CRESCIMENTO ECONÔMICO ENQUANTO MEIO PARA O DESENVOLVIMENTO E DESENVOLVIMENTO ENQUANTO MEIO PARA A QUALIDADE DE VIDA: UM ESTUDO DO POLO GOIANA

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "CRESCIMENTO ECONÔMICO ENQUANTO MEIO PARA O DESENVOLVIMENTO E DESENVOLVIMENTO ENQUANTO MEIO PARA A QUALIDADE DE VIDA: UM ESTUDO DO POLO GOIANA"

Transcrição

1 CRESCIMENTO ECONÔMICO ENQUANTO MEIO PARA O DESENVOLVIMENTO E DESENVOLVIMENTO ENQUANTO MEIO PARA A QUALIDADE DE VIDA: UM ESTUDO DO POLO GOIANA RESUMO SILVA, Almir Cléydison Joaquim da 1 SILVA, Beatriz Batinga e 2 FARIA, Maurício Sardá de 3 RAPOSO, Jaciara Gomes 4 LIMA, Ana Flávia de 5 Este trabalho analisa os aspectos socioeconômicos e políticos do município de Goiana-PE em contraste com as expectativas geradas pela população e por setores do governo a partir das articulações institucionais, que ocorrem desde 2009, para a implantação do Polo Goiana - processo de aglomeração industrial formado por grandes investimentos que têm se instalado na região, a exemplo da FIAT, HEMOBRÁS, VIVIX dentre outras - com reflexos, direta ou indiretamente, em treze municípios da Mata Norte de Pernambuco e cinco municípios da Mata Sul da Paraíba. Diante disto, destacamos os diversos aspectos que têm contribuído para a constante transformação do convívio social, como o aumento populacional, aumento da demanda por serviços públicos (saúde, educação, programas sociais de inclusão e redistribuição de renda), aumento da violência urbana, descompasso entre o aumento dos postos de trabalho (em empresas de alimentação, autopeças, farmacoquímico etc.) e a absorção da mão de obra local, especulação imobiliária, desruralização, perda de identidades e costumes culturais, assim como a redução da capacidade fiscal do governo - estratégia adotada para atrair empresas para a região -, o que interfere no direcionamento das políticas públicas e consequentemente na qualidade de vida da população. Analisando estes aspectos, a discussão se volta para os conceitos de crescimento econômico e desenvolvimento, buscando compreender, a partir da implantação da região polarizada, as novas dinâmicas e possibilidades advindas de grandes 1 Graduando em Ciências Econômicas na UFPB. 2 Graduanda em Ciências Econômicas na UFPB. 3 Doutor em Sociologia Política pela UFSC e professor do Departamento de Tecnologia e Gestão. 4 Mestranda do MPGOA/UFPB e Economista pela UFPB. 5 Graduanda em Gestão Pública na UFPB.

2 investimentos industriais, bem como a natureza do desenvolvimento resultante desse processo, nas suas dimensões social, ambiental, cultural, política e humana. As estratégias metodológicas adotadas abrangem tanto a abordagem quantitativa como qualitativa. Inicialmente, utilizamos os dados e informações secundárias disponíveis nos sites do IBGE, Ipeadata, PNAD, PME/IBGE, Caged, DataSus, Rais, INEP. Realizamos visitas ao município de Goiana-PE, com reuniões e entrevistas semiestruturadas junto à equipe de secretários da Prefeitura Municipal, gestores da Agência de Desenvolvimento de Goiana e com a sociedade civil organizada e atuante no território, além de levantamento e sistematização de informações em fontes primárias (jornais diários, revistas, relatórios governamentais e empresariais) e pesquisa bibliográfica. A pesquisa ainda está em curso, mas percebemos que a forma como a industrialização tem se processado evidencia o desequilíbrio social e econômico, uma vez que o processo de crescimento não acontece de forma homogênea, gerando contínuas desigualdades. Neste sentido, a promoção da industrialização e o crescimento econômico mascaram a visão do objetivo principal do desenvolvimento: a qualidade de vida da população. Palavras-chaves: Crescimento Econômico. Desenvolvimento Regional. Novo Desenvolvimentismo. Políticas Públicas. ABSTRACT This article analyzes the socioeconomical and political aspects of the Goiana-PE county opposed to the expectations created by the population and by the government sectors from institutional linkages, which ocurred since 2009, for the implementation of Polo Goiana - industrial agglomeration process formed by large investments that have been established in the region, with example of FIAT, HEMOBRÁS, VIVIX, among others -, reflected, directly or indirectly, in thirteen countys of Pernambuco and five countys Paraíba s Mata Sul. Therefore, we may accentuate several aspects that have contributed to a constant transformation of the social cohabitation, such as the increased population, increased demand for public services (health, education, inclusive and income redistribution social programs), increased urban violence, imbalance between the increase of jobs (in food, auto parts, pharmochemical companies, etc.) and the absorption of local labor, real estate speculation, deruralization, loss of cultural identities and customs, as well as the reducing of the fiscal capacity of the government - strategy adopted to attract companies to the region -, which influences the direction of public policies and consequently the quality of life of the population. Analyzing these aspects, the discussion turns to the economic growth and development concepts, seeking comprehension, through the implantation of the polarized region, the new dynamics and possiblities arised of big industrial investiments, as well as the nature of the resultant development of this procedure, in its social, environmental, cultural, politic and human dimensions. The methodological strategies adopted include both quantitative and qualitative approach. Initially, we used data and secondary information available on the IBGE, Ipeadata, PNAD, PME/IBGE, Caged, DataSus, Rais, INEP websites. Regular visits were conducted to the city of Goiás-PE with meetings and semi-structured interviews with the team of secretaries of Prefecture, managers of Agência de Desenvolvimento de Goiana, and the organized and active civil society in the territory, in addition to survey and systematization of information on primary sources (newspapers, magazines, government and business reports) and bibliographical research, managers of Goiás Development Agency and organized and active civil society in the territory. The research is still ongoing, but we can note that the way in which the industrialization has been processed evidenciates the social and economic imbalance, since the the process of growth doesn t happen

3 in a homogeneous way, generating continous inequality. In this sense, the promotion of industrialization and the economic growth disguises the main objective of development: life quality of the population. Key words: Economic Growth, Regional Development, New Developmentalism, Public Politics INTRODUÇÃO Após a Segunda Guerra Mundial surgem diversos debates sobre desenvolvimento econômico, uma vez que os países visavam minimizar ou até mesmo eliminar os problemas que os perseguiam ao termino do grande conflito mundial. Tais problemas compreendiam desemprego, miséria, desigualdades econômicas e sociais, discriminação racial, entre outros. Sendo assim, os conceitos de crescimento e desenvolvimento ainda se apresentam como sinônimos, como aponta Oliveira (2002) apud Scatolin (1989, p.06) [...] conceitos como progresso, crescimento, industrialização, transformação, modernização, têm sido usados frequentemente como sinônimos de desenvolvimento.. Souza (1993) identifica duas correntes de pensamento econômico que abordam o tema. Na primeira encontram-se os modelos de crescimento da tradição clássica e neoclássica que apontam o crescimento como sinônimo de desenvolvimento, enquanto que na segunda encontram-se economistas de orientação crítica, com formação marxista ou cepalina, que apontam que o crescimento é condição indispensável para o desenvolvimento, no entanto não é a condição suficiente. Estes últimos defendem ainda que o desenvolvimento é caracterizado por mudanças qualitativas na vida das pessoas, enquanto que o crescimento é uma simples variação quantitativa. Sandroni (1999), por exemplo, afirma que desenvolvimento econômico é o crescimento econômico (aumento do Produto Nacional Bruto per capita) acompanhado pela melhoria do padrão de vida da população e por alterações fundamentais na estrutura de sua economia. Além disso, o mesmo enfatiza que desenvolvimento depende de características próprias de cada região, como a situação geográfica, extensão territorial, população, cultura, passado histórico e recursos naturais.

4 Historicamente, percebe-se que a indústria tem sido responsável por impulsionar o nível do produto, sendo amplamente reforçada pelo desempenho de países mais industrializados, a exemplo dos Estados Unidos, que até então alcançavam níveis elevados de conforto e qualidade de vida. Por conta disso, na literatura econômica é muito comum a associação de desenvolvimento com industrialização, sendo que esta passa a ser vista como indispensável para a obtenção de níveis elevados de crescimento e qualidade de vida. Isso pode nos ajudar a entender os motivos que levam diversos países do mundo ao anseio pela industrialização. Destaca-se que as medidas e ações do governo tendem a ver na indústria e no crescimento econômico como meios e fins do desenvolvimento. Desta forma, como o desenvolvimento tem sido tratado como sinônimo de crescimento, vários países e regiões têm dado atenção a sua busca, normalmente associando o sentimento de que melhor é quando se tem mais, sem dar importância à qualidade e redistribuição dos acréscimos. Logo, as regiões são consideradas desenvolvidas quando são capazes de produzir continuamente. Essa busca desenfreada pela industrialização levou diversos países e regiões do mundo a concentrarem-se na elevação do crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) como meta principal, enquanto que a qualidade de vida enquadrou-se em uma meta secundária. Isso deixou grandes agravos sociais e ambientais para as sociedades, que agora buscam novos mecanismos e estratégias para mudar este cenário. Oliveira (2002) considera a ampliação do produto importante, mas afirma que este não traz por si só desenvolvimento: Pensar em desenvolvimento é, antes de qualquer coisa, pensar em distribuição de renda, saúde, educação, meio ambiente, liberdade, lazer, dentre outras variáveis que podem afetar a qualidade de vida da sociedade. No município de Goiana PE, em meados de 2009, foi dado início ao processo de industrialização de áreas específicas, pertencentes ao município. Nesta área já estão instaladas três grandes empresas (serão caracterizadas ao longo do texto): a montadora de veículos Fiat, a Empresa Brasileira de Hemoderivados (Hemobrás) e a Companhia Brasileira de Vidros Planos (CBVP).

