O Backbone da Internet Infra-estrutura de rede de operador. O Backbone da Internet infra-estrutura de rede de operador

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "O Backbone da Internet Infra-estrutura de rede de operador. O Backbone da Internet infra-estrutura de rede de operador"

Transcrição

1 11 O Backbone da Internet Infra-estrutura de rede de operador

2 22 Objectivo da apresentação 1. Apresentar a topologia-macro da infra-estrutura de rede 2. Identificar os principais desafios para os operadores

3 33 Infra-estrutura de rede no negócio fio ISP Operador de acesso Internet Agregação Utilizador IP/MPLS + Recurso físico dedicado

4 44 ALTERAÇÃO DO CONSUMO (comportamento económico I) Envolvente Crescente penetração de terminais IP (PCs e outros) Novas aplicações e-government (impostos, concursos, outros serviços) e-learning (ensino à distância) e teletrabalho Peer-to-peer (potencia o always on) FORTE CRESCIMENTO DO PARQUE E DO TRÁFEGO AUMENTO DA CONCORRÊNCIA (comportamento económico II) Abertura do lacete local na rede fia tecnologias alternativas Cabo Wireless DESENVOLVIMENTO DA OFERTA Aumento da capacidade do acesso Novos serviços (voz, vídeo, armazenamento, segurança, jogos, etc.) CONTROLO DE CUSTOS

5 55 Internet Agregação Utilizador IP/MPLS + Recurso físico dedicado

6 66 DESAFIOS IP/MPLS MULTISERVIÇO INDEPENDÊNCIA DO ACESSO ESCALABILIDADE SEGURANÇA DISPONIBILIDADE E FIABILIDADE Diferenciação QoS Optimização dos fluos - Multicast Múltiplos métodos de acesso Gama elevada de débitos (de alguns kbps até 1Gbps) Necessidade de muitos nós de acesso com elevada densidade de interfaces Eaustão de endereços IPv6 Separação de domínios (públicos e/ou privados) Mercado Wholesale / Retalho Restauro rápido (MPLS Fast Re-Route) Engenharia de tráfego com MPLS FOCO NOVOS SERVIÇOS

7 77 Agregação Internet Agregação Utilizador IP/MPLS + Recurso físico dedicado

8 88 Agregação + DESAFIOS AUMENTO DE CAPACIDADE CONTROLO DE CUSTOS Migração de ATM para Ethernet Evolução das soluções de do SDH para fibra e WDM Migração de ATM para Ethernet Optimização do transporte de Ethernet (802., IP/MPLS, SDH-NG, WDM) Optimização de fluos multicast, RPR DISPONIBILIDADE E FIABILIDADE Restauro rápido para o transporte de Ethernet Mecanismos de QoS para o transporte de Ethernet FOCO AUMENTO DE CAPACIDADE E CONTROLO DE CUSTOS

9 99 Internet Agregação Utilizador IP/MPLS + Recurso físico dedicado

10 10 Recurso físico dedicado DESAFIOS AUMENTO DE CAPACIDADE CONTROLO DE CUSTOS Aumento do débito do acesso (downstream e upstream): ADSL2+, FTT Cobertura universal Redução das necessidades de, pelo aumento da densidade de interfaces Diversidade de interfaces no mesmo chassis Optimização de fluos multicast DISPONIBILIDADE E FIABILIDADE Separação de serviços (muito dependente dos equipamentos de cliente) FOCO AUMENTO DE CAPACIDADE E CONTROLO DE CUSTOS

11 11 Foco dos desafios DESAFIOS / MPLS Rede Agregaç ão Rede Multiserviço Desenvolvimento da oferta Independência do acesso Escalabilidade Novos Serviços Segurança Disponibilidade e Fiabilidade Aumento Capacidade Controlo Custos

12 12 Arquitectura Rede Internet Operador de acesso vs. ISP (1) Oferta Fast Internet agregação ADSL ISP A ISP B Circuitos alugados BRAS + DSLAM Detenção da PT Fronteira ADSL ISP A ISP B TDM, ATM HDSL, SDSL DESAFIOS Maior compleidade da OAM, diversas entidades envolvidas

13 13 Arquitectura Rede Internet Operador de acesso vs. ISP (2) Oferta ORALL desagregação do lacete local Oferta de Referência de ao Lacete Local ISP A + DSLAM ADSL + DSLAM ISP B Fronteira DESAFIOS Co-localização dos equipamentos de acesso (serviço ORALL) Espaço & Energia e Segurança

14 14 Conclusões COMPORTAMENTO DE MERCADO DESAFIOS PARA OS OPERADORES DOIS TIPOS DE OPERADORES Alteração de consumo Aumento da concorrência Desenvolvimento da oferta Aumento da capacidade Controlo dos custos ISPs Operadores de acesso TRÊS BLOCOS DE REDE Agregação Repartição dos custos de construção de rede 65% 5% Agregação 30%

15 15 Perguntas?

O VoIP como enabler do desenvolvimento da Rede de Voz da Novis

O VoIP como enabler do desenvolvimento da Rede de Voz da Novis VoIP Coimbra, 16 de Setembro 2005 O VoIP como enabler do desenvolvimento da Rede de Voz da Novis Índice A rede da Novis Transmissão Rede Multi-Serviços O VoIP como tecnologia de Transporte o enabler do

Leia mais

ACESSO de BANDA LARGA. Uma perspectiva de Operador

ACESSO de BANDA LARGA. Uma perspectiva de Operador ACESSO de BANDA LARGA Uma perspectiva de Operador António Varanda I S T Lisboa, 8-Maio-2007 SUMÁRIO Um pouco de história e a evolução da Banda Larga Vídeo em tempo real: requisitos Análise de Operador:

Leia mais

Anatomia de uma rede de acesso banda-larga (Parte I) GTER 33

Anatomia de uma rede de acesso banda-larga (Parte I) GTER 33 Anatomia de uma rede de acesso banda-larga (Parte I) GTER 33 2012 Grupo Algar Negócios Algar Setor TI/Telecom Setor Agro Setor Serviços Turismo Algar Telecom Negócios & Atuação: Varejo Empresas Dados &

Leia mais

Redes e Telecomunicações. 2º Pacote. Formação em

Redes e Telecomunicações. 2º Pacote. Formação em 2º Pacote Formação em Redes de Computadores Formação em Redes de Computadores Exposição dos conteúdos por um docente do ISEL do grupo de redes de comunicações Formação adequada a vários níveis de experiência

Leia mais

Agenda. Mobilidade, convergência e Cloud. A Rede ótica de próxima geração na PT. Evoluções

Agenda. Mobilidade, convergência e Cloud. A Rede ótica de próxima geração na PT. Evoluções Agenda 1. Mobilidade, convergência e Cloud 2. A Rede ótica de próxima geração na PT 3. Evoluções Tsunami de dados Data rate na hora de pico Gbps transport network. DL Utilização diária Gbps transport network.

