Capítulo 2: Camada de Aplicação

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Capítulo 2: Camada de Aplicação"

Transcrição

1 Aplicações e protocolos da camada aplicação Capítulo 2: Camada Aplicação Antônio Abelém Aplicação: processos distribuídos em comunicação executam em hospeiros no espaço trocam mensagens para implementar aplicação p.ex., correio, transf. arquivo, WWW Protocolos da camada apl. uma parte da aplicação fine mensagens trocadas por apls e ações tomadas usam serviços providos por protocolos camadas inferiores aplicação transporte re enlace física aplicação transporte re enlace física aplicação transporte re enlace física 2: Camada Aplicação 1 2: Camada Aplicação 2 Aplicações re: algum jargão Paradigma cliente- (C-S) Um processo é um programa em execução num hospeiro. 2 processos no mesmo hospeiro se comunicam usando communicação entre processos finida pelo sistema operacional (SO). 2 processos em hospeiros distintos se comunicam usando um protocolo da camada aplicação. Um (UA) é uma interface entre o e a aplicação re. WWW: browser Correio: leitor/compositor mensagens streaming audio/vio: tocador mídia Apl. re típica tem duas partes: cliente and Cliente: inicia contato com o ( fala primeiro ) tipicamente solicita serviço do para WWW, cliente implementado no browser; para correio no leitor mensagens Servidor: provê ao cliente o serviço requisitado aplicação transporte re enlace física pedido resposta aplicação transporte re enlace física 2: Camada Aplicação 3 p.ex., WWW envia página solicitada; correio entrega mensagens 2: Camada Aplicação 4

2 Protocolos da camada aplicação (cont). API: interface programação aplicações fine interface entre aplicação e camada transporte socket (= tomada) : API da Internet 2 processos se comunicam enviando dados para um socket ou lendo dados um socket P: como um processo po intificar o outro processo com o qual quer se comunicar? enreço IP do hospeiro do outro processo número porta - permite que o hospeiro receptor termine a qual processo ve ser entregue a mensagem voltamos mais tar a este assunto. 2: Camada Aplicação 5 De que serviço transporte uma aplicação precisa? Perda dados algumas apls (p.ex. áudio) pom tolerar algumas perdas outras (p.ex., transf. arquivos, telnet) requerem transferência 100% confiável Temporização algumas apls (p.ex., telefonia Internet, jogos interativos) requerem baixo retardo para serem viáveis Largura banda algumas apls (p.ex., multimídia) requerem quantia mínima banda para serem viáveis outras apls ( apls elásticas ) conseguem usar qq quantia banda disponível 2: Camada Aplicação 6 Requisitos do serviço transporte apls comuns Serviços providos por protocolos transporte Internet Aplicação transferência arqs correio documentos WWW áudio/vío tempo real áudio/vío gravado jogos interativos apls financeiras Perdas sem perdas sem perdas sem perdas tolerante tolerante tolerante sem perdas Banda elástica elástica elástica áudio: 5Kb-1Mb vío:10kb-5mb como anterior > alguns Kbps elástica Sensibilida temporal não não não sim, 100 s mseg sim, alguns segs sim, 100 s mseg sim e não 2: Camada Aplicação 7 serviço TCP: orientado a conexão: setup requerido entre cliente, transporte confiável entre processos remetente e receptor controle fluxo: remetente não vai afogar receptor controle congestionamento: estrangular remetente quando a re carregada não provê: garantias temporais ou banda mínima serviço UDP: transferência dados não confiável entre processos remetente e receptor não provê: setup da conexão, confiabilida, controle fluxo, controle congestionamento, garantias temporais ou banda mínima P: Qual é o interesse em ter um UDP? 2: Camada Aplicação 8

3 Apls Internet: seus protocolos e seus protocolos transporte WWW: algum jargão Aplicação correio eletrônico accesso terminal remoto WWW transferência arquivos streaming multimídia arquivo remoto telefonia Internet Protocolo da camada apl smtp [RFC 821] telnet [RFC 854] http [RFC 2068] ftp [RFC 959] proprietário (p.ex. RealNetworks) NSF proprietário (p.ex., Vocaltec) Protocolo transporte usado TCP TCP TCP TCP TCP ou UDP TCP ou UDP tipicamente UDP Página WWW: consiste objetos enreçada por uma URL Quase todas as páginas WWW consistem : página base HTML, e vários objetos referenciados. URL tem duas partes: nome hospeiro, e nome caminho: Agent para WWW se chama browser: MS Internet Explorer Netscape Communicator Servidor para WWW se chama WWW : Apache (domínio público) MS Internet Information Server (IIS) 2: Camada Aplicação 9 2: Camada Aplicação 10 WWW: o protocolo http Mais sobre o protocolo http http: hypertext transfer protocol protocolo da camada aplicação para WWW molo cliente/ cliente: browser que pe, recebe, visualiza objetos WWW : WWW envia objetos em resposta a pedidos http1.0: RFC 1945 http1.1: RFC 2068 PC executa Explorer Mac executa Navigator pedido http resposta http pedido http resposta http Servidor executando WWW da UFPA http: serviço transporte TCP: cliente inicia conexão TCP (cria socket) ao, porta 80 aceita conexão TCP do cliente mensagens http (mensagens do protocolo da camada apl) trocadas entre browser (cliente http) e e WWW ( http) encerra conexão TCP http é sem estado não mantém informação sobre pedidos anteriores do cliente Nota Protocolos que mantêm estado são complexos! história pda (estado) tem que ser guardada Caso caia /cliente, suas visões do estado pom ser inconsistentes, vem ser reconciliadas 2: Camada Aplicação 11 2: Camada Aplicação 12

4 tempo Exemplo http Supomos que digita a URL 1a. Cliente http inicia conexão TCP a http (processo) a Porta 80 é padrão para http. 2. cliente http envia mensagem pedido http (contendo URL) através do socket da conexão TCP (contém texto, referências a 10 imagens jpeg) 1b. http no hospeiro espera por conexão TCP na porta 80. aceita conexão, avisando ao cliente 3. http recebe mensagem pedido, formula mensagem resposta contendo objeto solicitado (algumdepartmento/inicial.inx), envia mensagem via socket 2: Camada Aplicação 13 tempo Exemplo http (cont.) 5. cliente http recebe mensagem resposta contendo arquivo html, visualiza html. Analisando arquivo html, encontra 10 objetos jpeg referenciados 6. Passos 1 a 5 repetidos para cada um dos 10 objetos jpeg 4. http encerra conexão TCP. 2: Camada Aplicação 14 Conexões não persistente and persistente Não persistente HTTP/1.0 analisa pedido, respon, e encerra conexão TCP 2 RTTs para trazer cada objeto (RTT=round trip time) transferência cada objeto sofre partida lenta A maioria browsers 1.0 usa connexões TCP paralelas. Persistente fault for HTTP/1.1 na mesma conexão TCP: analisa pedido, respon, analisa novo pedido,.. Cliente envia pedidos para todos objetos referenciados assim que recebe o HTML base. Menos RTTs and menos partida lenta. 2: Camada Aplicação 15 formato mensagem http: pedido Dois tipos mensagem http: pedido, resposta mensagem pedido http: ASCII (formato legível por pessoas) linha do pedido (comandos GET, POST, HEAD) linhas do cabeçalho Carriage return, line feed indicate fim mensagem GET /somedir/page.html HTTP/1.0 User-agent: Mozilla/4.0 Accept: text/html, image/gif,image/jpeg Accept-language:fr (carriage return (CR), line feed(lf) adicionais) 2: Camada Aplicação 16

5 mensagem pedido http: formato geral formato mensagem http: resposta linha status (protocolo, código status, frase status) dados, p.ex., arquivo html solicitado linhas cabeçalho HTTP/ OK Date: Thu, 06 Aug :00:15 GMT Server: Apache/1.3.0 (Unix) Last-Modified: Mon, 22 Jun Content-Length: 6821 Content-Type: text/html dados dados dados dados... 2: Camada Aplicação 17 2: Camada Aplicação 18 códigos status da resposta http Na primeira linha da mensagem resposta ->cliente. Alguns códigos típicos: 200 OK sucesso, objeto pedido segue mais adiante nesta mensagem 301 Moved Permanently objeto pedido mudou lugar, nova localização especificado mais adiante nesta mensagem (Location:) 400 Bad Request mensagem pedido não entendida pelo 404 Not Found documentopedidonãose encontraneste 505 HTTP Version Not Supported versão http do pedido não usada por este 2: Camada Aplicação 19 Interação -: GET condicional Meta: não enviar objeto se cliente já tem (no cache) versão atual cliente: especifica data da cópia no cache no pedido http If-modified-since: <date> : resposta não contém objeto se cópia no cache é atual: HTTP/ Not Modified cliente msg pedido http If-modified-since: <date> resposta http HTTP/ Not Modified msg pedido http If-modified-since: <date> resposta http HTTP/ OK <data> objeto não modificado objeto modificado 2: Camada Aplicação 20

