Conteúdo. Interfaces Controlador-Processo. Controlador PID Analógico. Interfaces com o Processo. Interfaces Controlador-Processo

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Conteúdo. Interfaces Controlador-Processo. Controlador PID Analógico. Interfaces com o Processo. Interfaces Controlador-Processo"

Transcrição

1 Interfaces - PID nalógico Interfaces com o Romeu Reginatto 2014 Interfaces - Interfaces - Transmissão de sinais PV e MV Transmissão de sinais PV e MV Sensores / tuadores mplificação de sinais Conversão de sinais Tratamento de sinais Interfaces - Conteúdo Transmissão de sinais PV e MV Transmissão analógica Transmissores Sensores/tuadores Funções auxilidares / Conversores Sensores / tuadores Conversão de sinais Operação sobre sinais mplificação de sinais Conversão de sinais Tratamento de sinais 1

2 Transmissão nalógica Pneumática 3 a 15 psi (libra por polegada quadrada) 20 a 100 kpa (Pascal) 0.2 a 1.0 Kgf/cm2 Eletrônica 4 a 20m (DC). Padrão mais comum. 1 a 5V (DC) 0 a 20m (DC). inda usado na lemanha e alguns outros países. Zero Vivo 4 a 20m (DC) x 0 a 20m (DC) 0/4m = valor mínimo medido pelo sensor/transmissor 20m = valor máximo medido pelo sensor/transmissor Valores intermediários relação linear ou fornecida pelo fabricante 4m pode indicar o valor zero mínimo do sensor/transmissor 0m pode ser confundido entre o valor zero do sensor e um defeito na transmissão Transmissão em Corrente x Tensão Laço de Transmissão em Corrente Fator Corrente Tensão Resistência dos condutores Não afeta a transmissão ltera o sinal transmitido Influência de ruídos Menos sensível Mais sensível 1 transmissor e 1 receptor 1 transmissor e vários receptores Número de instrumentos Não afeta o sinal feta o sinal Instrumentos passivos e ativos Equipamentos compatíveis com o padrão 4-20m podem ser passivos ou ativos: Passivos: não possuem fonte de alimentação interna para o laço de corrente. tivos: possuem fonte de alimentação interna para fornecer tensão ao laço de corrente. Estruturação de laços de corrente Laço de corrente em geral operado com tensão de 24V. soma de todas quedas de tensão ao longo dos instrumentos e cabeamento do laço deve ser inferior a máxima tensão de alimentação do laço. Fonte incluída em 1 ou mais dos instrumentos do laço de corrente. 2

3 Elementos de uma malha de controle. Realiza a função de controle na malha (ex. PID). Sensor ou transdutor (instrumento primário). Transforma a variável que se deseja controlar em uma variável elétrica para uso da malha de controle. Transmissor. Em geral associado aos sensores/transdutores, convertendo o seu sinal em outro que é padronizado e pode ser transmitido à distância. Elementos de uma malha de controle Conversores. Realizam funções auxiliares dentro da malha de controle, permitindo adequação de níveis, tipos e realização de determinadas operações sobre os sinais. Receptores. Nome genérico dado ao dispositivo que recebe um sinal padrão enviado por um transmissor. Cabeamento. Conexões elétricas da malha de controle. Elementos de uma malha de controle Indicadores. Equipamentos cuja função é mostrar o valor de uma determina variável do processo. Registradores. Equipamentos destinados a realizar o registro de uma variável do processo em geral em papel. Transmissores Eletrônicos Transmissores Eletrônicos Transmissores implementados com eletrônica analógica e/ou digital e que possuem interfaces analógicas com os sinais externos. Funções Estrutura física Características elétricas Transmissores inteligentes Funções dequação do nível/potência do sinal de sensores / transdutores. Realização de operações de linearização, filtragem, tratamento do sinal. Conversão para um sinal padrão que pode ser transmitido a distância,em geral 4-20m. 3

4 Estrutura Física Montado próximo ao sensor/transdutor. Invólucro adequado ao ambiente industrial (blindagens, isolamentos, robustez, etc). Estrutura adequada à aplicação (acoplamento, formas de montagem, etc) Indicação ou não da variável transmitida (LED; cristal líquido; bar graph; galvanômetro, etc). Características Elétricas Tipo 4 fios (ativo) limentação independente do sinal. limentação em 110/220V (2 fios). 2 fios para o sinal 4-20m (tensão 24V). Tipo 2 fios (passivo) limentação obtida do próprio sinal. Em geral de baixo consumo ou ambientes perigosos. Isolação galvânica para o sinal padrão. Entrada compatível com o sensor/transdutor. Transmissores inteligentes Transmissores Baseados em sistemas microprocessados Possuem funções mais elaboradas de tratamento do sinal Possibilitam transmissão analógica e digital Capacidade de comunicação digital e interligação em rede Características Fundamentais Sensores / Transdutores Faixa de medida / operação (Range). Valores mínimo e máximo da variável medida que são mensuráveis pelo sensor em questão. Expressa nas unidades da variável medida. lcance (Span). É a diferença entre o valor máximo e mínimo da faixa de medida. Expresso na unidade da variável medida. 4

5 Características Fundamentais Precisão. Tolerância de medição ou transmissão do instrumento. Erro máximo cometido em condições normais de uso. Expressa em: Valor absoluto (unidades da variável medida) Percentual do alcance (span) Percentual do valor máximo Características Fundamentais Sensibilidade. Variação mínima da variável medida necessária para modificar o valor apresentado. Em geral expressa em percentual do span. Repetibilidade. Capacidade de reproduzir a indicação quando repetida a mesma medição nas mesmas condições. Expressa em percentual do span. Classificação Funções uxiliares / Conversores Conversores de grandezas destinados a interfacear sinais de natureza distinta em uma mesma malha de controle. Relés que realizam determinadas operações matemáticas de interesse em malhas de controle simples. Conversores de grandezas Conversor de corrente para pressão (I/P) 4 a 20 m para 0.2 a 1 kgf/cm2 Sinal de atuação em válvulas de controle Conversor de pressão para corrente (P/I) 3 a 15 psi para 4 a 20 m Transmissão de sinal pneumático para monitoração à distância Uso de transmissores pneumáticos antigos em malhas de controle já integrando controladores eletrônicos Conversores de grandezas Conversor de tensão para pressão (E/P) Similar ao conversor I/P, porém com entrada em tensão Conversor de tensão para corrente (E/I) Entrada em tensão de sensores, em geral. Saída em corrente padronizada (4-20m) 5

