SUBSISTEMAS DA GESTÃO DE

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "SUBSISTEMAS DA GESTÃO DE"

Transcrição

1 FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC GOIÁS GESTÃO DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO PROJETO INTEGRADOR SUBSISTEMAS DA GESTÃO DE PESSOAS - MÓDULO II - GESTÃO DE PESSOAS DANIEL BOFF BORGES GOIÂNIA - NOVEMBRO 2015

2 Sumário INTRODUÇÃO Gestão de Pessoas... 4 SUBSISTEMAS DE GESTÃO DE PESSOAS Provisão Recrutamento Seleção Integração Aplicação Descrição e Analise dos Cargos Avaliação de Desempenho Manutenção Compensação Benefícios Sociais Higiene e Segurança do trabalho Desenvolvimento Treinamento Desenvolvimento de pessoal Desenvolvimento organizacional Manutenção Controle Banco de dados e Sistemas de Informação Auditoria Referencias Bibliográficas... 16

3 INTRODUÇÃO As mudanças relativas ao trabalho refletem nas organizações e impõem novas formas de gestão de pessoas, fazem-se necessárias mudanças no modelo de gestão, mais substancialmente no modelo de gestão de pessoas. A grande competição entre as organizações torna as pessoas um recurso cada vez mais importante. Mesmo diante de tanta tecnologia toda a empresa com profissionais das varias gerações, X, Y ou Z deve oferecer meios para que possam desenvolver todas as suas potencialidades.

4 1 GESTÃO DE PESSOAS Segundo Chiavenato (2010) A gestão de pessoas é a função que permite a colaboração eficaz das pessoas empregados, funcionários, recursos humanos, talentos ou qualquer denominação que seja utilizada para alcançar os objetivos organizacionais e individuais. Segundo Gil (2001) Gestão de Pessoas é: uma função gerencial que visa à cooperação das pessoas que atuam nas organizações para o alcance dos objetivos tanto organizacionais, quanto individuais. Afirma ainda, que tal expressão visa substituir a de Administração de Recursos Humanos, que até hoje é muito utilizada para designar os modos de lidar com as pessoas nas organizações. Sabemos que os conceitos podem tornar-se obsoletos ao longo do tempo, devido às novas formas de trabalho que a evolução vai desenvolvendo. No presente cenário a gestão de pessoas adota subsistemas que se dividem em cinco, Provisão, Aplicação, Manutenção, Desenvolvimento e Manutenção, que são o tema central deste trabalho.

5 SUBSISTEMAS DE GESTÃO DE PESSOAS 2.1 Provisão Segundo Chiavenato(2008), Os processos Provisão estão relacionados com o suprimento de pessoas para organização. São os processos responsáveis pelos insumos humanos e envolvem todas as atividades relacionadas com pesquisa de mercado, recrutamento e seleção de pessoas, bem como sai integração as tarefas organizacionais Recrutamento Recrutamento é o processo em que a empresa busca novos empregados. Segundo Marras (2000), o processo de recrutamento inicia-se a partir da necessidade de a organização contratar novos profissionais, podendo ser interno ou externo. O recrutamento interno ocorre quando a organização procura candidatos dentro da própria organização para o preenchimento de uma vaga. O recrutamento externo é a busca de candidatos fora da organização, no mercado de trabalho. Algumas das vantagens do recrutamento externo são: a possibilidade de inclusão de novas personalidades e talentos; a possibilidade de inovação da composição das equipes de trabalho; a possibilidade de atualização no estilo e nas tendências do mercado. Também é possível o recrutamento interno/externo, chamado de misto aonde ambos os tipos acontecem em paralelo nos dois ambientes. Vantagens Melhor proveito das pessoas da própria organização Serve como motivação para busca do desenvolvimento pessoal Recrutamento Interno Desvantagens Há risco de fechar a entrada de pessoas com novas ideias Mantem uma rotina

6 Não é necessário ambientalizar novos membros Os custos são mais baixos Faz com que a cultura organizacional não sofra alterações Vantagens Dá espaço para novas pessoas com talentos e experienciais. Expande o conhecimento intelectual Atualização da cultura organizacional Recrutamento Externo Desvantagens Gera descontentamento e desmotivação por parte do quadro atual de funcionários Aumenta os custos É mais demorado Seleção Depois de ser feito o recrutamento de pessoal, o próximo passo é a seleção. O objetivo do recrutamento é atrair os candidatos, já na seleção é feita a classificação destes candidatos para encontrar o perfil mais desejado que se adeque ao cargo vago. Segundo França (2007) ressalta que a seleção é a escolha dos candidatos mais adequados entre os recrutados, por meio de avaliação e comparação de dados. Seu processo baseia-se na comparação entre as exigências do cargo e as características do candidato. Após o término do processo de seleção, o novo colaborador deve ser submetido a exame médico realizado por um clínico geral (preferencialmente um especialista em medicina do trabalho), objetivando a verificação do estado geral sobre a saúde do candidato e registrar o seu histórico clínico no dossiê da empresa. O último passo é o encaminhamento do novo colaborador, de posse de toda a sua documentação, ao departamento de pessoal, responsável por fazer o registro de admissão do novo funcionário, Marras (2000). Dentre as principais técnicas de seleção podemos citar: Entrevista Provas de conhecimento Testes psicológicos Testes de personalidade Técnicas de simulação

7 2.1.3 Integração A integração também pode ser referida por alguns autores como socialização organizacional. É o processo dentro da provisão que visa integrar o funcionário ou os funcionários contratados as atividades do seu cargo e também aos outros funcionários daquele setor, serve como ambientalização do funcionário para sua melhor adaptação dentro da organização. Idalberto Chiavenato descreve esse processo como: à maneira como a organização recebe os novos funcionários e os integra à sua cultura, ao seu contexto e ao seu sistema para que eles possam comportar-se de maneira adequada às expectativas da organização (Chiavenato, 1999). 3 Aplicação As pessoas dentro da organização são posicionadas nos cargos onde será avaliado seu desempenho, isso ocorre depois de serem recrutadas e selecionadas. De acordo com Luiz Paschoal, os cargos existem formalmente nas organizações, com alcance e autoridade reconhecidos somente através da descrição de cargos, documento pelo qual se especificam as tarefas, responsabilidades, requisitos, condições de trabalho para o ocupante e outros detalhes sobre as ocupações na organização (Paschoal, 2007). 3.1 Descrição e Analise dos Cargos Descrever os cargos nada mais é do que apresentar as atribuições/tarefas que o funcionário exercerá dentro da organização. É claro que dependendo a atividade da empresa a descrição é aplicada de maneira diferente. A descrição de cargos consiste na imposição ordenada das tarefas ou atribuições de um cargo e a especificação na identificação dos requisitos necessários para o desempenho dessas tarefas ou atribuições (Gil, 2001).

8 A análise dos cargos relaciona o cargo ao ocupante e as aptidões que são necessárias para executar tais tarefas. É o que nos diz o Stephen Robbins: a análise de cargos é um processo que visa definir os cargos no interior da organização e os comportamentos necessários para desempenhá-los, (Robbins 2000). 3.2 Avaliação de Desempenho A avaliação de desempenho nos permite medir o quanto esta produzindo e com que qualidade cada funcionário. Este processo é de grande utilidade na organização pois revela quando são necessários serem feitos ajustes e adequações das pessoas dentro da organização para que cada um posso alcançar os resultados e objetivos pré-estabelecidos. Esse processo também auxilia na tomada de decisões como aumento de salários, demissões, comissões, treinamentos. Segundo Marras (2009), a avaliação de desempenho, é um instrumento gerencial que permite ao administrador mensurar os resultados obtidos por um empregado ou por um grupo, em período e área específicos. Dentro os métodos recentes a chamada avaliação 360º busca avaliar o desempenho do funcionário no cenário da organização e também de todas as pessoas que tem alguma interatividade com ele, objetivando uma visão global do funcionário e não apenas setorial. Ainda podemos citar como métodos recentes, a avaliação por competências, de potencial e o BSC (Balanced Scorecard). Alguns métodos mais tradicionais de avaliação podem ser utilizados, dentre eles citamos: Escalas Gráficas Escolha forçada Pesquisa de campo Métodos dos incidentes críticos Listas de verificação

