Caro(a)s voluntário(a)s. é

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Caro(a)s voluntário(a)s. é"

Transcrição

1

2 Os Caro(a)s voluntário(a)s. é com satisfação que apresentamos cinco na temática do empreendedorismo que vocês poderão implementar junto aos alunos das escolas parceiras: Introdução ao Mundo dos Negócios, As Vantagens de Permanecer na Escola, Economia Pessoal, Miniempresa e Liderança Comunitária. os foram desenvolvidos pela Associação Junior e são voltados a alunos do 2ª ciclo do ensino fundamental (antigo Ginásio), a estudantes do ensino médio e da educação de jovens e adultos EJA*. Para ter acesso aos, os voluntários deverão adquiri-los com recursos financeiros do próprio grupo, por meio da equipe técnica do PEB. APRESENTAÇÃO A Junior é uma das mais reconhecidas organizações internacionais de educação para o empreendedorismo e seus têm a proposta de despertar e estimular o espírito empreendedor nos jovens ainda na fase escolar, proporcionando uma visão ampla do mundo do trabalho e dos negócios. Neste guia, vocês receberão informações sobre cada um dos e orientações de como executá-los, sempre de comum acordo com as escolas parceiras do PEB e em sintonia com suas demandas. Boa leitura e bom trabalho! Projeto Escola Brasil 2 *É a educação destinada àqueles que não tiveram acesso ou continuidade de estudos no ensino fundamental e médio na idade própria.

3 Os O PEB E A JUNIOR ACHIEVEMENT A Associação Junior é o braço brasileiro da Fundação Junior, a maior e mais antiga organização de educação prática em economia e negócios no mundo. A instituição foi criada nos Estados Unidos em 1919 e tem como missão despertar o espírito empreendedor nos jovens, ainda na escola, e proporcionar uma visão clara do mundo dos negócios. Sua atuação se estende a mais de 120 países, beneficiando mais de 9 milhões de jovens ao ano. A Junior desenvolve e oferece para serem executados em escolas, por meio de parcerias que envolvem empresários, O PEB E A JUNIOR ACHIEVEMENT voluntários ligados a empresas e professores. Pelo método do aprender-fazendo, os alunos são colocados em contato com representantes da iniciativa privada dispostos a dedicar parte do seu tempo à formação desses jovens, compartilhando seus conhecimentos e suas experiências no mundo do trabalho. No Brasil, a Junior atua nos 26 Estados e no distrito Federal, tendo atingido as marcas de 1,6 milhão de alunos e 60 mil voluntários. o Grupo santander Brasil está entre os mantenedores da associação, o que tornou a aproximação do seu trabalho com o PEB um caminho natural. 3

4 Os EMPREENdEdORISMO E mpreender significa inovar, fazer algo diferente, um esforço consciente para mudar uma situação. Significa buscar novas oportunidades de negócio e na vida, manter sempre o foco na criação de valores para o empreendedor, para a empresa, para a sociedade e para o meio ambiente. A postura empreendedora é fator decisivo para a sobrevivência e a prosperidade dos negócios. é uma força propulsora que cria sinergias entre propósitos ousados, o envolvimento e engajamento de pessoas e ações inovadoras. o empreendedor é EMPREENdEdORISMO alguém que sabe identificar oportunidades e novas maneiras de explorar recursos naturais, materiais e humanos (talentos) de forma equilibrada, gerando negócios pautados pela sustentabilidade. A filosofia da Junior aposta na capacidade e na potencialidade do ser humano e incentiva os jovens a adotarem responsabilidades pelos próprios destinos. Impulsiona-os, também, a terem determinação para perseguir objetivos específicos, realistas e ambiciosos; a atuarem em busca de metas; a terem coragem para correr riscos; a serem perseverantes e a sentirem confiança em si mesmo. 4

5 Os PROgRAMAS o s de empreendedorismo da Junior disponibilizados pelo PEB são de complementação educacional, realizados na própria escola parceira, em horário extracurricular e/ou no contraturno. A aplicação dos fica a cargo dos voluntários, que são capacitados pela Junior e pela equipe do PEB para isso. A equipe do PEB também monitora a execução do trabalho. os visam estimular os alunos do 2ª ciclo do ensino fundamental, do ensino médio e da EJA a buscar inspirações para suas vidas profissionais. O objetivo principal é despertar e estimular o espírito empreendedor nos jovens, proporcionando uma visão ampla do mundo dos negócios e de possíveis carreiras. A seguir, uma breve descrição de cada programa, bem como os preços para a aquisição, para turmas de 25 alunos. Os valores são válidos até julho de PROgRAMAS Introdução ao Mundo dos Negócios o programa fornece informações práticas sobre a organização e a operação de negócios em um sistema de livre iniciativa. A ação tem como objetivo complementar o currículo básico com habilidades e conceitos relacionados ao mundo dos negócios, bem como reforçar nos alunos a importância da educação. o público-alvo são os alunos da 5ª e 6ª séries ou 6º e 7º anos do ensino fundamental. o programa é composto por cinco encontros semanais de 1h/aula cada. Preço = R$ 2.200,00 por turma. 5

6 PROgRAMAS 6 Os As Vantagens de Permanecer na Escola A programa explora valores e argumentos contra a evasão escolar, visando apresentar aos alunos os benefícios da escola e do planejamento pessoal de carreira. o público-alvo são os alunos da 7ª série ou 8º ano do ensino fundamental. o programa é composto por cinco encontros semanais de 1h/aula cada. Este programa obteve o reconhecimento de secretarias Estaduais de Educação pelos benefícios que gera ao combater a evasão escolar. Preço = R$ 2.200,00 por turma. Economia Pessoal o programa trabalha a noção de habilidades pessoais, opções de carreira, orçamento e gerenciamento pessoal e familiar. o objetivo é conectar os interesses e habilidades dos jovens às profissões que poderão exercer no futuro, ensinando-os a planejar investimentos e a assumir responsabilidades. o público-alvo são os alunos da 7ª série ou 8º ano do ensino fundamental. O programa é composto por 10 encontros semanais de 1h/aula cada. Preço = r$ 2.200,00 por turma.

7 PROgRAMAS 7 Os Miniempresa o programa propicia uma experiência prática em economia e negócios com a organização de uma miniempresa e a fabricação e venda de produtos pelos alunos cada participante se converte em um miniempresário. A ação tem como objetivo ensinar noções básicas de empreendedorismo na prática, explicando os fundamentos da economia de mercado e da atividade empresarial por meio do método do aprender-fazendo. O público-alvo são os alunos do 2º ano do ensino médio. o programa é composto por 15 encontros semanais de 3h30min cada. Preço = R$ 3.000,00 por turma. Liderança Comunitária o programa proporciona a experiência da criação de uma organização comunitária, favorecendo a liderança, o protagonismo juvenil e a atuação em prol do bem comum. A formação visa estimular o empreendedorismo na área social, incluindo a análise da situação de uma comunidade e a identificação de aspectos que podem ser melhorados por meio do planejamento e da organização de um projeto. o público-alvo são os alunos do 2º ano do ensino médio. o programa é composto por 12 encontros semanais com duração de 3h cada. Preço = r$ 3.000,00 por turma.