5 Entretanto, com a dualidade do conceito de crescimento e desenvolvimento, a preocupação que emerge é qual será o impacto na vida da população com esse recente boom de investimento no Polo Goiana, visto que o grande crescimento industrial pode gerar um crescimento econômico, trazendo no entanto outros problemas de caráter social, ambiental, cultural entre outros, que apresentam a tendência de se agravarem após a nova matriz de investimento. Neste ponto, o papel do governo é indispensável para organizar a nova dinâmica regional, a fim de ajustar o crescimento econômico de forma quantitativa com o desenvolvimento de forma qualitativa. Para a realização de uma análise socioeconômica é imprescindível a apreciação dos dados do município de Goiana, onde as 3 maiores empresas estão localizadas. Portanto, a análise será realizada a partir de dados oficiais, obtidos junto ao IBGE, Ipeadata, PNAD, PME/IBGE, Caged, DataSus, Rais e INEP, no período entre 2009 e Juntamente com o auxilio de gráficos, figuras e mapas, procuraremos verificar qual o impacto essas empresas vem provocando no território e as dinâmicas sociais e econômicas desse processo de industrialização recente. Trata-se aqui de resultados preliminares de uma pesquisa que se encontra em andamento, cujo objetivo é precisamente verificar a natureza das transformações sociais, econômicas, ambientais, culturais e políticas ocorridas no território do Pólo Goiana/PE em decorrência da nova dinâmica de industrialização que se processa atualmente. CONTEXTUALIZAÇÃO DO MUNICÍPIO DE GOIANA O município de Goiana está localizado geograficamente no nordeste brasileiro, mais especificamente no estado de Pernambuco (a 62 km da capital Recife) em uma região conhecida como Zona da Mata Norte. Sua área é de 501,90 Km², com uma população de mil habitantes em 2013, sendo o décimo nono município mais populoso do estado. Os limites do município são: ao norte com o estado da Paraíba, ao sul com Itaquitinga, Igarassu, Itamaracá e Itapissuma, a leste com o Oceano Atlântico e a oeste

6 com Condado e Itambé. Administrativamente Goiana apresenta três distritos: Goiana, Tejucupapo e Pontas de Pedra 6. O mapa I apresenta o município em relação a todo o estado de Pernambuco. MAPA I: ÁREA DE GOIANA EM COMPARAÇÃO COM ESTADO DE PERNAMBUCO. Fonte: CONDEP/FIDEM A localização do município de Goiana é privilegiada por sua proximidade com a BR- 101, que liga importantes capitais do nordeste, facilitando o acesso ao município tanto por parte da população quanto por parte das indústrias. As últimas possuem o benefício da redução do custo de transporte, pois a BR é de suma importância para o transporte de matéria-prima, como também para o transporte das mercadorias produzidas nas fábricas que serão levadas às cidades próximas, ou conduzidas até o porto de Suape (Complexo Industrial Portuário). O Complexo Industrial Portuário está localizado no estado de Pernambuco, na região da Zona da Mata Sul, e é um importante agente para o trafego das mercadorias, como ressalta a diretoria do porto: Locomotiva do desenvolvimento de Pernambuco, o Complexo Industrial Portuário de Suape é considerado um dos principais polos de investimentos do país. O Porto apresenta estrutura moderna, com profundidades entre 15,5m e 20,0m e grande potencial de expansão. Sua localização estratégica em relação às principais rotas marítimas de navegação o mantém conectado a mais de 160 portos em todos os 6 Ainda há os povoados de Atapuz, Carrapicho, Ibeapicu, Ilha de Itapessoca, Usina Santa Tereza, Usina Nossa Senhora da Maraviha, Barra de Catuama, Carne-de-Vaca, Gambá de Baixo, Chã de Alegria, Caioé e São Lourenço.

7 continentes, com linhas diretas da Europa, América do Norte e África. (SUAPE, 2014). 7 O mapa II demonstra, com os tracejados de cor branca, a área do município de Goiana, os traços em amarelo indicam a passagem da BR-101, como também as estradas estaduais (PE-001, PE-044, PE-062 e PE-075). E as suas fronteiras como Condado, Itaquitinga, Caaporã e Ilha de Itapessoca. MAPA II: MUNICÍPIO DE GOIANA Fonte: Google Maps Em uma perspectiva histórica, os primeiros habitantes do município de Goiana foram os índios Caetés e Potiguares, até a chega dos colonizadores por volta do ano de No ano de 1558, Goiana passou para a categoria de distrito, em 1711 apresentavase como vila e em 1840 ganhou o título de cidade. De acordo com o IBGE (2014), o crescimento econômico, assim como a maioria dos municípios do nordeste, se deu no século XVI com a formação dos engenhos e no século XIX devido à alta circulação de mercadorias pelo porto de Goiana, pois o mesmo possuía a fundamental importância de realizar um eixo com as mercadorias do interior para além das fronteiras. Culturalmente, o município apresenta uma grande diversidade, destacando-se por seu patrimônio arquitetônico religioso que data do século 17, por seu artesanato 7 Para mais informações acessar o link: <http://www.suape.pe.gov.br/institutional/institutional.php >.

8 com destaque para as cerâmicas figurativas, por sua orla marítima, culinária e com os caboclinhos de lança, sendo conhecida como a terra dos caboclinhos 8. No âmbito econômico, inicialmente, o município apresentava a maior produção e extensão territorial voltada para a monocultura da cana-de-açúcar. Porém, com o novo dinamismo econômico advindo da entrada de indústrias no território goianense, há uma modificação na construção do território, que pode ser dividido em três grupos: o primeiro é a agropecuária, o segundo grupo é o industrial e o último é definido como o grupo de ecossistemas naturais. De acordo com a HEMOBRÁS (2013), a principal característica do primeiro grupo é a predominância de áreas ocupadas por canaviais, com mais de 50% do território municipal, que se dividem em vastas áreas de monocultura das usinas existentes, ou em pequenos espaços destinados a polinocultura. Outras atividades presentes neste grupo são: agricultura de hortifrutigranjeiros, produzida por quatro grupos de assentamentos rurais localizados nas áreas próximas ao litoral, sendo a principal e predominante a de coco-da-baía; nas áreas próximas aos estuários há criação de camarão. Ainda de acordo com a HEMOBRÁS (2013), o segundo grupo (industrial) é o mais impactado pelo ingresso de grandes empresas na região. De forma polarizada, a partir dessas empresas, outras investiram nas áreas de hotelaria, imobiliária, comércio e serviços. Vale destacar que, juntamente com esse processo de crescimento econômico, alguns problemas surgem, pois o município precisa se adequar de forma estrutural para a chegada desses novos empreendimentos 9. 8 De acordo com Cláudia Lima(2014): Os caboclinhos retratam a presença do índio e são um dos destaques do carnaval de Recife, ainda de acordo com Cláudia Lima : Caboclinhos, ou como na fala popular "cabocolinhos", é uma espécie de grupos de homens e mulheres, trajando vistosos cocares de penas de avestruz e pavão, com saias também de penas, trazendo adereços nos braços, tornozelos e colares, (também em penas), que desfilam em duas filas fazendo evoluções das mais ricas ao som dos estalidos secos das preacas, abaixando-se e levantando-se com agilidade, como se tivessem molas nas pernas, ao mesmo tempo que rodopiam apoiando-se nas pontas dos pés e calcanhares. 9 8 As três principais empresas são: Empresa Brasileira de Hemoderivados (Hemobrás), da montadoras de veículos FIAT e a Companhia Brasileira de Vidros Planos (CBVP).

9 Essas transformações vem ocorrendo demandam uma urgente revisão do plano diretor do município, pois no documento vigente não há referência a esse processo de crescimento econômico impulsionado pela chegada de novos empreendimentos. (HEMOBRÁS, 2013, pg. 36). Por fim, o último grupo refere-se à parte ambiental do município, dividida entre Mata Atlântica, Manguezais, áreas pantanosas e mananciais de superfície. Dentre os ecossistemas citados um dos mais importantes é o Manguezal, devido a sua função de preservar a fauna e flora, servindo inclusive para a renda e meio de vida para os moradores dependentes economicamente das atividades extrativistas. Uma vez que o município de Goiana apresenta um boom de investimento para a área industrial, o impacto desse setor afeta direta ou indiretamente em outros que não estão preparados para as novas dinâmicas que surgem com os vultosos investimento. Consequentemente, o bem estar da população é afetado tão rapidamente quanto à instalação das fábricas. Daí a necessidade imperiosa de políticas públicas que devem acompanhar este processo, a fim de não apenas crescer, mas também desenvolver Goiana. COMPOSIÇÃO DO POLO GOIANA O território que compreende o Pólo Goiana abrange treze municípios da Mata Norte de Pernambuco e cinco municípios da Mata Sul da Paraíba. Este território é denominado, neste presente texto, de Pólo Goiana por apresentar um grande investimento em indústrias. O carro chefe desse processo é formado pelas empresas FIAT (montadora de veículos) e a Empresa Brasileira de Homoderivados e Biotecnologia (HEMOBRÁS), ambas instaladas no município de Goiana/PE. Outras indústrias que também fazem parte do polo são: VIVIX Vidros Planos (Goiana/PE), a AMBEV localizada em Itapissuma/PE; Brennand Cimentos Pitimbú, em Pitimbú/PE; e por fim, NISSAN/AJINOMOTO (Fábrica de Macarrão) localizada em Glória de Goitá/PE. Todas essas indústrias necessitam de outras, as quais fornecem matéria-prima e serviços para que as motrizes tenham a possibilidade de produzir em larga escala. Portanto, segundo a Prefeitura Municipal de Goiana, a previsão do número de indústrias

10 instaladas ao longo do Polo é de aproximadamente 35 fábricas, as quais trabalham como fornecedoras da indústria principal. Uma das empresas que estão em processo de implantação e é um dos objetos de estudo deste trabalho é a montadora italiana Fiat. Em relação à fábrica ela está instalada no Brasil desde 1976 com localização em Betim (MG). Sua capacidade produtiva anual é de aproximadamente 800 mil veículos, e desde 2011 a montadora apresenta um aumento de seu investimento com o intuito de alavancar a sua capacidade produtiva e sua produção. (FIAT, 2014). Para Betim, é esperado que a produção anual apresente uma elevação de 800 mil para 950 mil veículos por ano. Além do aumento da produção em Betim, uma nova fábrica da Fiat está sendo instalada na Zona da Mata Norte de Pernambuco, mais precisamente em Goiana. Inicialmente, de acordo com o Jornal do Comércio de Pernambuco, o intuito da Fiat era se instalar em Suape, no Cabo de Santo Agostinho/PE. Entretanto, depois do grupo italiano decidir expandir seu projeto atual e passar de 3 bilhões para 4 bilhões de reais, e com um terreno de hectares doado pela Prefeitura a mesma trocou o endereço para Goiana e foi recebida com festa no municio, pois acredita-se que a montadora trará benéficos não só para Goiana, mas também para 15 cidades localizadas em um raio de 40 quilômetros. A geração de emprego prevista para a nova fábrica é de mil empregos voltados à construção civil, sendo esses durante o processo de instalação da fábrica, e com a montadora em funcionamento o número de empregos cai para Além dos empregos gerados pela Fiat, há mais 15 fornecedores também ligados diretamente (fisicamente) à montadora, que somam mais postos de trabalho. Esses dados iniciais nos permite adiantar que, com o aumento de empregos para a construção civil e na área industrial, a procura por mão de obra qualificada para ocupar essas vagas também se torna um desafio para os governos locais. A Prefeitura Municipal, através da Agência de Desenvolvimento de Goiana (AD Goiana), e o Governo do Estado de Pernambuco apresentaram propostas para suprir essas vagas com pernambucanos e goianensses, como veremos a seguir.

