Disciplina : Desenho Técnico Professora: Mariza Andrade. Mariza Andrade

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Disciplina : Desenho Técnico Professora: Mariza Andrade. Mariza Andrade"

Transcrição

1 Disciplina : Desenho Técnico Professora: Mariza Andrade

2 Nossas Aulas

3 Ementa 1ª Parte: - Introdução ao Desenho Técnico; - Padronização do Desenho ; - Normas ABNT; - Instrumentos de Desenho e sua utilização; - Noções de Desenho Geométrico.

4 Ementa 2ª Parte: - Desenho Projetivo: - Projeções ortogonais;

5 Ementa 3ª Parte: - Desenho Projetivo: - Perspectiva axonométrica;

6 Ementa 4ª Parte: - Corte; - Seções e encurtamento; - Hachuras; - Cotagem.

7 Ementa 5ª Parte: Desenho Não Projetivo: - Fluxogramas e Diagramas

8 Avaliação 1ª avaliação não oficial peso 3- trabalhos desenvolvidos em sala de aula 1ª avaliação oficial peso 7- prova 2 avaliação não oficial peso 3 trabalhos desenvolvidos em sala de aula 2ª avaliação oficial peso 7 prova Segunda chamada prova Prova final - prova Média 7,0

9 INTRODUÇÃO AO DESENHO TÉCNICO

10 O Desenho como forma de expressão A primeira forma de comunicação do homem foi através dos desenhos e grafismos. As primeiras representações que são as pinturas rupestres. conhecemos

11 Nelas o homem representava não apenas o mundo que o cercava, mas também as suas sensações: alegrias, medos, crenças, danças.. Através dos séculos o desenho passou a ser utilizado cada vez de formas mais diferentes. Sendo até mesmo, um precursor da linguagem escrita, da fotografia, do cinema, e até mesmo das representações cartográficas.

12 Ora ilustrando templos sagrados e tumbas, como dos egípcios onde se vê relatada, praticamente, todas as histórias da vida cotidiana e mesmo da vida após a morte, ora representando os deuses mitológicos gregos, ou ainda, conduzindo navegantes por mares desconhecidos como durante os séculos XV e XVI e nos séculos posteriores, a arte de desenhar acompanhou o homem durante todo seu desenvolvimento fazendo parte de sua história e, ainda hoje, é capaz de surpreender e encantar a qualquer um que se permita uma breve contemplação.

13 Ao longo da história, a comunicação através do desenho, foi evoluindo, dando origem a duas formas de desenho: Artístico e Técnico

14 Desenho Artístico Pretende comunicar idéias e sensações, estimulando a imaginação do espectador;

15 Desenho Técnico Forma de expressão gráfica que tem por finalidade a representação de forma, dimensão e posição de objetos de acordo com as diferentes necessidades requeridas pelas diversas modalidades de engenharia e também da arquitetura.

16 Visão Espacial O que é Visão Espacial?

17 Visão Espacial Visão espacial é um dom que, em princípio todos têm, dá a capacidade de percepção mental das formas espaciais. Perceber mentalmente uma forma espacial significa ter o sentimento da forma espacial sem estar vendo o objeto. Por exemplo, fechando os olhos pode-se ter o sentimento da forma espacial de um copo, de um determinado carro, da sua casa etc.. Ou seja, a visão espacial permite a percepção (o entendimento) de formas espaciais, sem estar vendo fisicamente os objetos.

18 Apesar da visão espacial ser um dom que todos têm, algumas pessoas têm mais facilidade para entender as formas espaciais a partir das figuras planas. A habilidade de percepção das formas espaciais a partir das figuras planas pode ser desenvolvida a partir de exercícios progressivos e sistematizados.

19 Exemplo de Visão Espacial

20 Exemplo de Visão Espacial

21 O Desenho Técnico e a Engenharia Todo o processo de desenvolvimento e criação dentro da engenharia está intimamente ligado à expressão gráfica. O desenho técnico representa o que deve ser executado ou construído: apresenta gráficos e diagramas que mostram os resultados dos estudos feitos. apresenta soluções gráficas que podem substituir cálculos complicados. desenvolve o raciocínio, o senso de rigor geométrico, o espírito de iniciativa e de organização.

22 Tipos de Desenho Técnico Desenho projetivo são os desenhos resultantes de projeções do objeto em um ou mais planos de projeção e correspondem às vistas ortográficas e às perspectivas. Desenho não-projetivo na maioria dos casos corresponde a desenhos resultantes dos cálculos algébricos e compreendem os desenhos de gráficos, diagramas, fluxogramas, etc..

23 Tipos de Desenho Técnico Os desenhos projetivos compreendem a maior parte dos desenhos feitos nas indústrias Desenho Mecânico Desenho de Máquinas Desenho de Estruturas Desenho Arquitetônico Desenho Elétrico/Eletrônico Desenho de Tubulações Os desenhos não-projetivos são utilizados para representação das diversas formas de gráficos, diagramas, esquemas, ábacos, fluxogramas, organogramas, etc.

24 Formas de Elaboração e Apresentação do Desenho Técnico Atualmente, na maioria dos casos, os desenhos são elaborados por computadores, pois existem vários softwares que facilitam a elaboração e apresentação de desenhos técnicos. Os desenhos definitivos são completos, elaborados de acordo com a normalização envolvida, e contêm todas as informações necessárias à execução do projeto.

25 Instrumental de Desenho Técnico

26 Embora a mão e a mente controlem o desenho acabado, materiais e equipamentos de qualidade tornam o ato de desenhar agradável, facilitando a longo prazo a obtenção de um trabalho de qualidade. CHING, Francis D. K.

27 A meta de todo profissional é a obtenção de um desenho rápido e preciso, capaz de fornecer todas as informações necessárias à concretização de seu projeto. Para a perfeita execução de um desenho são necessários instrumentos de precisão, para isso estes devem ser de boa qualidade, limpos e bem conservados.

28 Constituem o conjunto básico de instrumentos e acessórios: Lápis ou lapiseira; Borracha; Par de esquadros; Prancheta. Escalímetro; Transferidor; Compasso; Gabaritos; Régua T, ou régua paralela;

29 Lápis ou Lapiseira Preferencialmente utilizam-se lapiseiras pois é mais pratica, visto que, com ela o afiamento da mina é desnecessário economizando tempo e garantindo um traçado mais uniforme. Lapiseiras que possuem guias de metal são mais indicadas, pois não será o grafite que estará em contato com a régua, e sim essa guia metálica dando mais precisão ao desenho.

30 Lápis ou Lapiseira Tanto para o grafite dos lápis quanto para aqueles das lapiseiras, a escolha correta da dureza ou maciez das mesmas influenciarão diretamente na qualidade final do desenho. As minas de grafite são fabricadas em 14 graduações:

31 Borracha É um instrumento utilizado para remover ou apagar traços feitos a lápis ou à lapiseira. No desenho técnico torna-se muito importante o uso de borrachas de boa qualidade, pois, do contrário, além de não remover corretamente os traços pode deixar manchas na folha.

32 Esquadros

33 Esquadros São peças de formato triangular, com ângulos de 45º e 90º ou de 30º e 60º e 90º. São denominados Par de Esquadros quando são de dimensões compatíveis. O cateto maior do esquadro de 30/60 tem a mesma dimensão da hipotenusa do esquadro de 45.. Utilizados para o traçado de linhas verticais, horizontais e inclinadas, sendo muito utilizado em combinação com a régua paralela ou régua T ou régua paralela.