6 Conversores de grandezas Conversor de corrente para corrente (I/I) Interface entre diferentes padrões de transmissão em corrente, especialmente processos envolvendo equipamentos e padrões mais antigos. Entradas típicas: 4 a 20 m; 10 a 50 m; 0 a 5 (transformador de corrente). Saída típica em 4 a 20 m. Relés de multiplicação e divisão B C ( x B) / C plicação em linearização de sensores, atuadores ou fenômenos não lineares do processo. Relés de adição e subtração Extratores de Raíz Quadrada B + B - C C plicação em combinação de sensores, associação entre malhas de controle, etc. plicação em linearização de sensores / atuadores em malhas simples de controle. Relés de seleção de sinal Exemplo Transmissor de vazão Extrator de raíz quadrada C Max(,B) Min(,B) limitado a C Conversor de escala Relé seletor de máximo Operações especiais sobre ou entre malhas de controle. Exemplo: atuação sobre um aquecedor ou resfriador, conforme o valor do sinal de controle. Fonte. Bega, Relé seletor de mínimo de vazão 6

15/02/2012. IV.2_Controle e Automação II. Introdução. Conteúdo SENSORES

15/02/2012. IV.2_Controle e Automação II. Introdução. Conteúdo SENSORES IV.2_Controle e Automação II Formando Profissionais Para o Futuro SENSORES Introdução No estudo da automação em sistemas industriais, comerciais e/ou residenciais há a necessidade de determinar as condições

Leia mais

INSTRUMENTAÇÃO. Eng. Marcelo Saraiva Coelho

INSTRUMENTAÇÃO. Eng. Marcelo Saraiva Coelho INSTRUMENTAÇÃO CONCEITOS E DEFINIÇÕES Nas indústrias, o termo PROCESSO tem um significado amplo. Uma operação unitária, como por exemplo, destilação, filtração ou aquecimento, é considerado um PROCESSO.

Leia mais

3 Classificação dos Instrumentos Industriais

3 Classificação dos Instrumentos Industriais 3 Classificação dos Instrumentos Industriais Os elementos utilizados na instrumentação industrial são apresentados nessa seção. Os instrumentos são divididos de acordo com a função que o mesmo terá nos

Leia mais

Transdução de Grandezas Biomédicas

Transdução de Grandezas Biomédicas Transdução de Grandezas Biomédicas Aula 05 Mestrado em Eng. Biomédica Docente: > Marcelino M. de Andrade A Aula! Condicionadores de Sinais A grande variedade de sensores necessária para transformar um

Leia mais

2. Simbologia e Nomenclatura

2. Simbologia e Nomenclatura 2. Simbologia e Nomenclatura Nessa seção simbologia e nomenclatura é apresentado os termos mais utilizados e padronizados em instrumentação industrial. Sua compreensão é de suma importância para o entendimento

Leia mais

TRANSMISSOR INTELIGENTE DE TEMPERATURA TT301 TT301 TECNOLOGIA SMAR INTRODUÇÃO. Uma Família Completa de Instrumentos de Campo

TRANSMISSOR INTELIGENTE DE TEMPERATURA TT301 TT301 TECNOLOGIA SMAR INTRODUÇÃO. Uma Família Completa de Instrumentos de Campo TRANSMISSOR INTELIGENTE DE TEMPERATURA TECNOLOGIA SMAR Uma Família Completa de Instrumentos de Campo INTRODUÇÃO O é um transmissor de temperatura programável, extremamente versátil, que pode ser usado

Leia mais

1.ª Prática Componentes da Planta de Instrumentação Industrial e Controle de Processos Contínuos da De Lorenzo

1.ª Prática Componentes da Planta de Instrumentação Industrial e Controle de Processos Contínuos da De Lorenzo 1 1.ª Prática Componentes da Planta de Instrumentação Industrial e Controle de Processos Contínuos da De Lorenzo OBJETIVO: 1. Conhecer os instrumentos e equipamentos industriais. 2. Conhecer o funcionamento

Leia mais

Comportamento dinâmico de processos submetidos a controle feedback. Sistema simulado no SIMULINK/MATLAB

Comportamento dinâmico de processos submetidos a controle feedback. Sistema simulado no SIMULINK/MATLAB Comportamento dinâmico de processos submetidos a controle feedback Sistema simulado no SIMULINK/MATLAB Processo Submetido a Controle P Processo Submetido a Controle P Percebe-se da Figura que o controle

Leia mais

Tipos de controladores e funcionamento

Tipos de controladores e funcionamento Departamento de Engenharia Química e de Petróleo UFF Disciplina: TEQ141- INSTRUMENTAÇÃO E CONTROLE DE PROCESSOS custo Malhas Outros Processos de controle: de Separação Tipos de controladores e funcionamento

Leia mais

Transmissor de Pressão Diferencial NP800H

Transmissor de Pressão Diferencial NP800H Transmissor de Pressão Diferencial NP800H MANUAL DE INSTRUÇÕES V2 DESCRIÇÃO O transmissor inteligente NP800H é utilizado na medição e monitoração de pressão diferencial em ambientes agressivos, onde além

Leia mais

GEAPS EXCHANGE 99 Sessão Educacional. O que há de novo: Watchdog Elite da 4B Elevator Components Ltd. Monitor de Elevador de Caçamba para o Século 21

GEAPS EXCHANGE 99 Sessão Educacional. O que há de novo: Watchdog Elite da 4B Elevator Components Ltd. Monitor de Elevador de Caçamba para o Século 21 GEAPS EXCHANGE 99 Sessão Educacional Visita 4B no Stand # 500 O que há de novo: Watchdog Elite da 4B Elevator Components Ltd. Monitor de Elevador de Caçamba para o Século 21 Uma apresentação por Johnny

Leia mais

INSTRUMENTAÇÃO INDUSTRIAL - DEFINIÇÕES

INSTRUMENTAÇÃO INDUSTRIAL - DEFINIÇÕES SISTEMA É uma disposição, conjunto ou coleção de partes conectadas ou relacionadas de tal maneira a formarem um todo. Pode ser físico, biológico, econômico, etc. CONTROLE Estuda como agir sobre um dado

Leia mais

Automação Industrial AULA 04: Sensores e atuadores OBJETIVO: Apresentar os sensores e atuadores mais utilizados nos projetos de automação..

