CARRAPATOS: SUAS IMPLICAÇÕES E IMPORTÂNCIA BIOECOLÓGICA NA SAÚDE DOS CANINOS DOMÉSTICOS EM CAMPINA GRANDE-PB

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "CARRAPATOS: SUAS IMPLICAÇÕES E IMPORTÂNCIA BIOECOLÓGICA NA SAÚDE DOS CANINOS DOMÉSTICOS EM CAMPINA GRANDE-PB"

Transcrição

1 CARRAPATOS: SUAS IMPLICAÇÕES E IMPORTÂNCIA BIOECOLÓGICA NA SAÚDE DOS CANINOS DOMÉSTICOS EM CAMPINA GRANDE-PB TICKS: IMPLICATIONS AND IMPORTANCE OF HEALTH BIOECOLOGICA IN HOUSEHOLD IN CANINE CAMPINA GRANDE-PB Everaldo Oliveira Costa¹, Helder Neves de Albuquerque² 1. Graduado em Biologia (UVA/NAVIDA). 2. Prof. e Biólogo da UVA/NAVIDA. RESUMO: Os carrapatos considerados de importância econômica e para a saúde pública, são artrópodes da classe Arachnida, ordem Acari e famílias Ixodidae e Argasidae. Os Ixodideos, frequentemente denominados carrapatos duros, apresentam um escudo rígido, quitinoso, que cobre toda a face dorsal do macho adulto e os argasídeos, também conhecidos como carrapatos moles, recebem esta denominação porque não possuem escudo. Todas as espécies requerem obrigatoriamente sangue de vertebrados e possuem significativo grau de especificidade podendo utilizar hospedeiros alternativos, incluindo o homem. Tem como objetivo analisar a importância bioecológica dos carrapatos e suas implicações na saúde dos caninos domésticos em Campina Grande-PB. Durante o período de novembro 2010 a fevereiro de 2011 foi levantado, junto ao Centro de Zoonoses de Campina Grande-PB e aos veterinários que atendem os caninos na cidade, o número de cães que sobrevivem na cidade, bem como as espécies de carrapatos e as possíveis zoonoses que por eles são transmitidos, com a aplicação de um questionário semi-estruturado, além de um levantamento bibliográfico para correlacionar as informações obtidas. Foi constatado que, não rara é a ocorrência de carrapatos descritos como vetores de doenças. Especificamente o Rhipicephalus sanguineus ou carrapato vermelho do cão, típico de cães principalmente nos adultos, que costuma subir pelas cercas, muros e espalham-se pelo canil, é de difícil controle e também pode transmitir rickettsiose, babesiose para o cão e humanos. Estes agravos estão relacionados aos fatores fundamentais da expansão urbana, bem como ao aumento populacional de carrapatos e hospedeiros em contato com a população humana. As áreas sob risco em potencial para transmissão de zoonoses recomendam-se a imediata elaboração de estratégias de controle para as espécies encontradas, envolvendo os setores de saúde. O aprimoramento da articulação com os serviços regionais, criadores e profissionais veterinários são de fundamental importância. Além disso, a estruturação dos serviços de saúde, adequação da área física, recursos humanos e materiais, são indispensáveis para redução dessas transmissões de rickettsioses. A implementação de uma prática baseada em evidências é fundamental para a melhoria dos processos e resultados na área da saúde, também com a integração dos serviços, universidades e usuários, já que esta integração promove o dialogo entre pesquisadores, clínicos e administradores de saúde para destes extrair os melhores resultados para a prevenção e controle da problemática. Palavras-chave: Zoonoses, Rickettsias, Ixodes, Rhipicephalus sanguineus, Argasideos. ABSTRACT: Ticks considered important as to economic as to public health, are arthropods of the class Arachnida, order Acari and families Ixodidae and Argasidae. The Ixodidae, often called hard ticks, have a hard shell, chitinous, which covers the entire dorsal surface of adult male and argasids, also known as soft ticks, given this name because they have no shield. All 40

2 species require vertebrate blood and possess a significant degree of specificity. Also, may utilize alternative hosts, including humans. This research focuses on the academic analysis of bioecological importance of ticks and its implications for the health of domestic canines in Campina Grande-PB. During the period November 2010 to February 2011 was raised, with the Center of Zoonoses de Campina Grande-PB and veterinarians who serve the canines in the city, the number of dogs that survive in the city, as well as the species of ticks and possible zoonoses that they might transmitted, all by applying a semi-structured questionnaire, and a bibliography to correlate the information obtained. It was found that is not a rare occurrence of ticks described as vectors of disease. Specifically, the Rhipicephalus sanguineus or red dog tick, typical of dogs especially in adults, who often climb the fences, walls and spread across the kennel, it is difficult to control and can also transmit rickettsial disease, babesiosis for dog and human. These issues are related to fundamental factors of urban sprawl, also to the population increase of ticks and hosts in contact with the human population. In areas under potential risk of transmission of zoonoses, it is recommended the immediate development of control strategies for the species founded, involving the sectors of health. The improvement of articulation with the regional services, breeders and veterinary professionals are crucial. Moreover, the structuring of health services, adequacy of physical space, human and material resources are essential for reducing such transmissions of rickettsiosis. The implementation of an evidence-based practice is fundamental to improving the processes and outcomes in health, also with the integration of services, universities and users, since this integration promotes dialogue between researchers, clinicians and health managers for these obtain the best results for the prevention and control issues. Keywords: Zoonosis, Rickettsias, Ixodes, Rhipicephalus sanguineus, Argasideos. 1. INTRODUÇÃO Os carrapatos considerados de importância econômica e para a saúde pública, são artrópodes da classe Arachnida, ordem Acari e famílias Ixodidae e Argasidae. Os Ixodideos, frequentemente denominados carrapatos duros, apresentam um escudo rígido, quitinoso, que cobre toda a face dorsal do macho adulto e os argasídeos, também conhecidos como carrapatos moles, recebem esta denominação porque não possuem escudo. Todas as espécies requerem obrigatoriamente sangue de vertebrados e possuem significativo grau de especificidade podendo utilizar hospedeiros alternativos, incluindo o homem. No ambiente rural brasileiro e na periferia da zona urbana é comum a presença de cães e o parasitismo por Amblyomma Ovale, A. Aureolatum, Rhipicephalus Sanguineus e Amblyomma spp. Nas extensas áreas destinadas à pecuária bovina brasileira, com rebanho constituído de mais de 169 milhões de cabeças, predomina o Boophilus Microplus. Na pecuária eqüina constituída de aproximadamente 6 milhões de cabeças, predomina Amblyomma Cajennense e Anocentor Nitens. Nas áreas de florestas nativas no Brasil (ainda a maior reserva do planeta), reflorestamentos, cerrados, agrestes, bem como nas regiões de 41

3 lavouras primitivas e descampados, existe um potencial do parasitismo para mais de 25 espécies conhecidas, pertencentes ao gênero Amblyomma, 6 espécies de Ixodes, 3 espécies de Haemaphysalis, além de um número desconhecido de espécies do gênero Ornythodorus. Todas estas espécies são potencialmente parasitas de roedores, lagomorfos, marsupiais, carnívoros, cervídeos, répteis, aves e do homem. Os carrapatos dos gêneros Boophilus e Anocentor, ao fixarem nos hospedeiros, neles permanecem por cerca de três semanas, ocorrendo então, as fases de larvas, ninfas e adultos em um único repasto. Nos demais, as mudas para ninfa e adulto, ocorrem no meio ambiente. A postura dos ovos ocorre depois de ter sido a fêmea fecundada e após o ingurgitamento. A postura é única e o número de ovos em algumas espécies, pode ultrapassar a ovos, como no caso de carrapatos do gênero Amblyomma (FLECHTMANN, 1990). O número de gerações por ano varia, dependendo da espécie, da abundância de hospedeiros e das condições climáticas da região, ocorrendo até 5 gerações nas áreas de clima tropical úmido. As espécies do gênero Amblyomma e Ixodes, assumem grande importância na transmissão de patógenos, por serem heteróxenos e possuírem ampla distribuição geográfica no continente Americano. Trata-se de carrapatos de parasitismo eclético, cujas larvas podem ser encontradas sobre qualquer mamífero doméstico, silvestre, aves e no homem. O maior potencial e risco para transmissão de patógenos para seres humanos ocorre nas regiões de florestas, cerrados nativos, descampados e pastagens. A menor relação parasito/hospedeiro, menor grau de especificidade dos carrapatos, longos períodos de jejum, são fatores que favorecem a transmissão de patógenos. Dessa forma, este objetivou analisar a importância bioecológica dos carrapatos e suas implicações na saúde dos caninos domésticos em Campina Grande-PB. 2. MATERIAL E MÉTODOS 2.1. Caracterização da pesquisa Durante o período de novembro 2010 a fevereiro de 2011 foi levantado junto ao Centro de Zoonoses de Campina Grande-PB (Figura 1), o número de cães que sobrevivem na cidade, bem como as espécies de carrapatos e as possíveis zoonoses que por eles são transmitidos, além de um levantamento bibliográfico para correlacionar as informações obtidas. 42

4 Paralelo a esses dados, foram entrevistados de forma livre por meio de questionários junto aos veterinários e as instituições que mantém/cuidam da população canina na cidade de Campina Grande, para levantar o máximo de dados sobre os carrapatos e as possíveis notificações de doenças transmitidas por eles. Figura 1: Mapa do Estado da Paraíba e sua localização no mapa do Brasil (mapa superior). A região grafada em vermelho no mapa da Paraíba corresponde ao município de Campina Grande-PB Tipo de pesquisa O trabalho, porém, compreendeu uma pesquisa empírica e de caráter qualitativo conforme Lüdke e André (1996), que ocorreu junto ao Centro de Zoonoses e profissionais da área de saúde pública e animal na cidade de Campina Grande-PB Coleta de dados Para se realizar um levantamento dos dados, foi aplicado um questionário semiestruturado, junto ao Centro de Zoonoses e a todos profissionais da área de saúde pública e animal na cidade de Campina Grande-PB. Para cumprir os requisitos da Bioética em conformidade com o que preconiza Celistre (2002), os profissionais foram identificados por códigos conforme a seqüência de coleta de dados (P1, P2,..., P19, P20) e os locais ou instituições, também pela seqüência de coletas dos dados por E1, E2, E3 e E4. 43

