Criminalidade no Brasil

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Criminalidade no Brasil"

Transcrição

1 Criminalidade no Brasil Instituto Avante Brasil Diretor- Presidente: Luiz Flávio Gomes Coordenação e elaboração de pesquisa: Flávia Mestriner Botelho

2 De acordo com um levantamento realizado pelo Instituto Avante Brasil, com dados atualizados pelo Ministério da Saúde, houve uma evolução de 0,8% no número de homicídios no Brasil entre 2012 e 2013, passando de mortes para Já no número de mortes proporcionais houve queda de 2,7%, já que em 2012 chegamos a 29 mortes para 100 mil habitantes e em 2013 foram registradas 28,3 mortes por 100 mil habitantes.

3 Homicídios no Brasil ,7 12, Mortes absolutas ,3 22,2 20, , ,7 27,8 28,5 28,9 Taxa de mortes por 100 mil hab ,8 26,3 25,2 26, ,3 27, , Instituto Avante Brasil; Datasus

4 Consoante o delitômetro projetado pelo Instituto Avante Brasil, se a taxa de homicídios continuar a crescer de acordo com a taxa média de crescimento dos últimos anos, que entre 2004 e 2013 foi de 1,14%, é possível prever que em 2063 o Brasil supere o número de 100 mil mortes anuais, ou seja 275 por dia e 11 mortes por hora. Dessa forma, totalizaremos mais de 4,8 milhões de mortes entre 1980 e 2063.

5 Unidade da Federação Homicídios População Taxa de mortes por 100 mil hab. em 2013 Homicídios nos Estados em 2013 Taxa de mortes por 100 mil hab. em 2012 Evolução da taxa 12/13 (%) % homicídios relacionada UF Posição no Posição no ranking de ranking de homicídios em homicídios em Alagoas ,1 64,6 0,7 3,8% 1º 1º Ceará ,0 44,6 14,2 7,9% 4º 2º Goiás ,2 45,4 1,7 5,2% 3º 3º Sergipe ,0 41,6 5,6 1,7% 6º 4º Roraima ,8 30,5 43,8 0,4% 17º 5º Rio Grande do Norte ,9 34,8 23,2 2,5% 13º 6º Pará ,5 41,5 2,5 6,0% 7º 7º Espírito Santo ,2 46,6-9,5 2,9% 2º 8º Paraíba ,6 40-0,9 2,7% 8º 9º Bahia ,9 41,9-11,9 9,8% 5º 10º Mato Grosso ,3 34 6,7 2,0% 14º 11º Pernambuco ,9 37,2-8,8 5,5% 10º 12º Maranhão ,8 26,4 20,6 3,8% 22º 13º Amazonas ,3 37,4-16,4 2,1% 9º 14º Amapá ,6 36,2-15,4 0,4% 11º 15º Acre ,1 27,4 10,0 0,4% 19º 16º Distrito Federal ,9 35,9-16,6 1,5% 12º 17º Rio de Janeiro ,8 28,3 5,5 8,6% 18º 18º Rondônia , ,7 0,8% 15º 19º Paraná ,5 32,7-19,1 5,1% 16º 20º Mato Grosso do Sul ,3 27,2-10,8 1,1% 20º 21º Tocantins ,6 26,7-11,6 0,6% 21º 22º Minas Gerais ,9 23-0,5 8,3% 23º 23º Rio Grande do Sul ,7 21,9-5,4 4,1% 24º 24º Piauí ,7 16,6 12,6 1,0% 25º 25º São Paulo ,5 15,1-10,8 10,4% 26º 26º Santa Catarina ,7 12,7-8,0 1,4% 27º 27º BRASIL ,3 29-2,6 100% 13º 12º Fonte: Dataus; IBGE

6 Roraima foi a região que apresentou maior crescimento nesse período, 43,8. Paraná acompanhou a maior queda, -19,1%. Santa Catarina, o estado com o menor número de mortes violentas apresentou queda de 8% e São Paulo, o estado com o maior número de mortes absolutas, apresentou queda de 10,8% no período.

7 Homicídios nas Capitais em 2013 Unidade da Federação Homicídios População Taxa de homicídios por 100 mil hab. Fortaleza ,4 Maceió ,9 São Luís ,4 João Pessoa ,2 Belém ,8 Natal ,8 Salvador ,3 Goiânia ,7 Aracaju ,2 Manaus ,8 Teresina ,7 Boa Vista ,5 Cuiabá ,6 Vitória ,2 Porto Velho ,7 Rio Branco ,5 Porto Alegre ,3 Belo Horizonte ,1 Macapá ,7 Recife ,6 Brasília ,9 Curitiba ,4 Palmas ,8 Rio de Janeiro ,4 Campo Grande ,2 São Paulo ,8 Florianópolis ,4 Total das capitais ,1 Fonte: Datasus; IBGE

8 Alagoas foi o estado que mais registrou mortes por latrocínio, seguido de Sergipe e Acre. Mato Grosso e Rio Grande do Norte registraram a maior taxa de lesão corporal seguida de morte. Amazonas, Amapá e Rio de Janeiro foram os estados com maior número de roubos de veículo em As ocorrências por tráfico de entorpecente tiveram suas maiores taxas no Espírito Santo, no Acre e em Minas Gerais. Já, os estupros foram mais recorrentes em Roraima, Mato Grosso do Sul e Rondônia.

9 Criminalidade no Brasil em 2013 Estados Latrocínio Lesão Corporal seguida de morte Roubo de veículos Tráfico de entorpecentes Estupro Taxa por 100 mil habitantes Acre 1,7 0,4 97,7 141,4 44,3 Alagoas 2,4 0,3 522,3 23,4 15,5 Amapá 0,9 0,8 62,2 32,3 45,4 Amazonas 0,9 0,9 555,5 80,3 37,5 Bahia 1,0 0,8 412,8 35,4 19,1 Ceará 1,2 0,9 393,1 37,7 19,0 Distrito Federal 1,0 0,2 274,2 74,0 30,4 Espírito Santo 0,9 0,5 259,6 144,2 12,1 Goiás 1,5 0,2 287,7 49,3 6,8 Maranhão 0,9 1,3 171,4 15,1 15,1 Mato Grosso 1,5 2,0 209,6 92,0 44,0 Mato Grosso do Sul 1,0 0,6 71,5 105,5 48,7 Minas Gerais 0,5 0,3 94,6 116,9 6,9 Pará 2,0 0,5 306,2 53,8 37,7 Paraíba 0,5 0,1 40,4 9,6 8,7 Paraná 0,4 0,8 120,3 68,4 32,5 Pernambuco 0,8 0,9 297,1 54,8 26,3 Piauí 0,9 0,5 193,2 16,1 13,9 Rio de Janeiro 0,9 0,2 502,9 79,1 34,2 Rio Grande do Norte 0,3 2,0 169,1 8,5 7,0 Rio Grande do Sul 1,0 0,4 202,9 89,2 31,6 Rondônia 0,6 0,2 163,8 64,8 48,1 Roraima 0,6 1,2 119,8 14,9 66,4 Santa Catarina 0,6 0,6 51,4 75,7 44,3 São Paulo 0, ,0 99,5 27,5 Sergipe 1,8 0,4 272,8 23,1 21,3 Tocantins 1,3 0,5 55,8 43,4 30,5 Brasil 0,9 0,5 280,4 73,2 25 Levantamento realizado pelo Instituto Avante Brasil- Fonte: Fórum Brasileiro de Segurança Pública Os dados informados correspondem ao volume de ocorrências policiais registradas e não, necessariamente, indicam o número de vítimas envolvidas

10 Roubos no Brasil em 2012 e 2013 Crimes Evolução em termos Absolutos Taxa Absolutos Taxa absolutos (%) Roubos (Total) , ,8 12,1 Roubos a veículos , ,4 13,0 Roubos a instituição financeira , ,2-3,9 Latrocínio , ,9 2,3 Roubos (outros) , ,3 12,1 1 Taxa por 100 mil habitante; 2 Taxa por 100 mil veículos; 3 Taxa por 1 mil instituições financeiras. Instituto Avante Brasil, Fórum Brasileiro de Segurança Pública

11 No Brasil, o roubo é um dos crimes que mais vem crescendo nos últimos anos. Só em 2013, foram registrados mais 1 milhão e 100 mil roubos entre veículos, taxa de 598,8 roubos para cada grupo de 100 mil habitantes. Países como a Coréia do Sul, por exemplo, registram apenas 8 para cada 100 mil em No total de roubos, estão incluídas as seguintes ocorrências: outros roubos, roubo a instituição financeira, roubo a ou de veículo de transporte de valores (carro-forte), roubo a transeunte, roubo com restrição de liberdade da vítima, roubo de carga, roubo de Veículo, roubo em estabelecimento comercial ou de serviços, roubo em residência, roubo em transporte coletivo. Os latrocínios, roubo seguido de morte, tiveram um crescimento de 2,3% entre 2012 e 2013.

