Curso de aperfeiçoamento 'Atualização do Sistema Financeiro: temas do mercado financeiro e do mercado de capitais Inclusão bancária: desafios

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Curso de aperfeiçoamento 'Atualização do Sistema Financeiro: temas do mercado financeiro e do mercado de capitais Inclusão bancária: desafios"

Transcrição

1 17 de agosto de 2011 São Paulo - SP Curso de aperfeiçoamento 'Atualização do Sistema Financeiro: temas do mercado financeiro e do mercado de capitais Inclusão bancária: desafios

2 Banco Central Missão Assegurar a estabilidade do poder de compra da moeda e um sistema financeiro sólido e eficiente Objetivo estratégico Promover a eficiência do Sistema Financeiro Nacional e a inclusão financeira da população

3 Inclusão Financeira Por quê? eficiência do SFN eficácia da política monetária oferta: desenvolvimento da indústria financeira demanda: acesso à economia formal/ melhoria da qualidade de vida da população mais poupança e investimento

4 O Banco Central e a Inclusão Financeira Definição 2010 processo de efetivo acesso e uso pela população de serviços financeiros adequados às suas necessidades, contribuindo com sua qualidade de vida

5 O Banco Central e a Inclusão Financeira Alinhamento estratégico Missão Institucional do BCB Objetivos Estratégicos Produtos do Projeto Inclusão Financeira I A partir de 2011 Solidez e Eficiência do SFN Promover a eficiência do Sistema Financeiro Nacional e a inclusão financeira da população Estrutura (BCB) Relatório de Inclusão Financeira (RIF) Livro Fóruns sobre Inclusão Financeira II RIF Mapa III Fórum

6 O Banco Central e a Inclusão Financeira Atuação Articulação dos atores Marco Regulatório A Atuação internacional Coleta e organização de dados Educação Financeira

7 Alinhamento aos princípios do G20 - Parceria Global para Inclusão Financeira Diagnóstico e articulação Ambiente regulatório Educação e proteção aos clientes e usuários do Sistema Financeiro I Fórum (2009): Diagnóstico II Fórum (2010): Agenda Livro Perspectivas e Desafios I Relatório: dados da oferta por instituições reguladas Cooperativas de crédito Correspondentes Tarifas CET Programa de Educação Financeira Acordo com MJ/DPDC Estratégia Nacional de Educação Financeira II Relatório Mapa: dados da demanda e de instituições não reguladas Sebrae, MDS, OCB, IPEA, IBGE, Gates Foundation, CGAP III Fórum Microcrédito Modelo de Instituição de microfinanças Mobile payment Estratégia Nacional de Educação Financeira Inclusão financeira da população processo de efetivo acesso e uso pela população de serviços financeiros adequados às suas necessidades, contribuindo com sua qualidade de vida

8 Pilar 1 - Diagnóstico e Articulação PIF I Livro Perspectivas e Desafios para Inclusão Financeira no Brasil: visão de diferentes atores

9 Pilar 1 - Diagnóstico e Articulação Articulação dos atores Marco regulatório Restrição a funding A Transparência e Governança Educação financeira Mapeamento do Mercado Papel do BCB

10 Pilar 1 - Diagnóstico e Articulação Conceito de inclusão financeira e atuação do BCB Panorama macroeconômico e estrutura do SFN A Panorama de acesso a serviços financeiros Panorama de uso de serviços financeiros Desafios para adequada inclusão financeira no Brasil

11 Pilar 1 - Diagnóstico e Articulação Marco regulatório para inclusão financeira Inclusão Financeira de pequenos negócios A Finanças solidárias e desenvolvimento territorial Educação financeira e proteção ao consumidor Inclusão financeira das famílias de baixa renda no Brasil

12 Correspondentes Cooperativas de crédito Portabilidade de cadastro, crédito e salário CET Padronização de tarifas Adequabilidade

13 CORRESPONDENTES Importância do modelo inclusão financeira distribuição do crédito estímulo à concorrência

14 CORRESPONDENTES Importância do modelo inclusão financeira distribuição do crédito estímulo à concorrência mais de 115 mil empresas contratadas mais de 150 mil pontos de atendimento presentes em todos os municípios interface amigável p/ segmentos de baixa renda Departamento de Normas do Sistema Financeiro- Denor.

15 CORRESPONDENTES Importância do modelo inclusão financeira distribuição do crédito estímulo à concorrência financiamento de bens - revendedores crédito pessoal e consignado - promotoras e outros tornaram-se canais essenciais para prover acesso ao crédito Departamento de Normas do Sistema Financeiro- Denor.

16 CORRESPONDENTES Importância do modelo inclusão financeira distribuição do crédito estímulo à concorrência inclusão de novos clientes no mercado desenvolvimento de produtos adequados competição Departamento de Normas do Sistema Financeiro- Denor.

17 CORRESPONDENTES Resolução 3.954, de 2011 maior explicitação da responsabilidade da instituição financeira contratante aprimoramento dos mecanismos de transparência capacitação e certificação dos agentes envolvidos no encaminhamento de propostas de crédito Departamento de Normas do Sistema Financeiro- Denor.

18 CORRESPONDENTES Dimensão e impacto Capilaridade dos estabelecimentos bancários 12 Departamento de Normas do Sistema Financeiro- Denor

19 CORRESPONDENTES Dimensão e impacto Capilaridade dos correspondentes no país 12 Departamento de Normas do Sistema Financeiro- Denor

20 CORRESPONDENTES Dimensão e impacto Todos os municípios que não possuem estabelecimento bancário são atendidos por correspondente 12 Departamento de Normas do Sistema Financeiro- Denor

21 CORRESPONDENTES Dimensão e impacto Pontos de atendimento em dezembro/2010 Reg./ Brasil Bancos Cooperativas de crédito SCMEPP Agência PAB PAA PAE Sede PAC Sede PAM Financeiras Sede Agên cia Total Dependências Pontos de corresp. NO NE CO SE SU Brasil Fonte: BCB/Unicad Dezembro/2010 Departamento de Normas do Sistema Financeiro- Denor

22 CORRESPONDENTES Dimensão e impacto Pontos de atendimento por adultos, em dezembro/2010 Reg./ Brasil Bancos Cooperativas singulares de crédito Agência PAB PAA PAE Sede PAC Pontos de correspondentes NO 0,76 0,35 0,20 2,05 0,07 0,06 6,28 NE 0,73 0,19 0,21 1,63 0,04 0,04 8,15 CO 1,42 0,46 0,15 2,90 0,11 0,24 11,25 SE 1,72 0,58 0,07 2,81 0,10 0,17 10,79 SU 1,77 0,66 0,16 2,86 0,18 0,80 15,51 Brasil 1,37 0,46 0,14 2,45 0,09 0,23 10,47 Fonte: BCB/Unicad Dezembro/2010 IBGE. Censo demográfico 2010 Departamento de Normas do Sistema Financeiro- Denor