Leia mais

Regulação e Concorrência no Mercado de Banda Larga

Regulação e Concorrência no Mercado de Banda Larga Regulação e Concorrência no Mercado de Banda Larga Pedro Duarte Neves Preparado para o painel "A Sociedade da Informação em Portugal: Situação e Perspectivas de Evolução" Fórum para a Sociedade da Informação

Leia mais

Questões de Consulta pública sobre abordagem regulatoria às Novas Redes de Acesso (NRA).

Questões de Consulta pública sobre abordagem regulatoria às Novas Redes de Acesso (NRA). Enquadramento O Governo Regional dos Açores, como membro da CPEC, no âmbito do tema Consulta Pública sobre Redes de Nova Geração e após análise da documentação sobre o tema em Epigrafe remete a sua resposta

Leia mais

No quadro do sentido provável da deliberação, foi estabelecido que a PTC deve:

No quadro do sentido provável da deliberação, foi estabelecido que a PTC deve: http://www.anacom.pt/template31.jsp?categoryid=209542 Relatório da audiência prévia às entidades interessadas sobre o sentido provável da deliberação relativa à evolução da oferta grossista Rede ADSL PT

Leia mais

PASSIVE OPTICAL NETWORK - PON

PASSIVE OPTICAL NETWORK - PON PASSIVE OPTICAL NETWORK - PON É uma solução para a rede de acesso, busca eliminar o gargalo das atuais conexões entre as redes dos usuários e as redes MAN e WAN. A solução PON não inclui equipamentos ativos

Leia mais

Pioneirismo não se inventa. Mas pode ser reinventado todos os dias.

Pioneirismo não se inventa. Mas pode ser reinventado todos os dias. Pioneirismo não se inventa. Mas pode ser reinventado todos os dias. A velocidade das respostas é cada vez mais decisiva para o sucesso de uma empresa. Se estar conectado já não basta, é preciso sempre

Leia mais

Diretoria de Projetos e Administração de Redes Marcio Patusco Lana Lobo Maio de 2004

Diretoria de Projetos e Administração de Redes Marcio Patusco Lana Lobo Maio de 2004 Diretoria de Projetos e Administração de Redes Marcio Patusco Lana Lobo Maio de 2004 Diretoria de Projetos e Administração de Redes - Marcio Patusco Lana Lobo 1 Conteúdo : Contexto e Conceitos Topologia

Leia mais

A EMPRESA. A Future Technology é uma divisão da Do Carmo voltada para o mercado de soluções em tecnologia.

A EMPRESA. A Future Technology é uma divisão da Do Carmo voltada para o mercado de soluções em tecnologia. A EMPRESA A Future Technology é uma divisão da Do Carmo voltada para o mercado de soluções em tecnologia. A experiência da Future Technology nas diversas áreas de TI disponibiliza aos mercados público

Leia mais

Convergência Fixo-Móvel

Convergência Fixo-Móvel 18as Palestras sobre Comunicações Móveis 2010 Instituto Superior Técnico 28 Maio 2010 Index Convergência Fixo-Móvel Agenda O que é a Convergência? O que é? Convergência resulta de um conjunto de iniciativas

Leia mais

Roteamento e Comutação

Roteamento e Comutação Roteamento e Comutação Design de Rede Local Design Hierárquico Este design envolve a divisão da rede em camadas discretas. Cada camada fornece funções específicas que definem sua função dentro da rede

Leia mais

Claranet Service Description

Claranet Service Description NETWORKS info@claranet.pt 707 50 51 52 Clara DSL Nova geração de serviços DSL Claranet Service Description DSL Direct xdsl PRO ADSL Business Tel: +351 21 319 92 00 Fax: +351 21 319 92 01 Ed. Parque Expo,

Leia mais

TECNOLOGIAS xdsl para pares de cobre

TECNOLOGIAS xdsl para pares de cobre TECNOLOGIAS xdsl para pares de cobre ESTV 2002/03 Paulo Coelho Redes e Serviços em Banda Larga 1 Tecnologias para a rede de cobre Evolução da transmissão de dados sobre pares de cobre: Rede s/ elementos

Leia mais

Decisão relativa ao conjunto de elementos estatísticos a remeter ao ICP-ANACOM pelos prestadores do Serviço de Acesso à Internet (em local fixo)

Decisão relativa ao conjunto de elementos estatísticos a remeter ao ICP-ANACOM pelos prestadores do Serviço de Acesso à Internet (em local fixo) http://www.anacom.pt/template31.jsp?categoryid=262742 Deliberação de 19.12.2007 Decisão relativa ao conjunto de elementos estatísticos a remeter ao ICP-ANACOM pelos prestadores do Serviço de Acesso à Internet

Leia mais

Fundamentos de Carrier Ethernet. Jerônimo A. Bezerra

Fundamentos de Carrier Ethernet. Jerônimo A. Bezerra <jab@rnp.br> Fundamentos de Carrier Ethernet Jerônimo A. Bezerra 1 Índice Crescimento das redes metropolitanas Ethernet e seus desafios Metro Ethernet Forum - papel, aevidades e envolvimento Introdução

