CENTRO UNIVERSITÁRIO ADVENTISTA DE SÃO PAULO. VOTO CONSU de 14/06/2012 MANUAL DA EXTENSÃO UNASP. Manual da Extensão - UNASP

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "CENTRO UNIVERSITÁRIO ADVENTISTA DE SÃO PAULO. VOTO CONSU 2012-26 de 14/06/2012 MANUAL DA EXTENSÃO UNASP. Manual da Extensão - UNASP"

Transcrição

1 VOTO CONSU de 14/06/2012 MANUAL DA EXTENSÃO UNASP 2012 Manual da Extensão - UNASP

2 ÍNDICE 1 A Extensão Políticas de Extensão Modalidades de Extensão Programa Projeto Curso Prestação de Serviços Eventos Formulário para Projeto de Extensão Formulário para Curso de Extensão Formulário para Prestação de Serviço Formulário para Evento Manual da Extensão UNASP 2

3 1. A EXTENSÃO Extensão: a conquista do conhecimento, promovendo o desenvolvimento da Instituição e da comunidade. A palavra extensão se origina do latim extensio, extensionis, significando crescimento, avanço, aumento da área de atuação. No contexto da formação educacional superior, a extensão se concentra na dimensão encarregada de conduzir a comunidade acadêmica, através de projetos, cursos, eventos, registros acadêmicos e prestação de serviços, a uma aproximação efetiva com a realidade social de seu entorno e suas exigências conjunturais, buscando ações que promovam a superação dos problemas vividos. De fato, o UNASP realiza seus objetivos quando o conhecimento nela gerado ultrapassa os limites de seus muros, alcançando a comunidade e mudando, para melhor, o seu entorno. Assim sendo, a extensão é concebida como os braços da Instituição que se estendem na direção da comunidade, intencionando relações transformadoras da realidade, através de processos educativos, culturais e científicos. A extensão objetiva a formação de cidadãos de consciência crítica, comprometidos com a sociedade em geral, promovendo constante movimento dialético entre experiência e conhecimento científico, buscando superar possíveis dicotomias entre teoria e prática. Desse modo, o UNASP desenvolve suas atividades de extensão, visando atender melhor à necessidade de enriquecimento de seus currículos, desenvolvimento de seu corpo docente e discente, bem como promover um contato direto com a comunidade, caminhando juntas no sentido de superar as questões sociais da realidade que se tem. Manual da Extensão UNASP 3

4 2. POLÍTICAS DE EXTENSÃO As políticas de extensão do UNASP estão presentes Pedagógico Institucional (PPI). 3. MODALIDADES DE EXTENSÃO As atividades de extensão estão regulamentadas e podem ser assim caracterizadas: 3.1 PROGRAMA Conjunto articulado de projetos e outras ações de extensão (cursos, eventos, prestação de serviços) preferencialmente integradas ao ensino e à pesquisa. Tem caráter orgânico-institucional, clareza de diretrizes e orientação para a conquista de um objetivo comum, sendo executado a médio e/ou longo prazos. Alguns aspectos a serem considerados: 1- Programa é um conjunto de projetos que, mesmo criados a partir de diferentes iniciativas, se integram, superando a fragmentação tão comum nas atividades de extensão. 2- Propõe-se a indissociabilidade entre extensão, pesquisa e ensino. 3- Propõe-se a interdisciplinaridade, o que é muito enriquecedor academicamente. Os alunos não serão participantes de um Projeto de Extensão, mas do Programa, ampliando a sua visão interdisciplinar e seu campo de atuação acadêmica e comunitária. 4- Os Programas se fundamentam em leituras e discussões coletivas acerca da realidade social do entorno, que desafia constantemente a ação extensionista proposta. 5- O diálogo deverá ser o alicerce dos Programas. Os membros integrantes devem promover um diálogo cuidadoso e criterioso, refletindo sempre sobre as ações implantadas com o objetivo de aperfeiçoá-las e alcançar os resultados esperados. De igual modo, o diálogo deve ser estendido à comunidade, ONG s, instituições públicas e empresas que, embora não sejam participantes do meio acadêmico, acabam interagindo com os professores e alunos,contribuindo, de modo eficaz, para a realização dos objetivos propostos pelo Programa. 6- Os benefícios do Programa são muitos, dentre os quais destacam-se: a. A Extensão ganha como atividade acadêmica, profissional e cidadã, contribuindo com a formação do perfil desejado para o egresso da Instituição. b. Sob o aspecto social, os Programas deverão multiplicar a eficiência e a eficácia transformadora da realidade. Manual da Extensão UNASP 4

5 c. A articulação dos projetos em um Programa deverá otimizar a aplicação dos recursos financeiros investidos, já que as atividades serão mais bem planejadas, evitando repetições de projetos com atuação a partir dos mesmos problemas. d. Para cada Programa deverá ser escolhido um coordenador, dentre os coordenadores das propostas (projetos, cursos, etc.) que compõem o Programa. Programas contemplados no UNASP, conforme os eixos temáticos propostos pelo MEC, e seus objetivos: [1] Comunicação e Sociedade Implementar projetos de comunicação social, visando à disseminação dos resultados do ensino, pesquisa e extensão, por meio de diferentes mídias ( escrita, rádio, televisão, internet, etc.). [2] Arte e Cultura em Foco Promover a produção e a difusão cultural e artística, por meio de material educativo, projetos e eventos, em música, teatro, fotografia, vídeo, letras e artes plásticas. [3] Ação Comunitária e Cidadania Implementar ações que desenvolvam o senso de cidadania e empreendedorismo, por meio da Empresa Júnior, laboratório de negócios, agências e núcleos experimentais, palestras, seminários, congressos, debates etc. Implementar projetos e ações que promovam o desenvolvimento de novas competências a pessoas pouco ou não escolarizadas, pessoas portadoras de deficiências física ou mental, bem como, gerar sustentabilidade a comunidades carentes, com projetos tais como: educação de jovens e adultos, pouco ou não escolarizados; combate à fome; erradicação do trabalho infantil; atenção integral à família; combate à exploração sexual de crianças e adolescentes; acompanhamento da juventude e de seu desenvolvimento social; desenvolvimento urbano; combate à violência urbana; atendimento à pessoa idosa. Realizar a democratização do conhecimento acadêmico na área do Direito, adquirido por meio de práticas e debates entre alunos e professores, especialmente no campo dos Direitos Manual da Extensão UNASP 5

6 humanos, buscando a transformação desses direitos em realidade comum, presente no cotidiano das pessoas da comunidade. [4] Enriquecimento Pessoal e Acadêmico Implementar projetos e ações educativas para disseminação da informação, do conhecimento e da pesquisa. [5] Educação Ambiental Implementar projetos para capacitação, treinamento e desenvolvimento de processos e ações, dentro de uma compreensão mais abrangente do conceito de meio ambiente, buscando proporcionar soluções para os problemas das comunidades urbanas, bem como a melhoria da qualidade de vida. [6] Preservação da Saúde Desenvolver e implementar projetos e ações educativas e assistenciais de caráter corretivo, preventivo e proativo, para melhoria da saúde e da qualidade de vida das pessoas. Desenvolver e implantar projetos com ênfase no esporte e na educação física, buscando promover o lazer e a saúde. Desenvolver cursos sobre Saúde da Família e Capacitação de Agentes Comunitários de Saúde. Oferecer permanente atendimento ambulatorial na Policlínica, contemplando necessidades básicas ou especializadas. [7] Tecnologia e Desenvolvimento Desenvolver projetos arquitetônicos, integrados às comunidades, visando ao desenvolvimento social, à estética e à melhoria da qualidade de vida. [8] Educação Continuada e Formação Profissional Contribuir com a formação continuada do graduando, do egresso e de outros representantes da comunidade, por meio de palestras, seminários, simpósios e cursos de extensão. Propiciar condições de aprendizado e convivência social a pessoas da terceira idade. 3.2 PROJETO Conjunto de atividades de caráter educativo, cultural, científico ou tecnológico, desenvolvido de forma planejada, com objetivos e periodicidade definida, podendo ser vinculados ou não a programas. Manual da Extensão UNASP 6

7 O projeto de extensão representa a garantia da realização ordenada de todas as atividades indispensáveis à consecução dos propósitos pretendidos. É um documento que detalha o planejamento, bem como a indicação dos passos que devem ser seguidos na realização das atividades que envolvem o projeto. Além disso, é um documento que explicita a reais intenções dos extensionistas, quais sejam: a relevância para a comunidade, a relação custo benefício, o know-how do curso, a viabilidade, as implicações. São muitas as modalidades de extensão para as quais podem ser elaborados projetos: cursos, eventos, atividades complementares e outras. No entanto, para todas é necessário que haja clareza e objetividade nas informações de forma a não deixar dúvidas sobre os objetivos ou a viabilidade do projeto. Todo Projeto deve redundar, pelo menos, em um artigo de relato de experiência a ser publicado. 3.3 CURSO Conjunto articulado de ações pedagógicas, planejadas e organizadas de forma sistemática, de caráter teórico e/ou prático, presencial e/ou à distância, incluindo carga horária e processo de avaliação formal. Classificação Modalidade Oferta De Cursos Presencial À distância Iniciação Atualização Treinamento Qualificação Profissional e de e Classificação de Cursos Definição Curso em que as atividades de ensino-aprendizagem são desenvolvidas com a presença simultânea de alunos e professor durante toda a carga horária. Curso em que as atividades de ensino-aprendizagem são desenvolvidas majoritariamente sem que os alunos e professores estejam presentes no mesmo lugar à mesma hora, tendo acompanhamento do professor e/ou tutor durante toda a realização do curso. Curso que objetiva principalmente oferecer noções introdutórias em uma área específica do conhecimento. Curso que objetiva principalmente atualizar e ampliar conhecimentos, habilidades ou técnicas em uma área do conhecimento. Curso que objetiva principalmente treinar e capacitar em atividades profissionais específicas. Manual da Extensão UNASP 7

