TV Interativa. 1 Aplicações em Ginga-NCL Copyright 2006 TeleMídia. serg

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "TV Interativa. 1 Aplicações em Ginga-NCL Copyright 2006 TeleMídia. serg"

Transcrição

1 TV Interativa 1 Aplicações em Ginga-NCL Copyright 2006 TeleMídia

2 TV Digital Melhor imagem Melhor som 2 Aplicações em Ginga-NCL Copyright 2006 TeleMídia

3 Co-Canal 3 Aplicações em Ginga-NCL Copyright 2006 TeleMídia

4 Interferência de Co-Canal 4 Aplicações em Ginga-NCL Copyright 2006 TeleMídia

5 Largura de Banda: 6MHz 5 Aplicações em Ginga-NCL Copyright 2006 TeleMídia

6 Largura de Banda: 6MHz 6 Aplicações em Ginga-NCL Copyright 2006 TeleMídia

7 Co-Canal 7 Aplicações em Ginga-NCL Copyright 2006 TeleMídia

8 Multi-percurso 8 Aplicações em Ginga-NCL Copyright 2006 TeleMídia

9 9 Aplicações em Ginga-NCL Copyright 2006 TeleMídia

10 TV Digital 10 Aplicações em Ginga-NCL Copyright 2006 TeleMídia

11 Transição 11 Aplicações em Ginga-NCL Copyright 2006 TeleMídia

12 TV Digital 12 Aplicações em Ginga-NCL Copyright 2006 TeleMídia

13 TV Digital 13 Aplicações em Ginga-NCL Copyright 2006 TeleMídia

14 Largura de Banda: 6MHz 14 Aplicações em Ginga-NCL Copyright 2006 TeleMídia

15 Possibilidades em 6 MHz SDTV 1 SDTV 1 SDTV 2 SDTV 3 SDTV 2 SDTV 3 HDTV 1 HDTV 1 SDTV n Data 1 Data 2 LDTV Data 15 Aplicações em Ginga-NCL Copyright 2006 TeleMídia

16 O que é possível? Alguns Exemplos 16 Aplicações em Ginga-NCL Copyright 2006 TeleMídia

17 Roteiro Visão geral Modelo de referência para sistemas de DTV Difusão de dados Middleware Serviços e aplicações Paradigmas de programação Middleware Ginga Modelos conceituais de dados NCM A linguagem NCL 17 Aplicações em Ginga-NCL Copyright 2006 TeleMídia

18 Modelo de Referência para Sistemas de idtv 18 Aplicações em Ginga-NCL Copyright 2006 TeleMídia

19 TV Digital 19 Aplicações em Ginga-NCL Copyright 2006 TeleMídia

20 Terminal de Acesso Pode-se resumir as novas funcionalidades citadas como agregar capacidade computacional à TV. A opção mais simples para resolver o problema seria conectar um pequeno computador à TV, capaz de tratar corretamente o sinal de radiodifusão, decodificar e exibir de forma consistente a programação de TV, as aplicações e os serviços avançados. A esse computador dá-se o nome de terminal de acesso, ou receptor. 20 Aplicações em Ginga-NCL Copyright 2006 TeleMídia

21 21 Aplicações em Ginga-NCL Copyright 2006 TeleMídia

22 Canal de Interatividade Aplicativos Interativos Aplicativos Interativos Vídeo Áudio Vídeo Áudio Cod. de Sinais Fonte DataStream Middleware Decod. de Sinais Fonte Encap. IP Desencap. IP MUX DEMUX TS Cod. Canal / Modulação TS Decod. Canal / Demodulação Difusão e Acesso Transmissão Recepção Terminal de Acesso 22 Aplicações em Ginga-NCL Copyright 2006 TeleMídia

23 Padrões de referência 23 Aplicações em Ginga-NCL Copyright 2006 TeleMídia

24 Padrões de Referência Áudio MPEG2 BC MPEG2 AAC DOLBY AC3 Vídeo MPEG2 - SDTV MPEG2 - HDTV MPEG2 8-VSB COFDM 24 Aplicações em Ginga-NCL Copyright 2006 TeleMídia

25 Padrões de Referência Áudio MPEG2 BC MPEG2 AAC DOLBY AC3 Vídeo MPEG2 - SDTV MPEG2 - HDTV MPEG2 8-VSB COFDM 25 Aplicações em Ginga-NCL Copyright 2006 TeleMídia

26 Padrões de Referência Áudio Vídeo MPEG - 4 MPEG2 - SDTV MPEG - 4 MPEG2 - HDTV MPEG2 8-VSB COFDM 26 Aplicações em Ginga-NCL Copyright 2006 TeleMídia

27 Padrões de Referência Áudio MPEG2 BC MPEG2 AAC DOLBY AC3 Vídeo MPEG2 - SDTV MPEG2 - HDTV MPEG2 8-VSB COFDM 27 Aplicações em Ginga-NCL Copyright 2006 TeleMídia

28 Padrões de Referência Áudio MPEG - 4 MPEG - 4 Vídeo H.264 H.264 MPEG2 8-VSB COFDM 28 Aplicações em Ginga-NCL Copyright 2006 TeleMídia

29 Padrões de Referência Áudio MPEG2 BC MPEG2 AAC DOLBY AC3 Vídeo MPEG2 - SDTV MPEG2 - HDTV MPEG2 8-VSB COFDM 29 Aplicações em Ginga-NCL Copyright 2006 TeleMídia

30 Padrões de Referência Áudio MPEG - 4 MPEG - 4 Vídeo H.264 H.264 MPEG2 8-VSB COFDM 30 Aplicações em Ginga-NCL Copyright 2006 TeleMídia

31 MPEG-2 System 31 Aplicações em Ginga-NCL Copyright 2006 TeleMídia

32 Padrões de Referência Áudio MPEG2 BC MPEG2 AAC DOLBY AC3 Vídeo MPEG2 - SDTV MPEG2 - HDTV MPEG2 8-VSB COFDM 32 Aplicações em Ginga-NCL Copyright 2006 TeleMídia

33 Padrões de Referência Áudio MPEG - 4 MPEG - 4 Vídeo H.264 H.264 MPEG2 COFDM 33 Aplicações em Ginga-NCL Copyright 2006 TeleMídia

34 SBTVD Placa de Captura e Digitalização S-Video MPEG-2 Modulação Editoração 34 Aplicações em Ginga-NCL Copyright 2006 TeleMídia

35 SBTVD Placa de Captura e Digitalização S-Video MPEG-2 Modulação Editoração PSTN 35 Aplicações em Ginga-NCL Copyright 2006 TeleMídia

36 Internet Rede SBTVD Placa de Captura e Digitalização S-Video MPEG-2 Modulação Editoração PSTN 36 Aplicações em Ginga-NCL Copyright 2006 TeleMídia

37 Internet Rede SBTVD Placa de Captura e Digitalização S-Video MPEG-2 Modulação Editoração PSTN 37 Aplicações em Ginga-NCL Copyright 2006 TeleMídia

38 APL 1 APL 2 APL n 38 Aplicações em Ginga-NCL Copyright 2006 TeleMídia

39 Problemas Eficiência Dificuldade no tratamento dos dispositivos de hardware Grande repetição de código comum Dificuldade de manutenção 39 Aplicações em Ginga-NCL Copyright 2006 TeleMídia

40 APL 1 APL 2 APL n 40 Aplicações em Ginga-NCL Copyright 2006 TeleMídia

41 APL 1 APL 2 APL n Parte Comum 41 Aplicações em Ginga-NCL Copyright 2006 TeleMídia

42 APL 1 APL 2 APL n Sistema Operacional 42 Aplicações em Ginga-NCL Copyright 2006 TeleMídia

43 ISDTV Mais partes comuns do que as suportadas pelos SOs Interoperabilidade MPEG - 4 MPEG - 4 H.264 H.264 MPEG2 COFDM 43 Aplicações em Ginga-NCL Copyright 2006 TeleMídia

44 Reference Standards MPEG - 4 MPEG - 4 H.264 H.264 MPEG2 COFDM 44 Aplicações em Ginga-NCL Copyright 2006 TeleMídia

45 Reference Standards APP1 APP2... APPn MPEG - 4 MPEG - 4 H.264 H.264 MPEG2 COFDM 45 Aplicações em Ginga-NCL Copyright 2006 TeleMídia

46 Padrões de Referência APP1 APP2... APPn Middleware MPEG - 4 MPEG - 4 H.264 H.264 MPEG2 COFDM 46 Aplicações em Ginga-NCL Copyright 2006 TeleMídia

47 Padrões de Referência APP1 APP2... APPn Ginga MPEG - 4 MPEG - 4 H.264 H.264 MPEG2 COFDM 47 Aplicações em Ginga-NCL Copyright 2006 TeleMídia

48 Difusão de Dados 48 Aplicações em Ginga-NCL Copyright 2006 TeleMídia

49 TV Digital 49 Aplicações em Ginga-NCL Copyright 2006 TeleMídia

50 TV Digital 50 Aplicações em Ginga-NCL Copyright 2006 TeleMídia

51 Sincronismo do Áudio e Vídeo Principal Sincronizados pela associação de marcas de tempo. Sincronização tratada nas ferramentas de exibição (decodificação) MPEG. 51 Aplicações em Ginga-NCL Copyright 2006 TeleMídia

52 TV Digital 52 Aplicações em Ginga-NCL Copyright 2006 TeleMídia

53 Difusão de Dados Os dados podem ser transportados através de serviços síncronos, sincronizados ou assíncronos. 53 Aplicações em Ginga-NCL Copyright 2006 TeleMídia