34 Régua T e Régua Paralela Ambas são utilizadas sobre mesas de desenho ou pranchetas para apoiar o esquadro ou para traçar linhas paralelas. A régua T possui em média 80cm, são normalmente de madeira e acrílico. A régua Paralela é fixada a prancheta por meio de fios e roldanas que promovem sue deslizamento paralelo sobre a mesa.

35 Prancheta e Mesa de desenho

36 Escalímetro O Escalímetro é constituído por um conjunto de escalas gráficas, determinadas a partir de escalas numéricas e desenhadas sobre um suporte triangular.

37 Transferidor O transferidor é utilizado para a medição e marcação de ângulos.

38 Compasso O compasso é utilizado para o traçado de circunferências, assim como arcos de circunferências

39 Gabaritos São chapas em plástico ou acrílico, com elementos diversos vazados, que possibilitam a reprodução destes nos desenhos.

40 Material Necessário Lápis ou Lapiseira Borracha Régua ou Escalímetro Papel A4 Transferidor Par de Compasso Esquadros Durex

41 Padronização dos Desenhos Técnicos

42 Para transformar o desenho técnico em uma linguagem gráfica foi necessário padronizar seus procedimentos de representação gráfica. Essa padronização é feita por meio de normas técnicas seguidas e respeitadas internacionalmente.

43 As normas técnicas são resultantes do esforço cooperativo dos interessados em estabelecer códigos técnicos entre produtores e consumidores, engenheiros, empreiteiros e clientes. Cada país elabora suas normas técnicas e estas são acatadas em todo o seu território por todos os que estão ligados, direta ou indiretamente, a este setor. No Brasil as normas são aprovadas e editadas pela Associação Brasileira de Normas Técnicas - ABNT, fundada em 1940

44 Como surgiu: Uma ideia surgiu na cabeça de alguns idealistas, que perceberam a necessidade de padronizar os critérios técnicos utilizados pelos setores produtivos nacionais. Essa proposta adquiriu consistência nas três Reuniões de Laboratórios de Ensaio realizadas entre 1937 e 1940, que tinham como objetivo a criação das primeiras normas de ensaio para a tecnologia do concreto, um problema que vinha afetando a construção civil do País. A ABNT foi fundada na terceira dessas reuniões e já nasceu com um acervo de normas prontas ou em fase de elaboração.

45

46 Para favorecer o desenvolvimento da padronização internacional e facilitar o intercâmbio de produtos e serviços entre as nações, os órgãos responsáveis pela normalização em cada país, reunidos em Londres, criaram em 1947 a Organização Internacional de Normalização ISO)

47 Quando uma norma técnica proposta por qualquer país membro é aprovada por todos os países que compõem a ISO, essa norma é organizada e editada como norma internacional. As normas técnicas que regulam o desenho técnico são normas editadas pela ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas), Registradas pelo INMETRO (Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial) como normas brasileiras NBR e estão em consonância com as normas internacionais aprovadas pela ISO.

48 Normas a consultar NBR DESENHO TÉCNICO NORMA GERAL NBR FOLHA DE DESENHO LAY-OUT E DIMENSÕES NBR APRESENTAÇÃO DA FOLHA PARA DESENHO TÉCNICO NBR DESENHO TÉCNICO DOBRAMENTO DE CÓPIAS NBR 8402 EXECUÇÃO DE CARACTERES PARA ESCRITA EM DESENHOS TÉCNICOS NBR 8403 APLICAÇÃO DE LINHAS EM DESENHOS NBR10067 PRINCÍPIOS GERAIS DE REPRESENTAÇÃO EM DESENHO

49 Normas a consultar NBR 8196 DESENHO TÉCNICO EMPREGO DE ESCALAS NBR REPRESENTAÇÃO DE ÁREA DE CORTE POR MEIO DE HACHURAS EM DESENHO TÉCNICO NBR COTAGEM EM DESENHO TÉCNICO NBR 8404 INDICAÇÃO DO ESTADO DE SUPERFÍCIE EM DESENHOS TÉCNICOS NBR 6158 SISTEMA DE TOLERÂNCIAS E AJUSTES NBR 8993 REPRESENTAÇÃO CONVENCIONAL DE PARTES ROSCADAS EM DESENHO TÉCNICO

50 Dimensões das Folhas NBR

51 Folhas para Desenho Técnico

52 Margens

53 Configuração da Folha NBR

54 Posição da Escrita

55 Dobragem - NBR A norma da ABNT para dobramento de cópia recomenda procedimentos para que as cópias sejam dobradas de forma que estas fiquem com dimensões, após dobradas, similares as dimensões de folhas tamanho A4.

56 Dobragem

57 Dobragem

58 Carimbo e ou Legenda 178mm Faculdade Pitágoras - Feira de Santana Nome Disciplina Curso Turno Trabalho Escala Data 10mm 34mm 34mm 34mm

59 Fixação da Folha na Prancheta

60 Caligrafia Técnica NBR 8402 Existe uma padronização também para a caligrafia no desenho técnico, É composta por caracteres próprios, inclinados ou não, determinando assim a sua personalidade, São utilizadas na transmissão das informações contidas nos desenhos, sob forma de textos ou números. As letras devem comunicar e não distrair ou prejudicar o desenho em si.

61 Construção das Letras e Números

62 Cuidados no traçado de letras: Uniformidade de formato Uniformidade no tipo Uniformidade de tamanho Uniformidade de espessura Uniformidade na inclinação Uniformidade no espaçamento

63 Tipos de Linha NBR 8403

64 Passos para execução do desenho Técnico

65 Limpar a prancheta e os materiais que serão usados antes de começar a executar os desenhos; Fixar o papel na prancheta quando necessário; Usar lápis mais fraco nos traços preliminares do desenho ;

66 Usar somente borracha macia; Evitar que o suor excessivo das mãos chegue ao desenho; Utilizar compasso na confecção de linhas curvas uniformes; Revisar os traços e apagar linhas excedentes; Usar lápis mais forte nos traços ou pontos que simbolizam a resposta do desenho;

67 Revisar o desenho Não se esqueça: LIMPEZA É PRIMORDIAL!!!!!

Desenho Técnico. Prof. Aline Fernandes de Oliveira, Arquiteta Urbanista 2010

Desenho Técnico. Prof. Aline Fernandes de Oliveira, Arquiteta Urbanista 2010 de Oliveira, Arquiteta Urbanista 2010 DEFINIÇÃO VISÃO ESPACIAL HISTÓRIA - O desenho técnico é uma forma de expressão gráfica que tem por finalidade a representação de forma, dimensão e posição de objetos

Leia mais

Aula 02/18 CLASSIFICAÇÃO DOS DESENHOS TÉCNICOS DESENHO PROJETIVO: DESENHO NÃO PROJETIVO:+

Aula 02/18 CLASSIFICAÇÃO DOS DESENHOS TÉCNICOS DESENHO PROJETIVO: DESENHO NÃO PROJETIVO:+ EXPRESSÃO GRÁFICA CURSO: Engenharia Mecânica PROFESSOR: José Ricardo Flores Faria Aula 02/18 CLASSIFICAÇÃO DOS DESENHOS TÉCNICOS DESENHO PROJETIVO: Desenho resultante da projeção do objeto, sob um ou mais

Leia mais

DESENHO TÉCNICO. Prof. Melissa Passamani Boni

DESENHO TÉCNICO. Prof. Melissa Passamani Boni DESENHO TÉCNICO Prof. Melissa Passamani Boni Ementa do Curso: Expressão de ideias através da comunicação visual. Normas gerais do Desenho Técnico (ABNT). Conceituação básica da compreensão das figuras

Leia mais

URI- Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões Campus de Frederico Westphalen Curso: Química Industrial.

