NORMAS DE PARTICIPAÇÃO DO PROGRAMA DE MINI FÉRIAS DE VERÃO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "NORMAS DE PARTICIPAÇÃO DO PROGRAMA DE MINI FÉRIAS DE VERÃO - 2015"

Transcrição

1 NORMAS DE PARTICIPAÇÃO DO PROGRAMA DE MINI FÉRIAS DE VERÃO A criação do Programa de Mini Férias de Verão 2015 foi pensada para o fortalecimento e melhoramento da qualidade de vida dos munícipes, com a organização e promoção de atividades junto da população. As atividades lúdico-pedagógicas e de lazer contribuem para a formação de cidadãos mais proactivos na sociedade e neste seguimento, apresenta-se o Programa das Mini Férias de Verão 2015, o qual se rege pelas presentes Normas. I Entidade Promotora e Organizadora Município de Braga a) O Programa de Mini Férias de Verão 2015 é promovido e organizado pelo Município de Braga, sob a responsabilidade da Divisão de Educação. II Objetivos a) As Mini Férias de Verão 2015 visam ocupar os participantes através de atividades de lazer e lúdico-pedagógicas onde poderão desfrutar de momentos únicos durante estes dias de férias escolares. III Destinatários a) Poderão inscrever-se neste Programa crianças com idades compreendidas entre os 6 e os 10 anos de idades, matriculadas no 1.º Ciclo do Ensino Básico nas escolas do Concelho de Braga. O Programa destina-se quer a crianças NEE quer a crianças não NEE. IV Atividades a) As atividades desenvolvidas no âmbito do Programa estão adaptadas à faixa etária dos participantes e suas caraterísticas. b) Ao plano de atividades definido poderão surgir alterações, devido às condições climatéricas, questões de segurança, entre outras razões. P á g i n a 1 6

2 V Instalações e Duração a) O Programa de atividades das Mini Férias de Verão 2015 decorrerá nas instalações da COOP21 ESPECIAL Cooperativa para o desenvolvimento psicossocial de crianças com necessidades especiais, CRL em Palmeira. b) O Programa decorrerá nos dias úteis entre 29 de junho e 31 de julho de c) A ocupação diária dos participantes será compreendida entre as 09h00m e as 17h00m. No período da manhã farão uma pausa às 10h30m e no período da tarde uma pausa às 15h30m para o lanche. O almoço será entre as 12h30m e as 14h00m. d) As crianças que serão entregues na instituição, deverão ser entregues todas as manhãs, pelas 9h00 e virem-nas buscar todos os dias às 17h45m. Daremos tolerância de 15 minutos para os responsáveis virem buscar as crianças, a partir dessa hora não nos responsabilizamos pela guarda das crianças. e) As crianças que optarem pelo transporte de autocarro até à instituição terão de estar no Parque da Ponte impreterivelmente às 08h30m. A chegada ao Parque da Ponte é às 18h00m, hora em que os pais devem estar presentes para receber as crianças. VI - Participação O Programa abrangerá um número máximo de 60 inscrições, 30 inscrições para crianças NEE (Necessidades Educativas Especiais) e 30 inscrições para crianças não NEE. VII Inscrição a) Poderão inscrever-se neste Programa as crianças que preencham os seguintes requisitos: - Ter 6 anos de idade à data da inscrição; - Não ter mais de 10 anos de idade à data da inscrição; - Estar matriculado no 1.º Ciclo do Ensino Básico; - Residir no Concelho de Braga; - Crianças NEE e crianças não NEE P á g i n a 2 6

3 b) No ato da inscrição deverão ser entregues os seguintes documentos: - Ficha de inscrição devidamente preenchido; - Bilhete de Identidade/ Cartão de Cidadão da criança; - Cartão utente de saúde (no caso de entregar bilhete de identidade); - Formulário da toma de medicação (se for o caso); - Bilhete de identidade/ Cartão de cidadão da pessoa que vai buscar a criança às 17h45m caso não seja o encarregado de educação; c) A inscrição das crianças não NEE decorrerá no Balcão Único Município de Braga até ao dia 12 DE Junho de A inscrição das crianças NEE decorrerá nas instalações da COOP21 ESPECIAL - Rua Belo Horizonte, nº 6, Palmeira, Braga; d) A inscrição será validada, após verificação por parte dos serviços responsáveis e comunicação ao encarregado de educação no momento da inscrição; e) A liquidação do valor da inscrição deverá ser feita no momento da inscrição; f) Só serão aceites as inscrições cuja documentação esteja completa, contando, para efeitos de ordem de inscrição, a data da entrega do último documento em falta; g) As inscrições estão sujeitas a um número limitado de vagas preenchidas de acordo com a ordem da realização da inscrição; h) Não existindo vagas o participante pode optar por se inscrever em lista de espera; i) Em caso de desistência de um participante, a vaga criada será preenchida pelo primeiro participante em lista de espera, devendo proceder à necessária inscrição e pagamento num prazo de 24 horas; j) Se houver desistência após a confirmação, não haverá reembolso do pagamento efetuado; k) No valor da inscrição está incluído a realização de todas as atividades do programa, os lanches da manhã e da tarde, o almoço e o seguro de acidentes pessoais. P á g i n a 3 6

4 VIII Pagamento a) A participação das crianças implica o pagamento de acordo com o escalão dos auxílios económicos do 1.º Ciclo: Escalão A Escalão B S/ Escalão 1 semana ,50 2 semanas semana semanas semanas IX Faltas a) No decorrer das atividades, caso a criança necessite faltar, devem ser informados previamente os técnicos responsáveis pela monitorização do grupo. X Regras de conduta a) Os participantes deverão respeitar os monitores, bens e equipamentos colocados à sua disposição, de acordo com as normas socialmente aceites; b) Os participantes deverão respeitar todas as indicações dadas pelos monitores responsáveis, de acordo com os seus direitos e deveres, sob pena de não virem a participar em atividades futuras; XI Direitos dos participantes a) Terem acompanhamento constante por parte dos monitores durante o decurso das atividades; b) Transporte de ida e volta, quando necessário ao desenvolvimento das atividades; c) Beneficiar de alimentação de acordo com o estabelecido; d) Beneficiar de seguro de acidentes pessoais, nos termos da Lei; e) Ser respeitada a confidencialidade dos elementos da sua ficha de inscrição; f) Participar em todas as atividades que forem propostas, exceto se houver indicação em contrário do Encarregado de Educação; g) Ser adequadamente assistido em caso de acidente ou doença súbita; P á g i n a 4 6

