Impacto dos projetos de sustentabilidade

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Impacto dos projetos de sustentabilidade"

Transcrição

1 Impacto dos projetos de sustentabilidade Angelica Blanco 24 de Maio,

2 CONTEÚDO Parte 1: Sustentabilidade Direcionando investimentos Parte 2: Retornos em Sustentabilidade 1

3 QUEM SOMOS Estudos e rankings setoriais em sustentabilidade (Latin Finance, Oil & Gas Journal, Razão Contábil). Mensuração de compliance e desempenho em sustentabilidade em toda a América Latina. Ratings de Sustentabilidade ROS o primeiro índice para cálculo e medição do retorno dos investimentos realizados em sustentabilidade. 2

4 ÍNDICE Parte 1: Sustentabilidade Direcionando investimentos 3

5 DEFINIÇÃO Sustentabilidade é o novo conjunto de técnicas para gerar lucro, considerando os impactos sociais e ambientais do negócio. 4

6 ONDAS DE SUSTENTABILIDADE Pre SOX/Enron Investimentos em projetos sociais e ambientais por questões de imagem Pós SOX/Enron Ênfase em GC e compliance com princípios e diretrizes da SOX, DJSI, GRI, Pacto Global, bolsas e ONG s Pós Crise do Lehman Foco em investimentos e fundos sustentáveis, retornos de investimentos sustentáveis. Sustentabilidade significa melhor gestão e redução de riscos. 5

7 SUSTENTABILIDADE = MAIOR ACESSO AO CAPITAL Estima-se que até 2015, fundos de investimentos mundiais investirão US$ 25 trilhões seguindo critérios de sustentabilidade US$ ,00 Fonte: Robeco Booz Allen,

8 SUSTENTABILIDADE = MAIS ACESSO AO CAPITAL Em 2008, US$300 bilhões investidos em mercados emergentes tinham alguma forma de comprometimento com a sustentabilidade US$ ,00 Mais de 80% de investidores e administradores de fundos de investimentos afirmam que as questões sociais e ambientais irão ganhar mais importância nos próximos 3 anos. Fonte: IFC 7

9 SUSTENTABILIDADE = GESTÃO DE RISCO O IFC solicita a seus clientes que integrem, em sua gestão, processos sociais e ambientais para reduzir três tipos de risco: 1. Risco de crédito 2. Risco legal 3. Risco reputacional 9

10 SUSTENTABILIDADE = REDUÇÃO DE RISCO ALGUNS EXEMPLOS: Recursos humanos: mais de 10,5% de produtividade Programas de ética: redução de 5 a 15% dos custos operacionais totais da empresa Custos processuais: grandes empresas dos EUA divulgaram média de US$ 20 milhões/ano em 2006 em custos processuais Economia em energia: de 7 a 15% de economia com custos de energia 10

11 SUSTENTABILIDADE = REDUZIR IMPACTO AMBIENTAL E CUSTOS As maiores empresas do mundo causam US$ 2,2 trilhões em danos ambientais, anualmente. Na comparação entre os menos poluidores e os grandes poluidores, em mais de 80% dos casos (44 de 54) o 1º grupo apresentou melhor desempenho, além de ROA s melhores de 1% a 6% por ano. Fonte: United Nations, 2010, and Cohen, Fenn, Conar

12 TENDÊNCIAS 2010 DO SAM (DJSI) Atualização de processos de gestão Engajamento de stakeholders Processos de inovação Gestão de risco (indústrias: gestão de risco de água) Cadeia de Suprimentos 12

13 INVESTIMENTOS EM PROJETOS AMBIENTAIS Asia, 2010: os 80 maiores fundos de pensão disbonibilizaram $10bn/ano para investimentos de baixo carbono em países em desenvolvimento. Até 2020, este valor será de $100bn/ano United Nations Environment Program Finance Initiative (UNEP FI): 85% do financiamento de projetos de combate às mudanças climáticas virá de investimentos privados Fonte: Sustentabilidade é o vetor para riscos menores; é critério para investimentos. 14

14 ÍNDICE Parte 2: Returnos em Sustentabilidade 16

15 O QUE MUDOU No passado, o importante era investir. Hoje, o importante é o retorno dos investimentos. 17

16 INVESTIMENTOS SEM CÁLCULO DE RETORNO Atualmente, não se calcula o retorno da maioria dos projetos em sustentabilidade Discurso: boas ações não precisam gerar retorno além do impacto social e ambiental, que é intangível e difícil de mensurar, além de quase ninguém conseguir calcular Estes investimentos provavelmente geram retornos altos, ainda que os gestores estejam investindo em caixas pretas se eles não sabem quais são os retornos 18

17 EXEMPLOS DE RETORNO Área de investimento Sustentável Retornos Benchmarks TI Infraestrutura Aumento de Vendas 1000% do valor investido em 3 anos. VPL Treinamento Produtividade 24% a/a R.I. - Relatório de Sustentabilidade Peso no DJSI 3% do peso da empresa no índice. Cálculo feito a partir de US$ 8 Bi * Valor de mercado da empresa Programas de ética Segurança (ganho na redução de contencioso) 500% do valor investido Programas esportivos Vendas e novos clientes 300% do valor investido 19

18 EXEMPLOS DE INVESTIMENTOS SEM RETORNO Mais de R$ 257 milhões nas áreas cultural, social e esportiva em 2009 Mais de R$ 380 milhões em investimentos socioambientais em 2009 Mais de R$ 554,5 milhões em projetos sociais, ambientais, culturais e esportivos em 2008 Fonte: Relatórios Anuais 20

19 INVESTIMENTOS SEM RETORNO = INVESTIMENTO CAIXA PRETA Gestores que gastam (investem) milhões em projetos sustentáveis sem calcular o retorno: FALTA DE TRANSPARÊNCIA: a contribuição de investimentos sustentáveis em lucros, fluxo de caixa e custo médio de capital ponderado (WACC) não são claros. 21

20 INVESTIMENTOS SEM RETORNO = INVESTIMENTO CAIXA PRETA Gestores que gastam (investem) milhões em projetos sustentáveis sem calcular o retorno: ANTIÉTICO: o dinheiro do shareholder está sendo investido sem contruir com ganhos ou desenvolvimento do preço da ação 22

21 INVESTIMENTOS SEM RETORNO = INVESTIMENTO CAIXA PRETA Gestores que gastam (investem) milhões em projetos sustentáveis sem calcular o retorno: GOVERNANÇA CORPORATIVA FRACA: benefícios para os shareholders não claros 23

