RENAVAN ANDRADE SOBRINHO Presidente da ABES Bahia

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "RENAVAN ANDRADE SOBRINHO Presidente da ABES Bahia"

Transcrição

1 MESA REDONDA: CONCURSOS PÚBLICOS PARA ENGENHEIROS SANITARISTAS E AMBIENTAIS RENAVAN ANDRADE SOBRINHO Presidente da ABES Bahia

2 A ABES é uma organização não governamental, fundada em 1966, com o objetivo de desenvolver e aperfeiçoar as atividades relacionadas com a Engenharia Sanitária e Ambiental, fomentar a consciência social e as conservação e vida da sociedade brasileira. ABES-DN ABES-BA ações que atendam às demandas de melhoria do meio ambiente e da qualidade de A Seção Estadual da Bahia foi a primeira a ser criada, no mesmo ano em que foi fundada a Sede Nacional (1966), na Escola Politécnica da Universidade Federal da Bahia, pelos professores Orlando Costa e Nelson Dacach, sendo esse último o primeiro presidente da Seção Estadual.

3 Atuação da ABES A ABES participa em nível nacional e estadual dos principais órgãos e fóruns ligados ao saneamento tais como: CONAMA, Conselho Nacional dos Recursos Hídricos CNRH, CONFEA, Conselhos Estaduais de Meio Ambiente, etc. Mantém convênios com instituições internacionais tais como: OPS, OMS, BIRD, Water Environment Federation - WEF, International Association an Water Pollution Research and Control IAWPRC, etc.

4 Missão ABES-BA ABES Bahia visa promover uma postura crítica da Associação e de seus sócios, onde possamos democratizar o espaço decisório e ampliar os debates para as questões da Engenharia Sanitária e Ambiental de forma mais crítica e independente. A ABES Bahia deve se tornar ainda mais plural, transparente e democrática, sendo realmente uma entidade representativa desse segmento tão importante para a sociedade baiana.

5 Composição Diretoria ABES-BA Nome Cargo Profissão Renavan Andrade Sobrinho Presidente Engenheiro Civil, Sanitarista e Ambiental Vanessa Britto Silveira Cardoso Vice-Presidente Engenheira Sanitarista e Ambiental José Roberto Pedreira Franco Celestino Secretário Engenheiro Civil Arnor de Oliveira Fernandes Junior Tesoureiro Engenheiro Civil, Sanitarista e Ambiental José Artur Lemos Passos Diretoria Engenheiro Sanitarista e Ambiental Talita Freire Câmara Diretoria Engenheira Sanitarista e Ambiental Patrícia Campos Borja Conselho Diretor Engenheira Sanitarista e Ambiental Severino Soares Agra Filho Conselho Diretor Engenheiro Químico Silvio Roberto Magalhães Orrico Conselho Diretor Engenheiro Civil Aline Linhares Loureiro Conselho Consultivo Engenheira Sanitarista e Ambiental Itaiara Sá Marques Conselho Consultivo Engenheira Sanitarista e Ambiental Lenon Sol de Souza Marques Conselho Consultivo Engenheiro Sanitarista e Ambiental e Urbanista Cristiane Sandes Tosta Conselho Fiscal Estadual Engenheira Sanitarista e Ambiental Francisco José Fontes Lima Conselho Fiscal Estadual Engenheiro Civil Luciano de Souza Ferreira Conselho Fiscal Estadual Engenheiro Sanitarista e Ambiental Rosa Alencar S de Almeida Conselho Fiscal Estadual Engenheira Civil Rosane Ferreira de Aquino Conselho Fiscal Estadual Engenheira Sanitarista Selma Cristina da Silva Conselho Fiscal Estadual Engenheira Sanitarista e Ambiental 67% de Engenheiros Sanitaristas e Ambientais

6 OBJETIVO DA MESA REDONDA Discutir questões relacionadas aos concursos públicos, tais como: salário proposto nos editais e piso salarial para engenheiros; competências e área de atuação do engenheiro sanitarista e ambiental x engenheiro ambiental x engenheiro civil; número de vagas para engenheiros sanitaristas e ambientais em instituições/órgãos da área de saneamento; principais temas/assuntos dos concursos da área; dicas de como estudar para concursos; comentários sobre o perfil do profissional; dentre outros.

7 RESOLUÇÃO Nº 218, DE 29 JUN 1973 CONFEA Art. 1º - Para efeito de fiscalização do exercício profissional correspondente às diferentes modalidades da Engenharia, Arquitetura e Agronomia em nível superior e em nível médio, ficam designadas as seguintes atividades: ATIVIDADES 01 - Supervisão, coordenação e orientação técnica; 10 - Padronização, mensuração e controle de qualidade; 02 - Estudo, planejamento, projeto e especificação; 11 - Execução de obra e serviço técnico; 03 - Estudo de viabilidade técnico-econômica; 12 - Fiscalização de obra e serviço técnico; 04 - Assistência, assessoria e consultoria; 13 - Produção técnica e especializada; 05 - Direção de obra e serviço técnico; 14 - Condução de trabalho técnico; 06 - Vistoria, perícia, avaliação, arbitramento, laudo e parecer técnico; 15 - Condução de equipe de instalação, montagem, operação, reparo ou manutenção; 07 - Desempenho de cargo e função técnica; 16 - Execução de instalação, montagem e reparo; 08 - Ensino, pesquisa, análise, experimentação, ensaio e divulgação técnica; extensão; 17 - Operação e manutenção de equipamento e instalação; 09 - Elaboração de orçamento; 18 - Execução de desenho técnico.

8 RESOLUÇÃO Nº 218, DE 29 JUN 1973 CONFEA Art. 1º - Para efeito de fiscalização do exercício profissional correspondente às diferentes modalidades da Engenharia, Arquitetura e Agronomia em nível superior e em nível médio, ficam designadas as seguintes atividades: Art. 7º - Compete ao ENGENHEIRO CIVIL ou ao ENGENHEIRO DE FORTIFICAÇÃO e CONSTRUÇÃO: I - o desempenho das atividades 01 a 18 do artigo 1º desta Resolução, referentes a edificações, estradas, pistas de rolamentos e aeroportos; sistema de transportes, de abastecimento de água e de saneamento; portos, rios, canais, barragens e diques; drenagem e irrigação; pontes e grandes estruturas; seus serviços afins e correlatos. Art Compete ao ENGENHEIRO SANITARISTA: I - o desempenho das atividades 01 a 18 do artigo 1º desta Resolução, referentes a controle sanitário do ambiente; captação e distribuição de água; tratamento de água, esgoto e resíduos; controle de poluição; drenagem; higiene e conforto de ambiente; seus serviços afins e correlatos.

9 RESOLUÇÃO Nº 310, DE 23 JUL 1986 CONFEA Art. 1º - Compete ao Engenheiro Sanitarista o desempenho das atividades 01 a 18 do artigo 1º da Resolução nº 218/73 do CONFEA, referente a: sistemas de abastecimento de água, incluindo captação, adução, reservação, distribuição e tratamento de água; sistemas de distribuição de excretas e de águas residuárias (esgoto) em soluções individuais ou sistemas de esgotos, incluindo tratamento; coleta, transporte e tratamento de resíduos sólidos (lixo); controle sanitário do ambiente, incluindo o controle de poluição ambiental; controle de vetores biológicos transmissores de doenças (artrópodes e roedores de importância para a saúde pública); instalações prediais hidrossanitárias; saneamento de edificações e locais públicos, tais como piscinas, parques e áreas de lazer, recreação e esporte em geral; saneamento dos alimentos.

10 RESOLUÇÃO Nº 447, DE 22 SET 2000 CONFEA Art. 2º Compete ao engenheiro ambiental o desempenho das atividades 1 a 14 e 18 do art. 1º da Resolução nº 218, de 29 de junho de 1973, referentes à administração, gestão e ordenamento ambientais e ao monitoramento e mitigação de impactos ambientais, seus serviços afins e correlatos.