23 CORRESPONDENTES Dimensão e impacto Pontos de atendimento por adultos, de 2005 a Corresps 6,37 7,53 8,93 9,20 10,22 10,47 Agências 1,34 1,35 1,36 1,37 1,41 1,37 Coops e PACs 0,29 0,30 0,31 0,31 0,31 0,32 PABs 0,52 0,49 0,49 0,48 0,47 0,46 PAAs 0,03 0,03 0,03 0,10 0,12 0,14 PAEs 2,12 2,23 2,28 2,40 2,42 2,45 Fonte: BCB/Unicad Dezembro/2010 IBGE. Censo Demográfico 2010 Departamento de Normas do Sistema Financeiro- Denor

24 CORRESPONDENTES Dimensão e impacto Pontos de atendimento por km², em dezembro/2010 Reg./ Brasil Bancos Cooperativas singulares de crédito Agência PAB PAA PAE Sede PAC Pontos de corresps. NO 0,22 0,10 0,06 0,58 0,02 0,02 1,78 NE 1,82 0,49 0,54 4,09 0,09 0,09 20,43 CO 0,94 0,30 0,10 1,91 0,07 0,16 7,44 SE 11,74 3,94 0,46 19,15 0,67 1,19 73,41 SU 6,72 2,50 0,60 10,85 0,68 3,03 58,88 Brasil 2,33 0,79 0,23 4,17 0,16 0,38 17,83 Fonte: BCB/Unicad Dezembro/2010. IBGE. Censo Demográfico 2010 Departamento de Normas do Sistema Financeiro- Denor

25 CORRESPONDENTES Dimensão e impacto Pontos de atendimento por km², de 2005 a Corresps 9,85 11,88 14,36 15,09 17,07 17,83 Agências 2,07 2,13 2,18 2,25 2,36 2,33 Coops e PACs 0,44 0,47 0,49 0,51 0,53 0,54 PABs 0,80 0,78 0,79 0,79 0,78 0,79 PAAs 0,04 0,05 0,06 0,16 0,20 0,23 PAEs 3,28 3,51 3,66 3,94 4,04 4,17 Fonte: BCB/Unicad Dezembro/2010. IBGE. Censo Demográfico 2010 Departamento de Normas do Sistema Financeiro- Denor

26 CORRESPONDENTES Dimensão e impacto Pontos de correspondente por atividade autorizada, em dezembro/2010 Reg./ Brasil TOTAL Abert. ctas Mov. Ctas Rec./ Pag. O. Pag Op. Créd. Cadas tro Cobran ça Cartão Controle NO NE CO SE SU Brasil ,0% 37,0% 68,0% 27,0% 61,6% 34,4% 57,2% 38,9% 49,5% Fonte: BCB/Unicad Dezembro/2010 Departamento de Normas do Sistema Financeiro- Denor

27 Correspondentes Cooperativas de crédito Portabilidade de cadastro, crédito e salário CET Padronização de tarifas Adequabilidade

28 COOPERATIVAS Dimensão e impacto Pontos de atendimento, de 2005 a Brasil Norte Nordeste Centro-Oeste Sudeste Sul Fonte: BCB/Unicad Dezembro/2010

29 Pilar 3 Educação e proteção ENEF Estratégia Nacional de Educação Financeira Programa de Educação Financeira Acordo com MJ/DPDC Normas referentes a tarifas, portabilidade, transparência

30 Projetos em andamento II Relatório de Inclusão Financeira Mapa da Inclusão Financeira no Brasil III Fórum BC sobre Inclusão Financeira Estudos referentes ao aprimoramento do marco regulatório Programa de Educação Financeira

31 Desafios para inclusão financeira Aprimoramento dos dados de Inclusão Adequação dos instrumentos de regulação e supervisão Estrutura Institucional fortalecida Massificação dos serviços de crédito e ação prudencial Educação Financeira e proteção ao cliente e usuário do sistema financeiro

32 OBRIGADA Departamento de Normas do Sistema Financeiro (Denor) /1505

Inclusão Financeira no Brasil

Inclusão Financeira no Brasil São Paulo 18 de agosto de 2014 2 Inclusão Financeira no Brasil Parceria Nacional para Inclusão Financeira Elvira Cruvinel Ferreira Departamento de Educação Financeira Missão do BCB Assegurar a estabilidade

Leia mais

Brasília, 9 de maio de 2012

Brasília, 9 de maio de 2012 Brasília, 9 de maio de 2012 Discurso do presidente Alexandre Tombini em evento no Sebrae para lançamento do Plano de Ação para Fortalecimento do Ambiente Institucional para a Adequada Inclusão Financeira

Leia mais

1º Seminário de Educação Empreendedora, Financeira e Cooperativista

1º Seminário de Educação Empreendedora, Financeira e Cooperativista 1º Seminário de Educação Empreendedora, Financeira e Cooperativista Educação como Estratégia de Inclusão Financeira Luiz Edson Feltrim Diretor Prêmio Country Awards 2014 (CYFI) ONU Reconhecimento ao Brasil

Leia mais

Painel II: Marco regulatório para inclusão financeira Mesa 3: Adequação de serviços financeiros e dos canais de acesso às necessidades da população

Painel II: Marco regulatório para inclusão financeira Mesa 3: Adequação de serviços financeiros e dos canais de acesso às necessidades da população Painel II: Marco regulatório para inclusão financeira Mesa 3: Adequação de serviços financeiros e dos canais de acesso às necessidades da população Agenda Missão do Banco Central do Brasil Inclusão Financeira

Leia mais

Educação Financeira e Inclusão Financeira.. Departamento de Educação Financeira Novembro de 2014

Educação Financeira e Inclusão Financeira.. Departamento de Educação Financeira Novembro de 2014 Educação Financeira e Inclusão Financeira. Departamento de Educação Financeira Novembro de 2014 Agenda Planejamento estratégico do BCB Inclusão Financeira & PNIF Educação Financeira & ENEF iniciativas

Leia mais

Regulação do Sistema Financeiro Nacional

Regulação do Sistema Financeiro Nacional Regulação do Sistema Financeiro Nacional Sergio Odilon dos Anjos Chefe do Departamento de Normas do Sistema Financeiro Brasília 18 de julho de 2011 1 Regulação do Sistema Financeiro Banco Central do Brasil

Leia mais

Parceria Nacional para. Inclusão Financeira. Plano de Ação para Fortalecimento do Ambiente Institucional

Parceria Nacional para. Inclusão Financeira. Plano de Ação para Fortalecimento do Ambiente Institucional Parceria Nacional para Inclusão Financeira Plano de Ação para Fortalecimento do Ambiente Institucional Maio de 2012 1. Parceria Nacional para Inclusão Financeira O Banco Central do Brasil (BCB) vem atuando

Leia mais

O Banco Central e a Educação Financeira

O Banco Central e a Educação Financeira O Banco Central e a Educação Financeira Fabio de Almeida Lopes Araujo Banco Central do Brasil Departamento de Educação Financeira 17 Junho 2015 Painel ABBC Sustentabilidade socioambiental no sistema financeiro

