Edital SENAI SESI de Inovação 2012 PERGUNTAS FREQUENTES

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Edital SENAI SESI de Inovação 2012 PERGUNTAS FREQUENTES"

Transcrição

1 Edital SENAI SESI de Inovação 2012 PERGUNTAS FREQUENTES Brasília 2012

2 Edital SENAI SESI de Inovação 2012 PERGUNTAS FREQUENTES Brasília 2012

3 Edital SENai SESi de inovação 2012 PERGUNTAS FREQUENTES

4 3 1) Edital SENAI/SESI de Inovação 1.1) O que é o Edital SENAI/SESI de Inovação? 1.2) A quem está dirigido o Edital de Inovação? Quem deve submeter a proposta à comissão avaliadora? 1.3) Qual é o montante de recursos disponíveis e qual é o limite de recursos por projeto? 1.4) Qual o prazo para inscrição? 1.5) É preciso pagar alguma taxa para participar do Edital? 1.6) Quais são os anexos/documentos obrigatórios para participar do Edital? 1.7) Como deverá ser o envio das propostas? 1.8) Qual é o prazo para aplicação dos recursos no desenvolvimento do projeto? 1.9) Quais projetos serão atendidos pelo SENAI e quais serão atendidos pelo SESI? E por ambos? 1.10) Como caracterizar a inovação nos projetos comuns? 1.11) Para que se destinam os recursos do Edital de Inovação? 1.12) Qual é o destino dos equipamentos adquiridos com recursos do projeto? 1.13) Quais são as responsabilidades dos proponentes ao Edital de Inovação? 1.14) O que devo fazer se meu projeto for selecionado? 1.15) Apresentei meu projeto e ainda não tive resposta. O que faço? 1.16) Quem receberá os recursos destinados aos projetos selecionados pelo Edital de Inovação? 1.17) Quem será o responsável pela avaliação dos projetos? 1.18) Como será a pontuação dos projetos? 1.19) Como evidenciar a parceria do SENAI e do SESI? 1.20) Existem critérios de desempate? 1.21) Onde os projetos podem ser desenvolvidos?

5 4 1.22) Quais critérios serão utilizados para a avaliação dos projetos? 1.23) Projetos desenvolvidos exclusivamente dentro do SESI e/ou do SENAI podem concorrer? 1.24) Que tipo de informação deve ser fornecida na Análise de Viabilidade do Projeto? 2) Departamento Regional 2.1) Sou um Departamento Regional. Como posso participar do Edital de Inovação? 2.2) Qual é a vantagem para um Departamento Regional em participar do Edital de Inovação? 2.3) Outra UO, do mesmo Departamento Regional, pode ser considerada outro parceiro? 2.4) Existem regras para aplicação dos recursos por parte do Departamento Regional (DR)? 2.5) Qual é o papel efetivo dos DRs do SENAI e do SESI nos projetos? 3) Empresa Industrial 3.1) Qual é a vantagem para a indústria em participar do Edital de Inovação? 3.2) Que tipo de indústria pode firmar parceria com o SESI e o SENAI? 3.3) Como minha empresa pode firmar uma parceria com o SESI e/ou o SENAI para participar do Edital de Inovação? 3.4) Como deverão ser tratados os projetos que envolvem empresas que estão em processo de mudança no contrato social? 3.5) Mesmo que no contrato social não esteja discriminada, a produção de software caracteriza uma atividade industrial? Quais atividades devem constar no contrato social para caracterizá-la? 3.6) Qual é a diferença entre indústria parceira e outro parceiro? 3.7) Como uma entidade (que não seja uma empresa industrial) pode participar como outro parceiro? 3.8) Minha empresa pode apresentar mais de um projeto?

6 5 3.9) Um projeto pode ter mais de uma empresa como parceira? 3.10) Qual é a diferença entre outra empresa parceira e a empresa prestadora de serviços? 4) Bolsas de Pesquisa 4.1) O investimento em bolsas está incluído no limite de apoio financeiro estabelecido no Edital? 4.2) Como devo proceder para solicitar as bolsas oferecidas pelo CNPq? 4.3) Onde obter mais informações a respeito de bolsas oferecidas pelo CNPq? 4.4) O bolsista pode ser funcionário da empresa? 4.5) Outros profissionais com vínculo empregatício/funcional poderão ser bolsistas? 4.6) Após a aprovação do projeto, o bolsista poderá iniciar o seu trabalho no projeto?

7 6 1) Edital SENAI/SESI de Inovação 1.1) O que é o Edital SENAI/SESI de Inovação? O Edital é uma iniciativa do SENAI e do SESI que visa despertar a cultura da inovação na Indústria Brasileira, onde o objetivo é estimular a habilidade de desenvolver projetos de pesquisa nas entidades do SENAI e do SESI. Este não é um Edital voltado para o ambiente interno das instituições e sim voltado para atender à demanda da Indústria. 1.2) A quem está dirigido o Edital de Inovação? Quem deve submeter a proposta à comissão avaliadora? O Edital está dirigido às empresas que desejam desenvolver e implementar um projeto inovador que gere novos negócios, promova a melhoria na produtividade ou impacte positivamente nas condições de trabalho e qualidade de vida dos seus trabalhadores. Quem submete a proposta é o Departamento Regional do SENAI e/ou do SESI, elaborada em parceria com a empresa. 1.3) Qual é o montante de recursos disponíveis e qual é o limite de recursos por projeto? O Edital de Inovação disponibilizará R$ 7,5 milhões ao SESI e R$ 20 milhões ao SENAI. Os projetos do SESI e os projetos SENAI têm limite de recursos disponíveis de até R$ 300 mil por projeto. Já os projetos em parceria, ou seja, aqueles desenvolvidos conjuntamente pelo SENAI e SESI, têm limite de recursos de até R$ 400 mil por projeto. 1.4) Qual o prazo para inscrição? O período para que as empresas apresentem suas propostas ao SENAI e/ou SESI Regional será de 02/04 a 25/05/2012 e o período para recebimento das propostas pelo SENAI e/ou SESI Nacional será de 02/04 a 15/06/ ) É preciso pagar alguma taxa para participar? Não. A inscrição é gratuita. 1.6) Quais são os anexos/documentos obrigatórios para participar do Edital? Termo de compromisso, Termo de confidencialidade e cópia da inscrição estadual da empresa parceira (disponível no site 1.7) Como deverá ser o envio das propostas? As propostas de projetos deverão ser enviadas, obrigatoriamente, pelo Departamento Regional do SENAI e/ou do SESI, por meio do Sistema de Gestão de Projetos, que contém todos os campos obrigatórios para proposta dos projetos. O sistema será disponibilizado a partir do dia 02/04/2012.

8 7 1.8) Qual é o prazo para aplicação dos recursos no desenvolvimento do projeto? O prazo de execução e conclusão do projeto é de, no máximo, 20 meses. 1.9) Quais projetos serão atendidos pelo SENAI e quais serão atendidos pelo SESI? E por ambos? Os projetos de inovação tecnológica serão contemplados pelo SENAI. Os projetos de inovação social serão contemplados pelo SESI. Os projetos comuns, ou seja, aqueles que combinem tanto inovação tecnológica quanto social, serão atendidos pelo SESI e pelo SENAI. 1.10) Como caracterizar a inovação nos projetos comuns? A inovação é caracterizada a partir da descrição de um novo produto, melhoria de um processo ou um novo serviço que proporcione melhoria da qualidade de vida do trabalhador ou da comunidade. Para os projetos desenvolvidos em parceria pelas duas instituições, deverá ser caracterizada tanto a inovação tecnológica quanto a inovação social. 1.11) Para que se destinam os recursos do Edital de Inovação? Os recursos destinam-se a custear as despesas com o desenvolvimento dos produtos, processos e serviços propostos nos projetos. Estes recursos podem ser aplicados na aquisição de equipamentos, contratação de terceiros, despesas com viagens, material de consumo, software, material de laboratório etc. Cabe ressaltar que esses recursos não podem ser destinados a gastos internos ou de infraestrutura do Departamento Regional nem da Empresa Industrial. Eles custeiam apenas gastos voltados exclusivamente para o desenvolvimento do projeto. 1.12) Qual é o destino dos equipamentos adquiridos com recursos do projeto? Todos os bens e equipamentos adquiridos com a utilização de recursos do SENAI e/ ou SESI-DN, no âmbito do Edital, serão de propriedade do SENAI e/ou SESI-DR, sendo que os parceiros deverão assegurar a sua correta utilização e integridade, durante a execução do projeto, podendo qualquer um dos seus representantes legais ser designado como fiel depositário dos mesmos. 1.13) Quais são as responsabilidades dos proponentes ao Edital de Inovação? Os proponentes (DR s) deverão elaborar o projeto em parceria com as empresas industriais e submeter suas propostas no prazo determinado. Após aprovação do projeto, deverão encaminhar ao DN o contrato de parceria DR/Empresa assinado. Depois disso, os proponentes poderão dar início ao projeto e deverão manter o sistema de gestão atualizado. Ao final, é necessário elaborar um Relatório de prestação de contas e o Relatório de encerramento do projeto. Caso o projeto seja de inovação tecnológica, deverá apresentar um artigo científico relacionado ao escopo do produto/processo/serviço. Caso o projeto seja de inovação social, deverá apresentar um relatório com a manualização do produto/serviço com o objetivo de replicação.