5 O período de aplicabilidade do questionário ocorreu nos meses de novembro de 2010 a fevereiro de 2011, utilizando como corte amostral todas as instituições mantenedoras de cães da cidade de Campina Grande-PB. Foi, portanto, entregue a cada profissional, um questionário semi-estruturado o qual estão contidas as questões anteriormente citadas. Os questionários foram aplicados e recolhidos no intervalo de uma semana, tempo necessário para os informantes apresentarem suas respostas. Em seguida será feito a tabulação dos dados obtidos e conseqüentemente, a elaboração dos gráficos para fins de demonstração percentual dos resultados adquiridos. Os questionários, transcritos literalmente, foram aplicados conforme cronograma, nas respectivas instituições e profissionais. Antes do início da aplicação dos questionários foi explicado aos informantes o objetivo da pesquisa, e apresentado o Termo de Esclarecimento e Termo de Consentimento da liberdade em participar deles, a garantia do anonimato Análise dos dados A pesquisa prioriza a abordagem qualitativa, entendendo que esta oferece maior possibilidade de percepção da realidade em estudo. De acordo com Minayo (2000) a pesquisa qualitativa possibilita aos entrevistados expressar-se livremente acerca de um determinado tema, expondo suas idéias, sendo aquela capaz de incorporar a questão do significado e da intencionalidade como inerentes aos atos. O método empregado utiliza um conjunto de instrumentos, as figuras metodológicas, que viabilizam discriminar os principais temas do discurso apresentado pelo aluno no que se refere ao presente objeto de estudo. As informações dos questionários foram transcritas e inseridas para apresentação em tabelas Apresentação dos resultados Os resultados foram apresentados através da estatística descritiva e expostos em gráficos e tabelas. De acordo com variáveis intimamente ligadas aos objetivos do trabalho e as perguntas formuladas nos questionários. 44

6 2.6. Considerações Éticas De acordo com o Conselho Nacional de Saúde, através da Resolução n 196, de 10 de novembro de 1996, aprovou as diretrizes e normas regulamentadoras de pesquisas envolvendo seres humanos e, incorporou sob a ótica do individuo e das coletividades, as quatro referencias básicas da Bioética: autonomia, não maleficência, beneficência e justiça, visando assegurar os direitos e deveres que dizem respeito à comunidade científica, aos sujeitos da pesquisa e ao Estado. Sendo assim, e obedecendo à resolução acima especificada foram contatados, com antecedência, os órgãos envolvidos na pesquisa que expelirão concordância documentada de autorização da pesquisa através de documentos. Ao término da investigação, os resultados foram comunicados aos estabelecimentos envolvidos, bem como, foi preservada a identidade dos sujeitos. A pesquisa não trouxe ônus financeiro para as entidades participantes, e a coleta de dados como propõe o projeto, possibilita a obtenção de conhecimento científico relevante e novo, e não poderia ser conseguido de outra forma. 3. RESULTADOS E DISCUSSÃO De acordo com os parâmetros que regem a pesquisa, ocorreu a aplicação de um questionário semiestruturado, com 12 profissionais que cuidam ou atendem os caninos na cidade de Campina Grande-PB, foi possível traçar um perfil das doenças transmitidas por carrapatos. Contudo, os dados coletados foram analisados e tabulados obtendo os resultados da Tabela 1. Tabela 1. Formação superior dos pesquisados, Formação Quantidade Pós Graduação Área Especialização Saúde Pública e Zoonoses Médico Veterinário 01 Medicina Preventiva: Mestrando Leishmaniose Médico Veterinário 01 Especialização Clínica e cirurgia de pequenos animais Médico Veterinário 01 Especialização Clínica e cirurgia de cães e gatos Médico Veterinário 01 Desenvolvimento e Meio Especialização Ambiente Médico Veterinário Ciências Biológicas (em curso)

7 Geografia 01 - Não indicado Não possui formação 04 - Não indicado Dos 12 pesquisados, de acordo com a Tabela 1, 05 (41,7%) não possuem e 07 (58,3%) possuem curso superior. Dos 7 com curso superior, 06 (85,7%) possuem graduação em medicina veterinária e 01 (14,3%) é graduado em Geografia. Os únicos pós-graduados na área objeto da pesquisa são 04 (57,1% dos que possuem curso superior). Dentre os profissionais pesquisados existe 01 (8,3%) com o curso superior incompleto (ou cursando) em Ciências Biológicas e os demais 04 (33,3%) não possuem formação superior. Estes resultados se contrapõem aos dados publicados por Vasconcellos (2010), onde expõem que nos últimos 50 anos houve o crescimento permanente do conhecimento disponível do tema zoonoses, apoiados em reuniões de especialistas internacionais voltadas tanto para os aspectos técnicos específicos de zoonoses de etiologia diversa bem como para o ensino deste assunto nos cursos de graduação de Medicina Veterinária, únicos responsáveis aptos para acompanhar nos cães estas problemáticas. Quando indagados sobre o número de cães na cidade de Campina Grande-PB, apenas 5 (41,7%) afirmaram saber e apresentaram o valor, conforme pode ser visto na Figura 2, abaixo. Figura 2. Esquema das informações dos pesquisados sobre os locais onde são registrados os números de cães que existe na cidade de Campina Grande, Ministério da Saúde Centro de Zoonoses Não soube a origem/não respondeu As respostas foram as seguintes: 80 mil, 50 mil e 40 mil, todos sem apresentar a origem desses dados. 46

8 Dos que responderam o arquivo ser no Centro de Zoonoses, 2 afirmaram ser 20 mil e o outro respondeu não saber o número; dos que responderam ser o Ministério da Saúde, 1 afirmou ser 45 mil e o outro respondeu não saber o número. Os demais que totalizaram 7 não soube/não respondeu dizer a origem do arquivo sobre o número de cães existentes em Campina Grande-PB. Esses percentuais não podem ser discutidos tendo em vista que não há, segundo os próprios pesquisados, uma normatização para registro e notificação de quantitativo de cães na cidade de Campina Grande-PB, assim como, para todo o Brasil. Quando indagados sobre o conhecimento individual sobre as doenças que são transmitidas pelos carrapatos para os cães e/ou os humanos, os pesquisados responderam o seguinte, conforme visualizado na Figura 3, a seguir. Figura 3. Doenças transmitidas pelos carrapatos segundo os pesquisados, Campina Grande-PB, Paralisia Febre Maculosa Anemia Doença de Lyme Anaplasmose Pirosplasmose Erliquiose Babasiose Estes dados estão de acordo com Rey et. al., (1991) quando descreve que a paralisia por picada de carrapato é rara, mas de distribuição mundial, no Brasil ainda não foi assinalada no homem, mas sim em aves e animais domésticos, evidencia-se que as richettsioses transmitidas por carrapatos são a Febre Maculosa e a Doença de Lyme. O Rhipicephalus sanguineus, conhecido como carrapato vermelho do cão, que é seu principal hospedeiro, pode transmitir a Babesia canis e Ehrlichia canis, que provocam anemias graves e às vezes, a morte de cães. Já foi encontrado parasitando humanos, segundo 47

9 Moraes (1998). Em relação a doenças nos humanos podemos dizer que essas rickettsias como Babesiose, Doença de Lyme e Febre Maculosa são também transmitidas a humanos. Quando indagados sobre quais as doenças são notificadas em Campina Grande-PB, as respostas foram que nos cães são Erlichiose e Babesiose (33,3%), já nos humanos, todos afirmaram não terem conhecimento. Esses dados correspondem aos estudos de Moraes et. al., (1998) e Sequeira et al., (2002) que apresentam a Babesiose e a Anaplasmose como doenças endêmicas no Brasil, bem como, a anemia e a erliquiose patogênos de freqüente transmissão. Quando indagados sobre as sugestões para o acompanhamento das doenças transmitidas por carrapatos em campina Grande-PB, as sugestões foram as mais diversas possíveis, conforme expressas na Tabela 2, a seguir. Tabela 2. Sugestões para acompanhamento dessas doenças em Campina Grande-PB, Entrevistado P1 P2 P3 P4 P5 P6 P7 P8 P9 P10 P11 P12 Sugestão Para evitar possíveis doenças, fiscalizar sempre os canis; mantê-los limpos e arejados sempre Exames periódicos por amostras de sangue e fezes de animais suspeitos ou com quadro parecido dessas doenças Controle dos carrapatos sobre os cães. Vassoura de fogo de 8/8 dias 4 vezes. Conscientizar as pessoas que o carrapato não é apenas um parasita que deva ser combatido, más um vetor de doenças graves que pode levar não só o animal à morte, más também picar pessoas causando sérios problemas. Manter os ambientes isento de carrapatos. Em casos confinados tratálos. Inicialmente uma prevenção através de carrapaticidas no ambiente e no animal banhos a cada 20 dias independente de ter ou não carrapatos. Informar às pessoas que observem sempre os canis e seus animais. O criador deve procurar o veterinário pelo menos duas vezes por ano, com o seu animal para consultar, mesmo que o animal esteja sadio, o proprietário do animal deve mantê-lo sempre com bom aspecto de saúde, boa alimentação, fazer uma boa profilaxia (vacinação, vermifugação), fazer higienização do local (canil). Ambiente higienizado. Vigilância em cima do animal. Não respondeu. Não respondeu. 48

