneficente A festa tem por objetivo arrecadar fundos para a Casa Hope, onde toda a renda é revertida para o tratamento do câncer infantil e na hospedagem das crianças e de seus pais. Para a sua realização, nestes três anos, todos os colaboradores, alunos, funcionários e professores trabalham voluntariamente para fazer deste evento uma grande festa junto à comunidade. Eventos teatrais Concedemos um espaço de duas vezes por ano para a Hope realizar eventos no Teatro Ítalo, com o objetivo de arrecadação de verba. c) Polícia Civil Disponibilizamos uma vez por mês o Teatro da Ítalo e o espaço do campus para a Policia Civil realizar os seus encontros e treinamentos para aprimoramento de seus soldados. d) Projeto Dom Quixote Projeto desenvolvido pela Sub-Prefeitura de Santo Amaro, junto com o Espaço de Danças Ilusão e Vida com o objetivo de apresentar para a comunidade a beleza de um espetáculo de dança em peça de teatro. e) Teatro nas Universidades O Teatro da Ítalo, em parceria com a Nicete Bruno Produções Artísticas, trará pela segunda vez neste ano o Teatro nas Universidades, que tem como objetivo resgatar o estudante para a arte aplicando a linguagem teatral como ferramenta para a formação intelectual e fazer do espetáculo a extensão do exercício do seu pensamento. Os espetáculos são gratuitos e abertos aos alunos da Ítalo, alunos do ensino médio público e a comunidade próxima. f) Trote Solidário: O Trote Solidário, de iniciativa da Ítalo para seus calouros, está consolidado na comunidade acadêmica e produzindo ações de assistência social para: 15

16 o Doação de Sangue Pró-Sangue o Doação de Agasalhos Policia Militar o Arrecadação de Alimentos g) Parcerias Educacionais - Escolas Estaduais e Municipais A Ítalo desenvolveu parcerias educacionais com as escolas estaduais da região sul, nas quais os seus funcionários, dependentes, professores e alunos são beneficiados com um desconto especial de 20% nas mensalidades dos cursos de graduação e 15% nos cursos de pós-graduação, tendo como objetivo incentivar a continuidade do desenvolvimento educacional e inclusão social. Além do desconto, a Ítalo promove no final do ano palestras sobre o mercado de trabalho para os alunos das escolas públicas, com o intuito de fornecer subsídios para uma reflexão mais consistente, no momento da escolha da área de atuação profissional. h) Parcerias com Empresas O departamento corporativo da Ítalo busca parcerias com as empresas para incentivar o desenvolvimento profissional de seus funcionários por meio do estabelecimento de convênios, para cursos e atividades de treinamento e desenvolvimento de pessoas. Essas ações buscam atender a demandas das empresas parceiras, dentro das áreas de atuação de nossos cursos, desenvolvendo programas de ginástica laboral e saúde do trabalhador, entre outros. i) Projeto CRESCER A Faculdade Ítalo e sua entidade mantenedora integram um grupo de instituições e empresas que desenvolvem o Projeto CRESCER, responsável pelo Programa Social de Educação para o Trabalho, com apoio do Rotary Club de São Paulo Santo Amaro. O Projeto CRESCER atende, pela Ítalo, na unidade de Santo Amaro, jovens em busca de uma oportunidade no mercado de trabalho, preferencialmente, dos jovens residentes na região de Santo amaro e adjacências, com idade superior a 14 anos e escolaridade equivalente ao ensino fundamental ou médio. O Projeto CRESCER tem por base o trabalho educativo e seu objetivo estimular e preparar jovens para o mundo do trabalho, proporcionando-lhes formação profissional básica e qualificação para o primeiro emprego. O programa desenvolvido pelo projeto tem a duração de cem dias letivos, de segunda à sexta-feira, com a oferta das seguintes opções de aprendizagem: Informática Básica; Relações Humanas; 16

17 Oficina de Linguagem; Oficina de Matemática; Oficina de Inglês; Técnicas profissionais comerciais e administrativas; Vivências Programadas (atividades externas); e Palestras de orientação profissional e visitas orientadas. j) Projeto Farol Verde O Projeto Farol Verde é o resultado de uma parceria da Ítalo com o Governo do Estado de São Paulo e o 12 o Batalhão da Polícia Militar Metropolitano e tem por objetivo a inclusão social de crianças carentes. São beneficiadas crianças de 10 a 12 anos das ONG s Alquimia e CIPS, com o curso Inclusão Digital, de 25h, aos domingos. k) Projeto Imposto de Renda O Projeto Imposto de Renda, implantado em 2003, tem por objetivo: prestar serviços de orientação sobre o Imposto de Renda e o preenchimento dos formulários aos moradores da região, alunos e parentes e amigos dos mesmos; proporcionar aos alunos do curso de Ciências Contábeis, sob a supervisão de docentes, oportunidade única para prática efetiva das teorias e conceitos discutidos em sala de aula; cumprir compromisso público assumido pela instituição de integração produtiva com a comunidade, sem a idéia de mero assistencialismo. O projeto é desenvolvido gratuitamente para as comunidades interna e externa. l) Projeto Leitura: Tapete de Estórias O Projeto tem por objetivo a formação do leitor, iniciando uma caminhada prazerosa através de textos literários. Está sendo desenvolvido no CEU EMEI Três Lagos, localizado na zona Sul da cidade de São Paulo, no Jardim Noronha, estrada do Barro Branco, pertencente a uma comunidade muito carente. Este projeto visa incentivar as crianças desde a tenra idade a desenvolver o hábito de leitura, mas, com o diferencial de fazê-lo com sua família, ou seja, o livro é levado para a residência do educando. É nesse ambiente de construção que a família tem sua parcela de responsabilidade no processo de ensino-aprendizagem da criança e assim democratizando cada vez mais o saber frente á escola e conseqüentemente na sociedade. 17

18 Estão envolvidos no projeto em pauta, alunas do curso de Pedagogia da Faculdade Ítalo Brasileira e o corpo docente interno do CEU EMEI Três Lagos. m) Projeto Pinderê O Projeto Pinderê é uma parceria da Ítalo com a Organização Pinderê. Com o objetivo de minimizar os problemas gerados na aprendizagem, além de colocar em evidência, de mostrar de forma sucinta a repercussão do ensino quando ocorre um desvio ou quando surge uma violação no ensino da alfabetização. O projeto criou uma estrutura interdisciplinar centrada nas amplas formas de expressão e tem como foco o ensino da leitura, refaz o conhecimento, porque há um número elevado de crianças que se tornaram alunas copistas, alunas que sabem copiar muito bem, porém não sabem ler ou entender o que copiaram. Compreender e incorporar neste contexto esta estreita ligação entre o conceito de facilidade e dificuldade apresentado pelas crianças em determinadas disciplinas como português e matemática é muito complexo porque o que é fácil para algumas crianças pode ser muito difícil para outras. O Projeto é desenvolvido por alunas do curso de Pedagogia da Ítalo, ampliando as opções de aprendizagem e estimulando o envolvimento das crianças na medida em que se transformam em multiplicadores de conhecimento, oferecem diferentes níveis de diálogos ou instrumentos, buscam a utilidade do ato de ensinar porque o ensino é uma obra coletiva. n) Projeto Teatro Aberto às Crianças da Comunidade O Projeto tem por finalidade propiciar às crianças carentes de toda a comunidade da região (Santo Amaro) a vivência de uma realidade diferente, por meio da arte teatral, com textos produzidos pelas alunas do curso de licenciatura em Pedagogia da Faculdade Ítalo Brasileira, sob a orientação de docentes do mesmo curso. Tem a proposta de abrir o teatro às crianças pobres da região sul da cidade de São Paulo. O Teatro da Ítalo recebeu 700 crianças da região, oriundas das comunidades Monte Azul, as crianças do Projeto Pinderê e de algumas escolas públicas da rede estadual de ensino. Várias produções acompanham o trajeto desde projeto, entre elas: Memórias de Emília, uma paráfrase sobre a obra de Monteiro Lobato; O porquinho Comilão, uma brincadeira da literatura infantil; Alice num país de nome Brasil, um texto muito bem elaborado e que foi apresentado em algumas escolas públicas por ter em seu conteúdo uma reflexão sobre o uso da água (este texto foi produzido em época do racionamento de água na cidade de São Paulo); 18