8 Os IMPlEMENTAÇÃO dos PROgRAMAS os voluntários adquirem os da Junior por intermédio da equipe do PEB e os oferecem sem custo para a escola e para os alunos. Cada programa é indicado a uma determinada série, mas eventuais flexibilizações (para baixo ou para cima na série escolar) podem ser discutidas sob condições específicas. É recomendável a presença de um educador da escola parceira em todos os encontros do programa que está sendo aplicado pelos voluntários do PEB junto aos alunos. depois que o grupo de voluntários e a escola parceira tiverem chegado à definição do melhor programa a ser implementado, a próxima etapa é informar a equipe do PEB quanto à opção desejada. também é preciso enviar nome e contato dos voluntários responsáveis pela ação. recomendamos que haja pelo menos dois voluntários responsáveis. Além do envolvimento na aplicação do programa, o papel da dupla será mobilizar outros voluntários para auxiliá-los nas tarefas. METOdOlOgIA IMPlEMENTAÇÃO os encontros são compostos por atividades expositivas, reflexivas e lúdicas, que são conduzidas pelos voluntários no formato passo a passo. os temas são trabalhados por meio de discussões orientadas, exercícios escritos, trabalhos em grupo, simulações e jogos, proporcionando um ambiente agradável para a aprendizagem. o número de encontros é estabelecido de modo a dar condições aos voluntários e aos alunos de vencerem de modo gradativo os conteúdos propostos. Eventualmente, pode-se trabalhar em períodos maiores que os indicados, diminuindo o número de encontros. os alunos receberão certificados de participação para cada programa finalizado. 8

9 Os CAPACITAÇÃO de VOlUNTÁRIOS Os voluntários recebem treinamento específico, com o objetivo de estarem aptos a transmitir os conteúdos dos e a melhor exercerem suas atividades nos encontros. A equipe do PEB monitorará a execução dos, mediando a relação entre os voluntários e a Junior sempre que necessário. também cabe à equipe do PEB informar a Junior do interesse de cada grupo de voluntários por um ou mais. A Junior, por sua vez, cuidará do envio dos materiais de apoio e agendará a capacitação em sua área de influência. O treinamento acontece de modo presencial nas localidades onde a Junior possui escritórios (capitais brasileiras) e por teleconferência no interior dos Estados. No interior de são Paulo, a capacitação será conduzida pela equipe do PEB. MATERIAIS de APOIO IMPlEMENTAÇÃO todos os possuem kits com material didático e de apoio próprios. Os materiais são entregues no local de trabalho dos voluntários, diretamente no departamento de quem tiver sido designado como o responsável pela ação. os kits são compostos pelos seguintes itens: Guia de orientação dos voluntários para aplicação do programa. Manual do participante para os alunos. Materiais de apoio diversos jogos, cartões, cartazetes com planos de atividades, entre outros. Certificados de participação para os alunos. 9

10 Os ENVOlVENdO A ESCOlA recomendamos que os voluntários do PEB apresentem os da Junior aos gestores da escola parceira (diretores, coordenadores pedagógicos, etc.) para uma decisão compartilhada quanto a qual programa aplicar. Para apoiar a decisão, é importante que os voluntários conheçam os cinco que estão sendo disponibilizados e exponham com objetividade e clareza a importância de cada programa. Em complementação a este guia, preparamos uma tabela que traz de forma esquemática a explicação sobre os. ENVOlVENdO A ESCOlA A valorização e difusão do tema do empreendedorismo como forma de aprimorar a existência individual, familiar e coletiva dos jovens devem operar como pano de fundo nas estratégias de envolvimento e convencimento da escola. outros argumentos fortes dizem respeito ao exercício da liderança, à compreensão do valor do planejamento de carreira, da visão de mercado, do mundo dos negócios e da participação na vida comunitária. 10 Na abordagem da escola, recomendamos que dois voluntários tomem a dianteira nos contatos iniciais e na aplicação dos.

11 RESPONSABIlIdAdE das PARTES 11 Os RESPONSABIlIdAdES das PARTES Esta seção resume as responsabilidades dos voluntários e da escola no processo de implementação e aplicação dos da Junior : dos voluntários Conhecer os cinco da Junior disponibilizados pelo PEB, bem como seus materiais didáticos e de apoio. Apresentar os para a gestão da escola parceira e ressaltar a importância dos objetivos e prováveis resultados, enfatizando os benefícios que trarão aos alunos. ter domínio sobre o programa a ser aplicado e suas principais etapas. registrar todas as fases do programa e auxiliar os gestores escolares no que for preciso, visando o melhor envolvimento e desempenho dos alunos no programa. Manter uma ligação viva com a escola, sempre buscando construir uma rede de relacionamentos proativa e produtiva. da escola dispor-se a conhecer os da Junior e a definir em conjunto com o grupo de voluntários o programa a ser aplicado. divulgar o programa e incentivar a participação dos alunos. Definir o espaço e organizar as melhores condições para realização dos encontros nas dependências da escola, o que inclui indicar um educador da escola para estar presente nos encontros do programa. Compartilhar com a equipe escolar a importância da participação e do apoio para a realização do programa da Junior. informar em tempo hábil os voluntários quanto ao número de participantes inscritos no programa, de modo que os kits (manuais) cheguem em número suficiente para todos.

12 O PEB E A JUNIOR ACHIEVEMENT 12 Os SUMÁRIO dos PROgRAMAS JUNIOR ACHIEVEMENT Programas O que é Para o que é Para quem Como funciona Número de encontros Introdução ao Mundo dos Negócios As Vantagens de Permanecer na Escola Economia Pessoal Miniempresa Liderança Comunitária Programa que fornece informações práticas sobre a organização e a operação de negócios em um sistema de livre iniciativa. Programa que trabalha valores e argumentos contra a evasão escolar. Programa que trabalha a identificação de habilidades pessoais, opções de carreira e orçamento pessoal e familiar. Programa que propicia aos alunos uma experiência prática em economia e negócios, através da criação de uma sociedade anônima estudantil. Programa que proporciona o desenvolvimento de um projeto social, com o objetivo de identificar necessidades na comunidade local, a fim de atendê-las. Estimula nos jovens habilidades de liderança. Complementar o currículo básico com habilidades e conceitos relacionados ao mundo dos negócios. Apresentar aos alunos os benefícios da escola e do planejamento pessoal de carreira. Conectar interesses e habilidades dos jovens a profissões que poderão exercer no futuro, ensinando-os a planejar investimentos e a assumir responsabilidades. Ensinar, na prática, noções básicas de empreendedorismo através da organização de uma empresa e seus respectivos processos e controles. Produção e venda de produtos são algumas das etapas do Programa. Estimular o empreendedorismo social, e a análise da situação de uma comunidade, focandose em aspectos que podem ser melhorados por meio do planejamento e da organização de um projeto. Alunos de 5ª e 6ª séries (ou 6º e 7º anos) do Ensino Fundamental. Alunos da 7ª série (ou 8ª ano) do Ensino Fundamental. Alunos da 7ª série (ou 8ª ano) do Ensino Fundamental. Alunos do 2º ano do Ensino Médio. Alunos do 2º ano do Ensino Médio. Encontros semanais, em sala de aula, conduzidos por um ou mais voluntários. Encontros semanais, em sala de aula, conduzidos por um ou mais voluntários. Encontros semanais, em sala de aula, conduzidos por um ou mais voluntários. Encontros semanais envolvendo, pelo menos, 4 voluntários por turma para oferecerem suporte nas áreas de finanças, marketing, recursos humanos e produção. Realizado na escola, através de voluntários. Aplica os princípios da liderança em um projeto de serviços voltado para a comunidade. 5 encontros semanais de 1h/ aula. 5 encontros semanais consecutivos de 1h/aula. 10 encontros semanais de 1h/ aula. 15 encontros semanais de 3h30min cada, normalmente à noite. 12 encontros semanais de 3h.

13 CRédITOS 13 Os EXPEdiENtE PROGRAMAS DE EMPREENDEDORISMO DA JUNIOR ACHIEVEMENT PARA O PEB realização Projeto Escola Brasil Coordenação Mara Christofani Ana Cristina Franco Edição de textos Mc&Pop Comunicações (Sandra Mara Costa) Assistente de pesquisa Luciana Lino revisão Mauro de Barros Agosto de 2009.