9 8 Caso o projeto contemple bolsa de pesquisa, deverão ser apresentados os relatórios e pareceres solicitados durante sua vigência. 14) O que devo fazer se meu projeto for selecionado? A primeira ação é efetivar o contrato entre DR/Empresa obedecendo aos prazos conforme cronograma presente no Edital. Para isso, o DR deverá enviar uma via da cópia do contrato assinado por todos os envolvidos no projeto, além de cópia de toda a documentação especificada no contrato ao Departamento Nacional do SESI e/ou do SENAI, para que os recursos possam ser liberados. É importante salientar que é interessante que o DR já tenha negociado previamente este contrato a fim de não sofrer impacto na data de envio deste para o DN. 1.15) Apresentei meu projeto e ainda não tive resposta. O que faço? A data prevista para a divulgação dos projetos aprovados é 14/09/2012. Para mais informações, entre em contato com o interlocutor do Departamento Regional. 1.16) Quem receberá os recursos destinados aos projetos selecionados pelo Edital de Inovação? Os recursos financeiros concedidos aos projetos selecionados pelo Edital não serão repassados às empresas e sim aos Departamentos Regionais do SENAI e do SESI. 1.17) Quem será o responsável pela avaliação dos projetos? A comissão julgadora será constituída por analistas do SENAI-DN e SESI-DN, podendo contar com especialistas ad hoc em inovação tecnológica e social de entidades governamentais, universidades ou associações convidadas. 1.18) Como será a pontuação dos projetos? Depois de avaliados, os projetos serão organizados de acordo com a pontuação de forma decrescente, onde serão apoiados os projetos mais bem pontuados até que sejam comprometidos os recursos de R$ 20 milhões para o SENAI e R$ 7,5 milhões para o SESI. 1.19) Como evidenciar a parceria do SENAI e do SESI? A parceria entre SENAI e SESI deverá ser caracterizada na proposta do projeto, onde uma instituição será a proponente e a outra será outro parceiro. A instituição proponente será responsável pela apresentação do projeto, por sua gestão financeira e pela apresentação de relatório de prestação de contas, entre outras.

10 9 1.20) Existem critérios de desempate? Sim. No caso de ocorrer o empate na nota final, receberá o apoio do DN o projeto que obtiver melhor pontuação no item Análise de Viabilidade do Projeto. Caso persista o empate, será considerada vencedora a proposta que tenha apresentado a maior contrapartida financeira (DR/UO + Empresa). 1.21) Onde os projetos podem ser desenvolvidos? Os projetos podem ser desenvolvidos na própria indústria, e quando aplicável, nos centros do SESI e/ou do SENAI. Existindo um terceiro parceiro no projeto, o mesmo poderá também ser desenvolvido no ambiente deste terceiro, como uma universidade, por exemplo. 1.22) Quais critérios serão utilizados para a avaliação dos projetos? O anexo Detalhamento dos Critérios de Avaliação do Edital de Inovação apresenta o detalhamento de todos os aspectos que serão considerados na avaliação dos projetos. 1.23) Projetos desenvolvidos exclusivamente dentro do SESI e/ou do SENAI podem concorrer? Não. É exigência do Edital que os projetos sejam desenvolvidos em parceria com uma empresa industrial. 1.24) Que tipo de informação deve ser fornecida na Análise de Viabilidade do Projeto? No caso dos projetos de inovação tecnológica, a análise de viabilidade do projeto é o campo que demonstra que o projeto proposto é viável para incorporação na empresa e/ou no mercado. Devem-se avaliar aspectos de mercado, técnicos e econômicos. Apresentamos abaixo algumas perguntas que podem orientar o preenchimento dos campos: Aspectos técnicos: Quais as vantagens e desvantagens competitivas dos produtos a serem inseridos no mercado? Que vantagens serão adquiridas no mercado com a incorporação do produto/processo inovador proposto? Como os clientes perceberão o diferencial em seu produto (ainda que a proposta seja uma inovação no processo)?

11 10 Aspectos de mercado: Qual o tamanho do seu mercado? Que fatia de mercado você pretende ter? Qual a demanda atual do mercado alvo? Quais as tendências do mercado? (tendências de crescimento, preferências dos consumidores, produtos em desenvolvimento etc.). Descreva as principais características de seu produto/processo. O que ele possui de especial? Descreva os benefícios, ou seja, o que o produto/processo proporcionará ao consumidor? Identifique o mercado consumidor No caso de pessoa física: idade, gênero, localização, nível de instrução, classe social etc. (explore conforme as características de seu produto); No caso de pessoa jurídica: natureza da empresa, localização, porte, preferências quanto a preço e qualidade etc. (explore conforme as características de seu produto). Concorrência: Quais produtos e empresas competirão com você? Existirão concorrentes indiretos (por exemplo: companhias aéreas competem com transporte rodoviário, ou viagens com veículo próprio)? Como seus produtos são comparados com os concorrentes? Seguimento / Nicho: Em um parágrafo, defina seu nicho de mercado, ou seja, o segmento em que sua empresa atuará. Estratégia: Promoção: quais mídias, por quê, com que frequência? Por que essas mídias e não outras? Qual a previsão de investimentos em promoção? Preço: Explique o método de precificação de seu produto. Qual será a margem? Seu preço está condizente com a análise de competitividade realizada anteriormente? Localização: sua localização é importante para os consumidores? Se sim, como? Canais de distribuição: Como seus produtos serão vendidos (venda direta, distribuidores, online etc.)? Complementar às informações acima sugeridas, recomenda-se a apresentação de um fluxo de caixa, de uma análise de riscos e de uma planilha comparativa entre concorrentes, para as quais disponibilizamos modelos no Technix módulo de submissão. Aspectos econômicos: Tendo em vista o porte da sua empresa, qual o crescimento potencial esperado? Quais as barreiras que sua empresa enfrentará para entrar no mercado (Ex: alto custo de capital, elevado custo de produção, elevado custo de marketing, aceitação pelos consumidores e reconhecimento da marca, monopólio, custos de logística, barreiras para exportação, câmbio etc.)? Obviamente, como as barreiras identificadas serão superadas? Quais as influências em sua empresa para as seguintes mudanças: Mudança na tecnologia? Mudanças na legislação? Mudanças na economia?

12 11 2) Departamento Regional 2.1) Sou um Departamento Regional. Como posso participar do Edital de Inovação? É necessário procurar o interlocutor do seu estado e apresentar a sua proposta de projeto, que deverá atender às especificações expressas no Edital e identificar uma empresa parceira. 2.2) Qual é a vantagem para um Departamento Regional em participar do Edital de Inovação? O Edital favorece a aproximação da indústria junto ao SENAI e ao SESI, atendendo a sua missão. Isso também contribui para a ampliação e incorporação de conhecimentos por parte das entidades e a abrangência de portfólio de produtos/serviços. 2.3) Outra UO, do mesmo Departamento Regional, pode ser considerada outro parceiro? Não, mas outro Departamento Regional pode ser um parceiro. 2.4) Existem regras para aplicação dos recursos por parte do Departamento Regional (DR)? A aplicação de recursos deve respeitar as regras de contratação e aquisição regimentais já existentes no SENAI e no SESI. 2.5) Qual é o papel efetivo dos DRs do SENAI e do SESI nos projetos? O papel dos técnicos e profissionais das duas entidades envolvidos no projeto é atuar de forma ativa no desenvolvimento das ações tecnológicas e sociais, além de responder pela gestão das metas físicas e financeiras. Caberá aos profissionais das duas entidades a gestão dos recursos, a prestação de contas e a conclusão.

13 12 3) Empresa Industrial 3.1) Qual é a vantagem para a indústria em participar do Edital de Inovação? Por se tratar de um projeto de inovação, a indústria se beneficia com os impactos diretos de um novo produto, serviço ou processos produtivos. 3.2) Que tipo de indústria pode firmar parceria com o SENAI e o SESI? Podem participar empresas públicas ou privadas com caráter industrial. São setores industriais: alimentos e bebidas, automação, automotiva, celulose e papel, construção, couro e calçados, eletroeletrônica, comunicação, energia, gemologia e joalheria, gráfica e editorial, madeira e mobiliário, metal-mecânica, mineração, minerais não metálicos, petróleo e gás, polímeros, química, refrigeração e climatização, segurança do trabalho, sucroalcooleiro, tecnologia da informação, telecomunicações, têxtil e vestuário. 3.3) Como minha empresa pode firmar uma parceria com o SENAI e/ou SESI para participar do Edital de Inovação? A empresa pode procurar o SENAI e/ou SESI do seu estado para juntos elaborarem um projeto. Os interlocutores de cada estado estão relacionados no Apêndice do Edital. 3.4) Como deverão ser tratados os projetos que envolvem empresas que estão em processo de mudança no contrato social? Cabe ao DR definir se é interessante firmar parcerias com indústrias dessa natureza. É importante salientar que o Edital tem o objetivo de apoiar e aprimorar os serviços de inovação do SENAI e do SESI. Sendo assim, deve ser visto como uma ferramenta de aprendizagem, visando à melhoria no atendimento a clientes/contribuintes. 3.5) Mesmo que no contrato social não esteja discriminada, a produção de software caracteriza uma atividade industrial? Quais atividades devem constar no contrato social para caracterizá-la? Em parceria com empresas de software, o SENAI e o SESI podem apresentar propostas de produção de softwares desde que o produto seja colocado na linha de produção da empresa. Existem, por exemplo, softwares como aqueles comercializados pela Microsoft, Norton e Lótus que fabricam seus softwares e os colocam em prateleiras para venda. Empresas dessa natureza geralmente são contribuintes do Sistema Indústria, e podem desenvolver projetos para concorrer ao Edital de Inovação. Já as propostas que visam ao desenvolvimento de soluções em Tecnologia da Informação específicas (prestação de serviços) não poderão ser contempladas no Edital.