54 Difusão de Dados Os dados podem ser transportados através de serviços síncronos, sincronizados ou assíncronos. Informações síncronas assumem que marcas de tempo estão associadas com os dados, mas eles não estão relacionados à temporização de outros fluxos de áudio ou vídeo. 54 Aplicações em Ginga-NCL Copyright 2006 TeleMídia

55 Sincronização de Dados Exibição de comerciais, estatísticas de esportes, sistemas de ajuda, entre muitos outros, são exemplos de aplicações que somente possuem sentido dependendo do contexto no qual se encontra a exibição do vídeo principal. Com a possibilidade de envio de dados por difusão, os padrões de TV digital devem estabelecer mecanismos que permitem a sincronização desses dados com o fluxo A/V principal. 55 Aplicações em Ginga-NCL Copyright 2006 TeleMídia

56 Difusão de Dados Os dados podem ser transportados através de serviços síncronos, sincronizados ou assíncronos. Informações síncronas assumem que marcas de tempo estão associadas com os dados, mas eles não estão relacionados à temporização de outros fluxos de áudio ou vídeo. Os dados são sincronizados quando estão associados a marcas de tempo que fazem referência a instantes particulares de fluxos de áudio e/ou vídeo. Sincronização pode ser tratada nas ferramentas de exibição (decodificação), mas com limitações. Autoria pode depender de uma linguagem de especificação XMT-O; XMT-A e BIFFS, no caso do padrão MPEG 4 56 Aplicações em Ginga-NCL Copyright 2006 TeleMídia

57 Difusão de Dados Os dados podem ser transportados através de serviços síncronos, sincronizados ou assíncronos. Informações síncronas assumem que marcas de tempo estão associadas com os dados, mas eles não estão relacionados à temporização de outros fluxos de áudio ou vídeo. Finalmente, os dados são sincronizados quando estão associados a marcas de tempo que fazem referência a instantes particulares de fluxos de áudio e/ou vídeo. Serviços assíncronos implicam que nenhuma marca de tempo (time stamps) está associada aos dados. 57 Aplicações em Ginga-NCL Copyright 2006 TeleMídia

58 Serviços Assíncronos Serviços assíncronos implicam que nenhuma marca de tempo (time stamp) está associada aos dados. No entanto, pode haver sincronismo entre os vários objetos transportados, e entre esses objetos e os fluxos de áudio e/ou vídeo principal. No ambiente de autoria Necessidade de um modelo conceitual de dados Necessidade de uma linguagem de especificação No ambiente de exibição (set-top) Necessidade de um formatador (orquestrador) Única forma para a sincronização com tempo indeterminado Interatividade 58 Aplicações em Ginga-NCL Copyright 2006 TeleMídia

59 Transport Stream GINGA Real-Time Operating System Device Drivers Hardware Conditional Access Audio Video Data MPEG SBTVD 59 Aplicações em Ginga-NCL Copyright 2006 TeleMídia

60 Middleware 60 Aplicações em Ginga-NCL Copyright 2006 TeleMídia

61 Padrões Áudio Compressão Vídeo MPEG2 BC MPEG2 AAC DOLBY AC3 MPEG2 - SDTV MPEG2 - HDTV Transporte MPEG2 Transmissão Modulação 8-VSB COFDM 61 Aplicações em Ginga-NCL Copyright 2006 TeleMídia

62 Padrões Aplicações APP1 APP2 APP3... APPn Middleware Middleware Áudio Compressão Vídeo MPEG2 BC MPEG2 AAC DOLBY AC3 MPEG2 - SDTV MPEG2 - HDTV Transporte MPEG2 Transmissão Modulação 8-VSB COFDM 62 Aplicações em Ginga-NCL Copyright 2006 TeleMídia

63 Padrões Aplicações APP1 APP2 APP3... APPn Middleware DASE MHP ARIB Áudio Compressão Vídeo MPEG2 BC MPEG2 AAC DOLBY AC3 MPEG2 - SDTV MPEG2 - HDTV Transporte MPEG2 Transmissão Modulação 8-VSB COFDM 63 Aplicações em Ginga-NCL Copyright 2006 TeleMídia

64 Aplicações Requisitos 64 Aplicações em Ginga-NCL Copyright 2006 TeleMídia

65 TV não é Computador Sistema de transmissão em broadcast Razoável distância entre o usuário e a tela Dispositivos de E/S com pouco recursos Assistência coletiva Interatividade como caso particular de Sincronismo 65 Aplicações em Ginga-NCL Copyright 2006 TeleMídia

66 TV não é Computador Sistema de transmissão em broadcast Razoável distância entre o usuário e a tela Dispositivos de E/S com pouco recursos Assistência coletiva Aplicações baseadas no vídeo Sincronização baseada na estrutura 66 Aplicações em Ginga-NCL Copyright 2006 TeleMídia

67 TV não é Computador Sistema de transmissão em broadcast Razoável distância entre o usuário e a tela Dispositivos de E/S com pouco recursos Assistência coletiva Aplicações baseadas no vídeo Múltiplos Dispositivos 67 Aplicações em Ginga-NCL Copyright 2006 TeleMídia

68 Conteúdo Perfis de usuários diferentes Dispositivos de exibição diversos Usuários em localidades diferentes Adaptabilidade 68 Aplicações em Ginga-NCL Copyright 2006 TeleMídia

69 Requisitos de um Middleware Suporte à sincronização Facilidades de múltiplos dispositivos Suporte à adaptação do conteúdo e da apresentação 69 Aplicações em Ginga-NCL Copyright 2006 TeleMídia

70 Nem todas as aplicações têm relação semântica com o vídeo principal Aplicações sem relação semântica Correio eletrônico 70 Aplicações em Ginga-NCL Copyright 2006 TeleMídia

71 Nem todas as aplicações têm relação semântica com o vídeo principal Aplicações sem relação semântica Correio eletrônico Aplicações com relação semântica Sem sincronismo temporal Programa para fazer algum teste de saúde, durante um documentário médico 71 Aplicações em Ginga-NCL Copyright 2006 TeleMídia

72

73

74

75

76

77 Nem todas as aplicações têm relação semântica com o vídeo principal Aplicações sem relação semântica Correio eletrônico Aplicações com relação semântica Sem sincronismo temporal Programaparafazeralgumtestede saúde, durante um documentário médico Com sincronismo temporal Leilão eletrônico Programa Não Linear 77 Aplicações em Ginga-NCL Copyright 2006 TeleMídia

78

79

80 Paradigmas de Programação Procedural (imperativo) Especificação: como fazer Maior poder de expressão Declarativo Especificação: a intenção final Especificação em mais alto nível Sincronismo de Mídias Adaptabilidade Múltiplos Dispositivos 80 Aplicações em Ginga-NCL Copyright 2006 TeleMídia

81 Middleware Operating System Ginga Common Core Ginga - Specific Service JVM Bridge Persistência Exibidores de Mídias (JPEG, MPEG2, MPEG4, MP3, TXT, GIF, HTML-based, etc) Presentation Engine (NCL Formatter) Processador de Fluxos de Dados Execution Engine Filtro (Xletde manager) Seções Sintonizador 81 Aplicações em Ginga-NCL Copyright 2006 TeleMídia

82 Middleware Declarativo 82 Aplicações em Ginga-NCL Copyright 2006 TeleMídia

83 Estado da Arte Middleware Declarativos Privilegiam a interatividade em detrimento da sincronização e da adaptabilidade de conteúdo Sincronização e adaptabilidade por scripts (procedural) 83 Aplicações em Ginga-NCL Copyright 2006 TeleMídia

84 Tendência Suporte a interação do usuário como um caso particular do sincronismo. Suporte a adaptabilidade e a múltiplos dispositivos de exibição NCL Ediçãoaovivo Tratamento de variáveis: scripts Lua SMIL 84 Aplicações em Ginga-NCL Copyright 2006 TeleMídia

85 Linguagens Declarativas Uma linguagem declarativa deve também oferecer suporte a objetos que contêm código procedural. NCL permite: Aplicações HTML com código em ECMAScript NCLet (objetos procedurais com código Java XLet) NCLua (objetos procedurais com código Lua) 85 Aplicações em Ginga-NCL Copyright 2006 TeleMídia

86 Diversas Possibilidades para o Middleware Ginga 86 Aplicações em Ginga-NCL Copyright 2006 TeleMídia

87 APP1 APP2 APP3... APPn Ginga MPEG - 4 MPEG - 4 H.264 H.264 MPEG-2 COFDM 87 Aplicações em Ginga-NCL Copyright 2006 TeleMídia

88 Apl 1 Apl 2 Apl 3... Apl n Ginga - NCL ECMA Script Engine Lua Engine OS 88 Aplicações em Ginga-NCL Copyright 2006 TeleMídia

89 Apl 1 Apl 2 Xlet i... Apl n Ginga - NCL VM (Java) Execution Engine OS 89 Aplicações em Ginga-NCL Copyright 2006 TeleMídia

