Expansão nacional e novo complexo marcam os 25 anos da Contmatic

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Expansão nacional e novo complexo marcam os 25 anos da Contmatic"

Transcrição

1 Informativo da Contmatic Phoenix Edição 92 Abril 2012 Expansão nacional e novo complexo marcam os 25 anos da Contmatic O empresário Sérgio Contente pretende criar de 8 a 12 novas bases de vendas em pontos estratégicos do País e inaugurar um moderno e amplo centro administrativo até 2013 Confira a entrevista exclusiva com o novo presidente do CRC SP Empresas e consultores falam sobre as mudanças contábeis pós-sped Nova sede terá quase 3 mil metros quadrados

2 editorial CANAL ABERTO Foto Divulgação O Dia do Contabilista, comemorado em 25 de abril, deve ser celebrado com uma série de homenagens por todo o País, exaltando o papel cada vez mais importante desse profissional na gestão das empresas. Profissional este que, com meus sinceros agradecimentos, tem sido um grande parceiro da Contmatic Phoenix desde a sua fundação, há 25 anos, e é peça fundamental em nosso projeto de expansão que iniciamos neste momento. O mercado para os profissionais contábeis cresce a passos largos no Brasil, principalmente nesse período em que nos adequamos aos padrões internacionais (IFRS). Também vivemos uma fase de intensas mudanças no Sped (foco principal, inclusive, de uma carta aberta de reivindicações que pretendo encaminhar ao Fisco), que muito em breve cercará o contribuinte em todos os aspectos. Portanto, diante desse cenário, qualificação é essencial e a Contmatic quer estar presente em todos os momentos. Os avanços criados pelos órgãos fiscalizatórios, criticados muitas vezes, demonstram a necessidade de profissionais capacitados, que tenham conhecimento não só da legislação, mas apresentem uma visão abrangente de negócios e tecnologia. Como diz o novo presidente do CRC SP, Luiz Fernando Nóbrega, nosso entrevistado do mês, o bom contabilista é figura cada vez mais valorizada no mercado. Aos contabilistas brasileiros, que se dedicam a prestar relevantes serviços às empresas e contribuem para o crescimento sócioeconômico do País, meus votos de felicitações. A Contmatic Phoenix continua à disposição de todos vocês, levando informações e oferecendo-lhes sistemas que os auxiliam na tarefa diária no cumprimento de suas obrigações com os governos federal, estadual e municipal. Continuem contando conosco!!! Sérgio Contente Presidente da Contmatic Phoenix Idealizador e mantenedor da Fundação Sérgio Contente Idepac Deus seja louvado Trabalho com o Folha Phoenix há quase um ano e conto com a praticidade de navegação no sistema, facilidade nos lançamentos e confiança, sempre obtendo resultados exatos. Os cursos oferecidos pela Contmatic são práticos e eficientes, com professores de amplo conhecimento, que tiram dúvidas do nosso dia a dia e nos mantêm atualizados. Por isso, sempre que posso, participo dos cursos e os indico aos profissionais da área. Agradeço ao presidente Sérgio Contente e à equipe da Contmatic. Elen Deise Salomé Adriana Costa Amadio Confecções EPP Ana Paula Pereira Total RH Franchising Serviços e Treinamento Ltda O curso de Cálculos de folha é ótimo, pois aborda em detalhes o dia a dia do profissional com muito dinamismo e baseado na CLT. Eu o recomendo a todos os colegas da área, sejam iniciantes ou veteranos, porque agregar conhecimento sempre é bem-vindo. Iniciei os trabalhos com a Contmatic há oito meses e sempre tive na equipe de suporte da empresa um grande parceiro, que me ajuda, até hoje, a sanar todas as minhas dificuldades. Isso tudo sempre com muita paciência e atenção. A Contmatic Phoenix Mais publica a coluna Canal Aberto mensalmente. Nele apresentamos depoimentos de alunos e participantes dos cursos e palestras, e de colaboradores de clientes da Contmatic Phoenix. Envie também seu relato para o acompanhado de uma foto com uma resolução de, no mínimo, 300 dpi. Os depoimentos serão analisados pela Comissão Editorial, que pode reproduzí-los e editá-los total ou parcialmente. Depois do Twitter, nossa fan page no Facebook é o mais novo canal de comunicação. Ajude-nos a ser a melhor empresa de softwares para vocês! curtir O seu boletim Contmatic Phoenix Mais agora está disponível em versão digital. Confira a edição 91 por meio do link Índice Publicação da Contmatic Phoenix, empresa de desenvolvimento de softwares administrativos, para seus clientes e parceiros Contmatic prepara projeto de expansão O mundo contábil pós-sped Entrevista com Luiz Fernando Nóbrega DASN deve ser entregue até o dia 16 Ello e Eascon em Nossos Parceiros Convênio Educacional na Apae de Ilha Comprida Contmatic Phoenix Rua Padre Estevão Pernet, 215, Tatuapé, São Paulo/SP, CEP Telefone: (11) Conselho editorial: Sérgio Contente (Presidência) - Mário Hessel (Diretoria executiva) - Priscila Ribeiro - Salgado (Cursos) - Ailton dos Santos Silva (TI) Produção editorial: Versátil Comunicação Estratégica (www.versatilcomunicacao.com.br) Edição: Cícero Vieira Textos: Helder Horikawa Secretaria: Vanessa Lima Jornalista responsável: Cícero Vieira (MTb ) Projeto gráfico: Thatto Comunicação 360º (www.thatto.com.br) Impressão: Printcrom Gráfica e Editora Periodicidade: mensal Tiragem: 20 mil exemplares As opiniões expressas em artigos assinados são de inteira responsabilidade de seus autores. Fale com a Contmatic: Comercial: (11) Financeiro: (11) Cursos: (11) Treinamentos: (11) Suporte: Folha: (11) G5/Junior: (11) Orion: (11) Contábil: (11) Rede: (11) Outros: (11) Contmatic

3 especial Contmatic dá início a projeto de expansão Empresa quer instalar entre 8 e 12 canais de atendimento e vai construir nova sede com quase 3 mil metros quadrados No ano em que completa 25 anos de fundação, a Contmatic Phoenix coloca em prática um plano de expansão para ampliar sua presença no mercado de softwares nas áreas contábil, fiscal e administrativa. Depois de conquistar o território paulista, onde registra cerca de 17 mil clientes, a empresa pretende criar entre 8 e 12 canais de atendimento em pontos estratégicos do País e inaugurar um moderno e amplo complexo administrativo em São Paulo, que deve ficar pronto em cerca de 14 meses. O projeto de expansão já começou. O presidente da Contmatic, Sérgio Contente, acaba de contratar um novo diretor de Marketing e Vendas, Ricardo Freitas, que chega para integrar a equipe ao lado do diretor-executivo Mário Hessel e o grupo de 300 colaboradores espalhados pela matriz, em São Paulo, e as filiais de São José dos Campos, Campinas, Marília, São José do Rio Preto e Ribeirão Preto. Nossa principal missão é levar a Contmatic para outras regiões do Brasil com o mesmo sucesso que ela possui no Estado de São Paulo, onde é líder absoluta do mercado de softwares de gestão contábil, comenta Freitas, executivo com passagens pela carioca Alterdata Software e a mineira Mastermaq Software, além de atuar como consultor de marketing contábil na Divisão de NF-e (Notanet) do Grupo UOL. Sérgio Contente com Hessel e Freitas: projetos marcam nos 25 anos da empresa Visionário e empreendedor, Sérgio Contente está de olho no potencial de 75 mil escritórios, mil cursos de Ciências Contábeis e nos 500 mil profissionais contabilistas espalhados pelo Brasil. O objetivo, segundo Freitas, é abrir os novos canais de vendas ainda em Os locais estão sendo analisados criteriosamente, com base em um amplo estudo feito pelo novo diretor. Uma empresa com crescimento contínuo há 25 anos precisa conhecer seus desafios e adequá-los aos novos momentos, justifica Sérgio Contente. Fotos Divulgação Fotos Divulgação Nova sede da Contmatic será inaugurada até 2013 Nova sede Para crescer de forma sustentada, de acordo com Freitas, além dos canais de atendimento, a Contmatic investe na construção de um novo complexo administrativo, que será anexado ao prédio já existente, no bairro do Tatuapé, em São Paulo, com capacidade para abrigar até mil funcionários. Teremos o dobro do espaço físico atual, totalizando quase 3 mil metros quadrados. Com isso ofereceremos mais conforto aos nossos colaboradores e clientes, além de adequar a empresa ao projeto de expansão nacional que iniciamos em março, argumenta o diretor. Com todas essas ações a companhia pretende crescer em torno de 30% ao ano, buscando a liderança nacional no segmento de softwares de gestão contábil, complementa ele. Sérgio Contente destaca que, além de dobrar a área da empresa, a construção do novo complexo seguirá a risca o tripé sustentabilidade, reciclagem e otimização dos espaços. Adequado ao modelo de prédio sustentável, assumimos nosso compromisso de empresa que respeita o meio ambiente e tem responsabilidade social, acima de tudo, declara. Contmatic 3

4 especial sped Sistema completa cinco anos Entre críticas e elogios, sistema veio para ficar e terá novidades em breve, como o Sped Previdenciário Foto Divulgação Diana: escritório onde ela é consultora vai investir 20% mais em 2012 para atender ao Sped Instituído pelo governo federal por meio do Decreto nº 6.022, de 22 de janeiro de 2007, o Sistema Público de Escrituração Digital (Sped) chega ao quinto ano com críticas e elogios. Um detalhe, porém, é certo: o mundo contábil e a relação Receita e contribuinte não são mais os mesmos desde que ele entrou em operação. E, definitivamente, não há mais volta. Com o Sped, as empresas devem ser mais cautelosas com as informações fiscais e contábeis. Segundo Roberto Cunha, sócio da KPMG da Prática de Impostos Indiretos e Aduaneiros, o projeto é revolucionário na forma de as autoridades fiscais administrarem suas receitas, assim como no processo de fiscalização que poderá basear-se na utilização de ferramentas de gestão de risco. Aos que ainda tentam burlar o sistema, a multa por documento eletrônico não encaminhado, ou feito com erro não retificado, é de, no mínimo, R$ 5 mil. Além da pesada multa, empresas e contabilistas vivem preocupados com a quantidade e o nível de detalhamento das informações exigidas pelo Sped. O exemplo mais recente é a EFD-PIS/Cofins, que acaba de ganhar a nova denominação Escrituração Fiscal Digital das Contribuições Incidentes sobre a Receita (EFD-Contribuições). A nossa legislação tributária é gerada por três instâncias do poder (municípios, Estados e União) que, muitas vezes, tratam o mesmo assunto de maneira diferente. Mas, no que se refere ao PIS/Cofins, de competência da União, há de fato uma legislação demasiadamente complexa e com inúmeras particularidades. Há normas, por exemplo, que tratam da incidência e dos direitos aos créditos e que não se aplicam uniformemente aos produtos e setores. Há necessidade de um regulamento específico que possa consolidar essas legislações. Não eliminaria a complexidade, mas contribuiria para amenizar a gestão tributária nas empresas, assim como poderia trazer mais pontos de convergência com a legislação tradicional de impostos indiretos (como o IPI e o ICMS), que também tributam os produtos, mercadorias e alguns serviços, explica Cunha. As redundâncias e as novas obrigações trazidas pelo Sped, por sua vez, aumentam os custos das empresas. O escritório para o qual presto serviço busca desde o ano passado os melhores profissionais e incentiva a capacitação dos funcionários, além de investir em soluções tecnológicas completas. Por conta disso, em 2012, há uma previsão de gastarmos 20% mais na folha de pagamento com tudo isso, confirma a consultora Diana Godoy, diretora da Diana Contábil, cliente da Contmatic Phoenix em São Paulo. Depois do Lucro Real, as demais pessoas jurídicas sujeitas à tributação com base no Lucro Presumido ou Arbitrado, assim como pequenos e médios empreendedores, devem adotar a EFD-Contribuições a partir de 1º de julho deste ano. Programas prontos para auxiliar os clientes Desde a criação do Sped em 2007, a Contmatic está atenta às mudanças de legislação para estruturar seus sistemas para atender as necessidades dos clientes e do mercado. Hoje, os seus softwares utilizados para o auxílio e atendimento das obrigações do Sped são o G5 Escrita Fiscal, Contábil e o Orion Phoenix. O Contábil foi o pioneiro na geração da Escrituração Contábil Digital (ECD) e ficou pronto para gerar o arquivo um mês após a divulgação do layout pela Receita. O mesmo aconteceu com o Fcont, já que com a rapidez na liberação da versão do programa possibilitou o cliente entregar o arquivo com muita tranquilidade. O G5, desde a versão 2.00, desenvolveu telas para informação de dados para a EFD-ICMS/IPI, além de reformular os cadastros de itens e participantes e criar uma série de campos e subtelas para atender a nova obrigação. Para facilitar o trabalho de nossos clientes, desenvolvemos a importação da NF-e primeiramente em formato TXT e do EFD-ICMS/IPI. Em seguida aperfeiçoamos as ferramentas, integrando os arquivos da NF-e em formato XML, depois via chave de acesso. Adaptamos ainda o sistema para efetuar parametrizações para importação desses arquivos para as entradas de mercadorias e trabalhamos a importação do cadastro de participantes pelo site da Receita por meio do CNPJ, diz Fábio Izidoro Alves, consultor Fiscal da Contmatic. 4 Contmatic