9 4 Manutenção Uma boa organização também pode ser vista pela sua capacidade de manter seus funcionários, e talvez seja mais difícil a manutenção do que os processos anteriores de captar e aplicar, pois esta necessita constantes atualizações. Estão dividias em três as formas de manutenção das pessoas na organização, sendo elas: Compensação (remuneração), Benefícios Sociais e Higiene e segurança do trabalho, as quais serão vistas individualmente abaixo. 4.1 Compensação A remuneração é também popularmente mais conhecida como salário (embora de forma errônea, pois remuneração envolve mais variáveis e têm um conceito mais abrangente), que é o pagamento por parte da empresa ao funcionário pelo seu trabalho, usando de suas habilidades e conhecimentos para realização de tarefas. Salário é considerado como a forma de recompensa pelo trabalho. Administração de salários é um conjunto de normas e procedimentos que visam estabelecer ou manter estruturas de salários equitativas e justas na organização, proporcionando o equilíbrio interno, bem como salários competitivos em relação ao mercado proporcionando o equilíbrio externo (Chiavenato, 2002). Os salários devem obedecer a um duplo equilíbrio interno e externo. Em outros termos, deve haver compatibilidade de salários dentro da organização para gerar equilíbrio interno e também no mercado para acompanhar o equilíbrio externo. O equilíbrio interno é garantido através da avaliação e classificação de cargos. O equilíbrio externo é obtido através de pesquisas salariais para verificar o que o mercado de trabalho está pagando, (Chiavenato, 1999). 4.2 Benefícios Sociais Os benefícios podem ser de natureza compulsória ou espontânea. Os benefícios compulsórios são todos aqueles que a organização concede aos seus

10 funcionários com o objetivo de atender às exigências da lei ou de normas legais como acordos ou convenções coletivas de trabalho, ex.: complemento de auxílio-doença, 13º salário, salário-família, férias e salário-maternidade. Os benefícios espontâneos são os oferecidos por vontade própria da empresa, como, por exemplo: seguros de vida, assistência médica e odontológica, transporte, cesta básica, restaurante etc. (Marras 2000). O autor Lacombe (2005), ressalta que as empresas que oferecem benefícios conseguem ganhar competitividade no mercado de trabalho atraindo e retendo pessoal de melhor nível. Os benefícios podem ser constituídos de pagamentos financeiros indiretos, que incluem saúde e segurança, férias, pensões, planos de educação, descontos em produtos da companhia etc., (Chiavenato, 2004). 4.3 Higiene e Segurança do trabalho São itens que muito necessários, pois influenciam diretamente na execução das atividades e refletem no ambiente organizacional e na produção. Esses dois itens buscam garantir condições adequadas à saúde e ao bem-estar dos trabalhadores, e vai além, pois deve estar configuradas segundo os preceitos legais quanto à aplicação. A segurança do trabalho é o conjunto de medidas técnicas, educacionais, médicas e psicológicas, empregadas para prevenir acidentes, quer eliminando as condições inseguras do ambiente, quer instruindo ou convencendo as pessoas da implantação de práticas preventivas (Chiavenato, 2002). 5 Desenvolvimento Diante de tantos recursos que existem em uma organização as pessoas são consideradas, os recursos mais preciosos, sendo que são os únicos dotados de inteligência e com capacidade e potencial de desenvolvimento. As pessoas têm grande capacidade de construir novos conhecimentos, aprender novas habilidades,

11 modificar comportamentos e, portanto, as organizações criam mecanismos para agregar valores e potencializar o desenvolvimento dos recursos humanos envolvendo as atividades de treinamento, desenvolvimento de pessoas e desenvolvimento organizacional. Segundo Chiavenato (2002) o desenvolvimento de Recursos Humanos envolve as atividades de treinamento, desenvolvimento de pessoas e desenvolvimento organizacional. Além destes, também consideramos o gerenciamento de clima organizacional como integrante do subsistema. 5.1 Treinamento Dessler (2003) conceitua o treinamento como um conjunto de métodos utilizados para transmitir aos funcionários as habilidades necessárias para o desempenho do trabalho. O treinamento busca mudanças de comportamento, através da transmissão de informações, desenvolvimento de habilidades, de atitudes e de conceitos. Na percepção de Marras (2000, p. 145) o treinamento é um processo de assimilação cultural a curto prazo, que objetiva repassar ou reciclar conhecimentos, habilidades ou atitudes relacionados diretamente à execução de tarefas ou à sua otimização no trabalho. Pode-se dizer que treinamento nada mais é do que esforço dirigido no sentido de equipe com a finalidade de fazer com que essa equipe atinja os objetivos estabelecidos pela organização de forma eficaz e com baixos custos. O treinamento pode ocorrer dentro e fora do trabalho. Stoner e Freeman (1999) abordam quatro formas de treinamento no trabalho: a) tutorial o subordinado é treinado pelo seu superior imediato; b) rotação do trabalho consiste na troca de funções entre os treinandos para que possam ampliar suas experiências e familiarizar-se com as operações da empresa; c) cargos de treinamento são cargos do tipo "assistente do" criados para que os treinandos tenham contato com funções mais importantes na hierarquia, como gerências e diretorias;

12 d) atividades de trabalho planejadas os treinandos são designados para atividades importantes, nas quais eles desenvolvem suas qualidades, adquirem experiências e capacidades; Na visão de Marras (2000) o treinamento produz um estado de mudança no conjunto de Conhecimentos, Habilidades e Atitudes (CHA) de cada trabalhador, uma vez que implementa ou modifica a bagagem particular de cada um. O mesmo autor diz que os objetivos do treinamento podem ser específicos e genéricos. Os específicos são: Formação profissional; tem como meta alcançar um grau ideal de capacidade laboral para determinada profissão, repassando todos os conhecimentos e práticas necessárias ao bom desempenho de uma função; Especialização, oferece ao treinando um campo de conhecimento ou prática específica dentro de uma área de trabalho para a otimização dos resultados; Reciclagem tem como finalidade básica rever conceitos, conhecimentos ou práticas de trabalho, renovando-os ou atualizando-os de acordo com as necessidades. Já os genéricos mais importantes, na visão deste autor são: Aumento direto da produtividade, a medida que o treinamento propicia a possibilidade de realizar ações mais precisas e corretas, haverá melhorias nos tempos de produção, nos movimentos e na relação entre insumos fatores de produção e resultados no trabalho; Aumento direto da qualidade, pois com o treinamento oferecido ao trabalhador, consequentemente ele irá produzir com mais qualidade o seu serviço; Incentivo Motivacional, treinar um trabalhador é oferecer a ele possibilidade de ser eficiente e eficaz, meta de todo ser humano, quanto mais real essa afirmação, maior a possibilidade do trabalhador sentir-se motivado a fazer o que faz bem feito, para sua própria satisfação; Otimização pessoal e organizacional, é o objetivo maior dos indivíduos e das organizações. É pelo treinamento que o homem se desenvolve profissionalmente, projetando-o socialmente, alavancado pelas melhorias econômicas que consegue como resultado de sua ascensão profissional.

13 5.2 Desenvolvimento de pessoal O desenvolvimento de pessoal, para Chiavenato (2002) é mais abrangente que o treinamento, pois envolve a educação com o propósito de preparar a pessoa para o seu trabalho e para a vida. O RH da organização, dentro do processo de desenvolvimento identifica as necessidades de desenvolvimento de capacidades e habilidades e possibilita formas de concretizá-lo, seja através de formação profissional, aperfeiçoamento ou treinamento. 5.3 Desenvolvimento organizacional De acordo com Tachizawa, et al (2004), um plano de desenvolvimento motiva as pessoas da organização, cria perspectivas de evolução e contribui para a melhoria dos resultados. Ele cita também que nenhuma organização consegue manter um bom nível de produtividade sem uma equipe de profissionais bem preparados. O fator humano influi de maneira decisiva no nível de desenvolvimento ou deterioração da organização. O desenvolvimento organizacional é um esforço planejado em todos os níveis da organização, dirigido verticalmente de forma descendente, buscando aumentar a saúde e a eficácia da organização, através de intervenções nos processos organizacionais nos quais se utilizam conhecimentos das ciências do comportamento. Os funcionários são os elementos principais no fornecimento de dados, obtendo feedback sobre os problemas e planejando soluções em equipe. Existem vários métodos de desenvolvimento organizacional como treinamento da sensibilidade, formação de equipes e levantamento de feedback. O desenvolvimento organizacional é um processo de longo prazo, que objetiva aperfeiçoar as capacidades e motivações dos colaboradores. O desenvolvimento inclui, além do treinamento, a carreira e outras experiências. Podem ser considerados objetivos intermediários do desenvolvimento: a melhoria da eficiência organizacional; melhoria da qualidade de vida no trabalho; melhoria da direção e na gestão de mudanças; melhoria na integração das metas das pessoas com as da organização (GASALLA, 1996).