90 Apl 1 Apl 2 Xlet i... Apl n Ginga - NCL VM (Java) Ginga - J OS 90 Aplicações em Ginga-NCL Copyright 2006 TeleMídia

91 Ginga - NCL Xlet i... Apl n VM (Java) Execution Machine OS 91 Aplicações em Ginga-NCL Copyright 2006 TeleMídia

92 Apl 1 Apl 2 Xlet i... Apl n Ginga - NCL VM (Java) Ginga - J OS 92 Aplicações em Ginga-NCL Copyright 2006 TeleMídia

93 Perguntas 1. Com base no modelo de referência do slide 26, explique a funcionalidade de cada um de seus módulos. 2. Discuta os vários níveis de interatividade: local com canal de retorno unidirecional com canal de retorno bidirecional com canal de retorno bidirecional de banda larga 3. O que vem a ser as tabelas PSI? 4. Como é a sincronização de fluxos através de selos de tempo? 5. Qual a diferença entre serviço síncrono e sincronizado? 6. Qual a limitação da sincronização por selos de tempo? 7. O que é um serviço assíncrono? Pode haver sincronismo de fluxos neste serviço? Se sim, como? 8. O que vem a ser uma linguagem de sincronismo de mídias? Por que ela é chamada de linguagem de cola? 9. Em um serviço assíncrono que ferramentas são necessárias do ado do transmissor e do receptor? 10. O que é um carrossel de dados? Por que é necessário? 93 Aplicações em Ginga-NCL Copyright 2006 TeleMídia

94 Perguntas 1. O que é um middleware de um sistema de TV digital? 2. Quais as diferenças de uma aplicação desenvolvia para TV de uma desenvolvida para computador? 3. Quais os principais requisitos de um middleware? Explique cada um deles. 4. Descreva os diversos tipos de aplicações comumente encontradas em um sistema de TV digital, e exemplifique. 5. O que é um paradigma de programação? 6. Qual a diferença do paradigma declarativo e procedural? 7. Por que as linguagens declarativas usualmente têm um foco? 8. Quais deveriam ser os focos de uma linguagem declarativa para um sistema de TV digital? 9. O que é uma ponte entre ambientes de suporte a aplicações? Por que são necessárias? 10. Discuta as diversas possibilidades de integração do midleware Ginga, destacando os aspectos de interoperabilidade. 94 Aplicações em Ginga-NCL Copyright 2006 TeleMídia

95 Middleware Declarativo Modelo Conceitual 95 Aplicações em Ginga-NCL Copyright 2006 TeleMídia

96 Modelo Conceitual HTML Entity Anchor Link Node Nó Nó identificador lista lista de de elos elos conteúdo Âncora Região Elo Elo âncora de de origem âncora de de destino 96

97 Modelo Conceitual Entity Anchor Link Node 97 Aplicações em Ginga-NCL Copyright 2006 TeleMídia

98 Modelo Conceitual Entity Anchor Link Node Âncora Região 98 Aplicações em Ginga-NCL Copyright 2006 TeleMídia

99 Modelo Conceitual Entity Node Identificador Conteúdo Node Anchor Âncora Região Link 99 Aplicações em Ginga-NCL Copyright 2006 TeleMídia

100 Modelo Conceitual Entity Node Identificador Conteúdo Media lista lista de de âncoras Node Anchor Âncora Região Link Media Context 100 Aplicações em Ginga-NCL Copyright 2006 TeleMídia

101 Modelo Conceitual Entity Node Identificador Conteúdo Media lista lista de de âncoras Node Anchor Âncora Região Link Media Context Text Image Audio Video Aplicações em Ginga-NCL Copyright 2006 TeleMídia

102 Modelo Conceitual Entity Node Identificador Conteúdo Node Anchor Link Media Context Text Image Audio Video... Contexto Conjunto de de nós nós Conjunto de de elos elos 102 Aplicações em Ginga-NCL Copyright 2006 TeleMídia

103 Modelo Conceitual Entity Anchor Link Node Media Text Image Audio Video... Context Elo Elo interface de de origem interface de de destino 103 Aplicações em Ginga-NCL Copyright 2006 TeleMídia

104 Modelo Conceitual Interface Port Anchor Property 104 Aplicações em Ginga-NCL Copyright 2006 TeleMídia

105 Modelo Conceitual Entity Link Node Media Context Text Image Audio Video... Node Identificador Conteúdo Conjunto de de interfaces 105 Aplicações em Ginga-NCL Copyright 2006 TeleMídia

106 Modelo Conceitual Entity Link Node Media Context Text Image Audio Video Aplicações em Ginga-NCL Copyright 2006 TeleMídia

107 Modelo Conceitual Entity Descriptor Link Node Media Context Text Image Audio Video Aplicações em Ginga-NCL Copyright 2006 TeleMídia

108 Modelo Conceitual Entity Descriptor Link Node Media Context Text Image Audio Video... Node Identificador Conteúdo Conjunto de de interfaces 108 Aplicações em Ginga-NCL Copyright 2006 TeleMídia

109 Modelo Conceitual Entity Descriptor Link Node Media Context Text Image Audio Video... Node Identificador Conteúdo Conjunto de de interfaces Conjunto de de descritores alternativos 109 Aplicações em Ginga-NCL Copyright 2006 TeleMídia

110 Modelo Conceitual Entity Descriptor DescriptorSwitch Link Node Media Context Text Image Audio Video Aplicações em Ginga-NCL Copyright 2006 TeleMídia

111 Modelo Conceitual Entity PT: <N, α> Descriptor DescriptorSwitch Link Node Media Context Text Image Audio Video Aplicações em Ginga-NCL Copyright 2006 TeleMídia

112 Modelo Conceitual Entity PT: <N, α, DS> Descriptor DescriptorSwitch Link Node Media Context Text Image Audio Video Aplicações em Ginga-NCL Copyright 2006 TeleMídia

113 Modelo Conceitual Entity Descriptor DescriptorSwitch Link Node Media Context Text Image Audio Video Aplicações em Ginga-NCL Copyright 2006 TeleMídia

114 Eventos Seguindo a definição de Perez-Luque, um evento é uma ocorrência no tempo que pode ser instantânea ou durar um período de tempo. Evento de pré-busca: busca de uma coleção não vazia de unidades de informação Evento de exibição: exibição de uma coleção não vazia de unidades de informação Evento de seleção: seleção de uma coleção não vazia de unidades de informação Evento de atribuição: mudança de um atributo de um nó ou da condição de habilitação das mudanças de comportamento definidas no objeto descritor (visto mais adiante) O início ou fim de um evento é instantâneo e é denominado ponto de sincronização. Note que o ponto de sincronização é também um evento. 114

115 Estados de um Evento stop abort paused start pause start resume prepared stop (natural end) abort occurring 115 Aplicações em Ginga-NCL Copyright 2006 TeleMídia

116 Modelo Conceitual Entity Descriptor DescriptorSwitch Link Node Media Context Text Image Audio Video Aplicações em Ginga-NCL Copyright 2006 TeleMídia

117 Modelo Conceitual Entity Descriptor DescriptorSwitch Connector Link Node Media Context Text Image Audio Video... Connector Identificador Conjunto de de papéis (roles) Glue Glue expression 117 Aplicações em Ginga-NCL Copyright 2006 TeleMídia

118 Modelo Conceitual Role Role Role Identificador Tipo Tipo de de evento Cardinalidade Atributo 118 Aplicações em Ginga-NCL Copyright 2006 TeleMídia

119 Papel (Role) Identificador Tipo de evento Cardinalidade: especifica o número mínimo e máximo de eventos que podem exercer o papel, em um elo. Observação: Se o tipo de evento de um papel for de atribuição, o papel deve também identificar a propiedade. 119 Aplicações em Ginga-NCL Copyright 2006 TeleMídia

120 Modelo Conceitual Entity Descriptor DescriptorSwitch Connector Link Node Media Context Text Image Audio Video... Connector Identificador Conjunto de de papéis (roles) Glue Glue expression 120 Aplicações em Ginga-NCL Copyright 2006 TeleMídia

121 Modelo Conceitual Entity Descriptor DescriptorSwitch Connector Link Node Constraint Causal Media Context Text Image Audio Video... Connector Identificador Conjunto de de papéis (roles) Glue Glue expression 121 Aplicações em Ginga-NCL Copyright 2006 TeleMídia

122 Modelo Conceitual Entity Descriptor DescriptorSwitch Connector Link Node Causal Media Context Text Image Audio Video... Connector Identificador Conjunto de de papéis (roles) Glue Glue expression 122 Aplicações em Ginga-NCL Copyright 2006 TeleMídia

123 Modelo Conceitual Entity Descriptor DescriptorSwitch Connector Link Node Causal Media Context Text Image Audio Video... Elo Elo Identificador Conjunto de de pontos terminais de de origem Conjunto de de pontos terminais de de destino Connector 123 Aplicações em Ginga-NCL Copyright 2006 TeleMídia

124 Modelo Conceitual Entity Descriptor DescriptorSwitch Connector Link Node Causal Media Context Text Image Audio Video... Elo Elo Identificador Conjunto de de binds binds Connector 124 Aplicações em Ginga-NCL Copyright 2006 TeleMídia

125 Modelo Conceitual Entity Descriptor DescriptorSwitch Connector Link Node Causal Media Composition Text Image Audio Video Aplicações em Ginga-NCL Copyright 2006 TeleMídia

126 Modelo Conceitual Entity Descriptor DescriptorSwitch Connector Link Node Causal Media Context Text Image Audio Video Aplicações em Ginga-NCL Copyright 2006 TeleMídia

127 Modelo Conceitual Entity Descriptor DescriptorSwitch Connector Link Node Causal Media Context Text Image Audio Video... Switch Context 127 Aplicações em Ginga-NCL Copyright 2006 TeleMídia

128 Modelo Conceitual Interface Port Switch Port Anchor Property 128 Aplicações em Ginga-NCL Copyright 2006 TeleMídia

129 Modelo Conceitual Entity Descriptor DescriptorSwitch Connector Link Node Causal Media Composition Text Image Audio Video... Switch Context <context/> 129 Aplicações em Ginga-NCL Copyright 2006 TeleMídia

130 Modelo Conceitual Entity Descriptor DescriptorSwitch Connector Link Node Causal Media <media/> Composition Text Image Audio Video... Switch Context <context/> 130 Aplicações em Ginga-NCL Copyright 2006 TeleMídia