19 Um conto de Natal, muito apreciado pelas crianças e retratou a realidade infantil pobre dando importância a esperança; A magia do Natal este texto teve como base a vida em um orfanato que foi transformada com a chegada do Papai Noel; A família das Vogais um texto fantástico que fez uma releitura e brincou com as palavras do alfabeto; As Quatro Estações envolveu vários conceitos refletindo o valor da reciclagem; e O Natal antes do Era um Vê, um texto dentro de outro, muito bem construído, introduziu notáveis articulações do espaço e cuja função foi expressar vigorosamente as emoções que permearam o texto. o) Projeto Educação Ambiental Dentro deste contexto, este projeto, aberto à comunidade de Santo Amaro, visa mudar o comportamento do homem em relação à natureza, abordando temas importantes, tais como, a coleta e reciclagem de lixo, poluição veicular, mudanças climáticas, escassez de água, no sentido de promover sob um modelo de desenvolvimento sustentável (processo que assegura uma gestão responsável dos recursos do planeta de forma a preservar os interesses das gerações futuras e, ao mesmo tempo atender as necessidades das gerações atuais), a compatibilização de práticas econômicas e conservacionistas, com reflexos positivos evidentes junto à melhoria na qualidade de vida de toda a comunidade do entorno da Faculdade Ítalo Brasileira. Este projeto será coordenado pela profª Geni Rodrigues e desenvolvido sob sua orientação por alunos do curso de Pedagogia. p) Atendimento em Fisioterapia O curso de graduação de Fisioterapia da Faculdade Ítalo Brasileira desenvolve atividades de ensino, iniciação científica e extensão, extra muro, em convênio com as seguintes entidades: Sociedade Beneficente A Mão Branca de Amparo aos Idosos A Sociedade Beneficente A Mão Branca de Amparo aos Idosos está localizada na Avenida Santo Amaro n o É composta por 30 diretores e mais de 50 voluntários. Tem hoje cerca de 150 idosos, sendo 1/3 não-pagantes. O curso de Fisioterapia da Faculdade Ítalo Brasileira desenvolve um trabalho na Sociedade Beneficente A Mão Branca desde agosto de 2001, realizando parte das aulas práticas das disciplinas Fisioterapia Aplicada à Geriatria e Fisioterapia Aplicada à Cárdio- Pneumologia e dos estágios supervisionados dos alunos do último ano, além de atividades de extensão. 19

20 Associação Comunitária Monte Azul A Associação Comunitária Monte Azul tem por objetivo o desenvolvimento integral do ser humano, atuando com educação, saúde, cultura e meio ambiente. Suas ações já renderam vários prêmios nacionais e internacionais e o reconhecimento da Unicef. O trabalho da Associação teve início em 1975, quando a pedagoga Ute Craemer abriu as portas de sua casa para receber crianças da favela Monte Azul em tardes recreativas. Por meio desse contato com as crianças Ute passou a conhecer suas famílias, organizando reuniões para tentar solucionar os problemas comuns. Esses encontros formaram a base para a fundação, em 1979, da Associação Comunitária Monte Azul. Fazem parte do projeto: programas de promoção de saúde e prevenção de doenças atendimento médico (clínico geral, ginecologia, neurologia e psiquiatria) assistência psicológica e terapêutica pré e pós-natal atendimento odontológico Casa da Trilha (projeto de prevenção e recuperação de dependentes químicos em geral) atendimento fisioterápico, a cargo da Faculdade Ítalo Brasileira. Associação tem uma parceria com a equipe do Programa de Saúde da Família do PS Vila das Belezas. A atuação da Ítalo (alunos e professores do curso de graduação em Fisioterapia) junto à Associação Comunitária Monte Azul iniciou-se em agosto de 2003, com atendimentos ambulatoriais e domiciliares. Associação Pró-Hope de Apoio à Criança com Câncer (Casa Hope) A Associação Pró-Hope de Apoio à Criança com Câncer foi fundada em 1996 pela empresária Cláudia Bonfigliori, que após doze anos de trabalho voluntário no Hospital do Câncer decidiu montar uma casa em que crianças carentes oriundas de todo o país encontrassem condições de permanecer em São Paulo e continuar seu tratamento após a alta hospitalar. A Faculdade Ítalo Brasileira é precursora do atendimento de Fisioterapia desta instituição, iniciando uma parceria em agosto de 2004 para o desenvolvimento de parte das atividades da disciplina Fisioterapia Aplicada à Pediatria e de atividades de extensão. 20

CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTÁCIO RADIAL DE SÃO PAULO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 MISSÃO DO CURSO

CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTÁCIO RADIAL DE SÃO PAULO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 MISSÃO DO CURSO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 CURSO: EDUCAÇÃO FÍSICA LICENCIATURA MISSÃO DO CURSO O Curso de Licenciatura em Educação Física do Centro Universitário Estácio Radial de São Paulo busca preencher

Leia mais

REFERENCIAIS ESTRATÉGICOS. PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO 2011-2020: metas que envolvem a Educação Profissional

REFERENCIAIS ESTRATÉGICOS. PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO 2011-2020: metas que envolvem a Educação Profissional REFERENCIAIS ESTRATÉGICOS Projeto de Lei nº 8.035, de 2010 PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO 2011-2020: metas que envolvem a Educação Profissional O PNE é formado por: 10 diretrizes; 20 metas com estratégias

Leia mais

PORTARIA Nº 300, DE 30 DE JANEIRO DE 2006.

PORTARIA Nº 300, DE 30 DE JANEIRO DE 2006. PORTARIA Nº 300, DE 30 DE JANEIRO DE 2006. Aprova, em extrato, o Instrumento de Avaliação Externa de Instituições de Educação Superior do Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior SINAES O MINISTRO

Leia mais

DIMENSÃO 1 A MISSÃO E O PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL

DIMENSÃO 1 A MISSÃO E O PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL Faculdade Educacional da Lapa 1 FAEL RESULTADOS - AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL 2012 O referido informativo apresenta uma súmula dos resultados da autoavaliação institucional, realizada no ano de 2012, seguindo

Leia mais

ANEXO III. Cronograma detalhado do PROAVI

ANEXO III. Cronograma detalhado do PROAVI ANEXO III Cronograma detalhado do PROAVI 65 PROGRAMA DE AUTO-AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL DA PUC-CAMPINAS CRONOGRAMA COMPLEMENTAR DETALHANDO AS ATIVIDADES E AS AÇÕES DE DIVULGAÇÃO COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO

Leia mais

PLANO DE TRABALHO CAMPUS DE FRANCISCO BELTRÃO QUATRIÊNIO 2016-2019

PLANO DE TRABALHO CAMPUS DE FRANCISCO BELTRÃO QUATRIÊNIO 2016-2019 PLANO DE TRABALHO CAMPUS DE FRANCISCO BELTRÃO QUATRIÊNIO 2016-2019 Candidato Gilmar Ribeiro de Mello SLOGAN: AÇÃO COLETIVA Página 1 INTRODUÇÃO Considerando as discussões realizadas com a comunidade interna

Leia mais

CRONOGRAMA DE IMPLEMENTAÇÃO DO PDI

CRONOGRAMA DE IMPLEMENTAÇÃO DO PDI CRONOGRAMA DE IMPLEMENTAÇÃO DO PDI A implementação do Plano de Desenvolvimento Institucional, envolve além dos objetivos e metas já descritos, o estabelecimento de indicadores, como forma de se fazer o

Leia mais

PLANO DE TRABALHO DIREÇÃO DO CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE. UNIOESTE - Campus de Francisco Beltrão. Quadriênio 2016-2019. Candidata

PLANO DE TRABALHO DIREÇÃO DO CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE. UNIOESTE - Campus de Francisco Beltrão. Quadriênio 2016-2019. Candidata PLANO DE TRABALHO DIREÇÃO DO CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE UNIOESTE - Campus de Francisco Beltrão Quadriênio 2016-2019 Candidata Franciele Ani Caovilla Follador Slogan: CCS em ação! 1 INTRODUÇÃO Em 1991,

Leia mais

PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL UNIVERSIDADES ESTADUAIS PARANAENSES

PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL UNIVERSIDADES ESTADUAIS PARANAENSES PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL UNIVERSIDADES ESTADUAIS PARANAENSES - 2012 a 2021 Instituição: ENSINO DE GRADUAÇÃO Programas/Projetos/Ações Ano Natureza Valores Fonte de Recursos Beneficiado Manutenção

Leia mais

PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO. Esperidião Amin Helou Filho

PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO. Esperidião Amin Helou Filho PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO Esperidião Amin Helou Filho 1 PROJETO DE LEI Nº 8.035, DE 2010. Ementa: Aprova o Plano Nacional de Educação para o decênio 2011-2020 e dá outras providências. 2 PROJETO DE LEI

Leia mais

INTRODUÇÃO OBJETIVOS GERAIS E ESPECÍFICOS

INTRODUÇÃO OBJETIVOS GERAIS E ESPECÍFICOS INTRODUÇÃO Com base no Programa Nacional de Reestruturação dos Hospitais Universitários Federais - REHUF, destinado à reestruturação e revitalização dos hospitais das universidades federais, integrados

Leia mais

PLANO DE GESTÃO 2015-2017

PLANO DE GESTÃO 2015-2017 UNIFAL-MG FACULDADE DE CIÊNCIAS FARMACÊUTICAS PLANO DE GESTÃO 2015-2017 Profa. Fernanda Borges de Araújo Paula Candidata a Diretora Profa. Cássia Carneiro Avelino Candidata a Vice Diretora Índice Apresentação...

Leia mais

EIXO III CRONOGRAMA DE IMPLANTAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DA INSTITUIÇÃO E DE CADA UM DE SEUS CURSOS

EIXO III CRONOGRAMA DE IMPLANTAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DA INSTITUIÇÃO E DE CADA UM DE SEUS CURSOS UNIVERSIDADE ESTADUAL DE LONDRINA EIXO III CRONOGRAMA DE IMPLANTAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DA INSTITUIÇÃO E DE CADA UM DE SEUS CURSOS EIXO III - CRONOGRAMA DE IMPLANTAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DA INSTITUIÇÃO

Leia mais

REGULAMENTO INSTITUCIONAL DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES NORMAS OPERACIONAIS PARA ACOMPANHAMENTO E REGISTRO DOS ESTUDOS COMPLEMENTARES

REGULAMENTO INSTITUCIONAL DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES NORMAS OPERACIONAIS PARA ACOMPANHAMENTO E REGISTRO DOS ESTUDOS COMPLEMENTARES REGULAMENTO INSTITUCIONAL DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES NORMAS OPERACIONAIS PARA ACOMPANHAMENTO E REGISTRO DOS ESTUDOS COMPLEMENTARES O Parecer do CNE/CES nº 492/2001, assim define as atividades complementares:

Leia mais

CURSO: EDUCAÇÃO FÍSICA (bacharelado)

CURSO: EDUCAÇÃO FÍSICA (bacharelado) CURSO: EDUCAÇÃO FÍSICA (bacharelado) Missão Sua missão é tornar-se referência na formação de profissionais para atuar nos diferentes segmentos humanos e sociais, considerando a atividade física e promoção

Leia mais

POLÍTICA DE ENSINO DA FISMA

POLÍTICA DE ENSINO DA FISMA MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO ME FACULDADE INTEGRADA DE SANTA MARIA PRELIMINARES POLÍTICA DE ENSINO DA FISMA Santa Maria, RS Junho - 2010 1 SUMÁRIO 1. POLÍTICA DE ENSINO DE GRADUAÇÃO... 1 2. POLÍTICAS DE ENSINO

Leia mais

LICENCIATURA EM EDUCAÇÃO FÍSICA - FAPEPE

LICENCIATURA EM EDUCAÇÃO FÍSICA - FAPEPE LICENCIATURA EM EDUCAÇÃO FÍSICA - FAPEPE APRESENTAÇÃO DO CURSO O curso de licenciatura em Educação Física da FAPEPE tem como objetivo formar profissionais que estejam aptos a atuarem no contexto escolar,

Leia mais

Diretoria de Avaliação da Educação Superior DAES/INEP Coordenação-Geral de Avaliação de Cursos de Graduação e IES

Diretoria de Avaliação da Educação Superior DAES/INEP Coordenação-Geral de Avaliação de Cursos de Graduação e IES Diretoria de Avaliação da Educação Superior DAES/INEP Coordenação-Geral de Avaliação de Cursos de Graduação e IES EDUCAÇÃO SUPERIOR BRASILEIRA ALGUNS INDICADORES¹ 2.314 IES 245 públicas (10,6%) e 2.069

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO. Curso de Graduação Tecnológica em Marketing

PROJETO PEDAGÓGICO. Curso de Graduação Tecnológica em Marketing PROJETO PEDAGÓGICO Curso de Graduação Tecnológica em Marketing Porto alegre, 2011 1 1. Objetivos do Curso O projeto do curso, através de sua estrutura curricular, está organizado em módulos, com certificações

Leia mais

CENTRO DE ESTUDO DE PÓS-GRADUAÇÃO PROPOSTA DE CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU

CENTRO DE ESTUDO DE PÓS-GRADUAÇÃO PROPOSTA DE CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU CENTRO DE ESTUDO DE PÓS-GRADUAÇÃO PROPOSTA DE CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU 2013 INTRODUÇÃO: O presente trabalho apresenta a relação de Cursos de Pós-Graduação Lato Sensu a serem reorganizados no

Leia mais

REGIMENTO DO CENTRO DE PESQUISA - CEPESq PROF. PASQUALE CASCINO

REGIMENTO DO CENTRO DE PESQUISA - CEPESq PROF. PASQUALE CASCINO REGIMENTO DO CENTRO DE PESQUISA - CEPESq CAPÍTULO I DA SEDE E FORO Artigo 1º - O CENTRO DE ENSINO E PESQUISA CEPESq PROF. PASQUALE CASCINO com sede e foro na cidade de São Paulo, à Avenida João Dias, 2046