8 3.4. PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS Trabalho prestado à comunidade interna e/ou externa, podendo inclusive gerar recursos alternativos para a instituição. Favorece o aprendizado prático dos estudantes, envolvendo-os em projetos específicos de cunho institucional, social, técnico e/ou cultural, realizados pelos Escritórios Técnicos, Laboratórios, Clínicas, Incubadoras, Empresa Júnior, Agências (marketing, comunicação) Produtoras, TV e Rádio. A Prestação de Serviços se caracteriza por intangibilidade, inseparabilidade e não resulta na posse de um bem. Quando a prestação de serviço é oferecida como curso ou projeto de extensão, deve ser registrada como tal (curso ou projeto). São exemplos de Prestação de Serviços: a) Atendimento Cultural e Científico Atendimento em Espaços de Cultura, Ciência e Tecnologia Inclui atendimento em visitas a museus, centros de memória, jardim botânico, estação ecológica, observatório, planetário, museus de ciência, cine-clube, entre outros. b) Consultoria Análise e emissão de pareceres, envolvendo pessoal do quadro, acerca de situações e/ ou temas específicos. c) Assessoria Assistência ou auxílio técnico em um assunto específico, envolvendo pessoal do quadro, graças a conhecimentos especializados. d) Curadoria Organização e manutenção de acervos e mostras de arte e cultura, envolvendo pessoal do quadro. e) Exames e Laudos Técnicos Exames, perícias e laudos realizados em laboratórios / departamentos, envolvendo pessoal do quadro da Instituição. Inclui: análise de solos, exames agronômicos e botânicos, análise farmacológica, qualidades de produtos, laudos psicológicos, antropológicos, perícia ambiental e outros. f) Atendimento Jurídico Atendimento a pessoas em orientação ou encaminhamento de questões jurídicas ou judiciais. g) Consulta Ambulatorial Consulta ambulatorial ou domiciliar programada, prestada por profissionais da área da saúde. h) Consulta de Emergência e Urgência Consulta em situação que exige pronto atendimento. i) Consulta Ambulatorial Consulta ambulatorial ou domiciliar programada, prestada por profissionais da área da saúde. j) Consulta de Emergência e Urgência Consulta em situação que exige pronto atendimento. k) Outros - incluem-se nessa categoria pesquisa encomendada, restauração de bens móveis e imóveis e outras prestações de serviço eventuais. Manual da Extensão UNASP 8

9 3.5 EVENTOS Propostas com caráter educativo, esportivo, cultural, social, científico, artístico ou tecnológico, sem que necessariamente possuam o caráter de continuidade. São desenvolvidas de forma planejada com objetivos e período de curto prazo. Os principais tipos de eventos, com exemplos já realizados no UNASP, são: Congresso ou similar Evento de grandes proporções, de âmbito regional, nacional ou internacional, com duração mínima de 3 dias, que reúne participantes de uma comunidade científica ou profissional ampla. Abrange um conjunto de atividades como: mesas-redondas, palestras, conferências, apresentação de trabalhos, cursos, mini-cursos, oficinas / workshop. Obs: Incluem-se nesta classificação os eventos de grande porte, como conferência nacional de..., semana de..., reunião anual de..., etc. Os cursos incluídos no congresso, com duração igual ou superior a 8 horas devem, também, ser registrados e certificados Jornada ou similar Evento científico de âmbito menor do que o congresso, tanto em termos de duração (1 a 3 dias), quanto em número de participantes, cobrindo campos de conhecimento mais especializados. Obs: Incluem-se nessa classificação os eventos de médio porte, como seminário, encontro, simpósio, jornada, colóquio, fórum, reunião (maior que 8h) Conferência ou similar Evento científico de âmbito menor do que a jornada, em termos de duração (menor que 8 horas). Obs: Incluem-se nessa classificação os eventos de pequeno porte, como palestra, debate, mesa-redonda, mini-curso, reunião ou oficina, com carga horária menor que 8 horas Ciclo de Debates ou similar Encontros sequenciais que visam à discussão de um tema específico. Obs: Inclui: Ciclo de..., Circuito..., entre outros Exposição Exibição pública de obras de arte, produtos, serviços, etc. Em geral, é utilizada para a promoção e venda de produtos e serviços. Obs: Inclui: feira, salão, mostra, lançamento, entre outras Espetáculo - Demonstração pública de eventos cênicos musicais. Obs: Inclui: recital, concerto, show, apresentação teatral, exibição de cinema e televisão, demonstração pública de canto, dança e interpretação musical, entre outras Evento Esportivo Campeonato, torneio, olimpíada, apresentação esportiva, entre outros Festival Série de ações/eventos ou espetáculos artísticos, culturais ou esportivos, realizados concomitantemente, em geral em edições periódicas Campanha Ação pontual de mobilização e divulgação que visa a um objetivo definido Excursões Pedagógicas - Ação que tem por finalidade apresentar aspectos pedagógicos multidicisciplinares. Manual da Extensão UNASP 9

10 Semanas Especiais Eventos internos envolvendo um ou mais cursos de cunho formativo, científico ou cultural. Inclui: Semanas Especiais de Cursos, Semanas de Ênfase Espiritual, Semanas da Bíblia, etc. Manual da Extensão UNASP 10

11 4. Formulário para Projeto de Extensão Obs: O formulário propõe itens, procurando contemplar as diferentes facetas das atividades realizadas em extensão. Se algum dos itens não se aplicar ao seu projeto, basta excluí-lo de sua propositura. Manual da Extensão UNASP 11

12 Departamento ou Curso: TÍTULO DO PROJETO DE EXTENSÃO São Paulo 2012 Voto do Colegiado de Curso de Graduação/Colegiado de Pós-Graduação N o Data: / / Voto da Comissão Diretiva de Campus (COMDIC) N o Data: / / Manual da Extensão UNASP 12

13 PROJETO DE EXTENSÃO Ano: Semestre: ( ) 1º ( ) 2º Reoferta: Sim ( ) Não( ) 1. IDENTIFICAÇÃO 1.1. Título do Projeto/Atividade 1.2. Coordenador: Nome: Matrícula: Unidade de lotação: Cargo/Titulação: Fax: Telefone: Características da execução: Multidisciplinar: ( ) Não ( ) Sim Disciplinas envolvidas ( ) 2 ( ) 3 ( ) Mais Interinstitucional: ( ) Não ( ) Sim Equipe: ( ) Docentes ( ) Técnicos administrativos ( ) Alunos ( ) Participantes externos Data de início: / / Data de término: / / Freqüência: ( ) Diária ( ) Semanal ( ) Quinzenal ( ) Mensal ( ) Outra (especificar). Local da execução: 1.4. Caracterização da clientela/público: ( ) Externa e interna ( ) Somente externa ( ) Somente interna ( ) Categorias profissionais específicas: citar: 1.5. Aspectos Financeiros ( ) sem movimento de recursos financeiros ( ) com movimento de recursos financeiros Órgão financiador de recursos: 2. VÍNCULO ACADÊMICO 2.1. Unidade Executora: Coordenadoria de Extensão / UNASP Curso/Órgão: 2.2. Atividades relacionadas: Disciplina(s): ( ) Projeto especial ( ) Pesquisa ( ) Graduação ( ) Pós-graduação ( ) Outros Manual da Extensão UNASP 13

14 2.3. Interface com outro(s) curso(s): Curso(s): Disciplina(s): 3. INFORMAÇÕES ADICIONAIS: 3.1. Carga horária total: 3.2. Área temática: ( ) Comunicação ( ) Cultura ( ) Direitos Humanos ( ) Educação ( ) Meio Ambiente ( ) Saúde ( ) Tecnologia e Produção ( ) Trabalho ( ) Multidisciplinar 3.3. Programa (se aplicável): ( ) Comunicação e Sociedade ( ) Educação ambiental ( ) Arte e Cultura em Foco ( ) Preservação da Saúde ( ) Ação Comunitária e Cidadania ( ) Tecnologia e Desenvolvimento ( ) Enriquecimento Pessoal e Acadêmico ( ) Educação Continuada e Formação Profissional 3.4. Divulgação: ( ) Cartaz: ( ) PB A4 ( ) Quantidade A3 ( ) Quantidade ( ) Cor A4 ( ) Quantidade A3 ( ) Quantidade ( ) Folder ( ) PB ( ) Quantidade Cor ( ) Quantidade ( ) Mala direta: ( ) pessoa física ( ) sociedades civis ( ) instituições públicas ( ) instituições privadas ( ) Imprensa: ( ) interna ( ) externa ( ) Internet ( ) Afixação de cartazes no campus 3.5. Execução: Número de participantes: Mínimo: Máximo: 3.6. Emissão de certificados: Participantes: ( ) Sim ( ) Não Professores/Expositores: ( ) Sim ( ) Não Coordenador: ( ) Sim ( ) Não Critérios para emissão de certificados de participantes: Nota mínima: Freqüência mínima: 3.7. Instituições envolvidas/tipo de participação: Manual da Extensão UNASP 14

15 4. CRONOGRAMA DE REALIZAÇÃO DO PROJETO CENTRO UNIVERSITÁRIO ADVENTISTA DE SÃO PAULO Etapa Mês Local de realização 5. PESSOAL 5.1. DOCENTE Nome Lotação Titulação/ Natureza da Participação Carga horária (depto/curso) Qualificação 3) 5.2. DISCENTE Nome Curso Bolsista (sim/não) 5.3. CORPO TÉCNICO-ADMINISTRATIVO Nome Curso Bolsista (sim/não) 5.4. CONVIDADOS/VISITANTES Nome Curso Bolsista (sim/não) 6. JUSTIFICATIVA Manual da Extensão UNASP 15

16 7. OBJETIVOS 8. METODOLOGIA 9. ORÇAMENTO 9.1. Discriminação dos itens de despesa. Utilizar os valores mínimos da Planilha Orçamentária. Pagamento a terceiros pessoa física Nome Passagens e despesas de locomoção Trajeto Quantidade Diárias Beneficiário Valor unitário Material de consumo Discriminação Manual da Extensão UNASP 16

17 Material permanente Discriminação Divulgação Especificação Pagamentos a terceiros - pessoa jurídica Nome Outros Discriminação Resumo das Despesas Discriminação Instituição responsável pelo pagamento Total Docente Total Bolsista 3) Total Insumos Geral 10. ANEXOS ( ) Curriculum Lattes de professores, palestrantes e instrutores externos. ( ) Histórico escolar de alunos/instrutores. ( ) Ficha Cadastral de Pessoa Física Manual da Extensão UNASP 17

18 Data: / /. Assinatura/carimbo do Coordenador do Projeto TERMO DE COMPROMISSO Declaro concordar com a normatização para concessão de auxílio ao projeto sob minha responsabilidade, e assumo o compromisso de atender a todas as especificações, principalmente no que se refere ao vínculo com o UNASP e à publicação dos resultados deste projeto de extensão. Data: / / Assinatura do Coordenador do Projeto PARECER DO COLEGIADO (No parecer do colegiado devem ser relatados os componentes acadêmicos e a relevância do projeto; a disponibilidade do coordenador da proposta para desenvolver o projeto.) Reunião do Colegiado Nº: Data: Assinatura do Presidente do Colegiado Cargo: Matrícula: Manual da Extensão UNASP 18

