(continuação parte 3...)

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "(continuação parte 3...)"

Transcrição

1 (continuação parte 3...) Considerando que os referenciais apresentados neste estudo representem bem a população santista, espera-se fornecer subsídios para o diagnóstico e acompanhamento da quantidade de gordura corporal e de sua distribuição pelo corpo, que deverão ser de extrema utilidade para a realização de intervenções que permitam aos indivíduos obterem níveis de gordura corporal compatíveis com a saúde. A ausência de estudos dessa natureza em nosso país, bem como sua escassez também no exterior, dificultam a interpretação do quanto seria indicado como compatível com a saúde para os valores de dobras cutâneas individuais e de suas somatórias, o que justifica a opção arbitrária pelos percentis entre 25 e 75 como os considerados ideais para a saúde. É interessante destacar que se um sujeito encontra-se no percentil 95 para a 9, por exemplo, isto significa dizer que seu resultado é superior ao encontrado em 95 % da população em questão, para mesma faixa etária e sexo, permitindo inferir que este sujeito apresenta uma grande quantidade de gordura corporal total, podendo ser considerado obeso. Deve ficar claro, também, que se considerarmos, por exemplo, que o ponto de corte para a obesidade seja o percentil 80, isto significa dizer que 20 % da população em questão é constituída de indivíduos obesos. Conforme discutido na revisão bibliográfica, os estudos que estabelecem as prevalências de sobrepeso e obesidade, em populações, normalmente são conduzidos utilizando-se o índice de massa corporal IMC, não tendo sido encontrados estudos baseados em somatórias de dobras cutâneas para este fim. No intuito de fornecer maiores informações sobre a população santista no que diz respeito a sobrepeso e obesidade, facilitando a interpretação dos resultados obtidos em avaliações individuais, são apresentados nas TABELAS 15 e 16 os valores percentuais de indivíduos, encontrados neste estudo, dentro das diferentes classificações do IMC segundo a WHO (1997), para cada uma das faixas etárias de cada sexo e para o total de cada sexo. Além disso, as FIGURAS 73 e 74 apresentam as distribuições de percentis do IMC, por faixa etária, para o sexo masculino e feminino, respectivamente.

2 TABELA 15 - Proporção de homens da cidade de Santos para as classificações do IMC (WHO, 1997). 20 a 29,9 30 a 39,9 40 a 49,9 50 a 59,9 60 a 69,9 Total Baixo Peso 0,94 % 0 % 0 % 0 % 2,88 % 0,76 % Normal 61,32 % 33,98 % 30,84 % 19,42 % 22,12 % 33,67 % Sobrepeso 29,35 % 50,49 % 43,93 % 52,43 % 51,92 % 45,50 % Obesidade 8,49 % 15,53 % 24,30 % 28,15 % 23,08 % 19,88 % O. Mórbida 0 % 0 % 0,93 % 0 % 0 % 0,19 % TABELA 16 - Proporção de mulheres da cidade de Santos para as classificações do IMC (WHO, 1997). 20 a 29,9 30 a 39,9 40 a 49,9 50 a 59,9 60 a 69,9 Total Baixo Peso 5,98 % 0,86 % 0,76 % 0 % 0 % 1,59 % Normal 70,94 % 55,17 % 29,78 % 22,55 % 22,77 % 40,92 % Sobrepeso 19,66 % 31,90 % 41,22 % 47,06 % 47,52 % 37,04 % Obesidade 3,42 % 11,21 % 25,95 % 27,45 % 26,73 % 18,69 % O. Mórbida 0 % 0,86 % 2,29 % 2,94 % 2,97 % 1,76 % Estes resultados mostram aumentos bastante acentuados das prevalências de sobrepeso e obesidade da primeira até a quarta faixa etária em ambos os sexos, mantendo-se estáveis daí para a última faixa etária, porém com valores consideravelmente altos. Observando os resultados totais para ambos os sexos, em relação à obesidade, verifica-se uma condição preocupante, se tais resultados forem comparados com estudos realizados para a população brasileira. QUADRO 5 Resultados de estudos de prevalência de obesidade realizados no Brasil. Estudo Local Pontos de Corte Resultados GIGANTE et alii (1997) Pelotas - RS 30 kg/m 2 Homens 15,0 % Mulheres 25,0 % Total 21,0 % LOLIO & LATORRE (1991) MONDINI & MONTEIRO (1997) Araraquara - SP 30 kg/m 2 Homens 10,2 % Mulheres 14,7 % Total 12,7 % Brasil Homens 28,4 kg/m 2 Mulheres 27,7 kg/m 2 Homens 9,5 % Mulheres 20,0 % Total 15,0 % MONTEIRO et alii (2000) Brasil 30 kg/m 2 Homens 6,9 % Mulheres 12,5 % Presente estudo Santos 30 kg/m 2 Homens 19,88 % Mulheres 18,69 % Total 19,23 %

3 Um fato que chama a atenção é que ao contrário de todos os outros estudos, neste, os homens apresentaram uma prevalência da obesidade superior à encontrada nas mulheres, além de seu resultado ser superior aos dos homens dos demais estudos. Em relação às mulheres, a prevalência foi menor do que nos estudos de GIGANTE et alii (1997) e MONDINI & MONTEIRO (1997), porém, deve-se levar em consideração que neste último o ponto de corte adotado para o sexo feminino foi de 27,7 kg/m 2. Comparando-se, ainda, o presente estudo com o de FLEGAL et alii (1998), verificamos que a proporção de homens obesos foi superior à encontrada na população norte americana (17,8 %), com as mulheres de Santos pouco abaixo das daquele país (21,1 %), e uma proporção total de obesos muito próxima à encontrada nos Estados Unidos (19,6 %). COSTA et alii (1997) alertaram para as elevadas proporções de sujeitos com sobrepeso e obesidade que freqüentavam as praias de Santos, onde apenas os homens de 20 a 29 anos de idade apresentaram média de porcentagem de gordura dentro dos padrões considerados compatíveis com a saúde. Entretanto, os 2653 sujeitos que participaram deste estudo compareceram voluntariamente a um estande de avaliação física que foi montado na praia, o que naquela ocasião tornou questionáveis seus resultados, pois não houve aleatoriedade da amostra. Considerando os prejuízos que o excesso de gordura corporal pode ocasionar, tanto aos indivíduos quanto à saúde pública, verificamos a extrema necessidade de programas públicos de intervenção visando reverter o atual quadro encontrado na cidade de Santos, bem como proporcionar meios de prevenção do sobrepeso e da obesidade nesta população.

4 40,00 37,50 35,00 32,50 30,00 27,50 25,00 22,50 20,00 17,50 15,00 20 a 29,9 30 a 39,9 40 a 49,9 50 a 59,9 60 a 69,9 P95 P90 P75 P50 P25 P10 P5 FIGURA 73 Distribuições de percentis para IMC por faixa etária de homens da população santista. 40,00 37,50 35,00 32,50 30,00 27,50 25,00 22,50 20,00 17,50 15,00 20 a 29,9 30 a 39,9 40 a 49,9 50 a 59,9 60 a 69,9 P95 P90 P75 P50 P25 P10 P5 FIGURA 74 Distribuições de percentis para IMC por faixa etária de mulheres da população santista.

