Ministério da Educação Universidade Federal de São Paulo Campus Osasco Escola Paulista de Política, Economia e Negócios

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Ministério da Educação Universidade Federal de São Paulo Campus Osasco Escola Paulista de Política, Economia e Negócios"

Transcrição

1 Unidade Curricular Curso Relações Internacionais Sala: Unidade Curricular História das Relações Internacionais I 11 Ano letivo 2014 Série / Termo 2 Docente Responsável Prof. Dr. Rodrigo Medina Zagni Contatos Plantão: sala 39 (terças-feiras, das 19h às 23h) Sites: Monitores Nome Adriane Sauer Santos Nome Newton Pereira Conteúdo Programático Completo da Unidade Curricular Objetivo Geral Possibilitar ao aluno, a partir de leituras, análise crítica das fontes, discussões e produções textuais, o desenvolvimento de uma compreensão histórica acerca das transformações internacionais operadas no período moderno e nos primeiros ensaios da contemporaneidade. Com isso, temos um recorte cronológico que se inicia no séc. XV, com a expansão ultramarina e o empreendimento colonizador, até o séc. XIX, quando se operam as revoluções que fundam a era contemporânea. Enfocaremos, neste período, a consolidação do moderno sistema de Estados, o desenvolvimento e a consolidação do capitalismo histórico, a articulação, nas relações internacionais, entre uma gama variada de atores, dos movimentos sociais aos Estados-Nacionais. Objetivo Específico Avaliar o desenvolvimento das relações internacionais do final do século XV ao início do século XIX, dando ênfase à consolidação do moderno sistema de Estados, à constituição do capitalismo histórico, à construção dos Estados Nacionais e a ascensão dos movimentos nacionalistas. Ementa Estudo do desenvolvimento histórico das relações internacionais, das navegações do séc. XVI e da consolidação do moderno sistema de Estados, acordado em Vestefália, em 1648, às revoluções do séc. XIX que fundam a contemporaneidade; passando por três ciclos hegemônicos distintos nos processos de mundialização do capitalismo: um ciclo genovês, um ciclo holandês e um ciclo britânico, bem como por três períodos de caos sistêmico, dos quais decorrem duas guerras de larga envergadura e nas quais foram definidas as hegemonias posteriores: a Guerra dos Trinta Anos e as Guerras Napoleônicas. Com isso, trataremos criticamente de processos fundamentais na edificação da realidade contemporânea. Conteúdo Programático - 11/8 Apresentação da disciplina 1 18/8 Por uma História das Relações Internacionais

2 A pesquisa histórica e o subgênero da História das Relações Internacionais VIGEZZI, Brunello; Teóricos e historiadores das Relações Internacionais ; in: DUROSELLE, Jean-Baptiste. Todo império perecerá: teoria das Relações Internacionais. Brasília: UnB; São Paulo: Imprensa Oficial do Estado, 2000, pp MARTINS, Estevão de Rezende; História das relações internacionais ; in: CARDOSO, Ciro Flamarion; VAINFAS, Ronaldo. Novos domínios da História. Rio de Janeiro: Elsevier, 2012, pp SARAIVA, José Flávio Sombra; História das relações internacionais: o objeto de estudo e a evolução do conhecimento ; in: SARAIVA, José Flávio Sombra (org.). História das Relações Internacionais Contemporâneas: da sociedade internacional do século XIX à era da globalização. São Paulo: Saraiva, 2008, pp /8 O capitalismo histórico e o moderno sistema de Estados Os ciclos sistêmicos e hegemônicos do capitalismo O debate historiográfico sobre a gênese do sistema mundial Os processos de mundialização do capital e a construção do sistema de Estados ARRIGHI, Giovanni. O longo séc. XX. Rio de Janeiro: Contraponto; São Paulo: UNESP, 1996, pp ( As três hegemonias do capitalismo histórico ). BRAUDEL, Fernand. Civilização material, economia e capitalismo: séculos XV-XVIII O tempo do mundo. São Paulo: Martins Fontes, 2009, pp ( As divisões do espaço e do tempo na Europa ) MARX, Karl. O capital: crítica da Economia Política.Vol. 1. Livro 1. O processo de produção do capital. São Paulo: Nova Cultural, 1985, pp ( A assim chamada acumulação primitiva ) WALLERSTEIN, Immanuel. El moderno sistema mundial: la agricultura capitalista y los orígenes de la economía mundo europea em el siglo XVI. México: Siglo Veinteuno, 1979, pp. 7-18; ( Sobre el estúdio del cambio social ; Repaso teorico ) 3 1/9 Mercantilismo, Absolutismo e a natureza social dos Estados Modernos A política econômica mercantilista As linhagens do Estado Absolutista As teorias sobre a natureza social do Estado Moderno Transições entre economia feudal e pré-capitalismo ANDERSON, Perry. Linhagens do estado absolutista. São Paulo: Brasiliense, 2004, pp ( O Estado absolutista no Ocidente ; Classe e Estado: problemas de periodização ). HOBSBAWM, Eric J.; Uma nota sobre a História dos Preços ; in: SANTIAGO, Theo Araujo (org.). Capitalismo: Transição. São Paulo: Moraes, 2004, pp FALCON, Francisco. A época Pombalina: Política Econômica e monarquia ilustrada. São Paulo: Ática, 1982, pp ( O mercantilismo e sua época )

3 4 8/9 Expansão Ultramarina e Colonização A expansão ultramarina dos séculos XV ao XVII O ciclo genovês O ciclo holandês As potências ibéricas MOUSNIER, Roland. Os séculos XVI e XVII 2º Vol. A Europa e o mundo. História Geral das Civilizações. São Paulo: Difusão Européia do Livro, 1957, pp ( O contacto da Europa com o mundo ) ARRIGHI, Giovanni. O longo séc. XX. Rio de Janeiro: Contraponto; São Paulo: UNESP, 1996, pp ( A ascensão do capital ). LOVE, Ronald S. Maritime exploration in the age of discovery Westport; London: Greenwood Press, pp ( Portugal and the search for a sea route to Asia ; Spain and the discovery of a new world ) 5 15/9 A Europa do séc. XVII, a Guerra dos Trinta Anos e a ordem internacional de Vestefália A Guerra dos Trinta Anos ( ) O controle Habsburgo sobre a Europa Os atores estatais antes e durante a guerra O Tratado de Vestefália (1648) A nova ordem internacional PARKER, Geoffrey (ed.). La Guerra de los Treinta Años. Madri: A. Machado Libros, 2003, pp ( La guerra en el mito, la leyenda y la historia ) BOBBITT, Philip. A guerra e a paz na História Moderna: O impacto dos grandes conflitos e da política na formação das nações. Rio de Janeiro: Campus, 2003, pp ( A Paz de Vestfália ) HOBSBAWM, Eric; A crise geral da economia europeia no século XVII ; in: SANTIAGO, Theo (org.). Do feudalismo ao capitalismo: uma discussão histórica. São Paulo: Contexto, 1992, pp KENNEDY, Paul. Ascensão e queda das grandes potências: transformação econômica e conflito militar de 1500 a Rio de Janeiro: Campus, 1989, pp ( A tentativa de domínio dos Habsburgos, ) 6 22/9 A Revolução Inglesa A Dinastia Stuart e o absolutismo inglês A guerra civil da década de 1640 A Revolução Puritana A volta dos Stuarts e a Revolução Gloriosa HILL, Christopher. A Revolução Inglesa de Lisboa: Presença; São Paulo: Martins Fontes, 1977, pp ( A Revolução ) HILL, Christopher. Origens intelectuais da Revolução Inglesa. São Paulo: Martins Fontes, 1992, pp ( Introdução ) MORTON, A.L. A História do povo inglês. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1970, pp ( A Revolução Inglesa ) 7 29/9 A crise do Antigo Sistema Colonial e do Antigo Regime