5 especial sped Vem aí o e-lalur, a EFD Social e o CF-e Foto Divulgação Contabilistas, preparem-se! Nesse cenário de mudanças do Sped, novas exigências vêm por aí: o e-lalur, o Cupom Fiscal Eletrônico (CF-e) e o EFD Social, também conhecido como Sped Previdenciário. O primeiro já possui prazo de entrega definido. O ano-calendário 2013 deve ser entregue até junho de Os dois últimos estão em fase de estudos na Receita Federal. O Fisco, porém, ainda não divulgou quando eles serão efetivamente lançados. O objetivo do e-lalur é eliminar a redundância de informações existentes na escrituração contábil, no Lalur e na DIPJ, substituindo o Livro de Apuração do Lucro Real pela versão digital. Já o EFD Social detalhará as informações da folha de pagamento de todas as empresas, e demais pagamentos necessários à Previdência Social. Além disso, as informações do Livro Registro de Empregados, em uma segunda etapa, segundo a assessoria de imprensa da Receita, também farão parte desse informativo mensal. Com o EFD Social uma série de arquivos serão eliminados, como o Sefip e o Caged, ou substituídos, como a Rais e a Dirf. Diante dessas mudanças, o prestador de serviços contábeis e fiscais precisa conhecer a atividade e a forma como se desenvolve o Sped, pois, do contrário, poderão ser geradas inconsistências nos arquivos. Nas médias e grandes empresas, essas informações são tratadas apenas pelo setor de Recursos Humanos. O compartilhamento delas precisa ser bem discutido, de maneira a não comprometer o prazo legal de entrega dos arquivos. Mas teremos muitas dificuldades em superar o compartilhamento de tarefas e responsabilidades entre a contabilidade, RH e TI, justifica Roberto Cunha, sócio da KPMG da Prática de Impostos Indiretos e Aduaneiros. Segundo Marcelo Fernandez, supervisor de Documentos Digitais da Sefaz-SP, o uso do SAT-CF-e (Sistema Autenticador e Transmissor de Cupom Fiscal Eletrônico) pelos contribuintes varejistas voluntários deve ocorrer a partir do segundo semestre deste ano. Depois, a obrigatoriedade se estenderá para os novos contribuintes que obtiverem inscrição, e a substituição gradual do parque instalado de ECF, pelo equipamento SAT, se dará a partir de 2013, justifica. O CF-e é semelhante à Nota Fiscal Eletrônica, que atingirá todo o varejo PME e gran- Semelhante à NF-e, CF-e atingirá todo o varejo PME e grandes empresas, segundo Cunha des empresas. Embora semelhante à NF-e, a diferença é que a transação onde ela é operada requer agilidade, pois está defronte ao seu cliente-consumidor, que nem sempre entende a demora. Isto requererá um processo de treinamento dos funcionários de lojas de varejo de maneira a que sejam mitigados possíveis problemas na execução do processo de emissão do CF-e devidamente registrado na Sefaz correspondente, argumenta Cunha. Segundo ele, sem essa harmonização, corre-se o risco de que sejam geradas inconsistências de informações e, consequentemente, provocadas fiscalizações e indagações por parte do Fisco. Esse projeto deverá exigir inúmeras informações dos produtos e mercadorias destinadas à venda, assim como de seus fornecedores e de detalhes para a tributação sobre eles, e que normalmente são o ICMS, o PIS, o Cofins e o ISS, esclarece o diretor da KPMG. Para facilitar a entrega da EFD-Contribuições (Pis/Cofins), com a versão 3.00, o G5 passou a efetuar todos os cálculos diferenciados de ambos os tributos por meio dos itens, para atender a todas as situações envolvendo essas contribuições. Criamos relatórios para auxiliar a conferência dos dados e ferramentas que auxiliam a complementar informações relativas ao PIS/Cofins. Também reformulamos as telas para lançamentos/importação de dados relativos a documentos emitidos por ECF e adaptamos a importação dos arquivos do NFP relativos a cupons fiscais. Para o cadastro de itens, foi disponibilizada a ferramenta de importação via arquivo de Excel, lembra Alves. Para garantir a aderência à legislação fiscal com o objetivo de atender o Sped, o Orion Phoenix, programa de ERP da Contmatic, foi adaptado às novas regras e tabelas determinadas pela Receita para a emissão de NF-e e integração com o sistema G5 Phoenix. Com os processos de Entrada de Estoque e o Emissor de Nota Fiscal do Orion, todas as informações necessárias para a geração do Sped são disponibilizadas via integração G5, evitando o retrabalho e otimizando o tempo do contador, justifica a consultora Cristiane Duarte. Contmatic 5

6 entrevista PMEs na mira dos contabilistas Para o novo presidente do CRC SP, Luiz Fernando Nóbrega, setor deve impulsionar mercado contábil Segundo Nóbrega, PMEs sempre estarão no rol de bons clientes do setor contábil O profissional contábil está cada vez mais valorizado no mercado de trabalho. Essa é a constatação do bacharel em Ciências Contábeis, com pós-graduação em Administração de Marketing e Recursos Humanos e em Controladoria e Finanças, Luiz Fernando Nóbrega, que no início do ano assumiu a presidência do Conselho Regional de Contabilidade de São Paulo (CRC SP). Em homenagem ao Dia do Contabilista, o Contmatic Phoenix Mais traz uma entrevista exclusiva com Nóbrega, em que fala sobre as novas oportunidades e os seus projetos à frente da entidade, que reúne 140 mil profissionais do setor no Estado mais rico do País. De antemão, o novo presidente avisa: o mercado das pequenas e médias empresas (PMEs) cresce ferozmente e muda o perfil do contabilista. O senhor chega ao comando CRC SP em um momento de intensas mudanças. Independente da atuação, contador, perito, técnico ou acadêmico, a exigência pela constante proatividade, qualificação, capacidade e atualização é a mesma. Definitivamente, não existe mais espaço para os que não se diferenciam por meio do conhecimento e das ações? É fato que o mercado sofreu profundas mudanças, mas não é de hoje que ele vem tratando de uma qualificação mais substanciosa do profissional. Hoje o contabilista que for reativo e inerte tem poucas chances e com remuneração baixa. Se desejar ter destaque, reconhecimento e bom salário tem que estar disposto a investir muito em tempo para a educação continuada e ter uma visão de aprender mais do que o técnico da área. Dentro desse cenário de mudanças, quais trabalhos estão sendo desenvolvidos pelo CRC como forma de atender e qualificar os seus associados? Como se dá esse trabalho com os contabilistas que estão no interior do Estado? Hoje o CRC SP tem um olhar atento e eficiente para a educação continuada. Além das atividades que já eram desenvolvidas, estamos implantando outras, como as oficinas técnicas, e investindo em educação à distância, para facilitar ao profissional o acesso à educação. Outra medida que efetuamos foi a intensificação das parcerias com o Sescon, Ibracon, Sindcont-SP, Fecontesp e Apejesp para que, unindo forças, possamos atingir ainda mais profissionais. Foto CRC SP/Divulgação Não há dúvida de que o contador está tendo o seu devido reconhecimento e destaque. Ainda que os processos estejam cada vez mais informatizados e simples, as micro e pequenas empresas preferem contratar profissionais da área e passam a representar fatia significativa das novas ofertas de trabalho. Como analisa o mercado de trabalho para 2012? Essas PMEs sempre estarão no rol de bons clientes do nosso setor. Nosso crescimento está atrelado ao delas e esse segmento tem demandado um trabalho dos profissionais que gerarão outras vertentes de serviços nossos voltados mais para as áreas de gestão. De olho nesse público, o CRC SP criou o Canal IFRS PMEs, programa de TV para pequenas e médias empresas, onde o contabilista pode assistir e também baixar material de suporte. Esse mecanismo tem se mostrado eficiente? O canal tem ótimos resultados exatamente pelo seu formato. Esse modelo foi desenhado ouvindo nossos usuários que se queixavam de um conteúdo mais prático e interativo. A fórmula deu certo e queremos ampliar esse formato aos outros programas da TV CRC, como o Espaço Técnico. Leia A entrevista completa com Luiz Fernando Nóbrega no site 6 Contmatic

7 espaço contábil DASN deve ser entregue até o dia 16 As pessoas jurídicas registradas no Simples Nacional devem ficar atentas. Termina no dia 16 de abril o prazo para a entrega da Declaração Anual do Simples Nacional (DASN). Conforme determina o artigo 88 da Resolução CGSN nº 94/2011, a empresa que deixar de apresentá-la, ou que a fizer fora do prazo, estará sujeita à multa de 2% ao mês-calendário ou fração, incidentes sobre o montante dos tributos informados, ainda que integralmente pago, limitada a 20% desse mesmo montante. Silas Santiago, secretário-executivo do Comitê Gestor do Simples Nacional, argumenta que a empresa que não entregar a DASN pode ser excluída do regime. O não pagamento da multa eventualmente imposta em virtude da não apresentação da declaração igualmente ensejerá exclusão do contribuinte, visto que débitos junto a quaisquer Fazendas Públicas obstam a opção pelo regime, ou a permanência nele, afirma. A DASN referente ao ano de 2011, que deve ser apresentada em 2012, ainda segue as regras da sistemática anterior. Mas pequenas e médias empresas estarão isentadas de entregá- -la a partir de Somente as declarações referentes aos anos de 2012 e os seguintes se sujeitam às alterações da Lei Complementar nº 139/2011 e da Resolução CGSN nº 94/2011, pela qual as informações socioeconômicas e fiscais passam a fazer parte de módulo do PGDAS-D, explica Santiago. A medida beneficia todas as cerca de 3,9 milhões de empresas optantes pelo Simples Nacional. A partir das alterações feitas no regime, o Programa Gerador do Documento de Arrecadação do Simples Nacional (PGDAS), de preenchimento obrigatório as micro e pequenas empresas, passa a ser declaratório, passando a se chamar PGDAS-D. Com a alteração, a partir de 2012 a mudança no aplicativo de avaliação impõe que, ao fazer o cálculo, o contribuinte estará fazendo uma confissão de dívida. Santiago lembra que, mesmo com a mudança, devem ser tomados os cuidados que sempre foram necessários, visto que o PGDAS-D mantém a diretriz, já adotada no PGDAS, de calcular todos os tributos devidos a partir de dados de receita bruta fornecidos pelo contribuinte. Ao usuário do programa cabe basicamente segregar suas receitas de forma adequada, por exemplo, informando separadamente a parcela sujeita à substituição tributária de ICMS e aquela proveniente de exportação de mercadorias ou de serviços. Não há complexidade nesse procedimento, visto que a interface amigável e auto-explicativa do aplicativo simplifica e agiliza o correto fornecimento dos dados requeridos, lembra o secretário. Nova verificação A Secretaria da Fazenda do Estado de São Paulo (Sefaz-SP) denegará a autorização de uso da Nota Fiscal Eletrônica (NF-e) a contribuintes que apresentarem irregularidades no Cadastro de Contribuintes do ICMS (Cadesp). O Fisco verifica, além do emissor do documento fiscal responsável pela venda, a situação cadastral do destinatário da mercadoria e não autorizará a emissão do documento fiscal se identificar irregularidades no cadastro das empresas envolvidas na operação. A pesquisa pode ser feita pelo WebService ou no Sistema Integrado de Informações sobre Operações Interestaduais com Mercadorias e Serviços (Sintegra). fique ligado Prestação de contas As entidades declaradas de Utilidade Pública Federal (UPF), Organização da Sociedade Civil de Interesse Público (Oscip) e Organização Estrangeira (OE), devidamente registradas no Cadastro Nacional de Entidades de Utilidade Pública (CNEs), devem prestar contas anualmente. Para as Oscips o prazo encerra-se em 30 de junho, para as de Utilidade Pública Federal (UPF) a prestação deve ser feita até 30 de abril e as Organizações Estrangeiras devem fazê-la até 31 de julho. Aquelas que não prestarem contas estarão imediatamente em situação irregular. Se isso ocorrer por três anos consecutivos, o título de UPF é cassado. Contmatic 7

