O tipo facial e a morfologia do arco dentário no planejamento ortodôntico

Save this PDF as:

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "O tipo facial e a morfologia do arco dentário no planejamento ortodôntico"

Transcrição

1 Caso Clínico O tipo facial e a morfologia do arco dentário no planejamento ortodôntico Alexandre de Almeida Ribeiro* Resumo A morfologia do arco dentário está relacionada diretamente com as demais partes que formam o complexo craniofacial, que juntas determinam o tipo facial de cada indivíduo. Reconhecer as características do arco dentário é essencial para a manutenção, ao final do tratamento, do estado de equilíbrio entre os dentes e os tecidos musculares. Anomalias como a agenesia dentária podem induzir alterações alveolares na base óssea, masca- rar a sua verdadeira morfologia e causar confusão no diagnóstico. No caso clínico apresentado, as alterações indesejáveis no início do tratamento foram causadas por um diagnóstico incorreto, decorrente da não-observação das partes que compunham o complexo craniofacial do paciente. Felizmente, tal situação pôde ser revertida, o que evidencia ainda mais o papel de destaque de um planejamento correto como aspecto fundamental de um bom tratamento ortodôntico. Palavras-chave: Morfologia. Arco dentário. Tipo facial. * Mestre e especialista em Ortodontia pela URFJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro). 90 Rev. Clín. Ortodon. Dental Press, Maringá, v. 8, n. 5, out./nov. 2009

2 Alexandre de Almeida Ribeiro INTRODUÇÃO O reconhecimento da morfologia do arco dentário é de fundamental importância para o sucesso do tratamento ortodôntico. O seu formato está relacionado diretamente com as demais partes do complexo craniofacial, as quais, juntas, determinam o tipo de face de cada indivíduo, que pode ser classificado como braquifacial, mesofacial ou dolicofacial 3. Originário do grego brakhuképhalo, o termo braquicéfalo tem o significado literal de cabeça curta (Dicionário Houaiss) e indica claramente a preponderância da dimensão transversa da face em relação à dimensão vertical. A determinação genética para essa condição atua similarmente no comprimento e dimensão transversa da base do crânio, assim como no desenho parabólico do arco dentário. Essa premissa torna lícita a afirmação de que indivíduos braquifaciais apresentem também arcos dentários onde a largura é predominante, determinando um aspecto morfológico quadrado, considerando-se, é claro, que o crescimento tenha sido pleno e sem interferências funcionais 2,3,4,5. Já a categoria dos dolicofaciais apresenta a predominância da altura em relação à largura da face, assim como arcos dentários mais atrésicos e de aspecto triangular. Enquanto isso, os indivíduos mesofaciais tendem a apresentar um equilíbrio entre as dimensões transversal e vertical que formam o complexo craniofacial 2,3,4,5. O reconhecimento das características morfológicas do arco dentário é essencial para a correta abordagem ortodôntica especialmente na ausência de atresias, pois a preservação das mesmas pouco afetará o estado de equilíbrio entre os dentes e os tecidos musculares 4,5. A negligência dessas características será prontamente visualizada no decorrer do tratamento como alterações no posicionamento dos incisivos e na distância intercaninos. Fatores ambientais, como hábitos nocivos de sucção digital e/ou interposição lingual, podem originar alterações morfológicas, especialmente no arco dentário superior. No entanto, o caso clínico que será apresentado parece sugerir que ausências dentárias podem, também, levar a alterações esqueléticas alveolares e de posicionamento dentário, mascarando a verdadeira caracterização genética que determina o tipo facial e, consequentemente, o padrão morfológico do arco dentário. CASO clínico A observação da face da paciente nas normas frontal e lateral demonstrava equilíbrio funcional musculoesquelético, inserido em um perfil reto, o que indicava uma má oclusão de origem estritamente dentária, concentrada exclusivamente no aspecto dentoalveolar (Fig. 1A). Tais características pressupunham o correto posicionamento espacial das bases ósseas dentárias entre si e em relação à base do crânio, morfologicamente corroborado pelo aspecto de selamento labial passivo, ângulo nasolabial adequado e sulco mentolabial bem formado, pela igual participação do mento e lábio na sua caracterização. A predominância da dimensão transversa da face, em detrimento da dimensão vertical, caracterizava o tipo facial da paciente como braquifacial (Fig. 1B). Essa informação foi corroborada pela análise da radiografia em norma lateral, que mostrava claramente a hipodivergência entre os planos cefalométricos representados pelas linhas S-N (base do crânio), ENA-ENP (plano palatino) e da base óssea mandibular. Além disso, o ângulo goníaco fechado era mais uma característica que denunciava a braquicefalia apresentada pela paciente. Ainda nesse aspecto radiográfico, a relação entre o longo eixo do incisivo superior e o plano palatino (ENA-ENP) se encontrava ideal, com os incisivos centralizados entre as tábuas ósseas vestibular e palatina na base óssea maxilar. Já citada anteriormente, a boa conformação do ângulo nasolabial estava diretamente condicionada a esse bom posicionamento dentário (Fig. 2). A avaliação clínica intrabucal mostrava características distintas entre as formas dos arcos dentários superior e inferior. De aspecto morfológico retangular, ou quadrado, o arco superior correspondia prontamente ao tipo facial da paciente, com predominância da dimensão transversa em sua conformação. Esse arco dentário se encontrava pleno, sem ausências dentárias, e com pequeno apinhamento na região anterior. Paradoxalmente, o arco inferior se apresentava com morfologia triangular. Na região anterior, além do leve apinhamento e da ausência de dois incisivos, notava-se a pobre reabilitação proporcionada por uma prótese adesiva atuando como um terceiro incisivo, localizado exatamente sobre a linha média (Fig. 3A, B). O diagnóstico radiográfico confirmava a agenesia de dois incisivos inferiores, mostrando ainda a inclinação do pôntico direito, o que inviabilizou a colocação de prótese sobre implante na época dessa reabilitação (Fig. 4). Na relação interarcos, verificou-se bases ósseas bem posicionadas e uma sobremordida profunda bem característica dos indivíduos braquifaciais, assim como sua etiologia: incisivos centrais superiores extruídos e arco inferior com acentuada curva de Spee. Em outras palavras, extrusão e retroinclinação dos dentes anteroinferiores. Além, é claro, da óbvia discrepância de Bolton por deficiência de massa dentária inferior (agenesia dos incisivos) que, sabidamente, proporciona a ocorrência desse tipo de má oclusão (sobremordida), podendo estar associada também ao trespasse horizontal acentuado 1,6,9 (Fig. 3C, D, E). Rev. Clín. Ortodon. Dental Press, Maringá, v. 8, n. 5, out./nov

3 O tipo facial e a morfologia do arco dentário no planejamento ortodôntico A FIGURA 1 - Fotografias faciais iniciais em normas: A) lateral e B) frontal. B FIGURA 2 - Radiografia cefalométrica inicial, com hipodivergência dos planos cefalométricos. A B C D FIGURA 3 - Fotografias intrabucais iniciais. E FIGURA 4 - Diagnóstico radiográfico confirmando a ausência de dois incisivos inferiores e o malposicionamento do pôntico direito. OBJETIVOS DO PLANO DE TRATAMENTO Considerando-se as características da má oclusão apresentada, foi possível enumerar os objetivos do tratamento. Dentre eles, a preservação das características essenciais, como o posicionamento anteroposterior dos incisivos superiores, devido ao íntimo relacionamento com os lábios, assim como a correção dos trespasses horizontal e vertical e a obtenção de espaço para a colocação de um implante na região dos incisivos. A coordenação tradicional dos arcos de nivelamento, devido às características do arco inferior, se mostraria um equívoco frente ao diagnóstico apresentado. As alterações indesejáveis decorrentes desse ledo engano, assim como sua intervenção e correção, são discutidas a seguir. 92 Rev. Clín. Ortodon. Dental Press, Maringá, v. 8, n. 5, out./nov. 2009

