Directrizes para o exame de condução de automóveis ligeiros de. transmissão automática

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Directrizes para o exame de condução de automóveis ligeiros de. transmissão automática"

Transcrição

1 Directrizes para o exame de condução de automóveis ligeiros de transmissão automática 1. Prova no parque de manobras (1) Antes de iniciar a marcha Antes de ligar o motor, o candidato deve verificar se as portas estão fechadas, se o travão de estacionamento (travão de mão) está accionado, se o selector de mudanças está em posição P e se os espelhos retrovisores estão bem ajustados, bem como ajustar o banco do condutor e colocar o cinto de segurança. (2) Arranque e estacionamento paralelo à via, de marcha atrás Exigências: 1) Após engrenar a marcha atrás, o candidato deve concluir a manobra toda de uma única vez. É permitido parar durante o processo, mas não é permitido mudar de mudança, para ajustar a posição. Estacionado o veículo, as rodas devem estar dentro do espaço de estacionamento e o veículo não deve ultrapassar as linhas ou estar em cima do passeio. Após concluir a manobra de estacionamento, o candidato deve arrancar para a frente e concluir a manobra de uma única vez, sem engrenar outra mudança e sem embater em qualquer obstáculo. 2) O candidato que não cumpra as exigências supramencionadas, mas que não tenha embatido contra o passeio ou obstáculos, pode efectuar uma segunda ou terceira tentativa. O candidato que não consiga estacionar após três tentativas é considerado reprovado, sendo o exame terminado. 1/8

2 Operação: - Estacionar o veículo no espaço indicado pelo examinador de condução; - Efectuar as sinalizações necessárias; - Engrenar a marcha atrás; - Destravar o travão de estacionamento (travão de mão); - Iniciar a manobra de estacionamento de marcha atrás; - Depois de concluir a manobra de estacionamento, colocar o selector de mudanças em posição P; - Após o examinador confirmar que a manobra respeita as exigências, o mesmo irá indicar ao candidato para conduzir até a zona para inversão do sentido de marcha. (3) Inversão do sentido de marcha em espaço limitado Exigências: Depois de engrenar a marcha atrás, o candidato deve efectuar a marcha atrás para entrar na zona destinada à realização da inversão do sentido de marcha de uma única vez. Após o veículo estar completamente dentro da zona de inversão de marcha, o candidato deve parar o veículo à esquerda e no local que considere adequado para efectuar a manobra de inversão de marcha (qualquer parte do veículo não deve ultrapassar as linhas e os postes de divisão da zona). Depois de parar o veículo, o candidato pode começar a efectuar a inversão de marcha (três vezes para frente e duas para trás). Durante a manobra, o veículo não deve embater em qualquer obstáculo e após concluir a manobra, o veículo deve estar à esquerda. Operação: - Conduzir o veículo até o espaço de paragem da zona de inversão de marcha; 2/8

3 - Efectuar as sinalizações necessárias; - Engrenar a marcha atrás; - Efectuar marcha atrás para entrar na zona de inversão de marcha; - Realizar a inversão de marcha (três vezes para frente e duas para trás), bem como efectuar as sinalizações necessárias; - Após concluir a manobra, deve colocar o selector de mudanças em posição P e accionar o travão de estacionamento (travão de mão); - Após o examinador confirmar que a manobra respeita as exigências, o mesmo irá voltar ao veículo e indicar ao candidato para conduzir o veículo para fora da zona de inversão de marcha e iniciar a prova na estrada. (4) Estacionamento perpendicular à via, de marcha atrás Exigências: 1) Após engrenar marcha atrás, o candidato deve concluir a manobra toda de uma única vez. É permitido parar durante o processo, mas não é permitido mudar de mudança, para ajustar a posição. Estacionado o veículo, as rodas devem estar dentro do espaço de estacionamento e o veículo não deve ultrapassar as linhas ou estar em cima do passeio. 2) O candidato que não cumpra as exigências supramencionadas, mas que não tenha embatido contra o passeio ou obstáculos, pode efectuar uma segunda ou terceira tentativa. O candidato que não consiga estacionar após três tentativas é considerado reprovado, sendo o exame terminado. * * (Nota: É considerado reprovado o candidato que não consiga concluir o estacionamento paralelo e perpendicular após mais três tentativas no total, sendo 3/8

4 o exame terminado.) Operação: - Depois de concluir a prova na estrada, conduzir para a zona de estacionamento perpendicular à via; - Parar o veículo no lugar indicado pelo examinador de condução; - Colocar o selector de mudanças em posição P e accionar o travão de estacionamento (travão de mão); - O examinador de condução sai do veículo e indica o lugar em que o candidato deve estacionar; - O candidato deve efectuar as sinalizações necessárias; - Engrenar a marcha atrás; - Iniciar a manobra de estacionamento; - Depois de estacionar o veículo, accionar o travão de estacionamento (travão de mão); - Colocar o selector de mudanças em posição P e desligar o motor; - Após o examinador confirmar que o exame respeitou todas as exigências, o exame de condução fica concluído. O examinador dará indicações ao candidato para levantar a licença de condução provisória. 2. Prova na estrada (1) Manobras de condução e controlo da velocidade O candidato deve dominar todas as manobras, com vista a reagir correctamente perante diferentes situações rodoviárias, nomeadamente: subidas e descidas; aproximação de entroncamentos, cruzamentos e rotundas. O candidato deve operar adequadamente o 4/8

5 volante, a embraiagem, o acelerador e o travão, para evitar que o veículo avance ou descaia ao iniciar a marcha ou ao efectuar uma paragem ou que perca estabilidade durante a marcha. O candidato deve estar atento à combinação entre a velocidade do veículo e as mudanças, tendo em consideração as condições de trânsito. A velocidade deve ser reduzida quando se aproxima de entroncamentos, cruzamentos, passadeiras, peões e objectos ou quando mudar de direcção. Em condições normais de trânsito, o candidato não deve conduzir em mudança e velocidade reduzida durante toda a prova, caso contrário, o examinador de condução, de acordo com a situação real, poderá classificar este comportamento como um erro grave (artigo 9.º do Relatório do Centro de Exames), reprovando o candidato. Quando a faixa de rodagem se encontrar livre e segura, o candidato deve engrenar a mudança adequada e ajustar a velocidade do veículo, circulando abaixo do limite legal de velocidade. Quando as condições de trânsito não o permitirem, o candidato deve engrenar uma mudança reduzida e reduzir a velocidade do veículo, para garantir a segurança. (2) Avaliação de distância O candidato deve estar sempre atento em manter a distância adequada em relação ao veículo da frente. Quando efectuar uma ultrapassagem ou uma paragem, deve manter uma distância de segurança entre o veículo e o obstáculo. (3) Ultrapassagem Antes de executar uma ultrapassagem, o candidato deve olhar pelos espelhos retrovisores e verificar o trânsito atrás e em sentido inverso, bem como efectuar as sinalizações necessárias. Antes de virar o volante e efectuar a manobra, deve, ainda, 5/8

