GUIA INFORMATIVO 1º CICLO DE ESTUDOS EM TURISMO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "GUIA INFORMATIVO 1º CICLO DE ESTUDOS EM TURISMO"

Transcrição

1 GUIA INFORMATIVO 1º CICLO DE ESTUDOS EM TURISMO Ano Lectivo 2009/2010

2 APRESENTAÇÃO A proposta do 1º ciclo de estudos em Turismo integra-se numa dinâmica alargada decorrente do Projecto de Formação do Departamento de Ciências da Educação e do Património, da Universidade Portucalense Infante D. Henrique. Contando com o apoio de uma equipa de docentes e investigadores de reconhecido mérito académico e científico, este ciclo de estudos pretende, numa lógica de especialização progressiva, dotar os seus alunos de um conjunto de competências científicas, profissionais e pessoais necessárias ao competente exercício da sua actividade profissional. Entre os objectivos que nortearam este ciclo de estudos destaca-se a formação de profissionais com sólidos conhecimentos científicos e com competências que os habilitem para o exercício profissional ao nível do Turismo. Assim, o plano de formação do curso engloba unidades curriculares da área das Ciências Sociais e Humanas necessárias para compreender a multidisciplinaridade e interdisciplinaridade do turismo. Na unidade curricular Cultura Lazer e Tempos Livres será abordada a cultura contemporânea e a sociedade do lazer. A unidade curricular Geografia do Turismo fornece o conhecimento das bases geográficas do desenvolvimento do sistema turístico. Economia e Política do Turismo permite um conhecimento aprofundado do sector do turismo. Relações públicas e Comunicação analisa as Relações Públicas Internacionais. O Turismo Internacional e os sistemas de comunicação. Confere competências em domínios instrumentais. Arte e Património dá ao aluno o enquadramento teórico necessário para a elaboração dos itinerários nacionais e insere-o nas problemáticas actuais do Património. A Sociologia do Turismo permite analisar o imaginário turístico e as motivações do turista. A Legislação e Ética do Turismo dá o enquadramento legal e o regime jurídico das actividades turísticas.

3 Foram contempladas também unidades curriculares da área das Ciências Exactas, onde incluímos Contabilidade Aplicada ao Turismo onde se analisa a relação entre a empresa turística e a contabilidade e a importância da contabilidade. A Estatística Aplicada ao Turismo permite reforçar a capacidade de integração nos diversos tipos de empresas e nos seus domínios de actuação. O curso engloba ainda unidades curriculares da área do turismo, onde os alunos adquirem competências básicas e instrumentais. Assim, em Princípios Gerais do Turismo são abordadas as teorias e sistemas em Turismo, bem como as estruturas organizacionais do Turismo, as suas directivas bem como a interacção entre turistas, comunidade acolhedora e agentes económicos. O Turismo em Espaço Rural e Urbano pretende dar uma perspectiva abrangente das diferentes modalidades do T. E. R. No que respeita ao Turismo em espaço urbano são equacionadas as questões fundamentais, nomeadamente a Qualidade, Sustentabilidade e Autenticidade. A Animação Turística e Gestão de Eventos analisará a tipologia da Animação turística, actividades e estudo de casos. A unidade curricular Itinerários Turísticos permite desenhar as rotas e itinerários ligadas ao desenvolvimento do turismo nas diferentes regiões. O conhecimento aprofundado dos Sistemas de Transportes e Alojamentos Turísticos fazem parte das competências essenciais da actividade. Métodos e Técnicas de Investigação em Turismo permitem ao aluno adquirir capacidade de pesquisa e interpretação da informação. Os dois módulos de Estágio I e Estágio II colocam o aluno em contacto directo com a realidade laborar e permitem-lhe adquirir experiência de resolução de problemas práticos. A Inovação e Desenvolvimento de Produtos Turístico tem como objectivo desenvolver a capacidade de criar e inovar ao nível da oferta turística. A Promoção e Dinamização de Destinos Turísticos reforça a dinamização dos destinos turísticos. Consideramos igualmente unidades curriculares de especialização, onde os formandos adquirem competências para dominar a diversidade das tipologias das operações turísticas. Contam-se nesse grupo os Sistemas de Informação Aplicados ao Turismo, onde são abordados os programas informáticos necessários para potenciar a informação e as operações turísticas. Serão

4 abordados os sistemas informáticos de distribuição e os sistemas de reservas computadorizados, bom como os sistemas globais de distribuição, a internet, etc. A unidade curricular Técnica Profissional e Operações Turísticas é essencial para o trabalho nas agências de viagens e operadores turísticos. A sua matriz programática tem como objectivo a aquisição de competências nos diversos domínios operacionais da prática profissional. Desenvolvimento e Operacionalização de Projectos Turísticos pretende reforçar as competências dos formandos na implementação de Projectos turísticos. É o coroar de todo o processo de ensino - aprendizagem correspondente ao plano curricular do curso que deverá traduzir-se na capacidade de construir e operacionalizar projectos, articulando, assim, a teoria e a prática ou mesmo na área do auto-emprego. Na área de Gestão e Marketing englobámos as unidades curriculares Organização e Gestão de Empresas Turísticas, onde se pretende dar ao aluno competências que lhe permitam a integração nas instituições e empresas turísticas, na sua organização, gestão e actuação. O Marketing de Empresas Turísticas reforça esta vertente de dinâmica empresarial. Entre as unidades curriculares complementares, encontram-se as Técnicas de Comunicação Oral e Escrita, o inglês, o francês ou o espanhol, enquanto ferramentas essenciais para a comunicação inerente à prática turística. Os seus conteúdos reforçam a especialização do profissional de turismo na área da comunicação, uma vez que lhe dão competências em domínios instrumentais, claramente direccionadas para domínios orais e escritos específicos. São fundamentais para o exercício da actividade. O francês e o espanhol são complementares e opcionais entre si, sendo uma delas obrigatória. O aluno poderá fazer a sua opção de acordo com a região turística onde o aluno irá exercer a sua prática profissional. O inglês é obrigatório, como língua da União Europeia, bem como as Técnicas de Comunicação Oral e Escrita cujo objectivo é aprofundar os conhecimentos sobre Língua portuguesa. O plano curricular será complementado com unidades curriculares opcionais ao longo dos três anos.

5 Neste sentido, o presente ciclo de estudos pretende garantir: 1) a continuidade da formação ao longo da vida; 2) o cumprimento das directrizes emanadas do espaço europeu respeitantes à formação em Turismo; e 3) a promoção competências que habilitem para a prática profissional. A presente oferta formativa destina-se, de igual forma, a todos os profissionais interessados em adquirir uma especialização, formação especializada ou grau de mestre na área de especialização conferida pela conclusão do 1º ano do curso de mestrado. No sentido de promover, nos seus alunos, as competências pessoais e profissionais necessárias ao desenvolvimento de respostas eficazes perante as crescentes e mais complexas solicitações do mercado de trabalho (quer em termos de investigação quer de práticas de intervenção), este ciclo de estudos oferece uma formação que alia a transmissão de conhecimentos científicos sólidos a situações práticas e reais dos contextos de trabalho, nomeadamente através do contacto com profissionais com reconhecida experiência profissional e científica no domínio de estudo em questão. ORGANIZAÇÃO DO CICLO DE ESTUDOS Tendo como preocupação o seguimento das directrizes propostas pelo Processo de Bolonha e pela legislação portuguesa que regula a actividade profissional subscreveram, a presente proposta segue um conjunto de princípios básicos já presentes no curriculum da licenciatura: 1. Definição de relevantes áreas científicas que agrupam as unidades curriculares; 2. Agrupamento das unidades curriculares segundo o seu carácter obrigatório imprescindível ao conhecimento prático; 3. Organização sequencial das unidades curriculares ao longo de todo o curso, seguindo uma lógica de especialização progressiva, surgindo inicialmente as unidades curriculares base, seguidas das unidades curriculares específicas e de intervenção que permitem a investigação e a inserção no mercado de trabalho em domínios específicos.

6 A presente proposta de formação em Turismo pressupõe um sistema de créditos, em unidades ECTs, assumindo-se que o 1º ciclo de estudos corresponderá a 180 unidades de crédito. Estas 180 unidades de crédito encontram-se distribuídas igualmente por cada um dos três anos de formação, atribuindo-se 60 ECTs à totalidade de unidades curriculares que compõem cada ano. A distribuição das unidades de crédito é efectuada pelas diferentes áreas científicas, sendo que cada área científica é integrada por unidades curriculares obrigatórias e por uma opcional. A carga máxima de trabalho exigida ao aluno é de 40 h semanais que perfazem um total anual de 1620 horas de trabalho de um estudante. Desta forma, a cada unidade curricular correspondem 27 horas de trabalho, independentemente da tarefa executada. Para ministrar o presente ciclo de estudos a Universidade Portucalense conta com a colaboração de um corpo docente qualificado, com uma profunda experiência de trabalho e de investigação nas diferentes áreas leccionadas. As diversas unidades curriculares encontram-se organizadas de forma coerente e contextualizada à diversidade da dinâmica organizacional, sendo complementadas por seminários orientados por especialistas nas temáticas em debate e outras actividades curriculares e extra-curriculares consideradas relevantes. Pretende-se, desta maneira, desenvolver nos diversos profissionais e/ou futuros profissionais que optaram por ingressar no presente ciclo de estudos competências que lhes permitam desempenhar de forma eficiente a sua função, transformando-os em profissionais activos e intervenientes nas instituições com que colaboram. Para mais informações sobre o plano de estudos, normativos e regulamentos deverão ser consultados na página da UPT os seguintes documentos: Normas regulamentares do 1º ciclo de estudos em Turismo Regulamento Pedagógico

7 PERFIL E COMPETÊNCIAS DOS LICENCIADOS A proposta de ciclo de estudos conducente ao grau de licenciado em património Turismo pretende oferecer uma formação de profissionais com sólidos conhecimentos científicos, bem como competências que os habilitem para o futuro exercício profissional. Entre as competências (saber, saber fazer, saber estar e saber ser) que se pretendem/aperfeiçoar ao longo do curso, salientam-se as capacidades de: O grau de licenciado é atribuído a quem demonstrar: Possuir conhecimentos e capacidade de compreensão ao nível dos conceitos, teorias e operações ligadas ao exercício da actividade turística. Compreender criticamente o estado do conhecimento nos seus vários sectores de actuação. Domínio dos códigos funcionais e interacção entre turistas, comunidades de acolhimento e agentes económicos, estruturas organizacionais do turismo e suas directivas. Capacidade de integração nos diferentes tipos de instituições e empresas turísticas e domínio das técnicas de gestão. Compreender o carácter multidisciplinar e interdisciplinar da actividade turística. Capacidade de criar e desenvolver produtos turísticos inovadores e Projectos de desenvolvimento turístico. Domínio de metodologias de investigação turística, capacidade de resolução de problemas, interpretação e análise da informação, bem como inventariação de recursos. Domínio dos instrumentos de comunicação turística (oral e escrita), e animação turística Conhecimento das ferramentas de pesquisa e gestão de informação Adquirir um amplo conhecimento dos diferentes tipos de operações turísticas.