4 A crise no sistema colonial em fins do séc. XVIII O pensamento econômico liberal O sistema Atlântico e as alianças em torno de Inglaterra e França NOVAIS, Fernando. Portugal e Brasil na crise do Antigo Sistema Colonial ( ). São Paulo: Hucitec, 1979, pp ( Concorrência colonial e tensões internacionais ) SMITH, Adam. A riqueza das nações. São Paulo: Nova Culturtal, 1988, pp ( As vantagens que a Europa auferiu da descoberta da América e da descoberta de uma passagem para as Índias Orientais através do cabo da Boa Esperança ). 8 6/10 A Revolução Industrial e a internacionalização do capitalismo A consolidação de uma burguesia industrial O adensamento do proletariado urbano Entrega dos trabalhos de pesquisa HOBSBAWM, Eric J. A era das revoluções Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2008, pp ( A Revolução Industrial ). BRAUDEL, Fernand. Civilização material, economia e capitalismo: séculos XV-XVIII O tempo do mundo. São Paulo: Martins Fontes, 2009, pp ( Revolução Industrial e crescimento ) DOBB, Maurice. A evolução do capitalismo. Rio de Janeiro: Zahar, 1971, pp ( A Revolução Industrial e o séc. XIX ). THOMPSON, E. P. A formação da classe operária inglesa I: a árvore da liberdade. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987, pp ( As fortalezas de Satanás ) /10 A independência dos Estados Unidos As guerras e o processo de independência As leis de ruptura e o novo país ZINN, Howard. La outra historia de los Estados Unidos. México: Siglo Veinteuno, 2008, pp ( La tiranía es la tiranía ; Casi una revolución ) MIDDLETON, Richard. A Guerra de Independência dos Estados Unidos da América. São Paulo: Madras, 2013, pp ; ( Grã-Bretanha e América dão início ao conflito, ; Conclusões e consequências ) WOOD, Gordon S. A Revolução Americana. Rio de Janeiro: Objetiva, 2013, pp ; ( Origens ; Resistência Americana ; Revolução ; Sociedade Republicana ) 20/10 A Revolução Francesa e o Império Napoleônico A Revolução Francesa O Império Francês e as Guerras Napoleônicas SOBOUL, Albert. A Revolução Francesa. Rio de Janeiro: DIFEL, 2007, pp ( Introdução ; Noventa e nove, revolução ou compromisso? ;

5 Noventa e três, república burguesa ou democracia popular? ; Noventa e cinco, liberalismo ou ditadura? ). HOBSBAWM, Eric J. A era das revoluções: Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2008, pp ( A Revolução Francesa ; A guerra ) RUDÉ, George. La multitud en la historia: estúdio de los distúrbios populares en Francia e Inglaterra Buenos Aires, México, Madri: Siglo Veinteuno, 1989, pp ( La Revolución Francesa: la revolta politica ) SOLÉ, Jacques. A Revolução Francesa em questões. Rio de Janeiro: Zahar, 1989, pp ; ( Uma vitória da burguesia? ; Uma lógica do terror? ) - 27/10 38º Encontro Anual da ANPOCS - 3/11 Congresso da UNIFESP /11 O Concerto Europeu: Restauração e Revolução O fim do Império Napoleônico O Congresso de Viena (1815) A Santa Aliança ( ) KISSINGER, Henry A. O mundo restaurado. Rio de Janeiro: José Olympio, 1973, pp ( O Congresso de Viena ). HOBSBAWM, Eric J. A era das revoluções: Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2008, pp ( A paz ; As revoluções ) 17/11 Os nacionalismos nas relações internacionais do séc. XIX Os movimentos nacionalistas na Europa e a dissolução dos grandes impérios ANDERSON, Benedict. Comunidades Imaginadas: reflexões sobre a origem e a difusão do nacionalismo. São Paulo: Cia. das Letras, 2008, pp ( Velhas línguas novos modelos ; Imperialismo e nacionalismo oficial ) DUROSELLE, Jean-Baptiste; RENOUVIN, Pierre. Introducción a la historia de las relaciones internacionales. México: Fondo de Cultura Económica, 2001, pp ( Los nacionalismos ) HOBSBAWM, Eric J. A era das revoluções Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2008, pp ("O nacionalismo"). SMITH, Anthony D. La identidad nacional. Madrid: Trama, 1997, pp ( La identidad nacional y otras identidades ) 24/11 As Revoluções de 1848 A Primavera dos Povos na Europa As revoluções, da França à Alemanha HOBSBAWM, Eric J. A era do capital Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2005, pp ("A Primavera dos Povos"). PALMADE, Guy (org.). La época de la burguesia. México: Siglo Veinteuno, 2000, pp ( Las revoluciones de 1848 ). ROSENBERG, Arthur. Democracia e socialismo. São Paulo: Global, 1986, pp ( A França em 1848 ; A derrota da revolução na Europa Central ; Por que a democracia fracassou em ? ) - 1/12 Prova final

6 - 8/12 Prova Substitutiva - 15/12 Exame especial Avaliação 1. Trabalho de pesquisa sobre um dos temas do curso e a partir de base informativa documental 50% 2. Prova escrita 50% Bibliografia Básica ANDERSON, Benedict. Comunidades Imaginadas: reflexões sobre a origem e a difusão do nacionalismo. São Paulo: Cia. das Letras, 2008 ANDERSON, Perry. Linhagens do estado absolutista. São Paulo: Brasiliense, 2004 ARRIGHI, Giovanni. O longo séc. XX. Rio de Janeiro: Contraponto; São Paulo: UNESP, 1996 ; SILVER, Beverly J. Caos e governabilidade no moderno sistema mundial. Rio de Janeiro: Contraponto / UFRJ, 2001 BETHELL, Leslie. História da América Latina: Da independência a 1870, vol. III. São Paulo; Brasília: EDUSP; Imprensa Oficial do Estado; Fundação Alexandre de Gusmão, 2001 BOBBITT, Philip. A guerra e a paz na História Moderna: o impacto dos grandes conflitos e da política na formação das nações. Rio de Janeiro: Campus, 2003 DOBB, Maurice. A evolução do capitalismo. Rio de Janeiro: Zahar, 1971 HILL, Christopher. A Revolução Inglesa de Lisboa: Presença; São Paulo: Martins Fontes, 1977 HOBSBAWM, Eric J. A era do capital Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2005 KISSINGER, Henry A. O mundo restaurado. Rio de Janeiro: José Olympio, 1973 NOVAIS, Fernando. Portugal e Brasil na crise do Antigo Sistema Colonial ( ). São Paulo: Hucitec, 1979 PARKER, Geoffrey (ed.). La Guerra de los Treinta Años. Madri: A. Machado Libros, 2003 SARAIVA, José Flávio Sombra (org.). História das Relações Internacionais Contemporâneas: da sociedade internacional do século XIX à era da globalização. São Paulo: Saraiva, 2008 SOBOUL, Albert. A Revolução Francesa. Rio de Janeiro: DIFEL, 2007 ZINN, Howard. La outra historia de los Estados Unidos. México: Siglo Veinteuno, 2008 Bibliografia Complementar BEER. Max. História do socialismo e das lutas sociais: da Antiguidade aos tempos modernos. Rio de Janeiro: Laemert, 1968 BRAUDEL, Fernand. Civilização material, economia e capitalismo: séculos XV-XVIII O tempo do mundo. São Paulo: Martins Fontes, CARDOSO, Ciro Flamarion; VAINFAS, Ronaldo. Novos domínios da História. Rio de Janeiro: Elsevier, CARDOSO, José Luís; CLUNY, Isabel; COSTA, Fernando Dores (et. al.). O Tratado de Methuen (1703). Lisboa: Livros Horizontes, 2003 CARR, Edward Hallet. O que é História? Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1996 COGGIOLA, Osvaldo; História e contemporaneidade. Entre Passado & Futuro Revista de História Contemporânea, São Paulo, n 1, maio/ 2002 CREVELD, Martin van. Ascensão e declínio do Estado. São Paulo: Martins Fontes, 2004 DUROSELLE, Jean-Baptiste. Todo império perecerá: teoria das Relações Internacionais. Brasília: UnB; São Paulo: Imprensa Oficial do Estado, A Europa de 1815 aos nossos dias. São Paulo: Pioneira, 1985 ; RENOUVIN, Pierre. Introducción a la historia de las relaciones internacionales. México: Fondo de Cultura Económica, 2001 FALCON, Francisco. A época Pombalina: Política Econômica e monarquia ilustrada. São Paulo: Ática, 1982 FAYARD, J.; FIERRO, A.; TULARD, J. História da Revolução Francesa. Lisboa: Livros do Brasil, 1989 FERNANDES, Luiz Estevam; KARNAL, Leandro; MORAIS, Marcus Vinícius; PURDY, Sean. História dos Estados Unidos: das origens ao século XXI. São Paulo: Contexto, 2008

