competências FUNcioNaiS COMUNICAÇÃO INTERNA

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "competências FUNcioNaiS COMUNICAÇÃO INTERNA"

Transcrição

1 competências FUNcioNaiS COMUNICAÇÃO INTERNA

2

3 DESCRIÇÕES DOS NÍVEIS aprendiz SabEr Aprende para adquirir conhecimento básico. É capaz de pôr este conhecimento em prática sob circunstâncias normais, buscando assistência se necessário. QUaliFicado aplicar É qualificado para aplicar seu conhecimento. É capaz de desempenhar com pouca ou nenhuma assistência sob circunstâncias normais. EXpEriENtE aprimorar É experiente o suficiente para aprimorar.tem conhecimento avançado e experiência significativa. É capaz de desempenhar de forma autônoma em um ambiente complexo e de propor aprimoramentos. É capaz de capacitar/treinar/desenvolver colaboradores de nível mais júnior. master inovar Domina o suficiente para inovar. Tem conhecimento de ponta e vasta experiência. Capaz de desempenhar em todos os ambientes e de inovar. É reconhecido como referência transferindo conhecimento e experiência a outros.

4 Uma ambição compartilhada Em conexão contínua com o entorno de nosso negócio colocamos as coisas sob uma perspectiva diferente, damos significado às atividades de nossa empresa, construímos a reputação de nossa empresa e suas marcas, e aceleramos a transformação de nosso negócio com o objetivo de criar valor.

5 NOSSOS PILARES E AÇÕES 1 Antecipamos oportunidades, tendências e riscos, tanto interna quanto externamente > Escutamos (monitoramos) > Fazemos parte de redes de relacionamento internas e externas > Mantemos constante diálogo e interação > Consideramos os objetivos e estratégia do Grupo, região, CBU e marcas Ajudamos os gestores a tomar as decisões corretas em áreas que afetam a imagem interna e externa do grupo e assim nosso negócio. > Fazemos parte dos comitês de liderança > Influenciamos o top management > Pensamos fora da caixa e ousamos falar Usamos os canais certos para contar histórias críveis para as pessoas certas, tanto interna quanto externamente. > Escolhemos nossas batalhas e definimos a personalidade de nossas marcas > Identificamos nossos stakeholders prioritários e seus respectivos influenciadores mais importantes > Identificamos as histórias certas parar ilustrar a estratégia da Danone > Fazemos uma análise clara da mensagem correta; decidimos quem irá entregá-la e para que público > Escolhemos cuidadosamente cada canal online e offline para maximizar a repercussão e o alcance de nossas mensagens de acordo com os objetivos que queremos alcançar Ajudamos nossa empresa a criar valor a médio prazo > Beneficiamos extensões de marca por destacar a imagem da marca corporativa > Somos confiáveis em relação aos compromissos que asssumimos a médio prazo: construímos mensagens consistentes ao longo do tempo

6 1 Entender os Pilares do Negócio Habilidade para: > Entender os problemas e tendências atuais e futuros do negócio, tanto dentro quanto fora da companhia, e identificar oportunidades de desenvolvimento do negócio: Capacidade de entender a estratégia, organização e atividades do negócio e os futuros pilares relacionados ao ecossistema da companhia e sua evolução, assim como o ambiente político. SABER > Conhece a missão, visão, estratégias e prioridades da Danone. > Compreende as políticas, estrutura, produtos, negócios e funções da companhia. > Conhece os indicadores básicos do negócio (CANN, ROP, participação de mercado, volume etc.). > Conhece as sociotendências (inflação, taxa de desemprego etc.) e ambiente político. APLICAR > Compreende cada função, suas atividades, missão, visão, desafios e pontos relevantes. > Analisa, integra e compartilha informação relevante dentro de seu escopo de trabalho. > Constrói e usa redes de relacionamento internas para reforçar o conhecimento do negócio. APRIMORAR > Tem conhecimento dos processos transversais da organização e os impactos que têm sobre os demais. > Aporta conhecimento transversal, experiência, melhores práticas e referências externas para a organização. > É confiável como parceiro do negócio e é envolvido no dia a dia do negócio. > Detecta pontos fracos e fortes e tendências dentro e fora da organização. INOVAR > É procurado como uma valiosa fonte de informação por seu profundo conhecimento inter-funcional, histórico e do ambiente atual. > Antecipa tendências e provê o negócio com sua visão de longo prazo.

7 2 Participar da Construção da Estratégia do Negócio Habilidade para: > Participar da construção da estratégia do negócio considerando os pilares de imagem e reputação da Danone. > Ser um conselheiro confiável para o CODI e demais funções. > Nutrir a estratégia com conhecimento e experiência transversal. > Usar a comunicação para ajudar a resolver os problemas da organização e atingir os objetivos do negócio. > Desenvolver uma estratégia e traduzi-la em um plano estruturado de comunicação que contribua para melhorar a reputação da companhia. SabEr > Conhece os pilares de reputação. > Estuda e aproveita todas as oportunidades disponíveis para aprender sobre a companhia e manter-se atualizado. > Entende como seus objetivos pessoais estão associados aos objetivos do negócio. aplicar > Identifica os gaps e fortalezas da organização em relação aos pilares de reputação que precisam ser endereçados ou reforçados com uma boa estratégia de comunicação. > Questiona-se o tempo todo se a atividade que está realizando está linkada aos objetivos do negócio. > Mantém uma rotina de reuniões com áreas-chave para manter-se atualizado. > Visita fábricas e CD s e acompanha equipe de Vendas para conhecer a realidade destes públicos. aprimorar > Antecipa desenvolvimentos e problemas futuros e é pró-ativo em discutir como a comunicação pode ajudar. > Aponta e desafia as ações que não têm relação direta com a visão e missão da companhia. > Está em constante contato com seus públicos para mantê-los informados. > Consegue discutir os desafios do negócio com credibilidade com líderes e clientes internos. > Consegue identificar os problemas importantes a partir de um relatório anual ou resultados financeiros. inovar > Constrói vantagens competitivas para o negócio usando a missão/cultura/valores da Danone. > Desafia com uma perspectiva de longo prazo para a sustentabilidade do negócio. > Visto como um profissional de negócios confiável, que usa sua expertise em comunicação para ajudar a resolver os problemas da organização. > Fala a linguagem do negócio com seus públicos, e não a linguagem da comunicação. > Capaz de analisar desafios complexos e cenários e formular soluções de comunicação.