11 RESOLUÇÃO Nº 1.048, DE 14 AGO 2013 CONFEA

12 EMPRESA BAIANA DE ÁGUAS E SANEAMENTO S.A. (EMBASA) EDITAL Nº 1 EMBASA, DE 30 DE OUTUBRO DE ANALISTA DE SANEAMENTO FUNÇÃO: ENGENHEIRO CIVIL/SANITARISTA REQUISITOS: diploma, devidamente registrado, de curso de graduação de nível superior em Engenharia Civil, Engenharia Sanitária ou Engenharia Sanitária e Ambiental, fornecido por instituição de ensino reconhecida pelo Ministério da Educação, e registro no órgão de classe. ATRIBUIÇÕES RESUMIDAS: elaborar ou avaliar, executar e fiscalizar projetos, obras e serviços relativos aos Sistemas de Abastecimento de Água (SAA) e de Esgotamento Sanitário (SES); elaborar diagnóstico para implantação e/ou ampliação de sistemas; realizar análise crítica de Planos de Trabalho das empresas contratadas para execução de obras; elaborar orçamentos de obras de SAA e de SES e barragens; implantar e atualizar o Caderno de Encargos; planejar e acompanhar os testes pré-operacionais de SES e SAA; planejar e implementar ações para eficientização energética; planejar o suprimento de materiais hidráulicos; planejar e realizar auditorias nas obras e projetos de SAA e SES. SALÁRIO: 4.091,60

13 EMPRESA BAIANA DE ÁGUAS E SANEAMENTO S.A. (EMBASA) EDITAL Nº 1 EMBASA, DE 30 DE OUTUBRO DE 2009

14 EMPRESA BAIANA DE ÁGUAS E SANEAMENTO S.A. (EMBASA) EDITAL Nº 1 EMBASA, DE 30 DE OUTUBRO DE 2009

15 EMPRESA BAIANA DE ÁGUAS E SANEAMENTO S.A. (EMBASA)

16 EMPRESA BAIANA DE ÁGUAS E SANEAMENTO S.A. (EMBASA)

17 Órgão Público EMBASA 2009 CERB 2012 CONDER 2013 FUNASA* 2013 SABESP - SÃO PAULO 2013 CAGECE CEARÁ 2013 CASAL ALAGOAS 2012 CAERD RONDÔNIA 2012 Denominação da vaga Analista De Saneamento Func aõ: Engenheiro Civil/Sanitarista Analista De Processos Técnicos Analista De Processos Ambientais, De Obras Urbanas E Informac oẽs Geoespaciais Engenharia De Sau de Pu blica (Atividades Tećnicas De Complexidade Gerencial) Engenheiro 01 ANÁLISE DOS EDITAIS Formação Engenharia Civil, Engenharia Sanitaŕia Ou Engenharia Sanitaŕia E Ambiental Engenharia Civil, Engenharia Sanitária Engenheiro Sanitarista Ou Ambiental E Engenheiro Civil Engenharia Civil Ou Em Engenharia Sanitaŕia Ou Em Engenharia Sanitaŕia E Ambiental* Engenharia Ambiental E Engenharia Civil Eng Civil Eng Sanitarista VAGAS Eng Sanitarista e Ambiental Eng Ambiental Atribuições e Conteúdos semelhantes? Salário SIM R$ 4.091, SIM R$ 3.513, NÃO R$ 4.590, Iguais R$ 8.300, NÃO R$ 5.763,00 Engenheiro Engenharia Civil/Sanitária 16 0 Iguais R$ 3.706,86 Engenheiro Civil/Sanitarista Analista De Sistema De Saneamento Engenharia Civil Ou/E Engenharia Sanitaŕia Ou/E Engenharia Ambiental Engenharia Ambiental, Engenharia Sanitaŕia E Engenharia Civil * Concurso temporário e exige 5 anos de experiência, mestrado ou doutorado. 11 Iguais R$ 3.014, NÃO R$ 3.365,35

18 ANÁLISE DOS EDITAIS Número de vagas por formação Apenas Civil Sanitária, Sanitária e Ambiental e Ambiental Apenas Sanitária Apenas Ambiental Apenas Sanitária e Ambiental

19 ANÁLISE DOS EDITAIS 24% Apenas Civil 76% Sanitária, Sanitária e Ambiental e Ambiental

20 R$ 9.000,00 ANÁLISE DOS EDITAIS Valor do salário por órgão público R$ 8.000,00 R$ 7.000,00 R$ 6.000,00 R$ 5.000,00 R$ 4.000,00 R$ 3.000,00 R$ 2.000,00 R$ 1.000,00 R$ - CASAL - ALAGOAS 2012 CAERD - RONDÔNIA 2012 CERB 2012 CAGECE - CEARÁ 2013 EMBASA 2009 CONDER 2013 SABESP - SÃO PAULO 2012 FUNASA* 2013 * Concurso temporário e exige 5 anos de experiência, mestrado ou doutorado.

21 ANÁLISE DOS EDITAIS Salário Base X Média dos salários oferecidos Média dos salários oferecidos Salário Base R$ 0,00 R$ 1.000,00 R$ 2.000,00 R$ 3.000,00 R$ 4.000,00 R$ 5.000,00 R$ 6.000,00 R$ 7.000,00 Salário Base = 8,5*SM

22 OBSERVAÇÕES Essas discussões ocorrem constantemente em congressos nacionais e estaduais, nos fóruns nacionais de jovens profissionais do saneamento (Programa JPS da ABES-DN) etc. Alinhar ementas dos cursos com o MEC. Definição exata das atribuições pelo sistema CONFEA/CREA e apresentação dessas definições aos órgãos públicos. Fazer gestão com o CREA para que o registro na carteira seja como engenheiro sanitarista e ambiental e não como outro cargo/função, como analista de saneamento emissão de ART de cargo ou função. Atualizar a Resolução CONFEA nº 218, de 29 jun 1973, descrevendo as funções do engenheiro sanitarista e ambiental, incluindo todas as componentes do saneamento ambiental. Busca do salário base em todos os concursos públicos para engenheiros. Expectativa de curso de especialização: garante efetiva atuação?

23 A ABES-BA apóia os Engenheiros Sanitaristas e Ambientais para que tenham todos os seus direitos atendidos.

24 OBRIGADO! Contatos: Facebook Abes Bahia Site: Telefones: (71)

Universidade do Grande Rio Prof. José de Souza Herdy ESCOLA DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA - ECT

Universidade do Grande Rio Prof. José de Souza Herdy ESCOLA DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA - ECT Universidade do Grande Rio Prof. José de Souza Herdy ESCOLA DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA - ECT PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE BACHARELADO EM ENGENHARIA CIVIL (EXTRATO) Duque de Caxias 2016 Objetivos do Curso

Leia mais

N 3 Confira o II SANIABES. Comemoração pelo Dia do Engenheiro Sanitarista e Ambiental

N 3 Confira o II SANIABES. Comemoração pelo Dia do Engenheiro Sanitarista e Ambiental N 3 Confira o II SANIABES Comemoração pelo Dia do Engenheiro Sanitarista e Ambiental A ABES Seção Bahia se destacou nas eleições para o novo Biênio (2013/2015). Vem aí... A ABES Seção Bahia foi a 4º colocada

Leia mais

ESTADO DO MARANHÃO GOVERNADORIA COMISSÃO CENTRAL PERMANENTE DE LICITAÇÃO CCL ESCLARECIMENTO REF.: CONCORRÊNCIA Nº 008/2015 CCL/MA

ESTADO DO MARANHÃO GOVERNADORIA COMISSÃO CENTRAL PERMANENTE DE LICITAÇÃO CCL ESCLARECIMENTO REF.: CONCORRÊNCIA Nº 008/2015 CCL/MA ESCLARECIMENTO REF.: CONCORRÊNCIA Nº 008/2015 CCL/MA PROCESSO ADMINISTRATIVO Nº 53389/2015 CAEMA REFERÊNCIA Pedido de Esclarecimento ao Edital da Concorrência nº. 008/2015, o qual tem por objeto a contratação

Leia mais

Atribuições dos Tecnólogos

Atribuições dos Tecnólogos UNIVERSIDADE REGIONAL DO CARIRI DEPARTAMENTO DE CONSTRUÇÃO CIVIL TECNOLOGIA EM CONTRUÇÃO CIVIL EDIFÍCIOS E ESTRADAS Atribuições dos Tecnólogos Prof.ª Me. Fabiana Marques Maio / 2014 SOBRE O TECNÓLOGO Segundo

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 218, DE 29 DE JUNHO DE 1973

RESOLUÇÃO Nº 218, DE 29 DE JUNHO DE 1973 RESOLUÇÃO Nº 218, DE 29 DE JUNHO DE 1973 Discrimina atividades das diferentes modalidades profissionais da Engenharia, Arquitetura e Agronomia. O CONSELHO FEDERAL DE ENGENHARIA, ARQUITETURA E AGRONOMIA,