22 INVESTIMENTOS SEM RETORNO = INVESTIMENTO CAIXA PRETA Gestores que gastam (investem) milhões em projetos sustentáveis sem calcular o retorno: OPORTUNIDADE PERDIDA: projetos sustentáveis lucrativos apontam para excelência de gestão, melhor fluxo de caixa, aumento do valor da ação 24

23 RETURN ON SUSTENABILITY - ROS É o primeiro método de medição de retorno financeiro de projetos/investimentos sustentáveis. 25

24 QUAL O RETORNO FINANCEIRO DE INVESTIR EM... PROGRAMAS SOCIAIS RI GOVERNANÇA CORPORATIVA ÉTICA RH TI 26

25 RETURN ON SUSTAINABILITY (ROS ): PASSOS FASE 1: Pesquisar informações e calcular retorno financeiro dos projetos de sustentabilidade para o presente e futuros anos FASE 2: Calcular e estruturar um portfólio de projetos sustentáveis ideais e balanceados, que maximizem o retorno e reduzam risco 27

26 RETURN ON SUSTAINABILITY (ROS ) FASE 1: Pesquisar informações e calcular retorno financeiro dos projetos de sustentabilidade para o presente e futuro 1) Pesquisar informações convencionais sobre os projetos (investimentos, fluxo de caixa, depreciação, projeções) 2) Pesquisar informações intangíveis (impactos nas vendas, ganho de eficiência, custo da oportunidade) 3) Calcular ganhos adicionais por projeto, fluxo de caixa livre, taxa interna de retorno, teste de sensibilidade, futuros anos, descontar custo de capital, VPL, contribuição para os ganhos da empresa e eventual aumento do valor da ação 28

27 RESULTADOS DA FASE 1 1) Aumento de transparência do projeto, sem o status de caixa preta 2) VPL positivo ou negativo; o projeto contribui com o fluxo de caixa livre da empresa ou o consome 3) Determina todos os retornos intangíveis e indiretos do projeto, como o impacto que um programa na comunidade tem nas vendas da empresa, ou a redução de custos legais de um projeto ambiental 4) Calcula a contribuição do projeto com os ganhos da empresa 5) Revela novas fontes escondidas de fluxo de caixa; analistas e investidores podem estimar ganhos futuros maiores, além de maiores dividendos e valor da ação 29

28 RETURN ON SUSTAINABILITY (ROS ) FASE 2: Calcular e estruturar um portfólio de projetos sustentáveis ideais e balanceados, que maximizem o retorno e reduzam risco 1) Considera todos os projetos como parte de um portfólio de sustentabilidade 2) Calcula o risco e retorno para cada projeto 3) Estrutura todos os programas de sustentabilidade, para que possam se complementar e maximizar o ganho, ao menor risco e custo (retornos correlacionados) 30

29 RESULTADOS DA FASE 2 Encontrar o equilíbrio ideal de projetos, que proporcione a máxima contribuição entre eles e os ganhos da empresa, ao menor custo e risco 31

30 O QUE É CONSIDERADO NO ROS INVESTIMENTOS Horas de funcionários Despesas com marketing Consultorias Ativos Auditorias RETORNOS Redução das despesas Impacto positivo nas margens e vendas Valor da empresa, market cap, volume de negociação das ações Número de clientes, fidelização Eficiência interna, produtividade Mídia espontânea 32

31 VANTAGENS DO ROS Reporte a acionistas Quantificar o retorno dos investimentos em sustentabilidade Controle do custo/benefício dos programas Ferramenta para tomada de decisão quanto à manutenção, extinção ou alteração de programas Benchmarking da lucratividade Investimentos em sustentabilidade x Outros investimentos Mudança de paradigma: centro de lucro x centro de custo. 33

32 CONTATO MANAGEMENT & EXCELLENCE Av. Pacaembu, São Paulo-SP Tel/Fax: / / Calle Serrano, 93 3B Madri - Espanha Tel: Fax:

Marketing/Vendas. Financeiro/Controladoria. Recursos Humanos e área Corporativa (por ex.. estratégia, comunicação) Outros

Marketing/Vendas. Financeiro/Controladoria. Recursos Humanos e área Corporativa (por ex.. estratégia, comunicação) Outros Favor indicar sua função na empresa: 54% N=107 5% 11% 2% 12% 16% P&D Marketing/Vendas Produção Financeiro/Controladoria Recursos Humanos e área Corporativa (por ex.. estratégia, comunicação) Outros Outros:

Leia mais

Ferramentas para a Gestão da Sustentabilidade na Indústria da Mineração Mª Sulema Pioli ERM Brasil Ltda Setembro 2009

Ferramentas para a Gestão da Sustentabilidade na Indústria da Mineração Mª Sulema Pioli ERM Brasil Ltda Setembro 2009 Ferramentas para a Gestão da Sustentabilidade na Indústria da Mineração Mª Sulema Pioli ERM Brasil Ltda Setembro 2009 Conteúdo da apresentação Breve contexto Indutores da Gestão da Sustentabilidade Gestão

Leia mais

Processo 2013. 05 de março de 2013. www.isebvmf.com.br

Processo 2013. 05 de março de 2013. www.isebvmf.com.br Processo 2013 05 de março de 2013 www.isebvmf.com.br Conselho Deliberativo do ISE (CISE) Órgão máximo de governança do índice Tem como missão garantir um processo transparente de construção do índice e

Leia mais

ABRAPP Relatório Social 2010 PERFIL DO SETOR E TRANSPARÊNCIA

ABRAPP Relatório Social 2010 PERFIL DO SETOR E TRANSPARÊNCIA ABRAPP Relatório Social PERFIL DO SETOR 15 GOVERNANÇA CORPORATIVA E TRANSPARÊNCIA ABRAPP Relatório Social 1 Uma boa governança, além de contemplar a autogestão das organizações, limitando-se à preocupação

Leia mais

POLÍTICA DE SUSTENTABILIDADE E RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL

POLÍTICA DE SUSTENTABILIDADE E RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL DE SUSTENTABILIDADE E RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL 2/11 Sumário 1. Conceito... 3 2. Objetivo... 3 3. Áreas de aplicação... 3 4. Diretrizes... 4 4.1 Princípios... 4 4.2 Estratégia de e Responsabilidade

Leia mais

Sustentabilidade em seguros: oportunidades e riscos

Sustentabilidade em seguros: oportunidades e riscos Sustentabilidade em seguros: oportunidades e riscos Adriana Boscov Superintendente de Sustentabilidade Empresarial SulAmérica Seguros, Previdência e Investimentos QUAL A RELAÇÃO DE SUSTENTABILIDADE COM