8 3 Construir relacionamento com o público interno Habilidade para estabelecer e manter relações de confiança e respeito com stakeholders internos: > Áreas de Supply Chain, DSI, SSD, Marketing, RH, Finanças, Industrial, Comercial, Jurídico, Auditoria, Qualidade, R&D, Sustentabilidade e Presidência. > Capacidade de iniciar, desenvolver e manter relações de confiança mútua, positivas e duradouras com stakeholders de todas as áreas da companhia, principalmente líderes com poder decisório. SABER > Identifica as pessoas ou grupos que facilitarão processos ou evitarão que problemas aconteçam, e encontra formas de se integrar com eles. > Respeita e valoriza os pontos de vista dos demais. Tenta entender o que é importante para eles e suas respectivas funções. > Ouve com atenção, faz perguntas pertinentes para entender e esclarecer as necessidades de seus clientes. > Busca e usa o feedback de seus clientes internos. > Cumpre com o que promete. > Mantém relacionamentos com profissionais de seu nível de outras companhias para aprender e trocar experiências. APLICAR > Constrói network com colegas de outras áreas que facilitarão o entendimento de processos para uma boa execução das prioridades da Comunicação. > Tem confiança e se sente confortável em trabalhar com pessoas de todos os níveis. > Influencia o pensamento e o comportamento de seus pares. > Faz acordos (contrata) para expectativas mútuas e constrói fundações sólidas, explicitamente declaradas. > Desenvolve um network externo que eleva seus conhecimentos e traz melhores práticas para a companhia. 1/2

9 aprimorar > Tem uma abordagem estruturada para identificar seus stakeholders internos e entende sua relativa influência e importância em fazer as coisas acontecerem. > Constrói um network amplo e efetivo em todas as áreas do negócio e todos os níveis hierárquicos e investe tempo em cultivar estes relacionamentos. > Procura entender e respeitar os clientes mais difíceis. > Consegue adaptar seu estilo para rapidamente inspirar confiança e respeito de seus clientes e colegas de todos os níveis. > Envolve outros no planejamento e tomadas de decisão quando necessário para garantir que as atividades aconteçam como planejado. > Defende suas opiniões sem colocar em risco seus relacionamentos. > Gerencia conflitos com equilíbrio e foco em resultados efetivos para a companhia. inovar > É um conselheiro confiável e respeitado pela maioria dos líderes seniores. > Influencia colegas de todos os níveis. > Usa a sua influência para formatar planos de comunicação estratégicos, com foco nas prioridades do negócio. > Não se deixa intimidar com facilidade, mas sabe quando deve ceder. > Capaz de negociar demandas conflitantes de diferentes clientes para construir um plano ou estratégia coerente que seja aceita por todos. > Ajuda as pessoas a resolverem conflitos ou questões difíceis. > Constrói uma rede de relacionamentos forte o suficiente para sobreviver a mudanças de pessoas, direção ou linhas de reporte. > É referência em Comunicação Interna para o mercado e convidado a divulgar as melhores práticas de Comunicação Interna da companhia.

10 4 Alavancar os recursos e ferramentas de comunicação Habilidade para implementar iniciativas de comunicação efetivas ao alavancar ferramentas de comunicação online e offline, e gerir agências e provedores externos. > Capacidade de gerir atividades de comunicação adequadas a mensagens e públicos, e supervisionar sua produção. Estas atividades devem ser apoiadas por canais e ferramentas (eventos, redes de relacionamento etc) de comunicação tradicionais e digitais, com o objetivo de enriquecer a imagem do grupo, da CBU e das marcas da Danone. > Capacidade de selecionar, orientar e avaliar agências de comunicação e outros provedores de serviços. *Comunicação Interna: com o objetvo de aumentar o engajamento, orgulho, proximidade e senso de pertencimento. SABER > Elabora um briefing de comunicação simples, porém claro e realizável. > Gerencia fornecedores em projetos simples, provendo à agência direcionamento claro e focado, e feedback sobre entregas específicas. > Conhece os princípios de identidade visual. > Contribui com ideias para o processo de briefing. > Contribui de forma relevante para a discussão de avaliação de propostas das agências. > Faz follow-up constante para não perder o timing da comunicação. > Mantém atualizada planilha de controle de despesas da área. APLICAR > Escreve briefings mais elaborados, claros e realizáveis para fornecedores > Gerencia projetos de média complexidade, provendo à agência direcionamento claro e focado, e feedback sobre entregas e processos. > Escreve briefings mais elaborados, claros e realizáveis para fornecedores. > Aplica os princípios de identidade visual institucional e das marcas. > Demonstra julgamento criativo, com discernimento. > Assegura que os principais aprendizados sejam sintetizados e incorporados no processo de feedback para a agência. > Mantém um método de follow-up estruturado para não perder o timing da comunicação. > Assegura que os custos dos projetos estejam dentro do budget definido. 1/2

11 aprimorar > Escreve briefings elaborados e criativos para projetos de alta complexidade. > Gerencia projetos complexos, provendo à agência direcionamento claro e focado, e feedback sobre entregas e processos. > É guardião e garante a aplicação da identidade visual do Grupo/CBU e de suas respectivas marcas. > Expresa julgamento criativo nítido e forte. > Constrói uma relação produtiva e tranquila com as agências por meio de um engajamento ativo que garanta a execução de projetos com excelência dentro do prazo. > Controla budget da área e o distribui para os projetos em linha com prioridades do negócio. inovar > Cria identidade visual para projetos e propõe ideias inovadoras para a comunicação institucional e das marcas. > Identifica os objetivos estratégicos e propõe estratégias de comunicação inovadoras. > Orquestra todas as partes interessadas internas no processo de comunicação e provê feedback de desempenho significativo e estruturado a agências e players internos. > Traz soluções criativas de outras companhias e desafia as agências. > Faz coach de equipes em como maximizar seu relacionamento com agências para assegurar o melhor plano e a melhor execução. > Dimensiona adequadamente os recursos financeiros, humanos e de tempo e os distribui de forma a otimizá-los em busca da mais alta produtividade.

12 5 Acelerar a mudança por meio de engajamento coletivo Habilidade para acelerar a mudança e orquestrar o engajamento coletivo expandindo a forma de pensar das pessoas: > Capacidade de auxiliar nas situações de gestão de mudança: explicando as razões da mudança, seus objetivos, processos envolvidos; alinhando todos os Danoners à estratégia da CBU, cascateando as mensagens-chave dos CODI s, empoderando os líderes a criar um diálogo regular com suas equipes, conduzindo sessões de comunicação online e offline, eventos com grupos de funcionários; oferendo soluções e conselho quando necessário em resposta a solicitações dos gestores; fazendo nossa forma de fazer negócio florescer, trazendo uma perspectiva externa e tornando-a conhecida. SABER > Conhece a teoria de como construir uma visão (visão, ambição, alavancas estratégicas, KPIs, plano de ação). > Contribui para o diagnóstico e soluções dos desafios da CBU. > Está ciente das principais fortalezas e ferramentas para gerir mudança (individual e coletiva). > Contribui par um alto nível de envolvimento e motivação dentro da equipe. APLICAR > Co-facilita todos os processos possíveis de construção de visão com apoio/assistência. > Executa diagnósticos e melhorias de organização das funções da CBU (parcialmente /sob supervisão). > Contribui para a construção de um plano de gestão de mudança. > Cria um alto nível de envolvimento e motivação dentro da equipe. APRIMORAR > É competente no uso de todas as ferramentas de gestão de mudança (mapeamento dos interessados, plano de comunicação e aprendizado, gestão de projetos). > É reconhecido como um facilitador avançado de construção de visão, diagnóstico e gestão de mudança e está pronto para compartilhar seu conhecimento. > Prevê como diferentes projetos de mudança podem impactar um ao outro e demonstra habilidades transversais de resolução de problemas. > Cria um alto nível de envolvimento e motivação dentro da organização. INOVAR > É solicitado por suas habilidades de construção de visão além das fronteiras da CBU/WWBU. > Mobiliza projetos importantes de transformação com gestão complexa dos interessados. > Desenvolve modos de transferência de conhecimento e habilidades de alavancagem em mudança e compromisso coletivo. > Cria projetos e desenvolve soluções que geram alto nível de envolvimento e motivação dentro da organização.