5 h) O encarregado de educação terá acesso ao contato telefónico do responsável do Programa de Mini Férias de Verão XII Deveres dos participantes a) Cumprir e fazer cumprir as presentes Normas e o programa das atividades; b) Cumprir as decisões e orientações dadas pelos monitores; c) Zelar pela conservação de equipamentos/instalações que lhes forem disponibilizados, sendo responsabilizados pelos danos causados; d) Apresentar declaração, no ato da inscrição, de qualquer limitação física e ou funcional, de eventuais necessidades de alimentação específicas ou cuidados especiais de saúde a considerar pela entidade promotora; e) Serem assíduos; f) Respeitarem os colegas e não usar a violência física e/ ou verbal; g) Zelarem pelos seus bens pessoais. A organização não se responsabiliza por qualquer dano/ perda/ roubo de qualquer pertence do participante; h) Adequarem o vestuário de acordo com a programação; i) Nenhum participante pode abandonar o campo de férias antes do término das atividades, salvo em situações em que estejam devidamente autorizados pelos seus Encarregados de Educação, tendo nestes casos da pessoa responsável por ir buscar a criança de a ir buscar onde quer que esta se encontra no decorrer das atividades. XIII Sanções a) O não cumprimento do disposto nas presentes normas e no programa das atividades dará origem à aplicação de sanções, conforme a gravidade da situação. b) As infrações serão comunicadas ao encarregado de educação, sendo que os infratores podem ser sancionados com: i. Inibição temporária da realização de determinada(s) atividade(s); ii. Expulsão do Programa de Mini Férias de Verão 2015; iii. Inibição de reinscrição em programas de ocupação de tempos livres organizados pelo Município de Braga. P á g i n a 5 6

6 XIV: Disposições Finais a) Todas as inscrições pressupõem a total concordância com as normas apresentadas; b) Os encarregados de educação autorizam a saída do seu educando, no caso das atividades que se realizam fora das instalações da COOP21 ESPECIAL; c) Os encarregados de educação autorizam a captação de imagens/ vídeos dos seus educandos para divulgação do Programa de Mini Férias de Verão 2015; d) Os encarregados de educação responsabilizam-se por todas as informações importantes prestadas ou omitidas no âmbito da inscrição do seu educando; e) Outras ocorrências não constantes nas presentes Normas serão objeto de análise específica por parte da organização, Divisão de Educação do Município de Braga. A organização. P á g i n a 6 6

Normas de participação

Normas de participação Verão com desafios 2015 Normas de participação I. Apresentação e objetivos 1. Entidade promotora e organizadora - Município de Loures 1 a) O programa de Ocupação de Tempos Livres Verão com Desafios é promovido

Leia mais

Natal na desportiva NORMAS DE PARTICIPAÇÃO

Natal na desportiva NORMAS DE PARTICIPAÇÃO Natal na desportiva 2015 NORMAS DE PARTICIPAÇÃO CML/DRIC/2015 Alvará 694 I. Apresentação e objetivos 1. Entidade Promotora e Organizadora - Município de Loures 1 a) O Programa de Ocupação de Tempos Livres

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DA LOUSÃ. Regulamento das Férias Ativas

CÂMARA MUNICIPAL DA LOUSÃ. Regulamento das Férias Ativas CÂMARA MUNICIPAL DA LOUSÃ Regulamento das Férias Ativas PREÂMBULO No uso da competência prevista pelos artigos 112º, n.º 8, e 241º da Constituição da República Portuguesa, e conferida pela alínea a) do

Leia mais

MUNICÍPIO DE MIRANDA DO DOURO. Férias ativas. Regulamento interno

MUNICÍPIO DE MIRANDA DO DOURO. Férias ativas. Regulamento interno MUNICÍPIO DE MIRANDA DO DOURO Férias ativas Regulamento interno PREÂMBULO No uso da competência prevista pelos artigos 112º, n.º 8, e 241º da Constituição da República Portuguesa, e conferida pela alínea

Leia mais

Regulamento Ser Cientista

Regulamento Ser Cientista 1 Regulamento Ser Cientista 1- Objetivos 1.1 - "Ser Cientista" é um programa que tem por objetivo proporcionar aos alunos do ensino secundário uma aproximação à realidade da investigação científica pela

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO DE CAMPOS DE FÉRIAS. Nota Justificativa

REGULAMENTO INTERNO DE CAMPOS DE FÉRIAS. Nota Justificativa REGULAMENTO INTERNO DE CAMPOS DE FÉRIAS Nota Justificativa A organização de campos de férias destinados a crianças e jovens é uma das actividades centrais da política do município da Moita na área da juventude

Leia mais

Município de Pinhel. Projeto de Regulamento do Programa de Férias Desportivas do Município de Pinhel. Nota Justificativa

Município de Pinhel. Projeto de Regulamento do Programa de Férias Desportivas do Município de Pinhel. Nota Justificativa Município de Pinhel Projeto de Regulamento do Programa de Férias Desportivas do Município de Pinhel Nota Justificativa O programa de férias desportivas promovido pelo Município de Pinhel é, ao abrigo do

Leia mais

Normas de participação

Normas de participação Natal na desportiva Programa de ocupação de tempos livres Normas de participação I. Apresentação e objetivos 1. Entidade promotora e organizadora - município de Loures 1 a) O Programa de ocupação de tempos

Leia mais

REGULAMENTO CAMPOS DE FÉRIAS 2015 OBJETIVO

REGULAMENTO CAMPOS DE FÉRIAS 2015 OBJETIVO REGULAMENTO CAMPOS DE FÉRIAS 2015 OBJETIVO É objetivo dos Campos de Férias do Pony Club do Porto proporcionar iniciativas exclusivamente destinadas a crianças com idades compreendidas entre os 5 e os 12

Leia mais

Regulamento Interno Campos de Férias Tá a Mexer. Artigo1.º DISPOSIÇÕES GERAIS

Regulamento Interno Campos de Férias Tá a Mexer. Artigo1.º DISPOSIÇÕES GERAIS Artigo1.º DISPOSIÇÕES GERAIS 1. O Programa do Campo de Férias da Tá a Mexer constitui um programa cultural, desportivo, ambiental e lúdico de tempos livres, em regime aberto, de crianças e jovens. Este

Leia mais

EXTERNATO JOÃO ALBERTO FARIA - INFANTIL ANO LECTIVO 2012/2013 REGULAMENTO I - NOÇÕES INTRODUTÓRIAS

EXTERNATO JOÃO ALBERTO FARIA - INFANTIL ANO LECTIVO 2012/2013 REGULAMENTO I - NOÇÕES INTRODUTÓRIAS EXTERNATO JOÃO ALBERTO FARIA - INFANTIL ANO LECTIVO 2012/2013 REGULAMENTO I - NOÇÕES INTRODUTÓRIAS 1- O Externato João Alberto Faria - Infantil destina-se a crianças com idades entre os 3 anos (feitos

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO DOS CAMPOS DE FÉRIAS DA LIPOR

REGULAMENTO INTERNO DOS CAMPOS DE FÉRIAS DA LIPOR FÉRIAS DA LIPOR 1. Considerações Gerais A Lipor, Serviço Intermunicipalizado de Gestão de Resíduos do Grande Porto, com sede em Baguim do Monte, concelho de Gondomar, realiza atividades de promoção e organização