Leia mais

SUSTENTABILIDAD FAZ PARTE DO NOSSO NEGÓCIO JULHO DE 2012

SUSTENTABILIDAD FAZ PARTE DO NOSSO NEGÓCIO JULHO DE 2012 SUSTENTABILIDAD FAZ PARTE E DO NOSSO NEGÓCIO JULHO DE 2012 SANTANDER NO MUNDO 102 milhões DE CLIENTES * 14.756 AGÊNCIAS * 193.349 * FUNCIONÁRIOS * dezembro 2011 SANTANDER NO BRASIL 20,1 milhões CONTAS-CORRENTES

Leia mais

P&D Marketing/Vendas Produção Financeiro/Controladoria RH e área Corporativa Outros

P&D Marketing/Vendas Produção Financeiro/Controladoria RH e área Corporativa Outros Favor indicar sua função na empresa: 37% 23% N=30 7% 13% 7% 13% P&D Marketing/Vendas Produção Financeiro/Controladoria RH e área Corporativa Outros Outros: Agrônomo Agrícola Gestão da Qualidade e Meio

Leia mais

Questionário de Levantamento de Informações

Questionário de Levantamento de Informações Questionário de Levantamento de Informações Critérios para Inclusão de Empresas no Fundo Ethical 1 INTRODUÇÃO Nos últimos anos se observou um aumento significativo da preocupação das empresas com questões

Leia mais

1ºAgroMarketing O ALINHAMENTO DO PLANEJAMENTO DE MARKETING AO BUSINESS-PLAN DE EMPRESAS DO AGRONEGÓCIO. Mauricio Sampaio

1ºAgroMarketing O ALINHAMENTO DO PLANEJAMENTO DE MARKETING AO BUSINESS-PLAN DE EMPRESAS DO AGRONEGÓCIO. Mauricio Sampaio 1ºAgroMarketing O ALINHAMENTO DO PLANEJAMENTO DE MARKETING AO BUSINESS-PLAN DE EMPRESAS DO AGRONEGÓCIO Mauricio Sampaio Definições e Conceitos Visão Missão Administração Estratégica Planejamento Estratégico

Leia mais

1º Congresso Alianças Sociais Responsabilidade Social Corporativa em prol da Sustentabilidade

1º Congresso Alianças Sociais Responsabilidade Social Corporativa em prol da Sustentabilidade 1º Congresso Alianças Sociais Responsabilidade Social Corporativa em prol da Sustentabilidade Curitiba 30 de outubro de 2012 Agenda Sustentabilidade: Várias Visões do Empresariado Desenvolvimento sustentável;

Leia mais

POLÍTICAS DE GESTÃO PROCESSO DE SUSTENTABILIDADE

POLÍTICAS DE GESTÃO PROCESSO DE SUSTENTABILIDADE POLÍTICAS DE GESTÃO PROCESSO DE SUSTENTABILIDADE 1) OBJETIVOS - Apresentar de forma transparente as diretrizes de sustentabilidade que permeiam a estratégia e a gestão; - Fomentar e apoiar internamente

Leia mais

ITAÚ UNIBANCO. conclui migração e clientes passam a ter rede integrada de atendimento

ITAÚ UNIBANCO. conclui migração e clientes passam a ter rede integrada de atendimento ITAÚ UNIBANCO conclui migração e clientes passam a ter rede integrada de atendimento Antes mesmo de completar dois anos da maior fusão do sistema financeiro brasileiro, o Itaú Unibanco concluiu em outubro

Leia mais

Fitch Afirma Rating da Unidas; Perspectiva Revisada Para Positiva

Fitch Afirma Rating da Unidas; Perspectiva Revisada Para Positiva Fitch Afirma Rating da Unidas; Perspectiva Revisada Para Positiva 13 Fev 2015 17h00 Fitch Ratings - Rio de Janeiro, 13 de fevereiro de 2015: A Fitch Ratings afirmou, hoje, o Rating Nacional de Longo Prazo

Leia mais

Política de Combate a Suborno e Corrupção. Revisão Data Itens Alterados Elaboradores Aprovadores

Política de Combate a Suborno e Corrupção. Revisão Data Itens Alterados Elaboradores Aprovadores Revisão Data Itens Alterados Elaboradores Aprovadores 00 12/02/2015 Original Natalia Simões Araujo (Coordenadora Funções Corporativas e Compliance) Antonio Ferreira Martins (Vice- Presidente Jurídico e

Leia mais

Crescimento com Sustentabilidade

Crescimento com Sustentabilidade Crescimento com Sustentabilidade Luiz Fernando Rolla Diretor de Finanças, Relações com Investidores e Controle de Participações 1 Termo de Renúncia Algumas declarações constantes nesta apresentação são

Leia mais

POLÍTICA DE SUSTENTABILIDADE DO GRUPO INVEPAR

POLÍTICA DE SUSTENTABILIDADE DO GRUPO INVEPAR DE DO GRUPO INVEPAR PÁGINA Nº 2/5 1. INTRODUÇÃO Desenvolver a gestão sustentável e responsável nas suas concessões é um componente fundamental da missão Invepar de prover e operar sistemas de mobilidade

Leia mais

Financiamento de Construções Sustentáveis Desafios e Possibilidades. Brasília, 20 de Agosto 2009

Financiamento de Construções Sustentáveis Desafios e Possibilidades. Brasília, 20 de Agosto 2009 Financiamento de Construções Sustentáveis Desafios e Possibilidades Brasília, 20 de Agosto 2009 Nossa Crença Porque Construção Civil Obra Sustentável O que aprendemos? Nossa Crença Nossa Crença Um país

Leia mais

Cidadania Global na HP

Cidadania Global na HP Cidadania Global na HP Mensagem abrangente Com o alcance global da HP, vem sua responsabilidade global. Levamos a sério nossa função como ativo econômico, intelectual e social para as Comunidades em que

Leia mais

Gerenciamento de Projetos. Faculdade Unisaber 2º Sem 2009

Gerenciamento de Projetos. Faculdade Unisaber 2º Sem 2009 Semana de Tecnologia Gerenciamento de Projetos Faculdade Unisaber 2º Sem 2009 ferreiradasilva.celio@gmail.com O que é um Projeto? Projeto é um "esforço temporário empreendido para criar um produto, serviço

Leia mais

DIVULGAÇÃO DE RESULTADOS 4T05 e 2005

DIVULGAÇÃO DE RESULTADOS 4T05 e 2005 DIVULGAÇÃO DE RESULTADOS 4T05 e 2005 Americana SP, 23 de março de 2005 A VIVAX S.A. (Bovespa: VVAX11), ou Companhia, segunda maior operadora de TV a Cabo do Brasil, em número de assinantes, e uma das principais

