CÉLULA DE PRODUÇÃO FLEXÍVEL

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "CÉLULA DE PRODUÇÃO FLEXÍVEL"

Transcrição

1 PIQUENIQUE IBEROMOLDES Certificação IDI edição 2013 Norma Portuguesa NP4457 SEMINÁRIOS CAD CÉLULA DE PRODUÇÃO FLEXÍVEL 1 e 29 de Junho ABRANTES IBER-OLEFF Brasil atualiza ERP SEMINÁRIO Gestão de Projetos & Tecnologias de Informação FICHA TÉCNICA Conselho Editorial Joaquim Menezes Joaquim Paulo Salvado Mesquita Mário Freitas Rafael Almeida Pedro Pereira Os artigos publicados são da responsabilidade do Conselho Editorial da Newsletter, ou dos seus autores, quando assinados, não reflectindo necessariamente os pontos de vista da Administração. Contacto

2 EDITORIAL um ótimo retrato da motivação que tem decorrido de ações amplamente partilhadas que catapultem a sustentabilidade, não só das nossas atividades profissionais e de negócio, mas também as relações interpessoais... Esta edição da nossa NEWSLETTER traz-nos notícias e informações que testemunham bem os importantes momentos de interação, qualificação e aperfeiçoamento em que as empresas do Grupo têm estado empenhadas. É um ótimo retrato da motivação que tem decorrido de ações amplamente partilhadas entre muitos de nós, e que se pretendem venham a desenvolver como um movimento permanente e duradouro, tão espontâneo, participado e genuinamente sentido, que catapultem a sustentabilidade, não só das nossas atividades profissionais e de negócio, mas também as relações interpessoais. De entre as ações estratégicas que caracterizam este processo, composto por múltiplas e diferenciadas atividades ao longo do ano, destacam-se nesta edição da NEWSLETTER a realização de duas iniciativas particularmente importantes, em vertentes muito distintas: o PIQUENIQUE 2013 e o SEMINÁRIO BIBLIOTECAS CAD. No PIQUENIQUE juntámo-nos, de forma despretensiosa e convivial, algumas das "nossas" famílias, amigos e muitas crianças - o futuro para os quais todos devemos estar motivados a trabalhar bem e melhor todos os dias. Com este enfoque nos mais jovens e nas famílias, anotamos os anúncios nesta edição, de mais um DIA ABERTO e do CONCURSO FOTOGRÁFICO com a intenção de despertar em cada participante, nomeadamente nas crianças e em cada família - em cada educador - a ideia de que também no lazer e no divertimento, visitando lugares e pessoas novas, pondo à prova a nossa imaginação, podemos aprender e prepararmo-nos, nomeadamente os mais jovens para, e ao longo da vida. Este objetivo e missão, e algo que deve ser assegurado em todas estas oportunidades e iniciativas, que estamos empenhados em provocar e promover.

3 EDITORIAL o sentimento de satisfação de fazermos parte de um Grupo que continua a trabalhar de forma concertada e comprometida para o aprimoramento do saber, produtividade e competitividade No SEMINÁRIO BIBLIOTECAS CAD tivemos a participação empenhada, não só de todos aqueles que com grande dedicação têm contribuído para a sistematização da utilização de componentes e mecanismos normalizados, transformados em "padrões" comuns no projeto de moldes transversal aos diversos profissionais desses departamentos nas empresas do Grupo, mas também de muitos outros profissionais, utilizadores e não utilizadores destas aplicações. Foram 80, os participantes em cada uma das sessões, que espontaneamente assistiram e intervieram, discutindo e aprofundando as múltiplas iterações que as tecnologias CAD possibilitam e facilitam, quando usadas em todo o seu potencial. O trabalho em curso tem um longo e interminável percurso pela frente. É um verdadeiro processo de melhoria e desenvolvimento contínuo, que deve promover e enriquecer diálogos e reflexões entre os grupos de trabalho de todas as empresas do Grupo, e servir de suporte às ações de formação, voltadas à promoção do desenvolvimento e utilização destas aplicações. Entre outras notícias, nos textos da Certificação IDI, da CÉLULA FLEXÍVEL da ABRANTES e sobre o ERP da IBER-OLEFF Brasil, continuamos a dar notícia sobre o esforço de investimento em curso, que de forma empenhada continua a avançar nas mais diversas frentes em todas as empresas do Grupo. Esperamos que esta NEWSLETTER contribua mais uma vez para vos trazer algumas novidades e principalmente o sentimento de satisfação de fazermos parte de um Grupo que continua a trabalhar de forma concertada e comprometida para o aprimoramento do saber, produtividade e competitividade, numa atitude preocupada com a qualidade de vida da comunidade em que se insere. A todos expressamos o nosso profundo agradecimento pelas valiosas contribuições na composição desta edição. Joaquim Menezes Presidente do Conselho de Administração do Grupo IBEROMOLDES

4 PIQUENIQUE IBEROMOLDES - Edição 2013 D ecorreu no passado dia 15 de Junho o segundo Piquenique do Grupo IBEROMOLDES, que de uma forma descontraída e informal juntou mais de 150 pessoas num são e alegre convívio que decorreu durante toda a tarde desse sábado. Foi um agradável e soalheiro dia de Junho, em que alguns puseram mãos-à-obra no próprio local - trataram da fogueira e das brasas, assaram petiscos, prepararam saladas, bebidas, etc.. Às onze da manhã, já o movimento se iniciava e fazia antever saborosos resultados dos cozinheiros curiosos, demonstrando e comprovando habilidades de verdadeiros chefs de cozinha. Algumas das iguarias começam já a fazer parte do cardápio deste encontro, como por exemplo o churrasco e a tradicional sopa da pedra. Outras, como por exemplo a famosa paelha, foram estreia da edição deste ano, permitindo de algum modo fazer uma antevisão das surpresas gastronómicas que poderão ser apresentadas na edição de A partir do meio-dia chegaram a maioria dos convivas e rapidamente as mesas ficaram preparadas e repletas dos mais variadíssimos petiscos, entre salgados, doces e comidas tradicionais, alegremente partilhados, por e com todos estava a família IBEROMOLDES em confraternização. Um disc-jockey animou o encontro com agradável música - êxitos dos mais antigos (os chamados eighties ) aos mais recentes - que por demais conhecidos, fizeram companhia ritmada de dar ao pé ou ao trautear de muitos participantes. às onze da manhã, já o movimento se iniciava e fazia antever saborosos resultados dos cozinheiros curiosos, demonstrando e comprovando habilidades de verdadeiros chefs de cozinha Durante a parte da tarde e após o almoço, alguns dos jogos populares portugueses estiveram em destaque, tendo marcado presença a tradicional sueca e o conhecido jogo do burro, fazendo parte do convívio e do logro de muitos colaboradores recheados de truques.

5 Por outro lado, os mais novos foram outro especial centro de atenções, e para eles foram preparados um conjunto de atividades, que não só os mantiveram entretidos e bem dispostos, como também tiveram fins didáticos e pedagógicos. Neste sentido, durante três horas, estiveram presentes três animadoras que, de uma forma divertida, tiveram a tarefa de desenvolver o super herói IBERO, criado durante a primeira edição do PIQUENIQUE e que ilustrou os postais de Natal de 2012 do Grupo IBEROMOLDES. as mesas ficaram preparadas e repletas dos mais variadíssimos petiscos, entre salgados, doces e comidas tradicionais, alegremente partilhados, por e com todos estava a família IBEROMOLDES em confraternização O PIQUENIQUE foi ainda oportunidade para cantar os parabe ns ao colega Carlos Ramusga e à Eduarda Rito, filha do colega José Rito, que fizeram questão de partilhar esse pessoal momento com todos os participantes do nosso PIQUENIQUE. Este foi mais um Encontro agradável entre colaboradores e respetivas famílias e amigos do Grupo IBEROMOLDES, aos quais agradecemos a participação. Como nota final importa referir e agradecer uma vez mais a notável simpatia de acolhimento pela Associação Cultural e Desportiva Igreja Velha neste agradável e cuidado espaço, que é o Parque Troncão.

6 SEMINÁRIOS CAD 1 e 29 de Junho N os passados dias 1 e 29 de Junho tiveram lugar no auditório do CENTIMFE, duas sessões de trabalho focadas em metodologias e tecnologias de trabalho dos departamentos de projeto das diversas empresas da área de Moldes do Grupo IBEROMOLDES. Estas duas sessões foram especialmente dirigidas aos projetistas e programadores CAM do Grupo IBEROMOLDES. Em ambas as sessões marcaram presença mais de 80 colaboradores do Grupo, que de forma muito ativa e interventiva, proporcionaram um saudável ambiente de discussão e enriquecedora partilha de opiniões em torno dos temas em discussão. Estas sessões serviram para a apresentação dos resultados atuais do Grupo de Trabalho de Produtividade, que este tem vindo a desenvolver de uma forma intensiva e partilhada desde o segundo semestre de O Grupo Produtividade, constituído por cerca de 15 representantes de todas as empresas da área de Moldes e liderado pelo Sr. Joaquim Marques, reúne duas vezes por mês com o objetivo de fazer a discussão e consensualização de metodologias usadas no Projeto de Moldes e no desenvolvimento de Bibliotecas CAD para os Componentes mais usados normalizados ou especiais. ACEITAR A MUDANÇA... É PENSAR NO FUTURO!! Joaquim Marques - PORTUMOLDE Dário Moleiro - PORTUMOLDE Nessas reuniões, para ale m de ter o ponto de situação das tarefas em curso, que e ponto obrigatório da agenda, serve ainda para delinear e discutir novas atividades e intervenções, levantadas pelos participantes, integrantes das delegações das empresas de Moldes representadas. Adriano Pereira e Aléxis Seco - ABRANTES

