TCC APLICADA AO TRATAMENTO PARA DISTÚRBIOS DE SONO.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "TCC APLICADA AO TRATAMENTO PARA DISTÚRBIOS DE SONO."

Transcrição

1 TCC APLICADA AO TRATAMENTO PARA DISTÚRBIOS DE SONO. Camila De Masi Teixeira Psicóloga CRP 06/94613 Formada em TCC pelo CETCC. Especialista em TCC aplicada aos Distúrbios de Sono pela UNIFESP. Mestranda em Medicina Translacional pela UNIFESP.

2 DISTÚRBIOS DE SONO NO ADULTO

3 A HISTÓRIA DO SONO COMO CIÊNCIA Explicações míticas e mágicas. Aristóteles - necessidade do organismo. Relatos de maior duração na infância. Anos 20 e 30 do século XX análise eletrofisiológica do sono e dos sonhos. Anos 60 e 70 Avaliação objetiva e mensurável do sono.

4 SONO O QUE É? Sono é um estado comportamental reversível da percepção do desligamento e da falta de resposta ao meio ambiente. Processo ativo que envolve múltiplos e complexos mecanismos fisiológicos e comportamentais simultaneamente em vários sistemas e regiões do SNC.

5 SONO NORMAL Compreende 2 estágios: Sono nrem e sono REM Padrão normal do sono Inicio com sono nrem Alternado ciclicamente com sono REM Alterações do sono com a idade Importância de se entender sono normal para compreender os distúrbios do sono SONO NREM SONO REM 3 estágios bem definidos Limiar de despertar Mínima atividade mental Certo tônus muscular Movimentos rápidos dos olhos (surtos) Atonia muscular Sonhos vívidos 80% dos despertares

6 FAIXA ETÁRIA IDADE TEMPO TOTAL SONO BEBÊS 0-2 m: 2-12 m: 10,5 a 18 h 14 a 15 h CRIANÇAS m: 18-3 a: 3-5 a: 5-12 a: 13 a 15 h 12 a 14 h 11 a 13 h 10 a 11 h ADOLESCENTES em média: 9,5 h ADULTOS / IDOSOS em média: 7 a 9h

7 SONO NORMAL

8 FUNÇÕES DO SONO - Produção de hormônios - Reparação de tecidos - Reparação do SNC - Processos imunológicos - Temperatura - Estado específico de estimulação sensorial - Reprogramação do cérebro - Importante na memória e aprendizagem - Necessário para o desenvolvimento do cérebro

9 FUNÇÕES IMPORTANTES QUAIS OS PROBLEMAS DE NÃO DORMIR BEM? DISTÚRBIOS DO SONO

10 CLASSIFICAÇÃO INTERNACIONAL DOS DISTÚRBIOS DO SONO ICSD 2005 Insônia Distúrbios respiratórios associados ao sono Hipersonias de origem central Distúrbios do sono associados ao ritmo circadiano Parassonias Distúrbios do movimento relacionados ao sono Sintomas isolados, Variantes aparentemente normais, Pendências Outros distúrbios do sono

11 TRATAMENTOS

12 -MEDICAMENTOSO

13 TIPOS DE SEDATIVOS / HIPNÓTICOS ANTIDEPRESSIVOS DE AÇÃO SEDATIVA ANTI-HISTAMÍNICOS MELATONINA NÃO- BENZODIAZEPÍNICOS BENZODIAZEPÍNICOS

14 1. Trazodona (Donaren) Depressão 2. Zolpidem (Ambien, Stilnox) Insonia 3. Ezopiclone (Sonhare, Lunesta) Insônia 4. Zaleplon (Sonata) Insônia 5. Amitriptilina (Tryptanol, Amitril) Depressão 6. Mirtazapina (Remeron) Depressão 7. Fluoxetina (Prozac, Eufor) Depressão 8. Temazepam (Restoril) Insonia 9. Clonazepam (Rivotril) Epilepsia e Pânico 10. Alprazolam (Apraz, Frontal) Ansiedade e Pânico 11. Lorazepam (Lorax, Mesmerin, Ativam) Ansiedade 12. Diazepam (Diempax) Insônia 13. Bromazepam (Lexotan, Somalium, Sulpan) 14. Midazolam (Dormonid) Insônia 15. Flurazepam (Dalmadorm) Insonia 16. Estazolam (Noctal) Insônia 17. Flunitrazepam (Rohypnol) Insônia

15 -NÃO MEDICAMENTOSO ( TERAPIA COGNITIVA COMPORTAMENTAL). -Objetivo: trazer o paciente para uma condição em que ele possa se perceber auto-suficiente para resolver seus problemas e ter controle sobre certas situações, especialmente em relação ao seu sono. - Devolver ao indivíduo, o controle sobre seu próprio sono, ensinando técnicas que o façam voltar a dormir quando a insônia acontecer. -Duração: 4 a 8 semanas. -Retirada de medicação: 1 a 6 meses.

16 A IMPORTÂNCIA DA EQUIPE MULTIDISCIPLINAR E O PAPEL DO PSICÓLOGO NA EQUIPE Equipe Multidisciplinar Neurologia, Psiquiatria, Otorrinolaringologia, Fonoaudiologia, Fisioterapia, Psicologia, Nutrição, Odontologia, Pediatria. Psicólogo profissional preparado para atender a todas as demandas psicológicas dos pacientes provenientes de todos os grupos. Todos os pacientes necessitam de atenção, e muitas vezes, intervenção psicológica. TCC Conjunto de técnicas comportamentais, associada à reestruturação cognitiva.

17 Diagnóstico -Clínico -Polissonografia

18 TCC ALTERNATIVA EFICIENTE, E NÃO MEDICAMENTOSA, PARA O TRATAMENTO DOS DISTÚRBIOS DE SONO.

19 Técnicas em TCC aplicada aos Distúrbios do Sono - Psicoeducação - Restrição do sono - Controle de estímulos - Higiene do sono - Relaxamento progressivo - Treino imaginário - Estímulo paradoxal - Terapia cognitiva - Biofeedback - Terapia comportamental cognitiva - Intervenções Comportamentais variadas.

20 Higiene do Sono

21

22 PARASSONIAS Despertar confusional Sonambulismo Gemidos relacionados ao sono Síndrome da explosão na cabeça associada ao sono Alucinações relacionadas ao sono Síndrome da alimentação noturna Distúrbio comportamental do sono REM Paralisia recorrente isolada do sono REM TCC -Orientação de pais -Intervenções comportamentais Pesadelos

23 DISTÚRBIOS DO MOVIMENTO Síndrome das Pernas Inquietas Psicoeducação Exercícios programados Relaxamento Movimento periódico dos membros Orientação familiar Cãibras nas pernas Alongamento Bruxismo Encaminhamento odontologia TCC Ansiedade

24 DISTÚRBIOS DO RITMO CIRCADIANO Síndrome da fase atrasada do sono Síndrome da fase adiantada do sono Padrão irregular do ciclo sono-vigília Ciclo sono vigília de não-24-horas Síndrome da mudança de fuso horário Distúrbio do sono turno-dependente TCC -Restrição de sono -Adaptação vida social e atividades -Reestruturação Cognitiva

25 INSÔNIA Insônia é a percepção de sono insuficiente, relacionada à quantidade e/ou à qualidade do sono, associada a conseqüências diurnas. A insônia está associada à perda de controle sobre o sono, o que intensifica a ansiedade antecipatória da hora de dormir.