6 Cache WWW (-procurador) Por quê usar cache WWW? Servidores origem Meta: atenr pedido do cliente sem envolver origem configura browser: acessos WWW via procurador cliente envia todos pedidos http ao procurador se objeto estiver no cache do procurador, este o volve imediatamente na resposta http senão, solicita objeto do origem, pois volve resposta http ao cliente cliente cliente pedido http resposta http pedido http resposta http Servidorprocurador pedido http resposta http pedido http resposta http Servidor origem Servidor origem 2: Camada Aplicação 21 Suposição: cache está próximo do cliente (p.ex., na mesma re) tempo resposta menor: cache mais próximo do cliente diminui tráfego aos es distantes muitas vezes é um gargalo o enlace que liga a re da instituição ou do provedor à Internet re da instituição Internet pública enlace accesso 2 Mbps LAN 10 Mbps cache da instituição 2: Camada Aplicação 22 ftp: o protocolo transferência arquivos ftp: conexões separadas p/ controle, dados na estação Interface cliente do FTP FTP sistema arquivos local transferência do arquivo FTP transferir arquivo /para hospeiro remoto molo cliente/ sistema arquivos remoto cliente: lado que inicia transferência (po ser ou para o sistema remoto) : hospeiro remoto ftp: RFC 959 ftp: porta 21 2: Camada Aplicação 23 cliente ftp contata ftp na porta 21, especificando TCP como protocolo transporte são abertas duas conexões TCP paralelas: controle: troca comandos, respostas entre cliente,. controle fora da banda dados: dados arquivo /para ftp mantém estado : directório corrente, autenticação realizada cliente FTP conexão controle TCP, porta 21 conexão dados TCP, porta 20 FTP 2: Camada Aplicação 24

7 Ftp: comandos, respostas Comandos típicos: enviados em texto ASCII pelo canal controle USER nome PASS senha LIST volve lista arquivos no directório corrente RETR arquivo recupera (lê) arquivo remoto STOR arquivo armazena (escreve) arquivo no hospeiro remoto Códigos retorno típicos código e frase status (como para http) 331 Username OK, password required 125 data connection already open; transfer starting 425 Can t open data connection 452 Error writing file 2: Camada Aplicação 25 Correio Eletrônico Três grans componentes: s (UA) es correio simple mail transfer protocol: smtp Agente Usuário a.k.a. leitor correio compor, editar, ler mensagens correio p.ex., Eudora, Outlook, elm, Netscape Messenger mensagens saída e chegando são armazenadas no correio SMTP correio SMTP SMTP fila mensagens saída caixa correio do correio 2: Camada Aplicação 26 Correio Eletrônico: es correio Correio Eletrônico: smtp [RFC 821] Servidores correio caixa correio contém mensagens chegada (ainda não lidas) p/ fila mensagens contém mensagens saída (a serem enviadas) protocolo smtp entre es correio para transferir mensagens correio cliente: correio que envia : correio que recebe correio SMTP correio SMTP SMTP correio 2: Camada Aplicação 27 usa tcp para a transferência confiável msgs do correio do cliente ao, porta 25 transferência direta: remetente ao receptor três fases da transferência handshaking (cumprimento) transferência das mensagens encerramento interação comando/resposta comandos: texto ASCII resposta: código e frase status mensagens precisam ser em ASCII 7-bits 2: Camada Aplicação 28

8 Interaction smtp típica smtp: últimas palavras S: 220 doces.br C: HELO consumidor.br S: 250 Hello consumidor.br, pleased to meet you C: MAIL FROM: S: 250 Senr ok C: RCPT TO: S: 250 Recipient ok C: DATA S: 354 Enter mail, end with "." on a line by itself C: Voce gosta chocolate? C: Que tal sorvete? C:. S: 250 Message accepted for livery C: QUIT S: 221 doces.br closing connection smtp usa conexões persistentes smtp requerque a mensagem (cabeçalho e corpo) sejam em ascii 7-bits algumas caias caracteres não são permitidas numa mensagem (p.ex., CRLF.CRLF). Logo a mensagem po ter que ser codificada (normalmente em base-64 ou quoted printable ) smtp usa CRLF.CRLF para reconhecer o final da mensagem Comparação com http http: pull (puxar) push (empurrar) ambos tem interação comando/resposta, códigos status em ASCII http: cada object é encapsulado em sua própria mensagem resposta smtp: múltiplos objetos mensagem enviados numa mensagem múltiplas partes 2: Camada Aplicação 29 2: Camada Aplicação 30 Formato uma mensagem Formato uma mensagem: extensões para multimídia smtp: protocolo para trocar msgs correio RFC 822: padrão para formato mensagem texto: linhas cabeçalho, p.ex., To: From: Subject: diferentes dos comandos smtp! corpo a mensagem, somente caracteres ASCII cabeçalho corpo linha em branco MIME: multimedia mail extension, RFC 2045, 2056 linhas adicionais no cabeçalho da msg claram tipo do conteúdo MIME versão MIME método usado p/ codificar dados tipo, subtipo dados multimídia, claração parâmetros Dados codificados From: To: Subject: Imagem uma bela torta MIME-Version: 1.0 Content-Transfer-Encoding: base64 Content-Type: image/jpeg base64 encod data base64 encod data 2: Camada Aplicação 31 2: Camada Aplicação 32

9 Tipos MIME Content-Type: tipo/subtipo; parâmetros Text subtipos exemplos: plain, html charset= iso , ascii Image subtipos exemplos : jpeg, gif Vio subtipos exemplos : mpeg, quicktime Audio subtipos exemplos : basic (8-bit codificado mu-law), 32kadpcm (codificação 32 kbps) Application outros dados que precisam ser processados por um leitor para serem visualizados subtipos exemplos : msword, octet-stream 2: Camada Aplicação 33 Tipo Multipart From: To: Subject: Imagem uma bela torta MIME-Version: 1.0 Content-Type: multipart/mixed; boundary= Content-Transfer-Encoding: quoted-printable Content-Type: text/plain caro Bernardo, Anexa a imagem uma torta liciosa Content-Transfer-Encoding: base64 Content-Type: image/jpeg base64 encod data base64 encod data : Camada Aplicação 34 Protocolos accesso ao correio SMTP SMTP POP3 ou IMAP correio do remetente correio do receptor SMTP: entrega/armazenamento no do receptor protocolo accesso ao correio: recupera do POP: Post Office Protocol [RFC 1939] autorização ( <-->) e transferência IMAP: Internet Mail Access Protocol [RFC 1730] mais comandos (mais complexo) manuseio msgs armazenadas no HTTP: Hotmail, Yahoo! Mail, Webmail, etc. 2: Camada Aplicação 35 Protocolo POP3 fase autorização comandos do cliente: user: clara nome pass: senha respon +OK -ERR fase transação, cliente: list: lista números das msgs retr: recupera msg por número le: apaga msg quit S: +OK POP3 server ready C: user ana S: +OK C: pass faminta S: +OK user successfully logged on C: list S: S: S:. C: retr 1 S: <message 1 contents> S:. C: le 1 C: retr 2 S: <message 1 contents> S:. C: le 2 C: quit S: +OK POP3 server signing off 2: Camada Aplicação 36

10 DNS: Domain Name System Nomes DNS Pessoas: muitos intificadores: CPF, nome, no. Pporte hospeiros, roteadores Internet : enreço IP (32 bit) - usado p/ enreçar datagramas. nome, e.g., marajo.ufpa.br - usado por gente. P: como mapear entre nome e enreço IP? Domain Name System: base dados distribuída implementada através uma hierarquia es nomes. protocolo camada aplicação permite que hospeiros, roteadores e es nomes se comuniquem para resolver nomes (tradução enreço/nome) note: função imprescindível da Internet implementada como protocolo camada aplicação complexida na borda da re 2: Camada Aplicação 37 Um nome domínio é uma concatenação nomes: nome-n.....nome-2.nome-1 Conceitualmente, o nível mais alto (nome-1) permite duas formas diferentes nomeação: Organizacional com, edu, gov, int, mil, net e org Geográfica Código dos países: xx (código ISO 2 letras - exceto uk ) Exemplos: inf.puc-rio.br jb.com.br microsoft.com purdue.edu 2: Camada Aplicação 38 DNS - Estrutura Hierárquica com... nasa gov edu... ucla... censud petrobras.... com rdc Raiz br puc-rio inf ufrj triton... tijuca bach tpd ecp amazonas us nilo 2: Camada Aplicação 39 Organização distribuída da base dados Delegação responsabilidas Não é apenas uma única entida que gerencia todos os rótulos na árvore hierárquica O inter-nic gerencia o topo da árvore e lega responsabilidas para as sub-árvores restantes (nominadas zonas) O espaço nomes particionado em zonas zonas facilitam organização ferada e hierárquica autoridas gerenciamento do espaço nomes zonas legadas a organizações autorizadas (p.ex: br puc-rio inf ) 2: Camada Aplicação 40