5 CONCLUSÕES A partir da análise dos resultados obtidos neste estudo pode-se concluir que: Quanto à quantidade total de gordura corporal As mulheres apresentaram quantidade de gordura total, determinada por 5 e 9, significativamente maior do que os homens em todas as faixas etárias. b) Quanto à distribuição da gordura corporal As mulheres apresentaram quantidade de gordura periférica, determinada por 4M, significativamente maior do que os homens em todas as faixas etárias estudadas. Em contrapartida, os homens apresentaram quantidade de gordura no tronco, determinada por 5T, significativamente maior do que as mulheres dos 30 aos 49,9 anos de idade. Para esta somatória não houve diferença entre homens e mulheres dos 20 aos 29,9 anos e dos 50 aos 59,9 anos de idade. Na faixa etária dos 60 aos 69,9 anos de idade o comportamento desta somatória se inverteu, com mulheres apresentando uma quantidade de gordura significativamente maior nesta região. A 2 não mostrou diferença entre homens e mulheres em nenhuma das faixas etárias. c) Quanto às alterações decorrentes da idade Os homens apresentaram os menores valores para gordura total e gordura do tronco dos 20 aos 29,9 anos de idade, apresentando aumento e estabilização da quantidade de gordura com o passar da idade e redução dos 60 aos 69,9 anos de idade. A gordura de membros foi a que menor influência sofreu da idade, no grupo masculino, permanecendo estável até a última faixa etária, quando tendeu a diminuir. As mulheres apresentaram comportamento ao dos homens apenas para 2, sendo que para as demais somatórias que determinam a quantidade de gordura de tronco, de membros e total, houve aumento dos 20 aos 39,9 anos de idade, com posterior estabilização. d) Quanto à proposição de valores referenciais

6 A ausência de valores referenciais para dobras cutâneas e suas somatórias, em nosso país, bem como a elevada variabilidade encontrada para estas variáveis, sugerem que a utilização de valores referenciais na forma de percentis pode ser uma alternativa viável para o diagnóstico e o acompanhamento da quantidade e distribuição da gordura corporal. e) Quanto ao excesso de gordura corporal A proporção de homens e mulheres obesos na amostra estudada atingiu quantidades preocupantes já a partir dos 30 anos de idade, com maior quantidade de obesos no sexo masculino. O que mais chamou a atenção foi que os resultados aqui encontrados são comparáveis aos encontrados nos Estados Unidos em Considerando-se os resultados e conclusões expostos no presente estudo, acredita-se ter contribuído para um maior conhecimento da população santista no que diz respeito à variável gordura corporal, o que apresenta grande relevância em função da estreita relação existente entre quantidade e distribuição da gordura corporal e o estado de saúde dos indivíduos e da população. Outro aspecto importante a se considerar é que pela inexistência de estudos de valores referenciais de dobras cutâneas e suas somatórias para populações adultas em nosso país, os resultados aqui obtidos poderão servir de incentivo para a realização de estudos semelhantes em outras regiões do país, bem como para comparações futuras. Assim, são apresentadas aqui algumas sugestões para o desenvolvimento de novos estudos: a) Estudos semelhantes envolvendo outros grupos populacionais em nosso país, para que se possa conhecer melhor as características relativas à gordura corporal e contribuir para a construção de valores referenciais de âmbito nacional; b) Estudos similares envolvendo crianças e adolescentes da cidade de Santos, permitindo um conhecimento mais amplo da população santista em relação às quantidades e distribuição da gordura corporal, além das prevalências de sobrepeso e obesidade para essas faixas etárias; c) Estudos periódicos envolvendo amostras desta mesma população para verificar as possíveis alterações decorrentes do tempo;

7 d) Estudos relacionados à prevalência de sobrepeso e obesidade desta população, procurando confirmar os resultados encontrados neste estudo, bem como verificar os possíveis motivos para estas elevadas prevalências. 7. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS A.A.H.P.E.R.D. American Alliance for Health, Physical Education and Recreation. Healthrelated physical fitness tests manual. Reston, AAHPERD, ALEXANDER, P. Aptitud Física - Caracterísitcas Morfológicas Composición Corporal. Pruebas Estandardizadas en Venezuela de 7,5 a 18,4 años. Caracas, Instituto Nacional de Deportes, AL-ISA, A. N. Changes in body mass index (BMI) and prevalence of obesity among Kuwaitis International Journal of Obesity. 21:1093-9, ASSIS, C. R.; MESA, A. J. R. & NUNES, V. G. S. Determinação da composição corporal de pessoas de 20 a 70 anos, da comunidade pelotense. Revista Brasileira de Cineantropometria e Desempenho Humano. 1(1):82-8, BARBANTI, V. J. A. A comparative of selected anthropometric and physical fitness measurements of brazilian and American school children. Ottawa: The University of Iowa, Thesis (Doctor Science) University of Iowa, BARRERA, A. M. G.; SALAZAR, R. G.; GAJARDO, L. H.; GATTÁS, Z. V. & COWARD, A. Análisis comparativo de métodos de evaluación de la composición corporal en varones adultos sanos. Revista Medica de Chile. 125: , BAUNMGARTNER, T. A. & JACKSON, A. S. Measurement for Evaluation in Physical Education and Exercise Science. 5 ª ed. Madison, Brown & Benchmark Publishers, BEMBEN, M. G.; MASSEY, B. H.; BEMBEN, D. A.; BOILEAU, R. A. & MISNER, J. E. Age-related patterns in body composition for men aged years. Medicine and Science in Sports and Exercise. 27(2):264-9, BENNETT, S. A. & MAGNUS, P. Trends in cardiovascular risk factor in Australia: results from the National Heart Foundation s Risk Factor Prevalence Study, Medical Journal of Australia. 161:519-27, 1994.

8 BLAIR, S. N.; FALLS, H. B. & PAIE, R. R. A new physical fitness test. The Physician and Sportmed. 11:87-96, BLUMENKANTZ, M. obesity: the world s metabolic disorder. Beverly Hills, [acessado em 06/06/2000]. BÖHME, M. T. S. Aptidão física - aspectos teóricos. Revista Paulista de Educação Física, São Paulo, 7(2): 52-65, BÖHME, M. T. S. Aptidão física: importância e relações com a educação física. Revista Mineira de Educação Física, Viçosa, 2(1):17-25, BÖHME, M. T. S. & FREITAS, M. C. Aptidão Física: Avaliação de aspectos relacionados à saúde. Viçosa, Universidade Federal de Viçosa Imprensa Universitária, BÖHME, M. T. S. & KISS, M. A. P. D. M. Avaliação da aptidão física referenciada a norma: comparação entre três tipos de escalas. Revista Brasileira de Atividade Física e Saúde. 2(1):29-36, BORKAN, G. A.; HULTS, D. E. & GLYNN, R. J. Role of longitudinal change and secular trend in age differences in male body dimensions. Human Biology. 55(3):629-41, BOUCHARD, C. Fat distribution during growth and later health outcomes. Introductory notes on topic of fat distribution. Quebec, Canadá, BOUCHARD, C.; SHEPARD, J.; STEPHENS, T.; SUTTON, J. R. & McPHERSON, B. D. Exercise, fitness and health: a consensus of current knowledge. Champaign, IL, Human Kinetics, BOUCHARD, C.; MALINA, R. M. & PÉRUSSE, L. Genetics of fitness and physical performance. Champaign, Il., Human Kinetics, BRANDON, L. J. Comparison of existing skinfold equations for estimating body fat in African American and white women. American Journal of Clinical Nutrition. 67: , BROWN, W. J.; DOBSON, A. J. & MISHRA, G. What is a healthy weight for middle aged women? International Journal of Obesity. 22(6):520-8, BROWNELL, K. D. Manejamento de peso e composição corporal. In: American College of Sports Medicine, Prova de esforço & prescrição de exercício, Rio de Janeiro, Revinter, 1994.