8 Nossos Parceiros Ello: excelência no trabalho e nas ações sociais Foto Divulgação Em meados de 2009, os jovens Cleiton Henrique e Anderson de Souza se conheceram durante um curso de especialização na área de Gestão Fiscal Tributária. Promissores, resolveram unir as forças para a realização de um antigo sonho: abrir o próprio negócio, oferecendo trabalhos diferenciados na área contábil. Foi o primeiro passo para a criação, em 21 de junho de 2010, da Ello Assessoria Contábil Empresarial Ltda, em São Paulo. A Ello iniciou as atividades em uma pequena sala em São Miguel Paulista, na zona leste da capital, com apenas três pessoas. Hoje, a empresa já tem 17 profissionais e mudou a sede para o Tatuapé, dando início à parceria com a Contmatic Phoenix. Optamos por ela pois seus sistemas possuem diferenciais, como agilidade e atua- lizações rápidas nas constantes mudanças no cenário tributário, além da empresa ser muito eficiente no atendimento e oferecer palestras e treinamentos aos parceiros, diz Cleiton. Anderson vai mais longe: Os sistemas são práticos e eficientes, que somados às facilidades de integração entre os departamentos, ganhamos em agilidade nos processos internos. Acreditando que é possível transformar a vida de pessoas com simples gestos de solidariedade, a Ello desenvolve dois projetos sociais. A empresa apoia o Lar Nefesh, instituição que abriga crianças que sofrem abusos ou maus-tratos de familiares ou que vivem em situações de risco, e o Coral Visão do Bem, que tem como meta promover a inclusão social das pessoas com deficiência visual. Ello, de Cleiton e Anderson, desenvolve dois projetos sociais A solidariedade sempre foi uma marca presente na vida de Cleiton. Ele foi professor da Fundação Sérgio Contente Idepac, onde contribuiu diretamente para a formação de jovens carentes para o mercado de trabalho. Um bom exemplo é o coordenador da área fiscal da Ello, Renato Galletti, ex-aluno da entidade e que hoje retribui a oportunidade repassando os conhecimentos adquiridos na fundação que um dia lhe abriu portas para a vida profissional. a Contmatic foi a melhor escolha que fizemos A frase do título acima é de Sérgio Luís dos Santos, contador e dono da Eascon Contabilidade, escritório na Vila Carrão, zona leste de São Paulo. Criado em 1º de fevereiro de 1995, ele é parceiro da Contmatic Phoenix desde a segunda metade dos anos Começamos nossas atividades com os sistemas de uma empresa concorrente. Mas passamos a ter muitos problemas nos programas e falhas no suporte, lembra o empresário. Depois de uma pesquisa no mercado, Sérgio Luís chegou à Contmatic. Adquirimos os sistemas e posso afirmar: tê-los foi a melhor escolha que fizemos, diz o contador. Além de programas completos e fáceis de serem utilizados, que não deixam qualquer sombra de dúvida nas operações, a empresa oferece cursos e treinamentos gratuitos, capacitando os 8 Contmatic profissionais e colaboradores em todas as nossas áreas, completa. Com os sistemas da Contmatic, a Eascon cresceu. Com cerca de 200 clientes no portfólio, ela atende em todas as regiões da capital, oferecendo uma equipe qualificada de profissionais, alguns deles selecionados por meio do Portal de Empregos da Contmatic. A empresa também conta com uma professora que já atuou na Fundação Sérgio Contente Idepac. Com tudo isso sentimos grande orgulho em ter um parceiro como a Contmatic, que preza o profissional e visa o bem do ser humano, com obras sociais direcionadas aos jovens carentes. Em uma época em que as empresas não medem esforços para obter lucros e resultados sem se preocupar com o próximo, o exemplo do Sérgio Contente é um exemplo a ser seguido, diz o empresário. Sérgio Luís com sua equipe de colaboradores: empresa tem cerca de 200 clientes Foto Divulgação

9 Soluções contmatic Linha Phoenix com Windows 8 A Microsoft ainda não anunciou a data de lançamento oficial da versão final do Windows 8. Mas é quase certo que o seu novo sistema operacional chegue ao mercado no segundo semestre deste ano. A Contmatic Phoenix, porém, já testa todos os programas da Linha Phoenix no Windows 8. Segundo o presidente da Contmatic, Sérgio Contente, os testes realizados até o momento superam as expectativas. Como uma empresa de tecnologia, antecipamos os testes para prepararmos nossos sistemas às novidades que teremos em breve. Os clientes terão à disposição toda Linha Phoenix pronta e compatível com o Windows 8, explica. Tecnicamente, segundo a Microsoft, o novo Windows, cuja versão beta Consumer Preview foi apresentada em fevereiro, consumirá menos memória RAM do que a versão anterior e uma de suas grandes novidades será o visual, com a nova interface batizada de Metro. Novo programa da Microsoft deve ser lançado ainda em 2012 Foto Divulgação Foto Divulgação Os testes realizados com o Windows 8 superam as expectativas convênio educacional Sistemas da Contmatic auxiliam administração da Apae de Ilha Comprida No próximo dia 8 de julho, a Associação dos Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae) de Ilha Comprida, no litoral sul de São Paulo, completa uma década de parceria com a Contmatic Phoenix. A entidade, com apoio do contador Paulo Elvio Teixeira, foi uma das primeiras beneficiadas pelo empresário Sérgio Contente dentro do programa Convênio Educacional, que hoje contabiliza mais de cem instituições, entre universidades, escolas técnicas e entidades filantrópicas. A Apae de Ilha Comprida utiliza os programas G5, JR, Contábil, Folha e ADM Phoenix na área administrativa. Hoje, a entidade, por meio de convênio firmado com a Secretaria da Educação do Estado de São Paulo, atende a 47 alunos matriculados na Escola de Educação Especial João de Barro. Os sistemas da Contmatic têm ótima qualidade e são referência no mercado contábil. Eles nos auxiliam muito em nosso trabalho, já que operacionalmente são fáceis e eficientes, explica Ariovaldo Costa Nunes, secretário-administrativo da Apae. De acordo com ele, o Convênio Educacional é de suma importância às entidades. Nossa maior fonte de renda provém de recursos de parcerias com órgãos públicos e privados, mediante convênios e subvenções, por isso todo apoio é vital para o funcionamento e manutenção da Apae. A parceria com a Contmatic só veio a somar, sobretudo no âmbito administrativo e financeiro. Afinal uma assistência gerencial gratuita não se disponibiliza sem se ter profissionalismo e competência, e acima de tudo, Deus no peito. Como diz Sérgio Contente, Deus seja louvado! Para mim, isso vale muito, justifica o secretário. As atividades da Apae de Ilha Comprida no atendimento às pessoas deficientes tiveram início no dia 2 de julho de 1997 no antigo prédio do então Departamento de Bem Estar Social. Já a Escola de Educação Especial João de Barro começou a funcionar em 3 de fevereiro de 2003, de acordo com uma portaria da Delegacia Regional de Ensino. Paralelo à educação, a entidade proporciona um serviço de apoio com uma equipe multidisciplinar nas áreas de psicologia, psiquiatria, fisioterapia e fonoaudiologia e social. Também dispõe de oficinas ocupacionais no contraturno para complementar o trabalho escolar. Contmatic 9

10 G5 Phoenix Importação da NFP + Cadastro de Itens via planilha do Excel Solução prática, simples e eficiente Um sistema prático e eficiente, que objetiva auxiliar o usuário, simplificando o trabalho de digitação por meio de facilidades técnicas, como fixação ou eliminação de determinados campos, dicas e sugestões operacionais, teclas de atalho, integrações, etc. Essas são as características do G5 Phoenix Escrita Fiscal, apontado como o best seller dos sistemas de livros fiscais e presente no mercado desde O G5 acaba de ganhar melhorias que vão facilitar ainda mais a vida dos clientes da Contmatic Phoenix. Ele recebeu uma série de atualizações para se tornar um sistema de escrituração fiscal ainda mais completo. O programa está sempre adequado às novas obrigações e exigências da legislação. Nossos parceiros sabem que estamos sempre atentos para melhor atendê-los, oferecendo produtos atualizados e completos para facilitar o trabalho em seus serviços, informa Jane Jelezoglo Prado, consultora do G5. Entre as novidades do G5 está a importação do cadastro de itens por meio de planilha do Excel. Com ele é possível incluir novos itens ou efetuar alterações de dados dos que já constam no cadastro. Esse arquivo poderá ser elaborado com todas as informações ou somente com aquelas que estejam faltando, ou mesmo apenas com que o usuário julgue necessário. Outra facilidade é a importação dos arquivos da NFP para emissores de Cupom Fiscal, com as informações dos cupons e dos itens. Essa ferramenta foi criada com a finalidade de utilizar um arquivo já fornecido pelas máquinas de ECF e possibilitar a geração dos arquivos do EFD-ICMS/IPI e EFD-Contribuições (PIS/Cofins). Como ele não fornece as informações de PIS/Cofins, o sistema disponibiliza uma ferramenta para complementá-las nos lançamentos dos itens, por meio de um prévio cadastro dos mesmos. E, por fim, outra boa notícia é a criação da tela de lançamentos manuais de PIS e Cofins. Nela é possível efetuar um lançamento global das receitas para cálculo de ambas contribuições. Essa opção, porém, deverá ser utilizada somente para quem emite o Darf dessas contribuições pelo G5 Phoenix. Conheça as outras soluções pioneiras com a marca Contmatic Phoenix contábil phoenix enfs phoenix IRPJ/Jr phoenix gescon phoenix adm phoenix crm web cloud Contabilidade Gestão de empresas contábeis Emissor de notas fiscais Adm. de escritório contábil Imposto de renda orion phoenix ERP de Gestão Empresarial folha phoenix Folha de Pagamento nfp phoenix Nota fiscal paulista Integração escritório-cliente Matriz: Rua Padre Estevão Pernet, 215 Tatuapé São Paulo SP Fone: (11) Filiais: Campinas: (19) / São José do Rio Preto: (17) / Marília: (14) / Ribeirão Preto: (16) / São José dos Campos: (12) / A CONTMATIC APOIA A FUNDAÇÃO SÉRGIO CONTENTE IDEPAC F U N DAÇ ÃO SÉRGIO CONTENTE I D E P A C

11

12 legalmatic phoenix Contmatic Phoenix Pacote All Included TRABALHISTA O empregado que trabalha esporadicamente em atividade periculosa tem direito ao adicional de periculosidade integral ou de forma proporcional as horas trabalhadas? O pagamento integral ou proporcional do adicional de periculosidade no caso de trabalho realizado de forma intermitente enseja duas correntes jurisprudenciais distintas. Entende-se a primeira, em sua maioria, que se a natureza do trabalho desenvolvido pelo empregado o expõe a contato contínuo com atividade periculosa, ele tem direito ao adicional integral, ainda que a exposição seja restrita a determinados momentos, pois o risco é abrangente, envolvendo toda a atividade. Assim, de acordo com essa corrente, o adicional é devido pela periculosidade e não pelo tempo em que o empregado se expõe a elas. A segunda corrente, em sua minoria, contrariamente, admite o pagamento proporcional quando a permanência do empregado na área periculosa se dá de forma intermitente. De qualquer forma, diante do exposto, recomendamos cautela ao empregador diante da ocorrência concreta da situação, consultando preventivamente o Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), bem como o sindicato da respectiva categoria profissional sobre o assunto, lembrando que caberá à Justiça do Trabalho a decisão final da controvérsia, caso seja proposta ação nesse sentido. A empresa que encerrou as suas atividades no decorrer do ano de 2012 deve entregar a Rais de encerramento no ano atual ou em 2013? De acordo com a Portaria MTE nº 07/12, no caso de encerramento das atividades no decorrer de 2012, o estabelecimento pode antecipar a entrega da declaração, utilizando o programa GDRAIS 2011, e informar no campo data de encerramento, o dia, mês e ano equivalentes à data em que está sendo declarada a Rais, bem como a data de desligamento dos empregados. Logo, se o estabelecimento encerrou as atividades no decorrer de 2012, poderá opcionalmente efetuar a entrega neste ano, ou deixar para fazê-la em 2013, sem que isso acarrete em penalidades. Em caso de desligamento do empregado logo após receber o benefício de vale-alimentação, a empresa poderá descontá-lo na rescisão? Sim. A empresa pode efetuar por ocasião de rescisão do contrato de trabalho, o desconto do valor do benefício de alimentação, entregue de forma antecipada ao empregado. Entretanto, é importante consultar se o documento coletivo da categoria possui alguma proibição nesse sentido. JURISPRUDÊNCIAS Demissão por justa causa - Ônus de comprovar falta grave A demissão por justa causa diante do abandono de emprego seria justificável se a reclamada tivesse procedido ao chamamento, de forma eficaz, da empregada, quando se desoneraria do ônus que lhe cabe. O ideal seria que a comunicação fosse feita por meio de carta com aviso de recebimento, ou telegrama, convocando a obreira para o retorno ao trabalho. Poderia também ser feita uma notificação judicial ou extrajudicial. TRT/PR Relatora juíza Sueli Gil El-Rafihi Plano de Demissão Voluntária - Renúncia à estabilidade A adesão voluntária do empregado ao plano demissional promovido pelo empregador, com o recebimento de indenização compensatória pela extinção do contrato, implica renúncia ao direito à estabilidade sindical e à reintegração no emprego. TRT/PR Relator juíz Tobias de Macedo Filho Zelador - Condomínio - Habitação Salário-utilidade A habitação concedida ao zelador de condomínio não constitui salário in-natura para fins de integração, porque é fornecido para o trabalho, não pelo trabalho. TRT/RJ ª Turma - Relator juíz Paulo Cardoso de Melo Silva Correção de salário - Licitude Plenamente lícitos a correção de salários e o reembolso de importâncias pagas a maior, ainda que, aparentemente, ocorra a redução da remuneração mensal. TRT/MG /00-2ª Turma - Relator juíz José Maria Caldeira Rescisãocontratual Empregada doméstica Se a obreira salienta que estava deixando o emprego por ter obtido outro com melhor salário, a conclusão é de que fora ela a causadora da resilição contratual, pedindo demissão. Recurso ordinário conhecido e improvido. TRT/SP /1999 2ª Turma Relator juíz Alexandre Nery de Oliveira 12 Contmatic