Automação Industrial AULA 04: Sensores e atuadores OBJETIVO: Apresentar os sensores e atuadores mais utilizados nos projetos de automação.. AULA 04: Sensores e atuadores OBJETIVO: Apresentar os sensores e atuadores mais utilizados nos projetos de automação.. A pirâmide de automação Nível 5: Gerenciamento corporativo Nível 3: Nível 2: Nível

Leia mais

Isoladores de Sinais Convencionais, Alimentados pela Malha

Isoladores de Sinais Convencionais, Alimentados pela Malha Isoladores de Sinais Convencionais, Alimentados pela Malha Isolação simples, fixação por grampos! Transmissão de 20 ma com isolação elétrica. A Tarefa Para prevenir erros de medição ou mesmo destruição

Leia mais

Medição de Pressão. Profa. Michelle Mendes Santos

Medição de Pressão. Profa. Michelle Mendes Santos Medição de Pressão Profa. Michelle Mendes Santos Introdução Pressão é definida como a força normal por unidade de área e pode ser expressa nas unidades: psi (libras por polegada quadrada); bar; atm (atmosfera);

Leia mais

Transmissor de Pressão e Nível Inteligente SÉRIE VH-10 SERIE VH-10 Dez2008

Transmissor de Pressão e Nível Inteligente SÉRIE VH-10 SERIE VH-10 Dez2008 Transmissor de Pressão e Nível Inteligente SÉRIE VH-10 SERIE VH-10 Dez2008 Os Transmissores de Pressão Série VH-10 são uma família de produtos com alta tecnologia, com características completas, que eleva

Leia mais

PT105 II TRANSMISSOR INTELIGENTE DE PRESSÃO COM SENSOR CAPACITIVO

PT105 II TRANSMISSOR INTELIGENTE DE PRESSÃO COM SENSOR CAPACITIVO PT105 II TRANSMISSOR INTELIGENTE DE PRESSÃO COM SENSOR CAPACITIVO O transmissor inteligente de pressão da série PT105 II é fabricado com uma célula capacitiva de alta confiabilidade e precisão para ser

Leia mais

Transmissores de Temperatura. ThermoTrans A 20210

Transmissores de Temperatura. ThermoTrans A 20210 Transmissores de Temperatura Transmissores standard em alojamento de 6 mm para medição de temperatura usando termômetros de resistência ou termopares. A Tarefa Em praticamente todas as áreas industriais,

Leia mais

TRANSMISSOR INTELIGENTE DE PRESSÃO LD301 LD301 CENTRO DE TREINAMENTO - SMAR TECNOLOGIA SMAR

TRANSMISSOR INTELIGENTE DE PRESSÃO LD301 LD301 CENTRO DE TREINAMENTO - SMAR TECNOLOGIA SMAR TRANSMISSOR INTELIGENTE DE TECNOLOGIA SMAR Uma Família Completa de Instrumentos de Campo O que é a Série LD? São instrumentos de campo que incorporam a altamente comprovada técnica de medição de pressão

Leia mais

Protocolos de Comunicação: Conceitos

Protocolos de Comunicação: Conceitos Departamento de Engenharia Química e de Petróleo UFF custo Protocolos de Comunicação: Conceitos Prof a Ninoska Bojorge Introdução competitividade desenvolvimento das empresas complexidade dos processos

Leia mais

SENSORES Características Prof. José Américo Moura Juazeiro Jul 28,2015

SENSORES Características Prof. José Américo Moura Juazeiro Jul 28,2015 SENSORES Características Prof. José Américo Moura Juazeiro Jul 28,2015 Prof. José Américo Moura Eng. Elétrica 1 Nível : 1, 2 e 3 1 Nível : 1 A interface entre o controle do processo (NIVEL II) e o mundo

Leia mais

3 Instrumentação. 3.1 Medidores de Pressão e Temperatura

3 Instrumentação. 3.1 Medidores de Pressão e Temperatura 3 Instrumentação O sistema de medição de vazão tem medição secundária instalada em posição pré-definida de acordo com as normas pertinentes, nos medidores de vazão tipo turbinas. São instalados os medidores

Leia mais

CONVERSOR PARA TERMOPAR TRM-270T

CONVERSOR PARA TERMOPAR TRM-270T CONVERSOR PARA TERMOPAR TRM-270T Introdução Obrigado por ter escolhido nosso CONVERSOR PARA TERMOPAR TRM-270T. Para garantir o uso correto e eficiente do TRM-270T, leia este manual completo e atentamente

Leia mais

Medição, Controle e Monitoramento de Processos Industriais. Manual de Instruções Controlador Digital Microprocessado C130. V.1.

Medição, Controle e Monitoramento de Processos Industriais. Manual de Instruções Controlador Digital Microprocessado C130. V.1. Medição, Controle e Monitoramento de Processos Industriais Manual de Instruções Controlador Digital Microprocessado C130 V.1.01 / Revisão 4 ÍNDICE Item Página 1. Introdução...01 2. Características...01

Leia mais

Aula V Medição de Variáveis Mecânicas

Aula V Medição de Variáveis Mecânicas Aula V Medição de Variáveis Mecânicas Universidade Federal da Bahia Escola Politécnica Disciplina: Instrumentação e Automação Industrial I(ENGF99) Professor: Eduardo Simas(eduardo.simas@ufba.br) Sensores

Leia mais

Sumário. Disciplina: TEQ102 - CONTROLE DE PROCESSOS. Prof a Ninoska Bojorge. Departamento de Engenharia Química e de Petróleo UFF

Sumário. Disciplina: TEQ102 - CONTROLE DE PROCESSOS. Prof a Ninoska Bojorge. Departamento de Engenharia Química e de Petróleo UFF 1 Disciplina: TEQ102 - CONTROLE DE PROCESSOS INTRODUÇÃO AO CONTROLE DE PROCESSOS Prof a Ninoska Bojorge Departamento de Engenharia Química e de Petróleo UFF Sumário Introdução Evolução do Controle de Processo

Leia mais

TRANSMISSOR DE PRESSÃO

TRANSMISSOR DE PRESSÃO TRANSMISSOR DE PRESSÃO Introdução O desenvolvimento dos transmissores de pressão teve seu início já no século 20, com diferentes tipos de sensores sendo aplicadas em diferentes funcionalidades. A grande