11 Zona x Domínio Servidores nomes DNS Zona puc-rio.br Máquina responsável: vialáctea.rdc.puc-rio.br rio.br ele civ rdc triton Domínio puc-rio.br br Zona inf.puc-rio.br puc-rio Máquina responsável: exu.inf.puc-rio.br inf bach odudua tpd ecp jatoba nilo 2: Camada Aplicação 41 Por quê não centralizar o DNS? ponto único falha volume tráfego base dados centralizada e distante manutenção (da BD) Não é escalável! Nenhum mantém todos os mapeamento nomepara-enreço IP nomes local: cada provedor, empresa tem nomes local (fault) pedido DNS hospeiro vai primeiro ao nomes local nomes autoritativo: p/ hospeiro: guarda nome, enreço IP le po realizar tradução nome/enreço para este nome 2: Camada Aplicação 42 DNS: Servidores raíz Implementação do DNS procurado por local que não consegue resolver o nome raíz: procura autoritativo se mapeamento sconhecido obtém tradução volve mapeamento ao local ~ uma dúzia es raíz no mundo 2: Camada Aplicação 43 A estrutura hierárquica é global e distribuída entre es nomes resolução nomes uma pesquisa distribuída Tipo da pesquisa: recursiva: fornece resultado iterativa: fornece uma dica Uso cache guardar respostas localmente dados marcados com TTL (Time To Live) 2: Camada Aplicação 44

12 nome lógico Módulo Resolução Nomes Estação Origem Resolução Nomes Enreço IP nome lógico FTP TCP IP Estabelece conexão com enreço IP envia datagrama IP p/ end. IP Inter-Re FTP TCP IP Estação Destino Módulo Resolução Nomes: consulta arquivos locais Exemplo simples do DNS hospeiro tucuxi.ufpa.br requer enreço IP 1. Contata DNS local, marajo.ufpa.br 2. marajo.ufpa.br contata raíz, se necessário 3. Servidor raíz contata autoritativo cs.columbia.edu, se necessário local marajo.ufpa.br solicitante tucuxi.ufpa.br nomes raíz autoritativo cs.columbia.edu ou um serviço resolução nomes 2: Camada Aplicação 45 2: Camada Aplicação Exemplo DNS Servidor raíz: po não conhecer o nomes autoritativo po conhecer nomes intermediário: a quem contactar para scobrir o nomes autoritativo local marajo.ufpa.br solicitante tucuxi.ufpa.br nomes raíz intermediário saell.cc.columbia.edu 4 5 autoritativo cs.columbia.edu 2: Camada Aplicação 47 DNS: consultas iterativas consulta recursiva: transfere a responsabilida reolução do nome para o nomes contatado carga pesada? consulta iterativa: consultado respon com o nome um contato Não conheço este nome, mas pergunte para esse 1 2 local marajo.ufpa.br 8 solicitante tucuxi.ufpa.br nomes raíz consulta iterativa intermediário saell.cc.columbia.edu 5 6 autoritativo cs.columbia.edu 2: Camada Aplicação 48

13 Elementos do DNS Molo Cliente-Servidor Parte do cliente Resolvedor ( Resolver ) Parte do Servidor nomes 2: Camada Aplicação 49 Resolvedor ( Resolver ) Cliente que acessa o Servidor Nomes Funções já contidas nas bibliotecas do sistema Informações (queries) pom ser solicitadas forma recursiva ou iterativa Abreviações nomes Se o nome dado pelo não é encontrado, sufixos são agregados para verificar se usou uma abreviação amazonas=> nilo.ecp.inf.puc-rio.br; nilo.inf.puc-rio.br; nilo.puc-rio.br Abreviação é facilida oferecida opcionalmente por clientes Incorporada ao DNS mas não faz parte do protocolo 2: Camada Aplicação 50 Exemplo Consultas Resolvedor ( Resolver ) Recursiva: fornece resultado Interativa: fornece uma dica iterativa Servidor raíz Servidor br Servidor puc-rio.br Servidor inf.puc-rio.br UNIX: arquivo /etc/resolv.conf nameserver nameserver domain inf.puc-rio.br search inf.puc-rio.br tpd.inf.puc-rio.br ecp.inf.pucrio.br puc-rio.br Configuração Win2000: Start -> Settings -> Control Panel -> Network -> Protocols -> (Selecionar TCP/IP Protocol) -> Properties -> DNS Cliente (resolvedor) recursiva Servidor local 2: Camada Aplicação 51 2: Camada Aplicação 52

14 Servidor Nomes Programas es que fornecem mapeamento nome enreço tb. mantêm informação sobre recursos do domínio Servidores nomes mantêm BDs zonas Servidores replicam BDs para facilitar acesso primário mantém BD autoritativa da zona secundários carregam suas BDs a partir do primário (transferência zona) Tipos Servidores Primário: mantem as tabelas configuração DNS localmente Secundário (slave): recebe atualização do primário com informação sobre a zona Caching-only: Somente realiza cache dos domínios consultados, sem nenhuma informação local 2: Camada Aplicação 53 2: Camada Aplicação 54 Sub-tipos Servidores Forwarrs - são es signados para receber e tratar todas as consultas para fora do site. Os outros es primeiro consultam ele. Se após um tempo máximo este não responr, ai sim eles pom fazer a consulta externa. Forwarr-only - É o único que po fazer consultas fora do site. Todos os outros penm completamente le para consultas externas. Redundância no DNS Zona puc-rio.br (original) Servidor Primário + Servidor(es) Secundário(s) inf.puc-rio.br puc-rio.br... Zona inf.puc-rio.br (cópia) Zona inf.puc-rio.br (original) Zona puc-rio.br (cópia) 2: Camada Aplicação 55 2: Camada Aplicação 56

15 Servidor Nomes DNS: uso cache, atualização dados Servidor Nomes (Name Server) Unix Bind - um dos mais populares Processo: in.named Arquivos: named.conf (named.boot), root.servers, arquivos com informações referentes a zona responsabilida do Win2000 Microsoft DNS Server (Start -> Programs -> Administrative Tools -> DNS Manager) Base dados local armazenada em arquivos contidos no diretório \Winnt\system32\Dns Respostas fornecidas pom ser uma vez um qualquer apren um mapeamento, ele o coloca em cache local futuras consultas são resolvidas usando dados da cache entradas no cache são sujeitas a temporização (saparecem pois certo tempo) ttl = time to live (sobrevida) estão sendo projetados pela IETF mecanismos atualização/notificação dos dados RFC autoritativas ou não-autoritativas 2: Camada Aplicação 57 2: Camada Aplicação 58 DNS - Registros mais importantes Start of Authority (SOA):tem domínio, primário, configuração Name Server (NS): indica os es para este domínio inf.puc-rio.br IN NS exu.inf.puc-rio.br Address (A): mapeamento nome enreço exu.inf.puc-rio.br IN A Canonical Name (CNAME): especificar apelido IN CNAME exu.inf.puc-rio.br 2: Camada Aplicação 59 DNS - Registros mais importantes Pointer (PTR): mapeamento reverso (end nome) in-addr.arpa IN PTR exu.inf.puc-rio.br Host Information (HINFO): talhes da estação Mail exchanger (MX): apelidos para os es inf.puc-rio.br IN MX 0 exu.inf.puc-rio.br inf.puc-rio.br IN MX 10 omega.lncc.br Servidores pom pesquisar registros MX em orm priorida 2: Camada Aplicação 60

16 DNS - Ferramentas Diagnóstico nslookup Permite acesso as informações DNS um domínio Estação responsável pela zona e do administrador da zona Servidora Mail da zona Mapeamento nomes em enreços IP e vice-versa Informações sobre estações (HINFO)... DNS: protocolo, mensagens protocolo DNS: mensagens pedido e resposta, ambas com o mesmo formato mensagem cabeçalho msg intification: ID 16 bit para pedido, resposta ao pedido usa mesmo ID flags: pedido ou resposta recursão sejada recursão permitida resposta é autoritativa 2: Camada Aplicação 61 2: Camada Aplicação 62 DNS: protocolo, mensagens campos nome, tipo num pedido RRs em resposta ao pedido registros para es autoritativos info adicional relevante que po ser usada 2: Camada Aplicação 63 Observações Relevantes sobre DNS Dualida sobre o protocolo transporte consultas normalmente usam UDP (porta 53) sincronização BDs usa TCP (porta 53) Desempenho acesso lento ao DNS po atrasar toda comunicação erros em BDs do DNS pom causar falhas coms. acesso ao DNS po se tornar um gargalo exemplo: DNS atrás um roteador congestionado 2: Camada Aplicação 64