9 BULBULIAN, R.; JOHNSON, R. E.; GRUBER, J. J. & DARABOS, B. Body composition in paraplegic male athletes. Medicine and Science in Sport and Exercise. 19(3): , BUNC, V.; JANSA, P. & KLUKA, D. Prognosis of boys' physical fitness development in the Czech Republic to ICHPER-SD Journal, v. XXXIII, n. 3, p. 51-4, BUNOUT, D.; RUEDA, E. P.; AICARDI, V. S.; HIDALGO, C. R. & KAUFFMANN, R. Q. Influencia de la grasa corporal y su distribución sobre factores de riesgo cardiovascular en sujetos sanos. Revista Medica de Chile. 122(2):123-32, BUSKIRK, E. R. Obesidade. In: SKINNER, J. S. Prova de esforço e prescrição de exercício para casos específicos. Rio de Janeiro, Revinter, CARTER, J. E. L. & YUHASZ, M. S. Skinfolds and body composition of olympic athletes. Medicine Sport Science, v.18, p , CLASSEY, J. L.; KANALEY, J. A.; WIDEMAN, L.; HEYMSFIELD, S. B.; TEATES, C. D.; GUTGESSEL, M. E.; THORNER, M. O.; HARTMAN, M. L. & WELTMAN, A. Valadity of methods of body composition assessment in young and older men and women. Journal of Applied Physiology. 86(5): , COITINHO, D. C.; LEÃO, M. M.; RECINE, E. & SICHIERI, R. Condições nutricionais da população brasileira: adultos e idosos. Brasília, DF. Ministério da Saúde INAN, CONTANDRIOPOULOS, A. P.; CHAMPAGNE, F.; POTVIN, L. DENIS, J. L. & BOYLE, P. Saber preparar uma pesquisa. Definição, estrutura e financiamento. 2ª ed., São Paulo, Hucitec, CORBIN, C. & LINDSEY, R. Concepts of physical fitness with laboratories. Dubuque: Wm. C. Brown, CORBIN, C. & PANGRAZI, R. P. Are American children and youth fit? Research Quarterly for Exercise and Sport. 63(2):96-106, COSTA, R. F. Avaliação Física. São Paulo, Fitness Brasil Collection, COSTA, R. F. Avaliação da Composição Corporal. [CD-ROM]. Santos, FGA Multimídia, 1999.

10 COSTA, R. F.; COLOMBO, E. & BIZERRA, E. A. Análise descritiva da gordura corporal relativa em indivíduos de 20 a 69 anos, de ambos os sexos, freqüentadores das praias de Santos. Anuário Fitness Brasil. 1:8-13, COSTA, R. F.; COLANTONIO, E.; BÖHME, M. T. & KISS, M. A. P. D. M. Comparação de diferentes técnicas de predição de gordura corporal. In: Congresso Paulista de Medicina do Esporte, 3. Anais, p. 62, COSTA, R. F.; GREGUOL, M. & BÖHME, M. T. S. Validity of Bulbulian s equation for the prediction of body density of spinal injured Brazilian s wheelchair basketball players. International Symposium for Adapted Physical Activity, 12. Anais, p. 106, CRAWFORD, S. M. Anthropometry. In: DOCHERTY, D. Measurement in pediatric exercise science. Champaign, IL. Human Kinetics, DASET Department of the Arts, Sport, the Environment and Territories. Pilot survey of the fitness of Australians. Camberra, Australian Government Publishing Service, DENKE, M. A.; SEMPOS, C. T. & GRUNDY, S. M. Excess body weight: an underrecognized contributor to high blood cholesterol levels in white American men. Archive International of Medicine. 153: , DENKE, M. A.; SEMPOS, C. T. & GRUNDY, S. M. Excess body weight: an underrecognized contributor to dyslipidemia in white American women. Archive International of Medicine. 154:401-10, DRINKWATER, D. T. & ROSS, W. D. Anthropometric fraction of body mass. In: OSTYN, M. et alii. Kinanthropometry II. Baltimore, University Park Press, DRINKWATER, D. T.; MARTIN, A. D.; ROSS, W. D. & CLARYS J. P. Validation by cadaver dissection of Matiegka s equations for the anthropometric estimation of anatomical body composition in adult humans. In: DAY, J. A. P. Perspectives in Kinanthropometry. Champaign, Human Kinetics Publishers, DURNIN, J. V. G. A. & WOMERSLEY, J. Body fat assessed from total body density and its estimation from skinfold thickness: measurements on 481 men and women aged from 16 to 71 years. British Journal of Nutrition. 32:77-97, 1974 FARIA JUNIOR, A. Educação Física, desporto e promoção de saúde. Revista Horizonte. V. IX, n.51, I-VIII, 1992.

11 FAULKNER, J. A. Physiology of swimming and diving. In: FALLS, H. (Ed), Exercise physiology, Baltimore, Academic Press, FLEGAL, K. M. The obesity epidemic in children and adults: current evidence and research issues. Medicine and Science in Sport and Exercise. 31(11):S509-14, FLEGAL, K. M.; CARROLL, M. D.; KUCZMARSKI, R. J. & JONSON, C. L. Overweight and obesity in the United States: prevalence and trends, International Journal of Obesity. 22:39-47, FLYNN, M. A.; NOLPH, G. B.; BAKER, A. S.; MARTIN, W. M. & KRAUSE, G. Total body potassium in aging humans: a longitudinal study. American Journal of Clinical Nutrition. 50(4):713-7, FOGELHOLM, M. & van MARKEN LICHTENBELT, W. Comparison of body composition methods: a literature analysis. European Journal of Clinical Nutrition. 51: , FOX, E. L. Sports Physiology. Philadelphia. W. S. Saunders Co., FREITAS, D.; MARQUES, A. & MAIA, J. Aptidão Física da população escolar da região autônoma da madeira. Madeira, Universidade da Madeira, FUJIMOTO, W. Y.; BERGSTROM, R. W.; BOYKO, E. J.; CHEN, K. W.; LEONETTI, D.; NEWELL-MORRIS, L.; SHOFER, J. B. & WAHL, P. W. visceral adiposity and incident coronary heart disease in Japanese-American men. Diabetes Care. 22(11): , FULWOOD, R.; ABRAHAM, S. & JOHNSON, C. Height and weight of adults ages years by socioeconomic and geographic variables. Vital & Health Statistics. 11(224):1-62, GAGLIARDI, J. F. L. Estudo de equações de estimativa de densidade e composição corporal em atletas do sexo masculino. Dissertação de Mestrado. São Paulo. Universidade de São Paulo, GIGANTE, D. P.; BARROS, F. C.; POST, C. L. A. & OLINTO, M. T. A. Prevalência de obesidade em adultos e seus fatores de risco. Revista de Saúde Pública. 31(3):236-46, GOFIN, J.; ABRANSON, J. H.; KARK, J. D. & EPSTEIN, L. The prevalence of obesity and its changes over time in middle-aged and elderly men and women in Jerusalem. International Journal of Obesity. 20:260-6, 1996.