7 O trabalho desenvolvido por este Grupo de Trabalho tem como grande objetivo dotar as empresas da área de Moldes, de ferramentas e metodologias, que promovam de forma consistente e eficiente a produtividade e competitividade coletiva das empresas, bem como, facilitar a integração, formação e a adaptabilidade de todos os novos colaboradores, alavancando o desenvolvimento e melhoria contínua no sector de Projeto e Engenharia de Moldes. Como nota final, realça-se uma vez mais o notável e importantíssimo trabalho que o apelidado Grupo Produtividade desenvolveu e continua a desenvolver no âmbito da produtividade e competitividade coletiva. O importante é que a bola de neve cresça, contagiando transversalmente todos os sectores de todas as empresas, tornando-as cada vez mais capazes de fazer face aos crescentes e novos desafios que o mercado diariamente apresenta refere Joaquim Menezes. O objetivo passa acima de tudo por promover a Melhoria Continua de todas as metodologias e processos do sector de projeto das empresas, sendo necessário assegurar uma monitorização permanente, avaliação e atualização consequente das bibliotecas, normas e métodos de trabalho, software e hardware, etc. refere Joaquim Marques - PORTUMOLDE. Mediante esta atitude de aceitar a mudança, é pensar no futuro, este Grupo de Trabalho iniciou uma profunda abordagem crítica a todas as metodologias e ferramentas de trabalho atualmente em utilização nos sectores de projeto das empresas do Grupo. Está a ser um verdadeiro trabalho de equipa entre empresas, onde sistematicamente são analisadas, interpretadas e discutidas as vantagens e desvantagens de cada uma das soluções antes de as implementar ou rejeitar. Trata-se de um real incentivo à mudança pela melhoria. Na primeira sessão - 1 de Junho - cada uma das empresas representadas apresentou sumariamente algum do trabalho realizado, enfatizando principalmente as vantagens que cada uma dessas melhorias está a proporcionar nos setores de projeto. Desde metodologias para uniformização de bibliotecas, cores, acessórios, caixas, rasgos, raios, etc., até à própria configuração do software de modelação - Pro/ENGINEER, tudo foi tema de debate. Vítor Godinho e Helena Dias - EDILÁSIO António Baridó - TCA Rafael Almeida - IT IBEROMOLDES A sessão de dia 29 de Junho, esteve principalmente focada na ferramenta de modelação Pro/ ENGINEER, tendo sido liderada por uma equipa do parceiro TERACAD - TCA. Essa sessão serviu também para uma apresentação estreante do Manual de Boas Práticas recentemente desenvolvido pela TCA. Henrique Cinca - PORTUMOLDE

8 CERTIFICAÇÃO IDI NORMA PORTUGUESA 4457 A inovação empresarial fundamenta-se na existência de condições e recursos que as organizações disponibilizam para a prossecução de projetos e atividades de inovação. As condições respeitam ao modo como os aspetos ambientais e estratégicos das organizações são suscetíveis de influenciar a sua atitude empresarial face à inovação, sendo consideradas as vertentes da cultura, da liderança e da estratégia: cultura adequada a uma dinâmica de mudança, liderança para estimular a inovação e a formação e implementação de orientações estratégicas. No sentido de promover a adaptação, a experimentação, a aprendizagem e a mudança contínua, a comunicação interna e a partilha do conhecimento, estimulando o empreendedorismo e a capacidade de assumir riscos, tem sido construída nas empresas do Grupo IBEROMOLDES uma visão inovadora que orienta a definição de objetivos e estratégias claras partilhadas de uma forma transversal por toda a organização. Com o objetivo de fomentar esta visão e desenvolver a cultura de inovação, duas empresas do Grupo IBEROMOLDES - SETsa e IBER-OLEFF - iniciaram recentemente a implementação de um Sistema de Gestão de Inovação enquadrado na Norma Portuguesa 4457, tendo a SETsa obtido a respetiva certificação durante o mês de Junho. A implementação deste Sistema de Gestão de Inovação em ambas as empresas tem como objetivo servir de plataforma de gestão eficaz e decisiva dos recursos de forma a assegurar um desenvolvimento sistemático e sustentado da inovação. Note-se que a inovação é um processo complexo, que não segue caminhos simples e lineares, desviando-se frequentemente de comportamentos padronizados e predizíveis. É fundamental um organização apetrechar-se dos processos mais ajustados e das melhores práticas de gestão uma vez que o sucesso das empresas faz-se mais de transpiração do que de inspiração, mais de trabalho do que de sorte.

9 A criação de valor constitui um dos principais objetivos que norteiam o desenvolvimento sustentado das atividades de IDI. Para tal, a orientação para resultados impõe às organizações a introdução de práticas que permitam não só reconhecer e distinguir as diferentes inovações geradas inovação de produto (bem ou serviço), inovação de processo, inovação de marketing e inovação organizacional, mas também avaliar e, sempre que possível, medir o seu retorno e o seu impacte. Uma das questões mais relevantes na avaliação dos resultados de inovação respeita à sua contribuição para o desempenho global da organização, que pode expressar-se de diferentes modos, destacando-se o seu impacte no volume de negócios ou a sua influência na redução de custos operacionais, decorrentes, por exemplo, de inovações de processo. A capacidade da organização de tirar partido do seu esforço de inovação e dos resultados atingidos assume particular importância para garantir retorno do investimento realizado e da prioridade estratégica atribuída. Os principais resultados da atividade de inovação devem estar focados na capacidade de renovação da gama de produtos ou serviços das organizações, na percentagem de vendas de novos produtos e da prestação de novos serviços. A comunicação interna tem um papel-chave no sucesso das iniciativas tomadas, pela integração de perspetivas diversas, pelo recurso a mecanismos formais ou informais de circulação da informação e partilha do conhecimento e pela utilização de diferentes instrumentos de comunicação interna. A existência de estruturas organizacionais consistentes dedicadas às atividades de IDI, tem um papel relevante no desempenho inovador e na capacidade de lidar com a mudança, sendo requeridas organizações flexíveis, cujas estruturas organizativas se adaptam às alterações do ambiente em que a organização opera, num desafio permanente no que se refere à alocação de recursos, na definição das responsabilidades e das estruturas de liderança. Num enquadramento favorável à utilização das competências técnicas e das capacidades de contribuição para o esforço global de inovação, todos os colaboradores das empresas assumem um papel fundamental também ao nível do IDI no sentido de reforçar as possibilidades de a organização antecipar e responder aos desafios que se lhe colocam. a capacidade da organização de tirar partido do seu esforço de inovação e dos resultados atingidos assume particular importância para garantir retorno do investimento realizado e da prioridade estratégica atribuída. Outros resultados das atividades de inovação podem estar associados à introdução de um novo produto ou serviço no mercado, como por exemplo, as marcas, os direitos de autor, as patentes ou outras formas de proteção que possibilitam um «monopólio temporário», uma maior rapidez na arena concorrencial ou ainda a diferenciação associada a um modelo de negócio distintivo. A cultura organizacional e a criatividade interna exercem uma influência considerável no desempenho inovador, sendo fundamentais para estimular o empreendedorismo interno e a capacidade de assumir riscos, garantindo ambientes favoráveis à inovação e desenvolvimento dos pilares da atitude inovadora: adaptabilidade, experimentação e aprendizagem. A gestão do capital humano para a inovação, as competências e capacidades organizacionais que potenciam o desempenho inovador e as estruturas organizacionais que suportam as atividades de inovação são, entre múltiplas tipologias de recursos organizacionais, as consideradas mais relevantes. O modelo conceptual adotado na Norma Portuguesa 4457:2007 procura oferecer uma representação concisa e empiricamente válida do fenómeno da inovação na economia do conhecimento. Sendo de aplicação genérica a qualquer organização, assume uma perspetiva sistémica da inovação que permite a sua interpretação em circunstâncias particulares, propondo-se como uma ferramenta para todos os que na organização estão

10 as organizações ágeis em inovação encontram vantagens competitivas nas oportunidades oferecidas pelas rápidas mudanças da tecnologia, dos mercados e das organizações. envolvidos com a inovação, facilitando a comunicação e permitindo estruturar o processo de inovação das organizações. Neste modelo assume particular importância a construção de interfaces ou janelas que permitam à organização identificar, selecionar e absorver ideias com potencial produtivo inovador a partir do ambiente em que a organização opera, conduzindo a uma aprendizagem interativa entre o interior e o exterior da organização, visando a transformação do conhecimento em desenvolvimento económico. As organizações ágeis em inovação e com forte capacidade de adaptação à mudança encontram vantagens competitivas nas oportunidades oferecidas pelas rápidas mudanças da tecnologia, dos mercados e das organizações. No caminho para a melhoria do desempenho inovador, a atividade de gestão das ideias visa selecionar as ideias que permitirão solucionar problemas existentes e investir em projetos de inovação, sejam de produto, processo, comercial ou organizacional, que tragam retorno à organização. No âmbito desta atividade, importa observar, sem descurar a importância atribuída à qualidade do processo de decisão, o ciclo que inclui a geração, recolha, avaliação, seleção, partilha e valorização das ideias, que surgem na organização ou em resultado da sua ligação ao exterior. Os projetos de IDI constituem âncoras do sistema de gestão com o objetivo de criar ou valorizar conhecimento para alcançar inovações. Inseremse numa das fases mais operacionais do processo de inovação, exigindo da organização diferentes capacidades, desde a adoção de boas práticas à experimentação e valorização do saber fazer, que potenciem a melhoria do desempenho. O aperfeiçoamento da sua gestão permite que a organização esteja mais bem preparada para dar resposta, com agilidade e rapidez, às exigências que se lhe colocam, garantindo a alimentação de rotinas potenciadoras de inovação, num cenário de médio prazo, e construindo as características distintivas da organização que alicerçam a criação de valor. Em suma, a implementação de um Sistema de Gestão de Investigação, Desenvolvimento e Inovação (SGIDI) apresenta a grande vantagem de criar condições que permitem um melhor apoio à decisão, com a introdução de indicadores e métodos de acompanhamento, reforçando a capacidade de gestão global, o que decorre da informação disponibilizada pela implementação de processos adequados numa abordagem sistematizada. A importância atribuída à sistematização da informação, que pode abranger quer a informação referente a projetos de inovação, geralmente dispersa na organização, quer o acesso, através de canais adequadamente estabelecidos e monitorizados, a boas práticas ou a competências externas constitui ainda outra das vantagens identificadas. É ainda de salientar que a implementação do SGI- DI contribuiu para a promoção da cultura de inovação e para a comunicação, sobretudo se considerada a ligação à envolvente, gerando oportunidades de maior debate e de maior colaboração interdepartamental, em linha com a abordagem sistémica proposta no modelo de base da Norma Portuguesa. um Sistema de Gestão de Investigação, Desenvolvimento e Inovação cria condições que permitem um melhor apoio à decisão, com a introdução de indicadores e métodos de acompanhamento, reforçando a capacidade de gestão global.

11 CÉLULA DE PRODUÇÃO FLEXÍVEL N a sua definição clássica, uma Célula de Produção é definida como um conjunto de equipamentos e ferramentas dissimilares dedicados ao fabrico de famílias de produtos ou componentes com requisitos de produção próprios. O desenvolvimento e implementação de conceitos de produção flexível surgem da necessidade de dotar as empresas do setor de Moldes de níveis de produtividade e flexibilidade, similares aos que as indústrias de produção repetitiva apresentam. No entanto, tendo em consideração a especificidade das empresas do sector de Moldes e Ferramentas Especiais, é necessário fazer uma abordagem holística da problemática, dado a solução ter uma dependência forte da tipologia e diversidade dos trabalhos executados, bem como, da tipologia de equipamentos e processos instalados nas empresas. As grandes vantagens das Células de Produção Flexível relaciona-se com: (I) aumento da produtividade, reduzindo o ciclo produtivo do componente, i.e., promovendo uma melhor articulação e/ou integração dos diversos processos envolvidos na produção do mesmo, como por exemplo: maquinação erosão, medição, etc; (II) estabilidade do processo produtivo, tanto em termos de repetibilidade, como em termos de qualidade do próprio componente; (III) aumento da flexibilidade dos equipamentos produtivos. Os sistemas produtivos característicos da Indústria de Moldes e Ferramentas Especiais apresentam uma disposição e implantação agregada por tipologia de macroprocesso - maquinação, furação, retificação, erosão, etc -, por tipologia de microprocesso (desbaste, acabamento, etc.) e por dimensão de equipamentos. Os equipamentos são organizados e implantados por tecnologia no espaço oficinal e não estão dedicados a nenhum produto (molde) ou componente do molde em particular. Neste contexto, o planeamento e o controlo do sistema produtivo é frequentemente complexo e pouco eficiente, na medida em que não é fácil garantir o acompanhamento dos fluxos de trabalho (um grande número de percursos diferentes para componentes diferentes), que para além de dinâmicos, tendem a ser muito longos (grande tempo total de produção).