Leia mais

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE FÉRIAS

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE FÉRIAS REGULAMENTO DO PROGRAMA DE FÉRIAS Aprovado por deliberação da Assembleia Municipal de Azambuja de 19 de Setembro de 2012, publicada pelo Edital n.º 78/2012, de 26 de Outubro de 2012. Em vigor desde 10

Leia mais

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE FÉRIAS DESPORTIVAS E CULTURAIS DO MUNICIPIO DO CARTAXO

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE FÉRIAS DESPORTIVAS E CULTURAIS DO MUNICIPIO DO CARTAXO REGULAMENTO DO PROGRAMA DE FÉRIAS DESPORTIVAS E CULTURAIS DO MUNICIPIO DO CARTAXO PREÂMBULO O Programa de Férias Desportivas e Culturais promovido pela Câmara Municipal do Cartaxo é, ao abrigo do Decreto-Lei

Leia mais

REGULAMENTO DOS CAMPOS DE FÉRIAS DO MUNICÍPIO DO BARREIRO

REGULAMENTO DOS CAMPOS DE FÉRIAS DO MUNICÍPIO DO BARREIRO REGULAMENTO DOS CAMPOS DE FÉRIAS DO MUNICÍPIO DO BARREIRO NOTA JUSTIFICATIVA A organização de campos de férias destinados a crianças e jovens tem apresentado um aumento significativo nos últimos tempos.

Leia mais

Programa Olivais em Férias

Programa Olivais em Férias Capítulo 90 Programa Olivais em Férias Ano 2015 MR.003.01.Vers.1.0.a Página 1 de 8 Conteúdo 1. Introdução... 3 2. Planeamento e Organização... 3 3. Inscrição... 3 3.1. Valor a pagar... 3 3.2. Fichas de

Leia mais

REGULAMENTO DO PROGRAMA MUNICIPAL

REGULAMENTO DO PROGRAMA MUNICIPAL REGULAMENTO DO PROGRAMA MUNICIPAL FÉRIAS DIVERTIDAS Página 1 de 13 ÍNDICE PREÂMBULO... 3 CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS..4 CAPÍTULO II PROGRAMA..5 CAPÍTULO III INSCRIÇÕES...5 CAPÍTULO IV ENTIDADE PROMOTORA..

Leia mais

REGULAMENTO MUNICIPAL DE CAMPOS DE FÉRIAS DE MANTEIGAS

REGULAMENTO MUNICIPAL DE CAMPOS DE FÉRIAS DE MANTEIGAS REGULAMENTO MUNICIPAL DE CAMPOS DE FÉRIAS DE MANTEIGAS Preâmbulo Considerando: As competências previstas nos artigos 112º e 241º da Constituição da República Portuguesa; O regime previsto no Decreto-Lei

Leia mais

NORMAS PARA A ORGANIZAÇÃO E GESTÃO DAS ATIVIDADES DE ANIMAÇÃO E APOIO À FAMÍLIA NA EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR

NORMAS PARA A ORGANIZAÇÃO E GESTÃO DAS ATIVIDADES DE ANIMAÇÃO E APOIO À FAMÍLIA NA EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR NORMAS PARA A ORGANIZAÇÃO E GESTÃO DAS ATIVIDADES DE ANIMAÇÃO E APOIO À FAMÍLIA NA EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR Aprovação em Conselho Municipal de Educação 10 de março de 2015 Aprovação em Reunião de Câmara 25

Leia mais

REGULAMENTO DO PROGRAMA OLIVAIS EM FÉRIAS ANO 2015

REGULAMENTO DO PROGRAMA OLIVAIS EM FÉRIAS ANO 2015 REGULAMENTO DO PROGRAMA OLIVAIS EM FÉRIAS ANO 2015 Contactos da Junta de Freguesia Morada: Rua General Silva Freire, Lote C 1849-029 Lisboa Telefone: 21 854 06 90 Fax: 21 852 06 87 / 21 248 79 25 E-mail:

Leia mais

Projeto Pedagógico e de Animação

Projeto Pedagógico e de Animação Projeto Pedagógico e de Animação 1 - Memória Descritiva 2 Identificação e Caracterização da Instituição Promotora 3 - Objetivos Gerais 4 - Objetivos Específicos 5 - Princípios educacionais 6 Metodologias

Leia mais

REGULAMENTO 2014/2015. 1.1 A frequência nas várias valências depende da prévia inscrição a efetuar pelos pais ou pessoas que as tenham a cargo.

REGULAMENTO 2014/2015. 1.1 A frequência nas várias valências depende da prévia inscrição a efetuar pelos pais ou pessoas que as tenham a cargo. REGULAMENTO 2014/2015 1- ADMISSÃO DE CRIANÇAS 1.1 A frequência nas várias valências depende da prévia inscrição a efetuar pelos pais ou pessoas que as tenham a cargo. 1.2 A instituição dispõe de 3 valências,

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO DOS CAMPOS DE FÉRIAS DA LIPOR

REGULAMENTO INTERNO DOS CAMPOS DE FÉRIAS DA LIPOR REGULAMENTO INTERNO DOS CAMPOS DE FÉRIAS DA LIPOR 1 1. Considerações Gerais A Lipor, Serviço Intermunicipalizado de Gestão de Resíduos do Grande Porto, com sede em Baguim do Monte, concelho de Gondomar,

Leia mais

CDE - CLUBE DESPORTIVO ESTRELA REGULAMENTO PARA O FUTEBOL

CDE - CLUBE DESPORTIVO ESTRELA REGULAMENTO PARA O FUTEBOL CDE - CLUBE DESPORTIVO ESTRELA REGULAMENTO PARA O FUTEBOL ÍNDICE CAPITULO I - PARTE GERAL Artigo 1º - Disposição Geral Artigo 2º - Formação e Competição Artigo 3º - Formação Artigo 4º - Competição Artigo

Leia mais

Regulamento Interno Actividades Tempos Livres ATL AGUARELA

Regulamento Interno Actividades Tempos Livres ATL AGUARELA Regulamento Interno Actividades Tempos Livres ATL AGUARELA Associação de Pais e Encarregados de Educação da Escola Básica Nº 4 e Jardim de Infância Nº 3 de Alverca do Ribatejo INDICE 1. Objecto 2. Local

Leia mais

REGULAMENTO DO CAMPO DE FÉRIAS DO MUNICIPIO DE VILA POUCA DE AGUIAR

REGULAMENTO DO CAMPO DE FÉRIAS DO MUNICIPIO DE VILA POUCA DE AGUIAR REGULAMENTO DO CAMPO DE FÉRIAS DO MUNICIPIO DE VILA POUCA DE AGUIAR O presente regulamento, tem como objetivo principal ocupar o tempo livre das crianças com idades compreendidas entre os 6 e os is anos,

Leia mais

Regulamento Interno. Campos de Férias (não Residenciais)