14 13 3.6) Qual é a diferença entre indústria parceira e outro parceiro? A indústria parceira é aquela que receberá a inovação na sua linha de produção. É ela quem desenvolverá, em parceria com a UO do SENAI e/ou SESI, o produto ou serviço estabelecido no projeto. Por isso, a presença de uma empresa parceira é item obrigatório para a inscrição de um projeto no Edital de Inovação. Na categoria de outro parceiro enquadram-se Instituições de Ciência e Tecnologia, Universidades, Associações, Instituições do Sistema S e demais instituições não industriais. A participação de outro parceiro é facultativa. 3.7) Como uma entidade (que não seja uma empresa industrial) pode participar como outro parceiro? Para participar do Edital de Inovação, a entidade deve, em conjunto com uma indústria, entrar em contato com o SENAI e/ou SESI do seu estado, apresentar a sua ideia e submetê-la à aprovação das instituições. Esta entidade também deverá apresentar contrapartidas financeiras e/ou econômicas. 3.8) Minha empresa pode apresentar mais de um projeto? Sim. Cabe ressaltar que a empresa terá de se responsabilizar pelas contrapartidas propostas em cada um dos projetos apresentados e aprovados. 3.9) Um projeto pode ter mais de uma empresa como parceira? Sim. O projeto pode ter várias empresas parceiras. Mas é importante ressaltar que todas as empresas parceiras deverão apresentar contrapartidas financeiras e/ou econômicas e o projeto deverá ser desenvolvido, simultaneamente, com as empresas parceiras. 3.10) Qual é a diferença entre outra empresa parceira e a empresa prestadora de serviços? A outra empresa parceira entra no projeto com contrapartidas financeiras e/ou econômicas que incluem as horas técnicas de seus colaboradores. A empresa prestadora de serviços é aquela que será contratada para prestar um determinado serviço no projeto.

15 14 4) Bolsas de Pesquisa 4.1) O investimento em bolsas está incluído no limite de apoio financeiro estabelecido no Edital? Não. Os recursos das bolsas de R$ 2,5 milhões do Ministério de Ciência e Tecnologia, repassados pelo CNPq, são recursos adicionais aos projetos. Portanto, os investimentos em bolsas não são somados aos recursos que irão comprometer o apoio financeiro. Por exemplo: Custo do Projeto (Recurso aportado pelo DN): R$ 300 mil. Investimento em Bolsa DTI-A por 20 meses: R$ 80 mil. Total do projeto com bolsa: R$ 380 mil. 4.2) Como devo proceder para solicitar as bolsas oferecidas pelo CNPq? A solicitação está no campo Bolsas CNPq do TECHNIX. Vale ressaltar que os recursos para as bolsas são adicionais àqueles previstos para a execução do projeto proposto e serão distribuídas de acordo com a disponibilidade orçamentária do convênio com o CNPq. 4.3) Onde obter mais informações a respeito de bolsas oferecidas pelo CNPq? Em 4.4) O bolsista pode ser funcionário da empresa? Não. 4.5) Outros profissionais com vínculo empregatício/funcional poderão ser bolsistas? Não. Casos excepcionais deverão ser devidamente justificados e dependerão de autorização do CNPq. 4.6) Após a aprovação do projeto, o bolsista poderá iniciar o seu trabalho no projeto? Não. Os selecionados somente poderão iniciar suas atividades após aprovação pelo CNPq, pois caso contrário, o CNPq não se responsabilizará pelo pagamento do bolsista.

16

FAQ Edital SENAI SESI de inovação 2010 21 Edital SENAI SESI de inovação 2010

FAQ Edital SENAI SESI de inovação 2010 21 Edital SENAI SESI de inovação 2010 FAQ 21 Edital SENAI SESI de inovação 2010 1. Edital SENAI e SESI 1.1 O que é o Edital SENAI e SESI de Inovação? O Edital é uma iniciativa do SENAI e do SESI que visa despertar a cultura da inovação na

Leia mais

EDITAL SENAI SESI DE INOVAÇÃO. 2) Qual é a vantagem para a indústria participar do Edital de Inovação?

EDITAL SENAI SESI DE INOVAÇÃO. 2) Qual é a vantagem para a indústria participar do Edital de Inovação? 1) O que é o Edital SENAI e SESI de Inovação? 2) Qual é a vantagem para a indústria participar do Edital de Inovação? 3) Qual é a vantagem para um Departamento Regional participar do Edital de Inovação?

Leia mais

SENAI e SESI, parceiros da Indústria na Inovação

SENAI e SESI, parceiros da Indústria na Inovação SENAI e SESI, parceiros da Indústria na Inovação Março 2009 I DENOMINAÇÃO E FINALIDADE Art. 1º - Art. 2º - Denominação. SENAI/SESI Inovação 2009. É uma ação de abrangência nacional voltada para os Departamentos

Leia mais

EDITAL PARA SELEÇÃO DE PROJETOS SOCIAIS 2014

EDITAL PARA SELEÇÃO DE PROJETOS SOCIAIS 2014 EDITAL PARA SELEÇÃO DE PROJETOS SOCIAIS 2014 1. DO OBJETO 1.1. O presente edital tem por objeto realizar uma chamada pública nacional para seleção de projetos sociais. O edital destina-se às organizações

Leia mais

Edital. Ações para o desenvolvimento integral na Primeira Infância

Edital. Ações para o desenvolvimento integral na Primeira Infância Edital Ações para o desenvolvimento integral na Primeira Infância 1. OBJETIVO 1.1. Este edital tem o objetivo de apoiar financeiramente projetos de extensão universitária voltados a ações para o desenvolvimento

Leia mais

Edital Nº 04/2015 DEPE DISPÕE SOBRE A SELEÇÃO DE PROPOSTAS PARA APOIO A PROJETOS DE PESQUISA NA SANTA CASA DE MISERICÓRDIA DE SOBRAL.

Edital Nº 04/2015 DEPE DISPÕE SOBRE A SELEÇÃO DE PROPOSTAS PARA APOIO A PROJETOS DE PESQUISA NA SANTA CASA DE MISERICÓRDIA DE SOBRAL. Edital Nº 04/2015 DEPE DISPÕE SOBRE A SELEÇÃO DE PROPOSTAS PARA APOIO A PROJETOS DE PESQUISA NA SANTA CASA DE MISERICÓRDIA DE SOBRAL. Período 2015/2016 O Diretor da Santa Casa de Misericórdia de Sobral,

Leia mais

PROGRAMA DE INICIAÇÃO EM DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO E INOVAÇÃO PIC/PIBITI/UniCEUB EDITAL DE 2016

PROGRAMA DE INICIAÇÃO EM DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO E INOVAÇÃO PIC/PIBITI/UniCEUB EDITAL DE 2016 PROGRAMA DE INICIAÇÃO EM DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO E INOVAÇÃO PIC/PIBITI/UniCEUB EDITAL DE 2016 O reitor do Centro Universitário de Brasília UniCEUB, no uso de suas atribuições legais e estatutárias,

Leia mais

Edital FAPERJ n.º 17/2010 Parceria CAPES/FAPERJ PROGRAMA EQUIPAMENTO SOLIDÁRIO CAPES/FAPERJ 2010

Edital FAPERJ n.º 17/2010 Parceria CAPES/FAPERJ PROGRAMA EQUIPAMENTO SOLIDÁRIO CAPES/FAPERJ 2010 Edital n.º 17/2010 Parceria / PROGRAMA EQUIPAMENTO SOLIDÁRIO / 2010 O Ministério da Educação, por meio da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior, e o Governo do Estado do Rio de Janeiro,

Leia mais

Conjunto EDITAL N.º 025/2014 PROEPI/IFPR - RETIFICADO PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INCENTIVO AO EMPREENDEDORISMO INOVADOR (PIBIN)

Conjunto EDITAL N.º 025/2014 PROEPI/IFPR - RETIFICADO PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INCENTIVO AO EMPREENDEDORISMO INOVADOR (PIBIN) EDITAL N.º 025/2014 PROEPI/IFPR - RETIFICADO PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INCENTIVO AO EMPREENDEDORISMO INOVADOR (PIBIN) A Pró-Reitoria de Extensão, Pesquisa e Inovação do Instituto Federal do Paraná

Leia mais

Novas Formas de Aprender e Empreender

Novas Formas de Aprender e Empreender Novas Formas de Aprender e Empreender DÚVIDAS FREQUENTES 1. Sobre o Prêmio Instituto Claro, Novas Formas de Aprender e Empreender 1.1. O que é o Prêmio? O Prêmio Instituto Claro Novas Formas de Aprender