Leia mais

Seminário Internacional

Seminário Internacional Seminário Internacional Possíveis desdobramentos da crise financeira internacional: aperfeiçoamento na regulamentação dos sistemas financeiros e na governança global A crise e a re-regulamentação do sistema

Leia mais

Regulação do Sistema Financeiro Nacional

Regulação do Sistema Financeiro Nacional Regulação do Sistema Financeiro Nacional Sergio Odilon dos Anjos 8º Congresso Febraban de Direito Bancário São Paulo 19 de maio de 2011 1 Regulação do Sistema Financeiro Banco Central do Brasil Missão:

Leia mais

6º Congresso de Meios Eletrônicos de Pagamento (CMEP) Relações com o Consumidor: O que já foi feito e o que precisa ser feito

6º Congresso de Meios Eletrônicos de Pagamento (CMEP) Relações com o Consumidor: O que já foi feito e o que precisa ser feito 6º Congresso de Meios Eletrônicos de Pagamento (CMEP) Relações com o Consumidor: O que já foi feito e o que precisa ser feito São Paulo, 30.9.2011 Anselmo Pereira Araujo Netto Departamento de Normas do

Leia mais

São Paulo, 25 de abril de 2013.

São Paulo, 25 de abril de 2013. São Paulo, 25 de abril de 2013. Discurso do diretor de Relacionamento Institucional e Cidadania, Luiz Edson Feltrim, na SME Banking Conference 2013 1 Dirijo saudação especial a Sra. Ghada Teima, IFC Manager

Leia mais

Área de Inclusão Social Departamento de Economia Solidária

Área de Inclusão Social Departamento de Economia Solidária Atuação no Microcrédito Produtivo Programas de Apoio ao Microcrédito Produtivo Programa de Crédito Produtivo Popular PCPP Programa de Microcrédito PM Programa de Microcrédito PMC 1996 1997 2003 2004 2005...

Leia mais

Discurso do Ministro Alexandre Tombini, Presidente do Banco Central do Brasil, no IV Fórum Banco Central sobre Inclusão Financeira

Discurso do Ministro Alexandre Tombini, Presidente do Banco Central do Brasil, no IV Fórum Banco Central sobre Inclusão Financeira Porto Alegre, 29 de outubro de 2012 Discurso do Ministro Alexandre Tombini, Presidente do Banco Central do Brasil, no IV Fórum Banco Central sobre Inclusão Financeira Página 1 de 11 Senhoras e senhores,

Leia mais

1º Congresso Nacional de Gerenciamento de Processos na Gestão Pública. Cadeia de valor. Quando? Como? Porque?

1º Congresso Nacional de Gerenciamento de Processos na Gestão Pública. Cadeia de valor. Quando? Como? Porque? 1º Congresso Nacional de Gerenciamento de Processos na Gestão Pública Cadeia de valor Quando? Como? Porque? ABPMP Novembro-2012 1 QUANDO CONSTRUIR UMA CADEIA DE VALOR? - Gestão de processos - Gestão de

Leia mais

A atuação do Banco Central do Brasil na prevenção à lavagem de dinheiro e no combate ao financiamento do terrorismo

A atuação do Banco Central do Brasil na prevenção à lavagem de dinheiro e no combate ao financiamento do terrorismo A atuação do Banco Central do Brasil na prevenção à lavagem de dinheiro e no combate ao financiamento do terrorismo Wolney José dos Anjos Coordenador do Decon Estrutura de Governança de PLD/CFT HISTÓRICO

Leia mais

IV Seminário Nacional do Programa Nacional de Crédito Fundiário Crédito Fundiário no Combate a Pobreza Rural Sustentabilidade e Qualidade de Vida

IV Seminário Nacional do Programa Nacional de Crédito Fundiário Crédito Fundiário no Combate a Pobreza Rural Sustentabilidade e Qualidade de Vida IV Seminário Nacional do Programa Nacional de Crédito Fundiário Crédito Fundiário no Combate a Pobreza Rural Sustentabilidade e Qualidade de Vida 30 DE NOVEMBRO DE 2011 CONTEXTO Durante os últimos anos,

Leia mais

Sistema Financeiro e os Fundamentos para o Crescimento

Sistema Financeiro e os Fundamentos para o Crescimento Sistema Financeiro e os Fundamentos para o Crescimento Henrique de Campos Meirelles Novembro de 20 1 Fundamentos macroeconômicos sólidos e medidas anti-crise 2 % a.a. Inflação na meta 8 6 metas cumpridas

Leia mais

Encontro de Bancos Centrais de países de língua portuguesa

Encontro de Bancos Centrais de países de língua portuguesa Encontro de Bancos Centrais de países de língua portuguesa Antônio Gustavo Matos do Vale Diretor de Liquidações e Desestatização 4 de outubro de 2010 1 Evolução recente da economia brasileira O momento

Leia mais

Fortaleza, 4 de novembro de 2013.

Fortaleza, 4 de novembro de 2013. Fortaleza, 4 de novembro de 2013. Discurso do Ministro Alexandre Tombini, Presidente do Banco Central do Brasil, no V Fórum Banco Central sobre Inclusão Financeira Senhoras e senhores, boa tarde a todos.

Leia mais

Bancarização e Inclusão Financeira no Brasil. FELABAN, julho de 2011

Bancarização e Inclusão Financeira no Brasil. FELABAN, julho de 2011 Bancarização e Inclusão Financeira no Brasil FELABAN, julho de 2011 Agenda Panorama da economia brasileira : 2006 a 2010 Questões fundamentais Definindo conceitos Indicadores de bancarização : 2006 a 2010

Leia mais

Formação Financeira para Inclusão Financeira

Formação Financeira para Inclusão Financeira Formação Financeira para Inclusão Financeira Elvira Cruvinel Ferreira Chefe do Departamento de Educação Financeira 11 de Julho de 2013 Agenda Banco Central: missão e estrutura Inclusão Financeira e a importância

Leia mais

O Processo de Convergências às Normas Internacionais de Contabilidade: Histórico e Perspectivas

O Processo de Convergências às Normas Internacionais de Contabilidade: Histórico e Perspectivas O Processo de Convergências às Normas Internacionais de Contabilidade: Histórico e Perspectivas Humberto Carlos Zendersky Departamento de Normas do Sistema Financeiro Denor Maceió, 24 de novembro de 2011

Leia mais

SISTEMA FINANCEIRO VISÃO GERAL

SISTEMA FINANCEIRO VISÃO GERAL SISTEMA FINANCEIRO VISÃO GERAL Funções Essenciais dos Bancos 1. Captar e rentabilizar poupança e investimentos; 2. Financiar a produção e o consumo; 3. Viabilizar pagamentos e recebimentos. Depósitos em