Regulamento Interno. Campos de Férias (não Residenciais) Regulamento Interno Campos de Férias (não Residenciais) O presente Regulamento Interno dos Campos de Férias não Residenciais do Acro Clube da Maia visa definir com objetividade as Regras, os Direitos e

Leia mais

REGULAMENTO MUNICIPAL DO PROJECTO Gai@prende+ REGULAMENTO MUNICIPAL DO PROJETO GAI@PRENDE+

REGULAMENTO MUNICIPAL DO PROJECTO Gai@prende+ REGULAMENTO MUNICIPAL DO PROJETO GAI@PRENDE+ REGULAMENTO MUNICIPAL DO PROJETO GAI@PRENDE+ 2 PREÂMBULO A educação é um instrumento fundamental para assegurar uma sociedade do conhecimento e um melhor entendimento do mundo, para o garante de uma cidadania

Leia mais

CIRCUITO DE ÁGUAS ABERTAS DOS AÇORES 2014

CIRCUITO DE ÁGUAS ABERTAS DOS AÇORES 2014 CIRCUITO DE ÁGUAS ABERTAS DOS AÇORES 2014 REGULAMENTO DA PROVA DA SEMANA DO MAR - HORTA 1. Organização ANARA Associação de Natação da Região Açores e Clube Naval da Horta 2. Data 2 de Agosto de 2014 16.00

Leia mais

Objetivos. Funcionamento

Objetivos. Funcionamento A Ludoteca é um espaço organizado em função da criança, que pretende aliar a brincadeira à aprendizagem através do desenvolvimento de diversas atividades lúdico/pedagógicas, procurando incentivar a comunicação,

Leia mais

NATURA OBSERVA REGULAMENTO INTERNO

NATURA OBSERVA REGULAMENTO INTERNO NATURA OBSERVA REGULAMENTO INTERNO 1 O programa NATURA OBSERVA funciona em regime quinzenal ininterrupto, incluindo fins de semana e feriados. Não há atribuição de folgas. Está aberto a todos os jovens

Leia mais

NORMAS DE ACESSO ÀS PISCINAS MUNICIPAIS DE VILA NOVA DE GAIA

NORMAS DE ACESSO ÀS PISCINAS MUNICIPAIS DE VILA NOVA DE GAIA NORMAS DE ACESSO ÀS PISCINAS MUNICIPAIS DE VILA NOVA DE GAIA CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS ARTIGO 1º - OBJECTO ARTIGO 2º - ÂMBITO DE APLICAÇÃO ARTIGO 3º - CONCEITOS ARTIGO 4º - ACESSO À PISCINA ARTIGO

Leia mais

REGULAMENTO GERAL. Artigo 2.º (Definições) As seguintes expressões utilizadas neste Regulamento terão o significado que aqui lhes é atribuído.

REGULAMENTO GERAL. Artigo 2.º (Definições) As seguintes expressões utilizadas neste Regulamento terão o significado que aqui lhes é atribuído. REGULAMENTO GERAL Artigo 1.º (Objeto) 1. O presente regulamento estipula as normas gerais e as condições de utilização do Ginásio. 2. O regulamento é parte integrante do Contrato de Adesão, ficando os

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO 2011/2012

REGULAMENTO INTERNO 2011/2012 REGULAMENTO INTERNO 2011/2012 REGULAMENTO INTERNO 2011/2012 Exmo. Sr. ou Sr.ª Encarregado(a) de Educação Agora que o seu educando deu mais um passo no Universo Benfiquista, é com grande satisfação que

Leia mais

Normas DE. Atividades de Animação e Apoio à Família e Componente de Apoio à Família. Estabelecimentos de Educação e Ensino da Freguesia de Benfica

Normas DE. Atividades de Animação e Apoio à Família e Componente de Apoio à Família. Estabelecimentos de Educação e Ensino da Freguesia de Benfica Normas DE FuNcioNamENto Atividades de Animação e Apoio à Família e Componente de Apoio à Família Estabelecimentos de Educação e Ensino da Freguesia de Benfica O presente documento apresenta-se como um

Leia mais

SANTA CASA DA MISERICÓRDIA DE S. JOÃO DA MADEIRA REGULAMENTO INTERNO DO CENTRO DE DIA CAPITULO I DA NATUREZA E ÂMBITO DE APLICAÇÃO

SANTA CASA DA MISERICÓRDIA DE S. JOÃO DA MADEIRA REGULAMENTO INTERNO DO CENTRO DE DIA CAPITULO I DA NATUREZA E ÂMBITO DE APLICAÇÃO CAPITULO I DA NATUREZA E ÂMBITO DE APLICAÇÃO Artigo 1º (Âmbito) O presente regulamento aplica-se ao Centro de Dia da Santa Casa da Misericórdia de S. João da Madeira, entidade de quem depende técnica,

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO 2010-2011

REGULAMENTO INTERNO 2010-2011 REGULAMENTO INTERNO 2010-2011 1. Admissão e lotação 1.1. O colégio admite crianças com idades entre os 4 meses e os 6 anos. 1.2. A lotação da creche (dos 4 meses aos 3 anos) é de 56 crianças distribuídas

Leia mais

ESCOLA DE VERÃO REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO

ESCOLA DE VERÃO REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO ESCOLA DE VERÃO REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO 1) Objectivos a) A Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Coimbra (ESTeSC) realiza a 1ª Edição da Escola de Verão com uma semana de ocupação para jovens

Leia mais

PROGRAMA NORMAS DE PARTICIPAÇÃO 2015

PROGRAMA NORMAS DE PARTICIPAÇÃO 2015 PROGRAMA NORMAS DE PARTICIPAÇÃO 2015 I DESTINATÁRIOS O Programa de Ocupação de Jovens, promovido pela Câmara Municipal de Cascais, através da Divisão de Promoção de Emprego (DPRE), destina-se a jovens

Leia mais

Regulamento Interno Férias Academia 2014. Art.º 1 - Informações Gerais

Regulamento Interno Férias Academia 2014. Art.º 1 - Informações Gerais Regulamento Interno Férias Academia 2014 Art.º 1 - Informações Gerais 1. As Férias Academia decorrem nas instalações da Academia Sporting, em regime fechado; 2. Os campos de férias têm, normalmente, uma

Leia mais

COMPONENTE DE APOIO À FAMÍLIA - 2013/14. FUNCIONAMENTO: refeições, prolongamento horário, férias em movimento

COMPONENTE DE APOIO À FAMÍLIA - 2013/14. FUNCIONAMENTO: refeições, prolongamento horário, férias em movimento COMPONENTE DE APOIO À FAMÍLIA - 2013/14 FUNCIONAMENTO: refeições, prolongamento horário, férias em movimento Objeto e âmbito de aplicação O presente documento visa regular o funcionamento da Componente

Leia mais

Normas de registo e controlo da pontualidade e assiduidade dos trabalhadores da Câmara Municipal de Espinho

Normas de registo e controlo da pontualidade e assiduidade dos trabalhadores da Câmara Municipal de Espinho Normas de registo e controlo da pontualidade e assiduidade dos trabalhadores da Câmara Municipal de Espinho Aprovadas por Despacho nº 33/2012, de 19 de março do Senhor Presidente da Câmara, Dr. Pinto Moreira

Leia mais

Comissão do Jovem Advogado

Comissão do Jovem Advogado REGULAMENTO DO PROGRAMA MEU PRIMEIRO ESTÁGIO Estabelece normas para acompanhamento das atividades do programa meu primeiro estágio, da Comissão da Ordem dos Advogados do Brasil, Seccional Acre OAB/AC.

