PLANO DE CURSO RESUMIDO III. PERFIL PROFISSIONAL DE CONCLUSÃO DOS EGRESSOS DO CURSO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PLANO DE CURSO RESUMIDO III. PERFIL PROFISSIONAL DE CONCLUSÃO DOS EGRESSOS DO CURSO"

Transcrição

1 PLANO DE CURSO RESUMIDO CURSO Carpinteiro de Obras CBO COD-SGE MODALIDADE Qualificação Profissional Básica Área Tecnológica Construção Civil CARGA HORÁRIA 220 horas ITINERÁRIO Regional I. OBJETIVO GERAL Confeccionar, montar e desmontar fôrmas e escoramentos para estruturas de concreto armado, bem como estruturas auxiliares e instalações provisórias de obras, de acordo com normas e procedimentos técnicos de qualidade, segurança, higiene e saúde. II. PRÉ-REQUISITOS No ato da matrícula, o aluno deverá apresentar documentação que comprove: Idade superior a 16 anos; Ensino Fundamental I Incompleto (comprovante de escolaridade ou autodeclaração de compatibilidade), conforme guia FIC do PRONATEC. III. PERFIL PROFISSIONAL DE CONCLUSÃO DOS EGRESSOS DO CURSO Para atender às exigências requeridas pelas mudanças aceleradas do mercado de trabalho e às necessidades tecnológicas que cada vez mais vêm invadindo todos os setores da sociedade (comércio, indústria, saúde, etc), o Curso de Carpinteiro de Obras deverá receber uma formação ampla, constituída por competências gerais e específicas, que lhe permitam atuar e acompanhar as transformações da área e do mundo do trabalho, de forma autônoma e crítica. Este profissional deverá compreender as atividades de: Planejar Trabalho de Carpintaria Preparar Canteiro de Obras Montar Fôrmas Metálicas Confeccionar Fôrmas de Madeira Construir Andaimes e Proteção de Madeira Escorar Lajes de Pontes, Viadutos e Grandes Vãos Montar Portas e Esquadrias Finalizar Serviços Construir Estrutura de Madeira para Telhado

2 Específico Carpintaria de Formas MÓDULOS Básico Fundamentos Básicos para Construção de Edificações Os profissionais deverão desenvolver trabalho em equipe, utilizando-se de princípios de ética e de cidadania, com relacionamento interpessoal adequado, raciocínio lógico, criatividade, mantendo-se atualizados em relação às tendências da área e prontos a atuarem frente a situações complexas com flexibilidade, enfrentando desafios, buscando inovações, propondo soluções e assumindo responsabilidade profissional. III.1. Desenho Curricular UNIDADES CURRICULARES Carga Horária Formação Social 20h Fundamentos Básicos para Construção de Edificações 20h QSMS - Qualidade, Saúde, Meio Ambiente e Segurança do Trabalho no Canteiro de Obras 24h Planejamento e Organização do Trabalho na Construção de Edificações Confecção de Formas de Madeira 36h 40h Montagem de Formas de Madeira Desforma e Reescoramento de painéis Estruturas auxiliares e instalações provisórias Formas especiais 40h 10h 15h 15h Carga Horária Total 220 horas III.2. Instrumento de Avaliação: a) Avaliação Teórica Prova individual sem consulta, montada de acordo com o modelo F-OP-073, para o curso. b) Avaliação Prática Preenchimento de formulário contendo itens a serem avaliados em relação ao curso.

3 IV. CONTEÚDO FORMATIVO 1. Carpinteiro de Obras 220 horas 1.1. Formação social 20 horas Relações de Gênero X Mercado de Trabalho Introdução aos Direitos Humanos Diversidade sexual Relações Raciais no Mundo do Trabalho Ética, moral, valores e postura profissional Impacto da tecnologia no mercado de trabalho e direitos trabalhistas Código de defesa do consumidor e meio ambiente Sustentabilidade e processo seletivo de lixo úmido e seco Apresentação pessoal e atendimento ao cliente Empreendedorismo 1.2. Fundamentos Básicos para Construção de Edificações 20 horas Tipos de edificações; Elementos constituintes de uma edificação; Etapas de construção de uma edificação: instalações provisórias, locação da obra, fundações, estruturas alvenarias, instalações, revestimentos, esquadrias e ferragens, louças e metais, pintura e cobertura; Tipos e características de: Máquinas, Equipamentos e Ferramentas; Novas tecnologias; Tecnologia dos Materiais: Tipos, características e Patologias; Operações matemáticas fundamentais; O Sistema Internacional; Unidades de medida: Comprimento, Área, Volume, Massa e Tempo.

4 1.3. QSMS: qualidade, saúde, meio ambiente e segurança do trabalho no canteiro de obras - 24 horas Qualidade: Conceito, Princípios de gestão da qualidade: satisfação do cliente, participação e produtividade. A qualidade como processo: causas e fatores, resultados, classificação e tipos; Segurança e Saúde: Acidentes de trabalho/doenças ocupacionais: Conceitos básicos, Características; Acidente de trajeto e Acidente fora do local e do horário de trabalho; Primeiros socorros; Prevenção e Combate à Incêndio: Teoria da Combustão: Técnicas de Extinção e Utilização de Extintores; Condições ambientais: Riscos ambientais no trabalho, Agentes físicos: ruídos, temperatura, radiações, Agentes químicos, Gases combustíveis e gases da combustão, Agentes biológicos, Riscos ergonômicos e Riscos ocupacionais; Medidas preventivas; Utilização de equipamentos de prevenção individual (EPI s): Luva, Óculos de Segurança, Calçados de Segurança, Proteção respiratória, Proteção auditiva, Colete refletivo e Cinto de segurança; Utilização de equipamentos de prevenção coletiva (EPC s). Sinalização de Obra (placas, isolamento) e Trabalhos em altura: Conceitos, Legislação, Instalação de linhas de vida, Conceitos de ancoragem, Sistemas de ancoragem e Deslocamento vertical e horizontal; Controle e conservação dos equipamentos de proteção; A CIPA; Gestão de resíduos na construção civil Planejamento e organização do trabalho na construção de edificações - 36 horas Interpretação de projetos: (Escalas). Interpretação de projeto arquitetônico: simbologia, planta de situação, planta baixa, planta de cobertura. Corte longitudinal. Corte transversal. Fachada. Interpretação de projeto executivo: simbologia, conjunto de plantas.

5 Planejamento e Organização do Trabalho: Planejamento, programação e controle no desenvolvimento de serviços e Levantamento dos recursos necessários: Materiais, Equipamentos e Ferramentas. Elaboração de cronograma de trabalho. Organização de espaços para execução do trabalho: Materiais, Equipamentos e Ferramentas. Elaboração de cronograma de trabalho. Organização de espaços para execução do trabalho: Seleção de materiais, máquinas e equipamentos Ética profissional Trabalho em equipe Tomada de decisão no desenvolvimento de serviços. Material Didático: Disponível no Portal do Conhecimento 1.5. Confecção de formas de madeira - 40 horas Sistema métrico decimal; Interpretação de projeto de formas: Simbologia, Plantas de Forma, Escoramentos e Detalhes; Interpretação de textos:: Normas técnicas e Ordens de serviço; Materiais empregados na confecção de formas: Madeiras e derivados: Tipos e Características. Componentes: Tipos e Função; Tecnologia do Processo de Confecção de Formas de Madeira: Equipamentos de Proteção Individual e Coletiva. Programação de Corte. Técnicas de Corte, Composição de Painéis e Armazenagem de painéis; Planejamento e organização para execução dos serviços: Levantamento de Materiais, Seleção de equipamentos e Ferramentas e Organização do local de trabalho; Procedimentos de verificação e aceite dos serviços técnicos de segurança; Segregação e descarte dos resíduos gerados Montagem de Formas de Madeira 40 horas Sistema métrico decimal;