13 O que devo considerar como base de cálculo para desconto da contribuição previdenciária do trabalhador autônomo? Nos termos da legislação previdenciária, entende-se por salário- -de-contribuição para o segurado contribuinte individual, onde se enquadra o trabalhador autônomo, a remuneração auferida em uma ou mais empresas ou pelo exercício de sua atividade por conta própria, durante o mês, observados os limites mínimo e máximo do salário-de-contribuição. Assim, deve ser considerando como base de cálculo para desconto da contribuição previdenciária, a remuneração recebida. Qual o código de GPS a ser utilizado no recolhimento da contribuição previdenciária complementar do Microempreendedor Individual (MEI)? Desde 21 de setembro de 2011, com a publicação do Ato Declaratório Executivo Codac nº 71, de 20 de setembro de 2011, entrou em vigor os novos códigos de GPS constantes no Anexo I desse Ato Declaratório. Sendo que, desde então, o código de GPS a ser utilizado para complementação mensal da contribuição previdenciária do Microempreendedor Individual (MEI) é o É devida contribuição previdenciária patronal sobre os serviços prestados por um Microempreendedor Individual que executa serviços de alvenaria? Sim. A empresa contratante de serviços executados por intermédio do MEI mantém, em relação à contratação de serviços de hidráulica, eletricidade, pintura, alvenaria, carpintaria e de manutenção ou reparo de veículos, a obrigatoriedade de recolhimento da contribuição patronal a cargo da empresa (20%), e o cumprimento das obrigações acessórias relativas à contratação de contribuinte individual, conforme determina o artigo 22, III da Lei nº 8.212/91. PREVIDENCIÁRIA consultoria online Com profissionais atualizados, experientes e bastante atentos, a Consultoria Online Legalmatic Phoenix oferece, gratuitamente aos clientes da Contmatic, o esclarecimento adequado das principais dúvidas sobre a legislação e os procedimentos das áreas tributária, contábil, trabalhista e previdenciária. Acesse: É obrigatória a depreciação econômica dos bens do ativo imobilizado? A depreciação econômica (para fins contábeis) é obrigatória para todas as empresas e entidades de acordo com a NBC T 19.1, CPC 01, Resolução nº 1.138/08, Lei nº /07, Lei nº 6.404/76 e Lei nº /02. Conforme as mudanças na prática contábil alteradas pelas Leis nºs /07 e 11941/09, a contabilidade deve, por meio de suas demonstrações, apresentar o mais próximo à realidade financeira da empresa. O Código Civil, por sua vez, destaca no artigo que o Balanço Patrimonial deve exprimir, com fidelidade e clareza, a situação real da empresa e atender as peculiaridades dessa, bem como as disposições das leis especiais, indicando, distintamente, o ativo e o passivo. Portanto, é obrigação do contabilista efetuar a depreciação econômica dos bens do ativo imobilizado, considerando apresentar em seus balanços a realidade financeira da entidade. Um Microempreendedor Individual (MEI) que faz aquisição de mercadoria fora de seu Estado, deve recolher o diferencial de alíquota? Sim. A empresa enquadrada no MEI está sujeita ao recolhimento do diferencial e alíquota quando nas aquisições em outros Estados e no Distrito Federal de bens ou mercadorias, não sujeitas ao regime de antecipação do recolhimento do imposto, relativo à diferença entre a alíquota interna e a interestadual, em conformidade inciso VII, 3º, artigo 18-A da Lei Complementar nº 123/06. Um posto revendedor de combustíveis, que comercializa produtos relacionados com o CST 04, quais os códigos de Natureza de Receita a ser utilizado na EFD Pis/Cofins? No caso de comercialização dos produtos relacionados com o CST 04 (Operação Tributável Monofásica - Revenda a Alíquota Zero), deve ser considerada a alíquota zero, quando a pessoa jurídica não se enquadrar na condição de fabricante, industrial, importador ou a estes equiparados. Assim, deve-se utilizar os códigos de natureza de Receita da tabela , que encontra- -se disponível no portal Sped, nos registros M410 para Pis e M 810 para Cofins. É correta a empresa fazer uma doação para o seu sócio de um automóvel registrado no Ativo Imobilizado? Não há impedimento legal para a operação. Porém, conforme o artigo 541 da Lei nº /02 do Código Civil, a doação deve ser formalizada por escritura pública ou instrumento particular. Dessa forma, é recomendável que as partes envolvidas assinem um Termo de Doação, no qual será discriminado o bem objeto da doação, assim como as condições em que a mesma está sendo efetuada. Recomenda-se, ainda, por medida de cautela, que esse documento seja levado para registro no Cartório de Registro de Títulos e Documentos. O termo e a nota fiscal emitida por ocasião da saída do bem doado, em atendimento à legislação tributária, servirão para comprovar a saída efetiva do bem do patrimônio da doadora. CONTÁBIL e Tributária Contmatic 13

14 galeria contmatic Contmatic em ação em SP e Campinas Com a presença dos diretores Mário Hessel e Ricardo Freitas, a equipe de profissionais da Contmatic Phoenix prestigiou, no dia 8 de março, o 10º Fórum Mulher Contabilista, realizado na sede do Conselho Regional de Contabilidade de São Paulo (CRC SP). Na ocasião, foram distribuídas gratuitamente as publicações do Legalmatic. E entre os dias 14 e 16 do mesmo mês, a Contmatic participou da Convenção Regional de Contabilistas, Empresários e Estudantes de Contabilidade de Campinas. O evento, que teve o sorteio de uma bicicleta oferecida pela Contmatic, ocorreu no Centro Poliesportivo dos Contabilistas. 2 Fotos Divulgação 1 Stefan Júnior, Ricardo Freitas e Mário Hessel representaram a Contmatic no Fórum Mulher Contabilista 2 Auditório do CRC SP ficou lotado de mulheres contabilistas 3 Ricardo Duarte Couto, supervisor regional da Contmatic em Campinas, com Amanda Gilabel da Silva, ganhadora do livro Legalmatic 4 Ana Cristina Paim Magalhães (ganhadora da bicicleta) com Ricardo Duarte Couto, em Campinas palestras Professor Lourivaldo aborda Eireli no dia 18 4 Contmatic Phoenix Pacote All Included Foto Divulgação Instituída oficialmente por meio da Lei /2011, a empresa individual de responsabilidade limitada (Eireli) é o novo regime que integra o pequeno empreendedor, constituída por uma única pessoa titular da totalidade do capital social, devidamente integralizado, que não pode ser inferior a cem vezes o maior salário-mínimo vigente no País. Ele será o tema da palestra a ser ministrada no dia 18 de abril, no auditório nobre da Contmatic Phoenix, pelo mestre em Contabilidade e professor do Sescon, Sindcont e CRC SP, Lourivaldo Lopes da Silva. A palestra tem como objetivo informar aos participantes sobre as regras para o ingresso na Eireli e suas responsabilidades. Lourivaldo vai abordar, por exemplo, aspectos como registro nos órgãos competentes e cuidados na elaboração do contrato social e alterações. Palestra de Lourivaldo ocorre das 19 às 22 horas O evento ocorre das 19 às 22 horas. As vagas são limitadas e gratuitas para os clientes da Contmatic. Os não clientes pagam R$ 200. A empresa fica na Rua Padre Estevão Pernet, 215. Informações pelo telefone (11) Contmatic

15 CURSOS CONTMATIC Os cursos são gratuitos para clientes da Contmatic Phoenix, a quem são destinados 90% das vagas. Os 10% restantes são dedicados a não clientes, estudantes de universidades e de cursos técnicos mediante pagamento de inscrição a partir de R$ 200. Alunos de universidades e de cursos técnicos conveniados à Contmatic têm desconto de 60% e os não conveniados, 30%. Inscrições, mediante a disponibilidade de vagas, podem ser efetuadas por meio do site Vagas limitadas Garanta já a sua! Matriz (São Paulo) Tel. (11) *As vagas dos cursos indicados com asterisco não estão disponíveis no site da Contmatic, pois primeiramente serão convocados os inscritos na lista de espera. Contmatic Phoenix Pacote All Included São José do Rio Preto Tel. (17) e (17) Área contábil C.H. Datas Horários Abertura e encerramento de empresas 8h 3 a 4/4 8h30 12h30 Contabilidade geral 28h * 2, 3, 4, 9, 10, 11, 12 e 13/4 19h 22h30 * 14, 28/4, 5 e 12/5 8h30 16h30 * 16, 18, 25, 27/4, 2, 4 e 7/5 18h30 22h30 Demonstrações contábeis 24h * 3, 5, 10, 12, 17, 19, 24 e 26/4 9h 12h IFRS para pequenas e médias empresas 12h * 14 e 28/4 9h 16h Lucro Real teoria e prática 20h * 17, 19, 24, 26/4 e 3/5 18h30 22h30 Área tributária C.H. Datas Horários Analista fiscal 32h * 28/4, 5, 12 e 19/5 8h30 17h30 Básico de ICMS 9h * 14 e 28/4 8h30 13h * 9, 10, 11, 12, 16, 17, 18 e 19/4 19h 22h Escrita fiscal 24h * 14, 28/4 e 5/5 8h30 17h30 * 14, 28/4 e 5/5 8h30 17h30 EFD-Contribuições (PIS/Cofins) Faturamento e emissão de notas fiscais Retenções na Fonte (PIS, Cofins, CSLL, IRRF, ISSQN e INSS-PJ) 6h 16h 4/4 9h 16h * 28/4 9h 16h * 23, 25, 26 e 27/4 18h30 22h30 * 14 e 28/4 8h30 17h30 16h * 14 e 28/4 8h30 17h30 Substituição tributária 14h * 14 e 28/4 9h 17h Área trabalhista C.H. Datas Horários Cálculos da folha de pagamento e Apuração dos encargos trabalhistas da empresa 12h * 2, 3, 4 e 9/4 19h 22h Cálculos trabalhistas 12h * 17, 18, 19 e 23/4 19h 22h Departamento pessoal 28h * 2, 3, 4, 9, 10, 11, 12 e 16/4 18h30 22h 9, 10, 11, 16, 17, 23, 24 e 25/4 9h 12h30 * 14, 28/4, 5 e 12/5 8h30 16h30 Gestão de RH e relações trabalhistas 8h * 14/4 8h30 17h30 Retenções do INSS 12h * 10, 11, 12 e 16/4 19h 22h Outras áreas C.H. Datas Horários Excel 12h * 14, 28/4 e 5/5 9h 13h Campinas Tel. (19) e (19) Área contábil C.H. Datas Horários Contabilidade para não contadores 16h 14 e 28/4 8h30 17h30 Área tributária C.H. Datas Horários Sped (legislação e links nos sistemas G5 e Contábil Phoenix) 6h 28/4 9h 16h Área trabalhista C.H. Datas Horários Departamento pessoal 28h 9, 10, 11, 12, 16, 17, 18 e 19/4 18h30 22h Área contábil C.H. Datas Horários Contabilidade para não contadores 16h 16 a 19/4 18h30 22h30 Demonstrações contábeis 24h 14, 28/4 e 5/5 9h 18h Área tributária C.H. Datas Horários Analista fiscal 32h 9, 10, 11, 12, 16, 17, 18 e 19/4 18h30 22h30 Escrita fiscal 24h 14, 28/4 e 5/5 9h 18h Substituição tributária 14h 2 a 5/4 19h 22h30 Área trabalhista C.H. Datas Horários Conectividade Social ICP 8h 23 a 24/4 18h30 22h30 25 a 26/4 18h30 22h30 Departamento pessoal 28h 2, 3, 4, 5, 9,10, 11 e 12/4 19h 22h30 Marília Tel. (14) e (14) Área contábil C.H. Datas Horários Contabilidade geral 28h 9, 10, 11, 12, 16, 17, 18 e 19/4 18h30 22h Área trabalhista C.H. Datas Horários Justa causa 8h 16 a 18/4 19h 21h40 Noções básicas do direito do trabalho 8h 9 a 11/4 19h 21h40 Área tributária C.H. Datas Horários Substituição tributária 14h 14 e 28/4 9h 17h São José dos Campos Tel. (12) e (12) Área tributária C.H. Datas Horários Básico de ICMS 9h 23 a 25/4 18h30 21h30 Faturamento e emissão de notas fiscais 16h 9 a 12/4 18h30 22h30 EFD-Contribuições (PIS/Cofins) 6h 16 a 17/4 18h30 21h30 26 a 27/4 18h30 21h30 Substituição tributária 14h 2 a 5/4 18h30 22h Área trabalhista C.H. Datas Horários Gestão de RH e relações trabalhistas 8h 14/4 9h 18h Noções básicas do direito do trabalho 8h 28/4 9h 18h Ribeirão Preto Tel. (16) e (16) Área tributária C.H. Datas Horários EFD-Contribuições (PIS/Cofins) 6h 10 e 12/4 18h45 21h45 14/4 9h 16h 28/4 9h 16h Até o dia 20 de cada mês, a Contmatic Phoenix torna disponível, em a programação de cursos do mês subsequente. Para recebê-la por , mantenha seus dados atualizados. Para isso, digite o seu código e senha na área Cliente. Na próxima janela, clique na opção Cadastro de s do MAC. Contmatic 15