Leia mais

Produtos 2012. Industrial. Temporização e Controle. Predial e Residencial

Produtos 2012. Industrial. Temporização e Controle. Predial e Residencial Fabricante de relés e temporizadores desde 1954 Produtos 2012 Industrial Relés para circuito impresso Relés industriais Relés modulares de interface Bases e acessórios Temporização e Controle Relés temporizadores

Leia mais

MANUAL DE INSTRUÇÕES. AQUISITOR DE DADOS Modelo A202 Versão 1.04 / Revisão 06

MANUAL DE INSTRUÇÕES. AQUISITOR DE DADOS Modelo A202 Versão 1.04 / Revisão 06 MANUAL DE INSTRUÇÕES AQUISITOR DE DADOS Modelo A202 Versão.04 / Revisão 06 2 ÍNDICE Item Página. Introdução...3 2. Características...4 3. Especificações...5 3. Entradas universais...5 3.2 Saídas a relé...5

Leia mais

Signet 3-0250 Ferramenta de Configuração/ Diagnóstico USB-para-S 3 L

Signet 3-0250 Ferramenta de Configuração/ Diagnóstico USB-para-S 3 L Signet -0250 Ferramenta de Configuração/ Diagnóstico -para-s L -022.090 Portuguese -0250.090-CD Rev. B 10/07 Portuguese A ferramenta de confi guração/diagnóstico -para-s L, modelo -0250, fornece uma interface

Leia mais

Modelos de Instrumentação. Sensores/Transmissores. Válvula de Controle

Modelos de Instrumentação. Sensores/Transmissores. Válvula de Controle Departamento de Engenharia Química e de Petróleo UFF Modelos de Instrumentação Outros Processos de Sensores/Transmissores Separação Válvula de Controle Prof a Ninoska Bojorge Sumário Estrutura do Controle

Leia mais

S E N S Y C A L. Especificações Gerais do Transmissor de Pressão Inteligente RP2000. Avenida do Estado, 4567 Mooca São Paulo SP CEP 03105-000

S E N S Y C A L. Especificações Gerais do Transmissor de Pressão Inteligente RP2000. Avenida do Estado, 4567 Mooca São Paulo SP CEP 03105-000 S E N S Y C A L I N S T R U M E N T O S E S I S T E M A S L T D A do Transmissor de Pressão Inteligente RP2000 Avenida do Estado, 4567 Mooca São Paulo SP CEP 03105-000 Fone: +55 11 3275-0094 e-mail: vendas@sensycal.com.br

Leia mais

CAPÍTULO 1 INTRODUÇÃO

CAPÍTULO 1 INTRODUÇÃO 1 CAPÍTULO 1 INTRODUÇÃO O computador não é uma máquina interessante se não pudermos interagir com ela. Fazemos isso através de suas interfaces e seus periféricos. Como periféricos serão considerados os

Leia mais

AUTOMAÇÃO DE CÚPULA DE OBSERVATÓRIO ASTRONÔMICO

AUTOMAÇÃO DE CÚPULA DE OBSERVATÓRIO ASTRONÔMICO AUTOMAÇÃO DE CÚPULA DE OBSERVATÓRIO ASTRONÔMICO Marcella Scoczynski Ribeiro (UTFPR/UEPG) marcella_engcomp@yahoo.com.br Matheus Safraid (UEPG) msafraid@hotmail.com Resumo Este trabalho apresenta os benefícios

Leia mais

INSTRUMENTAÇÃO. Prof. Adrielle C. Santana

INSTRUMENTAÇÃO. Prof. Adrielle C. Santana INSTRUMENTAÇÃO Prof. Adrielle C. Santana Instrumentação A instrumentação é o campo da Engenharia que estuda os instrumentos e seus princípios científicos, utilizados para medir, indicar, transferir e/ou

Leia mais

Estudo do sistema de IHM para automação de sistema de renovação de água dos chillers em processo de abate de aves.

Estudo do sistema de IHM para automação de sistema de renovação de água dos chillers em processo de abate de aves. Estudo do sistema de IHM para automação de sistema de renovação de água dos chillers em processo de abate de aves. TIAGO NELSON ESTECECHEN tiago_cascavel@hotmail.com UNIVERSIDADE ESTADUAL DO OESTE DO PARANÁ

Leia mais

TRANSMISSORES INTELIGENTES DE TEMPERATURA. smar

TRANSMISSORES INTELIGENTES DE TEMPERATURA. smar TRANSMISSORES INTELIGENTES DE TEMPERATURA CARACTERÍSTICAS Um único modelo aceita sinais de: - Termopares, Termoresistências (simples e diferencial) - mv (pirômetros de radiação, células de carga, etc.)

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA COLÉGIO TÉCNICO INDUSTRIAL DE SANTA MARIA Curso de Eletrotécnica

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA COLÉGIO TÉCNICO INDUSTRIAL DE SANTA MARIA Curso de Eletrotécnica UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA COLÉGIO TÉCNICO INDUSTRIAL DE SANTA MARIA Curso de Eletrotécnica Apostila de Automação Industrial Elaborada pelo Professor M.Eng. Rodrigo Cardozo Fuentes Prof. Rodrigo

Leia mais

Fundamentos de Medição de Pressão

Fundamentos de Medição de Pressão Fundamentos de Medição de Pressão Fonte: Simone Acosta Medição de pressão é o mais importante padrão de medida, pois as medidas de vazão, nível etc. podem ser feitas utilizando-se esse princípio. Pressão

Leia mais

Módulo 4 EA Termopar - 10 Bits

Módulo 4 EA Termopar - 10 Bits Módulo 4 EA Termopar - 1 Bits 119 Cód. Doc.: 61-41.3 Revisão: L 1. Descrição do Produto O módulo 119 é integrante das séries 6, 1 e 2 de controladores programáveis. Destina-se a leitura de temperaturas

Leia mais

SENSOR DE VELOCIDADE Hudson Pinheiro de Andrade

SENSOR DE VELOCIDADE Hudson Pinheiro de Andrade UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE CENTRO DE TECNOLOGIA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA ELÉTRICA INSTRUMENTAÇÃO ELETRÔNICA PROFESSOR: LUCIANO CAVALCANTI SENSOR DE VELOCIDADE Hudson Pinheiro de Andrade

Leia mais

0.075% EXATIDÃO 120:1 RANGEABILIDADE SERIES. TRANSMISSORES INTELIGENTES DE PRESSÃO 4 a 20 ma + Comunicação Digital HART. smar