4 Alexandre de Almeida Ribeiro DISCUSSÃO CLÍNICA Ao levarmos em consideração a morfologia do arco superior isoladamente, esse notadamente se encontrava quadrado, com os incisivos centrais e laterais se apresentando praticamente em linha reta, como se formassem um platô naquela área do arco dentário. Ainda, a relação entre o longo eixo do incisivo superior e o plano palatino se encontrava ideal, com os incisivos centralizados entre as tábuas ósseas vestibular e palatina na base óssea maxilar. O ângulo nasolabial bem formado comprovava tal fato e, além disso, os lábios finos da paciente não suportariam qualquer vestibularização dos incisivos superiores. Esse bom posicionamento podia ser também percebido pelo ângulo reto formado, na radiografia em norma lateral, entre a superfície vestibular do incisivo superior e a linha imaginária do plano horizontal. Essa condição é essencial para a estética do sorriso, tanto na norma frontal quanto na lateral. Dessa maneira, em nenhuma hipótese o torque dos incisivos superiores poderia ser alterado. Na relação interarcos, o relacionamento anteroposterior entre as bases ósseas não poderia ser melhor, com molares e caninos em relação de Classe I, condizente com o perfil facial apresentado. Os trespasses horizontal e vertical, no entanto, se encontravam aumentados, o que se explicava pela diminuição do comprimento do arco dentário inferior em virtude da discrepância de Bolton (deficiência de massa dentária pela agenesia de dois incisivos), da acentuada curva de Spee e do apinhamento dentário anterior. No planejamento ortodôntico típico, o arco superior deve se ajustar ao arco dentário inferior. Para esse caso apresentado, no entanto, importante ressalva deveria ter sido levada em conta, já que o arco inferior é que deveria ser coordenado ao superior. A justificativa para tal atitude é centrada na relação direta entre o tipo facial, a morfologia da base do crânio e a forma dos arcos dentários. Ao se considerar o arco inferior como modelo para a coordenação dos arcos dentários, problemas começaram a surgir, especialmente no posicionamento dos incisivos centrais superiores. Além da clara inclinação vestibular que empobrecia a estética do sorriso e do suporte labial, existia também o desalinhamento das bordas incisais. A investigação da origem desses problemas trouxe ao cerne da questão a morfologia parabólica do arco superior, que claramente estava sendo alterada de uma forma quadrada para uma triangular. Essa mudança levava a uma diminuição da distância intercaninos, e consequentemente do perímetro anterior do arco para o nivelamento dos incisivos, gerando apinhamento e inclinação dentária (Fig. 5A, B). A correção para os problemas gerados no arco superior se baseou na recuperação da morfologia original pela manipulação do arco de nivelamento, restabelecendo a distância intercaninos original e planificando a região anterior da parábola, o que paulatinamente dirimiu as irregularidades geradas pelo desrespeito à morfologia natural do arco dentário (Fig. 5C). A partir desse momento, e contra todas as prerrogativas do tratamento ortodôntico convencional, o arco inferior é que passou a ser coordenado de acordo com a morfologia do superior, já que era esse que se encontrava pleno e em acordo morfológico com as características braquifaciais da paciente em questão. O arco inferior se apresentava triangular provavelmente pelo reposicionamento mesial dos caninos inferiores em virtude das duas agenesias encontradas. A morfologia triangular associada à severa curva de Spee e ao apinhamento na região anterior foram, de certo modo, acalentadores, já que o simples alinhamento e nivelamento do arco inferior naturalmente dirimiu tais irregularidades. Isso é explicado a seguir. Como o alinhamento e o nivelamento são de natureza expansiva e extrusiva, a simples sequência de fios corrigiu o problema da curva acentuada e do apinhamento anterior à custa de forte projeção dos incisivos e alguma expansão na área de caninos. A anatomia da sínfise mandibular farta em sua dimensão, como é característica dos braquifaciais favorecia esse tipo de movimento. A preservação da área de gengiva ceratinizada na região dos incisivos, ao final do tratamento, corrobora tal fato. A inclinação vestibular somada à nova morfologia quadrada do arco inferior corrigiram os trespasses horizontal e vertical e propiciaram espaço mesiodistal não só para o aumento das coroas dos incisivos, mas também para a colocação da prótese sobre implante (Fig. 6). O aumento da massa dentária inferior por meio de um procedimento de Dentística dirimiu a discrepância de Bolton, presente ao início do tratamento devido à deficiência de massa dentária inferior 6,7,8. A projeção dos dentes anteriores favoreceu a correção do trespasse horizontal, assim como da sobremordida, por uma intrusão relativa dos incisivos, causada pelo efeito de vestibularização desses dentes. A força de reação ao movimento dos incisivos estimulou alguma extrusão posterior, perfeitamente aceitável para as características musculares de um paciente braquifacial. Degraus de intrusão associados ao torque vestibular na região dos incisivos superiores auxiliaram na correção da sobremordida profunda, pela intrusão por movimento de translação dos quatro dentes anteriores (Fig. 7). Previamente à remoção do aparelho fixo e da clareação dentária, procedeu-se a reabilitação estética inferior, pelo aumento coronário, inserção do implante osteointegrado na linha média e confecção da prótese sobre implante (Fig. 8). Ao final do tratamento, os incisivos centrais superiores se Rev. Clín. Ortodon. Dental Press, Maringá, v. 8, n. 5, out./nov

5 O tipo facial e a morfologia do arco dentário no planejamento ortodôntico encontravam muito próximos do posicionamento do início da terapia ortodôntica (Fig. 9, Tab. 1), fundamental para a preservação do posicionamento do lábio superior. O arco superior mostra a manutenção de sua morfologia, enquanto no inferior é nítida a alteração morfológica, notadamente pelo ganho na dimensão transversa (Fig. 10). A B C FIGURA 5 - A) Morfologia parabólica do arco superior de aspecto quadrado ; B) alteração da morfologia natural para um aspecto triangular, causando a diminuição da distância intercaninos, assim como do espaço para a correta acomodação dos incisivos, que se encontravam desnecessariamente apinhados; C) correção da forma natural do arco e do espaço para os incisivos, agora devidamente alinhados, pela simples manipulação do arco de nivelamento. A B C FIGURA 6 - A) Morfologia triangular inicial do arco inferior, B) mecânica preservando as características iniciais e C) arco finalizado, após a coordenação segundo as características do arco superior, com expressivo ganho na dimensão transversa do arco. A B C FIGURA 7 - Degrau de intrusão entre os incisivos laterais e os caninos, e a acentuação do torque vestibular no arco retangular, o que possibilitou a intrusão por movimento de translação dos incisivos superiores. 94 Rev. Clín. Ortodon. Dental Press, Maringá, v. 8, n. 5, out./nov. 2009

6 Alexandre de Almeida Ribeiro tabela 1 - Medidas cefalométricas relacionadas ao posicionamento dos incisivos superiores e inferiores entre si e em relação às suas respectivas bases ósseas. MEDIDAS PRÉ-TRATAMENTO PÓS-TRATAMENTO 1.NA 29 32,5 1-NA 8mm 8mm 1.PP NB NB 3mm 5mm IMPA FIGURA 8 - Reabilitação com prótese sobre implante na área dos incisivos inferiores. A FIGURA 9 - Radiografias cefalométricas inicial (A) e final (B): o posicionamento dos incisivos superiores se encontra satisfatório ao final do tratamento, mantendo o padrão facial da paciente, enquanto é nítida a inclinação vestibular dos incisivos inferiores em decorrência da mecânica ortodôntica aplicada. B FIGURA 10 - Fotografias intrabucais finais. Clareação dentária realizada, trespasses horizontal e vertical corrigidos. Coroa provisória na prótese sobre implante, que aguardava o final da clareação para ser substituída. Rev. Clín. Ortodon. Dental Press, Maringá, v. 8, n. 5, out./nov