26 10% usam medicação 1/3 da população Freqüência aumenta com a idade 50% Insônia Grave Mais comum em mulheres (4:3) 3 tipos: - Inicial - Manutenção - Terminal

27 Insônia Aguda Insônia Psicofisiológica (despertar condicionado ao leito) Insônia Paradoxal (Percepção subjetiva alterada / PSG: normal) Insônia Idiopática Insônia devido a distúrbios mentais (Ansiedade, Depressão, Bipolar, Esquizofrenia). Higiene do sono inadequada Insônia comportamental da infância Insônia devido a uso de drogas ou substâncias Insônia devido a condições médicas Insônia inespecífica

28 Insônia transitória (1 semana) Insônia aguda ou de curta duração (1 a 6 meses) ou de ajustamento Insônia crônica (mais de 6 meses)

29 Leve Queixa de quase todas as noites de quantidade insuficiente de sono ou sono não restaurador Pouco ou nenhum comprometimento das AVDs Irritabilidade, leve ansiedade, fadiga Moderada Todas as noites. Leve a moderado efeito nas AVDs Sempre associada com irritabilidade, ansiedade, cansaço. Grave Todas as noites. Intenso efeito nas AVDs. Inquietude, irritabilidade, ansiedade, cansaço

30 Alterações no humor, irritabilidade, dificuldade de relacionamento familiar/social, dificuldade em interagir socialmente e em obter prazer naquilo que se faz, sentimentos de baixa-estima e incompetência, sonolência diurna, cansaço excessivo e fadiga. Experiência de falta de controle sobre o sono e sobre a vida.

31 Personalidade Insone Hiperalerta Predisposição: desenvolver o sintoma como resposta à determinadas situações da sua vida. Precipitação: acontecimentos, preocupações. Perpetuação: comportamentos e preocupações que tornam crônico o sintoma. MODELO COGNITIVO: Insônia aguda: acontece por associação com stress. Insônia subcrônica: preocupação com sono. Insônia crônica: manutenção de atenção seletiva e monitoramento, distorcendo as Percepções de déficits diurnos, e comportamentos de segurança. TCC Utilização de TODAS as técnicas não medicamentosas no tratamento.

32 DISTÚRBIOS RESPIRATÓRIOS DO SONO

33 Síndrome das Apnéias Centrais Síndrome do Ronco Síndrome do Aumento da Resistência das VAS Síndrome das Apnéias Obstrutivas Apnéia Obstrutiva do Sono no Adulto Apnéia Obstrutiva do Sono na Criança Diagnóstico: IAH>5 (PSG), com ou sem sintomas.

34

35

36 SINTOMAS Adultos Ronco Sono não reparador Despertar noturno freqüente Paradas momentâneas da respiração durante o sono Distúrbios cognitivos como: dificuldade de memória, concentração e atenção Irritabilidade Fadiga Nictúria Cefaléia matinal Sonolência Diurna Excessiva

37 Causas Adultos Obesidade Tabagismo e ingestão alcoólica Refluxo Gastroesofágico e laringofaríngeo Alterações estruturais nasofaringe

38

39

40 Riscos Disfunção erétil Doenças cardíacas IAM Arritmias, etc... Hipertensão Diabetes Acidentes de trabalho Desordens de memória e pensamento AVC

41 Tratamento Adultos Cirurgias (Pouca indicação) CPAP Traqueostomia TCC - Cessar Tabagismo e ingestão alcoólica -Redução de peso -Psicoeducação -Higiene do Sono

42 NARCOLEPSIA SED mesmo com sono reparador. Pode ou não ser acompanhada de cataplexia. TCC Psicoeducação Cochilos programados Reestruturação Cognitiva Adequação vida social. ature=related

43 DISTÚRBIOS DE SONO NA CRIANÇA

44 SAOS CAUSAS Obesidade Alterações estruturais Hipertrofia das amígdalas / adenóide Enurese Noturna

45 Sono e aprendizagem Privação de sono diminuição pensamento abstrato, processo verbal, criatividade e aumento impulsividade. Relação com Hiperatividade ou TDAH (bilateral) Desenvolvimento Cognitivo

46 Movimentos rítmicos associados ao sono Inespecíficos Terror Noturno Sonilóquio Cólica do lactente e sono Psicoeducação pais

47 Insônia Comportamental da Infância

48 Distúrbio de associação Adormecer é processo lento -> condições especiais. As associações com o início do sono são problemáticas e requerem muito esforço. Ausência dos elementos -> início atrasado ou fragmentado. Despertares noturnos -> Intervenção do cuidador.

49 Distúrbio da falta de limite Dificuldade para iniciar e manter o sono. Protela e recusa em ir pra cama no horário indicado, e nos despertares. Incapacidade do cuidador em estabelecer comportamento adequado de sono pra criança. Distúrbio de sono não é explicado por condição médica ou uso de medicação.

50 Prevenção Higiene do Sono Rituais para dormir Limites e ambientes acolhedores Cochilos Alimentação Ambiente de dormir e horários

51 Referências Kryger, MH, Roth, T, Dement, W - Principles and Practice of Sleep Medicine. 4th Edition. Philadelphia, Pennsylvania, WB Saunders, Pessoa, JH. Distúrbios do sono na criança e no adolescente. Editora Atheneu, Material curso de Especialização em TCC aplicado ao Distúrbios de Sono e Curso do Sono (Coordenação: Dra. Luciane Carvalho).

52 OBRIGADA! (11)

TCC APLICADA AO TRATAMENTO PARA DISTÚRBIOS DE SONO NO ADULTO.

TCC APLICADA AO TRATAMENTO PARA DISTÚRBIOS DE SONO NO ADULTO. TCC APLICADA AO TRATAMENTO PARA DISTÚRBIOS DE SONO NO ADULTO. Camila De Masi Teixeira Psicóloga CRP 06/94613 Formada em TCC pelo CETCC. Especialista em TCC aplicada aos Distúrbios de Sono pela UNIFESP.

Leia mais

CLASSIFICAÇÃO INTERNACIONAL DOS DISTÚRBIOS DO SONO AASM 2006

CLASSIFICAÇÃO INTERNACIONAL DOS DISTÚRBIOS DO SONO AASM 2006 SOCIEDADE BRASILEIRA DE PNEUMOLOGIA E TISIOLOGIA I Curso de Pneumologia na Graduação DISTÚRBIOS RESPIRATÓRIOS DO SONO Carlos Alberto de Assis Viegas Universidade de Brasília Faculdade de Medicina da Bahia

Leia mais

Distúrbios do sono e uso de soníferos Resumo de diretriz NHG M23 (julho 2014)

Distúrbios do sono e uso de soníferos Resumo de diretriz NHG M23 (julho 2014) Distúrbios do sono e uso de soníferos Resumo de diretriz NHG M23 (julho 2014) NHG grupo de estudos Distúrbios do e uso de soniferos traduzido do original em holandês por Luiz F.G. Comazzetto 2014 autorização

Leia mais

Perturbações do Sono. 16/ Maio 11 UPI Área de Pedopsiquiatria do CHLC Margarida Crujo

Perturbações do Sono. 16/ Maio 11 UPI Área de Pedopsiquiatria do CHLC Margarida Crujo Perturbações do Sono 16/ Maio 11 UPI Área de Pedopsiquiatria do CHLC Margarida Crujo funções do sono Antigamente - resultante de vapores quentes provenientes do estômago Aristóteles - produto de anemia

Leia mais

Sonolência Excessiva Diurna (SED)