Leia mais

PLANO ALTERNATIVO DE SERVIÇO SCM PLANO ALTERNATIVO N 002 - SCM

PLANO ALTERNATIVO DE SERVIÇO SCM PLANO ALTERNATIVO N 002 - SCM PLANO ALTERNATIVO DE SERVIÇO SCM PLANO ALTERNATIVO N 002 - SCM EMPRESA CLARO S/A., incorporadora da Embratel S.A. NOME DO PLANO REDE ÚNICA DE DADOS MPLS TIPO DE SERVIÇO Serviço de Formação de Rede MPLS

Leia mais

3. Clientes de serviços prestados em pacote

3. Clientes de serviços prestados em pacote QUESTIONÁRIO TRIMESTRAL DOS SERVIÇOS DE COMUNICAÇÕES ELECTRÓNICAS EM LOCAL FIXO E VOIP NÓMADA Serviço Telefónico Fixo (STF) Serviço VoIP nómada Serviço de Acesso à Internet (SAI) Serviço de Televisão por

Leia mais

Infraestrutura e Tecnologia

Infraestrutura e Tecnologia Fundada em 1999, a Mundivox é uma operadora de telecomunicações licenciada pela Anatel e tem como principal objetivo ser a melhor provedora de soluções integradas em serviços de comunicação de voz e dados

Leia mais

Estudo sobre o impacto das Redes de Próxima Geração no mercado

Estudo sobre o impacto das Redes de Próxima Geração no mercado Estudo sobre o impacto das Redes de Próxima Geração no mercado 11 de Junho, 2008 Projecto Número CON 0222 Versão 6.0 B Relatório para a ANACO Conteúdo Capítulo 1 Caracterização das redes existentes em

Leia mais

Resposta da SGC Ar Telecom à Consulta Pública sobre a abordagem regulatória às novas redes de acesso (NRA)

Resposta da SGC Ar Telecom à Consulta Pública sobre a abordagem regulatória às novas redes de acesso (NRA) Resposta da SGC Ar Telecom à Consulta Pública sobre a abordagem regulatória às novas redes de acesso (NRA) Enquadramento Julho 2008 A SGC Ar Telecom está atenta e preocupada com as discussões sobre as

Leia mais

REDES DE TELECOMUNICAÇÕES

REDES DE TELECOMUNICAÇÕES REDES DE TELECOMUNICAÇÕES Transmissão digital no lacete do assinante Engª de Sistemas e Informática UALG/FCT/ADEEC 2004/2005 Redes de Telecomunicações 1 xdsl Sumário Conceitos Gerais Implementação Redes

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES

REDES DE COMPUTADORES REDES DE COMPUTADORES Prof. Esp. Fabiano Taguchi http://fabianotaguchi.wordpress.com fabianotaguchi@gmail.com RESUMO 1 COMUTAÇÃO DE CIRCUITOS Reservados fim-a-fim; Recursos são dedicados; Estabelecimento

Leia mais

(Versão revista e atualizada do tutorial original publicado em 11/11/2002).

(Versão revista e atualizada do tutorial original publicado em 11/11/2002). ADSL (Speedy, Velox, Turbo) Este tutorial apresenta a tecnologia ADSL (Asymetric Digital Subscriber Line) desenvolvida para prover acesso de dados banda larga a assinantes residenciais ou escritórios através

Leia mais

Redes de Telecomunicações. Redes de acesso 2006-2007

Redes de Telecomunicações. Redes de acesso 2006-2007 Redes de Telecomunicações Redes de acesso 2006-2007 Arquitectura da rede: Estrutura geral Central Local de Comutação concentra toda a comutação numa central de comutação telefónica ligando cada assinante

Leia mais

GERÊNCIA INFRAESTRUTURA Divisão Intragov - GIOV INTRAGOV Rede IP Multisserviços

GERÊNCIA INFRAESTRUTURA Divisão Intragov - GIOV INTRAGOV Rede IP Multisserviços GERÊNCIA INFRAESTRUTURA Divisão Intragov - GIOV INTRAGOV Rede IP Multisserviços Julho 2013 Milton T. Yuki Governo Eletrônico (e-gov) Público Alvo Cidadão/Sociedade Órgãos de Governo Serviços e-gov para

Leia mais

Índice. TIPO DE DOCUMENTO Nota Técnica. Designação VERSÃO 3.0. 30 de Julho de 2009. TÍTULO ADSL sobre ISDN - Interface Utilizador-Rede 1/10 3.

Índice. TIPO DE DOCUMENTO Nota Técnica. Designação VERSÃO 3.0. 30 de Julho de 2009. TÍTULO ADSL sobre ISDN - Interface Utilizador-Rede 1/10 3. 1/10 TIPO DE DOCUMENTO Nota Técnica Designação VERSÃO 30 de Julho de 2009 Índice 1 ÂMBITO... 3 2 MODELOS DE REFERÊNCIA... 4 3 INTERFACE UNI USER TO NETWORK... 5 2/10 3.1 PONTO DE TERMINAÇÃO DA REDE......

Leia mais

REDES DE TELECOMUNICAÇÕES

REDES DE TELECOMUNICAÇÕES REDES DE TELECOMUNICAÇÕES Transmissão digital no lacete do assinante Engª de Sistemas e Informática UALG/FCT/ADEEC 2003/2004 Redes de Telecomunicações 1 xdsl Sumário Conceitos Gerais VDSL Implementação

Leia mais

Soluções Triple-Play sobre ADSL para o Mercado Residencial

Soluções Triple-Play sobre ADSL para o Mercado Residencial Soluções Triple-Play sobre ADSL para o Mercado Residencial 9 de Março de 2004 2004-03-09 1 Triple-Play sobre ADSL Notas Prévias Gostaríamos de abordar em maior detalhe as outras plataformas que permitem

Leia mais

Veremos os seguintes tópicos relacionados ao projeto de redes corporativas: Tecnologias para o Acesso Remoto

Veremos os seguintes tópicos relacionados ao projeto de redes corporativas: Tecnologias para o Acesso Remoto Seleção de Tecnologias e Dispositivos para Redes Corporativas Veremos os seguintes tópicos relacionados ao projeto de redes corporativas: Tecnologias para o Acesso Remoto Tecnologias WAN Sistemas para