PROJETO JOVENS PROFISSIONAIS UNIMED-BH

PROJETO JOVENS PROFISSIONAIS UNIMED-BH BELO HORIZONTE JUNHO 2015 Realização: Unimed-Belo Horizonte e Instituto Unimed-BH Responsável: Cíntia Roberta de Carvalho Campos (Gestora do Instituto Unimed-BH Contatos: cintia@institutounimedbh.com.br

Leia mais

UMA PARCERIA DE SUCESSO

UMA PARCERIA DE SUCESSO Relatório Final de Atividades Gerdau Barão de Cocais e : UMA PARCERIA DE SUCESSO 1 SUMÁRIO Relatório de Atividades... 3 Resultados Gerais... 3 Resultados do Programa Miniempresa... 6 Aprendizagem dos Conceitos

Leia mais

UMA PARCERIA DE SUCESSO

UMA PARCERIA DE SUCESSO Relatório Final de Atividades Gerdau Três Marias e : UMA PARCERIA DE SUCESSO 1 SUMÁRIO Relatório de Atividades... 3 Resultados Gerais... 3 Resultados do Programa Miniempresa... 5 Aprendizagem dos Conceitos

Leia mais

PROJETO CURSO ALUNO INTEGRADO / 2013

PROJETO CURSO ALUNO INTEGRADO / 2013 PROJETO CURSO ALUNO INTEGRADO / 2013 INSTITUIÇÃO PROPONENTE: Ministério da Educação CNPJ: 00.394.445/0124-52 SETOR RESPONSÁVEL PELO PROJETO: Secretaria de Educação Básica(SEB) ENDEREÇO: Esplanada dos Ministérios,

Leia mais

INTEGRAÇÃO UNIVERSIDADE X ENSINO MÉDIO: INTERVENÇÃO MULTIDISCIPLINAR EM ADMINITRAÇÃO, INFORMÁTICA E EDUCAÇÃO.

INTEGRAÇÃO UNIVERSIDADE X ENSINO MÉDIO: INTERVENÇÃO MULTIDISCIPLINAR EM ADMINITRAÇÃO, INFORMÁTICA E EDUCAÇÃO. INTEGRAÇÃO UNIVERSIDADE X ENSINO MÉDIO: INTERVENÇÃO MULTIDISCIPLINAR EM ADMINITRAÇÃO, INFORMÁTICA E EDUCAÇÃO. Grupo PET Administração Universidade Federal de Lavras UFLA Resumo Os jovens formam o conjunto

Leia mais

Desenvolvimento de Pessoas na Administração Pública

Desenvolvimento de Pessoas na Administração Pública Desenvolvimento de Pessoas na Administração Pública Assembléia Legislativa do Estado de Säo Paulo 14 de outubro de 2008 1. Contexto Roteiro 2. Por que é preciso desenvolvimento de capacidades no setor

Leia mais

ACoordenação da Pós-Graduação da Faculdade São Luís

ACoordenação da Pós-Graduação da Faculdade São Luís O PROFISSIONAL-PESQUISADOR. O PERFIL ATUAL DA PÓS-GRADUAÇÃO DA FACULDADE SÃO LUÍS Mônica Cairrão Rodrigues* ACoordenação da Pós-Graduação da Faculdade São Luís acredita que o diferencial na postura do

Leia mais

PerguntAção: as vozes do voluntariado empresarial Programa de Voluntariado Promon

PerguntAção: as vozes do voluntariado empresarial Programa de Voluntariado Promon PerguntAção: as vozes do voluntariado empresarial Programa de Voluntariado Promon Grupo de Estudos de Voluntariado Empresarial Instituto Itaú Cultural 25/11/2014 AGENDA Atores Contexto Sintonia Programa

Leia mais

Cartilha do ALUNO EMPREENDEDOR POLITÉCNICA

Cartilha do ALUNO EMPREENDEDOR POLITÉCNICA 1 Cartilha do ALUNO EMPREENDEDOR POLITÉCNICA Diretor Acadêmico: Edison de Mello Gestor do Projeto: Prof. Marco Antonio da Costa 2 1. APRESENTAÇÃO Prepare seus alunos para explorarem o desconhecido, para

Leia mais

Regulamento da 1ª Edição do StartupGov: o Desafio do Serviço Público

Regulamento da 1ª Edição do StartupGov: o Desafio do Serviço Público Regulamento da 1ª Edição do StartupGov: o Desafio do Serviço Público 1. SOBRE O STARTUPGOV: O StartupGov: O Desafio do Serviço Público é um espaço para debate com o objetivo de aproximar o governo de especialistas

Leia mais

Educação Básica PROPOSTAS. Universalização da Educação Básica de qualidade

Educação Básica PROPOSTAS. Universalização da Educação Básica de qualidade Educação Básica O Fórum Temático de Educação vem trabalhando com o objetivo da Agenda 2020 de definir e implementar um modelo de educação básica com foco na qualidade. Entre outras ações, para atingir

Leia mais

Carta de Adesão à Iniciativa Empresarial e aos 10 Compromissos da Empresa com a Promoção da Igualdade Racial - 1

Carta de Adesão à Iniciativa Empresarial e aos 10 Compromissos da Empresa com a Promoção da Igualdade Racial - 1 Carta de Adesão à Iniciativa Empresarial pela Igualdade Racial e à sua agenda de trabalho expressa nos 10 Compromissos da Empresa com a Promoção da Igualdade Racial 1. Considerando que a promoção da igualdade

Leia mais

O COORDENADOR PEDAGÓGICO COMO MEDIADOR DE NOVOS CONHECIMENTOS 1

O COORDENADOR PEDAGÓGICO COMO MEDIADOR DE NOVOS CONHECIMENTOS 1 UNIVERSIDADE FEDERAL DO TOCANTINS PROGRAMA NACIONAL ESCOLA DE GESTORES DA EDUCAÇÃO BÁSICA CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU EM COORDENAÇÃO PEDAGÓGICA O COORDENADOR PEDAGÓGICO COMO MEDIADOR DE NOVOS CONHECIMENTOS

Leia mais

Estrutura do PDI 2014-2018

Estrutura do PDI 2014-2018 APRESENTAÇÃO O Plano de Desenvolvimento Institucional (PDI) do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Minas Gerais (IFMG) além de constituir um requisito legal, tal como previsto no Artigo

Leia mais

Atividades Extraclasse

Atividades Extraclasse Atividades Extraclasse No Marista Ipanema, o estudante também aprende e desenvolve habilidades além da sala de aula, através de atividades esportivas, artísticas e culturais. Conheça cada uma das modalidades

Leia mais

Pós graduação EAD Área de Educação

Pós graduação EAD Área de Educação Pós graduação EAD Área de Educação Investimento: a partir de R$ 109,00 mensais. Tempo de realização da pós graduação: 15 meses Investimento: R$109,00 (acesso ao portal na internet e livros em PDF). Ou

Leia mais

A gestão da prática do voluntariado como responsabilidade social, no contexto da estratégia organizacional. Fundação ArcelorMittal

A gestão da prática do voluntariado como responsabilidade social, no contexto da estratégia organizacional. Fundação ArcelorMittal A gestão da prática do voluntariado como responsabilidade social, no contexto da estratégia organizacional Fundação ArcelorMittal ArcelorMittal Maior produtora de aço do mundo com mais de 222.000 empregados

Leia mais

Apresentação da FAMA

Apresentação da FAMA Pós-Graduação Lato Sensu CURSO DE ESPECIIALIIZAÇÃO 432 horras/aulla 1 Apresentação da FAMA A FAMA nasceu como conseqüência do espírito inovador e criador que há mais de 5 anos aflorou numa família de empreendedores