Leia mais

EDITAL Nº. 3/2008 - CONCURSO PÚBLICO ANEXO V ANEXO V DOS CARGOS, QUALIFICAÇÃO E REQUISITOS

EDITAL Nº. 3/2008 - CONCURSO PÚBLICO ANEXO V ANEXO V DOS CARGOS, QUALIFICAÇÃO E REQUISITOS EDITAL Nº. 3/2008 - CONCURSO PÚBLICO ANEXO V ANEXO V DOS CARGOS, QUALIFICAÇÃO E REQUISITOS ENSINO 2º GRAU: TELEFONISTA I Requisito: Ensino médio completo (2º grau) Descrição Sumária de Atividades: Operar

Leia mais

ENGENHARIA CIVIL. COORDENADOR José Carlos Bohnenberger bohnen@ufv.br

ENGENHARIA CIVIL. COORDENADOR José Carlos Bohnenberger bohnen@ufv.br ENGENHARIA CIVIL COORDENADOR José Carlos Bohnenberger bohnen@ufv.br UFV Catálogo de Graduação 2008 179 Currículo do Curso de Engenharia Civil Engenheiro Civil ATUAÇÃO Ao Engenheiro Civil compete o desempenho

Leia mais

Resende (RJ), 16 de setembro de 2015. ATO CONVOCATÓRIO AGEVAP N.º 022/2015 COMUNICADO Nº 5 Aos Interessados

Resende (RJ), 16 de setembro de 2015. ATO CONVOCATÓRIO AGEVAP N.º 022/2015 COMUNICADO Nº 5 Aos Interessados Resende (RJ), 16 de setembro de 2015. ATO CONVOCATÓRIO AGEVAP N.º 022/2015 COMUNICADO Nº 5 Aos Interessados Quanto aos pedidos de esclarecimentos apresentados por algumas entidades, referente ao Ato Convocatório

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE PELOTAS GABINETE DO PREFEITO LEI Nº 5. 746, DE 29 DE NOVEMBRO DE 2010.

PREFEITURA MUNICIPAL DE PELOTAS GABINETE DO PREFEITO LEI Nº 5. 746, DE 29 DE NOVEMBRO DE 2010. PREFEITURA MUNICIPAL DE PELOTAS GABINETE DO PREFEITO LEI Nº 5. 746, DE 29 DE NOVEMBRO DE 2010. Autoriza o Poder Executivo a contratar, sob o regime da Consolidação das Leis do Trabalho, por tempo determinado

Leia mais

O Engenheiro Ambiental: atribuições e atuação no mercado de trabalho

O Engenheiro Ambiental: atribuições e atuação no mercado de trabalho O Engenheiro Ambiental: atribuições e atuação no mercado de trabalho Eng. Química Elisabeth Ibi Frimm Krieger Pelotas, 24 de Novembro de 2009 Resolução Nº 218, de 29.06.1973 CONFEA Discrimina atividades

Leia mais

ESCLARECIMENTO VIII. Em resposta ao questionamento formulado por empresa interessada em participar da licitação em referência, informamos o que segue:

ESCLARECIMENTO VIII. Em resposta ao questionamento formulado por empresa interessada em participar da licitação em referência, informamos o que segue: MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA EXECUTIVA SUBSECRETARIA DE ASSUNTOS ADMINISTRATIVOS COMISSÃO ESPECIAL DE LICITAÇÃO CONCORRÊNCIA N 1/2011 ESCLARECIMENTO VIII Brasília, 20 de abril de 2011. AOS INTERESSADOS

Leia mais

Sugestões do CREA-BA e Entidades Profissionais para os candidatos ao Governo do Estado, gestão 2015-2018.

Sugestões do CREA-BA e Entidades Profissionais para os candidatos ao Governo do Estado, gestão 2015-2018. Sugestões do CREA-BA e Entidades Profissionais para os candidatos ao Governo do Estado, gestão 2015-2018. 1. Considerações iniciais. O Sistema CONFEA/CREA. O Sistema CONFEA/CREA é constituído por um Conselho

Leia mais

Uma Visão da Carreira em Áreas Tecnológicas

Uma Visão da Carreira em Áreas Tecnológicas Uma Visão da Carreira em Áreas Tecnológicas Prof. Paulo César Crepaldi UNIFEI Coordenação Prof. Dr. Evaldo Cintra 26/02/2013 Tecnologia - Definição A palavra Tecnologia (s. f.) tem a seu significado baseado

Leia mais

A responsabilidade técnica na área ambiental de agroindústrias Estamos capacitados?

A responsabilidade técnica na área ambiental de agroindústrias Estamos capacitados? Eixo Temático 5 Oportunidades profissionais para o Engenheiro Agrônomo na área ambiental A responsabilidade técnica na área ambiental de agroindústrias Estamos capacitados? UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO

Leia mais

Reconhecimento: DECRETO 37852 de 03/09/55 DOU 06/09/55 pág. 16891. Tempo para integralização do curso. Mínimo 4 Médio 5 Máximo 9

Reconhecimento: DECRETO 37852 de 03/09/55 DOU 06/09/55 pág. 16891. Tempo para integralização do curso. Mínimo 4 Médio 5 Máximo 9 ANO ANO A Engenharia Civil da UFC O curso de Engenharia Civil da UFC implementou, a partir de 99, um regime seriado, no qual a maioria das disciplinas, em especial as do ciclo básico, passou a ser ministrada

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE HORIZONTE ANEXO VIII (EDITAL DE CONCURSO 01/2014) Atribuições sumárias dos cargos

PREFEITURA MUNICIPAL DE HORIZONTE ANEXO VIII (EDITAL DE CONCURSO 01/2014) Atribuições sumárias dos cargos ANEXO VIII (EDITAL DE CONCURSO 01/2014) Atribuições sumárias dos cargos ADMINISTRADOR Desempenhar atividades relativas à administração de pessoal, material, orçamento, organização e métodos, sistemas de

Leia mais

Ilustríssima Comissão Permanente de Licitação do INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA E ASSISTÊNCIA DOS SERVIDORES MUNICIPAIS DE NOVO HAMBURGO IPASEM-NH

Ilustríssima Comissão Permanente de Licitação do INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA E ASSISTÊNCIA DOS SERVIDORES MUNICIPAIS DE NOVO HAMBURGO IPASEM-NH Ilustríssima Comissão Permanente de Licitação do INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA E ASSISTÊNCIA DOS SERVIDORES MUNICIPAIS DE NOVO HAMBURGO IPASEM-NH Referente ao PREGÃO ELETRÔNICO Nº 01/2013 COMERCIAL DE ELETRODOMÉSTICOS

Leia mais

PROPOSTA REFERENTE AO CURSO DE PÓS GRADUAÇÃO EM GESTÃO DE ANÁLISE SANITÁRIA

PROPOSTA REFERENTE AO CURSO DE PÓS GRADUAÇÃO EM GESTÃO DE ANÁLISE SANITÁRIA PROPOSTA REFERENTE AO CURSO DE PÓS GRADUAÇÃO EM GESTÃO DE ANÁLISE SANITÁRIA 1- DO CURSO O Curso de Especialização em Gestão em Análise Sanitária destina-se a profissionais com curso superior em áreas correlatas

Leia mais

LEI Nº 2.396/2013. O Prefeito Municipal de Santa Teresa, Estado do Espírito Santo, no uso de suas atribuições legais;

LEI Nº 2.396/2013. O Prefeito Municipal de Santa Teresa, Estado do Espírito Santo, no uso de suas atribuições legais; LEI Nº 2.396/2013 CRIA CARGOS COMISSIONADOS NO MUNICÍPIO DE SANTA TERESA. O Prefeito Municipal de Santa Teresa, Estado do Espírito Santo, no uso de suas atribuições legais; Faço saber que a Câmara Municipal

Leia mais

Engenheiro Agrônomo: Atribuições profissionais e matriz curricular. J.O. Menten T.C. Banzato UFPB Areia/PB 27 a 30 de Outubro de 2014

Engenheiro Agrônomo: Atribuições profissionais e matriz curricular. J.O. Menten T.C. Banzato UFPB Areia/PB 27 a 30 de Outubro de 2014 Engenheiro Agrônomo: Atribuições profissionais e matriz curricular J.O. Menten T.C. Banzato UFPB Areia/PB 27 a 30 de Outubro de 2014 1. INTRODUÇÃO AGENDA 2. ATRIBUIÇÕES PROFISSIONAIS 3. MATRIZ CURRICULAR

Leia mais

L E I Nº 6.816, DE 25 DE JANEIRO DE 2006.

