Mecânica dos Fluidos

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Mecânica dos Fluidos"

Transcrição

1 Mecânica dos Fluidos Vladimir R. M. Cobas Mecânica dos fluidos Estuda o comportamento dos fluidos em repouso (estática) ou em movimento (dinâmica). O campo de estudo vai desde o escoamento do sangue dentro dos vasos sanguíneo com seção extremamente fina (biomecânica) até o escoamento em oleodutos com diâmetros de mais de 1 m e comprimentos de centenas de km. Muitas áreas da engenharia como: oceanografia, meteorologia, aeronáutica, química, mecânica, hidráulica, etc, precisam da mecânica dos fluidos para compreender fenômenos de transporte e estocagem de fluidos e projetar equipamentos. Todos os sistemas térmicos envolvem o estudo de fluidos. 1

2 plicações da mecânica dos fluidos Máquinas Motoras e Geradoras Redes de distribuição Regulagem hidráulica e eletro-hidráulica Transmissão e Controle hidráulico e pneumático coplamento e troca de marchas continuo Fluido Do ponto de vista da mecânica dos fluidos a matéria encontra-se somente em dois estados: sólido e fluido Como diferenciar sólido de fluido? Tensão de cisalhamento. Um fluido se deforma continuamente ao sofrer uma tensão de cisalhamento normal ou tangencial por muito pequena que esta seja. Fluidos podem ser líquidos ou gases. 2

3 Sólidos apresentam resistência à mudança de volume e forma Líquidos apresentam resistência à mudança de volume mas não de forma Gás não apresenta resistência à variação de forma nem de volume Sólidos e líquidos são pouco compressíveis, à diferença dos gases (de fácil compressibilidade) Nenhum corpo sólido liquido ou gás é estritamente incompressível. mecânica dos fluidos estuda fluidos supostos incompressíveis. Pressão num fluido em repouso, estática Força de superfície Força do corpo Força de pressão lateral Na direção vertical (z) Como o elemento de fluido está em repouso 3

4 Como as forças laterais se anulam. Se demonstra que a pressão não depende de x ou de y. Só resta: pressão varia com a elevação, o sinal (-) indica que a pressão cai a medida que nos colocamos a montante de um fluido em repouso Esta definição é valida para fluidos com cte e variável Pressão hidrostática para fluidos incompressíveis ( cte) com g cte: p2 p1 ( z2 z1) ou p1 p2 ( z2 z1) p p h 1 2 distribuição de pressão entre dois pontos é denominada Pressão hidrostática Para aplicações com líquidos se considera a superfície livre acima do liquido onde geralmente temos: patm p2 p0 Logo a distribuição de pressão hidrostática para a pressão p numa altura h abaixo da superfície livre: p h p 0 Ou seja para fluido incompressível a pressão varia linearmente com a profundidade 4

5 pressão num fluido incompressível em repouso depende só da h não das dimensões do reservatório Isto só é valido para fluidos com cte Medição da pressão p pode ser designada por valores absolutos ou manométricos. Uma pressão manométrica zero corresponde à pressão atmosférica local. lbf 10 psi (abs) ou 10 4,7 psi ou 4,7 de vácuo 2 in se a patm = 14,7 psi p abs é sempre positiva mas a monométrica não. 5

6 Para análise termodinâmica se utiliza a p abs. Para mecânica de fluidos geralmente se utiliza a pressão manométrica. pressão atmosférica se mede com o barômetro de mercúrio p atm =14,7 libf/in² p vap =2,3x10-5 libf/in² (abs) =847 libf/ft³ h=2,5 ft = 30 in = 0,762 m Manometria Colunas de liquido: Tubo Piezométrico Vantagens: simplicidade e precisão Desvantagens: só mede pressões maiores que a atmosférica, inviável para pressões elevadas, o fluido a medir deve ser um líquido e não um gás, o fluido medido é o mesmo do piezômetro. 6

7 Manômetro de tubo em U Simples Diferencial p h h p h h se o contem um gás p h 2 2 Densidade relativa D Relação entre a massa do corpo e o mesmo volume de água destilada na pressão atmosférica e 4 C. D Substancia D T C Água doce 1,00 4 Água de mar 1,02-1,03 4 Óleo Cru leve 0,86-0,88 15 Óleo Cru médio 0,88-0,90 15 Óleo Cru pesado 0,92-0,93 15 Kerosene 00,79-0,82 15 Gasolina comum 0,70-0,75 15 Óleo lubrificante 0,89-0,92 15 Óleo diesel 0,89-0,94 15 Álcool etílico 0,79-0,80 15 Glicerina 1,26 0 Mercúrio 13,6 0 H O 2 7

8 Ex. Um tanque de óleo fechado contem ar comprimido e óleo (D óleo =0,9). Um manômetro de tubo em U utilizando mercúrio (D Hg =13,6) é conectado ao tanque. Para as alturas das colunas h 1 =36 in, h 2 =6 in e h 3 =9 in. Determinar a pressão lida no medidor de pressão no topo do tanque. D é a gravidade específica ou densidade relativa dos fluidos usados, para obter o peso especifico: =D água p p h h 1 ar oleo 1 2 p p 1 2 ar oleo 1 2 Hg 3 p ( h h ) h 0 p D ( h h ) D h 0 ar oleo agua 1 2 Hg agua 3 lbf 36 6 lbf 9 par (0,9)(62,4 ) ft (13,6)(62,4 ) ft ft³ 12 ft³ 12 lbf lbf par ( psi) ft² in² Ex. vazão ou fluxo volumétrico, Q, através de uma tubulação pode ser determinado utilizando uma placa de orifício. O orifício cria uma queda de pressão no fluxo expressada pela equação Q K p pb onde K é uma cte que depende de da tubulação diametro do orifício e do fluxo a ser medido. queda de pressão pode ser medida utilizando um manômetro de tubo U. a)determinar uma equação para p -p B em termos do peso especifico do fluido medido, do fluido manométrico e das diferentes alturas envolvidas. b)determinar o valor da queda de pressão para 1 = 9,8 kn/m³, 2 =152 kn/m³ h 1 =1m, h 2 =0,5 m. 8

9 a) Solução p h h h h p p p h h h h B B p p h h h B b) kn p pb 0,5m15, 6 9,8 2,9kPa m³ Medidor de pressão Bourdon Medição de pressão 9

10 Transdutores de pressão Utilizam mudanças de tensão, resistência e capacitância. São mais compactos, sensíveis, rápidos, confiáveis e precisos. Podem medir diferença de pressão (dois transdutores integrados) Caros Água doce e de mar fluem em tubulações horizontais paralelas conectadas através de um manômetro de tubo em U duplo. Determinar a diferença de pressão entre as duas tubulações. Considere a densidade da água de mar ρ=1035 kg/m³. Pode-se ignorar a coluna de ar na análise? Nestes casos se soma quando desce e se resta quando sobe. 10