12 Estados Roubos (totais) Roubos Criminalidade nos estados Roubos a veículos Roubos a instituição financeira Roubos (outros) Taxa por 100 mil hab. Acre ,0 97,7 37,6 532,0 1,7 Alagoas ,8 522,3 157,3 289,4 2,4 Amapá ,6 62,2 16,3 475,2 0,9 Amazonas ,6 555,5 30,4 608,6 0,9 Bahia ,1 412,8 37,5 332,7 1,0 Ceará ,2 393,1... 3,4 1,2 Distritor Federal ,1 274,2 1,1 982,6 1,0 Espiríto Santo ,8 259,6 8,7 409,8 0,9 Goiás ,2 287,7 7,6 398,7 1,5 Maranhão ,0 171,4 168,2 453,8 0,9 Mato Grosso ,0 209,6 19,5 372,0 1,5 Mato Grosso do Sul ,6 71,5 16,0 231,1 1,0 Minas Gerais ,1 94,6 14,1 366,7 0,5 Pará ,9 306,2 17,5 1299,8 2,0 Paraiba ,8 40,4 48,5 95,7 0,5 Paraná ,2 120,3 76,7 538,6 0,4 Pernambuco ,1 297,1 37,4 478,4 0,8 Piauí ,9 193,2 13,3 414,7 0,9 Rio de Janeiro ,6 502,9 11,4 575,9 0,9 Rio Grande do Norte ,1 169,1 11,1 102,7 0,3 Rio Grande do Sul ,0 202,9 9,6 448,2 1,0 Rondônia ,5 163,8 16,4 763,2 0,6 Roraima ,5 119,8 4,8 390,0 0,6 Santa Catarina ,2 51,4 15,4 138,9 0,6 São Paulo ,9 402,0 12,1 568,6 0,9 Sergipe ,3 272,8 66,2 518,4 1,8 Tocantins ,1 55,8 58,2 143,9 1,3 Instituto Avante Brasil, Fórum Brasileiro de Segurança Pública Latrocínio

13 Consoante a taxa de roubos nos estados, o Pará é, assustadoramente o estado com maior número de roubos no país, contabilizando em 2013, mais de 1355 roubos para cada grupo de 100 mil habitantes, dez vezes mais que o estado com a menor taxa, o Ceará, que registrou nesse período 113 roubos para cada 100 mil habitantes. São Paulo é o estado com o maior número de roubos absolutos, registrando em 2011, mais de 355 mil roubos, com uma taxa de 812 por 100 mil habitantes.

14 FURTOS PELO MUNDO Taxa de roubos em diversos países pelo mundo Países Roubos Taxa por 100 mil hab. Ano Suécia Estados Unidos , Itália India , Reino Unido , Austrália , Bélgica , Dinamarca , Rússia , Brasil Japão , Singapura 254 4, México , Indonésia , Levantamento realizado pelo Instituto Avante Brasil Fonte: UNODC, Fórum Brasileiro de Segurança Pública

15 ROUBOS NA AMÉRICA LATINA EM Taxa de roubos na América Latina em 2013 (por 100 mil hab.) , ,8 595,7 490, ,5 230, ,9 84,3 0 Costa Rica Brasil México Uruguai Peru Paraguai Honduras Colômbia Jamaica El salvador Fonte: Instituto Avante Brasil; UNODC

16 ROUBOS NA AMÉRICA LATINA De acordo com dados disponibilizados pelo Escritório das Nações Unidas para o Crime e as Drogas, em 2012 e o do Fórum Brasileiro de Segurança Pública, o Brasil só ficava atrás do Costa Rica, superando o México, entre os países da América Latina com dados disponíveis, para a taxa de roubos, em 2013.

17 HOMICÍDIOS NA AMÉRICA LATINA América Latina Homicídios dolosos na América Latina Evolução no Período Países número de mortes (%) Argentina 5,8 5,5 5, ,7 Belize 35,1 32,2 41,8 39,2 44,7 45,1 28,5 Bolívia 8,6 8,4 10, ,1 12,1 40,7 Brasil 29,5 30,8 27,4 27, ,3-4,1 Chile 3,5 3,7 3,2 3,7 3,1 3,1-11,4 Colômbia 33 33,7 32,3 33,6 30,8 31,8-3,6 Costa Rica 11,3 11,4 11,3 10 8,5 8,4-25,7 Cuba ,2 4,7 - El Salvador 51,7 70,9 64,1 69,9 41,2 39,8-23,0 Equador 18 17,8 17,6 15,4 12,4 12,4-31,1 Guatemala 46,1 46,5 41,6 38,6 39,9 34,6-24,9 Haiti 5,2 6,1 6,8 9,1 10,2 10,2 96,2 Honduras 60,8 70,7 81,8 91,4 90,4 84,3 38,7 México 12, ,8 22,8 21,5 18,9 54,9 Nicarágua ,5 12,5 11,3 11,3-13,1 Panamá 18,4 22,6 20,6 20,3 17,2 17,2-6,5 Paraguai 13,4 12,9 11,5 10 9,7 8,9-33,6 Peru 11,6 10,3 9,3 9,6 9,6 6,7-42,2 República Dominicana 24, ,7 24,8 22, ,6 Uruguai 6,6 6,7 6,1 5,9 7,9 7,7 16,7 Venezuela 51,9 48, ,8 53,7 53,6 3,3 Levantamento realizado pelo Instituto Avante Brasil Fonte: UNODC e DATASUS

18 HOMICÍDIOS NA AMÉRICA LATINA O país com a maior taxa de mortes em 2013 foi Honduras, que chegou a uma taxa exorbitante de 84,3 mortes para cada 100 mil habitantes, vindo de uma crescimento de 38% desde Dos 21 países listados, 12 apresentaram queda na taxa de mortes nos últimos anos. Chile e Cuba foram os países que em 2013 obtiveram as menores taxa, o Chile ainda apresentou queda de 11,4%.

19 HOMICÍDIOS NA AMÉRICA LATINA Ao lado de Honduras, Venezuela (53,6) e El Salvador (39,8) e apresentaram as maiores taxas de mortes por 100 mil habitantes em Já os maiores aumentos nas taxas ficaram a cargo do Haiti (96%), México (54,9%) e Bolívia (40,7%), e responsáveis pelas maiores quedas nessas taxas foram Peru (42,2%), Paraguai (33,6%) e Equador (31,1%). O Brasil, entre 2008 e 2013, apresentou queda de 4,1%, mas uma alta taxa de 28,2 mortes para cada 100 mil habitantes.

20 GASTOS COM SEGURANÇA PÚBLICA NO BRASIL ESTADOS GASTOS COM SEGURANÇA PÚBLICA E PRISÕES TOTAL DE GASTOS COM SEGURANÇA PÚBLICA E PRISÕES (INCLUINDO POLICIAMENTO, DEFESA CIVIL, INFORMAÇÃO E INTELIGÊNCIA E SUBFUNÇÕES)(EM R$) EVOLUÇÃO (%) INVESTIMENTO MÉDIO (EM R$) VARIAÇÃO (EM %) ACRE , , , , , ,20 66, ,27 9,60 ALAGOAS , , , , , ,40 68, ,61 24,47 AMAPÁ , , , , , ,54-77, ,65 35,01 AMAZONAS , , , , , ,12 98, ,38 7,09 BAHIA , , , , , ,83 63, ,61-5,07 CEARÁ , , , , , ,01 133, ,85-0,94 DISTRITO FEDERAL , , , , , ,12 338, ,89 15,20 ESPÍRITO SANTO , , , , , ,97 62, ,51 15,25 GOIÁS , , , , , ,48 69, ,12 6,56 MARANHÃO , , , , , ,48 73, ,54 5,62 MATO GROSSO , , , , , ,63 56, ,03 9,18 MATO GROSSO DO SUL , , , , , ,43 37, ,32-12,78 MINAS GERAIS , , , , , ,78 19, ,95 19,26 PARÁ , , , , , ,02 85, ,06 12,34 PARAÍBA , , , , , ,57 77, ,66 14,70 PARANÁ , , , , , ,79 101, ,65 13,85 PERNAMBUCO , , , , , ,12 72, ,98 1,53 PIAUÍ , , , , , ,68-47, ,43-61,72 RIO DE JANEIRO , , , , , ,44 42, ,38 24,75 RIO GRANDE DO NORTE , , , , , ,42 44, ,80-14,87 RIO GRANDE DO SUL , , , , , ,03 85, ,02 15,75 RONDÔNIA , , , , , ,51 68, ,50 6,73 RORAIMA , , , , , ,74 33, ,18 25,27 SANTA CATARINA , , , , , ,66 819, ,02 12,34 SÃO PAULO , , , , , ,52 3, ,51 7,29 SERGIPE , , , , , ,24 98, ,49-10,14 TOCANTINS , , , , , ,56 112, ,27 7,11 UNIÃO , , , , , ,92 38, ,00 4,98 TOTAL , , , , , ,21 45, ,39 9,00 (-) FENÔMENO INEXISTENTE FÓRUM BRASILEIRO DE SEGURANÇA PÚBLICA; INSTITUTO AVANTE BRASIL