Leia mais

POLÍTICA DE INVESTIMENTO RESPONSÁVEL E DE RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL

POLÍTICA DE INVESTIMENTO RESPONSÁVEL E DE RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL SUL AMÉRICA INVESTIMENTOS DISTRIBUIDORA DE TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS S.A POLÍTICA DE INVESTIMENTO RESPONSÁVEL E DE RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL Índice: 1 OBJETIVO 2 2 CONCEITOS E DEFINIÇÕES 2 3

Leia mais

Michel Epelbaum ellux consultoria

Michel Epelbaum ellux consultoria Michel Epelbaum ellux consultoria 70 s e 80 s: controle e auditorias ambientais 1987: Relatório Brundtland 1991: ICC - Carta Empr. p/ o Des. Sust. 1992: ECO 92 Agenda 21 1992: WBCSD conceito de eco-eficiência

Leia mais

EXPO MONEY SP - 2011

EXPO MONEY SP - 2011 EXPO MONEY SP - 2011 VISÃO GERAL DA ESTÁCIO Atuação Geográfica¹ PRINCIPAIS INDICADORES Universidade Faculdade Centro Universitário Em processo de credenciamento para se tornar Centro Univers. 241.000 Alunos

Leia mais

Índice. RS no Brasil Nossa Empresa Governança Corporativa Nossos Números Análise Comparativa Sustentabilidade Projeções e Estimativas

Índice. RS no Brasil Nossa Empresa Governança Corporativa Nossos Números Análise Comparativa Sustentabilidade Projeções e Estimativas CICLO APIMEC 2010 Índice RS no Brasil Nossa Empresa Governança Corporativa Nossos Números Análise Comparativa Sustentabilidade Projeções e Estimativas 3 RS no Brasil DADOS DEMOGRÁFICOS RS BRASIL População

Leia mais

Resultados da Pesquisa IDIS de Investimento Social na Comunidade 2004

Resultados da Pesquisa IDIS de Investimento Social na Comunidade 2004 Resultados da Pesquisa IDIS de Investimento Social na Comunidade 2004 Por Zilda Knoploch, presidente da Enfoque Pesquisa de Marketing Este material foi elaborado pela Enfoque Pesquisa de Marketing, empresa

Leia mais

Promover um ambiente de trabalho inclusivo que ofereça igualdade de oportunidades;

Promover um ambiente de trabalho inclusivo que ofereça igualdade de oportunidades; POLÍTICA DE SUSTENTABILIDADE OBJETIVO Esta Política tem como objetivos: - Apresentar as diretrizes de sustentabilidade que permeiam a estratégia e a gestão; - Fomentar e apoiar internamente as inovações

Leia mais

Gestão de Riscos Circular 3.477/2009

Gestão de Riscos Circular 3.477/2009 Gestão de Riscos Circular 3.477/2009 1 Trimestre de 2012 ÍNDICE 1 INTRODUÇÃO... 3 2 PERFIL DO BANCO... 3 3 RESUMO DA ESTRUTURA DE GESTÃO DE RISCOS... 3 4 RISCO DE CRÉDITO... 3 5 RISCO DE MERCADO... 8 6

Leia mais

GERDAU S.A. Informações consolidadas 1T09 07/05/09

GERDAU S.A. Informações consolidadas 1T09 07/05/09 Visão Ser uma empresa siderúrgica global, entre as mais rentáveis do setor. Missão A Gerdau é uma empresa com foco em siderurgia, que busca satisfazer as necessidades dos clientes e criar valor para os

Leia mais

Divulgação de Resultados 3T15

Divulgação de Resultados 3T15 São Paulo - SP, 4 de Novembro de 2015. A Tarpon Investimentos S.A. ( Tarpon ou Companhia ), por meio de suas subsidiárias, realiza a gestão de fundos e carteiras de investimentos em bolsa e private equity

Leia mais

A Bolsa e a sustentabilidade

A Bolsa e a sustentabilidade A Bolsa e a sustentabilidade Izalco Sardenberg Diretor Instituto BM&FBOVESPA Outubro/2009 BM&FBOVESPA Quem somos Maior bolsa da América Latina. Uma das 5 maiores do mundo em valor de mercado (US$ 15 bilhões).

Leia mais

Dimensão Ambiental GRUPO IF

Dimensão Ambiental GRUPO IF Dimensão Ambiental GRUPO IF Serviços Financeiros Instituições Financeiras, Seguradoras Dimensão Ambiental 119 GRUPO IF... 118 CRITÉRIO I - POLÍTICA... 120 INDICADOR 1. COMPROMISSO, ABRANGÊNCIA E DIVULGAÇÃO

Leia mais

Solicitação para Chamada de Propostas

Solicitação para Chamada de Propostas Solicitação para Chamada de Propostas Melhores Capacidades e Avaliações dos Estoques de Carbono Segunda Parcela Histórico Dezembro 2014 O Fundo GCF: O Fundo dos Governadores para o Clima e Florestas (Fundo

Leia mais

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU ESPECIALIZAÇÃO MBA em Gestão Financeira, Controladoria e Auditoria

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU ESPECIALIZAÇÃO MBA em Gestão Financeira, Controladoria e Auditoria CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU ESPECIALIZAÇÃO MBA em Gestão Financeira, Controladoria e Auditoria 1 OBJETIVO: Proporcionar aos participantes uma visão prática do ponto de vista de mercado e correta

Leia mais

Principais estudos e a perspectiva dos investidores. Roberta Simonetti GVces

Principais estudos e a perspectiva dos investidores. Roberta Simonetti GVces O VALOR DO ISE Principais estudos e a perspectiva dos investidores Roberta Simonetti GVces Conteúdo Principais tendências: investidores e executivos Risco vs. Retorno Ganhos de valor Valores tangíveis

Leia mais

Plano de Negócios 2011-2015

Plano de Negócios 2011-2015 PETRÓLEO BRASILEIRO S.A. - PETROBRAS Companhia Aberta FATO RELEVANTE Plano de Negócios 2011-2015 Rio de Janeiro, 22 de julho de 2011 Petróleo Brasileiro S.A. Petrobras comunica que seu Conselho de Administração

Leia mais

EXTRATO DA POLÍTICA DE GESTÃO DE RISCOS

EXTRATO DA POLÍTICA DE GESTÃO DE RISCOS 1 OBJETIVO Fornecer as diretrizes para a Gestão de Riscos da Fibria, assim como conceituar, detalhar e documentar as atividades a ela relacionadas. 2 ABRANGÊNCIA Abrange todas as áreas da Fibria que, direta

Leia mais

3T11 Teleconferência de Resultados

3T11 Teleconferência de Resultados 3T11 Teleconferência de Resultados 16 de novembro de 2011 A GP Investments apresenta seus resultados de private equity excluindo as participações de não-controladores com o objetivo de refletir a sua participação