11 Ex. Água é pressurizada com ar num recipiente e sua pressão se mede por um manômetro de vários fluidos. Determinar a pressão do ar no recipiente se h 1 =0,2m, h 2 =0,3m e h 3 =0,46m. s densidade da água, óleo e mercúrio são 1000 kg/m³, 850 kg/m³ e kg/m³ respectivamente. pressão atmosférica no local é de 85,6 kpa. O tubo do manômetro está inclinado 35. densidade do líquido é de 0,81 kg/l e a diferença de altura é de 8cm. Determinar a pressão manométrica do ar no duto e a longitude da coluna de liquido no extremo inclinado a partir do nível do fluido no extremo vertical. 11

12 Força hidrostática sobre superfície plana Forças aplicadas pelo fluido em repouso sobre superfícies submersas num fluido São importantes no projeto de reservatórios, navios, barragens, etc. Para fluido incompressível a pressão é uniforme: F p R pressão não é uniforme nas paredes verticais do tanque Força resultante superfície inclinada Numa área d temos uma força atuante df=hd perpendicular à superfície isto se deve a que todas as pressões em d formam um sistema de forças magnitude desta força F hd ysend R Onde h=ysen com y e ctes R yd y (momento estático de ref a x) logo: F sen yd c F y sen ou F h R c R c Note-se que a F R é independente do angulo 12

13 magnitude depende apenas do, da área da superfície plana e da profundidade do centróide de abaixo da superfície força resultante não atua diretamente no centróide força resultante atua no centro de pressão deslocada do centróide em y R -y C Onde I xc é o momento de inércia da área plana em relação ao eixo que passa através do centróide. Valores de I xc para duas figuras geométricas muito usadas Uma comporta retangular de 2m de largura e 4 de altura é articulada em torno ao ponto 1. para uma profundidade da água indicada, determine a magnitude e a localização da força resultante exercida pela água sobre esta superficie. O da água é 9,8x10³ N/m³ 13

14 F h c R h c y sen c 5 FR (9,810³ N / m³) (8msen60 ) (8 m²) 5, 43x10 N y R I xc yc y c ba³ 2 (4 m)³ 4 Ixc 10,67m ,67m yr 8m8,17m 8 m(2m4 m) Prisma de pressão parentemente: h FR pmed 2 Considerando o volume do prisma: 1 h FR Vpr hbh 2 2 onde bh Na realidade a F deve passar pelo CP que para um triangulo h se encontra em 3 R 14

15 Flutuação É dada por uma força de empuxo que o fluido impõe sobre o corpo que flutua parcial ou totalmente sobre ele. Força vertical para acima inversa ao peso do corpo. V é o volume de fluído deslocado pelo corpo. Exemplo: tensão de um cabo que segura um corpo imerso é Onde W é o peso do corpo e T a tensão do cabo Principio de rquimedes. Flutuação Um corpo submerso está submetido a uma força F p1 igual ao peso do líquido em BCHE Pelo lado inferior uma força F p2 igual ao peso do líquido em BCDE Portanto o corpo recebe um empuxo de ascensão resultante F F F p2 p1 F é o peso do volume de liquido EHCD que o corpo desloca O principio de rquimedes diz que todo corpo submergido experimenta um empuxo ascensional igual ao peso de líquido que desloca. 15

16 Sobre o corpo submergido também atua o seu próprio peso W, assim: Se W > F o corpo afunda totalmente Se W < F o corpo flutua até que o peso do fluido deslocado seja igual a W Se W = F o corpo mantém-se submergido na posição em que isto acontece. Equilíbrio dos corpos totalmente submersos (submarinos) Desequilíbrios entre F e W provocam um momento tendo-se três casos: Se o centro de gravidade de W (G) de O (centro de flutuação de F ) o momento M tende a estabelecer o equilíbrio. Se G de O, o M aumenta o desvio (instável). Se G e O coincidem o equilíbrio é indiferente. W precisa estar o mais possível de O para garantir estabilidade 16

17 Para corpos parcialmente submersos. N-N.Plano de flutuação (onde a superfície livre da água corta o barco) E-E. Eixo de flutuação (normal ao plano de flutuação) G. Centro de gravidade do barco O. Centro de gravidade do liquido deslocado M. Meta-centro. Ponto de interseção do eixo de flutuação com a direção do empuxo F quando há inclinação Podem ocorrer três casos Se M está por cima de G o desvio de W e F cria um momento que re-estabelece o equilíbrio Se M se encontra G (concentração da carga na coberta do barco, o momento resultante de W e F tende a aumentar o desvio Se M coincide com G o equilíbrio é indiferente. 17

ESTÁTICA DE FLUIDOS. Introdução e Revisão de conceitos básicos

ESTÁTICA DE FLUIDOS. Introdução e Revisão de conceitos básicos ESTÁTCA DE FLUDOS ntrodução e Revisão de conceitos básicos Em qualquer ponto da superfície de um corpo submerso, a força exercida pelo fluido estático é perpendicular à superfície do objecto. A pressão

Leia mais

Fenômenos de Transporte

Fenômenos de Transporte Objetivos Fenômenos de Transporte I - Conceitos Fundamentais Identificar o campo de atuação da disciplina. Conceituar as variáveis básicas trabalhadas em Fenômenos de Transporte. Explanar sobre os conceitos

Leia mais

Desenho e Projeto de Tubulação Industrial Nível II

Desenho e Projeto de Tubulação Industrial Nível II Desenho e Projeto de Tubulação Industrial Nível II Módulo II Aula 05 1. Introdução A mecânica dos gases é a parte da Mecânica que estuda as propriedades dos gases. Na Física existem três estados da matéria

Leia mais

Mecânica dos Fluidos PROF. BENFICA benfica@anhanguera.com www.marcosbenfica.com

Mecânica dos Fluidos PROF. BENFICA benfica@anhanguera.com www.marcosbenfica.com Mecânica dos Fluidos PROF. BENFICA benfica@anhanguera.com www.marcosbenfica.com LISTA 2 Hidrostática 1) Um adestrador quer saber o peso de um elefante. Utilizando uma prensa hidráulica, consegue equilibrar

Leia mais

Pressão Atmosférica Empuxo

Pressão Atmosférica Empuxo 1 Pressão Atmosférica Empuxo Pressão Atmosférica 1. O que se entende por pressão atmosférica? A pressão atmosférica aumenta ou diminui com a altitude? Por quê? 2. É freqüente, em restaurantes, encontrar

Leia mais

Física Parte 2. Fórmulas para obtenção das grandezas: 1.Superfície 2.Volume 3.Densidades 4.Vazão 5.Pressão 6.Teorema de Pascal 7.