21 GASTOS COM SEGURANÇA PÚBLICA NO BRASIL ESTADOS GASTOS COM SEGURANÇA PÚBLICA E PRISÕES POLICIAMENTO (EM R$) EVOLUÇÃO (%) INVESTIMENTO MÉDIO (EM R$) VARIAÇÃO (EM %) ACRE , , , , , ,98 106, ,26 10,91 ALAGOAS , , , , , ,26 31, ,53 12,58 AMAPÁ , , , , , ,48 71, ,50 49,90 AMAZONAS , , , , , ,56 200, ,64 11,32 BAHIA , , , , , ,89 565, ,52 0,53 CEARÁ , , , , , ,94 144, ,48 6,91 DISTRITO FEDERAL , , , , , ,75-24, ,86 32,14 ESPÍRITO SANTO , , , , , ,51 55, ,72 48,94 GOIÁS , , , , , ,97 77, ,14 6,28 MARANHÃO , , , , , ,84 104, ,36-11,44 MATO GROSSO , , , , , ,51 35, ,26-9,60 MATO GROSSO DO SUL , , , , , ,52 19, ,51-15,47 MINAS GERAIS , , , , , ,68 5, ,37 61,78 PARÁ , , , , , ,08-8, ,90 37,54 PARAÍBA , , , , , ,55 163, ,36-48,42 PARANÁ , , , , , ,73 108, ,69 13,29 PERNAMBUCO , , , , , ,55 117, ,12 9,02 PIAUÍ , , , , , ,20 49, ,04 61,94 RIO DE JANEIRO , , , , , ,68 107, ,10-5,46 RIO GRANDE DO NORTE , , , , , , , ,89-14,61 RIO GRANDE DO SUL , , , , , ,23 54, ,50 18,36 RONDÔNIA , , , , , ,28 51, ,76 5,06 RORAIMA , , , , , ,06 14, ,55 21,32 SANTA CATARINA , , , , , ,75 201, ,08 117,03 SÃO PAULO , , , , , ,64 3, ,05 7,74 SERGIPE , , , , , ,55 60, ,28-20,75 TOCANTINS , , , , , ,11 143, ,29 1,16 UNIÃO , , , , , ,47 62, ,10 16,24 TOTAL , , , , , ,85 37, ,87 7,78 (-) FENÔMENO INEXISTENTE FÓRUM BRASILEIRO DE SEGURANÇA PÚBLICA; INSTITUTO AVANTE BRASIL

22 GASTOS COM SEGURANÇA PÚBLICA NO BRASIL ESTADOS GASTOS COM SEGURANÇA PÚBLICA E PRISÕES INFORMAÇÃO E INTELIGÊNCIA (EM R$) EVOLUÇÃO (%) INVESTIMENTO MÉDIO (EM R$) VARIAÇÃO (EM %) ACRE , , , , , ,04-3, ,35 5,42 ALAGOAS ,23 690, , , , , , ,18-21,42 AMAPÁ , , , , ,51 - AMAZONAS , , , , , ,00-94, ,63 81,37 BAHIA , , , , , ,80 263, ,65-56,41 CEARÁ , , , , , ,46-11, ,76-52,68 DISTRITO FEDERAL ESPÍRITO SANTO , , , , , ,73-61, ,43-15,59 GOIÁS , , , , , ,90-80, ,45 718,95 MARANHÃO MATO GROSSO , , , , , ,06 871, ,87 12,77 MATO GROSSO DO SUL , , , , , , , ,52 28,35 MINAS GERAIS , , , , , ,41 87, ,89 12,85 PARÁ , , , , , ,08 863, ,27 127,57 PARAÍBA , , , , , ,33 23, ,46 67,05 PARANÁ , , , , , ,65 197, ,13 92,73 PERNAMBUCO , , , , , ,56-48, ,83-72,15 PIAUÍ , ,39 - RIO DE JANEIRO , , , , ,40-76, ,17-13,43 RIO GRANDE DO NORTE RIO GRANDE DO SUL , , , , , ,14-81, ,23-89,17 RONDÔNIA RORAIMA , , , , , ,27 194, ,02 57,28 SANTA CATARINA , ,75 - SÃO PAULO , , , , , ,91 149, ,67 17,37 SERGIPE , ,22 - TOCANTINS , , , , , , , ,01 365,56 UNIÃO , , , , , ,29 432, ,20 47,85 TOTAL , , , , , ,84 232, ,15 27,20 (-) FENÔMENO INEXISTENTE FÓRUM BRASILEIRO DE SEGURANÇA PÚBLICA; INSTITUTO AVANTE BRASIL

23 BIBLIOGRAFIA DATASUS/SIM SISTEMA DE INFORMAÇÃO PARA A MORTALIDADE DO MINISTÉRIO DA SAÚDE FÓRUM BRASILEIRO DE SEGURANÇA PÚBLICA UNODC ESCRITÓRIO DAS NAÇÕES UNIDAS PARA DROGAS E CRIMES

Criminalidade no Brasil

Criminalidade no Brasil Criminalidade no Brasil Instituto Avante Brasil Diretor- Presidente: Luiz Flávio Gomes Coordenação e elaboração de pesquisa: Flávia Mestriner Botelho CRIMINALIDADE NO BRASIL De acordo com um levantamento

Leia mais

IMIGRANTES NO BRASIL: O CASO DA ENFERMAGEM. Ana Luiza Stiebler Vieira Carmen Lúcia Lupi Monteiro Garcia Carmem de Almeida da Silva

IMIGRANTES NO BRASIL: O CASO DA ENFERMAGEM. Ana Luiza Stiebler Vieira Carmen Lúcia Lupi Monteiro Garcia Carmem de Almeida da Silva IMIGRANTES NO BRASIL: O CASO DA ENFERMAGEM Ana Luiza Stiebler Vieira Carmen Lúcia Lupi Monteiro Garcia Carmem de Almeida da Silva Objetivo: analisar os imigrantes da área de no Brasil Justificativa Referencial

Leia mais

NÚMERO DE ACIDENTES POR DIA DA SEMANA

NÚMERO DE ACIDENTES POR DIA DA SEMANA RODOVIÁRIAS Quadro 13 - UF: ACRE Ano de 211 82 5 6 8 9 5 3 14 4 11 9 4 4 63 2 4 7 6 6 9 4 8 4 4 3 6 68 4 2 8 3 1 8 4 9 2 6 7 5 63 3 6 3 2 13 9 8 7 5 1 5 1 67 4 2 9 6 8 5 5 7 6 6 4 5 85 3 7 1 1 4 7 9 6

Leia mais

RANKING NACIONAL DO TRABALHO INFANTIL (5 a 17 ANOS) QUADRO COMPARATIVO DOS DADOS DA PNAD (2008 e 2009)

RANKING NACIONAL DO TRABALHO INFANTIL (5 a 17 ANOS) QUADRO COMPARATIVO DOS DADOS DA PNAD (2008 e 2009) NACIONAL DO TRABALHO INFANTIL (5 a 17 ANOS) QUADRO COMPARATIVO DOS DADOS DA PNAD (2008 e 2009) População Ocupada 5 a 17 anos 2008 Taxa de Ocupação 2008 Posição no Ranking 2008 População Ocupada 5 a 17

Leia mais

FLUXO MANUTENÇÃO, REPARAÇÃO E INSTALAÇÃO DE MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009

FLUXO MANUTENÇÃO, REPARAÇÃO E INSTALAÇÃO DE MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009 FLUXO MANUTENÇÃO, REPARAÇÃO E INSTALAÇÃO DE MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009 Entradas e Saídas de Mercadorias Base 2009 FLUXO MANUTENÇÃO, REPARAÇÃO E INSTALAÇÃO

Leia mais

Redução de Homicídios no Brasil

Redução de Homicídios no Brasil Ministério da Saúde MS Secretaria de Vigilância em Saúde - SVS Redução de Homicídios no Brasil SUMÁRIO INTRODUÇÃO... 1 METODOLOGIA DE ANÁLISE... 1 RESULTADOS... 2 Homicídios no Brasil... 2 Óbitos por Arma

Leia mais

FLUXO ATIVIDADES IMOBILIÁRIAS POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009

FLUXO ATIVIDADES IMOBILIÁRIAS POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009 FLUXO POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009 Entradas e Saídas de Mercadorias Base 2009 FLUXO, POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA - 2009 Estados Norte 7.938 0,37 0 0,00-7.938 0,37