Leia mais

Projeto de Redes de Computadores. Projeto de Redes de Computadores

Projeto de Redes de Computadores. Projeto de Redes de Computadores Seleção de Tecnologias e Dispositivos para Redes Corporativas Veremos os seguintes tópicos relacionados ao projeto de redes corporativas: Tecnologias para o Acesso Remoto Tecnologias WAN Sistemas para

Leia mais

RELATÓRIO DA AUDIÊNCIA PRÉVIA SOBRE O SENTIDO PROVÁVEL DA DELIBERAÇÃO DO ICP-ANACOM REFERENTE À ALTERAÇÃO DA OFERTA GROSSISTA "REDE ADSL PT"

RELATÓRIO DA AUDIÊNCIA PRÉVIA SOBRE O SENTIDO PROVÁVEL DA DELIBERAÇÃO DO ICP-ANACOM REFERENTE À ALTERAÇÃO DA OFERTA GROSSISTA REDE ADSL PT http://www.anacom.pt/template31.jsp?categoryid=207605 RELATÓRIO DA AUDIÊNCIA PRÉVIA SOBRE O SENTIDO PROVÁVEL DA DELIBERAÇÃO DO ICP-ANACOM REFERENTE À ALTERAÇÃO DA OFERTA GROSSISTA "REDE ADSL PT" 1. ENQUADRAMENTO

Leia mais

Futuro das comunicações ópticas e. sistemas de mobilidade

Futuro das comunicações ópticas e. sistemas de mobilidade Futuro das comunicações ópticas e a convergência com sistemas de mobilidade Convivência de Redes Móveis com as Fixas FORA E DENTRO DA CASA DENTRO DA CASA Mercado de Tablet deverá explodir nos próximos

Leia mais

CONSULTA PÚBLICA SOBRE A ABORDAGEM REGULATÓRIA ÀS NOVAS REDES DE ACESSO (NRA)

CONSULTA PÚBLICA SOBRE A ABORDAGEM REGULATÓRIA ÀS NOVAS REDES DE ACESSO (NRA) CONSULTA PÚBLICA SOBRE A ABORDAGEM REGULATÓRIA ÀS NOVAS REDES DE ACESSO (NRA) 1 Índice Índice...2 Sumário Executivo...4 1 Introdução...10 1.1 Contexto internacional... 14 1.2 Objectivos da consulta...

Leia mais

UNIDADE II. Fonte: SGC Estácio e Marco Filippetti

UNIDADE II. Fonte: SGC Estácio e Marco Filippetti UNIDADE II Metro Ethernet Fonte: SGC Estácio e Marco Filippetti Metro Ethernet é um modo de utilizar redes Ethernet em áreas Metropolitanas e geograficamente distribuídas. Esse conceito surgiu pois, de

Leia mais

Centro Universitário Fundação Santo André. Disciplina Redes de Computadores. Módulo 05

Centro Universitário Fundação Santo André. Disciplina Redes de Computadores. Módulo 05 Centro Universitário Fundação Santo André Disciplina Redes de Computadores Módulo 05 2006 V1.0 Conteúdo Telecomunicação e Canais de Comunicação Multiplexação Tipos de Circuitos de Dados DTE e DCE Circuit

Leia mais

Rede ADSL PT. Descrição de Serviço. MEO Serviços de Comunicações e Multimédia, S.A. 21 de maio de 2015. Data: 2015-05-21 Página 1 / 165 Versão: 38.

Rede ADSL PT. Descrição de Serviço. MEO Serviços de Comunicações e Multimédia, S.A. 21 de maio de 2015. Data: 2015-05-21 Página 1 / 165 Versão: 38. Rede ADSL PT Descrição de Serviço MEO Serviços de Comunicações e Multimédia, S.A. 21 de maio de 2015 Data: 2015-05-21 Página 1 / 165 Versão: 38.2 Conteúdo 1. Introdução... 4 2. A Internet e a Sociedade

Leia mais

Line, é uma tecnologia que permite a transmissão de dados, inclusive Internet, em alta

Line, é uma tecnologia que permite a transmissão de dados, inclusive Internet, em alta Como funciona o sinal DSL INTRODUÇÃO: A Linha Digital de Assinante, conhecida por DSL, do inglês Digital Subscriber Line, é uma tecnologia que permite a transmissão de dados, inclusive Internet, em alta

Leia mais

WiMAX. Miragem ou Realidade? Jorge Rodrigues PT Comunicações Universidade da Beira Interior, 4 de Outubro de 2005. WiMAX

WiMAX. Miragem ou Realidade? Jorge Rodrigues PT Comunicações Universidade da Beira Interior, 4 de Outubro de 2005. WiMAX 1 1 Miragem ou Realidade? Jorge Rodrigues PT Comunicações Universidade da Beira Interior, 4 de Outubro de 2005 2 2 Enquadramento A tecnologia 802.16 / afecta domínios tecnológicos cruciais para os operadores:

Leia mais

Projecto de Fibra Óptica I EVENTO DATA ENDEREÇO DE MAIL I

Projecto de Fibra Óptica I EVENTO DATA ENDEREÇO DE MAIL I Projecto de Fibra Óptica 1 Index Enquadramento Objectivos Procedimentos Longa distância Lacetes de acesso Transmissão Comutação Gestão e Operação Serviços Outras ligações 2 Enquadramento Investimento vs.