Física Parte 2. Fórmulas para obtenção das grandezas: 1.Superfície 2.Volume 3.Densidades 4.Vazão 5.Pressão 6.Teorema de Pascal 7. Física Parte 2 Fórmulas para obtenção das grandezas: 1.Superfície 2.Volume 3.Densidades 4.Vazão 5.Pressão 6.Teorema de Pascal 7.Empuxo Introdução A memorização de unidades para as diversas grandezas existentes

Leia mais

Capítulo 6 - Medição de pressão

Capítulo 6 - Medição de pressão 6.1 - Introdução A pressão significa força por unidade de área que atua sobre uma superfície. Unidades: - mmhg (milimetros de mercúrio) - mh 2 0 (metro de água) - psi (libras por polegada quadrada) - kgf/cm

Leia mais

Questão 2 Uma esfera de cobre de raio R0 é abandonada em repouso sobre um plano inclinado de forma a rolar ladeira abaixo. No entanto, a esfera

Questão 2 Uma esfera de cobre de raio R0 é abandonada em repouso sobre um plano inclinado de forma a rolar ladeira abaixo. No entanto, a esfera Questão 1 Na figura abaixo, vê-se um trecho de uma linha de produção de esferas. Para testar a resistência das esferas a impacto, são impulsionadas a partir de uma esteira rolante, com velocidade horizontal

Leia mais

Características de um fluido

Características de um fluido FLUIDOS - Propriedades Características de um fluido Gases e liquídos podem ambos ser considerados fluidos. Há certas características partilhadas por todos os fluidos que podem usar-se para distinguir liquidos

Leia mais

Elementos de Engenharia Civil 2007/2008. Enunciados dos problemas *

Elementos de Engenharia Civil 2007/2008. Enunciados dos problemas * DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL E ARQUITECTURA SECÇÁO DE HIDRÁULICA E RECURSOS HÍDRICOS E AMBIENTAIS Elementos de Engenharia Civil 2007/2008 2 SEMESTRE Enunciados dos problemas * (módulo de Hidráulica)

Leia mais

HIDROSTÁTICA ESTUDA O COMPORTAMENTO DOS LÍQUIDOS E GASES EM EQUILÍBRIO.

HIDROSTÁTICA ESTUDA O COMPORTAMENTO DOS LÍQUIDOS E GASES EM EQUILÍBRIO. ESTUDA O COMPORTAMENTO DOS LÍQUIDOS E GASES EM EQUILÍBRIO. Teorema de ARQUIMEDES Teorema de STEVIN Pressão atmosférica (Torricelli) Princípio de PASCAL Na construção de petroleiros num estaleiro espanhol,

Leia mais

Técnicas adotas para seu estudo: soluções numéricas (CFD); experimentação (análise dimensional); teoria da camada-limite.

Técnicas adotas para seu estudo: soluções numéricas (CFD); experimentação (análise dimensional); teoria da camada-limite. Escoamento externo Técnicas adotas para seu estudo: soluções numéricas (CFD); experimentação (análise dimensional); teoria da camada-limite. Soluções numéricas, hoje um campo interessante de pesquisa e

Leia mais

Bacharelado Engenharia Civil

Bacharelado Engenharia Civil Bacharelado Engenharia Civil Disciplina: Física Geral e Experimental I Força e Movimento- Leis de Newton Prof.a: Msd. Érica Muniz Forças são as causas das modificações no movimento. Seu conhecimento permite

Leia mais

Exercícios de FTC Prof.: Doalcey Antunes Ramos

Exercícios de FTC Prof.: Doalcey Antunes Ramos Exercícios de FTC Prof.: Doalcey Antunes Ramos 1- Numa tubulação escoa hidrogênio (R = 4122m²/s²K). Em uma seção (1), p 1 = 3x10 5 Pa e T 1 = 30 C. Ao longo da tubulação a temperatura mantém-se constante.

Leia mais

HIDROSTÁTICA PRESSÃO DENSIDADE RELATIVA. MASSA ESPECÍFICA (densidade absoluta) TEOREMA FUNDAMENTAL DA HIDROSTÁTICA (Teorema de Stevin)

HIDROSTÁTICA PRESSÃO DENSIDADE RELATIVA. MASSA ESPECÍFICA (densidade absoluta) TEOREMA FUNDAMENTAL DA HIDROSTÁTICA (Teorema de Stevin) Física Aula 05 Prof. Oromar UMA PARCERIA Visite o Portal dos Concursos Públicos WWW.CURSOAPROVACAO.COM.BR Visite a loja virtual www.conquistadeconcurso.com.br MATERIAL DIDÁTICO EXCLUSIVO PARA ALUNOS DO

Leia mais

a) Uma gota de orvalho sobre uma superfície encerada (pode ser a de um automóvel). As moléculas da água aderem fracamente à cera e fortemente entre

a) Uma gota de orvalho sobre uma superfície encerada (pode ser a de um automóvel). As moléculas da água aderem fracamente à cera e fortemente entre Tensão superficial a) Uma gota de orvalho sobre uma superfície encerada (pode ser a de um automóvel). As moléculas da água aderem fracamente à cera e fortemente entre si, então a água se junta. A tensão

Leia mais

Perguntas. UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS INSTITUTO DE FÍSICA E MATEMÁTICA Departamento de Física Disciplina: Física Básica II

Perguntas. UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS INSTITUTO DE FÍSICA E MATEMÁTICA Departamento de Física Disciplina: Física Básica II UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS INSTITUTO DE FÍSICA E MATEMÁTICA Departamento de Física Disciplina: Física Básica II Perguntas Lista de Exercícios - FLUIDOS 1. A figura 1 mostra um tanque cheio de água.

Leia mais

Instrumentação Industrial Autor: Perez. Instrumentação - Nível 1

Instrumentação Industrial Autor: Perez. Instrumentação - Nível 1 Instrumentação Industrial Autor: Perez Instrumentação - Nível 1 AULA V - Instrumentos de Nível Instrumentação - Nível 2 Objetivos Estudar Elementos e Transmissores de Nível Mais Utilizados Precisar Inventários

Leia mais

Projeto rumo ao ita. Química. Exercícios de Fixação. Exercícios Propostos. Termodinâmica. ITA/IME Pré-Universitário 1. 06. Um gás ideal, com C p

Projeto rumo ao ita. Química. Exercícios de Fixação. Exercícios Propostos. Termodinâmica. ITA/IME Pré-Universitário 1. 06. Um gás ideal, com C p Química Termodinâmica Exercícios de Fixação 06. Um gás ideal, com C p = (5/2)R e C v = (3/2)R, é levado de P 1 = 1 bar e V 1 t = 12 m³ para P 2 = 12 bar e V 2 t = 1m³ através dos seguintes processos mecanicamente

Leia mais

Lista de Exercícios #3 Retirados do livro Mecânica dos Fluidos Frank M. White 4ª e 6ª Edições

Lista de Exercícios #3 Retirados do livro Mecânica dos Fluidos Frank M. White 4ª e 6ª Edições Lista de Exercícios #3 Retirados do livro Mecânica dos Fluidos Frank M. White 4ª e 6ª Edições 3.3 Para escoamento permanente com baixos números de Reynolds (laminar) através de um tubo longo, a distribuição