Leia mais

Julho/2011 Volcei Marcon Gabriel Albino

Julho/2011 Volcei Marcon Gabriel Albino Workshop Descrição de cargos Julho/2011 Volcei Marcon Gabriel Albino Agenda 1 2 3 Nossa metodologia O Projeto Workshop de Descrição de Cargos 2011 Hay Group. All rights reserved 1 01 Nossa metodologia

Leia mais

Marco Legal para Negócios Sustentáveis no Brasil

Marco Legal para Negócios Sustentáveis no Brasil Marco Legal para Negócios Sustentáveis no Brasil Vinicius Diniz Vizzotto, LL.M Mestrando em Direito Internacional Econômico Universidade Federal do Rio Grande do Sul Fórum Fundo Vale 08 de maio de 2012

Leia mais

O valor de ser sustentável

O valor de ser sustentável Visão Sustentável O valor de ser sustentável Os investimentos socialmente responsáveis vêm ganhando espaço mundialmente. No Brasil, há fundos de ações com foco em sustentabilidade, além do ISE Criselli

Leia mais

Engajamento para Erradicação do Trabalho Escravo no Brasil

Engajamento para Erradicação do Trabalho Escravo no Brasil Engajamento para Erradicação do Trabalho Escravo no Brasil Membros EXPEDIENTE Coordenação do GVces Mario Monzoni e Rachel Biderman Realização Fórum Latino-Americano de Finanças Sustentáveis LASFF Centro

Leia mais

Governança Corporativa e Sustentabilidade. Carlos Eduardo Lessa Brandão celb@iname.com (11) 9221-7444

Governança Corporativa e Sustentabilidade. Carlos Eduardo Lessa Brandão celb@iname.com (11) 9221-7444 Governança Corporativa e Sustentabilidade Carlos Eduardo Lessa Brandão celb@iname.com (11) 9221-7444 Londrina, 21 de outubro de 2010 Conteúdo Governança Corporativa Sustentabilidade Cooperativas IBGC Perguntas

Leia mais

O QUE É CFROI CASH FLOW RETURN ON

O QUE É CFROI CASH FLOW RETURN ON 1 O QUE É CFROI CASH FLOW RETURN ON Métricas de Retorno Os direcionadores do retorno total do acionista -TSR O CFROI passo a passo Francisco Cavalcante(f_c_a@uol.com.br) Administrador de Empresas graduado

Leia mais

Impacto da BOA Gestão Financeira sobre o Resultado Empresarial. UMA VISÃO PANORÂMICA 2014 Prof. José Carlos Abreu

Impacto da BOA Gestão Financeira sobre o Resultado Empresarial. UMA VISÃO PANORÂMICA 2014 Prof. José Carlos Abreu Impacto da BOA Gestão Financeira sobre o Resultado Empresarial UMA VISÃO PANORÂMICA 2014 Prof. José Carlos Abreu O Cenário - Pesquisa do SEBRAE - Pesquisas das grandes CONSULTORIAS nos USA e em diversos

Leia mais

Vantagens e Cuidados na utilização do Valor Econômico Agregado - EVA

Vantagens e Cuidados na utilização do Valor Econômico Agregado - EVA Vantagens e Cuidados na utilização do Valor Econômico Agregado - EVA REVISANDO O CÁLCULO DO EVA QUAIS AS VANTAGENS DA UTILIZAÇÃO DA MÉTRICA EVA? COMO FAZER OS AJUSTES NA AVALIAÇÃO DOS S / INVESTIMENTOS?

Leia mais

Investimentos Sustentáveis. Potenciais ganhos com a sustentabilidade

Investimentos Sustentáveis. Potenciais ganhos com a sustentabilidade Investimentos Sustentáveis Potenciais ganhos com a sustentabilidade 22 de setembro de 2011 O Ambiente dos Investimentos Socialmente Responsáveis (SRI) Na ótica da sustentabilidade, e de como ela pode ser

Leia mais

Gestão de Riscos Circular 3.477/2009. 3 Trimestre de 2013 ÍNDICE

Gestão de Riscos Circular 3.477/2009. 3 Trimestre de 2013 ÍNDICE Gestão de Riscos Circular 3.477/2009 3 Trimestre de 2013 ÍNDICE 1 INTRODUÇÃO... 3 2 PERFIL DO BANCO... 3 3 RESUMO DA ESTRUTURA DE GESTÃO DE RISCOS... 3 4 RISCO DE CRÉDITO... 3 4.1 Definição... 3 4.2 Gestão

Leia mais

EM QUATRO DIMENSÕES. companhias que. processo de. Diego Barreto Gerente de RI, Lopes. Nelson Pazikas Eternit. Diretor Presidente da Total RI

EM QUATRO DIMENSÕES. companhias que. processo de. Diego Barreto Gerente de RI, Lopes. Nelson Pazikas Eternit. Diretor Presidente da Total RI A experiência de companhias que estão em processo de implementação Diego Barreto Gerente de RI, Lopes Nelson Pazikas Eternit EM QUATRO DIMENSÕES Mediador: Valter Faria Diretor Presidente da Total RI São

Leia mais

Gestão de Riscos Circular 3.477/2009

Gestão de Riscos Circular 3.477/2009 Gestão de Riscos Circular 3.477/2009 1 Trimestre de 2013 ÍNDICE 1 INTRODUÇÃO... 3 2 PERFIL DO BANCO... 3 3 RESUMO DA ESTRUTURA DE GESTÃO DE RISCOS... 3 4 RISCO DE CRÉDITO... 3 4.1 Definição... 3 4.2 Gestão

Leia mais

Ministério Público do Estado de Goiás

Ministério Público do Estado de Goiás Ministério Público do Estado de Goiás Apresentação Inicial PMO Institucional MP-GO 1 Um projeto é um esforço temporário empreendido para criar um produto, serviço ou resultado exclusivo. Em muitos casos

Leia mais

Desempenho de Operações. EAD 0763 Aula 2 Livro Texto Cap.2 Leonardo Gomes

Desempenho de Operações. EAD 0763 Aula 2 Livro Texto Cap.2 Leonardo Gomes Desempenho de Operações EAD 0763 Aula 2 Livro Texto Cap.2 Leonardo Gomes Agenda da aula 1 Desempenho de operações 2 Estudo de caso Capítulo 2- Desempenho de Operações Desempenho de operações Como avaliar

Leia mais

GESTÃO ESTRATÉGICA X RESULTADOS. IV CURSO DE GESTÃO DE QUALIDADE BOS SOROCABA 25 de Outubro de 2013

GESTÃO ESTRATÉGICA X RESULTADOS. IV CURSO DE GESTÃO DE QUALIDADE BOS SOROCABA 25 de Outubro de 2013 GESTÃO ESTRATÉGICA X RESULTADOS IV CURSO DE GESTÃO DE QUALIDADE BOS SOROCABA 25 de Outubro de 2013 Pode dizer-me que caminho devo tomar? Isto depende do lugar para onde você quer ir. (Respondeu com muito

Leia mais

Excelência Operacional em Obras Públicas. Como maximizar valor para construtoras, governo e comunidade.