6 verificar a situação de trânsito através dos espelhos retrovisores e verificar os pontos cegos, para garantir a segurança. Durante a manobra, deve estar atento à distância em relação ao objecto que pretende ultrapassar e controlar a velocidade do veículo, mantendo-o numa velocidade adequada. Depois de ultrapassar o objecto, caso as condições do trânsito permitam, deve retornar à sua via o mais breve possível, não o devendo fazer de forma brusca. (4) Avaliação das condições de trânsito O candidato deve estar atento às condições de trânsito, nomeadamente, sinalização rodoviária, carros estacionados na berma da via, peões, cruzamentos, entroncamentos, alterações das condições de trânsito, situações de emergência, entre outros, com o intuito de reagir atempadamente. (5) Placas, rotundas, cruzamentos e entroncamentos Nas rotundas, nos cruzamentos ou nos entroncamentos, o candidato deve efectuar as sinalizações adequadas, moderar a velocidade e escolher a faixa de rodagem mais conveniente à circulação, tomar atenção às sinalizações de cedência de passagem ou paragem obrigatória e, consequentemente, ceder passagem aos veículos com prioridade. Nos cruzamentos e entroncamentos, o candidato deve tomar as medidas correctas e reagir adequadamente perante os sinais de perigo, de regulamentação e de indicação, bem como escolher a faixa de rodagem mais conveniente, efectuar as sinalizações atempadamente e olhar pelos retrovisores. Antes de atravessar um cruzamento ou entroncamento, caso necessário, o candidato pode parar num lugar adequado, verificar primeiro a situação à direita, depois a situação à esquerda e por último voltar a verificar a situação à direita e atravessar o cruzamento ou entroncamento em segurança. Enquanto efectua a manobra, 6/8

7 deve, ainda, continuar a tomar atenção às condições de trânsito à esquerda e à direita. Na mudança de direcção, o candidato deve controlar a velocidade do veículo e circular na faixa de rodagem, como por exemplo: na mudança de direcção para a esquerda, deve estar atento à localização do veículo, não devendo ultrapassar a faixa de rodagem em que circula ou embater ou subir o passeio; na mudança de direcção para a direita, deve controlar a velocidade atentamente, uma vez que virar antes ou fora do tempo pode levar a um erro de posicionamento de faixa de rodagem. (6) Circulação do veículo e mudança de via de trânsito O candidato deve circular pela faixa de rodagem mais à esquerda, nos cruzamentos e entroncamentos, o candidato deve escolher antecipadamente a faixa de rodagem mais conveniente à manobra a efectuar: mudança de direcção para a esquerda ou para a direita ou seguir em frente. Ao efectuar uma mudança de faixa de rodagem deve utilizar os espelhos retrovisores para verificar as condições do tráfego e efectuar as sinalizações necessárias. Antes de virar o volante deve verificar a situação do trânsito através dos espelhos retrovisores e verificar os pontos cegos em todas as direcções, com o intuito de garantir a segurança. (7) Paragem e início de marcha numa rampa Exigências: 1) Parar o veículo à esquerda; 2) Iniciar a marcha com a mudança D; 3) Ao iniciar a marcha, deve manter-se o veículo estável, sem descair. Operação: - Efectuar a manobra conforme as indicações do examinador de condução; - Efectuar as sinalizações necessárias; - Parar o veículo à esquerda; 7/8

8 - Accionar o travão de estacionamento (travão de mão); - Retomar a marcha conforme as indicações do examinador de condução; - Efectuar as sinalizações necessárias; - Olhar pelos espelhos retrovisores e virar a cabeça para trás com o intuito de verificar os pontos cegos, assegurando que não há nenhum veículo atrás; - Destravar o travão de estacionamento (travão de mão) e retomar a marcha. (8) Descida (em determinado segmento) Exigências para a operação: Na descida da rampa o candidato deve engrenar a mudança reduzida adequada (o objectivo desta manobra é sensibilizar o condutor para a utilização de mudança reduzida em descidas de rampas longas ou de alto declive, evitando acidentes). Descida Na descida da rampa, a velocidade do veículo não deve ser mais alta do que a velocidade usada na subida. 8/8

A ambulância deve: Avançar, mas apenas se assinalar a marcha de urgência. Avançar. Ceder-me a passagem.

A ambulância deve: Avançar, mas apenas se assinalar a marcha de urgência. Avançar. Ceder-me a passagem. A ambulância deve: Avançar, mas apenas se assinalar a marcha de urgência. Avançar. Ceder-me a passagem. A ambulância deve: Avançar. Ceder a passagem apenas ao meu veículo. Ceder a passagem apenas ao veículo

Leia mais

CIRCULAÇÃO EM ROTUNDAS

CIRCULAÇÃO EM ROTUNDAS CIRCULAÇÃO EM ROTUNDAS DEFINIÇÃO Define-se como rotunda um espaço de circulação rodoviária, com forma geralmente circular, de encontro de várias vias de tráfego onde o trânsito se processa em sentido giratório,

Leia mais

Sou obrigado a parar e a ceder a passagem ao veículo de tracção animal. a) Certo. b) Errado. c) d)

Sou obrigado a parar e a ceder a passagem ao veículo de tracção animal. a) Certo. b) Errado. c) d) 39 BA 82.60.9 Sou obrigado a parar e a ceder a passagem ao veículo de tracção animal. 38 BA 82.60.10 Nesta situação, sou obrigado a parar e a ceder a passagem ao velocípede. 40 BA 82.60.11_a Ao saír do

Leia mais

TESTE DE TEORIA DE CONDUÇ Ã O

TESTE DE TEORIA DE CONDUÇ Ã O DIRECÇ Ã O DOS SERVIÇ OS PARA OS ASSUNTOS DE TRÁ FEGO TESTE DE TEORIA DE CONDUÇ Ã O Fascículo V Segurança da Condução ADVERTÊNCIA Encontram-se publicadas, nestes 5 fascículos, todas as perguntas, e repectivas

Leia mais

A ambulância deve: Avançar, mas apenas se assinalar a marcha de urgência. Avançar. Ceder-me a passagem.

A ambulância deve: Avançar, mas apenas se assinalar a marcha de urgência. Avançar. Ceder-me a passagem. A ambulância deve: Avançar, mas apenas se assinalar a marcha de urgência. Avançar. Ceder-me a passagem. A ambulância deve: Avançar. Ceder a passagem apenas ao meu veículo. Ceder a passagem apenas ao veículo

Leia mais

Prova de Conhecimentos. Questões de carater geral. (de entre 6 questões serão sorteadas 2 questões)

Prova de Conhecimentos. Questões de carater geral. (de entre 6 questões serão sorteadas 2 questões) PROCEDIMENTO CONCURSAL COMUM PARA CONSTITUIÇÃO DE RELAÇÃO JURÍDICA DE EMPREGO PÚBLICO POR TEMPO INDETERMINADO, TENDO EM VISTA O PREENCHIMENTO DE UM POSTO DE TRABALHO NA CARREIRA/CATEGORIA DE ASSISTENTE

Leia mais

CEDÊNCIA DE PASSAGEM

CEDÊNCIA DE PASSAGEM FICHA TÉCNICA CEDÊNCIA DE PASSAGEM Níveis GDE Temas Transversais Síntese informativa Nível 3 Nível Táctico Tema 5 Conhecimento das Regras de Trânsito; Tema 6 Domínio das Situações de Trânsito Princípio