12 GOING, S. B. Densitometry. In: ROCHE, A. F.; HEYMSFIELD, S. B. & LOHMAN, T. G. Human body composition. Champaign, Human Kinetics, GÓMEZ, A. B. & ROMERO del SOL. Valores de pliegues grasos en adultos cubanos I, sexo masculino de 20 a 59 años. Revista Cubana de Alimentación y Nutrición. 3(3):327-41, GÓMEZ, A. B. & ROMERO del SOL. Valores de pliegues grasos en adultos cubanos II, sexo femenino de 20 a 56 años. Revista Cubana de Alimentación y Nutrición. 4(1):55-69, GORDON, C. C.; CHUMLEA, W. C. & ROCHE, A. F. Stature, Recumbent Length, and Weigth. In: LOHMAN, T. G. et alii. Anthropometric Standardization Reference Manual. Champaign. Human Kinetics Books, GRANDI, A. M.; ZANZI, P.; PIANTANIDA, E.; GAUDIO, G.; BERTOLINI, A.; GUASTI, L. & VENCO. Obesity and left ventricular diastolic function: noninvasive study in normotensives and newly diagnosed never-treated hypertensives. International Journal of Obesity. 24:954-8, GROOT, C. P. G. M.; ENZI, G.; PERDIGAO, A. L. & DEURENBERG, P. Longitudinal changes in anthropometric characteristics of elderly Europeans. European Journal of Clinical Nutrition. 50(Suppl. 2):S9-S15, GUEDES, D. P. Estudo da gordura corporal através da mensuração dos valores de densidade corporal e da espessura de dobras cutâneas em universitários. Dissertação de Mestrado. Santa Maria. Universidade Federal de Santa Maria, GUEDES, D. P. Gordura corporal: validação da equação proposta por Faulkner em jovens pertencentes à população brasileira. ARTUS, 9(17):10-13, GUEDES, D. P. Composição corporal: Princípios, Técnicas e Aplicações. 2ª ed. Londrina, APEF, 1994a. GUEDES, D. P. Crescimento, composição corporal e desempenho motor em crianças e adolescentes do município de Londrina (PR), Brasil. Tese de Doutorado. São Paulo, Universidade de São Paulo, 1994b. GUEDES, D. P. Implicações no estudo da composição corporal. In: AMADIO, A. C. & BARBANTI, V. J. (org). A biodinâmica do movimento humano e suas relações interdisciplinares. São Paulo, Estação Liberdade, 2000.

13 GUEDES, D. P. & GUEDES, J. E. R. P. Influência do nível sócio-econômico e do aspecto racial em variáveis antropométricas e motoras de moças maturadas e não maturadas. Revista Brasileira de Ciência e Movimento. 5(2): 41-51, GUEDES, D. P. & GUEDES, J. E. R. P. Atividade física, aptidão física e saúde. Revista Brasileira de Atividade Física e Saúde. 1(1):18-35, 1995a. GUEDES, D. P. & GUEDES, J. E. R. P. Exercício Físico na Promoção da Saúde. Londrina, Midiograf, 1995b. GUEDES, D. P. & GUEDES, J. E. R. P. Controle do peso corporal: composição corporal, atividade física e nutrição. Londrina, Midiograf, GUEDES, D. P. & SOUZA, D. B. Aspectos cineantropométricos no treinamento de futebolistas. In: Futebol: Bases científicas do treinamento físico. Rio de Janeiro.Sprint, GUS, M., MOREIRA, L. B., PIMENTEL, M., GLEISENER, A. L. M., MORAES, R. S. & FUCHS, F. D.. Associação entre Diferentes indicadores de obesidade e prevalência de hipertensão arterial. Arquivos Brasileiros de Cardiologia. 70(2):111-4, HASTAD, D. N. & LACY, A. C. Measurement and Evaluation in Physical Education and Exercise Science. Needhan Heights, 3 rd. ed., Allyn & Bacon, HAWES, M. R. Human body composition. In: ESTON, R. & REILLY, T. Kinanthropometry and Exercise Physiology Laboratory Manual. London, E & FN Spon, HEYMSFIELD, S. B.; LICHTMAN, S.; BAUMGARTNER, R. N.; WANG, J.; KAMEN, Y.; ALIPRANTIS, A. & PIERSON Jr., R. N. American Journal of Clinical Nutrition. 52:52-8, HEYMSFIELD, S. B. & WAKI, M. Body composition in humans: advances in the development of multi-component chemical models. Nutrition Review. 49: , HEYTERS, C. Les dangers de la methode des plis cutanes dans l'evaluation de la masse grasse du corps. Cinesiologie. Paris, 105, 17-23, janv/fevr HEYWARD, V. H. Advanced Fitness Assessment & Exercise Prescription. 3ª ed. Champaign, IL., Human kinetics, 1998a. HEYWARD, V. H. Practical body composition assessment for children, adults, and older adults. International Journal of Sport Nutrition. 8: , 1998b.

14 HEYWARD, V. H. & STOLARCZYK, L. M. Applied Body Composition Assessment. Champaign, IL., Human Kinetics, HODGE, A. M.; DOWSE, G. K.; TOELUPE, P. COLLINS, V. R.; IMO, T. & ZIMMET, P. Z. Dramatic increase in the prevalence of obesity in western Samoa over 13 year period International Journal of Obesity. 18(6):419-28, HOUSH, T. J.; JOHNSON, G. O.; HOUSH, D. J.; ECKERSON, J. M. & STOUT, J. R. Validity of skinfold estimates of percent fat in high school female gymnasts. Medicine and Science in Sport and Exercise. 28(10):1331-5, JACKSON, A. S. & POLLOCK, M. L. Generalized equations for predicting body density of men. British Journal of Nutrition. 40: , JACKSON, A. S.; POLLOCK, M. L. & WARD, A. Generalized equations for predicting body density of women. Medicine and science in Sports and Exercise. 12:175-82, JALKANEN, L.; TUOMILEHTO, J.; NISSINEN, A. & PUSKA, P. Changes in body mass index in a Finnish population between 1972 and Journal of Internal Medicine. 226:163-70, KATCH, F. I. & McARDLE, W. D. Prediction of bone density from simple antrhropometric measurements in college-age men and women. Human Biology. 45(3):445-54, KATCH, F. I. & McARDLE, W. D. Nutição, exercício e saúde. 4ª.ed. Rio de Janeiro. Medsi, KATZMARZYK, P. T. & MALINA, R. M. Obesity and relative subcutaneous fat distribution among Canadians of first nation and European ancestry. International Journal of Obesity. 22: , KATZMARZYK, P. T., PÉRUSSE, L.; RAO, D. C. & BOUCHARD, C. Familial risk of obesity and central adipose tissue distribution in the general Canadian population. Amerian Journal of Epidemiology. 149(10):933-42, KIRKENDALL, D. R.; GRUBER, J. J. & JOHNSON, R. E. Measurement and Evaluation for Physical Educators. Champaign, Ill., 2 nd ed., Human Kinetics Publishers, KISS, M. A. P. D. M. Avaliação em Educação Física: aspectos biológicos e educacionais. São Paulo, Manole, KISS, M. A. P. D. M.; BÖHME, M. T. S. & REGAZZINI, M. Cineantropometria. In: BARROS, T. & GHORAYEB, N. O Exercício Preparação Fisiológica, Avaliação Médica, Aspectos Especiais e Preventivos. São Paulo, Atheneu, 1999.