11 O centro farmacoquimico localizado em Goiana é representado pela Hemobrás. Sendo essa a primeira fábrica de hemoderivados do Brasil, e a maior fábrica da America Latina, irá produzir medicamentos a partir do Plasma sanguíneo 10 ou obtidos por meio de engenharia genética. Em 2010 teve início o processo de construção da fábrica, cuja estrutura prevê 17 prédios, distribuídos em 24 hectares e 48 mil metros quadrados de área construída. A primeira etapa da construção foi inaugurada em dezembro 2011, quando uma nova etapa teve início, visando o total de 19 blocos. (HEMOBRÁS, 2013). FIGURA I CAPTURA FOTOGRÁFICA SUPERIOR DA FÁBRICA DA HEMOBRÁS GOIANA/PE. Fonte:Acervo Hemobrás. Vale destacar que uma das mais importantes obras para o bom funcionamento do polo industrial (principalmente para a indústria Fiat), é a construção do arco metropolitano de Recife, com ligará as indústrias ao porto de Suape, por meio de uma rota alternativa sem passar pela BR-101, a fim de evitar os congestionamentos, e assim melhorar a logística do polo. 10 O plasma é a parte líquida do sangue, de coloração amarelo palha, composto de água (90%), proteínas e sais minerais. Através deles, circulam por todo o organismo as substâncias nutritivas necessárias à vida das células. Essas substâncias são: proteínas, enzimas, hormônios, fatores de coagulação, imunoglobulina e albumina. O plasma representa aproximadamente 55% do volume de sangue circulante. (HEMOSC, 2014).

12 Sendo assim, o que se observa é a transição entre os setores dominantes no território do Polo Goiana, em que o centro dinâmico migra do setor agropecuário (mais precisamente no subsetor de cana de açúcar), para o setor industrial. Outras áreas são afetadas intensamente, no sentido de aumentar os postos de trabalho, trazer um crescimento econômico para a região no que diz respeito ao incentivo do setor de serviços, maior investimento para as áreas urbanas do município, entre outros. Apesar dos bons resultados, se esse crescimento não for acompanhado de um planejamento público, envolvendo segurança, educação e saúde, pode haver um forte impacto negativo na qualidade de vida da população, com tendência a se agravar ao longo do tempo e comprometer as gerações futuras.. De outra forma, nem sempre o crescimento é acompanhado do desenvolvimento, pois as questões sociais devem ser levadas em consideração.. Sendo assim, a melhor forma de crescer, é crescer com qualidade, de modo a incentivar uma a distribuição equitativa da riqueza pelo conjunto da população. ANÁLISE SOCIOECONÔMICA A análise socioeconômica refere-se à evolução dos dados sociais e econômicos, estabelecendo uma correlação entre eles, a fim de ponderar qual o impacto do crescimento econômico no entorno de Goiana para a população residente, com destaque para as primeiras mudanças na rotina desses habitantes. Numericamente, a evolução do PIB de Goiana ao longo dos anos de 1999 até 2011 de acordo com o IBGE 11, apresentou um crescimento nominal ao longo do período. De acordo com os dados, observamos uma taxa de crescimento média de 2,42%, ficando um pouco abaixo da taxa observada pela região da Zona Norte de Pernambuco que apresentou uma taxa de 2,69% ao longo do período. A linha vermelha apresentada no gráfico abaixo apresenta uma tendência do PIB de Goiana. De acordo com esta linha, há uma tendência de crescimento ao longo dos anos, passando de 230,6 milhões de reais para 789, 4 milhões. 11 O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE se constitui no principal provedor de dados e informações do País, que atendem às necessidades dos mais diversos segmentos da sociedade civil, bem como dos órgãos das esferas governamentais federal, estadual e municipal. (Site IBGE, 2014).

13 GRÁFICO I EVOLUÇÃO HISTÓRICA DO PIB DO MUNÍCIPIO DE GOIANA/PE NO PERÍODO DE 1999 ATÉ Fonte: Elaboração própria, com base nas informações fornecidas pelo IBGE PIB Com o mapa I, temos uma comparação entre o PIB dos municípios de Pernambuco, com uma classificação por cores, considerando do mais claro para o mais escuro. Sendo o amarelo mais claro destacando os menores pib s e o mais escuro os maiores. Em especial para o município em análise, o PIB está incluso entre os maiores do estado, no intervalo de mil até milhões. MAPA III PIB DOS MUNICÍPIOS DE PERNAMBUCO COM O MUNICÍPIO DE GOINA EM DESTQAQUE PERÍODO DE Fonte: IBGE.

14 Analisando o PIB por setores: o setor agropecuário, industrial e o de serviços, obtemos os seguintes resultados: a maior participação do PIB para o setor de serviços, logo depois o setor industrial e, por fim, o setor de agropecuária, demonstrando que houve uma transferência, já no ano de 1999, do setor agropecuário para o setor industrial, com o setor de serviços em destaque. GRÁFICO II PRTICIPAÇÃO DOS SUBSETORES NO PIB DO MUNÍCIPIO DE GOIANA/PE PERÍODO DE 1999 ATÉ AGROPECUÁRIA INDÚSTRIA SERVIÇOS Fonte: Elaboração própria, a partir de dados fornecidos pelo IBGE. Com relação à população total residente em Goiana, podemos perceber que houve um crescimento populacional com um aumento de aproximadamente mil pessoas do ano de 2012 para o ano de 2013 (gráfico III). A justificativa para esse crescimento se deve, ao que parece, ao início do funcionamento de um dos blocos da Hemobrás, a continuação das obras da montadora Fiat, como também devido ao início de obras referente a outras indústrias de autopeças. No ano de 2013, grande parte das indústrias já iniciaram as contratações de profissionais. Considerando que muitos dos novos postos de trabalho não vem sendo ocupados por moradores da região do Polo Goiana, há uma migração para o município devido à proximidade com as fábricas. Vale ressaltar que esse processo contribui para alavancar o setor imobiliário..dentre as consequência do processo migratório, emerge a especulação imobiliária,

15 causada pelo aumento repentino da demanda por imóveis, pois com um maior número de pessoas procurando por casas o valor do aluguel tende a aumentar. Verifica-se assim uma reconfiguração dos habitantes das cidades, com moradores deixando suas casas e a chegada dos trabalhadores das indústrias do Polo. O processo de desrruralização também é uma consequência da especulação imobiliária, visto que, com o aumento do valor dos alugueis, o investimento em loteamentos é alto, pois com a cana de açúcar em baixa, os antigos usineiros mudam de setor e investem no setor imobiliário com a perspectiva de obter um maior lucro com a venda ou aluguel de partes do seu terreno. GRÁFICO III POPULAÇÃO TOTAL DO MUNICÍPIO DE GOIANA NO PERÍODO DE 2011 ATÉ Fonte: Elaboração própria, com base nos dados fornecidos pelo IBGE. Ainda na temática populacional, a figura II apresenta uma comparação entre três pirâmides etárias, portanto ponderamos que está representação indica uma semelhança entre as pirâmides de Goiana, de Pernambuco e do Brasil, pois todas apresentam um estreitamento da base, caracterizadas pelo menor número de nascidos, mas com a expansão da área alusiva a população entre 10 e 34 anos.

16 FIGURA II PIRÂMIDE ETÁRIA DO MUNÍCIPIO DE GOIANA, ESTADO DE PERNAMBUCO E DO BRASIL NO ANO DE Fonte: IBGE. Na perspectiva da saúde, Goiana apresenta como diagnóstico que aponta para a deficiência do sistema público de saúde, com vários problemas que dificultam a boa funcionalidade do setor. A rede municipal conta com a Rede básica e com a Rede de Atenção Especializada, insuficientes para a demanda da sua população. A composição da primeira (Rede Básica) é dada por 24 unidades Básicas de Saúde/UBS, sendo 17 organizadas sob a estratégia de Saúde da Família e 07 sob a forma de Unidades Tradicionais de Atenção Básica. Contudo, os problemas referentes a esse sistema é o método aplicado que se revela incapaz de atender as necessidades da população, contando com poucas ações de promoção, prevenção e incipientes ações intersetoriais. (HEMOBRÁS, 2013). A Rede de Atenção Especializada conta com 03 Unidades de Saúde Mista, 01 Hospital Estadual, 01 Unidade de Atendimento Especializado, 01 centro de Apoio Psicossocial/CAPS, 01 Centro Especializado de Odontologia/CEO e, por fim, com um sistema de regulação municipal a ser implantado. Mesmo com um número razoável de unidades de assistência, ainda há uma carência para os serviços especializados, pois há um fluxo de pacientes para serem atendidos na capital Recife sem uma efetiva regulação com o intuito de garantir o acesso dos pacientes. Outro ponto que contribui para o congestionamento das unidades de saúde é dado pelo fato de Goiana atender a população de outros municípios, sem a

17 implantação de mecanismos de compensação financeira, como também sem a regulação regional e interestadual. (HEMOBRÁS, 2013). Sobre a educação, no município de Goiana existem 43 escolas municipais, 07 estaduais e 22 privadas, totalizando 72 escolas. Os dados qualitativos da rede escolar apresentam ainda uma grande taxa de analfabetismo, cerca de duas vezes superior à média nacional, como também há uma diferença entre os núcleos territoriais. Essa discrepância é justificada pela desigualdade entre as regiões. Os principais problemas da rede educacional são referentes à insuficiência de transporte escolar em termos de qualidade e quantidade, à má infraestrutura das escolas, problemas com a merenda no que diz respeito à quantidade e qualidade, entre outros.(hemobrás, 2013). Por fim, o Índice de Desenvolvimento Humano Municipal, que foi criado em 2012 pelo PNUD Brasil, o IPEA e a Fundação João Pinheiro, tem o objetivo de enfatizar o desenvolvimento voltado para o lado social, sem se restringir ao desenvolvimento limitado ao crescimento econômico. A sua metodologia segue as três áreas principais (longevidade, educação e renda) do IDH global, com a diferença de que o IDHM é adequado à situação brasileira. FIGURA III FAIXA DO DESENVOLVIMENTO HUMANO MUNICIPAL (IDHM) Fonte: Atlas do Desenvolvimento Humano do Brasil. O gráfico IV mostra a evolução do IDHM no município de Goiana, progredindo de um IDHM com classificação muito baixa, para um IDHM com classificação média, em 19 anos.