6 Interpretação de projeto de formas: Simbologia, Plantas de Forma, Escoramentos e Detalhes; Interpretação de textos: Normas técnicas, Ordens de serviço, Materiais empregados na confecção de formas; Madeiras e derivados (Tipos, Características e Patologias). Componentes (Tipos e Função); Tecnologia do Processo de Montagem de Formas de Madeira: Equipamentos de Proteção Individual e Coletiva. Instalação de formas e escoramentos: Pontos críticos. Normas aplicáveis. Amarrações. Emendas. Recomendações de segurança e Montagem de formas de madeira convencional e racionalizada (Lajes, Vigas, parede, Escadas, sapatas, pilares e blocos sobre estacas) e Escoramento de formas de madeira; Planejamento e organização para execução dos serviços Levantamento de Materiais: Seleção de equipamentos e ferramentas, Organização do local de trabalho e Procedimentos de verificação e aceite dos serviços; Técnicos de segurança; Segregação e descarte dos resíduos gerados Desforma e Reescoramento de painéis 10 horas Interpretação de textos: Normas técnicas e Ordens de serviço; Desmontagem de formas de madeira. Equipamentos de Proteção Individual e Coletiva. Retirada do escoramento. Remoção dos painéis e Limpeza das formas; Reescoramento; Armazenamento dos painéis e escoras; Planejamento e organização para execução dos serviços: Levantamento de Materiais, Seleção de equipamentos e ferramentas e Organização do local de trabalho; Procedimentos de verificação e aceite dos serviços técnicos e de segurança; Segregação e descarte dos resíduos gerados Estruturas auxiliares e instalações provisórias 15 horas Interpretação de projeto de formas: Simbologia, Plantas de Forma, Escoramentos e Detalhes;

7 Planejamento e organização para execução dos serviços: Levantamento dos Materiais necessários, Seleção de equipamentos e ferramentas e Organização do local de trabalho; Montagem e instalação de estruturas auxiliares; Equipamentos de Proteção Individual e Coletiva. Tapumes. Andaimes; Andaimes suspensos. Escadas Auxiliares. Rampas e passarelas. Torres de madeira. Guarda-corpo. Gabarito de locação; Mobiliário de obra. Barracão de obra e Bandejas de proteção; Procedimentos de verificação e aceite dos serviços técnicos e de segurança; Segregação e descarte dos resíduos gerados Formas especiais 15 horas Interpretação de projeto de formas: Simbologia, Plantas de Forma e Detalhes; Planejamento e organização para execução dos serviços: Levantamento dos Materiais necessários, Seleção de equipamentos e ferramentas e Organização do local de trabalho; Instalação de Formas Especiais; Equipamentos de Proteção Individual e Coletiva; Formas Curvas (Técnicas de Execução). Formas para Concreto Aparente (Técnicas de Execução). Escadas: Tipos, Elementos, Espelho, Patamar e Degrau; Dimensionamento e Técnicas de Execução; Procedimentos de verificação e aceite dos serviços técnicos de segurança; Segregação e descarte dos resíduos gerados ATIVIDADE PRÁTICA Elementos de competência 1.0 Verificar as condições do ambiente. Padrões de desempenho 1.1 Identificando a presença de combustíveis(graxas, óleos, tintas), retirando-os do ambiente de trabalho; Máquina/Ferramentas e Equipamentos EQUIPAMENTOS: Mesa de madeira Bancada para Carpinteiro de Obras Equipamento de proteção individual (EPI):

8 2.0 Planejar trabalho. 3.0 Montar fôrmas e escoramentos. 4.0 Desmontar fôrmas e escoramentos ; 5.0 Confeccionar estruturas auxiliares e instalações provisórias 6.0 Participar na instalação e montagem de fôrmas especiais 1.2 Considerando aspectos de ergonomia e luminosidade. 2.1 Organizando layout e interpretando desenho da obra. 2.2 Elaborando planilhas de materiais e equipamentos. 3.1 Confeccionando Formas de Madeira. 3.2 Montando Formas de Madeira. 4.1 Desmontando formas de madeira; 4.2 Desmontando escoramento de painéis; 5.1 Confeccionando estruturas auxiliares e instalações provisórias; 6.1 Participando na montagem de Formas especiais. MÁQUINAS: Serra circular manual profissional Serra circular de bancada com motor de 5 cv. Serra Tico-tico Serra esquadrejadeira Furadeira. FERRAMENTAS: Arco de pua Pé-de-cabra Machadinha Travadeira tipo alicate para serrote Esquadros Martelos Nível de bolha de madeira Prumos Serrote de traçar Serrote de Bico Lima triangular Mangueira transparente Nível a laser Trenas Conjunto de formão Plaina Grossa Torquês Arco de serra Suta MATERIAIS: Linha de nylon Produtos derivados da madeira Madeiras em geral Serra para madeira Prego Lápis de carpinteiro EPIs: Capacete Luvas de raspa Capacete com viseira Protetor auricular tipo concha Óculos Cinto de Ferramentas

9 INFRA-ESTRUTURA: Aspirador de pó para a serragem Material Didático: Disponível no Portal do Conhecimento Bibliografia : Manual Prático do carpinteiro e Marceneiro. Francis Genette. Editora: Hemus, ISBN: V. MATERIAIS DE CONSUMO: PADRONIZAÇÃO DE MATERIAIS E EQUIPAMENTOS PARA CURSO DE CARPITEIRO DE OBRAS MATERIAIS E - TURMA 20 ALUNOS - 200H N.º Descrição para turmas de 20 alunos Unid. Quant. 1 Tábua M Prego 19x36 uma cabeça Kg 05 3 Arame recozinho nº18 Kg 10 4 Prego 17x27 uma cabeça Kg 05 5 Prego 15x15 uma cabeça Kg 03 6 Prego 17x21 uma cabeça Kg 03 Valor Unitário Valor Total TOTAL R$ VI. CRITÉRIOS PARA APROVAÇÃO NO CURSO Apuração da frequência - Na apuração da frequência será exigido o percentual mínimo de 75% (setenta e cinco por cento) de comparecimento às aulas, sendo este mínimo definido para atender eventualidades no decorrer do curso. Critério para aprovação - Será considerado aprovado o aluno que apresentar rendimento, em termos de competências e domínio de conhecimentos (conteúdos, habilidades técnicas e atitudes), tendo como padrão mínimo o domínio de, pelo menos, 06 (seis) pontos, na escala de 0 (zero) a 10 (dez) das competências requeridas no curso.

10 VII. EQUIPE TÉCNICA RESPONSÁVEL PELA ELABORAÇÃO DO PLANO DE CURSO N.º Nome Função 1 Zilka Sulamita Teixeira de Aguilar Pacheco Gestor responsável 2 Grasielle Braga Andrade Analista de educação profissional responsável 3 José Arlindo Nogueira Especialista VIII. CERTIFICAÇÃO Certificado de Qualificação Profissional Básica como Carpinteiro de Obras.

PLANO DE CURSO RESUMIDO III. PERFIL PROFISSIONAL DE CONCLUSÃO DOS EGRESSOS DO CURSO

PLANO DE CURSO RESUMIDO III. PERFIL PROFISSIONAL DE CONCLUSÃO DOS EGRESSOS DO CURSO PLANO DE CURSO RESUMIDO CURSO Montador de Andaimes CBO 7155-45 COD-SGE 014.059 MODALIDADE Qualificação Profissional Área Tecnológica Construção Civil CARGA HORÁRIA 180 horas ITINERÁRIO Regional I. OBJETIVO

Leia mais

PLANO DE CURSO RESUMIDO III. PERFIL PROFISSIONAL DE CONCLUSÃO DOS EGRESSOS DO CURSO

PLANO DE CURSO RESUMIDO III. PERFIL PROFISSIONAL DE CONCLUSÃO DOS EGRESSOS DO CURSO PLANO DE CURSO RESUMIDO CURSO Mecânico de Motocicletas CBO 9144-15 COD-SGE 013.529 MODALIDADE Qualificação Profissional Área Tecnológica Automotiva CARGA HORÁRIA 320 horas ITINERÁRIO Regional I. OBJETIVO