Excelência Operacional em Obras Públicas. Como maximizar valor para construtoras, governo e comunidade. Excelência Operacional em Obras Públicas Como maximizar valor para construtoras, governo e comunidade. Introdução O setor da construção no Brasil vem se profissionalizando ao longo dos anos, se adaptando

Leia mais

Unidade III AVALIAÇÃO DE EMPRESAS. Prof. Rubens Pardini

Unidade III AVALIAÇÃO DE EMPRESAS. Prof. Rubens Pardini Unidade III AVALIAÇÃO DE EMPRESAS Prof. Rubens Pardini Conteúdo programático Unidade I Avaliação de empresas metodologias simples Unidade II Avaliação de empresas metodologias aplicadas Unidade III Avaliação

Leia mais

Pesquisa de opinião Profissional de comunicação e sustentabilidade

Pesquisa de opinião Profissional de comunicação e sustentabilidade Pesquisa de opinião Profissional de comunicação e sustentabilidade O Instituto ABERJE de Pesquisas (DATABERJE) realizou uma pesquisa de opinião sobre sustentabilidade com mulheres da área de comunicação,

Leia mais

Seminário sobre Recuperação de Empresas. 10 de Outubro de 2007

Seminário sobre Recuperação de Empresas. 10 de Outubro de 2007 Seminário sobre Recuperação de Empresas 10 de Outubro de 2007 1 Aviso Importante Esta apresentação pode incluir declarações que representem expectativas sobre eventos ou resultados futuros de acordo com

Leia mais

Política de Responsabilidade Corporativa

Política de Responsabilidade Corporativa Política de Responsabilidade Corporativa Índice 1. Introdução...04 2. Área de aplicação...04 3. Compromissos e princípios de atuação...04 3.1. Excelência no serviço...05 3.2. Compromisso com os resultados...05

Leia mais

Sustentabilidade em energia e o concreto. Sonia Maria Capraro Alcântara, MSc

Sustentabilidade em energia e o concreto. Sonia Maria Capraro Alcântara, MSc Sustentabilidade em energia e o concreto Sonia Maria Capraro Alcântara, MSc RESPONSABILIDADE SOCIAL EMPRESARIAL GRI IBASE Responsabilidade Social & Sustentabilidade Empresarial 1999 2001 a 2003 2006 AÇÃO

Leia mais

Destaques do Relatório Anual de Sustentabilidade 2008. Itaú Unibanco Banco Múltiplo S.A.

Destaques do Relatório Anual de Sustentabilidade 2008. Itaú Unibanco Banco Múltiplo S.A. Destaques do Relatório Anual de Sustentabilidade 2008 Itaú Unibanco Banco Múltiplo S.A. > A íntegra deste relatório está disponível no site www.itauunibanco.com.br/relatoriodesustentabilidade 108 mil colaboradores

Leia mais

SULAMERICA INVESTIMENTOS Apresentação Institucional. Novembro/2011

SULAMERICA INVESTIMENTOS Apresentação Institucional. Novembro/2011 SULAMERICA INVESTIMENTOS Apresentação Institucional Novembro/2011 3 A SULAMERICA VOCÊ JÁ CONHECE 116 anos no mercado 4.925 funcionários 6,7 milhões de clientes 45 filiais 256 escritórios de venda Maior

Leia mais

A Estratégia de Responsabilidade Social da CAIXA em seus 148 anos

A Estratégia de Responsabilidade Social da CAIXA em seus 148 anos A Estratégia de Responsabilidade Social da CAIXA em seus 148 anos Superintendência Regional de Negócios Rio de Janeiro Centro Plínio Magalhães Fonseca Gerente Regional 07 de Outubro de 2009 Responsabilidade

Leia mais

Ações Itaú em foco. Informativo para acionistas Ano 12 3º trimestre de 2015

Ações Itaú em foco. Informativo para acionistas Ano 12 3º trimestre de 2015 Ações Itaú em foco Informativo para acionistas Ano 12 3º trimestre de 2015 nº 48 www.itau.com.br/relacoes-com-investidores facebook.com/itauunibancori @itauunibanco_ri Recompra de Ações No período de janeiro

Leia mais

O estado da arte da sustentabilidade empresarial. A gestão da sustentabilidade como pilar de sucesso das companhias no longo prazo

O estado da arte da sustentabilidade empresarial. A gestão da sustentabilidade como pilar de sucesso das companhias no longo prazo O estado da arte da sustentabilidade empresarial A gestão da sustentabilidade como pilar de sucesso das companhias no longo prazo A Usina82 Missão Contribuir para que companhias de todos os setores incorporem

Leia mais

Suporte Financeiro a projetos de Geração Distribuída e Auto Geração. Alvaro Silveira Atla Consultoria Administrador Oficial IDB EEGM

Suporte Financeiro a projetos de Geração Distribuída e Auto Geração. Alvaro Silveira Atla Consultoria Administrador Oficial IDB EEGM Suporte Financeiro a projetos de Geração Distribuída e Auto Geração Alvaro Silveira Atla Consultoria Administrador Oficial IDB EEGM Desde 1959 A principal fonte de financiamento para o desenvolvimento

Leia mais

Unidade II. Unidade II

Unidade II. Unidade II Unidade II REESTRUTURAÇÃO FINANCEIRA NAS ORGANIZAÇÕES Neste módulo, estudaremos como ocorre a reestruturação financeira nas empresas, apresentando um modelo de planejamento de revitalização, com suas características

Leia mais

2º Seminário Internacional CANA & ENERGIA GERAÇÃO COORDENADA GANHOS PARA OS PARTICIPANTES

2º Seminário Internacional CANA & ENERGIA GERAÇÃO COORDENADA GANHOS PARA OS PARTICIPANTES 2º Seminário Internacional CANA & ENERGIA GERAÇÃO COORDENADA GANHOS PARA OS PARTICIPANTES Fabio Ramos, Ph.D. Diretor da RHE Consultoria e Participações Ltda. 29/08/2002 Considerações Iniciais Potência