Leia mais

Microcrédito Produtivo Orientado

Microcrédito Produtivo Orientado Programa Nacional de Microcrédito Produtivo Orientado Avaliação, Perspectivas e Desafios Belo Horizonte, 30 de setembro de 2008 1 Objetivos do Programa Facilitar e ampliar o acesso ao microcrédito produtivo

Leia mais

Programa Cidadania Financeira

Programa Cidadania Financeira Programa Cidadania Financeira Conhecendo e ampliando a relação cidadão-instituição financeira Marusa Vasconcelos Freire Banco Central do Brasil 1 Programa Cidadania Financeira Visando a assegurar a sustentabilidade

Leia mais

A FORMALIZAÇÃO COMO TENDÊNCIA

A FORMALIZAÇÃO COMO TENDÊNCIA EVOLUÇÃO DO SEGMENTO DE PROMOÇÃO DE CRÉDITO: A FORMALIZAÇÃO COMO TENDÊNCIA Desenvolvendo Pessoas e Fortalecendo o Sistema Renato Martins Oliva Agenda O que é ABBC Missão e valores Bancos de pequena e média

Leia mais

Microfinanças e Cooperativismo de Crédito

Microfinanças e Cooperativismo de Crédito Microfinanças e Cooperativismo de Crédito Gilson Bittencourt gilson.bittencourt@fazenda.gov.br 1 Microfinanças: Objetivos do Governo Federal Facilitar e ampliar o acesso ao crédito entre os empreendedores

Leia mais

ISSN 2179-6696. Relatório de. Inclusão Financeira

ISSN 2179-6696. Relatório de. Inclusão Financeira ISSN 2179-6696 Relatório de Inclusão Financeira Número 2 2011 Ficha catalográfica elaborada pela Biblioteca do Banco Central do Brasil Banco Central do Brasil. Relatório de inclusão financeira. N. 2-..

Leia mais

CORRESPONDENTES. Uma Inovação Brasileira

CORRESPONDENTES. Uma Inovação Brasileira CORRESPONDENTES Uma Inovação Brasileira JUNHO - 2007 Brasil Desafio das dimensões continentais ÁREA Brasil Desafio das dimensões continentais DENSIDADE DEMOGRÁFICA Brasil Desafio das dimensões continentais

Leia mais

1º Seminário Suitability. 27 de Abril de 2015 São Paulo SP

1º Seminário Suitability. 27 de Abril de 2015 São Paulo SP 1º Seminário Suitability 27 de Abril de 2015 São Paulo SP Suitability em Operações Bancárias 27.04.2015 Contexto Normativo Resolução CMN nº 4.283/2013 Alteração do texto do art. 1º da Resolução CMN nº

Leia mais

Arranjos de Pagamento SEMARC 2014. Brasília, 4 de agosto de 2014

Arranjos de Pagamento SEMARC 2014. Brasília, 4 de agosto de 2014 Arranjos de Pagamento SEMARC 2014 Brasília, 4 de agosto de 2014 Sistema de Pagamentos de Varejo Linha do Tempo Projeto institucional de modernização de pagamentos de varejo Publicação do Diagnóstico do

Leia mais

CIEDS, Centro Integrado de Estudos e Programas de Desenvolvimento Sustentável Missão:

CIEDS, Centro Integrado de Estudos e Programas de Desenvolvimento Sustentável Missão: O CIEDS, Centro Integrado de Estudos e Programas de Desenvolvimento Sustentável, é uma Instituição Social Sem Fins Lucrativos, de Utilidade Pública Federal, fundada em 1998, com sede na cidade do Rio de

Leia mais

SUMÁRIO EXECUTIVO COMITÊ TEMÁTICO INVESTIMENTO E FINANCIAMENTO JULHO/2012. Ampliar e fomentar a utilização dos Fundos Garantidores já existentes.

SUMÁRIO EXECUTIVO COMITÊ TEMÁTICO INVESTIMENTO E FINANCIAMENTO JULHO/2012. Ampliar e fomentar a utilização dos Fundos Garantidores já existentes. SUMÁRIO EXECUTIVO COMITÊ TEMÁTICO INVESTIMENTO E FINANCIAMENTO JULHO/2012 Agenda Estratégica 2010 horizonte de 2 anos: Ampliar e fomentar a utilização dos Fundos Garantidores já existentes. Padronização

Leia mais

Liziane Castilhos de Oliveira Freitas Departamento de Planejamento, Orçamento e Gestão Escritório de Soluções em Comportamento Organizacional

Liziane Castilhos de Oliveira Freitas Departamento de Planejamento, Orçamento e Gestão Escritório de Soluções em Comportamento Organizacional CASO PRÁTICO COMPORTAMENTO ORGANIZACIONAL E GESTÃO DE TALENTOS: COMO A GESTÃO DA CULTURA, DO CLIMA E DAS COMPETÊNCIAS CONTRIBUI PARA UM AMBIENTE PROPÍCIO À RETENÇÃO DE TALENTOS CASO PRÁTICO: COMPORTAMENTO

Leia mais

Supervisão de Cooperativas de Crédito Brasil

Supervisão de Cooperativas de Crédito Brasil Supervisão de Cooperativas de Crédito Brasil RODRIGO PEREIRA BRAZ Departamento de Supervisão de Cooperativas de Crédito e Instituições Não Bancárias Banco Central do Brasil 06 de junho de 2013 Agenda Estrutura

Leia mais

São Paulo, 15 de abril de 2013. Discurso do presidente Alexandre Tombini, durante o International Financial Reporting Standards (IFRS).

São Paulo, 15 de abril de 2013. Discurso do presidente Alexandre Tombini, durante o International Financial Reporting Standards (IFRS). São Paulo, 15 de abril de 2013. Discurso do presidente Alexandre Tombini, durante o International Financial Reporting Standards (IFRS). 1 Boa tarde a todos! Em primeiro lugar, gostaria de agradecer, em

Leia mais

Relatório de. Inclusão Financeira

Relatório de. Inclusão Financeira Relatório de Inclusão Financeira Número 3 2015 Relatório de Inclusão Financeira Número 3 2015 Ficha catalográfica elaborada pela Biblioteca do Banco Central do Brasil Banco Central do Brasil. Relatório

Leia mais

O Processo de Supervisão no

O Processo de Supervisão no O Processo de Supervisão no Banco Central do Brasil Anthero de Moraes Meirelles Banco Central do Brasil Diretor de Fiscalização Introdução Missão Estrutura Universo Fiscalizável Agenda Processo de Supervisão

Leia mais

Brasília, 9 de maio de 2013

Brasília, 9 de maio de 2013 Brasília, 9 de maio de 2013 Discurso do Diretor de Regulação do Sistema Financeiro, Luiz Awazu Pereira da Silva, na reunião ordinária do Conselho Consultivo de Crédito da Organização das Cooperativas Brasileiras.

Leia mais

Um sistema financeiro saudável, ético e eficiente é condição essencial para o desenvolvimento econômico, social e sustentável do País.