L E I Nº 6.816, DE 25 DE JANEIRO DE 2006. L E I Nº 6.816, DE 25 DE JANEIRO DE 2006. Dispõe sobre a reestruturação organizacional da Secretaria Executiva de Estado de Obras Públicas - SEOP e dá outras providências. A ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA DO ESTADO

Leia mais

Ilustríssima Comissão Permanente de Licitação

Ilustríssima Comissão Permanente de Licitação AO MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL PROCURADORIA DA REPÚBLICA EM SANTA CATARINA COMISSÃO PERMANENTE DE LICITAÇÃO Ilustríssima Comissão Permanente de Licitação Referente ao PREGÃO ELETRÔNICO Nº 11/2013-PR/SC.

Leia mais

MINISTÉRIO PÚBLICO DA UNIÃO

MINISTÉRIO PÚBLICO DA UNIÃO 1 MINISTÉRIO PÚBLICO DA UNIÃO Boletim de Serviço - Ano XIII - nº 06 - junho de 2007 S U M Á R I O Atos do Procurador Geral da República...01 Escola Superior do Ministério Público da União...68 Secretaria

Leia mais

SISTEMAS PROFISSIONAIS

SISTEMAS PROFISSIONAIS SISTEMAS PROFISSIONAIS Prof. Dr. Eng. Mec. Amarildo Tabone Paschoalini Docente Departamento de Engenharia Mecânica UNESP Ilha Solteira Coordenador da Câmara Especializada de Eng. Mecânica e Metalúrgica

Leia mais

LEI COMPLEMENTAR N 40 /2015 (Cria o cargo de Analista Ambiental) A CÂMARA MUNICIPAL DE RIO VERDE-GO APROVA :

LEI COMPLEMENTAR N 40 /2015 (Cria o cargo de Analista Ambiental) A CÂMARA MUNICIPAL DE RIO VERDE-GO APROVA : LEI COMPLEMENTAR N 40 /2015 (Cria o cargo de Analista Ambiental) A CÂMARA MUNICIPAL DE RIO VERDE-GO APROVA : Art. 1º. Fica criado o cargo de Analista Ambiental, de provimento efetivo e regime estatutário,

Leia mais

LEI Nº 9.011 DE 1 DE JANEIRO DE 2005. Dispõe sobre a estrutura organizacional da Administração Direta do Poder Executivo e dá outras providências.

LEI Nº 9.011 DE 1 DE JANEIRO DE 2005. Dispõe sobre a estrutura organizacional da Administração Direta do Poder Executivo e dá outras providências. Diário Oficial do Município - Belo Horizonte Ano XI - Nº: 2.273-01/01/2005 Poder Executivo Secretaria Municipal de Governo Lei nº 9.011 de 1º de janeiro de 2005 - Anexos LEI Nº 9.011 DE 1 DE JANEIRO DE

Leia mais

Currículos dos Cursos do CCE UFV ENGENHARIA DE AGRIMENSURA. COORDENADOR DO CURSO DE ENGENHARIA DE AGRIMENSURA Fernando Alves Pinto ferpinto@ufv.

Currículos dos Cursos do CCE UFV ENGENHARIA DE AGRIMENSURA. COORDENADOR DO CURSO DE ENGENHARIA DE AGRIMENSURA Fernando Alves Pinto ferpinto@ufv. 132 ENGENHARIA DE AGRIMENSURA COORDENADOR DO CURSO DE ENGENHARIA DE AGRIMENSURA Fernando Alves Pinto ferpinto@ufv.br UFV Catálogo de Graduação 2002 133 CURRÍCULO DO CURSO DE ENGENHARIA DE AGRIMENSURA ATUAÇÃO

Leia mais

COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA E DE CIDADANIA REDAÇÃO FINAL PROJETO DE LEI Nº 4.796-C, DE 2005. O CONGRESSO NACIONAL decreta:

COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA E DE CIDADANIA REDAÇÃO FINAL PROJETO DE LEI Nº 4.796-C, DE 2005. O CONGRESSO NACIONAL decreta: COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA E DE CIDADANIA REDAÇÃO FINAL PROJETO DE LEI Nº 4.796-C, DE 2005 Regula o exercício profissional de Geofísico e altera a Lei nº 4.076, de 23 de junho de 1962. O CONGRESSO

Leia mais

ÁREAS DE ATUAÇÃO, PERFIL E COMPETÊNCIAS DOS EGRESSOS DOS NOVOS CURSOS

ÁREAS DE ATUAÇÃO, PERFIL E COMPETÊNCIAS DOS EGRESSOS DOS NOVOS CURSOS ÁREAS DE ATUAÇÃO, PERFIL E COMPETÊNCIAS DOS EGRESSOS DOS NOVOS CURSOS 13. CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO Área de atuação O curso pretende formar o arquiteto pleno, capacitado a atuar nos diversos âmbitos

Leia mais

Reed Exhibitions Alcantara Machado & Reed Expositions France

Reed Exhibitions Alcantara Machado & Reed Expositions France Reed Exhibitions Alcantara Machado & Reed Expositions France Estrutura do grupo Reed Elsevier REED EXHIBITIONS Alcance Global 500 eventos por ano 43 países 43 setores da economia 7 milhões de visitantes

Leia mais

RELATÓRIO DE INSTRUÇÃO DE RECURSO ADMINISTRATIVO

RELATÓRIO DE INSTRUÇÃO DE RECURSO ADMINISTRATIVO RELATÓRIO DE INSTRUÇÃO DE RECURSO ADMINISTRATIVO Da: Ao: Assunto: Ref.: Objeto: Comissão de Licitação Superintendente de Empreendimentos Norte, Nordeste e Centro Oeste (Obras) Recurso Administrativo -

Leia mais

CURSO LICITAÇÕES, CONTRATOS E CONTROLE de OBRAS E SERVIÇOS DE ENGENHARIA na ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA

CURSO LICITAÇÕES, CONTRATOS E CONTROLE de OBRAS E SERVIÇOS DE ENGENHARIA na ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA CURSO LICITAÇÕES, CONTRATOS E CONTROLE de OBRAS E SERVIÇOS DE ENGENHARIA na ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA OBJETIVOS: Proporcionar desenvolvimento profissional em Licitações e Contratos de Engenharia na Administração

Leia mais

Rua Oscar Freire nº n 2.039 - Pinheiros São Paulo/SP. Telefone: 3061-6060. www.crq4.org.br

Rua Oscar Freire nº n 2.039 - Pinheiros São Paulo/SP. Telefone: 3061-6060. www.crq4.org.br Rua Oscar Freire nº n 2.039 - Pinheiros São Paulo/SP Telefone: 3061-6060 www.crq4.org.br Outros Locais de Atendimento CRQ-IV Araçatuba: Rua Campos Sales, 97 - sala 33 - Centro tel: (18) 3621-0460 - e-mail:

Leia mais

ÍNDICE ORIENTAÇÃO DE PREENCHIMENTO DA ART... 3 INSTRUÇÕES DE PREENCHIMENTO... 4 TABELAS... 9

ÍNDICE ORIENTAÇÃO DE PREENCHIMENTO DA ART... 3 INSTRUÇÕES DE PREENCHIMENTO... 4 TABELAS... 9 ÍNDICE ORIENTAÇÃO DE PREENCHIMENTO DA ART... 3 ART - Anotação de Responsabilidade Técnica... 3 Acervo Técnico (Resolução nº 317/86, do CONFEA)... 3 INSTRUÇÕES DE PREENCHIMENTO... 4 CLASSIFICAÇÃO DA ART...

