Partilhar dados na Saúde

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Partilhar dados na Saúde"

Transcrição

1 Partilhar dados na Saúde Uma perspetiva Internacional Seminário internacional de Saúde

2 Data synchronization is not just about technology it is about people and processes working together to form a highly integrated and collaborative value chain Synchronization - The Next Generation of Business Partnering 2

3 Quais os benefícios da sincronização de dados entre parceiros de negócio? 3

4 Sincronização de dados Situações comuns Erros no alinhamento de dados Erros na faturação Oportunidades perdidas Incorretos: 30% dos dados Para Corrigir: 60 a 80 por erro Correção: 25 minutos/sku/ano Incorretos : 60% apresentam erros Custos: 43% têm deduções Correção: 40 a 400 para reconciliar Entrada em Linha: 4 semanas em média Vendas Perdidas: 3,5% devido a dados incorretos 4

5 GS1 GDSN Global Data Synchronisation Network 5

6 Sincronização de dados GS1 GDSN GS1 GDSN é um ambiente global, automático e baseado em normas que permitem a sincronização dos dados de uma forma contínua e segura, permitindo a todas as empresas obter dados dos artigos de forma consistente nos seus sistemas em tempo real. 6

7 Sincronização de dados Cenário sem GDSN Fornecedor Cliente ASP ASP ASP ASP ASP Application Service Provider 7

8 Sincronização de dados Cenário com GDSN Fornecedor Cliente GDSN Evita adaptações individuais. É utilizado um único modelo de dados Qualidade da informação. Rigor é obtido quando muitos utilizam a informação Facilidade em alcançar massa crítica. Um só não compensa mas com muitos a rentabilidade será atingida Automatização de processos. Chave na eficiência 8

9 Sync PT Solução Nacional GDSN 9

10 GDSN em Portugal Sync PT A plataforma Sync PT: Um único ponto de entrada para os dados mestre Introdução mais rápida e fácil de novos artigos Não há necessidade de tabelas de conversão Forma eficiente de pesos e medidas Otimização do Planeamento de curto prazo Introdução de imagens do produto Gestão da informação para consumidores Menos trabalho administrativo https://syncpt.gs1pt.org 10

11 Apoio de Grandes Insígnias

12 Ponto de Situação Sync PT Evolução Nº de inscritos na Plataforma 12

13 Ponto de Situação Sync PT Evolução Produtos 13

14 Sincronização de dados Sync PT Uma solução para as necessidades de todos os clientes! Portal GS1 B2C Quality Assurance Media Códigos de Barras 14

15 National Product Catalogue (NPC)

16 National Product Catalogue (NPC) O National Product Catalogue (NPC) é o meio utilizado pelos fornecedores para disponibilizarem electronicamente dados de produto e preço, normalizados e correctos, aos departamentos de saúde Australianos e hospitais privados O NPC faculta aos fornecedores um único mecanismo para comunicar dados catalogados de forma estruturada a muitos clientes de saúde estabelecendo uma única maneira de aceder aos dados dos seus múltiplos fornecedores O NPC permite a sincronização de dados de produto e preço, para maior e melhor precisão na procura electrónica (eprocurement)

17 NPC Sincronização Dados

18 NPC Dados de Utilização National Product Catalogue >+330,000 itens >+470 fornecedores Todas as jurisdições acedem aos dados Dados limpos e normalizados em todos os sistemas Sector Privado Hospitais privados Farmácias comunitárias / prestadores software farmácia Referência precisa de Códigos de Desconto para reembolsos Foco resultados clínicos Terminologias clínicas Rastreabilidade e recolha de produtos Verificação no paciente => Registo Electrónico Aprovação produtos farmacêuticos A implementação do NPC vai permitir ao sector público de saúde, poupar por ano até cerca de $AU200 milhões GS1 Austrália 22 Outubro GS1 Healthcare Conference

19 Projeto INSA / Portfir

20 Ligação INSA Portfir/Sync PT Informação Consumidor Reg EU 1169/2011 Fornecedor/ Vendedor Data Pool Origem GS1 Global Registry Data Pool Destino Retalhista/ Comprador Consumidores podem sentir-se confiantes que a informação sobre a composição dos produtos a que acedem é certa, independentemente da forma, ou do local onde interagem com os produtos Informação Regulador Reg EU 489/2012 A Autoridade Nacional Alimentar consegue fazer um melhor seguimento da evolução nacional e facultar aos operadores a melhor informação possível

21 Ligação INSA Portfir/Sync PT Fluxo de Informação LANGUAL GPC GS1 Global Registry Source Data Pool Recipient Data Pool Data Producer Supplier/ Seller Retailer/ Buyer

22

23 Outro Sync PT na Saúde Registo Global Centrais de Compras Produtor Datapool Origem Datapool Destino Hospital Regulador

24 Muito Obrigado Nuno Azevedo Diretor Área Inovação e Tecnologia Sync PT:

Segurança do Consumidor na Plataforma Sync PT. IMPLEMENTAÇÃO DO REGULAMENTO (UE) N.º 1169/2011 2 de Abril 2014 INSA

Segurança do Consumidor na Plataforma Sync PT. IMPLEMENTAÇÃO DO REGULAMENTO (UE) N.º 1169/2011 2 de Abril 2014 INSA Segurança do Consumidor na Plataforma Sync PT IMPLEMENTAÇÃO DO REGULAMENTO (UE) N.º 1169/2011 2 de Abril 2014 INSA AGENDA 1. Enquadramento 2. Plataforma Sync PT 3. Qualidade da Informação 4. Regulamento

Leia mais

Rotulagem nutricional Intercâmbio de informação entre Sync PT, GS1 Portugal e PortFIR/SGRIA, INSA

Rotulagem nutricional Intercâmbio de informação entre Sync PT, GS1 Portugal e PortFIR/SGRIA, INSA Rotulagem nutricional Intercâmbio de informação entre Sync PT, GS1 Portugal e PortFIR/SGRIA, INSA 6ª Reunião Anual PORTFIR 31 Outubro 2013 Silvério Paixão O Mundo está a mudar Sabia que? Os Consumidores

Leia mais

Alinhamento de dados com Sync PT Data Pool. Lisboa 2014-03-06

Alinhamento de dados com Sync PT Data Pool. Lisboa 2014-03-06 Alinhamento de dados com Sync PT Data Pool Lisboa 2014-03-06 3 O Alinhamento de dados com a plataforma SYNC PT Data Pool O PROJETO IMPLEMENTAÇÃO O PROCESSO 4 O Alinhamento de dados com a plataforma SYNC

Leia mais

Roadshow GS1 PORTUGAL AVEIRO

Roadshow GS1 PORTUGAL AVEIRO Roadshow GS1 PORTUGAL AVEIRO # Café-temático: Qualidade dos dados na Gestão da Informação Susana Gaspar Técnica de Qualidade dos dados GS1 4 de junho 2015 Agenda 1. Qualidade dos dados da informação 2.