19 PARECER DO COORDENADOR DE EXTENSÃO (No parecer deve constar: adequação do projeto às normas da Extensão; compatibilidade entre a área do coordenador do projeto e a atividade proposta; compatibilidade da receita e despesa (quando houver); encaminhamento de informações adicionais quanto ao mérito da proposta.) Aprovado ( ) Sim ( ) Não Data: Assinatura: Matrícula: Manual da Extensão UNASP 19

20 5. Formulário para Curso de Extensão Obs: O formulário propõe itens, procurando contemplar as diferentes facetas das atividades realizadas em extensão. Se algum dos itens não se aplicar ao seu projeto, basta excluí-lo de sua propositura. Manual da Extensão UNASP 20

21 PROJETO DE EXTENSÃO: CURSO Ano: Semestre: ( ) 1º ( ) 2º 1. IDENTIFICAÇÃO 1.1. Nome do Curso 1.2. Coordenador: Nome: Matrícula: Unidade de lotação: Cargo/Titulação: Fax: Telefone: Características da execução: Previsão de mais de uma turma ao longo do ano ( ) Não ( ) Sim Multidisciplinar: ( ) Não ( ) Sim Disciplinas envolvidas ( ) 2 ( ) 3 ( ) Mais Interinstitucional: ( ) Não ( ) Sim Equipe: ( ) Docentes ( ) Técnicos administrativos ( ) Alunos ( ) Participantes externos Data de início: / / Data de término: / / Local da execução: 1.4. Caracterização da clientela/público: ( ) Externa e interna ( ) Somente externa ( ) Somente interna ( ) Categorias profissionais específicas: citar: 1.5. Aspectos Financeiros ( ) sem movimento de recursos financeiros ( ) com movimento de recursos financeiros Órgão financiador de recursos: 2. VÍNCULO ACADÊMICO 2.1. Unidade Executora: Coordenadoria de Extensão / UNASP Curso/Órgão: 2.2. Título do Curso: 2.2. Atividades relacionadas: Disciplina(s): ( ) Projeto especial ( ) Pesquisa ( ) Graduação ( ) Pós-graduação ( ) Outros 2.3. Interface com outro(s) curso(s): Curso(s): Manual da Extensão UNASP 21

22 Disciplina(s): 3. INFORMAÇÕES ADICIONAIS: 3.1. Categoria: ( ) Minicurso: entre 10h e 29h ( ) Curso: maior ou igual a 30h 3.2. Carga horária total: Carga horária presencial: Carga horária a distância: 3.3. Áreas de conhecimento: ( ) Ciências Exatas e da Terra ( ) Ciências Agrárias ( ) Ciências Biológicas ( ) Ciências Socias Aplicadas ( ) Engenharia / Tecnologia ( ) Ciências Humanas ( ) Ciências da Saúde ( )Linguística, Letras e Artes 3.4. Programa (se aplicável): ( ) Comunicação e Sociedade ( ) Educação ambiental ( ) Arte e Cultura em Foco ( ) Preservação da Saúde ( ) Ação Comunitária e Cidadania ( ) Tecnologia e Desenvolvimento ( ) Enriquecimento Pessoal e Acadêmico ( ) Educação Continuada e Formação Profissional 3.5. Inscrição somente pelo site (colocar o site do Campus envolvido) Período: / / a / / Critério de seleção/ requisitos: Documentos exigidos na matrícula: Local da matrícula (se aplicável): Telefone: Horário: Inscrição em tema(s): ( ) Sim ( ) Não Valor do Curso: Aluno... R$ Ex-aluno...R$ Público Externo... R$ Outros...R$ 3.6. Divulgação: ( ) Cartaz: ( ) PB A4 ( ) Quantidade A3 ( ) Quantidade ( ) Cor A4 ( ) Quantidade A3 ( ) Quantidade ( ) Folder ( ) PB ( ) Quantidade Cor ( ) Quantidade ( ) Mala direta: ( ) pessoa física ( ) sociedades civis ( ) instituições públicas ( ) instituições privadas ( ) Imprensa: ( ) interna ( ) externa ( ) Internet ( ) Afixação de cartazes no campus 3.7. Execução: Número de participantes: Mínimo: Máximo: 3.8. Emissão de certificados: Manual da Extensão UNASP 22

23 Participantes: ( ) Sim ( ) Não Professores/Expositores: ( ) Sim ( ) Não Coordenador: ( ) Sim ( ) Não Critérios para emissão de certificados de participantes: Nota mínima: Freqüência mínima: 3.9. Instituições envolvidas/tipo de participação: 4. PROGRAMA 3) Temas Carga horária Total REALIZAÇÃO DAS ATIVIDADES Data Horário Local de realização Início Término 6. EQUIPE TÉCNICA Nome Lotação Matricula Titulação/ Natureza da Tema Carga (depto/curso) Qualificação Participação horária 3) 7. JUSTIFICATIVA Manual da Extensão UNASP 23

24 8. OBJETIVOS 9. METODOLOGIA 10. ORÇAMENTO Discriminação dos itens de despesa. Utilizar os valores mínimos da Planilha Orçamentária. Pagamento a terceiros pessoa física Nome Passagens e despesas de locomoção Trajeto Quantidade Diárias Beneficiário Valor unitário Material de consumo Discriminação Manual da Extensão UNASP 24

25 Material permanente Discriminação Divulgação Especificação Pagamentos a terceiros - pessoa jurídica Nome Outros Discriminação Resumo das Despesas Discriminação Instituição responsável pelo pagamento Total Docente Total Bolsista 3) Total Insumos Geral 11. ANEXOS ( ) Curriculum Lattes de professores, palestrantes e instrutores externos. ( ) Histórico escolar de alunos/instrutores. ( ) Ficha Cadastral de Pessoa Física Data: / /. Assinatura/carimbo do Coordenador do Projeto Manual da Extensão UNASP 25

26 PARECER DO COLEGIADO (No parecer do colegiado devem ser relatados os componentes acadêmicos e a relevância do projeto; a disponibilidade do coordenador da proposta para desenvolver o projeto.) Reunião do Colegiado Nº: Data: Assinatura do Presidente do Colegiado: Cargo: Matrícula: PARECER DO COORDENADOR DE EXTENSÃO (No parecer deve constar: adequação do projeto às normas da Extensão; compatibilidade entre a área do coordenador do projeto e a atividade proposta; compatibilidade da receita e despesa (quando houver); encaminhamento de informação adicionais quanto ao mérito da proposta.) Aprovado ( ) Sim ( ) Não Data: Assinatura: Matrícula: Manual da Extensão UNASP 26

27 6. Formulário para Prestação de Serviço Obs: O formulário propõe itens, procurando contemplar as diferentes facetas das atividades realizadas em extensão. Se algum dos itens não se aplicar ao seu projeto, basta excluí-lo de sua propositura. Manual da Extensão UNASP 27

28 PROJETO DE EXTENSÃO: PRESTAÇÃO DE SERVIÇO Ano: Semestre: ( ) 1º ( ) 2º 1. IDENTIFICAÇÃO 1.1. Título da Atividade de Prestação de Serviço 1.2. Área Temática Principal (informação sobre as áreas ( ) Comunicação ( ) Cultura ( ) Direitos Humanos e Justiça ( ) Educação ( ) Meio Ambiente ( ) Saúde ( ) Tecnologia e Produção ( ) Trabalho ( ) Multidisciplinar 1.3. Programa (se aplicável): ( ) Comunicação e Sociedade ( ) Educação ambiental ( ) Arte e Cultura em Foco ( ) Preservação da Saúde ( ) Ação Comunitária e Cidadania ( ) Tecnologia e Desenvolvimento ( ) Enriquecimento Pessoal e Acadêmico ( ) Educação Continuada e Formação Profissional 1.4. Espécie: ( ) Assessoria ( ) Atendimento Cultural e Científico ( ) Atendimento Jurídico ( ) Consulta Ambulatorial ( ) Consulta de Emergência e Urgência ( ) Consultoria ( ) Curadoria ( ) Exames e Laudos Técnicos ( ) Outra 1.5. Coordenador: Nome: Matrícula: Unidade de lotação: Cargo/Titulação: Fax: Telefone: Características da execução: Instituição parceira: Equipe: ( ) Docentes ( ) Técnicos administrativos ( ) Alunos ( ) Participantes externos Data de início: / / Data de término: / / Local da execução: 1.7. Caracterização da clientela/público: ( ) Externa e interna ( ) Somente externa ( ) Somente interna ( ) Categorias profissionais específicas: citar: 2. VÍNCULO ACADÊMICO Manual da Extensão UNASP 28

29 2.1. Unidade Executora: Coordenadoria de Extensão UNASP Curso: 2.2. Atividades relacionadas: Disciplina(s): ( ) Estágio ( ) Projeto especial ( ) Pesquisa ( ) Graduação ( ) Pós-graduação ( ) Outros 2.3. Interface com outro(s) curso(s)/disciplinas: Curso(s): Disciplina(s): 3. CARACTERIZAÇÃO DO PROJETO 3.1. ( ) Novo ( ) Renovação Relatório do ano anterior: ( ) Sim ( ) Não 3.2. Origem: ( ) Iniciativa do grupo de execução ( ) Demanda da comunidade 3.3. Multidisciplinaridade: Áreas envolvidas: 3.4. Instituições envolvidas/tipo de participação: 4. JUSTIFICATIVA 5. OBJETIVOS Manual da Extensão UNASP 29

30 6. METODOLOGIA 7. RELEVÂNCIA PARA A SOCIEDADE E PARA O UNASP 8. AVALIAÇÃO (Descrição do sistema de avaliação, qualitativa e quantitativa) 9. SOCIALIZAÇÃO DO CONHECIMENTO Especificar o processo de divulgação e publicação de resultados, quando não houver restrição justificada 10. DIREITOS AUTORAIS E (OU) PATENTES SOBRE PRODUTOS, BENS, PROCESSOS E SERVIÇOS Especificar os dados pertinentes, quando for o caso Manual da Extensão UNASP 30

31 11. PESSOAL DOCENTE Nome Lotação Titulação/ Natureza da Participação Carga horária (depto/curso) Qualificação 3) DISCENTE Nome Curso Bolsista (sim/não) CORPO TÉCNICO-ADMINISTRATIVO Nome Curso Bolsista (sim/não) CONVIDADOS/VISITANTES Nome Curso Bolsista (sim/não) 12. CRONOGRAMA DE EXECUÇÃO Etapas 3) 4) Meses jan fev mar abr mai jun jul ago set out nov dez Manual da Extensão UNASP 31

32 13. ORÇAMENTO Discriminação dos itens de despesa Pagamento a terceiros pessoa física 3) Nome CENTRO UNIVERSITÁRIO ADVENTISTA DE SÃO PAULO Pagamentos a terceiros - pessoa jurídica 3) Nome Passagens e despesas de locomoção 3) Nome Diárias 3) Nome Material de consumo 3) Nome Manual da Extensão UNASP 32