16

MEI MICROEMPREENDEDOR INDIVIDUAL

MEI MICROEMPREENDEDOR INDIVIDUAL MEI MICROEMPREENDEDOR INDIVIDUAL Conheça as condições para recolhimento do Simples Nacional em valores fixos mensais Visando retirar da informalidade os trabalhadores autônomos caracterizados como pequenos

Leia mais

Neste bip. EFD Contribuições. Você sabia? Prazo final para entrega dos arquivos ECD e FCONT. edição 22 Junho de 2012

Neste bip. EFD Contribuições. Você sabia? Prazo final para entrega dos arquivos ECD e FCONT. edição 22 Junho de 2012 Neste bip EFD Contribuições... 1 Prazo final para entrega dos arquivos ECD e FCONT... 1 Configuração da Demonstração do Fluxo de Caixa... Configuração do Plano de Contas de acordo com a Lei 11.638/07...

Leia mais

www.audicgroup.com.br DR SPED

www.audicgroup.com.br DR SPED www.audicgroup.com.br DR SPED a EMPRESA A Audic Group no Brasil tem o compromisso com os seus clientes de buscar a satisfação por eles desejada, para tanto dedica-se na identificação dos problemas, na

Leia mais

Contribuição Sindical dos empregados. Neste bip. Você sabia? edição 19 Março de 2012

Contribuição Sindical dos empregados. Neste bip. Você sabia? edição 19 Março de 2012 Neste bip Contribuição Sindical dos empregados... 1 Alterações no Aviso Prévio conforme Circular MTE 10/2011... 2 Formas de contabilização da Escrita Fiscal... 3 Importação de Notas Fiscais de Serviço...

Leia mais

Aspectos gerais para validação da EFD Contribuições Lucro Presumido

Aspectos gerais para validação da EFD Contribuições Lucro Presumido Aspectos gerais para validação da EFD Contribuições Lucro Presumido Sumário Aspectos gerais para validação da EFD Contribuições Lucro Presumido 1. Cadastro de Empresas... 2 2. Cadastro de Participantes...

Leia mais

SPED. EFD CONTRIBUIÇÕES (Palestra) ANTONIO SÉRGIO DE OLIVEIRA WWW.PORTALDOSPED.COM.BR

SPED. EFD CONTRIBUIÇÕES (Palestra) ANTONIO SÉRGIO DE OLIVEIRA WWW.PORTALDOSPED.COM.BR SPED EFD CONTRIBUIÇÕES (Palestra) ANTONIO SÉRGIO DE OLIVEIRA WWW.PORTALDOSPED.COM.BR ANTONIO SÉRGIO DE OLIVEIRA Contador, Administrador de Empresas, Pós Graduado em Gestão Pública, Técnico em Contabilidade,

Leia mais

O que é o Sistema Público de Escrituração Digital - SPED?

O que é o Sistema Público de Escrituração Digital - SPED? SPED PIS/COFINS Teoria e Prática O que é o Sistema Público de Escrituração Digital - SPED? E v e l i n e B a r r o s o Maracanaú - CE Março/2 0 1 2 1 2 Conceito O SPED é instrumento que unifica as atividades

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária de Segmentos Retenções na fonte IRRF e CSRF geradas na DIRF

Parecer Consultoria Tributária de Segmentos Retenções na fonte IRRF e CSRF geradas na DIRF Parecer Consultoria Tributária de Segmentos Retenções na fonte IRRF e CSRF geradas na DIRF 27/11/2014 Título do documento Sumário 1. Questão... 3 2. Normas apresentadas pelo cliente... 3 3. Análise da

Leia mais

SPED PIS E COFINS SPED PIS E COFINS. Sistema Questor SPED PIS E COFINS - SPED PIS E COFINS - 0brigatoriedade. Objetivos do Curso

SPED PIS E COFINS SPED PIS E COFINS. Sistema Questor SPED PIS E COFINS - SPED PIS E COFINS - 0brigatoriedade. Objetivos do Curso Sistema Questor SPED PIS E COFINS SPED Sistema Público de Escrituração Digital EFD Escrituração Fiscal Digital Instrutor: - Jocenei Friedrich Apoio: - Sejam todos bem-vindos Objetivos do Curso Conhecer

Leia mais

Neste bip. Você Sabia? Validação da Chave da Nota Fiscal Eletrônica. edição 25 Setembro de 2012

Neste bip. Você Sabia? Validação da Chave da Nota Fiscal Eletrônica. edição 25 Setembro de 2012 Neste bip Validação da Chave da Nota Fiscal Eletrônica... 1 Importação de Conhecimentos de Transporte Eletrônicos... 2 Demonstrações Contábeis Obrigatórias para Pequenas e Médias Empresas (NBC TG 1000)...

Leia mais

CARGA TRIBUTÁRIA ANO 2011

CARGA TRIBUTÁRIA ANO 2011 CARGA TRIBUTÁRIA ANO 2011 Orientações Básicas INFORMAÇÕES GERAIS PESSOA JURÍDICA 1) DCTF : (Declaração de Débitos e Créditos Tributários Federais) ATENÇÃO! Apresentação MENSAL obrigatória pelas Pessoas

Leia mais

ESTADO DA PARAÍBA SECRETARIA DE ESTADO DA RECEITA 28576_ LEI GERAL DAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS LEI COMPLEMENTAR Nº 123, DE 14 DE DEZEMBRO DE 2006

ESTADO DA PARAÍBA SECRETARIA DE ESTADO DA RECEITA 28576_ LEI GERAL DAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS LEI COMPLEMENTAR Nº 123, DE 14 DE DEZEMBRO DE 2006 ESTADO DA PARAÍBA SECRETARIA DE ESTADO DA RECEITA 28576_ LEI GERAL DAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS LEI COMPLEMENTAR Nº 123, DE 14 DE DEZEMBRO DE 2006 PERGUNTAS E RESPOSTAS Este documento é de caráter meramente

Leia mais

Escrituração Fiscal Digital EFD ICMS/IPI. Dulcineia L. D. Santos

Escrituração Fiscal Digital EFD ICMS/IPI. Dulcineia L. D. Santos Escrituração Fiscal Digital EFD ICMS/IPI Dulcineia L. D. Santos Sistema Público de Escrituração Digital SPED Decreto n. 6.022, de 22/01/2007. Objetivos do SPED: unificar as atividades de recepção, validação,

Leia mais

ASSOCIAÇÃO CATARINENSE DE SUPERMERCADOS ESCRITURAÇÃO FISCAL DIGITAL - EFD

ASSOCIAÇÃO CATARINENSE DE SUPERMERCADOS ESCRITURAÇÃO FISCAL DIGITAL - EFD ASSOCIAÇÃO CATARINENSE DE SUPERMERCADOS ESCRITURAÇÃO FISCAL DIGITAL - EFD 1 - Informações referentes à Escrituração Fiscal Digital EFD A Escrituração Fiscal Digital é um dos módulos do um sistema púbico

Leia mais

EFD. Contribuições Atualização. Abril 2013. Elaborado por: Antônio Sérgio de Oliveira

EFD. Contribuições Atualização. Abril 2013. Elaborado por: Antônio Sérgio de Oliveira Conselho Regional de Contabilidade do Estado de São Paulo Tel. (11) 3824-5400, 3824-5433 (teleatendimento), fax (11) 3824-5487 Email: desenvolvimento@crcsp.org.br web: www.crcsp.org.br Rua Rosa e Silva,

Leia mais

empresas constantes de seus anexos, de acordo com o Estado da Federação em que estava localizado o contribuinte.

empresas constantes de seus anexos, de acordo com o Estado da Federação em que estava localizado o contribuinte. SPED O Sistema Público de Escrituração Digital, mais conhecido como Sped, trata de um projeto/obrigação acessória instituído no ano de 2007, através do Decreto nº 6.022, de 22 de janeiro de 2007. É um

Leia mais

Manual De Sped Fiscal E Sped Pis / Cofins

Manual De Sped Fiscal E Sped Pis / Cofins Manual De Sped Fiscal E Sped Pis / Cofins 29/05/2012 1 O Sped fiscal e Pis/Confins é uma arquivo gerado através do sistema da SD Informática, onde este arquivo contem todos os dados de entrada e saída

Leia mais

CARGA TRIBUTÁRIA ANO 2012

CARGA TRIBUTÁRIA ANO 2012 CARGA TRIBUTÁRIA ANO 2012 Orientações Básicas INFORMAÇÕES GERAIS PESSOA JURÍDICA 1) DCTF : (Declaração de Débitos e Créditos Tributários Federais) ATENÇÃO! Apresentação MENSAL obrigatória pelas Pessoas

Leia mais

Palestrante: Anderson Aleandro Paviotti

Palestrante: Anderson Aleandro Paviotti Palestrante: Anderson Aleandro Paviotti Perfil do Palestrante: Contador, Consultor e Professor Universitário Colaborador do Escritório Santa Rita desde 1991 Tributação das Médias e Pequenas Empresas Como

Leia mais

INFORMATIVO ESPECIAL SPED Comunicado SPED vs.4-02/03/2012

INFORMATIVO ESPECIAL SPED Comunicado SPED vs.4-02/03/2012 Comunicado SPED vs.4-02/03/2012 Prezado cliente, Para mantê-lo informado sobre as liberações e procedimentos referentes ao SPED PIS/COFINS, destacamos nesse comunicado os principais pontos que devem ser

Leia mais

GUIA PRÁTICO EFD-CONTRIBUIÇÕES

GUIA PRÁTICO EFD-CONTRIBUIÇÕES GUIA PRÁTICO EFD-CONTRIBUIÇÕES Maio de 2012 O QUE É A EFD-Contribuições trata de arquivo digital instituído no Sistema Publico de Escrituração Digital SPED, a ser utilizado pelas pessoas jurídicas de direito

Leia mais

67. As ME e EPP, optantes ou não pelo Simples Nacional, podem emitir que tipo de nota fiscal?

67. As ME e EPP, optantes ou não pelo Simples Nacional, podem emitir que tipo de nota fiscal? OBRIGAÇÕES ACESSÓRIAS 67. As ME e EPP, optantes ou não pelo Simples Nacional, podem emitir que tipo de nota fiscal? Nas operações de vendas a contribuinte, a Nota Fiscal, modelos 1 e 1-A ou a Nota Fiscal