8 Conhecimento das orientações morais, éticas, ambientais e legais necessárias para as melhores práticas. Consciência da dimensão inter-cultural do turismo e do contributo de um leque alargado de disciplinas para o desenvolvimento do turismo. PLANO CURRICULAR A presente proposta curricular encontra-se estruturada em diferentes áreas científicas organizadoras das unidades curriculares que as integram e do número de créditos necessários à obtenção do grau ou diploma (cf. Quadro I e II) Áreas científicas e créditos que devem ser reunidos para a obtenção do grau ou diploma: Áreas Científicas do Curso de Turismo Universidade Portucalense Infante D. Henrique Departamento de Ciências da Educação e do Património Licenciatura Turismo QUADRO N.º1 ÁREA CIENTÍFICA SIGLA CRÉDITOS OBRIGATÓRIOS OPTATIVOS Ciências Sociais e Humanas CSH 36 8 (4 ECTS obrigatórios) Ciências Exactas CE 10 Gestão e Marketing GM 10 Línguas L 35 Turismo T 53 8

9 (8 ECTS obrigatórios) Operações Turísticas OT (8 ECTS Obrigatórios) TOTAL (20 ECTS Obrigatórios) 1. Observações:

10 2. Plano de estudos: Universidade Portucalense Infante D. Henrique Departamento de Ciências da Educação e do Património Licenciatura Turismo 1º Ano, 1º Semestre QUADRO N.º 2 TEMPO DE TRABALHO UNIDADES CURRICULARES ÁREA CIENTÍFICA TIPO (HORAS) CRÉDITOS OBSERVAÇÕES TOTAL CONTACTO (1) (2) (3) (4) (5) (6) (7) Princípios Gerais de Turismo T Semestral 135 h Técnicas de Comunicação Oral e Escrita L Semestral 135 h 67.5h (TP)+ 10 (OT) 67.5h (TP) (OT) 5 Cultura, Lazer e Tempos Livres CSH Semestral 135 h Geografia do Turismo CSH Semestral 135 h Métodos e Técnicas de Investigação em Turismo T Semestral 135 h 67.5h (TP)+ 10 (OT) 67.5h (TP)+ 10 (OT) 67.5h (TP) (OT) 5

11 Economia e Política do Turismo CSH Semestral 135 h 67.5h (TP)+ 10 (OT) 5 11

12 Universidade Portucalense Infante D. Henrique Departamento de Ciências da Educação e do Património Licenciatura Turismo 1º Ano, 2º Semestre QUADRO N.º 2 TEMPO DE UNIDADES ÁREA TRABALHO TIPO CURRICULARES CIENTÍFICA (HORAS) CRÉDITOS OBSERVAÇÕES TOTAL CONTACTO (1) (2) (3) (4) (5) (6) (7) Relações Públicas e 80h (PL) + CSH Semestral 162 h Comunicação 20h (OT) 6 Arte e Património 67.5h CSH Semestral 135 h (TP)+ 10 (OT) 5 12

13 Contabilidade aplicada ao Turismo CE Semestral 135 h Turismo em Espaço Rural e Urbano T Semestral 135 h Estatística aplicada ao Turismo CE Semestral 135 h Opção CSH Semestral 108 h 67.5h (TP)+ 10 (OT) 67.5h (TP)+ 10 (OT) 67.5h (TP)+ 10 (OT) 30h (TP)+ 20h (OT)

14 Universidade Portucalense Infante D. Henrique Departamento de Ciências da Educação e do Património Licenciatura Turismo 2º Ano, 1º Semestre QUADRO N.º 2 TEMPO DE UNIDADES ÁREA TRABALHO TIPO CURRICULARES CIENTÍFICA (HORAS) CRÉDITOS OBSERVAÇÕES TOTAL CONTACTO (1) (2) (3) (4) (5) (6) (7) Animação Turística e 80h (PL) + T Semestral 162h Gestão de Eventos 20h (OT) 6 Itinerários Turísticos 67.5h T Semestral 135 h (TP)+ 10 (OT) 5 14

15 Inglês Técnico I L Semestral 135 h Francês Técnico I/Espanhol Técnico I L Semestral 135 h Sociologia do Turismo CSH Semestral 135 h Opção T Semestral 108 h 67.5h (TP)+ 10 (OT) 67.5h (TP)+ 10 (OT) 67.5h (TP)+ 10 (OT) 30h (TP)+ 20h (OT)

16 Universidade Portucalense Infante D. Henrique Departamento de Ciências da Educação e do Património Licenciatura Turismo 2º Ano, 2º Semestre QUADRO N.º 2 TEMPO DE UNIDADES ÁREA TRABALHO TIPO CURRICULARES CIENTÍFICA (HORAS) CRÉDITOS OBSERVAÇÕES TOTAL CONTACTO (1) (2) (3) (4) (5) (6) (7) Sistemas de Informação 80h (PL) + OT Semestral 162h aplicados ao Turismo 20h (OT) 6 Promoção e Dinamização de Destinos Turísticos T Semestral 135 h 67.5h (TP)+ 10 (OT) 5 16

17 Sistemas de Transportes e alojamentos Turísticos T Semestral 135 h Inglês Técnico II L Semestral 135 h Francês Técnico II/Espanhol Técnico II L Semestral 135 h Opção OT Semestral 108 h 67.5h (TP)+ 10 (OT) 67.5h (TP)+ 10 (OT) 67.5h (TP)+ 10 (OT) 30h (TP)+ 20h (OT)

18 Universidade Portucalense Infante D. Henrique Departamento de Ciências da Educação e do Património Licenciatura Turismo 3º Ano, 1º Semestre QUADRO N.º 2 TEMPO DE UNIDADES ÁREA TRABALHO TIPO CURRICULARES CIENTÍFICA (HORAS) CRÉDITOS OBSERVAÇÕES TOTAL CONTACTO (1) (2) (3) (4) (5) (6) (7) Estágio I 80h (PL) + T Semestral 162h 20h (OT) 6 Técnica Profissional e 67.5h Operações Turísticas OT Semestral 135 h (TP)+ 10 (OT) 5 18

19 Organização e Gestão de Empresas Turísticas GM Semestral 135 h Marketing de Empresas Turísticas GM Semestral 135 h Inglês Técnico III L Semestral 135 h Opção T Semestral 108 h 67.5h (TP)+ 10 (OT) 67.5h (TP)+ 10 (OT) 67.5h (TP)+ 10 (OT) 30h (TP)+ 20h (OT)

20 Universidade Portucalense Infante D. Henrique Departamento de Ciências da Educação e do Património Licenciatura Turismo 3º Ano, 2º Semestre QUADRO N.º 2 TEMPO DE UNIDADES ÁREA TRABALHO TIPO CURRICULARES CIENTÍFICA (HORAS) CRÉDITOS OBSERVAÇÕES TOTAL CONTACTO (1) (2) (3) (4) (5) (6) (7) Estágio II 80h (PL) + T Semestral 162h 20h (OT) 6 Inovação e 67.5h Desenvolvimento de T Semestral 135 h (TP) Produtos Turísticos (OT) 20

21 Desenvolvimento e Operacionalização de OT Semestral 135 h Projectos Turísticos Inglês Técnico IV L Semestral 135 h Legislação e Ética do Turismo CSH Semestral 135 h Opção OT Semestral 108 h 67.5h (TP)+ 10 (OT) 67.5h (TP)+ 10 (OT) 67.5h (TP)+ 10 (OT) 30h (TP)+ 20h (OT) CALENDARIZAÇÃO DAS UNIDADES CURRICULARES DO 1º ANO DO CICLO DE ESTUDOS Horário: laboral e pós-laboral FICHAS DE UNIDADE CURRICULAR 21

22 1º ano Ficha da Unidade Curricular Ano Lectivo: 2009/2010 IDENTIFICAÇÃO DA UNIDADE CURRICULAR Designação Princípios Gerais de Turismo Área Científica Turismo (de acordo com o apresentado no diploma legal do curso) Departamento DCEP Licenciatura em Turismo Semestre curricular 1º X 2º Unidades de crédito ECTS: 5 Língua de leccionação: Português Código (se disponível) Ciclo de estudos 1º x 2º 3º Obrigatória x Opcional PRÉ-REQUISITOS RECOMENDADOS (unidades curriculares ou conceitos) EQUIPA DOCENTE 22

23 Docente(s) (nome, ) Luísa Reis Lima HORAS DE CONTACTO Tipologia Ensino Teórico (T) Ensino Teórico-prático (TP) 67,5 Ensino Prático e/ou Laboratorial (PL) Trabalho de Campo (TC) Orientação Tutorial (OT) 10 Seminário (S) Total de horas de contacto a) 77, 5 Distribuição do esforço de trabalho (horas/semestre) HORAS DE TRABALHO INDEPENDENTE (DO ESTUDANTE) Tipologia Distribuição do esforço de trabalho (horas/semestre) Projecto individual Projecto de grupo 10 Provas (escritas, orais, práticas, etc.) 10 Investigação (recolha e análise de dados, etc.) 20 Experimentação Laboratorial Estudo autónomo 17,5 Estágio Outra Total de horas de trabalho independente b) 57, 5 Notas: OBJECTIVOS DA APRENDIZAGEM Depois de concluída a unidade curricular, o aluno deverá ser capaz de Ter uma visão abrangente da actividade turística. Estar familiarizado com os conceitos e diversas formas de turismo. 23