Leia mais

MUDANÇA DE DIRECÇÃO. Tema 5 Conhecimento das Regras de Trânsito; Tema 6 Domínio das Situações de Trânsito

MUDANÇA DE DIRECÇÃO. Tema 5 Conhecimento das Regras de Trânsito; Tema 6 Domínio das Situações de Trânsito MANUAL DO ENSINO DA CONDUÇÃO FT [] [56] [6] FICHA TÉCNICA MUDANÇA DE DIRECÇÃO Níveis GDE Temas Transversais Síntese informativa Nível Nível Táctico Tema 5 Conhecimento das Regras de Trânsito; Tema 6 Domínio

Leia mais

TESTE DE TEORIA DE CONDUÇ Ã O

TESTE DE TEORIA DE CONDUÇ Ã O DIRECÇ Ã O DOS SERVIÇ OS PARA OS ASSUNTOS DE TRÁ FEGO TESTE DE TEORIA DE CONDUÇ Ã O Fascículo I Sinais de Trânsito ADVERTÊNCIA Encontram-se publicadas, nestes 5 fascículos, todas as perguntas, e repectivas

Leia mais

Vade-mécum para o exame prático * terreno * da categoria A

Vade-mécum para o exame prático * terreno * da categoria A Vade-mécum para o exame prático * terreno * da categoria A Versão definitiva ( Válida a partir do 18/04/2005 ) Esta versão substitui todas as antecedents A partida 1. O capacete tem de estar bem colocado

Leia mais

REPÚBLICA DEMOCRÁTICA DE TIMOR LESTE GOVERNO. DECRETO LEI N.º 8/2003, de 18 de Junho 2003 REGULAMENTO DE ATRIBUI ÇÃO E USO DOS VEÍCULOS DO ESTADO

REPÚBLICA DEMOCRÁTICA DE TIMOR LESTE GOVERNO. DECRETO LEI N.º 8/2003, de 18 de Junho 2003 REGULAMENTO DE ATRIBUI ÇÃO E USO DOS VEÍCULOS DO ESTADO REPÚBLICA DEMOCRÁTICA DE TIMOR LESTE GOVERNO DECRETO LEI N.º 8/2003, de 18 de Junho 2003 REGULAMENTO DE ATRIBUI ÇÃO E USO DOS VEÍCULOS DO ESTADO O Governo decreta, nos termos da alínea d) do artigo 116.º

Leia mais

Grupos Especiais de Peões. Peões de mobilidade reduzida (velocidade de marcha inferior, falta de visão e audição

Grupos Especiais de Peões. Peões de mobilidade reduzida (velocidade de marcha inferior, falta de visão e audição Tráfego Pedonal Caracterização do Tráfego Pedonal Grupos Especiais de Peões Espaço o Vital para o Peão Velocidade de Circulação dos Peões Extensão das Deslocações Pedonais Flexibilidade Grandezas Base

Leia mais

NOTA TÉCNICA INSTALAÇÃO E SINALIZAÇÃO DE LOMBAS REDUTORAS DE VELOCIDADE

NOTA TÉCNICA INSTALAÇÃO E SINALIZAÇÃO DE LOMBAS REDUTORAS DE VELOCIDADE 1 - Introdução A construção de vias públicas com o objectivo primordial de maximizar o escoamento de grandes volumes de tráfego e o conforto dos ocupantes dos veículos, aliada aos progressos da industria

Leia mais

Associação Portuguesa de Seguradores RAMO AUTOMÓVEL TABELA PRÁTICA DE RESPONSABILIDADES

Associação Portuguesa de Seguradores RAMO AUTOMÓVEL TABELA PRÁTICA DE RESPONSABILIDADES Associação Portuguesa de Seguradores RAMO AUTOMÓVEL TABELA PRÁTICA DE RESPONSABILIDADES Junho de 2000 ÂMBITO A tabela é aplicável aos sinistros ocorridos em todas as vias, abertas ou não à circulação pública.

Leia mais

Inovações Tecnológicas em Veículos

Inovações Tecnológicas em Veículos Especialização em Transportes e Vias de Comunicação Sistemas e Tecnologias Inteligentes de Transportes Painel Lisboa 10 outubro 2012 Inovações Tecnológicas em Veículos Pedro Paula Pinto (Director Pós-Venda

Leia mais

CÓDIGO DA ESTRADA TÍTULO I. Disposições gerais CAPÍTULO I. Princípios gerais. Artigo 1.º. Definições legais

CÓDIGO DA ESTRADA TÍTULO I. Disposições gerais CAPÍTULO I. Princípios gerais. Artigo 1.º. Definições legais CÓDIGO DA ESTRADA TÍTULO I Disposições gerais CAPÍTULO I Princípios gerais Artigo 1.º Definições legais Para os efeitos do disposto no presente Código e legislação complementar, os termos seguintes têm

Leia mais

Educação e Prevenção Rodoviária. Conduzo a bicicleta em segurança!

Educação e Prevenção Rodoviária. Conduzo a bicicleta em segurança! Educação e Prevenção Rodoviária Conduzo a bicicleta em segurança! Andar de bicicleta é muito divertido, mas deves aprender algumas regras de segurança. Podes divertir-te no parque ou no jardim, nas ciclovias

Leia mais

Princípio geral Regra geral Realização da manobra Obrigação de facultar ultrapassagem Proibição de ultrapassar e exceções

Princípio geral Regra geral Realização da manobra Obrigação de facultar ultrapassagem Proibição de ultrapassar e exceções FICHA TÉCNICA ULTRAPASSAGEM Níveis GDE: Nível 3 Nível Tático Temas Transversais: Tema 5 Conhecimento das Regras de Trânsito Tema 6 Domínio das Situações de Trânsito Síntese informativa: Princípio geral

Leia mais

ALTERAÇÕES AO CÓDIGO DA ESTRADA

ALTERAÇÕES AO CÓDIGO DA ESTRADA ALTERAÇÕES AO CÓDIGO DA ESTRADA Actualmente uma das principais preocupações mundiais é a luta contra a sinistralidade rodoviária, Portugal infelizmente detém uma taxa de sinistralidade das mais negras

Leia mais

Infracções mais frequentes ao Código da Estrada, coimas e sanções Pág. 1

Infracções mais frequentes ao Código da Estrada, coimas e sanções Pág. 1 Infracções mais frequentes ao Código da Estrada, coimas e sanções Pág. 1 Infracções ÁLCOOL / ESTUPEFACIENTES Condução com uma taxa de álcool no sangue igual ou superior a 0,5 g/l e inferior a 0,8 g/l.

Leia mais

Decreto Regulamentar n.º 22-A/98 de 1 de Outubro

Decreto Regulamentar n.º 22-A/98 de 1 de Outubro Decreto Regulamentar n.º 22-A/98 de 1 de Outubro A revisão do Código da Estrada, feita através do Decreto-Lei n.º 2/98, de 3 de Janeiro, introduziu alterações relevantes no significado dos sinais de trânsito.