33 Material permanente 3) Nome CENTRO UNIVERSITÁRIO ADVENTISTA DE SÃO PAULO Outros 3) Nome 13.2 Resumo das Despesas Discriminação Instituição responsável pelo pagamento Total Docente Total Bolsista 3) Total Insumos Geral 14. ANEXOS ( ) Curriculum Lattes dos participantes externos. ( ) Plano de trabalho dos alunos envolvidos. ( ) Documento comprovante de adesão dos parceiros de execução. Data: / /. Assinatura do Coordenador Manual da Extensão UNASP 33

34 PARECER DO COLEGIADO* Reunião do Colegiado Nº: Data: Assinatura do Presidente do Colegiado: Cargo: Matrícula: * No parecer do colegiado devem ser relatados os componentes acadêmicos e a relevância do projeto; a disponibilidade do coordenador da proposta para desenvolver o projeto. PARECER DO COORDENADOR DE EXTENSÃO** Aprovado ( ) Sim ( ) Não Data: Assinatura: Matrícula: * * No parecer deve constar: adequação do projeto às normas da Extensão do UNASP; compatibilidade entre a área do coordenador do projeto e a atividade proposta; compatibilidade da receita e despesa (quando houver); encaminhamento de informação quanto ao mérito da proposta. Manual da Extensão UNASP 34

35 7. Formulário para Evento Manual da Extensão UNASP 35

36 INSTRUÇÕES PARA PREENCHIMENTO DO FORMULÁRIO MODALIDADES ÁREAS TEMÁTICAS PROGRAMAS [ 1 ] Programas [ 1 ] Comunicação [ 1 ] Comunicação e Sociedade [ 2 ] Projetos [ 2 ] Cultura [ 2 ] Arte e Cultura em Foco [ 3 ] Cursos [ 3 ] Direitos Humanos e Justiça [ 3 ] Ação Comunitária e Cidadania [ 4 ] Eventos [ 4 ] Educação [ 4 ] Enriquecimento Pessoal e Acadêmico [ 5 ] Produtos Acadêmicos [ 5 ] Meio Ambiente [ 5 ] Educação Ambiental [ 6 ] Prestação de Serviços [ 6 ] Saúde [ 6 ] Preservação da Saúde [ 7 ] Tecnologia e Produção [ 7 ] Tecnologia e Desenvolvimento [ 8 ]Trabalho [ 8]Educação Continuada e Formação Profissional [ 9 ] Multidisciplinar TIPOS DE EVENTO [ 1 ] Congresso [ 2 ] Seminário [ 3 ] Ciclo de Debates [ 4 ] Exposição [ 5 ] Espetáculo [ 6 ] Evento Esportivo [ 7 ] Festival [ 8 ] Outros Definição das Modalidades de Extensão PROGRAMAS: Conjunto articulado de projetos e outras ações de extensão (curso, eventos, prestação de serviço) preferencialmente integradas ao ensino e a pesquisa. Tem caráter orgânico-institucional, clareza de diretrizes e orientação para um objetivo comum, sendo executado a médio e longo prazo. PROJETOS: Conjunto de atividades de caráter educativo, cultural, científico ou tecnológico, desenvolvidos de forma planejada, com objetivos e periodicidade definida, assim como prazo e fim previstos, podendo ser vinculados ou não a programas. CURSOS: Conjunto articulado de ações pedagógicas, planejadas e organizadas de forma sistemática, de caráter teórico e/ou prático, presencial e/ou a distância, incluindo carga horária e processo de avaliação formal. EVENTOS: Propostas com caráter educativo, esportivo, cultural, social, científico, artístico ou tecnológico, sem necessariamente possuir o caráter de continuidade. São desenvolvidas de forma planejada com objetivos e período de curto prazo. Os principais tipos de eventos são: Congresso, Conferência, Palestra, Seminário, Oficina, Simpósio, Fórum, Painel, Mesa redonda, Lançamento (de produtos, filme, livro, etc.), eventos esportivos, exposição, festival e outros. REGISTRO DE PRODUTOS ACADÊMICOS: PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS: Caracterizam-se como conjunto de bens ou serviços produzidos no âmbito da instituição de ensino superior. Visam aplicar e disseminar conhecimento. Nesta modalidade pode-se contemplar a produção de material didático, documentários, CD, revistas, cartilhas, catálogos, etc., resultantes das ações de ensino, pesquisa e extensão. Trabalho prestado à comunidade interna e/ou externa, podendo inclusive gerar recursos alternativos para a instituição. Favorece o aprendizado prático dos estudantes, envolvendo-os em projetos específicos de cunho institucional, social, técnico e/ou cultural, realizados pelos Escritórios Técnicos, Laboratórios, Clínicas, Incubadoras, Empresa Júnior, Agências (marketing, comunicação) Produtoras, TV e Rádio. Manual da Extensão UNASP 36

37 INFORMAÇÕES SOBRE O EVENTO DE EXTENSÃO (Informar o código) MODALIDADE: ÁREA TEMÁTICA: PROGRAMA: (SE APLICÁVEL) EVENTO: CURSO DE ORIGEM: DOCENTE RESPONSÁVEL: TÍTULO DA ATIVIDADE DE EXTENSÃO: OBJETIVOS: PÚBLICO ALVO OU CLIENTELA: PROGRAMA, CONTEÚDO OU METODOLOGIA: PALESTRANTES CONVIDADOS: CARGA HORÁRIA: PERÍODO DE REALIZAÇÃO: Nº DE PARTICIPANTES: Nº DE PESSOAS ENVOLVIDAS DA PRÓPRIA IES DOCENTES TÉCNICOS ESTUDANTES EXTERNOS NOME DOS PARTICIPANTES: (somente no caso da emissão de certificados pela Coordenadoria de Extensão) Nome Completo RA Instituição Manual da Extensão UNASP 37

PROJETO DE EXTENSÃO. Frequência: ( ) Diária ( ) Semanal ( ) Quinzenal ( ) Mensal ( ) Outra (especificar).

PROJETO DE EXTENSÃO. Frequência: ( ) Diária ( ) Semanal ( ) Quinzenal ( ) Mensal ( ) Outra (especificar). Ano: Semestre: ( ) 1º ( ) 2º Reoferta: Sim ( ) Não( ) Recebido em: / / PROJETO DE EXTENSÃO 1. IDENTIFICAÇÃO 1.1. Título do Projeto/Atividade 1.2. Coordenador: : Curso: Cargo/Titulação: Fax: Telefone: E-mail:

Leia mais

ORGANIZAÇÃO DA EXTENSÃO NA FESURV UNIVERSIDADE DE RIO VERDE

ORGANIZAÇÃO DA EXTENSÃO NA FESURV UNIVERSIDADE DE RIO VERDE ORGANIZAÇÃO DA EXTENSÃO NA FESURV UNIVERSIDADE DE RIO VERDE A Extensão na Fesurv Universidade de Rio Verde é desenvolvida sob a forma de programas, projetos e ações em consonância com a Política do Fórum

Leia mais

Ações de Extensão. 05_Ações de Extensão_COOPMED.indd 35 10/5/2007 14:47:15

Ações de Extensão. 05_Ações de Extensão_COOPMED.indd 35 10/5/2007 14:47:15 5 Ações de Extensão As ações de extensão são classificadas em programa, projeto, curso, evento e prestação de serviços, e obedecem às seguintes definições: I PROGRAMA Conjunto articulado de projetos e

Leia mais

- COPPEX - COORDENAÇÃO DE PÓS-GRADUAÇÃO, PESQUISA E EXTENSÃO

- COPPEX - COORDENAÇÃO DE PÓS-GRADUAÇÃO, PESQUISA E EXTENSÃO - COPPEX - COORDENAÇÃO DE PÓS-GRADUAÇÃO, PESQUISA E EXTENSÃO QUADRO GERAL DAS ATIVIDADES DE EXTENSÃO: CLASSIFICAÇÃO E CATEGORIA 1 PROGRAMA Conjunto de ações de caráter orgânico-institucional, de médio

Leia mais

NÚCLEO DE PESQUISA E EXTENSÃO NUPE/FAME AÇÕES DE EXTENSÃO

NÚCLEO DE PESQUISA E EXTENSÃO NUPE/FAME AÇÕES DE EXTENSÃO NÚCLEO DE PESQUISA E EXTENSÃO NUPE/FAME AÇÕES DE EXTENSÃO Programa - Conjunto articulado de projetos e outras ações de extensão - cursos, eventos, prestação de serviços -, de caráter educativo, social,

Leia mais

EXTENSÃO extensao@faj.br

EXTENSÃO extensao@faj.br EXTENSÃO extensao@faj.br O QUE É EXTENSÃO? Conjunto articulado de projetos de caráter educativo, social, cultural, científico ou tecnológico preferencialmente integrados a atividades de pesquisa e ensino,

Leia mais

Parágrafo único Compete a PROEX a coordenação das atividades de Extensão no âmbito da UFRR.

Parágrafo único Compete a PROEX a coordenação das atividades de Extensão no âmbito da UFRR. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE RORAIMA CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO Av. Ene Garcês, 2413 Bairro Aeroporto 69.304-000 - Boa Vista/RR Fone (095)621-3108 Fax (095)621-3101 Resolução

Leia mais

Artigo 3º - As ações de extensão deverão ter coerência com a atuação do docente no ensino e na pesquisa.

Artigo 3º - As ações de extensão deverão ter coerência com a atuação do docente no ensino e na pesquisa. RESOLUÇÃO CONGREGAÇÃO FEF/UNICAMP Nº 65/07 Regulamenta Normas para as ações de Extensão Universitária na Faculdade de Educação Física UNICAMP A Congregação da Faculdade de Educação Física, no uso de suas

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 02/2012

RESOLUÇÃO Nº 02/2012 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA CONSELHO ACADÊMICO DE PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO Nº 02/2012 Aprova o Regulamento de Extensão Universitária da Universidade

Leia mais

Ações de extensão, áreas temáticas e linhas de extensão mais relacionadas com o Curso de Ciências Biológicas

Ações de extensão, áreas temáticas e linhas de extensão mais relacionadas com o Curso de Ciências Biológicas Ações de extensão, áreas temáticas e linhas de extensão mais relacionadas com o Curso de Ciências Biológicas 1. AÇÕES DE EXTENSÃO São consideradas ações de extensão os programas, projetos, cursos, eventos,

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA INTEGRAÇÃO LATINO-AMERICANA UNILA COMISSÃO SUPERIOR DE EXTENSÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA INTEGRAÇÃO LATINO-AMERICANA UNILA COMISSÃO SUPERIOR DE EXTENSÃO REGULAMENTO DA EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA DA UNILA CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS Art. 1º Na UNILA, a extensão é o elo entre a Universidade e a Comunidade. 1º - A ação de extensão da UNILA é constituída

Leia mais

Dispõe sobre as Ações de Pesquisa e Extensão no Instituto Federal do Paraná. As Ações de Pesquisa e Extensão no Instituto Federal do Paraná.