Leia mais

CHAMADA PÚBLICA PARA CREDENCIAMENTO NO SISTEMA EMBRAPII

CHAMADA PÚBLICA PARA CREDENCIAMENTO NO SISTEMA EMBRAPII CHAMADA PÚBLICA PARA CREDENCIAMENTO NO SISTEMA EMBRAPII A Associação Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial EMBRAPII torna público o processo de seleção para habilitar Polos EMBRAPII IF (PEIF). Os

Leia mais

EDITAL TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO DO ESTADO DO CEARÁ INOVAÇÃO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO NAS EMPRESAS N.º 12/2010

EDITAL TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO DO ESTADO DO CEARÁ INOVAÇÃO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO NAS EMPRESAS N.º 12/2010 EDITAL TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO DO ESTADO DO CEARÁ INOVAÇÃO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO NAS EMPRESAS N.º 12/2010 A FUNCAP, vinculada à Secretaria da Ciência, Tecnologia e Educação Superior do Estado do

Leia mais

EDITAL SENAI SESI DE INOVAÇÃO 2014

EDITAL SENAI SESI DE INOVAÇÃO 2014 EDITAL SENAI SESI DE INOVAÇÃO 2014 1. SUMÁRIO EXECUTIVO Criado em 1º de julho de 1946, o Serviço Social da Indústria (SESI) é integrante do Sistema Indústria, presente nos 26 Estados e no Distrito Federal

Leia mais

EDITAL FAPEMIG 16/2011

EDITAL FAPEMIG 16/2011 EDITAL FAPEMIG 16/2011 PROGRAMA ESTRUTURADOR REDE DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA INOVAÇÃO TECNOLÓGICA MESTRES E DOUTORES A Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais FAPEMIG, atendendo à orientação

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE INSTITUTO METRÓPOLE DIGITAL INOVA METRÓPOLE EDITAL DE PRÉ-INCUBAÇÃO Nº 02/2015 INOVA METRÓPOLE

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE INSTITUTO METRÓPOLE DIGITAL INOVA METRÓPOLE EDITAL DE PRÉ-INCUBAÇÃO Nº 02/2015 INOVA METRÓPOLE EDITAL DE PRÉ-INCUBAÇÃO Nº 02/2015 A Inova Metrópole, incubadora de empresas do Instituto Metrópole Digital (IMD) da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), torna pública a abertura de processo

Leia mais

REGULAMENTO 5º PRÊMIO APEX-BRASIL DE EXCELÊNCIA EM EXPORTAÇÃO O BRASIL QUE INSPIRA O MUNDO

REGULAMENTO 5º PRÊMIO APEX-BRASIL DE EXCELÊNCIA EM EXPORTAÇÃO O BRASIL QUE INSPIRA O MUNDO REGULAMENTO 5º PRÊMIO APEX-BRASIL DE EXCELÊNCIA EM EXPORTAÇÃO O BRASIL QUE INSPIRA O MUNDO 1 DO PRÊMIO 1.1 Fica estabelecido o 5º Prêmio Apex-Brasil de Excelência em Exportação O Brasil que inspira o mundo,

Leia mais

EDITAL Abertura de Processo Seletivo

EDITAL Abertura de Processo Seletivo EDITAL Abertura de Processo Seletivo Projeto de Iniciação Científica das Faculdades Integradas Campo-grandenses (FIC) Dispõe sobre as normas para o processo de chamada de propostas de projetos de iniciação

Leia mais

EDITAL UCB 001/2012 Propostas de Pesquisas

EDITAL UCB 001/2012 Propostas de Pesquisas Pró-Reitoria de Pós-Graduação e Pesquisa Diretoria de Programa de Pesquisa EDITAL UCB 001/2012 Propostas de Pesquisas A Universidade Católica de Brasília - UCB, por intermédio do Presidente do Conselho

Leia mais

EDITAL Nº 001/2016/PR-PPGI/IFAM, DE 28 DE MARÇO DE 2016 PROGRAMA DE APOIO AO DESENVOLVIMENTO CIENTÍFICO E DE INOVAÇÃO TECNOLOGICA - PADCIT.

EDITAL Nº 001/2016/PR-PPGI/IFAM, DE 28 DE MARÇO DE 2016 PROGRAMA DE APOIO AO DESENVOLVIMENTO CIENTÍFICO E DE INOVAÇÃO TECNOLOGICA - PADCIT. EDITAL Nº 001/2016/PR-PPGI/IFAM, DE 28 DE MARÇO DE 2016 PROGRAMA DE APOIO AO DESENVOLVIMENTO CIENTÍFICO E DE INOVAÇÃO TECNOLOGICA - PADCIT. A PRO-REITORIA DE PESQUISA, PÓS-GRADUAÇÃO E INOVAÇÃO - PR-PPGI,

Leia mais

Recife/PE 2010 ESTÁGIO REGULAMENTO

Recife/PE 2010 ESTÁGIO REGULAMENTO ESTÁGIO REGULAMENTO Recife/PE 2010 2 CAPÍTULO I PRINCÍPIOS GERAIS DO REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO Art. 1.º O presente regulamento visa cumprir a Política de estágios da Escola Superior de Marketing-ESM

Leia mais

ANEXO I REGULAMENTO DO EDITAL PRÊMIO EMPRESA TENDÊNCIA 2ª EDIÇÃO

ANEXO I REGULAMENTO DO EDITAL PRÊMIO EMPRESA TENDÊNCIA 2ª EDIÇÃO ANEXO I REGULAMENTO DO EDITAL PRÊMIO EMPRESA TENDÊNCIA 2ª EDIÇÃO 1. OBJETIVO A COMPANHIA DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO DE MINAS GERAIS CODEMIG, por meio do edital da segunda edição do PRÊMIO EMPRESA TENDÊNCIA,

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE RONDÔNIA

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE RONDÔNIA PROCESSO DE SELEÇÃO DE PROJETOS PARA O PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA E TECNOLÓGICA DO CNPQ MODALIDADES: PIBIC E PIBITI / 2013 2014 EDITAL Nº 65/PROPESP/IFRO, DE 22 DE JULHO DE

Leia mais

EDITAL Nº 002 DE 17 DE DEZEMBRO DE 2010 PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA

EDITAL Nº 002 DE 17 DE DEZEMBRO DE 2010 PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLÓGIA DE MINAS GERAIS CAMPUS CONGONHAS DIRETORIA DE PESQUISA, INOVAÇÃO, PÓS-GRADUAÇÃO

Leia mais

EDITAL Nº 002/2015/PROPE SELEÇÃO DE ORIENTADORES E PROJETOS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA

EDITAL Nº 002/2015/PROPE SELEÇÃO DE ORIENTADORES E PROJETOS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA EDITAL Nº 002/2015/PROPE SELEÇÃO DE ORIENTADORES E PROJETOS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA - PIBIC/FAPEMIG PROGRAMA INSTITUCIONAL DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA

Leia mais

EDITAL Nº 005/2015/PROPE SELEÇÃO SIMPLIFICADA DE ORIENTADORES E PROPOSTAS DE ESTUDO PARA BOLSISTAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA

EDITAL Nº 005/2015/PROPE SELEÇÃO SIMPLIFICADA DE ORIENTADORES E PROPOSTAS DE ESTUDO PARA BOLSISTAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA EDITAL Nº 005/2015/PROPE SELEÇÃO SIMPLIFICADA DE ORIENTADORES E PROPOSTAS DE ESTUDO PARA BOLSISTAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA JÚNIOR PIBIC-JR/FAPEMIG

Leia mais

ESCOLA DE ENGENHARIAS E CIÊNCIAS EXATAS. EDITAL DE SELEÇÃO DE PROJETOS DE PESQUISA 2015.1 / e-labora (PROJETOS DE PESQUISA APLICADA)

ESCOLA DE ENGENHARIAS E CIÊNCIAS EXATAS. EDITAL DE SELEÇÃO DE PROJETOS DE PESQUISA 2015.1 / e-labora (PROJETOS DE PESQUISA APLICADA) ESCOLA DE ENGENHARIAS E CIÊNCIAS EXATAS (PROJETOS DE PESQUISA APLICADA) 1. EDITAL A Universidade Potiguar UnP, através da Escola de Engenharias e Ciências Exatas, torna público o presente Edital, pelo

Leia mais

EDITAL FAPESB/SECTI/SEBRAE/IEL Apoio à Implantação de Cursos de Empreendedorismo 002/2006

EDITAL FAPESB/SECTI/SEBRAE/IEL Apoio à Implantação de Cursos de Empreendedorismo 002/2006 EDITAL FAPESB/SECTI/SEBRAE/IEL Apoio à Implantação de Cursos de Empreendedorismo 002/2006 SELEÇÃO PÚBLICA DE PROPOSTAS PARA O PROGRAMA BAHIA INOVAÇÃO REDE DE EMPREENDEDORISMO A Fundação de Amparo à Pesquisa

Leia mais

Empreenda! 9ª Edição Roteiro de Apoio ao Plano de Negócios. Preparamos este roteiro para ajudá-lo (a) a desenvolver o seu Plano de Negócios.