Leia mais

O Contributo Internacional da GS1 no Contexto da Sincronização de Bases de Dados

O Contributo Internacional da GS1 no Contexto da Sincronização de Bases de Dados O Contributo Internacional da GS1 no Contexto da Sincronização de Bases de Dados Lançamento da Plataforma G.R.I.A. 20-04-2009 The global language of business O que é a sincronização de dados? 2009 GS1

Leia mais

Classificação de Produtos (GPC)

Classificação de Produtos (GPC) Classificação de Produtos (GPC) Leonor Vale Roadshow GS1 Portugal AIMinho Braga 25.Nov.2010 The global language of business Definição da GS1 GPC GS1 GPC Global Product Classification Classificação Global

Leia mais

Norma Global para a Rastreabilidade: A base para a visibilidade, qualidade e segurança na cadeia de valor

Norma Global para a Rastreabilidade: A base para a visibilidade, qualidade e segurança na cadeia de valor Norma Global para a Rastreabilidade: A base para a visibilidade, qualidade e segurança na cadeia de valor Introdução O Sistema GS1, devido à sua capacidade de fornecer uma identificação única e global

Leia mais

Documento Geral Explicativo. GS1 Portugal. Sync PT Documento Geral Explicativo

Documento Geral Explicativo. GS1 Portugal. Sync PT Documento Geral Explicativo Documento Geral Explicativo GS1 Portugal 1 Índice Plataforma Sync PT... 3 Enquadramento... 3 Benefícios para a Cadeia de Valor... 4 Benefícios para o Consumidor... 5 Excelência na informação -Solução focada

Leia mais

RETALHO DECLARA APOIO EXPRESSO À PLATAFORMA SYNC PT PARA GARANTIR CUMPRIMENTO DO REGULAMENTO EUROPEU

RETALHO DECLARA APOIO EXPRESSO À PLATAFORMA SYNC PT PARA GARANTIR CUMPRIMENTO DO REGULAMENTO EUROPEU CONGRESSO NACIONAL GS1 PORTUGAL 2014 Comissão organizadora REGULAMENTO EUROPEU 1169/11: CONTAGEM DECRESCENTE PARA AS NOVAS REGRAS DE ROTULAGEM E VENDA ONLINE DE PRODUTOS ALIMENTARES Faltam cinco meses

Leia mais

NORMALIZAÇÃO Normas Globais para a Codificação de Produtos 14 de Dezembro 2010 Silvério Paixão

NORMALIZAÇÃO Normas Globais para a Codificação de Produtos 14 de Dezembro 2010 Silvério Paixão NORMALIZAÇÃO Normas Globais para a Codificação de Produtos 14 de Dezembro 2010 Silvério Paixão The global language of business Construindo pontes entre diversos parceiros da cadeia de distribuição Qual

Leia mais

ÍNDICE ID FLOW FÁBRICAS DO FUTURO VANTAGENS MÓDULOS FUNCIONAIS SOLUÇÕES FLOW FLOW MANUFACTURING FLOW QUALITY FLOW AUDIT FLOW RETAIL FLOW LOGISTIC

ÍNDICE ID FLOW FÁBRICAS DO FUTURO VANTAGENS MÓDULOS FUNCIONAIS SOLUÇÕES FLOW FLOW MANUFACTURING FLOW QUALITY FLOW AUDIT FLOW RETAIL FLOW LOGISTIC ÍNDICE 02 04 06 08 ID FLOW FÁBRICAS DO FUTURO VANTAGENS MÓDULOS FUNCIONAIS 10 12 16 20 24 28 SOLUÇÕES FLOW FLOW MANUFACTURING FLOW QUALITY FLOW AUDIT FLOW RETAIL FLOW LOGISTIC 02 ID Flow Criada em 2006,

Leia mais

(sincronização de bases de dados)

(sincronização de bases de dados) sgria-sync PT (sincronização de bases de dados) Fernanda Mascarenhas 30 de Outubro 2014 INSA/GS1- Trabalho desenvolvido Work done Escolha atributos GDSN para cumprimento do Regulamento EU N.º 1169/2011

Leia mais

Global Data Synchronization Network (GS1 GDSN)

Global Data Synchronization Network (GS1 GDSN) Global Data Synchronization Network (GS1 GDSN) RoadShow GS1 Portugal Braga 25 de Novembro de 2010 The global language of business ecommerce O que é ecommerce? É a utilização das comunicações electrónicas

Leia mais

ASAE TERÁ PAPEL ATIVO NA FISCALIZAÇÃO DO REG. EU 1169/11 560 E.INVOICE: UM SERVIÇO DE FATURAÇÃO ELETRÓNICA GRATUITO E SIMPLES PARA PME

ASAE TERÁ PAPEL ATIVO NA FISCALIZAÇÃO DO REG. EU 1169/11 560 E.INVOICE: UM SERVIÇO DE FATURAÇÃO ELETRÓNICA GRATUITO E SIMPLES PARA PME REGULAMENTO EUROPEU 1169/11 LISTA DE ATRIBUTOS OBRIGATÓRIOS EM CANAIS DE VENDA À DISTÂNCIA 1. Denominação ou nome do género alimentício; 2. Lista de ingredientes; 3. Indicação de todos os ingredientes

Leia mais

Importância da Qualidade dos Dados na Eficiência da Cadeia de Valor. 8ª Reunião Annual PortFIR 2015.10.30

Importância da Qualidade dos Dados na Eficiência da Cadeia de Valor. 8ª Reunião Annual PortFIR 2015.10.30 Importância da Qualidade dos Dados na Eficiência da Cadeia de Valor 8ª Reunião Annual PortFIR 2015.10.30 Data synchronization is not just about technology it is about people and processes working together