Leia mais

COMPONENTE DE APOIO À FAMÍLIA/ATIVIDADES DE ANIMAÇÃO E DE APOIO À FAMILIA - 2015/16

COMPONENTE DE APOIO À FAMÍLIA/ATIVIDADES DE ANIMAÇÃO E DE APOIO À FAMILIA - 2015/16 COMPONENTE DE APOIO À FAMÍLIA/ATIVIDADES DE ANIMAÇÃO E DE APOIO À FAMILIA - 2015/16 FUNCIONAMENTO: refeições, prolongamento horário, férias divertidas Objeto e âmbito de aplicação O presente documento

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO FÉRIAS DESPORTIVAS DO ESTÁDIO UNIVERSITÁRIO DE LISBOA

REGULAMENTO INTERNO FÉRIAS DESPORTIVAS DO ESTÁDIO UNIVERSITÁRIO DE LISBOA REGULAMENTO INTERNO FÉRIAS DESPORTIVAS DO ESTÁDIO UNIVERSITÁRIO DE LISBOA REGULAMENTO INTERNO DAS FÉRIAS DESPORTIVAS O presente regulamento tem como objetivo dar a conhecer a todos os intervenientes e

Leia mais

abla portugal 2012-2013 Jardim-de-Infância do Murtal

abla portugal 2012-2013 Jardim-de-Infância do Murtal abla portugal 2012-2013 Jardim-de-Infância do Murtal I Enquadramento Institucional A Associação de Beneficência Luso-Alemã é uma IPSS com sede no Junqueiro Carcavelos. Estabelecemos parceria com o Agrupamento

Leia mais

EXTERNATO DO OLIVAL BASTO REGULAMENTO INTERNO ATL

EXTERNATO DO OLIVAL BASTO REGULAMENTO INTERNO ATL EXTERNATO DO OLIVAL BASTO REGULAMENTO INTERNO ATL CAPITULO I DISPOSIÇÕES GERAIS NORMA 1 Âmbito de aplicação O presente regulamento aplica-se à frequência no ATL do Externato do Olival Basto, Lda. NORMA

Leia mais

Regulamentos Internos

Regulamentos Internos Regulamentos Internos INFÂNCIA: Período para a construção de alicerces da personalidade de cada criança: Aprendendo a CONHECER, Aprendendo a FAZER, Aprendendo a SER C A I Q U E Ano Letivo 2015/16 1. VALÊNCIAS

Leia mais

Regulamento Interno. Objectivo

Regulamento Interno. Objectivo Regulamento Interno Objectivo É objectivo dos campos de férias proporcionar iniciativas exclusivamente destinadas a crianças e jovens com idades compreendidas entre os 08 e os 18 anos, com a finalidade

Leia mais

Regulamento Interno 2013 / 2014. www.luacrescente.pt geral@luacrescente.pt 21 852 00 43-96 5555 727

Regulamento Interno 2013 / 2014. www.luacrescente.pt geral@luacrescente.pt 21 852 00 43-96 5555 727 Regulamento Interno 2013 / 2014 www.luacrescente.pt geral@luacrescente.pt 21 852 00 43-96 5555 727 REGULAMENTO INTERNO 2013 / 2014 ESCOLA LUA CRESCENTE (Creche, Jardim de Infância e ATL) I NATUREZA E OBJECTIVOS

Leia mais

REGULAMENTO DO BANCO LOCAL DE VOLUNTARIADO DE MIRANDELA. Preâmbulo

REGULAMENTO DO BANCO LOCAL DE VOLUNTARIADO DE MIRANDELA. Preâmbulo REGULAMENTO DO BANCO LOCAL DE VOLUNTARIADO DE MIRANDELA Preâmbulo O voluntariado é definido como um conjunto de acções e interesses sociais e comunitários, realizadas de forma desinteressada no âmbito

Leia mais

Regulamento do Banco Local de Voluntariado de Boticas. Preâmbulo. A Lei n.º 71/98, de 3 de novembro estabelece as bases do

Regulamento do Banco Local de Voluntariado de Boticas. Preâmbulo. A Lei n.º 71/98, de 3 de novembro estabelece as bases do Regulamento do Banco Local de Voluntariado de Boticas Preâmbulo A Lei n.º 71/98, de 3 de novembro estabelece as bases do enquadramento jurídico do voluntariado, visando promover e garantir a todos os cidadãos

Leia mais

ESCOLA DE MÚSICA Mértola tem Melodia

ESCOLA DE MÚSICA Mértola tem Melodia ESCOLA DE MÚSICA Mértola tem Melodia Regulamento 2014/2015 O presente Regulamento estabelece as regras gerais de funcionamento da Escola de Música Mértola tem Melodia (MTM) e tem a vigência de Setembro

Leia mais

Regimento das Actividades de Enriquecimento Curricular 2014-2015

Regimento das Actividades de Enriquecimento Curricular 2014-2015 Regimento das Actividades de Enriquecimento Curricular 2014-2015 Índice Introdução 3 Artigo 1.º - Enquadramento 3 Artigo 2.º - Período de funcionamento/instalações 4 Artigo 3.º - Normas de inscrição/funcionamento

Leia mais

MUNICÍPIO DE PALMELA CÂMARA MUNICIPAL

MUNICÍPIO DE PALMELA CÂMARA MUNICIPAL MUNICÍPIO DE PALMELA CÂMARA MUNICIPAL EDITAL Nº 09/DAF-DAG/2009 ----- ANA TERESA VICENTE CUSTÓDIO DE SÁ, na qualidade de Presidente da Câmara Municipal de Palmela: --------------------------------------------------------------------------

Leia mais

SPORT CAMPUS 2015. Verão 2015/Tempos Livres AMARES REGULAMENTO INTERNO. Parceiros:

SPORT CAMPUS 2015. Verão 2015/Tempos Livres AMARES REGULAMENTO INTERNO. Parceiros: SPORT CAMPUS 2015 Verão 2015/Tempos Livres AMARES REGULAMENTO INTERNO Parceiros: Objectivo É objectivo dos campos de férias proporcionar iniciativas exclusivamente destinadas a crianças e jovens com idades

Leia mais

Componente de Apoio à Família

Componente de Apoio à Família Capítulo 056 Componente de Apoio à Família MR.003.01.Vers.1.0.a Página 1 de 11 Conteúdo 1. Introdução... 3 2. Planeamento e organização... 3 3. Funcionamento... 4 3.1. Períodos da CAF... 4 3.2. Horários

Leia mais

REGULAMENTO PROVA ÁGUAS ABERTAS PENICHE A NADAR

REGULAMENTO PROVA ÁGUAS ABERTAS PENICHE A NADAR REGULAMENTO PROVA ÁGUAS ABERTAS PENICHE A NADAR 1 REGULAMENTO PROVA DE ÁGUAS ABERTAS PENICHE A NADAR 1. ENQUADRAMENTO No âmbito da realização na cidade de Peniche, da prova de Águas Abertas PENICHE A NADAR,

Leia mais

Regulamento Geral. As matrículas devem ser efetuadas o mais tardar até 15 de Setembro. As inscrições feitas em Junho e Julho beneficiam de desconto.