14 6 Manutenção O quinto processo de administração de recursos humanos diz respeito ao controle, uma das funções administrativas descritas por Fayol, que, no caso de RH dáse através da monitoração de recursos humanos. A monitoração, de acordo com Chiavenato (2002) acontece com a execução de subprocessos chamados de Controle, Banco de dados e Sistema de Informações e Auditoria de recursos humanos. 6.1 Controle O processo de controle busca verificar se as diferentes áreas da organização estão trabalhando de acordo com o previsto, ou seja, se as atividades estão sendo executadas dentro do planejado de modo a assegurar a busca pelos objetivos organizacionais. Segundo Chiavenato (2002), o controle é a ação que ajusta as operações aos padrões predeterminados e sua base de ação é o feedback, visando assegurar se tudo ocorre conforme o planejamento adotado e os objetivos preestabelecidos, apontando erros e falhas para retificá-los e evitar sua reincidência. 6.2 Banco de dados e Sistemas de Informação O sistema de informação de uma empresa e seu banco de dados são considerados ferramentas fundamentais para um eficiente controle dos recursos humanos e organizacionais. Conforme descrito por Chiavenato (2009), tem por objetivo abastecer os responsáveis pela administração do RH, de informações através de relatórios, documentos, índices e medidas estatísticas tornando-se informações importantes para tomadas de decisões e controle sobre a gestão de recursos humanos. Já na concepção dos autores Milkovich e Boudreau (2010) o sistema de informações de recursos humanos SIRH é um procedimento sistemático para coletar, armazenar, manter, recuperar e validar dados necessários a uma organização sobre

15 seus recursos humanos. O autor ainda salienta que o SIRH não precisa ser complexo nem informatizado. 6.3 Auditoria A auditoria busca analisar de forma detalhada, políticas e práticas de pessoal baseada em padrões de comparação, entre resultados e desempenho, com vistas a obter um eficiente sistema de avaliação e controle. Para Chiavenato (2002), o principal objetivo da auditoria é identificar as deficiências do funcionamento do programa desenvolvido. Para que a auditoria aconteça, as políticas, ou os padrões estabelecidos para desempenhar funções de acordo com os objetivos organizacionais servem de referência para a verificação dos resultados. Deste modo, quando o padrão foi atingindo, obteve-se um desempenho satisfatório, do contrário, o desempenho foi insatisfatório e deve ser analisado e corrigido. A auditoria pode ser realizada por um profissional contratado pela organização, como um consultor externo, ou pode ser realizada por funcionários da própria organização, através de equipes de auditoria, por exemplo. Pode ainda utilizar equipes e contratar consultor externo para orienta-las. Vale destacar que as fontes de informações para a auditoria de recursos humanos são provenientes dos próprios subsistemas de provisão, aplicação, manutenção, desenvolvimento e controle de administração de recursos humanos.

16 7 Referencias Bibliográficas MARRAS, J. P. Administração de Recursos Humanos: do operacional ao estratégico. 3. ed. São Paulo: Futura, FRANÇA, A. C. L. Práticas de Recursos Humanos PRH: conceitos, ferramentas e procedimentos. São Paulo: Atlas, GIL, A. C. Administração de recursos humanos. Um toque profissional. São Paulo: Atlas, CHIAVENATO, I. Gestão de Pessoas: o novo papel dos recursos humanos nas organizações. Rio de Janeiro: Campus, CHIAVENATO, Idalberto. Recursos humanos. 7. ed. São Paulo: Atlas, ROBBINS, Stephen P. Administração Mudanças e Perspectivas. São Paulo: Saraiva PASCHOAL, Luiz. Administração de cargos e salários: manual prático e novas metodologias. 3. edição. Rio de Janeiro: Qualitymark, TACHIZAWA, Takeshy; FERREIRA, Victor Cláudio Paradela; FORTUNA, Antonio Alfredo Mello. Gestão com pessoas: uma abordagem aplicada a estratégias de negócios. 3. ed. Rio de Janeiro: FGV, STONER, James A. F. Stoner; FREEMAN, R. Edward. Administração. 5. edição. Rio de Janeiro: LTC, GASALLA, J. M. Fábrica de talentos: técnicas para dirigir e desenvolver pessoas. São Paulo: Editora Gente, MILKOVICH, George T.; BOUDREAU, John W. Administração de recursos humanos. 1. ed. 8. reimpr. São Paulo SP. Ed. Atlas, 2010.

Administração de Pessoas

Administração de Pessoas Administração de Pessoas MÓDULO 5: ADMINISTRAÇÃO DE RECURSOS HUMANOS 5.1 Conceito de ARH Sem as pessoas e sem as organizações não haveria ARH (Administração de Recursos Humanos). A administração de pessoas

Leia mais

Os cinco subsistemas de Gestão de Pessoas

Os cinco subsistemas de Gestão de Pessoas Faculdade de Tecnologia Senac Goiás Os cinco subsistemas de Gestão de Pessoas Trabalho de Gestão de Pessoas Alunos: Nilce Faleiro Machado Goiânia,4 de dezembro de 2015 1 Sumário Capa...1 Sumário...2 Introdução...3

Leia mais

GESTÃO ESTRATÉGICA DE PESSOAS VOLTADA PARA RECRUTAMENTO E SELEÇÃO E CARGOS E SALÁRIOS.

GESTÃO ESTRATÉGICA DE PESSOAS VOLTADA PARA RECRUTAMENTO E SELEÇÃO E CARGOS E SALÁRIOS. GESTÃO ESTRATÉGICA DE PESSOAS VOLTADA PARA RECRUTAMENTO E SELEÇÃO E CARGOS E SALÁRIOS. BARBOSA, Roger Eduardo 1 Resumo Neste artigo analisaremos como o planejamento estratégico na gestão de pessoas nas

Leia mais

AS COMPETÊNCIAS EXIGIDAS PELO MERCADO DE TRABALHO COM BASE NO BANCO DE DADOS DA EMPRESA INOVAR ABRH. 1

AS COMPETÊNCIAS EXIGIDAS PELO MERCADO DE TRABALHO COM BASE NO BANCO DE DADOS DA EMPRESA INOVAR ABRH. 1 AS COMPETÊNCIAS EXIGIDAS PELO MERCADO DE TRABALHO COM BASE NO BANCO DE DADOS DA EMPRESA INOVAR ABRH. 1 PERUFO, Larissa 2 ;CATTELAN, Verônica Dalmolin 2 ; CANEDA, Ronald 2 ; NORO, GREICE 3 ; BRONZATTI,

Leia mais

SUBSISTEMAS DE RECURSOS HUMANOS

SUBSISTEMAS DE RECURSOS HUMANOS SUBSISTEMAS DE RECURSOS HUMANOS Costa Filho, Hercilio* 1 Marques, Clauber Antonio Ceolin ** ISSN 2178-5007 RESUMO Este estudo objetivou descrever os subsistemas de recursos humanos abordando seus principais

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2014 Ensino Técnico ETEC de São José do Rio Pardo Código: 150 Código: 150 Eixo Tecnológico: Gestão e Negócios Habilitação Profissional: Qualificação Técnica de Nível Médio de

Leia mais

RECRUTAMENTO E SELEÇÃO

RECRUTAMENTO E SELEÇÃO RECRUTAMENTO E SELEÇÃO Evandro Lubachoski (aluno, graduação, Administração, UNICENTRO), Geverson Grzeszczeszyn (Orientador DEADM/G), e-mail: geverson@ymail.com Pitanga - PR Universidade Estadual do Centro-Oeste/Setor

Leia mais

MOTIVAÇÃO: A MOLA PROPULSORA DA GESTÃO DE PESSOAS RESUMO

MOTIVAÇÃO: A MOLA PROPULSORA DA GESTÃO DE PESSOAS RESUMO MOTIVAÇÃO: A MOLA PROPULSORA DA GESTÃO DE PESSOAS RESUMO Considerando que o ser humano é formado por características de personalidade únicas e complexas, o seu comportamento no trabalho e em outros lugares,

Leia mais

GESTÃO DE PESSOAS. CESPE Prof. Marcelo Camacho

GESTÃO DE PESSOAS. CESPE Prof. Marcelo Camacho GESTÃO DE PESSOAS CESPE Prof. Marcelo Camacho PROGRAMAÇÃO DAS AULAS PROGRAMAÇÃO DAS AULAS OBJETIVOS, DESAFIOS E CARACTERÍSTICAS DA GESTÃO DE PESSOAS Segundo Chiavenato as práticas e políticas de Gestão

Leia mais

Disciplina: Rotinas de Departamento Pessoal. Prof. Robson Soares

Disciplina: Rotinas de Departamento Pessoal. Prof. Robson Soares Disciplina: Rotinas de Departamento Pessoal Prof. Robson Soares Capítulo 4 Aplicando Pessoas Na gestão de pessoas estudamos seis processos de administração de recursos humanos; processos de agregar pessoas,

Leia mais

Tendo o texto acima como referência inicial, julgue os itens a seguir.