Leia mais

REGULAMENTO APROVADO PELO CLUBE PORTUGUÊS DE CANICULTURA Cão de Companhia (BH) DO CLUBE PORTUGUÊS DE CANICULTURA PARA CÃES DE UTILIDADE

REGULAMENTO APROVADO PELO CLUBE PORTUGUÊS DE CANICULTURA Cão de Companhia (BH) DO CLUBE PORTUGUÊS DE CANICULTURA PARA CÃES DE UTILIDADE REGULAMENTO APROVADO PELO CLUBE PORTUGUÊS DE CANICULTURA Cão de Companhia (BH) DO CLUBE PORTUGUÊS DE CANICULTURA PARA CÃES DE UTILIDADE Artigo 1º Inicio do BH O condutor apresenta-se ao juiz de trabalho,

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 543, DE 15 DE JULHO DE 2015

RESOLUÇÃO Nº 543, DE 15 DE JULHO DE 2015 RESOLUÇÃO Nº 543, DE 15 DE JULHO DE 2015 Altera a Resolução CONTRAN nº168, de 14 de dezembro de 2004, com a redação dada pela Resolução CONTRAN nº 493, de 05 de junho de 2014, que trata das normas e procedimentos

Leia mais

PARAGEM E ESTACIONAMENTO

PARAGEM E ESTACIONAMENTO FICHA TÉCNICA PARAGEM E ESTACIONAMENTO Níveis GDE Temas Transversais Síntese informativa Nível 3 Nível Táctico; Nível 4 Nível Operacional Tema 5 - Conhecimento das Regras de Trânsito; Tema 6 - Domínio

Leia mais

Sinais de Informação

Sinais de Informação Sinais de Informação Os sinais de pré-sinalização indicam os destinos de saída de uma intersecção, completados ou não com indicações sobre o itinerário. A indicação do destino deve estar sempre associada

Leia mais

ESCOLA DE CONDUÇÃO INVICTA Resumo das principais regras rodoviárias alteradas pela Proposta de Lei n.º 131/XII

ESCOLA DE CONDUÇÃO INVICTA Resumo das principais regras rodoviárias alteradas pela Proposta de Lei n.º 131/XII 1. Foi criado o conceito de «Utilizadores vulneráveis»: Peões e velocípedes, em particular, crianças, idosos, grávidas, pessoas com mobilidade reduzida ou pessoas com deficiência. (artigo 1.º) Tendo em

Leia mais

ANEXO III. PREFEITURA MUNICIPAL DE ALTO BELA VISTA ESTADO DE SANTA CATARINA Rua do Comércio, n. 1015 Centro

ANEXO III. PREFEITURA MUNICIPAL DE ALTO BELA VISTA ESTADO DE SANTA CATARINA Rua do Comércio, n. 1015 Centro ANEXO III FORMULÁRIO DE REQUERIMENTO DE VAGA PARA CANDIDATOS PORTADORES DE DEFICIÊNCIA À Comissão de Acompanhamento nto do Concurso Público Nome: Cargo argo/função pretendido: DADOS DO CANDIDATO De acordo

Leia mais

Actualização do produto emblemático: em 2016, o TGX D38 será ainda mais cativante

Actualização do produto emblemático: em 2016, o TGX D38 será ainda mais cativante Actualização do produto emblemático: em 2016, o TGX D38 será ainda mais cativante Lisboa, 10 de Dezembro de 2015 As novas funções: EfficientCruise combinado com EfficientRoll Transmissão com TipMatic TX

Leia mais

PROGRAMA DE PROTEÇÃO AO PEDESTRE

PROGRAMA DE PROTEÇÃO AO PEDESTRE OBJETIVO DO PROGRAMA PROGRAMA DE PROTEÇÃO AO PEDESTRE O objetivo do Programa de Proteção ao Pedestre, da Secretaria Municipal de Transportes SMT é criar a cultura de respeito ao pedestre, resgatando os

Leia mais

SEGURANÇA DE MÁQUINAS

SEGURANÇA DE MÁQUINAS SEGURANÇA DE MÁQUINAS SITUAÇÃO PERIGOSA: Toda a situação em que uma pessoa é exposta a um ou mais riscos ou fenómenos perigosos Zona perigosa Toda a zona interior e/ou ao redor de uma máquina, na qual

Leia mais

MEIA MARATONA DE ÉVORA

MEIA MARATONA DE ÉVORA MEIA MARATONA DE ÉVORA Medição Efectuada Por João Cândido e Cláudia Viegas 31 de Outubro de 2015 Página 1 de 18 Índice Relatório técnico- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Leia mais

DISTÂNCIAS DE SEGURANÇA

DISTÂNCIAS DE SEGURANÇA FICHA TÉCNICA DISTÂNCIAS DE SEGURANÇA Níveis GDE Temas Transversais Síntese informativa Nível 1 Nível Atitudinal; Nível 3 Nível Táctico Tema 2 - Atitudes e Comportamentos; Tema 5 - Conhecimento das Regras

Leia mais

Associação pela Mobilidade Urbana em Bicicleta

Associação pela Mobilidade Urbana em Bicicleta versão beta (0.2) uma iniciativa Associação pela Mobilidade Urbana em Bicicleta Março 2011 BIKE BUDDY O Bike Buddy (BB) é um projecto de mentorado de utilização de bicicleta da MUBi - Associação pela Mobilidade

Leia mais

DB 460 SL - SHORT MANUAL - Este não é um manual de uso, mas somente um guia rápido para ajudar o operador a lembrar-se das funções mais frequentes.

DB 460 SL - SHORT MANUAL - Este não é um manual de uso, mas somente um guia rápido para ajudar o operador a lembrar-se das funções mais frequentes. DB 460 SL - SHORT MANUAL - Este não é um manual de uso, mas somente um guia rápido para ajudar o operador a lembrar-se das funções mais frequentes. REV. 03 ARRANQUE B C A D O MOTOR NÃO ARRANCA - Selector

Leia mais

Prezado Cliente, agradecemos a sua confiança e preferência pela nossa enxada mecânica. Temos a certeza de que a utilização desta sua máquina satisfará plenamente as suas exigências. Para que a máquina

Leia mais

A carta de condução de automóveis pesados habilita a conduzir: Automóveis ligeiros. Motociclos. Qualquer tipo de veículos com motor.