18 GRÁFICO IV ÍNDICE DE DESENVOLVIMENTO HUMA DO MUNICÍPIO DE GOIANA PERÍODO DE 1991 ATÉ IDHM Fonte: Elaboração própria, com dados fornecidos pelo IBGE. Em linhas gerais, o município de Goiana está em meio a um período de transformações dos aspectos sociais, econômicos, políticos, ambientais e culturais advindos da modificação da matriz industrial do município. Sendo assim, de acordo com os dados de educação e saúde, estes dois setores ainda apresentam dificuldades de efetivar os sistemas, os quais serão cada vez mais solicitados, devido ao aumento populacional. Outro ponto é a problemática social, no que diz respeito ao tráfico de drogas e a prostituição, que de problemas pontuais se viram agravadas com o contingente masculino de trabalhadores que passou a residir na região. O aspecto cultural é de suma importância para marcar a identidade de seu povo, pois a mesma é conduzida de geração para geração, contribuindo para a caracterização histórica do município. Portanto, meios de preservar a cultura da região devem ser pensados e postos em prática, pois a mesma deve se sobressair em meio à diversidade de culturas levadas pelos novos habitantes. CONSIDERAÇÕES FINAIS A contextualização de desenvolvimento econômico é historicamente definida como o crescimento acelerado, a fim de eliminar o atraso econômico, deixando uma brecha para confusões ente os conceitos de crescimento e desenvolvimento. Porém, com

19 o passar do tempo e com mudanças no contexto econômico e social, a questão do desenvolvimento volta à tona e indica um novo conceito, onde desenvolvimento é considerado um crescimento includente, indicando a importância o aspecto social, ou seja, atribui ao conceito uma característica qualitativa. De acordo com os dados coletados, o município estudado já apresentava uma dinâmica de crescimento econômico antes mesmo da indústria motriz se instalar na região e iniciar o processo de produção, com destaque para o produto novo gerado (PIB) em comparação com o estado. O setor industrial já apresenta a segunda maior participação neste produto, que deve manter sua tendência de crescimento com a entrada em funcionamento da Fiat e demais indústrias de autopeças. Porém, para produzir, as empresas precisam de mão de obra e insumos, logo o adensamento populacional, o fluxo de carga e de veículos também apresenta a tendência de crescimento abrupto. Como consequências da modificação da dinâmica social e econômica no município surgem problemas como a perda da referência das comunidades, devido às mudanças nos moradores e da especulação imobiliária, um agravamento dos problemas sociais como drogas e prostituição, como também problemas de locomoção urbana, uma maior demanda por serviços públicos, o aumento da desigualdade social e a perda das referências culturais, transmitidas ao longo das gerações. Desse modo, com a mudança da matriz industrial, surge a contradição entre crescimento e desenvolvimento, pois não significa que, com um processo de crescimento econômico, haverá proporcionalmente o desenvolvimento social, mas esse é um dos meios para o desenvolvimento. Isto é, com uma correlação ao slogan da prefeitura de Goiana A Cidade das Oportunidades, há a oportunidade de que esse crescimento econômico beneficie a qualidade de vida da população, levando em consideração a diversidade entre as regiões, e não se restrinja aos dados quantitativos.

20 REFERÊNCIAS AGÊNCIA ESTADUAL DE PLANEJAMENTO E PESQUISAS DE PERNAMBUCO. Goiana. Disponível em: <http://www2.transparencia.pe.gov.br/c/document_library/get_file?p_l_id=98754&fold erid=270083&name=dlfe pdf>. Acesso em: 16 jul ATLAS DO DESENVOLVIMENTO HUMANO NO BRASIL. O IDHM. Disponível em: <http://www.atlasbrasil.org.br/2013/pt/o_atlas/idhm/>. Acesso em: 20 jul CANO, Wilson. Desequilíbrios regionais e concentração de renda no Brasil: São Paulo: Global e Ed. Unicamp, COMPLEXO INDUSTRIAL PORTUÁRIO. O que é Suape?. Disponível em: <http://www.suape.pe.gov.br/institutional/institutional.php>. Acesso em: 18 jul CUNHA, A., SIMÕES R. & PAULA, J. A. Regionalização e História: uma contribuição introdutória ao debate teórico metodológico. Disponível em: < Acesso em: 07 mai EMPRESA BRASILEIRA DE HEMODERIVADOS E BIOTECNOLOGIA. Análise Participativa da Realidade Socioambiental de Goiana/PE. Disponível em: <http://www.hemobras.gov.br/site/downloads/socio_ambiental.pdf>. Acesso em: 11 jun FIAT. Institucional. Disponível em:< Acesso em: 10 jul FIAT. Programa de Pernambuco. Disponível em: <http://programapernambuco.fiat.com.br/#sobre_o_programa_scr>. Acesso em: 10 jul FUNDAÇÃO JOAQUIM NAMBUCO. Caboclinhos. Disponível em: <http://basilio.fundaj.gov.br/pesquisaescolar../index.php?option=com_content&view=ar ticle&id=587:caboclinhos&catid=38:letra-c&itemid=1>. Acesso em: 10 jun FURTADO, Celso. Desenvolvimento e subdesenvolvimento. Rio de Janeiro: Fundo de Cultura, SANDES, Giovanni. Polo da Fiat terá R$3 bilhões de fornecedores: Mudança da montadora para Goiana, nesta terça (9), foi motivada por integração de cadeia automotiva. Disponível em: < Acesso em: 10 jun

BRANDS COMPONENTES 2

BRANDS COMPONENTES 2 BRANDS COMPONENTES 2 GRUPO FIAT CHRYSLER NA AMÉRICA LATINA CONTAGEM (MG) VENEZUELA GOIANA PERNAMBUCO (2014) Máquinas para construção Iluminação automotiva HORTOLÂNDIA / SANTO ANDRÉ (SP) Sistemas de suspensão,

Leia mais

Estrutura Populacional e Indicadores socioeconômicos

Estrutura Populacional e Indicadores socioeconômicos POPULAÇÃO BRASILEIRA Estrutura Populacional e Indicadores socioeconômicos Desde a colonização do Brasil o povoamento se concentrou no litoral do país. No início do século XXI, a população brasileira ainda

Leia mais

19 22 de Outubro de 2014, MINASCENTRO, Belo Horizonte MG

19 22 de Outubro de 2014, MINASCENTRO, Belo Horizonte MG 2º Simpósio Brasileiro de Saúde e Ambiente 19 22 de Outubro de 2014, MINASCENTRO, Belo Horizonte MG Eixo 1. Desenvolvimento socioeconômico e conflitos territoriais DESENVOLVIMENTO CAPITALISTA E SEUS IMPACTOS

Leia mais

DESCONCENTRAÇÃO INDUSTRIAL E EMPREGO NAS REGIÕES METROPOLITANAS DE BELO HORIZONTE, GOIÂNIA E RIO DE JANEIRO.

DESCONCENTRAÇÃO INDUSTRIAL E EMPREGO NAS REGIÕES METROPOLITANAS DE BELO HORIZONTE, GOIÂNIA E RIO DE JANEIRO. DESCONCENTRAÇÃO INDUSTRIAL E EMPREGO NAS REGIÕES METROPOLITANAS DE BELO HORIZONTE, GOIÂNIA E RIO DE JANEIRO. Vivian Fernanda Mendes Merola vfmerola1@gmail.com Universidade de São Paulo Faculdade de Filosofia

Leia mais

Projeto Cidade da Copa : influência na mobilidade da Zona da Mata Norte do Estado de Pernambuco

Projeto Cidade da Copa : influência na mobilidade da Zona da Mata Norte do Estado de Pernambuco Danilo Corsino de Queiróz Albuquerque¹ Ana Regina Marinho Dantas Barboza da Rocha Serafim² ¹Graduando do 5º Período no Curso de Licenciatura em Geografia pela Universidade de Pernambuco (UPE), E-mail:

Leia mais

DECRETO Nº 32.488, DE 17 DE OUTUBRO DE 2008

DECRETO Nº 32.488, DE 17 DE OUTUBRO DE 2008 DECRETO Nº 32.488, DE 17 DE OUTUBRO DE 2008 Declara como Área de Proteção Ambiental APA a região que compreende os Municípios de Itamaracá e Itapissuma e parte do Município de Goiana, e dá outras providências.

Leia mais

ESTUDO DAS MUDANÇAS NAS PIRÂMIDES ETÁRIAS DE MONTES CLAROS E BELO HORIZONTE, NO PERÍODO DE 2000 E 2010

ESTUDO DAS MUDANÇAS NAS PIRÂMIDES ETÁRIAS DE MONTES CLAROS E BELO HORIZONTE, NO PERÍODO DE 2000 E 2010 ESTUDO DAS MUDANÇAS NAS PIRÂMIDES ETÁRIAS DE MONTES CLAROS E BELO HORIZONTE, NO PERÍODO DE 2000 E 2010 BOTELHO, Nayara Thyelly Rodrigues Maia 1 OLIVEIRA, Cinthya Rodrigues 2 RESUMO O objetivo desse estudo

Leia mais

Tabela 2 - População residente, segundo as unidades da federação 1991/2000/2010

Tabela 2 - População residente, segundo as unidades da federação 1991/2000/2010 A distribuição populacional de Goiás frente aos dados do Censo demográfico 2010 Daniel da Silva Souza 1 Resumo: A configuração da rede demográfica goiana está em processo de forte alteração. A taxa de

Leia mais

Mineração de fosfato em. desenvolvimento local

Mineração de fosfato em. desenvolvimento local Mineração de fosfato em Cajati (SP) e o desenvolvimento local Solange S. Sánchez Procam Universidade de São Paulo Luis E. Sánchez Escola Politécnica Universidade de São Paulo Seminário Recursos Minerais

Leia mais

11.1. INFORMAÇÕES GERAIS

11.1. INFORMAÇÕES GERAIS ASPECTOS 11 SOCIOECONÔMICOS 11.1. INFORMAÇÕES GERAIS O suprimento de energia elétrica tem-se tornado fator indispensável ao bem-estar social e ao crescimento econômico do Brasil. Contudo, é ainda muito

Leia mais

Dinâmica demográfica e qualidade de vida da população brasileira Parte II

Dinâmica demográfica e qualidade de vida da população brasileira Parte II Dinâmica demográfica e qualidade de vida da população brasileira Parte II A nova Pirâmide Etária do Brasil; Crescimento horizontal devido às migrações; É um tipo de gráfico que representa os dados sobre

Leia mais

Anais do Encontro de Ensino, Pesquisa e Extensão. Volume 8, Número 8. Recife: Faculdade Senac PE, 2014.