12 Tendo em consideração este tipo de organização, a articulação clássica entre os setores de programação CAM e produção MAQUINAÇÃO apresenta diversas fraquezas. Por exemplo, a programação é realizada de acordo com um planeamento e totalmente dedicada e direcionada a cada um dos equipamentos CNC. Mediante este cenário, qualquer perturbação ao planeamento provoca um constrangimento imediato tanto na unidade de programação como na unidade de maquinação. No que se refere às ferramentas, a não gestão em tempo real da vida útil das mesmas, pode igualmente provocar constrangimentos ao nível da produção. Por isso, é imperativo fazer uma gestão pró-ativa da vida útil de cada ferramenta de modo a que não ocorram paragens no fluxo produtivo relacionados com trocas ou substituições não planeadas. Mediante estas oportunidades de melhoria, o conceito de Célula de Produção Flexível surge como uma solução a esta problemática, contribuindo fundamentalmente para a produtividade e flexibilidade do setor de Produção de componentes, e da Empresa em geral. No sentido de implementar este conceito de maquinação semiautónomo, foi necessário fazer um trabalho exploratório e preparatório de algumas das metodologias de trabalho. Iniciou-se por normalizar procedimentos e gerar bases de dados para os recursos e ferramentas. No que diz respeito ao sistema de CAM, uniformizou-se apenas para um sistema, neste caso o WorkNC. Esta abordagem permitiu fundamentalmente criar bibliotecas e bases de dados dedicadas, bastante detalhadas para os cones e as ferramentas, bem como, garantir a atualização de cada um dos artigos. Relativamente às ferramentas para maquinação, a ABRANTES enveredou por criar uma gama limitada de exemplares que permitissem desde logo uma utilização massiva superior a 90% da utilização típica adotada pela empresa. Esta metodologia permitiu também que os carrosséis dos equipamentos CNC - ATC - fossem de igual modo padronizados. A solução que a ABRANTES está a desenvolver e implementar baseia-se fundamentalmente num novo conceito de implantação e de organização no espaço produtivo. A Célula de Produção Flexível será constituída por duas áreas distintas, uma dedicada à preparação e paletização das ordens de fabrico, e outra unidade focada fundamentalmente à produção/ maquinação. A primeira unidade tem como missão alimentar todas as necessidades geradas pela unidade de produção. Mediante este conceito, a Unidade de Planeamento envia a ordem de fabrico para o setor da programação que por sua vez desenvolve os programas em linguagem neutra. Posteriormente, mediante o planeamento detalhado do sector da produção são constituídas paletes de componentes, fazendo-se simultaneamente a atribuição dos programas CAM. Na unidade de Preparação, serão preparadas todas as paletes que são compatíveis com todos os equipamentos CNC que fazem parte da Célula. À medida que os equipamentos ficam libertos, serão instaladas as novas paletes. A ordem de trabalho é definida pela fila de espera gerada na unidade de preparação. Biblioteca de Ferramentas (exemplo) Relativamente à instalação dos componentes nas mesas dos equipamentos CNC - SETUP - tem vindo a ser adotado um conceito de agrupamento de componentes, cuja a separação é realizada à posteriori recorrendo à retificação ou erosão por fio. No entanto, tendo em consideração as atuais exigências operacionais da Célula de Produção Flexível - automação v.s. robotização - é necessário implementar uma metodologia de paletização de componentes. Nesse sentido, a ABRANTES está a desenvolver e fabricar paletes próprias de acordo com as necessidades e constrangimentos técnicos próprios. Mediante este conceito de fixação, os componentes são acoplados em paletes ou diretamente na mesa da máquina, dependendo da dimensão e complexidade dos mesmos.

13 Numa primeira fase o carregamento será manual, no entanto, perspetiva-se uma segunda fase onde a movimentação será por intermédio de sistemas robotizados. O setor de projeto não sendo alheio a todo o processo, desenvolveu paralelamente algumas normas especificas para o processo de paletização/ fixação. Note-se que todo e qualquer processo de automatização requer uma grande disciplina ao nível dos procedimentos e padrões relacionados com o setor de projeto/desenho. Ao nível da gestão e operacionalização, a Célula de Produção Flexível integra uma plataforma de gestão cuja missão passa por assegurar uma monitorização e gestão completa e integrada de todos os sistemas que incorporam esta Célula, assumindo tarefas fundamentais ao nível do desempenho e produtividade da mesma, nomeadamente: (I) pós processar os ficheiros CAM para linguagem máquina; (II) fornecer serviços de gestão da ferramenta - TMS; (III) permitir a carga da célula/equipamento; (IV) gerar instruções/ sequências de comando e execução dos centros de maquinação; (V) manter uma base de dados com históricos de execução para referência futura; (VI) gerar códigos para medição e controlo geométrico das peças maquinadas, entre outras. As sinergias obtidas pelas via da integração traduzem-se claramente num ganho de produtividade e flexibilidade Palete roscada com e sem guia O desenvolvimento e implementação desta plataforma de gestão, batizada por Parts4CNC, foi resultado de uma parceria externa com um fornecedor de sistemas de informação - CLICKPINK. O conceito de Célula que se apresenta é um caso clássico de inovação ao nível do processo, na medida em que a solução adotada resulta de uma integração de processos e visa fundamentalmente a otimização operacional do processo global. As sinergias obtidas pelas via da integração traduzem-se claramente num ganho de produtividade e flexibilidade. Palete com parafuso excêntrico Apesar de a Célula de Produção Flexível ainda estar numa fase de desenvolvimento e validação, são já notórios resultados positivos ao nível da produção, tendo-se já registado aumentos nas taxas de ocupação e tempos em cortes continuados dos equipamentos CNC. Rui Duarte e Alberto Silva ABRANTES Plataforma de Gestão - Parts4CNC

14 IBER-OLEFF Brasil atualiza o seu ERP I ntegrado no esforço de investimento das infraestruturas globais do Grupo em Tecnologias de Informação iniciado em 2010, o sistema SAP Business One da IBER-OLEFF Brasil, foi também recentemente actualizado. Uma série de problemas estavam a tornar ineficaz a operacionalidade do sistema, bem como a sua adequada utilização. Esta foi a primeira fase de um plano maior, entretanto posto em marcha, e que tem como objetivo atualizar e dotar esta empresa dos meios necessários ao eficiente desempenho no fluxo das suas operações, procedimentos, comunicação e informações de gestão, não só com os serviços centrais do Grupo, como também, na relação diária e permanente, que operacionalmente se impõe com os seus parceiros de negócio. Dificuldades na homologação de soluções compatíveis com as já existentes, outras condições técnicas e tecnológicas, e a especificidade da legislação local - em permanente mutação no Brasil -, levaram a desenhar e estruturar a intervenção de forma muito diferenciada, o que veio a impedir a implantação da solução desejada, global e integrada, comum e partilhada, a nível do Grupo. A constante mutação da legislação brasileira, refletida nas aplicações (add-on s) específicas para os procedimentos contabeis, administrativos e para as obrigações fiscais, exigiram, em prazo muito curto as atualizações do próprio ERP como empenhados passos levaram a que no dia 1 de Junho fosse realizada a atualização e arranque com sucesso do novo sistema ERP... um todo. Consequentemente, tornou-se igualmente incontornável a necessária compatibilidade com os módulos de custos, de controle de produção e de planejamento. Uma software house local, que havia desenvolvido o módulo de produção associado a esta plataforma de gestão - o LINE1 -, no passado distinguido pela SAP como um dos melhores aplicativos do SAP Business One, anunciou a descontinuação do produto. Perante a degradação da capacidade de resposta do módulo de produção, foi imperativo identificar potenciais parcerias SAP, bem como, módulos de produção capazes de responder as atuais e futuras necessidades da empresa, o que levou a um intenso, mas curto, período de pesquisa, analise e decisão. Foi neste processo que foi identificado o atual parceiro, a UPPERTOOLS, com quem desde os primeiros meses deste ano iniciamos uma ativa colaboração, que esperamos se mantenha frutuosa e duradoura.

15 Os primeiros e empenhados passos levaram a que no dia 1 de Junho fosse realizada a atualização e arranque com sucesso do novo sistema ERP SAP Business One. Como em qualquer processo de atualização e migração de sistemas ERP, deparamo-nos com inúmeros problemas, contudo, o empenho e a motivação da equipa técnica envolvida local e de Portugal levou à concretização bem sucedida desta primeira fase. Ficam apenas para registro e análise futura, com a recordação e aprendizagem consequente, alguns episódios e curiosidades que alguns de nós ainda chamam de problemas, mas que com o tempo e a performance diária iremos recordar como ensinamentos do processo de mudança em curso, que se espera tão rápido e bem sucedido quanto nos for possível. Com a operacionalização da primeira fase, agora em observação e monitoramento, a segunda etapa está em fase de organização. Estamos otimistas e positivamente esperançosos quanto aos resultados da implementação que em breve vamos iniciar. É uma fase muito mais complexa, que vai exigir o reforço na formação e no forte empenho de todos. A disciplina nos procedimentos, a qualidade da informação e a operacionalização dos dados diariamente, operação a operação - irá ditar majoritariamente o desejado sucesso desta profunda e estrutural, mas determinante intervenção. O nosso negócio assim o exige e os nossos clientes também esperam isso diariamente de todos nós!! Contamos com a motivação, empenho e espírito de colaboração de TODOS. Pedro Almeida - IT IBEROMOLDES SEMINÁRIO Gestão de Projetos & Tecnologias de Informação O o Departamento de Produção e Sistemas da Universidade do Minho, promoveu na manhã do passado dia 6 de Junho um seminário sobre o tema de Gestão de Projetos, a cerca de 50 alunos dos vários programas doutorais da Escola de Engenharia. Este seminário anual tem como objetivo aproximar os alunos à realidade das empresas, promover a troca de conhecimentos e debater conceitos e métodos da prática das empresas. No ano passado a empresa convidada foi a EDP. O Grupo IBEROMOLDES, representado pelo Rafael Almeida, foi a empresa convidada em 2013, a apresentar o caso de implementação de um ERP - Sistema Integrado de Gestão Empresarial. O seminário foi dividido em duas partes, a apresentação e o debate. Os temas abordados suscitaram grande interesse dos alunos presentes, que foram muito interventivos, nomeadamente sobre a gestão de mudança para a substituição do ERP anterior, os desafios e flexibilidade necessárias para dar resposta ao aparecimento de novos requisitos (que estavam fora das especificações iniciais), principalmente os resultantes das obrigações legais e sobre a ferramenta - o Redmine - que foi utilizada para controlo e comunicação na implementação do projeto. Segundo o Professor Catedrático Valério de Carvalho, responsável pela unidade curricular de Gestão de Projetos da Universidade do Minho Rafael Almeida abordou interessantes e úteis aspetos práticos, que complementaram os tópicos abordados no programa de unidade curricular. Vale rio Carvalho refere ainda que a apresentação suscitou não apenas o interesse dos alunos do Programa de Doutoramento em Tecnologias e Sistemas de Informação, mas também dos alunos de outros Programas, como os de Engenharia Industrial e de Sistemas, de Engenharia Civil, de Engenharia Mecânica e de Engenharia Eletrónica e de Computadores, entre outros