Leia mais

PROGRAMA DE EDUCAÇÃO CORPORATIVA - PEC CATHO PORTAL CMC

PROGRAMA DE EDUCAÇÃO CORPORATIVA - PEC CATHO PORTAL CMC PROGRAMA DE EDUCAÇÃO CORPORATIVA - PEC CATHO PORTAL CMC 1. CONTEXTO A Catho Educação Executiva é focada no desenvolvimento de talentos, na melhora do desempenho das organizações e na criação de processos

Leia mais

EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA COMO UM INSTRUMENTO DAS POLÍTICAS DE EDUCAÇÃO PERMANENTE EM SAÚDE: UMA EXPERIÊNCIA DO HOSPITAL ALEMÃO OSWALDO CRUZ

EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA COMO UM INSTRUMENTO DAS POLÍTICAS DE EDUCAÇÃO PERMANENTE EM SAÚDE: UMA EXPERIÊNCIA DO HOSPITAL ALEMÃO OSWALDO CRUZ 1 EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA COMO UM INSTRUMENTO DAS POLÍTICAS DE EDUCAÇÃO PERMANENTE EM SAÚDE: UMA EXPERIÊNCIA DO HOSPITAL ALEMÃO OSWALDO CRUZ São Paulo SP 05/2015 Tatiana Barbosa da Silva Hospital Alemão Oswaldo

Leia mais

(Assessoria de Comunicação Social/MEC) INSTRUMENTO DIAGNÓSTICO PAR MUNICIPAL 2011-2014. (6ª versão maio 2011) Ministério da Educação

(Assessoria de Comunicação Social/MEC) INSTRUMENTO DIAGNÓSTICO PAR MUNICIPAL 2011-2014. (6ª versão maio 2011) Ministério da Educação (Assessoria de Comunicação Social/MEC) INSTRUMENTO DIAGNÓSTICO PAR MUNICIPAL 2011-2014 (6ª versão maio 2011) Ministério da Educação Instrumento Diagnóstico - PAR Municipal 2011-2014 A gestão que prioriza

Leia mais

CGEB Coordenadoria de Gestão da Educação Básica. SECRETARIA DA EDUCAÇÃO Coordenadoria de Gestão da Educação Básica

CGEB Coordenadoria de Gestão da Educação Básica. SECRETARIA DA EDUCAÇÃO Coordenadoria de Gestão da Educação Básica CGEB Coordenadoria de Gestão da Educação Básica 1 DEGEB Departamento de Desenvolvimento Curricular de Gestão da Educação Básica 2 CEFAF Centro de Ensino dos Anos Finais, Ensino Médio e Educação Profissional

Leia mais

Plataforma. Portal Educacional

Plataforma. Portal Educacional Plataforma Portal Educacional O Grupo Actcon e a Rede Educar Brasil Especializado em soluções que incorporam Tecnologia da Informação à Educação e à Modernização da Administração Pública, o Grupo Actcon

Leia mais

Sustentabilidade nos Negócios

Sustentabilidade nos Negócios Sustentabilidade nos Negócios Apresentação O programa Gestão Estratégica para a Sustentabilidade foi oferecido pelo Uniethos por nove anos. Neste período os temas ligados à sustentabilidade começam a provocar

Leia mais

Texto para discussão. Desenvolvimento profissional dos integrantes da carreira de EPPGG

Texto para discussão. Desenvolvimento profissional dos integrantes da carreira de EPPGG 1 Introdução Texto para discussão Desenvolvimento profissional dos integrantes da carreira de EPPGG Como resultado da coleta de subsídios para aperfeiçoamento da gestão da carreira de Especialista em Políticas

Leia mais

3. EIXOS DE DESENVOLVIMENTO (*):

3. EIXOS DE DESENVOLVIMENTO (*): PAC UFSCar 2016 1.INTRODUÇÃO A Política de Capacitação da UFSCar estabelece as diretrizes para capacitação de servidores com vistas ao desenvolvimento de um processo de educação continuada e permanente

Leia mais

PROPOSTA DE AÇÕES PARA ELABORAÇÃO DO PLANO ESTADUAL DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA

PROPOSTA DE AÇÕES PARA ELABORAÇÃO DO PLANO ESTADUAL DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA PROPOSTA DE AÇÕES PARA ELABORAÇÃO DO PLANO ESTADUAL DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA Proposta de ações para elaboração do Plano Estadual da Pessoa com Deficiência Objetivo Geral: Contribuir para a implementação

Leia mais

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MARKETING (Extrato do Projeto Pedagógico)

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MARKETING (Extrato do Projeto Pedagógico) CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MARKETING (Extrato do Projeto Pedagógico) PERFIL PROFISSIONAL DO EGRESSO São habilidades e competências gerais trabalhadas no projeto pedagógico: Visão Holística e Cultural:

Leia mais

WEBQUEST: UM RECURSO TECNOLÓGICO NA EDUCAÇÃO MATEMÃTICA

WEBQUEST: UM RECURSO TECNOLÓGICO NA EDUCAÇÃO MATEMÃTICA WEBQUEST: UM RECURSO TECNOLÓGICO NA EDUCAÇÃO MATEMÃTICA Patrícia Sândalo Pereira UNIOESTE Foz do Iguaçu patriciasandalop@uol.com.br Cleonice Salateski Colégio Estadual Alberto Santos Dumont maucleo@seed.pr.gov.br

Leia mais

INSTITUTO NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES. Inatel Competence Center. Business School. Gestão de TIC. Projeto Pedagógico de Curso de Extensão Curricular

INSTITUTO NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES. Inatel Competence Center. Business School. Gestão de TIC. Projeto Pedagógico de Curso de Extensão Curricular INSTITUTO NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES Inatel Competence Center Business School Gestão de TIC Projeto Pedagógico de Curso de Extensão Curricular Pró diretoria de Desenvolvimento Tecnológico e Inovação;

Leia mais

Escola que faz pela paz

Escola que faz pela paz Escola que faz pela paz Mostra Local de: Curitiba Categoria do projeto: I Projetos em Andamento (projetos em execução atualmente) Nome da Instituição/Empresa: Instituto de Educação para Não Violência Cidade:

Leia mais

MELHORIA DA INFRAESTRUTURA FÍSICA ESCOLAR

MELHORIA DA INFRAESTRUTURA FÍSICA ESCOLAR MELHORIA DA INFRAESTRUTURA FÍSICA ESCOLAR Este projeto visa investir na melhoria da infraestrutura escolar, por meio de construção, ampliação e reforma, bem como dotá-las com equipamentos e mobiliários

Leia mais

Orientações para Secretarias de Educação

Orientações para Secretarias de Educação Orientações para Secretarias de Educação SEGUNDO SEMESTRE 2009 Presidência da República Federativa do Brasil Ministério da Educação Secretaria Executiva Presidência do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas

Leia mais

CURSO. Master in Business Economics 1. vire aqui

CURSO. Master in Business Economics 1. vire aqui CURSO MASTER In Business Economics Master in Business Economics 1 vire aqui DISCIPLINAs O aluno poderá solicitar a dispensa das disciplinas básicas: Matemática Básica, Estatística Aplicada e Contabilidade.