7 GADDIS, John Lewis. El paisaje de la historia: como los historiadores representan el passado. Barcelona: Anagrama, 2004 HILL, Christopher. Origens intelectuais da Revolução Inglesa. São Paulo: Martins Fontes, O século das revoluções: São Paulo: UNESP, 2012 HOBSBAWM, Eric J. Os trabalhadores: Estudos sobre a História do Operariado. São Paulo: Paz e Terra, A era das revoluções Rio de Janeiro: Paz e Terra, Nações e nacionalismo: desde Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2011 KENNEDY, Paul. Ascensão e queda das grandes potências: transformação econômica e conflito militar de 1500 a Rio de Janeiro: Campus, 1989 LINEBAUGH, Peter; REDIKER, Marcus. A hidra de muitas cabeças: marinheiros, escravos, plebeus e a história oculta do Atlântico revolucionário. São Paulo: Companhia das Letras, 2008 MAGNOLI, Demetrio (org.). História das guerras. São Paulo: Contexto, 2006 MARSTON, Daniel. The Seven Years War. Oxford: Osprey Publishing, 2001 MARX, Karl. O capital: crítica da Economia Política.Vol. 1. Livro 1. O processo de produção do capital. São Paulo: Nova Cultural, 1985 MIDDLETON, Richard. A Guerra de Independência dos Estados Unidos da América. São Paulo: Madras, 2013 MORTON, A.L. A História do povo inglês. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1970 PALMADE, Guy (org.). La época de la burguesia. México: Siglo Veinteuno, 2000 ROSENBERG, Arthur. Democracia e socialismo. São Paulo: Global, 1986 RUDÉ, George. La multitud en la historia: estúdio de los distúrbios populares en Francia e Inglaterra Buenos Aires, México, Madri: Siglo Veinteuno, 1989 SANTIAGO, Theo (org.). Do feudalismo ao capitalismo: uma discussão histórica. São Paulo: Contexto, 1992 (org.). Capitalismo: Transição. São Paulo: Moraes, 2004 SCHAFF, Adam. História e verdade. São Paulo: Martins Fontes, 1995 SMITH, Adam. A riqueza das nações. São Paulo: Nova Culturtal, 1988 SMITH, Anthony D. La identidad nacional. Madrid: Trama, 1997 SOLÉ, Jacques. A Revolução Francesa em questões. Rio de Janeiro: Zahar, 1989 THOMPSON, E. P. A formação da classe operária inglesa I: a árvore da liberdade. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987 WALLERSTEIN, Immanuel. El moderno sistema mundial: la agricultura capitalista y los orígenes de la economía mundo europea en el siglo XVI. México: Siglo Veinteuno, 1979 WATSON, Adam. A evolução da sociedade internacional: uma análise histórica comparativa. Brasília: UnB, 2004 ZAGNI, Rodrigo Medina. A Era Joanina em Portugal: Paradigmas e contradições do absolutismo de Dom João V, da Guerra de Sucessão em Espanha ao Tratado de Madri. Jus Humanum. São Paulo, Vol. 1, n 1, Jul./Nov Metodologia s expositivas e dialogadas. Discussões coordenadas em sala. Participação em palestras, simpósios e conferências na área da História das Relações Internacionais. Estudos individuais (leituras e análises dirigidas de textos).

Ministério da Educação Universidade Federal de São Paulo Campus Osasco Escola Paulista de Política, Economia e Negócios

Ministério da Educação Universidade Federal de São Paulo Campus Osasco Escola Paulista de Política, Economia e Negócios Unidade Curricular Curso Relações Internacionais - Integral Unidade História das Relações Internacionais I Curricular Ano letivo 2013 Série / Termo 2 Docente Prof. Dr. Rodrigo Medina Zagni Responsável

Leia mais

Ministério da Educação Universidade Federal de São Paulo Campus Osasco Escola Paulista de Política, Economia e Negócios

Ministério da Educação Universidade Federal de São Paulo Campus Osasco Escola Paulista de Política, Economia e Negócios Unidade Curricular Curso Relações Internacionais Sala: Unidade Curricular História das Relações Internacionais I 106 História Moderna - Integral Ano letivo 2015 Série / Termo 2 Docente Responsável Prof.

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS. Unidade Universitária Cora Coralina CURSO DE HISTÓRIA

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS. Unidade Universitária Cora Coralina CURSO DE HISTÓRIA UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS UNIDADE UNIVERSITÁRIA - CIDADE DE GOIÁS Curso: HISTÓRIA Disciplina: História Moderna Habilitação: LICENCIATURA Carga Horária Total: 64 h/a anuais 2 h/a semanais Carga Horária

Leia mais

PLANO DE ENSINO. RECURSOS: Quadro, giz, referências bibliográficas, material digitado e data-show.

PLANO DE ENSINO. RECURSOS: Quadro, giz, referências bibliográficas, material digitado e data-show. UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS INSTITUTO DE CIÊNCIAS HUMANAS DEPARTAMENTO DE HISTÓRIA Licenciatura em História Disciplina: História Contemporânea I Semestre: 1º/2014 PLANO DE ENSINO EMENTA: Estudo das

Leia mais

Fl-1 SISTEMA COLÉGIO MILITAR DO BRASIL ENSINO FUNDAMENTAL ELABORADO EM 2002 HISTÓRIA 8ª SÉRIE CARGA HORÁRIA: 60 HORAS PLANO DE ÁREA DE ESTUDO (PLAEST)

Fl-1 SISTEMA COLÉGIO MILITAR DO BRASIL ENSINO FUNDAMENTAL ELABORADO EM 2002 HISTÓRIA 8ª SÉRIE CARGA HORÁRIA: 60 HORAS PLANO DE ÁREA DE ESTUDO (PLAEST) Fl-1 SISTEMA COLÉGIO MILITAR DO BRASIL ENSINO FUNDAMENTAL ELABORADO EM 20 HISTÓRIA 8ª SÉRIE CARGA HORÁRIA: 60 HORAS PLANO DE ÁREA DE ESTUDO (PLAEST) APROVADO PELO ADT BOL INTR / DEP Nr 053, DE 11 DE JULHO

Leia mais

História. baseado nos Padrões Curriculares do Estado de São Paulo

História. baseado nos Padrões Curriculares do Estado de São Paulo História baseado nos Padrões Curriculares do Estado de São Paulo 1 PROPOSTA CURRICULAR DA DISCIPLINA DE HISTÓRIA Middle e High School 2 6 th Grade A vida na Grécia antiga: sociedade, vida cotidiana, mitos,

Leia mais

CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA CELSO SUCKOW DA FONSECA

CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA CELSO SUCKOW DA FONSECA CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA CELSO SUCKOW DA FONSECA ENSINO MÉDIO ÁREA CURRICULAR: CIÊNCIAS HUMANAS E SUAS TECNOLOGIAS DISCIPLINA: HISTÓRIA SÉRIE 1.ª CH 68 ANO 2012 COMPETÊNCIAS:. Compreender

Leia mais

TÓPICO ESPECIAL: OS HISTORIADORES MARXISTAS BRITÂNICOS

TÓPICO ESPECIAL: OS HISTORIADORES MARXISTAS BRITÂNICOS TÓPICO ESPECIAL: OS HISTORIADORES MARXISTAS BRITÂNICOS Optativa/Carga Horária: 60hs Código: IM 1226 A disciplina analisa a produção dos historiadores oriundos do Partido Comunista Britânico e sua contribuição

Leia mais

COLÉGIO VICENTINO IMACULADO CORAÇÃO DE MARIA Educação Infantil, Ensino Fundamental e Médio Rua Rui Barbosa, 1324, Toledo PR Fone: 3277-8150

COLÉGIO VICENTINO IMACULADO CORAÇÃO DE MARIA Educação Infantil, Ensino Fundamental e Médio Rua Rui Barbosa, 1324, Toledo PR Fone: 3277-8150 COLÉGIO VICENTINO IMACULADO CORAÇÃO DE MARIA Educação Infantil, Ensino Fundamental e Médio Rua Rui Barbosa, 1324, Toledo PR Fone: 3277-8150 PLANEJAMENTO ANUAL DE HISTÓRIA 8º ANO PROFESSOR: MÁRCIO AUGUSTO