Leia mais

Medição de Nível. Profa. Michelle Mendes Santos

Medição de Nível. Profa. Michelle Mendes Santos Medição de Nível Profa. Michelle Mendes Santos Introdução Medir a variável nível em processos industriais é quantificar referenciais por meio da monitoração contínua ou discreta com o objetivo de avaliar

Leia mais

Desenho e Projeto de Tubulação Industrial

Desenho e Projeto de Tubulação Industrial Desenho e Projeto de Tubulação Industrial Módulo IV Aula 01 Bombas São máquinas acionadas que recebem energia mecânica de uma fonte motora (máquina acionadora) e a transformam em energia cinética (movimento),

Leia mais

AULA 2005 - - 7 QUESTÃO

AULA 2005 - - 7 QUESTÃO AULA 7 QUSTÃO 7 Para resolver o problema, faça Pa = Pb. Pa = pressão atmosférica = 2 atm = 2 x 76 cmhg = 152 cmhg Ou seja, Pa é a pressão exercida por uma coluna de Hg de 152 cm de altura. Pa = d.g.h =

Leia mais

Atividade extra. Exercício 1. Exercício 2. Matemática e suas Tecnologias Matemática

Atividade extra. Exercício 1. Exercício 2. Matemática e suas Tecnologias Matemática Atividade extra Exercício 1 A figura ilustra a planificação da superfície lateral de um cilindro reto de 10 metros de altura. Considere π = 3,14. Qual o valor da área total desse cilindro, em metros quadrados?

Leia mais

A Equação de Bernoulli

A Equação de Bernoulli Aula 4 A equação de Bernoulli Objetivos O aluno deverá ser capaz de: Descrever a dinâmica de escoamento de um fluido. Deduzir a Equação de Bernoulli. Aplicar a Equação de Bernoulli e a Equação da Continuidade

Leia mais

PRÁTICA 12: VISCOSIDADE DE LÍQUIDOS

PRÁTICA 12: VISCOSIDADE DE LÍQUIDOS PRÁTICA 12: VISCOSIDADE DE LÍQUIDOS Viscosidade é uma característica dos líquidos que está relacionada com a sua habilidade de fluir. Quanto maior a viscosidade de um líquido (ou de uma solução) mais difícil

Leia mais

2. PROPRIEDADES GERAIS DOS FLUIDOS

2. PROPRIEDADES GERAIS DOS FLUIDOS 2. PROPRIEDADES GERAIS DOS FLUIDOS MASSA ESPECÍFICA: Representa a relação entre a massa de uma determinada substância e o volume ocupado por ela. A massa específica pode ser quantificada através da aplicação

Leia mais

Física Fascículo 06 Eliana S. de Souza Braga

Física Fascículo 06 Eliana S. de Souza Braga Física Fascículo 06 Eliana S. de Souza Braga Índice Estática e hidrostática Resumo Teórico...1 Exercícios...2 Gabarito...5 Estática e hidrostática Resumo Teórico Estática do ponto material: Equilíbrio

Leia mais

e R 2 , salta no ar, atingindo sua altura máxima no ponto médio entre A e B, antes de alcançar a rampa R 2

e R 2 , salta no ar, atingindo sua altura máxima no ponto médio entre A e B, antes de alcançar a rampa R 2 FÍSICA 1 Uma pista de skate, para esporte radical, é montada a partir de duas rampas R 1 e R 2, separadas entre A e B por uma distância D, com as alturas e ângulos indicados na figura. A pista foi projetada

Leia mais

Escoamentos Internos

Escoamentos Internos Escoamentos Internos Escoamento Interno Perfil de velocidades e transição laminar/turbulenta Perfil de temperaturas Perda de carga em tubulações Determinação da perda de carga distribuída Determinação

Leia mais

2. Fundamentos Teóricos

2. Fundamentos Teóricos 2. Fundamentos Teóricos 2.1. Conceitos Metrológicos 2.1.1. O Sistema Internacional de Unidades O Sistema Internacional de Unidades ( SI ) está dividido em duas classes ; - Unidades de Base - Unidades derivadas

Leia mais

PROCESSO SELETIVO TURMA DE 2010 FASE 1 PROVA DE FÍSICA E SEU ENSINO

PROCESSO SELETIVO TURMA DE 2010 FASE 1 PROVA DE FÍSICA E SEU ENSINO PROCESSO SELETIVO TURM DE 2010 FSE 1 PROV DE FÍSIC E SEU ENSINO Caro professor, esta prova tem 4 (quatro) questões, com valores diferentes indicados nas próprias questões. Duas das questões são objetivas,

Leia mais

(pode ser qualquer edição, mas cuidado com as referências às seções do cronograma)

(pode ser qualquer edição, mas cuidado com as referências às seções do cronograma) FIS1041 FLUIDOS e TERMODINÂMICA Livro Texto - Fundamentos de Física 2 Halliday, Resnick, Walker 8 a Edição (9ª Edição 2012) Outra Referência Sears e Zemansky Física II Young & Freedman 12ª Edição (pode

Leia mais

Universidade Federal do Rio Grande do Sul Escola de Engenharia Departamento de Engenharia Civil. Mecânica Vetorial ENG01035

Universidade Federal do Rio Grande do Sul Escola de Engenharia Departamento de Engenharia Civil. Mecânica Vetorial ENG01035 Universidade Federal do Rio Grande do Sul Escola de Engenharia Departamento de Engenharia Civil EXERCÍCIOS D 2 a. ÁRE Mecânica Vetorial ENG035 LIST DE PROLEMS DE PROV CENTRO DE GRVIDDE 1) peça representada

Leia mais

1. Nesta figura, está representada, de forma esquemática, a órbita de um cometa em torno do Sol:

1. Nesta figura, está representada, de forma esquemática, a órbita de um cometa em torno do Sol: 1. Nesta figura, está representada, de forma esquemática, a órbita de um cometa em torno do Sol: Nesse esquema, estão assinalados quatro pontos P, Q, R ou S da órbita do cometa. a) Indique em qual dos

Leia mais

CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE SÃO PAULO CEFET-SP. Instrumentação Industrial - ITI Medição de Pressão. Força por unidade de área F A.

CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE SÃO PAULO CEFET-SP. Instrumentação Industrial - ITI Medição de Pressão. Força por unidade de área F A. CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE SÃO PAULO CEFET-SP Instrumentação Industrial - ITI Medição de Pressão Definição - I Força por unidade de área p = Força (F) grandeza vetorial Área (A) grandeza

Leia mais

1ª Lista de exercícios de Física 2 ( Fluidos)

1ª Lista de exercícios de Física 2 ( Fluidos) Unesp UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA Campus de Sorocaba Engenharia Ambiental Profa. Maria Lúcia Antunes 1ª Lista de exercícios de Física 2 ( Fluidos) 1) Encontre o aumento de pressão de um fluido em uma

Leia mais

Universidade de São Paulo Departamento de Geografia FLG 0253 - Climatologia I. Pressão Atmosférica

Universidade de São Paulo Departamento de Geografia FLG 0253 - Climatologia I. Pressão Atmosférica Universidade de São Paulo Departamento de Geografia FLG 0253 - Climatologia I Pressão Atmosférica Prof. Dr. Emerson Galvani Laboratório de Climatologia e Biogeografia LCB Questão motivadora: Observamos

Leia mais

Vou resolver algumas questões com você. Em seguida será a sua vez de testar o aprendizado.