15 KOTECKI, J. E. Fat times Increased prevalence of overweight among United States adults: an urgent need for understanding etiology, treatment, and prevention. ICHPER-SD Journal. V. XXXIII (2):8-13, KUCZMARSKI, R. J.; FLEGAL, K. M.; CAMPBELL, S. M. & JONSON, C. L. Increasing prevalence of overweight among U.S. adults: the National Health and Nutrition Examinations Surveys, 1960 to Journal of American Medical Association. 272: , KURIYAN, R.; PETRACCHI,C.; FERRO-LUZZI, A.; SHETTY, P. S. & KURPAD, A. V. Validation of expedient methods for measuring body composition in Indian adults. The Indian Journal of Medical Research. 107:37-45, KUSHNER, R. F. Body weight and mortality. Nutrition Reviews. 51:127-36, LARSSON, B.; SVÄRSUDD, K.; WELIN, L et alii. Abdomnal adipose tissue distribution, obesity and risk of cardiovascular disease and death: a 13 year follow up of participants in the study of men born in British Medical Journal, 288:1401-4, LEAN, M. E.; HAN, T. S. & SEIDELL, J. C. Impairment of health and quality of life in people with large waist circumference. The Lancet. 351:853-6, LENTHE, F. J.; DROOMERS, M.; SCHRIJVERS, C. T. M. & MACKENBACH, J. P. Sociodemographic variables and 6 year change in body mass index: longitudinal results from the GLOBE study. International Journal of Obesity. 24: , LOLIO, C. A. & LATORRE, M. R. D. O. Prevalência de obesidade em localidade do Estado de São Paulo, Brasil, Revista Saúde Pública. 25(1):33-6, LOHMAN, T. G. Skinfolds and body density and their relation to body fatness: a review. Human Biology. 53(2): , LOHMAN, T. G. Advances in body composition assessment. Champaign, IL., Human Kinetics Publishers, LOPES, A. S.; NAHAS, M. V.; DUARTE, M. F. S. & PIRES NETO, C. S. Distribuição da gordura corporal subcutânea e índices de adiposidade em indivíduos de 20 a 67 anos de idade. Revista Brasileira de Atividade Física e Saúde. 1(4):15-26, LOPES, A. S. & PIRES NETO, C. S. Composição corporal e equações preditivas da gordura em crianças e jovens. Revista Brasileira de Atividade Física e Saúde. 1(4):38-52, 1996.

16 LOPES, A. S.; GUIMARÃES, R. J. S. P. & PIRES NETO, C. S. Comparação da composição corporal em adultos jovens utilizando densitometria e antropometria. Caderno de Pesquisa. (2) RPD/CDS/UFSC, MACHIDA, J. Técnicas antropométricas para a estimativa da composição corporal. Dissertação de Mestrado. São Paulo, Universidade de São Paulo, MALINA, R. M. Regional body composition: age, sex, and ethnic variation. In: ROCHE, A. F.; HEYMSFIELD, S. B. & LOHMAN, T. G. Human body composition, Champaign, Il., Human Kinetics, MALINA, R. M. & BOUCHARD, C. Subcutaneous fat distribution during growth. In: BOUCHARD, C. & JOHNSTON, F. E. Fat distribution during growth and later health outcomes. New York, Plenum, McARDLE, W. D.; KATCH, I. F. & KATCH, V. L. Fisiologia do Exercício Energia, Nutrição e Desempenho Humano, 4ª ed., Rio de Janeiro, Guanabara Koogan, MARQUES, M. B. Cross-validation of body composition equations for brazilian women using dual-energy X-ray absoptiometry. Albuquerque: The University of New Mexico, Dissertation (Doctor of Philosophy), MARTIN, A. D. & DRINKWATER, D. T. Variability in the measures of body fat: assumptions or techniques? Sports Medicine. 11: , MATHEWS, D. K. Medida e avaliação em educação física. Rio de Janeiro. 5ª ed., Interamericana, MAYER, L. C. R. & BÖHME, M. T. S. Verificação da validade de normas (em percentis) da aptidão física e de medidas de crescimento físico e composição corporal após 8 anos de elaboração. Revista Brasileira de Atividade Física e Saúde. 1(4):5-18, MILLAR, W. J. & STEPHENS, T. Social status and health risk in Canadian adults: 1985 and Health Report. 5:143-56, MOKDAD, A. H.; SERDULA, M. K.; DIETZ, W. H.; BOWMAN, B. A.; MARKS, J. S. & KOPLAN, J. P. The spread of the obesity epidemic in the United States, Journal of American Medical Association. 282: , MONDINI, L. & MONTEIRO, C. A. The stage of nutrition in different Brazilian regions. Archivos Latinoamericanos de Nutrition. 47(2):17-21, MONTEIRO, C. A.; BENÍCIO, M. H. D A. & POPKIN, B. M. Shifting obesity trends in Brazil. European Journal of Clinical Nutrition. 54:342-6, 2000.

17 MORROW, J. R.; JACKSON, A. W.; DISCH, J. G. & MOOD, D. P. Measurement and evaluation in human performance. Champaign, Il., Human Kinetics, MUELLER, W. H., WEAR, M. L., NANIS, C. L. & EMERSON, J. B. Which measure of body fat distribution is best for epidemiologic research? American Journal of Epidemiology. 133: , MUST, A.; DALLAL, G. E. & DIETZ, W. H. Reference data for obesity: 85 th and 95 th percentiles of body mass index (wt/ht 2 ) and triceps skinfold thickness. American Journal of Clinical Nutrition. 53:839-46, NAHAS, M. V. & CORBIN, C. B. Educação para a aptidão física e saúde: justificativa e sugestões para implementação nos programas de educação física. Revista Brasileira de Ciência e Movimento. 6(3):14-24, NETER, J.; KUTNER, M. H.; NASCHSTHEIM, C. J. & WASSERMAN, W. Applied linear statistical models. Boston, 4 th ed., McGraw Hill, NIDDK National Institute of Diabetes and Digestive and Kidney Diseases. Understanding adult obesity. NIH Publ. Nº Rockville, MD: National Institutes of Health, NIEMAN, D. C. Exercício e Saúde, Como se prevenir de doenças usando o exercício como seu medicamento. São Paulo, Manole, NIH National Institutes of Health. Clinical guidelines on the identification, evaluation, and treatment of overweight and obesity in adults. The Evidence Report, Rockville, OFFER, A. Epidemics of abundance: overeating and slimming in the USA and Britain since 1950 s. University of Oxford Discussion Papers in Economic and Social History, n. 25, OLDS, T. & NORTON, K. Life Size user manual release 1.0 Educational Software for Body Composition Analysis. Human Kinetics Software, PATE, R. R. The evolving definition of physical fitness. Quest. 40(3):174-9, PEÑA, J.; VÁSQUEZ, M.; BARBA, C. & LUCO, I. Error en la estimación del porcentaje de grasa corporal en mujeres jóvenes según diversas ecuaciones de prediccion. Revista Chilena de Nutrición. 15(1):34-40, PERES, B. A.; BARBANTI, V. J.; TRICOLI, V. A. A.; FREITAS Jr., I. F. & GUEDES, D. P. Perfil dos candidatos aos cursos de Bacharelado em Esporte e