Tendo o texto acima como referência inicial, julgue os itens a seguir. 1. A administração de recursos humanos, historicamente conhecida como administração de pessoal, lida com sistemas formais para administrar pessoas dentro da organização. A administração de recursos humanos

Leia mais

Exercícios CETEC. Assistente de Administração UFRGS. Prof. Ricardo Conzatti

Exercícios CETEC. Assistente de Administração UFRGS. Prof. Ricardo Conzatti Exercícios CETEC Assistente de Administração UFRGS 2013 Prof. Ricardo Conzatti FCC - TRF 2ª REGIÃO. Analista Judiciário 2012 Numa visão estratégica de recursos humanos, a soma dos conhecimentos, informações

Leia mais

O desempenho dos processos de recrutamento e seleção: um estudo de caso na Bambuí Bioenergia S/A.

O desempenho dos processos de recrutamento e seleção: um estudo de caso na Bambuí Bioenergia S/A. O desempenho dos processos de recrutamento e seleção: um estudo de caso na Bambuí Bioenergia S/A. Fábio Henrique CAMILO¹; Frederico Leocádio FERREIRA²; Helena Torres Gaitani MOTTA³; Jaqueline Bruno de

Leia mais

PROGRAMA. Disciplina: Administração de pessoal Código: ADM - 02174 Professor: Simone da Costa Fernandes Behr. Período: 2007/2

PROGRAMA. Disciplina: Administração de pessoal Código: ADM - 02174 Professor: Simone da Costa Fernandes Behr. Período: 2007/2 UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO Centro de Ciências Jurídicas e Econômicas Departamento de Administração Av. Fernando Ferrari, 514 - Campus Universitário - Goiabeiras CEP. 29075.910 -ES Brasil- Tel.

Leia mais

PLANEJAMENTO OPERACIONAL: RECURSOS HUMANOS E FINANÇAS MÓDULO 10

PLANEJAMENTO OPERACIONAL: RECURSOS HUMANOS E FINANÇAS MÓDULO 10 PLANEJAMENTO OPERACIONAL: RECURSOS HUMANOS E FINANÇAS MÓDULO 10 Índice 1. Regulamento, Procedimento e Programação em Recursos Humanos...3 2. Aprendizagem...3 3. Como melhorar a aprendizagem...5 4. Avaliação

Leia mais

DIVERSAS FORMAS DE AGREGAR VALOR AO SALÁRIO

DIVERSAS FORMAS DE AGREGAR VALOR AO SALÁRIO Tatiane Schmitt Pinto DIVERSAS FORMAS DE AGREGAR VALOR AO SALÁRIO RESUMO O presente artigo trata sobre o tema Diversas formas de agregar valor ao salário, onde buscou se os conceitos de diferentes formas

Leia mais

Gestão Estratégica de Pessoas

Gestão Estratégica de Pessoas Gestão Estratégica de Pessoas MBA FGV 1 Grandes Decisões sobre Pessoas Fatores que Garantem o Resultado As Tendências e Perspectivas de Gestão de Pessoas em Saúde Gestão de Pessoas e o Balanced Score Card

Leia mais

FACULDADE PITÁGORAS DISCIPLINA: FUNDAMENTOS DA ADMINISTRAÇÃO

FACULDADE PITÁGORAS DISCIPLINA: FUNDAMENTOS DA ADMINISTRAÇÃO FACULDADE PITÁGORAS DISCIPLINA: FUNDAMENTOS DA ADMINISTRAÇÃO Prof. Ms. Carlos José Giudice dos Santos carlos@oficinadapesquisa.com.br www.oficinadapesquisa.com.br Objetivos desta unidade: Ao final desta

Leia mais

UM ESTUDO SOBRE O INTERESSE DOS COLABORADORES EM SEGUIR CARREIRA PROFISSIONAL NAS LOJAS AMERICANAS EM MARINGÁ/PR

UM ESTUDO SOBRE O INTERESSE DOS COLABORADORES EM SEGUIR CARREIRA PROFISSIONAL NAS LOJAS AMERICANAS EM MARINGÁ/PR 25 a 28 de Outubro de 2011 ISBN 978-85-8084-055-1 UM ESTUDO SOBRE O INTERESSE DOS COLABORADORES EM SEGUIR CARREIRA PROFISSIONAL NAS LOJAS AMERICANAS EM MARINGÁ/PR Marcelo Cristian Vieira 1, Carolina Zavadzki

Leia mais

Recrutamento e Seleção

Recrutamento e Seleção Secretaria de Estado da Saúde Coordenadoria de Recursos Humanos OFICINA DE RECURSOS HUMANOS CRS Recrutamento e Seleção Data: 02 de maio de 2012 Local: CEFOR SP Responsável: Por que estamos aqui? Redes

Leia mais

O PROCESSO DE RECRUTAMENTO E SELEÇÃO DE PESSOAS PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS RESUMO

O PROCESSO DE RECRUTAMENTO E SELEÇÃO DE PESSOAS PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS RESUMO O PROCESSO DE RECRUTAMENTO E SELEÇÃO DE PESSOAS PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS RESUMO Aline Silveira Rolim 1 O presente trabalho tem como enfoque a apresentação do processo de recrutamento e seleção de

Leia mais

Faculdade de Ciências Sociais e Aplicadas de Petrolina - FACAPE Curso: Ciência da Computação Disciplina: Ambiente de Negócios e Marketing

Faculdade de Ciências Sociais e Aplicadas de Petrolina - FACAPE Curso: Ciência da Computação Disciplina: Ambiente de Negócios e Marketing Faculdade de Ciências Sociais e Aplicadas de Petrolina - FACAPE Curso: Ciência da Computação Disciplina: Ambiente de Negócios e Marketing Recursos Humanos cynaracarvalho@yahoo.com.br Conceitos A gestão

Leia mais

GERENCIAMENTO DE CONFLITO: ESTUDO DE CASO NO CAPRINOS CULINÁRIA REGIONAL. Anderson Augusto Farias de Goes, Rodrigo Guimarães anderson.goes@hotmail.

GERENCIAMENTO DE CONFLITO: ESTUDO DE CASO NO CAPRINOS CULINÁRIA REGIONAL. Anderson Augusto Farias de Goes, Rodrigo Guimarães anderson.goes@hotmail. GERENCIAMENTO DE CONFLITO: ESTUDO DE CASO NO CAPRINOS CULINÁRIA REGIONAL Anderson Augusto Farias de Goes, Rodrigo Guimarães anderson.goes@hotmail.com INTRODUÇÃO No respectivo trabalho, iremos abordar um

Leia mais

RECRUTAMENTO E SELEÇÃO DE PESSOAS

RECRUTAMENTO E SELEÇÃO DE PESSOAS RECRUTAMENTO E SELEÇÃO DE PESSOAS Guilherme Yuji FUKUMOTO 1 Gabriel Samorano MARINS 2 Roberta CAVALCANTE 3 RESUMO: Recrutamento e Seleção de Pessoal nada mais é que uma ferramenta funcional de todas as

Leia mais

Um breve histórico sobre a psicologia organizacional e as possíveis atuações do psicólogo nesta área.

Um breve histórico sobre a psicologia organizacional e as possíveis atuações do psicólogo nesta área. Um breve histórico sobre a psicologia organizacional e as possíveis atuações do psicólogo nesta área. A história da psicologia organizacional é uma criação do século XX, com seu inicio no final do século

Leia mais

PLANO DE CARGOS E SALÁRIOS METODOLOGIA E ANÁLISE DOS BENEFÍCIOS PARA A ORGANIZAÇÃO

PLANO DE CARGOS E SALÁRIOS METODOLOGIA E ANÁLISE DOS BENEFÍCIOS PARA A ORGANIZAÇÃO PLANO DE CARGOS E SALÁRIOS METODOLOGIA E ANÁLISE DOS BENEFÍCIOS PARA A ORGANIZAÇÃO Cecília, Pereira¹ Rosalina, Batista¹ Cruz, Paulo Emílio² RESUMO Através deste artigo iremos abordar de forma objetiva,

Leia mais

A CULTURA ORGANIZACIONAL PODE INFLUENCIAR NO PROCESSO DE AGREGAR PESSOAS

A CULTURA ORGANIZACIONAL PODE INFLUENCIAR NO PROCESSO DE AGREGAR PESSOAS A CULTURA ORGANIZACIONAL PODE INFLUENCIAR NO PROCESSO DE AGREGAR PESSOAS Juliana da Silva, RIBEIRO 1 Roberta Cavalcante, GOMES 2 Resumo: Como a cultura organizacional pode influenciar no processo de agregar

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO NOS SERVIÇOS PÚBLICOS RESUMO. Palavras-chave Avaliação de desempenho. Administração. Eficiência.