Leia mais

Total aulas previstas

Total aulas previstas ESCOLA BÁSICA 2/3 DE MARTIM DE FREITAS Planificação Anual de História do 7º Ano Ano Lectivo 2011/2012 LISTAGEM DE CONTEÚDOS TURMA Tema 1.º Período Unidade Aulas Previas -tas INTRODUÇÃO À HISTÓRIA: DA ORIGEM

Leia mais

Carga Horária Total: 105 hs (Práticas como Componentes Curriculares= 20 hs)

Carga Horária Total: 105 hs (Práticas como Componentes Curriculares= 20 hs) Plano de ensino História contemporânea I Disciplina: FLH0331 - História Contempôranea I Créditos Aula: 5 Créditos Trabalho: 1 Carga Horária Total: 105 hs (Práticas como Componentes Curriculares= 20 hs)

Leia mais

Unidade Curricular Curso Relações Internacionais Sala: Unidade História das Relações Internacionais II - Integral Curricular

Unidade Curricular Curso Relações Internacionais Sala: Unidade História das Relações Internacionais II - Integral Curricular Unidade Curricular Curso Relações Internacionais Sala: Unidade História das Relações Internacionais II - Integral Curricular 115 Ano letivo 2015 Série / Termo 3º Docente Prof. Dr. Rodrigo Medina Zagni

Leia mais

1º ano. 1º Bimestre. Revolução Agrícola Capítulo 1: Item 5 Egito - política, economia, sociedade e cultura - antigo império

1º ano. 1º Bimestre. Revolução Agrícola Capítulo 1: Item 5 Egito - política, economia, sociedade e cultura - antigo império Introdução aos estudos de História - fontes históricas - periodização Pré-história - geral - Brasil As Civilizações da Antiguidade 1º ano Introdução Capítulo 1: Todos os itens Capítulo 2: Todos os itens

Leia mais

1º ano. A reconquista ibérica e as grandes navegações Capítulo 10: Item 2 A revolução comercial Capítulo 12: Item 3 O Novo Mundo Capítulo 10: Item 2

1º ano. A reconquista ibérica e as grandes navegações Capítulo 10: Item 2 A revolução comercial Capítulo 12: Item 3 O Novo Mundo Capítulo 10: Item 2 1º ano O absolutismo e o Estado Moderno Capítulo 12: Todos os itens A reconquista ibérica e as grandes navegações Capítulo 10: Item 2 A revolução comercial Capítulo 12: Item 3 O Novo Mundo Capítulo 10:

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS UNIDADE UNIVERSITÁRIA DE CIÊNCIAS SÓCIO-ECONÔMICAS E HUMANAS DE ANÁPOLIS

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS UNIDADE UNIVERSITÁRIA DE CIÊNCIAS SÓCIO-ECONÔMICAS E HUMANAS DE ANÁPOLIS 1. EMENTA Análise das diferentes abordagens historiográficas acerca da transição das sociedades medievais européias ao capitalismo. Formação do Antigo Regime e surgimento do paradigma do homem moderno:

Leia mais

NSTITUTO DE ILOSOFIA & IÊNCIAS UMANAS CURSO DE GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS SOCIAIS - 16

NSTITUTO DE ILOSOFIA & IÊNCIAS UMANAS CURSO DE GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS SOCIAIS - 16 NSTITUTO DE ILOSOFIA & IÊNCIAS UMANAS CURSO DE GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS SOCIAIS - 16 2 o. Semestre de 2006 DISCIPLINA CÓDIGO / TURMA HZ942/A NOME Relações Internacionais PRÉ-REQUISITOS HZ341/ AA200 CARGA

Leia mais

História. Antigo regime, Estados nacionais e absolutismo

História. Antigo regime, Estados nacionais e absolutismo Antigo regime, Estados nacionais e absolutismo Índice Clique sobre tema desejado: A origem dos Estados Nacionais Contexto Histórico: crise feudal (séc. XIV-XVI) Idade Média Idade Moderna transição Sociedade

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA PORTARIA Nº 221, DE 26 DE JULHO DE 2011

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA PORTARIA Nº 221, DE 26 DE JULHO DE 2011 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA PORTARIA Nº 221, DE 26 DE JULHO DE 2011 O Presidente, Substituto, do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas

Leia mais

Escola Básica e Secundária das Lajes do Pico História e Geografia de Portugal 2º Ciclo Ano Lectivo 2007/2008

Escola Básica e Secundária das Lajes do Pico História e Geografia de Portugal 2º Ciclo Ano Lectivo 2007/2008 Escola Básica e Secundária das Lajes do Pico História e Geografia de Portugal 2º Ciclo Ano Lectivo 2007/2008 Conteúdos Ano Lectivo Período Lectivo Tema A-A península Ibérica: dos primeiros povos à formação

Leia mais

EUROPA NO SÉCULO XIX. http://historiaonline.com.br

EUROPA NO SÉCULO XIX. http://historiaonline.com.br EUROPA NO SÉCULO XIX A INGLATERRA NO SÉCULO XIX: Era Vitoriana (1837-1901): Hegemonia marítima inglesa. Fortalecimento do poder político da burguesia. Expansão da economia industrial 2ª Revolução Industrial.

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA DR. SOLANO DE ABREU ABRANTES. Análise de informação do manual. Filmes educativos

ESCOLA SECUNDÁRIA DR. SOLANO DE ABREU ABRANTES. Análise de informação do manual. Filmes educativos ESCOLA SECUNDÁRIA DR. SOLANO DE ABREU ABRANTES 3º C.E.B. DISCIPLINA: História ANO: 8º ANO LECTIVO 2010/2011 COMPETÊNCIAS CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS ACTIVIDADES ESTRATÉGIAS AULAS PREVISTAS INSTRUMENTOS DE

Leia mais

PLANO DE ENSINO DE HISTÓRIA 5ª. SÉRIE DO ENSINO FUNDAMENTAL 1º BIMESTRE

PLANO DE ENSINO DE HISTÓRIA 5ª. SÉRIE DO ENSINO FUNDAMENTAL 1º BIMESTRE PLANO DE ENSINO DE HISTÓRIA 5ª. SÉRIE DO ENSINO FUNDAMENTAL 1º BIMESTRE - Sistemas sociais e culturais de notação de tempo ao longo da história, - As linguagens das fontes históricas; - Os documentos escritos,

Leia mais

EDITAL DE CONTRATAÇÃO DE PROFESSOR HORISTA

EDITAL DE CONTRATAÇÃO DE PROFESSOR HORISTA EDITAL DE CONTRATAÇÃO DE PROFESSOR HORISTA 1) Sociologia II A Escola de Ciências Sociais / CPDOC da FGV-RJ informa a abertura de processo seletivo para a contratação de um professor horista para a disciplina

Leia mais

SÉCULO XIX NOVOS ARES NOVAS IDEIAS Aula: 43 e 44 Pág. 8 PROFª: CLEIDIVAINE 8º ANO

SÉCULO XIX NOVOS ARES NOVAS IDEIAS Aula: 43 e 44 Pág. 8 PROFª: CLEIDIVAINE 8º ANO SÉCULO XIX NOVOS ARES NOVAS IDEIAS Aula: 43 e 44 Pág. 8 PROFª: CLEIDIVAINE 8º ANO 1 - INTRODUÇÃO Séc. XIX consolidação da burguesia: ascensão do proletariado urbano (classe operária) avanço do liberalismo.

Leia mais

HISTÓRIA - 1 o ANO MÓDULO 55 O CONGRESSO DE VIENA E A SANTA ALIANÇA

HISTÓRIA - 1 o ANO MÓDULO 55 O CONGRESSO DE VIENA E A SANTA ALIANÇA HISTÓRIA - 1 o ANO MÓDULO 55 O CONGRESSO DE VIENA E A SANTA ALIANÇA Fixação 1) Em perfeita sintonia com o espírito restaurador do Congresso de Viena, a criação da Santa Aliança tinha por objetivo: a)

Leia mais

HISTÓRIA. SEGUNDA SÉRIE DO ENSINO MÉDIO Profº Msc. Givaldo Santos de Jesus REVOLUÇÕES INGLESAS DO SÉCULO XVII

HISTÓRIA. SEGUNDA SÉRIE DO ENSINO MÉDIO Profº Msc. Givaldo Santos de Jesus REVOLUÇÕES INGLESAS DO SÉCULO XVII HISTÓRIA SEGUNDA SÉRIE DO ENSINO MÉDIO Profº Msc. Givaldo Santos de Jesus REVOLUÇÕES INGLESAS DO SÉCULO XVII 1 - A Inglaterra no Início do Século XVII 1 - A Inglaterra no Início do Século XVII - A Dinastia

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA PORTARIA Nº 130, DE 7 DE AGOSTO DE 2008.