A carta de condução de automóveis pesados habilita a conduzir: Automóveis ligeiros. Motociclos. Qualquer tipo de veículos com motor. A carta de condução de automóveis ligeiros habilita a conduzir: Automóveis de passageiros com lotação até 12 lugares. Motociclos até 125cc. Tractores agrícolas com equipamentos cujo peso máximo não exceda

Leia mais

Pacote Informativo do Camionista Crossrail

Pacote Informativo do Camionista Crossrail Pacote Informativo do Camionista Crossrail Translated from a document originally produced in English. If in any doubt the English version takes precedent. Portuguese Edition Nov 2011 Introdução Este pacote

Leia mais

澳 門 特 別 行 政 區 政 府 Governo da Região Administrativa Especial de Macau 旅 遊 局 Direcção dos Serviços de Turismo A V I S O

澳 門 特 別 行 政 區 政 府 Governo da Região Administrativa Especial de Macau 旅 遊 局 Direcção dos Serviços de Turismo A V I S O A V I S O Faz-se público que, por despacho do Ex. mo Senhor Secretário para os Assuntos Sociais e Cultura, de 31 de Julho de 2013, e nos termos definidos na Lei n. 14/2009 (Regime das carreiras dos trabalhadores

Leia mais

(S.I.) = 10 + 6 3) (FP) O

(S.I.) = 10 + 6 3) (FP) O Lista Cinemática 1) (FP) Um motorista pretende realizar uma viagem com velocidade média de 90 km/h. A primeira terça parte do percurso é realizada à 50km/h e os próximos 3/5 do restante é realizado à 80

Leia mais

V Duatlo da Ponta do Sol - Canhas - 2016

V Duatlo da Ponta do Sol - Canhas - 2016 V Duatlo da Ponta do Sol - Canhas - 2016 Sábado, 23 de Janeiro de 2016 VI DUATLO JOVEM DA PONTA DO SOL - 2016 VI DUATLO DA PONTA DO SOL 2016 REGULAMENTO 1. ORGANIZAÇÃO / ENQUADRAMENTO O VI Duatlo da Ponta

Leia mais

Portaria n.º 508-A/97 de 21 de Julho. Regulamenta as Provas Práticas do Exame de Condução

Portaria n.º 508-A/97 de 21 de Julho. Regulamenta as Provas Práticas do Exame de Condução Portaria n.º 508-A/97 de 21 de Julho Regulamenta as Provas Práticas do Exame de Condução A forma de avaliação dos candidatos a condutores, através da realização das provas teóricas e técnica, está definida

Leia mais

PROVA ESPECÍFICA Só há uma opção correta em cada questão. Operador de Máquinas Pesadas CNH D Retroescavadeira

PROVA ESPECÍFICA Só há uma opção correta em cada questão. Operador de Máquinas Pesadas CNH D Retroescavadeira PROVA ESPECÍFICA Só há uma opção correta em cada questão Operador de Máquinas Pesadas CNH D Retroescavadeira 01) Analise as proposições abaixo e assinale a que não é conveniente ao operador da máquina

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS CIDADE DO ENTRONCAMENTO. Entroncamento Santarém

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS CIDADE DO ENTRONCAMENTO. Entroncamento Santarém NOME DA ESCOLA AGRUPAMENTO DE ESCOLAS CIDADE DO ENTRONCAMENTO LOCALIDADE E DISTRITO Entroncamento Santarém TEMAS - Fraca afluência à Biblioteca Municipal - Reduzida Mobilidade Urbana - Qualidade da água

Leia mais

2 CONHECIMENTOS BÁSICOS

2 CONHECIMENTOS BÁSICOS 2 CONHECIMENTOS BÁSICOS NAS QUESTÕES NUMERADAS DE 01 A 10, ASSINALE A ÚNICA ALTERNATIVA CORRETA. LÍNGUA PORTUGUESA LEIA O TEXTO I PARA RESPONDER ÀS QUESTÕES NUMERADAS DE 01 A 05. AXÉ MUSIC S / A Recentemente,

Leia mais

2 Quais os tipos de cinto de segurança que temos? Qual o cinto é o mais seguro?

2 Quais os tipos de cinto de segurança que temos? Qual o cinto é o mais seguro? 1 Quais são os 5 elementos da direção defensiva? 2 Quais os tipos de cinto de segurança que temos? Qual o cinto é o mais seguro? 3 O que significa DIREÇÃO DEFENSIVA? 4 Cite um exemplo de condição adversa

Leia mais

Trabalho Realizado por: Filipa Sanches e Sílvio Dias 26/11/2011

Trabalho Realizado por: Filipa Sanches e Sílvio Dias 26/11/2011 2011 Trabalho Realizado por: Filipa Sanches e Sílvio Dias 26/11/2011 Índice: Níveis de probabilidades e respectiva caracterização Pág. 3 Níveis de gravidade e respectiva caracterização Pág. 4 Avaliação

Leia mais

RESULTADOS RELATIVOS A GRÂNDOLA INDICADORES DO «CIDADES» (N = 306)

RESULTADOS RELATIVOS A GRÂNDOLA INDICADORES DO «CIDADES» (N = 306) RESULTADOS RELATIVOS A GRÂNDOLA INDICADORES DO «CIDADES» (N = 306) Inquiridos que assinalam (N) % Espaços públicos (Ex.: Jardins, Praças, etc...) 182 61,5% Passeio das ruas 203 68,6% Passadeiras 196 66,2%

Leia mais

MARTIN BEKKER A MINHA E-BIKE É RÁPIDA E CÓMODA. SINTO-ME NO CONTROLO E ADORO ISSO! DANIËL KREMER

MARTIN BEKKER A MINHA E-BIKE É RÁPIDA E CÓMODA. SINTO-ME NO CONTROLO E ADORO ISSO! DANIËL KREMER MARTIN BEKKER IDADE: 45 ANOS UTILIZAÇÃO: PRINCIPAL MEIO DE TRANSPORTE DISTÂNCIA SEMANAL: 38 KM A POTÊNCIA ASSISTIDA VARIÁVEL FAZ DA SHIMANO-STEPS UMA E-BIKE VERSÁTIL. PODE IR ONDE QUISER, QUANDO QUISER,

Leia mais

Nunca use a empilhadeira se não tiver sido devidamente instruído e autorizado para usar esse tipo particular de empilhadeira.

Nunca use a empilhadeira se não tiver sido devidamente instruído e autorizado para usar esse tipo particular de empilhadeira. Nunca use a empilhadeira se não tiver sido devidamente instruído e autorizado para usar esse tipo particular de empilhadeira. Respeite a capacidade de carga da empilhadeira e de outras eventuais aparelhagens.

Leia mais

FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS

FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS PP. 1/7 FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS 1 TAREFA GRUAS TORRE 2 DESCRIÇÃO As gruas torre são máquinas utilizadas para elevação de cargas (por meio de um cabo), e transporte dentro de um raio

Leia mais

A CRIANÇA E O AMBIENTE RODOVIÁRIO

A CRIANÇA E O AMBIENTE RODOVIÁRIO A educação rodoviária deve começar o mais cedo possível. Ensine, com antecedência, as normas básicas de segurança rodoviária ao seu filho. Para ele, os pais constituem referências e modelos que procura

Leia mais

www.detran.pr.gov.br

www.detran.pr.gov.br www.detran.pr.gov.br INFELIZMENTE, A MAIOR PARTE DOS ACIDENTES COM MORTES NO TRÂNSITO BRASILEIRO ENVOLVEM MOTOCICLISTAS. POR ISSO, O DETRAN PREPAROU ALGUMAS DICAS IMPORTANTES PARA VOCÊ RODAR SEGURO POR