Vou resolver algumas questões com você. Em seguida será a sua vez de testar o aprendizado. Vou resolver algumas questões com você. Em seguida será a sua vez de testar o aprendizado. QUESTÃO 1 Suponha que Xandão deseje beber água num canudinho, numa cidade onde a pressão atmosférica vale 1 atm.

Leia mais

DISCIPLINA AMB30093 TERMODINÂMICA - Aula 3 17/10/2013. Prof. Robson Alves de Oliveira robson.aoliveira@gmail.com.br robson.oliveira@unir.

DISCIPLINA AMB30093 TERMODINÂMICA - Aula 3 17/10/2013. Prof. Robson Alves de Oliveira robson.aoliveira@gmail.com.br robson.oliveira@unir. DISCIPLINA AMB30093 TERMODINÂMICA - Aula 3 17/10/2013 Prof. Robson Alves de Oliveira robson.aoliveira@gmail.com.br robson.oliveira@unir.br Ji-Paraná - 2013 Porque a água atinge o seu ponto máximo em 3,98

Leia mais

MEMORIAL DE CÁLCULO 012310/1-0

MEMORIAL DE CÁLCULO 012310/1-0 1 SSC MEMORIAL DE CÁLCULO 012310/1-0 ANDAIME FACHADEIRO CONTRATANTE: Nopin Brasil Equipamentos para Construção Civil Ltda ENDEREÇO: Rodovia RS 122 nº 7470 Pavilhões 10 e 11 95110-310 Caxias do Sul - RS

Leia mais

Assinale a alternativa que contém o gráfico que representa a aceleração em função do tempo correspondente ao movimento do ponto material.

Assinale a alternativa que contém o gráfico que representa a aceleração em função do tempo correspondente ao movimento do ponto material. Física 53. O gráfico da velocidade em função do tempo (em unidades aritrárias), associado ao movimento de um ponto material ao longo do eixo x, é mostrado na figura aaixo. Assinale a alternativa que contém

Leia mais

Mecânica dos Fluidos. Unidade 1- Propriedades Básicas dos Fluidos

Mecânica dos Fluidos. Unidade 1- Propriedades Básicas dos Fluidos Mecânica dos Fluidos Unidade 1- Propriedades Básicas dos Fluidos Quais as diferenças fundamentais entre fluido e sólido? Fluido é mole e deformável Sólido é duro e muito Sólido é duro e muito pouco deformável

Leia mais

Mecânica dos Fluidos. Prof. Engº Franco Brunetti.

Mecânica dos Fluidos. Prof. Engº Franco Brunetti. Mecânica dos Fluidos. Prof. Engº Franco Brunetti. Resolução dos Exercícios. Por Josenei Godoi( Dúvidas,sugestões ou correções enviar email para joseneigodoi@yahoo.com.br). Resumo de fórmulas: - Tensão

Leia mais

Fundamentos de Medição de Pressão

Fundamentos de Medição de Pressão Fundamentos de Medição de Pressão Fonte: Simone Acosta Medição de pressão é o mais importante padrão de medida, pois as medidas de vazão, nível etc. podem ser feitas utilizando-se esse princípio. Pressão

Leia mais

Terceira Lista de Exercícios

Terceira Lista de Exercícios Universidade Católica de Petrópolis Disciplina: Resitência dos Materiais I Prof.: Paulo César Ferreira Terceira Lista de Exercícios 1. Calcular o diâmetro de uma barra de aço sujeita a ação de uma carga

Leia mais

Escoamento incompressível de fluidos não viscosos

Escoamento incompressível de fluidos não viscosos Quando queremos obter parâmetros do moimento (seja de sólidos ou fluidos) aplicamos o princípio de conseração de energia. Quando desprezamos o atrito: soma da energia cinética e da energia potencial graitacional

Leia mais

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO ESCOLA SUPERIOR DE AGRICULTURA LUIZ DE QUEIROZ DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA DE BIOSSISTEMAS ROTEIRO DE AULA

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO ESCOLA SUPERIOR DE AGRICULTURA LUIZ DE QUEIROZ DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA DE BIOSSISTEMAS ROTEIRO DE AULA 1 UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO ESCOLA SUPERIOR DE AGRICULTURA LUIZ DE QUEIROZ DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA DE BIOSSISTEMAS LEB 0472 HIDRÁULICA Prof. Fernando Campos Mendonça ROTEIRO DE AULA - Recordar massa

Leia mais

Questão 1. Questão 2. Resposta

Questão 1. Questão 2. Resposta aceleração da gravidade na Terra, g = 10 m/s densidade da água, a qualquer temperatura, ρ = 1000 kg/m 3 = 1 g/cm 3 velocidade da luz no vácuo = 3,0 10 8 m/s calor específico da água 4 J/( o C g) 1 caloria

Leia mais

= + + = = + = = + 0 AB

= + + = = + = = + 0 AB FÍSIC aceleração da gravidade na Terra, g 0 m/s densidade da água, a qualquer temperatura, r 000 kg/m 3 g/cm 3 velocidade da luz no vácuo 3,0 x 0 8 m/s calor específico da água @ 4 J/(ºC g) caloria @ 4

Leia mais

1 CONCEITUAÇÃO DAS GRANDEZAS USADAS NOS BALANÇOS DE MASSA E ENERGIA

1 CONCEITUAÇÃO DAS GRANDEZAS USADAS NOS BALANÇOS DE MASSA E ENERGIA 1 CONCEITUAÇÃO DAS GRANDEZAS USADAS NOS BALANÇOS DE MASSA E ENERGIA 1.1 QUANTIDADE DE MATÉRIA (N) Mol A palavra mol parece ter sido introduzida por William Ostwald em 1896 e tem origem no Latim (moles)

Leia mais

MÓDULO 03 - PROPRIEDADES DO FLUIDOS. Bibliografia

MÓDULO 03 - PROPRIEDADES DO FLUIDOS. Bibliografia MÓDULO 03 - PROPRIEDADES DO FLUIDOS Bibliografia 1) Estática dos Fluidos Professor Dr. Paulo Sergio Catálise Editora, São Paulo, 2011 CDD-620.106 2) Introdução à Mecânica dos Fluidos Robert W. Fox & Alan