Leia mais

Fonte: http://www.mckinsey.com

Fonte: http://www.mckinsey.com 30000000 70000000 Fonte: http://www.mckinsey.com 700000 1400000 Fonte: http://www.mckinsey.com 22000 43000 Fonte: http://www.mckinsey.com Fonte: http://www.mckinsey.com Disponível em: http://www.gs1.org/healthcare/mckinsey

Leia mais

Varejo e Tecnologia:

Varejo e Tecnologia: Seminário GVcev Varejo e Tecnologia: Presente e Perspectivas Iniciativas de Colaboração Sergio Ribinik CEO da GS1 BRASIL MEMBRO DO ADVISORY COUNCIL DA GS1 MEMBRO DO BOARD DO EPC GLOBAL Agenda Tecnologia

Leia mais

GS1 Contributo para uma Classificação Global

GS1 Contributo para uma Classificação Global GS1 Contributo para uma Classificação Global GS1 Portugal e o Sistema GS1 1ª Reunião da Rede Portuguesa sobre Composição dos Alimentos Projecto PortFIR 16 Dezembro 2008 Agenda Quem somos Sistema GS1 Quem

Leia mais

Noções essenciais sobre gestão de activos

Noções essenciais sobre gestão de activos Noções essenciais sobre gestão de activos Um White Paper da Zetes First-class partner for identification and mobility solutions www.zetes.com always a good id ÍNDICE 03 Introdução À hora certa e no lugar

Leia mais

ACREDITAÇÃO DOS HOSPITAIS PADRÕES DE QUALIDADE E ENFERMAGEM

ACREDITAÇÃO DOS HOSPITAIS PADRÕES DE QUALIDADE E ENFERMAGEM ACREDITAÇÃO DOS HOSPITAIS PADRÕES DE QUALIDADE E ENFERMAGEM Óbidos, Novembro 2008 Maria da Saudade de Oliveira Custódio Lopes SUMÁRIO DE APRESENTAÇÃO A Política de Qualidade para as Instituições de Saúde:

Leia mais

Sociedade da Informação e do Conhecimento Inquérito à Utilização de Tecnologias da Informação e da Comunicação nos Estabelecimentos Hoteleiros 2011

Sociedade da Informação e do Conhecimento Inquérito à Utilização de Tecnologias da Informação e da Comunicação nos Estabelecimentos Hoteleiros 2011 05 de dezembro de Sociedade da Informação e do Conhecimento Inquérito à Utilização de Tecnologias da Informação e da Comunicação nos Estabelecimentos Hoteleiros 87% dos Estabelecimentos Hoteleiros têm

Leia mais

PROJECTO-PILOTO RASTREABILIDADE DISPOSITIVOS MÉDICOS (DMS) EM AMBIENTE HOSPITALAR. Nuno Loureiro Silvério Paixão

PROJECTO-PILOTO RASTREABILIDADE DISPOSITIVOS MÉDICOS (DMS) EM AMBIENTE HOSPITALAR. Nuno Loureiro Silvério Paixão PROJECTO-PILOTO RASTREABILIDADE DISPOSITIVOS MÉDICOS (DMS) EM AMBIENTE HOSPITALAR Nuno Loureiro Silvério Paixão Junho 2015 ÂMBITO Em ambiente hospitalar do SNS* Universo de Dispositivos Médicos (DM s)

Leia mais

Sincronização de informação factor chave no Comércio Electrónico. Fernando Pereira

Sincronização de informação factor chave no Comércio Electrónico. Fernando Pereira Sincronização de informação factor chave no Comércio Electrónico Fernando Pereira Braga, 17 Novembro 2004 Agenda Apresentação da empresa Sincronização da informação Clarinet TM a solução da ParaRede Desafios

Leia mais

e.newsletter Abril_2014 .01 .02 .03 .calendário de Formação GS1 CONGRESSO NACIONAL GS1 PORTUGAL 2014 Comissão organizadora

e.newsletter Abril_2014 .01 .02 .03 .calendário de Formação GS1 CONGRESSO NACIONAL GS1 PORTUGAL 2014 Comissão organizadora CONGRESSO NACIONAL GS1 PORTUGAL 2014 Comissão organizadora.01 A GS1 Portugal vai realizar este ano a segunda edição do seu Congresso Nacional será no dia 23 de outubro, no Museu do Oriente, em Lisboa.

Leia mais

Guia de utilização da Plataforma GS1 Sync PT

Guia de utilização da Plataforma GS1 Sync PT Guia de utilização da Plataforma GS1 Versão 1.0 25/08/2015 Índice Introdução... 3 Como aceder ao Portal... 4 Ecrã Inicial... 5 Menu Inicial > Produtos... 5 Importação de produtos... 7 Exportação de produtos...

Leia mais

TABELA DE PREÇOS E CONDIÇÕES COMERCIAIS GS1 Portugal entrada em vigor 01/01/2014

TABELA DE PREÇOS E CONDIÇÕES COMERCIAIS GS1 Portugal entrada em vigor 01/01/2014 TABELA DE PREÇOS E CONDIÇÕES COMERCIAIS entrada em vigor 01/01/2014 ÍNDICE TABELA DE PREÇOS E CONDIÇÕES COMERCIAIS 01 ADMISSÃO À GS1 PORTUGAL JÓia Quota Anual Condições Comerciais 02 PRODUTOS GS1 PORTUGAL

Leia mais

Ask the local Barcoding Expert. Silvério Paixão, GS1 Portugal 23 Outubro, 2012

Ask the local Barcoding Expert. Silvério Paixão, GS1 Portugal 23 Outubro, 2012 Ask the local Barcoding Expert Silvério Paixão, GS1 Portugal 23 Outubro, 2012 9 7 8 8 5 7 1 6 4 4 9 5 3 Se podes olhar, vê. Se podes ver, repara. ENSAIO SOBRE A CEGUEIRA José Saramago Agenda Quem Somos

Leia mais

As práticas de gestão de preços entre empresas no Brasil

As práticas de gestão de preços entre empresas no Brasil As práticas de gestão de preços entre empresas no Brasil Alex Carneiro Verônica F. Mayer Apoio A pesquisa Valor Percebido Resultados Gestão de Preços Mercado Estudo exploratório. Percepção dos executivos.