Empreenda! 9ª Edição Roteiro de Apoio ao Plano de Negócios. Preparamos este roteiro para ajudá-lo (a) a desenvolver o seu Plano de Negócios. Empreenda! 9ª Edição Roteiro de Apoio ao Plano de Negócios Caro (a) aluno (a), Preparamos este roteiro para ajudá-lo (a) a desenvolver o seu Plano de Negócios. O Plano de Negócios deverá ter no máximo

Leia mais

Chamada de Propostas de Pesquisa na área de Mudanças Climáticas Globais Convênio FAPESP-FAPERJ

Chamada de Propostas de Pesquisa na área de Mudanças Climáticas Globais Convênio FAPESP-FAPERJ Chamada de Propostas de Pesquisa na área de Mudanças Climáticas Globais Convênio FAPESP-FAPERJ 1) Introdução A Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo FAPESP e a Fundação de Amparo à Pesquisa

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO CENTRO DE ESTUDOS EM EDUCAÇÃO E LINGUAGEM (CEEL)

REGIMENTO INTERNO DO CENTRO DE ESTUDOS EM EDUCAÇÃO E LINGUAGEM (CEEL) REGIMENTO INTERNO DO CENTRO DE ESTUDOS EM EDUCAÇÃO E LINGUAGEM (CEEL) TÍTULO 1 Da Instituição e seus Fins Art. 1 0 O Centro de Estudos em Educação e Linguagem (CEEL), criado em 2004, para integrar uma

Leia mais

Governo do Estado do Rio Grande do Sul Secretaria do Turismo, Esporte e do Lazer Fundação de Esporte e Lazer do Rio Grande do Sul - FUNDERGS

Governo do Estado do Rio Grande do Sul Secretaria do Turismo, Esporte e do Lazer Fundação de Esporte e Lazer do Rio Grande do Sul - FUNDERGS EDITAL Nº 03/2015 PEQUENAS OBRAS E REFORMAS EM GINÁSIOS ESPORTIVOS, CANCHAS, QUADRAS ESPORTIVAS, ESTÁDIOS, CAMPOS DE FUTEBOL E OUTROS ESPAÇOS DESTINADOS À PRÁTICA DE ESPORTES E AQUISIÇÃO DE EQUIPAMENTOS

Leia mais

REITORIA DO CENTRO UNIVERSITÁRIO DE BELO HORIZONTE UNIBH NÚCLEO ACADÊMICO PESQUISA EDITAL 02/2015 PROJETOS DE PESQUISA EM PARCERIA COM A ONEFORCE/IBM

REITORIA DO CENTRO UNIVERSITÁRIO DE BELO HORIZONTE UNIBH NÚCLEO ACADÊMICO PESQUISA EDITAL 02/2015 PROJETOS DE PESQUISA EM PARCERIA COM A ONEFORCE/IBM REITORIA DO CENTRO UNIVERSITÁRIO DE BELO HORIZONTE UNIBH NÚCLEO ACADÊMICO PESQUISA EDITAL 02/2015 PROJETOS DE PESQUISA EM PARCERIA COM A ONEFORCE/IBM A Vice-Reitora do Centro Universitário de Belo Horizonte

Leia mais

INCUBADORA DE EMPRESAS DE BASE TECNOLÓGICA DA URI URINOVA EDITAL Nº 004/2015 SELEÇÃO DE PROJETOS NO PROGRAMA DE INCUBAÇÃO INTERNA

INCUBADORA DE EMPRESAS DE BASE TECNOLÓGICA DA URI URINOVA EDITAL Nº 004/2015 SELEÇÃO DE PROJETOS NO PROGRAMA DE INCUBAÇÃO INTERNA INCUBADORA DE EMPRESAS DE BASE TECNOLÓGICA DA URI URINOVA EDITAL Nº 004/2015 SELEÇÃO DE PROJETOS NO PROGRAMA DE INCUBAÇÃO INTERNA A Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões URI, Campus

Leia mais

CHAMADA PÚBLICA SEBRAE-TO / SECT-TO INOVA TOCANTINS / PAPPE INTEGRAÇÃO - Nº 01 / 2010

CHAMADA PÚBLICA SEBRAE-TO / SECT-TO INOVA TOCANTINS / PAPPE INTEGRAÇÃO - Nº 01 / 2010 CHAMADA PÚBLICA SEBRAE-TO / SECT-TO INOVA TOCANTINS / PAPPE INTEGRAÇÃO - Nº 01 / 2010 SELEÇÃO PÚBLICA DE PROPOSTAS PARA APOIO À PESQUISA, DESENVOLVIMENTO E INOVAÇÃO EM MICROEMPRESAS E EMPRESAS DE PEQUENO

Leia mais

EDITAL N.º 003/2014 PROEPI/IFPR PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INCENTIVO AO EMPREENDEDORISMO INOVADOR (PIBIN)

EDITAL N.º 003/2014 PROEPI/IFPR PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INCENTIVO AO EMPREENDEDORISMO INOVADOR (PIBIN) EDITAL N.º 003/2014 PROEPI/IFPR PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INCENTIVO AO EMPREENDEDORISMO INOVADOR (PIBIN) A Pró-Reitoria de Extensão, Pesquisa e Inovação do Instituto Federal do Paraná (IFPR),

Leia mais

Sobre o Instituto Desenvolve T.I

Sobre o Instituto Desenvolve T.I Sobre o Instituto Desenvolve T.I A empresa Desenvolve T.I foi fundada em 2008, em Maringá, inicialmente focando a sua atuação em prestação de serviços relacionados à Tecnologia da Informação e atendendo

Leia mais

Sua hora chegou Dê um grande salto REGULAMENTO

Sua hora chegou Dê um grande salto REGULAMENTO Sua hora chegou Dê um grande salto REGULAMENTO Prêmio de Empreendedorismo (plano de negócios) James McGuire 2014 Prêmio de Empreendedorismo (plano de negócios) James McGuire 2014 Regulamento - Estudantes

Leia mais

POLíTICA DE PATROCíNIOS E DOAÇÕES GRUPO VOLVO América latina

POLíTICA DE PATROCíNIOS E DOAÇÕES GRUPO VOLVO América latina POLíTICA DE PATROCíNIOS E DOAÇÕES GRUPO VOLVO América latina índice APRESENTAÇÃO...3 POLíTICA DE PATROCíNIOS Do Grupo Volvo América Latina...3 1. Objetivos dos Patrocínios...3 2. A Volvo como Patrocinadora...3

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro Campus São Gonçalo CoEX - Coordenação de Extensão EDITAL INTERNO

Leia mais

EDITAL DE CONVOCAÇÃO PROGRAMA INSTITUCIONAL DE APOIO A PROJETOS DE PESQUISA 2015.2

EDITAL DE CONVOCAÇÃO PROGRAMA INSTITUCIONAL DE APOIO A PROJETOS DE PESQUISA 2015.2 EDITAL DE CONVOCAÇÃO PROGRAMA INSTITUCIONAL DE APOIO A PROJETOS DE PESQUISA 2015.2 A Pró-Reitoria de Pós-Graduação, Pesquisa e Extensão Comunitária da Universidade Salvador UNIFACS torna público e convoca

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO SEMI-ÁRIDO PRO-REITORIA DE EXTENSÃO E CULTURA INCUBADORA TECNOLÓGICA E DO AGRONEGÓCIO DE MOSSORÓ

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO SEMI-ÁRIDO PRO-REITORIA DE EXTENSÃO E CULTURA INCUBADORA TECNOLÓGICA E DO AGRONEGÓCIO DE MOSSORÓ MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO SEMI-ÁRIDO PRO-REITORIA DE EXTENSÃO E CULTURA INCUBADORA TECNOLÓGICA E DO AGRONEGÓCIO DE MOSSORÓ CHAMADA Nº. 01/2016 IAGRAM A Incubadora Tecnológica

Leia mais

Orientações para Inscrição dos Candidatos à Bolsa de Estágio Pós-Doutoral do Programa CAPES/ NUFFIC

Orientações para Inscrição dos Candidatos à Bolsa de Estágio Pós-Doutoral do Programa CAPES/ NUFFIC Orientações para Inscrição dos Candidatos à Bolsa de Estágio Pós-Doutoral do Programa CAPES/ NUFFIC 1. APRESENTAÇÃO As orientações, a seguir, buscam esclarecê-lo(a) com relação aos aspectos práticos do

Leia mais

ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS

ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS Introdução Independentemente do nível de experiência da proponente na elaboração de projetos, o Instituto Cooperforte empresta apoio, orientação e subsídios às Instituições

Leia mais

Resolução 089/Reitoria/Univates Lajeado, 26 de julho de 2012

Resolução 089/Reitoria/Univates Lajeado, 26 de julho de 2012 Resolução 089/Reitoria/Univates Lajeado, 26 de julho de 2012 Aprova o Edital Propex 01/2012 Pesquisa para pesquisadores dos Programas de Pós-Graduação em implantação O Reitor do Centro Universitário UNIVATES,

Leia mais

8º CONCURSO ESTADUAL DE PLANOS DE NEGÓCIO PARA UNIVERSITÁRIOS 2015 REALIZAÇÃO: SEBRAE/SC REGULAMENTO

8º CONCURSO ESTADUAL DE PLANOS DE NEGÓCIO PARA UNIVERSITÁRIOS 2015 REALIZAÇÃO: SEBRAE/SC REGULAMENTO 8º CONCURSO ESTADUAL DE PLANOS DE NEGÓCIO PARA UNIVERSITÁRIOS 2015 REALIZAÇÃO: SEBRAE/SC REGULAMENTO CAPÍTULO 1 DOS OBJETIVOS Art. 1º O Concurso Estadual de Planos de Negócio para Universitários é uma