URI- Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões Campus de Frederico Westphalen Curso: Química Industrial. URI- Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões Campus de Frederico Westphalen Curso: Química Industrial Desenho Técnico Prof.ªElisa Maria Pivetta Cantarelli elisa@fw.uri.br Origem do

Leia mais

Capítulo 1 INTRODUÇÃO AO ESTUDO DO DESENHO TÉCNICO

Capítulo 1 INTRODUÇÃO AO ESTUDO DO DESENHO TÉCNICO Capítulo 1 INTRODUÇÃO AO ESTUDO DO DESENHO TÉCNICO Definição de Desenho Técnico O desenho técnico é uma forma de expressão gráfica que tem por finalidade a representação de forma, dimensão e posição de

Leia mais

Curso Técnico em Eletromecânica

Curso Técnico em Eletromecânica Curso Técnico em Eletromecânica Edição 2011-1 2 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SANTA CATARINA CAMPUS DE ARARANGUÁ

Leia mais

BACHARELADO EM ENGENHARIA AMBIENTAL EaD UAB/UFSCar Expressão Gráfica para Engenharia NORMAS TÉCNICAS

BACHARELADO EM ENGENHARIA AMBIENTAL EaD UAB/UFSCar Expressão Gráfica para Engenharia NORMAS TÉCNICAS BACHARELADO EM ENGENHARIA AMBIENTAL EaD UAB/UFSCar NORMAS TÉCNICAS APOSTILA DO DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL DA UFSCar volume 3 Profª Sheyla Mara Baptista Serra Agosto de 2008 3 NORMAS TÉCNICAS Conhecer

Leia mais

INSTRUMENTOS USADOS Lápis e lapiseiras Os lápis médios são os recomendados para uso em desenho técnico, a seleção depende sobretudo de cada usuário.

INSTRUMENTOS USADOS Lápis e lapiseiras Os lápis médios são os recomendados para uso em desenho técnico, a seleção depende sobretudo de cada usuário. INSTRUMENTOS USADOS Lápis e lapiseiras Os lápis médios são os recomendados para uso em desenho técnico, a seleção depende sobretudo de cada usuário. INSTRUMENTOS USADOS Esquadros São usados em pares: um

Leia mais

DESENHO TÉCNICO. Aula 03

DESENHO TÉCNICO. Aula 03 FACULDADE DE TECNOLOGIA SHUNJI NISHIMURA POMPÉIA - SP DESENHO TÉCNICO Aula 03 Prof. Me. Dario de A. Jané DESENHO TÉCNICO 1. PRINCÍPIOS BÁSICOS DE DESENHO TÉCNICO Normas Instrumentos Folhas (dobra, moldura,

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA FACULDADE DE ENGENHARIA CAMPUS DE GUARATINGUETÁ

UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA FACULDADE DE ENGENHARIA CAMPUS DE GUARATINGUETÁ UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA FACULDADE DE ENGENHARIA CAMPUS DE GUARATINGUETÁ DESENHO TÉCNICO: Fundamentos Teóricos e Introdução ao CAD Prof. VÍCTOR O. GAMARRA ROSADO Março de 2005 2 ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO

Leia mais

Conceitos Básicos de Desenho Técnico

Conceitos Básicos de Desenho Técnico Conceitos Básicos de Desenho Técnico 1. Utilização Das Ferramentas E Papel De Desenho 1.1. Ferramentas de Desenho 1.1.1. Apresentação O Desenho Arquitetônico uma especialização do Desenho Técnico, o qual

Leia mais

DESENHO TÉCNICO MECÂNICO I (SEM 0564) Notas de Aulas v.2015. Aula 01 Introdução

DESENHO TÉCNICO MECÂNICO I (SEM 0564) Notas de Aulas v.2015. Aula 01 Introdução DESENHO TÉCNICO MECÂNICO I (SEM 0564) Notas de Aulas v.2015 Aula 01 Introdução DEFINIÇÃO Desenho Técnico é a linguagem técnica e gráfica empregada para expressar e documentar formas, dimensões, acabamento,

Leia mais

DESENHO TÉCNICO. Aula 03

DESENHO TÉCNICO. Aula 03 FACULDADE DE TECNOLOGIA SHUNJI NISHIMURA POMPÉIA - SP DESENHO TÉCNICO Aula 03 Prof. Me. Dario de A. Jané DESENHO TÉCNICO 1. PRINCÍPIOS BÁSICOS DE DESENHO TÉCNICO Normas Instrumentos Folhas (dobra, moldura,

Leia mais

Curso Técnico em Eletromecânica

Curso Técnico em Eletromecânica Curso Técnico em Eletromecânica Edição 2010-1 2 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SANTA CATARINA CAMPUS DE ARARANGUÁ

Leia mais

Introdução. Desenho técnico é uma linguagem de caráter universal.

Introdução. Desenho técnico é uma linguagem de caráter universal. Introdução Desenho técnico é uma linguagem de caráter universal. Através de símbolos, convenções e normas disseminados e adotados em todo mundo torna um desenho técnico, feito dentro das regras, de fácil

Leia mais

DESENHO TÉCNICO. Apresentar de forma sintética, as normas e convenções usuais referente às

DESENHO TÉCNICO. Apresentar de forma sintética, as normas e convenções usuais referente às CURSO: DESIGN DE INTERIORES DISCIPLINA: DESENHO TÉCNICO E ARQUITETÔNICO TURNO: Manhã / Noite PERÍODO: 1º PROFESSORAS: Dodora DESENHO TÉCNICO Dimensões de papéis para desenhos técnicos: Objetivo: pranchas

Leia mais

Prof. Sérgio Viana. Estas notas de aula são destinadas aos alunos que. Gráfica, para um posterior estudo mais profundo.

Prof. Sérgio Viana. Estas notas de aula são destinadas aos alunos que. Gráfica, para um posterior estudo mais profundo. EXPRESSÃO GRÁFICA Prof. Sérgio Viana Estas notas de aula são destinadas aos alunos que desejam ter um conhecimento básico de Expressão Gráfica, para um posterior estudo mais profundo. 1 Caligrafia Técnica

Leia mais

Curso Superior de Tecnologia em Refrigeração, Ventilação e Ar Condicionado Disciplina: Desenho Técnico Tema: Introdução ao Desenho Técnico Profº

Curso Superior de Tecnologia em Refrigeração, Ventilação e Ar Condicionado Disciplina: Desenho Técnico Tema: Introdução ao Desenho Técnico Profº Curso Superior de Tecnologia em Refrigeração, Ventilação e Ar Condicionado Disciplina: Desenho Técnico Tema: Introdução ao Desenho Técnico Profº Milton 2014 DEFINIÇÃO Desenho Técnico é a linguagem técnica

Leia mais

4/12/2013 DESENHO TÉCNICO. Programa. Datas. Sistema de Avaliação DESENHO TÉCNICO. Lista de material para as aulas

4/12/2013 DESENHO TÉCNICO. Programa. Datas. Sistema de Avaliação DESENHO TÉCNICO. Lista de material para as aulas FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO DO SUL Cursos: Agronomiae Eng. Florestal1 o Semestre Prof. responsável: Lorena Stolle Programa 1 - Materiais e instrumentos de desenho, convenções e normalização