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 17, DE 2 DE MARÇO DE 2012

RESOLUÇÃO Nº 17, DE 2 DE MARÇO DE 2012 RESOLUÇÃO Nº 17, DE 2 DE MARÇO DE 2012 Dispões sobre o Registro de Responsabilidade Técnica (RRT) na prestação de serviços de arquitetura e urbanismo e dá outras providências. O Conselho de Arquitetura

Leia mais

DECISÃO NORMATIVA Nº 104, DE 29 DE OUTUBRO DE 2014

DECISÃO NORMATIVA Nº 104, DE 29 DE OUTUBRO DE 2014 DECISÃO NORMATIVA Nº 104, DE 29 DE OUTUBRO DE 2014 Altera o Quadro Anexo da Decisão Normativa nº 47, 16 zembro 1992, que dispõe sobre as atividas Parcelamento do Solo Urbano, as competências para executá-las

Leia mais

LEGISLAÇÃO PROFISSIONAL ENGENHARIA ELÉTRICA

LEGISLAÇÃO PROFISSIONAL ENGENHARIA ELÉTRICA LEGISLAÇÃO PROFISSIONAL ENGENHARIA ELÉTRICA TÓPICOS INSTRUMENTOS LEGAIS APLICÁVEIS LEGISLAÇÃO: CONSTITUIÇÃO FEDERAL, LEIS, DECRETOS e RESOLUÇÕES FORMAÇÃO E ATRIBUIÇÃO PROFISSIONAL DELIBERAÇÕES NORMATIVAS

Leia mais

tegradas) e o curso de Engenharia Elétrica ofertado pela UNESP (Universidade

tegradas) e o curso de Engenharia Elétrica ofertado pela UNESP (Universidade Apresentação Página 02 Divulgação das Engenharias nas Escolas de Ensino Médio da Rede Estadual e Privada de Ensino na Região da Alta Paulista As Faculdades Adamantinenses Integradas (FAI) em parceria com

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE

TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE EMPRESA ESPECIALIZADA PARA ELABORAÇÃO DE PLANO MUNICIPAL DE SANEAMENTO BÁSICO DOS MUNICÍPIOS DE BRASIL NOVO, MEDICILÂNDIA, URUARÁ E PLACAS PROJETO042/2014

Leia mais

EMENTÁRIO. (*) LEI N 1.206, DE 31 DE DEZEMBRO DE 2007. (D.O.M. 22.01.2008 N. 1886 Ano IX)

EMENTÁRIO. (*) LEI N 1.206, DE 31 DE DEZEMBRO DE 2007. (D.O.M. 22.01.2008 N. 1886 Ano IX) (*) LEI N 1.206, DE 31 DE DEZEMBRO DE 2007. (D.O.M. 22.01.2008 N. 1886 Ano IX) ALTERA o Quadro de Cargos e Carreiras da Secretaria Municipal de Saúde SEMSA e dá outras providências. O PREFEITO DE MANAUS,

Leia mais

2ª JORNADA DE ENGENHARIA SANITÁRIA E AMBIENTAL 2ª JESAM UFBA - IFBA - UFRB UFOB ABES/BA-JPS ESA Jr.

2ª JORNADA DE ENGENHARIA SANITÁRIA E AMBIENTAL 2ª JESAM UFBA - IFBA - UFRB UFOB ABES/BA-JPS ESA Jr. 2ª JORNADA DE ENGENHARIA SANITÁRIA E AMBIENTAL 2ª JESAM UFBA - IFBA - UFRB UFOB ABES/BA-JPS ESA Jr. Engenharia Sanitária e Ambiental, Sociedade e Ambiente: Desafios Contemporâneos. COORDENAÇÃO Patrícia

Leia mais

CONTEÚDOS FUNCIONAIS:

CONTEÚDOS FUNCIONAIS: CONTEÚDOS FUNCIONAIS: Ref.ª A) TÉCNICO SUPERIOR DE ENGENHARIA DO AMBIENTE Realizar análises, estudo e emissão de pareceres dos assuntos que lhe são submetidos, tendo como base as melhores praticas legais

Leia mais

ANEXO I. 40 horas Ensino superior completo em engenharia ambiental e registro no órgão de classe (CREA)

ANEXO I. 40 horas Ensino superior completo em engenharia ambiental e registro no órgão de classe (CREA) ANEXO I FUNÇÃO VAGAS REMUNERAÇÃO E/OU CARREIRA/ CLASSE Engenheiro Ambiental 01 R$ 3.749,14 + valor de R$ 800,00 CARGA HORÁRIA SEMANAL ESCOLARIDA DE E TITULAÇÃO 40 horas Ensino superior completo em engenharia

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MONTES CLAROS - UNIMONTES COMISSÃO TÉCNICA DE CONCURSOS - COTEC

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MONTES CLAROS - UNIMONTES COMISSÃO TÉCNICA DE CONCURSOS - COTEC PROVAS DE LÍNGUA PORTUGUESA E MATEMÁTICA - FUNDAMENTAL COMPLETO Agente Administrativo Agente de Controle de Zoonoses Auxiliar de Educador Social Contínuo Desenhista Eletricista Predial Jardineiro Mestre

Leia mais

A empresa Expernet Telemática Ltda., solicita os seguintes esclarecimentos: O subitem 2.3 Documentos Relativos à Qualificação Técnica alínea b) exige:

A empresa Expernet Telemática Ltda., solicita os seguintes esclarecimentos: O subitem 2.3 Documentos Relativos à Qualificação Técnica alínea b) exige: COP-148/2009 Processo nº 000578-14.89/09-2 Assunto: Esclarecimento A empresa Expernet Telemática Ltda., solicita os seguintes esclarecimentos: Questionamento 1. O subitem 2.3 Documentos Relativos à Qualificação

Leia mais

Jaques Sherique. Engenheiro Mecânico e de Segurança do Trabalho Conselheiro Regional

Jaques Sherique. Engenheiro Mecânico e de Segurança do Trabalho Conselheiro Regional Jaques Sherique Engenheiro Mecânico e de Segurança do Trabalho Conselheiro Regional Cidadão que mediante aprendizado formal e específico adquiriu uma reconhecida qualificação para o exercício de uma determinada

Leia mais

R E S O L U Ç Ã O N º 2 6 4 / 2 0 1 2

R E S O L U Ç Ã O N º 2 6 4 / 2 0 1 2 R E S O L U Ç Ã O N º 2 6 4 / 2 0 1 2 O Conselho Deliberativo do AGROS INSTITUTO UFV DE SEGURIDADE SOCIAL, no uso de suas atribuições legais, RESOLVE: I. Aprovar a inserção do cargo de Educador Físico

Leia mais

Engenharia de Produção. Engenharia da Produção FACULDADE CATÓLICA SALESIANA DO ESPIRITO SANTO. Prof. Msc. Valmir Tadeu Fernandes

Engenharia de Produção. Engenharia da Produção FACULDADE CATÓLICA SALESIANA DO ESPIRITO SANTO. Prof. Msc. Valmir Tadeu Fernandes FACULDADE CATÓLICA SALESIANA DO ESPIRITO SANTO Prof. Msc. Valmir Tadeu Fernandes Engenharia da Produção Projeta, gerencia e executa obras industriais, Engenharia do Produto, Projeto de Fabrica, Processos

Leia mais

Coordenação-Geral de Tributação

Coordenação-Geral de Tributação Fls. 28 27 Coordenação-Geral de Tributação Solução de Consulta nº 23 - Data 7 de novembro de 2013 Processo Interessado CNPJ/CPF ASSUNTO: CONTRIBUIÇÃO PARA O PIS/PASEP RETENÇÃO NA FONTE. SERVIÇOS DE PROTENSÃO.

Leia mais

NR-13 Caldeiras, Vasos de Pressão e Tubulações. O Papel do Engenheiro Mecânico

NR-13 Caldeiras, Vasos de Pressão e Tubulações. O Papel do Engenheiro Mecânico NR-13 Caldeiras, Vasos de Pressão e Tubulações 24 de julho de 2014 ABEMEC-RS Eng Mec. Milton Mentz julho 2014 1 Responsabilidade do Profissional Habilitado x Responsabilidade do Empregador: julho 2014

Leia mais

Congresso 25º. Boletim Informativo nº 3 27/04/2009. 25º Congresso Brasileiro de Engenharia Sanitária e Ambiental. Apoio. Realização e Organização

Congresso 25º. Boletim Informativo nº 3 27/04/2009. 25º Congresso Brasileiro de Engenharia Sanitária e Ambiental. Apoio. Realização e Organização Boletim Informativo nº 3 27/04/2009 25º Congresso Brasileiro de Engenharia Sanitária e Ambiental 25º Congresso A se realizar em Recife, de 20 a 25 de setembro de 2009, o Congresso mantem a tradição de

Leia mais

ESTADO DO PARÁ MUNICÍPIO DE NOVA ESPERANÇA DO PIRIÁ PREFEITURA MUNICIPAL DE NOVA ESPERANÇA DO PIRIÁ CONCURSO PÚBLICO - Edital N.