Leia mais

Índice. A Novis. Quem Somos. Porquê escolher a Novis. A Rede. Produtos e Serviços Corporate. Serviços de Voz

Índice. A Novis. Quem Somos. Porquê escolher a Novis. A Rede. Produtos e Serviços Corporate. Serviços de Voz www.novis.pt Índice A Novis. Quem Somos. Porquê escolher a Novis 4 A Rede 8 Produtos e Serviços Corporate Serviços de Voz 18 Serviços de Acesso à Internet e Alojamento de Servidores 24 Serviços de Dados

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES

REDES DE COMPUTADORES REDES DE COMPUTADORES Redes de Computadores 3º Ano / 1º Semestre Eng. Electrotécnica Ano lectivo 2005/2006 Sumário Sumário Perspectiva evolutiva das redes telemáticas Tipos de redes Internet, Intranet

Leia mais

Disponibilidade geográfica da banda larga em Portugal

Disponibilidade geográfica da banda larga em Portugal Data de publicação 22.9.2008 Disponibilidade geográfica da banda larga em Portugal A disponibilidade das ofertas de banda larga depende da existência de centrais da rede telefónica pública comutada nas

Leia mais

Escola Superior de Tecnologia e Gestão de Leiria Engenharia Informática e Comunicações

Escola Superior de Tecnologia e Gestão de Leiria Engenharia Informática e Comunicações Escola Superior de Tecnologia e Gestão de Leiria Engenharia Informática e Comunicações WRAN Wireless Regional Access Network Fornecimento de Internet à população da Freguesia de Memória Orador: Tiago Mira

Leia mais

VoIP Perspectiva de um Operador de Telecomunicações

VoIP Perspectiva de um Operador de Telecomunicações ORDEM DOS ENGENHEIROS ENCONTRO NACIONAL DO COLÉGIO DE INFORMÁTICA Coimbra, Set 2005 VoIP Perspectiva de um Operador de Telecomunicações Luís Alveirinho Planeamento e Evolução da Rede PT Comunicações VoIP

Leia mais

ADSL. Esta tecnologia é utilizada pelo Speedy da Telefonica, Turbo da Brasil Telecom, Velox da Telemar e Turbonet da GVT.

ADSL. Esta tecnologia é utilizada pelo Speedy da Telefonica, Turbo da Brasil Telecom, Velox da Telemar e Turbonet da GVT. ADSL Este tutorial apresenta a tecnologia ADSL (Asymetric Digital Subscriber Line) desenvolvida para prover acesso de dados banda larga a assinantes residenciais ou escritórios através da rede de pares

Leia mais

Introdução. Redes de computadores

Introdução. Redes de computadores Introdução Redes de computadores Usos das s de computadores Hardware das s de computadores Periferia da Tecnologias de comutação e multiplexagem Arquitectura em camadas Medidas de desempenho da s Introdução

Leia mais

GRUPO XVI GRUPO DE ESTUDO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO E TELECOMUNICAÇÕES PARA SISTEMAS ELÉTRICOS - GTL

GRUPO XVI GRUPO DE ESTUDO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO E TELECOMUNICAÇÕES PARA SISTEMAS ELÉTRICOS - GTL SNPTEE SEMINÁRIO NACIONAL DE PRODUÇÃO E TRANSMISSÃO DE ENERGIA ELÉTRICA GTL - 08 16 a 21 Outubro de 2005 Curitiba - Paraná GRUPO XVI GRUPO DE ESTUDO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO E TELECOMUNICAÇÕES PARA SISTEMAS

Leia mais

TEMA 1 CENÁRIOS DE MUDANÇA

TEMA 1 CENÁRIOS DE MUDANÇA Mestrado em Engenharia de Redes de Comunicações TEMA 1 CENÁRIOS DE MUDANÇA Parte I Redes tradicionais: - Redes Fixas de Voz e Dados - Redes Móveis: SMT, SMRP As Redes de Acesso à Internet: - ISP - WISP

Leia mais

Prof. Samuel Henrique Bucke Brito

Prof. Samuel Henrique Bucke Brito - Metro-Ethernet (Carrier Ethernet) www.labcisco.com.br ::: shbbrito@labcisco.com.br Prof. Samuel Henrique Bucke Brito - Ethernet na LAN www.labcisco.com.br ::: shbbrito@labcisco.com.br Prof. Samuel Henrique

Leia mais

Introdução. ISP: Internet Service Provider O provedor de acesso oferece serviço de acesso à internet, agregando a ele outros serviços como:

Introdução. ISP: Internet Service Provider O provedor de acesso oferece serviço de acesso à internet, agregando a ele outros serviços como: Introdução ISP: Internet Service Provider O provedor de acesso oferece serviço de acesso à internet, agregando a ele outros serviços como: Correio Eletrônico; Hospedagem de sites; Blogs; DNS; Voip. Introdução

Leia mais

Introdução. ISP Local

Introdução. ISP Local Introdução ISP: Internet Service Provider O provedor de acesso oferece serviço de acesso à internet, agregando a ele outros serviços como: Correio Eletrônico; Hospedagem de sites; Blogs; DNS; Voip. Introdução

Leia mais

GOVERNANÇA NO SETOR DE TRANSPORTES. Telecomunicações Ferroviárias. Mário Alves. 9 de Maio de 2012. Brasília, 9 de Maio de 2012.

GOVERNANÇA NO SETOR DE TRANSPORTES. Telecomunicações Ferroviárias. Mário Alves. 9 de Maio de 2012. Brasília, 9 de Maio de 2012. Bem Brasília vindos 9 de Maio de 2012 AGENDA REFER TELECOM Desafios da Modernização Interoperabilidade Operação Ferroviária Modelo de negócio Gestão de Telecomunicações Gestão do Património Engenharia

Leia mais

Formação BEYOND INNOVATION

Formação BEYOND INNOVATION Formação BEYOND INNOVATION 05 APLICAÇÕES E SERVIÇOS INTRODUÇÃO Conceitos de Segurança - BYOD Triple Play Gestão de Identidades - Estado da Arte e Tendências Instalação de Soluções Triple Play - MEO MEO:

Leia mais

6.3 Tecnologias de Acesso

6.3 Tecnologias de Acesso Capítulo 6.3 6.3 Tecnologias de Acesso 1 Acesso a redes alargadas Acesso por modem da banda de voz (através da Rede Fixa de Telecomunicações) Acesso RDIS (Rede Digital com Integração de Serviços) Acesso