A IMPORTÂNCIA DA AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO NOS SERVIÇOS PÚBLICOS RESUMO. Palavras-chave Avaliação de desempenho. Administração. Eficiência. 1 A IMPORTÂNCIA DA AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO NOS SERVIÇOS PÚBLICOS Leandro Henrique Borges RESUMO O presente trabalho visa a importância da avaliação periódica de desempenho na administração pública para

Leia mais

CISD Centro Integrado de Soluções e Desenvolvimento Apoio:

CISD Centro Integrado de Soluções e Desenvolvimento Apoio: CISD Centro Integrado de Soluções e Desenvolvimento Apoio: Rádio Norte FM 104,9Mhz 1 2 Cursos Disponíveis: 1. Curso de Técnicas de Negociação e Vendas... 4 2. Motivação e Produtividade... 5 3. Curso de

Leia mais

Gestão de pessoas: revisão de conceitos

Gestão de pessoas: revisão de conceitos Glaucia Falcone Fonseca Chegamos ao final de nosso curso e vale a pena fazer uma retrospectiva sobre os principais aspectos da gestão de pessoas, algo tão importante no atual mundo do trabalho, caracterizado

Leia mais

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS 1 CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS EMENTÁRIO E BIBLIOGRAFIA DAS DISCIPLINAS 2014.1 BRUSQUE (SC) 2013 2 SUMÁRIO 1ª FASE... 3 01 FUNDAMENTOS EM SAÚDE E SEGURANÇA NO TRABALHO...

Leia mais

O processo envolve quatro questões básicas:

O processo envolve quatro questões básicas: Planejamento de RH O planejamento de recursos humanos coleta e utiliza informações para apoiar as decisões sobre os investimentos que devem ser feitos com atividades de RH O processo envolve quatro questões

Leia mais

PSICOLOGIA ORGANIZACIONAL E DO TRABALHO POT

PSICOLOGIA ORGANIZACIONAL E DO TRABALHO POT 1 PSICOLOGIA ORGANIZACIONAL E DO TRABALHO POT 2 ESSE CURSO FOI CRIADO E É PROMOVIDO PELA INSTITUIÇÃO Todos os Direitos Reservados 3 1 Origem da Psicologia Organizacional e do Trabalho 4 ORIGEM Desde os

Leia mais

Rita/João Abril -2014

Rita/João Abril -2014 Rita/João Abril -2014 Conteúdo Programático (Qui)10/04 Estratégia de gerenciamento de pessoas com foco em resultado e gestão por competências Rita (Qui)17/04 - Conceitos de liderança, equipes eficazes,

Leia mais

TÍTULO: TREINAMENTO PROFISSIONAL: FERRAMENTA EMPRESARIAL CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS SUBÁREA: ADMINISTRAÇÃO

TÍTULO: TREINAMENTO PROFISSIONAL: FERRAMENTA EMPRESARIAL CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS SUBÁREA: ADMINISTRAÇÃO Anais do Conic-Semesp. Volume 1, 2013 - Faculdade Anhanguera de Campinas - Unidade 3. ISSN 2357-8904 TÍTULO: TREINAMENTO PROFISSIONAL: FERRAMENTA EMPRESARIAL CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS

Leia mais

FACULDADE SETE DE SETEMBRO FASETE

FACULDADE SETE DE SETEMBRO FASETE PLANO DE CURSO 1. DADOS DE IDENTIFICAÇÃO Curso: Bacharelado em Administração Disciplina: Administração de Recursos Humanos I Professor: Salomão David Vergne Cardoso E-mail: salvergne@yahoo.com.br Código:

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2015. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2015. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2015 Ensino Técnico Etec: Gino Rezaghi Código: 191 Município: Cajamar Eixo Tecnológico: Gestão e Negócios Habilitação Profissional: TÉCNICO EM ADMINISTRAÇÃO Qualificação: AUXILIAR

Leia mais

GABARITO OFICIAL(preliminar)

GABARITO OFICIAL(preliminar) QUESTÃO RESPOSTA COMENTÁRIO E(OU) REMISSÃO LEGAL 051 A 052 A 053 A RECURSO Recrutar faz parte do processo de AGREGAR OU SUPRIR PESSOAS e é o ato de atrair candidatos para uma vaga (provisão). Treinar faz

Leia mais

FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE RONDÔNIA UNIR CAMPUS CACOAL DEPARTAMENTO ACADÊMICO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS DANIEL RODRIGUES DOS SANTOS

FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE RONDÔNIA UNIR CAMPUS CACOAL DEPARTAMENTO ACADÊMICO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS DANIEL RODRIGUES DOS SANTOS FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE RONDÔNIA UNIR CAMPUS CACOAL DEPARTAMENTO ACADÊMICO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS DANIEL RODRIGUES DOS SANTOS INFLUÊNCIA DAS POLÍTICAS DE RECURSOS HUMANOS NO ABSENTEÍSMO E ROTATIVIDADE

Leia mais

Recrutamento e Seleção de Pessoal

Recrutamento e Seleção de Pessoal Gestão de RH Prof. Roberto Huck Recrutamento e Seleção de Pessoal Roteiro da Teleaula 1.Conceito de Recrutamento; 2. As Fases do Recrutamento; 3.Avaliação do Processo de Recrutamento; 4.Conceito de Seleção;

Leia mais

Concurso: Recursos Humanos Aula 03 LEONARDO FERREIRA SENADO FEDERAL ADMINISTRADOR

Concurso: Recursos Humanos Aula 03 LEONARDO FERREIRA SENADO FEDERAL ADMINISTRADOR Concurso: SENADO FEDERAL ADMINISTRADOR Recursos Humanos Aula 03 LEONARDO FERREIRA Conteúdo Programático! Recursos Humanos Senado Federal! Recrutamento e Seleção. Avaliação Desempenho. Treinamento e Desenvolvimento.

Leia mais

Rotinas de DP- Professor: Robson Soares

Rotinas de DP- Professor: Robson Soares Rotinas de DP- Professor: Robson Soares Capítulo 2 Conceitos de Gestão de Pessoas - Conceitos de Gestão de Pessoas e seus objetivos Neste capítulo serão apresentados os conceitos básicos sobre a Gestão

Leia mais

DESEMPENHO 1 INTRODUÇÃO

DESEMPENHO 1 INTRODUÇÃO DESEMPENHO 1 INTRODUÇÃO Esta pesquisa tem como objetivo abordar o tema voltado para a avaliação do desempenho humano com os seguintes modelos: escalas gráficas, escolha forçada, pesquisa de campo, métodos

Leia mais

XI Semana de Extensão, Pesquisa e Pós-Graduação - SEPesq Centro Universitário Ritter dos Reis

XI Semana de Extensão, Pesquisa e Pós-Graduação - SEPesq Centro Universitário Ritter dos Reis - SEPesq PLANO DE TREINAMENTO E DESENVOLVIMENTO - TALENTOS E LIDERANÇAS EM UMA COOPERATIVA DE ELETRIFICAÇÃO RURAL Aline Regina Bohn Bacharela em Administração Faculdade Três de Maio SETREM E-mail: aline.bohn@yahoo.com.br

Leia mais

RECRUTAMENTO E SELEÇÃO: RECURSOS HUMANOS DESENVOLVENDO O CAPITAL HUMANO CONSCRIPTION AND SELECTION: HUMAN RESOURCES DEVELOPING THE HUMAN CAPITAL

RECRUTAMENTO E SELEÇÃO: RECURSOS HUMANOS DESENVOLVENDO O CAPITAL HUMANO CONSCRIPTION AND SELECTION: HUMAN RESOURCES DEVELOPING THE HUMAN CAPITAL RECRUTAMENTO E SELEÇÃO: RECURSOS HUMANOS DESENVOLVENDO O CAPITAL HUMANO CONSCRIPTION AND SELECTION: HUMAN RESOURCES DEVELOPING THE HUMAN CAPITAL Fabiana Custódio e Silva * Murilo Sérgio Vieira Silva **

Leia mais

CURSO: GESTÃO ESTRATÉGICA DE PESSOAS

CURSO: GESTÃO ESTRATÉGICA DE PESSOAS CURSO: GESTÃO ESTRATÉGICA DE PESSOAS INTRODUÇÃO Repousa nas mãos dos profissionais do setor de gente e gestão (GG), antigo setor de recursos humanos (RH), a responsabilidade de cuidar da maior riqueza

Leia mais

UNIVERSIDADE CÃNDIDO MENDES PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS

UNIVERSIDADE CÃNDIDO MENDES PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS UNIVERSIDADE CÃNDIDO MENDES PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS O PROCESSO DE RECRUTAMENTO E SELEÇÃO NAS ORGANIZAÇÕES Por: Estela Maria Morais dos Santos Orientador: Luiz Cláudio Lopes

Leia mais

Descrição dos processos de treinamento e sua importância

Descrição dos processos de treinamento e sua importância Descrição dos processos de treinamento e sua importância Alisson Henrique Silva¹; Jaqueline Nascimento da Silva²; Lorena Coutinho Rodrigues³; Cleiton Magela Luz 4 ; Márcio Rezende Santos 5 (1) Estudante

Leia mais

ISO 14004:2004. ISO14004 uma diretriz. Os princípios-chave ISO14004. Os princípios-chave

ISO 14004:2004. ISO14004 uma diretriz. Os princípios-chave ISO14004. Os princípios-chave ISO14004 uma diretriz ISO 14004:2004 Sistemas de Gestão Ambiental, Diretrizes Gerais, Princípios, Sistema e Técnicas de Apoio Prof.Dr.Daniel Bertoli Gonçalves FACENS 1 Seu propósito geral é auxiliar as

Leia mais

UMA PERSPECTIVA SOBRE A IMPORTÂNCIA DO ESTUDO DE RECURSOS HUMANOS NA GRADUAÇÃO EM FARMÁCIA PARA ADMINISTRAR FARMÁCIAS E DROGARIAS

UMA PERSPECTIVA SOBRE A IMPORTÂNCIA DO ESTUDO DE RECURSOS HUMANOS NA GRADUAÇÃO EM FARMÁCIA PARA ADMINISTRAR FARMÁCIAS E DROGARIAS 1 UMA PERSPECTIVA SOBRE A IMPORTÂNCIA DO ESTUDO DE RECURSOS HUMANOS NA GRADUAÇÃO EM FARMÁCIA PARA ADMINISTRAR FARMÁCIAS E DROGARIAS COSTA, Rafaela da Silva (UNITRI, Correspondência: rafaelacosta.bio@gmail.com)

Leia mais

A Gestão de Pessoas: Um estudo em micros e pequenas empresas da Indústria de Transformação da região do Médio-Alto-Uruguai do Rio Grande do Sul

A Gestão de Pessoas: Um estudo em micros e pequenas empresas da Indústria de Transformação da região do Médio-Alto-Uruguai do Rio Grande do Sul A Gestão de Pessoas: Um estudo em micros e pequenas empresas da Indústria de Transformação da região do Médio-Alto-Uruguai do Rio Grande do Sul Maira Fátima Pizolotto 1 ISSN 1518-4342 REFERÊNCIA deste

Leia mais

Relatório Percepção das Consultoras acerca do cenário e práticas de Gestão de Pessoas (RH) do Tribunal de Contas

Relatório Percepção das Consultoras acerca do cenário e práticas de Gestão de Pessoas (RH) do Tribunal de Contas Relatório Percepção das Consultoras acerca do cenário e práticas de Gestão de Pessoas (RH) do Tribunal de Contas (Produto 2) TRIBUNAL DE CONTAS DOS MUNICÍPIOS DO ESTADO DA BAHIA PROGRAMA DE MODERNIZAÇÃO

Leia mais

4. Tendências em Gestão de Pessoas

4. Tendências em Gestão de Pessoas 4. Tendências em Gestão de Pessoas Em 2012, Gerenciar Talentos continuará sendo uma das prioridades da maioria das empresas. Mudanças nas estratégias, necessidades de novas competências, pressões nos custos

Leia mais

RECONHECIMENTO, OPORTUNIDADES E AUTONOMIA COMO FATOR MOTIVACIONAL. UM ESTUDO DE CASO NA EMPRESA MARF.

RECONHECIMENTO, OPORTUNIDADES E AUTONOMIA COMO FATOR MOTIVACIONAL. UM ESTUDO DE CASO NA EMPRESA MARF. RECONHECIMENTO, OPORTUNIDADES E AUTONOMIA COMO FATOR MOTIVACIONAL. UM ESTUDO DE CASO NA EMPRESA MARF. Danilo Domingos Gonzales Simão 1 Fábio Augusto Martins Pereira 2 Gisele Maciel de Lima 3 Jaqueline

Leia mais

Centro Universitário de Caratinga - UNEC Pós-Graduação Lato sensu Recursos Humanos com Responsabilidade Social

Centro Universitário de Caratinga - UNEC Pós-Graduação Lato sensu Recursos Humanos com Responsabilidade Social Centro Universitário de Caratinga - UNEC Pós-Graduação Lato sensu Recursos Humanos com Responsabilidade Social TREINAMENTO E DESENVOLVIMENTO DE PESSOAS: FERRAMENTA PARA ALCANÇAR OS OBJETIVOS ORGANIZACIONAIS

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO GERAL GESTÃO DO DESEMPENHO

ADMINISTRAÇÃO GERAL GESTÃO DO DESEMPENHO ADMINISTRAÇÃO GERAL GESTÃO DO DESEMPENHO Atualizado em 30/12/2015 GESTÃO DE DESEMPENHO A gestão do desempenho constitui um sistemático de ações que buscam definir o conjunto de resultados a serem alcançados

Leia mais

Administração Central Unidade de Ensino Médio e Técnico - CETEC. Ensino Técnico

Administração Central Unidade de Ensino Médio e Técnico - CETEC. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2013 Ensino Técnico ETEC Paulino Botelho Código: 091 Município: São Carlos Eixo Tecnológico: Gestão em Negócios Habilitação Profissional: Técnica de Nível Médio de Técnico em

Leia mais

ÍNDICE 3. ABORDAGEM CONCEITUAL DO MODELO DE GESTÃO DO DESEMPENHO

ÍNDICE 3. ABORDAGEM CONCEITUAL DO MODELO DE GESTÃO DO DESEMPENHO ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO 2. GLOSSÁRIO DE TERMINOLOGIAS ADOTADAS 3. ABORDAGEM CONCEITUAL DO MODELO DE GESTÃO DO DESEMPENHO 4. OBJETIVOS DA GESTÃO DO DESEMPENHO 5. BENEFÍCIOS ESPERADOS DO MODELO 6. DIRETRIZES

Leia mais

CURSO DE TECNOLOGIA EM GESTÃO DE RH

CURSO DE TECNOLOGIA EM GESTÃO DE RH 1/1 CURSO DE TECNOLOGIA EM GESTÃO DE RH Todas as disciplinas do curso de Tecnologia em Gestão de Recursos Humanos têm como critério para aprovação, em conformidade com o capítulo V do regimento escolar:

Leia mais

Palavras-chaves: Recrutamento e seleção, rotatividade de pessoal.

Palavras-chaves: Recrutamento e seleção, rotatividade de pessoal. RECRUTAMENTO E SELEÇÃO NA CONTRATAÇÃO DE NOVAS PESSOAS: meios para diminuição da rotatividade de funcionários Carla Leticia Souza Orientador: ProfºDnd. Augusto Aparecido Mazier. Resumo: o objetivo deste

Leia mais

Promotores AEDIN - Associação de Empresas do distrito Industrial de Santa Cruz. FACULDADE MACHADO DE ASSIS CELERA CONSULTORIA E TREINAMENTO LTDA

Promotores AEDIN - Associação de Empresas do distrito Industrial de Santa Cruz. FACULDADE MACHADO DE ASSIS CELERA CONSULTORIA E TREINAMENTO LTDA UNIVERSIDADE COOPERATIVA Promotores AEDIN - Associação de Empresas do distrito Industrial de Santa Cruz. FACULDADE MACHADO DE ASSIS CELERA CONSULTORIA E TREINAMENTO LTDA Educação Empresarial - Treinamento

Leia mais

RECURSOS HUMANOS COMO FATOR DE EFICÁCIA ORGANIZACIONAL

RECURSOS HUMANOS COMO FATOR DE EFICÁCIA ORGANIZACIONAL RECURSOS HUMANOS COMO FATOR DE EFICÁCIA ORGANIZACIONAL Por quê o lado humano dos negócios está emergindo como uma indispensável vantagem competitiva? Era Industrial Taylor e Fayol Era do Conhecimento Tecnologia

Leia mais

Remuneração e Avaliação de Desempenho

Remuneração e Avaliação de Desempenho Remuneração e Avaliação de Desempenho Objetivo Apresentar estratégias e etapas para implantação de um Modelo de Avaliação de Desempenho e sua correlação com os programas de remuneração fixa. Programação

Leia mais

Educação Continuada em Enfermagem

Educação Continuada em Enfermagem Administração em Enfermagem II Departamento de Orientação Profissional Educação Continuada em Enfermagem VERA LUCIA MIRA GONÇALVES SUJEITO Organização Objetivos Expectativas Indivíduo Modernização das

Leia mais

UNIVERSIDADE PAULISTA GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM TREINAMENTO E DESENVOLVIMENTO DE PESSOAS

UNIVERSIDADE PAULISTA GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM TREINAMENTO E DESENVOLVIMENTO DE PESSOAS UNIVERSIDADE PAULISTA GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM TREINAMENTO E DESENVOLVIMENTO DE PESSOAS Prof. Cassimiro Nogueira Junior PESSOAS CAPITAL HUMANO CAPITAL INTELECTUAL GRAU DE CONHECIMENTO: PRODUTIVOS E RECONHECIDOS

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2014 Ensino Técnico ETECPAULINO BOTELHO Código: 091 Município: São Carlos Eixo Tecnológico: Gestão e Negócios Habilitação Profissional: Técnica de Nível Médio de Auxiliar Administrativo

Leia mais

Responda as questões que orientam o sucesso na disciplina via web. Gestão de Pessoas. Qual o objetivo da disciplina?