Leia mais

Instituto Avante Brasil Diretor-Presidente: Luiz Flávio Gomes Coordenadora e Pesquisadora: Flávia Mestriner Botelho Data: Janeiro de 2014

Instituto Avante Brasil Diretor-Presidente: Luiz Flávio Gomes Coordenadora e Pesquisadora: Flávia Mestriner Botelho Data: Janeiro de 2014 Instituto Avante Brasil Diretor-Presidente: Luiz Flávio Gomes Coordenadora e Pesquisadora: Flávia Mestriner Botelho Data: Janeiro de 2014 SISTEMA PENITENCIÁRIO BRASILEIRO: EVOLUÇÃO DA POPULAÇÃO CARCERÁRIA

Leia mais

Tabela 4 - Participação das atividades econômicas no valor adicionado bruto a preços básicos, por Unidades da Federação - 2010

Tabela 4 - Participação das atividades econômicas no valor adicionado bruto a preços básicos, por Unidades da Federação - 2010 Contas Regionais do Brasil 2010 (continua) Brasil Agropecuária 5,3 Indústria 28,1 Indústria extrativa 3,0 Indústrias de transformação 16,2 Construção civil 5,7 Produção e distribuição de eletricidade e

Leia mais

Para a REDEBLH, o futuro é agora

Para a REDEBLH, o futuro é agora Para a REDEBLH, o futuro é agora Planejamento Estratégico Paulo Ricardo da Silva Maia FIOCRUZ/IFF/REDEBLH pmaia@fiocruz.br Set-2011 O quadro Fonte: Vincent Van Gogh Gallery A Foto Primeira foto colorida.

Leia mais

FLUXO FABRICAÇÃO DE MÁQUINAS, APARELHOS E MATERIAIS ELÉTRICOS POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA - 2009

FLUXO FABRICAÇÃO DE MÁQUINAS, APARELHOS E MATERIAIS ELÉTRICOS POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA - 2009 FLUXO FABRICAÇÃO DE MÁQUINAS, APARELHOS E MATERIAIS ELÉTRICOS POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA - 2009 Entradas e Saídas de Mercadorias Base 2009 FLUXO, POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DAPARAÍBA

Leia mais

HOMICÍDIOS DE MULHERES NO BRASIL EM 2013

HOMICÍDIOS DE MULHERES NO BRASIL EM 2013 HOMICÍDIOS DE MULHERES NO BRASIL EM 2013 INSTITUTO AVANTE BRASIL Diretor- Presidente: Luiz Flávio Gomes Pesquisadora: Flávia Mestriner Botelho VIOLÊNCIA GLOBAL CONTRA DAS MULHERES - (ONU) De acordo com

Leia mais

RESUMO GERAL Atualizada até 31/12/2012

RESUMO GERAL Atualizada até 31/12/2012 Gabinete do Ministro - GM Coordenação Geral de Imigração - CGIg Atualizado até 30/09/2011 RESUMO GERAL Atualizada até 31/12/2012 1 Gabinete do Ministro - GM Coordenação Geral de Imigração - CGIg Autorizações

Leia mais

RESUMO GERAL Atualizada até 30/09/2012

RESUMO GERAL Atualizada até 30/09/2012 Gabinete do Ministro - GM Coordenação Geral de Imigração - CGIg Atualizado até 30/09/2011 RESUMO GERAL Atualizada até 30/09/2012 1 Gabinete do Ministro - GM Coordenação Geral de Imigração - CGIg Autorizações

Leia mais

Contabilizando para o Cidadão Entendendo as Finanças Públicas

Contabilizando para o Cidadão Entendendo as Finanças Públicas Nº de Famílias Beneficiadas pelo Bolsa Família em Relação ao Total de Famílias do Nº de Famílias Beneficiadas / Total de Famílias - ano 2015 (%) 50,00% 48,2% 42,8% Média Nacional - % de Famílias Beneficiadas

Leia mais

Tabela 1 - Conta de produção por operações e saldos, segundo as Grandes Regiões e as Unidades da Federação - 2004-2008

Tabela 1 - Conta de produção por operações e saldos, segundo as Grandes Regiões e as Unidades da Federação - 2004-2008 (continua) Produção 5 308 622 4 624 012 4 122 416 3 786 683 3 432 735 1 766 477 1 944 430 2 087 995 2 336 154 2 728 512 Consumo intermediário produtos 451 754 373 487 335 063 304 986 275 240 1 941 498

Leia mais

FLUXO TELECOMINICAÇÕES COM FIO POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA - 2009

FLUXO TELECOMINICAÇÕES COM FIO POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA - 2009 FLUXO TELECOMINICAÇÕES COM FIO POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA - 2009 Entradas e Saídas de Mercadorias Base 2009 FLUXO TELECOMINICAÇÕES COM FIO POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA

Leia mais

FLUXO ATIVIDADES DOS SERVIÇOS DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO, POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009

FLUXO ATIVIDADES DOS SERVIÇOS DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO, POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009 FLUXO ATIVIDADES DOS DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO, POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009 Entradas e Saídas de Mercadorias Base 2009 FLUXO, POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA - 2009

Leia mais

Introduction to Latin American Economies. Fabio Fonseca, Senior Director, FIESP

Introduction to Latin American Economies. Fabio Fonseca, Senior Director, FIESP Introduction to Latin American Economies Fabio Fonseca, Senior Director, FIESP América Latina México América Central Guianas América Andina América Platina Brasil México América Latina México América Central

Leia mais

FLUXO TRANSPORTE AQUAVIÁRIO POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA - 2009

FLUXO TRANSPORTE AQUAVIÁRIO POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA - 2009 FLUXO POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA - 2009 Entradas e Saídas de Mercadorias Base 2009 FLUXO, POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA - 2009 Estados Norte 0 0,00 0 0 0 0,00 Rondônia

Leia mais

PORTO ALEGRE E DEMAIS CAPITAIS BRASILEIRAS

PORTO ALEGRE E DEMAIS CAPITAIS BRASILEIRAS Equipe de Vigilância de Eventos Vitais, Doenças e Agravos não Transmissíveis Coordenadoria Geral de Vigilância em Saúde Secretaria Municipal da Saúde da Prefeitura Municipal de Porto Alegre PORTO ALEGRE

Leia mais

Figura 1: Distribuição de CAPS no Brasil, 25. RORAIMA AMAPÁ AMAZONAS PARÁ MARANHÃO CEARÁ RIO GRANDE DO NORTE PAIUÍ PERNAMBUCO ACRE ALAGOAS SERGIPE TOCANTINS RONDÔNIA PARAÍBA BAHIA MATO GROSSO DISTRITO

Leia mais

FLUXO ATIVIDADES DE SEDES DE EMPRESAS E DE CONSULTORIA EM GESTÃO EMPRESARIAL POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO DO ESTADO DA PARAÍBA 2009

FLUXO ATIVIDADES DE SEDES DE EMPRESAS E DE CONSULTORIA EM GESTÃO EMPRESARIAL POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO DO ESTADO DA PARAÍBA 2009 FLUXO ATIVIDADES DE SEDES DE EMPRESAS E DE CONSULTORIA EM GESTÃO EMPRESARIAL POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO DO ESTADO DA PARAÍBA 2009 Entradas e Saídas de Mercadorias Base 2009 FLUXO ATIVIDADES DE SEDES DE EMPRESAS

Leia mais

FLUXO DE ATIVIDADES DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE INFORMAÇÃO POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009

FLUXO DE ATIVIDADES DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE INFORMAÇÃO POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009 FLUXO DE ATIVIDADES DE PRESTAÇÃO DE DE INFORMAÇÃO POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009 Entradas e Saídas de Mercadorias Base 2009 FLUXO DE, POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA -

Leia mais

Estatísticas básicas de turismo. Brasil

Estatísticas básicas de turismo. Brasil Estatísticas básicas de turismo Brasil Brasília, outubro de 2010 Estatísticas básicas de turismo Índice Páginas I - Turismo no mundo 1. Fluxo receptivo internacional 1.1 - Chegadas de turistas internacionais

Leia mais

SUFICIÊNCIA DE REDE: Ligia Bahia Ronir Raggio Luiz Maria Lucia Werneck Vianna. Edital 005/2014 ANS/OPAS

SUFICIÊNCIA DE REDE: Ligia Bahia Ronir Raggio Luiz Maria Lucia Werneck Vianna. Edital 005/2014 ANS/OPAS SUFICIÊNCIA DE REDE: UM ESTUDO ECOLÓGICO SOBRE BENEFICIÁRIOS E REDES DE CUIDADOS À SAÚDE A PARTIR DE ANÁLISES EXPLORATÓRIAS DAS PROPORÇÕES DE PARTOS CESARIANOS E TAXAS DE MORTALIDADE POR CÂNCER DE MAMA