0.075% EXATIDÃO 120:1 RANGEABILIDADE SERIES. TRANSMISSORES INTELIGENTES DE PRESSÃO 4 a 20 ma + Comunicação Digital HART. smar 0.075% EXATIDÃO 120:1 RANGEABILIDADE SERIES TRANSMISSORES INTELIGENTES DE PRESSÃO 4 a 20 ma + Comunicação Digital HART CARACTERÍSTICAS Exatidão 0,075% Rangeabilidade de 120:1 0-1,25 mbar a 0-400 bar Medição

Leia mais

Modelo GC 2109 T. Família GC 2009 Microcontrolado Indicador Digital de Temperatura 1/8 DIN - 98 x 50mm

Modelo GC 2109 T. Família GC 2009 Microcontrolado Indicador Digital de Temperatura 1/8 DIN - 98 x 50mm Modelo T Família GC 2009 Microcontrolado 1/8 DIN - 98 x 50mm Os Indicadores Digitais de Temperatura da Família GC 2009 são instrumentos precisos e compactos, baseados na moderna tecnologia dos microcontroladores,

Leia mais

Processos em Engenharia: Conceitos de Controle de Processos e Ações de Controle Elementares

Processos em Engenharia: Conceitos de Controle de Processos e Ações de Controle Elementares Processos em Engenharia: Conceitos de Controle de Processos e Ações de Controle Elementares Prof. Daniel Coutinho coutinho@das.ufsc.br Departamento de Automação e Sistemas DAS Universidade Federal de Santa

Leia mais

S E N S Y C A L. Especificações Gerais do Transmissor de Pressão Inteligente RP2000. Avenida do Estado, 4567 Mooca São Paulo SP CEP 03105-000

S E N S Y C A L. Especificações Gerais do Transmissor de Pressão Inteligente RP2000. Avenida do Estado, 4567 Mooca São Paulo SP CEP 03105-000 S E N S Y C A L I N S T R U M E N T O S E S I S T E M A S L T D A do Transmissor de Pressão Inteligente RP2000 Avenida do Estado, 4567 Mooca São Paulo SP CEP 03105-000 Fone: +55 11 3275-0094 e-mail: vendas@sensycal.com.br

Leia mais

Transmissor de Pressão Submersível 2.75

Transmissor de Pressão Submersível 2.75 Folha de Dados Transmissor de Pressão Submersível 2.75 Geral Os transmissores de pressão da MJK foram desenvolvidos para medição de nível pela imersão do transmissor de pressão em tanques abertos, poços

Leia mais

MÓDULO 1 INTRODUÇÃO À AUTOMAÇÃO E INSTRUMENTAÇÃO CARGA HORÁRIA 24 HORAS

MÓDULO 1 INTRODUÇÃO À AUTOMAÇÃO E INSTRUMENTAÇÃO CARGA HORÁRIA 24 HORAS MÓDULO 1 INTRODUÇÃO À AUTOMAÇÃO E INSTRUMENTAÇÃO CARGA HORÁRIA 24 HORAS INTRODUÇÃO À INSTRUMENTAÇÃO 1 Introdução à instrumentação 2 A evolução da instrumentação 3 Definições na instrumentação 3.1 Classes

Leia mais

O mundo em que vivemos contém uma larga variedade de sinais a que somos sensíveis, tais como, o som a temperatura e a luz.

O mundo em que vivemos contém uma larga variedade de sinais a que somos sensíveis, tais como, o som a temperatura e a luz. 1 --Introdução O mundo em que vivemos contém uma larga variedade de sinais a que somos sensíveis, tais como, o som a temperatura e a luz. O som é detectado pelos ouvidos que o transformam em sinais eléctricos

Leia mais

MÓDULO 01 INTRODUÇÃO A AUTOMAÇÃO E INSTRUMENTAÇÃO INDUSTRIAL CARGA HORÁRIA 24 HORAS JÁ REALIZADO

MÓDULO 01 INTRODUÇÃO A AUTOMAÇÃO E INSTRUMENTAÇÃO INDUSTRIAL CARGA HORÁRIA 24 HORAS JÁ REALIZADO MÓDULO 01 INTRODUÇÃO A AUTOMAÇÃO E INSTRUMENTAÇÃO INDUSTRIAL CARGA HORÁRIA 24 HORAS JÁ REALIZADO INTRODUÇÃO À INSTRUMENTAÇÃO INDUSTRIAL 1. Introdução à instrumentação 2. A evolução da instrumentação 3.

Leia mais

INSTRUMENTAÇÃO E CONTROLE DE PROCESSOS TRANSMISSAO E TELEMETRIA

INSTRUMENTAÇÃO E CONTROLE DE PROCESSOS TRANSMISSAO E TELEMETRIA INSTRUMENTAÇÃO E CONTROLE DE PROCESSOS TRANSMISSAO E TELEMETRIA Introdução Frequentemente, o instrumento indicador, controlador, registrador, etc. e instalado a uma distancia considerável do ponto de medição.

Leia mais

Principais Meios de Transmissão Par Trançado Cabo Coaxial Fibra Ótica Micro Ondas

Principais Meios de Transmissão Par Trançado Cabo Coaxial Fibra Ótica Micro Ondas Modelo de Comunicação Propósito principal A troca de informação entre dois agentes Comunicação de Computadores Comunicação de Dados Transmissão de Sinais Agente Dispositivo de entrada Transmissor Meio

Leia mais

MEDIÇÃO DE PRESSÃO -0-

MEDIÇÃO DE PRESSÃO -0- MEDIÇÃO DE PRESSÃO -0- SUMÁRIO 1 - PRESSÃO 2 2.1 - MEDIÇÃO DE PRESSÃO 2 2.2 - PRESSÃO ATMOSFÉRICA 2 2.3 - PRESSÃO RELATIVA POSITIVA OU MANOMÉTRICA 2 2.4 - PRESSÃO ABSOLUTA 2 2.5 - PRESSÃO RELATIVA NEGATIVA

Leia mais

Instrumentação e Técnicas de Medidas. Conceitos

Instrumentação e Técnicas de Medidas. Conceitos Instrumentação e Técnicas de Medidas Conceitos BIPM (Bureau International des Poids et Mesures) - Pavillon de Breteuil Instrumentação e Técnicas de Medida UFRJ, 2013/2 1 Controle de Versões 2013 Versão

Leia mais

Tradução do documento original. Uma nova versão do documento original está disponível. Série 3730 Posicionador Electropneumático Tipo 3730-1