24 Ter capacidade de avaliação crítica sobre a dinâmica do turismo na sociedade contemporânea. PROGRAMA DA UNIDADE CURRICULAR Turismo: conceitos e tipos de turismo Estrutura do Mercado. Princípios e componentes da Oferta e da Procura turística Destinos turísticos. O impacto do Turismo. Turismo e desenvolvimento sustentável FONTES DE INFORMAÇÃO Bibliografia recomendada COOPER, Chris, FLETCHER, John, WANHILL, Stephen, GILBERT, David, SHEPERD, Rebecca (2001). Turismo, princípios e práticas. Porto Alegre: Ed. Bookman. CUNHA, Licínio (2007). Introdução ao Turismo. Lisboa: Editorial Verbo. WEBGRAFIA 24

25 Plano estratégico nacional de Turismo (PENT). Ministério da Economia/Secretaria de Estado de Turismo site Turismo de Portugal DOCUMENTAÇÃO DISPONIBILIZADA (Tipo e suporte) (Centro de cópias, Moodle ou URL de página de Internet onde estejam disponíveis documentações de suporte) COMPETÊNCIAS GENÉRICAS (Instrumentais, Pessoais e Sistémicas) Categoria Instrumentais Pessoais Competências Relevante na unidade curricular? Desenvolvida? (2) Avaliada? (2) (1) Análise e síntese X X X Comunicação oral e escrita X X Competência em língua estrangeira X Competência em informática e uso de novas tecnologias X Gestão da informação e da aprendizagem X X X Capacidade crítica e de avaliação Capacidade de auto-critica e de auto-avaliação Criatividade X X X Resolução de problemas X X X Capacidade de investigação X X X Capacidade de decisão X Capacidade de adaptação a novas situações X Conhecimento de outras culturas e costumes X Trabalho em equipa X X X Trabalho em contexto internacional X Relacionamento interpessoal X 25

26 Sistémicas Valorização da diversidade e da multiculturalidade X Comportamento ético e responsável X Liderança Capacidade de iniciativa e espírito empreendedor X Preocupação com a qualidade X Preocupação com a eficácia X Aptidão para aplicação na prática dos conhecimentos teóricos X X X Saber organizar, planear e gerir X X X Capacidade negocial (1) - Marcar com X quando aplicável; (2) Se seleccionado na coluna (1), marcar com X se aplicável. Observações sobre os tipos de competências: i. Competências instrumentais: capacidades cognitivas, metodológicas, tecnológicas e linguísticas; ii. Competências interpessoais: capacidades do indivíduo integrado no grupo e na sociedade (interacção social e cooperação; auto-avaliação e trabalho de equipa, entre outras); iii. Competências sistémicas: capacidades e competências relacionadas com o sistema na sua totalidade combinação da compreensão, sensibilidade e conhecimento que permitem ao indivíduo ver como as partes se relacionam e se agrupam (e.g., gestão de projectos, investigação, entre outros). AVALIAÇÃO DE CONHECIMENTOS E COMPETÊNCIAS Método de avaliação: Contínua Final Misto X Época de Avaliação Normal Tipo de elementos de avaliação a realizar e fórmula de cálculo da classificação final da unidade curricular Estudante Ordinário Presença e participação nas aulas (10%) + trabalho prático (40%) + exame final (50%) Com outro estatuto Trabalho prático (50%) + exame final (50%) 26

27 Época de Avaliação de Recurso Tipo de elementos de avaliação a realizar e fórmula de cálculo da classificação final da unidade curricular Presença e participação nas aulas (10%) + trabalho prático (40%) + exame final (50%) = nota final Época de Avaliação Especial Tipo de elementos de avaliação a realizar e fórmula de cálculo da classificação final da unidade curricular Presença e participação nas aulas (10%) + trabalho prático (40%) + exame final (50%) = nota final Calendarização dos momentos de avaliação Trabalho Prátco - a agendar com os alunos Exame final de acordo com o calendário escolar Outras observações relativas à avaliação de conhecimentos e competências Nota: os tipo de elementos de avaliação a considerar nos quadros anteriores são os constantes do Regulamento Pedagógico. 27

28 Ficha da Unidade Curricular Ano Lectivo: 2009/2010 IDENTIFICAÇÃO DA UNIDADE CURRICULAR Designação Técnicas de Comunicação Oral e Escrita Área Científica L (de acordo com o apresentado no diploma legal do curso) Departamento DCEP Licenciatura em Turismo Semestre curricular 1º X 2º Unidades de crédito ECTS: 5 Língua de leccionação: Português Código (se disponível) Ciclo de estudos 1º x 2º 3º Obrigatória x Opcional PRÉ-REQUISITOS RECOMENDADOS (unidades curriculares ou conceitos) EQUIPA DOCENTE Docente(s) (nome, ) Jacques Fernandes da Silva HORAS DE CONTACTO Distribuição do esforço de trabalho Tipologia (horas/semestre) Ensino Teórico (T) Ensino Teórico-prático 67,5 28

29 (TP) Ensino Prático e/ou Laboratorial (PL) Trabalho de Campo (TC) Orientação Tutorial (OT) Seminário (S) Total de horas de contacto a) HORAS DE TRABALHO INDEPENDENTE (DO ESTUDANTE) Distribuição do esforço de Tipologia trabalho (horas/semestre) Projecto individual Projecto de grupo Provas (escritas, orais, práticas, etc.) Investigação (recolha e análise de dados, etc.) Experimentação Laboratorial Estudo autónomo Estágio Outra Total de horas de trabalho independente b) Notas: OBJECTIVOS DA APRENDIZAGEM Depois de concluída a unidade curricular, o aluno deverá ser capaz de No âmbito das comummente designadas língua geral e língua de especialidade, mormente no domínio do Turismo, numa perspectiva tanto profissional como educacional e educativa, a Unidade Curricular assenta a sua configuração essencial, estrutural e funcional nos objectivos genéricos seguintes: Identificar as dimensões e as componentes da comunicação linguageira numa perspectiva sistémica e numa óptica diacrónica; 29

30 Caracterizar as dimensões e as componentes da comunicação linguageira numa perspectiva sistémica e numa óptica diacrónica; Determinar as modalidades relacionais das componentes língua e cultura no âmbito da comunicação linguageira numa óptica diacrónica; Descrever as dimensões e as componentes da multimodalidade da comunicação humana; Caracterizar a abordagem multimodal da comunicação humana nas suas dimensões processo e produto; Produzir, numa perspectiva comparativista, declinações de conteúdos no quadro da abordagem multimodal da comunicação humana. PROGRAMA DA UNIDADE CURRICULAR Da linguagem humana à comunicação linguageira e multimodal Signo linguístico; língua; fala; informação; comunicação; comunicação verbal; comunicação não verbal; multimodalidade da comunicação. Da língua e da cultura à língua-cultura Língua; cultura: cultura-visão, cultura-acção; língua/cultura; língua e cultura; língua-cultura. Da língua(-cultura) geral à língua(-cultura) de especialidade Unidade lexical; unidade terminológica; conceito; unidade conceptual; abordagem semasiológica; abordagem onomasiológica. Do uso da língua(-cultura) às operações de comunicação linguageira Contexto: domínios, situações, condições, constrangimentos; compreensão oral (ouvir, escutar) e escrita (leitura); produção oral (falar) e escrita (escrever); interacção oral e escrita; mediação oral e escrita; comunicação verbal, não verbal e multimodal; textos: géneros, tipos e suportes; operações de comunicação linguageira: planificação, execução (produção, recepção, interacção), controlo; actividades, técnicas e estratégias de comunicação linguageira. Das operações às competências de comunicação linguageira Competências gerais: saber, aptidões e saber-fazer, saber-ser (com ); competências comunicativas linguageiras: competências linguísticas (competências lexical, gramatical, semântica, fonológica, ortográfica e ortoépica), competência sociolinguística, competências pragmáticas (competências discursiva e funcional). Das tradução e interpretação linguísticas e terminológicas às competências plurilingue e pluricultural no âmbito da 30

31 intercompreensão Problemática da tradução (abordagem genérica): quadro de referência (língua-cultura-visão: imagens, representações e saber) e domínio de experiência (língua-cultura-acção: saber-fazer[-interagir-espontâneo], saber-ser, saber-ser com, saber-agir com); plurilinguismo, pluriculturalismo e intercompreensão: implicações na dimensão de mediação (tradução e interpretação) comunicativa com ênfase na sua vertente linguageira. FONTES DE INFORMAÇÃO ADLER, Ronald B. & George RODMAN (2006) Understanding Human Communication. Oxford: Oxford University Press. ARAÚJO E SÁ, H., MELO, S. & FRÓIS, J. (2006). A comunicação electrónica. Intercompreensão, 13. BACCINO, T. (2004). La lecture électronique. Grenoble : Presses de l Université de Grenoble. CONSELHO DA EUROPEU (2001). Quadro Europeu Comum de Referência para as Línguas. Porto: ASA. DUARTE, J. & BARROS, A. (2005). Métodos e técnicas de pesquisa em comunicação. São Paulo: Editora Atlas. FERRÃO TAVARES, C. et al. (2005). Literacias, usabilidade e mediação. Do papel ao ecrã. Intercompreensão, 12. KRESS, G. & VAN LEEUWEN, T. (2001). Multimodal Discourse. The modes and Media of Contemporary Communication, Londres: Arnold. MAIGRET, E. & MACE, E. (dir.) (2005). Penser les médiacultures. Nouvelles pratiques et nouvelles approches de la représentation du monde. Paris : Armand Colin. PIOLAT, A. (2006). Lire, écrire, communiquer et apprendre avec Internet. Marseille : SOLAL Éditeurs. WOLTON, D. (2005). Il faut sauver la communication. Paris : Flammarion. WOLTON, D. (2000). Internet, et après? Paris : Flammarion. Bibliografia complementar Pesquisa, selecção e construção progressiva pelos Estudantes ao longo do semestre, sob a supervisão do Regente da Unidade Curricular, sem prejuízo da indicação de elementos bibliográficos pelo referido Regente em 31