16 Jornadas MECDP Mestrado de Engenharia de Conceção e Desenvolvimento de Produto D ar a conhecer o que de melhor se faz, como se faz e quem faz foi o tema central das primeiras Jornadas MECDP Mestrado de Engenharia de Conceção e Desenvolvimento de Produto que decorreu no final da tarde do passado dia 30 de Maio, no auditório da Escola Superior de Tecnologia e Gestão Instituto Politécnico de Leiria. Esta iniciativa tinha como principal objetivo aproximar os estudantes universitários e os empresários dos ramos de Engenharia de Produto da Região de Leiria, numa troca de conhecimentos e experiência onde o tema central era a Engenharia de Conceção de Desenvolvimento de Produto. Este evento contou com a participação honrosa de oradores representantes de várias empresas da região, como a ROCA, a BAXI, a ISA, o Grupo IBEROMOLDES, a GECO, e a MODO Design. Com uma adesão acima das expectativas, este evento juntou profissionais dos mais diversos ramos da engenharia, académicos e estudantes. A troca de contactos, opiniões e experiências já se tinha iniciado mesmo antes das portas do auditório se abrirem. Numa exposição onde para além de estarem expostos projetos de investigação relativos ao Mestrado, as empresas participantes tiveram a oportunidade de dar a conhecer as suas novidades tecnológicas e exibir os seus produtos e serviços, nomeadamente, os automóveis elétricos FUTI do Grupo GECO, a caldeira inteligente da BAXI e a estrutura com componentes da indústria automóvel desenvolvidos pelo Grupo IBERO- MOLDES. Já no auditório, os participantes tiveram a oportunidade de conhecer melhor as empresas participantes, como funcionam, quais as suas apostas em inovação, novos produtos entre outros aspetos que contribuem para a diferenciação e competitividade de cada uma das empresas. Entre cada comunicação era percetível o ambiente de curiosidade e de saudável discussão, em que o porquê e o como eram as palavras dominantes, tendo sido um palco que privilegiou fundamentalmente a troca de experiências e exposição de diferentes pontos de vista. aproximar os estudantes universitários e os empresários dos ramos de Engenharia de Produto da Região de Leiria foi o lema deste evento Os temas mais debatidos enfatizaram sobretudo os caminhos e estratégias que as empresas estão a desenvolver e implementar para fazer face á atual situação de recessão generalizada, bem como, as expectativas das empresas relativamente à formação, preparação e capacidade de resposta dos recém-licenciados ao cada vez mais exigente e competitivo mercado de trabalho. A discussão prolongou-se pelo intervalo, onde mesmo durante o jantar, muitos dos participantes aproveitavam para discutir e desmistificar alguns dogmas com os empresários participantes. Após o entusiasmo das conversas após o jantar, a segunda parte do evento iniciou-se com uma audiência ainda mais participativa, o que levou a pequenos entusiásticos debates. Esta iniciativa esteve a cargo da turma de 2012/2014 do Curso de Mestrado em Engenharia, Conceção e Desenvolvimento de Produto, da Escola Superior de Tecnologia e Gestão, sendo a primeira de muitas Jornadas que irão ocorrer no futuro, por forma a estreitar relações entre as instituições de ensino e o tecido empresarial da região.

17 Festas JUNINAS na IBER-OLEFF Brasil O 28 de Junho, foi o dia escolhido este ano para celebrar o período das Festas Juninas na IBER-OLEFF Brasil. É assim que no Brasil as festas do mês de Junho são chamadas. Tal como em Portugal, as festas são em honra de Santo António, São João e São Pedro. Também a NUTRIPLUS e a equipe do nosso refeitório quis marcar este tradicional período. Foi dia de um pequeno presente e Arroz Doce à sobremesa, clara influência da cultura portuguesa aqui, trazida pelos portugueses, mas já com a influência de antigos povos, como os celtas e os greco-romanos, daí os seus rituais das fogueiras e os festejos com muita diversão e dança. festas em honra de Santo António, São João e São Pedro As Festas Juninas são comemoradas no Brasil desde o século XVI e desde esses tempos evoluíram para uma celebração cada vez mais adaptada à cultura e tradições brasileiras. Dos portugueses ficou para esta época a influência das comidas (como arroz doce), a festa em si, a parte religiosa, algumas danças como a dança das fitas e os balões e enfeites de papel na decoração. Foi também com estes detalhes que o nosso refeitório se apresentou decorado durante este mês. FORMAÇÃO Implementação das obrigações legais E ste primeiro semestre do ano 2013 foi marcado por diversas alterações no nosso software de gestão na sequência, e em consequência, da implementação das obrigações legais que foram recentemente legisladas, e cuja a aplicação é válida tanto para contribuintes particulares como para as empresas. Estas obrigações legais levaram a que o Grupo IBEROMOLDES tivesse de implementar mais de 43 alterações estruturais ao nosso software, nomeadamente: (I) a certificação do software; (II) a certificação digital de todos os documentos de faturação e transporte; (III) a substituição de documentos equivalentes a faturas, tais como a fatura- recibo; (IV) a comunicação à Autoridade Tributária - AT, de todos os documentos de faturação emitidos, até ao dia 8 do mês seguinte à emissão do documento; (V) a comunicar à AT dos elementos dos documentos de transporte. De modo a operacionalizar todas estas alterações, foi necessário formar os principais utilizadores do PHC, tendo esta formação decorrido no passado dia 27 de Junho. O espirito critico que os colaboradores do Grupo IBEROMOLDES tiveram durante todo este processo foi um dos fatores chave para o sucesso do mesmo, bem como, contribuiu para o desenvolvimento de outras funcionalidade, úteis a todas as empresas utilizadoras.

18 31º Festival de Música em Leiria O Grupo IBEROMOLDES apoiou este ano a realização do Festival de Música em Leiria, que vai já na sua 31ª edição, e é organizado pelo Orfeão de Leiria / Conservatório de Artes. Este ano o Festival decorreu, entre os dias 1 e 28 de Junho, na Marinha Grande (em São Pedro de Moel), Leiria, Batalha e Pombal e contou com 14 concertos. Como forma de reconhecimento, o Grupo IBEROMOLDES foi presenteado com um simbólico galardão, que acima de tudo simboliza o espírito de dinamismo, ambição e empenho. Para mais informações visite o website IBEROMOLDES na imprensa O EMPREENDEDOR revista INVEST O que faz um bom empreendedor? Ao longo destas 100 edições a INVEST partilhou exemplos de boas práticas. Conheça as estratégias vencedoras das melhores empresas Ao longo das suas primeiras 100 edições a INVEST partilhou exemplos de boas praticas e também estórias de empreendedores, exemplares na forma como lidam com as contingências e também com a atual conjuntura. Alguns desses exemplos podem ser relembrados nesta edição [Página 14] Estratégia comercial e aposta em novos sectores A globalização mudou a forma como as empresas cooperam. São os clusters e o trabalho em rede que atribuem às PME massa crítica para angariar novos e ambiciosos projetos, alargar o seu alcance industrial e evitar o definhamento no modelo de especialização que habitualmente as caracteriza. O Projeto LIFE é um exemplo de trabalho em consórcio, que integrou a IBEROMOLDES da Marinha Grande. [Página 4-6] Suplemento Leiria Global Jornal de Leiria - 6 de Junho 2013

19 courrier INTERNACIONAL EFFRA elege novo Presidente D urante o encontro anual da EFFRA - European Factories of the Future Research Association, a propósito da Assembleia Geral de 2013, representantes desta instituição elegeram por unanimidade Maurizio Gattiglio como novo Presidente do Conselho de Administração da EFFRA. Maurizio Gattiglio é também Diretor Geral Adjunto e Vice-Presidente Executivo da PRIMA INDUS- TRIE. Sucede a Massimo Mattuci que assumia o cargo desde a fundação da Associação. Egbert Jan-Sol (Diretor de Sistemas e Materiais, TNO) e Dietmar Goericke (Diretor de Investigação e Desenvolvimento, VDMA) foram eleitos Vice- Presidentes. O Conselho de Administração da EFFRA completa-se com a integração de dois novos membros, Joaquim Menezes (IBEROMOLDES) e Eva Wigren (Teknikföretagen). representantes desta instituição elegeram por unanimidade Maurizio Gattiglio como novo Presidente do Conselho de Administração da EFFRA. Dia ABERTO No próximo mês de Setembro a IBEROMOL- DES ACE irá organizar mais uma edição do Dia ABERTO dirigida a todos os colaboradores e familiares diretos do Grupo IBERO- MOLDES em Portugal. Á semelhança das edições anteriores, esta iniciativa tem como objetivo dar a conhecer aos familiares diretos dos colaboradores do Grupo IBEROMOLDES, a empresa onde cada colaborador trabalha, os produtos nela produzidos, as tecnologias e os processos utilizados. Concurso FOTOGRAFIA Durante o quarto trimestre de 2013, a IBERO- MOLDES ACE irá organizar o 4º Concurso de Fotografia IBEROMOLDES dirigida a todos os colaboradores do Grupo. O tema e regulamento que rege o concurso deste ano será apresentado durante o mês de Setembro.