Dispõe sobre as Ações de Pesquisa e Extensão no Instituto Federal do Paraná. As Ações de Pesquisa e Extensão no Instituto Federal do Paraná. PORTARIA N 2 DE 6 DE JUNHO DE 2009 Dispõe sobre as Ações de Pesquisa e Extensão no Instituto Federal do Paraná. A Pró-Reitora de Ensino, Pesquisa e Extensão do Instituto Federal do Paraná, no uso da competência

Leia mais

EDITAL DE SELEÇÃO DE PROJETOS E/OU PROGRAMAS DE EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA UNIDADES VILA VELHA / VITÓRIA / SERRA

EDITAL DE SELEÇÃO DE PROJETOS E/OU PROGRAMAS DE EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA UNIDADES VILA VELHA / VITÓRIA / SERRA EDITAL DE SELEÇÃO DE PROJETOS E/OU PROGRAMAS DE EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA UNIDADES VILA VELHA / VITÓRIA / SERRA A REDE DOCTUM torna público à comunidade acadêmica de todas as suas unidades a abertura do processo

Leia mais

de junho de 2007, destinados a profissionais com graduação ou bacharelado.

de junho de 2007, destinados a profissionais com graduação ou bacharelado. PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU posgraduacao@poliseducacional.com.br O QUE É PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU? A pós graduação lato sensu são cursos promovidos pelas faculdades do grupo POLIS EDUCACIONAL com mais de

Leia mais

FACULDADE CATÓLICA SALESIANA DO ESPÍRITO SANTO EDITAL DE EXTENSÃO PARA ATIVIDADES ARTÍSTICAS E CULTURAIS Nº 01/2014

FACULDADE CATÓLICA SALESIANA DO ESPÍRITO SANTO EDITAL DE EXTENSÃO PARA ATIVIDADES ARTÍSTICAS E CULTURAIS Nº 01/2014 FACULDADE CATÓLICA SALESIANA DO ESPÍRITO SANTO EDITAL DE EXTENSÃO PARA ATIVIDADES ARTÍSTICAS E CULTURAIS Nº 01/2014 Regras Gerais do Edital de Extensão para Atividades Artísticas e Culturais Nº 01/2014:

Leia mais

PROGRAMA DE EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA

PROGRAMA DE EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA PROGRAMA DE EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA Aprovado na Reunião do CONASU em 21/01/2015. De acordo com o Plano Nacional de Extensão 2011-2020 (PNExt), a Extensão é considerada como atividade acadêmica que articula

Leia mais

RELATÓRIO FINAL DE AVALIAÇÃO DOS PROJETOS DE EXTENSÃO

RELATÓRIO FINAL DE AVALIAÇÃO DOS PROJETOS DE EXTENSÃO RELATÓRIO FINAL DE AVALIAÇÃO DOS PROJETOS DE EXTENSÃO 1. Identificação e caracterização Título do Projeto Nome do Prof(s) Coordenador(es) do Projeto Centro Laboratório Período Início Término Término previsto

Leia mais

Universidade Presidente Antônio Carlos UNIPAC Pró-reitoria de Pesquisa, Extensão, Pós-graduação e Cultura Assessoria de Extensão PROGRAMA DE EXTENSÃO

Universidade Presidente Antônio Carlos UNIPAC Pró-reitoria de Pesquisa, Extensão, Pós-graduação e Cultura Assessoria de Extensão PROGRAMA DE EXTENSÃO Universidade Presidente Antônio Carlos UNIPAC Pró-reitoria de Pesquisa, Extensão, Pós-graduação e Cultura Assessoria de Extensão PROGRAMA DE EXTENSÃO EDITAL 01/2010 O Pró-reitor de Pesquisa, Extensão,

Leia mais

PROGRAMA DE EXTENSÃO PROEX

PROGRAMA DE EXTENSÃO PROEX PROGRAMA DE EXTENSÃO PROEX INTRODUÇÃO A extensão universitária é, na realidade, uma forma de interação que deve existir permanentemente entre a universidade e os diversos setores da sociedade. Assim, a

Leia mais

EDITAL PROEXT Nº 05, DE 27 DE MAIO DE 2013.

EDITAL PROEXT Nº 05, DE 27 DE MAIO DE 2013. EDITAL PROEXT Nº 05, DE 27 DE MAIO DE 2013. Seleção de Projetos ou Programas para concessão de bolsas do Programa de Bolsa de Extensão da Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre (PROBEXT-UFCSPA)

Leia mais

DADOS DO INEP Instituto Nacional de estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira Ministério da Educação UDESC/ 2005

DADOS DO INEP Instituto Nacional de estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira Ministério da Educação UDESC/ 2005 DADOS DO INEP Instituto Nacional de estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira Ministério da Educação UDESC/ 2005 Número total de Programas 1 e seus respectivos projetos vinculados, público atendido

Leia mais

ORIENTAÇÕES PARA A INSTITUCIONALIZAÇÃO DAS ATIVIDADES DE EXTENSÃO

ORIENTAÇÕES PARA A INSTITUCIONALIZAÇÃO DAS ATIVIDADES DE EXTENSÃO ORIENTAÇÕES PARA A INSTITUCIONALIZAÇÃO DAS ATIVIDADES DE EXTENSÃO CURSOS DE EXTENSÃO: Caracterizados como um conjunto articulado de ações pedagógicas, de caráter teórico e/ou prático, presencial ou à distância,

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 17/2015

RESOLUÇÃO Nº 17/2015 RESOLUÇÃO Nº 17/2015 O CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO, em sessão de 29/04/2015, tendo em vista o constante no processo nº 23078.037190/09-89, nos termos do Parecer nº 09/2015 da Comissão de Diretrizes

Leia mais

Coordenação de Extensão MANUAL DE EXTENSÃO

Coordenação de Extensão MANUAL DE EXTENSÃO Coordenação de Extensão MANUAL DE EXTENSÃO 2011 APRESENTAÇÃO A Faculdade Projeção nasceu no ano 2000 tendo como missão promover a formação e desenvolvimento dos novos profissionais, incentivando o aprendizado

Leia mais

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES 1 REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES Regulamenta normas para o funcionamento das Atividades Complementares no âmbito dos Cursos de Administração, Ciências Contábeis e Cursos de Tecnologia da Faculdade

Leia mais

MANUAL DO ALUNO (A) ATIVIDADES COMPLEMENTARES/ESTUDOS INDEPENDENTES

MANUAL DO ALUNO (A) ATIVIDADES COMPLEMENTARES/ESTUDOS INDEPENDENTES A formação complementar é fruto da participação do aluno, durante o período de realização do seu curso superior, em atividades que não estão inseridas na grade curricular, mas que reconhecidamente contribuem

Leia mais

FACULDADES INTEGRADAS TERESA D ÁVILA NÚCLEO DE EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA. Formulário para Registro de Projetos de Extensão Universitária

FACULDADES INTEGRADAS TERESA D ÁVILA NÚCLEO DE EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA. Formulário para Registro de Projetos de Extensão Universitária FACULDADES INTEGRADAS TERESA D ÁVILA NÚCLEO DE EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA Formulário para Registro de Projetos de Extensão Universitária Ano Base: 2013 Título do Projeto: Programa de Atividades Optativas Tipo

Leia mais

LICENCIATURA EM MATEMÁTICA. IFSP Campus São Paulo AS ATIVIDADES ACADÊMICO-CIENTÍFICO-CULTURAIS

LICENCIATURA EM MATEMÁTICA. IFSP Campus São Paulo AS ATIVIDADES ACADÊMICO-CIENTÍFICO-CULTURAIS LICENCIATURA EM MATEMÁTICA IFSP Campus São Paulo AS ATIVIDADES ACADÊMICO-CIENTÍFICO-CULTURAIS O componente curricular denominado Atividades Acadêmico-Científico- Culturais foi introduzido nos currículos

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO ANEXO I. PROJETO DE LONGA DURAÇÃO 1. IDENTIFICAÇÃO 1.1 Título do

Leia mais

AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO

AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO INTERESSADO: Conselho Nacional de Educação/Câmara de Educação UF: DF Superior ASSUNTO: Diretrizes Curriculares Nacionais para

Leia mais

Estrutura do PDI 2014-2018

Estrutura do PDI 2014-2018 APRESENTAÇÃO O Plano de Desenvolvimento Institucional (PDI) do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Minas Gerais (IFMG) além de constituir um requisito legal, tal como previsto no Artigo

Leia mais

MINUTA EDITAL DE SELEÇÃO DE PROJETOS EDITAL PIP N 01/2014 PROJETO RN SUSTENTÁVEL PROJETOS DE INOVAÇÃO PEDAGÓGICA (PIP)

MINUTA EDITAL DE SELEÇÃO DE PROJETOS EDITAL PIP N 01/2014 PROJETO RN SUSTENTÁVEL PROJETOS DE INOVAÇÃO PEDAGÓGICA (PIP) MINUTA EDITAL DE SELEÇÃO DE PROJETOS EDITAL PIP N 01/2014 PROJETO RN SUSTENTÁVEL PROJETOS DE INOVAÇÃO PEDAGÓGICA (PIP) O Projeto RN Sustentável, Acordo de Empréstimo (8276-BR) firmado entre o Governo do

Leia mais

Regulamento - Disciplina Atividades Complementares

Regulamento - Disciplina Atividades Complementares Regulamento - Disciplina Atividades Complementares Introdução Entende-se por Atividades Acadêmico-Científico-Culturais o conjunto de trabalhos acadêmicos que complementam os processos presenciais tradicionais

Leia mais

ORIENTAÇÕES GERAIS PARA AÇÕES DE EXTENSÃO

ORIENTAÇÕES GERAIS PARA AÇÕES DE EXTENSÃO ORIENTAÇÕES GERAIS PARA AÇÕES DE EXTENSÃO 2004 I. APRESENTAÇÃO A extensão tem um grande leque de atuação, englobando tipos de ações variadas, envolvendo pessoas e grupos acadêmicos de diferentes segmentos

Leia mais

FATEC PRESIDENTE PRUDENTE PORTARIA FATEC / PRESIDENTE PRUDENTE Nº 72/2012 DE 26 OUTUBRO DE 2012.