18 Bacharelado em Educação Física USP XVIII Simpósio Internacional de Ciências do Esporte "Exercícios e Qualidade de Vida". São Paulo, PETROSKI, E. L. Desenvolvimento e validação de equações generalizadas para a estimativa da densidade corporal em adultos. Santa Maria, Tese de Doutorado, Universidade Federal de Santa Maria, 1995a. PETROSKI, E. L. Cineantropometria: caminhos metodológicos no Brasil. In: FERREIRA NETO, A.; GOELLNER, S. V. & BRACHT, V. (orgs.). As ciências do esporte no Brasil. Campinas, Autores Associados, 1995b. PETROSKI, E. L. & PIRES NETO, C. S. Validação de equações antropométricas para a estimativa da densidade corporal em homens. Revista Brasileira de Atividade Física e Saúde, 1(3):5-14, POLLOCK, M. L. & WILMORE, J. H. Exercícios na saúde e na doença. 2ª ed. Rio de Janeiro, Medsi, PORTA, J.; SUSO, J. M. G.; GALIANO, D.; TEJEDO, A. & PRAT, J. A. Body composition assessment. Critical and methodological analysis. Part I. CAR News. 7:4-13, 1995a. PORTA, J.; SUSO, J. M. G.; GALIANO, D.; TEJEDO, A. & PRAT, J. A. Body composition assessment. Critical and methodological analysis. Part II. CAR News. 8:4-13, 1995b. POWERS, S. K. & HOWLEY, E. T. Fisiologia do Exercício Teoria e aplicação ao condicionamento e ao desempenho. 3ª ed., São Paulo, Manole, RABKIN, S. W.; CHEN, Y.; LEITER, L.; LIU, L. & REEDER, B. A. Risk factor correlates of body mass index. Canadian Heart Health Surveys Research Group. Canadian Medical Association Journal. Suplemento 1:S26-31, RASO, V.; MATSUDO, S. M.; MATSUDO, V. & ANDRADE, E. Efeito de três programas distintos de exercício físico sobre o peso,a adiposidade e o índice de massa corporal de mulheres idosas. XX Simpósio Internacional de Ciências do Esporte "Saúde, Nutrição e Performance". São Paulo, REXRODE, K. M.; CAREY, V. J.; HENNEKENS, C. H.; WALTERS, E. E.; COLDITZ, G. A.; STAMPFER, M. J.; WILLETT, W. C. & MANSON, J. E. Abdominal adiposity and coronary heart disease in women. Journal of American Medical Association. 280(21):1843-8, 1998.

19 RISICA, P. M.; SCHRAER, C.; EBBESSON, S. O. E. & CABALLERO, B. Overweight and obesity among Alaskan Eskimos of the Bering Straits region: the Alaska Siberia Project. International Journal of Obesity. 24:939-44, ROCHA, J. R.; MATSUDO, S. M. M.; ANDRADE, D. R.; FIGUEIRA JUNIOR, A. J. & MATSUDO, V. K. R. Anthropometric variables in girls fron 07 to 18 years of age in Ilhabela: a cross sectional study. In: XIX Simpósio Internacional de Ciências do Esporte, São Paulo, ROCHE, A. F. Anthropometry and Ultrasound. In: ROCHE, A. F.; HEYMSFIELD, S. B. & LOHMAN, T. G. Human body composition. Champaign, Human Kinetics, ROCHE, A. F.; HEYMSFIELD, S. B. & LOHMAN, T. G. Human body composition. Champaign, Human Kinetics, RODRIGUES AÑES, C. R. Desenvolvimento de equações para a estimativa da densidade corporal de soldados e cabos do exército brasileiro. Santa Maria. Dissertação de Mestrado, Universidade Federal de Santa Maria, ROSS, W. D. Agrupando amostras que diferem alometricamente em tamanho. Revista Brasileira de Medicina do Esporte. 3(4):95-100, ROZOWSKI, N. J. & ARTEGA, L. I. A. El problema de la obesidad y sus características alarmantes en Chile. Revista Médica de Chile. 125: , SAFRIT, M. J. Complete guide to youth fitness testing. Champaign, Il., Human Kinetics, SAFRIT, M. J. & WOOD, T. N., ed. Measurements concepts in physical education and exercise science. Champaign, IL., Human Kinetics, SCHULTE, H.; CULLEN, P. & ASSMANN, G. Obesity, mortality and cardiovascular disease in the Munster Heart Study. Atherosclerosis. 144(1): , SEIDELL, J. C.; VERSCHUREN, W. M. M. & KROMHOUT, D. Levels and trends of obesity in The Netherlands, International Journal of Obesity. 19:924-7, SEIDELL, J. C.; VISSCHER, T. L. S. & HOOGEVEEN, R. T. Overweight and obesity in the mortality rate data: current evidence and research issues. Medicine and Science in Sports & Exercise. 31(11):S , 1999.

20 SHAPER, A. G., WALKER, M. & WANNAMETHEE, S. G. Body weight: implications for the prevention of coronary heart disease, stroke, and diabetes mellitus in a cohort study of middle aged men. British Medical Journal. 314: , SICHIERI, R. Epidemiologia da obesidade. Rio de Janeiro, EDUERJ, SICHIERI, R.; COITINHO, D. C.; LEÃO, M. M.; RECINE, E. & EVERHART, J. E. High temporal, geographic and income variation in body mass index among adults in Brazil. American Journal of Public Health. 84:793-8, SILVA, N. B. Comparação da espessura das dobras cutâneas entre praticantes de ginástica aeróbica e estudantes do curso de educação física do sexo feminino. XVII Simpósio Internacional de Ciências do Esporte "Exercício no Terceiro Milênio". São Caetano do Sul, SILVENTOINEN, K.; LAHELMA, E. & RAHKONEN. Social background, adult body-height and health. International Journal of Epidemiology. 28(5):911-8, SIMMONS, G.; JACKSON, R.; SWINBURN, B. & YEE, R. L. The increasing prevalence of obesity in New Zealand: is it related to recent trends in smoking and physical activity? New Zealand Medical Journal. 109:90-2, SORENSEN, H. T.; SABROE, S.; GILLMAN, M. Continued increase in prevalence of obesity in Danish young men. International Journal of Obesity. 21:712-4, SOUZA, M. T.; MOLA, I. C.; NEVES, J. R.; CAMPANELLI, J. R. & MASSA, M. Concentração de gordura corporal em indivíduos adultos de ambos os sexos. In: XX Simpósio Internacional de Ciências do Esporte. "Saúde, Nutrição e Performance", São Paulo, SPIRDUSO, W. W. Physical Dimensions of Aging. Champaign, IL., Human Kinetics, STOUT, J. M.; HOUSH, T. J.; JOHNSON, G. O.; HOUSH, D. J.; EVANS, S. A. & ECKERSON. J. M. Validity of skinfold equations for estimating body density in youth wrestlers. Medicine and Science in Sports and Exercise. 27(9):1321-5, TAYLOR, R. W.; KEIL, D.; GOLD, E. J.; WILLIANS, S. M. & GOULDING, A. Body mass index, waist girth, and waist-to-hip ratio as indexes of total and regional adiposity in women: evaluation using receiver aperating characteristic curves. Ameriacan Journal of Clinical Nutrition. 67:44-9, THORLAND, W. G.; JOHNSON, G. O.; THARP, G. D.; HOUSH, T. J. & CISAR, C. J. Estimation of body density in adolescent athletes. Human Biology. 56: , 1984.