10 O uso de carrapaticidas sobre o corpo dos animais, através de banhos, aspersões, polvilhamento etc. é ainda o mais amplo e disponível método no combate aos ixodídeos. Todavia o impacto de resíduos acaricidas em produtos animais e no meio ambiente, ao lado da plasticidade genética dos carrapatos, tornando-os resistentes contra os carrapaticidas, tem criado uma necessidade premente de desenvolvimento de métodos alternativos de controle. Assim além de ecdisteróides, que aceleram atividades de muda, grandes avanços têm sido conseguidos com vacinas anticarrapato. Elas são feitas com proteínas de membranas de células digestivas dos ixodideos e provocam sua morte através da ruptura dos intestinos quando sugam em animais vacinados (MELO. LINARD e VITOR, 2005). Quanto ao risco de transmissão de zoonoses como doenças acima citadas recomendam-se elaboração de estratégias de controle das espécies vetores encontrados e avaliações permanentes dos riscos por profissionais veterinários e criadores. 4. CONCLUSÕES De acordo com a avaliação e a dinâmica das infestações por carrapatos em cães e as conseqüências de possíveis irradiações em Campina Grande-PB, constatou-se que a falta de informações e cumprimento de um programa pré-estabelecido pelos responsáveis da área no que se refere a um acompanhamento de rickétsias como Babesia canis, ehrlichiose, doença de lyme, febre maculosa e anaplasmose tendo como vetor os carrapatos. Verificou-se que os problemas surgidos por conta de patógenos por eles transmitidos, são ocasionados entre outros pelo abandono do animal pelo proprietário, quando estes às vezes mantêm seus cães bem alimentados, no entanto, são esquecidos quanto às formas de higienização necessárias dos ambientes com vistas a minimizar os índices de infestações nos locais onde vivem os animais. Na cidade de Campina Grande-PB, a espécie de carrapato que parasita os cães domésticos é a Rhipicephalus sanguineus ou carrapato do cão e o também chamado carrapato micuim. O conhecimento destes riscos contribui para a proposição de ações eficazes de prevenção e controle que, programadas, modifiquem os fatores ambientais relacionados ao aumento do risco de infestações citados. Nas áreas com destaque quanto à situação de risco iminente ou moderado de infestação por carrapatos e sua transmissão de zoonoses recomenda-se que os serviços de 49

11 saúde locais mantenham uma vigilância acarológica, manutenção de rotina de vigilância e orientações à população. Também é de fundamental importância, avaliações dos riscos potenciais, o aprimoramento da articulação com os serviços regionais e profissionais veterinários. A relação homem/animal é de importância fundamental, podendo trazer grandes benefícios ao homem e, portanto, os cuidados inerentes à posse responsável de um animal não devem ser relegados ao segundo plano, quer seja de utilidade econômica ou de estimação. Da mesma forma é importante a adoção de posturas corretas pela população para um convívio saudável com os mesmos. 5. REFERÊNCIAS BRASIL. Conselho Nacional de Saúde. Resolução nº 196, 10 de out CELISTRE, S. S. Os ciclos de formação no ensino público de Pernambuco Dissertação (Mestrado em Educação), Recife, UFPE, FLECHTMANN, C. A. W. Ácaros de importância médico veterinária. 3. ed. São Paulo: Nobel, p. LÜDKE, M; ANDRÉ, M. E. D. A. Pesquisa em educação: abordagens qualitativas. São Paulo: EPU, MELO, A. L.; LINARD, P. M.; VITOR, R. W. A. Parasitologia Humana. 11. ed. São Paulo: Atheneu, MINAYO, M. C. S. O desafio do conhecimento: pesquisa qualitativa em saúde. 78. ed. São Paulo: Hucitec, RJ, Abrasco, MORAES, R. G.; LEITE, I. C.; GOULART, E. C.; BRAZIL, R. Parasitologia & Micologia Humana. 4. ed. Rio de Janeiro: Cultura Médica, REY, L. Parasitologia. 2. ed. Rio de Janeiro: GUANABARA KOOGAN, SEQUEIRA, T. C. G. O.; AMARANTE, A. F. T. Parasitologia Animal: Animais de Produção. 1. ed. Rio de Janeiro: EPUB, p VASCONCELLOS, S. A. Zoonoses: conceito Disponível em:<http://www.praiagrande.sp.gov.br/arquivos/cursos_sesap2/zoonoses%20conceito.pdf>. Acessado em: 21 jan.,

DISCIPLINA PARASITOLOGIA PROF. ISABELLA MARTINS

DISCIPLINA PARASITOLOGIA PROF. ISABELLA MARTINS DISCIPLINA PARASITOLOGIA PROF. ISABELLA MARTINS ECTOPARASITOS CLASSE ARACHNIDA corpo dividido em cefalotórax e abdome ou fusionado 4 pares de patas quelíceras SUBCLASSE ACARI ÁCAROS Corpo fusionado Gnatosoma

Leia mais

PUBVET, Publicações em Medicina Veterinária e Zootecnia.

PUBVET, Publicações em Medicina Veterinária e Zootecnia. Mossoró/RN no período de a 8. PUBVET, Londrina, V., N., Ed. 8, Art.,. PUBVET, Publicações em Medicina Veterinária e Zootecnia. Análise dos casos de leishmaniose visceral humana residentes em Mossoró/RN

Leia mais

CATEGORIA: EM ANDAMENTO ÁREA: CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E SAÚDE SUBÁREA: MEDICINA VETERINÁRIA INSTITUIÇÃO: CENTRO UNIVERSITÁRIO ANHANGUERA DE NITERÓI

CATEGORIA: EM ANDAMENTO ÁREA: CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E SAÚDE SUBÁREA: MEDICINA VETERINÁRIA INSTITUIÇÃO: CENTRO UNIVERSITÁRIO ANHANGUERA DE NITERÓI TÍTULO: PERFIL HEMATOLÓGICO E PARASITOLÓGICO DE ANIMAIS DOMÉSTICOS COM SUSPEITA DE INFECÇÃO POR PARASITOS ( HEMOPARASITOS E ENDOPARASITOS) COM POTENCIAL ZOONÓTICO ATENDIDOS NO HOSPITAL DE CLÍNICAS DA FACULDADE

Leia mais

42º Congresso Bras. de Medicina Veterinária e 1º Congresso Sul-Brasileiro da ANCLIVEPA - 31/10 a 02/11 de 2015 - Curitiba - PR 1

42º Congresso Bras. de Medicina Veterinária e 1º Congresso Sul-Brasileiro da ANCLIVEPA - 31/10 a 02/11 de 2015 - Curitiba - PR 1 1 CENSO DOS ANIMAIS DA REGIÃO DO PORTO GRANDE, ARAQUARI - SC ERIANE DE LIMA CAMINOTTO 1, MARLISE POMPEU CLAUS 1, ALINE BRODA COIROLO 2, DESIREE BICALHO 2. 1 Docentes do Instituto Federal Catarinense Campus

Leia mais

PALESTRA SOBRE SITUAÇÃO ATUAL DA FEBRE MACULOSA BRASILEIRA

PALESTRA SOBRE SITUAÇÃO ATUAL DA FEBRE MACULOSA BRASILEIRA PALESTRA SOBRE SITUAÇÃO ATUAL DA FEBRE MACULOSA BRASILEIRA NICOLAU MAUÉS SERRA-FREIRE BMV, MSc., PhD., Chefe do Laboratório de Ixodides Diretor do Curso de Medicina Veterinária - Universidade Estácio de

Leia mais

CTENOCEPHALIDES CANIS E CTENOCEPHALIDES FELIS: REVISÃO DE LITERATURA

CTENOCEPHALIDES CANIS E CTENOCEPHALIDES FELIS: REVISÃO DE LITERATURA CTENOCEPHALIDES CANIS E CTENOCEPHALIDES FELIS: REVISÃO DE LITERATURA OLIVEIRA, Amanda Claudia de MACHADO, Juliane de Abreu Campos ANTÔNIO, Nayara Silva Acadêmicos da Associação Cultural e Educacional de

Leia mais

SOROPREVALÊNCIA DE Borrelia spp. EM EQUINOS DE USO MILITAR DO MUNICÍPIO DE SÃO BORJA, ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL

SOROPREVALÊNCIA DE Borrelia spp. EM EQUINOS DE USO MILITAR DO MUNICÍPIO DE SÃO BORJA, ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL SOROPREVALÊNCIA DE Borrelia spp. EM EQUINOS DE USO MILITAR DO MUNICÍPIO DE SÃO BORJA, ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL SEROPREVALENCE OF Borrelia spp. IN HORSES THE MILITARY USE OF SÃO BORJA COUNTY, STATE OF

Leia mais

EFEITO OVICIDA DE METARHIZIUM ANISOPLIAE IP 46, EM SOLO, SOBRE RHIPICEPHALUS SANGUINEUS

EFEITO OVICIDA DE METARHIZIUM ANISOPLIAE IP 46, EM SOLO, SOBRE RHIPICEPHALUS SANGUINEUS EFEITO OVICIDA DE METARHIZIUM ANISOPLIAE IP 46, EM SOLO, SOBRE RHIPICEPHALUS SANGUINEUS Macsuel Corado Barreto, Christian Luz Instituto de Patologia Tropical e Saúde Pública Universidade Federal de Goiás,

Leia mais

42º Congresso Bras. de Medicina Veterinária e 1º Congresso Sul-Brasileiro da ANCLIVEPA - 31/10 a 02/11 de 2015 - Curitiba - PR 1

42º Congresso Bras. de Medicina Veterinária e 1º Congresso Sul-Brasileiro da ANCLIVEPA - 31/10 a 02/11 de 2015 - Curitiba - PR 1 1 FREQUÊNCIA DE HEMOPARASITOSES EM CÃES NA REGIÃO SUL FLUMINENSE RJ PEDRO HENRIQUE EVANGELISTA GUEDES 1, ANA PAULA MARTINEZ DE ABREU 2, THIAGO LUIZ PEREIRA MARQUES 2, PATRÍCIA DA COSTA 1 1 Alunos de curso