ESTADO DO PARÁ MUNICÍPIO DE NOVA ESPERANÇA DO PIRIÁ PREFEITURA MUNICIPAL DE NOVA ESPERANÇA DO PIRIÁ CONCURSO PÚBLICO - Edital N. CONCURSO PÚBLICO - Edital N.º 0/13 TABELA DE CARGOS CARGOS DE NÍVEL FUNDAMENTAL INCOMPLETO / ALFABETIZADO Cargo/Lotação Auxiliar de Serviços Gerais - Zona Urbana-sede Auxiliar de Serviços Gerais - Auxiliar

Leia mais

REGULAMENTO DE HONORÁRIOS

REGULAMENTO DE HONORÁRIOS REGULAMENTO DE HONORÁRIOS CAPÍTULO I OBJETIVO Art. 1º - Este regulamento estabelece as normas gerais concernentes aos trabalhos técnicos de Avaliação e Perícia de Engenharia. Art. 2º - As normas aqui estabelecidas

Leia mais

JORNADA DE TRABALHO: 30 horas. CARGO 5: AUDITOR DE CONTROLE EXTERNO ÁREA: ADMINISTRATIVA ESPECIALIDADE: CLÍNICA MÉDICA

JORNADA DE TRABALHO: 30 horas. CARGO 5: AUDITOR DE CONTROLE EXTERNO ÁREA: ADMINISTRATIVA ESPECIALIDADE: CLÍNICA MÉDICA TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DO PARÁ CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE VAGAS E FORMAÇÃO DE CADASTRO DE RESERVA EM CARGOS DE NÍVEL SUPERIOR E DE NÍVEL MÉDIO EDITAL Nº 1 TCE/PA SERVIDOR, DE 29 DE FEVEREIRO

Leia mais

P L A N O D E G O V E R N O P R O G R E S S I S T A

P L A N O D E G O V E R N O P R O G R E S S I S T A P L A N O D E G O V E R N O P R O G R E S S I S T A Realizar uma gestão com desenvolvimento social e econômico sustentáveis. Eficiência na geração e aplicação dos recursos públicos. PP SIGNIFICA P R I

Leia mais

PERGUNTAS E RESPOSTAS SOBRE A RESOLUÇÃO N o 1010/05

PERGUNTAS E RESPOSTAS SOBRE A RESOLUÇÃO N o 1010/05 PERGUNTAS E RESPOSTAS SOBRE A RESOLUÇÃO N o 1010/05 As perguntas abaixo foram compiladas após a série de treinamentos sobre a Resolução nº 1.010, de 2005, ministrados pelo Confea aos Creas durante o primeiro

Leia mais

ATRIBUIÇÕES ESPECÍFICAS POR DISCIPLINA / FORMAÇÃO. a) Administração

ATRIBUIÇÕES ESPECÍFICAS POR DISCIPLINA / FORMAÇÃO. a) Administração Anexo II a que se refere o artigo 2º da Lei nº xxxxx, de xx de xxxx de 2014 Quadro de Analistas da Administração Pública Municipal Atribuições Específicas DENOMINAÇÃO DO CARGO: DEFINIÇÃO: ABRANGÊNCIA:

Leia mais

COMPANHIA RIOGRANDENSE DE SANEAMENTO CORSAN EDITAL DE CONCURSOS PÚBLICOS N. 01/2014 ANEXO 3. Atribuições dos Empregos

COMPANHIA RIOGRANDENSE DE SANEAMENTO CORSAN EDITAL DE CONCURSOS PÚBLICOS N. 01/2014 ANEXO 3. Atribuições dos Empregos COMPANHIA RIOGRANDENSE DE SANEAMENTO CORSAN EDITAL DE CONCURSOS PÚBLICOS N. 01/2014 ANEXO 3 Atribuições dos Empregos NÍVEL SUPERIOR 01 Administrador Descrição Sumária: Prestar assessoramento às áreas da

Leia mais

UFBA Escola Politécnica DEA Departamento de Engenharia Ambiental

UFBA Escola Politécnica DEA Departamento de Engenharia Ambiental UFBA Escola Politécnica DEA Departamento de Engenharia Ambiental O PROCESSO DE AVALIAÇÃO DE IMPACTO AMBIENTAL: UMA PROPOSTA DE APRIMORAMENTO DOS CRITÉRIOS NA ETAPA DE EXIGÊNCIA DO EIA AGRA FILHO, Severino

Leia mais

Chapa Universalizando atitudes, consolidando resultados é eleita

Chapa Universalizando atitudes, consolidando resultados é eleita BIÊNIO 2014/2016 Chapa Universalizando atitudes, consolidando resultados é eleita Associados de todo o Brasil elegeram, nos dias 5 e 6 de junho, a chapa Universalizando atitudes, consolidando resultados

Leia mais

Relatório de Clipping BÁSICA COMUNICAÇÕES PARA: CREA-PR

Relatório de Clipping BÁSICA COMUNICAÇÕES PARA: CREA-PR Relatório de Clipping BÁSICA COMUNICAÇÕES PARA: CREA-PR Curitiba, julho de 2014 Veículo: Portal Paraná Club editorial Negócios Página: http://paranaclub.com.br/site/2533/noticias-crea-pr-alerta-para-a-importancia-doprofissional-habilitado-na-dedetizacao-e-desratizacao-de-ambientes.html

Leia mais

Resolução nº 1.053/14

Resolução nº 1.053/14 1 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CONSELHO FEDERAL DE ENGENHARIA E AGRONOMIA CONFEA RESOLUÇÃO N 1.053, DE 11 DE MARÇO DE 2014. Regulamenta a concessão de recursos para as entidades de classe que objetivem apoiar

Leia mais

FORMULÁRIO PARA A APRESENTAÇÃO DE PROPOSTAS (PES)

FORMULÁRIO PARA A APRESENTAÇÃO DE PROPOSTAS (PES) FORMULÁRIO PARA A APRESENTAÇÃO DE PROPOSTAS (PES) P E S E P / 0 5 / R O 1. Formação P rofissio nal 3. Organização P rof issional x 2. Exer cíc io Pr ofission al 4. Integração P rof issional Título da Proposição:

Leia mais

REGULAMENTO DE HONORÁRIOS PROFISSIONAIS PARA SERVIÇOS DE ENGENHARIA E ARQUITETURA

REGULAMENTO DE HONORÁRIOS PROFISSIONAIS PARA SERVIÇOS DE ENGENHARIA E ARQUITETURA REGULAMENTO DE HONORÁRIOS PROFISSIONAIS PARA SERVIÇOS DE ENGENHARIA E ARQUITETURA SINDICATO DOS ENGENHEIROS NO ESTADO DE SANTA CATARINA APRESENTAÇÃO Tem sido grande o esforço de diversas Entidades de Classe,

Leia mais

VERITAE TRABALHO PREVIDÊNCIA SOCIAL SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO LEX TRABALHO. Biólogos Regulamentação das Atividades

VERITAE TRABALHO PREVIDÊNCIA SOCIAL SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO LEX TRABALHO. Biólogos Regulamentação das Atividades VERITAE TRABALHO PREVIDÊNCIA SOCIAL SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO LEX TRABALHO Biólogos Regulamentação das Atividades Orientador Empresarial RESOLUÇÃO CFBio nº 227/2010 DOU: 19.08.2010 Dispõe sobre a regulamentação

Leia mais

MUNICÍPIO DE VÁRZEA DA PALMA-MG

MUNICÍPIO DE VÁRZEA DA PALMA-MG ESPECIFICAÇÃO DAS DE MÚLTIPLA ESCOLHA DE MÚLTIPLA ESCOLHA Ajudante de Serviços Públicos Auxiliar de Serviços Gerais Coletor de Lixo Coveiro Gari Alfabetizado. Auxiliar de Oficina Mecânica Bombeiro Hidráulico

Leia mais

UFBA Escola Politécnica DEA Departamento de Engenharia Ambiental

UFBA Escola Politécnica DEA Departamento de Engenharia Ambiental UFBA Escola Politécnica DEA Departamento de Engenharia Ambiental MARINHO, Márcia Mara de Oliveira; AGRA FILHO, Severino Soares; MACHADO, Luane Borges; CUNHA, Mateus Almeida; CARDOSO, Vanessa Britto Silveira;

Leia mais

ABESI N F O R M A. Missão do PNQS já de volta da Espanha

ABESI N F O R M A. Missão do PNQS já de volta da Espanha 21 de dezembro de 2010 Missão do PNQS já de volta da Espanha Já estão voltando ao Brasil os 45 representantes de empresas e serviços de saneamento que foram à Espanha em missão de estudos do PNQS Prêmio

Leia mais

Verificação da sustentabilidade das ações do Programa LIXO NOSSO DE CADA DIA, realizado pelo Ministério Público do Estado de Santa Catarina.