Leia mais

HIV/aids no Brasil - 2012

HIV/aids no Brasil - 2012 HIV/aids no Brasil - 2012 Departamento de DST, Aids e Hepatites Virais Secretaria de Vigilância em Saúde Ministério da Saúde Novembro de 2012 HIV Dados gerais Prevalência do HIV maior entre homens (15

Leia mais

PIB DO ESTADO DE RONDÔNIA 2007

PIB DO ESTADO DE RONDÔNIA 2007 PIB DO ESTADO DE RONDÔNIA 2007 Para o ano de 2007, o Produto Interno Bruto PIB do Estado de Rondônia apresentou um crescimento de 5,2% em relação ao ano anterior, ficando assim com 16ª a colocação no ranking

Leia mais

Grandes Regiões e Unidades da Federação: Esperança de vida ao nascer segundo projeção populacional: 1980, 1991-2030 - Ambos os sexos

Grandes Regiões e Unidades da Federação: Esperança de vida ao nascer segundo projeção populacional: 1980, 1991-2030 - Ambos os sexos e Unidades da Federação: Esperança de vida ao nascer segundo projeção populacional: 1980, 1991-2030 - Ambos os sexos Unidades da Federação 1980 1991 1992 1993 1994 1995 1996 1997 1998 1999 2000 2001 2002

Leia mais

Informações sobre salários e escolaridade dos professores e comparativo com não-professores

Informações sobre salários e escolaridade dos professores e comparativo com não-professores Informações sobre salários e escolaridade dos professores e comparativo com não-professores Total de profissionais, independentemente da escolaridade 2003 2007 2008 Professores da Ed Básica (públicas não

Leia mais

Expectativas da Movimentação de Viagens Organizadas na Temporada de Verão 2014-2015

Expectativas da Movimentação de Viagens Organizadas na Temporada de Verão 2014-2015 Expectativas da Movimentação de Viagens Organizadas na Temporada de Verão 2014-2015 PRESIDENTE: Marciano Gianerini Freire EQUIPE TÉCNICA: Coordenação: Mariana Nery Pesquisadores: Heike Duske César Melo

Leia mais

ECONOMIA DA CULTURA - EQUIPAMENTOS AUDIOVISUAIS NOS MUNICÍPIOS BRASILEIROS

ECONOMIA DA CULTURA - EQUIPAMENTOS AUDIOVISUAIS NOS MUNICÍPIOS BRASILEIROS IV ENECULT - Encontro de Estudos Multidisciplinares em Cultura 28 a 30 de maio de 2008 Faculdade de Comunicação/UFBa, Salvador-Bahia-Brasil. ECONOMIA DA CULTURA - EQUIPAMENTOS AUDIOVISUAIS NOS MUNICÍPIOS

Leia mais

FLUXO ATIVIDADES FINANCEIRAS, DE SEGUROS E SERVIÇOS RELACIONADOS POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009

FLUXO ATIVIDADES FINANCEIRAS, DE SEGUROS E SERVIÇOS RELACIONADOS POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009 FLUXO ATIVIDADES FINANCEIRAS, DE SEGUROS E RELACIONADOS POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009 Entradas e Saídas de Mercadorias Base 2009 FLUXO, POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA

Leia mais

Avanços e encaminhamentos sobre a Pesquisa de Turismo Internacional:

Avanços e encaminhamentos sobre a Pesquisa de Turismo Internacional: Avanços e encaminhamentos sobre a Pesquisa de Turismo Internacional: Avaliações para o desenho amostral em rodovias segundo a metodologia proposta para a PTI Palestrante: Alfredo García Ramos (Consultor

Leia mais

MICROCEFALIA DENGUE CHIKUNGUNYA ZIKA NOVEMBRO DE 2015

MICROCEFALIA DENGUE CHIKUNGUNYA ZIKA NOVEMBRO DE 2015 MICROCEFALIA DENGUE CHIKUNGUNYA ZIKA NOVEMBRO DE 2015 Situação da microcefalia no Brasil Até 21 de novembro, foram notificados 739 casos suspeitos de microcefalia, identificados em 160 municípios de nove

Leia mais

Pesquisa Nacional de Saúde Módulo de Doenças Crônicas doenças do pulmão, câncer, insuficiência renal crônica e outras doenças crônicas Notas Técnicas

Pesquisa Nacional de Saúde Módulo de Doenças Crônicas doenças do pulmão, câncer, insuficiência renal crônica e outras doenças crônicas Notas Técnicas Pesquisa Nacional de Saúde Módulo de Doenças Crônicas doenças do pulmão, câncer, insuficiência renal crônica e outras doenças crônicas Notas Técnicas Sumário Origem dos dados... 3 Descrição das variáveis

Leia mais

BRASIL - IMPORTAÇÃO DE TRIGO 2015 ( t ) ( US$ / t ) 450.000 120.000 400.000 100.000 350.000 80.000 300.000 250.000 60.000 200.000 150.000 40.

BRASIL - IMPORTAÇÃO DE TRIGO 2015 ( t ) ( US$ / t ) 450.000 120.000 400.000 100.000 350.000 80.000 300.000 250.000 60.000 200.000 150.000 40. BRASIL IMPORTAÇÃO DE TRIGO 2015 (POR PAÍS) PAÍSES ARGENTINA Volume ( Ton/Liq ) 269.719,83 387.213,30 406.882,12 310.956,48 318.530,07 375.612,10 414.745,41 233.717,31 309.486,24 320.128,57 267.045,80 205.498,88

Leia mais

FLUXO FABRICAÇÃO DE VEÍCULOS AUTOMOTORES, REBOQUES E CARROCERIAS POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009

FLUXO FABRICAÇÃO DE VEÍCULOS AUTOMOTORES, REBOQUES E CARROCERIAS POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009 FLUXO FABRICAÇÃO DE VEÍCULOS AUTOMOTORES, REBOQUES E CARROCERIAS POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009 Entradas e Saídas de Mercadorias Base 2009 FLUXO, POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO

Leia mais

FLUXO ATIVIDADES ADMINISTRATIVAS E SERVIÇOS COMPLEMENTARES POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009

FLUXO ATIVIDADES ADMINISTRATIVAS E SERVIÇOS COMPLEMENTARES POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009 FLUXO ATIVIDADES ADMINISTRATIVAS E COMPLEMENTARES POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009 Entradas e Saídas de Mercadorias Base 2009 FLUXO, POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA - 2009

Leia mais

Ranking de salário e benefícios dos Tribunais de Justiça Estadual. Julho 2013

Ranking de salário e benefícios dos Tribunais de Justiça Estadual. Julho 2013 Ranking de salário e benefícios dos Tribunais de Justiça Estadual Julho 2013 SS JUSTIÇA MG SS Justiça MG Julho 2013 Tabela 1 Tribunais de Justiça Estadual posicionados conforme Vencimento Básico Vencimentos

Leia mais

Ranking de salário e benefícios dos Tribunais de Justiça Estadual. Julho 2014

Ranking de salário e benefícios dos Tribunais de Justiça Estadual. Julho 2014 Ranking de salário e benefícios dos Tribunais de Justiça Estadual Julho 2014 SS JUSTIÇA MG SS Justiça MG Julho 2014 Tabela 1 Tribunais de Justiça Estadual posicionados conforme Vencimento Básico Vencimentos

Leia mais

Dimensão social. Habitação

Dimensão social. Habitação Dimensão social Habitação Indicadores de desenvolvimento sustentável - Brasil 2004 235 39 Adequação de moradia Este indicador expressa as condições de moradia através da proporção de domicílios com condições

Leia mais

Boletim Informativo* Agosto de 2015

Boletim Informativo* Agosto de 2015 Boletim Informativo* Agosto de 2015 *Documento atualizado em 15/09/2015 (Erratas páginas 2, 3, 4 e 9) EXTRATO GERAL BRASIL 1 EXTRATO BRASIL 396.399.248 ha 233.712.312 ha 58,96% Número de Imóveis Cadastrados²:

Leia mais

Tabela 4 - Participação das atividades econômicas no valor adicionado bruto a preços básicos, por Unidades da Federação - 2012

Tabela 4 - Participação das atividades econômicas no valor adicionado bruto a preços básicos, por Unidades da Federação - 2012 Contas Regionais do Brasil 2012 (continua) Brasil Agropecuária 5,3 Indústria 26,0 Indústria extrativa 4,3 Indústria de transformação 13,0 Construção civil 5,7 Produção e distribuição de eletricidade e

Leia mais

Origem dos dados... 3. Descrição das variáveis disponíveis para tabulação... 4. Variáveis de conteúdo... 4