Leia mais

Regulamentos da UE sobre Comércio Madeira Implementação em Portugal: ponto de situação

Regulamentos da UE sobre Comércio Madeira Implementação em Portugal: ponto de situação Regulamentos da UE sobre Comércio Madeira Implementação em Portugal: ponto de situação Lisboa, 20 Setembro 2012 Regulamentos UE sobre Comércio Madeira 1. Introdução e Enquadramento 2. Ponto de situação

Leia mais

A CURA GLOBAL PARA A SAÚDE PÚBLICA

A CURA GLOBAL PARA A SAÚDE PÚBLICA A CURA GLOBAL PARA A SAÚDE PÚBLICA Um relatório novo e independente divulgado pela McKinsey&Company estimou os benefícios em vidas e valor da implementação de um único padrão global para a saúde pública.

Leia mais

A Informação Geográfica na Economia e na Gestão do Território - Oportunidade: Sim ou Não

A Informação Geográfica na Economia e na Gestão do Território - Oportunidade: Sim ou Não A Informação Geográfica na Economia e na Gestão do Território - Oportunidade: Sim ou Não 26 de novembro de 2012 Auditório do CIUL - Centro de Informação Urbana de Lisboa- Patrocínio Apoio Patrocinadores

Leia mais

2015 espap Entidade de Serviços Partilhados da Administração Pública, I.P. Direitos reservados. 1

2015 espap Entidade de Serviços Partilhados da Administração Pública, I.P. Direitos reservados. 1 2015 espap Entidade de Serviços Partilhados da Administração Pública, I.P. Direitos reservados. 1 2015 espap Entidade de Serviços Partilhados da Administração Pública, I.P. Direitos reservados. 2 Agenda

Leia mais

Sistema EAN UCC para a Rastreabilidade

Sistema EAN UCC para a Rastreabilidade Sistema EAN UCC para a Rastreabilidade Marcos Gaspar Carreira Técnico de CAD Um Mundo Um Sistema The Global Language of Business A Linguagem Global dos Negócios GS1 Início de actividade em 1977; Com sede

Leia mais

Módulo de Serviços Técnicos PRIMAVERA. Rentabilize o trabalho das equipas técnicas sem esforço

Módulo de Serviços Técnicos PRIMAVERA. Rentabilize o trabalho das equipas técnicas sem esforço Módulo de Serviços Técnicos PRIMAVERA Rentabilize o trabalho das equipas técnicas sem esforço Módulo de Serviços Técnicos PRIMAVERA Investir num serviço pós-venda de qualidade não é mais um custo, é uma

Leia mais

A Agenda da Fatura Eletrónica na Administração Pública - Enquadramento

A Agenda da Fatura Eletrónica na Administração Pública - Enquadramento - Enquadramento 2 - Desafios futuros Diretiva Europeia 2014/55/EU Programa Transformacional de Gestão Financeira Autofaturação na Administração Pública eprocurement na Administração Pública 3 - Desafios

Leia mais

1º Jornada Responsabilidade Social em Portugal. New Atlântica 16 de outubro de 2015

1º Jornada Responsabilidade Social em Portugal. New Atlântica 16 de outubro de 2015 1º Jornada Responsabilidade Social em Portugal New Atlântica 16 de outubro de 2015 AGENDA 1/2 OEIRAS SOLIDÁRIA O que é o POS Objetivos O que fazemos Estrutura Organizativa Potencialidades Tipologia de

Leia mais

Comitê Técnico Nacional de Produtos Médicos como ferramenta de Gestão. de OPME

Comitê Técnico Nacional de Produtos Médicos como ferramenta de Gestão. de OPME 1 Comitê Técnico Nacional de Produtos Médicos como ferramenta de Gestão de OPME Palestrante: Diana Indiara Ferreira Jardim diana.jardim@unimedpoa.com.br 2 Sobre as OPME, no site da ANS circula no mercado

Leia mais

financeira O caso espanhol: finanzasparatodos.es

financeira O caso espanhol: finanzasparatodos.es Papel dos meios de comunicação na disseminação da formação financeira O caso espanhol: finanzasparatodos.es Fernando Tejada Diretor, Departamento de Conduta de Mercado e Reclamações BANCO DE ESPANHA 1.ª

Leia mais

e.newsletter GS1 Portugal

e.newsletter GS1 Portugal Caso não consiga visualizar corretamente, clique aqui A Linguagem Global dos Negócios Evento Da logística ao mobile: 3º Seminário de Boas Práticas Colaborativas debateu a eficiência e a qualidade dos dados

Leia mais

SIMULADOR MULTI-AGENTE DE MERCADOS ELECTRÓNICOS COM

SIMULADOR MULTI-AGENTE DE MERCADOS ELECTRÓNICOS COM SIMULADOR MULTI-AGENTE DE MERCADOS ELECTRÓNICOS COM MAPEAMENTO DE ONTOLOGIAS Maria João Viamonte, Nuno Silva GECAD - Knowledge Engineering and Decision Support Research Group Polytechnic Institute of Porto

Leia mais

Estudo de Fiabilidade de Leitura em Loja EFICIÊNCIA DOS NÍVEIS SERVIÇO E QUALIDADE DOS DADOS DE PRODUTO

Estudo de Fiabilidade de Leitura em Loja EFICIÊNCIA DOS NÍVEIS SERVIÇO E QUALIDADE DOS DADOS DE PRODUTO Estudo de Fiabilidade de Leitura em Loja EFICIÊNCIA DOS NÍVEIS SERVIÇO E QUALIDADE DOS DADOS DE PRODUTO Agenda 1. Enquadramento a) Circunstâncias que justificam o projecto b) Objectivos gerais c) Vectores

Leia mais

1 Contextualização 3 2 Administração do Joomla 5 3 Painel de controlo 6 3.1 Menu sítio 6 3.2 Menu utilizadores 7 3.3 Outras funcionalidades 8 4