13 6 Formalizar mensagens relevantes e apropriadas Habilidade para dar sentido, envolver e convencer stakeholders internos ao formalizar mensagens relevantes e apropriadas: > Capacidade de desenhar e formalizar mensagens efetivas adequadas a meios e públicos diferentes. SabEr > Escreve textos simples porém engajadores, gramaticalmente corretos e adequados ao público-alvo. > Conhece os fundamentos básicos da linguagem de cada canal online e offline. > Tem a confiança de gerentes e colegas para entregar as tarefas com qualidade e no prazo acordado. > Obtém resultados positivos mesmo tendo que fazer várias atividades ao mesmo tempo em alguns casos com deadlines conflitantes. aplicar > Escreve textos elaborados para meios impressos e digitais de forma engajadora, gramaticalmente correta e adequada ao público-alvo. > Corrije textos de outras pessoas/áreas. > Mantém um planejamento estruturado e atualizado de todos os projetos de Comunicação. aprimorar > Escreve em vários formatos e estilos de forma engajadora, gramaticalmente correta e adequada ao público-alvo. > É ghost-writer de líderes seniores sabendo capturar sua personalidade e espírito. > Supervisiona o trabalho de especialistas em diferentes mídias (ex.: layout para web, design gráfico, fotografia). > Pode rapidamente com sensibilidade editar o texto de outras pessoas em vários formatos diferentes. > É um líder de projeto confiável, dirigindo o trabalho de outras pessoas e fornecedores para entregar projetos dentro do prazo e do orçamento definidos. inovar > Escreve e orienta comunicadores menos experientes na técnica da escrita em vários estilos e vários formatos de forma engajadora, gramaticalmente correta e adequada ao público-alvo. > Orienta outros comunicadores em áreas específicas que envolvem a disciplina de Comunicação (como edição, gestão de design etc.). > Define e desenvolve padrões básicos de conhecimentos técnicos para o time.

14 Anotações

15 Anotações

16

COMPETÊNCIAS FUNCIONAIS RECURSOS HUMANOS

COMPETÊNCIAS FUNCIONAIS RECURSOS HUMANOS COMPETÊNCIAS FUNCIONAIS RECURSOS HUMANOS DESCRIÇÕES DOS NÍVEIS APRENDIZ Aprende para adquirir conhecimento básico. É capaz de pôr este conhecimento em prática sob circunstâncias normais, buscando assistência

Leia mais

COMPETÊNCIAS FUNCIONAIS SUSTENTABILIDADE

COMPETÊNCIAS FUNCIONAIS SUSTENTABILIDADE COMPETÊNCIAS FUNCIONAIS SUSTENTABILIDADE descrições dos níveis APRENDIZ SABER Aprende para adquirir conhecimento básico. É capaz de pôr este conhecimento em prática sob circunstâncias normais, buscando

Leia mais

COMPETÊNCIAS FUNCIONAIS SUPPLY CHAIN

COMPETÊNCIAS FUNCIONAIS SUPPLY CHAIN COMPETÊNCIAS FUNCIONAIS SUPPLY CHAIN DESCRIÇÕES DOS NÍVEIS APRENDIZ SABER Aprende para adquirir conhecimento básico. É capaz de pôr este conhecimento em prática sob circunstâncias normais, buscando assistência

Leia mais

COMPETÊNCIAS FUNCIONAIS QUALIDADE

COMPETÊNCIAS FUNCIONAIS QUALIDADE COMPETÊNCIAS FUNCIONAIS QUALIDADE DESCRIÇÕES DOS NÍVEIS APRENDIZ SABER Aprende para adquirir conhecimento básico. É capaz de pôr este conhecimento em prática sob circunstâncias normais, buscando assistência

Leia mais

Perfil Caliper Gerencial e Vendas The Inner Leader and Seller Report

Perfil Caliper Gerencial e Vendas The Inner Leader and Seller Report Perfil Caliper Gerencial e Vendas The Inner Leader and Seller Report Avaliação de: Sr. José Exemplo Preparada por: Consultor Caliper exemplo@caliper.com.br Data: 11/06/2014 Perfil Caliper Gerencial e Vendas

Leia mais

Estratégia de Desenvolvimento de Pessoas em Ação

Estratégia de Desenvolvimento de Pessoas em Ação Estratégia de Desenvolvimento de Pessoas em Ação Caros colegas, orienta o modo como nossa organização trabalha para selecionar, desenvolver, motivar e valorizar o bem mais importante da Bausch + Lomb nossas

Leia mais

Perfil Caliper SUPER de Vendas The Inner Seller Report

Perfil Caliper SUPER de Vendas The Inner Seller Report Perfil Caliper SUPER de Vendas The Inner Seller Report Avaliação de: Sr. João Vendedor Preparada por: Consultor Caliper consultor@caliper.com.br Data: Copyright 2012 Caliper & Tekoare. Todos os direitos

Leia mais

As principais competências que farão a diferença para os líderes 2016-17. KM Coaching Desenvolvendo Performance para Aumento de Resultados

As principais competências que farão a diferença para os líderes 2016-17. KM Coaching Desenvolvendo Performance para Aumento de Resultados As principais competências que farão a diferença para os líderes 2016-17 KM Coaching Desenvolvendo Performance para Aumento de Resultados Katya Mangili Atua como Coach de Carreira e Liderança. É sócia

Leia mais

COMPETÊNCIAS FUNCIONAIS IS/TI

COMPETÊNCIAS FUNCIONAIS IS/TI COMPETÊNCIAS FUNCIONAIS IS/TI DESCRIÇÕES DOS NÍVEIS APRENDIZ Aprende para adquirir conhecimento básico. É capaz de pôr este conhecimento em prática sob circunstâncias normais, buscando assistência se necessário.

Leia mais

Valores & Princípios. Grupo Freudenberg

Valores & Princípios. Grupo Freudenberg Valores & Princípios Grupo Freudenberg C o n d u ta e C o m p o r ta m e n t o C o n d u ta e C o m p o r ta m e n t o Nossos Princípios & Conduta e Comportamento 3 Os Nossos Princípios e o documento de

Leia mais

As Organizações e a Teoria Organizacional

As Organizações e a Teoria Organizacional Página 1 de 6 As Organizações e a Teoria Organizacional Autora: Sara Fichman Raskin Este texto é totalmente baseado no primeiro capítulo do livro Organizational theory: text and cases, do autor Jones Gareth,

Leia mais

A técnica a serviço da aproximação com os doadores: Marketing de relacionamento nos Doutores da Alegria

A técnica a serviço da aproximação com os doadores: Marketing de relacionamento nos Doutores da Alegria Agentes Financiadores Notícias e atualidades sobre Agentes Financiadores nacionais e internacionais página inicial A técnica a serviço da aproximação com os doadores: Marketing de relacionamento nos Doutores

Leia mais

Remuneração e Avaliação de Desempenho

Remuneração e Avaliação de Desempenho Remuneração e Avaliação de Desempenho Objetivo Apresentar estratégias e etapas para implantação de um Modelo de Avaliação de Desempenho e sua correlação com os programas de remuneração fixa. Programação

Leia mais

Indicadores de Rendimento do Voluntariado Corporativo

Indicadores de Rendimento do Voluntariado Corporativo Indicadores de Rendimento do Voluntariado Corporativo Avaliação desenvolvida por Mónica Galiano e Kenn Allen, publicado originalmente no livro The Big Tent: Corporate Volunteering in the Global Age. Texto