Leia mais

CAPÍTULO I DA NATUREZA E DEFINIÇÃO

CAPÍTULO I DA NATUREZA E DEFINIÇÃO CAPÍTULO I DA NATUREZA E DEFINIÇÃO Art. 1º As atividades de Pesquisa da Universidade de Santo Amaro UNISA buscam fomentar o conhecimento por meio da inovação técnica, científica, humana, social e artística,

Leia mais

ESCOLA TÉCNICA SANTA CASA BH CONHECIMENTO NA DOSE CERTA PARA O SEU SUCESSO PROFISSIONAL

ESCOLA TÉCNICA SANTA CASA BH CONHECIMENTO NA DOSE CERTA PARA O SEU SUCESSO PROFISSIONAL ESCOLA TÉCNICA SANTA CASA BH CONHECIMENTO NA DOSE CERTA PARA O SEU SUCESSO PROFISSIONAL A SANTA CASA BH TEM TODOS OS CUIDADOS PARA VOCÊ CONQUISTAR UMA CARREIRA SAUDÁVEL. Missão Humanizar a assistência

Leia mais

Síntese do plano de atuação da CPA- ciclo avaliativo 2008/2010

Síntese do plano de atuação da CPA- ciclo avaliativo 2008/2010 Síntese do plano de atuação da CPA- ciclo avaliativo 2008/2010 O trabalho da CPA/PUCSP de avaliação institucional está regulamentado pela Lei federal nº 10.861/04 (que institui o SINAES), artigo 11 e pelo

Leia mais

MINI STÉRIO DA EDUCAÇÃO GABINETE DO MINI STRO P ORTARIA Nº 808, DE 18 DE JUNHO DE 2010

MINI STÉRIO DA EDUCAÇÃO GABINETE DO MINI STRO P ORTARIA Nº 808, DE 18 DE JUNHO DE 2010 MINI STÉRIO DA EDUCAÇÃO GABINETE DO MINI STRO P ORTARIA Nº 808, DE 18 DE JUNHO DE 2010 Aprova o instrumento de avaliação para reconhecimento de Cursos Pedagogia, no âmbito do Sistema Nacional de Avaliação

Leia mais

CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO N 7, DE 31 DE MARÇO DE 2004.

CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO N 7, DE 31 DE MARÇO DE 2004. 1 CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO N 7, DE 31 DE MARÇO DE 2004. (*) (**) Institui as Diretrizes Curriculares Nacionais para os cursos de graduação em Educação Física,

Leia mais

O MINISTRO DE ESTADO DA EDUCAÇÃO

O MINISTRO DE ESTADO DA EDUCAÇÃO Portaria nº 808, de 8 de junho de 00. Aprova o instrumento de avaliação para reconhecimento de Cursos Pedagogia, no âmbito do Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior - SINAES. O MINISTRO DE

Leia mais

Faço saber que a Assembléia Legislativa do Estado do Tocantins decreta e eu sanciono a seguinte Lei:

Faço saber que a Assembléia Legislativa do Estado do Tocantins decreta e eu sanciono a seguinte Lei: LEI Nº 1.374, DE 08 DE ABRIL DE 2003. Publicado no Diário Oficial nº 1.425. Dispõe sobre a Política Estadual de Educação Ambiental e adota outras providências. O Governador do Estado do Tocantins Faço

Leia mais

crítica na resolução de questões, a rejeitar simplificações e buscar efetivamente informações novas por meio da pesquisa, desde o primeiro período do

crítica na resolução de questões, a rejeitar simplificações e buscar efetivamente informações novas por meio da pesquisa, desde o primeiro período do Dimensão 2 As políticas para o ensino, a pesquisa, a pós-graduação, a extensão e as respectivas normas de operacionalização, incluídos os procedimentos para estímulo à produção acadêmica, as bolsas de

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO DIRETORIA DE ENSINO DA REGIÃO DE SÃO CARLOS - SÃO PAULO

GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO DIRETORIA DE ENSINO DA REGIÃO DE SÃO CARLOS - SÃO PAULO GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO DIRETORIA DE ENSINO DA REGIÃO DE SÃO CARLOS - SÃO PAULO E.E. PROFª ALICE MADEIRA JOÃO FRANCISCO SANTA EUDÓXIA-DISTRITO DE SÃO CARLOS RUA

Leia mais

RELATÓRIO SÍNTESE DA CPA (COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO) - 2014

RELATÓRIO SÍNTESE DA CPA (COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO) - 2014 A CPA (Comissão Própria De Avaliação) apresentou ao MEC, em março de 2015, o relatório da avaliação realizada no ano de 2014. A avaliação institucional, realizada anualmente, aborda as dimensões definidas

Leia mais

AUDIÊNCIA PÚBLICA PLANO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO jun/15 GRUPO I META 1

AUDIÊNCIA PÚBLICA PLANO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO jun/15 GRUPO I META 1 AUDIÊNCIA PÚBLICA PLANO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO jun/15 GRUPO I META 1 Universalizar, até 2016, a educação infantil na pré-escola para as crianças de 4 (quatro) a 5 (cinco) anos de idade e ampliar a oferta

Leia mais

SALA TEMÁTICA: EDUCAÇÃO SUPERIOR

SALA TEMÁTICA: EDUCAÇÃO SUPERIOR SALA TEMÁTICA: EDUCAÇÃO SUPERIOR Metas PNE - Meta 12 Elevar a taxa bruta de matrícula na Educação Superior para 50% (cinquenta por cento) e a taxa líquida para 33% (trinta e três por cento) da população

Leia mais

FACULDADE DE EDUCAÇÃO, ADMINISTRAÇÃO E TECNOLOGIA DE IBAITI - FEATI

FACULDADE DE EDUCAÇÃO, ADMINISTRAÇÃO E TECNOLOGIA DE IBAITI - FEATI ASSOCIAÇÃO DE ENSINO SUPERIOR DE IBAITI FACULDADE DE EDUCAÇÃO, ADMINISTRAÇÃO E TECNOLOGIA DE IBAITI - FEATI REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO DE BACHARELADO EM CIÊNCIAS CONTÁBEIS COORDENADORA

Leia mais

CALENDÁRIO DE ATIVIDADES 2º SEMESTRE 2014 EXTENSÃO. A Extensão tem se constituído em importante atividade desenvolvida pelo UNIARAXÁ.

CALENDÁRIO DE ATIVIDADES 2º SEMESTRE 2014 EXTENSÃO. A Extensão tem se constituído em importante atividade desenvolvida pelo UNIARAXÁ. CALENDÁRIO DE ATIVIDADES 2º SEMESTRE 2014 EXTENSÃO A Extensão tem se constituído em importante atividade desenvolvida pelo UNIARAXÁ. Articula o saber popular e as práticas sociais das comunidades com o

Leia mais

Relat a óri r o Despert r ar r 2 013

Relat a óri r o Despert r ar r 2 013 Relatório Despertar 2013 2 Apoiada na crença de que é possível contribuir para o desenvolvimento humano na totalidade dos seus potenciais, a Associação Comunitária Despertar, realiza anualmente ações que

Leia mais

COORDENADORA: Profa. Herica Maria Castro dos Santos Paixão. Mestre em Letras (Literatura, Artes e Cultura Regional)

COORDENADORA: Profa. Herica Maria Castro dos Santos Paixão. Mestre em Letras (Literatura, Artes e Cultura Regional) COORDENADORA: Profa. Herica Maria Castro dos Santos Paixão Mestre em Letras (Literatura, Artes e Cultura Regional) Universidade Federal de Roraima UFRR Brasil Especialista em Alfabetização (Prática Reflexiva