Verificação da sustentabilidade das ações do Programa LIXO NOSSO DE CADA DIA, realizado pelo Ministério Público do Estado de Santa Catarina. PROPOSTA DE PROJETO DE COOPERAÇÃO TECNICO-CIENTIFÍCA ENTRE O MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE E A ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE ENGENHARIA SANITÁRIA E AMBIENTAL SEÇÃO SANTA CATARINA Verificação da sustentabilidade

Leia mais

Audiência para tratar das possíveis tecnologias aplicadas com a finalidade de deter as aeronaves em riscos de acidentes nos aeroportos de pista curta

Audiência para tratar das possíveis tecnologias aplicadas com a finalidade de deter as aeronaves em riscos de acidentes nos aeroportos de pista curta Audiência para tratar das possíveis tecnologias aplicadas com a finalidade de deter as aeronaves em riscos de acidentes nos aeroportos de pista curta JAQUES SHERIQUE Eng. Mec. e de Seg. do Trab. Vice-Presidente

Leia mais

CONSELHO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO Câmara de Educação Superior e Profissional

CONSELHO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO Câmara de Educação Superior e Profissional INTERESSADA: Universidade Estadual Vale do Acaraú UVA EMENTA: Renova o reconhecimento do Curso de Tecnologia da Construção de Edifícios, ofertado pela Universidade Estadual Vale do Acaraú UVA, na sede

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 02/2012

RESOLUÇÃO Nº 02/2012 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA CONSELHO ACADÊMICO DE PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO Nº 02/2012 Aprova o Regulamento de Extensão Universitária da Universidade

Leia mais

MUNICÍPIO DE TAIOBEIRAS-MG CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE CARGOS EFETIVOS EDITAL 1/2014 ANEXO III (RETIFICADO)

MUNICÍPIO DE TAIOBEIRAS-MG CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE CARGOS EFETIVOS EDITAL 1/2014 ANEXO III (RETIFICADO) Auxiliar de Mecânico (Lei Municipal n.º 1.227/2013) Executar tarefas de pequena complexidade no auxílio de serviços especializados em mecânica em geral. Advogado (Lei Municipal n.º 1.227/2013) Elaborar

Leia mais

CÂMARA ESPECIALIZADA DE ENGENHARIA DE AGRIMENSURA. Julgamento de Processos

CÂMARA ESPECIALIZADA DE ENGENHARIA DE AGRIMENSURA. Julgamento de Processos 1 I - PROCESSOS DE VISTAS I. I - PROCESSOS QUE RETORNAM À CÂMARA APÓS "VISTA" CONCEDIDA 1 SF-981/2012 RUI APARECIDO NOVAES SOUZA RELATOR: ANTONIO MOACIR RODRIGUES NOGUEIRA/RELATO DE VISTA: JOÃO LUIZ BRAGUINI

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 1, DE 2 DE FEVEREIRO DE 2006 1

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 1, DE 2 DE FEVEREIRO DE 2006 1 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 1, DE 2 DE FEVEREIRO DE 2006 1 Institui as Diretrizes Curriculares Nacionais para o curso de graduação em Engenharia

Leia mais

1 PROJETO DESCRIÇÃO DAS ATIVIDADES CONTRATADAS - RRT

1 PROJETO DESCRIÇÃO DAS ATIVIDADES CONTRATADAS - RRT DESCRIÇÃO DAS ATIVIDADES CONTRATADAS - RRT 1 PROJETO 1.1 - ARQUITETURA DAS EDIFICAÇÕES 1.1.1 - Levantamento arquitetônico 1.1.2 - Projeto arquitetônico 1.1.3 - Projeto arquitetônico de reforma 1.1.4 -

Leia mais

I FLAE Fórum Latino Americano de Engenharia Perspectiva para integração, educação e desenvolvimento

I FLAE Fórum Latino Americano de Engenharia Perspectiva para integração, educação e desenvolvimento I FLAE Fórum Latino Americano de Engenharia Perspectiva para integração, educação e desenvolvimento Engenheiro civil Geraldo Canci Gerente da Regional de Cascavel/CREA-PR 13/11/2013 Índice O CREA-PR/CONFEA

Leia mais

CREA-RS. Integrando Profissionais e Sociedade CÂMARA ESPECIALIZADA DE ENGENHARIA INDUSTRIAL

CREA-RS. Integrando Profissionais e Sociedade CÂMARA ESPECIALIZADA DE ENGENHARIA INDUSTRIAL CREA-RS Integrando Profissionais e Sociedade CÂMARA ESPECIALIZADA DE ENGENHARIA INDUSTRIAL INSPEÇÃO TÉCNICA DE SEGURANÇA VEICULAR O QUE FISCALIZAR ONDE FISCALIZAR PARÂMETRO LEGISLAÇÃO Inspeção Empresas

Leia mais

PROPOSTA DE SUBSTITUTIVO DA FENADADOS AO PROJETO DE LEI No. 815/96 TÍTULO I

PROPOSTA DE SUBSTITUTIVO DA FENADADOS AO PROJETO DE LEI No. 815/96 TÍTULO I ... CÂMARA DOS DEPUTADOS PROPOSTA DE SUBSTITUTIVO DA FENADADOS AO PROJETO DE LEI No. 815/96 (Do Sr. Sílvio Abreu) Dispõe sobre a regulamentação do exercício das atividades profissionais de Informática

Leia mais

SESSÃO PLENÁRIA Nº 1970 (ORDINÁRIA) DE 17 DE OUTUBRO DE 2013

SESSÃO PLENÁRIA Nº 1970 (ORDINÁRIA) DE 17 DE OUTUBRO DE 2013 SESSÃO PLENÁRIA Nº 1970 (ORDINÁRIA) DE 17 DE OUTUBRO DE 2013 III. Discussão e aprovação da Ata da Sessão Plenária nº 1969 (Ordinária) de 19 de setembro de 2013. PAUTA Nº: 1 PROCESSO: Interessado: Crea-SP

Leia mais

PORTARIA CONJUNTA SEPLAG/IBRAM Nº 02, DE 06 DE FEVEREIRO DE 2009 DODF de 10.02.2009

PORTARIA CONJUNTA SEPLAG/IBRAM Nº 02, DE 06 DE FEVEREIRO DE 2009 DODF de 10.02.2009 PORTARIA CONJUNTA SEPLAG/IBRAM Nº 02, DE 06 DE FEVEREIRO DE 2009 DODF de 10.02.2009 O SECRETÁRIO DE ESTADO DE PLANEJAMENTO E GESTÃO DO DISTRITO FEDERAL e o PRESIDENTE DO INSTITUTO DO MEIO AMBIENTE E DOS

Leia mais

AUTOMATIZAÇÃO EM ESTAÇÕES DE TRATAMENTO DE ÁGUA DE CICLO COMPLETO - O CASO DA ETA CUBATÃO/S.P.

