Bases de Dados 2007/2008 Exame

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Bases de Dados 2007/2008 Exame"

Transcrição

1 Exame 11 de Janeiro de 2007 Instituto Superior Técnico Departamento de Engenharia Informática Regras O exame tem a duração de 2h30m. A folha de capa deve ser identificada com o nome e número do aluno. Todas as restantes folhas devem ser identificadas com o número do aluno. O exame deve ser resolvido nas folhas do enunciado. O enunciado já inclui espaço para rascunho, pelo que não são permitidas folhas de rascunho. Os alunos devem ter em cima da mesa apenas o material para escrita e a sua identificação. O exame é sem consulta. Boa sorte! Número do aluno: Nome do aluno:

2 1 Considere as seguintes relações, usadas na base de dados de gestão de um condomínio fechado nos arredores de Lisboa: morador(id, nome, idade, sexo, salario) apartamento(bloco, andar, numero, tipo, renda) habita(id, bloco, andar, numero) id : F K(morador), bloco, andar, numero : F K(apartamento) usou(id, servico, data) id : FK(morador) Escreva, em álgebra relacional, as seguintes interrogações: (a) Quais os nomes dos moradores do bloco B que usaram o serviço de sauna no dia 1/1/2008? (b) Quantos apartamentos não habitados tem o bloco C? (c) Quais os apartamentos cuja soma dos salários dos seus moradores é menor do que a sua renda? (a) (b) (c) π nome (σ bloco= B servico= sauna data= 1/1/2008 (morador habita usou)) G count( ) ( σbloco= C (π bloco,andar,numero(apartamento) π bloco,andar,numero (habita)) ) σ s<renda ( bloco,andar,numerog sum(salario) as s (morador habita) apartamento ) (0,7+0,8+1,0 = 2,5 valores) Folha 2 de 19

3 2 Um restaurante italiano vende pizzas de vários tamanhos e com vários ingredientes. O cliente pode encomendar pizzas disponíveis no menu (p.ex. Tropical, Havaiana, etc.) ou pode também encomendar pizzas com ingredientes à escolha. Neste caso deve indicar, para além do tamanho da pizza, a lista de ingredientes que pretende. A figura seguinte mostra parte das tabelas relevantes da base de dados do restaurante. pizza composicao ingrediente (a) Escreva uma consulta em SQL para determinar quais as pizzas do menu que têm maior número de ingredientes. (b) Existe alguma pizza média no menu que custe tanto ou mais do que uma pizza familiar de outro tipo? Escreva uma consulta em SQL que mostre o nome dessa pizza, se existir. (c) Um cliente pretende encomendar uma pizza pequena com os seguintes ingredientes: Ananás, Atum e Cogumelos. Existe alguma pizza de menu que contenha estes ingredientes? Escreva uma consulta em SQL para responder a esta pergunta. (a) select pizza from composicao group by pizza having count(ingrediente) >= ALL(select count(ingrediente) from composicao group by pizza) (b) select a.nome from pizza as a, pizza as b where a.preco >= b.preco and a.tamanho = Média and b.tamanho = Familiar (c) select distinct(nome) from pizza Folha 3 de 19

4 where nome not in (select pizza from composicao where ingrediente not in ( Ananás, Atum, Cogumelos )) (0,7+0,8+1,0 = 2,5 valores) Folha 4 de 19

5 3 Considere novamente a base de dados da pergunta anterior. Escreva uma função que devolve a diferença de preço entre encomendar uma pizza de menu e encomendar uma pizza à escolha, com o mesmo tamanho e os mesmos ingredientes. A função recebe como parâmetros o nome e o tamanho da pizza. create function diferenca preco(nome pizza varchar(255), tamanho pizza varchar(255)) returns decimal(10,2) as begin declare preco menu decimal(10,2); declare preco escolha decimal(10,2); select preco into preco menu from pizza where tamanho = tamanho pizza and nome = nome pizza; select sum(preco) into preco escolha from ingrediente where tamanho = tamanho pizza and nome in (select ingrediente.nome from pizza, composicao, ingrediente where pizza.nome = nome pizza and pizza.tamanho = tamanho pizza and pizza.nome = composicao.pizza and composicao.ingrediente = ingrediente.nome); return preco menu - preco escolha; end (2 valores) Folha 5 de 19

6 4 Considere o seguinte universo de discurso: Os empregados da empresa ABC trabalham em diversos projectos. Cada empregado usa um conjunto de ferramentas específicas para realizar um dado projecto. É necessário contabilizar o tempo que os empregados dedicam aos projectos assim como o respectivo tempo de utilização de cada ferramenta em cada projecto. (a) Apresente um diagrama Entidade-Associação para este universo de discurso sem fazer uso dos conceitos de agregação, entidade fraca e participação total. (b) Fará sentido aplicar algum desses conceitos a este cenário? Justifique e, em caso afirmativo, apresente um novo diagrama E-A. (c) Converta o modelo da alínea (b) para um modelo relacional e especifique uma restrição de integridade não capturada. (a) Nota: falta atributo hours na relação uses... (b) Agregação: sim. Entidade fraca e participação total: não. Folha 6 de 19

7 Agregação: sim. As relações uses e work poderiam ser combinadas numa só. Contudo, isso iria diminuir a expressividade do modelo. A agregação permite criar uma entidade de nível de abstracção mais elevado que não só mantém a expressividade do modelo como elimina a redundância das duas relações supracitadas. Entidade fraca e participação total: não. Não existem entidades que dependam de entidades fortes neste universo de discurso. (c) employee(name, id) project(number) machinery(id) work(employee.id, project.number, hours) uses(machinery.id, employee.id, project.number, hours) RI: uses.hours work.hours (1,0+0,7+0,8 = 2 valores) Folha 7 de 19

8 5 Considere a relação R(A,B,C,D,E) em que se verifica o seguinte conjunto de dependências funcionais: A BC CD E B D E A (a) Indique as chaves candidatas da relação R. (b) A relação encontra-se na 3FN? Justifique. (c) Indique uma decomposição para FNBC que seja lossless-join. Justifique. (d) Indique se a decomposição apresentada na alínea anterior preserva todas as restrições de integridade. Justifique. (a) As chaves candidatas são A, E, BC e CD. (b) Como não há dependências entre os atributos não chave e como todos os atributos não chave dependem completamente das chaves candidatas, segue que a relação está na 3FN. (c) A decomposição R1 = {B,D} R2 = {A,B,C,E} é loseless-join visto que R1 R2 = {B}, que é chave de R1. (d) Esta decomposição não preserva a dependência CD E. (0,5+0,7+0,8+0,5 = 2,5 valores) Folha 8 de 19