Leia mais

Pós- Graduação em Gestão Estratégica de Comunicação

Pós- Graduação em Gestão Estratégica de Comunicação Pós- Graduação em Gestão Estratégica de Comunicação Ingresso Agosto 2016 Informações: Educação Executiva ESPM-SUL incompany-rs@espm.br Fone: (51) 3218-1426 ADVB/SC Florianópolis Lucas Silva lucas.silva@espm.br

Leia mais

Um mercado de oportunidades

Um mercado de oportunidades Um mercado de oportunidades Como grandes, pequenas e médias empresas se comunicam? Quem são os principais interlocutores e como procurá-los? Como desenvolver uma grande campanha e inovar a imagem de uma

Leia mais

QiDEIA C O M U N I C A Ç Ã O

QiDEIA C O M U N I C A Ç Ã O QiDEIA CREATE WHAT YOU SEE. CREATE WHAT YOU FEEL. CREATE WHAT YOU HAVE NEVER SEEN. JUST CREATE. NATHAN SAWAYA QUEM SOMOS A Qideia é uma agência de comunicação, vocacionada para a estratégia e implementação

Leia mais

Questionário para área Operacional

Questionário para área Operacional Questionário para área Operacional Pontualidade Chega no horário e cumpre os horários estipulados pela empresa, além de respeitar o cronograma do setor no atendimento às solicitações de serviços. Zelo

Leia mais

MINISTÉRIO DA FAZENDA SECRETARIA EXECUTIVA

MINISTÉRIO DA FAZENDA SECRETARIA EXECUTIVA PROGRAMA DE MODERNIZAÇÃO INTEGRADA DO MINISTÉRIO DA FAZENDA - PMIMF MINISTÉRIO DA FAZENDA SECRETARIA EXECUTIVA ATORES DA REDE DE INOVAÇÃO 2 O MODELO CONTEMPLA: Premissas e diretrizes de implementação Modelo

Leia mais

Unidade 9: Diálogos deliberativos

Unidade 9: Diálogos deliberativos Unidade 9: Diálogos deliberativos Como podemos utilizar as sínteses de evidências? Informar os grupos de interesse Divulgação da síntese de políticas Informações adaptadas derivadas da síntese Meios de

Leia mais

PARTE 9. Capítulo 25 GESTÃO DO CONHECIMENTO

PARTE 9. Capítulo 25 GESTÃO DO CONHECIMENTO PARTE 9 Capítulo 25 GESTÃO DO CONHECIMENTO ATIVO INTANGÍVEL Ativos que não têm substância física, mas proporcionam benefícios econômicos, como: competência dos gerentes, sua experiência e conhecimento

Leia mais

Jornada de Aprendizagem dos Managers de Vendas de Primeira Linha: Guia para o Desenvolvimento de Resultados Mensuráveis

Jornada de Aprendizagem dos Managers de Vendas de Primeira Linha: Guia para o Desenvolvimento de Resultados Mensuráveis Jornada de Aprendizagem dos Managers de Vendas de Primeira Linha: Guia para o Desenvolvimento de Resultados Mensuráveis Versão do Documento: 1.0 Data de Publicação: 27 de janeiro de 2014 Sumário Introdução...

Leia mais

ANEXO II PERFIL DO CARGO FUNÇÃO

ANEXO II PERFIL DO CARGO FUNÇÃO ANEXO II PERFIL DO CARGO FUNÇÃO Página 1 de 165 PERFIL DE COMPETÊNCIAS E DESEMPENHO CARGO ANALISTA / FUNÇÃO ADVOGADO MISSÃO DO CARGO: Contribuir para o desenvolvimento institucional, por meio de ações

Leia mais

RECURSOS HUMANOS COMO FATOR DE EFICÁCIA ORGANIZACIONAL

RECURSOS HUMANOS COMO FATOR DE EFICÁCIA ORGANIZACIONAL RECURSOS HUMANOS COMO FATOR DE EFICÁCIA ORGANIZACIONAL Por quê o lado humano dos negócios está emergindo como uma indispensável vantagem competitiva? Era Industrial Taylor e Fayol Era do Conhecimento Tecnologia

Leia mais

Como negociar com interlocutores interculturais

Como negociar com interlocutores interculturais Divulgação Portal METROCAMP Como negociar com interlocutores interculturais Aplique o CANVAS - montando o seu(!) Modelo de Negociação Intercultural de Werner Kugelmeier WWW.wkprisma.com.br Porque Negociações

Leia mais

Perfil Caliper de Liderança Premium The Inner Leader Report

Perfil Caliper de Liderança Premium The Inner Leader Report Perfil Caliper de Liderança Premium The Inner Leader Report Avaliação de: Sr. Jose Exemplo Preparada por: Consultor Caliper consultor@caliper.com.br Data: Página 1 Perfil Caliper de Liderança Premium The

Leia mais

Plano Editorial Julho 2006

Plano Editorial Julho 2006 Plano Editorial Julho 2006 Missão Uma agência que noticia processos ocorridos no espaço público político (governo, Estado e cidadania), com foco nos interesses do cidadão brasileiro. Público-Alvo Cidadãos

Leia mais

@FabioCipriani Social Media Brasil 2011 04 de junho de 2011

@FabioCipriani Social Media Brasil 2011 04 de junho de 2011 Mídias Sociais nas Empresas @FabioCipriani Social Media Brasil 2011 04 de junho de 2011 Midias_Sociais_Cafe_Aberje.ppt Foto de Gabriel Guimarães 22 http://www.flickr.com/photos/gabrielfgo/3919726379-2

Leia mais

Estrutura de Controles Internos Para Gerenciar a Atribuição das Classificações de Risco de Crédito 1

Estrutura de Controles Internos Para Gerenciar a Atribuição das Classificações de Risco de Crédito 1 Estrutura de Controles Internos Para Gerenciar a Atribuição das Classificações de Risco de Crédito 1 Data: 20 de fevereiro de 2016 Versão: 6 Autor: Grupo de Compliance Global 1. Introdução Este documento

Leia mais

Professor: Conrado Frassini cfrassini@uol.com.br

Professor: Conrado Frassini cfrassini@uol.com.br Governança de TI e ISO20000 Quo Vadis TI? quinta-feira, 14 de agosto de 2008, 17h09 A área de Tecnologia da Informação vem sofrendo mudanças profundas e esse fenômeno aumentará nos próximos anos. Além

Leia mais

POSSO INOVAR! 50 ideias para apoiar a cultura da inovação. Gilmar Monteiro de Carvalho

POSSO INOVAR! 50 ideias para apoiar a cultura da inovação. Gilmar Monteiro de Carvalho 50 ideias para apoiar a cultura da inovação Gilmar Monteiro de Carvalho SOBRE O LIVRO POSSO INOVAR! propõe um conjunto de iniciativas, bastante simples em sua maioria, que podem ser implementadas dentro

Leia mais

Gestão e estratégia de TI Conhecimento do negócio aliado à excelência em serviços de tecnologia

Gestão e estratégia de TI Conhecimento do negócio aliado à excelência em serviços de tecnologia Gestão e estratégia de TI Conhecimento do negócio aliado à excelência em serviços de tecnologia Desafios a serem superados Nos últimos anos, executivos de Tecnologia de Informação (TI) esforçaram-se em