131 Modelo Conceitual Entity Descriptor DescriptorSwitch Connector Link Node Causal Media <media/> Composition Text Image Audio Video... Switch Context <context/> <switch/> 131 Aplicações em Ginga-NCL Copyright 2006 TeleMídia

132 Modelo Conceitual Entity <descriptor/> Descriptor DescriptorSwitch Connector Link Node Causal Media <media/> Composition Text Image Audio Video... Switch Context <context/> <switch/> 132 Aplicações em Ginga-NCL Copyright 2006 TeleMídia

133 Modelo Conceitual Entity <descriptor/> Descriptor DescriptorSwitch Connector Link <descriptorswitch/> Node Causal Media <media/> Composition Text Image Audio Video... Switch Context <context/> <switch/> 133 Aplicações em Ginga-NCL Copyright 2006 TeleMídia

134 Modelo Conceitual Entity <descriptor/> Descriptor DescriptorSwitch Connector <connector/> Link <descriptorswitch/> Node Causal Media <media/> Composition Text Image Audio Video... Switch Context <context/> <switch/> 134 Aplicações em Ginga-NCL Copyright 2006 TeleMídia

135 Modelo Conceitual Entity <descriptor/> Descriptor DescriptorSwitch Connector <connector/> Link <link/> <descriptorswitch/> Node Causal Media <media/> Composition Text Image Audio Video... Switch Context <context/> <switch/> 135 Aplicações em Ginga-NCL Copyright 2006 TeleMídia

136 Autoria 136 Aplicações em Ginga-NCL Copyright 2006 TeleMídia

137 Ambientes Usuários ( Espectadores ) Execução Ferramentas de Exibição Dispositivos Usuários ( Autores ) Autoria Ambiente Gráfico Edição textual Formatador <xml> <tag> content... </tag> </xml> Edição gráfica Provedor de Serviços de Comunicação Armazenamento Controle de Versões Adaptação Servidores de estruturas Suporte ao Trabalho Cooperativo Servidores de conteúdo 137 Aplicações em Ginga-NCL Copyright 2006 TeleMídia

138 Editor Composer 138 Aplicações em Ginga-NCL Copyright 2006 TeleMídia

139 Autoria 139 Aplicações em Ginga-NCL Copyright 2006 TeleMídia

140 140 Aplicações em Ginga-NCL Copyright 2006 TeleMídia

141 Perguntas? NTPPM 141 Aplicações em Ginga-NCL Copyright 2006 TeleMídia

142 Aplicações em Ginga-NCL Copyright 2006 TeleMídia

Demonstrações: Requisitos do M iddleware

Demonstrações: Requisitos do M iddleware 1 Copyright 2012 TeleMídia Agenda Introdução à TV Digital Demonstrações: Requisitos do M iddleware M odelo de Referência Ginga: NCL (Lua) Considerações Finais 2 Copyright 2012 TeleMídia Copyright Laboratório

Leia mais

Televisão Digital Interativa se faz com Ginga. Guido Lemos de Souza Filho LAVID DI - UFPB

Televisão Digital Interativa se faz com Ginga. Guido Lemos de Souza Filho LAVID DI - UFPB Televisão Digital Interativa se faz com Ginga Guido Lemos de Souza Filho LAVID DI - UFPB Instituições Selecionadas para Elaborar Propostas de Alternativas Tecnológicas Requisitos básicos b do SBTVD Robustez

Leia mais

Introdução Padrão Brasileiro de TV Digital. Desenvolvimento de Aplicações Interativas. Trabalhos em andamento

Introdução Padrão Brasileiro de TV Digital. Desenvolvimento de Aplicações Interativas. Trabalhos em andamento Introdução Padrão Brasileiro de TV Digital Middleware GINGA Desenvolvimento de Aplicações Interativas Linguagem NCL (Nested Context Language) Trabalhos em andamento 1 2 3 4 Maior resolução de imagem Melhor

Leia mais

PADRÕES DE MIDDLEWARE PARA TV DIGITAL

PADRÕES DE MIDDLEWARE PARA TV DIGITAL PADRÕES DE MIDDLEWARE PARA TV DIGITAL Rafael V. Coelho Fundação Universidade Federal do Rio Grande (FURG) Rio Grande - RS rafaelvc2@gmail.com Resumo. Este trabalho discute os tipos de Middleware usados

Leia mais

Entretenimento e Interatividade para TV Digital

Entretenimento e Interatividade para TV Digital Entretenimento e Interatividade para TV Digital Desenvolvimento de Aplicativos para TV Digital Interativa Rodrigo Cascão Araújo Diretor Comercial Apresentação da Empresa A EITV desenvolve software e provê

Leia mais

Jornalismo Multiplataforma. Tecnologias Redes e Convergência. eduardo.barrere@ice.ufjf.br

Jornalismo Multiplataforma. Tecnologias Redes e Convergência. eduardo.barrere@ice.ufjf.br Jornalismo Multiplataforma Tecnologias Redes e Convergência eduardo.barrere@ice.ufjf.br Panorama Em 2011, a TV atingiu 96,9% (http://www.teleco.com.br/nrtv.asp) TV Digital Uma novidade???? TV Digital Resolve

Leia mais

NCL e Java. Aquiles Burlamaqui

NCL e Java. Aquiles Burlamaqui Construindo programas de TV Digital Interativa usando NCL e Java Aquiles Burlamaqui Sumário Introdução Middleware Aplicações de TVDI Ginga NCL Ginga J Conclusões Introdução TV Digital Interativa O que

Leia mais

1 Introdução. 1.1. Motivação

1 Introdução. 1.1. Motivação 1 Introdução A adoção do Ginga-NCL como middleware declarativo do SBTVD (Sistema Brasileiro de Televisão Digital) estabeleceu um marco no desenvolvimento de aplicações interativas para TV Digital terrestre

Leia mais

1.1. Aplicações de TVD dinâmicas

1.1. Aplicações de TVD dinâmicas 1 Introdução Uma aplicação de TV Digital (TVD) comumente é composta por um vídeo principal associado a outros objetos (aplicações, imagens, vídeos, textos etc.), que são transmitidos em conjunto possibilitando

Leia mais

TV Digital no Brasil e o Middleware Ginga. Luiz Eduardo Cunha Leite

TV Digital no Brasil e o Middleware Ginga. Luiz Eduardo Cunha Leite TV Digital no Brasil e o Middleware Ginga Luiz Eduardo Cunha Leite 1 Sistema de TV Digital no Brasil 3G 1 Seg 2 PTSN, Internet, etc. Nível de Transporte TCP / IP -SI -Carrossel de Dados e Objetos -MPE

Leia mais

Padrões de Middleware para TV Digital

Padrões de Middleware para TV Digital Padrões de Middleware para TV Digital Alexsandro Paes, Renato Antoniazzi UFF Universidade Federal Fluminense Centro Tecnológico Departamento de Engenharia de Telecomunicações Mestrado em Telecomunicações

Leia mais

GTTV - Grupo de Trabalho de Televisão Digital. Guido Lemos de Souza Filho LAViD - DI CCEN UFPB

GTTV - Grupo de Trabalho de Televisão Digital. Guido Lemos de Souza Filho LAViD - DI CCEN UFPB GTTV - Grupo de Trabalho de Televisão Digital Guido Lemos de Souza Filho LAViD - DI CCEN UFPB Sistema de TV Digital ITV Middleware (eg. MHP or DASE) Real-Time Operating System Device Drivers Conditional

Leia mais

Desenvolvimento de Aplicações Interativas. GINGA NCL e LUA. Projeto TV Digital Social

Desenvolvimento de Aplicações Interativas. GINGA NCL e LUA. Projeto TV Digital Social Desenvolvimento de Aplicações Interativas GINGA NCL e LUA Projeto TV Digital Social Marco Antonio Munhoz da Silva DATAPREV Gestor do Proejeto TV Digital Social AGENDA Divisão dos assuntos em quatro partes

Leia mais

TV Digital : Convergência e Interatividade. 2010 HXD Interactive Television

TV Digital : Convergência e Interatividade. 2010 HXD Interactive Television TV Digital : Convergência e Interatividade. A TELEVISÃO. A Televisão... o mais subversivo instrumento da comunicação deste século!" Assis Chateaubriand (1950). A Televisão Sem TV é duro de dizer quando

Leia mais

2 Geração Dinâmica de Conteúdo e Templates de Composição

2 Geração Dinâmica de Conteúdo e Templates de Composição 2 Geração Dinâmica de Conteúdo e Templates de Composição Alguns dos aspectos mais importantes na arquitetura proposta nesta dissertação são: a geração dinâmica de conteúdo e a utilização de templates de

Leia mais

Sincronismo entre Fluxos de Mídia Contínua e Aplicações Multimídia em Redes por Difusão

Sincronismo entre Fluxos de Mídia Contínua e Aplicações Multimídia em Redes por Difusão Sincronismo entre Fluxos de Mídia Contínua e Aplicações Multimídia em Redes por Difusão Marcio Ferreira Moreno Romualdo Monteiro de Resende Costa Luiz Fernando Gomes Soares Departamento de Informática

Leia mais

PADRÕES DE MIDDLEWARE PARA TV DIGITAL

PADRÕES DE MIDDLEWARE PARA TV DIGITAL Niterói, RJ, Brasil, 8-10 de novembro de 2005. PADRÕES DE MIDDLEWARE PARA TV DIGITAL Alexsandro Paes, Renato H. Antoniazzi, Débora C. Muchaluat Saade Universidade Federal Fluminense (UFF) / Centro Tecnológico

Leia mais

Metodologia de Integração entre Aplicações Web e Aplicações para TV Digital

Metodologia de Integração entre Aplicações Web e Aplicações para TV Digital 1 Metodologia de Integração entre Aplicações Web e Aplicações para TV Digital Eduardo Barrére Universidade Federal de Juiz de Fora eduardo.barrere@ice.ufjf.br Paula Marin Leite Universidade Federal de

Leia mais

Entretenimento e Interatividade para TV Digital

Entretenimento e Interatividade para TV Digital Entretenimento e Interatividade para TV Digital Interatividade na TV Digital Ginga e Plataformas de Desenvolvimento Rodrigo Cascão Araújo Diretor Comercial O que é a TV Digital Transmissão da emissora

Leia mais

Engenheiro Eletrônico pela PUC-RJ e mestrando da Universidade Federal Fluminense.