Leia mais

Doenças Transmitidas por Carrapatos Experiência DF

Doenças Transmitidas por Carrapatos Experiência DF III Simpósio de Doenças Transmitidas por Carrapatos Doenças Transmitidas por Carrapatos Experiência DF Anderson de Morais Leocadio 11/10/2013 GOVERNO DO DISTRITO FEDERAL SECRETARIA DE ESTADO DE SAÚDE Subsecretaria

Leia mais

Manual do Carrapatograma

Manual do Carrapatograma Manual do Carrapatograma Amigo Produtor de Leite, Existem no mundo quase 900 espécies de carrapatos, só no Brasil existem mais de cinqüenta. Sendo que, o mais preocupante para a pecuária é o carrapato

Leia mais

COORDENAÇÃO ACADÊMICA NÚCLEO DE GESTÃO DE ATIVIDADES DE PESQUISA COORDENAÇÃO ACADÊMICA. Projeto de Pesquisa Registrado Informações Gerais

COORDENAÇÃO ACADÊMICA NÚCLEO DE GESTÃO DE ATIVIDADES DE PESQUISA COORDENAÇÃO ACADÊMICA. Projeto de Pesquisa Registrado Informações Gerais COORDENAÇÃO ACADÊMICA Projeto de Pesquisa Registrado Informações Gerais 1. Coordenador (a): ANA KARINA DA SILVA CAVALCANTE (KARINA@UFRB.EDU.BR) Vice- Coordenador (a): 2. Título do projeto: Ocorrência de

Leia mais

Pré-imunização e Tratamento de Tristeza Parasitária em Bovinos Leiteiros

Pré-imunização e Tratamento de Tristeza Parasitária em Bovinos Leiteiros Pré-imunização e Tratamento de Tristeza Parasitária em Bovinos Leiteiros Laboratório de Imunovirologia Molecular DBG UFV Prof. Sérgio Oliveira de Paula Tristeza Parasitária Bovina (TPB) Enfermidade hemoparasita

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DO MÉDICO VETERINÁRIO NO PROGRAMA SAÚDE DA FAMÍLIA

A IMPORTÂNCIA DO MÉDICO VETERINÁRIO NO PROGRAMA SAÚDE DA FAMÍLIA 1 A IMPORTÂNCIA DO MÉDICO VETERINÁRIO NO PROGRAMA SAÚDE DA FAMÍLIA ADAM CHRISTIAN SOBREIRA DE ALENCAR WIDMER 1, RODRIGO VIANA SEPÚLVEDA 1, ISABELE LIMA PEREIRA 1 PAULA DIAS BEVILACQUA 1, ANDRÉA PACHECO

Leia mais

CONTROLE SANITÁRIO DE ENDO E ECTOPARASITAS

CONTROLE SANITÁRIO DE ENDO E ECTOPARASITAS CONTROLE SANITÁRIO DE ENDO E ECTOPARASITAS Henrique Coelho Médico Veterinário MOSCA DOS CHIFRES CICLO DA Cocchliomyia hominivorax - Só realiza postura nas bordas de ferimento de animais de sangue quente

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÃNDIA ESCOLA TÉCNICA DE SAÚDE CURSO TÉCNICO EM ANÁLISES CLÍNICAS PROFESSORA: ALMERINDA DOS SANTOS PLANO DE ENSINO

UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÃNDIA ESCOLA TÉCNICA DE SAÚDE CURSO TÉCNICO EM ANÁLISES CLÍNICAS PROFESSORA: ALMERINDA DOS SANTOS PLANO DE ENSINO UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÃNDIA ESCOLA TÉCNICA DE SAÚDE CURSO TÉCNICO EM ANÁLISES CLÍNICAS PROFESSORA: ALMERINDA DOS SANTOS PLANO DE ENSINO FUNÇÃO: Educação para a Saúde SUBFUNÇÃO: Saúde Ambiental II

Leia mais

PARASITOLOGIA ZOOTÉCNICA Classe Arachnida: Carrapatos

PARASITOLOGIA ZOOTÉCNICA Classe Arachnida: Carrapatos UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO Campus Universitário de Sinop PARASITOLOGIA ZOOTÉCNICA Classe Arachnida: Carrapatos Profº. Evaldo Martins Pires SINOP - MT Aula de hoje: Aula 06 Introdução ao estudo

Leia mais

Instrumento de Coleta Sistematizado para Visita Domiciliar

Instrumento de Coleta Sistematizado para Visita Domiciliar 236 Instrumento de Coleta Sistematizado para Visita Domiciliar (Systematic collection tool for Home Visit) Gisleangela Rodrigues Lima Carrara 1 ; Priscila de Martini Alves 2 ; Gabriela Bernal Salvador

Leia mais

Pulgas e carrapatos: profilaxia e conscientização

Pulgas e carrapatos: profilaxia e conscientização Ano 01 Edição 06 Dezembro 2014 Pulgas e carrapatos: profilaxia e conscientização Dr. Marcio Antonio Batistela Moreira CRMV-SP 12.216 Médico veterinário. Professor de Patologia Clínica da Universidade Anhembi

Leia mais

ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO DE CIÊNCIAS

ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO DE CIÊNCIAS ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO DE CIÊNCIAS Nome: Nº 7º Ano Data: / / 2015 Professor(a): Nota: (Valor 1,0) 3º Bimestre A - Introdução Neste bimestre começamos a estudar o reino animal com toda sua fantástica diversidade.

Leia mais

INCIDÊNCIA DE FEBRE MACULOSA NA CIDADE DE AMPARO. Palavras- Chave: Saúde, Pesquisa, Febre Maculosa, Patologia, Enfermagem.

INCIDÊNCIA DE FEBRE MACULOSA NA CIDADE DE AMPARO. Palavras- Chave: Saúde, Pesquisa, Febre Maculosa, Patologia, Enfermagem. INCIDÊNCIA DE FEBRE MACULOSA NA CIDADE DE AMPARO Daniela Aparecida Correa Aline Gritti Rodrigues Resumo: O presente artigo terá como objetivo abordar a incidência de Febre Maculosa na cidade de Amparo

Leia mais

Controle estratégico do carrapato Amblyomma cajennense em eqüinos

Controle estratégico do carrapato Amblyomma cajennense em eqüinos Ciência Rural, Santa Maria, v.34, Controle n.1, p.195-200, estratégico jan-fev, do carrapato 2004 Amblyomma cajennense em eqüinos. ISSN 0103-8478 195 Controle estratégico do carrapato Amblyomma cajennense

Leia mais

Direção de Serviços de Saúde e Proteção Animal PERGUNTAS E RESPOSTAS FREQUENTES SOBRE ANIMAIS DE COMPANHIA E LEGISLAÇÃO DE BASE

Direção de Serviços de Saúde e Proteção Animal PERGUNTAS E RESPOSTAS FREQUENTES SOBRE ANIMAIS DE COMPANHIA E LEGISLAÇÃO DE BASE PERGUNTAS E RESPOSTAS FREQUENTES SOBRE ANIMAIS DE COMPANHIA E LEGISLAÇÃO DE BASE Lista e número das perguntas P1 - Como ser um dono responsável de um animal de companhia? P2 - Qual o número máximo de animais

Leia mais

EFICÁCIA DO ÓLEO DE NIM (Azadirachta indica) NO CONTROLE DO CARRAPATO DO CÃO (Rhipicephalus sanguineus)

EFICÁCIA DO ÓLEO DE NIM (Azadirachta indica) NO CONTROLE DO CARRAPATO DO CÃO (Rhipicephalus sanguineus) ISBN 978-85-6191-5-7 Encontro Internacional de Produção Científica Cesumar 27 a 3 de outubro de 29 EFICÁCIA DO ÓLEO DE NIM (Azadirachta indica) NO CONTROLE DO CARRAPATO DO CÃO (Rhipicephalus sanguineus)

Leia mais

ÁREAS DE ESTÁGIO. O aluno poderá dar maior ênfase a uma determinada opção, dentro da área ou entre áreas, COM MÁXIMO DE 40% DA CARGA HORÁRIA.

ÁREAS DE ESTÁGIO. O aluno poderá dar maior ênfase a uma determinada opção, dentro da área ou entre áreas, COM MÁXIMO DE 40% DA CARGA HORÁRIA. FACULDADE DE VETERINÁRIA COORDENAÇÃO DE CURSO DE GRADUAÇÃO EM MEDICINA VETERINÁRIA DISCIPLINA DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM MEDICINA VETERINÁRIA ÁREAS DE ESTÁGIO OBSERVAÇÕES GERAIS O aluno poderá dar maior

Leia mais

42º Congresso Bras. de Medicina Veterinária e 1º Congresso Sul-Brasileiro da ANCLIVEPA - 31/10 a 02/11 de 2015 - Curitiba - PR 1

42º Congresso Bras. de Medicina Veterinária e 1º Congresso Sul-Brasileiro da ANCLIVEPA - 31/10 a 02/11 de 2015 - Curitiba - PR 1 1 ESTIMATIVA DA POPULAÇÃO CANINA E FELINA NOS ANOS 2010 E 2013 E PERCEPÇÃO DAS PESSOAS QUANTO A GUARDA RESPONSÁVEL NO MUNICÍPIO DE SÃO JOSÉ DOS PINHAIS - BAIRRO GUATUPÊ LUCAS GALDIOLI 1, RAFAELA FURIOSO

Leia mais

ESTUDO IN VITRO DA RESISTÊNCIA DE Rhipicephalus Boophilus microplus A CARRAPATICIDAS EM BOVINOS NA REGIÃO DE LONDRINA-PR

ESTUDO IN VITRO DA RESISTÊNCIA DE Rhipicephalus Boophilus microplus A CARRAPATICIDAS EM BOVINOS NA REGIÃO DE LONDRINA-PR ESTUDO IN VITRO DA RESISTÊNCIA DE Rhipicephalus Boophilus microplus A CARRAPATICIDAS EM BOVINOS NA REGIÃO DE LONDRINA-PR Lincoln Tavares Gomes* Paulo Humberto Carnelós* Yasmim Varago Farth* Yurick Moritz*