Sonolência Excessiva Diurna (SED) Sonolência Excessiva Diurna (SED) A sonolência é queixa comum, principalmente, entre adolescentes, quase sempre por não desfrutarem de sono satisfatório. Eles dormem poucas horas à noite e, no dia seguinte,

Leia mais

Psicofarmacologia. Transtornos de Ansiedade. Transtornos de Ansiedade PSICOFARMACOLOGIA 15/05/2015

Psicofarmacologia. Transtornos de Ansiedade. Transtornos de Ansiedade PSICOFARMACOLOGIA 15/05/2015 Psicofarmacologia Prof. Herval de Lacerda Bonfante Departamento de Farmacologia PSICOFARMACOLOGIA Distúrbios Psiquiátricos - Tratamento : 1950 10 a 15% de prescrições - EUA Brasil prevalência de transtornos

Leia mais

DISTÚRBIOS RESPIRATÓRIOS DO SONO OBJETIVOS CLASSIFICAÇÃO INTERNACIONAL DOS DISTÚRBIOS DO SONO AASM 2006 CARLOS A A VIEGAS UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA

DISTÚRBIOS RESPIRATÓRIOS DO SONO OBJETIVOS CLASSIFICAÇÃO INTERNACIONAL DOS DISTÚRBIOS DO SONO AASM 2006 CARLOS A A VIEGAS UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA DISTÚRBIOS RESPIRATÓRIOS DO SONO CARLOS A A VIEGAS UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA OBJETIVOS Classificação dos distúrbios do sono Classificação dos distúrbios respiratórios do sono Definições: ronco, ravas (rera),

Leia mais

Aspectos da Consciência

Aspectos da Consciência Consciência Aspectos da Consciência Consciência Muitos livros definem a consciência como a percepção atual do indivíduo em relação a estímulos externos e internos isto é, de eventos do ambiente e de sensações

Leia mais

EXAMES DE NEUROFISIOLOGIA

EXAMES DE NEUROFISIOLOGIA EXAMES DE NEUROFISIOLOGIA Clínica Geral Electroencefalograma Electromiografia Potenciais Evocados Polissonografia Teste de latências múltiplas do sono Neurofeedback Teste de Criptotetania para a Fibromialgia

Leia mais

III Curso de Capacitação Profissional em Medicina do Sono Crianças e Adolescentes 2013

III Curso de Capacitação Profissional em Medicina do Sono Crianças e Adolescentes 2013 III Curso de Capacitação Profissional em Medicina do Sono Crianças e Adolescentes 2013 Organização: Instituto do Sono AFIP Local: Rua: Marselhesa, 500. Vila Clementino São Paulo/ SP Período: 02/2013 a

Leia mais

Diagnóstico diferencial da sonolência diurna excessiva

Diagnóstico diferencial da sonolência diurna excessiva V Curso de Ventilação Mecânica II Curso de Sono Novotel Jaraguá - São Paulo/SP 22 a 24 de março de 2012 Diagnóstico diferencial da sonolência diurna excessiva Stella Marcia A. Tavares Coordenadora do Laboratório

Leia mais

Como Usar este Livro 1

Como Usar este Livro 1 Sumário CAPÍTULO 1 Como Usar este Livro 1 PÚBLICO 1 ORGANIZAÇÃO DO LIVRO 2 CONTENDO O EXCESSO DE DIAGNÓSTICOS E EVITANDO MODISMOS 5 PROBLEMAS COM O DSM-5 5 Cuidado!: 6 A ENTREVISTA DE DIAGNÓSTICO 7 DIAGNÓSTICO

Leia mais

Ronco e Apneia Riscos, Diagnóstico e Tratamentos

Ronco e Apneia Riscos, Diagnóstico e Tratamentos Ronco e Apneia Riscos, Diagnóstico e Tratamentos 2016 Jorge Machado Caram Ronco e Apneia Riscos, Diagnóstico e Tratamentos Jorge Machado Caram Belo Horizonte MG www.drjorgecaram.com.br EditoraA Contagem

Leia mais

Abuso e dependência ao álcool e outras drogas e sua relação com o suicídio

Abuso e dependência ao álcool e outras drogas e sua relação com o suicídio Abuso e dependência ao álcool e outras drogas e sua relação com o suicídio Messiano Ladislau Nogueira de Sousa Médico Psiquiatra com aperfeiçoamento em terapia psicanalítica Abril, 2014 Sumário Conceitos

Leia mais

Enfrentamento ao Crack e Outras Drogas. Carmen Lúcia de A. santos

Enfrentamento ao Crack e Outras Drogas. Carmen Lúcia de A. santos Enfrentamento ao Crack e Outras Drogas Carmen Lúcia de A. santos 2011 Nosologia e Psicopatologia "Psico-pato-logia" "psychê" = "psíquico", "alma" "pathos" = "sofrimento, "patológico" "logos" "lógica",

Leia mais

Apnéia do Sono e Ronco Guia Rápido

Apnéia do Sono e Ronco Guia Rápido Homehealth provider Apnéia do Sono e Ronco Guia Rápido Ronco: atrás do barulho, um problema de saúde mais sério www.airliquide.com.br O que é Apnéia do Sono? Apnéia do sono é uma síndrome que pode levar

Leia mais

Uso de inibidores seletivos de captação de serotonina (ISCS) e de noradrenalina e ISCN e (antidepressivos de modo geral)

Uso de inibidores seletivos de captação de serotonina (ISCS) e de noradrenalina e ISCN e (antidepressivos de modo geral) Curso - Psicologia Disciplina: Psicofarmacologia Resumo Aula 5- Psicofármacos e Ansiedade Ansiedade Estado desagradável de tensão, apreensão, inquietação ; Um medo às vezes de origem desconhecida; Sintomas

Leia mais

Benzodiazepínicos, hipnóticos e opióides

Benzodiazepínicos, hipnóticos e opióides Benzodiazepínicos, hipnóticos e opióides Alessandro Alves O amor não é aquilo que te deixa feliz, calmo e tranquilo. O nome disso é Rivotril. Frase atribuída a James Brown Benzodiazepínicos Estão entre

Leia mais

FACULDADE DE ODONTOLOGIA DE PIRACICABA - UNICAMP

FACULDADE DE ODONTOLOGIA DE PIRACICABA - UNICAMP Prezado aluno, Estes exercícios fazem parte de uma compilação de vários testes e provas que foram utilizadas no passado e formam uma base sólida para estudo. Tente resolvê-los sozinho, ao invés de simplesmente

Leia mais

cloxazolam Eurofarma Laboratórios S.A. Comprimido 1 mg e 2 mg

cloxazolam Eurofarma Laboratórios S.A. Comprimido 1 mg e 2 mg cloxazolam Eurofarma Laboratórios S.A. Comprimido 1 mg e 2 mg cloxazolam Medicamento genérico Lei nº 9.787, de 1999 Comprimido FORMAS FARMACÊUTICAS E APRESENTAÇÕES: Embalagens com 20 e 30 comprimidos contendo

Leia mais

Procedimentos médicoadministrativos em distúrbios. mentais relacionados ao trabalho

Procedimentos médicoadministrativos em distúrbios. mentais relacionados ao trabalho Procedimentos médicoadministrativos em distúrbios mentais relacionados ao trabalho Dra Ana Paula Schmidt Waldrich Médica do Trabalho CRM-SC 13.384 Doença Ocupacional Quais as formas de caracterização de

Leia mais

O uso de benzodiazepínicos em idosos

O uso de benzodiazepínicos em idosos O uso de benzodiazepínicos em idosos Rafael C Freire Doutor em psiquiatria Laboratório do Pânico e Respiração IPUB UFRJ INCT Translacional em Medicina Declaração de conflito de interesse Emprego Financiamento

Leia mais

A QUALIDADE DO SONO EM ESTUDANTES DE PSICOLOGIA

A QUALIDADE DO SONO EM ESTUDANTES DE PSICOLOGIA A QUALIDADE DO SONO EM ESTUDANTES DE PSICOLOGIA MORAES, Jéssica Carla¹, MAZAMBANI, Aline² RESUMO: O sono trata-se de um estado ordinário da consciência, responsável pela função restauradora do corpo e

Leia mais

bromazepam Comprimido 3mg e 6mg

bromazepam Comprimido 3mg e 6mg bromazepam Comprimido 3mg e 6mg MODELO DE BULA COM INFORMAÇÕES AO PACIENTE bromazepam Medicamento genérico Lei nº 9.787, de 1999. APRESENTAÇÕES Comprimido 3mg Embalagens contendo 20, 30 e 100 comprimidos.