Leia mais

Fundação de Apoio à Ciência, Tecnologia e Educação

Fundação de Apoio à Ciência, Tecnologia e Educação MANUAL DO PESQUISADOR SUMÁRIO 1. Apresentação 2. Inclusão de Projetos 2.1. Apresentações de novos projetos 2.2. Tipos de instrumentos legais 2.3. Situação de adimplência das instituições 3. Orientações

Leia mais

EDITAL N.º 03/2015/PROCEA

EDITAL N.º 03/2015/PROCEA MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO MEC FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE RONDÔNIA - UNIR PRÓ-REITORIA DE CULTURA, EXTENSÃO E ASSUNTOS ESTUDANTIS PROCEA EDITAL N.º 03/2015/PROCEA Torna-se público, para conhecimento

Leia mais

EDITAL UNIVERSAL DE PESQUISA RETIFICADO

EDITAL UNIVERSAL DE PESQUISA RETIFICADO EDITAL UNIVERSAL DE PESQUISA N º 14/2014/PROPPI RETIFICADO CHAMADA 2014 2015 PROGRAMA INSTITUCIONAL DE APOIO A PROJETOS DE PESQUISA, DE DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO E DE INOVAÇÃO EXECUÇÃO: AGOSTO DE 2014

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE SANTA CATARINA DEPÁRTAMENTO DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA PROGRAMA ESCOLA TÉCNICA ABERTA DO BRASIL

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE SANTA CATARINA DEPÁRTAMENTO DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA PROGRAMA ESCOLA TÉCNICA ABERTA DO BRASIL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE SANTA CATARINA DEPÁRTAMENTO DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA PROGRAMA ESCOLA TÉCNICA ABERTA DO BRASIL PROCESSO SELETIVO nº. 27/2015/DEAD EDITAL PARA SELEÇÃO DE PROFESSOR

Leia mais

PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO, PESQUISA E INOVAÇÃO (PROEPI) EDITAL Nº 22/2012

PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO, PESQUISA E INOVAÇÃO (PROEPI) EDITAL Nº 22/2012 PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO, PESQUISA E INOVAÇÃO (PROEPI) EDITAL Nº 22/2012 A Pró-Reitoria de Extensão, Pesquisa e Inovação (PROEPI) do Instituto Federal do Paraná, por meio da Diretoria de Pesquisa (DIPE)

Leia mais

O Uso da Inteligência Competitiva e Seus Sete Subprocessos nas Empresas Familiares

O Uso da Inteligência Competitiva e Seus Sete Subprocessos nas Empresas Familiares O Uso da Inteligência Competitiva e Seus Sete Subprocessos nas Empresas Familiares O uso da Inteligência Competitiva como processo para monitorar tecnologias, legislação, ambiente regulatório, concorrência,

Leia mais

DECRETO Nº 1.565, DE 26 DE MARÇO DE 2009

DECRETO Nº 1.565, DE 26 DE MARÇO DE 2009 DECRETO Nº 1.565, DE 26 DE MARÇO DE 2009 Publicado no DOE(Pa) de 27.03.09. Alterado pelos Decretos 1.677/09, 323/12. Regulamenta a Lei nº 5.674, de 21 de outubro de 1991, que dispõe sobre o Fundo de Desenvolvimento

Leia mais

Edital Proppex n 10/2016

Edital Proppex n 10/2016 Edital Proppex n 10/2016 Bolsas de Educação BANCO SANTANDER (BRASIL) S/A CONVÊNIO DE APOIO AO PROGRAMA DE BOLSAS DE EDUCAÇÃO CHAMADA PARA PROJETOS DE ESTUDO VOLTADOS À PESQUISA DE GRUPOS DE PESQUISA DA

Leia mais

PROCESSO SELETIVO 2012 GERAÇÃO DE RENDA (NEGÓCIOS INCLUSIVOS) REGULAMENTO

PROCESSO SELETIVO 2012 GERAÇÃO DE RENDA (NEGÓCIOS INCLUSIVOS) REGULAMENTO PROCESSO SELETIVO 2012 GERAÇÃO DE RENDA (NEGÓCIOS INCLUSIVOS) REGULAMENTO Criado em 2006, o é responsável por gerenciar o investimento social do Grupo HSBC Brasil e tem como missão contribuir para o desenvolvimento

Leia mais

INCUBADORA DE EMPRESAS I-DEIA EDITAL 01/2011 PROCEDIMENTOS PARA O PROCESSO SELETIVO

INCUBADORA DE EMPRESAS I-DEIA EDITAL 01/2011 PROCEDIMENTOS PARA O PROCESSO SELETIVO INCUBADORA DE EMPRESAS I-DEIA EDITAL 01/2011 PROCEDIMENTOS PARA O PROCESSO SELETIVO FEVEREIRO DE 2011 Telefones: (66) 3422 2461 / 6710 1 1. Apresentação da Incubadora de Empresas I-deia A Incubadora I-deia

Leia mais

Rua Joaquim André, 895 Paulista 3434-0461-3434-7137 Piracicaba SP EDITAL DE CHAMADA PÚBLICA 02/2012

Rua Joaquim André, 895 Paulista 3434-0461-3434-7137 Piracicaba SP EDITAL DE CHAMADA PÚBLICA 02/2012 CONSELHO MUNICIPAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE DE PIRACICABA Rua Joaquim André, 895 Paulista 3434-0461-3434-7137 Piracicaba SP EDITAL DE CHAMADA PÚBLICA 02/2012 SELEÇÃO PÚBLICA DE PROJETOS

Leia mais

Regulamento Municipal de Apoio às Actividades Desportivas

Regulamento Municipal de Apoio às Actividades Desportivas Regulamento Municipal de Apoio às Actividades Desportivas Preâmbulo A Câmara Municipal de Nordeste tem vindo a apoiar ao longo dos anos de forma directa e organizada toda a actividade desportiva no concelho

Leia mais

EDITAL CEPeD/UNIFAFIBE Nº01/2015:PESQUISADORES FUNADESP.

EDITAL CEPeD/UNIFAFIBE Nº01/2015:PESQUISADORES FUNADESP. EDITAL CEPeD/UNIFAFIBE Nº01/2015:PESQUISADORES FUNADESP. CHAMADA PARA SELEÇÃO PÚBLICA DE PROJETOS DE PESQUISA DO CEPeD/UNIFAFIBE A SEREM APOIADOS COM BOLSAS DA FUNADESP Estão abertas 4 (quatro) vagas para

Leia mais

EDITAL FAPEMIG 15/2014

EDITAL FAPEMIG 15/2014 EDITAL FAPEMIG 15/2014 PROGRAMA DE ATRAÇÃO DE ESTUDANTES DO MASSACHUSETTS INSTITUTE OF TECHNOLOGY - MIT PARA INTERCÂMBIO EM EMPRESAS DE BASE TECNOLÓGICA EM MINAS GERAIS A Fundação de Amparo à Pesquisa

Leia mais

APOIO À REALIZAÇÃO DE EVENTOS CIENTÍFICOS, TECNOLÓGICOS E DE INOVAÇÃO EDITAL Nº030/ 2015 - AREC

APOIO À REALIZAÇÃO DE EVENTOS CIENTÍFICOS, TECNOLÓGICOS E DE INOVAÇÃO EDITAL Nº030/ 2015 - AREC APOIO À REALIZAÇÃO DE EVENTOS CIENTÍFICOS, TECNOLÓGICOS E DE INOVAÇÃO EDITAL Nº030/ 2015 - AREC O Governo do Estado do Maranhão e a Secretaria de Estado da Ciência, Tecnologia e Inovação - SECTI, por meio

Leia mais

Perguntas Frequentes. Atração de Jovens Talentos BJT

Perguntas Frequentes. Atração de Jovens Talentos BJT Perguntas Frequentes Atração de Jovens Talentos BJT Diretoria de Relações Internacionais Coordenação-Geral de Bolsas e Projetos CGBP Coordenação de Acompanhamento de Bolsistas no Exterior CBE Brasília,

Leia mais

Estudo de Caso 2 O CASO HIME. Introdução

Estudo de Caso 2 O CASO HIME. Introdução Estudo de Caso 2 O CASO HIME Introdução Empresa de Tecnologia Localizada no Rio de Janeiro, A Hime Informática se destaca pelo enorme sucesso obtido pelo o Hime System, o primeiro software do mercado a

Leia mais

PRÊMIO ASSESPRO-RJ MELHORES EMPRESAS EDIÇÃO 2015 EDITAL DE RETIFICAÇÃO

PRÊMIO ASSESPRO-RJ MELHORES EMPRESAS EDIÇÃO 2015 EDITAL DE RETIFICAÇÃO PRÊMIO ASSESPRO-RJ MELHORES EMPRESAS EDIÇÃO 2015 EDITAL DE RETIFICAÇÃO Rio de Janeiro, 31 de julho de 2015. www.assespro-rj.org.br/premioempresas Praça Pio X, 55/ 9º andar - Centro 20.070-900 Rio de Janeiro,

Leia mais

CHAMADA PARA O PROCESSO DE INSCRIÇÃO 2014/2015 DO PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA E TECNOLÓGICA DA FUNCAP