Leia mais

-1- PREVENÇÃO DE ACIDENTES INFANTIS: FORMAÇÃO E ATUAÇÃO DE PROFISSIONAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL 1

-1- PREVENÇÃO DE ACIDENTES INFANTIS: FORMAÇÃO E ATUAÇÃO DE PROFISSIONAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL 1 PREVENÇÃO DE ACIDENTES INFANTIS: FORMAÇÃO E ATUAÇÃO DE PROFISSIONAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL 1 GIMENIZ-PASCHOAL, Sandra Regina 2 VILAS BÔAS, Bruna 3 TÁPARO, Flávia Arantes 4 SCOTA, Bruna da Costa 5 Resumo

Leia mais

Estado da tecnologia avançada na gestão dos recursos genéticos animais

Estado da tecnologia avançada na gestão dos recursos genéticos animais PARTE 4 Estado da tecnologia avançada na gestão dos recursos genéticos animais A caracterização de raças e ambientes de produção precisa ser melhorada para fomentar políticas de decisão na gestão dos recursos

Leia mais

ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO DE CIÊNCIAS

ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO DE CIÊNCIAS ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO DE CIÊNCIAS Nome: Nº 7º Ano Data: / / 2015 Professor(a): Nota: (Valor 1,0/2,0) 3º e 4º Bimestres A - Introdução Neste semestre, fizemos um estudo sobre os invertebrados e sua ampla

Leia mais

INSTITUIÇÃO:UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DE PERNAMBUCO

INSTITUIÇÃO:UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DE PERNAMBUCO TÍTULO:AVALIAÇÃO DA INCIDÊNCIA DA DENGUE NO CAMPUS DA UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DE PERNAMBUCO ATRAVÉS DA CONFIRMAÇÃO SOROLÓGICA AUTORES: Cavalcanti, A. C.; Oliveira A. C. S. de; Pires, E. C. ; Lima, L.

Leia mais

PARASITOLOGIA ZOOTÉCNICA ORDEM HEMIPTERA

PARASITOLOGIA ZOOTÉCNICA ORDEM HEMIPTERA Aula 04 A PARASITOLOGIA ZOOTÉCNICA Aula de hoje: Hemiptera de importância em Parasitologia Zootécnica ORDEM HEMIPTERA Insetos da ordem Hemiptera são divididos em três subordens, os Heteroptera (conhecidos

Leia mais

Infra estrutura precária Máquinas e Equipamentos

Infra estrutura precária Máquinas e Equipamentos Variável: Infra estrutura precária Máquinas e Equipamentos Participantes do Aprofundamento da Variável: Coordenador: Mário Vinícius Bueno Cerâmica Betel - Uruaçu-Go Colaboradores: Juarez Rodrigues dos

Leia mais

Um Modelo de Sistema de Gestão da Segurança da Informação Baseado nas Normas ABNT NBR ISO/IEC 27001:2006, 27002:2005 e 27005:2008

Um Modelo de Sistema de Gestão da Segurança da Informação Baseado nas Normas ABNT NBR ISO/IEC 27001:2006, 27002:2005 e 27005:2008 REVISTA TELECOMUNICAÇÕES, VOL. 15, Nº01, JUNHO DE 2013 1 Um Modelo de Sistema de Gestão da Segurança da Baseado nas Normas ABNT NBR ISO/IEC 27001:2006, 27002:2005 e 27005:2008 Valdeci Otacilio dos Santos

Leia mais

PSICOLOGIA E DIREITOS HUMANOS: Formação, Atuação e Compromisso Social

PSICOLOGIA E DIREITOS HUMANOS: Formação, Atuação e Compromisso Social A ATUAÇÃO DO PSICÓLOGO DO TRÂNSITO NO PROCESSO DE OBTENÇÃO DE HABILITAÇÃO SOB A ÓTICA DO CANDIDATO Daniela Bianchi*, Mestrado Profissional em Saúde e Educação, Divisão de Pós-Graduação Stricto Sensu, Universidade

Leia mais

Biologia Parasitária. MIP 7003 Ciências Biológicas

Biologia Parasitária. MIP 7003 Ciências Biológicas Biologia Parasitária MIP 7003 Ciências Biológicas www.proto.ufsc.br Causas de doenças:! SOBRENATURAIS OU MÁGICAS! TEORIA HIPOCRÁTICA: INDIVÍDUO E MEIO AMBIENTE! MIASMAS: EMANAÇÕES DA DECOMPOSIÇÃO DE ANIMAIS

Leia mais

CIÊNCIAS PROVA 2º BIMESTRE 6º ANO

CIÊNCIAS PROVA 2º BIMESTRE 6º ANO PREFEITURA DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO SUBSECRETARIA DE ENSINO COORDENADORIA DE EDUCAÇÃO CIÊNCIAS PROVA 2º BIMESTRE 6º ANO 2010 QUESTÃO 1 Assinale a afirmativa que descreve

Leia mais

Nestlé em campo. Carrapatos no rebanho. Eficiência e qualidade na produção leiteira. Como reduzir os prejuízos desse parasita na propriedade leiteira

Nestlé em campo. Carrapatos no rebanho. Eficiência e qualidade na produção leiteira. Como reduzir os prejuízos desse parasita na propriedade leiteira Nestlé em campo Eficiência e qualidade na produção leiteira Carrapatos no rebanho Como reduzir os prejuízos desse parasita na propriedade leiteira Ano 2 Número 10 Jul./Ago. 2015 Nestlé em Campo Controle

Leia mais

NORMA NBR ISO 9001:2008

NORMA NBR ISO 9001:2008 NORMA NBR ISO 9001:2008 Introdução 0.1 Generalidades Convém que a adoção de um sistema de gestão da qualidade seja uma decisão estratégica de uma organização. O projeto e a implementação de um sistema

Leia mais

GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS - A IMPORTÂNCIA DA EDUCAÇÃO AMBIENTAL NO PROCESSO DE IMPLANTAÇÃO DA COLETA SELETIVA DE LIXO O CASO DE IJUÍ/RS 1

GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS - A IMPORTÂNCIA DA EDUCAÇÃO AMBIENTAL NO PROCESSO DE IMPLANTAÇÃO DA COLETA SELETIVA DE LIXO O CASO DE IJUÍ/RS 1 GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS - A IMPORTÂNCIA DA EDUCAÇÃO AMBIENTAL NO PROCESSO DE IMPLANTAÇÃO DA COLETA SELETIVA DE LIXO O CASO DE IJUÍ/RS 1 Juliana Carla Persich 2, Sérgio Luís Allebrandt 3. 1 Estudo

Leia mais

MANUAL DE ESTÁGIO CLÍNICO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM NEUROPSICOPEDAGOGIA CLÍNICA

MANUAL DE ESTÁGIO CLÍNICO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM NEUROPSICOPEDAGOGIA CLÍNICA MANUAL DE ESTÁGIO CLÍNICO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM NEUROPSICOPEDAGOGIA CLÍNICA 1. INTRODUÇÃO O Centro de Estudos UNILAS atua em várias áreas educacionais e em vários cursos de pós-graduação em nível

Leia mais

LEI Nº. 2.168, DE 14 DE DEZEMBRO DE 2009.

LEI Nº. 2.168, DE 14 DE DEZEMBRO DE 2009. LEI Nº. 2.168, DE 14 DE DEZEMBRO DE 2009. Dispõe sobre o controle permanente de reprodução de cães e gatos no Município de Paraisópolis, e dá outras providências. O Povo do Município de Paraisópolis, Estado

Leia mais

TIMPACTOS POSITIVOS E NEGATIVOS DA PRÁTICA DE TURISMO EM AMBIENTES RURAIS.

TIMPACTOS POSITIVOS E NEGATIVOS DA PRÁTICA DE TURISMO EM AMBIENTES RURAIS. TIMPACTOS POSITIVOS E NEGATIVOS DA PRÁTICA DE TURISMO EM AMBIENTES RURAIS. SILVA, Odair Vieira da. Bacharelado e Licenciatura em Geografia Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (UNESP),

Leia mais

PRODUÇÃO DO ESPAÇO URBANO E A PROBLEMÁTICA DAS INUNDAÇÕES: ANÁLISE DA DINÂMICA DOS PROMOTORES IMOBILIÁRIOS EM ITAJAÍ/SC 1

PRODUÇÃO DO ESPAÇO URBANO E A PROBLEMÁTICA DAS INUNDAÇÕES: ANÁLISE DA DINÂMICA DOS PROMOTORES IMOBILIÁRIOS EM ITAJAÍ/SC 1 PRODUÇÃO DO ESPAÇO URBANO E A PROBLEMÁTICA DAS INUNDAÇÕES: ANÁLISE DA DINÂMICA DOS PROMOTORES IMOBILIÁRIOS EM ITAJAÍ/SC 1 RESUMO CONCATTO, Suzane 2 MORAES, Sérgio Torres 3 A problemática das inundações

Leia mais

IDEIAS SOBRE INCLUSÃO NO ESPAÇO ESCOLAR: O QUE DIZEM OS PROFESSORES?

IDEIAS SOBRE INCLUSÃO NO ESPAÇO ESCOLAR: O QUE DIZEM OS PROFESSORES? IDEIAS SOBRE INCLUSÃO NO ESPAÇO ESCOLAR: O QUE DIZEM OS PROFESSORES? Jakson Luis Galdino Dourado (UFPB) jaksonpsi@gmail.com Emília Galdino Ferraz (UFPB) emilia_271@hotmail.com Herbert Costa do Rêgo (UEPB)

Leia mais

ENCICLOPÉDIA DE PRAGAS

ENCICLOPÉDIA DE PRAGAS Carrapatos da família Argasidae normalmente não permanecem aderidos ao hospedeiro por períodos prolongados; passam a maior parte do tempo no ambiente (escondidos em frestas em abrigos de animais, por exemplo)

Leia mais

CONTROLE DO CARRAPATO DOS BOVINOS. Daniela Pontes Chiebao PqC da Unidde de Pesquisa e Desenvolvimento de Sorocaba/APTA danichiebao@apta.sp.gov.