21 TURCATO, E.; BOSELLO, O.; Di FRANCESCO, V.; HARRIS, T. B.; ZOICO, E.; BISSOLI, L.; FRANCASSI, E. & ZAMBONI, M. Waist circumference and abdominal sagittal diameter as surrogates of body fat distribution in the elderly: their relation with cardiovascular risk factors. International Journal of Obesity. 24: , UEZU, R.; BOJIKIAN, L. P.; MARTÍN, R. H. C.; PARRA, S.; BERNADELI, M. & BÖHME, M. T. S. IMC e soma de dobras cutâneas em jovens atletas mulheres. Anais do IV Congresso Paulista de Medicina do Esporte. p. 32, WAGNER, D. R. & HEYWARD, V. H. Validity of two-component models for estimating body fat of black men. Journal of Applied Physiology. 90(2):649-56, WANG, Z. M.; PIERSON Jr., R. N. & HEYMSFIELD, S. B. The five-level model: a new approach to organizing body composition research. American Journal of Clinical Nutrition. 56:19-28, WEINECK, J. Biologia do Esporte. São Paulo, Manole, WELHAN, W. C. & BEHNKE, A. R. The gravity of health men. Body weight: volume and other physical characteristics exceptional athletes and naval personnel. Journal of the American Medical Association. 118: , WHO World Health Organization. Preventing and managing the global epidemic of obesity. Geneva, Report of the World Health Organization Consultation of Obesity, WITHERS, R. T.; LaFORGIA, J.; PILLANS, R. K.; SHIPP, N. J.; CHATTERTON, B. E.; SCHULTZ, C. G. & LEANEY, F. Comparisons of two-, three-, and four-compartment models of body composition analysis in men and women. Journal of Applied Physiology. 85(1):238-45, YUAN, J. M.; ROSS, R. K. GAO, Y. T. & YU, M. C. Body weight and mortality: a prospective evaluation in a cohort of middle-aged men in Shanghai, China. International Journal of Epidemiology. 27(5):824-32, 1998.

22 ANEXO I Valores mínimo (Mín.) e máximo (Máx.), média (X), mediana (Md), desvio padrão (Sd) e coeficiente de variação (CV - %) de massa (kg), estatura (cm), IMC (kg/m 2 ),dobras cutâneas (mm) e somatórias de dobras cutâneas (mm) de moradores da cidade de Santos de 20 a 29,9 anos de idade, do sexo masculino. Variáveis Min. Max. X Md Sd CV Massa 46,60 126,60 74,63 72,50 13,84 18,54 Estatura 155,70 190,2 173,83 173,60 8,17 4,70 IMC 18,00 38,00 24,16 23,50 3,75 15,52 TR 6,90 37,50 17,82 10,20 5,01 28,11 SB 7,50 45,00 18,52 13,05 7,85 42,39 AM 3,90 37,00 12,96 10,70 7,53 58,10 TX 2,90 27,00 9,94 8,80 5,23 52,61 BI 2,40 22,00 5,85 4,85 3,44 58,80 SI 5,00 54,20 21,97 19,40 11,65 53,02 AB 6,00 64,50 23,47 21,65 13,05 55,60 CX 5,50 56,50 16,98 15,05 8,98 52,89 PM 3,00 34,50 10,93 9,65 5,85 53, ,50 107,70 38,18 32,75 20,22 52,96 5T 26,20 231,60 84,56 74,35 44,76 52,93 4M 17,20 141,60 44,84 42,70 22,17 49, ,90 253,00 89,72 81,65 45,14 50, ,00 359,90 129,40 117,20 65,03 50,26

23 ANEXO II Valores mínimo (Mín.) e máximo (Máx.), média (X), mediana (Md), desvio padrão (Sd) e coeficiente de variação (CV - %) de massa (kg), estatura (cm), IMC (kg/m 2 ), dobras cutâneas (mm) e somatórias de dobras cutâneas (mm) de moradores da cidade de Santos de 20 a 29,9 anos de idade, do sexo feminino. Variáveis Min. Max. X Md Sd CV Massa 44,20 90,20 59,77 58,80 8,87 14,84 Estatura 144,90 177,00 161,28 161,50 6,33 3,92 IMC 17,00 33,00 22,48 22,00 3,14 13,97 TR 6,90 37,50 17,82 16,90 5,01 28,11 SB 7,50 45,00 18,52 16,50 7,85 42,39 AM 4,40 36,00 14,51 13,00 6,81 46,93 TX 3,50 22,20 9,51 9,10 3,42 35,96 BI 2,90 18,80 8,75 8,40 3,38 38,63 SI 3,20 43,50 22,92 23,00 7,63 33,29 AB 7,60 48,2 24,70 23,20 8,21 33,24 CX 14,50 52,10 28,53 27,50 7,73 27,09 PM 7,10 30,60 17,74 17,50 4,70 26, ,70 88,40 41,45 39,10 14,40 34,74 5T 33,50 249,30 91,69 84,50 33,93 37,00 4M 36,40 128,50 72,85 70,50 18,66 25, ,80 262,50 114,02 107,60 34,86 30, ,10 312,70 164,53 153,80 48,15 29,27

24 ANEXO III Valores mínimo (Mín.) e máximo (Máx.), média (X), mediana (Md), desvio padrão (Sd) e coeficiente de variação (CV - %) de massa (kg), estatura (cm), IMC (kg/m 2 ), dobras cutâneas (mm) e somatórias de dobras cutâneas (mm) de moradores da cidade de Santos de 30 a 39,9 anos de idade, do sexo masculino. Variáveis Min. Max. X Md Sd CV Massa 54,40 124,20 79,82 78,20 13,08 16,39 Estatura 153,50 189,50 172,80 173,50 6,81 3,94 IMC 19,00 39,00 26, ,72 14,15 TR 3,70 27,50 11,26 10,80 4,53 40,23 SB 7,10 52,30 20,93 18,20 9,90 47,30 AM 4,70 37,50 16,29 16,00 7,17 44,01 TX 4,30 25,10 13,61 13,00 5,49 40,34 BI 2,10 21,50 7,55 6,90 4,02 53,25 SI 2,20 54,50 26,92 27,50 10,75 39,93 AB 6,40 66,10 30,43 31,00 12,83 42,16 CX 5,00 36,50 16,73 16,30 6,34 37,89 PM 2,70 26,50 10,96 11,10 4,88 44, ,2 106,80 47,85 47,10 19,89 41,57 5T 31,00 229,30 108,17 107,60 43,75 40,51 4M 13,90 102,80 46,51 44,20 17,21 37, ,00 218,30 106,26 108,10 40,97 38, ,90 310,70 154,68 155,90 58,89 38,07

25 ANEXO IV Valores mínimo (Mín.) e máximo (Máx.), média (X), mediana (Md), desvio padrão (Sd) e coeficiente de variação (CV- %) de massa (kg), estatura (cm), IMC (kg/m 2 ), dobras cutâneas (mm) e somatórias de dobras cutâneas (mm) de moradores da cidade de Santos de 30 a 39,9 anos de idade, do sexo feminino. Variáveis Min. Max. X Md Sd CV Massa 45,40 96,00 63,40 61,30 10,40 16,40 Estatura 141,10 174,00 158,89 159,85 6,24 3,92 IMC 18,00 46,00 24,71 24,00 4,20 17,00 TR 9,50 35,50 20,12 19,60 5,97 29,67 SB 6,10 48,00 20,88 19,30 8,70 41,67 AM 3,90 36,00 16,63 16,35 6,41 38,54 TX 3,90 21,50 10,26 9,45 3,88 37,82 BI 3,10 23,00 10,09 9,45 3,84 38,06 SI 6,30 43,20 23,31 24,10 7,81 33,50 AB 8,80 52,50 26,49 27,05 8,63 32,58 CX 12,20 65,70 30,68 31,00 8,76 28,55 PM 6,80 36,00 18,39 18,50 5,49 29, ,60 83,00 44,19 43,35 15,72 35,57 5T 29,20 180,50 97,56 97,15 32,23 33,04 4M 38,00 145,70 79,29 75,60 21,70 27, ,30 218,40 121,48 120,60 33,67 27, ,80 299,40 176,85 173,60 48,65 27,51