Leia mais

Código de Conduta Ética

Código de Conduta Ética Código de Conduta Ética MENSAGEM DO PRESIDENTE O Código de Conduta Ética das Empresas Concremat contempla os princípios que devem estar presentes nas relações da empresa com seus colaboradores, clientes,

Leia mais

A importância dos. RECURSOS HUMANOS na empresa moderna

A importância dos. RECURSOS HUMANOS na empresa moderna A importância dos RECURSOS HUMANOS na empresa moderna Organizações: cenário atual Empresas vêm passando por impactos revolucionários: Dimensão globalizada Aumento da competitividade Mudanças constantes

Leia mais

Desenvolve Minas. Modelo de Excelência da Gestão

Desenvolve Minas. Modelo de Excelência da Gestão Desenvolve Minas Modelo de Excelência da Gestão O que é o MEG? O Modelo de Excelência da Gestão (MEG) possibilita a avaliação do grau de maturidade da gestão, pontuando processos gerenciais e resultados

Leia mais

Carta de Adesão à Iniciativa Empresarial e aos 10 Compromissos da Empresa com a Promoção da Igualdade Racial - 1

Carta de Adesão à Iniciativa Empresarial e aos 10 Compromissos da Empresa com a Promoção da Igualdade Racial - 1 Carta de Adesão à Iniciativa Empresarial pela Igualdade Racial e à sua agenda de trabalho expressa nos 10 Compromissos da Empresa com a Promoção da Igualdade Racial 1. Considerando que a promoção da igualdade

Leia mais

EAD 615 Gerenciamento de Projetos

EAD 615 Gerenciamento de Projetos EAD 615 Gerenciamento de Projetos O Papel e As Habilidades do Gerente de Projetos Professores: Prof. Dr. Antonio C. Amaru Maximiano Prof. Dr. Roberto Sbragia Colaboradores: Benedito Décio da S. Camargo

Leia mais

NORMA ISO 14004. Sistemas de Gestão Ambiental, Diretrizes Gerais, Princípios, Sistema e Técnicas de Apoio

NORMA ISO 14004. Sistemas de Gestão Ambiental, Diretrizes Gerais, Princípios, Sistema e Técnicas de Apoio Página 1 NORMA ISO 14004 Sistemas de Gestão Ambiental, Diretrizes Gerais, Princípios, Sistema e Técnicas de Apoio (votação 10/02/96. Rev.1) 0. INTRODUÇÃO 0.1 Resumo geral 0.2 Benefícios de se ter um Sistema

Leia mais

Política de Responsabilidade Corporativa

Política de Responsabilidade Corporativa Política de Responsabilidade Corporativa Índice 1. Introdução...04 2. Área de aplicação...04 3. Compromissos e princípios de atuação...04 3.1. Excelência no serviço...05 3.2. Compromisso com os resultados...05

Leia mais

POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO E ENGAJAMENTO COM PÚBLICOS DE INTERESSE DAS EMPRESAS ELETROBRAS

POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO E ENGAJAMENTO COM PÚBLICOS DE INTERESSE DAS EMPRESAS ELETROBRAS POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO E ENGAJAMENTO COM PÚBLICOS DE INTERESSE DAS Versão 2.0 09/02/2015 Sumário 1 Objetivo... 3 1.1 Objetivos Específicos... 3 2 Conceitos... 4 3 Princípios... 5 4 Diretrizes... 5 4.1

Leia mais

MERCER 360 PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS

MERCER 360 PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS MERCER 360 PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS Ponto de Vista da Mercer A avaliação 360 é um elemento vital para o desenvolvimento da liderança e planejamento de talentos Identifica pontos fortes e áreas de desenvolvimento

Leia mais

Criando uma equipe vencedora

Criando uma equipe vencedora Criando uma equipe vencedora Como montar uma equipe vencedora? Hoje em dia, empresas de todos os tamanhos têm um objetivo em comum: fazer mais com menos. Desde a crise financeira global, alcançar novos

Leia mais

Definindo o escopo do seu projeto de localização

Definindo o escopo do seu projeto de localização Definindo o escopo do seu projeto de localização Onde você precisa ir e quem pode ajudá-lo a chegar lá? Se sua empresa está pronta para lançar conteúdo em novos mercados ou estender o alcance a regiões

Leia mais

Correntes de Participação e Critérios da Aliança Global Wycliffe [Versão de 9 de maio de 2015]

Correntes de Participação e Critérios da Aliança Global Wycliffe [Versão de 9 de maio de 2015] Correntes de Participação e Critérios da Aliança Global Wycliffe [Versão de 9 de maio de 2015] Introdução As Organizações da Aliança Global Wycliffe desejam expressar a unidade e a diversidade do Corpo

Leia mais

ISO 14004:2004. ISO14004 uma diretriz. Os princípios-chave ISO14004. Os princípios-chave

ISO 14004:2004. ISO14004 uma diretriz. Os princípios-chave ISO14004. Os princípios-chave ISO14004 uma diretriz ISO 14004:2004 Sistemas de Gestão Ambiental, Diretrizes Gerais, Princípios, Sistema e Técnicas de Apoio Prof.Dr.Daniel Bertoli Gonçalves FACENS 1 Seu propósito geral é auxiliar as

Leia mais

POLÍTICAS DE GESTÃO PROCESSO DE SUSTENTABILIDADE

POLÍTICAS DE GESTÃO PROCESSO DE SUSTENTABILIDADE POLÍTICAS DE GESTÃO PROCESSO DE SUSTENTABILIDADE 1) OBJETIVOS - Apresentar de forma transparente as diretrizes de sustentabilidade que permeiam a estratégia e a gestão; - Fomentar e apoiar internamente

Leia mais

Assessoria de Imprensa. Oficina de Comunicação Apex-Brasil. O papel estratégico da Assessoria de Imprensa

Assessoria de Imprensa. Oficina de Comunicação Apex-Brasil. O papel estratégico da Assessoria de Imprensa Assessoria de Imprensa Oficina de Comunicação Apex-Brasil O papel estratégico da Assessoria de Imprensa Relacionamento com a Mídia - Demonstrar o papel das entidades como fonte; - Cultivar postura de credibilidade;

Leia mais

PlusPixel Marketing Digital SOMOS MAIS SOCIAIS DO QUE NUNCA

PlusPixel Marketing Digital SOMOS MAIS SOCIAIS DO QUE NUNCA PlusPixel Marketing Digital SOMOS MAIS SOCIAIS DO QUE NUNCA Proposta de Marketing Digital Design inox Marketing de Resultados A PlusPixel vem oferecendo seus serviços desde o início da internet, isso nos

Leia mais

Como sobreviver e crescer em tempos de crise? Como tornar sua empresa mais produtiva?

Como sobreviver e crescer em tempos de crise? Como tornar sua empresa mais produtiva? Portfólio 2015 IP Como sobreviver e crescer em tempos de crise? Como tornar sua empresa mais produtiva? Como fazer com que as pessoas trabalhem mais e felizes? Como implantar um modelo de gestão de vanguarda?