CHAMADA PARA O PROCESSO DE INSCRIÇÃO 2014/2015 DO PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA E TECNOLÓGICA DA FUNCAP CHAMADA PARA O PROCESSO DE INSCRIÇÃO 2014/2015 DO PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA E TECNOLÓGICA DA FUNCAP CHAMADA Nº. 13/2013 DETALHAMENTO GERAL INTRODUÇÃO A (FUNCAP), vinculada

Leia mais

CHAMADA ESTÁGIO DE VERÃO AGÊNCIA ESPACIAL AMERICANA NASA I²

CHAMADA ESTÁGIO DE VERÃO AGÊNCIA ESPACIAL AMERICANA NASA I² CHAMADA ESTÁGIO DE VERÃO AGÊNCIA ESPACIAL AMERICANA NASA I² 1. DISPOSIÇÕES GERAIS 1.1. A oportunidade de estágio de verão proporcionada pela parceria entre a Agência Espacial Brasileira e a Agência Espacial

Leia mais

REITORIA EDITAL Nº 21/2015 FOMENTO À PESQUISA VINCULADA AOS PROGRAMAS STRICTO SENSU

REITORIA EDITAL Nº 21/2015 FOMENTO À PESQUISA VINCULADA AOS PROGRAMAS STRICTO SENSU REITORIA EDITAL Nº 21/2015 FOMENTO À PESQUISA VINCULADA AOS PROGRAMAS STRICTO SENSU O Reitor da Universidade Vila Velha UVV torna público a todos os interessados que estão abertas, de 10 de junho de 2014

Leia mais

Programa Consórcios em Educação Superior Brasil Estados Unidos CAPES/FIPSE. Edital CGCI n. 003/2008

Programa Consórcios em Educação Superior Brasil Estados Unidos CAPES/FIPSE. Edital CGCI n. 003/2008 Programa Consórcios em Educação Superior Brasil Estados Unidos CAPES/ 1 Do programa e objetivo Edital CGCI n. 003/2008 1.1 O Programa CAPES/ tem como objetivo promover o intercâmbio e a cooperação em nível

Leia mais

Programa CAPES-MINCYT

Programa CAPES-MINCYT Programa CAPES- Processo Seletivo 2014 Edital nº 22/2014 A Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior CAPES, instituída como Fundação Pública, por meio da Lei nº. 8.405, de 09 de janeiro

Leia mais

AVISO PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS. Reforçar a Competitividade das Empresas

AVISO PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS. Reforçar a Competitividade das Empresas AVISO PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS PROGRAMA OPERACIONAL DA 2014-2020 (MADEIRA 14-20) EIXO PRIORITÁRIO 3 Reforçar a Competitividade das Empresas PRIORIDADE DE INVESTIMENTO (PI) 3.b Desenvolvimento

Leia mais

EDITAL FAPESB 002/2013 APOIO À PARTICIPAÇÃO EM EVENTOS CIENTÍFICOS E/OU TECNOLÓGICOS

EDITAL FAPESB 002/2013 APOIO À PARTICIPAÇÃO EM EVENTOS CIENTÍFICOS E/OU TECNOLÓGICOS EDITAL FAPESB 002/2013 APOIO À PARTICIPAÇÃO EM EVENTOS CIENTÍFICOS E/OU TECNOLÓGICOS A Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado da Bahia FAPESB, no uso das suas atribuições, torna público o presente Edital

Leia mais

QUER TER SUCESSO NOS NEGÓCIOS? CONFIRA NOSSAS DICAS!

QUER TER SUCESSO NOS NEGÓCIOS? CONFIRA NOSSAS DICAS! QUER TER SUCESSO NOS NEGÓCIOS? CONFIRA NOSSAS DICAS! 4 Introdução 5 Conheça seu público 5 Crie uma identidade para sua empresa 6 Construa um site responsivo 6 Seja direto, mas personalize o máximo possível

Leia mais

www.fundep.br/programacaptar, juntamente com este regulamento.

www.fundep.br/programacaptar, juntamente com este regulamento. PROGRAMA DE CAPTAÇÃO DE RECURSOS FUNDEP REGULAMENTO PARA CADASTRAMENTO DE PROJETOS UFMG A Fundep//Gerência de Articulação de Parcerias convida a comunidade acadêmica da UFMG a cadastrar propostas de acordo

Leia mais

Instruções para Candidatos a Bolsa de Mestrado Sanduíche vinculados a Projetos Conjuntos da Coordenação-Geral de Cooperação Internacional

Instruções para Candidatos a Bolsa de Mestrado Sanduíche vinculados a Projetos Conjuntos da Coordenação-Geral de Cooperação Internacional Instruções para Candidatos a Bolsa de Mestrado Sanduíche vinculados a Projetos Conjuntos da Coordenação-Geral de Cooperação Internacional 1. APRESENTAÇÃO Este documento orienta a apresentação de candidaturas

Leia mais

REGULAMENTO CATEGORIA MICRO, PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS

REGULAMENTO CATEGORIA MICRO, PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS REGULAMENTO CATEGORIA MICRO, PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS apoio: organização: CATEGORIA MICRO, PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS PRÊMIO NACIONAL DE CONSERVAÇÃO E USO RACIONAL DE ENERGIA EDIÇÃO 2009 1 O PRÊMIO Instituído

Leia mais

EDITAL DE PROJETOS INSTITUTO LOJAS RENNER E ONU MULHERES - 2016

EDITAL DE PROJETOS INSTITUTO LOJAS RENNER E ONU MULHERES - 2016 EDITAL DE PROJETOS INSTITUTO LOJAS RENNER E ONU MULHERES - 2016 1. DO OBJETO 1.1. O presente edital tem por objeto realizar uma chamada pública nacional para a seleção de projetos que contribuam para o

Leia mais

EDITAL 01/2016 PRIMEIRO PASSO COACHING

EDITAL 01/2016 PRIMEIRO PASSO COACHING EDITAL 01/2016 PRIMEIRO PASSO COACHING No âmbito de suas atribuições, a Diretora da Primeiro Passo Coaching, com base no evento Conexão Primeiro Passo/ 2016, a ser realizado em 16 e 17 de abril de 2016,

Leia mais

SEBRAEtec Diferenciação

SEBRAEtec Diferenciação SEBRAEtec Diferenciação REGULAMENTO Investir em inovação tecnológica é fundamental para a competitividade das micro e pequenas empresas gaúchas. 2 2014 Mais recursos para as MPEs representam mais desenvolvimento

Leia mais

Edital PROEX/IFRS nº 021/2015. Seleção de tutores para atuarem no curso Bota pra fazer crie seu negócio de alto impacto

Edital PROEX/IFRS nº 021/2015. Seleção de tutores para atuarem no curso Bota pra fazer crie seu negócio de alto impacto Edital PROEX/IFRS nº 021/2015 Seleção de tutores para atuarem no curso Bota pra fazer crie seu negócio de alto impacto A Pró-reitora de Extensão do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do

Leia mais

PORTARIA: Artigo 3º - Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação. (Proc. USP nº 16.1.07489.01.0)

PORTARIA: Artigo 3º - Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação. (Proc. USP nº 16.1.07489.01.0) PORTARIA PRP Nº 479, DE 04 DE ABRIL DE 2016 Dispõe sobre Edital para seleção de soluções inovadoras para resíduos sólidos O Pró-Reitor de Pesquisa, usando de suas atribuições legais, e considerando a necessidade

Leia mais

MINISTÉRIO DE MINAS E ENERGIA CENTRAIS ELÉTRICAS BRASILEIRAS S

MINISTÉRIO DE MINAS E ENERGIA CENTRAIS ELÉTRICAS BRASILEIRAS S 1 MINISTÉRIO DE MINAS E ENERGIA CENTRAIS ELÉTRICAS BRASILEIRAS S.A. - ELETROBRÁS TOMADA DE PREÇOS N 04/2009 ANEXO I - ESPECIFICAÇÃO DOS SERVIÇOS 2 ÍNDICE 1 INTRODUÇÃO...3 2 DETALHAMENTO DOS SERVIÇOS...3

Leia mais

RESOLUÇÃO CONSU Nº 05/2009

RESOLUÇÃO CONSU Nº 05/2009 RESOLUÇÃO CONSU Nº 05/2009 Cria o Núcleo de Inovação Tecnológica da UESC - NIT O Presidente do Conselho Universitário CONSU - da Universidade Estadual de Santa Cruz UESC, no uso de suas atribuições, em

Leia mais

PORTAL DE COMUNICAÇÃO DE CRIAÇÃO. Sistema de solicitação de proteção de propriedades intelectuais on-line.