Anais do Encontro de Ensino, Pesquisa e Extensão. Volume 8, Número 8. Recife: Faculdade Senac PE, 2014. UMA ANÁLISE DOS IMPACTOS DO DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO DO PORTO DE SUAPE PARA A OFERTA DA EDUCAÇÃO PROFISSINAL NOS MUNICÍPIOS DE IPOJUCA E CABO DE SANTO AGOSTINHO Lígia Batista de Oliveira Thayane Maria

Leia mais

Oficina Índice de Desenvolvimento Humano IDH

Oficina Índice de Desenvolvimento Humano IDH Oficina Índice de Desenvolvimento Humano IDH Oficina CH/EM Caro Aluno, Esta oficina tem por objetivo analisar as principais características de um dos principais indicadores socioeconômicos utilizados na

Leia mais

O MATOPIBA e o desenvolvimento "destrutivista" do Cerrado

O MATOPIBA e o desenvolvimento destrutivista do Cerrado O MATOPIBA e o desenvolvimento "destrutivista" do Cerrado Paulo Rogerio Gonçalves* No dia seis de maio de 2015 o decreto n. 8447 cria o Plano de Desenvolvimento Agropecuário do Matopiba e seu comitê gestor.

Leia mais

ESTUDO TÉCNICO N.º 03/2015

ESTUDO TÉCNICO N.º 03/2015 ESTUDO TÉCNICO N.º 03/2015 Ações de Inclusão Produtiva segundo Censo SUAS 2013: uma análise sob diversos recortes territoriais. MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO SOCIAL E COMBATE À FOME SECRETARIA DE AVALIAÇÃO

Leia mais

DISTRIBUIÇÃO ESPACIAL DOS PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO DO BRASIL

DISTRIBUIÇÃO ESPACIAL DOS PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO DO BRASIL DISTRIBUIÇÃO ESPACIAL DOS PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO DO BRASIL MOURA, A. L. A. 1 ; SÁ, L. A. C. M 2 RESUMO - A presente pesquisa está sendo desenvolvida com o objetivo de formular uma base de dados espaciais

Leia mais

OS LIMITES DO DESENVOLVIMENTO LOCAL: ESTUDOS SOBRE PEQUENOS MUNICÍPIOS DO INTERIOR DE SÃO PAULO

OS LIMITES DO DESENVOLVIMENTO LOCAL: ESTUDOS SOBRE PEQUENOS MUNICÍPIOS DO INTERIOR DE SÃO PAULO OS LIMITES DO DESENVOLVIMENTO LOCAL: ESTUDOS SOBRE PEQUENOS MUNICÍPIOS DO INTERIOR DE SÃO PAULO Tayla Nayara Barbosa 1 RESUMO: O presente estudo científico teve como objetivo estudar mais detalhadamente

Leia mais

Situação Geográfica e Demográfica

Situação Geográfica e Demográfica Guarulhos História A memória é a base para a construção da identidade, da consciência do indivíduo e dos grupos sociais de um determinado local. A maioria das fontes de memória de Guarulhos traz que sua

Leia mais

BOLETIM. Taxa de desemprego anual na RMSP é a menor em 20 anos

BOLETIM. Taxa de desemprego anual na RMSP é a menor em 20 anos A taxa média anual de desemprego, na Região Metropolitana de São Paulo RMSP, diminuiu de 11,9% para 10,5%, entre 2010 e 2011, atingindo seu menor valor nos últimos 20 anos. Essa é uma das informações divulgadas

Leia mais

EXERCÍCIOS ON LINE DE GEOGRAFIA 7º 2º TRI

EXERCÍCIOS ON LINE DE GEOGRAFIA 7º 2º TRI 1. Coloque V para verdadeiro e F para falso: EXERCÍCIOS ON LINE DE GEOGRAFIA 7º 2º TRI ( ) a população economicamente ativa compreende a parcela da população que está trabalhando ou procurando emprego.

Leia mais

BOLETIM EMPREGO Setembro 2014

BOLETIM EMPREGO Setembro 2014 Introdução A seguir são apresentados os últimos resultados disponíveis sobre o emprego no Brasil, com foco no ramo Metalúrgico. Serão utilizadas as bases de dados oficiais, são elas: a RAIS (Relação Anual

Leia mais

Atlas Digital de MINAS GERAIS 1 de 18

Atlas Digital de MINAS GERAIS 1 de 18 Atlas Digital de MINAS GERAIS 1 de 18 Características Agropecuárias A sociedade brasileira viveu no século XX uma transformação socioeconômica e cultural passando de uma sociedade agrária para uma sociedade

Leia mais

Avaliação das Contas Regionais do Piauí 2008

Avaliação das Contas Regionais do Piauí 2008 Avaliação das Contas Regionais do Piauí 2008 A economia piauiense, em 2008, apresentou expansão em volume do Produto Interno Bruto (PIB) de 8,8% em relação ao ano anterior. Foi a maior taxa de crescimento

Leia mais

UNIVERSIDADE DE TAUBATÉ POLÍTICA E SOCIEDADE NO BRASIL CONTEMPORÂNEO A DINAMICA POPULACIONAL A PARTIR DA DECADA DE 1960 NO BRASIL

UNIVERSIDADE DE TAUBATÉ POLÍTICA E SOCIEDADE NO BRASIL CONTEMPORÂNEO A DINAMICA POPULACIONAL A PARTIR DA DECADA DE 1960 NO BRASIL UNIVERSIDADE DE TAUBATÉ POLÍTICA E SOCIEDADE NO BRASIL CONTEMPORÂNEO A DINAMICA POPULACIONAL A PARTIR DA DECADA DE 1960 NO BRASIL Thaís Schmidt Salgado Vaz de Castro thaissalgado@hotmail.com; Felipe José

Leia mais

Avaliação das transformações sócioambientais, oriundas da implantação do Complexo Portuário Industrial do Açu.

Avaliação das transformações sócioambientais, oriundas da implantação do Complexo Portuário Industrial do Açu. PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA AMBIENTAL MESTRADO EM ENGENHARIA AMBIENTAL MODALIDADE PROFISSIONAL Avaliação das transformações sócioambientais, oriundas da implantação do Complexo Portuário Industrial

Leia mais

Subsídios para elaboração do PPA Municipal

Subsídios para elaboração do PPA Municipal Município: São Luís / MA Apresentação Este Boletim de Informações Municipais tem o objetivo de apresentar um conjunto básico de indicadores acerca de características demográficas, econômicas, sociais e

Leia mais

BOLETIM. Fundação Seade participa de evento para disseminar conceitos e esclarecer dúvidas sobre o Catálogo de

BOLETIM. Fundação Seade participa de evento para disseminar conceitos e esclarecer dúvidas sobre o Catálogo de disseminar conceitos O desenvolvimento do aplicativo de coleta de informações, a manutenção e a atualização permanente do CSBD estão sob a responsabilidade da Fundação Seade. Aos órgãos e entidades da

Leia mais

América anglo-saxônica. Diferentes povos construíram duas fortes economias

América anglo-saxônica. Diferentes povos construíram duas fortes economias América anglo-saxônica Diferentes povos construíram duas fortes economias A América Desenvolvida Conhecido também como Novo Mundo, a América é sinônimo de miscigenação, desenvolvimento e mazelas sociais.

Leia mais

Ministério da Educação Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Diretoria de Estatísticas Educacionais

Ministério da Educação Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Diretoria de Estatísticas Educacionais Ministério da Educação Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Diretoria de Estatísticas Educacionais RESULTADO DO CENSO DA EDUCAÇÃO BÁSICA 2009 O Censo Escolar, realizado anualmente pelo

Leia mais

PROPOSTA PEDAGÓGICA CURRICULAR GEOGRAFIA

PROPOSTA PEDAGÓGICA CURRICULAR GEOGRAFIA Fundamentos teóricos da disciplina PROPOSTA PEDAGÓGICA CURRICULAR GEOGRAFIA O ensino da Geografia leva o educando a perceber que as relações sociais e as relações do homem com a natureza estão projetadas

Leia mais

MOBILIDADE EM SÃO PAULO A IMPORTÂNCIA DOS FATORES SOCIOECONÔMICOS. Carlos Eduardo de Paiva Cardoso

MOBILIDADE EM SÃO PAULO A IMPORTÂNCIA DOS FATORES SOCIOECONÔMICOS. Carlos Eduardo de Paiva Cardoso MOBILIDADE EM SÃO PAULO A IMPORTÂNCIA DOS FATORES SOCIOECONÔMICOS Carlos Eduardo de Paiva Cardoso Superintendência de Desenvolvimento SDE Companhia de Engenharia de Tráfego de São Paulo CET-SP Programa

Leia mais

ELABORAÇÃO DE CENÁRIOS ECONÔMICOS E SOCIAIS. IETS Instituto de Estudos de Trabalho e Sociedade

ELABORAÇÃO DE CENÁRIOS ECONÔMICOS E SOCIAIS. IETS Instituto de Estudos de Trabalho e Sociedade ELABORAÇÃO DE CENÁRIOS ECONÔMICOS E SOCIAIS Uma proposta de trabalho para apresentação ao SESC Serviço Social do Comércio Preparada pelo IETS Instituto de Estudos de Trabalho e Sociedade Maurício Blanco

Leia mais

A urbanização Brasileira

A urbanização Brasileira A urbanização Brasileira Brasil Evolução da população ruralurbana entre 1940 e 2006. Fonte: IBGE. Anuário estatístico do Brasil, 1986, 1990, 1993 e 1997; Censo demográfico, 2000; Síntese Fonte: IBGE. Anuário

Leia mais

Programa Mais Educação Avaliação de Impacto e Estudo Qualitativo

Programa Mais Educação Avaliação de Impacto e Estudo Qualitativo Programa Mais Educação Avaliação de Impacto e Estudo Qualitativo *** Esta apresentação propõe-se a trazer um breve panorama do trabalho realizado e, para isso, omite diversos pontos metodológicos e de

Leia mais

Infográficos Cidades@

Infográficos Cidades@ Page 1 of 18 Instituto eiro de Geografia e Estatística Infográficos Cidades@ - RN Page 2 of 18 Dados Básicos População Área Bioma 803.811 hab. 167,16 km 2 Caatinga e Mata Atlântica Localização da Sede

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DE GOIÁS Marconi Ferreira Perillo Júnior. SECRETARIA DE ESTADO DE GESTÃO E PLANEJAMENTO Leonardo Moura Vilela