FATEC PRESIDENTE PRUDENTE PORTARIA FATEC / PRESIDENTE PRUDENTE Nº 72/2012 DE 26 OUTUBRO DE 2012. FATEC PRESIDENTE PRUDENTE PORTARIA FATEC / PRESIDENTE PRUDENTE Nº 72/2012 DE 26 OUTUBRO DE 2012. Estabelece o Manual de Atividades Acadêmico-Científico- Culturais da Faculdade de Tecnologia de Presidente

Leia mais

CATÁLOGO DO CURSO DE PEDAGOGIA Modalidade a Distância

CATÁLOGO DO CURSO DE PEDAGOGIA Modalidade a Distância CATÁLOGO DO CURSO DE PEDAGOGIA Modalidade a Distância ATOS LEGAIS DO CURSO: Nome do Curso: Pedagogia Tempo de Integralização: Mínimo: 8 semestres Máximo: 14 semestres Nome da Mantida: Centro Universitário

Leia mais

Faculdade Adventista da Bahia CURSO LICENCIATURA EM PEDAGOGIA

Faculdade Adventista da Bahia CURSO LICENCIATURA EM PEDAGOGIA Faculdade Adventista da Bahia CURSO LICENCIATURA EM PEDAGOGIA Regulamento de S ACADE MICO-CIENTI FICO-CULTURAIS (AACC) Cachoeira Bahia 2013 REGULAMENTO DAS S ACADÊMICO-CIENTÍFICO-CULTURAIS PARA O CURSO

Leia mais

CURSO DE PEDAGOGIA REGULAMENTOS DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES

CURSO DE PEDAGOGIA REGULAMENTOS DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES CURSO DE PEDAGOGIA REGULAMENTOS DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES 1 ANEXO II REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES CAPÍTULO I DA CARACTERIZAÇÃO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES Artigo 1º - As Atividades Complementares

Leia mais

PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO, PESQUISA E EXTENSÃO EDITAL DO PROGRAMA DE EXTENSÃO (ProExt) N 02/2012

PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO, PESQUISA E EXTENSÃO EDITAL DO PROGRAMA DE EXTENSÃO (ProExt) N 02/2012 UNIVERSIDADE PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO, PESQUISA E EXTENSÃO EDITAL DO PROGRAMA DE EXTENSÃO (ProExt) N 02/2012 O REITOR DA UNIVERSIDADE, no uso de suas atribuições estatutárias, e tendo em vista especialmente

Leia mais

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES CAPÍTULO I DA CARACTERIZAÇÃO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES Artigo 1º - As Atividades Complementares constituem ações a serem desenvolvidas ao longo do curso, criando

Leia mais

http://sigproj1.mec.gov.br/projetos/imprimir.php?modalidade=1&projeto_id=126773...

http://sigproj1.mec.gov.br/projetos/imprimir.php?modalidade=1&projeto_id=126773... Página 1 de 7 Imprimir Fechar 1. Introdução 1.1 Identificação da Ação Título: A Melhor Idade na Era Digital 2013 Coordenador: Tipo da Ação: / Docente Projeto Edital: EDITAL PAEX 04/2012 Vinculada à Programa

Leia mais

CURSO DE TECNOLOGIA EM GESTÃO DA PRODUÇÃO INDUSTRIAL Regulamento das Atividades Complementares

CURSO DE TECNOLOGIA EM GESTÃO DA PRODUÇÃO INDUSTRIAL Regulamento das Atividades Complementares CURSO DE TECNOLOGIA EM GESTÃO DA PRODUÇÃO INDUSTRIAL Regulamento das Atividades Complementares 1 CURSO DE TECNOLOGIA EM GESTÃO DA PRODUÇÃO INDUSTRIAL Regulamento das Atividades Complementares As atividades

Leia mais

Guia para o desenvolvimento de Projetos de Extensão

Guia para o desenvolvimento de Projetos de Extensão Guia para o desenvolvimento de Projetos de Extensão A Extensão Universitária, sob o princípio constitucional da indissociabilidade entre ensino, pesquisa e extensão, é um processo interdisciplinar educativo,

Leia mais

NÚCLEO DE EXTENSÃO E PÓS-GRADUAÇÃO- NEPG REGULAMENTO DAS ATIVIDADES DE EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA. CAPÍTULO I Das considerações gerais

NÚCLEO DE EXTENSÃO E PÓS-GRADUAÇÃO- NEPG REGULAMENTO DAS ATIVIDADES DE EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA. CAPÍTULO I Das considerações gerais Sociedade de Educação e Cultura de Goiás www.faculdadearaguaia.edu.br Rua 18 n 81 Centro Goiânia Goiás Fone: (62) 3224-8829 NÚCLEO DE EXTENSÃO E PÓS-GRADUAÇÃO- NEPG REGULAMENTO DAS ATIVIDADES DE EXTENSÃO

Leia mais

ANEXO I: REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES

ANEXO I: REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES ANEXO I: REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES Fixa normas para o funcionamento das Atividades Complementares para o curso de Administração da Universidade Federal de Mato Grosso, campus Rondonópolis/Mato

Leia mais

PROPOSTA DE METODOLOGIA E PLANO DE TRABALHO PARA A ELABORAÇÃO DO PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL PDI DO IFB (2014-2018)

PROPOSTA DE METODOLOGIA E PLANO DE TRABALHO PARA A ELABORAÇÃO DO PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL PDI DO IFB (2014-2018) PROPOSTA DE METODOLOGIA E PLANO DE TRABALHO PARA A ELABORAÇÃO DO PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL PDI DO IFB (2014-2018) 1. Introdução O Plano de Desenvolvimento Institucional (PDI) busca nortear

Leia mais

RESOLUÇÃO. Santa Rosa, RS, 21 de setembro de 2009.

RESOLUÇÃO. Santa Rosa, RS, 21 de setembro de 2009. RESOLUÇÃO CAS Nº 32/2009, DE 21 DE SETEMBRO DE 2009. DISPÕE SOBRE O REGULAMENTO DO NÚCLEO DE PESQUISA PÓS-GRADUAÇÃO E EXTENSÃO NPPGE DAS FACULDADES INTEGRADAS MACHADO DE ASSIS. O CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO ANEXO I. PROJETO DE CURTA DURAÇÃO 1. IDENTIFICAÇÃO 1.1 Título do

Leia mais

FACULDADE BARÃO DE PIRATININGA

FACULDADE BARÃO DE PIRATININGA REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES CAPÍTULO I DA CARACTERIZAÇÃO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES Artigo 1º - As Atividades Complementares constituem ações a serem desenvolvidas ao longo do curso, criando

Leia mais

I SEMANA DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA I JORNADA CIENTÍFICA E VI FIPA DO CEFET BAMBUÍ REGULAMENTO PARA SUBMISSÃO DE TRABALHOS

I SEMANA DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA I JORNADA CIENTÍFICA E VI FIPA DO CEFET BAMBUÍ REGULAMENTO PARA SUBMISSÃO DE TRABALHOS I SEMANA DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA I JORNADA CIENTÍFICA E VI FIPA DO CEFET BAMBUÍ REGULAMENTO PARA SUBMISSÃO DE TRABALHOS 1. DOS OBJETIVOS, CONCEITO E ORGANIZAÇÃO DO EVENTO 1.1 Este regulamento geral tem

Leia mais

Programa Institucional de Bolsa de Extensão PIBEX

Programa Institucional de Bolsa de Extensão PIBEX Programa Institucional de Bolsa de Extensão PIBEX EDITAL Nº 013/2015 PIBEX/UFPI - Bolsas de Extensão/2016 Processo Seletivo de Programas e Projetos de Extensão A Pró-Reitoria de Extensão PREX, por meio

Leia mais

Portaria Fatec Santana de Parnaíba nº 02/2015 de 24 de abril de 2015

Portaria Fatec Santana de Parnaíba nº 02/2015 de 24 de abril de 2015 Portaria nº 02/2015 de 24 de abril de 2015 Estabelece a normatização das Atividades Acadêmico-Científico-Culturais (AACC) do curso de Gestão Comercial da Faculdade de Tecnologia de Santana de Parnaíba.

Leia mais

Edital Nº 04/2015 DEPE DISPÕE SOBRE A SELEÇÃO DE PROPOSTAS PARA APOIO A PROJETOS DE PESQUISA NA SANTA CASA DE MISERICÓRDIA DE SOBRAL.

Edital Nº 04/2015 DEPE DISPÕE SOBRE A SELEÇÃO DE PROPOSTAS PARA APOIO A PROJETOS DE PESQUISA NA SANTA CASA DE MISERICÓRDIA DE SOBRAL. Edital Nº 04/2015 DEPE DISPÕE SOBRE A SELEÇÃO DE PROPOSTAS PARA APOIO A PROJETOS DE PESQUISA NA SANTA CASA DE MISERICÓRDIA DE SOBRAL. Período 2015/2016 O Diretor da Santa Casa de Misericórdia de Sobral,

Leia mais

Edital 02/2015 Seleção de Projetos Comunitários 2016

Edital 02/2015 Seleção de Projetos Comunitários 2016 UNIVERSIDADE LUTERANA DO BRASIL PRÓ-REITORIA ACADÊMICA ASSOCIAÇÃO EDUCACIONAL LUTERANA DO BRASIL AELBRA. Reconhecida pela Portaria Ministerial n.º 681 de 07/12/89 D.O.U. de 11/12/89 Edital 02/2015 Seleção

Leia mais

REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO INTRODUÇÃO

REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO INTRODUÇÃO REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO INTRODUÇÃO Considerando o objetivo de formação de docentes em que a atividade prática de prestação de serviços especializados é relevante à sociedade, torna-se necessário

Leia mais

PROJETO CIRANDA DAS ARTES

PROJETO CIRANDA DAS ARTES Prefeitura Municipal de Petrópolis Conselho Municipal de Cultura Fundação de Cultura e Turismo PROJETO CIRANDA DAS ARTES APRESENTAÇÃO A arte é uma forma de expressão produzida pelo homem para manifestar

Leia mais

UNIVERSIDADE DE RIO VERDE PRÓ REITORIA DE EXTENSÃO, CULTURA E ASSUNTOS ESTUDANTIS GUIA PREENCHIMENTO FORMULÁRIO

UNIVERSIDADE DE RIO VERDE PRÓ REITORIA DE EXTENSÃO, CULTURA E ASSUNTOS ESTUDANTIS GUIA PREENCHIMENTO FORMULÁRIO UNIVERSIDADE DE RIO VERDE PRÓ REITORIA DE EXTENSÃO, CULTURA E ASSUNTOS ESTUDANTIS GUIA PREENCHIMENTO FORMULÁRIO GUIA DE ORIENTAÇÕES PARA PRENCHIMENTO DO FORMULÁRIO Com o objetivo de facilitar o preenchimento