Um sistema financeiro saudável, ético e eficiente é condição essencial para o desenvolvimento econômico, social e sustentável do País. Pesquisa FEBRABAN de Tecnologia Bancária 2013 Um sistema financeiro saudável, ético e eficiente é condição essencial para o desenvolvimento econômico, social e sustentável do País. OBJETIVOS A Pesquisa

Leia mais

Produtos Bancários CAIXA. Item 5- Correspondentes Bancários

Produtos Bancários CAIXA. Item 5- Correspondentes Bancários Produtos Bancários CAIXA Item 5- Correspondentes Bancários Produtos Bancários CAIXA Item 5- Correspondentes Bancários Evolução na prestação de serviços efetuada pelos bancos Avanço tecnológico nas últimas

Leia mais

Maceió, 8 de maio de 2013.

Maceió, 8 de maio de 2013. Maceió, 8 de maio de 2013. Discurso do diretor de Regulação do Sistema Financeiro, Luiz Awazu Pereira da Silva, no XIII Encontro Nacional da 3ª Câmara de Coordenação e Revisão do Ministério Público Federal:

Leia mais

Discurso do presidente Alexandre Tombini na comemoração dos 30 anos da Associação Brasileira de Bancos Comerciais (ABBC).

Discurso do presidente Alexandre Tombini na comemoração dos 30 anos da Associação Brasileira de Bancos Comerciais (ABBC). São Paulo, 21 de março de 2013. Discurso do presidente Alexandre Tombini na comemoração dos 30 anos da Associação Brasileira de Bancos Comerciais (ABBC). Senhoras e senhores É com grande satisfação que

Leia mais

Painel II: Estratégia de crescimento inorgânico e impactos na estrutura de capital

Painel II: Estratégia de crescimento inorgânico e impactos na estrutura de capital Painel II: Estratégia de crescimento inorgânico e impactos na estrutura de capital Paulo Sérgio Navarro Geral da Unidade Integração de Negócios Banco Votorantim UBV - Parceria estratégica Agenda Estrutura

Leia mais

I Congreso LatinoAmericano de Bancarizacion, Micrhofinanzas Y Remesas

I Congreso LatinoAmericano de Bancarizacion, Micrhofinanzas Y Remesas I Congreso LatinoAmericano de Bancarizacion, Micrhofinanzas Y Remesas História da CAIXA O dia 12 de janeiro de 1861 marcou o início da história da CAIXA e de seu compromisso com o povo brasileiro. Foi

Leia mais

no Desenvolvimento dos

no Desenvolvimento dos A Importância do Secretaria de Cooperativismo de Crédito no Desenvolvimento dos Territórios rios Rurais do Brasil (Tema X: O Cooperativismo de Crédito Como Agente Transformador) 5º Seminário Banco Central

Leia mais

Demonstrativo da extrema pobreza: Brasil 1990 a 2009

Demonstrativo da extrema pobreza: Brasil 1990 a 2009 Campinas, 29 de fevereiro de 2012 AVANÇOS NO BRASIL Redução significativa da população em situação de pobreza e extrema pobreza, resultado do desenvolvimento econômico e das decisões políticas adotadas.

Leia mais

ANEXO I A Estratégia de TIC do Poder Judiciário

ANEXO I A Estratégia de TIC do Poder Judiciário RESOLUÇÃO Nº 99, DE 24 DE NOVEMBRO DE 2009 Dispõe sobre o Planejamento Estratégico de TIC no âmbito do Poder Judiciário e dá outras providências. ANEXO I A Estratégia de TIC do Poder Judiciário Planejamento

Leia mais

ESTRADA SUSTENTÁVEL Uma plataforma colaborativa para o Desenvolvimento Sustentável

ESTRADA SUSTENTÁVEL Uma plataforma colaborativa para o Desenvolvimento Sustentável 1 ESTRADA SUSTENTÁVEL Uma plataforma colaborativa para o Desenvolvimento Sustentável 2 Desafios para o desenvolvimento sustentável O mundo esta ficando cada vez mais urbano Mais da metade da população

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA. MEMÓRIA: Reunião Preparatória do Comitê Temático de Inovação e Crédito GT de Investimento e Financiamento

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA. MEMÓRIA: Reunião Preparatória do Comitê Temático de Inovação e Crédito GT de Investimento e Financiamento PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA Secretaria da Micro e Pequena Empresa Fórum Permanente de Microempresas e Empresas de Pequeno Porte MEMÓRIA: Reunião Preparatória do Comitê Temático de Inovação e Crédito GT de

Leia mais

Seminário Crédito Imobiliário Visão do regulador e o mercado externo Banco Central do Brasil (BCB)

Seminário Crédito Imobiliário Visão do regulador e o mercado externo Banco Central do Brasil (BCB) Seminário Crédito Imobiliário Visão do regulador e o mercado externo Banco Central do Brasil (BCB) São Paulo, 20 de março de 2014 Agenda 1. Panorama do Segmento 2. Particularidades do Mercado Brasileiro

Leia mais

Inclusão Bancária. e Microcrédito

Inclusão Bancária. e Microcrédito Inclusão Bancária e Microcrédito 3. Inclusão Bancária e Microcrédito 116 INTRODUÇÃO Em 2003, no início do novo governo, a discussão sobre microfinanças e inclusão financeira no Brasil era restrita às operações

Leia mais

Objetivos, ações e resultados do projeto Governança Cooperativa Elvira Cruvinel Ferreira Ventura

Objetivos, ações e resultados do projeto Governança Cooperativa Elvira Cruvinel Ferreira Ventura Objetivos, ações e resultados do projeto Governança Cooperativa Elvira Cruvinel Ferreira Ventura Brasília, 25 de abril de 2008 http://www.bcb.gov.br/?govcoop 1 O Projeto Governança Cooperativa Diretrizes

Leia mais

Planejamento Estratégico de TIC. da Justiça Militar do Estado. do Rio Grande do Sul

Planejamento Estratégico de TIC. da Justiça Militar do Estado. do Rio Grande do Sul Planejamento Estratégico de TIC da Justiça Militar do Estado do Rio Grande do Sul MAPA ESTRATÉGICO DE TIC DA JUSTIÇA MILITAR DO ESTADO (RS) MISSÃO: Gerar, manter e atualizar soluções tecnológicas eficazes,

Leia mais

Na Crise - Esperança e Oportunidade. Desenvolvimento como "Sonho Brasileiro".(Desenvolvimento com Inclusão). Oportunidade para as Favelas

Na Crise - Esperança e Oportunidade. Desenvolvimento como Sonho Brasileiro.(Desenvolvimento com Inclusão). Oportunidade para as Favelas Na Crise - Esperança e Oportunidade. Desenvolvimento como "Sonho Brasileiro".(Desenvolvimento com Inclusão). Oportunidade para as Favelas Rio de Janeiro, 17 de setembro de 2009 Fórum Especial INAE Luciano

Leia mais

III Painel Microempreendedorismo, população de baixa renda e inclusão financeira: caminhos e oportunidades

III Painel Microempreendedorismo, população de baixa renda e inclusão financeira: caminhos e oportunidades III Painel Microempreendedorismo, população de baixa renda e inclusão financeira: caminhos e oportunidades Rodrigo Santos Nogueira Diretor Setorial de Responsabilidade Social e Sustentabilidade FEBRABAN

Leia mais

São Paulo, 7 de maio de 2013.