32 função das necessidades emergentes das dimensões aprendizagem-processo e aprendizagem-produto. WEBGRAFIA Pesquisa, selecção e construção progressiva pelos Estudantes ao longo do semestre, sob a supervisão do Regente da Unidade Curricular, sem prejuízo da indicação de elementos webgráficos pelo referido Regente em função das necessidades emergentes das dimensões aprendizagem-processo e aprendizagem-produto. DOCUMENTAÇÃO DISPONIBILIZADA (Tipo e suporte) (Centro de cópias, Moodle ou URL de página de Internet onde estejam disponíveis documentações de suporte) COMPETÊNCIAS GENÉRICAS (Instrumentais, Pessoais e Sistémicas) Categoria Instrumentais Pesso ais Competências Relevante na unidade curricular? Desenvolvida? (2) Avaliada? (2) (1) Análise e síntese X X X Comunicação oral e escrita X X Competência em língua estrangeira X Competência em informática e uso de novas tecnologias X Gestão da informação e da aprendizagem X X X Capacidade crítica e de avaliação Capacidade de auto-critica e de auto-avaliação Criatividade X X X Resolução de problemas X X X Capacidade de investigação X X X Capacidade de decisão X Capacidade de adaptação a novas situações X Conhecimento de outras culturas e costumes X Trabalho em equipa X X X 32

33 Sistémicas Trabalho em contexto internacional X Relacionamento interpessoal X Valorização da diversidade e da multiculturalidade X Comportamento ético e responsável X Liderança Capacidade de iniciativa e espírito empreendedor X Preocupação com a qualidade X Preocupação com a eficácia X Aptidão para aplicação na prática dos conhecimentos teóricos X X X Saber organizar, planear e gerir X X X Capacidade negocial (1) - Marcar com X quando aplicável; (2) Se seleccionado na coluna (1), marcar com X se aplicável. Observações sobre os tipos de competências: iv. Competências instrumentais: capacidades cognitivas, metodológicas, tecnológicas e linguísticas; v. Competências interpessoais: capacidades do indivíduo integrado no grupo e na sociedade (interacção social e cooperação; auto-avaliação e trabalho de equipa, entre outras); vi. Competências sistémicas: capacidades e competências relacionadas com o sistema na sua totalidade combinação da compreensão, sensibilidade e conhecimento que permitem ao indivíduo ver como as partes se relacionam e se agrupam (e.g., gestão de projectos, investigação, entre outros). AVALIAÇÃO DE CONHECIMENTOS E COMPETÊNCIAS Método de avaliação: Contínua Final Misto X Época de Avaliação Normal Tipo de elementos de avaliação a realizar e fórmula de cálculo da classificação final da unidade curricular Estudante Ordinário Avaliação de tipo continuado (instrumentos diversificados tantos escritos como orais, individuais e de grupo; sublinhe-se que à natureza cumulativa do processo de avaliação contínua devem ser associados critérios de encadeamento e progressão numa perspectiva de crescente 33

DESCRIÇÃO DA UNIDADE CURRICULAR CÓDIGO: CRÉDITOS ECTS: 5

DESCRIÇÃO DA UNIDADE CURRICULAR CÓDIGO: CRÉDITOS ECTS: 5 DESCRIÇÃO DA UNIDADE CURRICULAR Unidade Curricular: Turismo, Hotelaria e Restauração Área Científica: Hotelaria CÓDIGO: CRÉDITOS ECTS: 5 CURSO: Licenciatura em Restauração e Catering Ano: 1º Semestre:

Leia mais

ES C O L A S U PERI O R A G RÁ RI A

ES C O L A S U PERI O R A G RÁ RI A Licenciatura em Ecoturismo Ref.ª : 1832001 Ano lectivo: 2012-13 DESCRITOR DA UNIDADE CURRICULAR GESTÃO TURÍSTICA TOURISM MANAGEMENT 1. Unidade Curricular: 1.1 Área científica: 4 - Ciências Empresariais

Leia mais

Instituto Superior de Engenharia de Lisboa

Instituto Superior de Engenharia de Lisboa Instituto Superior de Engenharia de Lisboa Regulamento dos cursos do ciclo de estudos conducente ao grau de licenciado O presente regulamento estabelece as normas que complementam as que decorrem do regime

Leia mais

COORDENADOR Prof. Doutor Armando Vilas-Boas

COORDENADOR Prof. Doutor Armando Vilas-Boas COORDENADOR Prof. Doutor Armando Vilas-Boas CANDIDATURAS 1ª Fase: A partir de 1 de Abril a 1 de Agosto 2ª Fase: De 2 de Agosto a 31 de Outubro REQUISITOS/ ACESSOS Ser titular do grau de licenciado ou equivalente

Leia mais

FACULDADE DE DIREITO UNIVERSIDADE NOVA DE LISBOA 1º CICLO DE ESTUDOS LICENCIATURA

FACULDADE DE DIREITO UNIVERSIDADE NOVA DE LISBOA 1º CICLO DE ESTUDOS LICENCIATURA FACULDADE DE DIREITO UNIVERSIDADE NOVA DE LISBOA 1º CICLO DE ESTUDOS LICENCIATURA I. OBJECTIVOS O objectivo deste ciclo de estudos é garantir aos estudantes uma sólida formação jurídica de base. Tendo

Leia mais

47720 Diário da República, 2.ª série N.º 233 6 de Dezembro de 2011

47720 Diário da República, 2.ª série N.º 233 6 de Dezembro de 2011 47720 Diário da República, 2.ª série N.º 233 6 de Dezembro de 2011 UNIVERSIDADE DA MADEIRA Aviso (extracto) n.º 23548/2011 Nos termos do disposto no n.º 6 do artigo 12.º da Lei n.º 12 -A/2008, de 27 de

Leia mais

DESCRIÇÃO DA UNIDADE CURRICULAR. Unidade Curricular: Marketing Turístico Área Científica: Ciências Empresariais CÓDIGO: CRÉDITOS ECTS: 5

DESCRIÇÃO DA UNIDADE CURRICULAR. Unidade Curricular: Marketing Turístico Área Científica: Ciências Empresariais CÓDIGO: CRÉDITOS ECTS: 5 DESCRIÇÃO DA UNIDADE CURRICULAR Unidade Curricular: Marketing Turístico Área Científica: Ciências Empresariais CÓDIGO: CRÉDITOS ECTS: 5 CURSO: Ano: 1º 2º 3º Semestre: 1º 2º Regime: Obrigatório Optativo

Leia mais

Sinopse das Unidades Curriculares Mestrado em Marketing e Comunicação. 1.º Ano / 1.º Semestre

Sinopse das Unidades Curriculares Mestrado em Marketing e Comunicação. 1.º Ano / 1.º Semestre Sinopse das Unidades Curriculares Mestrado em Marketing e Comunicação 1.º Ano / 1.º Semestre Marketing Estratégico Formar um quadro conceptual abrangente no domínio do marketing. Compreender o conceito

Leia mais

Despacho/SP/116/2014 Publicação das alterações ao plano de estudos do ciclo de estudos conducente ao grau de Licenciado em Turismo

Despacho/SP/116/2014 Publicação das alterações ao plano de estudos do ciclo de estudos conducente ao grau de Licenciado em Turismo Página 1 de 5 Despacho/SP/116/2014 Publicação das alterações ao plano de estudos do ciclo de estudos conducente ao grau de Licenciado em Turismo De acordo com o disposto nos artigos 75.º e seguintes do

Leia mais

Caracterização dos cursos de licenciatura

Caracterização dos cursos de licenciatura Caracterização dos cursos de licenciatura 1. Identificação do ciclo de estudos em funcionamento Os cursos de 1º ciclo actualmente em funcionamento de cuja reorganização resultam os novos cursos submetidos

Leia mais

4928-(5) c) Os n. os 3.1 e 3.2 do anexo III.B (mestrados); d) O n.º 1 do anexo III.C (ciclo de estudos integrado conducente ao grau de mestre).

4928-(5) c) Os n. os 3.1 e 3.2 do anexo III.B (mestrados); d) O n.º 1 do anexo III.C (ciclo de estudos integrado conducente ao grau de mestre). N.º 65 31 de Março de 2006 DIÁRIO DA REPÚBLICA II SÉRIE 4928-(5) Despacho n. o 7287-B/2006 (2. a série). O regime jurídico dos graus académicos e diplomas do ensino superior prevê que os estabelecimentos

Leia mais

Licenciaturas. Organização e Gestão Hoteleira Gestão de Empresas Turismo

Licenciaturas. Organização e Gestão Hoteleira Gestão de Empresas Turismo Licenciaturas Organização e Gestão Hoteleira Gestão de Empresas Turismo L I C E N C I A T U R A O R G A N I Z A Ç Ã O E G E S T Ã O H O T E L E I R A O B J E T I V O Formar profissionais competentes para

Leia mais

2014-2015. Doutoramento em Ecologia Humana. Coordenação Científica Profª Iva Pires

2014-2015. Doutoramento em Ecologia Humana. Coordenação Científica Profª Iva Pires 2014- Doutoramento em Ecologia Coordenação Científica Profª Iva Pires Guia do Curso Ano Académico 2014/ Coordenação Científica Profª Iva Pires im.pires@fcsh.unl.pt pires.iva.fcsh@gmail.com Para mais informações

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTUDOS CURSOS DE ESPECIALIZAÇÃO TECNOLÓGICA

REGULAMENTO DE ESTUDOS CURSOS DE ESPECIALIZAÇÃO TECNOLÓGICA NORMAS REGULAMENTARES De acordo com o estipulado pelos artigos 14.º e 26.º do Decreto-Lei n.º 107/2008, de 25 de Junho REGULAMENTO DE ESTUDOS CURSOS DE ESPECIALIZAÇÃO TECNOLÓGICA Regulamento n.º 487/2010,

Leia mais

DESCRIÇÃO DA UNIDADE CURRICULAR CÓDIGO: CRÉDITOS ECTS: 5,0

DESCRIÇÃO DA UNIDADE CURRICULAR CÓDIGO: CRÉDITOS ECTS: 5,0 DESCRIÇÃO DA UNIDADE CURRICULAR Unidade Curricular: Gestão de Eventos Área Científica: Ciências da Comunicação CÓDIGO: CRÉDITOS ECTS: 5,0 CURSO: Comunicação e Relações Públicas Ano: 1º 2º 3º 4º Semestre:

Leia mais

Universidade Portucalense. Departamento de Ciências Económicas e Empresariais NORMAS REGULAMENTARES DO 2.º CICLO DE ESTUDOS EM MARKETING