Leia mais

4h diárias - 16 meses

4h diárias - 16 meses 4h diárias - 16 meses PROPOSTA PEDAGÓGICA PROGRAMA DE APRENDIZAGEM EM RECEPCIONISTA ÍNDICE 1 - Apresentação da Entidade ijovem 3 2 - Justificativa do Programa. 3 3 Público-alvo: 4 4 Objetivo geral: 4 -

Leia mais

6h diárias - 11 meses

6h diárias - 11 meses 6h diárias - 11 meses PROPOSTA PEDAGÓGICA PROGRAMA DE APRENDIZAGEM EM AUXILIAR DE TELEMARKETING ÍNDICE 1 - Apresentação da Entidade ijovem 3 2 - Justificativa do Programa. 3 3 Público-alvo: 4 4 Objetivo

Leia mais

Inclusão Social da Pessoa com Deficiência Intelectual:

Inclusão Social da Pessoa com Deficiência Intelectual: Inclusão Social da Pessoa com Deficiência Intelectual: Educação Especial no Espaço da Escola Especial Trabalho, Emprego e Renda Autogestão, Autodefesa e Família APAE : INTEGRALIDADE DAS AÇÕES NO CICLO

Leia mais

AUTO-AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL: instrumento norteador efetivo de investimentos da IES

AUTO-AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL: instrumento norteador efetivo de investimentos da IES 152 AUTO-AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL: instrumento norteador efetivo de investimentos da IES Silvana Alves Macedo 1 Reginaldo de Oliveira Nunes 2 RESUMO O processo da Auto-Avaliação Institucional ainda é um

Leia mais

A EDUCAÇÃO A FAVOR DA VIDA E CONTRA O CRACK

A EDUCAÇÃO A FAVOR DA VIDA E CONTRA O CRACK GOVERNO DE SERGIPE SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO A EDUCAÇÃO A FAVOR DA VIDA E CONTRA O CRACK MOBILIZAÇÃO DA ARTE, CULTURA E CIDADANIA CONTRA O CRACK. 1 I- INTRODUÇÃO A Secretaria de Estado da Educação

Leia mais

MANUAL DO CANDIDATO. Pós-graduação

MANUAL DO CANDIDATO. Pós-graduação MANUAL DO CANDIDATO Pós-graduação Prezado(a) Candidato(a), Agradecemos o interesse pelos nossos cursos. Este manual contém informações básicas pertinentes ao curso, tais como: objetivos do curso e das

Leia mais

SERÁ ENCAMINHADO AO CONSELHO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO O NOVO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MATERIAIS, COM INÍCIO PREVISTO PARA 2008

SERÁ ENCAMINHADO AO CONSELHO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO O NOVO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MATERIAIS, COM INÍCIO PREVISTO PARA 2008 SERÁ ENCAMINHADO AO CONSELHO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO O NOVO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MATERIAIS, COM INÍCIO PREVISTO PARA 2008 CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MATERIAIS PROJETO PEDAGÓGICO I OBJETIVOS

Leia mais

A PROMOÇÃO A SAÚDE E PREVENÇÃO AO USO DE DROGAS

A PROMOÇÃO A SAÚDE E PREVENÇÃO AO USO DE DROGAS A PROMOÇÃO A SAÚDE E PREVENÇÃO AO USO DE DROGAS Prof. Lorena Silveira Cardoso Mestranda em Saúde Coletiva Profª. Drª. Marluce Miguel de Siqueira Orientadora VITÓRIA 2013 INTRODUÇÃO O consumo de substâncias

Leia mais

Indicador(es) Órgão(s) 26 - Ministério da Educação

Indicador(es) Órgão(s) 26 - Ministério da Educação Programa úmero de Ações 13 1060 Brasil Alfabetizado e Educação de Jovens e Adultos Objetivo Indicador(es) Garantir acesso e permanência de jovens e adultos a programas educacionais que visam atender as

Leia mais

liderança escolar curso de Inspirado no modelo inglês de formação de gestores www.liderancaescolar.com.br Comprometimento Trabalho em equipe

liderança escolar curso de Inspirado no modelo inglês de formação de gestores www.liderancaescolar.com.br Comprometimento Trabalho em equipe Trabalho em equipe curso de liderança escolar Inspirado no modelo inglês de formação de gestores Comprometimento Resiliência www.liderancaescolar.com.br O sistema inglês: referência em liderança escolar

Leia mais

PROVAS N2-2015.2 CURSO: ADMINISTRAÇÃO 2ª CHAMADA N2 2º PERÍODO

PROVAS N2-2015.2 CURSO: ADMINISTRAÇÃO 2ª CHAMADA N2 2º PERÍODO CURSO: ADMINISTRAÇÃO 2º PERÍODO - Matemática Financeira - Estatística - Teoria Geral da Administração - Metodologia Científica - Fundamentos do Direito e Legislação - Contabilidade - Contabilidade - Fundamentos

Leia mais

EDITAL PARA A SELEÇÃO DE TUTORES ENTRE JOVENS PROEMI/PJF

EDITAL PARA A SELEÇÃO DE TUTORES ENTRE JOVENS PROEMI/PJF EDITAL PARA A SELEÇÃO DE TUTORES ENTRE JOVENS PROEMI/PJF 1. DO EDITAL A Escola de Ensino Médio Barão de Aracati 10ª CREDE, torna pública a seleção de Tutores para atuar na escola, em conformidade com a

Leia mais

CONTRIBUINDO PARA A IMPLEMENTAÇÃO DO MODELO DE GESTÃO E PEDAGÓGICO DO PROGRAMA ENSINO INTEGRAL

CONTRIBUINDO PARA A IMPLEMENTAÇÃO DO MODELO DE GESTÃO E PEDAGÓGICO DO PROGRAMA ENSINO INTEGRAL CONTRIBUINDO PARA A IMPLEMENTAÇÃO DO MODELO DE GESTÃO E PEDAGÓGICO DO PROGRAMA ENSINO INTEGRAL PUBLICO ALVO Professores do Ensino Fundamental II e do Ensino Médio e Professores Coordenadores Pedagógicos

Leia mais

MUNICÍPIO DE BOM PRINCÍPIO Estado do Rio Grande do Sul

MUNICÍPIO DE BOM PRINCÍPIO Estado do Rio Grande do Sul ANEXO III DESCRIÇÃO DAS FUNÇÕES GRATIFICADAS DO MAGISTÉRIO CARGO: COORDENADOR DO DEPARTAMENTO PEDAGÓGICO DA EDUCAÇÃO INFANTIL Coordenar as atividades específicas da área, participando do planejamento e

Leia mais

II SEMINÁRIO BRASILEIRO DE EFETIVIDADE DA PROMOÇÃO DA SAÚDE DECLARAÇÃO SOBRE COOPERAÇÃO ENTRE PAÍSES NA EFETIVIDADE DA PROMOÇÃO DA SAÚDE

II SEMINÁRIO BRASILEIRO DE EFETIVIDADE DA PROMOÇÃO DA SAÚDE DECLARAÇÃO SOBRE COOPERAÇÃO ENTRE PAÍSES NA EFETIVIDADE DA PROMOÇÃO DA SAÚDE II SEMINÁRIO BRASILEIRO DE EFETIVIDADE DA PROMOÇÃO DA SAÚDE DECLARAÇÃO SOBRE COOPERAÇÃO ENTRE PAÍSES NA EFETIVIDADE DA PROMOÇÃO DA SAÚDE O II Seminário Brasileiro de Efetividade da Promoção da Saúde (II

Leia mais

Incentivar a comunidade escolar a construir o Projeto político Pedagógico das escolas em todos os níveis e modalidades de ensino, adequando o

Incentivar a comunidade escolar a construir o Projeto político Pedagógico das escolas em todos os níveis e modalidades de ensino, adequando o SELO DE EDUCAÇÃO PARA IGUALDADE RACIAL ANEXO 1: METAS NORTEADORAS DO PLANO NACIONAL DAS DIRETRIZES CURRICULARES NACIONAIS PARA EDUCAÇÃO DAS RELAÇÕES ÉTNICO-RACIAIS E PARA O ENSINO DE HISTÓRIA E CULTURA

Leia mais

Sárgom Ceranto Marketing e Soluções Corporativas comercial@trecsson.com.br

Sárgom Ceranto Marketing e Soluções Corporativas comercial@trecsson.com.br PREZADO (A) SENHOR (A) Agradecemos seu interesse em nossos programas de ensino e lhe cumprimentamos pela iniciativa de buscar o seu aperfeiçoamento profissional. Você está recebendo o programa do curso

Leia mais

Rita/João Abril -2014

Rita/João Abril -2014 Rita/João Abril -2014 Conteúdo Programático (Qui)10/04 Estratégia de gerenciamento de pessoas com foco em resultado e gestão por competências Rita (Qui)17/04 - Conceitos de liderança, equipes eficazes,

Leia mais

NO BRASIL: Há 27 anos, 700 empresas, 2,3 milhões de alunos beneficiados, 2 mil escolas, mais de 85 mil voluntários.