Leia mais

REGULAMENTO DO XII PASSEIO DE BTT TRILHOS DE PONTÉVEL 2016

REGULAMENTO DO XII PASSEIO DE BTT TRILHOS DE PONTÉVEL 2016 REGULAMENTO DO XII PASSEIO DE BTT TRILHOS DE PONTÉVEL 2016 ARTIGO 1.º ORGANIZAÇÃO A prova XII PASSEIO TRILHOS DE PONTÈVEL é organizada pela ASSOCIAÇÃO DOS QUARENTÕES DE 2016 DE PONTÉVEL. ARTIGO 2.º DATA

Leia mais

NE 01: DIAS E HORÁRIOS (ART.9º DO REGULAMENTO GERAL)

NE 01: DIAS E HORÁRIOS (ART.9º DO REGULAMENTO GERAL) NORMAS ESPECÍFICAS ÍNDICE NE 01: DIAS E HORÁRIOS (ART.9º DO REGULAMENTO GERAL)... 2 NE 02: ACESSO DE VEÍCULOS AO MERCADO (ART.11º DO REGULAMENTO GERAL)... 3 NE 03: CIRCULAÇÃO INTERNA (ART.12º DO REGULAMENTO

Leia mais

A função das guias é tornar os limites da faixa de rodagem mais visíveis. Concorda com esta afirmação? Não. Sim.

A função das guias é tornar os limites da faixa de rodagem mais visíveis. Concorda com esta afirmação? Não. Sim. À distância a que me encontro do sinal, devo: Aumentar a velocidade, para continuar a marcha sem imobilizar o veículo. Parar. Reduzir a velocidade, com o objectivo de imobilizar o veículo perto do sinal.

Leia mais

por onde devem transitar os peões 13

por onde devem transitar os peões 13 Guia do Peão Introdução 03 1 principais conceitos 05 2 por onde devem transitar os peões 13 2.1 DENTRO DAS LOCALIDADES 17 2.1.1 Como caminhar 17 2.1.2 Como atravessar a faixa de rodagem 18 2.1.3 Agentes

Leia mais

PROCESSO SELETIVO EDITAL 23/2014

PROCESSO SELETIVO EDITAL 23/2014 PROCESSO SELETIVO EDITAL 23/2014 CARGO E UNIDADES: Técnico Operacional - Motorista (Natal) Atenção: NÃO ABRA este caderno antes do início da prova. Tempo total para resolução desta prova: 3 (três) horas.

Leia mais

29 de Novembro de 2010 Universidade Lusíada - Lisboa

29 de Novembro de 2010 Universidade Lusíada - Lisboa 29 de Novembro de 2010 Universidade Lusíada - Lisboa Profª Teresa de Lemos, 29 Novembro 2010 29 de Novembro de 2010 Universidade Lusíada - Lisboa Riscos na Condução Sénior Profª Teresa de Lemos Drª Teresa

Leia mais

Família e Passageiros

Família e Passageiros Visão Geral Família e Passageiros: Como escolher um veículo para a família? Em primeiro lugar, você tem que decidir o que você realmente quer. Você quer um utilitário (SUV), uma minivan ou um veículo de

Leia mais

EDC - EFFICIENT DUAL CLUTCH

EDC - EFFICIENT DUAL CLUTCH Proveniente da tecnologia de dupla embraiagem, Efficient Dual Clutch, a nova caixa de velocidades automática EDC insere-se plenamente na vontade da Renault em aliar conforto, prazer de condução e respeito

Leia mais

Anatomia de uma curva Dinâmica do veículo e derrapagem em curva Sistema de controlo de estabilidade Prevenção da derrapagem em curva

Anatomia de uma curva Dinâmica do veículo e derrapagem em curva Sistema de controlo de estabilidade Prevenção da derrapagem em curva FICHA TÉCNICA CONDUÇÃO EM CURVA Níveis GDE: Nível 1 Nível Atitudinal; Nível 3 Nível Tático; Nível 4 Nível Operacional Temas Transversais: Tema 5 Conhecimento das Regras de Trânsito Tema 6 Domínio das Situações

Leia mais

Federação Portuguesa de Atletismo

Federação Portuguesa de Atletismo PRESSUPOSTOS A medição da Volta à Cidade do Funchal Madeira (5850 metros) teve por base os seguintes pressupostos: Durante a competição os Atletas, nas Avenidas do Mar e Sá Carneiro, só podem utilizar

Leia mais

VELOCIDADE FICHA TÉCNICA. Tema 2 - Atitudes e Comportamentos; Tema 5 - Conhecimento das Regras de Trânsito; Tema 6 - Domínio das Situações de Trânsito

VELOCIDADE FICHA TÉCNICA. Tema 2 - Atitudes e Comportamentos; Tema 5 - Conhecimento das Regras de Trânsito; Tema 6 - Domínio das Situações de Trânsito FICHA TÉCNICA VELOCIDADE Níveis GDE Temas Transversais Síntese informativa Nível 3 Nível Táctico Tema 2 - Atitudes e Comportamentos; Tema 5 - Conhecimento das Regras de Trânsito; Tema 6 - Domínio das Situações

Leia mais

Título Referencial de Educação Rodoviária para a Educação Pré-Escolar e o Ensino Básico. Autores Isabel Carvalho Luísa Nunes

Título Referencial de Educação Rodoviária para a Educação Pré-Escolar e o Ensino Básico. Autores Isabel Carvalho Luísa Nunes Título Referencial de Educação Rodoviária para a Educação Pré-Escolar e o Ensino Básico Autores Isabel Carvalho Luísa Nunes Acompanhamento e colaboração Helena Gil Editor Ministério da Educação e Ciência

Leia mais

Agrupamento de Escolas Anselmo de Andrade Avaliação Sumativa - Ciências Físico - Químicas 11.º Ano - Ano Lectivo 09/10

Agrupamento de Escolas Anselmo de Andrade Avaliação Sumativa - Ciências Físico - Químicas 11.º Ano - Ano Lectivo 09/10 Agrupamento de Escolas Anselmo de Andrade Avaliação Sumativa - Ciências Físico - Químicas 11.º Ano - Ano ectivo 09/10 Duração da Actividade: 90 minutos Data: 04/ 12 / 09 Responda com clareza às questões

Leia mais

SPOT BATTERY EXCHANGER

SPOT BATTERY EXCHANGER SPOT BATTERY ECHANGER SBE PICKER V1.0 V1.0 Manual de Instruções SPOT JET Serviços de Manutenção Industrial, Sociedade Unipessoal, Lda. Rua D. Luís de Noronha 22, 4 Dto. 1050-072 Lisboa Portugal Tel / Fax.

Leia mais

Campanha de direção defensiva

Campanha de direção defensiva Riscos, perigos e acidentes Em tudo o que fazemos há uma dose de risco: seja no trabalho,quando consertamos alguma coisa em casa, brincando, dançando,praticando um esporte ou mesmo transitando pelas ruas

Leia mais

CÓDIGO DA ESTRADA 2014

CÓDIGO DA ESTRADA 2014 CÓDIGO DA ESTRADA 2014 CÓDIGO DA ESTRADA 2014 2 Este documento é uma transcrição do texto da Lei n.º 72/2013, de 3 de setembro, que é a décima terceira alteração ao Código da Estrada, aprovado pelo Decreto-Lei

Leia mais

Criança como passageiro de automóveis. Tema seleccionado.