Universidade Portucalense. Departamento de Ciências Económicas e Empresariais NORMAS REGULAMENTARES DO 2.º CICLO DE ESTUDOS EM MARKETING Universidade Portucalense Departamento de Ciências Económicas e Empresariais NORMAS REGULAMENTARES DO 2.º CICLO DE ESTUDOS EM MARKETING APROVADAS NO CONSELHO CIENTÍFICO 9 _2009 DE 23 DE SETEMBRO DE 2009

Leia mais

APRESENTAÇÃO DE ACÇÃO DE FORMAÇÃO NAS MODALIDADES DE CURSO, MÓDULO E SEMINÁRIO. Formulário de preenchimento obrigatório, a anexar à ficha modelo ACC 2

APRESENTAÇÃO DE ACÇÃO DE FORMAÇÃO NAS MODALIDADES DE CURSO, MÓDULO E SEMINÁRIO. Formulário de preenchimento obrigatório, a anexar à ficha modelo ACC 2 CONSELHO CIENTÍFICO PEDAGÓGICO DA FORMAÇÃO CONTÍNUA APRESENTAÇÃO DE ACÇÃO DE FORMAÇÃO NAS MODALIDADES DE CURSO, MÓDULO E SEMINÁRIO Formulário de preenchimento obrigatório, a anexar à ficha modelo ACC 2

Leia mais

ES C O L A S U PERI O R A G RÁ RI A

ES C O L A S U PERI O R A G RÁ RI A Licenciatura em Ecoturismo Ref.ª : 8810004 Ano lectivo: 2012-13 DESCRITOR DA UNIDADE CURRICULAR GESTÃO EMPRESARIAL E EMPREENDEDORISMO ENTERPRISE MANAGEMENT AND ENTREPRENEURSHIP 1. Unidade Curricular: 1.1

Leia mais

Aprendizagem de Português L2 Criação e aplicação de estratégias e materiais conducentes ao sucesso educativo dos alunos PLNM

Aprendizagem de Português L2 Criação e aplicação de estratégias e materiais conducentes ao sucesso educativo dos alunos PLNM Aprendizagem de Português L2 Criação e aplicação de estratégias e materiais conducentes ao sucesso educativo dos alunos PLNM Luísa Solla, ILTEC/ESE Setúbal e Fabíola Santos, ILTEC luisa.solla@sapo.pt fabiola.santos@iltec.pt

Leia mais

47586 Diário da República, 2.ª série N.º 232 5 de Dezembro de 2011

47586 Diário da República, 2.ª série N.º 232 5 de Dezembro de 2011 47586 Diário da República, 2.ª série N.º 232 5 de Dezembro de 2011 2) Cartas de curso identificação do Reitor da Universidade Nova de Lisboa, identificação do titular do grau, n.º do documento de identificação

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 13, DE 24 DE NOVEMBRO DE 2006 (*)

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 13, DE 24 DE NOVEMBRO DE 2006 (*) MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 13, DE 24 DE NOVEMBRO DE 2006 (*) Institui as Diretrizes Curriculares Nacionais do Curso de Graduação em Turismo

Leia mais

REGULAMENTO DO PRIMEIRO CICLO DE ESTUDOS EM PUBLICIDADE E RELAÇÕES PÚBLICAS

REGULAMENTO DO PRIMEIRO CICLO DE ESTUDOS EM PUBLICIDADE E RELAÇÕES PÚBLICAS REGULAMENTO DO PRIMEIRO CICLO DE ESTUDOS EM PUBLICIDADE E RELAÇÕES PÚBLICAS REGULAMENTO DO PRIMEIRO CICLO DE ESTUDOS EM PUBLICIDADE E RELAÇÕES PÚBLICAS O presente regulamento foi homologado pelo Presidente

Leia mais

Regulamento do Curso de Mestrado em Desporto

Regulamento do Curso de Mestrado em Desporto Escola Superior de Desporto de Rio Maior (ESDRM) Instituto Politécnico de Santarém (IPS) Regulamento do Curso de Mestrado em Desporto Artigo 1º Natureza e âmbito de aplicação 1. O curso pretende atingir

Leia mais

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular SISTEMAS DE TRANSPORTES DO TURISMO Ano Lectivo 2009/2010

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular SISTEMAS DE TRANSPORTES DO TURISMO Ano Lectivo 2009/2010 Programa da Unidade Curricular SISTEMAS DE TRANSPORTES DO TURISMO Ano Lectivo 2009/2010 1. Unidade Orgânica Ciências da Economia e da Empresa (1º Ciclo) 2. Curso Turismo 3. Ciclo de Estudos 1º 4. Unidade

Leia mais

Cursos de Licenciatura

Cursos de Licenciatura DLLM Cursos de Licenciatura 2009-2010 1 Cursos de Licenciatura 2009/2010 1º Ciclo Bolonha DLLM Departamento de Línguas e Literaturas Modernas 2 Cursos de Licenciatura 2009-2010 DLLM DLLM Cursos de Licenciatura

Leia mais

FICHA DE UNIDADE CURRICULAR

FICHA DE UNIDADE CURRICULAR ANO LECTIVO: 2013/14 FICHA DE UNIDADE CURRICULAR MESTRADO/LICENCIATURA 1.Unidade Curricular Nome: METODOS E TÉCNICAS DE INVESTIGAÇÃO SOCIAL Código: 172 Área Científica: SOCIOLOGIA Curso: MESTRADO EM GERONTOLOGIA

Leia mais

21022 Diário da República, 2.ª série N.º 155 13 de agosto de 2014

21022 Diário da República, 2.ª série N.º 155 13 de agosto de 2014 21022 Diário da República, 2.ª série N.º 155 13 de agosto de 2014 Despacho n.º 10553/2014 Ao abrigo do disposto nos artigos 75.º e 76.º do Decreto -Lei pelo Decreto -Lei n.º 107/2008, de 25 de junho, pelo

Leia mais

ES C O L A S U PERI O R A G RÁ RI A

ES C O L A S U PERI O R A G RÁ RI A Licenciatura em Ecoturismo Ref.ª : 8810005 Ano lectivo: 2012-13 DESCRITOR DA UNIDADE CURRICULAR LÍNGUA INGLESA E COMUNICAÇÃO ENGLISH LANGUAGE AND COMMUNICATION 1. Unidade Curricular: 1.1 Área científica:

Leia mais

ES C O L A S U PERI O R A G RÁ RI A

ES C O L A S U PERI O R A G RÁ RI A Licenciatura em Ecoturismo Ref.ª : 1822006 Ano lectivo: 2012-13 DESCRITOR DA UNIDADE CURRICULAR HISTÓRIA E PATRIMÓNIO CULTURAL HISTORY AND CULTURAL HERITAGE 1. Unidade Curricular: 1.1 Área científica:

Leia mais

PÓS-GRADUAÇÃO EM GESTÃO EM SAÚDE

PÓS-GRADUAÇÃO EM GESTÃO EM SAÚDE PÓS-GRADUAÇÃO EM GESTÃO EM SAÚDE Plano de Estudos Direito da Saúde e da Administração Pública... 2 Economia da Saúde... 4 Gestão de Unidades de Saúde... 7 1 FICHA DE UNIDADE CURRICULAR Ano Letivo 2013

Leia mais

SOCIOLOGIA OBJECTO E MÉTODO

SOCIOLOGIA OBJECTO E MÉTODO Ano Lectivo 2008/2009 SOCIOLOGIA OBJECTO E MÉTODO Cursos: Licenciatura em Sociologia e Licenciatura em Sociologia e Planeamento (1º ciclo) Unidade Curricular: Sociologia Objecto e Método Localização no

Leia mais

PLANO DE ESTUDOS DO 51º CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM SAÚDE PÚBLICA

PLANO DE ESTUDOS DO 51º CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM SAÚDE PÚBLICA PLANO DE ESTUDOS DO 51º CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM SAÚDE PÚBLICA Janeiro de 2012 ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO... 3 2. DESTINATÁRIOS... 4 3. FINALIDADE... 4 4. OBJECTIVOS GERAIS... 4 5. PLANO CURRICULAR... 5 6.

Leia mais

REGULAMENTO DO PRIMEIRO CICLO DE ESTUDOS EM EDUCAÇÃO AMBIENTAL

REGULAMENTO DO PRIMEIRO CICLO DE ESTUDOS EM EDUCAÇÃO AMBIENTAL REGULAMENTO DO PRIMEIRO CICLO DE ESTUDOS EM EDUCAÇÃO AMBIENTAL REGULAMENTO DO PRIMEIRO CICLO DE ESTUDOS EM EDUCAÇÃO AMBIENTAL O presente regulamento foi homologado pelo Presidente da ESEV, a 18 de maio

Leia mais

FICHA DE UNIDADE CURRICULAR (UC)

FICHA DE UNIDADE CURRICULAR (UC) Ano/Semestre curricular Ano letivo 2015/2016 Curso Unidade Curricular [designação e tipo/se é do tipo obrigatório ou optativo] Língua de ensino ECTS - tempo de trabalho (horas) FICHA DE UNIDADE CURRICULAR

Leia mais

Mestrado em Conservação e Restauro com área de especialização em Conservação e Restauro ou Ciências da Conservação

Mestrado em Conservação e Restauro com área de especialização em Conservação e Restauro ou Ciências da Conservação Mestrado em Conservação e Restauro 1 Mestrado em Conservação e Restauro com área de especialização em Conservação e Restauro ou Ciências da Conservação Artigo 1º Criação A Universidade Nova de Lisboa (UNL),

Leia mais

AVALIAÇÃO DO CURSO DE TURISMO

AVALIAÇÃO DO CURSO DE TURISMO AVALIAÇÃO DO CURSO DE TURISMO Outubro 2009 ÍNDICE 1. Introdução 3 2. População e Amostra 3 3. Apresentação de Resultados 4 3.1. Opinião dos alunos de Turismo sobre a ESEC 4 3.2. Opinião dos alunos sobre