Engenheiro Eletrônico pela PUC-RJ e mestrando da Universidade Federal Fluminense. Padrões de Middleware para TV Digital Este tutorial apresenta o conceito de middleware para TV Digital, os atuais padrões de mercado e uma comparação entre eles, em termos de funcionalidades disponibilizadas.

Leia mais

TDC 2011 - T-Commerce e T-Banking- Aplicações Seguras. Julho de 2011 Aguinaldo Boquimpani Gerente Senior de Produtos TOTVS TQTVD

TDC 2011 - T-Commerce e T-Banking- Aplicações Seguras. Julho de 2011 Aguinaldo Boquimpani Gerente Senior de Produtos TOTVS TQTVD TDC 2011 - T-Commerce e T-Banking- Aplicações Seguras Julho de 2011 Aguinaldo Boquimpani Gerente Senior de Produtos TOTVS TQTVD TDC 2011 AGENDA I. Cadeia de valor da TV Digital Interativa II. O Ginga e

Leia mais

Amadeus-TV: Portal Educacional na TV Digital Integrado a um Sistema de Gestão de Aprendizado

Amadeus-TV: Portal Educacional na TV Digital Integrado a um Sistema de Gestão de Aprendizado Amadeus-TV: Portal Educacional na TV Digital Integrado a um Sistema de Gestão de Aprendizado Bruno de Sousa Monteiro Orientação: Prof. Dr. Fernando da Fonseca de Souza Prof. Dr. Alex Sandro Gomes 1 Roteiro

Leia mais

Desenvolvimento de Sistemas para TV Digital. Prof. Fabrício J. Barth fbarth@tancredo.br Faculdades Tancredo Neves

Desenvolvimento de Sistemas para TV Digital. Prof. Fabrício J. Barth fbarth@tancredo.br Faculdades Tancredo Neves Desenvolvimento de Sistemas para TV Digital Prof. Fabrício J. Barth fbarth@tancredo.br Faculdades Tancredo Neves Objetivo Apresentar os conceitos básicos para o desenvolvimento de sistemas para TV Digital.

Leia mais

4 Plano de Recuperação

4 Plano de Recuperação 4 Plano de Recuperação Como pode ser observado na Seção 3.2, um projeto de um middleware para TVD deve considerar o fato que ele será embarcado em plataformas diversas e, portanto, que fará uso de diversas

Leia mais

Protocolo de Aplicação para Jogos de Tabuleiro para Ambiente de TV Digital

Protocolo de Aplicação para Jogos de Tabuleiro para Ambiente de TV Digital Protocolo de Aplicação para Jogos de Tabuleiro para Ambiente de TV Digital Felipe Martins de Lima Escola de Engenharia Universidade Federal Fluminense (UFF) Rua Passo da Pátria, 156 São Domingos Niterói

Leia mais

GINGA - Software Livre para TV Digital Brasileira

GINGA - Software Livre para TV Digital Brasileira 1 of 6 23/6/2010 22:40 GINGA - Software Livre para TV Digital Brasileira Autor: Paulo Roberto Junior - WoLF Data: 13/04/2009 O que é GINGA Posso falar com minhas próprias indagações

Leia mais

TECNOLOGIAS PARA O DESENVOLVIMENTO DE APLICAÇÕES EDUCACIONAIS PARA TV DIGITAL

TECNOLOGIAS PARA O DESENVOLVIMENTO DE APLICAÇÕES EDUCACIONAIS PARA TV DIGITAL TECNOLOGIAS PARA O DESENVOLVIMENTO DE APLICAÇÕES EDUCACIONAIS PARA TV DIGITAL Lady Daiana O. PINTO (1,2), José P. QUEIROZ-NETO (1), Kátia Cilene N. SILVA (2). (1) Centro Federal de Educação Tecnológica

Leia mais

4 Arquitetura para aplicações NCL dinâmicas

4 Arquitetura para aplicações NCL dinâmicas 4 Arquitetura para aplicações NCL dinâmicas Além de ser composta por objetos de mídia com conteúdo audiovisual, uma aplicação NCL dinâmica precisa ter objetos NCLua geradores de conteúdo em sua composição.

Leia mais

TV Dig ital - S ocial

TV Dig ital - S ocial Edson Luiz Castilhos Gerente Célula Software Livre - RS Marco Antonio Munhoz da Silva Gestor Projeto TV Digital Social 1 AGENDA O que é TV Digital? Histórico TV Analógica x TV Digital Sistema de TV Digital

Leia mais

Serviços de Mídia Contínua Em Redes de Pacotes

Serviços de Mídia Contínua Em Redes de Pacotes Serviços de Mídia Contínua Em Redes de Pacotes Caracterização das Aplicações e Requisitos PUC -Rio Departamento de Informática Luiz Fernando Gomes Soares lfgs@inf.puc-rio.br Tópicos Aplicações de Banda

Leia mais

Bringing All Users to the Television

Bringing All Users to the Television PUC Minas Campus de Poços de Caldas Departamento de Ciência da Computação Laboratório de Televisão Digital Interativa Bringing All Users to the Television Guia de Instalação, Configuração e Desenvolvimento

Leia mais

Rodrigo Laiola Guimarães Romualdo M. de Resende Costa

Rodrigo Laiola Guimarães Romualdo M. de Resende Costa Rodrigo Laiola Guimarães Romualdo M. de Resende Costa Interatividade e Sincronismo em TV Digital MONOGRAFIA DA DISCIPLINA DE TÓPICOS DE HIPERTEXTO E MULTIMÍDIA II - "SEMINÁRIOS SOBRE TV DIGITAL INTERATIVA"

Leia mais

Ginga e a TV Digital Interativa no Brasil

Ginga e a TV Digital Interativa no Brasil Ginga e a TV Digital Interativa no Brasil Bruno Ghisi Engenheiro de Software weblogs.java.net/brunogh Alexandre Lemos Engenheiro de Software Objetivo Introduzir o conceito do cenário brasileiro de TV Digital,

Leia mais

PESPECTVIAS DO PROJETO DE PESQUISA DESENVOLVIMENTO DE MIDDLEWARE PARA DIVULGAÇÃO DE SABERES POPULARES NO CANAL DE INTERATIVIDADE DA TV DIGITAL *

PESPECTVIAS DO PROJETO DE PESQUISA DESENVOLVIMENTO DE MIDDLEWARE PARA DIVULGAÇÃO DE SABERES POPULARES NO CANAL DE INTERATIVIDADE DA TV DIGITAL * PESPECTVIAS DO PROJETO DE PESQUISA DESENVOLVIMENTO DE MIDDLEWARE PARA DIVULGAÇÃO DE SABERES POPULARES NO CANAL DE INTERATIVIDADE DA TV DIGITAL * Wellington Garcia PEREIRA 1 ; Hudson Henrique de Sousa LOPES

Leia mais

MyPersonal-EPG: Um EPG Personalizável e com Suporte à Recomendações para o SBTVD

MyPersonal-EPG: Um EPG Personalizável e com Suporte à Recomendações para o SBTVD UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E DA TERRA DEPARTAMENTO DE INFORMÁTICA E MATEMÁTICA APLICADA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM SISTEMAS E COMPUTAÇÃO MyPersonal-EPG: Um

Leia mais

4 Middleware Ginga-NCL como Plugin para Navegadores Web

4 Middleware Ginga-NCL como Plugin para Navegadores Web 4 Middleware Ginga-NCL como Plugin para Navegadores Web De forma análoga ao que existe hoje ao se embutir um objeto de mídia HTML em uma aplicação NCL, a integração entre o middleware Ginga e um navegador

Leia mais

Trilha TV Digital Oportunidades para desenvolvedores - Visão de Mercado e Tecnologia

Trilha TV Digital Oportunidades para desenvolvedores - Visão de Mercado e Tecnologia Trilha TV Digital Oportunidades para desenvolvedores - Visão de Mercado e Tecnologia David Britto Conselheiro & Coordenador do Módulo de Mercado - Fórum SBTVD Membro do Comitê Executivo (EC) - Java Community

Leia mais

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO Centro das Ciências Exatas e Tecnologia Faculdade de Matemática, Física e Tecnologia

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO Centro das Ciências Exatas e Tecnologia Faculdade de Matemática, Física e Tecnologia PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO Centro das Ciências Exatas e Tecnologia Faculdade de Matemática, Física e Tecnologia 1.00.00.00-3 - CIÊNCIAS EXATAS E DA TERRA 1.03.00.00-7 - CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO

Leia mais

Provedor de Digital Signage. Apresentação Comercial. contato@rj21.net www.rj21.net

Provedor de Digital Signage. Apresentação Comercial. contato@rj21.net www.rj21.net Apresentação Comercial contato@rj21.net www.rj21.net O que é Digital Signage? Uma mídia dinâmica e interativa Exibe mensagens digitais em pontos de venda, espaços públicos, transportes, TVs corporativas,