Origem dos dados... 3. Descrição das variáveis disponíveis para tabulação... 4. Variáveis de conteúdo... 4 Pesquisa Nacional de Saúde Módulo de Doenças Crônicas artrite/reumatismo, problema crônico de coluna, distúrbio osteomuscular relacionado ao trabalho (DORT), depressão e outros problemas mentais Notas

Leia mais

Motivos da Evasão Escolar

Motivos da Evasão Escolar 1 Motivos da Evasão Escolar APÊNDICE 1. Ranking de Motivos da Evasão Escolar... 61 1.1 Faixa Etária: anos... 61 a. Unidades da Federação... 61 b. Macro-Regiões... 62 c. Regiões Metropolitanas... 62 1.2

Leia mais

FLUXO DO ARMAZENAMENTO E ATIVIDADES AUXILIARES DOS TRANSPORTES POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009

FLUXO DO ARMAZENAMENTO E ATIVIDADES AUXILIARES DOS TRANSPORTES POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009 FLUXO DO ARMAZENAMENTO E ATIVIDADES AUXILIARES DOS POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009 Entradas e Saídas de Mercadorias Base 2009 FLUXO DO, POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA

Leia mais

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS ALAGOAS. Secretaria de Estado da Fazenda. Inspetoria de Contabilidade e Finanças. Balanços gerais do estado. Maceió, AMAPÁ. Secretaria de Estado da Fazenda. Divisão de Análise

Leia mais

Patrocínio Institucional Parcerias Apoio

Patrocínio Institucional Parcerias Apoio Patrocínio Institucional Parcerias Apoio O Grupo Cultural AfroReggae é uma organização que luta pela transformação social e, através da cultura e da arte, desperta potencialidades artísticas que elevam

Leia mais

DIFERENCIAIS SOCIODEMOGRÁFICOS ENTRE OS IDOSOS NO BRASIL

DIFERENCIAIS SOCIODEMOGRÁFICOS ENTRE OS IDOSOS NO BRASIL Seminário sobre Educação Superior e Envelhecimento Populacional no Brasil MEC - SESU/CAPES DIFERENCIAIS SOCIODEMOGRÁFICOS ENTRE OS IDOSOS NO BRASIL Maria Isabel Parahyba Coordenação de População e Indicadores

Leia mais

Setores indutriais com maior demanda por formação segundo UF (todas as ocupações) - Média anual 2014/15

Setores indutriais com maior demanda por formação segundo UF (todas as ocupações) - Média anual 2014/15 Setores indutriais com maior demanda por formação segundo UF (todas as ocupações) - Média anual 2014/15 Estado Rondônia Acre Amazonas Roraima Pará Amapá Tocantins Maranhão Piauí Ceará Rio Grande do Norte

Leia mais

Tabela 11 - Capacidade total de hóspedes, por tipos de estabelecimentos, segundo os Municípios das Capitais - 2011

Tabela 11 - Capacidade total de hóspedes, por tipos de estabelecimentos, segundo os Municípios das Capitais - 2011 segundo os - 2011 Total Suítes Apartamentos Quartos (continua) Chalés Total 554 227 92 908 442 600 15 526 3 193 Porto Velho 5 028 293 4 569 104 62 Rio Branco 2 832 30 2 779 23 - Manaus 14 212 1 349 12

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MJ - DEPARTAMENTO DE POLÍCIA FEDERAL SERVIÇO DE INFORMAÇÃO AO CIDADÃO Brasília

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MJ - DEPARTAMENTO DE POLÍCIA FEDERAL SERVIÇO DE INFORMAÇÃO AO CIDADÃO Brasília SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MJ - DEPARTAMENTO DE POLÍCIA FEDERAL SERVIÇO DE INFORMAÇÃO AO CIDADÃO Brasília Mensagem eletrônica n.º 229/2015-SIC/DIREX/DPF Prezada Senhora, 1. Trata-se de requerimento de informação

Leia mais

FLUXO TELECOMINICAÇÕES SEM FIO POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA - 2009

FLUXO TELECOMINICAÇÕES SEM FIO POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA - 2009 FLUXO TELECOMINICAÇÕES SEM FIO POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA - 2009 Entradas e Saídas de Mercadorias Base 2009 FLUXO TELECOMINICAÇÕES SEM FIO, POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA

Leia mais

Apresentação. A AMIB (Associação de Medicina Intensiva. Brasileira) elaborou o primeiro estudo que visa. apresentar uma visão do cenário das Unidades

Apresentação. A AMIB (Associação de Medicina Intensiva. Brasileira) elaborou o primeiro estudo que visa. apresentar uma visão do cenário das Unidades Apresentação A AMIB (Associação de Medicina Intensiva Brasileira) elaborou o primeiro estudo que visa apresentar uma visão do cenário das Unidades de Terapias Intensivas (UTI) no país. Objetivos Elaborar

Leia mais

Mapa do Encarceramento: os jovens do Brasil

Mapa do Encarceramento: os jovens do Brasil Mapa do Encarceramento: os jovens do Brasil O Mapa do Encarceramento: os jovens do Brasil é mais uma publicação do Plano Juventude Viva, que reúne ações de prevenção para reduzir a vulnerabilidade de jovens

Leia mais

FORMAÇÃO DE ESPECIALISTAS EM RECURSOS HUMANOS PARA A SAÚDE: A TRAJETÓRIA DA ENSP/FIOCRUZ ESCOLA NACIONAL DE SAÚDE PÚBLICA FUNDAÇÀO OSWALDO CRUZ

FORMAÇÃO DE ESPECIALISTAS EM RECURSOS HUMANOS PARA A SAÚDE: A TRAJETÓRIA DA ENSP/FIOCRUZ ESCOLA NACIONAL DE SAÚDE PÚBLICA FUNDAÇÀO OSWALDO CRUZ FORMAÇÃO DE ESPECIALISTAS EM RECURSOS HUMANOS PARA A SAÚDE: A TRAJETÓRIA DA ENSP/FIOCRUZ Ana Luiza Stiebler Vieira / Neuza Maria Nogueira Moysés / Sigrid Hoppe ESCOLA NACIONAL DE SAÚDE PÚBLICA FUNDAÇÀO

Leia mais

Indicador do PIB Trimestral Espírito Santo IV Trimestre de 2011

Indicador do PIB Trimestral Espírito Santo IV Trimestre de 2011 Indicador do PIB Trimestral Espírito Santo IV Trimestre de 2011 Vitória, 29 de Maio de 2012 Indicador de PIB trimestral 17 atividades econômicas pesquisadas, em consonância com os setores das Contas Regionais

Leia mais

Pesquisa Nacional de Saúde Módulo de Saúde dos indivíduos com 60 anos ou mais

Pesquisa Nacional de Saúde Módulo de Saúde dos indivíduos com 60 anos ou mais Pesquisa Nacional de Saúde Módulo de Saúde dos indivíduos com 60 anos ou mais Sumário Origem dos dados... 3 Descrição das variáveis disponíveis para tabulação... 4 Variáveis de conteúdo... 4 %Idosos c/limitação

Leia mais

R. Gen, Aristides Athayde Junior, 350. 80730-370. Bigorrilho. Curitiba. Paraná Telefone: 41 3053-3219. www.ibpt.org.br

R. Gen, Aristides Athayde Junior, 350. 80730-370. Bigorrilho. Curitiba. Paraná Telefone: 41 3053-3219. www.ibpt.org.br ESTUDO SOBRE IPVA EM RELAÇÃO À FROTA DE VEÍCULOS E À POPULAÇÃO O IPVA é o tributo estadual, cuja arrecadação é a segunda mais importante, depois do ICMS; A estimativa de arrecadação de IPVA (Imposto sobre

Leia mais

FLUXO DE TRANSPORTES TERRESTRE POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA - 2009

FLUXO DE TRANSPORTES TERRESTRE POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA - 2009 FLUXO DE TRANSPORTES TERRESTRE POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA - 2009 Entradas e Saídas de Mercadorias Base 2009 FLUXO DE TRANSPORTES TERRESTRE, POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA

Leia mais

NOTA TÉCNICA N. º22 CGDANT/DASIS/SVS/MS

NOTA TÉCNICA N. º22 CGDANT/DASIS/SVS/MS MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE Departamento de Análise de Situação de Saúde Esplanada dos Ministérios, Edifício Sede, 1º andar, sala 148 - CEP 70.058-900 Tel. 61-3315 3419/ 3498

Leia mais

Boletim Informativo. Junho de 2015

Boletim Informativo. Junho de 2015 Boletim Informativo Junho de 2015 Extrato Geral Brasil 1 EXTRATO BRASIL ÁREA ** 397.562.970 ha 227.679.854 ha 57,27% Número de Imóveis cadastrados: 1.727.660 Observações: Dados obtidos do Sistema de Cadastro