Leia mais

1331002 2013-14 FICHA DA UNIDADE CURRICULAR GESTÃO EMPRESARIAL E EMPREENDEDORISMO

1331002 2013-14 FICHA DA UNIDADE CURRICULAR GESTÃO EMPRESARIAL E EMPREENDEDORISMO Licenciatura em Engenharia Alimentar Ref.ª : 1331002 Ano lectivo: 2013-14 1. Caraterização FICHA DA UNIDADE CURRICULAR GESTÃO EMPRESARIAL E EMPREENDEDORISMO 1.1 - Área científica: 34 - Ciências Empresariais

Leia mais

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ANÁLISE DE DADOS E GESTÃO DE INFORMAÇÃO Grupo de trabalho Armando Mendes Áurea Sousa Fátima Brilhante Rita Marques Brandão Osvaldo Silva Fevereiro 2010 Enquadramento e justificação

Leia mais

REGULAMENTO DE APLICAÇÃO DO SISTEMA DE CRÉDITOS CURRICULARES (ECTS)

REGULAMENTO DE APLICAÇÃO DO SISTEMA DE CRÉDITOS CURRICULARES (ECTS) REGULAMENTO DE APLICAÇÃO DO SISTEMA DE CRÉDITOS CURRICULARES (ECTS) (Ratificado pelo Conselho Científico em 20 de Abril de 2006) CAPÍTULO I Objecto, âmbito e conceitos Artigo 1.º Objecto Em conformidade

Leia mais

Pós-Graduação em INOVAÇÃO E SISTEMAS INSTITUTO SUPERIOR DE GESTÃO BANCÁRIA ISGB THE PORTUGUESE SCHOOL OF BANK MANAGEMENT

Pós-Graduação em INOVAÇÃO E SISTEMAS INSTITUTO SUPERIOR DE GESTÃO BANCÁRIA ISGB THE PORTUGUESE SCHOOL OF BANK MANAGEMENT BSUPERIOR DE GESTÃO INSTITUTO 0101011010101001010 0101011010101001010 Pós-Graduação em INOVAÇÃO E SISTEMAS DE INFORMAÇÃO no Sector Financeiro 2005 2006 Associação Portuguesa de Bancos INSTITUTO SUPERIOR

Leia mais

REGULAMENTO DE FREQUÊNCIA E AVALIAÇÃO A APLICAR AOS 1 OS CICLOS

REGULAMENTO DE FREQUÊNCIA E AVALIAÇÃO A APLICAR AOS 1 OS CICLOS REGULAMENTO DE FREQUÊNCIA E AVALIAÇÃO A APLICAR AOS 1 OS CICLOS DE ESTUDOS DOS CURSOS ADEQUADOS AO PROCESSO DE BOLONHA I Calendário e carga horária 1. O ano escolar tem início em Setembro e termina em

Leia mais

Instituto Politécnico de Tomar Escola Superior de Gestão de Tomar Curso: 1º Ciclo de Estudos em Gestão Turística e Cultural.

Instituto Politécnico de Tomar Escola Superior de Gestão de Tomar Curso: 1º Ciclo de Estudos em Gestão Turística e Cultural. Instituto Politécnico de Tomar Escola Superior de Gestão de Tomar Curso: 1º Ciclo de Estudos em Gestão Turística e Cultural Licenciatura Área Científica predominante do Curso: Turismo Estrutura Curricular

Leia mais

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular MÉTODOS QUALITATIVOS Ano Lectivo 2012/2013

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular MÉTODOS QUALITATIVOS Ano Lectivo 2012/2013 Programa da Unidade Curricular MÉTODOS QUALITATIVOS Ano Lectivo 2012/2013 1. Unidade Orgânica Ciências Humanas e Sociais (1º Ciclo) 2. Curso Psicologia 3. Ciclo de Estudos 1º 4. Unidade Curricular MÉTODOS

Leia mais

Curso de Empreendedorismo Eixo de Promoção do Empreendedorismo a Nível Local e Regional

Curso de Empreendedorismo Eixo de Promoção do Empreendedorismo a Nível Local e Regional Curso de Empreendedorismo Eixo de Promoção do Empreendedorismo a Nível Local e Regional 1) Caracterização do Curso de Empreendedorismo O Curso de Empreendedorismo integra-se na Componente de Formação Tecnológica

Leia mais

16050 Diário da República, 2.ª série N.º 77 21 de Abril de 2009

16050 Diário da República, 2.ª série N.º 77 21 de Abril de 2009 16050 Diário da República, 2.ª série N.º 77 21 de Abril de 2009 Unidades curriculares Área Tipo científica Obs Diagnóstico Molecular.................. BT Semestral 140 T: 15 TP: 5 PL: 5 S: 5 OT: 5 O: 5

Leia mais

1 RESPOSTA A EVENTUAIS DÚVIDAS EXPERIMENTADAS PELOS ESTUDANTES A FREQUENTAR O CURSO PELA PRIMEIRA VEZ

1 RESPOSTA A EVENTUAIS DÚVIDAS EXPERIMENTADAS PELOS ESTUDANTES A FREQUENTAR O CURSO PELA PRIMEIRA VEZ DO CURSO DE LICENCIATURA EM RELAÇÕES PÚBLICAS E COMUNICAÇÃO 1 RESPOSTA A EVENTUAIS DÚVIDAS EXPERIMENTADAS PELOS ESTUDANTES A FREQUENTAR O CURSO PELA PRIMEIRA VEZ 1. A quem devo dirigir-me, caso tenha dúvidas

Leia mais

Mestrado em Ensino da Física e da Química

Mestrado em Ensino da Física e da Química Mestrado em Ensino da Física e da Química Mestrado em Ensino da Física e da Química - Faculdade de Ciências da Universidade do Porto 1 5. Estrutura curricular e plano de estudos FORMULÁRIO 1. Estabelecimento

Leia mais

Guião para a autoavaliação. Ciclo de estudos em funcionamento. (Ensino Universitário e Politécnico)

Guião para a autoavaliação. Ciclo de estudos em funcionamento. (Ensino Universitário e Politécnico) Guião para a autoavaliação Ciclo de estudos em funcionamento (Ensino Universitário e Politécnico) Guião ACEF 2014/2015 PT (Revisão aprovada em 26.03.2014) Caracterização do pedido A1. Instituição de ensino

Leia mais

Ficha da Unidade Curricular (UC)

Ficha da Unidade Curricular (UC) Impressão em: 03-01-2013 16:13:42 Ficha da Unidade Curricular (UC) 1. Identificação Unidade Orgânica : Escola Superior de Tecnologia e Gestão Curso : [IS] Informática para a Saúde Tipo de Curso : UC/Módulo

Leia mais

EDITAL MESTRADO EM COMUNICAÇÃO ORGANIZACIONAL ÁREA DE ESPECIALIZAÇÃO EM CIDADANIA, CONFIANÇA E RESPONSABILIDADE SOCIAL

EDITAL MESTRADO EM COMUNICAÇÃO ORGANIZACIONAL ÁREA DE ESPECIALIZAÇÃO EM CIDADANIA, CONFIANÇA E RESPONSABILIDADE SOCIAL EDITAL MESTRADO EM COMUNICAÇÃO ORGANIZACIONAL ÁREA DE ESPECIALIZAÇÃO EM CIDADANIA, CONFIANÇA E RESPONSABILIDADE SOCIAL (Edição 2012-2014) Nos termos do Decreto-Lei nº 42/2005, de 22 de Fevereiro, do Decreto-Lei

Leia mais

POR ALENTEJO PROGRAMA OPERACIONAL DA REGIÃO DO ALENTEJO

POR ALENTEJO PROGRAMA OPERACIONAL DA REGIÃO DO ALENTEJO POR ALENTEJO PROGRAMA OPERACIONAL DA REGIÃO DO ALENTEJO ACÇÃO-TIPO: 2.3.1 ACÇÕES DE FORMAÇÃO NA ROTA DA QUALIFICAÇÃO VALORIZAÇÃO DE COMPETÊNCIAS NO SECTOR AGRO-ALIMENTAR E TURÍSTICO CURSO N..ºº 11 TTÉCNI

Leia mais

Ficha de Unidade Curricular

Ficha de Unidade Curricular Ficha de Unidade Curricular Unidade Curricular Designação INOVAÇÃO E EMPREENDEDORISMO Área Científica Gestão Ciclo de Estudos Licenciatura em Som e Imagem Ramo de Vídeo e ramo de som Carácter: Obrigatória

Leia mais

MANUAL DE CONSTRUÇÃO DE CRÉDITOS ECTS

MANUAL DE CONSTRUÇÃO DE CRÉDITOS ECTS MANUAL DE CONSTRUÇÃO DE CRÉDITOS ECTS PROCEDIMENTOS E REGRAS A ADOPTAR PARA A FIXAÇÃO DOS CRÉDITOS A OBTER EM CADA ÁREA CIENTÍFICA E A ATRIBUIR POR CADA UNIDADE CURRICULAR (de acordo com Dec.- Lei nº 42/2005)

Leia mais

REGULAMENTO DO SEGUNDO CICLO DE ESTUDOS EM COMUNICAÇÃO E MARKETING

REGULAMENTO DO SEGUNDO CICLO DE ESTUDOS EM COMUNICAÇÃO E MARKETING REGULAMENTO DO SEGUNDO CICLO DE ESTUDOS EM COMUNICAÇÃO E MARKETING REGULAMENTO DO SEGUNDO CICLO DE ESTUDOS EM COMUNICAÇÃO E MARKETING O presente regulamento foi homologado pelo Presidente da ESEV, a 18

Leia mais

30546 Diário da República, 2.ª série N.º 140 22 de Julho de 2011

30546 Diário da República, 2.ª série N.º 140 22 de Julho de 2011 30546 Diário da República, 2.ª série N.º 140 22 de Julho de 2011 INSTITUTO POLITÉCNICO DE BEJA Despacho n.º 9220/2011 Ao abrigo do disposto nos artigos 75.º a 80.º do Decreto -Lei n.º 74/2006, de 24 de

Leia mais

Instituto de Educação

Instituto de Educação Instituto de Educação Universidade de Lisboa Oferta Formativa Pós-Graduada Mestrado em Educação Especialização: Administração Educacional Edição Instituto de Educação da Universidade de Lisboa julho de

Leia mais

LICENCIATURA EM ENGENHARIA CIVIL Obrigatória. Unidade Curricular TECNOLOGIA DOS MATERIAIS DE CONSTRUÇÃOII