Leia mais

A seguir enumeramos algumas caracteristicas do TBH:

A seguir enumeramos algumas caracteristicas do TBH: OQUEÉOTRANSTORNOBIPOLARDO HUMOR(TBH)? O transtorno bipolar do humor (também conhecido como psicose ou doença maníaco-depressiva) é uma doença psiquiátrica caracterizada por oscilações ou mudanças de humor

Leia mais

Psiquiatria para o clínico Dr. André I. Petroucic Filho 07 maio 2014 Introdução Psiquiatria do dia a dia do clínico Pontos importantes sobre as principais doenças psiquiátricas Depressão, Ansiedade, Doença

Leia mais

CURSO 21/11/2013 08:30-17:30 01: TRANSTORNOS RESPIRATÓRIOS DO SONO - DIAGNÓSTICO E TRATAMENTO VERSAILLES

CURSO 21/11/2013 08:30-17:30 01: TRANSTORNOS RESPIRATÓRIOS DO SONO - DIAGNÓSTICO E TRATAMENTO VERSAILLES 21/11/2013 08:30-17:30 h Curso CURSO 01: TRANSTORNOS RESPIRATÓRIOS DO SONO - DIAGNÓSTICO E TRATAMENTO VERSAILLES 2 Coordenador: Adriane Zonato Coordenador: Lia Rita Bittencourt 08:30-09:00 Disturbios respiratórios

Leia mais

22ª JORNADA DA AMINT NOVEMBRO/2008 DEPRESSÃO E TRABALHO. MARIA CRISTINA PALHARES MACHADO PSIQUIATRA MÉDICA DO TRABALHO mcris1989@hotmail.

22ª JORNADA DA AMINT NOVEMBRO/2008 DEPRESSÃO E TRABALHO. MARIA CRISTINA PALHARES MACHADO PSIQUIATRA MÉDICA DO TRABALHO mcris1989@hotmail. 22ª JORNADA DA AMINT NOVEMBRO/2008 DEPRESSÃO E TRABALHO MARIA CRISTINA PALHARES MACHADO PSIQUIATRA MÉDICA DO TRABALHO mcris1989@hotmail.com DEPRESSÃO 1. Afeta pelo menos 12% das mulheres e 8% dos homens

Leia mais

Saúde Mental do Trabalhador. Grazieli Barbier Barros Terapeuta Ocupacional Especialista em Saúde Pública e da família.

Saúde Mental do Trabalhador. Grazieli Barbier Barros Terapeuta Ocupacional Especialista em Saúde Pública e da família. Saúde Mental do Trabalhador Grazieli Barbier Barros Terapeuta Ocupacional Especialista em Saúde Pública e da família. Definição Para a OMS: Saúde é um estado de completo bem-estar físico mental e social,

Leia mais

ABUSO DE BENZIODIAZEPINAS NOS TRANSTORNOS DE ANSIEDADE

ABUSO DE BENZIODIAZEPINAS NOS TRANSTORNOS DE ANSIEDADE ABUSO DE BENZIODIAZEPINAS NOS TRANSTORNOS DE ANSIEDADE Trabalho da cadeira de Psicofarmacologia do Mestrado em Psicologia Clínica 2012 André Leite Gonçalves Mestrado em Psicologia Clínica E-mail de contato:

Leia mais

TRABALHOS CIENTÍFICOS 23 DE NOVEMBRO DE 2013 09H30 ÀS 10H30 TV 01

TRABALHOS CIENTÍFICOS 23 DE NOVEMBRO DE 2013 09H30 ÀS 10H30 TV 01 TRABALHOS CIENTÍFICOS 23 DE NOVEMBRO DE 2013 09H30 ÀS 10H30 TV 01 5304 ALTERAÇÕES OFTALMOLÓGICAS EM PORTADORES DE SAOS 5305 PERFIL DOS PACIENTES ENCAMINHADOS AO INSTITUTO DO SONO DE CUIABÁ/MT PARA REALIZAÇÃO

Leia mais

Resumo Aula 9- Psicofármacos e Transtornos de Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH) na infância, na adolescência e na idade adulta

Resumo Aula 9- Psicofármacos e Transtornos de Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH) na infância, na adolescência e na idade adulta Curso - Psicologia Disciplina: Psicofarmacologia Resumo Aula 9- Psicofármacos e Transtornos de Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH) na infância, na adolescência e na idade adulta Psicofármacos:Transtorno

Leia mais

Prevenção em saúde mental

Prevenção em saúde mental Prevenção em saúde mental Treinar lideranças comunitárias e equipes de saúde para prevenir, identificar e encaminhar problemas relacionados à saúde mental. Essa é a característica principal do projeto

Leia mais

A importância do Sono na Criança e Adolescente ANDREIA LEITÃO LFIP 16 DEZEMBRO 2015

A importância do Sono na Criança e Adolescente ANDREIA LEITÃO LFIP 16 DEZEMBRO 2015 A importância do Sono na Criança e Adolescente ANDREIA LEITÃO LFIP 16 DEZEMBRO 2015 Sono na Criança e Adolescente É essencial para o bem-estar físico, psíquico e para o crescimento Promove um bom estado

Leia mais

SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE DE CAMPINAS CÂMARA TÉCNICA DE ESPECIALIDADES. Documento anexo do Manual de Ortopedia FIBROMIALGIA

SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE DE CAMPINAS CÂMARA TÉCNICA DE ESPECIALIDADES. Documento anexo do Manual de Ortopedia FIBROMIALGIA SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE DE CAMPINAS CÂMARA TÉCNICA DE ESPECIALIDADES Documento anexo do Manual de Ortopedia FIBROMIALGIA Em 1904, Gowers descreveu um conjunto de sinais e sintomas onde predominavam

Leia mais

Transtornos do sono: visão geral

Transtornos do sono: visão geral Rev Bras Neurol. 49(2):57-71, 2013 Transtornos do sono: visão geral Sleep disorders: overview Gisele S. Moura L. Neves 1, Andre S. Giorelli 2, Patricia Florido 3, Marleide da Mota Gomes 4 RESUMO Os transtornos

Leia mais

A Pessoa e o Contexto Ocupacional na Prevenção do Burnout. Marcos Ricardo Datti Micheletto

A Pessoa e o Contexto Ocupacional na Prevenção do Burnout. Marcos Ricardo Datti Micheletto A Pessoa e o Contexto Ocupacional na Prevenção do Burnout Marcos Ricardo Datti Micheletto 1 Níveis de Prevenção 22.361 Job Burnout: 11.544 18.829 Job Burnout: 9.618 SIPAT - REITORIA UNESP Burnout Burnout