Regulamento Geral. As matrículas devem ser efetuadas o mais tardar até 15 de Setembro. As inscrições feitas em Junho e Julho beneficiam de desconto. Regulamento Geral Matrícula: Para efetuar a matrícula é necessário: Bilhete de Identidade ou Cartão de Cidadão 1 Fotografia Pagamento da matrícula As matrículas devem ser efetuadas o mais tardar até 15

Leia mais

Capítulo 1 - Atividades de Animação e de Apoio à Família (AAAF)

Capítulo 1 - Atividades de Animação e de Apoio à Família (AAAF) Capítulo 1 - Atividades de Animação e de Apoio à Família (AAAF) Norma I Enquadramento Institucional A ABLA é uma IPSS e ONGD de inspiração cristã evangélica criada em 1984 por beneméritos alemães. A Associação

Leia mais

NORMAS ADMISSÃO E FUNCIONAMENTO A MELHOR PREPARAÇÃO PARA O AMANHÃ É A UTILIZAÇÃO APROPRIADA DO HOJE

NORMAS ADMISSÃO E FUNCIONAMENTO A MELHOR PREPARAÇÃO PARA O AMANHÃ É A UTILIZAÇÃO APROPRIADA DO HOJE NORMAS DE ADMISSÃO E FUNCIONAMENTO A MELHOR PREPARAÇÃO PARA O AMANHÃ É A UTILIZAÇÃO APROPRIADA DO HOJE NORMAS DE ADMISSÃO E FUNCIONAMENTO 1. CONDIÇÕES DE ADMISSÃO 1.1 O Colégio TAGUSPARK recebe crianças

Leia mais

CAF Vitamina Férias de Natal 2015/2016

CAF Vitamina Férias de Natal 2015/2016 CAF Vitamina Férias de Natal 2015/2016 EBI de Sampaio Tel.: 93 541 81 35 Email: vitamina.eb1sampaio@gmail.com Vitamina- sede Rua Adriano José da Silva, nº 20 C2770-004 Paço de Arcos E-mail: vitamina.geral@gmail.com

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO 2007-2008

REGULAMENTO INTERNO 2007-2008 REGULAMENTO INTERNO 2007-2008 Regulamento Interno Ano Lectivo 2007/2008 1. Admissão 1.1. O colégio admite crianças com idades entre os 3 meses e os 6 anos. 1.2. No acto da inscrição são necessários os

Leia mais

SANTA CASA DA MISERICÓRDIA DE MIRANDELA CATL ABC REGULAMENTO INTERNO

SANTA CASA DA MISERICÓRDIA DE MIRANDELA CATL ABC REGULAMENTO INTERNO REGULAMENTO INTERNO CATL ( CENTRO DE ACTIVIDADES DE TEMPOS LIVRES ) FÉRIAS DIVERTIDAS ( Natal, Páscoa, Verão ) Rua 16 de Maio * 5370-418 Mirandela * Tel.: 278 265198 * Fax: 278 265194* http://www.scmm.web.pt

Leia mais

O que é o Voluntariado? O que é ser Voluntário? Quais são os meus direitos como voluntário? Quais são os meus deveres enquanto voluntário?

O que é o Voluntariado? O que é ser Voluntário? Quais são os meus direitos como voluntário? Quais são os meus deveres enquanto voluntário? Perguntas frequentes sobre o voluntariado e sobre todos os pontos importantes sobre o Festival, de forma a ficares esclarecido com todas as tuas dúvidas. O que é o Voluntariado? Voluntariado é um conjunto

Leia mais

Regulamento Seguro Escolar

Regulamento Seguro Escolar Regulamento Seguro Escolar O seguro escolar, enquanto sistema de apoio socioeconómico aos alunos, no âmbito da ASE, atua como complemento à assistência assegurada por outros sistemas públicos e privados

Leia mais

ESTADO DO ACRE ESCOLA DO SERVIDOR PÚBLICO DO ACRE REGULAMENTO PARA OS CURSOS DE CAPACITAÇÃO DA ESCOLA DO SERVIDOR PÚBLICO

ESTADO DO ACRE ESCOLA DO SERVIDOR PÚBLICO DO ACRE REGULAMENTO PARA OS CURSOS DE CAPACITAÇÃO DA ESCOLA DO SERVIDOR PÚBLICO REGULAMENTO PARA OS CURSOS DE CAPACITAÇÃO DA ESCOLA DO SERVIDOR PÚBLICO CAPÍTULO I DA FINALIDADE E OBJETIVOS Dispõe sobre as normas para participação dos servidores públicos em Cursos de Capacitação promovidos

Leia mais

Direitos da Entidade Organizadora/Promotora

Direitos da Entidade Organizadora/Promotora OBJECTIVOS GERAIS 1 Criação em todas as suas componentes estruturais, de um espaço físico com vista à realização de actividades de lazer e em contacto directo com a natureza, nomeadamente: a) Campos de

Leia mais

REGULAMENTO ESCOLA DE FUTEBOL OS AFONSINHOS Época 2015/2016. Artigo 1º (Entidade reguladora)

REGULAMENTO ESCOLA DE FUTEBOL OS AFONSINHOS Época 2015/2016. Artigo 1º (Entidade reguladora) REGULAMENTO ESCOLA DE FUTEBOL OS AFONSINHOS Época 2015/2016 Artigo 1º (Entidade reguladora) A entidade reguladora da Escola de Futebol Os Afonsinhos é Academia do Vitória Sport Clube. Artigo 2º (Destinatários)

Leia mais

Regulamento das Creches e Jardins-de-Infância dos Serviços Sociais da Câmara Municipal de Lisboa

Regulamento das Creches e Jardins-de-Infância dos Serviços Sociais da Câmara Municipal de Lisboa Regulamento das Creches e Jardins-de-Infância dos Serviços Sociais da Câmara Municipal de Lisboa Capitulo I Objecto Art.º 1.º Âmbito e objecto O presente regulamento é aplicável ao funcionamento das creches

Leia mais

Campo de Férias - FUBI

Campo de Férias - FUBI Campo de Férias - FUBI Regulamento Interno O presente regulamento dos campos de férias FUBI, pretende definir os direitos, deveres e regras a observar por todas as pessoas que envolvem as atividades, para

Leia mais

REGIMENTO DO PROGRAMA DE IMPLEMENTAÇÃO DAS ATIVIDADES DE ENRIQUECIMENTO CURRICULAR (A.E.C.)