Leia mais

4 Quando o número de vagas proposto corresponde adequadamente à dimensão do corpo

4 Quando o número de vagas proposto corresponde adequadamente à dimensão do corpo MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Secretaria de Educação Superior SESu Diretoria de Regulação e Supervisão da Educação Superior - Desup Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira Inep

Leia mais

O que é o Plano de Mobilização Social Pela Educação (PMSE)

O que é o Plano de Mobilização Social Pela Educação (PMSE) O que é o Plano de Mobilização Social Pela Educação (PMSE) É o chamado do Ministério da Educação (MEC) à sociedade para o trabalho voluntário de mobilização das famílias e da comunidade pela melhoria da

Leia mais

REFERENCIA INSTITUCIONAL:

REFERENCIA INSTITUCIONAL: TITULO: Programa de Integração Docente Assistencial entre a Universidade Federal de São Paulo - UNIFESP e a Secretaria Municipal de Saúde de Diadema - PIDA-DIADEMA EIXO: Extensão, Docência e Investigação

Leia mais

Plano de Gestão 2013-2016 IFSP Campus Caraguatatuba

Plano de Gestão 2013-2016 IFSP Campus Caraguatatuba Visão Institucional O Campus Caraguatatuba do IFSP desenvolveu-se nos últimos anos, ampliando os cursos oferecidos, desde a Formação Inicial e Continuada, passando pelos Cursos Técnicos, de Tecnologia,

Leia mais

Ações e Projetos Sociais

Ações e Projetos Sociais Ações e Projetos Sociais 1º - TROTE SOLIDÁRIO O Trote Solidário tem como objetivo principal atender às necessidades das Instituições beneficentes carentes da região de Barretos através da arrecadação e

Leia mais

Dossiê Ensino Fundamental no Brasil. Estudo para a construção do Plano Municipal de Educação de Palmas

Dossiê Ensino Fundamental no Brasil. Estudo para a construção do Plano Municipal de Educação de Palmas Estudo para a construção do Plano Municipal de Educação de Palmas Segundo substitutivo do PNE, apresentado pelo Deputado Angelo Vanhoni, Abril de 2012 Profa. Dra. Rosilene Lagares PPGE/PET PedPalmas Palmas,

Leia mais

POLÍTICA DE ASSISTÊNCIA ESTUDANTIL DA PÓS-GRADUAÇÃO DA CAPÍTULO I DA DEFINIÇÃO E DOS PRINCÍPIOS

POLÍTICA DE ASSISTÊNCIA ESTUDANTIL DA PÓS-GRADUAÇÃO DA CAPÍTULO I DA DEFINIÇÃO E DOS PRINCÍPIOS POLÍTICA DE ASSISTÊNCIA ESTUDANTIL DA PÓS-GRADUAÇÃO DA CAPÍTULO I DA DEFINIÇÃO E DOS PRINCÍPIOS Art. 1. A Política de Assistência Estudantil da Pós-Graduação da UFGD é um arcabouço de princípios e diretrizes

Leia mais

FACULDADE ANHANGUERA DE INDAIATUBA Rua Claudio Dal Canton, 89 - Cidade Nova II - Indaiatuba -SP - CEP 13334-390 (19) 3885-6700 www.portalpos.com.

FACULDADE ANHANGUERA DE INDAIATUBA Rua Claudio Dal Canton, 89 - Cidade Nova II - Indaiatuba -SP - CEP 13334-390 (19) 3885-6700 www.portalpos.com. A pós-graduação é fundamental para manter-se bem colocado no mercado de trabalho e para aperfeiçoar competências profissionais. Além de enriquecer o currículo, este tipo de especialização ajuda a melhorar

Leia mais

Secretaria Municipal da Educação e Cultura - SMEC SALVADOR MAIO/2003

Secretaria Municipal da Educação e Cultura - SMEC SALVADOR MAIO/2003 Secretaria Municipal da Educação e Cultura - SMEC ATRIBUIÇÕES DOS GESTORES ESCOLARES DA REDE PÚBLICA MUNICIPAL DE ENSINO VERSÃO PRELIMINAR SALVADOR MAIO/2003 Dr. ANTÔNIO JOSÉ IMBASSAHY DA SILVA Prefeito

Leia mais

Autoavaliação. Institucional. Comissão Própria de Avaliação CPA 2012

Autoavaliação. Institucional. Comissão Própria de Avaliação CPA 2012 Autoavaliação Institucional FACULDADES INTEGRADAS DO EXTREMO SUL DA BAHIA Credenciada pela Portaria Ministerial nº 1.727 de 13/06/2002 - D.O.U. 14/06/2002 Comissão Própria de Avaliação CPA 2012 OBJETIVOS

Leia mais

PROGRAMA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL PRS-FACIIP

PROGRAMA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL PRS-FACIIP PROGRAMA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL PRS-FACIIP Aprovado na Reunião do CONASU em 21/01/2015. O Programa de Responsabilidade Social das Faculdades Integradas Ipitanga (PRS- FACIIP) é construído a partir

Leia mais

PROGRAMA DE APOIO E APERFEIÇOAMENTO PEDAGÓGICO AO DOCENTE

PROGRAMA DE APOIO E APERFEIÇOAMENTO PEDAGÓGICO AO DOCENTE PROGRAMA DE APOIO E APERFEIÇOAMENTO PEDAGÓGICO AO DOCENTE DA FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS DE GUARANTÂ DO NORTE - MT 2011 Apresentação Articulado com o novo Plano de Desenvolvimento Institucional (2011-2015)

Leia mais

O Papel do Pedagogo na Escola Pública CADEP

O Papel do Pedagogo na Escola Pública CADEP O Papel do Pedagogo na Escola Pública CADEP O Papel do Pedagogo na Escola Pública 1 A construção histórica do Curso de Pedagogia 2 Contexto atual do Curso de Pedagogia 3 O trabalho do Pedagogo prática

Leia mais

PLANO DE AÇÃO 2012 Resolução COP Nº. 114/2011 de 08/12/2011

PLANO DE AÇÃO 2012 Resolução COP Nº. 114/2011 de 08/12/2011 PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL De acordo com o Decreto 5.773/2006 PERÍODO - 2012-2015 Resolução COP Nº 113/2011, de 08/12/2011 PLANO DE AÇÃO 2012 Resolução COP Nº. 114/2011 de 08/12/2011 Lucas

Leia mais

SISTEMA NACIONAL DE AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR SINAES

SISTEMA NACIONAL DE AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR SINAES MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Comissão Nacional de Avaliação da Educação Superior - Conaes Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira - Inep SISTEMA NACIONAL DE AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO

Leia mais

Centro Universitário de Brusque - UNIFEBE Conselho Universitário - CONSUNI

Centro Universitário de Brusque - UNIFEBE Conselho Universitário - CONSUNI REGULAMENTO DA CLÍNICA ESCOLA E SERVIÇOS DE PSICOLOGIA - CESP Aprovado pela Resolução CONSUNI nº 11/15 de 08/04/15. CAPÍTULO I DO OBJETIVO DO REGULAMENTO Art. 1º A Clínica Escola de Psicologia é o ambiente

Leia mais

Documento Base do Plano Estadual de Educação do Ceará. Eixo Temático Educação Superior

Documento Base do Plano Estadual de Educação do Ceará. Eixo Temático Educação Superior Documento Base do Plano Estadual de Educação do Ceará Eixo Temático Educação Superior Ceará, 2015 1 Socioeconômico Diagnóstico Para compreender a situação da educação no estado do Ceará é necessário também