20

SESSÃO DE ENCERRAMENTO DO VENTURE CAPITAL IT 2006

SESSÃO DE ENCERRAMENTO DO VENTURE CAPITAL IT 2006 SESSÃO DE ENCERRAMENTO DO VENTURE CAPITAL IT 2006 Jaime Andrez Presidente do CD do IAPMEI 10 de Maio de 2006 Minhas Senhoras e meus Senhores, 1. Em nome do Senhor Secretário de Estado Adjunto, da Indústria

Leia mais

XLM Innovation & Technology

XLM Innovation & Technology 01. APRESENTAÇÃO DA EMPRESA 2 01. Apresentação da empresa A XLM, sedeada em Aveiro, iniciou a sua atividade em 1995. Nesta data, a sua área de atuação cingia-se à venda, instalação e assistência técnica

Leia mais

A Certificação das atividades de investigação, desenvolvimento e inovação (IDI) Alter do Chão 12 Novembro. Miguel Taborda - SPI

A Certificação das atividades de investigação, desenvolvimento e inovação (IDI) Alter do Chão 12 Novembro. Miguel Taborda - SPI A Certificação das atividades de investigação, desenvolvimento e inovação (IDI) Miguel Taborda - SPI Conteúdos. 1. O CONCEITO DE IDI (INVESTIGAÇÃO, DESENVOLVIMENTO E INOVAÇÃO) 2. A NORMA NP 4457:2007 REQUISITOS

Leia mais

Jornadas de Educação Pelo Desporto 1

Jornadas de Educação Pelo Desporto 1 Jornadas de Educação Pelo Desporto 1 Jornadas de Educação Pelo Desporto As Jornadas de Educação Pelo Desporto alinham-se com os objetivos gerais do Diálogo Estruturado na área da juventude, uma vez que

Leia mais

PLANO DE AÇÃO ESTRATÉGICA

PLANO DE AÇÃO ESTRATÉGICA AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DO FUNDÃO + ESCOLA + PESSOA PLANO DE AÇÃO ESTRATÉGICA 2013-2017 Agrupamento de Escolas do Fundão Página 1 Perante o diagnóstico realizado, o Agrupamento assume um conjunto de prioridades

Leia mais

Plano Estratégico da Universidade Aberta 2011-2015

Plano Estratégico da Universidade Aberta 2011-2015 Plano Estratégico da Universidade Aberta 2011-2015 Paulo Maria Bastos da Silva Dias Índice 1. Nota de Abertura... 1 2. Áreas de Intervenção e Desenvolvimento... 4 2.1 Formação e Aprendizagem ao Longo da

Leia mais

As ações de formação ação no âmbito do presente Aviso têm, obrigatoriamente, de ser desenvolvidas com a estrutura a seguir indicada.

As ações de formação ação no âmbito do presente Aviso têm, obrigatoriamente, de ser desenvolvidas com a estrutura a seguir indicada. Anexo A Estrutura de intervenção As ações de formação ação no âmbito do presente Aviso têm, obrigatoriamente, de ser desenvolvidas com a estrutura a seguir indicada. 1. Plano de ação para o período 2016

Leia mais

APRESENTAÇÃO DA NOVA POLÍTICA DE INCENTIVOS 2014-2020 SISTEMA DE INCENTIVOS PARA A COMPETITIVIDADE EMPRESARIAL COMPETIR +

APRESENTAÇÃO DA NOVA POLÍTICA DE INCENTIVOS 2014-2020 SISTEMA DE INCENTIVOS PARA A COMPETITIVIDADE EMPRESARIAL COMPETIR + APRESENTAÇÃO DA NOVA POLÍTICA DE INCENTIVOS 2014-2020 SISTEMA DE INCENTIVOS PARA A COMPETITIVIDADE EMPRESARIAL COMPETIR + Ponta Delgada, 28 de Abril de 2014 Intervenção do Presidente do Governo Regional

Leia mais

PRIMAVERA BUSINESS SOFTWARE SOLUTIONS, SA

PRIMAVERA BUSINESS SOFTWARE SOLUTIONS, SA PRIMAVERA BUSINESS SOFTWARE SOLUTIONS, SA Introdução Nesta edição do Catálogo de Serviços apresentamos os vários tipos de serviços que compõe a actual oferta da Primavera na área dos serviços de consultoria.

Leia mais

Curso Geral de Gestão. Pós Graduação

Curso Geral de Gestão. Pós Graduação Curso Geral de Gestão Pós Graduação Curso Geral de Gestão Pós Graduação Participamos num processo acelerado de transformações sociais, políticas e tecnológicas que alteram radicalmente o contexto e as

Leia mais

Sinopse das Unidades Curriculares Mestrado em Marketing e Comunicação. 1.º Ano / 1.º Semestre

Sinopse das Unidades Curriculares Mestrado em Marketing e Comunicação. 1.º Ano / 1.º Semestre Sinopse das Unidades Curriculares Mestrado em Marketing e Comunicação 1.º Ano / 1.º Semestre Marketing Estratégico Formar um quadro conceptual abrangente no domínio do marketing. Compreender o conceito

Leia mais

Procifisc Engenharia e Consultadoria, Lda.

Procifisc Engenharia e Consultadoria, Lda. 01. APRESENTAÇÃO DA EMPRESA 2 01. Apresentação da empresa, com sede em Castelo Branco, é uma empresa criada em 2007 que atua nos domínios da engenharia civil e da arquitetura. Atualmente, é uma empresa

Leia mais

EDIÇÃO 2011/2012. Introdução:

EDIÇÃO 2011/2012. Introdução: EDIÇÃO 2011/2012 Introdução: O Programa Formação PME é um programa financiado pelo POPH (Programa Operacional Potencial Humano) tendo a AEP - Associação Empresarial de Portugal, como Organismo Intermédio,

Leia mais

Nota Introdutória Erro! Marcador não definido.

Nota Introdutória Erro! Marcador não definido. GRANDES OPÇÕES DO PLANO 2015 ÍNDICE Nota Introdutória Erro! Marcador não definido. Ações Educação e Formação 2 Ação Social 3 Gestão Participada e Finanças 4 Saúde 5 Desporto 5 Juventude 6 Cultura 6 Turismo

Leia mais

BLUEWORKS MEDICAL EXPERT DIAGNOSIS, LDA.

BLUEWORKS MEDICAL EXPERT DIAGNOSIS, LDA. BLUEWORKS MEDICAL EXPERT DIAGNOSIS, LDA. 01. APRESENTAÇÃO DA EMPRESA 2 01. Apresentação da empresa A BlueWorks Medical Expert Diagnosis, Lda. é uma start-up de Coimbra que se dedica ao desenvolvimento

Leia mais

Escola Profissional de Desenvolvimento Rural do Rodo PLANO DE MELHORIA. Anos letivos 2014/2015 e 2015/2016. 00PDG Página 1 de 13. Mod.

Escola Profissional de Desenvolvimento Rural do Rodo PLANO DE MELHORIA. Anos letivos 2014/2015 e 2015/2016. 00PDG Página 1 de 13. Mod. Escola Profissional de Desenvolvimento Rural do Rodo PLANO DE MELHORIA Anos letivos 2014/2015 e 2015/ Página 1 de 13 ÍNDICE Títulos Pág. 1. INTRODUÇÃO 3. 2. ESTRUTURA DO PLANO DE MELHORIA 4. 3. DESCRIÇÃO

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA MARIA AMÁLIA VAZ DE CARVALHO PLANO DE MELHORIA

ESCOLA SECUNDÁRIA MARIA AMÁLIA VAZ DE CARVALHO PLANO DE MELHORIA ESCOLA SECUNDÁRIA MARIA AMÁLIA VAZ DE CARVALHO PLANO DE MELHORIA 2012-2015 PLANO DE MELHORIA (2012-2015) 1. CONTEXTUALIZAÇÃO DO PROCESSO Decorreu em finais de 2011 o novo processo de Avaliação Externa

Leia mais

RELATÓRIO ANUAL 2012-2013. IPAM Aveiro

RELATÓRIO ANUAL 2012-2013. IPAM Aveiro RELATÓRIO ANUAL 2012-2013 IPAM Aveiro Índice Nota Introdutória... 3 1. Do grau de cumprimento do plano estratégico e do plano anual... 4 2. Da realização dos objetivos estabelecidos;... 4 3. Da eficiência

Leia mais

PLANO ESTRATÉGICO 2016-2019 INSTITUTO SUPERIOR DE ENGENHARIA DE LISBOA

PLANO ESTRATÉGICO 2016-2019 INSTITUTO SUPERIOR DE ENGENHARIA DE LISBOA PLANO ESTRATÉGICO 2016-2019 INSTITUTO SUPERIOR DE ENGENHARIA DE LISBOA FICHA TÉCNICA Publicação editada ao abrigo do novo Acordo Ortográfico, exceto a transposição de conteúdos de documentos elaborados

Leia mais

Ora, é hoje do conhecimento geral, que há cada vez mais mulheres licenciadas, com mestrado, doutoramentos, pós-docs e MBA s.

Ora, é hoje do conhecimento geral, que há cada vez mais mulheres licenciadas, com mestrado, doutoramentos, pós-docs e MBA s. Bom dia a todos e a todas, Não é difícil apontar vantagens económicas às medidas de gestão empresarial centradas na igualdade de género. Em primeiro lugar, porque permitem atrair e reter os melhores talentos;

Leia mais

Diagnóstico de Competências para a Exportação

Diagnóstico de Competências para a Exportação Diagnóstico de Competências para a Exportação em Pequenas e Médias Empresas (PME) Guia de Utilização DIRECÇÃO DE ASSISTÊNCIA EMPRESARIAL Departamento de Promoção de Competências Empresariais Índice ENQUADRAMENTO...

Leia mais

O Fórum Económico de Marvila

O Fórum Económico de Marvila Agenda O Fórum Económico de Marvila A iniciativa Cidadania e voluntariado: um desafio para Marvila A Sair da Casca O voluntariado empresarial e as políticas de envolvimento com a comunidade Tipos de voluntariado

Leia mais

PRODUTOS INOVADORES: O DESAFIO DO MERCADO RECURSOS TÉCNICOS PARA O EMPREENDEDORISMO DE BASE TECNOLÓGICO

PRODUTOS INOVADORES: O DESAFIO DO MERCADO RECURSOS TÉCNICOS PARA O EMPREENDEDORISMO DE BASE TECNOLÓGICO ÍNDICE INTRODUÇÃO Sobre o guia Utilizadores Beneficiários CONCEITOS CHAVE NOTAS METODOLÓGICAS E PRÉ-REQUISITOS PROCESSO METODOLÓGICO Parte I Referencial para o lançamento de produtos inovadores no mercado

Leia mais

COMUNICAR A TRANSPORTES METROPOLITANOS DO PORTO

COMUNICAR A TRANSPORTES METROPOLITANOS DO PORTO ENQUADRAMENTO A INTEGRAÇÃO DA METRO DO PORTO E DA STCP E A PERSPECTIVA DE PRIVATIZAÇÃO COMUNICAR A TRANSPORTES METROPOLITANOS DO PORTO ANÁLISE OBJECTIVOS MENSAGENS-CHAVE ACÇÕES A DESENVOLVER ENQUADRAMENTO

Leia mais

Os Desafios da Fileira da Construção. As Oportunidades nos Mercados Externos

Os Desafios da Fileira da Construção. As Oportunidades nos Mercados Externos Os Desafios da Fileira da Construção As Oportunidades nos Mercados Externos Agradeço o convite que me foi dirigido para participar neste Seminário e felicito a AIP pela iniciativa e pelo tema escolhido.