Leia mais

Gestão dos Pequenos Negócios

Gestão dos Pequenos Negócios Gestão dos Pequenos Negócios x Rangel Miranda Gerente Regional do Sebrae Porto Velho, RO, 20 de outubro de 2015 A Conjuntura Atual Queda na produção industrial Desemprego Alta dos juros Restrição ao crédito

Leia mais

DEMONSTRAÇÃO DO VALOR ADICIONADO

DEMONSTRAÇÃO DO VALOR ADICIONADO Olá, pessoal! Hoje trago uma aula sobre a Demonstração do Valor Adicionado DVA, que foi recentemente tornada obrigatória para as companhias abertas pela Lei 11.638/07, que incluiu o inciso V ao art. 176

Leia mais

KROTON EDUCACIONAL S/A

KROTON EDUCACIONAL S/A KROTON EDUCACIONAL S/A Divulgação dos Resultados 2T10 12/08/2010 Disclaimer O material que se segue é uma apresentação de informações gerais da Kroton Educacional S.A ( Kroton ). Esta apresentação foi

Leia mais

Relatório Econômico Mensal Maio de 2013. Turim Family Office & Investment Management

Relatório Econômico Mensal Maio de 2013. Turim Family Office & Investment Management Relatório Econômico Mensal Maio de 2013 Turim Family Office & Investment Management TÓPICOS Economia Global: Estados Unidos...Pág.3 Europa...Pág.4 Economia Brasileira: Produto Interno Bruto...Pág.5 Política

Leia mais

Unidade Ribeirão Preto -SP

Unidade Ribeirão Preto -SP Unidade Ribeirão Preto -SP Gestão Estratégica de Controladoria O papel da controladoria na gestão estratégica de uma empresa Curriculum Luís Valíni Neto Técnico Contábil Administrador de Empresas pela

Leia mais

Economia em Perspectiva 2012-2013

Economia em Perspectiva 2012-2013 Economia em Perspectiva 2012-2013 Porto Alegre, 28 Nov 2012 Igor Morais igor@vokin.com.br Porto Alegre, 13 de março de 2012 Economia Internacional EUA Recuperação Lenta Evolução da Produção Industrial

Leia mais

Percepção do setor: O que está provocando as ações a respeito das mudanças climáticas nas maiores companhias do mundo?

Percepção do setor: O que está provocando as ações a respeito das mudanças climáticas nas maiores companhias do mundo? Percepção do setor: O que está provocando as ações a respeito das mudanças climáticas nas maiores companhias do mundo? As empresas enfrentam cada vez mais riscos climáticos e choques políticos. Como as

Leia mais

sustentável Crescimento

sustentável Crescimento sustentável Crescimento A população urbana aumenta de forma significativa, e gestores têm o desafio de buscar soluções criativas e inovadoras para financiar a infraestrutura necessária a esse contingente

Leia mais

CURSO 2014 MG GOVERNANÇA CORPORATIVA - PRINCÍPIOS E PRÁTICAS

CURSO 2014 MG GOVERNANÇA CORPORATIVA - PRINCÍPIOS E PRÁTICAS Apoio: CURSO 2014 MG GOVERNANÇA CORPORATIVA - PRINCÍPIOS E PRÁTICAS Neste curso o IBGC aborda, com uma visão prática, os motivadores para a aplicação dos instrumentos de Governança Corporativa. Destaca

Leia mais

Gestão Operacional do Negócio Distribuição Alinhada ao Modelo Regulatório. José Maria de Macedo

Gestão Operacional do Negócio Distribuição Alinhada ao Modelo Regulatório. José Maria de Macedo Gestão Operacional do Negócio Distribuição Alinhada ao Modelo Regulatório José Maria de Macedo Diretor de Distribuição e Comercialização Maio de 2008 1/XX Cemig Distribuição em números Descrições Posição:

Leia mais

DELOITE TOUCHE TOHMATSU Código PO-SIGA POLITICA CORPORATIVA Revisão 02

DELOITE TOUCHE TOHMATSU Código PO-SIGA POLITICA CORPORATIVA Revisão 02 Pagina 1/6 ÍNDICE 1. OBJETIVO...3 2. ABRANGÊNCIA / APLICAÇÃO...3 3. REFERÊNCIAS...3 4. DEFINIÇÕES...3 5. DIRETRIZES E RESPONSABILIDADES...4 5.1 POLITICAS...4 5.2 COMPROMISSOS...4 5.3 RESPONSABILIDADES...5

Leia mais

Verdade inconveniente

Verdade inconveniente gestão Verdade inconveniente A onda verde, por enquanto, é muito mais ilusão do que realidade. Há muitos obstáculos a vencer para que as empresas se tornem, de fato, virtuosas por adriana wilner 22 vol.7

Leia mais

ANGOLA BANKING SERIES GOVERNANÇA CORPORATIVA 14 HORAS FORMAÇÃO À MEDIDA ANGOLA BANKING SERIES

ANGOLA BANKING SERIES GOVERNANÇA CORPORATIVA 14 HORAS FORMAÇÃO À MEDIDA ANGOLA BANKING SERIES GOVERNANÇA CORPORATIVA 14 HORAS FORMAÇÃO À MEDIDA ANGOLA BANKING SERIES OBJECTIVOS DO CURSO Saiba como prevenir, detectar e implementar medidas que garantam um Bom Governo Empresarial Conheça as melhores

Leia mais

13º SEMINÁRIO DE SEGURANÇA, SAÚDE, MEIO AMBIENTE E RESPONSABILIDADE SOCIAL 2º SEMINÁRIO DA QUALIDADE

13º SEMINÁRIO DE SEGURANÇA, SAÚDE, MEIO AMBIENTE E RESPONSABILIDADE SOCIAL 2º SEMINÁRIO DA QUALIDADE 13º SEMINÁRIO DE SEGURANÇA, SAÚDE, MEIO AMBIENTE E RESPONSABILIDADE SOCIAL 2º SEMINÁRIO DA QUALIDADE O PLANEJAMENTO COMO FERRAMENTA DE PREVENÇÃO DE PERDAS E OTIMIZAÇÃO DE RESULTADOS Alternativas para a

Leia mais

Política de Responsabilidade Socioambiental PRSA

Política de Responsabilidade Socioambiental PRSA 1. OBJETIVO Em atendimento à Resolução do Banco Central do Brasil nº 4.327 de 25 de abril de 2014, que dispõe sobre as diretrizes que devem ser observadas no estabelecimento e na implementação da Política

Leia mais

SGI SISTEMA DE GESTÃO INTEGRADO

SGI SISTEMA DE GESTÃO INTEGRADO SGI SISTEMA DE GESTÃO INTEGRADO Qual o significado de ISO? ISO International Organization for Standardization, é uma organização não governamental com sede em Genebra, na Suíça, que foi criada em 1946