Leia mais

RESUMO DAS NORMAS TÉCNICAS DA ABNT

RESUMO DAS NORMAS TÉCNICAS DA ABNT RESUMO DAS NORMAS TÉCNICAS DA ABNT A padronização ou normalização do desenho técnico tem como objetivo uniformizar o desenho por meio de um conjunto de regras ou recomendações que regulamentam a execução

Leia mais

DESENHO TÉCNICO GENERALIDADES. Prof. Dr. Rodrigo Couto Santos

DESENHO TÉCNICO GENERALIDADES. Prof. Dr. Rodrigo Couto Santos MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA GRANDE DOURADOS F A C U L D A D E D E C I Ê N C I A S A G R Á R I A S E n g e n h a r i a A g r í c o l a DESENHO TÉCNICO GENERALIDADES Prof. Dr. Rodrigo

Leia mais

Apostila Complementar

Apostila Complementar Desenho Técnico Apostila Complementar O curso de Desenho técnico mecânico é baseado nas apostilas de Leitura e Interpretação do Desenho Técnico Mecânico do Telecurso 2000 Profissionalizante de Mecânica.

Leia mais

Normas da ABNT. (Associação Brasileira de Normas Técnicas) para Desenho Técnico

Normas da ABNT. (Associação Brasileira de Normas Técnicas) para Desenho Técnico Normas da ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas) para Desenho Técnico TERMINOLOGIA Norma ABNT NBR 10647, Abril 1989 Quanto ao aspecto geométrico: Desenho Projetivo Vistas ortográficas: Perspectivas:

Leia mais

Desenho Técnico Sumário

Desenho Técnico Sumário Sumário 1 Introdução... 3 2 Classificação dos desenhos... 3 3 Formatos e tipo de papel... 6 4 Letras e Algarismos... 7 5 Escalas... 7 6 Carimbo ou Legenda... 8 7 Simbologia... 9 8 - Linhas e Traçados...

Leia mais

Capa Figuramundo. Desenho Técnico. / NT Editora. -- Brasília: 2014. 166p. : il. ; 21,0 X 29,7 cm.

Capa Figuramundo. Desenho Técnico. / NT Editora. -- Brasília: 2014. 166p. : il. ; 21,0 X 29,7 cm. Autor Eleudo Esteves de Araujo Silva Junior Nascido em 14 de abril de 1973 em Brasília, Distrito Federal. Possui graduação em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade de Brasília (1996), especialização

Leia mais

AULA 02 Normatização, Formatação, Caligrafia e Introdução ao Desenho técnico instrumentado. 2013/01. Prof. Esp. Arq. José Maria

AULA 02 Normatização, Formatação, Caligrafia e Introdução ao Desenho técnico instrumentado. 2013/01. Prof. Esp. Arq. José Maria AULA 02 Normatização, Formatação, Caligrafia e Introdução ao Desenho técnico instrumentado. 2013/01 Prof. Esp. Arq. José Maria Norma: Trata-se de um princípio, previamente acordado, que deve ser tomado

Leia mais

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EIXO TECNOLÓGICO: INFRAESTRUTURA Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO CURSO: ARQUITETURA E URBANISMO FORMA/GRAU:( )integrado ( )subsequente ( ) concomitante ( X ) bacharelado ( ) licenciatura ( ) tecnólogo MODALIDADE:

Leia mais

NORMAS TÉCNICAS PARA O DESENHO ARQUITETÔNICO

NORMAS TÉCNICAS PARA O DESENHO ARQUITETÔNICO Pontifícia Universidade Católica de Goiás Departamento de Artes e Arquitetura Curso de Arquitetura e Urbanismo Escola Edgar Albuquerque Graeff Desenho Projetivo I DP-I NORMAS TÉCNICAS PARA O DESENHO ARQUITETÔNICO

Leia mais

Desenho Auxiliado por Computador

Desenho Auxiliado por Computador UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA ENE073 Seminários em Eletrotécnica Desenho Auxiliado por Computador (CAD - Computer Aided Design) Prof. Flávio Vanderson Gomes E-mail: flavio.gomes@ufjf.edu.br Aula

Leia mais

NOÇÕES GERAIS DO DESENHO TÉCNICO MÓDULO 01. Aula 01

NOÇÕES GERAIS DO DESENHO TÉCNICO MÓDULO 01. Aula 01 NOÇÕES GERAIS DO DESENHO TÉCNICO MÓDULO 01 Aula 01 NOÇÕES GERAIS DO DESENHO TÉCNICO MÓDULO 01 Aula 01 01. Introdução 02. O Desenho Técnico 03. As Normas Técnicas 04. Os Materiais de Desenho Técnico 05.

Leia mais

Governador Cid Ferreira Gomes. Vice Governador Domingos Gomes de Aguiar Filho. Secretária da Educação Maria Izolda Cela de Arruda Coelho

Governador Cid Ferreira Gomes. Vice Governador Domingos Gomes de Aguiar Filho. Secretária da Educação Maria Izolda Cela de Arruda Coelho Governador Cid Ferreira Gomes Vice Governador Domingos Gomes de Aguiar Filho Secretária da Educação Maria Izolda Cela de Arruda Coelho Secretário Adjunto Maurício Holanda Maia Secretário Executivo Antônio

Leia mais

FOLHAS PARA DESENHOS TÉCNICOS

FOLHAS PARA DESENHOS TÉCNICOS FOLHAS PARA DESENHOS TÉCNICOS Faculdade de Arquitetura Departamento de Expressão Gráfica Setor Técnico Disciplinas de desenho técnico instrumentado dos cursos de Engenharia (ARQ 3322, ARQ 3319 e ARQ 3323)

Leia mais

Os caracteres de escrita

Os caracteres de escrita III. Caracteres de Escrita Os caracteres de escrita ou letras técnicas são utilizadas em desenhos técnicos pelo simples fato de proporcionarem maior uniformidade e tornarem mais fácil a leitura. Se uma

Leia mais

Desenho Técnico I. Engenharia Mecânica. UMC Universidade de Mogi das Cruzes Reprodução não autorizada 1º sem. 2015

Desenho Técnico I. Engenharia Mecânica. UMC Universidade de Mogi das Cruzes Reprodução não autorizada 1º sem. 2015 1 Desenho Técnico I Engenharia Mecânica 1º semestre de 2015 2 EXPRESSÃO GRÁFICA I O objetivo da disciplina é estudar essa linguagem, obtendo conhecimento para realizá-la e interpretá-la corretamente. O

Leia mais

Expressão Gráfica II 1 I INTRODUÇÃO

Expressão Gráfica II 1 I INTRODUÇÃO Expressão Gráfica II 1 I INTRODUÇÃO O Desenho Técnico é uma representação gráfica de objetos e suas relações, de maneira clara e sem ambiguidades através da descrição da forma e tamanho. É uma linguagem

Leia mais

DESENHO TÉCNICO E SUAS APLICAÇÕES

DESENHO TÉCNICO E SUAS APLICAÇÕES DESENHO TÉCNICO E SUAS APLICAÇÕES CURSO: ENGENHARIA DE PRODUÇÃO NOME: FELIPE VESCOVI ORIENTADOR: FABIO REDIN DO NASCIMENTO CARAZINHO, DEZEMBRO DE 2011. DESENHO TÉCNICO E SUAS APLICAÇÕES PALAVRA CHAVES:

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS ALVES REDOL ESCOLA SEDE: ESCOLA SECUNDÁRIA ALVES REDOL. Educação Tecnológica. Desenho Técnico

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS ALVES REDOL ESCOLA SEDE: ESCOLA SECUNDÁRIA ALVES REDOL. Educação Tecnológica. Desenho Técnico AGRUPAMENTO DE ESCOLAS ALVES REDOL ESCOLA SEDE: ESCOLA SECUNDÁRIA ALVES REDOL Educação Tecnológica Desenho Técnico O desenho técnico pode ser considerado uma «linguagem», pois tem uma gramática, uma ortografia

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO MÉDIA E TECNOLÓGICA CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE SANTA CATARINA APOSTILA 4

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO MÉDIA E TECNOLÓGICA CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE SANTA CATARINA APOSTILA 4 Gerência da Construção Civil, Geomática e Meio Ambiente Professor: Cristiano Nascimento APOSTILA 4 Desenho Técnico Topográfico (Instrumental e Normas) DESENHO TÉCNICO TOPOGRÁFICO (INSTRUMENTAL E NORMAS)

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2015. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2015. Ensino Técnico Unidade de Ensino Médio e Técnico - Cetec Plano de Trabalho Docente 2015 Ensino Técnico Etec Etec: PAULINO BOTELHO Código: 091 Município: SÃO CARLOS Eixo Tecnológico: Controle e Processos Industriais Habilitação

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2014 Ensino Técnico Etec: PAULINO BOTELHO Código: 091 Município: SÃO CARLOS Eixo Tecnológico: Controle e Processos Industriais Habilitação Profissional: Técnico em Mecânica Qualificação:

Leia mais

1. Desenho artístico e técnico

1. Desenho artístico e técnico 1. Desenho artístico e técnico O desenho artístico possibilita uma ampla liberdade de figuração e apreciável subjetividade na representação. Dois artistas ao tratarem o mesmo tema transmitem, a quem observa

Leia mais

A perspectiva é um tipo especial de projeção, na qual são possíveis de se medir três eixos dimensionais em um espaço bi-dimensional.

A perspectiva é um tipo especial de projeção, na qual são possíveis de se medir três eixos dimensionais em um espaço bi-dimensional. Desenho Desenho Artístico Desenho Técnico Desenho Não-Projetivo: gráficos e diagramas fluogramas organogramas Desenho Projetivo: perspectivas vistas ortográficas plantas-baiase cortes 1 Projeções A perspectiva

Leia mais

Execução de caracter para escrita em desenho técnico NBR 8402 Aplicação de linhas em desenhos - Tipos de linhas - Larguras das linhas NBR 8403

Execução de caracter para escrita em desenho técnico NBR 8402 Aplicação de linhas em desenhos - Tipos de linhas - Larguras das linhas NBR 8403 Execução de caracter para escrita em desenho técnico NBR 8402 Aplicação de linhas em desenhos - Tipos de Execução de caracter para escrita em desenho técnico - NBR 8402 Execução de caracter para escrita

Leia mais

Código da Disciplina CCE0047. e-mail: prof.clelia.fic@gmail.com http://cleliamonasterio.blogspot.com/

Código da Disciplina CCE0047. e-mail: prof.clelia.fic@gmail.com http://cleliamonasterio.blogspot.com/ Código da Disciplina CCE0047 e-mail: prof.clelia.fic@gmail.com http://cleliamonasterio.blogspot.com/ AULA 4 PLANTA BAIXA Representação de projetos de arquitetura NBR- 6492: REPRESENTAÇÃO DE ELEMENTOS CONSTRUTIVOS:

Leia mais

ENE 131 - Expressão Gráfica para Engenharia Elétrica

ENE 131 - Expressão Gráfica para Engenharia Elétrica - Expressão Gráfica para Engenharia Elétrica (Desenho Auxiliado por Computador)(Computer Aided Design)(CAD) Alexandre Haruiti alexandre.anzai@engenharia.ufjf.br Baseado nos Materiais do Rodolfo Lacerda

Leia mais

DESENHO TÉCNICO DEFINIÇÃO. Conjunto de Metodologias. Procedimentos. que visam o desenvolvimento. comunicação de PROJECTOS, CONCEITOS e IDEIAS.

DESENHO TÉCNICO DEFINIÇÃO. Conjunto de Metodologias. Procedimentos. que visam o desenvolvimento. comunicação de PROJECTOS, CONCEITOS e IDEIAS. DESENHO TÉCNICO DEFINIÇÃO Conjunto de Metodologias Procedimentos que visam o desenvolvimento comunicação de PROJECTOS, CONCEITOS e IDEIAS. DESENHO TÉCNICO REPRESENTAÇÃO GEOMÉTRICA Objectivo produzir documentação

Leia mais

Nivelamento Desenho Técnico

Nivelamento Desenho Técnico Módulo: Nivelamento Desenho Técnico Natanael Gomes da Costa Júnior Curso: FTST - FORMAÇÃO TÉCNICA EM SEGURANÇA DO TRABALHO MÓDULO DE NIVELAMENTO DESENHO TÉCNICO Sumário Sumário...2 Competências a serem

Leia mais

DESENHO TÉCNICO. Aula 06. Cotagem em Desenho Técnico

DESENHO TÉCNICO. Aula 06. Cotagem em Desenho Técnico FACULDADE DE TECNOLOGIA SHUNJI NISHIMURA POMPÉIA - SP DESENHO TÉCNICO Aula 06 Cotagem em Desenho Técnico Prof. Me. Dario de Almeida Jané COTAGEM EM DESENHO TÉCNICO Cotas são elementos de Desenho Técnico

Leia mais

Escola SENAI Gaspar Ricardo Junior CURSOS DO SENAI EM ITAPETININGA

Escola SENAI Gaspar Ricardo Junior CURSOS DO SENAI EM ITAPETININGA Apoio:, Prefeitura O SENAI Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial, entidade pública de direito privado, surgiu da necessidade da criação de uma Instituição capaz de preparar a mão de obra requerida

Leia mais

Objetivo da unidade Técnico/a de Refrigeração e Climatização

Objetivo da unidade Técnico/a de Refrigeração e Climatização Técnico de Refrigeração e Climatização Objetivo da unidade Técnico/a de Refrigeração e Climatização Utilizar normalização em desenho Desenhar com rigor construções geométricas básicas Ajustar com precisão

Leia mais

AA3 PRODUÇÃO DE DESENHO GEOMÉTRICO

AA3 PRODUÇÃO DE DESENHO GEOMÉTRICO AA3 PRODUÇÃO DE DESENHO GEOMÉTRICO Vamos agora colocar em prática o nosso conhecimento sobre desenho geométrico, desenvolver a habilidade de fazer traçados e de pensar espacialmente. O objetivo deste exercício

Leia mais

DESENHO TÉCNICO AULA 1: NORMAS PARA DESENHO TÉCNICO

DESENHO TÉCNICO AULA 1: NORMAS PARA DESENHO TÉCNICO AULA 1: NORMAS PARA Definição de Desenho Técnico Forma de expressão gráfica que tem por finalidade a representação de forma, dimensão e posição de objetos de acordo com as diferentes necessidades requeridas