17 Programação com sockets Meta: aprenr a construir aplicação cliente/ que se comunica usando sockets API Sockets apareceu em BSD4.1 UNIX, 1981 explicitamente criados, usados e liberados por apls paradigma cliente/ doistipos serviço transporte via API Sockets datagrama não confiável fluxo bytes, confiável socket uma interface (uma porta ), local ao hospeiro, criada por e pertencente à aplicação, e controlado pelo SO, através da qual um processo aplicação po tanto enviar como receber mensagens para/ outro processo aplicação (remoto ou local) 2: Camada Aplicação 65 Programação com sockets usando TCP Socket: uma porta entre o processo aplicação e um protocolo transporte fim-a-fim (UDP ou TCP) Serviço TCP: transferência confiável bytes um processo para outro controlado pelo programador aplicação controlado pelo sistema operacional processo socket TCP com buffers, variáveis estação ou internet processo socket TCP com buffers, variáveis estação ou controlado pelo programador aplicação controlado pelo sistema operacional 2: Camada Aplicação 66 Programação com sockets usando TCP Programação com sockets usando TCP Cliente ve contactar processo ve antes estar em execução ve antes ter criado socket (porta) que aguarda contato do cliente Clientecontactapor: criar socket TCP local ao cliente especificar enreço IP, número porta do processo Quando cliente cria socket: TCP do cliente estabelece conexão ao TCP Quando contactado pelo cliente, TCP cria socket novo processo por se comunicar com o cliente permite que o converse com múltiplos clientes ponto vista da aplicação TCP provê transferência confiável, ornada bytes ( tubo ) entre cliente e Exemplo apl cliente-: clientelêlinhadaentrada padrão (fluxo dousuário), enviaparavia socket (fluxo paraservidor) lê linha do socket converte linha para letra maiúscula, volve para o cliente cliente lê linha modificada do socket (fluxo doservidor), imprime-a Input stream: sequence of bytes into process Output stream: sequence of bytes out of process dousuário paraservidor doservidor socket do cliente 2: Camada Aplicação 67 2: Camada Aplicação 68

18 Interações cliente/ com socket: TCP Exemplo: cliente Java (TCP) Servidor (executa em idhosp) cria socket, porta=x, para receber pedido: socketrecepção = ServerSocket () TCP aguarda chegada pedido conexão setup da conexão socketconexão = socketrecepção.accept() lê pedido socketconexão escreve resposta para socketconexão fecha socketconexão Cliente cria socket, abre conexão a idhosp, porta=x socketcliente = Socket() Envia pedido usando socketcliente lê resposta socketcliente fecha socketcliente 2: Camada Aplicação 69 Cria fluxo entrada Cria socket cliente, conexão ao Create output stream attached to socket import java.io.*; import java.net.*; class ClienteTCP { public static void main(string argv[]) throws Exception { String frase; String frasemodificada; BufferedRear dousuario = new BufferedRear(new InputStreamRear(System.in)); Socket socketcliente = new Socket( idhosp", 6789); DataOutputStream paraservidor = new DataOutputStream(socketCliente.getOutputStream()); 2: Camada Aplicação 70 Exemplo: cliente Java (TCP), cont. Exemplo: Java (TCP) import java.io.*; import java.net.*; Cria fluxo entrada ligado ao socket Envia linha ao Lê linha do } } BufferedRear doservidor = new BufferedRear(new InputStreamRear(socketCliente.getInputStream())); frase = dousuario.readline(); paraservidor.writebytes(frase + '\n'); frasemodificada = doservidor.readline(); System.out.println( Do Servidor: " + frasemodificada); socketcliente.close(); Cria socket para recepção na porta 6789 Aguarda, no socket para recepção, o contato do cliente Cria fluxo entrada, ligado ao socket class TCP { public static void main(string argv[]) throws Exception { String frasecliente; StringfFraseMaiusculas; ServerSocket socketrecepcao = new ServerSocket(6789); while(true) { Socket socketconexao = socketrecepcao.accept(); BufferedRear docliente = new BufferedRear(new InputStreamRear(socketConexao.getInputStream())); 2: Camada Aplicação 71 2: Camada Aplicação 72

19 Exemplo: Java (TCP), cont Programação com sockets usando UDP Cria fluxo saída, ligado ao socket Lê linha do socket Escreve linha ao socket } } } DataOutputStream paracliente = new DataOutputStream(socketConexão.getOutputStream()); frasecliente= docliente.readline(); fraseemmaiusculas= frasecliente.touppercase() + '\n'; paraclient.writebytes(fraseemmaiusculas); Final do elo while, voltaaoinícioe aguarda conexão outro cliente UDP: não tem conexão entre cliente e não tem handshaking remetente coloca explicitamente enreço IP e porta do stino ve extrair enreço IP, porta do remetente do datagrama recebido UDP: dados transmitidos pom ser recebidos fora orm, ou perdidos ponto vista da aplicação UDP provê transferência não confiável grupos bytes ( datagramas ) entre cliente e 2: Camada Aplicação 73 2: Camada Aplicação 74 Interações cliente/ com socket: UDP Exemplo: cliente Java (UDP) Servidor (executa em idhosp) cria socket, porta=x, para pedido que chega: socketservidor = DatagramSocket() lê pedido do socketservidor escreve resposa ao socketservidor especificando enreço IP, número porta do cliente Cliente cria socket, socketcliente = DatagramSocket() cria, enreça (idhosp, porta=x, envia pedido em datagrama usando socketcliente lê resposa do socketcliente fecha socketcliente 2: Camada Aplicação 75 Cria fluxo enrada Cria socket cliente Traduz nome hospeiro ao enreço IP usando DNS import java.io.*; import java.net.*; class clienteudp { public static void main(string args[]) throws Exception { BufferedRear do Usuario= new BufferedRear(new InputStreamRear(System.in)); DatagramSocket socketcliente = new DatagramSocket(); InetAddress IPAddress = InetAddress.getByName( idhosp"); byte[] dadosenvio = new byte[1024]; byte[] dadosrecebidos = new byte[1024]; String frase = dousuario.readline(); dadosenvio = frase.getbytes(); 2: Camada Aplicação 76

20 Exemplo: cliente Java (UDP) cont. Exemplo: Java (UDP) Cria datagrama com dados para enviar, comprimento, enreço IP, porta Envia datagrama ao Lê datagrama do } DatagramPacket pacoteenviado = new DatagramPacket(dadosEnvio, dadosenvio.length, IPAddress, 9876); socketcliente.send(pacoteenviado); DatagramPacket pacoterecebido = new DatagramPacket(dadosRecebidos, dadosrecebidos.length); socketcliente.receive(pacoterecebido); String frasemodificada = new String(pacoteRecebido.getData()); System.out.println( Do Servidor:" + frasemodificada); socketcliente.close(); } 2: Camada Aplicação 77 Cria socket para datagramas na porta 9876 Aloca memória para receber datagrama Recebe datagrama import java.io.*; import java.net.*; class UDP { public static void main(string args[]) throws Exception { DatagramSocket socketservidor = new DatagramSocket(9876); byte[] dadosrecebidos = new byte[1024]; byte[] dadosenviados = new byte[1024]; while(true) { DatagramPacket pacoterecebido = new DatagramPacket(dadosRecebidos, dadosrecebidos.length); socketservidor.receive(pacoterecebido); 2: Camada Aplicação 78 Exemplo: Java (UDP), cont Obtém enreço IP, no. porta do remetente String frase = new String(pacoteRecebido.getData()); InetAddress IPAddress = pacoterecebido.getaddress(); int port = pacoterecebido.getport(); Cria datagrama p/ enviar ao cliente Escreve datagrama ao socket } } String fraseemmaiusculas = frase.touppercase(); dadosenviados = fraseemmaiusculas.getbytes(); DatagramPacket pacoteenviado = new DatagramPacket(dadosEnviados, dadosenviados.length, IPAddress, porta); socketservidor.send(pacoteenviado); } Fim do elo while, voltaaoinícioe aguarda chegar outro datagrama 2: Camada Aplicação 79

REDES DE COMPUTADORES. Prof. Evandro Cantú

REDES DE COMPUTADORES. Prof. Evandro Cantú REDES DE COMPUTADORES Prof. Evandro Cantú Prof. Evandro Cantú, evandro.cantu@ifpr.edu.br Slides adaptados de J. Kurose & K. Ross 2 Curso de Capacitação Intelbras Redes Computadores Maio 2007 Camada de

Leia mais

Redes de Computadores Programação com Sockets

Redes de Computadores Programação com Sockets Prof. Othon Batista ( othonb@yahoo.com ) Página 1 Redes de Computadores Programação com Sockets Prof. Othon Batista ( othonb@yahoo.com ) Página 2 Roteiro Introdução A Arquitetura TCP/IP O Protocolo IP

Leia mais

Capítulo 2: Camada de Aplicação

Capítulo 2: Camada de Aplicação Capítulo 2: Camada de Aplicação Sistemas de Informação Cin-UFPE Kelvin Lopes Dias kld@cin.ufpe.br 1 Aplicações e protocolos da camada de aplicação Aplicação: processos distribuídos em comunicação executam

Leia mais

FPROT HTTP(s), FTP, DHCP, SQUID e SAMBA. Aula 1 SENAC TI Fernando Costa

FPROT HTTP(s), FTP, DHCP, SQUID e SAMBA. Aula 1 SENAC TI Fernando Costa FPROT HTTP(s), FTP, DHCP, SQUID e SAMBA Aula 1 SENAC TI Fernando Costa Camada de Aplicação Objetivos: aspectos conceituais dos protocolos de aplicação em redes modelos de serviço da camada de transporte

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Redes de Computadores Camada de Aplicação 1 Camada de Aplicação Nossos objetivos: aspectos conceituais e de implementação de protocolos de aplicação em redes paradigma cliente modelos de serviço aprender