Responda as questões que orientam o sucesso na disciplina via web. Gestão de Pessoas. Qual o objetivo da disciplina? Responda as questões que orientam o sucesso na disciplina via web Quem é a professora responsável? Qual o objetivo da disciplina? Como estudar e obter nota para aprovação? Qual é a bibliografia básica?

Leia mais

DESCRIÇÃO DAS PRÁTICAS DE GESTÃO DA INICIATIVA

DESCRIÇÃO DAS PRÁTICAS DE GESTÃO DA INICIATIVA DESCRIÇÃO DAS PRÁTICAS DE GESTÃO DA INICIATIVA Como é sabido existe um consenso de que é necessário imprimir qualidade nas ações realizadas pela administração pública. Para alcançar esse objetivo, pressupõe-se

Leia mais

TREINAMENTO E DESENVOLVIMENTO ORGANIZACIONAL, UMA FERRAMENTA NAS EMPRESAS ATUAIS.

TREINAMENTO E DESENVOLVIMENTO ORGANIZACIONAL, UMA FERRAMENTA NAS EMPRESAS ATUAIS. TREINAMENTO E DESENVOLVIMENTO ORGANIZACIONAL, UMA FERRAMENTA NAS EMPRESAS ATUAIS. Paula Almeida Ribeiro Leite 1 Tereza Cristina Carneiro Lott 2 Resumo O presente artigo apresenta os conhecimentos teóricos

Leia mais

Organização da Aula. Gestão de Recursos Humanos. Aula 5. Contextualização. Captação de Pessoas. Captação de pessoas: recrutamento e seleção

Organização da Aula. Gestão de Recursos Humanos. Aula 5. Contextualização. Captação de Pessoas. Captação de pessoas: recrutamento e seleção Gestão de Recursos Humanos Aula 5 Profa. Me. Ana Carolina Bustamante Organização da Aula Captação de pessoas: recrutamento e seleção Empregabilidade Estratégias de recrutamento e seleção Processos de orientação

Leia mais

ELES NÃO QUEREM SÓ COMIDA, ELES QUEREM COMIDA, DIVERSÃO, ARTE E DESENVOLVIMENTO PROFISSIONAL

ELES NÃO QUEREM SÓ COMIDA, ELES QUEREM COMIDA, DIVERSÃO, ARTE E DESENVOLVIMENTO PROFISSIONAL ELES NÃO QUEREM SÓ COMIDA, ELES QUEREM COMIDA, DIVERSÃO, ARTE E DESENVOLVIMENTO PROFISSIONAL CRISTIANI ANDRADE DE OLIVEIRA FAVORETTI PROF. Ms. ROSANY SCARPATI RIGUETTI TECNOLOGIA EM GESTÃO DE RECURSOS

Leia mais

Treinamento. Roteiro da Teleaula. Roteiro da Teleaula. Gestão de RH. Prof: Roberto Huck

Treinamento. Roteiro da Teleaula. Roteiro da Teleaula. Gestão de RH. Prof: Roberto Huck Gestão de RH Prof: Roberto Huck Treinamento Roteiro da Teleaula 1. Cenário atual; 2. Conceito de Treinamento e Desenvolvimento; 3. Desenvolvimento de Pessoas e Desenvolvimento Organizacional; 4. Mútuo

Leia mais

Resultados, Sustentabilidade, Desempenho, Foco. Sim, sabemos que a sua organização quer chegar lá. Mas você sabe o melhor caminho?

Resultados, Sustentabilidade, Desempenho, Foco. Sim, sabemos que a sua organização quer chegar lá. Mas você sabe o melhor caminho? Resultados, Sustentabilidade, Desempenho, Foco. Sim, sabemos que a sua organização quer chegar lá. Mas você sabe o melhor caminho? Nossa Empresa A MasterQual é uma consultoria brasileira que tem como principal

Leia mais

Indicadores de Desempenho Conteúdo

Indicadores de Desempenho Conteúdo Indicadores de Desempenho Conteúdo Importância da avaliação para a sobrevivência e sustentabilidade da organização O uso de indicadores como ferramentas básicas para a gestão da organização Indicadores

Leia mais

Gestão Estratégica de Recursos Humanos nas Empresas Familiares

Gestão Estratégica de Recursos Humanos nas Empresas Familiares Gestão Estratégica de Recursos Humanos nas Empresas Familiares Empresa Familiar É considerada Empresa Familiar, toda a organização empresarial ligada a uma família, por pelo menos duas gerações. A importância

Leia mais

Escola de Engenharia

Escola de Engenharia Unidade Universitária: Curso: Engenharia de Produção Disciplina: Gestão em Recursos Humanos Professor(es): Roberto Pallesi Carga horária: 4hs/aula por semana Escola de Engenharia DRT: 1140127 Código da

Leia mais

PROCESSOS SELETIVOS 1 OBJETIVO

PROCESSOS SELETIVOS 1 OBJETIVO PROCESSOS SELETIVOS 1 OBJETIVO Estabelecer a sistemática de recrutamento e seleção dos colaboradores de Unidades Educacionais e Departamento Regional do SENAC-RS, atendendo aos princípios da publicidade,

Leia mais

ANÁLISE DO TREINAMENTO SOBRE SISTEMAS INTEGRADOS NA ÁREA EDUCACIONAL

ANÁLISE DO TREINAMENTO SOBRE SISTEMAS INTEGRADOS NA ÁREA EDUCACIONAL ANÁLISE DO TREINAMENTO SOBRE SISTEMAS INTEGRADOS NA ÁREA EDUCACIONAL Andrey Carlos Passos andrey-passos@hotmail.com FATEC Dércia Antunes de Souza derciaantunes@uol.com.br FATEC Resumo:Este trabalho tem

Leia mais

PLANO DE CURSO. Ano / Semestre: 2014/01. Carga Horária Total: 60 h. CH Prática:

PLANO DE CURSO. Ano / Semestre: 2014/01. Carga Horária Total: 60 h. CH Prática: DISCIPLINA ADMINISTRAÇÃO DE RECURSOS HUMANO I Docente: GIOVANNA ROLIM DOS SANTOS Curso / Período: Ano / Semestre: 2014/01 Carga Horária Total: 60 h CH Teoria: CH Prática: 20 h 20 h Administração de Empresas

Leia mais

Práticas Inovadoras na Gestão de Pessoas: Pesquisa realizada em empresas representativas da Indústria da Construção Civil

Práticas Inovadoras na Gestão de Pessoas: Pesquisa realizada em empresas representativas da Indústria da Construção Civil Práticas Inovadoras na Gestão de Pessoas: Pesquisa realizada em empresas representativas da Indústria da Construção Civil RESUMO Este artigo aborda a gestão de pessoas em empreendimentos da Indústria da

Leia mais

PLANO DE ENSINO 2009

PLANO DE ENSINO 2009 PLANO DE ENSINO 2009 Fundamental I ( ) Fundamental II ( ) Médio ( ) Médio Profissionalizante ( ) Profissionalizante ( ) Graduação ( X ) Pós-graduação ( ) I. Dados Identificadores Curso ADMINISTRAÇÃO Disciplina

Leia mais

NOÇÕES DE ORGANIZAÇÃO E GESTÃO DE PESSOAS

NOÇÕES DE ORGANIZAÇÃO E GESTÃO DE PESSOAS NOÇÕES DE ORGANIZAÇÃO E GESTÃO DE PESSOAS Concurso para agente administrativo da Polícia Federal Profa. Renata Ferretti Central de Concursos NOÇÕES DE ORGANIZAÇÃO E GESTÃO DE PESSOAS 1. Organizações como

Leia mais

ANÁLISE DAS MELHORIAS OCORRIDAS COM A IMPLANTAÇÃO DO SETOR DE GESTÃO DE PESSOAS NA NOVA ONDA EM ARACATI CE

ANÁLISE DAS MELHORIAS OCORRIDAS COM A IMPLANTAÇÃO DO SETOR DE GESTÃO DE PESSOAS NA NOVA ONDA EM ARACATI CE ISBN 978-85-61091-05-7 Encontro Internacional de Produção Científica Cesumar 27 a 30 de outubro de 2009 ANÁLISE DAS MELHORIAS OCORRIDAS COM A IMPLANTAÇÃO DO SETOR DE GESTÃO DE PESSOAS NA NOVA ONDA EM ARACATI

Leia mais

It Introdução. Isto explica porque a área de pessoal é constituída de técnicas altamente flexíveis e adaptáveis.