GOVERNO DO ESTADO DE GOIÁS Marconi Ferreira Perillo Júnior. SECRETARIA DE ESTADO DE GESTÃO E PLANEJAMENTO Leonardo Moura Vilela Maio - 2014 1 GOVERNO DO ESTADO DE GOIÁS Marconi Ferreira Perillo Júnior SECRETARIA DE ESTADO DE GESTÃO E PLANEJAMENTO Leonardo Moura Vilela CHEFE DO GABINETE ADJUNTO DE PLANEJAMENTO Júlio Alfredo Rosa

Leia mais

VI CRESCIMENTO ECONÔMICO E DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO

VI CRESCIMENTO ECONÔMICO E DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO VI CRESCIMENTO ECONÔMICO E DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO 1. Crescimento Econômico Conceitua-se crescimento econômico como "o aumento contínuo do Produto Interno Bruto (PIB) em termos globais e per capita,

Leia mais

Centro Educacional Juscelino Kubitschek

Centro Educacional Juscelino Kubitschek Centro Educacional Juscelino Kubitschek ALUNO: N.º: DATA: / /2011 ENSINO FUNDAMENTAL SÉRIE: 6ª série/7 ano TURMA: TURNO: DISCIPLINA: GEOGRAFIA PROFESSOR: Equipe de Geografia Roteiro e lista de Recuperação

Leia mais

3.2.1 - CANA-DE-AÇÚCAR

3.2.1 - CANA-DE-AÇÚCAR 111.2.1 - CANA-DE-AÇÚCAR Recobrindo expressiva parcela do Litoral Norte (40,1%), a cana-de-açúcar é o padrão de uso do solo predominante nos municípios de Araçoiaba, Itaquitinga, Goiana, Igarassu e Itapissuma,

Leia mais

Mudanças percebidas nos ecossistemas rurais do município de Bambuí/MG, face à implantação de uma usina alcooleira na região¹

Mudanças percebidas nos ecossistemas rurais do município de Bambuí/MG, face à implantação de uma usina alcooleira na região¹ IV Semana de Ciência e Tecnologia do IFMG campus Bambuí, IV Jornada Científica, 06 a 09 de dezembro de 2011 Mudanças percebidas nos ecossistemas rurais do município de Bambuí/MG, face à implantação de

Leia mais

O cenárioeconômicoe as MPE. Brasília, 1º de setembro de 2010. Luciano Coutinho

O cenárioeconômicoe as MPE. Brasília, 1º de setembro de 2010. Luciano Coutinho O cenárioeconômicoe as MPE Brasília, 1º de setembro de 2010 Luciano Coutinho O Brasil ingressa em um novo ciclo de desenvolvimento A economia brasileira pode crescer acima de 5% a.a. nos próximos cinco

Leia mais

Odebrecht TransPort traça novas rotas brasileiras

Odebrecht TransPort traça novas rotas brasileiras nº 342 outubro 2014 Odebrecht TransPort traça novas rotas brasileiras Odebrecht 70 anos: projetos que contribuem para melhorar as opções de mobilidade urbana das comunidades Odebrecht Infraestrutura Brasil

Leia mais

A Evolução da Mídia Exterior. Dados Demográficos NAVEGANTES

A Evolução da Mídia Exterior. Dados Demográficos NAVEGANTES A Evolução da Mídia Exterior Dados Demográficos NAVEGANTES JOINVILLE Jaraguá do Sul é a terceira economia de Santa Catarina e sede de algumas das maiores empresas do Brasil nos setores eletromecânico e

Leia mais

ASPECTOS DA REDE URBANA DO ESTADO DE SÃO PAULO

ASPECTOS DA REDE URBANA DO ESTADO DE SÃO PAULO ASPECTOS DA REDE URBANA DO ESTADO DE SÃO PAULO SIMÃO, Rosycler Cristina Santos Palavras chave: rede urbana; São Paulo; disparidades regionais; Censo Demográfico 2000. Resumo O objetivo do trabalho é mostrar

Leia mais

AS ESTRUTURAS SOCIOECONOMICAS E DEMOGRÁFICAS DO MUNICÍPIO DE JUAZEIRO-BA

AS ESTRUTURAS SOCIOECONOMICAS E DEMOGRÁFICAS DO MUNICÍPIO DE JUAZEIRO-BA Evolvere Scientia, V. 3, N. 1, 2014 ARTIGO AS ESTRUTURAS SOCIOECONOMICAS E DEMOGRÁFICAS DO MUNICÍPIO DE JUAZEIRO-BA Juciara Késsia Sousa Nascimento 1*, Monica Aparecida Tomé Pereira 1 e Alania Caroline

Leia mais

Violência contra as Mulheres em Pernambuco

Violência contra as Mulheres em Pernambuco Violência contra as Mulheres em Pernambuco Recife, 25 de novembro de 2015 FICHA TÉCNICA Coordenação: Equipe do SOS Corpo Instituto Feminista para Democracia Pesquisadora: Ana Paula Melo (pesquisadora convidada)

Leia mais

Centro-Sul Brasileiro

Centro-Sul Brasileiro Centro-Sul Brasileiro 1. (UFSC - 2010) Gráfico elaborado a partir de dados do IBGE, Anuário Estatístico do Brasil, jan. 2001. (Adaptado) Com base no gráfico acima, Brasil: Valor da produção industrial,

Leia mais

Colégio Estadual do Campo Professora Maria de Jesus Pacheco Guimarães E. F. e M. Uma História de Amor ao Guará

Colégio Estadual do Campo Professora Maria de Jesus Pacheco Guimarães E. F. e M. Uma História de Amor ao Guará Colégio Estadual do Campo Professora Maria de Jesus Pacheco Guimarães E. F. e M. Uma História de Amor ao Guará PLANO DE TRABALHO DOCENTE 2012 DISCIPLINA: GEOGRAFIA - PROFESSOR: ADEMIR REMPEL SÉRIE: 8º

Leia mais

Estado da motorização individual no Brasil Relatório 2015. Coordenação: Juciano Martins Rodrigues. Observatório das Metrópoles

Estado da motorização individual no Brasil Relatório 2015. Coordenação: Juciano Martins Rodrigues. Observatório das Metrópoles Estado da motorização individual no Brasil Relatório 2015 Estado da motorização individual no Brasil Relatório 2015 Coordenação: Juciano Martins Rodrigues Observatório das Metrópoles Luiz Cesar de Queiroz

Leia mais

TEMA: POPULAÇÃO JOVEM DE 16 A 24 ANOS

TEMA: POPULAÇÃO JOVEM DE 16 A 24 ANOS Em 5 de agosto de 2013 foi sancionado o Estatuto da Juventude que dispõe sobre os direitos da população jovem (a Cidadania, a Participação Social e Política e a Representação Juvenil, a Educação, a Profissionalização,

Leia mais

BRASIL REGIONALIZAÇÕES. Mapa II

BRASIL REGIONALIZAÇÕES. Mapa II BRASIL REGIONALIZAÇÕES QUESTÃO 01 - Baseado na regionalização brasileira, apresentados pelos dois mapas a seguir, é INCORRETO afirmar que: Mapa I Mapa II A B D C a. ( ) O mapa II apresenta a divisão do

Leia mais

Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social CDES. A Consolidação das Políticas Sociais na Estratégia de Desenvolvimento Brasileiro

Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social CDES. A Consolidação das Políticas Sociais na Estratégia de Desenvolvimento Brasileiro Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social CDES A Consolidação das Políticas Sociais na Estratégia de Desenvolvimento Brasileiro A CONTRIBUIÇÃO DO CDES PARA O DEBATE DA CONSOLIDAÇÃO DAS POLÍTICAS SOCIAIS

Leia mais

ANÁLISE ESPAÇO TEMPORAL DO PROCESSO DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO DO MUNICÍPIO DE VITÓRIA DE SANTO ANTÃO - PERNAMBUCO

ANÁLISE ESPAÇO TEMPORAL DO PROCESSO DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO DO MUNICÍPIO DE VITÓRIA DE SANTO ANTÃO - PERNAMBUCO Autor: Lucas André Penha dos Santos Universidade Federal de Pernambuco Email: llucas.94@hotmail.com Coautor(a): Kétcia Ferreira de Santana Universidade Federal de Pernambuco Email: ketciaferrira@hotmail.com

Leia mais

BOLETIM. Produto Interno Bruto paulista continua no patamar de um trilhão de reais

BOLETIM. Produto Interno Bruto paulista continua no patamar de um trilhão de reais patamar de um trilhão Em ano atípico, o PIB do Estado de São apresentou redução real em 2009, mas ampliou sua participação no PIB brasileiro. Em 2009, o PIB, calculado pela Fundação Seade em parceria com

Leia mais

O consumo dos brasileiros atingirá R$ 3,7 trilhões, em 2015

O consumo dos brasileiros atingirá R$ 3,7 trilhões, em 2015 O consumo dos brasileiros atingirá R$ 3,7 trilhões, em 2015 A potencialidade de consumo dos brasileiros deve chegar a R$ 3,730 trilhões neste ano, ao mesmo tempo em que revela significativo aumento dos

Leia mais

CRESCIMENTO DAS CIDADES MÉDIAS

CRESCIMENTO DAS CIDADES MÉDIAS CRESCIMENTO DAS CIDADES MÉDIAS Diana Motta* Daniel da Mata** 1 ANTECEDENTES As cidades médias desempenham o papel de núcleo estratégico da rede urbana do Brasil, constituindo elos dos espaços urbano e

Leia mais

Pobreza e Prosperidade. Metropolitanas Brasileiras: Balanço e Identificação de Prioridades. Compartilhada nas Regiões

Pobreza e Prosperidade. Metropolitanas Brasileiras: Balanço e Identificação de Prioridades. Compartilhada nas Regiões Pobreza e Prosperidade Compartilhada nas Regiões Metropolitanas Brasileiras: Balanço e Identificação de Prioridades Aude-Sophie Rodella Grupo Sectorial da Pobreza Brasilia, June 2015 No Brasil, a pobreza

Leia mais

Matéria da Recuperação. Industrialização Urbanização População

Matéria da Recuperação. Industrialização Urbanização População Disciplina: Geografia Roteiro de Recuperação Ano / Série: 7º Professor (a): Gabriel Data: / / 2013 Matéria da Recuperação Industrialização Urbanização População 1- A função urbana de uma cidade diz respeito

Leia mais

3 INDICADORES SOCIAIS

3 INDICADORES SOCIAIS 3 INDICADORES SOCIAIS Investigar o estágio de desenvolvimento de uma sociedade é uma tarefa extremamente desafiante, visto a inexistência de um indicador absoluto, consensual, inquestionável. Medir qualidade

Leia mais

Situação do Domicílio Abs. % Abs. % Total 16.938 100 10.444.526 100 Urbano 4.808 28,39 8.912.692 85,33 Rural 12.130 71,61 1.531.