9 6 (a) Explique o que faz o seguinte comando SQL. A ordem de especificação das colunas tem algum impacto na estrutura de indexação e/ou na pesquisa? Justifique. CREATE INDEX idx ON MyTable(x, y, z) (b) Justifique quais dos seguintes três comandos SQL poderão fazer uso do índice idx, definido acima. SELECT x, y, z FROM MyTable WHERE x=10 AND y<15 AND z>=20 SELECT x, y, z FROM MyTable WHERE x=10 AND y<15 SELECT x, y, z FROM MyTable WHERE y<15 (1) (2) (3) (c) Um índice secundário pode ser esparso? Justifique a sua resposta. (a) Criação de um índice composto, non-clustered, sobre as colunas x, y, z. Sim. A ordem das colunas determina o tipo de pesquisas que podem fazer uso do índice. Cada coluna reduz adicionalmente o espaço de pesquisa já limitado pelas colunas anteriores. Como tal, este tipo de índice só é útil em pesquisas que utilizem as primeiras n colunas exactamente pela mesma ordem que especificadas no índice. Adicionalmente, não é possível usar colunas individualmente que não a primeira. Como tal, as colunas com maior grau de discriminação devem surgir em primeiro lugar. Um exemplo de índice composto é o utilizado numa lista telefónica. Esta está ordenada por apelido, em primeiro lugar, e por nome próprio em segundo. Este tipo de índice só é útil se for conhecido o apelido. Se apenas for conhecido o nome próprio, então o índice não poderá ser utilizado, apesar deste atributo fazer parte do índice composto. (b) No comando (3) não é possível. Ver justificação acima. (c) Não. Um índice secundário não tem apontadores para todas as chaves na tabela. Como a tabela não está organizada de acordo com o índice, seria impossível encontrar chaves que este não contenha. (0,5+0,5+0,5 = 1,5 valores) Folha 9 de 19

10 7 Considere uma árvore B+ vazia, com n = 3. Desenhe a árvore passo a passo, mostrando apenas as alterações, ao inserir os seguintes valores: 5, 8, 1, 7, 3, 12, 9, 6. Folha 10 de 19

11 (2 valores) Folha 11 de 19

12 8 Considere a seguinte relação: Assuma que: R(a,b,c,d) Todos os atributos são inteiros; O atributo d e a chave primária encontram-se indexados, com índices do tipo árvore B+; A relação tem cerca de 100 registos. Escreva em álgebra relacional uma expressão que obrigue o SGBD a usar: (a) Exclusivamente um algoritmo de selecção usando índice primário (e mais nenhum outro algoritmo de selecção) (b) Exclusivamente um algoritmo selecção por pesquisa sequencial (e mais nenhum outro algoritmo de selecção), com o atributo a fazendo parte dos critérios de pesquisa. (c) Selecção com dois critérios que permita localizar directamente o registo (sem pesquisa sequencial). (a) σ a=3 (R) (b) σ a<3 (R) (c) σ a=3 d=4 (R) (0,5+0,5+0,5 = 1,5 valores) Folha 12 de 19

13 9 Considere as seguintes expressões: π loan number,customer name ( σ customer city= Lisboa amount>1000(borrower loan branch customer) ) (1) ( σ customer city= Lisboa amount>1000 π loan number,customer name (borrower loan branch customer) ) (2) referente ao seguinte modelo relacional: branch(branch name, branch city, assets), com 100 registos customer(customer name, customer street, customer city), com registos loan(loan number, branch name, amount), com registos account(account number, branch name, balance), com registos borrower(customer name,loan number), com registos depositor(customer name, account number, access date), com registos (a) As expressões (1) e (2) são equivalentes? Em caso afirmativo, justifique fazendo uso das regras de equivalência. Em caso negativo, justifique com um exemplo ou descreva a razão. (b) Indique a expressão equivalente à expressão (1) que seja o mais eficiente possível (considerando as dimensões das relações). Justifique. (c) Elabore o plano de execução (em árvore ) para a expressão (1) e para a expressão proposta na alínea anterior. (a) As expressões não são equivalentes. Basta verificar que, no caso da expressão (2), como a selecção é feita após após a projecção já não será possível verificar as condições indicadas (e.g., customer city = Lisboa ). (b) π loan number,customer name ( ( (σcustomer city= Lisboa (customer) σ amount>1000(loan)) branch ) ) borrower (c) Folha 13 de 19

14 Expressão (1) Expressão mais eficiente Folha 14 de 19

15 (0,5+1,0+0,5 = 2 valores) Folha 15 de 19

16 10 Considere a seguinte figura, onde se mostram 4 grafos (G1 a G4) do número de locks que as transacções T1 a T4 têm ao longo do tempo. Indique quais os grafos que garantem escalonamentos recuperáveis, caso haja uma falha do sistema. Explique porquê. Os escalonamentos só são recuperáveis se as transacções só libertarem os locks associados ás variáveis que alteraram aquando do commit. Assumindo que as transacções obtêm locks exclusivos antes de alterarem os dados, os escalonamentos que seguem os grafos G2, G3 e G4 são recuperáveis. (1,5 valores) Folha 16 de 19

17 Página para Rascunho Folha 17 de 19

18 Página para Rascunho Folha 18 de 19

19 Página para Rascunho Folha 19 de 19

Bases de Dados 2007/2008 Exame

Bases de Dados 2007/2008 Exame Exame 11 de Janeiro de 2008 Instituto Superior Técnico Departamento de Engenharia Informática Regras O exame tem a duração de 2h30m. A folha de capa deve ser identificada com o nome e número do aluno.