Leia mais

NORMA TÉCNICA MEDIÇÃO DE VAZÃO DE EFLUENTES LÍQUIDOS ESCOAMENTO LIVRE CPRH N 2.004

NORMA TÉCNICA MEDIÇÃO DE VAZÃO DE EFLUENTES LÍQUIDOS ESCOAMENTO LIVRE CPRH N 2.004 NORMA TÉCNICA MEDIÇÃO DE VAZÃO DE EFLUENTES LÍQUIDOS ESCOAMENTO LIVRE CPRH N 2.004 MEDIÇÃO DE VAZÃO DE EFLUENTES LÍQUIDOS ESCOAMENTO LIVRE 1 OBJETIVO Esta Norma fixa as condições exigíveis para a indicação

Leia mais

I NST R UM ENTAÇÃO I N D UST RI AL EN G3 5 01 P RO F ª. L ET Í CI A CHAV ES FO NSECA

I NST R UM ENTAÇÃO I N D UST RI AL EN G3 5 01 P RO F ª. L ET Í CI A CHAV ES FO NSECA Medição INSTRUMENTAÇÃO INDUSTRIAL ENG3501 PROFª. LETÍCIA CHAVES FONSECA Medição 1. INTRODUÇÃO 2. CONCEITOS DE PRESSÃO 3. DISPOSITIVOS DE MEDIÇÃO DE PRESSÃO 4. BIBLIOGRAFIA 2 1. Introdução Medição de pressão

Leia mais

MEDIÇÃO DE PRESSÃO -0-

MEDIÇÃO DE PRESSÃO -0- MEDIÇÃO DE PRESSÃO -0- SUMÁRIO 1 - PRESSÃO 2 2.1 - MEDIÇÃO DE PRESSÃO 2 2.2 - PRESSÃO ATMOSFÉRICA 2 2.3 - PRESSÃO RELATIVA POSITIVA OU MANOMÉTRICA 2 2.4 - PRESSÃO ABSOLUTA 2 2.5 - PRESSÃO RELATIVA NEGATIVA

Leia mais

3.0 Resistência ao Cisalhamento dos Solos

3.0 Resistência ao Cisalhamento dos Solos 3.0 Resistência ao Cisalhamento dos Solos 3.1 INTRODUÇÃO Vários materiais sólidos empregados em construção normalmente resistem bem as tensões de compressão, porém têm uma capacidade bastante limitada

Leia mais

FÍSICA CADERNO DE QUESTÕES

FÍSICA CADERNO DE QUESTÕES CONCURSO DE ADMISSÃO AO CURSO DE FORMAÇÃO E GRADUAÇÃO FÍSICA CADERNO DE QUESTÕES 2015 1 a QUESTÃO Valor: 1,00 Uma mola comprimida por uma deformação x está em contato com um corpo de massa m, que se encontra

Leia mais

3B SCIENTIFIC PHYSICS

3B SCIENTIFIC PHYSICS 3B SCIENTIFIC PHYSICS Osciloscópio didático U8481350 Instruções para o uso 01/08 CW/ALF Entradas: 1 Tensão anódica 2 Tensão catódica 3 Tensão de Wehnelt 4 Tensão de aquecimento (0) 5 Tensão de aquecimento

Leia mais

FUVEST 2000-2 a Fase - Física - 06/01/2000 ATENÇÃO

FUVEST 2000-2 a Fase - Física - 06/01/2000 ATENÇÃO ATENÇÃO VERIFIQUE SE ESTÃO IMPRESSOS EIXOS DE GRÁFICOS OU ESQUEMAS, NAS FOLHAS DE RESPOSTAS DAS QUESTÕES 1, 2, 4, 9 e 10. Se notar a falta de uma delas, peça ao fiscal de sua sala a substituição da folha.

Leia mais

Nível é a altura do conteúdo de um reservatório que pode ser sólido ou líquido. Os três tipos básicos de medição de nível são: a) direto b) indireto

Nível é a altura do conteúdo de um reservatório que pode ser sólido ou líquido. Os três tipos básicos de medição de nível são: a) direto b) indireto 4 NÍVEL Nível é a altura do conteúdo de um reservatório que pode ser sólido ou líquido. Os três tipos básicos de medição de nível são: a) direto b) indireto 4.1 Medição Direta É a medição que tomamos como

Leia mais

PROVAESCRITA CARGO: ENGENHARIA CIVIL I

PROVAESCRITA CARGO: ENGENHARIA CIVIL I MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO SUL DE MINAS GERAIS CONCURSO PÚBLICO DE DOCENTES DO QUADRO EFETIVO EDITAL

Leia mais

1 a QUESTÃO Valor 1,0

1 a QUESTÃO Valor 1,0 1 a QUESTÃO Valor 1,0 Um esquimó aguarda a passagem de um peixe sob um platô de gelo, como mostra a figura abaixo. Ao avistá-lo, ele dispara sua lança, que viaja com uma velocidade constante de 50 m/s,

Leia mais

TÉCNICO(A) DE ESTABILID

TÉCNICO(A) DE ESTABILID 8 TARDE MARÇO / 00 TÉCNICO(A) DE ESTAILID AILIDADE ADE JÚNIOR CONHECIMENTOS OS ESPECÍFICOS LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES AAIXO. 0 - Você recebeu do fiscal o seguinte material: a) este caderno, com os

Leia mais

Unidade V - Estática e Dinâmica dos Fluidos

Unidade V - Estática e Dinâmica dos Fluidos 49 Unidade V - Estática e Dinâmica dos Fluidos fig. V.. Atmosfera terrestre é uma camada essencialmente gasosa um fluido. Na segunda parte da figura podemos ver a um fluido em movimento escoando em um

Leia mais

Pressão Estática, de Estagnação e Dinâmica

Pressão Estática, de Estagnação e Dinâmica Pressão Estática, de Estagnação e Dinâmica p V gz cte p 1 V z cte A pressão p que aparece na equação de Bernoulli é a pressão termodinâmica, comumente chamada de pressão estática. Para medirmos p, poderíamos

Leia mais

18 a QUESTÃO Valor: 0,25

18 a QUESTÃO Valor: 0,25 6 a A 0 a QUESTÃO FÍSICA 8 a QUESTÃO Valor: 0,25 6 a QUESTÃO Valor: 0,25 Entre as grandezas abaixo, a única conservada nas colisões elásticas, mas não nas inelásticas é o(a): 2Ω 2 V 8Ω 8Ω 2 Ω S R 0 V energia

Leia mais

Vibrações Mecânicas. Vibração Livre Sistemas com 1 GL. Ramiro Brito Willmersdorf ramiro@willmersdorf.net

Vibrações Mecânicas. Vibração Livre Sistemas com 1 GL. Ramiro Brito Willmersdorf ramiro@willmersdorf.net Vibrações Mecânicas Vibração Livre Sistemas com 1 GL Ramiro Brito Willmersdorf ramiro@willmersdorf.net Departamento de Engenharia Mecânica Universidade Federal de Pernambuco 2015.1 Introdução Modelo 1