Criança como passageiro de automóveis. Tema seleccionado. www.prp.pt A Educação pré-escolar é a primeira etapa da educação básica e é uma estrutura de apoio de uma educação que se vai desenvolvendo ao longo da vida. Assim, é fundamental que a Educação Rodoviária

Leia mais

Interseções. Lastran/Ufrgs

Interseções. Lastran/Ufrgs Interseções Lastran/Ufrgs 1 Noções Gerais Interseção é o local onde 2 ou mais vias se interceptam. Local de grande número de acidentes: 53% dos acidentes em vias rurais; 78% dos acidentes em vias urbanas;

Leia mais

www.italyontheroad.it

www.italyontheroad.it www.italyontheroad.it HEADREST Apoio para Cabeça Informações gerais e conselhos. L 'acidente é o mais popular conchas: uma colisão na parte traseira do veículo, recebeu de um outro veículo. É tanto esmagadora

Leia mais

CONTRA-ORDENAÇÕES RODOVIÁRIAS

CONTRA-ORDENAÇÕES RODOVIÁRIAS FICHA TÉCNICA CONTRA-ORDENAÇÕES RODOVIÁRIAS Níveis GDE Temas Transversais Síntese informativa Nível 1 Nível Atitudinal Tema 1 Conhecimento de si próprio como Condutor; Tema 2 Atitudes e Comportamentos;

Leia mais

MOTORISTA CONHECIMENTOS GERAIS

MOTORISTA CONHECIMENTOS GERAIS MOTORISTA CONHECIMENTOS GERAIS PORTUGUES 1. Leia o texto e observe com atenção os espaços em branco: relação do homem com ele mesmo, com os outros e com natureza precisa ser construída como território

Leia mais

O Regresso do Vapor a Coimbra Outubro de 2002. Comboios em Portugal (fotografia e história) http://combport.pt.to

O Regresso do Vapor a Coimbra Outubro de 2002. Comboios em Portugal (fotografia e história) http://combport.pt.to Comboios em Portugal (fotografia e história) O Regresso do Vapor a Coimbra Outubro de 2002 http://combport.pt.to Texto: João Pedro Joaquim Fotos: João Pedro Joaquim Nota Introdutória Nos últimos anos têm

Leia mais

como a DT200 da Yamaha.

como a DT200 da Yamaha. Para os iniciantes, é melhor optar por uma moto de menor potência, como a 125cc, porque elas são mais leves e dão mais chances. As 250cc são mais violentas e qualquer erro pode causar um tombo. Para o

Leia mais

REPÚBLICA DE ANGOLA. Comando Geral da Polícia Nacional. Direcção Nacional de Viação e Trânsito. Ministério do Interior

REPÚBLICA DE ANGOLA. Comando Geral da Polícia Nacional. Direcção Nacional de Viação e Trânsito. Ministério do Interior REPÚBLICA DE ANGOLA Ministério do Interior Comando Geral da Polícia Nacional Direcção Nacional de Viação e Trânsito 1 2 Sessão de esclarecimento 1. Contexto de surgimento do Novo Código de Estrada 2. Sistematização

Leia mais

Perg. nº: 4 A condução defensiva é uma atitude passível de ser ensinada e treinada com todos os candidatos a condutores?

Perg. nº: 4 A condução defensiva é uma atitude passível de ser ensinada e treinada com todos os candidatos a condutores? Perg. nº: 1 O airbag e o capacete de protecção são equipamentos de segurança passiva. A) A afirmação está correcta. B) A afirmação está incorrecta. Perg. nº: 2 Dos factores abaixo enumerados, assinale

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA DE CASQUILHOS

ESCOLA SECUNDÁRIA DE CASQUILHOS ESCOLA SECUNDÁRIA DE CASQUILHOS FQA Ficha 3 - Forças fundamentais, leis de Newton e Lei da gravitação universal 11.º Ano Turma A e B 1 outubro 2014 NOME Nº Turma 1. Associe um número da coluna 1 a uma

Leia mais

Guia de Boas Práticas para o Ciclista

Guia de Boas Práticas para o Ciclista Guia de Boas Práticas para o Ciclista Sumário Guia de Boas Práticas para o Ciclista Fortaleza - CE Dezembro de 2014 Sindicato da Indústria da Construção Civil do Ceará Sinduscon-CE www.sindusconce.com.br

Leia mais

PLANO DE MONITORIZAÇÃO E PREVENÇÃO ESCAVAÇÃO / ABERTURA DE VALA / TRABALHOS EM VALA OU ESCAVAÇÃO

PLANO DE MONITORIZAÇÃO E PREVENÇÃO ESCAVAÇÃO / ABERTURA DE VALA / TRABALHOS EM VALA OU ESCAVAÇÃO Dono da Entidade Executante: 1 / 6 ESCAVAÇÃO / ABERTURA DE VALA / TRABALHOS EM VALA OU ESCAVAÇÃO Verificação/Tarefas Riscos Medidas de Prevenção/Protecção Resp. Escavação Abertura de vala Trabalhos em

Leia mais

Manual do Ciclista. Ciclovia. Pronta pra você curtir uma vida mais saudável.

Manual do Ciclista. Ciclovia. Pronta pra você curtir uma vida mais saudável. Manual do Ciclista Ciclovia. Pronta pra você curtir uma vida mais saudável. Pedala BH. O programa que vai mudar a cara da cidade. Pedala BH é o programa criado pela Prefeitura de Belo Horizonte, por meio

Leia mais

OS SISTEMAS DE INFORMATICA EMBARCADA COMO APOIO À GESTÃO DO SISTEMA RODOVIÁRIO E À ASSISTÊNCIA AOS UTENTES NA ESTRADA

OS SISTEMAS DE INFORMATICA EMBARCADA COMO APOIO À GESTÃO DO SISTEMA RODOVIÁRIO E À ASSISTÊNCIA AOS UTENTES NA ESTRADA OS SISTEMAS DE INFORMATICA EMBARCADA COMO APOIO À GESTÃO DO SISTEMA RODOVIÁRIO E À ASSISTÊNCIA AOS UTENTES NA ESTRADA DOLORES TORRES GESTORA DE PRODUTO TECMIC, SA. RESUMO Existem em Portugal várias soluções

Leia mais

Minirrotatória. Um projeto simples e eficiente para redução de acidentes

Minirrotatória. Um projeto simples e eficiente para redução de acidentes Minirrotatória Um projeto simples e eficiente para redução de acidentes Introdução A minirrotatória é um dispositivo de segurança utilizado em cruzamento não muito movimentado, para organizar a circulação

Leia mais

Formação em Circuito Fechado

Formação em Circuito Fechado SOLUÇÕES INTEGRADAS DE FORMAÇÃO EM CONDUÇÃO E SEGURANÇA Formação em Circuito Fechado Empresas e Ambulâncias 08-06-2010 Documento confidencial ForDrive. Este documento sustenta o modelo de formação em circuito

Leia mais

TEXTO DE APOIO À EXPLORAÇÃO PEDAGÓGICA DO TEMA

TEXTO DE APOIO À EXPLORAÇÃO PEDAGÓGICA DO TEMA TEXTO DE APOIO À EXPLORAÇÃO PEDAGÓGICA DO TEMA TEMA SELECCIONADO A CAMINHO DA ESCOLA IDENTIFICAÇÃO DAS COMPONENTES DA RUA / ESTRADA A Educação Rodoviária é um processo ao longo da vida do cidadão como

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DE MONTIJO ÍNDICE

CÂMARA MUNICIPAL DE MONTIJO ÍNDICE ÍNDICE PROJECTO DE REGULAMENTO MUNICIPAL DE REMOÇÃO DE VEÍCULOS ABANDONADOS... 3 NOTA JUSTIFICATIVA... 3 CAPÍTULO I... 4 ÂMBITO DE APLICAÇÃO... 4 Artigo 1º - Âmbito de aplicação... 4 Artigo 2º- Lei habilitante...