São Paulo, 7 de maio de 2013. São Paulo, 7 de maio de 2013. Discurso do diretor de Relacionamento Institucional e Cidadania do Banco Central do Brasil, Luiz Edson Feltrim, no Fórum de Educação Financeira promovido por Visa e Financial

Leia mais

XIII SEMINARIO INTERNACIONAL DO COMITÉ DE INTEGRACIÓN LATINO EUROPA-AMÉRICA

XIII SEMINARIO INTERNACIONAL DO COMITÉ DE INTEGRACIÓN LATINO EUROPA-AMÉRICA XIII SEMINARIO INTERNACIONAL DO COMITÉ DE INTEGRACIÓN LATINO EUROPA-AMÉRICA AMÉRICA PAINEL: Políticas de Facilitação de Créditos para o Desenvolvimento das Pequenas e Médias Empresas (PMES). HENRIQUE Jorge

Leia mais

Perspectivas das Entidades de Classe: principais pontos para promoção da inclusão financeira no Brasil

Perspectivas das Entidades de Classe: principais pontos para promoção da inclusão financeira no Brasil Perspectivas das Entidades de Classe: principais pontos para promoção da inclusão financeira no 1. Número de bancos 158 2. Quantidade de agências bancárias 20.046 3. Postos tradicionais (PABs, PAPs, PAAs,

Leia mais

Federação Brasileira de Bancos (Febraban) e Confederação Nacional das. Pronunciamento do Presidente do Banco Central do Brasil, Ministro Alexandre

Federação Brasileira de Bancos (Febraban) e Confederação Nacional das. Pronunciamento do Presidente do Banco Central do Brasil, Ministro Alexandre São Paulo, 24 de novembro de 2011. Jantar Anual dos Dirigentes de Bancos Federação Brasileira de Bancos (Febraban) e Confederação Nacional das Instituições Financeiras (CNF) Pronunciamento do Presidente

Leia mais

Gestão Integrada de Riscos A visão do Supervisor. Anthero de Moraes Meirelles Outubro de 2012

Gestão Integrada de Riscos A visão do Supervisor. Anthero de Moraes Meirelles Outubro de 2012 Gestão Integrada de Riscos A visão do Supervisor Anthero de Moraes Meirelles Outubro de 2012 Agenda 1. Gestão Integrada de Riscos 2. Papel da Supervisão e dos Agentes Privados 3. Processo de Ajustes e

Leia mais

ME - Metodologia Creditícia

ME - Metodologia Creditícia EXPANSÃO DO SETOR DE MICROFINANÇAS NO BRASIL ME - Metodologia Creditícia A Cresol só empresta recursos para os próprios sócios 16. Inicialmente, o diretor liberado é que captava os créditos em cada cooperativa.

Leia mais

Agenda Nacional de Apoio à Gestão Municipal

Agenda Nacional de Apoio à Gestão Municipal SECRETARIA DE RELAÇÕES INSTITUCIONAIS SUBCHEFIA DE ASSUNTOS FEDERATIVOS Agenda Nacional de Apoio à Gestão Municipal Mapa de obras contratadas pela CEF, em andamento com recursos do Governo Federal 5.048

Leia mais

SUBCOMISSÃO DE DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS

SUBCOMISSÃO DE DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS Página 1 de 12 MERCOSUL/SGT N 4/ATA N 01/2015 XXXVIII REUNIÃO ORDINÁRIA DO SUBGRUPO DE TRABALHO N 4 Entre os dias 18 e 20 de maio de 2015, na cidade de São Paulo, República Federativa do Brasil, realizou-se

Leia mais

Cooperativas de crédito Opções de associação para micro e pequenas empresas Vantagens e desvantagens com relação ao sistema bancário

Cooperativas de crédito Opções de associação para micro e pequenas empresas Vantagens e desvantagens com relação ao sistema bancário Cooperativas de crédito Opções de associação para micro e pequenas empresas Vantagens e desvantagens com relação ao sistema bancário 1- Opções de associação de empresas a cooperativas de crédito As pessoas

Leia mais

Certificado de Operações Estruturadas (COE)

Certificado de Operações Estruturadas (COE) Certificado de Operações Estruturadas (COE) Sergio Odilon dos Anjos Departamento de Regulação do Sistema Financeiro São Paulo, 15 de maio 2014 Agenda 1. Linha do tempo e status atual 2. Base legal 3. Contexto

Leia mais

O BOLSA FAMÍLIA E A SUPERAÇÃO DA POBREZA. Experiências do Banco do Nordeste: Programas Crediamigo e Agroamigo

O BOLSA FAMÍLIA E A SUPERAÇÃO DA POBREZA. Experiências do Banco do Nordeste: Programas Crediamigo e Agroamigo O BOLSA FAMÍLIA E A SUPERAÇÃO DA POBREZA Experiências do Banco do Nordeste: Programas Crediamigo e Agroamigo Banco do Nordeste: o Maior Banco de Microfinanças da América do Sul Objetivos de atuação do

Leia mais

Ana Fonseca Secretária Extraordinária de Superação da Extrema Pobreza (SESEP/MDS) Reunião do SASF 2 de agosto de 2011 Brasília

Ana Fonseca Secretária Extraordinária de Superação da Extrema Pobreza (SESEP/MDS) Reunião do SASF 2 de agosto de 2011 Brasília Ana Fonseca Secretária Extraordinária de Superação da Extrema Pobreza (SESEP/MDS) Reunião do SASF 2 de agosto de 2011 Brasília LINHA E PÚBLICO DA EXTREMA POBREZA Linha de extrema pobreza: renda familiar

Leia mais

IV Fórum Banco Central sobre. Inclusão Financeira. Porto Alegre RS 29-31 de outubro de 2012. Programação. Patrocínio. Realização

IV Fórum Banco Central sobre. Inclusão Financeira. Porto Alegre RS 29-31 de outubro de 2012. Programação. Patrocínio. Realização IV Fórum Banco Central sobre Inclusão Financeira Porto Alegre RS 29-31 de outubro de 2012 Programação Patrocínio Realização IV Fórum Banco Central sobre Inclusão Financeira Local Centro de Eventos Plaza

Leia mais

Inclusão Financeira de Empreendedores Individuais, Micro e Pequenas Empresas: a visão dos sistemas organizados

Inclusão Financeira de Empreendedores Individuais, Micro e Pequenas Empresas: a visão dos sistemas organizados Inclusão Financeira de Empreendedores Individuais, Micro e Pequenas Empresas: a visão dos sistemas organizados Sistema Financeiro: Propulsor do microcrédito; Adequação e atualização do sistema normativo