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA PORTARIA Nº 130, DE 7 DE AGOSTO DE 2008. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA PORTARIA Nº 130, DE 7 DE AGOSTO DE 2008. O Presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais

Leia mais

CONTEÚDOS OBJETIVOS METODOLOGIA AVALIAÇÃO

CONTEÚDOS OBJETIVOS METODOLOGIA AVALIAÇÃO PLANEJAMENTO SEMESTRAL Professor: Soely Aparecida Annes Disciplina: História Série: 3º ano 1º semestre Ano: 2013 CONTEÚDOS ESTRUTURANTES: RELAÇÕES DE PODER, RELAÇÕES DE TRABALHO E RELAÇÕES CULTURAIS CONTEÚDOS

Leia mais

Referências bibliográficas

Referências bibliográficas Referências bibliográficas Gabriel Terra Pereira SciELO Books / SciELO Livros / SciELO Libros PEREIRA, GT. A diplomacia da americanização de Salvador de Mendonça (1889-1898) [online]. São Paulo: Editora

Leia mais

NAPOLEÃO BONAPARTE. Pode-se dividir seu governo em três partes: Consulado (1799-1804) Império (1804-1815) Governo dos Cem Dias (1815)

NAPOLEÃO BONAPARTE. Pode-se dividir seu governo em três partes: Consulado (1799-1804) Império (1804-1815) Governo dos Cem Dias (1815) NAPOLEÃO BONAPARTE 1 Profª Adriana Moraes Destaca-se política e militarmente no Período Jacobino. DIRETÓRIO Conquistas militares e diplomáticas na Europa defesa do novo governo contra golpes. Golpe 18

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA COM 3º CICLO DE AMORA

ESCOLA SECUNDÁRIA COM 3º CICLO DE AMORA ESCOLA SECUNDÁRIA COM 3º CICLO DE AMORA Ano Letivo 2014/2015 I - AVALIAÇÃO: Escola Secundária com 3º Ciclo do Ensino Básico de Amora 1. Domínios de avaliação, parâmetros e ponderações I Domínio dos Conhecimentos

Leia mais

(1) HOBSBAWM, Eric. Sobre História. São Paulo: Companhia das Letras, 1998. Cap. 10: O que os historiadores devem a Karl Marx?

(1) HOBSBAWM, Eric. Sobre História. São Paulo: Companhia das Letras, 1998. Cap. 10: O que os historiadores devem a Karl Marx? UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS INSTITUTO DE CIÊNCIAS HUMANAS PLANO DE ENSINO DE TEORIAS DA HISTÓRIA II CURSO/SEMESTRE LICENCIATUTA EM HISTÓRIA 3º SEMESTRE DISCIPLINA TEORIAS DA HISTÓRIA II CARÁTER DA

Leia mais

EDITAL 01/2012DH 2011.2 SELEÇÃO PARA MONITOR DE ENSINO DEPARTAMENTO DE HISTÓRIA

EDITAL 01/2012DH 2011.2 SELEÇÃO PARA MONITOR DE ENSINO DEPARTAMENTO DE HISTÓRIA EDITAL 01/2012DH 2011.2 SELEÇÃO PARA MONITOR DE ENSINO DEPARTAMENTO DE HISTÓRIA A Direção do Departamento de História, no uso de suas atribuições, conferidas pela resolução CONSEPE 04/2001, torna público

Leia mais

Material de divulgação da Editora Moderna

Material de divulgação da Editora Moderna Material de divulgação da Editora Moderna Professor, nós, da Editora Moderna, temos como propósito uma educação de qualidade, que respeita as particularidades de todo o país. Desta maneira, o apoio ao

Leia mais

Agrupamento de Escolas Agualva-Mira Sintra Planificação anual 2013/2014

Agrupamento de Escolas Agualva-Mira Sintra Planificação anual 2013/2014 Agrupamento de Escolas Agualva-Mira Sintra Planificação anual 2013/2014 Departamento Curricular de Ciências Sociais e Humanas Disciplina de História Ano:8º Temas Conteúdos Conceitos E : Expansão e Mudança

Leia mais

Primeiro Semestre de 2008 Aulas: às segundas-feiras, das 16 às 20 horas EMENTA, PROGRAMA E BIBLIOGRAFIA. Ementa

Primeiro Semestre de 2008 Aulas: às segundas-feiras, das 16 às 20 horas EMENTA, PROGRAMA E BIBLIOGRAFIA. Ementa UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA UnB DEPARTAMENTO DE RELAÇÕES INTERNACIONAIS Programa de Pós-Graduação em Relações Internacionais Cursos de Mestrado e Doutorado em Relações Internacionais Disciplinas: Historiografia

Leia mais

AGRUPAMENTO VERTICAL DE ESCOLAS DE PINHEIRO ESCOLA BÁSICA E SECUNDÁRIA DE PINHEIRO

AGRUPAMENTO VERTICAL DE ESCOLAS DE PINHEIRO ESCOLA BÁSICA E SECUNDÁRIA DE PINHEIRO AGRUPAMENTO VERTICAL DE ESCOLAS DE PINHEIRO ESCOLA BÁSICA E SECUNDÁRIA DE PINHEIRO CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS - HISTÓRIA 8º Ano Turma A ANO LECTIVO 2011/2012 Disciplina 1º Período Nº de aulas previstas 38

Leia mais

3.360 H/AULA (*) CURRÍCULO PLENO/

3.360 H/AULA (*) CURRÍCULO PLENO/ MATRIZ CURRICULAR Curso: Graduação: Regime: Duração: HISTÓRIA LICENCIATURA PLENA SERIADO ANUAL 3 (TRÊS) ANOS LETIVOS Integralização: A) TEMPO TOTAL - MÍNIMO = 03 (TRÊS) ANOS LETIVOS - MÁXIMO = 05 (CINCO)

Leia mais

Quadro de conteúdos HISTÓRIA

Quadro de conteúdos HISTÓRIA Quadro de conteúdos HISTÓRIA 1 Apresentamos, a seguir, o conteúdo a ser trabalhado em cada período do segundo ciclo do Ensino Fundamental do 6º ao 9º ano. 6 o ano 1 A História e a humanidade 2 Sociedades

Leia mais

Espaço Geográfico (Tempo e Lugar)

Espaço Geográfico (Tempo e Lugar) Espaço Geográfico (Tempo e Lugar) Somos parte de uma sociedade, que (re)produz, consome e vive em uma determinada porção do planeta, que já passou por muitas transformações, trata-se de seu lugar, relacionando-se

Leia mais

Ministério da Educação Universidade Federal do Ceará Pró-Reitoria de Graduação PROGRAMA DE DISCIPLINA. 1. Curso: História 2.

Ministério da Educação Universidade Federal do Ceará Pró-Reitoria de Graduação PROGRAMA DE DISCIPLINA. 1. Curso: História 2. Ministério da Educação Universidade Federal do Ceará Pró-Reitoria de Graduação PROGRAMA DE DISCIPLINA 1. Curso: História 2. Código:36 3.Modalidade(s): Bacharelado X Licenciatura X Profissional Tecnólogo

Leia mais

CENTRO DE EDUCAÇÃO INTEGRADA Educando para o pensar Tema Integrador 2013 / Construindo o amanhã: nós agimos, o planeta sente CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS

CENTRO DE EDUCAÇÃO INTEGRADA Educando para o pensar Tema Integrador 2013 / Construindo o amanhã: nós agimos, o planeta sente CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS CENTRO DE EDUCAÇÃO INTEGRADA Educando para o pensar Tema Integrador 2013 / Construindo o amanhã: nós agimos, o planeta sente CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS CIÊNCIAS HUMANAS 3º ANO FILOSOFIA FILOSOFIA NA HISTÓRIA

Leia mais

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EIXO TECNOLÓGICO: INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO CURSO: Técnico em Informática FORMA/GRAU:( x) Integrado ( )subsequente ( ) concomitante ( ) bacharelado ( ) licenciatura ( ) tecnólogo