Leia mais

Camada de Aplicação. Prof. Tiago Semprebom. tisemp@sj.cefetsc.edu.br www.sj.cefetsc.edu.br/~tisemp. 2: Camada de aplicação 1

Camada de Aplicação. Prof. Tiago Semprebom. tisemp@sj.cefetsc.edu.br www.sj.cefetsc.edu.br/~tisemp. 2: Camada de aplicação 1 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA CAMPUS SÃO JOSÉ SANTA CATARINA Camada de Aplicação Prof. Tiago Semprebom tisemp@sj.cefetsc.edu.br

Leia mais

Servidor de E-mails e Protocolo SMTP. Professor: João Paulo de Brito Gonçalves Disciplina: Serviços de Redes

Servidor de E-mails e Protocolo SMTP. Professor: João Paulo de Brito Gonçalves Disciplina: Serviços de Redes Campus Cachoeiro Curso Técnico em Informática Servidor de E-mails e Protocolo SMTP Professor: João Paulo de Brito Gonçalves Disciplina: Serviços de Redes Definições Servidor de Mensagens Um servidor de

Leia mais

Servidor de E-mails e Protocolo SMTP

Servidor de E-mails e Protocolo SMTP Campus Cachoeiro Curso Técnico em Informática Servidor E-mails e Protocolo SMTP Professor: João Paulo Brito Gonçalves Disciplina: Serviços Res Definições Servidor Mensagens Um servidor mensagens é responsável

Leia mais

2Arquitetura cliente-servidor

2Arquitetura cliente-servidor Redes de computadores e a Internet Capítulo Camada de aplicação Nossos objetivos: Conceitual, aspectos de implementação de protocolos de aplicação de redes Paradigma cliente-servidor Paradigma peer-to-peer

Leia mais

Camada de aplicação. Camada de aplicação

Camada de aplicação. Camada de aplicação Camada de aplicação Camada de aplicação Nossos objetivos: Conceitual, aspectos de implementação de protocolos de aplicação de redes Modelos de serviço da camada de transporte Paradigma cliente-servidor

Leia mais

HYPERTEXT TRANSFER PROTOCOL

HYPERTEXT TRANSFER PROTOCOL REDES DE COMPUTADORES Prof. Esp. Fabiano Taguchi http://fabianotaguchi.wordpress.com fabianotaguchi@gmail.com HYPERTEXT TRANSFER PROTOCOL 1 HTTP Uma página WWW é composta de objetos e endereçado por uma

Leia mais

Tecnologia de Redes de Computadores

Tecnologia de Redes de Computadores Tecnologia de Redes de Computadores Prof. Sidney Nicolau Venturi Filho 34. CAMADA DE APLICAÇÃO Camada de Aplicação Compreende aplicações p/ várias finalidades Telnet, Rlogin - sessão remota FTP- transferência

Leia mais

Correio Eletrônico e os protocolos SMTP, POP3 e IMAP

Correio Eletrônico e os protocolos SMTP, POP3 e IMAP Correio Eletrônico e os protocolos, POP3 e IMAP Thiago Cunha Pinto Correio eletrônico Três componentes principais: s do servidores de Simple Mail Transfer Protocol: Agente do também chamado leitor de redigir,

Leia mais

FTP: protocolo de transferência de arquivos

FTP: protocolo de transferência de arquivos FTP: protocolo de transferência de arquivos no hospedeiro interface cliente de FTP FTP sistema de arquivo local transf. de arquivos servidor FTP sistema de arquivo remoto transfere arquivo de/para hospedeiro

Leia mais

Transferência de arquivos (FTP)

Transferência de arquivos (FTP) Transferência de arquivos (FTP) Protocolo de transferência de arquivos (File Transfer Protocol) Descrito na RFC 959 Usa o TCP, a porta 21 (conexão de controle) e a porta 20 (conexão de dados) Em uma mesma

Leia mais

Redes de Computadores I

Redes de Computadores I UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO SEMI-ÁRIDO DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS EXATAS E NATURAIS CURSO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO Redes de Computadores I Nível de Aplicação ( & ) Prof. Helcio Wagner da Silva. p.1/27

Leia mais

Capítulo 2: Camada de Aplicação

Capítulo 2: Camada de Aplicação Capítulo 2: Camada de Aplicação Nossos objetivos: conceitual, aspectos de implementação de protocolos de aplicação para redes paradigma clienteservidor modelos de serviço aprenda sobre protocolos examinando

Leia mais

Redes TCP/IP. Prof. M.Sc. Alexandre Fraga de Araújo. alexandref@ifes.edu.br. INSTITUTO FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO Campus Cachoeiro de Itapemirim

Redes TCP/IP. Prof. M.Sc. Alexandre Fraga de Araújo. alexandref@ifes.edu.br. INSTITUTO FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO Campus Cachoeiro de Itapemirim Redes TCP/IP alexandref@ifes.edu.br Camada de Aplicação 2 Camada de Aplicação Algumas aplicações de rede E-mail Web Mensagem instantânea Login remoto P2P file sharing Jogos de rede multiusuário Telefonia

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Redes de Computadores Sockets, FTP, Correio Eletrônico, P2P Prof. Jó Ueyama Março/2014 1 Capítulo 2.7 e 2.8 - Camada de Aplicação Programação de sockets 2 Programação de Sockets Objetivo: Socket: aprender

Leia mais

Correio eletrônico. Adriano Mauro Cansian. adriano@acmesecurity.org. Tópicos em Sistemas de Computação

Correio eletrônico. Adriano Mauro Cansian. adriano@acmesecurity.org. Tópicos em Sistemas de Computação Correio eletrônico Adriano Mauro Cansian adriano@acmesecurity.org Tópicos em Sistemas Computação Sistema correio eletrônico Os usuários possuem uma relação amor e ódio com o e mail: eles amam usá lo, e

Leia mais

Redes de Computadores. Camada de Aplicação Profa. Priscila Solís Barreto

Redes de Computadores. Camada de Aplicação Profa. Priscila Solís Barreto Redes de Computadores Camada de Aplicação Profa. Priscila Solís Barreto Criando uma nova aplicação de rede Escrever programas que Executem sobre diferentes sistemas finais e Se comuniquem através de uma

Leia mais

Teleprocessamento e Redes

Teleprocessamento e Redes Teleprocessamento e Redes Aula 21: 06 de julho de 2010 1 2 3 (RFC 959) Sumário Aplicação de transferência de arquivos de/para um host remoto O usuário deve prover login/senha O usa duas conexões TCP em

Leia mais

Redes de Computadores LFG TI

Redes de Computadores LFG TI Redes de Computadores LFG TI Prof. Bruno Guilhen Camada de Aplicação Fundamentos Fundamentos Trata os detalhes específicos de cada tipo de aplicação. Mensagens trocadas por cada tipo de aplicação definem

Leia mais

Redes de Computadores Camada de Aplicação. Prof. MSc. Hugo Souza

Redes de Computadores Camada de Aplicação. Prof. MSc. Hugo Souza Redes de Computadores Camada de Aplicação Prof. MSc. Hugo Souza É a camada que dispõe a programação para as aplicações de rede através dos protocolos de aplicação; Provém a implantação da arquitetura de

Leia mais

Prof. Luís Rodolfo. Unidade II REDES DE COMPUTADORES E TELECOMUNICAÇÃO

Prof. Luís Rodolfo. Unidade II REDES DE COMPUTADORES E TELECOMUNICAÇÃO Prof. Luís Rodolfo Unidade II REDES DE COMPUTADORES E TELECOMUNICAÇÃO Redes de computadores e telecomunicação Objetivos da Unidade II Estudar, em detalhes, as camadas: Aplicação Apresentação Sessão Redes

Leia mais

REC- Redes de Computadores. Capítulo 5 Camada de Aplicação

REC- Redes de Computadores. Capítulo 5 Camada de Aplicação REC- Redes de Computadores Capítulo 5 Camada de Aplicação Capítulo 5: Camada de aplicação Princípios de aplicações de rede A Web e o HTTP FTP Correio eletrônico SMTP, POP3, IMAP DNS Programação de sockets

Leia mais

Aulas 4 e 5 Camada de Aplicação Princípios, arquiteturas e requisitos, HTTP e FTP

Aulas 4 e 5 Camada de Aplicação Princípios, arquiteturas e requisitos, HTTP e FTP Departamento de Ciência da Computação Instituto de Computação Universidade Federal Fluminense Aulas 4 e 5 Camada de Aplicação Princípios, arquiteturas e requisitos, HTTP e FTP Igor Monteiro Moraes Redes

Leia mais

DNS Domain Name System

DNS Domain Name System Departamento de Engenharia de Teleunicações - UFF Protocolos de Nível de Disciplina: Nível de de, Correio Eletrônico,, Profa. Profa. Débora Débora Muchaluat Saade Saade deborams@tele.uff. Enlace Física

Leia mais

Redes de Computadores. Prof. André Y. Kusumoto andrekusumoto.unip@gmail.com

Redes de Computadores. Prof. André Y. Kusumoto andrekusumoto.unip@gmail.com Redes de Computadores Prof. André Y. Kusumoto andrekusumoto.unip@gmail.com Nível de Aplicação Responsável por interafir com os níveis inferiores de uma arquitetura de protocolos de forma a disponibilizar