Leia mais

GERENCIAMENTO DE PROCESSOS DE NEGÓCIO. Professor: Rômulo César romulodandrade@gmail.com www.romulocesar.com.br

GERENCIAMENTO DE PROCESSOS DE NEGÓCIO. Professor: Rômulo César romulodandrade@gmail.com www.romulocesar.com.br GERENCIAMENTO DE PROCESSOS DE NEGÓCIO Professor: Rômulo César romulodandrade@gmail.com www.romulocesar.com.br Guia de Estudo Vamos utilizar para a nossa disciplina de Modelagem de Processos com BPM o guia

Leia mais

Evolução da Disciplina. Modelo de Gestão CONTEXTUALIZAÇÃO. As Funções Gerenciais e as Mudanças. As Funções Gerenciais

Evolução da Disciplina. Modelo de Gestão CONTEXTUALIZAÇÃO. As Funções Gerenciais e as Mudanças. As Funções Gerenciais Evolução da Disciplina Modelos de Gestão Aula 1: Principais Modelos das Teorias da Administração Aula 2: Origem, Evolução, Classificação e Tipologia das Organizações Aula 3: Termos comuns às Organizações;

Leia mais

Desenvolvimento de Marcas Fortes. Criação de Brand Equity

Desenvolvimento de Marcas Fortes. Criação de Brand Equity Desenvolvimento de Marcas Fortes Criação de Brand Equity 1. O que é brand equity? Equity significa valor/patrimônio. Brand equity = valor da marca/patrimônio de marca. A American Marketing Association

Leia mais

COORDENADOR SÊNIOR (CONSULTORIAS) (Candidaturas serão aceitas até o dia 22/2/2013 envie seu CV para asantos@uniethos.org.br)

COORDENADOR SÊNIOR (CONSULTORIAS) (Candidaturas serão aceitas até o dia 22/2/2013 envie seu CV para asantos@uniethos.org.br) COORDENADOR SÊNIOR (CONSULTORIAS) DESCRIÇÃO GERAL: O Coordenador Sênior do Uniethos é responsável pelo desenvolvimento de novos projetos, análise de empresas, elaboração, coordenação, gestão e execução

Leia mais

www.idsingular.com.br

www.idsingular.com.br Verifique, crie e Inspire seu negócio. SINGULAR Seu mundo do tamanho do seu conhecimento Tel. 31 3681 6117 Verifique, crie e inspire seu negócio com a força do Singular Management. APRESENTAÇÃO Idealizado

Leia mais

METODOLOGIA PARA DESENVOLVIMENTO DE ESTUDOS DE CASOS

METODOLOGIA PARA DESENVOLVIMENTO DE ESTUDOS DE CASOS METODOLOGIA PARA DESENVOLVIMENTO DE ESTUDOS DE CASOS 1 O Método do Caso e o Ensino em Administração O uso do Método do Caso nas escolas de administração no Brasil é relativamente recente, embora não haja

Leia mais

processos de qualidade como um todo. Este conceito, muitas vezes como parte de uma iniciativa mais ampla "gestão enxuta", muitas organizações abraçam

processos de qualidade como um todo. Este conceito, muitas vezes como parte de uma iniciativa mais ampla gestão enxuta, muitas organizações abraçam 2 1 FILOSOFIA KAIZEN Segundo IMAI, MASAAKI (1996) KAIZEN é uma palavra japonesa que traduzida significa melhoria continua, que colabora em melhorias sequenciais na empresa como um todo, envolvendo todos

Leia mais

EXEMPLO PARA CRIAÇÃO DE PERSONAS VECTOR

EXEMPLO PARA CRIAÇÃO DE PERSONAS VECTOR EXEMPLO PARA CRIAÇÃO DE Exemplos de criação de Personas Uma das máximas do Marketing de Relacionamento (inbound marketing) diz que devemos enviar a mensagem certa para a pessoa certa no momento certo,

Leia mais

SECRETARIA DE FAZENDA DO TOCANTINS PROJETO DE MODERNIZAÇÃO FISCAL DO ESTADO DO TOCANTINS - PMF-TO (PROFISCO-TO). PLANO DE COMUNICAÇÃO SEFAZ-TO

SECRETARIA DE FAZENDA DO TOCANTINS PROJETO DE MODERNIZAÇÃO FISCAL DO ESTADO DO TOCANTINS - PMF-TO (PROFISCO-TO). PLANO DE COMUNICAÇÃO SEFAZ-TO SECRETARIA DE FAZENDA DO TOCANTINS SEFAZ-TO PROJETO DE MODERNIZAÇÃO FISCAL DO ESTADO DO TOCANTINS - PMF-TO (PROFISCO-TO). PLANO DE COMUNICAÇÃO 10 de Outubro de 2013 LISTA DE ILUSTRAÇÕES 2 Quadro 1- Matriz

Leia mais

Regulamento da 1ª Edição do StartupGov: o Desafio do Serviço Público

Regulamento da 1ª Edição do StartupGov: o Desafio do Serviço Público Regulamento da 1ª Edição do StartupGov: o Desafio do Serviço Público 1. SOBRE O STARTUPGOV: O StartupGov: O Desafio do Serviço Público é um espaço para debate com o objetivo de aproximar o governo de especialistas

Leia mais

COMPETÊNCIAS FUNCIONAIS. Finanças

COMPETÊNCIAS FUNCIONAIS. Finanças COMPETÊNCIAS FUNCIONAIS Finanças DESCRIÇÕES DOS NÍVEIS APRENDIZ Aprende para adquirir conhecimento básico. É capaz de pôr este conhecimento em prática sob circunstâncias normais, buscando assistência

Leia mais

10 Minutos. sobre práticas de gestão de projetos. Capacidade de executar projetos é essencial para a sobrevivência das empresas

10 Minutos. sobre práticas de gestão de projetos. Capacidade de executar projetos é essencial para a sobrevivência das empresas 10 Minutos sobre práticas de gestão de projetos Capacidade de executar projetos é essencial para a sobrevivência das empresas Destaques Os CEOs de setores que enfrentam mudanças bruscas exigem inovação

Leia mais

Project and Portfolio Management [PPM] Sustainable value creation.

Project and Portfolio Management [PPM] Sustainable value creation. Project and Portfolio Management [PPM] Sustainable value creation. O SoftExpert PPM Suite é a solução mais robusta, funcional e fácil para priorizar, planejar, gerenciar e executar projetos, portfólios

Leia mais

OBJETIVO DO : FORMAÇÃO NAS MELHORES PRÁTICAS DE GERENCIAMENTO DE PROJETOS. Apresentar o caderno;

OBJETIVO DO : FORMAÇÃO NAS MELHORES PRÁTICAS DE GERENCIAMENTO DE PROJETOS. Apresentar o caderno; IRAIR VALESAN (PMP) OBJETIVO DO : FORMAÇÃO NAS MELHORES PRÁTICAS DE GERENCIAMENTO DE PROJETOS Apresentar o caderno; Exemplo de projetos bem sucedidos http://g1.globo.com/minas-gerais/triangulomineiro/noticia/2015/02/produtores-ruraisaprendem-como-recuperar-nascentes-de-riosem-mg.html

Leia mais

Ministério Público do Estado de Goiás

Ministério Público do Estado de Goiás Ministério Público do Estado de Goiás Apresentação Inicial PMO Institucional MP-GO 1 Um projeto é um esforço temporário empreendido para criar um produto, serviço ou resultado exclusivo. Em muitos casos

Leia mais

Gerenciamento de Projeto: Executando o Projeto III. Prof. Msc Ricardo Britto DIE-UFPI rbritto@ufpi.edu.br