REGIMENTO DO PROGRAMA DE IMPLEMENTAÇÃO DAS ATIVIDADES DE ENRIQUECIMENTO CURRICULAR (A.E.C.) REGIMENTO DO PROGRAMA DE IMPLEMENTAÇÃO DAS ATIVIDADES DE ENRIQUECIMENTO CURRICULAR (A.E.C.) A G R U P A M E N T O D E E S C O L A S D E B E N A V E N T E INTRODUÇÃO Tendo por base os normativos legais

Leia mais

V Inscrições 1. No acto da inscrição o participante deverá entregar toda a documentação solicitada e devidamente preenchida.

V Inscrições 1. No acto da inscrição o participante deverá entregar toda a documentação solicitada e devidamente preenchida. I Entidade Organizadora AFUM Associação de Funcionários da Universidade do Minho (AFUM), Campus de Gualtar, 4710-057 Braga, Contribuinte n.º 503595772, número de registo 65/DRN. II Objectivo e caracterização

Leia mais

REGULAMENTO DO PROGRAMA ALVALADE EM FÉRIAS INFÂNCIA

REGULAMENTO DO PROGRAMA ALVALADE EM FÉRIAS INFÂNCIA REGULAMENTO DO PROGRAMA ALVALADE EM FÉRIAS INFÂNCIA PREÂMBULO O PROGRAMA ALVALADE EM FÉRIAS (PAF) é, ao abrigo da Legislação em vigor (Decreto-Lei 32/2011, de 7 de março), um campo de férias não residencial

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO DOS CAMPOS DE FÉRIAS

REGULAMENTO INTERNO DOS CAMPOS DE FÉRIAS REGULAMENTO INTERNO DOS CAMPOS DE FÉRIAS ORGANIZADOS PELA UNIÃO DAS FREGUESIAS DO CACÉM E SÃO MARCOS - SINTRA REGULAMENTO INTERNO DOS CAMPOS DE FÉRIAS ORGANIZADOS PELA UNIÃO DAS FREGUESIAS DO CACÉM E SÃO

Leia mais

REGULAMENTO MARÇO 2013

REGULAMENTO MARÇO 2013 PROGRAMA DE VOLUNTÁRIO E ESTAGIÁRIOS MUSEU NACIONAL DE HISTÓRIA NATURAL E DA CIÊNCIA UNIVERSIDADE DE LISBOA REGULAMENTO MARÇO 2013 1 CONDIÇÕES GERAIS DE ADMISSÃO Voluntariado 1. Qualquer cidadão maior

Leia mais

CURSO Formação Pedagógica Inicial de Formadores

CURSO Formação Pedagógica Inicial de Formadores REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO CURSO Formação Pedagógica Inicial de Formadores Homologado pelo IEFP com o código de curso C1840003 Presencial 90 horas (Conforme Portaria n.º 214/2011, de 30 de maio) DPJ.FOR.FPIF.01

Leia mais

NORMAS DE FUNCIONAMENTO DA CASA MUNICIPAL DA JUVENTUDE DE AVEIRO

NORMAS DE FUNCIONAMENTO DA CASA MUNICIPAL DA JUVENTUDE DE AVEIRO NORMAS DE FUNCIONAMENTO DA CASA MUNICIPAL DA JUVENTUDE DE AVEIRO CAPÍTULO I Art. 1º - Definição a. A Casa Municipal da Juventude de Aveiro é um equipamento que a Câmara Municipal de Aveiro coloca ao dispor

Leia mais

Câmara Municipal da Amadora Julho 2013

Câmara Municipal da Amadora Julho 2013 Férias Câmara Municipal da Amadora Julho 2013 na Cidade Umas férias divertidas Após um ano letivo bem sucedido as férias de verão são sempre um tempo de descanso, de sonho e de desafio. Responder a estes

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO DA CRECHE E JARDIM DE INFÂNCIA

REGULAMENTO INTERNO DA CRECHE E JARDIM DE INFÂNCIA Índice Capítulo I Da natureza e objetivos da Associação Capítulo II Do cumprimento das disposições regulamentares Capítulo III Da candidatura e do processo de admissão Capítulo IV Da inscrição Capítulo

Leia mais

Regulamento e Operacionalização da Escola de Surf

Regulamento e Operacionalização da Escola de Surf Regulamento e Operacionalização da Escola de Surf O surf é uma prática desportiva marítima, habitualmente considerada como parte do grupo de atividades desportivas radicais, devido ao seu aspeto criativo,

Leia mais

NIF: 505 316 633 Rua Casal da Vinha, 2, Idanha 2605-108 Belas Regulamento Interno 2012/2013. Regulamento Interno. Ano Lectivo 2012/13

NIF: 505 316 633 Rua Casal da Vinha, 2, Idanha 2605-108 Belas Regulamento Interno 2012/2013. Regulamento Interno. Ano Lectivo 2012/13 CAF COMPONENTE DE APOIO À FAMÍLIA Regulamento Interno Ano Lectivo 2012/13 INTRODUÇÃO O presente regulamento tem como objectivo estabelecer as normas e procedimentos de funcionamento da CAF, a funcionar

Leia mais

REGULAMENTO FEIRA DO LIVRO PORTO 2015 I ORGANIZAÇÃO

REGULAMENTO FEIRA DO LIVRO PORTO 2015 I ORGANIZAÇÃO REGULAMENTO FEIRA DO LIVRO PORTO 2015 I ORGANIZAÇÃO Artigo 1.º Âmbito 1. A Feira do Livro do Porto integra um espaço de venda de publicações cuja organização compete à Porto Lazer E.M. e um Festival Literário

Leia mais

INATEL 2015 3* INATEL

INATEL 2015 3* INATEL Regulamento Turismo Júnior 2015 Colónias de Férias Residenciais INATEL Foz do Arelho Hotel 3* INATEL Luso INATEL Santa Maria da Feira INATEL Entre-os-Rios 1. O programa 1.1. Turismo Júnior 2015 Colónias

Leia mais

Jardim-de-Infância. Regulamento Interno

Jardim-de-Infância. Regulamento Interno Jardim-de-Infância Regulamento Interno Os Pimentinhas Jardim-de-Infância CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS Artigo 1.º (Identificação do estabelecimento e sua natureza) 1 - «Os Pimentinhas Creche, Jardim de

Leia mais

Câmara Municipal de Vila Franca de Xira REGULAMENTO Nº 05/2005 REGULAMENTO DE CAMPOS DE FÉRIAS