Leia mais

Bases de Dados 2008/2009

Bases de Dados 2008/2009 Instituto Superior Técnico Bases de Dados 2008/2009 Exame de 30 de Janeiro de 2009 Sem consulta Duração: 2h30 1. Considere o seguinte cenário relativo a um stand de compra e venda de carros usados, em

Leia mais

Bases de Dados. Revisão da matéria. Programa

Bases de Dados. Revisão da matéria. Programa Bases de Dados Revisão da matéria Programa Modelação modelo Entidade Associação modelo e álgebra relacionais Implementação SQL básico e avançado desenvolvimento de aplicações normalização Optimização ficheiros

Leia mais

Tipos de dados complexos e objectos Tipos de dados estruturados e herança em SQL Herança de tabelas Matrizes e multi-conjuntos em SQL Identidade de

Tipos de dados complexos e objectos Tipos de dados estruturados e herança em SQL Herança de tabelas Matrizes e multi-conjuntos em SQL Identidade de Capítulo 8: BDs Objecto-Relacional Tipos de dados complexos e objectos Tipos de dados estruturados e herança em SQL Herança de tabelas Matrizes e multi-conjuntos em SQL Identidade de Objectos e Referência

Leia mais

Administração e Optimização de BDs

Administração e Optimização de BDs Departamento de Engenharia Informática 2010/2011 Administração e Optimização de BDs Mini-Projecto 1 2º semestre A resolução deve ser claramente identificada com o número de grupo e entregue sob a forma

Leia mais

INSTITUTO SUPERIOR TÉCNICO Administração e Optimização de Bases de Dados

INSTITUTO SUPERIOR TÉCNICO Administração e Optimização de Bases de Dados Número: Nome: 1 -------------------------------------------------------------------------------------------------------------- INSTITUTO SUPERIOR TÉCNICO Administração e Optimização de Bases de Dados Exame

Leia mais

BD Oracle. Licenciatura em Engenharia Informática e Computação. Bases de Dados 2003/04

BD Oracle. Licenciatura em Engenharia Informática e Computação. Bases de Dados 2003/04 BD Oracle SGBD Oracle Licenciatura em Engenharia Informática e Computação Bases de Dados 2003/04 BD Oracle Introdução aos SGBD Base de Dados Colecção de dados que descrevem alguma realidade Sistema de

Leia mais

PROGRAMA. Aquisição dos conceitos teóricos mais importantes sobre bases de dados contextualizados à luz de exemplos da sua aplicação no mundo real.

PROGRAMA. Aquisição dos conceitos teóricos mais importantes sobre bases de dados contextualizados à luz de exemplos da sua aplicação no mundo real. PROGRAMA ANO LECTIVO: 2005/2006 CURSO: LICENCIATURA BI-ETÁPICA EM INFORMÁTICA ANO: 2.º DISCIPLINA: BASE DE DADOS DOCENTE RESPONSÁVEL PELA REGÊNCIA: Licenciado Lino Oliveira Objectivos Gerais: Aquisição

Leia mais

Índice. Introdução... 31. Tutorial 1: O Microsoft Access como Sistema de Gestão de Bases de Dados Relacionais... 35

Índice. Introdução... 31. Tutorial 1: O Microsoft Access como Sistema de Gestão de Bases de Dados Relacionais... 35 Introdução... 31 1. Bases de Dados Relacionais...31 2. Modelação de Bases de Dados...31 3. Modelo de Classes UML...32 4. Linguagem SQL...32 5. Sobre o Microsoft Access...32 Tutorial 1: O Microsoft Access

Leia mais

EXAME DE 1ª ÉPOCA Semestre de Verão 2004/2005 20 Junho 2005 duração: 2h30m

EXAME DE 1ª ÉPOCA Semestre de Verão 2004/2005 20 Junho 2005 duração: 2h30m ISEL DEETC SSIC EXAME DE 1ª ÉPOCA Semestre de Verão 2004/2005 20 Junho 2005 duração: 2h30m Introdução aos Sistemas de Informação Engenharia Informática e Computadores Ano Lectivo: 2004 / 2005 2º Sem. Docente:

Leia mais

Banco de Dados. Marcio de Carvalho Victorino www.dominandoti.eng.br. Exercícios SQL

Banco de Dados. Marcio de Carvalho Victorino www.dominandoti.eng.br. Exercícios SQL Banco de Dados Exercícios SQL 1 TRF (ESAF 2006) 32. Analise as seguintes afirmações relacionadas a Bancos de Dados e à linguagem SQL: I. A cláusula GROUP BY do comando SELECT é utilizada para dividir colunas

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE

DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE VARIAÁ VEL Antes de iniciarmos os comandos referentes a Banco de Dados, precisamos de uma breve descrição técnica sobre Variáveis que serão uma constante em programação seja qual for sua forma de leitura.

Leia mais

Bases de Dados. Lab 1: Introdução ao ambiente

Bases de Dados. Lab 1: Introdução ao ambiente Departamento de Engenharia Informática 2010/2011 Bases de Dados Lab 1: Introdução ao ambiente 1º semestre O ficheiro bank.sql contém um conjunto de instruções SQL para criar a base de dados de exemplo

Leia mais

Figura 1. Figura 2. Prova Escrita de Base de Dados 5 Novembro 2005 - V2 Número do Aluno: Nome do Aluno: 1º Teste (90 Minutos)

Figura 1. Figura 2. Prova Escrita de Base de Dados 5 Novembro 2005 - V2 Número do Aluno: Nome do Aluno: 1º Teste (90 Minutos) Prova Escrita de Base de Dados 5 Novembro 2005 - V2 Número do Aluno: Nome do Aluno: 1º Teste (90 Minutos) Identifique esta prova preenchendo o seu nome e número nesta página, e o número em todas as restantes.

Leia mais

Banco de Dados I 2007. Módulo V: Indexação em Banco de Dados. (Aulas 4) Clodis Boscarioli

Banco de Dados I 2007. Módulo V: Indexação em Banco de Dados. (Aulas 4) Clodis Boscarioli Banco de Dados I 2007 Módulo V: Indexação em Banco de Dados (Aulas 4) Clodis Boscarioli Agenda: Indexação em SQL; Vantagens e Custo dos Índices; Indexação no PostgreSQL; Dicas Práticas. Índice em SQL Sintaxe:

Leia mais

Prof. Daniela Barreiro Claro

Prof. Daniela Barreiro Claro Prof. Daniela Barreiro Claro SQL, SQL3 e OQL são linguagens declarativas O SGBD deve processar e otimizar estas consultas antes delas serem efetivamente executadas Uma consulta possui muitas estratégias

Leia mais

Bases de Dados 2012/2013 Funções/procedimentos e triggers. Helena Galhardas 2012 IST. Bibliografia. Manual referência PostgreSQL

Bases de Dados 2012/2013 Funções/procedimentos e triggers. Helena Galhardas 2012 IST. Bibliografia. Manual referência PostgreSQL Bases de Dados 2012/2013 Funções/procedimentos e triggers em PostgreSQL Helena Galhardas Bibliografia Manual referência PostgreSQL http://www.postgresql.org/docs/9.2/static/ plpgsql.html http://www.postgresql.org/docs/9.2/static/

Leia mais

Prova de pré-requisito

Prova de pré-requisito Prova de pré-requisito PHP & MySQL: Técnicas para Web 2.0 1 - Qual das opções constrói a tabela abaixo: DIA MÊS ANO 28 04 1988 22 02 2002 a) b) c) dia mês ano

Leia mais

Capítulo 3: Modelo Relacional!