Leia mais

III. PERFIL PROFISSIONAL DE CONCLUSÃO DOS EGRESSOS DO CURSO

III. PERFIL PROFISSIONAL DE CONCLUSÃO DOS EGRESSOS DO CURSO PLANO DE CURSO RESUMIDO CURSO Instalador Hidráulico Residencial CBO 7241-15 COD-SGE 014.395 MODALIDADE Qualificação Profissional Área Tecnológica Construção Civil CARGA HORÁRIA 220 horas ITINERÁRIO Regional

Leia mais

SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM INDUSTRIAL DEPARTAMENTO REGIONAL DO ESPÍRITO SANTO GERÊNCIA EXECUTIVA DE EDUCAÇÃO E TECNOLOGIA PLANO DO CURSO

SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM INDUSTRIAL DEPARTAMENTO REGIONAL DO ESPÍRITO SANTO GERÊNCIA EXECUTIVA DE EDUCAÇÃO E TECNOLOGIA PLANO DO CURSO SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM INDUSTRIAL DEPARTAMENTO REGIONAL DO ESPÍRITO SANTO GERÊNCIA EXECUTIVA DE EDUCAÇÃO E TECNOLOGIA PLANO DO CURSO OPERADOR DE EMPILHADEIRA QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL BÁSICA

Leia mais

Plano de Curso Não Regulamentado - Qualificação Profissional

Plano de Curso Não Regulamentado - Qualificação Profissional PERFIL PROFISSIONAL / IDENTIFICAÇÃO DA OCUPAÇÃO: Ocupação: Educação Profissional: Nível da Qualificação: Área Tecnológica: Competência Geral: Requisitos de Acesso: Carpinteiro de Estruturas de Telhado

Leia mais

SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM INDUSTRIAL DEPARTAMENTO REGIONAL DO ESPÍRITO SANTO GERÊNCIA EXECUTIVA DE EDUCAÇÃO E TECNOLOGIA

SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM INDUSTRIAL DEPARTAMENTO REGIONAL DO ESPÍRITO SANTO GERÊNCIA EXECUTIVA DE EDUCAÇÃO E TECNOLOGIA SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM INDUSTRIAL DEPARTAMENTO REGIONAL DO ESPÍRITO SANTO GERÊNCIA EXECUTIVA DE EDUCAÇÃO E TECNOLOGIA PLANO DO CURSO PEDREIRO DE ALVENARIA QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL BÁSICA EIXO

Leia mais

SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM INDUSTRIAL DEPARTAMENTO REGIONAL DO ESPÍRITO SANTO GERÊNCIA EXECUTIVA DE EDUCAÇÃO E TECNOLOGIA PLANO DO CURSO

SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM INDUSTRIAL DEPARTAMENTO REGIONAL DO ESPÍRITO SANTO GERÊNCIA EXECUTIVA DE EDUCAÇÃO E TECNOLOGIA PLANO DO CURSO SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM INDUSTRIAL DEPARTAMENTO REGIONAL DO ESPÍRITO SANTO GERÊNCIA EXECUTIVA DE EDUCAÇÃO E TECNOLOGIA PLANO DO CURSO MONTADOR E INSTALADOR DE MÓVEIS QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL

Leia mais

SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM INDUSTRIAL DEPARTAMENTO REGIONAL DO ESPÍRITO SANTO GERÊNCIA EXECUTIVA DE EDUCAÇÃO E TECNOLOGIA PLANO DO CURSO

SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM INDUSTRIAL DEPARTAMENTO REGIONAL DO ESPÍRITO SANTO GERÊNCIA EXECUTIVA DE EDUCAÇÃO E TECNOLOGIA PLANO DO CURSO SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM INDUSTRIAL DEPARTAMENTO REGIONAL DO ESPÍRITO SANTO GERÊNCIA EXECUTIVA DE EDUCAÇÃO E TECNOLOGIA PLANO DO CURSO OPERADOR DE COMPUTADOR QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL BÁSICA EIXO

Leia mais

PLANO DE CURSO QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL

PLANO DE CURSO QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL PLANO DE CURSO QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL 1 - NOME DO CURSO Lubrificador Industrial 2 - OBJETIVO Lubrificam máquinas e equipamentos, sinalizando pontos de lubrificação, interpretando desenhos de máquinas,

Leia mais

PLANO DE CURSO SIMPLIFICADO

PLANO DE CURSO SIMPLIFICADO PLANO DE CURSO SIMPLIFICADO CURSO: CARPINTEIRO DE OBRAS - PRONATEC - 224 horas ÁREA: CONSTRUÇÃO MODALIDADE: QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL UNIDADE(S) HABILITADA(S): UNIDADE DE ARAGUAÍNA Plano de Curso Simplificado

Leia mais

SENAI, SUA CONQUISTA PROFISSIONAL

SENAI, SUA CONQUISTA PROFISSIONAL CONSTRUÇÃO CIVIL SENAI RR SENAI, SUA CONQUISTA PROFISSIONAL ORGANIZAÇÃO CURRICULAR DOS CURSOS Catálogo de Cursos CARPINTEIRO ESTRUTURAL 1. TÍTULO CÓD. CBO 7155-05 Desenvolver no treinando o conhecimento

Leia mais

CONTEÚDO DO TRABALHO. Introdução e visão geral; NR-18 : PCMAT e PPRA;

CONTEÚDO DO TRABALHO. Introdução e visão geral; NR-18 : PCMAT e PPRA; Introdução e visão geral; NR-18 : PCMAT e PPRA; CONTEÚDO DO TRABALHO Doenças ocupacionais e riscos da construção civil; Quedas; Choque elétrico; Soterramento. A construção é um dos ramos mais antigos do

Leia mais

ANÁLISE COMPARATIVA ENTRE O PCMAT DE UMA OBRA DE CONSTRUÇÃO CIVIL DE CRICIÚMA-SC COM A NR 18 - ESTUDO DE CASO

ANÁLISE COMPARATIVA ENTRE O PCMAT DE UMA OBRA DE CONSTRUÇÃO CIVIL DE CRICIÚMA-SC COM A NR 18 - ESTUDO DE CASO ANÁLISE COMPARATIVA ENTRE O PCMAT DE UMA OBRA DE CONSTRUÇÃO CIVIL DE CRICIÚMA-SC COM A NR 18 - ESTUDO DE CASO RESUMO Lucas Vaz Franco Crispim (1), Clovis Norberto Savi (2) UNESC Universidade do Extremo

Leia mais

SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM INDUSTRIAL DEPARTAMENTO REGIONAL DO ESPÍRITO SANTO GERÊNCIA EXECUTIVA DE EDUCAÇÃO E TECNOLOGIA PLANO DO CURSO

SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM INDUSTRIAL DEPARTAMENTO REGIONAL DO ESPÍRITO SANTO GERÊNCIA EXECUTIVA DE EDUCAÇÃO E TECNOLOGIA PLANO DO CURSO SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM INDUSTRIAL DEPARTAMENTO REGIONAL DO ESPÍRITO SANTO GERÊNCIA EXECUTIVA DE EDUCAÇÃO E TECNOLOGIA PLANO DO CURSO ASSISTENTE ADMINISTRATIVO QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL BÁSICA

Leia mais

Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial Departamento Regional de São Paulo

Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial Departamento Regional de São Paulo Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial Departamento Regional de São Paulo Formação Inicial e Continuada (Decreto Federal nº 5154/04 e Lei Federal nº 11741/08) PLANO DE CURSO Área Tecnológica: Metalurgia

Leia mais

CONFEDERAÇÃO NACIONAL DA INDÚSTRIA CNI. Robson Braga de Andrade. Presidente DIRETORIA DE EDUCAÇÃO E TECNOLOGIA DIRET

CONFEDERAÇÃO NACIONAL DA INDÚSTRIA CNI. Robson Braga de Andrade. Presidente DIRETORIA DE EDUCAÇÃO E TECNOLOGIA DIRET CONFEDERAÇÃO NACIONAL DA INDÚSTRIA CNI Robson Braga de Andrade Presidente DIRETORIA DE EDUCAÇÃO E TECNOLOGIA DIRET Rafael Esmeraldo Lucchesi Ramacciotti Diretor de Educação e Tecnologia SERVIÇO NACIONAL