Situação do Domicílio Abs. % Abs. % Total 16.938 100 10.444.526 100 Urbano 4.808 28,39 8.912.692 85,33 Rural 12.130 71,61 1.531. População segundo a Distribuição de Domicílios 2010 Situação do Domicílio Abs. % Abs. % Total 16.938 100 10.444.526 100 Urbano 4.808 28,39 8.912.692 85,33 Rural 12.130 71,61 1.531.834 14,66 FONTE: IPARDES/IBGE

Leia mais

Tema 3 O BNDE e a inserção brasileira no capitalismo industrial

Tema 3 O BNDE e a inserção brasileira no capitalismo industrial Faculdade de Comunicação e Artes Habilitação em Jornalismo Tema 3 O BNDE e a inserção brasileira no capitalismo industrial Economia Brasileira Professora Eleonora Bastos Horta Dayse dos Santos Frederico

Leia mais

A POSIÇÃO DO MUNICÍPIO DE SÃO JOSÉ DOS CAMPOS (SP) EM RELAÇÃO AO ÍNDICE DE DESENVOLVIMENTO HUMANO (IDH) E AO ÍNDICE DE GINI

A POSIÇÃO DO MUNICÍPIO DE SÃO JOSÉ DOS CAMPOS (SP) EM RELAÇÃO AO ÍNDICE DE DESENVOLVIMENTO HUMANO (IDH) E AO ÍNDICE DE GINI A POSIÇÃO DO MUNICÍPIO DE SÃO JOSÉ DOS CAMPOS (SP) EM RELAÇÃO AO ÍNDICE DE DESENVOLVIMENTO HUMANO (IDH) E AO ÍNDICE DE GINI Roland Anton Zottele 1, Friedhilde M. K. Manulescu 2 1, 2 Faculdade de Ciências

Leia mais

Urbanização no Brasil

Urbanização no Brasil Urbanização no Brasil Urbanização é o aumento proporcional da população urbana em relação à população rural. Segundo esse conceito, só ocorre urbanização quando o crescimento da população urbana é superior

Leia mais

DESENVOLVIMENTO REGIONAL E A INDÚSTRIA

DESENVOLVIMENTO REGIONAL E A INDÚSTRIA DESENVOLVIMENTO REGIONAL E A INDÚSTRIA Regionalismo e Cooperação Intermunicipal o caso do Grande ABC Paulista Fausto Cestari Filho Características do Grande ABC Primeiro povoado brasileiro fora do litoral

Leia mais

REDES HIDROGRÁFICAS SÃO TODOS OS RECURSOS HIDROGRÁFICAS DE UM PAÍS, COMPOSTOS GERALMENTE PELOS RIOS, LAGOS E REPRESAS.

REDES HIDROGRÁFICAS SÃO TODOS OS RECURSOS HIDROGRÁFICAS DE UM PAÍS, COMPOSTOS GERALMENTE PELOS RIOS, LAGOS E REPRESAS. REDES HIDROGRÁFICAS SÃO TODOS OS RECURSOS HIDROGRÁFICAS DE UM PAÍS, COMPOSTOS GERALMENTE PELOS RIOS, LAGOS E REPRESAS. BACIA HIDROGRÁFICA. É UMA REDE DE TERRAS DRENADAS POR UM RIO E SEUS PRINCIPAIS AFLUENTES.

Leia mais

O MERCADO IMOBILIÁRIO NO INTERIOR

O MERCADO IMOBILIÁRIO NO INTERIOR O MERCADO IMOBILIÁRIO NO INTERIOR O MERCADO IMOBILIÁRIO NO INTERIOR INTERIOR DE SÃO PAULO Flavio Amary Vice-presidente do Interior do Secovi-SP e Diretor Regional em Sorocaba e Região PARTICIPAÇÃO % DO

Leia mais

RELATÓRIO DE ESTÁGIO INSTITUTO TECNOLÓGICO DE AERONÁUTICA CURSO DE ENGENHARIA CIVIL-AERONÁUTICA. Iron House Real Estate

RELATÓRIO DE ESTÁGIO INSTITUTO TECNOLÓGICO DE AERONÁUTICA CURSO DE ENGENHARIA CIVIL-AERONÁUTICA. Iron House Real Estate INSTITUTO TECNOLÓGICO DE AERONÁUTICA CURSO DE ENGENHARIA CIVIL-AERONÁUTICA RELATÓRIO DE ESTÁGIO Iron House Real Estate São Paulo-SP, 18 novembro de 2013 Herton Ferreira Cabral Junior FOLHA DE APROVAÇÃO

Leia mais

Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização, Diversidade e Inclusão SECADI/MEC Objetivo

Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização, Diversidade e Inclusão SECADI/MEC Objetivo Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização, Diversidade e Inclusão SECADI/MEC Objetivo Contribuir para o desenvolvimento inclusivo dos sistemas de ensino, voltado à valorização das diferenças e da

Leia mais

Taxa de analfabetismo

Taxa de analfabetismo B Taxa de analfabetismo B.1................................ 92 Níveis de escolaridade B.2................................ 94 Produto Interno Bruto (PIB) per capita B.3....................... 96 Razão de

Leia mais

CORREDOR LESTE-OESTE: LIGAÇÃO ENTRE A ÁREA CENTRAL DO RECIFE E A CIDADE DA COPA EM SÃO LOURENÇO DA MATA 1

CORREDOR LESTE-OESTE: LIGAÇÃO ENTRE A ÁREA CENTRAL DO RECIFE E A CIDADE DA COPA EM SÃO LOURENÇO DA MATA 1 Andresa Maria Mendes da Silva¹ Ana Regina Marinho Dantas Barboza da Rocha Serafim² ¹ Graduanda do Curso de Licenciatura em Geografia do Campus Mata Norte da Universidade de Pernambuco. Bolsista PFA/UPE.

Leia mais

TEXTO 1 1. CONJUNTURA BRASILEIRA. 1.1. As Transformações Recentes

TEXTO 1 1. CONJUNTURA BRASILEIRA. 1.1. As Transformações Recentes TEXTO 1 1. CONJUNTURA BRASILEIRA 1.1. As Transformações Recentes O Brasil, do ponto de vista econômico e social, vem sofrendo uma constante mutação em seus principais indicadores básicos como: população;

Leia mais

CAP. 23 REGIÃO SUDESTE. Prof. Clésio Farrapo

CAP. 23 REGIÃO SUDESTE. Prof. Clésio Farrapo CAP. 23 REGIÃO SUDESTE Prof. Clésio Farrapo 1. CARACTERIZAÇÃO FÍSICA DA REGIÃO SUDESTE A Regiāo Sudeste ocupa 924.573,82 km², equivalente a 10,86% do território nacional. Grande parte desse território

Leia mais

ATIVIDADES DE PESCA ARTESANAL MARINHA DA REGIÃO NORTE FLUMINENSE

ATIVIDADES DE PESCA ARTESANAL MARINHA DA REGIÃO NORTE FLUMINENSE PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA AMBIENTAL MESTRADO EM ENGENHARIA AMBIENTAL MODALIDADE PROFISSIONAL AVALIAÇÃO DOS IMPACTOS CAUSADOS PELO COMPLEXO PORTUÁRIO RIO DO AÇU A U SOBRE AS ATIVIDADES DE

Leia mais

Sessão 2. Marcos Aberto Martinelli. Secretário Municipal de Desenvolvimento Sustentável, Ciência e Tecnologia

Sessão 2. Marcos Aberto Martinelli. Secretário Municipal de Desenvolvimento Sustentável, Ciência e Tecnologia Sessão 2 Marcos Aberto Martinelli Secretário Municipal de Desenvolvimento Sustentável, Ciência e Tecnologia América Latina precisa melhorar produtividade, diz Banco Mundial Brasil Econômico - Por AFP 14/09/10

Leia mais

MUDANÇAS ESPACIAIS NO BAIRRO VILA GARCIA, MUNICIPIO DE JACAREÍ SP NO PERIODO DE 1970 A 2010

MUDANÇAS ESPACIAIS NO BAIRRO VILA GARCIA, MUNICIPIO DE JACAREÍ SP NO PERIODO DE 1970 A 2010 MUDANÇAS ESPACIAIS NO BAIRRO VILA GARCIA, MUNICIPIO DE JACAREÍ SP NO PERIODO DE 1970 A 2010 José Maria Filho ¹, Bruno Rodrigo 1, Sandra Maria Fonseca da Costa¹ 1 Universidade do Vale do Paraíba Faculdade

Leia mais

COPA. Morumbi ou Outra Arena? As Marcas de um Novo Estádio na Dinâmica Urbana de São Paulo. José Roberto Bernasconi. Presidente Sinaenco São Paulo

COPA. Morumbi ou Outra Arena? As Marcas de um Novo Estádio na Dinâmica Urbana de São Paulo. José Roberto Bernasconi. Presidente Sinaenco São Paulo COPA Morumbi ou Outra Arena? As Marcas de um Novo Estádio na Dinâmica Urbana de São Paulo José Roberto Bernasconi Presidente Sinaenco São Paulo SP/Agosto/ 2010 1 1 Um histórico Os dois principais estádios

Leia mais

Relatório de Avaliação do PPA 2012-2015

Relatório de Avaliação do PPA 2012-2015 Relatório de Avaliação do PPA 2012-2015 2014, ano base 2013 Dimensão Estratégica (vol. 1) e Programas Temáticos (vol. 2) Resumo do preenchimento Esther Bemerguy de Albuquerque Secretária de Planejamento

Leia mais

É o estudo do processo de produção, distribuição, circulação e consumo dos bens e serviços (riqueza).