NO BRASIL: Há 27 anos, 700 empresas, 2,3 milhões de alunos beneficiados, 2 mil escolas, mais de 85 mil voluntários. 2011 NO MUNDO: Fundada em 1919 e atualmente em mais de 123 países. NO BRASIL: Há 27 anos, 700 empresas, 2,3 milhões de alunos beneficiados, 2 mil escolas, mais de 85 mil voluntários. NO ESPÍRITO SANTO:

Leia mais

PÓS-GRADUAÇÃO EM GESTÃO ESCOLAR

PÓS-GRADUAÇÃO EM GESTÃO ESCOLAR PÓS-GRADUAÇÃO EM GESTÃO ESCOLAR Previsão de Ingresso: primeiro semestre de 2016 ESPM Unidade Sul Rua Guilherme Schell, 350 Santo Antônio Porto Alegre/RS. Informações: Educação Executiva: (51) 3218-1380

Leia mais

POLÍTICA DE PESQUISA

POLÍTICA DE PESQUISA POLÍTICA DE PESQUISA Apresentação Este documento trata da política de pesquisa e de iniciação científica do UNISAL, que deve guiar toda e qualquer iniciativa de investigação e geração de conhecimento institucionais.

Leia mais

O Marco de Ação de Dakar Educação Para Todos: Atingindo nossos Compromissos Coletivos

O Marco de Ação de Dakar Educação Para Todos: Atingindo nossos Compromissos Coletivos O Marco de Ação de Dakar Educação Para Todos: Atingindo nossos Compromissos Coletivos Texto adotado pela Cúpula Mundial de Educação Dakar, Senegal - 26 a 28 de abril de 2000. 1. Reunidos em Dakar em Abril

Leia mais

SISTEMA ESTADUAL DE EDUCAÇÃO RELATÓRIO DE EXECUÇÃO 1ª ETAPA DO ACORDO DE RESULTADOS ANO DE REFERÊNCIA: 2011

SISTEMA ESTADUAL DE EDUCAÇÃO RELATÓRIO DE EXECUÇÃO 1ª ETAPA DO ACORDO DE RESULTADOS ANO DE REFERÊNCIA: 2011 SISTEMA ESTADUAL DE EDUCAÇÃO RELATÓRIO DE EXECUÇÃO 1ª ETAPA DO ACORDO DE RESULTADOS ANO DE REFERÊNCIA: 2011 Belo Horizonte, Abril de 2011 SUMÁRIO ITEM PÁGINA 1 - INTRODUÇÃO 3 2 - DESEMPENHO DO SISTEMA

Leia mais

Gestão Estratégica de Negócios

Gestão Estratégica de Negócios INSTITUTO NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES Inatel Competence Center Business School Gestão Estratégica de Negócios Projeto Pedagógico de Curso de Extensão Curricular Santa Rita do Sapucaí MG Setembro de 2013

Leia mais

Faculdade de Tecnologia SENAI Belo Horizonte

Faculdade de Tecnologia SENAI Belo Horizonte PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU FATEC SENAI BH A Faculdade de Tecnologia SENAI Belo Horizonte, credenciada pelo MEC pela Portaria n 1788 de 27 de maio de 2005 e despacho SEMTEC nº 311/2005, apresenta

Leia mais

Conversando sobre a REALIDADE. Propostas Educação. Ano 1 - nº 3 - Nov/15

Conversando sobre a REALIDADE. Propostas Educação. Ano 1 - nº 3 - Nov/15 Conversando sobre a REALIDADE social do BRASIL Propostas Educação Ano 1 - nº 3 - Nov/15 Partido da Social Democracia Brasileira Presidente: Senador Aécio Neves Instituto Teotônio Vilela Presidente: José

Leia mais

FORMAÇÃO CONTINUADA A DISTÂNCIA: UM CAMINHO POSSÍVEL? PROPOSTA DE FORMAÇÃO DE PROFESSORES DA PREFEITURA MUNICIPAL DE SANTOS

FORMAÇÃO CONTINUADA A DISTÂNCIA: UM CAMINHO POSSÍVEL? PROPOSTA DE FORMAÇÃO DE PROFESSORES DA PREFEITURA MUNICIPAL DE SANTOS FORMAÇÃO CONTINUADA A DISTÂNCIA: UM CAMINHO POSSÍVEL? PROPOSTA DE FORMAÇÃO DE PROFESSORES DA PREFEITURA MUNICIPAL DE SANTOS Santos SP - Maio/ 2010 Marta Fernandes Garcia Secretaria de Educação Prefeitura

Leia mais

FACULDADE FAMA ALEXSANDRA SOARES DA SILVA

FACULDADE FAMA ALEXSANDRA SOARES DA SILVA FACULDADE FAMA ALEXSANDRA SOARES DA SILVA A NECESSIDADE DE CONSULTORIA NAS EMPRESAS RECIFE DEZ/2014 ALEXSANDRA SOARES DA SILVA A NECESSIDADE DE CONSULTORIA NAS EMPRESAS Artigo científico apresentado em

Leia mais

Eixo Temático ET-13-011 - Educação Ambiental

Eixo Temático ET-13-011 - Educação Ambiental Anais do Congresso Brasileiro de Gestão Ambiental e Sustentabilidade - Vol. 1: Congestas 2013 491 Eixo Temático ET-13-011 - Educação Ambiental DIALOGANDO NA INDÚSTRIA: UMA FERRAMENTA PARA DISCUTIR A SUSTENTABILIDADE

Leia mais

VALUE BASED MANAGEMENT (Gerenciamento Baseado no Valor - GBV) - PARTE ll

VALUE BASED MANAGEMENT (Gerenciamento Baseado no Valor - GBV) - PARTE ll VALUE BASED MANAGEMENT (Gerenciamento Baseado no Valor - GBV) - PARTE ll! Como implantar com sucesso?! Quais os passos para sua implantação?! O foco na criação de valor para o acionista. Francisco Cavalcante(f_c_a@uol.com.br)

Leia mais

PROCESSO N. 1140/03 PROTOCOLO N. 5.413.136-4 PARECER N.º 30/04 APROVADO EM 11/02/04 INTERESSADO: CENTRO DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL CEM

PROCESSO N. 1140/03 PROTOCOLO N. 5.413.136-4 PARECER N.º 30/04 APROVADO EM 11/02/04 INTERESSADO: CENTRO DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL CEM PROTOCOLO N. 5.413.136-4 PARECER N.º 30/04 APROVADO EM 11/02/04 CÂMARA DE PLANEJAMENTO INTERESSADO: CENTRO DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL CEM MUNICÍPIO: MARINGÁ ASSUNTO: Pedido de Autorização de Funcionamento

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DO PARANÁ CÂMPUS CURITIBA

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DO PARANÁ CÂMPUS CURITIBA MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DO PARANÁ CÂMPUS CURITIBA Pró-Reitoria de Extensão, Pesquisa e Inovação Diretoria de Extensão e Políticas de Inclusão

Leia mais

PROGRAMA DE CERTIFICAÇÃO DE FORMADORES

PROGRAMA DE CERTIFICAÇÃO DE FORMADORES O Programa de Certificação de Formadores busca capacitar profissionais da área da educação como formadores de professores e gestores educacionais. Com esta certificação, os formadores poderão ministrar

Leia mais

APRESENTAÇÃO DA OFICINA DA INOVAÇÃO

APRESENTAÇÃO DA OFICINA DA INOVAÇÃO APRESENTAÇÃO DA OFICINA DA INOVAÇÃO DIRETORIA DE PESQUISA E DESENVOLVIMENTO. OFICINA DA INOVAÇÃO Página 1 de 10 ÍNDICE DO PORTFOLIO Apresentação dos serviços da Oficina da Inovação... 3 Consultoria...