Tradução do documento original. Uma nova versão do documento original está disponível. Série 3730 Posicionador Electropneumático Tipo 3730-1 Série 3730 Posicionador Electropneumático Tipo 3730-1 Aplicação Posicionador de simples efeito ou duplo efeito para ligação a válvulas de comando pneumáticas. Auto-calbragem, adaptação automática à válvula

Leia mais

Caracterização de Termopares

Caracterização de Termopares Roteiro Experimental n 1 da disciplina de Materiais Elétricos COMPONENTES DA EQUIPE: NOTA: Data: / / 1. OBJETIVOS: Conhecer os princípios de funcionamento de um Termopar Extrair curva de Temperatura x

Leia mais

FUNDAMENTOS DE INSTRUMENTAÇÃO E CONTROLE

FUNDAMENTOS DE INSTRUMENTAÇÃO E CONTROLE FUNDAMENTOS DE INSTRUMENTAÇÃO E CONTROLE eng. Paulo Vicente Correa rev. julho/2002 INDICE 1. Conceitos...4 Controladores Lógicos Programáveis PLC...8 PLC no Controle e Processos...8 Sistemas SCADA...8

Leia mais

CONTROLADOR LÓGICO PROGRAMAVEL

CONTROLADOR LÓGICO PROGRAMAVEL CONTROLADOR LÓGICO PROGRAMAVEL Controlador Lógico Programável ( Hardware ) Para aprendermos como funciona um CLP, é necessário uma análise de seus componentes básicos, utilizados por todos os CLPs disponíveis

Leia mais

Monitoramento, Controle, Registro e Supervisão de Processos Industriais

Monitoramento, Controle, Registro e Supervisão de Processos Industriais L I N H A D E P R O D U T O S PA R A Monitoramento, Controle, Registro e Supervisão de Processos Industriais Índice Apresentação 03 Características Individuais Controlador de Processos C702 Aquisitor de

Leia mais

Capítulo 6 - Medição de pressão

Capítulo 6 - Medição de pressão 6.1 - Introdução A pressão significa força por unidade de área que atua sobre uma superfície. Unidades: - mmhg (milimetros de mercúrio) - mh 2 0 (metro de água) - psi (libras por polegada quadrada) - kgf/cm

Leia mais

Comparativo entre câmeras analógicas e Câmeras IP.

Comparativo entre câmeras analógicas e Câmeras IP. Comparativo entre câmeras analógicas e Câmeras IP. VANTAGENS DAS SOLUÇÕES DE VIGILÂNCIA DIGITAL IP É verdade que o custo de aquisição das câmeras digitais IP, é maior que o custo de aquisição das câmeras

Leia mais

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR - MDIC

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR - MDIC MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR - MDIC INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL - INMETRO Portaria INMETRO/DIMEL/Nº 056, de 28 de abril de 2004.

Leia mais

Medidores de pressão diferencial MOD LD-301

Medidores de pressão diferencial MOD LD-301 Medidores de pressão diferencial MOD LD-301 A linhas de transmissores LD-301 incorpora a altamente comprovada técnica de medição por célula capacitiva, com flexibilidade e precisão asseguradas pela utilização

Leia mais

Controle em Cascata. Estratégias Especiais de Controle. Estruturas de Controle Combinando Controladores PID Single-Loop

Controle em Cascata. Estratégias Especiais de Controle. Estruturas de Controle Combinando Controladores PID Single-Loop Estratégias Especiais de Controle Estruturas de Controle Combinando Controladores Single-Loop Controladores Industriais de Prof. omeu eginatto 2012 Controle em Cascata Controle de azão Controle Seletivo

Leia mais

VEI Sistemas de pesagem

VEI Sistemas de pesagem ii) iii) 1 VEI DO BRASIL Av. João Cezar de Oliveira 3576 Novo Eldorado Cep. 32.340.000 Contagem MG- Tel. xx 31-3391 4417 Tel. xx 31-3043 3767 www.veigroup.com Prezado LIBRA VEI Sistemas de pesagem Única

Leia mais

Sensores e Atuadores (2)

Sensores e Atuadores (2) (2) 4º Engenharia de Controle e Automação FACIT / 2009 Prof. Maurílio J. Inácio Atuadores São componentes que convertem energia elétrica, hidráulica ou pneumática em energia mecânica. Através dos sistemas

Leia mais

Instrumentação Industrial. Fundamentos de Instrumentação Industrial: Conceitos Básicos e Definições

Instrumentação Industrial. Fundamentos de Instrumentação Industrial: Conceitos Básicos e Definições Instrumentação Industrial Fundamentos de Instrumentação Industrial: Conceitos Básicos e Definições Instrumentação Industrial De acordo com a organização norte-americana Instrument Society of America -

Leia mais

SENSORES INDUSTRIAIS

SENSORES INDUSTRIAIS SENSORES INDUSTRIAIS Sensores: são dispositivos que transformam grandezas físicas em um sinal Sensores Analógicos e Digitais Caracterís:cas Alcance Precisão Resolução Sensibilidade Tempo de Resposta Não

Leia mais

Controle de um sistema de ventilação em um quadro de comando e controle

Controle de um sistema de ventilação em um quadro de comando e controle UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE DEE DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA ELÉTRICA ENGENHARIA ELÉTRICA INSTRUMENTAÇÂO ELETRÔNICA Controle de um sistema de ventilação em um quadro de comando e controle

Leia mais

CONTROLO DE SISTEMAS

CONTROLO DE SISTEMAS UNIVERSIDADE DA BEIRA INTERIOR DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA ELECTROMECÂNICA CONTROLO DE SISTEMAS Lugar Geométrico das Raízes PROJECTO E ANÁLISE DA RESPOSTA TRANSITÓRIA E ESTABILIDADE Parte 1/3 - Compensação

Leia mais

Sistemas Embarcados. Controladores PI, PD e PID

Sistemas Embarcados. Controladores PI, PD e PID Sistemas Embarcados Controladores PI, PD e PID Controladores PI, PD e PID O que são os controladores PI, PD e PID? Aplicações dos controladores Implementação analógica dos controladores Implementação digital

Leia mais

Termopar: par de fios metalicos diferentes que geram uma tensão proporcional à ΔT entre a junção