Leia mais

Redes de Computadores e a Internet

Redes de Computadores e a Internet Redes de Computadores e a Internet Magnos Martinello Universidade Federal do Espírito Santo - UFES Departamento de Informática - DI Laboratório de Pesquisas em Redes Multimidia - LPRM 2010 Camada de Aplicação

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Redes de Computadores Capítulo 2 Gustavo Reis gustavo.reis@ifsudestemg.edu.br - Protocolos de Internet Mensagem M Aplicação HTTP, SMTP, FTP, DNS Segmento Ht M Transporte TCP, UDP Datagrama Hr Ht M Rede

Leia mais

Camada de aplicação. Aplicações em rede

Camada de aplicação. Aplicações em rede Camada de aplicação Conceitos, implementação de protocolos da camada de aplicação Paradigma cliente-servidor Modelos de serviço Protocolos da camada de aplicação HTTP FTP SMTP, POP DNS Programação de protocolos

Leia mais

Programação de Sockets

Programação de Sockets Programação de Sockets Objetivo: aprender a construir aplicações cliente/servidor que se comunicam usando sockets Socket API introduzida no BSD4.1 UNIX, 1981 explicitamente criados, usados e liberados

Leia mais

Comunicação entre processos

Comunicação entre processos Comunicação entre processos Processo: um programa em execução num sistema terminal (host) Processos em sistemas distintos comunicam trocando mensagens Processo Cliente: processo que inicia a comunicação

Leia mais

Redes de Computadores (RCOMP 2014/2015)

Redes de Computadores (RCOMP 2014/2015) Redes de Computadores (RCOMP 2014/2015) Correio eletrónico. Protocolos SMTP, POP3 e IMAP. Formato MIME 1 Correio eletrónico O objectivo do correio eletrónico é o envio de mensagens off-line (não interactivo)

Leia mais

Camada de aplicação Conceitos, implementação de protocolos da camada de aplicação

Camada de aplicação Conceitos, implementação de protocolos da camada de aplicação Camada de aplicação Conceitos, implementação de protocolos da camada de aplicação Paradigma cliente-servidor Modelos de serviço Protocolos da camada de aplicação HTTP FTP SMTP, POP DNS CDN P2P Programação

Leia mais

A Camada de Aplicação

A Camada de Aplicação A Camada de Aplicação Romildo Martins Bezerra CEFET/BA Redes de Computadores II Afinal, o que faz a camada de aplicação?... 2 Paradigma Cliente/Servidor [4]... 2 Endereçamento... 2 Tipo de Serviço... 2

Leia mais

Web. Até a década de 1990, a Internet era utilizada. por pesquisadores, acadêmicos e universitários, para troca de arquivos e para correio eletrônico.

Web. Até a década de 1990, a Internet era utilizada. por pesquisadores, acadêmicos e universitários, para troca de arquivos e para correio eletrônico. A Web e o HTTP Web Até a década de 1990, a Internet era utilizada por pesquisadores, acadêmicos e universitários, para troca de arquivos e para correio eletrônico. Então, no início dessa década, iniciou-se

Leia mais

Camada de Aplicação!

Camada de Aplicação! !! Camada de Aplicação! Camada de aplicação 2.1 Princípios de aplicações de rede 2.2 Web e HTTP 2.3 FTP 2.4 Correio electrônico SMTP, POP3, IMAP 2.5 DNS 2-1 Algumas aplicações de rede E-mail Web Mensagem

Leia mais

7 ). ( ) *! +, # $ % & ' ! " o modelos de serviço da camada de transporte o paradigma clienteservidor. o paradigma P2P , 5 6 ' 6 +) 8 - :

7 ). ( ) *! +, # $ % & ' !  o modelos de serviço da camada de transporte o paradigma clienteservidor. o paradigma P2P , 5 6 ' 6 +) 8 - : o modelos de serviço da camada de transporte o paradigma clienteservidor o paradigma P2P o HTTP o FTP o SMTP / POP3 / IMAP o DNS " # & ( -..( - /012 3. (. (. 6 6 7. o Transferência de arquivos é P2P o

Leia mais

Capítulo 11 - Camada de Transporte TCP/IP e de Aplicação. Associação dos Instrutores NetAcademy - Julho de 2007 - Página

Capítulo 11 - Camada de Transporte TCP/IP e de Aplicação. Associação dos Instrutores NetAcademy - Julho de 2007 - Página Capítulo 11 - Camada de Transporte TCP/IP e de Aplicação 1 Introdução à Camada de Transporte Camada de Transporte: transporta e regula o fluxo de informações da origem até o destino, de forma confiável.

Leia mais

Introdução. Caixa postal (mailbox) Componentes do sistema de correio eletrônico. Correio eletrônico (SMTP, POP e IMAP)

Introdução. Caixa postal (mailbox) Componentes do sistema de correio eletrônico. Correio eletrônico (SMTP, POP e IMAP) Introdução Inst tituto de Info ormátic ca - UF FRGS Rd Redes de Computadores td Correio eletrônico (, POP e IMAP) Aula 26 Correio eletrônico é uma das aplicações mais populares da Internet Originalmente

Leia mais

socket Objetivo: aprender a construir aplicações cliente/servidor que se comunicam usando sockets

socket Objetivo: aprender a construir aplicações cliente/servidor que se comunicam usando sockets Programação de Sockets Mário Meireles Teixeira. UFMA-DEINF Programação de Sockets Objetivo: aprender a construir aplicações cliente/servidor que se comunicam usando s API de Sockets: introduzida no UNIX

Leia mais

Aula 6 Camada de Aplicação Sistema de correio eletrônico e DNS

Aula 6 Camada de Aplicação Sistema de correio eletrônico e DNS Departamento de Ciência da Computação Instituto de Computação Universidade Federal Fluminense Aula 6 Camada de Aplicação Sistema de correio eletrônico e DNS Igor Monteiro Moraes Redes de Computadores I

Leia mais

Programação de sockets com TCP

Programação de sockets com TCP Programação de sockets Objetivo: aprender a construir aplicações cliente-servidor que se comunicam usando sockets SOCKET = API (Application Program Interface) Introduzida no BSD4.1 UNIX, 1981 * Explicitamente

Leia mais

Introdução. Caixa postal (mailbox) Componentes do sistema de correio eletrônico. Correio eletrônico (SMTP, POP e IMAP)

Introdução. Caixa postal (mailbox) Componentes do sistema de correio eletrônico. Correio eletrônico (SMTP, POP e IMAP) Introdução Inst tituto de Info ormátic ca - UF FRGS Rd Redes de Computadores td Correio eletrônico (, POP e IMAP) Aula 26 Correio eletrônico é uma das aplicações mais populares da Internet Originalmente

Leia mais

Universidade Federal do Espírito Santo CCA UFES. Centro de Ciências Agrárias CCA UFES Departamento de Computação. Programação WEB

Universidade Federal do Espírito Santo CCA UFES. Centro de Ciências Agrárias CCA UFES Departamento de Computação. Programação WEB Universidade Federal do Espírito Santo Centro de Ciências Agrárias CCA UFES Departamento de Computação Universidade Federal do Espírito Santo CCA UFES Programação WEB Desenvolvimento de Sistemas para WEB

Leia mais

Redes de Computadores 1

Redes de Computadores 1 Universidade Federal do Piauí UESPI Centro de Tecnologia e Urbanismo CTU Ciências da Computação Redes de Computadores 1 Prof. José BRINGEL Filho bringeluespi@gmail.com h?p://bringel.webnode.com/ Capitulo

Leia mais

Correio Eletrônico. E- mail

Correio Eletrônico. E- mail Correio Eletrônico E-mail & SMTP 2014 Prof. Dr. Adriano Mauro Cansian adriano@acmesecurity.org Estagiário Docente: Vinícius Oliveira viniciusoliveira@acmesecurity.org E- mail Os usuários possuem uma relação

Leia mais

Capítulo 2 Camada de aplicação

Capítulo 2 Camada de aplicação Capítulo 2 Camada de aplicação Nota sobre o uso destes slides ppt: Estamos disponibilizando estes slides gratuitamente a todos (professores, alunos, leitores). Eles estão em formato do PowerPoint para

Leia mais

Imagem digital. Configuração de 640 x 480 e 24 bits/pixel (RGB) 7,37 Mbits Solução compactação

Imagem digital. Configuração de 640 x 480 e 24 bits/pixel (RGB) 7,37 Mbits Solução compactação Imagem digital Configuração de 640 x 480 e 24 bits/pixel (RGB) 7,37 Mbits Solução compactação Imagem digital - compactação - JPEG Joint Photographic Experts Group Definido no padrão internacional 10918

Leia mais

www.victorpinheiro.jimdo.com www.victorpinheiro.jimdo.com

www.victorpinheiro.jimdo.com www.victorpinheiro.jimdo.com SERVIÇOS DE REDES DE COMPUTADORES Prof. Victor Guimarães Pinheiro/victor.tecnologo@gmail.com www.victorpinheiro.jimdo.com www.victorpinheiro.jimdo.com Modelo TCP/IP É o protocolo mais usado da atualidade