1 Contextualização 3 2 Administração do Joomla 5 3 Painel de controlo 6 3.1 Menu sítio 6 3.2 Menu utilizadores 7 3.3 Outras funcionalidades 8 4 1 Contextualização 3 2 Administração do Joomla 5 3 Painel de controlo 6 3.1 Menu sítio 6 3.2 Menu utilizadores 7 3.3 Outras funcionalidades 8 4 Sistema de armazenamento e criação de conteúdos 9 4.1 Criar

Leia mais

FAQ. GS1 Portugal. FAQ Perguntas Mais Frequentes

FAQ. GS1 Portugal. FAQ Perguntas Mais Frequentes FAQ GS1 Portugal 1 Índice ADESÃO E UTILIZAÇÃO... 3 O que é a? Esta plataforma está relacionada com a Fatura Eletrónica?... 3 O que devo fazer para aderir à?... 3 A minha empresa não é associada da GS1

Leia mais

GRUPO H. CARLOS SCHNEIDER

GRUPO H. CARLOS SCHNEIDER GRUPO H. CARLOS SCHNEIDER PROCESSO DE COMPRA DE FERRAMENTAS - 2002 Recebimento dos desenhos das ferramentas especiais impresso 01 Analise do relatório de requisição de compras no SAP 02 Abertura da solicitação

Leia mais

O Sistema GS1 Normas para os T&L

O Sistema GS1 Normas para os T&L O Sistema GS1 Normas para os T&L MARCA Optimize as suas Operações Workshop Movimente Normas GS1 Eficiência nos T&L 29 Novembro, Hotel Villa Rica - Lisboa O QUE É A GS1? Sem Fins Lucrativos Neutra em relação

Leia mais

SUCH Serviço de Utilização Comum dos Hospitais

SUCH Serviço de Utilização Comum dos Hospitais Derechos Quem Somos O Serviço de Utilização Comum dos Hospitais é uma associação privada sem fins lucrativos, organizada e posicionada para a oferta integrada de Serviços Partilhados para o sector da Saúde.

Leia mais

Sistema Nacional de Certificação Energética de Edifícios (SCE) Paulo Santos / ADENE PORTUGAL

Sistema Nacional de Certificação Energética de Edifícios (SCE) Paulo Santos / ADENE PORTUGAL Sistema Nacional de Certificação Energética de Edifícios (SCE) Paulo Santos / ADENE PORTUGAL Inmetro, Brasil, 14 e 15 de Maio 2012 ÍNDICE ADENE - Apresentação Enquadramento e introdução ao SCE Formação

Leia mais

Como construir uma DLA?

Como construir uma DLA? Como construir uma DLA? Conteúdo Como construir uma DLA?... 2 Introdução... 2 Metodologia DLA... 3 1.Preparação da DLA... 3 2.Planeamento da DLA... 6 2.1. Avaliação do estado actual... 6 2.3. Desenvolvimento

Leia mais

e.newsletter GS1 Portugal

e.newsletter GS1 Portugal Caso não consiga visualizar corretamente, clique aqui A Linguagem Global dos Negócios Seminário Internacional de Boas Práticas Colaborativas Das plataformas logísticas às plataformas digitais. A 14 de

Leia mais

COLÓQUIO MOBILIDADE DE DOENTES ALTERNATIVA OU INEVITÁVEL? Acesso aos cuidados de saúde transfronteiriços na perspetiva do setor público

COLÓQUIO MOBILIDADE DE DOENTES ALTERNATIVA OU INEVITÁVEL? Acesso aos cuidados de saúde transfronteiriços na perspetiva do setor público COLÓQUIO MOBILIDADE DE DOENTES ALTERNATIVA OU INEVITÁVEL? Acesso aos cuidados de saúde transfronteiriços na perspetiva do setor público Cláudio Correia Divisão da Mobilidade de Doentes MOBILIDADE DE DOENTES:

Leia mais

Casos Práticos (Internacionais)

Casos Práticos (Internacionais) Casos Práticos (Internacionais) MARCA Optimize as suas Operações Workshop Movimente Normas GS1 Eficiência nos T&L 29 Novembro, Hotel Villa Rica - Lisboa Casos Estudo nos T&L Desenvolvido pelo GS1 Global

Leia mais

O FUTURO DOS HOSPITAIS E OS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

O FUTURO DOS HOSPITAIS E OS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO O FUTURO DOS HOSPITAIS E OS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Manuel Delgado Presidente da Associação Portuguesa de Administradores Hospitalares COIMBRA 04JAN28 by AC S U M Á R I O I. O CONTEXTO! Mercado da Saúde!

Leia mais

e.newsletter GS1 Portugal

e.newsletter GS1 Portugal Caso não consiga visualizar corretamente, clique aqui A Linguagem Global dos Negócios III Fórum Solution Providers Tecnologias de informação e comunicação defendem normalização e qualidade da informação

Leia mais

1) Termos e Condições

1) Termos e Condições 1) Termos e Condições Termos e Condições Plataforma Compras Públicas A informação contida nesta área regula o uso da presente página de Internet www.compraspublicas.com e de todo o seu conteúdo. Recomenda-se

Leia mais

Avaliação da data de execução 33% Semestral

Avaliação da data de execução 33% Semestral Recursos Qualidade Eficiência Eficácia Ministério da Saúde Administração Central do Sistema de Saúde, IP Missão: Administrar os recursos humanos, financeiros, instalações e equipamentos, sistemas e tecnologias

Leia mais

e.newsletter GS1 Portugal

e.newsletter GS1 Portugal Caso não consiga visualizar corretamente, clique aqui A Linguagem Global dos Negócios REFLEXÃO ESTRATÉGICA Miguel Lopera, presidente e CEO da GS1 Global Office: A GS1 deve transformar-se no Google Maps

Leia mais

inovação e normalização José Augusto A. K. Pinto de Abreu Rio de Janeiro, 2 de Setembro de 2010

inovação e normalização José Augusto A. K. Pinto de Abreu Rio de Janeiro, 2 de Setembro de 2010 inovação e normalização José Augusto A. K. Pinto de Abreu Rio de Janeiro, 2 de Setembro de 2010 Bilhões de US$ A explosão do comércio internacional 18.000 16.000 14.000 12.000 10.000 8.000 6.000 4.000

Leia mais

The global language of business

The global language of business Serviços de ECR Roadshow Braga 25 de Novembro de 2010 ECR Services Pedro Vítor The global language of business Visão e Missão VISÃO Ser promotora da excelência nas relações eficazes e eficientes ao longo