Leia mais

ROTEIRO PRÁTICO DE DESENHO TÉCNICO

ROTEIRO PRÁTICO DE DESENHO TÉCNICO ROTEIRO PRÁTICO DE DESENHO TÉCNICO 1. OBJETIVO Este roteiro, baseado nas normas de desenho técnico em vigor, destina-se a orientar as empresas, interessadas em realizar ensaios para avaliações técnicas

Leia mais

Governador Cid Ferreira Gomes. Vice Governador Domingos Gomes de Aguiar Filho. Secretária da Educação Maria Izolda Cela de Arruda Coelho

Governador Cid Ferreira Gomes. Vice Governador Domingos Gomes de Aguiar Filho. Secretária da Educação Maria Izolda Cela de Arruda Coelho Governador Cid Ferreira Gomes Vice Governador Domingos Gomes de Aguiar Filho Secretária da Educação Maria Izolda Cela de Arruda Coelho Secretário Adjunto Maurício Holanda Maia Secretário Executivo Antônio

Leia mais

INSTITUTO FEDERAL DE SERGIPE COORDENADORIA DO CURSO DE CONSTRUÇÃO CIVIL COORDENADORIA DE DESENHO CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

INSTITUTO FEDERAL DE SERGIPE COORDENADORIA DO CURSO DE CONSTRUÇÃO CIVIL COORDENADORIA DE DESENHO CONTEÚDO PROGRAMÁTICO INSTITUTO FEDERAL DE SERGIPE COORDENADORIA DO CURSO DE CONSTRUÇÃO CIVIL COORDENADORIA DE DESENHO CONTEÚDO PROGRAMÁTICO Disciplina: Desenho Geométrico e Técnico Cursos: - Técnico em Eletrotécnica (SUB-MOD)

Leia mais

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO. TURMA: 1 semestre EMENTA

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO. TURMA: 1 semestre EMENTA MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA CAMPUS SANTA ROSA Rua Uruguai, 1675Bairro Central CEP: 98900.000

Leia mais

REPRESENTAÇÃO GRÁFICA DE COMPONENTES DE MECÂNICA

REPRESENTAÇÃO GRÁFICA DE COMPONENTES DE MECÂNICA ETE Cel. Fernando Febeliano da Costa REPRESENTAÇÃO GRÁFICA DE COMPONENTES DE MECÂNICA 1 o Ciclo de Técnico Mecânica Apostila baseada nas anotações de Professores e do TC 2000 Técnico Distribuição gratuita

Leia mais

O que é desenho técnico

O que é desenho técnico A U L A O que é desenho técnico Introdução Quando alguém quer transmitir um recado, pode utilizar a fala ou passar seus pensamentos para o papel na forma de palavras escritas. Quem lê a mensagem fica conhecendo

Leia mais

DESENHO BÁSICO AULA 01

DESENHO BÁSICO AULA 01 DESENHO BÁSICO AULA 01 Introdução à Unidade Curricular Introdução ao Desenho Técnico 31/07/2008 Desenho Desenho Artístico Desenho Técnico Desenho Não-Projetivo: gráficos e diagramas fluxogramas organogramas

Leia mais

NBR 8196 (Ago 1992) 2.7.2. Conceito Escala é a relação entre as medidas do desenho de um objeto e seu tamanho real:

NBR 8196 (Ago 1992) 2.7.2. Conceito Escala é a relação entre as medidas do desenho de um objeto e seu tamanho real: 2.7. ESCALAS NBR 8196 (Ago 1992) 2.7.1. OBJETIVO Fixa as condições exigíveis para o emprego de escalas e suas designações em desenho técnico e documentos semelhantes. 2.7.2. Conceito Escala é a relação

Leia mais

UNESP DESENHO TÉCNICO: Fundamentos Teóricos e Introdução ao CAD. Parte 3/5: Prof. Víctor O. Gamarra Rosado

UNESP DESENHO TÉCNICO: Fundamentos Teóricos e Introdução ao CAD. Parte 3/5: Prof. Víctor O. Gamarra Rosado UNESP UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA FACULDADE DE ENGENHARIA CAMPUS DE GUARATINGUETÁ DESENHO TÉCNICO: Fundamentos Teóricos e Introdução ao CAD Parte 3/5: 8. Projeções ortogonais 9. Terceira Vista 10. Tipos

Leia mais

DESENHO DE ARQUITETURA PLANTA BAIXA AULA 01 PROF ALINE FERNANDES

DESENHO DE ARQUITETURA PLANTA BAIXA AULA 01 PROF ALINE FERNANDES DESENHO DE ARQUITETURA PLANTA BAIXA PLANTA BAIXA PLANTA BAIXA PLANTA BAIXA PLANTA BAIXA PLANTA BAIXA PROJETO ARQUITETÔNICO SÍMBOLOS GRÁFICOS PASSOS PARA MONTAGEM DE PLANTA BAIXA: 1. Deve-se estimar o tamanho

Leia mais

PROGRAMA DE EDUCAÇÃO LABORAL

PROGRAMA DE EDUCAÇÃO LABORAL PROGRAMA DE EDUCAÇÃO LABORAL 7ª Classe 1º CICLO DO ENSINO SECUNDÁRIO Ficha Técnica TÍTULO: Programa de Educação Laboral - 7ª Classe EDITORA: INIDE IMPRESSÃO: GestGráfica, S.A. TIRAGEM: 2.000 exemplares

Leia mais

SENAI - CE Centro de Educação e Tecnologia Alexandre Figueira Rodrigues - CET AFR

SENAI - CE Centro de Educação e Tecnologia Alexandre Figueira Rodrigues - CET AFR Unidade Escolar CNPJ Razão Social Nome de Fantasia Esfera Administrativa Endereço (Rua, No) Cidade/UF/CEP Telefone/Fax E-mail de Contato Site da Unidade Área do Plano 03.768.202/0007-61 SEI - Centro de

Leia mais

Normas da ABNT para Desenho Técnico

Normas da ABNT para Desenho Técnico UFMG - Curso de Graduação em Engenharia Metalúrgica Disciplina: DESENHO D Prof. Marcelo Borges Mansur (DEMET-UFMG) Normas da ABNT para Desenho Técnico Associação Brasileira de Normas Técnicas TERMINOLOGIA

Leia mais

Mecânica Leitura e Interpretação de Desenho Técnico Mecânico

Mecânica Leitura e Interpretação de Desenho Técnico Mecânico _ CPM - Programa de Certificação de Pessoal de Manutenção Mecânica Leitura e Interpretação de Desenho Técnico Mecânico _ Departamento Regional do Espírito Santo 3 _ Leitura e Interpretação de Desenho Técnico

Leia mais

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS Engenharia Mecânica 9ª Série Fabricação Assistida por Computador A atividade prática supervisionada (ATPS) é um método de ensinoaprendizagem desenvolvido por meio de

Leia mais

PROGRAMA DE DISCIPLINA

PROGRAMA DE DISCIPLINA Faculdade Anísio Teixeira de Feira de Santana Autorizada pela Portaria Ministerial nº 552 de 22 de março de 2001 e publicada no Diário Oficial da União de 26 de março de 2001. Endereço: Rua Juracy Magalhães,

Leia mais

Ficha Técnica de Produto Argamassa Biomassa Código: AB001

Ficha Técnica de Produto Argamassa Biomassa Código: AB001 1. Descrição: A é mais uma argamassa inovadora, de alta tecnologia e desempenho, que apresenta vantagens econômicas e sustentáveis para o assentamento de blocos em sistemas de vedação vertical. O principal