Termopar: par de fios metalicos diferentes que geram uma tensão proporcional à ΔT entre a junção TEQ141 Sistema de Controle e Instrumentação 1 Medição de Pressão Profª Ninoska Bojorge Departamento de Engenharia Química e de Petróleo UFF Na aula anterior: Medição de Temperatura 2 Bimetal: indicador

Leia mais

TEQ141- Sistema de Controle e Instrumentação

TEQ141- Sistema de Controle e Instrumentação TEQ141- Sistema de Controle e Instrumentação 1 Introdução à Instrumentação Industrial Profª Ninoska Bojorge Departamento de Engenharia Química e de Petróleo UFF Objetivos do curso Capacitar o aluno na

Leia mais

INDICADOR MULTIFUNÇÃO IM 110

INDICADOR MULTIFUNÇÃO IM 110 INDICADOR MULTIFUNÇÃO IM 110 Manual do usuário Indicador Multifunção MAN-DE-IM110 Rev.: 1.00-10 Introdução Obrigado por ter escolhido nosso INDICADOR MULTIFUNÇÃO IM 110. Para garantir o uso correto e

Leia mais

UNIDADE I Aula 2 - Introdução aos Sistemas de Comunicação: Diagrama, Elementos e Transmissão da Informação. Fonte: Rodrigo Semente

UNIDADE I Aula 2 - Introdução aos Sistemas de Comunicação: Diagrama, Elementos e Transmissão da Informação. Fonte: Rodrigo Semente UNIDADE I Aula 2 - Introdução aos Sistemas de Comunicação: Diagrama, Elementos e Transmissão da Informação Fonte: Rodrigo Semente Quais elementos estão relacionados a um Sistema de Comunicação? Geralmente,

Leia mais

Controle II. Estudo e sintonia de controladores industriais

Controle II. Estudo e sintonia de controladores industriais Controle II Estudo e sintonia de controladores industriais Introdução A introdução de controladores visa modificar o comportamento de um dado sistema, o objetivo é, normalmente, fazer com que a resposta

Leia mais

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO PARANÁ CCET - Centro de Ciências Exatas e de Tecnologia Engenharia de Computação VELOHIDRO CURITIBA

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO PARANÁ CCET - Centro de Ciências Exatas e de Tecnologia Engenharia de Computação VELOHIDRO CURITIBA PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO PARANÁ CCET - Centro de Ciências Exatas e de Tecnologia Engenharia de Computação VELOHIDRO CURITIBA 2011 1 Fernando Brambilla de Mello Silvio da Costa Reis Victor Miranda

Leia mais

Automação Industrial Parte 5

Automação Industrial Parte 5 Automação Industrial Parte 5 Prof. Ms. Getúlio Teruo Tateoki http://www.getulio.eng.br/meusalunos/autind.html Sensores capacitivos -Sensores de proximidade capacitivos estão disponíveis em formas e tamanhos

Leia mais

INSTRUMENTAÇÃO INDUSTRIAL 1. INTRODUÇÃO / DEFINIÇÕES

INSTRUMENTAÇÃO INDUSTRIAL 1. INTRODUÇÃO / DEFINIÇÕES 1 INSTRUMENTAÇÃO INDUSTRIAL 1. INTRODUÇÃO / DEFINIÇÕES 1.1 - Instrumentação Importância Medições experimentais ou de laboratório. Medições em produtos comerciais com outra finalidade principal. 1.2 - Transdutores

Leia mais

Curso Superior Manutenção Industrial. Módulo: Instrumentação

Curso Superior Manutenção Industrial. Módulo: Instrumentação Curso Superior Manutenção Industrial Módulo: Instrumentação INSTRUMENTAÇÃO Agenda: Histórico Instrumentação Ciência que aplica e desenvolve técnicas de medição, indicação, registro e controle de processos

Leia mais

PROCEDIMENTO ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA PARA EQUIPAMENTO ELETRÔNICO PARA CONVERSÃO DE VOLUME DE GÁS NATURAL ÍNDICE DE REVISÕES

PROCEDIMENTO ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA PARA EQUIPAMENTO ELETRÔNICO PARA CONVERSÃO DE VOLUME DE GÁS NATURAL ÍNDICE DE REVISÕES UNIDADE: GERAL 1 de 14 ÍNDICE DE REVISÕES Rev. 0 EMISSÃO INICIAL DESCRIÇÃO E/OU FOLHAS ATINGIDAS Rev. 0 Rev. 1 Rev. 2 Rev. 3 Rev. 4 Rev. 5 Rev. 6 Rev. 7 Rev. 8 DATA: 18/04/13 ELABORAÇÃO: Andre VERIFICAÇÃO:

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CENTRO DE ENGENHARIA ELÉTRICA E INFORMÁTICA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA ELÉTRICA ELETRÔNICA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CENTRO DE ENGENHARIA ELÉTRICA E INFORMÁTICA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA ELÉTRICA ELETRÔNICA UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CENTRO DE ENGENHARIA ELÉTRICA E INFORMÁTICA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA ELÉTRICA ELETRÔNICA SÉRIE DE EXERCÍCIO #A4 (1A) FONTE CHAVEADA PAINEL SOLAR Uma aplicação possível

Leia mais

DE PRESSÃO EM UMA RESPECTIVA TUBULAÇÃO

DE PRESSÃO EM UMA RESPECTIVA TUBULAÇÃO 1 4.ª Prática Controle (PID) DE PRESSÃO EM UMA RESPECTIVA TUBULAÇÃO da Planta de Instrumentação Industrial e Controle de Processos Contínuos da De Lorenzo OBJETIVO: 1. Fazer o controle (PID) de Pressão

Leia mais

1) Entendendo a eletricidade

1) Entendendo a eletricidade 1) Entendendo a eletricidade 1 2) Circuitos Modelix 2 3) Utilizando o Sistema Esquemático Modelix-G (Modelix-Grafix) 6 4) Fazendo montagens com os Circuitos Modelix 7 5) Exercícios para treinar 8 Objetivo:

Leia mais

Distância de acionamento. Distância sensora nominal (Sn) Distância sensora efetiva (Su) Distância sensora real (Sr) 15/03/2015

Distância de acionamento. Distância sensora nominal (Sn) Distância sensora efetiva (Su) Distância sensora real (Sr) 15/03/2015 Ministério da educação - MEC Secretaria de Educação Profissional e Técnica SETEC Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul Campus Rio Grande Sensores São dispositivos que