Leia mais

Autorizado pela Portaria nº 3.355 de 05/12/02 DOU de 06/12/02 PLANO DE CURSO

Autorizado pela Portaria nº 3.355 de 05/12/02 DOU de 06/12/02 PLANO DE CURSO C U R S O D E D I R E I T O Autorizado pela Portaria nº 3.355 de 05/12/02 DOU de 06/12/02 Componente Curricular: HISTÓRIA DO DIREITO Código: DIR 162 CH Total: 30 h Pré-Requisito: ----- Período Letivo:

Leia mais

Aprimoramento 3. parte 2. Prof. Osvaldo

Aprimoramento 3. parte 2. Prof. Osvaldo Aprimoramento 3 parte 2 Prof. Osvaldo 03. (UFPR) Leia os seguintes excertos da Magna Carta inglesa de 1215. 12 Nenhum imposto ou pedido será estabelecido no nosso reino sem o consenso geral. [...] que

Leia mais

TEMA E EXPANSÃO E MUDANÇA NOS SÉCULOS XV E XVI

TEMA E EXPANSÃO E MUDANÇA NOS SÉCULOS XV E XVI TEMA E EXPANSÃO E MUDANÇA NOS SÉCULOS XV E XVI 1. Expansionismo Europeu 1.1. Rumos da expansão 1.1.1. Os avanços da expansão e as rivalidades luso-castelhanas 1.1.2. A chegada à Índia e ao Brasil 1.2.

Leia mais

EXPANSÃO E COLAPSO DO CAPITALISMO

EXPANSÃO E COLAPSO DO CAPITALISMO EXPANSÃO E COLAPSO DO CAPITALISMO 2ªRevolução Industrial HOLDING TRUSTE CARTEL Empresas financeiras que controlam complexos industriais a partir da posse de suas ações. Formação de grandes conglomerados

Leia mais

PROGRAMA DA DISCIPLINA

PROGRAMA DA DISCIPLINA UPE Campus Petrolina PROGRAMA DA DSCPLNA Curso: Licenciatura Plena em História Disciplina: História Contemporânea Carga Horária: 60h/a Teórica: Prática: Semestre: 2013.2 Professora: Tatiana Silva de Lima

Leia mais

ENSINO MÉDIO - 2015 MATÉRIAS DE RECUPERAÇÃO FINAL 1ª série Língua Portuguesa Profa. Rosana. Pronomes e Verbo (tudo sobre).

ENSINO MÉDIO - 2015 MATÉRIAS DE RECUPERAÇÃO FINAL 1ª série Língua Portuguesa Profa. Rosana. Pronomes e Verbo (tudo sobre). REDE SAGRADO - COLÉGIO SAGRADO CORAÇÃO DE MARIA UBÁ - ANO 2015 Educação Infantil, Ensino Fundamental, Ensino Médio, Pré-Vestibular, Curso Técnico em Meio Ambiente Praça São Januário, 276 CEP:36500-000

Leia mais

O CAPITALISMO E A DIVISÃO INTERNACIONAL DO TRABALHO (DIT)

O CAPITALISMO E A DIVISÃO INTERNACIONAL DO TRABALHO (DIT) O CAPITALISMO E A DIVISÃO INTERNACIONAL DO TRABALHO (DIT) O capitalismo teve origem na Europa, entre os séculos XIII e XIV, com o renascimento urbano e comercial e o surgimento de uma nova classe social:

Leia mais

Guerra Civil (1642-1648)

Guerra Civil (1642-1648) Prof. Thiago Revolução Inglesa Governo Despótico de Carlos I (1625-1648) Petição de Direitos (1628) Exigência do Parlamento Cobrança do ship money em cidades do interior desobediência ao Parlamento Guerra

Leia mais

CRITÉRIOS ESPECÍFICOS DE AVALIAÇÃO

CRITÉRIOS ESPECÍFICOS DE AVALIAÇÃO CRITÉRIOS ESPECÍFICOS DE AVALIAÇÃO ( Aprovados em Conselho Pedagógico de 15 outubro de 2013 ) No caso específico da disciplina de História e Geografia de Portugal, do 6ºano de escolaridade, a avaliação

Leia mais

Durante. Utilize os conteúdos multimídia para ilustrar a matéria de outras formas.

Durante. Utilize os conteúdos multimídia para ilustrar a matéria de outras formas. Olá, Professor! Assim como você, a Geekie também tem a missão de ajudar os alunos a atingir todo seu potencial e a realizar seus sonhos. Para isso, oferecemos recomendações personalizadas de estudo, para

Leia mais

Sugestões de avaliação. História 8 o ano Unidade 4

Sugestões de avaliação. História 8 o ano Unidade 4 Sugestões de avaliação História 8 o ano Unidade 4 5 Nome: Data: Unidade 4 1. Analise a gravura e explique qual crítica ela revela. Gravura anônima do século XVIII. Biblioteca Nacional da França, Paris

Leia mais

Contexto. Galileu Galilei, René Descartes e Isaac Newton. Concepção racionalista do mundo Leis Naturais

Contexto. Galileu Galilei, René Descartes e Isaac Newton. Concepção racionalista do mundo Leis Naturais Revolução Científica do século XVII Galileu Galilei, René Descartes e Isaac Newton Concepção racionalista do mundo Leis Naturais Contexto Crise do Antigo Regime Questionamento dos privilégios do Clero

Leia mais

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular HISTÓRIA DIPLOMÁTICA DE PORTUGAL (MEDIEVAL E MODERNA) Ano Lectivo 2014/2015

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular HISTÓRIA DIPLOMÁTICA DE PORTUGAL (MEDIEVAL E MODERNA) Ano Lectivo 2014/2015 UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA Programa da Unidade Curricular HISTÓRIA DIPLOMÁTICA DE PORTUGAL (MEDIEVAL E MODERNA) Ano Lectivo 2014/2015 1. Unidade Orgânica Ciências Humanas e Sociais (1º Ciclo) 2. Curso

Leia mais

COLÉGIO ESTADUAL CESAR STANGE EFM.

COLÉGIO ESTADUAL CESAR STANGE EFM. COLÉGIO ESTADUAL CESAR STANGE EFM. PLANO DE TRABALHO DOCENTE - 2012 Professora: Ana Claudia Martins Ribas Disciplina: História - 8º ano -Fundamental 1º BIMESTRE Conteúdos Básicos: -Povos, Movimentos e

Leia mais

Autorizado pela Portaria nº 1.150 de 25/08/10 DOU Nº 165 de 27/08/10 PLANO DE CURSO

Autorizado pela Portaria nº 1.150 de 25/08/10 DOU Nº 165 de 27/08/10 PLANO DE CURSO C U R S O D E E N G E N H A R I A D E P R O D U Ç Ã O Autorizado pela Portaria nº 1.150 de 25/08/10 DOU Nº 165 de 27/08/10 Componente Curricular: Sociologia Código: ENGP-191 Pré-requisito: - Período Letivo:

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DA QUINTA DO CONDE Escola Básica Integrada/JI da Quinta do Conde. Departamento de Ciências Humanas e Sociais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DA QUINTA DO CONDE Escola Básica Integrada/JI da Quinta do Conde. Departamento de Ciências Humanas e Sociais HISTÓRIA E GEOGRAFIA DE PORTUGAL Distribuição dos tempos letivos disponíveis para o 5 º ano de escolaridade 1º Período 2º Período 3º Período *Início:15-21 de setembro 2015 *Fim:17 dezembro 2015 *Início:4

Leia mais

Superioridade ibérica nos mares

Superioridade ibérica nos mares 2.ª metade do século XVI Superioridade ibérica nos mares PORTUGAL Entre 1580 e 1620 ESPANHA Império Português do oriente entra em crise devido a Escassez de gentes e capitais Grande extensão dos domínios

Leia mais

INTEIRATIVIDADE FINAL CONTEÚDO E HABILIDADES DINÂMICA LOCAL INTERATIVA. Conteúdo: A Revolução Francesa

INTEIRATIVIDADE FINAL CONTEÚDO E HABILIDADES DINÂMICA LOCAL INTERATIVA. Conteúdo: A Revolução Francesa Conteúdo: A Revolução Francesa Habilidades: Reconhecer nas origens e consequências da Revolução Francesa de 1789, os elementos fundamentais da formação política e social contemporânea para a história contemporânea.