Leia mais

EDITAL do Programa de Incentivo à Educação em Direitos Humanos (PIEDH) - 01/2015 BOLSAS DE EXTENSÃO

EDITAL do Programa de Incentivo à Educação em Direitos Humanos (PIEDH) - 01/2015 BOLSAS DE EXTENSÃO EDITAL do Programa de Incentivo à Educação em Direitos Humanos (PIEDH) - 01/2015 BOLSAS DE EXTENSÃO A torna pública a abertura das inscrições destinadas a selecionar Programas e Projetos de extensão universitária,

Leia mais

CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 2, DE 27 DE SETEMBRO DE

CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 2, DE 27 DE SETEMBRO DE Ministério da Educação CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 2, DE 27 DE SETEMBRO DE 2013 Institui as Diretrizes Curriculares Nacionais do curso de graduação em Relações

Leia mais

Anexo I - Formulários Padronizados para envio dos Relatórios dos Setores Institucionais a CPA

Anexo I - Formulários Padronizados para envio dos Relatórios dos Setores Institucionais a CPA Anexos Anexo I - Formulários Padronizados para envio dos Relatórios dos Setores Institucionais a CPA SISTEMATIZAÇÃO DOS PROCESSOS DE AVALIAÇÃO COM VISTAS À AUTO-AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL DA PUC-CAMPINAS

Leia mais

CURSO: EDUCAR PARA TRANSFORMAR. Fundação Carmelitana Mário Palmério Faculdade de Ciências Humanas e Sociais

CURSO: EDUCAR PARA TRANSFORMAR. Fundação Carmelitana Mário Palmério Faculdade de Ciências Humanas e Sociais Fundação Carmelitana Mário Palmério Faculdade de Ciências Humanas e Sociais Educação de Qualidade ao seu alcance EDUCAR PARA TRANSFORMAR O CURSO DE LICENCIATURA EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS CURSO: LICENCIATURA

Leia mais

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EIXO TECNOLÓGICO: Gestão e Negócios MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO CURSO: Superior em Administração FORMA/GRAU: ( )integrado ( )subsequente ( ) concomitante ( x ) bacharelado ( )

Leia mais

Curso de Publicidade e Propaganda NORMAS DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES

Curso de Publicidade e Propaganda NORMAS DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES Curso de Publicidade e Propaganda NORMAS DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES Viçosa, Minas Gerais 2015 1 INTRODUÇÃO As atividades complementares, inseridas no projeto pedagógico, têm por finalidade proporcionar

Leia mais

ESTADO DO RIO DE JANEIRO PREFEITURA MUNICIPAL DE MACAÉ FUNDAÇÃO EDUCACIONAL DE MACAÉ FUNEMAC SUPERINTENDÊNCIA ACADÊMICA

ESTADO DO RIO DE JANEIRO PREFEITURA MUNICIPAL DE MACAÉ FUNDAÇÃO EDUCACIONAL DE MACAÉ FUNEMAC SUPERINTENDÊNCIA ACADÊMICA EDITAL N 06/2016 DE SELEÇÃO DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA EDITAL Nº. 06/2016 CHAMAMENTO PÚBLICO Nº. 05/2016 A FUNDAÇÃO EDUCACIONAL DE MACAÉ, instituição municipal de ensino superior, fundação pública,

Leia mais

3. EIXOS DE DESENVOLVIMENTO (*):

3. EIXOS DE DESENVOLVIMENTO (*): PAC UFSCar 2016 1.INTRODUÇÃO A Política de Capacitação da UFSCar estabelece as diretrizes para capacitação de servidores com vistas ao desenvolvimento de um processo de educação continuada e permanente

Leia mais

I. DADOS DE IDENTIFICAÇÃO DO PROJETO. Título do projeto: Valorização da Cultura Afro e Indígena na Escola Data de cadastro: Situação: ( ) novo

I. DADOS DE IDENTIFICAÇÃO DO PROJETO. Título do projeto: Valorização da Cultura Afro e Indígena na Escola Data de cadastro: Situação: ( ) novo I. DADOS DE IDENTIFICAÇÃO DO PROJETO Título do projeto: Valorização da Cultura Afro e Indígena na Escola Data de cadastro: Situação: ( ) novo (x ) reoferta ( ) prorrogação Campus / curso de origem: São

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº. 034, de 13 DE OUTUBRO DE 2014

RESOLUÇÃO Nº. 034, de 13 DE OUTUBRO DE 2014 Parecer N o 070/04 Aprovado em //04 RESOLUÇÃO Nº. 04, de DE OUTUBRO DE 04 ANEXO I - CRITÉRIOS ESPECÍFICOS DE PONTUAÇÃO CAMPO I ATIVIDADES DE ENSINO. Docência em curso de graduação sem remuneração adicional

Leia mais

REGULAMENTO ESTÁGIO SUPERVISIONADO CURSO DE LICENCIATURA EM PEDAGOGIA FACULDADE DE APUCARANA FAP

REGULAMENTO ESTÁGIO SUPERVISIONADO CURSO DE LICENCIATURA EM PEDAGOGIA FACULDADE DE APUCARANA FAP REGULAMENTO ESTÁGIO SUPERVISIONADO CURSO DE LICENCIATURA EM PEDAGOGIA FACULDADE DE APUCARANA FAP Regulamento do Curricular Supervisionado do Curso de Graduação em Pedagogia - Licenciatura Faculdade de

Leia mais

Instruções Específicas para Desenvolvimento de Trabalho Social em Intervenções de Urbanização de Assentamentos Precários

Instruções Específicas para Desenvolvimento de Trabalho Social em Intervenções de Urbanização de Assentamentos Precários MININSTÉRIO DAS CIDADES Secretaria Nacional de Habitação Instruções Específicas para Desenvolvimento de Trabalho Social em Intervenções de Urbanização de Assentamentos Precários Programa: Urbanização Regularização

Leia mais

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO TOCANTINS. PRÓ-REITORIA DE EXENSÃO-PROEX

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO TOCANTINS. PRÓ-REITORIA DE EXENSÃO-PROEX 2 EXPEDIENTE Elaboração e Produção: Cheila Cristina Naves Barbiero Kim Nay dos Reis W. A. Figueiredo Revisão Geral: Sylmara Barreira Digitação: Kim Nay dos Reis W. A. Figueiredo Capa, Diagramação e Revisão

Leia mais

ANEXO II ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS/FUNÇÕES

ANEXO II ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS/FUNÇÕES ANEXO II ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS/FUNÇÕES - Monitor de Marcenaria, Monitor de Artesanato, Monitor de Música e/ou Violão e Monitor de Patinação e/ou Dança Ministrar aulas teóricas e práticas, conforme a atividade

Leia mais

PESQUISA FASSP: INICIAÇÃO CIENTÍFICA. Apresentação Objetivos Áreas de Concentração Normas Dowloads

PESQUISA FASSP: INICIAÇÃO CIENTÍFICA. Apresentação Objetivos Áreas de Concentração Normas Dowloads Apresentação Objetivos Áreas de Concentração Normas Dowloads FISIOTERAPIA ENFERMAGEM Downloads Apresentação Este Programa tem como sustento pedagógico a ideia da interdisciplinaridade e da integração nas

Leia mais

PROPOSTA DE AÇÕES PARA ELABORAÇÃO DO PLANO ESTADUAL DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA

PROPOSTA DE AÇÕES PARA ELABORAÇÃO DO PLANO ESTADUAL DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA PROPOSTA DE AÇÕES PARA ELABORAÇÃO DO PLANO ESTADUAL DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA Proposta de ações para elaboração do Plano Estadual da Pessoa com Deficiência Objetivo Geral: Contribuir para a implementação

Leia mais

Pós graduação EAD Área de Educação

Pós graduação EAD Área de Educação Pós graduação EAD Área de Educação Investimento: a partir de R$ 109,00 mensais. Tempo de realização da pós graduação: 15 meses Investimento: R$109,00 (acesso ao portal na internet e livros em PDF). Ou

Leia mais

ATIVIDADES ACADÊMICO CIENTÍFICO CULTURAIS CARGA HORÁRIA 40 HORAS REGULAMENTO

ATIVIDADES ACADÊMICO CIENTÍFICO CULTURAIS CARGA HORÁRIA 40 HORAS REGULAMENTO ATIVIDADES ACADÊMICO CIENTÍFICO CULTURAIS CARGA HORÁRIA 40 HORAS Memo03/15- Coordenação REGULAMENTO Este regulamento padroniza a realização das atividades Acadêmico-Científico Culturais, necessárias para

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Seleção de Bolsista Professor-Tutor para o Curso de Especialização em Saúde da Família

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Seleção de Bolsista Professor-Tutor para o Curso de Especialização em Saúde da Família UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Seleção de Bolsista Professor-Tutor para o Curso de Especialização em Saúde da Família A Coordenação do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu em Saúde da Família,

Leia mais

ANEXO I RESOLUÇÃO Nº 13, DE 23 DE MAIO DE 2014. REQUERIMENTO. RSC I RSC II RSC III Data de ingresso no Ifes: Nº de documentos de comprovação:

ANEXO I RESOLUÇÃO Nº 13, DE 23 DE MAIO DE 2014. REQUERIMENTO. RSC I RSC II RSC III Data de ingresso no Ifes: Nº de documentos de comprovação: ANEXO I RESOLUÇÃO Nº 13, DE 23 DE MAIO DE 2014. REQUERIMENTO Nome do Servidor: SIAPE: Lotação: Email: Telefone: Graduação: Titulação: Nível de RSC pretendido (marque com x o perfil pretendido) RSC I RSC

Leia mais

FORMULÁRIO DE PROGRAMA DE EXTENSÃO

FORMULÁRIO DE PROGRAMA DE EXTENSÃO Registro na Extensão Nº: Em / / FORMULÁRIO DE PROGRAMA DE EXTENSÃO 1 - Identificação: 1.1 - Título 1 : 1.2 - Área Temática Principal (assinalar apenas uma área temática, aquela que melhor define o problema

Leia mais

TEXTO RETIRADO DO REGIMENTO INTERNO DA ESCOLA APAE DE PASSOS:

TEXTO RETIRADO DO REGIMENTO INTERNO DA ESCOLA APAE DE PASSOS: TEXTO RETIRADO DO REGIMENTO INTERNO DA ESCOLA APAE DE PASSOS: Art. 3º - A Escola oferece os seguintes níveis de ensino: I. Educação Infantil: de 0 a 05 anos de idade. Educação Precoce de 0 a 03 anos Educação

Leia mais

LIGA DE ENSINO DO RIO GRANDE DO NORTE CENTRO UNIVERSITÁRIO DO RIO GRANDE DO NORTE

LIGA DE ENSINO DO RIO GRANDE DO NORTE CENTRO UNIVERSITÁRIO DO RIO GRANDE DO NORTE Título: Parcerias do Projeto: A IDENTIFICAÇÃO DO PROJETO (anexar projeto) I CARACTERIZAÇÃO DO PROJETO 1 O projeto é de responsabilidade social? ( ) Não ( ) Sim 2 O projeto está vinculado a algum programa?