Leia mais

ANEXO 5 AO CONTRATO DE INTERCONEXÃO DE REDES CLASSE V ENTRE SAMM E XXX NºXXX

ANEXO 5 AO CONTRATO DE INTERCONEXÃO DE REDES CLASSE V ENTRE SAMM E XXX NºXXX ANEXO 5 AO CONTRATO DE INTERCONEXÃO DE REDES CLASSE V ENTRE SAMM E XXX NºXXX PROCEDIMENTOS OPERACIONAIS, PROCEDIMENTOS DE TESTES E PARÂMETROS DE QUALIDADE 1. PROCEDIMENTOS OPERACIONAIS 1.1 As Partes observarão

Leia mais

Posição da ONITELECOM relativa àconsulta pública sobre a abordagem regulatória às novas redes de acesso (NRA) 30 de Julho 2008

Posição da ONITELECOM relativa àconsulta pública sobre a abordagem regulatória às novas redes de acesso (NRA) 30 de Julho 2008 Posição da ONITELECOM relativa àconsulta pública sobre a abordagem regulatória às novas redes de acesso (NRA) 30 de Julho 2008 Vimos pelo presente meio apresentar a posição da ONITELECOM relativamente

Leia mais

A Oferta de serviços de 3Play nas Redes Fixas

A Oferta de serviços de 3Play nas Redes Fixas A Oferta de serviços de 3Play nas Redes Fixas José São Braz Direcção de Planeamento e Estratégia de Desenvolvimento da Rede PT Comunicações 2008.05.15 1 Agenda 1. O que é o 3Play 2. Tecnologias da Rede

Leia mais

Desenvolvimento regional e definição de um novo perfil regional/local. TIC no Alentejo Central

Desenvolvimento regional e definição de um novo perfil regional/local. TIC no Alentejo Central Desenvolvimento regional e definição de um novo perfil regional/local TIC no Alentejo Central Alentejo Central A Comunidade Intermunicipal do Alentejo Central é composta pelos Municípios de Alandroal,

Leia mais

OS DESAFIOS DA REGULAÇÃO NO SÉCULO XXI

OS DESAFIOS DA REGULAÇÃO NO SÉCULO XXI TELECOMUNICAÇÃO DE MOÇAMBIQUE OS DESAFIOS DA REGULAÇÃO NO SÉCULO XXI Praia, CABO VERDE 14-15 de Outubro de 2013 Yunus Esmail, TDM Telecomunicações de Moçambique Tópicos Breve Introdução sobre a TDM Breve

Leia mais

Evolução das Redes de Acesso para suporte a Serviços de Nova Geração

Evolução das Redes de Acesso para suporte a Serviços de Nova Geração Evolução das Redes de Acesso para suporte a Serviços de Nova Geração Luís Alveirinho Direcção de Planeamento e Estratégia de Desenvolvimento da Rede PT Comunicações Seminário ANACOM - Lisboa, Outubro 2006

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES

REDES DE COMPUTADORES REDES DE COMPUTADORES Elementos da Comunicação Origem da mensagem ou remetente; O canal meio físico; Destino da mensagem ou receptor; Rede de dados ou redes de informação são capazes de trafegar diferentes

Leia mais

Casa do Futuro Convergência Digital. Porto Alegre, 11 de Setembro de 2007

Casa do Futuro Convergência Digital. Porto Alegre, 11 de Setembro de 2007 Casa do Futuro Convergência Digital Porto Alegre, 11 de Setembro de 2007 O Ponto de Partida A Casa nos Anos 80 TV Aberta Analógica: Do ponto de vista das emissoras, o usuário final não era gerador direto

Leia mais

Redes de Nova Geração

Redes de Nova Geração Redes de Nova Geração Pedro Nascimento 9 de Outubro, 2006 Workshop sobre Redes de Nova Geração ANACOM Sumário O Mercado Português Números Dinâmica Factores de crescimento Os Serviços de Banda Larga Ofertas

Leia mais

Conectividade para acesso a serviços BM&F BOVESPA

Conectividade para acesso a serviços BM&F BOVESPA Bolsa de Valores, Mercadorias & Futuros Conectividade para acesso a serviços BM&F BOVESPA 1. SUMÁRIO... 4 2. CARACTERÍSTICAS DA REDE RCCF PRIMESYS... 5 2.1. CRITÉRIOS DE USO DA REDE RCCF PRIMESYS... 5

Leia mais

Redes de Dados. Aula 1. Introdução. Eytan Mediano

Redes de Dados. Aula 1. Introdução. Eytan Mediano Redes de Dados Aula 1 Introdução Eytan Mediano 1 6.263: Redes de Dados Aspectos fundamentais do projeto de redes e análise: Arquitetura Camadas Projeto da Topologia Protocolos Pt - a Pt (Pt= Ponto) Acesso

Leia mais

Soluções para Rede GPON e Metro Ethernet

Soluções para Rede GPON e Metro Ethernet Soluções para Rede GPON e Metro Ethernet ESTRUTURA DA APRESENTAÇÃO - Apresentação da DATACOM - Soluções para Acesso - ADSL/VDSL - GPON - Metro Ethernet - Soluções para Distribuição (Transporte) - Soluções

Leia mais

Formas de CONECTAR a sua empresa

Formas de CONECTAR a sua empresa SAIBA COMO: Aumentar a produtividade Melhorar a segurança e o atendimento ao cliente Reduzir os custos Para Pequenas Empresas Se você está no mundo dos negócios, está conectado à maior rede pública do

Leia mais

1.A HUGHES. 2.Visão geral comunicação por satélite. 3.Aplicações

1.A HUGHES. 2.Visão geral comunicação por satélite. 3.Aplicações COMUNICAÇÃO SATELITAL COMO ALAVANCA PARA O DESENVOLVIMENTO DA AMAZÔNIA FÁBIO RICCETTO DIRETOR DE VENDAS HUGHES Agenda 1.A HUGHES 2.Visão geral comunicação por satélite 3.Aplicações A HUGHES Nosso Fundador

Leia mais

Condições de oferta e de utilização de Serviços de Comunicações Eletrónicas

Condições de oferta e de utilização de Serviços de Comunicações Eletrónicas Condições de oferta e de utilização de Serviços de Comunicações Eletrónicas Conteúdo 1. Identificação... 3 2. Serviços... 4 2.1. Serviços de Voz... 4 2.1.1. SIP Trunk /Voip... 4 2.1.2. IPBX... 4 2.1.3.