Leia mais

Configuração para Contabilização Automática. Neste bip. Você Sabia? Edição 57 Maio de 2015

Configuração para Contabilização Automática. Neste bip. Você Sabia? Edição 57 Maio de 2015 Neste bip Configuração para Contabilização Automática... 1 Vale Transporte... 2 Como Programar Reajuste Salarial... 3 Contabilização da Folha... 4 Configuração para Contabilização Automática O cadastro

Leia mais

esocial esocial Diminuir o custo de produção, o controle e disponibilização das informações trabalhistas, previdenciárias e fiscais;

esocial esocial Diminuir o custo de produção, o controle e disponibilização das informações trabalhistas, previdenciárias e fiscais; Ref.: nº 26/2015 esocial 1. Conceito O esocial é um projeto do Governo Federal que vai coletar as informações descritas em seu objeto, armazenando-as em Ambiente Nacional, possibilitando aos órgãos participantes,

Leia mais

Projeto SPED de A a Z

Projeto SPED de A a Z Consultoria e Treinamentos Apresentam: Projeto SPED de A a Z SPED Decreto nº 6.022 22/01/07 Instituir o Sistema Público de Escrituração Digital (SPED) Promover a integração dos fiscos; Racionalizar e uniformizar

Leia mais

Projetos SPED. Edmar de Oliveira Frazão

Projetos SPED. Edmar de Oliveira Frazão Projetos SPED Edmar de Oliveira Frazão Sumário Nf-e Nota Fiscal Eletrônica Nf-e Nota Fiscal Eletrônica versão 2.0 CT-e Conhecimento Eletrônico NFS-e NF de Serviço Eletrônico CF-e Cupom Fiscal Eletrônico

Leia mais

Quem somos? Nossa Missão:

Quem somos? Nossa Missão: Bem Vindos! Quem somos? A GEPC Consultoria Tributária é uma empresa especializada em consultoria para Farmácias e Drogarias com mais de 6 anos de mercado neste seguimento. Apoiando e atualizando nossos

Leia mais

Informações gerais sobre a EFD-PIS/COFINS

Informações gerais sobre a EFD-PIS/COFINS Informações gerais sobre a EFD-PIS/COFINS Legislação Conforme instituído pela Instrução Normativa RFB nº 1.052, de 5 de julho de 2010, sujeitam à obrigatoriedade de geração de arquivo da Escrituração Fiscal

Leia mais

SPED. EFD CONTRIBUIÇÕES (Palestra) ANTONIO SÉRGIO DE OLIVEIRA WWW.PORTALDOSPED.COM.BR ANTONIO SÉRGIO DE OLIVEIRA

SPED. EFD CONTRIBUIÇÕES (Palestra) ANTONIO SÉRGIO DE OLIVEIRA WWW.PORTALDOSPED.COM.BR ANTONIO SÉRGIO DE OLIVEIRA SPED EFD CONTRIBUIÇÕES (Palestra) ANTONIO SÉRGIO DE OLIVEIRA WWW.PORTALDOSPED.COM.BR 1 ANTONIO SÉRGIO DE OLIVEIRA Contador, Administrador de Empresas, Pós Graduado em Gestão Pública, Técnico em Contabilidade,

Leia mais

Neste bip. Importação de dados Fiscais para o Rumo. Você Sabia? edição 28 Dezembro de 2012

Neste bip. Importação de dados Fiscais para o Rumo. Você Sabia? edição 28 Dezembro de 2012 Neste bip Importação de dados Fiscais para o Rumo... 1 Controle de contas a pagar e a receber... 2 Quando calcular o 13 salário complementar?... 2 Férias Coletivas... 3 MEI - Afastamento por licença maternidade...

Leia mais

Neste bip. Arquivos XML. Você Sabia? edição 36 Agosto de 2013

Neste bip. Arquivos XML. Você Sabia? edição 36 Agosto de 2013 Neste bip Arquivos XML... 1 Quais Demonstrações Contábeis devo apresentar? 2 Contabilização da folha... 3 Atenção ao salário família... 4 Conferência das compensações de INSS... 4 Workshop online... 5

Leia mais

Escrituração Contábil Digital (ECD) Escrituração Contábil Fiscal (ECF)

Escrituração Contábil Digital (ECD) Escrituração Contábil Fiscal (ECF) Escrituração Contábil Digital (ECD) Escrituração Contábil Fiscal (ECF) José Jayme Moraes Junior Auditor-Fiscal da Receita Federal do Brasil Supervisor Nacional da ECD e da ECF Escrituração Contábil Digital

Leia mais

CURSO ESCRITÓRIO CONTÁBIL MODELO. Próxima turma com inicio em Março de 2012

CURSO ESCRITÓRIO CONTÁBIL MODELO. Próxima turma com inicio em Março de 2012 CURSO ESCRITÓRIO CONTÁBIL MODELO Próxima turma com inicio em Março de 2012 Conteúdo Programático: Abertura e Encerramento de Empresas: Decisão quanto a forma jurídica; Empresa Individual; Sociedade Empresária

Leia mais

EFD-Contribuições Informações PIS/COFINS

EFD-Contribuições Informações PIS/COFINS EFD-Contribuições Informações PIS/COFINS 1. Introdução 2. Obrigatoriedade e dispensa 3. Periodicidade e prazo de entrega (Alterações IN nº 1.305/2012 e ADE Cofis nº 65/2012) 4. Dispensa do Dacon 5. Forma

Leia mais

SAD Gestor ERP. Módulo Estoque. Cadastro de Produto Escrita Fiscal. Seja Bem Vindo!

SAD Gestor ERP. Módulo Estoque. Cadastro de Produto Escrita Fiscal. Seja Bem Vindo! SAD Gestor ERP Módulo Estoque Cadastro de Produto Escrita Fiscal Seja Bem Vindo! Introdução O planejamento tributário deve fazer parte do cotidiano da empresa. É uma decisão estratégica que pode determinar

Leia mais

O que é? Pra que serve? Quem promove? Como vai funcionar? O dia a dia? Quando começa? Agenda. E agora, o que tenho que fazer????

O que é? Pra que serve? Quem promove? Como vai funcionar? O dia a dia? Quando começa? Agenda. E agora, o que tenho que fazer???? Fevereiro de 2014 O que é? Pra que serve? Quem promove? Como vai funcionar? O dia a dia? Quando começa? Agenda E agora, o que tenho que fazer???? O QUE É AFINAL? Componente do SPED (Sistema Público de

Leia mais

Neste bip. Férias Coletivas. Você Sabia? Edição 53 Janeiro de 2015

Neste bip. Férias Coletivas. Você Sabia? Edição 53 Janeiro de 2015 Neste bip Férias Coletivas... 1 Configurar Tarefas Automáticas... 2 Pedido de Rescisão e Interrupção do Aviso Prévio... 3 Cadastro NIS em Lote... 3 Erro ao Gerar a Depreciação de Um Período... 5 Férias

Leia mais

NOTA FISCAL ELETRÔNICA DE SERVIÇOS MUNICÍPIO DE SÃO PAULO

NOTA FISCAL ELETRÔNICA DE SERVIÇOS MUNICÍPIO DE SÃO PAULO NOTA FISCAL ELETRÔNICA DE SERVIÇOS MUNICÍPIO DE SÃO PAULO Cortesia: FARO CONTÁBIL (www.farocontabil.com.br) Matéria publicada originalmente no Diário do Comércio Data: 01/08/2006 01 - CONCEITOS? 1.01.

Leia mais

FOLHA DE PAGAMENTO E SUAS RETENÇÕES Carlos Alencar OUTUBRO/2013

FOLHA DE PAGAMENTO E SUAS RETENÇÕES Carlos Alencar OUTUBRO/2013 FOLHA DE PAGAMENTO E SUAS RETENÇÕES Carlos Alencar OUTUBRO/2013 OBRIGATORIEDADE A empresa é obrigada a elaborar mensalmente a folha de pagamento da remuneração paga devida ou creditada a todos os segurados

Leia mais

Principais Aspectos do Sistema Público de Escrituração Digital SPED

Principais Aspectos do Sistema Público de Escrituração Digital SPED Principais Aspectos do Sistema Público de Escrituração Digital SPED Como trabalhamos? no passado a pouco tempo Daqui para frente ECD Escrituração Contábil Digital IN RFB 787/07 O que é? : É a substituição

Leia mais

Matéria atualizada com base na legislação vigente em: 11/04/2011. 1 - INTRODUÇÃO. nº 123/2006, com a redação dada pela Lei Complementar nº 128/2008.

Matéria atualizada com base na legislação vigente em: 11/04/2011. 1 - INTRODUÇÃO. nº 123/2006, com a redação dada pela Lei Complementar nº 128/2008. Trabalhistas MICROEMPREENDEDOR - Alterações INDIVIDUAL - MEI - Aspectos Previdenciários e Matéria atualizada com base na legislação vigente em: 11/04/2011. Sumário: 12 Conceito Introdução 3.1 - Tributação

Leia mais

AUDITORIA FISCO-CONTÁBIL DAS DEMONSTRAÇÕES ELETRÔNICAS COMPLIANCE FISCAL ELETRÔNICO

AUDITORIA FISCO-CONTÁBIL DAS DEMONSTRAÇÕES ELETRÔNICAS COMPLIANCE FISCAL ELETRÔNICO AUDITORIA FISCO-CONTÁBIL DAS DEMONSTRAÇÕES ELETRÔNICAS COMPLIANCE FISCAL ELETRÔNICO Nossos serviços de auditoria das Obrigações Eletrônicas utilizam ferramentas que permitem auditar os arquivos enviados

Leia mais

AGENDA TRIBUTÁRIA FEDERAL: DEZEMBRO DE 2015 - ADE CODAC Nº 37, DE 20/11/2015

AGENDA TRIBUTÁRIA FEDERAL: DEZEMBRO DE 2015 - ADE CODAC Nº 37, DE 20/11/2015 AGENDA TRIBUTÁRIA FEDERAL: DEZEMBRO DE 2015 - ADE CODAC Nº 37, DE 20/11/2015 Divulga a Agenda Tributária do mês de dezembro de 2015. O COORDENADOR-GERAL DE ARRECADAÇÃO E COBRANÇA, no uso da atribuição

Leia mais

PLANEJAMENTO TRIBUTÁRIO PARA PROFISSIONAIS DA SAÚDE E CLÍNICAS

PLANEJAMENTO TRIBUTÁRIO PARA PROFISSIONAIS DA SAÚDE E CLÍNICAS PLANEJAMENTO TRIBUTÁRIO PARA PROFISSIONAIS DA SAÚDE E CLÍNICAS IR? COFINS?? INSS? PIS SUMÁRIO 1 Introdução 3 2 Planejamento 5 3 Simples Nacional com a inclusão de novas categorias desde 01-2015 8 4 Lucro

Leia mais

Manual. EFD Contribuições

Manual. EFD Contribuições Treinamento Escrita Fiscal Material desenvolvido por: Saiba que este documento não poderá ser reproduzido, seja por meio eletrônico ou mecânico, sem a permissão expressa por escrito da Implantta Serviços

Leia mais

EFD Contribuições (PIS/Cofins)

EFD Contribuições (PIS/Cofins) EFD Contribuições (PIS/Cofins) Principais Aspectos no Preenchimento e Implantação da Escrituração Fiscal Digital do PIS/Pasep, da Cofins e da Contribuição Previdenciária sobre Receitas. Assunto: Escrituração

Leia mais

EFD PIS COFINS Teoria e Prática

EFD PIS COFINS Teoria e Prática EFD PIS COFINS Teoria e Prática É uma solução tecnológica que oficializa os arquivos digitais das escriturações fiscal e contábil dos sistemas empresariais dentro de um formato digital específico e padronizado.

Leia mais

POR QUE FAZER O CURSO?

POR QUE FAZER O CURSO? POR QUE FAZER O CURSO? Os sistemas digitais tornaram-se onipresentes, há cerca de um bilhão de computadores conectados à internet, e essenciais às atividades humanas. A Contabilidade e o Tributário estão

Leia mais

Certificado Digital Usos e Aplicações

Certificado Digital Usos e Aplicações Certificado Digital Usos e Aplicações Certificado Digital: Onde usar? O certificado digital é um documento eletrônico que proporciona agilidade em muitas das atividades realizadas atualmente por seu titular.