7 O tipo facial e a morfologia do arco dentário no planejamento ortodôntico FIGURA 11 - Fotografias intrabucais após um ano de contenção. CONCLUSÃO As alterações morfológicas apresentadas no arco inferior, possivelmente em decorrência das agenesias dentárias, mascararam, no aspecto dentoalveolar, a verdadeira morfologia da base óssea mandibular. O equívoco de considerar como correta a forma do arco dentário inferior, indo contra todas as características anatômicas do complexo craniofacial, trouxe alterações estéticas e funcionais indesejáveis ao longo do tratamento. O planejamento inicial foi imprudente ao neglicenciar a localização real do problema oclusal, e poderia resultar facilmente em insucesso ao final do tratamento. Felizmente, tal situação pode ser revertida, destacando ainda mais o papel do planejamento como aspecto fundamental de um bom tratamento ortodôntico. Reconhecer as características anatômicas de cada indivíduo, e preservá-las ao longo do tratamento ortodôntico, é condição essencial para se atingir a estabilidade funcional ao longo do período de contenção (Fig. 11). Essa condição somente será possível por meio do equilíbrio musculoesquelético das partes que compõem o sistema estomatognático. 96 Rev. Clín. Ortodon. Dental Press, Maringá, v. 8, n. 5, out./nov. 2009

8 Alexandre de Almeida Ribeiro Facial type and dental arch morphology in orthodontic treatment plan Abstract The morphology of the dental arch is directly related to the other parts that form the craniofacial complex, which together determine the facial type of each individual. Recognize the characteristics of the arch is essential for the maintenance, at the end of treatment, of the equilibrium state between the teeth and muscle tissues. Abnormalities such as tooth agenesis can induce alveolar changes in the bone basis, masking their true morphology Keywords: Morphology. Dental arch. Facial type. and cause confusion in diagnosis. In the case presented, the undesirable changes in the beginning of treatment were caused by an incorrect diagnosis, due to the nonobservation of the component parts of the patient s craniofacial complex. Fortunately, this situation could be reversed, which further highlights the important role of a correct planning as a fundamental aspect of a good treatment. Referências 1. BOLTON, W. A. Disharmony in tooth size and its relation to the analysis and treatment of malocclusion. Angle Orthod., Appleton, v. 28, p , CAPELOZZA FILHO, L. C. Diagnóstico em Ortodontia. 1. ed. Maringá: Dental Press, ENLOW, D. H. Crescimento facial. 3. ed. São Paulo: Artes Médicas, MOYERS, R. E. Ortodontia. 4. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, PROFITT, W. R. Contemporary Orthodontics. 3rd ed. St. Louis: C. V. Mosby, RAMOS, A. L.; SUGUINO, R.; TERADA, H. H.; FURQUIM, L. Z.; SILVA FILHO, O. G. da. Considerações sobre a análise da discrepância dentária de Bolton e a finalização ortodôntica. R. Dental Press Ortodon. Ortop. Facial, Maringá, v. 1, n. 2, nov./ dez ROSA, M.; ZACHRISSON, B. U. Integração da Ortodontia: fechamento de espaço e da Odontologia estética no tratamento de pacientes com agenesia. Rev. Clín. Ortodon. Dental Press, Maringá, v. 1, n. 1, p , fev./mar , SOUZA, R. A. et al. Interação entre Ortodontia e Dentística em um caso clínico com discrepância de Bolton. R. Dental Press Estét., Maringá, v. 3, n. 4, p , out./dez VELINI, F. Ortodontia: diagnóstico e planejamento clínico. 3. ed. São Paulo: Artes Médicas, Endereço para correspondência Alexandre de Almeida Ribeiro Rua Belisário Távora 221 / 303 CEP: Rio de Janeiro / RJ Rev. Clín. Ortodon. Dental Press, Maringá, v. 8, n. 5, out./nov

BOARD BRASILEIRO DE ORTODONTIA E ORTOPEDIA FACIAL

BOARD BRASILEIRO DE ORTODONTIA E ORTOPEDIA FACIAL Montagem das Pastas As pastas devem estar organizadas na seguinte ordem: I- Externo Página Título: colocar na capa frontal da pasta (a capa tem um envelope plástico para esta finalidade). BOARD BRASILEIRO

Leia mais

FECHAMENTO DE ESPAÇOS

FECHAMENTO DE ESPAÇOS FECHAMENTO DE ESPAÇOS Rua 144, n 77 - Setor Marista - Goiânia (GO) - CEP 74170-030 - PABX: (62) 278-4123 - 1 - Introdução Podemos definir essa etapa do tratamento ortodôntico como aquela onde o principal

Leia mais

Série Aparelhos Ortodônticos

Série Aparelhos Ortodônticos Série Aparelhos Ortodônticos Em geral, o protocolo de tratamento nos casos de Classe III, principalmente naqueles com deficiência maxilar, tem sido a disjunção, seguida pela protração da ma-xila. De acordo

Leia mais

Extração Seriada, uma Alternativa

Extração Seriada, uma Alternativa Artigo de Divulgação Extração Seriada, uma Alternativa Serial Extraction, an Alternative Procedure Evandro Bronzi Resumo A extração seriada é um procedimento ortodôntico que visa harmonizar

Leia mais

Reginaldo César Zanelato

Reginaldo César Zanelato Reginaldo César Zanelato Nos pacientes portadores da má oclusão de Classe II dentária, além das opções tradicionais de tratamento, como as extrações de pré-molares superiores e a distalização dos primeiros

Leia mais

ANÁLISE DA DENTIÇÃO MISTA

ANÁLISE DA DENTIÇÃO MISTA 1 ANÁLISE DA DENTIÇÃO MISTA INTRODUÇÃO O período da dentição mista inicia-se por volta dos 6 anos de idade com a erupção dos primeiros molares permanentes, e termina ao redor dos 12 anos de idade, com

Leia mais

UTILIZAÇÃO DO APARELHO DE PROTRAÇÃO MANDIBULAR COMO ANCORAGEM PARA MESIALIZAÇÃO DE MOLARES INFERIORES: RELATO DE CASO CLÍNICO RESUMO

UTILIZAÇÃO DO APARELHO DE PROTRAÇÃO MANDIBULAR COMO ANCORAGEM PARA MESIALIZAÇÃO DE MOLARES INFERIORES: RELATO DE CASO CLÍNICO RESUMO 474 UTILIZAÇÃO DO APARELHO DE PROTRAÇÃO MANDIBULAR COMO ANCORAGEM PARA MESIALIZAÇÃO DE MOLARES INFERIORES: RELATO DE CASO CLÍNICO Fábio André Werlang 1 Marcos Massaro Takemoto 2 Prof Elton Zeni 3 RESUMO

Leia mais

Breve Panorama Histórico

Breve Panorama Histórico Análise Facial Breve Panorama Histórico Norman Kingsley Kingsley (final do séc.xix): s a articulação dos dentes secundária à aparência facial. Breve Panorama Histórico Edward Angle (in (início séc. s XX)

Leia mais

Descrição de Técnica. Leopoldino Capelozza Filho*, José Antonio Zuega Capelozza** Palavras-chave: Diagrama. Straight-wire.

Descrição de Técnica. Leopoldino Capelozza Filho*, José Antonio Zuega Capelozza** Palavras-chave: Diagrama. Straight-wire. Descrição de Técnica DIAO: Diagrama individual anatômico objetivo. Uma proposta para escolha da forma dos arcos na técnica de Straight-Wire, baseada na individualidade anatômica e nos objetivos de tratamento

Leia mais

PRISCILLA MENDES CORREA VICTOR

PRISCILLA MENDES CORREA VICTOR FUNORTE-FACULDADES UNIDAS DO NORTE DE MINAS NÚCLEO NITERÓI-SMILE ODONTOLOGIA CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM ORTODONTIA TRATAMENTO DA SOBREMORDIDA: RELATO DE CASO CLÍNICO PRISCILLA MENDES CORREA VICTOR Monografia

Leia mais

Tratamento da má oclusão de Classe II divisão 1 a, através de recursos ortodônticos e ortopédicos faciais (funcionais e mecânicos): relato de caso

Tratamento da má oclusão de Classe II divisão 1 a, através de recursos ortodônticos e ortopédicos faciais (funcionais e mecânicos): relato de caso Caso Clínico Tratamento da má oclusão de Classe II divisão 1 a, através de recursos ortodônticos e ortopédicos faciais (funcionais e mecânicos): relato de caso José Euclides Nascimento* Luciano da Silva