CONTROLE DO CARRAPATO DOS BOVINOS. Daniela Pontes Chiebao PqC da Unidde de Pesquisa e Desenvolvimento de Sorocaba/APTA danichiebao@apta.sp.gov. CONTROLE DO CARRAPATO DOS BOVINOS Daniela Pontes Chiebao PqC da Unidde de Pesquisa e Desenvolvimento de Sorocaba/APTA danichiebao@apta.sp.gov.br Adriana Hellmeister de Campos Nogueira PqC do Pólo Regional

Leia mais

PERCEPÇÃO DO CONHECIMENTO DE PROFISSIONAIS DA ATENÇÃO BÁSICA E ACOMPANHAMENTO DE ATIVIDADES VOLTADAS À SAÚDE DO COLETIVO

PERCEPÇÃO DO CONHECIMENTO DE PROFISSIONAIS DA ATENÇÃO BÁSICA E ACOMPANHAMENTO DE ATIVIDADES VOLTADAS À SAÚDE DO COLETIVO PERCEPÇÃO DO CONHECIMENTO DE PROFISSIONAIS DA ATENÇÃO BÁSICA E ACOMPANHAMENTO DE ATIVIDADES VOLTADAS À SAÚDE DO COLETIVO Elidiane dos Santos CIRILO¹, Emilly Maria de Lima OLIVEIRA¹, Fábio José Targino

Leia mais

REPERCUSSÕES NO ENSINO DA ENFERMAGEM: A VISÃO DOS PROFISSIONAIS À LUZ DAS SUAS EXPERIÊNCIAS

REPERCUSSÕES NO ENSINO DA ENFERMAGEM: A VISÃO DOS PROFISSIONAIS À LUZ DAS SUAS EXPERIÊNCIAS REPERCUSSÕES NO ENSINO DA ENFERMAGEM: A VISÃO DOS PROFISSIONAIS À LUZ DAS SUAS EXPERIÊNCIAS CRIZÓSTOMO, Cilene Delgado MILANEZ, Maria Rosa de Morais SOUSA, Rejane Lúcia Rodrigues Veloso ALBUQUERQUE, Judith

Leia mais

Plano Anual Curricular Estudo do Meio - 1º Ciclo -

Plano Anual Curricular Estudo do Meio - 1º Ciclo - Plano Anual Curricular Estudo do Meio - 1º Ciclo - Estudo do Meio 1º Ano 1º Período 2º Período 3º Período À descoberta de si mesmo - A sua identificação Conhecer a sua identificação Conhecer o seu nome

Leia mais

PUBVET, Publicações em Medicina Veterinária e Zootecnia.

PUBVET, Publicações em Medicina Veterinária e Zootecnia. PUBVET, Publicações em Medicina Veterinária e Zootecnia. Percepção de alunos da 6ª série do ensino fundamental sobre posse responsável de animais de estimação e risco zoonótico no Município de Alegre-ES

Leia mais

Controle Populacional de Caninos e Felinos por meio da Esterilização Cirúrgica

Controle Populacional de Caninos e Felinos por meio da Esterilização Cirúrgica Controle Populacional de Caninos e Felinos por meio da Esterilização Cirúrgica Gabriela Rodrigues Sampaio Professora Adjunto Doutora Departamento de Medicina Veterinária / UFLA gabsampa@ufla.br; Fabiane

Leia mais

Cuidados e recomendações TOP WESTIES

Cuidados e recomendações TOP WESTIES w w w.. c o m ÍNDICE Introdução... 3 Vermifugação... 4 Vacinas... 5 Doenças... 6 Alimentação... 7 Pulgas e carrapatos... 8 INTRODUÇÃO Este documento serve para mostrar e orientar os donos e futuros donos

Leia mais

ATIVIDADE INTERAÇÕES DA VIDA. CAPÍTULOS 1, 2, 3 e 4

ATIVIDADE INTERAÇÕES DA VIDA. CAPÍTULOS 1, 2, 3 e 4 ATIVIDADE INTERAÇÕES DA VIDA CAPÍTULOS 1, 2, 3 e 4 Questão 1) Abaixo representa uma experiência com crisântemo, em que a planta foi iluminada, conforme mostra o esquema. Com base no esquema e seus conhecimentos,

Leia mais

Relatório das Atividades da APA durante o ano de 2011

Relatório das Atividades da APA durante o ano de 2011 Relatório das Atividades da APA durante o ano de 2011 Visando o controle populacional de caninos e felinos no Município de Jaboticabal, durante o ano de 2011, a APA, entre muitas atividades, realizou a

Leia mais

PLANO DE ENSINO. Identificar e caracterizar as relações parasito-hospedeiro,entendendo alterações;

PLANO DE ENSINO. Identificar e caracterizar as relações parasito-hospedeiro,entendendo alterações; PLANO DE ENSINO 1. DADOS DE IDENTIFICAÇÃO Instituição: Universidade Alto Vale do Rio do Peixe Curso: ENFERMAGEM Professores: Rosemari Santos de Oliveira- rosemarixw@yahoo.com.br Período/ Fase: 1º Semestre:

Leia mais

INSTITUIÇÃO: CENTRO UNIVERSITÁRIO DAS FACULDADES METROPOLITANAS UNIDAS

INSTITUIÇÃO: CENTRO UNIVERSITÁRIO DAS FACULDADES METROPOLITANAS UNIDAS Anais do Conic-Semesp. Volume 1, 2013 - Faculdade Anhanguera de Campinas - Unidade 3. ISSN 2357-8904 TÍTULO: EVOLUÇÃO CLÍNICA E PARASITOLÓGICA DE ANCILOSTOMOSE CANINA CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS

Leia mais

AS MUDANÇAS CLIMÁTICAS E A PERCEPÇÃO HUMANA

AS MUDANÇAS CLIMÁTICAS E A PERCEPÇÃO HUMANA AS MUDANÇAS CLIMÁTICAS E A PERCEPÇÃO HUMANA João Paulo Assis Gobo¹ e Eduardo Samuel Riffel² ¹Geógrafo e Mestrando em Geografia Física da Universidade de São Paulo jpgobo@hotmail.com ²Geógrafo e Mestrando

Leia mais

O PAPEL DESEMPENHADO PELO PROGRAMA LEXT-OESSTE E SUAS CONTRIBUIÇÕES PARA A FORMAÇÃO E PARA O EXERCÍCIO PROFISSIONAL

O PAPEL DESEMPENHADO PELO PROGRAMA LEXT-OESSTE E SUAS CONTRIBUIÇÕES PARA A FORMAÇÃO E PARA O EXERCÍCIO PROFISSIONAL O PAPEL DESEMPENHADO PELO PROGRAMA LEXT-OESSTE E SUAS CONTRIBUIÇÕES PARA A FORMAÇÃO E PARA O EXERCÍCIO PROFISSIONAL Larissa dos Santos Gomes Resumo O presente artigo refere-se ao trabalho de conclusão

Leia mais

L 201/8 Jornal Oficial da União Europeia 30.7.2008

L 201/8 Jornal Oficial da União Europeia 30.7.2008 L 201/8 Jornal Oficial da União Europeia 30.7.2008 REGULAMENTO (CE) N. o 734/2008 DO CONSELHO de 15 de Julho de 2008 relativo à protecção dos ecossistemas marinhos vulneráveis do alto mar contra os efeitos

Leia mais

Resíduos de Serviços de Saúde

Resíduos de Serviços de Saúde Programa de Gerenciamento dos Serviços de Saúde no Brasil Resíduos de Serviços de Saúde PGRSS PROGRAMA DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS DE SERVIÇOS DE SAÚDE Responsabilidade civil: Art. 3 da Lei de Introdução

Leia mais

Anexo 67 Orientações para a Elaboração de Termo de Referência

Anexo 67 Orientações para a Elaboração de Termo de Referência Anexo 67 Orientações para a Elaboração de Termo de Referência O Termo de Referência é um documento que tem como propósito fornecer parâmetros para a contratação de consultor individual (pessoa física)

Leia mais

Política de Responsabilidade Corporativa

Política de Responsabilidade Corporativa Política de Responsabilidade Corporativa Índice 1. Introdução...04 2. Área de aplicação...04 3. Compromissos e princípios de atuação...04 3.1. Excelência no serviço...05 3.2. Compromisso com os resultados...05

Leia mais

APRESENTAÇÃO DA CERTIFICAÇÃO OCUPACIONAL

APRESENTAÇÃO DA CERTIFICAÇÃO OCUPACIONAL APRESENTAÇÃO DA CERTIFICAÇÃO OCUPACIONAL A Agência de Certificação Ocupacional (ACERT) é parte integrante da Fundação Luís Eduardo Magalhães (FLEM) Centro de Modernização e Desenvolvimento da Administração

Leia mais

PARECER COREN-SP 042/2014 CT PRCI nº 5441/2014 Tickets nºs 374.222, 374.252 e 374.523

PARECER COREN-SP 042/2014 CT PRCI nº 5441/2014 Tickets nºs 374.222, 374.252 e 374.523 PARECER COREN-SP 042/2014 CT PRCI nº 5441/2014 Tickets nºs 374.222, 374.252 e 374.523 Ementa: Utilização de luvas de procedimentos para aplicação de vacina. 1. Do fato Profissionais de Enfermagem solicitam

Leia mais

Portaria Inep nº 232 de 13 de julho de 2010 Publicada no Diário Oficial de 14 de julho de 2010, Seção 1, pág. 841

Portaria Inep nº 232 de 13 de julho de 2010 Publicada no Diário Oficial de 14 de julho de 2010, Seção 1, pág. 841 Portaria Inep nº 232 de 13 de julho de 2010 Publicada no Diário Oficial de 14 de julho de 2010, Seção 1, pág. 841 A Presidente, substituta, do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio

Leia mais

Título: - Diagnóstico e análise da rede social: o caso da prestação de cuidados continuados a crianças com diabetes.