Leia mais

Medição de Nível Parte 2. Adrielle C. Santana

Medição de Nível Parte 2. Adrielle C. Santana Medição de Nível Parte 2 Adrielle C. Santana Da aula passada... Pressão Hidrostática => P= gh Supressão de Zero Para maior facilidade de manutenção e acesso ao instrumento, muitas vezes o transmissor é

Leia mais

Processos em Engenharia: Modelagem Matemática de Sistemas Fluídicos

Processos em Engenharia: Modelagem Matemática de Sistemas Fluídicos Processos em Engenharia: Modelagem Matemática de Sistemas Fluídicos Prof. Daniel Coutinho coutinho@das.ufsc.br Departamento de Automação e Sistemas DAS Universidade Federal de Santa Catarina UFSC DAS 5101

Leia mais

Soluções das Questões de Física da Universidade do Estado do Rio de Janeiro UERJ

Soluções das Questões de Física da Universidade do Estado do Rio de Janeiro UERJ Soluções das Questões de Física da Universidade do Estado do Rio de Janeiro UERJ º Exame de Qualificação 011 Questão 6 Vestibular 011 No interior de um avião que se desloca horizontalmente em relação ao

Leia mais

n 1 L 1 n 2 L 2 Supondo que as ondas emergentes podem interferir, é correto afirmar que

n 1 L 1 n 2 L 2 Supondo que as ondas emergentes podem interferir, é correto afirmar que QUESTÃO 29 QUESTÃO 27 Uma escada de massa m está em equilíbrio, encostada em uma parede vertical, como mostra a figura abaixo. Considere nulo o atrito entre a parede e a escada. Sejam µ e o coeficiente

Leia mais

1.1.2 PROPRIEDADES FUNDAMENTAIS DOS FLUIDOS

1.1.2 PROPRIEDADES FUNDAMENTAIS DOS FLUIDOS UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS ESCOLA DE AGRONOMIA E ENGENHARIA DE ALIMENTOS SETOR DE ENGENHARIA RURAL Prof. Adão Wagner Pêgo Evangelista 1.1.2 PROPRIEDADES FUNDAMENTAIS DOS FLUIDOS A) MASSA ESPECÍFICA

Leia mais

Problemas de Fluidos

Problemas de Fluidos Problemas de Fluidos DADOS: ρ água = g cm 3 γ água = 0,073 N m ρ mercúrio = 3,6 g cm 3 γ mercúrio = 0,54 N m ρ glicerina =,6 g cm 3 ρ ar =,5 kg m 3 g = 9,8 m s Densidade; Pressão; Tensão Superficial; Capilaridade

Leia mais

3) Uma mola de constante elástica k = 400 N/m é comprimida de 5 cm. Determinar a sua energia potencial elástica.

3) Uma mola de constante elástica k = 400 N/m é comprimida de 5 cm. Determinar a sua energia potencial elástica. Lista para a Terceira U.L. Trabalho e Energia 1) Um corpo de massa 4 kg encontra-se a uma altura de 16 m do solo. Admitindo o solo como nível de referência e supondo g = 10 m/s 2, calcular sua energia

Leia mais

PNEUMÁTICA SENAI CETEMP

PNEUMÁTICA SENAI CETEMP PNEUMÁTICA SENAI CETEMP PNEUMÁTICA É um sistema que torna possível a utilização do ar para geração de energia mecânica. Exemplos Exemplos Comparação Energia Hidráulica Elétrica Pneumática Transmissão

Leia mais

Fluidos FLUIDOS. A Mecânica dos Fluidos estuda o comportamento de fluidos em repouso e em movimento.

Fluidos FLUIDOS. A Mecânica dos Fluidos estuda o comportamento de fluidos em repouso e em movimento. FLUIDOS A Mecânica dos Fluidos estuda o comportamento de fluidos em repouso e em movimento. Porquê estudar Fluidos? Fluido é o ar que respiramos, a água que bebemos... O sangue, o mar, a atmosfera, são

Leia mais

DATA: 17/12/2015 VALOR: 20,0 NOTA: NOME COMPLETO:

DATA: 17/12/2015 VALOR: 20,0 NOTA: NOME COMPLETO: DISCIPLINA: FÍSICA PROFESSORES: Erich/ André NOME COMPLETO: I N S T R U Ç Õ E S DATA: 17/12/2015 VALOR: 20,0 NOTA: ASSUNTO: TRABALHO DE RECUPERAÇÃO FINAL SÉRIE: 1 a EM Circule a sua turma: Funcionários:

Leia mais

1 a QUESTÃO: (1,5 ponto) Avaliador Revisor

1 a QUESTÃO: (1,5 ponto) Avaliador Revisor 1 a QUESTÃO: (1,5 ponto) Avaliador Revisor Um mol de um gás ideal é levado do estado A para o estado B, de acordo com o processo representado no diagrama pressão versus volume conforme figura abaixo: a)

Leia mais

LISTA de HIDROSTÁTICA PROFESSOR ANDRÉ

LISTA de HIDROSTÁTICA PROFESSOR ANDRÉ LISTA de HIDROSTÁTICA PROFESSOR ANDRÉ 1. (Unesp 013) Seis reservatórios cilíndricos, superiormente abertos e idênticos (A, B, C, D, E e F) estão apoiados sobre uma superfície horizontal plana e ligados

Leia mais

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS DEPARTAMENTO DE MATEMÁTICA E FÍSICA Professor: Renato Medeiros EXERCÍCIOS NOTA DE AULA IV Goiânia - 2014 EXERCÍCIOS 1. Uma partícula eletrizada positivamente é

Leia mais

IME - 2003 2º DIA FÍSICA BERNOULLI COLÉGIO E PRÉ-VESTIBULAR

IME - 2003 2º DIA FÍSICA BERNOULLI COLÉGIO E PRÉ-VESTIBULAR IME - 2003 2º DIA FÍSICA BERNOULLI COLÉGIO E PRÉ-VESTIBULAR Física Questão 01 Um pequeno refrigerador para estocar vacinas está inicialmente desconectado da rede elétrica e o ar em seu interior encontra-se

Leia mais

V = 0,30. 0,20. 0,50 (m 3 ) = 0,030m 3. b) A pressão exercida pelo bloco sobre a superfície da mesa é dada por: P 75. 10 p = = (N/m 2 ) A 0,20.

V = 0,30. 0,20. 0,50 (m 3 ) = 0,030m 3. b) A pressão exercida pelo bloco sobre a superfície da mesa é dada por: P 75. 10 p = = (N/m 2 ) A 0,20. 11 FÍSICA Um bloco de granito com formato de um paralelepípedo retângulo, com altura de 30 cm e base de 20 cm de largura por 50 cm de comprimento, encontra-se em repouso sobre uma superfície plana horizontal.