Leia mais

BOARD BRASILEIRO DE ORTODONTIA E ORTOPEDIA FACIAL. http://www.bbo.org.br [acesso em 15/02/2009, 07h30] Especificação dos Casos quanto às Categorias

BOARD BRASILEIRO DE ORTODONTIA E ORTOPEDIA FACIAL. http://www.bbo.org.br [acesso em 15/02/2009, 07h30] Especificação dos Casos quanto às Categorias BOARD BRASILEIRO DE ORTODONTIA E ORTOPEDIA FACIAL http://www.bbo.org.br [acesso em 15/02/2009, 07h30] Especificação dos Casos quanto às Categorias A escolha dos casos a serem apresentados deverá seguir

Leia mais

O setup ortodôntico como método auxiliar de diagnóstico e planejamento

O setup ortodôntico como método auxiliar de diagnóstico e planejamento Dica Clínica O setup ortodôntico como método auxiliar de diagnóstico e planejamento Hallissa Simplício*, Ary dos Santos-Pinto**, Marcus Vinicius Almeida de Araújo***, Sergei Godeiro Fernandes Rabelo Caldas****,

Leia mais

TRATAMENTO DE UMA CLASSE II COM IMPACTAÇÃO DE CANINO E DE PRÉ-MOLAR

TRATAMENTO DE UMA CLASSE II COM IMPACTAÇÃO DE CANINO E DE PRÉ-MOLAR Miguel da Nóbrega Médico Especialista em Estomatologia DUO Faculdade de Cirurgia Dentária Universidade Toulouse miguel.nobrega@ortofunchal.com TRATAMENTO DE UMA CLASSE II COM IMPACTAÇÃO DE CANINO E DE

Leia mais

APRESENTAÇÃO DO APARELHO Componentes do aparelho extrabucal 3

APRESENTAÇÃO DO APARELHO Componentes do aparelho extrabucal 3 Série Aparelhos Ortodônticos EXTRABUCAL INTRODUÇÃO A ancoragem extrabucal ainda é um dos recursos mais utilizados e recomendados no tratamento da má oclusão de Classe II, primeira divisão, caracterizada

Leia mais

Considerações Sobre Análise da Discrepância Dentária de Bolton e a Finalização Ortodôntica

Considerações Sobre Análise da Discrepância Dentária de Bolton e a Finalização Ortodôntica tópico especial Tema desenvolvido pelo conselho editorial abordando assuntos de interesse da classe ortodôntica Considerações Sobre Análise da Discrepância Dentária de Bolton e a Finalização Ortodôntica

Leia mais

RECUPERADORES DE ESPAÇO

RECUPERADORES DE ESPAÇO RECUPERADORES DE ESPAÇO Conceito Recuperadores de espaço são usados para recuperar o espaço perdido nas arcadas dentárias. Eles verticalizam os dentes que inclinaram, depois que outros foram perdidos.

Leia mais

Setup: um Auxílio no Diagnóstico Ortodôntico

Setup: um Auxílio no Diagnóstico Ortodôntico Setup: um Auxílio no Diagnóstico Ortodôntico CASO CLÍNICO Setup: a Diagnosis Assistance in Orthodontics Michelle Santos VIANNA* Armando Yukio SAGA** Fernando Augusto CASAGRANDE*** Elisa Souza CAMARGO****

Leia mais

Mordida Profunda Definição. Trespasse vertical

Mordida Profunda Definição. Trespasse vertical Mordida Profunda Definição Trespasse vertical Mordida Profunda Diagnóstico Os fatores que contribuem variam de acordo com a oclusão: u Em boas oclusões é determinda por fatores dentários: t Comprimento

Leia mais

Cirurgia Ortognática e Estética Facial: Qual sua importância na Odontologia Integrada?

Cirurgia Ortognática e Estética Facial: Qual sua importância na Odontologia Integrada? Cirurgia Ortognática e Estética Facial: Qual sua importância na Odontologia Integrada? A avaliação da estética facial, bem como sua relação com a comunicação e expressão da emoção, é parte importante no

Leia mais

Tratamento de Classe II, Divisão 1, com ausência congênita de incisivo lateral superior

Tratamento de Classe II, Divisão 1, com ausência congênita de incisivo lateral superior A RTIGO DE D IVULGA ÇÃO Tratamento de Classe II, Divisão 1, com ausência congênita de incisivo lateral superior Roberto M. A. LIMA FILHO*, Anna Carolina LIMA**, José H. G. de OLIVEIRA***, Antonio C. de

Leia mais

Tratamento Ortodôntico da Classe III, Subdivisão: Apresentação de um Caso Clínico (Parte 1)

Tratamento Ortodôntico da Classe III, Subdivisão: Apresentação de um Caso Clínico (Parte 1) Artigo de Divulgação Tratamento Ortodôntico da Classe III, Subdivisão: Apresentação de um Caso Clínico (Parte 1) Treatment of a Class III, Subdivision Malocclusion: A Case Report (Part 1) Guilherme R.

Leia mais

Mesialização de molares com ancoragem em mini-implantes

Mesialização de molares com ancoragem em mini-implantes A r t i g o In é d i t o Mesialização de molares com ancoragem em mini-implantes Marcos Janson*, Daniela Alcântara Fernandes Silva** Resumo Introdução: é muito comum, na rotina do consultório odontológico,

Leia mais

Excelência estética obtida com diagnóstico, planejamento e tratamento integrados

Excelência estética obtida com diagnóstico, planejamento e tratamento integrados Caso Selecionado Excelência estética obtida com diagnóstico, planejamento e tratamento integrados Carlos Eduardo Francischone O caso clínico apresentado mostra resultados estéticos e funcionais excelentes,

Leia mais

Aparelho Arco E-1886E. Partes do aparelho

Aparelho Arco E-1886E. Partes do aparelho BRÁQUETES Aparelho Arco E-1886E Partes do aparelho Aparelho Arco E -1886 APARELHO PINO E TUBO - 1912 Arco Cinta -1915 Aparelho Edgewise - 1925 Braquete original Os primeiros bráquetes eram.022 de uma liga

Leia mais

Descrição, passo a passo, do aparelho de Herbst com coroas de açoa. o superiores e splint removível vel inferior

Descrição, passo a passo, do aparelho de Herbst com coroas de açoa. o superiores e splint removível vel inferior Descrição, passo a passo, do aparelho de Herbst com coroas de açoa o superiores e splint removível vel inferior MORO, A.; et al. Descrição, passo a passo, do aparelho de Herbst com coroas de aço superiores

Leia mais

Técnicas radiográficas. Técnicas Radiográficas Intraorais em Odontologia. Técnicas Radiográficas Intraorais. Técnicas Radiográficas

Técnicas radiográficas. Técnicas Radiográficas Intraorais em Odontologia. Técnicas Radiográficas Intraorais. Técnicas Radiográficas Técnicas Radiográficas Intraorais em Odontologia Técnicas radiográficas Divididas em dois grandes grupos: Técnicas Intraorais Profª Paula Christensen Técnicas Radiográficas Técnicas Extraorais Técnicas

Leia mais

Padrões cefalométricos de Ricketts aplicados a indivíduos brasileiros com oclusão excelente

Padrões cefalométricos de Ricketts aplicados a indivíduos brasileiros com oclusão excelente T ÓPICO ESPECIAL Padrões cefalométricos de Ricketts aplicados a indivíduos brasileiros com oclusão excelente Masato Nobuyasu**, Minol Myahara***, Tieo Takahashi****, Adélqui Attizzani****, Hiroshi Maruo*****,

Leia mais

ASPECTO RADIOGRÁFICO DAS ALTERAÇÕES DO PERIODONTO

ASPECTO RADIOGRÁFICO DAS ALTERAÇÕES DO PERIODONTO ASPECTO RADIOGRÁFICO DAS ALTERAÇÕES DO PERIODONTO ESTUDAR COM ATENÇÃO AMPLIAR AS IMAGENS PARA OBSERVAR OS DETALHES O periodonto (peri= em redor de; odontos = dente) compreende a gengiva, o ligamento periodontal,