Leia mais

Resolução de nomes. Professor Leonardo Larback

Resolução de nomes. Professor Leonardo Larback Resolução de nomes Professor Leonardo Larback Resolução de nomes A comunicação entre os computadores e demais equipamentos em uma rede TCP/IP é feita através dos respectivos endereços IP. Entretanto, não

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES

REDES DE COMPUTADORES REDES DE COMPUTADORES O QUE É PROTOCOLO? Na comunicação de dados e na interligação em rede, protocolo é um padrão que especifica o formato de dados e as regras a serem seguidas. Sem protocolos, uma rede

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Redes de Computadores Camada de Aplicação POP3 IMAP DNS Slide 1 SMTP Rede de Computadores Protocolos de Acesso protocolo utilizado para a comunicação entre os servidores (push protocol); POP3 (Post Office

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES I 2007/2008 LEIC - Tagus-Park TPC Nº 2. Avaliação sumária da matéria do Capítulo 2

REDES DE COMPUTADORES I 2007/2008 LEIC - Tagus-Park TPC Nº 2. Avaliação sumária da matéria do Capítulo 2 REDES DE COMPUTADORES I 2007/2008 LEIC - Tagus-Park TPC Nº 2 Avaliação sumária da matéria do Capítulo 2 Pergunta: 1 A figura (ver Anexo) ilustra três diagramas de mensagens referentes a pedidos que clientes

Leia mais

Redes de computadores e a Internet. Capítulo2. Camada de aplicação

Redes de computadores e a Internet. Capítulo2. Camada de aplicação Redes de computadores e a Internet Capítulo Camada de aplicação Camada de aplicação.1 Princípios de aplicações de rede. Web e HTTP.3 FTP.4 Correio eletrônico SMTP, POP3, IMAP.5 DNS Pilha de protocolos

Leia mais

Camada de Aplicação, sistemas de nomes de domínio, correio eletrônico e world wide web

Camada de Aplicação, sistemas de nomes de domínio, correio eletrônico e world wide web Camada de Aplicação, sistemas de nomes de domínio, correio eletrônico e world wide web Apresentação dos protocolos da camada de aplicação do modelo OSI. DNS É mais fácil de lembrar de um nome de host do

Leia mais

Redes de Computadores. Funcionamento do Protocolo DNS. Consulta DNS. Consulta DNS. Introdução. Introdução DNS. DNS Domain Name System Módulo 9

Redes de Computadores. Funcionamento do Protocolo DNS. Consulta DNS. Consulta DNS. Introdução. Introdução DNS. DNS Domain Name System Módulo 9 Slide 1 Slide 2 Redes de Computadores Introdução DNS Domain Name System Módulo 9 EAGS SIN / CAP PD PROF. FILIPE ESTRELA filipe80@gmail.com Ninguém manda uma e-mail para fulano@190.245.123.50 e sim para

Leia mais

Camada de Aplicação. Prof. Arliones Hoeller. arliones.hoeller@ifsc.edu.br. 14 de fevereiro de 2014

Camada de Aplicação. Prof. Arliones Hoeller. arliones.hoeller@ifsc.edu.br. 14 de fevereiro de 2014 Camada de Aplicação arliones.hoeller@ifsc.edu.br fevereiro de 2014 1 Camada de aplicação 2.1 Princípios de aplicações de rede 2.2 Web e HTTP 2.3 FTP 2.4 Correio electrônico SMTP, POP3, IMAP 2.5 DNS 2.6

Leia mais

Redes de Computadores e a Internet

Redes de Computadores e a Internet Redes de Computadores e a Internet Magnos Martinello Universidade Federal do Espírito Santo - UFES Departamento de Informática - DI Laboratório de Pesquisas em Redes Multimidia - LPRM 2011 Camada de Aplicação

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Redes de Computadores Capítulo 2.5 - DNS Prof. Jó Ueyama Março/2014 1 DNS: Domain Name System Pessoas: muitos identificadores: RG, nome, passaporte. Hosts e roteadores na Internet: endereços IP (32 bits)

Leia mais

DNS - Domain Name System

DNS - Domain Name System DNS - Domain Name System IFSC UNIDADE DE SÃO JOSÉ CURSO TÉCNICO SUBSEQUENTE DE TELECOMUNICAÇÕES! Prof. Tomás Grimm DNS Pessoas: muitos identificadores: RG, nome, passporte Internet hosts, roteadores: endereços

Leia mais

INTRODUÇÃO ÀS REDES DE COMPUTADORES

INTRODUÇÃO ÀS REDES DE COMPUTADORES INTRODUÇÃO ÀS REDES DE COMPUTADORES CAMADA DE APLICAÇÃO Teresa Vazão 2 INTRODUÇÃO Internet para todos.. 1979 Tim Burners Lee (invesngador do CERN): Inventor do conceito de navegação por hyper- texto 25

Leia mais

FUNDAÇÃO DE ESTUDOS SOCIAIS DO PARANÁ INSTITUTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS DO PARANÁ CURSO DE BACHARELADO EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO DNS (DOMAIN NAME SYSTEM)

FUNDAÇÃO DE ESTUDOS SOCIAIS DO PARANÁ INSTITUTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS DO PARANÁ CURSO DE BACHARELADO EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO DNS (DOMAIN NAME SYSTEM) FUNDAÇÃO DE ESTUDOS SOCIAIS DO PARANÁ INSTITUTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS DO PARANÁ CURSO DE BACHARELADO EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO DNS (DOMAIN NAME SYSTEM) CURITIBA 2006 GUILHERME DE SOUZA JEAN THIAGO MASCHIO

Leia mais

Configurando DNS Server. Prof. Armando Martins de Souza E-mail: armandomartins.souza@gmail.com

Configurando DNS Server. Prof. Armando Martins de Souza E-mail: armandomartins.souza@gmail.com Configurando DNS Server. Prof. Armando Martins de Souza E-mail: armandomartins.souza@gmail.com Entendendo o DNS É o serviço responsável por: Traduzir nomes em endereços IP (e vice-versa), de um determinado

Leia mais

Programação de Sockets

Programação de Sockets Programação de Sockets Objetivo: aprender a construir aplicações cliente/servidor que se comunicam usando sockets API de Sockets introduzida no BSD4.1 UNIX, 1981 sockets são explicitamente criados, usados

Leia mais

Redes. Pablo Rodriguez de Almeida Gross

Redes. Pablo Rodriguez de Almeida Gross Redes Pablo Rodriguez de Almeida Gross Conceitos A seguir serão vistos conceitos básicos relacionados a redes de computadores. O que é uma rede? Uma rede é um conjunto de computadores interligados permitindo

Leia mais

Redes de Computadores II

Redes de Computadores II Redes de Computadores II INTERNET Protocolos de Aplicação Intranet Prof: Ricardo Luís R. Peres As aplicações na arquitetura Internet, são implementadas de forma independente, ou seja, não existe um padrão

Leia mais

Teia de alcance mundial (World Wide Web WWW) Web composta de

Teia de alcance mundial (World Wide Web WWW) Web composta de Web Teia de alcance mundial (World Wide Web WWW) Web composta de Agentes de usuário para a Web (browsers) Servidores Web Protocolo de transferência de hipertexto (HyperText Transfer Protocol HTTP) Web

Leia mais

Capítulo 8 - Aplicações em Redes

Capítulo 8 - Aplicações em Redes Capítulo 8 - Aplicações em Redes Prof. Othon Marcelo Nunes Batista Mestre em Informática 1 de 31 Roteiro Sistemas Operacionais em Rede Modelo Cliente-Servidor Modelo P2P (Peer-To-Peer) Aplicações e Protocolos

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Redes de Computadores Parte II: Camada de Aplicação Março, 2012 Professor: Reinaldo Gomes reinaldo@dsc.ufcg.edu.br Camada de aplicação 2.1 Princípios de aplicações em rede de computadores 2.2 Web e HTTP

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Introdução Inst tituto de Info ormátic ca - UF FRGS Redes de Computadores Domain Name System (DNS) Aula 25 Máquinas na Internet são identificadas por endereços IP Nomes simbólicos são atribuídos a máquinas

Leia mais

Aplic. distribuídas e protocolos da camada de aplic.

Aplic. distribuídas e protocolos da camada de aplic. Camada de Aplicação Características dos protocolos da camada de aplicação modelos de serviço (cliente/servidor; P2P) Requisitos sobre os serviços de transporte Protocolos comuns: HTTP ( Hypertext Transfer

Leia mais

Unidade II. Unidade II

Unidade II. Unidade II Unidade II Unidade II CAMADAS DE ALTO NÍVEL DE PROTOCOLOS E SEUS MODELOS DE SERVIÇOS Iniciaremos o estudo das camadas do modelo OSI com uma abordagem que se inicia pela camada de Aplicação e, de cima para

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Redes de Computadores Parte II: Camada de Aplicação 2.1 Princípios de aplicações em rede de computadores 2.2 Web e HTTP 2.3 FTP 2.4 Correio electrônico SMTP, POP3, IMAP 2.5 DNS 2.6 Compartilhamento de

Leia mais

TECNOLOGIA WEB. Principais Protocolos na Internet Aula 2. Profa. Rosemary Melo

TECNOLOGIA WEB. Principais Protocolos na Internet Aula 2. Profa. Rosemary Melo TECNOLOGIA WEB Principais Protocolos na Internet Aula 2 Profa. Rosemary Melo Tópicos abordados Compreender os conceitos básicos de protocolo. Definir as funcionalidades dos principais protocolos de Internet.