Leia mais

BELCAR CAMINHÕES E MÁQUINAS LTDA. Projeto EIC - Escolas de Informática e Cidadania

BELCAR CAMINHÕES E MÁQUINAS LTDA. Projeto EIC - Escolas de Informática e Cidadania BELCAR CAMINHÕES E MÁQUINAS LTDA Projeto EIC - Escolas de Informática e Cidadania 1- DADOS DA EMPRESA Nome: BELCAR CAMINHÕES E MÁQUINAS LTDA. Setor de atividade e principal negócio: COMÉRCIO VAREJISTA

Leia mais

PORTARIA NORMATIVA INTERMINISTERIAL Nº- 17, DE 24 DE ABRIL DE 2007

PORTARIA NORMATIVA INTERMINISTERIAL Nº- 17, DE 24 DE ABRIL DE 2007 PORTARIA NORMATIVA INTERMINISTERIAL Nº- 17, DE 24 DE ABRIL DE 2007 Institui o Programa Mais Educação, que visa fomentar a educação integral de crianças, adolescentes e jovens, por meio do apoio a atividades

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR NÃO OBRIGATÓRIO CURSO DE FISIOTERAPIA, BACHARELADO REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO NÃO OBRIGATÓRIO Das Disposições Gerais O presente

Leia mais

DIRETRIZES CURRICULARES NACIONAIS DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM MEDICINA

DIRETRIZES CURRICULARES NACIONAIS DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM MEDICINA DIRETRIZES CURRICULARES NACIONAIS DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM MEDICINA 1. PERFIL DO FORMANDO EGRESSO/PROFISSIONAL Médico, com formação generalista, humanista, crítica e reflexiva. Capacitado a atuar, pautado

Leia mais

SIC 56/07. Belo Horizonte, 8 de novembro de 2007.

SIC 56/07. Belo Horizonte, 8 de novembro de 2007. SIC 56/07 Belo Horizonte, 8 de novembro de 2007. 1. DIRETRIZES PARA A ELABORAÇÃO, PELO INEP, DOS INSTRUMENTOS DE AVALIAÇÃO PARA O CREDENCIAMENTO DE INSTITUIÇÕES DE EDUCAÇÃO SUPERIOR E SEUS PÓLOS DE APOIO

Leia mais

O GOVERNADOR DO ESTADO DO ACRE. CAPÍTULO I Da Finalidade. CAPÍTULO II Dos Princípios, Objetivos e Metas Seção I Dos Princípios

O GOVERNADOR DO ESTADO DO ACRE. CAPÍTULO I Da Finalidade. CAPÍTULO II Dos Princípios, Objetivos e Metas Seção I Dos Princípios LEI N. 1.343, DE 21 DE JULHO DE 2000 Institui a Política Estadual do Idoso - PEI e dá outras providências. O GOVERNADOR DO ESTADO DO ACRE seguinte Lei: FAÇO SABER que a Assembléia Legislativa do Estado

Leia mais

CARTA ACORDO Nº. 0600.103.002 Fundação Arnaldo Vieira de Carvalho mantenedora da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo

CARTA ACORDO Nº. 0600.103.002 Fundação Arnaldo Vieira de Carvalho mantenedora da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo Ao Ministério da Saúde Secretaria de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde Departamento de Gestão da Educação na Saúde E-mail: deges@saude.gov.br - prosaude@saude.gov.br CARTA ACORDO Nº. 0600.103.002

Leia mais

PONTOS FRACOS E PONTOS FORTES E PROPOSTA PARA SOLUCIONAR E/OU MINIMIZAR

PONTOS FRACOS E PONTOS FORTES E PROPOSTA PARA SOLUCIONAR E/OU MINIMIZAR PRÓ-REITORIA DE PLANEJAMENTO COORDENADORIA DE ACOMPANHAMENTO E AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL SÍNTESE DE RELATORIO DE AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL E DE AVALIAÇÃO EXTERNA PONTOS FRACOS E PONTOS FORTES E PROPOSTA

Leia mais

FACULDADE GLOBAL DE UMUARAMA AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL DA FACULDADE GLOBAL DE UMUARAMA FGU / UNIESP RELATÓRIO FINAL 2012/2013

FACULDADE GLOBAL DE UMUARAMA AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL DA FACULDADE GLOBAL DE UMUARAMA FGU / UNIESP RELATÓRIO FINAL 2012/2013 FACULDADE GLOBAL DE UMUARAMA AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL DA FACULDADE GLOBAL DE UMUARAMA FGU / UNIESP RELATÓRIO FINAL 2012/2013 UMUARAMA, DEZEMBRO, 2012 RELATÓRIO DE AUTO-AVALIAÇÃO I DADOS DA INSTITUIÇÃO Nome/

Leia mais

CURSO DE EDUCAÇÃO FISICA ATIVIDADES EXTRA CURRICULARES

CURSO DE EDUCAÇÃO FISICA ATIVIDADES EXTRA CURRICULARES CURSO DE EDUCAÇÃO FISICA ATIVIDADES EXTRA CURRICULARES Com a crescente produção de conhecimento e ampliação das possibilidades de atuação profissional, o curso proporciona atividades extra curriculares

Leia mais

ENADE e CPC Como compreender seu desempenho e estratégias de melhoria de resultados. PROF. AMÉRICO DE ALMEIDA FILHO aalmeidaf@yahoo.com.

ENADE e CPC Como compreender seu desempenho e estratégias de melhoria de resultados. PROF. AMÉRICO DE ALMEIDA FILHO aalmeidaf@yahoo.com. ENADE e CPC Como compreender seu desempenho e estratégias de melhoria de resultados PROF. AMÉRICO DE ALMEIDA FILHO aalmeidaf@yahoo.com.br CPC Conceito Preliminar de Curso 1 - Nota dos Concluintes no ENADE

Leia mais

Ednei Nunes de Oliveira - Candidato a Diretor. Por uma EaD focada no aluno e na qualidade com inovação: crescer com justiça e humanização.

Ednei Nunes de Oliveira - Candidato a Diretor. Por uma EaD focada no aluno e na qualidade com inovação: crescer com justiça e humanização. PROGRAMA DE TRABALHO PARA O QUADRIÊNIO 2015-2019 DOS CANDIDATOS À DIREÇÃO DA FACULDADE DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA (EAD) DA UNIVERSIDADE FEDERAL DA GRANDE DOURADOS Ednei Nunes de Oliveira - Candidato a Diretor

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE BARRA DO JACARÉ ESTADO DO PARANÁ

PREFEITURA MUNICIPAL DE BARRA DO JACARÉ ESTADO DO PARANÁ PREFEITURA MUNICIPAL DE BARRA DO JACARÉ ESTADO DO PARANÁ A N E X O I E D I T A L D E C O N C U R S O P Ú B L I C O Nº 01/2015 D O S R E Q U I S I T O S E A T R I B U I Ç Õ E S D O S C A R G O S RETIFICAÇÃO

Leia mais

DIRETRIZ NACIONAL DE EDUCAÇÃO, PROMOCÃO SOCIAL E DESENVOLVIMENTO COOPERATIVISTA

DIRETRIZ NACIONAL DE EDUCAÇÃO, PROMOCÃO SOCIAL E DESENVOLVIMENTO COOPERATIVISTA DIRETRIZ NACIONAL DE EDUCAÇÃO, PROMOCÃO SOCIAL E DESENVOLVIMENTO COOPERATIVISTA Área de Atuação 1. Formação Profissional Cooperativista São ações voltadas à formação, qualificação e capacitação dos associados,