Leia mais

Exercícios Segunda Prova FTR

Exercícios Segunda Prova FTR Eercícios Segunda Prova FTR Dados gerais: g=9,81 m/s 2 =32,2 ft/s 2 ρ H2O =999 kg/m 3 =1,94 slug/ft 3 1) Considere um escoamento permanente e incompressível, através do dispositivo mostrado. Determine

Leia mais

Olimpíada Brasileira de Física 2001 2ª Fase

Olimpíada Brasileira de Física 2001 2ª Fase Olimpíada Brasileira de Física 2001 2ª Fase Gabarito dos Exames para o 1º e 2º Anos 1ª QUESTÃO Movimento Retilíneo Uniforme Em um MRU a posição s(t) do móvel é dada por s(t) = s 0 + vt, onde s 0 é a posição

Leia mais

LISTA 3 - Prof. Jason Gallas, DF UFPB 10 de Junho de 2013, às 14:26. Jason Alfredo Carlson Gallas, professor titular de física teórica,

LISTA 3 - Prof. Jason Gallas, DF UFPB 10 de Junho de 2013, às 14:26. Jason Alfredo Carlson Gallas, professor titular de física teórica, Exercícios Resolvidos de Física Básica Jason Alfredo Carlson Gallas, professor titular de física teórica, Doutor em Física pela Universidade udwig Maximilian de Munique, Alemanha Universidade Federal da

Leia mais

- Introdução à Natação - Princípios físicos aplicados ao meio líquido - Adaptação ao meio líquido

- Introdução à Natação - Princípios físicos aplicados ao meio líquido - Adaptação ao meio líquido - Introdução à Natação - Princípios físicos aplicados ao meio líquido - Adaptação ao meio líquido Como introdução, VAMOS REFLETIR SOBRE ALGUNS CONCEITOS O QUE SÃO ATIVIDADES AQUÁTICAS? O QUE É NADAR? O

Leia mais

Trabalho realizado por: Bento Rosa Nº1 João Matoso Nº9

Trabalho realizado por: Bento Rosa Nº1 João Matoso Nº9 Trabalho realizado por: Bento Rosa Nº1 João Matoso Nº9 Introdução Neste trabalho vamos falar sobre o Principio da Hidrostática (Onde surgiu, como surgiu e quem a inventou). Introdução da Hidrostática Hidrostática

Leia mais

d= 0.8m E y cp = y cg + Y cg =0.4m y cp = 0.533 m d= 0.8m E= 320 kgf Y cp =0.533 a ) Cálculo do módulo do empuxo: E = h cg γ A

d= 0.8m E y cp = y cg + Y cg =0.4m y cp = 0.533 m d= 0.8m E= 320 kgf Y cp =0.533 a ) Cálculo do módulo do empuxo: E = h cg γ A 0) Uma caixa de água de 800litros mede 1.0 x 1.0 x 0.80m. Determinar o empuxo ( em kgf) que atua em uma de suas paredes laterais e a profundidade de seu ponto de aplicação (Y cp ) b1.0m cg : 0 d 0.8m cp

Leia mais

Critérios de Resistência

Critérios de Resistência Critérios de Resistência Coeficiente de segurança ensão uivalente Seja um ponto qualquer, pertencente a um corpo em uilíbrio, submetido a um estado de tensões cujas tensões principais estão representadas

Leia mais

Cap. 24. Gases perfeitos. 21 questões

Cap. 24. Gases perfeitos. 21 questões Cap 24 Gases perfeitos 21 questões 357 Gases perfeitos 01 UFFRJ 1 a Fase 20 Nas cidades I e II não há tratamento de água e a população utiliza a ebulição para reduzir os riscos de contaminação A cidade

Leia mais

Escolha sua melhor opção e estude para concursos sem gastar nada

Escolha sua melhor opção e estude para concursos sem gastar nada Escolha sua melhor opção e estude para concursos sem gastar nada VALORES DE CONSTANTES E GRANDEZAS FÍSICAS - aceleração da gravidade g = 10 m/s 2 - calor específico da água c = 1,0 cal/(g o C) = 4,2 x

Leia mais

SENSORES INDUSTRIAIS

SENSORES INDUSTRIAIS SENSORES INDUSTRIAIS Sensores: são dispositivos que transformam grandezas físicas em um sinal Sensores Analógicos e Digitais Caracterís:cas Alcance Precisão Resolução Sensibilidade Tempo de Resposta Não

Leia mais

Evocar os conceitos do MRUV (movimento retilíneo uniformemente variado), do MRU (movimento retilíneo uniforme) e a decomposição de forças.

Evocar os conceitos do MRUV (movimento retilíneo uniformemente variado), do MRU (movimento retilíneo uniforme) e a decomposição de forças. 14 Curso Básico de Mecânica dos Fluidos Objetivos da segunda aula da unidade 1: Evocar os conceitos do MRUV (movimento retilíneo uniformemente variado), do MRU (movimento retilíneo uniforme) e a decomposição

Leia mais

LISTA DE EXERCÍCIOS CAMPO MAGNÉTICO

LISTA DE EXERCÍCIOS CAMPO MAGNÉTICO 1. (Fuvest 96) A figura esquematiza um ímã permanente, em forma de cruz de pequena espessura, e oito pequenas bússolas, colocadas sobre uma mesa. As letras N e S representam, respectivamente, pólos norte

Leia mais

Exercícios de Física Hidrostática

Exercícios de Física Hidrostática Exercícios de Física Hidrostática 01) Os chamados "Buracos Negros", de elevada densidade, seriam regiões do Universo capazes de absorver matéria, que passaria a ter a densidade desses Buracos. Se a Terra,

Leia mais

HIDRÁULICA BÁSICA RESUMO

HIDRÁULICA BÁSICA RESUMO HIDRÁULICA BÁSICA RESUMO Antonio Marozzi Righetto 1. Hidráulica é o ramo da ciência que trata das condições físicas da água em condições de repouso e em movimento. 2. Um volume de água aprisionado em um

Leia mais

Força Eletromotriz Induzida

Força Eletromotriz Induzida Força Eletromotriz Induzida 1. (Uerj 2013) Um transformador que fornece energia elétrica a um computador está conectado a uma rede elétrica de tensão eficaz igual a 120 V. A tensão eficaz no enrolamento

Leia mais

MEDIDORES DE VAZÃO. Prof. Ruy Alexandre Generoso

MEDIDORES DE VAZÃO. Prof. Ruy Alexandre Generoso MEDIDORES DE VAZÃO Prof. Ruy Alexandre Generoso Definição Velocidade com que um fluido passa por uma determinada seção de uma tubulação ou canal. Corresponde à taxa de escoamento de algum material transportado

Leia mais

Módulo 06 - VISCOSÍMETRO DE STOKES

Módulo 06 - VISCOSÍMETRO DE STOKES Módulo 06 - VISCOSÍMETRO DE STOKES Viscosímetros são instrumentos utilizados para medir a viscosidade de líquidos. Eles podem ser classificados em dois grupos: primário e secundário. No grupo primário

Leia mais