Leia mais

Questionário de RC Nota3

Questionário de RC Nota3 Questionário de RC Nota3 Entrega: Individual e escrita à mão. Data de entrega: 30/10. Em todas as questões deverão constar o desenvolvimento da sua resposta, caso contrário a questão será desconsiderada.

Leia mais

DNS Domain Name System

DNS Domain Name System Departamento de Engenharia de Teleunicações - UFF Protocolos de Nível de Aplicação Disciplina: Nível de de Aplicação DNS, DNS, Correio Eletrônico,, Introdução à Comutação Introdução à Comutação de de Rótulos

Leia mais

Universidade Federal do Rio Grande do Norte

Universidade Federal do Rio Grande do Norte Universidade Federal do Rio Grande do Norte Redes de Computadores - Camada de Aplicação Curso de Engenharia de Software Prof. Marcos Cesar Madruga/Thiago P. da Silva Material basedado em [Kurose&Ross 2009]

Leia mais

O espaço de nomes DNS Registros de recursos de domínio Servidores de nome

O espaço de nomes DNS Registros de recursos de domínio Servidores de nome DNS Sistema de Nomes de Domínio O espaço de nomes DNS Registros de recursos de domínio Servidores de nome Camada de Aplicação DNS Telnet e SSH SNMP SMTP, POP e IMAP WWW FTP O espaço de nomes DNS Parte

Leia mais

TCP/IP TCP UDP IP HTTP HTTPS FTP TFTP TELNET POP3 IMAP SMTP SNMP DHCP

TCP/IP TCP UDP IP HTTP HTTPS FTP TFTP TELNET POP3 IMAP SMTP SNMP DHCP TCP/IP TCP UDP IP HTTP HTTPS FTP TFTP TELNET POP3 IMAP SMTP SNMP DHCP HTTP (Hypertext Transfer Protocol ) Protocolo usado na Internet para transferir as páginas da WWW (WEB). HTTPS (HyperText Transfer

Leia mais

Enviando e recebendo mensagens através dos protocolos SMTP e POP3

Enviando e recebendo mensagens através dos protocolos SMTP e POP3 Universidade Católica de Salvador Departamento de Engenharia e Informática Disciplina: Teleprocessamento e Redes Enviando e recebendo mensagens através dos protocolos SMTP e POP3 João Gilberto Magalhães

Leia mais

Camada de Aplicação. Protocolos. Tópicos & Objetivos 16/01/13

Camada de Aplicação. Protocolos. Tópicos & Objetivos 16/01/13 Camada de Aplicação Protocolos Mário Meireles Teixeira. UFMA-DEINF Tópicos & Objetivos Objetivos principais: conceitual, aspectos de implementação de protocolos de aplicação para redes paradigma clienteservidor

Leia mais

Resolução de Nomes e o protocolo DNS

Resolução de Nomes e o protocolo DNS Resolução de Nomes e o protocolo DNS Thiago Cunha Pinto DNS: Domain Name System pessoas: muitos identificadores: CPF, nome, passaporte hospedeiros da Internet, roteadores: endereço IP (32 bits) usado para

Leia mais

1.264 Lição 11. Fundamentos da Web

1.264 Lição 11. Fundamentos da Web 1.264 Lição 11 Fundamentos da Web Navegadores e servidores da Web A Internet é apenas um conjunto de redes interconectadas livremente. Um conjunto de redes de área local conectado via redes de área ampla

Leia mais

Correio Electrónico. Instituto Superior de Engenharia de Lisboa Departamento de Engenharia de Electrónica e Telecomunicações e de Computadores

Correio Electrónico. Instituto Superior de Engenharia de Lisboa Departamento de Engenharia de Electrónica e Telecomunicações e de Computadores Correio Electrónico Instituto Superior de Engenharia de Lisboa Departamento de Engenharia de Electrónica e Telecomunicações e de Computadores Redes de Computadores Correio electrónico: user agent Três

Leia mais

DNS - Domain Name System

DNS - Domain Name System DNS - Domain Name System Converte nome de máquinas para seu endereço IP. Faz o mapeamento de nome para endereço e de endereço para nome. É mais fácil lembramos dos nomes. Internamente, softwares trabalham

Leia mais

Programação com sockets (em Java)

Programação com sockets (em Java) com sockets (em Java) Prof. Dr. Julio Arakaki Depto. Ciência da 1 Comunicação entre processos // aplicações - é um dos mecanismos mais utilizados - Java oferece modos de utilização:. TCP ( Transmission

Leia mais

Disciplina de Redes de Computadores Estudo Dirigido para a Prova II Professor Dr Windson Viana de Carvalho

Disciplina de Redes de Computadores Estudo Dirigido para a Prova II Professor Dr Windson Viana de Carvalho Disciplina de Redes de Computadores Estudo Dirigido para a Prova II Professor Dr Windson Viana de Carvalho Obs: Não há necessidade de entregar a lista Questões do livro base (Kurose) Questões Problemas

Leia mais

FTP FILE F TRANSFER PROTOCOL. Tópicos

FTP FILE F TRANSFER PROTOCOL. Tópicos FTP FILE F TRANSFER PROTOCOL Tópicos Revisão da aplicação FTP Implementação simples em Java de uma conexão FTP Implementação simples em Java de um comando de transferência de arquivo Descrição dos exercícios

Leia mais

Capítulo 2: Camada de Aplicação

Capítulo 2: Camada de Aplicação Capítulo 2: Camada de Aplicação Metas do capítulo: aspectos conceituais e de implementação de protocolos de aplicação em redes paradigma cliente servidor modelos de serviço aprenda sobre protocolos através

Leia mais

Curso de Redes de Computadores 2010

Curso de Redes de Computadores 2010 Curso de Redes de Computadores 2010 Adriano Mauro Cansian adriano@acmesecurity.org Capítulo 2 Camada de Aplicação 1 Capítulo 2: Camada de Aplicação Metas do capítulo: O que? Aprender aspectos conceituais

Leia mais

TECNOLOGIA WEB INTERNET PROTOCOLOS

TECNOLOGIA WEB INTERNET PROTOCOLOS INTERNET PROTOCOLOS 1 INTERNET Rede mundial de computadores. Também conhecida por Nuvem ou Teia. Uma rede que permite a comunicação de redes distintas entre os computadores conectados. Rede WAN Sistema

Leia mais

Orientador de Curso: Rodrigo Caetano Filgueira

Orientador de Curso: Rodrigo Caetano Filgueira Orientador de Curso: Rodrigo Caetano Filgueira Serviço DNS DNS significa Domain Name System (sistema de nomes de domínio). O DNS converte os nomes de máquinas para endereços IPs que todas as máquinas da

Leia mais

Universidade Federal de Mato Grosso

Universidade Federal de Mato Grosso Universidade Federal de Mato Grosso Programação III Curso de Ciência da Computação Prof. Thiago P. da Silva thiagosilva@ufmt.br Material basedado em [Kurose&Ross 2009] e [Gonçalves, 2007] Agenda Internet

Leia mais

Programação em Rede Baseada em Java. Luiz Affonso Guedes Tópicos em Redes de Computadores Programação Distribuída www.dca.ufrn.

Programação em Rede Baseada em Java. Luiz Affonso Guedes Tópicos em Redes de Computadores Programação Distribuída www.dca.ufrn. Programação em Rede Baseada em Java Luiz Affonso Guedes Tópicos em Redes de Computadores Programação Distribuída www.dca.ufrn.br/~affonso/cursos Definiçõs Básicas Uma rede é um conjunto de computadores

Leia mais

3 Qualidade de serviço na Internet

3 Qualidade de serviço na Internet 3 Qualidade de serviço na Internet 25 3 Qualidade de serviço na Internet Além do aumento do tráfego gerado nos ambientes corporativos e na Internet, está havendo uma mudança nas características das aplicações

Leia mais

Wireshark. Captura de Protocolos da camada de aplicação. Maicon de Vargas Pereira

Wireshark. Captura de Protocolos da camada de aplicação. Maicon de Vargas Pereira Wireshark Captura de Protocolos da camada de aplicação Maicon de Vargas Pereira Camada de Aplicação Introdução HTTP (Hypertext Transfer Protocol) 2 Introdução Camada de Aplicação Suporta os protocolos

Leia mais

Redes de Computadores e a Internet

Redes de Computadores e a Internet Redes de Computadores e a Internet Magnos Martinello Universidade Federal do Espírito Santo - UFES Departamento de Informática - DI Laboratório de Pesquisas em Redes Multimidia - LPRM 2010 Camada de Aplicação

Leia mais