Leia mais

EMPREENDEDOR INDIVIDUAL

EMPREENDEDOR INDIVIDUAL EMPREENDEDOR INDIVIDUAL Oportunidade de regularização para os empreendedores individuais, desde a vendedora de cosméticos, da carrocinha de cachorro-quente ao pipoqueiro. 2 Empresas em geral Microempresas

Leia mais

Orientações sobre Micro Empreendedor Individual

Orientações sobre Micro Empreendedor Individual Orientações sobre Micro Empreendedor Individual Micro Empreendedor individual Definição Microempreendedor Individual (MEI) é a pessoa que trabalha por conta própria e que se legaliza como pequeno empresário.

Leia mais

SINDCONT-SP SINDCONT-SP

SINDCONT-SP SINDCONT-SP SPED, ESCRITURAÇÃO FISCAL DIGITAL EFD E OS DOCUMENTOS ELETRÔNICOS 2007/2008 Programa: - Sistema Público de Escrituração Digital - SPED - Escrituração Fiscal Digital - EFD - Documentos Eletrônicos do SPED:

Leia mais

SOLUÇÕES FISCAIS PARA O VAREJO

SOLUÇÕES FISCAIS PARA O VAREJO SOLUÇÕES FISCAIS PARA O VAREJO SAT-CF-e e NFC-e Palestra Sindilojas São Paulo 17/03/2015 Agenda I SAT-CF-e Motivação do projeto Modelo de funcionamento e características do SAT Mudanças na legislação Pontos

Leia mais

itech Marcelo Luiz Alves Fernandez Supervisor de Fiscalização de Documentos Digitais

itech Marcelo Luiz Alves Fernandez Supervisor de Fiscalização de Documentos Digitais PROJETO SAT-CF-e Sistema Autenticador e Transmissor de Cupom Fiscal Eletrônico itech Marcelo Luiz Alves Fernandez Supervisor de Fiscalização de Documentos Digitais 27/11/2012 Agenda O projeto SAT-CF-e

Leia mais

BOLETIM INFORMATIVO DE OUTUBRO DE 2011

BOLETIM INFORMATIVO DE OUTUBRO DE 2011 BOLETIM INFORMATIVO DE OUTUBRO DE 2011 S U M Á R I O 1 - MATÉRIAS FEDERAIS 1 2 - MATÉRIAS ESTADUAIS 2 3 - MATÉRIAS MUNICIPAIS 4 4 - MATÉRIAS TRABALHISTAS 5 5 - MATÉRIAS DIVERSAS 5 1 - MATÉRIAS FEDERAIS

Leia mais

Imunidade O PIS e a Cofins não incidem sobre as receitas decorrentes de exportação (CF, art. 149, 2º, I).

Imunidade O PIS e a Cofins não incidem sobre as receitas decorrentes de exportação (CF, art. 149, 2º, I). Comentários à nova legislação do P IS/ Cofins Ricardo J. Ferreira w w w.editoraferreira.com.br O PIS e a Cofins talvez tenham sido os tributos que mais sofreram modificações legislativas nos últimos 5

Leia mais

ECF /CF-e SAT Alterações para 2014. Elisangela Marques Perez

ECF /CF-e SAT Alterações para 2014. Elisangela Marques Perez ECF /CF-e SAT Alterações para 2014 Elisangela Marques Perez PALESTRANTE ELISANGELA MARQUES PEREZ Contadora e consultora tributária, com mais de 14 anos de experiência na área fiscal, especializada em tributos

Leia mais

esocial Sistema de Escrituração Fiscal Digital das Obrigações Fiscais, Copyright 2013 1

esocial Sistema de Escrituração Fiscal Digital das Obrigações Fiscais, Copyright 2013 1 esocial Sistema de Escrituração Fiscal Digital das Obrigações Fiscais, Copyright 2013 1 O que é esocial? É o projeto de escrituração digital da folha de pagamento e das obrigações trabalhistas, previdenciárias

Leia mais

CONSELHO REGIONAL DE CONTABILIDADE DO RIO GRANDE DO SUL PALESTRA SPED FISCAL REGRAS GERAIS

CONSELHO REGIONAL DE CONTABILIDADE DO RIO GRANDE DO SUL PALESTRA SPED FISCAL REGRAS GERAIS Le f is c L e g i s l a c a o F i s c a l CONSELHO REGIONAL DE CONTABILIDADE DO RIO GRANDE DO SUL MINÁRIO DE ASSUNTOS CONTÁBEIS DE PORTO ALEGRE SEMINÁRIO ASSUNTOS CONTÁBEIS DE PORTO ALEGRE SEMINÁRIO DE

Leia mais

COMPRA. certa. Treinamento para o profissional de compras. Tributação e seus impactos na rentabilidade. www.contento.com.br

COMPRA. certa. Treinamento para o profissional de compras. Tributação e seus impactos na rentabilidade. www.contento.com.br COMPRA certa Treinamento para o profissional de compras www.contento.com.br 503117 Tributação e seus impactos na rentabilidade editorial Calculando a rentabilidade Gerir uma farmácia requer conhecimentos

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Tributos Microempreendedor Individual (MEI)

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Tributos Microempreendedor Individual (MEI) 04/09/2014 Sumário Título do documento 1. Questão... 3 2. Normas apresentadas pelo cliente... 3 3. Análise da Legislação... 4 3.1 Contratação de Empregado... 7 3.2 Cessão ou Locação de Mão-de-Obra... 7

Leia mais

VERSÃO 1.0.1 (09/2010)

VERSÃO 1.0.1 (09/2010) VERSÃO 1.0.1 (09/2010) 1. APRESENTAÇÃO... 4 2. CONCEITO... 4 3. BENEFÍCIOS... 4 4. ACESSO AO SISTEMA... 5 4.1 ACESSANDO O SISTEMA DA NFS-E PELA PRIMEIRA VEZ... 5 4.2 ACESSANDO A ÁREA EXCLUSIVA DE PRESTADOR...

Leia mais

OBRIGAÇÕES FISCAIS FEDERAIS JULHO/12

OBRIGAÇÕES FISCAIS FEDERAIS JULHO/12 CIRCULAR 37/12 Novo Hamburgo, 02 de julho de 2012. OBRIGAÇÕES FISCAIS FEDERAIS JULHO/12 DIA 04 IR-FONTE Pessoas obrigadas: pessoas jurídicas que efetuaram retenção na fonte nos pagamentos ou créditos decorrentes

Leia mais

Neste bip. Como converter o arquivo CAGED para acerto. Você Sabia? Edição 52 Dezembro de 2014

Neste bip. Como converter o arquivo CAGED para acerto. Você Sabia? Edição 52 Dezembro de 2014 Neste bip Como converter o arquivo CAGED para acerto... 1 Novo modo de alterar senha de operador... 2 Novo recurso no lançamento [+ planilha]... 2 13 parcela final e SEFIP... 3 Como converter o arquivo

Leia mais

Analista Fiscal. ICMS, IPI, ISS, PIS/Pasep e Cofins. (O único curso da região ministrado por especialistas em cada área abordada) Fernanda Silva

Analista Fiscal. ICMS, IPI, ISS, PIS/Pasep e Cofins. (O único curso da região ministrado por especialistas em cada área abordada) Fernanda Silva Analista Fiscal ICMS, IPI, ISS, PIS/Pasep e Cofins (O único curso da região ministrado por especialistas em cada área abordada) Orientadores Fernanda Silva Advogada; consultora da CPA; Pós-Graduada em

Leia mais

1. APRESENTAÇÃO... 3 2. CONCEITO... 3 3. BENEFÍCIOS... 3 4. ACESSO AO SISTEMA... 4 5. MANUTENÇÃO... 6

1. APRESENTAÇÃO... 3 2. CONCEITO... 3 3. BENEFÍCIOS... 3 4. ACESSO AO SISTEMA... 4 5. MANUTENÇÃO... 6 1. APRESENTAÇÃO... 3 2. CONCEITO... 3 3. BENEFÍCIOS... 3 4. ACESSO AO SISTEMA... 4 4.1 ACESSANDO O SISTEMA DA NFS-E PELA PRIMEIRA VEZ... 4 4.2 ACESSANDO A ÁREA EXCLUSIVA DE PRESTADOR... 5 5. MANUTENÇÃO...

Leia mais

DESONERAÇÃO DA FOLHA - CPRB - ATIVIDADES DO ART. 7º DA LEI Nº 12.546/11, ALTERADA PELA MEDIDA PROVISÓRIA Nº 601/12

DESONERAÇÃO DA FOLHA - CPRB - ATIVIDADES DO ART. 7º DA LEI Nº 12.546/11, ALTERADA PELA MEDIDA PROVISÓRIA Nº 601/12 DESONERAÇÃO DA FOLHA - CPRB - ATIVIDADES DO ART. 7º DA LEI Nº 12.546/11, ALTERADA PELA MEDIDA PROVISÓRIA Nº 601/12 Matéria elaborada com base na legislação vigente em: 16/01/2013. Sumário: 1 - Introdução

Leia mais

SIMPLES NACIONAL 1. NOÇÕES GERAIS

SIMPLES NACIONAL 1. NOÇÕES GERAIS SIMPLES NACIONAL 1. NOÇÕES GERAIS SIMPLES NACIONAL 1.1. O que é O Simples Nacional é um regime tributário diferenciado, simplificado e favorecido previsto na Lei Complementar nº 123, de 2006, aplicável

Leia mais

VERITAE CURSO DESONERAÇÃO DA FOLHA DE PAGAMENTO E A CONTRIBUIÇÃO PREVIDENCIÁRIA SOBRE RECEITA BRUTA-CPRB

VERITAE CURSO DESONERAÇÃO DA FOLHA DE PAGAMENTO E A CONTRIBUIÇÃO PREVIDENCIÁRIA SOBRE RECEITA BRUTA-CPRB VERITAE CURSO Cursos/RJ/Maio/2013 DESONERAÇÃO DA FOLHA DE PAGAMENTO E A CONTRIBUIÇÃO PREVIDENCIÁRIA SOBRE RECEITA BRUTA-CPRB No Rio de Janeiro, dia 10 de maio de 2013 (Nova Turma) PÚBLICO ALVO Colaboradores

Leia mais

SECRETARIA MUNICIPAL DE FAZENDA DIRETORIA DE TRIBUTOS MOBILIÁRIOS ISS-Londrina-DMS - PERGUNTAS E RESPOSTAS

SECRETARIA MUNICIPAL DE FAZENDA DIRETORIA DE TRIBUTOS MOBILIÁRIOS ISS-Londrina-DMS - PERGUNTAS E RESPOSTAS SOBRE O PROGRAMA ISS-Londrina-DMS - Perguntas (Seqüencia Atual e Anterior) 001-001 - O que é o ISS-Londrina Declaração Mensal de Serviço? O ISS-Londrina-DMS é um sistema Integrado para gerenciamento do

Leia mais

24/02/2014. NOTA FISCAL DE CONSUMIDOR ELETRÔNICA NFC-e ROTEIRO

24/02/2014. NOTA FISCAL DE CONSUMIDOR ELETRÔNICA NFC-e ROTEIRO PALESTRANTE: FELLIPE GUERRA NOTA FISCAL DE CONSUMIDOR ELETRÔNICA NFC-e PALESTRANTE: FELLIPE GUERRA Contador, consultor empresarial e especialista em SPED. Realizou diversas palestras por todo Ceará, explicando

Leia mais

Programa Contag Consultoria e Escola de Negócios, representação da Nasajon Sistemas no Amapá

Programa Contag Consultoria e Escola de Negócios, representação da Nasajon Sistemas no Amapá Programa Contag Consultoria e Escola de Negócios, representação da Nasajon Sistemas no Amapá Instrutor: José Jeová Junior Contador, com formação nesta área pelo Instituto IOB de São Paulo Dinâmica das

Leia mais

Sped altera realidade fiscal e contábil das empresas

Sped altera realidade fiscal e contábil das empresas Sped altera realidade fiscal e contábil das empresas O governo brasileiro, por meio da Receita Federal do Brasil (RFB), está implantando mais um avanço na informatização da relação entre o fisco e os contribuintes.