Capítulo 3: Modelo Relacional! Capítulo 3: Modelo Relacional! Estrutura das Bases de Dados Relacionais" Redução a tabelas de um Esquema ER" Álgebra Relacional" Operações Estendidas da Álgebra Relacional" Modificação da Base de Dados"

Leia mais

Enunciado do Projecto

Enunciado do Projecto Bases de Dados 2006/2007 Enunciado do Projecto Parte 1 O projecto de implementação da disciplina de Bases de Dados para ano ano lectivo 2006/2007 divide-se em duas partes. Este documento contém o enunciado

Leia mais

Consistem num conjunto de apontadores para instâncias especificas de cada relação.

Consistem num conjunto de apontadores para instâncias especificas de cada relação. Mecanismo usado para mais fácil e rapidamente aceder à informação existente numa base de dados. Bases de Dados de elevadas dimensões. Consistem num conjunto de apontadores para instâncias especificas de

Leia mais

LINGUAGEM SQL. DML - Linguagem de Manipulação de Dados

LINGUAGEM SQL. DML - Linguagem de Manipulação de Dados LINGUAGEM SQL Structured Query Language, ou Linguagem de Consulta Estruturada ou SQL, é uma linguagem de pesquisa declarativa para banco de dados relacional (base de dados relacional). Muitas das características

Leia mais

Introdução às funções e procedimentos. SQL suporta funções e procedimentos úteis com tipos de dados específicos

Introdução às funções e procedimentos. SQL suporta funções e procedimentos úteis com tipos de dados específicos Bases de Dados Stored procedures e triggers Introdução às funções e procedimentos SQL suporta funções e procedimentos úteis com tipos de dados específicos p.ex. objectos geométricos, imagens intersecção

Leia mais

ROTEIRO. A Linguagem SQL (I parte) CEFET.PHB - PI Prof. Jefferson Silva. As partes da linguagem SQL. A Linguagem de Definição de Dados (SQL-DDL)

ROTEIRO. A Linguagem SQL (I parte) CEFET.PHB - PI Prof. Jefferson Silva. As partes da linguagem SQL. A Linguagem de Definição de Dados (SQL-DDL) CEFET.PHB - PI Prof. Jefferson Silva SQL (MySql) ROTEIRO I PARTE - INTRODUÇÃO AO SQL COMANDOS E SUAS PARTES DA LINGUAGEM SQL II PARTE ADMINSTRAÇÃO DE BANCO DE DADOS UTILIZANDO MYSQL PRINCIPAIS INSTRUÇÕES

Leia mais

Prova de Fundamentos de Bancos de Dados 2 a Prova

Prova de Fundamentos de Bancos de Dados 2 a Prova Prova de Fundamentos de Bancos de Dados 2 a Prova Prof. Carlos A. Heuser Maio de 2006 Prova com consulta duas horas de duração 1 Base de dados para as questões (Esta é a mesma base de dados que foi usada

Leia mais

Banco de Dados II. Triggers e Functions. Prof. Moser Fagundes. Curso TSI Instituto Federal Sul-Rio-Grandense (IFSul) Campus Charqueadas

Banco de Dados II. Triggers e Functions. Prof. Moser Fagundes. Curso TSI Instituto Federal Sul-Rio-Grandense (IFSul) Campus Charqueadas Banco de Dados II Triggers e Functions Prof. Moser Fagundes Curso TSI Instituto Federal Sul-Rio-Grandense (IFSul) Campus Charqueadas Sumário da aula Functions (funções) Triggers (gatilhos) Atividades Functions

Leia mais

Prova de Fundamentos de Bancos de Dados 2 a Prova

Prova de Fundamentos de Bancos de Dados 2 a Prova Prova de Fundamentos de Bancos de Dados 2 a Prova Prof. Carlos A. Heuser Junho de 2009 Prova com consulta duas horas de duração Considere a base de dados abaixo (base de dados idêntica a da 1 a prova.

Leia mais

SQL Procedural. Josino Rodrigues Neto josinon@gmail.com

SQL Procedural. Josino Rodrigues Neto josinon@gmail.com SQL Procedural Josino Rodrigues Neto josinon@gmail.com SQL Procedural Agregada em SQL-92 As ferramentas têm nomes para suas linguagens SQL procedurais/embutidas Oracle : PL/SQL Postgres PL/Pgsql SQL Server

Leia mais

Programação SQL. Manipulação de Dados. DML Data Manipulation Language

Programação SQL. Manipulação de Dados. DML Data Manipulation Language Programação SQL Manipulação de Dados DML Data Manipulation Language Manipulação de Dados (DML) Os comandos INSERT, UPDATE, DELETE, são normalmente classificados como pertencendo a uma sublinguagem da linguagem

Leia mais

Tarefa Orientada 19 Triggers

Tarefa Orientada 19 Triggers Tarefa Orientada 19 Triggers Objectivos: Criar triggers AFTER Criar triggers INSTEAD OF Exemplos de utilização Os triggers são um tipo especial de procedimento que são invocados, ou activados, de forma

Leia mais

Curso PHP Aula 08. Bruno Falcão brunogfalcao@gmail.com

Curso PHP Aula 08. Bruno Falcão brunogfalcao@gmail.com + Curso PHP Aula 08 Bruno Falcão brunogfalcao@gmail.com + Roteiro Conectividade com BD SQL + SQL Structured Query Language. Padrão para interagir com banco de dados relacionais. + Banco de dados Um banco

Leia mais

PROGRAMAÇÃO EM BANCO DADOS Store Procedure e Trigger

PROGRAMAÇÃO EM BANCO DADOS Store Procedure e Trigger PROGRAMAÇÃO EM BANCO DADOS Store Procedure e Trigger a tecnologia de banco de dados permite persistir dados de forma a compartilha-los com varias aplicações. Aplicação 1 aplicação 2 aplicação 3 SGDB Banco

Leia mais

Função dos Sistemas de Bases de Dados Visão dos dados Modelos de dados Linguagem de Definição de Dados Linguagem de Manipulação de Dados Gestão de

Função dos Sistemas de Bases de Dados Visão dos dados Modelos de dados Linguagem de Definição de Dados Linguagem de Manipulação de Dados Gestão de Capítulo 1: Introdução Função dos Sistemas de Bases de Dados Visão dos dados Modelos de dados Linguagem de Definição de Dados Linguagem de Manipulação de Dados Gestão de Transacções Gestão de Armazenamento

Leia mais

Curso:... Prova de Sistemas de Informação para Bibliotecas (21105) Nome:... Nº de Estudante:... B. I. nº... Assinatura do Vigilante:...