LICENCIATURA EM ENGENHARIA CIVIL Obrigatória. Unidade Curricular TECNOLOGIA DOS MATERIAIS DE CONSTRUÇÃOII Ficha de Unidade Curricular (FUC) Curso LICENCIATURA EM ENGENHARIA CIVIL Obrigatória Unidade Curricular TECNOLOGIA DOS MATERIAIS DE CONSTRUÇÃOII Opcional Área Científica ENGENHARIA CIVIL Classificação

Leia mais

Curso Geral de Gestão. Pós Graduação

Curso Geral de Gestão. Pós Graduação Curso Geral de Gestão Pós Graduação Curso Geral de Gestão Pós Graduação Participamos num processo acelerado de transformações sociais, políticas e tecnológicas que alteram radicalmente o contexto e as

Leia mais

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular GESTÃO DO ALOJAMENTO Ano Lectivo 2014/2015

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular GESTÃO DO ALOJAMENTO Ano Lectivo 2014/2015 Programa da Unidade Curricular GESTÃO DO ALOJAMENTO Ano Lectivo 2014/2015 1. Unidade Orgânica Ciências da Economia e da Empresa (1º Ciclo) 2. Curso Turismo 3. Ciclo de Estudos 1º 4. Unidade Curricular

Leia mais

design de jogos digitais o essencial da licenciatura

design de jogos digitais o essencial da licenciatura design de jogos digitais o essencial da licenciatura ÍNDICE ciclo de estudos plano de estudos metodologias de ensino perfil de saída candidaturas ipb virtual Dados do ciclo de estudos ciclo de estudos

Leia mais

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular SISTEMAS DE TRANSPORTES DO TURISMO Ano Lectivo 2010/2011

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular SISTEMAS DE TRANSPORTES DO TURISMO Ano Lectivo 2010/2011 Programa da Unidade Curricular SISTEMAS DE TRANSPORTES DO TURISMO Ano Lectivo 2010/2011 1. Unidade Orgânica Ciências da Economia e da Empresa (1º Ciclo) 2. Curso Turismo 3. Ciclo de Estudos 1º 4. Unidade

Leia mais

REGULAMENTO DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO ADMINISTRAÇÃO HOSPITALAR 2013 / 2015

REGULAMENTO DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO ADMINISTRAÇÃO HOSPITALAR 2013 / 2015 REGULAMENTO DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO HOSPITALAR 2013 / 2015 ÍNDICE 1. Introdução 1 2. Finalidades e objectivos educacionais 2 3. Organização interna do CEAH 2 4. Habilitações de acesso

Leia mais

CET. Gestão Administrativa de Recursos Humanos Secretariado de Direção e Comunicação Empresarial Técnicas de Turismo Ambiental Gestão Comercial

CET. Gestão Administrativa de Recursos Humanos Secretariado de Direção e Comunicação Empresarial Técnicas de Turismo Ambiental Gestão Comercial CET Cursos de Especialização Tecnológica Gestão Administrativa de Recursos Humanos Secretariado de Direção e Comunicação Empresarial Técnicas de Turismo Ambiental Gestão Comercial GESTÃO ADMINISTRATIVA

Leia mais

FICHA DE UNIDADE CURRICULAR 2011/2012. Docente (s) Maria João Alvarez (docente responsável pela UC) e Alexandra Marques Pinto

FICHA DE UNIDADE CURRICULAR 2011/2012. Docente (s) Maria João Alvarez (docente responsável pela UC) e Alexandra Marques Pinto FICHA DE UNIDADE CURRICULAR 2011/2012 Designação Temas de Desenvolvimento Pessoal e Social Docente (s) Maria João Alvarez (docente responsável pela UC) e Alexandra Marques Pinto Creditação (ECTS) 6 ECTS

Leia mais

MESTRADO EM FISCALIDADE

MESTRADO EM FISCALIDADE MESTRADO EM FISCALIDADE 1 - APRESENTAÇÃO Grau Académico: Mestre em Fiscalidade Duração do curso: 2 anos lectivos/ 4 semestres Número de créditos, segundo o Sistema Europeu de Transferência de Créditos:

Leia mais

M O D E L O E U R O P E U D E C U R R I C U L U M V I T A E

M O D E L O E U R O P E U D E C U R R I C U L U M V I T A E M O D E L O E U R O P E U D E C U R R I C U L U M V I T A E INFORMAÇÃO PESSOAL Nome Morada Ana Teresa Bernardo Guia RUA CENTRO REPUBLICANO, 70 2º ESQ 2300 359 TOMAR, PORTUGAL Telefone 966 166 243 Correio

Leia mais

Universidade Nova de Lisboa ESCOLA NACIONAL DE SAÚDE PÚBLICA

Universidade Nova de Lisboa ESCOLA NACIONAL DE SAÚDE PÚBLICA REGULAMENTO O Regulamento do Curso de Especialização em Medicina do Trabalho (CEMT) visa enquadrar, do ponto de vista normativo, o desenvolvimento das actividades inerentes ao funcionamento do curso, tendo

Leia mais

O Processo de Bolonha na ESTBarreiro/IPS

O Processo de Bolonha na ESTBarreiro/IPS O Processo de Bolonha na ESTBarreiro/IPS João Vinagre Santos A ESTBarreiro/IPS Criação em Julho de 1999, pelo Ministro da Educação Prof. Marçal Grilo 4ª Escola do IPS, 2ª Escola de Tecnologia, 1ª Escola

Leia mais

ES C O L A S U PERI O R A G RÁ RI A

ES C O L A S U PERI O R A G RÁ RI A Licenciatura em Ecoturismo Ref.ª : 1810002 Ano lectivo: 2012-13 DESCRITOR DA UNIDADE CURRICULAR GEOGRAFIA GEOGRAPHY 1. Unidade Curricular: 1.1 Área científica: 44 - Ciências Físicas 1.2 Tipo (Duração):

Leia mais

Universidade de Coimbra. Grupo de Missão. para o. Espaço Europeu do Ensino Superior. Glossário

Universidade de Coimbra. Grupo de Missão. para o. Espaço Europeu do Ensino Superior. Glossário Universidade de Coimbra Grupo de Missão para o Espaço Europeu do Ensino Superior Glossário ACÇÃO CENTRALIZADA Procedimentos de candidatura em que a selecção e contratação são geridas pela Comissão. Regra

Leia mais

A Nossa Oferta Formativa para a Administração Pública

A Nossa Oferta Formativa para a Administração Pública A Nossa Oferta Formativa para a Administração Pública 2011 DESIGNAÇÃO A inscrição poderá DO CURSO ser efectuada Nº através DE do PREÇO site POR www.significado.pt Para mais informações, por favor contacte

Leia mais

1. DESIGNAÇÃO DA ACÇÃO DE FORMAÇÃO Oficina de Formação de Professores em Empreendedorismo

1. DESIGNAÇÃO DA ACÇÃO DE FORMAÇÃO Oficina de Formação de Professores em Empreendedorismo 1. DESIGNAÇÃO DA ACÇÃO DE FORMAÇÃO Oficina de Formação de Professores em Empreendedorismo 2. RAZÕES JUSTIFICATIVAS DA ACÇÃO: PROBLEMA/NECESSIDADE DE FORMAÇÃO IDENTIFICADO Esta formação de professores visa

Leia mais

EDITAL. MESTRADO EM COMÉRCIO ELECTRÓNICO (3ª Edição 2012/2014)

EDITAL. MESTRADO EM COMÉRCIO ELECTRÓNICO (3ª Edição 2012/2014) EDITAL MESTRADO EM COMÉRCIO ELECTRÓNICO (3ª Edição 2012/2014) Nos termos do Decreto-Lei nº 42/2005, de 22 de Fevereiro, do Decreto-Lei nº 74/200, de 24 de Março, com as alterações que lhes foram introduzidas

Leia mais

ESCOLA DE PROTOCOLO COMUNICAÇÃO E ARTES www.epcamadeira.com geral@epcamadeira.com Tel: 291 098 305 Tm: 966 389 170

ESCOLA DE PROTOCOLO COMUNICAÇÃO E ARTES www.epcamadeira.com geral@epcamadeira.com Tel: 291 098 305 Tm: 966 389 170 ESCOLA DE PROTOCOLO COMUNICAÇÃO E ARTES www.epcamadeira.com geral@epcamadeira.com Tel: 291 098 305 Tm: 966 389 170 A Escola de Protocolo, Comunicação e Artes da Madeira (EPCA) surgiu para ir ao encontro

Leia mais

enquadramento objectivos

enquadramento objectivos enquadramento O curso tem uma estrutura holística, integradora e procura trabalhar as competências da gestão de recursos humanos numa perspectiva de marketing interno no âmbito de temas marcadamente actuais,

Leia mais

Ficha de Unidade Curricular

Ficha de Unidade Curricular Ficha de Unidade Curricular Unidade Curricular Designação Marketing de bens culturais Área Científica MAC Ciclo de Estudos 1º Ciclo Carácter: Opcional Semestre 5º ECTS 3 Créditos Tempo de Trabalho: Horas

Leia mais

Instituto de Educação

Instituto de Educação Instituto de Educação Universidade de Lisboa Oferta Formativa Pós-Graduada Mestrado em Educação Especialização: Educação Intercultural Edição Instituto de Educação da Universidade de Lisboa julho de 2015

Leia mais

REGULAMENTO DO XLV CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO HOSPITALAR

REGULAMENTO DO XLV CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO HOSPITALAR REGULAMENTO DO XLV CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO HOSPITALAR 1. Introdução O Curso de Especialização em Administração Hospitalar (CEAH) da Escola Nacional de Saúde Pública (ENSP) da Universidade

Leia mais

Guia de Curso. Administração e Gestão Educacional. Mestrado em. 15ª Edição. Universidade Aberta Departamento de Educação e Ensino a Distância

Guia de Curso. Administração e Gestão Educacional. Mestrado em. 15ª Edição. Universidade Aberta Departamento de Educação e Ensino a Distância Universidade Aberta Sede R. da Escola Politécnica, 147 1269-001 Lisboa Campus do Taguspark Av. J. Delors, Edifício Inovação I 2740-122 Porto Salvo, Oeiras Coordenadora: Guia de Curso Lídia Grave-Resendes