Leia mais

EXPANSÃO EUROPÉIA E CONQUISTA DA AMÉRICA

EXPANSÃO EUROPÉIA E CONQUISTA DA AMÉRICA EXPANSÃO EUROPÉIA E CONQUISTA DA AMÉRICA EXPANSÃO EUROPEIA E CONQUISTA DA AMÉRICA Nos séculos XV e XVI, Portugal e Espanha tomaram a dianteira marítima e comercial europeia, figurando entre as grandes

Leia mais

Ensino Técnico Integrado ao Médio FORMAÇÃO GERAL. Ensino Médio

Ensino Técnico Integrado ao Médio FORMAÇÃO GERAL. Ensino Médio Ensino Técnico Integrado ao Médio FORMAÇÃO GERAL Ensino Médio ETEC Professora Nair Luccas Ribeiro Código: 156 Município: TEODORO SAMPAIO Área de conhecimento: Ciências Humanas Componente Curricular: Historia

Leia mais

Cidade e desigualdades socioespaciais.

Cidade e desigualdades socioespaciais. Centro de Educação Integrada 3º ANO GEOGRAFIA DO BRASIL A Produção do Espaço Geográfico no Brasil nas economias colonial e primário exportadora. Brasil: O Espaço Industrial e impactos ambientais. O espaço

Leia mais

Curso: Estudos Sociais Habilitação em História. Ementas das disciplinas: 1º Semestre

Curso: Estudos Sociais Habilitação em História. Ementas das disciplinas: 1º Semestre Curso: Estudos Sociais Habilitação em História Ementas das disciplinas: 1º Semestre Disciplina: Introdução aos estudos históricos Carga horária semestral: 80 h Ementa: O conceito de História, seus objetivos

Leia mais

CONTEXTO HISTORICO E GEOPOLITICO ATUAL. Ciências Humanas e suas tecnologias R O C H A

CONTEXTO HISTORICO E GEOPOLITICO ATUAL. Ciências Humanas e suas tecnologias R O C H A CONTEXTO HISTORICO E GEOPOLITICO ATUAL Ciências Humanas e suas tecnologias R O C H A O capitalismo teve origem na Europa, nos séculos XV e XVI, e se expandiu para outros lugares do mundo ( Ásia, África,

Leia mais

Aula anterior... Revisão Geral de Conteúdo

Aula anterior... Revisão Geral de Conteúdo Aula anterior... Revisão Geral de Conteúdo Reveja esta aula em: http://www.joseferreira.com.br/blogs/sociologia/ Professor: Danilo Borges - Sociologia Aula de hoje... Aprofundamento do problema do trabalho

Leia mais

TEMA F.1 O IMPÉRIO PORTUGUÊS E A CONCORRÊNCIA INTERNACIONAL

TEMA F.1 O IMPÉRIO PORTUGUÊS E A CONCORRÊNCIA INTERNACIONAL TEMA F.1 O IMPÉRIO PORTUGUÊS E A CONCORRÊNCIA INTERNACIONAL A partir de meados do séc. XVI, o Império Português do Oriente entrou em crise. Que fatores contribuíram para essa crise? Recuperação das rotas

Leia mais

Revolução Francesa e Comuna de Paris: Reflexões na Educação Básica.

Revolução Francesa e Comuna de Paris: Reflexões na Educação Básica. Revolução Francesa e Comuna de Paris: Reflexões na Educação Básica. Alfredo Oscar Salun 1 Esta apresentação foi elaborada a partir da pesquisa realizada na produção do livro Revoluções e Tiranias: Temas

Leia mais

Construção do Espaço Africano

Construção do Espaço Africano Construção do Espaço Africano Aula 2 Colonização Para melhor entender o espaço africano hoje, é necessário olhar para o passado afim de saber de que forma aconteceu a ocupação africana. E responder: O

Leia mais

Cópia autorizada. II

Cópia autorizada. II II Sugestões de avaliação História 8 o ano Unidade 5 5 Unidade 5 Nome: Data: 1. Elabore um texto utilizando as palavras do quadro. França Napoleão Bonaparte Egito 18 Brumário guerra Constituição 2. Sobre

Leia mais

2a. prova Simulado 5 Dissertativo 27.09.06 HISTÓRIA INSTRUÇÕES PARA REALIZAÇÃO DO SIMULADO

2a. prova Simulado 5 Dissertativo 27.09.06 HISTÓRIA INSTRUÇÕES PARA REALIZAÇÃO DO SIMULADO Simulado 5 Padrão FUVEST Aluno: N o do Cursinho: Sala: HISTÓRIA INSTRUÇÕES PARA REALIZAÇÃO DO SIMULADO 1. Aguarde a autorização do fiscal para abrir o caderno de questões e iniciar a prova. 2. Duração

Leia mais

Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo FESPSP PROGRAMA DE DISCIPLINA

Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo FESPSP PROGRAMA DE DISCIPLINA 1 Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo FESPSP PROGRAMA DE DISCIPLINA No equilíbrio entre as várias partes do livro, dei maior peso à fase que se inicia nos fins do século XIX e vai até

Leia mais

O MUNDO MENOS SOMBRIO

O MUNDO MENOS SOMBRIO O MUNDO MENOS SOMBRIO Luiz Carlos Bresser-Pereira Jornal de Resenhas n.1, março 2009: 6-7. Resenha de José Luís Fiori, Carlos Medeiros e Franklin Serrano (2008) O Mito do Colapso do Poder Americano, Rio

Leia mais

A Organização da Aula

A Organização da Aula Curso: Ciências Sociais Prof. Ms: Edson Fasano Sociedade Capitalista: Revoluções Inglesas. A Organização da Aula 1º Bloco: A Inglaterra do século XVI; 2º Bloco: - A Revolução Puritana e Gloriosa; 3º Bloco:

Leia mais

PLANO DE CURSO. *Obs: alguns textos podem ser alterados durante o curso.

PLANO DE CURSO. *Obs: alguns textos podem ser alterados durante o curso. UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CENTRO DE CIÊNCIAS, HUMANS, LETRAS E ARTES PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM HISTÓRIA DISCIPLINA OPTATIVA: Tópicos Especiais em História Política: Trabalho, Política e Região

Leia mais

PROGRAMA DA DISCIPLINA

PROGRAMA DA DISCIPLINA UPE Campus Petrolina PROGRAMA DA DISCIPLINA Curso: Licenciatura em História Disciplina: Métodos e técnicas de pesquisa Histórica Carga Horária: 45h Teórica: 45h Prática: Semestre: 23.2 Professor: Reinaldo

Leia mais

A vinda da família real e o governo joanino no Brasil

A vinda da família real e o governo joanino no Brasil A vinda da família real e o governo joanino no Brasil A Europa no século XIX Napoleão realizou uma série de batalhas para a conquista de novos territórios para a França. O exército francês aumentou o número

Leia mais

PROGRAMA DAS DISCIPLINAS

PROGRAMA DAS DISCIPLINAS PROGRAMA DAS DISCIPLINAS PRODUÇÃO DE TEXTO O texto elaborado pelo candidato deve atender à situação de produção apresentada na prova, obedecendo para tanto à tipologia e ao gênero textual solicitados.

Leia mais

5.1 Planificação a médio prazo. 1. A Revolução Americana, uma revolução fundadora. 28 aulas

5.1 Planificação a médio prazo. 1. A Revolução Americana, uma revolução fundadora. 28 aulas 5.1 Planificação a médio prazo 28 aulas Conteúdos programáticos Segundo o Programa Oficial (março de 2001) TH11 Parte 2 (pp.) Saberes/Aprendizagens 1. A Revolução Americana, uma revolução fundadora 1.1.

Leia mais

o declínio do poder dos senhores feudais e as monarquias nacionais... 14

o declínio do poder dos senhores feudais e as monarquias nacionais... 14 SuMÁRIo UNIDADE I O ADVENTO DO MUNDO MODERNO: POLÍTICA E CULTURA... 12 Capítulo 1 o declínio do poder dos senhores feudais e as monarquias nacionais... 14 A fragmentação do poder na sociedade feudal...