Leia mais

FACULDADES METROPOLITANAS UNIDAS FMU GUIA DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES. Departamento de Ciências Exatas e Gerenciais

FACULDADES METROPOLITANAS UNIDAS FMU GUIA DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES. Departamento de Ciências Exatas e Gerenciais FACULDADES METROPOLITANAS UNIDAS FMU GUIA DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES Departamento de Ciências Exatas e Gerenciais CURSOS : ADMINISTRAÇÃO CIÊNCIAS ATUARIAIS CIÊNCIAS DA COMPUTAÇÃO CIÊNCIAS CONTÁBEIS CIÊNCIAS

Leia mais

1. Centro para a Juventude. 199 jovens frequentaram os cursos de:

1. Centro para a Juventude. 199 jovens frequentaram os cursos de: Relatório Despertar 2014 2 Apoiada na crença de que é possível contribuir para o desenvolvimento humano na totalidade dos seus potenciais, a Associação Comunitária Despertar, realiza anualmente ações que

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR NÃO OBRIGATÓRIO CURSO DE EDUCAÇÃO FÍSICA, LICENCIATURA REGULAMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR NÃO OBRIGATÓRIO Das Disposições Gerais O presente

Leia mais

Especialização em Gestão Estratégica de Projetos Sociais

Especialização em Gestão Estratégica de Projetos Sociais Especialização em Gestão Estratégica de Apresentação CAMPUS COMÉRCIO Inscrições Abertas Turma 02 --> Início Confirmado: 07/06/2013 últimas vagas até o dia: 05/07/2013 O curso de Especialização em Gestão

Leia mais

data PROJETO DE LEI N 8035/2010. 1 Supressiva 2. Substitutiva 3. Modificativa 4. Aditiva 5. Substitutivo global

data PROJETO DE LEI N 8035/2010. 1 Supressiva 2. Substitutiva 3. Modificativa 4. Aditiva 5. Substitutivo global Página Artigo: 6º Parágrafo: Único Inciso Alínea EMENDA MODIFICATIVA O parágrafo único do Artigo 6º do PL n 8035 de 2010, passa a ter a seguinte redação: Art. 6º... Parágrafo único. O Fórum Nacional de

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 010/2006

RESOLUÇÃO Nº 010/2006 Confere com o original RESOLUÇÃO Nº 010/2006 CRIA o Curso de Pós-Graduação Lato Sensu de Educação Ambiental, em nível de Especialização. O REITOR DA UNIVERSIDADE DO ESTADO DO AMAZONAS e PRESIDENTE DO CONSELHO

Leia mais

Minuta do Capítulo 8 do PDI: Políticas de Atendimento aos Discentes

Minuta do Capítulo 8 do PDI: Políticas de Atendimento aos Discentes Minuta do Capítulo 8 do PDI: Políticas de Atendimento aos Discentes Elaborada pela Diretoria de Assuntos Estudantis 1 1 Esta minuta será apreciada pelo Colegiado de Ensino, Pesquisa e Extensão nos dias

Leia mais

2º RELATÓRIO PARCIAL DE AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL

2º RELATÓRIO PARCIAL DE AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL 2º RELATÓRIO PARCIAL DE AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL - CPA Mantenedora: Fundação Presidente Antônio Carlos Mantida: Faculdade Presidente Antônio Carlos de Araguari

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR NÃO OBRIGATÓRIO CURSO DE EDUCAÇÃO FÍSICA, LICENCIATURA REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR NÃO OBRIGATÓRIO Das Disposições Gerais O presente

Leia mais

PROPOSTA DE REORIENTAÇÃO DO CURSO DE ENFERMAGEM UFMS: Formando Profissionais Integrados ao SUS.

PROPOSTA DE REORIENTAÇÃO DO CURSO DE ENFERMAGEM UFMS: Formando Profissionais Integrados ao SUS. Centro de Ciências Biológicas e da Saúde - CCBS Coordenação do Curso de Enfermagem PROPOSTA DE REORIENTAÇÃO DO CURSO DE ENFERMAGEM UFMS: Formando Profissionais Integrados ao SUS. RESUMO DO PROJETO 1. INTRODUÇÃO:

Leia mais

NORMATIZAÇÃO E REGULAÇÃO DOS DOCUMENTOS OFICIAIS DAS INSTITUIÇÕES DE EDUCAÇÃO SUPERIOR LASSALISTA CURSOS DE GRADUAÇÃO

NORMATIZAÇÃO E REGULAÇÃO DOS DOCUMENTOS OFICIAIS DAS INSTITUIÇÕES DE EDUCAÇÃO SUPERIOR LASSALISTA CURSOS DE GRADUAÇÃO NORMATIZAÇÃO E REGULAÇÃO DOS DOCUMENTOS OFICIAIS DAS INSTITUIÇÕES DE EDUCAÇÃO SUPERIOR LASSALISTA CURSOS DE GRADUAÇÃO PROVÍNCIA LA SALLE BRASIL - CHILE APRESENTAÇÃO O Setor de Educação Superior da Província

Leia mais

AVALIAÇÃO TRIMESTRAL DE METAS PDI- 2011/2015

AVALIAÇÃO TRIMESTRAL DE METAS PDI- 2011/2015 AVALIAÇÃO TRIMESTRAL DE METAS PDI- 2011/2015 METAS AÇÕES PRAZOS Expansão do número de vagas do curso de Engenharia de Produção. SITUAÇÃO MARÇO DE 2015 AVALIAÇÃO PROCEDIDA EM 12.03.2015 CPA E DIRETORIA

Leia mais

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE RESPONSABILIDADE SOCIAL

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE RESPONSABILIDADE SOCIAL CENTRO DE ENSINO ATENAS MARANHENSE FACULDADE ATENAS MARANHESE DIRETORIA ACADÊMICA NÚCLEO DE ASSESSORAMENTO E DE DESENVOLVIMENTO PEDAGÓGICO - NADEP PROGRAMA INSTITUCIONAL DE RESPONSABILIDADE SOCIAL SÃO

Leia mais

Apoio ao Desenvolvimento da Educação Especial

Apoio ao Desenvolvimento da Educação Especial Programa 0049 DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO ESPECIAL Objetivo Ampliar e melhorar a oferta de atendimento aos portadores de necessidades educativas especiais. Público Alvo Alunos com necessidades educativas

Leia mais

RESOLUÇÃO n o 35 de 16/12/2011- CAS

RESOLUÇÃO n o 35 de 16/12/2011- CAS RESOLUÇÃO n o 35 de 16/12/2011- CAS Estabelece a política de pesquisa, desenvolvimento, inovação e extensão da Universidade Positivo (UP). O CONSELHO ACADÊMICO SUPERIOR (CAS), órgão da administração superior

Leia mais

A Escola. Com uma média de 1.800 alunos por mês, a ENAP oferece cursos presenciais e a distância

A Escola. Com uma média de 1.800 alunos por mês, a ENAP oferece cursos presenciais e a distância A Escola A ENAP pode contribuir bastante para enfrentar a agenda de desafios brasileiros, em que se destacam a questão da inclusão e a da consolidação da democracia. Profissionalizando servidores públicos

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR NÃO OBRIGATÓRIO CURSO DE PEDAGOGIA, Licenciatura REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR NÃO OBRIGATÓRIO Das disposições gerais O presente documento

Leia mais

Sistema de Educação a Distância Publica no Brasil UAB- Universidade Aberta do Brasil. Fernando Jose Spanhol, Dr