Leia mais

Manual do Leitor ATG-Basic

Manual do Leitor ATG-Basic Manual do Leitor ATG-Basic O leitor ATG-Basic foi desenvolvido para uso em controle de acesso veicular. Esse leitor é para ser usado conectado à uma controladora através das interfaces Wiegand, Abatrack,

Leia mais

MEDIÇÃO DE TAXA DE ERRO DE BIT Alba Angélica Ratis

MEDIÇÃO DE TAXA DE ERRO DE BIT Alba Angélica Ratis Universidade Federal do Rio Grande do Norte Departamento de Engenharia Elétrica Disciplina: Instrumentação Eletrônica Professor: Luciano Cavalcanti MEDIÇÃO DE TAXA DE ERRO DE BIT Alba Angélica Ratis Este

Leia mais

Indice Analítico ... II 11. Capítulo 1 - Introdução 17. Capítulo 2 - Sensores de Presença 31

Indice Analítico ... II 11. Capítulo 1 - Introdução 17. Capítulo 2 - Sensores de Presença 31 , Indice Analítico Capítulo 1 - Introdução 17 1.1. Atuadores 17 1.2. Sensor 17 1.2.1. Sensores analógicos 18 1.3. Sensores digitais 18 1.4. Transdutor 19 1.5. Conversores AJO e D/A 19 1.6. Transmissor

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO PADRE ANCHIENTA. Curso de Engenharia Química. Instrumentação Industrial e Controle de Processos I

CENTRO UNIVERSITÁRIO PADRE ANCHIENTA. Curso de Engenharia Química. Instrumentação Industrial e Controle de Processos I Apostila Instrumentação Industrial I CENTRO UNIVERSITÁRIO PADRE ANCHIENTA Curso de Engenharia Química Instrumentação Industrial e Controle de Processos I Profº Mário Luís Penteado Betioli Profº Edson Anício

Leia mais

Descrição B. Cilindro sensor PD 40..

Descrição B. Cilindro sensor PD 40.. Descrição B Cilindro sensor PD 40.. PT 1. Segurança 2 2. unção 3 3. Transporte 8 4. Montagem 8 5. Instalação 9 6. Comissionamento 10 7. uncionamento/operação 10 8. Eliminação de falhas / Reparação 11 9.

Leia mais

Instrumentação Fieldbus: Introdução e Conceitos

Instrumentação Fieldbus: Introdução e Conceitos Departamento de Engenharia Química e de Petróleo UFF Instrumentação Fieldbus: Outros Processos de Introdução e Conceitos Separação custo Prof a Ninoska Bojorge Introdução Competitividade Complexidade dos

Leia mais

CVMDDC - CONTROLE DE VELOCIDADE DO MOTOR DC

CVMDDC - CONTROLE DE VELOCIDADE DO MOTOR DC UFLA Universidade Federal de Lavras DEX Departamento de Ciências Exatas Bacharelado em CVMDDC - CONTROLE DE VELOCIDADE DO MOTOR DC Autor: Edna Mie Kanazawa Orientador: Wilian Soares Lacerda Lavras, novembro

Leia mais

Transdutores proporcionais de pressão. Transdutores proporcionais de vácuo

Transdutores proporcionais de pressão. Transdutores proporcionais de vácuo Transdutor proporcional de pressão Transdutor proporcional de vácuo Novo Cablagem reduzida Protocolos Fieldbus aplicáveis Compacto e leve Peso: g Nota ) (ITV) Consumo de energia: 4 W Nota ) ou menos Transdutores

Leia mais

Instrumentação Industrial Autor: Perez. Instrumentação - Nível 1

Instrumentação Industrial Autor: Perez. Instrumentação - Nível 1 Instrumentação Industrial Autor: Perez Instrumentação - Nível 1 AULA V - Instrumentos de Nível Instrumentação - Nível 2 Objetivos Estudar Elementos e Transmissores de Nível Mais Utilizados Precisar Inventários

Leia mais

3 Transdutores de temperatura

3 Transdutores de temperatura 3 Transdutores de temperatura Segundo o Vocabulário Internacional de Metrologia (VIM 2008), sensores são elementos de sistemas de medição que são diretamente afetados por um fenômeno, corpo ou substância

Leia mais

POSICIONADOR INTELIGENTE PARA VÁLVULAS 4 a 20 ma + Comunicação Digital HART. smar

POSICIONADOR INTELIGENTE PARA VÁLVULAS 4 a 20 ma + Comunicação Digital HART. smar POSICIONADOR INTELIGENTE PARA VÁLVULAS a ma + Comunicação Digital HART DESCRIÇÃO O posicionador microprocessado FY proporciona o posicionamento rápido e seguro dos atuadores tipo diafragma ou cilindro.

Leia mais

Fontes de Alimentação

Fontes de Alimentação Fontes de Alimentação As fontes de alimentação servem para fornecer energia eléctrica, transformando a corrente alternada da rede pública em corrente contínua. Estabilizam a tensão, ou seja, mesmo que

Leia mais

Manual de Operação e Instalação

Manual de Operação e Instalação Manual de Operação e Instalação Transmissor de nível Cod: 073AA-005-122M Rev. A Série LT-200 Fevereiro / 2004 S/A. Rua João Serrano, 250 Bairro do Limão São Paulo SP CEP 02551-060 Fone: (11) 3488-8999

Leia mais

CONCEITOS BÁSICOS DE INSTRUMENTAÇÃO E CONTROLE

CONCEITOS BÁSICOS DE INSTRUMENTAÇÃO E CONTROLE CONCEITOS BÁSICOS DE INSTRUMENTAÇÃO E CONTROLE INSTRUMENTAÇÃO INDUSTRIAL - ENG3501 PROFª. LETÍCIA CHAVES Conceitos básicos de Instrumentação 1 INTRODUÇÃO 1.1 Histórico 1.2 Elementos de uma Malha de Controle

Leia mais

Manual de segurança SIL

Manual de segurança SIL Manual de segurança SIL PolyTrans P32000P0/1* ThermoTrans P32100P0/1* SensoTrans P32200P0/1* SensoTrans P32300P0/1* www.knick.de Índice 1 Âmbito de aplicação e padrões... 4 1.1 Abreviaturas...6 2 Descrição

Leia mais

Analisador de Espectros

Analisador de Espectros Analisador de Espectros O analisador de espectros é um instrumento utilizado para a análise de sinais alternados no domínio da freqüência. Possui certa semelhança com um osciloscópio, uma vez que o resultado

Leia mais