Curso:... Prova de Sistemas de Informação para Bibliotecas (21105) Nome:... Nº de Estudante:... B. I. nº... Assinatura do Vigilante:... Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior Curso:... Prova de Sistemas de Informação para Bibliotecas (21105) Data: [Modelo] Nome:... Nº de Estudante:... B. I. nº... Assinatura do Vigilante:...

Leia mais

Triggers. um trigger permite que uma determinada sequência de comandos SQL seja accionada quando um determinado evento ocorre.

Triggers. um trigger permite que uma determinada sequência de comandos SQL seja accionada quando um determinado evento ocorre. Triggers um trigger permite que uma determinada sequência de comandos SQL seja accionada quando um determinado evento ocorre. o evento pode ser INSERT, UPDATE, ou DELETE. o trigger pode ser accionado imediatamente

Leia mais

Sumário 1 0.1 Introdução 1 0.2 Breve História da Linguagem SQL l 0.3 Características da Linguagem SQL 3 0.4 A Composição deste Livro 3

Sumário 1 0.1 Introdução 1 0.2 Breve História da Linguagem SQL l 0.3 Características da Linguagem SQL 3 0.4 A Composição deste Livro 3 ÍNDICE o -INTRODUÇÃO Sumário 1 0.1 Introdução 1 0.2 Breve História da Linguagem SQL l 0.3 Características da Linguagem SQL 3 0.4 A Composição deste Livro 3 0.5 Sistemas Utilizados 6 0.5.1 Access 2003 (Microsoft)

Leia mais

Arquitecturas de Software Mestrado em Engenharia Informática e de Computadores

Arquitecturas de Software Mestrado em Engenharia Informática e de Computadores UNIVERSIDADE TÉCNICA DE LISBOA INSTITUTO SUPERIOR TÉCNICO Arquitecturas de Software Mestrado em Engenharia Informática e de Computadores Exame 2 de Fevereiro de 2008, 9:00H 11:30H (duração 2:30H) Nome:

Leia mais

Triggers e Regras. Fernando Lobo. Base de Dados, Universidade do Algarve

Triggers e Regras. Fernando Lobo. Base de Dados, Universidade do Algarve Triggers e Regras Fernando Lobo Base de Dados, Universidade do Algarve 1 / 14 Triggers Um trigger permite que uma determinada sequência de comandos SQL seja accionada quando um determinado evento ocorre.

Leia mais

Logado no OracleXE vamos acessar a opção:

Logado no OracleXE vamos acessar a opção: Tutorial PL/SQL O PL/SQL é uma linguagem procedural que roda diretamente no núcleo do SGBD Oracle. O objetivo deste tutorial é mostrar a criação de funções e procedimentos em PL/SQL, interagindo com comandos

Leia mais

Uma expressão básica em SQL consiste em três cláusulas: select, from e where.

Uma expressão básica em SQL consiste em três cláusulas: select, from e where. Introdução a Banco de Dados O.K. Takai; I.C.Italiano; J.E. Ferreira. 67 8 A Linguagem SQL A linguagem SQL é um padrão de linguagem de consulta comercial que usa uma combinação de construtores em Álgebra

Leia mais

Princípio dos anos 70 IBM desenvolve a linguagem Sequel para o System R. Standards ISO e ANSI SQL-86, SQL-89, SQL-92, SQL:1999, SQL:2003

Princípio dos anos 70 IBM desenvolve a linguagem Sequel para o System R. Standards ISO e ANSI SQL-86, SQL-89, SQL-92, SQL:1999, SQL:2003 Bases de Dados Introdução à linguagem SQL História Princípio dos anos 70 IBM desenvolve a linguagem Sequel para o System R Renomeada para SQL (Structured Query Language) Standards ISO e ANSI SQL-86, SQL-89,

Leia mais

Regras de Negócios é com o Elefante!

Regras de Negócios é com o Elefante! Regras de Negócios é com o Elefante! HARDWARE SOFTWARE Pesquisa Quantas camadas? Regras na Aplicação? Regras numa Camada Intermediária? Regras no Banco de Dados? Explain / Plano de Consulta? E as minhas

Leia mais

Dependências Funcionais

Dependências Funcionais Dependências Funcionais Fernando Lobo Base de Dados, Universidade do Algarve 1 / 26 Motivação: Normalização Por vezes o esquema relacional tem falhas. Geralmente são derivadas de falhas no modelo conceptual.

Leia mais

LINGUAGEM SQL PARA CONSULTAS EM MICROSOFT ACCESS

LINGUAGEM SQL PARA CONSULTAS EM MICROSOFT ACCESS LINGUAGEM SQL PARA CSULTAS EM MICROSOFT ACCESS Objetivos: Neste tutorial serão apresentados os principais elementos da linguagem SQL (Structured Query Language). Serão apresentados diversos exemplos práticos

Leia mais

Introdução à Banco de Dados. Nathalia Sautchuk Patrício

Introdução à Banco de Dados. Nathalia Sautchuk Patrício Introdução à Banco de Dados Nathalia Sautchuk Patrício Histórico Início da computação: dados guardados em arquivos de texto Problemas nesse modelo: redundância não-controlada de dados aplicações devem

Leia mais

Tarefa Orientada 18 Procedimentos armazenados

Tarefa Orientada 18 Procedimentos armazenados Tarefa Orientada 18 Procedimentos armazenados Objectivos: Criar Procedimentos armazenados Chamar procedimentos armazenados Utilizar parâmetros de entrada e de saída Um procedimento armazenado representa