Leia mais

O Desenho Técnico aplicado ao conteúdo da disciplina de. Design de Joias e Bijuterias

O Desenho Técnico aplicado ao conteúdo da disciplina de. Design de Joias e Bijuterias O Desenho Técnico aplicado ao conteúdo da disciplina de Design de Joias e Bijuterias Liliane de Araujo Mancebo (Curso de Moda Universidade Feevale) RESUMO O objetivo deste artigo é apresentar como as Normas

Leia mais

Desenhando perspectiva isométrica

Desenhando perspectiva isométrica Desenhando perspectiva isométrica A UU L AL A Quando olhamos para um objeto, temos a sensação de profundidade e relevo. As partes que estão mais próximas de nós parecem maiores e as partes mais distantes

Leia mais

Normatização Desenho Técnico. Prof. Solivan Altoé

Normatização Desenho Técnico. Prof. Solivan Altoé Normatização Desenho Técnico CALIGRAFIA TÉCNICA NBR 8402 Assim como o resto do desenho técnico, as letras e algarismos também seguem uma forma definida por norma. Até pouco tempo atrás as letras eram desenhadas

Leia mais

Tipos de Linhas, Legenda e Construção Geométricas Simples. Prof. Marciano dos Santos Dionizio

Tipos de Linhas, Legenda e Construção Geométricas Simples. Prof. Marciano dos Santos Dionizio Tipos de Linhas, Legenda e Construção Geométricas Simples. Prof. Marciano dos Santos Dionizio Linhas Norma ABNT NBR 8403 de 1994 As linhas são as formas de mostrar como objeto se caracteriza. Para cada

Leia mais

ENG 05230 TÉCNICAS DE REPRESENTAÇÕES INSDUSTRIAIS

ENG 05230 TÉCNICAS DE REPRESENTAÇÕES INSDUSTRIAIS Universidade Federal de Espírito Santo Centro de Ciências Agrárias Departamento de Engenharia Rural Alto Universitário, s/nº - Cx Postal 16, Guararema - 29500-000 Alegre-ES ENG 05230 TÉCNICAS DE REPRESENTAÇÕES

Leia mais

Desenho Técnico. Desenho. Desenho Artístico. Representação de coisas, seres, e objetos através de linhas e pontos. Expressão gráfica da forma.

Desenho Técnico. Desenho. Desenho Artístico. Representação de coisas, seres, e objetos através de linhas e pontos. Expressão gráfica da forma. Desenho Técnico Desenho Técnico e CAD Prof. Luiz Antonio do Nascimento Desenho 2/29 Representação de coisas, seres, e objetos através de linhas e pontos. Expressão gráfica da forma. Pode ser: Desenho Artístico

Leia mais

UNESP DESENHO TÉCNICO: Fundamentos Teóricos e Introdução ao CAD. Parte 4/5: Prof. Víctor O. Gamarra Rosado

UNESP DESENHO TÉCNICO: Fundamentos Teóricos e Introdução ao CAD. Parte 4/5: Prof. Víctor O. Gamarra Rosado UNESP UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA FACULDADE DE ENGENHARIA CAMPUS DE GUARATINGUETÁ DESENHO TÉCNICO: Fundamentos Teóricos e Introdução ao CAD Parte 4/5: 11. Cotagem 12. Escala Prof. Víctor O. Gamarra

Leia mais

Desenho Técnico. Desenho. Desenho Artístico. Representação de coisas, seres, e objetos através de linhas e pontos. Expressão gráfica da forma.

Desenho Técnico. Desenho. Desenho Artístico. Representação de coisas, seres, e objetos através de linhas e pontos. Expressão gráfica da forma. Desenho Técnico Desenho Técnico e CAD Prof. Luiz Antonio do Nascimento Desenho 2/29 Representação de coisas, seres, e objetos através de linhas e pontos. Expressão gráfica da forma. Pode ser: Desenho Artístico

Leia mais

Placa de obra: Haverá a colocação em local visível de placa de obra, metálica, fixada em estrutura de madeira, conforme padrão fornecido SOP.

Placa de obra: Haverá a colocação em local visível de placa de obra, metálica, fixada em estrutura de madeira, conforme padrão fornecido SOP. MEMORIAL DESCRITIVO RECONSTRUÇÃO DO ALBERGUE JUNTO AO PRESIDIO ESTADUAL DE VACARIA RS. VACARIA RS. GENERALIDADES: Este Memorial Descritivo tem a função de propiciar a perfeita compreensão do projeto e

Leia mais

Medição tridimensional

Medição tridimensional A U A UL LA Medição tridimensional Um problema O controle de qualidade dimensional é tão antigo quanto a própria indústria, mas somente nas últimas décadas vem ocupando a importante posição que lhe cabe.

Leia mais

>> PROGRAMA DE DISCIPLINA

>> PROGRAMA DE DISCIPLINA UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MINAS GERAIS ESCOLA DE DESIGN >> PROGRAMA DE DISCIPLINA PERÍODO DISCIPLINA Prática Projetual VI 1 SEMESTRE [ X ] PROFESSOR Carlos Alberto Silva de Miranda 2 SEMESTRE [ ] CURSO

Leia mais

Escalas. Antes de representar objetos, modelos, peças, A U L A. Nossa aula. O que é escala

Escalas. Antes de representar objetos, modelos, peças, A U L A. Nossa aula. O que é escala Escalas Introdução Antes de representar objetos, modelos, peças, etc. deve-se estudar o seu tamanho real. Tamanho real é a grandeza que as coisas têm na realidade. Existem coisas que podem ser representadas

Leia mais

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EMENTA

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EMENTA EIXO TECNOLÓGICO: INFRAESTRUTURA Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO CURSO: Curso Técnico em Edificações FORMA/GRAU:( )integrado ( x )subsequente ( ) concomitante ( ) bacharelado ( ) licenciatura ( ) tecnólogo

Leia mais

CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE MATO GROSSO

CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE MATO GROSSO Página 1/38 Professor: Fabiano de Pádua Data: 10/2/2010 Aluno(a): Turma: Página 2/38 SUMÁRIO 1. OBJETIVO... 4 2. CONCEITOS BÁSICOS... 4 2.1- Histórico... 4 2.2- Desenho Técnico... 4 2.3- Normas e Padrões...

Leia mais

Desenho Técnico. Aula 2 Prof. Daniel Cavalcanti Jeronymo. Introdução ao Desenho Técnico

Desenho Técnico. Aula 2 Prof. Daniel Cavalcanti Jeronymo. Introdução ao Desenho Técnico Desenho Técnico CP41F Introdução ao Desenho Técnico Aula 2 Prof. Daniel Cavalcanti Jeronymo Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR) Engenharia de Computação 3º Período 2016.1 1/20 Desenho Técnico

Leia mais

EXAME NACIONAL DO ENSINO SECUNDÁRIO

EXAME NACIONAL DO ENSINO SECUNDÁRIO EXAME NACIONAL DO ENSINO SECUNDÁRIO 12.º Ano de Escolaridade (Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de Março) PROVA 706/7 Págs. Duração da prova: 150 minutos 2007 2.ª FASE PROVA PRÁTICA DE DESENHO A V.S.F.F.