Leia mais

Requisitos Técnicos para o trabalho seguro em alturas

Requisitos Técnicos para o trabalho seguro em alturas SECRETARIA MUNICIPAL DA SAÚDE COORDENAÇÃO DA VIGILÂNCIA EM SAÚDE GERÊNCIA DA VIGILÂNCIA EM SAÚDE AMBIENTAL SUBGERÊNCIA DA VIGILÂNCIA EM SAÚDE DO TRABALHADOR Requisitos Técnicos para o trabalho seguro em

Leia mais

ENGENHARIA DE SEGURANÇA

ENGENHARIA DE SEGURANÇA ESTADO DE MATO GROSSO UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO FACULDADE DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL ENGENHARIA DE SEGURANÇA P R O F ª K A R E N W R O B E L S T R A

Leia mais

SOLDADOR DE MATERIAIS METÁLICOS

SOLDADOR DE MATERIAIS METÁLICOS SOLDADOR DE MATERIAIS METÁLICOS (Arame Tubular, Eletrodo Revestido, MIG/MAG e TIG) Esquemas de Certificação Maio de 2015 Página 1 de 42 SUMÁRIO Soldador de Materiais Metálicos no Processo Arame Tubular...

Leia mais

PLANO DE CURSO QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL

PLANO DE CURSO QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL PLANO DE CURSO QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL 1 - NOME DO CURSO AUXILIAR ADMINISTRATIVO 2 - OBJETIVO Preparar profissionais para realizar atividades de rotinas administrativas, organização de documentos e apoio

Leia mais

Administração Central Unidade de Ensino Médio e Técnico - CETEC. Plano de Trabalho Docente 2013. Ensino Técnico

Administração Central Unidade de Ensino Médio e Técnico - CETEC. Plano de Trabalho Docente 2013. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2013 Ensino Técnico ETEC - Professor Massuyuki Kawano Código: 136 Município: Estância Turística de Tupã - SP Eixo tecnológico: Infraestrutura Habilitação Profissional : Técnica

Leia mais

FICHA DE CURSO. Máximo: 25. Código da Ficha 001/0000 Revisão 00. Data: 00/00/0000. Curso: Pintor de Paredes

FICHA DE CURSO. Máximo: 25. Código da Ficha 001/0000 Revisão 00. Data: 00/00/0000. Curso: Pintor de Paredes Curso: Pintor de Paredes Carga Horária Total: 108 h Eixo Tecnológico: Infraestrutura Nº de Participantes: Máximo: 25 FICHA DE CURSO Modalidade: Qualificação Área: Construção Civil CBO: 7166-10 Código da

Leia mais

Portaria MTPS Nº 207 DE 08/12/2015

Portaria MTPS Nº 207 DE 08/12/2015 Portaria MTPS Nº 207 DE 08/12/2015 Altera a Norma Regulamentadora nº 34 - Condições e Meio Ambiente de Trabalho na Indústria da Construção e Reparação Naval. O Ministro de Estado do Trabalho e Previdência

Leia mais

Sistema de Gestão da Qualidade PES - Procedimento de Execução de Serviço

Sistema de Gestão da Qualidade PES - Procedimento de Execução de Serviço Revisão: 02 Folha: 1 de 5 1. EQUIPAMENTOS Esquadro metálico; Martelo e serrote; Serra de bancada com proteção para disco; Corda; Chave de dobra; Policorte; Tesoura manual; Jerica e carrinho de mão; Desempenadeira

Leia mais

Plano de Curso Não Regulamentado - Qualificação Profissional

Plano de Curso Não Regulamentado - Qualificação Profissional PERFIL PROFISSIONAL / IDENTIFICAÇÃO DA OCUPAÇÃO: Ocupação: Operador de Empilhadeira CBO: 7822-20 Educação Profissional: Nível da Qualificação: Área Tecnológica: Competência Geral: Requisitos de Acesso:

Leia mais

ASPECTOS EXECUTIVOS, SURGIMENTO DE ANOMALIAS E QUALIDADE DAS ESTRUTURAS EM CONCRETO ARMADO

ASPECTOS EXECUTIVOS, SURGIMENTO DE ANOMALIAS E QUALIDADE DAS ESTRUTURAS EM CONCRETO ARMADO ASSOCIAÇÃO CULTURAL EDUCACIONAL DE ITAPEVA FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS E AGRÁRIAS DE ITAPEVA ASPECTOS EXECUTIVOS, SURGIMENTO DE ANOMALIAS E QUALIDADE DAS ESTRUTURAS EM CONCRETO ARMADO Adrianderson Pereira

Leia mais

CADERNO DE PROTEÇÕES COLETIVAS

CADERNO DE PROTEÇÕES COLETIVAS Quando edificares uma casa nova, farás um parapeito, no eirado, para que não ponhas culpa de sangue na tua casa, se alguém de algum modo cair dela. Moisés (1473 A.C.). Deuteronômio 22.8 CADERNO DE PROTEÇÕES

Leia mais

FTST Formação Técnica em Segurança do Trabalho. Módulo de Portuária e Construção Civil AULA 1 Prof.ª Marivaldo Oliveira

FTST Formação Técnica em Segurança do Trabalho. Módulo de Portuária e Construção Civil AULA 1 Prof.ª Marivaldo Oliveira FTST Formação Técnica em Segurança do Trabalho Módulo de Portuária e Construção Civil AULA 1 Prof.ª Marivaldo Oliveira COMPETÊNCIAS QUE TRABALHAREMOS NESTE MÓDULO Desenvolver e aplicar os conceitos de

Leia mais

Plano de Curso Não Regulamentado - Qualificação Profissional

Plano de Curso Não Regulamentado - Qualificação Profissional PERFIL PROFISSIONAL / IDENTIFICAÇÃO DA OCUPAÇÃO: Ocupação: CARPINTEIRO DE OBRAS CBO: 7155-25 Educação Profissional: Nível da Qualificação: Área Tecnológica: Competência Geral: Requisitos de Acesso: Formação

Leia mais

ANEXO IV DO REGULAMENTO 07/2015 CONTEÚDO PROGRAMÁTICO PARA OS TESTES DE CONHECIMENTO E APTIDÃO 3ª ETAPA

ANEXO IV DO REGULAMENTO 07/2015 CONTEÚDO PROGRAMÁTICO PARA OS TESTES DE CONHECIMENTO E APTIDÃO 3ª ETAPA ANEXO IV DO REGULAMENTO 07/2015 CONTEÚDO PROGRAMÁTICO PARA OS TESTES DE CONHECIMENTO E APTIDÃO 3ª ETAPA AGENTE DE IDENTIDADE Conceito Básico de Coleta de Digitais; Sistema da PRODEMGE/FIP; Power Point,

Leia mais

A Importância dos Projetos de Sistemas de Proteções Coletivas Engº José Carlos de Arruda Sampaio

A Importância dos Projetos de Sistemas de Proteções Coletivas Engº José Carlos de Arruda Sampaio A Importância dos Projetos de Sistemas de Proteções Coletivas Engº José Carlos de Arruda Sampaio Ciclo de Vida do Empreendimento: Todos os empreendimentos tem um ciclo de vida - têm um início, um crescimento

Leia mais

RELATÓRIO GERENCIAL TRIMESTRAL 004 JUNHO/15

RELATÓRIO GERENCIAL TRIMESTRAL 004 JUNHO/15 RELATÓRIO GERENCIAL TRIMESTRAL 004 JUNHO/15 Relatório Gerencial Trimestral elaborado por: Leandro Toré de Castro Diretor de Contrato 61 3878 4718 ltcastro@odebrecht.com Thiago Galvão Diretor de Contrato

Leia mais

SENAI - CE CFP - Wanderillo de Castro Câmara - WCC

SENAI - CE CFP - Wanderillo de Castro Câmara - WCC Unidade Escolar CNPJ Razão Social Nome de Fantasia Esfera Administrativa Endereço (Rua, No) Cidade/UF/CEP Telefone/Fax E-mail de Contato Site da Unidade Área do Plano 03.768.202/0009-23 SENAI - CFP - Wanderillo

Leia mais

CARTILHA DE ERGONOMIA NA CONSTRUÇÃO CIVIL NR-17

CARTILHA DE ERGONOMIA NA CONSTRUÇÃO CIVIL NR-17 CARTILHA DE ERGONOMIA NA CONSTRUÇÃO CIVIL NR-17 Comissão: Alynne Obermüller Carolina Amaral Gabriela Silva Mariana Ribeiro Colaboração: Teresa Mate Ergonomia na prática: CARPINTEIRO 4 SUMÁRIO Apresentação...