Leia mais

Bases de Dados. Restrições de integridade. Restrições de integridade. As restrições de integridade garantem a consistência da BD exemplos

Bases de Dados. Restrições de integridade. Restrições de integridade. As restrições de integridade garantem a consistência da BD exemplos Bases de Dados Restrições de integridade Restrições de integridade As restrições de integridade garantem a consistência da BD exemplos RI 1: o saldo de uma conta não pode ser null RI 2: nenhuma conta pode

Leia mais

PROGRAMAÇÃO EM BANCO DADOS Stored Procedure e Trigger

PROGRAMAÇÃO EM BANCO DADOS Stored Procedure e Trigger PROGRAMAÇÃO EM BANCO DADOS Stored Procedure e Trigger A tecnologia de banco de dados permite persistir dados de forma a compartilha-los com varias aplicações. Aplicação 1 aplicação 2 aplicação 3 SGDB Banco

Leia mais

Tipos de dados complexos e objectos Tipos de dados estruturados e herança em SQL Herança de tabelas Matrizes e multi-conjuntos em SQL Identidade de

Tipos de dados complexos e objectos Tipos de dados estruturados e herança em SQL Herança de tabelas Matrizes e multi-conjuntos em SQL Identidade de Capítulo 8: BDs Objecto-Relacional Tipos de dados complexos e objectos Tipos de dados estruturados e herança em SQL Herança de tabelas Matrizes e multi-conjuntos em SQL Identidade de Objectos e Referência

Leia mais

Aplicação do Padrão Data Access Object (DAO) em Projetos Desenvolvidos com Delphi

Aplicação do Padrão Data Access Object (DAO) em Projetos Desenvolvidos com Delphi Aplicação do Padrão Data Access Object (DAO) em Projetos Desenvolvidos com Delphi Marcelo Sardagna 1, Adilson Vahldick 1 1 Departamento de Sistemas e Computação Universidade Regional de Blumenau (FURB)

Leia mais

2008.2. SQL Avançado Continuação. Renata Viegas

2008.2. SQL Avançado Continuação. Renata Viegas SQL Avançado Continuação Renata Viegas Cláusula COMPUTE Sintaxe: SELECT FROM ORDER BY COMPUTE BY Para que serve? Gerar totalizadores

Leia mais

Administração de Banco de Dados

Administração de Banco de Dados Administração de Banco de Dados Adriano J. Holanda http://holanda.xyz 28/8/2015 Índices Para os testes com os índices criaremos uma tabela chamada tteste com o comando teste=> CREATE TABLE tteste (id int4);

Leia mais

Hugo Pedro Proença, 2007

Hugo Pedro Proença, 2007 Stored Procedures À medida que a complexidade dos sistemas aumenta, torna-se cada vez mais difícil a tarefa de integrar o SQL com as aplicações cliente. Além disto, é necessário que todas as aplicações

Leia mais

Banco de Dados Profa. Dra. Cristina Dutra de Aguiar Ciferri. Banco de Dados Processamento e Otimização de Consultas

Banco de Dados Profa. Dra. Cristina Dutra de Aguiar Ciferri. Banco de Dados Processamento e Otimização de Consultas Processamento e Otimização de Consultas Banco de Dados Motivação Consulta pode ter sua resposta computada por uma variedade de métodos (geralmente) Usuário (programador) sugere uma estratégia para achar

Leia mais

PHP INTEGRAÇÃO COM MYSQL PARTE 1

PHP INTEGRAÇÃO COM MYSQL PARTE 1 INTRODUÇÃO PHP INTEGRAÇÃO COM MYSQL PARTE 1 Leonardo Pereira leonardo@estudandoti.com.br Facebook: leongamerti http://www.estudandoti.com.br Informações que precisam ser manipuladas com mais segurança

Leia mais

SQL UMA ABORDAGEM INTERESSANTE

SQL UMA ABORDAGEM INTERESSANTE SQL é uma linguagem de consulta estruturada, do inglês Structured Query Language. É uma linguagem de pesquisa declarativa para banco de dados relacional (base de dados relacional). Muitas das características

Leia mais

Informática para Ciências e Engenharias 2012/13. Teórica 10

Informática para Ciências e Engenharias 2012/13. Teórica 10 Informática para Ciências e Engenharias 2012/13 Teórica 10 Na aula de hoje... Introdução aos sistemas de bases de dados (parte 2): Combinar MATLAB e SQL Um exemplo prático 2 MATLAB + SQL 3 MATLAB + SQL

Leia mais

Sistemas de Informação e Bases de Dados 2012/2013. Restrições de Integridade em SQL

Sistemas de Informação e Bases de Dados 2012/2013. Restrições de Integridade em SQL Sistemas de Informação e Bases de Dados 2012/2013 Restrições de Integridade em SQL Alberto Sardinha Bibliografia Raghu Ramakrishnan, Database Management Systems, Cap. 3 e 5 1 Captura e Tratamento das RIs

Leia mais

Prof. Carlos Majer Aplicações Corporativas UNICID

Prof. Carlos Majer Aplicações Corporativas UNICID Este material pertence a Carlos A. Majer, Professor da Unidade Curricular: Aplicações Corporativas da Universidade Cidade de São Paulo UNICID Licença de Uso Este trabalho está licenciado sob uma Licença

Leia mais

Banco de Dados. Um momento crucial na organização dos dados é a forma com que cadastramos estes dados, a estrutura de armazenamento que criamos.

Banco de Dados. Um momento crucial na organização dos dados é a forma com que cadastramos estes dados, a estrutura de armazenamento que criamos. Banco de Dados O que é um Banco de Dados? Este assunto é muito vasto, tentaremos resumi-lo para atender as questões encontradas em concursos públicos. Já conhecemos o conceito de dado, ou seja, uma informação

Leia mais

- Aulas 57, 58, 59 e 60 - Técnicas de programação. Funções

- Aulas 57, 58, 59 e 60 - Técnicas de programação. Funções 1 - Aulas 57, 58, 59 e 60 - Técnicas de programação. Funções Um programa pode possuir determinados processos realizados repetidas vezes ao longo da execução do programa. Estes processos podem se agrupar

Leia mais

EXEMPLOS DE COMANDOS NO SQL SERVER

EXEMPLOS DE COMANDOS NO SQL SERVER EXEMPLOS DE COMANDOS NO SQL SERVER Gerenciando Tabelas: DDL - DATA DEFINITION LANGUAG Criando uma tabela: CREATE TABLE CLIENTES ID VARCHAR4 NOT NULL, NOME VARCHAR30 NOT NULL, PAGAMENTO DECIMAL4,2 NOT NULL;