Leia mais

UFSC - Infraestrutura e Serviços de TIC Visão Geral

UFSC - Infraestrutura e Serviços de TIC Visão Geral Ponto de Presença da RNP em Santa Catarina Rede Metropolitana de Educação e Pesquisa da Região de Florianópolis 04 e 05 Outubro/2012 UFSC - Infraestrutura e Serviços de TIC Visão Geral Edison Tadeu Lopes

Leia mais

Rede Telefónica Pública Comutada - Principais elementos -

Rede Telefónica Pública Comutada - Principais elementos - Equipamento terminal: Rede Telefónica Pública Comutada - Principais elementos - o telefone na rede convencional Equipamento de transmissão: meio de transmissão: cabos de pares simétricos, cabo coaxial,

Leia mais

PROPOSTA TÉCNICA COMERCIAL IMPLANTAÇÃO DE REDE FTTH E SERVIÇOS DE ACESSO À INTERNET BANDA LARGA E TELEFONIA

PROPOSTA TÉCNICA COMERCIAL IMPLANTAÇÃO DE REDE FTTH E SERVIÇOS DE ACESSO À INTERNET BANDA LARGA E TELEFONIA PROPOSTA TÉCNICA COMERCIAL IMPLANTAÇÃO DE REDE FTTH E SERVIÇOS DE ACESSO À INTERNET BANDA LARGA E TELEFONIA São Paulo, 09 de junho de 2010. Ao A/C.: Condomínio Colinas do Atibaia Jorge Vicente Lopes da

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Redes de Computadores Professor: Rodrigo Caetano Filgueira Tecnologias WAN TECNOLOGIAS WAN Quando uma empresa cresce e passa a ter instalações em várias localidades, é necessário interconectar as redes

Leia mais

Rede ADSL PT. Descrição de Serviço. PT Comunicações. Direcção de Wholesale (DWH) 18 de Março de 2009. Rede ADSL PT - Descrição de Serviço

Rede ADSL PT. Descrição de Serviço. PT Comunicações. Direcção de Wholesale (DWH) 18 de Março de 2009. Rede ADSL PT - Descrição de Serviço Rede ADSL PT Descrição de Serviço PT Comunicações Direcção de Wholesale (DWH) 18 de Março de 2009 Data: 2009-03-18 Página 1 / 230 Versão: 29.4 CONTEÚDO 1. INTRODUÇÃO...4 2. A INTERNET E A SOCIEDADE DA

Leia mais

IPT - INSTITUTO DE PESQUISAS TECNOLÓGICAS DO ESTADO DE SÃO PAULO APRESENTAÇÃO DE REDES DE ACESSOS

IPT - INSTITUTO DE PESQUISAS TECNOLÓGICAS DO ESTADO DE SÃO PAULO APRESENTAÇÃO DE REDES DE ACESSOS IPT - INSTITUTO DE PESQUISAS TECNOLÓGICAS DO ESTADO DE SÃO PAULO APRESENTAÇÃO DE REDES DE ACESSOS Mestrandos: Delson Martins N:760 Turma 10 Márcio Fernando Flores N:767 Turma 10 Professores: Volnys; Kiatake;

Leia mais

A Tecnologia GPON na Banda Larga Perspectivas e ideias para redes FTTx

A Tecnologia GPON na Banda Larga Perspectivas e ideias para redes FTTx A Tecnologia GPON na Banda Larga Perspectivas e ideias para redes FTTx Glauco Pereira Gerente de Produto - GPON glauco@padtec.com.br Tel.: + 55 19 2104.9727 Cel.: + 55 19 8118.0776 padtec.com Soluções

Leia mais

EMBRATEL WHITE PAPER

EMBRATEL WHITE PAPER EMBRATEL WHITE PAPER CARRIER ETHERNET Neste artigo, a Embratel destaca a história, arquitetura, princípios e serviços que a solução de Carrier Ethernet possui. A tecnologia Ethernet foi concebida na década

Leia mais

Claranet Service Description. Dedicated Hosting Linux

Claranet Service Description. Dedicated Hosting Linux Claranet Service Description Dedicated Hosting Linux Claranet Service Description - Dedicated Hosting Linux - 20100801.doc Página 2 de 8 Clara Dedicated Hosting Linux Pode escolher uma solução pré-definida

Leia mais

1 Introduc ao 1.1 Hist orico

1 Introduc ao 1.1 Hist orico 1 Introdução 1.1 Histórico Nos últimos 100 anos, o setor de telecomunicações vem passando por diversas transformações. Até os anos 80, cada novo serviço demandava a instalação de uma nova rede. Foi assim

Leia mais

Alta disponibilidade utilizando Roteamento Virtual no RouterOS GUILHERME RAMIRES

Alta disponibilidade utilizando Roteamento Virtual no RouterOS GUILHERME RAMIRES Alta disponibilidade utilizando Roteamento Virtual no RouterOS GUILHERME RAMIRES Nome: Guilherme M. Ramires Analista de Sistemas Pós-Graduado em Tecnologia e Gerenciamento de Redes de Computadores CEO

Leia mais

CONSULTA PÚBLICA SEDS/PMMG N 02/2008 COMENTÁRIOS E SUGESTÕES - CERAGON

CONSULTA PÚBLICA SEDS/PMMG N 02/2008 COMENTÁRIOS E SUGESTÕES - CERAGON CONSULTA PÚBLICA SEDS/PMMG N 02/2008 COMENTÁRIOS E SUGESTÕES - CERAGON 17 de dezembro de 2008 Abaixo destacamos alguns comentários e sugestões sobre especificações técnicas de Radio Enlace de Microondas

Leia mais

Joao.Neves@fe.up.pt. João Neves 1. João Neves, 2007. João Neves, 2006 2

Joao.Neves@fe.up.pt. João Neves 1. João Neves, 2007. João Neves, 2006 2 Análise de Fluxos Joao.Neves@fe.up.pt João Neves, 2007 Análise de Fluxos João Neves, 2006 2 João Neves 1 Conceito de Fluxo O conceito de fluxo (fluxo de dados ou fluxo de tráfego) para uma ligação fim-a-fim

Leia mais

Resposta: A Velocidade inicial é 512K. Os links abaixo serão automaticamente migrados.