Leia mais

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS Com relação ao transtorno depressivo, julgue os itens a seguir. 58 O conceito de comportamento operante desenvolvido por Skinner um dos pensadores da terapia comportamental 51

Leia mais

bromazepam Merck S/A Comprimidos 3 mg & 6 mg

bromazepam Merck S/A Comprimidos 3 mg & 6 mg bromazepam Merck S/A Comprimidos 3 mg & 6 mg bromazepam medicamento genérico Lei nº 9.787, de 1999. Ansiolítico APRESENTAÇÕES Comprimidos de 3 mg em caixa com 20 comprimidos. Comprimidos de 6 mg em caixa

Leia mais

Terapêutica farmacológica da insónia

Terapêutica farmacológica da insónia Terapêutica farmacológica da insónia JOANA SERRA* RESUMO A insónia é uma queixa com múltiplas etiologias, apresentando diferentes graus de gravidade e de duração. Uma cuidadosa avaliação é indispensável

Leia mais

23/07/2013. É um sintoma fundamental de muitos distúrbios psiquiátricos e um componente de muitas condições clínicas e cirúrgicas.

23/07/2013. É um sintoma fundamental de muitos distúrbios psiquiátricos e um componente de muitas condições clínicas e cirúrgicas. Psicofarmacologia Prof. Herval de Lacerda Bonfante Departamento de Farmacologia PSICOFARMACOLOGIA Distúrbios Psiquiátricos - Tratamento : 1950 10 a 15% de prescrições - EUA Brasil prevalência de transtornos

Leia mais

TRANSTORNOS DE HUMOR NA INFÂNCIA E ADOLESCÊNCIA PELA PERSPECTIVA DA NEUROBIOLOGIA E AÇÕES MEDICAMENTOSAS

TRANSTORNOS DE HUMOR NA INFÂNCIA E ADOLESCÊNCIA PELA PERSPECTIVA DA NEUROBIOLOGIA E AÇÕES MEDICAMENTOSAS TRANSTORNOS DE HUMOR NA INFÂNCIA E ADOLESCÊNCIA PELA PERSPECTIVA DA NEUROBIOLOGIA E AÇÕES MEDICAMENTOSAS Marina Aparecida Luiz de Freitas 1 ; Sandra Cristina Catelan-Mainardes 2 RESUMO: O presente estudo

Leia mais

PARECER TÉCNICO. Núcleo de Apoio à Vítima de Estupro (NAVES) Rua Tibagi, 779, Gabinete 803, Centro, Curitiba PR, telefone 3250-4022.

PARECER TÉCNICO. Núcleo de Apoio à Vítima de Estupro (NAVES) Rua Tibagi, 779, Gabinete 803, Centro, Curitiba PR, telefone 3250-4022. PARECER TÉCNICO Atendendo à solicitação da Procuradora de Justiça Coordenadora do Núcleo de Apoio à Vítima de Estupro (NAVES), Dra. Rosângela Gaspari, eu, Erica A. C. M. Eiglmeier, psicóloga, venho apresentar

Leia mais

Transtornos de Aprendizagem

Transtornos de Aprendizagem CRDA-CENTRO DE REFERÊNCIA EM DISTÚRBIOS DE APRENDIZAGEM Transtornos de Aprendizagem Transtornos da Aprendizagem - Avaliação Dra. Maria Fernanda C. R. de Campos Neurologia Infantil Papel da equipe multidisciplinar:

Leia mais

Eduardo Henrique Teixeira Professor da Faculdade de Medicina PUC - Campinas

Eduardo Henrique Teixeira Professor da Faculdade de Medicina PUC - Campinas Eduardo Henrique Teixeira Professor da Faculdade de Medicina PUC - Campinas A ansiedade é uma vivência normal que todos os seres humanos experimentam com freqüência. Estado afetivo caracterizado por uma

Leia mais

Modelo de Texto de Bula ao Paciente

Modelo de Texto de Bula ao Paciente Modelo de Texto de Bula ao Paciente VENVANSE * dimesilato de lisdexanfetamina *marca depositada APRESENTAÇÃO VENVANSE cápsulas 30 mg, 50 mg e 70 mg: frascos com 28 cápsulas. USO ORAL USO PEDIÁTRICO DE

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO PAULO RESIDÊNCIA MÉDICA 2013 Áreas de Atuação em Psiquiatria Psiquiatria da Infância e da Adolescência

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO PAULO RESIDÊNCIA MÉDICA 2013 Áreas de Atuação em Psiquiatria Psiquiatria da Infância e da Adolescência UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO PAULO RESIDÊNCIA MÉDICA 2013 Áreas de Atuação em Psiquiatria Psiquiatria da Infância e da Adolescência Gabarito da Prova realizada em 2/nov/2012 QUESTÃO 1 - Transtorno depressivo

Leia mais

Estruturas das Sessões em TCC

Estruturas das Sessões em TCC Estruturas das Sessões em TCC Eliana Melcher Martins - Mestre em Ciências pelo Depto. de Psicobiologia da UNIFESP - Especialista em Medicina Comportamental pela UNIFESP - Psicóloga Clínica Cognitivo Comportamental

Leia mais

Caso 1: DISTÚRBIOS RESPIRATÓRIOS DO SONO: Gravidades diferentes, abordagens diferentes. O que você espera encontrar neste exame?

Caso 1: DISTÚRBIOS RESPIRATÓRIOS DO SONO: Gravidades diferentes, abordagens diferentes. O que você espera encontrar neste exame? DISTÚRBIOS RESPIRATÓRIOS DO SONO: Gravidades diferentes, abordagens diferentes. Gleison Guimarães TE SBPT TE A.Brasileira do Sono Unidade de Pesquisa Clínica - HUCFF Caso 1: ABB, 47anos,, engenheiro. HDA:

Leia mais

DISTÚRBIOS DO SONO. (Texto escrito para a Disciplina SISTEMA NERVOSO RCG 511-4º ANO DE MEDICINA DA FMRP-USP) Regina Maria França Fernandes

DISTÚRBIOS DO SONO. (Texto escrito para a Disciplina SISTEMA NERVOSO RCG 511-4º ANO DE MEDICINA DA FMRP-USP) Regina Maria França Fernandes DISTÚRBIOS DO SONO (Texto escrito para a Disciplina SISTEMA NERVOSO RCG 511-4º ANO DE MEDICINA DA FMRP-USP) Regina Maria França Fernandes Professora Assistente-Doutora do Departamento de Neurociências

Leia mais

estudo Por ViVian Lourenço 7 4 g u i a d a f a r m á c i a

estudo Por ViVian Lourenço 7 4 g u i a d a f a r m á c i a Sentir dor não é normal A dor é sinal de que algo não vai bem no organismo. Os sintomas estão no cotidiano e é essencial saber a diferença entre a dor crônica e a aguda para buscar o tratamento Por Vivian

Leia mais

Faculdade de Medicina UFRGS Departamento de Psiquiatria e Medicina Legal

Faculdade de Medicina UFRGS Departamento de Psiquiatria e Medicina Legal Faculdade de Medicina UFRGS Departamento de Psiquiatria e Medicina Legal Disciplina: Med 8834 - Psiquiatria Roteiro de Estudo de Caso Prof. Aristides Volpato Cordioli 1. DADOS DA IDENTIDADE DO PACIENTE

Leia mais

INTRODUÇÃO. Síndrome da Apneia e Hipopneia Obstrutiva do Sono SAHOS obstrução repetitiva das vias aéreas superiores VAS 10 seg/evento.