Leia mais

E-QP-ECD-070 REV. C 01/Abr/2008 PROCEDIMENTO DE CONTROLE DIMENSIONAL - CALIBRAÇÃO DE MICRÔMETRO EXTERNO - - NÍVEL BÁSICO -

E-QP-ECD-070 REV. C 01/Abr/2008 PROCEDIMENTO DE CONTROLE DIMENSIONAL - CALIBRAÇÃO DE MICRÔMETRO EXTERNO - - NÍVEL BÁSICO - ENGENHARIA PROCEDIMENTO DE CONTROLE DIMENSIONAL - CALIBRAÇÃO DE MICRÔMETRO EXTERNO - - NÍVEL BÁSICO - Os comentários e sugestões referentes a este documento devem ser encaminhados ao SEQUI, indicando o

Leia mais

Em qualquer processo produtivo, deve-se garantir que as

Em qualquer processo produtivo, deve-se garantir que as Confiabilidade, calibração e definições importantes para os instrumentos de medir Os instrumentos de medição são os dispositivos utilizados para realizar uma medição e no âmbito da metrologia legal são

Leia mais

Ensaio de tração: procedimentos normalizados

Ensaio de tração: procedimentos normalizados A U A UL LA Ensaio de tração: procedimentos normalizados Introdução Hoje em dia é comum encontrar uma grande variedade de artigos importados em qualquer supermercado e até mesmo em pequenas lojas de bairro:

Leia mais

Educação Visual - Cód. 14

Educação Visual - Cód. 14 Agrupamento Vertical de Escolas de Abação Escola EB 2,3 Abação Informação n.º 1 ---------------------------------------------------- Data: 12 de maio de 2014 ----------------------------------------------------

Leia mais

DESENHO TÉCNICO MECÂNICO I. Aula 02 Projeção, vistas, diedros. Desenho Técnico Mecânico I

DESENHO TÉCNICO MECÂNICO I. Aula 02 Projeção, vistas, diedros. Desenho Técnico Mecânico I DESENHO TÉCNICO MECÂNICO I Aula 02 Projeção, vistas, diedros PROJEÇÕES Projeções Projeção Cilíndrica Projeção Ortogonal Isométrica Vistas Ortográficas 1º Diedro 2º Diedro 3º Diedro 4º Diedro PROJEÇÕES

Leia mais

Relação de materiais. Relação de materiais. Instrumentos. Jogo de esquadros 45º e 30º/60º, sem graduação. Papel formato A4 margeado

Relação de materiais. Relação de materiais. Instrumentos. Jogo de esquadros 45º e 30º/60º, sem graduação. Papel formato A4 margeado Instrumentos Janine Gomes da Silva, Arq. M.Sc Engenharia Civil Relação de materiais Jogo de esquadros 45º e 30º/60º, sem graduação Papel formato A4 margeado Lapiseira 0.7 HB; lapiseiras 0.5 grafite 2B

Leia mais

Aprovação do curso e Autorização da oferta PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO

Aprovação do curso e Autorização da oferta PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SANTA CATARINA Aprovação do curso e Autorização da oferta PROJETO PEDAGÓGICO

Leia mais

DESENHO BÁSICO AULA 01. Desenho Técnico. Desenho. História do Desenho Técnico. Desenho Artístico Desenho Técnico

DESENHO BÁSICO AULA 01. Desenho Técnico. Desenho. História do Desenho Técnico. Desenho Artístico Desenho Técnico desenho de planta-baixa DESENHO BÁSICO AULA 01 Introdução ao Desenho Técnico Desenho Desenho Artístico Desenho Técnico Desenho Técnico Ramos do Desenho Técnico Mecânico Desenho Não-Projetivo: peças máquinas

Leia mais

DESENHO ARQUITETÔNICO

DESENHO ARQUITETÔNICO DESENHO ARQUITETÔNICO PROFESSORES: ADRIANA DINIZ BALDISSERA, ALEX BEDIN, FABIANO CZARNOBAY Chapecó, 2015. Elaboração: ADRIANA DINIZ BALDISSERA, ALEX BEDIN, FABIANO CZARNOBAY Propriedade da Faculdade Empresarial

Leia mais

Código da Disciplina CCE0047 AULA 3. e-mail: prof.clelia.fic@gmail.com http://cleliamonasterio.blogspot.com/

Código da Disciplina CCE0047 AULA 3. e-mail: prof.clelia.fic@gmail.com http://cleliamonasterio.blogspot.com/ Código da Disciplina CCE0047 AULA 3 e-mail: prof.clelia.fic@gmail.com http://cleliamonasterio.blogspot.com/ Representação de projetos de arquitetura NBR- 6492: INFORMAÇÕES NA PRANCHA: Nome dos ambientes:

Leia mais

Tipos de produtos fabricados NORMAS TÉCNICAS NA CADEIA PRODUTIVA DO SETOR MOVELEIRO DE PEQUENOS NEGÓCIOS

Tipos de produtos fabricados NORMAS TÉCNICAS NA CADEIA PRODUTIVA DO SETOR MOVELEIRO DE PEQUENOS NEGÓCIOS A cadeia produtiva moveleira é reconhecida pelo seu dinamismo, devido ao grande número de fornecedores e complexidade de processos que criam uma dependência entre os elos da cadeia. No que diz respeito

Leia mais

PLANO DE ENSINO. Código: ARQ 1090 Turmas: A01, A02, A03 e A04. 4 80 aulas Professores: Fernando Camacho, Edna, Paulo Lins e Sérgio Wiederhecker

PLANO DE ENSINO. Código: ARQ 1090 Turmas: A01, A02, A03 e A04. 4 80 aulas Professores: Fernando Camacho, Edna, Paulo Lins e Sérgio Wiederhecker Ramo: Projeto de Arquitetura Disciplina: PLANO DE ENSINO Topografia na Arquitetura e Urbanismo Período: Quarto Créditos: Código: ARQ 1090 Turmas: A01, A02, A03 e A04 Seqüência: Desenho Projetivo TP Pré-requisitos:

Leia mais

SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM INDUSTRIAL DEPARTAMENTO REGIONAL DO ESPÍRITO SANTO GERÊNCIA EXECUTIVA DE EDUCAÇÃO E TECNOLOGIA PLANO DO CURSO

SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM INDUSTRIAL DEPARTAMENTO REGIONAL DO ESPÍRITO SANTO GERÊNCIA EXECUTIVA DE EDUCAÇÃO E TECNOLOGIA PLANO DO CURSO SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM INDUSTRIAL DEPARTAMENTO REGIONAL DO ESPÍRITO SANTO GERÊNCIA EXECUTIVA DE EDUCAÇÃO E TECNOLOGIA PLANO DO CURSO MONTADOR E INSTALADOR DE MÓVEIS QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL

Leia mais

Acerca da representação do projeto de arquitetura, julgue o item seguinte.

Acerca da representação do projeto de arquitetura, julgue o item seguinte. 52.(UEAP/FGV/2014) Segundo Neves (1989), as informações básicas conceituais são o embasamento sobre o qual se assentam todas as ideias do partido arquitetônico e podem ser sintetizadas em cinco tópicos,

Leia mais

1 Introdução. Elementos de fixação. Elementos de fixação constitui uma unidade. de 13 aulas que faz parte do módulo Elementos de Máquinas.

1 Introdução. Elementos de fixação. Elementos de fixação constitui uma unidade. de 13 aulas que faz parte do módulo Elementos de Máquinas. A U A UL LA Introdução aos elementos de fixação Introdução Elementos de fixação constitui uma unidade de 3 aulas que faz parte do módulo Elementos de Máquinas. Nessa unidade, você vai estudar os principais

Leia mais