Câmara Municipal de Vila Franca de Xira REGULAMENTO Nº 05/2005 REGULAMENTO DE CAMPOS DE FÉRIAS REGULAMENTO Nº 05/2005 REGULAMENTO DE CAMPOS DE FÉRIAS ARTIGO 1.º OBJECTIVO 1 O presente regulamento estabelece as regras gerais a observar nos Campos de Férias organizados pela Câmara Municipal de Vila

Leia mais

REGULAMENTO DO SEGURO ESCOLAR

REGULAMENTO DO SEGURO ESCOLAR REGULAMENTO DO SEGURO ESCOLAR O presente documento constitui o regulamento do seguro escolar a estabelecer na Escola Secundária Soares Basto e tem por base a respectiva legislação, nomeadamente o Decreto-lei

Leia mais

Nota Justificativa. Regulamento Municipal para os Serviços de Apoio à Família Prolongamento de Horário 1

Nota Justificativa. Regulamento Municipal para os Serviços de Apoio à Família Prolongamento de Horário 1 REGULAMENTO MUNICIPAL PARA AS ATIVIDADES DE ANIMAÇÃO E DE APOIO À FAMÍLIA PROLONGAMENTO DE HORÁRIO NOS ESTABELECIMENTOS DE EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR DA REDE PÚBLICA DO CONCELHO DE OEIRAS Nota Justificativa

Leia mais

Normas de utilização das bicicletas urbanas de Torres Vedras

Normas de utilização das bicicletas urbanas de Torres Vedras Normas de utilização das bicicletas urbanas de Torres Vedras INTRODUÇÃO O Município de Torres Vedras está empenhado em promover as vantagens do uso de bicicleta, designadamente por se tratar de uma nova

Leia mais

Regulamento de Funcionamento das Acções de Formação

Regulamento de Funcionamento das Acções de Formação Regulamento de Funcionamento das Acções de Formação A Ciência Viva tem como missão a difusão da Cultura Científica e Tecnológica apoiando acções dirigidas à promoção da Educação Científica e Tecnológica

Leia mais

REGULAMENTO DO INFANTÁRIO DE NOSSA SENHORA DA PURIFICAÇÃO (Creche)

REGULAMENTO DO INFANTÁRIO DE NOSSA SENHORA DA PURIFICAÇÃO (Creche) REGULAMENTO DO INFANTÁRIO DE NOSSA SENHORA DA PURIFICAÇÃO (Creche) SITE: www.infantarionspurificacao.net (Revisto em Novembro de 2014) REGULAMENTO INTERNO DE FUNCIONAMENTO (CRECHE) CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES

Leia mais

REGULAMENTO XVI CONJER

REGULAMENTO XVI CONJER REGULAMENTO XVI CONJER 1. DADOS DE IDENTIFICAÇÃO FINALIDADES E DEFINIÇÕES 1.1. Evento: Décima sexta Confraternização das Juventudes Espíritas de Roraima - XVI CONJER 1.2. Promoção: Área de Infância e Juventude

Leia mais

REGULAMENTO DO CAMPEONATO NACIONAL MASTER DE ÁGUAS ABERTAS II CAMPEONATO NACIONAL MASTER DE ÁGUAS ABERTAS

REGULAMENTO DO CAMPEONATO NACIONAL MASTER DE ÁGUAS ABERTAS II CAMPEONATO NACIONAL MASTER DE ÁGUAS ABERTAS REGULAMENTO DO CAMPEONATO NACIONAL MASTER DE ÁGUAS ABERTAS 2009 FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE NATAÇÃO / CÂMARA MUNICIPAL DE SETÚBAL 0 1. ÂMBITO O II Campeonato Nacional Masters de Águas Abertas atribuirá o título

Leia mais

REGULAMENTO GERAL DAS INSTALAÇÕES DESPORTIVAS MUNICIPAIS DE POMBAL. Artigo 1º Disposições Gerais

REGULAMENTO GERAL DAS INSTALAÇÕES DESPORTIVAS MUNICIPAIS DE POMBAL. Artigo 1º Disposições Gerais REGULAMENTO GERAL DAS INSTALAÇÕES DESPORTIVAS MUNICIPAIS DE POMBAL Artigo 1º Disposições Gerais 1 - O presente regulamento estabelece os princípios, normas gerais e as condições de concessão, exploração

Leia mais

REGULAMENTO ESCOLA DE FUTEBOL OS AFONSINHOS Época 2013/2014. Artigo 1º (Entidade reguladora)

REGULAMENTO ESCOLA DE FUTEBOL OS AFONSINHOS Época 2013/2014. Artigo 1º (Entidade reguladora) REGULAMENTO ESCOLA DE FUTEBOL OS AFONSINHOS Época 2013/2014 Artigo 1º (Entidade reguladora) A entidade reguladora da Escola de Futebol Os Afonsinhos é o departamento de futebol formação do Vitória Sport

Leia mais

Plano de Ação Social e Transportes Escolares

Plano de Ação Social e Transportes Escolares Plano de Ação Social e Transportes Escolares O Plano de Ação Social e Transportes Escolares estabelece e enquadra os critérios e as condições de acesso e de atribuição dos apoios municipais, previstos

Leia mais

Colónias de Férias Infantil REGULAMENTO INTERNO

Colónias de Férias Infantil REGULAMENTO INTERNO Colónias de Férias Infantil REGULAMENTO INTERNO Capítulo I Disposições Gerais Artigo I Âmbito As normas definidas no presente Regulamento Interno visam estabelecer as condições de funcionamento da Colónia

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO DO PIAZITO PARK HOTEL

REGULAMENTO INTERNO DO PIAZITO PARK HOTEL REGULAMENTO INTERNO DO PIAZITO PARK HOTEL O presente regulamento rege as relações jurídicas entre o prestador de serviços PIAZITO PARK HOTEL e o(s) hóspede. As condições descritas neste regulamento também

Leia mais

NORMAS DE FUNCIONAMENTO INTERNO

NORMAS DE FUNCIONAMENTO INTERNO NORMAS DE FUNCIONAMENTO INTERNO BUS Solidário e Loja Solidária Junta de Freguesia de Encosta do Sol Capítulo I Disposições Gerais Artigo I Enquadramento No âmbito das atribuições que lhe são cometidas

Leia mais

REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO DA FORMAÇÃO PROFISSIONAL DA COMUNIDADE INTERMUNICIPAL DA REGIÃO DE COIMBRA

REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO DA FORMAÇÃO PROFISSIONAL DA COMUNIDADE INTERMUNICIPAL DA REGIÃO DE COIMBRA REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO DA FORMAÇÃO PROFISSIONAL DA COMUNIDADE INTERMUNICIPAL DA REGIÃO DE COIMBRA REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO DA FORMAÇÃO PROFISSIONAL 1 Capítulo I Política e Estratégia Artigo 1.º

Leia mais