Leia mais

OCLUSÃO! ! Posições mandibulares. ! Movimentos mandibulares. ! Equilíbrio de forças atuantes - vestibulolingual

OCLUSÃO! ! Posições mandibulares. ! Movimentos mandibulares. ! Equilíbrio de forças atuantes - vestibulolingual Universidade de Brasília Departamento de Odontologia OCLUSÃO! NOÇÕES DE OCLUSÃO! Estudo das relações estáticas e dinâmicas entre as estruturas do sistema mastigatório!! Movimentos mandibulares Disciplina

Leia mais

Tratamento ortodôntico-cirúrgico da má oclusão de Classe III

Tratamento ortodôntico-cirúrgico da má oclusão de Classe III Caso Clínico Tratamento ortodôntico-cirúrgico da má oclusão de Classe III Eloísa Marcântonio Boeck*, Silvia Amelia S. Vedovello**, Adriana Simoni Lucato***, Maria Beatriz Borges de Araújo Magnani****,

Leia mais

Aplicação da versatilidade do aparelho pré-ajustado MBT, nos casos que apresentam os incisivos laterais superiores em linguoversão

Aplicação da versatilidade do aparelho pré-ajustado MBT, nos casos que apresentam os incisivos laterais superiores em linguoversão Caso Clínico Aplicação da versatilidade do aparelho pré-ajustado MBT, nos casos que apresentam os incisivos laterais superiores em linguoversão Reginaldo César Zanelato*, Sáverio Mandetta**, Cássia Terezinha

Leia mais

INCISIVOS MAXILARES IMPACTADOS

INCISIVOS MAXILARES IMPACTADOS Miguel da Nóbrega Médico Especialista em Estomatologia DUO Faculdade de Cirurgia Dentária Universidade Toulouse miguel.nobrega@ortofunchal.com INCISIVOS MAXILARES IMPACTADOS ETIOLOGIA Aos anos, na maior

Leia mais

(VTO dentário) Resumo Este presente artigo teve por finalidade demonstrar, simplificadamente, o manejo

(VTO dentário) Resumo Este presente artigo teve por finalidade demonstrar, simplificadamente, o manejo iagnóstico Análise da Movimentação entária (VTO dentário) Adriano César Trevisi Zanelato*, Hugo José Trevisi**, Reginaldo César Trevisi Zanelato***, André César Trevisi Zanelato*, Renata Chicarelli Trevisi****

Leia mais

PUCPR - O.R.T.O.D.O.N.T.I.A - GRADUAÇÃO E PÓS-GRADUAÇÃO F I C H A C L Í N I C A Nome do/a Paciente: Número: 1.0 IDENTIFICAÇÃO DO PACIENTE 1.1 Nome: 1.2 Data de Nascimento: Sexo: F M Idade: 1.3 Peso: Kg

Leia mais

Uma vez estando estabelecidos os conceitos de oclusão normal, a etapa. subseqüente do processo de aprendizado passa a ser o estudo das variações

Uma vez estando estabelecidos os conceitos de oclusão normal, a etapa. subseqüente do processo de aprendizado passa a ser o estudo das variações 1 INTRODUÇÃO Uma vez estando estabelecidos os conceitos de oclusão normal, a etapa subseqüente do processo de aprendizado passa a ser o estudo das variações desse padrão. Vale a pena relembrarmos a definição

Leia mais

Manual de Conciliação Bancária

Manual de Conciliação Bancária Manual de Conciliação Bancária Índice Conciliação Bancária... 2 O módulo de Conciliação Bancária no SIGEF... 3 Conciliação Bancária Extrato Bancário... 5 Fazendo a Conciliação Bancária Extrato Bancário...

Leia mais

Tratamento da Má Oclusão de Classe II com Extração de Pré -Molares Superiores

Tratamento da Má Oclusão de Classe II com Extração de Pré -Molares Superiores Tratamento da Má Oclusão de Classe II com Extração de Pré -Molares Superiores Adriano César Trevisi Zanelato Coordenador do curso de especialização em Ortodontia pela Escola de Odontologia Cuiabá (MT).

Leia mais

TRAUMATISMO DENTÁRIO EM DENTIÇÃO DECÍDUA UM CASO CLÍNICO DE TRAÇÃO ORTODÔNTICA

TRAUMATISMO DENTÁRIO EM DENTIÇÃO DECÍDUA UM CASO CLÍNICO DE TRAÇÃO ORTODÔNTICA Prémio Ortodontia 2015 TRAUMATISMO DENTÁRIO EM DENTIÇÃO DECÍDUA UM CASO CLÍNICO DE TRAÇÃO ORTODÔNTICA ARTIGO VENCEDOR RESUMO Os traumatismos em dentição decídua poderão afetar a dentição permanente, afetando

Leia mais

Aparelhos Ortodônticos Removíveis com Alta Retenção

Aparelhos Ortodônticos Removíveis com Alta Retenção Aparelhos Ortodônticos Removíveis com Alta Retenção Um novo conceito de ver e atuar com os aparelhos ortodônticos removíveis José Roberto Ramos Na maioria dos casos, o emprego dos aparelhos ortodônticos

Leia mais

Série Aparelhos Ortodônticos: Barra Transpalatina

Série Aparelhos Ortodônticos: Barra Transpalatina Série Aparelhos Ortodônticos barra transpalatina INTRODUÇÃO A barra transpalatina (BTP) tem sido aplicada na mecânica ortodôntica de forma crescente e em muitas situações clínicas. Isto pela característica

Leia mais

CRONOGRAMA CURSO ESPECIALIZAÇÃO EM ORTODONTIA. APROVADO: MEC e CFO

CRONOGRAMA CURSO ESPECIALIZAÇÃO EM ORTODONTIA. APROVADO: MEC e CFO CRONOGRAMA CURSO ESPECIALIZAÇÃO EM ORTODONTIA APROVADO: MEC e CFO 1º. MÓDULO: 1º. DIA: Apresentação da Especialização / Aula teórica de Classificação das Más-oclusões 2º. DIA: Aula teórica de Etiologia

Leia mais

Tratamento cirúrgico da má oclusão de Classe III dentária e esquelética

Tratamento cirúrgico da má oclusão de Classe III dentária e esquelética Caso Clínico BBO Tratamento cirúrgico da má oclusão de Classe III dentária e esquelética Ione Helena Vieira Portella Brunharo 1 O preparo ortodôntico para tratamento cirúrgico do padrão esquelético de

Leia mais

Dr Christian Coachman. Dr Guilherme Cabral. Dr Braulio Paolucci

Dr Christian Coachman. Dr Guilherme Cabral. Dr Braulio Paolucci Protócolo Wax-up Dr Christian Coachman Dr Guilherme Cabral Dr Braulio Paolucci Volume 3D / Posicão 3D Centrais 1. Encerar sobre a linha mediana antiga!! 2. Encerar os 2 centrais em um bloco de cera 3.