Leia mais

ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO ADMINISTRATIVA E FINANCEIRA

ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO ADMINISTRATIVA E FINANCEIRA ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO ADMINISTRATIVA E FINANCEIRA ABERTURA A People & Skills foi criada para responder às necessidades de um mercado cada vez mais apostado em desenvolver e consolidar competências que

Leia mais

DOSSIER DE IMPRENSA 2015

DOSSIER DE IMPRENSA 2015 DOSSIER DE IMPRENSA 2015 A Empresa A Empresa A 2VG é uma empresa tecnológica portuguesa criada em 2009, que surgiu para colmatar uma necessidade detetada no mercado das tecnologias de informação e comunicação

Leia mais

PERSPETIVA APCER. www.apcergroup.com. André Ramos Diretor de Marketing andre.ramos@apcer.pt

PERSPETIVA APCER. www.apcergroup.com. André Ramos Diretor de Marketing andre.ramos@apcer.pt PERSPETIVA APCER André Ramos Diretor de Marketing andre.ramos@apcer.pt Tópicos Perspetiva APCER Avaliação Preliminar ISO DIS 9001:2014 Transição ISO 9001:2015 e ISO 14001:2015 - disposições IAF e APCER

Leia mais

Ilustratown - Informação Tecnológica, Lda.

Ilustratown - Informação Tecnológica, Lda. Ilustratown - Informação Tecnológica, Lda. 01. APRESENTAÇÃO DA EMPRESA 2 01. Apresentação da empresa A é uma software house criada em 2006. A Ilustratown tem por objetivo o desenvolvimento e implementação

Leia mais

A GESTÃO DA INOVAÇÃO APCER

A GESTÃO DA INOVAÇÃO APCER A GESTÃO DA INOVAÇÃO APCER A Gestão da Inovação Proposta de Utilização do Guia de Boas Práticas de IDI e das ferramentas desenvolvidas no âmbito da iniciativa DSIE da COTEC para o desenvolvimento do sistema

Leia mais

Gestão Empresarial. Comércio e Serviços

Gestão Empresarial. Comércio e Serviços Curso de Gestão Empresarial para Comércio e Serviços PROMOÇÃO: COLABORAÇÃO DE: EXECUÇÃO: APRESENTAÇÃO: > A aposta na qualificação dos nossos recursos humanos constitui uma prioridade absoluta para a Confederação

Leia mais

2011/07/07 MQ-01/02 01/02-2011/07/07

2011/07/07 MQ-01/02 01/02-2011/07/07 MQ-01/02 01/02-2011/07/07 2011/07/07 NOTA: No caso de imprimir este documento, o mesmo passa automaticamente a Cópia Não Controlada ; a sua utilização implica a confirmação prévia de que corresponde à

Leia mais

www.highskills.pt geral@highskills.pt PT: 00351 217 931 365 AO: 00244 94 112 60 90 MZ: 00258 821 099 522

www.highskills.pt geral@highskills.pt PT: 00351 217 931 365 AO: 00244 94 112 60 90 MZ: 00258 821 099 522 Apresentação... 3 Como Empresa... 3 A nossa Visão... 3 A nossa Missão - A SUA VALORIZAÇÃO, A NOSSA MISSÃO!... 3 Os nossos Valores... 3 Porquê fazer um Curso de Especialização?... 4 Formação Certificada...

Leia mais

CURSO Formação Pedagógica Inicial de Formadores

CURSO Formação Pedagógica Inicial de Formadores REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO CURSO Formação Pedagógica Inicial de Formadores Homologado pelo IEFP com o código de curso C1840003 Presencial 90 horas (Conforme Portaria n.º 214/2011, de 30 de maio) DPJ.FOR.FPIF.01

Leia mais

PHC dteamcontrol Externo

PHC dteamcontrol Externo PHC dteamcontrol Externo A gestão remota de projetos e de informação A solução via Internet que permite aos seus Clientes participarem nos projetos em que estão envolvidos, interagindo na otimização dos

Leia mais

Almadesign Conceito e Desenvolvimento de Design, Lda.

Almadesign Conceito e Desenvolvimento de Design, Lda. Almadesign Conceito e Desenvolvimento de Design, Lda. 01. APRESENTAÇÃO DA EMPRESA 2 01. Apresentação da empresa A Almadesign Conceito e Desenvolvimento de Design, Lda. é uma empresa com competências nucleares

Leia mais

POLÍTICAS PARA A EXPORTAÇÃO E INTERNACIONALIZAÇÃO DA INDÚSTRIA AGROALIMENTAR

POLÍTICAS PARA A EXPORTAÇÃO E INTERNACIONALIZAÇÃO DA INDÚSTRIA AGROALIMENTAR POLÍTICAS PARA A EXPORTAÇÃO E INTERNACIONALIZAÇÃO DA INDÚSTRIA AGROALIMENTAR Contributos para uma Visão Estratégica Federação das Indústrias Portuguesas Agro-Alimentares A Indústria Portuguesa Agroalimentar

Leia mais

Rede de Informação do INE em Bibliotecas do Ensino Superior

Rede de Informação do INE em Bibliotecas do Ensino Superior Rede de Informação do INE em Bibliotecas do Ensino Superior Francisco Correia Departamento de Difusão e Promoção Instituto Nacional de Estatística Avenida António José de Almeida 1000-043 Lisboa Tel: 218426143

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO MUSSOC

PROJETO PEDAGÓGICO MUSSOC PROJETO PEDAGÓGICO dos Campos de Férias da MUSSOC Associação Mutualista dos Trabalhadores da Solidariedade e Segurança Social I CARATERIZAÇÃO GERAL DA MUSSOC 1. Introdução O presente documento tem como

Leia mais

Calendário de Concursos

Calendário de Concursos Calendário de Concursos Resumo dos Principais Programas Investigação e Desenvolvimento Tecnológico Inovação Empresarial Qualificação e Internacionalização PME s Promoção da Eficiência Energética e da Utilização

Leia mais

Centro de Cultura e Desporto dos Trabalhadores do Município de Ponte de Lima PLANO DE ATIVIDADES E ORÇAMENTO

Centro de Cultura e Desporto dos Trabalhadores do Município de Ponte de Lima PLANO DE ATIVIDADES E ORÇAMENTO PLANO DE ATIVIDADES E ORÇAMENTO 2014 MISSÃO 2014 Renovar a imagem da associação Melhorar a qualidade dos serviços prestados Restabelecer as ações de carácter cultural, desportivo e recreativo Promover

Leia mais

Melhorar o desempenho Promover o sucesso: Aprender mais Aprender melhor PLANO ESTRATÉGICO DE MELHORIA 2014/ 2017

Melhorar o desempenho Promover o sucesso: Aprender mais Aprender melhor PLANO ESTRATÉGICO DE MELHORIA 2014/ 2017 Melhorar o desempenho Promover o sucesso: Aprender mais Aprender melhor PLANO ESTRATÉGICO DE MELHORIA 2014/ 2017 um fruto não se colhe às pressas. Leva seu tempo, de verde-amargo até maduro-doce Mia Couto

Leia mais

AS OPORTUNIDADES PARA AS EMPRESAS NO PORL 2014-20

AS OPORTUNIDADES PARA AS EMPRESAS NO PORL 2014-20 AS OPORTUNIDADES PARA AS EMPRESAS NO PORL 2014-20 Vítor Escária CIRIUS ISEG, Universidade de Lisboa e Augusto Mateus & Associados Barreiro, 30/06/2014 Tópicos Enquadramento A Estratégia de Crescimento

Leia mais

1º FÓRUM UNIÃO DE EXPORTADORES CPLP 26 E 27 DE JUNHO DE 2015 CENTRO DE CONGRESSOS DE LISBOA. JUNTOS IREMOS LONGE www.uecplp.org

1º FÓRUM UNIÃO DE EXPORTADORES CPLP 26 E 27 DE JUNHO DE 2015 CENTRO DE CONGRESSOS DE LISBOA. JUNTOS IREMOS LONGE www.uecplp.org 1º FÓRUM UNIÃO DE EXPORTADORES CPLP 26 E 27 DE JUNHO DE 2015 CENTRO DE CONGRESSOS DE LISBOA JUNTOS IREMOS LONGE www.uecplp.org CONCEITO Realização do 1º Fórum União de Exportadores CPLP (UE-CPLP) que integra:

Leia mais

Apresentação do Manual de Gestão de IDI

Apresentação do Manual de Gestão de IDI Seminário Final do Projeto IDI&DNP Coimbra 31 de março Miguel Carnide - SPI Conteúdos. 1. O CONCEITO DE IDI (INVESTIGAÇÃO, DESENVOLVIMENTO E INOVAÇÃO) 2. OVERVIEW DO MANUAL 3. A NORMA NP 4457:2007 4. A

Leia mais

FrontWave Engenharia e Consultadoria, S.A.

FrontWave Engenharia e Consultadoria, S.A. 01. APRESENTAÇÃO DA EMPRESA 2 01. Apresentação da empresa é uma empresa criada em 2001 como spin-off do Instituto Superior Técnico (IST). Desenvolve tecnologias e metodologias de inovação para rentabilizar

Leia mais

AEC ALE EXPRESSÃO MUSICAL. Orientações Pedagógicas. 1.º Ciclo do Ensino Básico

AEC ALE EXPRESSÃO MUSICAL. Orientações Pedagógicas. 1.º Ciclo do Ensino Básico ATIVIDADES DE ENRIQUECIMENTO CURRICULAR ANO LETIVO AEC ALE EXPRESSÃO MUSICAL Orientações Pedagógicas 1.º Ciclo do Ensino Básico 1. Introdução A atividade de enriquecimento curricular, ALE (atividades lúdico-expressivas)

Leia mais

Índice. Quadro Referencial Avaliação do Desempenho Docente. Índice 01. Introdução 02. Pressupostos 02. Dimensões da Avaliação 03

Índice. Quadro Referencial Avaliação do Desempenho Docente. Índice 01. Introdução 02. Pressupostos 02. Dimensões da Avaliação 03 Quadro Referencial Avaliação do Desempenho Docente Índice Página Índice 01 Introdução 02 Pressupostos 02 Dimensões da Avaliação 03 Domínios e Indicadores da Avaliação 03 Níveis de Desempenho da Avaliação

Leia mais

Victor Ferreira Plataforma Construção Sustentável Entidade Gestora do Cluster Habitat Sustentável

Victor Ferreira Plataforma Construção Sustentável Entidade Gestora do Cluster Habitat Sustentável 2ª CONFERÊNCIA PASSIVHAUS PORTUGAL 2014 29 de Novembro de 2014 Aveiro - Centro Cultural e de Congressos Victor Ferreira Plataforma Construção Sustentável Entidade Gestora do Cluster Habitat Sustentável

Leia mais

Como sempre, e de acordo com a nossa missão, continuaremos a dar a conhecer a Síndrome de Asperger e a APSA à sociedade em geral.