INTRODUÇÃO. Síndrome da Apneia e Hipopneia Obstrutiva do Sono SAHOS obstrução repetitiva das vias aéreas superiores VAS 10 seg/evento. Fausto A. Ito CD Especialista em Anatomia Aplicada da Cabeça -ICB/USP; Membro da Associação Brasileira do Sono; Diretor da ITO Clínica (RJ) Ronco e Apneia do Sono. faustoito@itoclinica.com.br Márcio Luciano

Leia mais

HANSENÍASE Diagnósticos e prescrições de enfermagem

HANSENÍASE Diagnósticos e prescrições de enfermagem HANSENÍASE Diagnósticos e prescrições de enfermagem HANSENÍASE Causada pela Mycobacterium leprae, ou bacilo de Hansen, que é um parasita intracelular obrigatório, com afinidade por células cutâneas e por

Leia mais

TRANSTORNO DO DÉFICIT DE ATENÇÃO E HIPERATIVIDADE - TDAH P R O F E S S O R : H U M B E R T O M Ü L L E R S A Ú D E M E N T A L

TRANSTORNO DO DÉFICIT DE ATENÇÃO E HIPERATIVIDADE - TDAH P R O F E S S O R : H U M B E R T O M Ü L L E R S A Ú D E M E N T A L TRANSTORNO DO DÉFICIT DE ATENÇÃO E HIPERATIVIDADE - TDAH P R O F E S S O R : H U M B E R T O M Ü L L E R S A Ú D E M E N T A L TDAH - EPIDEMIOLOGIA Tx. Varia entre 1,5 5,8% Crianças e adolescentes; Difere

Leia mais

KratsPsiquê. A depressão está muito ligada ao suicídio. Índices avaliados: níveis de tristeza, insatisfação, culpa, insônia, punição, etc.

KratsPsiquê. A depressão está muito ligada ao suicídio. Índices avaliados: níveis de tristeza, insatisfação, culpa, insônia, punição, etc. DEPRESSÃO A depressão está muito ligada ao suicídio. Índices avaliados: níveis de tristeza, insatisfação, culpa, insônia, punição, etc. BDI- Inventário de Depressão Beck: a medição é feita por escores

Leia mais

Bruxismo durante o Sono Flávio Alóe* Lílian Regina Gonçalves** Alexandre Azevedo*** Ricardo Castro Barbosa****

Bruxismo durante o Sono Flávio Alóe* Lílian Regina Gonçalves** Alexandre Azevedo*** Ricardo Castro Barbosa**** 4 ARTIGO Bruxismo durante o Sono Flávio Alóe* Lílian Regina Gonçalves** Alexandre Azevedo*** Ricardo Castro Barbosa**** RESUMO Bruxismo durante o sono (BS) é uma parassonia caracterizada por movimentos

Leia mais

Parar de fumar Resumo de diretriz NHG M85 (maio 2011)

Parar de fumar Resumo de diretriz NHG M85 (maio 2011) Parar de fumar Resumo de diretriz NHG M85 (maio 2011) Chavannes NH, Kaper J, Frijling BD, Van der Laan JR, Jansen PWM, Guerrouj S, Drenthen AJM, Bax W, Wind LA traduzido do original em holandês por Luiz

Leia mais

TEMA: Topiramato, Olanzapina, Daforin, Rivotril em paciente com depressão grave.

TEMA: Topiramato, Olanzapina, Daforin, Rivotril em paciente com depressão grave. NOTA TÉCNICA 65/2013 Solicitante Alyrio Ramos Desembargador da 8ª Câmara Cível TJMG RÉU: ESTADO DE MINAS GERAIS E MUNICÍPIO DE ITAPECERICA Data: 05/05/2013 Medicamento x Material Procedimento Cobertura

Leia mais

Assistência Farmacêutica na Depressão

Assistência Farmacêutica na Depressão Definição Assistência Farmacêutica na Depressão Grupo de atividades relacionadas com o medicamento, destinadas a apoiar as ações de saúde demandadas por uma comunidade, envolvendo o abastecimento de medicamentos

Leia mais

Farmacologia dos Distúrbios de Ansiedade e do Sono

Farmacologia dos Distúrbios de Ansiedade e do Sono Medicina M2 BMF224 Classes de fármacos do dia Farmacologia dos Distúrbios de Ansiedade e do Sono Newton G. de Castro Professor Associado, MD, DSc Lab. de Farmacologia Molecular CCS sala J1-029 Mai/15 Moduladores

Leia mais

Organização de serviços. Coordenação: prof. Dr. Ronaldo Laranjeira Apresentação: Dr. Elton P. Rezende UNIAD INPAD Unifesp

Organização de serviços. Coordenação: prof. Dr. Ronaldo Laranjeira Apresentação: Dr. Elton P. Rezende UNIAD INPAD Unifesp Organização de serviços Coordenação: prof. Dr. Ronaldo Laranjeira Apresentação: Dr. Elton P. Rezende UNIAD INPAD Unifesp Declaração Declaro não receber nenhum financiamento público ou particular Qual a

Leia mais

A INTERVENÇÃO DA TERAPIA COGNITIVO- COMPORTAMENTAL NO ADOECIMENTO DECORRENTE DA INSÔNIA

A INTERVENÇÃO DA TERAPIA COGNITIVO- COMPORTAMENTAL NO ADOECIMENTO DECORRENTE DA INSÔNIA A INTERVENÇÃO DA TERAPIA COGNITIVO- COMPORTAMENTAL NO ADOECIMENTO DECORRENTE DA INSÔNIA Natália Araújo Silva Hugo Christiano Soares Melo 3 RESUMO O presente estudo procurou descrever as principais características

Leia mais

Medicamentos psicotrópicos e efeitos colaterais/adversos impactantes para atividades laborais.

Medicamentos psicotrópicos e efeitos colaterais/adversos impactantes para atividades laborais. Medicamentos psicotrópicos e efeitos colaterais/adversos impactantes para atividades laborais. Alternativas terapêuticas farmacológicas. Dr. João Luiz da Fonseca Martins Médico Psiquiatra Uniica . Principais

Leia mais

ERGONOMIA Notas de Aula-Graduação Ponto 06

ERGONOMIA Notas de Aula-Graduação Ponto 06 ERGONOMIA Notas de Aula-Graduação Ponto 06 Ergonomia dos Sistemas de Produção FADIGA Mario S. Ferreira Abril, 2012 Caráter Multidisciplinar da Abordagem: produtividade, condições de saúde, segurança e

Leia mais

ASSOCIAÇÃO CULTURAL EDUCACIONAL DE ITAPEVA FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS E AGRÁRIAS DE ITAPEVA

ASSOCIAÇÃO CULTURAL EDUCACIONAL DE ITAPEVA FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS E AGRÁRIAS DE ITAPEVA ASSOCIAÇÃO CULTURAL EDUCACIONAL DE ITAPEVA FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS E AGRÁRIAS DE ITAPEVA SIMPÓSIO APNEIA OBSTRUTIVA DO SONO EM CRIANÇAS Itapeva São Paulo Brasil ASSOCIAÇÃO CULTURAL EDUCACIONAL DE

Leia mais

FUNDAÇÃO DE ENSINO E PESQUISA DE UBERABA C.N.P.J. 20.054.326/0001-09

FUNDAÇÃO DE ENSINO E PESQUISA DE UBERABA C.N.P.J. 20.054.326/0001-09 Uberaba, 23 de março de 2012 Gabarito da Prova Prática do Processo Seletivo Interno para o cargo de Enfermeiro Possíveis diagnósticos de Enfermagem com seus respectivos planejamentos: 01) Integridade da

Leia mais

Pneumologia do HG. Centro Medicina Sono

Pneumologia do HG. Centro Medicina Sono 1990 Pneumologia do HG 1995 Centro Medicina Sono 2008 2014 2012 Competência e Creditação Integração no CHUC Conjunto de conhecimentos e de tecnologias que assumem que o sono é um estado biológico específico

Leia mais

FUNÇÕES ATRIBUÍDAS AOS LOBOS FRONTAIS. Profª. Jerusa Salles

FUNÇÕES ATRIBUÍDAS AOS LOBOS FRONTAIS. Profª. Jerusa Salles FUNÇÕES ATRIBUÍDAS AOS LOBOS FRONTAIS Profª. Jerusa Salles Lobos frontais: correlações anátomo-funcionais Três regiões: córtex motor primário (circunvolução frontal ascendente): motricidade voluntária.