Gerenciamento de Projeto: Executando o Projeto III. Prof. Msc Ricardo Britto DIE-UFPI rbritto@ufpi.edu.br Gerenciamento de Projeto: Executando o Projeto III Prof. Msc Ricardo Britto DIE-UFPI rbritto@ufpi.edu.br Sumário Realizar Aquisições Realizar a Garantia de Qualidade Distribuir Informações Gerenciar as

Leia mais

Gestão Estratégica de Pessoas

Gestão Estratégica de Pessoas Gestão Estratégica de Pessoas MBA FGV 1 Grandes Decisões sobre Pessoas Fatores que Garantem o Resultado As Tendências e Perspectivas de Gestão de Pessoas em Saúde Gestão de Pessoas e o Balanced Score Card

Leia mais

COMPETÊNCIAS FUNCIONAIS MARKETING

COMPETÊNCIAS FUNCIONAIS MARKETING COMPETÊNCIAS FUNCIONAIS MARKETING DesCRiÇÕes Dos níveis APRENDIZ SABER aprende para adquirir conhecimento básico. É capaz de pôr este conhecimento em prática sob circunstâncias normais, buscando assistência

Leia mais

Sustentabilidade nos Negócios

Sustentabilidade nos Negócios Sustentabilidade nos Negócios Apresentação O programa Gestão Estratégica para a Sustentabilidade foi oferecido pelo Uniethos por nove anos. Neste período os temas ligados à sustentabilidade começam a provocar

Leia mais

Impacto da BOA Gestão Financeira sobre o Resultado Empresarial. UMA VISÃO PANORÂMICA 2014 Prof. José Carlos Abreu

Impacto da BOA Gestão Financeira sobre o Resultado Empresarial. UMA VISÃO PANORÂMICA 2014 Prof. José Carlos Abreu Impacto da BOA Gestão Financeira sobre o Resultado Empresarial UMA VISÃO PANORÂMICA 2014 Prof. José Carlos Abreu O Cenário - Pesquisa do SEBRAE - Pesquisas das grandes CONSULTORIAS nos USA e em diversos

Leia mais

Módulo5. Módulo 5. Planejamento e realização de projeto de mapeamento e modelagem de processos, Responsabilidades, Atividades-chaves, Exercício

Módulo5. Módulo 5. Planejamento e realização de projeto de mapeamento e modelagem de processos, Responsabilidades, Atividades-chaves, Exercício Módulo5 Módulo 5 Planejamento e realização de projeto de mapeamento e modelagem de processos, Responsabilidades, Atividades-chaves, Exercício Todos os direitos de cópia reservados. Não é permitida a distribuição

Leia mais

QUER TER SUCESSO NOS NEGÓCIOS? CONFIRA NOSSAS DICAS!

QUER TER SUCESSO NOS NEGÓCIOS? CONFIRA NOSSAS DICAS! QUER TER SUCESSO NOS NEGÓCIOS? CONFIRA NOSSAS DICAS! 4 Introdução 5 Conheça seu público 5 Crie uma identidade para sua empresa 6 Construa um site responsivo 6 Seja direto, mas personalize o máximo possível

Leia mais

O Papel Estratégico da Gestão de Pessoas para a Competitividade das Organizações

O Papel Estratégico da Gestão de Pessoas para a Competitividade das Organizações Projeto Saber Contábil O Papel Estratégico da Gestão de Pessoas para a Competitividade das Organizações Alessandra Mercante Programa Apresentar a relação da Gestão de pessoas com as estratégias organizacionais,

Leia mais

POLÍTICA DE SUSTENTABILIDADE E RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL

POLÍTICA DE SUSTENTABILIDADE E RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL DE SUSTENTABILIDADE E RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL 2/11 Sumário 1. Conceito... 3 2. Objetivo... 3 3. Áreas de aplicação... 3 4. Diretrizes... 4 4.1 Princípios... 4 4.2 Estratégia de e Responsabilidade

Leia mais

Porque Educação Executiva Insper

Porque Educação Executiva Insper 1 Porque Educação Executiva Insper A dinâmica do mundo corporativo atual exige profissionais multidisciplinares, capazes de interagir e formar conexões com diferentes áreas da empresa e entender e se adaptar

Leia mais

Um currículo de alto nível

Um currículo de alto nível Não existe uma única versão de um currículo que possa ser comprado pronto e usado eficazmente em qualquer escola do mundo. Um currículo verdadeiramente deverá estar enraizado em seu próprio contexto, e

Leia mais

I - Você e a DBA. II - Construir relacionamentos

I - Você e a DBA. II - Construir relacionamentos O código de ética DBA representa a necessidade de reforço aos valores e à cultura da empresa através da ética. Assim, é fundado nos valores essenciais da corporação e pode ser definido pelas normas padrões

Leia mais

RESUMO EXECUTIVO RELATÓRIO FINAL DO PROJETO

RESUMO EXECUTIVO RELATÓRIO FINAL DO PROJETO Documento 7.1 RESUMO EXECUTIVO RELATÓRIO FINAL DO PROJETO TRIBUNAL DE CONTAS DOS MUNICIPIOS DO ESTADO DA BAHIA TCM-BA SALVADOR BAHIA MARÇO / 2010 1/10 1. Introdução Este documento faz parte do escopo do

Leia mais

PRINCÍPIOS CORPORATIVOS

PRINCÍPIOS CORPORATIVOS PRINCÍPIOS CORPORATIVOS Os princípios corporativos do grupo Witzenmann Witzenmann GmbH Östliche Karl-Friedrich-Str. 134 75175 Pforzheim Telefone +49 7231 581-0 Fax +49 7231 581-820 wi@witzenmann.com www.witzenmann.de

Leia mais

Como facilitar sua Gestão Empresarial

Como facilitar sua Gestão Empresarial Divulgação Portal METROCAMP Como facilitar sua Gestão Empresarial Aplique o CANVAS - montando o seu(!) Modelo de Gestão Empresarial de Werner Kugelmeier WWW.wkprisma.com.br Por que empresas precisam de

Leia mais

O GERENTE DE PROJETOS

O GERENTE DE PROJETOS O GERENTE DE PROJETOS INTRODUÇÃO Autor: Danubio Borba, PMP Vamos discutir a importância das pessoas envolvidas em um projeto. São elas, e não os procedimentos ou técnicas, as peças fundamentais para se

Leia mais

CÓDIGO DE CONDUTA 1. MENSAGEM IESC

CÓDIGO DE CONDUTA 1. MENSAGEM IESC CÓDIGO DE CONDUTA 1. MENSAGEM IESC De origem grega, o termo ethos significa costumes e deve ser entendido com um conjunto de princípios básicos que visam disciplinar e regular, a moral e a conduta das

Leia mais

#ElesPorElas. Movimento ElesPorElas (HeForShe) de Solidariedade da ONU Mulheres pela Igualdade de Gênero Kit de Ação

#ElesPorElas. Movimento ElesPorElas (HeForShe) de Solidariedade da ONU Mulheres pela Igualdade de Gênero Kit de Ação #ElesPorElas Movimento ElesPorElas (HeForShe) de Solidariedade da ONU Mulheres pela Igualdade de Gênero Kit de Ação INTRODUÇÃO Este Kit de Ação foi desenvolvido para orientar a implementação geral do movimento

Leia mais

FACULDADE PITÁGORAS DISCIPLINA: FUNDAMENTOS DA ADMINISTRAÇÃO

FACULDADE PITÁGORAS DISCIPLINA: FUNDAMENTOS DA ADMINISTRAÇÃO FACULDADE PITÁGORAS DISCIPLINA: FUNDAMENTOS DA ADMINISTRAÇÃO Prof. Ms. Carlos José Giudice dos Santos carlos@oficinadapesquisa.com.br www.oficinadapesquisa.com.br Organizações Nenhuma organização existe

Leia mais

Técnicas de Vendas de Produtos e Serviços financeiros no setor bancário: planejamento, técnicas; motivação para vendas. Professora Renata Lourdes.