It Introdução. Isto explica porque a área de pessoal é constituída de técnicas altamente flexíveis e adaptáveis. Indicadores d e Parâmetros de Gestão de Pessoas Prof. Po.D.Dja Dr. Djair Picchiai Pcc 08/2008 It Introdução Aá área de recursos humanos objetiva conquistar e manter na organização, profissionais trabalhando

Leia mais

Seja Bem-vindo(a)! Neste módulo vamos trabalhar os principais conceitos de gestão, mais especificamente o item 2 do edital: Gestão de Pessoas

Seja Bem-vindo(a)! Neste módulo vamos trabalhar os principais conceitos de gestão, mais especificamente o item 2 do edital: Gestão de Pessoas Seja Bem-vindo(a)! Neste módulo vamos trabalhar os principais conceitos de gestão, mais especificamente o item 2 do edital: Gestão de Pessoas AULA 2 Administração de Recursos Humanos O papel do gestor

Leia mais

QUALIDADE DE VIDA NO TRABALHO NA EMPRESA PLASVALE IND. DE PLÁSTICOS DO VALE LTDA

QUALIDADE DE VIDA NO TRABALHO NA EMPRESA PLASVALE IND. DE PLÁSTICOS DO VALE LTDA QUALIDADE DE VIDA NO TRABALHO NA EMPRESA PLASVALE IND. DE PLÁSTICOS DO VALE LTDA Fernanda Goedert 1 Mirian Magnus Machado 2 RESUMO A preocupação com o bem estar físico, mental e social das pessoas começa

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DO TREINAMENTO PARA AS ORGANIZAÇÕES

A IMPORTÂNCIA DO TREINAMENTO PARA AS ORGANIZAÇÕES 1 A IMPORTÂNCIA DO TREINAMENTO PARA AS ORGANIZAÇÕES RESUMO O objetivo geral deste artigo consiste em analisar a importância do treinamento dentro de uma empresa como estratégia para atingir os objetivos

Leia mais

PROF. ENF. HYGOR ELIAS

PROF. ENF. HYGOR ELIAS PROF. ENF. HYGOR ELIAS ADMINISTRAR É... ADMINISTRAÇÃO É O PROCESSO DE PLANEJAR, ORGANIZAR, DIRIGIR E CONTROLAR AS AÇÕES DE UMA EMPRESA/INSTITUIÇÃO/SERVIÇO A FIM DE ALCANÇAR SEUS OBJETIVOS. O enfermeiro

Leia mais

PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓCIO: 2010

PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓCIO: 2010 PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓCIO: 2010 Curso: Administração Disciplina: Planejamento Estratégico Carga Horária Semestral: 80 Semestre do Curso: 7 1 - Ementa (sumário, resumo) Conceitos de planejamento

Leia mais

Módulo 14 Treinamento e Desenvolvimento de Pessoas. 14.1. Treinamento é investimento

Módulo 14 Treinamento e Desenvolvimento de Pessoas. 14.1. Treinamento é investimento Módulo 14 Treinamento e Desenvolvimento de Pessoas 14.1. Treinamento é investimento O subsistema de desenvolver pessoas é uma das áreas estratégicas do Gerenciamento de Pessoas, entretanto em algumas organizações

Leia mais

GESTÃO DE PESSOAS CURSO DE APERFEIÇOAMENTO DE OFICIAIS DE SAÚDE-CAO/S 2011 GESTÃO ESTRATÉGICA DE PESSOAS. Instrutor Cap OZEAS FERREIRA

GESTÃO DE PESSOAS CURSO DE APERFEIÇOAMENTO DE OFICIAIS DE SAÚDE-CAO/S 2011 GESTÃO ESTRATÉGICA DE PESSOAS. Instrutor Cap OZEAS FERREIRA CURSO DE APERFEIÇOAMENTO DE OFICIAIS DE SAÚDE-CAO/S 2011 GESTÃO ESTRATÉGICA DE PESSOAS Instrutor Cap OZEAS FERREIRA ABORDAGEM GERAL SOBRE GESTÃO DE PESSOAS OBJETIVO DA DISCIPLINA A DISCIPLINA BUSCA DEMONSTRAR

Leia mais

1. METODOLOGIA APLICADA

1. METODOLOGIA APLICADA 1. METODOLOGIA APLICADA O propósito do planejamento pode ser definido como o desenvolvimento de processos, técnicas e atitudes administrativas que proporcionam uma situação viável de avaliar as implicações

Leia mais

PLANO DE CURSO Aprendizagem Industrial

PLANO DE CURSO Aprendizagem Industrial 1 - NOME DO CURSO em Telemarketing 2 ÁREA DO CURSO Gestão 3 TITULARIDADE PROFISSIONAL Operador de telemarketing 4 PERFIL PROFISSIONAL 4.a Perfil Profissional de Conclusão: Atender usuários, oferecer serviços

Leia mais

MANUAL DO CANDIDATO. Pós-graduação

MANUAL DO CANDIDATO. Pós-graduação MANUAL DO CANDIDATO Pós-graduação Prezado(a) Candidato(a), Agradecemos o interesse pelos nossos cursos. Este manual contém informações básicas pertinentes ao curso, tais como: objetivos do curso e das

Leia mais

Como planejar e executar um treinamento

Como planejar e executar um treinamento Como planejar e executar um treinamento Treinamento: uma breve conceituação Não há possibilidade de nos desenvolvermos economicamente e, consequentemente, elevarmos o nosso nível social, sem aumentarmos

Leia mais

PLANO DE CARGOS, REMUNERAÇÃO E CARREIRA - PCRC

PLANO DE CARGOS, REMUNERAÇÃO E CARREIRA - PCRC PLANO DE CARGOS, REMUNERAÇÃO E CARREIRA - PCRC DEZEMBRO DE 2013 1 Sumário 1 APRESENTAÇÃO... 3 2 CONCEITOS BÁSICOS... 4 3 OBJETIVO DO PCRC... 6 4 REFERENCIAIS ESTRATÉGICOS PARA FORMULAÇÃO DO PCRC... 7 5

Leia mais

OS DESAFIOS DA GESTÃO DE PESSOAS NO SETOR PÚBLICO(*)

OS DESAFIOS DA GESTÃO DE PESSOAS NO SETOR PÚBLICO(*) OS DESAFIOS DA GESTÃO DE PESSOAS NO SETOR PÚBLICO(*) Joilson Oliveira Malta Administrador público e Assistente técnico da Diretoria Legislativa da Câmara Municipal de Salvador Mat.2031 Este artigo tem

Leia mais

Questões de Concurso Público para estudar e se preparar... Prefeitura Olinda - Administrador. 1. Leia as afirmativas a seguir.

Questões de Concurso Público para estudar e se preparar... Prefeitura Olinda - Administrador. 1. Leia as afirmativas a seguir. Questões de Concurso Público para estudar e se preparar... Prefeitura Olinda - Administrador 1. Leia as afirmativas a seguir. I. O comportamento organizacional refere-se ao estudo de indivíduos e grupos

Leia mais

BSC Balance Score Card

BSC Balance Score Card BSC (Balance Score Card) BSC Balance Score Card Prof. Gerson gerson.prando@fatec.sp.gov.br Uma das metodologias mais visadas na atualidade éobalanced ScoreCard, criada no início da década de 90 por Robert

Leia mais

Módulo 9 A Avaliação de Desempenho faz parte do subsistema de aplicação de recursos humanos.

Módulo 9 A Avaliação de Desempenho faz parte do subsistema de aplicação de recursos humanos. Módulo 9 A Avaliação de Desempenho faz parte do subsistema de aplicação de recursos humanos. 9.1 Explicações iniciais A avaliação é algo que faz parte de nossas vidas, mesmo antes de nascermos, se não

Leia mais