Como sempre, e de acordo com a nossa missão, continuaremos a dar a conhecer a Síndrome de Asperger e a APSA à sociedade em geral. Plano de Atividades 2016 INTRODUÇÃO O Plano de Atividades para 2016 agora apresentado tem como mote central DAR SENTIDO. Dar Sentido a tudo o que fazemos, o que nos envolve e o que envolve os outros. Centrarse-á

Leia mais

Flor de Cerejeira. IIªs Jornadas APCG «A Pensar nos Frutos»

Flor de Cerejeira. IIªs Jornadas APCG «A Pensar nos Frutos» Flor de Cerejeira Número 2, Edição Trimestral, Dezembro de 2011 EDITORIAL Esta segunda edição da «Flor de Cerejeira» pretende dar a conhecer o que de mais importante se desenvolveu na Instituição. Pretende

Leia mais

Implementação e Certificação de um Sistema I+D+I. Fev. 2008

Implementação e Certificação de um Sistema I+D+I. Fev. 2008 Implementação e Certificação de um Sistema I+D+I Fev. 2008 Medeiros genda 1. Áreas de negócio Martifer; 2. Martifer Energia Equipamentos para energia S.A.; 3. Certificações Obtidas 4. Porquê IDI? 5. Objectivo

Leia mais

Plano de Atividades 2014

Plano de Atividades 2014 Plano de Atividades 2014 ÍNDICE 1. APRESENTAÇÃO... 3 1.1 Breve caracterização da Direção-Geral das Artes... 3 1.2 Missão, Visão, Valores... 5 1.3 Identificação das Partes Interessadas... 5 2. CARACTERIZAÇÃO

Leia mais

A Iniciativa para a Economia Cívica

A Iniciativa para a Economia Cívica A Iniciativa para a Economia Cívica Os Programas de Inovação Societal e Mudança A. A Iniciativa para a Economia Cívica A Iniciativa para a Economia Cívica (IEC) é uma iniciativa que agrega entidades públicas,

Leia mais

Espírito de Natal inspirou jantar da rede

Espírito de Natal inspirou jantar da rede Espírito de Natal inspirou jantar da rede Foram cerca de 110 os colaboradores presentes no mais recente Jantar de Natal ComprarCasa, um evento decorrido no passado dia 18 de Dezembro, no Hotel Olissippo

Leia mais

A Internet nas nossas vidas

A Internet nas nossas vidas Economia Digital A Internet nas nossas vidas Nos últimos anos a internet revolucionou a forma como trabalhamos, comunicamos e até escolhemos produtos e serviços Economia Digital Consumidores e a Internet

Leia mais

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ANÁLISE DE DADOS E GESTÃO DE INFORMAÇÃO Grupo de trabalho Armando Mendes Áurea Sousa Fátima Brilhante Rita Marques Brandão Osvaldo Silva Fevereiro 2010 Enquadramento e justificação

Leia mais

Minhas senhoras e meus senhores.

Minhas senhoras e meus senhores. Minhas senhoras e meus senhores. Em primeiro lugar, gostaria de transmitir a todos, em nome do Senhor Secretário de Estado das Obras Públicas, Transportes e Comunicações, a satisfação pelo convite que

Leia mais

SESSÃO DE ABERTURA DA XVII ASSEMBLEIA GERAL DO CONSELHO MUNDIAL DAS CASAS DOS AÇORES

SESSÃO DE ABERTURA DA XVII ASSEMBLEIA GERAL DO CONSELHO MUNDIAL DAS CASAS DOS AÇORES SESSÃO DE ABERTURA DA XVII ASSEMBLEIA GERAL DO CONSELHO MUNDIAL DAS CASAS DOS AÇORES Hilmar, Califórnia, 29 de Agosto de 2014 Intervenção do Presidente do Governo Regional dos Açores, Vasco Cordeiro Começo

Leia mais

ControlVet Segurança Alimentar, SA.

ControlVet Segurança Alimentar, SA. 01. APRESENTAÇÃO DA EMPRESA 2 01. Apresentação da empresa A ControlVet Segurança Alimentar, S.A. é uma empresa de referência nacional na prestação de serviços de segurança alimentar, em franca expansão

Leia mais

ATA Nº 01/12 Reunião Plenária do Conselho Local de Ação Social (CLAS)

ATA Nº 01/12 Reunião Plenária do Conselho Local de Ação Social (CLAS) ATA Nº 01/12 Reunião Plenária do Conselho Local de Ação Social (CLAS) Data: 26-01-2012 Local: Auditório do Edifício Cultural da Câmara Municipal de Peniche Hora de início: 21h15mn Hora do fecho: 23h30mn

Leia mais

::ENQUADRAMENTO ::ENQUADRAMENTO::

::ENQUADRAMENTO ::ENQUADRAMENTO:: ::ENQUADRAMENTO:: :: ENQUADRAMENTO :: O actual ambiente de negócios caracteriza-se por rápidas mudanças que envolvem a esfera politica, económica, social e cultural das sociedades. A capacidade de se adaptar

Leia mais

III Encontro Nacional de BIC s

III Encontro Nacional de BIC s de BIC s de BIC s Decorreu a 18 de Maio, em Abrantes, num hotel com uma vista magnífica para a Barragem de Castelo de Bode o 3º Encontro de BIC s (Business Innovation Centers Portugueses). Neste encontro

Leia mais

ISAL INSTITUTO SUPERIOR DE ADMINISTRAÇÃO E LÍNGUAS PLANO DE ATIVIDADES

ISAL INSTITUTO SUPERIOR DE ADMINISTRAÇÃO E LÍNGUAS PLANO DE ATIVIDADES ISAL INSTITUTO SUPERIOR DE ADMINISTRAÇÃO E LÍNGUAS PLANO DE ATIVIDADES 2015 2 Formar gestores e quadros técnicos superiores, preparados científica e tecnicamente para o exercício de funções na empresa

Leia mais

Portugal Brasil Moçambique Polónia

Portugal Brasil Moçambique Polónia www.promover.pt www.greatteam.pt Portugal Brasil Moçambique Polónia QUEM SOMOS - Prestamos serviços técnicos de consultoria de gestão e formação nos diversos setores da economia. - Presentes em Lisboa,

Leia mais

MASTER INNOVATION MANAGEMENT SYSTEMS SGS. Duração 112 Horas / 3 meses. Edição 1ª Edição. Calendário outubro dezembro 2015

MASTER INNOVATION MANAGEMENT SYSTEMS SGS. Duração 112 Horas / 3 meses. Edição 1ª Edição. Calendário outubro dezembro 2015 Edição 1ª Edição Calendário outubro dezembro 2015 Duração 112 Horas / 3 meses Regime Pós-laboral e ao sábado MASTER INNOVATION MANAGEMENT SYSTEMS Em parceria com: SGS ENQUADRAMENTO E OBJETIVOS COORDENAÇÃO

Leia mais

COORDENAÇÃO DO CURSO CURSO DE EMPREENDEDORISMO E VALORIZAÇÃO DA INVESTIGAÇÃO. Prof. Doutora Maria José Silva

COORDENAÇÃO DO CURSO CURSO DE EMPREENDEDORISMO E VALORIZAÇÃO DA INVESTIGAÇÃO. Prof. Doutora Maria José Silva COORDENAÇÃO DO CURSO Prof. Doutora Maria José Silva PORQUÊ O CURSO DE EMPREENDEDORISMO E VALORIZAÇÃO DA INVESTIGAÇÃO? Numa realidade onde a transposição do conhecimento científico e tecnológico gerado

Leia mais

Isabel Beja. Gestão Estratégica

Isabel Beja. Gestão Estratégica Isabel Beja Gestão Estratégica Financiamento: Entidade Coordenadora Local Entidade Promotora Objectivos Objectivo Geral A importância de uma correta definição de missão, visão e dos valores da instituição;

Leia mais

Programa. Empreendedorismo Cultural e Indústrias Criativas 2012

Programa. Empreendedorismo Cultural e Indústrias Criativas 2012 Programa Empreendedorismo Cultural e Indústrias Criativas 2012 Programa Empreendedorismo Cultural e Indústrias Criativas 2012 3 Hemisfério esquerdo responsável pelo pensamento lógico e pela competência

Leia mais

ACEF/1112/03877 Relatório preliminar da CAE

ACEF/1112/03877 Relatório preliminar da CAE ACEF/1112/03877 Relatório preliminar da CAE Caracterização do ciclo de estudos Perguntas A.1 a A.10 A.1. Instituição de ensino superior / Entidade instituidora: Universidade Da Beira Interior A.1.a. Identificação

Leia mais

Cerimónia de lançamento do contrato de colaboração entre o Estado Português e o Massachusetts Institute of Technology, MIT

Cerimónia de lançamento do contrato de colaboração entre o Estado Português e o Massachusetts Institute of Technology, MIT Cerimónia de lançamento do contrato de colaboração entre o Estado Português e o Massachusetts Institute of Technology, MIT Centro Cultural de Belém, Lisboa, 11 de Outubro de 2006 Intervenção do Secretário

Leia mais

AEC ALE EXPRESSÃO PLÁSTICA. Planificação. 1.º Ciclo do Ensino Básico

AEC ALE EXPRESSÃO PLÁSTICA. Planificação. 1.º Ciclo do Ensino Básico ATIVIDADES DE ENRIQUECIMENTO CURRICULAR ANO LETIVO AEC ALE EXPRESSÃO PLÁSTICA Planificação 1.º Ciclo do Ensino Básico 1. Introdução A atividade de enriquecimento curricular, ALE (atividades lúdico-expressivas)

Leia mais

Manual de Procedimentos das Entidades Beneficiárias

Manual de Procedimentos das Entidades Beneficiárias Manual de Procedimentos das Entidades Beneficiárias ÍNDICE Introdução...2 Capítulo I Programa Formação Ação para PME...3 I.1 Objetivos...3 I.2 Metodologia de Intervenção...4 I.3 Equipas de Intervenção...11

Leia mais

PHC dteamcontrol Externo

PHC dteamcontrol Externo PHC dteamcontrol Externo A gestão remota de projectos e de informação A solução via Internet que permite aos seus Clientes participarem nos projectos em que estão envolvidos, interagindo na optimização

Leia mais

jump4innovation Oferecemos ideias que aumentam o seu negócio acima do espectável

jump4innovation Oferecemos ideias que aumentam o seu negócio acima do espectável jump4innovation Plataforma Web de apoio à Gestão Melhoria, Inovação & Empreendedorismo Oferecemos ideias que aumentam o seu negócio acima do espectável Conteúdo Gestao da Inovacao, Melhoria e Empreendedorismo

Leia mais

Fundação Sousândrade. IUA Instituto Universitário Atlântico

Fundação Sousândrade. IUA Instituto Universitário Atlântico Fundação Sousândrade IUA Instituto Universitário Atlântico Curso de Especialização conducente ao Mestrado GESTÃO DA EDUCAÇÃO Administração Escolar e Administração em Educação A ser realizado no Brasil