Leia mais

Aula 9: Laudo Radiográfico

Aula 9: Laudo Radiográfico Aula 9: Laudo Radiográfico Autora: Profª. Rosana da Silva Berticelli Edição: Luana Christ e Bruna Reuter Definição: É a interpretação das imagens radiográficas, reconhecendo as estruturas e reparos anatômicos

Leia mais

APRESENTAÇÃO DAS BANDAS TIPOS:

APRESENTAÇÃO DAS BANDAS TIPOS: 1 2 BANDAS ORTODÔNTICAS Introdução Para entendermos a real importância destes componentes de um aparelho ortodôntico, devemos inicialmente compreender qual a função da bandagem frente à um complexo sistema

Leia mais

Má oclusão Classe I de Angle, com acentuada biprotrusão, tratada com extrações de dentes permanentes*

Má oclusão Classe I de Angle, com acentuada biprotrusão, tratada com extrações de dentes permanentes* C a s o C l í n i c o O Má oclusão Classe I de ngle, com acentuada biprotrusão, tratada com extrações de dentes permanentes* Marco ntônio Schroeder** Resumo Este relato de caso descreve o tratamento de

Leia mais

Confecção e instalação do Sky Hook

Confecção e instalação do Sky Hook Dica Clínica Confecção e instalação do Sky Hook Preparing and fitting the Sky Hook Laurindo Zanco Furquim * Resumo Nos casos de Classe III, principalmente naqueles com deficiência maxilar, o protocolo

Leia mais

Extração de incisivo inferior: uma opção de tratamento ortodôntico

Extração de incisivo inferior: uma opção de tratamento ortodôntico T ó p i c o E s p e c i a l Extração de incisivo inferior: uma opção de tratamento ortodôntico Mírian Aiko Nakane Matsumoto*, Fábio Lourenço Romano**, José Tarcísio Lima Ferreira***, Silvia Tanaka****,

Leia mais

A Importância do diagnóstico e intervenção precoce no tratamento das maloclusões em odontopediatria

A Importância do diagnóstico e intervenção precoce no tratamento das maloclusões em odontopediatria A Importância do diagnóstico e intervenção precoce no tratamento das maloclusões em odontopediatria The importance of early diagnosis and intervention in the treatment of malocclusion in pediatric dentistry

Leia mais

IGC - Índice do Grau de Complexidade

IGC - Índice do Grau de Complexidade IGC - Índice do Grau de Complexidade Uma medida da complexidade do caso DI -American Board of Orthodontics Autorização American Board of Orthodon1cs- ABO Atualização: 13.05.2013 12. Outros Itens pontuados

Leia mais

JOÃO SABINO DE PAULA OLIVEIRA CONTENÇÃO ORTODÔNTICA

JOÃO SABINO DE PAULA OLIVEIRA CONTENÇÃO ORTODÔNTICA JOÃO SABINO DE PAULA OLIVEIRA CONTENÇÃO ORTODÔNTICA Londrina 2015 JOÃO SABINO DE PAULA OLIVEIRA CONTENÇÃO ORTODÔNTICA Londrina 2015 JOÃO SABINO DE PAULA OLIVEIRA CONTENÇÃO ORTODÔNTICA Trabalho de Conclusão

Leia mais

ESDRAS FELIPE DINIZ ALVES TRATAMENTO DO APINHAMENTO ANTERO-INFERIOR POR MEIO DA EXTRAÇÃO DE UM INCISIVO INFERIOR RELATO DE CASO CLÍNICO

ESDRAS FELIPE DINIZ ALVES TRATAMENTO DO APINHAMENTO ANTERO-INFERIOR POR MEIO DA EXTRAÇÃO DE UM INCISIVO INFERIOR RELATO DE CASO CLÍNICO ESDRAS FELIPE DINIZ ALVES TRATAMENTO DO APINHAMENTO ANTERO-INFERIOR POR MEIO DA EXTRAÇÃO DE UM INCISIVO INFERIOR RELATO DE CASO CLÍNICO Londrina 2013 ESDRAS FELIPE DINIZ ALVES TRATAMENTO DO APINHAMENTO

Leia mais

Tratamento Ortodôntico da Má Oclusão de Classe II, Primeira Divisão. SAULO BORDIN MARIA

Tratamento Ortodôntico da Má Oclusão de Classe II, Primeira Divisão. SAULO BORDIN MARIA Tratamento Ortodôntico da Má Oclusão de Classe II, Primeira Divisão. SAULO BORDIN MARIA Londrina 2013 SAULO BORDIN MARIA TRATAMENTO ORTODÔNTICO DA MÁ OCLUSÃO DE CLASSE II, PRIMEIRA DIVISÃO Trabalho de

Leia mais

INSTITUTO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE FUNORTE / SOEBRÁS

INSTITUTO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE FUNORTE / SOEBRÁS [Digite texto] INSTITUTO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE FUNORTE / SOEBRÁS LEVANTAMENTO DOS VALORES CEFALOMÉTRICOS CONSULTADOS POR PROFESSORES DE ORTODONTIA PARA ESCLARECER O DIAGNÓSTICO E O PLANEJAMENTO DO TRATAMENTO

Leia mais

Proposta para a Padronização das Tomadas Fotográficas Intrabucais, com Finalidade Ortodôntica

Proposta para a Padronização das Tomadas Fotográficas Intrabucais, com Finalidade Ortodôntica Artigo Inédito Relatos clínicos e de técnicas, investigações científicas e revisões literárias Proposta para a Padronização das Tomadas Fotográficas Intrabucais, com Finalidade Ortodôntica A fotografia

Leia mais

Concordância dos ortodontistas no diagnóstico do Padrão Facial

Concordância dos ortodontistas no diagnóstico do Padrão Facial Concordância dos ortodontistas no diagnóstico do Padrão Facial Sílvia Augusta Braga Reis* Jorge Abrão** Cristiane Aparecida Assis Claro*** Renata Ferraz Fornazari**** *Doutoranda em Ortodontia pela USP

Leia mais

Artigo Traduzido. Arild Stenvik, DDS, MSD, PhD* Björn U. Zachrisson, DDS, MSD, PhD** Palavras-chave: Autotransplante. Agenesia.

Artigo Traduzido. Arild Stenvik, DDS, MSD, PhD* Björn U. Zachrisson, DDS, MSD, PhD** Palavras-chave: Autotransplante. Agenesia. Artigo Traduzido Um Caso de Difícil Solução, Facilitado pelo Autotransplante: Agenesia de um Incisivo e de Dois Pré-molares Inferiores, com Trespasse Vertical Acentuado A Difficult Agenesis Case Made Easier

Leia mais

Desgaste interproximal e suas implicações clínicas

Desgaste interproximal e suas implicações clínicas A r t i g o In é d i t o Desgaste interproximal e suas implicações clínicas Osmar Aparecido Cuoghi*, Rodrigo Castellazzi Sella**, Fernanda Azambuja Macedo***, Marcos Rogério de Mendonça**** Resumo Introdução:

Leia mais

ASPECTO RADIOGRÁFICO DAS ALTERAÇÕES DA RAIZ DENTAL. radiográficas da raiz dental. As ocorrências, em sua maioria, são provenientes de

ASPECTO RADIOGRÁFICO DAS ALTERAÇÕES DA RAIZ DENTAL. radiográficas da raiz dental. As ocorrências, em sua maioria, são provenientes de ASPECTO RADIOGRÁFICO DAS ALTERAÇÕES DA RAIZ DENTAL Neste tópico vamos descrever as principais alterações das imagens radiográficas da raiz dental. As ocorrências, em sua maioria, são provenientes de causas

Leia mais

LISTA DE VERIFICAÇAO DO SISTEMA DE GESTAO DA QUALIDADE

LISTA DE VERIFICAÇAO DO SISTEMA DE GESTAO DA QUALIDADE Questionamento a alta direção: 1. Quais os objetivos e metas da organização? 2. quais os principais Produtos e/ou serviços da organização? 3. Qual o escopo da certificação? 4. qual é a Visão e Missão?

Leia mais

Ciência e prática. Importância do tratamento ortodôntico como auxílio da reabilitação oral

Ciência e prática. Importância do tratamento ortodôntico como auxílio da reabilitação oral Importância do tratamento ortodôntico como auxílio da reabilitação oral 36 MAXILLARIS OUTUBRO 2015 Ciência e prática : Margarida Malta Médica dentista. Licenciada no Instituto Superior de Ciencias da Saúde

Leia mais

CIRURGIAS ORTOGNÁTICAS

CIRURGIAS ORTOGNÁTICAS CIRURGIAS ORTOGNÁTICAS Informações ao paciente Contém: 1. Explicação geral sobre cirurgias ortognáticas, 2. Perguntas e respostas, A cirurgia ortognática, também chamada de ortodontia cirúrgica, é um tipo

Leia mais

Como a palavra mesmo sugere, osteointegração é fazer parte de, ou harmônico com os tecidos biológicos.