Leia mais

PROTECÇÃO DE DADOS UM DIREITO FUNDAMENTAL Evolução na Europa Linhas Directrizes da OCDE(1973);

PROTECÇÃO DE DADOS UM DIREITO FUNDAMENTAL Evolução na Europa Linhas Directrizes da OCDE(1973); SAÚDE E PROTECÇÃO DE DADOS 19/1/2010 Instituto Nacional de Saúde Dr. Ricardo Jorge PROTECÇÃO DE DADOS UM DIREITO FUNDAMENTAL Evolução na Europa Linhas Directrizes da OCDE(1973); Convenção 108 do Conselho

Leia mais

SUSTENTABILIDADE ECONOMICA E INDICADORES DE QUALIDADE: Em Centros Gerontologicos PEDRO FERRO (DIRECÇÃO DA AAGI ID) COMUNICAÇÃO OFICIAL POPULAÇÃO MUNDIAL Eurostat Yearbook, 2009 Em 2008 as pessoas com mais

Leia mais

PROTOCOLO ENERGIA POSITIVA CONTRA A OBESIDADE

PROTOCOLO ENERGIA POSITIVA CONTRA A OBESIDADE PROTOCOLO ENERGIA POSITIVA CONTRA A OBESIDADE A incidência e a prevalência quer da pré-obesidade quer da obesidade têm vindo a aumentar na União Europeia e, também, em Portugal, constituindo um importante

Leia mais

Descrição Geral do Portal Global. Centro de Informação Executiva

Descrição Geral do Portal Global. Centro de Informação Executiva Descrição Geral do Centro de Informação Executiva Canais de Compras Online Clientes Comerciais Premier PremierConnect Processo de encomenda simplificado Confirmações pontuais das encomendas Acesso a informações

Leia mais

Seminário GVcev. Relacionamento Varejo e Indústria: desenvolvendo parcerias ganha-ganha

Seminário GVcev. Relacionamento Varejo e Indústria: desenvolvendo parcerias ganha-ganha Seminário GVcev Relacionamento Varejo e Indústria: desenvolvendo parcerias ganha-ganha Tecnologia como alavancador de relacionamentos Alejandro S. Padron padron@br.ibm.com No ciclo de vida de um produto,

Leia mais

Tecnologias de Informação e Comunicação e os Sistemas de Informação nos Hospitais

Tecnologias de Informação e Comunicação e os Sistemas de Informação nos Hospitais Tecnologias de Informação e Comunicação e os Sistemas de Informação nos Hospitais 23 de Maio de 2015 AGENDA Visão IBM para a Saúde Vantagens de um ERP em contexto hospitalar. A abordagem IBM para a implementação

Leia mais

GESTÃO DE RISCOS HOSPITALARES

GESTÃO DE RISCOS HOSPITALARES GESTÃO DE RISCOS HOSPITALARES Hospital Management Summit Eliana Cardoso Vieira Quintão Tuesday, 12 July 2011 DNV Business Assurance. All rights reserved. 1 Conhecendo a DNV Criada em 1864, na Noruega.

Leia mais

SISTEMAS DE GESTÃO DA QUALIDADE SEGUNDO OS REQUISITOS DA NORMA ISO 9001:2008

SISTEMAS DE GESTÃO DA QUALIDADE SEGUNDO OS REQUISITOS DA NORMA ISO 9001:2008 SISTEMAS DE GESTÃO DA QUALIDADE SEGUNDO OS REQUISITOS DA NORMA ISO 9001:2008 Fernando Teixeira de Abreu, engº Consultor Sénior Iberogestão Jornada da Qualidade para a Administração Pública - UCRE Cabo

Leia mais

Bem-vindo ao tópico sobre devolução e devoluções da nota fiscal de entrada.

Bem-vindo ao tópico sobre devolução e devoluções da nota fiscal de entrada. Bem-vindo ao tópico sobre devolução e devoluções da nota fiscal de entrada. Neste tópico, vamos analisar como e quando você deve criar uma devolução ou devolução de nota fiscal de entrada para compras.

Leia mais

O Consentimento Informado é um elemento necessário ao atual exercício da medicina, como um direito do paciente e um dever moral e legal do médico.

O Consentimento Informado é um elemento necessário ao atual exercício da medicina, como um direito do paciente e um dever moral e legal do médico. O Consentimento Informado é um elemento necessário ao atual exercício da medicina, como um direito do paciente e um dever moral e legal do médico. Índice Temático A empresa C3im Soluções para a área da

Leia mais

A Certificação das atividades de investigação, desenvolvimento e inovação (IDI) Alter do Chão 12 Novembro. Miguel Taborda - SPI

A Certificação das atividades de investigação, desenvolvimento e inovação (IDI) Alter do Chão 12 Novembro. Miguel Taborda - SPI A Certificação das atividades de investigação, desenvolvimento e inovação (IDI) Miguel Taborda - SPI Conteúdos. 1. O CONCEITO DE IDI (INVESTIGAÇÃO, DESENVOLVIMENTO E INOVAÇÃO) 2. A NORMA NP 4457:2007 REQUISITOS

Leia mais

APRESENTAÇÃO Outubro de 2012

APRESENTAÇÃO Outubro de 2012 APRESENTAÇÃO Outubro de 2012 O QUE É É A QUEM SE DIRIGE ENQUADRAMENTO CONTEÚDOS ESTATUTO EDITORIAL A EQUIPA PARTICIPE NO 365AGRO A informação assume, hoje em dia, uma importância crescente. O acesso à

Leia mais

Aplicação do Direito da Concorrência Europeu na UE

Aplicação do Direito da Concorrência Europeu na UE Aplicação do Direito da Concorrência Europeu na UE Manuel Sebastião Brasília 21 de Maio de 2009 ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO 2. MODERNIZAÇÃO DAS REGRAS ARTIGOS 81 e 82 3. O CONTROLO DE CONCENTRAÇÕES 4. CONCLUSÕES