Leia mais

Sugestões de Montagem. Perfis para Estrutura de Telhados

Sugestões de Montagem. Perfis para Estrutura de Telhados Sugestões de Montagem Perfis para Estrutura de Telhados 1 Apresentação As sugestões que apresentamos aqui são direcionadas para os profissionais que já possuem experiência com telhados. Nosso objetivo

Leia mais

PLANO DE CURSO RESUMIDO III. PERFIL PROFISSIONAL DE CONCLUSÃO DOS EGRESSOS DO CURSO

PLANO DE CURSO RESUMIDO III. PERFIL PROFISSIONAL DE CONCLUSÃO DOS EGRESSOS DO CURSO PLANO DE CURSO RESUMIDO CURSO Pintor de Obras Imobiliárias CBO 7166-10 CÓD.SGE 015.502 MODALIDADE Qualificação Profissional Área Tecnológica Construção Civil CARGA HORÁRIA 220 horas ITINERÁRIO Regional

Leia mais

PLANO DE TRABALHOS COM RISCOS ESPECIAIS Execução de pinturas

PLANO DE TRABALHOS COM RISCOS ESPECIAIS Execução de pinturas Página 1 de 7 PLANO DE TRABALHOS COM RISCOS ESPECIAIS Execução de pinturas Página 2 de 7 PROCESSO CONSTRUTIVO 1. EECUÇÃO DE PINTURAS Esta actividade consiste nos trabalhos de pinturas nas paredes simples

Leia mais

PLANO DE CURSO RESUMIDO. No ato da matrícula, o aluno deverá apresentar documentação que comprove:

PLANO DE CURSO RESUMIDO. No ato da matrícula, o aluno deverá apresentar documentação que comprove: CURSO PLANO DE CURSO RESUMIDO Mecânico de Automóveis Leves CBO 9144-05 COD-SGE 014.003 MODALIDADE Qualificação Profissional Área Tecnológica Automotiva CARGA HORÁRIA 420 horas ITINERÁRIO Regional I. OBJETIVO

Leia mais

CUSTO PERCENTUAL ESTIMADO DE E.P.I.s : ESTUDO DE CASO REALIZADO EM UMA OBRA DE HABITAÇÃO MULTIFAMILIAR DE JOÃO PESSOA-PB.

CUSTO PERCENTUAL ESTIMADO DE E.P.I.s : ESTUDO DE CASO REALIZADO EM UMA OBRA DE HABITAÇÃO MULTIFAMILIAR DE JOÃO PESSOA-PB. CUSTO PERCENTUAL ESTIMADO DE E.P.I.s : ESTUDO DE CASO REALIZADO EM UMA OBRA DE HABITAÇÃO MULTIFAMILIAR DE JOÃO PESSOA-PB. Cláudia Maria Videres Trajano Maria Silene Alexandre Leite Aloisio da Silva Lima

Leia mais

Analise as Normas Regulamentadoras abaixo e apresente parecer sucinto comparando atendimento de cada item pela empresa.

Analise as Normas Regulamentadoras abaixo e apresente parecer sucinto comparando atendimento de cada item pela empresa. Analise as Normas Regulamentadoras abaixo e apresente parecer sucinto comparando atendimento de cada item pela empresa. NR 01 - Disposições Gerais Descrever alguns tópicos do que cabe ao empregador. Verificar

Leia mais

Antes de usar os andaimes pela primeira vez, recomendamos ler minuciosamente este manual de uso, além de guardar-lo para quando for necessário.

Antes de usar os andaimes pela primeira vez, recomendamos ler minuciosamente este manual de uso, além de guardar-lo para quando for necessário. Antes de usar os andaimes pela primeira vez, recomendamos ler minuciosamente este manual de uso, além de guardar-lo para quando for necessário. Somente trabalhadores devidamente treinados e capacitados

Leia mais

www.torcisao.ind.br Catálogo de Produtos

www.torcisao.ind.br Catálogo de Produtos www.torcisao.ind.br Catálogo de Produtos A TORCISÃO A Torcisão foi fundada em 1968, iniciando suas atividades na fabricação de peças para a indústria automobilística. Em 2006, o grupo se expandiu e fundou

Leia mais

Seja bem Vindo! NR 8 Edificações. Carga horária: 30hs

Seja bem Vindo! NR 8 Edificações. Carga horária: 30hs Seja bem Vindo! Curso NR 8 Edificações CursosOnlineSP.com.br Carga horária: 30hs Conteúdo programático: Introdução Circulação Atividades em Edificações com Risco de Queda Cuidados Extras na Circulação

Leia mais

1. FERRAMENTAS. Elevação e Marcação. Trenas de 5m e 30m. Nível a laser ou Nível alemão. Pág.4 1. Ferramentas

1. FERRAMENTAS. Elevação e Marcação. Trenas de 5m e 30m. Nível a laser ou Nível alemão. Pág.4 1. Ferramentas ÍNDICE: 1. Ferramentas 2. Equipamentos de Proteção Individual - EPI 3. Serviços Preliminares 4. Marcação da Alvenaria 5. Instalação dos Escantilhões 6. Nivelamento das Fiadas 7. Instalação dos gabaritos

Leia mais

PROJETO DE EDIFICAÇÕES RURAIS

PROJETO DE EDIFICAÇÕES RURAIS Universidade Federal de Goiás Escola de Agronomia e Engenharia de Alimentos Setor de Engenharia Rural PROJETO DE EDIFICAÇÕES RURAIS Construções e Eletrificação Rural Prof. Dr. Regis de Castro Ferreira

Leia mais

ANEXO I - EDITAL Nº 17/2014

ANEXO I - EDITAL Nº 17/2014 Página 1 de 5 ANEXO I - EDITAL Nº 17/2014 O SERVIÇO SOCIAL DO COMÉRCIO SESC/RN, representado por sua Administração Regional no Estado do Rio Grande do Norte, torna público, para o conhecimento de quantos

Leia mais

SENAI - CE CFP - Antônio Urbano de Almeida - AUA

SENAI - CE CFP - Antônio Urbano de Almeida - AUA Unidade Escolar CNPJ Razão Social Nome de Fantasia Esfera Administrativa Endereço (Rua, No) Cidade/UF/CEP Telefone/Fax E-mail de Contato Site da Unidade Área do Plano 03.768.202/0002-57 SENAI - CFP - Antônio

Leia mais

ANÁLISE DA SEGURANÇA DO TRABALHO EM EMPRESA DE PRÉ-MOLDADOS

ANÁLISE DA SEGURANÇA DO TRABALHO EM EMPRESA DE PRÉ-MOLDADOS CRISTIANO DA SILVA ORTIZ ANÁLISE DA SEGURANÇA DO TRABALHO EM EMPRESA DE PRÉ-MOLDADOS LAGES, SC 2015 UNIVERSIDADE DO PLANALTO CATARINENSE UNIPLAC ENGENHARIA DE PRODUÇÃO CRISTIANO ORTIZ ANÁLISE DA SEGURANÇA