Leia mais

Pesquisa Nacional de Saúde Módulo de Estilo de Vida Atividade física e hábito de assistir televisão Notas Técnicas

Pesquisa Nacional de Saúde Módulo de Estilo de Vida Atividade física e hábito de assistir televisão Notas Técnicas Pesquisa Nacional de Saúde Módulo de Estilo de Vida Atividade física e hábito de assistir televisão Notas Técnicas Sumário Origem dos dados... 3 Descrição das variáveis disponíveis para tabulação... 4

Leia mais

ISSN 1519-9568. INFORMATIVO MENSAL Ano 1 Número 20 Março de 2002 APRESENTAÇÃO

ISSN 1519-9568. INFORMATIVO MENSAL Ano 1 Número 20 Março de 2002 APRESENTAÇÃO ISSN 119-968 INFORMATIVO MENSAL Ano 1 Número Março de APRESENTAÇÃO O Boletim apresenta uma síntese do documento Panorama Social de América Latina -1, uma publicação da Comissão Especial para a América

Leia mais

Doingbusiness no Brasil. Penelope Brook PSD/FSD Vice Presidência Grupo Banco Mundial Rio de Janeiro 26 de julho de 2006

Doingbusiness no Brasil. Penelope Brook PSD/FSD Vice Presidência Grupo Banco Mundial Rio de Janeiro 26 de julho de 2006 Doingbusiness no Brasil Penelope Brook PSD/FSD Vice Presidência Grupo Banco Mundial Rio de Janeiro 26 de julho de 2006 1 Indicadores Doingbusiness 2006 2007 2008 Abertura de empresas Registro de propriedades

Leia mais

Anuário Estatístico de Turismo - 2015

Anuário Estatístico de Turismo - 2015 Secretaria Nacional de Políticas de Turismo Ministério do Turismo Anuário Estatístico de Turismo - 2015 Volume 42 Ano base 2014 Sumário I Turismo receptivo 1. Chegadas de turistas ao Brasil - 2013-2014

Leia mais

ANEXO I - Planilha para formação de preços ITEM 01 Serviço Telefônico Fixo Comutado STFC na modalidade Local (PABX ANEEL) Com Im

ANEXO I - Planilha para formação de preços ITEM 01 Serviço Telefônico Fixo Comutado STFC na modalidade Local (PABX ANEEL) Com Im ANEXO I Planilha para formação de preços ITEM 01 Serviço Telefônico Fixo Comutado STFC na modalidade Local (PABX ANEEL) Com Im ITEM FIXO (A) Descrição Cobrado uma única vez QTD Preço Unitário Instalação

Leia mais

Boletim Informativo. Maio de 2015. * Errata: Tabela Fonte de Dados - Por Estado

Boletim Informativo. Maio de 2015. * Errata: Tabela Fonte de Dados - Por Estado Boletim Informativo Maio de 2015 * Errata: Tabela Fonte de Dados - Por Estado Extrato Geral Brasil EXTRATO BRASIL ÁREA ** 397.562.970 ha 212.920.419 ha 53,56 % Número de Imóveis cadastrados: 1.530.443

Leia mais

BOLETIM COMÉRCIO VAREJISTA

BOLETIM COMÉRCIO VAREJISTA BOLETIM COMÉRCIO VAREJISTA ISSN 2319-0205 Edição: 01/14 COMÉRCIO VAREJISTA PARAENSE EM JANEIRO DE 2014 O Instituto de Desenvolvimento Econômico, Social e Ambiental do Pará (IDESP), com base nas informações

Leia mais

TETO PARA CASAS DE APOIO - (PORTARIA 2190)

TETO PARA CASAS DE APOIO - (PORTARIA 2190) ANEXO I TETO PARA CASAS DE APOIO - (PORTARIA 2190) ESTADOS TETO PARA CASAS DE APOIO ACRE 40.000,00 ALAGOAS 105.000,00 AMAPA 57.000,00 AMAZONAS 150.000,00 BAHIA 555.000,00 CEARÁ 320.000,00 DISTRITO FEDERAL

Leia mais

Pesquisa de Orçamentos Familiares 2008-2009

Pesquisa de Orçamentos Familiares 2008-2009 Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE Diretoria de Pesquisas Coordenação detrabalho e Rendimento Pesquisa de Orçamentos Familiares 2008-2009

Leia mais

Pesquisa Nacional de Saúde Módulo de Crianças com Menos de 2 Anos

Pesquisa Nacional de Saúde Módulo de Crianças com Menos de 2 Anos Pesquisa Nacional de Saúde Módulo de Crianças com Menos de 2 Anos Sumário Origem dos dados... 3 Descrição das variáveis disponíveis para tabulação... 4 Variáveis de conteúdo... 4 %Crianças

Leia mais

Mercado em números. Brasil. Designação oficial: República Federativa do Brasil. Guiana Venezuela Suriname Columbia. Capital: Brasília.

Mercado em números. Brasil. Designação oficial: República Federativa do Brasil. Guiana Venezuela Suriname Columbia. Capital: Brasília. Guiana Venezuela Suriname Columbia Guiana Francesa Designação oficial: República Federativa do Capital: Brasília Localização: Leste da América do Sul Peru Fronteiras terrestres: 16.145 km com a Argentina

Leia mais

SUMÁRIO EXECUTIVO. Julio Jacobo Waiselfisz

SUMÁRIO EXECUTIVO. Julio Jacobo Waiselfisz SUMÁRIO EXECUTIVO Julio Jacobo Waiselfisz 1. INTRODUÇÃO O presente estudo dá continuidade ao esforço iniciado em 1998, quando foi elaborado e divulgado o primeiro Mapa da Violência: Os Jovens do Brasil

Leia mais

EVANGÉLICOS EM MINAS GERAIS

EVANGÉLICOS EM MINAS GERAIS EVANGÉLICOS EM MINAS GERAIS Cidade Região População Evangélicos %Evang MANTENA ValedoAçoMG 27,1 12,1 44,6% TIMOTEO ValedoAçoMG 81,2 33,2 40,9% IPATINGA ValedoAçoMG 239,5 96,2 40,2% CORONEL FABRICIANO ValedoAçoMG

Leia mais

Aos PAIS LEVANDO os FILHOS para o EXTERIOR, TRAZENDO os FILHOS para o JAPÃO

Aos PAIS LEVANDO os FILHOS para o EXTERIOR, TRAZENDO os FILHOS para o JAPÃO Aos PAIS LEVANDO os FILHOS para o EXTERIOR, TRAZENDO os FILHOS para o JAPÃO Problemas relacionados ao sequestro de crianças (Sistema jurídico de cada país e a Convenção de Haia) Ministério dos Negócios

Leia mais

Índice de Desenvolvimento da Educação Básica IDEB. Inep/MEC Reynaldo Fernandes. Presidente do Inep/MEC e Professor da FEA-RP/USP

Índice de Desenvolvimento da Educação Básica IDEB. Inep/MEC Reynaldo Fernandes. Presidente do Inep/MEC e Professor da FEA-RP/USP Índice de Desenvolvimento da Educação Básica IDEB Inep/MEC Reynaldo Fernandes Presidente do Inep/MEC e Professor da FEA-RP/USP O IDEB IDEB = j N j P j Indicador sintético que combina informações de desempenho

Leia mais

Acre: Foto 1: Caravana em Rio Branco, Acre. Foto 2: Caravana em Rio Branco, Acre. Foto 3: Caravana em Rio Branco, Acre.

Acre: Foto 1: Caravana em Rio Branco, Acre. Foto 2: Caravana em Rio Branco, Acre. Foto 3: Caravana em Rio Branco, Acre. Acre: Foto 1: Caravana em Rio Branco, Acre. Foto 2: Caravana em Rio Branco, Acre. Foto 3: Caravana em Rio Branco, Acre. Alagoas: Foto 1: Caravana em Maceió, Alagoas na Secretaria de Estado da Mulher, da

Leia mais

SÍNTESE DE INDICADORES SOCIAIS

SÍNTESE DE INDICADORES SOCIAIS ESTUDOS & pesquisas INFORMAÇÃO DEMOGRÁFICA E SOCIoeconômica 5 SÍNTESE DE INDICADORES SOCIAIS 2000 IBGE Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística Presidente da República Fernando Henrique Cardoso

Leia mais

Sobre o FOHB Nossa missão:

Sobre o FOHB Nossa missão: 20 de maio de 2014 Sobre o FOHB Criado em 2002, o FOHB Fórum de Operadores Hoteleiros do Brasil é uma entidade associativa sem fins lucrativos que representa importantes redes hoteleiras, nacionais e internacionais,

Leia mais

Pronatec Senac Online

Pronatec Senac Online Pronatec Senac Online Introdução 3ª edição Nesta terceira edição, serão apresentados os dados do Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec) referentes ao mês de março de 2013. Esses

Leia mais

Países Íbero-Americanos Comércio Exterior

Países Íbero-Americanos Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC Países Íbero-Americanos Comércio Exterior Setembro de 2014 Índice.