Leia mais

Me Engº Leonardo Ortolan. Me Engº Thiago L. S. Santos

Me Engº Leonardo Ortolan. Me Engº Thiago L. S. Santos TV Digital Me Engº Leonardo Ortolan Me Engº Thiago L. S. Santos Sumário Introdução Desenvolvimento TV Digital: O que é? Padrões de TV Digital TV Digital Brasileira Participação da PUCRS no SBTVD Conclusão

Leia mais

Impacto da TV Digital no Futuro dos Negócios

Impacto da TV Digital no Futuro dos Negócios Impacto da TV Digital no Futuro dos Negócios Congresso SUCESU-SP 2007 Integrando Tecnologia aos Negócios 29/11/07 Juliano Castilho Dall'Antonia Diretor de TV Digital w w w. c p q d. c o m. b r 1 Sumário

Leia mais

Conversor de TV Digital Terrestre: Set-top box

Conversor de TV Digital Terrestre: Set-top box Conversor de TV Digital Terrestre: Set-top box Este tutorial apresenta detalhes de funcionamento de um Conversor de TV Digital Terrestre, também chamado de Set-top box ou terminal de acesso, incluindo

Leia mais

Desenvolvendo e Integrando Serviços Multiplataforma de TV Digital Interativa

Desenvolvendo e Integrando Serviços Multiplataforma de TV Digital Interativa Desenvolvendo e Integrando Serviços Multiplataforma de TV Digital Interativa Agenda Introdução Aplicações interativas de TV Digital Desafios de layout e usabilidade Laboratório de usabilidade Desafios

Leia mais

III.2. CABLE MODEMS CARACTERÍSTICAS BÁSICAS UNIDADE III SISTEMAS HÍBRIDOS

III.2. CABLE MODEMS CARACTERÍSTICAS BÁSICAS UNIDADE III SISTEMAS HÍBRIDOS 1 III.2. CABLE MODEMS III.2.1. DEFINIÇÃO Cable modems são dispositivos que permitem o acesso em alta velocidade à Internet, através de um cabo de distribuição de sinais de TV, num sistema de TV a cabo.

Leia mais

Explorando a interatividade com entrada de dados textuais em ambiente de TV Digital

Explorando a interatividade com entrada de dados textuais em ambiente de TV Digital Explorando a interatividade com entrada de dados textuais em ambiente de TV Digital Herlon Silva Santos¹, Samuel Azevedo², Aquiles Medeiros Filgueira Burlamaqui¹, Luiz Marcos Garcia Gonçalves², Luiz Eduardo

Leia mais

SUITE de TESTES: O desafio da conformidade de middleware. 24 de Agosto, 2010. 15:00 às s 17:00. Coordenação da SUITE de TESTES

SUITE de TESTES: O desafio da conformidade de middleware. 24 de Agosto, 2010. 15:00 às s 17:00. Coordenação da SUITE de TESTES SUITE de TESTES: O desafio da conformidade de middleware 24 de Agosto, 2010 15:00 às s 17:00 Coordenação da SUITE de TESTES O que é uma Norma? Documento, estabelecido por consenso e aprovado por organismo

Leia mais

3. INICIATIVAS NO DESENVOLVIMENTO DE APLICATIVOS INTERATIVOS PARA TVDI

3. INICIATIVAS NO DESENVOLVIMENTO DE APLICATIVOS INTERATIVOS PARA TVDI 42 3. INICIATIVAS NO DESENVOLVIMENTO DE APLICATIVOS INTERATIVOS PARA TVDI Neste capítulo são apresentados alguns trabalhos que visão apoiar a criação de software para TVDI. Os trabalhos estão separados

Leia mais

UNIVERSIDADE DO VALE DO ITAJAÍ CENTRO DE CIÊNCIAS TECNOLÓGICAS DA TERRA E DO MAR CURSO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO

UNIVERSIDADE DO VALE DO ITAJAÍ CENTRO DE CIÊNCIAS TECNOLÓGICAS DA TERRA E DO MAR CURSO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO UNIVERSIDADE DO VALE DO ITAJAÍ CENTRO DE CIÊNCIAS TECNOLÓGICAS DA TERRA E DO MAR CURSO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO ESTUDO DO POTENCIAL INTERATIVO DA TV DIGITAL PARA APLICAÇÕES EDUCACIONAIS Área de Informática

Leia mais

Lady Daiana O. Pinto ; José P. Queiroz-Neto e Kátia Cilene N. Silva (1) (2) Centro Federal de Educação Tecnológica do Amazonas CEFET

Lady Daiana O. Pinto ; José P. Queiroz-Neto e Kátia Cilene N. Silva (1) (2) Centro Federal de Educação Tecnológica do Amazonas CEFET DESENVOLVIMENTO DE JOGOS EDUCACIONAIS PARA TV DIGITAL 1 2 3 Lady Daiana O. Pinto ; José P. Queiroz-Neto e Kátia Cilene N. Silva (1) (2) Centro Federal de Educação Tecnológica do Amazonas CEFET (1) ladypinheiro@cefetam.edu.br

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE ITAJUBÁ PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA E TECNOLOGIA DA COMPUTAÇÃO

UNIVERSIDADE FEDERAL DE ITAJUBÁ PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA E TECNOLOGIA DA COMPUTAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE ITAJUBÁ PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA E TECNOLOGIA DA COMPUTAÇÃO SeReS-EPG: Guia Eletrônico de Programação com Suporte à Recomendação de Conteúdo para o SBTVD Cléber Moterani

Leia mais

UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE PRÓ-REITORIA DE ENSINO E GRADUAÇÃO FACULDADE DE CIÊNCIAS EXATAS E NATURAIS DEPARTAMENTO DE INFORMÁTICA

UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE PRÓ-REITORIA DE ENSINO E GRADUAÇÃO FACULDADE DE CIÊNCIAS EXATAS E NATURAIS DEPARTAMENTO DE INFORMÁTICA UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE PRÓ-REITORIA DE ENSINO E GRADUAÇÃO FACULDADE DE CIÊNCIAS EXATAS E NATURAIS DEPARTAMENTO DE INFORMÁTICA UTILIZAÇÃO DO MIDDLEWARE GINGA NCL NO DESENVOLVIMENTO

Leia mais

Serviço de Controle e Programação para Dispositivos Remotos para Aplicações Interativas e Imersivas na TV Digital

Serviço de Controle e Programação para Dispositivos Remotos para Aplicações Interativas e Imersivas na TV Digital Serviço de Controle e Programação para Dispositivos Remotos para Aplicações Interativas e Imersivas na TV Digital Eduardo Agostinho¹, Victor Nogueira³, Samuel Azevedo³, Luiz Marcos Gonçalves³, Anelisa

Leia mais

Mecanismo de Identificação de Recursos para Aplicações Interativas em Redes de TV Digital por Difusão

Mecanismo de Identificação de Recursos para Aplicações Interativas em Redes de TV Digital por Difusão Mecanismo de Identificação de Recursos para Aplicações Interativas em Redes de TV Digital por Difusão Marcio Ferreira Moreno, Rogério Ferreira Rodrigues, Luiz Fernando Gomes Soares Departamento de Informática

Leia mais

APLICAÇÃO PARA A TV DIGITAL INTERATIVA UTILIZANDO A API JAVATV Eli CANDIDO JUNIOR 1 Francisco Assis da SILVA 2

APLICAÇÃO PARA A TV DIGITAL INTERATIVA UTILIZANDO A API JAVATV Eli CANDIDO JUNIOR 1 Francisco Assis da SILVA 2 APLICAÇÃO PARA A TV DIGITAL INTERATIVA UTILIZANDO A API JAVATV Eli CANDIDO JUNIOR 1 Francisco Assis da SILVA 2 RESUMO: A televisão é uma das principais fontes de informação, entretenimento e cultura. A

Leia mais

UMA PROPOSTA DE API PARA DESENVOLVIMENTO DE APLICAÇÕES MULTIUSUÁRIO E MULTIDISPOSITIVO PARA TV DIGITAL UTILIZANDO O MIDDLEWARE GINGA

UMA PROPOSTA DE API PARA DESENVOLVIMENTO DE APLICAÇÕES MULTIUSUÁRIO E MULTIDISPOSITIVO PARA TV DIGITAL UTILIZANDO O MIDDLEWARE GINGA UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA DEPARTAMENTO DE INFORMÁTICA CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E DA NATUREZA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM INFORMÁTICA UMA PROPOSTA DE API PARA DESENVOLVIMENTO DE APLICAÇÕES MULTIUSUÁRIO

Leia mais

PROF.: PAULO GOMES MATÉRIA: STRS 2 MOURA LACERDA

PROF.: PAULO GOMES MATÉRIA: STRS 2 MOURA LACERDA PROF.: PAULO GOMES MATÉRIA: STRS 2 MOURA LACERDA A TV digital O surgimento da TV digital se deu em função do desenvolvimento da TV de alta definição (HDTV) no Japão e na Europa, há mais de duas décadas,

Leia mais

Desenvolvendo Aplicações para TV Digital Interativa

Desenvolvendo Aplicações para TV Digital Interativa Desenvolvendo Aplicações para TV Digital Interativa Sávio Luiz de Oliveira Almeida 1, Frederico Coelho 1 1 Universidade Presidente Antônio Carlos (UNIPAC) Barbacena MG Brasil 2 Departamento de Ciência

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE UM PROPÓTIPO DE UM SET TOP BOX COM O MIDDLEWARE GINGA, NO RASPBERRY PI COM UM SISTEMA EMBARCADO LINUX