Leia mais

esocial Informações e Orientações Atualizadas

esocial Informações e Orientações Atualizadas esocial Informações e Orientações Atualizadas Conceito e Objetivos do esocial O esocial é uma ação conjunta destes órgãos e entidades do governo federal: Caixa Econômica Federal Instituto Nacional do Seguro

Leia mais

ANO XXII - 2011-4ª SEMANA DE ABRIL DE 2011 BOLETIM INFORMARE Nº 17/2011 PIS/PASEP/COFINS IMPOSTO DE RENDA PESSOA JURÍDICA

ANO XXII - 2011-4ª SEMANA DE ABRIL DE 2011 BOLETIM INFORMARE Nº 17/2011 PIS/PASEP/COFINS IMPOSTO DE RENDA PESSOA JURÍDICA ANO XXII - 2011-4ª SEMANA DE ABRIL DE 2011 BOLETIM INFORMARE Nº 17/2011 PIS/PASEP/COFINS ESCRITURAÇÃO FISCAL DIGITAL DO PIS/PASEP E DA COFINS - EFD-PIS/COFINS - NORMAS GERAIS Introdução - Pessoas Jurídicas

Leia mais

PROJETO IN$TRUIR - 2014

PROJETO IN$TRUIR - 2014 PROJETO IN$TRUIR - 2014 DÚVIDAS ESCLARECIMENTOS Impostos incidentes sobre a emissão da NF para os convênios Pagamentos dos médicos associados à clínica. Alteração no relatório DMED. (Declaração de Serviços

Leia mais

*Lei Complementar 374/2009: CAPÍTULO I DA INSCRIÇÃO, LEGALIZAÇÃO E BAIXA

*Lei Complementar 374/2009: CAPÍTULO I DA INSCRIÇÃO, LEGALIZAÇÃO E BAIXA *Lei Complementar 374/2009: LEI COMPLEMENTAR Nº 374, DE 23 DE SETEMBRO DE 2009. REGULAMENTA O TRATAMENTO DIFERENCIADO E FAVORECIDO ÀS MICROEMPRESAS, ÀS EMPRESAS DE PEQUENO PORTE E AOS MICROEMPRESÁRIOS

Leia mais

GUIA PARA GERAÇÃO DO SPED PIS/COFINS LBCGAS STATION VERSÃO DESTE GUIA: 1.0. Janeiro de 2012

GUIA PARA GERAÇÃO DO SPED PIS/COFINS LBCGAS STATION VERSÃO DESTE GUIA: 1.0. Janeiro de 2012 GUIA PARA GERAÇÃO DO SPED PIS/COFINS LBCGAS STATION VERSÃO DESTE GUIA: 1.0 Janeiro de 2012 AS INFORMAÇÕES (LEIS, DECRETOS, PORTARIAS, LAYOUTS) AQUI CONTIDAS FORAM EXTRAÍDAS DE VÁRIAS FONTES E PODEM TER

Leia mais

www. zaninisistemas.com.br

www. zaninisistemas.com.br www. zaninisistemas.com.br Sistemas para Lojistas e Empresas Corporativas ERP Gestor Financeiro Gerenciador NF-e CRM Gestão de Clientes Gestão de Sistemas Contábeis Contabilidade Escrita Fiscal RH & Folha

Leia mais

Segunda Terça Quarta Quinta Sexta Sábado Domingo 1 2 3 4 5 6 Clique e veja o compromisso do dia aqui

Segunda Terça Quarta Quinta Sexta Sábado Domingo 1 2 3 4 5 6 Clique e veja o compromisso do dia aqui Atenção 01 Aqueles contribuintes obrigados ao envio mensal do arquivo SINTEGRA ao SEFAZ, devem observar a data de entrega, conforme definido pelo fisco. Atenção 02 Essas informações não substituem aquelas

Leia mais

Funcionalidades da Escrituração Fiscal Digital EFD Revisão dos Fundamentos da EFD Caso Prático EFD. Luiz Campos

Funcionalidades da Escrituração Fiscal Digital EFD Revisão dos Fundamentos da EFD Caso Prático EFD. Luiz Campos Funcionalidades da Escrituração Fiscal Digital EFD Revisão dos Fundamentos da EFD Caso Prático EFD Luiz Campos 1 QUEM ESTÁ OBRIGADO À APRESENTAÇÃO DA EFD A cláusula terceira do Ajuste SINIEF 2, de 3 de

Leia mais

GUIA PARA EMITIR A NOTA FISCAL ELETRÔNICA

GUIA PARA EMITIR A NOTA FISCAL ELETRÔNICA GUIA PARA EMITIR A NOTA FISCAL ELETRÔNICA SUMÁRIO >> Introdução... 3 >> O que é a nota fiscal eletrônica?... 6 >> O que muda com esse novo modelo de documento fiscal?... 8 >> O DANFE - Documento Acessório

Leia mais

O Desafio da simplificação FIESP 26/9/2013. Secretaria da Fazenda - SP. JOSÉ CLOVIS CABRERA Coordenador da Administração Tributária

O Desafio da simplificação FIESP 26/9/2013. Secretaria da Fazenda - SP. JOSÉ CLOVIS CABRERA Coordenador da Administração Tributária O Desafio da simplificação FIESP 26/9/2013 Secretaria da Fazenda - SP JOSÉ CLOVIS CABRERA Coordenador da Administração Tributária Processo de Arrecadação Fluxo Geral da Arrecadação Processo de Arrecadação

Leia mais

FORMALIZAÇÃO formalização será feita pela internet no endereço no endereço www.portaldoempreendedor.gov.br, a partir de 01/07/2009.

FORMALIZAÇÃO formalização será feita pela internet no endereço no endereço www.portaldoempreendedor.gov.br, a partir de 01/07/2009. M.E.I. (Micro empreendedor Individual) Lei Complementar numero 128 de 19 de dezembro de 2008. Considera-se MEI o empresário individual a que se refere o art. 966 da Lei nº 10.406, de 10 de janeiro de 2002

Leia mais

EFD Contribuições (PIS/COFINS) Atualizado com a Instrução Normativa RFB nº 1.280/2012

EFD Contribuições (PIS/COFINS) Atualizado com a Instrução Normativa RFB nº 1.280/2012 PIS/COFINS EFD Contribuições (PIS/COFINS) Atualizado com a Instrução Normativa RFB nº 1.280/2012 CONTEÚDO 1. INTRODUÇÃO 2. CERTIFICADO DIGITAL 3. OBRIGATORIEDADE 3.a Dispensa de Apresentação da EFD-Contribuições

Leia mais

O arquivo da EFD-Contribuições deverá ser validado, assinado digitalmente e transmitido, via Internet, ao ambiente Sped.

O arquivo da EFD-Contribuições deverá ser validado, assinado digitalmente e transmitido, via Internet, ao ambiente Sped. 001 O que é a EFD-Contribuições? A EFD-Contribuições é a Escrituração Fiscal Digital da Contribuição para o PIS/Pasep, da Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social (Cofins) e da Contribuição

Leia mais

Regime Tributário Unificado e Simplificado

Regime Tributário Unificado e Simplificado SUPER SIMPLES, uma abordagem para escolas de idiomas A partir de 1/7/07, estará em funcionamento o regime único de tributação, instituído pela Lei Complementar nº123, conhecida também como Super Simples

Leia mais

ICMS ANTECIPADO ESPECIAL - NÃO OPTANTES DO SIMPLES NACIONAL

ICMS ANTECIPADO ESPECIAL - NÃO OPTANTES DO SIMPLES NACIONAL ICMS ANTECIPADO ESPECIAL - NÃO OPTANTES DO SIMPLES NACIONAL PERGUNTAS E RESPOSTAS 1. Em que se constitui o ICMS ANTECIPADO ESPECIAL? R= Em valor correspondente à diferença entre a alíquota interna e a

Leia mais

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS Julgue os itens a seguir, a respeito da Lei n.º 6.404/197 e suas alterações, da legislação complementar e dos pronunciamentos do Comitê de Pronunciamentos Contábeis (CPC). 71 Os gastos incorridos com pesquisa

Leia mais

Neste bip. Participação nos Lucros e Resultados. Você Sabia? Rescisão Complementar. Edição 54 Fevereiro de 2015

Neste bip. Participação nos Lucros e Resultados. Você Sabia? Rescisão Complementar. Edição 54 Fevereiro de 2015 Neste bip Participação nos Lucros e Resultados... Rescisão Complementar... 1 DIRF 2015... 2 Novas Alterações Trabalhistas e Previdenciárias... 3 EFD ICMS-IPI... 4 Nova Tabela de INSS e Salário Família...

Leia mais

INFORMATIVO CONTÁBIL/FISCAL OCB/ES Nº 02/2015

INFORMATIVO CONTÁBIL/FISCAL OCB/ES Nº 02/2015 INFORMATIVO CONTÁBIL/FISCAL OCB/ES Nº 02/2015 (27 de Fevereiro de 2015) 01. MEDIDA PROVISÓRIA Nº 669, DE 26.02.2015 - DOU DE 27.02.2015 Ementa: Previdenciária - Aumentadas as alíquotas de contribuição

Leia mais

EFD PIS/COFINS. O que é a EFD PIS/COFINS?...2. A EFD PIS/COFINS no Cordilheira Escrita Fiscal...2. 1. Procedimentos Iniciais...2

EFD PIS/COFINS. O que é a EFD PIS/COFINS?...2. A EFD PIS/COFINS no Cordilheira Escrita Fiscal...2. 1. Procedimentos Iniciais...2 EFD PIS/COFINS SUMÁRIO O que é a EFD PIS/COFINS?...2 A EFD PIS/COFINS no Cordilheira Escrita Fiscal...2 1. Procedimentos Iniciais...2 a) Classificando as Empresas... 3 b) Conferindo os Cadastros que Influenciam

Leia mais

MANUAL DO SPED FISCAL

MANUAL DO SPED FISCAL MANUAL DO SISTEMA TOP FOR WINDOWS ESCRITA FISCAL - SKILL MANUAL DO SPED FISCAL VERSÃO 2.11 Equipe de Especialistas: Claudio Aparecido Medeiros Cristiano Besson Ederson Von Mühlen Diretor Responsável: João

Leia mais

MANUAL DO SPED FISCAL

MANUAL DO SPED FISCAL MANUAL DO SISTEMA TOP FOR WINDOWS ESCRITA FISCAL - SKILL MANUAL DO SPED FISCAL VERSÃO 2.11 Equipe de Especialistas: Claudio Aparecido Medeiros Cristiano Besson Ederson Von Mühlen Diretor Responsável: João

Leia mais

Escrituração Fiscal Digital EFD - PIS/COFINS. São Paulo, agosto de 2011

Escrituração Fiscal Digital EFD - PIS/COFINS. São Paulo, agosto de 2011 Escrituração Fiscal Digital EFD - PIS/COFINS São Paulo, agosto de 2011 m28 Obrigações Tributárias: Emissão de Documento Fiscal Escrituração Contábil Obrigação Acessória Escrituração Fiscal Entrega de Declarações

Leia mais

Boletim Mensal - Novembro/2015

Boletim Mensal - Novembro/2015 Boletim Mensal - Novembro/2015 Fiscal Contábil RH Notícias Calendário Obrigações Fiscal Fisco irá cruzar informações de bancos com o Imposto de Renda e apertar contribuinte. A partir de janeiro de 2016,

Leia mais

Comércio Varejista Obrigado a emitir NFeem substituição a Nota Fiscal modelo-1 ou 01-A.

Comércio Varejista Obrigado a emitir NFeem substituição a Nota Fiscal modelo-1 ou 01-A. Informativo Junho/2015 edição 22 Comércio Varejista Obrigado a emitir NFeem substituição a Nota Fiscal modelo-1 ou 01-A. O DECRETO Nº 52.094, de 27 de novembro de 2014, estabelece prazo final para a dispensa

Leia mais

CCA BERNARDON DESTAQUES DA SEMANA: CONTADORES E ADVOGADOS SEMANÁRIO Nº 37/2014 3ª SEMANA SETEMBRO DE 2014

CCA BERNARDON DESTAQUES DA SEMANA: CONTADORES E ADVOGADOS SEMANÁRIO Nº 37/2014 3ª SEMANA SETEMBRO DE 2014 News Consultoria, treinamento para gestão administrativa e atuação em processos e negócios. CCA BERNARDON CONTADORES E ADVOGADOS SEMANÁRIO Nº 37/2014 3ª SEMANA SETEMBRO DE 2014 DESTAQUES DA SEMANA: TRIBUTOS

Leia mais

Tipos de Empresas, Requisitos e Passos para Abertura, Abertura Empresas Virtuais, Tributação.

Tipos de Empresas, Requisitos e Passos para Abertura, Abertura Empresas Virtuais, Tributação. Tipos de Empresas, Requisitos e Passos para Abertura, Abertura Empresas Virtuais, Tributação. 1) Tipos de Empresas Apresenta-se a seguir, as formas jurídicas mais comuns na constituição de uma Micro ou

Leia mais

NF-e e seu impacto prático

NF-e e seu impacto prático NF-e e seu impacto prático Apresentação e Conceito SPED Instituído pelo Decreto n º 6.022, de 22 de janeiro de 2007, o projeto do Sistema Público de Escrituração Digital (Sped) faz parte do Programa de

Leia mais