Leia mais

PROPOSTA DE OBJETIVOS 2015-2016 : SIADAP 3

PROPOSTA DE OBJETIVOS 2015-2016 : SIADAP 3 PROPOSTA DE OBJETIVOS 2015-2016 : SIADAP 3 OBJETIVOS COMUNS A TODOS OS GRUPOS PROFISSIONAIS: Obj. 1 Assegurar o cumprimento das regras estabelecidas relativamente aos horários de trabalho, em conformidade

Leia mais

Continuidade digital Divulgação e comunicação. SOS Digital

Continuidade digital Divulgação e comunicação. SOS Digital Continuidade digital Divulgação e comunicação SOS Digital O que é o projeto? 1. A continuidade digital é um projeto de iniciativa da Direção Geral do Livro, dos Arquivos e das Bibliotecas (DGLAB). 2. este

Leia mais

Qualidade de Dados e conformidade com os Standards GS1 III FÓRUM SOLUTION PROVIDERS 2015.09.24

Qualidade de Dados e conformidade com os Standards GS1 III FÓRUM SOLUTION PROVIDERS 2015.09.24 Qualidade de Dados e conformidade com os Standards GS1 III FÓRUM SOLUTION PROVIDERS 2015.09.24 Data synchronization is not just about technology it is about people and processes working together to form

Leia mais

Portugal CODIPOR. Rastreabilidade da Carne de Bovino Case Study Santacarnes

Portugal CODIPOR. Rastreabilidade da Carne de Bovino Case Study Santacarnes Portugal CODIPOR Rastreabilidade da Carne de Bovino Case Study Santacarnes ENQUADRAMENTO A Montebravo é a última empresa e a face mais visível, de uma organização composta por um circuito totalmente integrado

Leia mais

I FÓRUM ANAHP DE RELACIONAMENTO COM AS OPERADORAS NOVOS MODELOS DE REMUNERAÇÃO DESAFIOS E OPORTUNIDADES.

I FÓRUM ANAHP DE RELACIONAMENTO COM AS OPERADORAS NOVOS MODELOS DE REMUNERAÇÃO DESAFIOS E OPORTUNIDADES. I FÓRUM ANAHP DE RELACIONAMENTO COM AS OPERADORAS NOVOS MODELOS DE REMUNERAÇÃO DESAFIOS E OPORTUNIDADES. Sérgio Lopez Bento 02.06.2009 AGENDA 1. Contexto atual do segmento de saúde privada 2. Modelos de

Leia mais

Manual de Utilização Registo e Publicação de Anúncios/Atos

Manual de Utilização Registo e Publicação de Anúncios/Atos PURCHASE-TO-PAY SOLUTIONS Comprador Plataforma SaphetyGov Dezembro 2012 Índice 1. Introdução 2. Registo de Anúncio/Ato 3. Publicação via INCM Índice 1. Introdução 1. Introdução Nos procedimentos que se

Leia mais

José Mendes Ribeiro Ciclo de Conferências ÁGORA: Ciência e Sociedade - 7ª Conferência Desafios e sustentabilidade do sistema de saúde

José Mendes Ribeiro Ciclo de Conferências ÁGORA: Ciência e Sociedade - 7ª Conferência Desafios e sustentabilidade do sistema de saúde Inclusivo, equitativo, sustentável José Mendes Ribeiro Ciclo de Conferências ÁGORA: Ciência e Sociedade - 7ª Conferência Desafios e sustentabilidade do sistema de saúde Auditório do Instituto para a Investigação

Leia mais

Conceito. As empresas como ecossistemas de relações dinâmicas

Conceito. As empresas como ecossistemas de relações dinâmicas Conceito As empresas como ecossistemas de relações dinâmicas PÁG 02 Actualmente, face à crescente necessidade de integração dos processos de negócio, as empresas enfrentam o desafio de inovar e expandir

Leia mais

Agenda. Simpósio Internacional EPC e GDSN 2005. A Importância da Padronização Para a Cadeia de Suprimentos

Agenda. Simpósio Internacional EPC e GDSN 2005. A Importância da Padronização Para a Cadeia de Suprimentos Simpósio Internacional EPC e GDSN 2005 A Importância da Padronização Para a Cadeia de Suprimentos Sergio Ribinik CEO GS1 BRASIL MEMBRO DO ADVISORY COUNCIL DA GS1 E DO BOARD OF GOVERNORS DO EPC GLOBAL Agenda

Leia mais

Modelo de Alianças & Parcerias. Esri Portugal 2012

Modelo de Alianças & Parcerias. Esri Portugal 2012 Modelo de Alianças & Parcerias Esri Portugal 2012 EPN programa global de parceiros para empresas que desenvolvem e fornecem soluções e serviços SIG baseados em software Esri Um modelo baseado em experiências,

Leia mais

6 - Caso de Uso Supply Chain Management

6 - Caso de Uso Supply Chain Management 79 6 - Caso de Uso Supply Chain Management Neste capítulo apresenta-se o estudo de caso para uma cadeia de suprimentos. Os agentes foram elaborados utilizando a tecnologia JADE, comentada na seção 5.3

Leia mais

Empresas. Inquérito à Utilização das Tecnologias da Informação e da Comunicação. Resultados 2005

Empresas. Inquérito à Utilização das Tecnologias da Informação e da Comunicação. Resultados 2005 Empresas Inquérito à Utilização das Tecnologias da Informação e da Comunicação Resultados 2005 BREVE NOTA METODOLÓGICA Universo de referência: Universo das empresas em Portugal com mais de 10 trabalhadores

Leia mais

FILIAÇÃO À GS1 PORTUGAL

FILIAÇÃO À GS1 PORTUGAL FILIAÇÃO À GS1 PORTUGAL Jóia Admissão à Associação (Direitos e Deveres Estatutários) 150,00 Quota Anual Permanência como Associado e Acesso e Licença de Utilização dos Produtos/Serviços GS1 Volume de negócios

Leia mais

Sector das TI s em Portugal e Projectos de

Sector das TI s em Portugal e Projectos de Sector das TI s em Portugal e Projectos de Financiamento Seminário Modelos de Gestão em Tecnologias de Informação: Gestão de Serviços, da Segurança e da Inovação 18 Nov 2010 Escola de Engenharia da Universidade