DESENVOLVIMENTO DE UM PROPÓTIPO DE UM SET TOP BOX COM O MIDDLEWARE GINGA, NO RASPBERRY PI COM UM SISTEMA EMBARCADO LINUX DESENVOLVIMENTO DE UM PROPÓTIPO DE UM SET TOP BOX COM O MIDDLEWARE GINGA, NO RASPBERRY PI COM UM SISTEMA EMBARCADO LINUX A. B. Nunes (IC) ¹ ; N. Freitas (IC)¹; R. Alcântara (IC)²; V. Silveira (IC)²; Jessé

Leia mais

5.1. Análise Comparativa

5.1. Análise Comparativa 5 Conclusões O objetivo desta dissertação foi apresentar o ambiente de autoria Composer, o qual é voltado para a criação de programas NCL, versão 3.0, para TV digital interativa. Da mesma forma que no

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE UMA APLICAÇÃO PARA TV DIGITAL U- TILIZANDO A PLATAFORMA GINGA J

DESENVOLVIMENTO DE UMA APLICAÇÃO PARA TV DIGITAL U- TILIZANDO A PLATAFORMA GINGA J DESENVOLVIMENTO DE UMA APLICAÇÃO PARA TV DIGITAL U- TILIZANDO A PLATAFORMA GINGA J Angélica de Oliveira Faculdade de Engenharia de Computação CEATEC angelica.o@puccampinas.edu.br Prof. Dr. David Bianchini

Leia mais

Arquitetura e Organização de Computadores I

Arquitetura e Organização de Computadores I Arquitetura e Organização de Computadores I Interrupções e Estrutura de Interconexão Prof. Material adaptado e traduzido de: STALLINGS, William. Arquitetura e Organização de Computadores. 5ª edição Interrupções

Leia mais

TV Digital Interativa Jocimar Fernandes ESAB Vitória (ES)

TV Digital Interativa Jocimar Fernandes ESAB Vitória (ES) TV Digital Interativa Jocimar Fernandes ESAB Vitória (ES) Introdução Este trabalho apresenta o modelo brasileiro de telecomunicações, seus problemas e motivos de migração para um sistema digital. São abordados

Leia mais

ENSINO-APRENDIZAGEM NA TV DIGITAL: ESTENDENDO O AMBIENTE AULANET PARA A TV

ENSINO-APRENDIZAGEM NA TV DIGITAL: ESTENDENDO O AMBIENTE AULANET PARA A TV CENTRO UNIVERSITÁRIO VILA VELHA CURSO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO FILIPE BOSI GUAITOLINI ENSINO-APRENDIZAGEM NA TV DIGITAL: ESTENDENDO O AMBIENTE AULANET PARA A TV VILA VELHA 2008 FILIPE BOSI GUAITOLINI

Leia mais

Um framework para o desenvolvimento de aplicações interativas para a Televisão Digital

Um framework para o desenvolvimento de aplicações interativas para a Televisão Digital Um framework para o desenvolvimento de aplicações interativas para a Televisão Digital Adriano Simioni, Valter Roesler Departamento de Informática Universidade do Vale do Rio dos Sinos (UNISINOS) Av. Unisinos,

Leia mais

Mecanismo para Armazenamento das Interações dos Usuários de Set-top Box em uma Ferramenta para Análise de Interação

Mecanismo para Armazenamento das Interações dos Usuários de Set-top Box em uma Ferramenta para Análise de Interação Mecanismo para Armazenamento das Interações dos Usuários de Set-top Box em uma Ferramenta para Análise de Interação BASÍLIO, Samuel da Costa Alves BARRÈRE, Eduardo RESUMO O Sistema Brasileiro de Televisão

Leia mais

Televisão Digital Interativa Principais Características e Tecnologias Multimedia Home Platform Sistema Brasileiro de Televisão Digital

Televisão Digital Interativa Principais Características e Tecnologias Multimedia Home Platform Sistema Brasileiro de Televisão Digital Televisão Digital Interativa Principais Características e Tecnologias Multimedia Home Platform Sistema Brasileiro de Televisão Digital Jomar Alberto Andreata, M.Eng. 1. Introdução Objetivos Visualizar

Leia mais

Visão Geral das Tecnologias Envolvidas no Desenvolvimento de Aplicações Interativas para o Sistema Brasileiro de TV

Visão Geral das Tecnologias Envolvidas no Desenvolvimento de Aplicações Interativas para o Sistema Brasileiro de TV Visão Geral das Tecnologias Envolvidas no Desenvolvimento de Aplicações Interativas para o Sistema Brasileiro de TV Felipe S. PEREIRA 1, Danielle COSTA 2 1 aluno do curso de Análise e Desenvolvimento de

Leia mais

TV DIGITAL INTERATIVA: UM RECURSO DIDÁTICO NO PROCESSO DE ENSINO E APRENDIZAGEM DA EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA

TV DIGITAL INTERATIVA: UM RECURSO DIDÁTICO NO PROCESSO DE ENSINO E APRENDIZAGEM DA EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA SET Congresso 2012 TV DIGITAL INTERATIVA: UM RECURSO DIDÁTICO NO PROCESSO DE ENSINO E APRENDIZAGEM DA EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA Pricila de Souza, Hálison Maia, Marlos Rodrigues, Samir Batalha,

Leia mais

Construção de programas Interativos para TV Digital utilizando o Ginga

Construção de programas Interativos para TV Digital utilizando o Ginga Capítulo 1 Construção de programas Interativos para TV Digital utilizando o Ginga Aquiles Burlamaqui, Igor Rosberg de Medeiros Silva, Diogo Henrique Duarte Bezerra Abstract Based on the actual television

Leia mais

Pesquisas em Redes de Computadores e Sistemas Multimídia

Pesquisas em Redes de Computadores e Sistemas Multimídia Pesquisas em Redes de Computadores e Sistemas Multimídia Profa. Débora Christina Muchaluat Saade Instituto de Computação - UFF debora@ic.uff.br Roteiro equipe Linhas de Pesquisa Redes Mesh Redes Avançadas

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO CENTRO DE INFORMÁTICA 2004.2 ANOTAÇÃO EM VÍDEO PARA TELEDIAGNÓSTICO USANDO TV-DIGITAL EM DISPOSITIVOS MÓVEIS TRABALHO DE GRADUAÇÃO

Leia mais

4 Conversor EDTV Raw. 4.1 Arquitetura

4 Conversor EDTV Raw. 4.1 Arquitetura 4 Conversor EDTV Raw O conversor EDTV Raw é o programa que lê um documento escrito no perfil NCL EDTV e gera um documento Raw equivalente, i.e. que define a mesma apresentação. Este capítulo, apresenta

Leia mais

Estendendo NCL: objetos NCLua como exibidores para novos tipos de mídia

Estendendo NCL: objetos NCLua como exibidores para novos tipos de mídia Estendendo NCL: objetos NCLua como exibidores para novos tipos de mídia José Geraldo de Sousa Junior 1 Roberto Gerson de Albuquerque Azevedo 1 1 Laboratório Telemídia Departamento de Informática PUC-Rio

Leia mais

A TV DIGITAL COMO INSTRUMENTO DE ENSINO DE MATEMÁTICA. Adriano Aparecido de Oliveira, Juliano Schimiguel

A TV DIGITAL COMO INSTRUMENTO DE ENSINO DE MATEMÁTICA. Adriano Aparecido de Oliveira, Juliano Schimiguel A TV DIGITAL COMO INSTRUMENTO DE ENSINO DE MATEMÁTICA Adriano Aparecido de Oliveira, Juliano Schimiguel Universidade Cruzeiro do Sul/CETEC, Av. Ussiel Cirilo, 225 São Paulo Resumo A TV é um importante

Leia mais

Universidade Federal Fluminense Mestrado em Engenharia de Telecomunicações

Universidade Federal Fluminense Mestrado em Engenharia de Telecomunicações Universidade Federal Fluminense Mestrado em Engenharia de Telecomunicações Fundamentos de Sistemas Multimídia Padrões de Rádio Digital Agosto/2006 Jailton Neves Padrões de Rádio Digital Agenda - IBOC In

Leia mais

FUNDAMENTOS DE TV DIGITAL. Objetivos do Sistema Digital. Digital. Comparação. (NTSC x ATSC) Transmissão simultânea de várias programações

FUNDAMENTOS DE TV DIGITAL. Objetivos do Sistema Digital. Digital. Comparação. (NTSC x ATSC) Transmissão simultânea de várias programações PR UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ FUNDAMENTOS DE TV DIGITAL Prof. Alexandre A. P. Pohl Programa de Pós-Graduação em Engenharia Elétrica e Informática Industrial - CPGEI 1 Objetivos do Sistema

Leia mais

Multimídia para Web e Intranet Prof. M. Sc. Carlos de Salles

Multimídia para Web e Intranet Prof. M. Sc. Carlos de Salles Multimídia para Web e Intranet Prof. M. Sc. Carlos de Salles Curso de Especialização em Redes de Computadores Departamento de Informática Universidade Federal do Maranhão www.deinf.ufma.br/~csalles/disciplinas.htm

Leia mais

MDD Mídias Interativas. TV Digital no Brasil

MDD Mídias Interativas. TV Digital no Brasil Pós-Graduação MDD Mídias Interativas TV Digital no Brasil Apresentações Profª. Graciana Simoní Fischer de Gouvêa Email: graciana.fischer@prof.infnet.edu.br COMO FUNCIONAVA A TV NO BRASIL? Analógico Analógico

Leia mais

Redes Mul)mídia. Tópicos. Streaming de Áudio e Vídeo. Aplicações de Rede Mul:mídia Introdução Classes de Aplicações Mul:mídia