Leia mais

Universidade Estadual do Centro-Oeste Reconhecida pelo Decreto Estadual nº 3.444, de 8 de agosto de 1997

Universidade Estadual do Centro-Oeste Reconhecida pelo Decreto Estadual nº 3.444, de 8 de agosto de 1997 RESOLUÇÃO Nº 88-GR/UNICENTRO, DE 12 DE MAIO DE 2014. Especifica a estrutura curricular do Curso de Especialização em Educação e Formação Empreendedora, modalidade de educação a distância, aprovado pela

Leia mais

Relatório Gestão do Projeto 2013

Relatório Gestão do Projeto 2013 Relatório Gestão do Projeto 2013 Fundação Aperam Acesita e Junior Achievement Minas Gerais: UMA PARCERIA DE SUCESSO SUMÁRIO Resultados 2013... 6 Resultados dos Programas... 7 Programa Vamos Falar de Ética...

Leia mais

REFLEXÕES PEDAGÓGICAS

REFLEXÕES PEDAGÓGICAS REFLEXÕES PEDAGÓGICAS A forma como trabalhamos, colaboramos e nos comunicamos está evoluindo à medida que as fronteiras entre os povos se tornam mais diluídas e a globalização aumenta. Essa tendência está

Leia mais

A GESTÃO ESCOLAR SOB O PONTO DE VISTA PEDAGÓGICO: A COORDENAÇÃO PEDAGÓGICA E A FORMAÇÃO CONTINUADA DOS PROFESSORES

A GESTÃO ESCOLAR SOB O PONTO DE VISTA PEDAGÓGICO: A COORDENAÇÃO PEDAGÓGICA E A FORMAÇÃO CONTINUADA DOS PROFESSORES A GESTÃO ESCOLAR SOB O PONTO DE VISTA PEDAGÓGICO: A COORDENAÇÃO PEDAGÓGICA E A FORMAÇÃO CONTINUADA DOS PROFESSORES TAMASSIA, Silvana Ap. Santana Pontifícia Universidade Católica- PUC/SP Esta pesquisa busca

Leia mais

CURSOS SUPERIORES DE TECNOLOGIA: A IMPLANTAÇÃO E A GESTÃO NA MODALIDADE A DISTÃNCIA. Araras, maio de 2011.

CURSOS SUPERIORES DE TECNOLOGIA: A IMPLANTAÇÃO E A GESTÃO NA MODALIDADE A DISTÃNCIA. Araras, maio de 2011. 1 CURSOS SUPERIORES DE TECNOLOGIA: A IMPLANTAÇÃO E A GESTÃO NA MODALIDADE A DISTÃNCIA Araras, maio de 2011. Fernando da Silva Pereira Centro Universitário Hermínio Ometto UNIARARAS SP fernandosilper@uniararas.br

Leia mais

Projeto de Gestão pela Qualidade Rumo à Excelência

Projeto de Gestão pela Qualidade Rumo à Excelência Projeto de Gestão pela Qualidade Rumo à Excelência Introdução O panorama que se descortina para os próximos anos revela um quadro de grandes desafios para as empresas. Fatores como novas exigências dos

Leia mais

RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL

RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL 0 2014 RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL FUNDAÇÃO EDUCACIONAL CLAUDINO FRANCIO FACULDADE CENTRO MATO-GROSSENSE SORRISO/MT Portaria Nº 004/2015 Dispõe sobre Relatório Apresentado pela Comissão Própria

Leia mais

Programa Miniempresa - 2014 -

Programa Miniempresa - 2014 - Programa Miniempresa - 2014 - Índice Junior Achievement...3 Programa Miniempresa...3 Objetivos...3 Escolas participantes...4 Responsabilidades...4 Escolas... 4 Alunos (Achievers)... 4 Voluntários (Advisers)...

Leia mais

Graduação Executiva Feita para o seu momento.

Graduação Executiva Feita para o seu momento. Você, que trabalha e sabe o valor do tempo e do dinheiro, nós temos o que falta para sua formação. Graduação Executiva Feita para o seu momento. Otimizando seu tempo, ampliando suas chances. Por que estudar

Leia mais

O desenvolvimento do gestor em oito papéis fundamentais na gestão educacional. Prof. Renato Casagrande

O desenvolvimento do gestor em oito papéis fundamentais na gestão educacional. Prof. Renato Casagrande O desenvolvimento do gestor em oito papéis fundamentais na gestão educacional Prof. Renato Casagrande Competências necessárias ao Gestor Educacional da atualidade 2 COMPETÊNCIAS DO GESTOR EDUCACIONAL Competências

Leia mais

Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Gestão de Projetos

Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Gestão de Projetos Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Gestão de Projetos Apresentação O programa de Pós-graduação Lato Sensu em Gestão de Projetos tem por fornecer conhecimento teórico instrumental que

Leia mais

HUMANAS. Página na web: www.fea.ufjf.br CIÊNCIAS ECONÔMICAS. Apresentação:

HUMANAS. Página na web: www.fea.ufjf.br CIÊNCIAS ECONÔMICAS. Apresentação: HUMANAS ADMINISTRAÇÃO Os alunos de Administração da UFJF graduam-se na modalidade Bacharelado e podem escolher entre as opções de especialização: Administração de Empresas e Administração Pública. O curso

Leia mais

PLANO DE ENSINO OBJETIVO GERAL DA DISCIPLINA:

PLANO DE ENSINO OBJETIVO GERAL DA DISCIPLINA: PLANO DE ENSINO CURSO: Administração DISCIPLINA: Administração Estratégica PROFº: Francisco Xavier Soares Filho PERÍODO: 5º SEMESTRE / ANO: 1º Semestre / 2016. C/H Teórica: 80h Créditos: C / H Prática:

Leia mais

Projeto Escola Brasil

Projeto Escola Brasil Projeto Escola Brasil Projeto Escola Brasil Programa de voluntariado corporativo do Grupo Santander Brasil Objetivos: Atuar pela melhoria da educação na escola pública Envolver a comunidade e estimular

Leia mais

Educação Integral Desafios para a implementação

Educação Integral Desafios para a implementação Educação Integral Desafios para a implementação Educação Integral: uma demanda da sociedade Enfrentamento da desigualdade social: Garantia de direitos Ampliação das redes de proteção para crianças e adolescentes

Leia mais

6h diárias - 11 meses

6h diárias - 11 meses 6h diárias - 11 meses PROPOSTA PEDAGÓGICA PROGRAMA DE APRENDIZAGEM EM AUXILIAR ADMINISTRATIVO ÍNDICE 1 - Apresentação da Entidade ijovem 3 2 - Justificativa do Programa 3 3 Público-alvo: 4 4 Objetivo geral:

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO. Curso de Graduação Tecnológica em Marketing

PROJETO PEDAGÓGICO. Curso de Graduação Tecnológica em Marketing PROJETO PEDAGÓGICO Curso de Graduação Tecnológica em Marketing Porto alegre, 2011 1 1. Objetivos do Curso O projeto do curso, através de sua estrutura curricular, está organizado em módulos, com certificações

Leia mais

RELATÓRIO ANUAL DE ATIVIDADES 2013

RELATÓRIO ANUAL DE ATIVIDADES 2013 RELATÓRIO ANUAL DE ATIVIDADES 2013 Parceria Ultragaz e Junior Achievement de Minas Gerais: Uma parceria de sucesso! 1 SUMÁRIO Resultados Conquistados... 3 Resultados 2013... 4 Resultados Pesquisas... 5

Leia mais

A participação e os compromissos do ensino privado

A participação e os compromissos do ensino privado artigo Cecília Farias Diretora do Sinpro/RS e presidente do Conselho Estadual de Educação do Rio Grande do Sul (CEEd/RS). A participação e os compromissos do ensino privado com o Plano Nacional de Educação

Leia mais

Curso Superior de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas

Curso Superior de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas Curso Superior de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas Síntese do Projeto Pedagógico do curso Objetivos do curso Objetivo Geral O curso em Análise e Desenvolvimento de Sistemas da ESADE,

Leia mais

UMA PARCERIA DE SUCESSO

UMA PARCERIA DE SUCESSO Relatório Final de Atividades Samarco e : UMA PARCERIA DE SUCESSO 1 SUMÁRIO 1. Relatório de Atividades... 3 2. Resultados Gerais Samarco... 3 2.2. Resultados do Programa Habilidades para o Sucesso... 5

Leia mais

Pós-Graduação em Gestão de Negócios com ênfase em Empreendedorismo

Pós-Graduação em Gestão de Negócios com ênfase em Empreendedorismo Pós-Graduação em Gestão de Negócios com ênfase em Empreendedorismo Turma Especial ESPM/ABF-Rio Início em 28 de setembro de 2015 Aulas as segundas e quartas, das 19h às 22h Valor do curso: R$ 15.698,00

Leia mais

ANÁLISE DA FORMAÇÃO DE PROFESSORES DE CIÊNCIAS NATURAIS ATRAVÉS DE EXPERIÊNCIAS NO PIBID/UFPA

ANÁLISE DA FORMAÇÃO DE PROFESSORES DE CIÊNCIAS NATURAIS ATRAVÉS DE EXPERIÊNCIAS NO PIBID/UFPA ANÁLISE DA FORMAÇÃO DE PROFESSORES DE CIÊNCIAS NATURAIS ATRAVÉS DE EXPERIÊNCIAS NO PIBID/UFPA Lilliane Miranda Freitas (Faculdade de Biologia/Universidade Federal do Pará) Resumo: Este trabalho tem como

Leia mais

INSTITUTO NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES. Inatel Competence Center. Business School. Gestão de Projetos

INSTITUTO NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES. Inatel Competence Center. Business School. Gestão de Projetos INSTITUTO NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES Inatel Competence Center Business School Gestão de Projetos Projeto Pedagógico de Curso de Extensão Curricular Aprovado no dia 15/05/2013 Pró diretoria de Desenvolvimento

Leia mais

Projeto de Disseminação da Informação para ME e EPP no Brasil Ação conjunta Secretaria Técnica e Comitê Informação

Projeto de Disseminação da Informação para ME e EPP no Brasil Ação conjunta Secretaria Técnica e Comitê Informação Projeto de Disseminação da Informação Ação conjunta Secretaria Técnica e Comitê Informação Introdução Detalhamento da Proposta do Projeto Estratégia e desenvolvimento tático Atividades e ações Resultados

Leia mais

REPERCUSSÕES NO ENSINO DA ENFERMAGEM: A VISÃO DOS PROFISSIONAIS À LUZ DAS SUAS EXPERIÊNCIAS

REPERCUSSÕES NO ENSINO DA ENFERMAGEM: A VISÃO DOS PROFISSIONAIS À LUZ DAS SUAS EXPERIÊNCIAS REPERCUSSÕES NO ENSINO DA ENFERMAGEM: A VISÃO DOS PROFISSIONAIS À LUZ DAS SUAS EXPERIÊNCIAS CRIZÓSTOMO, Cilene Delgado MILANEZ, Maria Rosa de Morais SOUSA, Rejane Lúcia Rodrigues Veloso ALBUQUERQUE, Judith

Leia mais

TÍTULO: CAPITAL INTELECTUAL E GESTÃO DO CONHECIMENTO: OS DESAFIOS DOS GESTORES DE RECURSOS HUMANOS DIANTE DOS NOVOS CONTEXTOS DE GERENCIAMENTO

TÍTULO: CAPITAL INTELECTUAL E GESTÃO DO CONHECIMENTO: OS DESAFIOS DOS GESTORES DE RECURSOS HUMANOS DIANTE DOS NOVOS CONTEXTOS DE GERENCIAMENTO Anais do Conic-Semesp. Volume 1, 2013 - Faculdade Anhanguera de Campinas - Unidade 3. ISSN 2357-8904 TÍTULO: CAPITAL INTELECTUAL E GESTÃO DO CONHECIMENTO: OS DESAFIOS DOS GESTORES DE RECURSOS HUMANOS DIANTE

Leia mais

Núcleo Regional de Piên

Núcleo Regional de Piên Núcleo Regional de Piên Municípios participantes Lapa Mandirituba Quitandinha Tijucas do Sul Agudos do Sul Campo do Tenente Piên Rio Negro Ações prioritárias para a região Objetivo 1: Erradicar a extrema

Leia mais

O ENSINO DE GRADUAÇÃO E A RELAÇÃO UNlVERSlDADE - EMPRESA NA UFMG José Nagib Cotrim Árabe Fernando Celso Dolabela Chagas

O ENSINO DE GRADUAÇÃO E A RELAÇÃO UNlVERSlDADE - EMPRESA NA UFMG José Nagib Cotrim Árabe Fernando Celso Dolabela Chagas O ENSINO DE GRADUAÇÃO E A RELAÇÃO UNlVERSlDADE - EMPRESA NA UFMG José Nagib Cotrim Árabe Fernando Celso Dolabela Chagas Publicado em XXXXX Data: XX/XX/XXXX 1. Introdução É evidente a necessidade de interação

Leia mais

Carga Horária Total: 80 horas

Carga Horária Total: 80 horas COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E PRODUÇÃO DE TEXTOS Norma linguística padrão: padrões de comunicação e níveis de linguagem. Comunicação organizacional como estratégica essencial no âmbito empresarial. Instrumentos

Leia mais

RELATÓRIO PARCIAL DA AUTO-AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL 2010/02 CURSO DE BACHARELADO EM COMÉRCIO EXTERIOR

RELATÓRIO PARCIAL DA AUTO-AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL 2010/02 CURSO DE BACHARELADO EM COMÉRCIO EXTERIOR CENTRO UNIVERSITÁRIO DO ESTADO DO PARÁ COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO RELATÓRIO PARCIAL DA AUTO-AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL 2010/02 CURSO DE BACHARELADO EM COMÉRCIO EXTERIOR CATEGORIAS & DIMENSÕES AVALIADAS:

Leia mais

FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES 1

FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES 1 FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES 1 A LDB, no Titulo VI, trata dos Profissionais da Educação, considerando sob essa categoria não só os professores, que são responsáveis pela gestão da sala de aula, mas

Leia mais