Leia mais

Agrupamento de Escolas General Humberto Delgado Sede na Escola Secundária/3 José Cardoso Pires Santo António dos Cavaleiros

Agrupamento de Escolas General Humberto Delgado Sede na Escola Secundária/3 José Cardoso Pires Santo António dos Cavaleiros Agrupamento de Escolas General Humberto Delgado Sede na Escola Secundária/ José Cardoso Pires Santo António dos Cavaleiros CURSO PROFISSIONAL NÍVEL SECUNDÁRIO Planificação Anual 201-2014 COMUNICAÇÃO E

Leia mais

PÓS-GRADUAÇÃO DE GESTÃO EM SAÚDE PÓS-GRADUAÇÃO DE COMUNICAÇÃO E MARKETING EM SAÚDE

PÓS-GRADUAÇÃO DE GESTÃO EM SAÚDE PÓS-GRADUAÇÃO DE COMUNICAÇÃO E MARKETING EM SAÚDE PÓS-GRADUAÇÃO DE GESTÃO EM SAÚDE PÓS-GRADUAÇÃO DE COMUNICAÇÃO E MARKETING EM SAÚDE Duração 2 semestres Condições de selecção Curriculum profissional; curriculum académico e entrevista (se necessário) ECTS

Leia mais

REGULAMENTO DO REGIME DE FREQUÊNCIA E AVALIAÇÃO

REGULAMENTO DO REGIME DE FREQUÊNCIA E AVALIAÇÃO DO PORTO REGULAMENTO DO REGIME DE FREQUÊNCIA E AVALIAÇÃO Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico do Porto Julho de 2009 PREÂMBULO 3 CAP. I (ÂMBITO E APLICAÇÃO) 3 Art. 1º (Âmbito) 3 Art. 2º

Leia mais

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular IMIGRAÇÃO E SEGURANÇA Ano Lectivo 2014/2015

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular IMIGRAÇÃO E SEGURANÇA Ano Lectivo 2014/2015 Programa da Unidade Curricular IMIGRAÇÃO E SEGURANÇA Ano Lectivo 2014/2015 1. Unidade Orgânica Ciências Humanas e Sociais (1º Ciclo) 2. Curso Políticas de Segurança 3. Ciclo de Estudos 1º 4. Unidade Curricular

Leia mais

Os Cursos de Licenciatura e de Mestrado:

Os Cursos de Licenciatura e de Mestrado: Departamento de Educação Física F e Desporto SEMINÁRIO Educação Física e Desporto O Processo Bolonha, Estágios e Saídas Profissionais 26 de Junho de 2007 Os Cursos de Licenciatura e de Mestrado: Jorge

Leia mais

Ficha de Unidade Curricular. Fernando Galrito, Stephan Jürgens, Filipe Pais

Ficha de Unidade Curricular. Fernando Galrito, Stephan Jürgens, Filipe Pais Ficha de Unidade Curricular Fernando Galrito, Stephan Jürgens, Filipe Pais Unidade Curricular Designação PROJECTO INTERDISCIPLINAR ARTÍSTICO Área Científica CV Ciclo de Estudos SOM E IMAGEM Carácter: Obrigatória

Leia mais

Regulamento do Curso de. Mestrado Integrado em Engenharia Informática

Regulamento do Curso de. Mestrado Integrado em Engenharia Informática Regulamento do Curso de Mestrado Integrado em Engenharia Informática (Ciclo integrado de estudos superiores) (Registado na DGES através do n.º R/A-Cr 21/2013) Artigo 1.º Regulamento geral aplicável O Curso

Leia mais

PÓS-GRADUAÇÃO EM GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS NA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA

PÓS-GRADUAÇÃO EM GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS NA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA PÓS-GRADUAÇÃO EM GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS NA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA Maio de 2011 PÓS-GRADUAÇÃO EM GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS NA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA Esta Pós-Graduação resulta da parceria entre a APEL

Leia mais

LICENCIATURA EM ECOLOGIA E PAISAGISMO. Normas Regulamentares

LICENCIATURA EM ECOLOGIA E PAISAGISMO. Normas Regulamentares LICENCIATURA EM ECOLOGIA E PAISAGISMO Normas Regulamentares As presentes normas visam dar cumprimento ao artigo 14º do Decreto-Lei nº 74/2006, de 24 de Março. Diversa informação relativa a matérias aqui

Leia mais

TEORIAS DA PERSONALIDADE

TEORIAS DA PERSONALIDADE 1 Ano Lectivo 2010/11 Psicologia do Desporto e do Exercício PROGRAMA UNIDADE CURRICULAR TEORIAS DA PERSONALIDADE Instituto Politécnico de Santarém Escola Superior de Desporto de Rio Maior Anabela Vitorino

Leia mais

Curriculum Vitae. Período Título Instituição Classificação. Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra

Curriculum Vitae. Período Título Instituição Classificação. Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra Curriculum Vitae Dados pessoais Nome: Jorge Humberto Soares Marques Data de nascimento: 18/01/1979 País de nacionalidade: Portugal Contacto: jorgehsm@sapo.pt Instituição: Centro de Estudos em Geografia

Leia mais

PROPOSTA DE REGULAMENTO DE MESTRADO DEPARTAMENTO DE PSICOLOGIA

PROPOSTA DE REGULAMENTO DE MESTRADO DEPARTAMENTO DE PSICOLOGIA PROPOSTA DE REGULAMENTO DE MESTRADO DEPARTAMENTO DE PSICOLOGIA De acordo com o art. 14 da Lei de Bases do Sistema Educativo e ao abrigo do Capítulo III do Decreto-Lei 74/2006, e para aprovação pelo Conselho

Leia mais

1 INFORMAÇÕES SOBRE O TITULAR DA QUALIFICAÇÃO. 1.1 Apelido(s): xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx. 1.3 Data de nascimento (ano/mês/dia): xxxxxxx

1 INFORMAÇÕES SOBRE O TITULAR DA QUALIFICAÇÃO. 1.1 Apelido(s): xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx. 1.3 Data de nascimento (ano/mês/dia): xxxxxxx SUPLEMENTO AO DIPLOMA Este Suplemento ao Diploma segue o modelo elaborado pela Comissão Europeia, pelo Conselho da Europa e pela UNESCO/CEPES. A finalidade deste Suplemento é fornecer dados independentes

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO DA UNIDADE CURRICULAR

REGULAMENTO INTERNO DA UNIDADE CURRICULAR REGULAMENTO INTERNO DA UNIDADE CURRICULAR DE DESENVOLVIMENTO PESSOAL CURSOS LIVRES ACTIVIDADES EXTRA-CURRICULARES REGULAMENTO INTERNO DA UNIDADE CURRICULAR DE DESENVOLVIMENTO PESSOAL Secção I Disposições

Leia mais

Escola Superior de Educação João de Deus

Escola Superior de Educação João de Deus Regulamento do 2.º Ciclo de Estudos Conducente ao Grau de Mestre em Educação Especial: Domínio Cognitivo e Motor Artigo 1.º Objectivos Os objectivos dos cursos de Mestrado (2.º ciclo), da Escola Superior

Leia mais

EDITAL PÓS-GRADUAÇÃO EM GESTÃO DA ACTIVIDADE IMOBILIÁRIA. (1.ª Edição - 2011)

EDITAL PÓS-GRADUAÇÃO EM GESTÃO DA ACTIVIDADE IMOBILIÁRIA. (1.ª Edição - 2011) EDITAL PÓS-GRADUAÇÃO EM GESTÃO DA ACTIVIDADE IMOBILIÁRIA (1.ª Edição - ) Nos termos do disposto no artigo 8.º, n.º 1, a), do Regime Jurídico das Instituições do Ensino Superior, aprovado pela Lei n.º 62/2007,

Leia mais

REGULAMENTO PEDAGÓGICO DO MESTRADO INTEGRADO EM CIÊNCIAS FARMACÊUTICAS DA FACULDADE DE FARMÁCIA DA UNIVERSIDADE DE LISBOA

REGULAMENTO PEDAGÓGICO DO MESTRADO INTEGRADO EM CIÊNCIAS FARMACÊUTICAS DA FACULDADE DE FARMÁCIA DA UNIVERSIDADE DE LISBOA REGULAMENTO PEDAGÓGICO DO MESTRADO INTEGRADO EM CIÊNCIAS FARMACÊUTICAS DA FACULDADE DE FARMÁCIA DA UNIVERSIDADE DE LISBOA [Aprovado em reunião do Conselho Pedagógico de 18 Março 2011, nos termos da línea

Leia mais

RELATÓRIO DE CONCRETIZAÇÃO DO PROCESSO DE BOLONHA

RELATÓRIO DE CONCRETIZAÇÃO DO PROCESSO DE BOLONHA RELATÓRIO DE CONCRETIZAÇÃO DO PROCESSO DE BOLONHA 2007/2008 DEPARTAMENTO Departamento de Economia, Gestão e Engenharia Industrial CURSO Mestrado em Engenharia e Gestão Industrial (2.º Ciclo) 1. INTRODUÇÃO

Leia mais

Candidatura a Presidente da Escola Superior Náutica Infante D. Henrique. Programa de Acção. Luis Filipe Baptista

Candidatura a Presidente da Escola Superior Náutica Infante D. Henrique. Programa de Acção. Luis Filipe Baptista Candidatura a Presidente da Escola Superior Náutica Infante D. Henrique Programa de Acção Luis Filipe Baptista ENIDH, Setembro de 2013 Motivações para esta candidatura A sociedade actual está a mudar muito

Leia mais

Pós-Graduação em Administração e Gestão de Escolas

Pós-Graduação em Administração e Gestão de Escolas Pós-Graduação em Administração e Gestão de Escolas ENQUADRAMENTO DO CURSO As escolas são estabelecimentos aos quais está confiada uma missão de serviço público, que consiste em dotar todos e cada um dos

Leia mais

LICENCIATURA EM DESIGN E COMUNICAÇÃO MULTIMÉDIA

LICENCIATURA EM DESIGN E COMUNICAÇÃO MULTIMÉDIA LICENCIATURA EM DESIGN E COMUNICAÇÃO MULTIMÉDIA NORMAS REGULAMENTARES Curso do 1º ciclo de estudos do ensino superior, de cariz universitário, conferente do grau de licenciado, adequado ao Processo de

Leia mais