É o estudo do processo de produção, distribuição, circulação e consumo dos bens e serviços (riqueza). GEOGRAFIA 7ª Série/Turma 75 Ensino Fundamental Prof. José Gusmão Nome: MATERIAL DE ESTUDOS PARA O EXAME FINAL A GEOGRAFIA DO MUNDO SUBDESENVOLVIDO A diferença entre os países que mais chama a atenção é

Leia mais

ESTADO DO PARANÁ SECRETÁRIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO

ESTADO DO PARANÁ SECRETÁRIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO ESTADO DO PARANÁ SECRETÁRIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO Núcleo Regional de Educação de Toledo Colégio Estadual Jardim Gisele Ensino Fundamental e Médio PLANO DE TRABALHO DOCENTE - 2015 TRABALHO DOCENTE Estabelecimento

Leia mais

FUNDO DE PARTICIPAÇÃO DOS MUNICÍPIOS - FPM

FUNDO DE PARTICIPAÇÃO DOS MUNICÍPIOS - FPM FUNDO DE PARTICIPAÇÃO DOS MUNICÍPIOS - FPM PROPOSTA DE UM MODELO DE NOVOS COEFICIENTES DE DISTRIBUIÇÃO DO FPM PARA OS MUNICÍPIOS DO INTERIOR IBGE - Abril/2008 OBJETIVOS Proposta de criação de novos coeficientes

Leia mais

Organização da Aula. Política de Desenvolvimento Econômico. Aula 2. Contextualização

Organização da Aula. Política de Desenvolvimento Econômico. Aula 2. Contextualização Política de Desenvolvimento Econômico Aula 2 Prof. Nivaldo Vieira Lourenço Organização da Aula Aspectos conceituais do desenvolvimento regional Mudanças no conceito de região Regionalização brasileira

Leia mais

Condomínio Sinhá Ana. Jul - 2011

Condomínio Sinhá Ana. Jul - 2011 Condomínio Sinhá Ana Jul - 2011 NOME DO EMPREENDIMENTO Sinhá Ana CONDOMÍNIO DESCRIÇÃO DO EMPREENDIMENTO Quer ter bem-estar? More no que é seu! O Condomínio Horizontal Sinhá Ana foi conceitualmente projetado

Leia mais

URBANIZAÇÃO LUGAR É A BASE

URBANIZAÇÃO LUGAR É A BASE URBANIZAÇÃO LUGAR É A BASE. DA REPRODUÇÃO DA VIDA E PODE SER ANALISADO PELA TRÍADE HABITANTE- IDENTIDADE-LUGAR. OBJETIVOS ESPECÍFICOS A. Caracterizar o fenômeno da urbanização como maior intervenção humana

Leia mais

NOVEMBRO 2013 1º RELATÓRIO DE ANDAMENTO

NOVEMBRO 2013 1º RELATÓRIO DE ANDAMENTO NOVEMBRO 2013 ESTUDO PRELIMINAR PARA IMPLANTAÇÃO DE PONTE SOBRE O RIO SÃO FRANCISCO, ENTRE OS MUNICÍPIOS DE PENEDO/AL E NEÓPOLIS/SE 1º RELATÓRIO DE ANDAMENTO ESTUDO PRELIMINAR PARA IMPLANTAÇÃO DE PONTE

Leia mais

PALAVRAS-CHAVE Indicadores sócio-econômicos. Campos Gerais. Paraná.

PALAVRAS-CHAVE Indicadores sócio-econômicos. Campos Gerais. Paraná. 12. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções) ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( ) SAÚDE ( x ) TRABALHO

Leia mais

A CONTRIBUIÇÃO DOS PROGRAMAS DE TRANSFERÊNCIA MONETÁRIA NA QUEDA DA DESIGUALDADE DE RENDA NO BRASIL

A CONTRIBUIÇÃO DOS PROGRAMAS DE TRANSFERÊNCIA MONETÁRIA NA QUEDA DA DESIGUALDADE DE RENDA NO BRASIL A CONTRIBUIÇÃO DOS PROGRAMAS DE TRANSFERÊNCIA MONETÁRIA NA QUEDA DA DESIGUALDADE DE RENDA NO BRASIL: uma análise a partir do rendimento domiciliar per capita no período 2001-2006 Juliana Carolina Frigo

Leia mais

2. CONCEITO DE MIGRAÇÃO

2. CONCEITO DE MIGRAÇÃO ANÁLISE DO CRESCIMENTO/DECRÉSCIMO POPULACIONAL DOS MUNICÍPIOS DA MESORREGIÃO CENTRO OCIDENTAL PARANAENSE E SEUS IMPACTOS SOBRE O DESENVOLVIMENTO REGIONAL. Yume Aparecida Pereira Paiva, (IC), UNESPAR/FECILCAM,

Leia mais

ECONOMIA E MEIO AMBIENTE: UM ESTUDO DE CASO DAS EMPRESAS DO CENTRO DE DESENVOLVIMENTO INDUSTRIAL (CDI) DO MUNICÍPIO DE GUARAPUAVA.

ECONOMIA E MEIO AMBIENTE: UM ESTUDO DE CASO DAS EMPRESAS DO CENTRO DE DESENVOLVIMENTO INDUSTRIAL (CDI) DO MUNICÍPIO DE GUARAPUAVA. ECONOMIA E MEIO AMBIENTE: UM ESTUDO DE CASO DAS EMPRESAS DO CENTRO DE DESENVOLVIMENTO INDUSTRIAL (CDI) DO MUNICÍPIO DE GUARAPUAVA. RESUMO: O Centro de Desenvolvimento Industrial de Guarapuava foi criado

Leia mais

O Mercado de Trabalho nas Atividades Culturais no Brasil, 1992-2001

O Mercado de Trabalho nas Atividades Culturais no Brasil, 1992-2001 1 Ministério da Cultura Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA) Data de elaboração da ficha: Ago 2007 Dados das organizações: Nome: Ministério da Cultura (MinC) Endereço: Esplanada dos Ministérios,

Leia mais

O envelhecimento nas diferentes regiões do Brasil: uma discussão a partir do censo demográfico 2010

O envelhecimento nas diferentes regiões do Brasil: uma discussão a partir do censo demográfico 2010 O envelhecimento nas diferentes regiões do Brasil: uma discussão a partir do censo demográfico 2010 Simone Caldas Tavares Mafra - Professora do Departamento de Economia Doméstica (UFV) sctmafra@ufv.br

Leia mais

População e PIB das cidades médias crescem mais que no resto do Brasil

População e PIB das cidades médias crescem mais que no resto do Brasil RELEASE 17 de JULHO de 2008. População e PIB das cidades médias crescem mais que no resto do Brasil Aumentos de riquezas e de habitantes nas cidades com 100 mil a 500 mil, neste século, superam a média

Leia mais

Contribuição da Atividade de Projeto para o Desenvolvimento Sustentável

Contribuição da Atividade de Projeto para o Desenvolvimento Sustentável Anexo III da Resolução n o 1 da CIMGC Contribuição da Atividade de Projeto para o Desenvolvimento Sustentável I Introdução A atividade de projeto do Projeto de MDL das Usinas Eólicas Seabra, Novo Horizonte

Leia mais

Agrárias (CCA) da Universidade Federal da Paraíba, UFPB, Areia, PB, Brasil; Universidade Federal da Paraíba, UFPB, Areia, PB, Brasil;

Agrárias (CCA) da Universidade Federal da Paraíba, UFPB, Areia, PB, Brasil; Universidade Federal da Paraíba, UFPB, Areia, PB, Brasil; 1 MARIA DA CONCEIÇÃO GONÇALVES MACÊDO 1, NATAN MEDEIROS GUERRA 2, SEBASTIÃO RODRIGO DE LIMA NASCIMENTO 1, LUDMILA DA PAZ GOMES DA SILVA 3. 1 Graduanda (o) em Medicina Veterinária pelo Centro de Ciências

Leia mais

RESULTADOS DO ÍNDICE DE VULNERABILIDADE SOCIAL DO PARANÁ - 2010 *

RESULTADOS DO ÍNDICE DE VULNERABILIDADE SOCIAL DO PARANÁ - 2010 * RESULTADOS DO ÍNDICE DE VULNERABILIDADE SOCIAL DO PARANÁ - 2010 * Os resultados aqui apresentados foram extraídos do Atlas da Vulnerabilidade Social nos Municípios Brasileiros, elaborado pelo Instituto

Leia mais

2. DESENVOLVIMENTO SOCIOECONÔMICO: UMA REVISÃO

2. DESENVOLVIMENTO SOCIOECONÔMICO: UMA REVISÃO CARACTERÍSTICAS DO INDICE DE DESENVOLVIMENTO HUMANO NA REGIÃO OESTE DO PARANÁ: COMPARATIVO ENTRE CASCAVEL E FOZ DO IGUAÇU Área: ECONOMIA Leila Fernanda Pedron UNIOESTE lfpedron@hotmail.com Marcia Rudy

Leia mais

2.2 USO E OCUPAÇÃO DO SOLO

2.2 USO E OCUPAÇÃO DO SOLO 3 DIAGNÓSTICO SOCIOAMBIENTAL - LITORAL SUL DE PERNAMBUCO. Embora a cana-de-açúcar ainda continue sendo a atividade agrícola predominante na maior parte do Litoral Sul de Pernambuco, outros usos vêm ganhando

Leia mais

OS ARRENDAMENTOS DE TERRA PARA A PRODUÇÃO DE CANA- DE- AÇÚCAR

OS ARRENDAMENTOS DE TERRA PARA A PRODUÇÃO DE CANA- DE- AÇÚCAR Tamires Silva Gama Acadêmica do Curso de Geografia da UEM. Bolsista do CNPq Tamires_gama@hotmail.com OS ARRENDAMENTOS DE TERRA PARA A PRODUÇÃO DE CANA- DE- AÇÚCAR INTRODUÇÃO Frente os avanços da modernização

Leia mais

Aluno: Antero Vinicius Portela Firmino Pinto Orientadora: Regina Célia de Mattos. Considerações Iniciais

Aluno: Antero Vinicius Portela Firmino Pinto Orientadora: Regina Célia de Mattos. Considerações Iniciais AS TRANSFORMAÇÕES ESPACIAIS NA ZONA OESTE DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO A PARTIR DOS INVESTIMENTOS EM INFRAESTRUTURA PARA COPA DO MUNDO EM 2014 E AS OLIMPÍADAS DE 2016 Aluno: Antero Vinicius Portela Firmino

Leia mais

URBANIZAÇÃO BRASILEIRA: ALGUNS COMENTÁRIOS. Profa. Dra. Vera Lúcia Alves França

URBANIZAÇÃO BRASILEIRA: ALGUNS COMENTÁRIOS. Profa. Dra. Vera Lúcia Alves França URBANIZAÇÃO BRASILEIRA: ALGUNS COMENTÁRIOS Profa. Dra. Vera Lúcia Alves França A década de 1930 do século XX traz para a população brasileira um novo momento, quanto a sua distribuição. Até então, a população

Leia mais

2º SIMPÓSIO BRASILEIRO DE SAUDE & AMBIENTE DESENVOLVIMENTO SOCIOECONÔMICO E CONFLITOS TERRITORIAIS

2º SIMPÓSIO BRASILEIRO DE SAUDE & AMBIENTE DESENVOLVIMENTO SOCIOECONÔMICO E CONFLITOS TERRITORIAIS 2º SIMPÓSIO BRASILEIRO DE SAUDE & AMBIENTE 19 a 22 de OUTUBRO de 2014, BELO HORIZONTE /MG DESENVOLVIMENTO SOCIOECONÔMICO E CONFLITOS TERRITORIAIS CONFLITOS SOCIOAMBIENTAIS EM COMUNIDADES DO ENTORNO DO

Leia mais