Leia mais

Democracia ou Socialismo? Resumo

Democracia ou Socialismo? Resumo 1 Democracia ou Socialismo? Estudantes de graduação do 6 o. período do curso de História da UFV 1 Gustavo Bianch, Paulo Santana, Bolívar Dias Jr., Carlos Henrique de Oliveira, Luiz Fernando Lopes, João

Leia mais

A era dos impérios. A expansão colonial capitalista

A era dos impérios. A expansão colonial capitalista A era dos impérios A expansão colonial capitalista O século XIX se destacou pela criação de uma economia global única, caracterizado pelo predomínio do mundo industrializado sobre uma vasta região do planeta.

Leia mais

HISTÓRIA - MATERIAL COMPLEMENTAR OITAVO ANO ENSINO FUNDAMENTAL II PROF. ROSE LIMA

HISTÓRIA - MATERIAL COMPLEMENTAR OITAVO ANO ENSINO FUNDAMENTAL II PROF. ROSE LIMA HISTÓRIA - MATERIAL COMPLEMENTAR OITAVO ANO ENSINO FUNDAMENTAL II PROF. ROSE LIMA INDEPENDÊNCIA DO Colonização: espanhola até 1697, posteriormente francesa. Produção açucareira. Maioria da população:

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA INSTITUTO DE CIÊNCIAS HUMANAS DEPARTAMENTO DE GEOCIÊNCIAS

UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA INSTITUTO DE CIÊNCIAS HUMANAS DEPARTAMENTO DE GEOCIÊNCIAS 1) IDENTIFICAÇÃO: Disciplina: Formação Territorial do Brasil Carga Horária: 60 h UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA INSTITUTO DE CIÊNCIAS HUMANAS DEPARTAMENTO DE GEOCIÊNCIAS PROGRAMA DE DISCIPLINA Curso:

Leia mais

Pré-História (600.000-4.000 a.c)

Pré-História (600.000-4.000 a.c) Pré Exame História HISTÓRIA GERAL Pré-História (600.000-4.000 a.c) Paleolítico - fogo - nômades - coletores REVOLUÇÃO do NEOLÍTICO agricultura e pecuária Neolítico - roda - produtores - sedentários Idade

Leia mais

AS GRANDE NAVEGAÇÕES. Professora de História Maria José

AS GRANDE NAVEGAÇÕES. Professora de História Maria José AS GRANDE NAVEGAÇÕES Professora de História Maria José O desconhecido dá medo:os navegantes temiam ser devorados por monstros marinhos MAR TENEBROSO O COMÉRCIO COM O ORIENTE No século XV, os comerciantes

Leia mais

EDITAL 232 EDITAL DA SELEÇÃO 2014 PARA O MESTRADO

EDITAL 232 EDITAL DA SELEÇÃO 2014 PARA O MESTRADO EDITAL 232 UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ECONOMIA POLÍTICA INTERNACIONAL AV. PASTEUR 250 PRAIA VERMELHA CEP 22.290-240 - RIO DE JANEIRO, RJ BRASIL Tel 55 (21) 3873-5267

Leia mais

CULTURAS HISTÓRICAS NOS LIVROS DIDÁTICOS: AS DIFERENTES ABORDAGENS HISTORIOGRÁFICAS DO RENASCIMENTO NOS ANOS 1970-80

CULTURAS HISTÓRICAS NOS LIVROS DIDÁTICOS: AS DIFERENTES ABORDAGENS HISTORIOGRÁFICAS DO RENASCIMENTO NOS ANOS 1970-80 CULTURAS HISTÓRICAS NOS LIVROS DIDÁTICOS: AS DIFERENTES ABORDAGENS HISTORIOGRÁFICAS DO RENASCIMENTO NOS ANOS 1970-80 Karolina Dias 1 Este trabalho se propõe a analisar como duas culturas históricas foram

Leia mais

Cap. 12- Independência dos EUA

Cap. 12- Independência dos EUA Cap. 12- Independência dos EUA 1. Situação das 13 Colônias até meados do séc. XVIII A. As colônias inglesas da América do Norte (especialmente as do centro e norte) desfrutavam da negligência salutar.

Leia mais

Escola Secundária com 2.º e 3.º ciclos Anselmo de Andrade. Critérios de Avaliação / Planificação 6.º Ano - HGP Grupo 400 História Ano Letivo 2014/15

Escola Secundária com 2.º e 3.º ciclos Anselmo de Andrade. Critérios de Avaliação / Planificação 6.º Ano - HGP Grupo 400 História Ano Letivo 2014/15 Domínio/ Tema/unidade História de Portugal Subdomínio/ conteúdos Compreensão da espacialidade Temporalidade Metas de aprendizagem intermédias Meta 1 O aluno traça, em diferentes representações cartográficas,

Leia mais

(Perry Anderson, Linhagens do Estado absolutista. p. 18 e 39. Adaptado)

(Perry Anderson, Linhagens do Estado absolutista. p. 18 e 39. Adaptado) 1. (Fgv 2014) O paradoxo aparente do absolutismo na Europa ocidental era que ele representava fundamentalmente um aparelho de proteção da propriedade dos privilégios aristocráticos, embora, ao mesmo tempo,

Leia mais

HISTÓRIA - 6º AO 9º ANO

HISTÓRIA - 6º AO 9º ANO A FORMAÇÃO DO CURRÍCULO DA REDE O solicitou-nos uma base para colocar em discussão com os professores de história da rede de São Roque. O ponto de partida foi a grade curricular formulada em 2008 pelos

Leia mais

TÓPICO ESPECIAL: IMPÉRIOS IBÉRICOS NO ANTIGO REGIME

TÓPICO ESPECIAL: IMPÉRIOS IBÉRICOS NO ANTIGO REGIME TÓPICO ESPECIAL: IMPÉRIOS IBÉRICOS NO ANTIGO REGIME Optativa / Carga Horária: 60hs Ementa: O curso visa analisar a formação dos Impérios Ibéricos entre os séculos XV e XVIII, considerando-se a perspectiva

Leia mais

CURSO À DISTÂNCIA DE LICENCIATURA EM HISTÓRIA Currículo nº 01

CURSO À DISTÂNCIA DE LICENCIATURA EM HISTÓRIA Currículo nº 01 CURSO À DISTÂNCIA DE LICENCIATURA EM HISTÓRIA Turno: INTEGRAL Currículo nº 01 Autorizado pela Resolução CEPE n.º 226, DE 16.12.08. Para completar o currículo pleno do curso superior de graduação à distância

Leia mais

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular HISTÓRIA DAS RELAÇÕES INTERNACIONAIS Ano Lectivo 2015/2016

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular HISTÓRIA DAS RELAÇÕES INTERNACIONAIS Ano Lectivo 2015/2016 Programa da Unidade Curricular HISTÓRIA DAS RELAÇÕES INTERNACIONAIS Ano Lectivo 2015/2016 1. Unidade Orgânica Ciências Humanas e Sociais (1º Ciclo) 2. Curso Relações Internacionais 3. Ciclo de Estudos

Leia mais

TODOS COLÉGIOS SIMULADO 2ª SÉRIE

TODOS COLÉGIOS SIMULADO 2ª SÉRIE TODOS COLÉGIOS SIMULADO 2ª SÉRIE 1.Analise as afirmativas abaixo referentes ao Iluminismo: 01 - Muitas das idéias propostas pelos filósofos iluministas são, hoje, elementos essenciais da identidade da

Leia mais

INDEPENDÊNCIA DA AMÉRICA LATINA (1808-1826) Profª Adriana Moraes

INDEPENDÊNCIA DA AMÉRICA LATINA (1808-1826) Profª Adriana Moraes INDEPENDÊNCIA DA AMÉRICA LATINA (1808-1826) Profª Adriana Moraes A independência foi o processo político e militar que afetou todas as regiões situadas entre os vicereinados da Nova Espanha e do Rio da

Leia mais

DIPLOMACIA E CHANCELARIA CONCURSOS DA. 2 a EDIÇÃO COMENTADAS. 1 a FASE 1.200 QUESTÕES NOS. Renan Flumian Coordenador da obra

DIPLOMACIA E CHANCELARIA CONCURSOS DA. 2 a EDIÇÃO COMENTADAS. 1 a FASE 1.200 QUESTÕES NOS. Renan Flumian Coordenador da obra 2 a EDIÇÃO Renan Flumian Coordenador da obra NOS CONCURSOS DA DIPLOMACIA E CHANCELARIA 1 a FASE 1.200 QUESTÕES COMENTADAS Wander Garcia coordenador da coleção SUMÁRIO SUMÁRIO COMO USAR O LIVRO? 15 01.

Leia mais