Como a palavra mesmo sugere, osteointegração é fazer parte de, ou harmônico com os tecidos biológicos. PRINCIPAIS PERGUNTAS SOBRE IMPLANTES DENTÁRIOS. O que são implantes osseointegrados? É uma nova geração de implantes, introduzidos a partir da década de 60, mas que só agora atingem um grau de aceitabilidade

Leia mais

COMPARAÇÃO DO DIAGNÓSTICO RADIOGRÁFICO DE ANÁLISES CEFALOMÉTRICAS DISTINTAS *Luciano Sampaio Marques; **Luiz Fernando Eto

COMPARAÇÃO DO DIAGNÓSTICO RADIOGRÁFICO DE ANÁLISES CEFALOMÉTRICAS DISTINTAS *Luciano Sampaio Marques; **Luiz Fernando Eto 1 COMPARAÇÃO DO DIAGNÓSTICO RADIOGRÁFICO DE ANÁLISES CEFALOMÉTRICAS DISTINTAS *Luciano Sampaio Marques; **Luiz Fernando Eto Resumo da monografia apresentada no curso de especilização em Ortodontia da Universidade

Leia mais

INSTALAÇÃO, LUBRIFICAÇÃO E MANUTENÇÃO DAS CORRENTES TRANSPORTADORAS PROCEDIMENTO DE INSTALAÇÃO DA CORRENTE

INSTALAÇÃO, LUBRIFICAÇÃO E MANUTENÇÃO DAS CORRENTES TRANSPORTADORAS PROCEDIMENTO DE INSTALAÇÃO DA CORRENTE UNP-130408 1 de 6 INSTALAÇÃO, LUBRIFICAÇÃO E MANUTENÇÃO DAS CORRENTES TRANSPORTADORAS A vida útil das correntes transportadoras e elevadoras está diretamente ligada aos cuidados com a instalação, lubrificação

Leia mais

ODONTOLOGIA ESTÉTICA

ODONTOLOGIA ESTÉTICA ODONTOLOGIA ESTÉTICA O sorriso enaltece os dentes que podem assim como outros elementos da face denunciar a idade cronológica do ser humano por meio de desgastes ou mesmo pela alteração da cor. Nesse contexto,

Leia mais

INSTITUTO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE FUNORTE/SOEBRÁS

INSTITUTO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE FUNORTE/SOEBRÁS INSTITUTO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE FUNORTE/SOEBRÁS PLACA LÁBIO ATIVA INDICAÇÕES, VANTAGENS E DESVANTAGENS ROBERTA HOFFERT Monografia apresentada ao programa de Especialização em Ortodontia do ICS - FUNORTE/SOEBRÁS

Leia mais

Utilização do Aparelho Progênico para Correção das Mordidas Cruzadas Anteriores

Utilização do Aparelho Progênico para Correção das Mordidas Cruzadas Anteriores Tópico Especial Tema desenvolvido pelo conselho editorial abordando assuntos de interesse da classe ortodôntica Utilização do Aparelho Progênico para Correção das Mordidas Cruzadas Anteriores O direcionamento

Leia mais

Tolerância geométrica de forma

Tolerância geométrica de forma Tolerância geométrica de forma A UU L AL A Apesar do alto nível de desenvolvimento tecnológico, ainda é impossível obter superfícies perfeitamente exatas. Por isso, sempre se mantém um limite de tolerância

Leia mais

ATIVADOR FIXO BIOPEDIC: INDICAÇÕES E INSTALAÇÃO

ATIVADOR FIXO BIOPEDIC: INDICAÇÕES E INSTALAÇÃO ATIVADOR FIXO BIOPEDIC: INDICAÇÕES E INSTALAÇÃO Luiz Fernando Eto*; Eneida Guimarães de Menezes Venuto**; Paula Moura Nagem** Luiz Fernando Eto - Especialista e Mestre em Ortodontia pelo COP-PUCMG; Professor

Leia mais

INCISIVOS INCISIVO CENTRAL SUPERIOR INCISIVO LATERAL SUPERIOR INCISIVO CENTRAL INFERIOR INCISIVO LATERAL INFERIOR CANINOS

INCISIVOS INCISIVO CENTRAL SUPERIOR INCISIVO LATERAL SUPERIOR INCISIVO CENTRAL INFERIOR INCISIVO LATERAL INFERIOR CANINOS INCISIVOS Os incisivos permanentes são o primeiro e segundo dente a contar da linha média; Juntamente com os caninos constituem os dentes anteriores; Os incisivos superiores são geralmente maiores que

Leia mais

Estudo dirigido sobre premolares

Estudo dirigido sobre premolares Estudo dirigido sobre premolares 1 Miguel Carlos Madeira e Roelf Cruz Rizzolo http://www.anatomiafacial.com Material para ser impresso, com a autorização dos autores, exclusivamente para os alunos do primeiro

Leia mais

dentes de homens e mulheres, havendo uma tendência dos homens apresentarem dentes maiores no sentido mésio-distal do que as mulheres

dentes de homens e mulheres, havendo uma tendência dos homens apresentarem dentes maiores no sentido mésio-distal do que as mulheres Análise da discrepância de tamanho dentário em pacientes da Clínica de Ortodontia da FO/UERJ 94 96 porcentagem 92 90 88 86 84 82 80 78 RT - Bolton Razão total Razão anterior Error Bars show 95,0% C I of

Leia mais

4. RESULTADOS E DISCUSSÃO

4. RESULTADOS E DISCUSSÃO 4. RESULTADOS E DISCUSSÃO 4.1. Energia cinética das precipitações Na Figura 9 estão apresentadas as curvas de caracterização da energia cinética aplicada pelo simulador de chuvas e calculada para a chuva

Leia mais

Rodrigo Passoni Cléber Bidegain Pereira

Rodrigo Passoni Cléber Bidegain Pereira CUSTO BIOLÓGICO DA BOA INFORMAÇÃO Rodrigo Passoni Cléber Bidegain Pereira O custo-benefício das imagens em 3D é um dos pontos principais do SROOF-2012 e tema de justificado interesse da Odontologia. A

Leia mais

Ortho In Lab. Resumo PROSTHESIS

Ortho In Lab. Resumo PROSTHESIS Planejamento e individualização da aparatologia ortodôntica conjugada aos mini-implantes ( DATs) Parte I Sítios de instalação uma área de risco controlado. Individualization of planning and orthodontic

Leia mais

Grade Palatina como Auxiliar no Fechamento da Mordida Aberta Anterior

Grade Palatina como Auxiliar no Fechamento da Mordida Aberta Anterior TRABALHO DE PESQUISA Grade Palatina como Auxiliar no Fechamento da Mordida Aberta Anterior Palatine Bar as an Auxiliary Measure to Close Anterior Open Bite Sérgio Rúbio Pinto Bastos* Bastos SRP. Grade

Leia mais

Cotagem de dimensões básicas

Cotagem de dimensões básicas Cotagem de dimensões básicas Introdução Observe as vistas ortográficas a seguir. Com toda certeza, você já sabe interpretar as formas da peça representada neste desenho. E, você já deve ser capaz de imaginar

Leia mais

Correção da relação sagital entre os arcos dentais Classe II

Correção da relação sagital entre os arcos dentais Classe II Correção da relação sagital entre os arcos dentais Classe II CAPÍTULO 13 Karyna Martins do Valle-Corotti Danilo Furquim Siqueira INTRODUÇÃO Angle 1 definiu a maloclusão de Classe II como uma relação mesiodistal

Leia mais

5 Discussão dos Resultados

5 Discussão dos Resultados 87 5 Discussão dos Resultados No procedimento de análises das imagens gráficas obtidas nas simulações pelo método de elementos finitos, comparou-se a distribuição das tensões nas restaurações com material

Leia mais

Placa Lábio Ativa: versatilidade e simplicidade no tratamento ortodôntico

Placa Lábio Ativa: versatilidade e simplicidade no tratamento ortodôntico Caso Clínico Placa Lábio Ativa: versatilidade e simplicidade no tratamento ortodôntico Marcio Rodrigues de Almeida*, Alex Luiz Pozzobon Pereira**, Renato Rodrigues de Almeida***, Renata Rodrigues de Almeida-Pedrin****