Sistema de Educação a Distância Publica no Brasil UAB- Universidade Aberta do Brasil. Fernando Jose Spanhol, Dr Sistema de Educação a Distância Publica no Brasil UAB- Universidade Aberta do Brasil Fernando Jose Spanhol, Dr www.egc.ufsc.br www.led.ufsc.br O Sistema UAB Denominação representativa genérica para a rede

Leia mais

DIRETRIZES CURRICULARES PARA OS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA UTFPR

DIRETRIZES CURRICULARES PARA OS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA UTFPR Ministério da Educação Universidade Tecnológica Federal do Paraná Pró-Reitoria de Graduação e Educação Profissional DIRETRIZES CURRICULARES PARA OS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA UTFPR APROVADO PELA RESOLUÇÃO

Leia mais

Esporte como fator de inclusão de jovens na sociedade FGR: Gustavo:

Esporte como fator de inclusão de jovens na sociedade FGR: Gustavo: Esporte como fator de inclusão de jovens na sociedade Entrevista cedida à FGR em Revista por Gustavo de Faria Dias Corrêa, Secretário de Estado de Esportes e da Juventude de Minas Gerais. FGR: A Secretaria

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO

PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO INTRODUÇÃO PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO (PPC) Articulação com o Plano de Desenvolvimento Institucional PDI Projeto Político Pedagógico Indissociabilidade entre ensino, pesquisa

Leia mais

CATÁLOGO DO CURSO DE EDUCAÇÃO FÍSICA - Bacharelado

CATÁLOGO DO CURSO DE EDUCAÇÃO FÍSICA - Bacharelado CATÁLOGO DO CURSO DE EDUCAÇÃO FÍSICA - Bacharelado ATOS LEGAIS DO CURSO: Nome do Curso: Educação Física - Área de Saúde e Qualidade de Vida - Bacharelado Nome da Mantida: Centro Universitário de Rio Preto

Leia mais

DIMENSÃO 2: - Política para o ensino, pesquisa, pós-graduação e extensão - Respectivas normas de operacionalização

DIMENSÃO 2: - Política para o ensino, pesquisa, pós-graduação e extensão - Respectivas normas de operacionalização DIMENSÃO 2: - Política para o ensino, pesquisa, pós-graduação e extensão - Respectivas normas de operacionalização 2.1 - GRADUAÇÃO 2.1.1. Descrição do Ensino de Graduação na UESC Cursos: 26 cursos regulares

Leia mais

6h diárias - 11 meses

6h diárias - 11 meses 6h diárias - 11 meses PROPOSTA PEDAGÓGICA PROGRAMA DE APRENDIZAGEM EM AUXILIAR DE VAREJO ÍNDICE 1 - Apresentação da Entidade ijovem 3 2 - Justificativa do Programa. 3 3 Público-alvo: 4 4 Objetivo geral:

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE MOGI DAS CRUZES PLANO DE GOVERNO 2009 / 2012 EDUCAÇÃO

PREFEITURA MUNICIPAL DE MOGI DAS CRUZES PLANO DE GOVERNO 2009 / 2012 EDUCAÇÃO PREFEITURA MUNICIPAL DE MOGI DAS CRUZES PLANO DE GOVERNO 2009 / 2012 EDUCAÇÃO O que buscamos Proporcionar educação com qualidade social para todas as crianças. Erradicar o analfabetismo, ampliar o nível

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO AUTÔNOMO DO BRASIL CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO PROFESSOR ME. ORLEI JOSÉ POMBEIRO REGULAMENTO ATIVIDADES COMPLEMENTARES

CENTRO UNIVERSITÁRIO AUTÔNOMO DO BRASIL CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO PROFESSOR ME. ORLEI JOSÉ POMBEIRO REGULAMENTO ATIVIDADES COMPLEMENTARES CENTRO UNIVERSITÁRIO AUTÔNOMO DO BRASIL CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO PROFESSOR ME. ORLEI JOSÉ POMBEIRO REGULAMENTO ATIVIDADES COMPLEMENTARES CURITIBA 2015 1 REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES

Leia mais

Mestrados Profissionais em Segurança Pública. Documento do Workshop Mestrado Profissional em Segurança Pública e Justiça Criminal

Mestrados Profissionais em Segurança Pública. Documento do Workshop Mestrado Profissional em Segurança Pública e Justiça Criminal I- Introdução Mestrados Profissionais em Segurança Pública Documento do Workshop Mestrado Profissional em Segurança Pública e Justiça Criminal Este documento relata as apresentações, debates e conclusões

Leia mais

EIXO IV QUALIDADE DA EDUCAÇÃO: DEMOCRATIZAÇÃO DO ACESSO, PERMANÊNCIA, AVALIAÇÃO, CONDIÇÕES DE PARTICIPAÇÃO E APRENDIZAGEM

EIXO IV QUALIDADE DA EDUCAÇÃO: DEMOCRATIZAÇÃO DO ACESSO, PERMANÊNCIA, AVALIAÇÃO, CONDIÇÕES DE PARTICIPAÇÃO E APRENDIZAGEM EIXO IV QUALIDADE DA EDUCAÇÃO: DEMOCRATIZAÇÃO DO ACESSO, PERMANÊNCIA, AVALIAÇÃO, CONDIÇÕES DE PARTICIPAÇÃO E APRENDIZAGEM PROPOSIÇÕES E ESTRATÉGIAS 1.2. Universalização do ensino fundamental de nove anos

Leia mais

O GRUPO DOM BOSCO ENSINO FUNDAMENTAL DOM BOSCO

O GRUPO DOM BOSCO ENSINO FUNDAMENTAL DOM BOSCO ENSINO FUNDAMENTAL DOM BOSCO O GRUPO DOM BOSCO Este é o momento de dar espaço à curiosidade, de fazer novas descobertas e formar suas próprias ideias. SEDE HORTO - Berçário - Educação Infantil - 1º Ano

Leia mais

ANEXO IV PROPOSTAS APROVADAS NA CONFERÊNCIA ESTADUAL. Eixo MOBILIZAÇÃO IMPLEMENTAÇÃO MONITORAMENTO

ANEXO IV PROPOSTAS APROVADAS NA CONFERÊNCIA ESTADUAL. Eixo MOBILIZAÇÃO IMPLEMENTAÇÃO MONITORAMENTO PROPOSTAS APROVADAS NA CONFERÊNCIA ESTADUAL ANEXO IV Eixo MOBILIZAÇÃO IMPLEMENTAÇÃO MONITORAMENTO 1-Promoção dos Direitos de Crianças e Adolescentes Buscar apoio das esferas de governo (Federal e Estadual)

Leia mais

Diretrizes: 1. Cumprir as metas do Compromisso Todos Pela Educação- TPE

Diretrizes: 1. Cumprir as metas do Compromisso Todos Pela Educação- TPE IV. CÂMARA TEMÁTICA DA EDUCACÃO, CULTURA E DESPORTOS Diretrizes: 1. Cumprir as metas do Compromisso Todos Pela Educação- TPE Meta 1 Toda criança e jovem de 4 a 17 anos na escola; Meta 2 Até 2010, 80% e,

Leia mais

Cursos de Administração: qualidade necessária. XIV Fórum Internacional de Administração

Cursos de Administração: qualidade necessária. XIV Fórum Internacional de Administração Cursos de Administração: qualidade necessária XIV Fórum Internacional de Administração Rio de Janeiro, 18 de maio de 2015 ENSINAR, APRENDER, AVALIAR... TRAJETÓRIA DA AVALIAÇÃO EDUCAÇÃO SUPERIOR CAPES avaliação

Leia mais