Leia mais

3º Seminário sobre informação na Internet: construindo o futuro do Brasil

3º Seminário sobre informação na Internet: construindo o futuro do Brasil 3º Seminário sobre informação na Internet: construindo o futuro do Brasil O custo do acesso a Internet no Brasil: caro ou barato? 18 de novembro de 2010 Sobre o Idec 2 Como o Idec trabalha? 3 4 Temas Prioritários

Leia mais

Encontro promovido pelo Projeto de Responsabilidade Social e Ambiental do Banco Central do Brasil. Relatório de participação do Sinal

Encontro promovido pelo Projeto de Responsabilidade Social e Ambiental do Banco Central do Brasil. Relatório de participação do Sinal Encontro promovido pelo Projeto de Responsabilidade Social e Ambiental do Banco Central do Brasil Relatório de participação do Sinal Na tarde do último dia quatro de dezembro, quinta-feira, o Presidente

Leia mais

Discurso do diretor Luiz A Pereira da Silva no SICOOB - Sistema de Cooperativas de Crédito do Brasil

Discurso do diretor Luiz A Pereira da Silva no SICOOB - Sistema de Cooperativas de Crédito do Brasil Brasília, 23 de novembro de 2011 Discurso do diretor Luiz A Pereira da Silva no SICOOB - Sistema de Cooperativas de Crédito do Brasil 1. Senhoras e senhores, boa tarde. 2. Inicialmente, eu gostaria de

Leia mais

Pesquisa nacional sobre o uso dos correspondentes bancários e inclusão financeira no Brasil. Caitlin Sanford, Associada, Bankable Frontier Associates

Pesquisa nacional sobre o uso dos correspondentes bancários e inclusão financeira no Brasil. Caitlin Sanford, Associada, Bankable Frontier Associates Pesquisa nacional sobre o uso dos correspondentes bancários e inclusão financeira no Brasil Caitlin Sanford, Associada, Bankable Frontier Associates Objetivos da pesquisa A rede de correspondentes bancários

Leia mais

8º CONGRESSO ANBIMA DE FUNDOS DE INVESTIMENTO - 20/05/15

8º CONGRESSO ANBIMA DE FUNDOS DE INVESTIMENTO - 20/05/15 8º CONGRESSO ANBIMA DE FUNDOS DE INVESTIMENTO - 20/05/15 Bom dia a todos! Primeiramente, gostaria de agradecer à ANBIMA, na pessoa de sua presidente Denise Pavarina, e a Diretoria da ANBIMA pelo convite

Leia mais

GESTÃO E OTIMIZAÇÃO DE PROCESSOS. Vanice Ferreira

GESTÃO E OTIMIZAÇÃO DE PROCESSOS. Vanice Ferreira GESTÃO E OTIMIZAÇÃO DE PROCESSOS Vanice Ferreira 12 de junho de 2012 GESTÃO E OTIMIZAÇÃO DE PROCESSOS: conceitos iniciais DE QUE PROCESSOS ESTAMOS FALANDO? GESTÃO E OTIMIZAÇÃO DE PROCESSOS: conceitos iniciais

Leia mais

O Impacto das Novas Regras de Tarifas Bancárias para o Consumidor

O Impacto das Novas Regras de Tarifas Bancárias para o Consumidor O Impacto das Novas Regras de Tarifas Bancárias para o Consumidor Laura Schertel Mendes Coordenadora Geral de Supervisão e Controle Departamento de Proteção e Defesa do Consumidor Brasília Agosto 2009

Leia mais

Brasil. Panorama Econômico e do Setor Financeiro. Novembro de 2011

Brasil. Panorama Econômico e do Setor Financeiro. Novembro de 2011 Brasil Panorama Econômico e do Setor Financeiro Novembro de 2011 Índice Contexto Macroeconômico Indicadores Sociais Regulação e Supervisão Crédito e Endividamento das Famílias 2 Contexto Macroeconômico

Leia mais

Bancarização no Brasil

Bancarização no Brasil Bancarização no Brasil 18 de setembro de 2009 1 Bancarização Mensagem inicial O índice de bancarização no Brasil ainda é muito baixo, com grande potencial a ser explorado Felaban (Federação Latino-Americana

Leia mais

Salvador BA, Nov 2009

Salvador BA, Nov 2009 FORUM BANCO CENTRAL SOBRE INCLUSÃO FINANCEIRA A experiência do Banco dos Cocais em Parceria com a Prefeitura Municipal de São João do Arraial - PI Salvador BA, Nov 2009 COCAIS Paisagem de Babaçuais Localização

Leia mais

Agência Nacional de Vigilância Sanitária

Agência Nacional de Vigilância Sanitária Agência Nacional de Vigilância Sanitária RESOLUÇÃO DE DIRETORIA COLEGIADA n 49/13 Esta resolução tem por objetivo aplicar no âmbito da vigilância sanitária as diretrizes e os objetivos do Decreto nº 7.492,

Leia mais

Painel IV: Panorama do Crédito no Banco do Brasil. Ary Joel de Abreu Lanzarin Diretor de Micro e Pequenas Empresas

Painel IV: Panorama do Crédito no Banco do Brasil. Ary Joel de Abreu Lanzarin Diretor de Micro e Pequenas Empresas Painel IV: Panorama do Crédito no Banco do Brasil Ary Joel de Abreu Lanzarin Diretor de Micro e Pequenas Empresas As diretrizes estratégicas dão foco ao negócio Perspectivas Simplificar e agilizar a utilização

Leia mais

BNB - Segmentação de Clientes

BNB - Segmentação de Clientes BNB - Segmentação de Clientes Grande Pirâmide dos Empreendedores (Formais ou Informais) FORMAL Médio Pequeno MICROEMPRESA INFORMAL EMPREENDEDOR URBANO EMPREENDEDOR RURAL SERVIÇO INDÚSTRIA COMÉRCIO ATIVIDADES

Leia mais

Banco Público Federal com Departamento Especializado em Microcrédito

Banco Público Federal com Departamento Especializado em Microcrédito Banco Público Federal com Departamento Especializado em Microcrédito CREDIAMIGO - A experiência de Microfinanças do Banco do Nordeste II Encontro Internacional sobre regulação e supervisão em Microfinanças

Leia mais

PERFIL DOS ESTADOS E DOS MUNICÍPIOS BRASILEIROS: INCLUSÃO PRODUTIVA.