Resposta: A Velocidade inicial é 512K. Os links abaixo serão automaticamente migrados. Questionamentos Item 2.6: É citado que os acessos terão capacidade de transmissão de 512 Kbps até 10 Gbps, porém na previsão de novos acessos existem diversos pontos com velocidade de 256 Kbps; Resposta:

Leia mais

Backbone e Infraestrutura do PoP-RS/RNP. Leandro M. Bertholdo berthold@pop-rs.rnp.br

Backbone e Infraestrutura do PoP-RS/RNP. Leandro M. Bertholdo berthold@pop-rs.rnp.br Backbone e Infraestrutura do PoP-RS/RNP Leandro M. Bertholdo berthold@pop-rs.rnp.br Resumo do PoP-RS Sediado no CPD-Ufrgs O POP-RS/RNP está instalado no CPD/Ufrgs desde 1994/1995 Campus Médico da UFRGS

Leia mais

Números chave das comunicações electrónicas em França Números de 2010

Números chave das comunicações electrónicas em França Números de 2010 RÉPUBLIQUE FRANÇAISE Junho de 211 Números chave das comunicações electrónicas em França Números de 21 Características dos operadores Salvo precisión en contrario, los datos presentados en este documento

Leia mais

Faculdade Integrada do Ceará FIC Graduação em Redes de Computadores

Faculdade Integrada do Ceará FIC Graduação em Redes de Computadores Faculdade Integrada do Ceará FIC Graduação em Redes de Computadores Disciplina Redes de Banda Larga Prof. Andrey Halysson Lima Barbosa Aula 6 Redes xdsl Sumário Introdução; Taxas de transmissão DSL e qualidade

Leia mais

Roberto Adão radao@multirede.co.ao

Roberto Adão radao@multirede.co.ao Roberto Adão radao@multirede.co.ao A Empresa Multirede 16 anos de experiência em consultoria e educação em tecnologia da informação Casos de sucesso em projetos pioneiros nas maiores redes de comunicação

Leia mais

6127. Redes comunicação de dados. RSProf@iol.pt. 2014/2015. Introdução.

6127. Redes comunicação de dados. RSProf@iol.pt. 2014/2015. Introdução. Sumário 6127. Redes comunicação de dados. 6127. Redes comunicação de dados A Internet: Permite a interação entre pessoas. 6127. Redes comunicação de dados A Internet: Ensino; Trabalho colaborativo; Manutenção

Leia mais

Multiprotocol Label Switching. Protocolos em Redes de Dados- Aula 08 -MPLS p.4. Motivação: desempenho. Enquadramento histórico

Multiprotocol Label Switching. Protocolos em Redes de Dados- Aula 08 -MPLS p.4. Motivação: desempenho. Enquadramento histórico Multiprotocol Label Switching Protocolos em Redes de Dados - Aula 08 - MPLS Luís Rodrigues ler@di.fc.ul.pt DI/FCUL Objectivo: Conciliar as tecnologias baseadas em comutação (switching) com o encaminhamento

Leia mais

A Heterogeneous Mobile IP QoS-aware Network

A Heterogeneous Mobile IP QoS-aware Network A Heterogeneous Mobile I QoS-aware Network Victor Marques (victor-m-marques@ptinovacao.pt) Rui Aguiar (ruilaa@av.it.pt) Jürgen Jähnert (jaehnert@rus.uni-stuttgart.de) Karl Jonas (karl.jonas@ieee.org) Marco

Leia mais

Redes de Comunicações Móveis / Tecnologias de Redes de Comunicações / Segurança Informática em Redes e Sistemas

Redes de Comunicações Móveis / Tecnologias de Redes de Comunicações / Segurança Informática em Redes e Sistemas UNIVERSIDADE TÉCNICA DE LISBOA INSTITUTO SUPERIOR TÉCNICO Redes de Comunicações Móveis / Tecnologias de Redes de Comunicações / Segurança Informática em Redes e Sistemas Enunciado do Projecto Conjunto

Leia mais

Características dos operadores

Características dos operadores RÉPUBLIQUE FRANÇAISE Junho de 21 Números chave das comunicações electrónicas em França Números de 29 Características dos operadores Salvo indicação em contrário, os números apresentados neste documento

Leia mais

A Tecnologia GPON na Banda Larga Perspectivas e ideias para redes FTTx

A Tecnologia GPON na Banda Larga Perspectivas e ideias para redes FTTx A Tecnologia GPON na Banda Larga Perspectivas e ideias para redes FTTx Glauco Pereira Gerente de Produto - GPON glauco@padtec.com.br Tel.: + 55 19 2104.9727 Cel.: + 55 19 8118.0776 padtec.com Soluções

Leia mais

Oferta Pública de Interconexão. Classe V

Oferta Pública de Interconexão. Classe V SAMM - Sociedade de Atividades em Multimídia Ltda. Oferta Pública de Interconexão Classe V Oferta Pública de Interconexão de Redes OPI apresentada ao mercado nos termos do Regulamento Geral de Interconexão

Leia mais

Administração de Sistemas de Informação Gerenciais

Administração de Sistemas de Informação Gerenciais Administração de Sistemas de Informação Gerenciais UNIDADE V: Telecomunicações, Internet e Tecnologia Sem Fio. Tendências em Redes e Comunicações No passado, haviam dois tipos de redes: telefônicas e redes

Leia mais

Planejamento e Projeto de Redes

Planejamento e Projeto de Redes Planejamento e Projeto de Redes Carlos Sampaio Identificação das Necessidades e Objetivos do Cliente Análise dos objetivos e restrições de negócio Análise dos objetivos e restrições técnicos Caracterização

Leia mais