Leia mais

ICATU HARTFORD MANAGING PEOPLE. Sustentabilidade Corporativa

ICATU HARTFORD MANAGING PEOPLE. Sustentabilidade Corporativa ICATU HARTFORD MANAGING PEOPLE Sustentabilidade Corporativa F U N D A Ç Ã O B R A S I L E I R A P A R A O D E S E N V O L V I M E N T O S U S T E N T Á V E L Índice A FBDS Sustentabilidade Corporativa

Leia mais

Em Boa Companhia Sustentabilidade em Pequenas e Médias Empresas

Em Boa Companhia Sustentabilidade em Pequenas e Médias Empresas Em Boa Companhia Sustentabilidade em Pequenas e Médias Empresas Clarissa Lins F U N D A Ç Ã O B R A S I L E I R A P A R A O D E S E N V O L V I M E N T O S U S T E N T Á V E L A FBDS Perfil 2 Fundação

Leia mais

Sustentabilidade faz parte do Negócio. Nasser Takieddine

Sustentabilidade faz parte do Negócio. Nasser Takieddine Sustentabilidade faz parte do Negócio Nasser Takieddine O CONCEITO Desenvolvimento sustentável é aquele que satisfaz as necessidades do presente sem comprometer a capacidade de as futuras gerações satisfazerem

Leia mais

Apresentação Geral - 2014

Apresentação Geral - 2014 Apresentação Geral - 2014 - Introdução - Quando usar Gestores Interinos - O Ciclo de Vida do Gestor Interino - Serviços na América Latina Introdução O que é Interim Management? É a prestação temporária

Leia mais

Análise de Risco Socioambiental na Concessão de Crédito

Análise de Risco Socioambiental na Concessão de Crédito Análise de Risco Socioambiental na Concessão de Crédito Ines Silva Novembro/2010 Há Muitas Formas de Definir Sustentabilidade A melhor maneira de entender é vendo como funciona na prática Imagine se cada...

Leia mais

Criação de valor em uma nova era de engajamento

Criação de valor em uma nova era de engajamento Governança Corporativa e Relações com Investidores Criação de valor em uma nova era de engajamento Pesquisa 015 O papel do RI na governança das empresas É com grande satisfação que a Deloitte e o Instituto

Leia mais

Conselho Deliberativo do ISE (CISE)

Conselho Deliberativo do ISE (CISE) 1 Conselho Deliberativo do ISE (CISE) Órgão máximo de governança do índice. Tem como missão garantir um processo transparente de construção do índice e de seleção das empresas. Composto por representantes

Leia mais

Desenvolvimento de Negócios & Finanças Corporativas

Desenvolvimento de Negócios & Finanças Corporativas Desenvolvimento de Negócios & Finanças Corporativas 2 www.nbs.com.br Soluções eficazes em Gestão de Negócios. Nossa Visão Ser referência em consultoria de desenvolvimento e implementação de estratégias,

Leia mais

QUALIDADE DA INFORMAÇÃO Sem Precisar Trocar o Sistema da Sua Empresa

QUALIDADE DA INFORMAÇÃO Sem Precisar Trocar o Sistema da Sua Empresa PERFIL Nome: SILVIO LUIZ DO PRADO Contato: (062) 8201-2226 - Goiânia GO E-mail: silvio.controller@terra.com.br Skype: silvio.prado1 Profissão: Contador CRC-GO 60645 Formação: Bacharel em Ciências Contábeis

Leia mais

ANÁLISE FUNDAMENTALISTA COM FOCO PARA A RECOMENDAÇÃO DE COMPRA / VENDA DE AÇÕES

ANÁLISE FUNDAMENTALISTA COM FOCO PARA A RECOMENDAÇÃO DE COMPRA / VENDA DE AÇÕES ANÁLISE FUNDAMENTALISTA COM FOCO PARA A RECOMENDAÇÃO DE COMPRA / VENDA DE AÇÕES! A análise do desempenho histórico! Análise setorial! Análise de múltiplos! Elaboração de projeções de resultados! Determinação

Leia mais

Países em que a organização opera e em que suas principais operações estão localizadas

Países em que a organização opera e em que suas principais operações estão localizadas ÍNDICE REMISSIVO GRI GRI G434 Opção de acordo Essencial CONTEÚDOS PADRÃO GERAIS Indicador e Descrição Onde encontrar / Resposta ESTRATÉGIA E ANÁLISE G41 Mensagem do Presidente Mensagem do Presidente PERFIL

Leia mais

A Norma ABNT NBR ISO 50001 Gestão de energia. André Carvalho

A Norma ABNT NBR ISO 50001 Gestão de energia. André Carvalho Normalização A Norma ABNT NBR ISO 50001 Gestão de energia Cursos André Carvalho Analista Técnico Certificação ABNT Associação Brasileira de Normas Técnicas - ABNT Normalização Entidade sem fins lucrativos

Leia mais

USO DA CONTABILIDADE AMBIENTAL NAS EMPRESAS

USO DA CONTABILIDADE AMBIENTAL NAS EMPRESAS USO DA CONTABILIDADE AMBIENTAL NAS EMPRESAS 1 Ana Cristina de Castro Alves, 2 Robernei Aparecido de Lima. 1 Rua Benedito Andrade, 1205 Galo Branco 12247-540 São José dos Campos, São Paulo administração@aasjc.org.br

Leia mais

Assessoria de Imprensa. Oficina de Comunicação Apex-Brasil. O papel estratégico da Assessoria de Imprensa

Assessoria de Imprensa. Oficina de Comunicação Apex-Brasil. O papel estratégico da Assessoria de Imprensa Assessoria de Imprensa Oficina de Comunicação Apex-Brasil O papel estratégico da Assessoria de Imprensa Relacionamento com a Mídia - Demonstrar o papel das entidades como fonte; - Cultivar postura de credibilidade;

Leia mais

Workshop Políticas e Práticas Socioambientais nas Instituições Financeiras. São Paulo, 1º de dezembro de 2011

Workshop Políticas e Práticas Socioambientais nas Instituições Financeiras. São Paulo, 1º de dezembro de 2011 Workshop Políticas e Práticas Socioambientais nas Instituições Financeiras São Paulo, 1º de dezembro de 2011 Sistema Financeiro Nacional Políticas de RSA, Governança, Produtos e Gerenciamento de Risco

Leia mais

A crise financeira global e as expectativas de mercado para 2009

A crise financeira global e as expectativas de mercado para 2009 A crise financeira global e as expectativas de mercado para 2009 Luciano Luiz Manarin D Agostini * RESUMO - Diante do cenário de crise financeira internacional, o estudo mostra as expectativas de mercado

Leia mais