PERFIL DOS ESTADOS E DOS MUNICÍPIOS BRASILEIROS: INCLUSÃO PRODUTIVA. PERFIL DOS ESTADOS E DOS MUNICÍPIOS BRASILEIROS: INCLUSÃO PRODUTIVA. FICHA TÉCNICA Coordenação de População e Indicadores Sociais: Bárbara Cobo Soares Gerente de Pesquisas e Estudos Federativos: Antônio

Leia mais

Foto: istockphoto.com/propagcomunica. Aqui você é dono

Foto: istockphoto.com/propagcomunica. Aqui você é dono Foto: istockphoto.com/propagcomunica Aqui você é dono A UNICRED/ASACRED tem como seus pilares dois importantes institutos: o cooperativismo, que vem promover a gestão participativa, equitativa e igualitária,

Leia mais

CONSELHO NACIONAL DE JUSTIÇA RESOLUÇÃO Nº 99, DE 24 DE NOVEMBRO DE 2009

CONSELHO NACIONAL DE JUSTIÇA RESOLUÇÃO Nº 99, DE 24 DE NOVEMBRO DE 2009 CONSELHO NACIONAL DE JUSTIÇA RESOLUÇÃO Nº 99, DE 24 DE NOVEMBRO DE 2009 Institui o Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação e Comunicação no âmbito do Poder Judiciário. O PRESIDENTE DO CONSELHO

Leia mais

Manifestação do Ministro Gilmar Mendes, no encerramento do II Encontro Nacional do Judiciário Belo Horizonte, 16/02/2009

Manifestação do Ministro Gilmar Mendes, no encerramento do II Encontro Nacional do Judiciário Belo Horizonte, 16/02/2009 Manifestação do Ministro Gilmar Mendes, no encerramento do II Encontro Nacional do Judiciário Belo Horizonte, 16/02/2009 Senhores, No encerramento destes trabalhos, gostaria de agradecer a contribuição

Leia mais

Visão estratégica e projetos futuros

Visão estratégica e projetos futuros Visão estratégica e projetos futuros 4 Encontro de Secretários Executivos de Sindicatos - FIESC 15 de setembro de 2010 PDA Visão Estratégica Panorama SC Projetos 2011 Objetivos Visão Estratégica 1/9 Mapa

Leia mais

O QUE SÃO COOPERATIVAS DE CRÉDITO PERFIL INSTITUCIONAL DESEMPENHO ECONÔMICO SOLUÇÕES FINANCEIRAS SUSTENTABILIDADE

O QUE SÃO COOPERATIVAS DE CRÉDITO PERFIL INSTITUCIONAL DESEMPENHO ECONÔMICO SOLUÇÕES FINANCEIRAS SUSTENTABILIDADE O QUE SÃO COOPERATIVAS DE CRÉDITO PERFIL INSTITUCIONAL DESEMPENHO ECONÔMICO SOLUÇÕES FINANCEIRAS SUSTENTABILIDADE AGENTES DA PROMOÇÃO DO DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E SOCIAL DAS COMUNIDADES ONDE ATUAM Principais

Leia mais

Desenvolvimento Regional Sustentável - DRS. Crise Mundial e o Desenvolvimento Regional: Desafios e Oportunidades

Desenvolvimento Regional Sustentável - DRS. Crise Mundial e o Desenvolvimento Regional: Desafios e Oportunidades Desenvolvimento Regional Sustentável - DRS Crise Mundial e o Desenvolvimento Regional: Desafios e Oportunidades Grandes números do Banco do Brasil Ativos totais: R$ 598 bilhões Clientes: 48,1 milhões Carteira

Leia mais

Ampla consulta à sociedade civil. Lançamento do PNPSB pelo Presidente da República. Seminário Nacional da Sociobiodiversidade em Brasília

Ampla consulta à sociedade civil. Lançamento do PNPSB pelo Presidente da República. Seminário Nacional da Sociobiodiversidade em Brasília 2009 Elaboração Plano Nacional de Promoção das Cadeias de Produtos da Sociobiodiversidade [PNPSB] Ampla consulta à sociedade civil Lançamento do PNPSB pelo Presidente da República Seminário Nacional da

Leia mais

Redução da Fome, da Pobreza e da Desigualdade. Taquara/RS 16/10/2015

Redução da Fome, da Pobreza e da Desigualdade. Taquara/RS 16/10/2015 Redução da Fome, da Pobreza e da Desigualdade Taquara/RS 16/10/2015 Terceira maior redução do número de pessoas subalimentadas no mundo 2002/2014 % População BRASIL - POPULAÇÃO EM SUBALIMENTAÇÃO (%) 15,0

Leia mais

RELATÓRIO DE RISCOS - 1º SEMESTRE/2009

RELATÓRIO DE RISCOS - 1º SEMESTRE/2009 RELATÓRIO DE RISCOS - 1º SEMESTRE/2009 I. INTRODUÇÃO As Assessorias de Riscos, da Coordenadoria de Riscos e Controles Internos - CORCI, em atendimento ao Art. 4º, da Resolução nº. 3.380, de 29 de junho

Leia mais

Portabilidade de crédito

Portabilidade de crédito Portabilidade de crédito SEMARC 2014 - Seminário de Relacionamento com Clientes Brasília, 4 de agosto de 2014 30.6.99 30.5.01 28.1.05 6.9.06 26.7.07 6.12.07 6.12.09 25.3.10 25.11.10 24.2.11 15.3.13 4.11.13

Leia mais

III CICLO DE ESTUDOS DE GESTÃO MUNICIPAL

III CICLO DE ESTUDOS DE GESTÃO MUNICIPAL III CICLO DE ESTUDOS DE GESTÃO MUNICIPAL Ag. Imperatriz Ag. Santa Luzia do Paruá Ag. Tropical Ag. Timon Ag. Chapadinha CAIXA ECONÔMICA FEDERAL E OS MUNICÍPIOS: UMA PARCERIA DE SUCESSO! Rede de Atendimento

Leia mais

1ª Jornada Internacional da Gestão Pública. Monitoramento das Ações Estratégicas do Ministério da Educação

1ª Jornada Internacional da Gestão Pública. Monitoramento das Ações Estratégicas do Ministério da Educação 1ª Jornada Internacional da Gestão Pública Monitoramento das Ações Estratégicas do Ministério da Educação Brasília, 12 de março de 2013 da Educação Contexto do Ministério Ministério da Educação 7 Secretarias

Leia mais

"Estrutura do Monitoramento e Avaliação no Ministério da Previdência Social"

Estrutura do Monitoramento e Avaliação no Ministério da Previdência Social "Estrutura do Monitoramento e Avaliação no Ministério da Previdência Social" 1 Gestão por processos 2 Previdência Social: em números e histórico Estrutura: Administração Direta, 2 Autarquias e 1 Empresa

Leia mais

ANEXO I SISTEMA NACIONAL DE INFORMAÇÕES EM ECONOMIA SOLIDÁRIA (SIES) TERMO DE REFERÊNCIA

ANEXO I SISTEMA NACIONAL DE INFORMAÇÕES EM ECONOMIA SOLIDÁRIA (SIES) TERMO DE REFERÊNCIA ANEXO I SISTEMA NACIONAL DE INFORMAÇÕES EM ECONOMIA SOLIDÁRIA (SIES) TERMO DE REFERÊNCIA 1. INTRODUÇÃO O Ministério do Trabalho e Emprego, por meio da Secretaria Nacional de Economia Solidária tem entre

Leia mais