Leia mais

HOSPITAL DE CLÍNICAS DE PORTO ALEGRE EDITAL N.º 01/2015 DE PROCESSOS SELETIVOS GABARITO APÓS RECURSOS

HOSPITAL DE CLÍNICAS DE PORTO ALEGRE EDITAL N.º 01/2015 DE PROCESSOS SELETIVOS GABARITO APÓS RECURSOS HOSPITAL DE CLÍNICAS DE PORTO ALEGRE EDITAL N.º 01/2015 DE PROCESSOS SELETIVOS GABARITO APÓS RECURSOS PROCESSO SELETIVO 07 TÉCNICO DE ENFERMAGEM (Saúde Mental e Psiquiatria) 01. C 11. E 21. D 02. E 12.

Leia mais

USO DO MIDAZOLAM ORAL PARA SEDAÇÃO EM IMPLANTODONTIA

USO DO MIDAZOLAM ORAL PARA SEDAÇÃO EM IMPLANTODONTIA USO DO MIDAZOLAM ORAL PARA SEDAÇÃO EM IMPLANTODONTIA Sedação Consciente Em Odontologia, é crescente o número de profissionais que utilizam métodos farmacológicos de sedação consciente, com a intenção de

Leia mais

BULA PARA O PACIENTE BUSPAR (cloridrato de buspirona) 5mg/10mg COMPRIMIDOS

BULA PARA O PACIENTE BUSPAR (cloridrato de buspirona) 5mg/10mg COMPRIMIDOS BULA PARA O PACIENTE BUSPAR (cloridrato de buspirona) 5mg/10mg COMPRIMIDOS BRISTOL-MYERS SQUIBB BUSPAR cloridrato de buspirona Uso oral APRESENTAÇÃO BUSPAR 5 mg é apresentado em cartuchos com 2 blisters

Leia mais

o Ressonar e a Apneia de Sono

o Ressonar e a Apneia de Sono o Ressonar e a Apneia de Sono sintomas diagnóstico tratamento O ressonar apesar de ser comum, fonte de brincadeiras e aceite como normal na população em geral é de facto uma perturbação que não deve ser

Leia mais

UTILIZAÇÃO DE FITOTERÁPICOS NO TRATAMENTO DA ANSIEDADE: UM ESTUDO DE CASO

UTILIZAÇÃO DE FITOTERÁPICOS NO TRATAMENTO DA ANSIEDADE: UM ESTUDO DE CASO UTILIZAÇÃO DE FITOTERÁPICOS NO TRATAMENTO DA ANSIEDADE: UM ESTUDO DE CASO Autor: JOSE TEOFILO VIEIRA DA SILVA Orientador: Karla Deisy Morais Borges Coautor(es): Francisca Eritânia Passos Rangel, Maria

Leia mais

16 Dor e Distúrbios do Sono

16 Dor e Distúrbios do Sono Dor e Distúrbios do Sono Gilles J. Lavigne Takafumi Kato Pierre Mayer Sono é o processo natural que desliga o nosso consciente do meio ambiente por um período de 6 a 9 horas (em bebês, crianças e adolescentes

Leia mais

Composição Cada comprimido de 25 mg contém 25 mg de cinarizina. Excipientes: amido, lactose, óleo vegetal hidrogenado, povidona, sacarose e talco.

Composição Cada comprimido de 25 mg contém 25 mg de cinarizina. Excipientes: amido, lactose, óleo vegetal hidrogenado, povidona, sacarose e talco. 112360002 Stugeron cinarizina comprimidos Forma farmacêutica e apresentações Comprimidos de 25 mg em embalagem com 30 comprimidos. Comprimidos de 75 mg em embalagem com 30 comprimidos. USO ADULTO Composição

Leia mais

ENADE 2009. Conteúdos para a preparação dos seminários

ENADE 2009. Conteúdos para a preparação dos seminários ENADE 2009 Conteúdos para a preparação dos seminários Caros colegas O Paulo organizou um levantamento dos conteúdos da prova do ENADE 2006 e dos ENC de 2000 a 2003. Os seminários estão previstos (ou planejados)

Leia mais

Neurociência e Saúde Mental

Neurociência e Saúde Mental 1 DICAS PARA MELHORAR O SONO Dormir bem pode fazer toda a diferença para ir bem em uma prova, ser mais criativo no trabalho e manter uma boa memória. O sono é essencial para manter uma rotina saudável,

Leia mais

PREVENÇÃO DAS DOENÇAS CRÔNICAS NÃO TRANSMISSÍVEIS PREVENIR É PRECISO MANUAL DE ORIENTAÇÕES AOS SERVIDORES VIGIAS DA PREFEITURA DE MONTES CLAROS

PREVENÇÃO DAS DOENÇAS CRÔNICAS NÃO TRANSMISSÍVEIS PREVENIR É PRECISO MANUAL DE ORIENTAÇÕES AOS SERVIDORES VIGIAS DA PREFEITURA DE MONTES CLAROS PREVENÇÃO DAS DOENÇAS MANUAL DE ORIENTAÇÕES AOS SERVIDORES CRÔNICAS NÃO TRANSMISSÍVEIS VIGIAS DA PREFEITURA DE MONTES CLAROS design ASCOM-PMMC PREVENIR É PRECISO DOENÇAS CRÔNICAS NÃO TRANSMISSÍVEIS No

Leia mais

Depressão Resumo de diretriz NHG M44 (junho 2012)

Depressão Resumo de diretriz NHG M44 (junho 2012) Depressão Resumo de diretriz NHG M44 (junho 2012) Van Weel-Baumgarten EM, Van Gelderen MG, Grundmeijer HGLM, Licht-Strunk E, Van Marwijk HWJ, Van Rijswijk HCAM, Tjaden BR, Verduijn M, Wiersma Tj, Burgers

Leia mais

Todos sabemos a importância de uma boa noite de sono. O que nem todos sabem é que alternância entre o dormir e estar acordado resulta da ação

Todos sabemos a importância de uma boa noite de sono. O que nem todos sabem é que alternância entre o dormir e estar acordado resulta da ação QUÍMICA DO SONO Todos sabemos a importância de uma boa noite de sono. O que nem todos sabem é que alternância entre o dormir e estar acordado resulta da ação combinada de diversas substâncias químicas

Leia mais

ANÁLISE E CARACTERIZAÇÃO DE BENZODIAZEPÍNICOS

ANÁLISE E CARACTERIZAÇÃO DE BENZODIAZEPÍNICOS ANÁLISE E CARACTERIZAÇÃO DE BENZODIAZEPÍNICOS 1- Menandes Alves de Souza Neto 1 2- Gisele Almeida Amaral 2 RESUMO Atualmente, existem medicamentos capazes de atuar sobre a ansiedade e a tensão. Estes são

Leia mais

03 - Análise da técnica projetiva de desenho htp em um caso de suspeita de abuso sexual na infância.