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 546, DE 17 DE DEZEMBRO DE 2014.

RESOLUÇÃO Nº 546, DE 17 DE DEZEMBRO DE 2014. RESOLUÇÃO Nº 546, DE 17 DE DEZEMBRO DE 2014. O CONSELHO DE CÂMPUS DO CÂMPUS DO PANTANAL, da Fundação Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, no uso de suas atribuições legais e considerando a Resolução

Leia mais

3.1 Anexo I: Gestão de Projetos de Investimentos em Saúde em Saúde; 3.2 Anexo II: Vigilância Sanitária.

3.1 Anexo I: Gestão de Projetos de Investimentos em Saúde em Saúde; 3.2 Anexo II: Vigilância Sanitária. Rio de Janeiro, 29 de setembro de 2009 CHAMADA PARA SELEÇÃO DE ALUNOS PARA VAGAS REMANESCENTES DE CURSOS DA EAD/ENSP/FIOCRUZ INSERIDOS NO PROGRAMA UNIVERSIDADE ABERTA DO BRASIL (UAB/SEED/MEC) A Educação

Leia mais

Coordenação-Geral de Avaliação dos Cursos de Graduação e Instituições de Ensino Superior

Coordenação-Geral de Avaliação dos Cursos de Graduação e Instituições de Ensino Superior CAPA 1 República Federativa do Brasil Ministério da Educação Comissão Nacional de Avaliação da Educação Superior Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira Diretoria de Avaliação

Leia mais

Regulamento de Atividades Complementares

Regulamento de Atividades Complementares Regulamento de Atividades Complementares Centro Universitário UNISEB (Ribeirão Preto/SP) 2011 CAPÍTULO I - DAS FINALIDADES Art. 1º - As Atividades Complementares se constituem em parte integrante dos currículos

Leia mais

MANUAL DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO EM SERVIÇO SOCIAL OBRIGATÓRIO

MANUAL DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO EM SERVIÇO SOCIAL OBRIGATÓRIO MANUAL DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO EM SERVIÇO SOCIAL OBRIGATÓRIO COORDENNAÇAO DO CURSO DE SERVIÇO SOCIAL Profª Msc Liana Maria Ibiapina do Monte SUMÁRIO APRESENTAÇÃO CARACTERIZAÇÃO TERMINOLOGIA

Leia mais

Tabela para classificação de ações de extensão

Tabela para classificação de ações de extensão Tabela para classificação de ações de extensão Linha de Extensão 1. Alfabetização, leitura e escrita Formas mais freqüentes de operacionalização Alfabetização e letramento de crianças, jovens e adultos;

Leia mais

FUNDAÇÃO EDUCACIONAL COMUNITÁRIA FORMIGUENSE FUOM CENTRO UNIVERSITÁRIO DE FORMIGA UNIFOR-MG

FUNDAÇÃO EDUCACIONAL COMUNITÁRIA FORMIGUENSE FUOM CENTRO UNIVERSITÁRIO DE FORMIGA UNIFOR-MG FUNDAÇÃO EDUCACIONAL COMUNITÁRIA FORMIGUENSE FUOM CENTRO UNIVERSITÁRIO DE FORMIGA UNIFOR-MG REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO SUPERIOR DE (Ato de Aprovação: Resolução do Reitor Nº 70/2012

Leia mais

Atividades Complementares Curso de Gestão em Recursos Humanos

Atividades Complementares Curso de Gestão em Recursos Humanos Atividades Complementares Curso de Gestão em Recursos Humanos APRESENTAÇÃO As Atividades Complementares (AC) são práticas curriculares de caráter independente, interdisciplinar e transversal que visam

Leia mais

Edital de seleção para formação em gestão de Organizações da Sociedade Civil Fundação Tide Setubal 2011

Edital de seleção para formação em gestão de Organizações da Sociedade Civil Fundação Tide Setubal 2011 Edital de seleção para formação em gestão de Organizações da Sociedade Civil Fundação Tide Setubal 2011 INTRODUÇÃO A Fundação Tide Setubal nasce em 2005 para ressignificar e inovar o trabalho pioneiro

Leia mais

Formulário de projetos de eventos para cadastro no SIEX Sistema de Gerenciamento da Pró-Reitoria de Extensão e Assuntos Estudantis

Formulário de projetos de eventos para cadastro no SIEX Sistema de Gerenciamento da Pró-Reitoria de Extensão e Assuntos Estudantis Formulário de projetos de eventos para cadastro no SIEX Sistema de Gerenciamento da Pró-Reitoria de Extensão e Assuntos Estudantis 1. Título: 2. Vinculado ao Programa: 3. Caracterização: 4. Objetivo Geral:

Leia mais

UNIVERSIDADE DE SANTA CRUZ DO SUL - UNISC PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO E RELAÇÕES COMUNITÁRIAS - PROEXT COORDENAÇÃO DE EXTENSÃO E RELAÇÕES COMUNITÁRIAS

UNIVERSIDADE DE SANTA CRUZ DO SUL - UNISC PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO E RELAÇÕES COMUNITÁRIAS - PROEXT COORDENAÇÃO DE EXTENSÃO E RELAÇÕES COMUNITÁRIAS UNIVERSIDADE DE SANTA CRUZ DO SUL - UNISC PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO E RELAÇÕES COMUNITÁRIAS - PROEXT COORDENAÇÃO DE EXTENSÃO E RELAÇÕES COMUNITÁRIAS EDITAL DO PROGRAMA DE BOLSA DE EXTENSÃO DA UNISC (PROBEX)

Leia mais

COORDENAÇÃO DE EDUCAÇÃO FISICA - LICENCIATURA ATIVIDADES ACADÊMICO CIENTÍFICO CULTURAIS (ATIVIDADES COMPLEMENTARES)

COORDENAÇÃO DE EDUCAÇÃO FISICA - LICENCIATURA ATIVIDADES ACADÊMICO CIENTÍFICO CULTURAIS (ATIVIDADES COMPLEMENTARES) ATIVIDADES ACADÊMICO CIENTÍFICO CULTURAIS (ATIVIDADES COMPLEMENTARES) As Atividades Acadêmico Científico Culturais (denominadas Atividades Complementares) têm como objetivo estimular no acadêmico na obtenção

Leia mais

E D I T A L FACULDADE PILARES

E D I T A L FACULDADE PILARES EDITAL NEXTUN N.º 01/2010 CONVOCA A COMUNIDADE ACADÊMICA DA PARA APRESENTAÇÃO DE PROPOSTAS DE CURSO DE EXTENSÃO. A Coordenadora do Núcleo de Extensão Universitária, no uso de suas atribuições legais previstas

Leia mais

Padrões de Qualidade e Roteiro para Avaliação dos Cursos de Graduação em Artes Visuais (Autorização e Reconhecimento)

Padrões de Qualidade e Roteiro para Avaliação dos Cursos de Graduação em Artes Visuais (Autorização e Reconhecimento) MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E DO DESPORTO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR COORDENAÇÃO DAS COMISSÕES DE ESPECIALISTAS DE ENSINO COMISSÃO DE ESPECIALISTAS DE ENSINO DE ARTES VISUAIS Padrões de Qualidade e Roteiro

Leia mais

Programa de Gestão Estratégica da chapa 1

Programa de Gestão Estratégica da chapa 1 Programa de Gestão Estratégica da chapa 1 Apresentamos a primeira versão do programa de gestão estratégica da chapa Construindo Juntos um ICT de Excelência. Esse documento é fruto de uma construção coletiva,

Leia mais

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EMENTA

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EMENTA EIXO TECNOLÓGICO: Gestão e Negócios Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO CURSO: Superior em Administração FORMA/GRAU:( )integrado ( )subsequente ( ) concomitante (X ) bacharelado ( ) licenciatura ( ) tecnólogo

Leia mais

Nome da Ação 1.2: Descrição da Ação 1.2: Nome da Ação 1.3: Descrição da Ação 1.3: Nome da Ação 1.4: Descrição da Ação 1.4:

Nome da Ação 1.2: Descrição da Ação 1.2: Nome da Ação 1.3: Descrição da Ação 1.3: Nome da Ação 1.4: Descrição da Ação 1.4: PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA - PIBID DETALHAMENTO DO SUBPROJETO 1. Unidade: 2. Área do Subprojeto: Cassilândia 3. Curso(s) envolvido(s) na proposta: Interdisciplinar Obs.: Para

Leia mais

DIRETRIZES DE EXTENSÃO 2011 DIRETRIZES DE APOIO ÀS ATIVIDADES DE EXTENSÃO DO IF SUDESTE-MG. Execução: SETEMBRO DE 2011 A DEZEMBRO DE 2011

DIRETRIZES DE EXTENSÃO 2011 DIRETRIZES DE APOIO ÀS ATIVIDADES DE EXTENSÃO DO IF SUDESTE-MG. Execução: SETEMBRO DE 2011 A DEZEMBRO DE 2011 DIRETRIZES DE EXTENSÃO 2011 DIRETRIZES DE APOIO ÀS ATIVIDADES DE EXTENSÃO DO IF SUDESTE-MG Execução: SETEMBRO DE 2011 A DEZEMBRO DE 2011 Diretrizes de Apoio a Projetos de Extensão no IF SUDESTE-MG 1 Av.

Leia mais

FORMULÁRIO PARA PROPOSTAS DE MODALIDADES DE EXTENSÃO - ORIENTAÇÕES DE PREENCHIMENTO

FORMULÁRIO PARA PROPOSTAS DE MODALIDADES DE EXTENSÃO - ORIENTAÇÕES DE PREENCHIMENTO PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO E ASSUNTOS COMUNITÁRIOS FORMULÁRIO PARA PROPOSTAS DE MODALIDADES DE EXTENSÃO - ORIENTAÇÕES DE PREENCHIMENTO 1 INTRODUÇÃO Este manual foi elaborado pela Pró-Reitoria de Extensão

Leia mais

FACULDADE DE TECNOLOGIA DE GRAVATAÍ

FACULDADE DE TECNOLOGIA DE GRAVATAÍ FACULDADE DE TECNOLOGIA DE GRAVATAÍ REGIMENTO DA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO Atualização do Regimento de 2012 Porto Alegre, março de 2015 Faculdade de Tecnologia de Porto Alegre Av. Julio de Castilhos,

Leia mais