Título: - Diagnóstico e análise da rede social: o caso da prestação de cuidados continuados a crianças com diabetes. Título: - Diagnóstico e análise da rede social: o caso da prestação de cuidados continuados a crianças com diabetes. Palavras-chave : Análise Redes Sociais, Criança com Diabetes, Cuidados Continuados,

Leia mais

DISCIPLINA O COMÉRCIO DE ANIMAIS DE ESTIMAÇÃO NO MUNICÍPIO DE CURITIBA E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS

DISCIPLINA O COMÉRCIO DE ANIMAIS DE ESTIMAÇÃO NO MUNICÍPIO DE CURITIBA E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS LEI Nº 13.914 de 23 de dezembro de 2011 Publicada no DOM de 27/12/2011 DISCIPLINA O COMÉRCIO DE ANIMAIS DE ESTIMAÇÃO NO MUNICÍPIO DE CURITIBA E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS CÂMARA MUNICIPAL DE CURITIBA, CAPITAL

Leia mais

DATABASES AS ELEMENTS OF STATE-OF-THE-ART ENVIRONMENTAL EDUCATION RESEARCH IN BRAZIL

DATABASES AS ELEMENTS OF STATE-OF-THE-ART ENVIRONMENTAL EDUCATION RESEARCH IN BRAZIL EPEA 2001-1 de 7 BANCOS DE DADOS COMO ELEMENTOS PARA PROPICIAR PESQUISAS SOBRE O ESTADO DA ARTE DA EDUCAÇÃO AMBIENTAL NO BRASIL. Lúcia Manzochi Centro de Referência em Informação Ambiental/CRIA Érica Speglich

Leia mais

Aula5 POPULAÇÃO E DEMOGRAFIA NO BRASIL. Debora Barbosa da Silva

Aula5 POPULAÇÃO E DEMOGRAFIA NO BRASIL. Debora Barbosa da Silva Aula5 POPULAÇÃO E DEMOGRAFIA NO BRASIL META Refletir sobre as características da população brasileira como fundamento para a compreensão da organização do território e das políticas de planejamento e desenvolvimento

Leia mais

NBC PG 100 APLICAÇÃO GERAL AOS PROFISSIONAIS DA CONTABILIDADE

NBC PG 100 APLICAÇÃO GERAL AOS PROFISSIONAIS DA CONTABILIDADE NORMA BRASILEIRA DE CONTABILIDADE NBC PG 100, DE 24 DE JANEIRO DE 2014 Dispõe sobre a NBC PG 100 Aplicação Geral aos Profissionais da Contabilidade. O CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE, considerando o

Leia mais

42º Congresso Bras. de Medicina Veterinária e 1º Congresso Sul-Brasileiro da ANCLIVEPA - 31/10 a 02/11 de 2015 - Curitiba - PR 1

42º Congresso Bras. de Medicina Veterinária e 1º Congresso Sul-Brasileiro da ANCLIVEPA - 31/10 a 02/11 de 2015 - Curitiba - PR 1 1 ESTRUTURAÇÃO DE UM BANCO DE DENTES CANINOS NO DEPARTAMENTO DE ANATOMIA DA UFPR PRODUCTION OF A CANINE TEETH BANK AT THE ANATOMY DEPARTMENT OF UFPR DORIE FERNANDA DE MORAES ZATTONI¹, MARIA FERNANDA TORRES¹,

Leia mais

MAPEAMENTO DOS PONTOS DE DISPOSIÇÃO DE RESÍDUOS DA CONSTRUÇÃO CIVIL E DEMOLIÇÃO IRREGULARES NA CIDADE DE JUIZ DE FORA

MAPEAMENTO DOS PONTOS DE DISPOSIÇÃO DE RESÍDUOS DA CONSTRUÇÃO CIVIL E DEMOLIÇÃO IRREGULARES NA CIDADE DE JUIZ DE FORA 9 MAPEAMENTO DOS PONTOS DE DISPOSIÇÃO DE RESÍDUOS DA CONSTRUÇÃO CIVIL E DEMOLIÇÃO IRREGULARES NA CIDADE DE JUIZ DE FORA Lydia Dalamura Gomes Marciléia Darc Campos Cristiane Campos Toledo 3 Trabalho científico

Leia mais

ESTUDO DAS PARASITOSES INTESTINAIS EM ALUNOS DA 5ª SÉRIE DO COLÉGIO DA POLICIA MILITAR (CPM) DE FEIRA DE SANTANA-BAHIA 3

ESTUDO DAS PARASITOSES INTESTINAIS EM ALUNOS DA 5ª SÉRIE DO COLÉGIO DA POLICIA MILITAR (CPM) DE FEIRA DE SANTANA-BAHIA 3 1 ESTUDO DAS PARASITOSES INTESTINAIS EM ALUNOS DA 5ª SÉRIE DO COLÉGIO DA POLICIA MILITAR (CPM) DE FEIRA DE SANTANA-BAHIA 3 Alcione Assunção Correia Danusa Sampaio Brandão Lycia Bárbara Ribeiro 4 RESUMO:

Leia mais

A necessidade do profissional em projetos de recuperação de áreas degradadas

A necessidade do profissional em projetos de recuperação de áreas degradadas A necessidade do profissional em projetos de recuperação de áreas degradadas Moacyr Bernardino Dias-Filho Engenheiro Agrônomo, pesquisador da Embrapa Amazônia Oriental, Belém, PA www.diasfilho.com.br Conceito

Leia mais

PANORAMA DE PARASITOSES EM OVINOS NO BRASIL.

PANORAMA DE PARASITOSES EM OVINOS NO BRASIL. PANORAMA DE PARASITOSES EM OVINOS NO BRASIL. Sérgio Tosi Cardim Médico Veterinário Mestrando em Ciência Animal CCA DMVP UEL Victor Bittencourt Dutra Tabacow Médico Veterinário Residente em Parasitologia

Leia mais

Plano de Desenvolvimento do Alto Minho

Plano de Desenvolvimento do Alto Minho Plano de Desenvolvimento do Alto Minho Síntese dos focus group preparatórios sobre o tema Como tornar o Alto Minho uma região resiliente 1. Sustentabilidade 2. Coesão 3. Flexibilidade e adaptabilidade

Leia mais

ALFABETIZAÇÃO CARTOGRÁFICA NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS

ALFABETIZAÇÃO CARTOGRÁFICA NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS ALFABETIZAÇÃO CARTOGRÁFICA NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS Helton Andrade Canhamaque/UFES heltongeoufes@hotmail.com Júlio de Souza Santos/UFES juliogeoufes@hotmail.com INTRODUÇÃO O trabalho em questão

Leia mais

ASTRONOMIA, SOMBRAS E OUTROS CONHECIMENTOS CIENTÍFICOS NO ENSINO MÉDIO

ASTRONOMIA, SOMBRAS E OUTROS CONHECIMENTOS CIENTÍFICOS NO ENSINO MÉDIO ASTRONOMIA, SOMBRAS E OUTROS CONHECIMENTOS CIENTÍFICOS NO ENSINO MÉDIO Guilherme Cândido 1 ; Letícia Gabriela de Campos 2 ; Angelo Augusto Frozza 3 RESUMO A verticalização das construções traz diversos

Leia mais

ESTUDO EPIDEMIOLÓGICO DA FEBRE MACULOSA BRASILEIRA EM JUIZ E FORA, MINAS GERAIS. An epidemiological study of Spotted Fever in Juiz de Fora, MG

ESTUDO EPIDEMIOLÓGICO DA FEBRE MACULOSA BRASILEIRA EM JUIZ E FORA, MINAS GERAIS. An epidemiological study of Spotted Fever in Juiz de Fora, MG ESTUDO EPIDEMIOLÓGICO DA FEBRE MACULOSA BRASILEIRA EM JUIZ E FORA, MINAS GERAIS An epidemiological study of Spotted Fever in Juiz de Fora, MG André Flávio Soares Ferreira Rodrigues 1 Caio Márcio de Oliveira

Leia mais

AÇÕES DE FORMAÇÃO E ASSESSORIA REALIZADAS PELO CECANE UFRGS, NO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL, ENTRE 2007 E 2014

AÇÕES DE FORMAÇÃO E ASSESSORIA REALIZADAS PELO CECANE UFRGS, NO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL, ENTRE 2007 E 2014 AÇÕES DE FORMAÇÃO E ASSESSORIA REALIZADAS PELO CECANE UFRGS, NO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL, ENTRE 2007 E 2014 A.L.S.Scarparo 1, R.Capalonga 1, L.D.Oliveira 2, J.G.Venzke 2,V.L.Silva 2. 1- Departamento

Leia mais

PREVALÊNCIA DE ENDOPARASITAS EM CÃES (Canis lupus familiaris) ERRANTES DO MUNICÍPIO DE CAMPO LARGO, PARANÁ

PREVALÊNCIA DE ENDOPARASITAS EM CÃES (Canis lupus familiaris) ERRANTES DO MUNICÍPIO DE CAMPO LARGO, PARANÁ 1 PREVALÊNCIA DE ENDOPARASITAS EM CÃES (Canis lupus familiaris) ERRANTES DO MUNICÍPIO DE CAMPO LARGO, PARANÁ ALAN DOS ANJOS¹, JÉSSICA ZULATTO PEREIRA DOS ANJOS¹, LEOPOLDO MALCORRA DE ALMEIDA 1, SURYA MARTINS

Leia mais

Aula IV Protozoários Zoopatogênicos

Aula IV Protozoários Zoopatogênicos ZOOLOGIA E PARASITOLOGIA Aula IV Protozoários Zoopatogênicos Professora: Luciana Alves de Sousa Doenças causadas por Protozoários Doença de Chagas Leishmaniose Malária Giardíase Amebíase Toxoplasmose Doença

Leia mais

PROMOÇÃO DE ARQUIVAMENTO

PROMOÇÃO DE ARQUIVAMENTO MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL PROCURADORIA DA REPÚBLICA NO MUNICÍPIO DE PARANAVAÍ/PR Procedimento Administrativo nº 1.25.011.000031/2013-30 PROMOÇÃO DE ARQUIVAMENTO Trata-se de Procedimento Administrativo

Leia mais

EDUCAÇÃO FISÍCA ESCOLAR: INCLUSÃO / EXCLUSÃO DOS DEFICIENTES FÍSICOS MOTORES 1

EDUCAÇÃO FISÍCA ESCOLAR: INCLUSÃO / EXCLUSÃO DOS DEFICIENTES FÍSICOS MOTORES 1 EDUCAÇÃO FISÍCA ESCOLAR: INCLUSÃO / EXCLUSÃO DOS DEFICIENTES FÍSICOS MOTORES 1 Vitor Mário Girdwood 1 Marcela Mota Freitas 2 1 Graduando em Educação Física pela Faculdade UNIME 2 Docente da Faculdade de

Leia mais

Médico Veterinário. 12) A respeito da Vaccinia marque a alternativa que contenha a informação correta.