Leia mais

Analfabetismo no Brasil

Analfabetismo no Brasil Analfabetismo no Brasil Ricardo Paes de Barros (IPEA) Mirela de Carvalho (IETS) Samuel Franco (IETS) Parte 1: Magnitude e evolução do analfabetismo no Brasil Magnitude Segundo estimativas obtidas com base

Leia mais

Apresentação de Resultados 2T11

Apresentação de Resultados 2T11 Apresentação de Resultados 2T11 Disclaimer Esta apresentação pode incluir declarações que apresentem expectativas da Administração da Companhia sobre eventos ou resultados futuros. Todas as declarações

Leia mais

FACT-SHEET. Cana-de-Açúcar, Milho e Soja. Programa Agricultura e Meio Ambiente. WWF - Brasil

FACT-SHEET. Cana-de-Açúcar, Milho e Soja. Programa Agricultura e Meio Ambiente. WWF - Brasil FACT-SHEET Cana-de-Açúcar, Milho e Soja Programa Agricultura e Meio Ambiente WWF - Brasília Março 28 WWF- Secretaria Geral Denise Hamú Superintendência de Conservação de Programas Temáticos Carlos Alberto

Leia mais

CREDITO SUPLEMENTAR E G R M I F FUNC PROGRAMATICA PROGRAMA/ACAO/SUBTITULO/PRODUTO S N P O U T VALOR F D D E 0083 PREVIDENCIA SOCIAL BASICA 48553400

CREDITO SUPLEMENTAR E G R M I F FUNC PROGRAMATICA PROGRAMA/ACAO/SUBTITULO/PRODUTO S N P O U T VALOR F D D E 0083 PREVIDENCIA SOCIAL BASICA 48553400 ORGAO : 33000 - MINISTERIO DA PREVIDENCIA SOCIAL UNIDADE : 33201 - INSTITUTO NACIONAL DO SEGURO SOCIAL ANEXO CREDITO SUPLEMENTAR PROGRAMA DE TRABALHO (SUPLEMENTACAO) RECURSOS DE TODAS AS FONTES - R$ 1,

Leia mais

MONITORAMENTO DAS AÇÕES DE CONTROLE DOS CÂNCERES DO COLO DO ÚTERO E DA MAMA

MONITORAMENTO DAS AÇÕES DE CONTROLE DOS CÂNCERES DO COLO DO ÚTERO E DA MAMA Boletim ano 3 n. 2 abril / julho 2012 MONITORAMENTO DAS AÇÕES DE CONTROLE DOS CÂNCERES DO COLO DO ÚTERO E DA MAMA Apresentação O segundo Informativo Detecção Precoce de 2012 apresenta os dados dos indicadores

Leia mais

EXPRESSÃO ECONÔMICA DA CIDADE DE SÃO PAULO

EXPRESSÃO ECONÔMICA DA CIDADE DE SÃO PAULO EXPRESSÃO ECONÔMICA DA CIDADE DE SÃO PAULO Ementa: O presente estudo pretende mostrar com números o tamanho e curiosidades da economia da cidade de São Paulo, que no próximo dia 25 de janeiro completa

Leia mais

5.4 Transplantes. 1 Rim. Os dados dos transplantes serão analisados por grupos de órgãos.

5.4 Transplantes. 1 Rim. Os dados dos transplantes serão analisados por grupos de órgãos. 5.4 Transplantes Os dados dos transplantes serão analisados por grupos de órgãos. 1 Rim Entre 1995 e 2001, o número de transplantes renais realizados anualmente cresceu cerca de 66,7% no país (TABELA 150).

Leia mais

Pesquisa Nacional de Saúde Módulo de Cobertura de Plano de Saúde Notas Técnicas

Pesquisa Nacional de Saúde Módulo de Cobertura de Plano de Saúde Notas Técnicas Pesquisa Nacional de Saúde Módulo de Cobertura de Plano de Saúde Notas Técnicas Sumário Origem dos dados... 2 Descrição das variáveis disponíveis para tabulação... 3 Variáveis de conteúdo... 3 %Pessoas

Leia mais

PROGNÓSTICO DE VERÃO

PROGNÓSTICO DE VERÃO 1 PROGNÓSTICO DE VERÃO (Janeiro, Fevereiro e Março de 2002). O Verão terá início oficial às 17h21min (horário de verão) do dia 21 de dezembro de 2001 e estender-se-á até às 16h15min do dia 20 de março

Leia mais

ESTRUTURA ESCRITÓRIOS OPERACIONAIS. Porto Trombetas. Belém. Porto Franco. Altamira. Parauapebas Floriano. Eunápolis. Posto da Mata. São Mateus Aracruz

ESTRUTURA ESCRITÓRIOS OPERACIONAIS. Porto Trombetas. Belém. Porto Franco. Altamira. Parauapebas Floriano. Eunápolis. Posto da Mata. São Mateus Aracruz Relatório final 1 ATUAÇÃO GLOBAL REINO UNIDO CANADÁ ESTADOS UNIDOS HONDURAS PANAMÁ COLÔMBIA EQUADOR PERÚ BOLÍVIA CHILE EL SALVADOR CONGO ARGENTINA URUGUAI PARAGUAI BRASIL GUIANA VENEZUELA PORTUGAL SENEGAL

Leia mais

Anuário Estatístico de Turismo - 2012

Anuário Estatístico de Turismo - 2012 Secretaria Nacional de Políticas de Turismo Ministério do Turismo Anuário Estatístico de Turismo - 2012 Volume 39 Ano base 2011 Sumário I Turismo receptivo 1. Chegadas de turistas ao Brasil - 2010-2011

Leia mais

INDICE DE CONFIANÇA DAS MICRO E PEQUENAS. Outubro/2012 (dados até setembro)

INDICE DE CONFIANÇA DAS MICRO E PEQUENAS. Outubro/2012 (dados até setembro) INDICE DE CONFIANÇA DAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS (ICMPE) NO BRASIL Outubro/2012 (dados até setembro) Características da pesquisa Objetivo: - medir o impacto da conjuntura econômica nas MPE brasileiras

Leia mais

INTRODUÇÃO. As análises de impacto e de vidas poupadas foram realizadas desagregando Unidades da Federação, Capitais e Regiões Metropolitanas.

INTRODUÇÃO. As análises de impacto e de vidas poupadas foram realizadas desagregando Unidades da Federação, Capitais e Regiões Metropolitanas. UNESCO INTRODUÇÃO O presente documento sintetiza os resultados da análise dos dados de mortalidade por armas de fogo divulgados no Ministério da Saúde em 2 de setembro de 2005. A análise foi realizada

Leia mais

ORGANIZACIONES DE AGENTES COMERCIALES EN AMÉRICA

ORGANIZACIONES DE AGENTES COMERCIALES EN AMÉRICA ARGENTINA FEDERACION UNICA DE VIAJANTES DE LA ARGENTINA FUVA Moreno 2033-3º Piso Tel. 00 5411 5237 1900 e-mail: fuva@redsocialfuva.org.ar http://www.fuva.org.ar CP:1094ABE - CF - BUENOS AIRES (ARGENTINA)

Leia mais

Saúde Suplementar em Números

Saúde Suplementar em Números Saúde Suplementar em Números Edição nº 9-2015 Setembro de 2015 Sumário Executivo Número de beneficiários de planos médico-hospitalares (setembro/15): 50.261.602; Taxa de crescimento do número de beneficiários

Leia mais

Estudo dos países da América Latina e América Central

Estudo dos países da América Latina e América Central Empresa têxtil E M P R E S A T Ê X T I L Estudo dos países da América Latina e América Central Produtos considerados: 6003.33.00/6006.31.00/6006.21.00/6006.22.00/6006.23.00/6006.42.00 1. Exportações brasileiras

Leia mais

RIO ACOLHEDOR I - PACIÊNCIAUNIDADE MUNICIPAL DE REINSERÇÃO SOCIAL. PERFIL DOS ACOLHIDOS: Uso de crack e outras drogas e Estado de origem.

RIO ACOLHEDOR I - PACIÊNCIAUNIDADE MUNICIPAL DE REINSERÇÃO SOCIAL. PERFIL DOS ACOLHIDOS: Uso de crack e outras drogas e Estado de origem. RIO ACOLHEDOR I - PACIÊNCIAUNIDADE MUNICIPAL DE REINSERÇÃO SOCIAL PERFIL DOS ACOLHIDOS: Uso de crack e outras drogas e Estado de origem. APRESENTAÇÃO 1. PERFIL DE ACOLHIDOS USUARIOS DE CRACK E OUTRAS DROGAS

Leia mais