Redes Mul)mídia. Tópicos. Streaming de Áudio e Vídeo. Aplicações de Rede Mul:mídia Introdução Classes de Aplicações Mul:mídia Redes Mul)mídia Streaming de Áudio e Vídeo Mário Meireles Teixeira Departamento de Informá:ca UFMA 2012 Tópicos Aplicações de Rede Mul:mídia Introdução Classes de Aplicações Mul:mídia Áudio e Vídeo de

Leia mais

Introdução ao Desenvolvimento de Aplicações para Televisão Digital

Introdução ao Desenvolvimento de Aplicações para Televisão Digital Capítulo 4 Introdução ao Desenvolvimento de Aplicações para Televisão Digital Mario Godoy Neto 1,2, Carlos André Guimarães Ferraz 2 1 Universidade Federal do Vale do São Francisco (UNIVASF) Av. Antonio

Leia mais

26. O sistema brasileiro de televisão digital adota os seguintes parâmetros para HDTV:

26. O sistema brasileiro de televisão digital adota os seguintes parâmetros para HDTV: IFPB Concurso Público/Professor de Ensino Básico, Técnico e Tecnológico (Edital 24/2009) CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS CÓDIGO 06 UCs de Comunicações Móveis e/ou de Processamento de Sinais de Áudio e Vídeo

Leia mais

competente e registro no Conselho Regional de Engenharia e Arquitetura (CREA).

competente e registro no Conselho Regional de Engenharia e Arquitetura (CREA). EMPRESA BRASIL DE COMUNICAÇÃO (EBC) CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE VAGAS E FORMAÇÃO DE CADASTRO DE RESERVA EM CARGOS DE NÍVEL SUPERIOR E DE NÍVEL MÉDIO EDITAL Nº 5 EBC, 26 DE JULHO DE 2011 A DIRETORA-PRESIDENTA

Leia mais

CARLOS ALEXANDRE PICCIONI MODELO E IMPLEMENTAÇÃO DE UM SERVIÇO DE DATACASTING PARA TELEVISÃO DIGITAL

CARLOS ALEXANDRE PICCIONI MODELO E IMPLEMENTAÇÃO DE UM SERVIÇO DE DATACASTING PARA TELEVISÃO DIGITAL CARLOS ALEXANDRE PICCIONI MODELO E IMPLEMENTAÇÃO DE UM SERVIÇO DE DATACASTING PARA TELEVISÃO DIGITAL FLORIANÓPOLIS 2005 UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA ELÉTRICA

Leia mais

Uso da TV Digital na Educação a Distância

Uso da TV Digital na Educação a Distância Uso da TV Digital na Educação a Distância Eduardo da Silva 1,Vanessa Battestin Nunes 1 1 Instituto Federal do Espírito Santo (IFES), Campus Serra. Rod. ES 010, s/n Manguinhos Serra ES. Cep: 29164-231 edsilva@redegazeta.com.br,

Leia mais

ISDB-Brasil Padrão Brasileiro de TV Digital

ISDB-Brasil Padrão Brasileiro de TV Digital ISDB-Brasil Padrão Brasileiro de TV Digital Penetração da TV analógica no Brasil 89,9% das residências brasileiras possuem TV analógica 40,6 milhões de residências 57 milhões de aparelhos de televisão

Leia mais

Modelo de Camadas OSI

Modelo de Camadas OSI Modelo de Camadas OSI 1 Histórico Antes da década de 80 -> Surgimento das primeiras rede de dados e problemas de incompatibilidade de comunicação. Década de 80, ISO, juntamente com representantes de diversos

Leia mais

TV Digital: Recepção no Sistema Brasileiro de TV Digital Terrestre (SBTVD-T)

TV Digital: Recepção no Sistema Brasileiro de TV Digital Terrestre (SBTVD-T) TV Digital: Recepção no Sistema Brasileiro de TV Digital Terrestre (SBTVD-T) O conteúdo deste tutorial foi obtido do artigo de autoria do Érico Barbosa Teixeira, do Filipe Sousa Bragança Ferreira de Almeida

Leia mais

Curso: Tec. Em Sistemas Para Internet 1 semestre Redes de Computadores Memória de Aula 10. Prof. Moises P. Renjiffo

Curso: Tec. Em Sistemas Para Internet 1 semestre Redes de Computadores Memória de Aula 10. Prof. Moises P. Renjiffo Curso: Tec. Em Sistemas Para Internet 1 semestre Redes de Computadores Memória de Aula 10 1) Repetidor. Em informática, repetidor é um equipamento utilizado para interligação de redes idênticas, pois eles

Leia mais

Uma Implementação de Broadcast File System para Transmissão de Dados de TV Digital

Uma Implementação de Broadcast File System para Transmissão de Dados de TV Digital UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO TECNOLÓGICO E CIENTÍFICO DEPARTAMENTO DE INFORMÁTICA E ESTATÍSTICA CURSO DE BACHARELADO EM CIÊNCIAS DA COMPUTAÇÃO Uma Implementação de Broadcast File System

Leia mais

Manual do Usuário. Copyright 2006 BroadNeeds 20061010-1600 Página 1 de 16

Manual do Usuário. Copyright 2006 BroadNeeds 20061010-1600 Página 1 de 16 Manual do Usuário Copyright 2006 BroadNeeds 20061010-1600 Página 1 de 16 Índice INTRODUÇÃO E UTILIZAÇÕES GERAIS Funcionalidades...03 Introdução...04 Requisitos Necessários...04 Instalando o xconference...05-07

Leia mais

B ringing Al l U sers to the Television

B ringing Al l U sers to the Television PUC Minas Campus de Poços de Caldas Departamento de Ciência da Computação Laboratório de Televisão Digital Interativa B ringing Al l U sers to the Television Prof. Dr. João Benedito dos Santos Junior Coordenador

Leia mais

Receptores e Canal de Interatividade para o Sistema Brasileiro de TV Digital

Receptores e Canal de Interatividade para o Sistema Brasileiro de TV Digital Receptores e Canal de Interatividade para o Sistema Brasileiro de TV Digital Valério Pereira Etcharte Escola de Engenharia Universidade Federal Fluminense (UFF) Rua Passo da Pátria 156 Niterói RJ Brasil

Leia mais

UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE PRÓ-REITORIA DE ENSINO E GRADUAÇÃO FACULDADE DE CIÊNCIAS EXATAS E NATURAIS DEPARTAMENTO DE INFORMÁTICA

UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE PRÓ-REITORIA DE ENSINO E GRADUAÇÃO FACULDADE DE CIÊNCIAS EXATAS E NATURAIS DEPARTAMENTO DE INFORMÁTICA UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE PRÓ-REITORIA DE ENSINO E GRADUAÇÃO FACULDADE DE CIÊNCIAS EXATAS E NATURAIS DEPARTAMENTO DE INFORMÁTICA DESENVOLVENDO APLICAÇÕES UTILIZANDO A API GINGA-J: UM

Leia mais

TV DIGITAL APLICADA NA EDUCAÇÃO. Email: fujio.yamada@mackenzie.br

TV DIGITAL APLICADA NA EDUCAÇÃO. Email: fujio.yamada@mackenzie.br II SIMPOSIO INTERNACIONAL SOBRE NOVAS COMPETENCIAS EM TECNOLOGIA DIGITAL INTERATIVAS NA EDUCAÇÃO LABORATÓRIO DE TV DIGITAL DR. PROF. FUJIO YAMADA UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE Email: fujio.yamada@mackenzie.br

Leia mais

Estrutura de um Rede de Comunicações. Redes e Sistemas Distribuídos. Tarefas realizadas pelo sistema de comunicação. Redes de comunicação de dados

Estrutura de um Rede de Comunicações. Redes e Sistemas Distribuídos. Tarefas realizadas pelo sistema de comunicação. Redes de comunicação de dados Estrutura de um Rede de Comunicações Profa.. Cristina Moreira Nunes Tarefas realizadas pelo sistema de comunicação Utilização do sistema de transmissão Geração de sinal Sincronização Formatação das mensagens

Leia mais

Conceito de Rede e seus Elementos. Prof. Marciano dos Santos Dionizio

Conceito de Rede e seus Elementos. Prof. Marciano dos Santos Dionizio Conceito de Rede e seus Elementos Prof. Marciano dos Santos Dionizio Conceito de Rede e seus Elementos O conceito de rede segundo Tanenbaum é: um conjunto de módulos processadores capazes de trocar informações

Leia mais

TV Digital interativa versus TV Conectada: o futuro da interatividade no Brasil

TV Digital interativa versus TV Conectada: o futuro da interatividade no Brasil TV Digital interativa versus TV Conectada: o futuro da interatividade no Brasil Doutorando em Televisão Digital POLI USP Mestre em Televisão Digital UNESP Bacharel em Comunicação (Jornalismo) UNESP - Pesquisador

Leia mais

Introdução à Televisão Digital Interativa: Arquitetura, Protocolos, Padrões e Práticas

Introdução à Televisão Digital Interativa: Arquitetura, Protocolos, Padrões e Práticas Introdução à Televisão Digital Interativa: Arquitetura, Protocolos, Padrões e Práticas Jorge Fernandes 1,2, Guido Lemos 3 e Gledson Silveira 3 1 Departamento de Ciência da Computação Universidade de Brasília

Leia mais

3 Requisitos não-funcionais de ferramentas de autoria hipermídia

3 Requisitos não-funcionais de ferramentas de autoria hipermídia Requisitos não-funcionais de ferramentas de autoria hipermidia 34 3 Requisitos não-funcionais de ferramentas de autoria hipermídia Na literatura são vários os trabalhos que discutem os requisitos funcionais

Leia mais