Leia mais

2008.2. Stored Procedures. Renata Viegas

2008.2. Stored Procedures. Renata Viegas Renata Viegas Definição Conjunto de comandos SQL que são compilados e armazenados no servidor Características Podem ser armazenados no banco de dados e acionados por qualquer programa aplicativo que tenha

Leia mais

Faculdade Pitágoras 16/08/2011. Curso Superior de Tecnologia: Banco de Dados Sistemas para Internet

Faculdade Pitágoras 16/08/2011. Curso Superior de Tecnologia: Banco de Dados Sistemas para Internet Faculdade Pitágoras Curso Superior de Tecnologia: Banco de Dados Sistemas para Internet Disciplina: Banco de Dados Prof.: Fernando Hadad Zaidan SQL A linguagem SQL é responsável por garantir um bom nível

Leia mais

Faculdade Pitágoras. Curso Superior de Tecnologia: Banco de Dados. Disciplina: Banco de Dados Prof.: Fernando Hadad Zaidan SQL

Faculdade Pitágoras. Curso Superior de Tecnologia: Banco de Dados. Disciplina: Banco de Dados Prof.: Fernando Hadad Zaidan SQL Faculdade Pitágoras Curso Superior de Tecnologia: Banco de Dados Disciplina: Banco de Dados Prof.: Fernando Hadad Zaidan SQL A linguagem SQL é responsável por garantir um bom nível de independência do

Leia mais

BANCO DE DADOS II LINGUAGEM SQL - STRUCTURED QUERY LANGUAGE. Prof.: Elvis Bloemer Meurer

BANCO DE DADOS II LINGUAGEM SQL - STRUCTURED QUERY LANGUAGE. Prof.: Elvis Bloemer Meurer BANCO DE DADOS II LINGUAGEM SQL - STRUCTURED QUERY LANGUAGE Prof.: Elvis Bloemer Meurer ORLEANS, 2011 1 CAPITULO 6: FUNÇÕES DE GRUPO...4 6.1 OBJETIVOS DESTE CAPÍTULO...4 6.2 FUNÇÕES DISPONÍVEIS...4 6.3

Leia mais

Sistemas de Informação e Bases de Dados 2012/2013. Índices. Alberto Sardinha

Sistemas de Informação e Bases de Dados 2012/2013. Índices. Alberto Sardinha Sistemas de Informação e Bases de Dados 2012/2013 Índices Alberto Sardinha Sumário Índices Criação de Índices em SQL Exemplos 2012 Ins)tuto Superior Técnico 1 Bibliografia Raghu Ramakrishnan, Database

Leia mais

Bases de Dados 1º semestre

Bases de Dados 1º semestre DepartamentodeEngenhariaInformática 2008/2009 BasesdeDados1ºsemestre Lab1:Introduçãoaoambiente O ficheiro create bank.sql contém um conjunto de instruções SQL para criar a base de dadosdeexemploilustradanafigura1.

Leia mais

Lista 02 Sistema de Banco de Dados CAP 241 Computação Aplicada I

Lista 02 Sistema de Banco de Dados CAP 241 Computação Aplicada I Lista 02 Sistema de Banco de Dados CAP 241 Computação Aplicada I Considere o diagrama relacional da Figura 1 e escreva os comandos SQL para executar os exercícios abaixo. Figure 1 Diagrama relacional.

Leia mais

Introdução às funções e procedimentos. SQL suporta funções e procedimentos úteis com tipos de dados específicos

Introdução às funções e procedimentos. SQL suporta funções e procedimentos úteis com tipos de dados específicos Bases de Dados Funções e procedimentos Introdução às funções e procedimentos SQL suporta funções e procedimentos úteis com tipos de dados específicos p.ex. objectos geométricos, imagens intersecção de

Leia mais

Bases de Dados. O ficheiro create-bank.sql contém um conjunto de instruções SQL para criar a base de dados de exemplo ilustrada na figura 1.

Bases de Dados. O ficheiro create-bank.sql contém um conjunto de instruções SQL para criar a base de dados de exemplo ilustrada na figura 1. Departamento de Engenharia Informática 2008/2009 Bases de Dados Lab 1: Introdução ao ambiente 1º semestre O ficheiro create-bank.sql contém um conjunto de instruções SQL para criar a base de dados de exemplo

Leia mais

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO GERENCIAIS

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO GERENCIAIS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO GERENCIAIS Aluno: Luiza Cavalcanti Marques Orientador: Silvio Hamacher Introdução A modelagem e a utilização de bancos de dados em atividades gerenciais têm sofrido um aumento significativo

Leia mais

Banco de Dados. Prof. Antonio

Banco de Dados. Prof. Antonio Banco de Dados Prof. Antonio SQL - Structured Query Language O que é SQL? A linguagem SQL (Structure query Language - Linguagem de Consulta Estruturada) é a linguagem padrão ANSI (American National Standards

Leia mais

Capítulo 1 INTRODUÇÃO A BANCO DE DADOS

Capítulo 1 INTRODUÇÃO A BANCO DE DADOS Capítulo 1 INTRODUÇÃO A BANCO DE DADOS 1.1 - BANCO DE DADOS - INTRODUÇÃO...2 1.1.1- Dados...2 1.1.2- Hardware...3 1.1.3- Software...3 1.1.4- Usuários...4 1.2 - SISTEMAS DE ARQUIVOS CONVENCIONAIS...5 1.3

Leia mais

Bancos de Dados: impossível viver sem eles...