Leia mais

Manual de identidade visual

Manual de identidade visual Manual de identidade visual apresentação....................................3 Versões horizontal e vertical........................4 grid de construção................................5 Cores institucionais...............................6

Leia mais

Abordagem Segmentada para Intrusão Simultânea ao Fechamento de Espaço: Biomecânica do Arco Base de Três Peças

Abordagem Segmentada para Intrusão Simultânea ao Fechamento de Espaço: Biomecânica do Arco Base de Três Peças rtigo Traduzido bordagem Segmentada para Intrusão Simultânea ao Fechamento de Espaço: iomecânica do rco ase de Três Peças Segmented pproach to Simultaneous Intrusion and Space Closure: iomechanics of the

Leia mais

1 - Considerações gerais 03 A - Introdução 03 A1 - Direitos 03 A2 - Garantia 04 A3 - Uso apropriado 04. 2 - Início de trabalho 05 A - Testes 05

1 - Considerações gerais 03 A - Introdução 03 A1 - Direitos 03 A2 - Garantia 04 A3 - Uso apropriado 04. 2 - Início de trabalho 05 A - Testes 05 Sumário 1 - Considerações gerais 03 A - Introdução 03 A1 - Direitos 03 A2 - Garantia 04 A3 - Uso apropriado 04 2 - Início de trabalho 05 A - Testes 05 3 - Características do produto 06 4 - Funcionamento

Leia mais

"SISTEMAS DE COTAGEM"

SISTEMAS DE COTAGEM AULA 6T "SISTEMAS DE COTAGEM" Embora não existam regras fixas de cotagem, a escolha da maneira de dispor as cotas no desenho técnico depende de alguns critérios. A cotagem do desenho técnico deve tornar

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DAS AÇÕES DE SAÚDE BUCAL NA REDE DE SERVIÇOS DA SMSA DOCUMENTO AUXILIAR

DESENVOLVIMENTO DAS AÇÕES DE SAÚDE BUCAL NA REDE DE SERVIÇOS DA SMSA DOCUMENTO AUXILIAR PREFEITURA DE BELO HORIZONTE SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE GERÊNCIA DE ASSISTÊNCIA DESENVOLVIMENTO DAS AÇÕES DE SAÚDE BUCAL NA REDE DE SERVIÇOS DA SMSA DOCUMENTO AUXILIAR COORDENAÇÃO TÉCNICA DE SAÚDE BUCAL

Leia mais

INSTRUMENTOS USADOS Lápis e lapiseiras Os lápis médios são os recomendados para uso em desenho técnico, a seleção depende sobretudo de cada usuário.

INSTRUMENTOS USADOS Lápis e lapiseiras Os lápis médios são os recomendados para uso em desenho técnico, a seleção depende sobretudo de cada usuário. INSTRUMENTOS USADOS Lápis e lapiseiras Os lápis médios são os recomendados para uso em desenho técnico, a seleção depende sobretudo de cada usuário. INSTRUMENTOS USADOS Esquadros São usados em pares: um

Leia mais

Tratamento da transposição de canino e pré-molar superior unilateral: abordagem por meio de mecânica segmentada

Tratamento da transposição de canino e pré-molar superior unilateral: abordagem por meio de mecânica segmentada Caso Clínico Tratamento da transposição de canino e pré-molar superior unilateral: abordagem por meio de mecânica segmentada Leopoldino Capelozza Filho*, Mauricio de Almeida Cardoso**, João Cardoso Neto***

Leia mais

Sliding Jig: confecção e mecanismo de ação

Sliding Jig: confecção e mecanismo de ação Dica Clínica Sliding Jig: confecção e mecanismo de ação Adriana Simoni Lucato* Eloísa Marcantônio Boeck* Silvia Amelia Scudeler Vedovello* João Sarmento Pereira Neto** Maria Beatriz Borges de Araújo Mangnani***

Leia mais

Tratamento ortodontico em paciente adulto: relato de caso clínico

Tratamento ortodontico em paciente adulto: relato de caso clínico Caso Clínico Tratamento ortodontico em paciente adulto: relato de caso clínico Matheus Melo Pithon*, Luiz Antônio Alves Bernardes** Resumo Com o maior acesso da população aos serviços de saúde bucal houve

Leia mais

Tracionamento ortodôntico de incisivos central e lateral superiores impactados: caso clínico

Tracionamento ortodôntico de incisivos central e lateral superiores impactados: caso clínico Caso Clínico Tracionamento ortodôntico de incisivos central e lateral superiores impactados: caso clínico Plínio Coutinho Vilas Boas*, Luís Antônio Alves Bernardes**, Matheus Melo Pithon***, Diogo Piacentini

Leia mais

Implantes dentários. A solução mais natural, estética e segura

Implantes dentários. A solução mais natural, estética e segura Implantes dentários A solução mais natural, estética e segura Sorria naturalmente Os implantes dentários são tão reais como um dente: fiáveis, duradouros, estéticos e funcionais Os implantes: Em que consistem?

Leia mais

Balsamo M. Cosmética em anomalias dentais. Dental Science - Clin e Pesq Integrada 2007; 1(2); 134-140.

Balsamo M. Cosmética em anomalias dentais. Dental Science - Clin e Pesq Integrada 2007; 1(2); 134-140. Ponto de contato................... Marcelo Balsamo* Balsamo M.. - Clin e Pesq Integrada 2007; 1(2); 134-140. blemas estéticos decorrentes de anomalias dentárias, sejam elas ocasionadas por fatores de

Leia mais

QUEIXA PRINCIPAL: EXAME ESTÉTICO

QUEIXA PRINCIPAL: EXAME ESTÉTICO O texto abaixo é um parte do capítulo I do livro manual simplificado de diagnóstico e planejamento em ortodontia e ortopedia que pode ser adquirido em nosso site. Os colegas que não frequentaram cursos

Leia mais

Saúde do Paciente. Dados Referentes à Identificação Pessoal do Paciente e Responsáveis

Saúde do Paciente. Dados Referentes à Identificação Pessoal do Paciente e Responsáveis Exame Clínico Em Ortodontia Dados Referentes à Identificação Pessoal do Paciente e Responsáveis Nome Gênero Dt Data de Nascimento; Pêso Altura; Endereço Telefone (recados); Pai Mãe Profissões Telefones;

Leia mais

Capítulo 5: Aplicações da Derivada

Capítulo 5: Aplicações da Derivada Instituto de Ciências Exatas - Departamento de Matemática Cálculo I Profª Maria Julieta Ventura Carvalho de Araujo Capítulo 5: Aplicações da Derivada 5- Acréscimos e Diferenciais - Acréscimos Seja y f

Leia mais

Figura A - Linha horizontal de referência no plano oclusal, e perpendicular vertical passando no centro da fossa pterigomaxilar

Figura A - Linha horizontal de referência no plano oclusal, e perpendicular vertical passando no centro da fossa pterigomaxilar 1 PUCPR, ORTODONTIA GRADUAÇÃO E PÓS-GRADUAÇÃO MUDANÇAS REGIONAIS DA FACE Camargo ES, Maruo H, Guariza-Filho O, Tanaka O. As mudanças de crescimento podem ser descritas, para melhor compreensão, como regiões

Leia mais

Gráficos estatísticos: histograma. Série Software ferramenta

Gráficos estatísticos: histograma. Série Software ferramenta Gráficos estatísticos: histograma Série Software ferramenta Funcionalidade Este software permite a construção de histogramas a partir de uma tabela de dados digitada pelo usuário. Gráficos estatísticos:

Leia mais

SOLID EDGE ST3 TUTORIAL 2 CRIANDO UM DESENHO NO AMBIENTE DRAFT

SOLID EDGE ST3 TUTORIAL 2 CRIANDO UM DESENHO NO AMBIENTE DRAFT SOLID EDGE ST3 TUTORIAL 2 CRIANDO UM DESENHO NO AMBIENTE DRAFT Esse tutorial traz passo a passo instruções para criação de um desenho no ambiente Draft. Na criação dos desenhos você aprenderá as técnicas

Leia mais