Leia mais

FUNÇÃO FICHA DE SEGURANÇA EMPILHADORES DE GARFOS

FUNÇÃO FICHA DE SEGURANÇA EMPILHADORES DE GARFOS FICHA DE SEGURANÇA EMPILHADORES DE GARFOS Fonte: Acedido em http://saudeambiental13.blogspot.pt/ julho 2014 Legenda: 1. Chassis; 2. Contrapeso; 3. Eixo motriz; 4. Eixo de direção; 5. Mastro (que serve

Leia mais

Reboques para comboios logísticos. Soluções completas para utilização no interior e no exterior.

Reboques para comboios logísticos. Soluções completas para utilização no interior e no exterior. Reboques para comboios logísticos Soluções completas para utilização no interior e no exterior. Soluções de transporte desde a recepção dos produtos até à área de distribuição/produção. Com capacidades

Leia mais

Memória Descritiva e Justificativa

Memória Descritiva e Justificativa Memória Descritiva e Justificativa 1. Introdução 1.1 Objectivos da Intervenção O ante-projecto do Acesso Norte do Porto Grande de São Vicente, insere-se no âmbito do Estudo de reordenamento das áreas terrestres

Leia mais

FORMAÇÃO PARA ACESSO À ACTIVIDADE. MERCADORIAS - gerentes

FORMAÇÃO PARA ACESSO À ACTIVIDADE. MERCADORIAS - gerentes PL ANUAL DE FORMAÇÃO FORMAÇÃO PARA ACESSO À ACTIVIDADE MERCADORIAS - gerentes CAPACIDADE PROFISSIONAL CPNI C/ PC PORTÁTIL Abordar de uma forma genérica os principais aspectos subjacentes à gestão diária

Leia mais

Disposição Normativa Sinalização de Orientação

Disposição Normativa Sinalização de Orientação Disposição Normativa ACLIVE Disp. Técnicas sobre Sinalização do Trânsito Princípios da sinalização do trânsito e regimes de circulação SD Características dos Sinais Verticais Critérios de utilização da

Leia mais

Plataforma móvel de trabalho em altura Manual de Instruções

Plataforma móvel de trabalho em altura Manual de Instruções Spot Picker V 0.1 Plataforma móvel de trabalho em altura Manual de Instruções SPOT JET Serviços de Manutenção Industrial, Lda Rua D. Luís de Noronha n.º 22, 4 Dto. 1050-072 Lisboa Portugal Tel. (+351)

Leia mais

Federação Portuguesa de Atletismo

Federação Portuguesa de Atletismo PRESSUPOSTOS A medição da Corrida dos Reis Ilha do Pico Açores teve por base os seguintes pressupostos: Durante a competição os Atletas só podem utilizar toda a largura da estrada nos percursos entre:

Leia mais

Federação Portuguesa de Atletismo

Federação Portuguesa de Atletismo PRESSUPOSTOS A medição do percurso para o Grande Prémio de S. Pedro Póvoa do Varzim teve por base os seguintes pressupostos: Durante a competição os Atletas podem utilizar toda a largura da estrada, excepto

Leia mais

A Lei n.º 72/2013, de 03.09., aprovou mais de 60 alterações ao Código da Estrada, de que se destacam as seguintes:

A Lei n.º 72/2013, de 03.09., aprovou mais de 60 alterações ao Código da Estrada, de que se destacam as seguintes: Janeiro 2014 ALTERAÇÕES AO CÓDIGO DA ESTRADA A Lei n.º 72/2013, de 03.09., aprovou mais de 60 alterações ao Código da Estrada, de que se destacam as seguintes: Introdução de Novos Conceitos: Utilizadores

Leia mais

QUICK GUIDE WEB EDITION SEJA BEM-VINDO AO SEU NOVO VOLVO! VOLVO C70

QUICK GUIDE WEB EDITION SEJA BEM-VINDO AO SEU NOVO VOLVO! VOLVO C70 VOLVO C70 QUICK GUIDE WEB EDITION SEJA BEM-VINDO AO SEU NOVO VOLVO! Conhecer o seu novo automóvel é uma experiência excitante. Leia este Quick-Guide para aprender de modo rápido e simples algumas das funções

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE JABORÁ - SC CONCURSO PÚBLICO EDITAL Nº. 001/2011

PREFEITURA MUNICIPAL DE JABORÁ - SC CONCURSO PÚBLICO EDITAL Nº. 001/2011 PREFEITURA MUNICIPAL DE JABORÁ - SC CONCURSO PÚBLICO EDITAL Nº. 001/2011 CONVOCAÇÃO DOS CANDIDATOS CLASSIFICADOS PARA PROVA PRÁTICA DOS CARGOS DE MOTORISTA, OPERADOR DE MÁQUINAS AGRÍCOLAS, OPERADOR DE

Leia mais

1º TRIATLO DA FLORESTA (Integrado na Expo Mortágua)

1º TRIATLO DA FLORESTA (Integrado na Expo Mortágua) REGULAMENTO DA PROVA 1º TRIATLO DA FLORESTA (Integrado na Expo Mortágua) APRESENTAÇÃO A ABAADV Associação Beira Aguieira de Apoio ao Deficiente Visual, propõe-se realizar uma prova desportiva a que deu

Leia mais

Editor: Secretariado Nacional para a Reabilitação e Integração das Pessoas com Deficiência

Editor: Secretariado Nacional para a Reabilitação e Integração das Pessoas com Deficiência Editor: Secretariado Nacional para a Reabilitação e Integração das Pessoas com Deficiência Ilustrações: Maria João Lopes Local e Data de Edição: Lisboa, 2005 Colecção: Folhetos SNR, n.º 4 Fotocomposição

Leia mais

GUIA DA LEGISLAÇÃO COMUNITÁRIA INDÚSTRIA AUTOMÓVEL

GUIA DA LEGISLAÇÃO COMUNITÁRIA INDÚSTRIA AUTOMÓVEL GUIA DA LEGISLAÇÃO COMUNITÁRIA INDÚSTRIA AUTOMÓVEL AFIA Setembro 2010 Guia elaborado no âmbito do INO_COOP Programa de dinamização de factores intangíveis de competitividade das empresas fornecedoras da

Leia mais