PORTAL DE COMUNICAÇÃO DE CRIAÇÃO. Sistema de solicitação de proteção de propriedades intelectuais on-line. PORTAL DE COMUNICAÇÃO DE CRIAÇÃO Sistema de solicitação de proteção de propriedades intelectuais on-line. A Agência USP de Inovação, núcleo de inovação tecnológica da Universidade de São Paulo, lançou

Leia mais

NORMA ISO 14004. Sistemas de Gestão Ambiental, Diretrizes Gerais, Princípios, Sistema e Técnicas de Apoio

NORMA ISO 14004. Sistemas de Gestão Ambiental, Diretrizes Gerais, Princípios, Sistema e Técnicas de Apoio Página 1 NORMA ISO 14004 Sistemas de Gestão Ambiental, Diretrizes Gerais, Princípios, Sistema e Técnicas de Apoio (votação 10/02/96. Rev.1) 0. INTRODUÇÃO 0.1 Resumo geral 0.2 Benefícios de se ter um Sistema

Leia mais

REGRAS E PARÂMETROS DE ATUAÇÃO

REGRAS E PARÂMETROS DE ATUAÇÃO REGRAS E PARÂMETROS DE ATUAÇÃO Esta Sociedade Corretora, em atenção ao disposto no art. 6º da Instrução nº 387/03 da CVM e demais normas expedidas pela BM&F BOVESPA, define através deste documento, suas

Leia mais

Edital PROEX/IFRS nº 17/2016. Seleção de tutores para atuarem no curso Bota pra fazer - crie seu negócio de alto impacto

Edital PROEX/IFRS nº 17/2016. Seleção de tutores para atuarem no curso Bota pra fazer - crie seu negócio de alto impacto Edital PROEX/IFRS nº 17/2016 Seleção de tutores para atuarem no curso Bota pra fazer - crie seu negócio de alto impacto O Pró-reitor de Extensão Substituto do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia

Leia mais

2.2.1. Caso seja protocolado mais de 01 (um) projeto, será aceito o último projeto protocolado.

2.2.1. Caso seja protocolado mais de 01 (um) projeto, será aceito o último projeto protocolado. EDITAL DE CONCURSO N 002/2015 8 EDITAL DO FUNDO MUNICIPAL DE APOIO À CULTURA A FUNDAÇÃO CULTURAL DE BRUSQUE, inscrita no CNPJ sob o nº 04.894.677/0001-71, com sede na Rua Germano Schaefer, 110 Praça da

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO PRÓ-REITORIA PARA ASSUNTOS DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO DIRETORIA DE INOVAÇÃO E EMPREENDEDORISMO

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO PRÓ-REITORIA PARA ASSUNTOS DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO DIRETORIA DE INOVAÇÃO E EMPREENDEDORISMO UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO PRÓ-REITORIA PARA ASSUNTOS DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO DIRETORIA DE INOVAÇÃO E EMPREENDEDORISMO EDITAL DE APOIO À INOVAÇÃO 2015 A Universidade Federal de Pernambuco (UFPE),

Leia mais

Mais informações disponíveis no site do projeto: http://grandesempresas.designexport.org.br/

Mais informações disponíveis no site do projeto: http://grandesempresas.designexport.org.br/ RECURSO PARA CONSULTORIA EM DESIGN Estimular a inovação e o design brasileiro para exportação. Esse é o objetivo do Design Export Grandes Empresas, uma iniciativa da Apex- Brasil programa pretende apoiar

Leia mais

EDITAL DE CONVOCAÇÃO LOCAL 2016 Global James McGuire Business Plan Competition 1. DOS REQUISITOS DE PARTICIPAÇÃO E CATEGORIAS

EDITAL DE CONVOCAÇÃO LOCAL 2016 Global James McGuire Business Plan Competition 1. DOS REQUISITOS DE PARTICIPAÇÃO E CATEGORIAS EDITAL DE CONVOCAÇÃO LOCAL 2016 Global James McGuire Business Plan Competition O presente edital tem o objetivo de normatizar e apresentar o cronograma da edição 2016 do Prêmio de Empreendedorismo James

Leia mais

EDITAL FAPESB N o 005/2016 PROGRAMA DE POPULARIZAÇÃO DA CIÊNCIA E TECNOLOGIA OLIMPÍADAS DE CIÊNCIAS

EDITAL FAPESB N o 005/2016 PROGRAMA DE POPULARIZAÇÃO DA CIÊNCIA E TECNOLOGIA OLIMPÍADAS DE CIÊNCIAS EDITAL FAPESB N o 005/2016 PROGRAMA DE POPULARIZAÇÃO DA CIÊNCIA E TECNOLOGIA OLIMPÍADAS DE CIÊNCIAS Edital para seleção de propostas de apoio à Organização de Olimpíadas de Ciências no Estado da Bahia

Leia mais

MODELO DE ATUAÇÃO DO INTEGRADOR

MODELO DE ATUAÇÃO DO INTEGRADOR MODELO DE ATUAÇÃO DO INTEGRADOR SUMÁRIO SUMÁRIO... 2 1. OBJETIVO DO MANUAL... 3 2. QUEM É CONSIDERADO INTEGRADOR?... 3 3. QUAIS PROCESSOS SERÃO ALTERADOS?... 4 3.1» COMISSÃO... 4 3.2» NOVO CHECKLIST ON-LINE...

Leia mais

2º PRÊMIO REDE DIÁSPORA BRASIL O TALENTO BRASILEIRO QUE INSPIRA O MUNDO

2º PRÊMIO REDE DIÁSPORA BRASIL O TALENTO BRASILEIRO QUE INSPIRA O MUNDO Regulamento 2º PRÊMIO REDE DIÁSPORA BRASIL O TALENTO BRASILEIRO QUE INSPIRA O MUNDO 1. DOS OBJETIVOS DO PRÊMIO 1.1. A Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI), com o apoio da Agência Brasileira

Leia mais

Promover o Ensino Superior Associado ao Desenvolvimento Sustentável de Belém e Região

Promover o Ensino Superior Associado ao Desenvolvimento Sustentável de Belém e Região Promover o Ensino Superior Associado ao Desenvolvimento Sustentável de Belém e Região Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica- PIC A iniciação científica viabiliza, aos universitários

Leia mais

EDITAL PARA SELEÇÃO DE PROJETOS SOCIAIS 2015

EDITAL PARA SELEÇÃO DE PROJETOS SOCIAIS 2015 EDITAL PARA SELEÇÃO DE PROJETOS SOCIAIS 2015 1. DO OBJETO 1.1. O presente edital tem por objeto realizar uma chamada pública nacional para seleção de projetos que contribuam para o empoderamento das mulheres

Leia mais

Apresentar recibo original emitido pela organização do evento, constando inclusive à assinatura do recebedor.

Apresentar recibo original emitido pela organização do evento, constando inclusive à assinatura do recebedor. Apresentar recibo original emitido pela organização do evento, constando inclusive à assinatura do recebedor. acompanhado dos cartões de embarque originais utilizados; f) A FAPERJ não aceitará o pagamento

Leia mais

CHAMADA PÚBLICA IPEA/PNPD Nº012/2013 - SELEÇÃO DE CANDIDATOS PARA CONCESSÃO DE BOLSAS

CHAMADA PÚBLICA IPEA/PNPD Nº012/2013 - SELEÇÃO DE CANDIDATOS PARA CONCESSÃO DE BOLSAS CHAMADA PÚBLICA IPEA/PNPD Nº012/2013 - SELEÇÃO DE CANDIDATOS PARA CONCESSÃO DE BOLSAS O Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA), fundação pública vinculada à Secretaria de Assuntos Estratégicos

Leia mais

EDITAL PROPPI Nº 012/2015 APOIO A PROJETOS COOPERATIVOS DE PESQUISA APLICADA, DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO E INOVAÇÃO.

EDITAL PROPPI Nº 012/2015 APOIO A PROJETOS COOPERATIVOS DE PESQUISA APLICADA, DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO E INOVAÇÃO. EDITAL PROPPI Nº 012/2015 APOIO A PROJETOS COOPERATIVOS DE PESQUISA APLICADA, DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO E INOVAÇÃO. O Pró-Reitor de Pesquisa, Pós-Graduação e Inovação do Instituto Federal de Educação,

Leia mais

REGRAS E PARÂMETROS DE ATUAÇÃO DA J.P. MORGAN CORRETORA DE CÂMBIO E VALORES MOBILIÁRIOS S.A.

REGRAS E PARÂMETROS DE ATUAÇÃO DA J.P. MORGAN CORRETORA DE CÂMBIO E VALORES MOBILIÁRIOS S.A. REGRAS E PARÂMETROS DE ATUAÇÃO DA J.P. MORGAN CORRETORA DE CÂMBIO E VALORES MOBILIÁRIOS S.A. A J.P. Morgan Corretora de Câmbio e Valores Mobiliários S.A. (a Corretora ), em atenção ao disposto no art.

Leia mais

JHSF PARTICIPAÇÕES S.A. COMPANHIA ABERTA CNPJ/MF Nº. 08.294.224/0001-65 - NIRE Nº. 35.300.333.578

JHSF PARTICIPAÇÕES S.A. COMPANHIA ABERTA CNPJ/MF Nº. 08.294.224/0001-65 - NIRE Nº. 35.300.333.578 JHSF PARTICIPAÇÕES S.A. COMPANHIA ABERTA CNPJ/MF Nº. 08.294.224/0001-65 - NIRE Nº. 35.300.333.578 CÓDIGO DE ÉTICA Escopo Este Código de Ética ( Código ) reúne as principais normas de conduta que devem

Leia mais

CHAMADA DE SELEÇÃO 006 2016 PROGRAMA DE APOIO A PROJETOS DE COOPERAÇÃO INTERNACIONAL (PAPCI)

CHAMADA DE SELEÇÃO 006 2016 PROGRAMA DE APOIO A PROJETOS DE COOPERAÇÃO INTERNACIONAL (PAPCI) CHAMADA DE SELEÇÃO 006 2016 PROGRAMA DE APOIO A PROJETOS DE COOPERAÇÃO INTERNACIONAL (PAPCI) O Diretor de Relações Internacionais da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Professor Fabio Alves da

Leia mais