Bancos de Dados: impossível viver sem eles... Bancos de Dados: impossível viver sem eles... Vanessa Braganholo vanessa@ic.uff.br Vocês já sabem programar... Problema: eu preciso calcular a média de uma turma de Estruturas de Dados II public static

Leia mais

Laboratório de Banco de Dados II

Laboratório de Banco de Dados II Laboratório de Banco de Dados II Esquema de um banco de dados relacional Em aulas anteriores, vocês implantaram um projeto físico de banco de dados com todos os seus elementos, inclusive tratando do projeto

Leia mais

INSTITUTO SUPERIOR TÉCNICO Administração e Optimização de Bases de Dados

INSTITUTO SUPERIOR TÉCNICO Administração e Optimização de Bases de Dados Número: Nome: 1 -------------------------------------------------------------------------------------------------------------- INSTITUTO SUPERIOR TÉCNICO Administração e Optimização de Bases de Dados Exame

Leia mais

SQL Structured Query Language

SQL Structured Query Language Janai Maciel SQL Structured Query Language (Banco de Dados) Conceitos de Linguagens de Programação 2013.2 Structured Query Language ( Linguagem de Consulta Estruturada ) Conceito: É a linguagem de pesquisa

Leia mais

Departamento de Engenharia de Electrónica e Telecomunicações e de Computadores Licenciatura em Engenharia Informática e de Computadores

Departamento de Engenharia de Electrónica e Telecomunicações e de Computadores Licenciatura em Engenharia Informática e de Computadores Instituto Superior de Engenharia de Lisboa Departamento de Engenharia de Electrónica e Telecomunicações e de Computadores Licenciatura em Engenharia Informática e de Computadores Trabalho prático Sistemas

Leia mais

Bases de Dados 2012/2013 Restrições de Integridade em SQL. Helena Galhardas 2012 IST. Bibliografia

Bases de Dados 2012/2013 Restrições de Integridade em SQL. Helena Galhardas 2012 IST. Bibliografia Bases de Dados 2012/2013 Restrições de Integridade em SQL Helena Galhardas Bibliografia Raghu Ramakrishnan, Database Management Systems, Cap. 3 e 5 1 1 Sumário Restrições de Integridade (RIs) em SQL Chave

Leia mais

Bases de Dados. Lab 1: Introdução ao ambiente. Figura 1. Base de dados de exemplo

Bases de Dados. Lab 1: Introdução ao ambiente. Figura 1. Base de dados de exemplo Departamento de Engenharia Informática 2014/2015 Bases de Dados Lab 1: Introdução ao ambiente 1º semestre O ficheiro bank.sql contém um conjunto de instruções SQL para criar a base de dados de exemplo

Leia mais

Índice. Introdução 31. Tutorial 1: O Microsoft Access como Sistema de Gestão de Bases de Dados Relacionais 35

Índice. Introdução 31. Tutorial 1: O Microsoft Access como Sistema de Gestão de Bases de Dados Relacionais 35 Introdução 31 1. Bases de Dados Relacionais 31 2. Modelação de Bases de Dados 31 3. Modelo de Classes UML 32 4. Linguagem SQL 32 5. Sobre o Microsoft" Access" 32 Tutorial 1: O Microsoft Access como Sistema

Leia mais

FAPLAN - Faculdade Anhanguera Passo Fundo Gestão da Tecnologia da Informação Banco de Dados II Prof. Eder Pazinatto Stored Procedures Procedimento armazenados dentro do banco de dados Um Stored Procedure

Leia mais

Linguagem de Consulta - SQL

Linguagem de Consulta - SQL Complementos da Linguagem SQL - Eliminando Tuplas Repetidas Exemplo: Obter o código das editoras que têm livros publicados CodEditora Titulo Publicacao... 04 Banco de Dados 1989 02 Análise 2000 01 XML

Leia mais

Programação SQL. Introdução

Programação SQL. Introdução Introdução Principais estruturas duma Base de Dados: Uma BD relacional é constituída por diversas estruturas (ou objectos ) de informação. Podemos destacar: Database: designa a própria BD; Table/Tabela:

Leia mais

SQL DML. Frederico D. Bortoloti freddb@ltc.ufes.br

SQL DML. Frederico D. Bortoloti freddb@ltc.ufes.br Banco de Dados I SQL DML Frederico D. Bortoloti freddb@ltc.ufes.br SQL - DML Os exemplos da aula serão elaborados para o esquema de dados a seguir: Empregado(matricula, nome, endereco, salario, supervisor,

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE

DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE VARIAÁ VEL Antes de iniciarmos os comandos referentes a Banco de Dados, precisamos de uma breve descrição técnica sobre Variáveis que serão uma constante em programação seja qual for sua forma de leitura.

Leia mais

Triggers em PostgreSQL. Linguagem de Programação de Banco de Dados. Triggers em PostgreSQL. Triggers em PostgreSQL

Triggers em PostgreSQL. Linguagem de Programação de Banco de Dados. Triggers em PostgreSQL. Triggers em PostgreSQL Prof. Ms. Luiz Alberto Contato: lasf.bel@gmail.com Linguagem de Programação de Banco de Dados Triggers em PostgreSQL Todos os bancos de dados comerciais possuem uma linguagem procedural auxiliar para a

Leia mais

ACCESS BÁSICO. Exercício 1 NCE/UFRJ. 1. O que são bancos de dados?...

ACCESS BÁSICO. Exercício 1 NCE/UFRJ. 1. O que são bancos de dados?... Introdução ao Microsoft Access 97 Bancos de dados: o que são e como funcionam Criar e trabalhar com bancos de dados Bancos de dados: o que são e como funcionam 1. O que são bancos de dados? 2. Cite outros

Leia mais

Sistemas de Informação

Sistemas de Informação Sistemas de Informação Rules and Triggers André Restivo Sistemas de Informação 2006/07 Rules e Triggers Nem todas as restrições podem ser definidas usando os mecanismos que estudamos anteriormente: - CHECK

Leia mais

Ficheiros de dados, registos e campos pág. 2 Limitações das bases de dados baseadas numa só tabela pág. 2 Sistemas de Gestão de Base de Dados pág.

Ficheiros de dados, registos e campos pág. 2 Limitações das bases de dados baseadas numa só tabela pág. 2 Sistemas de Gestão de Base de Dados pág. Conteúdos Dos ficheiros de dados aos sistemas de gestão de base de dados Ficheiros de dados, registos e campos pág. 2 Limitações das bases de dados baseadas numa só tabela pág. 2 Sistemas de Gestão de

Leia mais

O que são Bancos de Dados?

O que são Bancos de Dados? SQL Básico Liojes de Oliveira Carneiro professor.liojes@gmail.com www.professor-liojes.blogspot.com O que são Bancos de Dados? É o software que armazena, organiza, controla, trata e distribui os dados

Leia mais

8. Perguntas e Respostas

8. Perguntas e Respostas Arquimedes Manual do Utilizador 185 8. Perguntas e Respostas 8.1. Aparência Para conservar a disposição na qual estão expostas as B.D. no ecrã e para que em posteriores sessões de trabalho tenham a mesma

Leia mais