Técnicas de Vendas de Produtos e Serviços financeiros no setor bancário: planejamento, técnicas; motivação para vendas. Professora Renata Lourdes. Técnicas de Vendas de Produtos e Serviços financeiros no setor bancário: planejamento, técnicas; motivação para vendas. Professora Renata Lourdes. Administração de Vendas Planejamento, direção e controle

Leia mais

Gerenciamento de custos do projeto

Gerenciamento de custos do projeto PMBOK Visão Geral O PMBOK (Project Management Body of Knowledge) é um guia do Conjunto de Conhecimentos em de Projetos, o qual inclui práticas comprovadas que são amplamente aplicadas na gestão de s, além

Leia mais

DIGITAL & IMPRESSO O BOLETIM DO EMPRESÁRIO DIGITAL & IMPRESSO

DIGITAL & IMPRESSO O BOLETIM DO EMPRESÁRIO DIGITAL & IMPRESSO A EDITORA A Balaminut editora, fundada em 1997, tem seu negócio centrado no mercado editorial de revistas e boletins informativos, integrado com tecnologia e comunicação como ação estratégica. editora

Leia mais

FACULDADE PITÁGORAS DISCIPLINA: FUNDAMENTOS DA ADMINISTRAÇÃO

FACULDADE PITÁGORAS DISCIPLINA: FUNDAMENTOS DA ADMINISTRAÇÃO FACULDADE PITÁGORAS DISCIPLINA: FUNDAMENTOS DA ADMINISTRAÇÃO Prof. Ms. Carlos José Giudice dos Santos carlos@oficinadapesquisa.com.br www.oficinadapesquisa.com.br Objetivos desta unidade: Ao final desta

Leia mais

Texto para discussão. Desenvolvimento profissional dos integrantes da carreira de EPPGG

Texto para discussão. Desenvolvimento profissional dos integrantes da carreira de EPPGG 1 Introdução Texto para discussão Desenvolvimento profissional dos integrantes da carreira de EPPGG Como resultado da coleta de subsídios para aperfeiçoamento da gestão da carreira de Especialista em Políticas

Leia mais

Disciplina: Gerenciamento de Projetos e Práticas de Integração. Gerenciamento de Projetos e Práticas de Integração.

Disciplina: Gerenciamento de Projetos e Práticas de Integração. Gerenciamento de Projetos e Práticas de Integração. Gerenciamento de Projetos e Práticas de Integração AULA 5 Set/2013 Gerenciamento de Projetos e Práticas de Integração Execução Áreas de conhecimentos de gerenciamento de projetos ESCOPO TEMPO CUSTO QUALIDADE

Leia mais

Faculdades Integradas Paiva de Vilhena

Faculdades Integradas Paiva de Vilhena Faculdades Integradas Paiva de Vilhena Curso: Tecnólogo em Processos Gerenciais Disciplina: Gestão Estratégica da Informação A Importância da Informação Prof. Esp. Rodrigo Gomes da Silva Campanha 2009

Leia mais

Gerenciamento de Projetos Modulo III Grupo de Processos

Gerenciamento de Projetos Modulo III Grupo de Processos Gerenciamento de Projetos Modulo III Grupo de Processos Prof. Walter Cunha falecomigo@waltercunha.com http://waltercunha.com Bibliografia* Project Management Institute. Conjunto de Conhecimentos em Gerenciamento

Leia mais

Planejamento de Projeto Gestão de Projetos

Planejamento de Projeto Gestão de Projetos Planejamento de Projeto Gestão de Projetos O gerenciamento de projetos consiste na aplicação de conhecimentos, habilidades, ferramentas e técnicas adequadas às atividades do projeto, a fim de cumprir seus

Leia mais

SERÁ ENCAMINHADO AO CONSELHO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO O NOVO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MATERIAIS, COM INÍCIO PREVISTO PARA 2008

SERÁ ENCAMINHADO AO CONSELHO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO O NOVO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MATERIAIS, COM INÍCIO PREVISTO PARA 2008 SERÁ ENCAMINHADO AO CONSELHO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO O NOVO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MATERIAIS, COM INÍCIO PREVISTO PARA 2008 CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MATERIAIS PROJETO PEDAGÓGICO I OBJETIVOS

Leia mais

Instruções para elaboração de um PLANO DE PROJETO

Instruções para elaboração de um PLANO DE PROJETO INSPER INSTITUTO DE ENSINO E PESQUISA PROGRAMAS CERTIFICATES Instruções para elaboração de um PLANO DE PROJETO I - APRESENTAÇÃO Estas instruções possuem como propósito: a) Estruturar processo de elaboração

Leia mais

Investimento: a partir de R$ 179,00 mensais. MBA Executivo em Finanças Corporativas

Investimento: a partir de R$ 179,00 mensais. MBA Executivo em Finanças Corporativas Investimento: a partir de R$ 179,00 mensais Tempo de realização do MBA: 18 meses Investimento: R$179,00 (acesso ao portal na internet e livros em PDF) Ou Investimento: R$ 219,00 (acesso ao portal na internet,

Leia mais

Resultados, Sustentabilidade, Desempenho, Foco. Sim, sabemos que a sua organização quer chegar lá. Mas você sabe o melhor caminho?

Resultados, Sustentabilidade, Desempenho, Foco. Sim, sabemos que a sua organização quer chegar lá. Mas você sabe o melhor caminho? Resultados, Sustentabilidade, Desempenho, Foco. Sim, sabemos que a sua organização quer chegar lá. Mas você sabe o melhor caminho? Nossa Empresa A MasterQual é uma consultoria brasileira que tem como principal

Leia mais

A Função de Controles Internos em Instituições Financeiras

A Função de Controles Internos em Instituições Financeiras Seminário IIA Brasil - Os Desafios da Auditoria Interna frente aos processos de Gestão de Riscos, Controles e Governança Corporativa Belém, 21 de junho de 2013 A Função de Controles Internos em Instituições

Leia mais

Resultados da Pesquisa Sustainable Brands Rio 2015

Resultados da Pesquisa Sustainable Brands Rio 2015 Resultados da Pesquisa Sustainable Brands Rio 2015 1 2 Apresentação Nesta terceira edição da conferência Sustainable Brands Rio, GlobeScan e Report Sustentabilidade se uniram para realizar uma pesquisa

Leia mais

C O B I T Control Objectives for Information and related Technology

C O B I T Control Objectives for Information and related Technology C O B I T Control Objectives for Information and related Technology Goiânia, 05 de Janeiro de 2009. Agenda Evolução da TI Desafios da TI para o negócio O que é governança Escopo da governança Modelos de

Leia mais