Leia mais

Glintt. Logística e BPM aplicado à Saúde. Maio de 2015

Glintt. Logística e BPM aplicado à Saúde. Maio de 2015 Glintt Logística e BPM aplicado à Saúde Maio de 2015 Agenda 1 Glintt Quem Somos? A nossa oferta 2 Solução Logística MIS-Data Discovery Gestão de CDM Consignação Gestão de Kits Utilização de norma GS1 2

Leia mais

MANUAL DA AJUDA À ARMAZENAGEM PRIVADA DE CARNE DE SUÍNO

MANUAL DA AJUDA À ARMAZENAGEM PRIVADA DE CARNE DE SUÍNO MANUAL DA AJUDA À ARMAZENAGEM PRIVADA DE ÍNDICE I. ENQUADRAMENTO... 1 II. OBJETIVO... 1 III. ÂMBITO... 1 IV. INTERVENIENTES... 2 V. REQUERENTES... 2 i. Inscritos/identificados no sistema de informação

Leia mais

PROGRAMA NACIONAL Doenças Respiratórias

PROGRAMA NACIONAL Doenças Respiratórias PROGRAMA NACIONAL Doenças Respiratórias para as REGRAS DE PRESCRIÇÃO DE CUIDADOS RESPIRATÓRIOS DOMICILIÁRIOS Programa Nacional para as Doenças Respiratórias (PNDR) Autoria Elsa Soares Jara Cristina Bárbara

Leia mais

Encontro Open Source. Associação de Empresas de Software Open Source Portuguesas. 30 de Maio de 2016

Encontro Open Source. Associação de Empresas de Software Open Source Portuguesas. 30 de Maio de 2016 A ESOP Apresentação A ESOP A ESOP é uma associação empresarial que representa as empresas portuguesas que se dedicam ao desenvolvimento de software e à prestação de serviços baseados em tecnologias open

Leia mais

Workshop Invest Lisboa Meios de Pagamentos Eletrónicos: Oportunidades e Desafios para Empresas e Empreendedores

Workshop Invest Lisboa Meios de Pagamentos Eletrónicos: Oportunidades e Desafios para Empresas e Empreendedores Workshop Invest Lisboa Meios de Pagamentos Eletrónicos: Oportunidades e Desafios para Empresas e Empreendedores DANIEL REIS 13 de abril de 2016 ÍNDICE O QUE DIZ A LEI SOBRE OS MEIOS DE PAGAMENTO? REGULAÇÃO

Leia mais

ROADSHOW PORTO RFID aplicado à Gestão Logística 26 de Maio 2011 Luis Peixoto

ROADSHOW PORTO RFID aplicado à Gestão Logística 26 de Maio 2011 Luis Peixoto ROADSHOW PORTO RFID aplicado à Gestão Logística 26 de Maio 2011 Luis Peixoto The global language of business GS1 EPCglobal/RFID Uma ferramenta logística RASTREABILIDADE INFORMAÇÃO EM TEMPO REAL GS1 EPC

Leia mais

Mais valias dos Relatórios de Sustentabilidade Um contributo da PT

Mais valias dos Relatórios de Sustentabilidade Um contributo da PT Mais valias dos Relatórios de Sustentabilidade Um contributo da PT A Responsabilidade Social Corporativa no Contexto da Internacionalização Abril, 2014 AGENDA QUEM SOMOS SUSTENTABILIDADE A IMPORTÂNCIA

Leia mais

Certificação ISO 22000 motivações e desafios

Certificação ISO 22000 motivações e desafios Certificação ISO 22000 motivações e desafios SUCH Serviço de Utilização Comum dos Hospitais Maria Isabel Carvalho Setembro de 2008 Apresentação QUEM SOMOS ÁREAS DE NEGÓCIO SOMOS NUTRIÇÃO 2 Visão Ser referência

Leia mais

CODIFICAÇÃO CLÍNICA E AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO. Sandra Rodrigues Gil, Administradora Hospitalar

CODIFICAÇÃO CLÍNICA E AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO. Sandra Rodrigues Gil, Administradora Hospitalar CODIFICAÇÃO CLÍNICA E AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO Sandra Rodrigues Gil, Administradora Hospitalar ÌNDICE Externalidades da implementação dos GDH ao nível do SIH Impacto ao nível da avaliação do desempenho

Leia mais

Rastreabilidade na Indústria Alimentar

Rastreabilidade na Indústria Alimentar Rastreabilidade na Indústria Alimentar Trabalho realizado por: Ana Rita Ferreira nº 3458 Liliana Oliveira nº 3460 Susana Eloy nº 3455 Contextualização do conceito de Rastreabilidade Perigos para a Saúde

Leia mais

Plano de Gestão do Risco (2013-2015)

Plano de Gestão do Risco (2013-2015) Plano de Gestão do Risco (2013-2015) Camões, I.P. Janeiro de 2013 Lisboa, janeiro de 2013 Camões, Instituto da Cooperação e da Língua Av. da Liberdade, 270 1250-149 Lisboa 1 Índice Índice... 2 Acrónimos...

Leia mais

COMMON ASSESSMENT FRAMEWORK. Modelo de auto-avaliação para a melhoria da qualidade dos serviços públicos

COMMON ASSESSMENT FRAMEWORK. Modelo de auto-avaliação para a melhoria da qualidade dos serviços públicos CAF COMMON ASSESSMENT FRAMEWORK ESTRUTURA COMUM DE AVALIAÇÃO Modelo de auto-avaliação para a melhoria da qualidade dos serviços públicos Agenda OModeloCAF o que é; para que serve; vantagens; como surgiu;

Leia mais

Plataforma integrada para testes em arquitecturas orientadas a serviços

Plataforma integrada para testes em arquitecturas orientadas a serviços Plataforma integrada para testes em arquitecturas orientadas a serviços Índice Introdução... 2 A solução... 2 Plataforma Integrada (principais características)... 4 Eliminar limitações à execução de testes

Leia mais

INDICADORES DE DESEMPENHO EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO PARA A ADMINISTRAÇÃO LOCAL. Carlos Guardado da Silva

INDICADORES DE DESEMPENHO EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO PARA A ADMINISTRAÇÃO LOCAL. Carlos Guardado da Silva INDICADORES DE DESEMPENHO EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO PARA A ADMINISTRAÇÃO LOCAL Carlos Guardado da Silva 2 Indicadores de Desempenho em Sistemas de Informação para a Administração Local Carlos Guardado

Leia mais