03 - Análise da técnica projetiva de desenho htp em um caso de suspeita de abuso sexual na infância. Psicologia Clínica 01 - A prática de atividade física e sua relação com o gênero em idosos. 02 - A Prática do Psicodiagnóstico: Um caso de apática infantil. 03 - Análise da técnica projetiva de desenho

Leia mais

ANEXO III CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

ANEXO III CONTEÚDO PROGRAMÁTICO ANEXO III CONTEÚDO PROGRAMÁTICO CONTEÚDO COMUM PARA TODAS AS CATEGORIAS PROFISSIONAIS SAÚDE PÚBLICA E SAÚDE COLETIVA SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE SUS 1. História do sistema de saúde no Brasil; 2. A saúde na

Leia mais

Fundada em 1986. Gestão Comportamental. Educação para a saúde Gestão de crise

Fundada em 1986. Gestão Comportamental. Educação para a saúde Gestão de crise MISSÃO Educar para a prevenção e condução de crises, visando a saúde emocional individual, da família e da organização. Gestão Comportamental Fundada em 1986 PAP - Programa de Apoio Pessoal Atuações em

Leia mais

FICHA DE CONSULTA Deverá ser preenchida pelo médico assistente

FICHA DE CONSULTA Deverá ser preenchida pelo médico assistente FICHA DE CONSULTA Deverá ser preenchida pelo médico assistente Data: / / Nome: 1) Avaliação de melhora pelo paciente (NÃO USAR NA PRIMEIRA): Muito pior Pior Igual Melhor Muito melhor 2) Índice de dor generalizada:

Leia mais

Diretrizes da OMS para diagnóstico de Dependência

Diretrizes da OMS para diagnóstico de Dependência Diretrizes da OMS para diagnóstico de Dependência 1 - Forte desejo ou compulsão para usar a substância. 2 - Dificuldade em controlar o consumo da substância, em termos de início, término e quantidade.

Leia mais

Drogas Lícitas e Ilícitas

Drogas Lícitas e Ilícitas Drogas Lícitas e Ilícitas que interferem no ato de dirigir Associação Brasileira de Medicina de Tráfego Conceituação de drogas psicoativas Tenha efeito direto no sistema nervoso central e/ou periférico

Leia mais

Livipark (dicloridrato de pramipexol)

Livipark (dicloridrato de pramipexol) I) IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO Livipark (dicloridrato de pramipexol) APRESENTAÇÕES Livipark (dicloridrato de pramipexol) comprimidos de 0,125 mg. Embalagem contendo 30, 60 e 100 Livipark (dicloridrato

Leia mais

Rohypnol (flunitrazepam) Produtos Roche Químicos e Farmacêuticos S.A. Comprimidos revestidos 1 mg

Rohypnol (flunitrazepam) Produtos Roche Químicos e Farmacêuticos S.A. Comprimidos revestidos 1 mg Rohypnol (flunitrazepam) Produtos Roche Químicos e Farmacêuticos S.A. Comprimidos revestidos 1 mg Rohypnol flunitrazepam Roche Agente indutor do sono APRESENTAÇÕES Comprimidos revestidos de 1 mg em caixa

Leia mais

2ª. PARTE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS

2ª. PARTE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS 2ª. PARTE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS PSIQUIATRIA 21. Quatro pacientes diferentes foram atendidos no ambulatório, apresentando na consulta um conjunto de características colhidas durante o histórico feito

Leia mais

CASO CLINICO. Sexo: Masculino - Peso : 90 KIlos Altura: 1,90m

CASO CLINICO. Sexo: Masculino - Peso : 90 KIlos Altura: 1,90m CASO CLINICO Cliente : A. G - 21 anos - Empresa familiar - Sexo: Masculino - Peso : 90 KIlos Altura: 1,90m Motivo da avaliação: Baixa auto estima, dificuldade em dormir, acorda várias vezes a noite. Relatou

Leia mais

2ª PARTE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS PSIQUIATRIA

2ª PARTE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS PSIQUIATRIA 2ª PARTE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS PSIQUIATRIA Questão nº: 21 Assinale a alternativa FALSA relativa aos quadros demenciais: a) A demência de Alzheimer se caracteriza por novelos neurofibrilares e placas

Leia mais

DORES DE CABEÇA E ENXAQUECA Sex, 28 de Agosto de 2009 19:57 - Última atualização Sáb, 21 de Agosto de 2010 19:16

DORES DE CABEÇA E ENXAQUECA Sex, 28 de Agosto de 2009 19:57 - Última atualização Sáb, 21 de Agosto de 2010 19:16 DORES DE CABEÇA E ENXAQUECA A tensão do dia a dia é a causa mais freqüente das dores de cabeça mas, elas poderem aparecer por diversas causas e não escolhem idade e sexo. Fique sabendo, lendo este artigo,

Leia mais

PREVENÇÃO DE RECAÍDA

PREVENÇÃO DE RECAÍDA PREVENÇÃO DE RECAÍDA Alessandro Alves Noventa por cento do sucesso se baseia simplesmente em insistir. Woody Allen A recaída tem sido descrita tanto como um resultado a visão dicotômica de que a pessoa

Leia mais

PARKI (dicloridrato de pramipexol) GERMED FARMACÊUTICA LTDA. Comprimido. 0,125 mg, 0,25 mg e 1,0 mg

PARKI (dicloridrato de pramipexol) GERMED FARMACÊUTICA LTDA. Comprimido. 0,125 mg, 0,25 mg e 1,0 mg PARKI (dicloridrato de pramipexol) GERMED FARMACÊUTICA LTDA Comprimido 0,125 mg, 0,25 mg e 1,0 mg IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO PARKI dicloridrato de pramipexol APRESENTAÇÕES Comprimidos de 0,125 mg, 0,25

Leia mais

Fonte: Jornal Carreira & Sucesso - 151ª Edição

Fonte: Jornal Carreira & Sucesso - 151ª Edição IDENTIFICANDO A DEPRESSÃO Querida Internauta, Lendo o que você nos escreveu, mesmo não sendo uma profissional da área de saúde, é possível identificar alguns sintomas de uma doença silenciosa - a Depressão.

Leia mais

Trabalho em Turnos e Impactos na Saúde

Trabalho em Turnos e Impactos na Saúde Avaliação dos impactos do trabalho em turnos noturnos na produção de citocinas inflamatórias salivares e na secreção dos hormônios rítmicos melatonina e cortisol Érica Lui Reinhardt Trabalho em Turnos

Leia mais

Tema: CPAP NA SÍNDROME DA APNÉIA E HIPOPNÉIA OBSTRUTIVAS DO SONO

Tema: CPAP NA SÍNDROME DA APNÉIA E HIPOPNÉIA OBSTRUTIVAS DO SONO Data: 01/11/2012 Nota Técnica 12 /2012 Solicitante: Dra. Elisandra Alice dos Santos Juíza de Ibiraci-MG Medicamento Material Procedimento Cobertura x Tema: CPAP NA SÍNDROME DA APNÉIA E HIPOPNÉIA OBSTRUTIVAS

Leia mais