AUTOMATIZAÇÃO EM ESTAÇÕES DE TRATAMENTO DE ÁGUA DE CICLO COMPLETO - O CASO DA ETA CUBATÃO/S.P. AUTOMATIZAÇÃO EM ESTAÇÕES DE TRATAMENTO DE ÁGUA DE CICLO COMPLETO - O CASO DA ETA CUBATÃO/S.P. Reynaldo Eduardo Young Ribeiro (*) Engenheiro Industrial e Sanitarista. Especialista em Water Pollution Control

Leia mais

Proposta Aprovada no 8º Congresso Nacional de Profissionais Inserção Internacional do Sistema Confea/Crea

Proposta Aprovada no 8º Congresso Nacional de Profissionais Inserção Internacional do Sistema Confea/Crea Proposta Aprovada no 8º Congresso Nacional de Profissionais Inserção Internacional do Sistema Confea/Crea 31 de janeiro de 2015 Sãp Paulo - SP 8º Congresso Nacional de Profissionais Eixo Referencial -

Leia mais

Marco de Política para o Reassentamento Involuntário

Marco de Política para o Reassentamento Involuntário Marco de Política para o Reassentamento Involuntário Introdução O Marco de Políticas serve para orientar as equipes estaduais para os casos em que a construção de infra-estrutura hídrica com financiamento

Leia mais

PAUTA COMPLEMENTAR DA SESSÃO PLENÁRIA N 1935 DE 19 DE MAIO DE 2011 (ORDINÁRIA) ORDEM DO DIA ITEM 1 JULGAMENTO DOS PROCESSOS I PROCESSOS DE ORDEM C

PAUTA COMPLEMENTAR DA SESSÃO PLENÁRIA N 1935 DE 19 DE MAIO DE 2011 (ORDINÁRIA) ORDEM DO DIA ITEM 1 JULGAMENTO DOS PROCESSOS I PROCESSOS DE ORDEM C 1 PAUTA COMPLEMENTAR DA SESSÃO PLENÁRIA N 1935 DE 19 DE MAIO DE 2011 (ORDINÁRIA) DO DIA ITEM 1 JULGAMENTO DOS PROCESSOS I PROCESSOS DE C PROCESSO/ INTERESSADO 64 C-0995/09 Crea-SP Termo de Cooperação (Estudos

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO PARECER HOMOLOGADO(*) (*) Despacho do Ministro, publicado no Diário Oficial da União de 20/12/2004, seção 1, pág.29. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO INTERESSADO: Conselho Nacional

Leia mais

Universidade de Évora

Universidade de Évora Universidade de Évora Edital Abertura do Mestrado Engenharia Geológica No ano letivo 2012/2013 1. O Curso é promovido por: Universidade de Évora Escola de Ciências e Tecnologia Departamento de Geociências

Leia mais

Para efeito desta Orientação Técnica, conceitua-se: Definição de Obras e Serviços de Engenharia para Fins de Escolha da Modalidade Licitatória

Para efeito desta Orientação Técnica, conceitua-se: Definição de Obras e Serviços de Engenharia para Fins de Escolha da Modalidade Licitatória Definição de obras e serviços de engenharia para fins de escolha da modalidade licitatória. A Lei de Licitações e Contratos, Lei nº 8.666, de 21 de junho de 1993, definiu, expressamente, no artigo 6º,

Leia mais

Instituto Brasileiro de Engenharia de Custos

Instituto Brasileiro de Engenharia de Custos Instituto Brasileiro de Engenharia de Custos Engenheiro Civil Paulo Roberto Vilela Dias, MSc Mestre em Engenharia Civil - uff Professor do Mestrado em Engenharia Civil da Universidade Federal Fluminense

Leia mais

ANO 2011 2012 2013 2014 VAGAS 40 80 80 80

ANO 2011 2012 2013 2014 VAGAS 40 80 80 80 PRONATEC PROGRAMA NACIONAL DE ACESSO AO ENSINO TÉCNICO E EMPREGO OFERTA DE CURSOS FIC - FORMAÇÃO INICIAL E CONTINUADA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DA PARAÍBA CAMPUS JOÃO PESSOA 1.

Leia mais

Anexo II DESCRIÇÃO SUMARIA DOS CARGOS

Anexo II DESCRIÇÃO SUMARIA DOS CARGOS Anexo II DESCRIÇÃO SUMARIA DOS CARGOS Nível de Classificação E; Nível de Capacitação I; Padrão de Vencimento I Regime Jurídico Único Jornada de Trabalho = 40 horas/semanais (Lei 11.091/05) REMUNERAÇÃO:

Leia mais

SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO ENGENHARIA CIVIL POÇOS DE CALDAS

SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO ENGENHARIA CIVIL POÇOS DE CALDAS 1) Perfil do curso: SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO ENGENHARIA CIVIL POÇOS DE CALDAS O curso de Engenharia Civil da PUC Minas, campus de Poços de Caldas, tem como objetivo principal formar um profissional

Leia mais

Sistema Único de Saúde, para fortalecimento dos processos de descentralização da gestão da saúde, em conformidade com a legislação vigente.

Sistema Único de Saúde, para fortalecimento dos processos de descentralização da gestão da saúde, em conformidade com a legislação vigente. GOVERNO DO ESTADO DO ESPIRÍTO SANTO SECRETARIA ESTADUAL DE SAÚDE DO ESPÍRITO SANTO CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE VAGAS E FORMAÇÃO DE CADASTRO DE RESERVA EM CARGOS DE NÍVEL SUPERIOR EDITAL Nº 1 SESA/ES,

Leia mais

EDIFICAÇÕES ELETROMECÂNICA

EDIFICAÇÕES ELETROMECÂNICA É importante que todo aluno tenha acesso às informações sobre os cursos e faça sua escolha para não haver dúvida no ato da inscrição para o concurso de 2012/2013: EDIFICAÇÕES O Técnico em Edificações é

Leia mais

O USO ESTRATÉGICO DA ÁGUA Legislação Hídrica no Brasil e a Revisão da Portaria MS 518/04

O USO ESTRATÉGICO DA ÁGUA Legislação Hídrica no Brasil e a Revisão da Portaria MS 518/04 Secretaria de Vigilância em Saúde O USO ESTRATÉGICO DA ÁGUA Legislação Hídrica no Brasil e a Revisão da Portaria MS 518/04 Guilherme Franco Netto Diretor de Vigilância em Saúde Ambiental e Saúde do Trabalhador

Leia mais

Tribunal de Contas da União. Instituto Serzedello Corrêa. Antonio M. Salles Vice-Presidente Gestão

Tribunal de Contas da União. Instituto Serzedello Corrêa. Antonio M. Salles Vice-Presidente Gestão Tribunal de Contas da União Instituto Serzedello Corrêa Antonio M. Salles Vice-Presidente Gestão O papel do gerenciamento nas obras públicas Gerenciamento de Empreendimento Histórico Gerenciamento de Obras

Leia mais

ESTADO DE SANTA CATARINA Prefeitura Municipal de Jaraguá do Sul

ESTADO DE SANTA CATARINA Prefeitura Municipal de Jaraguá do Sul CONCURSO PÚBLICO - EDITAL 001/2013 ANEXO 1 CARGO, VAGAS, SALÁRIO MENSAL, JORNADA DE TRABALHO E ESCOLARIDADE/PRÉ-REQUISITOS: s de Nível Fundamental Agente Comunitário de Saúde - Amizade 6 R$ 1.130,07 40

Leia mais

Relatório de vagas disponíveis - Bolsa Emprego

Relatório de vagas disponíveis - Bolsa Emprego AGRONOMIA RCSC / REGIONAL DE CASCAVEL COOPAVEL COOPERATIVA AGROINDUSTRIAL Engenheiro Agrônomo Assistência Técnica a cooperados, crédito rural, vendas, sendo todos estes relacionados aos cooperados assistidos

Leia mais

FERRAMENTA DE ANÁLISE DE ÍNDICES OPERACIONAIS, FINANCEIROS E DE QUALIDADE EM SANEAMENTO BÁSICO PARA FORMULAÇÃO DE INDICADORES DE APOIO À REGULAÇÃO.

FERRAMENTA DE ANÁLISE DE ÍNDICES OPERACIONAIS, FINANCEIROS E DE QUALIDADE EM SANEAMENTO BÁSICO PARA FORMULAÇÃO DE INDICADORES DE APOIO À REGULAÇÃO. FERRAMENTA DE ANÁLISE DE ÍNDICES OPERACIONAIS, FINANCEIROS E DE QUALIDADE EM SANEAMENTO BÁSICO PARA FORMULAÇÃO DE INDICADORES DE APOIO À REGULAÇÃO. Daniel Antonio Narzetti (1) Economista pela Universidade

Leia mais

CONCORRÊNCIA PÚBLICA DE TÉCNICA E PREÇONº 003/15 CIRCULAR Nº01

CONCORRÊNCIA PÚBLICA DE TÉCNICA E PREÇONº 003/15 CIRCULAR Nº01 Contratação para os serviços de elaboração de Projetos Executivos de Engenharia para gasodutos, redes internas, incluindo levantamento topográfico semi-cadastral, proteção catódica, o estudo de interferência

Leia mais