Leia mais

Programa de Desenvolvimento Rural do Continente para 2014-2020

Programa de Desenvolvimento Rural do Continente para 2014-2020 Programa de Desenvolvimento Rural do Continente para 2014-2020 Medida 2 CONHECIMENTO Ação 2.1 CAPACITAÇÃO E DIVULGAÇÃO Enquadramento Regulamentar Regulamento (UE) n.º 1305/2013, do Conselho e do Parlamento

Leia mais

COMPETIR + Sistema de Incentivos para a Competitividade Empresarial

COMPETIR + Sistema de Incentivos para a Competitividade Empresarial Câmara do Comércio e Indústria de Ponta Delgada COMPETIR + Sistema de Incentivos para a Competitividade Empresarial Subsistemas Fomento da Base Económica de Exportação Desenvolvimento Local Empreendedorismo

Leia mais

O Papel Estratégico da Gestão de Pessoas para a Competitividade das Organizações

O Papel Estratégico da Gestão de Pessoas para a Competitividade das Organizações Projeto Saber Contábil O Papel Estratégico da Gestão de Pessoas para a Competitividade das Organizações Alessandra Mercante Programa Apresentar a relação da Gestão de pessoas com as estratégias organizacionais,

Leia mais

PROGRAMA DE AÇÃO E ORÇAMENTO 2015. Servir a comunidade; educar para a cidadania e incluir os mais vulneráveis

PROGRAMA DE AÇÃO E ORÇAMENTO 2015. Servir a comunidade; educar para a cidadania e incluir os mais vulneráveis PROGRAMA DE AÇÃO E ORÇAMENTO 2015 Servir a comunidade; educar para a cidadania e incluir os mais vulneráveis CAPÍTULO I AETP: A INSTITUIÇÃO 1. Introdução No decorrer do ano de 2015 prevê-se que a AETP

Leia mais

Guia de Participação na MISSÃO PARA O CRESCIMENTO PORTUGAL

Guia de Participação na MISSÃO PARA O CRESCIMENTO PORTUGAL Guia de Participação na MISSÃO PARA O CRESCIMENTO PORTUGAL Encontro Internacional de Negócios Lisboa, 29 de Novembro de 2013 INTRODUÇÃO As PME portuguesas têm vindo a atravessar bastantes dificuldades

Leia mais

Palavra chave: Capital Humano, Gestão de Pessoas, Recursos Humanos, Vantagem Competitiva.

Palavra chave: Capital Humano, Gestão de Pessoas, Recursos Humanos, Vantagem Competitiva. COMPREENDENDO A GESTÃO DE PESSOAS Karina Fernandes de Miranda Helenir Celme Fernandes de Miranda RESUMO: Este artigo apresenta as principais diferenças e semelhanças entre gestão de pessoas e recursos

Leia mais

PHC Workflow CS. O controlo e a automatização de processos internos

PHC Workflow CS. O controlo e a automatização de processos internos PHC Workflow CS O controlo e a automatização de processos internos A solução que permite que um conjunto de ações a executar siga uma ordem pré-definida, de acordo com as normas da empresa, aumentando

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO. Tema : Fundamentos da Administração 1 Aula Conceitos da Administração História da Administração Funções do Administrador

ADMINISTRAÇÃO. Tema : Fundamentos da Administração 1 Aula Conceitos da Administração História da Administração Funções do Administrador ADMINISTRAÇÃO Tema : Fundamentos da Administração 1 Aula Conceitos da Administração História da Administração Funções do Administrador O que devemos.. Tirar todas as dúvidas a qualquer momento Participar

Leia mais

Inovação. Desenvolvimento Sustentado da Inovação Empresarial

Inovação. Desenvolvimento Sustentado da Inovação Empresarial Inovação Desenvolvimento Sustentado da Inovação Empresarial INICIATIVA APOIO Inovação, Empreendedorismo e Qualidade As Práticas que nos Inspiram Práticas de Gestão de Inovação Isabel Caetano Instituto

Leia mais

A CHAVE PARA A EFICIÊNCIA ENERGÉTICA

A CHAVE PARA A EFICIÊNCIA ENERGÉTICA A CHAVE PARA A EFICIÊNCIA ENERGÉTICA Agenda Enquadramento dos consumos Energéticos nos Edifícios e no ramo Hoteleiro Enerbiz Conceito Geral e explicação funcional Conclusões e Aspetos Gerais Índice Enquadramento

Leia mais

A ARTSOFT é uma empresa especializada no desenvolvimento e comercialização de soluções tecnológicas de apoio à gestão empresarial.

A ARTSOFT é uma empresa especializada no desenvolvimento e comercialização de soluções tecnológicas de apoio à gestão empresarial. POWERING BUSINESS QUEM SOMOS A ARTSOFT é uma empresa especializada no desenvolvimento e comercialização de soluções tecnológicas de apoio à gestão empresarial. Desde 1987 que desenvolvemos um trabalho

Leia mais

O reforço da gestão da inovação nas empresas portuguesas CCDR Algarve 6 de Maio de 2009 Isabel Caetano COTEC Portugal

O reforço da gestão da inovação nas empresas portuguesas CCDR Algarve 6 de Maio de 2009 Isabel Caetano COTEC Portugal O reforço da gestão da inovação nas empresas portuguesas CCDR Algarve 6 de Maio de 2009 Isabel Caetano COTEC Portugal COTEC PORTUGAL - ASSOCIAÇÃO EMPRESARIAL PARA A INOVAÇÃO A COTEC Portugal - Associação

Leia mais

INTERVENÇÃO DE SUA EXCELÊNCIA O MINISTRO DAS OBRAS PÚBLICAS, TRANSPORTES E COMUNICAÇÕES. Eng. Mário Lino

INTERVENÇÃO DE SUA EXCELÊNCIA O MINISTRO DAS OBRAS PÚBLICAS, TRANSPORTES E COMUNICAÇÕES. Eng. Mário Lino INTERVENÇÃO DE SUA EXCELÊNCIA O MINISTRO DAS OBRAS PÚBLICAS, TRANSPORTES E COMUNICAÇÕES Eng. Mário Lino por ocasião da Cerimónia de Abertura do Diálogo Estratégico sobre as Tecnologias da Informação e

Leia mais

ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO DE CAPITAL HUMANO

ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO DE CAPITAL HUMANO ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO DE CAPITAL HUMANO ABERTURA A People & Skills foi criada para responder às necessidades de um mercado cada vez mais apostado em desenvolver e consolidar competências que garantem

Leia mais

C O N V I T E 1. A PLATAFORMA ICBENCH NÍVEL 1 BENCHMARKING DO DESEMPENHO DE EMPRESAS CONSTRUTORAS SESSÃO DE APRESENTAÇÃO DA PLATAFORMA ICBENCH NÍVEL 2

C O N V I T E 1. A PLATAFORMA ICBENCH NÍVEL 1 BENCHMARKING DO DESEMPENHO DE EMPRESAS CONSTRUTORAS SESSÃO DE APRESENTAÇÃO DA PLATAFORMA ICBENCH NÍVEL 2 1 BENCHMARKING DO DESEMPENHO DE EMPRESAS CONSTRUTORAS SESSÃO DE APRESENTAÇÃO DA PLATAFORMA ICBENCH NÍVEL 2 C O N V I T E 1. A PLATAFORMA ICBENCH NÍVEL 1 Com o apoio do InCI, a FEUP desenvolveu um projeto

Leia mais

Dinamizar o Empreendedorismo e promover a Criação de Empresas

Dinamizar o Empreendedorismo e promover a Criação de Empresas Dinamizar o Empreendedorismo e promover a Criação de Empresas À semelhança do que acontece nas sociedades contemporâneas mais avançadas, a sociedade portuguesa defronta-se hoje com novos e mais intensos

Leia mais

ERP. Enterprise Resource Planning. Planejamento de recursos empresariais

ERP. Enterprise Resource Planning. Planejamento de recursos empresariais ERP Enterprise Resource Planning Planejamento de recursos empresariais O que é ERP Os ERPs em termos gerais, são uma plataforma de software desenvolvida para integrar os diversos departamentos de uma empresa,

Leia mais

Carteira. de formação. análise às nossas oportunidades e recursos. Missão, Visão e Objectivos. Desenvolver competências técnicas e transversais

Carteira. de formação. análise às nossas oportunidades e recursos. Missão, Visão e Objectivos. Desenvolver competências técnicas e transversais conteúdos: Programa de formação avançada centrado nas competências e necessidades dos profissionais. PÁGINA 2 Cinco motivos para prefirir a INOVE RH como o seu parceiro, numa ligação baseada na igualdade

Leia mais

SEMINÁRIO OPORTUNIDADES E SOLUÇÕES PARA AS EMPRESAS INOVAÇÃO E COMPETITIVIDADE FINANCIAMENTO DAS EMPRESAS OPORTUNIDADES E SOLUÇÕES

SEMINÁRIO OPORTUNIDADES E SOLUÇÕES PARA AS EMPRESAS INOVAÇÃO E COMPETITIVIDADE FINANCIAMENTO DAS EMPRESAS OPORTUNIDADES E SOLUÇÕES SEMINÁRIO OPORTUNIDADES E SOLUÇÕES PARA AS EMPRESAS INOVAÇÃO E COMPETITIVIDADE FINANCIAMENTO DAS EMPRESAS OPORTUNIDADES E SOLUÇÕES Jaime Andrez Presidente do CD do IAPMEI 20 de Abril de 2006 A inovação

Leia mais

AGENDA. Portugal 2020 Enquadramento Geral. Sistema de Incentivos às Empresas. Concursos

AGENDA. Portugal 2020 Enquadramento Geral. Sistema de Incentivos às Empresas. Concursos Luís Coito Turismo de Portugal, I.P. Guimarães, 10 de abril de 2015 AGENDA 1 Portugal 2020 Enquadramento Geral 2 Sistema de Incentivos às Empresas 3 Concursos 1 2020 Enquadramento Geral PORTUGAL 2020 ESTRATÉGIA

Leia mais

PLANO DE MELHORIA CONSERVATÓRIO DE MÚSICA DO PORTO

PLANO DE MELHORIA CONSERVATÓRIO DE MÚSICA DO PORTO PLANO DE MELHORIA DO 2015-2017 Conservatório de Música do Porto, 30 de outubro de 2015 1. Introdução... 3 2. Relatório de Avaliação Externa... 5 Pontos Fortes... 5 Áreas de Melhoria... 6 3. Áreas Prioritárias...

Leia mais

Curso Tecnólogo em Gestão da Tecnologia da Informação - 2013 -

Curso Tecnólogo em Gestão da Tecnologia da Informação - 2013 - Curso Tecnólogo em Gestão da Tecnologia da Informação - 2013 - O Curso Tecnólogo em Gestão da Tecnologia da Informação é um curso da área de informática e tem seu desenho curricular estruturado por competências

Leia mais

Executive Revolution Programs Competitive intelligence e inovação

Executive Revolution Programs Competitive intelligence e inovação Executive Revolution Programs Competitive intelligence e inovação Neste curso serão abordadas as melhores práticas que permitem gerir estrategicamente a informação, tendo em vista a criação de valor para

Leia mais