26 ANEXO V Valores mínimo (Mín.) e máximo (Máx.), média (X), mediana (Md), desvio padrão (Sd) e coeficiente de variação (CV - %) de massa (kg), estatura (cm), IMC (kg/m 2 ), dobras cutâneas (mm) e somatórias de dobras cutâneas (mm) de moradores da cidade de Santos de 40 a 49,9 anos de idade, do sexo masculino. Variáveis Min. Max. X Md Sd CV Massa 54,40 122,40 79,78 77,00 13,40 16,80 Estatura 152,70 190,00 170,28 170,20 6,84 4,02 IMC 19,00 38,00 27,41 27,00 4,49 16,38 TR 4,40 28,10 12,96 12,30 4,11 31,71 SB 9,60 52,00 24,42 23,00 8,92 36,53 AM 4,50 36,00 19,44 19,30 6,49 33,38 TX 5,10 34,50 15,93 15,50 4,71 29,57 BI 3,00 18,70 8,05 7,40 3,51 43,60 SI 7,50 50,80 29,31 29,00 9,30 31,73 AB 10,10 66,50 35,81 34,10 11,43 31,92 CX 6,40 38,10 18,48 17,50 6,19 33,49 PM 7,40 31,50 18,76 18,60 4,77 25, ,30 100,80 53,73 51,90 17,19 31,99 5T 39,50 226,50 124,91 123,60 37,43 29,97 4M 17,30 102,90 50,86 50,60 15,27 30, ,20 231,10 120,99 122,10 35,61 29, ,80 329,40 175,76 175,10 49,96 28,43

27 ANEXO VI Valores mínimo (Mín.) e máximo (Máx.), média (X), mediana (Md), desvio padrão (Sd) e coeficiente de variação (CV - %) de massa (kg), estatura (cm), IMC (kg/m 2 ), dobras cutâneas (mm) e somatórias de dobras cutâneas (mm) de moradores da cidade de Santos de 40 a 49,9 anos de idade, do sexo feminino. Variáveis Min. Max. X Md Sd CV Massa 45,60 113,20 68,55 65,80 12,84 18,73 Estatura 140,60 177,00 156,79 156,50 6,54 4,17 IMC 18,00 44,00 27,41 27,00 4,77 17,40 TR 7,10 44,50 20,96 20,50 6,37 30,39 SB 8,60 47,50 24,60 24,00 10,04 40,81 AM 5,70 41,00 20,38 20,70 7,57 37,14 TX 4,20 23,20 11,15 10,20 4,33 38,83 BI 3,30 32,20 11,76 11,20 4,80 40,82 SI 7,50 46,00 26,46 27,20 8,04 30,39 AB 6,70 65,00 31,99 31,50 10,89 34,04 CX 8,70 69,00 32,45 32,50 10,24 31,56 PM 5,60 37,40 18,85 18,60 5,49 29, ,30 86,70 51,06 50,00 17,02 33,33 5T 34,40 202,90 114,59 119,30 37,24 32,50 4M 28,00 175,00 84,02 84,20 24,06 28, ,40 249,30 136,46 134,10 38,43 28, ,50 367,30 198,61 193,60 56,31 28,35

28 ANEXO VII Valores mínimo (Mín.) e máximo (Máx.), média (X), mediana (Md), desvio padrão (Sd) e coeficiente de variação (CV - %) de massa (kg), estatura (cm), IMC (kg/m 2 ), dobras cutâneas (mm) e somatórias de dobras cutâneas (mm) de moradores da cidade de Santos de 50 a 59,9 anos de idade, do sexo masculino. Variáveis Min. Max. X Md Sd CV Massa 54,80 107,00 78,98 78,00 11,99 15,18 Estatura 146,50 181,50 168,17 169,80 6,99 4,16 IMC 21,00 36,00 27,45 27,00 3,52 12,82 TR 4,70 21,80 12,16 11,10 4,13 33,96 SB 8,50 46,20 24,33 23,60 8,43 34,65 AM 5,70 36,00 19,69 19,50 6,63 33,67 TX 7,50 24,60 17,27 17,50 4,48 25,94 BI 3,20 18,80 8,21 7,40 3,25 39,58 SI 10,10 49,90 28,06 27,00 9,87 35,17 AB 16,00 62,10 34,55 34,50 10,43 30,19 CX 6,00 38,20 18,20 16,50 7,66 42,09 PM 4,60 22,00 10,91 8,90 4,56 41, ,10 90,90 52,39 50,60 17,30 33,02 5T 52,30 202,60 123,91 119,90 36,38 29,36 4M 23,10 91,00 49,48 42,70 17,64 35, ,30 205,80 117,30 114,60 35,18 30, ,30 288,80 173,39 171,60 51,04 29,44

29 ANEXO VIII Valores mínimo (Mín.) e máximo (Máx.), média (X), mediana (Md), desvio padrão (Sd) e coeficiente de variação (CV - %) de massa (kg), estatura (cm), IMC (kg/m 2 ), dobras cutâneas (mm) e somatórias de dobras cutâneas (mm) de moradores da cidade de Santos de 50 a 59,9 anos de idade, do sexo feminino. Variáveis Min. Max. X Md Sd CV Massa 41,20 105,80 67,12 67,00 11,37 16,94 Estatura 142,20 168,50 155,18 154,40 5,84 3,76 IMC 19,00 38,00 27,41 27,00 4,49 16,38 TR 11,20 39,00 21,69 21,20 5,27 24,30 SB 7,80 42,20 26,41 26,20 8,36 31,65 AM 6,60 38,50 21,56 22,20 6,08 28,20 TX 3,40 23,00 11,68 12,10 4,14 35,45 BI 5,00 24,10 12,58 12,50 3,93 31,24 SI 8,00 41,00 26,50 27,20 6,39 24,11 AB 11,80 58,00 34,21 34,10 8,92 26,07 CX 12,50 51,00 31,71 32,10 7,77 24,50 PM 7,40 31,50 18,76 18,60 4,77 25, ,80 80,10 52,91 54,00 13,63 25,76 5T 41,90 174,10 120,36 126,50 29,77 24,73 4M 44,30 136,10 84,75 83,80 18,63 21, ,50 197,60 140,52 140,00 29,70 21, ,50 302,40 205,11 206,50 43,47 21,19

30 ANEXO IX Valores mínimo (Mín.) e máximo (Máx.), média (X), mediana (Md), desvio padrão (Sd) e coeficiente de variação (CV - %) de massa (kg), estatura (cm), IMC (kg/m 2 ), dobras cutâneas (mm) e somatórias de dobras cutâneas (mm) de moradores da cidade de Santos de 60 a 69,9 anos de idade, do sexo masculino. Variáveis Min. Max. X Md Sd CV Massa 44,80 110,40 76,54 78,20 12,23 15,98 Estatura 158,20 180,40 166,86 166,00 6,21 3,72 IMC 17,00 37,00 26,92 27,00 3,78 14,04 TR 4,10 26,40 11,02 10,80 3,81 34,57 SB 8,00 41,00 22,72 22,30 7,30 32,13 AM 4,00 36,40 18,33 19,00 6,39 34,86 TX 4,50 31,40 15,58 17,10 4,39 28,18 BI 2,20 16,50 7,81 7,60 2,89 37,00 SI 8,00 49,00 22,88 22,50 8,08 35,31 AB 9,50 51,50 27,85 28,00 8,20 29,44 CX 6,60 30,30 15,29 14,60 6,03 39,44 PM 2,90 18,90 9,70 8,50 3,46 35, ,00 85,80 45,60 44,70 13,77 20,20 5T 34,00 202,80 107,36 106,30 30,22 28,15 4M 17,20 84,90 43,82 42,50 13,41 30, ,60 189,20 99,76 97,80 27,74 27, ,20 287,70 151,18 153,40 41,54 27,48