Leia mais

9.7 FORMULÁRIOS DE CONTROLE DE QUALIDADE DA EXECUÇÃO

9.7 FORMULÁRIOS DE CONTROLE DE QUALIDADE DA EXECUÇÃO 9.7 FORMULÁRIOS DE CONTROLE DE QUALIDADE DA EXECUÇÃO Instrução de trabalho de concretagem de peça estrutural Fonte: Modelos elaborados e cedidos pela Construtora Giacomazzi Ltda., de Curitiba-PR. 1. OBJETIVO

Leia mais

FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS

FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS PP. 1/7 FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS 1 TAREFA GRUAS TORRE 2 DESCRIÇÃO As gruas torre são máquinas utilizadas para elevação de cargas (por meio de um cabo), e transporte dentro de um raio

Leia mais

EXECUÇÃO DO REVESTIMENTO ARGAMASSA DE FACHADA DE P R O M O Ç Ã O

EXECUÇÃO DO REVESTIMENTO ARGAMASSA DE FACHADA DE P R O M O Ç Ã O EXECUÇÃO DO REVESTIMENTO DE FACHADA DE ARGAMASSA P R O M O Ç Ã O Início dos Serviços Alvenarias concluídas há 30 dias e fixadas internamente há 15 dias Estrutura concluída há 120 dias Contra marcos chumbados

Leia mais

Portaria Inep nº 192 de 12 de julho de 2011 Publicada no Diário Oficial de 13 de julho de 2011, Seção 1, pág. 14

Portaria Inep nº 192 de 12 de julho de 2011 Publicada no Diário Oficial de 13 de julho de 2011, Seção 1, pág. 14 Portaria Inep nº 192 de 12 de julho de 2011 Publicada no Diário Oficial de 13 de julho de 2011, Seção 1, pág. 14 A Presidenta do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep),

Leia mais

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EMENTA OBJETIVOS

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EMENTA OBJETIVOS EIXO TECNOLÓGICO: CURSO: Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO FORMA/GRAU:( x )integrado ( )subsequente ( ) concomitante ( ) bacharelado ( ) licenciatura ( ) tecnólogo MODALIDADE: ( x ) Presencial ( ) PROEJA (

Leia mais

Tipos de painés: compensados, aglomerados OSB, chapas de fibra (HDF/MDF/LDF), tamburato

Tipos de painés: compensados, aglomerados OSB, chapas de fibra (HDF/MDF/LDF), tamburato Montagem de Móveis Sistema métrico e conversão de unidades Tipos de painés: compensados, aglomerados OSB, chapas de fibra (HDF/MDF/LDF), tamburato Vantagens na utilização dos painéis Revestimentos de superfícies:

Leia mais

PLANO DE CURSO SIMPLIFICADO

PLANO DE CURSO SIMPLIFICADO PLANO DE CURSO SIMPLIFICADO CURSO: Montador de Equipamentos Eletroeletrônicos 200 horas ÁREA: ELETROELTRÔNICA MODALIDADE: QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL UNIDADE(S) HABILITADA(S): CETEC - Araguaina Plano de

Leia mais

ANEXO VII CRITÉRIOS DAS PROVAS PRÁTICAS

ANEXO VII CRITÉRIOS DAS PROVAS PRÁTICAS PREFEITURA MUNICIPAL DE SENADOR CANEDO SECRETARIA MUNICIPAL DE GESTÃO E TECNOLOGIA EDITAL N. 002/2013 CONCURSO PÚBLICO PARA SELEÇÃO DE SERVIDORES DO GRUPO OCUPACIONAL BÁSICO E DO GRUPO OCUPACIONAL SUPERIOR

Leia mais

Forma - é o conjunto de componentes provisórios cujas funções principais são:

Forma - é o conjunto de componentes provisórios cujas funções principais são: Forma - é o conjunto de componentes provisórios cujas funções principais são: Molde: dar forma ao concreto; Conter o concreto fresco e sustentá-lo até que atinja resistência mecânica necessária; Proporcionar

Leia mais

Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial Departamento Regional de São Paulo

Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial Departamento Regional de São Paulo Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial Departamento Regional de São Paulo Formação Inicial e Continuada de Trabalhadores (Resolução CNE/CEB 5154/04) PLANO DE CURSO Área Tecnológica: Metalmecânica

Leia mais

Uma liderança construída com tradição e qualidade de seus produtos e serviços

Uma liderança construída com tradição e qualidade de seus produtos e serviços MILLS, UMA HISTÓRIA ENTRELAÇADA COM O DESENVOLVIMENTO DO BRASIL CONSTRUÇÃO Jahu Uma liderança construída com tradição e qualidade de seus produtos e serviços SERVIÇOS INDUSTRIAIS JAHU A Área de Negócio

Leia mais

QUESTIONAMENTO 03 Vide Respostas abaixo

QUESTIONAMENTO 03 Vide Respostas abaixo QUESTIONAMENTO 03 Vide Respostas abaixo Seguem os pontos para os quais foram solicitados esclarecimentos: Referente ao CGC: 1) CGC item 1.13 Quanto ao item 1.13 do CGC, a alínea (a) informa que o CONTRATANTE

Leia mais

Blumenau, maio de 2010.

Blumenau, maio de 2010. INSTRUÇÕES PARA ELABORAÇÃO DE ORÇAMENTOS E CRONOGRAMAS Blumenau, maio de 2010. 1. RESUMO... 3 2. OBJETIVO... 3 3. INTRODUÇÃO... 3 4. COMPOSIÇÃO DO ORÇAMENTO... 4 4.1. SERVIÇOS PRELIMINARES/TÉCNICOS...

Leia mais

PROPRIETÁRIO AUTARQUIA MUNICIPAL DE TURISMO - GRAMADOTUR OBRA...CONTRATAÇÃO DE EMPRESA HABILITADA PARA EXECUÇÃO DE REFORMAS NO PAVILHÃO 01

PROPRIETÁRIO AUTARQUIA MUNICIPAL DE TURISMO - GRAMADOTUR OBRA...CONTRATAÇÃO DE EMPRESA HABILITADA PARA EXECUÇÃO DE REFORMAS NO PAVILHÃO 01 MEMORIAL DESCRITIVO PROPRIETÁRIO AUTARQUIA MUNICIPAL DE TURISMO - GRAMADOTUR OBRA...CONTRATAÇÃO DE EMPRESA HABILITADA PARA EXECUÇÃO DE REFORMAS NO PAVILHÃO 01 LOCALIZAÇÃO CENTRO DE EXPOSIÇÕES E CONGRESSOS

Leia mais

Parece madeira, mas é muito melhor. Manual de instalação

Parece madeira, mas é muito melhor. Manual de instalação Parece madeira, mas é muito melhor. Manual de instalação Índice 2 Ø FERRAMENTAS RECOMENDADAS... 06 Ø PERFIS ESPECIFICAÇÕES... 07 Ø DECK PLANO NO CONTRAPISO Preparação do local... 09 Espaçamento... 10 Fixação...

Leia mais

Associação Brasileira da Indústria de Materiais de Construção

Associação Brasileira da Indústria de Materiais de Construção Associação Brasileira da Indústria de Materiais de Construção Por que eu devo utilizar equipamentos de segurança e onde encontrá-los? Os Equipamentos de Proteção Individual (EPI) foram feitos para evitar

Leia mais

Ergonomização na construção civil: constrangimentos posturais e problemas na segurança do trabalho

Ergonomização na construção civil: constrangimentos posturais e problemas na segurança do trabalho 1 1. INTRODUÇÃO Ergonomização na construção civil: constrangimentos posturais e problemas na segurança do trabalho A construção civil é um dos campos de trabalho mais delicados da sociedade, em virtude

Leia mais

6.2 Problematização do SHTM. 6.2.1 Reconhecimento do problema

6.2 Problematização do SHTM. 6.2.1 Reconhecimento do problema 192 6.2 Problematização do SHTM 6.2.1 Reconhecimento do problema Como já visto na introdução e na formulação da hipótese, a atual configuração do equipamento escoramento e formagem de lajes, na forma mais