Médico Veterinário. 12) A respeito da Vaccinia marque a alternativa que contenha a informação correta. Médico Veterinário 11) Analise as frases abaixo e selecione a opção que contenha a sequência correta das denominações dadas aos eventos descritos a respeito da replicação dos vírus na célula. - Envolve

Leia mais

2ª SÉRIE ENS. MÉDIO MONITORIA DE BIOLOGIA 1 (OBJ. 2º PERÍODO) EXERCÍCIOS A B C CENTRO EDUCACIONAL CHARLES DARWIN

2ª SÉRIE ENS. MÉDIO MONITORIA DE BIOLOGIA 1 (OBJ. 2º PERÍODO) EXERCÍCIOS A B C CENTRO EDUCACIONAL CHARLES DARWIN 2ª SÉRIE ENS. MÉDIO MONITORIA DE BIOLOGIA 1 (OBJ. 2º PERÍODO) EXERCÍCIOS 1. Um tipo de característica que pode ser levada em conta quando vamos trabalhar com Biologia Comparada são as características observadas

Leia mais

Curso: Biomedicina PROGRAMA DE APRENDIZAGEM

Curso: Biomedicina PROGRAMA DE APRENDIZAGEM Curso: Biomedicina 1º. Semestre: DISCIPLINA: Anatomia Humana I SUPERINTEDÊNCIA B108508 04 1º 80 Estruturas anatômicas. Posição anatômica: planos, eixos e conceitos. Estruturas aplicadas às situações em

Leia mais

III-506 - APROVEITAMENTO DOS RESÍDUOS ORGÂNICOS PRODUZIDOS PELA CRECHE LAR CORDEIRINHOS DE DEUS EM BELÉM ESTADO DO PARÁ

III-506 - APROVEITAMENTO DOS RESÍDUOS ORGÂNICOS PRODUZIDOS PELA CRECHE LAR CORDEIRINHOS DE DEUS EM BELÉM ESTADO DO PARÁ III-506 - APROVEITAMENTO DOS RESÍDUOS ORGÂNICOS PRODUZIDOS PELA CRECHE LAR CORDEIRINHOS DE DEUS EM BELÉM ESTADO DO PARÁ Camila Araújo Paiva (1) Ana Renata Abreu de Moraes Isabela Lopes da Silva Graduando

Leia mais

ANALÍSE REFLEXIVA DO PROJETO POLITICO PEDAGÓGICO: ESCOLA FRANCISCO DE OLIVEIRA MELO.

ANALÍSE REFLEXIVA DO PROJETO POLITICO PEDAGÓGICO: ESCOLA FRANCISCO DE OLIVEIRA MELO. ANALÍSE REFLEXIVA DO PROJETO POLITICO PEDAGÓGICO: ESCOLA FRANCISCO DE OLIVEIRA MELO. Maria Rita da Silva (ritabion3@hotmail.com)¹ Maria Marta Nepomuceno Rodrigues (marta_macau2007@hotmail.com)¹ Licenciada

Leia mais

Índice 3. Introdução 4. O que é Aedes aegypti? 5. Como o mosquito chegou até nós 6. Casos de dengue em Campinas 7. O que é o Chikungunya? 8.

Índice 3. Introdução 4. O que é Aedes aegypti? 5. Como o mosquito chegou até nós 6. Casos de dengue em Campinas 7. O que é o Chikungunya? 8. Índice 3. Introdução 4. O que é Aedes aegypti? 5. Como o mosquito chegou até nós 6. Casos de dengue em Campinas 7. O que é o Chikungunya? 8. O que é e como surgiu o zika vírus 9. Sintomas 10. Diferença

Leia mais

Ecologia da Febre Maculosa

Ecologia da Febre Maculosa Ecologia da Febre Maculosa Depois dos mosquitos, carrapatos hematófagos estão em segundo lugar como fonte de trasmissão de patógenos aos seres humanos, mas estão em primeiro lugar como fonte de transmissão

Leia mais

CARACTERIZAÇÃO DO USUÁRIO DO CRAS CENTRO DE REFERÊNCIA DE ASSISTÊNCIA DE PASSOS: Perfil dos usuários do CRAS Novo Horizonte Passos/MG

CARACTERIZAÇÃO DO USUÁRIO DO CRAS CENTRO DE REFERÊNCIA DE ASSISTÊNCIA DE PASSOS: Perfil dos usuários do CRAS Novo Horizonte Passos/MG 1 CARACTERIZAÇÃO DO USUÁRIO DO CRAS CENTRO DE REFERÊNCIA DE ASSISTÊNCIA DE PASSOS: Perfil dos usuários do CRAS Novo Horizonte Passos/MG Adriana de Souza Lima Queiroz 1 Cynthia Silva Machado 2 RESUMO Esta

Leia mais

SISTEMATIZAÇÃO DA ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM: PERCEPÇÕES DE ENFERMEIROS DA REGIÃO DO SUL DO ESPÍRITO SANTO, NORTE E NOROESTE DO RIO DE JANEIRO RESUMO

SISTEMATIZAÇÃO DA ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM: PERCEPÇÕES DE ENFERMEIROS DA REGIÃO DO SUL DO ESPÍRITO SANTO, NORTE E NOROESTE DO RIO DE JANEIRO RESUMO SISTEMATIZAÇÃO DA ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM: PERCEPÇÕES DE ENFERMEIROS DA REGIÃO DO SUL DO ESPÍRITO SANTO, NORTE E NOROESTE DO RIO DE JANEIRO Raniele Ramalho de SOUZA 1*, Sara Fonte Boa de OLIVEIRA 1,

Leia mais

ERLIQUIOSE CANINA: RELATO DE CASO

ERLIQUIOSE CANINA: RELATO DE CASO ERLIQUIOSE CANINA: RELATO DE CASO Sérgio Pinter GARCIA FILHO Mestrando do programa de Cirurgia Veterinária, Departamento de Morfologia e Fisiologia Animal, Universidade Estadual Paulista UNESP, Jaboticabal,

Leia mais

42º Congresso Bras. de Medicina Veterinária e 1º Congresso Sul-Brasileiro da ANCLIVEPA - 31/10 a 02/11 de 2015 - Curitiba - PR 1

42º Congresso Bras. de Medicina Veterinária e 1º Congresso Sul-Brasileiro da ANCLIVEPA - 31/10 a 02/11 de 2015 - Curitiba - PR 1 1 AGRAVOS POR MORDEDURAS DE CÃES EM CAMPUS UNIVERSITÁRIO, CURITIBA-PR INJURIES BY BITING DOGS IN UNIVERSITY CAMPUS, CURITIBA CITY, BRAZIL MAYSA PELLIZZARO 1, GRAZIELA RIBEIRO DA CUNHA 2, ANA CAROLINA YAMAKAWA

Leia mais

Centro Acadêmico Paulo Freire - CAPed Maceió - Alagoas - Brasil ISSN: 1981-3031

Centro Acadêmico Paulo Freire - CAPed Maceió - Alagoas - Brasil ISSN: 1981-3031 COORDENADOR PEDAGÓGICO E SUA IMPORTÂNCIA NO PROCESSO DE ENSINO-APRENDIZAGEM Polyana Marques Lima Rodrigues 1 poly90lima@hotmail.com Willams dos Santos Rodrigues Lima 2 willams.rodrigues@hotmail.com RESUMO

Leia mais

DIAGNOSTICOS DE MATA CILIAR E RESERVA LEGAL EM PROPRIEDADES RURAIS NA SUB-BACIA DO TAIAÇUPEBA NO MUNICÍPIO DE SUZANO-SP.

DIAGNOSTICOS DE MATA CILIAR E RESERVA LEGAL EM PROPRIEDADES RURAIS NA SUB-BACIA DO TAIAÇUPEBA NO MUNICÍPIO DE SUZANO-SP. REVISTA CIENTÍFICA ELETRÔNICA DE ENGENHARIA FLORESTAL PERIODICIDADE SEMESTRAL EDIÇÃO NÚMERO 5 JANEIRO DE 2005 - ISSN 1678-3867 --------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Leia mais

USO SUSTENTÁVEL DOS RECURSOS HÍDRICOS: PRÁTICAS DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL NO SEMIÁRIDO-NORDESTINO

USO SUSTENTÁVEL DOS RECURSOS HÍDRICOS: PRÁTICAS DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL NO SEMIÁRIDO-NORDESTINO USO SUSTENTÁVEL DOS RECURSOS HÍDRICOS: PRÁTICAS DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL NO SEMIÁRIDO-NORDESTINO Juliana Meira de Vasconcelos Xavier 1, Divanda Cruz Rocha 2, Pedro Vieira de Azevedo 3 Laíse do Nascimento

Leia mais