Leia mais

Sistema de Gestão da Qualidade Manual de Cargos - Horistas

Sistema de Gestão da Qualidade Manual de Cargos - Horistas 717020 Ajudante sem exigência sem exigência Trabalhar em equipe; responsabilidade; iniciativa; Preparam canteiros de obras, limpando a área e compactando solos. Efetuam manutenção de primeiro nível, limpando

Leia mais

FICHA DE VERIFICAÇÃO DE SERVIÇO - COMPACTAÇÃO DE ATERRO

FICHA DE VERIFICAÇÃO DE SERVIÇO - COMPACTAÇÃO DE ATERRO SISTEMA DA QUALIDADE FVS 01 FICHA DE VERIFICAÇÃO DE SERVIÇO - COMPACTAÇÃO DE ATERRO = APROVADO = REPARADO / REPROVADO = NÃO APLICÁVEL 01 O local está limpo, sem entulhos, vegetação ou madeira? O material

Leia mais

Guarda-corpo. São aplicados em locais de uso privativo e coletivo, em edificações

Guarda-corpo. São aplicados em locais de uso privativo e coletivo, em edificações MATERIAL OPÇÕES Veja abaixo os tipos de caixilhos GUARDA-CORPO JANELAS PADRONIZADAS FACADAS-CORTINA FACADAS COM PLACAS DE ROCA FACADAS COM PLACAS CERÂMICAS FIXADAS COM INSERTES METÁLICOS CECKLIST Itens

Leia mais

MUNÍCIPIO DE CONSELHEIRO LAFAIETE - MG SECRETARIA MUNICIPAL DE OBRAS E MEIO AMBIENTE Administração 2.013/2.016 TERMO DE REFERENCIA

MUNÍCIPIO DE CONSELHEIRO LAFAIETE - MG SECRETARIA MUNICIPAL DE OBRAS E MEIO AMBIENTE Administração 2.013/2.016 TERMO DE REFERENCIA MUNÍCIPIO DE CONSELHEIRO LAFAIETE - MG SECRETARIA MUNICIPAL DE OBRAS E MEIO AMBIENTE Administração 2.013/2.016 TERMO DE REFERENCIA REFORMA E AMPLIAÇÃO DA ESCOLA MUNICIPAL PEDRO REZENDE DOS SANTOS 1 - OBJETO:

Leia mais

PES - Procedimento de Execução de Serviço

PES - Procedimento de Execução de Serviço Revisão: 00 Folha: 1 de 6 1. EQUIPAMENTOS Esquadro metálico; Martelo e serrote; Serra de bancada com proteção para disco; Corda; Chave de dobra; Policorte; Tesoura manual; Gerica e carrinho de mão; Desempenadeira

Leia mais

andaime tubular aicom

andaime tubular aicom andaime tubular aicom O ANDAIME TUBULAR AICOM é um sistema de andaime destinado a construção, reforma, manutenção industrial e montagem em áreas com grandes interferências. Composto de tubo de aço galvanizado

Leia mais

Gerência de Recursos Humanos

Gerência de Recursos Humanos CARGO: ENGENHEIRO DE SEGURANÇA DO TRABALHO Coordenar as equipes de segurança do trabalho e proceder ao estudo relativo à segurança e higiene do trabalho, fiscalizar as empresas contratadas, propor e supervisionar

Leia mais

FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS

FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS PP. 1/5 FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS 1 TAREFA ESCORAMENTO DE LAJES 2 DESCRIÇÃO Os elementos horizontais são executados com recurso a cofragem apoiada em suportes verticais destinados a sustentá-la,

Leia mais

ENGENHEIRO CIVIL COORDENADOR DE OBRAS - ENGENHEIRO DE SEGURANÇA DO TRABALHO

ENGENHEIRO CIVIL COORDENADOR DE OBRAS - ENGENHEIRO DE SEGURANÇA DO TRABALHO ALEX SANDRO BORGES RODRIGUES ZAPAROLLI Brasileiro 35 anos Casado - Natural: Rio Grande Rio Grande do Sul Rua Capitão Tenente Maris de Barros, nº 313, torre: B, apto 202 Portão - Curitiba - PR Fones: (41)

Leia mais

2. Sistema de fôrmas plásticas para lajes

2. Sistema de fôrmas plásticas para lajes Sistema de fôrmas plásticas para lajes de concreto JOAQUIM ANTÔNIO CARACAS NOGUEIRA Diretor de Engenharia VALTER DE OLIVEIRA BASTOS FILHO Engenheiro Civil CARLOS ALBERTO IBIAPINA E SILVA FILHO Engenheiro

Leia mais

AUXILIAR DE MANUTENÇÃO PREDIAL

AUXILIAR DE MANUTENÇÃO PREDIAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO SUL CÂMPUS CANOAS PROJETO PEDAGÓGICO CURSO FIC PRONATEC Canoas

Leia mais

Texto para a questão 4

Texto para a questão 4 CONHECIMENTOS GERAIS 05 QUESTÕES 1. Assinale o nome que se dá para o conjunto de regras que trata dos Direitos e Deveres dos funcionários públicos civis do Município de Ponte Alta/SC: a. Constituição do

Leia mais

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS A respeito das especificações de materiais, julgue os itens a seguir. 51 Os cimentos CP III cimentos portland de alto-forno e CP IV cimento portland pozolânico são menos porosos e resistentes, sendo ideais

Leia mais

INSTRUÇÕES BÁSICAS P ARA A ELABORAÇÃO DE MAPA DE RISCOS. Dilaine RS Schneider SESMT/UNICAMP. Maurício Gervanutti SESMT/UNICAMP

INSTRUÇÕES BÁSICAS P ARA A ELABORAÇÃO DE MAPA DE RISCOS. Dilaine RS Schneider SESMT/UNICAMP. Maurício Gervanutti SESMT/UNICAMP INSTRUÇÕES BÁSICAS P ARA A ELABORAÇÃO DE MAPA DE RISCOS Dilaine RS Schneider SESMT/UNICAMP Maurício Gervanutti SESMT/UNICAMP 2014 1. INTRODUÇÃO Com o decorrer do tempo e os avanços tecnológicos tornando

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO PARA RECUPERAÇÃO E REFORÇO DO RESERVATÓRIO SUPERIOR DO SETOR B

MEMORIAL DESCRITIVO PARA RECUPERAÇÃO E REFORÇO DO RESERVATÓRIO SUPERIOR DO SETOR B MEMORIAL DESCRITIVO PARA RECUPERAÇÃO E REFORÇO DO RESERVATÓRIO SUPERIOR DO SETOR B CLIENTE: CORREIOS SANTA CATARINA PROJETISTA: PETRUS CONSULTORIA & ASSESSORIA LTDA São José, JULHO DE 2015. MEMORIAL DESCRITIVO

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO. 1.4 LIMPEZA PERMANENTE DA OBRA Durante a execução, até a entrega definitiva da obra, a mesma será mantida permanentemente limpa.

MEMORIAL DESCRITIVO. 1.4 LIMPEZA PERMANENTE DA OBRA Durante a execução, até a entrega definitiva da obra, a mesma será mantida permanentemente limpa. Identificação da obra: RESIDENCIAL ANCHIETA GOLD Rua Anchieta nº 5034 Projeto e execução: A3 Arquitetura e Krolow Construção e Comércio. MEMORIAL DESCRITIVO 1. SERVIÇOS PRELIMINARES E GERAIS 1.1 SERVIÇOS

Leia mais

TP 008/2000 - ANEXO II A - PLANILHA DE PREÇOS - Salvador

TP 008/2000 - ANEXO II A - PLANILHA DE PREÇOS - Salvador TP 008/2000 - ANEXO II A - PLANILHA DE PREÇOS - Salvador Discriminação de Serviços Und Quant Vr. 1.0 PRELIMINARES: 0,00 1.1 Crea vb 1,00 0,00 1.2 Alvará de Reparos Gerais vb 1,00 0,00 1.3 Barracão da Obra

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2015. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2015. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2015 Ensino Técnico Etec Etec: Paulino Botelho Código: 091 Município: São Carlos Eixo Tecnológico: AMBIENTE E SAÚDE Habilitação Profissional: Especialização Profissional Técnica

Leia mais

ESTADO DO PARÁ PREFEITURA MUNICIPAL DE AUGUSTO CORRÊA C.N.P.J. 04.873.600/0001-15 PRAÇA SÃO MIGUEL Nº 60 CEP: 68610-000. Assunto:

ESTADO DO PARÁ PREFEITURA MUNICIPAL DE AUGUSTO CORRÊA C.N.P.J. 04.873.600/0001-15 PRAÇA SÃO MIGUEL Nº 60 CEP: 68610-000. Assunto: Assunto: MEMORIAL DESCRITIVO E ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS PARA EXECUÇÃO DE PONTE EM CONCRETO ARMADO DE ACESSO A VILA DE PERIMIRIM EM AUGUSTO CORRÊA/PA. 1 MEMORIAL DESCRITIVO OBSERVAÇÕES GERAIS / LOCALIZAÇÃO

Leia mais

Fachadeiro. Escada metálica com patamar. Andaime tubular, modulado, específico para execução de serviços em fachadas.

Fachadeiro. Escada metálica com patamar. Andaime tubular, modulado, específico para execução de serviços em fachadas. Fachadeiro Edifício Residencial - Rio de Janeiro Andaime tubular, modulado, específico para execução de serviços em fachadas. Seus quadros dispõem de medidas de 1,00m de largura por 2,00m de altura, facilitando

Leia mais

grandes responsáveis pelas reclamações dos trabalhadores, são substituídas por estes materiais ou mesmo eliminadas.

grandes responsáveis pelas reclamações dos trabalhadores, são substituídas por estes materiais ou mesmo eliminadas. 291 8. CONCLUSÃO A hipótese desta pesquisa - A deficiência de tecnologia empregada no escoramento e formagem de lajes durante a montagem e desmontagem, acarreta acidentes, lesões e lombalgias dos trabalhadores

Leia mais

María Esmeralda Ballestero-Alvarez

María Esmeralda Ballestero-Alvarez 6.1.4 Distribuição física 6.1.4 Distribuição física Este capítulo trata o seguinte tema: Ferramentas usadas pelas técnicas de estruturação: Em especial contempla, descreve e detalha a distribuição física

Leia mais

Manual de Instruções. Tanques e Vasos de Polietileno. Atenção Leia antes da aceitação do material

Manual de Instruções. Tanques e Vasos de Polietileno. Atenção Leia antes da aceitação do material Manual de Instruções Apresentação Recebimento Descarga Instalação Segurança e Prevenção de Acidentes Válvulas Respiro Fixação Manutenção Tanques e Vasos de Polietileno Atenção Leia antes da aceitação do

Leia mais

TRAVAMENTO METÁLICO ASTEK BARRA DE ANCORAGEM

TRAVAMENTO METÁLICO ASTEK BARRA DE ANCORAGEM TRAVAMENTO METÁLICO ASTEK BARRA DE ANCORAGEM As Barras de ancoragem são utilizadas no travamento de formas na construção civil, fabricadas em aço ASTM A36, normatizados, atendendo as exigências da norma

Leia mais

VERITAE TRABALHO - PREVIDÊNCIA SOCIAL - SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO LEX SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO. NR 18-Construção Civil-Alterações

VERITAE TRABALHO - PREVIDÊNCIA SOCIAL - SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO LEX SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO. NR 18-Construção Civil-Alterações VERITAE TRABALHO - PREVIDÊNCIA SOCIAL - SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO LEX SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO NR 18-Construção Civil-Alterações Orientador Empresarial PORTARIA SIT nº 201/2011: 24.01.2011, com

Leia mais

TÉCNICO EM ELETROTÉCNICA

TÉCNICO EM ELETROTÉCNICA TÉCNICO EM ELETROTÉCNICA Competência Geral Instalar, manter e projetar sistemas elétricos prediais, industriais e de potência, cumprindo legislações vigentes, parâmetros de eficiência energética, normas

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICA DE SANTA CATARINA EM JARAGUÁ DO SUL PRÓ-REITORIA ACADÊMICA CURSO DE ENGENHARIA CIVIL

CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICA DE SANTA CATARINA EM JARAGUÁ DO SUL PRÓ-REITORIA ACADÊMICA CURSO DE ENGENHARIA CIVIL CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICA DE SANTA CATARINA EM JARAGUÁ DO SUL PRÓREITORIA ACADÊMICA CURSO DE ENGENHARIA CIVIL Fase Cód. Disciplina I II III IV V VI Matriz Curricular do curso de Engenharia Civil PréReq.

Leia mais

Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial Departamento Regional de São Paulo

Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial Departamento Regional de São Paulo Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial Departamento Regional de São Paulo Formação Inicial e Continuada (Decreto Federal nº 5154/04 e Lei Federal nº 11741/08) PLANO DE CURSO Área: Eletroeletrônica

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO. Anexo I-A: Projeto Arquitetônico

MEMORIAL DESCRITIVO. Anexo I-A: Projeto Arquitetônico Fornecimento e Instalação de Brises na Fachada Oeste do Edifício Sede do MPDFT Sumário MEMORIAL DESCRITIVO Anexo I-A: Projeto Arquitetônico 1.Descrição dos Serviços...2 2.Serviços Preliminares...2 2.1.Tapumes

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO PRÉDIO DE APARTAMENTOS. Local: Rua General Auto, N 101 e 111 Centro Porto Alegre

MEMORIAL DESCRITIVO PRÉDIO DE APARTAMENTOS. Local: Rua General Auto, N 101 e 111 Centro Porto Alegre MEMORIAL DESCRITIVO PRÉDIO DE APARTAMENTOS Local: Rua General Auto, N 101 e 111 Centro Porto Alegre INDICE 1. GENERALIDADES 1.1. OBJETOS E DADOS 1.2. NORMAS 1.3. PLANTAS 2. INTERPRETAÇÃO 3. PRÉDIO 3.1.

Leia mais

PLANO DE CURSO RESUMIDO

PLANO DE CURSO RESUMIDO PLANO DE CURSO RESUMIDO CURSO Assistente de planejamento e controle de produção CBO 7842-05 CÓD.SGE 013.861 MODALIDADE Qualificação Profissional Básica ÁREA TECNOLÓGICA Gestão CARGA HORÁRIA 180 horas ITINERÁRIO

Leia mais

ALVENARIA EXECUÇÃO. Prof. MSc. Eng. Eduardo Henrique da Cunha Engenharia Civil 7º Período Turma A01 Disc. Construção Civil I

ALVENARIA EXECUÇÃO. Prof. MSc. Eng. Eduardo Henrique da Cunha Engenharia Civil 7º Período Turma A01 Disc. Construção Civil I ALVENARIA EXECUÇÃO Prof. MSc. Eng. Eduardo Henrique da Cunha Engenharia Civil 7º Período Turma A01 Disc. Construção Civil I ALVENARIA CONDIÇÕES DE INÍCIO Vigas baldrames impermeabilizadas e niveladas,

Leia mais

Questionário de Identificação das Principais Situações de Grave e Iminente Risco nos Canteiros de Obras da Indústria da Construção no Estado da Bahia

Questionário de Identificação das Principais Situações de Grave e Iminente Risco nos Canteiros de Obras da Indústria da Construção no Estado da Bahia Questionário de Identificação das Principais Situações de Grave e Iminente Risco nos Canteiros de Obras da Indústria da Construção no Estado da Bahia O presente trabalho é resultado de um consenso estabelecido

Leia mais

Alta produtividade Engenharia de projetos Qualidade assegurada Certificado de garantia Sigilo industrial Confiabilidade.

Alta produtividade Engenharia de projetos Qualidade assegurada Certificado de garantia Sigilo industrial Confiabilidade. Há mais de 46 anos no mercado, a Torcisão iniciou as suas atividades no desenvolvimento de materiais para a indústria automobilística, que exigia um rigoroso controle técnico e de qualidade. Em 2006, com

Leia mais